Questionário de Estudo - P1 Criptografia

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Questionário de Estudo - P1 Criptografia"

Transcrição

1 Questionário de Estudo - P1 Criptografia 1) A criptografia e a criptoanálise são dois ramos da criptologia. Qual a diferença entre essas duas artes? Enquanto a Criptografia é a arte de esconder dados e informações, a criptoanálise é a arte de tentar descobrir uma informação criptografada, sem ter acesso a chave! É da tensão entre essas duas artes que a Criptografia evolui! 2) Qual técnica de Criptografia foi praticamente a percursora das outras técnicas? Como e por quem ela foi quebrada? A Cifra de César. Ela foi quebrada pelos Árabes através da Análise de Frequência. 3) Cite a(s) principal(is) característica das Cifras de Feistel. É uma cifra que utiliza dos conceitos de substituição e transposição, assim como outros algoritmos simétricos, porém, tem como característica principal o fato do mesmo algoritmo de criptografia ser utilizado para descriptografia. 4) Se 55AB56D7 XOR EB6B5B39 é igual a BEC00DEE, quanto é 55AB56D7 XOR BEC00DEE? Obviamente é EB6B5B39, afinal, se A XOR B é C, C XOR A sempre será B!!! 5) Qual característica do 3DES fez com que o NIST busca-se um novo padrão de criptografia? Apesar de ser um algorítmo seguro e utilizado até hoje, o fato de sua complexidade ter sido aumentada em relação ao DES, fez com que ele ficasse um tanto quanto lento e/ou exigisse demais dos recursos computacionais. Devido a seu desempenho, o NIST começou a busca por um novo padrão. 6) Cite ao menos 2 requisitos impostos pelo NIST para os algoritmos submetidos ao concurso para o novo AES. 1 - Grau de segurança igual ou superior ao 3DES; 2 - Eficiência melhorada em relação ao 3DES; 3 - Cifra de bloco simétrica c/ bloco de 128bits (3DES usa 64); 4 - Suporte p/ chaves c/ 128, 192 e 256 bits. 7) Assinale Verdadeiro ou Falso. ( F ) As duas principais técnicas de Criptoanálise são: cifra de blocos e força bruta. Correto: As duas principais técnicas de Criptoanálise são: análise de frequência e força bruta. ( F ) A análise de frequência é uma técnica de criptografia muito utilizada para evitar com que um mesmo caracter apareça mais de uma vez na frase criptografada. Correto: A análise de frequência é uma técnica de criptoanálise muito utilizada, onde busca-se determinar relações entre texto claro e texto cifrado. ( F ) Criptografia simétrica é aquela em que o algoritmo de criptografia é igual ao algoritmo de descriptografia.

2 Correto: Criptografia simétrica é aquela em que se usa a mesma chave para criptografar e desciptografar a mensagem. ( F ) Se João, criptografou uma frase utilizando o algoritmo 3DES com a chave MARFIM, a descriptografia deve ser feita usando a chave invertida, ou seja, MIFRAM. Correto: Se João, criptografou uma frase utilizando o algoritmo 3DES com a chave MARFIM, a descriptografia deve ser feita usando a chave do mesmo jeito, ou seja, MARFIM, porém, as subchaves geradas pelo algoritmo serão inseridas no algoritmo na ordem invertida. ( V ) A Enigma foi uma máquina utilizada na Segunda Guerra Mundial pelos alemães, a qual, criptografava as informações utilizando rotores interligados que variavam suas ligações conforme cada tecla era pressionada, evitando assim a Análise de Frequência por parte de atacantes. ( F ) O Algoritmo de Criptografia DES tem a capacidade de criptografar um bloco de 64 bits, enquanto o 3DES criptografa um valor três vezes maior, ou seja, 192 bits Correto: O Algoritmo de Criptografia DES tem a capacidade de criptografar um bloco de 64 bits, enquanto o 3DES criptografa também um valor de 64 bits. ( F ) O NIST, ao tomar conhecimento que o algoritmo de criptografia DES havia sido quebrado, lançou um concurso para encontrar o novo padrão de criptografia simétrica que se chamaria 3DES Correto: O NIST, por não estar satisfeito com o desempenho computacional do algoritmo 3DES lançou um concurso para encontrar o novo padrão de criptografia simétrica, que se chamaria AES. ( F ) A Cifra de Feistel, apesar de não utilizar o mesmo algoritmo para criptografia e descriptografia, utiliza a mesma chave para ambos processos. Correto: A Cifra de Feistel, utiliza o mesmo algoritmo para criptografia e descriptografia, assim como também utiliza a mesma chave para ambos processos. ( V ) O AES tem como uma de suas características a possibilidade de utilizar 3 tamanhos diferentes de chaves: 128, 192 e 256 bits ( F ) Tanto o S-AES quanto o S-DES utilizam chaves com tamanho de 10 bits. Correto: Enquanto o S-AES utiliza uma chave de 16 bits o S-DES utiliza uma chave de 10 bits. ( F ) O algoritmo DES, entre suas operações, possui uma, chamada Mix Colluns, ou Embaralhamento de Colunas, na qual, a matriz de estado é multiplicada por uma matriz fixa na Criptografia e depois na descriptografia pela matriz inversa. Correto: É no algoritmo AES em que isso ocorre!

3 8) Reescreva as frases consideradas FALSAS no exercício anterior, de forma que ela passe a ser verdadeira. Vide acima 9) Faça a devida correspondência das frases do lado direito com as frases do lado esquerdo: (A) Algoritmo AES (B) Algoritmo AES (C) Algoritmo AES (D) Algoritmo S-AES (E) Algoritmo 3DES (F) Algoritmo S-DES (G) Algoritmo DES (H) Cifra de César ( I ) Nenhum dos anteriores ( F ) Trabalha com uma chave de 10 bits ( B ) Faz 12 rodadas de criptografia ( E ) De todos esses algoritmos é o mais pesado ( H ) Foi quebrado pelos Árabes ( D ) Criptografa uma frase de 16 bits ( A ) Com 10 rodadas de criptografia permite criptografar uma frase de 128 bits ( I ) Possui uma chave pública e uma privada 10) Qual a principal diferença entre a criptografia de chave pública ( assimétrico ) e a criptografia simétrica? Na criptografia de chave pública existem duas chaves: uma pública e uma privada, sendo que o que uma criptografa, a outra do par descriptografa. Ja na criptografia simétrica, a mesma chave é utilizada para criptografar e descriptografar. Existem outras diferenças, como por exemplo, quanto as operações, afinal a criptografia de chave pública utiliza operações matemáticas, enquanto a criptografia simétrica utiliza substituições e transposições. 11) Maria deseja enviar para o Jorge um arquivo chamado viestra.txt com alguns segredos de estado, logo, precisa ser criptografado! Tudo que ela tem próximo dela é um computador com o sistema operacional Linux, sem interface gráfica e com um poder computacional fraquíssimo! a) Como Maria poderia cumprir essa atividade? Quais comandos e softwares usar? ( Detalhe o máximo possível ) Maria pode acessar a konsole do Linux, localizar o arquivo que deseja criptografar e utilizar a biblioteca openssl para tal feito, utilizando o comando abaixo por exemplo: openssl aes-128-cbc -in viestra.txt -out arquivocriptografado.aes b) Qual algoritmo de criptografia você indicaria para Maria? O Algoritmo AES, devido ao fraco poder computacional deste computador. c) Quais informações devem ser passadas para Jorge? A chave, o arquivo criptografado e o tipo de algoritmo utilizado. 12) Marco Antonio é um grande astrônomo e possui em suas mãos um poderoso segredo: o mês em que o meteoro FireBox7711 irá atingir a terra! O Mês e ano é Outubro 2013 (1013). Marco Antônio precisa passar essa informação criptografada para Harvard Deivison, porém, começou a criptografar e parou em um determinado momento. Termine essa criptografia para Marco Antonio, utilizando o algoritmo S-DES. Utilize se necessário as informações de consulta do Anexo A e as informações abaixo. Frase (1013) em binário: Valor que o Marco Antônio chegou antes de iniciar a função SW = Chave: SubChave1: SubChave2:

4 SW = SW = L(0101) R(1001) E/P = K2 = Resultado = S0(0010) S1(1111) L(0) C(1) L(3) C(3) 0011 P4 = 0110 L = 0101 Resultado = Ipinv = Resposta: ) Um grupo de terroristas planeja infiltrar uma mulher bomba na grande festa de entrega do Prêmio Nobel da Paz. O agente Homes descobre este plano, porém para ter sucesso ele precisa descobrir o nome desta mulher. Tudo que ele têm são as informações abaixo. Ajude Homes a descobrir o nome desta mulher! Estou usando o S-AES A Frase Criptografada é: 1E33 A Chave que uso é: D1C4 Ok, como sei que seu tempo é curto, te passo também as subchaves w0 = / w1 = / w2 = / w3 = / w4 = / w5 = Resposta: FAB1 14) Qual comando você utilizaria no Linux para criptografar um arquivo utilizando o algoritmo 3DES? O comando para criptografar: openssl des3 -in arquivo.txt -out arquivo.des3 Para descriptografar: openssl des3 -d -in arquivo.des3 -out arquivodescriptografado.txt 15) Quais as diferenças entre o software TrueCrypt e o software OpenSSL quanto à: interação com o usuário, possibilidades e vantagens de cada um, aplicabilidade de cada um. O openssl é uma biblioteca de criptografia, com a qual é possível utilizar alguns algoritmos de criptografia simétrica, assimétrica e de hash. O Truecrypt é um software, o qual através da criação de containers, chamados também de volumes, permite a criptografia de arquivos, pastas e dispositivos. Quanto a interação com o usuário: O Truecrypt possui uma interface gráfica que permite qualquer usuário final utilizá-lo, enquanto o openssl exige um conhecimento mais aprofundado, afinal, precisa interação com a linha de comando. Quanto as possibilidades: o openssl permite utilização de criptografia de chave pública, enquanto o truecrypt somente permite a criptografia de chave privada, mas por outro lado, o truecrypt permite nativamente e forma simples a criação de containers ocultos e criptografia em cascata, até mesmo a utilização de keyfiles, o que, para ser feito com openssl, precisaria da utilização de linguagens de programação, como o shell script. Quanto a aplicabilidade: truecrypt pode ser usado por usuários finais, já openssl por usuários técnicos que desejam automatizar processos com a criptografia.

5 16) Comente as linhas do script abaixo, dizendo o que cada uma faz: 17) Considerando o scripto do exercício anterior, o que você mudaria nele, para que: a) O arquivo seja criptografado e descriptografado com o algoritmo aes de 192 bits de chave e sequência ecb? b) O que você mudaria para que o arquivo, após ser criptografado, ficasse oculto?

Implementações criptográficas seguras

Implementações criptográficas seguras Cibersegurança: Questões Tecnológicas e Implicações Legais Implementações criptográficas seguras História da criptografia 1900 AC 1ª utilização conhecida de criptografia, usada pelos egípcios cifra simples

Leia mais

CRIPTOGRAFIA E SEGURANÇA DE REDES

CRIPTOGRAFIA E SEGURANÇA DE REDES Universidade Federal do Piauí Departamento de Informática e Estatística Curso de Ciência da Computação CRIPTOGRAFIA E SEGURANÇA DE REDES Carlos André Batista de Carvalho Capítulo 03 - Cifras de Bloco e

Leia mais

Auditoria e Segurança da Informação GSI536. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU

Auditoria e Segurança da Informação GSI536. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Auditoria e Segurança da Informação GSI536 Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Princípios de Criptografia Tópicos O papel da criptografia na segurança das redes de comunicação; Criptografia de chave

Leia mais

Conceitos de Criptografia e o protocolo SSL

Conceitos de Criptografia e o protocolo SSL Conceitos de Criptografia e o protocolo SSL TchêLinux Ulbra Gravataí http://tchelinux.org/gravatai Elgio Schlemer Ulbra Gravatai http://gravatai.ulbra.tche.br/~elgio 31 de Maio de 2008 Introdução Início

Leia mais

Segurança de Redes. Criptografia. Requisitos da seg. da informação. Garantir que a informação seja legível somente por pessoas autorizadas

Segurança de Redes. Criptografia. Requisitos da seg. da informação. Garantir que a informação seja legível somente por pessoas autorizadas Segurança de Redes Criptografia Prof. Rodrigo Rocha rodrigor@santanna.g12.br Requisitos da seg. da informação Confidencialidade Garantir que a informação seja legível somente por pessoas autorizadas Integridade

Leia mais

Criptografia e Chave Pública. Segurança da Informação

Criptografia e Chave Pública. Segurança da Informação Criptografia e Chave Pública Segurança da Informação Ementa Visão Global O que é? Criptografia está em todo lugar; Técnicas Primitivas de Cifragem; Outras técnicas de criptografia; Criptografia Moderna;

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DIGITAL

CERTIFICAÇÃO DIGITAL Autenticidade Digital CERTIFICAÇÃO DIGITAL Certificação Digital 1 Políticas de Segurança Regras que baseiam toda a confiança em um determinado sistema; Dizem o que precisamos e o que não precisamos proteger;

Leia mais

M3D4 - Certificados Digitais Aula 2 Certificado Digital e suas aplicações

M3D4 - Certificados Digitais Aula 2 Certificado Digital e suas aplicações M3D4 - Certificados Digitais Aula 2 Certificado Digital e suas aplicações Prof. Fernando Augusto Teixeira 1 2 Agenda da Disciplina Certificado Digital e suas aplicações Segurança Criptografia Simétrica

Leia mais

Criptografia. Prof. Ricardo José Martins ricardo.martins@muz.ifsuldeminas.edu.br. IFSULDEMINAS, campus Muzambinho Curso de Ciência da Computação

Criptografia. Prof. Ricardo José Martins ricardo.martins@muz.ifsuldeminas.edu.br. IFSULDEMINAS, campus Muzambinho Curso de Ciência da Computação IFSULDEMINAS, campus Muzambinho Curso de Ciência da Computação Criptografia Prof. Ricardo José Martins ricardo.martins@muz.ifsuldeminas.edu.br Curso de Bacharelado em Ciência da Computação AED III Algoritmo

Leia mais

Análise do Algoritmo de Cifragem LOKI. Éverton Didoné Foscarini CMP 200 Criptografia de Dados Prof. Raul Fernando Weber

Análise do Algoritmo de Cifragem LOKI. Éverton Didoné Foscarini CMP 200 Criptografia de Dados Prof. Raul Fernando Weber Análise do Algoritmo de Cifragem LOKI Éverton Didoné Foscarini CMP 200 Criptografia de Dados Prof. Raul Fernando Weber Sumário Variantes 3 Significado do nome 4 Rede Feistel 5 LOKI89 6 LOKI91 9 LOKI97

Leia mais

www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício AULA 06 Criptografia e Esteganografia

www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício AULA 06 Criptografia e Esteganografia Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício Criptografia A forma mais utilizada para prover a segurança em pontos vulneráveis de uma rede de computadores é a utilização da criptografia. A criptografia

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação INF-108 Segurança da Informação Criptografia simétrica Prof. João Henrique Kleinschmidt Santo André, junho de 2013 Criptografia Criptografia: Estudo dos princípios e técnicas pelas quais a mensagem ou

Leia mais

Cifras de Chaves Simétricas por. Blocos (2010/10/7) P. Quaresma. Cifras Fieiras. Cifras por Blocos. Cifras de Chaves. Cifra Produto & Rede de FEAL

Cifras de Chaves Simétricas por. Blocos (2010/10/7) P. Quaresma. Cifras Fieiras. Cifras por Blocos. Cifras de Chaves. Cifra Produto & Rede de FEAL Cifras por Cifras por Definição (Cifra de ) Considere uma cifra constituída por um conjunto de funções de encriptação e desencriptação, respectivamente {E e : e K} e {D d : d K}, onde K é o espaço das

Leia mais

Gerenciamento e Segurança de Dados

Gerenciamento e Segurança de Dados Prof. Wanderson Reis professor@wanderson.pro.br Gerenciamento e Segurança de Dados 04/03/2011 Informática - PDS Tópicos principais Definições básicas de segurança da informação Políticas de segurança da

Leia mais

Introdução. Iremos procurar ver aqui alguns mecanismos de proteção mais utilizados como: criptografia e SSL. 1.0 Criptografia

Introdução. Iremos procurar ver aqui alguns mecanismos de proteção mais utilizados como: criptografia e SSL. 1.0 Criptografia Introdução Atualmente no mundo internacional das redes e com o comércio eletrônico, todo sistema de computador se tornou um alvo em potencial para intrusos. O problema é que não há como saber os motivos

Leia mais

Criptografia. Criptografia. Criptografia. Criptografia - Termos. Profº. Esp. Salomão Soares salomaosoares@bol.com.

Criptografia. Criptografia. Criptografia. Criptografia - Termos. Profº. Esp. Salomão Soares salomaosoares@bol.com. Criptografia Criptografia Profº. Esp. Salomão Soares salomaosoares@bol.com.br Macapá/AP 2012 Método para proteção de acesso de pessoas não autorizadas à informação sigilosa; Este método busca armazenar

Leia mais

Software de Telecomunicações. Introdução à Cifra

Software de Telecomunicações. Introdução à Cifra Software de Telecomunicações Introdução à Cifra Prof RG Crespo Software de Telecomunicações Introdução : 1/21 Plano de estudos Parte I Definições básicas Cifras clássicas: Substituição: monoalfabética

Leia mais

Referências. Criptografia e Segurança de Dados. Outras Referências. Alguns tipos de ataques. Alguns tipos de ataques. Alguns tipos de ataques

Referências. Criptografia e Segurança de Dados. Outras Referências. Alguns tipos de ataques. Alguns tipos de ataques. Alguns tipos de ataques Criptografia e Segurança de Dados Aula 1: Introdução à Criptografia Referências Criptografia em Software e Hardware Autores: Edward D. Moreno Fábio D. Pereira Rodolfo B. Chiaramonte Rodolfo Barros Chiaramonte

Leia mais

Segurança Internet. Fernando Albuquerque. fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589

Segurança Internet. Fernando Albuquerque. fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589 Segurança Internet Fernando Albuquerque fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589 Tópicos Introdução Autenticação Controle da configuração Registro dos acessos Firewalls Backups

Leia mais

Segurança em redes de. Histórico da escrita secreta

Segurança em redes de. Histórico da escrita secreta Segurança em redes de computadores Histórico da escrita secreta Evolução da escrita secreta Mensagem oculta Fatos históricos narrados por Heródoto desde 480 a.c. Histaeucontra o rei persa Maria I Stuart,

Leia mais

Sumário. Parte I Conceitos Básicos de Criptografia, Software e Hardware...19. Agradecimentos...7 Sobre os Autores...9 Prefácio...

Sumário. Parte I Conceitos Básicos de Criptografia, Software e Hardware...19. Agradecimentos...7 Sobre os Autores...9 Prefácio... 11 Sumário Agradecimentos...7 Sobre os Autores...9 Prefácio... 17 Parte I Conceitos Básicos de Criptografia, Software e Hardware...19 Capítulo 1 Conceitos de Segurança de Dados e Criptografia... 21 1.1

Leia mais

FTP Protocolo de Transferência de Arquivos

FTP Protocolo de Transferência de Arquivos FTP Protocolo de Transferência de Arquivos IFSC UNIDADE DE SÃO JOSÉ CURSO TÉCNICO SUBSEQUENTE DE TELECOMUNICAÇÕES! Prof. Tomás Grimm FTP - Protocolo O protocolo FTP é o serviço padrão da Internet para

Leia mais

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1 Segurança na Web Cap. 4: Protocolos de Segurança Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW Page 1 é definido como um procedimento seguro para se regular a transmissão de dados entre computadores

Leia mais

Atributos de segurança. TOCI-08: Segurança de Redes. Ataques a canais de comunicação. Confidencialidade

Atributos de segurança. TOCI-08: Segurança de Redes. Ataques a canais de comunicação. Confidencialidade Atributos de segurança TOCI-08: Segurança de Redes Prof. Rafael Obelheiro rro@joinville.udesc.br Aula 9: Segurança de Comunicações Fundamentais confidencialidade integridade disponibilidade Derivados autenticação

Leia mais

Criptografia. 1. Introdução. 2. Conceitos e Terminologias. 2.1. Criptografia. 2.2. Criptoanálise e Criptologia. 2.3. Cifragem, Decifragem e Algoritmo

Criptografia. 1. Introdução. 2. Conceitos e Terminologias. 2.1. Criptografia. 2.2. Criptoanálise e Criptologia. 2.3. Cifragem, Decifragem e Algoritmo 1. Introdução O envio e o recebimento de informações são uma necessidade antiga, proveniente de centenas de anos. Nos últimos tempos, o surgimento da Internet e de tantas outras tecnologias trouxe muitas

Leia mais

Criptografia Digital. Prof. Flávio Humberto Cabral Nunes

Criptografia Digital. Prof. Flávio Humberto Cabral Nunes Criptografia Digital Prof. Flávio Humberto Cabral Nunes Conteúdo 1. Introdução 2. Aplicações 3. Criptografia e seus Conceitos 4. Tipos de Criptografia em Relação ao Uso de Chaves 5. Autenticação Comum

Leia mais

UFF - Universidade Federal Fluminense

UFF - Universidade Federal Fluminense UFF - Universidade Federal Fluminense Unidade: PURO - Pólo Universitário de Rio das Ostras Centro Tecnológico Instituto de Computação Departamento de Ciência da Computação Disciplina: Informática I Turma:

Leia mais

C R I P T O G R A F I A

C R I P T O G R A F I A Faculdade de Ciência e Tecnologia C R I P T O G R A F I A A CRIPTOGRAFIA NA SEGURANÇA DE DADOS Rodrigo Alves Silas Ribas Zenilson Apresentando Cripto vem do grego kryptós e significa oculto, envolto, escondido.

Leia mais

2) Demonstre a verificação da fraude no envio de um arquivo não sigiloso, porém autenticado, de A para B e alterado indevidamente por T.

2) Demonstre a verificação da fraude no envio de um arquivo não sigiloso, porém autenticado, de A para B e alterado indevidamente por T. Revisão para A1 Criptografia e Certificação Digital Legenda: A + - Chave Pública de A A - - Chave Privada de A s Chave Secreta MD5 Algoritmo de HASH MSG Mensagem de texto claro - Operação de comparação

Leia mais

Criptografia e Segurança em Redes Capítulo 9. Quarta Edição William Stallings

Criptografia e Segurança em Redes Capítulo 9. Quarta Edição William Stallings Criptografia e Segurança em Redes Capítulo 9 Quarta Edição William Stallings Capítulo 9 - Public Key Cryptography e RSA Cada egípicio recebia dois nomes que eram conhecidos respectivamente como o nome

Leia mais

Codificação de Informação 2010/2011

Codificação de Informação 2010/2011 Codificação de Informação 2010/2011 Sumário: Criptografia Introdução, terminologia, critérios de classificação Alguns métodos de cifra clássicos Noção de segredo perfeito (Shannon) Criptografia e Cripto

Leia mais

AFRE. a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento, como o LILO ou o GRUB. a. ( ) Data Werehouse ; Internet ; Linux

AFRE. a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento, como o LILO ou o GRUB. a. ( ) Data Werehouse ; Internet ; Linux 1. De que forma é possível alterar a ordem dos dispositivos nos quais o computador procura, ao ser ligado, pelo sistema operacional para ser carregado? a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento,

Leia mais

Capítulo 8. Segurança de redes

Capítulo 8. Segurança de redes Capítulo 8 Segurança de redes slide 1 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. Computer Networks, Fifth Edition by Andrew Tanenbaum and David Wetherall, Pearson Education-Prentice Hall,

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação (Extraído da apostila de Segurança da Informação do Professor Carlos C. Mello) 1. Conceito A Segurança da Informação busca reduzir os riscos de vazamentos, fraudes, erros, uso indevido,

Leia mais

Aluno: Julio Borba. Ferramenta Pesquisada

Aluno: Julio Borba. Ferramenta Pesquisada Aluno: Julio Borba Ferramenta Pesquisada 1) Introdução O VeraCrypt foi construído sobre o código do Truecrypt e possui a mesma interface e funcionalidades, porém com diversas melhorias e correções de segurança

Leia mais

Hardware Criptográfico para Interface de Comunicação Segura entre Dispositivos

Hardware Criptográfico para Interface de Comunicação Segura entre Dispositivos Hardware Criptográfico para Interface de Comunicação Segura entre Dispositivos Orientador: Prof. Ricardo de Carvalho Destro, M.Sc. Departamento: Engenharia Elétrica Candidato: Rafael Cavalcanti N FEI:

Leia mais

PHP Material de aula prof. Toninho (8º Ano)

PHP Material de aula prof. Toninho (8º Ano) Na aula anterior entendemos como se faz o acesso aos nossos arquivos PHP; Como construir um script em php. Nesta aula (3) vamos entender: Como roda o PHP Inserindo comentários Visualizando páginas a partir

Leia mais

TECNOLOGIAS WEB AULA 3 PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO @RIBEIRORD

TECNOLOGIAS WEB AULA 3 PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO @RIBEIRORD TECNOLOGIAS WEB AULA 3 PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO @RIBEIRORD Objetivos: Apresentar os principais aspectos de segurança tanto no lado cliente quanto no servidor. Compreender as implicações de segurança individual

Leia mais

Aplicação de criptografia de dados para clientes Owncloud baseada em certificados ICPEdu

Aplicação de criptografia de dados para clientes Owncloud baseada em certificados ICPEdu Aplicação de criptografia de dados para clientes Owncloud baseada em certificados ICPEdu Vitor Hugo Galhardo Moia Marco Aurélio Amaral Henriques {vhgmoia, marco}@dca.fee.unicamp.br Universidade Estadual

Leia mais

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PROF. SÓCRATES FILHO http://socratesfilho.wordpress.com

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PROF. SÓCRATES FILHO http://socratesfilho.wordpress.com Comentários sobre prova do TRE/PR 2009 (CESPE TRE/PR 2009 Analista Judiciário Especialidade: Análise de Sistemas) A figura acima ilustra como um sistema de gerenciamento de segurança da informação (SGSI)

Leia mais

Sistemas Operacionais e Introdução à Programação. Módulo 1 Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais e Introdução à Programação. Módulo 1 Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais e Introdução à Programação Módulo 1 Sistemas Operacionais 1 Objetivos: Laboratório 1 1. Usar comandos básicos para visualização e manipulação de processos 2. Entender o escalonamento

Leia mais

Manual RbCripto. Sobre o RbCripto. Requisitos. Estatísticas de exemplo. Criptografia assimétrica versus criptografia simétrica. Como usar o programa

Manual RbCripto. Sobre o RbCripto. Requisitos. Estatísticas de exemplo. Criptografia assimétrica versus criptografia simétrica. Como usar o programa Manual RbCripto Sobre o RbCripto O RbCripto é um programa simples que foi concebido com fins acadêmicos. É capaz de realizar a encriptação e decriptação de arquivos usando o moderno conceito de curvas

Leia mais

fonte: http://www.nit10.com.br/dicas_tutoriais_ver.php?id=68&pg=0

fonte: http://www.nit10.com.br/dicas_tutoriais_ver.php?id=68&pg=0 Entenda o que é um certificado digital SSL (OPENSSL) fonte: http://www.nit10.com.br/dicas_tutoriais_ver.php?id=68&pg=0 1. O que é "Certificado Digital"? É um documento criptografado que contém informações

Leia mais

Tudo que você precisa saber sobre Criptografia

Tudo que você precisa saber sobre Criptografia Tudo que você precisa saber sobre Criptografia...e tinha medo de perguntar Criptografia vem do grego e significa escrita escondida. Bem, ainda não temos a tecnologia dos filmes de fantasia onde um pergaminho

Leia mais

Gerenciamento das chaves criptográficas no Cloud Privacy Guard

Gerenciamento das chaves criptográficas no Cloud Privacy Guard Gerenciamento das chaves criptográficas no Cloud Privacy Guard Vitor Hugo Galhardo Moia Marco Aurélio Amaral Henriques {vhgmoia, marco}@dca.fee.unicamp.br Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP Faculdade

Leia mais

Apostila. Noções Básicas de Certificação Digital (Aula 2)

Apostila. Noções Básicas de Certificação Digital (Aula 2) Apostila Noções Básicas de Certificação Digital (Aula 2) Diretoria de Pessoas (DPE) Departamento de Gestão de Carreira (DECR) Divisão de Gestão de Treinamento e Desenvolvimento (DIGT) Coordenação Geral

Leia mais

Execícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour. Filtros de Pacotes Criptografia SSL

Execícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour. Filtros de Pacotes Criptografia SSL Execícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour Filtros de Pacotes Criptografia SSL Exercício 1 Configure as regras do filtro de pacotes "E" para permitir que os computadores da rede interna

Leia mais

Para resolver as questões abaixo considere o Sistema Operacional Microsoft Windows Vista

Para resolver as questões abaixo considere o Sistema Operacional Microsoft Windows Vista Nome: Gabarito Para resolver as questões abaixo considere o Sistema Operacional Microsoft Windows Vista 1) O Centro das configurações do Windows, onde pode ser acessado cada um dos dispositivos componentes

Leia mais

Criptografia assimétrica e certificação digital

Criptografia assimétrica e certificação digital Criptografia assimétrica e certificação digital Alunas: Bianca Souza Bruna serra Introdução Desenvolvimento Conclusão Bibliografia Introdução Este trabalho apresenta os principais conceitos envolvendo

Leia mais

Criptografia codificar dados em informações aparentemente sem sentido pessoas não consigam ter acesso às informações que foram cifradas

Criptografia codificar dados em informações aparentemente sem sentido pessoas não consigam ter acesso às informações que foram cifradas Criptografia Criptografia É o ato de codificar dados em informações aparentemente sem sentido, para que pessoas não consigam ter acesso às informações que foram cifradas. Há vários usos para a criptografia

Leia mais

Configuração de um servidor SSH

Configuração de um servidor SSH Configuração de um servidor SSH Disciplina: Serviços de Rede Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática SSH SSH(Secure Shell) é um padrão para comunicação e acesso remoto a máquinas Linux de forma segura,

Leia mais

Processo para transformar a mensagem original em uma mensagem ilegível por parte de uma pessoa não autorizada

Processo para transformar a mensagem original em uma mensagem ilegível por parte de uma pessoa não autorizada Criptografia Processo para transformar a mensagem original em uma mensagem ilegível por parte de uma pessoa não autorizada Criptografia Onde pode ser usada? Arquivos de um Computador Internet Backups Redes

Leia mais

Plano de Aulas AutoCAD 2011

Plano de Aulas AutoCAD 2011 Aula 1 Iniciar os alunos no uso do AutoCAD 2011. Capítulo 1 Introdução ao AutoCAD 2011 Capítulo 2 Área de Trabalho do AutoCAD 2011 Capítulo 3 Sistemas de Coordenadas no AutoCAD 2011 Computadores que possuam

Leia mais

MA14 - Aritmética Unidade 24 Resumo

MA14 - Aritmética Unidade 24 Resumo MA14 - Aritmética Unidade 24 Resumo Introdução à Criptografia Abramo Hefez PROFMAT - SBM Aviso Este material é apenas um resumo de parte do conteúdo da disciplina e o seu estudo não garante o domínio do

Leia mais

Auditoria e Segurança de Sistemas Aula 09 Criptografia. Felipe S. L. G. Duarte Felipelageduarte+fatece@gmail.com

Auditoria e Segurança de Sistemas Aula 09 Criptografia. Felipe S. L. G. Duarte Felipelageduarte+fatece@gmail.com Auditoria e Segurança de Sistemas Aula 09 Criptografia Felipe S. L. G. Duarte Felipelageduarte+fatece@gmail.com Criptologia Esteganografia Criptografia Criptanálise Cifragem Chaves Assimétrica Chaves Simétrica

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação 1 Agenda Criptografia Esteganografia 2 1 Criptografia A criptografia é a ciência de transformar dados que aparentemente podem ser entendidos e interpretados pelas pessoas, em dados

Leia mais

Segurança Informática e nas Organizações. Guiões das Aulas Práticas

Segurança Informática e nas Organizações. Guiões das Aulas Práticas Segurança Informática e nas Organizações Guiões das Aulas Práticas João Paulo Barraca 1 e Hélder Gomes 2 1 Departamento de Eletrónica, Telecomunicações e Informática 2 Escola Superior de Tecnologia e Gestão

Leia mais

Probabilidade e Estatística I Antonio Roque Aula 8. Introdução ao Excel

Probabilidade e Estatística I Antonio Roque Aula 8. Introdução ao Excel Introdução ao Excel Esta introdução visa apresentar apenas os elementos básicos do Microsoft Excel para que você possa refazer os exemplos dados em aula e fazer os projetos computacionais solicitados ao

Leia mais

4. Criptografia, Autenticação e Assinatura Digital. 4.1. DES Data Encryption Standard. 4.1.1. Objetivo: 4.1.2. Teoria Introdutória:

4. Criptografia, Autenticação e Assinatura Digital. 4.1. DES Data Encryption Standard. 4.1.1. Objetivo: 4.1.2. Teoria Introdutória: 4. Criptografia, Autenticação e Assinatura Digital A seguir são apresentados os roteiros dos experimentos de criptografia, autenticação e assinaturas digitais através dos seguintes algorítmos: DES, RSA,

Leia mais

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento Douglas Farias Cordeiro Criptografia Revisando A criptografia trata da escrita de um texto em códigos de forma a torná-lo incompreensível; A informação

Leia mais

TRABALHO BIBLIOTECA MD5

TRABALHO BIBLIOTECA MD5 FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS TRABALHO BIBLIOTECA MD5 Linguagens de Programação Eduardo Orestes Brum Análise e Desenvolvimento de Sistemas - 2013 Sumário 1 Introdução 31 2 Criptografia MD5 4 2.

Leia mais

RESULTADO DO DESAFIO Caio Vargas Rocha Gilson de Souza Camelo Carlos Marx Novais Assunção Pedro Henrique Carvalho Sampaio

RESULTADO DO DESAFIO Caio Vargas Rocha Gilson de Souza Camelo Carlos Marx Novais Assunção Pedro Henrique Carvalho Sampaio RESULTADO DO DESAFIO O desafio de segurança do EnSI premiou os participantes pela ordem de recebimento das respostas. Ao todo foram recebidas quatro respostas corretas, sendo o primeiro colocado Caio Vargas

Leia mais

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Nome Número Docente: JA VA Curso: LERCM MEIC MEET MERCM Exame (responda a todas as perguntas pares) / Repetição do 1º teste Nas questões de resposta múltipla (V/F) assinale com uma cruz a resposta correta.

Leia mais

Manual Signext Card Explorer

Manual Signext Card Explorer Índice 1. Gerenciador... 1 2. Editar... 4 3. Token... 7 4. Key Pair... 8 5. Certificado... 9 6. Sobre... 10 O Card Explorer é um software desenvolvido para que o usuário possa: gerar par de chaves, inserir/excluir

Leia mais

PROJETO INTEGRADOR. 5º PERÍODO Gestão da Tecnologia da Informação Noturno

PROJETO INTEGRADOR. 5º PERÍODO Gestão da Tecnologia da Informação Noturno FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS PROJETO INTEGRADOR 5º PERÍODO Gestão da Tecnologia da Informação Noturno GOIÂNIA 2014-1 Sistemas de Gestão Empresarial Alunos: Alessandro Santos André de Deus Bruno

Leia mais

Segurança em Sistemas Web. Addson A. Costa

Segurança em Sistemas Web. Addson A. Costa Segurança em Sistemas Web Addson A. Costa Spoofing de formulários Spoofing consiste em falsificação, por exemplo, na área de redes um computador pode roubar o IP de outro e assim fazer-se passar por ele.

Leia mais

Um Estudo Comparativo entre algoritmos de criptografia DES Lucifer (1977) e AES Rijndael (2000)

Um Estudo Comparativo entre algoritmos de criptografia DES Lucifer (1977) e AES Rijndael (2000) Um Estudo Comparativo entre algoritmos de criptografia DES Lucifer (1977) e AES Rijndael (2000) A criptografia está diretamente relacionada à segurança; com ela busca-se garantir que, mesmo que uma informação

Leia mais

SISTEMA DE COMUNICAÇÃO DO SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DE SERVIÇOS GERAIS - COMUNICA. Manual do Usuário

SISTEMA DE COMUNICAÇÃO DO SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DE SERVIÇOS GERAIS - COMUNICA. Manual do Usuário SISTEMA DE COMUNICAÇÃO DO SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DE SERVIÇOS GERAIS - COMUNICA Manual do Usuário Título SISTEMA DE COMUNICAÇÃO DO SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DE SERVIÇOS GERAIS - COMUNICA

Leia mais

Criptografia e Segurança em Redes de computadores

Criptografia e Segurança em Redes de computadores Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC Centro Tecnológico - CTC Curso de Pós-Graduação em Ciência da Computação - CPGCC Criptografia e Segurança em Redes de computadores Prof. Ricardo F. Custódio

Leia mais

FTP - Protocolo. O protocolo FTP é o serviço padrão da Internet para a transferência de arquivos entre computadores.

FTP - Protocolo. O protocolo FTP é o serviço padrão da Internet para a transferência de arquivos entre computadores. FTP FTP - Protocolo O protocolo FTP é o serviço padrão da Internet para a transferência de arquivos entre computadores. A partir do FTP usuários podem receber ou enviar arquivos de ou para outros computadores

Leia mais

Estrutura geral de um computador

Estrutura geral de um computador Estrutura geral de um computador Prof. Helio H. L. C. Monte-Alto Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu

Leia mais

SIMULADO DE INFORMÁTICA BÁSICA TÉCNICO DO MPU PROF. ALEXANDRE LÊNIN / PROF. JUNIOR MARTINS

SIMULADO DE INFORMÁTICA BÁSICA TÉCNICO DO MPU PROF. ALEXANDRE LÊNIN / PROF. JUNIOR MARTINS Olá, pessoal, tudo bem? Vamos fazer um simulado com 10 questões de informática direcionadas para o cargo de TÉCNICO DO MPU? São questões já aplicadas pelo CESPE em certames anteriores, mas que podem ser

Leia mais

Álgebra A - Aula 11 RSA

Álgebra A - Aula 11 RSA Álgebra A - Aula 11 RSA Elaine Pimentel Departamento de Matemática, UFMG, Brazil 2 o Semestre - 2010 Criptografia RSA- pré-codificação Converter a mensagem em uma seqüência de números pré-codificação.

Leia mais

I Seminário sobre Segurança da Informação e Comunicações CRIPTOGRAFIA

I Seminário sobre Segurança da Informação e Comunicações CRIPTOGRAFIA I Seminário sobre Segurança da Informação e Comunicações CRIPTOGRAFIA OBJETIVO Conhecer aspectos básicos do uso da criptografia como instrumento da SIC.. Abelardo Vieira Cavalcante Filho Assistente Técnico

Leia mais

Aplicação de criptografia de dados para clientes Owncloud baseada em certificados ICPEdu

Aplicação de criptografia de dados para clientes Owncloud baseada em certificados ICPEdu Aplicação de criptografia de dados para clientes Owncloud baseada em certificados ICPEdu Vitor Hugo Galhardo Moia Marco Aurélio Amaral Henriques {vhgmoia, marco}@dca.fee.unicamp.br Universidade Estadual

Leia mais

Algoritmos Criptográficos Panorama Internacional. Prof. Dr. Paulo S. L. M. Barreto LARC/PCS/EPUSP

Algoritmos Criptográficos Panorama Internacional. Prof. Dr. Paulo S. L. M. Barreto LARC/PCS/EPUSP Algoritmos Criptográficos Panorama Internacional Prof. Dr. Paulo S. L. M. Barreto LARC/PCS/EPUSP Organização Segurança da informação: conceitos. Algoritmos criptográficos: estado-da-arte no cenário internacional.

Leia mais

Como instalar os recursos adicionais para convidados e acesso aos aplicativos

Como instalar os recursos adicionais para convidados e acesso aos aplicativos Como instalar os recursos adicionais para convidados e acesso aos aplicativos Maria Augusta Sakis Sempre que instalamos um sistema operacional em uma VM do VirtualBox temos que instalar os Adicionais para

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS. George Gomes Cabral

SISTEMAS OPERACIONAIS. George Gomes Cabral SISTEMAS OPERACIONAIS George Gomes Cabral COMPONENTES GENÉRICOS DE UM SISTEMA COMPUTACIONAL Hardware Recurso básicos (memória, dispositivos de E/S, CPU) Sistema operacional Controla e coordena o uso do

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Resumos Volume 1, Julho de 2015 Segurança da Informação POPULARIZAÇÃO DA INFORMÁTICA Com a popularização da internet, tecnologias que antes eram restritas a profissionais tornaram-se abertas, democratizando

Leia mais

ICSP INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DO PARANÁ FESP FUNDAÇÃO DE ESTUDOS SOCIAIS DO PARANÁ BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

ICSP INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DO PARANÁ FESP FUNDAÇÃO DE ESTUDOS SOCIAIS DO PARANÁ BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ICSP INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DO PARANÁ FESP FUNDAÇÃO DE ESTUDOS SOCIAIS DO PARANÁ BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SISTEMAS DE CRIPTOGRAFIA CURITIBA 2006 2 CARLOS EDUARDO DOS SANTOS SISTEMAS

Leia mais

Segurança Informática em Redes e Sistemas

Segurança Informática em Redes e Sistemas Segurança Informática em Redes e Sistemas W5a - Criptografia Grupo 6 Maria Couceiro João Martins Pedro Santinhos Tipos e Modos de Cifra Criptografia Arte ou ciência de escrever de forma a ocultar conteúdos

Leia mais

Conceitos básicos de criptografia

Conceitos básicos de criptografia Conceitos básicos de criptografia Criptografia Conseguir que um grupo de pessoas transmita informação entre elas que seja ininteligível para todas as outras Uma solução: ter um dialecto próprio secreto

Leia mais

Aula 5 Aspectos de controle de acesso e segurança em redes sem fio 57

Aula 5 Aspectos de controle de acesso e segurança em redes sem fio 57 Aula 5 Aspectos de controle de acesso e segurança em redes sem fio Objetivos Descrever como funciona o controle de acesso baseado em filtros de endereços; Definir o que é criptografia e qual a sua importância;

Leia mais

FAT32 ou NTFS, qual o melhor?

FAT32 ou NTFS, qual o melhor? FAT32 ou NTFS, qual o melhor? Entenda quais as principais diferenças entre eles e qual a melhor escolha O que é um sistema de arquivos? O conceito mais importante sobre este assunto, sem sombra de dúvidas,

Leia mais

Algumas Leis da Segurança

Algumas Leis da Segurança Algumas Leis da Segurança Marcos Aurelio Pchek Laureano laureano@ppgia.pucpr.br Roteiro Leis Fundamentais Leis Imutáveis Seus significados Sua Importância 2 Algumas Leis da Segurança As leis Fundamentais

Leia mais

Nome: Paulo Eduardo Rodrigues de Oliveira Nome: Pedro Thiago Ezequiel de Andrade Nome: Rafael Lucas Gregório D'Oliveira. Rsa

Nome: Paulo Eduardo Rodrigues de Oliveira Nome: Pedro Thiago Ezequiel de Andrade Nome: Rafael Lucas Gregório D'Oliveira. Rsa Nome: Paulo Eduardo Rodrigues de Oliveira Nome: Pedro Thiago Ezequiel de Andrade Nome: Rafael Lucas Gregório D'Oliveira RA:063570 RA:063696 RA:063824 Rsa Introdução: Criptografia (Do Grego kryptós, "escondido",

Leia mais

1. A quebra de sistemas criptográficos simétricos sempre depende da descoberta da chave secreta utilizada no processo criptográfico.

1. A quebra de sistemas criptográficos simétricos sempre depende da descoberta da chave secreta utilizada no processo criptográfico. Exercícios da Parte II: Segurança da Informação Walter Cunha Criptografia (CESPE/PCF-PF 03 2002) 1. A quebra de sistemas criptográficos simétricos sempre depende da descoberta da chave secreta utilizada

Leia mais

Arquitetura de Rede de Computadores

Arquitetura de Rede de Computadores TCP/IP Roteamento Arquitetura de Rede de Prof. Pedro Neto Aracaju Sergipe - 2011 Ementa da Disciplina 4. Roteamento i. Máscara de Rede ii. Sub-Redes iii. Números Binários e Máscara de Sub-Rede iv. O Roteador

Leia mais

OpenSSH WWW.LINUXCLASS.COM.BR

OpenSSH WWW.LINUXCLASS.COM.BR OpenSSH WWW.LINUXCLASS.COM.BR OpenSSH: Introdução: O projeto OpenSSH veio para substituir antigos métodos inseguros de comunicação e autenticação, podemos dizer que o OpenSSH é um substituto direto do

Leia mais

Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto Introdução a Criptografia e Criptografia Simétrica

Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto Introdução a Criptografia e Criptografia Simétrica Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto Introdução a Criptografia e Criptografia Simétrica Francisco José da Silva e Silva Laboratório de Sistemas Distribuídos (LSD) Departamento de Informática / UFMA

Leia mais

Criptografia de chaves públicas

Criptografia de chaves públicas Criptografia de chaves públicas Por Ricardo Paulino Criptografia é um método utilizado para cifrar um texto ou sentença escrita de modo a tornálo ininteligível. Desse modo grandes empresas e/ou pessoas

Leia mais

Profa. Dra. Amanda Liz Pacífico Manfrim Perticarrari amanda@fcav.unesp.br

Profa. Dra. Amanda Liz Pacífico Manfrim Perticarrari amanda@fcav.unesp.br Profa. Dra. Amanda Liz Pacífico Manfrim Perticarrari amanda@fcav.unesp.br São representações dos números de uma forma consistente. Apresenta uma grande quantidade de números úteis, dando a cada número

Leia mais

SSH Secure Shell Secure Shell SSH

SSH Secure Shell Secure Shell SSH SSH SSH Secure Shell O protocolo Secure Shell, é um popular e poderoso, software baseado na abordagem de segurança de rede. Quando os dados são enviados por um computador para a rede, SSH criptografálos

Leia mais

Introdução à Programação Projeto 2011.2

Introdução à Programação Projeto 2011.2 Introdução à Programação Projeto 2011.2 Introdução Desde os primórdios de sua existência, os computadores vêm sido largamente utilizados em sistemas de defesa. O ENIAC, primeiro computador digital eletrônico,

Leia mais

Tencologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: WEB I Conteúdo: Segurança da Informação Aula 02

Tencologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: WEB I Conteúdo: Segurança da Informação Aula 02 Tencologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: WEB I Conteúdo: Segurança da Informação Aula 02 Agenda 1. Segurança da Informação 1.1.Introdução 1.2.Conceitos 1.3.Ameaças a Segurança da

Leia mais

Interação Humano-Computador Golfos e Execução e Avaliação PROFESSORA CINTIA CAETANO

Interação Humano-Computador Golfos e Execução e Avaliação PROFESSORA CINTIA CAETANO Interação Humano-Computador Golfos e Execução e Avaliação PROFESSORA CINTIA CAETANO Teoria de IHC Explicações e previsões fenômenos de interação entre usuário e o sistema. Na década de 80 as fundamentações

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto

Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 Protocolo de rede... 3 Protocolo TCP/IP... 3 Máscara de sub-rede... 3 Hostname... 3

Leia mais

O que é. Segurança da Informação. Introdução à Criptografia. Segurança da Informação. Prof. João Bosco M. Sobral

O que é. Segurança da Informação. Introdução à Criptografia. Segurança da Informação. Prof. João Bosco M. Sobral O que é Segurança da Informação Introdução à Criptografia Segurança da Informação Prof. João Bosco M. Sobral 1 O que é Segurança da Informação Segurança de Informação relaciona-se com vários e diferentes

Leia mais