LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas. Viajar para dentro

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas. Viajar para dentro"

Transcrição

1 41

2 LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas Viajar para dentro Os brasileiros estão viajando mais. Pouco importa o destino: a verdade é que os pacotes turísticos e as passagens mais baratas estão tirando as pessoas de casa. Muita gente lucra com isso, como os donos de hotéis, restaurantes, locadoras de automóveis e comércio em geral. Alguém perde? Talvez os psicanalistas. Poucas coisas são tão terapêuticas como sair do casulo. Enquanto os ônibus, trens e aviões continuarem lotados, os divãs correm o risco de ficar às moscas. Viajar não é sinônimo de férias, somente. Não basta encher o carro com guarda-sol, cadeirinhas, isopores e travesseiros e rumar em direção a uma praia suja e superlotada. Isso não é viajar, é veranear. Viajar é outra coisa. Viajar é transportar-se sem muita bagagem para melhor receber o que as andanças têm a oferecer. Viajar é despir-se de si mesmo, dos hábitos cotidianos, das reações previsíveis, da rotina imutável, e renascer virgem e curioso, aberto ao que lhe vai ser ensinado. Viajar é tornar-se um desconhecido e aproveitar as vantagens do anonimato. Viajar é olhar para dentro e desmascarar-se. Pode acontecer em Paris ou em Trancoso, em Tóquio ou em Rio Pardo. São férias, sim, mas não só do trabalho: são férias de você. Um museu, um mergulho, um rosto novo, um sabor diferente, uma caminhada solitária, tudo vira escola. Desacompanhado, ou com um amigo, uma namorada, aprende-se a valorizar a solidão. Em excursão, não. Turmas se protegem, não desfazem vínculos, e viajar requer liberdade para arriscar. Viajando, você come bacon no café da manhã, passeia na chuva, vai ao super de bicicleta, faz confidências a quem nunca viu antes. Viajando, você dorme na grama, usa banheiro público, anda em lombo de burro, costura os próprios botões. Viajando, você erra na pronúncia, usa colar de conchas, troca horários, dirige do lado direito do carro. Viajando, você é reinventado. É impactante ver a Torre Eiffel de pertinho, os prédios de Manhattan, o lago Como, o Pelourinho. Mas ver não é só o que interessa numa viagem. Sair de casa é a oportunidade de sermos estrangeiros e independentes, e essa é a chave para aniquilar tabus. A maioria de nossos medos são herdados. Viajando é que descobrimos nossa coragem e atrevimento, nosso instinto de sobrevivência e conhecimento. Viajar minimiza preconceitos. Viajantes não têm endereço, partido político ou classe social. São aventureiros em tempo integral. Viaja-se mais no Brasil, dizem as reportagens. Espero que sim. Mas que cada turista saiba espiar também as próprias reações diante do novo, do inesperado, de tudo o que não estava programado. O que a gente é, de verdade, nunca é revelado nas fotos. Adaptado de : MEDEIROS, Martha. Viajar para dentro, in Trem-Bala, L&PM Pocket, Assinale a alternativa correta, de acordo com o texto. A) Uma viagem, que oportunize boas experiências e crescimento ao indivíduo, tem benefícios equivalentes ao aprendizado adquirido nos bancos escolares. B) Considerados estatisticamente, os exemplos oferecidos pela autora levam a concluir que ela vê mais oportunidades de aproveitamento e fruição em viagens para o estrangeiro do que em viagens dentro do território nacional. C) Para alcançarem-se os efeitos benéficos que uma viagem pode oferecer ao indivíduo, é preferível que ele viaje anônimo, possibilitando, assim, uma completa sensação de liberdade. D) As pessoas que têm o hábito de viajar são mais despojadas e corajosas, tornando-se isentas de medos e preconceitos. E) Viajar equipara as pessoas, na medida em que elas abandonam, de certa forma, suas peculiaridades originais. 2. Assinale a passagem que melhor refere o tema do texto. A) Os brasileiros estão viajando mais. (l. 01) B) Poucas coisas são tão terapêuticas quanto sair do casulo. (l ) C) São férias, sim, mas não só do trabalho. (l ) D) Mas ver não é só o que interessa numa viagem. (l ) E) O que a gente é, de verdade, nunca é revelado nas fotos. (l )

3 3. Considere as afirmativas abaixo, com relação ao texto. I. Desmascarar-se (l.28) significa abandonar as suas hipocrisias. II. Uma boa viagem equivale a uma psicoterapia, já que seus efeitos são os mesmos. III. Tramandaí ou Capão da Canoa, por exemplo, poderiam ser destinos para a viagem recomendada pela autora. Quais estão corretas? _ 4. Considere as propostas de deslocamento da palavra somente na frase Viajar não é sinônimo de férias, somente. (l. 14). I. Para antes de Viajar. II. Para entre Viajar e não. III. Para entre é e sinônimo. Quais podem manter o significado da frase original? _ 5. Considere a passagem Em excursão, não. Turmas se protegem (l. 37). Se o ponto final que há entre não e Turmas fosse substituído por uma vírgula, quatro das palavras ou expressões abaixo poderiam ser inseridas logo após essa vírgula, mantendo o significado original da passagem, EXCETO uma. Assinale-a. A) conquanto B) visto que C) já que D) porquanto E) uma vez que 6. Considere as propostas de substituição, no texto, para a passagem ao que lhe vai ser ensinado. (l ). I. a influência nova qualquer. II. a quase totalidade de eventos do mundo. III. a toda a gama de conhecimentos. Quais devem ter acrescentado o acento grave, indicativo da ocorrência de crase, sobre a palavra sublinhada? 3 7. Considere as afirmações abaixo, em relação à pontuação do texto. I. O motivo de emprego das vírgulas que estão antes e depois de restaurantes (l. 06) é o mesmo das que estão antes e depois de do inesperado (l. 66). II. A vírgula após lotados (l. 11) justifica-se pelo mesmo motivo da que está após viajando (l. 39). III. O motivo de emprego da vírgula que está após vínculos (l.38) é o mesmo da que está após independentes (l. 54). Quais estão corretas? B) Apenas I e II. C) Apenas I e III. D) Apenas II e III. E) I, II e III. 8. Assinale a alternativa que preenche, correta e respectivamente, as lacunas da frase. Mantém aceso o ideal sempre lutamos e próximos os parceiros, sonhos tanto convivemos e eu. A) com o qual de quem nos você B) para o qual em cujos os você C) pelo qual com cujos você D) por que com cujos tu E) com que em cujos os tu 9. Considere as frases abaixo, em relação à sua correção gramatical. I. Discussões houve, é verdade; todavia, hoje reina o consenso. II. Entre eu e tu, não há mais dívidas: estou quite contigo. III. Senhores jornalistas, a secretária do deputado solicitou às policiais que entregassem elas mesmas o documento a Vossa Excelência. Quais estão corretas? 10. Considere as frases abaixo, em relação à sua correção gramatical. I. Bastantes motivos já devia haver para que interpuséssemos uma medida de segurança. II. Era talvez meio-dia e meia quando o jurista expôs sua opinião acerca do processo. III. Vimos, por este meio, requerer a Vossa Senhoria que assessore seus funcionários em tarefa tão árdua. Quais estão corretas?

4 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 11. Canais de rádio terrestres são meios de transmissão comumente empregado em redes. Sobre estes canais é INCORRETO afirmar que: A) Suas características dependem significativamente do ambiente de propagação e da distância pela qual o sinal deve ser transmitido. B) São de pequeno alcance, nunca abrangendo mais de dezenas de metros. C) Sofrem interferência devido a outros sinais eletromagnéticos. D) Seus sinais podem atravessar paredes. E) Carregam sinais dentro do espectro eletromagnético. _ 12. Com relação aos meios físicos de transmissão de dados, é incorreto afirmar que: A) O meio de transmissão guiado mais barato é o par de fios de cobre trançado. B) Os meios físicos se enquadram em duas categorias: guiados e não guiados. C) A fibra ótica é um meio delgado, flexível, que conduz pulsos de luz, sendo que cada um desses pulsos representa um byte. D) O cabo coaxial é constituído de dois condutores de cobre concêntricos. E) Canais de rádio terrestres podem abranger dezenas de quilômetros. 13. Identifique se são verdadeiras (V) ou falsas (F) as afirmativas abaixo: ( ) A multiplexação no tempo utiliza técnicas de modulação para deslocar a faixa dos sinais originais. ( ) WDM é uma variação da TDM, usada para canais de fibra ótica. ( ) A multiplexação na frequência é utilizada em sinais analógicos. ( ) O canal de transmissão na TDM síncrona é formado por vários slots de um mesmo frame. ( ) Na técnica de TDM assíncrona não existe alocação de canais, permitindo eliminar o desperdício de capacidade apresentada pela técnica síncrona. A) V F V V V B) F F F F V C) F F V F V D) V V V F F E) F V F F V Em relação às topologias de redes de computadores é INCORRETO afirmar que: A) Na topologia em anel cada computador possuiu dois cabos, um conectado ao computador anterior da rede e outro conectado ao próximo computador da rede. Para um computador se comunicar com outro, ele deve passar pelos computadores no meio do caminho. B) Na topologia em estrela cada computador possui uma conexão individual para cada outro computador. C) Na topologia linear, também chamada em barramento, existe um elemento central ao qual todos os computadores são conectados. D) A topologia totalmente conectada oferece o maior nível de redundância. Caso a conexão entre dois computadores se rompa é possível continuar a conexão entre eles simplesmente mudando-se o caminho da conexão. E) A topologia em árvore, também chamada estrela hierárquica, é feita ligando-se redes em estrela juntas. 15. Assinale a alternativa que apresenta apenas serviços de estação, definidos pelo padrão para redes sem fio IEEE : A) Autenticação, privacidade e entrega de dados. B) Autenticação, desautenticação e distribuição. C) Privacidade, distribuição e integração. D) Privacidade, entrega de dados e reassociação E) Associação, distribuição e integração. 16. Além de existirem vários padrões diferentes para o uso de fibras ópticas em redes Ethernet, existem diversos tipos de conectores. Marque a alternativa que contém apenas conectores para fibras ópticas: A) SC, ST, LC e MT-RJ. B) RCA, BNC, SC e MIC. C) MT-RJ, MIC, RJ-11 e BNC. D) SC, ST, RJ-11 e RJ-45. E) RCA, BNC, RJ-11 e RJ Uma das ameaças a segurança dos sistemas de informações são os softwares maliciosos. Entre estes softwares temos os Vermes. Assinale a alternativa que apresenta a descrição correta deste tipo de software: A) Software que anexa-se a um programa e propaga cópias de si mesmo a outros programas. B) Software que contem uma funcionalidade adicional inesperada. C) Software que dispara uma ação quando ocorre uma determinada condição. D) Software que capta as teclas digitadas em um sistema comprometido. E) Software que propaga uma cópia de si mesmo a outros computadores.

5 18. Considerando o modelo de referência TCP/IP, analise as afirmativas abaixo: I A camada localizada acima da camada inter-redes é chamada Camada de Aplicação. II A camada inter-redes tem como tarefa permitir que os hosts injetem pacotes em qualquer rede e garantir que eles trafegarão até o destino. III O protocolo de transferência de arquivos (FTP) está contido na camada de transporte. IV No modelo TCP/IP não possui as camadas de apresentação e sessão, presentes no modelo OSI. Considerando estas afirmativas, marque a única alternativa CORRETA. A) Somente a afirmativa IV está correta. B) Somente as afirmativas II e IV estão corretas. C) Somente a afirmativa II está correta D) Somente a afirmativa I está correta E) Somente as afirmativas I e III estão corretas 19. Numere a Coluna 2 para relacionar os tipos de comutação, listados na Coluna 1, com as características listadas na Coluna 2. Coluna 1 Coluna 2 I. Comutação de Circuitos II. Comutação de Mensagens III. Comutação de Pacotes ( ) Exige a configuração de um circuito ponta-a-ponta para iniciar a comunicação. ( ) É a mais tolerante a defeitos. ( ) Nunca é utilizada em redes de computadores. ( ) Utiliza o tipo de transmissão store-and-forward. ( ) Switches inativos não inviabilizam a transmissão. ( ) Dependendo do volume de transmissões, pode causar desperdício de largura de banda. A) I I II III I I B) II I II III III I C) I III II III I III D) II II III I II I E) I III II III III I 20. O padrão para redes sem fio IEEE a opera na faixa de frequência de: A) 1,8 GHz. B) 2,4 GHz. C) 3,8 GHz. D) 5 GHz. E) 2,4 e/ou 5 GHz. 21. Linhas de comunicação de dados que fazem uso de sinais elétricos para transmissão de sinais estão suscetíveis a interceptações não autorizadas. Uma das alternativas para evitar estas interceptações são os Scramblers, que atuam: A) validando os sinais recebidos através de um byte de paridade, detectando possíveis interceptações e interrompendo o fluxo de dados. B) codificando os sinais digitais, antes de seu envio, utilizando uma senha que apenas o receptor deve ter acesso. C) criando rotas alternativas para a transmissão, visando dificultar a interceptação das mensagens. D) misturando os sinais de dados, por meio de chaves de seleção, equivalendo a uma criptografia por meio físico. E) convertendo as informações, através de um algoritmo, transformando um texto claro em um texto cifrado, utilizando uma chave de cifragem de conhecimento somente do emitente e do receptor. 22. Assinale a alternativa que apresenta o valor de x na expressão: 2 TB = x. A) KB B) B C) MB D) KB E) KB 23. Indique se as afirmativas abaixo são verdadeiras (V) ou falsas (F). ( ) O valor 29C0 está representado no sistema decimal. ( ) O valor 782 está representado no sistema octal. ( ) O valor está representado no sistema hexadecimal. ( ) O valor CA0 expresso no sistema hexadecimal é representado como 3232 no sistema decimal. ( ) O valor expresso no sistema binário é representado como 41 no sistema decimal. A) F V F V F B) V V V F F C) F F V V V D) V F V V F E) F F V V F 5

6 24. Em relação à evolução e desempenho do computador é INCORRETO afirmar que: A) A evolução dos computadores tem sido caracterizada pelo aumento na velocidade do processador, diminuição no tamanho dos componentes, aumento no tamanho da memória e aumento na capacidade e velocidade da E/S. B) Um fator responsável pelo grande aumento na velocidade do processador é a diminuição no tamanho dos componentes do microprocessador. C) As velocidades de memória não limitam as velocidades do processador. D) No projeto de sistema de computador uma questão crítica é equilibrar o desempenho dos diversos elementos de modo que os ganhos no desempenho em uma área não sejam prejudicados por um atraso em outras áreas. E) Ganhos verdadeiros na velocidade têm vindo da organização do processador, incluindo o uso intenso de técnicas de pipeline e execução paralela. 25. Com relação a barramentos de computador é INCORRETO afirmar que: A) Fisicamente, o barramento é um caminho elétrico comum entre vários dispositivos. B) As linha de endereço de um barramento são usadas para controlar o acesso e o uso das linhas de dados. C) Em um barramento assíncrono cada evento é causado por um evento anterior e não por um pulso de relógio. D) O barramento pode se tornar um gargalo à medida que a demanda de transferência de dados agregada se aproxima da capacidade do barramento. Este problema pode ser combatido, até certo ponto, aumentando a taxa de dados que o barramento pode transportar e usando barramentos mais largos. E) Quanto mais linhas de endereço tiver um barramento, mais memória a CPU pode endereçar diretamente. 26. Assinale a alternativa que completa CORRETAMENTE a sentença abaixo. Um processador é aquele em que múltiplos e independentes pipelines de instrução são usados. Cada pipeline consiste de múltiplos estágios, de tal forma que cada pipeline possa lidar com múltiplas instruções ao mesmo tempo. A) superescalar B) superpipeline C) VLIW D) escalar E) pipeline 27. A arquitetura de E/S do sistema de computação oferece um meio sistemático de controlar a interação com o mundo exterior e fornece ao sistema operacional as informações de que precisa para gerenciar a atividade de E/S de modo eficaz. Considerando as técnicas de E/S listadas na Coluna 1, numere a Coluna 2, relacionando-as às suas características. Coluna 1 Coluna 2 I. E/S programada II. E/S controlada por Interrupção III. Acesso Direto à Memória ( ) O processador usa um dispositivo externo para programar as transferências de dados. ( ) A E/S ocorre sob o controle direto e contínuo do programa solicitando a operação de E/S. ( ) Apresenta como desvantagem a maior demanda de CPU dentre as técnicas consideradas. ( ) O módulo de E/S interromperá o processador para solicitar atendimento quando estiver pronto para trocar dados com o processador. ( ) Quando a transferência de dados entre dispositivo de E/S e memória é concluída, o processador é notificado. A) III I I II III B) III I III II III C) III I III II II D) II I II I III E) II I I II III 28. Qual das alternativas abaixo apresenta somente formas para a melhoria de desempenho no processamento? A) Processamento escalar Pipelining Processamento paralelo. B) Pipelining Processamento paralelo Diminuição da frequência do clock (relógio). C) Pipelining Processamento paralelo Aumento na densidade de integração do hardware. D) Processamento paralelo Aumento na densidade de integração do hardware Diminuição da frequência do clock (relógio). E) Processamento escalar Aumento na densidade de integração do hardware Diminuição da frequência do clock (relógio). 6

7 29. Identifique se são verdadeiras (V) ou falsas (F) as afirmativas com relação à taxonomia de Flynn para computadores paralelos. ( ) São exemplos de máquinas que se enquadram na classe SISD (Fluxo de instrução único, fluxo de dados único), as máquinas de Von Neumann tradicionais com apenas um processador. ( ) Na classe SIMD (Fluxo de instrução único, fluxos de dados múltiplos), uma sequência de dados é transmitida para um conjunto de processadores, onde cada um executa uma sequência de instruções diferentes com os mesmos dados. ( ) Na classe MIMD (Fluxos de instruções múltiplos, fluxos de dados múltiplos), todos os processadores executam suas instruções em paralelo de forma síncrona sobre diferentes fluxos de dados. ( ) Os processadores vetoriais e matriciais pertencem a classe SIMD (Fluxo de instrução único, fluxos de dados múltiplos). A) V F F V B) V V F V C) F V F V D) F F F V E) V V F F 30. Analise as afirmativas abaixo: I As memórias de acesso aleatório (RAM) são consideradas memórias voláteis. II As memórias PROM são memórias principalmente de leitura, mas que podem ser apagadas, utilizando luz ultravioleta. III Memórias Flash, que são principalmente para leitura, é apagável, eletricamente, em nível de bytes. Considerando estas afirmativas, marque a única alternativa CORRETA. A) Somente as afirmativas I e II estão corretas. B) Somente as afirmativas I e III estão corretas. C) Somente as afirmativas II e III estão corretas. D) Somente a afirmativa I está correta. E) As afirmativas I, II e III estão corretas. 31. O Kernel é o software que contém os componentes centrais do sistema operacional. Entre as opções abaixo assinale a opção que não corresponde a um destes componentes: A) Escalonador de processo. B) Gerenciador de comunicação interprocessos. C) Gerenciador de sistema de arquivos. D) Gerenciador de entrada e saída. E) Compilador Sobre os sistemas de computação de cluster é incorreto afirmar que: A) Clusters são tipicamente utilizados para programação paralela, na qual um único programa é executado em paralelo em várias máquinas. B) Umas das tarefas de um nó mestre de um cluster é manipular e alocar nós de processamento a um determinado programa paralelo. C) Um dos atrativos dos sistemas de computação de cluster é o valor necessário para sua implantação, uma vez que são formados por computadores pessoais. D) Os computadores que formam um cluster são estações de trabalho comuns que tiveram a sua memória removida, uma vez que todas as máquinas compartilharão a memória do nó mestre. E) O nó mestre de um cluster é responsável por executar o middleware necessário para a execução de programas e o gerenciamento do cluster. 33. Considerando os dispositivos RAID de nível 4, marque a única afirmativa correta: A) Utiliza o código de Hamming para garantir a segurança dos dados. B) Utiliza vários discos para aumentar o desempenho, no entanto, não há redundância neste nível. C) Duplica todos os discos. Para cada disco primário existe um de cópia de segurança. D) As informações de paridade estão distribuídas em todos os discos E) Há um disco dedicado apenas a paridades 34. Um sistema operacional único, que gerencia recursos em mais de um sistema de computador, é classificado como: A) Sistema Operacional de Rede B) Sistema Operacional Distribuído C) Sistema Operacional Multiusuário D) Sistema Operacional Monousuário E) Sistema Operacional Multitarefa 35. Considerando o padrão de barramento SATA, marque a única opção correta: A) O cabo SATA possui apenas 7 pinos, onde quatro deles são utilizados para transmissão de dados. B) O barramento SATA transmite apenas 1 bit por vez em cada sentido, o que causa problemas de sincronização, impedindo a utilização de frequências mais altas. C) Cada cabo SATA não pode ter mais de 45cm de comprimento. D) Cada porta SATA comporta dois dispositivos, um chamado de master e outro chamado de slave. E) As placas-mãe não oferecem mais do que duas portas SATA.

8 36. Para as afirmações abaixo sobre, Sistemas Distribuídos, marque V para as afirmativas verdadeiras, e F para as afirmativas falsas. ( ) Um sistema distribuído aberto é um sistema que oferece serviços de acordo com regras padronizadas que descrevem a sintaxe e a semântica destes serviços. ( ) Definições de interfaces para serviços escritas em IDL (Linguagem de Definição de Interface) capturam a sintaxe e a semântica dos serviços. ( ) Um sistema distribuído proporciona transparência de migração quando os recursos podem ser movimentados sem afetar o modo como são acessados. ( ) Portabilidade caracteriza até que ponto uma aplicação desenvolvida para um sistema distribuído pode ser executada, sem modificação, em outro sistema distribuído que possua uma interface diferente do primeiro. Assinale a alternativa que completa CORRETAMENTE as lacunas acima, de cima para baixo: A) V F V V B) V F V F C) F F V V D) F V F F E) V F F F 37. Para as afirmações abaixo, marque V para as afirmativas verdadeiras, e F para as afirmativas falsas. ( ) As descargas eletrostáticas ocorrem quando tocamos placas e chips com as mãos. ( ) Descargas eletrostáticas causam apenas danos imediatos ao equipamento, ou seja, se após manipulado e instalado o dispositivo continuar funcionando, não houve dado referente a uma possível descarga eletrostática. ( ) Descargas eletrostáticas ocorrem apenas se o clima estiver seco. ( ) Um disco rígido jamais deve ser segurado pela sua carcaça, pois esta parte metálica é um excelente condutor, o que pode ocasionar dados ao equipamento devido a descargas eletrostáticas. Assinale a alternativa que completa CORRETAMENTE as lacunas acima, de cima para baixo: A) V V F F B) V F V V C) F V F V D) F V F F E) V F F F Analise as seguintes afirmativas sobre Sistemas Distribuídos Baseados em Objetos: I Um objeto transiente é um objeto que existe somente enquanto existir o servidor que o está hospedando. II Depois de vinculado a um objeto, um cliente pode invocar os métodos do objeto por meio do Proxy. Esta invocação é feita através de uma RPC (Remote Procedure Call). III Corba é um sistema de troca de mensagens baseada em objetos. Assinale a alternativa CORRETA: A) Somente as afirmativas II e III estão corretas. B) Somente as afirmativas I e II estão corretas C) Somente a afirmativa I está correta. D) Somente as afirmativas I e III estão corretas. E) Somente a afirmativa III está correta. 39. Enumere a COLUNA 2 para relacionar os termos da COLUNA 1 com suas definições. COLUNA 1 COLUNA 2 ( ) Fluxo ordenado de partículas portadoras (1) Tensão de carga elétrica. (2) mah ( ) Diferença de potencial elétrico entre dois (3) Corrente pontos. (4) Watt ( ) Medida de potência. ( ) Medida de capacidade, tipicamente utilizada em baterias. Marque a alternativa que apresenta a sequência CORRETA, de cima para baixo: A) B) C) D) E) Considerando o sistema de arquivo NTFS, assinale V para as sentenças abaixo que forem verdadeiras, e F para as que forem falsas. ( ) O sistema de arquivo NTFS tem capacidade de endereçar clusters usando endereços de 128 bits. ( ) As partições NTFS são criadas sempre com clusters de 4 KB. ( ) O NTFS utiliza caracteres Unicode para a definição de nomes de arquivos e pastas. ( ) No NTFS o sistema mantém um log de todas as operações realizadas, tal log minimiza a possibilidade de perda de dados decorrentes a desligamentos acidentais. Assinale a alternativa abaixo que completa CORRETAMENTE as lacunas acima, de cima para baixo: A) V V F F B) V F V V C) F F V V D) F F F V E) F V V F

LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas. Viajar para dentro

LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas. Viajar para dentro 25 LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas 1 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 Viajar para dentro Os brasileiros estão viajando mais. Pouco importa o destino: a verdade é que

Leia mais

Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1.

Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1. Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1. (CODATA 2013) Em relação à classificação da forma de utilização

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas. Viajar para dentro

LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas. Viajar para dentro 82 e 72 LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas 1 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 Viajar para dentro Os brasileiros estão viajando mais. Pouco importa o destino: a verdade é

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas. Viajar para dentro

LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas. Viajar para dentro 40 LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas 1 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 Viajar para dentro Os brasileiros estão viajando mais. Pouco importa o destino: a verdade é que

Leia mais

Organização de Computadores 1

Organização de Computadores 1 Organização de Computadores 1 SISTEMA DE INTERCONEXÃO (BARRAMENTOS) Prof. Luiz Gustavo A. Martins Arquitetura de von Newmann Componentes estruturais: Memória Principal Unidade de Processamento Central

Leia mais

UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO)

UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO) Par Trançado UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO) O cabo UTP é composto por pares de fios, sendo que cada par é isolado um do outro e todos são trançados juntos dentro de uma cobertura externa, que não possui

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Introdução Redes de Computadores Marco Antonio Montebello Júnior marco.antonio@aes.edu.br Rede É um conjunto de computadores chamados de estações de trabalho que compartilham recursos de hardware (HD,

Leia mais

Figura 1 - Comparação entre as camadas do Modelo OSI e doieee. A figura seguinte mostra o formato do frame 802.3:

Figura 1 - Comparação entre as camadas do Modelo OSI e doieee. A figura seguinte mostra o formato do frame 802.3: Introdução Os padrões para rede local foram desenvolvidos pelo comitê IEEE 802 e foram adotados por todas as organizações que trabalham com especificações para redes locais. Os padrões para os níveis físico

Leia mais

Universidade de Brasília

Universidade de Brasília Universidade de Brasília Introdução a Microinformática Turma H Redes e Internet Giordane Lima Porque ligar computadores em Rede? Compartilhamento de arquivos; Compartilhamento de periféricos; Mensagens

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas. Viajar para dentro

LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas. Viajar para dentro 31 LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas 1 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 Viajar para dentro Os brasileiros estão viajando mais. Pouco importa o destino: a verdade é que

Leia mais

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes Noções de Redes: Estrutura básica; Tipos de transmissão; Meios de transmissão; Topologia de redes;

Leia mais

MÓDULO 4 Meios físicos de transmissão

MÓDULO 4 Meios físicos de transmissão MÓDULO 4 Meios físicos de transmissão Os meios físicos de transmissão são compostos pelos cabos coaxiais, par trançado, fibra óptica, transmissão a rádio, transmissão via satélite e são divididos em duas

Leia mais

Um cluster de servidores de email pode ser usado para servir os emails de uma empresa.

Um cluster de servidores de email pode ser usado para servir os emails de uma empresa. CLUSTERS Pode-se pegar uma certa quantidade de servidores e juntá-los para formar um cluster. O serviço então é distribuído entre esses servidores como se eles fossem uma máquina só. Um cluster de servidores

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

switches LAN (rede de comunicação local)

switches LAN (rede de comunicação local) O funcionamento básico de uma rede depende de: nós (computadores) um meio de conexão (com ou sem fios) equipamento de rede especializado, como roteadores ou hubs. Todas estas peças trabalham conjuntamente

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores

Arquitetura e Organização de Computadores Arquitetura e Organização de Computadores Entrada/Saída Material adaptado, atualizado e traduzido de: STALLINGS, William. Arquitetura e Organização de Computadores. 5ª edição Problemas Entrada/Saída Grande

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas. Viajar para dentro

LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas. Viajar para dentro 30 LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas 1 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 Viajar para dentro Os brasileiros estão viajando mais. Pouco importa o destino: a verdade é que

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas. Viajar para dentro

LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas. Viajar para dentro 7 LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas 1 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 Viajar para dentro Os brasileiros estão viajando mais. Pouco importa o destino: a verdade é que os

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores... 1 Mobilidade... 1 Hardware de Rede... 2 Redes Locais - LANs... 2 Redes metropolitanas - MANs... 3 Redes Geograficamente Distribuídas - WANs... 3 Inter-redes... 5 Software de Rede...

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas. Viajar para dentro

LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas. Viajar para dentro 29 LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas 1 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 Viajar para dentro Os brasileiros estão viajando mais. Pouco importa o destino: a verdade é que

Leia mais

Centro Tecnológico de Eletroeletrônica César Rodrigues. Atividade Avaliativa

Centro Tecnológico de Eletroeletrônica César Rodrigues. Atividade Avaliativa 1ª Exercícios - REDES LAN/WAN INSTRUTOR: MODALIDADE: TÉCNICO APRENDIZAGEM DATA: Turma: VALOR (em pontos): NOTA: ALUNO (A): 1. Utilize 1 para assinalar os protocolos que são da CAMADA DE REDE e 2 para os

Leia mais

Processamento de Dados

Processamento de Dados Processamento de Dados Redes de Computadores Uma rede de computadores consiste de 2 ou mais computadores e outros dispositivos conectados entre si de modo a poderem compartilhar seus serviços, que podem

Leia mais

5 Entrada e Saída de Dados:

5 Entrada e Saída de Dados: 5 Entrada e Saída de Dados: 5.1 - Arquitetura de Entrada e Saída: O sistema de entrada e saída de dados é o responsável pela ligação do sistema computacional com o mundo externo. Através de dispositivos

Leia mais

Introdução às Redes de Computadores. Por José Luís Carneiro

Introdução às Redes de Computadores. Por José Luís Carneiro Introdução às Redes de Computadores Por José Luís Carneiro Portes de computadores Grande Porte Super Computadores e Mainframes Médio Porte Super Minicomputadores e Minicomputadores Pequeno Porte Super

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores I

Arquitetura e Organização de Computadores I Arquitetura e Organização de Computadores I Interrupções e Estrutura de Interconexão Prof. Material adaptado e traduzido de: STALLINGS, William. Arquitetura e Organização de Computadores. 5ª edição Interrupções

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Rafael Freitas Reale Aluno: Data / / Prova Final de Redes Teoria Base 1) Qual o tipo de ligação e a topologia respectivamente

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE V: Telecomunicações, Internet e Tecnologia Sem Fio. Tendências em Redes e Comunicações No passado, haviam dois tipos de redes: telefônicas e redes

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M Tanenbaum Redes de Computadores Cap. 1 e 2 5ª. Edição Pearson Padronização de sistemas abertos à comunicação Modelo de Referência para Interconexão de Sistemas Abertos RM OSI Uma

Leia mais

Meios de Transmissão. Conceito. Importância. É a conexão física entre as estações da rede. Influência diretamente no custo das interfaces com a rede.

Meios de Transmissão. Conceito. Importância. É a conexão física entre as estações da rede. Influência diretamente no custo das interfaces com a rede. Meios de Transmissão Conceito Importância É a conexão física entre as estações da rede. Influência diretamente no custo das interfaces com a rede. Meios de Transmissão Qualquer meio físico capaz de transportar

Leia mais

09/06/2011. Profª: Luciana Balieiro Cosme

09/06/2011. Profª: Luciana Balieiro Cosme Profª: Luciana Balieiro Cosme Revisão dos conceitos gerais Classificação de redes de computadores Visão geral sobre topologias Topologias Barramento Anel Estrela Hibridas Árvore Introdução aos protocolos

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com COMUTAÇÃO CIRCUITOS PACOTES É necessário estabelecer um caminho dedicado entre a origem e o

Leia mais

Capítulo 8 Arquitetura de Computadores Paralelos

Capítulo 8 Arquitetura de Computadores Paralelos Capítulo 8 Arquitetura de Computadores Paralelos Necessidade de máquinas com alta capacidade de computação Aumento do clock => alta dissipação de calor Velocidade limitada dos circuitos => velocidade da

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Professor: Vilson Heck Junior

Arquitetura de Computadores. Professor: Vilson Heck Junior Arquitetura de Computadores Professor: Vilson Heck Junior Agenda Conceitos Estrutura Funcionamento Arquitetura Tipos Atividades Barramentos Conceitos Como já discutimos, os principais componentes de um

Leia mais

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal:

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal: Redes - Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Comunicação sempre foi, desde o início dos tempos, uma necessidade humana buscando aproximar comunidades distantes.

Leia mais

Universidade Tuiuti do Paraná UTP Faculdade de Ciências Exatas - FACET

Universidade Tuiuti do Paraná UTP Faculdade de Ciências Exatas - FACET Universidade Tuiuti do Paraná UTP Faculdade de Ciências Exatas - FACET Hardware de Computadores Questionário II 1. A principal diferença entre dois processadores, um deles equipado com memória cache o

Leia mais

Projeto de Redes. Topologias padrão Principais componentes Utilizações Adequadas

Projeto de Redes. Topologias padrão Principais componentes Utilizações Adequadas Definir: Identificar as diferentes Topologias Objetivos: Descrever Vantagens/Desvantagens Topologia Adequada A topologia impacta sobre: Tipo de equipamentos utilizados A capacidade de cada equipamento

Leia mais

prof.edney@superig.com.br Redes de Computadores

prof.edney@superig.com.br Redes de Computadores prof.edney@superig.com.br Redes de Computadores Apresentação do professor, da disciplina, dos métodos de avaliação, das datas de trabalhos e provas; introdução a redes de computadores; protocolo TCP /

Leia mais

Estrutura de um Rede de Comunicações. Redes e Sistemas Distribuídos. Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação. Redes de comunicação de dados

Estrutura de um Rede de Comunicações. Redes e Sistemas Distribuídos. Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação. Redes de comunicação de dados Estrutura de um Rede de Comunicações Profa.. Cristina Moreira Nunes Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação Utilização do sistema de transmissão Geração de sinal Sincronização Formatação das mensagens

Leia mais

Redes de Dados. Aula 1. Introdução. Eytan Mediano

Redes de Dados. Aula 1. Introdução. Eytan Mediano Redes de Dados Aula 1 Introdução Eytan Mediano 1 6.263: Redes de Dados Aspectos fundamentais do projeto de redes e análise: Arquitetura Camadas Projeto da Topologia Protocolos Pt - a Pt (Pt= Ponto) Acesso

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas. Viajar para dentro

LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas. Viajar para dentro 51, 8, 24 LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas 1 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 Viajar para dentro Os brasileiros estão viajando mais. Pouco importa o destino: a verdade

Leia mais

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição Capítulo 7 Entrada/saída Os textos nestas caixas foram adicionados pelo Prof. Joubert slide 1 Problemas de entrada/saída Grande variedade

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula Complementar - MODELO DE REFERÊNCIA OSI Este modelo se baseia em uma proposta desenvolvida pela ISO (International Standards Organization) como um primeiro passo em direção a padronização dos protocolos

Leia mais

Arquitetura de Computadores Pentium 4 e PCIe

Arquitetura de Computadores Pentium 4 e PCIe Pentium 4 Arquitetura de Computadores Pentium 4 e PCIe O Pentium 4 é um descendente direto da CPU 8088 usada no IBM PC original. O primeiro Pentium 4 foi lançado em novembro de 2000 com uma CPU de 42 milhõcs

Leia mais

É um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos.

É um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. REDES DE COMPUTADORES CABO COAXIAL É um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. Topologias de rede A topologia de uma rede é um diagrama que descreve como

Leia mais

Introdução à redes de computadores

Introdução à redes de computadores 1/8 Introdução à redes de computadores Faz todo o sentido ligar os computadores em rede. Você não precisa ter uma impressora, um HD de grande capacidade, um gravador de DVDs e conexão via ADSL para cada

Leia mais

1 Lista de exercícios 01

1 Lista de exercícios 01 FRANCISCO TESIFOM MUNHOZ 2007 1 Lista de exercícios 01 1) No desenvolvimento e aperfeiçoamento realizado em redes de computadores, quais foram os fatores que conduziram a interconexão de sistemas abertos

Leia mais

Placas Adaptadoras e montagem de Redes

Placas Adaptadoras e montagem de Redes Placas Adaptadoras e montagem de Redes Objetivos da aula: 1 - Descrever a função da placa adaptadora de rede em uma rede. 2 - Descrever as opções de configuração para placas adaptadoras de rede. 3 - Listar

Leia mais

Módulo 2 Comunicação de Dados

Módulo 2 Comunicação de Dados URCAMP - CCEI - Curso de Informática Transmissão de Dados Módulo 2 Comunicação de Dados cristiano@urcamp.tche.br http://www.urcamp.tche.br/~ccl/redes/ Para SOARES (995), a transmissão de informações através

Leia mais

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Sobre a arquitetura Ethernet Camadas da arquitetura Ethernet Topologias para redes Ethernet IFPB/Patos - Prof. Claudivan 2 É a arquitetura mais comum em redes locais

Leia mais

TI Aplicada. Aula 05 Redes de Computadores (parte 2) Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http://www.edilms.eti.br

TI Aplicada. Aula 05 Redes de Computadores (parte 2) Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http://www.edilms.eti.br TI Aplicada Aula 05 Redes de Computadores (parte 2) Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http://www.edilms.eti.br Conceitos Básicos Equipamentos, Modelos OSI e TCP/IP O que são redes? Conjunto de

Leia mais

A topologia em estrela é caracterizada por um determinado número de nós, conectados em uma controladora especializada em comunicações.

A topologia em estrela é caracterizada por um determinado número de nós, conectados em uma controladora especializada em comunicações. Topologia em estrela A topologia em estrela é caracterizada por um determinado número de nós, conectados em uma controladora especializada em comunicações. Como esta estação tem a responsabilidade de controlar

Leia mais

Fundamentos de Arquitetura de Computadores. Prof. Marcos Quinet Universidade Federal Fluminense UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras - PURO

Fundamentos de Arquitetura de Computadores. Prof. Marcos Quinet Universidade Federal Fluminense UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras - PURO Fundamentos de Arquitetura de Computadores Prof. Marcos Quinet Universidade Federal Fluminense UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras - PURO Hardware de um Sistema Computacional Hardware: são os componentes

Leia mais

MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY SLOAN SCHOOL OF MANAGEMENT. Fatores Tecnológicos, Estratégicos e Organizacionais

MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY SLOAN SCHOOL OF MANAGEMENT. Fatores Tecnológicos, Estratégicos e Organizacionais MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY SLOAN SCHOOL OF MANAGEMENT 15.565 Integração de Sistemas de Informação: Fatores Tecnológicos, Estratégicos e Organizacionais 15.578 Sistemas de Informação Global:

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE TÉCNICO DE INFORMÁTICA POR PRAZO DETERMINADO

PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE TÉCNICO DE INFORMÁTICA POR PRAZO DETERMINADO UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRAL DE INFORMÁTICA PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE TÉCNICO DE INFORMÁTICA POR PRAZO DETERMINADO INFORMAÇÕES A) A prova consta de 20 questões de múltipla escolha,

Leia mais

Módulo 1 Introdução às Redes

Módulo 1 Introdução às Redes CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Módulo 1 Introdução às Redes Ligação à Internet Ligação à Internet Uma ligação à Internet pode ser dividida em: ligação física; ligação lógica; aplicação. Ligação física

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Sistemas de Entrada/Saída Princípios de Hardware Sistema de Entrada/Saída Visão Geral Princípios de Hardware Dispositivos de E/S Estrutura Típica do Barramento de um PC Interrupções

Leia mais

Organização e arquitetura de computadores Protocolos de barramento

Organização e arquitetura de computadores Protocolos de barramento Organização e arquitetura de computadores Protocolos de barramento Alunos: José Malan, Gustavo Marques, Johnathan Alves, Leonardo Cavalcante. Universal serial bus (USB) O USB é um padrão da indústria que

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes. Capítulo1 - Introdução à Redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - Agosto de 2007 - Página

CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes. Capítulo1 - Introdução à Redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - Agosto de 2007 - Página CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Capítulo1 - Introdução à Redes 1 Requisitos para Conexão à Internet Para disponibilizar o acesso de um computador à rede, devem ser levados em consideração 03 parâmetros:

Leia mais

MÓDULO 7 Modelo OSI. 7.1 Serviços Versus Protocolos

MÓDULO 7 Modelo OSI. 7.1 Serviços Versus Protocolos MÓDULO 7 Modelo OSI A maioria das redes são organizadas como pilhas ou níveis de camadas, umas sobre as outras, sendo feito com o intuito de reduzir a complexidade do projeto da rede. O objetivo de cada

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas. Viajar para dentro

LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas. Viajar para dentro 20 LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo e responda às questões propostas 1 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 Viajar para dentro Os brasileiros estão viajando mais. Pouco importa o destino: a verdade é que

Leia mais

Meios de transmissão. Professor Leonardo Larback

Meios de transmissão. Professor Leonardo Larback Meios de transmissão Professor Leonardo Larback Meios de transmissão Na comunicação de dados são usados muitos tipos diferentes de meios de transmissão. A escolha correta dos meios de transmissão no projeto

Leia mais

Segunda Lista de Exercícios

Segunda Lista de Exercícios INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA Segunda Lista de Exercícios 1. Qual é a posição dos meios de transmissão no modelo OSI ou Internet? Os meios de transmissão estão localizados abaixo

Leia mais

Capítulo 2 - Conceitos Básicos de Redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - agosto de 2007 - Página

Capítulo 2 - Conceitos Básicos de Redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - agosto de 2007 - Página Capítulo 2 - Conceitos Básicos de Redes 1 Redes de Dados Inicialmente o compartilhamento de dados era realizado a partir de disquetes (Sneakernets) Cada vez que um arquivo era modificado ele teria que

Leia mais

QUANDO TRATAMOS SOBRE MEIOS DE TRANSMISSÃO, DEVEMOS ENFATIZAR A EXISTÊNCIA DE DOIS TIPOS DESSES MEIOS, SENDO:

QUANDO TRATAMOS SOBRE MEIOS DE TRANSMISSÃO, DEVEMOS ENFATIZAR A EXISTÊNCIA DE DOIS TIPOS DESSES MEIOS, SENDO: CABEAMENTO DE REDE QUANDO TRATAMOS SOBRE MEIOS DE TRANSMISSÃO, DEVEMOS ENFATIZAR A EXISTÊNCIA DE DOIS TIPOS DESSES MEIOS, SENDO: MEIO FÍSICO: CABOS COAXIAIS, FIBRA ÓPTICA, PAR TRANÇADO MEIO NÃO-FÍSICO:

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação I

Administração de Sistemas de Informação I Administração de Sistemas de Informação I Prof. Farinha Aula 03 Telecomunicações Sistemas de Telecomunicações 1 Sistemas de Telecomunicações Consiste de Hardware e Software transmitindo informação (texto,

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Arquitetura de Computadores 1

Arquitetura de Computadores. Arquitetura de Computadores 1 Computadores Computadores 1 Introdução Componentes: Processador; UC; Registradores; ALU s, FPU s, etc. Memória (Sistema de armazenamento de informações; Dispositivo de entrada e saída. Computadores 2 Introdução

Leia mais

Equipamentos de Redes. Placas de Rede, Repetidores, Hubs, Pontes,, Switches, Roteadores, Gateways

Equipamentos de Redes. Placas de Rede, Repetidores, Hubs, Pontes,, Switches, Roteadores, Gateways Equipamentos de Redes Placas de Rede, Repetidores, Hubs, Pontes,, Switches, Roteadores, Gateways Placas de Rede Placas de Rede Preparação dos quadros para que possam ser enviados pelos cabos. A placa de

Leia mais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais Curso de Preparatório para Concursos Públicos Tecnologia da Informação REDES Conceitos Iniciais; Classificações das Redes; Conteúdo deste módulo Equipamentos usados nas Redes; Modelos de Camadas; Protocolos

Leia mais

Placa de Rede. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. MAN (Metropolitan Area Network) Rede Metropolitana

Placa de Rede. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. MAN (Metropolitan Area Network) Rede Metropolitana Rede de Computadores Parte 01 Prof. André Cardia Email: andre@andrecardia.pro.br MSN: andre.cardia@gmail.com Placa de Rede Uma placa de rede (NIC), ou adaptador de rede, oferece capacidades de comunicações

Leia mais

Introdução. Arquitetura de Rede de Computadores. Prof. Pedro Neto

Introdução. Arquitetura de Rede de Computadores. Prof. Pedro Neto Introdução Arquitetura de Rede de Prof. Pedro Neto Aracaju Sergipe - 2011 Ementa da Disciplina 1. Introdução i. Conceitos e Definições ii. Tipos de Rede a. Peer To Peer b. Client/Server iii. Topologias

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Parte II: Camada Física Dezembro, 2012 Professor: Reinaldo Gomes reinaldo@computacao.ufcg.edu.br Meios de Transmissão 1 Meios de Transmissão Terminologia A transmissão de dados d

Leia mais

Introdução à Informática. Aula 04. Sistemas Operacionais Aplicativos e Utilitários Transmissão e meios de transmissão de dados. Prof.

Introdução à Informática. Aula 04. Sistemas Operacionais Aplicativos e Utilitários Transmissão e meios de transmissão de dados. Prof. Aula 04 Sistemas Operacionais Aplicativos e Utilitários Transmissão e meios de transmissão de dados Sistema Operacional Um conjunto de programas que se situa entre os softwares aplicativos e o hardware:

Leia mais

Apostilas de Eletrônica e Informática SDH Hierarquia DigitaL Síncrona

Apostilas de Eletrônica e Informática SDH Hierarquia DigitaL Síncrona SDH A SDH, Hierarquia Digital Síncrona, é um novo sistema de transmissão digital de alta velocidade, cujo objetivo básico é construir um padrão internacional unificado, diferentemente do contexto PDH,

Leia mais

Equipamentos de Rede. Prof. Sérgio Furgeri 1

Equipamentos de Rede. Prof. Sérgio Furgeri 1 Equipamentos de Rede Repetidor (Regenerador do sinal transmitido)* Mais usados nas topologias estrela e barramento Permite aumentar a extensão do cabo Atua na camada física da rede (modelo OSI) Não desempenha

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES E REDES

TELECOMUNICAÇÕES E REDES TELECOMUNICAÇÕES E REDES 1 OBJETIVOS 1. Quais são as tecnologias utilizadas nos sistemas de telecomunicações? 2. Que meios de transmissão de telecomunicações sua organização deve utilizar? 3. Como sua

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS PRONATEC

FACULDADE PITÁGORAS PRONATEC FACULDADE PITÁGORAS PRONATEC DISCIPLINA: ARQUITETURA DE COMPUTADORES Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Objetivos Ao final desta apostila,

Leia mais

Camada de Enlace de Dados - Apêndice. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Camada de Enlace de Dados - Apêndice. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Camada de Enlace de Dados - Apêndice Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Endereço MAC; ARP Address Resolution Protocol; DHCP Dynamic Host Configuration Protocol; Ethernet Estrutura do quadro Ethernet;

Leia mais

MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY SLOAN SCHOOL OF MANAGEMENT. Fatores Tecnológicos, Estratégicos e Organizacionais

MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY SLOAN SCHOOL OF MANAGEMENT. Fatores Tecnológicos, Estratégicos e Organizacionais MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY SLOAN SCHOOL OF MANAGEMENT 15.565 Integração de Sistemas de Informação: Fatores Tecnológicos, Estratégicos e Organizacionais 15.578 Sistemas de Informação Global:

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

1 Redes de comunicação de dados

1 Redes de comunicação de dados 1 Redes de comunicação de dados Nos anos 70 e 80 ocorreu uma fusão dos campos de ciência da computação e comunicação de dados. Isto produziu vários fatos relevantes: Não há diferenças fundamentais entre

Leia mais

Tecnologia da Informação Apostila 02

Tecnologia da Informação Apostila 02 Parte 6 - Telecomunicações e Redes 1. Visão Geral dos Sistemas de Comunicações Comunicação => é a transmissão de um sinal, por um caminho, de um remetente para um destinatário. A mensagem (dados e informação)

Leia mais

ATIVIDADE 1. Definição de redes de computadores

ATIVIDADE 1. Definição de redes de computadores ATIVIDADE 1 Definição de redes de computadores As redes de computadores são criadas para permitir a troca de dados entre diversos dispositivos estações de trabalho, impressoras, redes externas etc. dentro

Leia mais

802.11a 802.11b 802.11g 802.11n Domínio de colisão Domínio de broadcast

802.11a 802.11b 802.11g 802.11n Domínio de colisão Domínio de broadcast 802.11a Chega a alcançar velocidades de 54 Mbps dentro dos padrões da IEEE. Esta rede opera na frequência de 5 GHz e inicialmente suporta 64 utilizadores por Ponto de Acesso (PA). As suas principais vantagens

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I. de Computadores

Organização e Arquitetura de Computadores I. de Computadores Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Organização e Arquitetura de I Organização Básica B de (Parte V, Complementar)

Leia mais

Fundamentos de Sistemas Operacionais

Fundamentos de Sistemas Operacionais Fundamentos de Sistemas Operacionais Aula 16: Entrada e Saída: Estudo de Caso Diego Passos Última Aula Software de Entrada e Saída. Subsistema de E/S. Conjunto de camadas de abstração para realização de

Leia mais

UNINGÁ UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO TOPOLOGIAS. Profº Erinaldo Sanches Nascimento

UNINGÁ UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO TOPOLOGIAS. Profº Erinaldo Sanches Nascimento UNINGÁ UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO TOPOLOGIAS Profº Erinaldo Sanches Nascimento Objetivos Examinar as várias maneiras para projetar a infraestrutura de cabo para

Leia mais

Placa de Rede. Rede de Computadores. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. Placa de Rede

Placa de Rede. Rede de Computadores. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. Placa de Rede Rede de Computadores Prof. André Cardia Email: andre@andrecardia.pro.br MSN: andre.cardia@gmail.com Placa de Rede Uma placa de rede (NIC), ou adaptador de rede, oferece capacidades de comunicações nos

Leia mais

Multiplexador. Permitem que vários equipamentos compartilhem um único canal de comunicação

Multiplexador. Permitem que vários equipamentos compartilhem um único canal de comunicação Multiplexadores Permitem que vários equipamentos compartilhem um único canal de comunicação Transmissor 1 Receptor 1 Transmissor 2 Multiplexador Multiplexador Receptor 2 Transmissor 3 Receptor 3 Economia

Leia mais

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF REDES ESAF 01 - (ESAF - Auditor-Fiscal da Previdência Social - AFPS - 2002) Um protocolo é um conjunto de regras e convenções precisamente definidas que possibilitam a comunicação através de uma rede.

Leia mais

Topologias e abrangência das redes de computadores. Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.com

Topologias e abrangência das redes de computadores. Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.com Topologias e abrangência das redes de computadores Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.com Objetivos Tornar os alunos capazes de reconhecer os tipos de topologias de redes de computadores assim como

Leia mais

Instituto Federal de Santa Catarina. Redes de Computadores RES 12502

Instituto Federal de Santa Catarina. Redes de Computadores RES 12502 Instituto Federal de Santa Catarina Redes de Computadores RES 12502 2014 2 O material para essas apresentações foi retirado das apresentações disponibilizadas pela Editora Pearson para o livro Redes de

Leia mais

Redes de Computadores IEEE 802.3

Redes de Computadores IEEE 802.3 Redes de Computadores Ano 2002 Profª. Vívian Bastos Dias Aula 7 IEEE 802.3 Padrão Ethernet 10BASE5 É o padrão IEEE 802.3 original, taxa de transmissão de 10Mbps. Utiliza um tipo de cabo coaxial grosso

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Meios de Transmissão Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Abril de 2012 1 / 34 Pilha TCP/IP A B M 1 Aplicação Aplicação M 1 Cab M T 1 Transporte Transporte

Leia mais

Modelo OSI. Prof. Alexandre Beletti Ferreira. Introdução

Modelo OSI. Prof. Alexandre Beletti Ferreira. Introdução Modelo OSI Prof. Alexandre Beletti Ferreira Introdução Crescimento das redes de computadores Muitas redes distintas International Organization for Standardization (ISO) Em 1984 surge o modelo OSI Padrões

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Redes de Computadores. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Redes de Computadores Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com 2/16 Nível Físico Tem a função de transmitir uma seqüência de bits através de um canal e comunicação. Este nível trabalha basicamente

Leia mais

Prof. Wilton O. Ferreira Universidade Federal Rural de Pernambuco UFRPE 1º Semestre / 2012

Prof. Wilton O. Ferreira Universidade Federal Rural de Pernambuco UFRPE 1º Semestre / 2012 Prof. Wilton O. Ferreira Universidade Federal Rural de Pernambuco UFRPE 1º Semestre / 2012 As redes de computadores possibilitam que indivíduos possam trabalhar em equipes, compartilhando informações,

Leia mais

O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento. Padrões. Padrões. Meios físicos de transmissão

O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento. Padrões. Padrões. Meios físicos de transmissão O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento Romeu Reginato Julho de 2007 Rede. Estrutura de comunicação digital que permite a troca de informações entre diferentes componentes/equipamentos

Leia mais

Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk. Camada Física: Redes Sem Fio. Equipamentos de Rede. O que já conhecemos.

Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk. Camada Física: Redes Sem Fio. Equipamentos de Rede. O que já conhecemos. Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk Camada Física: Redes Sem Fio Equipamentos de Rede O que já conhecemos. Cabos; Atenas; Tipos de transmissão; 1 O que vamos conhecer. Equipamentos

Leia mais

Sistemas Operacionais Carlos Eduardo Portela Serra de Castro

Sistemas Operacionais Carlos Eduardo Portela Serra de Castro Introdução Sistemas Operacionais 1 Sistema Operacional: Um conjunto de programas, executado pelo computador como os outros programas. Função: Controlar o funcionamento do computador, disponibilizando seus

Leia mais