PRURIDO VULVAR DIFÍCIL ABORDAGEM

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PRURIDO VULVAR DIFÍCIL ABORDAGEM"

Transcrição

1 PRURIDO VULVAR DE DE DIFÍCIL DIFÍCIL ABORDAGEM ABORDAGEM Diretora Administrativa da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO) Conselheira do Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (CREMERJ) Chefe do Setor de Patologia do Trato Genital Inferior do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho Universidade Federal do Rio de Janeiro (HUCFF-UFRJ) Professora do Curso de Medicina da Universidade Estácio de Sá

2 IMPORTÂNCIA É o sintoma mais freqüente das doenças de vulva Prevalência desconhecida Queixa mais comum das clínicas de Patologia vulvar.

3 CLASSIFICAÇÃO ETIOLÓGICA DO PRURIDO CRÔNICO DE ACORDO COM A ORIGEM DE BASE Categoria Doenças I. Dermatológica Doenças de pele: psoríase,dermatite atópica, pele seca, escabiose, urticária II. Sistêmica Doenças dos órgãos: fígado, rins, sangue (Hodgkin), substâncias psicoativas III. Neurológica Doenças do sistema nervoso central ou periférico: traumatismo nervoso, compressão nervosa IV. Psicogênica/Psicossomática Doenças psiquiátricas e psicossomáticas V. Mista Sobreposição ou coexistência de doenças VI. Outras Origem desconhecida Stander, 2007.

4 DIAGNÓSTICO Anamnese Exame ginecológico Exames complementares

5

6 CARACTERÍSTICAS DA VULVA Tem implicações hormonais Tem pele com e sem pelos Tem membrana mucosa Tem contato com secreções Normalmente está aquecida e coberta por tecidos Quente e úmida Tecidos que provocam irritação mecânica.

7 SEGUNDO A ISSVD Líquen simples crônico Líquen escleroso Dermatites alérgicas Psoríase Líquen plano Keleskci, 2011.

8 INFÂNCIA Motivos: Traumatismo Infecção Irritação por fezes com urina Produtos tópicos

9 INFÂNCIA Líquen Escleroso Diagnóstico clínico Não se deve biopsiar Corticóide tópico Controle prolongado Não cura com a menarca

10 INFÂNCIA Outros diagnósticos Manipulação dos genitais, traumatismo e prurido. Infecções por vermes.

11 MENACME Candidiase Dermatite de contato DST Infestações: escabiose e pediculose Líquen simples crônico Psoríase Líquen plano Doença de Fox-Fordyce Siringoma NIV D. Paget

12 MENOPAUSA Líquen escleroso Atrofia genital

13 Vulvovaginites Candidíase Tricomoníase Vaginose Bacteriana

14

15 CANDIDÍASE

16 DOENÇA DE PAGET É uma neoplasia intra-epitelial não escamosa. Apresenta-se com aspecto hiperplásico, conjunto a áreas eritematosas intercaladas com placas de epitélio branco.

17 ECZEMA Doença Doença inflamatória inflamatóriamuitas muitas vezes vezes de de etiologia etiologia indeterminada indeterminada com commanifestações manifestações agudas, agudas, subagudas subagudas ee crônicas. crônicas. Apresentando-se Apresentando-se com com frequência frequência como como rash rashpruriginoso. pruriginoso.

18 LÍQUEN SIMPLES CRÔNICO

19 Psoríase É uma dermatose caracterizada por pápulas e placas eritematosas cobertas por escamas brancas ou prateadas.

20 Líquen escleroso

21

22

23 VERRUGAS - HPV

24 NEOPLASIA INTRA-EPITELIAL VULVAR

25

26

27

28 O O QUE QUE FAZER? FAZER? BIÓPSIA BIÓPSIA EXAME EXAME HISTOPATOLÓGICO HISTOPATOLÓGICO DEFINIÇÃO DEFINIÇÃO DIAGNÓSTICA DIAGNÓSTICA

29 TERAPIA TÓPICA DO

30 DERMATOSES VULVARES QUE RESPONDEM AO ESTERÓIDE Lesões espessas e escamosas (geralmente pruriginosas) Líquen escleroso (LE) Psoríase Líquen simples crônico (LSC) Bolhas e erosões Líquen plano (LP) Dermatite/eczema Doenças bolhosas

31 COMO FUNCIONAM OS ESTERÓIDES Reduzem a inflamação Promovem constrição dos capilares cutâneos, diminuindo diretamente o eritema Diminuem a taxa mitótica da epiderme em rápida proliferação Diminuem a proliferação dos fibroblastos

32 CLASSES I A VII Potência alta a moderada: I a III Potência moderada a branda: IV a VII TESTE DE VASOCONSTRICÇÃO PADRONIZADO Mede a duração do branqueamento no antebraço Quanto mais tempo permanecer o branqueamento (vasoconstricção), mais potente será o esteróide.

33 McKay, M. 2003

34 McKay, M. 2003

35 COMPLICAÇÕES SISTÊMICAS DOS ESTERÓIDES DA CLASSE I Supressão do eixo hipotalâmico-hipofisário-adrenal Necrose asséptica da cabeça femoral Ampla formação de estrias irreversíveis Glaucoma e catarata (em casos de aplicação facial)

36 EFEITOS COLATERAIS DOS ESTERÓIDES COM USO NORMAL Atrofia da epiderme Atrofia da derme e formação de estrias Fácil contusão Telangiectasia Dermatite rebote por esteróide, depois as descontinuação

37 A POTÊNCIA DO ESTERÓIDE DEPENDE Da forma do corticosteróide Da concentração do esteróide Do veículo Da frequência de aplicação e duração do tempo de uso

38 CUIDADOS Evitar associações Reduzir a dose progressivamente Classe I não deve ser receitado para crianças menores de 12 anos Doses mínimas possíveis

39 CREME OU POMADA? POMADA: Mais potentes: são mais oclusivos Tem menor probabilidade de conter alergenos

40 Quando não devemos usar esteróides de grande potência? Quando fazemos as seguintes perguntas: O que estou tratando? Quanto tempo levará para que o problema fique sob controle?

41 LEMBRE-SE: Esteróides tópicos não são uma cura. Use o esteróide de mais baixa potência que controlará o problema. Dermatopatias crônicas implicam em tratamento prolongado. Esteróides tópicos podem potencializar co-infecções com Candida, tinea, bactérias e escabiose.

42 OBRIGADA!

LEIA ATENTAMENTE ESTA BULA ANTES DE INICIAR O TRATAMENTO

LEIA ATENTAMENTE ESTA BULA ANTES DE INICIAR O TRATAMENTO LEIA ATENTAMENTE ESTA BULA ANTES DE INICIAR O TRATAMENTO I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Psorex propionato de clobetasol APRESENTAÇÕES Psorex pomada é apresentado em bisnaga de alumínio com 30 gramas.

Leia mais

Modelo de Texto de Bula. Betnovate Q é apresentado sob a forma farmacêutica de creme em bisnaga de 30g. betametasona (como 17-valerato)...

Modelo de Texto de Bula. Betnovate Q é apresentado sob a forma farmacêutica de creme em bisnaga de 30g. betametasona (como 17-valerato)... Betnovate Q valerato de betametasona + clioquinol Creme dermatológico FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES Betnovate Q é apresentado sob a forma farmacêutica de creme em bisnaga de 30g. COMPOSIÇÃO: Betnovate

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Advantan, 1 mg/g, creme Advantan, 1 mg/g, pomada Aceponato de metilprednisolona

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Advantan, 1 mg/g, creme Advantan, 1 mg/g, pomada Aceponato de metilprednisolona FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Advantan, 1 mg/g, creme Advantan, 1 mg/g, pomada Aceponato de metilprednisolona Leia atentamente este folheto antes de utilizar este medicamento. - Conserve

Leia mais

Eczema Resumo de diretriz NHG M37 (maio 2014)

Eczema Resumo de diretriz NHG M37 (maio 2014) Resumo de diretriz NHG M37 (maio 2014) Dirven-Meijer PC, De Kock CA, Nonneman MGM, Van Sleeuwen D, De Witt-de Jong AWF, Burgers JS, Opstelten W, De Vries CJH traduzido do original em holandês por Luiz

Leia mais

BETOGENTA. Geolab Indústria Farmacêutica S/A Creme Dermatológico 0,5mg/g + 1mg/g

BETOGENTA. Geolab Indústria Farmacêutica S/A Creme Dermatológico 0,5mg/g + 1mg/g BETOGENTA Geolab Indústria Farmacêutica S/A Creme Dermatológico 0,5mg/g + 1mg/g MODELO DE BULA PARA O PACIENTE Esta bula é continuamente atualizada. Favor proceder a sua leitura antes de utilizar o medicamento.

Leia mais

VALERATO DE BETAMETASONA EMS SIGMA PHARMA LTDA. Pomada Dermatológica. 1 mg / g

VALERATO DE BETAMETASONA EMS SIGMA PHARMA LTDA. Pomada Dermatológica. 1 mg / g VALERATO DE BETAMETASONA EMS SIGMA PHARMA LTDA Pomada Dermatológica 1 mg / g valerato de betametasona "Medicamento Genérico, Lei nº. 9.787, de 1999". APRESENTAÇÕES valerato de betametasona pomada 1mg /

Leia mais

APRESENTAÇÕES Pomada: 1 mg/g de furoato de mometasona em embalagem com 20 g. USO DERMATOLÓGICO USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 02 ANOS DE IDADE

APRESENTAÇÕES Pomada: 1 mg/g de furoato de mometasona em embalagem com 20 g. USO DERMATOLÓGICO USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 02 ANOS DE IDADE TOPISON furoato de mometasona APRESENTAÇÕES Pomada: 1 mg/g de furoato de mometasona em embalagem com 20 g. USO DERMATOLÓGICO USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 02 ANOS DE IDADE COMPOSIÇÃO Cada g de Topison

Leia mais

CLOB-X propionato de clobetasol POMADA 0,5 mg/g

CLOB-X propionato de clobetasol POMADA 0,5 mg/g CLOB-X propionato de clobetasol POMADA 0,5 mg/g CLOB-X propionato de clobetasol 0,5 mg/g LEIA ATENTAMENTE ESTA BULA ANTES DE INICIAR O TRATAMENTO I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO CLOB-X propionato de clobetasol

Leia mais

Caracterizada por queimação associada à irritação, ardência, prurido, dor ou edema, com duração de 3-6 meses.

Caracterizada por queimação associada à irritação, ardência, prurido, dor ou edema, com duração de 3-6 meses. Vulvodínia Isabel do Val Profª Ad. Ginecologia UFF- Patologia TGI e Colposcopia Presidente da ABPTGIC- Cap RJ Membro ISSVD IFCPC Member Educational Committee Dor Vulvar Caracterizada por queimação associada

Leia mais

Softderm Laboratório Farmacêutico Elofar Ltda. Pomada dermatológica 0,64 mg/g de dipropionato de betametasona + 30 mg/g de ácido salicílico

Softderm Laboratório Farmacêutico Elofar Ltda. Pomada dermatológica 0,64 mg/g de dipropionato de betametasona + 30 mg/g de ácido salicílico Softderm Laboratório Farmacêutico Elofar Ltda. Pomada dermatológica 0,64 mg/g de dipropionato de betametasona + 30 mg/g de ácido salicílico I- IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Softderm dipropionato de betametasona

Leia mais

DOENÇAS DO SISTEMA MUSCULAR ESQUELÉTICO. Claudia de Lima Witzel

DOENÇAS DO SISTEMA MUSCULAR ESQUELÉTICO. Claudia de Lima Witzel DOENÇAS DO SISTEMA MUSCULAR ESQUELÉTICO Claudia de Lima Witzel SISTEMA MUSCULAR O tecido muscular é de origem mesodérmica (camada média, das três camadas germinativas primárias do embrião, da qual derivam

Leia mais

CORRIMENTO VAGINAL (VULVOVAGINITES) UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ Setor de Genitoscopia Prof André Luis F. Santos 2010

CORRIMENTO VAGINAL (VULVOVAGINITES) UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ Setor de Genitoscopia Prof André Luis F. Santos 2010 CORRIMENTO VAGINAL (VULVOVAGINITES) UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ Setor de Genitoscopia Prof André Luis F. Santos 2010 CONCEITO (VULVOVAGINITES) Qualquer acometimento infeccioso e/ou inflamatório da vulva e

Leia mais

NEOPLASIA INTRAEPITELIAL VULVAR RIO DE JANEIRO 2013

NEOPLASIA INTRAEPITELIAL VULVAR RIO DE JANEIRO 2013 NEOPLASIA INTRAEPITELIAL VULVAR diagnóstico e conduta RIO DE JANEIRO 2013 A NIV aumentou em 4 vezes nos EUA entre 1973 e 2000 A regressão da NIV existe O câncer invasor está presente em 3% das mulheres

Leia mais

Propilenoglicol e potencial alergênico em cosméticos

Propilenoglicol e potencial alergênico em cosméticos Propilenoglicol e potencial alergênico em cosméticos Os cuidados com a aparência física e a busca incessante pelo ideal de beleza levam as pessoas a se submeterem aos mais variados tratamentos estéticos

Leia mais

TROCANDO IDÉIAS XIX LÍQUEN ESCLEROSO A

TROCANDO IDÉIAS XIX LÍQUEN ESCLEROSO A TROCANDO IDÉIAS XIX LÍQUEN ESCLEROSO A biópsia é necessária? Como tratar? Gutemberg Almeida ABPTGIC UFRJ Classificação das Dermatoses ISSVD (2006) - Padrão histológico Espongiótico: dermatites (eczema

Leia mais

Desonol (desonida) Medley Indústria Farmacêutica Ltda. Creme Dermatológico 0,5 mg/g

Desonol (desonida) Medley Indústria Farmacêutica Ltda. Creme Dermatológico 0,5 mg/g Desonol (desonida) Medley Indústria Farmacêutica Ltda. Creme Dermatológico 0,5 mg/g DESONOL desonida APRESENTAÇÕES Creme dermatológico 0,05%: embalagem com 30 g. USO ADULTO E PEDIÁTRICO USO TÓPICO COMPOSIÇÃO

Leia mais

Cada 1 g contém: propionato de clobetasol...0,5 mg Excipientes: propilenoglicol, sesquioleato de sorbitana e vaselina branca...q.s.p...

Cada 1 g contém: propionato de clobetasol...0,5 mg Excipientes: propilenoglicol, sesquioleato de sorbitana e vaselina branca...q.s.p... LEIA ATENTAMENTE ESTA BULA ANTES DE INICIAR O TRATAMENTO I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Psorex propionato de clobetasol APRESENTAÇÕES Psorex pomada é apresentado em bisnaga de alumínio com 30 gramas.

Leia mais

Corticóides na Reumatologia

Corticóides na Reumatologia Corticóides na Reumatologia Corticóides (CE) são hormônios esteróides produzidos no córtex (área mais externa) das glândulas suprarrenais que são dois pequenos órgãos localizados acima dos rins. São produzidos

Leia mais

Tralen 1% tioconazol. Tralen 1% pó dermatológico em embalagem contendo 1 frasco plástico com 30 gramas.

Tralen 1% tioconazol. Tralen 1% pó dermatológico em embalagem contendo 1 frasco plástico com 30 gramas. Tralen 1% tioconazol I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Tralen Nome genérico: tioconazol APRESENTAÇÕES Tralen 1% pó dermatológico em embalagem contendo 1 frasco plástico com 30 gramas. VIA

Leia mais

Stiefcortil Creme Pomada 10,0 mg/g

Stiefcortil Creme Pomada 10,0 mg/g Stiefcortil Creme Pomada 10,0 mg/g Stiefcortil hidrocortisona APRESENTAÇÕES: Stiefcortil creme: bisnaga com 10 g e 30 g. Stiefcortil pomada: bisnaga com 30g. VIA TÓPICA USO ADULTO E PEDIÁTRICO COMPOSIÇÃO

Leia mais

DIPROPIONATO DE BETAMETASONA + SULFATO DE GENTAMICINA. Geolab Indústria Farmacêutica S/A Creme Dermatológico 0,5mg/g + 1mg/g

DIPROPIONATO DE BETAMETASONA + SULFATO DE GENTAMICINA. Geolab Indústria Farmacêutica S/A Creme Dermatológico 0,5mg/g + 1mg/g DIPROPIONATO DE BETAMETASONA + SULFATO DE GENTAMICINA Geolab Indústria Farmacêutica S/A Creme Dermatológico 0,5mg/g + 1mg/g MODELO DE BULA PARA O PACIENTE Esta bula é continuamente atualizada. Favor proceder

Leia mais

Betnovate GlaxoSmithKline Brasil Ltda. Solução tópica 1mg/mL

Betnovate GlaxoSmithKline Brasil Ltda. Solução tópica 1mg/mL Betnovate GlaxoSmithKline Brasil Ltda. Solução tópica 1mg/mL Betnovate capilar Modelo de texto de bula - Paciente LEIA ATENTAMENTE ESTA BULA ANTES DE INICIAR O TRATAMENTO. I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Leia mais

VALERATO DE BETAMETASONA EMS S/A. Loção Dermatológica. 1 mg / g

VALERATO DE BETAMETASONA EMS S/A. Loção Dermatológica. 1 mg / g VALERATO DE BETAMETASONA EMS S/A Loção Dermatológica 1 mg / g valerato de betametasona "Medicamento Genérico, Lei nº. 9.787, de 1999". APRESENTAÇÕES valerato de betametasona loção 1mg / g, apresentado

Leia mais

Betnovate pomada Modelo de texto de bula Profissional de saúde

Betnovate pomada Modelo de texto de bula Profissional de saúde Modelo de texto de bula Profissional de saúde LEIA ATENTAMENTE ESTA BULA ANTES DE INICIAR O TRATAMENTO I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Betnovate valerato de betametasona APRESENTAÇÕES Betnovate pomada

Leia mais

MANTECORP ARQUIVO: B-QUA4F2 QUADRIDERM. QUADRIDERM valerato de betametasona + sulfato de gentamicina + tolnaftato + clioquinol.

MANTECORP ARQUIVO: B-QUA4F2 QUADRIDERM. QUADRIDERM valerato de betametasona + sulfato de gentamicina + tolnaftato + clioquinol. BULA PARA O PACIENTE QUADRIDERM valerato de betametasona + sulfato de gentamicina + tolnaftato + clioquinol Creme e Pomada FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES QUADRIDERM é indicado para uso dermatológico.

Leia mais

Barreira Cutânea Junções

Barreira Cutânea Junções Estrutura da Pele Barreira Cutânea da Pele Manifestações Alérgicas na Pele Substâncias Alergênicas Importância das Bases Biocompatíveis Dra Loraine Landgraf Médica Especialista em Alergia e Imunologia

Leia mais

DOENÇAS AUTO-IMUNES MUCOCUTÂNEAS

DOENÇAS AUTO-IMUNES MUCOCUTÂNEAS Curso: Graduação em Odontologia 4º e 5º Períodos Disciplina: Patologia Oral DOENÇAS AUTO-IMUNES MUCOCUTÂNEAS http://lucinei.wikispaces.com Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira 2012 DOENÇAS AUTO-IMUNES

Leia mais

DIPROSALIC. dipropionato de betametasona + ácido salicílico. Pomada e Solução

DIPROSALIC. dipropionato de betametasona + ácido salicílico. Pomada e Solução BULA PARA O PACIENTE dipropionato de betametasona + ácido salicílico Pomada e Solução FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES é indicado para uso dermatológico. Pomada apresenta-se em bisnagas de 30 gramas.

Leia mais

Stiefcortil. Creme. 10,00 mg/g

Stiefcortil. Creme. 10,00 mg/g Stiefcortil Creme 10,00 mg/g Stiefcortil_creme Bula Paciente RDC 47/09 e GDS_vfinal 1 Stiefcortil Hidrocortisona APRESENTAÇÃO: Creme que contém hidrocortisona a 10 mg/g em bisnaga com 10 ou 30 g. VIA TÓPICA

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 48. Na reação de hipersensibilidade imediata do tipo I, qual dos seguintes mediadores é neoformado nos tecidos?

PROVA ESPECÍFICA Cargo 48. Na reação de hipersensibilidade imediata do tipo I, qual dos seguintes mediadores é neoformado nos tecidos? 11 PROVA ESPECÍFICA Cargo 48 QUESTÃO 26 Na reação de hipersensibilidade imediata do tipo I, qual dos seguintes mediadores é neoformado nos tecidos? a) Heparina. b) Histamina. c) Fator ativador de plaquetas

Leia mais

DIPROSALIC (dipropionato de betametasona + ácido salicílico)

DIPROSALIC (dipropionato de betametasona + ácido salicílico) DIPROSALIC (dipropionato de betametasona + ácido salicílico) Hypermarcas S.A. Pomada 0,64mg/g + 30mg/g I - IDENTIFICAÇÃO DO DIPROSALIC dipropionato de betametasona + ácido salicílico APRESENTAÇÕES Pomada

Leia mais

A minha criança tem eczema?

A minha criança tem eczema? FONDATION A minha criança tem eczema? Informações para os pais e úteis para os docentes Doutor Jacques ROBERT Pediatra - Alergologista REALIZADO PELA FUNDAÇÃO PARA A DERMATITE ATÓPICA Compreender o eczema

Leia mais

Tralen 28% tioconazol. Tralen 28% solução para unhas em embalagem contendo 1 frasco com 12 ml.

Tralen 28% tioconazol. Tralen 28% solução para unhas em embalagem contendo 1 frasco com 12 ml. Tralen 28% tioconazol I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Tralen Nome genérico: tioconazol APRESENTAÇÕES Tralen 28% solução para unhas em embalagem contendo 1 frasco com 12 ml. VIA DE ADMINISTRAÇÃO:

Leia mais

Câncer de Pele. Os sinais de aviso de Câncer de Pele. Lesões pré câncerigenas. Melanoma. Melanoma. Carcinoma Basocelular. PEC SOGAB Júlia Käfer

Câncer de Pele. Os sinais de aviso de Câncer de Pele. Lesões pré câncerigenas. Melanoma. Melanoma. Carcinoma Basocelular. PEC SOGAB Júlia Käfer Lesões pré câncerigenas Os sinais de aviso de Câncer de Pele Câncer de Pele PEC SOGAB Júlia Käfer Lesões pré-cancerosas, incluindo melanoma, carcinoma basocelular e carcinoma espinocelular. Estas lesões

Leia mais

página: 35 Capítulo 3: Eczemas causas lesiones básicas procura índice imprimir última página vista anterior seguinte

página: 35 Capítulo 3: Eczemas causas lesiones básicas procura índice imprimir última página vista anterior seguinte Capítulo 3: Eczemas página: 35 Eczemas Dermites de contacto e dermites traumáticas página: 36 3.1 Dermites de contacto e dermites traumáticas Mácula eritematosa; Vesículas Eczema de contacto agudo exsudativo

Leia mais

Corticóides tópicos: o certo e o errado

Corticóides tópicos: o certo e o errado III Jornada Paranaense de doenças de inverno Curitiba PR 15 a 17 de abril de 2010 Dermatite atópica: redobrar os cuidados com a pele do atópico no inverno Corticóides tópicos: o certo e o errado Dra. Adriana

Leia mais

2. Da fundamentação e análise

2. Da fundamentação e análise PARECER COREN-SP 001/2013 CT PRCI n 100.546 e Ticket n 256.298 Assunto: Manuseio de equipamento de fototerapia em dermatologia por Auxiliar de Enfermagem. 1. Do fato A profissional questiona se o Auxiliar

Leia mais

A pele é um sistema orgânico que, quando mantida sua integridade, tem como funções:

A pele é um sistema orgânico que, quando mantida sua integridade, tem como funções: CUIDADOS COM A PELE A pele é um sistema orgânico que, quando mantida sua integridade, tem como funções: Regular a temperatura do nosso corpo; Perceber os estímulos dolorosos e agradáveis; Impedir a entrada

Leia mais

VALERATO DE BETAMETASONA EMS S/A. Solução Capilar. 1 mg / g

VALERATO DE BETAMETASONA EMS S/A. Solução Capilar. 1 mg / g VALERATO DE BETAMETASONA EMS S/A Solução Capilar 1 mg / g valerato de betametasona "Medicamento Genérico, Lei nº. 9.787, de 1999". APRESENTAÇÕES valerato de betametasona solução capilar 1mg / g, apresentado

Leia mais

Folheto Informativo: Informação para o utilizador. Flotiran, 0,5 mg/g + 10 mg/g, creme Flotiran, 0,5 mg/g + 10 mg/g, pomada Betametasona + Clotrimazol

Folheto Informativo: Informação para o utilizador. Flotiran, 0,5 mg/g + 10 mg/g, creme Flotiran, 0,5 mg/g + 10 mg/g, pomada Betametasona + Clotrimazol Folheto Informativo: Informação para o utilizador Flotiran, 0,5 mg/g + 10 mg/g, creme Flotiran, 0,5 mg/g + 10 mg/g, pomada Betametasona + Clotrimazol Leia com atenção todo este folheto antes de começar

Leia mais

DIPROGENTA. (dipropionato de betametasona + sulfato de gentamicina)

DIPROGENTA. (dipropionato de betametasona + sulfato de gentamicina) DIPROGENTA (dipropionato de betametasona + sulfato de gentamicina) Hypermarcas S.A. Creme e Pomada 0,64mg/g + 1mg/g DIPROGENTA dipropionato de betametasona + sulfato de gentamicina APRESENTAÇÕES DIPROGENTA

Leia mais

Tralen 1% tioconazol. Formas farmacêuticas: creme dermatológico, loção dermatológica, pó dermatológico.

Tralen 1% tioconazol. Formas farmacêuticas: creme dermatológico, loção dermatológica, pó dermatológico. Tralen 1% tioconazol PARTE I IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Tralen Nome genérico: tioconazol Formas farmacêuticas: creme dermatológico, loção dermatológica, pó dermatológico. Via de administração:

Leia mais

Modelo de Texto de Bula. Betnovate N para uso na pele é apresentado sob as formas farmacêuticas de creme e de pomada, em bisnagas de 30g.

Modelo de Texto de Bula. Betnovate N para uso na pele é apresentado sob as formas farmacêuticas de creme e de pomada, em bisnagas de 30g. Betnovate N valerato de betametasona + sulfato de neomicina Creme e pomada dermatológica FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES Betnovate N para uso na pele é apresentado sob as formas farmacêuticas de creme

Leia mais

CLASSIFICAÇÕES DA VULVA

CLASSIFICAÇÕES DA VULVA CLASSIFICAÇÕES DA VULVA Autores: Cíntia Irene Parellada*, Adriana Bittencourt Campaner ** e Adriane Bovo *** *Doutora em Ciências pela FM-USP. Gerente médica de grupo para vacinas da MSD, **Doutora em

Leia mais

COMO EU TRATO CONJUNTIVITE ALÉRGICA

COMO EU TRATO CONJUNTIVITE ALÉRGICA COMO EU TRATO CONJUNTIVITE ALÉRGICA As conjuntivites alérgicas em crianças apresentam-se habitualmente de forma grave, principalmente as do tipo primaveril. Há quatro formas de conjuntivite alérgica: Sazonal,

Leia mais

Viofórmio Hidrocortisona clioquinol + hidrocortisona

Viofórmio Hidrocortisona clioquinol + hidrocortisona Viofórmio Hidrocortisona clioquinol + hidrocortisona Forma farmacêutica, via de administração e apresentação Creme dermatológico via tópica. Tubo contendo 20 gramas. USO ADULTO E PEDIÁTRICO Composição

Leia mais

QUADRIDERM. valerato de betametasona + sulfato de gentamicina + tolnaftato + clioquinol. Creme e Pomada

QUADRIDERM. valerato de betametasona + sulfato de gentamicina + tolnaftato + clioquinol. Creme e Pomada BULA PARA O PACIENTE valerato de betametasona + sulfato de gentamicina + tolnaftato + clioquinol Creme e Pomada FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES é indicado para uso dermatológico. Creme apresenta-se

Leia mais

D.S.T. CANCRO MOLE TRICOMO ÍASE CANDIDÍASE HERPES CONDILOMA LI FOGRA ULOMA GONORRÉIA SÍFILIS GRANULOMA AIDS

D.S.T. CANCRO MOLE TRICOMO ÍASE CANDIDÍASE HERPES CONDILOMA LI FOGRA ULOMA GONORRÉIA SÍFILIS GRANULOMA AIDS D.S.T D.S.T. CANCRO MOLE TRICOMO ÍASE CANDIDÍASE HERPES CONDILOMA LI FOGRA ULOMA GONORRÉIA SÍFILIS GRANULOMA AIDS CANCRO MOLE Agente: bactéria Haemophilus ducreyi Transmissão: sexo vaginal, anal ou oral

Leia mais

BETOGENTA. Geolab Indústria Farmacêutica S/A Creme Dermatológico e Pomada Dermatológica 0,5mg/g + 1mg/g

BETOGENTA. Geolab Indústria Farmacêutica S/A Creme Dermatológico e Pomada Dermatológica 0,5mg/g + 1mg/g BETOGENTA Geolab Indústria Farmacêutica S/A Creme Dermatológico e Pomada Dermatológica 0,5mg/g + 1mg/g MODELO DE BULA PARA O PROFISSIONAL DA SAÚDE Esta bula é continuamente atualizada. Favor proceder a

Leia mais

VULVOVAGINITES XXIII CONGRESSO MÉDICO ESTADUAL DA PARAÍBA MT/CCS/DMI/HULW

VULVOVAGINITES XXIII CONGRESSO MÉDICO ESTADUAL DA PARAÍBA MT/CCS/DMI/HULW VULVOVAGINITES XXIII CONGRESSO MÉDICO ESTADUAL DA PARAÍBA VULVOVAGINITES Todas as manifestações inflamatórias e/ou infecciosas do trato genital feminino inferior Causas: Agentes infecciosos Agentes alérgicos

Leia mais

Dispensação de Medicamentos Utilizados no Tratamento da Micose Superficial

Dispensação de Medicamentos Utilizados no Tratamento da Micose Superficial Dispensação de Medicamentos Utilizados no Tratamento da Micose Superficial José Vanilton de Almeida. Farmacêutico da Orgânica Farmácia (Sorocaba-SP). Coordenador Depto Farmácia da SBD. Ministrante de cursos

Leia mais

RASTREIO COLOPOCITOLÓGICO: NOVAS RECOMENDAÇÕES

RASTREIO COLOPOCITOLÓGICO: NOVAS RECOMENDAÇÕES Fórum Unimed-Rio de Ginecologia RASTREIO COLOPOCITOLÓGICO: NOVAS RECOMENDAÇÕES VERA FONSECA Diretora Administrativa da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO) Presidente

Leia mais

Serviço de Pediatria. Varicela

Serviço de Pediatria. Varicela Varicela O que é a Varicela? É uma doença da infância muito frequente, das mais contagiosas, que surge principalmente no Inverno e na Primavera afectando todos os anos em Portugal milhares de crianças.

Leia mais

Como surge o diabetes? Como surge o diabetes?

Como surge o diabetes? Como surge o diabetes? Como surge o diabetes? Como surge o diabetes? Com a queda da produção de insulina, hormônio importante para o funcionamento do organismo, resultando no aumento da quantidade de açúcar. Áreas afetadas pelo

Leia mais

Trinizol -M Tinidazol Nitrato de miconazol

Trinizol -M Tinidazol Nitrato de miconazol Trinizol -M Tinidazol Nitrato de miconazol Creme vaginal Uso intravaginal APRESENTAÇÃO TRINIZOL -M CREME VAGINAL: caixa contendo bisnaga com 80 g de creme e 1 aplicador. TRINIZOL -M CREME VAGINAL: caixa

Leia mais

Flutivate pomada profissional da saúde Modelo de texto de bula LEIA ESTA BULA ATENTAMENTE ANTES DE INICIAR O TRATAMENTO.

Flutivate pomada profissional da saúde Modelo de texto de bula LEIA ESTA BULA ATENTAMENTE ANTES DE INICIAR O TRATAMENTO. profissional da saúde Modelo de texto de bula LEIA ESTA BULA ATENTAMENTE ANTES DE INICIAR O TRATAMENTO. I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Flutivate propionato de fluticasona APRESENTAÇÕES Flutivate pomada

Leia mais

Vulvovaginites Recorrentes. Maristela Vargas Peixoto

Vulvovaginites Recorrentes. Maristela Vargas Peixoto Vulvovaginites Recorrentes Maristela Vargas Peixoto VULVOVAGINITES Frequência elevada Manifestações clínicas desconfortáveis Atividades cotidianas Desempenho sexual Alterações na pele e mucosas favorecem

Leia mais

ABORDAGEM DO PARCEIRO NA CANDIDÍASE RECORRENTE E NA TRICOMONÍASE

ABORDAGEM DO PARCEIRO NA CANDIDÍASE RECORRENTE E NA TRICOMONÍASE ABORDAGEM DO PARCEIRO NA CANDIDÍASE RECORRENTE E NA TRICOMONÍASE Filomena Aste Silveira Mestre ginecologia UFRJ Doutoranda UFRJ Medica do IG UFRJ Profª. Faculdade de Medicina de Valença Candidíase vulvo

Leia mais

propionato de clobetasol

propionato de clobetasol propionato de clobetasol Medley Indústria Farmacêutica Ltda. creme dermatológico 0,5 mg/g propionato de clobetasol Medicamento Genérico, Lei nº 9.787, de 1999 APRESENTAÇÃO Creme dermatológico 0,5 mg/g:

Leia mais

Softderm Laboratório Farmacêutico Elofar Ltda. Pomada dermatológica 0,64 mg/g de dipropionato de betametasona + 30 mg/g de ácido salicílico

Softderm Laboratório Farmacêutico Elofar Ltda. Pomada dermatológica 0,64 mg/g de dipropionato de betametasona + 30 mg/g de ácido salicílico Softderm Laboratório Farmacêutico Elofar Ltda. Pomada dermatológica 0,64 mg/g de dipropionato de betametasona + 30 mg/g de ácido salicílico I- IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Softderm dipropionato de betametasona

Leia mais

Capítulo 3 Úlceras Tróficas de Perna

Capítulo 3 Úlceras Tróficas de Perna 10 Capítulo 3 Úlceras Tróficas de Perna As úlceras tróficas de perna constituem uma doença mutilante comum, que surge geralmente a partir de um pequeno trauma ou de uma infecção secundária em regiões da

Leia mais

A evolução das lesões vulvares HPV-induzidas não ocorre da seguinte forma: O mecanismo de ação da crioterapia nas lesões cervicais intra-epiteliais é:

A evolução das lesões vulvares HPV-induzidas não ocorre da seguinte forma: O mecanismo de ação da crioterapia nas lesões cervicais intra-epiteliais é: Questão 01 A evolução das lesões vulvares HPV-induzidas não ocorre da seguinte forma: A) progressão evoluindo para melanoma B) regressão espontânea, sem tratamento C) recorrência, dependendo do status

Leia mais

DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS

DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS Doenças Sexualmente Transmissíveis são aquelas que são mais comumente transmitidas através da relação sexual. PRINCIPAIS DOENÇAS SEXUALMENTE

Leia mais

Etiologia. Infecciosa Auto-imune Traumática. DCP / APN Dulce Cabelho Passarelli / André Passarelli Neto. Tratamento. Depende: Origem Diagnóstico

Etiologia. Infecciosa Auto-imune Traumática. DCP / APN Dulce Cabelho Passarelli / André Passarelli Neto. Tratamento. Depende: Origem Diagnóstico Infecciosa Auto-imune Traumática Evidência Clínica Inicialmente, vesículas ou bolhas, na pele ou mucosa, podendo ocorrer concomitantemente nessas regiões. Dulce Cabelho Passarelli / André Passarelli Neto

Leia mais

MODELO DE FORMATO DE BULA

MODELO DE FORMATO DE BULA APRESENTAÇÕES OMCILON-A M (triancinolona acetonida + sulfato de neomicina + gramicidina + nistatina) pomada é apresentado em embalagens contendo 1 tubo com 30 g. USO TÓPICO USO ADULTO E PEDIÁTRICO COMPOSIÇÃO

Leia mais

Caso Clínico. Lucas de Araujo Aquino

Caso Clínico. Lucas de Araujo Aquino Caso Clínico Lucas de Araujo Aquino Identificação - A.M.P. - 17 anos - Sexo masculino - Branco - Estudante secundário Queixa Principal - Alergia no rosto há 10 dias, que não fica boa História da Doença

Leia mais

Seção 18 - Distúrbios da Pele Capítulo 194 - Dermatite

Seção 18 - Distúrbios da Pele Capítulo 194 - Dermatite Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira MANUAL MERCK Seção 18 - Distúrbios da Pele Capítulo 194 - Dermatite A dermatite (eczema) é uma inflamação

Leia mais

NEOPLASIAS DE ORIGEM MESENQUIMAL

NEOPLASIAS DE ORIGEM MESENQUIMAL NEOPLASIAS DE ORIGEM MESENQUIMAL Curso: Odontologia 4 º e 5 º Períodos Disciplina: Patologia Oral http://lucinei.wikispaces.com Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira 2012 NEOPLASIAS NOMENCLATURA - O critério

Leia mais

Folheto informativo: Informação para o utilizador Finacea, 150 mg/g, gel Ácido azelaico

Folheto informativo: Informação para o utilizador Finacea, 150 mg/g, gel Ácido azelaico Folheto informativo: Informação para o utilizador Finacea, 150 mg/g, gel Ácido azelaico Leia com atenção todo este folheto antes de começar a utilizar este medicamento pois contém informação importante

Leia mais

Berlison acetato de hidrocortisona. Formas farmacêuticas: pomada e creme. Via de administração: Uso tópico (não oftálmico)

Berlison acetato de hidrocortisona. Formas farmacêuticas: pomada e creme. Via de administração: Uso tópico (não oftálmico) Berlison acetato de hidrocortisona Formas farmacêuticas: pomada e creme Via de administração: Uso tópico (não oftálmico) Apresentações: Pomada: cartucho contendo bisnaga com 15 g e 30 g Creme: cartucho

Leia mais

-Os Papiloma Vírus Humanos (HPV) são vírus da família Papovaviridae.

-Os Papiloma Vírus Humanos (HPV) são vírus da família Papovaviridae. -Os Papiloma Vírus Humanos (HPV) são vírus da família Papovaviridae. -Chamado de HPV, aparece na forma de doenças como condiloma acuminado, verruga genital ou crista de galo. -Há mais de 200 subtipos do

Leia mais

Graças a ele, podemos perceber melhor o mundo e nosso corpo.

Graças a ele, podemos perceber melhor o mundo e nosso corpo. Graças a ele, podemos perceber melhor o mundo e nosso corpo. Assim, além de boas sensações, podemos escapar de problemas sérios, como evitar a ingestão de um alimento estragado, ao sentir o cheiro e gosto

Leia mais

Perigo: as brotoejas podem coçar, causando incômodo ao bebê e, por serem uma irritação, tornam-se foco de infecções.

Perigo: as brotoejas podem coçar, causando incômodo ao bebê e, por serem uma irritação, tornam-se foco de infecções. Trate os problemas de pele mais comuns em bebês Pais devem ficam atentos a descamações, manchas e brotoejas Se existe uma característica comum a todos os bebês saudáveis, só pode ser a pele macia e sedosa,

Leia mais

Circulação sanguínea Intrapulmonar. V. Pulmonar leva sangue oxigenado do pulmão para o coração.

Circulação sanguínea Intrapulmonar. V. Pulmonar leva sangue oxigenado do pulmão para o coração. DOENÇAS PULMONARES Árvore Brônquica Circulação sanguínea Intrapulmonar V. Pulmonar leva sangue oxigenado do pulmão para o coração. A. Pulmonar traz sangue venoso do coração para o pulmão. Trocas Histologia

Leia mais

Infecções ginecológicas. - Vulvovaginites e DIP -

Infecções ginecológicas. - Vulvovaginites e DIP - Cadeira de Clínica Obstétrica e Ginecológica Infecções ginecológicas. - Vulvovaginites e DIP - C. Calhaz Jorge Ano lectivo de 2009/ 2010 Infecções ginecológicas. Vulvovaginites e DIP Sistemas de defesa

Leia mais

A acne é uma complicação da pele oleosa que afeta os folículos pilo sebáceos e os fatores envolvidos no aparecimento e na evolução são:

A acne é uma complicação da pele oleosa que afeta os folículos pilo sebáceos e os fatores envolvidos no aparecimento e na evolução são: Acne Segundo dados divulgados pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), em 2009, acne é o problema dermatológico mais comum na população brasileira, afetando 56,4% das pessoas, além de ser o motivo

Leia mais

INFORMAÇÃO PARA O DOENTE PORQUE É IMPORTANTE A HIGIENE PALPEBRAL EM CASO DE DISFUNÇÃO DAS GLÂNDULAS DE MEIBOMIUS?

INFORMAÇÃO PARA O DOENTE PORQUE É IMPORTANTE A HIGIENE PALPEBRAL EM CASO DE DISFUNÇÃO DAS GLÂNDULAS DE MEIBOMIUS? INFORMAÇÃO PARA O DOENTE PORQUE É IMPORTANTE A HIGIENE PALPEBRAL EM CASO DE DISFUNÇÃO DAS GLÂNDULAS DE MEIBOMIUS? ÍNDICE PERGUNTAS E RESPOSTAS O QUE É A DGM?...3 O QUE SÃO AS LÁGRIMAS?.....................................................................................4

Leia mais

CORTISONAL (acetato de hidrocortisona)

CORTISONAL (acetato de hidrocortisona) CORTISONAL (acetato de hidrocortisona) União Química Farmacêutica Nacional S.A Creme dermatológico 10 mg/g CORTISONAL acetato de hidrocortisona Creme dermatológico IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO FORMA FARMACÊUTICA

Leia mais

VALERATO DE BETAMETASONA GERMED FARMACÊUTICA LTDA. Creme Dermatológico. 1 mg / g

VALERATO DE BETAMETASONA GERMED FARMACÊUTICA LTDA. Creme Dermatológico. 1 mg / g VALERATO DE BETAMETASONA GERMED FARMACÊUTICA LTDA Creme Dermatológico 1 mg / g valerato de betametasona "Medicamento Genérico, Lei nº. 9.787, de 1999". APRESENTAÇÕES valerato de betametasona creme 1mg

Leia mais

VULNAGEN. (tioconazol + tinidazol)

VULNAGEN. (tioconazol + tinidazol) VULNAGEN (tioconazol + tinidazol) Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A. Creme Vaginal 100mg + 150mg I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: VULNAGEN tioconazol + tinidazol APRESENTAÇÃO Creme vaginal

Leia mais

Síndrome DST Agente Tipo Transmissã o Sexual Vaginose bacteriana Candidíase

Síndrome DST Agente Tipo Transmissã o Sexual Vaginose bacteriana Candidíase Síndrome DST Agente Tipo Transmissã o Sexual Vaginose bacteriana Candidíase Corrimentos Gonorréia Clamídia Tricomonías e múltiplos bactéria NÃO SIM Candida albicans Neisseria gonorrhoeae Chlamydia trachomatis

Leia mais

As Assaduras das fraldas

As Assaduras das fraldas HALIBUT As Assaduras das fraldas O que são as assaduras das fraldas? É uma erupção inflamatória da pele que está em contacto com a fralda. Portanto, aparece predominantemente nas virilhas, na parte interior

Leia mais

A gengivite é uma inflamação das gengivas provocada por acumulação de placa bacteriana e tártaro como consequência

A gengivite é uma inflamação das gengivas provocada por acumulação de placa bacteriana e tártaro como consequência Periodontologia É a disciplina da medicina dentária que se dedica à prevenção, diagnóstico e tratamento das doenças das gengivas e das estruturas de suporte dos dentes. A inflamação e o sangramento das

Leia mais

NEOPLASIAS DE ORIGEM MESENQUIMAL E NOMENCLATURA DAS NEOPLASIAS

NEOPLASIAS DE ORIGEM MESENQUIMAL E NOMENCLATURA DAS NEOPLASIAS NEOPLASIAS DE ORIGEM MESENQUIMAL E NOMENCLATURA DAS NEOPLASIAS Curso: Graduação em Odontologia 4 º e 5 º Períodos Disciplina: Patologia Oral http://lucinei.wikispaces.com Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira

Leia mais

DERMATOSE OCUPACIONAL TESTES EPICUTÂNEOS O NEXO CAUSAL

DERMATOSE OCUPACIONAL TESTES EPICUTÂNEOS O NEXO CAUSAL DERMATOSE OCUPACIONAL TESTES EPICUTÂNEOS O NEXO CAUSAL PROF. DR. JOSÉ INÁCIO DE OLIVEIRA ÁREA DE SAÚDE DO TRABALHADOR DEPARTAMENTO DE MEDICINA PREVENTIVA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS UNICAMP E-MAIL jinacio@fcm.unicamp.br

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. INALGIN, 50 mg/g, Gel INALGIN, 100 mg/ml, Emulsão cutânea

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. INALGIN, 50 mg/g, Gel INALGIN, 100 mg/ml, Emulsão cutânea FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Etofenamato Este folheto contém informações importantes para si. Leia-o atentamente. - Este medicamento pode ser adquirido sem receita médica. No entanto,

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO. PARECER COREN-SP 001/2015 CT PRCI n 99329 e Ticket n 278.867 Revisão e atualização Janeiro 2015

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO. PARECER COREN-SP 001/2015 CT PRCI n 99329 e Ticket n 278.867 Revisão e atualização Janeiro 2015 PARECER COREN-SP 001/2015 CT PRCI n 99329 e Ticket n 278.867 Revisão e atualização Janeiro 2015 Ementa: Cauterização de Condilomas por Enfermeiro. 1. Do fato Trata-se de uma revisão do parecer COREN-SP

Leia mais

CARTRAX tioconazol, tinidazol. APRESENTAÇÕES Cartrax creme vaginal em embalagem contendo 1 bisnaga de 35 g, acompanhada de 7 aplicadores descartáveis.

CARTRAX tioconazol, tinidazol. APRESENTAÇÕES Cartrax creme vaginal em embalagem contendo 1 bisnaga de 35 g, acompanhada de 7 aplicadores descartáveis. CARTRAX tioconazol, tinidazol I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: Nome comercial: Cartrax Nome genérico: tioconazol e tinidazol. APRESENTAÇÕES Cartrax creme vaginal em embalagem contendo 1 bisnaga de 35

Leia mais

ALERGIAS NA INFÂNCIA

ALERGIAS NA INFÂNCIA ALERGIAS NA INFÂNCIA Tema: Alergias na Infância Objetivos Conceituar alergia, classificar os principais tipos e indutores das doenças alérgicas. Identificar e relacionar os fatores de risco associados

Leia mais

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO Creme em embalagem com 1 bisnaga de 30 g, contendo 20 mg/g de cetoconazol.

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO Creme em embalagem com 1 bisnaga de 30 g, contendo 20 mg/g de cetoconazol. 1 Nizoral (CCDS1211) cetoconazol CREME IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO Creme em embalagem com 1 bisnaga de 30 g, contendo 20 mg/g de cetoconazol. USO TÓPICO USO ADULTO E

Leia mais

ARCOLAN cetoconazol 20 mg/g shampoo. Galderma Brasil Ltda.

ARCOLAN cetoconazol 20 mg/g shampoo. Galderma Brasil Ltda. ARCOLAN cetoconazol 20 mg/g shampoo Galderma Brasil Ltda. Arcolan cetoconazol APRESENTAÇÕES: ARCOLAN shampoo (cetoconazol 20 mg/g). Embalagem contendo frasco com 100 ml. USO TÓPICO USO ADULTO COMPOSIÇÃO

Leia mais

Gino Dermazine. Creme Vaginal. Sulfadiazina de Prata 1%

Gino Dermazine. Creme Vaginal. Sulfadiazina de Prata 1% Gino Dermazine Creme Vaginal Sulfadiazina de Prata 1% GINO DERMAZINE (sulfadiazina de prata 1%) APRESENTAÇÕES: Creme Vaginal contendo sulfadiazina de prata 1% em bisnaga com 30 g e 6 aplicadores vaginais

Leia mais

www.pediatric-rheumathology.printo.it DOENÇA DE BEHÇET

www.pediatric-rheumathology.printo.it DOENÇA DE BEHÇET www.pediatric-rheumathology.printo.it DOENÇA DE BEHÇET O que é? A síndrome de Behçet ou a doença de Behçet (DB) é uma vasculite (inflamação dos vasos sanguíneos) sistêmica (porquê envolve órgãos internos)

Leia mais

Dermazelaic (ácido azelaíco) Germed Farmacêutica Ltda. Gel. 150mg/g

Dermazelaic (ácido azelaíco) Germed Farmacêutica Ltda. Gel. 150mg/g Dermazelaic (ácido azelaíco) Germed Farmacêutica Ltda. Gel 150mg/g Dermazelaic ácido azelaico APRESENTAÇÕES Gel 150 mg/g: cartucho contendo bisnaga com 10 g, 15 g, 20 g ou 30 g de gel. USO TÓPICO USO ADULTO

Leia mais

Ultraproct LDO. Bayer S.A. Creme retal. 1 mg/g de pivalato de fluocortolona 20 mg/g de cloridrato de lidocaína. Supositório Retal

Ultraproct LDO. Bayer S.A. Creme retal. 1 mg/g de pivalato de fluocortolona 20 mg/g de cloridrato de lidocaína. Supositório Retal Ultraproct LDO Bayer S.A. Creme retal 1 mg/g de pivalato de fluocortolona 20 mg/g de cloridrato de lidocaína. Supositório Retal 1 mg de pivalato de fluocortolona 40 mg de cloridrato de lidocaína 1 Ultraproct

Leia mais

Caso clínico nº 1. M.C.P.C., sexo feminino 4 anos de idade Antecedentes pessoais: Irrelevantes

Caso clínico nº 1. M.C.P.C., sexo feminino 4 anos de idade Antecedentes pessoais: Irrelevantes CASOS CLÍNICOS Caso clínico nº 1 M.C.P.C., sexo feminino 4 anos de idade Antecedentes pessoais: Irrelevantes Trazida a consulta de Pediatria por - corrimento vaginal recorrente desde há 3 meses e prurido

Leia mais