Legislação Ambiental e Cargas Abandonadas

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Legislação Ambiental e Cargas Abandonadas"

Transcrição

1 UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP Legislação Ambiental e Cargas Abandonadas Programa de Educação Ambiental Participativa e Continuada no Aeroporto Internacional de Viracopos Campinas SP Maio/ 2015

2 Programação Responsabilidades e Competências em Matéria Ambiental e Atribuições do Ibama Cadastro Técnico Federal das Atividades Potencialmente Poluidoras e Utilizadoras de Recursos Ambientais (CTF/APP) Cargas Abandonadas e Legislação Ambiental Avaliação e encerramento

3 SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL/NEASP RESPONSABILIDADES E COMPETÊNCIAS EM MATÉRIA AMBIENTAL E ATRIBUIÇÕES DO IBAMA Programa de Educação Ambiental Participativa e Continuada no Aeroporto Internacional de Viracopos Campinas SP Maio / 2015

4 O que esta marca representa para você?

5 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA Está tudo conectado e sempre buscando o EQUILÍBRIO das relações entre todos os seres e os ambientes. FONTE: GOOGLE IMAGENS. SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

6 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA Assim, vale a reflexão: Quem tem DIREITO ao meio ambiente equilibrado, do qual estamos falando? SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

7 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA Artigo 225 da Constituição Federal Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida ( ) SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

8 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA Porém, como para cada direito, existe uma responsabilidade correspondente... Quem tem o DEVER de garantir a proteção do meio ambiente? SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

9 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA Artigo 225 da Constituição Federal Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações. SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

10 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA O que a coletividade (cada um de nós) pode e deve fazer para defender e preservar o Meio Ambiente? Não jogar lixo nas ruas; Separar os resíduos gerados em casa e no trabalho e destiná-los para a reciclagem; Economizar água e energia; Plantar árvores; Não comprar animais silvestres provenientes do tráfico; SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

11 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA Eleger governantes comprometidos com a questão ambiental; Prestar atenção nas propostas dos legisladores antes de escolhê-los (deputados, senadores, vereadores), afinal, são eles que elaboram a maioria das leis; Exercer o controle social; Participar de comitês, conselhos e outras instâncias de tomada de decisão; Denunciar crimes contra o meio ambiente; Buscar sempre novos conhecimentos; Educar outras pessoas; SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

12 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA Conhecer as normas ambientais, afinal, ninguém se escusa de cumprir a lei, alegando que não a conhece (Art. 3o do Decreto-Lei Nº 4.657, 04/09/ Lei de Introdução às normas do Direito Brasileiro); Respeitar as norma ambientais, pois elas existem para assegurar os interesses de toda a coletividade. Lembrando que, toda pessoa física ou jurídica que concorre para a prática dos crimes ambientais, responde na medida da sua culpabilidade. Também responde aquele que, sabendo da conduta criminosa de outrem, deixar de impedir a sua prática, quando podia agir para evitá-la (Vide Arts. 2º e 3º da Lei 9605/98 - Lei de Crimes Ambientais e Dec /08). SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

13 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA O que o Poder Público deve fazer para defender e preservar o meio ambiente? Zelar pelo cumprimento das Normas Ambientais; Seguir os princípios da Administração Pública (Art. 37, CF/88): moralidade, impessoalidade, publicidade, eficiência e legalidade. Destaque: Agir dentro do Princípio da Legalidade significa que o administrador público só pode atuar em função de lei, e deve respeitar as competências e obrigações determinadas pelas normas do Direito Brasileiro. SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

14 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA O que dizem as normas brasileiras em relação às atribuições do Poder Público? Constituição Federal (Art. 225, 1º): Para assegurar a efetividade do direito de todos ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, incumbe ao Poder Público: I - preservar e restaurar os processos ecológicos essenciais e prover o manejo ecológico (...); II - preservar a diversidade e a integridade do patrimônio genético do País e fiscalizar as entidades dedicadas à pesquisa e manipulação de material genético; III - definir, em todas as unidades da Federação, espaços territoriais (...) a serem especialmente protegidos (...); SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

15 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA Incumbe ao Poder Público (cont.): IV - exigir, na forma da lei, para instalação de obra ou atividade potencialmente causadora de significativa degradação do meio ambiente, estudo prévio de impacto ambiental, a que se dará publicidade; V - controlar a produção, a comercialização e o emprego de técnicas, métodos e substâncias que comportem risco para a vida, a qualidade de vida e o meio ambiente; VI - promover a educação ambiental em todos os níveis de ensino e a conscientização pública para a preservação do meio ambiente; SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

16 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA Incumbe ao Poder Público (cont.): VII - proteger a fauna e a flora, vedadas, na forma da lei, as práticas que coloquem em risco sua função ecológica, provoquem a extinção de espécies ou submetam os animais a crueldade. (...) Destaque do Art. 225, 3º: (Vale para todos) 3º As condutas e atividades consideradas lesivas ao meio ambiente sujeitarão os infratores, pessoas físicas ou jurídicas, a sanções penais e administrativas, independentemente da obrigação de reparar os danos causados. SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

17 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA Dentre as atribuições do Poder Público (União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios), QUEM FAZ O QUE? FONTE: GOOGLE IMAGENS. SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

18 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA COMPETÊNCIAS E OBRIGAÇÕES LEGAIS EM MATÉRIA AMBIENTAL O Sistema de Atribuição de Competências entre os entes da Federação é ditado pela Constituição Federal Brasileira (1988): Arts. 21, 22, 23, 24 e 30. As competências podem ser: privativa, concorrente, suplementar e comum. SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

19 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA Competência privativa para legislar: é aquela que estabelece qual ente da federação poderá elaborar de forma exclusiva, leis acerca de determinado assunto. Ex.: Art. 22 (CF/88): Compete privativamente à União legislar sobre: (...) IV águas, energia, informática, telecomunicações e radiodifusão; ( ) VIII - comércio exterior e interestadual; ( ) XI trânsito e transporte; ( ) XIV - populações indígenas; ( ) XXVI atividades nucleares de qualquer natureza;(...) Parágrafo único: Lei complementar poderá autorizar os Estados a legislar sobre questões específicas das matérias relacionadas neste artigo. SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

20 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA Competência concorrente para legislar: atribui a um ente estabelecer normas gerais (União), e aos outros, a possibilidade de legislar atendendo às peculiaridades locais. Art. 24 (CF/88): Compete à União, aos Estados e ao Distrito Federal legislar concorrentemente sobre: VI - florestas, (...), fauna, (...) defesa do solo e dos recursos naturais, proteção do meio ambiente e controle da poluição; VII - proteção ao patrimônio histórico, cultural, artístico, turístico e paisagístico; VIII - responsabilidade por dano ao meio ambiente ( ); SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

21 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA 1º - No âmbito da legislação concorrente, a competência da União limitar-se-á a estabelecer normas gerais. 3º - Inexistindo lei federal sobre normas gerais, os Estados exercerão a competência legislativa plena, para atender a suas peculiaridades. 4º - A superveniência de lei federal sobre normas gerais suspende a eficácia da lei estadual, no que lhe for contrário. 2º - A competência da União para legislar sobre normas gerais não exclui a competência suplementar dos Estados. SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

22 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA Competência suplementar para legislar: permite ao Município ampliar, enriquecer, aperfeiçoar ou ser mais restritivo em matéria ambiental, que os Estados ou a União. Ex.: Art. 30 (CF/88): Compete aos Municípios: I - legislar sobre assuntos de interesse local; II - suplementar a legislação federal e a estadual no que couber; (...). SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

23 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA Competência comum para agir: é aquela que se estende a todos os entes federativos (União, Estados, Distrito Federal e Municípios), visando a cooperação e a otimização de esforços. Art. 23. É competência comum da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios: (...) III - proteger (...) os monumentos, as paisagens naturais notáveis e os sítios arqueológicos; (...) VI - proteger o meio ambiente e combater a poluição em qualquer de suas formas; VII - preservar as florestas, a fauna e a flora; ( ) SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

24 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA Parágrafo único (Art. 23 da CF 88): Leis complementares fixarão normas para a cooperação entre a União e os Estados, o Distrito Federal e os Municípios (...). A Lei Complementar LC 140 de 2011 se propôs a disciplinar a cooperação entre os entes em matéria de meio ambiente, através de: 1. Instrumentos de cooperação como convênios, consórcios públicos, comissões tripartites, fundos, delegação de atribuições de um ente federativo a outro, etc (Arts. 1º ao 5º); SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

25 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA Lei Complementar LC 140 de 2011 (Cont.) 2. Descrição de ações administrativas que cada ente deve desenvolver, sem excluir o caráter cooperativo ditado pela competência comum, porém, permitindo a atuação supletiva e subsidiária. Art. 2º: II - atuação supletiva: ação do ente da Federação que se substitui ao ente federativo originariamente detentor das atribuições, nas hipóteses definidas nesta LC; III - atuação subsidiária: ação do ente da Federação que visa a auxiliar no desempenho das atribuições decorrentes das competências comuns, quando solicitado pelo ente federativo originariamente detentor das atribuições definidas nesta LC. SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

26 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA LC 140/2011 : Art. 7º São ações administrativas da União: I - formular, executar e fazer cumprir, em âmbito nacional, a Política Nacional do Meio Ambiente; (...) XI - promover e orientar a educação ambiental em todos os níveis de ensino e a conscientização pública para a proteção do meio ambiente; ( ) XVII - controlar a introdução no País de espécies exóticas (...); XIX - controlar a exportação de componentes da biodiversidade brasileira na forma de espécimes silvestres da flora, microorganismos e da fauna, partes ou produtos deles derivados; (...) XXIV e XXV - exercer o controle ambiental sobre o transporte marítimo, interestadual, fluvial ou terrestre, de produtos perigosos. SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

27 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA LC 140/2011 : Art. 7º São ações administrativas da União: XIII - exercer o controle e fiscalizar as atividades e empreendimentos cuja atribuição para licenciar ou autorizar, ambientalmente, for cometida à União; XIV - promover o licenciamento ambiental de empreendimentos e atividades: a) localizados ou desenvolvidos conjuntamente no Brasil e em país limítrofe; (...) c) localizados ou desenvolvidos em terras indígenas; (...) e) localizados ou desenvolvidos em 2 (dois) ou mais Estados; f) de caráter militar (...); g) ( ) que utilizem energia nuclear ( ) mediante parecer da Comissão Nacional de Energia Nuclear (Cnen); ( ). SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

28 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA LC 140/2011 : Art. 7º São ações administrativas da União: XV - aprovar o manejo e a supressão de vegetação, de florestas e formações sucessoras em: a) florestas públicas federais, terras devolutas federais ou unidades de conservação instituídas pela União, exceto em APAs; e b) atividades ou empreendimentos licenciados ou autorizados, ambientalmente, pela União. SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

29 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA FONTE: GOOGLE IMAGENS. SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

30 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA LC 140/2011 : Art. 8º São ações administrativas dos Estados: I - executar e fazer cumprir, em âmbito estadual, a Política Nacional do Meio Ambiente e demais políticas nacionais relacionadas à proteção ambiental; (...) III - formular, executar e fazer cumprir, em âmbito estadual, a Política Estadual de Meio Ambiente; (...) IX - elaborar o zoneamento ambiental de âmbito estadual(...); XI - promover e orientar a educação ambiental em todos os níveis de ensino e a conscientização pública para a proteção do meio ambiente; SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

31 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA LC 140/2011 : Art. 8º São ações administrativas dos Estados: XIII - exercer o controle e fiscalizar as atividades e empreendimentos cuja atribuição para licenciar ou autorizar, ambientalmente, for cometida aos Estados; XIV - promover o licenciamento ambiental de atividades ou empreendimentos utilizadores de recursos ambientais, efetiva ou potencialmente poluidores ou capazes, sob qualquer forma, de causar degradação ambiental, ressalvado o disposto nos arts. 7o e 9o; (...) XIX - aprovar o funcionamento de criadouros da fauna silvestre; XX - exercer o controle ambiental da pesca em âmbito estadual; SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

32 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA LC 140/2011 : Art. 8º São ações administrativas dos Estados: XVI - aprovar o manejo e a supressão de vegetação, de florestas e formações sucessoras em: a) florestas públicas estaduais ou unidades de conservação do Estado, exceto em Áreas de Proteção Ambiental (APAs); b) imóveis rurais, observadas as atribuições previstas no inciso XV do art. 7o; e c) atividades ou empreendimentos licenciados ou autorizados, ambientalmente, pelo Estado; (...) XXI - exercer o controle ambiental do transporte fluvial e terrestre de produtos perigosos, ressalvado o disposto no inciso XXV do art. 7o. SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

33 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA FONTE: GOOGLE IMAGENS. SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

34 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA LC 140/2011 : Art. 9º São ações administrativas dos Municípios: I - executar e fazer cumprir, em âmbito municipal, as Políticas Nacional e Estadual de Meio Ambiente e demais políticas nacionais e estaduais (...); III - formular, executar e fazer cumprir a Política Municipal de Meio Ambiente; IX - elaborar o Plano Diretor, observando os zoneamentos ambientais; XI - promover e orientar a educação ambiental em todos os níveis de ensino e a conscientização pública para a proteção do meio ambiente; SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

35 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA LC 140/2011 : Art. 9º São ações administrativas dos Municípios: XIII - exercer o controle e fiscalizar as atividades e empreendimentos cuja atribuição para licenciar ou autorizar, ambientalmente, for cometida ao Município; XIV - observadas as atribuições dos demais entes federativos previstas nesta Lei Complementar, promover o licenciamento ambiental das atividades ou empreendimentos: a) que causem ou possam causar impacto ambiental de âmbito local, conforme tipologia definida pelos respectivos Conselhos Estaduais de Meio Ambiente, considerados os critérios de porte, potencial poluidor e natureza da atividade; ou b) localizados em unidades de conservação instituídas pelo Município, (...); SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

36 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA LC 140/2011 : Art. 9º São ações administrativas dos Municípios: XV - observadas as atribuições dos demais entes federativos previstas nesta Lei Complementar, aprovar: a) a supressão e o manejo de vegetação, de florestas e formações sucessoras em florestas públicas municipais e unidades de conservação instituídas pelo Município, exceto em Áreas de Proteção Ambiental (APAs); e b) a supressão e o manejo de vegetação, de florestas e formações sucessoras em empreendimentos licenciados ou autorizados, ambientalmente, pelo Município. SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

37 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA FONTE: GOOGLE IMAGENS. SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

38 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA Como os órgãos ambientais se organizam para cumprir todas estas determinações legais? Através do Sistema Nacional do Meio Ambiente SISNAMA, instituído pela Lei 6.938/81 e composto por: Órgão Superior: O Conselho de Governo; Órgão Consultivo e Deliberativo: CONAMA; Órgão Central: O Ministério do Meio Ambiente MMA; Órgãos Executores: O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis IBAMA, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, e demais órgãos federais executores da PNMA; SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

39 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e Apresentação IBAMA atribuições do IBAMA Órgãos Seccionais: os órgãos ou entidades estaduais responsáveis pela execução de programas, projetos e pelo controle e fiscalização; Órgãos Locais: os órgãos ou entidades municipais. SISNAMA SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

40 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA DESTAQUE para o IBAMA: órgão EXECUTOR da PNMA, cujas principais atribuições são: (Conforme determinado pela Lei 6.938/81, Lei 7.735/89, Lei /07, Decreto 6.099/07, Portaria 341/2011 Regimento Interno do IBAMA, Portaria 14/2011 Plano Estratégico do Instituto) Propor e editar instruções normativas e padrões de qualidade ambiental; O licenciamento ambiental, nas atribuições federais; O apoio às emergências ambientais; SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

41 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA DESTAQUE para o IBAMA: órgão EXECUTOR da PNMA, cujas principais atribuições são: O gerenciamento do Cadastro Técnico Federal; A geração e disseminação de informações relativas ao meio ambiente; A fiscalização ambiental e a aplicação de penalidades administrativas; A execução de programas de Educação Ambiental. SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

42 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA Daí a proposta do PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARTICIPATIVA E CONTINUADA: Realizar ações de Educação Ambiental voltadas à discussão sobre legislação, responsabilidades, competências e obrigações em matéria ambiental e a formação de multiplicadores (Apresentação de Isis Akemi Morimoto); Apoiar a implementação do Cadastro Técnico Federal e a geração de informações relativas ao meio ambiente (Apresentação da Mariana Nakashima); Disponibilizar informações sobre Controle e Fiscalização ambiental, Operações de Comércio Exterior e Cargas Abandonadas (Apresentação de Luis Antônio Gonçalves de Lima, Eloi Venturini e Marcos José). SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

43 Responsabilidades e competências em matéria ambiental e atribuições do IBAMA OBRIGADA PELA ATENÇÃO! Núcleo de Educação Ambiental da SUPES/SP SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP e NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NEA/SUPES/SP

44 SUPERINTENDÊNCIA DO IBAMA EM SÃO PAULO UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP Cadastro Técnico Federal Mariana Nakashima Analista Ambiental NQA IBAMA-SP Programa de Educação Ambiental Participativa e Continuada no Aeroporto Internacional de Viracopos Campinas SP Maio/ 2015

45 CADASTRO TÉCNICO FEDERAL Apresentação do Cadastro Técnico Federal CTF/APP Obrigações decorrentes do registro no CTF/APP Regularidade junto ao CTF/APP UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

46 CADASTRO TÉCNICO FEDERAL Cadastro Técnico Federal é um dos instrumentos da Política Nacional de Meio Ambiente - Lei 6.938/1981 Atividades e Instrumentos de Defesa Ambiental Atividades Potencialmente Poluidoras CTF/AIDA CTF/APP UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

47 CADASTRO TÉCNICO FEDERAL São atividades potencialmente poluidoras: Transporte, comércio e depósito de produtos químicos e perigosos UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

48 CADASTRO TÉCNICO FEDERAL Cadastro Técnico Federal Lei 6.938/1981 Atividades Potencialmente Poluidoras CTF/APP Instrução Normativa Ibama nº 06/2013; Registro de pessoas físicas e jurídicas; Lista de atividades potencialmente poluidoras. UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

49 CADASTRO TÉCNICO FEDERAL CTF/APP UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

50 CADASTRO TÉCNICO FEDERAL Como se cadastrar UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

51 CADASTRO TÉCNICO FEDERAL Obrigações decorrentes do registro: Algumas atividades são passíveis do pagamento de taxa trimestral e de entrega de relatórios anuais Atividade TCFA Transporte de produtos químicos e perigosos Sim Comércio de produtos químicos e perigosos Sim Depósito de produtos químicos e perigosos Sim IN Ibama nº 06/2013 UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

52 CADASTRO TÉCNICO FEDERAL Entrega de relatórios anuais: 1 de fevereiro a 31 de março para informações do ano anterior Atividade Formulários Comércio de produtos químicos e produtos perigosos Resíduos Sólidos - Gerador Comerciante de Produtos Químicos, Produtos Perigosos, Pneus, Combustíveis e Derivados IN Ibama nº 06/2014 UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

53 CADASTRO TÉCNICO FEDERAL Taxa de Controle e Fiscalização Ambiental Lei 6.938/1981 Pessoa física Microempresa Pequeno porte Médio porte Grande porte Pequeno ,50 225,00 450,00 Médio ,00 360,00 900,00 Alto - 50,00 225,00 450, ,00 PP/GU Lei Federal 6.938/1981 UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

54 CADASTRO TÉCNICO FEDERAL CERTIFICADO DE REGULARIDADE 3 meses de validade 16 impeditivos para a obtenção do Certificado, entre os quais: Licença ambiental não informada ou vencida; Relatório Anual não foi entregue. Como saber se o registro está irregular? Empresa Fornecedor Cliente Participante de licitações UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

55 CADASTRO TÉCNICO FEDERAL CERTIFICADO DE REGULARIDADE 3 meses de validade Consulta pública de regularidade: Consultas Consulta sobre a regularidade no CTF UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

56 CADASTRO TÉCNICO FEDERAL CERTIFICADO DE REGULARIDADE 3 meses de validade Consulta, emissão, visualização de impeditivos: Serviços fazer login na aba Cadastro, clique em Certificado de Regularidade UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

57 CADASTRO TÉCNICO FEDERAL COMO SE REGULARIZAR? Identifique suas pendências; Declare corretamente as informações; Emita o Certificado de Regularidade. UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

58 CADASTRO TÉCNICO FEDERAL A falta de inscrição no CTF incorre em: Sanções pecuniárias: Art. 17-I da Lei nº 6.938/81. Multas previstas no Decreto 6.514/2008, art. 76, como infração administrativa contra a Administração Ambiental: R$ 50,00 (cinqüenta reais), se pessoa física; R$ 150,00 (cento e cinqüenta reais), se microempresa; R$ 900,00 (novecentos reais), se empresa de pequeno porte; R$ 1.800,00 (mil e oitocentos reais), se empresa de médio porte; R$ 9.000,00 (nove mil reais), se empresa de grande porte. UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

59 CADASTRO TÉCNICO FEDERAL Outras sanções: A prestação de informações falsas e enganosas ou omissão de informações para os sistemas oficiais de controle está sujeita a multa: Decreto 6.514/2008, art. 82 De R$ 1.500,00 a R$ 1 milhão. Art. 81. Deixar de apresentar relatórios ou informações ambientais nos prazos exigidos pela legislação ou, quando aplicável, naquele determinado pela autoridade ambiental: Multa de R$ 1.000,00 (mil reais) a R$ ,00 (cem mil reais). UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

60 Obrigada! MARIANA NAKASHIMA Analista Ambiental - NQA/IBAMA/SP

61 UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP Cargas Abandonadas e Legislação Ambiental Luis Antônio Gonçalves de Lima / Marcos José de Oliveira IBAMA UA-VCP Programa de Educação Ambiental Participativa e Continuada no Aeroporto Internacional de Viracopos Campinas SP Maio/2015

62 CARGAS ABANDONADAS Roteiro O IBAMA NO AEROPORTO DE VIRACOPOS INTRODUÇÃO PROBLEMA SOLUÇÃO CORRETIVA IBAMA SOLUÇÃO PREVENTIVA EMPRESAS RESULTADOS SÍNTESE UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

63 O IBAMA no Aeroporto de Viracopos Orientar sobre a Anuência (SISCOMEX) x Fiscalização Ambiental de Comércio Exterior Apresentar atribuições da UA-VCP: temas de interesse ambiental UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

64 ATRIBUIÇÕES DA UA-VCP Fiscalização Ambiental em Comércio Exterior Qualidade Ambiental (Substâncias químicas e produtos perigosos) Biodiversidade (Organismos, partes, produtos e subprodutos) UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

65 Anuência x Fiscalização Ambiental em Comércio Exterior Anuências Centralizadas em duas Diretorias do IBAMA (Sede/Brasília) DIQUA Diretoria de Qualidade Ambiental DBFLO Diretoria de Uso Sustentável da Biodiversidade e Florestas UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

66 QUALIDADE AMBIENTAL Substâncias químicas e produtos perigosos

67 BIODIVERSIDADE Produtos de origem animal Peles de raposa/vison, coelho

68 BIODIVERSIDADE Amostras/componentes de patrimônio genético

69 Unidade Avançada de Viracopos (UA-VCP) Importante: Procuração: representante legal da carga perante o Ibama Cargas já anuídas podem ser fiscalizadas, bem como outras cargas que necessitem de controle ambiental Fiscalização inclusive de atividades não diretamente relacionadas com operações de comércio exterior UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

70 CARGAS ABANDONADAS - Introdução Legislação Fiscal (Regulamento Aduaneiro) Decreto nº 6.759/2009 Art Considera-se abandonada a mercadoria que permanecer em recinto alfandegado sem que o seu despacho de importação seja iniciado no decurso dos seguintes prazos: 90 dias da sua descarga (inc. I, alínea a) 60 dias da data da interrupção do despacho por ação ou omissão do importador ou seu representante (inc. 1º, inc. II) Exemplos: Não apresentar documentos indispensáveis exigidos pela autoridade aduaneira Não comparecer para assistir à verificação da mercadoria, quando sua presença for obrigatória UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

71 CARGAS ABANDONADAS - Introdução Legislação Fiscal (Regulamento Aduaneiro) Decreto nº 6.759/2009 Art Aplica-se a pena de perdimento da mercadoria nas seguintes hipóteses, por configurarem dano ao Erário Estrangeira, encontrada ao abandono, desacompanhada de prova do pagamento dos tributos aduaneiros (inc. IX) Outros: falsificada, oculta, falsa declaraçao de conteúdo etc. Art As infrações a que se aplique a pena de perdimento serão apuradas mediante processo fiscal, cuja peça inicial será o auto de infração acompanhado de termo de apreensão, e se for o caso, de termo de guarda fiscal UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

72 CARGAS ABANDONADAS - Introdução Legislação Fiscal (Regulamento Aduaneiro) Decreto nº 6.759/2009 Art A destinação das mercadorias, se abandonadas, entregues à Fazenda Nacional ou objeto de pena de perdimento, será feita por Alienação Licitação Doação a entidades sem fins lucrativos Incorporação ao patrimônio de órgão da Administração Pública; Destruição; ou Inutilização. UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

73 CARGAS ABANDONADAS - Introdução Legislação Fiscal RESUMO Decreto nº 6.759/2009 (Regulamento Aduaneiro) Carga 90d descarga 60d interrupção Art. 642 Art. 689 Abandono Pena de Perdimento Sujeita à Pena de Perdimento Alienação Incorporação Destruição Inutilização Destinação Auto de Infração Art. 803 Art. 774 UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

74 CARGAS ABANDONADAS - Problema Possíveis Causas Barateamento do frete aéreo Aumento do volume de cargas (geral e abandonadas) Desconhecimento Envio de amostras Falhas de comunicação e controle Falta de controle nos pedidos, envio e recebimento de cargas, rastreio Limitação da legislação para o gerenciamento dos resíduos LC 140/2011): Atribuição e presença do IBAMA UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

75 CARGAS ABANDONADAS - Problema Situação no Aeroporto Int. de Viracopos Área total: m2 = 2 campos de futebol Cargas perdimento (total): volumes Perdimento (TECA Antigo) toneladas Cargas restritas perdimento: volumes - 50 toneladas (5% do total) Perdimento Cargas restritas Fonte: Google UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

76 CARGAS ABANDONADAS - Problema Situação no Aeroporto Int. de Viracopos UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

77 CARGAS ABANDONADAS - Problema Situação no Aeroporto Int. de Viracopos UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

78 CARGAS ABANDONADAS - Introdução Legislação Fiscal x Legislação Ambiental Cargas abandonadas/ em perdimento Legislação Aduaneira/ Fiscal Legislação Ambiental Novidade UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

79 CARGAS ABANDONADAS Solução Corretiva Legislação Ambiental Perdimento Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei Federal nº /2010) Definiu a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos a ser implementada de forma individualizada e encadeada abrangendo, entre outros, os importadores para minimizar o volume de resíduos sólidos e rejeitos gerados, bem como para reduzir os impactos causados à saúde humana e à qualidade ambiental decorrentes do ciclo de vida dos produtos (inc. XVII do art. 3º e art. 30). UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

80 CARGAS ABANDONADAS Solução Corretiva Legislação Ambiental Perdimento Resolução CONAMA nº 5/1993 Art Determina que as cargas em perdimento consideradas como resíduos obedecerão ao disposto na Resolução do CONAMA nº 2/1991 UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

81 CARGAS ABANDONADAS Solução Corretiva Legislação Ambiental Perdimento Resolução CONAMA nº 2/1991 Cargas abandonadas são tratadas como fontes potenciais de risco para o meio ambiente até manifestação do órgão de Meio Ambiente competente (Art. 1º); Cabe ao IBAMA adotar as medidas necessárias para facilitar a internalização e solução final quando da ocorrência de problemas relacionados com cargas abandonadas (Art. 2º); O IBAMA acionará o responsável pelas cargas para as providências de sua competência. (Art. 3º); UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

82 CARGAS ABANDONADAS Solução Corretiva Legislação Ambiental Perdimento Resolução CONAMA nº 2/1991 Entre outros, o importador responde solidariamente pela ação de prevenção, controle, tratamento e disposição final dos resíduos gerados pelas cargas abandonadas (Art. 4º); As despesas oriundas da avaliação, monitoramento, controle e gerenciamento dos resíduos gerados pelas cargas abandonadas correrão às expensas do responsável pelas mesmas (Art. 4º, parágrafo único); Cabe ao IBAMA coordenar a ação interinstitucional de regulamentação e definição de procedimentos técnico-operacionais e administrativos que devam ser adotados para as cargas abandonadas (Art. 6º). UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

83 CARGAS ABANDONADAS Solução Corretiva Legislação Ambiental - Fiscalização Instrução Normativa IBAMA nº 10/2012 (Art. 10, inc. i) Compete à fiscalização do IBAMA: Inaugurar o procedimento administrativo ambiental, com notificação, lavratura de termos próprios e auto de infração UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

84 CARGAS ABANDONADAS Solução Corretiva Legislação Ambiental - Fiscalização Decreto nº 6.514/2008 (Art. 76) Deixar de inscrever-se no Cadastro Técnico Federal (CTF) de que trata o art.17 da Lei 6.938, de 1981: Multa simples R$ 50,00 a R$ 9.000,00 UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

85 CARGAS ABANDONADAS Solução Corretiva Legislação Ambiental - Fiscalização Decreto nº 6.514/2008 (Art. 80) Deixar de atender a exigências legais ou regulamentares quando devidamente notificado pela autoridade ambiental competente no prazo concedido, visando à regularização, correção ou adoção de medidas de controle para cessar a degradação ambiental Multa simples R$ 1.000,00 a R$ ,00 UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

86 CARGAS ABANDONADAS Solução Corretiva Legislação Ambiental - Fiscalização Decreto nº 6.514/2008 (Art. 64) Produzir, processar, embalar, importar, exportar, comercializar, fornecer, transportar, armazenar, guardar, ter em depósito ou usar produto ou substância tóxica, perigosa ou nociva à saúde humana ou ao meio ambiente, em desacordo com as exigências estabelecidas em leis ou em seus regulamentos: 1o Incorre nas mesmas penas quem abandona os produtos ou substâncias referidas no caput, descarta de forma irregular ou os utiliza em desacordo com as normas de segurança. Multa diária R$ 500,00 a R$ ,00 Comunicação de crime ao Ministério Público UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

87 CARGAS ABANDONADAS Solução Corretiva Processo e Procedimentos Tipos de cargas Todas as cargas abandonadas (normais e perigosas) que se tornaram resíduos podem ser alvo de fiscalização Prioridade: produtos perigosos (risco ambiental maior) UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

88 CARGAS ABANDONADAS Solução Corretiva Processo e Procedimentos Etapas - Fluxograma UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

89 CARGAS ABANDONADAS Solução Corretiva Processo e Procedimentos Ações para atendimento da notificação Início ou retomada do despacho aduaneiro (IN SRF nº 69 de 16 de junho de 1999) Destinação final ambientalmente adequada Aproveita carga? Impostos? Tarifa Armazenagem CADRI Destruição Agilidade Início/retomar despacho S S S N N Maior Destinação final N N S S S Menor UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

90 CARGAS ABANDONADAS Solução Corretiva Processo e Procedimentos Problemas comuns Não atender à notificação dentro do prazo ou não dar prosseguimento ao cronograma do Termo de Compromisso Demorar para apresentar Termo de Compromisso e/ou pedido de prorrogação de prazo da notificação Termo de compromisso é uma intenção, e não a execução. O Termo é um planejamento, com os passos e um cronograma a ser seguido conforme estipulado No dia da retirada/embarque, não estar no local no horário combinado Autuações (multa simples e diária) Empresas transportadoras e/ou despachantes não sabem chegar ao local da retirada, atrasando todos os envolvidos. Chegar com antecedência de 30 min. antes do horário marcado. Não pagar a taxa de armazenagem Sem o pagamento, a carga não é liberada pelo depositário. Providenciar com antecedência, pois, mesmo pagando no mesmo dia, pode demorar para constar no sistema. UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

91 CARGAS ABANDONADAS Solução Corretiva Processo e Procedimentos Problemas comuns Transporte: condições inadequadas Não ter representante legal/despachante Tamanho/peso/volume, local para lacre, habilitação MOPP, rótulos risco, painel de segurança, entre outros requisitos do TRPP A agilidade do processo fica prejudicada Deixar de apresentar Termo de Destruição ao IBAMA nos casos em que a destinação foi acompanhada por outro órgão (RFB ou anuente) O IBAMA precisa de uma cópia do Termo de Destruição para proceder com o encerramento do caso. UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

92 CARGAS ABANDONADAS Solução Preventiva Processo e Procedimentos Não deixar cair em perdimento Controlar pedidos/envio do exterior/chegada no Brasil (repassar e comunicar internamente nas empresas os envolvidos no setor de comércio exterior, bem como os despachantes) Comunicar/alertar fornecedores sobre não enviar amostras/cargas sem aviso prévio Solicitar relação de cargas (RFB/Depositário/Despachante) presentes nas zonas alfandegadas, verificando a existência de carga recebida há muitos dias sem movimentação UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

93 CARGAS ABANDONADAS Solução Preventiva Processo e Procedimentos Se cair em perdimento, tomar medidas proativas Antes de ser notificado, verificar a existência de cargas em perdimento e adotar uma das opções: Retomar o despacho (preferível) Proceder à destinação ambientalmente adequada UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

94 CARGAS ABANDONADAS Resultados Aeroporto Internacional de Viracopos Cargas destruídas 11 toneladas toneladas toneladas - notificados ou em vias de destruição UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

95 CARGAS ABANDONADAS Resultados Aeroporto Internacional de Viracopos Inspeções Cargas perigosas UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

96 CARGAS ABANDONADAS Resultados Aeroporto Internacional de Viracopos Inspeções Cargas maiores UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

97 CARGAS ABANDONADAS Resultados Aeroporto Internacional de Viracopos Inspeções Cargas menores (amostras - cosméticos) UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

98 CARGAS ABANDONADAS Resultados Aeroporto Internacional de Viracopos Inspeções Eletrônicos UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

99 CARGAS ABANDONADAS Resultados Aeroporto Internacional de Viracopos Inspeções Vestuários UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

100 CARGAS ABANDONADAS Resultados Aeroporto Internacional de Viracopos Inspeções Peças/equipamentos UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

101 CARGAS ABANDONADAS Resumo Aeroporto Internacional de Viracopos Cargas abandonadas: problema Atuação do IBAMA (respaldo legal e procedimentos: solução) Notificação (abandono) aplicação de multas (abandono e CTF) Comunicação de crime ao MP Conduta das empresas Agir preventivamente Caso de notificada, promover a solução: Retomar o despacho (preferível) Proceder à destinação ambientalmente adequada UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UAVCP

102 Obrigado! Unidade Avançada do IBAMA em Viracopos (19)

Atribuições estaduais e municipais na fiscalização ambiental

Atribuições estaduais e municipais na fiscalização ambiental Atribuições estaduais e municipais na fiscalização ambiental Rodolfo Torres Advogado Assessor Jurídico do INEA Especialista em Direito Ambiental pela PUC/RJ Fiscalização: noções gerais Manifestação do

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Fixa normas, nos termos dos incisos III, VI e VII do caput e do parágrafo único do art. 23 da Constituição Federal, para a cooperação entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, nas

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI COMPLEMENTAR Nº 140, DE 8 DE DEZEMBRO DE 2011 Fixa normas, nos termos dos incisos III, VI e VII do caput e do parágrafo único do

Leia mais

Presidência da República. Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI COMPLEMENTAR Nº 140, DE 8 DE DEZEMBRO DE 2011

Presidência da República. Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI COMPLEMENTAR Nº 140, DE 8 DE DEZEMBRO DE 2011 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI COMPLEMENTAR Nº 140, DE 8 DE DEZEMBRO DE 2011 Fixa normas, nos termos dos incisos III, VI e VII do caput e do parágrafo único do

Leia mais

Cadastro Técnico Federal

Cadastro Técnico Federal Cadastro Técnico Federal Mariana Nakashima Apresentação do Ibama Apresentação do Cadastro Técnico Federal CTF/APP Obrigações decorrentes do registro no CTF/APP Regularidade junto ao CTF/APP Constituição

Leia mais

SEMANA DO MEIO AMBIENTE LICENCIAMENTO AMBIENTAL LEI COMPLEMENTAR Nº 140/2011. Ricardo Carneiro Junho/2014

SEMANA DO MEIO AMBIENTE LICENCIAMENTO AMBIENTAL LEI COMPLEMENTAR Nº 140/2011. Ricardo Carneiro Junho/2014 SEMANA DO MEIO AMBIENTE LICENCIAMENTO AMBIENTAL LEI COMPLEMENTAR Nº 140/2011 Ricardo Carneiro Junho/2014 Constituição da República Art. 23. É competência comum da União, dos Estados, do Distrito Federal

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Fixa normas para a cooperação entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, nas ações administrativas decorrentes do exercício da competência comum relativas

Leia mais

MUNICÍPIOS E LICENCIAMENTO AMBIENTAL

MUNICÍPIOS E LICENCIAMENTO AMBIENTAL MUNICÍPIOS E LICENCIAMENTO AMBIENTAL SUELY MARA VAZ GUIMARÃES DE ARAÚJO Consultora Legislativa da Área XI Meio ambiente e direito ambiental, desenvolvimento urbano e interior OUTUBRO/2015 Suely Mara Vaz

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA RESOLUÇÃO COEMA N 116, DE 03 DE JULHO DE 2014. Dispõe sobre as atividades de impacto ambiental

Leia mais

Licenciamento Ambiental nos Municípios: a Lei Complementar nº 140

Licenciamento Ambiental nos Municípios: a Lei Complementar nº 140 Licenciamento Ambiental nos Municípios: a Lei Complementar nº 140 I Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável Brasília, 29 de março de 2012 SISTEMA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE - SISNAMA O

Leia mais

Art. 6 o O SNUC será gerido pelos seguintes órgãos, com as respectivas atribuições:

Art. 6 o O SNUC será gerido pelos seguintes órgãos, com as respectivas atribuições: SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO CF/88 art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 06/2013. Regulamenta o Cadastro Técnico Federal de Atividades Potencialmente Poluidoras CTF/APP

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 06/2013. Regulamenta o Cadastro Técnico Federal de Atividades Potencialmente Poluidoras CTF/APP INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 06/2013 Regulamenta o Cadastro Técnico Federal de Atividades Potencialmente Poluidoras CTF/APP Julho/2013 Instrução Normativa 31/2009 CADASTRO TÉCNICO FEDERAL DE ATIVIDADES POTENCIALMENTE

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO VIII DA ORDEM SOCIAL CAPÍTULO VI DO MEIO AMBIENTE Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do

Leia mais

O Licenciamento Ambiental Municipal

O Licenciamento Ambiental Municipal O licenciamento ambiental é um dos instrumentos da política nacional do meio ambiente, sendo definido como o procedimento administrativo utilizado pelo órgão ambiental competente para licenciar a localização,

Leia mais

Transporte de Produtos Perigosos, Cadastro Técnico Federal e Cargas em Perdimento

Transporte de Produtos Perigosos, Cadastro Técnico Federal e Cargas em Perdimento UNIDADE AVANÇADA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS/UA VCP Transporte de Produtos Perigosos, Cadastro Técnico Federal e Cargas em Perdimento Programa de Educação Ambiental Participativa e Continuada

Leia mais

Resolução Conama 237/97. Resolução Conama 237/97. Resolução Conama 237/97. Resolução Conama 237/97 7/10/2010

Resolução Conama 237/97. Resolução Conama 237/97. Resolução Conama 237/97. Resolução Conama 237/97 7/10/2010 LICENCIAMENTO AMBIENTAL NA ATIVIDADE DE MINERAÇÃO: ASPECTOS LEGAIS E TÉCNICOS GEÓLOGO NILO SÉRGIO FERNANDES BARBOSA Art. 1º - Para efeito desta Resolução são adotadas as seguintes definições: I - Licenciamento

Leia mais

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Legislação Federal LEI N 7.804, de 18 de julho de 1989 Altera a Lei n 6.938 de 31 de agosto de 1981, que dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação

Leia mais

Responsabilidade Socioambiental

Responsabilidade Socioambiental Fernando Tabet Responsabilidade Socioambiental Resíduos Sólidos Classificação (NBR 10.004:2004) Classe I - Perigosos Resíduos Classe II Não Perigosos Classe II-A - Não Inertes Classe II-B - Inertes Gerenciamento

Leia mais

IV - planejar, propor e coordenar a gestão ambiental integrada no Estado, com vistas à manutenção dos ecossistemas e do desenvolvimento sustentável;

IV - planejar, propor e coordenar a gestão ambiental integrada no Estado, com vistas à manutenção dos ecossistemas e do desenvolvimento sustentável; Lei Delegada nº 125, de 25 de janeiro de 2007. (Publicação Diário do Executivo Minas Gerais 26/01/2007) (Retificação Diário do Executivo Minas Gerais 30/01/2007) Dispõe sobre a estrutura orgânica básica

Leia mais

MINUTA DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO ABILUX 05/03/2010

MINUTA DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO ABILUX 05/03/2010 MINUTA DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO ABILUX 05/03/2010 Dispõe sobre a destinação de Lâmpadas inservíveis, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências O CONSELHO NACIONAL DO MEIO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE POUSO REDONDO CNPJ 83.102.681/0001-26 Rua Antonio Carlos Thiesen, 74 89.172-000 Pouso Redondo Santa Catarina

PREFEITURA MUNICIPAL DE POUSO REDONDO CNPJ 83.102.681/0001-26 Rua Antonio Carlos Thiesen, 74 89.172-000 Pouso Redondo Santa Catarina PREFEITURA MUNICIPAL DE POUSO REDONDO CNPJ 83.102.681/0001-26 Rua Antonio Carlos Thiesen, 74 89.172-000 Pouso Redondo Santa Catarina LEI N. 1925/06 de 25.07.2006. Dispõe sobre a criação do Conselho Municipal

Leia mais

Gestão e Legislação Ambiental

Gestão e Legislação Ambiental UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS CENTRO DE TECNOLOGIA Mestrado em Recursos Hídricos H e Saneamento Disciplina: Gestão e Legislação Ambiental Professora: Selêude Wanderley da NóbregaN Legislação Ambiental

Leia mais

Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu a sanciono a seguinte Lei:

Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu a sanciono a seguinte Lei: Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Faço saber

Leia mais

14º Congresso Brasileiro de Direito Ambiental do Instituto O Direito por um planeta verde

14º Congresso Brasileiro de Direito Ambiental do Instituto O Direito por um planeta verde 14º Congresso Brasileiro de Direito Ambiental do Instituto O Direito por um planeta verde O licenciamento ambiental e o licenciamento urbanístico no Projeto de Lei nº 3.057/2000 Lei de responsabilidade

Leia mais

Licenciamento Ambiental

Licenciamento Ambiental Conceito Licenciamento Ambiental Procedimento administrativo pelo qual o órgão ambiental competente licencia a localização, instalação, ampliação e a operação de empreendimentos e atividades utilizadoras

Leia mais

14/05/2010. Sistema Integrado de Gestão Ambiental SIGA-RS. Sistema Integrado de Gestão Ambiental SIGA-RS. Niro Afonso Pieper. Diretor Geral - SEMA

14/05/2010. Sistema Integrado de Gestão Ambiental SIGA-RS. Sistema Integrado de Gestão Ambiental SIGA-RS. Niro Afonso Pieper. Diretor Geral - SEMA 14/05/2010 Niro Afonso Pieper Diretor Geral - SEMA 1 O Sistema Integrado de Gestão Ambiental no Rio Grande do Sul Concepção e Histórico Requisitos para a Habilitação Princípio da Melhoria Contínua Enfoque

Leia mais

Sustentabilidade Ambiental na Extração de Rochas Ornamentais

Sustentabilidade Ambiental na Extração de Rochas Ornamentais Sustentabilidade Ambiental na Extração de Rochas Ornamentais Edimundo Almeida da Cruz Geógrafo, Analista Ambiental (GCA-SLM-IEMA) Contato: edimundo-cruz@hotmail.com IEMA-CLM: (27) 3636-2580, 3636-2583

Leia mais

L E I N.º 162/2002, de 28 de janeiro de 2003.

L E I N.º 162/2002, de 28 de janeiro de 2003. 1 L E I N.º 162/2002, de 28 de janeiro de 2003. Dispõe sobre a Organização do Sistema Municipal de Proteção Ambiental, a elaboração, implementação e controle da Política Ambiental do Município de Coqueiro

Leia mais

PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE NO ÂMBITO. DE ATUAÇÃO DA CTNBIO, como forma de. controle social dos Processos Decisórios e. de Regulação naquele colegiado.

PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE NO ÂMBITO. DE ATUAÇÃO DA CTNBIO, como forma de. controle social dos Processos Decisórios e. de Regulação naquele colegiado. PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE NO ÂMBITO DE ATUAÇÃO DA CTNBIO, como forma de controle social dos Processos Decisórios e de Regulação naquele colegiado. Princípio da precaução e análise de risco dos Organismos

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE. Instrumento preventivo de tutela do meio ambiente (art. 9º, IV da Lei nº. 6.938/81)

POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE. Instrumento preventivo de tutela do meio ambiente (art. 9º, IV da Lei nº. 6.938/81) POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE 1. LICENCIAMENTO AMBIENTAL 1.1 NATUREZA JURÍDICA: Instrumento preventivo de tutela do meio ambiente (art. 9º, IV da Lei nº. 6.938/81) 1.2 CONCEITO: Segundo o art. 1º,

Leia mais

FISCALIZAÇÃO AMBIENTAL NAS VIAS DE TRÂNSITO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PRODUTOS PERIGOSOS

FISCALIZAÇÃO AMBIENTAL NAS VIAS DE TRÂNSITO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PRODUTOS PERIGOSOS Revisão 00 Setembro/ 2015 Sindicarga FISCALIZAÇÃO AMBIENTAL NAS VIAS DE TRÂNSITO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PRODUTOS PERIGOSOS Palestrante: FRANCESCO CUPELLO Presidente INTRODUÇÃO O Transporte Rodoviário

Leia mais

FISCALIZAÇÃO AMBIENTAL MUNICIPAL 18º ENCONTRO ANUAL DO CONDIMMA/RS 05.08.2105

FISCALIZAÇÃO AMBIENTAL MUNICIPAL 18º ENCONTRO ANUAL DO CONDIMMA/RS 05.08.2105 FISCALIZAÇÃO AMBIENTAL MUNICIPAL 18º ENCONTRO ANUAL DO CONDIMMA/RS 05.08.2105 RESPONSABILIDADE AMBIENTAL ARTIGO 225 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado,

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE CRISES Técnicas e Recomendações Práticas Para Preparação das Organizações para o Enfrentamento de Momentos Críticos

ADMINISTRAÇÃO DE CRISES Técnicas e Recomendações Práticas Para Preparação das Organizações para o Enfrentamento de Momentos Críticos Técnicas e Recomendações Práticas Para Preparação das Organizações para o Enfrentamento de Momentos Críticos C W M C O M U N I C A Ç Ã O WALTEMIR DE MELO ASPECTOS DA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL ASPECTOS CRÍTICOS

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS LEI 12.305/2010

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS LEI 12.305/2010 POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS LEI 12.305/2010 I RESUMO EXECUTIVO O que muda com a Lei 12.305/2010? Lixões a céu aberto e aterros controlados ficam proibidos. A Lei, determina que todas as administrações

Leia mais

RESPONSABILIDADES DOS AGENTES NA GESTÃO DOS RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL

RESPONSABILIDADES DOS AGENTES NA GESTÃO DOS RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL RESPONSABILIDADES DOS AGENTES NA GESTÃO DOS RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL Antonio Fernando Pinheiro Pedro Pinheiro Pedro Advogados OBRIGAÇÕES LEGAIS As empresas de construção civil estão sujeitas a elaboração

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO III DA ORGANIZAÇÃO DO ESTADO CAPÍTULO II DA UNIÃO Art. 24. Compete à União, aos Estados e ao Distrito Federal legislar concorrentemente sobre:

Leia mais

A Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012 e as competências florestais dos entes públicos Roberta Rubim del Giudice ÍNDICE

A Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012 e as competências florestais dos entes públicos Roberta Rubim del Giudice ÍNDICE Estrada Dona Castorina, 124 Jardim Botânico Rio de Janeiro RJ CEP: 22460-320 Tel.: 21 35964006 A Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012 e as competências florestais dos entes públicos Roberta Rubim del Giudice

Leia mais

Licenciamento Ambiental e Municipal

Licenciamento Ambiental e Municipal Curso de Treinamento - ABLP Licenciamento Ambiental e Municipal Simone Paschoal Nogueira 14 de outubro de 2008 Sede da ABLP Procedimento pelo qual o órgão ambiental competente permite a localização, instalação,

Leia mais

Regulamentação e Licenciamento Ambiental. Oscar Graça Couto Lobo & Ibeas

Regulamentação e Licenciamento Ambiental. Oscar Graça Couto Lobo & Ibeas Regulamentação e Licenciamento Ambiental Oscar Graça Couto Lobo & Ibeas Matriz Constitucional "Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia

Leia mais

SEMANA DE PRODUÇÃO E CONSUMO SUSTENTÁVEL 2015 COMPETÊNCIAS PARA O LICENCIAMENTO AMBIENTAL LEI COMPLEMENTAR Nº 140/2011. Ricardo Carneiro Junho/2015

SEMANA DE PRODUÇÃO E CONSUMO SUSTENTÁVEL 2015 COMPETÊNCIAS PARA O LICENCIAMENTO AMBIENTAL LEI COMPLEMENTAR Nº 140/2011. Ricardo Carneiro Junho/2015 SEMANA DE PRODUÇÃO E CONSUMO SUSTENTÁVEL 2015 COMPETÊNCIAS PARA O LICENCIAMENTO AMBIENTAL LEI COMPLEMENTAR Nº 140/2011 Ricardo Carneiro Junho/2015 DUELO A GARROTAZOS ALEXANDRE Francisco DA MACEDÔNIA de

Leia mais

PORTARIA n 0175/2013 - GAB

PORTARIA n 0175/2013 - GAB PORTARIA n 0175/2013 - GAB Dispõe sobre as taxas de autorização para utilização de recursos faunísticos e serviços correlatos prestados no âmbito da Secretaria do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos

Leia mais

Publicada no Diário Oficial do Amapá Nº. 4635 de 07/12/2009.

Publicada no Diário Oficial do Amapá Nº. 4635 de 07/12/2009. 1 Publicada no Diário Oficial do Amapá Nº. 4635 de 07/12/2009. GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE (COEMA) RESOLUÇÃO COEMA nº. 018/2009 Dispõe sobre os procedimentos para a concessão

Leia mais

Minuta de Lei para criação do Sistema Municipal do Meio Ambiente

Minuta de Lei para criação do Sistema Municipal do Meio Ambiente Minuta de Lei para criação do Sistema Municipal do Meio Ambiente Faço saber que a Câmara Municipal de, Estado de Goiás, decreta e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei: Art. 1.º - Esta lei, com

Leia mais

Módulo 2. Legislação. 2.1. Legislação Aplicável ao Licenciamento Ambiental. Exercícios.

Módulo 2. Legislação. 2.1. Legislação Aplicável ao Licenciamento Ambiental. Exercícios. Módulo 2 Legislação 2.1. Legislação Aplicável ao Licenciamento Ambiental. Exercícios. Legislação Aplicável ao Licenciamento Ambiental Constituição Federal 1988 Leis Federais Resoluções CONAMA Outras Leis

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 87, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2004

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 87, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2004 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 87, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2004 O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA, DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA,

Leia mais

RESOLUÇÃO CONAMA n o 379, de 19 de outubro de 2006 Publicada no DOU nº 202, de 20 de outubro de 2006, Seção 1, página 175 e 176

RESOLUÇÃO CONAMA n o 379, de 19 de outubro de 2006 Publicada no DOU nº 202, de 20 de outubro de 2006, Seção 1, página 175 e 176 RESOLUÇÃO CONAMA n o 379, de 19 de outubro de 2006 Publicada no DOU nº 202, de 20 de outubro de 2006, Seção 1, página 175 e 176 Cria e regulamenta sistema de dados e informações sobre a gestão florestal

Leia mais

LEGISLAÇÃO AMBIENTAL E FLORESTAL

LEGISLAÇÃO AMBIENTAL E FLORESTAL LEGISLAÇÃO AMBIENTAL E FLORESTAL PROFESSORA ENG. FLORESTAL CIBELE ROSA GRACIOLI OUTUBRO, 2014. OBJETIVOS DA DISCIPLINA DISCUTIR PRINCÍPIOS ÉTICOS QUESTÃO AMBIENTAL CONHECER A POLÍTICA E A LEGISLAÇÃO VOLTADAS

Leia mais

Cria e regulamenta sistema de dados e informações sobre a gestão florestal no âmbito do Sistema Nacional do Meio Ambiente - SISNAMA.

Cria e regulamenta sistema de dados e informações sobre a gestão florestal no âmbito do Sistema Nacional do Meio Ambiente - SISNAMA. RESOLUÇÃO CONAMA Nº 379, de 19/10/2006 Cria e regulamenta sistema de dados e informações sobre a gestão florestal no âmbito do Sistema Nacional do Meio Ambiente - SISNAMA. CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

Leia mais

DIREITO AMBIENTAL NO BRASIL

DIREITO AMBIENTAL NO BRASIL DIREITO NO BRASIL CONTEXTO NACIONAL Ordenamento Jurídico; O meio ambiente na constituição federal; Política Nacional do Meio Ambiente; SISNAMA; Responsabilidades civil; Responsabilidade penal ambiental;

Leia mais

Legislação brasileira sobre meio ambiente - tópicos Fabricio Gomes Gonçalves

Legislação brasileira sobre meio ambiente - tópicos Fabricio Gomes Gonçalves Legislação brasileira sobre meio ambiente - tópicos Fabricio Gomes Gonçalves Contextualizando... Adaptação do produtor rural sem condições novos critérios de uso da terra impostos aleatoriamente sem alicerces

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI N. 1.963, DE 4 DE DEZEMBRO DE 2007 Dispõe sobre a Defesa Sanitária Vegetal no Estado do Acre. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO SABER que a Assembléia Legislativa do Estado do Acre

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX OUTROS. CAC-Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte da SRF - e-cac

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX OUTROS. CAC-Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte da SRF - e-cac VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX OUTROS Orientador Empresarial CAC-Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte da SRF - e-cac INSTRUÇÃO NORMATIVA SRF nº 580/2005

Leia mais

PORTARIA MMA Nº 445, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2014

PORTARIA MMA Nº 445, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2014 PORTARIA MMA Nº 445, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2014 A MINISTRA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE, no uso de suas atribuições, e tendo em vista o disposto na Lei nº 10.683, de 28 de maio de 2003, nos Decretos no 6.101,

Leia mais

DIREITO PORTUÁRIO (ADUANEIRO) SANCIONADOR. Luciano Bushatsky A. de Alencar Advogado Aduaneiro

DIREITO PORTUÁRIO (ADUANEIRO) SANCIONADOR. Luciano Bushatsky A. de Alencar Advogado Aduaneiro DIREITO PORTUÁRIO (ADUANEIRO) SANCIONADOR Luciano Bushatsky A. de Alencar Advogado Aduaneiro SISTEMAS JURÍDICOS Existência, no Direito brasileiro, de diversos sistemas legais interdependentes. Sistema

Leia mais

PROTOCOLO DE MONTREAL. CONTROLE DAS SUBSTÂNCIAS QUE DESTROEM A CAMADA DE OZÔNIO - SDOs IBAMA

PROTOCOLO DE MONTREAL. CONTROLE DAS SUBSTÂNCIAS QUE DESTROEM A CAMADA DE OZÔNIO - SDOs IBAMA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - MMA INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS IBAMA PROTOCOLO DE MONTREAL CONTROLE DAS SUBSTÂNCIAS QUE DESTROEM A CAMADA DE OZÔNIO - SDOs IBAMA

Leia mais

O PAPEL DO MINISTÉRIO PÚBLICO P NA DEFESA DO MEIO AMBIENTE

O PAPEL DO MINISTÉRIO PÚBLICO P NA DEFESA DO MEIO AMBIENTE O PAPEL DO MINISTÉRIO PÚBLICO P NA DEFESA DO MEIO AMBIENTE DAS DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAIS RELATIVAS ÀS FUNÇÕES DO MINISTÉRIO PÚBLICO Art. 129. São funções institucionais do Ministério Público: I- promover,

Leia mais

O CORSAP - Consórcio Público de Manejo de Resíduos Sólidos e de Águas Pluviais

O CORSAP - Consórcio Público de Manejo de Resíduos Sólidos e de Águas Pluviais O CORSAP - Consórcio Público de Manejo de Resíduos Sólidos e de Águas Pluviais Eng. Marcos Montenegro Presidente da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental Seção DF CLÁUSULA 7ª. (Dos

Leia mais

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO Ministério do Meio Ambiente Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA Procedência:VERSÃO LIMPA 5 a Reunião do GRUPO DE TRABALHO Data: 26 e 27 de outubro de 2006 Processos n 02001.001037/02-98 e 02001.000597/2004-40

Leia mais

FISCALIZAÇÃO CADASTRO TÉCNICO FEDERAL AIDA APP

FISCALIZAÇÃO CADASTRO TÉCNICO FEDERAL AIDA APP FISCALIZAÇÃO CADASTRO TÉCNICO FEDERAL AIDA APP TRATA DE IMPOSIÇÃO LEGAL LEI 6983/81 * OBRIGA AS PESSOAS FÍSICAS E JURÍDICAS A CADASTRAR AS ATIVIDADES EXERCIDAS NO CTF AIDA E/OU APP * OBRIGA A RELATÓRIOS

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 12.977, DE 20 MAIO DE 2014. Vigência Regula e disciplina a atividade de desmontagem de veículos automotores terrestres; altera

Leia mais

Portaria IEF nº 30, de 03 de fevereiro de 2015.

Portaria IEF nº 30, de 03 de fevereiro de 2015. Portaria IEF nº 30, de 03 de fevereiro de 2015. Estabelece diretrizes e procedimentos para o cumprimento da compensação ambiental decorrente do corte e da supressão de vegetação nativa pertencente ao bioma

Leia mais

INTRODUÇÃO AO DIREITO AMBIENTAL

INTRODUÇÃO AO DIREITO AMBIENTAL INTRODUÇÃO AO DIREITO AMBIENTAL 1. NOMENCLATURA DA DISCIPLINA JURÍDICA Direito ambiental, direito do meio ambiente, direito do desenvolvimento sustentável, direito verde, direito ecológico, direito de

Leia mais

CONTROLE SANITÁRIO E LEGISLAÇÃO AMBIENTAL (maio/2008) Fernando Tabet

CONTROLE SANITÁRIO E LEGISLAÇÃO AMBIENTAL (maio/2008) Fernando Tabet CONTROLE SANITÁRIO E LEGISLAÇÃO AMBIENTAL (maio/2008) Fernando Tabet I Premissas Básicas Preceitos Constitucionais - o direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado como um bem essencial à sadia

Leia mais

Produção legislativa regional frente aos acordos setoriais

Produção legislativa regional frente aos acordos setoriais OS ACORDOS SETORIAIS E A IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE LOGÍSTICA REVERSA: Produção legislativa regional frente aos acordos setoriais X Seminário Nacional de Resíduos Sólidos Associação Brasileira de Engenharia

Leia mais

Municipalização das atividades de licenciamento ambiental: Estrutura administrativa municipal

Municipalização das atividades de licenciamento ambiental: Estrutura administrativa municipal Municipalização das atividades de licenciamento ambiental: Estrutura administrativa municipal Cristiane Casini Coordenadora Jurídica Ambiental da Fundação Jaraguaense de Meio Ambiente - Fujama Introdução

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS INSTRUÇÃO NORMATIVA No-2, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2014

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS INSTRUÇÃO NORMATIVA No-2, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2014 INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS INSTRUÇÃO NORMATIVA No-2, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2014 Regulamenta o art. 4º da Instrução Normativa Interministerial n 14 de 26 de

Leia mais

Agência Nacional de Transportes Terrestres REGULAMENTAÇÃO DO TRANSPORTE TERRESTRE DE PRODUTOS PERIGOSOS. Painel Setorial Inmetro - Produtos Perigosos

Agência Nacional de Transportes Terrestres REGULAMENTAÇÃO DO TRANSPORTE TERRESTRE DE PRODUTOS PERIGOSOS. Painel Setorial Inmetro - Produtos Perigosos REGULAMENTAÇÃO DO TRANSPORTE TERRESTRE DE PRODUTOS PERIGOSOS Painel Setorial Inmetro - Produtos Perigosos Rio de Janeiro, 09 de outubro de 2007 Base legal: Lei Nº 10.233, de 5/6/2001 art.22, inciso VII,

Leia mais

PLANOS MUNICIPAIS DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PMGIRS

PLANOS MUNICIPAIS DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PMGIRS NOTA TÉCNICA PLANOS MUNICIPAIS DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PMGIRS Esta Nota Técnica tem o objetivo de reforçar junto aos Municípios do Estado de Pernambuco sobre os Planos Municipais de Gestão

Leia mais

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI N o 2.587, DE 2007 Altera as Leis nº s 6.938, de 31 de agosto de 1981, e 9.605, de 12 de fevereiro de 1998. Autora: Deputada Thelma

Leia mais

Estabelece os requisitos mínimos e o termo de referência para realização de auditorias ambientais.

Estabelece os requisitos mínimos e o termo de referência para realização de auditorias ambientais. RESOLUÇÃO Nº 306, DE 5 DE JULHO DE 2002 Estabelece os requisitos mínimos e o termo de referência para realização de auditorias ambientais. O CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE-CONAMA, no uso das competências

Leia mais

Assembléia Legislativa do Estado do Paraná Centro Legislativo Presidente Aníbal Khury Comissão de Constituição e Justiça

Assembléia Legislativa do Estado do Paraná Centro Legislativo Presidente Aníbal Khury Comissão de Constituição e Justiça SUBSTITUTIVO GERAL AO PROJETO DE LEI 307/2003. SÚMULA: Veda o cultivo, a manipulação, a importação, a industrialização e a comercialização de Organismos Geneticamente Modificados (OGMs) no Estado do Paraná,

Leia mais

Direito Ambiental para Não Advogados VIEX Americas Bastidores do Licenciamento Ambiental Simone Paschoal Nogueira

Direito Ambiental para Não Advogados VIEX Americas Bastidores do Licenciamento Ambiental Simone Paschoal Nogueira Direito Ambiental para Não Advogados VIEX Americas Bastidores do Licenciamento Ambiental Simone Paschoal Nogueira São Paulo, 25 de fevereiro de 2016 Conceitos Principais Licenciamento ambiental Procedimento

Leia mais

SEÇÃO VII PRODUTOS VEGETAIS, SEUS SUBPRODUTOS E RESÍDUOS DE VALOR ECONÔMICO, PADRONIZADOS PELO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

SEÇÃO VII PRODUTOS VEGETAIS, SEUS SUBPRODUTOS E RESÍDUOS DE VALOR ECONÔMICO, PADRONIZADOS PELO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEÇÃO VII PRODUTOS VEGETAIS, SEUS SUBPRODUTOS E RESÍDUOS DE VALOR ECONÔMICO, PADRONIZADOS PELO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS Os produtos vegetais, seus subprodutos

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE. Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE. Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 8.267 Dispõe sobre o licenciamento ambiental no Município de Porto Alegre, cria a Taxa de Licenciamento Ambiental e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE. Faço saber que a

Leia mais

Considerando, ainda, a necessidade de serem designadas Autoridades Administrativas e Científicas nos países signatários da Convenção; e

Considerando, ainda, a necessidade de serem designadas Autoridades Administrativas e Científicas nos países signatários da Convenção; e DECRETO N o 3.607, DE 21 DE SETEMBRO DE 2000. Dispõe sobre a implementação da Convenção sobre Comércio Internacional das Espécies da Flora e Fauna Selvagens em Perigo de Extinção - CITES, e dá outras providências.

Leia mais

Controle Ambiental do Transporte de Produtos Perigosos. Belo Horizonte, Fevereiro de 2015

Controle Ambiental do Transporte de Produtos Perigosos. Belo Horizonte, Fevereiro de 2015 Controle Ambiental do Transporte de Produtos Perigosos Belo Horizonte, Fevereiro de 2015 OCORRÊNCIA 2006 M OCORRÊNCIA 2007 OCORRÊNCIA 2008 SUMÁRIO 1) Histórico 2) Instrução Normativa IBAMA n.º 05/2012

Leia mais

ANEXO 05 - Minutas de Ato Autorizativo para PCH

ANEXO 05 - Minutas de Ato Autorizativo para PCH ANEXO 05 - Minutas de Ato Autorizativo para PCH A) Para Autoprodução PORTARIA Nº, DE DE DE 2005 Autoriza a empresa... a estabelecer-se como Autoprodutor de Energia Elétrica, mediante a implantação e exploração

Leia mais

Secretaria de Meio Ambiente do Município de João Pessoa

Secretaria de Meio Ambiente do Município de João Pessoa Secretaria de Meio Ambiente do Município de João Pessoa Apresentação O trabalho visa apresentar a política ambiental municipal no âmbito da cidade de João Pessoa- PB, realizado através da Secretaria Municipal

Leia mais

Cadastramento dos doadores de sangue - Decreto-Lei 95721 de 11/2/1988

Cadastramento dos doadores de sangue - Decreto-Lei 95721 de 11/2/1988 Cadastramento dos doadores de sangue - Decreto-Lei 95721 de 11/2/1988 Ementa: Regulamenta a Lei n.º 7.649, de 25 de janeiro de 1988, que estabelece a obrigatoriedade do cadastramento dos doadores de sangue

Leia mais

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE LONDRINA, ESTADO DO PARANÁ, no uso das suas atribuições legais, conforme Lei Orgânica Municipal, e;

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE LONDRINA, ESTADO DO PARANÁ, no uso das suas atribuições legais, conforme Lei Orgânica Municipal, e; DECRETO Nº 769 DE 23 DE SETEMBRO DE 2009 SÚMULA: Regulamenta a gestão dos resíduos orgânicos e rejeitos de responsabilidade pública e privada no Município de Londrina e dá outras providências. O PREFEITO

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO DAS CIDADES RESOLUÇÃO RECOMENDADA N 75, DE 02 DE JULHO DE 2009

MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO DAS CIDADES RESOLUÇÃO RECOMENDADA N 75, DE 02 DE JULHO DE 2009 DOU de 05/10/09 seção 01 nº 190 pág. 51 MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO DAS CIDADES RESOLUÇÃO RECOMENDADA N 75, DE 02 DE JULHO DE 2009 Estabelece orientações relativas à Política de Saneamento Básico e

Leia mais

O Prefeito Municipal de Ribas do Rio Pardo, Estado de Mato Grosso do Sul, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele sanciona a Seguinte Lei.

O Prefeito Municipal de Ribas do Rio Pardo, Estado de Mato Grosso do Sul, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele sanciona a Seguinte Lei. LEI MUNICIPAL Nº. 947/2010 Institui a Política Municipal de Meio Ambiente, cria o Conselho e Fundo Municipal de Meio Ambiente e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Ribas do Rio Pardo, Estado

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 13, DE 08 DE MAIO DE 2014.

RESOLUÇÃO Nº 13, DE 08 DE MAIO DE 2014. RESOLUÇÃO Nº 13, DE 08 DE MAIO DE 2014. Estabelece as diretrizes e os critérios para requerimento e obtenção de outorga do direito de uso dos recursos hídricos por meio de caminhão-pipa em corpos de água

Leia mais

Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se

Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa DECRETO Nº 49.377, DE 16 DE JULHO DE 2012. (publicado no DOE n.º 137, de 17 de julho de 2012) Institui o Programa

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº, DE DE DE 2013. MINUTA (versão 3)

RESOLUÇÃO Nº, DE DE DE 2013. MINUTA (versão 3) RESOLUÇÃO Nº, DE DE DE 2013. MINUTA (versão 3) Estabelece as diretrizes e critérios para requerimento e obtenção de outorga do direito de uso dos recursos hídricos superficiais para fins de captação por

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA Procedência: 11ª Reunião da Câmara Técnica de Unidades de Conservação e 36ª Câmara Técnica de Assuntos Jurídicos Data: 27 e 28 de agosto

Leia mais

Portaria nº 319 de 29 de julho de 2011. Considerando o disposto no artigo 8º da Lei nº 9.933, de 20 de dezembro de 1999;

Portaria nº 319 de 29 de julho de 2011. Considerando o disposto no artigo 8º da Lei nº 9.933, de 20 de dezembro de 1999; Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO Portaria nº 319 de 29 de julho de 2011

Leia mais

1º - Para assegurar a efetividade desse direito, incumbe ao Poder Público:

1º - Para assegurar a efetividade desse direito, incumbe ao Poder Público: Experimentação Animal CONSTITUTIÇÃO FEDERAL Título VIII - Capítulo VI do Meio Ambiente Art. 225 Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO - SNUC

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO - SNUC - SNUC PREVISÃO LEGAL Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e àcoletividade

Leia mais

LEI Nº 963, de 21 de julho de 2009.

LEI Nº 963, de 21 de julho de 2009. LEI Nº 963, de 21 de julho de 2009. Dispõe sobre a criação da Coordenadoria Municipal de Trânsito - CMT, órgão executivo de trânsito, vinculado à Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito, em conformidade

Leia mais

feema - Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente Curso de Legislação e Normas para o Licenciamento Ambiental Junho de 2002

feema - Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente Curso de Legislação e Normas para o Licenciamento Ambiental Junho de 2002 Página 1 feema - Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente Curso de Legislação e Normas para o Licenciamento Ambiental Junho de 2002 DZ 056 - Diretriz para Realização de Auditoria Ambiental capa

Leia mais

Legislação Ambiental. Carlos Marcelo Pedroso http://www.eletrica.ufpr.br/pedroso

Legislação Ambiental. Carlos Marcelo Pedroso http://www.eletrica.ufpr.br/pedroso Legislação Ambiental Carlos Marcelo Pedroso http://www.eletrica.ufpr.br/pedroso Introdução Agenda Porque devemos ter uma lei ambiental? Alguns casos famosos Terminologia Básica Constituição Brasileira

Leia mais

CAPÍTULO I Da Política Municipal do Meio Ambiente

CAPÍTULO I Da Política Municipal do Meio Ambiente LEI Nº 4366 DISPÕE SOBRE A POLÍTICA DE PROTEÇÃO, CONTROLE E CONSERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE E DE MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM-ES. A Câmara Municipal de Cachoeiro de

Leia mais

O F I C I N A ESCLARECIMENTO - DMA - FIESP. LOGÍSTICA REVERSA Disposições Transitórias e Finais.

O F I C I N A ESCLARECIMENTO - DMA - FIESP. LOGÍSTICA REVERSA Disposições Transitórias e Finais. O F I C I N A D E ESCLARECIMENTO - DMA - FIESP LOGÍSTICA REVERSA Disposições Transitórias e Finais. Walter Françolin DMA FIESP Agosto 2010 ou outra destinação final ambientalmente adequada; Art. 3º - XII

Leia mais

CAPITULO I DO OBJETIVO

CAPITULO I DO OBJETIVO MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DE RECURSOS HÍDRICOS RESOLUÇÃO N o 144, DE 10 DE JULHO DE 2012 (Publicada no D.O.U em 04/09/2012) Estabelece diretrizes para implementação da Política Nacional

Leia mais

Legislação e outros documentos sobre Educação Ambiental

Legislação e outros documentos sobre Educação Ambiental Legislação e outros documentos sobre Educação Ambiental 1981 Política Nacional de Meio Ambiente 1988 Constituição Brasileira 1992 Tratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade

Leia mais

Dispõe sobre a gestão dos resíduos sólidos, nos termos do artigo 247, parágrafo 3º da Constituição do Estado e dá outras providências.

Dispõe sobre a gestão dos resíduos sólidos, nos termos do artigo 247, parágrafo 3º da Constituição do Estado e dá outras providências. LEI Nº 9.921, DE 27 DE JULHO DE 1993. Dispõe sobre a gestão dos resíduos sólidos, nos termos do artigo 247, parágrafo 3º da Constituição do Estado e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO

Leia mais

LEI MUNICIPAL N.º 2.690, DE 21 DE MAIO 2002

LEI MUNICIPAL N.º 2.690, DE 21 DE MAIO 2002 Dispõe sobre a Política Municipal do Meio Ambiente, e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE FARROUPILHA RS, FAZ SABER que a Câmara Municipal de Vereadores aprovou e ele sanciona a seguinte L

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais