CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DO ESTADO DE SÃO PAULO RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCICIO DE 2014

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DO ESTADO DE SÃO PAULO RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCICIO DE 2014"

Transcrição

1 CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DO ESTADO DE SÃO PAULO RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCICIO DE 2014

2 LISTA DE TABELAS, GRÁFICOS E QUADROS Organograma 1. Gráfico 1 - Desempenho da Fiscalização Gráfico 2 - Evolução Apoios Financeiros Quadro 01. Total de Arrecadação do Exercício de 2014 (Carteira 16) Quadro 02. Total de Arrecadação do Exercício de 2014 (Carteira 18) Quadro 03. Total de Arrecadação do Exercício de 2014 Multas (Carteira 16) Quadro 04. Resultados obtidos Quadro 05. Situação Médicos Veterinários Quadro 06. Situação Zootecnistas Quadro 07. Resultados obtidos Quadro 08. Resultados obtidos Quadro 09. Resultados obtidos Quadro 10. Quantitativo de petições Quadro 11. Relação das Comissões Técnicas com ano de criação Quadro 12. Eventos realizados pelas Comissões Técnicas Quadro 13. Quantitativo realizado Quadro 14. Baixas de bens Quadro 15. Bens móveis patrimoniais adquiridos Quadro 16. Contratos e aditivos Quadro 17. Autorizações de diárias Quadro 18. Aquisição de produtos ou serviços por dispensa ou por inexigibilidade Quadro 19. Pregões presenciais Quadro 20. Pregões eletrônicos Quadro 21. Pregões eletrônicos Atas de registro de preços Quadro 22. Pregões eletrônicos Atas de registro de preços Quadro 23. Tomadas de preços Quadro 24. Concorrência Quadro 25. Atas com vigência em 2014 Quadro 26. Aditamentos 2014 Quadro 27. Programação orçamentária e financeira das receitas Quadro 28. Execução orçamentária e financeira das receitas Quadro 29. Comparativo da receita prevista com a arrecadada Quadro 30. Comparação entre os dois últimos exercícios Quadro 31. Execução do orçamento dos dois últimos exercícios Quadro 32. Programação orçamentária e financeira do exercício Quadro 33. Execução orçamentária do exercício Quadro 34. Comparativo da despesa autorizada com a realizada Quadro 35 Orçamento comparado das despesas dos dois últimos exercícios Quadro 36. Comparação entre as despesas dos dois últimos exercícios Quadro 37. Resultado orçamentário do ano de 2014 Quadro 38 Resumo da execução orçamentária Quadro 39 Saldo de recursos não utilizados Quadro 40 Resumo dos instrumentos celebrados nos três últimos exercícios Quadro 41 Visão Geral da análise das prestações de contas de Convênios e Contratos de Cooperação Quadro 42. Demonstração da força de trabalho Quadro 43. Estrutura de cargos 2

3 Quadro 44. Qualificação da força de trabalho Quadro 45. Força de trabalho por faixa etária Quadro 46. Força de trabalho por escolaridade Quadro 47.Informações específicas quanto à concessão de gratificações, adicionais, auxílio, reajustes e aumentos salariais Quadro 48. Valor do bem líquido com a dedução da depreciação acumulada Quadro 49. Bens móveis Quadro 50. Balanço patrimonial Quadro 51. Balanço orçamentário Quadro 52. Balanço financeiro Quadro 53. Variações patrimoniais Quadro 54. Demonstração dos fluxos de caixa 3

4 SUMÁRIO INTRODUÇÃO...página 05 1 IDENTIFICAÇÃO E ATRIBUTOS DA ENTIDADE...página Normas de Criação e alteração da Unidade Jurisdicionada...página Finalidade e competências institucionais da entidade jurisdicionada...página Organograma funcional com descrição sucinta das competências e das atribuições das áreas...página Descrição dos setores...página PLANEJAMENTO E RESULTADOS ALCANÇADOS...página Planejamento estratégico e/ou do plano de ação da entidade...página Ações adotadas pela entidade para atingir os objetivos estratégicos...página ESTRUTURA DE GOVERNANÇA E DE AUTOCONTROLE DA GESTÃO...página Estrutura de governança da entidade...página Relação dos principais dirigentes...página Remuneração paga aos administradores, membros da diretoria e de conselhos...página Demonstração da atuação da unidade de auditoria interna...página Estrutura e as atividades do sistema de correição e de tratamento dos ilícitos administrativos...página PROGRAMAÇÃO E EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA...página Demonstração e análise do desempenho da entidade na execução orçamentária e financeira...página Da execução orçamentária e financeira das receitas...página Orçamento comparado das receitas...página Execução do orçamento comparado das receitas...página Demonstração das receitas...página Da execução orçamentária e financeira das despesas...página Orçamento comparado das despesas...página Execução do orçamento das despesas...página Resultado orçamentário do ano de página Informação sobre as transferências de recursos realizadas no ano página GESTÃO DE PESSOAS, TERCEIRIZAÇÃO DE MÃO DE OBRA E CUSTOS RELACIONADOS...página Informações sobre a estrutura de pessoal da entidade...página Estrutura de cargos...página Qualificação da força de trabalho...página Força de trabalho por faixa etária...página Força de trabalho por escolaridade...página Gratificações, adicionais, auxílio, reajustes e aumentos salariais...página CONFORMIDADES E TRATAMENTO DE DISPOSIÇÕES LEGAIS E NORMATIVAS...página Tratamento das determinações e recomendações exaradas em acórdãos do TCU...página Tratamento das recomendações feitas pelo órgão de controle interno...página Tratamento das recomendações feitas pela auditoria interna ou por entidade superior...página INFORMAÇÕES CONTÁBEIS...página Informações sobre a adoção de critérios e procedimentos...página Metodologia adotada para estimar a vida útil econômica do ativo...página Cálculo da depreciação, amortização e exaustão...página Demonstrações Contábeis...página 81 4

5 Introdução A cada exercício que se finda, percebe-se a responsabilidade dos profissionais em Medicina Veterinária e Zootecnia na preservação, conservação e proteção do meio ambiente, da saúde animal, da saúde pública tendo como objetivo final o bem-estar da sociedade. Ao Conselho cumpre a missão de zelar pelo exercício profissional, orientando, disciplinando e fiscalizando os seus inscritos e, ainda, servindo como órgão de consultoria aos governos federal, estaduais e municipais, nas políticas que envolvam os animais em beneficio do homem. Para isto, vem cumprindo com dedicação e rigor metas estabelecidas a cada ano no seu plano de trabalho apresentado e aprovado em Plenário. A todos aqueles órgãos ou entidades públicas ou privadas que nos procuram, temos atendido dentro das possibilidades, com clareza, objetividade e ética, sempre procurando a valorização do profissional médico veterinário e zootecnista. O presente relatório resume o esforço de toda a equipe técnica-administrativa, visando consolidar a valorização dos profissionais da Medicina Veterinária e Zootecnia no Estado de São Paulo. 5

6 1. IDENTIFICAÇÃO E ATRIBUTOS DA ENTIDADE: Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo CRMV-SP CNPJ: / Natureza Juridica: Autarquia Federal Endereço Postal: Rua Apeninos, 1.088, Paraíso, CEP , São Paulo/SP Telefones: (11) Fax: (11) Endereço na página da Internet: Endereço do correio eletrônico institucional: 1.1 Normas de Criação e alteração da Unidade Jurisdicionada Lei nº 5.517, de 23 de outubro de 1968, regulamentada pelo Decreto nº , de 17 de junho de 1969 e Resolução CFMV nº 591, de 26 de junho de 1996, que aprovou e instituiu o Regimento Interno Padrão dos Conselhos Regionais de Medicina Veterinária. 1.2 Finalidade e competências institucionais da entidade jurisdicionada O Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP) tem por finalidade promover a orientação, fiscalização e a valorização das profissões da Medicina Veterinária e da Zootecnia, zelando pelo bem-estar, saúde e produção animal, pela saúde pública e meio ambiente, como também em matéria relacionada à indústria e ao comércio de produtos veterinários, produtos de origem animal e seus derivados, em benefício da sociedade, servindo ainda como órgão de consultoria aos governos federal, estadual e municipal. 6

7 1.3 Apresentação do organograma funcional com descrição sucinta das competências e das atribuições das áreas: organograma1. PLENÁRIO DIRETORIA EXECUTIVA ASSESSORIAS (Comunicação, Jurídica e Técnica) CHEFIA DE GABINETE ÉTICO COMISSÕES ASSESSOR REGIONAL DEP. JURÍDICO COORD. DE TEC. DA INFORMAÇÃO COORD. REG PROFISSIONAL E EMPRESAS COORD. DE FISCALIZAÇÃO E MULTAS COORD. ADMINISTRATIVA SUPORTE TÉCNICO SUPORTE SISTEMA REG. PROFIS. REG. EMPRESAS URFA SETOR PESSOAL FINANCEIRO COMPRAS FROTA SERVIÇOS GERAIS 7

8 1.4 Descrição: Plenário: O Plenário do CRMV-SP é composto da Diretoria Executiva, representada pelo Presidente, Vice-Presidente, Secretário-Geral e Tesoureiro, e Conselheiros, sendo 6 (seis) Efetivos e 6 (seis) Suplentes, a quem compete: observar as Resoluções emanadas do CFMV e as do próprio CRMV-SP, assim como os demais diplomas legais vigentes; deliberar quanto à necessidade de modificações neste Regimento, a serem submetidas à consideração e aprovação do CFMV, julgar infrações à legislação pertinentes ao exercício da Medicina Veterinária e da Zootecnia, cometidas na jurisdição do Conselho, estabelecendo, em cada caso, a sanção legal adequada, examinar e adotar medidas consideradas necessárias ao melhor rendimento das tarefas sob sua alçada, sugerir ao CFMV as providências que julgar capazes de aperfeiçoar a regulamentação e o exercício das profissões de médico veterinário e zootecnista, examinar representações escritas e devidamente assinadas acerca dos serviços ou dos registros de profissionais e de empresas, assim como as infrações as normas atinentes a Medicina Veterinária e a Zootecnia, funcionar como "Tribunal de Honra", zelando pelo prestígio e bom nome das profissões, deliberar quanto ao sistema de fiscalização do exercício da Medicina Veterinária e da Zootecnia, deliberar quanto à forma de atuação e prestar, aos poderes públicos que atuam na jurisdição, assessoramento em assuntos e matérias de interesse profissional, agir em colaboração recíproca com as entidades civis dos médicos veterinários e dos zootecnistas da região, decidindo quanto à elaboração do plano de ação integrada que contemple a realização de congressos, simpósios, estudos ou outros tipos de eventos sobre matérias de competência das respectivas profissões, inclusive as de natureza cultural-científica, deliberar sobre a proposta orçamentária e eventual(is) reformulação(ões) elaborada(s) pela Diretoria Executiva, com vistas à homologação pelo CFMV, julgar as prestações de contas da Diretoria Executiva, antes do seu encaminhamento ao CFMV, apreciar e deliberar sobre o Relatório Anual da Diretoria Executiva, apresentado pelo Presidente, decidir sobre a aquisição ou alienação de bens patrimoniais do CRMV-SP, ouvido o CFMV em caso de alienação de bens imóveis, discutir e votar os requerimentos de inscrições e cancelamentos de profissionais e registros e cancelamentos de pessoas jurídicas, eleger, nos termos das disposições gerais do Regimento Interno Padrão (RIP), a Comissão de Tomada de Contas (CTC), expedir as resoluções necessárias ao cumprimento das atribuições do Conselho. Diretoria Executiva: A Diretoria Executiva integrada pelo Presidente, Vice-Presidente, Secretário Geral e Tesoureiro, é a responsável pela execução das Resoluções do Plenário do CRMV-SP, competindo-lhe, ainda, auxiliar a Presidência na preservação das medidas de ordem administrativa, financeira e/ou social do Conselho, decididas pelo Plenário ou pela Presidência, em seus respectivos campos de atuação legal e regimental próprios. Assessoria de Comunicação: À Assessoria de Comunicação, cargo de livre nomeação e exoneração da Presidência, compete: desenvolver ações de comunicação social, visando à valorização da Medicina Veterinária e Zootecnia, o fortalecimento do CRMV-SP perante às classes e o esclarecimento à população sobre a importância dessas profissões para a sociedade, assessorar o CRMV-SP em questões e ações relacionadas à comunicação social e à promoção institucional, atender os jornalistas e veículos de comunicação e intermediar a veiculação de informações sobre o Conselho, produzir e encaminhar pautas aos veículos de comunicação sobre atividades desenvolvidas e informações de interesse público que envolvam o Conselho, auxiliar a organização e o desenvolvimento de eventos promovidos pelo CRMV-SP por meio de divulgação e realização de cerimonial, quando necessário, produzir, organizar e editar os veículos de comunicação: Informativo, Boletim Online e a Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia do CRMV-SP, produzir notícias, textos e imagens para atualizar o sitio do CRMV-SP na Internet, bem como gerenciar a veiculação de informações dessa natureza nos perfis em redes 8

9 sociais, produzir comunicados aos médicos veterinários e zootecnistas, com o objetivo de levar informações sobre ações ou eventos promovidos pelo CRMV-SP, elaborar e intermediar a veiculação de publicidade sobre o CRMV-SP, em conformidade com a legislação vigente, participar de reuniões administrativas com a Presidência e os coordenadores de área, responsabilizar-se pelos ofícios informativos pertinentes a sua rotina, cumprir e fazer cumprir as normas e rotinas do Sistema CFMV/CRMVs e exercer outras atividades afins. Assessoria Juridica: A Assessoria Jurídica do CRMV-SP é responsável pela assessoria jurídica da entidade, em todos os seus níveis, além de representá-la em ações judiciais da qual tem interesse. A Assessoria Jurídica do CRMV-SP, cargo de livre nomeação e exoneração da Presidência e aprovação do Plenário, compete: prestar assistência jurídica ao CRMV-SP, elaborar pareceres de interesse da Entidade, elaborar documentos de conteúdo jurídico, solicitar, junto a Coordenadoria Jurídica, a adoção de medida judicial de interesse do CRMV-SP e informações sobre a tramitação dos processos, examinar minutas de contratos, distratos, convênios, ajustes, resoluções, portarias, acordos e editais em que haja interesse do CRMV-SP, quando solicitado pela Diretoria, zelar pela uniformidade de entendimento e observância dos critérios e normas editadas pelo Sistema CFMV/CRMVs, analisar e emitir pareceres em processos administrativos de qualquer natureza, praticar os demais atos inerentes à defesa e conservação dos direitos e interesses do CRMV-SP, acompanhar os Processos Ético-Profissionais e os respectivos atos processuais, como as citações e intimações das partes interessadas segundo a forma legal e/ou regulamentar, de modo a assegurar às partes o exercício do direito ao contraditório e à ampla defesa, zelando pela observância dos prazos e da legislação vigente, participar das Sessões Ordinárias, Extraordinárias e de Julgamento Ético- Profissional, participar de reuniões de andamentos e estratégias administrativas com a presidência e os coordenadores de cada área, responsabilizar-se pelos ofícios informativos pertinentes a sua rotina, cumprir e fazer cumprir as normas e rotinas do Sistema CFMV/CRMVs e exercer outras atividades afins. Assessoria Técnica Médico-Veterinária: À ATMV, cujos cargos são de livre nomeação e exoneração pela Presidência, ocupados obrigatoriamente por médico veterinário ou zootecnista, compete: prestar assistência técnica em assuntos de interesse da Medicina Veterinária e da Zootecnia, atender, orientar e esclarecer dúvidas aos profissionais, empresas e à população em geral, em relação aos assuntos inerentes à Medicina Veterinária e à Zootecnia (via telefone, e presencialmente), responder a solicitações da imprensa, na cooperação para elaboração de matérias relacionadas à Medicina Veterinária e à Zootecnia, de maneira integrada à Assessoria de Comunicação, colaborar na elaboração de dispositivos legais e outros documentos relativos ao exercício profissional da Medicina Veterinária e da Zootecnia, representar o CRMV-SP, conforme delegação do Presidente, elaborar pareceres técnicos relativos ao exercício da Medicina Veterinária e da Zootecnia, quando requisitado pelo Presidente e demais setores do CRMV-SP, zelar pela uniformidade de entendimento e observância das normas editadas pelo sistema CFMV/CRMVs, bem como da legislação vigente, - participar de reuniões técnicas e administrativas internas e externas, conforme convocação e/ou delegação, desenvolver parcerias técnicas com outros órgãos, assessorar as Comissões Técnicas, organizar eventos propostos pelas Comissões Técnicas, desenvolver atividades de Ouvidoria, analisar e emitir parecer sobre relatórios técnicos de convênios, projetos de interesse da Medicina Veterinária e da Zootecnia e demais projetos submetidos ao CRMV-SP, controlar e organizar os documentos do setor, cumprir e fazer cumprir as normas e rotinas do Sistema CFMV/CRMVs, acompanhar e manter-se atualizada, o máximo possível, sobre a legislação vigente pertinente à Medicina Veterinária e à Zootecnia, realizar demais atividades afins. Chefia de Gabinete: À Chefia de Gabinete, ocupada por servidor do quadro efetivo, subordinado diretamente ao Presidente, compete: organizar a agenda do Presidente e da Diretoria Executiva, zelar pelo mobiliário da Presidência, Diretores e Plenário, assessorar o Presidente em sua representação e 9

10 atuação política, administrativa, social e demais assuntos de sua competência, organizar as Sessões Plenárias Ordinárias, Extraordinárias e de Julgamento de Processos Ético-Profissionais do CRMV- SP, providenciar as diferentes convocações quando solicitadas pelo Presidente, preparar os atos administrativos da Diretoria Executiva e Plenário, quando necessário, e as devidas publicações, dar suporte à Comissão de Licitação quando na aquisição de serviços que envolvam a área, submeter à Presidência todos os assuntos e solicitações, participar de reuniões de andamentos e estratégias administrativas com a presidência e os coordenadores de cada área, e na ausência do Presidente, coordenar os trabalhos, coordenar a tramitação dos Processos Ético-Profissionais, conforme a legislação vigente, responsabilizar-se pelos ofícios informativos pertinentes a sua rotina, cumprir e fazer cumprir as normas e rotinas do Sistema CFMV/CRMV-SP e exercer outras atividades afins. Setor de Ética Profissional: compete atender, orientar, e esclarecer pessoalmente ou por telefone, o procedimento para apresentação de denúncia formal, para apuração de infração ética profissional de acordo com a legislação vigente, analisar diariamente as solicitações provenientes do protocolo, zelar pela correta formalização dos procedimentos, de acordo com a legislação vigente, encaminhar para consideração da Presidência as denúncias apresentadas sob pena de arquivamento sumário ou instauração de processo-ético profissional, e de ofício, por deliberação do CRMV-SP, executar a tramitação dos processos ético-profissionais, de acordo com a legislação vigente, prestar assistência aos Conselheiros durante a tramitação dos processos éticos instaurados, organizar as audiências de instruções, expedir as comunicações dos atos processuais, elaborar relatório mensal da movimentação dos processos éticos instaurados em andamento para envio ao CFMV, expedir certidão de antecedentes éticos, remeter ao CFMV os processos éticos com recurso de apelação, ou com decisão de cassação do exercício da profissão, dar cumprimento as decisões transitadas em julgado, emitir o relatório anual de atividades, expedir correspondências a outros setores se necessário, analisar e responder às solicitações via , responsabilizar-se pelos ofícios informativos pertinentes à sua rotina, cumprir e fazer cumprir as normas e rotinas do Sistema CFMV/CRMV-SP, organizar e realizar os arquivos do setor e exercer outras atividades afins. Comissões: As Comissões Técnicas são compostas por profissionais com formação em Medicina Veterinária ou Zootecnia, sendo função de livre nomeação e exoneração do Presidente com aprovação do Plenário, a quem compete: assessorar a Presidência em assuntos de interesse das profissões, analisar projetos de lei e outras legislações, propondo sugestões para o encaminhamento aos órgãos responsáveis, apresentar propostas para a realização de cursos, seminários e palestras nas respectivas áreas visando atualização e aprimoramento profissional. Assessor Regional: - O Assessor Regional deve ser médico veterinário ou zootecnista, devidamente inscrito no CRMV-SP, a título honorífico, de livre nomeação e exoneração da Presidência, com aprovação do Plenário, reportando-se ao Presidente do CRMV-SP. Coordenadoria Jurídica: abrange cargos ocupados por servidores do quadro efetivo ou de livre nomeação e exoneração da Presidência, a quem compete: representar o CRMV-SP em juízo ou fora dele, por mandato outorgado pelo Presidente, analisar os documentos e orientar os diversos setores do CRMV-SP, ajuizar as ações judiciais de interesse do CRMV-SP e defendê-lo nas contrárias, analisar e emitir pareceres em processos administrativos de qualquer natureza, manter o sistema de controle e arquivos atualizados com informações sobre as ações em que o CRMV-SP seja autor, réu, assistente, oponente ou simples interessado, manter atualizadas as pautas de audiências e julgamentos, com vistas ao seu estrito cumprimento, acompanhar, no âmbito de atuação do CRMV- SP, as ações em que este seja parte, e outras cujo deslinde seja de seu interesse, em todos os graus de jurisdição, perante a Justiça comum e especializada, procedendo, inclusive, a leitura das publicações e intimações no Diário da Justiça, adotar medidas processuais cabíveis e orientar os órgãos do CRMV-SP para o cumprimento dos julgados, submeter ao Presidente as propostas de acordos judiciais e/ou extrajudiciais de qualquer natureza, com vistas à aprovação pelo Plenário, participar de 10

11 reuniões para as quais for convocada, acompanhar os Processos Ético-Profissionais e os respectivos atos processuais, como as citações e intimações das partes interessadas segundo a forma legal e/ou regulamentar, de modo a assegurar às partes o exercício do direito ao contraditório e à ampla defesa, zelando pela observância dos prazos e da legislação vigente e exercer outras atividades afins. Coordenadoria de Tecnologia da Informação: cargo ocupado por servidor do quadro efetivo, compete: coordenar os Setores de Suporte de Sistemas e de Suporte Técnico, emitir pareceres e encaminhar os expedientes, participar de reuniões administrativas ou técnicas, implementar boas práticas de acordo com as regras de mercado e normas de governo, dar suporte à Comissão de Licitação quando na aquisição de serviços que envolvam Tecnologia da Informação, gerenciar a cópia de segurança dos dados, monitorar os servidores de dados, aplicações, correio eletrônico e de monitoramento, avaliar e auxiliar na aquisição, renovação, implementação, atualização e gerenciamento de novos sistemas operacionais, sistemas de segurança para servidores e estações de trabalho, apoiar tecnicamente os eventos, responsabilizar-se pelos ofícios informativos pertinentes a sua rotina, cumprir e fazer cumprir as normas e rotinas do Sistema CFMV/CRMVs, executar outras atividades afins. Subordinam-se à Coordenadoria de Tecnologia da Informação os seguintes Setores, ocupados por servidores do quadro efetivo do CRMV-SP: Setor de Suporte Técnico, a quem compete: analisar o desempenho dos sistemas, apontar falhas e providenciar correções, atender às solicitações na emissão de mala direta e geração relatórios estatísticos, fornecer apoio técnico e treinamento para a realização de eventos, monitorar central telefônica, manter os sistemas operacionais e sistemas de segurança atualizados, fornecer suporte aos usuários, gerenciar contas de endereço eletrônico, administrar usuários das redes (local e externas) e incluir, alterar e excluir, gerenciar cópia de segurança dos dados e executar outras atividades afins. Suporte de Sistemas, a quem compete: documentar e analisar os requisitos de sistemas, desenvolver novas rotinas nos sistemas de cadastro, validar e treinar usuários para as novas rotinas de sistemas, gerenciar bases de dados, documentar os dados organizados e reorganizados, gerar filtros de dados, desenvolver aplicações, gerar dívida ativa (administrativa e executiva), emitir relatórios de devedores e a documentação eletrônica para a Assessoria Jurídica e exercer outras atividades afins. Coordenadoria de Registro de Profissionais e Empresas: cargo ocupado por servidor do quadro efetivo, subordinado diretamente ao Presidente, compete: coordenar os Setores de Registro de Profissionais, de Empresas, de Fiscalização e de Multas, em cumprimento a legislação vigente; coordenar as atividades desenvolvidas pelas Unidades Regionais de Fiscalização e Atendimento - URFAs; analisar e despachar o expediente relacionado aos setores subordinados; submeter à Coordenadoria Jurídica processos para parecer; submeter à Presidência, em despacho, todos os assuntos e solicitações relacionadas a esta Coordenadoria; organizar e acompanhar a Cerimônia de Entrega de Cédulas de Identidade Profissional; planejar a fiscalização dentro do Estado de São Paulo; analisar, avaliar e apresentar os relatórios dos setores para apreciação do Plenário; participar de reuniões administrativas com a Presidência e os coordenadores de área; controlar os ofícios informativos pertinentes a sua rotina; zelar pela qualidade do atendimento prestado pelos Setores e pelas URFAs; cumprir e fazer cumprir as normas e rotinas do Sistema CFMV/CRMVs; avaliar o desempenho funcional dos seus servidores; dar suporte à Comissão de Licitação quando na aquisição de serviços ou bens que envolvam a área; executar outras atividades afins. Subordinam-se à Coordenadoria de Registro de Profissionais e Empresas, os seguintes setores que deverão ser ocupados por servidores do quadro efetivo do CRMV-SP: Setor de Registro Profissional, a quem compete: realizar inscrição, transferência, cancelamento e suspensão de profissionais, observando-se a legislação vigente, emitir Cédulas de Identidade Profissional e Certidões, observando-se os procedimentos necessários para a sua expedição, realizar averbação de diplomas referentes à inscrição, prestar informações aos profissionais, referentes à inscrição, cancelamento, transferência, suspensão, ausência do país, atualização cadastral e outros assuntos relacionados à competência do setor, controlar o estoque de cédulas de identidade 11

12 profissional e emitir relatório de utilização das cédulas para envio ao CFMV, emitir Relatório de Comunicação Mensal para envio ao CFMV e as demais Regionais, elaborar o relatório anual de atividades, elaborar relatório com os processos a serem deliberados em Reunião Plenária, elaborar relatório estatístico relativo às atividades desenvolvidas, arquivar os documentos das inscrições de profissionais, elaborar ofícios em resposta às solicitações diversas, tanto aos profissionais quanto as demais regionais, analisar documentos enviados pelos profissionais, analisar processos de profissionais, e elaborar relatório para consideração superior, organizar Cerimônia de Entrega de Cédulas de Identidade Profissional, observando-se a legislação vigente, encaminhar processos e correspondências às URFAs, orientar e prestar informações às URFAs e executar outras atividades afins. Setor de Registro de Empresas, a quem compete: analisar a documentação apresentada pela pessoa jurídica, observando-se a sua competência e a legislação vigente, realizar inscrição, cancelamento, suspensão, reativação, atualização cadastral, observando-se a legislação vigente, emitir Certificados de Regularidade, Certidão Negativa de Débitos, Certidão de Responsabilidade Técnica e ofícios, observando-se os procedimentos legais, realizar o registro, o controle e a averbação das Anotações de Responsabilidade Técnica, observando-se os procedimentos legais, prestar informações às empresas sobre assuntos de competência do setor, emitir relatório anual de atividades, emitir relatório dos processos a serem deliberados em Sessão Plenária, emitir relatório estatístico relativo às atividades desenvolvidas pelo setor, arquivar os documentos relativos ao registro da pessoa jurídica, emitir ofícios em resposta às solicitações diversas, encaminhar processos e correspondências às URFAs, prestar eventuais esclarecimentos às URFAs, conferir e arquivar a documentação digitalizada nas URFAs, emitir notificação de débitos para o Responsável Técnico, observando-se a legislação vigente, realizar baixa de responsabilidade técnica e expedir a respectiva notificação, elaborar relatório para parecer jurídico e consideração superior, realizar a alteração da situação da empresa, conforme a ocorrência (mandado de segurança, suspensão, etc.), solicitar a fiscalização do estabelecimento quando necessário e executar outras atividades afins. Setor de Fiscalização, a quem compete: fiscalização do exercício profissional da Medicina Veterinária e da Zootecnia, observando-se a legislação vigente, executar a fiscalização das pessoas jurídicas com motivo de registro no CRMV-SP, observando-se a legislação vigente, expedir Auto de Infração, Termo de Fiscalização e Relatório de Fiscalização, elaborar, analisar e avaliar relatório estatístico da fiscalização, esclarecer e executar as solicitações de fiscalização, observando-se os procedimentos necessários, analisar as solicitações provenientes do Setor de Protocolo, planejar a fiscalização dentro do Estado de São Paulo, orientar o fiscal e confirmar de dados cadastrais das empresas, organizar e realizar o arquivo dos Termos, Autos e relatórios, emitir relatório da fiscalização para Sessão Plenária, atualizar o cadastro de empresas sob Mandado de Segurança, comunicar aos órgãos responsáveis as irregularidades constatadas, quando não forem de competência do CRMV-SP, preparar as solicitações de viagem para o fiscal, organizar os expedientes e demais documentos a serem utilizados no ato da fiscalização, elaborar correspondência para a apresentação do fiscal no município a ser fiscalizado, monitorar a utilização dos veículos da fiscalização e apontar ao setor responsável pela manutenção da frota as não conformidades constatadas, cumprir e fazer cumprir o manual de procedimentos da fiscalização e executar outras atividades afins. Setor de Multas, a quem compete: instruir os processos dos Autos de Infração, expedir Autos de Multa, observando-se a legislação vigente, receber as defesas e recursos apresentados pelas empresas autuadas para registro em sistema, encaminhar as defesas e recursos para análise do Conselheiro Relator e posterior apreciação em Sessão Plenária, emitir e encaminhar correspondência para a empresa autuada, constando a decisão apresentada, encaminhar boletos de multas, realizar parcelamento e re-emissão de boleto de multas, realizar o controle das autuações e dos processos, verificando a regularização em conformidade com a legislação vigente, emitir e 12

13 encaminhar correspondência às empresas que se regularizaram dentro do prazo, receber as informações de pagamento referente aos boletos de multas e, quando quitados, cancelar o Auto de Infração e regularização em sistema, prestar informações às URFAs em assuntos relacionados à sua competência, garantir o cumprimento dos prazos, observando-se os procedimentos e legislação vigente, receber as solicitações provenientes do Setor de Protocolo, emitir relatório com os processos a serem deliberados em Sessão Plenária, executar as solicitações feitas pelas empresas autuadas, controlar arquivo referente às defesas/recursos apresentados pelas empresas autuadas e executar outras atividades afins. Coordenadoria Administrativa: cargo ocupado por servidor do quadro efetivo, subordinado diretamente ao Presidente, compete: analisar e despachar o expediente, coordenar os setores subordinados, participar de reuniões administrativas com a Presidência e os coordenadores de área, responsabilizar-se pelos expedientes administrativos, inclusive os que se referem às URFAs, cumprir e fazer cumprir as normas e rotinas do Sistema CFMV/CRMVs, receber, registrar e distribuir os documentos protocolados e exercer outras atividades afins. Subordinam-se à Coordenadoria Administrativa os seguintes Setores, ocupados por servidores do quadro efetivo do CRMV-SP: Setor de Compras, a quem compete: processar as solicitações de compras, examinar e preparar os processos de aquisição de material ou serviço, instaurar processo administrativo para licitação, verificar com a Contabilidade quanto à dotação orçamentária e exercer outras atividades afins. Setor de Almoxarifado, a quem compete: controlar o estoque, conferir, receber e atestar notas fiscais dos produtos, inventariar anualmente o estoque, estabelecer média de utilização dos materiais, exercer outras atividades afins. Setor de Pessoal, a quem compete: cumprir as normas internas, cumprir a legislação vigente, executar folha de pagamento, quinzenal e mensalmente na forma da lei, executar as atividades de admissão, dispensa e gerenciamento de desempenho dos servidores, controlar o sistema de ponto, controlar férias e licenças, emitir as guias para recolhimento das contribuições legais, acompanhar o funcionamento dos convênios de benefícios, controlar a execução dos Programas de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) e de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA), elaborar e emitir informações dos funcionários ao Ministério do Trabalho (CAGED e RAIS), emitir a DIRF e informes de rendimentos, manter o controle e arquivo de Declaração de Imposto de Renda de Diretores e Conselheiros, fornecendo anualmente à Contabilidade declaração de posse para ser anexada à prestação de contas e exercer outras atividades afins. Patrimônio, a quem compete: manter o registro dos bens móveis e imóveis, atender às solicitações internas de movimentação, promover anualmente o inventário físico dos bens móveis e imóveis, realizar a depreciação e encaminhar ao Setor de Contabilidade, promover o recolhimento de material inservível para baixa e executar outras atividades afins; Serviços Gerais, a quem compete: realizar serviços de copa e cozinha, gerenciar serviços de limpeza terceirizada, exercer outras atividades afins. Frota, a quem compete: responder pelas condições de uso e funcionamento dos veículos, controlar a documentação dos veículos, controlar e atestar os relatórios de pedágios da Diretoria Executiva e exercer outras atividades afins. 13

14 Chefe Administrativo, a quem compete: providenciar os reparos de manutenção da sede, supervisionar as empresas prestadoras de serviços, conferir e atestar as notas fiscais dos serviços prestados e exercer outras atividades afins. Setor de Contabilidade, a quem compete: elaborar a proposta orçamentária anual e suas reformulações, registrar os eventos da receita, despesa e folha de pagamento, conciliar as contas do ativo, passivo e extratos bancários, enviar anualmente ao CFMV a prestação de contas e Relatório de Gestão, controlar os impostos retidos de prestadores de serviços para elaboração da DIRF e envio do Informe de Rendimentos Anual aos beneficiários, enviar mensalmente a declaração DCTF, emitir certidões de regularidade junto ao INSS, FGTS, Receita Federal, Divida Ativa da União, Estado e Município, analisar e emitir parecer sobre as prestações de contas de convênios para homologação do Plenário, providenciar empenho e pré empenho conforme solicitação, conferir as prestações de contas das URFAs, executar a escrituração dos livros fiscais, solicitar ao CFMV a devolução dos valores transferidos indevidamente pelos profissionais, proceder a emissão mensal e análise dos respectivos Balanços Financeiros, Patrimonial, Orçamentário, Balancetes e Fluxo de Caixa para envio ao CFMV. Setor de Contas a Pagar, a quem compete: emitir extratos bancários para conciliação e elaboração do fluxo de caixa diário, emitir o demonstrativo diário e mensal de saldos das contas bancárias e aplicações, controlar a agenda financeira de pagamentos, preparar e instruir os processos financeiros para atendimento aos membros da Comissão de Tomada de Contas, analisar a retenção de tributos sobre os pagamentos efetuados, efetuar os pagamentos por meio de cheques nominais e observar a distribuição do centro de custo, controlar e emitir os suprimentos de fundos mensais para a sede e as URFAs, emitir relatório ao Setor Pessoal referente às diárias, recolher os tributos conforme previsto na lei, conferência da documentação recebida e montagem dos respectivos processos para arquivo, elaborar os recibos de diárias, bem como todos os lançamentos para controle de envio/recebimento de documentos que atendam as resoluções para cada caso específico. Setor de Cobrança e Recuperação de Crédito, a quem compete: controlar em sistema os arquivos de pagamentos de boletos bancários, acompanhar as baixas de depósitos judiciais, emitir extratos bancários e de cobrança, elaborar e analisar o relatório de Cálculo da Cota Parte (CCP), excluir débitos quando autorizado, atualizar mensalmente as tabelas de taxas e emolumentos, analisar e submeter à aprovação os pedidos de restituição, emitir as cobranças, providenciar a fase administrativa da dívida ativa, comunicar a Coordenadoria Jurídica os recebimentos oriundos da execução fiscal, emitir relatório analítico e sintético das receitas, emitir relatório anual de atividades, elaborar ações de cobrança aos inadimplentes, atender, orientar e prestar informações aos profissionais e empresas, realizar parcelamento de débitos e exercer outras atividades afins. Comissão de Licitação, a quem compete: realizar todos os procedimentos necessários à implementação do processo de licitação, pesquisar modelos de editais através da internet, elaborar as minutas dos editais de licitação, em todas as modalidades previstas na legislação (lei n 8.666/93, Lei n /02 e Decreto Federal n 5.504/05); definir o tipo (menor preço e técnica) e modalidade de licitação, submeter às minutas dos editais para análise e aprovação da Assessoria Jurídica e, posteriormente, ao Presidente do CRMV-SP para aprovação e assinatura, fazer publicar os avisos de licitação no Diário Oficial da União DOU, em jornais de grande circulação e no sítio do CRMV- SP na Internet, de forma a assegurar a publicidade exigida pelo vulto do certame, receber as impugnações contra os instrumentos convocatórios de licitação e decidir sobre a procedência das mesmas, responder os pedidos de esclarecimentos dos instrumentos convocatórios de licitação, credenciar representantes dos interessados em participar da licitação, examinar a documentação exigida para a habilitação dos interessados em participar da licitação e julgá-los habilitados ou não, à luz dos requisitos estabelecidos no instrumento convocatório, examinar as propostas dos interessados em participar da licitação e julgá-las aceitáveis ou não, à luz dos requisitos estabelecidos no 14

15 instrumento convocatório, realizar as diligências que entender necessárias para esclarecimento de dúvidas, receber os recursos interpostos contra suas decisões, reconsiderando-os, quando couber, ou remetendo-os, devidamente informados, ao Presidente do CRMV-SP, tornar publico no sitio do CRMV-SP na Internet e, quando necessário, no Diário Oficial da União - DOU, os resultados dos julgamentos quanto à aceitabilidade e classificação das propostas e quanto à habilitação ou inabilitação de licitantes, submeter ao Presidente do CRMV-SP os autos de licitação, para adjudicação do objeto, quando for o caso, e para homologação do certame e propor a revogação ou a anulação do procedimento licitatório e exercer outras atividades afins. 2 PLANEJAMENTO E RESULTADOS ALCANÇADOS Planejamento estratégico e/ou do plano de ação da entidade No final do exercício de 2013, a Diretoria Executiva do CRMV-SP definiu o plano de trabalho para o exercício de 2014, que foi realizado integral ou parcialmente, conforme descrição a seguir: Implantar modelo de gestão baseado em planejamento estratégico, realizado por especialista (parcial). Continuar o aprimoramento da fiscalização profissional e de empresas prestadoras de serviços (integral). Normatizar e implantar os procedimentos de atuação dos Assessores Regionais / Ouvidores (parcial). Continuar o relacionamento com as entidades de classe, tais como: associações, sindicatos: profissionais e patronais, institutos de pesquisa, escolas de Medicina Veterinária e Zootecnia no Estado, discutindo os aspectos relacionados ao exercício profissional (integral). Incrementar o processo de melhoria do atendimento aos profissionais, com o aproveitamento racional das Unidades Regionais de Fiscalização e Atendimento URFA (integral). Manter e aprimorar o Portal da Medicina Veterinária e da Zootecnia, permitindo a constante atualização e acompanhamento permanente e resposta rápida aos profissionais e empresas inscritas no Conselho (integral). Continuar o processo de implantação do sistema de informática do Conselho, incluindo as URFAs, conferindo maior dinamismo nas ações administrativas (integral). Continuar o trabalho de coordenação e assessoramento das Comissões permanentes e técnicas, de modo a estimular a elaboração das políticas públicas e a definição das políticas de Classe (integral). Manter apoio às Entidades de Classe ligadas à Medicina Veterinária e a Zootecnia (integral). Dar sequência ao trabalho de participação do CRMV-SP junto a Órgãos dos Governos Municipais, Estadual, Federal e entidades representativas objetivando fortalecer a participação da Medicina Veterinária e da Zootecnia em todas as suas áreas de atuação (integral). Ampliação do clube de serviços, com novas parcerias (integral). Manter e incrementar as publicações do CRMV-SP (Informativo, Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia, Manuais Técnicos Específicos) bem como o apoio a Biblioteca Virtual em Medicina Veterinária e Zootecnia (integral). Aprimorar as ações destinadas à regularização de profissionais e empresas inadimplentes (integral). Continuar o estreito relacionamento com todos os Conselhos de Classe (integral). 15

16 Dar prosseguimento aos Simpósios de Saúde Animal estimulando a participação ativa dos membros das respectivas comissões técnicas do CRMV-SP (integral). Incrementar o treinamento dos Responsáveis Técnicos (parcial). Aperfeiçoar maior relacionamento com Prefeituras, Câmaras Municipais, Assembléia Legislativa e outros órgãos de governo visando a valorização das profissões da Medicina Veterinária e da Zootecnia (integral). Realizar 12 (doze) Reuniões Plenárias Ordinárias (integral). Realizar no mínimo 12 (doze) Reuniões de Diretoria Executiva (parcial). Promover, quando necessário, reuniões para tratar de assuntos de interesse das classes de médico veterinário e zootecnista (integral). Realizar Sessões Especiais de Julgamento de Processo Ético Profissional (integral). Cumprir e fazer cumprir a legislação vigente (integral) Informações sobre as ações adotadas pela entidade para atingir os objetivos estratégicos do exercício de referência do relatório de gestão Atividades da Diretoria Executiva A Diretoria Executiva participou de 12 (doze) Sessões Plenárias Ordinárias e 1 (uma) Sessão Plenária Extraordinária, 10 (dez) Sessões Especiais de Julgamento de processos ético-profissionais, eventos realizados pelo CRMV-SP e participação nos eventos ligados às classes, destacados a seguir: Presidente: 23/1: Cerimônia de posse da Diretoria do Fórum dos Conselhos Atividade Fim da Saúde no Conselho Municipal de Saúde de São Paulo, na sede do Conselho Regional de Psicologia de São Paulo; 29/1: Visita à FCAV/Unesp/Jaboticabal; 31/1: Cerimônia de entrega de cédula de identidade profissional na sede; 31/1: Solenidade de Colação de Grau da 75ª Turma de Medicina Veterinária da FMVZ- USP; 14/2: Solenidade de Colação de Grau da 50ª Turma de Medicina Veterinária da FCAV/Unesp/Jaboticabal. 17/3: Palestra aos alunos do curso de Medicina Veterinária da FMVZ/UNESP/Botucatu; 24/3: Palestra aos alundos do curso de Medicina Veterinária da FMVA/UNESP/Araçatuba; 23/4: Participação na Assembléia Geral Eleitoral para eleição da Diretoria Executiva e Conselheiros Efetivos e Suplentes para o triênio 2014/2017 do CFMV; 29/4: Palestra aos alunos do curso de Medicina Veterinária da UNESP/Jaboticabal; 30/4: Cerimônia de entrega de cédula de identidade profissional na sede: 4 sessões; 14 a 16/5: Câmara de Presidentes do Sistema CFMV/CRMVs; 29/5: Cerimônia de entrega de cédula de identidade profissional em Campinas; 5/6: Reunião Administrativa no CRMV-SC, em Florianópolis/SC; 18/6: XVIII Simpósio Regional de Saúde Animal do CRMV-SP na cidade Tupã; 27/6: Palestras sobre RT e audiência pública com os médicos veterinários de Peruíbe e região, na cidade de Peruíbe/SP; 16

17 30/6: Palestre sobre ética profissional aos alunos do curso de Medicina Veterinária da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos da USP Pirassununga FZEA/USP, na cidade de Pirassununga/SP; 2/7: Cerimônia de entrega de cédula de identidade profissional na sede: 2 sessões; 21/8: Evento I Encontro de Médicos Veterinários Responsáveis Técnicos de ONGs Um Dia de Discussão no auditório da sede; 29/8: Abertura da Reunião Técnica sobre o Mormo em Eqüídeos, na sede; 3/9: Cerimônia de entrega de cédula de identidade profissional na sede: 2 sessões; 9/9: Palestra aos alunos do curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário do Norte Paulista - UNORP; 1/10: Cerimônia de entrega de cédula de identidade profissional na sede; 2/10: Cerimônia de entrega de cédula de identidade profissional na sede; 14 e 15/10: XIX Simpósio Regional de Saúde Animal do CRMV-SP na cidade de São José do Rio Preto; 28 a 30/10: Peth South América 2014, no Expo Center Norte, na cidade de São Paulo; 4/11: Cerimônia de entrega de cédula de identidade profissional na sede; 8/12: Cerimônia de entrega de cédula de identidade profissional na sede; 9/12: Posse da Comissão Eleitoral Regional para condução do Processo Eleitoral do triênio ; 11/12: Posse da Diretoria Executiva e Conselheiros Efetivos e Suplentes para o triênio do CFMV; 18 e 19/11: XX Simpósio Regional de Saúde Animal do CRMV-SP na cidade de Presidente Prudente; 15/12: Solenidade de comemoração dos 95 anos da criação do Curso de Medicina Veterinária e 80 anos da FMVZ/USP; Vice-Presidente: 21/1: Reunião com o Diretor da FMVZ/Unesp/Botucatu; 23/1: Cerimônia de posse da Diretoria do Fórum dos Conselhos Atividade Fim da Saúde no Conselho Municipal de Saúde de São Paulo, na sede do Conselho Regional de Psicologia de São Paulo; 29/1: Visita à FCAV/Unesp/Jaboticabal; 31/1: Cerimônia de entrega de cédula de identidade profissional na sede; 31/1: Solenidade de Colação de Grau da 75ª Turma de Medicina Veterinária da FMVZ- USP; 14/2: Solenidade de Colação de Grau da 50ª Turma de Medicina Veterinária da FCAV/Unesp/Jaboticabal. 23/4: 23/4: Participação na Assembléia Geral Eleitoral para eleição da Diretoria Executiva e Conselheiros Efetivos e Suplentes para o triênio 2014/2017 do CFMV; 30/4: Cerimônia de entrega de cédula de identidade profissional na sede: 4 sessões; 6/5: Palestra aos alunos do curso de Medicina Veterinária da Universidade Metodista; 8/5: Cerimônia de entrega de cédula de identidade profissional em Campinas; 18/6: XVIII Simpósio Regional de Saúde Animal do CRMV-SP na cidade Tupã 25/8: Viagem à Ourofino Saúde Animal para conhecimento das novas instalações; 3 a 5/9: Expointer, na cidade de Esteio/RS, III Fórum Internacional: Responsabilidade Técnica e Sanitária na Produção Animal, Encontro com os Presidentes dos CRMVs do CE, MS, RJ e PR; 8/9: I Encontro Nacional de Veterinários Especialistas em Águas de Lindóia. Homenagem ao Prof. Pippi; 17

18 11/9: II Encontro de Líderes COMAC/SINDAN, no hotel Renaissence, em São Paulo/SP; 13/9: Jantar Comemorativo ao Dia do Médico Veterinário oferecido pela AMVEJUR (Jundiaí e região); 14/9: Almoço comemorativo ao Dia do Médico Veterinário oferecido pela Associação dos Médicos Veterinários do Vale do Paraíba; 16/9: Sessão Especial de Julgamento de Processo Ético Profissional. 14 e 15/10: XIX Simpósio Regional de Saúde Animal do CRMV-SP na cidade de São José do Rio Preto; 28 a 30/10: Peth South América 2014, no Expo Center Norte, em São Paulo: coordenação de mesa redonda, palestra sobre resíduos na clínicas veterinárias); 10/11: Simpósio de Residência Veterinária na UNIMAR, na cidade de Marilia/SP; 18 e 19/11: XX Simpósio Regional de Saúde Animal do CRMV-SP na cidade de Presidente Prudente; 6/12: Solenidade de Colação de Grau do Curso de Medicina Veterinária da FMVZ/UNESP/Botucatu; 12/12: Solenidade de Colação de Grau do Curso de Medicina Veterinária da FMVA/UNESP/Araçatuba; 15/12: Solenidade de comemoração dos 95 anos da criação do Curso de Medicina Veterinária e 80 anos da FMVZ/USP; Convênios firmados: Convênio CRMV-SP nº 001/ R$ ,00 com a Academia Paulista de Medicina Veterinária - APAMVET, cuja finalidade o desenvolvimento do projeto que consiste na elaboração de um livro sobre a História da Medicina Veterinária no Estado de São Paulo, com vigência de 10 (dez) meses, contados a partir de Janeiro/2014; Convênio CRMV-SP nº 002/ R$ ,00 com a Associação dos Médicos Veterinários de Jundiaí e Região - AMVEJUR, para custear as despesas referente locação de espaço, honorários, hospedagem e refeição de palestrantes, recepção, folders de divulgação e certificados para o I Ciclo de Estudos Continuados, com vigência de 12 (doze) meses, contados a partir de Janeiro/2014. Convênio CRMV-SP nº 003/2014 R$ ,00 com a Academia Paulista de Medicina Veterinária - APAMVET, para custear as despesas referente ao BOLETIM DA APAMVET; Convênio CRMV-SP nº 004/ R$ ,00 com a Fundação Medicina Veterinária FUMVET, cuja finalidade é o desenvolvimento do projeto intitulado Biblioteca Virtual de Medicina Veterinária e Zootecnia BVS-VET, que disponibiliza a todos os Médicos Veterinários, Zootecnistas e a comunidade de um modo geral, na internet, todo o material previsto no Plano de Trabalho, com vigência de 12 (doze) meses, contados a partir de Maio/2014; Convênio CRMV-SP nº 005/2014 R$ ,00 - com a Associação Brasileira de Buiatria, para custear despesas do evento XVII Congresso Latino-americano de Buiatria e XI Congresso Brasileiro de Buiatria. 18

19 SETOR DE CONTAS A PAGAR: Plano de ação: aprimorar os procedimentos objetivando uma eficiente gestão financeira com controles gerenciais para a efetivação do planejamento de suas atividades e seus resultados, projetar as disponibilidades financeiras produzindo informações pertinentes à programação dos recursos financeiros, otimização das aplicações e gerenciamento do Setor de Contas a Pagar, adotar medidas com parâmetros no sistema integrado relacionadas à Contabilidade, evitando o retrabalho na conciliação dos balancetes mensais. Resultados alcançados: Cadastramento e emissão de cheques para pagamentos diversos sendo distribuídos conforme a movimentação a seguir: Conta movimento: Conta corrente CEF 3256: 31 cheques; Conta corrente Banco do Brasil : cheques; Conta corrente Banco do Brasil : 109 cheques. Conta arrecadação: Conta corrente Banco do Brasil : 112 cheques; Conta corrente Banco do Brasil : 7 cheques; Redução de 32% nos cancelamentos de cheques mensais; Emitidos 54 Ofícios e 65 Comunicados Internos; Elaboração de Demonstrativo Financeiro fidedigno e em tempo hábil para tomada de decisão da diretoria; Controles diários de débitos automáticos como telefone, água, energia elétrica e salários; Emissão e controle de 878 recibos de diárias da Diretoria, Conselheiros, Fiscais, Assessores, Servidores e demais Colaboradores do CRMV-SP; A rentabilidade total das aplicações financeiras na Caixa Econômica Federal e no Banco do Brasil em 2014 foi de R$ ,43 (Setecentos e dezessete mil, oitocentos vinte e nove reais,quarenta e três centavos); A receita total arrecadada do exercício de 2014 foi de R$ ,77 (Quinze milhões, duzentos e quatro mil, trezentos cinqüenta e um reais e setenta e sete centavos) e a despesa total paga foi de R$ ,64 (Quinze milhões, oitocentos e um mil, setenta e três reais, sessenta e quatro centavos). Informamos que os números apresentados foram apurados através do Regime de Caixa; Saldo bancário inicial em 02/01/2014 R$ ,66 (Três milhões, setecentos e onze mil, quatrocentos quarenta e três reais e sessenta e seis centavos) e o saldo bancário final em 31/12/2014 R$ ,79 (Três milhões, cento e quatorze mil, setecentos vinte e um reais, setenta e nove centavos). SETOR DE CONTABILIDADE: Plano de ação: planejamento tático e operacional nos processos existentes e indicação das necessidades de melhorias para cumprimento de prazos, estabelecer indicadores de desempenho no planejamento do orçamento e finanças, aperfeiçoar os procedimentos adotados em todas as etapas de execução orçamentária, financeira e patrimonial possibilitando demonstrações financeiras 19

20 fidedignas, mapeamento dos processos e dos fluxos das informações para alinhamento entre os setores contábil e contas a pagar. Resultados alcançados: Equilíbrio orçamentário possibilitando o controle da receita orçada com a arrecadada, bem como a despesa autorizada com a realizada, procedendo as transposições de acordo com as necessidades e justificativas; Emitidos 14 ofícios e 27 Comunicações Internas; Conscientização dos gestores da disponibilidade orçamentária e monitoramento dos gastos mensais; Implementação de sistema de custos que será concluída no decorrer do exercício de 2015; Entrega dos balancetes mensais no prazo estabelecido pela Resolução n 744 para encaminhamento ao CFMV; Registros dos ajustes necessários nas contas patrimoniais em virtude de lançamentos efetuados erroneamente no exercício de 2014 a fim de refletir as demonstrações contábeis com transparência e veracidade; Participação no Encontro Administrativo do Sistema CFMV/CRMV com objetivo de mapear processos e estabelecer os POPs (Procedimentos Operacionais Padrão) que será concluído em 2015; Conciliação entre os bens imobilizados e o setor de Patrimônio; Controle dos impostos retidos durante o exercício, enviando até o mês de Fevereiro a Declaração DIRF (Declaração do Imposto sobre a Renda Retido na fonte). Entrega mensal da Declaração Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF) de acordo com o relatório da Receita Federal referente aos DARFs emitidos pelo CRMV; Certidões com regularidade fiscal perante os órgãos Federais, Estaduais e Municipais; Análise rigorosa nas prestações de contas dos convênios concedidos e dos suprimentos das Urfas; Os Convênios firmados em 2014 totalizaram o valor de R$ ,00 (duzentos e quarenta e sete mil, novecentos e oitenta reais) com as seguintes Instituições: Fundação de Medicina Veterinária FUMVET,Associação dos Médicos Veterinários de Jundiaí e Região AMVEJUR e Academia Paulista de Medicina Veterinária APAMVET. Planejamento e execução orçamentária de 2014: Receita orçada R$ ,00 x Receita executada R$ ,49; Despesa planejada R$ ,00 x Despesa executada R$ ,45. SETOR DE COBRANÇA E RECUPERAÇÃO DE CRÉDITOS: Plano de ação: otimização dos controles mapeando o ambiente interno para simplificar e padronizar procedimentos, fortalecer a integração com o Setor Contábil e minimizar falhas na comunicação, suporte no atendimento de profissionais e empresas com qualidade para esclarecimento às dúvidas dos profissionais. Resultados alcançados: Emissão diária de extratos bancários e extrato da cobrança (francesas) da Conta arrecadação nº / Conta Multas nº e Conta da Divida Ativa (Execução Fiscal) nº ; Análise e baixa de pagamentos diariamente sendo automática e depósitos judiciais; Emitidos 210 Ofícios e 133 Comunicações internas; Elaboração mensal no prazo estabelecido da Planilha Contábil de Cota Parte (PCCP) da carteira 16 (automática) e carteira 18 (manual) para envio ao Conselho Federal de Medicina Veterinária; Informações da situação financeira dos profissionais e empresas para o Setor Físico e para o Jurídico; 20

21 Emissão de parcelamentos de débitos de profissionais e empresas em dívida ativa e administrativa; Exclusão de débitos por solicitação dos Setores de Pessoa Física e Jurídica e Assessoria Jurídica; Baixas de relatórios de dívida ativa enviados pela Assessoria Jurídica; Relatórios de parcelamento em dívida ativa para a Assessoria Jurídica, para baixa e suspensão dos processos em execução fiscal; Emissão de 75 reembolsos aos profissionais em virtude de pagamentos de anuidades em duplicidade e enquadramento conforme Resolução 1022/2013 do CFMV totalizando o valor R$ ,01. Quadro 01. Total de Arrecadação do Exercício de 2014 (Carteira 16) 100% R$ ,19 75% R$ ,65 25% R$ ,54 Quadro 02. Total de Arrecadação do Exercício de 2014 (Carteira 18) 100% R$ ,58 75% R$ ,57 25% R$ ,01 Quadro 03. Total de Arrecadação do Exercício de 2014 Multas (Carteira 16) 100% R$ ,02 75% R$ ,12 25% R$ ,90 SETOR DE REGISTRO DE PESSOA FÍSICA Quadro 04. Resultados obtidos Certidões emitidas 78 Registro de Título Especialista 01 Cédulas de Identidade Profissional de Méd. Vet Cédulas de Identidade Profissional de Méd. Vet. Secundária 49 Cédulas de Identidade Profissional de Zootecnistas 79 Cédulas de Identidade Profissional de Zootecnistas Secundária 00 Quadro 05. Situação Médicos Veterinários Números de inscritos em Números de inscritos até 31/12/ Cancelamentos em Cancelamentos até 31/12/ Aposentados em Aposentados até 31/12/ Falecidos em Falecidos até 31/12/ Militar em Militar até 31/12/ Ausentes do país em Ausentes do país até 31/12/ Transferidos de outros CRMV S em Transferidos para outros CRMV S em Inscrições Secundárias em

22 Profissionais atuantes em Reinscrições em Inscrições Suspensas até 31/12/ Quadro 06. Situação Zootecnistas Números de inscritos em Números de inscritos até 31/12/ Cancelamentos em Cancelamentos até 31/12/ Aposentados em Aposentados até 31/12/ Falecidos em Falecidos até 31/12/ Militar em Militar até 31/12/ Ausentes do país em Ausentes do país até 31/12/ Transferidos de outros CRMV S em Transferidos para outros CRMV S em Inscrições Secundárias em Profissionais atuantes em Reinscrições em Inscrições Suspensas até 31/12/ Total de Médicos Veterinários e Zootecnistas atuantes no Estado de São Paulo em : Total de cerimônias de entrega de cédulas realizadas em SETOR DE REGISTRO DE PESSOA JURÍDICA Quadro 07. Resultados obtidos Registros homologados em Registros cancelados em Total de Registros reativados em 2014 (SISCAD-CFMV) 024 Total de empresas homologadas e atuantes até 31/12/2014 (SISCAD-CFMV) Ofícios/notificações emitidos no ano de Total de empresas homologadas até 31/12/ SETOR DE FISCALIZAÇÃO Quadro 08. Resultados obtidos Total de fiscalizações Realizadas em Relatórios de fiscalização emitidos em Termos de fiscalização emitidos em Autos de infração emitidos em Autos de infração regularizados em Autos de infração cancelados em Autos de infração cancelados em 2014 por pagamento da multa

23 Gráfico 1. Desempenho da Fiscalização Autos de infração Termos Relatórios Autos de infração Termos Relatórios SETOR DE MULTAS Quadro 09. Resultados obtidos Ofícios expedidos em Autos de Multa emitidos em Recursos de autos de multa analisados em Defesas de auto de infração analisadas em ASSESSORIA JURÍDICA Atuação Preventiva Elaboração de pareceres, assessoria em licitações, processos éticos e demais processos administrativos do CRMV-SP, culminando com a seguinte atuação profissional: Elaboração de 197 análises jurídicas em processos de veterinários e empresas; Participação em 103 audiências de processos éticos; Participação em 10 sessões de julgamentos de processos éticos; Participação, com elaboração de pareceres, em 19 pregões eletrônicos, 2 tomadas de preços, 1 credenciamento de leiloeiro e 2 concorrências; Participação em reuniões e outras atividades determinadas pela diretoria da entidade; Realização de assessoria a todos os setores da entidade, à diretoria e aos conselheiros; Elaboração de 473 comunicações internas para os outros setores da entidade. 23

24 Atuação Contenciosa A Coordenadoria Jurídica é responsável pela defesa dos interesses do CRMV-SP em juízo, atuando em nos processos de execução fiscal, mandado de segurança e outras ações necessárias à defesa do interesse da entidade. Atuação em aproximadamente 7 mil execuções fiscais, que estão em andamento, com a prática de todos os atos necessários para a cobrança dos créditos em juízo; Atuação em mais de 4 mil mandados de segurança e ações ordinárias que discutem a legalidade do registro de empresas; Atuação em 6 processos trabalhistas envolvendo a discussão sobre verbas e demais direitos de funcionários demitidos, saber: Renata Fernandes: processo julgado improcedente pelo Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (exceto na determinação de incluir a gratificação na base de cálculo das horas extras); José Naspitz: vencido pelo CRMV-SP em primeira e segunda instância pendente de Recurso de Revista do reclamante; Samuel Alves de Souza: vencido pelo Reclamante, aguardando desfecho de Recurso de Revista interposto pelo CRMV-SP; Vagner Fernandes de Oliveira: vitória do CRMV-SP em 1ª Instância. Aguardando julgamento de recurso ordinário no TRT da 2ª Região. A atuação nos processos listados abaixo representou a elaboração das seguintes petições: Quadro 10. Quantitativo de petições Petição/Recurso Número de Peças Agravo de Instrumento 5 Agravo Interno 557 CPC 39 Agravo Retido 1 Apelação 71 Contestação 35 Contra-Minuta 5 Contra-razões 23 Embargos à Execução Honorários 10 Embargos de Declaração 3 Embargos Infringentes 3 Exceção de incompetência 4 Resposta a exceção de pré-executividade 34 Execução de honorários 9 Impugnação a Embargos 40 Informações em Mandado de Segurança 48 Petição para cumprimento Art Petição para citação endereço Receita 51 Petição condução Oficial de Justiça 36 Petição descumprimento de acordo 86 Petição Interrupção Prescrição 11 Petição Intimação Pessoal 74 Petição Juntada de CDA 3 Petição Juntada de demonstrativo de débito 28 Petição Penhora 16 Petição para Citação

25 Petição para Recolhimento de Custas 77 Petição BACEN 492 Petição Cancelamento Art. 26 LEF 731 Petição Ofício DRF 140 Petição Extinção pelo Pagamento 398 Petição JUCESP 209 Petição Juntada de Guias Diversas 126 Petição Produção de Provas 29 Petição RENAJUD 311 Petição Suspensão 293 Petição Suspensão Parcelamento 170 Petições Tranferência 81 Recurso Especial 34 Petições Diversas 461 Total Acompanhamento das seguintes ações para a defesa dos interesses da entidade: Empresa de Telefonia Claro: vencido pelo CRMV-SP em 1ª Instância e aguardando julgamento do recurso interposto pelo Réu; Consulters Consultoria em Informática: ação rescisória julgada procedente processo encaminhado para a Justiça Federal e aguardando decisão sobre a validade do protesto realizado pela empresa; Conselho Administrativo de Defesa Econômica - CADE: julgamento dos embargos à execução fiscal n.º , que entendeu pela ausência de infração a ordem econômica. Ação anulatória, bem como obrigação de fazer, suspensas possibilidade de acordo; José Alberto Pereira da Silva (médico veterinário ex-presidente do CRMV-SP): cobrança de valores exigidos pelo TCU sentença de embargos julgada improcedente, com o conseqüente início da execução; Associação Nacional dos Clínicos de Pequenos Animais Anclivepa-Brasil: cobrança decorrente de convênio (apoio financeiro), cuja prestação de contas não foi comprovada citação realizada e processo encaminhado para a Seção Judiciária de Goiânia; Flávio Prada (médico veterinário ex-interventor judicial do CRMV-SP): vencido pelo CRMV-SP em 1ª instância e aguardando julgamento do recurso interposto pelo Réu; Arani Nanci Bonfim Mariano (médica veterinária membro da intervenção judicial do CRMV-SP): vencido pela Ré em 1ª e 2ª instâncias. Aguardando julgamento de embargos proposto pelo CRMV- SP; João Gilberto Lopes Pereira (médico veterinário membro da intervenção judicial do CRMV-SP): vencido pelo Réu em 1ª instância e aguardando julgamento de apelação proposta pelo CRMV-SP; Olympio Geraldo Gomes (médico veterinário membro da intervenção judicial do CRMV-SP) vencido pelo Réu. Sem possibilidades de recurso pelo CRMV-SP. O CRMV-SP iniciou em 2012 a sua informatização, com a aquisição do software jurídico THEMIS, que permite o cadastro de processos e andamentos, a emissão de relatórios e o arquivamento digital de peças processuais. Em relação à digitalização, esta Coordenadoria já realiza, desde 2012, esse 25

26 procedimento nos atos processuais que pratica, estando todo o restante de seu acervo na empresa IMATEC, responsável em digitalizar todos os documentos do CRMV-SP. Por fim, a Assessoria Jurídica contribuiu com diversas palestras orientativas para médicos veterinários e zootecnistas em eventos promovidos pelo CRMV-SP e por entidades públicas e privadas ligadas às classes. Atividades da ATMV 2014 Comissões Técnicas: Quadro 11. Relação das Comissões Técnicas com ano de criação Comissões Técnicas Ano de criação Número de membros em 2014 Titulares Suplentes Reuniões realizadas em 2014 Alimentos Aqüicultura Bem-Estar Animal Clínicos de Pequenos Animais Ensino e Pesquisa da Medicina Veterinária Fisioterapia Veterinária Responsabilidade Técnica Saúde Animal Zootecnia Saúde Pública Veterinária Ensino e Pesquisa da Zootecnia Médicos Veterinários de Animais Selvagens Animais de Laboratório Políticas Públicas Saúde Ambiental Equideocultura Homeopatia Veterinária Medicina Veterinária Legal Nutrição Animal Quadro 12. Eventos realizados pelas Comissões Técnicas Comissão Técnica Tema Data Nº de participantes Clínicos de Pequenos Animais A Responsabilidade Técnica na Área Pet 14 e 15/04/14 21 Clínicos de Pequenos Animais A Responsabilidade Técnica na Área Pet 12 e 13/05/14 21 Aquicultura Criação Sustentável de Animais Aquáticos 19 a 23/05/14 11 Saúde Animal Reunião Técnica sobre Mormo em Equideos 29/08/

27 Abaixo, seguem os principais assuntos discutidos pelas Comissões Técnicas do CRMV-SP em 2014 e encaminhamentos. Alimentos - Reestruturação e reativação do BLOG da Comissão. - Revisão do Manual de Responsabilidade Técnica. Aquicultura - Portaria MPA nº 28/2014 referente à consulta pública para o Projeto de Instrução Normativa que institui o Programa Nacional de Controle Higiênico Sanitário de Embarcações Pesqueiras e Infraestruturas de Desembarque - Embarque Nessa. - Portaria Nº 395, de 24 de outubro de 2014, referente à consulta Publica para o Projeto de Instrução Normativa que institui o Programa Nacional de Sanidade de Animais Aquáticos de Cultivo Aquicultura com Sanidade, com a finalidade de garantir a sustentabilidade dos sistemas de produção de animais aquáticos e a sanidade da matéria-prima obtida a partir dos cultivos nacionais. - Portaria Nº 411, de 13 de novembro de 2014, referente à consulta publica para o projeto de Instrução Normativa que institui o Programa Nacional de Monitoramento Sanitário de Alevinos de Tilápias (Oreochromis, Tilapia, Sarotherodon e híbridos desses gêneros) - Alevino de Tilápia Monitorado e estabelece os critérios para o transporte nacional de formas jovens de tilápia. - Evento: Criação Sustentável de Animais Aquáticos realizado nos dias 19 a 23/05/ Revisão do Manual de Responsabilidade Técnica. Bem-Estar Animal - Projeto de Resolução: Criação de cães e gatos para fins comerciais. - Parecer sobre a Resolução CFMV nº 1000/12. - Comitê Informa, Forma e Transforma (IFT). - Revisão do Manual de Responsabilidade Técnica. Clínicos de Pequenos Animais - Evento: A Responsabilidade Técnica na Área Pet realizado nos dias 14 e 15/04/2014 e 12 e 13/05/ Revisão do Manual de Responsabilidade Técnica. - Comitê Informa, Forma e Transforma (IFT). Ensino e Pesquisa da Medicina Veterinária - Participação nas audiências públicas da Assembléia Legislativa com o tema O papel do Estado na formação em saúde: Quais instrumentos o Estado mobiliza para garantir a melhoria da formação em saúde. - Preparativos para o I Encontro de Deontologia e Ética Profissional. - Participação no Fórum dos Conselhos Atividades Fim da Saúde (FCAFS). - Revisão do Manual de Responsabilidade Técnica. 27

28 Equideocultura - Discussão sobre maneiras de agilizar e otimizar a realização de exames de AIE e mormo, situação epidemiológica das enfermidades no Estado de São Paulo e no Brasil e entraves logísticos e financeiros apresentados pela atual situação. - Sugestões para melhoria nos procedimentos de coleta de materiais e confecção de resenhos de eqüídeos. - Dificuldades referentes à emissão e controle de GTAs. - Viabilidade da microchipagem obrigatória para todos os eqüídeos. - Revisão do Manual de Responsabilidade Técnica. Fisioterapia Veterinária - Discussão de cursos livres, de especialização e de pós-graduação de fisioterapia veterinária realizados no Brasil. - Revisão do Manual de Responsabilidade Técnica. Homeopatia Veterinária - Foi realizado um levantamento dos profissionais que fizeram curso de homeopatia e atuam na área. - Revisão do Manual de Responsabilidade Técnica. Medicina Veterinária de Animais Selvagens - Parecer sobre Projeto de Lei que dispõe sobre criação amadorista e comercial de passeriformes. - Revisão do Manual de Responsabilidade Técnica. Medicina Veterinária Legal - Realização de levantamento, junto às concessionárias das rodovias, do número de animais acidentados. - Levantamento das Universidades do Estado de São Paulo que possuem a disciplina de deontologia médico-veterinária, medicina veterinária legal e legislação. - Perícia médico-veterinária. - Proposta de divulgação da Resolução SMA nº 48/2014 no site do CRMV-SP. - Viabilidade da implantação do IML veterinário. - Importância da documentação de origem dos animais dos acervos das universidades. - Revisão do Manual de Responsabilidade Técnica. Nutrição Animal - Atuação e capacitação do nutricionista animal, com levantamento sobre a especialidade. - Elaboração de um plano de ação para apoiar os profissionais junto as suas atividades. - Problemática do site Cachorro Verde (http://www.cachorroverde.com.br/). - Planejamento para o Ciclo de Atualização de Responsabilidade Técnica junto às fabricantes de rações (animais de produção e pet). - Revisão do Manual de Responsabilidade Técnica. 28

29 Políticas Públicas - Participação na Cãominhada da OAB. - Participação no CONBRAVET. - Revisão do Manual de Responsabilidade Técnica. Responsabilidade Técnica - Revisão do Manual de Responsabilidade Técnica. - Finalização do Manual de Responsabilidade Técnica e Legislação. Saúde Ambiental - Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos. - Revisão do Manual de Responsabilidade Técnica. - Comitê Informa, Forma e Transforma (IFT). Saúde Animal - Reunião técnica sobre mormo. - Revisão do Manual de Responsabilidade Técnica. Saúde Pública Veterinária - Ofícios para os prefeitos e para a câmara municipal informando sobre a importância dos médicos veterinários nas campanhas de vacinação contra raiva de cães e gatos, tais como controle de rede de frio, atendimento aos eventos adversos temporalmente associados à vacinação, vigilância epidemiológica de agravos produzidos ou sofridos pelos animais durante a campanha, prever a avaliação sorológica de todos os participantes, capacitação em manejo e contenção dos animais e aplicação de vacina, entre outros; - Reunião técnica sobre mormo. - Projeto de lei para substituição do Decreto nº / Revisão do Manual de Responsabilidade Técnica. SETOR DE ÉTICA Quadro 13. Quantitativo realizado Ofícios enviados Processos ético-profissionais instaurados 127 Processos ético-profissionais em fase de instrução 022 Processos ético-profissionais julgados 046 Audiências de instrução realizadas 103 Sessões Especiais de Julgamento de processos ético-profissionais 010 Denúncias arquivadas 028 ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO Cerimônias de Entrega de Cédula de Identidade Profissional. Sessões Plenárias; Acompanhamento das reuniões das Comissões Técnicas para elaboração de notas para o site do CRMV-SP; Workshop Única Voz para Assessores de Comunicação - CFMV; 29

30 Campanha Antipirataria de Produtos Veterinários Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para a Saúde Animal. Eventos externos Agita Saúde Orientação para Promoção de Saúde a partir da Temática Atividade Física, da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo; Seminário Instituições Públicas e Sociedade Enfrentando os Maus Tratos e o Abandono Animal no Ministério Público; Abertura do 12 CONPAVEPA no Centro de Convenções Anhembi; Workshop Tráfico de Espécies Silvestres promovido pelo Ministério Público de SP; XX Simpósio Regional de Saúde Animal, em Presidente Prudente; XIX Simpósio Regional de Saúde Animal, em São José do Rio Preto; Homenagem especial ao Dr. Luiz Antonio de Abreu e Souza (in memorian); 13ª Feira Pet South America; XII Congresso Paulista das Especialidades. Eventos internos 2º Ciclo de Palestras de 2014 sobre RT na Área Pet; Curso de Criação Sustentável de Animais Aquáticos; I Encontro de Médicos Veterinários Responsáveis Técnicos de ONGs Um Dia de Discussão. Campanha Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Selvagens - Segundo Dia de Conscientização da Campanha Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Selvagens: Apresentação do espetáculo teatral Bichos do Brasil, da Cia. Pia Fraus, na Arena Cultural da Fundação Parque Zoológico de São Paulo; Distribuição de cartilhas e folders da campanha; Sessão de fotos com boneco inflável gigante de onça-pintada; Sorteio de cinco bonecos infláveis pequenos de onça-pintada para os espectadores da peça teatral; Distribuição de cartilhas e folders para a Divisão Técnica de Medicina Veterinária e Manejo da Fauna do Departamento de Parques e Áreas Verdes de São Paulo e para o Zoológico de Guarulhos; Inserção de 150 cartazes da campanha em terminais urbanos de ônibus, com o apoio da Secretaria Municipal de Verde e Meio Ambiente de São Paulo, no período de 17 a 29 de setembro; Inserção de mensagem contra o tráfico de animais nas contas de água de 340 mil famílias guarulhenses, com o apoio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Guarulhos, no período de 8 de outubro a 7 de novembro; Campanhas online no Facebook e Twitter do CRMV-SP; Campanha com o público interno do CRMV-SP, sorteio de cinco pares de ingressos para o Zoológico de São Paulo; Parceria com a Caravana Siga Bem, iniciativa do Siga Bem Caminhoneiro, com participação nas Paradas Temáticas pelo Estado, nas cidades de Marília, Presidente Prudente, Presidente Epitácio, Jundiaí, Onda Verde e Mirassol; Parcerias com a Polícia Militar Ambiental do Estado de São Paulo, a Polícia Rodoviária Federal de São Paulo e o IBAMA para atualização de dados sobre o tráfico de animais selvagens no Estado; Envio de pautas jornalísticas sobre o tema para os veículos de comunicação. CRMV-SP na Mídia Revista Cães&Gatos pauta: Trajetória profissional do presidente do CRMV-SP, Dr. Francisco Cavalcanti de Almeida; Canal Rural pauta: Atualização do Riispoa; 30

31 Folha Metropolitana pauta: Campanha Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Selvagens; Metrô News pauta: Campanha Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Selvagens; Jornal da Manhã de Marília pauta: Campanha Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Selvagens; Jornal A Fronteira pauta: Campanha Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Selvagens; Orinho.com pauta: Campanha Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Selvagens; Guarulhos Web pauta: Campanha Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Selvagens; Sou Agro, Pet Mag pauta: Campanha Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Selvagens; Pet na Rede pauta: Campanha Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Selvagens; Revista Cães & Gatos pauta: Campanha Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Selvagens; Programa Brasil Caminhoneiro, do SBT pauta: Campanha Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Selvagens; Jornal da Cidade da TV Marília pauta: Campanha Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Selvagens; SPTV 1ª. Edição da TV Fronteira pauta: Campanha Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Selvagens; Rádio Siga Bem Caminhoneiro pauta: Campanha Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Selvagens; TV TEM Sorocaba pauta: Regras para manter e vender animais em pet shops; Jornal da Pecuária, Canal Rural pauta: Leptospirose bovina; Guia Mensal Tá na Mão pauta: Cuidados com gatos; Rádio Estadão pauta: Falta de vacinas contra a Raiva; Jornal de Piracicaba pauta: Planos de Saúde para animais de estimação, prós e contras; Portal UOL pauta: Transporte de animais em motocicletas; Revista Cães&Gatos pauta: Mercado de trabalho para médicos veterinários; Grupo Radar Comunicação pauta: Entrevista com o presidente do CRMV-SP, Dr. Francisco; Cavalcanti de Almeida, sobre a participação do Conselho na feira Pet South America; TV PUC pauta: Fiscalização de produtos veterinários; Rádio Capital AM 1040 pauta: A importância da Campanha de Vacinação contra a Raiva; TV PUC pauta: Mercado de trabalho do médico veterinário; Jornal Folha Metropolitana pauta: Problemas respiratórios em animais por conta do tempo seco; TV Band pauta: Transporte de animais em ônibus; Canal Rural pauta: Pirataria de produtos veterinários; Site Ana Maria pauta: Alimentação natural para animais; Jornal Fala Brasil, TV Record pauta: Raças de cães que estão na moda. SOLICITAÇÕES: Agência Mercado Jovem solicitação: lista de congressos em Medicina Veterinária realizados ao longo de 2014; Camila Marinelli Martins, doutoranda da FMVZ-USP solicitação: dados estatísticos de médicos veterinários atuantes em São Paulo em atendimento clínico para pesquisa sobre o sistema de vigilância da Raiva Canina no Estado; Livro de Memórias da Medicina Veterinária, APAMVET solicitação: texto de prefácio e dados estatísticos do CRMV-SP. Cartas Públicas Carta Pública à Luisa Mell em defesa da classe médica-veterinária; Carta Pública aos médicos veterinários e zootecnistas sobre a falsificação de exames laboratoriais; 31

32 Carta Pública sobre ONGs de proteção animal; Carta Pública de Responsável Técnico em Estabelecimentos de Banho e Tosa; Carta Pública de Prescrição de Medicamentos Sujeitos a Controle Especial. Reuniões e Audiências Reunião Grupo Técnico Interprofissional na Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo; Audiência Pública na Alesp O Papel do Estado na Formação em Saúde: quais instrumentos o estado mobiliza para garantir a melhoria da formação em saúde. Campanha Educativa Cuidar de Animal não é Brincadeira Gibi Nº 1 Guarda Responsável tiragem Informativos Foram produzidas as seguintes edições ao longo de 2014: INFO 53: Bem-estar Animal; INFO 54: Balanço da Gestão de ; INFO 55: Ética Profissional; INFO 56: Responsabilidade Técnica. Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia Vol. 11 n Produção de embriões bovinos in vitro com sêmen sexado (Reprodução Animal). Conhecimento e percepção do médico veterinário e do lojista do mercado pet acerca do controle ectoparasitário de cães e gatos: situação de oito estados brasileiros em 2003 e a evolução do mercado paulista em 2011 (Clínica de Pequenos Animais). Gengivite-estomatite linfoplasmacitária felina: relato de caso (Clínica de Pequenos Animais). Exame do corpo de delito na perícia veterinária (Patologia Médica Veterinária). RESUMOS DE TRABALHOS: XXIV Rita Canadá Rabies in the Américas Meeting Abstracts: 27 a 31 de outubro de 2013, Hyatt Regency Toronto, Toronto, Canadá (Resumos). 40 Conbravet: 18 a 21 de novembro de 2013, Bahia Othon Palace Hotel, Salvador, Bahia, Brasil (Resumos). Vol. 12 n Terapia fotodinâmica: revisão de literatura (Clínica de Pequenos Animais); Síndrome de Horner em consequência à quemodectoma maligno em dobermann (Clínica de Pequenos Animais); Resposta imune humoral de cães domésticos que receberam dose única de vacina antivírus da raiva (Medicina Veterinária Preventiva); O papel da informação na produção de ovinos de corte (Produção Animal). RESUMOS DE TRABALHOS: 40 Conbravet: 18 a 21 de novembro de 2013, Bahia Othon Palace Hotel, Salvador, Bahia, Brasil (Resumos - continuação). 32

33 Vol. 12 n Uso do exame radiográfico no diagnóstico de Osteopatia Hipertrófica Pulmonar (OHP): relato de três casos (Clínica de Pequenos Animais); Estudo da incidência de SIRS, sepse, sepse grave e choque séptico, diagnosticados no atendimento de emergência em cães hospitalizados com gastroenterite (Clínica de Pequenos Animais); Novas perspectivas e conceitos associados com a prevenção e controle da mastite em rebanhos leiteiros: revisão de literatura (Medicina Veterinária Preventiva); Ocorrência de Anticorpos Anti-Toxoplasma gondii em Felis domesticus no Município de Marília, São Paulo, Brasil (Saúde Pública Veterinária). RESUMOS DE TRABALHOS: 12 Conpavet: 28 a 30 de outubro de 2014, Expo Center Norte, São Paulo, Brasil (Resumos). 40 Conbravet: 18 a 21 de novembro de 2013, Bahia Othon Palace Hotel, Salvador, Bahia, Brasil (Resumos continuação). Vol. 12 n Perfil dos Carroceiros, Avaliação Clínica e do Bem-estar dos seus Cavalos de Tração da Região de Pirassununga-SP (Bem-estar Animal); Ovinocultura de corte no Brasil: balanço de 2013 e perspectivas para 2014 (Produção Animal). Qualidade da cromatina espermática e sua implicação no desenvolvimento embrionário inicial de bovinos (Reprodução Animal); Ascocotyle (Phagicola) longa parasitando tainhas (Mugil liza, Valenciennes, 1836) em São Paulo: ocorrência, importância na saúde pública e estratégias de controle (Saúde Pública Veterinária). RESUMOS DE TRABALHOS: 40 Conbravet: 18 a 21 de novembro de 2013, Bahia Othon Palace Hotel, Salvador, Bahia, Brasil (Resumos continuação). Publicidade Foram produzidas artes para anúncios nos seguintes veículos: Dia do Zootecnista 03 col cm larg x 26 cm alt (1/4 de página) Folha de S. Paulo e Agora S. Paulo. Dia do Médico Veterinário 03 col cm larg x 26 cm alt (1/4 de página) Folha de S. Paulo e Agora S. Paulo; 03 col cm larg x 26 cm alt (1/4 de página) O Estadão; 03 col cm larg x 26 cm alt (1/4 de página) Correio Mariliense. Redes Sociais Facebook: curtidas; Twitter: seguidores. Site Número de acessos (Período 1º/1/2014 a 31/12/2014): acessos; Média diária: 2.294,58. 33

34 Nova Parceria Revista Cães&Gatos VET FOOD Coluna mensal, Boletim Paulista. SETOR DE PATRIMÔNIO Gerir bens móveis e imóveis; Levantamento dos bens inservíveis; Cadastramento de bens móveis patrimoniais na sede deste órgão na capital e nas Unidades Regionais de Fiscalização e Atendimento - URFAs (Araçatuba, Botucatu, Marília, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Sorocaba, Taubaté, Santos e Campinas); Revisão dos registros do sistema; Elaboração e emissão do Termo de Responsabilidade para os diversos setores e URFAs do CRMV- SP; Lançamento de 294 itens de Bens Móveis Baixados, em conformidade com os processos de baixas e decisão da Reunião Plenária. Quadro 14. Baixas de bens Leilão Data da Baixa Motivo Bens 1º Inservível Móveis 2º Inservível Móveis Total 234 Itens Processo de Baixa Data Motivo Bens 001/ Desincorporação Móveis /Destruição Total 60 Itens 34

35 Lançamento de 22 itens novos bens móveis patrimoniais adquiridos pelo CRMV-SP no sistema de Controle de Patrimônio (SG Patrimônio/ SQL/ Implanta), conforme quadro a seguir: Quadro 15. Bens móveis patrimoniais adquiridos Código Descrição Quant. Valor Aquisição (R$) Destino 3390 Laminadora e plastificadora A-4 Bi-volt, modelo PDA4-230C, para plastificação 3391 de cédula de identidade profissional, largura da plastificação 230 mm, espessura ,10 Registro de Profissionais máx 2mm - polaseal, cor cinza. Cadeira, CALP B PT 40R G22R CP08, em tecido ,00 URFA Campinas 3394 Mesa reta OP PE PAINEL ,00 URFA Campinas 3395 Aparelho Coletor de Dados Mod. Printo Point II, relógio de ponto informatizado - atende à Portaria 1.510/09 do MTE; teclado em silicone com 12 teclas, Display de LCD, com backligt de 2 linhas com 20 caracteres casa, leitor biométrico óptico com 500 dpi de resolução, e capacidade de 1.000, ou digitais, guilhotina com impressora de transparência térmica lateral; conforme modelo. Altura 21,2 cm - Profun. 16,4 cm - Largura 31,40 cm. Cor: preto/cinza. DMPLIGTH BR cessão de licença de uso SOFTWARE funcionários a ,50 Setor de Pessoal func., Valor R$ 2528,50 Mesa para escritório140x60 PCO-36 25/18 cor atenas. Cad Exec Hebe Back System 2 C/ BR 12 - Cadeira com rodízios e braços, revestimento em tecido impermeabilizado na cor verde; com base giratória, regulagens de altura e inclinação do encosto e dos apoios. Gaveteiro Volante 4 gav. 680x470x500 18/25mm (GB-50 / GVO-50) cor atenas Total , ,00 Diversos Setores ,00 Diversos Setores ,00 Diversos Setores 35

36 Acompanhamento e manutenção de Contrato e Aditivo, observando vigência e Renovações: Quadro 16. Contratos e aditivos CONTRATO 2014 Empresa Vigência Zocca Dante Estacionamento Ltda Me 01/02/2014 a Edifício de Garagens Itamarati Ltda 03/06/2014 a 02/06/2015 Estacionamento Jaty Felix Alberto de Araújo Me 16/05/2014 a 15/05/2015 Engemed Saúde Ocupacional S/S 09/06/2014 a ADITIVO DE CONTRATO 2014 Empresa Vigência Abrahão & Landucci Estacionamento Ltda 13/02/2014 a 12/01/2015 Radionet Ltda EPP 12/11/2014 a 11/11/2015 Sodexo Pass do Brasil Ser. e Com. S/A 01/06/2014 a 31/08/2014 Estacionamento Cláudio Odair Trevisan 01/11/2014 à 31/10/2015 Estacionamento Paubrasil Ltda 14/08/2014 a 13/08/2015 Empresa Bras. De Correios e Telégrafos ECT 16/09/2014 a 15/09/2015 Elevadores Atlas Schindler S/A 13/01/2014 à 13/01/2015 Trivale Administração Ltda 28/05/2014 à 27/05/2015 Água Mania Distri. De Água Mineral Ltda 07/12/2014 à 06/12/2014 Mapfre Vera Cruz Seguradora S.A 04/03/2014 a 04/03/2015 Tutóia Express Serviços Postais Ltda 18/01/2014 a 17/01/2015 Elaboração de documentos para Autorização de Diária, conforme Resolução CRMV-SP Nº 1632/2007: Quadro 17. Autorizações de diárias Período Número Total 06/01/2014 a 18/12/ a SETOR DE COMPRAS O Setor de Compras é responsável pelos processos de cotação de preços de todos os produtos solicitados, visando atender às necessidades do CRMV-SP. Todos os processos de compras são realizados através da solicitação de orçamentos, com no mínimo três empresas diferentes, onde é feita a comparação de preços e calculada a média aritmética. EXECUÇÃO DAS DESPESAS POR MODALIDADE DE LICITAÇÃO Os princípios orçamentários são premissas a serem observadas na concepção da proposta orçamentária. A programação e execução orçamentária no ano de 2014 do CRMV-SP obedecem com rigor à legislação e aos princípios atinentes a área contábil. Segue abaixo, uma demonstração e análise na execução orçamentária e financeira detalhada por modalidade de licitação, por natureza e por elementos de despesa. 36

37 Quadro 18. Aquisição de produtos ou serviços por dispensa ou por inexigibilidade MODALIDADE PROCESSO FINANCEIRO Nº OBJETO EMPRESA VENCEDORA VALOR TOTAL Contrato de Adesão 048/2014 Fornecimento de Energia Elétrica. AES Eletropaulo R$ ,29 Contrato de Adesão 049/2014 Fornecimento de água potável Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo R$ ,05 214/2014 Locação de Equipamento (Máquina Copiadora) Colortec Com. Locação e Assist. Técnica Ltda Me R$7.716,95 Menor Preço 186/2014 Prestação de Serviços de Manutenção dos Jardins Ambienty Comércio e Serviços Ltda -EPP R$1.211,69 Menor Preço 310/2014 Prestação de Serviços de Manutenção dos Jardins Felipe TanakaIkeda Me R$ 3.200,00 248/2014 Manutenção e Conservação de Máquinas ( ar condicionado) Vértice Ar Condicionado Ltda R$ 1.750,00 Menor Preço 184/2014 Manutenção Preventiva dos Elevadores Elevadores Atlas Schindler 055/ / /2014 Prestação de Serviços de Telefonia fixa Aquisição de Relógio de Ponto Prestação de Serviços de: Dedetização, Desratização e Desinfecção das caixas d água 309/2014 Aquisição de plástico para plastificarão de cédulas Telefônica Brasil S.A. Dimas de Melo Pimenta S.A Desentupidora, Dedetizadora Drawin Supricorp Suprimentos Ltda R$36.611,66 R$33.115,80 R$7.100,00 R$1.974,00 R$521,44 37

38 138/2014 Fornecimento de água mineral Água Mania Distribuidora de Água Mineral Ltda R$4.824,00 355/2014 Aquisição de café, chá, açúcar e filtro para café P.P. de O. Santos Comercial ME R$ 6.187,00 Menor Preço 355/2014 Aquisição de copos descartáveis e palhetas para café P.P. de O. Santos Comercial Me R$ 7.240,90 355/2014 Aquisição de Material de escritório P.P. de O. Santos Comercial ME R$5.487,75 38

39 Quadro 19. Pregões presenciais PREGÃO PRESENCIAL DE 2014 PROC. ADM. Nº MODALIDADE PROC. FINANCEIRO Nº DESPESA OBJETO EMPRESA VENCEDORA VALOR ADJUDICADO SITUAÇÃO 65/2014 Pregão Presencial Nº 01/ / , e Objeto: Prestação de serviços de Agenciamento de viagens, compreendendo os serviços de emissão, remarcação e cancelamento de passagens aéreas nacionais e eventualmente internacionais, mediante fornecimento parcelado e em trechos diverso. FACTO TURISMO LTDA ME CNPJ: / R$ ,88 Taxa de Agenciamento R$ 0 (zero) HOMOLOGADO 67/2014 Pregão Presencial Nº 02/ / e LOTE nº 1 - Objeto: Contratação de empresa especializada em serviços de diagramação de 1 (uma) Edição da Revista de Educação Continuada em Veterinária e Zootécnica e de 1 (uma) Edição do Boletim da APAMVET, incluindo revisão gramatical e bibliografia (Normas ABNT) apenas para a revista de Educação Continuada. RS PRESS EDITORA EIRELI EPP CNPJ: / R$ 8.900,00 HOMOLOGADO 279/ LOTE nº 2 - Objeto: A contratação de empresa prestadora de serviços gráficos para impressão e acabamento gráfico de 1 (uma) edição da Revista de Educação Continuada em Veterinária e Zootécnica e de 1 (uma) edição do Boletim da APAMVET. MUNDIAL GRÁFICA LT CNPJ: / R$ ,00 HOMOLOGADO 39

40 283/2014 LOTE nº 3 - Objeto: A contratação de empresa prestadora de serviços gráficos para impressão e acabamento gráfico de 2 (duas) edições do Informativo do CRMV-SP. PLURAL INDÚSTRIA GRÁFICA LT CNPJ: / R$ ,00 HOMOLOGADO Quadro 20. Pregões eletrônicos PREGÃO ELETRÔNICO DE 2014 PROCESS O ADM. Nº MODALID ADE PROCESS O FINANCEI RO Nº DESPESA OBJETO EMPRESA VENCEDORA VALOR ADJUDICADO SITUAÇÃO 70/2014 Pregão Eletrônico Nº 01/2014 (Licitação BB nº ) 303/ Objeto: Prestação de serviços técnicos da área de gestão eletrônica de documentos para fornecimento de solução de gestão eletrônica de documentos (GED), abrangendo licenças de uso de software com as devidas garantias, instalação, configuração de software, suporte técnico, manutenção e treinamentos, guarda-física, higienização e digitalização de documentos. IMATEC MICROFILAMGEM LTDA CNPJ: / R$ ,15 HOMOLOGADO 71/2014 Pregão Eletrônico Nº 02/2014 (Licitação BB nº e ) , e Objeto: Prestação de serviços especializados que utilize tecnologia da informação na administração e controle (autogestão) da frota de veículos do CRMV-SP, destinada a manutenção preventiva e corretiva com substituição de peças através de rede credenciada. DESERTA (2 VEZES) DESERTA DESERTA 40

41 72/2014 Pregão Eletrônico Nº 03/2014 (Licitação BB nº ) 294/ Objeto: Aquisição de saco de lixo de 50 litros e 100 litros para acondicionar resíduos domésticos Classe I. TERRÃO COMÉRCIO E REPRESENTAÇÕES LTDA CNPJ: / R$ 4.090,00 HOMOLOGADO 81/2014 Pregão Eletrônico Nº 05/2014 (Licitação BB nº ) 331/ LOTE Nº 1 (ITEM Nº 1.1) - Objeto: Manuseio da Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia e do Boletim da APAMVET. Quantidade: 5 (cinco) edições de exemplares cada. LOTE Nº 1 (ITEM Nº 1.2) - Objeto: Manuseio do Informativo do CRMV-SP. Quantidade: 4 (quatro) edições de exemplares cada. MB SERVIÇOS DE MALA DIRETA LTDA CNPJ: / R$ ,00 HOMOLOGADO R$ ,00 HOMOLOGADO 332/ LOTE Nº 2 (ITEM Nº 2.1) - Objeto: Diagramação da Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia. Quantidade: 5 (cinco) edições. LOTE Nº 2 (ITEM Nº 2.2) - Objeto: Diagramação do Boletim da APAMVET. Quantidade: 5 (cinco) edições. TL PUBLICIDADE E ASSESSORIA LTDA CNPJ: / R$ ,00 HOMOLOGADO R$ 5.500,00 HOMOLOGADO LOTE Nº 2 (ITEM Nº 2.2) - Objeto: Diagramação do Informativo do CRMV-SP. Quantidade: 4 (quatro) edições. R$ 5.000,00 HOMOLOGADO LOTE Nº 3 - Objeto: Impressão e acabamento do gráfico do Gibi Joca Maloca. Quantidade: 2 (duas) edições de exemplares cada. CANCELADO CANCELADO CANCELADO 41

42 80/2014 Pregão Eletrônico Nº 06/2014 (Licitação BB nº ) 196/ Objeto: contratação de empresa especializada no fornecimento, gerenciamento e administração de cartões magnéticos/eletrônicos e/ou cartões com chip de segurança, para uso dos funcionários/estagiários do CRMV-SP na aquisição de refeições em estabelecimentos credenciados. SODEXO PASS DO BRASIL SERVIÇOS E COMÉRCIO S/A CNPJ: / Valor Anual R$ ,00 Taxa de desconto de 2,51% (dois vírgula cinquenta e um por cento) HOMOLOGADO 360/ LOTE Nº 1 Objeto: Diagramação e revisão ortográfica do Manual de Responsabilidade Técnica. HV PONTES AD INTRA EMPRESARIAL ME CNPJ: / R$ 5.300,00 HOMOLOGADO 84/2014 Pregão Eletrônico Nº 07/2014 (Licitação BB nº ) 359/ LOTE Nº 2 (ITEM Nº 2.1) Objeto: Impressão de 5 (cinco) edições da revista de educação continuada em Medicina Veterinária do CRMV-SP. Tiragem por edição: exemplares. LOTE Nº 2 (ITEM Nº 2.2) Objeto: Impressão de 5 (cinco) edições do Boletim da APAMVET. Tiragem por edição: exemplares. RETTEC ARTES GRÁFICAS E EDITORA LTDA CNPJ: / R$ ,00 HOMOLOGADO R$ ,00 HOMOLOGADO 359/ LOTE Nº 3 - Objeto: Impressão de 4 (quatro) edições do Informativo do APAMVET. Tiragem por edição: exemplares. RETTEC ARTES GRÁFICAS E EDITORA LTDA CNPJ: / R$ ,00 HOMOLOGADO 364/ LOTE Nº 4 - Objeto: Impressão de 2 (duas) edições do Gibi Joca Maloca. Tiragem por edição: exemplares. MAGNUS COMUNICAÇÃO EIRELI EPP CNPJ: / R$ ,00 HOMOLOGADO 359/ LOTE Nº 5 - Objeto: Impressão de exemplares do Manual de Anotação de Responsabilidade Técnica. RETTEC ARTES GRÁFICAS E EDITORA LTDA CNPJ: /0001- R$ ,00 HOMOLOGADO 42

43 LOTE Nº 6 - Objeto: Impressão e acabamento gráfico de envelopes saco branco. FRACASSADA FRACASSADA FRACASSADA 348/ LOTE Nº 7 (ITEM Nº 7.1) Objeto: Impressão e acabamento gráfico de autos de infração. LOTE Nº 7 (ITEM Nº 7.2) Objeto: Impressão e acabamento gráfico de termos de fiscalização. SCRIBO FORMULÁRIOS LTDA CNPJ: / R$ 1.715,00 HOMOLOGADO R$ 1.260,00 HOMOLOGADO 361/ LOTE Nº 8 - Objeto: Impressão de Certificados de Regularidade de Pessoa Jurídica. TRESS IMPRESSOS DE SEGURANÇA LTDA CNPJ: / R$ ,00 HOMOLOGADO 362/ LOTE Nº 9 - Objeto: Impressão e acabamento gráfico de envelopes plásticos em PEBD. VISÃO E ARTE INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE EMBALAGENS LT CNPJ: / R$ ,49 HOMOLOGADO 363/ LOTE Nº 10 (ITEM Nº 10.1) Objeto: Impressão e acabamento gráfico de pastas dígito terminal em Cartão Kraft 300g/m 2. LOTE Nº 10 (ITEM Nº 10.2) Objeto: Impressão e acabamento gráfico de etiquetas adesivas para pasta dígito terminal. INTERLABEL ETIQUETAS E RÓTULOS ADESIVOS EIRELLI EPP CNPJ: / R$ 5.500,00 HOMOLOGADO R$ 2.160,00 HOMOLOGADO 86/2014 Pregão Eletrônico Nº 08/2014 (Licitação 373/ Objeto: Prestação de serviços continuados de recepcionista para o edifício-sede do CRMV- SP. AC SERVIÇOS CORPORATIVOS LT CNPJ: /0001- R$ 2.225,00 (MENSAL) e R$ ,00 HOMOLOGADO 43

44 BB nº ) 42 (ANUAL) 87/2014 Pregão Eletrônico Nº 09/2014 (Licitação BB nº ) 374/ Objeto: Prestação de serviços continuados de limpeza e conservação, com o fornecimento de equipamentos para o edifício-sede do CRMV-SP. ALPES PAISAGISMO LT ME CNPJ: / R$ 7.081,67 (MENSAL) e R$ ,00 (ANUAL) HOMOLOGADO 95/2014 Pregão Eletrônico Nº 10/2014 (Licitação BB nº ) 195/ Objeto: Prestação de serviços continuados de segurança desarmada para o edifício-sede do CRMV-SP. ATENTO SÃO PAULO SERV. DE SEGURANÇA PATRIMONIAL EIRELI CNPJ: / R$ ,70 (MENSAL) e R$ ,40 (ANUAL) HOMOLOGADO 92/2014 Pregão Eletrônico Nº 12/2014 (Licitação BB nº ) Objeto: Prestação de serviços de assessoria contábil, financeira e contabilidade pública ao CRMV-SP. REVOGADA REVOGADA REVOGADA ITEM Nº 1 - Objeto: Impressão e acabamento gráfico de envelopes (250x353mm). R$ 2.100,00 HOMOLOGADO 99/2014 Pregão Eletrônico Nº 13/2014 (Licitação BB nº ) 409/ ITEM Nº 2 - Objeto: Impressão e acabamento gráfico de envelopes (162x229mm). ITEM Nº 3 - Objeto: Impressão e acabamento gráfico de envelopes (114x229mm). ITEM Nº 4 - Objeto: Impressão e acabamento gráfico de 80 blocos de relatório de fiscalização. R$ 1.300,00 HOMOLOGADO SP GRÁFICA INDÚSTRIA GRÁFICA R$ 700,00 HOMOLOGADO E EDITORA LTDA ME CNPJ: / R$ 318,40 HOMOLOGADO 44

45 105/2014 Pregão Eletrônico Nº 14/2014 (Licitação BB nº ) 425/ Objeto: Aquisição de 30 caixas de etiquetas em formulário contínuo. FONTE VIVA DISTRIBUIDORA LTDA EPP CNPJ: / R$ 3.570,00 HOMOLOGADO 108/2014 Pregão Eletrônico Nº 17/2014 (Licitação BB nº ) 228/ Objeto: Aquisição de 6 (seis) projetores multimídia. KTEC DO BRASIL DISTRIBUIDORA DE PROD. EM INFORMÁTICA LT ME CNPJ: / R$ 9.979,80 HOMOLOGADO Quadro 21. Pregões eletrônicos Atas de registro de preços PREGÃO ELETRÔNICO ATA DE REGISTRO DE PREÇO DE 2014 PROC. ADM. Nº MODALI- DADE PROC. FINANCEIRO Nº DESPESA OBJETO EMPRESA FORNECEDORA QUANT. ADQUIRIDA EM 2014 PREÇO UNITÁRIO REGIS- TRADO VALOR TOTAL 305/2014 LOTE Nº 1 - TONER para impressora monocromática laser multifuncional Samsung SCX Código: (MLT-D101S). Quantidade registrada: 120 DV COMÉRCIO E REPRESENTAÇÃO COMERCIAL LTDA EPP CNPJ: / unidades R$ 155,75 R$ ,00 74/2014 Pregão Eletrônico nº 04/ LOTE Nº 2 (ITEM Nº 2.1) - TONER p/ impressora multifuncional laser colorida BROTHER MFC-9320CW (TN210BK). Quantidade registrada: unidades R$ 161,83 R$ 1.941,96 45

46 (Licitação BB nº ) 305/2014 LOTE Nº 2 (ITEM Nº 2.2) - TONER p/ impressora multifuncional laser colorida BROTHER MFC-9320CW (TN210C). Quantidade registrada: 12 DV COMÉRCIO E REPRESENTAÇÃO COMERCIAL LTDA EPP CNPJ: / unidades R$ 156,61 R$ 1.879,32 LOTE Nº 2 (ITEM Nº 2.3) - TONER p/ impressora multifuncional laser colorida BROTHER MFC-9320CW (TN210Y). Quantidade registrada: unidades R$ 156,61 R$ 1.879,32 LOTE Nº 2 (ITEM Nº 2.4) - TONER p/ impressora multifuncional laser colorida BROTHER MFC-9320CW (TN210M). Quantidade registrada: unidades R$ 156,61 R$ 1.879,32 307/2014 LOTE Nº 3 (ITEM Nº 3.1) - TONER para impressora colorida HP LaserJet 1515N (CB540A). Quantidade registrada: 12 LOTE Nº 3 (ITEM Nº 3.2) - TONER para impressora colorida HP LaserJet 1515N (CB541A). Quantidade registrada: 12 LEMARINK CARTUCHOS EIRELLI EPP CNPJ: / unidades R$ 50,72 R$ 202,88 4 unidades R$ 50,72 R$ 202,88 LOTE Nº 3 (ITEM Nº 3.3) - TONER para impressora colorida HP LaserJet 1515N (CB542A). 4 unidades R$ 50,72 R$ 202,88 46

47 Quantidade registrada: 12 LOTE Nº 3 (ITEM Nº 3.4) - TONER para impressora colorida HP LaserJet 1515N (CB543A). Quantidade registrada: 12 4 unidades R$ 50,72 R$ 202,88 306/2014 LOTE Nº 4 - TONER para impressora monocromática HP LaserJet P1005 (35A). Quantidade registrada: 15 FERNANDO ANTONACCI ME CNPJ: / unidades R$ 30,00 R$ 450,00 306/2014 LOTE Nº 5 - TONER para impressora monocromática HP LaserJet 2055DN (CE505X). Quantidade registrada: 30 FERNANDO ANTONACCI ME CNPJ: / unidades R$ 37,99 R$ 873,77 307/2014 LOTE Nº 6 (ITEM Nº 6.1) - CARTUCHO DE TINTA preto, para impressora Multifuncional HP F4280/4480/Photosmart D110 (CC641WB). Quantidade registrada: 100 LOTE Nº 6 (ITEM Nº 6.2) - CARTUCHO DE TINTA preto, para impressora Multifuncional HP F4280/4480/Photosmart D110 (CC644WB). Quantidade registrada: 70 LEMARINK CARTUCHOS EIRELLI EPP CNPJ: / unidades R$ 25,29 R$ 2.529,00 60 unidades R$ 42,00 R$ 2.520,00 306/2014 LOTE Nº 7 (ITEM Nº 7.1) - CARTUCHO DE TINTA preto, para impressora HP 3535/3550/3650/PSC1315 (27). Quantidade registrada: 18 FERNANDO ANTONACCI ME 13 unidades R$ 25,00 R$ 325,00 47

48 306/ / /2014 LOTE Nº 7 (ITEM Nº 7.2) - CARTUCHO DE TINTA colorida, para impressora HP 3535/3550/3650/PSC1315 (28). Quantidade registrada: 18 LOTE Nº 8 (ITEM Nº 8.1) - CARTUCHO DE TINTA preto, para impressora HP 3920/3940 (21). Quantidade registrada: 12 LOTE Nº 8 (ITEM Nº 8.2) - CARTUCHO DE TINTA preto, para impressora HP 3920/3940 (22). Quantidade registrada: 12 LOTE Nº 9 (ITEM Nº 9.1) - CARTUCHO DE TINTA preto, para impressora HP 3050 (122XL). Quantidade registrada: 12 LOTE Nº 9 (ITEM Nº 9.2) - CARTUCHO DE TINTA preto, para impressora HP 3050 (122XL). Quantidade registrada: 12 LOTE Nº 10 CILINDRO para impressora multifuncional laser Brother MFC-9320CW. Quantidade registrada: 1 unidade. CNPJ: / FERNANDO ANTONACCI ME CNPJ: / FERNANDO ANTONACCI ME CNPJ: / EXTRAINK SUP. DE ESCRITÓRIO E INFORMÁTICA EIRELI EPP CNPJ: / unidades R$ 30,27 R$ 393,51 12 unidades R$ 26,20 R$ 314,40 12 unidades R$ 31,71 R$ 380,52 4 unidades R$ 33,00 R$ 132,00 4 unidades R$ 33,25 R$ 133,00 1 unidade R$ 414,75 R$ 414,75 48

49 LOTE Nº 11 CILINDRO para fax BROTHER INTELLIFAX 2800 (DR250). Quantidade registrada: 1 unidade. LOTE Nº 12 RESERVATÓRIO DE TONER para impressora multifuncional laser colorida BROTHER MFC- 9320CW (WT200CL). Quantidade registrada: 1 unidade. LOTE Nº 13 FITA NYLON preto para impressora matricial Epson FX-890. Quantidade registrada: 2 FRACASSADA FRACASSADA FRACASSADA PROC. ADM. Nº MODALI- DADE PROCESSO FINANCEIRO Nº DESPESA OBJETO EMPRESA FORNECEDORA QUANT. ADQUIRIDA EM 2014 PREÇO UNITÁRIO REGIS- TRADO VALOR TOTAL 419/2014 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 1 Água sanitária. Quantidade registrada: 384 Brito Comércio de Produtos de Limpeza EIRELI EPP CNPJ: / unidades R$ 2,00 R$ 160,00 97/2014 Pregão Eletrônico Nº 11/2014 (Licitação 417/ / Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 2 Álcool líquido. Quantidade registrada: 384 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 3 Detergente líquido. Quantidade registrada: 120 J Brilhante Comercial Ltda EPP CNPJ: / Brito Comércio de Produtos de Limpeza EIRELI EPP CNPJ: / unidades R$ 3,39 R$ 81,36 20 unidades R$ 1,38 R$ 27,60 49

50 BB nº ) 419/ Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 4 Limpa vidros. Quantidade registrada: 384 Brito Comércio de Produtos de Limpeza EIRELI EPP CNPJ: / unidades R$ 1,48 R$ 100,64 419/2014 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 5 Limpador multiuso. Quantidade registrada: 384 Brito Comércio de Produtos de Limpeza EIRELI EPP CNPJ: / unidades R$ 1,69 R$ 20,28 419/2014 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 6 Sabão em barra. Quantidade registrada: 40 pacotes de 5 unidades cada. Brito Comércio de Produtos de Limpeza EIRELI EPP CNPJ: / pacote R$ 4,50 R$ 4,50 419/2014 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 7 Sapólio líquido. Quantidade registrada: 384 Brito Comércio de Produtos de Limpeza EIRELI EPP CNPJ: / unidades R$ 2,02 R$ 30,30 254/2014 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 8 Sabão em pó. Quantidade registrada: 6 pacotes. Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / pacotes R$ 7,83 R$ 46,98 419/2014 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 9 Lustra móveis. Quantidade registrada: 384 Brito Comércio de Produtos de Limpeza EIRELI EPP CNPJ: / unidades R$ 2,00 R$ 60,00 254/2014 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 10 Odorizador de ambientes. Quantidade registrada: 225 Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / unidades R$ 6,75 R$ 540,00 50

51 418/2014 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 11 Sabonete líquido de 800ml. Quantidade registrada: 384 Athika Com. de Móveis EIRELI EPP CNPJ: / unidades R$ 4,05 R$ 324,00 254/2014 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 12.1 Luva de segurança (M). Quantidade registrada: 96 pares. Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / pares R$ 6,99 R$ 209,70 254/2014 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 12.2 Luva de segurança (G). Quantidade registrada: 6 pares. Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / NÃO HOUVE AQUISIÇÃO R$ 6, /2014 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 13 Esponja dupla face. Quantidade registrada: 120 Brito Comércio de Produtos de Limpeza EIRELI EPP CNPJ: / unidades R$ 0,46 R$ 9,20 254/2014 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 14 Papel toalha interfolhado. Quantidade registrada: 180 caixa com folhas cada. Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / caixas R$ 94,00 R$ ,00 PROC. ADM. Nº MODALID ADE PROC. FINANCEIRO Nº DESPESA OBJETO EMPRESA FORNCEDORA QUANT. ADQUIRIDA EM 2014 PREÇO UNITÁRIO REGIS- TRADO VALOR TOTAL ITEM Nº 1.1 ENVELOPE tipo saco, kraft ouro, gramatura 80 NÃO HOUVE R$ 0,

52 g/m 2, formato: 250x353mm, impressão 1x0 cor. Quantidade registrada: AQUISIÇÃO ITEM Nº 1.2 ENVELOPE tipo saco, kraft ouro, gramatura 80 g/m 2, formato: 162x229mm, impressão 1x0 cor.. Quantidade registrada: NÃO HOUVE AQUISIÇÃO R$ 0, ITEM Nº 1.3 ENVELOPE tipo saco, kraft natural, gramatura 80 g/m 2, formato: 110x170mm, SEM IMPRESSÃO. Quantidade registrada: NÃO HOUVE AQUISIÇÃO R$ 0, /2014 Pregão Eletrônico nº 16/2014 (Licitação BB nº ) ITEM Nº 1.4 CÉDULA ELEITORAL (1º TURNO) - Tamanho: 210 x 297mm, papel offset, 75 g/m 2, impressão 1x0 cor. Quantidade registrada: ITEM Nº 1.5 CÉDULA ELEITORAL (2º TURNO) - Tamanho: 210 x 297mm, papel super bond (amarelo canário), 75 g/m 2, impressão 1x0 cor. SP GRAF. Indústria Gráfica e Editora Ltda Me CNPJ: / NÃO HOUVE AQUISIÇÃO R$ 0, NÃO HOUVE AQUISIÇÃO R$ 0, Quantidade registrada: ITEM Nº 1.6 OFÍCIO (1º e 2º TURNO) - Tamanho: 210 x 297mm (A4), papel offset, 75 g/m 2, impressão 1x0 cor. Quantidade registrada: NÃO HOUVE AQUISIÇÃO R$ 0,

53 - - - ITEM Nº 1.7 OFÍCIO CIRCULAR (1º e 2º TURNO): Tamanho: 210 x 297mm (A4), papel offset, 75 g/m 2, impressão 1x1 cor. NÃO HOUVE AQUISIÇÃO R$ 0, Quantidade registrada: ITEM Nº 2.1 CARTAS AUTO-ENVELOPADAS: Tamanho: 210 x 297mm (A4), papel offset, 75 g/m 2, impressão 1x1 cor, acabamento: autoenvelopado (dobrado, serrilhado e colado). Quantidade registrada: SP GRAF. Indústria Gráfica e Editora Ltda Me CNPJ: / NÃO HOUVE AQUISIÇÃO R$ 0, ITEM Nº 2.2 CARTAS AUTO-ENVELOPADAS: Tamanho: 297 x 420mm (A3), papel offset, 75 g/m2, impressão 1x1 cor, acabamento: autoenvelopado (dobrado, serrilhado e colado). NÃO HOUVE AQUISIÇÃO R$ 0, Quantidade registrada:

54 Quadro 22. Pregões eletrônicos Atas de registro de preços PROC. ADM. Nº MODALI- DADE PROC. FINANCEI RO Nº DESPESA OBJETO EMPRESA FORNECEDORA QUANT. ADQUIRIDA EM 2014 PREÇO UNITÁRIO REGISTRA DO POR MILHEIRO VALOR TOTAL 106/2014 Pregão Eletrônico nº 18/2014 (Licitação BB nº ) ITEM Nº 1 Manuseio e expedição do material eleitoral (Kit) do CRMV-SP. Quantidade registrada: 70 milheiros. ITEM Nº 2 Manuseio e expedição de correspondências do CRMV-SP. Quantidade registrada: 100 milheiros. MT LOG Brasil Transportes Rápidos Lt. CNPJ: / AGILSET Impressão e Manuseio EIRELLI-EPP CNPJ: / NÃO HOUVE AQUISIÇÃO NÃO HOUVE AQUISIÇÃO R$ 392, R$ 126, Quadro 23. Tomadas de preços TOMADA DE PREÇOS PROC. ADM. Nº MODALI- DADE PROC. FINANCEI RO Nº DESPESA OBJETO EMPRESA VENCEDORA VALOR ADJUDICA DO SITUAÇÃO 78/2014 Tomada nº 01/ Objeto: Contratação de empresa especializada para elaboração de Estudo Preliminar, Anteprojetos, Projetos Básicos, Projetos Executivos, Assessoramento e Acompanhamento da execução das obras de reforma do imóvel do Conselho Regional de Medicina Veterinária de São Paulo, situado na Rua Apeninos, 1.088, Paraíso - São Paulo SP. ANULADA ANULADA ANULADA 54

55 78/2014 Tomada nº 02/ / Objeto: Contratação de empresa especializada para elaboração de Estudo Preliminar, Anteprojetos, Projetos Básicos, Projetos Executivos, Assessoramento e Acompanhamento da execução das obras de reforma do imóvel do Conselho Regional de Medicina Veterinária de São Paulo, situado na Rua Apeninos, 1.088, Paraíso - São Paulo SP. S & A DESIGN E PROJETOS LT EPP CNPJ: / R$ ,00 HOMOLOGADA Quadro 24. Concorrência CONCORRÊNCIA PROC. ADM. Nº MODALI- DADE PROC. FINANCEIRO Nº DESPESA OBJETO EMPRESA VENCEDORA VALOR ADJUDICADO SITUAÇÃO 68/2014 Concorrência Nº 01/ Objeto: ALIENAÇÃO (VENDA) DE BENS IMÓVEIS: 1) CASA com área total construída de 200m 2, com terreno de área total de 397,95m 2, localizada na cidade de São Paulo, sito à Rua São Samuel, Vila Mariana; 2) SALA COMERCIAL com área útil de 239,60m ,52m 2 de área comum, localizada na cidade de Sorocaba, sito à Rua Sete de Setembro, Sala nº º Andar - Centro. DESERTA DESERTA DESERTA 68/2014 Concorrência Nº 02/ Objeto: ALIENAÇÃO (VENDA) DE BENS IMÓVEIS: 1) CASA com área total construída de 200m 2, com terreno de área total de 397,95m 2, localizada na cidade de São Paulo, sito à Rua São Samuel, Vila Mariana; 2) SALA COMERCIAL com área útil de 239,60m 2 DESERTA DESERTA DESERTA 55

56 + 82,52m 2 de área comum, localizada na cidade de Sorocaba, sito à Rua Sete de Setembro, Sala nº º Andar - Centro. 68/2014 Concorrência Nº 03/ Objeto: ALIENAÇÃO (VENDA) DE BENS IMÓVEIS: 1) SALA COMERCIAL com área útil de 239,60m ,52m 2 de área comum, localizada na cidade de Sorocaba, sito à Rua Sete de Setembro, Sala nº º Andar - Centro. DESERTA DESERTA DESERTA 68/2014 Concorrência Nº 04/ Objeto: ALIENAÇÃO (VENDA) DE BENS IMÓVEIS: CASA com área total construída de 200m 2, com terreno de área total de 397,95m 2, localizada na cidade de São Paulo, sito à Rua São Samuel, Vila Mariana. DESERTA DESERTA DESERTA Quadro 25. Atas com vigência em 2014 PREGÃO ELETRÔNICO ATA DE REGISTRO DE PREÇO DE 2013 COM VIGÊNCIA EM 2014 PROC. ADM. Nº MODALI- DADE PROC. FINANCEIRO Nº DESPESA OBJETO EMPRESA FORNECEDORA QUANT. ADQUIRI- DA EM 2014 PREÇO UNITÁRI O REGIS- TRADO VALOR TOTAL 276/2013 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 1 Água sanitária. Quantidade registrada: 120 Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / unidades R$ 2,27 R$ 54,48 276/2013 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 2 Álcool líquido. Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP 144 R$ 7,15 R$ 1.029,60 56

57 Quantidade registrada: 240 CNPJ: / unidades 276/2013 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 3 Detergente líquido. Quantidade registrada: 120 Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / unidades R$ 1,65 R$ 39,60 276/2013 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 4 Limpa vidros. Quantidade registrada: 120 Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / unidades R$ 3,89 R$ 93,36 276/2013 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 5 Limpador multiuso. Quantidade registrada: 360 Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / unidades R$ 3,00 R$ 648,00 276/2013 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 6 Sabão em barra. Quantidade registrada: 48 pacotes de 5 unidades cada. Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / pacotes R$ 7,44 R$ 208,32 276/2013 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 7 Sapólio líquido. Quantidade registrada: 30 Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / unidades R$ 4,00 R$ 20,00 276/2013 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 8 Sabão em pó. Quantidade registrada: 15 Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / NÃO HOUVE AQUISIÇÃ O R$ 7, /2013 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 9 Lustra móveis. Quantidade registrada: 10 Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / NÃO HOUVE AQUISIÇÃO R$ 6,

58 276/2013 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 10 Odorizador de ambientes. Quantidade registrada: 48 Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / NÃO HOUVE AQUISIÇÃ O R$ 6, /2013 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 11 Sabonete líquido de 800ml. Quantidade registrada: 144 Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / NÃO HOUVE AQUISIÇÃ O R$ 9, /2013 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 12 Saco pástico para lixo (30L). Quantidade registrada: 15 pacotes de 100 unidades cada. Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / NÃO HOUVE AQUISIÇÃ O R$ 49, /2013 Pregão Presencial Nº 01/2013 (Sistema de Registro de Preços) 276/ / Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 13 Saco pástico para lixo (50L). Quantidade registrada: 20 pacotes de 100 unidades cada. Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 14 Saco pástico para lixo (100L). Quantidade registrada: 15 pacotes de 100 unidades cada. Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / NÃO HOUVE AQUISIÇÃ O NÃO HOUVE AQUISIÇÃ O R$ 71, R$ 103, /2013 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 15.1 Luva de segurança (M). Quantidade registrada: 180 pares. Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / pares R$ 6,18 R$ 494,40 58

59 276/2013 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 15.2 Luva de segurança (G). Quantidade registrada: 120 pares. Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / pares R$ 6,18 R$ 618,00 276/2013 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 16 Rodo. Quantidade registrada: 30 Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / unidades R$ 7,29 R$ 145, Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 17 Vassoura, tipo pêlo. Fracassado Fracassado Fracassado Fracassado 276/2013 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 18 Vassoura, tipo piaçava. Quantidade registrada: 21 Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / unidades R$ 7,22 R$ 79,42 276/2013 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 19 Escova p/ vaso sanitário. Quantidade registrada: 50 Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / unidades R$ 4,79 R$ 191,60 276/2013 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 20 Esponja dupla face. Quantidade registrada: 300 Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / unidades R$ 1,82 R$ 182,00 276/2013 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 21 Pano para limpeza de chão. Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / unidades R$ 7,89 R$ 1.025,70 59

60 276/ / / Quantidade registrada: 180 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 22 Flanela de algodão. Quantidade registrada: 30 Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 23 Esponja de aço. Quantidade registrada: 5 pacotes com 60 gramas cada. Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 23 Papel toalha interfolhado. Quantidade registrada: 250 caixa com folhas cada. Aquisição de material de higiene e limpeza. ITEM nº 24 Papel higiênico folha dupla. Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / Trela C. M. Limpeza e Higiene Lt EPP CNPJ: / unidades R$ 6,49 R$ 97,35 3 pacotes R$ 2,00 R$ 6,00 50 caixas R$ 95,00 R$ 4.750,00 Fracassado Fracassado Fracassado Fracassado 60

61 Quadro 26. Aditamentos 2014 ADITAMENTO EM 2014 PROC. ADM. Nº MODALIDA DE PROC. FINANCEIRO Nº DESPESA OBJETO EMPRESA VENCEDORA VALOR ADJUDICADO 84/2014 Pregão Eletrônico Nº 07/2014 (Licitação BB nº ) 359/ LOTE nº 2 (ITEM Nº 2.1) Objeto: A quantidade de tiragem da revista sofre um acréscimo apenas no Volume 12 - Nº 2/2014, passando de exemplares para exemplares. 1º TERMO ADITIVO LOTE nº 5 Objeto: Aditamento da cláusula primeira. O Manual de Responsabilidade Técnica sofre acréscimo na quantidade de páginas do miolo, passando de 348 para 408 páginas. 2º TERMO ADITIVO Rettec Artes Gráficas e Editora Ltda CNPJ: / Rettec Artes Gráficas e Editora Ltda CNPJ: / R$ 3.640,00 R$ 3.350,00 61

62 3 ESTRUTURA E GOVERNANÇA E AUTOCONTROLE DA GESTÃO Estrutura de governança da entidade, tais como unidade de auditoria interna, comitê de auditoria, conselhos, comitês de avaliações, comitê de controles internos e compliance, Ouvidoria etc. descrevendo de maneira sucinta a base normativa, as atribuições e a forma de atuação de cada instância. A estrutura de governança da entidade segue as legislações vigentes, em especial a Lei nº 5.517/68 e a Resolução CFMV nº 591/92, bem como as orientações da Comissão de Tomada de Contas. O Controle Interno ainda está em fase de implantação e estruturação Relação dos principais dirigentes e membros de conselhos, indicando o período de gestão, a função, o segmento, o órgão ou a entidade que representa. Presidente: Francisco Cavalcanti de Almeida - SP-1012; Vice-Presidente: Mario Eduardo Pulga- SP-2715; Secretário-Geral: Silvio Arruda Vasconcellos- SP-1199; Tesoureiro: Eliana Kobayashi- SP Conselheiros Efetivos: Carlos Maurício Leal - SP-1724; Otávio Diniz - SP-3612; Márcio Rangel de Mello - SP-3805; Antônio Guilherme Machado de Castro - SP-3257; José Rafael Modolo - SP-2180; Cláudio Régis Depes - SP Conselheiros Suplentes Mitika Kuribayashi Hagiwara - SP-0521; José Antônio Visintin - SP-2053; Yves Miceli de Carvalho - SP-7887; Abrahão Buchatsky - SP-1634; Alexandre Jacques Louis Develey - SP-0203; Fábio Fernando Ribeiro Manhoso - SP Remuneração paga aos administradores, membros da diretoria e de conselhos: Conforme o artigo 15 da Lei Federal nº 5.517/68, os componentes dos Conselhos Federal e Regionais de Medicina Veterinária exercerão o seu mandato a titulo honorifico, fazendo jus a diária quando o deslocamento para os locais das convocações for superior a 50 km de distância do domicilio, nos termos da Resolução CRMV-SP nº 1632/2007, e Jeton nas participações de Sessões Deliberativas, conforme a Resolução CRMV-SP 1562/2006 e Portaria 42/2006. Os membros da Diretoria Executiva e Conselheiros Efetivos e Suplentes fazem jus a uma indenização pelos gastos decorrentes de veículo próprio, para atender a demanda inerente o exercício da função pública, quando não fizerem jus ao recebimento de diárias, nos termos da Portaria 23/

63 3.4 - Demonstração da atuação da unidade de auditoria interna, incluindo informações sobre a qualidade e suficiência dos controles internos da entidade. A auditoria interna atualmente é realizada pela Comissão de Tomada de Contas, pois a reestruturação para que exista um Departamento especifico de Auditoria Interna está em andamento Informações sobre a estrutura e as atividades do sistema de correição e de tratamento dos ilícitos administrativos cometidos por colaboradores da entidade, identificando, inclusive, a base normativa que rege a atividade. A correição de ilícitos administrativos de colaboradores da entidade é regida pela Consolidação das Leis do Trabalho CLT PROGRAMAÇÃO E EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA Demonstração e análise do desempenho da receita na execução orçamentária e financeira: A programação orçamentária e financeira para o exercício financeiro de 2014 foi de R$ ,00 (vinte e dois milhões e cem mil reais), tendo sido autorizada pelo CRMV-SP com a seguinte discriminação: Quadro 27. Programação orçamentária e financeira das receitas RECEITAS VALOR (R$) % RECEITAS CORRENTES ,00 100% Receita tributária ,00 4,29% Receitas de contribuições ,00 82,11% Receita patrimonial 1.000,00 0,01% Receitas de serviços ,00 0,14% Receitas financeiras ,00 7,44% Outras receitas correntes ,00 6,01% RECEITAS DE CAPITAL ,00 100% Alienação de Bens Móveis e Imóveis ,00 40,59% Saldos de Exercícios ,00 59,41% RECEITAS PREVISTAS ,00 Fonte: Setor de Contabilidade do CRMV-SP; Siscont.Net (Implanta) 63

64 DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA DAS RECEITAS A execução orçamentária e financeira do exercício financeiro de 2014 foi de R$ ,49 (quinze milhões, cento cinqüenta e um mil, oitenta e três reais e quarenta e nove centavos), tendo sido arrecadada durante o período com a seguinte discriminação: Quadro 28. Execução orçamentária e financeira das receitas RECEITAS VALOR (R$) % RECEITAS CORRENTES ,49 100% Receita tributária ,30 4,91% Receitas de contribuições ,75 81,56% Receita patrimonial 7.940,65 0,05% Receitas de serviços 9.861,19 0,07% Receitas financeiras ,37 8,25% Transferências correntes ,48 0,21% Outras receitas correntes ,75 4,95% RECEITAS DE CAPITAL ,00 100% Alienação de Bens Móveis e Imóveis ,00 100% RECEITAS ARRECADADAS ,49 Fonte: Setor de Contabilidade do CRMV-SP; Siscont.Net (Implanta) Quadro 29. Comparativo da receita prevista com a arrecadada RECEITA VALOR (R$) % 1 Receita Orçada ,00 100,00% 2 Receita Realizada ,49 68,56 % Receita Arrecadada a Menor (1-2) ,51 31,44% Fonte: Setor de Contabilidade do CRMV-SP; Siscont.Net (Implanta) Conforme demonstrado acima, a Receita Arrecadada durante o exercício financeiro de 2014 atingiu 68,56% do valor orçado no período. Isso demonstra uma Arrecadação a Menor no valor de R$ ,51 que em termos percentuais equivale a 31,44% da receita orçada para o exercício financeiro de Os resultados se devem pela não realização da Receita de Capital referente a venda do imóvel situado a Rua São Samuel, 193, Vila Mariana, CEP , São Paulo, SP. Além disso, procedimentos mais rígidos tanto no planejamento do orçamento quanto nos procedimentos internos de cobranças aliam-se a isso a Resolução n de publicada pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária que prevê redução e/ou isenção de juros e multas de inadimplentes. Os princípios orçamentários são premissas a serem observadas na concepção da proposta orçamentária. A programação e execução orçamentária no ano de 2014 do CRMV-SP obedecem com rigor à legislação e aos princípios atinentes a área contábil. 64

65 ORÇAMENTO COMPARADO DAS RECEITAS O Orçamento para o exercício de 2014 foi de R$ ,00 (vinte e dois milhões e cem mil reais), tendo sido aprovado pelo CRMV-SP e o Orçamento para o exercício de 2013 foi de R$ ,00 (dezessete milhões de reais), tendo sido aprovado pelo CRMV-SP Quadro 30. Comparação entre os dois últimos exercícios RECEITA ORÇADA Ano 2013 (R$) Ano 2014 (R$) % 1 Receitas Corrente , ,00 0,29% 2 Receitas de Capital 0, ,00 - TOTAL DO ORÇAMENTO , ,00 30% Fonte: Setor de Contabilidade do CRMV-SP; Siscont.Net (Implanta) No comparativo entre 2013 e 2014 sobre o total orçado de receitas correntes e receitas de capital detectou-se através da análise horizontal uma variação no valor de R$ ,00 para Receitas Correntes e R$ ,00 nas Receitas de Capital; esta variação foi obtida com objetivo da Venda do Imóvel em São Paulo que equivale em termos percentuais de 30% a maior (evolução) EXECUÇÃO DO ORÇAMENTO COMPARADO DAS RECEITAS A arrecadação das receitas para o exercício de 2014 foi de R$ ,49 (quinze milhões, cento e cinqüenta e um mil, oitenta e três reais, quarenta e nove centavos). A arrecadação das receitas para o exercício de 2013 foi de R$ ,76 (quinze milhões seiscentos trinta e um mil, setecentos cinqüenta e três reais, setenta e seis centavos). Comparação entre os dois últimos exercícios: Quadro 31. Execução do orçamento dos dois últimos exercícios RECEITA ORÇADA Ano 2013 (R$) Ano 2014 (R$) % 1 Receitas Corrente , ,49 3,31% 2 Receitas de Capital 0, ,00 - TOTAL DO ORÇAMENTO , ,49 3,07% Fonte: Setor de Contabilidade do CRMV-SP; Siscont.Net (Implanta) No comparativo entre 2013 e 2014 sobre o total arrecadado de receitas correntes detectou-se através da análise horizontal uma variação no valor de R$ ,27; esta variação equivale em termos percentuais de 3,31% a menor (redução) no valor arrecadado em 2014 com relação ao valor arrecadado em Demonstração e análise do desempenho da despesa na execução orçamentária e financeira: A programação orçamentária e financeira para o exercício financeiro de 2014 foi de R$ ,00 (vinte e dois milhões e cem mil reais), tendo sido autorizada pelo CRMV-SP a seguinte discriminação: 65

66 Quadro 32. Programação orçamentária e financeira do exercício DESPESA VALOR (R$) % DESPESAS CORRENTES ,00 100% Pessoal, encargos e benefícios ,00 53,48% Uso de bens e serviços ,00 43,37% Despesas financeiras 6.000,00 0,04% Transferências correntes ,00 1,42% Tributarias contribuitivas ,00 0,34% Demais despesas correntes ,00 1,35% DESPESAS DE CAPITAL ,00 100% Investimentos, equipamentos e material permanente ,00 100% TOTAL: ,00 Fonte: Setor de Contabilidade do CRMV-SP; Siscont.Net (Implanta) DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA DAS DESPESAS A execução orçamentária e financeira do exercício financeiro de 2014 foi de R$ ,45 (dezoito milhões, três mil, quinhentos noventa e três reais, quarenta e cinco centavos), tendo sido realizada durante o período com a seguinte discriminação: Quadro 33. Execução orçamentária do exercício DESPESA VALOR (R$) % DESPESAS CORRENTES ,41 100% Pessoal, encargos e benefícios ,30 60,46% Uso de bens e serviços ,62 37,67% Despesas financeiras 433,45 0,003% Transferências correntes ,84 1,52% Tributarias contributivas 9.457,16 0,07% Demais despesas correntes ,04 0,28% DESPESAS DE CAPITAL ,04 100% Investimentos, equipamentos, material permanente ,04 100% TOTAL: ,45 Fonte: Setor de Contabilidade do CRMV-SP; Siscont.Net (Implanta) 66

67 Quadro 34. Comparativo da despesa autorizada com a realizada DESPESA VALOR (R$) % 1 Despesa Orçada ,00 100,00% 2 Despesa Realizada ,45 81,46% Despesa Realizada a Menor (1-2) ,55 18,54% Fonte: Setor de Contabilidade do CRMV-SP; Siscont.Net (Implanta) Conforme demonstrado no Quadro, a Despesa Realizada durante o exercício financeiro de 2014 atingiu 81,46% sobre o valor orçado no período. As DESPESAS CORRENTES REALIZADAS atingiram 58,69% do valor orçado no período, demonstrando uma ECONOMIA ORÇAMENTÁRIA no valor de R$ ,59. As DESPESAS DE CAPITAL uma redução de R$ ,96 correspondente a não realização da reforma no prédio da SEDE em São Paulo e não efetivação nas compras de equipamentos e material permanente. No que se refere à despesa, o CRMV-SP procurou através de um rígido controle de estoque e uma sistemática de compras com o escopo a atingir metas de desperdício zero, assim como explorar ao máximo a utilização de seus materiais de consumo. Estes fatores aliados a uma melhor negociação com seus fornecedores e, obviamente, dentro dos preceitos das Leis 8.666/93, /02 e Decreto 7.892/13, permitiram alcançar uma despesa realizada menor que a orçada ORÇAMENTO COMPARADO DAS DESPESAS O Orçamento para o exercício de 2014 foi de R$ ,00 (vinte e dois milhões e cem reais), tendo sido aprovado pelo CRMV-SP e o Orçamento para o exercício de 2013 foi de R$ ,00 (dezessete milhões de reais), tendo sido aprovado pelo CRMV-SP. Comparação entre os dois últimos exercícios: Quadro 35 Orçamento comparado das despesas dos dois últimos exercícios DESPESA ORÇADA Ano 2013 (R$) Ano 2014 (R$) % 1 Despesa Corrente , ,00 7,37% 2 Despesa de Capital , ,00 346,52% TOTAL DO ORÇAMENTO , ,00 30% Fonte: Setor de Contabilidade do CRMV-SP; Siscont.Net (Implanta) No comparativo entre 2013 e 2014 para as despesas correntes foi detectado através da análise horizontal uma variação no valor de R$ ,00; esta variação equivale em termos percentuais de 7,37% a menor (redução) no valor orçado em 2014 com relação ao valor orçado em No comparativo entre 2013 e 2014 para as despesas de capital foi detectado através da análise horizontal uma variação no valor de R$ ,00; esta variação equivale em termos percentuais de 346,52% a maior (evolução) no valor orçado em 2014 com relação ao valor orçado em 2014 em virtude da obtenção do Imóvel da Sede do CRMV-SP e a reforma prevista no prédio em

68 No comparativo entre 2013 e 2014 sobre o total orçado de despesas correntes e despesas de capital detectou-se através da análise horizontal uma variação no valor de R$ ,00; esta variação equivale em termos percentuais de 30% a maior (evolução) no valor orçado em 2014 com relação ao valor orçado em EXECUÇÃO DO ORÇAMENTO DAS DESPESAS A realização das despesas para o exercício de 2014 foi de R$ ,45 (dezoito milhões, três mil, quinhentos noventa e três reais, quarenta e cinco centavos). A realização das despesas para o exercício de 2013 foi de R$ ,57 (vinte e cinco milhões, quatrocentos e vinte mil, setecentos quarenta e cinco reais, cinqüenta e sete centavos). Quadro 36. Comparação entre as despesas dos dois últimos exercícios DESPESA REALIZADA Ano 2013 (R$) Ano 2014 (R$) % 1 Despesa Corrente , ,41 22,36% 2 Despesa de Capital , ,04 66,04% TOTAL DO ORÇAMENTO , ,45 29,18% Fonte: Setor de Contabilidade do CRMV-SP; Siscont.Net (Implanta) No comparativo entre 2013 e 2014 para as despesas correntes detectou-se através da análise horizontal uma variação no valor de R$ ,52; esta variação equivale em termos percentuais de 22,36% a maior (evolução) no valor realizado em 2014 com relação ao valor realizado em No comparativo entre 2013 e 2014 para as despesas de capital detectou-se através da análise horizontal uma variação no valor de R$ ,64; esta variação equivale em termos percentuais de 66,04% a menor (redução) no valor realizado em 2014 com relação ao valor realizado em No comparativo entre 2013 e 2014 sobre o total realizado de despesas correntes e despesas de capital detectou-se através da análise horizontal uma variação no valor de R$ ,12; esta variação equivale em termos percentuais de 29,18% a menor (redução) no valor realizado em 2014 com relação ao valor realizado em RESULTADO ORÇAMENTÁRIO DO ANO DE 2014 Conforme demonstrado abaixo, a Receita Arrecadada no ano de 2014 atingiu 84,16% da Despesa Realizada. Houve um Déficit Orçamentário de R$ ,96, o que foi motivado pela aquisição do imóvel da sede. Quadro 37. Resultado orçamentário do ano de 2014 RECEITA x DESPESA VALOR (R$) % 1 Receita Executada ,49 84,16% 2 Despesa Executada ,45 100% DÉFICIT ORÇAMENTÁRIO (1-2) ,96 15,84% Fonte: Setor de Contabilidade do CRMV-SP; Siscont.Net (Implanta) O CRMV-SP teve um desempenho financeiro e orçamentário dentro das metas programadas, pois já havia o planejamento da compra do prédio para o exercício findo. Houve preocupação em se manter rigoroso controle nas despesas com a finalidade deste investimento. 68

69 4.3 Informação sobre as transferências de recursos realizadas no ano 2014: Os requisitos e procedimentos para obtenção de apoio financeiro do CRMV-SP está regulada pela IN/STN 01/97, Lei 8.666/93, Resolução do CRMV-SP n 2000/2011, Decreto n 6170/2007 e Lei 4.320/64 com finalidade de atender a realização de atividades ou participação em eventos de interesse da Medicina Veterinária e da Zootecnia. Os convênios são concedidos somente a entidades de classe, instituições de ensino superior, entidades públicas, instituições científicas e tecnológicas, associações civis e fundações públicas ou privadas, que sejam vinculadas à Medicina Veterinária ou a Zootecnia, desde que não possuam finalidade lucrativa. A liberação dos recursos financeiros somente é efetuada mediante uma rigorosa análise da documentação solicitada do plano de trabalho conforme Art 4 da Resolução CRMV-SP e homologados em sessão plenária. Em face do parágrafo único do art. 61 da Lei 8666/93 e do art. 17 da IN/STN 01/97 é providenciado a publicação do resumo do presente instrumento firmado na Imprensa Oficial. Em 2014 foram firmados 7 (sete) convênios e cooperação técnico financeiro, dentre eles, apenas a entidade beneficiária FUMVET liberados em parcelas com a prestação de contas aplicado parcialmente para comprovar a execução das despesas. Demonstramos no gráfico a evolução entre os anos 2012 e 2014 em 115% das concessões de auxílio financeiro ocorridas no período para eventos de natureza cultural, científica, aperfeiçoamento profissional, divulgação ou educação continuada da Medicina Veterinária e Zootecnia. Gráfico 2 - Evolução Apoios Financeiros Evolução Subvenção Recursos Financeiros R$ ,00 R$ ,00 R$ ,00 R$ ,00 R$50.000,00 R$ Seguimos com um rigoroso controle interno durante toda e execução do convênio mantendo em atualização as condições de habilitação e qualificação da entidade beneficiária, principalmente no que tange à regularidade fiscal. Em 2014 não consta nenhuma inadimplência ou restituição de valores que foram utilizados em finalidade diversa da estabelecida no convênio, aplicando-se nestes casos incidência de juros. O objetivo da prestação de contas é demonstrar a correta aplicação dos recursos transferidos e para essa medida ser eficiente e transparente aos atos praticados adotamos as exigências a seguir: - Comprovação do Plano de Trabalho através de fotos, folders, jornais ou qualquer registro que comprove a execução da ação constante no Plano de Trabalho, evidenciando a utilização da logomarca do CRMV-SP; 69

70 - Relatório de cumprimento do objeto e da realização dos objetivos a que se propunha o instrumento; - Relatório de Execução Físico-Financeira e de pagamentos efetuados por ordem cronológica; - As despesas comprovadas mediante documentos originais fiscais, nominais ao beneficiário e devidamente atestados; - Comprovante de recolhimento do saldo de recursos, quando houver; - Extrato da conta bancária específica referente o recebimento do apoio financeiro; -Cópia da homologação das licitações realizadas e justificativas para sua dispensa ou inexigibilidade; - Cópia dos contratos com fornecedor de Material ou Prestação de serviços; - Cotação de três orçamentos para cada gasto que realizar (aquisição de bens ou serviços); - Comprovação de Regularidade Fiscal dos fornecedores contratados; - Parecer técnico e financeiro que será analisada e avaliada pelo setor responsável do CRMV-SP; - È vedado a realização de despesa em data anterior à vigência do convênio ou efetuar pagamento em data posterior à vigência do convênio. A não apresentação da Prestação de Contas no prazo estabelecido ou a sua não aprovação ensejará a comunicação ao Ministério Público Federal e ao Tribunal de Contas da União, além das medidas administrativas cabíveis, tais como proibição de novo apoio, inscrição no cadastro de inadimplentes do SIAFI, CADIN e cobrança judicial. Abaixo o resumo da execução orçamentária para as transferências de recursos realizadas em 2014: Quadro 38 Resumo da execução orçamentária Transferências de recursos Processo Data N Entidade Beneficiária Apoio Financeiro Devolução de recurso Saldo não utilizado Orçamentário 21/01/ /2014 Academia Paulista de Medicina Veterinária ,00 27/02/ /2014 Conselho Federal de Medicina Veterinária 1.480,00 10/03/ /2014 Academia Paulista de Medicina Veterinária 1.700,00 10/03/ /2014 Academia Paulista de Medicina Veterinária ,00 20/03/ /2014 Assoc. dos Médicos Veterinários de Jundiaí ,00 25/04/ /2014 Marilia Comunicações Ltda 3.500,00 29/05/ /2014 Fundação Medicina Veterinária ,00 (7.790,16) ,84 Total ,00 (7.790,16) ,84 Processo n 247/2014 APAMVET Academia Paulista de Medicina Veterinária Vigência: Janeiro/2014 a Outubro/2014 R$ ,00 O apoio financeiro foi destinado para o desenvolvimento de projeto cujo objetivo foi a elaboração do livro sobre a História da Medicina Veterinária no Estado de São Paulo por conta da data comemorativa de 80 anos de existência da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Usp. O livro possui 250 páginas e 150 imagens com a finalidade de estimular o relacionamento da entidade com todos os setores da sociedade, como lideranças acadêmicas, empresariais e políticas, comunidade científica, autoridades educacionais, pesquisadores da história da medicina veterinária, jornalistas especializados e formadores de opinião. A previsão de lançamento do livro será em 70

71 Setembro/2015 em homenagem ao Dia do Médico Veterinário, será disponibilizado exemplares ao CRMV-SP, além disso, haverá publicações de profissionais entrevistados da área de Medicina Veterinária e familiares dos profissionais falecidos. Processo n 274/2014 CFMV Conselho Federal Medicina Veterinária Vigência: Setembro/2013 a Setembro/2014 R$ 1.480,00 O Acordo de Cooperação Técnica teve por finalidade, mediante conjunção de esforços do CFMV e do CRMV-SP, a execução do Lançamento da Campanha Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Selvagens que foi realizada em âmbito Nacional com objetivo de alertar e conscientizar a população brasileira sobre os riscos provenientes do Tráfico de Animais Selvagens, promovendo a importância do papel dos Médicos Veterinários para a preservação do meio ambiente e da saúde pública em regime de mútua cooperação. O apoio financeiro foi destinado à impressão de folder, gibi e camiseta utilizados na campanha. Processo n 279 e 280/2014 APAMVET Academia Paulista de Medicina Veterinária Vigência: Março/2014 a Setembro/2014 R$ 1.700,00 e R$ ,00 A subvenção de recurso financeiro teve objetivo de custear as despesas referente o Boletim da APAMVET 01/2014 Volume 5 por meio de contratação de empresa especializada em serviços de impressão, manuseio e acabamento gráfico do Boletim da Apamvet com exemplares. A publicação do Boletim é Quadrimestral e dirigida aos médicos veterinários do Estado de São Paulo, cujo objetivo é o de informar sobre todas as áreas de especialização. Processo n 291/2014 AMVEJUR Associação dos Médicos Veterinários de Jundiaí e Região Vigência: Janeiro/2014 a Janeiro/2015 R$ ,00 O projeto para realização do evento I Ciclo de Estudos Continuados Amvejur teve por objetivo oferecer reciclagem e atualização técnica e científica na área de clínica médica de pequenos animais aos associados, profissionais e estudantes das regiões de Jundiaí e Campinas, nas áreas de emergências e Oncologia, fazendo cumprir os objetivos de promover o desenvolvimento da Medicina Veterinária. Foi de grande relevância a realização deste evento pela necessidade de capacitar e atualizar o Médico Veterinário nos recentes avanços da Medicina Veterinária na área de clínica médica de pequenos animais, bem como promover os objetivos das associações e entidades de classe no desenvolvimento da Medicina Veterinária e valorização do profissional Médico Veterinário, trazendo para região de atuação oportunidades únicas de reciclagem com profissionais altamente qualificados. A subvenção de recurso financeiro destinou-se as despesas de locação de espaço, honorários, hospedagem e refeição de palestrantes, recepção, folders de divulgação e certificados. 71

72 Processo n 330/2014 FUMVET Fundação Medicina Veterinária Vigência: Maio/2014 a Maio/2015 R$ ,00 Subvenção de recurso financeiro para o desenvolvimento do projeto Biblioteca Virtual de Medicina Veterinária e Zootécnica- BVS VET com objetivo de disponibilizar a todos os médicos veterinários, zootecnistas e a comunidade de um modo geral, na internet, constituindo mais uma ferramenta de difusão do conhecimento técnico e científico da Medicina Veterinária e da Zootecnia. O BVS-Vet é um portal que propicia de forma ágil, organizada e gratuita o acesso ao conhecimento técnico científico das áreas de Medicina Veterinária, Zootecnia e ciências afins. Atende as necessidades de informação de profissionais da área, pesquisadores, professores, estudantes, administradores e público em geral. A essência da biblioteca virtual é disponibilizar informações relevantes e atualizadas. O apoio financeiro foi disponibilizado à FUMVET em parcelas mensais, inclusive a prestação de contas e a devolução da verba não utilizada ao CRMV-SP conforme tabela abaixo: Quadro 39 Saldo de recursos não utilizados Créditos devolvidos Data Valor 15/jul R$2.720,00 14/ago R$ 900,00 12/set R$ 230,16 14/out R$1.520,00 13/nov R$1.520,00 15/dez R$ 900, R$7.790,16 Processo n 304/2014 TV Marília Vigência: Abril/2014 R$ 3.500,00 Apoio financeiro para divulgação da Cãominhada: Ser feliz é animal, referente realização de edições semestrais do evento onde cães e proprietários conseguiram compartilhar momentos de lazer e orientações para uma vida mais saudável. Foram repercutidas informações de interesse local com apoio de especialistas promovendo um movimento municipal e não apenas restrito aos telespectadores da TV a cabo ou leitores do Correio de Marília. Os eventos públicos foram organizados em pontos estratégicos da cidade com objetivo de apresentar alternativas para uma vida mais saudável e consequentemente mais feliz. Trata-se de um momento diferenciado com um número de participantes bastante expressivos e que tem um apelo promocional bastante positivo para classe veterinária. 72

73 Quadro 40 Resumo dos instrumentos celebrados nos três últimos exercícios Modalidade Contrato de Repasse Quantidade de Instrumentos Celebrados em Cada Exercício Montantes Repassados em Cada Exercício, Independentemente do ano de Celebração do Instrumento (em R$ 1,00) Convênio , , ,00 Termo de Cooperação ,00 Termo de Compromisso Totais , , ,00 Quadro 41 Visão Geral da análise das prestações de contas de Convênios e Contratos de Cooperação Exercício da Instrumentos Prestação das Quantitativos e Montantes Repassados Contratos de Contas Convênios Cooperação Com Prazo de Análise ainda não Vencido Com Prazo de Análise Vencido Contas Analisadas Quantidade de Contas Prestadas Contas Analisadas Quantidade Aprovada Quantidade Reprovada Quantidade de TCE Montante Repassado (R$) Contas NÃO Quantidade 3 * Analisadas Montante Repassado (R$) ,00 Contas Analisadas Quantidade Aprovada 2 2 Quantidade Reprovada Quantidade de TCE Montante Repassado (R$) , ,00 Contas NÃO Quantidade Analisadas Montante Repassado (R$) Quantidade de contas prestadas Quantidade Aprovada 3 Quantidade Reprovada Quantidade de TCE Montante repassado ,00 Contas NÃO Quantidade Analisadas Montante repassado (R$) Contas analisadas Quantidade de Contas Prestadas Quantidade Aprovada 4 Quantidade Reprovada Quantidade de TCE Montante Repassado ,00 Quantidade Contas NÃO Montante Repassado Analisadas Montante Repassado * Incluso a celebração do convênio firmado em 2014 com a Associação Brasileira de Buiatria com o repasse do apoio financeiro em 2015 no valor R$ ,00. 73

74 5. GESTÃO DE PESSOAS, TERCEIRIZAÇÃO DE MÃO DE OBRA E CUSTOS RELACIONADOS 5.1 Quadro 42. Letra a) Demonstração da força de trabalho Força de trabalho da entidade situação apurada em 31/12/14 Tipologias dos Cargos Lotação Ingressos no Egressos no Autorizada Efetiva Exercício Exercício 1. Empregados em Cargos Efetivos ( ) Empregados de carreira vinculada ao Conselho Empregados requisitados/cedidos de outros órgãos e esferas Empregados com Contratos Temporários Empregados ocupantes de cargo de livre provimento sem Vínculo com a Administração Pública Total de Empregados (1+2+3) Fonte: Setor de Pessoal 5.2 Quadro 43. Estrutura de cargos Detalhamento da estrutura de cargos em comissão e funções gratificadas da entidade - situação apurada em 31/12/14 Tipologias dos Cargos em Comissão e das Funções Lotação Ingressos no Gratificadas Autorizada Efetiva Exercício Egressos no Exercício 1. Cargos em Comissão Funções Gratificadas Empregados de Carreira Vinculada ao Órgão Empregados de Outros órgãos e Esferas Total de Empregados em Cargo e em Função (1+2+3) Fonte: Setor de Pessoal 74

75 5.3 Quadro 44. Letra b) Qualificação da força de trabalho Qualificação da força de trabalho de acordo com a estrutura de cargos da entidade - situação apurada em 31/12/14 CARGO* Nível Fundamental Nível Médio/Técnico Nível Superior TOTAL EMPREGADOS Coordenadoria Chefia Fiscal Assistente Assessor de Atendimento ao Público Auxiliar de Serviço de Apoio Auxiliar de Serviços Gerais Analista Técnico Contínuo Cargo de Livre Provimento TOTAL POR GRAU INSTRUÇÃO Fonte: Setor de Pessoal

76 5.4 Quadro 45. Força de trabalho por faixa etária Quantidade de empregados por faixa etária - situação apurada em 31/12/14 Quantidade de Empregados por Faixa Etária Tipologias do Cargo Até 30 anos De 31 a 40 anos De 41 a 50 anos De 51 a 60 anos Acima de 60 anos 1. Provimento de Cargo Efetivo Empregados de carreira vinculada ao Conselho Empregados requisitados/cedidos de outros órgãos e esferas Provimento de Cargo em Comissão Empregados de Carreira Vinculada ao Órgão Empregados de Outros órgãos e Esferas Funções Gratificadas Totais (1+2+3) Fonte: Setor de Pessoal 5.5 Quadro 46. Letra d) Força de trabalho por escolaridade Quantidade de empregados por nível de escolaridade - situação apurada em 31/12/14 Tipologias do Cargo Quantidade de Pessoas por Nível de Escolaridade Provimento de Cargo Efetivo Empregados de carreira vinculada ao Conselho Empregados requisitados/cedidos de outros órgãos e esferas Provimento de Cargo em Comissão Empregados de Carreira Vinculada ao Órgão Empregados de Outros órgãos e Esferas Funções Gratificadas Totais (1+2+3) LEGENDA Nível de Escolaridade 1 - Analfabeto; 2 - Alfabetizado sem cursos regulares; 3 - Primeiro grau incompleto; 4 - Primeiro grau; 5 - Segundo grau ou técnico; 6 - Superior; 7 - Aperfeiçoamento / Especialização / Pós-Graduação; 8 Mestrado; 9 Doutorado/Pós Doutorado/PhD/Livre Docência; 10 - Não Classificada. Fonte: Pasta de funcionários/sistema de Folha de Pagamento Prosoft Setor de Pessoal 76

77 5.6 Quadro 47. Letra e) Informações específicas quanto à concessão de gratificações, adicionais, auxílio, reajustes e aumentos salariais (Conforme determinação contida no Acórdão TCU n. 3438/2013-Plenário) Quadro de custos de pessoal no exercício de referência e nos dois anteriores Tipologias / Exercícios Venciment os e Vantagens Fixas (Salário, Af, anuênio, GI) Gratificaçõe Retribuições s (Gratif.Função) 13º Salário Membros de Poder e Agentes Políticos Exercício s Despesas Variáveis Adicionais (HE, 1/3, AI, AE) Indenizaç ões (AC, Diárias) Servidores de Carreira que não Ocupam Cargo de Provimento em Comissão Exercício s Benefícios Assistenciais e Previdenciários (PO, SM) Demais Despesas Variáveis (PS,VT,V R) , , , , , , , , , , , , , , , , , ,64 Servidores com Contratos Temporários Exercícios Servidores Cedidos com Ônus ou em Licença Exercícios Servidores Ocupantes de Cargos de Natureza Especial Despesas de Exercícios Anteriores Decisões Judiciais Total 77

78 Exercícios Empregados em Função Comissionada Resolução nº 905/2009 Exercícios , , , , , , , , , , , , , , , ,92 Servidores Ocupantes de Funções Gratificadas E x , , , , ,91 e r c í c i o , , , , , , ,02 s , , , , ,74 Legenda: GI = Gratificação Incorporada HE = Horas Extras + Adicionais 1/3 = Adicional de 1/3 sobre férias AI = Adicional de Insalubridade AE = Auxilio Filho Excepcional AC = Auxílio Creches PS = Plano de Saúde PO = Plano Odontológico SM = Salário Maternidade (os 60 dias, custeado pelo CRMV) VR= Vale refeição VT = Vale-Transporte AF = Abono sobre Férias (conversão dos 10 (dez) dias em pecúnia) 78

79 6 CONFORMIDADES E TRATAMENTOS DE DISPOSIÇÕES LEGAIS E NORMATIVA 6.1 Tratamento das determinações e recomendações exaradas em acórdãos do TCU, apresentando as justificativas para os casos de não cumprimento. Em 2014 não houve recomendação do Tribunal de Contas da União o CRMV-SP. 6.2 Tratamento das recomendações feitas pelo órgão de controle interno a que a entidade se vincula, apresentando as justificativas para os casos de não cumprimento. O controle interno se encontra em fase de estruturação neste Regional. 6.3 Tratamento das recomendações feitas pela auditoria interna ou por entidade superior que, por força do normativo, tenha competência para exercer a fiscalização contábil, financeira, orçamentária ou operacional, apresentando as justificativas para os casos de não cumprimento. Em 2014 não houve recomendação da auditoria interna ou de entidade superior. 7 INFORMAÇÕES CONTÁBEIS 7.1 Informações sobre a adoção de critérios e procedimentos Informações sobre a Adoção de Critérios e Procedimentos Estabelecidos pelas Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicada ao Setor Público NBC T 16.9 e NBC T 16.10, Publicadas pelas Resoluções CFC nº 1.136/2008 e 1.137/2008, Respectivamente, para Tratamento Contábil da Depreciação e da Amortização dos Itens do Patrimônio e Avaliação e Mensuração de Ativos e Passivos da entidade. Em relação à Norma Brasileira de Contabilidade Aplicada ao Setor Público - NBC T 16.9 que estabelece critérios e procedimentos para o registro contábil da depreciação, amortização e exaustão e à Resolução do Conselho Federal de Contabilidade - CFC nº 1.136/2008 que aprova a NBC T 16.9, a Entidade, informa que, quanto à: Depreciação - redução do valor dos bens pelo desgaste ou perda de utilidade por uso, ação da natureza ou obsolescência. Amortização - redução do valor aplicado na aquisição de direitos de propriedade e quaisquer outros, inclusive ativos intangíveis, com existência ou exercício de duração limitada, ou cujo objeto sejam bens de utilização por prazo legal ou contratualmente limitado. Exaustão - redução do valor de investimentos necessários à exploração de recursos minerais, florestais e outros recursos naturais esgotáveis ou de exaurimento determinado, bem como do valor de ativos corpóreos utilizados no processo de exploração. Bens Móveis Os bens móveis de propriedade do CRMV-SP são registrados no Sistema de Patrimônio - SISPAT, desenvolvido pela Implanta.net e são depreciados, mensalmente, no SISCONT.NET. Bens Imóveis De acordo com a Portaria STN nº 439, de 12 de julho de 2012, que estabelece, no âmbito da União, o cronograma para implantação dos Procedimentos Contábeis Patrimoniais e Específicos, entre eles a depreciação de bens imóveis que será realizado após a reforma em 2015 no prédio da Sede em 79

80 São Paulo. Os Setores de Contabilidade e Patrimônio do CRMV-SP irão desenvolver trabalhos voltados para a discussão e realização do registro da depreciação dos bens imóveis Metodologia adotada para estimar a vida útil econômica do ativo Os critérios de mensuração e reconhecimento para o registro da depreciação foi considerado os fatores de desgaste físico, obsolescência e a capacidade de geração de benefícios futuros. Após a reavaliação dos bens no ano de 2012 a depreciação foi calculada e registrada sobre o novo valor avaliado considerando a vida útil econômica indicada no laudo técnico. Na tabela abaixo os valores correspondem ao valor do Bem Líquido com a dedução da depreciação acumulada. Quadro 48. Valor do bem líquido com a dedução da depreciação acumulada Imobilizado Valor Líquido Contábil Máquinas, Aparelhos e Equipamentos ,87 Bens de Informática ,92 Móveis e Utensílios ,70 Materiais Culturais e de comunicação ,74 Veículos ,55 Bens Imóveis ,62 Softwares , , Cálculo da depreciação, amortização e exaustão Adotamos como melhor evidência para determinação do Valor Recuperável a mensuração obtida em percentuais pela análise qualitativa e quantitativa, dos movimentos de aquisição e baixa registrando nas contas de resultado do exercício. Desta forma e partir da melhor informação disponível na empresa para refletir o valor obtido para a alienação do ativo em negociação com a empresa contratada, sem que corresponda a uma transação compulsória ou decorrente de um processo de liquidação, e após deduzir as despesas da baixa, tendo como base os dados coletados, amostras e critérios utilizados pela empresa, afirmamos que o valor recuperável por classe de ativos é melhor representado se utilizarmos a tabela abaixo: Quadro 49. Bens móveis Conta Classe % Recuperável Mobiliário em Geral 10% Veículos 15% Máquinas, Motores e Aparelhos 8% Utensílios de Copa e Cozinha 5% Bibliotecas 2% Equipamentos de Informática 4% Máquinas e Aparelhos 10% Instalações 2% Bandeiras 2% Outros Bens Móveis 10% Aparelhos de Telefones 8% 80

81 Em relação à amortização, o CRMV-SP possui registros contábeis de bens intangíveis (softwares) que iniciará o registro da amortização após a conclusão do POP (Procedimentos Operacionais Padrão) que será definido as taxas para aplicação na amortização e depreciação. O CRMV-SP, por não visar e nem possuir investimentos destinados à exploração de recursos minerais, florestais e outros recursos naturais, não dispõe de informações a respeito da exaustão de tais investimentos Demonstrações Contábeis previstas pela Lei n 4.320/64 e pela NBC 16.6 aprovada pela Resolução CFC n 1.133/2008, ou ainda prevista na Lei n 6.404/76, incluindo as notas explicativas; Os Balanços Patrimoniais, Financeiros, Orçamentários e a Demonstração das Variações Patrimoniais, bem como as demais peças demonstrativas do processo, obedecem rigorosamente às instruções determinadas pelo Tribunal de Contas da União. O Demonstrativo do Resultado Econômico (D.R.E) conforme sistema computadorizado que o CRMV-SP utiliza atualmente, não dispõe deste demonstrativo contábil. Quanto à Norma Brasileira de Contabilidade Aplicada ao Setor Público - NBC T e à Resolução do Conselho Federal de Contabilidade - CFC nº 1.137/2008 que aprova a NBC T 16.10, o CRMV-SP informa que, a escrituração contábil executada durante o exercício de 2014 foi realizada através de sistema computadorizado SISCONT.NET, processando-se com regularidade e atualização. Os lançamentos foram efetuados em observância as formas legais e técnicas. A documentação contábil comprobatória dos atos e fatos administrativos foi arquivada em ordem racional e cronológica 81

82 Quadro 50. Balanço patrimonial 82

83 83

84 Quadro 51. Balanço orçamentário 84

85 85

86 86

87 87

88 Quadro 52. Balanço financeiro 88

89 89

90 90

91 Quadro 53. Variações patrimoniais 91

92 92

93 Quadro 54. Demonstração dos fluxos de caixa 93

94 94

NÍVEL ESTRATÉGICO 1. PLENARIA

NÍVEL ESTRATÉGICO 1. PLENARIA NÍVEL ESTRATÉGICO 1. PLENARIA Reunião dos Conselheiros eleitos, com o fim de deliberação.- O Plenário do Conselho Regional reunirse-á ordinariamente, pelo menos, uma vez por ano e, extraordinariamente

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1.032, DE 30 DE MARÇO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 1.032, DE 30 DE MARÇO DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 1.032, DE 30 DE MARÇO DE 2011 Dispõe sobre a celebração de convênios entre os Creas e as entidades de classe e as instituições de ensino e dá outras providências. O CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA,

Leia mais

DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013. Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências.

DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013. Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências. DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013 Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências. (Publicado no DOE de 10 de abril de 2013) O GOVERNADOR DO ESTADO

Leia mais

Relatório Controle Interno 1º. Quadrimestre 2015

Relatório Controle Interno 1º. Quadrimestre 2015 Relatório Controle Interno 1º. Quadrimestre 2015 1. APRESENTAÇÃO Nos termos do artigo 74 da Constituição Federal, artigo 59 da Lei Complementar nº. 59, artigos, 63 a 66 da Lei Complementar nº. 33, de 28

Leia mais

Faço saber que a Câmara de Vereadores aprovou e eu sanciono e promulgo a seguinte Lei:

Faço saber que a Câmara de Vereadores aprovou e eu sanciono e promulgo a seguinte Lei: LEI MUNICIPAL Nº 1833/2015. AUMENTA O NÚMERO DE CARGOS EM COMISSÃO, CRIA PADRÃO DE VENCIMENTO E FUNÇÕES GRATIFICADAS NO QUADRO DE CARGOS E FUNÇÕES PÚBLICAS DO MUNICÍPIO, E DA OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 016, de 1º de junho de 2009. (Modificada pela Res. 019/2010)

RESOLUÇÃO N o 016, de 1º de junho de 2009. (Modificada pela Res. 019/2010) RESOLUÇÃO N o 016, de 1º de junho de 2009. (Modificada pela Res. 019/2010) Aprova Regimento Interno da Pró-Reitoria de Administração PROAD. O PRESIDENTE DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

Sistema CFBio/CRBios e a Criação. de Novos Regionais

Sistema CFBio/CRBios e a Criação. de Novos Regionais Sistema CFBio/CRBios e a Criação de Novos Regionais Novo Regional do Planalto Central: Plano estratégico para criação Lei 6684 de 03 de Setembro de 1979 Art. 10 - Compete ao Conselho Federal: IV - organizar,

Leia mais

Aplicação FUNCIONALIDADES

Aplicação FUNCIONALIDADES O sistema Advice é uma solução Corpdigital baseada na web que centraliza, de forma totalmente integrada, as atividades de um conselho de fiscalização profissional. A ferramenta apresenta módulos integrados

Leia mais

E S T A D O D O M A T O G R O S S O Prefeitura Municipal de Jaciara

E S T A D O D O M A T O G R O S S O Prefeitura Municipal de Jaciara INSTRUÇÃO NORMATIVA SJU SISTEMA JURÍDICO N.º 001/2011 Versão: 001/2011 Aprovação em: 28/11/2011 Ato de aprovação: Decreto nº. 2995/2011. Unidade Responsável: Sistema Jurídico I - FINALIDADE: Representar

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO R E S O L U Ç Ã O :

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO R E S O L U Ç Ã O : SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 662, DE 31 DE MARÇO DE 2009 Aprova o Regimento dos Órgãos Executivos da Administração Superior. O REITOR DA UNIVERSIDADE

Leia mais

LEI N.º 3.590 de 2 de maio de 2006.

LEI N.º 3.590 de 2 de maio de 2006. LEI N.º 3.590 de 2 de maio de 2006. O PREFEITO MUNICIPAL DE URUGUAIANA: Dispõe sobre a Estrutura Administrativa e institui organograma da Câmara Municipal de Uruguaiana e dá outras providências. Faço saber,

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN ROTINAS ADMINISTRATIVAS PROPLAN SETOR: Pró-Reitoria CARGO: Docente / TNS FUNÇÃO: Pró-Reitor

Leia mais

PARTE 1 - LEIS PARTE 2 - DECRETOS

PARTE 1 - LEIS PARTE 2 - DECRETOS PARTE 1 - LEIS 5.517, de 23-10-1968 Dispõe sobre o exercício da profissão de médico veterinário e cria os Conselhos Federal e Regionais de Medicina Veterinária 5.550, de 04-12-1968 Dispõe sobre o exercício

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 417, DE 8 de DEZEMBRO de 2011

RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 417, DE 8 de DEZEMBRO de 2011 Publicação D.O.U nº 242, de 19/12/2011 Seção 1 pág. 790 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 417, DE 8 de DEZEMBRO de 2011 Aprova a Tabela de Temporalidade de Documentos do Sistema CFA/CRAs, e dá outras providências.

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO

REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO Art. 1º A Diretoria Executiva, subordinada ao Presidente da Fundação, é responsável pelas atividades

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA TCE-TO Nº 003, DE 23 DE SETEMBRO DE 2009. Consolidada pela IN nº 03/2012 de 02/05/2012.

INSTRUÇÃO NORMATIVA TCE-TO Nº 003, DE 23 DE SETEMBRO DE 2009. Consolidada pela IN nº 03/2012 de 02/05/2012. INSTRUÇÃO NORMATIVA TCE-TO Nº 003, DE 23 DE SETEMBRO DE 2009. Consolidada pela IN nº 03/2012 de 02/05/2012. Acresce o 7 ao artigo 9º da Instrução Normativa nº 003, de 23 de setembro de 2009, que estabelece

Leia mais

Itabuna PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABUNA

Itabuna PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABUNA D E C R E T O Nº 11.028, de 10 de novembro de 2014 EMENTA: Dispõe sobre os procedimentos e prazos para o Encerramento do Exercício Financeiro de 2014, no âmbito da Administração Pública Municipal e, dá

Leia mais

, Prefeito Municipal de. FAÇO saber a todos os habitantes deste Município que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

, Prefeito Municipal de. FAÇO saber a todos os habitantes deste Município que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº Dispõe sobre o Sistema de Controle Interno, cria a Controladoria Municipal e dá outras providências., Prefeito Municipal de FAÇO saber a todos os habitantes deste Município

Leia mais

Prefeitura Municipal de Farias Brito GOVERNO MUNICIPAL CNPJ n 07.595.572/0001-00

Prefeitura Municipal de Farias Brito GOVERNO MUNICIPAL CNPJ n 07.595.572/0001-00 ANEXO I PREGÃO Nº 2012.12.12.1 TERMO DE REFERÊNCIA Com a especificação dos serviços de assessoria, consultoria, execução contábil, justificativas, defesas e recursos de processos administrativos junto

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 1.870 DE 10 DE FEVEREIRO DE 2005.

PROJETO DE LEI Nº 1.870 DE 10 DE FEVEREIRO DE 2005. PROJETO DE LEI Nº 1.870 DE 10 DE FEVEREIRO DE 2005. Dispõe sobre a organização do Sistema Municipal de Defesa do Consumidor, institui o Departamento de Defesa do Consumidor e o Fundo Municipal de Defesa

Leia mais

DO CONSELHO MUNICIPAL DE DIREITOS DO IDOSO. Art. 2º. Compete ao Conselho Municipal de Direitos do Idoso:

DO CONSELHO MUNICIPAL DE DIREITOS DO IDOSO. Art. 2º. Compete ao Conselho Municipal de Direitos do Idoso: PROJETO DE LEI Nº 2.093/09, de 30 de junho de 2.009 Dispõe sobre criação do Conselho Municipal de Direitos do Idoso e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE GOIATUBA, Estado de Goiás, faz saber

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE JARAGUÁ DO SUL

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE JARAGUÁ DO SUL L E I Nº 7.071/2015 Dispõe sobre a estrutura administrativa da Câmara Municipal de Jaraguá do Sul e dá outras providências. O PREFEITO DE JARAGUÁ DO SUL, no uso das atribuições que lhe são conferidas,

Leia mais

U N I R P A R A F O R T A L E C E R REGIMENTO INTERNO

U N I R P A R A F O R T A L E C E R REGIMENTO INTERNO Artigo 1 - A Associação de Reflorestadores do Estado de Mato Grosso AREFLORESTA-MT, reger-se-á pelo seu ESTATUTO e por este REGIMENTO INTERNO. Finalidade Artigo 2 - O presente Regimento Interno tem por

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO Art. 1º O CENTRO BRASILEIRO DE PESQUISA EM AVALIAÇÃO E SELEÇÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 2000 27.04.2011

RESOLUÇÃO Nº. 2000 27.04.2011 RESOLUÇÃO Nº. 2000 27.04.2011 Estabelece os requisitos e procedimentos para a obtenção de apoio financeiro do CRMV-SP para a realização de eventos. O DO ESTADO DE SÃO PAULO - CRMV-SP, no uso de suas atribuições

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DO ESTADO DE MINAS GERAIS

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DO ESTADO DE MINAS GERAIS CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DO ESTADO DE MINAS GERAIS CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 01/2015 EDITAL COMPLEMENTAR Nº 01 O CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DO ESTADO DE MINAS GERAIS CRMV-MG

Leia mais

ANEXO III ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS.

ANEXO III ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS. ANEXO III ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS. 01. ADVOGADO Assessorar os vereadores na elaboração de proposições complexas que exijam conhecimentos especializados de técnica legislativa, nos projetos de lei, decreto

Leia mais

MODELO DE ESTATUTO DA SOCIEDADE DE AMIGOS DA BIBLIOTECA PÚBLICA (Este modelo deverá ser adaptado às situações locais)

MODELO DE ESTATUTO DA SOCIEDADE DE AMIGOS DA BIBLIOTECA PÚBLICA (Este modelo deverá ser adaptado às situações locais) MODELO DE ESTATUTO DA SOCIEDADE DE AMIGOS DA BIBLIOTECA PÚBLICA (Este modelo deverá ser adaptado às situações locais) CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE, DURAÇÃO Art. 1.º A SOCIEDADE DE AMIGOS DA

Leia mais

COLETA DE PREÇOS - CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DE CONTABILIDADE CP 003/2015

COLETA DE PREÇOS - CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DE CONTABILIDADE CP 003/2015 COLETA DE PREÇOS - CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DE CONTABILIDADE CP 003/2015 1. OBJETO GERAL Contratação de empresa para prestação de serviços especializados de contabilidade pública e privada, pagamento de

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DO FUNDO DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR- FAPS

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DO FUNDO DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR- FAPS REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DO FUNDO DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR- FAPS CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1.º - O Conselho Fiscal do Fundo de Aposentadoria e Pensão do Servidor- FAPS, criado

Leia mais

RESOLUÇÃO CNRM/004/2001

RESOLUÇÃO CNRM/004/2001 RESOLUÇÃO CNRM/004/2001 A PRESIDENTE DA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA (CNRM), no uso de sua atribuições previstas no art. 5.º do Decreto n.º 80.281, de 05 de setembro de 1977, e considerando o

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 196. DE 29 DE MARÇO DE 1989 (Revogada pela Resolução nº 285/96) Ementa: Cria o Plano de Cargos e Salários

RESOLUÇÃO Nº 196. DE 29 DE MARÇO DE 1989 (Revogada pela Resolução nº 285/96) Ementa: Cria o Plano de Cargos e Salários RESOLUÇÃO Nº 96 DE 29 DE MARÇO DE 989 (Revogada pela Resolução nº 285/96) Ementa: Cria o Plano de Cargos e Salários do CFF. O Plenário do Conselho Federal de Farmácia, no uso de suas atribuições conferidas

Leia mais

RESOLUÇÃO CRP-16 N.º 002 de 18 de Fevereiro de 2006

RESOLUÇÃO CRP-16 N.º 002 de 18 de Fevereiro de 2006 RESOLUÇÃO CRP-16 N.º 002 de 18 de Fevereiro de 2006 Altera o quadro organizacional do CRP-16, acrescentando cargo de livre provimento ao grupo VII. O Conselho Regional de Psicologia da 16.ª Região (ES)

Leia mais

ACOPESP ASSOCIAÇÃO DOS CONTABILISTAS E ORÇAMENTISTAS PÚBLICOS DO ESTADO DE SÃO PAULO ESTATUTO

ACOPESP ASSOCIAÇÃO DOS CONTABILISTAS E ORÇAMENTISTAS PÚBLICOS DO ESTADO DE SÃO PAULO ESTATUTO ACOPESP ASSOCIAÇÃO DOS CONTABILISTAS E ORÇAMENTISTAS PÚBLICOS DO ESTADO DE SÃO PAULO ESTATUTO CAPÍTULO I NATUREZA E OBJETIVOS Art. 1 A ACOPESP - ASSOCIAÇÃO DOS CONTABILISTAS E ORÇAMENTISTAS PÚBLICOS DO

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RORAIMA RESOLUÇÃO Nº 002/2003 TCE/RR PLENÁRIO

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RORAIMA RESOLUÇÃO Nº 002/2003 TCE/RR PLENÁRIO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RORAIMA RESOLUÇÃO Nº 002/2003 TCE/RR PLENÁRIO Regulamenta na forma e para os fins estabelecidos no art. 6º da Lei Estadual nº 352, de 14 de novembro de 2002, o Fundo de

Leia mais

c)praticar os atos que lhe atribuírem as leis, a convenção e o regimento interno;

c)praticar os atos que lhe atribuírem as leis, a convenção e o regimento interno; 3) CONTRATO: SÍNDICO PESSOA JURÍDICA Ser síndico de um condomínio requer compromisso, conhecimento das leis vigentes e disponibilidade de tempo, e é por isso, que nossa empresa é capacitada a assumir as

Leia mais

PORTARIA TRT 18ª GP/DG nº 045/2013 (Republicada por força do art. 2 da Portaria TRT 18ª GP/DG nº 505/2014) Dispõe sobre a competência, a estrutura e

PORTARIA TRT 18ª GP/DG nº 045/2013 (Republicada por força do art. 2 da Portaria TRT 18ª GP/DG nº 505/2014) Dispõe sobre a competência, a estrutura e PORTARIA TRT 18ª GP/DG nº 045/2013 (Republicada por força do art. 2 da Portaria TRT 18ª GP/DG nº 505/2014) Dispõe sobre a competência, a estrutura e a atuação da Secretaria de Controle Interno e dá outras

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa RESOLUÇÃO DE MESA Nº 847/2008 (atualizada até a Resolução de Mesa nº 951, de 3 de novembro de 2009) Regulamenta a

Leia mais

DECRETO N.º 19.259, DE 31 DE OUTUBRO DE 1997.

DECRETO N.º 19.259, DE 31 DE OUTUBRO DE 1997. DECRETO N.º 19.259, DE 31 DE OUTUBRO DE 1997. Dispõe sobre o Regulamento e a Estrutura Básica da Secretaria Extraordinária do Meio Ambiente, dos Recursos Hídricos e Minerais, e dá outras providências.

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA imprimir Norma: RESOLUÇÃO Órgão: Conselho Federal de Medicina Número: 1980 Data Emissão: 07-12-2011 Ementa: Fixa regras para cadastro, registro, responsabilidade técnica e cancelamento para as pessoas

Leia mais

ROTEIRO DE AUDITORIA DE CONTABILIDADE PÚBLICA

ROTEIRO DE AUDITORIA DE CONTABILIDADE PÚBLICA SISTEMA ORÇAMENTÁRIO 1 - RECEITAS 1.1 - Orçamento da Receita 1.2 - Receita Prevista 1.3 - Execução Orçamentária da Receita ROTEIRO DE AUDITORIA DE CONTABILIDADE PÚBLICA I - Verificar se os registros das

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES CNPJ: 08.148.488/0001-00 CEP: 59.5960-000

PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES CNPJ: 08.148.488/0001-00 CEP: 59.5960-000 1 9 6 3 1 9 6 3 PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES CNPJ: 08.148.488/0001-00 CEP: 59.5960-000 Lei nº 299/ 2008. Dispõe sobre a criação do Conselho Municipal do Idoso, do Fundo Municipal do Idoso e dá outras

Leia mais

Relatório Controle Interno 2º. Quadrimestre 2015

Relatório Controle Interno 2º. Quadrimestre 2015 Relatório Controle Interno 2º. Quadrimestre 2015 1. APRESENTAÇÃO Nos termos do artigo 74 da Constituição Federal, artigo 59 da Lei Complementar nº. 59, artigos 63 a 66 da Lei Complementar nº. 33, de 28

Leia mais

LEI Nº 562/93 - DE, 22 DE NOVEMBRO 1.993. MÁRCIO CASSIANO DA SILVA, Prefeito Municipal de Jaciara, no uso de suas atribuições legais,

LEI Nº 562/93 - DE, 22 DE NOVEMBRO 1.993. MÁRCIO CASSIANO DA SILVA, Prefeito Municipal de Jaciara, no uso de suas atribuições legais, LEI Nº 562/93 - DE, 22 DE NOVEMBRO 1.993. DISPÕE SOBRE A CONSTITUIÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DO BEM ESTAR SOCIAL E CRIAÇÃO DO FUNDO MUNICIPAL A ELE VINCULADO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. MÁRCIO CASSIANO DA

Leia mais

MINUTA FUNDAÇÃO DE APOIO A SERVIÇOS TÉCNICOS, ENSINO E FOMENTO A PESQUISAS REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS

MINUTA FUNDAÇÃO DE APOIO A SERVIÇOS TÉCNICOS, ENSINO E FOMENTO A PESQUISAS REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS MINUTA FUNDAÇÃO DE APOIO A SERVIÇOS TÉCNICOS, ENSINO E FOMENTO A PESQUISAS REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS Art. 1º A FUNDAÇÃO DE APOIO A SERVIÇOS TÉCNICOS, ENSINO E FOMENTO A PESQUISAS -

Leia mais

ANEXO I REGULAMENTO DO PRODESU. Programa de Desenvolvimento Sustentável do Sistema Confea/Creas e Mútua

ANEXO I REGULAMENTO DO PRODESU. Programa de Desenvolvimento Sustentável do Sistema Confea/Creas e Mútua ANEXO I REGULAMENTO DO PRODESU Programa de Desenvolvimento Sustentável do Sistema Confea/Creas e Mútua CAPÍTULO I DO PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Seção I Dos Objetivos Art. 1º O Programa de

Leia mais

ANEXO ÚNICO RESOLUÇÃO CRM-SC N 166, DE 16/8/2015 DESCRIÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES E REQUISITOS PARA A OCUPAÇÃO DO CARGO DE CONTADOR

ANEXO ÚNICO RESOLUÇÃO CRM-SC N 166, DE 16/8/2015 DESCRIÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES E REQUISITOS PARA A OCUPAÇÃO DO CARGO DE CONTADOR RESOLUÇÃO CRM-SC Nº 166/2015 Institui na estrutura administrativa de pessoal do CRM-SC o cargo de contador e dá outras providências. O Conselho Regional de Medicina do Estado de Santa Catarina, instituição

Leia mais

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM DECRETO nº 1098, de 12 de fevereiro de 2009 Dispõe sobre alocação, denominação e atribuições dos órgãos que compõem a estrutura organizacional do Gabinete da Prefeita e dá outras providências. A PREFEITA

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CARAPICUIBA SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO E HABITAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CARAPICUIBA SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO E HABITAÇÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE CARAPICUIBA SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO E HABITAÇÃO Conforme aprovado em reunião do Conselho Municipal de Habitação, realizada aos 29 de maio de 2012; REGIMENTO

Leia mais

DECISÃO COREN/RJ N.º 1821/2012

DECISÃO COREN/RJ N.º 1821/2012 DECISÃO COREN/RJ N.º 1821/2012 Dispõe sobre a criação de Comissão de Ética de Enfermagem Institucional. CONSIDERANDO o disposto no artigo 8º, I, da Lei 5.905/73, que possibilita ao COFEN aprovar seu regimento

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DE MINAS GERAIS RELATÓRIO DE AUDITORIA SOBRE CONTROLES INTERNOS REFERENTES AO EXERCÍCIO FINDO EM 31/DEZ.

CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DE MINAS GERAIS RELATÓRIO DE AUDITORIA SOBRE CONTROLES INTERNOS REFERENTES AO EXERCÍCIO FINDO EM 31/DEZ. CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DE MINAS GERAIS Belo Horizonte - MG RELATÓRIO DE AUDITORIA SOBRE CONTROLES INTERNOS REFERENTES AO EXERCÍCIO FINDO EM 31/DEZ./14 (1) INTRODUÇÃO Nossos trabalhos foram

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria do Patrimônio da União Gerência Regional de Patrimônio da União no Rio Grande do Sul

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria do Patrimônio da União Gerência Regional de Patrimônio da União no Rio Grande do Sul MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria do Patrimônio da União Gerência Regional de Patrimônio da União no Rio Grande do Sul RELATÓRIO DE GESTÃO DA UNIDADE JURISDICIONADA 1. IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Procuradoria Geral de Justiça, em Natal (RN), 08 de junho de 2011.

Procuradoria Geral de Justiça, em Natal (RN), 08 de junho de 2011. MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA R E S O L U Ç Ã O Nº 074/2011-PGJ.* O PROCURADOR GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, no uso das atribuições

Leia mais

1 Prefeitura Municipal de Luís Eduardo Magalhães ESTADO DA BAHIA

1 Prefeitura Municipal de Luís Eduardo Magalhães ESTADO DA BAHIA A 1 CNPJ 04.214.41910001-05 DECRETO N 3.091, DE 05 DE JANEIRO DE 2014. "Dispõe sobre a estrutura organizacional da Procuradoria Geral do Município ". O PREFEITO MUNICIPAL DE LUIS EDUARDO MAGALHÃES,, no

Leia mais

RESOLUÇÃO CRM-PR N º 150/2007 (Publicado no Diário Oficial da União, Seção 1, de 24/04/2007 p. 86) (Revogada pela Resolução CRMPR 181/2011)

RESOLUÇÃO CRM-PR N º 150/2007 (Publicado no Diário Oficial da União, Seção 1, de 24/04/2007 p. 86) (Revogada pela Resolução CRMPR 181/2011) CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO PARANÁ RUA VICTÓRIO VIEZZER. 84 - CAIXA POSTAL 2.208 - CEP 80810-340 - CURITIBA - PR FONE: (41) 3240-4000 - FAX: (41) 3240-4001 - SITE: www.crmpr.org.br - E-MAIL: protocolo@crmpr.org.br

Leia mais

ANEXO I REGIMENTO INTERNO DO GABINETE DO MINISTRO CAPITULO I CATEGORIA E FINALIDADE

ANEXO I REGIMENTO INTERNO DO GABINETE DO MINISTRO CAPITULO I CATEGORIA E FINALIDADE (Portaria GM-MP nº 220, de 25 de junho de 2014 ) ANEXO I REGIMENTO INTERNO DO GABINETE DO MINISTRO CAPITULO I CATEGORIA E FINALIDADE Art. 1º O Gabinete do Ministro, órgão subordinado diretamente ao Ministro

Leia mais

REGIMENTO INTERNO ÍNDICE. CAPÍTULO I Da Sede. CAPÍTULO II Dos objetivos e finalidades. CAPITULO III Da estrutura organizacional básica

REGIMENTO INTERNO ÍNDICE. CAPÍTULO I Da Sede. CAPÍTULO II Dos objetivos e finalidades. CAPITULO III Da estrutura organizacional básica REGIMENTO INTERNO Aprovado na reunião dos Conselhos de Administração e Fiscal da ASSOCIAÇÃO DE TRANSPORTE DO NORTE CATARINENSE ASTRAN, inscrita no CNPJ n 10.437.997/0001-03, realizada em São Bento do Sul,

Leia mais

ATO REGULAMENTAR Nº 9, DE 7 DE MAIO DE 2010

ATO REGULAMENTAR Nº 9, DE 7 DE MAIO DE 2010 Publicada no Diário da Justiça Eletrônico, em 11/5/2010. ATO REGULAMENTAR Nº 9, DE 7 DE MAIO DE 2010 Altera dispositivos do Regulamento da Secretaria. O PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, nos termos

Leia mais

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR PROGRAMA DE MUNICIPALIZAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR É com satisfação que a Fundação Procon/SP apresenta o novo Programa de Municipalização que tem como objetivo fortalecer o Sistema Estadual

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO SÃO CARLOS 2011 SUMÁRIO TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º a 3º... 3 Capítulo I Da Natureza (art. 1º)... 3 Capítulo II Da Finalidade

Leia mais

LEI nº 5.766 de 20-12-1971

LEI nº 5.766 de 20-12-1971 LEI nº 5.766 de 20-12-1971 Cria o Conselho Federal e os Conselhos Regionais de Psicologia e dá outras providências O Presidente da República Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO PLANO DE AUDITORIA DE LONGO PRAZO (PALP) 2013-2014 Sumário: 1 INTRODUÇÃO... 3 2 BIÊNIO 2013-2014: ATIVIDADES DE MONITORAMENTO E ACOMPANHAMENTO.... 3 2.1 Apoio ao Tribunal de Contas do Estado de São Paulo...

Leia mais

Câmara Municipal de Uberaba O progresso passa por aqui LEI N.º 10.128

Câmara Municipal de Uberaba O progresso passa por aqui LEI N.º 10.128 LEI N.º 10.128 Reproduz em novo texto a Lei 8.339, de 12 de junho de 2002 que trata do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos das Pessoas Com Deficiência de Uberaba COMDEFU. O Povo do Município de Uberaba,

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS CENTRO DE ENGENHARIA E COMPUTAÇÃO ENGENHARIA CIVIL RESUMO DA LEI NÚMERO 5.194 DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS CENTRO DE ENGENHARIA E COMPUTAÇÃO ENGENHARIA CIVIL RESUMO DA LEI NÚMERO 5.194 DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS CENTRO DE ENGENHARIA E COMPUTAÇÃO ENGENHARIA CIVIL RESUMO DA LEI NÚMERO 5.194 DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966 Petrópolis 2013 1 INTRODUÇÃO O presente trabalho é um resumo

Leia mais

Adamantina, 16 de novembro de 2011. Prezado cliente:

Adamantina, 16 de novembro de 2011. Prezado cliente: Adamantina, 16 de novembro de 2011. Prezado cliente: Assunto: Procedimentos contábeis, administrativos e patrimoniais para o fechamento das contas do exercício de 2011 e abertura das contas de 2012. Dentro

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 924, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2009

RESOLUÇÃO Nº 924, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2009 RESOLUÇÃO Nº 924, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2009 Institui o Programa de Parcelamento de Débitos Fiscais no âmbito do Sistema CFMV/ CRMVs, destinado à regularização de débitos de anuidades, multas, taxas, emolumentos

Leia mais

b - O sócio Institucional terá anuidade correspondente a dez vezes a dos sócios efetivos e colaboradores.

b - O sócio Institucional terá anuidade correspondente a dez vezes a dos sócios efetivos e colaboradores. Regimento Interno da Sociedade dos Zoológicos do Brasil - SZB Da Sociedade Artigo 1º - A sociedade dos Zoológicos do Brasil SZB, fundada em 23 de setembro de 1977, funciona conforme o disposto nos seus

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ GABINETE DA PREFEITA

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ GABINETE DA PREFEITA PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ GABINETE DA PREFEITA LEI Nº 2.255/2007 Dá nova redação a Lei nº 1.453/200 que cria o Conselho de Alimentação Escolar e dá outras providências. A PREFEITA MUNICIPAL DE MOSSORÓ,

Leia mais

RESOLUÇÃO CRM-TO Nº 91/2013, de 13 de dezembro de 2013.

RESOLUÇÃO CRM-TO Nº 91/2013, de 13 de dezembro de 2013. RESOLUÇÃO CRM-TO Nº 91/2013, de 13 de dezembro de 2013. Dispõe sobre a criação e atribuições das delegacias regionais e dos delegados e dá outras providências. O Conselho Regional de Medicina do Estado

Leia mais

PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. Regulamenta as atribuições da Secretaria de Controle Interno do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região e dá outras providências. A PRESIDENTE DO, no uso de

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE SALTO VELOSO IPRESVEL RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2014.

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE SALTO VELOSO IPRESVEL RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2014. INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE SALTO VELOSO IPRESVEL RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2014 Salto Veloso, SC O IPRESVEL O Instituto de Previdência Social dos Servidores

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 8.662, DE 7 DE JUNHO DE 1993. (Mensagem de veto). Dispõe sobre a profissão de Assistente Social e dá outras providências O

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DO ESTADO DE SANTA CATARINA - CRMV-SC

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DO ESTADO DE SANTA CATARINA - CRMV-SC RESOLUÇÃO CRMV-SC N 042/2007, DE 15 DE FEVEREIRO DE 2007 O Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de Santa Catarina CRMV/SC, em Sessão Plenária Ordinária nº 275 de 15 fevereiro de 2007, amparados

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO DE ARQUITETURA E URBANISMO DO RIO GRANDE DO NORTE

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO DE ARQUITETURA E URBANISMO DO RIO GRANDE DO NORTE ATO NORMATIVO Nº 01, DE 28 DE MARÇO DE 2012. Institui o Normativo de Pessoal EMPREGO DE LIVRE PROVIMENTO E DEMISSÃO DE NÍVEL SUPERIOR, EMPREGOS TEMPORÁRIOS DE NÍVEL SUPERIOR E EMPREGOS TEMPORÁRIOS DE NÍVEL

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 392 DE 19 DE DEZEMBRO DE 2002 (*) CONSIDERANDO a Instrução Normativa do Tribunal de Contas da União nº 42 de 03 de julho de 2002,

RESOLUÇÃO Nº 392 DE 19 DE DEZEMBRO DE 2002 (*) CONSIDERANDO a Instrução Normativa do Tribunal de Contas da União nº 42 de 03 de julho de 2002, RESOLUÇÃO Nº 392 DE 19 DE DEZEMBRO DE 2002 (*) 1014 Ementa: Estabelece manual de normas e procedimentos orçamentários, contábeis e financeiros, e dá outras providências. O Plenário do Conselho Federal

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ÁGUAS FRIAS CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 001/2015 ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS

PREFEITURA MUNICIPAL DE ÁGUAS FRIAS CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 001/2015 ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS ASSITENTE SOCIAL: Planejar, coordenar, controlar e avaliar programas e projetos na área do Serviço Social aplicados a indivíduos, grupos e comunidades. Elaborar e /ou participar

Leia mais

DO ORGANOGRAMA DAS DIRETORIAS DA ABA DA SUBSEÇÃO NACIONAL As diretorias Executivas da ABA, Nacional, Estadual e Regional, dividem-se em dois grupos,

DO ORGANOGRAMA DAS DIRETORIAS DA ABA DA SUBSEÇÃO NACIONAL As diretorias Executivas da ABA, Nacional, Estadual e Regional, dividem-se em dois grupos, DO ORGANOGRAMA DAS DIRETORIAS DA ABA DA SUBSEÇÃO NACIONAL As diretorias Executivas da ABA, Nacional, Estadual e Regional, dividem-se em dois grupos, sendo um grupo de Diretores Administrativos e um grupo

Leia mais

Conselho Federal de Contabilidade

Conselho Federal de Contabilidade Processo CFC n.º 2015/000011 INSTRUÇÃO DE TRABALHO INT/VPCI Nº 10/2015 Assunto: Orientação para encerramento do Exercício de 2014, elaboração do processo de Prestação de Contas do Sistema CFC/CRCs e alteração

Leia mais

º 000107-AL LEI COMPLEMENTAER Nº. 0042, DE 15 DE AGOSTO DE

º 000107-AL LEI COMPLEMENTAER Nº. 0042, DE 15 DE AGOSTO DE Referente ao Projeto de Lei Complementar n. º 000107-AL LEI COMPLEMENTAER Nº. 0042, DE 15 DE AGOSTO DE 2007. Publicada no Diário Oficial do Estado nº 4073, de 20.08.07 Autor: Deputado Jorge Amanajás Autoriza

Leia mais

Ministério da Educação. Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Proposta do. Regimento Geral. Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR

Ministério da Educação. Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Proposta do. Regimento Geral. Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Proposta do Regimento Geral da Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR Documento

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DA MARINA PORTO BÚZIOS - "AMMAR" CAPÍTULO II

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DA MARINA PORTO BÚZIOS - AMMAR CAPÍTULO II ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DA MARINA PORTO BÚZIOS - "AMMAR" CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃQ, SEDE, OBJETIVOS E DURAÇÃO Art.1 - Sob a denominação de AMMAR - Associação dos Moradores da Marina Porto

Leia mais

LEI N 0 2.181 DE 12 DE OUTUBRO DE 1978 O GOVERNO DO ESTADO DE SERGIPE,

LEI N 0 2.181 DE 12 DE OUTUBRO DE 1978 O GOVERNO DO ESTADO DE SERGIPE, LEI N 0 2.181 DE 12 DE OUTUBRO DE 1978 Autoriza o Poder Executivo a criar a Administração Estadual do Meio Ambiente, sob a forma de autarquia estadual, e dá outras providências. O GOVERNO DO ESTADO DE

Leia mais

Conselho Federal de Farmácia

Conselho Federal de Farmácia RESOLUÇÃO Nº 566 DE 6 DE DEZEMBRO DE 2012 Ementa: Aprova o Regulamento do Processo Administrativo Fiscal dos Conselhos Federal e Regionais de Farmácia. O CONSELHO FEDERAL DE FARMÁCIA, no uso das atribuições

Leia mais

PORTARIAN 4536/2013. gusto Viana Neto Presidente. José Is.

PORTARIAN 4536/2013. gusto Viana Neto Presidente. José Is. - 2" REGIAO Serviço Público Federal PORTARIAN 4536/2013 Altera o Regulamento Executivo das Delegacias Sub. regionais o Presidente do da 2 Região, no exercício regular de suas atribuições legais e regimentais,

Leia mais

RESOLUÇÃO CFN N 523/2013

RESOLUÇÃO CFN N 523/2013 Página 1 de 7 RESOLUÇÃO CFN N 523/2013 Institui, no âmbito do Sistema CFN/CRN, o Programa Nacional de Recuperação de Créditos (PNRC), autoriza a redução de encargos sobre dívidas em conciliação judicial

Leia mais

Serviço Público Municipal Prefeitura Municipal de Ubatã Estado da Bahia CNPJ: 14.235.253/0001-59 PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015.

Serviço Público Municipal Prefeitura Municipal de Ubatã Estado da Bahia CNPJ: 14.235.253/0001-59 PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. Estabelece os procedimentos e as normas a serem adotados pelos órgãos e entidades da administração pública estadual direta e indireta, para o encerramento anual

Leia mais

Art. 1º Nomear o (a) empregado (a) público (a) LUIS FILIPE DA CUNHA FRANCO para o cargo de ASSESSOR DE DIRETORIA do CONRERP RS/SC 4ª Região.

Art. 1º Nomear o (a) empregado (a) público (a) LUIS FILIPE DA CUNHA FRANCO para o cargo de ASSESSOR DE DIRETORIA do CONRERP RS/SC 4ª Região. PORTARIA Nº 005/2014 Nomeia Empregado Público aprovado no Processo Seletivo Público 001/13, para preenchimento da vaga de ASSESSOR DE DIRETORIA. O CONSELHO REGIONAL DE PROFISSIONAIS DE RELAÇÕES PÚBLICAS

Leia mais

PLANO ANUAL DE AUDITORIA INTERNA PAAI - 2015

PLANO ANUAL DE AUDITORIA INTERNA PAAI - 2015 PLANO ANUAL DE AUDITORIA INTERNA PAAI - 2015 1 PLANO ANUAL DE AUDITORIA INTERNA - PAAI 2015 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 03 2. AÇÕES COORDENADAS PELO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA - CNJ 2.1. Ações Coordenadas

Leia mais

SÓLAZER CLUBE DOS EXECEPCIONAIS - ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE ESPORTE CNPJ 28.008.530/0001-03

SÓLAZER CLUBE DOS EXECEPCIONAIS - ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE ESPORTE CNPJ 28.008.530/0001-03 SÓLAZER CLUBE DOS EXECEPCIONAIS - ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE ESPORTE CNPJ 28.008.530/0001-03 Capítulo I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS Art. 1º - O presente regulamento tem por finalidade

Leia mais

ESTATUTO ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO (ANPARQ)

ESTATUTO ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO (ANPARQ) ESTATUTO ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO (ANPARQ) CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, REGIME JURÍDICO, DURAÇÃO, SEDE E FORO Art. 1 - A Associação Nacional de Pesquisa

Leia mais

Minuta de Decreto nº (XXX), de (dia) de (mês) de (ano).

Minuta de Decreto nº (XXX), de (dia) de (mês) de (ano). Minuta de Decreto nº (XXX), de (dia) de (mês) de (ano). Aprova o Regimento Interno das Juntas Administrativas de Recursos de Infrações- JARI (nome do prefeito municipal), Prefeito Municipal de (nome do

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84, incisos IV e VI, da Constituição,

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84, incisos IV e VI, da Constituição, DECRETO 3.100, de 30 de Junho de 1999. Regulamenta a Lei nº 9.790, de 23 de março de 1999, que dispõe sobre a qualificação de pessoas jurídicas de direito privado, sem fins lucrativos, como Organizações

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPITULO I

REGIMENTO INTERNO CAPITULO I 1 Conselho Municipal do Idoso de São Caetano do Sul Lei n 4.179 de 23/10/2003. R. Heloísa Pamplona, 304 B. Fundação CEP 09520-310 São Caetano do Sul/SP. cmi@saocaetanodosul.sp.gov.br REGIMENTO INTERNO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 419, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2009

RESOLUÇÃO Nº 419, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2009 Publicada no Diário da Justiça Eletrônico, em 1º/12/2009. RESOLUÇÃO Nº 419, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre a utilização dos sistemas de telefonia fixa e de comunicação móvel do Supremo Tribunal

Leia mais

ESTATUTO CAPÍTULO I. DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE e DURAÇÃO CAPÍTULO II DAS FINANÇAS

ESTATUTO CAPÍTULO I. DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE e DURAÇÃO CAPÍTULO II DAS FINANÇAS ESTATUTO CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE e DURAÇÃO Art. 1 o. Sob a denominação APA de Jaboticabal - Associação Protetora dos Animais de Jaboticabal - fica fundada nesta cidade, onde terá sua sede,

Leia mais

Modelo - Projeto de Lei Municipal de criação do Conselho Municipal do Idoso

Modelo - Projeto de Lei Municipal de criação do Conselho Municipal do Idoso Fonte: Ministério Público do Rio Grande do Norte Responsável: Dra. Janaína Gomes Claudino Criação do Conselho Municipal do Idoso Modelo - Projeto de Lei Municipal de criação do Conselho Municipal do Idoso

Leia mais

MODELO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE ACOMPANHAMENTO E CONTROLE SOCIAL DO FUNDEB NO MUNICÍPIO DE DA FINALIDADE E COMPETÊNCIA DO CONSELHO

MODELO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE ACOMPANHAMENTO E CONTROLE SOCIAL DO FUNDEB NO MUNICÍPIO DE DA FINALIDADE E COMPETÊNCIA DO CONSELHO MODELO O conteúdo desse Modelo de Regimento Interno representa a contribuição do MEC, colocada à disposição dos Governos Municipais, a título de apoio técnico, previsto no art. 30, I, da Lei nº 11.494,

Leia mais

CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE CONTABILIDADE = TERMO DE REFERÊNCIA = PROCESSO SELETIVO

CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE CONTABILIDADE = TERMO DE REFERÊNCIA = PROCESSO SELETIVO CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE CONTABILIDADE = TERMO DE REFERÊNCIA = PROCESSO SELETIVO IADH JULHO / 2012 1. INTRODUÇÃO 1.1. Este Termo de Referência visa orientar a contratação de empresa especializados de

Leia mais

REGIMENTO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA DIRETORIA RIO GRANDE DO NORTE CAPITULO I. Da Caracterização, Sede, Foro e Objetivos

REGIMENTO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA DIRETORIA RIO GRANDE DO NORTE CAPITULO I. Da Caracterização, Sede, Foro e Objetivos REGIMENTO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA DIRETORIA RIO GRANDE DO NORTE CAPITULO I Da Caracterização, Sede, Foro e Objetivos Art.1º A Diretoria Regional (DR) da SBEM-RN é órgão executivo

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DA COMISSÃO ESTADUAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA DO ESTADO DO PARANÁ

ESTATUTO SOCIAL DA COMISSÃO ESTADUAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA DO ESTADO DO PARANÁ ESTATUTO SOCIAL DA COMISSÃO ESTADUAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA DO ESTADO DO PARANÁ CAPÍTULO I DA SOCIEDADE, DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE, PRAZO E FINALIDADES Artigo 1 - A Comissão Estadual de Residência Médica

Leia mais