Uma Extensão da Disciplina de Requisitos do OpenUP/Basic para a Construção de Ontologias Aplicadas à Web Semântica

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Uma Extensão da Disciplina de Requisitos do OpenUP/Basic para a Construção de Ontologias Aplicadas à Web Semântica"

Transcrição

1 SEMINÁRIO DE PESQUISA EM ONTOLOGIA NO BRASIL 11 e 12 de Agosto Universidade Federal Fluminense Departamento de Ciência da Informação Niterói Rio de Janeiro Brasil [X] Tema 2 Técnicas e Ferramentas em Ontologias Uma Extensão da Disciplina de Requisitos do OpenUP/Basic para a Construção de Ontologias Aplicadas à Web Semântica An Extension of Discipline Requirements of the OpenUP/Basic for the Construction of Ontologies Applied to Web Semantic Fabrízio B. Farias (Universidade Federal do Pará UFPA, Renan Cristiano R Rodrigues (Universidade Federal do Pará UFPA, Marco Antonio Fagundes de Moraes (Centro Universitário do Pará CESUPA, Resumo: Métodos têm sido propostos para permitir a construção de ontologias, como por exemplo, o método LAL (Léxico Ampliado da Linguagem). Todavia, para permitir uma ação repetitiva e previsível é necessário a adoção de um processo de desenvolvimento de software (e.g., OpenUP/Basic Processo Unificado de Código Aberto) englobando o ciclo de vida do software na construção de ontologias. Neste contexto, a abordagem proposta fornece uma extensão do OpenUP/Basic para guiar o desenvolvedor na construção de ontologias específicas para a Web Semântica. Essa extensão foi realizada através da introdução do método LAL na disciplina de requisitos do OpenUP/Basic. Palavras-chave: Web Semântica, Ontologias, Método LAL (Léxico Ampliado da Linguagem), Processo de Software, OpenUp/Basic, Requisitos. Abstract: Methods have been proposed to provide the construction of ontologies, as an example, the method LAL (Lexicon of the Expanded Language). However, to allow a repetitive and predictable action it is necessary the adoption of a software development process (e.g., OpenUP/Basic - Unified Process Open Source) conglobating the software's life cycle to construct ontologies. In this context, the proposed approach provides an extension of OpenUP/Basic to guide the developer in the construction of specifcs ontologies to the Semantic Web. This extension was accomplished through the introduction of the LAL method on the discipline requirements of OpenUP/Basic. Words-Key: Semantic Web, Ontologies, Method LAL (Lexicon of the Expanded Language), Process Software, OpenUp/Basic, Requirements. 1. Introdução A Web Semântica é uma evolução da Web atual, pois fornece a informação estruturada em contextos, atribuindo um significado específico e regras de inferência para a representação efetiva do conhecimento [Breitman 2005]. Para tanto, o W3C (World Wide Web Consortium) projetou a Web Semântica seguindo uma arquitetura em camadas, dentre as quais, a camada de Ontologias vem recebendo maior destaque, pois descreve regras para a representação explícita da semântica dos dados da informação. Neste contexto, alguns métodos têm sido propostos para permitir a construção de ontologias, como por exemplo, os métodos CyC (encyclopaedia), TOVE (Toronto Enterprise Virtual) e o LAL (Léxico Ampliado da Linguagem). Este último desenvolvido pelo grupo de Engenharia de Requisitos da PUC-Rio [Breitman 2005].

2 Por outro lado, métodos são partes do processo de desenvolvimento, não definindo as responsabilidades e comportamento dos envolvidos. Outrossim, torna-se necessária a definição de um processo de desenvolvimento que englobe métodos específicos para construção de ontologias, a fim de tornar o sucesso de um projeto repetitivo e previsível. Adicionalmente, cabe destacar que a Web mudou o foco de desenvolvimento do o que (artefatos) para quando (time-to-market), o que favorece a adoção de uma abordagem ágil [Pressman 2006]. Neste ponto, destaca-se que o processo OpenUP/Basic tem recebido crescente atenção por parte dos profissionais da área, pois combina as práticas do XP (extreme Programming) com rigor formal de documentação do RUP (Rational Unified Process). Inserido neste cenário, a abordagem apresentada neste artigo tem o objetivo principal de fornecer uma extensão da disciplina de requisitos do OpenUP/Basic. Em virtude de que, além desse processo unificado possuir como uma de suas características a extensão, o método LAL foi adaptado conforme as exigências da disciplina de requisitos. Bem como, ajudam os analistas a compreenderem melhor o problema em questão. Essa extensão foi realizada através da introdução do método LAL no OpenUP/Basic, o que resultou na definição de artefatos e atividades específicos para definição e construção de ontologias aplicadas à Web Semântica. 2. Termos e Definições O OpenUP/Basic é uma versão mais simples do Processo Unificado constituída de artefatos, papéis, tarefas, disciplinas e fluxos de trabalhos [Krol and MacIssac 2006]. As interações do OpenUP/Basic estão distribuídas dinamicamente em quatro fases presentes em seu ciclo de vida, conforme (ver Figura 1). Figura 1. Fases do ciclo de vida do OpenUP/Basic A disciplina de requisitos permite aos engenheiros de softwares compreenderem melhor acerca do problema a ser resolvido. Para tanto, deve-se analisar a fase de concepção (inception), onde os interessados (stakeholders) determinarão o escopo e os objetivos do software a ser desenvolvido. À medida que os stakeholders definem o problema, ocorrem as negociações (trade-off) para definição de prioridades. Por fim, o

3 problema é especificado, depois revisado ou validado, visando o consenso entre os engenheiros e os outros interessados [Pressman 2006]. Em seguida, as fases de elaboração, construção e transição se preocuparão em definir a arquitetura e os riscos do projeto; o detalhamento dos requisitos, a implementação, e os testes do produto gerado; e, a entrega do software para o cliente, respectivamente. Em relação ao método LAL, o mesmo fundamenta-se na idéia de que fenômenos e objetos observáveis no Universo da Informação (UdI) têm sua semântica definida no próprio UdI [Breitman 2005]. O conceito do LAL está dividido em três fases: Fase I (Construção do Léxico), Fase II (Mapeamento Léxico - Ontologia) e Fase III (Construção da Hierarquia de Classes). As fases do LAL foram adicionadas como tarefas no fluxo de atividade Identify and Refine Requirements da fase Inception (ver Figura 2) da disciplina de requisitos do OpenUP/Basic, preservando os conceitos chave do processo unificado utilizado. Figura 2. Fluxo de Atividades da Fase Inception 3. A Extensão da Disciplina de Requisitos do OpenUP/Basic O OpenUP/Basic é um processo de desenvolvimento iterativo, com seu ciclo de desenvolvimento dividido em quatro fases [Krol and MacIssac 2006]. Após análise dos fluxos de trabalho deste processo, observou-se que ele não incorporava guias de trabalho específicos para construção de ontologias para a Web Semântica. A disciplina de Requisitos do OpenUP/Basic foi estendida na fase de concepção (inception) para analisar, especificar, validar e gerenciar os requisitos para a ontologia a ser desenvolvida (ver Tabela 1). Disciplina Tarefas Requisitos - Definir Visão* - Detalhar Requisitos* - Encontrar e Definir Requisitos* - Construir Léxico* - Mapear Elementos* - Formar Hierarquia de Classes* Obs: (*) Tarefas adicionadas na disciplina de requisitos do OpenUP/Basic com base nas fases do método LAL (*) - Tarefas Originais do OpenUP/Basic Tabela 1. Disciplina de Requisitos do OpenUP/Basic estendida

4 A incorporação do método LAL no OpenUP/Basic, originou um novo fluxo de atividades proposto para construir ontologias. Este fluxo integra as fases do método LAL nas seguintes tarefas da disciplina de Requisitos (ver Figura 3): Construir Léxico, Mapear Elementos e Formar Hierarquia de Classes. A execução dessas tarefas gera artefatos que documentam formalmente a construção da ontologia. Figura 3. Fluxo da atividade Indetify and Requirements original do OpenUP/Basic e a extensão proposta. A tarefa Construir Léxico contém informações que define o início da fase de construção da ontologia. Os artefatos Visão, Glossário e Lista Itens de Trabalho são artefatos de entrada dessa tarefa formulados pelo analista com base em templates. Os artefatos Visão e Lista Itens de Trabalho da tarefa Construir Léxico, também serão utilizados nas tarefas Mapear Elementos e Formar Hierarquias de Classes, juntamente com artefatos próprios. Após a realização da Tarefa Mapear Hierarquia de Classes, o produto final produzido será a ontologia aplicada a Web Semântica. 4. Benefícios A contribuição deste artigo, basicamente, é de enriquecer a construção de ontologias, através da junção de um método existente (LAL) com um processo de desenvolvimento ágil e rico na documentação de artefatos. Ao contrário de alguns métodos de construção de ontologias que não se baseiam em um processo unificado, como o método CyC e o próprio método LAL analisado, pode-se destacar como uma vantagem neste trabalho, a abordagem dos requisitos para se construir a ontologia baseada em um processo unificado ágil, através de tarefas específicas para a equipe de projeto no desenvolvimento do produto (ontologia), proporcionando estabilidade, controle e organização. 5. Trabalhos Relacionados As ontologias são eficazes para descrever explicitamente conceitos de uma área de conhecimento em particular, contribuindo também, na fundamentação da camada de

5 ontologia na arquitetura da Web Semântica. De acordo com esta idéia, há diversas metodologias e métodos para a construção de ontologias como: KACTUS, Cyc, TOVE e o KUP (Knowledge Unified Process). Este último define o desenvolvimento de ontologias a partir de algumas metodologias existentes [Brauner e Brandão 2003]. Ao contrário do KUP, por exemplo, este trabalho procurou mostrar a vantagem de se construir uma ontologia com base em um processo unificado, de modo a facilitar o entendimento dos requisitos do software na fase de concepção, impedindo uma má compreensão dos mesmos. 6. Conclusão e Trabalhos Futuros Processos de software atualmente adotados (e.g., OpenUP/Basic), ainda não introduzem métodos específicos para construção de ontologias. Por esta razão, optou-se pela realização da extensão do OpenUP/Basic através da inclusão das fases do método LAL para a construção de ontologias na disciplina de requisitos do processo. Uma vez que é nessa etapa que a informação é contextualizada, estabelecendo conceitos, entidades, relacionamentos, funções, dados e processos, ou seja, a identificação do conjunto de informações importantes para a compreensão das necessidades do problema. Uma compreensão dos requisitos imprecisa e ambígua pode resultar em um produto de baixa qualidade, provocando uma insatisfação do cliente. Sendo assim, este artigo mostrou uma extensão da disciplina de requisitos de um processo unificado ágil e extensível de modo a incluir um conjunto de tarefas que levam ao entendimento do problema (construir ontologia) antes de tentar resolvê-lo efetivamente. Vale ressaltar, que a extensão proposta envolveu somente a disciplina de requisitos, sendo assim pode-se apontar como uma possível direção para trabalhos futuros, a construção de um processo ágil completo que envolva as etapas (requisitosarquitetura-código) para guiar os desenvolvedores Web na construção de produtos para a Web Semântica. Referências Breitman, K. K. (2005) Web Semântica A Internet do Futuro. Editora LTC. Pressman, R. S. (2006) Engenharia de Software. 6. Ed. Krol, P. MacIssac, Bruce, Roger S. (2006) Agility and Discipline Made Easy: Practices from OpenUP and RUP Brauner, D., Brandão, A., Cunha, L. and Lucena, C. (2003) Um Estudo de Caso para Avaliação do Knowledge Unified Process (KUP) para o Desenvolvimento de Ontologias. Disponível em ftp://ftp.inf.puc-rio.br/pub/docs/techreports/03_50_brauner.pdf. Acessado em 18 de Setembro de Farias, F. and Rodrigues, R. (2007) Uma Extensão da Disciplina de Requisitos do OpenUP/Basic para a Construção de Ontologias para a Web Semântica. Trabalho de Conclusão de Curso.

FIC Faculdade Integrada do Ceará Curso em tecnologia em analise e desenvolvimento de sistemas. OpenUp. Arquitetura de software

FIC Faculdade Integrada do Ceará Curso em tecnologia em analise e desenvolvimento de sistemas. OpenUp. Arquitetura de software FIC Faculdade Integrada do Ceará Curso em tecnologia em analise e desenvolvimento de sistemas OpenUp Arquitetura de software Fortaleza/2010 OpenUP Alguns anos atrás, vários funcionários da IBM começaram

Leia mais

Introdução ao OpenUP (Open Unified Process)

Introdução ao OpenUP (Open Unified Process) Introdução ao OpenUP (Open Unified Process) Diferentes projetos têm diferentes necessidades de processos. Fatores típicos ditam as necessidades de um processo mais formal ou ágil, como o tamanho da equipe

Leia mais

Rational Unified Process

Rational Unified Process Rational Unified Process Engenharia de Software Bruno Braun Fernando Coelho Jonatas Teixeira Vinicius Massuchetto Sobre o RUP Metodologia proprietária de desenvolvimento de software Iterativo e incremental

Leia mais

Processo Unificado (RUP)

Processo Unificado (RUP) Fases do Desenvolvimento Processo Unificado (RUP) Ulf Bergmann ulf@ime.eb.br Domínio do Problema Objetos Objetos do do Mundo Mundo real real Modelo Semântico Domínio da Solução Aplicação Interface Serviços

Leia mais

Processo de Desenvolvimento Unificado

Processo de Desenvolvimento Unificado Processo de Desenvolvimento Unificado Processo de Desenvolvimento de Software? Conjunto de atividades bem definidas; com responsáveis; com artefatos de entrada e saída; com dependências entre as mesmas

Leia mais

PDS - DATASUS. Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS

PDS - DATASUS. Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS PDS - DATASUS Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS Coordenação Geral de Arquitetura e Engenharia Tecnológica Coordenação de Padronização e Qualidade de Software Gerência de Padrões e Software

Leia mais

! Introdução. " Motivação para Processos de Software. ! Processo Unificado (USDP) " Definições " RUP x USDP " Características do Processo Unificado

! Introdução.  Motivação para Processos de Software. ! Processo Unificado (USDP)  Definições  RUP x USDP  Características do Processo Unificado Agenda! Introdução " Motivação para Processos de Software! (USDP) " Definições " RUP x USDP " Características do! Descrição detalhada do! Processos Derivados! Templates simplificados! Conclusões 2 Processo

Leia mais

RUP como Metodologia de Desenvolvimento de Software para Obtenção da Qualidade de Software

RUP como Metodologia de Desenvolvimento de Software para Obtenção da Qualidade de Software SEGeT Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia 1 RUP como Metodologia de Desenvolvimento de Software para Obtenção da Qualidade de Software Alfredo Nazareno P. Boente Fabiano S. G. de Oliveira João

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Conceitos e Metodologias para Desenvolvimento de Software Cascata, Prototipação, Espiral e RUP Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http://www.edilms.eti.br

Leia mais

DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Processo Unificado e Desenvolvimento Ágil. Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga

DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Processo Unificado e Desenvolvimento Ágil. Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Processo Unificado e Desenvolvimento Ágil Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga 2º Semestre / 2011 O Processo Unificado dos autores Ivar Jacobson, Grady Booch e James

Leia mais

Programa do Módulo 2. Processo Unificado: Visão Geral

Programa do Módulo 2. Processo Unificado: Visão Geral 9.1 Programa do Módulo 2 Orientação a Objetos Conceitos Básicos Análise Orientada a Objetos (UML) O Processo Unificado (RUP) Processo Unificado: Visão Geral 9.2 Encaixa-se na definição geral de processo:

Leia mais

Introdução ao RUP Rational Unified Process. por Denize Terra Pimenta Outubro/2004

Introdução ao RUP Rational Unified Process. por Denize Terra Pimenta Outubro/2004 Introdução ao RUP Rational Unified Process por Denize Terra Pimenta Outubro/2004 1 Contexto Não é suficiente apenas a presença de desenvolvedores altamente treinados: Precisamos de uma linguagem para a

Leia mais

Engenharia de Ontologias Seminário UPON

Engenharia de Ontologias Seminário UPON Engenharia de Ontologias Seminário UPON Núcleo de Estudos em Modelagem Conceitual e Ontologias Bruno Nandolpho Machado Vinícius Soares Fonseca Professor: Ricardo de Almeida Falbo Agenda RUP Método UPON

Leia mais

ADAPTAÇAO DE PROCESSOS DE DESENVOLVIMENTO

ADAPTAÇAO DE PROCESSOS DE DESENVOLVIMENTO ADAPTAÇAO DE PROCESSOS DE DESENVOLVIMENTO Pasteur Ottoni de Miranda Junior PUC Minas Disponível em www.pasteurjr.blogspot.ccom 1-Ontologia de um processo de desenvolvimento de software Um processo de desenvolvimento

Leia mais

O modelo unificado de processo. O Rational Unified Process, RUP.

O modelo unificado de processo. O Rational Unified Process, RUP. Cursos: Sistemas de Informação Disciplina: Administração ADM Prof. Jarbas Avaliação: Prova B1, 5º/6º semestres Data: 27/09/2010 Nome: Gabarito RA: Assinatura: Turma: 1) Segundo as afirmações a seguir,

Leia mais

Algumas propriedades dos objetos:

Algumas propriedades dos objetos: Orientação a Objetos Vivemos num mundo de objetos. Esses objetos existem na natureza, nas entidades feitas pelo homem, nos negócios e nos produtos que usamos. Eles podem ser categorizados, descritos, organizados,

Leia mais

O Rational Unified Process (RUP) é um processo de desenvolvimento de software inspirado no

O Rational Unified Process (RUP) é um processo de desenvolvimento de software inspirado no 1.1 RATIONAL UNIFIED PROCESS (RUP) O Rational Unified Process (RUP) é um processo de desenvolvimento de software inspirado no processo que atende pelo nome de Processo Unificado (ou UP do inglês Unified

Leia mais

RUP. Evolução. Principais Características do RUP. Principais Características do RUP RUP

RUP. Evolução. Principais Características do RUP. Principais Características do RUP RUP RUP Rational Unified Process ( Unificado de Desenvolvimento da Rational) Conjunto de passos que tem como objetivo atingir uma meta de software na ES, processo que visa a produzir o software - de modo eficiente

Leia mais

Pós Graduação Engenharia de Software

Pós Graduação Engenharia de Software Pós Graduação Engenharia de Software Ana Candida Natali COPPE/UFRJ Programa de Engenharia de Sistemas e Computação FAPEC / FAT Estrutura do Módulo Parte 1 QUALIDADE DE SOFTWARE PROCESSO Introdução: desenvolvimento

Leia mais

Curso: Engenharia de Software com Ênfase em Padrões de Software (UECE Universidade Estadual do Ceará) RUP

Curso: Engenharia de Software com Ênfase em Padrões de Software (UECE Universidade Estadual do Ceará) RUP Conceitos RUP RUP, abreviação de Rational Unified Process (ou Processo Unificado da Rational), é um processo de Engenharia de software criado pela Rational Software Corporation(a qual foi incorporada pela

Leia mais

Uma Ontologia para Engenharia de Requisitos de Software

Uma Ontologia para Engenharia de Requisitos de Software Uma Ontologia para Engenharia de Requisitos de Software Autor: Raul de Abreu Medeiros Júnior Orientadores: Arnaldo Dias Belchior Co-orientador: Pedro Porfírio Muniz Farias Nível: Mestrado Programa de pós-graduação

Leia mais

PX: Um Processo de Desenvolvimento de Software Adaptado para Projetos de Pequeno Porte

PX: Um Processo de Desenvolvimento de Software Adaptado para Projetos de Pequeno Porte PX: Um Processo de Desenvolvimento de Software Adaptado para Projetos de Pequeno Porte Renata Burmeister Bäuerle Faculdade de Informática Centro Universitário Ritter dos Reis (UniRitter) 98.840-440 Porto

Leia mais

Documento de Requisitos

Documento de Requisitos Documento de Requisitos Projeto: Data 26/05/2005 Responsável Autor (s) Doc ID Localização Versão do Template Márcia Jacyntha Nunes Rodrigues Lucena Silvia Cássia Pereira Márcia Jacyntha Nunes Rodrigues

Leia mais

Universidade Estadual de Maringá Centro de Tecnologia Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento de Sistemas para Web

Universidade Estadual de Maringá Centro de Tecnologia Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento de Sistemas para Web Universidade Estadual de Maringá Centro de Tecnologia Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento de Sistemas para Web } Com o forte crescimento do comércio eletrônico por

Leia mais

Introdução ao Processo Unificado (PU)

Introdução ao Processo Unificado (PU) Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Sistemas de Informação - CPCX Introdução ao Processo Unificado (PU) Prof. Fernando Maia da Mota Slides gentilmente cedidos por Profa. Dra. Maria Istela Cagnin

Leia mais

Engenharia de Software. Apostila I >>> Introdução à ES - HEngholmJr

Engenharia de Software. Apostila I >>> Introdução à ES - HEngholmJr Engenharia de Software Apostila I >>> Introdução à ES - HEngholmJr Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 12/08/2014 1.0 Criação da primeira versão HEngholmJr Agenda Introdução à Engenharia

Leia mais

Gerenciando Projetos de Software com RUP e PMBOK. Managing Software Projects with RUP and PMBOK

Gerenciando Projetos de Software com RUP e PMBOK. Managing Software Projects with RUP and PMBOK Gerenciando Projetos de Software com RUP e PMBOK Managing Software Projects with RUP and PMBOK Gerenciando Projetos de Software com RUP e PMBOK Managing Software Project with RUP and PMBOK Eduardo de Miranda

Leia mais

Comparação entre Metodologias RUP e XP

Comparação entre Metodologias RUP e XP Comparação entre Metodologias RUP e XP Carlos G. Vasco, Marcelo Henrique Vithoft, Paulo Roberto C. Estante Programa de Pós Graduação em Informática Aplicada Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR)

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO E CONCEITUAÇÃO DE UMA ONTOLOGIA APLICADA ÀS ETAPAS DE ENGENHARIA DE REQUISITOS

ESPECIFICAÇÃO E CONCEITUAÇÃO DE UMA ONTOLOGIA APLICADA ÀS ETAPAS DE ENGENHARIA DE REQUISITOS ESPECIFICAÇÃO E CONCEITUAÇÃO DE UMA ONTOLOGIA APLICADA ÀS ETAPAS DE ENGENHARIA DE REQUISITOS Baby Ane Silva Oliveira Marla Teresinha Barbosa Geller 1 2 RESUMO O trabalho descreve as fases de Especificação

Leia mais

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SCRUM: ESTUDO DE REVISÃO. Bruno Edgar Fuhr 1

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SCRUM: ESTUDO DE REVISÃO. Bruno Edgar Fuhr 1 METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SCRUM: ESTUDO DE REVISÃO Bruno Edgar Fuhr 1 Resumo: O atual mercado de sistemas informatizados exige das empresas de desenvolvimento, um produto que tenha ao mesmo

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA ENGENHARIA DE SOFTWARE III

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA ENGENHARIA DE SOFTWARE III UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA ENGENHARIA DE SOFTWARE III FERRAMENTAS DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS TRAC E DOTPROJECT ORIETADOS AO RUP ACADÊMICOS: GUSTAVO

Leia mais

ONTOLOGIA DE DOMÍNIO PARA ANÁLISE DE BLOGS

ONTOLOGIA DE DOMÍNIO PARA ANÁLISE DE BLOGS Centro Universitário Feevale ONTOLOGIA DE DOMÍNIO PARA ANÁLISE DE BLOGS Fernando Mertins Prof. Orientador: Rodrigo Rafael Villarreal Goulart Dezembro de 2007 Roteiro da Apresentação Introdução Objetivos

Leia mais

Metodologias Ágeis. Aécio Costa

Metodologias Ágeis. Aécio Costa Metodologias Ágeis Aécio Costa Metodologias Ágeis Problema: Processo de desenvolvimento de Software Imprevisível e complicado. Empírico: Aceita imprevisibilidade, porém tem mecanismos de ação corretiva.

Leia mais

GESTÃO DO CONHECIMENTO EM UM PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

GESTÃO DO CONHECIMENTO EM UM PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE GESTÃO DO CONHECIMENTO EM UM PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE RESUMO Carlos Eduardo Spolavori Martins 1 Anderson Yanzer Cabral 2 Este artigo tem o objetivo de apresentar o andamento de uma pesquisa

Leia mais

Práticas de IHC versus Processos de Engenharia de Software: Uma Análise para Adoção

Práticas de IHC versus Processos de Engenharia de Software: Uma Análise para Adoção Práticas de IHC versus Processos de Engenharia de Software: Uma Análise para Adoção Joyce Cristina Souza Bastos 1, Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira 1 1 Faculdade de Computação - Instituto de Ciências Exatas

Leia mais

Desenvolvimento ágil de software

Desenvolvimento ágil de software Desenvolvimento ágil de software Desenvolvimento ágil de software (do inglês Agile software development) ou Método ágil é um conjunto de metodologias de desenvolvimento de software. O desenvolvimento ágil,

Leia mais

Análise comparativa entre a engenharia de requisitos e o método de desenvolvimento ágil: Scrum

Análise comparativa entre a engenharia de requisitos e o método de desenvolvimento ágil: Scrum Análise comparativa entre a engenharia de requisitos e o método de desenvolvimento ágil: Scrum Patrícia Bastos Girardi, Sulimar Prado, Andreia Sampaio Resumo Este trabalho tem como objetivo prover uma

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS METODOLOGIAS ÁGEIS ENGENHARIA DE SOFTWARE 10/08/2013

LISTA DE EXERCÍCIOS METODOLOGIAS ÁGEIS ENGENHARIA DE SOFTWARE 10/08/2013 LISTA DE EXERCÍCIOS METODOLOGIAS ÁGEIS ENGENHARIA DE SOFTWARE 10/08/2013 Disciplina: Professor: Engenharia de Software Edison Andrade Martins Morais http://www.edison.eti.br prof@edison.eti.br Área: Metodologias

Leia mais

Web Semântica: uma análise sobre o desenvolvimento e aplicação de ontologias

Web Semântica: uma análise sobre o desenvolvimento e aplicação de ontologias Web Semântica: uma análise sobre o desenvolvimento e aplicação de ontologias Josimar Damásio¹, Frederico Coelho (Orientador)¹ ¹Departamento de Ciências da Computação Universidade Presidente Antônio Carlos

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PROJETOS DE SOFTWARE - SGPS

SISTEMA DE GESTÃO DE PROJETOS DE SOFTWARE - SGPS SISTEMA DE GESTÃO DE PROJETOS DE SOFTWARE - SGPS Lilian R. M. Paiva, Luciene C. Oliveira, Mariana D. Justino, Mateus S. Silva, Mylene L. Rodrigues Engenharia de Computação - Universidade de Uberaba (UNIUBE)

Leia mais

Um processo para construção de software mais transparente

Um processo para construção de software mais transparente Um processo para construção de software mais transparente Eduardo Almentero 1, and Julio Cesar Sampaio do Prado Leite 1 1 Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, PUC - Rio, Brasil {ealmentero,

Leia mais

Test-Module: uma ferramenta para gerenciamento de testes de software integrada ao FireScrum

Test-Module: uma ferramenta para gerenciamento de testes de software integrada ao FireScrum Test-Module: uma ferramenta para gerenciamento de testes de software integrada ao FireScrum Audrey B. Vasconcelos, Iuri Santos Souza, Ivonei F. da Silva, Keldjan Alves Centro de Informática Universidade

Leia mais

Tópicos em Engenharia de Software (Optativa III) AULA 2. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com (81 )9801-6619

Tópicos em Engenharia de Software (Optativa III) AULA 2. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com (81 )9801-6619 Tópicos em Engenharia de Software (Optativa III) AULA 2 Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com (81 )9801-6619 Engenharia de Software Objetivo da aula Depois desta aula você terá uma revisão sobre o

Leia mais

O Ciclo de Vida do Desenvolvimento de Sistemas i

O Ciclo de Vida do Desenvolvimento de Sistemas i O Ciclo de Vida do de Sistemas i O Ciclo de Vida do de Sistemas ( SDLC Systems Development Life Cycle), conhecido também com o ciclo de vida do software refere-se aos estágios de concepção, projeto, criação

Leia mais

Tópicos. Métodos Ágeis. Histórico; Valores; Métodos Ágeis x Modelos Tradicionais; Exemplo: Referências Bibliográficas.

Tópicos. Métodos Ágeis. Histórico; Valores; Métodos Ágeis x Modelos Tradicionais; Exemplo: Referências Bibliográficas. Métodos Ágeis Edes Garcia da Costa Filho edes_filho@dc.ufscar.br 1 Tópicos Histórico; Valores; Métodos Ágeis x Modelos Tradicionais; Exemplo: Extreme Programming (XP). Referências Bibliográficas. 2 Histórico

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Guide to the SWEBOK (Guide to the Software Engineering Body of Knowledge) IEEE Computer Society Professor José Eduardo A. de O. Teixeira - Slide 1 IEEE Institute of Eletric and Eletronic

Leia mais

Aluna: Vanessa de Mello Orientador: Everaldo Artur Grahl

Aluna: Vanessa de Mello Orientador: Everaldo Artur Grahl Ferramenta web para gerenciamento de projetos de software baseado no Scrum Aluna: Vanessa de Mello Orientador: Everaldo Artur Grahl Introdução Roteiro da apresentação Objetivos do trabalho Fundamentação

Leia mais

SIGECO07 Sistema Integrado de Gestão de Contas Universidade Federal de Lavras PLANO DE PROJETO 23/09/2007 SIGECO07/GERENCIA/PROJETOS/

SIGECO07 Sistema Integrado de Gestão de Contas Universidade Federal de Lavras PLANO DE PROJETO 23/09/2007 SIGECO07/GERENCIA/PROJETOS/ SIGECO07 Sistema Integrado de Gestão de Contas Universidade Federal de Lavras PLANO DE PROJETO 23/09/2007 SIGECO07/GERENCIA/PROJETOS/ ModeloPlanoProjeto_2007_04_24 SIGECO07_PlanoProjeto_2007_09_23 Página

Leia mais

05/05/2010. Década de 60: a chamada Crise do Software

05/05/2010. Década de 60: a chamada Crise do Software Pressman, Roger S. Software Engineering: A Practiotioner s Approach. Editora: McGraw- Hill. Ano: 2001. Edição: 5 Introdução Sommerville, Ian. SW Engineering. Editora: Addison Wesley. Ano: 2003. Edição:

Leia mais

Requisitos de Software. Teresa Maciel DEINFO/UFRPE

Requisitos de Software. Teresa Maciel DEINFO/UFRPE Requisitos de Software Teresa Maciel DEINFO/UFRPE 1 Requisito de Software Características que o produto de software deverá apresentar para atender às necessidades e expectativas do cliente. 2 Requisito

Leia mais

PROVA DISCURSIVA (P )

PROVA DISCURSIVA (P ) PROVA DISCURSIVA (P ) 2 Nesta prova que vale dez pontos, faça o que se pede, usando os espaços indicados no presente caderno para rascunho. Em seguida, transcreva os textos para as folhas de TEXTOS DEFINITIVOS

Leia mais

Guia de Modelagem de Casos de Uso

Guia de Modelagem de Casos de Uso Guia de Modelagem de Casos de Uso Sistema de e-commerce de Ações Versão 1.1 1 Histórico da Revisão. Data Versão Descrição Autor 13 de Setembro de 2008 1.0 Criação do documento Antonio Marques 28 de Setembro

Leia mais

Virtual Museum Ontology: uma descrição ontológica de objetos virtuais 3D em Museus Virtuais

Virtual Museum Ontology: uma descrição ontológica de objetos virtuais 3D em Museus Virtuais Virtual Museum Ontology: uma descrição ontológica de objetos virtuais 3D em Museus Virtuais Felipe S. da Costa 1, Rafael G. de Oliveira 1, Everton F. C. de Almeida 1, Clézio L. Azevedo 1, Claudia M. F.

Leia mais

Implantando um Programa de Melhoria de Processo: Uma Experiência Prática

Implantando um Programa de Melhoria de Processo: Uma Experiência Prática Implantando um Programa de Melhoria de Processo: Uma Experiência Prática Evandro Polese Alves Ricardo de Almeida Falbo Departamento de Informática - UFES Av. Fernando Ferrari, s/n, Vitória - ES - Brasil

Leia mais

8 Considerações finais

8 Considerações finais 8 Considerações finais Neste trabalho, propusemo-nos a elaborar uma ferramenta epistêmica de apoio ao design de SiCo s, fundamentada na EngSem, que ajude o designer a elaborar seu projeto da comunicação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 05 PROFª BRUNO CALEGARO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 05 PROFª BRUNO CALEGARO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 05 PROFª BRUNO CALEGARO Santa Maria, 24 de Setembro de 2013. Revisão aula anterior Processos de Software Engenharia de Requisitos, Projeto,

Leia mais

RUP Rational Unified Process

RUP Rational Unified Process Universidade do Contestado UNC Unidade Universitária de Mafra Otávio Rodolfo Piske Curso de Sistemas de Informação 5ª Fase RUP Rational Unified Process MAFRA 2003 Otávio Rodolfo Piske 1 - Introdução O

Leia mais

PEN - Processo de Entendimento das Necessidades de Negócio Versão 1.4.0

PEN - Processo de Entendimento das Necessidades de Negócio Versão 1.4.0 PEN - Processo de Entendimento das Necessidades de Negócio Versão 1.4.0 Banco Central do Brasil, 2015 Página 1 de 14 Índice 1. FLUXO DO PEN - PROCESSO DE ENTENDIMENTO DAS NECESSIDADES DE NEGÓCIO... 3 2.

Leia mais

SETIS- III Seminário de Tecnologia Inovação e Sustentabilidade 4 e 5 de novembro de 2014.

SETIS- III Seminário de Tecnologia Inovação e Sustentabilidade 4 e 5 de novembro de 2014. Metodologia de desenvolvimento de software de baixa complexidade: estudos iniciais Juliana da Rosa Dias juliana.da.rosa.dias@gmail.com Renan Alberto de Souza souza.renan@me.com Resumo: Esse artigo tem

Leia mais

Documentação de um Produto de Software

Documentação de um Produto de Software Documentação de um Produto de Software Versão 3.0 Autora: Profª Ana Paula Gonçalves Serra Revisor: Prof. Fernando Giorno 2005 ÍNDICE DETALHADO PREFÁCIO... 4 1. INTRODUÇÃO AO DOCUMENTO... 6 1.1. TEMA...

Leia mais

Processos de Software

Processos de Software Processos de Software Prof. Márcio Lopes Cornélio Slides originais elaborados por Ian Sommerville O autor permite o uso e a modificação dos slides para fins didáticos O processo de Um conjunto estruturado

Leia mais

O Uso de Metodologias Ágeis no Desenvolvimento de Software como Serviço: Base Bibliográfica Digital

O Uso de Metodologias Ágeis no Desenvolvimento de Software como Serviço: Base Bibliográfica Digital O Uso de Metodologias Ágeis no Desenvolvimento de Software como Serviço: Base Bibliográfica Digital Elvis Fusco (UNIVEM/Marília), fusco@univem.edu.br Antonio Miguel Batista Dourado (UNIVEM/Marília), antoniodourado@gmail.com

Leia mais

Poder Judiciário. Justiça do Trabalho. Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Poder Judiciário. Justiça do Trabalho. Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Poder Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DIVISÃO DE SISTEMAS E INTERNET METODOLOGIA DE PRODUÇÃO DE SOFTWARE Versão 1.0 APROVAÇÃO

Leia mais

Introdução a UML. Hélder Antero Amaral Nunes haanunes@gmail.com

Introdução a UML. Hélder Antero Amaral Nunes haanunes@gmail.com Introdução a UML Hélder Antero Amaral Nunes haanunes@gmail.com Introdução a UML UML (Unified Modeling Language Linguagem de Modelagem Unificada) é uma linguagem-padrão para a elaboração da estrutura de

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC DCC Departamento de Ciência da Computação Joinville-SC

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC DCC Departamento de Ciência da Computação Joinville-SC CURSO: Bacharelado em Ciência da Computação DISCIPLINA: ANPS Análise e Projeto de Sistemas AULA NÚMERO: 3 DATA: PROFESSOR: Murakami Sumário 1 APRESENTAÇÃO...1 2 DESENVOLVIMENTO...1 2.1 Revisão...1 2.1.1

Leia mais

Agenda. Introdução Etapas genéricas Atividades de apoio Ferramentas de apoio Modelos genéricos Modelos de mercado Modelos de melhoria

Agenda. Introdução Etapas genéricas Atividades de apoio Ferramentas de apoio Modelos genéricos Modelos de mercado Modelos de melhoria Agenda Introdução Etapas genéricas Atividades de apoio Ferramentas de apoio Modelos genéricos Modelos de mercado Modelos de melhoria Introdução Processo de software é o conjunto de ferramentas, métodos

Leia mais

Apresentar os conceitos básicos da metodologia de desenvolvimento Processo Unificado, utilizando como aporte o Processo Unificado Rational RUP

Apresentar os conceitos básicos da metodologia de desenvolvimento Processo Unificado, utilizando como aporte o Processo Unificado Rational RUP Fábio Lúcio Meira Objetivos Gerais Apresentar os conceitos básicos da metodologia de desenvolvimento Processo Unificado, utilizando como aporte o Processo Unificado Rational RUP Específicos Apresentar

Leia mais

Escolha e implantação de uma metodologia de desenvolvimento de software: um estudo de caso para o Laboratório de Aplicação em Tecnologia da Informação

Escolha e implantação de uma metodologia de desenvolvimento de software: um estudo de caso para o Laboratório de Aplicação em Tecnologia da Informação Escolha e implantação de uma metodologia de desenvolvimento de software: um estudo de caso para o Laboratório de Aplicação em Tecnologia da Informação Elton A. dos Santos Departamento de Informática e

Leia mais

Uma Experiência de Engenharia de Requisitos em Empresas de Software

Uma Experiência de Engenharia de Requisitos em Empresas de Software Uma Experiência de Engenharia de Requisitos em Empresas de Software Carina Frota Alves Centro de Informática, Universidade Federal de Pernambuco, Brasil cfa@cin.ufpe.br Resumo. Este artigo apresenta uma

Leia mais

VANT-EC-SAME. Software de Suporte do VANT V-SUP Caso de Desenvolvimento Versão 1.0

VANT-EC-SAME. Software de Suporte do VANT V-SUP Caso de Desenvolvimento Versão 1.0 VANT-EC-SAME Software de Suporte do VANT V-SUP Caso de Desenvolvimento Versão 1.0 Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 17/0/07 1.0 Versão Inicial Douglas Moura Confidencial VANT-EC-SAME, 2007

Leia mais

O Estado da Prática Profissional em Engenharia de Software na Cidade de Lavras/MG e Proposta de um Portal Web visando relacionamento e capacitação 1.

O Estado da Prática Profissional em Engenharia de Software na Cidade de Lavras/MG e Proposta de um Portal Web visando relacionamento e capacitação 1. O Estado da Prática Profissional em Engenharia de Software na Cidade de Lavras/MG e Proposta de um Portal Web visando relacionamento e capacitação 1. André Luiz Zambalde Universidade Federal de Lavras

Leia mais

Modelos de processos de desenvolvimento de software

Modelos de processos de desenvolvimento de software Definição Um modelo de processo de software é uma representação abstrata de um processo. Os modelos de processo podem ser desenvolvidos a partir de várias perspectivas e podem mostrar as atividades envolvidas

Leia mais

MDMS-ANAC. Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da ANAC. Superintendência de Tecnologia da Informação - STI

MDMS-ANAC. Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da ANAC. Superintendência de Tecnologia da Informação - STI MDMS-ANAC Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da ANAC Superintendência de Tecnologia da Informação - STI Histórico de Alterações Versão Data Responsável Descrição 1.0 23/08/2010 Rodrigo

Leia mais

PROJETO DE FÁBRICA DE SOFTWARE

PROJETO DE FÁBRICA DE SOFTWARE FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE Departamento de Sistemas de Informação PROJETO DE FÁBRICA DE SOFTWARE Denise Xavier Fortes Paulo Afonso BA Agosto/2015 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. PERFIS FUNCIONAIS...

Leia mais

Ontologia Aplicada ao Desenvolvimento de Sistemas de Informação sob o Paradigma da Computação em Nuvem

Ontologia Aplicada ao Desenvolvimento de Sistemas de Informação sob o Paradigma da Computação em Nuvem Ontologia Aplicada ao Desenvolvimento de Sistemas de Informação sob o Paradigma da Computação em Nuvem Luiz Cláudio Hogrefe Orientador: Prof. Roberto Heinzle, Doutor Roteiro Introdução Fundamentação teórica

Leia mais

WebUML: Uma Ferramenta Colaborativa de Apoio ao Projeto e Análise de Sistemas Descritos em Classes UML

WebUML: Uma Ferramenta Colaborativa de Apoio ao Projeto e Análise de Sistemas Descritos em Classes UML Carlos Henrique Pereira WebUML: Uma Ferramenta Colaborativa de Apoio ao Projeto e Análise de Sistemas Descritos em Classes UML Florianópolis - SC 2007 / 2 Resumo O objetivo deste trabalho é especificar

Leia mais

UML - Unified Modeling Language

UML - Unified Modeling Language UML - Unified Modeling Language Casos de Uso Marcio E. F. Maia Disciplina: Engenharia de Software Professora: Rossana M. C. Andrade Curso: Ciências da Computação Universidade Federal do Ceará 24 de abril

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software. Unidade V Modelagem de PDS. Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com

Processo de Desenvolvimento de Software. Unidade V Modelagem de PDS. Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Processo de Desenvolvimento de Software Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo Programático desta aula Modelo Cascata (Waterfall) ou TOP DOWN. Modelo Iterativo. Metodologia Ágil.

Leia mais

Processos de Desenvolvimento de Software. Prof. Hélio Engholm Jr

Processos de Desenvolvimento de Software. Prof. Hélio Engholm Jr Processos de Desenvolvimento de Software Objetivos Descrever o processo de desenvolvimento de software Orientado a Objetos (Object Oriented Software Development - OOSD) Descrever como a modelagem suporta

Leia mais

Desenvolvimento de Software: Processos Ágeis ou Tradicionais? Uma visão crítica.

Desenvolvimento de Software: Processos Ágeis ou Tradicionais? Uma visão crítica. Desenvolvimento de Software: Processos Ágeis ou Tradicionais? Uma visão crítica. Mainart, Domingos de A 1. Santos, Ciro M. 1,2 1Faculdade Presidente Antônio Carlos de Teófilo Otoni 2Universidade Federal

Leia mais

Sistemas de Informação e Programação II Odorico Machado Mendizabal

Sistemas de Informação e Programação II Odorico Machado Mendizabal Sistemas de Informação e Programação II Odorico Machado Mendizabal Universidade Federal do Rio Grande FURG C3 Engenharia de Computação 16 e 23 de março de 2011 Processo de Desenvolvimento de Software Objetivos

Leia mais

Projeto de Sistemas I

Projeto de Sistemas I Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo Projeto de Sistemas I Professora: Kelly de Paula Cunha E-mail:kellypcsoares@ifsp.edu.br Requisitos: base para todo projeto, definindo o

Leia mais

Definição do Framework de Execução de Processos Spider-PE

Definição do Framework de Execução de Processos Spider-PE Definição do Framework de Execução de Processos Spider-PE 1. INTRODUÇÃO 1.1 Finalidade Este documento define um framework de execução de processos de software, denominado Spider-PE (Process Enactment),

Leia mais

Planejamento da disciplina: Modelagem de processos de negócio

Planejamento da disciplina: Modelagem de processos de negócio UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS / INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Planejamento da disciplina: Modelagem de processos de negócio Professor: Clarindo Isaías Pereira

Leia mais

a) O Sprint deve ser realizado num período máximo de 40 dias e ter uma equipe de trabalho não superior a 10 pessoas.

a) O Sprint deve ser realizado num período máximo de 40 dias e ter uma equipe de trabalho não superior a 10 pessoas. Modelos de Ciclo de Vida e Metodologias de Software 54. Um dos principais conceitos do Scrum para atacar a complexidade do desenvolvimento e gerenciamento de software é a implantação de um controle descentralizado,

Leia mais

O GERENCIAMENTO DE REQUISITOS E A SUA IMPORTÂNCIA EM PROJETOS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

O GERENCIAMENTO DE REQUISITOS E A SUA IMPORTÂNCIA EM PROJETOS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE O GERENCIAMENTO DE REQUISITOS E A SUA IMPORTÂNCIA EM PROJETOS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Leonardo Manoel Mendes¹, Rogério Homem da Costa², Reinaldo Lorenso³ 1. Especializando do Curso de Pós-Graduação

Leia mais

Comparativo entre Processos Ágeis. Daniel Ferreira dfs3@cin.ufpe.br

Comparativo entre Processos Ágeis. Daniel Ferreira dfs3@cin.ufpe.br Comparativo entre Processos Ágeis Daniel Ferreira dfs3@cin.ufpe.br O que discutiremos: Histórico Os Princípios Ágeis Comparação Do ponto de vista incremental Do ponto de vista funcional Vantagens e Desvantagens

Leia mais

XHTML 1.0 DTDs e Validação

XHTML 1.0 DTDs e Validação XHTML 1.0 DTDs e Validação PRnet/2012 Ferramentas para Web Design 1 HTML 4.0 X XHTML 1.0 Quais são os três principais componentes ou instrumentos mais utilizados na internet? PRnet/2012 Ferramentas para

Leia mais

Estudo de Caso de Aplicação da Métrica de Pontos de Casos de Uso numa Empresa de Software

Estudo de Caso de Aplicação da Métrica de Pontos de Casos de Uso numa Empresa de Software Estudo de Caso de Aplicação da Métrica de Pontos de Casos de Uso numa Empresa de Software Viviane Heimberg (Senior Sistemas) viviane@senior.com.br Everaldo Artur Grahl (FURB/DSC) egrahl@furb.br Resumo:

Leia mais

Engenharia de Software I

Engenharia de Software I Engenharia de Software I Curso de Sistemas de Informação Karla Donato Fook karladf@ifma.edu.br DESU / DAI 2015 Desenvolvimento Rápido de Software 2 1 Para quê o Desenvolvimento Rápido de Software? Os negócios

Leia mais

Tecnologia para Sistemas Inteligentes Apontamentos para as aulas sobre. Introdução à Representação e Processamento de Ontologias: Framework O3f

Tecnologia para Sistemas Inteligentes Apontamentos para as aulas sobre. Introdução à Representação e Processamento de Ontologias: Framework O3f Tecnologia para Sistemas Inteligentes Apontamentos para as aulas sobre Introdução à Representação e Processamento de Ontologias: Framework O3f Luís Miguel Botelho Departamento de Ciências e Tecnologias

Leia mais

0.2.4-19/08/2013 IFG SOLUTIONS

0.2.4-19/08/2013 IFG SOLUTIONS IFG SOLUTIONS I Feel Good Equipe IFG 19/08/2013 1 Nossa empresa tem como proposta o desenvolvimento de uma solução inovadora e que proporcione um ambiente mais dinâmico e interativo. Agregando mais valor

Leia mais

Engenharia de Software II

Engenharia de Software II Engenharia de Software II Aula 5 http://www.ic.uff.br/~bianca/engsoft2/ Aula 5-05/05/2006 1 Dúvidas da aula passada RUP (Rational Unified Process) é uma ferramenta ou um processo? Resposta: os dois. O

Leia mais

O que é software? Software e Engenharia de Software. O que é software? Tipos de Sistemas de Software. A Evolução do Software

O que é software? Software e Engenharia de Software. O que é software? Tipos de Sistemas de Software. A Evolução do Software O que é software? Software e Engenharia de Software Programas de computador Entidade abstrata. Ferramentas (mecanismos) pelas quais: exploramos os recursos do hardware. executamos determinadas tarefas

Leia mais

ENGENHARIA DE SOFTWARE: TESTES E QUALIDADE DE PRODUTO Prof. José Manuel de Sacadura Rocha

ENGENHARIA DE SOFTWARE: TESTES E QUALIDADE DE PRODUTO Prof. José Manuel de Sacadura Rocha ENGENHARIA DE SOFTWARE: TESTES E QUALIDADE DE PRODUTO Prof. José Manuel de Sacadura Rocha RESUMO Trata-se da qualidade no desenvolvimento do produto software principalmente com respeito à fase de testes

Leia mais

Desenvolvimento Iterativo. Unified Process (UP) Esta abordagem ao desenvolvimento

Desenvolvimento Iterativo. Unified Process (UP) Esta abordagem ao desenvolvimento Desenvolvimento Iterativo Esta abordagem ao desenvolvimento assegura que o sistema cresce de forma incremental assegura que a complexidade se mantém controlada permite ainda obter rápido feedback de várias

Leia mais

VANT-EC-SAME. Software de Suporte do VANT - V-SUP Plano de Iteração - Iniciação. VCXP Plano de Iteração - Iniciação

VANT-EC-SAME. Software de Suporte do VANT - V-SUP Plano de Iteração - Iniciação. VCXP Plano de Iteração - Iniciação VANT-EC-SAME Software de Suporte do VANT - V-SUP Plano de Iteração - Iniciação VCXP Plano de Iteração - Iniciação Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 14/09/2007 1.0 Documento Incial Arthur

Leia mais

Estudo da aplicação de um processo gerenciado de produção de

Estudo da aplicação de um processo gerenciado de produção de 1 Estudo da aplicação de um processo gerenciado de produção de software em MPEs Sandra Leandro Pereira 1 Thiago Pereira de Brito Vieira 2 leandrlu@terra.com.br tpbvieira@gmail.com 1 Centro de Ciências

Leia mais

Com metodologias de desenvolvimento

Com metodologias de desenvolvimento Sociedade demanda grande quantidade de sistemas/aplicações software complexo, sistemas distribuídos, heterogêneos requisitos mutantes (todo ano, todo mês, todo dia) Mas, infelizmente, não há gente suficiente

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Engenharia de Software Orientada a Serviços (SOA)

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Engenharia de Software Orientada a Serviços (SOA) Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Engenharia de Software Orientada a Serviços (SOA) Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Engenharia de Software Orientada a Serviços

Leia mais