A sessão do ano 2014 culminou a sua solenidade ao contar com a presença e discurso

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A sessão do ano 2014 culminou a sua solenidade ao contar com a presença e discurso"

Transcrição

1 1 REPÚBLICA DE ANGOLA GABINETE DO PRESIDENTE DISCURSO DE ABERTURA ANO JUDICIAL Por tradição, entre nós inspirada nos sistemas jurídicos que nos serviram de fonte e, agora, por imperativo do disposto no n.º 2 do art.7º, da Lei n.º2/15, 02 de Fevereiro Lei Orgânica sobre a Organização e Funcionamento dos Tribunais de Jurisdição Comum, estamos reunidos para a Sessão de Abertura do Ano Judicial de A sessão do ano 2014 culminou a sua solenidade ao contar com a presença e discurso Pág. 1/11

2 indelével de encerramento de Sua Ex.ª Chefe de Estado e Supremo Magistrado da Nação Angolana. Hoje, por razões ponderadas e, indubitavelmente, ponderosas não contará esta Cerimónia com a palavra esclarecida de Sua Excelência Presidente da República. Cabe, pois a este Juiz Conselheiro Presidente que vos fala proferir a última alocução. Faço-o pela primeira vez, após a minha tomada de posse, na função que exerço desde o dia 10/10/2014. Faço-o também perante Vossas Excelências, o que muito me honra. Iniciarei fazendo um breve balanço da actividade judiciária nacional, realizada no ano passado. Assim: 2 Pág. 2/11

3 1. A nível dos Tribunais Provinciais - transitaram processos, deram entrada , totalizando Foram julgados , correspondentes à uma produtividade de 33%. Transitaram para o ano de 2015: processos A nível do Tribunal Supremo: a) Na Câmara Criminal transitaram processos, deram entrada novos processos, totalizando Esta Câmara julgou 1.946, ficando pendentes 2.253, representando uma taxa de produtividade de cerca de 58%; b) Na Câmara do Cível, Administrativo, Fiscal e Aduaneiro Transitaram 875 processos, deram entrada 547 novos processos, totalizando processos pendentes nesta jurisdição à altura. Foram Pág. 3/11

4 julgados 301 e transitaram 1.121, correspondendo a uma taxa de cerca de 21%; c) Na Câmara do Trabalho Transitaram do ano de 2013: 274 processos, tendo dado entrada 75 novos processos, totalizando 349. Destes foram julgados 73 e transitaram para o ano de 2015: 276, correspondendo a uma taxa de 21%. 4 EXCELÊNCIAS, Comparando os dados apresentados com a produtividade do ano de 2013, constata-se que: a) Relativamente aos Tribunais Provinciais houve um aumento de 2%; b) Ao nível do Tribunal Supremo: - A Câmara Criminal superou o seu desempenho em 16%; Pág. 4/11

5 - O desempenho conjunto das Câmaras do Cível, Administrativo, Fiscal, Aduaneiro e do Trabalho conheceu um decréscimo de 10%. Esta Câmara foi desdobrada no final do ano de 2013, razão pela qual o balanço comparativo se faz em conjunto. É de notar que, relativamente aos Tribunais Provinciais, é generalizada a escassez numerária de Magistrados Judiciais, a insuficiência de oficiais de justiça (enfatizando-se a dos oficiais de diligências), de salas de audiências e de meios técnicos. EXCELÊNCIAS, O presente ano foi perspectivado como o ano do início da implementação da reforma do nosso Sistema Judiciário Comum, com o novo 5 Pág. 5/11

6 desenho e mapeamento dos Tribunais de Jurisdição Comum. Nesta jornada, com a qual reiteramos o nosso compromisso, adoptou-se como mote ou palavras de ordem: - Por uma justiça célere e eficaz, assumamos as nossas responsabilidades. A razão da sua escolha assenta no facto de que é na pessoa do Juiz, aquele que exerce a jurisdição, que pode provir a verdadeira Reforma para o Poder Judiciário Angolano. Entendemos que o juiz de ser nutrido de sentimentos humanos, de sentido de Justiça e duma postura ética compaginável com a função de julgador. 6 Pág. 6/11

7 Defendemos, por isso, que o candidato ao ingressar para a carreira de magistratura judicial devem movê-lo a sua vocação, o seu ímpeto, devidamente embasados pelo seu carácter, e não a avidez de um emprego, eventualmente, melhor remunerado, sem exigência correspondente. Propomos, também por isso, que em breve no currículo do nosso Instituto Nacional de Estudos Judiciários (INEJ) passe a existir a formação humanitária e pragmática, enfatizada na ética e deontologia do magistrado judicial. Julgamos também ser necessário incentivarse o recurso aos valores fundamentais e a reflexão filosófica para que se consiga aprofundar as grandes questões que são colocadas aos nossos Magistrados Judiciais. 7 Pág. 7/11

8 Assim agindo não estará o juiz a ser mero solucionar de processos mas um decisor de conflitos, buscando a Justiça e a estabilidade social. EXCELÊNCIAS, A questão da Justiça, nos dias de hoje, interessa a todos. Sobretudo, quando vemos que a procura incessante do bem-estar individual coabita com manifestações de injustiça concreta. Foi pensando nisso que decidimos organizar o Seminário amanhã, sob o desígnio: Governação e a Organização da Justiça, preocupados que estamos em alterar o parâmetro da qualidade e desempenho dos nossos tribunais, em parceria com outros meios alternativos de resolução de conflitos e de pacificação social. Saudamos, por 8 Pág. 8/11

9 isso, a iniciativa do Executivo na concretização de tais meios de resolução extrajudicial de diferendos. Pretendemos com o referido Seminário haurir conhecimento e experiência doutros quadrantes da Lusofonia, buscando sempre caminhos para que tenhamos instâncias jurisdicionais mais eficazes, efectivas e eficientes. Assim agindo, pensamos, estaremos a contribuir para a afirmação de um Estado de Direito Democrático cada vez mais sedimentado. EXCELÊNCIAS, Minhas Senhoras e Meus Senhores, Fizemos referência à entrada em vigor da nova Lei Orgânica da Organização e 9 Pág. 9/11

10 Funcionamento dos Tribunais de Jurisdição Comum. O momento em que se verifica o seu início de vigência é difícil para todos os Angolanos e também para o Sistema Judiciário. Tal como no passado, esperamos ultrapassar essa provação, para que possamos criar as condições humanas e materiais para a instalação dos Tribunais da Relação de Luanda e de Benguela. Só nessa altura terá aplicabilidade a Lei que vimos referindo com a fase experimental, após a qual instalaremos novos Tribunais de Comarca. É grande o desafio que nos espera. Maior deve ser o nosso ânimo que nos norteia e enforma. Convido-vos a acompanhar-me na repetição da palavra de ordem: 10 Pág. 10/11

11 - Por uma justiça célere e eficaz, assumamos as nossas responsabilidades (!) 11 Para terminar EXCELÊNCIAS, (Minhas Senhoras e Meus Senhores), Em nome do Poder Judicial em Angola: DECLARO ABERTO O ANO JUDICIAL DE Muito Obrigado. Pág. 11/11

Audit Medel Portugal. Questionário. Magistratura Judicial: 1- Os juízes são independentes?

Audit Medel Portugal. Questionário. Magistratura Judicial: 1- Os juízes são independentes? Audit Medel Portugal Tendo em vista adoptar procedimentos de trabalho que viabilizem a obtenção, no tempo disponível e necessariamente limitado em que vai decorrer a visita dos auditores internacionais,

Leia mais

DECRETO N.º 41/IX. Artigo 1.º Objecto

DECRETO N.º 41/IX. Artigo 1.º Objecto DECRETO N.º 41/IX CRIA UM NOVO INSTRUMENTO DE GESTÃO DESTINADO A CONFERIR AOS CONSELHOS SUPERIORES E AO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA COMPETÊNCIA PARA ADOPTAR MEDIDAS EXCEPCIONAIS DESTINADAS A SUPERAR SITUAÇÕES

Leia mais

Excelentíssimo Senhor Vice Presidente da República. Venerando Juiz Conselheiro Presidente do Tribunal Supremo

Excelentíssimo Senhor Vice Presidente da República. Venerando Juiz Conselheiro Presidente do Tribunal Supremo Excelentíssimo Senhor Vice Presidente da República (Eng.º Manuel Domingos Vicente) Venerando Juiz Conselheiro Presidente do Tribunal Supremo (Dr. Manuel da Costa Aragão) Venerando Juiz Conselheiro Presidente

Leia mais

Exma. Senhora Chefe do Gabinete de Sua Excelência a Presidente da Assembleia da República Dra. Noémia Pizarro RESPOSTA À PERGUNTA N.º 3484/XII/1.

Exma. Senhora Chefe do Gabinete de Sua Excelência a Presidente da Assembleia da República Dra. Noémia Pizarro RESPOSTA À PERGUNTA N.º 3484/XII/1. Exma. Senhora Chefe do Gabinete de Sua Excelência a Presidente da Assembleia da República Dra. Noémia Pizarro SUA REFERÊNCIA SUA COMUNICAÇÃO DE NOSSA REFERÊNCIA Nº: 5699 ENT.: 5369 PROC. Nº: DATA 31/07/2012

Leia mais

Discurso proferido pelo Presidente do Tribunal de Última Instância, Sam Hou Fai, na Cerimónia de Abertura do Ano Judicial 2000-2001

Discurso proferido pelo Presidente do Tribunal de Última Instância, Sam Hou Fai, na Cerimónia de Abertura do Ano Judicial 2000-2001 Discurso proferido pelo Presidente do Tribunal de Última Instância, Sam Hou Fai, na Cerimónia de Abertura do Ano Judicial 2000-2001 da Região Administrativa Especial de Macau Senhor Chefe do Executivo,

Leia mais

FÓRUM DOS PRESIDENTES DOS SUPREMOS TRIBUNAIS DE JUSTIÇA DOS PAÍSES E TERRITÓRIOS DE LÍNGUA PORTUGUESA ANGOLA

FÓRUM DOS PRESIDENTES DOS SUPREMOS TRIBUNAIS DE JUSTIÇA DOS PAÍSES E TERRITÓRIOS DE LÍNGUA PORTUGUESA ANGOLA ANGOLA Memorandum Sobre a Estrutura e Funcionamento do Sistema Judicial de Angola O Sistema Judicial da República de Angola, como não podia deixar de ser, pode buscar a sua informação no Texto da Constituição

Leia mais

Poder Judiciário. Tabela 1 Poder Judiciário Primeira Instância Segunda Instância

Poder Judiciário. Tabela 1 Poder Judiciário Primeira Instância Segunda Instância O é a instituição encarregada de administrar justiça por meio dos tribunais. Sua função é assegurar o amparo, proteção ou tutela dos direitos dispostos nas leis. A Suprema Corte de Justiça é a máxima autoridade

Leia mais

Excelentíssima Senhora Desembargadora Maria Helena Mallmann, Digníssima Presidente do Egrégio Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região;

Excelentíssima Senhora Desembargadora Maria Helena Mallmann, Digníssima Presidente do Egrégio Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região; Discurso Sessão Solene de Ratificação de Posse das Desembargadoras Lucia Ehrenbrink e Tânia Regina Silva Reckziegel 30/11/2012 18 horas Plenário do TRT4 Excelentíssima Senhora Desembargadora Maria Helena

Leia mais

OS TRIBUNAIS E O MINISTÉRIO PÚBLICO

OS TRIBUNAIS E O MINISTÉRIO PÚBLICO OS TRIBUNAIS E O MINISTÉRIO PÚBLICO Art.º 202º da Constituição da República Portuguesa «1. Os tribunais são órgãos de soberania com competência para Administrar a justiça em nome do povo. (...)» A lei

Leia mais

CURRÍCULO PROFISSIONAL. 1. Funções anteriormente exercidas:

CURRÍCULO PROFISSIONAL. 1. Funções anteriormente exercidas: CURRÍCULO PROFISSIONAL Nome: João António Valente Torrão Data de nascimento: 24 de Maio de 1952 Local de nascimento: Pedrógão -Penamacor Categoria actual: Juiz Conselheiro da Secção de Contencioso Tributário

Leia mais

DISCURSO DE ENCERRAMENTO DO III SEMINÁRIO DA OISC CPLP HOTEL PESTANA, 12 DE JUNHO DE 2013, MERITÍSSIMO JUIZ CONSELHEIRO DR.

DISCURSO DE ENCERRAMENTO DO III SEMINÁRIO DA OISC CPLP HOTEL PESTANA, 12 DE JUNHO DE 2013, MERITÍSSIMO JUIZ CONSELHEIRO DR. DISCURSO DE ENCERRAMENTO DO III SEMINÁRIO DA OISC CPLP HOTEL PESTANA, 12 DE JUNHO DE 2013, MERITÍSSIMO JUIZ CONSELHEIRO DR. CLAUDIO XIMENES; PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE RECURSO DA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DO

Leia mais

ESCOLA NACIONAL DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE MAGISTRADOS ENFAM FUNDAMENTAÇÃO CONSTITUCIONAL

ESCOLA NACIONAL DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE MAGISTRADOS ENFAM FUNDAMENTAÇÃO CONSTITUCIONAL 1 ESCOLA NACIONAL DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE MAGISTRADOS ENFAM FUNDAMENTAÇÃO CONSTITUCIONAL No tocante à composição e gestão da Enfam (art. 105, parágrafo único, I): Funcionarão junto ao Superior

Leia mais

Resolução nº 126 do Conselho Nacional de Justiça, de 22 de fevereiro de 2011

Resolução nº 126 do Conselho Nacional de Justiça, de 22 de fevereiro de 2011 Resolução nº 126 do Conselho Nacional de Justiça, de 22 de fevereiro de 2011 Dispõe sobre o Plano Nacional de Capacitação Judicial de magistrados e servidores do Poder Judiciário (Publicada no DJ-e nº

Leia mais

Planejamento e Gestão para Cumprimento da Meta 02. *Cristiane Pederzolli Rentzsch*

Planejamento e Gestão para Cumprimento da Meta 02. *Cristiane Pederzolli Rentzsch* Planejamento e Gestão para Cumprimento da Meta 02 *Cristiane Pederzolli Rentzsch* I - Introdução II - A Meta 02 III - Experiência da 17ª Vara da SJDF IV - Conclusão V - Agradecimentos I. Introdução O Conselho

Leia mais

«A JURISDIÇÃO ADMINISTRATIVA E FISCAL

«A JURISDIÇÃO ADMINISTRATIVA E FISCAL Intervenção da Presidente da Associação dos Magistrados da Jurisdição Administrativa e Fiscal de Portugal, Juíza Conselheira Fernanda Martins Xavier e Nunes na sessão de abertura do Colóquio «A JURISDIÇÃO

Leia mais

2. 36. 2~U 1 ~)10 17 1

2. 36. 2~U 1 ~)10 17 1 Exmo. Senhor Presidente do ffistituto de Seguros de Portugal Avenida de Berna, n. 0 19 1050-037 Lisboa Sua referência Sua Comunicação Of. ~ Proc.R-1601/01 (A3) 2. 36. 2~U 1 ~)10 17 1 Assunto: Suspensão

Leia mais

PROTOCOLO DE CRIAÇÃO. 10 de Maio de 2006

PROTOCOLO DE CRIAÇÃO. 10 de Maio de 2006 PROTOCOLO DE CRIAÇÃO 10 de Maio de 2006 Quem é parte no Protocolo? A criação do Centro de Informação, Mediação e Arbitragem de Dívidas Hospitalares CIMADH é iniciada através de um Protocolo promovido pelo

Leia mais

O INDICADOR ESTATÍSTICO DA CARGA DE TRABALHO DO RELATÓRIO JUSTIÇA

O INDICADOR ESTATÍSTICO DA CARGA DE TRABALHO DO RELATÓRIO JUSTIÇA O INDICADOR ESTATÍSTICO DA CARGA DE TRABALHO DO RELATÓRIO JUSTIÇA EM NÚMEROS DO CNJ APONTA A NECESSIDADE DA EQUALIZAÇÃO DA FORÇA DE TRABALHO NOS TRIBUNAIS PARA CONCRETIZAÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO 2006-2011

PLANO ESTRATÉGICO 2006-2011 PLANO ESTRATÉGICO 2006-2011 MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Versão 0/Junho 2006 INDICE 1. Introdução 2. Visão, missão, valores 3. A estrutura do plano 4. Programa 1 6. Programa 2 Reforço da administração da justiça

Leia mais

Manifestação do Ministro Gilmar Mendes, no encerramento do II Encontro Nacional do Judiciário Belo Horizonte, 16/02/2009

Manifestação do Ministro Gilmar Mendes, no encerramento do II Encontro Nacional do Judiciário Belo Horizonte, 16/02/2009 Manifestação do Ministro Gilmar Mendes, no encerramento do II Encontro Nacional do Judiciário Belo Horizonte, 16/02/2009 Senhores, No encerramento destes trabalhos, gostaria de agradecer a contribuição

Leia mais

DESEMBARGADOR SÉRGIO ANTÔNIO DE RESENDE PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE MINAS GERAIS

DESEMBARGADOR SÉRGIO ANTÔNIO DE RESENDE PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE MINAS GERAIS DISCURSO DESEMBARGADOR SÉRGIO ANTÔNIO DE RESENDE PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE MINAS GERAIS ABERTURA DO 79º ENCONTRO NACIONAL DO COLÉGIO PERMANENTE DE PRESIDENTES DE TRIBUNAIS DE JUSTIÇA DO BRASIL

Leia mais

LEI N.º 10/91 ESTATUTO DOS MAGISTRADOS CAPÍTULO I ESTATUTO. Artigo l.º

LEI N.º 10/91 ESTATUTO DOS MAGISTRADOS CAPÍTULO I ESTATUTO. Artigo l.º LEI N.º 10/91 A Assembleia Nacional no uso das atribuições que lhe são conferidas ao abrigo da alínea d) do artigo 87º. Da Constituição, aprova a seguinte Lei: ESTATUTO DOS MAGISTRADOS CAPÍTULO I ESTATUTO

Leia mais

Relatório de Actividades do ano 2011 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica

Relatório de Actividades do ano 2011 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica Relatório de Actividades do ano 2011 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica Fevereiro de 2012 Índice 1. Resumo das actividades... 1 2. Balanço e aperfeiçoamento... 6 3. Perspectivas para os trabalhos

Leia mais

Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro Diretoria Geral de Planejamento, Coordenação e Finanças (DGPCF) 0301- Tribunal de Justiça.

Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro Diretoria Geral de Planejamento, Coordenação e Finanças (DGPCF) 0301- Tribunal de Justiça. ESTRUTURA PROGRAMÁTICA - PROPOSTA 2016 UNIDADE - UO 0301 PROGRAMA PROGRAMA Garantir o pagamento pelo efetivo serviço exercido por magistrados e servidores, bem como as obrigações de responsabilidade do

Leia mais

Senhor Presidente e Senhores Juízes do Tribunal de Justiça das Comunidades Europeias, Senhores Juízes Conselheiros do Supremo Tribunal Administrativo,

Senhor Presidente e Senhores Juízes do Tribunal de Justiça das Comunidades Europeias, Senhores Juízes Conselheiros do Supremo Tribunal Administrativo, Intervenção do Presidente do Supremo Tribunal Administrativo Conselheiro Manuel Fernando dos Santos Serra por altura da visita de uma Delegação do Tribunal de Justiça das Comunidades Europeias Supremo

Leia mais

Código da Insolvência e Recuperação de Empresas Apresentação e discussão do anteprojecto

Código da Insolvência e Recuperação de Empresas Apresentação e discussão do anteprojecto Fórum Auditório da Reitoria da Universidade Nova 16 de Julho de 2003 Código da Insolvência e Recuperação de Empresas Apresentação e discussão do anteprojecto Discurso de Sua Excelência o Secretário de

Leia mais

O Ministério da Justiça da República Portuguesa e o Ministério da Justiça da República democrática de Timor - Leste:

O Ministério da Justiça da República Portuguesa e o Ministério da Justiça da República democrática de Timor - Leste: Protocolo de Cooperação Relativo ao Desenvolvimento do Centro de Formação do Ministério da Justiça de Timor-Leste entre os Ministérios da Justiça da República Democrática de Timor-Leste e da República

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 191/2015

RESOLUÇÃO Nº 191/2015 RESOLUÇÃO Nº 191/2015 Institui o Programa Acadêmico Conciliador e Mediador, no âmbito do Poder Judiciário do Estado do Acre. O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ACRE, por seu Pleno Administrativo, no uso

Leia mais

ILUSTRES PARTICIPANTES DO FÓRUM EM CIÊNCIAS

ILUSTRES PARTICIPANTES DO FÓRUM EM CIÊNCIAS DISCURSO PRONUNCIADO POR SUA EXCELÊNCIA JOSÉ EDUARDO DOS SANTOS, PRESIDENTE DA REPÚBLICA DE ANGOLA, NA SESSÃO DE ENCERRAMENTO DO FÓRUM EM CIÊNCIAS DO DESPORTO APLICADAS AO FUTEBOL Luanda, 29 de Agosto

Leia mais

Acelerar a resolução de litígios entre empresas e chamar arbitragens internacionais a Portugal são dois propósitos do novo quadro legal

Acelerar a resolução de litígios entre empresas e chamar arbitragens internacionais a Portugal são dois propósitos do novo quadro legal RESOLUÇÃO ALTERNATIVA DE LITÍGIOS Arbitragem voluntária tem nova lei a boleia da troika Acelerar a resolução de litígios entre empresas e chamar arbitragens internacionais a Portugal são dois propósitos

Leia mais

Princípios Gerais da Reforma Judiciária. João Miguel Barros

Princípios Gerais da Reforma Judiciária. João Miguel Barros Princípios Gerais da Reforma Judiciária João Miguel Barros Agenda reformadora: 1. Reforma do Processo Civil 2. Organização Judiciária 3. Plano de Acção para a Justiça na Sociedade de Informação Ensaio

Leia mais

REGULAMENTO DE REGISTO E INSCRIÇÃO DOS ADVOGADOS PROVENIENTES DE OUTROS ESTADOS MEMBROS DA UNIÃO EUROPEIA

REGULAMENTO DE REGISTO E INSCRIÇÃO DOS ADVOGADOS PROVENIENTES DE OUTROS ESTADOS MEMBROS DA UNIÃO EUROPEIA REGULAMENTO DE REGISTO E INSCRIÇÃO DOS ADVOGADOS PROVENIENTES DE OUTROS ESTADOS MEMBROS DA UNIÃO EUROPEIA ARTIGO 1.º O presente Regulamento estabelece os requisitos de registo e inscrição na Ordem dos

Leia mais

ESCOLA NACIONAL DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE MAGISTRADOS MINISTRO SÁLVIO DE FIGUEIREDO TEIXEIRA RESOLUÇÃO Nº 3, DE 4 DE DEZEMBRO DE 2013.

ESCOLA NACIONAL DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE MAGISTRADOS MINISTRO SÁLVIO DE FIGUEIREDO TEIXEIRA RESOLUÇÃO Nº 3, DE 4 DE DEZEMBRO DE 2013. ESCOLA NACIONAL DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE MAGISTRADOS MINISTRO SÁLVIO DE FIGUEIREDO TEIXEIRA RESOLUÇÃO Nº 3, DE 4 DE DEZEMBRO DE 2013. Dispõe sobre o curso oficial para ingresso, o curso de formação

Leia mais

UNIDADES CURRICULARES

UNIDADES CURRICULARES Curso Especialização PLANO CURRICULAR UNIDADES CURRICULARES As reformas, a governação e a organização do sistema de justiça 42 h 7 Sociologia das organizações 30 h 6 Gestão pela qualidade total e desempenho

Leia mais

JULGADOS DE PAZ. Uma Justiça de proximidade

JULGADOS DE PAZ. Uma Justiça de proximidade JULGADOS DE PAZ Uma Justiça de proximidade 1. O projecto dos Julgados de Paz O Projecto dos Julgados de Paz iniciou-se com a aprovação por unanimidade na Assembleia da República da Lei n.º 78/2001, de

Leia mais

AMN A Z E V E D O, M A R Q U E S & N OVERSA Sociedade de Advogados, R.I.

AMN A Z E V E D O, M A R Q U E S & N OVERSA Sociedade de Advogados, R.I. Tabela de Honorários dos Advogados e Solicitadores (Portaria n.º 1386/2004, de 10 de Novembro repristinada pela Portaria n.º 210/2008, de 29 de Fevereiro) A Lei n.º 34/2004, de 29 de Julho, que procedeu

Leia mais

DECLARAÇÃO DE BUENOS AIRES (2012) 1

DECLARAÇÃO DE BUENOS AIRES (2012) 1 DECLARAÇÃO DE BUENOS AIRES (2012) 1 Sobre a atuação dos Juízes e Poderes Judiciários Iberoamericanos relativamente à informação, à participação pública e ao acesso à justiça em matéria de meio ambiente

Leia mais

CNJ REDUZ PRESSÃO SOBRE TRIBUNAIS E JUÍZES EM 2.011

CNJ REDUZ PRESSÃO SOBRE TRIBUNAIS E JUÍZES EM 2.011 CNJ REDUZ PRESSÃO SOBRE TRIBUNAIS E JUÍZES EM 2.011 Mariana Ghirello Todo ano, o Conselho Nacional de Justiça se reúne com os presidentes dos Tribunais de Justiça para identificar as necessidades do Poder

Leia mais

Registamos, com afeto, a presença de Vossa Excelência, nesta cerimónia uma honra ímpar para este Instituto.

Registamos, com afeto, a presença de Vossa Excelência, nesta cerimónia uma honra ímpar para este Instituto. Senhor Ministro da Administração Interna. Excelência. Registamos, com afeto, a presença de Vossa Excelência, nesta cerimónia uma honra ímpar para este Instituto. Excelentíssimo Senhor Vice-Procurador Geral

Leia mais

PROJETO DE READEQUAÇÃO DO FÓRUM DA CAPITAL

PROJETO DE READEQUAÇÃO DO FÓRUM DA CAPITAL PROJETO DE READEQUAÇÃO DO FÓRUM DA CAPITAL 2º e 3º PAVIMENTOS DO EMBASAMENTO E LÂMINAS I E II, 4º E 5º PAVIMENTOS DA LAMINA I E HALL DOS ELEVADORES DO 6º PAVIMENTO DA LÂMINA I COMPLEXO JUDICIÁRIO FÓRUM

Leia mais

Ministério do Interior, aprimorando estratégias para o reforço da paz, segurança e tranquilidade públicas

Ministério do Interior, aprimorando estratégias para o reforço da paz, segurança e tranquilidade públicas Ministério do Interior, aprimorando estratégias para o reforço da paz, segurança e tranquilidade públicas Discurso de Sua Excelência Filipe Jacinto Nyusi, Presidente da República de Moçambique, Comandante-Chefe

Leia mais

Nº 11/CSMPF GAB/MC PROCESSO Nº : 1.00.001.000097/2006-99

Nº 11/CSMPF GAB/MC PROCESSO Nº : 1.00.001.000097/2006-99 Nº 11/CSMPF GAB/MC PROCESSO Nº : 1.00.001.000097/2006-99 INTERESSADO : Doutor Igor Nery Figueiredo RELATORA : Conselheira MARIA CAETANA CINTRA SANTOS ASSUNTO : 22º Concurso Público para Provimento de Cargos

Leia mais

Senhor Diretor Nacional da Polícia de Segurança Pública, Senhor Diretor do Instituto de Ciências Policiais e Segurança Interna,

Senhor Diretor Nacional da Polícia de Segurança Pública, Senhor Diretor do Instituto de Ciências Policiais e Segurança Interna, Discurso Cerimónia de Abertura Solene do Ano Académico 2012/2013 (ISCPSI 20 NOV 12) Senhor Diretor Nacional da Polícia de Segurança Pública, Senhor Diretor do Instituto de Ciências Policiais e Segurança

Leia mais

Conciliação: simples e rápida solução de conflitos

Conciliação: simples e rápida solução de conflitos Conciliação: simples e rápida solução de conflitos Marina Nunes Vieira Acadêmica em Direito da PUCMinas É imprescindível, antes de dissertamos sobre o tema, que se esclareça a noção do que realmente seja

Leia mais

O recurso à Arbitragem e as suas vantagens

O recurso à Arbitragem e as suas vantagens O recurso à Arbitragem e as suas vantagens Modo de resolução jurisdicional de controvérsias em que, com base na vontade das partes, a decisão é confiada a um terceiro. Para este efeito, considera-se terceiro

Leia mais

Abertura do Ano Judicial 2011. Senhor Presidente da Assembleia da República. Senhor Presidente do Supremo Tribunal de Justiça

Abertura do Ano Judicial 2011. Senhor Presidente da Assembleia da República. Senhor Presidente do Supremo Tribunal de Justiça GABINETE DO MINISTRO Abertura do Ano Judicial 2011 16 de Março de 2011 Senhor Presidente da República Senhor Presidente da Assembleia da República Senhor Presidente do Supremo Tribunal de Justiça Senhor

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DO TRABALHO, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DO TRABALHO, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DO TRABALHO, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA A MINISTRA DO TRABALHO, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL. SEMINÁRIO SOBRE EMPRESAS EUROPEIAS E AS QUESTÕES

Leia mais

Ensino Fundamental com 9 anos de duração - Idade de Ingresso

Ensino Fundamental com 9 anos de duração - Idade de Ingresso Ensino Fundamental com 9 anos de duração - Idade de Ingresso A respeito da idade de ingresso das crianças, no ensino fundamental de 9 anos de duração, ocorreram acaloradas discussões na esfera educacional

Leia mais

PROCESSAR PEDIDOS DE MOVIMENTAÇÃO 1 OBJETIVO

PROCESSAR PEDIDOS DE MOVIMENTAÇÃO 1 OBJETIVO Proposto por: Equipe do Departamento de Apoio aos Núcleos Regionais PROCESSAR PEDIDOS DE MOVIMENTAÇÃO Analisado por: Diretor de Departamento de Apoio aos Núcleos Regionais (DENUR) Aprovado por: Juiz Auxiliar

Leia mais

Princípios orientadores da recuperação extrajudicial de devedores

Princípios orientadores da recuperação extrajudicial de devedores Princípios orientadores da recuperação extrajudicial de devedores 1 Princípios orientadores da recuperação extrajudicial de devedores O procedimento extrajudicial de recuperação de devedores permite que,

Leia mais

o mpf/sp e a unifesp notas para a audiência pública

o mpf/sp e a unifesp notas para a audiência pública o mpf/sp e a unifesp notas para a audiência pública unifesp, 23.04.2009 tópicos conhecendo o mpf unifesp e administração pública atuação do mpf/sp na unifesp tutela de direitos coletivos defesa do patrimônio

Leia mais

Exmº Sr. Director das Relações Internacionais da Associación de la Magistratura

Exmº Sr. Director das Relações Internacionais da Associación de la Magistratura Exmº Sr. Presidente da ASJP, Conselheiro Mouraz Lopes Exmº Sr. Director das Relações Internacionais da Associación de la Magistratura de Espanha, Dr. Francisco Silla Sanchis Exm.ºs Conferencistas Exm.ºs

Leia mais

DESCRIÇÃO E EXPLICAÇÃO GERAL DO SISTEMA JUDICIAL DO PANAMÁ

DESCRIÇÃO E EXPLICAÇÃO GERAL DO SISTEMA JUDICIAL DO PANAMÁ DESCRIÇÃO E EXPLICAÇÃO GERAL DO SISTEMA JUDICIAL DO PANAMÁ A administração de justiça é gratuita, expedita e ininterrupta. A gestão e atuação de todo processo terão tramitação simples e não estarão sujeitas

Leia mais

DISCURSO DE POSSE CORREGEDORIA-GERAL DA JUSTIÇA FEDERAL, Excelentíssimo Ministro Arnaldo Esteves Lima, Corregedor-Geral da Justiça Federal

DISCURSO DE POSSE CORREGEDORIA-GERAL DA JUSTIÇA FEDERAL, Excelentíssimo Ministro Arnaldo Esteves Lima, Corregedor-Geral da Justiça Federal DISCURSO DE POSSE CORREGEDORIA-GERAL DA JUSTIÇA FEDERAL, MINISTRO HUMBERTO MARTINS, 23 DE ABRIL DE 2014. Excelentíssimo Ministro Felix Fischer, Presidente do Superior Tribunal de Justiça e do Conselho

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 21 Discurso na cerimónia de instalação

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR NOVO CPC: PERSPECTIVAS PARA A JUSTIÇA BRASILEIRA DO SÉCULO XXI

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR NOVO CPC: PERSPECTIVAS PARA A JUSTIÇA BRASILEIRA DO SÉCULO XXI » Pedro Henrique Meira Figueiredo NOVO CPC: PERSPECTIVAS PARA A JUSTIÇA BRASILEIRA DO SÉCULO XXI O ano de 2010 marcou a comunidade jurídica com a divulgação dos tão esperados anteprojetos do novo Código

Leia mais

Diário da República, 1.ª série N.º 251 31 de Dezembro de 2007 9141. Portaria n.º 1633/2007

Diário da República, 1.ª série N.º 251 31 de Dezembro de 2007 9141. Portaria n.º 1633/2007 Diário da República, 1.ª série N.º 251 31 de Dezembro de 2007 9141 Portaria n.º 1633/2007 de 31 de Dezembro A Lei n.º 66 -B/2007, de 28 de Dezembro, que estabelece o sistema integrado de gestão e avaliação

Leia mais

PROTEÇÃO INTEGRAL À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE A JUDICIALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO

PROTEÇÃO INTEGRAL À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE A JUDICIALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROTEÇÃO INTEGRAL À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE A JUDICIALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO 2 EDUCAÇÃO CONCEITO ATUAL EDUCAR O INTELECTO DE CADA INDIVÍDUO PARA, COMPETENTEMENTE, ENSINÁ-LO A APOSSAR-SE DO SABER CAPAZ DE

Leia mais

PROJETO DE CIDADANIA

PROJETO DE CIDADANIA PROJETO DE CIDADANIA PROJETO DE CIDADANIA A Anamatra A Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho Anamatra congrega cerca de 3.500 magistrados do trabalho de todo o país em torno de interesses

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ORGANIZAÇÃO JUDICIÁRIA Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ORGANIZAÇÃO JUDICIÁRIA Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular ORGANIZAÇÃO JUDICIÁRIA Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular ORGANIZAÇÃO JUDICIÁRIA (02316)

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA RURAL INCONSTITUCIONALIDADE DECLARADA PELO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL NO RE Nº 363.852/MG.

CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA RURAL INCONSTITUCIONALIDADE DECLARADA PELO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL NO RE Nº 363.852/MG. CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA RURAL INCONSTITUCIONALIDADE DECLARADA PELO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL NO RE Nº 363.852/MG. Como amplamente noticiado nestes últimos dias, o Supremo Tribunal Federal, em decisão

Leia mais

Excelentíssimo Senhor Presidente do Tribunal de Justiça de Santa Catarina REF.: CARTA ABERTA DA COMARCA DE BLUMENAU: O SENTIMENTO DOS SERVIDORES

Excelentíssimo Senhor Presidente do Tribunal de Justiça de Santa Catarina REF.: CARTA ABERTA DA COMARCA DE BLUMENAU: O SENTIMENTO DOS SERVIDORES Blumenau (SC), 13 de Fevereiro de 2014. Excelentíssimo Senhor Presidente do Tribunal de Justiça de Santa Catarina REF.: CARTA ABERTA DA : O SENTIMENTO DOS SERVIDORES Inicialmente, agradecemos profundamente

Leia mais

DOCUMENTO METODOLÓGICO

DOCUMENTO METODOLÓGICO DOCUMENTO METODOLÓGICO Operação Estatística Estatísticas do pessoal ao serviço nos Tribunais Código: 471 Versão: 1.0 Abril de 2010 1 INTRODUÇÃO A operação estatística Pessoal ao serviço nos Tribunais tem

Leia mais

Novas regras para insolvência avançam em Maio, mas falta regular actividade dos gestores.

Novas regras para insolvência avançam em Maio, mas falta regular actividade dos gestores. Administradores de insolvência ainda sem estatuto Novas regras para insolvência avançam em Maio, mas falta regular actividade dos gestores. Económico, 23-04-12 As novas regras para o processo de insolvência

Leia mais

PARECER CÍVEL 2/6468/2015 MANDADO DE SEGURANÇA 202771-19.2015.8.090000 (201592027717)

PARECER CÍVEL 2/6468/2015 MANDADO DE SEGURANÇA 202771-19.2015.8.090000 (201592027717) PARECER CÍVEL 2/6468/2015 MANDADO DE SEGURANÇA 202771-19.2015.8.090000 (201592027717) IMPETRANTE IMPETRADO RELATOR SUBPROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA PARA ASSUNTOS JURÍDICOS MARCIO CAMARGO CAMPOS PRESIDENTE

Leia mais

Troca de Experiência com os Formandos do Curso ODC (Angola Noruega) Angola na Avaliação Periódica Universal (UPR)

Troca de Experiência com os Formandos do Curso ODC (Angola Noruega) Angola na Avaliação Periódica Universal (UPR) Comissão Intersectorial de Elaboração de Relatórios Nacionais de Direitos Humanos Troca de Experiência com os Formandos do Curso ODC (Angola Noruega) Angola na Avaliação Periódica Universal (UPR) Por:

Leia mais

As doenças tornam-se normalmente metáfora quando as suas causas são desconhecidas.

As doenças tornam-se normalmente metáfora quando as suas causas são desconhecidas. Intervenção do Presidente do Supremo Tribunal Administrativo Conselheiro Manuel Fernando dos Santos Serra Na Sessão de Encerramento do Curso de Especialização no âmbito do Concurso Excepcional de Ingresso

Leia mais

CARTA DE. Identificação. públicos. imparcialidade. Pública. 1 Estado de Direito. Democrático. 7 Justiça. 3 Isenção. Fonte: PLACOR

CARTA DE. Identificação. públicos. imparcialidade. Pública. 1 Estado de Direito. Democrático. 7 Justiça. 3 Isenção. Fonte: PLACOR REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE CARTA DE SERVIÇO DO TRIBUNAL ADMINISTRATIVO I. Identificação da Instituição Tribunal Administrativo II. Missão Garantir a justiça administrativa, fiscal e aduaneira ao cidadão,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº, DE DE 2010.

RESOLUÇÃO Nº, DE DE 2010. RESOLUÇÃO Nº, DE DE 2010. Dispõe sobre a divulgação de dados processuais eletrônicos na rede mundial de computadores, expedição de certidões judiciais e dá outras providências. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO 12ª Classe

PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO 12ª Classe república de angola ministério da educação PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO 12ª Classe Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário FASE DE EXPERIMENTAÇÃO Ficha Técnica Título Programa de Empreendedorismo

Leia mais

14. Convenção Relativa à Citação e à Notificação no Estrangeiro dos Actos Judiciais e Extrajudiciais em Matéria Civil e Comercial

14. Convenção Relativa à Citação e à Notificação no Estrangeiro dos Actos Judiciais e Extrajudiciais em Matéria Civil e Comercial 14. Convenção Relativa à Citação e à Notificação no Estrangeiro dos Actos Judiciais e Extrajudiciais em Matéria Civil e Comercial Os Estados signatários da presente Convenção, desejando criar os meios

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA A ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS DA BAHIA AMAB, entidade civil sem fins lucrativos, inscrita no CNPJ sob o nº

Leia mais

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO. A Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas, doravante designado por OTOC, pessoa

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO. A Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas, doravante designado por OTOC, pessoa PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO Entre A Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas, doravante designado por OTOC, pessoa coletiva n.º 503692310 com sede na Av.ª Barbosa du Bocage, 45 em LISBOA, representado pelo seu

Leia mais

Panorama da educação a distância na formação dos magistrados brasileiros

Panorama da educação a distância na formação dos magistrados brasileiros Panorama da educação a distância na formação dos magistrados brasileiros Práticas e desafios 7 e 8 de maio de 2015 Encontro de integração das Escolas da Magistratura Práticas e Desafios da Educação a Distância

Leia mais

Síntese da Cooperação Bilateral com São Tomé e Príncipe na área da Justiça

Síntese da Cooperação Bilateral com São Tomé e Príncipe na área da Justiça Síntese da Cooperação Bilateral com São Tomé e Príncipe na área da Justiça Fevereiro 2015 SÍNTESE DA COOPERAÇÃO BILATERAL COM SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE NA ÁREA DA JUSTIÇA O Ministério da Justiça tem apoiado,

Leia mais

DISCURSO PROFERIDO PELA PROFESSORA DOUTORA ELISA RANGEL- COORDENADORA CIENTÍFICA DO CURSO DE DOUTORAMENTO

DISCURSO PROFERIDO PELA PROFESSORA DOUTORA ELISA RANGEL- COORDENADORA CIENTÍFICA DO CURSO DE DOUTORAMENTO DISCURSO PROFERIDO PELA PROFESSORA DOUTORA ELISA RANGEL- COORDENADORA CIENTÍFICA DO CURSO DE DOUTORAMENTO Magnífico Reitor da Universidade Agostinho Neto, Excelentíssimo Decano Interino da Faculdade de

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DE MG Rua Tomaz Gonzaga 686 Bairro de Lourdes CEP 30180 140 Belo Horizonte MG RESOLUÇÃO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DE MG Rua Tomaz Gonzaga 686 Bairro de Lourdes CEP 30180 140 Belo Horizonte MG RESOLUÇÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DE MG Rua Tomaz Gonzaga 686 Bairro de Lourdes CEP 30180 140 Belo Horizonte MG RESOLUÇÃO RESOLUÇÃO N. 162/2015 Institui o Regimento Interno da Escola Judicial Militar do Estado

Leia mais

INTERVENÇÃO ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA 2008.10.02. José Pedro AGUIAR-BRANCO

INTERVENÇÃO ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA 2008.10.02. José Pedro AGUIAR-BRANCO INTERVENÇÃO ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA 2008.10.02 José Pedro AGUIAR-BRANCO Senhor Presidente Srs. Ministros Senhoras e Senhores Deputados 1. A segurança e a justiça constituem um pilar fundamental do Estado

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2013

PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 (Do Sr. Guilherme Campos) Dispõe sobre juros de mora e atualização monetária dos débitos judiciais. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Esta lei disciplina os juros de mora

Leia mais

Discurso de Sua Excelência o Governador do Banco de Cabo Verde, no acto de abertura do XIII Encontro de Recursos Humanos dos Bancos Centrais dos

Discurso de Sua Excelência o Governador do Banco de Cabo Verde, no acto de abertura do XIII Encontro de Recursos Humanos dos Bancos Centrais dos Discurso de Sua Excelência o Governador do Banco de Cabo Verde, no acto de abertura do XIII Encontro de Recursos Humanos dos Bancos Centrais dos Países de Língua Portuguesa 24 e 25 de Março de 2011 1 Senhor

Leia mais

DISCURSO DE POSSE DA EXM.ª VICE-PRESIDENTE JUÍZA DESEMBARGADORA DR.ª RAQUEL RÊGO 03-05-2011

DISCURSO DE POSSE DA EXM.ª VICE-PRESIDENTE JUÍZA DESEMBARGADORA DR.ª RAQUEL RÊGO 03-05-2011 DISCURSO DE POSSE DA EXM.ª VICE-PRESIDENTE JUÍZA DESEMBARGADORA DR.ª RAQUEL RÊGO 03-05-2011 Ex.mo Senhor Presidente do Tribunal da Relação de Guimarães, Ex.mºs Senhores Conselheiros do Supremo Tribunal

Leia mais

1. QUADRO DE REFERÊNCIA

1. QUADRO DE REFERÊNCIA PROTOCOLO entre Ministério da Justiça Presidência do Conselho de Ministros APS Associação Portuguesa de Seguradores DECO Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor ACP Automóvel Clube de Portugal

Leia mais

PROPOSTA DE LEI N.º 155/X. Exposição de Motivos

PROPOSTA DE LEI N.º 155/X. Exposição de Motivos PROPOSTA DE LEI N.º 155/X Exposição de Motivos O novo Estatuto dos Tribunais Administrativos e Fiscais e o Código de Processo nos Tribunais Administrativos, que procederam à reforma do contencioso administrativo,

Leia mais

Sessão Solene de abertura do Ano Judicial Supremo Tribunal de Justiça 8 de outubro de 2015

Sessão Solene de abertura do Ano Judicial Supremo Tribunal de Justiça 8 de outubro de 2015 Sessão Solene de abertura do Ano Judicial Supremo Tribunal de Justiça 8 de outubro de 2015 1. Ao longo da legislatura que agora termina, fiz sempre questão de enfatizar, em todas as sessões de abertura

Leia mais

Inquérito Juízos Criminais de Lisboa

Inquérito Juízos Criminais de Lisboa Inquérito Juízos Criminais de Lisboa Elaborado por Sofia Galvão Gabinete de Apoio à Presidência Fevereiro de 2010 Introdução O Conselho Distrital de Lisboa enviou, via mailing electrónico, a todos os Advogados

Leia mais

Apresentação do Projecto «Citius» e entrega de computadores portáteis com esta aplicação aos alunos do Centro de Estudos Judiciários Lisboa 2007-09-20

Apresentação do Projecto «Citius» e entrega de computadores portáteis com esta aplicação aos alunos do Centro de Estudos Judiciários Lisboa 2007-09-20 Apresentação do Projecto «Citius» e entrega de computadores portáteis com esta aplicação aos alunos do Centro de Estudos Judiciários Lisboa 2007-09-20 Não tendo podido estar presente na abertura das actividades

Leia mais

Parágrafo único É obrigatória a promoção de magistrado que figure, por três vezes consecutivas ou cinco alternadas, em lista de merecimento.

Parágrafo único É obrigatória a promoção de magistrado que figure, por três vezes consecutivas ou cinco alternadas, em lista de merecimento. RESOLUÇÃO Nº 9, DE 4 DE MAIO DE 2006 Dispõe sobre a aferição do merecimento para promoção de magistrados e acesso ao Tribunal de Justiça. O Tribunal de Justiça do Estado do Ceará, tendo em vista a decisão

Leia mais

I ENCONTRO NACIONAL DAS EMPRESAS DO SECTOR DA CONSTRUÇÃO E IMOBILIÁRIO Lisboa, 5 de Junho de 2012

I ENCONTRO NACIONAL DAS EMPRESAS DO SECTOR DA CONSTRUÇÃO E IMOBILIÁRIO Lisboa, 5 de Junho de 2012 I ENCONTRO NACIONAL DAS EMPRESAS DO SECTOR DA CONSTRUÇÃO E IMOBILIÁRIO Lisboa, 5 de Junho de 2012 Intervenção do Presidente da Direcção da APEGAC Associação Portuguesa da Empresas de Gestão e Administração

Leia mais

Acórdão nº 202 /05-6.Dez-1ªS/SS

Acórdão nº 202 /05-6.Dez-1ªS/SS Transitou em julgado em 09/01/06 Acórdão nº 202 /05-6.Dez-1ªS/SS Proc. nº 2 179/05 1. A Direcção-Geral de Informática e Apoio aos Serviços Tributários e Aduaneiros (DGITA) remeteu para fiscalização prévia

Leia mais

Exmo. Senhor Provedor de Justiça Rua Pau de Bandeira, n.º 9 1249-088 LISBOA. Exmo. Senhor Provedor de Justiça,

Exmo. Senhor Provedor de Justiça Rua Pau de Bandeira, n.º 9 1249-088 LISBOA. Exmo. Senhor Provedor de Justiça, Exmo. Senhor Provedor de Justiça Rua Pau de Bandeira, n.º 9 1249-088 LISBOA N/Refª: Ofício nº 1507/GES/PB/Lisboa, 04-10-04 Exmo. Senhor Provedor de Justiça, É entendimento da CGTP-IN que o regime de acesso

Leia mais

Dignos Presidentes dos Conselhos de Administração e das Comissões Executivas dos bancos comerciais

Dignos Presidentes dos Conselhos de Administração e das Comissões Executivas dos bancos comerciais Exmo Senhor Presidente da Associação Angolana de Bancos Sr. Amílcar Silva Dignos Presidentes dos Conselhos de Administração e das Comissões Executivas dos bancos comerciais Estimados Bancários Minhas Senhoras

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE DISCURSO DE AGRADECIMENTO E DESPEDIDA DO CHEFE DO ESTADO EM PRESIDÊNCIA ABERTA E INCLUSIVA 2014 Compatriotas! Caminhamos para o fim do meu mandato de governação como Presidente

Leia mais

Resolução nº 68, de 31 de maio de 1995. R E S O L V E

Resolução nº 68, de 31 de maio de 1995. R E S O L V E Resolução nº 68, de 31 de maio de 1995. O Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Acre, no uso de suas atribuições legais. R E S O L V E Aprovar, no âmbito do Poder Judiciário Estadual, as Normas

Leia mais

AGENDA DE ATIVIDADES 2011

AGENDA DE ATIVIDADES 2011 AGENDA DE ATIVIDADES 2011 JANEIRO Administração Financeira e Orçamentária (Promovido pela Enfam) Docente: Doutor Daniel Veloso Couri - Auditor Federal de Controle Externo do Tribunal de Contas da União

Leia mais

Temos assim que, ao longo do século XX, as tarefas tradicionais do Estado registaram um incremento extraordinário.

Temos assim que, ao longo do século XX, as tarefas tradicionais do Estado registaram um incremento extraordinário. Palavras do Presidente do Supremo Tribunal Administrativo Conselheiro Manuel Fernando dos Santos Serra Na Sessão de Abertura do Colóquio A Justiça Administrativa e os Direitos Administrativos Especiais

Leia mais

RECOMENDAÇÃO Nº 5/A/2002 [Artigo 20º, nº 1, alínea a), da Lei nº 9/91, de 9 de Abril] I INTRODUÇÃO

RECOMENDAÇÃO Nº 5/A/2002 [Artigo 20º, nº 1, alínea a), da Lei nº 9/91, de 9 de Abril] I INTRODUÇÃO Número: 5/A/2002 Data: 28/05/2002 Entidade visada: Presidente do Governo Regional dos Açores Assunto: Contrato administrativo de provimento; conclusão de licenciatura durante o ano escolar Área: Açores

Leia mais

PROJECTO DE PROGRAMA DIÁLOGO JUDICIAL CONTINENTAL COM OS APARELHOS JUDICIÁRIOS NACIONAIS. Nexo entre a Justiça Nacional e Internacional

PROJECTO DE PROGRAMA DIÁLOGO JUDICIAL CONTINENTAL COM OS APARELHOS JUDICIÁRIOS NACIONAIS. Nexo entre a Justiça Nacional e Internacional PROJECTO DE PROGRAMA DO DIÁLOGO JUDICIAL CONTINENTAL COM OS APARELHOS JUDICIÁRIOS NACIONAIS Nexo entre a Justiça Nacional e Internacional 4-6 DE NOVEMBRO DE 2015 ARUSHA A REPÚBLICA UNIDA DA TANZÂNIA (Versão

Leia mais

mercados, de regras que regulem, no mínimo, a propriedade e a transferência Em verdade, a segurança jurídica, como subprincípio do Estado

mercados, de regras que regulem, no mínimo, a propriedade e a transferência Em verdade, a segurança jurídica, como subprincípio do Estado A Reforma do Sistema Judiciário no Brasil: elemento fundamental para garantir segurança jurídica ao investimento estrangeiro no País GILMAR MENDES I. Introdução. II. A Reforma do Sistema Judiciário II.1.Conselho

Leia mais

Art. 2º. Esta Lei Complementar entra em vigor na data de sua publicação. JUSTIFICATIVA

Art. 2º. Esta Lei Complementar entra em vigor na data de sua publicação. JUSTIFICATIVA PROJETO DE LEI DO SENADO Nº (COMPLEMENTAR) Altera o art. 66 da Lei Complementar nº 35, de 14 de março de 1979, que dispõe sobre a Lei Orgânica da Magistratura Nacional O Congresso Nacional decreta: Art.

Leia mais