EDUCAÇÃO CORPORATIVA: SEU PODER E INFLUÊNCIA UM ESTUDO NAS EMPRESAS AON HOLDING, IBAC E WALMART BRASIL *

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EDUCAÇÃO CORPORATIVA: SEU PODER E INFLUÊNCIA UM ESTUDO NAS EMPRESAS AON HOLDING, IBAC E WALMART BRASIL *"

Transcrição

1 EDUCAÇÃO CORPORATIVA: SEU PODER E INFLUÊNCIA UM ESTUDO NAS EMPRESAS AON HOLDING, IBAC E WALMART BRASIL * Resumo Cleide Oliveira Silva (FACEQ) Lilian Cerqueira Santos (FACEQ) Raquel Vitor dos Santos (FACEQ) Neste estudo abordamos a importância da educação corporativa dentro da organização e sua eficaz execução, com o objetivo de alcançar maior controle de profissionais capacitados, redução de custos, diminuição de rotatividade de funcionários dentro da empresa, bem como redução dos conflitos de adaptação gerados na contratação de novos funcionários. Abordamos também a educação corporativa como elemento motivador, pelo qual o colaborador se obriga a permanecer na organização, após receber os treinamentos, pois os cursos são direcionados às rotinas e ao aperfeiçoamento dos interesses das atividades, dentro da firma. Estudamos as ferramentas de gestão utilizadas na educação corporativa, as quais influenciam no processo de tomada de decisão, muitas vezes exercidas sobre os colaboradores para a obtenção de vantagens competitivas. Para tanto, foram utilizadas várias metodologias, com a realização de pesquisa bibliográfica e de campo, com estudo nas Empresas Aon Holding, IBAC e Walmart Brasil. Palavras-chave: Educação Corporativa. Organização. Empresa. Gestão. Conhecimento. Introdução Este estudo mostra a importância da educação corporativa dentro da organização. Foram evidenciados os monitoramentos e indicadores que auxiliam na sua gestão. Nesse contexto, educação corporativa derivará do processo de planejamento de gestão da alta cúpula executiva para a entidade, agregando os planejamentos estratégicos, táticos e operacionais * Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à Faculdade Eça de Queiros (Faceq Uniesp Jandira) em dezembro de 2013, como exigência parcial para obtenção do título de Bacharel em Administração de Empresas, sob orientação da Professora Dra. Maria Clara Lopes Saboya. 1

2 para permanência do colaborador na companhia. Destacamos que as estratégias definidas para a realização do processo de educação corporativa deverão estar alinhadas com a visão, missão e os objetivos da organização, com o intuito de contribuir efetivamente para o desempenho e retenção do colaborador. 1 Desenvolvimento da educação corporativa De acordo com Baumgartner e Casarini (2012), as conhecidas empresas do conhecimento surgiram a partir da necessidade de maior acesso às informações, tanto no desenvolvimento científico, quanto no tecnológico. Com isso, as organizações tendem a utilizar cada vez mais ferramentas de apoio para os processos produtivos de seus negócios, investindo gradualmente em conhecimento e na qualidade profissional de seus colaboradores, recursos estes utilizados no propósito de atender um mercado que valoriza o conhecimento e o seu profissional. Sua produção é gerida por meio de informação e é também uma forma criada para realizar treinamentos adequados aos colaboradores e suporte para o trabalho operacional, possibilitando a qualificação profissional. Conforme Muller (2012, p. 12), por consequência da globalização houve a necessidade de aprimorar a mão de obra, passando a não depender das instituições de ensino, a fim de conquistar mais lucratividade e competitividade. A lentidão no sistema educacional era muito grande e a partir desta necessidade foram criados programas educacionais corporativos com foco no aumento das habilidades de cada profissional, com controles mais rígidos no processo de aprendizagem, visando metas e resultados satisfatórios para as organizações. Conclui Muller (2012), citando que esse método se expandiu aos poucos por todo o mundo, passando a atender a demanda de mercado nos ambientes empresariais. Os colaboradores passaram a adquirir conhecimento teórico e prático de forma diferente e inovadora, presencial e virtual. Por meio de constantes treinamentos a possibilidade de alcançar os objetivos fica muito maior, passando então a própria empresa a se responsabilizar e investir milhões na educação. Investimento este realizado em exercício, de forma centralizada onde o colaborador recebe todas as informações e treinamentos sobre a empresa, de forma contínua obtendo como resultado, melhores ferramentas operacionais. 2

3 1.1 Educação Corporativa A área de Recursos Humanos de muitas empresas vem mudando seu discurso devido ao fato de seus mais importantes bens serem pessoas. Não importa o ramo que atuam e nem mesmo seu tamanho, percebem cada vez mais a necessidade de criar uma vantagem competitiva no mercado, inclusive com o desenvolvimento de seus colaboradores, se dedicando a implementar processos educacionais contribuindo para a formação profissional que garantirá seu crescimento no mercado (CATHO, 2013). Essa forma de gestão está relacionada com a formação da competência profissional em uma perspectiva de compreensão do trabalhador como um ser integral, que seja capaz de mobilizar conhecimentos técnicos, habilidades e atitudes em ações contextualizadas (ZARIFIAN, 2003 apud LE BOTERF, 2003; PERRENOUD, 1997). Assim sendo, gestão de pessoas precisa estar cada vez mais alinhada com as capacidades estratégicas da organização e com os processos de negócio que implementam a estratégia da empresa no dia a dia (BECKER; HUSELID, 2006). Oferecer capacitações aos trabalhadores de todos os níveis da empresa, principalmente no que se refere aos elementos estratégicos (valores, crenças e cultura organizacional) visa garantir a disseminação do conhecimento a fim de promover a estratégia da organização e proporcionar aos funcionários um conhecimento mais amplo e aprofundado do contexto no qual a empresa opera (MEISTER, 1999 apud DALL ALBA, 1996). Para Meister (2013), há uma mudança de paradigmas referente ao aprendizado corporativo, passando o processo de ensino e aprendizagem do trabalhador de espectador para promotor do seu próprio conhecimento, no qual o foco do treinamento passa a ser o alinhamento entre a necessidade de conhecimentos a serem aprendidos com a aplicação dos mesmos na prática do trabalho, dando sentido à aprendizagem por meio da interação social e de atividades que promovam a educação continuada dos trabalhadores. Eboli (2004) considera importante a estruturação de um sistema que proporcione ações, no qual a área de gestão de pessoas seja vista como elemento estratégico da organização e não mero apoio da direção da empresa. É preciso proporcionar momentos de aprendizagem coletiva e individual, por meio da escolha das melhores práticas e tecnologias, as quais devem estar em sintonia com a realidade da empresa, principalmente em relação ao 3

4 cumprimento dos objetivos de capacitar os trabalhadores na visão sistêmica e para a conquista dos resultados esperados. Segundo Brown e Duguid (1991), a educação corporativa está sendo implantada recentemente por meio de diferentes tipos de programas, projetos e atividades, sendo presenciais ou por meio de treinamentos, cursos e palestras, seja via Educação a Distância (EAD), seja por meio da criação de uma universidade corporativa e mesmo através de grupos informais de aprendizagem, como as chamadas comunidades de práticas, nas quais os trabalhadores têm a oportunidade de criar soluções para problemas decorrentes do trabalho de maneira coletiva em que, por meio do compartilhamento de experiências, os participantes da comunidade aprendem de forma colaborativa e promovem a inovação e a criação de novos conhecimentos. Moraes (2011, p ) escreve que a Educação corporativa é mais do que treinamento empresarial ou qualificação de mão de obra, é uma prática coordenada de gestão de pessoas e de conhecimentos, tendo como orientação a estratégia de longo prazo de uma organização, onde a validade do conhecimento, cada vez mais, tem prazo reduzido não podendo mais depender das instituições de ensino para desenvolver seus colaboradores. Por esta razão, nasceram as universidades corporativas, com o objetivo de controlar o processo continuado de aprendizagem dos colaboradores. Para Drucker (1975, p. 493) a administração de nível médio não desapareceu como fora previsto. Na verdade, nem mesmo o clássico administrador médio saiu de cena. Contudo, a administração média de antigamente está sendo transformada na organização baseada em conhecimento do futuro. Todo processo de trabalho precisa ser controlado, a fim de torná-lo produtivo, sendo necessária a elaboração dos controles apropriados aos processos produtivos por meio de treinamento. Drucker (op. cit.) afirma que, para isso, são formados grupos interessados na busca de informação dentro da empresa e para a empresa, com o objetivo de alcançar metas pessoais e empresariais, utilizando meios para influenciar e conquistar para si o colaborador, fazendo-o permanecer na empresa por algum tempo, no propósito de transmitir o que lhe foi agregado ao conhecimento. 1.2 Origem e evolução da educação corporativa Segundo Tarapanoff (2004, p. 8) a universidade corporativa surgiu como um desdobramento ou aprofundamento das atividades de treinamento dos departamentos de 4

5 Recursos Humanos nas empresas. No início, o treinamento era direcionado aos seus colaboradores a fim de buscar melhorias em habilidades profissionais e proficiência em atividades dentro da corporação, no objetivo de manter a competitividade da empresa. De acordo com os estudos de Moraes (2011, p. 66), a Educação Corporativa iniciou-se na década de 1950 nos Estados Unidos. As empresas investiam nessa modalidade com intuito de ensinar seus colaboradores o como fazer. Nessa perspectiva existia a troca de experiência entre colaboradores, o que possibilitava maior comprometimento destes com a organização. Tarapanoff (2004) mostra que as escolas corporativas tiveram sua origem em pequenas e grandes empresas, a partir dos anos 50, nos Estados Unidos. Quando a General Eletric lançou, em 1955, seu centro de treinamento na Cidade de Crotonville, teve início a primeira aparição de Escola Corporativa no mundo. Segundo Price e Beaver (2001), durante os anos 1950, 1960 e 1970, grandes e pequenas empresas estabeleceram cursos para ensinar os seus profissionais a desempenhar melhor a sua atividade. Estas infraestruturas educacionais dentro das corporações proliferaram nos Estados Unidos, e tornaram-se as bases do que hoje se conhece por universidades corporativas, institutos ou colégios. O objetivo era, na maioria dos casos, manter os profissionais ao par dos desenvolvimentos técnicos ou, ainda, anteciparse a eles. Para Meister (2013) e Walton (1999), com meio século de existência as universidades corporativas passaram por inúmeras mudanças: no início, elas eram pouco mais do que centros destinados a melhorar as habilidades dos seus técnicos. Este status quo permaneceu até os anos 80, quando as corporações de alta tecnologia com investimentos significativos em pesquisa e desenvolvimento, deram início a um novo ciclo de desenvolvimento para as universidades. A rapidez com que o número de universidades corporativas cresceu em decorrência desses fatos, reflete-se nos dados americanos a seguir: em 1988 havia aproximadamente 400 instituições educacionais corporativas e MEISTER (2013) estima que em 2001 houvesse mais de universidades corporativas nos Estados Unidos com uma tendência de crescimento de cerca de 400 universidades por ano, de acordo com dados coletados no site Educor (2013). 1.3 Desenvolvimento no Brasil Segundo Eboli (2004, p. 259), a educação corporativa iniciou-se no Brasil na década de 1990, e visava equacionar algumas questões: redução da pobreza, emprego e educação como condições necessárias para redução das desigualdades e consolidação da capacidade de 5

6 o país competir no contexto internacional. O projeto de futuro dependia, então, não apenas no capital intelectual, mas também no capital humano social investido. Moraes (2011, p. 68), indica em seus estudos que a educação corporativa foi implantada durante o governo do presidente Fernando Collor de Mello, num momento de abertura econômica que impulsionou a ideologia da competição para o mercado globalizado, inaugurando o conjunto de medidas neoliberalistas. A primeira empresa a investir nesta implantação foi o Grupo Amil, por volta de 1997, e logo após surgiram outras, como Grupo Accor Brasil, Brahma, HSBC, AmBev, Telemar, Datasul, Petrobrás, Bradesco, Habbi s e Unimed. Segundo relatório do Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior realizado em 2006, a educação corporativa cresceu entre os anos de 2000 e 2006 no Brasil, chegando hoje a aproximadamente 100 unidades. Segundo Moraes (op. Cit.), em 2009 o Hospital das Clínicas de São Paulo, criou uma universidade corporativa para atender os colaboradores e o público externo, no propósito de oferecer curso presencial, à distância, via internet, e outros métodos. 1.4 Aspectos sociais da educação corporativa Segundo Baumgartner e Casarini (2012, p. 19), a associação Brasileira de Educação Corporativa (ABEC), foi criada em 2004, num período de mudanças nos aspectos econômicos internos e consolidações de privatizações, objetivando o estímulo do setor empresarial, por meio das dimensões orgânicas da educação corporativa e de seu valor nas estratégias competitivas do setor produtivo, tendo como fundadoras a Petrobrás, Embratel, Caixa Econômica Federal, Vale, Instituto Albert Einstein, Fundação Unimed, e o Grupo Isvor-Fiat. Ainda para Baumgartner e Casarini (op. Cit.), o ministério de desenvolvimento, indústria e comércio exterior (MDIC), liderou a movimentação promovendo encontros, discussões e a formação em rede de interesse, a fim de incentivar o tema nas empresas compartilhando umas às outras seus conhecimentos, missão e visão da educação corporativa: Missão: compartilhar, disseminar, desenvolver e monitorar pratica de excelência em educação corporativa. Enfim, consiste em formar e desenvolver talentos na gestão de negócios, promovendo a gestão do conhecimento organizacional por meio de um processo ativo e contínuo. 6

7 Visão: tornar a educação corporativa um dos pilares do desenvolvimento dos trabalhadores das empresas e da sociedade. (BAUMGARTNER; CASARINI, 2012, p ). 1.5 Diferença entre Treinamento e Desenvolvimento (T&D) e Universidade Corporativa A área de treinamento de desenvolvimento (T&D) nas organizações não era vista como uma área estratégica. Eram departamentos que possuíam ações pontuais, forçadas por uma demanda. Num momento de crise esses departamentos ficam sem segundo plano. Já as universidades corporativas surgiram da evolução dos modelos de T&D com pretensão de melhorar a formação dos colaboradores, sendo menos imediatistas. Passaram a cuidar de formação específica e continuada dos colaboradores ligados à organização à missão e aos negócios da organização (DAURICIO; OLIVEIRA, 2008). As capacitações profissionais dentro das universidades corporativas estão ligadas diretamente a suprir as necessidades de cada organização. As organizações que possuem universidade corporativa estão criando um futuro, pois elas preparam o indivíduo para um mercado em constantes mudanças e atuam em dois pontos importantes: o tempo de produzir e o tempo de aprender. Ou seja, concretizou-se a ideia de que o conhecimento é uma riqueza que precisa ser adquirida, administrada e divulgada (MELLO, 2011). Quadro 1. Identifica as características do treinamento convencional e do corporativo Treinamento Convencional Treinamento Corporativo Reativo Ativo Descentralizado Centralizado Ampla audiência, profundidade limitada. Currículos personalizados para cargo chave Ministrado em sala de aula Ministrado em sala de aula e por meios eletrônicos 80% tácito; 20% explícito 80%explicito; 20% tácito Fonte: Quadro de Treinamento e desenvolvimento x Universidade corporativa (MEISTER,1999, p. 68). 7

8 Quadro 2. Indica os objetivos do centro de treinamento e desenvolvimento e da Educação Corporativa Centro de T&D Desenvolver habilidades Objetivo Educação Corporativa Desenvolver competências Necessidades individuais Foco Estratégias de negócio Aumento das habilidades Resultado Aumento da competitividade Fonte: Quadro comparativo entre treinamento, desenvolvimento e educação corporativa (http://www.docstoc.com/docs/ /sli-de-1---fgv, EBOLI, 2004, s/p.). 2 Pesquisa de campo A pesquisa foi realizada nas empresas, IBAC Indústria Brasileira de alimentos e chocolates Ltda., Walmart Brasil Ltda., Aon Holding corretora de Seguros e Benefícios. Por meio de coleta de informações, com entrevistas abordando os problemas levantados no projeto inicial, que originou o trabalho. 2.1 Histórico das empresas pesquisadas Aon Holding Corretora de Seguros e Benefícios Segundo dados pesquisados e coletados no site Aon (2013), no Brasil, a Aon conta com mais de 1500 funcionários e 10 escritórios nas principais cidades do país. Seus profissionais possuem alto nível técnico e atuam de forma multidisciplinar sempre buscando oferecer soluções inovadoras e diferenciadas para seus clientes. Missão: Desenvolver Pessoas, Encantar Clientes e Gerar Resultados Sustentáveis. 8

9 Visão: Ter a excelência reconhecida pelo talento do time, pela entrega das melhores soluções para os clientes e pela competência para a conquista de resultados sustentáveis. Valores: Ética e Transparência, Excelência e Comprometimento, Sustentabilidade do Negócio Responsabilidade Social. A pesquisa foi realizada no escritório da Aon no Itaim Bibi SP, onde foram pesquisadas 30 pessoas IBAC Indústria Brasileira de alimentos e chocolates Ltda. Segundo dados pesquisados e coletados no site da empresa IBAC, mais conhecida como Cacau Show (2013), ela iniciou em 1988, no bairro da Casa Verde, em São Paulo. Seu idealizador percebendo que havia um mercado pouco explorado de chocolates artesanais, resolveu então investir. O empreendimento se estabeleceu numa sala de 12 m² e hoje atingem percentuais anuais de crescimento acima da média. A empresa conta com mais de colaboradores (SIPAT 2013), num espaço de 73 mil m² em Itapevi, localizada na altura do quilometro 35 da Rodovia Castelo Branco. Em 25 anos de história a Cacau Show nunca contou com capital externo. Tudo que existe foi construído com o próprio negócio e muita dedicação. Contando hoje com 1400 franquias consideradas a maior rede de chocolates finos nacionais. Com a seguinte missão, visão e valores: Missão: Proporcionar ao maior número de pessoas uma experiência memorável e excelência em produtos e serviços, sendo referência à gestão do negócio de chocolate. Visão: Ser a maior e melhor rede de chocolates finos do mundo, oferecendo aos clientes e parceiros uma relação duradoura com foco no crescimento, rentabilidade e responsabilidade socioambiental. Valores: Ética, respeito e honestidade. Compromisso com o crescimento e resultados, prática da inovação, incentivo e reconhecimento ao desenvolvimento individual, cuidado consigo mesmo com o outro e com os detalhes. A pesquisa foi realizada na própria fábrica com 40 pessoas, que participam da Universidade Cacau, projeto elaborado para oferecer cursos rápidos e aprimoramento profissional. 9

10 2.1.3 Walmart Brasil Ltda. Segundo dados coletados no site do Walmart Brasil (2013), o Walmart começou a operar no Brasil em 1995, com a abertura do Sam s Club em São Caetano do Sul, na Grande São Paulo e, nos anos seguintes, estendeu sua atuação no estado e também para o Paraná, Minas Gerais e Rio de Janeiro. O ano de 2004 marcou a chegada ao Nordeste, com a aquisição da rede Bompreço. Mais do que incorporar as lojas, a companhia absorveu traços regionais e manteve as bandeiras e as boas práticas. O mesmo modelo foi utilizado em 2005 quando a empresa adquiriu a divisão de varejo do grupo Sonae no Brasil, com as lojas na região sul. Este mesmo ano é marcado por outra novidade especial: a criação do Instituto Walmart, responsável pelo investimento social da empresa. Atualmente no Brasil, o Walmart opera com as seguintes bandeiras: Walmart, Sams Club, Bompreço, Hiper Bompreço, Todo Dia, Maxxi, Mercadorama, BIG, Nacional. Todas se adaptam às particularidades de diferentes públicos em todo o país. Os clientes contam ainda com o canal eletrônico de compras criado em Os nove centros de distribuição, sendo quatro próprios, estão espalhados pelo Sul, Sudeste e Nordeste, em locais estratégicos, para reduzir distância e diminuir o impacto de transporte no meio ambiente. Há ainda, quatro operadores logísticos especializados somente em perecíveis. 1. Missão: Vender por menos para as pessoas viverem melhor. 2. Visão: Ser o melhor varejista na mente e no coração dos Consumidores e Associados. 3. Valores: As Cinco Prioridades; PBTD/CBTD (Preço Baixo Todo Dia) (Custo Baixo Todo Dia), Execução, Atendimento, Cultura e Liderança. A pesquisa foi realizada no escritório central da empresa, localizado em Barueri SP; hoje a unidade opera com associados, onde foram entrevistados 30 funcionários que atuam através da Escola do Varejo, um projeto realizado pelo Walmart para ingressar jovens no mercado de trabalho. 3 Análise dos dados Ao todo, foram entrevistados 100 colaboradores, sendo 30 da Aon Holding, 40 da IBAC (Cacau Show) e 30 do Walmart, sendo que, após a coleta dos dados, foram feitas as devidas tabulações e gráficos para que, por fim, pudéssemos analisar os resultados obtidos. 10

11 3.1 Pesquisa Análise e Comparativos bibliográficos Figura 1 Dentre os 100 colaboradores entrevistados, e conforme demonstra o gráfico, 44,64% estão acima dos 30 anos. Figura 2 Esta questão foi elaborada para análise do total de pesquisados representados pelo universo de 100 pessoas. 46% trabalham a aproximadamente 1 ano na empresa, 35% entre 1 e 5 anos, e 17% mais de 5 anos. 11

12 Figura 3 Conclui-se que do universo de 100 pesquisados, 84% indicariam a empresa onde trabalham, o que mostra a satisfação dos colaboradores de forma a permanecer na empresa e valorizá-la. Segundo o contexto teórico, os colaboradores valorizam a empresa que proporciona capacitação e conhecimento amplo e profundo sobre os ramos em que opera; existe também uma mudança de paradigmas referente ao aprendizado corporativo, mudando o processo de ensino e aprendizagem do trabalhador que passa de expectador para promotor do seu próprio conhecimento (MEISTER, 2013; DALL ALBA, 1996). Figura 4 12

13 Verifica-se que de 100 entrevistados, aproximadamente 61%, trabalham em empresas que possuem um centro educacional e concentram a importância do treinamento na cultura e no processo operacional, confirmando a teoria de Baumgartner e Casarini (2012), de que as empresas utilizam desta ferramenta para a evolução do processo produtivo e de seus negócios, investindo em conhecimento e na qualidade profissional de seus colaboradores. As organizações oferecem esse tipo de treinamento a fim de criar um futuro promissor e competitivo: ela prepara o indivíduo para um mercado em constantes mudanças e atua em dois pontos importantes, sendo tempo de produzir e tempo de aprender, concretizando-se a ideia de que o conhecimento é uma riqueza que precisa ser adquirida, administrada e divulgada (MELLO, 2011). Figura 5 Os temas mais abordados na Educação Corporativa são cultura organizacional e assuntos operacionais da empresa, que no contexto teórico, os autores afirmam que a capacitação dos trabalhadores deve ser realizada em todos os níveis da empresa, principalmente aos elementos estratégicos, visando a disseminação do conhecimento a fim de promover a estratégia da organização e proporcionar aos colaboradores amplo conhecimento do dia a dia da empresa (MEISTER, 2013; DALL ALBA, 1996). 13

14 Figura 6 Numa amostra de 100 pesquisados, 64% concordam que o conteúdo aplicado na educação corporativa é bom, confirmando o que escreve a Professora Tarapanoff (2004), quando afirma que o treinamento deve ser direcionado aos colaboradores a fim de buscar melhorias em habilidades profissionais e eficiência em atividades dentro da corporação, com o objetivo de manter a competitividade da empresa. Devemos dar importância aos meios pelos quais é transmitido este conhecimento, onde, segundo os colaboradores, o que ajuda muito nos temas é o ambiente reservado a este fim e suas ferramentas, por exemplo: Universidade Cacau (IBAC), Escola do Varejo (WALMART), e Educação a Distancia (Aon Holding), confirmando a aplicação de diferentes meios de treinamento difundidos nos últimos anos por diversos tipos de programas, projetos e atividades presenciais ou e-learne, fórum, cursos e palestras, presenciais e/ou à distância, relatados por Brown e Duguid (1991). Assim, 64% dos entrevistados estão satisfeitos com os cursos oferecidos, considerando-os bons. 14

15 Figura 7 Levando em consideração uma amostra de 100 pesquisados, 73% dos participantes desta pesquisa, conhecem pessoas que já trabalharam nas empresas onde os dados foram coletados e que receberam o treinamento. Figura 8 Conforme resultado da pesquisa, 91% dos entrevistados se sentem influenciados pelos conteúdos transmitidos nos cursos ministrados pelas empresas. Segundo Moraes (2011, p.66-67), isso acontece porque estas instituições têm por objetivo controlar o processo continuado de aprendizado dos colaboradores. Já na opinião de Drucker (1975), a busca de informação 15

16 dentro da empresa é para alcançar objetivos pessoais e empresariais, utilizando meios para influenciar e conquistar para si o colaborador, fazendo-o permanecer dentro da empresa. Considerações finais A pesquisa realizada teve como objetivo identificar quais as ferramentas utilizadas na educação corporativa e mostrar de que maneira ela influencia os colaboradores da organização. Com a necessidade de aprimorar a mão de obra, sem depender de instituições de ensino e a fim de conquistar mais lucratividade e competitividade surgem os programas educacionais corporativos, que têm como foco o aumento da habilidade de cada profissional, com treinamentos teóricos ou práticos, de formas inovadoras, presencial ou virtual. Com esta pesquisa verificamos que a educação corporativa vai além de um treinamento empresarial: é uma estratégia de longo prazo, que tem como objetivo oferecer ao colaborador uma aprendizagem contínua, pois o conhecimento possui um prazo reduzido nos dias de hoje, devido às tecnologias e suas evoluções, e é nesse momento que a organização retém para si os colaboradores, faz com que permaneçam na empresa, colocando em prática o saber que lhes foi agregado, ensinando-lhes mais e os fazendo dividir conhecimento com outros colaboradores. Os dados da pesquisa de campo afirmam, que independente da idade, todos que recebem educação corporativa, estão satisfeitos com a empresa e seus treinamentos; que o assunto mais abordado é a cultura da empresa, e que 91% dos entrevistados se sentem influenciados pelos conhecimentos ministrados, de modo que isso os faz permanecer na organização, confirmando a hipótese 1, onde se afirma que o colaborador se sente praticamente obrigado a permanecer na empresa, por um ato de agradecimento, prestação de serviço, ou no intuito de transmitir o que lhe foi agregado a mais funcionários. Para a hipótese 2, foi possível afirmar que a Educação Corporativa recebida somente é bem aproveitada no novo emprego, quando são realizados por meio de capacitações profissionais como e-learning, EAD, cursos presenciais técnicos, graduação, e pós-graduação. Já as capacitações profissionais dentro das Universidades Corporativas estão ligadas diretamente a suprir as necessidades da organização. 16

17 Referências bibliográficas AON BRASIL. Institucional. Disponível em Acessado em 06 de junho BAUMGARTNER, Marcos; CASARINI, Fabiana Gradela. Educação Corporativa da teoria a prática. São Paulo: Editora Senac, BECKER, Brian; HUSELID, Mark A. Revista eletrônica de sistemas de informação Disponível em: acessado em 06 de junho BROWN, J. S.; DUGUID, P. Revista eletrônica de sistemas de informação Disponível em: acessado em 06 de junho CACAU SHOW. IBAC Indústria Brasileira de alimentos e chocolates Ltda.. Disponível em: acessado em 06 de junho CATHO BRASIL. O que é universidade corporativa. Disponível em acessado em 06 de junho DALL ALBA, Gloria; SANDBERG, Jörgen. Revista eletrônica de sistemas de informação acessado em 06 de junho DAURICIO, Juliana Schiavetto; OLIVEIRA, Gerson Pastre de. Uma Proposta Metodológica para o processo de ensino-aprendizagem em Educação Corporativa. In: 14º Congresso Internacional ABED de Educação a Distância, 2008, Santos (SP). Disponível em: acessado em 20 de agosto de DRUCKER, Peter Ferdinand. A arte da administração Total. São Paulo: Pioneira, EBOLI, Marisa. Educação Corporativa: mitos e verdades. São Paulo: Editora Gente EDUCOR. Panorama da educação corporativa no contexto internacional. Disponível em: Acesso em 26 de abril de FRANÇA, Luiz de. Universidades corporativas crescem 2.400% em 10 anos. Veja Acervo Digital veja.com. São Paulo, 06/05/2009. Dados pesquisados e coletados, disponível no site 17

18 Acesso em: abril de LE BOTERF, Guy. Revista eletrônica de sistemas de informação Disponível em acessado em 06 de junho MEISTER, Jeanne C. Educação corporativa: a gestão do capital intelectual através das Universidades corporativas. São Paulo: Makron Books Revista eletrônica de sistemas de informação. Disponível em: acessado em 06 de junho MELLO, Itamara de. Educando nas organizações Disponível em: acessado em 06 de junho MORAES, Márcia Vilma Gonçalves de. Treinamento e desenvolvimento: educação corporativa: para as áreas de saúde, segurança do trabalho e recursos humanos. 1ª Ed. São Paulo: Érica, MULLER, C. C. EAD nas organizações. Curitiba: IESDE, PERRENOUD, Philipe. Revista eletrônica de sistemas de informação acessado em 06 de junho PRICE, Christopher; BEAVER, Graham. Facilitating organizational change: the role and development of the corporate university. Strategic Change, v.10, p , Jun-Jul Disponível em: va.pdf, acessado em 06 de junho SIPAT Treinamentos corporativos Disponível em: acessado em 14 setembro TARAPANOFF, Kira. Contexto da Educação Corporativa no contexto Disponível em: (http://www.educor.desenvolvimento.gov.br/public/arquivo/arq pdf) Acesso em 18 de abril de A responsabilidade social das Empresas e a Educação Corporativa Disponível em: acesso em maio de

19 WALMART BRASIL. Disponível em: acessado em 12 de setembro de WALTON, J. Strategic Human Resource Development. FT Prentice-Hall, Harlow, Disponível em: acessado em 12 de setembro de ZARIFIAN, Philippe. Revista eletrônica de sistemas de informação. acessado em 06 de junho

IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012

IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012 IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012 Rosely Vieira Consultora Organizacional Mestranda em Adm. Pública Presidente do FECJUS Educação

Leia mais

Ficha de Inscrição do 17º Prêmio Expressão de Ecologia

Ficha de Inscrição do 17º Prêmio Expressão de Ecologia Ficha de Inscrição do 17º Prêmio Expressão de Ecologia OBS: Apresentação obrigatória na primeira página do case Informações cadastrais a) Identificação: empresa b) Nome: Wal-Mart Brasil Informações sobre

Leia mais

Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos

Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos Já passou a época em que o pedagogo ocupava-se somente da educação infantil. A pedagogia hoje dispõe de uma vasta

Leia mais

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF)

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) Maio de 2007 Maria Rachel Barbosa Fundação Trompovsky (Apoio ao NEAD CENTRAN) rachel@centran.eb.br Vanessa Maria

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

biblioteca Cultura de Inovação Dr. José Cláudio C. Terra & Caspar Bart Van Rijnbach, M Gestão da Inovação

biblioteca Cultura de Inovação Dr. José Cláudio C. Terra & Caspar Bart Van Rijnbach, M Gestão da Inovação O artigo fala sobre os vários aspectos e desafios que devem ser levados em consideração quando se deseja transformar ou fortalecer uma cultura organizacional, visando a implementação de uma cultura duradoura

Leia mais

Desenvolvimento econômico e social no Brasil e a qualificação profissional num mundo globalizado

Desenvolvimento econômico e social no Brasil e a qualificação profissional num mundo globalizado Desenvolvimento econômico e social no Brasil e a qualificação profissional num mundo globalizado Edson Tomaz de Aquino 1 Resumo: Este artigo apresenta uma reflexão sobre os desafios do Brasil em competir

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

1 Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário. Gestão de Projetos de EAD Conceber, Desenvolver e Entregar

1 Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário. Gestão de Projetos de EAD Conceber, Desenvolver e Entregar 1 Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário Gestão de Projetos de EAD Conceber, Desenvolver e Entregar Prof. Dr. Stavros Panagiotis Xanthopoylos stavros@fgv.br Brasília, 27 de novembro de 2009

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES Cassia Uhler FOLTRAN 1 RGM: 079313 Helen C. Alves LOURENÇO¹ RGM: 085342 Jêissi Sabta GAVIOLLI¹ RGM: 079312 Rogério Bueno ROSA¹ RGM:

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE TERCEIRIZAÇÃO - TST -

AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE TERCEIRIZAÇÃO - TST - AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE TERCEIRIZAÇÃO - TST - (4 e 5 de outubro de 2011) PROF. LÍVIO GIOSA PROF. LÍVIO GIOSA Administrador de Empresas com Pós Graduação em Business Administration pela New York University

Leia mais

High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil

High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil P e s q u i s a d a F u n d a ç ã o G e t u l i o V a r g a s I n s t i t u t o d e D e s e n v o l v i m e n t o E d u c a c i o n a l Conteúdo 1. Propósito

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade Eficácia e Liderança de Performance O Administrador na Gestão de Pessoas Grupo de Estudos em Administração de Pessoas - GEAPE 27 de novembro

Leia mais

O PEDAGOGO NAS ORGANIZAÇÕES

O PEDAGOGO NAS ORGANIZAÇÕES O PEDAGOGO NAS ORGANIZAÇÕES KOWALCZUK, Lidiane Mendes Ferreira - PUCPR lidianemendesf@gmail.com VIEIRA, Alboni Marisa Dudeque Pianovski - PUCPR alboni@alboni.com Eixo Temático: Formação de Professores

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CURSO TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL Série do Curso: 4ª SÉRIE Nome da Disciplina: PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem

Leia mais

Sustentabilidade no Grupo Boticário. Atuação com a Rede de Franquias

Sustentabilidade no Grupo Boticário. Atuação com a Rede de Franquias Sustentabilidade no Grupo Boticário Atuação com a Rede de Franquias Mais de 6.000 colaboradores. Sede (Fábrica e Escritórios) em São José dos Pinhais (PR) Escritórios em Curitiba (PR) e São Paulo (SP).

Leia mais

Acreditamos em formas criativas e inovadoras de crescimento e desenvolvimento. Elas agregam valor ao cliente

Acreditamos em formas criativas e inovadoras de crescimento e desenvolvimento. Elas agregam valor ao cliente Portfólio QUEM SOMOS Somos uma empresa de consultoria organizacional que vem desenvolvendo e implementando em diversas clientes projetos nas áreas de Gestão Recursos Humanos e Comercial/Vendas. Silmar

Leia mais

A QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NA ÁREA DE COLHEITA FLORESTAL MECANIZADA

A QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NA ÁREA DE COLHEITA FLORESTAL MECANIZADA A QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NA ÁREA DE COLHEITA FLORESTAL MECANIZADA Edna Ap Esquinelato da Silva 1 Eliete Santana 1 Elton Dias da Paz 1 Priscila Alves da Silva 1 RESUMO Colheita Floresta é o processo

Leia mais

Módulo 1. Introdução. 1.1 O que é EAD?

Módulo 1. Introdução. 1.1 O que é EAD? Módulo 1. Introdução Cada vez mais o mundo social e do trabalho necessitam de sujeitos capazes de fazer a diferença através de suas ações e atitudes. A utilização do ambiente virtual, como meio de interação

Leia mais

EDUCAÇÃO EXECUTIVA PARA O MERCADO FINANCEIRO MAIO / 2005 108-TC-B4

EDUCAÇÃO EXECUTIVA PARA O MERCADO FINANCEIRO MAIO / 2005 108-TC-B4 1 EDUCAÇÃO EXECUTIVA PARA O MERCADO FINANCEIRO MAIO / 2005 108-TC-B4 NADINE WASSMER TREINA E-LEARNING treina@treina.com.br ROSANA GOMES CONTEÚDOS E HABILIDADES EDUCAÇÃO CORPORATIVA DESCRIÇÃO DE PROJETO

Leia mais

Sobre a Universidade Banco Central do Brasil (UniBacen)

Sobre a Universidade Banco Central do Brasil (UniBacen) Sobre a Universidade Banco Central do Brasil (UniBacen) Histórico A UniBacen é um departamento vinculado diretamente ao Diretor de Administração do Banco Central do Brasil (BCB), conforme sua estrutura

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

Disciplina: Unidade I: Prof.: E-mail: Período:

Disciplina: Unidade I: Prof.: E-mail: Período: Encontro 05 Disciplina: Planejamento Estratégico de Marketing Unidade I: Introdução ao Planejamento Estratégico Prof.: Mario Filho E-mail: pro@mariofilho.com.br Período: 4º. ADM 2. Visão, Valores, Políticas,

Leia mais

Informações sobre o Curso de Administração

Informações sobre o Curso de Administração Objetivo Geral do Curso: Informações sobre o Curso de Administração Prover a sociedade de profissional dotado de senso crítico e comportamento ético-profissional qualificado. Um Administrador criativo,

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas

MBA em Gestão de Pessoas REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Profª. Dra. Ana Ligia Nunes Finamor A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios foi fundada

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

EDUCAÇÃO CORPORATIVA EM EAD: Benefícios da modalidade e-learning.

EDUCAÇÃO CORPORATIVA EM EAD: Benefícios da modalidade e-learning. EDUCAÇÃO CORPORATIVA EM EAD: Benefícios da modalidade e-learning. Autor(a): Gliner Dias Alencar Coautor(es): Joaquim Nogueira Ferraz Filho, Marcelo Ferreira de Lima, Lucas Correia de Andrade, Alessandra

Leia mais

PARANÁ ---------------------------- GOVERNO DO ESTADO PROGRAMA FORMAÇÃO DE GESTORES PARA O TERCEIRO SETOR

PARANÁ ---------------------------- GOVERNO DO ESTADO PROGRAMA FORMAÇÃO DE GESTORES PARA O TERCEIRO SETOR PARANÁ ---------------------------- GOVERNO DO ESTADO PROGRAMA FORMAÇÃO DE GESTORES PARA O TERCEIRO SETOR CURITIBA Maio 2012 1 PROGRAMA TÍTULO: Formação de Gestores para o Terceiro Setor. JUSTIFICATIVA:

Leia mais

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc. FATERN Faculdade de Excelência Educacional do RN Coordenação Tecnológica de Redes e Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

Leia mais

Indicadores de Rendimento do Voluntariado Corporativo

Indicadores de Rendimento do Voluntariado Corporativo Indicadores de Rendimento do Voluntariado Corporativo Avaliação desenvolvida por Mónica Galiano e Kenn Allen, publicado originalmente no livro The Big Tent: Corporate Volunteering in the Global Age. Texto

Leia mais

ANEC PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO UMA ABORDAGEM. Reflexões voltadas para a Gestão

ANEC PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO UMA ABORDAGEM. Reflexões voltadas para a Gestão ANEC PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO UMA ABORDAGEM Reflexões voltadas para a Gestão MUDANÇAS EDUCAÇÃO NO BRASIL 1996 Lei 9.934 LDB 1772 Reforma Pombalina 1549 Ensino Educação público no dos Brasil Jesuítas Lei

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: compartilhamento de conhecimento; gestão do conhecimento; responsabilidade social.

PALAVRAS-CHAVE: compartilhamento de conhecimento; gestão do conhecimento; responsabilidade social. PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DOS SERVIDORES DA UNICENTRO, PROVARS: COMPARTILHANDO CONHECIMENTOS PARA A EFETIVAÇÃO DE UMA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL. RESUMO: O presente trabalho pretendeu verificar

Leia mais

Seminário Telecentros Brasil

Seminário Telecentros Brasil Seminário Telecentros Brasil Inclusão Digital e Sustentabilidade A Capacitação dos Operadores de Telecentros Brasília, 14 de maio de 2009 TELECENTROS DE INFORMAÇÃO E NEGÓCIOS COMO VEÍCULO DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA

Leia mais

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PROPOSTA DE AÇÃO Criar um fórum permanente onde representantes dos vários segmentos do poder público e da sociedade civil atuem juntos em busca de uma educação

Leia mais

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃODE RECURSOS HUMANOS DA ANTT

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃODE RECURSOS HUMANOS DA ANTT FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃODE RECURSOS HUMANOS DA ANTT Quadro de Servidores SITUAÇÃO 2008 2009 Abril 2010 CARGOS EFETIVOS (*) 429 752 860 Analista Administrativo 16 40 41 Especialista em Regulação 98 156 169

Leia mais

Estruturando o modelo de RH: da criação da estratégia de RH ao diagnóstico de sua efetividade

Estruturando o modelo de RH: da criação da estratégia de RH ao diagnóstico de sua efetividade Estruturando o modelo de RH: da criação da estratégia de RH ao diagnóstico de sua efetividade As empresas têm passado por grandes transformações, com isso, o RH também precisa inovar para suportar os negócios

Leia mais

Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO. Profa. Leonor Cordeiro Brandão

Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO. Profa. Leonor Cordeiro Brandão Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO Profa. Leonor Cordeiro Brandão Relembrando Vimos alguns conceitos importantes: O que são dados; O que é informação; Quando uma informação se transforma em conhecimento;

Leia mais

Planejamento Estratégico para Escritórios de Advocacia ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 1º SEMESTRE DE 2012

Planejamento Estratégico para Escritórios de Advocacia ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 1º SEMESTRE DE 2012 Planejamento Estratégico para Escritórios de Advocacia ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 1º SEMESTRE DE 2012 FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS A Fundação Getulio Vargas (FGV) deu início a

Leia mais

Faça parte da Fundação Nacional da Qualidade

Faça parte da Fundação Nacional da Qualidade Faça parte da Fundação Nacional da Qualidade A BUSCA CONTÍNUA DA EXCELÊNCIA DA GESTÃO É O QUE NOS MOVE! A Fundação Nacional da Qualidade (FNQ) é uma instituição sem fins lucrativos, que conta com uma rede

Leia mais

O Grupo Gerdau incentiva o trabalho em equipe e o uso de ferramentas de gestão pela qualidade na busca de soluções para os problemas do dia-a-dia.

O Grupo Gerdau incentiva o trabalho em equipe e o uso de ferramentas de gestão pela qualidade na busca de soluções para os problemas do dia-a-dia. O Grupo Gerdau incentiva o trabalho em equipe e o uso de ferramentas de gestão pela qualidade na busca de soluções para os problemas do dia-a-dia. Rio Grande do Sul Brasil PESSOAS E EQUIPES Equipes que

Leia mais

Porque Educação Executiva Insper

Porque Educação Executiva Insper 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo atual exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

VISÃO Crescer sustentavelmente e ser referência nacional em serviços imobiliários de qualidade.

VISÃO Crescer sustentavelmente e ser referência nacional em serviços imobiliários de qualidade. MISSÃO Oferecer serviços imobiliários de qualidade, gerando valor para os clientes, colaboradores, sociedade e acionistas. VISÃO Crescer sustentavelmente e ser referência nacional em serviços imobiliários

Leia mais

Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado.

Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado. TECNICAS E TECNOLOGIAS DE APOIO CRM Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado. Empresas já não podem confiar em mercados já conquistados. Fusões e aquisições

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro Educação a Distância Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. A única diferença é a sala de aula que fica em suas

Leia mais

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do Dimensão 2 As políticas para o ensino, a pesquisa, a pós-graduação, a extensão e as respectivas normas de operacionalização, incluídos os procedimentos para estímulo à produção acadêmica, as bolsas de

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação?

PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação? PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação? O mercado do trabalho está cada vez mais exigente. Hoje em dia, um certificado de pós-graduação é imprescindível para garantia

Leia mais

A TECNOLOGIA ALIADA À EDUCAÇÃO CORPORATIVA

A TECNOLOGIA ALIADA À EDUCAÇÃO CORPORATIVA A TECNOLOGIA ALIADA À EDUCAÇÃO CORPORATIVA TEXTO Se você acha a educação cara, experimente a IGNORÂNCIA. Derek Bok, Reitor de Harvard (1971-1991) Desafios para a educação em um mundo global Desenvolver

Leia mais

MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA

MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA ORIENTAÇÕES PARA OS ESTUDOS EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Caro (a) Acadêmico (a), Seja bem-vindo (a) às disciplinas ofertadas na modalidade a distância.

Leia mais

Despertamos o Potencial escondido e Transformamos em Resultados!

Despertamos o Potencial escondido e Transformamos em Resultados! Despertamos o Potencial escondido e Transformamos em Resultados! Empresa Diferenciais A MB Soluções nasceu com propósito de desenvolver Pessoas, no âmbito Profissional e Pessoal. Atuamos no desenvolvimento

Leia mais

MATRIZ SWOT VANTAGENS DE SUA UTILIZAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA

MATRIZ SWOT VANTAGENS DE SUA UTILIZAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA MATRIZ SWOT VANTAGENS DE SUA UTILIZAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA Daniela Vaz Munhê 1 Jenifer Oliveira Custódio Camara 1 Luana Stefani 1 Murilo Henrique de Paula 1 Claudinei Novelli 2 Cátia Roberta Guillardi

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

PROPOSTA PEDAGOGICA CENETEC Educação Profissional. Índice Sistemático. Capitulo I Da apresentação...02. Capitulo II

PROPOSTA PEDAGOGICA CENETEC Educação Profissional. Índice Sistemático. Capitulo I Da apresentação...02. Capitulo II Índice Sistemático Capitulo I Da apresentação...02 Capitulo II Dos objetivos da proposta pedagógica...02 Capitulo III Dos fundamentos da proposta pedagógica...02 Capitulo IV Da sinopse histórica...03 Capitulo

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

Gestão estratégica em finanças

Gestão estratégica em finanças Gestão estratégica em finanças Resulta Consultoria Empresarial Gestão de custos e maximização de resultados A nova realidade do mercado tem feito com que as empresas contratem serviços especializados pelo

Leia mais

Perspectivas da Educação a Distância na Capacitação e Formação Permanente do Profissional

Perspectivas da Educação a Distância na Capacitação e Formação Permanente do Profissional Painel Setorial - Inmetro Perspectivas da Educação a Distância na Capacitação e Formação Permanente do Profissional Prof. Dr. Stavros Panagiotis Xanthopoylos Xerém, 31 de julho de 2009 Tópicos Os Novos

Leia mais

CAPITAL INTELECTUAL DA EMPRESA: PROTEÇÃO E GESTÃO DO CONHECIMENTO

CAPITAL INTELECTUAL DA EMPRESA: PROTEÇÃO E GESTÃO DO CONHECIMENTO CAPITAL INTELECTUAL DA EMPRESA: PROTEÇÃO E GESTÃO DO CONHECIMENTO Resende, J.M.; Nascimento Filho, W.G.; Costa S.R.R. INEAGRO/UFRuralRJ INTRODUÇÃO O patrimônio de uma empresa é formado por ativos tangíveis

Leia mais

8ª PESQUISA DE PRODUTIVIDADE APRENDIZADO DE IDIOMAS 2012

8ª PESQUISA DE PRODUTIVIDADE APRENDIZADO DE IDIOMAS 2012 8ª PESQUISA DE PRODUTIVIDADE APRENDIZADO DE IDIOMAS 2012 Tel. 55 11 3862 1421 Pesquisa revela panorama do aprendizado do idioma inglês no Brasil de 2003 a 2012 por Paulo P. Sanchez* A BIRD Gestão Estratégica

Leia mais

A Parceria UNIVIR / UNIGLOBO- Um Case Focado no Capital Intelectual da Maior Rede de TV da América Latina

A Parceria UNIVIR / UNIGLOBO- Um Case Focado no Capital Intelectual da Maior Rede de TV da América Latina A Parceria UNIVIR / UNIGLOBO- Um Case Focado no Capital Intelectual da Maior Rede de TV da América Latina Blois, Marlene Montezi e-mail: mmblois@univir.br Niskier, Celso e-mail: cniskier@unicarioca.edu.br

Leia mais

Administração e Gestão de Pessoas

Administração e Gestão de Pessoas Administração e Gestão de Pessoas Aula de Capacitação e Desenvolvimento Prof.ª Marcia Aires www.marcia aires.com.br mrbaires@gmail.com Era Industrial Era Conhecimento Competência..., o que é? Qualidade

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ SABER Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência

Leia mais

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL Somos especializados na identificação e facilitação de soluções na medida em que você e sua empresa necessitam para o desenvolvimento pessoal, profissional,

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR PROJETO INTEGRADOR 1. INTRODUÇÃO Conforme as diretrizes do Projeto Pedagógico dos Cursos Superiores de Tecnologia da Faculdade Unida de Suzano

Leia mais

Histórico. Missão. Visão

Histórico. Missão. Visão Histórico Fundada em 1996 na cidade de Mossoró/RN, a Índice Consultores Associados atua em serviços de consultoria empresarial para os mais diversos segmentos (Comércio, Industria e Serviço) sendo pioneira

Leia mais

A Integração de Remuneração, Reconhecimento e Recompensa. Luiz Edmundo Rosa São Paulo, 26.03.09

A Integração de Remuneração, Reconhecimento e Recompensa. Luiz Edmundo Rosa São Paulo, 26.03.09 A Integração de Remuneração, Reconhecimento e Recompensa Luiz Edmundo Rosa São Paulo, 26.03.09 AGENDA 1. Posicionando a Remuneração e Reconhecimento 2. Tendências e impactos na Gestão 3. Melhores Práticas:

Leia mais

Aprendizado Organizacional Universidades Corporativas e os novos modelos de educação nas empresas. Prof. Augusto Gaspar

Aprendizado Organizacional Universidades Corporativas e os novos modelos de educação nas empresas. Prof. Augusto Gaspar Aprendizado Organizacional Universidades Corporativas e os novos modelos de educação nas empresas Prof. Augusto Gaspar Aspectos Humanos - Tendências Singularidade e Hiperconectividade Fevereiro 2011 Junho

Leia mais

Pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil

Pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil Pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil 2014 Objetivo Metodologia Perfil da Empresa de Consultoria Características das Empresas Áreas de Atuação Honorários Perspectivas e Percepção de Mercado

Leia mais

www.jrsantiago.com.br

www.jrsantiago.com.br www.jrsantiago.com.br Gestão do Conhecimento em Projetos José Renato Santiago Cenário Corporativo Muitas empresas gastam parte significativa de seu tempo no planejamento e desenvolvimento de atividades,

Leia mais

RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO

RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO Apesar de as empresas brasileiras estarem despertando para o valor das ações de educação corporativa em prol dos seus negócios, muitos gestores ainda

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

O que é ser um RH estratégico

O que é ser um RH estratégico O que é ser um RH estratégico O RH é estratégico quando percebido como essencial nas decisões estratégicas para a empresa. Enquanto a área de tecnologia das empresas concentra seus investimentos em sistemas

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias Coordenação Acadêmica: Maria Elizabeth Pupe Johann 1 OBJETIVOS: Objetivo Geral: - Promover o desenvolvimento

Leia mais

Atitude Empreendedora: Uma competência estratégica ao profissional de treinamento e desenvolvimento.

Atitude Empreendedora: Uma competência estratégica ao profissional de treinamento e desenvolvimento. Atitude Empreendedora: Uma competência estratégica ao profissional de treinamento e desenvolvimento. Por PAULA FRANCO Diante de um cenário empresarial extremamente acirrado, possuir a competência atitude

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL Introdução A partir da década de 90 as transformações ocorridas nos aspectos: econômico, político, social, cultural,

Leia mais

ALGAR Programas PGP e PGI 1

ALGAR Programas PGP e PGI 1 ALGAR Programas PGP e PGI 1 O Grupo Algar atua nos setores de Telecomunicações, Agronegócios, Serviços e ainda tem participação acionária no Rio Quente Resorts, no segmento de turismo. A sede do Grupo

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 Even e Junior Achievement de Minas Gerais UMA PARCERIA DE SUCESSO 1 SUMÁRIO Resultados Conquistados... 3 Resultados do Projeto... 4 Programa Finanças Pessoais... 5 Conceitos

Leia mais

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras Por Marcelo Bandeira Leite Santos 13/07/2009 Resumo: Este artigo tem como tema o Customer Relationship Management (CRM) e sua importância como

Leia mais

Universidade Anhembi Morumbi On-line. Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. Tudo a um clique de você.

Universidade Anhembi Morumbi On-line. Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. Tudo a um clique de você. Universidade Anhembi Morumbi On-line. Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. Tudo a um clique de você. Educação a Distância Anhembi Morumbi Agora você pode estudar em uma universidade internacional

Leia mais

Como as empresas podem minimizar os efeitos da crise e manterem-se competitivas?

Como as empresas podem minimizar os efeitos da crise e manterem-se competitivas? Como as empresas podem minimizar os efeitos da crise e manterem-se competitivas? Professor e consultor Álvaro Camargo explica a importância dos processos de aproveitamento de lições aprendidas nas organizações

Leia mais

Estratégia Internacional

Estratégia Internacional Estratégia Internacional Professor: Claudemir Vasconcelos Aluno: Sergio Abreu Estratégia Internacional A internacionalização não se limita somente ao Comércio exterior (importação & exportação); é operar

Leia mais

UMA PROPOSTA INOVADORA PARA ENSINAR EMPREENDEDORISMO AOS JOVENS

UMA PROPOSTA INOVADORA PARA ENSINAR EMPREENDEDORISMO AOS JOVENS UMA PROPOSTA INOVADORA PARA ENSINAR EMPREENDEDORISMO AOS JOVENS www.empreende.com.br emp@empreende.com.br FAZENDO ACONTECER Programa de ensino de empreendedorismo inovador em nível mundial, desenvolvido

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Drª. Ana Maria Viegas Reis

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Drª. Ana Maria Viegas Reis CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Drª. Ana Maria Viegas Reis APRESENTAÇÃO A FGV é uma instituição privada sem fins lucrativos, fundada em

Leia mais

A revolução da excelência

A revolução da excelência A revolução da excelência ciclo 2005 PNQ Foto: Acervo CPFL CPFL Paulista, Petroquímica União, Serasa e Suzano Petroquímica venceram o Prêmio Nacional da Qualidade 2005. A Albras, do Pará, foi finalista.

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO

GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO Indicadores e Diagnóstico para a Inovação Primeiro passo para implantar um sistema de gestão nas empresas é fazer um diagnóstico da organização; Diagnóstico mapa n-dimensional

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Projeto de Implantação e Implementação da Responsabilidade Socioambiental na Indústria

Mostra de Projetos 2011. Projeto de Implantação e Implementação da Responsabilidade Socioambiental na Indústria Mostra de Projetos 2011 Projeto de Implantação e Implementação da Responsabilidade Socioambiental na Indústria Mostra Local de: Umuarama Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados

Leia mais

Planejamento Estratégico da UNICAMP PLANES/UNICAMP

Planejamento Estratégico da UNICAMP PLANES/UNICAMP Planejamento Estratégico da UNICAMP PLANES/UNICAMP Abril/2012 Apresentação O Planejamento Estratégico (PLANES) da UNICAMP é um processo acadêmico/administrativo dinâmico cujo objetivo central é de ampliar

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA MUDANÇA DE CULTURA DAS PESSOAS COMO UM DOS FATORES DE SUCESSO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

A IMPORTÂNCIA DA MUDANÇA DE CULTURA DAS PESSOAS COMO UM DOS FATORES DE SUCESSO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA A IMPORTÂNCIA DA MUDANÇA DE CULTURA DAS PESSOAS COMO UM DOS FATORES DE SUCESSO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Elisa Maçãs IDÉIAS & SOLUÇÕES Educacionais e Culturais Ltda www.ideiasesolucoes.com 1

Leia mais

O MBA CONTROLLER foi lançado em 1994 e é o mais tradicional MBA do mercado brasileiro

O MBA CONTROLLER foi lançado em 1994 e é o mais tradicional MBA do mercado brasileiro MBA Controller Ao cursar o MBA CONTROLLER FIPECAFI/ANEFAC, o aluno convive com pessoas de diferentes perfis entre os mais diversos segmentos de mercado e com a experiência profissional exigida para que

Leia mais

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ÍNDICE em ordem alfabética: Artigo 1 - ENDOMARKETING: UMA FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA DESENVOLVER O COMPROMETIMENTO... pág. 2 Artigo 2 - MOTIVANDO-SE... pág. 4 Artigo 3 - RECURSOS

Leia mais

TRABALHOS TÉCNICOS Coordenação de Documentação e Informação INOVAÇÃO E GERENCIAMENTO DE PROCESSOS: UMA ANÁLISE BASEADA NA GESTÃO DO CONHECIMENTO

TRABALHOS TÉCNICOS Coordenação de Documentação e Informação INOVAÇÃO E GERENCIAMENTO DE PROCESSOS: UMA ANÁLISE BASEADA NA GESTÃO DO CONHECIMENTO TRABALHOS TÉCNICOS Coordenação de Documentação e Informação INOVAÇÃO E GERENCIAMENTO DE PROCESSOS: UMA ANÁLISE BASEADA NA GESTÃO DO CONHECIMENTO INTRODUÇÃO Os processos empresariais são fluxos de valor

Leia mais

O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade).

O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade). O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade). Coordenação Sindicato dos Centros de Formação de Condutores

Leia mais

OBSERVATÓRIO DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO. Palavras-chave: Gestão da Informação. Gestão do conhecimento. OGI. Google alertas. Biblioteconomia.

OBSERVATÓRIO DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO. Palavras-chave: Gestão da Informação. Gestão do conhecimento. OGI. Google alertas. Biblioteconomia. XIV Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação - Região Sul - Florianópolis - 28 de abril a 01 de maio de 2012 RESUMO OBSERVATÓRIO DE

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

Gestão e Sustentabilidade das Organizações da Sociedade Civil. Alfredo dos Santos Junior Instituto GESC

Gestão e Sustentabilidade das Organizações da Sociedade Civil. Alfredo dos Santos Junior Instituto GESC Gestão e Sustentabilidade das Organizações da Sociedade Civil Alfredo dos Santos Junior Instituto GESC QUEM SOMOS? INSTITUTO GESC - IGESC Fundação da AMBA, pelos alunos do primeiro curso de MBA. Serviços

Leia mais

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão Desenvolve Minas Modelo de Excelência da Gestão O que é o MEG? O Modelo de Excelência da Gestão (MEG) possibilita a avaliação do grau de maturidade da gestão, pontuando processos gerenciais e resultados

Leia mais

A estratégia do PGQP frente aos novos desafios. 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna

A estratégia do PGQP frente aos novos desafios. 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna A estratégia do PGQP frente aos novos desafios 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna PROCESSO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO MACROFLUXO ENTRADAS PARA O PROCESSO - Análise de cenários e conteúdos

Leia mais

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida Apresentação Institucional Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida A empresa que evolui para o seu crescimento A VCN Virtual Communication Network, é uma integradora de Soluções Convergentes

Leia mais