Inseticida 1. Doses. Modalidade de aplicação. Culturas. Pragas controladas

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Inseticida 1. Doses. Modalidade de aplicação. Culturas. Pragas controladas"

Transcrição

1 COMPOSIÇÃO: Imidacloprido 200 g/l CLASSE: Inseticida GRUPO QUÍMICO: Neonicotinoide TIPO DE FORMULAÇÃO: Suspensão Concentrada (SC) CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA III - MEDIANAMENTE TÓXICO INSTRUÇÕES DE USO: CULTURAS: KOHINOR 200 SC é um Inseticida sistêmico recomendado para as culturas abacaxi, alface, algodão, alho, batata, berinjela, cebola, citros, couve, couve-flor, crisântemo, feijão, fumo (canteiro e lavoura), gérbera, melancia, melão, pepino, pimentão, poinsétia, repolho e tomate. PRAGAS E DOSES: Culturas Abacaxi Alface Algodão Alho Batata Cochonilha-do-abacaxi Dysmicoccus brevipes Cupim Syntermes molestus* Frankliniella schultzei Pulgão-do-algodoeiro Aphis gossypii Frankliniella schultzei Percevejo-rajado Horcias nobilellus* 70 ml/100 L 14 g/100 L ml/ha g/ha 800 ml/ha 160 g/ha 250 ml/ha 50 g/ha Inseticida 1

2 Culturas Berinjela Cebola Citros Couve, couve-flor* e repolho* Crisântemo Feijão Fumo (canteiro) Fumo (lavoura) (rega) * Moscas-brancas * Moscas-brancas Minadora-das-folhas Phyllocnistis citrella Cigarrinha-da-cvc Oncometopia facialis Pulgão-preto-dos-citrus Toxoptera citricida Psilídio Diaphorina citri Cochonilha-Orthezia Orthezia praelonga* Mosca-negra-dos-citros Aleurocanthus woglumi* Pulgão-da-couve Brevicoryne brassicae Cigarrinha Empoasca kraemeri Broca-do-fumo Faustinus cubae* Broca-do-fumo Faustinus cubae* 15 ml/100 L ml /100 L água ml/100 L g/100 L g/100 L 500 ml/ha 100 g/ha 50 ml/50 m² 10 g/50 m² 1,2 L/ha 240 g/ha Inseticida 2

3 Culturas Gérbera Melancia Melão Pepino Pimentão Poinsétia Tomate Aphis gossypii* Mosca branca Aphis gossypii * Aphis gossypii* Pulgão-das-solanáceas Macrosiphum euphorbiae 250 ml/ha 50 g/ha ml/ha g/ha *Restrição temporária de uso no Estado do Paraná Obs: Nas indicações com faixa de doses, utilizar a dose maior quando constatada forte infestação e condições ideais para o desenvolvimento da praga. Inseticida 3

4 NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO: Abacaxi: recomenda-se uma única aplicação cerca de 30 dias após o transplante. Alface: fazer no máximo 03 aplicações, com intervalo de 07 dias entre as aplicações, iniciando-se logo após o Algodão: iniciar o controle quando em 7 das 10 plantas examinadas, as folhas estiverem começando a se deformar e existirem pulgões vivos. É importante o controle até dias após a emergência das plantas. Para mosca-branca, iniciar a aplicação logo após o aparecimento da praga e reaplicar seguindo o ciclo da mesma, fazendo rotação de produtos que possuam diferentes mecanismos de ação sobre os insetos. Fazer no máximo 04 aplicações /ciclo da cultura. Alho: fazer no máximo 05 aplicações, com intervalo de 10 dias, iniciando-se logo após o Batata: fazer no máximo 03 aplicações, com intervalo de 15 dias, iniciando-se logo após o Berinjela: quando as aplicações são na forma de pulverizações foliares fazer no máximo 04 aplicações, com intervalo de 05 dias, iniciando-se logo após o Nas aplicações em jato dirigido no colo das plantas realizar uma única aplicação após o transplante. Cebola: aplicação única, no início do Citros: fazer no máximo 04 aplicações, com intervalo de 14 dias, iniciando-se logo após o aparecimento das pragas. Recomenda-se adicionar 0,25% de adjuvante (óleo vegetal ou mineral) no controle da cigarrinha-da-cvc (Oncometopia faciallis) e do Psilídio (Diaphorina citri). Couve, couve-flor, pimentão e repolho: aplicação única após o transplante. Feijão: fazer no máximo 03 aplicações, com intervalo de 14 dias, iniciando-se logo após o Fumo: no tratamento de canteiro, são feitas duas aplicações, a primeira logo após a semeadura e a segunda, 45 dias após. Na cultura definitiva, aplicar logo após o transplante. Melão: quando as aplicações são na forma de pulverizações foliares fazer no máximo 05 aplicações, com intervalo de 07 dias, iniciando-se logo após o Nas aplicações em jato dirigido, fazer uma aplicação logo após a emergência das plantas. Melancia e pepino: fazer uma aplicação logo após a emergência das plantas. Tomate: quando as aplicações são na forma de pulverizações foliares fazer no máximo 05 aplicações, com intervalo de 04 dias, iniciando-se logo após o Nas aplicações em jato dirigido, realizar uma única aplicação após o transplante. Para as culturas que normalmente exigem um elevado número de aplicações durante o ciclo vegetativo, tecnicamente é recomendada a rotação com inseticidas de grupos químicos e modo de ação diferentes, visando o não aparecimento de pragas resistentes. Para as culturas de crisântemo, gérbera e poinsétia a recomendação é iniciar a aplicação logo após o aparecimento da praga e realizar no máximo 3 aplicações, com intervalo de 3-7 dias, seguindo o ciclo das mesmas. Fazer rotação com produtos que possuam mecanismo de ação diferentes. Inseticida 4

5 MODO DE APLICAÇÃO: Aplicação foliar: O produto KOHINOR 200 SC deve ser diluído e aplicado na forma de, com equipamentos terrestres (pulverizador costal manual, motorizado, tratorizado ou atomizadores). Os equipamentos devem ser dotados com bico de jato cônico vazio da série D ou similar, com pressão de trabalho suficiente para proporcionar tamanho de gotas de 150 a 300 µ (micra) VMD e densidade de 20 a 30 gotas/cm 2, variando com o tamanho da gota e/ou volume. Nas culturas de algodão e feijão utiliza-se L de calda/ha, enquanto para Batata utiliza-se L de calda/ha. Para alface, no controle de e Frankliniella schultzei utilizar um volume de calda de 500 L/ha e para, utilizar 1000 L de calda/ha. Em berinjela, melão e tomate, utilizar L de calda/ha. Para citros, de L de calda/ha. Nas culturas de alho e cebola recomendase adicionar espalhante adesivo à calda e a aplicação é feita com pulverizadores de barra equipados com bicos cônicos, utilizando-se L de calda/ha. Em crisântemo, gérberas e poinsétia o produto é aplicado na forma de, utilizando-se 1000 L de calda/ha. Aplicação : Para as culturas de berinjela, couve, couve-flor, repolho, melancia, melão, pepino, pimentão e tomate, a dose recomendada do produto é diluída em água e aplicada na forma de jato dirigido planta a planta, utilizando-se ml de calda por planta, de forma a atingir o caule e escorrer para o chão; exceto para a cultura de abacaxi que são recomendados 30 a 50 ml de calda/planta. No tratamento de fumo em canteiro, a dose recomendada é diluída em 40 L e aplicada na forma de rega. Condições climáticas: Para obter uma melhor eficiência do produto a aplicação deverá ocorrer dentro dos seguintes parâmetros: - Temperatura ambiente até 30 C; - Umidade relativa do ar no mínimo de 60%; - Velocidade do vento entre 3 e 10 km/h; A aplicação poderá ser feita fora das condições acima descritas a critério do Engenheiro Agrônomo, evitando sempre a deriva e perdas do produto por evaporação. Para outros parâmetros referentes à tecnologia, seguir as recomendações técnicas indicadas pela pesquisa e/ou assistência técnica da região, sempre sob orientação de um Engenheiro Agrônomo. INTERVALO DE SEGURANÇA: Culturas...Dias Abacaxi...75 Alface, couve e melão...14 Algodão e alho...30 Batata, cebola, citros e feijão...21 Berinjela, pimentão e tomate...07 Couve-flor...82 Repolho...50 Melancia e pepino...40 Crisântemo, gérberas, poinsétia e fumo... UNA* * UNA - uso não alimentar INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS: Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite de entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicação. LIMITAÇÕES DE USO: Os usos do produto estão restritos aos indicados no rótulo e bula. Quando este produto for utilizado nas doses recomendadas, não causará danos às culturas indicadas. IMPORTANTE: Antes de usar o produto, observar as demais instruções constantes no rótulo e/ou bula. Consulte sempre as medidas gerais quanto às precauções no manuseio. Inseticida 5

Imidacloprid 700WG TRIPLA AÇÃO NA PROTEÇÃO DE CULTIVOS

Imidacloprid 700WG TRIPLA AÇÃO NA PROTEÇÃO DE CULTIVOS Imidacloprid 700WG TRIPLA AÇÃO NA PROTEÇÃO DE CULTIVOS Imidacloprid 700WG Inseticida de tripla ação: sistêmico, de contato e ingestão Galeão é um inseticida sistêmico, do grupo dos neonicotinóides que

Leia mais

EVIDENCE 700 WG VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICO DO ESTADO DO PARANÁ.

EVIDENCE 700 WG VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICO DO ESTADO DO PARANÁ. EVIDENCE 700 WG VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICO DO ESTADO DO PARANÁ. Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento/MAPA sob nº 006294 COMPOSIÇÃO: 1-(6-chloro-3-pyridylmethyl)-N-nitroimidazolidin-2-ylideneamine

Leia mais

PROVADO 200 SC VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICO DO PARANÁ.

PROVADO 200 SC VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICO DO PARANÁ. PROVADO 200 SC VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICO DO PARANÁ. Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento/MAPA sob nº 06301 COMPOSIÇÃO: 1-(6-chloro-3-pyridynilmethyl)-N-nitroimidazolidim-2-ylideneamine

Leia mais

Indicações de uso registradas

Indicações de uso registradas WARRANT Nº do Registro 08398 Registrante Classe Agronômica Modo de Ação Modalidade de Emprego Composição Química Grupo Químico Formulação Química Forma de Aplicação Classificação Toxicológica Classificação

Leia mais

300 a 500 Cana-deaçúcar Diatraea saccharalis Broca-da-cana 100 a 150-300. - 50 Maçã. da-folha

300 a 500 Cana-deaçúcar Diatraea saccharalis Broca-da-cana 100 a 150-300. - 50 Maçã. da-folha COMPOSIÇÃO: Novalurom 100 g/l CLASSE: Inseticida GRUPO QUÍMICO: Benzoilureia TIPO DE FORMULAÇÃO: Concentrado Emulsionável (EC) CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA I - EXTREMAMENTE TÓXICO INSTRUÇÕES DE USO: O RIMON

Leia mais

ACTARA 250 WG VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICO DO PARANÁ.

ACTARA 250 WG VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICO DO PARANÁ. ACTARA 250 WG VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICO DO PARANÁ. Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA sob nº 10098. Composição: Ingrediente ativo:

Leia mais

ACTARA 250 WG. Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA sob nº: 10098.

ACTARA 250 WG. Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA sob nº: 10098. ACTARA 250 WG Logomarca do produto Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA sob nº: 10098. COMPOSIÇÃO: 3-(2-chloro-1,3-thiazol-5-ylmethyl)-5-methyl-1,3,5-oxadiazinan-4-ylidene(nitro)amine

Leia mais

Indicações de uso Modalidade de Emprego Dose p.c. Volume de Calda Terrestre Myzus persicae. 200 a 1000 L/ha. Foliar

Indicações de uso Modalidade de Emprego Dose p.c. Volume de Calda Terrestre Myzus persicae. 200 a 1000 L/ha. Foliar azamax Número do registro: 14807 Registrante: UPL do Brasil Classe Agronômica: Acaricida + Inseticida Modalidade de emprego: + (mudas) Composição Química: azadiractina (12 g/l) Grupo Químico: tetranortriterpenóide

Leia mais

Eng.º Agr.º José Maria Fernandes dos Santos

Eng.º Agr.º José Maria Fernandes dos Santos PONTOS CRÍTICOS NA APLICAÇÃO DE DEFENSIVOS Eng.º Agr.º José Maria Fernandes dos Santos Pesquisador Científico Laboratório de Proteção e Clínica Vegetal E-mail: santosjmf@biologico.sp.gov.br Fone/Fax: (11)

Leia mais

N-(1-ethypropyl)-2,6-dinitro-3,4-xylidine (PENDIMETALINA)...500 g/l (50% m/v) Ingredientes inertes...500 g/l (50% m/v)

N-(1-ethypropyl)-2,6-dinitro-3,4-xylidine (PENDIMETALINA)...500 g/l (50% m/v) Ingredientes inertes...500 g/l (50% m/v) Composição N-(1-ethypropyl)-2,6-dinitro-3,4-xylidine (PENDIMETALINA)...500 g/l (50% m/v) Ingredientes inertes...500 g/l (50% m/v) Classe Herbicida seletivo, de ação não sistêmica do grupo químico das dinitroanilinas.

Leia mais

DERIVA EM APLICAÇÕES AÉREAS DE PRODUTOS LÍQUIDOS Perguntas mais freqüentes

DERIVA EM APLICAÇÕES AÉREAS DE PRODUTOS LÍQUIDOS Perguntas mais freqüentes DERIVA EM APLICAÇÕES AÉREAS DE PRODUTOS LÍQUIDOS Perguntas mais freqüentes 1. O que é DERIVA? DERIVA é o deslocamento horizontal que sofrem as gotas desde o seu ponto de lançamento até atingirem o seu

Leia mais

P ROTEÇÃO E A ÇÃO DE P ROFUNDIDADE EM TODAS AS FASES DA CULTURA

P ROTEÇÃO E A ÇÃO DE P ROFUNDIDADE EM TODAS AS FASES DA CULTURA P ROTEÇÃO E A ÇÃO DE P ROFUNDIDADE EM TODAS AS FASES DA CULTURA Fungicida com ação de profundidade tem nome e sobrenome: Cimox WP Helm Cimox WP Helm é um fungicida composto por 80g de Cymoxanil e 640g

Leia mais

O produto MATCH CE é recomendado para o controle das pragas nas culturas relacionadas a seguir e suas respectivas doses:

O produto MATCH CE é recomendado para o controle das pragas nas culturas relacionadas a seguir e suas respectivas doses: MATCH CE Dados técnicos Nome comum do ingrediente ativo: LUFENURON Registro no Ministério da Agricultura e do Abastecimento: nº 09195 Classe: inseticida fisiológico do grupo químico aciluréia Composição:

Leia mais

Herbicida 1. Acanthospermum hispidum Acanthospermum australe. Carrapicho-de-carneiro

Herbicida 1. Acanthospermum hispidum Acanthospermum australe. Carrapicho-de-carneiro COMPOSIÇÃO: Diurom 800 g/kg CLASSE: Herbicida GRUPO QUÍMICO: Ureia TIPO DE FORMULAÇÃO: Granulado Dispersível (WG) CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA III - MEDIANAMENTE TÓXICO INSTRUÇÕES DE USO DO PRODUTO: CULTURAS:

Leia mais

MOSPILAN VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO PARANÁ

MOSPILAN VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO PARANÁ MOSPILAN VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO PARANÁ Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA sob nº 10498 COMPOSIÇÃO: (E)-N1-[(6-chloro-3-pyridyl)methyl]-N2-cyano-N1-methylacetamidine

Leia mais

Calibração de deposição de agrotóxicos e bioinseticidas

Calibração de deposição de agrotóxicos e bioinseticidas Calibração de deposição de agrotóxicos e bioinseticidas A aplicação de produtos químicos ou biológicos para controle de pragas pode ser feita com tratores equipados com pulverizadores de barra com bicos

Leia mais

Herbicida 1. CULTURAS PLANTAS DANINHAS ESTÁDIO DOSE (L/ha)

Herbicida 1. CULTURAS PLANTAS DANINHAS ESTÁDIO DOSE (L/ha) COMPOSIÇÃO: PROPAQUIZAFOPE 100 g/l CLASSE: Herbicida GRUPO QUÍMICO: Ácido Ariloxifenoxipropiônico TIPO DE FORMULAÇÃO: Concentrado Emulsionável CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA III - MEDIANAMENTE TÓXICO INSTRUÇÕES

Leia mais

QUALIDADE EM TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE DEFENSIVOS

QUALIDADE EM TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE DEFENSIVOS 1 QUALIDADE EM TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE DEFENSIVOS Prof. Dr. Ulisses Rocha Antuniassi FCA/UNESP Caixa Postal 237-18603-970 - Botucatu/SP - Fone: (14) 96711604 ulisses@fca.unesp.br 1. Conceitos básicos

Leia mais

I Encontro Nacional sobre Registro de Agrotóxicos para CSFI. Roberson Marczak Innovation Manager

I Encontro Nacional sobre Registro de Agrotóxicos para CSFI. Roberson Marczak Innovation Manager I Encontro Nacional sobre Registro de Agrotóxicos para CSFI Brasilia- 26 / 10 / 2011 Roberson Marczak Innovation Manager Portfolio MILENIA para CSFI Fungicidas Inseticidas arcadia supra SC Herbicidas 2

Leia mais

Tecnologia de aplicação de Agrotóxicos

Tecnologia de aplicação de Agrotóxicos Tecnologia de aplicação de Agrotóxicos Engº. Agrº. M. Sc. Aldemir Chaim Laboratório de Tecnologia de Aplicação de Agrotóxicos Embrapa Meio Ambiente História da aplicação de defensivos Equipamento de aplicação

Leia mais

MINER OIL. Verificar as restrições de uso constantes na lista de agrotóxicos do Paraná

MINER OIL. Verificar as restrições de uso constantes na lista de agrotóxicos do Paraná MINER OIL Verificar as restrições de uso constantes na lista de agrotóxicos do Paraná Registrado Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA sob Nº 05400 COMPOSIÇÃO: Mistura de hidrocarbonetos

Leia mais

EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO

EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO 1. Um agricultor relata que não está tendo controle satisfatório na aplicação de um herbicida. Afirma estar aplicando conforme recomendação do fabricante do produto (x litros p.c./ha

Leia mais

O nome do produto e o logo Syngenta são marcas de uma Companhia do Grupo Syngenta

O nome do produto e o logo Syngenta são marcas de uma Companhia do Grupo Syngenta POLO 500 WP Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) sob nº: COMPOSIÇÃO: Ingrediente ativo: 1 tert butyl 3 (2,6 di isopropyl 4 phenoxyphenyl) thiourea (DIAFENTIUROM)...50%

Leia mais

RELATÓRIO DO PRODUTO

RELATÓRIO DO PRODUTO Composição Grupo químico Classe Modo de ação Formulação Classif. toxicológica Classif. ambiental Empresa CIPERMETRINA 200 g/l PIRETRÓIDE INSETICIDA CONTATO E INGESTÃO CONCENTRADO EMULSIONÁVEL III - MEDIANAMENTE

Leia mais

Treinamento. Arbus 400 Golden

Treinamento. Arbus 400 Golden Arbus 400 Golden Treinamento Arbus 400 Golden Prof. Brandão - Operação - Manutenção - Regulagem da pulverização Arbus 400 Golden Arbus 400 Maçã 33 Apresentação da máquina Tanque de Defensivos Aplicação

Leia mais

DIMEXION BULA. INSTRUÇÕES DE USO: Dimexion é um inseticida organofosforado, com ação de contato, de profundidade e sistêmica.

DIMEXION BULA. INSTRUÇÕES DE USO: Dimexion é um inseticida organofosforado, com ação de contato, de profundidade e sistêmica. BULA DIMEXION Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento -MAPA sob o n o 01808701 COMPOSIÇÃO: Ingrediente ativo: O,O-dimethyl S-methylcarbamoylmethyl phosphorodithioate (DIMETOATO)...

Leia mais

Aspectos técnicos da Pulverização aérea

Aspectos técnicos da Pulverização aérea Aspectos técnicos da Pulverização aérea a Semana da Citricultura 06 a 10 de junho de 2011. Eng. Agr. Yasuzo Ozeki Celular > (11) 9629-919 Telef.Fixo > (11) 021-415 E-mail > yasuzo@uol.com.br Princípios

Leia mais

EVIDENCE VERIFICAR AS RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS NO PARANÁ

EVIDENCE VERIFICAR AS RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS NO PARANÁ EVIDENCE VERIFICAR AS RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS NO PARANÁ Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA sob nº 05996 COMPOSIÇÃO: 1 (6 Chloro 3 pyridylmethy)

Leia mais

Uso Profissional. www.saudeambiental.com.br. Um grupo de negócios operacionais da Bayer CropScience. Consulte um Profissional

Uso Profissional. www.saudeambiental.com.br. Um grupo de negócios operacionais da Bayer CropScience. Consulte um Profissional Assessoria de Propaganda Bayer Um grupo de negócios operacionais da Bayer CropScience Consulte um Profissional Uso Profissional www.saudeambiental.com.br Produto de venda restrita à empresa especializada

Leia mais

Sugestão de Cardápio para o Jejum de 21 dias do MIESF12

Sugestão de Cardápio para o Jejum de 21 dias do MIESF12 ALMOÇO 1 Dia 2 Dia 3 Dia de ervas -Pão torrado -Mamão - fruta (melão) ou água de côco -Salada de folhas temperadas c/ azeite e orégano. -1 prato de sobremesa de legumes cozidos ou purê de batatas. - Arroz

Leia mais

FUSILADE 250 EW. Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) sob nº: 005796

FUSILADE 250 EW. Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) sob nº: 005796 FUSILADE 250 EW Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) sob nº: 005796 COMPOSIÇÃO: Ingrediente ativo: butyl (R) 2 [4 (5 trifluoromethyl 2 pyridyloxy) phenoxy]propionate

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA: II - ALTAMENTE TÓXICO CLASSIFICAÇÃO DO POTENCIAL DE PERICULOSIDADE AMBIENTAL: II PRODUTO MUITO PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE

CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA: II - ALTAMENTE TÓXICO CLASSIFICAÇÃO DO POTENCIAL DE PERICULOSIDADE AMBIENTAL: II PRODUTO MUITO PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento/MAPA sob nº 01192 COMPOSIÇÃO: Reaction mixture of 2 enantiomeric pairs: pair I (S)-a-cyano-4-fluoro-3-phenoxybenzyl(1R)-cis-3-(2,2- dichlorovinyl)-2,2-dimethylcyclopropanecarboxylate

Leia mais

Inseticida/acaricida de contato e ingestão do grupo químico benzoiluréia

Inseticida/acaricida de contato e ingestão do grupo químico benzoiluréia Composição 1-[4-(2-chloro-α,α,α-trifluoro-p-tolyloxy)-2-fluorophenyl]-3-(2,6-difluorobenzoyl) urea (FLUFENOXUROM)... 100 g/l (10,0% m/v) Ingredientes Inertes... 878 g/l (87,8% m/v) Classe Inseticida/acaricida

Leia mais

controlar para crescer NUTRIENTE IDEAL PARA FLORAÇÃO, FRUTIFICAÇÃO E FORMAÇÃO DE SEMENTES FLORAÇÃO

controlar para crescer NUTRIENTE IDEAL PARA FLORAÇÃO, FRUTIFICAÇÃO E FORMAÇÃO DE SEMENTES FLORAÇÃO controlar para crescer NUTRIENTE IDEAL PARA FLORAÇÃO, FRUTIFICAÇÃO E FORMAÇÃO DE SEMENTES FLORAÇÃO F1 DESCRIÇÃO DO PRODUTO USO EM SOLO NATURAL No solo natural o Photogenesis F1 irá complementar os nutrientes

Leia mais

Tracer* ANTES DE USAR O PRODUTO LEIA O RÓTULO, A BULA E A RECEITA E CONSERVE-OS EM SEU PODER.

Tracer* ANTES DE USAR O PRODUTO LEIA O RÓTULO, A BULA E A RECEITA E CONSERVE-OS EM SEU PODER. Tracer* 1111 ANTES DE USAR O PRODUTO LEIA O RÓTULO, A BULA E A RECEITA E CONSERVE-OS EM SEU PODER. É OBRIGATÓRIO O USO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL. PROTEJA-SE. É OBRIGATÓRIA A DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM

Leia mais

2 As contribuições recebidas serão públicas e permanecerão à disposição de todos no site da Anvisa.

2 As contribuições recebidas serão públicas e permanecerão à disposição de todos no site da Anvisa. Agência Nacional de Vigilância Sanitária www.anvisa.gov.br Consulta Pública n 253, de 23 de setembro de 2016 D.O.U de 26/09/2016 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso

Leia mais

AUREO - [Adjuvante] bayercropscience.com.br/site/nossosprodutos/ /DetalheDoProduto.fss?Produto=176

AUREO - [Adjuvante] bayercropscience.com.br/site/nossosprodutos/ /DetalheDoProduto.fss?Produto=176 Você está em: Home» AUREO - [Adjuvante] Princípio ativo Éster metílico de óleo de soja REGISTRO Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento/MAPA sob nº 001507. COMPOSIÇÃO Éster metílico

Leia mais

AGROTEC TECNOLOGIA AGRÍCOLA E INDUSTRIAL LTDA

AGROTEC TECNOLOGIA AGRÍCOLA E INDUSTRIAL LTDA Aplicação aérea no controle de doenças em Soja Eduardo Cordeiro de Araújo 1 As doenças que afetam a cultura da Soja sempre estiveram presentes mas quase sempre foram subestimadas em sua importância. O

Leia mais

COMO TRABALHAR COM BVO DR. MARCOS VILELA DE M. MONTEIRO¹, E-mail: bioaeronautica@terra.com.br

COMO TRABALHAR COM BVO DR. MARCOS VILELA DE M. MONTEIRO¹, E-mail: bioaeronautica@terra.com.br COMO TRABALHAR COM BVO DR. MARCOS VILELA DE M. MONTEIRO¹, 1 Eng o. Agrônomo, Centro Brasileiro de Bioaeronáutica (CBB) Sorocaba, SP E-mail: bioaeronautica@terra.com.br Formulações para Aplicações em BVO

Leia mais

REVUS VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO PARANÁ

REVUS VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO PARANÁ REVUS VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO PARANÁ Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento sob o nº 10308. COMPOSIÇÃO: Ingrediente ativo:2-(4-chloro-phenyl)-n-[2-(3-methoxy-4-prop-2-ynyloxy-phenyl)-ethyl]-2-

Leia mais

Importância da pulverização aérea no controle de pragas dos citros

Importância da pulverização aérea no controle de pragas dos citros Importância da pulverização aérea no controle de pragas dos citros Marcelo Pedreira de Miranda Pesquisador Científico - Fundecitrus PRAGAS DOS CITROS Psilídeo Mosca-das-frutas Minador-dos-citros Bicho-furão

Leia mais

COMPOSIÇÃO: CLASSE: GRUPO QUÍMICO: TIPO DE FORMULAÇÃO:

COMPOSIÇÃO: CLASSE: GRUPO QUÍMICO: TIPO DE FORMULAÇÃO: COMPOSIÇÃO: Glifosato 480 g/l CLASSE: Herbicida GRUPO QUÍMICO: Glicina Substituída TIPO DE FORMULAÇÃO: Concentrado Solúvel CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA III - MEDIANAMENTE TÓXICO INSTRUÇÕES DE USO: CULTURA:

Leia mais

Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA sob nº 01938789

Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA sob nº 01938789 Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA sob nº 01938789 COMPOSIÇÃO: Mistura de hidrocarbonetos parafínicos, ciclo parafínicos e aromáticos saturados e insaturados provenientes

Leia mais

1. Manejo da Horta e Prevenção de Pragas

1. Manejo da Horta e Prevenção de Pragas 1. Manejo da Horta e Prevenção de Pragas Em agricultura orgânica sempre se busca o equilíbrio ecológico e a prevenção de problemas que afetam a saúde das plantas. Através do uso de algumas técnicas simples

Leia mais

Energia para pulverização

Energia para pulverização BICOS DE PULVERIZAÇÃO ALTO VOLUME GOTAS PEQUENAS Energia para pulverização Diferentes Tipos de Bicos Classificação em função da energia gerada para pulverização a) Centrífuga b) Pneumática c) Eletrostática

Leia mais

GLADIUM - [Herbicida]

GLADIUM - [Herbicida] Você está em: Home» GLADIUM - [Herbicida] Produto aplicável nas culturas Princípio ativo Arroz Irrigado Etoxissulfurom REGISTRO Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento/MAPA sob

Leia mais

PROVADO 200 SC - [Inseticida]

PROVADO 200 SC - [Inseticida] Você está em: Home» PROVADO 200 SC - [Inseticida] Produto aplicável nas culturas Princípio ativo Alface Alho Batata Cebola Couve Feijão Goiaba Manga Melancia Pepino Poinsétia Uva Algodão Banana Berinjela

Leia mais

Serviço Social do Comércio DEPARTAMENTO NACIONAL Estância Ecológica SESC-Pantanal CONCORRÊNCIA N.º 15/0009 - CC

Serviço Social do Comércio DEPARTAMENTO NACIONAL Estância Ecológica SESC-Pantanal CONCORRÊNCIA N.º 15/0009 - CC Serviço Social do Comércio DEPARTAMENTO NACIONAL Estância Ecológica SESC-Pantanal CONCORRÊNCIA N.º 15/0009 - CC ANEXO IV MEMORIAL DE MANUTENÇÃO PAISAGISMO HOTEL SESC MEMORIAL DE MANUTENÇÃO DE JARDIM HOTEL

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA: III - MEDIANAMENTE TÓXICO CLASSIFICAÇÃO DO POTENCIAL DE PERICULOSIDADE AMBIENTAL: III - PRODUTO PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE

CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA: III - MEDIANAMENTE TÓXICO CLASSIFICAÇÃO DO POTENCIAL DE PERICULOSIDADE AMBIENTAL: III - PRODUTO PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento/MAPA sob nº 06301 COMPOSIÇÃO: 1-(6-chloro-3-pyridylmethyl)-n-nitroimidazolidin-2-ylideneamine (IMIDACLOPRIDO)... 200 g/l (20 % m/v) Outros

Leia mais

TILT é um fungicida sistêmico recomendado para o controle das seguintes doenças nas culturas e doses abaixo:

TILT é um fungicida sistêmico recomendado para o controle das seguintes doenças nas culturas e doses abaixo: TILT Dados técnicos Nome comum do ingrediente ativo: PROPICONAZOLE Registro no Ministério da Agricultura e do Abastecimento: nº 03058395 Classe: fungicida sistêmico do grupo químico dos triazóis Composição:

Leia mais

PROGRAMA ARYSTA NO CONTROLE DA FERRUGEM E CERCOSPORA DO CAFEEIRO NAS CONDIÇÕES DE CERRADO EM LAVOURA IRRIGADA POR GOTEJAMENTO

PROGRAMA ARYSTA NO CONTROLE DA FERRUGEM E CERCOSPORA DO CAFEEIRO NAS CONDIÇÕES DE CERRADO EM LAVOURA IRRIGADA POR GOTEJAMENTO PROGRAMA ARYSTA NO CONTROLE DA FERRUGEM E CERCOSPORA DO CAFEEIRO NAS CONDIÇÕES DE CERRADO EM LAVOURA IRRIGADA POR GOTEJAMENTO SANTINATO, R. ENGENHEIRO AGRÔNOMO, MAPA-PRÓCAFÉ, CAMPINAS, SP MOSCA, E. ENGENHEIRO

Leia mais

EVIDENCE 700 WG - [Inseticida]

EVIDENCE 700 WG - [Inseticida] Você está em: Home» EVIDENCE 700 WG - [Inseticida] Produto aplicável nas culturas Princípio ativo Abacaxi Abobrinha Algodão Almeirão Berinjela Cana-de-açúcar Chicória Couve Crisântemo Eucalipto Feijão

Leia mais

Mal de Chagas e os inseticidas

Mal de Chagas e os inseticidas Mal de Chagas e os inseticidas A UU L AL A Em 1909, o médico e cientista brasileiro Carlos Chagas estava pesquisando a malária, em Minas Gerais, quando foi informado da existência de um inseto que se alimentava

Leia mais

CLASSE: INSETICIDA SISTÊMICO DO GRUPO QUÍMICO DOS NEONICOTINÓIDES TIPO DE FORMULAÇÃO: SUSPENSÃO CONCENTRADA PARA TRATAMENTO DE SEMENTES (FS)

CLASSE: INSETICIDA SISTÊMICO DO GRUPO QUÍMICO DOS NEONICOTINÓIDES TIPO DE FORMULAÇÃO: SUSPENSÃO CONCENTRADA PARA TRATAMENTO DE SEMENTES (FS) CRUISER 350 FS DADOS TÉCNICOS COMPOSIÇÃO: Ingrediente ativo: 3 (2 cloro tiazol 5 ilmetil) 5 metil [1,3,5] oxadiazinan 4 ilideno N nitroamina (TIAMETOXAM)......... 35 % m/v (350 g/l) Ingredientes inertes:...

Leia mais

Formulações de Adjuvantes Agrícolas

Formulações de Adjuvantes Agrícolas ADJUVANTES Formulações de Adjuvantes Agrícolas ADJUVANTES: - Substância inerte adicionados à formulação ou à calda para melhorar a eficiência da aplicação. Podem ser divididos em 2 grupos: a) Surfatantes:

Leia mais

Manejo Integrado de Pragas de Grandes Culturas

Manejo Integrado de Pragas de Grandes Culturas Manejo Integrado de Pragas de Grandes Culturas Marcelo C. Picanço Prof. de Entomologia Universidade Federal de Viçosa Telefone: (31)38994009 E-mail: picanco@ufv.br Situação do Controle de Pragas de Grandes

Leia mais

QUALIDADE DE VESTIMENTAS DE PROTEÇÃO PARA RISCOS QUÍMICOS

QUALIDADE DE VESTIMENTAS DE PROTEÇÃO PARA RISCOS QUÍMICOS QUALIDADE DE VESTIMENTAS DE PROTEÇÃO PARA RISCOS QUÍMICOS Em 2009 a Secretaria de Inspeção do Trabalho (SIT) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), através do Departamento de Segurança e Saúde do Trabalho

Leia mais

PROTEÇÃO DE CULTIVOS. Manejo de plantas daninhas IMPORTÂNCIA DA CORRETA APLICAÇÃO DO GLIFOSATO PARA O DESENVOLVIMENTO E A PRODUTIVIDADE DAS CULTURAS

PROTEÇÃO DE CULTIVOS. Manejo de plantas daninhas IMPORTÂNCIA DA CORRETA APLICAÇÃO DO GLIFOSATO PARA O DESENVOLVIMENTO E A PRODUTIVIDADE DAS CULTURAS Observar os corretos parâmetros para uma boa pulverização (utilizar pontas, filtros e volumes de calda e DMV de gota adequados para cada situação). A utilização do glifosato, desde a implantação das culturas

Leia mais

NATUR'L ÓLEO VERIFICAR RESTRIÇÕES CONSTANTES NA LISTA DE AGROTOXICOS DO ESTADO DO PARANA

NATUR'L ÓLEO VERIFICAR RESTRIÇÕES CONSTANTES NA LISTA DE AGROTOXICOS DO ESTADO DO PARANA NATUR'L ÓLEO VERIFICAR RESTRIÇÕES CONSTANTES NA LISTA DE AGROTOXICOS DO ESTADO DO PARANA Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA sob nº 02048304 COMPOSIÇÃO: Óleo Vegetal...930

Leia mais

UM PULVERIZADOR BEM REGULADO E CALIBRADO É A CERTEZA DE UMA APLICAÇÃO EFICIENTE E SEGURA!!

UM PULVERIZADOR BEM REGULADO E CALIBRADO É A CERTEZA DE UMA APLICAÇÃO EFICIENTE E SEGURA!! DE PULVERIZADORES AGRÍCOLAS Este material faz parte da apostila do Curso de Tecnologia de Aplicação da Comam Ltda Carlos Alberto Magalhães Cordeiro Paulo Otavio Coutinho Fabiano de Matino Motta Engs Agrônomos

Leia mais

08/04/2013 PRAGAS DO FEIJOEIRO. Broca do caule (Elasmopalpus legnosellus) Lagarta rosca (Agrotis ipsilon)

08/04/2013 PRAGAS DO FEIJOEIRO. Broca do caule (Elasmopalpus legnosellus) Lagarta rosca (Agrotis ipsilon) Pragas que atacam as plântulas PRAGAS DO FEIJOEIRO Pragas que atacam as folhas Lagarta enroladeira (Omiodes indicata) Pragas que atacam as vargens Lagarta elasmo (ataca também a soja, algodão, milho, arroz,

Leia mais

MANEJO INTEGRADO DA MOSCA-BRANCA BEMISIA ARGENTIFOLII. Zuleide A. Ramiro

MANEJO INTEGRADO DA MOSCA-BRANCA BEMISIA ARGENTIFOLII. Zuleide A. Ramiro MANEJO INTEGRADO DA MOSCA-BRANCA BEMISIA ARGENTIFOLII Zuleide A. Ramiro Instituto Biológico, Centro Experimental Central do Instituto Biológico, CP 70, CEP 13001-970, Campinas, SP, Brasil. E-mail: zramiro@uol.com.br

Leia mais

SEGURO RURAL BRASILEIRO. Elaine Cristina dos Santos Ferreira

SEGURO RURAL BRASILEIRO. Elaine Cristina dos Santos Ferreira SEGURO RURAL BRASILEIRO Elaine Cristina dos Santos Ferreira MODALIDADES OFERTADAS DE SEGURO RURAL Agrícola Pecuário Florestas Aqüícola Penhor rural Benfeitorias e produtos agropecuários CPR Vida do Produtor

Leia mais

APLICAÇÃO CORRETA: EFICIÊNCIA, PRODUTIVIDADE E BAIXO CUSTO EM CULTURAS AGRÍCOLAS. José Maria Fernandes dos Santos

APLICAÇÃO CORRETA: EFICIÊNCIA, PRODUTIVIDADE E BAIXO CUSTO EM CULTURAS AGRÍCOLAS. José Maria Fernandes dos Santos APLICAÇÃO CORRETA: EFICIÊNCIA, PRODUTIVIDADE E BAIXO CUSTO EM CULTURAS AGRÍCOLAS. José Maria Fernandes dos Santos Instituto Biológico, Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Sanidade Vegetal. Av. Cons.

Leia mais

APLICAÇÃO AÉREA E TERRESTRE: VANTAGENS E LIMITAÇÕES COMPARATIVAS.

APLICAÇÃO AÉREA E TERRESTRE: VANTAGENS E LIMITAÇÕES COMPARATIVAS. 1 APLICAÇÃO AÉREA E TERRESTRE: VANTAGENS E LIMITAÇÕES COMPARATIVAS. Introdução: José Maria F. dos Santos Eng.º Agr.º Pesq. Científico, Instituto Biológico, São Paulo-SP santosjmf@biologico.sp.gov.br O

Leia mais

Índice. Página 1 de 10

Índice. Página 1 de 10 GRAVENA - Manejo Ecológico de Pragas Ltda. Consultoria Geral-Pesquisa-Treinamento PIONEIRA E ÚNICA NA AMÉRICA LATINA COM EXCLUSIVIDADE EM MEP Rodovia SP 253, Km 221,5 (Jaboticabal-Luiz Antônio), Caixa

Leia mais

Bula AGREE Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA sob nº 06095

Bula AGREE Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA sob nº 06095 Bula AGREE Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA sob nº 06095 COMPOSIÇÃO: Bacillus thuringiensis aizawai GC-91-1 bilhão de esporos viáveis/g (equivalente a 38,0 g/kg

Leia mais

Presença indesejável no Brasil

Presença indesejável no Brasil Presença indesejável no Brasil Lucas Tadeu Ferreira e Maria Fernanda Diniz Avidos mosca-branca (Bemisia argentifolii) é uma velha conhecida da comunidade científica. Os problemas que causa à agricultura

Leia mais

Principais pragas das hortaliças e perspectivas de controle biológico. Terezinha Monteiro dos Santos Cividanes Pesquisador Científico APTA/SAA - SP

Principais pragas das hortaliças e perspectivas de controle biológico. Terezinha Monteiro dos Santos Cividanes Pesquisador Científico APTA/SAA - SP Principais pragas das hortaliças e perspectivas de controle biológico Terezinha Monteiro dos Santos Cividanes Pesquisador Científico APTA/SAA - SP Plantas cultivadas em sistema de aquaponia Alface Cebolinha

Leia mais

Sistemas de manejo do solo

Sistemas de manejo do solo Sistemas de manejo do solo Introdução Uso e preparo do solo O arado. Evolução dos conhecimentos de uso e manejo do solo. O Ecossistema tropical Temperatura elevada e solos muito imteperizados 1 Sistemas

Leia mais

Eng. Agr. M.Sc. Waldemar Sanchez. Projetos Bayer para Culturas de Suporte Fitossanitário Insuficiente (CSFI)

Eng. Agr. M.Sc. Waldemar Sanchez. Projetos Bayer para Culturas de Suporte Fitossanitário Insuficiente (CSFI) Eng. Agr. M.Sc. Waldemar Sanchez Projetos Bayer para Culturas de Suporte Fitossanitário Insuficiente (CSFI) Agenda Produtos / Culturas / Alvos Projetos Bayer: Investimentos & Prazos Bayer CropScience Visão

Leia mais

KESHET 25 EC VERIFICAR AS RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO ESTADO DO PARANÁ

KESHET 25 EC VERIFICAR AS RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO ESTADO DO PARANÁ KESHET 25 EC VERIFICAR AS RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO ESTADO DO PARANÁ Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento/MAPA sob nº 002093 COMPOSIÇÃO: (S) -α-ciano-3-phenoxybenzil

Leia mais

POLO 500 SC. FABRICANTE DO PRODUTO TÉCNICO: Syngenta S.A. Usine de Monthey, Route de I II au Bois, CH-1870, Monthey, Suíça.

POLO 500 SC. FABRICANTE DO PRODUTO TÉCNICO: Syngenta S.A. Usine de Monthey, Route de I II au Bois, CH-1870, Monthey, Suíça. POLO 500 SC VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO PARANÁ. Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento/MAPA sob nº 082204. COMPOSIÇÃO: Ingrediente ativo:

Leia mais

RELATÓRIO DE PROJETO DE PESQUISA

RELATÓRIO DE PROJETO DE PESQUISA RELATÓRIO DE PROJETO DE PESQUISA Nome do Projeto: Efeito de Bacillus thuringiensis Berliner sobre a traça-dascrucíferas, Plutella xylostella (L.), na cultura de Brócolis, Brassica oleracea var. italica.

Leia mais

1 Litro 018 EC L135729 PORT/5L. Acaricida e Insecticida para Tomateiro, Morangueiro, Citrinos, Macieira, Pereira, Flores e Ornamentais

1 Litro 018 EC L135729 PORT/5L. Acaricida e Insecticida para Tomateiro, Morangueiro, Citrinos, Macieira, Pereira, Flores e Ornamentais L135729 PORT/5L AGI Code 27884 Mod. 010306 018 EC Acaricida e Insecticida para Tomateiro, Morangueiro, Citrinos, Macieira, Pereira, Flores e Ornamentais Concentrado para emulsão com 18 g/l 1,9% (p/p) de

Leia mais

Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA sob o n 01395

Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA sob o n 01395 Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA sob o n 01395 COMPOSIÇÃO: ((E,Z)4[3(4chlorophenyl)3(3,4dimethoxy phenyl)acryloyl]morpholine (DIMETOMORFE)... 500 g/kg (50% m/m) Outros

Leia mais

Controle Plantas Infestantes

Controle Plantas Infestantes Controle de Plantas Infestantes ',' Domingo Haroldo R. C. Reinhardt Francisco Alissonda Silva Xavier Aristóteles Pires de Matos Getúlio Augusto Pinto da Cunha 118 Quais são os problemas provocados pelas

Leia mais

caruru-de-mancha caruru-verde (Amaranthus viridis) falsa-serralha bela-emilia (Emilia sonchifolia) caruru-de-mancha caruru-verde (Amaranthus viridis)

caruru-de-mancha caruru-verde (Amaranthus viridis) falsa-serralha bela-emilia (Emilia sonchifolia) caruru-de-mancha caruru-verde (Amaranthus viridis) METRIMEX 500 SC Ficha Técnica Nome Comum: Ametrina Nome Comercial: Metrimex 500 SC Grupo Químico: Triazina Concentração: 500 g/l Formulação: SC - Suspensão Concentrada Classe tóxicológica: III - Medianamente

Leia mais

TÍTULO: REPELÊNCIA DO PULGÃO (BREVICORYNE BRASSICAE L.) EM COUVE (BRASSICA OLERACEA L.VAR. ACEPHALA) UTILIZANDO DIFERENTES COBERTURAS

TÍTULO: REPELÊNCIA DO PULGÃO (BREVICORYNE BRASSICAE L.) EM COUVE (BRASSICA OLERACEA L.VAR. ACEPHALA) UTILIZANDO DIFERENTES COBERTURAS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: REPELÊNCIA DO PULGÃO (BREVICORYNE BRASSICAE L.) EM COUVE (BRASSICA OLERACEA L.VAR. ACEPHALA)

Leia mais

CITROS - PRAGAS Foto: tudosobreplantas.net Foto: lookfordiagnosis.com

CITROS - PRAGAS Foto: tudosobreplantas.net Foto: lookfordiagnosis.com CITROS - PRAGAS Foto: tudosobreplantas.net Foto: lookfordiagnosis.com Ácaro da Ferrugem Phyllocoptruta oleivora em Fruto Fonte: www.centrodecitricultura.com.br Ácaro da Ferrugem Phyllocoptruta oleivora

Leia mais

Formulação / Composição

Formulação / Composição FICHA TÉCNICA Insecticida indicado no combate aos afídeos (piolhos) do pessegueiro, macieira, pereira, citrinos, couve de bruxelas, feijoeiro, pepino, alface, batateira, roseiras, craveiros, crisântemos,

Leia mais

NOMOLT 150 VERIFICAR RESTRIÇÕES CONSTANTES NA LISTA DE AGROTOXICOS DO ESTADO DO PARANA

NOMOLT 150 VERIFICAR RESTRIÇÕES CONSTANTES NA LISTA DE AGROTOXICOS DO ESTADO DO PARANA NOMOLT 150 VERIFICAR RESTRIÇÕES CONSTANTES NA LISTA DE AGROTOXICOS DO ESTADO DO PARANA Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA sob nº 01393 COMPOSIÇÃO: 1-(3,5-dichloro-2,4-difluorophenyl)-3-(2,6-difluorobenzoyl)urea

Leia mais

Linha de Fertilizantes Foliares para Distribuição

Linha de Fertilizantes Foliares para Distribuição Linha de Fertilizantes Foliares para Distribuição Tabaco Carrier Gramínea F LV CaBPlus B 10 Mo 14 CoMo Super Fós N 30 Phytos 28-26 Super K Phytos 40-20 Mn 12 Programa de Aplicação Glifosato + N30 CoMo

Leia mais

RELATÓRIO DO PRODUTO

RELATÓRIO DO PRODUTO Composição Grupo químico Classe Modo de ação Formulação Classif. toxicológica Classif. ambiental Empresa CARBOFURANO 350 g/l METILCARBAMATO DE BENZOFURANILA INSETICIDA NEMATICIDA SISTÊMICO SC - SUSPENSÃO

Leia mais

Nome Comum Nome Científico Estágio de Crescimento Dose(litro*/ha) 0,5. Reaplicar se houver Capim marmelada Brachiaria plantaginea

Nome Comum Nome Científico Estágio de Crescimento Dose(litro*/ha) 0,5. Reaplicar se houver Capim marmelada Brachiaria plantaginea FUSILADE 250 EW Dados técnicos Nome comum do ingrediente ativo: FLUAZIFOP P BUTIL Registro no Ministério da Agricultura e do Abastecimento: nº 005796 Classe: herbicida graminicida sistêmico do grupo químico

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA: IV - POUCO TÓXICO CLASSIFICAÇÃO DO POTENCIAL DE PERICULOSIDADE AMBIENTAL: III - PRODUTO PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE

CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA: IV - POUCO TÓXICO CLASSIFICAÇÃO DO POTENCIAL DE PERICULOSIDADE AMBIENTAL: III - PRODUTO PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento/MAPA sob nº 006294 COMPOSIÇÃO: 1-(6-chloro-3-pyridylmethyl)-N-nitroimidazolidin-2-ylideneamine (IMIDACLOPRIDO)... 700 g/kg (70 % m/m) Outros

Leia mais

ANEXO MODELO DE PROPOSTA COMERCIALCOM VALORES

ANEXO MODELO DE PROPOSTA COMERCIALCOM VALORES ANEXO MODELO DE PROPOSTA COMERCIALCOM VALORES Itens Unid. QTD. Especificação detalhada dos Gêneros Alimentícios VALOR VALOR UNIT TOTAL ABACATE: Procedente de planta sadia, destinado ao consumo 4,18 6.311,80

Leia mais

AVALIAÇÃO ECONÔMICA DO CONTROLE PREVENTIVO DAS PRAGAS INICIAIS DO FUMO RESUMO

AVALIAÇÃO ECONÔMICA DO CONTROLE PREVENTIVO DAS PRAGAS INICIAIS DO FUMO RESUMO AVALIAÇÃO ECONÔMICA DO CONTROLE PREVENTIVO DAS PRAGAS INICIAIS DO FUMO Dionisio Link 1 Rodolpho Saenger Leal 2 RESUMO A avaliação econômica do controle preventivo das pragas iniciais da cultura do fumo

Leia mais

FCA/UNESP - Botucatu/SP ulisses@fca.unesp.br

FCA/UNESP - Botucatu/SP ulisses@fca.unesp.br Tecnologia de aplicação de defensivos Ulisses Rocha Antuniassi FCA/UNESP - Botucatu/SP ulisses@fca.unesp.br Qualidade e manutenção de pulverizadores PROJETO IPP: resultados no MT Projeto IPP/Cerrado 37

Leia mais

Manejo de pragas. Engª. Agrª. MSc. Caroline Pinheiro Reyes

Manejo de pragas. Engª. Agrª. MSc. Caroline Pinheiro Reyes Manejo de pragas Engª. Agrª. MSc. Caroline Pinheiro Reyes O que é uma praga? *Inseto que cause danos diretos (ex. lagarta que se alimente das folhas de couve) O que é uma praga? * Inseto que cause danos

Leia mais

Rua Roque Petrella,1146 Brooklin-São Paulo SP CEP.04581-051-Telefone (11) 5533.1026

Rua Roque Petrella,1146 Brooklin-São Paulo SP CEP.04581-051-Telefone (11) 5533.1026 PRIMEIRO DIA Somente Frutas Suco de frutas + 1 fruta Ex. suco de laranja com morango + 1{ mamão papaia DA MANHÃ 1 copo 250 ml Suco de melão + 1 fruta (ex. 1 ameixa ) Ex. Folhas de rúcula a vontade + 4

Leia mais

PERMIT VERIFICAR RESTRIÇÕES CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO ESTADO DO PARANÁ

PERMIT VERIFICAR RESTRIÇÕES CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO ESTADO DO PARANÁ PERMIT VERIFICAR RESTRIÇÕES CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO ESTADO DO PARANÁ registrado no ministério da agricultura, pecuária e abastecimento mapa sob nº 00801 COMPOSIÇÃO: 0,0-diethyl-0-fenyl-fosforotiato...50%

Leia mais

Legal. sobre saúde e segurança do produtor e proteção da criança e do adolescente. Legal. Crescer. SC e PR

Legal. sobre saúde e segurança do produtor e proteção da criança e do adolescente. Legal. Crescer. SC e PR Crescer Legal SC e PR Baseado no acordo firmado em 1º de março de 2011 pelo SindiTabaco (Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco), suas empresas associadas e Afubra (Associação dos Fumicultores

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2015

PLANO DE ENSINO 2015 PLANO DE ENSINO 2015 CURSO: Agronomia DISCIPLINA: AG-71 Olericultura TURMA(S): 7ª Fase SEMESTRE LETIVO: 7 CARGA HORARIA SEMESTRAL: 75 h PRÉ-REQUISITO: AG-53 Nutrição Vegetal PROFESSOR (A): Rony da Silva

Leia mais

Helicoverpa Nucleopolyhedrovirus (NPV) Resumo Técnico: BRASIL - Julho 2013 Anthony Hawes (CEO, AgBiTech Pty Ltd)

Helicoverpa Nucleopolyhedrovirus (NPV) Resumo Técnico: BRASIL - Julho 2013 Anthony Hawes (CEO, AgBiTech Pty Ltd) Helicoverpa Nucleopolyhedrovirus (NPV) Resumo Técnico: BRASIL - Julho 2013 Anthony Hawes (CEO, AgBiTech Pty Ltd) Brasil vs Austrália 8.515.767 km 2 7.692.024 km 2 AU 6% arável vs BR 9% AU 18% árido vs

Leia mais

Projeções da demanda por fertilizantes no Brasil

Projeções da demanda por fertilizantes no Brasil Projeções da demanda por fertilizantes no Brasil índice 3 4 5 6 8 9 o mercado Números e importância do setor projeções de longo prazo planos/produtos metodologia condições, prazo e investimento formulário

Leia mais

DECA FICHA TÉCNICA INSECTICIDA

DECA FICHA TÉCNICA INSECTICIDA DECA FICHA TÉCNICA INSECTICIDA Autorização de Venda nº 0292 concedida pela DGAV Composição 25 g/l ou 2,81% (p/p) de deltametrina Contém solvente nafta (petróleo) aromática leve Formulação Concentrado para

Leia mais

CaçaDOR DE PALAVRAS. Salada de Bacalhau

CaçaDOR DE PALAVRAS. Salada de Bacalhau 01 cebola picadinha 01 lata de ervilha ESCORRIDA 01 kg de bacalhau cozido e desfiado 02 kg de batata COZIDA em cubos 200 g de azeitonas picadas 500 g de mussarela RALADA Azeite Cheiro-verde CaçaDOR DE

Leia mais

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES.

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES. PARA SABERMOS COMO A ALIMENTAÇÃO DEVE SER EQUILIBRADA, PRECISAMOS CONHECER A PIRÂMIDE ALIMENTAR, QUE É A REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS ALIMENTOS E SUAS QUANTIDADES QUE DEVEM ESTAR PRESENTES EM NOSSA DIETA

Leia mais

CARDÁPIO ESCOLAR 2015

CARDÁPIO ESCOLAR 2015 JULHO DE 30/07/2015 A 31/07/2015 2º Feira 3º Feira 4º Feira 5º Feira 30/07/2015 31/07/2015 Lanche da manhã Maçã Banana Arroz, Feijão Preto, Espaguete, carne coxinha da asa moída, molho de Almoço assada,

Leia mais