Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas"

Transcrição

1 ESCOLA PROFISSIONAL VASCONCELLOS LEBRE Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas MISSÃO CRÍTICA: CONCEITOS BÁSICOS José Vitor Nogueira Santos FT Mealhada, 2009

2 Introdução Já imaginou o que aconteceria se o sistema de seu banco ficasse horas sem funcionar? Quais seriam as consequências se seu provedor de acesso à internet perdesse dados de seus clientes? Já pensou na situação caótica que a cidade de São Paulo viveria se os computadores do sistema metro viário simplesmente parassem? Para muitas empresas e sectores de actividade, o uso de sistemas computacionais é imprescindível para a manutenção do negócio. Se tal sistema é vítima de uma falha que interrompa seu funcionamento ou que cause a perda de dados importantes, a empresa pode simplesmente falir. Para evitar esse tipo de transtornos, tais empresas "montam" seus sistemas como sendo demissão crítica, conceito esse explicado a seguir. O que é missão crítica Em poucas palavras, missão crítica é um ambiente tecnológico construído para evitar a paralisação de serviços computacionais e a perda de dados importantes a um negócio. Para isso, uma série de equipamentos e tecnologias é aplicada ao ambiente. O que determina que tipo de equipamento e que tipo de tecnologia serão usados em uma ambiente de missão crítica é o nível de importância do negócio e da operação. Se esses aspectos não forem bem trabalhados, uma empresa pode investir mais do que precisa nessa área, ou, na pior das hipóteses, investir menos, o que pode significar que o pouco investimento feito de pouco valeu. Para você entender melhor, imagine a seguinte situação: uma cadeia de lojas possui unidades nos principais Centros Comerciais do país. É possível que o sistema de uma das lojas deixe de funcionar por algum motivo. O problema é que essa paralisação afecta de imediato a empresa, porque os clientes estão no caixa esperando atendimento e, em breve, muitos outros farão o mesmo. Até que uma equipe de TI investigue o problema e efectue os reparos necessários, um tempo muito grande será gasto e os clientes irão para uma loja concorrente e certamente não voltarão mais, pois associarão à loja a imagem de um serviço de má qualidade. Para evitar esse tipo de situação, a loja pode tomar uma série de medidas. Uma delas é permitir que o sistema continue operando mesmo se perder a conexão com uma base central. Outra possibilidade é fazer com que o sistema da filial mais próxima continue as operações enquanto o sistema paralisado é verificado. Outra ideia é fazer uso de equipamentos redundantes. Quando nos referimos ao funcionamento e à paralisação de um sistema, é importante considerarmos dois termos: uptime edowntime. O primeiro indica o tempo em que um sistema fica disponível. O segundo indica o tempo em que um sistema fica fora de uso. II

3 Tolerância a falhas e alta disponibilidade Como dito anteriormente, uma empresa precisa avaliar o nível de critricidade das suas operações para determinar o quanto investir num ambiente de missão crítica. No caso de uma operação de nível crítico muito alto, pode-se fazer uso de equipamentos e sistemas conhecidos como "tolerantes a falhas" ou, em inglês, "fault tolerance". Com equipamentos desse tipo, sempre há outro que fica na retaguarda, ou seja, se o principal deixa de funcionar, um segundo imediatamente assume a operação. Um outro conceito importante é o de "alta disponibilidade" ou "high availability". Em equipamentos desse tipo, geralmente não há máquinas na retaguarda, no máximo, existe o espelhamento de HDs (como os sistemas RAID). No entanto, tais equipamentos são desenvolvidos para ter o menor risco de falhas possível. Nos sistemas de alta disponibilidade, costuma-se usar como medição o valor de uptime correspondente a 99,9% ao ano. Isso significa que, como o ano possui 365 dias horas -, o sistema precisa operar por pelo menos 8751 horas, já que essa taxa equivale a 99,9%. Em outras palavras, para um sistema de alta disponibilidade fazer jus ao seu nome, seu tempo de paralisação tem que ser de até 9 horas por ano. No entanto, esses valores podem variar de acordo com o sistema utilizado. Se um sistema possui um nível de criticidade tão alto que praticamente não pode parar de funcionar, o ideal é fazer uso de sistemas tolerantes a falhas, já que o uptime destes corresponde a 99,999%, ou seja, esse sistema funciona, no mínimo, por 8759,91 horas (de 8760) por ano. Isso quer dizer que sistemas desse tipo praticamente não param. É importante deixar claro que, quando se lida com alta disponibilidade e tolerância a falhas, a abordagem acima não considera o tempo de paralisações programadas, para os casos em que os servidores entram em manutenção, por exemplo. Escalabilidade Em ambientes de missão crítica é importante trabalhar para que os sistemas não parem de funcionar apenas por falhas e erros, mas também que não sejam paralisados por sobrecarga. Se, por exemplo, o site das Finanças estiver apto a receber mil declarações de Imposto de Renda por hora, é necessário observar se esse limite não está a ser atingido. Se isso estiver ocorrendo, deve-se aumentar a capacidade do sistema, do contrário, os servidores ficarão tão sobrecarregados que quase ninguém conseguirá fazer a declaração. Por outro lado, é desperdício gastar com sistemas que dispõem de uma capacidade muito alta e que não será usada. Por exemplo, se o InfoWester gasta de tráfego mensal cerca de 25 GB, para quê utilizar servidores que suportam tráfego mensal de 1 TB? III

4 Essas questões são respondidas com o conceito de "escalabilidade". Trata-se da possibilidade de um sistema expandir sua capacidade conforme a necessidade. Antes de tudo, a empresa precisa avaliar quais as possibilidades de aumento do uso de seus sistemas. A partir daí, deve-se criar condições para que a capacidade seja aumentada conforme a necessidade. Por exemplo, a empresa pode adquirir equipamentos que suportam 4 processadores. Só que ao invés de utilizar 4 desses chips, pode usar apenas 2 e acrescentar os demais se necessário. Outra solução bastante interessante é fazer uso de clusters e aumentar a quantidade de máquinas quando preciso. O aspecto da segurança Para construir um ambiente de missão crítica, não basta apenas pensar nos computadores que farão parte do sistema, mas também no local onde será o ambiente e no acesso a ele. Para começar, é ideal que os computadores fiquem em uma sala com protecção contra incêndios e climatização adequada. Se essa sala se localiza no subsolo, também é importante que seja protegida contra enchentes. O acesso também deve ser controlado. Se um funcionário trabalha com suporte a clientes, não há razão para ele ter acesso à sala de servidores. Além disso, as pessoas autorizadas podem obedecer a uma política na qual devem dar satisfações sobre o que foi feito na sala. Se um funcionário autorizado sair da empresa, suas senhas de acesso devem ser eliminadas, para evitar que ele consiga ligar o sistema remotamente. A disposição dos equipamentos e de cabos deve ser bem planejada também. Por exemplo, cabos não devem ficar expostos, do contrário, uma pessoa poderá tropeçar neles. Deve-se certificar que os armários suportam o peso dos equipamentos e, além disso, é necessários que estejam bem fixados, pois se, por exemplo, uma pessoa cair sobre o armário, este não será derrubado. A questão da disposição ainda deve considerar a possibilidade de retirar ou acrescentar equipamentos sem que outros sejam desligados. Outra questão fundamental é a energia eléctrica. Além de nobreaks - equipamentos com uma bateria que permite o funcionamento do computador quando a fonte de energia principal é cortada - é necessário avaliar a IV

5 necessidade de instalação de geradores de energia. Isso é fundamental para manter os aparelhos da UTI de um hospital funcionando, por exemplo. Obviamente, a questão da segurança não se limita ao aspecto físico. Os sistemas devem contar com firewalls, IDS (Intrusion Detection System - Sistemas de Detecção de Intrusos), criptografia, controle de acesso por níveis de usuário, entre outros. A questão da segurança é tão importante que empresas de grande porte não mais centralizam suas operações. Por exemplo, uma multinacional pode replicar seus sistemas em filiais de outros países. Assim, se qualquer unidade parar de funcionar - por exemplo, num ataque terrorista ou em um acidente de cunho ambiental, como um furacão - os negócios da empresa não serão interrompidos. Se uma empresa constata que terá custos altíssimos para trabalhar com o aspecto de segurança, uma alternativa é usar os serviços de IDCs (Internet Data Centers), como os das empresas Optiglobe, Embratel e Intelig. Essas companhias possuem ambientes que respondem a todos os quesitos de segurança e prestam serviços como: colocation (o cliente "aluga" o espaço físico e os meios de comunicação para instalar seus equipamentos), dedication (o IDC assume toda a operação dos equipamentos), entre outros. Storage O volume de dados aumenta a cada dia nas empresas e por se tratar do ponto principal de um negócio, o tratamento a essa questão também é considerado em ambientes de missão crítica. Conforme citado no início deste texto, o que aconteceria se um banco perdesse dados de clientes? Quais as consequências de um loja on-line perder todos os dados relativos às vendas do dia? Ainda há o fato de que não bastar apenas ter os dados, também deve-se permitir o acesso a eles quando necessário e em um tempo satisfatório. Você já deve ter percebido o tamanho da encrenca... V

6 Para lidar com esses aspectos, as empresas procuram as soluções de storage, isto é, de gestão de dados. Duas delas são o SAN (Storage Area Network) e o NAS (Network Attached Storage). A primeira consiste numa rede de dispositivos de armazenamento de dados gestão por servidores sob uma rede de alta velocidade, como Fibre Channel (Fibra Óptica) e iscsi. A segunda é um conjunto de meios de armazenamento integrado a uma rede LAN (Local AreaNetwork) já existente. O uso de SAN é indicado para situações onde dados precisam estar armazenados de forma segura e acessível em tempo hábil. Uma SAN permite o compartilhamento de dispositivos de armazenamento entre diversos servidores, estejam eles em um mesmo local ou dispostos remotamente. Uma vez que são constituídas por redes de alta velocidade, as SANs conseguem até mesmo evitar gargalos na rede, uma vez que estão aptas a trabalhar com grande volume de dados. Entre as empresas que oferecem soluções SAN estão IBM, HP e Itec. Por sua vez, as NASs são soluções mais simples que as SANs, uma vez que sua implementação ocorre em redes já existentes. Em casos de criticidade maior, a solução em NAS pode contar com um canal dedicado (exclusivo) de acesso à rede. A grande vantagem de soluções desse tipo é o compartilhamento de dados fácil entre servidores e máquinas-cliente, mesmo quando há sistemas operacionais diferentes entre elas. Empresas como IBM, HP, EMC e Sun oferecem soluções em NAS. Finalizando As tecnologias e recursos relacionados aos conceitos de missão crítica não se limitam aos citados aqui. O assunto é mais complexo, ao ponto de praticamente não existir especialistas em missão crítica, mas sim em alguma das tecnologias relacionadas. Como as necessidades computacionais variam de empresa para empresa, é necessário que cada uma identifique com clareza quais os segmentos operacionais que podem ser considerados críticos para então aplicar as soluções correspondentes. Na era da informação na qual adentramos, o que não se pode é relaxar quanto a esse aspecto. Não existe sistema à prova de falhas e não existe nada 100% seguro. Por isso é um erro limitar-se a uma solução ou não considerar um risco só porque ele é mínimo. Isso, talvez, deixa claro que o maior problema está no aspecto humano, altamente capaz de subestimar ou esperar algo ruim acontecer para tomar providências. VI

5.2 MAN s (Metropolitan Area Network) Redes Metropolitanas

5.2 MAN s (Metropolitan Area Network) Redes Metropolitanas MÓDULO 5 Tipos de Redes 5.1 LAN s (Local Area Network) Redes Locais As LAN s são pequenas redes, a maioria de uso privado, que interligam nós dentro de pequenas distâncias, variando entre 1 a 30 km. São

Leia mais

Soluções em Armazenamento

Soluções em Armazenamento Desafios das empresas no que se refere ao armazenamento de dados Aumento constante do volume de dados armazenados pelas empresas, gerando um desafio para manter os documentos armazenados Necessidade de

Leia mais

Nettion Security & Net View. Mais que um software, gestão em Internet.

Nettion Security & Net View. Mais que um software, gestão em Internet. Nettion Security & Net View Mais que um software, gestão em Internet. Net View & Nettion Security Mais que um software, gestão em Internet. A Net View e a Nettion Security Software se uniram para suprir

Leia mais

ARQUITETURA TRADICIONAL

ARQUITETURA TRADICIONAL INTRODUÇÃO Atualmente no universo corporativo, a necessidade constante de gestores de tomar decisões cruciais para os bons negócios das empresas, faz da informação seu bem mais precioso. Nos dias de hoje,

Leia mais

Sistemas de Armazenamento

Sistemas de Armazenamento M. Sc. isacfernando@gmail.com Especialização em Administração de Banco de Dados ESTÁCIO FIR Tipo de Não importa quanta memória seu smartphone tenha, ele nunca terá o bastante para guardar todas as suas

Leia mais

FAMÍLIA EMC VPLEX. Disponibilidade contínua e mobilidade de dados nos datacenters e entre eles

FAMÍLIA EMC VPLEX. Disponibilidade contínua e mobilidade de dados nos datacenters e entre eles FAMÍLIA EMC VPLEX Disponibilidade contínua e mobilidade de dados nos datacenters e entre eles GARANTINDO DISPONIBILIDADE CONTÍNUA E MOBILIDADE DE DADOS PARA APLICATIVOS ESSENCIAIS A infraestrutura de armazenamento

Leia mais

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Aula 2 Arquitetura de Data Center Ambientes Colaborativos A história dos sistemas

Leia mais

SISTEMA DE ARMAZENAMENTO (STORAGE)

SISTEMA DE ARMAZENAMENTO (STORAGE) SISTEMA DE ARMAZENAMENTO (STORAGE) Possuir capacidade instalada, livre para uso, de pelo menos 5.2 (cinco ponto dois) TB líquidos em discos SAS/FC de no máximo 600GB 15.000RPM utilizando RAID 5 (com no

Leia mais

Monitoramento de Rede de Nuvens Privadas

Monitoramento de Rede de Nuvens Privadas Monitoramento de Rede de Nuvens Privadas White Paper Autores: Dirk Paessler, CEO da Paessler AG Dorte Winkler, Redatora Técnica na Paessler AG Primeira Publicação: Maio de 2011 Edição: Fevereiro de 2013

Leia mais

COMPUTAÇÃO EM NUVEM. Michele Marques Costa 1,2, Julio César2 ¹Universidade paranaense (Unipar)

COMPUTAÇÃO EM NUVEM. Michele Marques Costa 1,2, Julio César2 ¹Universidade paranaense (Unipar) COMPUTAÇÃO EM NUVEM Michele Marques Costa 1,2, Julio César2 ¹Universidade paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil Mih_nai@hotmail.com juliocesar@unipar.br Resumo. Este artigo contém a definição e citação

Leia mais

Unidade 1. Conceitos Básicos

Unidade 1. Conceitos Básicos Unidade 1 Conceitos Básicos 11 U1 - Conceitos Básicos Comunicação Protocolo Definição de rede Rede Internet 12 Comunicação de dados Comunicação de dados comunicação de informação em estado binário entre

Leia mais

Soluções em Segurança

Soluções em Segurança Desafios das empresas no que se refere a segurança da infraestrutura de TI Dificuldade de entender os riscos aos quais a empresa está exposta na internet Risco de problemas gerados por ameaças externas

Leia mais

Monitoramento de Rede de Nuvens Privadas

Monitoramento de Rede de Nuvens Privadas Monitoramento de Rede de Nuvens Privadas White Paper Autores: Dirk Paessler, CEO da Paessler AG Gerald Schoch, Redator Técnico na Paessler AG Primeira Publicação: Maio de 2011 Edição: Fevereiro de 2015

Leia mais

Plano de Recuperação de Desastre em TI

Plano de Recuperação de Desastre em TI Plano de Recuperação de Desastre em TI Edgar T. Monteiro The LatAm Healthcare IT Summit - 2014 >> AGENDA Blue Solutions na Saúde Ameaças para a TI em HeathCare Disaster Recovery >> Blue Solutions 10 anos

Leia mais

Atualmente, as organizações de saúde estão reavaliando seus modelos de negócios tendo em vista as regulamentações governamentais, pressões das fontes

Atualmente, as organizações de saúde estão reavaliando seus modelos de negócios tendo em vista as regulamentações governamentais, pressões das fontes Atualmente, as organizações de saúde estão reavaliando seus modelos de negócios tendo em vista as regulamentações governamentais, pressões das fontes pagadoras e a exigência dos pacientes por serviços

Leia mais

Administração de CPD Internet Data Center

Administração de CPD Internet Data Center Administração de CPD Internet Data Center Cássio D. B. Pinheiro pinheiro.cassio@ig.com.br cassio.orgfree.com Objetivos Apresentar os principais conceitos e elementos relacionados a um dos principais tipos

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Introdução Redes de Computadores é um conjunto de equipamentos que são capazes de trocar informações e compartilhar recursos entre si, utilizando protocolos para se comunicarem e

Leia mais

Plataforma M2M Parlacom. Powered by. Fique conectado

Plataforma M2M Parlacom. Powered by. Fique conectado Plataforma M2M Parlacom Powered by Fique conectado Plataforma M2M na nuvem Visão Geral Suporte a APN s dedicadas e compartilhadas VPN com todas as operadoras Brasileiras Controle de banda e gestão de tráfego

Leia mais

NEVOA BACKUP SYSTEM. 2009 Nevoa Networks Ltda. All Rights Reserved.

NEVOA BACKUP SYSTEM. 2009 Nevoa Networks Ltda. All Rights Reserved. NEVOA BACKUP SYSTEM Com o Nevoa Backup System você garante não só o mais eficiente sistema de backup para seus dados, mas também a solução mais escalável do mercado, afinal, se sua empresa cresce, seus

Leia mais

Um cluster de servidores de email pode ser usado para servir os emails de uma empresa.

Um cluster de servidores de email pode ser usado para servir os emails de uma empresa. CLUSTERS Pode-se pegar uma certa quantidade de servidores e juntá-los para formar um cluster. O serviço então é distribuído entre esses servidores como se eles fossem uma máquina só. Um cluster de servidores

Leia mais

NEVOA STORAGE SYSTEM. 2009 Nevoa Networks Ltda. All Rights Reserved.

NEVOA STORAGE SYSTEM. 2009 Nevoa Networks Ltda. All Rights Reserved. NEVOA STORAGE SYSTEM Com o Nevoa Storage System você garante não só o mais eficiente sistema de gerenciamento para seus dados, mas também a solução mais escalável do mercado, afinal, se sua empresa cresce,

Leia mais

NILAN 360º. em períodos críticos?

NILAN 360º. em períodos críticos? NILAN 360º em períodos críticos? Introdução No quarto filme da série Duro de Matar (no original em inglês Live Freeor Die Hard, de 2007), Bruce Willis é um policial designado a lutar contra ciberterroristas

Leia mais

Capítulo 2 Conceitos de Segurança Física e Segurança Lógica

Capítulo 2 Conceitos de Segurança Física e Segurança Lógica Capítulo 2 Conceitos de Segurança Física e Segurança Lógica 2.1 Introdução 2.2 Segurança Física 2.2.1 Segurança externa e de entrada 2.2.2 Segurança da sala de equipamentos 2.2.3 Segurança dos equipamentos

Leia mais

Compartilhamento de Dados em Storage de Alta Disponibilidade

Compartilhamento de Dados em Storage de Alta Disponibilidade Compartilhamento de Dados em Storage de Alta Disponibilidade Leonardo Antônio dos Santos¹ Orientadora Prof. Esp. Sabrina Vitório Oliveira Sencioles¹ Co-orientador M.Sc. Pedro Eugênio Rocha² ¹Faculdades

Leia mais

DELL POWERVAULT SÉRIE MD ARMAZENAMENTO DE DADOS MODULAR ARMAZENAMENTO DE DADOS DELL POWERVAULT SÉRIE MD

DELL POWERVAULT SÉRIE MD ARMAZENAMENTO DE DADOS MODULAR ARMAZENAMENTO DE DADOS DELL POWERVAULT SÉRIE MD ARMAZENAMENTO DE DADOS MODULAR ARMAZENAMENTO DE DADOS DELL POWERVAULT SÉRIE MD Simplificação da TI O Dell série MD pode simplificar a TI, otimizando sua arquitetura de armazenamento de dados e garantindo

Leia mais

A consolidação de servidores traz uma séria de vantagens, como por exemplo:

A consolidação de servidores traz uma séria de vantagens, como por exemplo: INFRAESTRUTURA Para que as empresas alcancem os seus objetivos de negócio, torna-se cada vez mais preponderante o papel da área de tecnologia da informação (TI). Desempenho e disponibilidade são importantes

Leia mais

Mestrado em Segurança da Informação e Direito no Ciberespaço

Mestrado em Segurança da Informação e Direito no Ciberespaço Escola Naval Mestrado em Segurança da Informação e Direito no Ciberespaço Segurança da informação nas organizações Supervisão das Politicas de Segurança Computação em nuvem Fernando Correia Capitão-de-fragata

Leia mais

GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC

GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC RESUMO EXECUTIVO O PowerVault DL2000, baseado na tecnologia Symantec Backup Exec, oferece a única solução de backup em

Leia mais

cortesia de F5 NETWORKS guia 1 Novas Tecnologias Para Recuperação de Desastres/Continuidade dos Negócios visão geral f5 networks P

cortesia de F5 NETWORKS guia 1 Novas Tecnologias Para Recuperação de Desastres/Continuidade dos Negócios visão geral f5 networks P visão geral cortesia de F5 NETWORKS guia 1 Novas Tecnologias Para Recuperação de Desastres/Continuidade dos Negócios f5 networks P Continuidade dos Negócios, Recuperação de Desastres e Consolidação do

Leia mais

Cloud. Tudo o que um CEO precisa saber, mas o TI não teve paciência para explicar. {/} CLOUD SOLUTIONS

Cloud. Tudo o que um CEO precisa saber, mas o TI não teve paciência para explicar. {/} CLOUD SOLUTIONS Cloud Tudo o que um CEO precisa saber, mas o TI não teve paciência para explicar. {/} CLOUD SOLUTIONS Cloud Computing: O que é. O que faz. As vantagens. E tudo o que um CEO precisa saber, mas o TI não

Leia mais

O que há aqui dentro, o que há lá fora

O que há aqui dentro, o que há lá fora Soluções em Gerenciamento Out-of-band REDES O que há aqui dentro, o que há lá fora Neste artigo, as abordagens tradicionais de monitoramento, manutenção e restauração de ativos de TI são questionadas;

Leia mais

Senado Federal Questões 2012

Senado Federal Questões 2012 Senado Federal Questões 2012 Sistemas Operacionais Prova de Analista de Sistemas Prof. Gustavo Van Erven Senado Federal Questões 2012 Rede Social ITnerante http://www.itnerante.com.br/ Vídeo Aulas http://www.provasdeti.com.br/

Leia mais

REDES VIRTUAIS PRIVADAS

REDES VIRTUAIS PRIVADAS REDES VIRTUAIS PRIVADAS VPN Universidade Católica do Salvador Curso de Bacharelado em Informática Disciplina: Redes de Computadores Professor: Marco Antônio Câmara Aluna: Patricia Abreu Página 1 de 10

Leia mais

ESTUDO DE VIABILIDADE, PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE UMA REDE VPN (VIRTUAL PRIVATE NETWORK)

ESTUDO DE VIABILIDADE, PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE UMA REDE VPN (VIRTUAL PRIVATE NETWORK) ESTUDO DE VIABILIDADE, PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE UMA REDE VPN (VIRTUAL PRIVATE NETWORK) 1. VPN Segundo TANENBAUM (2003), VPNs (Virtual Private Networks) são redes sobrepostas às redes públicas, mas com

Leia mais

MRS. Monitoramento de Redes e Sistemas

MRS. Monitoramento de Redes e Sistemas MRS Monitoramento de Redes e Sistemas Origem Crescimento rede REGIN de 16 para 293 municípios. Diversidade de tipos de erros. Minimizar esforço e tempo humano gastos na detecção e eliminação de problemas.

Leia mais

Segurança na Rede Local Redes de Computadores

Segurança na Rede Local Redes de Computadores Ciência da Computação Segurança na Rede Local Redes de Computadores Disciplina de Desenvolvimento de Sotware para Web Professor: Danilo Vido Leonardo Siqueira 20130474 São Paulo 2011 Sumário 1.Introdução...3

Leia mais

Arcserve Backup: Como proteger ambientes NAS heterogêneos com NDMP

Arcserve Backup: Como proteger ambientes NAS heterogêneos com NDMP Arcserve Backup: Como proteger ambientes NAS heterogêneos com NDMP Phil Maynard UNIDADE DE SOLUÇÕES DE GERENCIAMENTO DE DADOS PARA O CLIENTE FEVEREIRO DE 2012 Introdução Em todos os lugares, o volume de

Leia mais

Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas

Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas ESCOLA PROFISSIONAL VASCONCELLOS LEBRE Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas SISTEMAS DE ARQUIVOS FAT E FAT32 José Vitor Nogueira Santos FT2-0749 Mealhada, 2009 Introdução Muitos usuários

Leia mais

Rede. Rede. Informação. Infraestrutura. Gerenciamento. Controle. Visão. Ação. Confiabilidade. Informação. Expertise. Rede. Visão. Rede.

Rede. Rede. Informação. Infraestrutura. Gerenciamento. Controle. Visão. Ação. Confiabilidade. Informação. Expertise. Rede. Visão. Rede. Gerenciamento Expertise Expertise Expertise Expertise A OpServices é uma empresa focada no desenvolvimento de soluções de governança de TI, monitoração de processos de negócios e de infraestrutura de TI.

Leia mais

COMPUTAÇÃO EM GRID COM BANCO DE DADOS ORACLE 10g

COMPUTAÇÃO EM GRID COM BANCO DE DADOS ORACLE 10g COMPUTAÇÃO EM GRID COM BANCO DE DADOS ORACLE 10g Daniel Murara Barcia Especialista em Sistemas de Informação Universidade Federal do Rio Grande do Sul daniel@guaiba.ulbra.tche.br Resumo. Esse artigo aborda

Leia mais

www.under.com.br 4007.1432 / 0800.886.1432 / 51 3301.1432

www.under.com.br 4007.1432 / 0800.886.1432 / 51 3301.1432 www.under.com.br 4007.1432 / 0800.886.1432 / 51 3301.1432 Sua Infra na Nuvem Quem somos A Under é uma empresa de tecnologia e infraestrutura para internet, fundada em 2002. Figuramos entre as maiores empresas

Leia mais

VELOCIDADE DE TRANSMISSÃO DE DADOS UTILIZANDO VPNs

VELOCIDADE DE TRANSMISSÃO DE DADOS UTILIZANDO VPNs VELOCIDADE DE TRANSMISSÃO DE DADOS UTILIZANDO VPNs Rogers Rodrigues Garcia 1, Júlio César Pereira¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavai PR Brasil rogersgarcia@live.com, juliocesarp@unipar.br Resumo:

Leia mais

Admistração de Redes de Computadores (ARC)

Admistração de Redes de Computadores (ARC) Admistração de Redes de Computadores (ARC) Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina - Campus São José Prof. Glauco Cardozo glauco.cardozo@ifsc.edu.br RAID é a sigla para Redundant

Leia mais

PROPOSTA COMERCIAL CLOUD SERVER

PROPOSTA COMERCIAL CLOUD SERVER PROPOSTA COMERCIAL CLOUD SERVER Sobre a AbsamHost A AbsamHost atua no mercado de hosting desde 2008, fornecendo infraestrutura de data center a diversas empresas no Brasil e no mundo. Focada em servidores

Leia mais

A falha em alguns destes pontos pode resultar num excessivo e desnecessário investimento/despesa

A falha em alguns destes pontos pode resultar num excessivo e desnecessário investimento/despesa Nuno Melo e Castro Segurança Infra-estruturas Hardware e software Políticas de autenticação Protecção dos dados Algoritmos de cifra Sistemas de detecção e prevenção de intrusões Medidas de segurança Devem

Leia mais

Apresentação Comercial

Apresentação Comercial Apresentação Comercial Quem é Tonks Host A Tonks Host é uma empresa que oferece serviços de hospedagem de internet com o mesmo padrão Tonks de qualidade. Desde 2006, a Tonks atua na consultoria, análise

Leia mais

Segurança e Desempenho dos Sistemas de Informação. Norberto Chinita norberto.chinita@ulsba.min-saude.pt

Segurança e Desempenho dos Sistemas de Informação. Norberto Chinita norberto.chinita@ulsba.min-saude.pt Segurança e Desempenho dos Sistemas de Informação Norberto Chinita norberto.chinita@ulsba.min-saude.pt Segurança e Desempenho dos Apresentação da ULSBA A Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo EPE foi

Leia mais

Sou o professor Danilo Augusto, do TIParaConcursos.net, e lá costumo trabalhar temas relacionados a Redes de Computadores e Sistemas Operacionais.

Sou o professor Danilo Augusto, do TIParaConcursos.net, e lá costumo trabalhar temas relacionados a Redes de Computadores e Sistemas Operacionais. Olá nobre concurseiro e futuro servidor público! Sou o professor Danilo Augusto, do TIParaConcursos.net, e lá costumo trabalhar temas relacionados a Redes de Computadores e Sistemas Operacionais. Essa

Leia mais

Controle e Monitoramento Inteligente dos processos e regras de negócios utilizando a Plataforma Zabbix

Controle e Monitoramento Inteligente dos processos e regras de negócios utilizando a Plataforma Zabbix 1/7 Controle e Monitoramento Inteligente dos processos e regras de negócios utilizando a Plataforma Zabbix Navegue: 1/7 > www.alertasecurity.com.br +55 11 3105.8655 2/7 PERFIL ALERTA SECURITY SOLUTIONS

Leia mais

Segurança Física e Segurança Lógica. Aécio Costa

Segurança Física e Segurança Lógica. Aécio Costa Segurança Física e Segurança Lógica Aécio Costa Segurança física Ambiente Segurança lógica Programas A segurança começa pelo ambiente físico Não adianta investir dinheiro em esquemas sofisticados e complexos

Leia mais

R. Marechal Deodoro, 15. Telefones: (37) 3242-1109 - 0800 095 1474. Sumário

R. Marechal Deodoro, 15. Telefones: (37) 3242-1109 - 0800 095 1474. Sumário PROPOSTA COMERCIAL Sumário Quem Somos... 3 Infraestrutura... 4 Solução posta... 7 Benefícios... 8 Funcionalidades... 10 Condições Comerciais... 11 Condições gerais... 11 Acordo de Confidencialidade...

Leia mais

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Aula 1 Ambiente de Data Center Os serviços de comunicação em banda larga estão mais

Leia mais

Sistema Integrado de Administração de Materiais e Serviços - SIAD Catálogo de Materiais e Serviços - CATMAS SISTEMA DE ARMAZENAMENTO (STORAGE)

Sistema Integrado de Administração de Materiais e Serviços - SIAD Catálogo de Materiais e Serviços - CATMAS SISTEMA DE ARMAZENAMENTO (STORAGE) SISTEMA DE ARMAZENAMENTO (STORAGE) Storage O subsistema de armazenamento de dados deverá ser do tipo bloco, disponibilizando nativamente componentes de hardware para armazenamento baseado em bloco, com

Leia mais

NAS Network Attached Storage

NAS Network Attached Storage NAS Network Attached Storage Evolução Tecnológica 1993 Primeiro appliance de storage NAS; 1996 Primeiro protocolo de backup em rede NDMP; 1996 Primeiro storage multi-protocolo UNIX/Windows; 1997 Primeiro

Leia mais

CUSTO TOTAL DE PROPRIEDADE DO PANDA MANAGED OFFICE PROTECTION. 1. Resumo Executivo

CUSTO TOTAL DE PROPRIEDADE DO PANDA MANAGED OFFICE PROTECTION. 1. Resumo Executivo 1. Resumo Executivo As empresas de todas as dimensões estão cada vez mais dependentes dos seus sistemas de TI para fazerem o seu trabalho. Consequentemente, são também mais sensíveis às vulnerabilidades

Leia mais

ÍNDICE. www.leitejunior.com.br 16/06/2008 17:43 Leite Júnior

ÍNDICE. www.leitejunior.com.br 16/06/2008 17:43 Leite Júnior ÍNDICE BACKUP E RESTAURAÇÃO(RECOVERY)...2 BACKUP...2 PORQUE FAZER BACKUP?...2 DICAS PARA BACKUP...2 BACKUP NO WINDOWS...2 BACKUP FÍSICO E ON-LINE...3 BACKUP FÍSICO...3 BACKUP ON-LINE(VIRTUAL) OU OFF-SITE...3

Leia mais

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Aula 1 Conceitos da Computação em Nuvem A computação em nuvem ou cloud computing

Leia mais

PRODESP Tecnologia da Informação

PRODESP Tecnologia da Informação Congresso TI Verde - SUCESU História Início - 24 de julho de 1969. Anos 70 - A nova Sede da PRODESP. Anos 80 - Processo de Descentralização. Anos 90 - Referência em E-E Gov no país e no exterior. História

Leia mais

Simple Storage. Storage Orientado ao objeto: Armazenamento de arquivos com a segurança e a economia que sua empresa precisa

Simple Storage. Storage Orientado ao objeto: Armazenamento de arquivos com a segurança e a economia que sua empresa precisa Simple Storage Storage Orientado ao objeto: Armazenamento de arquivos com a segurança e a economia que sua empresa precisa Simple Storage Storage Orientado ao objeto: Armazenamento de arquivos com a segurança

Leia mais

R. Marechal Deodoro, 15 CEP: 35680-066 - Centro - Itaúna - MG Telefones: (37) 3242-1109 - 0800 095 1474. Sumário

R. Marechal Deodoro, 15 CEP: 35680-066 - Centro - Itaúna - MG Telefones: (37) 3242-1109 - 0800 095 1474. Sumário PROPOSTA COMERCIAL Sumário Quem Somos... 3 Infraestrutura... 4 Solução Proposta... 7 Benefícios... 8 Funcionalidades... 10 Condições Comerciais... 11 Condições Gerais... 11 Acordo de Confidencialidade...

Leia mais

ARMAZENAMENTO E COMPUTAÇÃO

ARMAZENAMENTO E COMPUTAÇÃO EMC SCALEIO SAN de servidor convergente definida por software PRINCÍPIOS BÁSICOS Apenas software Arquitetura convergida de camada única Capacidade de expansão linear Desempenho e capacidade sob demanda

Leia mais

Outsourcing. A solução para hospedagem da SoftExpert.

Outsourcing. A solução para hospedagem da SoftExpert. Outsourcing A solução para hospedagem da SoftExpert. BENEFÍCIOS A SoftExpert oferece a seus clientes a possibilidade de Hospedagem em um Data Center com características, padrões de segurança e disponibilidade

Leia mais

Rede Corporativa. Tutorial 10 mar 2009 Fabio Montoro. Introdução

Rede Corporativa. Tutorial 10 mar 2009 Fabio Montoro. Introdução Tutorial 10 mar 2009 Fabio Montoro Rede Corporativa Introdução Rede corporativa é um sistema de transmissão de dados que transfere informações entre diversos equipamentos de uma mesma corporação, tais

Leia mais

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid)

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência

Leia mais

Soluções Inteligentes para regulamentações e negócios em aplicações SAP

Soluções Inteligentes para regulamentações e negócios em aplicações SAP Soluções Inteligentes para regulamentações e negócios em aplicações SAP Uma nova visão no Gerenciamento da Aplicação INDICE 1. A Union IT... 3 2. A importância de gerenciar dinamicamente infra-estrutura,

Leia mais

O que é Cloud Computing (Computação nas Nuvens)?

O que é Cloud Computing (Computação nas Nuvens)? O que é Cloud Computing (Computação nas Nuvens)? Introdução A denominação Cloud Computing chegou aos ouvidos de muita gente em 2008, mas tudo indica que ouviremos esse termo ainda por um bom tempo. Também

Leia mais

abilitisoft Ltda. PatriMo Soft Acordo de Nível Operacional - ANO

abilitisoft Ltda. PatriMo Soft Acordo de Nível Operacional - ANO abilitisoft Ltda. PatriMo Soft Acordo de Nível Operacional - ANO OBJETIVO: O Acordo de Nível Operacional, é um acordo entre equipes de TI internas, para que o provedor possa entregar o requisito estabelecido

Leia mais

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO A COMUNICAÇÃO NA INTERNET PROTOCOLO TCP/IP Para tentar facilitar o entendimento de como se dá a comunicação na Internet, vamos começar contando uma história para fazer uma analogia. Era uma vez, um estrangeiro

Leia mais

Unidade 1. Bibliografia da disciplina 15/11/2008. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Redes de Computadores

Unidade 1. Bibliografia da disciplina 15/11/2008. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Redes de Computadores Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Redes de Computadores Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 1 Conceitos básicos de Redes de Computadores 2

Leia mais

Sistemas de arquivos FAT e FAT32

Sistemas de arquivos FAT e FAT32 Introdução Sistemas de arquivos FAT e FAT32 Muitos usuários de Windows já ouviram falar em partições FAT ou FAT32 sem saber ao certo o que isso significa. Essas são siglas de sistemas de arquivos para

Leia mais

EMC SYMMETRIX VMAX 10K

EMC SYMMETRIX VMAX 10K EMC SYMMETRIX VMAX 10K O EMC Symmetrix VMAX 10K com o ambiente operacional Enginuity oferece uma arquitetura de scale-out de várias controladoras com consolidação e eficiência para a empresa. O VMAX 10K

Leia mais

SISTEMAS DE ARQUIVOS Sistemas operacionais

SISTEMAS DE ARQUIVOS Sistemas operacionais Técnico em Informática SISTEMAS DE ARQUIVOS Sistemas operacionais Professor Airton Ribeiro de Sousa Sistemas operacionais Sistema de Arquivos pode ser definido como uma estrutura que indica como os dados

Leia mais

Governança em T.I. GTI-V Noturno - 2015. Alunos: Douglas de Souza Braga Rafael vitor Hugo Bastos Kaysmier Walessa

Governança em T.I. GTI-V Noturno - 2015. Alunos: Douglas de Souza Braga Rafael vitor Hugo Bastos Kaysmier Walessa Governança em T.I GTI-V Noturno - 2015 Alunos: Douglas de Souza Braga Rafael vitor Hugo Bastos Kaysmier Walessa Politica de Segurança Ativos: Computadores: Sistema \ Hardwere \Segurança A infraestrutura

Leia mais

E-COMMERCE / LOJA VIRTUAL

E-COMMERCE / LOJA VIRTUAL 1 ÍNDICE 1. WIX SISTEMAS E O /LOJA VIRTUAL 03 1.1.1 GRANDE VARIEDADE DE LAYOUTS E PERSONALIZAÇÃO 03 1.1.2 SERVIDOR E SSL (CADEADO DE SEGURANÇA) COMPARTILHADOS 04 2. RECURSOS 05 3. NOSSOS PLANOS DE /LOJA

Leia mais

Unidade 1. Bibliografia da disciplina. Introdução. O que compartilhar? Exemplo 12/10/2009. Conceitos básicos de Redes de Computadores

Unidade 1. Bibliografia da disciplina. Introdução. O que compartilhar? Exemplo 12/10/2009. Conceitos básicos de Redes de Computadores Faculdade INED Unidade 1 Conceitos básicos de Redes de Computadores Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados, Sistemas para Internet e Redes de Computadores Disciplina: Fundamentos de Redes Prof.:

Leia mais

Serial ATA (SATA - Serial Advanced Technology Attachment)

Serial ATA (SATA - Serial Advanced Technology Attachment) Serial ATA (SATA - Serial Advanced Technology Attachment) Introdução Os computadores são constituídos por uma série de tecnologias que atuam em conjunto. Processadores, memórias, chips gráficos, entre

Leia mais

EXIN Cloud Computing Fundamentos

EXIN Cloud Computing Fundamentos Exame Simulado EXIN Cloud Computing Fundamentos Edição Maio 2013 Copyright 2013 EXIN Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser publicado, reproduzido, copiado ou armazenada

Leia mais

SEG. EM SISTEMAS E REDES. Segurança física e lógica

SEG. EM SISTEMAS E REDES. Segurança física e lógica SEG. EM SISTEMAS E REDES Segurança física e lógica Prof. Ulisses Cotta Cavalca Belo Horizonte/MG 2015 SUMÁRIO 1) Segurança da informação 2) Princípios básicos 3) Segurança física

Leia mais

Cláusula 1.º Objecto. Cláusula 2.º Especificação da prestação

Cláusula 1.º Objecto. Cláusula 2.º Especificação da prestação CADERNO DE ENCARGOS CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE UM PROJECTO DE ARQUIVO DIGITAL DE INFRA-ESTRUTURAS DE IT O presente Caderno de Encargos compreende as cláusulas a incluir no contrato

Leia mais

PROPOSTA COMERCIAL. Produto: Exchange

PROPOSTA COMERCIAL. Produto: Exchange PROPOSTA COMERCIAL Produto: Exchange Sumário SOBRE A LOCAWEB 3 INFRAESTRUTURA DO DATA CENTER 4 SOLUÇÕES PROPOSTAS 5 BENEFÍCIOS LOCAWEB 6 CONDIÇÕES COMERCIAIS 7 PRAZOS E DEMAIS CONDIÇÕES 8 www.locaweb.com.br/exchange

Leia mais

Empresa FIREWALLS. IDS x IPS. http://www.firewalls.com.br. Matriz: Bauru/SP Filial 1: Florianopolis/SC

Empresa FIREWALLS. IDS x IPS. http://www.firewalls.com.br. Matriz: Bauru/SP Filial 1: Florianopolis/SC Empresa FIREWALLS IDS x IPS Matriz: Bauru/SP Filial 1: Florianopolis/SC O que é a Firewalls? - Empresa Especializada em Segurança; - Profissionais Certificados; - Atenta a Padrões Internacionais; - Parceira

Leia mais

BANCO POSTAL - Plataforma Tecnológica

BANCO POSTAL - Plataforma Tecnológica BANCO POSTAL - Plataforma Tecnológica 1. Arquitetura da Aplicação 1.1. O Banco Postal utiliza uma arquitetura cliente/servidor WEB em n camadas: 1.1.1. Camada de Apresentação estações de atendimento, nas

Leia mais

GUIA DE DESCRIÇÃO DO PRODUTO

GUIA DE DESCRIÇÃO DO PRODUTO GUIA DE DESCRIÇÃO DO PRODUTO EMC CLOUDARRAY INTRODUÇÃO Atualmente, os departamentos de TI enfrentam dois desafios de armazenamento de dados críticos: o crescimento exponencial dos dados e uma necessidade

Leia mais

Projetos de Infraestrutura e Soluções Tecnológicas www.msitelecom.com.br

Projetos de Infraestrutura e Soluções Tecnológicas www.msitelecom.com.br Projetos de Infraestrutura e Soluções Tecnológicas www.msitelecom.com.br Índice 1. MSI Telecom 2. Soluções e Serviços 3. Parceiros 4. Principais Clientes 5. Alguns de nossos Projetos A MSI Telecom A MSI

Leia mais

Uma solução de desempenho para a distribuição de documentos: Habilitando a distribuição de documentos em tempo real para corporações globais

Uma solução de desempenho para a distribuição de documentos: Habilitando a distribuição de documentos em tempo real para corporações globais Uma solução de desempenho para a distribuição de documentos: Habilitando a distribuição de documentos em tempo real para corporações globais Visão Geral Desafio Hoje, os aplicativos da web são um tremendo

Leia mais

like a Boss mandic Um GUIA para você escolher bem, e se tornar uma Autoridade em Serviços de Compartilhamento de Arquivos na Nuvem.

like a Boss mandic Um GUIA para você escolher bem, e se tornar uma Autoridade em Serviços de Compartilhamento de Arquivos na Nuvem. BOX like a Boss Um GUIA para você escolher bem, e se tornar uma Autoridade em Serviços de Compartilhamento de Arquivos na Nuvem. mandic CLOUD SOLUTIONS Mais e mais empresas buscam soluções para dar suporte

Leia mais

Alta disponibilidade não é luxo. Como eliminar o tempo de inatividade dentro das pequenas e médias empresas

Alta disponibilidade não é luxo. Como eliminar o tempo de inatividade dentro das pequenas e médias empresas Alta disponibilidade não é luxo. Como eliminar o tempo de inatividade dentro das pequenas e médias empresas A tecnologia da informação (TI) é ao mesmo tempo o ponto forte e ponto fraco das pequenas e médias

Leia mais

MUM. Mikrotik User s Meeting Rio de Janeiro - 2009. Mikrotik e a Computação nas nuvens. Maila Networks

MUM. Mikrotik User s Meeting Rio de Janeiro - 2009. Mikrotik e a Computação nas nuvens. Maila Networks MUM Mikrotik User s Meeting Rio de Janeiro - 2009 Mikrotik e a Computação nas nuvens Oferece serviços de Conectividade IP, Desenvolvimento e Integração de Sistemas. Consultoria `a Provedores de Acesso,

Leia mais

PROPOSTA COMERCIAL Produto: Servidores Dedicados Gerenciados

PROPOSTA COMERCIAL Produto: Servidores Dedicados Gerenciados PROPOSTA COMERCIAL Produto: Servidores Dedicados Gerenciados Página 1 de 10 Sumário SOBRE A LOCAWEB 3 INFRAESTRUTURA DO DATA CENTER 4 SOLUÇÃO PROPOSTA 5 DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS INCLUSOS 6 CONDIÇÕES COMERCIAIS

Leia mais

White. paper. Otimizando o data center virtual com pools de caminho de dados. EMC PowerPath/VE. Fevereiro de 2011

White. paper. Otimizando o data center virtual com pools de caminho de dados. EMC PowerPath/VE. Fevereiro de 2011 White paper Otimizando o data center virtual com pools de caminho de dados EMC PowerPath/VE Bob Laliberte Fevereiro de 2011 Este white paper do ESG foi encomendado pela EMC e é distribuído sob licença

Leia mais

Caracterização de Sistemas Distribuídos

Caracterização de Sistemas Distribuídos Aula 1 Caracterização de Sistemas Distribuídos Prof. Dr. João Bosco M. Sobral mail: bosco@inf.ufsc.br - página: http://www.inf.ufsc.br/~bosco Rodrigo Campiolo mail: rcampiol@inf.ufsc.br - página: http://ww.inf.ufsc.br/~rcampiol

Leia mais

Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes

Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes EN-3610 Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes Computação em Nuvem Introdução Centralização do processamento Surgimento da Teleinformática Década de 60 Execução de programas localmente Computadores

Leia mais

Número do Recibo:83500041

Número do Recibo:83500041 de 6 8/6/22 7:32 Número do Recibo:8354 Data de Preenchimento do Questionário:. Comitête Gestor de Informática do Judiciário - Recibo de Preenchimento do Questionário: INFRAESTRUTURA - 22 3.. Infraestrutura

Leia mais

Novas opções de Gerenciamento de Dispositivos do Windows *

Novas opções de Gerenciamento de Dispositivos do Windows * Informe Processadores Intel Core de 4ª geração e processadores Intel Atom Mobilidade com a Intel e o Windows 8.1* Novas opções de Gerenciamento de Dispositivos do Windows * O que levar em conta ao decidir

Leia mais

Resumo. Introdução Cluster Cluster Beowulf Curiosidades Conclução

Resumo. Introdução Cluster Cluster Beowulf Curiosidades Conclução Cluster Resumo Introdução Cluster Cluster Beowulf Curiosidades Conclução Introdução Sua empresa esta precisando fazer um grande processamento; As Nuvens existentes não são suficientes para sua empresa;

Leia mais

Av. Bem-te-vi, 333 Moema São Paulo-SP tel.: (11) 5049-0441 - www.eyenet.com.br

Av. Bem-te-vi, 333 Moema São Paulo-SP tel.: (11) 5049-0441 - www.eyenet.com.br 1 2 OBJETIVO DESTE DOCUMENTO APRESENTAR A EYENET E SERVIÇO ARQUIVO DIGITAL WEB - ADW 3 1) Apresentação Executiva 2) ADW 3) Proposta Comercial 4 A EYENET FOI FUNDADA EM 1999 COM O OBJETIVO DE PROVER SOLUÇÕES

Leia mais

NÃO É NECESSÁRIO UMA GRANDE CASA PARA TER UM GRANDE NEGÓCIO

NÃO É NECESSÁRIO UMA GRANDE CASA PARA TER UM GRANDE NEGÓCIO NÃO É NECESSÁRIO UMA GRANDE CASA PARA TER UM GRANDE NEGÓCIO Instalações deficientes, falta de segurança, equipamentos e software obsoletos são problemas com que muitas Organizações têm que se debater no

Leia mais

SUMÁRIO. Sistemas a serem considerados na construção de data centers. A gestão do projeto e a integração dos fornecedores

SUMÁRIO. Sistemas a serem considerados na construção de data centers. A gestão do projeto e a integração dos fornecedores REPORT 04 e fevereiro de 2013 INFRAESTRUTURA FÍSICA E DATA CENTERS SUMÁRIO Introdução O que são data centers Padrões construtivos para data centers Sistemas a serem considerados na construção de data centers

Leia mais

Melhorando o desempenho do data center por meio da virtualização de bancos de dados SQL Server

Melhorando o desempenho do data center por meio da virtualização de bancos de dados SQL Server Melhorando o desempenho do data center por meio da virtualização de bancos de dados SQL Server Conteúdo Resumo.........................................................1 O papel do SQL Server em pequenas

Leia mais

Faça seu provedor crescer

Faça seu provedor crescer Faça seu provedor crescer Quer saber? Edmilson José de Almeida Filho Consultor e Gestor ISP Suporte a Provedores desde 2001 Suporte Linux desde 2001 Suporte Mikrotik desde 2007 Pequenos provedores Visão

Leia mais