Aparelho de Protração Mandibular: uma nova abordagem na confecção do aparelho

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aparelho de Protração Mandibular: uma nova abordagem na confecção do aparelho"

Transcrição

1 Dica Clínica parelho de Protração Mandibular: uma nova abordagem na confecção do aparelho Luciano lvim Costa*, Rosely Suguino** Resumo má oclusão de Classe II com retrognatismo mandibular tem sido largamente estudada na literatura ortodôntica mundial, apresentando diversas opções terapêuticas tanto com o emprego de aparelhos ortopédicos removíveis quanto os fixos. Os aparelhos ortopédicos funcionais removíveis, apesar da sua eficiência clínica, dependem além de um padrão de crescimento favorável de um outro fator muito importante a colaboração do paciente. Dentre as opções para o tratamento desta má oclusão destacamos o parelho de Protração Mandibular (PM), que vem sofrendo pequenas modificações com o intuito de cada vez mais aprimorar o seu design a fim de torná-lo resistente aos esforços a que é submetido, reduzindo o índice de quebras e propiciando conforto ao paciente. O objetivo deste trabalho é mostrar não uma nova versão do PM, mas simplesmente apresentar uma nova forma de construção, emprego e instalação. Palavras-chave: PM. parelho de Protração Mandibular. Má oclusão Classe II. * Cirurgião Dentista pela Universidade de Marília - UNIMR. Especialista em Ortodontia pela Universidade Estadual de Maringá- UEM. ** Mestre pela Faculdade Júlio de Mesquita Filho - UNESP - raçatuba. Professora de Ortodontia do curso de Odontologia do Centro Universitário de Maringá - Cesumar. Professora do Curso de Especialização MO e UEM. 16 R Clin Ortodon Dental Press, Maringá, v. 4, n. 6 - dez. 2005/jan. 2006

2 Luciano lvim Costa, Rosely Suguino Introdução Nas últimas duas décadas, o tratamento da má oclusão de Classe II com a utilização de aparelhos ortopédicos fixos tem sido amplamente abordado na literatura ortodôntica mundial 7,10,12,13,15,16. Dentre os aparelhos ortopédicos fixos podemos destacar o aparelho de Herbst, que foi apresentado pela primeira vez em um Congresso em erlim no ano de 1905 pelo Dr. Emil Herbst, sendo reintroduzido apenas na década de 70 com os estudos de Pancherz 11,13,14 que avaliou o seu mecanismo de ação, a sua confecção e os efeitos decorrentes do seu uso. partir dos estudos de Pancherz, Dr. Carlos Martins Coelho Filho, um ortodontista da cidade de São Luís do Maranhão/M, desenvolveu uma nova alternativa para o tratamento das más oclusões de Classe II, denominada parelho de Protração Mandibular ou simplesmente PM, cujas características eram a simplicidade de sua confecção, baixo custo e a não necessidade de laboratórios especializados para a sua construção, sendo possível ser fabricado pelo próprio profissional 4. Este aparelho foi desenvolvido com o intuito de gerar uma postura mesial temporária da mandíbula durante o tratamento dos casos de má oclusão Classe II, bem como, em casos de Classe I com a presença de uma pequena sobressaliência, que permitisse sua ativação 1. Recentemente, alguns autores 5,8 têm sugerido modificações na estrutura do PM, porém o seu mecanismo de ação permanece inalterado: a) postura mesial da mandíbula a fim de compensar uma sobressaliência horizontal existente; b) distalização da maxila em massa por meio de uma força gerada pela ação da musculatura proveniente do retorno da mandíbula à posição original distal 4. Pelo fato de se mostrar um excelente recurso no tratamento das más oclusões de Classe II, o PM tem gerado interesse no estudo de sua efetividade clínica, inclusive sendo comparado a outros aparelhos largamente utilizado nestas más oclusões 19. Desde a sua primeira versão, o PM tem sofrido várias modificações pelo seu criador encontrando-se atualmente na versão 4, sempre com o objetivo de oferecer um aperfeiçoamento mecânico e melhor conforto ao paciente. Os dois primeiros modelos de PM (PM 1 e 2) apresentavam, como característica comum, a confecção de alças com fio 0,09mm, as quais eram inseridas sobre os fios retangulares do arco superior e inferior, que posteriormente eram inseridos nos respectivos tubos molares 4 (Fig. 1). Estes dois modelos necessitavam, para a sua instalação, a remoção dos braquetes dos pré-molares, já que o apoio sobre os fios de nivelamento poderia provocar interferências, dificultando o seu uso. Uma outra desvantagem destas duas versões era a limitação na abertura da boca e conseqüentemente um alto índice de quebras, apesar dos excelentes resultados clínicos 4. partir disso, as versões seguintes (3 e 4) 1,4 trouxeram modificações expressivas na sua construção, fornecendo uma estrutura com maior resistência e conforto no seu uso. principal modificação na versão 3 foi a inclusão de um tubo telescópico de 1mm de diâmetro, soldado a um segmento de fio 0.09mm com uma alça em uma de suas extremidades ( alça maxilar ) e reforçado com pedaços de fita para banda (0,004 ) formando o corpo principal do PM, o qual foi denominado de tubo maxilar (Fig. 2). principal diferença incrementada ao aparelho foi a forma de adaptação e instalação. O apoio do componente maxilar do PM não mais seria realizado sobre os fios de nivelamento e sim, diretamente sobre os tubos molares, especificamente no tubo 0.45 do primeiro molar superior (Fig. 3). Da mesma forma, o componente FIGUR 1 - a,b) O PM 1 foi o primeiro modelo de PM. facilidade de construção, instalação e excelentes resultados clínicos não evitaram a sua substituição pelo PM 2, considerando que sua maior desvantagem era a limitação da abertura bucal 1. R Clin Ortodon Dental Press, Maringá, v. 4, n. 6 - dez. 2005/jan

3 parelho de Protração Mandibular: uma nova abordagem na confecção do aparelho C FIGUR 1 - C, D) O PM 2 veio em seguida, com um desenho que permitia melhor abertura de boca, sendo por conseguinte mais confortável para o paciente. Mesmo assim durante seu funcionamento às vezes interferia sobre a oclusão, o que o levou a ser substituído pelo PM 3 1. D a FIGUR 2 - ) Componentes do PM 3. ) Tubo telescópico de 1mm de diâmetro e fio 0,09mm com alça em uma das extremidades, que após a soldagem formam o componente maxilar do PM 3 (Tubo maxilar) 1. mandibular foi amplamente modificado, sendo incluído a construção de uma haste mandibular confeccionada com um pedaço de fio 0,09mm (Fig. 4), o qual deveria ser inserido em um arco retangular 0.19 x 0,25 com alças construídas distais aos caninos inferiores (Fig. 5). Outra importante alteração foi a necessidade da confecção de um acessório que permitisse a fixação do aparelho, especificamente do componente maxilar. Este acessório, denominado trava molar, é de simples fabricação, requisitando apenas um pequeno segmento de fio 0,09mm com uma alça em uma de suas extremidades e destemperado na parte oposta (Fig. 2, 3). s alterações impostas na última versão 3 (PM 4) ocorreram basicamente no componente maxilar, cuja estrutura é representada apenas pelo tubo telescópico 0,09mm e na área da trava molar. Para que o encaixe da trava molar fosse possível, em uma das extremidades do tubo telescópico (componente maxilar), um pequeno pedaço de tubo telescópico 1,0mm foi adaptado e soldado. Já a trava molar passou a ser confeccionada com um segmento de fio de 1,0mm de espessura 3 (Fig. 6). Podemos observar que todas as modificações impostas ao PM foram com o intuito de realmente aperfeiçoar o seu mecanismo, melhorando o seu design e fornecendo ao paciente conforto para a sua utilização, reduzindo significativamente o índice de quebras e de rejeição ao uso do aparelho. 18 R Clin Ortodon Dental Press, Maringá, v. 4, n. 6 - dez. 2005/jan. 2006

4 Luciano lvim Costa, Rosely Suguino FIGUR 3 - O tubo maxilar se adapta superiormente ao tubo 0,045 do molar superior por meio da trava molar, que é constituída de um pedaço de fio 0,09mm com uma alça em uma extremidade. outra extremidade é dobrada do lado oposto do tubo após inserida por distal (ou mesial). extremidade a dobrar deve ser destemperada 1. FIGUR 4 - haste mandibular é confeccionada com um pedaço de fio 0,09 com uma dobra de 90 em uma de suas extremidades. Na seqüência é inserido um pequeno pedaço de fio telescópico no segmento mais curto, comprimido e soldado, fazendo com que o mesmo seja fixado. Uma outra opção seria a confecção de uma pequena esfera com solda prata 1. FIGUR 5 - s duas alças em O no arco inferior devem ser confeccionadas com o alicate Tweed Loop posicionadas distalmente aos caninos e voltadas para o lado oclusal 1. Entretanto, este excelente aparelho cuja eficácia já foi comprovada por meio dos inúmeros relatos de casos clínicos e acompanhamento a longo prazo pelo seu criador, tem sofrido constantemente pequenas modificações com relação à sua construção sem, contudo, perder a sua essência. Com este objetivo, nos propomos a apresentar não uma nova versão do PM, mas uma nova abordagem na sua confecção, instalação e a possibilidade de utilizá-la tanto na dentadura permanente (como preconizado pelo seu autor) como na mista (Fig. 6 -D). Esta nova abordagem permite a utilização do PM antes da instalação do aparelho fixo (braquetes) sendo necessário apenas o uso de ancoragens no arco superior e inferior, representadas pela barra palatina e pelo arco lingual de Nance modificado, respectivamente (Fig. 7, ). Este sistema de ancoragem para o arco inferior foi proposto por PNCHERZ 14 e posteriormente por WIESLNDER 20,21 e outros autores (GOODMN e MCKENN 6, SILV FILHO et al. 18, SILV FILHO 17 ) quando do uso do aparelho Herbst. Outra importante modificação ocorreu na região da trava molar, cuja construção será descrita detalhadamente a seguir. R Clin Ortodon Dental Press, Maringá, v. 4, n. 6 - dez. 2005/jan

5 parelho de Protração Mandibular: uma nova abordagem na confecção do aparelho C D FIGUR 6 - O PM pode ser utilizado tanto na dentadura permanente como na mista, considerando que não exige a instalação prévia do aparelho ortodôntico fixo (braquetes). FIGUR 7 - ) rco lingual de Lance modificado, ) arra palatina. 20 R Clin Ortodon Dental Press, Maringá, v. 4, n. 6 - dez. 2005/jan. 2006

6 Luciano lvim Costa, Rosely Suguino Materiais Utilizados Tubo telescópico 1mm, Porca Inox de 2mm, Solda prata, Maçarico, Máquina de solda a ponto, Fio de aço de 0,9 mm ou 1mm, Disco de Carborundum, Mandril, Peça de mão reta, Fio 1,2mm, Fio 1,5mm. Estes materiais serão empregados para a construção dos dispositivos superiores (tubo maxilar) e inferiores (haste mandibular) (Fig. 8), além das ancoragens superiores e inferiores, representadas pela barra palatina e o arco lingual de Nance modificado, respectivamente. Dispositivos Superiores Tubo maxilar e trava molar Os dispositivos superiores são representados pelo tubo maxilar e pela trava molar. Para a construção do tubo maxilar utiliza-se um tubo telescópico de 1mm de diâmetro com aproximadamente 4cm de comprimento e uma porca inox de 2mm, que serão unidos inicialmente por meio de uma solda a ponto tomando-se o cuidado para que o calor não destempere os acessórios (Fig. 9) a b c c b a FIGUR 8 - Componentes do modelo do PM sugerido neste trabalho: a) trava molar; b) tubo maxilar; c) haste mandibular. C FIGUR 9 - Na máquina de solda a ponto, realiza-se uma pequena solda unindo o tubo telescópico e a porca inox de 2mm. R Clin Ortodon Dental Press, Maringá, v. 4, n. 6 - dez. 2005/jan

7 parelho de Protração Mandibular: uma nova abordagem na confecção do aparelho e posteriormente com a solda à prata (Fig. 10). pós o procedimento da solda realiza-se o acabamento, polimento e remoção total das partes sextavadas da porca de inox com um disco de carburum para que fiquem totalmente arredondadas, proporcionando assim maior conforto ao paciente. utilização desse acessório na confecção do tubo maxilar justifica-se pela sua grande resistência, facilidade para a confecção do aparelho em laboratório, padronização e o baixo custo. porca de inox representará a área de encaixe da trava molar, que substitui o uso dos tubos telescópicos utilizados nas versões 3 e 4 do PM. trava molar, da mesma maneira que no PM 4, é confeccionada com um segmento de fio 1,0mm e, em uma de suas extremidades, realiza-se uma pequena esfera com solda prata, que posteriormente será desgastada com um disco, a fim de deixála menor e confortável, evitando possíveis irritações bucais. Estas travas serão inseridas através da porca de inox soldada ao tubo telescópico e uma dobra em L deverá ser confeccionada para a sua posterior adaptação. lém disso, as suas extremidades deverão ser destemperadas com o maçarico, a fim de facilitar o seu travamento final (Fig. 11). Dispositivos Inferiores rco Lingual de Nance modificado O aparelho de protração mandibular (PM) original foi inicialmente desenvolvido para que fosse utilizado na dentadura permanente associado a aparelhos ortodônticos fixos, após a fase final do FIGUR 10 - Em seguida, realiza-se a solda à prata, para reforçar a união dos acessórios. Trava molar Trava molar FIGUR 11 - ) Trava molar confeccionada com fio 1,0mm; ) Extremidade da trava molar sendo destemperada com o maçarico. 22 R Clin Ortodon Dental Press, Maringá, v. 4, n. 6 - dez. 2005/jan. 2006

8 Luciano lvim Costa, Rosely Suguino nivelamento, com fios retangulares 0,19 x 0,25. Porém, a necessidade de se iniciar o tratamento ainda na dentadura mista fez com que modificações fossem realizadas para que este aparelho pudesse ser utilizado em ambas as dentaduras (mista e permanente). ancoragem inferior preconizada neste sistema se baseou na utilizada por Pancherz quando do emprego do aparelho Herbst 14. Inicialmente, realiza-se a adaptação de bandas nos primeiros molares inferiores do paciente, moldagem do arco inferior e a transferência das bandas na moldagem. pós a obtenção do modelo de trabalho, com um fio 1,2mm, um arco lingual de Nance convencional é confeccionado e soldado (Fig. 12). Em seguida constrói-se um braço com um fio 1,5mm, em cuja extremidade será soldada uma porca de inox de 2mm (Fig. 13), lembrando que a mesma também deverá sofrer desgastes nas suas faces sextavadas. sua finalidade comparada à versão 3 e 4 do PM é substituir as alças (alças mandibulares) construídas no fio retangular 0,19 x 0,25 localizadas distalmente aos caninos inferiores. Estes braços serão soldados com solda prata na face vestibular dos molares inferiores, se estendendo até a distal dos caninos inferiores (Fig. 14). Para se obter um maior reforço e estabilidade do aparelho, um pequeno segmento de fio de 1,0mm é soldado unindo-se o arco FIGUR 12 - Confecção do arco lingual de Nance convencional com fio 1,2mm. FIGUR 13 - ) Segmentos de fio 1,5mm e porcas inox de 2mm para confecção do braço vestibular do arco lingual de Nance modificado; ) após a soldagem. R Clin Ortodon Dental Press, Maringá, v. 4, n. 6 - dez. 2005/jan

9 parelho de Protração Mandibular: uma nova abordagem na confecção do aparelho lingual ao braço vestibular na região entre primeiros e segundos molares decíduos ou primeiros e segundos pré-molares (Fig. 14). Em seguida realiza-se o acabamento e polimento dos componentes submetidos ao procedimento de solda e o aparelho estará apto a ser instalado. Haste mandibular haste mandibular representa o componente mandibular do PM e é confeccionada com fio 0,9mm ou 1,0mm. sua construção é simples e necessita de um segmento de fio com aproximadamente 26mm a 30mm de comprimento e em uma de suas extremidades será confeccionada uma dobra em U (Fig. 15). Instalação do PM rco superior e inferior Previamente à instalação do PM no arco superior e inferior, uma ancoragem rígida deverá ser adaptada para que a mesma sirva como suporte para o componente maxilar e mandibular do PM. 1) Nas más oclusões Classe II em que a maxila necessite de uma expansão prévia ao avanço mandíbular e o expansor Haas ou Hyrax sejam utilizados para a correção dessa atresia, posteriormente poderão atuar como elementos de ancoragem. Nesta situação deve ser realizada previamente à confecção do expansor a colocação de tubos nas faces vestibulares das bandas dos molares de ancoragem. Caso a expansão não seja requisitada, a confecção de C FIGUR 14 - Vista lateral direita, oclusal e lateral esquerda do arco lingual de Nance modificado após soldagem dos braços vestibulares. fio 1,0mm haste mandibular FIGUR 15 - Colocação de um segmento de fio 1,0mm entre os primeiros e segundos pré-molares inferiores com o reforço, unindo o arco lingual ao braço vestibular. FIGUR 16 - Haste mandibular confeccionada com fio 1,0mm. 24 R Clin Ortodon Dental Press, Maringá, v. 4, n. 6 - dez. 2005/jan. 2006

10 Luciano lvim Costa, Rosely Suguino uma barra palatina com fio 1,2mm soldada às bandas dos primeiros molares superiores, associados também à colocação de tubos duplos ou triplos nas faces vestibulares dessas bandas, poderá ser realizada (Fig. 17). 2) pós a cimentação da ancoragem superior procede-se a instalação do arco lingual de Nance modificado que representará a ancoragem do arco inferior (Fig. 18) e, na seqüência, o dispositivo superior (trava molar) poderá ser adaptado no tubo 0,45 da banda, por distal ou mesial. 3) Solicita-se ao paciente que avance a sua mandíbula até a posição desejada e demarca-se o tubo, determinando dessa maneira o comprimento do tubo maxilar a ser utilizado. Com um disco de carborundum procede-se o corte dos tubos telescópicos (Fig. 19). 4 ) pós a definição da quantidade de avanço a ser realizado e com o tubo maxilar com o seu tamanho adequado em mãos, determina-se o comprimento da haste mandibular (confeccionada com FIGUR 17 - arra palatina confeccionada com fio 1,2mm soldada às bandas do primeiros molares superiores. FIGUR 18 - rco lingual de Nance modificado instalado. FIGUR 19 - pós o avanço da mandíbula, adapta-se a trava molar no tubo 0.45 e demarca-se o tubo maxilar no centro da alça mandibular, determinando seu comprimento. R Clin Ortodon Dental Press, Maringá, v. 4, n. 6 - dez. 2005/jan

11 parelho de Protração Mandibular: uma nova abordagem na confecção do aparelho fio 1,0mm ou 0,9mm) que deverá ser do mesmo comprimento ou levemente maior, para que na abertura total da boca não ocorra o desprendimento entre a parte superior e a inferior. 5) haste mandibular é inserida na abertura da alça mandibular (porca de inox) de vestibular para lingual (Fig. 20) e em seguida adaptada no interior do tubo maxilar (Fig 21). trava será inserida no tubo 0,45 dos primeiros molares superiores de mesial ou por distal e travada após destemperar a região que sofrerá a dobra (Fig. 22). Este sistema tem sido utilizado tanto na dentadura mista como na permanente e os resultados observados até o momento tem se mostrado satisfatórios sendo que uma das grandes vantagens tem sido o baixo índice de quebras do aparelho. lém disso, o aparelho permite um amplo movimento de lateralidade, tornando-se extremamente confortável para o paciente (Fig. 23). FIGUR 20 - ) daptação da haste mandibular de vestibular para lingual. ) Posição ideal da haste. FIGUR 21 - daptação da haste mandibular no interior do tubo maxilar. 26 R Clin Ortodon Dental Press, Maringá, v. 4, n. 6 - dez. 2005/jan. 2006

12 Luciano lvim Costa, Rosely Suguino C D E FIGUR 22 -,, C) daptação de trava molar por distal, D, E, F) adaptação da trava molar por mesial. F R Clin Ortodon Dental Press, Maringá, v. 4, n. 6 - dez. 2005/jan

13 parelho de Protração Mandibular: uma nova abordagem na confecção do aparelho C D FIGUR 23 - O sistema permite conforto e amplo movimento de lateralidade ao paciente. E Mandibular protraction appliance: a new approach in the making of an appliance bstract Class II malocclusion with mandibular retrognathism has been widely studied in the orthodontics literature presenting several therapeutics options in the use of removable and fixed orthopedic devices. The removable functional orthopedic devices in spite of their clinical efficiency, depend on a pattern of favorable growth and another very important factor - the patient s compliance. mong the options for the treatment of this type of malocclusion we highlight the Mandibular Protraction ppliance (MP), which has undergone minor changes with the purpose of improving its design in order to make it resistant to the efforts it is submitted, reducing the number of breakage and propitiating comfort to the patient. The objective of this work is not to show a new version of the MP, but simply present a new approach of construction, use and installation of it. KEY WORDS: MP. Mandibular Protraction ppliance. Class II malocclusion. 28 R Clin Ortodon Dental Press, Maringá, v. 4, n. 6 - dez. 2005/jan. 2006

14 Luciano lvim Costa, Rosely Suguino Referências 1. COELHO FILHO, C. M. Emprego clínico do aparelho para projeção da mandíbula. R Dental Press Ortodon Ortop Facial, Maringá, v. 3, n. 5, p , set./out COELHO FILHO, C. M. Mandibular protraction appliance IV. J Clin Orthod, oulder, v. 35, no. 1, p , Jan COELHO FILHO, C. M. O aparelho de protração mandibular IV. R Dental Press Ortodon Ortop Facial, Maringá, v. 7, n. 2, p , mar./abr COELHO FILHO, C. M. The mandibular protraction appliance III. J Clin Orthod, oulder, v. 2, no. 6, p , June FONTÃO, J. G.; LUQUERQUE, R. C. F.; SOUZ, P. L. parelho F. L. F: uma opção de aparelho protrator mandibular. R Clín Ortodon Dental Press, Maringá, v. 1, n. 6, p , dez /jan GOODMN, P.; McKENN, P. Modified Herbst appliance for the mixed dentition. J Clin Orthod, oulder, v. 19, no 11, p , Nov KONIK, M.; PNCHERZ, H.; HNSEN, K. The mecanism of Class II correction in late Herbst treatment. m J Orthod Dentofacial Orthop, St. Louis, v. 112, no.1, p , July LOIOL,. V. et al. parelho para projeção mandibular modificado. R Clin Ortodon Dental Press, Maringá, v. 1, n. 4, p , abr./maio PNCHERZ, H. Class II correction in Herbst appliance treatment. m J Orthod, St. Louis, v. 82, no. 2, p , ug PNCHERZ, H. Muscle activity in Class II, Div. 1 malocclusions treated by bite jumping with the Herbst appliance. m J Orthod, St. Louis, v. 87, no.1, p. 1-20, Jan PNCHERZ, H. The Herbst appliance, its biological effects and clinical use. m J Orthod, St Louis, v. 87, no. 1, p. 1-20, Jan PNCHERZ, H. The Herbst appliance. m J Orthod, St. Louis, v. 78, p , Sept PNCHERZ, H. The mecanism of Class II correction in Herbst appliance treatment: a cephalometric investigation. m J Orthod, St Louis, v. 82, no. 2, p , ug PNCHERZ, H. Treatment of Class II malocclusions by jumping the bite with Herbst appliance: a cephalometric investigation. m J Orthod, St Louis, v. 76, no. 4, p , Oct PNCHERZ, H.; NEHUS-PNCHERZ. Headgear effect of the Herbst appliance: a cephalometric long-term study. m J Orthod, St. Louis, v. 103, no. 6, p , June RUF, S.; PNCHERZ, H. Long term TMJ effects of Herbst treatment: a clinical and MRI study. m J Orthod Dentofacial Orthop, St Louis, v.114, no. 5, p , Nov SILV FILHO, O. G. parelho Herbst: protocolos de tratamento precoce e tardio. R Dental Press Ortodon Ortop Facial, Maringá, v. 10, n. 1, p , jan./fev SILV FILHO, O. G.; OZW, T. O.; FERRRI JUNIOR, F. M.; IELO, C.. parelho de Herbst: variação para o uso na dentadura mista. R Dental Press Ortodon Ortop Facial, Maringá, v. 5, n. 5, p.58-67, set./out SIQUEIR, D. F. Estudo comparativo, por meio de análise cefalométrica em norma lateral, dos efeitos dentoesqueléticos e tegumentares produzidos pelo aparelho extrabucal cervical e pelo aparelho de protração mandibular, no tratamento da Classe II, 1ª Divisão f. Tese (Doutorado em Odontologia)-Faculdade de Odontologia de auru, Universidade de São Paulo, auru, WIESLNDER, L. Intensive treatment of severe Class II malocclusions with a headgear-herbst appliance in the early mixed dentition. m J Orthod, St. Louis, v. 86, no. 1, p. 1-13, July WIESLNDER, L.; ZCHRISSON,. Interview on dento-facial orthopedics. Headgear- Herbst treatment in the mixed dentition. J Clin Orthod, oulder, v. 18, no. 8, p , ug Endereço para correspondência Luciano lvim Costa v. Des. Munhoz de Mello, Centro CEP: Loanda / PR R Clin Ortodon Dental Press, Maringá, v. 4, n. 6 - dez. 2005/jan

O aparelho de Herbst com Cantilever (CBJ) Passo a Passo

O aparelho de Herbst com Cantilever (CBJ) Passo a Passo O aparelho de Herbst com Cantilever (CBJ) Passo a Passo çã APARELHO DE HERBST COM CANTILEVER (CBJ) MAYES, 1994 Utiliza quatro coroas de açoa o nos primeiros molares e um cantilever,, a partir dos primeiros

Leia mais

Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de açoa. o superiores e splint removível vel inferior

Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de açoa. o superiores e splint removível vel inferior Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de açoa o superiores e splint removível vel inferior MORO, A.; et al. Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de aço superiores

Leia mais

Série Aparelhos Ortodônticos: Barra Transpalatina

Série Aparelhos Ortodônticos: Barra Transpalatina Série Aparelhos Ortodônticos barra transpalatina INTRODUÇÃO A barra transpalatina (BTP) tem sido aplicada na mecânica ortodôntica de forma crescente e em muitas situações clínicas. Isto pela característica

Leia mais

Série Aparelhos Ortodônticos

Série Aparelhos Ortodônticos Série Aparelhos Ortodônticos Em geral, o protocolo de tratamento nos casos de Classe III, principalmente naqueles com deficiência maxilar, tem sido a disjunção, seguida pela protração da ma-xila. De acordo

Leia mais

APM: APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR.

APM: APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR. INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS APM: APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR. RODRIGO LOPES ROCHA Monografia apresentada ao Programa de Especialização em Ortodontia do ICS FUNORTE/SOEBRÁS NÚCLEO

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO APARELHO Componentes do aparelho extrabucal 3

APRESENTAÇÃO DO APARELHO Componentes do aparelho extrabucal 3 Série Aparelhos Ortodônticos EXTRABUCAL INTRODUÇÃO A ancoragem extrabucal ainda é um dos recursos mais utilizados e recomendados no tratamento da má oclusão de Classe II, primeira divisão, caracterizada

Leia mais

Tratamento da má oclusão de Classe II divisão 1 a, através de recursos ortodônticos e ortopédicos faciais (funcionais e mecânicos): relato de caso

Tratamento da má oclusão de Classe II divisão 1 a, através de recursos ortodônticos e ortopédicos faciais (funcionais e mecânicos): relato de caso Caso Clínico Tratamento da má oclusão de Classe II divisão 1 a, através de recursos ortodônticos e ortopédicos faciais (funcionais e mecânicos): relato de caso José Euclides Nascimento* Luciano da Silva

Leia mais

Aparelho de Protrusão Mandibular FLF

Aparelho de Protrusão Mandibular FLF Aparelho de Protrusão Mandibular FLF FLF Mandibular Protusion Apparates Coluna Como Se Faz José Fernando Castanha Henriques 1 Deborah Brindeiro 2 Wilana Moura 3 Introdução A má oclusão de Classe II é a

Leia mais

Aparelho de Herbst Pma Passo a Passo

Aparelho de Herbst Pma Passo a Passo Capítulo Aparelho de Herbst Pma Passo a Passo 1 Alexandre Moro A Ortodontia contemporânea tem exigido que os clínicos utilizem aparelhos que tenham a sua eficiência clínica comprovada cientificamente.

Leia mais

TRATAMENTO DA MÁ OCLUSÃO CLASSE II COM APARELHO DE HERBST CAIO MÁRCIO DE TEVES MORENO

TRATAMENTO DA MÁ OCLUSÃO CLASSE II COM APARELHO DE HERBST CAIO MÁRCIO DE TEVES MORENO FUNORTE-FACULDADES UNIDAS DO NORTE DE MINAS NÚCLEO NITERÓI-SMILE ODONTOLOGIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA TRATAMENTO DA MÁ OCLUSÃO CLASSE II COM APARELHO DE HERBST CAIO MÁRCIO DE TEVES MORENO

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR COMO ANCORAGEM PARA MESIALIZAÇÃO DE MOLARES INFERIORES: RELATO DE CASO CLÍNICO RESUMO

UTILIZAÇÃO DO APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR COMO ANCORAGEM PARA MESIALIZAÇÃO DE MOLARES INFERIORES: RELATO DE CASO CLÍNICO RESUMO 474 UTILIZAÇÃO DO APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR COMO ANCORAGEM PARA MESIALIZAÇÃO DE MOLARES INFERIORES: RELATO DE CASO CLÍNICO Fábio André Werlang 1 Marcos Massaro Takemoto 2 Prof Elton Zeni 3 RESUMO

Leia mais

TÁGIDES Saúde e Bem-Estar

TÁGIDES Saúde e Bem-Estar TÁGIDES Saúde e Bem-Estar Estrada Nacional 1,Urbanização Quinta do Cabo, lojas 8 e 9, Povos 2600-009, Vila Franca de Xira Tel; 263209176 914376214 924376162 Email: tagides.sbe@gmail.com Ortodontia- Bases

Leia mais

Programa Laboratorial (hands on em Manequim)

Programa Laboratorial (hands on em Manequim) PROGRAMA DE CURSO DE EXCELÊNCIA EM ORTODONTIA COM 8 MÓDULOS DE 2 DIAS MENSAIS Prof. ROQUE JOSÉ MUELLER - Tratamento Ortodôntico de alta complexidade em adultos : diagnóstico, planejamento e plano de tratamento.

Leia mais

APRESENTAÇÃO DAS BANDAS TIPOS:

APRESENTAÇÃO DAS BANDAS TIPOS: 1 2 BANDAS ORTODÔNTICAS Introdução Para entendermos a real importância destes componentes de um aparelho ortodôntico, devemos inicialmente compreender qual a função da bandagem frente à um complexo sistema

Leia mais

MANTENEDORES DE ESPAÇO

MANTENEDORES DE ESPAÇO MANTENEDORES DE ESPAÇO Conceito São aparelhos ortodônticos usados para manter o espaço nas arcadas dentárias, por perda precoce de dentes decíduos. Classificação Quanto ao uso: fixos semifixos removíveis

Leia mais

Sliding Jig: confecção e mecanismo de ação

Sliding Jig: confecção e mecanismo de ação Dica Clínica Sliding Jig: confecção e mecanismo de ação Adriana Simoni Lucato* Eloísa Marcantônio Boeck* Silvia Amelia Scudeler Vedovello* João Sarmento Pereira Neto** Maria Beatriz Borges de Araújo Mangnani***

Leia mais

incisivos inferiores 1,3,4,6. Há também um movimento do nariz para frente, tornando o perfil facial menos côncavo e, conseqüentemente,

incisivos inferiores 1,3,4,6. Há também um movimento do nariz para frente, tornando o perfil facial menos côncavo e, conseqüentemente, Série Aparelhos Ortodônticos MÁSCARA FACIAL INTRODUÇÃO Inúmeras formas de tratamento têm sido relatadas para a correção precoce da má oclusão de Classe III. No entanto, talvez por muitos casos necessitarem

Leia mais

Confecção e instalação do Sky Hook

Confecção e instalação do Sky Hook Dica Clínica Confecção e instalação do Sky Hook Preparing and fitting the Sky Hook Laurindo Zanco Furquim * Resumo Nos casos de Classe III, principalmente naqueles com deficiência maxilar, o protocolo

Leia mais

Reginaldo César Zanelato

Reginaldo César Zanelato Reginaldo César Zanelato Nos pacientes portadores da má oclusão de Classe II dentária, além das opções tradicionais de tratamento, como as extrações de pré-molares superiores e a distalização dos primeiros

Leia mais

Aparelho Herbst: Protocolos de tratamento precoce e tardio

Aparelho Herbst: Protocolos de tratamento precoce e tardio A RTIGO I NÉDITO Aparelho Herbst: Protocolos de tratamento precoce e tardio Omar Gabriel da Silva Filho*, Carlos Alberto Aiello*, Marcelo Veloso Fontes** Resumo Até que ponto o crescimento mandibular pode

Leia mais

ANÁLISE DA DENTIÇÃO MISTA

ANÁLISE DA DENTIÇÃO MISTA 1 ANÁLISE DA DENTIÇÃO MISTA INTRODUÇÃO O período da dentição mista inicia-se por volta dos 6 anos de idade com a erupção dos primeiros molares permanentes, e termina ao redor dos 12 anos de idade, com

Leia mais

A UTILIZAÇÃO CLÍNICA DO APARELHO PROPULSOR MANDIBULAR FORSUS NA

A UTILIZAÇÃO CLÍNICA DO APARELHO PROPULSOR MANDIBULAR FORSUS NA A UTILIZAÇÃO CLÍNICA DO APARELHO PROPULSOR MANDIBULAR FORSUS NA CLÍNICA ORTODÔNTICA Mario Cappellette Jr, Paulo Sergio Kozara, Carolina M F Costa RESUMO Palavras-chave: Forsus. Crescimento mandibular.

Leia mais

ATIVADOR FIXO BIOPEDIC: INDICAÇÕES E INSTALAÇÃO

ATIVADOR FIXO BIOPEDIC: INDICAÇÕES E INSTALAÇÃO ATIVADOR FIXO BIOPEDIC: INDICAÇÕES E INSTALAÇÃO Luiz Fernando Eto*; Eneida Guimarães de Menezes Venuto**; Paula Moura Nagem** Luiz Fernando Eto - Especialista e Mestre em Ortodontia pelo COP-PUCMG; Professor

Leia mais

FECHAMENTO DE ESPAÇOS

FECHAMENTO DE ESPAÇOS FECHAMENTO DE ESPAÇOS Rua 144, n 77 - Setor Marista - Goiânia (GO) - CEP 74170-030 - PABX: (62) 278-4123 - 1 - Introdução Podemos definir essa etapa do tratamento ortodôntico como aquela onde o principal

Leia mais

Aparelhos Ortodônticos Removíveis com Alta Retenção

Aparelhos Ortodônticos Removíveis com Alta Retenção Aparelhos Ortodônticos Removíveis com Alta Retenção Um novo conceito de ver e atuar com os aparelhos ortodônticos removíveis José Roberto Ramos Na maioria dos casos, o emprego dos aparelhos ortodônticos

Leia mais

manter um dente recém- período suficientemente prolongado correção ortodôntica que se conceito polêmico.

manter um dente recém- período suficientemente prolongado correção ortodôntica que se conceito polêmico. Introdução CONTENÇÕES EM ORTODONTIA em ortodontia é o procedimento para manter um dente recém- movimentado em posição por um período suficientemente prolongado para assegurar a manutenção da correção ortodôntica

Leia mais

Instrução de Uso. Tubos. Tubo Simples Indicado para primeiros e segundos molares. Possui um único slot para alojar o arco intraoral.

Instrução de Uso. Tubos. Tubo Simples Indicado para primeiros e segundos molares. Possui um único slot para alojar o arco intraoral. Instrução de Uso Tubos Os Tubos tem por finalidade transferir os esforços de: Arcos Intra e extra orais; Molas e Elásticos; Distalizadores; Barras transpalatinas e Quad Helix ; Placas Lábioativas. Promovem

Leia mais

Verticalização de Molares

Verticalização de Molares Curso de Aperfeiçoamento em Ortodontia Verticalização de Molares Prof.: Paulo César Principais causas 1. Perdas precoce de molares decíduos Principais causas 2. Anodontia de 2 pré-molares !"#$"$%&'()*(+,($%-"%.+/0.+"123!

Leia mais

A utilização de bandas reforçadas para a confecção do aparelho de Herbst

A utilização de bandas reforçadas para a confecção do aparelho de Herbst Caso Clínico utilização de bandas reforçadas para a confecção do aparelho de Herbst The use of reinforced bands for the construction of the Herbst appliance lexandre Moro* Resumo O aparelho de Herbst tem

Leia mais

Qual o estado atual das reabilitações de maxilas atróficas com osseointegração?

Qual o estado atual das reabilitações de maxilas atróficas com osseointegração? Qual o estado atual das reabilitações de maxilas atróficas com osseointegração? Hugo Nary Filho responde O tratamento do edentulismo maxilar, com a utilização de implantes osseointegráveis, vem experimentando

Leia mais

Mordida Profunda Definição. Trespasse vertical

Mordida Profunda Definição. Trespasse vertical Mordida Profunda Definição Trespasse vertical Mordida Profunda Diagnóstico Os fatores que contribuem variam de acordo com a oclusão: u Em boas oclusões é determinda por fatores dentários: t Comprimento

Leia mais

Técnicas radiográficas. Técnicas Radiográficas Intraorais em Odontologia. Técnicas Radiográficas Intraorais. Técnicas Radiográficas

Técnicas radiográficas. Técnicas Radiográficas Intraorais em Odontologia. Técnicas Radiográficas Intraorais. Técnicas Radiográficas Técnicas Radiográficas Intraorais em Odontologia Técnicas radiográficas Divididas em dois grandes grupos: Técnicas Intraorais Profª Paula Christensen Técnicas Radiográficas Técnicas Extraorais Técnicas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÃNDIA ESCOLA TÉCNICA DE SAÚDE CURSO TÉCNICO PRÓTESE DENTÁRIA FICHA DA SUBFUNÇÃO/COMPONENTE CURRICULAR

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÃNDIA ESCOLA TÉCNICA DE SAÚDE CURSO TÉCNICO PRÓTESE DENTÁRIA FICHA DA SUBFUNÇÃO/COMPONENTE CURRICULAR UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÃNDIA ESCOLA TÉCNICA DE SAÚDE CURSO TÉCNICO PRÓTESE DENTÁRIA FICHA DA SUBFUNÇÃO/COMPONENTE CURRICULAR FUNÇÃO: Recuperação / Reabilitação SUBFUNÇÃO OU COMPONENTE CURRICULAR:

Leia mais

1/6 1 2 "SUPORTE RETRÁTIL PARA INSTALAÇÃO DE TELA FACHADEIRA". Apresentação Refere-se a presente invenção ao campo técnico de suportes para telas fachadeiras de edifícios em construção ou em reformas,

Leia mais

Extração Seriada, uma Alternativa

Extração Seriada, uma Alternativa Artigo de Divulgação Extração Seriada, uma Alternativa Serial Extraction, an Alternative Procedure Evandro Bronzi Resumo A extração seriada é um procedimento ortodôntico que visa harmonizar

Leia mais

RECUPERADORES DE ESPAÇO

RECUPERADORES DE ESPAÇO RECUPERADORES DE ESPAÇO Conceito Recuperadores de espaço são usados para recuperar o espaço perdido nas arcadas dentárias. Eles verticalizam os dentes que inclinaram, depois que outros foram perdidos.

Leia mais

Pêndulo Higiênico de Prieto

Pêndulo Higiênico de Prieto Dica Clínica Pêndulo Higiênico de Prieto Marcos Gabriel do Lago Prieto*, Acácio Fuziy**, Érika Nana Ishikawa***, Lucas Prieto**** Resumo Dos dispositivos de cooperação mínima, o aparelho pêndulo é um dos

Leia mais

TP Orthodontics. HERBST Flip-Lock. www.tportho.com

TP Orthodontics. HERBST Flip-Lock. www.tportho.com TP Orthodontics HERBST Flip-Lock www.tportho.com TP Orthodontics, Inc. Idéias em Prática. "TP Orthodontics sempre ouve as minhas necessidades e me fornece os melhores produtos para o meu dia-a-dia." -Douglas

Leia mais

MANUAL DE MONTAGEM E MED TECNOLOGIA MÉDICA PAINEL VERTICAL

MANUAL DE MONTAGEM E MED TECNOLOGIA MÉDICA PAINEL VERTICAL MANUAL DE MONTAGEM E MANUTENÇÃO PAINEL VERTICAL ÍNDICE INTRODUÇÃO...01 APRESENTAÇÃO... 01 COMPONENTES... 02 INSTALAÇÃO... 03 POSICIONAMENTO... 04 FIXAÇÃO SUPORTE DAS BARRAS... 05 FIXAÇÃO DO PAINEL... 06

Leia mais

Tratamento da classe II, com aparelho de herbst modificado relato de caso clínico

Tratamento da classe II, com aparelho de herbst modificado relato de caso clínico 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 Class II malocclusion treatment with modified Herbst appliance A Case Report Resumo

Leia mais

essa soldagem; entretanto, ele FIGURA 3 - Confecção do arco transpalatino.

essa soldagem; entretanto, ele FIGURA 3 - Confecção do arco transpalatino. avaliar a posição inicial do côndilo em relação à fossa mandibular. 2 a consulta: escolha das coroas superiores, utilizando-se o kit para prova de coroas de aço da Ormco 16. Caso não deseje adquirir todo

Leia mais

A importância da Manutenção de Máquina e Equipamentos

A importância da Manutenção de Máquina e Equipamentos INTRODUÇÃO A importância da manutenção em máquinas e equipamentos A manutenção de máquinas e equipamentos é importante para garantir a confiabilidade e segurança dos equipamentos, melhorar a qualidade

Leia mais

Má oclusão Classe I de Angle, com acentuada biprotrusão, tratada com extrações de dentes permanentes*

Má oclusão Classe I de Angle, com acentuada biprotrusão, tratada com extrações de dentes permanentes* C a s o C l í n i c o O Má oclusão Classe I de ngle, com acentuada biprotrusão, tratada com extrações de dentes permanentes* Marco ntônio Schroeder** Resumo Este relato de caso descreve o tratamento de

Leia mais

SORRISO BONITO E SAUDÁVEL PARA TODA A VIDA!

SORRISO BONITO E SAUDÁVEL PARA TODA A VIDA! SORRISO BONITO E SAUDÁVEL PARA TODA A VIDA! INTRODUÇÃO Um sorriso bonito, saudável e harmônico faz toda a diferença! Na autoestima traz diversos benefícios, pois quem sorri abertamente acredita em si mesmo

Leia mais

(VTO dentário) Resumo Este presente artigo teve por finalidade demonstrar, simplificadamente, o manejo

(VTO dentário) Resumo Este presente artigo teve por finalidade demonstrar, simplificadamente, o manejo iagnóstico Análise da Movimentação entária (VTO dentário) Adriano César Trevisi Zanelato*, Hugo José Trevisi**, Reginaldo César Trevisi Zanelato***, André César Trevisi Zanelato*, Renata Chicarelli Trevisi****

Leia mais

Barramento Elétrico Blindado KSL70

Barramento Elétrico Blindado KSL70 Barramento Elétrico Blindado KSL70 PG: 2 / 19 ÍNDICE PÁG. 1.0 DADOS TÉCNICOS 03 2.0 - MÓDULO 04 3.0 SUSPENSÃO DESLIZANTE 05 4.0 TRAVESSA DE SUSTENTAÇÃO 06 5.0 EMENDA DOS CONDUTORES E DOS MÓDULOS 07 6.0

Leia mais

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL Montagem das Pastas As pastas devem estar organizadas na seguinte ordem: I- Externo Página Título: colocar na capa frontal da pasta (a capa tem um envelope plástico para esta finalidade). BOARD BRASILEIRO

Leia mais

2. CARACTERÍSTICAS 1. INTRODUÇÃO

2. CARACTERÍSTICAS 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO O estabilizador portátil de câmera Tedi Cam é um equipamento de avançada tecnologia utilizado para filmagens de cenas onde há a necessidade de se obter imagens perfeitas em situações de movimento

Leia mais

Tratamento Ortodôntico da Classe III, Subdivisão: Apresentação de um Caso Clínico (Parte 1)

Tratamento Ortodôntico da Classe III, Subdivisão: Apresentação de um Caso Clínico (Parte 1) Artigo de Divulgação Tratamento Ortodôntico da Classe III, Subdivisão: Apresentação de um Caso Clínico (Parte 1) Treatment of a Class III, Subdivision Malocclusion: A Case Report (Part 1) Guilherme R.

Leia mais

MANUAL DO CONSUMIDOR VENTILADOR DE TETO

MANUAL DO CONSUMIDOR VENTILADOR DE TETO VENTILADOR DE TETO MODELOS: AIRES, LUMIAR FÊNIX, FÊNIX CONTR PETIT Obrigado por adquirir o VENTISOL. Antes de utilizar o seu produto leia atentamente este manual de instruções. Após a leitura guarde-o

Leia mais

Alta produtividade Engenharia de projetos Qualidade assegurada Certificado de garantia Sigilo industrial Confiabilidade.

Alta produtividade Engenharia de projetos Qualidade assegurada Certificado de garantia Sigilo industrial Confiabilidade. Há mais de 46 anos no mercado, a Torcisão iniciou as suas atividades no desenvolvimento de materiais para a indústria automobilística, que exigia um rigoroso controle técnico e de qualidade. Em 2006, com

Leia mais

MANUAL DO CONSUMIDOR VENTILADOR DE TETO

MANUAL DO CONSUMIDOR VENTILADOR DE TETO VENTILADOR DE TETO MODELOS: WIND MDF/PLAST. WIND LIGHT MDF/PLAST. COMERCIAL Obrigado por adquirir o VENTISOL. Antes de utilizar o seu produto leia atentamente este manual de instruções. Após a leitura

Leia mais

ODONTO IDÉIAS Nº 07. As 100 Melhores Idéias da Odontologia CALIBRADORES DE ESPAÇO INTERPROXIMAL

ODONTO IDÉIAS Nº 07. As 100 Melhores Idéias da Odontologia CALIBRADORES DE ESPAÇO INTERPROXIMAL ODONTO IDÉIAS Nº 07 As 100 Melhores Idéias da Odontologia CALIBRADORES DE ESPAÇO INTERPROXIMAL Nossa intenção com esta coluna é reconhecer o espírito criativo do Cirurgião Dentista brasileiro, divulgando

Leia mais

Aparelho Arco E-1886E. Partes do aparelho

Aparelho Arco E-1886E. Partes do aparelho BRÁQUETES Aparelho Arco E-1886E Partes do aparelho Aparelho Arco E -1886 APARELHO PINO E TUBO - 1912 Arco Cinta -1915 Aparelho Edgewise - 1925 Braquete original Os primeiros bráquetes eram.022 de uma liga

Leia mais

Aparelho de protração mandibular: uma abordagem em Ortodontia Lingual

Aparelho de protração mandibular: uma abordagem em Ortodontia Lingual caso clínico parelho de protração mandibular: uma abordagem em Ortodontia Lingual Mandibular protraction appliance: a lingual orthodontics approach Marcos Gabriel do Lago Prieto* Lucas Tristão Prieto**

Leia mais

1. Introdução. 2. Fios ortodônticos. Centro de Pós Graduação em Ortodontia

1. Introdução. 2. Fios ortodônticos. Centro de Pós Graduação em Ortodontia 1. Introdução O alinhamento e o nivelamento é o primeiro estágio do tratamento ortodôntico com aparelho fixo. Alinhamento significa colocar os braquetes e os tubos alinhados no sentido vestibulolingual.

Leia mais

Borracha Natural - conservação amônia. vulcanizado. Sintéticos carvão,petróleo e álcoois vegetais TIPOS DE ELÁSTICOS

Borracha Natural - conservação amônia. vulcanizado. Sintéticos carvão,petróleo e álcoois vegetais TIPOS DE ELÁSTICOS Curso de Aperfeiçoamento em Ortodontia Elásticos TIPOS DE ELÁSTICOS Borracha Natural - conservação amônia sensível ao ozônio vulcanizado Sintéticos carvão,petróleo e álcoois vegetais Elasticidade é a propriedade

Leia mais

Tratamento de Classe II, Divisão 1, com ausência congênita de incisivo lateral superior

Tratamento de Classe II, Divisão 1, com ausência congênita de incisivo lateral superior A RTIGO DE D IVULGA ÇÃO Tratamento de Classe II, Divisão 1, com ausência congênita de incisivo lateral superior Roberto M. A. LIMA FILHO*, Anna Carolina LIMA**, José H. G. de OLIVEIRA***, Antonio C. de

Leia mais

PREZADO CLIENTE SOBRE OS CARROS FECHADOS INSTRUÇÕES DE MONTAGEM. Encaixe a divisória como mostram as figuras abaixo.

PREZADO CLIENTE SOBRE OS CARROS FECHADOS INSTRUÇÕES DE MONTAGEM. Encaixe a divisória como mostram as figuras abaixo. CHECK-LIST ( X ) QTDE DESCRIÇÃO SUPORTE DE RODA PUXADOR SUPORTE PARA O TUBO DE PAPEL TUBO PARA PAPEL ROLO DE PAPEL PONTEIRA BANDEJA CAIXA LATERAL SUPORTE PARA MORSA TRAVA DO SUPORTE PARA MORSA BASE DE

Leia mais

Ferramentas isoladas Vde. Rua do Manifesto, 2216 - Ipiranga - São Paulo Fone: +55 (11) 2271-3211 www.internacionalferramentas.com.

Ferramentas isoladas Vde. Rua do Manifesto, 2216 - Ipiranga - São Paulo Fone: +55 (11) 2271-3211 www.internacionalferramentas.com. Ferramentas isoladas Vde Rua do Manifesto, 2216 - Ipiranga - São Paulo Dupla camada de isolação nas ferramentas VDE A dupla camada de proteção plástica das ferramentas VDE oferece mais segurança ao usuário

Leia mais

Descrição do aparelho Moreira: proposta de tratamento da má oclusão Classe III de Angle

Descrição do aparelho Moreira: proposta de tratamento da má oclusão Classe III de Angle Dica Clínica Descrição do aparelho Moreira: proposta de tratamento da má oclusão Classe III de ngle na Karina lves Moreira*, cácio Fuziy**, Paulo César Tukasan***, Valtercides lves Moreira Filho**** Resumo

Leia mais

Corte e dobra. Nesta aula, você vai ter uma visão geral. Nossa aula. Princípios do corte e da dobra

Corte e dobra. Nesta aula, você vai ter uma visão geral. Nossa aula. Princípios do corte e da dobra A U A UL LA Corte e dobra Introdução Nesta aula, você vai ter uma visão geral de como são os processos de fabricação por conformação, por meio de estampos de corte e dobra. Inicialmente, veremos os princípios

Leia mais

Boa leitura a todos e aguardamos seus comentários e sugestões. Ricardo Moresca

Boa leitura a todos e aguardamos seus comentários e sugestões. Ricardo Moresca Orthodontic Science and Practice. 2012; 5(19):261-274. 261 A Classe II é uma das más oclusões mais frequentes entre os pacientes que buscam pelo tratamento ortodôntico e a sua correção pode representar

Leia mais

PUCPR - O.R.T.O.D.O.N.T.I.A - GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO F I C H A C L Í N I C A Nome do/a Paciente: Número: 1.0 IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE 1.1 Nome: 1.2 Data de Nascimento: Sexo: F M Idade: 1.3 Peso: Kg

Leia mais

O setup ortodôntico como método auxiliar de diagnóstico e planejamento

O setup ortodôntico como método auxiliar de diagnóstico e planejamento Dica Clínica O setup ortodôntico como método auxiliar de diagnóstico e planejamento Hallissa Simplício*, Ary dos Santos-Pinto**, Marcus Vinicius Almeida de Araújo***, Sergei Godeiro Fernandes Rabelo Caldas****,

Leia mais

5 Discussão dos Resultados

5 Discussão dos Resultados 87 5 Discussão dos Resultados No procedimento de análises das imagens gráficas obtidas nas simulações pelo método de elementos finitos, comparou-se a distribuição das tensões nas restaurações com material

Leia mais

avaliação dos modos de descolagem e a presença de fraturas no esmalte, após os ensaios mecânicos.

avaliação dos modos de descolagem e a presença de fraturas no esmalte, após os ensaios mecânicos. da resistência ao cisalhamento destes materiais, com e sem condicionamento ácido do esmalte, após 48 horas e 10 dias; verificação da influência do período dos ensaios mecânicos sobre a resistência ao cisalhamento;

Leia mais

Ortho In Lab. Resumo PROSTHESIS

Ortho In Lab. Resumo PROSTHESIS Planejamento e individualização da aparatologia ortodôntica conjugada aos mini-implantes ( DATs) Parte I Sítios de instalação uma área de risco controlado. Individualization of planning and orthodontic

Leia mais

Breve Panorama Histórico

Breve Panorama Histórico Análise Facial Breve Panorama Histórico Norman Kingsley Kingsley (final do séc.xix): s a articulação dos dentes secundária à aparência facial. Breve Panorama Histórico Edward Angle (in (início séc. s XX)

Leia mais

Utilização do APM no tratamento da má oclusão de Classe II, 2ª divisão, em paciente adulto

Utilização do APM no tratamento da má oclusão de Classe II, 2ª divisão, em paciente adulto Caso Clínico Utilização do APM no tratamento da má oclusão de Classe II, 2ª divisão, em paciente adulto Jaime Sampaio Bicalho*, Rafael de Faria Bicalho** Resumo Relato de caso clínico de paciente com 51

Leia mais

Como a palavra mesmo sugere, osteointegração é fazer parte de, ou harmônico com os tecidos biológicos.

Como a palavra mesmo sugere, osteointegração é fazer parte de, ou harmônico com os tecidos biológicos. PRINCIPAIS PERGUNTAS SOBRE IMPLANTES DENTÁRIOS. O que são implantes osseointegrados? É uma nova geração de implantes, introduzidos a partir da década de 60, mas que só agora atingem um grau de aceitabilidade

Leia mais

ODONTOLOGIA ESTÉTICA

ODONTOLOGIA ESTÉTICA ODONTOLOGIA ESTÉTICA O sorriso enaltece os dentes que podem assim como outros elementos da face denunciar a idade cronológica do ser humano por meio de desgastes ou mesmo pela alteração da cor. Nesse contexto,

Leia mais

Os procedimentos para determinar a resistência do condutor são:

Os procedimentos para determinar a resistência do condutor são: 1 Data realização da Laboratório: / / Data da entrega do Relatório: / / Objetivos RELATÓRIO: N o 5 ENSAIO DE FIOS CONDUTORES Verificar o estado da isolação do condutor. 1. Introdução: Esta aula tem como

Leia mais

Descrição do Método de Contenção Fixa, com Livre Acesso do Fio Dental

Descrição do Método de Contenção Fixa, com Livre Acesso do Fio Dental Dica Clínica Descrição do Método de Contenção Fixa, com Livre Acesso do Fio Dental Description of the Method of Fixed Retention, with Free Access of the Dental Floss Jaime Sampaio Bicalho * Karla Tonelli

Leia mais

PosiLeno E OUTROS PRODUTOS PARA A TECELAGEM DE GIRO INGLÊS

PosiLeno E OUTROS PRODUTOS PARA A TECELAGEM DE GIRO INGLÊS info W I N F O R M A Ç Ã O T É C N I C A E A V I N G 5 PosiLeno E OUTROS PRODUTOS PARA A TECELAGEM DE GIRO INGLÊS Os tecidos de giro inglês são cada vez mais utilizados também em aplicações técnicas. Daí

Leia mais

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Módulo IV Aula 07 Solda A soldagem é um tema muito extenso. Basicamente a soldagem é a união de materiais, mas existem inúmeros processos totalmente diferentes

Leia mais

Correção da relação sagital entre os arcos dentais Classe II

Correção da relação sagital entre os arcos dentais Classe II Correção da relação sagital entre os arcos dentais Classe II CAPÍTULO 13 Karyna Martins do Valle-Corotti Danilo Furquim Siqueira INTRODUÇÃO Angle 1 definiu a maloclusão de Classe II como uma relação mesiodistal

Leia mais

IGC - Índice do Grau de Complexidade

IGC - Índice do Grau de Complexidade IGC - Índice do Grau de Complexidade Uma medida da complexidade do caso DI -American Board of Orthodontics Autorização American Board of Orthodon1cs- ABO Atualização: 13.05.2013 12. Outros Itens pontuados

Leia mais

Seção 9 PISTÕES - ANÉIS - BIELAS

Seção 9 PISTÕES - ANÉIS - BIELAS Seção 9 PISTÕES - ANÉIS - BIELAS Índice da seção Página Bielas Montagem da biela no pistão... 4 Verificação Instalação... 7 Remoção Torque... 8 Pistões Montagem do pistão na biela... 4 Verificação do desgaste

Leia mais

Manual de Instalação. Portas de Segurança

Manual de Instalação. Portas de Segurança Manual de Instalação Portas de Segurança JAN/2013 Conteúdo Apresentação da Magma 01 Apresentação do Produto 02 Cuidados Gerais 03 Transporte/Recebimento 03 Componentes 04 Material Necessário 05 Obra x

Leia mais

PISCINAS EM CONCRETO ARMADO

PISCINAS EM CONCRETO ARMADO PISCINAS EM CONCRETO ARMADO PISCINAS EM CONCRETO ARMADO COM TELAS SOLDADAS CONCEITOS BÁSICOS As telas soldadas são armaduras prontas para concreto armado, produzidas com aço de alta resistência (CA 60),

Leia mais

Ensaio de Emissão Acústica Aplicado em Cilindros sem Costura para Armazenamento de Gases

Ensaio de Emissão Acústica Aplicado em Cilindros sem Costura para Armazenamento de Gases Ensaio de Emissão Acústica Aplicado em Cilindros sem Costura para Armazenamento de Gases Pedro Feres Filho São Paulo, Brasil e-mail: pedro@pasa.com.br 1- Resumo Este trabalho teve como objetivo apresentar

Leia mais

Instalações Máquinas Equipamentos Pessoal de produção

Instalações Máquinas Equipamentos Pessoal de produção Fascículo 6 Arranjo físico e fluxo O arranjo físico (em inglês layout) de uma operação produtiva preocupa-se com o posicionamento dos recursos de transformação. Isto é, definir onde colocar: Instalações

Leia mais

6. CILINDROS PNEUMÁTICOS

6. CILINDROS PNEUMÁTICOS 6. CILINDROS PNEUMÁTICOS Os cilindros, também conhecidos como atuadores lineares, são elementos pneumáticos de trabalho os quais transformam a energia proveniente do ar comprimido em energia mecânica,

Leia mais

Parafusos III. Até agora você estudou classificação geral. Parafuso de cabeça sextavada

Parafusos III. Até agora você estudou classificação geral. Parafuso de cabeça sextavada A U A UL LA Parafusos III Introdução Até agora você estudou classificação geral dos parafusos quanto à função que eles exercem e alguns fatores a serem considerados na união de peças. Nesta aula, você

Leia mais

www.dentaladvisor.com Quick Up Editors Choice + + + + +

www.dentaladvisor.com Quick Up Editors Choice + + + + + www.dentaladvisor.com Material autopolimerizável para a fixação de attachments e elementos secundários em próteses Editors Choice + + + + + A SOLUÇÃO EM UM KIT É muito comum as próteses totais apresentarem

Leia mais

CURSO EXTENSIVO DE ENCERAMENTO E CERÂMICA

CURSO EXTENSIVO DE ENCERAMENTO E CERÂMICA Dr. Dario Adolfi Dr. Ivan Ronald Huanca Duração: 6 meses/módulos de 2 dias. Datas: 11 e 12 de março de 2010 8 e 9 de abril de 2010 13 e 14 de maio de 2010 17 e 18 de junho de 2010 15 e 16 de julho de 2010

Leia mais

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO INTRODUÇÃO As estruturas mistas podem ser constituídas, de um modo geral, de concreto-madeira, concretoaço ou aço-madeira. Um sistema de ligação entre os dois materiais

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS Efeitos dentoalveolares e esqueléticos do tratamento da má oclusão Classe II com os aparelhos Herbst, Jasper Jumper e o Aparelho de Protração Mandibular

Leia mais

Aparelho distalizador intra-bucal Distal Jet: confecção laboratorial e manejo clínico

Aparelho distalizador intra-bucal Distal Jet: confecção laboratorial e manejo clínico Dica Clínica Aparelho distalizador intra-bucal Distal Jet: confecção laboratorial e manejo clínico Giordani Santos Silveira*, Luiz Fernando Eto** Resumo Nas últimas décadas têm-se observado o surgimento

Leia mais

STOL CH 701. 7R3-1 Rear Skin. Note: Tanto o lado superior como o lado inferior do revestimento estão perpendiculares a dobra longitudinal.

STOL CH 701. 7R3-1 Rear Skin. Note: Tanto o lado superior como o lado inferior do revestimento estão perpendiculares a dobra longitudinal. 7R3-1 Rear Skin Note: Tanto o lado superior como o lado inferior do revestimento estão perpendiculares a dobra longitudinal. Manuseia o revestimento Com muita atenção e delicadeza. desta forma você evitará

Leia mais

A Importância do diagnóstico e intervenção precoce no tratamento das maloclusões em odontopediatria

A Importância do diagnóstico e intervenção precoce no tratamento das maloclusões em odontopediatria A Importância do diagnóstico e intervenção precoce no tratamento das maloclusões em odontopediatria The importance of early diagnosis and intervention in the treatment of malocclusion in pediatric dentistry

Leia mais

ANDAIME MÓVEL. assco rápido ALUMÍNIO

ANDAIME MÓVEL. assco rápido ALUMÍNIO ANDAIME MÓVEL assco rápido ALUMÍNIO A Família do andaime móvel assco rápido O programa de andaime móvel de alumínio assco rápido atende às exigências impostas a qualquer sistema moderno de andaime móvel.

Leia mais

Proposta para a Padronização das Tomadas Fotográficas Intrabucais, com Finalidade Ortodôntica

Proposta para a Padronização das Tomadas Fotográficas Intrabucais, com Finalidade Ortodôntica Artigo Inédito Relatos clínicos e de técnicas, investigações científicas e revisões literárias Proposta para a Padronização das Tomadas Fotográficas Intrabucais, com Finalidade Ortodôntica A fotografia

Leia mais

Mandrilamento. determinado pela operação a ser realizada. A figura a seguir mostra um exemplo de barra de mandrilar, também chamada de mandril.

Mandrilamento. determinado pela operação a ser realizada. A figura a seguir mostra um exemplo de barra de mandrilar, também chamada de mandril. A UU L AL A Mandrilamento Nesta aula, você vai tomar contato com o processo de mandrilamento. Conhecerá os tipos de mandrilamento, as ferramentas de mandrilar e as características e funções das mandriladoras.

Leia mais

TYPODONT. 1 - Partes Constituintes: 1.1 - Bases 1.2 - Plataformas de Suporte

TYPODONT. 1 - Partes Constituintes: 1.1 - Bases 1.2 - Plataformas de Suporte TYPODONT 1 - Partes Constituintes: 2 - Preparo: 3 - Finalidade: 4 - Dentes: 1.1 - Bases 1.2 - Plataformas de Suporte 1.3 - Hastes 1.4 - Parafusos de Fixação das Bases 1.5 - Parafusos de Fixação dos Guias

Leia mais

Tópico 5. Aula Prática: Paquímetro e Micrômetro: Propagação de Incertezas - Determinação Experimental do Volume de um Objeto

Tópico 5. Aula Prática: Paquímetro e Micrômetro: Propagação de Incertezas - Determinação Experimental do Volume de um Objeto Tópico 5. Aula Prática: Paquímetro e Micrômetro: Propagação de Incertezas - Determinação Experimental do Volume de um Objeto 1. INTRODUÇÃO Será calculado o volume de objetos como esferas, cilindros e cubos

Leia mais

MANUAL DE MONTAGEM. Revisão 10 MONTAGEM DO DISCO SOLAR PARA AQUECIMENTO DE ÁGUA

MANUAL DE MONTAGEM. Revisão 10 MONTAGEM DO DISCO SOLAR PARA AQUECIMENTO DE ÁGUA MANUAL DE MONTAGEM Revisão 10 MONTAGEM DO DISCO SOLAR PARA AQUECIMENTO DE ÁGUA Parabéns por adquirir um dos mais tecnológicos meios de aquecimento de água existentes no mercado. O Disco Solar é por sua

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I

Organização e Arquitetura de Computadores I Organização e Arquitetura de Computadores I Aritmética Computacional Slide 1 Sumário Unidade Lógica e Aritmética Representação de Números Inteiros Aritmética de Números Inteiros Representação de Números

Leia mais

Complicações clínicas durante o uso do aparelho de Herbst com cantilever e com splint de acrílico removível inferior

Complicações clínicas durante o uso do aparelho de Herbst com cantilever e com splint de acrílico removível inferior 272 Complicações clínicas durante o uso do aparelho de Herbst com cantilever e com splint de acrílico removível inferior Clinical complications during Herbst treatment with cantilever and removable mandibular

Leia mais