Relatório de Gestão do exercício de 2010

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório de Gestão do exercício de 2010"

Transcrição

1 Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior/ Ministério da Educação Relatório de Gestão do exercício de 2010 Relatório de Gestão do exercício de 2010 apresentado aos órgãos de controle interno e externo como prestação de contas anual a que esta Unidade está obrigada nos termos do art. 70 da Constituição Federal, elaborado de acordo com as disposições da IN TCU nº 63/2010, da DN TCU nº 107/2010, da Portaria TCU nº 227/2010 e das orientações do órgão de controle interno constantes da Portaria CGU/PR nº 2546/2010; Brasília, 30 de março de 2011

2 Presidente Jorge Almeida Guimarães Diretora de Gestão Denise de Menezes Neddermeyer Diretor de Programas e Bolsas no País Emídio Cantídio de Oliveira Filho Diretor de Avaliação Lívio Amaral Diretor de Relações Internacionais Sandoval Carneiro Júnior Diretor de Educação Básica Presencial João Carlos Teatini de Souza Diretor de Educação à Distância Celso José da Costa Auditor-Chefe Fábio de Paiva Vaz Procurador-Chefe José Tavares dos Santos

3 Sumário 1. Identificação - Relatório de Gestão Individual Objetivos e metas institucionais e/ou programáticos Responsabilidades institucionais da unidade Estratégia de atuação frente às responsabilidades institucionais Programas de Governo sob a responsabilidade da CAPES Execução dos Programas de Governo sob a responsabilidade da CAPES Execução física das ações realizadas pela CAPES Ações executadas no âmbito do Programa I) Ação Acesso à Informação Científica e Tecnológica...16 II) Ação Avaliação e Acompanhamento de Programas de Pós-Graduação e de Fomento...26 III) Ação 09GK - Concessão de Bolsas de Qualificação de Pessoal de Alto Nível para o Atendimento das Diretrizes da Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior. 35 IV) Ação OB95 Concessão de Bolsas de Qualificação de Pessoal de Alto Nível para Pesquisa em Temas Estratégicos - Novas Fronteiras da Pós-Graduação...40 V) Ação 009H - Concessão de Bolsas em Atendimento ao Plano Nacional de Pós- Doutorado...45 VI) Ação Concessão de Bolsas para Cooperação Internacional e Desenvolvimento Científico e Inovação...55 VII) Ação Concessão e Manutenção de Bolsas de Estudos no Exterior...66 VIII) Ação 0487 Concessão e Manutenção de Bolsas de Estudo no País...71 IX) Ação 12TS - Aquisição e Adequação do Prédio-Sede da X) Ação 8015 Ensino e Pesquisa de Pós-Graduação em Estatística e Geociências XI) Ação 4019 Fomento à Pós-Graduação XII) Ação 4006 Funcionamento de Cursos de Pós-Graduação XIII) Ação 4909 Funcionamento de Cursos de Pós-Graduação em Botânica e Meio Ambiente XIV) Ação Pesquisa Universitária e Difusão de seus resultados Ações executadas pela em programas de governo sob a responsabilidade de outros órgãos Programa Qualidade na Escola (Ministério da Educação) I) Ação 009U Concessão de Bolsa de Iniciação à Docência PIBID II) Ação: 20CY Concessão de Bolsas de Cooperação Internacional para o aprimoramento dos Profissionais da Educação Básica III Ação Apoio à Capacitação e Formação Inicial e Continuada de Professores e Profissionais da Educação Básica IV) Ação 20CV Fomento a Estudos e Pesquisas para o Desenvolvimento da Educação Básica Programa 1061 Brasil Escolarizado (Ministério da Educação) I) Ação 8429 Capacitação e Formação Inicial e Continuada, a Distância, de Professores e Profissionais para a Educação Pública II) Ação 0A30 - Concessão de Bolsa de Incentivo à Formação de Professores para a Educação Básica Programa Apoio Administrativo I) Ação 2000 Administração da Unidade

4 II) Ação 2004 Assistência Médica e Odontológica aos Servidores, Empregados e seus Dependentes III) Ação 2010 Assistência Pré-Escolar aos Dependentes dos Servidores e Empregados IV) Ação 2011 Auxílio Transporte aos Servidores e Empregados V) Ação 2012 Auxílio Alimentação aos Servidores e Empregados VI) Ação 20CW - Assistência Médica aos Servidores e Empregados Exames Periódicos VII) Ação 09HB - Contribuição da União, de suas Autarquias e Fundações para o Custeio do Regime de Previdência dos Servidores Públicos Federais Programa Gestão da Política de Educação (MEC) I) Ação 4572 Capacitação de Servidores Públicos Federais em Processo de Qualificação e Requalificação Programa Operações Especiais: Cumprimento de Sentenças Judiciais I) Ação 0005 Cumprimento de Sentença Judicial Transitada em Julgado (Precatórios) devida pela União, Autarquias e Fundações Públicas II) Ação 00G5 - Contribuição da União, de suas Autarquias e Fundações para o Custeio do Regime de Previdência dos Servidores Públicos Federais decorrente do Pagamento de Precatórios e Requisições de Pequeno Valor Programa Previdência de Inativos e Pensionistas da União Ação Pagamento de Aposentadorias e Pensões - Servidores Civis Desempenho Orçamentário/Financeiro Programação Orçamentária Programação das Despesas Correntes Programação das Despesas de Capital Quadro Resumo da Programação de Despesas Movimentação Orçamentária por Grupo de Despesa Execução Orçamentária da Despesa Execução Orçamentária de Créditos originários da UJ Despesas por Modalidade de Contratação Despesas Correntes por Grupo e Elemento de Despesa Despesas de Capital por Grupo e Elemento de Despesa Despesas por Modalidade de Contratação dos créditos recebidos por movimentação Despesas Correntes por Grupo e Elemento de Despesa dos créditos recebidos por movimentação Despesas de Capital por Grupo e Elemento de Despesa dos créditos recebidos por movimentação Indicadores Institucionais Informações sobre o reconhecimento de passivos por insuficiência de créditos ou recursos Informações sobre a movimentação e os saldos de Restos a Pagar de Exercícios Anteriores Pagamentos e cancelamentos de Restos a Pagar de exercícios anteriores Análise Crítica Informações sobre a composição de Recursos Humanos Composição do Quadro de Servidores Ativos Composição do Quadro de Servidores Inativos e Pensionistas

5 5.3. Composição do Quadro de Estagiários Quadro de custos de recursos humanos Contratos de prestação de serviços com locação de mão de obra Indicadores Gerenciais Sobre Recursos Humanos Informações sobre transferências no Exercício Transferências efetuadas no exercício Relação dos instrumentos de transferência vigentes no exercício de Quantidade de instrumentos de transferências celebrados e valores repassados nos três últimos exercícios Informações sobre o conjunto de instrumentos de transferências que vigerão no exercício de 2011 e seguintes Informações sobre a prestação de contas relativas aos convênios e contratos de repasse Informações sobre a análise das prestações de contas de convênios e de contratos de repasse Análise Crítica Informações sobre o funcionamento do sistema de controle interno da UJ Estrutura de controles internos da UJ Informações quanto à adoção de critérios de sustentabilidade ambiental na aquisição de bens, contratação de serviços ou obras Gestão Ambiental e Licitações Sustentáveis Informações sobre a gestão do patrimônio imobiliário da UJ classificado como Bens de Uso Especial de propriedade da União ou locado de terceiros Gestão de Bens Imóveis de Uso Especial Informações sobre a gestão de tecnologia da informação (TI) da UJ Gestão de Tecnologia da Informação (TI) Informações sobre as providências adotadas para atender às deliberações exaradas em acórdãos do TCU ou em relatórios de auditoria do órgão de controle interno Deliberações do TCU atendidas no exercício Deliberações do TCU pendentes de atendimento ao final do exercício (Quadro A.15.2 Portaria tcu n.º 277/2010) Recomendações do OCI atendidas no exercício Recomendações do OCI pendentes de atendimento ao final do exercício Informação sobre as recomendações realizadas pela unidade de controle interno (item 16, Parte A, Anexo II, da Portaria TCU n.º 107/2010) Declaração do contador Registros nos Sistemas SIASG e SICONV Cartões de pagamento do governo federal Fechamento

6 1. Identificação - Relatório de Gestão Individual Poder e Órgão de vinculação Poder: Executivo Órgão de Vinculação: Ministério da Código SIORG: Educação Identificação da Unidade Jurisdicionada Denominação completa: Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Denominação abreviada: CAPES Código SIORG: Código LOA: Código SIAFI: Situação: ativa Natureza Jurídica: Fundação Principal Atividade: Educação Superior Código CNAE: /00 Pós-Graduação e Extensão Telefones/Fax de (061) (061) (061) contato: Endereço eletrônico: Página da Internet: Endereço Postal: Setor Bancário Norte, Quadra 2, Bloco L, Lote 06, CEP Brasília, DF Normas relacionadas à Unidade Jurisdicionada Normas de criação e alteração da Unidade Jurisdicionada Lei n o 8.405, de 9 de janeiro de 1992 (D.O.U de ); Lei nº , de 11 de julho de 2007 (D.O.U de ). Outras normas infralegais relacionadas à gestão e estrutura da Unidade Jurisdicionada Decreto no 524, de 19 de maio de 1992 (D.O.U de ); Decreto nº 6.316, de 20 de Dezembro de 2007 (D.O.U de ); e Portaria nº 609, de 20 de maio de 2008 do Ministro de Estado da Educação (D.O.U de ). Manuais e publicações relacionadas às atividades da Unidade Jurisdicionada As normas relacionadas às atividades da Unidade Jurisdicionada encontram-se no sítio da CAPES Unidades Gestoras e Gestões relacionadas à Unidade Jurisdicionada Unidades Gestoras relacionadas à Unidade Jurisdicionada Código SIAFI Nome FU/DF FU/DF Gestões relacionadas à Unidade Jurisdicionada Código SIAFI Nome FUND. COORD. DE APERF. DE PESSOAL NÍVEL SUPERIOR Relacionamento entre Unidades Gestoras e Gestões Código SIAFI da Unidade Gestora Código SIAFI da Gestão

7 2. Objetivos e metas institucionais e/ou programáticos 2.1. Responsabilidades institucionais da unidade Com a finalidade de subsidiar o Ministério da Educação na formulação de políticas para a área de pós-graduação, coordenar e avaliar os cursos desse nível no País e estimular, mediante bolsas de estudo, auxílios e outros mecanismos, a formação de recursos humanos altamente qualificados para a docência de grau superior, a pesquisa e o atendimento da demanda dos setores públicos e privado, a Lei n.º 8.405/1992 autorizou o Poder Executivo a instituir como fundação pública a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Em julho de 2007, a Lei nº modificou as competências e a estrutura organizacional da CAPES, trazendo como nova finalidade da instituição induzir e fomentar a formação inicial e continuada de profissionais de magistério, além de permanecer inalterada a sua missão original no que concerne à pós-graduação. Dessarte, a missão institucional da CAPES foi consubstanciada por intermédio de três seguimentos principais de atuação, os quais representam atualmente seus objetivos estratégicos: a) investimentos na formação de recursos humanos pós-graduados e na formação de professores e profissionais para a Educação Básica; b) fomento às atividades voltadas para o desenvolvimento institucional acadêmico educacional, bem como à melhoria da qualidade da educação brasileira; e c) avaliação dos cursos de pós-graduação com vistas a manter e expandir a excelência da pesquisa acadêmica, científica e tecnológica do País Estratégia de atuação frente às responsabilidades institucionais O ano de 2010 foi marcado pela continuidade do processo de consolidação desses novos objetivos, buscando-se uma abordagem sistêmica da Educação em todos os níveis, desde a formação básica, à pós-graduação stricto sensu. Assim, a atuação na unidade foi baseada na incorporação das novas atividades voltadas para a Educação Básica e sua integração com as linhas políticas tradicionais da instituição. No âmbito da pós-graduação (Programa Desenvolvimento da Pós-Graduação), o investimento na formação de recursos humanos e o fomento às atividades para consecução de tal objetivo tiveram como destaque a continuidade do apoio ao desenvolvimento eficaz das atividades regulares da pós-graduação, com a concessão de bolsas de estudo e apoio financeiro no âmbito de programas internos tradicionais da CAPES, de acordo com a estratégia de implementação desses programas visando à redução das assimetrias regionais do País, de modo a promover melhor e mais justa política de formação de recursos humanos. Nesse sentido, em 2010, por meio da Ação 0487 Concessão e Manutenção de Bolsas no País, foram concedidas bolsas de mestrado, de doutorado e 793 de pós-doutorado no país, beneficiando alunos matriculados em programas de pós-graduação (PPG) avaliados e recomendados pela CAPES, bem como recém-doutores, no âmbito de programas internos da como Demanda Social, PROF, PROSUP, PRODOC, dentre outros. Do total de bolsas concedidas por essa ação, foram destinadas ao programa Bolsas para Todos, direcionado a alunos dos cursos de pós-graduação das regiões Norte, Centro-Oeste, Nordeste, mas que em 2010 também beneficiou alunos de áreas menos favorecidas das regiões Sul e Sudeste. Merece destaque também a continuidade de diversas ações indutivas para o suporte ao desenvolvimento de projetos com formação de recursos humanos em áreas consideradas 7

8 estratégicas para o País: TV DIGITAL, Defesa Nacional, Engenharias, Saúde, Cultura, Administração, Ciências do Mar, Nanobiotecnologia e Comércio Exterior. Ainda na pós-graduação, deve se conceder relevo especial à execução do Programa Pró- Equipamentos Institucional que apoiou 98 projetos destinados à melhoria da infra-estrutura de pesquisa científica e tecnológica nos Programas de Pós-Graduação, com o investimento total de R$ ,98 (sessenta e nove milhões, quatrocentos e quarenta e três mil, cento e oitenta e oito reais e noventa e oito centavos), por meio da ação Fomento à Pós-graduação (Ação 4019). Por meio dessa Ação foram destinados recursos para financiamento de investimentos e custeio de PPG, no âmbito de programas internos da CAPES, bem como para custear a participação em eventos científicos no país. Também há que se mencionar a ação de Concessão de Bolsas de Qualificação de Pessoal de Alto Nível para o Atendimento das Diretrizes da Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior (09GK), para apoio aos cursos do Programa PROEX (que visa manter o padrão de qualidade dos programas de pós-graduação com nota 6 ou 7, pertencentes a instituições jurídicas de direito público e privado). Em 2010 foram implementadas bolsas de mestrado e de doutorado nas diferentes áreas do saber, especialmente nas tecnológicas, tais como Engenharias, Ciência da Computação, Química, Farmácia e Farmacologia e Ciências Biológicas, com o objetivo de formar recursos humanos de alto nível nas áreas priorizadas pela Política de Desenvolvimento Produtivo PDP, para o fortalecimento da realização de pesquisas de ponta nas empresas e em instituições públicas e privadas. Já o acesso à informação tecnológica e ao conhecimento científico (Ação 2317) representado pelo Portal de Periódicos, continuou recebendo recursos à altura de sua importância, com o investimento em 2010 no valor de 113 milhões de reais, sendo atualmente considerado o portal científico de maior capilaridade no mundo, beneficiando 311 instituições públicas e privadas, entre universidades, centros de pesquisa e órgãos de governo. Em 2010, o Portal de Periódicos completou 10 anos de atividades disponibilizando aos usuários artigos publicados em revistas internacionais, nacionais e estrangeiras e 130 bases de dados com resumos de documentos em todas as áreas do conhecimento, incluindo uma seleção de fontes de informação acadêmica com acesso gratuito na internet. Deve se ressaltar também no âmbito da pós-graduação, a ampliação da cooperação e das relações internacionais da CAPES, tendo como seus pilares os princípios de simetria, flexibilidade, qualidade e agilidade. No âmbito da Ação de Concessão de Bolsas para Cooperação Internacional e Desenvolvimento Científico e Inovação (Ação 0967) em 2010 foram executados 608 projetos conjuntos de pesquisa e 180 parcerias universitárias envolvendo países da União Européia (Alemanha, França, Espanha, Holanda e Portugal), do MERCOSUL (Argentina e Uruguai), Estados Unidos e Cuba. Ademais, 10 projetos foram desenvolvidos em programas especiais com países da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (Cabo Verde, Angola, Moçambique, Guiné-Bissau e Timor Leste). Ainda nesta ação, foram concedidas novas bolsas de estudos e mantidos outros 905 bolsistas de doutorado, doutorado-sanduíche, estágio pós-doutoral e estágio sênior, que iniciaram seus estudos em exercícios anteriores, totalizando bolsistas contemplados no exercício. Já no âmbito da Ação de Concessão e Manutenção de Bolsas no Exterior (0935) foram concedidas novas bolsas de estudos, referentes aos programas de bolsas no exterior que apóiam demandas individuais e de projetos de pesquisa, integrantes de programas nacionais em áreas estratégicas geridos pela CAPES. Foram mantidos, em mais de 30 países, outros bolsistas de doutorado, doutorado-sanduíche, estágio pós-doutoral e estágio sênior, que iniciaram seus estudos em exercícios anteriores. 8

9 Quanto às ações voltadas ao desenvolvimento e à consolidação das ações relativas à nova missão da CAPES, merece relevo a indução e o fomento à formação inicial e continuada de profissionais do magistério da educação básica. Ressalte-se que, no início do exercício anterior, com o Decreto n.º 6.755/2009, foi instituída a Política Nacional de Formação dos Profissionais do Magistério da Educação Básica, que disciplinou a atuação da no fomento a programas de formação inicial e continuada. Por conseguinte, em 2010 foi aprovado por intermédio do Decreto n.º 7.219, o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID, que tem por finalidade fomentar a iniciação à docência no âmbito da CAPES, mediante a concessão de bolsa de iniciação à docência a alunos de cursos de licenciatura que exerçam atividades pedagógicas em escolas públicas de educação básica, bem como aos professores responsáveis pela coordenação e supervisão destas atividades. De um total de bolsistas em dezembro de 2009, o programa cresceu em 2010 para bolsas, assim distribuídas: bolsas de iniciação à docência para alunos de licenciatura, 981 bolsas para coordenadores institucionais e de área e para supervisores (professores de escolas públicas envolvidos com as atividades pedagógicas do PIBID). Atualmente, são 124 IES participantes e escolas beneficiadas pela ação dos bolsistas. Já por intermédio da Ação 6333, a CAPES incentivou e promoveu a formação inicial e continuada de professores e profissionais da educação, e o desenvolvimento de capacitações, estudos, projetos, avaliações, implementação de políticas e programas demandados pela Educação Básica, por meio de apoio técnico e financeiro às redes públicas de Educação Básica, com vistas atender a execução do Plano Nacional de Formação dos Professores da Educação Básica PARFOR. Até o exercício de 2010 implantou-se, no âmbito do PARFOR, 984 turmas em cerca de 313 cursos presenciais. Essas turmas e cursos estão atendendo, aproximadamente, um total de professores distribuídos em 23 unidades federativas do País. Além de induzir a oferta emergencial (apoio à criação de novas turmas em cursos já reconhecidos e ofertados pelas IES, destinadas, exclusivamente, a atender professores em exercício na rede púbica de educação), o PARFOR também estimula a destinação de vagas para este público em turmas regulares ofertados pelas IES. Nestas turmas de cursos regulares, o PARFOR mantém 760 alunos matriculados, o que fez com que o Plano atendesse, em 2010, um quantitativo de aproximadamente professores. Outra ação governamental voltada para a formação de professores da Educação Básica foi a Ação 20CV (Fomento a Estudos e Pesquisas para o Desenvolvimento da Educação Básica). Sua autorização ocorreu no exercício de 2010 e significou a possibilidade da CAPES, sem a dependência de recursos externos, investir em projetos para o desenvolvimento de estudos e pesquisas voltados para a melhoria da Educação Básica, integrando Pós-Graduação e Educação Básica. Por meio desta Ação, a CAPES desenvolveu um conjunto de programas Prodocência, Observatório da Educação, Programa Novos Talentos, Projetos Especiais de Apoio à Educação Básica e Apoio a Feiras de Ciências e Mostras Científicas, que visam estudar a Educação Básica, com o objetivo de desenvolvimento e melhoria qualitativa do processo educacional, com ênfase na articulação entre pós-graduação, cursos de formação de professores e escolas da rede pública de educação básica. Merece destaque também a autorização em 2010 da Ação de Concessão de Bolsas de Cooperação Internacional para o aprimoramento dos Profissionais da Educação Básica. (20 CY). Um dos desafios da CAPES é estender o reconhecimento e a legitimidade de que goza no meio 9

10 acadêmico da pós-graduação stricto sensu à formação de professores para a educação básica. Nesse propósito, esta Fundação busca replicar experiências bem sucedidas na pós-graduação, adequandoas às novas responsabilidades que assumiu legalmente na Educação Básica. Uma dessas experiências é a integração com outros países, ampliando as fronteiras pedagógicas, culturais e científicas. A criação da nova Ação orçamentária 20CY, pode ser considerada mais um primeiro resultado alcançado pela nesse sentido. Com relação à Educação Básica à distância, por intermédio da Ação 8429 a CAPES visou apoiar a capacitação de profissionais do magistério da educação básica, com destaque para a formação inicial e continuada de professores para este nível de ensino, através de Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB). Por intermédio dessa ação ocorreu o financiamento da infraestrutura das Instituições Públicas Ensino Superior (IPES) e dos pólos de apoio presencial parceiros do Sistema UAB, visando à implantação e ao custeio dos cursos ofertados na modalidade à distância com o objetivo de a realizar capacitação e formação inicial e continuada, à distância e semipresencial, de professores para atuação na educação básica e de profissionais para atuarem na gestão pública e em áreas especificas. Em 2010, atingiu-se o total de 92 Instituições de Ensino Superior (IES) vinculadas ao Sistema UAB, sendo 50 Universidades Federais, 27 Universidades Estaduais e 15 Institutos Federais de Educação Tecnológica, responsáveis pela oferta de cursos em 587 polos de apoio presencial distribuídos pelas regiões do país. Já por intermédio da ação 0A30 houve o pagamento de bolsas aos profissionais envolvidos na gestão pedagógica e na oferta dos cursos na modalidade à distância no âmbito do Sistema UAB. Em dezembro de 2010 registrou-se aproximadamente de (vinte mil) bolsistas cadastrados, vinculados às 92 IES parceiras do Sistema UAB e aos 587 polos de apoio presencial ativos, distribuídos nas funções de coordenadores, professores conteúdistas, professores pesquisadores, revisores, tutores presenciais e à distância. Em suma, no exercício de 2010, a CAPES continuou em sua missão de expandir ações de apoio e fomento à pós-graduação brasileira stricto sensu, contribuindo assim para prover ao país quadros de alto nível técnico e cientifico, condição necessária para a manutenção do desenvolvimento sustentável e de longo prazo da nação, além de atuar na consolidação de sua nova missão, a formação inicial e a qualificação de docentes para a educação básica, conforme demonstrado no gráfico abaixo sobre número de bolsas concedidas. No âmbito do terceiro objetivo estratégico, a ação de Avaliação da Pós-Graduação stricto sensu brasileira é uma das mais reconhecidas ações conduzidas pela CAPES, para atingir objetivos e prioridades institucionais. Criada em 1976, continua sendo a pedra basilar na construção e no desenvolvimento da pós-graduação stricto sensu, estabelecendo o padrão de qualidade para os cursos de mestrado e doutorado, oferecendo-lhes um marco de referência sobre o estágio em que se encontram, seja no cenário nacional seja no panorama internacional. A avaliação orienta a evolução de todo o Sistema Nacional de Pós-Graduação (SNPG) e de cada programa em particular, antepondo-lhes metas e desafios que resultam em avanços da ciência, da tecnologia e inovação. Deve se destacar a realização no exercício de 2010 da Avaliação Trienal (referente ao período ) do desempenho de todos os programas que compõem o Sistema Nacional de Pós-graduação (SNPG). A Avaliação contou com a participação de 877 avaliadores ad hoc com qualificação e competência técnico-científica nas suas respectivas áreas de conhecimento, distribuídos em 46 comissões de avaliação. No total, foram analisados os dados de programas avaliados correspondentes a cursos de mestrado, doutorado e mestrado profissional. 10

11 Finalmente, há que se dar relevo à expansão orçamentária ocorrida no exercício de 2010, correspondendo a um crescimento de aproximadamente 34,4% em relação a Em que pese tal incremento, o contexto regulatório referente ao ano eleitoral que ocasionou adiamento na implementação de convênios, além de questões de caráter político-econômico (contingenciamento) tiveram impacto na execução de algumas ações orçamentárias. Figura 1 Evolução do número de bolsistas no exterior segundo modalidade, 1998 a 2010 Nº de Bolsas Estágio Sênior Outros Doutorado Pleno Pós-Doc Graduação Sandwich Doutorado Sandwich Anos Fonte: /Diretoria de Relações Internacionais Figura 2 Evolução do número de bolsas no país, 2003 a Nº de Bolsas Formação de Professores Educação Básica Pós Doutorado Doutorado Mestrado Anos Fonte: /APE/Gabinete da Presidência 11

12 2.3. Programas de Governo sob a responsabilidade da CAPES Execução dos Programas de Governo sob a responsabilidade da CAPES Demostrativo da Execução por Programa de Governo (Quadro A.2.1 Portaria TCU nº 277/2010) Identificação do Programa de Governo Código no PPA: 1375 Desenvolvimento do Ensino da Pós-Graduação e da Pesquisa Científica Tipo do Programa Finalístico Objetivo Geral Formar pessoal de alto nível no país e no exterior, com vistas à produção do conhecimento científico, para a solução dos grandes desafios educacionais, econômicos e sociais do Brasil Objetivos específicos Acompanhamento e a avaliação dos Programas de Pós-Graduação realizada pela CAPES. Cujo resultado traduz-se em diagnósticos que subsidiam esta Fundação na formulação de políticas de pós-graduação, fomentando o ensino de pós-graduação nos seguintes aspectos: na concessão de bolsas de estudo no país e no exterior; na manutenção dos programas de pós-graduação; no acesso ao acervo bibliográfico nacional e internacional; e, no cumprimento de acordos internacionais. Gerente Jorge Almeida Guimarães Presidente da CAPES Responsável Jorge Almeida Guimarães Presidente da CAPES Público Alvo Alunos de Pós-Graduação, professores de ensino superior, pesquisadores, bem como o cidadão graduado que demonstre interesse em capacitação pós-graduada. Informações orçamentárias e financeiras do Programa Em R$ 1,00 Inicial Dotação Final Despesa Empenhada Despesa Liquidada Restos a Pagar não processados Valores Pagos Orde m 1 Indicador (Unidade medida) Informações sobre os resultados alcançados Referência Índice Índice previsto no Índice atingido Data Índice final inicial exercício no exercício 03/10 17,39 20,44-22,17 1/ Fórmula de Cálculo do Índice: Relação entre o somatório do número de alunos titulados anualmente nos cursos de mestrado no país em relação à população residente expressa em 100 mil habitantes. Análise do Resultado Alcançado: O número de mestres titulados no país por cem mil habitantes estimado em 2010 (22,17) demonstra que o número previsto para 2011 (20,44) já foi superado. A partir da estimativa do número de mestres titulados em 2011, espera-se que o indicador para o ano em questão atinja o valor de 25,74. A comparação desse indicador estimado com o previsto para o final do PPA evidencia uma superação da meta na ordem de 25%. Orde m Indicador (Unidade medida) Data Referência Índice inicial Índice final Índice previsto no exercício Índice atingido no exercício 2 1/ /10 5,05 6,28-6,48 Fórmula de Cálculo do Índice: Relação entre o somatório do número de alunos titulados anualmente nos cursos de doutorado no 12

13 país em relação à população residente expressa em 100 mil habitantes. Análise do Resultado Alcançado: O número de doutores titulados no país por cem mil habitantes estimado em 2010 (6,48) ultrapassa o valor previsto para o final do PPA (6,28). A estimativa do número de doutores titulados em 2011 leva a um número de 7,43. A comparação desse número estimado com o previsto para o final do PPA evidencia uma superação da meta em 18%. Orde m Indicador (Unidade medida) Data Referência Índice inicial Índice final Índice previsto no exercício Índice atingido no exercício 3 número índice 03/ ,45 Fórmula de Cálculo do Índice: O índice da Produção científica indexada tem sua base definida igual a 1 para o ano de 2000, as variações percentuais nos dados são acumuladas permitindo assim definir qual foi a variação do indicador entre os anos. Como este indicador ainda está em desenvolvimento e ainda não consta do PPA, não foi definida uma meta final, bem como a previsão do exercício. Análise do Resultado Alcançado: Este indicador apresenta a evolução da produção científica do País e a estimativa de 2010 para o número de artigos indexados evidencia um crescimento de 245% em comparação ao ano 2000 Orde m Indicador (Unidade medida) Data Referência Índice inicial Índice final Índice previsto no exercício Índice atingido no exercício 4 1/ /10 6, ,05 Fórmula de Cálculo do Índice: Relação entre o somatório do número de artigos indexados em periódicos internacionais em relação à população residente expressa em 100 mil habitantes. Como este indicador ainda esta em desenvolvimento e ainda não consta do PPA, não foi definida uma meta final, bem como a previsão do exercício. Análise do Resultado Alcançado: No período analisado, o número de artigos por habitantes cresceu 210%, ou seja, o índice estimado para 2010 é pouco mais que três vezes maior do que o de Orde m Indicador (Unidade medida) Data Referência Índice inicial Índice final Índice previsto no exercício Índice atingido no exercício 5 número índice 03/ ,89 Fórmula de Cálculo do Índice: O índice do número de acesso ao Portal de Periódicos tem sua base definida igual a 1 para o ano de 2001, as variações percentuais nos dados são acumuladas permitindo assim definir qual foi a variação do indicador entre os anos. Como este indicador ainda esta em desenvolvimento e ainda não consta do PPA, não foi definida uma meta final, bem como a previsão do exercício. Análise do Resultado Alcançado: Este indicador representa a evolução do número de acessos ao Portal de Periódicos durante uma série histórica e demonstra que o acesso à informação científica por meio deste importante instrumento da tem aumentado consideravelmente no decorrer dos anos. A tabela a seguir mostra que o valor estimado para 2010 é 21 vezes maior do que o de Orde m Indicador (Unidade medida) Data Referência Índice inicial Índice final Índice previsto no exercício Índice atingido no exercício 6 número índice 03/ ,85 Fórmula de Cálculo do Índice: O índice do número de bolsistas da modalidade doutorado sanduíche tem sua base definida igual a 1 para o ano de 2000, as variações percentuais nos dados são acumuladas permitindo assim definir qual foi a variação do indicador entre os anos. Como este indicador ainda esta em desenvolvimento e ainda não consta do PPA, não foi definida uma meta final, bem como a 13

14 previsão do exercício. Análise do Resultado Alcançado: Este indicador apresenta a comparação da estimativa do número de bolsistas da que obtiveram experiência internacional com realização de estágio com bolsa no exterior em 2009, comparado com os valores de anos anteriores. Comparando com o valor de 2000, retrata-se um aumento de 185%. Orde m Indicador (Unidade medida) Data Referência Índice inicial Índice final Índice previsto no exercício Índice atingido no exercício 7 número índice 03/ ,81 Fórmula de Cálculo do Índice: O índice do número de alunos matriculados no Sistema Nacional de Pós-Graduação tem sua base definida igual a 1 para o ano de 2000, as variações percentuais nos dados são acumuladas permitindo assim definir qual foi a variação do indicador entre os anos. Como este indicador ainda esta em desenvolvimento e ainda não consta do PPA, não foi definida uma meta final, bem como a previsão do exercício. Análise do Resultado Alcançado: A comparação do total de matriculados estimado para 2010 em relação ao do ano 2000 demonstra um crescimento de 81%. Ordem Indicador (Unidade medida) Data Referência Índice inicial Índice final Índice previsto no exercício Índice atingido no exercício 8 número índice 03/ ,08 Fórmula de Cálculo do Índice: O índice do número de alunos titulados no Sistema Nacional de Pós-Graduação tem sua base definida igual a 1 para o ano de 1998, as variações percentuais nos dados são acumuladas permitindo assim definir qual foi a variação do indicador entre os anos. Como este indicador ainda esta em desenvolvimento e ainda não consta do PPA, não foi definida uma meta final, bem como a previsão do exercício. Análise do Resultado Alcançado: Este indicador mostra a evolução de alunos titulados em cursos de pós-graduação sctricto sensu. Ao se comparar a estimativa do total de titulados de 2010 com o de 1998, houve um aumento de 208%. A análise com relação ao contingenciamento no exercício com as consequências sobre o alcance das metas e eventuais fatos negativos e positivos que prejudicaram ou facilitaram a execução do Programa, bem como outros fatores que impactaram a gestão estão consignados individualmente nas ações que compõem o Programa (item ). 14

15 2.3.2 Execução física das ações realizadas pela CAPES Execução física das ações realizadas pela UJ (QUADRO A.2.2 Portaria TCU n.º 277/2010) Execução Física Função Subfunção Programa Ação Tipo da Ação Priorida de Unidade de Medida Meta Prevista Meta Realizada Meta a ser realizada em OP unidade HB OP A TS P % de execução física A A30 OP unidade A unidade A unidade A unidade OP unidade A unidade CW A unidade A unidade A unidade H OP unidade OP unidade OP unidade GK OP unidade B95 OP unidade A unidade U OP unidade CY A unidade A unidade A unidade A milhar CV A unidade OP G5 OP Fonte: SIMEC 15

16 Ações executadas no âmbito do Programa 1375 I) Ação Acesso à Informação Científica e Tecnológica Ação 2317 Tipo Finalidade Descrição Unidade responsável pelas decisões estratégicas Coordenador nacional da ação Unidades executoras Acesso à Informação Científica e Tecnológica Atividade Disponibilizar aos estudantes, aos professores e aos pesquisadores no País um conjunto de informações científicas e tecnológicas atuais, publicadas em periódicos indexados, de forma rápida e eficaz, visando proporcionar o subsídio necessário aos estudos e às pesquisas desenvolvidos. Manutenção e ampliação da biblioteca eletrônica da CAPES (Portal de Periódicos), de amplitude nacional, congregando as principais coleções de revistas científicas e bases de referências bibliográficas e de patentes, com a finalidade de oferecer as universidades, instituto de pesquisa e organizações governamentais, não governamentais e particulares, onde se desenvolve a pósgraduação e a pesquisa do País, a melhor, mais qualificada e atual informação científica necessária à formação de recursos humanos e desenvolvimento da pesquisa. O acesso à biblioteca eletrônica se dá via internet, de forma gratuita as organizações autorizadas. Essa ação permite à montagem de ilhas ou módulos de acesso à internet em bibliotecas de instituições universitárias ainda com deficiência quanto a este tipo de suporte. Emídio Cantídio de Oliveira Filho Diretor de Programas e Bolsas no País Diretoria de Programas e Bolsas no País (DPB) Coordenação-Geral do Portal de Periódicos (CGPP) a) Principais Resultados Portal de Periódicos O Portal de Periódicos da CAPES é uma biblioteca virtual que reúne e disponibiliza a instituições de ensino e pesquisa, no Brasil, o melhor da produção científica internacional. Essa biblioteca virtual conta com um acervo de títulos com texto completo, bases referenciais e de patentes, além de livros, enciclopédias e obras de referência, normas técnicas, estatísticas e conteúdo audiovisual. Em 2010, o Portal de Periódicos completou 10 anos de atividades disponibilizando aos usuários artigos publicados em revistas internacionais, nacionais e estrangeiras e 130 bases de dados com resumos de documentos em todas as áreas do conhecimento, incluindo uma seleção de fontes de informação acadêmica com acesso gratuito na internet, avaliadas pelo Qualis 1 ou por 1 Qualis é o conjunto de procedimentos utilizados pela para estratificação da qualidade da produção intelectual dos programas de pós-graduação. Tal processo foi concebido para atender as necessidades específicas do sistema de 16

17 associações científicas reconhecidas no meio acadêmico. Em comemoração aos 10 anos do Portal, a CAPES realizou uma série de atividades: aperfeiçoou a interface, disponibilizando aos usuários um serviço de busca mais completo aos diferentes tipos de conteúdos: além da recuperação de documento por assunto, foram disponibilizadas as funcionalidades buscar periódicos e buscas bases ; lançou a Comunidade Acadêmica Federada CAFe, provido pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa RNP, que objetiva promover o acesso remoto ao Portal de Periódicos. Na CAFe, cada instituição funciona com uma Provedora de Identidade, sendo responsável por autenticar e fornecer informações de seus usuários para os serviços autorizados oferecidos. proporcionou, via CAFe, o acesso remoto dos usuários das instituições federadas ao Portal de Periódicos em qualquer lugar fora da universidade, apenas utilizando login e senha institucional; realizou homenagem às bibliotecárias HelpDesks do Portal pela colaboração na orientação dos usuários; publicou a edição comemorativa da Revista Brasileira de Pós-graduação RBPG desta Agência, cujo título foi 10 anos do Portal de Periódicos da, lançada em 11 de novembro de Em 2010, a CAPES iniciou o Projeto de Atualização Funcional e Tecnológica do Portal de Periódicos, que culminou com a aquisição e instalação dos seguintes softwares fornecidos pela empresa ExLibris: o MetaLib tem como objetivo permitir a realização de uma metabusca no conteúdo disponível no Portal. Além disso, possibilita a personalização e o armazenamento de conteúdos favoritos pelos usuários. Atualmente encontra-se instalado na versão nos ambientes de teste, homologação e produção do Portal; o SFX é um servidor de links contextuais que permite a gestão dos links de acesso aos periódicos disponíveis no Portal. Está instalado na versão 3.0 nos ambiente de teste, homologação e produção do Portal; e o Verde se constitui em um gerenciador de recursos eletrônicos que permite a gestão dos contratos do Portal. Encontra-se instalado na versão 2.1, no ambiente de produção, mas com instâncias de testes e produção. Encontram-se em desenvolvimento pelo Portal de Periódicos sistemas com o objetivo de coletar estatísticas de uso junto aos editores a partir de protocolos e normas de coleta de dados, como SUSHI e Counter, para padronização de dados e com o objetivo de permitir o gerenciamento das informações de acesso das instituições, como mudanças de IP e de contatos dos responsáveis nas respectivas instituições participantes. Vale ressaltar que está sendo planejado o processo de transferência tecnológica de operação do Portal de Periódicos, atualmente sediada nas instalações da RNP (Rede Nacional de Pesquisa) para a Coordenação Geral de Informática CGIN da CAPES. Para atender a comunidade acadêmica e científica em suas atividades de ensino e pesquisa avaliação e é baseado nas informações fornecidas por meio do aplicativo Coleta de Dados. Como resultado, disponibiliza uma lista com a classificação dos veículos utilizados pelos programas de pós-graduação para a divulgação da sua produção. Disponível em URL: 17

18 composta de 311 instituições, o Portal de Periódicos investiu em 2010 o valor de US$ ,47 (sessenta e um milhões, duzentos e trinta e dois mil, duzentos e quinze dólares americanos e quarenta e sete centavos). Desenvolvimento da Coleção do Portal de Periódicos Em 2010, a CAPES priorizou a avaliação dos periódicos assinados, bem como a avaliação e revisão de processos e contratos. Nesse ano, o Portal de Periódicos disponibilizou títulos perfazendo um acréscimo de 15% em relação ao ano de O acervo de bases de dados de resumos permanece o mesmo de 2009 (130 bases). É importante ressaltar que há bases referenciais e de resumos que reúnem em um só escopo mais de uma base relacionada. A SciFinder Scholar, versão online do Chemical Abstracts CAS, por exemplo, é composta de seis bases de dados; a Agris/Caris Information System for the Agricultural Sciences and Tecnology, disponibilizada gratuitamente pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação FAO contém 4 bases, a Biblioteca Virtual em Saúde BIREME, também gratuita, é composta de 15 bases na área da saúde e o Web of Science, da Thomson Reuters, engloba as bases Social Science Citation Index, Science Citation Index e Arts and humanities Index. As bases bibliográficas agregadas não são necessariamente contabilizadas no total das 130 bases. Os gráficos, a seguir, demonstram a evolução do número de títulos de periódicos em texto completo e de bases referenciais e de resumos desde o ano de sua criação, em Gráfico 1 (ação 2317) Evolução do número de títulos constantes no Portal de Periódicos, de 2001 a Evolução do número de títulos de periódicos Fonte: CGPP/DPB/ 18

19 Gráfico 2 (ação 2317) Evolução do número de bases referenciais constantes no Portal de Periódicos, de 2001 a Evolução do número de bases referenciais Fonte: CGPP/DPB/ Do total de títulos do Portal de Periódicos, aproximadamente são fontes gratuitas de editores nacionais e internacionais indexados na web, ressalvando-se que esses podem se encontrar repetidos nas diferentes fontes gratuitas. Entres os títulos de acesso gratuito, 745 são nacionais avaliados em nível A ou B pelo Programa Qualis da e 609 são disponibilizados pela Scientific Electronic Library Online SciELO publicados no Brasil e países da América Latina. O Portal de Periódicos, além das coleções de texto completo e bases bibliográficas com resumos, disponibiliza 09 bases de patentes, 104 bases de livros, 58 de estatísticas, 02 importantes bases de normas técnicas (ASTM International e IEEE Explore) entre outras fontes de interesse para a pesquisa científica. Das bases de dados, 184 são gratuitas, sendo que 85 são nacionais, esclarecendo que, além do Banco de Teses da CAPES, as bases nacionais se concentram nos bancos de teses e dissertações das universidades brasileiras. O Banco de Tese da encontra-se com documentos que foram incluídas no período de 1988 a Em 2010 foram inseridas referências bibliográficas com resumos de teses e dissertações no Banco de Teses da CAPES, referente a 2009, sendo que dessas, são de mestrado profissionalizante, de mestrado acadêmico e de doutorado. O gráfico, a seguir, demonstra a evolução do número de teses e dissertações incluídas anualmente, no período de 2001 a Para o ano de 2010, ainda não existem dados cadastrados. 19

20 Gráfico 3 (ação 2317) Teses e dissertações disponibilizadas no Banco de Teses da CAPES, de 2001 a 2009 Teses e dissertações do Banco de Teses da Capes Fonte: CGPP/DPB/ Uso do Portal pela comunidade científica Foram contabilizados textos completos baixados e pesquisas aos abstracts disponibilizados pelas bases referenciais (bibliográficas), totalizando acessos ao conteúdo assinado em Os dados são de janeiro a dezembro de 2010, no entanto, alguns editores não enviaram estatísticas de uso. Em relação ao ano de 2009, houve um aumento de 8% no número de textos completos baixados e 1% nas pesquisas as bases referenciais e, 4% no total de acessos. O uso diário foi de aproximadamente acessos, incluindo os textos completos e as pesquisas em bases referenciais. O gráfico, a seguir, demonstra a evolução dos acessos ao Portal de Periódicos de 2001 a 2010 (texto completo e resumos). Gráfico 4 (ação 2317) Evolução dos acessos aos textos completos e bases referenciais, de 2001 a 2010 Acesso ao Portal Texto completo resumos Fonte: CGPP/DPB/ 20

Relatório de Gestão do exercício de 2011

Relatório de Gestão do exercício de 2011 Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior/CAPES Ministério da Educação Relatório de Gestão do exercício de 2011 Relatório de Gestão do exercício de 2011 apresentado aos órgãos

Leia mais

Ensino Superior NOVA MISSÃO. Ensino Básico

Ensino Superior NOVA MISSÃO. Ensino Básico Ensino Superior NOVA MISSÃO Ensino Básico NOVA MISSÃO: APOIO À FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS PARA O DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL, CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO DO PAÍS OBJETIVOS ESTRATÉGICOS: Fortalecimento da

Leia mais

MEC/CAPES. Portal de Periódicos

MEC/CAPES. Portal de Periódicos MEC/CAPES Portal de Periódicos A CAPES e a formação de recursos de alto nível no Brasil Criada em 1951, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) é uma agência vinculada ao

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO DOU de 16/01/2014 (nº 11, Seção 1, pág. 26) Institui o Plano Nacional de

Leia mais

Acesso à informação científica no Brasil: políticas, estratégias e programas. Diretoria de Programas - CAPES

Acesso à informação científica no Brasil: políticas, estratégias e programas. Diretoria de Programas - CAPES Acesso à informação científica no Brasil: políticas, estratégias e programas Diretoria de Programas - CAPES Como deveria ser a infra-estrutura de TI das nossas bibliotecas? A infra-estrutura de TI de uma

Leia mais

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO 1. Projeto: Aprimoramento da sistemática de gestão

Leia mais

Programa de Excelência Acadêmica PROEX

Programa de Excelência Acadêmica PROEX Programa de Excelência Acadêmica PROEX Documento Básico de Orientações do Programa de Excelência Acadêmica PROEX Objetivos do PROEX e critérios para a aplicação dos recursos O Programa de Excelência Acadêmica-PROEX

Leia mais

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS EIXO III - CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO

Leia mais

PROJETO DE LEI. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

PROJETO DE LEI. O CONGRESSO NACIONAL decreta: PROJETO DE LEI Autoriza a concessão de bolsas de estudo e de pesquisa a participantes de programas de formação inicial e continuada de professores para a educação básica. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

Leia mais

PLANO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES INTEGRANTES DO PCCTAE

PLANO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES INTEGRANTES DO PCCTAE PLANO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES INTEGRANTES DO PCCTAE Ministério da Educação Novembro de 2013 1 SUMÁRIO 1. Apresentação 1.1 Introdução 1.2 Base Legal 1.3 Justificativa 2.

Leia mais

Instruções para Habilitação aos Auxílios e Apoios do PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA-UFU PROEX-PPG-EM-UFU

Instruções para Habilitação aos Auxílios e Apoios do PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA-UFU PROEX-PPG-EM-UFU Instruções para Habilitação aos Auxílios e Apoios do PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA-UFU PROEX-PPG-EM-UFU Documento Básico de Orientações do Programa de Excelência Acadêmica PROEX PROGRAMA

Leia mais

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO 1. Projeto: Aprimoramento da sistemática de gestão

Leia mais

O Portal de Periódicos da Capes Katyusha Madureira Loures de Souza Novembro de 2014

O Portal de Periódicos da Capes Katyusha Madureira Loures de Souza Novembro de 2014 O Portal de Periódicos da Capes Katyusha Madureira Loures de Souza Novembro de 2014 Breve histórico 1986 - Plano Nacional de Bibliotecas Universitárias Programa de Aquisição Planificada de Periódicos 1990

Leia mais

EDITAL MEC/CAPES/FNDE

EDITAL MEC/CAPES/FNDE EDITAL MEC/CAPES/FNDE Seleção pública de propostas de projetos de iniciação à docência voltados ao Programa Institucional de Iniciação à Docência - PIBID O Ministério da Educação - MEC, por intermédio

Leia mais

8. Excelência no Ensino Superior

8. Excelência no Ensino Superior 8. Excelência no Ensino Superior PROGRAMA: 08 Órgão Responsável: Contextualização: Excelência no Ensino Superior Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - SETI O Programa busca,

Leia mais

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 1 Do programa e objetivo 1.1 O Programa CAFP/BA (Centros Associados para o Fortalecimento

Leia mais

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO 1. Projeto: Aprimoramento da sistemática de gestão

Leia mais

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO 1. Projeto: Aprimoramento da sistemática de gestão

Leia mais

Programa CAPES-PVE CAPES. Processo Seletivo 2010 Edital nº 049/2010/CAPES/DRI

Programa CAPES-PVE CAPES. Processo Seletivo 2010 Edital nº 049/2010/CAPES/DRI Programa CAPES- Processo Seletivo 2010 Edital nº 049/2010/CAPES/DRI A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior-CAPES, Fundação Pública, criada pela Lei nº. 8.405, de 09 de janeiro de

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

Detalhamento da Implementação Concessão de Empréstimos, ressarcimento dos valores com juros e correção monetária. Localizador (es) 0001 - Nacional

Detalhamento da Implementação Concessão de Empréstimos, ressarcimento dos valores com juros e correção monetária. Localizador (es) 0001 - Nacional Programa 2115 - Programa de Gestão e Manutenção do Ministério da Saúde 0110 - Contribuição à Previdência Privada Tipo: Operações Especiais Número de Ações 51 Pagamento da participação da patrocinadora

Leia mais

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO 1. Projeto: Aprimoramento da sistemática de gestão

Leia mais

PORTARIA Nº092, DE 28 DE ABRIL DE 2010

PORTARIA Nº092, DE 28 DE ABRIL DE 2010 PORTARIA Nº092, DE 28 DE ABRIL DE 2010 Institui o Programa Emergencial PRÓ-HAITI em Educação Superior e dispõe sobre os procedimentos para operacionalização das atividades do programa. O Presidente da

Leia mais

Portaria nº 64, de 24 de março de 2010

Portaria nº 64, de 24 de março de 2010 Portaria nº 64, de 24 de março de 2010 O PRESIDENTE DA COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR CAPES, no uso das atribuições conferidas pelo art. 26, inciso IX, do Decreto nº 6.316,

Leia mais

Novo Sistema de Gestão do IFAM

Novo Sistema de Gestão do IFAM Novo Sistema de Gestão do IFAM Os módulos serão implantados atendendo aos critérios: Sistema/Módulo Entrega Prazo de Entrega Módulo Administrativo Integração SIAFI Módulo de Recursos Humanos Protocolo

Leia mais

PLANO DE GESTÃO 2015-2017

PLANO DE GESTÃO 2015-2017 UNIFAL-MG FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PLANO DE GESTÃO 2015-2017 Profa. Fernanda Borges de Araújo Paula Candidata a Diretora Profa. Cássia Carneiro Avelino Candidata a Vice Diretora Índice Apresentação...

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DO PROEX (2015)

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DO PROEX (2015) UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Instituto de Medicina Social Rua São Francisco Xavier, 524 / 7º andar / Bloco D - Maracanã CEP: 20550-013 - Rio de Janeiro - BRASIL TEL: 55-021- 2334-0235 FAX:

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO/FNDE/CD/Nº 35 DE 22 DE JULHO DE 2008

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO/FNDE/CD/Nº 35 DE 22 DE JULHO DE 2008 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO/FNDE/CD/Nº 35 DE 22 DE JULHO DE 2008 Estabelece orientações e diretrizes para apoio financeiro para

Leia mais

Art. 2º Revogar a Portaria nº 112, de 01 de agosto de 2008. Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. JORGE ALMEIDA GUIMARÃES

Art. 2º Revogar a Portaria nº 112, de 01 de agosto de 2008. Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. JORGE ALMEIDA GUIMARÃES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR PORTARIA Nº 140, DE 1º DE JULHO DE 2010 O PRESIDENTE DA COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR -

Leia mais

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS Estabelece a política de pesquisa, desenvolvimento, inovação e extensão da Universidade Positivo (UP). O CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR (CAS), órgão da administração superior

Leia mais

REDAÇÃO FINAL MEDIDA PROVISÓRIA Nº 562-A, DE 2012 PROJETO DE LEI DE CONVERSÃO Nº 10 DE 2012

REDAÇÃO FINAL MEDIDA PROVISÓRIA Nº 562-A, DE 2012 PROJETO DE LEI DE CONVERSÃO Nº 10 DE 2012 REDAÇÃO FINAL MEDIDA PROVISÓRIA Nº 562-A, DE 2012 PROJETO DE LEI DE CONVERSÃO Nº 10 DE 2012 O CONGRESSO NACIONAL decreta: Dispõe sobre o apoio técnico ou financeiro da União no âmbito do Plano de Ações

Leia mais

Esfera: 10 Função: 12 - Educação Subfunção: 367 - Educação Especial UO: 26298 - Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação

Esfera: 10 Função: 12 - Educação Subfunção: 367 - Educação Especial UO: 26298 - Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Programa 1374 Desenvolvimento da Educação Especial Numero de Ações 16 Ações Orçamentárias 0511 Apoio ao Desenvolvimento da Educação Especial Produto: Projeto apoiado UO: 26298 - Fundo Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

EDITAL Nº 05/2007 PRODOCÊNCIA

EDITAL Nº 05/2007 PRODOCÊNCIA EDITAL Nº 05/2007 PRODOCÊNCIA PROGRAMA DE CONSOLIDAÇÃO DAS LICENCIATURAS MEC/SESu/DEPEM 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR - SESu EDITAL Nº 05/2007 Brasília, 20 junho de 2007

Leia mais

, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO

, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO , SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N o 27/2013 Aprova o Orçamento Interno da Universidade Federal da Paraíba, para o exercício financeiro de 2013.

Leia mais

Requisitos para o ingresso dos programas de pós-graduação stricto sensu das Instituições de Ensino Superior no PROEX

Requisitos para o ingresso dos programas de pós-graduação stricto sensu das Instituições de Ensino Superior no PROEX Programa de Excelência Acadêmica PROEX Documento Básico de Orientações do Programa de Excelência Acadêmica PROEX Objetivos do PROEX e critérios para a aplicação dos recursos O Programa de Excelência Acadêmica

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Programas e ações da Capes

FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Programas e ações da Capes FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA Programas e ações da Capes CAPES - atribuições (Lei 11.502/2007) No âmbito da educação superior Subsidiar o Ministério da Educação na formulação de políticas

Leia mais

RESOLUÇÃO CD/FNDE Nº 24 DE 04 DE JUNHO DE 2008

RESOLUÇÃO CD/FNDE Nº 24 DE 04 DE JUNHO DE 2008 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO CD/FNDE Nº 24 DE 04 DE JUNHO DE 2008 Estabelece orientações e diretrizes para o apoio financeiro às

Leia mais

Programa de Bolsas de Mestrado e Doutorado

Programa de Bolsas de Mestrado e Doutorado Chamada Pública 11/2014 Programa de Bolsas de Mestrado e Doutorado Acordo CAPES/FA A Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Paraná (FA) em parceria com a Coordenação

Leia mais

INSERÇÃO, PRESENÇA E RELEVÂNCIA DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÂO INSERÇÃO SOCIAL

INSERÇÃO, PRESENÇA E RELEVÂNCIA DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÂO INSERÇÃO SOCIAL INSERÇÃO, PRESENÇA E RELEVÂNCIA DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÂO INSERÇÃO SOCIAL Maria José Lima da Silva e Valquiria Linck Bassani A Pós-Graduação Brasileira apresenta 2.379 programas de pós-graduação (fonte

Leia mais

META MUNICIPAL 14: elevar gradualmente o número de matrículas na pós-graduação stricto sensu, de modo a atingir a titulação anual de 60.

META MUNICIPAL 14: elevar gradualmente o número de matrículas na pós-graduação stricto sensu, de modo a atingir a titulação anual de 60. META MUNICIPAL 14: elevar gradualmente o número de matrículas na pós-graduação stricto sensu, de modo a atingir a titulação anual de 60.000 (sessenta mil) mestres e 25.000 (vinte e cinco mil) doutores.

Leia mais

Relatório de Gestão do exercício de 2012

Relatório de Gestão do exercício de 2012 Relatório de Gestão 202 Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior/CAPES Ministério da Educação Relatório de Gestão do exercício de 202 Brasília, 28 de março de 203 Relatório

Leia mais

1º O PIPG compreende as seguintes ações:

1º O PIPG compreende as seguintes ações: RESOLUÇÃO N o 005, de 25 de fevereiro de 2013. Regulamenta o Programa de Incentivo à Pós-Graduação Stricto Sensu (PIPG) da UFSJ. A PRESIDENTE DO CONSELHO DIRETOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI

Leia mais

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação;

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação; DECRETO Nº 7.642, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 * Programa Ciência sem Fronteiras. * Institui o Programa Ciência sem Fronteiras. A Presidenta da República, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84,

Leia mais

PROJETO DE LEI N. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

PROJETO DE LEI N. O CONGRESSO NACIONAL decreta: PROJETO DE LEI N Institui o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego PRONATEC, altera as Leis n. 7.998, de 11 de janeiro de 1990, n. 8.121, de 24 de julho de 1991 e n. 10.260, de 12 de julho

Leia mais

Termo de Referência para contratação de consultor na modalidade Produto

Termo de Referência para contratação de consultor na modalidade Produto TÍTULO DO PROJETO: Fortalecimento da capacidade institucional com vistas a melhoria dos processos de monitoramento e avaliação dos programas de fomento voltados para a Educação Básica e para o Ensino Superior

Leia mais

Programa de BOLSAS DE DOUTORADO PARA DOCENTES MERCOSUL

Programa de BOLSAS DE DOUTORADO PARA DOCENTES MERCOSUL Programa de BOLSAS DE DOUTORADO PARA DOCENTES MERCOSUL Processo Seletivo 2011 Edital Nº003/2011 A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), Fundação Pública, criada pela Lei

Leia mais

Modelos de Gestão da Qualidade da Pós-graduação e do Doutorado: Experiências Nacionais: BRASIL

Modelos de Gestão da Qualidade da Pós-graduação e do Doutorado: Experiências Nacionais: BRASIL Modelos de Gestão da Qualidade da Pós-graduação e do Doutorado: Experiências Nacionais: BRASIL Livio Amaral Diretor de Avaliação 17set13 A AVALIAÇÃO DO SISTEMA NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO (SNPG) (SNPG) -FUNDAMENTOS

Leia mais

Página 1 de 6. TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA Projeto PNUD BRA/11/008 EDITAL 08/2015. DADOS DA CONSULTORIA Objetivo da Contratação

Página 1 de 6. TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA Projeto PNUD BRA/11/008 EDITAL 08/2015. DADOS DA CONSULTORIA Objetivo da Contratação DADOS DA CONSULTORIA Objetivo da Contratação Nosso número Antecedentes (breve histórico justificando a contratação) TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA Projeto PNUD BRA/11/008 EDITAL 08/2015

Leia mais

F I E S FINANCIAMENTO

F I E S FINANCIAMENTO F I E S FINANCIAMENTO ESTUDANTIL RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2000 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL JANEIRO/2001 Sumário 1. Apresentação...4 2. Execução do Programa...4 2.1.Origem dos Recursos...4 2.2.Descentralização

Leia mais

Panorama e planejamento de Pós-graduação visando notas 06 e 07 na UFV

Panorama e planejamento de Pós-graduação visando notas 06 e 07 na UFV Pós-Graduação da UFV em debate 2012 26-27 de Novembro de 2012 Panorama e planejamento de Pós-graduação visando notas 06 e 07 na UFV Profa. Simone EF Guimarães Pós Graduação em Genética e Melhoramento UFV

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL

POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL (arquivo da Creche Carochinha) Secretaria de Educação Básica CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL A Educação Infantil é dever do Estado e direito de todos, sem qualquer

Leia mais

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Esperidião Amin Helou Filho

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Esperidião Amin Helou Filho PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO Esperidião Amin Helou Filho 1 PROJETO DE LEI Nº 8.035, DE 2010. Ementa: Aprova o Plano Nacional de Educação para o decênio 2011-2020 e dá outras providências. 2 PROJETO DE LEI

Leia mais

Programa Estágio de Curta Duração. CAPES/Fundação Carolina

Programa Estágio de Curta Duração. CAPES/Fundação Carolina Programa Estágio de Curta Duração CAPES/Fundação Carolina Edital DRI/CAPES nº. 007/2010 A Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), por meio de sua Diretoria de Relações

Leia mais

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância A Escola A ENAP pode contribuir bastante para enfrentar a agenda de desafios brasileiros, em que se destacam a questão da inclusão e a da consolidação da democracia. Profissionalizando servidores públicos

Leia mais

Instruções para preenchimento do formulário de CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO

Instruções para preenchimento do formulário de CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO Instruções para preenchimento do formulário de CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO As instruções a seguir orientam a elaboração de propostas de Cursos de Aperfeiçoamento para aprovação e registro no Sistema de Informações

Leia mais

Reflexões Sobre a Cooperação Internacional

Reflexões Sobre a Cooperação Internacional Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Ministério da Educação Anexos I e II 2º andar Caixa Postal 365 70359-970 Brasília, DF Brasil PLANO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO (PNPG) 2005-2010

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA RESOLUÇÃO Nº 06/2013 DO CONSELHO DIRETOR SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Institui o Programa de Apoio à Qualificação (QUALI-UFU) mediante o custeio de ações de qualificação para os servidores efetivos: docentes

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA Consultor por Produto

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA Consultor por Produto MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE GESTÃO, ARTICULAÇÃO E PROJETOS EDUCACIONAIS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA Consultor por Produto

Leia mais

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR PORTARIA Nº 156, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2014

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR PORTARIA Nº 156, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2014 COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR PORTARIA Nº 156, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2014 Aprova o regulamento do Programa de Apoio à Pós-graduação PROAP, que se destina a proporcionar melhores

Leia mais

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES SECRETARIA EXECUTIVA PRESTAÇÃO DE CONTAS ORDINÁRIA ANUAL RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2013

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES SECRETARIA EXECUTIVA PRESTAÇÃO DE CONTAS ORDINÁRIA ANUAL RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2013 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES SECRETARIA EXECUTIVA PRESTAÇÃO DE CONTAS ORDINÁRIA ANUAL RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2013 Brasília - DF / 2014 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES SECRETARIA EXECUTIVA PRESTAÇÃO

Leia mais

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS Projeto de Lei nº 8.035, de 2010 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional O PNE é formado por: 10 diretrizes; 20 metas com estratégias

Leia mais

FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 16, DE 8 DE JUNHO DE 2010

FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 16, DE 8 DE JUNHO DE 2010 FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 16, DE 8 DE JUNHO DE 2010 Altera a Resolução CD/FNDE nº 64, de 13 de dezembro de 2007, que estabelece os critérios e os

Leia mais

Programa de Bolsas de Estágio Pós-Doutoral no Exterior para Docentes

Programa de Bolsas de Estágio Pós-Doutoral no Exterior para Docentes CHAMADA PÚBLICA 17/2015 Programa de Bolsas de Estágio Pós-Doutoral no Exterior para Docentes (Acordo Capes/FA) A Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Estado do Paraná

Leia mais

Desenvolvimento e Implantação do Criptossistema da Autoridade Certificadora Raiz da ICP-Brasil

Desenvolvimento e Implantação do Criptossistema da Autoridade Certificadora Raiz da ICP-Brasil Programa 1109 Massificação da Certificação Digital ICP-Brasil Ações Orçamentárias Número de Ações 18 72640000 Produto: Sistema implantado Desenvolvimento e Implantação do Criptossistema da Autoridade Certificadora

Leia mais

Sistema de Educação a Distância Publica no Brasil UAB- Universidade Aberta do Brasil. Fernando Jose Spanhol, Dr

Sistema de Educação a Distância Publica no Brasil UAB- Universidade Aberta do Brasil. Fernando Jose Spanhol, Dr Sistema de Educação a Distância Publica no Brasil UAB- Universidade Aberta do Brasil Fernando Jose Spanhol, Dr www.egc.ufsc.br www.led.ufsc.br O Sistema UAB Denominação representativa genérica para a rede

Leia mais

SALA TEMÁTICA: EDUCAÇÃO SUPERIOR

SALA TEMÁTICA: EDUCAÇÃO SUPERIOR SALA TEMÁTICA: EDUCAÇÃO SUPERIOR Metas PNE - Meta 12 Elevar a taxa bruta de matrícula na Educação Superior para 50% (cinquenta por cento) e a taxa líquida para 33% (trinta e três por cento) da população

Leia mais

Universidade Federal do Maranhão Reitor Dr. Natalino Salgado Filho. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Pró-Reitor Dr. Fernando Carvalho Silva

Universidade Federal do Maranhão Reitor Dr. Natalino Salgado Filho. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Pró-Reitor Dr. Fernando Carvalho Silva 1 Universidade Federal do Maranhão Reitor Dr. Natalino Salgado Filho Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Pró-Reitor Dr. Fernando Carvalho Silva Diretora do Departamento de Pós-Graduação Dra. Maria

Leia mais

SUBCHEFIA DE ASSUNTOS PARLAMENTARES

SUBCHEFIA DE ASSUNTOS PARLAMENTARES SUBCHEFIA DE ASSUNTOS PARLAMENTARES PROJETO DE LEI Institui o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego - PRONATEC; altera as Leis n os 7.998, de 11 de janeiro de 1990, que regula o Programa

Leia mais

SiMec Sistema Integrado de Monitoramento do Ministério da Educação

SiMec Sistema Integrado de Monitoramento do Ministério da Educação SiMec Sistema Integrado de Monitoramento do Ministério da Educação O SiMec é uma ferramenta gerencial cuja função é instrumentalizar o processo de planejamento, auxiliar as equipes executoras de Programas

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO SANDUÍCHE E PÓS-DOUTORAL NO ENSINO DA PÓS-GRADUAÇÃO

A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO SANDUÍCHE E PÓS-DOUTORAL NO ENSINO DA PÓS-GRADUAÇÃO A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO SANDUÍCHE E PÓS-DOUTORAL NO ENSINO DA PÓS-GRADUAÇÃO Isabela Almeida Pordeus Novembro 2009 A Pós-Graduação em Odontologia Evolução dos Programas: Odontologia Evolução do Programas

Leia mais

Programa San Tiago Dantas de Apoio ao Ensino de Relações Internacionais

Programa San Tiago Dantas de Apoio ao Ensino de Relações Internacionais C A P E S Programa San Tiago Dantas de Apoio ao Ensino de Relações Internacionais A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) convida as instituições públicas de ensino superior

Leia mais

Programa UNIBRAL Edital CGCI n. 014 /2007

Programa UNIBRAL Edital CGCI n. 014 /2007 Programa UNIBRAL Edital CGCI n. 014 /2007 1 Do programa e objetivo 1.1 O Programa UNIBRAL, apoiado no acordo de cooperação assinado entre Brasil e Alemanha em 31 de outubro de 2000, tem como objetivo estimular

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N o 13/2014 Aprova o Orçamento Interno da Universidade Federal da Paraíba, para o exercício financeiro de 2014.

Leia mais

Avaliação de Políticas Públicas (Resolução nº 44, de 2013)

Avaliação de Políticas Públicas (Resolução nº 44, de 2013) Avaliação de Políticas Públicas (Resolução nº 44, de 2013) Presidente: SENADOR CRISTOVAM BUARQUE Vice-Presidente: SENADOR HÉLIO JOSÉ Relator: SENADOR OMAR AZIZ Proposta de Plano de Trabalho Avaliação de

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

Ciências Humanas. Relatoria. Grupo de Trabalho (GT1) I Seminário de Avaliação da Pós- Graduação da Universidade Brasília

Ciências Humanas. Relatoria. Grupo de Trabalho (GT1) I Seminário de Avaliação da Pós- Graduação da Universidade Brasília I Seminário de Avaliação da Pós- Graduação da Universidade Brasília Relatoria Grupo de Trabalho (GT1) Realização Decanato de Pesquisa e Pós-Graduação (DPP) da Universidade de Brasília Brasília DF, 6 a

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR 1. Como são os cursos ofertados pela plataforma freire e quais os benefícios para os professores que forem selecionados? O professor sem formação poderá estudar nos

Leia mais

PORTARIA No- 2.554, DE 28 DE OUTUBRO DE 2011

PORTARIA No- 2.554, DE 28 DE OUTUBRO DE 2011 PORTARIA No- 2.554, DE 28 DE OUTUBRO DE 2011 Institui, no Programa de Requalificação de Unidades Básicas de Saúde, o Componente de Informatização e Telessaúde Brasil Redes na Atenção Básica, integrado

Leia mais

AdminIP. Manual do Usuário Módulo Administrador IES

AdminIP. Manual do Usuário Módulo Administrador IES 2 AdminIP Manual do Usuário Módulo Administrador IES Brasília 2012 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 4 1 SISTEMA ADMINIP... 4 1.1 O que é o AdminIP?... 4 1.2 Quem opera?... 4 1.3 Onde acessar?... 5 1.4 Como acessar?...

Leia mais

DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização

DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização 2.1 - GRADUAÇÃO 2.1.1. Descrição do Ensino de Graduação na UESC Cursos: 26 cursos regulares

Leia mais

Concessão de Bolsas de Estudos para as Universidades do Paraná. Clóvis Pereira UFPR; Clóvis R. Braz - FEPAR

Concessão de Bolsas de Estudos para as Universidades do Paraná. Clóvis Pereira UFPR; Clóvis R. Braz - FEPAR 1 Concessão de Bolsas de Estudos para as Universidades do Paraná 1. Introdução Clóvis Pereira UFPR; Clóvis R. Braz - FEPAR Procedimento importante, dentre outros, para o acompanhamento do desenvolvimento

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLOGICA NIT

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLOGICA NIT RESOLUÇÃO CONSU Nº. 33/21 DE 3 DE AGOSTO DE 21. A Presidente do Conselho Superior Universitário da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas, no uso de suas atribuições regimentais, e consequente

Leia mais

RESOLUÇÃO nº 18 DE 17 DE DEZEMBRO DE 2009

RESOLUÇÃO nº 18 DE 17 DE DEZEMBRO DE 2009 RESOLUÇÃO nº 18 DE 17 DE DEZEMBRO DE 2009 Aprova o Regimento Interno do Núcleo de Educação Técnica e Tecnológica Aberta e a Distância NETTAD - CAVG. O Presidente em exercício do Conselho Coordenador do

Leia mais

Ciência sem Fronteiras : O Programa Brasileiro de Mobilidade Científica no CNPq/MCT

Ciência sem Fronteiras : O Programa Brasileiro de Mobilidade Científica no CNPq/MCT Ciência sem Fronteiras : O Programa Brasileiro de Mobilidade Científica no CNPq/MCT Objetivos Avanço da ciência brasileira em tecnologia, inovação e competitividade, através da expansão da mobilidade internacional:

Leia mais

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012 Programa 2115 - Programa de Gestão e Manutenção do Ministério da Saúde 0110 - Contribuição à Previdência Privada Tipo: Operações Especiais Número de Ações 78 Assegurar às autarquias, fundações, empresas

Leia mais

3Uy5HLWRULDSDUD$VVXQWRVGH 3HVTXLVDH3yV*UDGXDomRGD8)3( 5HODWyULRGH$WLYLGDGHV. 0DUoR

3Uy5HLWRULDSDUD$VVXQWRVGH 3HVTXLVDH3yV*UDGXDomRGD8)3( 5HODWyULRGH$WLYLGDGHV. 0DUoR 3Uy5HLWRULDSDUD$VVXQWRVGH 3HVTXLVDH3yV*UDGXDomRGD8)3( 5HODWyULRGH$WLYLGDGHV 0DUoR $'0,1,675$d 2 Aprovação junto a CPPG da Resolução nº 01/2001 que dispõe sobre as atribuições da Comissão de Pós-Graduação

Leia mais

MEMÓRIAS BRASILEIRAS: BIOGRAFIAS Edital N 13/2015

MEMÓRIAS BRASILEIRAS: BIOGRAFIAS Edital N 13/2015 MEMÓRIAS BRASILEIRAS: BIOGRAFIAS Edital N 13/2015 Publicado no DOU de 29/07/15 seção 3 pág. 33 DIRETORIA DE PROGRAMAS E BOLSAS NO PAÍS DPB Coordenação- Geral de Programas Estratégicos CGPE A Coordenação

Leia mais

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2011. Manual do Usuário

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2011. Manual do Usuário MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE ESTATÍSTICAS EDUCACIONAIS COORDENAÇÃO GERAL DO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

26278 - Fundação Universidade Federal de Pelotas

26278 - Fundação Universidade Federal de Pelotas 26278 - Fundação Universidade Federal de Pelotas Quadro Síntese Código / Especificação Exec 2002 LOA 2003 PLOA 2004 LOA 2004 Total 133.077.224 125.362.509 141.167.384 141.167.384 Programa 0041 Desenvolvimento

Leia mais

3.1. IDENTIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES GOVERNAMENTAIS COM ATUAÇÃO EM 2007:

3.1. IDENTIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES GOVERNAMENTAIS COM ATUAÇÃO EM 2007: 3. GESTÃO DE PROGRAMAS E AÇÕES 3.1. IDENTIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES GOVERNAMENTAIS COM ATUAÇÃO EM 2007: 3.1.1. DESCRIÇÃO DO PROGRAMA, PROJETO/ ATIVIDADE OU AÇÃO ADMINISTRATIVA EM TERMOS DO OBJETIVO

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA UEPB PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROEX PROGRAMA DE APOIO A PROJETOS DE EXTENSÃO PROAPEX.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA UEPB PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROEX PROGRAMA DE APOIO A PROJETOS DE EXTENSÃO PROAPEX. UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA UEPB PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROEX PROGRAMA DE APOIO A PROJETOS DE EXTENSÃO PROAPEX. EDITAL Nº 005/2015/UEPB/PROEX/PROAPEX PROCESSO SELETIVO DO PROAPEX COTA 2015-2016

Leia mais

Resumo de Editais Abertos Capes

Resumo de Editais Abertos Capes Resumo de Editais Abertos Capes www.capes.gov.br/editais/abertos Programa Capes/MINCyT O objetivo do Programa Capes/MINCyT é estimular, por meio de projetos conjuntos de pesquisa, o intercâmbio de docentes

Leia mais

2 Oferta de cursos técnicos e superiores por eixo tecnológico, por Campus. Taxa de ingresso nos cursos técnicos na forma de oferta, por Campus

2 Oferta de cursos técnicos e superiores por eixo tecnológico, por Campus. Taxa de ingresso nos cursos técnicos na forma de oferta, por Campus PERSPECTIVA OBJETIVO INDICADOR META RESULTADOS INSTITUCIONAIS 1 Nº de cursos técnicos e superiores, articulados com os arranjos produtivos locais por Campus; 2 Oferta de cursos técnicos e superiores por

Leia mais

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Educação Superior

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Educação Superior Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará Eixo Temático Educação Superior Ceará, 2015 1 Socioeconômico Diagnóstico Para compreender a situação da educação no estado do Ceará é necessário também

Leia mais

PORTAL DE PERIÓDICOS DA CAPES: orientações para pesquisa

PORTAL DE PERIÓDICOS DA CAPES: orientações para pesquisa UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA SISTEMA INTEGRADO DE BIBLIOTECAS Lívia Sandes Mota Rabelo Maria do Carmo Sá Barreto Ferreira PORTAL DE PERIÓDICOS DA CAPES: orientações para pesquisa Feira de

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS

APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS ADESÃO AO PROGRAMA DE MESTRADO PROFISSIONAL EM MATEMÄTICA EM REDE NACIONAL (PROFMAT) APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS 1. OBJETO A Diretoria de Educação a Distância da CAPES em apoio à Sociedade Brasileira de

Leia mais

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS (CAPES E CNPq) EDITAL nº 06 de 28 de Março de 2012

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS (CAPES E CNPq) EDITAL nº 06 de 28 de Março de 2012 PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS (CAPES E CNPq) EDITAL nº 06 de 28 de Março de 2012 A Pró-Reitoria de Pesquisa, Extensão e Pós-Graduação vêm através deste Edital, divulgar no âmbito da Instituição a todos

Leia mais

FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR

FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR Sistema Brasileiro de Apoio à Ciência, Tecnologia e Formação de Recursos Humanos Os números indicam o ano de criação das Agências. Fonte:

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE M I N UT A EDITAL FOPIN 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE M I N UT A EDITAL FOPIN 2015 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE M I N UT A INSTRUÇÃO DE SERVIÇO PROPPI N o 06 de 09 de Julho de 2015 EDITAL FOPIN 2015 PROGRAMA DE FOMENTO À PESQUISA DAS

Leia mais