Caracterização das Atividades de Software e Serviços de TI Realizadas na NIBSS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Caracterização das Atividades de Software e Serviços de TI Realizadas na NIBSS"

Transcrição

1 CAPÍTULO 5 Caracterização das Atividades de Software e Serviços de TI Realizadas na NIBSS Apresentação Neste capítulo, avaliam-se a importância e o crescimento, ao longo do período 2003 a 2010, das atividades de software e serviços de TI realizadas fora da IBSS (Indústria Brasileira de Software e Serviços de TI), em empresas com fonte principal de receita proveniente de atividades diversas do setor de serviços, do comércio, da agropecuária, indústria e administração pública. Nessas empresas, que formam a Não-IBSS (NIBSS), as atividades de software e serviços de TI são realizadas com finalidades diversas, nem sempre com o intuito de geração de receita. A importância das atividades de software e serviços de TI realizadas na NIBSS é mensurada através dos seguintes indicadores: número absoluto de PROFSSs (profissionais assalariados com ocupações diretamente relacionadas com software e serviços de TI) empregados na NIBSS. relação entre o número de PROFSSs e o total de vínculos empregatícios (PROFSSs/Total_VE) na NIBSS. VRProfssTotal: valor estimado da receita que o total de PROFSSs empregados na NIBSS poderia gerar, caso as atividades de software e serviços de TI que esses profissionais realizam fossem terceirizadas para a IBSS. Trata-se, portanto, de um valor hipotético, já que, nas empresas da NIBSS, as atividades de software e serviços de TI realizadas in house com fins diversos não geram, necessariamente, receita. Mesmo nos casos em que há geração de receita, esta pode ser difícil de mensurar. É o caso, por exemplo, da receita obtida com software embarcado. Na categoria PROFSSs incluem-se os profissionais com emprego formal em uma das seguintes famílias ocupacionais da Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), tidas pelo Observatório SOFTEX como aquelas que mais diretamente têm a ver com as atividades de software e serviços de TI: diretores de serviços de informática; gerentes de tecnologia da informação; engenheiros em computação; administradores de redes, sistemas e bancos de dados; analistas de sistemas computacionais; técnicos de desenvolvimento de sistemas e aplicações; técnicos em operação e monitoração de computadores; técnicos em telecomunicações; operadores de redes de teleprocessamento e afins; e operadores de equipamentos de entrada e transmissão de dados. Descrição sucinta das atividades relativas a cada família ocupacional é fornecida no Anexo 4 desta Publicação. 134 Software e Serviços de TI: A Indústria Brasileira em Perspectiva :..::.

2 Parte 2.:..:::.. Software e Serviços de TI como Atividade Secundária de Empresas - NIBSS Número de PROFSSs na NIBSS Em 2010, os PROFSSs na NIBSS somaram pessoas (Figura 5.1). Ao longo do período 2003 a 2010, a taxa média de crescimento dos PROFSSs na NIBSS foi de 5,1% a.a. Figura Número de PROFSSs empregados na NIBSS Brasil, período Tx. Méd. Cr. Número de PROFSSs na NIBSS (período 2003 a 2010): 5,1% a.a. Fonte: Observatório SOFTEX, a partir de dados da RAIS/MTE, anos diversos. O crescimento manteve-se em patamar próximo ao verificado para o aumento dos vínculos empregatícios na NIBSS, no mesmo período (5,8% a.a.). Mas foi bem inferior ao observado para o número de PROFSSs empregados na IBSS (13,3% a.a.) (Figura 5.2). O crescimento relativamente modesto dos PROFSSs na NIBSS em comparação com o aumento expressivo destes profissionais na IBSS parece indicar que as empresas da NIBSS estão optando por adquirir produtos e contratar serviços de terceiros, contendo a ampliação da sua equipe própria de desenvolvimento e/ou prestação de serviços. Figura Taxa média de crescimento anual de PROFSSs na NIBSS, vínculos empregatícios na NIBSS e PROFSSs na IBSS Brasil, período ,3% a.a. 5,1% a.a. 5,8% a.a. PROFSSs na NIBSS Vínculos empregatícios na NIBSS PROFSSs na IBSS Fonte: Observatório SOFTEX, a partir de dados da RAIS/MTE, anos diversos..::..: Software e Serviços de TI: A Indústria Brasileira em Perspectiva 135

3 Capítulo 5.::.:.: Caracterização das Atividades de Software e Serviços de TI Realizadas na NIBSS Na Figura 5.3, compara-se a distribuição do total de vínculos empregatícios e dos PROFSSs nos estabelecimentos da NIBSS de diferentes portes, em Existe uma concentração relativamente maior dos PROFSSs nas empresas de grande porte, com 100 ou mais vínculos empregatícios. O resultado é semelhante ao verificado para 2005, mostrando que, ao longo dos anos, não houve uma alteração significativa no modo com que estes profissionais se distribuem pelos estabelecimentos de diferentes portes da NIBSS. Figura Distribuição de PROFSSs e do total de vínculos empregatícios (VE) na NIBSS, considerando porte dos estabelecimentos - Brasil, 2010 Distribuição PROFSSs Distribuição total VE ou mais vínculos ativos 30,6% 26,7% De 500 a 999 vínculos ativos De 250 a 499 vínculos ativos De 100 a 249 vínculos ativos De 50 a 99 vínculos ativos De 20 a 49 vínculos ativos De 10 a 19 vínculos ativos De 5 a 9 vínculos ativos Até 4 vínculos ativos 11,5% 12,0% 13,2% 8,9% 10,0% 5,7% 4,3% 3,8% 8,5% 8,7% 10,5% 8,3% 11,7% 9,1% 8,1% 8,3% Fonte: Observatório SOFTEX, a partir de dados da RAIS/MTE, Considerando, por separado, os diversos setores econômicos que compõem a NIBSS, observa-se que, para todos eles, ao longo dos anos, não houve mudanças significativas na distribuição dos PROFSSs por porte dos estabelecimentos. Para parte significativa dos setores econômicos, continua existindo uma forte concentração destes profissionais nos estabelecimentos de maior porte (Figura 5.4). Isso, em princípio, não surpreende, pois as empresas de grande porte costumam ser as primeiras a se informatizarem. No entanto, em alguns setores, especialmente no comércio e, dentro da categoria, no ramo de varejo, os pequenos estabelecimentos são responsáveis pela geração de postos de trabalho para uma quantidade relevante de profissionais de TI. Ocorre o mesmo em alguns outros setores, tais como as atividades imobiliárias, as atividades científicas e técnicas e no setor da saúde. Em 2010, as seções da versão 2.0 da Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) que compõem a NIBSS, que mais concentraram PROFSSs foram o Comércio ( PROFSSs), as atividades administrativas e serviços complementares (47.271), a indústria de transformação (43.072) e a administração pública (42.271). 136 Software e Serviços de TI: A Indústria Brasileira em Perspectiva :..::.

4 Parte 2.:..:::.. Software e Serviços de TI como Atividade Secundária de Empresas - NIBSS Figura Número de PROFSSs na NIBSS, considerando seção da CNAE 2.0 e porte da empresa Brasil, 2010 Seção da CNAE 2.0 Indústria de transformação Vínculos empregatícios < 9 10 a a a a > (35,2%) (4,8%) (14,8%) (10,2%) (18,1%) (16,8%) Total Eletricidade e gás 26 (1,1%) 101 (4,2%) 143 (5,9%) 198 (8,2%) 236 (9,8%) (70,7%) Água, esgoto, atividades de gestão de residuos e descontaminação 18 (1,2%) 85 (5,5%) 98 (6,3%) 129 (8,3%) 264 (17,0%) 963 (61,8%) Construção 602 (3,6%) (10,3%) (8,6%) (15,9%) (8,7%) (53,0%) Comércio; reparação de veículos automotores e motocicletas (20,2%) (29,4%) (12,6%) (13,2%) (7,4%) (17,2%) Transporte, armazenagem e correio Informação e comunicação (3,2%) (8,1%) (12,9%) (9,5%) (15,7%) (13,8%) (17,0%) (9,0%) (13,0%) (12,7%) (44,8%) (40,3%) Atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados 421 (1,7%) (6,9%) (7,2%) (12,4%) (14,3%) (57,5%) Atividades imobiliárias 175 (21,6%) 282 (34,7%) 194 (23,9%) 109 (13,4%) 44 (5,4%) 8 (1,0%) 812 Atividades profissionais, científicas e técnicas (11,3%) (21,3%) (11,7%) (13,7%) (12,2%) (29,8%) Atividades administrativas e serviços complementares (6,8%) (12,4%) (6,5%) (9,2%) (9,8%) (55,2%) Administração pública, defesa e seguridade social 2 Educação 205 (0,5%) 589 (1,4%) 665 (1,6%) (9,0%) (13,2%) 750 (3,9%) (12,5%) (10,3%) (16,9%) (12,3%) (74,4%) (44,1%) Saúde humana e serviços sociais 873 (7,8%) (16,9%) (9,4%) (13,7%) (12,6%) (39,7%) Demais seções (11,1%) (22,7%) (12,6%) (15,9%) (16,6%) (21,1%) Total (8,1%) (15,7%) (8,9%) (13,2%) (12,0%) (42,0%) (1) Exclui a divisão 62 e o grupo 63.1 que constituem a IBSS. (2) Dados parciais para o Estado de Rondônia. (3) Inclui as seguintes seções da CNAE, versão 2.0: Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura`; Indústrias extrativas`; Alojamento e alimentação`; Artes, cultura, esporte e recreação`; Outras atividades de serviços`; Serviços domésticos`; e Organismos internacionais e outras instituições extraterritoriais`. Fonte: Observatório SOFTEX, a partir de dados da RAIS/MTE, ::..: Software e Serviços de TI: A Indústria Brasileira em Perspectiva 137

5 Capítulo 5.::.:.: Caracterização das Atividades de Software e Serviços de TI Realizadas na NIBSS Participação dos PROFSSs no Total de Vínculos Empregatícios da NIBSS (PROFSS/Total_VE) Um número elevado de PROFSSs em uma dada seção da CNAE ou em um dado setor econômico não significa, necessariamente, que as atividades de software e serviços de TI ocorram com intensidade no setor. A quantidade maior de PROFSSs pode estar indicando tão somente se tratar de um setor que conta com um número elevado de vínculos empregatícios. Ou seja, embora os PROFSSs possam ser uma pequena parte do total dos vínculos existentes, porque o setor é muito grande, a quantidade de PROFSSs acaba se destacando em relação à verificada em outras seções CNAE ou setores. Na Tabela 5.1, apresenta-se a participação de PROFSSs no total de vínculos empregatícios de cada setor (seção CNAE 2.0). Essa é uma medida que permite avaliar a vocação de um dado setor econômico para atividades de software e serviços de TI. Ela permite estimar o grau de informatização in house. Também é possível verificar o que ocorre com a medida ao longo dos anos. Em 2010, as seções da CNAE que compõem a NIBSS que apresentaram a maior quantidade de PROFSSs em relação ao total de vínculos empregatícios foram Informação e Comunicação (excluindo a IBSS); as atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados; as atividades profissionais, científicas e técnicas; e as atividades administrativas e serviços complementares. Para o ano em questão, a relação número de PROFSSs e total de vínculos empregatícios na NIBSS foi de 0,8%, muito próxima, mas inferior, à obtida em 2005: 0,9%. A queda do percentual é mais um indício de que a informatização in house vem se mantendo dentro de parâmetros contidos. Uma das explicações certamente está na utilização maior dos produtos e serviços contratados à IBSS. Mas se deve considerar, também, a possibilidade de ganhos de produtividade e ganhos marginais. Ou seja, após a implantação de uma equipe de TI, é possível ampliar, até um certo nível, a sua capacidade de atendimento às necessidades dos usuários internos. Tabela Participação de PROFSSs no total de vínculos empregatícios da NIBSS, considerando seção CNAE 2.0 Brasil, 2010 Seção CNAE 2.0 Número Número VE PROFSSs (A) (B) A/B Indústrias de transformação ,6% Eletricidade e gás ,0% Água, esgoto, atividade de gestão de resíduo e descontaminação ,5% Construção ,6% Comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas ,8% Transporte, armazenagem e correio ,6% Informação e comunicação ,5% Atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados ,1% Atividades imobiliárias ,8% Atividades profissionais, científi cas e técnicas ,6% Atividades administrativas e serviços complementares ,3% Administração pública, defesa e seguridade social ,5% Educação ,2% Saúde humana e serviços sociais ,7% Demais seções ,4% Total ,8% (1) Exclui a divisão 62 e o grupo 63.1 que constituem a IBSS; (2) Dados parciais para o Estado de Rondônia; (3) Inclui as seguintes seções da CNAE, versão 2.0: A - Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura`; B - Indústrias extrativas`; I - Alojamento e alimentação`; R - Artes, cultura, esporte e recreação`; S - Outras atividades de serviços` (exclui classe 9511, incluída na IBSS); T - Serviços domésticos`; e U - Organismos internacionais e outras instituições extraterritoriais`. Fonte: Observatório SOFTEX, a partir de dados da RAIS/MTE, Software e Serviços de TI: A Indústria Brasileira em Perspectiva :..::.

6 Parte 2.:..:::.. Software e Serviços de TI como Atividade Secundária de Empresas - NIBSS Na Tabela 5.2, apresenta-se o ranking com as trinta maiores concentrações de PROFSSs no total de vínculos empregatícios de empresas de diferentes portes e divisões da CNAE 2.0, para o ano de Nesse ano, a maior concentração desses profissionais em relação ao total de empregados em empresas com a mesma atividade e porte ocorreu nas Atividades auxiliares dos serviços financeiros, seguros, previdência complementar e planos de saúde`, entre empresas com ou mais vínculos empregatícios ativos. Nessas empresas, em média, do total de empregados, 39,9% eram PROFSSs. Para o conjunto das trinta principais, os percentuais obtidos para a relação PROFSS/ Total_VE, em 2010, variaram entre 39,9% e 6,4%. Ambos os valores são superiores aos encontrados para o conjunto dos trinta maiores percentuais verificados para a relação das 30+, em 2005: 20,6% e 5,8% 1. Isso significa que, pelo menos no que diz respeito ao grupo das trinta subdivisões com maior vocação para atividades de software e serviços de TI, parece ter ocorrido um grau maior de informatização in house. Tabela Ranking das trinta divisões da CNAE 2.0 com melhor relação entre PROFSSs e total de empregados, considerando porte das empresas Brasil, 2010 Posição Divisão CNAE 2.0 Porte (em VE) PROFSSs/VE 1 Atividades auxiliares dos serviços financeiros, seguros, previdência complementar e planos de saúde ou mais 39,9% 2 Atividades ligadas ao patrimônio cultural e ambiental De 500 a ,6% 3 Telecomunicações De 100 a ,9% 4 Telecomunicações De 250 a ,4% 5 Telecomunicações De 50 a 99 21,5% 6 Telecomunicações De 500 a ,7% 7 Telecomunicações Até 4 18,3% 8 Telecomunicações De 5 a 9 17,4% 9 Telecomunicações ou mais 16,8% 10 Telecomunicações De 20 a 49 16,4% 11 Atividades ligadas ao patrimônio cultural e ambiental De 250 a ,5% 12 Organismos internacionais e outras instituições extraterritoriais De 250 a ,2% 13 Telecomunicações De 10 a 19 13,2% 14 Atividades de sedes de empresas e de consultoria em gestão empresarial ou mais 12,9% 15 Aluguéis não imobiliários e gestão de ativos intangíveis não fi nanceiros ou mais 12,5% 16 Pesquisa e desenvolvimento científico De 500 a ,1% 17 Correio e outras atividades de entrega ou mais 10,8% 18 Seguros, resseguros, previdência complementar e planos de saúde ou mais 9,7% 19 Atividades de serviços financeiros ou mais 9,6% 20 Comércio por atacado, exceto veículos automotores e motocicletas ou mais 9,2% 21 Atividades auxiliares dos serviços financeiros, seguros, previdência complementar e planos de saúde De 250 a 499 8,8% 22 Pesquisa e desenvolvimento científico De 50 a 99 8,0% 23 Pesquisa e desenvolvimento científico De 250 a 499 7,7% 24 Outras atividades profissionais, científicas e técnicas De 250 a 499 7,7% 25 Seguros, resseguros, previdência complementar e planos de saúde De 250 a 499 7,5% 26 Pesquisa e desenvolvimento científico ou mais 7,5% 27 Impressão e reprodução de gravações De 500 a 999 6,9% 28 Atividades de sedes de empresas e de consultoria em gestão empresarial De 250 a 499 6,8% 29 Atividades de sedes de empresas e de consultoria em gestão empresarial De 20 a 49 6,6% 30 Atividades de rádio e de televisão De 500 a 999 6,4% Fonte: Observatório SOFTEX, a partir de dados da RAIS/MTE, ::..: Software e Serviços de TI: A Indústria Brasileira em Perspectiva 139

7 Capítulo 5.::.:.: Caracterização das Atividades de Software e Serviços de TI Realizadas na NIBSS Na Figura 5.5, considerando-se exclusivamente empresas da NIBSS, as diversas atividades econômicas (divisões da CNAE 2.0) foram distribuídas em quadrantes tendo como base a participação dos PROFSSs no total de vínculos empregatícios. Utilizou-se quartil para a criação dos quadrantes, com as participações referindo-se ao percentual encontrado em cada atividade econômica, para o ano de No Quadrante 1, encontram-se as atividades econômicas que, no ano mencionado, foram incluídas no quartil inferior, ou seja, apresentaram os ¼ mais baixos percentuais da amostra ordenada (valor até 0,35%). No Quadrante 2, estão as atividades econômicas com grau de informatização relativamente baixo, com percentuais variando de 0,40% a 0,81% (>1/4 e Q2/4 da amostra ordenada). No 3, as atividades com grau médio de informatização, com valor para PROFSS/Total_VE, variando entre 0,87% e 1,57% (> Q2/4 e Q3/4 da amostra ordenada). Finalmente, no Quadrante 4, encontram-se as atividades com os maiores percentuais de PROFSS/Total_VE encontrados na amostra (Q > ¾ da amostra ordenada). Nesse caso, em 2010, os valores variaram de 1,61% a 18,45%. Em 2010, em comparação com 2005, verifica-se aumento nos percentuais de corte máximo e mínimo de todos os quadrantes. No entanto, o comportamento de cada atividade econômica, no que diz respeito ao valor de PROFSS/Total_VE variou no período. Para algumas, o número dos PROFSSs cresceu de modo significativo em relação ao aumento do total de vínculos. Para outras, houve queda na participação dos PROFSSs. Estudos adicionais serão necessários para se compreender o que ocorreu em cada caso. 140 Software e Serviços de TI: A Indústria Brasileira em Perspectiva :..::.

8 Parte 2.:..:::.. Software e Serviços de TI como Atividade Secundária de Empresas - NIBSS Figura Grau de informatização (PROFSS/Total VE) de empresas da NIBSS, considerando divisão da CNAE 2.0 Brasil, Muito Baixo Serviços domésticos - 0,02% Produção fl orestal - 0,08% Agricultura, pecuária e serviços relacionados - 0,09% Alimentação - 0,09% Pesca e aquicultura - 0,11% Coleta, tratamento e disposição de resíduos; recuperação de materiais - 0,12% Fabricação de produtos de madeira - 0,15% Atividades veterinárias - 0,16% Preparação de couros e fabricação de artefatos de couro, artigos para viagem e calçados - 0,16% Construção de edifícios - 0,19% Alojamento - 0,21% Fabricação de móveis - 0,23% Fabricação de produtos de minerais não metálicos - 0,23% Descontaminação e outros serviços de gestão de resíduos - 0,24% Confecção de artigos do vestuário e acessórios - 0,24% Esgoto e atividades relacionadas - 0,24% Outras atividades de serviços pessoais - 0,26% Atividades de atenção à saúde humana integradas com assistência social, prestadas em residências coletivas e particulares - 0,27% Extração de carvão mineral - 0,28% Transporte terrestre - 0,31% Fabricação de produtos alimentícios - 0,31% Extração de minerais não metálicos - 0,35% 2. Baixo Fabricação de produtos têxteis - 0,40% Comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas - 0,43% Fabricação de produtos de borracha e de material plástico - 0,43% Atividades esportivas e de recreação e lazer - 0,45% Atividades de vigilância, segurança e investigação - 0,46% Administração pública, defesa e seguridade social - 0,47% Serviços especializados para construção - 0,49% Fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos - 0,50% Fabricação de bebidas - 0,51% Transporte aquaviário - 0,52% Transporte aéreo - 0,54% Extração de minerais metálicos - 0,56% Fabricação de produtos diversos - 0,57% Serviços para edifícios e atividades paisagísticas - 0,59% Fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias - 0,61% Atividades de atenção à saúde humana - 0,67% Fabricação de outros equipamentos de transporte, exceto veículos automotores - 0,71% Comércio varejista - 0,72% Fabricação de celulose, papel e produtos de papel - 0,75% Atividades imobiliárias - 0,80% Metalurgia - 0,81% 3. Médio Fabricação de produtos químicos - 0,87% Fabricação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos - 0,91% Fabricação de máquinas e equipamentos - 0,97% Agências de viagens, operadores turísticos e serviços de reservas - 1,04% Captação, tratamento e distribuição de água - 1,05% Manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos - 1,07% Fabricação de produtos farmoquímicos e farmacêuticos - 1,08% Atividades de apoio à extração de minerais - 1,11% Armazenamento e atividades auxiliares dos transportes - 1,15% Atividades artísticas, criativas e de espetáculos - 1,18% Serviços de assistência social sem alojamento - 1,18% Atividades de organizações associativas - 1,18% Atividades jurídicas, de contabilidade e de auditoria - 1,22% Educação - 1,25% Comércio por atacado, exceto veículos automotores e motocicletas - 1,34% Obras de infraestrutura - 1,35% Fabricação de produtos do fumo - 1,36% Atividades cinematográficas, produção de vídeos e de programas de televisão; gravação de som e edição de música - 1,46% Correio e outras atividades de entrega - 1,47% Aluguéis não imobiliários e gestão de ativos intangíveis não fi nanceiros - 1,47% Fabricação de coque, de produtos derivados do petróleo e de biocombustíveis - 1,50% 4. Alto Organismos internacionais e outras instituições extraterritoriais - 1,61% Seleção, agenciamento e locação de mão de obra - 1,62% Atividades de exploração de jogos de azar e apostas - 1,74% Serviços de arquitetura e engenharia; testes e análises técnicas - 1,90% Eletricidade, gás e outras utilidades - 1,99% Outras atividades profissionais, científicas e técnicas - 2,09% Impressão e reprodução de gravações - 2,24% Serviços de escritório, de apoio administrativo e outros serviços prestados principalmente às empresas - 2,27% Extração de petróleo e gás natural - 2,69% Atividades de serviços financeiros - 2,71% Fabricação de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos - 2,74% Atividades de rádio e de televisão - 2,90% Atividades auxiliares dos serviços financeiros, seguros, previdência complementar e planos de saúde - 3,05% Edição e edição integrada à impressão - 3,17% Publicidade e pesquisa de mercado - 3,21% Seguros, resseguros, previdência complementar e planos de saúde - 4,96% Atividades de prestação de serviços de informação (exceto grupo 63.1) - 5,19% Atividades de sedes de empresas e de consultoria em gestão empresarial - 6,76% Pesquisa e desenvolvimento científico - 7,41% Atividades ligadas ao patrimônio cultural e ambiental - 7,86% Telecomunicações - 18,45% Fonte: Observatório SOFTEX, a partir de dados da RAIS/MTE, ::..: Software e Serviços de TI: A Indústria Brasileira em Perspectiva 141

9 Capítulo 5.::.:.: Caracterização das Atividades de Software e Serviços de TI Realizadas na NIBSS VRProfssTotal Na Figura 5.6, apresenta-se a evolução do VRProfssTotal da NIBSS para o período 2003 a 2008, que cresceu, na média do período, 3,6% a.a. Considerando esta evolução, calcula-se que, em 2010, o VRProfssTotal foi de R$ 40,7 bilhões e, em 2012, R$ 43,7 bilhões. O VRProfssTotal busca estimar quanto as atividades de software e serviços de TI realizadas por PROFSSs empregados na NIBSS poderiam gerar em receita adicional para a IBSS, caso essas atividades fossem terceirizadas. Figura Valor referente às atividades de software e serviços de TI realizadas por PROFSSs (VRProfssTotal) empregados na NIBSS Brasil, período , estimativa período Em mil R$, valores defl acionados pelo IGP-DI, ano-base Dados apurados Dados estimados Tx. Méd. Cr. VRProfssTotal (período 2003 a 2008): 3,6% a.a. Estimativa para o período 2009 a 2012: 3,6% a.a. Fonte: Observatório SOFTEX, a partir de dados da RAIS/MTE. No período 2003 a 2008, cresceu, sobretudo, o VRProfssTotal referente às atividades dos PROFSSs com ocupação do tipo NG (Nível Gerencial): 6,8% a.a., o que ampliou a sua participação no total (Tabela 5.3). A categoria inclui os diretores de serviços de informática e os gerentes de tecnologia da informação. O crescimento do VRProfssTotal referente à categoria de ocupações do tipo NS (Nível Superior) engenheiros em computação; administradores de redes, sistemas e bancos de dados; e analistas de sistemas computacionais foi de 6,6% a.a. Desde 2007, a categoria é responsável por mais da metade do VRProfssTotal estimado para a NIBSS. Houve queda média de 1,0% a.a. no VRProfssTotal de profissionais com ocupações do tipo NT (Nível Técnico). A categoria inclui técnicos de desenvolvimento de sistemas e aplicações; técnicos em operação e monitoração de computadores; técnicos em telecomunicações; operadores de redes de teleprocessamento e afins; e operadores de equipamentos de entrada e transmissão de dados. O aumento da participação dos profissionais NS e NG no VRProfssTotal é resultado da mudança de composição do perfil de profissionais de TI ocupados nas empresas da NIBSS. É de se supor que a NIBSS esteja terceirizando, sobretudo, as atividades de menor valor agregado, compondo a sua equipe interna de um percentual maior de profissionais com competências para análise de necessidades e levantamento de requisitos, visando à aquisição de produtos e/ou a especificação de serviços a serem desenvolvidos ou realizados por empresas da IBSS. 142 Software e Serviços de TI: A Indústria Brasileira em Perspectiva :..::.

10 Parte 2.:..:::.. Software e Serviços de TI como Atividade Secundária de Empresas - NIBSS Tabela Valor referente às atividades de software e serviços de TI realizadas por PROFSSs (VRProfssTotal) empregados na NIBSS, considerando perfil ocupacional Brasil, período Em mil R$, valores defl acionados pelo IGP-DI, ano-base 2010 Perfil ocupacional Nível Gerencial (NG) Nível Superior (NS) Nível Técnico (NT) Total Fonte: Observatório SOFTEX, a partir de dados da RAIS/MTE, anos diversos ,6% 11,6% 12,5% 13,1% 11,4% 12,4% ,3% 49,2% 49,2% 50,0% 53,5% 53,4% ,1% 39,2% 38,3% 36,9% 35,1% 34,2% ,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Tx. Méd. Cr. VRProfssTotal NG: 6,8% a.a. NS: 6,6% a.a. NT: -1,0% a.a. Distribuição Geográfica dos PROFSSs e do VRProfssTotal Os PROFSSs empregados nos NESS (estabelecimentos da NIBSS que mantêm atividades em software e serviços de TI), concentram-se, de modo significativo, na Região Sudeste. Em 2010, essa região foi responsável pelos postos de trabalho de 58,9% destes profissionais nos NESS (Figura 5.7). Para o mesmo ano, a concentração do VRProfssTotal na região Sudeste foi ainda superior: 64,2%, indicando que as atividades de software e serviços de TI realizadas nesta região são mais intensivas em conhecimento e geram maior valor agregado. De fato, em contraste com as demais regiões, a Sudeste foi a que apresentou a maior participação de PROFSSs dos tipos NS e NG sobre o total, 43,8% e 5,5%, respectivamente. Norte e Nordeste apresentaram as menores taxas de participação de PROFSSs empregados nos NESS em ocupações NS e NG (24,1% e 23,9%, respectivamente), indicando maior vocação destas regiões para atividades de software e serviços de TI menos intensivas em conhecimento..::..: Software e Serviços de TI: A Indústria Brasileira em Perspectiva 143

11 Capítulo 5.::.:.: Caracterização das Atividades de Software e Serviços de TI Realizadas na NIBSS Figura Distribuição de PROFSSs na NIBSS e do VRProfssTotal estimado, considerando Região Brasil, 2010 Em mil R$, valores de Total Brasil 2010 VRProfssTotal (estimado): R$ 40,7 bilhões N. PROFSSs: Distribuição PROFSSs na NIBSS por Região Sudeste 58,9% Sul 13,8% Norte 4,5% Nordeste 15,5% Centro-Oeste 7,3% Norte VRProfssTotal: R$ N. PROFSSs: NG: 553 (3,3%) NS: (20,8%) NT: (75,9%) Distribuição do VRProfssTotal da NIBSS por Região Sudeste 64,2% Sul 13,9% Norte 3,4% Nordeste 11,7% Centro-Oeste 6,9% Fonte: Observatório SOFTEX, a partir de dados da RAIS/MTE, anos diversos. Centro-Oeste VRProfssTotal: R$ N. PROFSSs: NG: 945 (3,6%) NS: (36,7%) NT: (59,7%) Sul VRProfssTotal: R$ N. PROFSSs: NG: (4,7%) NS: (35,9%) NT: (59,4%) Nordeste VRProfssTotal: R$ N. PROFSSs: NG: (3,5%) NS: (20,4%) NT: (76,1%) Sudeste VRProfssTotal: R$ N. PROFSSs: NG: (5,5%) NS: (43,8%) NT: (50,8%) 1) ver Observatório SOFTEX, A Força de Trabalho em Atividades de Software e Serviços de TI na NIBSS`. Software e Serviços de TI: A Indústria Brasileira em Perspectiva, Capítulo 8, Vol. 1, 2009, SOFTEX 144 Software e Serviços de TI: A Indústria Brasileira em Perspectiva :..::.

12 Parte 2.:..:::.. Software e Serviços de TI como Atividade Secundária de Empresas - NIBSS.::..: Software e Serviços de TI: A Indústria Brasileira em Perspectiva 145

Conceitos. Empreendedor M E T O D O L O G I A. Atividade Empreendedora. Empreendedorismo. * Fonte: OCDE

Conceitos. Empreendedor M E T O D O L O G I A. Atividade Empreendedora. Empreendedorismo. * Fonte: OCDE METODOLOGIA M E T O D O L O G I A Conceitos Empreendedor Atividade Empreendedora Empreendedorismo * Fonte: OCDE M E T O D O L O G I A Conceitos Empreendedor Indivíduo que tenciona gerar valor através da

Leia mais

Desoneração da Folha de Pagamento Estimativa de Renúncia e Metodologia de Cálculo.

Desoneração da Folha de Pagamento Estimativa de Renúncia e Metodologia de Cálculo. SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Carlos Alberto Freitas Barreto CHEFE DO CENTRO DE ESTUDOS TRIBUTÁRIOS E ADUANEIROS Claudemir Rodrigues Malaquias COORDENADOR DE PREVISÃO E ANÁLISE Raimundo Eloi

Leia mais

Unidade de Gestão Estratégica. Perfil Socioeconômico. Regional Centro

Unidade de Gestão Estratégica. Perfil Socioeconômico. Regional Centro Unidade de Gestão Estratégica Perfil Socioeconômico Regional Centro Sebrae em Conselho Deliberativo Pedro Alves de Oliveira Presidente Diretoria Executiva Igor Montenegro Diretor Superintendente Wanderson

Leia mais

Análise dos resultados Panorama geral

Análise dos resultados Panorama geral Análise dos resultados Panorama geral Durante o período de 2005 a 2008, o Produto Interno Bruto - PIB brasileiro passou de cerca de R$ 2,2 trilhões para R$ 3,0 trilhões, a valores correntes, com uma taxa

Leia mais

PERFIL DAS EMPRESAS APOIADAS PELO PROGRAMA DE SUBVENÇÃO ECONÔMICA 2006 A 2009

PERFIL DAS EMPRESAS APOIADAS PELO PROGRAMA DE SUBVENÇÃO ECONÔMICA 2006 A 2009 2011 Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) Diretoria de Inovação (DRIN) Departamento de Acompanhamento (DAC) PERFIL DAS EMPRESAS APOIADAS PELO PROGRAMA DE SUBVENÇÃO ECONÔMICA 2006 A 2009 Janeiro/2011

Leia mais

ANEXO 1 COMPOSIÇÃO DAS SEÇÕES DE ATIVIDADE DA CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS DOMICILIAR 2.0 - CNAE- DOMICILIAR 2.

ANEXO 1 COMPOSIÇÃO DAS SEÇÕES DE ATIVIDADE DA CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS DOMICILIAR 2.0 - CNAE- DOMICILIAR 2. ANEXO 1 COMPOSIÇÃO DAS SEÇÕES DE ATIVIDADE DA CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS DOMICILIAR 2.0 - CNAE- DOMICILIAR 2.0 AGRICULTURA, PECUÁRIA, PRODUÇÃO FLORESTAL, PESCA E AQUICULTURA AGRICULTURA,

Leia mais

AS MELHORES OPORTUNIDADES DE EMPREGO NO SETOR DE SERVIÇOS

AS MELHORES OPORTUNIDADES DE EMPREGO NO SETOR DE SERVIÇOS AS MELHORES OPORTUNIDADES DE EMPREGO NO SETOR DE SERVIÇOS O setor de serviços é, tradicionalmente, a principal porta de entrada no mercado de trabalho. Responsável por aproximadamente 60% do produto interno

Leia mais

Perfil Econômico Municipal

Perfil Econômico Municipal indústria Extração de carvão mineral Extração de petróleo e gás natural Extração de minerais metálicos Extração de minerais não-metálicos Fabricação de alimentos e bebidas Fabricação de produtos do fumo

Leia mais

Inovações organizacionais e de marketing

Inovações organizacionais e de marketing e de marketing Pesquisa de Inovação 2011 Tabela 1.1.22 -, total e as que não implementaram produto ou processo e sem projetos, com indicação das inovações e gás - Brasil - período 2009-2011 (continua)

Leia mais

Diretoria de Pesquisa. Serviços 25/08/2010

Diretoria de Pesquisa. Serviços 25/08/2010 Diretoria de Pesquisa Coordenação de Serviços e Comércio Pesquisa Anual de Serviços PAS 2008 25/08/2010 Objetivos da PAS 1 - Reunir um conjunto de informações econômicofinanceiras que permitam estimar

Leia mais

Tabelas anexas Capítulo 7

Tabelas anexas Capítulo 7 Tabelas anexas Capítulo 7 Tabela anexa 7.1 Indicadores selecionados de inovação tecnológica, segundo setores das indústrias extrativa e de transformação e setores de serviços selecionados e Estado de São

Leia mais

Censo 2012 de Capitais. Estrangeiros no País. Perguntas mais frequentes

Censo 2012 de Capitais. Estrangeiros no País. Perguntas mais frequentes Censo 2012 de Capitais Estrangeiros no País Perguntas mais frequentes 2 3 Índice 1 Quem deve declarar?... 6 1.1 A Circular nº 3.602 de 25 de junho de 2012, em seu artigo 2º, define quem está obrigado a

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL Campinas 2 o trimestre de 2015 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de São Paulo,

Leia mais

Atividades de software e serviços de TI em território brasileiro. I CIBSS, Itupeva, outubro 2012

Atividades de software e serviços de TI em território brasileiro. I CIBSS, Itupeva, outubro 2012 Atividades de software e serviços de TI em território brasileiro I CIBSS, Itupeva, outubro 2012 Serviços de informática no contexto TIC Serviços de informática Setor TI Setor TIC Software Serviços TI Hardware

Leia mais

Diretoria de Pesquisa Coordenação de Serviços e Comércio. Pesquisa Anual de Serviços PAS 2009 25/08/2011

Diretoria de Pesquisa Coordenação de Serviços e Comércio. Pesquisa Anual de Serviços PAS 2009 25/08/2011 Diretoria de Pesquisa Coordenação de Serviços e Comércio Pesquisa Anual de Serviços PAS 2009 25/08/2011 Objetivos da PAS 1 - Reunir um conjunto de informações econômicofinanceiras que permitam estimar

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL São Paulo 2 o trimestre de 2015 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de São

Leia mais

LAJES PINTADAS 1 DADOS GERAIS 2 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS

LAJES PINTADAS 1 DADOS GERAIS 2 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS 1 DADOS GERAIS - Data de emancipação: 31/12/1958 - Distância da capital: 128 km - Área: 130 Km 2 - Localização Mesorregião: Agreste Potiguar Microrregião: Borborema Potiguar - População: 4.217 (IBGE/2007)

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL Sorocaba 3 o trimestre de 2014 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de São Paulo,

Leia mais

A Matriz Input-Output para a Região Alentejo: uma aproximação ao seu primeiro quadrante

A Matriz Input-Output para a Região Alentejo: uma aproximação ao seu primeiro quadrante A Matriz Input-Output para a Região Alentejo: uma aproximação ao seu primeiro quadrante Elsa Cristina Vaz 1, José Belbute 2, António Caleiro 3, Gertrudes Saúde Guerreiro 4, Ana Eduardo 5 1 elsavaz@uevora.pt,

Leia mais

Software e Servicos de TI

Software e Servicos de TI Número 1 Volume 1 Observatório SOFTEX Software e Servicos de TI A Indústria Brasileira em Perspectiva RESUMO EXECUTIVO RESUMO EXECUTIVO Software e Serviços de TI: A Indústria Brasileira em Perspectiva

Leia mais

NOTA TÉCNICA TERCEIRIZAÇÃO

NOTA TÉCNICA TERCEIRIZAÇÃO NOTA TÉCNICA TERCEIRIZAÇÃO Abril de 2015 1 Sumário Executivo O trabalho utiliza a mesma base de dados e metodologia que o elaborado pela CUT/DIEESE, ou seja, agregações de setores terceirizados e contratantes

Leia mais

II Seminário sobre o SCN - Brasil Referência 2010. Base 2010

II Seminário sobre o SCN - Brasil Referência 2010. Base 2010 II Seminário sobre o SCN - Brasil Referência 2010 Base 2010 Coordenação de Contas Nacionais (São Paulo, 19 de junho de 2013) 1 MUDANÇA DE BASE Por que uma mudança na série? Atualização de pesos não faz

Leia mais

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais.

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Maio/2014 OBJETIVO Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Permitir ainda, uma análise comparativa da evolução

Leia mais

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005 Total... 147 358 6 443 364 1 255 903 923 1 233 256 750 157 359 927 105 804 733 1 192 717 909 681 401 937 511 315 972 C Indústrias extrativas... 3 019 126 018 38 315 470 32 463 760 4 145 236 2 657 977 35

Leia mais

Cursos Técnicos Profissionalizantes de Nível Médio para a Área de Informática

Cursos Técnicos Profissionalizantes de Nível Médio para a Área de Informática CAPÍTULO 9 Cursos Técnicos Profissionalizantes de Nível Médio para a Área de Informática Apresentação Com base em metodologia desenvolvida pelo Observatório SOFTEX, busca-se conhecer o Sistema de Educação

Leia mais

Comentários gerais. desta publicação. 5 O âmbito de atividades da pesquisa está descrito com maior detalhamento nas Notas técnicas

Comentários gerais. desta publicação. 5 O âmbito de atividades da pesquisa está descrito com maior detalhamento nas Notas técnicas Comentários gerais Pesquisa Anual de Comércio - PAC investiga a estrutura produtiva do A segmento empresarial do comércio brasileiro, sendo os resultados referentes a 2012 divulgados neste volume. A pesquisa

Leia mais

Por que boa parte dos graduados em TI não atende à demanda das empresas por profissionais? CIBSS 2012 Itupeva, 25/10/2012 As faces da escassez I Foco: QUANTIDADE. Solução: formar mais gente. Questão: Podemos

Leia mais

A presença feminina no mercado de trabalho na Região Metropolitana de São Paulo 2014

A presença feminina no mercado de trabalho na Região Metropolitana de São Paulo 2014 A INSERÇÃO DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Março de 2015 A presença feminina no mercado de trabalho na Região Metropolitana de São Paulo 2014 Em 2014, a presença de

Leia mais

Capital Humano como um Indicador de Avanços no Governo Eletrônico V Taller Regional para Medição da Sociedade do Conhecimento

Capital Humano como um Indicador de Avanços no Governo Eletrônico V Taller Regional para Medição da Sociedade do Conhecimento Capital Humano como um Indicador de Avanços no Governo Eletrônico V Taller Regional para Medição da Sociedade do Conhecimento 06 a 08 de abril de 2009 Virgínia Duarte Objetivo - Observatório Conceber e

Leia mais

Pesquisa Anual de Serviços

Pesquisa Anual de Serviços 1 Pesquisa Anual de Serviços Perguntas e Respostas Qual o destaque da pesquisa? O setor movimentou R$ 1,1 trilhão em receita operacional líquida i, respondeu por 11 993 942 mil pessoas ocupadas e pagou

Leia mais

Relatório de 2014Economia Bancária e Crédito

Relatório de 2014Economia Bancária e Crédito Relatório de 2014 Relatório de 2014 Relatório de Publicação anual do Banco Central do Brasil (BCB) Os textos e os correspondentes quadros estatísti cos são de responsabilidade dos seguintes componentes:

Leia mais

Pesquisa Impactos da Escassez de Água. Gerência de Pesquisas Divisão de Pesquisas Novembro 2014

Pesquisa Impactos da Escassez de Água. Gerência de Pesquisas Divisão de Pesquisas Novembro 2014 Pesquisa Impactos da Escassez de Água Gerência de Pesquisas Divisão de Pesquisas Novembro 2014 Perfil Foram ouvidas 487 empresas localizadas no Estado do Rio de Janeiro A maioria é de pequeno porte (76,8%);

Leia mais

Participação das Micro e Pequenas Empresas na Economia Brasileira

Participação das Micro e Pequenas Empresas na Economia Brasileira Participação das Micro e Pequenas Empresas na Economia Brasileira Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Unidade de Gestão Estratégica UGE Participação das Micro e Pequenas Empresas

Leia mais

Sistema PED. Divulgação dos dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego PED segundo a Classificação CNAE domiciliar versão 2.0.

Sistema PED. Divulgação dos dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego PED segundo a Classificação CNAE domiciliar versão 2.0. Sistema PED Maio 2012 Divulgação dos dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego PED segundo a Classificação CNAE domiciliar versão 2.0 SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL Governador do

Leia mais

Software e Serviços de TI:

Software e Serviços de TI: Software e Serviços de TI: a indústria brasileira em perspectiva Volume 2, 2012 Fumsoft, BH, 31/07/2012 Sumário Sobre a SOFTEX Indústria Brasileira de Software e Serviços de TI (IBSS) Software e Serviços

Leia mais

Oficina de Trabalho do Plano Brasil Maior no Paraná. Laura Gandolfo Analista de Comércio Exterior. Curitiba, 9 de abril de 2014

Oficina de Trabalho do Plano Brasil Maior no Paraná. Laura Gandolfo Analista de Comércio Exterior. Curitiba, 9 de abril de 2014 Oficina de Trabalho do Plano Brasil Maior no Paraná Laura Gandolfo Analista de Comércio Exterior Curitiba, 9 de abril de 2014 O que é a RENAI? Rede Nacional de Informações sobre o Investimento Coordenação:

Leia mais

Mercado de Trabalho nas Regiões Metropolitanas em 2015

Mercado de Trabalho nas Regiões Metropolitanas em 2015 Mercado de Trabalho nas Regiões Metropolitanas em 2015 As informações captadas pela Pesquisa de Emprego e Desemprego mostram que a taxa de desemprego cresceu nas regiões metropolitanas pesquisadas. O DIEESE

Leia mais

MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE

MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA JUNHO DE 2014 Redução da taxa de desemprego Ano 20 - Número 6 1. A Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED),

Leia mais

Fabricação de artigos do vestuário, produzidos em malharias e tricotagens, exceto meias

Fabricação de artigos do vestuário, produzidos em malharias e tricotagens, exceto meias CNAE Grupo CNAE Descrição CNAE Grau de risco 4.-8 4 Confecção de roupas íntimas 4.-6 4 Confecção de peças do vestuário, exceto roupas íntimas 4.3-4 4 Confecção de roupas profissionais 4.4-4 Fabricação

Leia mais

ANEXO I - Obrigatoriedade da NFS-e a partir de 01/09/2009 CÓDIGO DE ATIVIDADE CNAE 2.0

ANEXO I - Obrigatoriedade da NFS-e a partir de 01/09/2009 CÓDIGO DE ATIVIDADE CNAE 2.0 ANEXO I - Obrigatoriedade da NFS-e a partir de 01/09/2009 CÓDIGO DE ATIVIDADE CNAE 2.0 Código Descrição 1830-0/03-00 REPRODUCAO DE SOFTWARE EM QUALQUER SUPORTE 6190-6/01-00 PROVEDORES DE ACESSO AS REDES

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014. Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014. Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JANEIRO Exportações Apesar do bom crescimento de Produtos Alimentícios e Máquinas e Equipamentos,

Leia mais

Arrefecimento do mercado de trabalho penalizou mais as mulheres

Arrefecimento do mercado de trabalho penalizou mais as mulheres A INSERÇÃO DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA MARÇO - 2014 Arrefecimento do mercado de trabalho penalizou mais as mulheres O mercado de trabalho metropolitano de Fortaleza,

Leia mais

Unidade de Gestão Estratégica. Perfil Socioeconômico. Regional Noroeste

Unidade de Gestão Estratégica. Perfil Socioeconômico. Regional Noroeste Unidade de Gestão Estratégica Perfil Socioeconômico Regional Noroeste Sebrae em Goiás Conselho Deliberativo Pedro Alves de Oliveira Presidente Diretoria Executiva Igor Montenegro Diretor Superintendente

Leia mais

63 ESPECIAL SONDAGEM

63 ESPECIAL SONDAGEM Indicadores CNI SONDAGEM 63 ESPECIAL Tributação Indústria reprova sistema tributário brasileiro Número elevado de tributos, complexidade e instabilidade de regras lideram as avaliações negativas A tributação

Leia mais

Taxa de desemprego se eleva

Taxa de desemprego se eleva MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO DO ABC 1 Taxa de desemprego se eleva 1. As informações da Pesquisa de Emprego e Desemprego - PED, realizada pela Fundação Seade e pelo Dieese, em parceria com o Consórcio

Leia mais

DIRETORIA DE PESQUISAS - DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC. Nova Série do Produto Interno Bruto dos Municípios referência 2002

DIRETORIA DE PESQUISAS - DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC. Nova Série do Produto Interno Bruto dos Municípios referência 2002 DIRETORIA DE PESQUISAS - DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC Nova Série do Produto Interno Bruto dos Municípios referência 2002 (versão para informação e comentários) Versão 1 Apresentação O Instituto

Leia mais

CONTAS REGIONAIS DO AMAZONAS 2009 PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DO AMAZONAS

CONTAS REGIONAIS DO AMAZONAS 2009 PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DO AMAZONAS CONTAS REGIONAIS DO AMAZONAS 2009 PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DO AMAZONAS APRESENTAÇÃO A Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico SEPLAN em parceria com a SUFRAMA e sob a coordenação

Leia mais

PIB DO ESTADO DE SÃO PAULO 2005

PIB DO ESTADO DE SÃO PAULO 2005 PIB DO ESTADO DE SÃO PAULO 2005 A Fundação Seade, em parceria com o IBGE, divulga os resultados do PIB do Estado de São Paulo, em 2005. Simultaneamente, os órgãos de estatística das demais Unidades da

Leia mais

RAIS Relação Anual de Informações Sociais do segmento da Arquitetura e Engenharia no ano de 2008

RAIS Relação Anual de Informações Sociais do segmento da Arquitetura e Engenharia no ano de 2008 RAIS Relação Anual de Informações Sociais do segmento da Arquitetura e Engenharia no ano de 2008 São Paulo 2009 Conteúdo 1. ESTOQUE DE PESSOAS NACIONAL COM BASE NA RAIS RELAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOCIAIS DO

Leia mais

ESTABELECIMENTOS NO MUNICÍPIO DE PIRACICABA POR SUBSETOR DO COMÉRCIO VAREJISTA - 2000

ESTABELECIMENTOS NO MUNICÍPIO DE PIRACICABA POR SUBSETOR DO COMÉRCIO VAREJISTA - 2000 ESTABELECIMENTOS NO MUNICÍPIO DE PIRACICABA POR SUBSETOR DO COMÉRCIO VAREJISTA - 2000 Comércio Varejista 2000 Comércio a Varejo e por Atacado de VeículosAutomotores 50 Manutenção e Reparação de VeículosAutomotores

Leia mais

O Desemprego manteve relativa estabilidade em quatro regiões

O Desemprego manteve relativa estabilidade em quatro regiões O Desemprego manteve relativa estabilidade em quatro regiões NOVEMBRO DE 2015 As informações captadas pela Pesquisa de Emprego e Desemprego revelam que a taxa de desemprego permaneceu relativamente estável

Leia mais

CATEGORIAS E GRUPOS PARA ENQUADRAMENTO IMPORTANTE. 1.- Para cada x assinalado, enviar no mínimo 02 (dois) atestados de cada categoria;

CATEGORIAS E GRUPOS PARA ENQUADRAMENTO IMPORTANTE. 1.- Para cada x assinalado, enviar no mínimo 02 (dois) atestados de cada categoria; CATEGORIAS E PARA ENQUADRAMENTO IMPORTANTE 1.- Para cada x assinalado, enviar no mínimo 02 (dois) atestados de cada categoria; 2.- Os atestados deverão: 2.1.- Ser apresentados rigorosamente de acordo com

Leia mais

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul Comportamento do emprego formal na Indústria em Mato Grosso do Sul O emprego formal na Indústria sul-mato-grossense encerrou mais um mês com redução liquida de postos de trabalho. Em maio, o conjunto das

Leia mais

Mensal. Produto Interno Bruto. Produto Interno Bruto. Mensal. Metodologia

Mensal. Produto Interno Bruto. Produto Interno Bruto. Mensal. Metodologia Metodologia 1 SEADE Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados Considerações gerais O PIB mensal é um índice de acompanhamento da economia paulista e tem como propósito principal oferecer uma visão

Leia mais

NOVAS ESTIMATIVAS DO MODELO DE GERAÇÃO DE EMPREGOS DO BNDES* Sheila Najberg** Roberto de Oliveira Pereira*** 1- Introdução

NOVAS ESTIMATIVAS DO MODELO DE GERAÇÃO DE EMPREGOS DO BNDES* Sheila Najberg** Roberto de Oliveira Pereira*** 1- Introdução NOVAS ESTIMATIVAS DO MODELO DE GERAÇÃO DE EMPREGOS DO BNDES* Sheila Najberg** Roberto de Oliveira Pereira*** 1- Introdução O Modelo de Geração de Empregos do BNDES 1 (MGE) estima o número de postos de

Leia mais

(PROGRAMA LEONARDO DA VINCI)

(PROGRAMA LEONARDO DA VINCI) ANGLIA UNIVERSITY PROGRAMA LEONARDO DA VINCI GROUP ESC PAU GROUP ESC TOULOUSE PRIORIDADES PARA EL DESARROLLO DIRECTIVO INSTITUTO SUPERIOR SUPERIOR DE GESTAO MIDDLESEX UNIVERSITY INSTITUTO DE EMPRESA UNIÓN

Leia mais

Os efeitos da valorização do real na indústria brasileira

Os efeitos da valorização do real na indústria brasileira Os efeitos da valorização do real na indústria brasileira !"#"#!$%&"'()* * " + # (, " - --.&"- "/"& 0+- &#"./" - "0 - () " 1 # 2- (, - 34/ % - &5"() #-6 $ 7-" &"'()"" (,8 32- )-" 8 7- & () 98 % ) #- 2-

Leia mais

ANEXO III AUTORIZAÇÃO PARA GERAÇÃO DA NFSE A PARTIR DE 01/02/2015. Descrição do Código CNAE 2.0

ANEXO III AUTORIZAÇÃO PARA GERAÇÃO DA NFSE A PARTIR DE 01/02/2015. Descrição do Código CNAE 2.0 7740-3/00 Gestão de ativos intangíveis não-financeiros 03.02 9311-5/00 Gestão de instalações de esportes 03.03 8211-3/00 Serviços combinados de escritório e apoio administrativo 03.03 8230-0/02 Casas de

Leia mais

Tabela 72 Empresas da Indústria que Utilizavam Computadores, segundo Atividades Estado de São Paulo 2001 Atividades

Tabela 72 Empresas da Indústria que Utilizavam Computadores, segundo Atividades Estado de São Paulo 2001 Atividades Tecnologia da Informação No, 72,34% das empresas industriais pesquisadas afirmaram utilizar computadores. As categorias fabricação e refino de petróleo e álcool, fabricação de máquinas, aparelhos e material

Leia mais

Análise Demográfica das Empresas da IBSS

Análise Demográfica das Empresas da IBSS CAPÍTULO 4 Análise Demográfica das Empresas da IBSS Apresentação A demografia de empresas investiga a estrutura do estoque de empresas em dado momento e a sua evolução, como os movimentos de crescimento,

Leia mais

Primeiro trimestre registra US$ 12,1 bi em IED*

Primeiro trimestre registra US$ 12,1 bi em IED* São Paulo, 29 de abril de 2015 Março de 2015 Primeiro trimestre registra US$ 12,1 bi em IED* No primeiro trimestre de 2015, os fluxos de investimento estrangeiro direto (IED) no Brasil registraram um total

Leia mais

PANORAMA DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO BRASILEIRA

PANORAMA DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO BRASILEIRA PANORAMA DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO BRASILEIRA 3ª Edição Última atualização 07 de Março de 2014 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 5 1. A DESINDUSTRIALIZAÇÃO NO BRASIL... 6 1.1. Evolução da Participação da Indústria

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS O COMÉRCIO RESPONDE POR 12,7% DO PIB BRASILEIRO O COMÉRCIO VAREJISTA É RESPONSÁVEL POR 42% DO COMÉRCIO

Leia mais

Formação e Capacitação para a Indústria Brasileira de Software e Serviços de TI

Formação e Capacitação para a Indústria Brasileira de Software e Serviços de TI Formação e Capacitação para a Indústria Brasileira de Software e Serviços de TI Texto para Discussão 1 Dezembro de 2010 Observatório SOFTEX Formação e capacitação para a Indústria Brasileira de Software

Leia mais

BOLETIM MENSAL Março/2010. DADOS: CAGED (MTE) Março/2010 RAIS (MTE) 2008

BOLETIM MENSAL Março/2010. DADOS: CAGED (MTE) Março/2010 RAIS (MTE) 2008 BOLETIM MENSAL Março/2010 DADOS: CAGED (MTE) Março/2010 RAIS (MTE) 2008 Este número do Boletim do Observatório do Emprego e do Trabalho da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho (SERT) apresenta

Leia mais

Diretoria. Boletim Informativo - Emprego em Abril de 2015. Presidente Aarão Ruben de Oliveira Vice-Presidente Jorge Alberto Taiar. Dr.

Diretoria. Boletim Informativo - Emprego em Abril de 2015. Presidente Aarão Ruben de Oliveira Vice-Presidente Jorge Alberto Taiar. Dr. Boletim Informativo Emprego em Guarulhos Mês de referência: abril/2015 Boletim Informativo - Emprego em Abril de 2015 Diretoria Presidente Aarão Ruben de Oliveira Vice-Presidente Jorge Alberto Taiar Secretário

Leia mais

Avaliação das Contas Regionais do Piauí 2008

Avaliação das Contas Regionais do Piauí 2008 Avaliação das Contas Regionais do Piauí 2008 A economia piauiense, em 2008, apresentou expansão em volume do Produto Interno Bruto (PIB) de 8,8% em relação ao ano anterior. Foi a maior taxa de crescimento

Leia mais

A relevância da indústria para o processo de desenvolvimento econômico. Nelson Marconi. Escola de Economia de São Paulo - FGV

A relevância da indústria para o processo de desenvolvimento econômico. Nelson Marconi. Escola de Economia de São Paulo - FGV A relevância da indústria para o processo de desenvolvimento econômico Nelson Marconi Escola de Economia de São Paulo - FGV Por que a indústria é relevante? Impacto sobre o PIB agregado Impacto sobre a

Leia mais

Tabela 3.1 - Proporção de empresas com 10 ou mais pessoas ocupadas que usaram computadores, por faixas de pessoal ocupado, segundo

Tabela 3.1 - Proporção de empresas com 10 ou mais pessoas ocupadas que usaram computadores, por faixas de pessoal ocupado, segundo Pesquisa sobre Uso das Teclogias de Informação e Comunicação nas Empresas - 2010 Tabela 3.1 - que usaram computadores, por faixas de pessoal ocupado, segundo as atividades incluídas - Brasil - 2010 que

Leia mais

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Diretoria de Pesquisas

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Diretoria de Pesquisas Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Diretoria de Pesquisas Investimento em Controle Ambiental das Indústrias no Brasil 1997/2002 Rio de Janeiro

Leia mais

Volume de IED acumulado no ano é de US$ 32,7 bi

Volume de IED acumulado no ano é de US$ 32,7 bi São Paulo, 31 de agosto de 2015 JULHO DE 2015 Volume de IED acumulado no ano é de US$ 32,7 bi Entre janeiro e julho de 2015, os fluxos de investimento estrangeiro direto (IED) no Brasil totalizaram US$

Leia mais

LIGEIRO CRESCIMENTO DA TAXA DE DESEMPREGO

LIGEIRO CRESCIMENTO DA TAXA DE DESEMPREGO MERCADO DE TRABALHO DISTRITO FEDERAL Ano 24 Nº 09 Resultados de setembro de 2015 LIGEIRO CRESCIMENTO DA TAXA DE DESEMPREGO 1. As informações da Pesquisa de Emprego e Desemprego no PED-DF, realizada pela

Leia mais

Quadro 1 - Intercâmbio Comercial de Serviços por Setor CNAE - Brasil e Argentina

Quadro 1 - Intercâmbio Comercial de Serviços por Setor CNAE - Brasil e Argentina Ficha 02 - Estatísticas de Comércio Exterior de - Argentina Quadro 1 - Intercâmbio Comercial de por Setor CNAE - e Argentina CORRENTE DE COMÉRCIO ENTRE O BRASIL E A ARGENTINA SALDO Argentina Argentina

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE OS SERVIÇOS E OS EFEITOS MACROECONÔMICOS DA SUBSTITUIÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO PATRONAL AO INSS POR UMA CMF

CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE OS SERVIÇOS E OS EFEITOS MACROECONÔMICOS DA SUBSTITUIÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO PATRONAL AO INSS POR UMA CMF CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE OS SERVIÇOS E OS EFEITOS MACROECONÔMICOS DA SUBSTITUIÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO PATRONAL AO INSS POR UMA CMF CNS/FESESP RELATÓRIO - ANO 2004 São Paulo, 4 de setembro de 2007 EQUIPE Diretor

Leia mais

TABELAS DE ALÍQUOTAS A PARTIR DE 2015 ANEXO I DA LEI COMPLEMENTAR 123, DE 14 12 2006. Até 180.000,00 4,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 2,75% 1,25%

TABELAS DE ALÍQUOTAS A PARTIR DE 2015 ANEXO I DA LEI COMPLEMENTAR 123, DE 14 12 2006. Até 180.000,00 4,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 2,75% 1,25% ... Informativo 0 Página 0 Ano 2015 TABELAS DE ALÍQUOTAS A PARTIR DE 2015 ANEXO I DA LEI COMPLEMENTAR 123, DE 14 12 2006 Alíquotas e Partilha do Simples Nacional Comércio Receita Bruta em 12 meses (em

Leia mais

Taxa de desocupação foi de 9,3% em janeiro

Taxa de desocupação foi de 9,3% em janeiro Taxa de desocupação foi de 9,3% em janeiro A taxa de desocupação registrada pela Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE, nas seis principais Regiões Metropolitanas do país (Recife, Salvador, Belo Horizonte,

Leia mais

SÉRIE 2013, Nº 02 - MESORREGIÃO NORTE CATARINENSE

SÉRIE 2013, Nº 02 - MESORREGIÃO NORTE CATARINENSE SÉRIE 2013, Nº 02 - MESORREGIÃO NORTE CATARINENSE GOVERNO DO ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL, TRABALHO E HABITAÇÃO SST DIRETORIA DE TRABALHO E EMPREGO DITE SISTEMA NACIONAL

Leia mais

PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO

PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO PED Março DE 2014 PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO DIVULGAÇÃO N o 352 Em movimento típico para o período, cresce a taxa de desemprego Nível de ocupação se reduz na Indústria

Leia mais

Tabela 32 Empresas de Serviços que Utilizaram Instrumentos Gerenciais, segundo Tipos de Instrumentos Estado de São Paulo 2001

Tabela 32 Empresas de Serviços que Utilizaram Instrumentos Gerenciais, segundo Tipos de Instrumentos Estado de São Paulo 2001 Estratégias de Gestão Os resultados da Paer mostram que a maioria das empresas pesquisadas preocupava-se com a informatização, sobretudo das atividades administrativas (72,93%), mas também das atividades

Leia mais

Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio (SISCOSERV)

Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio (SISCOSERV) Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio (SISCOSERV) Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior O Brasil

Leia mais

Relações do Trabalho no Brasil Cenários e Dificuldades

Relações do Trabalho no Brasil Cenários e Dificuldades Relações do Trabalho no Brasil Cenários e Dificuldades Alexandre Furlan 14º CONGRESSO BRASILEIRO DE MINERAÇÃO Belo Horizonte, 28.09.11 O CENÁRIO TRABALHISTA NO BRASIL O Cenário Trabalhista no Brasil Discussão

Leia mais

Acumulado de IED até setembro é de US$ 41,8 bi

Acumulado de IED até setembro é de US$ 41,8 bi São Paulo, 04 de novembro de 2015 SETEMBRO DE 2015 Acumulado de IED até setembro é de US$ 41,8 bi Ao final do terceiro trimestre de 2015, os fluxos de investimento estrangeiro direto (IED) no Brasil totalizaram

Leia mais

Dezembro de 2014 * INTERROMPE-SE A RECUPERAÇÃO DO NÍVEL OCUPACIONAL

Dezembro de 2014 * INTERROMPE-SE A RECUPERAÇÃO DO NÍVEL OCUPACIONAL MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE Ano 23 - Número 12 Dezembro de 2014 * INTERROMPE-SE A RECUPERAÇÃO DO NÍVEL OCUPACIONAL As informações captadas pela Pesquisa de Emprego e Desemprego

Leia mais

Setores indutriais com maior demanda por formação segundo UF (todas as ocupações) - Média anual 2014/15

Setores indutriais com maior demanda por formação segundo UF (todas as ocupações) - Média anual 2014/15 Setores indutriais com maior demanda por formação segundo UF (todas as ocupações) - Média anual 2014/15 Estado Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte

Leia mais

Estatísticas de Empreendedorismo

Estatísticas de Empreendedorismo 15 Estatísticas de Empreendedorismo 2008 Presidenta da República Dilma Rousseff Ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão Miriam Belchior INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente

Leia mais

CNAE-Domiciliar e correspondência com a CNAE e PNAD. CNAE-Domiciliar - correspondências CNAE e PNAD/CD91

CNAE-Domiciliar e correspondência com a CNAE e PNAD. CNAE-Domiciliar - correspondências CNAE e PNAD/CD91 CNAE-Domiciliar - correspondências CNAE e PNAD/CD91 CÓDIGOS DENOMINAÇÕES CNAE CLASSIFICAÇÕES PNAD/CD91 01101 Cultivo de arroz *0111 013 01102 Cultivo de milho *0111 020 01103 Cultivo de outros cereais

Leia mais

No período considerado, cerca de 17% das unidades produtivas faziam uso de equipamentos de automação industrial no Estado de São Paulo.

No período considerado, cerca de 17% das unidades produtivas faziam uso de equipamentos de automação industrial no Estado de São Paulo. Automação Industrial A Pesquisa da Atividade Econômica Regional disponibiliza informações sobre a difusão de automação industrial nas indústrias paulistas que, em seu conjunto, expressa as dinâmicas comportamentais

Leia mais

Propuesta de estudio para el mapeo y definición de la Industria Brasilera de Software

Propuesta de estudio para el mapeo y definición de la Industria Brasilera de Software Propuesta de estudio para el mapeo y definición de la Industria Brasilera de Software San Salvador, 10 11 febrero / 2008 IV TALLER SOBRE LA MEDICIÓN DE LA SOCIEDAD DE LA INFORMACIÓN Motivação Prioridade

Leia mais

TAXA DE DESEMPREGO DIMINUIU PELO SEGUNDO MÊS CONSECUTIVO

TAXA DE DESEMPREGO DIMINUIU PELO SEGUNDO MÊS CONSECUTIVO MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO DO ABC¹ Resultados de outubro² 1 de 2014 TAXA DE DESEMPREGO DIMINUIU PELO SEGUNDO MÊS CONSECUTIVO 1. As informações da Pesquisa de Emprego e Desemprego PED, realizada pela

Leia mais

SONDAGEM ESPECIAL INDÚSTRIA TOTAL

SONDAGEM ESPECIAL INDÚSTRIA TOTAL Ano 4 Número 2 ISSN 2317-7330 Julho de 2014 www.cni.org.br TERCEIRIZAÇÃO Insegurança jurídica é principal dificuldade enfrentada pelas empresas que terceirizam 70% das empresas industriais (transformação,

Leia mais

Pesquisa sobre Uso das Tecnologias de Informação e Comunicação nas Empresas - 2010

Pesquisa sobre Uso das Tecnologias de Informação e Comunicação nas Empresas - 2010 Pesquisa sobre Uso das de Informação e Comunicação nas Empresas - 2010 Tabela 3.22 - Proporção de empresas com 10 ou mais pessoas ocupadas que tinham política de segurança em Tecnologia da Informação -

Leia mais

Setor Brasileiro de TIC em Números

Setor Brasileiro de TIC em Números Setor Brasileiro de TIC em Números A Dimensão da Oferta CIBSS 2012, 22/10/12 Sumário Definições Resultados: Contas Satélites Resultados: Censo Demográfico Definições Setor TIC Importante segmento da sociedade

Leia mais

BOLETIM MENSAL Julho/2011

BOLETIM MENSAL Julho/2011 Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho BOLETIM MENSAL Julho/2011 DADOS: CAGED (MTE) Mês/Ano RAIS (MTE) 2010 Este número do Boletim do Observatório do Emprego e do Trabalho da Secretaria do Emprego

Leia mais

INDICADORES INDUSTRIAIS RIO GRANDE DO SUL

INDICADORES INDUSTRIAIS RIO GRANDE DO SUL INDICADORES INDUSTRIAIS RIO GRANDE DO SUL OUTUBRO DE 2014 Outubro de 2014 www.fiergs.org.br Indústria cresce pelo quarto mês seguido O IDI/RS, Índice de Desempenho Industrial do Rio Grande do Sul, apontou

Leia mais

SERVE/DNID. Glossário de Códigos da Classificação Industrial Padrão Internacional (ISIC) FABRICAÇÃO DE COQUE, PRODUTOS PETROLÍFEROS REFINADOS E

SERVE/DNID. Glossário de Códigos da Classificação Industrial Padrão Internacional (ISIC) FABRICAÇÃO DE COQUE, PRODUTOS PETROLÍFEROS REFINADOS E AGRICULTURA, PRODUÇÃO ANIMAL, CAÇA, FLORESTA, PESCA E AQUICULTURA AGRICULTURA, PRODUÇÃO ANIMAL, CAÇA E ATIVIDADES DOS SERVIÇOS RELACIONADOS 011 CULTURAS TEMPORÁRIAS 012 CULTURAS PERMANENTES 013 CULTURA

Leia mais

A MULHER NO MERCADO DE TRABALHO PARANAENSE

A MULHER NO MERCADO DE TRABALHO PARANAENSE 1 Março 2008 A MULHER NO MERCADO DE TRABALHO PARANAENSE Ângela da Matta Silveira Martins * Esta nota técnica apresenta algumas considerações sobre a inserção da mão-de-obra feminina no mercado de trabalho

Leia mais

PEQUENO AUMENTO DA TAXA DE DESEMPREGO NO DISTRITO FEDERAL

PEQUENO AUMENTO DA TAXA DE DESEMPREGO NO DISTRITO FEDERAL MERCADO DE TRABALHO DISTRITO FEDERAL Ano 24 Nº 01 Resultados de janeiro de 2015 PEQUENO AUMENTO DA TAXA DE DESEMPREGO NO DISTRITO FEDERAL 1. De acordo com a Pesquisa de Emprego e Desemprego PED, a taxa

Leia mais

A Qualidade e. Produtividade. no Setor de. Software Brasileiro. Ministério da Ciência e Tecnologia

A Qualidade e. Produtividade. no Setor de. Software Brasileiro. Ministério da Ciência e Tecnologia Ministério da Ciência e Tecnologia A Qualidade e Produtividade no Setor de Software Brasileiro Caracterização das Organizações CNAE 1.0 Seção K Atividades imobiliárias, aluguéis e serviços prestados às

Leia mais

PED ABC Novembro 2015

PED ABC Novembro 2015 PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA REGIÃO DO ABC 1 Novembro 2015 OS NEGROS NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO DO ABC Diferenciais de inserção de negros e não negros no mercado de trabalho em 2013-2014 Dia

Leia mais

Diretoria de Pesquisa Coordenação de Serviços e Comércio. Pesquisa Anual de Serviços PAS 2010

Diretoria de Pesquisa Coordenação de Serviços e Comércio. Pesquisa Anual de Serviços PAS 2010 Diretoria de Pesquisa Coordenação de Serviços e Comércio Pesquisa Anual de Serviços PAS 2010 26/09/2012 Objetivos da PAS 1 - Reunir um conjunto de informações econômicofinanceiras que permitam estimar

Leia mais