Férias em Segurança 40

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Férias em Segurança 40"

Transcrição

1 PUBLICAÇÃO MENSAL DA AUTORIDADE NACIONAL DE PROTECÇÃO CIVIL / N.º40 / JULHO 2011 / ISSN Férias em Segurança 40 Verão, DIVULGAÇÃO PÁG.2 TEMA PÁG. 3 A 6 RECURSOS PÁG. 7 AGENDA PÁG 8 julho de Distribuição gratuita Para receber o boletim PROCIV em formato digital inscreva-se em: Este Boletim é redigido ao abrigo do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. Ian Brown EDITORIAL... para muitos de nós, significa descanso e lazer nos mais variados cenários: à beira mar, no campo, na montanha, na cidade. Não podemos esquecer, contudo, que esta altura do ano comporta riscos para os quais é necessário estar alerta. Alguns destes poderão ter repercursões complexas se forem negligenciados alguns princípios básicos ou caso se ignorem as recomendações difundidas pelas autoridades. Esta edição do PROCIV, que se assume como guia orientador para umas férias em segurança, contou com contributos de algumas das entidades com maior responsabilidade na sensibilização dos cidadãos para os riscos da época: Direcção-Geral da Saúde, Instituto da Água, Instituto de Socorros a Náufragos, Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, Polícia de Segurança Pública, INEM, para além, claro, da ANPC. Verão é também uma época propícia para a deflagração de incêndios florestais. O combate a este flagelo, nos últimos anos, tem dado ainda mais consistência à nossa convicção de que grande parte do sucesso do trabalho reside na eficácia da primeira intervenção. Melhorámos bastante neste domínio, fruto de uma maior e melhor vigilância e fiscalização, da introdução no Dispositivo de equipas especializadas em combate indireto e de uma abordagem assente no conceito de comando único. Não nos podemos esquecer, todavia, que a maioria dos incêndios florestais têm origem em atos negligentes, pelo que será sempre insuficiente o esforço e a dedicação dos milhares de Bombeiros, Sapadores, Militares, Forças de Segurança e demais Agentes de Proteção Civil se não houver uma mudança de comportamento por parte das pessoas. Arnaldo Cruz...

2 DIVULGAÇÃO Incêndios Florestais Fase Bravo: dispositivo enfrentou acima de 1800 ocorrências Os distritos de Braga, Viana do Castelo, Aveiro, Vila Real e Viseu foram os que apresentam o maior número de ocorrências, tendo sido o distrito de Braga aquele que registou o número mais elevado de incêndios florestais nos primeiros cinco meses do ano. Nesta fase, o dispositivo integrou bombeiros, 50 registou o número mais elevado de incêndios florestais equipas de intervenção da Força Especial de Bombeiros (188 desde o início deste ano). (FEB), 638 elementos do Grupo de Intervenção, Proteção e Socorro da GNR (GIPS), 819 elementos do Serviço de Proteção da Natureza e Ambiente (SEPNA), 216 elementos da PSP, 1611 elementos da Autoridade Florestal Nacional, 153 elementos do Instituto de Conservação da Natureza e Biodiversidade (ICNB) e 93 sapadores florestais. O histórico do último decénio mostra que em 2011 o número contabilizado de ocorrências é inferior a 2002, 2003, , e a área ardida inferior a 2005 e Comparando os registos do corrente ano com os valores médios do decénio anterior, registaram-se menos 479 ocorrências (-11%), tendo, contudo, ardido mais 945h a de No âmbito da vigilância, estiveram envolvidos 210 espaços florestais (+16%). elementos nos posto de vigia. Dados do Instituto de Meteorologia indicam que o mês de maio registou a temperatura mais elevada desde 1931, mas apesar disso, a área ardida foi inferior à média do decénio, Julho é o primeiro mês da «Fase Charlie», que se prolonga até 30 de setembro. Nesta fase estarão empenhados elementos, apoiados por veículos e 4 1 meios aéreos. Nesta fase o dispositivo irá integrar bombeiros, 24 2 segundo relatório da Autoridade Florestal Nacional, equipas de intervenção da FEB, 654 elementos do GIPS, recentemente divulgado. 939 elementos do SEPNA, 219 elementos da PSP, Os distritos de Braga, Viana do Castelo, Aveiro, Vila Real e Viseu foram os que apresentam o maior número de ocorrências, tendo sido o distrito de Braga aquele que elementos da Autoridade Florestal Nacional, 238 elementos do Instituto de Conservação da Natureza e Biodiversidade e 36 sapadores florestais. P.2. PROCIV Perfil O novo Ministro da Administração Interna (MAI), Miguel Macedo, tem 52 anos, nasceu em Braga e é licenciado em direito.foi vereador na Câmara Municipal daquela cidade entre 1993 e 1997, secretário de Estado da Juventude em 1990 e 1991 e secretário de Estado da Justiça entre 2002 e Novo Ministro da Administração Interna visitou ANPC O novo Ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, reuniu pela primeira vez com elementos da estrutura dirigente e operacional da ANPC no passado dia 24 de junho, para avaliar o dispositivo de combate aos incêndios. Tratou-se da primeira aparição pública do novo MAI após a tomada de posse do XIX Governo. Neste encontro, o Ministro participou no briefing operacional realizado no Comando Nacional de Operações de Socorro da ANPC e assistiu a breves apresentações institucionais efetuadas pelos oficiais NOTÍCIAS de ligação de cada uma das entidades com assento no Centro de Coordenação Operacional Nacional (CCON). À saída do encontro e confrontado com questões colocadas pelos jornalistas, Miguel Macedo referiu, entre outros, que o dispositivo montado continuará intocável em todos os seus aspectos e em toda a sua operacionalidade durante este período crítico dos incêndios florestais...

3 TEMA FÉRIAS RISCOS E SEGURANÇA NAS PRAIAS A maioria das ocorrências nas praias resulta da subestimação dos riscos decorrentes do estado do mar (rebentação, correntes, vento e morfologia e natureza dos fundos) conjugada com a sobrestimação das capacidades próprias em termos de natação e à vontade na água em situações adversas e também de outros fatores, como a doença súbita originada por um conjunto de causas de que se destacam a hidrocussão por choque térmico, a congestão, as doenças neurológicas (por ex. epilepsia), as doenças metabólicas (por ex. diabetes ), a hipoglicémia (resultante de alimentação inadequada), os acidentes vasculares cerebrais e acidentes cardio-respiratórios e, ainda, os traumas severos resultante de saltos para a água e desportos aquáticos. Os meses de verão são os mais apetecíveis, mas também aqueles que exigem maiores cuidados. É tempo de férias, calor, praia, lazer, diversão. Uma época em que o turismo se potencia e com ele surgem alguns riscos. Existem gestos muito simples que possibilitam aproveitar o calor e sair incólume dos perigos da estação. De sublinhar ainda a existência de outros fenómenos potenciadores de risco, como é o caso das arribas instáveis e da queda de blocos. Portugal tem cerca de 70 praias em risco iminente de derrocada. É importante cumprir a sinalização! INCÊNDIO EM HOTÉIS.. PROCIV. P.3

4 TEMA INCÊNDIO EM PARQUES DE CAMPISMO não faça lume exceto quando forem utilizados equipamentos para cozinhar, autorizados para o efeito pelo regulamento interno do parque, não prolifere o seu espaço com objetos desnecessários que só vão aumentar a potencialidade de incêndio, evite o uso de aparelhos a gás sem os devidos cuidados de segurança, pois estes podem causar explosões e incêndios; tenha cuidado com a utilização de instalações elétricas ou extensões porque podem configurar risco de eletrocussão e incêndios; cumpra as demais regras de segurança contra risco de incêndio em vigor no parque de campismo e mantenha as distâncias regulamentadas entre tendas e caravanas; conheça as condições de segurança do parque, informando-se previamente na receção sobre as mesmas; reconheça os caminhos de evacuação e as saídas normais e de emergência. Se optar pelos parques de campismo, então respeite a natureza e evite alguns riscos. O campismo é muito associado à ideia de levar o conforto de casa para férias, sem gastar muito dinheiro. Mas o excesso de mobiliário implica uma carga de incêndio perigosa e riscos acrescidos. As botijas de gás de tamanho doméstico sem proteção, a proliferação de grelhadores e fogões, o espaço exíguo entre as caravanas e as tendas, os cabos elétricos a cruzar os céus e o chão, bem como a dificuldade em remover todo o material em caso de necessidade, são o quadro comum nos nossos parques. Os incêndios são frequentes. Os meios de evacuação poderão não ser os mais eficazes, é difícil encontrar as saídas de emergência e existem inúmeros obstáculos à deslocação. Por tudo isto, CALOR INTENSO Em tempo de verão as temperaturas do ar tendem a aumentar. Todos os anos regista-se um elevado número de mortes associadas às ondas de calor. Mais um risco que pode evitar durante as suas férias. Nos dias de muito calor ingira água ou outros líquidos não açucarados com regularidade, mesmo que não sinta sede. Pessoas que sofram de epilepsia, doenças cardíacas, renais ou de fígado ou que tenham problemas de retenção de líquidos devem consultar um médico antes de aumentarem o consumo de líquidos. Se tem idosos em casa incentive-os a beber pelo menos mais um litro de água por dia para além da que bebem normalmente. Eles poderão rejeitar mas deve insistir. Procure manter-se dentro de casa ou em locais frescos. Em casa, durante o dia, abra as janelas e mantenha as persianas fechadas de modo a permitir a circulação de ar. Durante a noite, abra bem as janelas para que o ar circule e a casa arrefeça. Evite sair à rua nas horas de maior calor, mas se tiver de o fazer, proteja-se usando um chapéu ou um lenço. Vista roupas leves de algodão e de cores claras. As cores escuras absorvem maior quantidade de calor. Evite usar vestuário com fibras sintéticas ou lã. Provocam transpiração, podendo levar à desidratação. Evite fazer exercício físico ou outras atividades que exijam muito esforço. Evite estar de pé durante muito tempo, especialmente em filas ao sol. Se tiver oportunidade, desloque-se nas horas de maior calor para locais com ar condicionado. Um pequeno duche de água tépida arrefece o seu corpo rapidamente aumentando o seu conforto. Se o seu corpo estiver muito quente não deve tomar banho com água muito fria. Em viagem: Viaje de preferência a horas de menos calor ou à noite; Quando viajar de automóvel faça-o por períodos curtos. Se tiver que fazer grandes viagens leve consigo água ou outros líquidos não alcoólicos. Proteja os passageiros da exposição ao sol, cobrindo as janelas com telas apropriadas, que não dificultem ou prejudiquem a condução. Nunca viaje com as janelas totalmente fechadas a não ser que tenha ar condicionado no seu carro. Se viajar com crianças mantenha-as o mais arejadas possível, vestindo-lhes o mínimo de roupa e dando-lhes frequentemente água a beber. Tenha atenção aos idosos que viajam consigo. Não devem vestir de negro nem roupas de fibra sintética e devem também beber um suplemento de água. Coma poucas quantidades de cada vez e várias vezes ao dia. As refeições devem ser ligeiras, sopas frias ou tépidas, saladas, grelhados, comidas com pouca gordura e pouco condimentadas, acompanhadas de preferência com água. Num organismo desidratado são absorvidas rapidamente podendo levar a estados de embriaguez com maior facilidade. Na praia: Vá à praia apenas nas primeiras horas da manhã (até às 11h00) ou ao fim da tarde (depois das 17h00). Mantenha-se à sombra, use chapéu, óculos escuros e cremes de proteção solar. Uma exposição ao sol prolongada leva a queimaduras de pele que só por si aumentam a perda de líquidos. P. 4. PROCIV..

5 TEMA PASSEIOS NO CAMPO OU MONTANHA Se gosta de passear no campo ou na montanha no verão, é importante respeitar algumas medidas de segurança, tomando precauções mesmo que os percursos sejam curtos ou pareçam fáceis. Os acidentes podem acontecer e é importante conhecer e transmitir aos amigos e familiares alguns princípios básicos: Planeie antecipadamente o percurso que vai fazer e verifique as restrições existentes; Informe-se sobre as condições climatéricas do local e consulte a previsão do tempo antes de qualquer atividade em ambientes naturais; Não viaje sozinho. Prefira grupos pequenos que se harmonizam melhor com a natureza e causam menos impactes; Informe sempre alguém acerca do seu destino; Escolha as atividades que vai realizar na sua visita conforme a sua condição física e o seu nível de experiência; Cada um é responsável pela sua própria segurança. O salvamento em ambientes naturais é complexo, podendo levar dias. Não arrisque sem necessidade; Avise as entidades do local por si escolhido, sobre a sua experiência, o tamanho do grupo, o equipamento que levam, o percurso e a data prevista para regresso. Estas informações facilitarão o seu resgate em caso de acidente; Aprenda as técnicas básicas de segurança, como navegação (como usar um mapa e uma bússola) e primeiros socorros; Tenha certeza de que possui equipamento apropriado para cada situação; Desconfie dos declives (podem esconder armadilhas)! Não faça fogueiras! PRAIAS FLUVIAIS É, pois, importante cumprir as seguintes regras: Os rios e ribeiras ganham cada vez mais adeptos no que toca a passar férias. A verdade é que Portugal tem muitos rios que têm sido cada vez mais aproveitados para fins turísticos. Não só se realizam passeios de barco ou de canoa, como são um destino balnear, principalmente para as localidades que não dispõem de costa marítima. Todos os anos, no entanto, têm ocorrido acidentes nestes espaços. Frequente praias vigiadas; Respeite os sinais das bandeiras; Respeite as instruções dos Nadadores Salvadores e as normas dos Editais de Praia; Procure nadar acompanhado; Procure conhecer as praias fluviais que frequenta. DESLOCAÇÕES DE AUTOMÓVEL PROCIV. P.5

6 Free Images, UK TEMA INCÊNDIOS FLORESTAIS: INTERFACE URBANO-FLORESTAL Todos os anos há inúmeros portugueses que regressam do estrangeiro para passar férias nas suas aldeias, vilas ou cidades de origem e onde possuem casas, que na maioria das vezes estão desabitadas durante o ano. Ao redor destas casas constata-se muitas das vezes a existência de matérias combustíveis que podem tornar-se fontes de ignição, provocando incêndios graves. Siga, por isso, as seguintes recomendações: Tome em atenção a proteção da sua habitação, no caso do incêndio se desenvolver nas proximidades; Retire os cortinados inflamáveis e feche todas as persianas, ou coberturas, de janelas não combustíveis, para tentar evitar a propagação do incêndio para o interior da casa; Feche todas as janelas e portas para evitar fenómenos de sucção; Feche todas as válvulas do gás e regue os depósitos com água; Acenda uma luz em todas as divisões para ter visibilidade em caso de presença de fumos; Ponha os objetos que não sejam danificados pela água no interior de piscinas ou de tanques; Remova materiais combustíveis do interior e das imediações da sua casa; Molhe abundantemente as paredes e toda a zona circundante da casa; Esteja preparado para evacuar todos os membros da sua família e os seus animais, caso o incêndio se aproxime da sua habitação, ou por ordem das autoridades; As piscinas ou tanques são zonas potencialmente mais seguras. Se ficar preso num incêndio: Procure não entrar em pânico; Identifique uma zona com água na qual poderá defenderse de altas temperaturas; Cubra a sua cabeça e a parte superior do seu corpo com roupas molhadas; Respire o ar junto ao chão através de uma roupa molhada a fim de evitar a inalação de fumos; Se não existe água nas proximidades, procure um abrigo numa área aberta ou num afloramento de rochas. Mantenha-se deitado e se possível cubra-se com a terra do próprio solo. VIAGENS AO ESTRANGEIRO Se pensa ir de férias para fora do país, saiba que o Gabinete de Emergência Consular (GEC) do Ministério dos Negócios Estrangeiros presta apoio consular, em situações de emergência, aos cidadãos nacionais. O GEC funciona 24 horas por dia com um sistema de atendimento permanente através dos números ou do telemóvel O Gabinete disponibiliza, ainda, um Sistema de Gestão de Emergência que oferece um serviço de registo que permite aos cidadãos nacionais que viajam para o estrangeiro informar sobre a sua identificação, contactos mais diretos, percurso(s) da viagem com indicação do(s) país(es) de destino, datas de partida e chegada, locais de pernoita e respetivos contactos, bem como a indicação, opcional, do nome de um familiar ou amigo a ser contactado em situação de emergência. O GEC pode ser contactado, também, por fax ( ) ou por A SEGURANÇA DOS SEUS BENS A habitação constitui um espaço privado que, quando devassado, ofende o nosso direito à privacidade e causa prejuízos materiais, acrescidos de inevitáveis danos psicológicos. A Polícia de Segurança Pública (PSP) ativa, entre 01 de Julho e 15 de Setembro, a «Operação Férias», que visa auxiliar os cidadãos a gozarem as férias mais tranquilamente. Assim, se vai gozar as suas férias durante aquele período, tome atenção a algumas medidas preventivas que devem ser tomadas: Dê uma aparência de actividade à sua residência, peça a alguém que abra regularmente as persianas ou cortinas durante o dia e ligue a iluminação interior algumas noites; Não diga a estranhos que vai de férias; Verifique e feche bem portas e janelas; Não deixe acumular a correspondência na sua caixa de correio. Peça a alguém da sua confiança para a recolher; Catalogue, se possível, os seus objectos de valor e anote os seus números de série. P.6. PROCIV.

7 RECURSOS Redes Sociais Com o objetivo de comunicar cada vez mais e melhor com os cidadãos, a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) tem vindo a disponibilizar conteúdos multimédia nalgumas das mais importantes plataformas e redes sociais, como é o caso do facebook, twitter, flickr e youtube. Nos últimos anos estas plataformas e redes têm vindo a ter um grande desenvolvimento, registando cada vez mais utilizadores. Através destas páginas são divulgadas notícias atuais sobre a Instituição, agenda de eventos, medidas de prevenção e autoproteção, assim como clips áudio, video e fotos. Aceda a estas páginas através do sítio na internet da ANPC e siga a nossa atividade! Publicações Manual «Fire Safety in European Hotels». Edição Confederação de Hotéis, Restaurantes e Cafés da União Europeia (HOTREC). Fevereiro, A APHORT Associação Portuguesa de Hotelaria, Restauração e Turismo recomenda aos seus associados o manual «Fire Safety in European Hotels», um documento elaborado pela HOTREC, a Confederação Europeia do setor. Embora não substitua o cumprimento da legislação portuguesa, este manual é considerado um documento de leitura obrigatória para todos os responsáveis de segurança. Disponível na internet em WWW Programa de Gestão de Risco e Crises no Setor Turístico, da Organização Mundial do Turismo (OMT). A principal missão do Programa de Gestão de Riscos e Crises da OMT é apoiar os seus membros no processo de avaliação e mitigação dos riscos suscetíveis de colocar em causa o fluxo de viagens e turistas, através de um adequado planeamento, desenvolvimento e implementação de sistemas de gestão de crise que visam reduzir o impacto de situações de catástrofe e acidentes graves, como os ocorridos por exemplo no arquipélago da Madeira no ano passado. Os seus principais projetos e serviços incluem o reforço da rede de comunicações entre os vários intervenientes (empresas, autoridades turísticas e serviços competentes de proteção e socorro) e e implementação de sistemas de assistência em caso de emergência. Este programa é permanentemente supervisionando pela OMT e tem como utilizadores finais as empresas privadas do setor e as autoridades públicas a operar aos níveis nacional, regional e local da gestão e promoção de destinos turísticos. PROCIV. P.7

8 AGENDA 3 de JULHO ODIVELAS 1 1 4º ANIVERSÁRIO DA ASSOCIAÇÃO HUMANITÁRIA DE BOMBEIROS A Associação Humanitária de Bombeiros de Odivelas comemora neste dia o seu 114.º aniversário. Foi no ano de 1896 que um grupo de homens se reuniu para formar uma comissão no sentido de fundarem uma Corporação de Bombeiros Voluntários, tendo daí nascido a Real Associação dos Bombeiros Voluntários de Odivelas, oficialmente constituída no dia 29 de junho de de JULHO INSTITUTO NACIONAL DE RECURSOS BIOLÓGICOS, OEIRAS WORKSHOP SOBRE A FLORESTA PORTUGUESA No âmbito do Ano Internacional das Florestas e considerando a importância do estabelecimento de sinergias entre a investigação aplicada e as diversas fileiras do setor florestal, a Unidade de Investigação de Silvicultura e Produtos Florestais decidiu organizar no dia 1 2 de julho, no auditório do campus de Oeiras do INRB, um workshop subordinado ao tema O Contributo da Investigação para o Desenvolvimento da Floresta em Portugal. A entrada é livre de JULHO MUSEU MUNICIPAL DE VILA DE REI EXPOSIÇÃO «MEMÓRIAS DOS BOMBEIROS DE VILA DE REI» Esta iniciativa, integrada nas comemorações do Dia Internacional dos Museus, irá mostrar variados tipos de material pertencente aos Bombeiros Voluntários de Vila de Rei, como fotografias, instrumentos, documentos, entre outros, que contam toda a história desta Associação, desde a sua criação até aos dias de hoje. A exposição estará aberta de terça a domingo, das 09h30 às 1 2 h30 e das 14h00 às 17h E IDENTIDADE NTARIADO ITERRÂNEO realiza na lbenkian, ama das ropeu do 11). P U B L I C A Ç Ã O M E N S A L Edição e propriedade Autoridade Nacional de Protecção Civil Diretor Arnaldo Cruz Redação e paginação Filipe Távora e Gisela Oliveira Fotos: ANPC / Free Images Live / Free Photos Biz Design Barbara Alves Impressão Europress Tiragem 2000 exemplares ISSN Projecto co-financiado por: Os artigos assinados traduzem a opinião dos seus autores. Os artigos publicados poderão ser transcritos com identificação da fonte. Autoridade Nacional de Protecção Civil Pessoa Coletiva nº Av. do Forte em Carnaxide / Carnaxide Telefone: Fax: P.8. PROCIV

Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa

Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Ministério da Saúde Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Assunto: Para: Contacto na DGS: Ondas de calor medidas de prevenção Recomendações dirigidas à população Conhecimento de todos os estabelecimentos

Leia mais

Frio» Recomendações gerais

Frio» Recomendações gerais No domicílio Antes do Inverno, verifique os equipamentos de aquecimento da sua casa; Se tiver lareira mande limpar a chaminé, se necessário; Mantenha a casa arejada, abrindo um pouco a janela/porta para

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde

Direcção-Geral da Saúde Assunto: PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA AS ONDAS DE CALOR 2009 RECOMENDAÇÕES GERAIS PARA A POPULAÇÃO Nº: 24/DA DATA: 09/07/09 Para: Contacto na DGS: Todos os Estabelecimentos de Saúde Divisão de Saúde Ambiental

Leia mais

Algumas medidas podem salvar vidas durante uma onda de calor

Algumas medidas podem salvar vidas durante uma onda de calor MINISTÉRIO DA SAÚDE ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DE SAÚDE DO ALGARVE DEPARTAMENTO DE SAÚDE PÚBLICA Algumas medidas podem salvar vidas durante uma onda de calor Durante os meses de Verão as temperaturas podem

Leia mais

Algumas medidas podem salvar vidas durante uma onda de calor

Algumas medidas podem salvar vidas durante uma onda de calor Algumas medidas podem salvar vidas durante uma onda de calor Quando ocorre uma Onda de Calor emitem-se Alertas: Amarelo ou Vermelho, com menos e mais gravidade, respectivamente. Devem adoptar-se cuidados

Leia mais

Incêndio. quilómetros, devido aos seus fumos negros e densos

Incêndio. quilómetros, devido aos seus fumos negros e densos Incêndio A propagação de um incêndio depende das condições meteorológicas (direcção e intensidade do vento, humidade relativa do ar, temperatura), do grau de secura e do tipo do coberto vegetal, orografia

Leia mais

CATÁSTROFES E GRANDES DESASTRES IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO PÚBLICA NO ÂMBITO DA PROTEÇÃO CIVIL

CATÁSTROFES E GRANDES DESASTRES IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO PÚBLICA NO ÂMBITO DA PROTEÇÃO CIVIL programa Ao evocar os 260 anos do Terramoto de 1755, a Câmara Municipal de Lisboa, através do Programa que agora se apresenta, pretende levar a cabo um conjunto de atividades e manifestações alusivas à

Leia mais

Plano de Emergência Externo de Ílhavo

Plano de Emergência Externo de Ílhavo Plano de Emergência Externo de Ílhavo 2012 Conteúdo Parte I Enquadramento Geral do Plano... 12 1. Introdução... 12 2. Âmbito de aplicação... 14 3. Objetivos gerais... 15 4. Enquadramento legal... 16 5.

Leia mais

Informação para Visitantes

Informação para Visitantes Informação para Visitantes Informação e orientações para visitantes Bem-vindo ao Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), um instituto público de investigação, dedicado à ciência e tecnologia,

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA GOVERNO REGIONAL SECRETARIA REGIONAL DOS ASSUNTOS SOCIAIS INSTITUTO DE ADMINISTRAÇÃO DA SAÚDE E ASSUNTOS SOCIAIS, IP-RAM

REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA GOVERNO REGIONAL SECRETARIA REGIONAL DOS ASSUNTOS SOCIAIS INSTITUTO DE ADMINISTRAÇÃO DA SAÚDE E ASSUNTOS SOCIAIS, IP-RAM MEDIDAS DE PREVENÇÃO DAS CONSEQUÊNCIAS DO CALOR EM CRECHES E INFANTÁRIOS - RECOMENDAÇÕES Medidas Gerais de Prevenção 1 Edifício Verificar o bom funcionamento e manutenção dos estores, das portadas, das

Leia mais

EM TERMOS DE SEGURANÇA GERAL, QUANDO SE ENCONTRAR SOZINHO(A) EM CASA:

EM TERMOS DE SEGURANÇA GERAL, QUANDO SE ENCONTRAR SOZINHO(A) EM CASA: 3 envelhecimento e o aumento da longevidade da população O mundial são já uma realidade incontornável pelo que, faz todo sentido falar em esperança de vida saudável e em segurança. Assim, será muito importante

Leia mais

Tema 3 Comportamentos específicos de segurança

Tema 3 Comportamentos específicos de segurança Escola Básic a 2º º e 3º º Ciclos s Escola E. B. 2, 3 de Sabóia ANO LECTIVO 2008/2009 Formação Cívica 5ºA Módulo Cidadania e Segurança Tema 3 Comportamentos específicos de segurança" Tema Conteúdo Competências

Leia mais

Vem comigo, vamos saber mais! CONHECE OS RISCOS E PREVINE-TE, PARA VIVERES EM SEGURANÇA.

Vem comigo, vamos saber mais! CONHECE OS RISCOS E PREVINE-TE, PARA VIVERES EM SEGURANÇA. Vem comigo, vamos saber mais! CONHECE OS RISCOS E PREVINE-TE, PARA VIVERES EM SEGURANÇA. A PROTEÇÃO CIVIL E OS SEUS AGENTES POLÍCIA MARÍTIMA GNR CRUZ VERMELHA PSP INEM BOMBEIROS A protecão civil tem por

Leia mais

Receita infalível para uma boa viagem

Receita infalível para uma boa viagem Receita infalível para uma boa viagem Para que a tão sonhada viagem de férias não se transforme em um pesadelo, alguns cuidados básicos devem ser tomados. Pensando no seu conforto e na sua segurança nesse

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA/ 3º CEB POETA AL BERTO, SINES PLANO DE EMERGÊNCIA INTERNO

ESCOLA SECUNDÁRIA/ 3º CEB POETA AL BERTO, SINES PLANO DE EMERGÊNCIA INTERNO ALUNOS: Quando soar o sinal de ALARME, deve seguir as instruções do Professor. O aluno nomeado Chefe de Fila deve dirigir-se para porta de saída, procede à sua abertura, segurando-a e mantendo-a aberta.

Leia mais

Dicas de Segurança II

Dicas de Segurança II Dicas de Segurança II Ao Viajar Casa ou apartamento Não comente sua viagem com pessoas estranhas por perto. Avise a um vizinho de confiança sobre a sua viagem. Se possível, deixe um número de telefone

Leia mais

Escola básica 2,3 ciclos da Alembrança. Os bombeiros. Ano lectivo 2008/09. Disciplina: Área de projecto. Professor: Hélder Baião

Escola básica 2,3 ciclos da Alembrança. Os bombeiros. Ano lectivo 2008/09. Disciplina: Área de projecto. Professor: Hélder Baião Escola básica 2,3 ciclos da Alembrança Os bombeiros Ano lectivo 2008/09 Disciplina: Área de projecto Professor: Hélder Baião Trabalho realizado por: - António Rodrigues nº4 - Jorge Moreira nº13 - Miguel

Leia mais

DOCUMENTO DE TRABALHO

DOCUMENTO DE TRABALHO Página 1 de 1 Oferta formativa 1. Escola Nacional de Bombeiros O Regulamento dos Cursos de Formação do Bombeiro, é o normativo legal que regulamenta os cursos de formação dos elementos do Quadro de Comando

Leia mais

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO SETOR DE COMUNICAÇÃO SOCIAL MANUAL DE AUTO PROTEÇAO DO CIDADÃO.

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO SETOR DE COMUNICAÇÃO SOCIAL MANUAL DE AUTO PROTEÇAO DO CIDADÃO. POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO SETOR DE COMUNICAÇÃO SOCIAL MANUAL DE AUTO PROTEÇAO DO CIDADÃO. (A Parte, que se segue, foi extraída do Manual acima. O Manual completo pode ser baixado via Internet

Leia mais

Guia de Puericultura. Alimentação

Guia de Puericultura. Alimentação Guia de Puericultura Com o nascimento do bebé, os pais necessitam de adquirir uma série de artigos. A oferta no mercado é cada vez maior, por isso é importante estar informado: com este guia ajudamo-la

Leia mais

Regulamento de Acesso, Circulação e Permanência nas Instalações da Assembleia da República

Regulamento de Acesso, Circulação e Permanência nas Instalações da Assembleia da República Regulamento de Acesso, Circulação e Permanência nas Instalações da Assembleia da República Despacho n.º 1/93, de 19 de março publicado no Diário da Assembleia da República, II Série C, n.º 22 de 22 de

Leia mais

Sistema Integrado de Operações de Protecção e Socorro (SIOPS)

Sistema Integrado de Operações de Protecção e Socorro (SIOPS) Anteprojecto de decreto-lei Sistema Integrado de Operações de Protecção e Socorro (SIOPS) As acções de protecção civil integram, obrigatoriamente, agentes e serviços que advêm de organismos do Estado,

Leia mais

PROCEDIMENTOS QUE SALVAM VIDAS!

PROCEDIMENTOS QUE SALVAM VIDAS! Instituto Português da ualidade PROCEDIMENTOS QUE SALVAM VIDAS! Brincar e nadar em segurança é uma brochura desenvolvida pela Direção-Geral do Consumidor, com o apoio do Instituto Português da Qualidade

Leia mais

A CRIANÇA E O AMBIENTE RODOVIÁRIO

A CRIANÇA E O AMBIENTE RODOVIÁRIO A educação rodoviária deve começar o mais cedo possível. Ensine, com antecedência, as normas básicas de segurança rodoviária ao seu filho. Para ele, os pais constituem referências e modelos que procura

Leia mais

Desportistas. Recomendações para Ondas de Calor. Saúde e Desenolvimento Humano

Desportistas. Recomendações para Ondas de Calor. Saúde e Desenolvimento Humano A prática regular e moderada da actividade física pode trazer benefícios substanciais para a saúde da população, como seja reduzir para metade o risco de doenças coronárias, baixar o risco de desenvolver

Leia mais

Plano de Emergência Externo do Estabelecimento de Armazenagem de Produtos Explosivos da MaxamPor, S.A.

Plano de Emergência Externo do Estabelecimento de Armazenagem de Produtos Explosivos da MaxamPor, S.A. Plano de Emergência Externo do Estabelecimento de Armazenagem de Produtos Explosivos da MaxamPor, S.A. CÂMARA MUNICIPAL DE VILA POUCA DE AGUIAR SERVIÇO MUNICIPAL DE PROTECÇÃO CIVIL SETEMBRO DE 2010 ÍNDICE

Leia mais

PROCEDIMENTOS QUE SALVAM VIDAS!

PROCEDIMENTOS QUE SALVAM VIDAS! Instituto Português da ualidade PROCEDIMENTOS QUE SALVAM VIDAS! Brincar e nadasr em segurança é uma brochura desenvolvida pela Direção- Geral do Consumidor, com o apoio do Instituto Português da Qualidade

Leia mais

Sinalização de Emergência Dinâmica

Sinalização de Emergência Dinâmica Sinalização de Emergência Dinâmica Sinalização de Emergência Dinâmica ifloor A solução ifloor permite o desenvolvimento de novas soluções onde a monitorização e controlo de pessoas é fundamental. Através

Leia mais

Alarmed for Life. Sabia que? As principais causas dos incêndios. Sobre o Monóxido de Carbono

Alarmed for Life. Sabia que? As principais causas dos incêndios. Sobre o Monóxido de Carbono Sabia ue? As principais causas dos incêndios Os especialistas apontam para três motivos principais: 1. Negligência Falta de atenção ao cozinhar; colocação de objetos perto do fogão Uso inapropriado ou

Leia mais

Guia do Morador - Mod.065.03 2

Guia do Morador - Mod.065.03 2 Guia do Morador 2 Índice Cascais Envolvente. Pág.04 1. Recomendações para uso e manutenção 2.1 A sua Casa..... Pág.05 2.2 Espaços Comuns...... Pág.06 2.3 Espaços Exteriores.....Pág.07 2. Cuidados Especiais

Leia mais

GUIA DE BOLSO SEGURANÇA NO COMBATE A INCÊNDIOS FLORESTAIS COMANDO NACIONAL DE OPERAÇÕES DE SOCORRO

GUIA DE BOLSO SEGURANÇA NO COMBATE A INCÊNDIOS FLORESTAIS COMANDO NACIONAL DE OPERAÇÕES DE SOCORRO GUIA DE BOLSO SEGURANÇA NO COMBATE A INCÊNDIOS FLORESTAIS COMANDO NACIONAL DE OPERAÇÕES DE SOCORRO Liderança Operacional Um bom líder, mesmo numa situação confusa e incerta: Encarrega-se dos recursos atribuídos;

Leia mais

Cuidados com a sua casa durante a viagem. Não comente sua viagem perto de pessoas estranhas. Uma opção é contratar um caseiro de confiança.

Cuidados com a sua casa durante a viagem. Não comente sua viagem perto de pessoas estranhas. Uma opção é contratar um caseiro de confiança. VIAGENS Cuidados com a sua casa durante a viagem Não comente sua viagem perto de pessoas estranhas. Uma opção é contratar um caseiro de confiança. Nas áreas externas, não deixe ferramentas e escadas, elas

Leia mais

BRIGADA DE INCÊNDIO ORGANIZAÇÃO DA BRIGADA DE INCÊNDIO

BRIGADA DE INCÊNDIO ORGANIZAÇÃO DA BRIGADA DE INCÊNDIO BRIGADA DE INCÊNDIO Brigada de Incêndio: É um grupo organizado de pessoas voluntárias ou não, treinadas e capacitadas para atuarem dentro de uma área previamente estabelecida na prevenção, abandono e combate

Leia mais

ANEXO I - RESPOSTA FISIOLÓGICA AO CALOR INTENSO

ANEXO I - RESPOSTA FISIOLÓGICA AO CALOR INTENSO ANEXOS 28 ANEXO I - RESPOSTA FISIOLÓGICA AO CALOR INTENSO Resposta fisiológica ao calor intenso A temperatura corporal é constantemente regulada mantendo-se num intervalo relativamente estreito (35ºC 39ºC),

Leia mais

REGRAS DE SEGURANÇA JUNTO A INSTALAÇÕES DE MUITO ALTA TENSÃO E ALTA TENSÃO LINHAS DE TRANSPORTE SUBESTAÇÕES, POSTOS DE CORTE E DE SECCIONAMENTO

REGRAS DE SEGURANÇA JUNTO A INSTALAÇÕES DE MUITO ALTA TENSÃO E ALTA TENSÃO LINHAS DE TRANSPORTE SUBESTAÇÕES, POSTOS DE CORTE E DE SECCIONAMENTO REGRAS DE SEGURANÇA JUNTO A INSTALAÇÕES DE MUITO ALTA TENSÃO E ALTA TENSÃO LINHAS DE TRANSPORTE SUBESTAÇÕES, POSTOS DE CORTE E DE SECCIONAMENTO A REN - Rede Eléctrica Nacional, S.A. é a concessionária

Leia mais

Serviços Tecno Consultores em Formação. Serviços Tecnológicos MAPFRE Consultores em Engenharia e Formação

Serviços Tecno Consultores em Formação. Serviços Tecnológicos MAPFRE Consultores em Engenharia e Formação Serviços Tecno Consultores em Formação Consultores em Engenharia e Formação Plano de Formação 2014 Índice Curso Intensivo sobre Segurança no Trabalho para atualização de CAP s 4 Curso Intensivo sobre Segurança

Leia mais

TEXTO DE APOIO À EXPLORAÇÃO PEDAGÓGICA DO TEMA

TEXTO DE APOIO À EXPLORAÇÃO PEDAGÓGICA DO TEMA TEXTO DE APOIO À EXPLORAÇÃO PEDAGÓGICA DO TEMA TEMA SELECCIONADO A CAMINHO DA ESCOLA IDENTIFICAÇÃO DAS COMPONENTES DA RUA / ESTRADA A Educação Rodoviária é um processo ao longo da vida do cidadão como

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/9 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA GERADORES AUXILIARES (GERADOR MÓVEL) 2 DESCRIÇÃO Trabalhos específicos de operação e ligação de gerador auxiliar móvel à rede de distribuição

Leia mais

Etapas do Manual de Operações de Segurança

Etapas do Manual de Operações de Segurança OPERAÇÕES www.proteccaocivil.pt DE SEGURANÇA CARACTERIZAÇÃO DO ESPAÇO IDENTIFICAÇÃO DE RISCOS ETAPAS LEVANTAMENTO DE MEIOS E RECURSOS ESTRUTURA INTERNA DE SEGURANÇA PLANO DE EVACUAÇÃO PLANO DE INTERVENÇÃO

Leia mais

DELEGADOS E SUBDELEGADOS DE TURMA

DELEGADOS E SUBDELEGADOS DE TURMA DELEGADOS E SUBDELEGADOS DE TURMA INTRODUÇÃO O Plano de Segurança pretende representar para a comunidade escolar um ponto de referência para uma eventual situação de emergência face a eventuais catástrofes.

Leia mais

REGULAMENTO GUIÃO 6ª ETAPA DATA:

REGULAMENTO GUIÃO 6ª ETAPA DATA: GUIÃO 6ª ETAPA DATA: REGULAMENTO O evento terá início às 23,00h do dia 12 de julho de 2014. O levantamento dos dorsais será das 20,00h às 23,00h. A concentração para partida é às 23,00h. PERCURSOS: Sendo

Leia mais

Inundações. Autoprotecção

Inundações. Autoprotecção Qualidade Vida C Â M A R A M U N I C I P A L Inundações Autoprotecção Inundações AUTOPROTECÇÃO Algumas inundações podem prever-se através da análise das condições meteorológicas, níveis de água nos rios

Leia mais

Corpo de Bombeiros. São Paulo

Corpo de Bombeiros. São Paulo Corpo de Bombeiros São Paulo ACIDENTES E INCÊNDIOS DOMÉSTICOS ADULTOS Acidentes Os acidentes domésticos são muito comuns. Mesmo com todo o cuidado, há objetos e situações que podem tornar todas as divisões

Leia mais

ARIEM testa eficácia do 112 Simulacro de naufrágio no rio Minho

ARIEM testa eficácia do 112 Simulacro de naufrágio no rio Minho ARIEM testa eficácia do 112 Simulacro de naufrágio no rio Minho Revista de Imprensa 15-05-2014 1. (PT) - Diário do Minho, 15052014, Projeto de 112 transfronteiriço NorteGaliza a funcionar em pleno em junho

Leia mais

Nível 1 Nível Atitudinal; Nível 4 Nível Operacional. Tema 6 Domínio das Situações de Trânsito Tema 7 Controlo do Veículo

Nível 1 Nível Atitudinal; Nível 4 Nível Operacional. Tema 6 Domínio das Situações de Trânsito Tema 7 Controlo do Veículo FICHA TÉCNICA ATUAÇÃO EM CASO DE AVARIA OU ACIDENTE Níveis GDE: Nível 1 Nível Atitudinal; Nível 4 Nível Operacional Temas Transversais: Tema 6 Domínio das Situações de Trânsito Tema 7 Controlo do Veículo

Leia mais

AQUECIMENTO, VENTILAÇÃO E AR CONDICIONADO ILUMINAÇÃO COZINHA/ LAVANDARIA DIVERSOS

AQUECIMENTO, VENTILAÇÃO E AR CONDICIONADO ILUMINAÇÃO COZINHA/ LAVANDARIA DIVERSOS P O U P A R AQUECIMENTO, VENTILAÇÃO E AR CONDICIONADO ILUMINAÇÃO COZINHA/ LAVANDARIA DIVERSOS AQUECIMENTO, VENTILAÇÃO E AR CONDICIONADO Caso tenha ar condicionado nos quartos ou áreas comuns do empreendimento,

Leia mais

Situações de emergência de incêndio na FEUP

Situações de emergência de incêndio na FEUP RELATÓRIO Situações de emergência de incêndio na FEUP MIEEC - ELE305 Hugo Ribeiro (090503141) Jorge Corujas (090503045) Mafalda Machado (090503057) Ricardo Coelho (090503084) Sérgio Moreira (090503125)

Leia mais

O que fazer em caso de sismo

O que fazer em caso de sismo www.aterratreme.pt O que fazer em caso de sismo Todos os anos se realiza o exercício de prevenção de risco sísmico A Terra Treme, pois é importante relembrar as regras básicas de segurança incluindo alguns

Leia mais

INSCRIÇÕES MANUAL DE INSCRIÇÃO PARA O ALUNO FCUL. Inscrição a Disciplina(s) Comprovativo de Inscrição. Plano de pagamento de propinas

INSCRIÇÕES MANUAL DE INSCRIÇÃO PARA O ALUNO FCUL. Inscrição a Disciplina(s) Comprovativo de Inscrição. Plano de pagamento de propinas INSCRIÇÕES MANUAL DE INSCRIÇÃO PARA O ALUNO FCUL Inscrição a Disciplina(s) Comprovativo de Inscrição Plano de pagamento de propinas Unidade Académica Data do documento: Agosto de 2014 Faculdade de Ciências

Leia mais

Janeiro 2012. Instruções de Segurança. Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores

Janeiro 2012. Instruções de Segurança. Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores Cenário 1 Alarme de reconhecimento Responsável Bloco faz o reconhecimento Atuação Equipa 1ª Intervenção Alarme Parcial Bloco A Atuação Equipa Evacuação Bloco A Situação Controlada? Sinistro? Sim Não Reposição

Leia mais

9.12 Normas de Utilização das Instalações Desportivas da ESMA (Complexo Desportivo Dr. Manuel de Arriaga) Documento do Serviço do Desporto do Faial

9.12 Normas de Utilização das Instalações Desportivas da ESMA (Complexo Desportivo Dr. Manuel de Arriaga) Documento do Serviço do Desporto do Faial 9.12 Normas de Utilização das Instalações Desportivas da ESMA (Complexo Desportivo Dr. Manuel de Arriaga) Documento do Serviço do Desporto do Faial Regras a observar na utilização da Piscina 1 Utilização

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde

Direcção-Geral da Saúde Assunto: PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA ONDAS DE CALOR 2009 RECOMENDAÇÕES PARA DESPORTISTAS Nº: 29/DA DATA: 04/08/09 Para: Contacto na DGS: Todos os Estabelecimentos de Saúde Divisão de Saúde Ambiental INTRODUÇÃO

Leia mais

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume XIII Trabalho em Espaços Confinados. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume XIII Trabalho em Espaços Confinados. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção Guia Técnico Segurança e Higiene no Trabalho Volume XIII Trabalho em Espaços Confinados um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA PESSOAL

MANUAL DE SEGURANÇA PESSOAL MANUAL DE SEGURANÇA PESSOAL O Grupo Haganá elaborou este manual de dicas de segurança pessoal com algumas informações importantes para o dia a dia. As informações contidas aqui são de caráter prático e

Leia mais

Segurança pessoal. Cuidados indispensáveis para evitar situações de risco dentro e fora do Campus.

Segurança pessoal. Cuidados indispensáveis para evitar situações de risco dentro e fora do Campus. Segurança pessoal Cuidados indispensáveis para evitar situações de risco dentro e fora do Campus. Você sabe como iden.ficar situações de risco? Ao decorrer de uma roena diária de aevidades, métodos prevenevos

Leia mais

APHORT. Porto 17 de Setembro de 2014 1

APHORT. Porto 17 de Setembro de 2014 1 APHORT Porto 17 de Setembro de 2014 1 A APHORT Associação Portuguesa de Hotelaria, de Restauração e Turismo, associação de âmbito nacional representativa de empresas que exploram: Empreendimentos hoteleiros

Leia mais

Semana da Proteção Civil Seminário Incêndios Urbanos. PREVENÇÃO E RESPOSTA 27 Fevereiro 2015

Semana da Proteção Civil Seminário Incêndios Urbanos. PREVENÇÃO E RESPOSTA 27 Fevereiro 2015 Semana da Proteção Civil Seminário Incêndios Urbanos PREVENÇÃO E RESPOSTA 27 Fevereiro 2015 Riscos tecnológicos Incêndios estruturais: da prevenção ao combate Pedro Miguel de Araújo Comandante dos Bombeiros

Leia mais

RISCOS PARA A SAÚDE RESULTANTES DA OCORRÊNCIA DE INCÊNDIOS

RISCOS PARA A SAÚDE RESULTANTES DA OCORRÊNCIA DE INCÊNDIOS RISCOS PARA A SAÚDE RESULTANTES DA OCORRÊNCIA DE INCÊNDIOS Os incêndios florestais e urbanos para além das consequências económicas e ambientais, representam riscos para a saúde das populações decorrentes

Leia mais

www.prociv.pt 26JUN2015 V Jornadas NOVOS PARADIGMAS DA PROTEÇÃO CIVIL cdos.porto@prociv.pt AGENDA 4. Síntese histórica do Voluntariado;

www.prociv.pt 26JUN2015 V Jornadas NOVOS PARADIGMAS DA PROTEÇÃO CIVIL cdos.porto@prociv.pt AGENDA 4. Síntese histórica do Voluntariado; Voluntariado e Protecção Civil www.prociv.pt 26JUN2015 V Jornadas NOVOS PARADIGMAS DA PROTEÇÃO CIVIL cdos.porto@prociv.pt 1 AGENDA 1.Enquadramento Legal; 2. Responsabilidades; 3. O Voluntariado; 4. Síntese

Leia mais

Espaço Saúde SINAIS. Saiba como evitar os acidentes no primeiro ano de vida do seu bebé. O verão já lá vai, mas a vigilância continua! FRIEIRAS PÁG.

Espaço Saúde SINAIS. Saiba como evitar os acidentes no primeiro ano de vida do seu bebé. O verão já lá vai, mas a vigilância continua! FRIEIRAS PÁG. Espaço Saúde N º 7 O U T U B R O A D E Z E M B R O DE 2 0 1 3 SINAIS O verão já lá vai, mas a vigilância continua! P Á G. Saiba como evitar os acidentes no primeiro ano de vida do seu bebé 2 PÁG. 6 FRIEIRAS

Leia mais

VIAJE LEGAL. www.viajelegal.turismo.gov.br

VIAJE LEGAL. www.viajelegal.turismo.gov.br Aqui você encontra dicas para viajar sem problemas. Afinal, uma viagem legal é aquela que traz boas recordações. Palavra do Ministro Prezado leitor, O turismo é uma atividade que envolve expectativas e

Leia mais

O Voluntariado e a Protecção Civil. 1. O que é a Protecção Civil

O Voluntariado e a Protecção Civil. 1. O que é a Protecção Civil O Voluntariado e a Protecção Civil 1. O que é a Protecção Civil A 03 de Julho de 2006, a Assembleia da Republica publica a Lei de Bases da Protecção Civil, que no seu artigo 1º dá uma definição de Protecção

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DA RIBEIRA GRANDE

CÂMARA MUNICIPAL DA RIBEIRA GRANDE CÂMARA MUNICIPAL DA RIBEIRA GRANDE Proposta de Regulamento do Serviço Municipal de Protecção Civil do Concelho da Ribeira Grande Preâmbulo Atendendo que: A Protecção Civil é, nos termos da Lei de Bases

Leia mais

Produtos químicos PERIGOSOS

Produtos químicos PERIGOSOS Produtos químicos PERIGOSOS Como podemos identificar os produtos químicos perigosos? Os produtos químicos estão presentes em todo o lado, quer em nossas casas, quer nos locais de trabalho. Mesmo em nossas

Leia mais

SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO MEDIDAS DE AUTOPROTECÇÃO

SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO MEDIDAS DE AUTOPROTECÇÃO IV JORNADAS TÉCNICAS DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO DA ESCOLA PROFISSIONAL DE AVEIRO SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO MEDIDAS DE AUTOPROTECÇÃO Manuela Mil-Homens Comando Distrital de Operações de Socorro

Leia mais

Plano de Acção para a Segurança Infantil em Portugal

Plano de Acção para a Segurança Infantil em Portugal Plano de Acção para a Segurança Infantil em Portugal Coordenação oficial: Coordenação técnica: Apoio: I Enquadramento O Plano de Acção para a Segurança Infantil (PASI) enquadra-se no projecto Europeu Child

Leia mais

Agora não posso atender. Estou no. Vou comprar o último livro do José Luís Peixoto. Posso usar a tua gravata azul? A Ana Maria vai ser nossa

Agora não posso atender. Estou no. Vou comprar o último livro do José Luís Peixoto. Posso usar a tua gravata azul? A Ana Maria vai ser nossa MODELO 1 Compreensão da Leitura e Expressão Escrita Parte 1 Questões 1 20 O Luís enviou cinco mensagens através do telemóvel. Leia as frases 1 a 5. A cada frase corresponde uma mensagem enviada pelo Luís.

Leia mais

Plano de Acção Brigadas Salvamento [SALVE UM CAGARRO]

Plano de Acção Brigadas Salvamento [SALVE UM CAGARRO] Plano de Acção Brigadas Salvamento [SALVE UM CAGARRO] Introdução O cagarro é a ave marinha mais abundante nos Açores, que se desloca ao Arquipélago para acasalar e nidificar. Os Açores são considerados

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FÉRIAS

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FÉRIAS REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FÉRIAS Aprovado por deliberação da Assembleia Municipal de Azambuja de 19 de Setembro de 2012, publicada pelo Edital n.º 78/2012, de 26 de Outubro de 2012. Em vigor desde 10

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO

NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO NR 1 - Disposições Gerais As Normas Regulamentadoras são de observância obrigatória por

Leia mais

DEFESA DEFESA CIVIL CIVIL

DEFESA DEFESA CIVIL CIVIL DEFESA CIVIL Dicas de Segurança Governo do Estado do Rio Grande do Sul Gabinete de Governo - Casa Militar Prefeitura Municipal de Balneário Pinhal Coordenadoria Estadual de Defesa Civil Coordenadoria Municipal

Leia mais

CAE Rev_3: 93294 ASSISTÊNCIA AOS BANHISTAS

CAE Rev_3: 93294 ASSISTÊNCIA AOS BANHISTAS O conteúdo informativo disponibilizado pela presente ficha não substitui a consulta dos diplomas legais referenciados e da entidade licenciadora. FUNCHAL CAE Rev_3: 93294 ASSISTÊNCIA AOS BANHISTAS ÂMBITO:

Leia mais

MEDIDAS DE PREVENÇÃO E AUTOPROTECÇÃO

MEDIDAS DE PREVENÇÃO E AUTOPROTECÇÃO MEDIDAS DE PREVENÇÃO E AUTOPROTECÇÃO Os sismos são fenómenos naturais que não se podem prever nem evitar. Os seus efeitos podem ser minimizados com comportamentos adequados. Há que saber agir correctamente.

Leia mais

- Faça uma lista de pessoas em quem confia, para contactar em caso de necessidade

- Faça uma lista de pessoas em quem confia, para contactar em caso de necessidade Está numa relação de violência - Identifique áreas de segurança na casa, onde haja sempre saída e onde não haja armas (evite a cozinha). Quando houver uma discussão tente não ir para essas áreas - Faça

Leia mais

PLANO DE EMERGÊNCIA EM CASO DE INCÊNDIO PROFESSORES

PLANO DE EMERGÊNCIA EM CASO DE INCÊNDIO PROFESSORES PROFESSORES Competências dos professores Quando os professores se encontram numa sala de aula com um grupo de alunos, devem: 1. Ao ouvir o sinal de alarme, avisar os alunos para não tocarem nos interruptores

Leia mais

Madeira: Soluções Globais para Investimentos de Sucesso

Madeira: Soluções Globais para Investimentos de Sucesso Madeira: Soluções Globais para Investimentos de Sucesso Zona Franca Industrial Plano de Emergência Documento disponível em: www.ibc-madeira.com Plano de Emergência da Zona Franca Industrial Nota de Divulgação

Leia mais

Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT. DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte

Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT. DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte Promoção SEST / SENAT Conteúdo Técnico ESCOLA DO TRANSPORTE JULHO/2007 Queimadas: o que

Leia mais

Aqui, pela sua Saúde! Guia do Utente

Aqui, pela sua Saúde! Guia do Utente Aqui, pela sua Saúde! Guia do Utente Este guia tem como objetivo fornecer aos Utentes, desta unidade, informações sobre os serviços disponíveis, para que os possam utilizar de forma equilibrada e racional.

Leia mais

Conheça os Seus Direitos de Passageiro

Conheça os Seus Direitos de Passageiro Conheça os Seus Direitos de Passageiro Índice Via Aérea... 2 Pessoas com deficiências e pessoas com mobilidade reduzida... 2 Embarque recusado... 2 Cancelamento... 2 Atrasos consideráveis... 2 Bagagem...

Leia mais

Síntese dos direitos dos passageiros do transporte em autocarro 1

Síntese dos direitos dos passageiros do transporte em autocarro 1 Síntese dos direitos dos passageiros do transporte em autocarro 1 O Regulamento (UE) n.º 181/2011 (a seguir designado por «Regulamento») é aplicável a partir de 1 de março de 2013. Estabelece um conjunto

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA 1. Identificação da substância/preparação e da sociedade / empresa Identificação da substância / preparação Nome comercial: LUSO EXTRUDER Código do produto: TPVE 301 Utilização da substância / da preparação:

Leia mais

Bem-vindo à Evonik Degussa Antwerpen

Bem-vindo à Evonik Degussa Antwerpen pagina 1 van 26 Bem-vindo à Evonik Degussa Antwerpen A Evonik Degussa Antwerpen é uma empresa de químicos e parte de um grupo global. A sua segurança, assim como a nossa, é muito importante, pelo que existem

Leia mais

NOTÍCIAS À SEXTA 2013.08.30

NOTÍCIAS À SEXTA 2013.08.30 NOTÍCIAS À SEXTA 2013.08.30 Taxa de desemprego em Portugal baixou para 16,5% em Julho, um sinal positivo sobre o terceiro trimestre. Um relatório do Eurostat indica que a taxa de desemprego nacional diminuiu

Leia mais

FÉRIAS ESCOLARES ACIDENTES DOMÉSTICOS

FÉRIAS ESCOLARES ACIDENTES DOMÉSTICOS FÉRIAS ESCOLARES X ACIDENTES DOMÉSTICOS As férias escolares exigem mais cuidados com os acidentes domésticos porque as crianças ficam mais tempo em casa e isso aumenta o risco de ocorrerem acidentes que

Leia mais

1. Preparativos contra calamidade no lar : Converse sempre à respeito com a família.

1. Preparativos contra calamidade no lar : Converse sempre à respeito com a família. 1. Preparativos contra calamidade no lar : Converse sempre à respeito com a família. Não sabemos quando e onde o terremoto poderá ocorrer. Para não se afligir nessas horas é fundamental conversar com a

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE ALVAIÁZERE

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE ALVAIÁZERE PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE ALVAIÁZERE PARTE II Índice 1. CONCEITO DE ACTUAÇÃO...3 1.1. COMISSÕES DE PROTECÇÃO CIVIL...3 1.1.1 Missão...3 1.1.2 Competências da Comissão Municipal

Leia mais

TEMAS DE SIG DISPONÍVEIS NO MUNICÍPIO DE MIRANDELA. TEMAS VETORIAIS Designação

TEMAS DE SIG DISPONÍVEIS NO MUNICÍPIO DE MIRANDELA. TEMAS VETORIAIS Designação Cidade 1_2000 Cidade - Edifícios 1_2000 Cidade - Toponímia 1_2000 TEMAS DE SIG DISPONÍVEIS NO MUNICÍPIO DE MIRANDELA Cidade - Altimetria 1_5000 Cidade - Anexos 1_5000 Cidade - Anexos 1_5000 Cidade - Aqueduto

Leia mais

Plano Geral Municipal de Emergência de Proteção Civil 2012

Plano Geral Municipal de Emergência de Proteção Civil 2012 ÍNDICE PARTE I ENQUADRAMENTO GERAL DO PLANO... 7 1. Introdução... 7 2 2. Âmbito de Aplicação... 7 3. Objetivos Gerais... 8 4. Enquadramento Legal... 9 5. Antecedentes do processo de planeamento... 9 6.

Leia mais

Criança como passageiro de automóveis. Tema seleccionado.

Criança como passageiro de automóveis. Tema seleccionado. www.prp.pt A Educação pré-escolar é a primeira etapa da educação básica e é uma estrutura de apoio de uma educação que se vai desenvolvendo ao longo da vida. Assim, é fundamental que a Educação Rodoviária

Leia mais

INSCRIÇÕES MANUAL DE INSCRIÇÃO PARA O ALUNO FCUL. Inscrição a Disciplina(s) Comprovativo de inscrição Plano de pagamento de propinas

INSCRIÇÕES MANUAL DE INSCRIÇÃO PARA O ALUNO FCUL. Inscrição a Disciplina(s) Comprovativo de inscrição Plano de pagamento de propinas INSCRIÇÕES MANUAL DE INSCRIÇÃO PARA O ALUNO FCUL Inscrição a Disciplina(s) Comprovativo de inscrição Plano de pagamento de propinas Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa - Manual de Inscrição

Leia mais

Índice. Página 1 de 7

Índice. Página 1 de 7 Índice 1 - Considerações gerais...2 1.1 - Introdução...2 2 - Actuação em caso de emergência...2 2.1 - Esquema geral de actuação...2 2.2 - Procedimento gerais de actuação...3 2.2.1 - Em caso de incêndio

Leia mais

Curta o acampamento de verão com segurança!

Curta o acampamento de verão com segurança! 1 Curta o acampamento de verão com segurança! Enquanto estamos contando os dias para o maior acampamento da Igreja Adventista no Brasil, nós queremos lembrá-lo da importância de ter um #acampamentoseguro!

Leia mais

Viagem ao Gerês e à Galiza (Agosto de 2007)

Viagem ao Gerês e à Galiza (Agosto de 2007) Viagem ao Gerês e à Galiza (Agosto de 2007) Por: Jaqueline, Davide, Ivo e André DIA 1-3 de Agosto de 2007 Partida de Olhão em direcção a Coimbra, onde chegamos por volta das 16h00. Ida até à praia fluvial

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS. Operações de verificação e ensaios de contadores para baixa e média tensão.

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS. Operações de verificação e ensaios de contadores para baixa e média tensão. PP. 1/5 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA TRABALHO NO LABORATÓRIO ENSAIO DE CONTADORES 2 DESCRIÇÃO Operações de verificação e ensaios de contadores para baixa e média tensão. 3 ACTIVIDADES

Leia mais

Iluminação de Emergência RTIEBT. Rui Florêncio - Gestor de produto

Iluminação de Emergência RTIEBT. Rui Florêncio - Gestor de produto Iluminação de Emergência RTIEBT Rui Florêncio - Gestor de produto Tipos de Estabelecimentos Estabelecimentos industriais; Estabelecimentos de serviços técnicos; Estabelecimentos agrícolas ou pecuários;

Leia mais

Câmara Municipal de Matosinhos Plano de Emergência Externo REFINARIA DO PORTO Petrogal

Câmara Municipal de Matosinhos Plano de Emergência Externo REFINARIA DO PORTO Petrogal Câmara Municipal de Matosinhos Plano de Emergência Externo REFINARIA DO PORTO Petrogal MAIO 2011 4. Informação complementar 4.1 Secção I 4.1.1 Mecanismos da estrutura de Protecção Civil Estrutura de Operações

Leia mais

Presidência da República Secretaria -Geral

Presidência da República Secretaria -Geral PLANO DE SEGURANÇA (versão simplificada para utilizadores) 1 1. Introdução Um Plano de Segurança é definido como um conjunto de medidas de autoprotecção (organização e procedimentos) tendentes a evitar

Leia mais

PRIMEIROS SOCORROS DADOS BÁSICOS

PRIMEIROS SOCORROS DADOS BÁSICOS PRIMEIROS SOCORROS DADOS BÁSICOS Apenas alguns conhecimentos sobre primeiros socorros podem ajudá-lo a lidar melhor com emergências. As suas competências podem ajudá-lo a salvar a vida de um familiar,

Leia mais

Índice geral. Apresentação. Prólogo à 2.ª edição. Sumário. Siglas. Agradecimentos. 1. Introdução. 2. O risco de incêndio

Índice geral. Apresentação. Prólogo à 2.ª edição. Sumário. Siglas. Agradecimentos. 1. Introdução. 2. O risco de incêndio Índice geral 3 Prólogo à 2.ª edição 5 Sumário 7 Siglas 9 Agradecimentos 11 1. Introdução 13 Tipificação dos incêndios... Causas de incêndio... Consequências dos incêndios... 2.3.1. Considerações gerais...

Leia mais