Novo Mercado de Acesso no Brasil: Bovespa Mais e Bovespa Mais Nível 2

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Novo Mercado de Acesso no Brasil: Bovespa Mais e Bovespa Mais Nível 2"

Transcrição

1 Novo Mercado de Acesso no Brasil: Bovespa Mais e Bovespa Mais Nível 2 MERCADO jun/15 E O AMBIENTE PARA IPOS NO BRASIL Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno X Público 1

2 HISTÓRICO DO MERCADO DE CAPITAIS IPO nos últimos 10 anos (novas empresas de 2004 a 2014) * Volume financeiro captado: R$ 152 bilhões Número de ofertas: 151 * Os 8 bancos que se listaram no Nível 1 se comprometeram a migrar para o Novo Mercado ou Nível 2 Ofertas Subsequentes (empresas já listadas) Volume financeiro captado: R$ 180 bilhões Número de ofertas: 110 Fonte: BM&FBOVESPA MERCADO E O AMBIENTE PARA IPOS NO BRASIL 2

3 SEGMENTOS DE LISTAGEM * 454 empresas listadas (jun/15) Atender à regulamentação * requisitos de transparência * 30 + requisitos societários * 20 25% de ações em circulação Ofertas a partir de R$ 500 milhões + ter ações somente ON * 133 Acesso gradual Ações ON e PN Somente Ações ON 25% de ações em circulação em até 7 anos Ofertas abaixo de R$ 500 milhões * 9 Os segmentos de governança corporativa foram criados com base na demanda dos investidores, mas adaptados a diferentes perfis de empresas. MERCADO E O AMBIENTE PARA IPOS NO BRASIL 3

4 POSICIONAMENTO DOS SEGMENTOS DE LISTAGEM ON + PN ON ON ON + PN Segmento indicado para ofertas maiores Exigência de percentual mínimo de ações em circulação Participação relevante de investidores estrangeiros Atuação da bolsa: orientações sobre o processo de estruturação de oferta, custos envolvidos no processo, listagem em bolsa e dia-a-dia de empresa listada Segmento indicado para ofertas menores Possibilidade de listagem sem oferta Participação relevante de investidores nacionais Atuação da bolsa: pacote de benefícios, coordenação de grupo de trabalho com representantes públicoprivado, atuação ativa junto às empresas fechadas, estruturadores de oferta e investidores MERCADO E O AMBIENTE PARA IPOS NO BRASIL 4

5 HISTÓRICO DO PROJETO OFERTAS MENORES Inicio dos Grupo Técnico trabalhos: visita 7 países com o objetivo de mapeamento dos problemas e possíveis formas de atuação Formação e coordenação de Grupo Técnico para discussões e planejamento das atividades entender como as ofertas menores são viabilizadas nesses mercados e elaborar um Diagnóstico conjunto Elaboração do Diagnóstico e realização de Mesa Redonda com agentes de mercado para debater os resultados dez/11 a fev/12 fev/12 a mai/12 mai/12 a jun/12 jun/12 a nov/12 MERCADO E O AMBIENTE PARA IPOS NO BRASIL 5

6 3. HISTÓRICO DO PROJETO OFERTAS MENORES Bolsa coordenou Grupo de Trabalho composto por representantes da ABDI, BNDES, CVM e FINEP Elaboração de um Diagnóstico Conjunto Visita a sete países: Inglaterra, Polônia, Espanha, Canadá, Austrália, Coreia do Sul e China com o objetivo de entender como o tema é tratado no mercado internacional Mesa redonda com agentes do mercado: Debates acerca do diagnóstico obtido e percepções do mercado Resultado: constituição do Comitê Técnico com representantes do mercado, formação dos subgrupos e construção de propostas Principais percepções do Diagnóstico Internacional /download/diagnostico-portugues.pdf Investidores locais são principais tomadores das ofertas Em alguns mercados incentivos fiscais para investidores foram relevantes Descontos regulatórios não são expressivos para empresas de médio porte Custos fixos da oferta não são barreira e no Brasil são menores Ofertas menores têm prospecto simplificado e dispensa de registro no órgão regulador Intermediários são especializados por tamanho de oferta MERCADO E O AMBIENTE PARA IPOS NO BRASIL 6 3

7 3. HISTÓRICO DO PROJETO OFERTAS MENORES Formação e coordenação do Comitê Técnico Ofertas Menores, com representant es dos setores público e privado Divisão do Comitê em 7 subgrupos para discussão de propostas específicas. Realização de calls, estudos e reuniões, incluindo a participação de representantes do Ministério da Fazenda e SPE Elaboração de 12 propostas com impacto nas empresas, investidores e intermediários, objetivando simplificar a realização de ofertas menores. As propostas incluem um Projeto de Lei de incentivo fiscal a investidores Apresentação do Projeto para o Ministro da Fazenda e para a imprensa. Envio formal da Minuta de Incentivo Fiscal dez/12 a mai/13 mai/13 a jun/12 jun/13 a jul/13 MERCADO E O AMBIENTE PARA IPOS NO BRASIL 7

8 PROJETO OFERTAS MENORES PRINCIPAIS MEDIDAS PARA INVESTIDORES Isenção do IR para investidores PF que invistam em empresas elegíveis Isenção do IR para fundos de ações que comprometam até 2/3 do PL em empresas elegíveis Desenvolvimento de fundos de ações que podem investir em empresas fechadas e de fundos que podem investir sem ingerência sobre a gestão da companhia PARA EMPRESAS Dispensa de publicação de jornal de: Demonstrações financeiras e atos societários Atos ou fatos relevantes Avisos relativos à oferta pública de ações Isenções de taxas de registro e anuidade da Bolsa Capacitação de empresários em parceria com Fundação Dom Cabral Permanente PARA INTERMEDIÁRIOS Oferta pública com esforços restritos: Mais rápida Endereçada para investidores superqualificados Programa de incentivo às corretoras e intermediários Permanente MERCADO E O AMBIENTE PARA IPOS NO BRASIL 8

9 INCENTIVOS AO BOVESPA MAIS Incentivo para investidores comprarem empresas listadas no BOVESPA MAIS Ministério da Fazenda (Lei Isenção de IR para investidores pessoas físicas, na venda das ações e no resgate de cotas de fundos abertos FIA-Mercado de Dispensa as empresas elegíveis de publicação das demonstrações financeiras anuais e atos societários no Diário Oficial Até Publicação resumida em jornal de grande circulação e com divulgação simultânea na integra no website do mesmo jornal na Internet Empresas Listadas no BOVESPA Valor de mercado inicial: inferior a R$ 700 MM (na Receita bruta no ano anterior: inferior a R$ % do total captado ser utilizado para investimento MERCADO E O AMBIENTE PARA IPOS NO BRASIL 9

10 INCENTIVOS AO BOVESPA MAIS Programas do BNDES Programa de Apoio às Ofertas Públicas em Mercados de R$ 1 bilhão para IPOs ou ofertas subsequentes realizados no Bovespa Mais, podendo ser âncora, garantindo até 20% da oferta R$ 2 bilhões para investimentos indiretos em empresas fechadas, podendo investir em até 30% de cada fundo. MERCADO E O AMBIENTE PARA IPOS NO BRASIL 10

11 INCENTIVOS AO BOVESPA MAIS Criação de fundos Fundos de Ações Mercado de Acesso (fechado): podem investir em empresas abertas listadas no Bovespa Mais e empresas fechadas (até 1/3 do Fundos de Ações Mercado de Acesso (aberto): Isenção de IR para investidores pessoas físicas, na venda das ações e no resgate de FIP: isenção de participação na gestão no caso de investimentos de até 35% do PL do fundo em empresas listadas em Mercado de Acesso e nas empresas em fase de desinvestimento MERCADO E O AMBIENTE PARA IPOS NO BRASIL 11

12 INCENTIVOS AO BOVESPA MAIS CVM editou medidas que Fim da obrigação de publicação em jornal de: - Atos e Fatos Relevantes - Avisos Obrigatórios de Ofertas Oferta com esforços restritos (ICVM 476 alterada pela ICVM 551) - Exigências simplificadas de divulgação - Sem registro prévio na CVM - Procura autorizada até 75 investidores - Alocação máxima para 50 investidores locais qualificados - Sem restrição de número de investidores estrangeiros MERCADO E O AMBIENTE PARA IPOS NO BRASIL 12

13 INCENTIVOS AO BOVESPA MAIS... a BM&BOVESPA isenta de todos os Isenção de Taxas de Análise e de Distribuição (Listagem e Anuidade com desconto regressivo até o 4º Patrocínio de relatório de análise por 2 Plano Educacional voltado para: - Empresários - Investidores - Intermediários MERCADO E O AMBIENTE PARA IPOS NO BRASIL 13

14 PROGRAMA EDUCACIONAL OFERTAS MENORES Plano Educacional Intermediários Bancos de investimento 1. Workshops: técnico e individuais 2. Inclusão de tema PME em programas de capacitação Corretoras/Bancos 1. Workshops: técnico e individuais 2. Capacitação de Agentes Autônomos de Investimento 3. Seminário de atualização Alinhamento com intermediários das demais ações Empresários 1. Workshop Capital para Crescer 2. Cartilha e Menu de Desenvolvimento para Empresários 3. Desenvolvimento de programa de capacitação de empresários 4. Livro sobre experiências de abertura de capital 5. Módulos sobre abertura de capital para escolas de negócio Investidores 1. Cartilha 2. Programa online 3. Inclusão do tema PME nos programas atuais 4. Vídeo educativo com a CVM MERCADO E O AMBIENTE PARA IPOS NO BRASIL 14

15 A IMPORTÂNCIA DA PREPARAÇÃO Pesquisa e diagnóstico junto à empresários, conduzido pela Fundação Dom Cabral e patrocinado pela ABDI Benefícios percebidos Nova fonte financiamento Redução custo de dívida Aumento da percepção de valor da empresa Obstáculos e dificuldades Cultura Aumento de custos Controles internos Perda de poder Porte da empresa Visibilidade MERCADO E O AMBIENTE PARA IPOS NO BRASIL 15

16 Oferta Pública (400) ALTERNATIVAS DE ACESSO AO BOVESPA MAIS Listagem Listagem sem oferta pública Preparação Oferta Pública (476) Listagem com oferta pública com esforços restritos (ICVM 476, alterada pela 551) Listagem Preparação Oferta Pública (400) Listagem Listagem com oferta pública (ICVM 400) Preparação MERCADO E O AMBIENTE PARA IPOS NO BRASIL 16

17 EMPRESAS DO BOVESPA MAIS NUTRIPLANT DESENVIX SENIOR SOLUTION NORTEC 13/fev/08 3/out/11 10/mai/12 28/mai/13 CAB AMBIENTAL ALTUS BIOMM QUALITY SOFTWARE MAESTRO 30/jul/13 28/ago/13 02/jan/14 11/fev/14 17/jun/14 MERCADO E O AMBIENTE PARA IPOS NO BRASIL 17

18 EMPRESAS LISTADAS NO BOVESPA MAIS Exemplo da Senior Solution 1º Data de Listagem: 10/mai/12 Data do IPO: 08/mar/13 Volume da oferta: listagem sem oferta Ações em circulação: 0% R$ mil Receita Líq EBITDA Margem EBITDA Preço da ação: R$ 11,50 Volume da Oferta: R$ 57,5 MM Custo da Oferta: R$ 2,54 MM (4,6%) Valor de mercado: R$ 134 MM 15% 20% 10% 15,4% Lucro Líquido Fonte: Demonstrativos Financeiros da Senior Solution Destinação dos recursos captados: R$ 57,5 MM Saída parcial do BNDESpar, Fundo Stratus e acionistas fundadores Aquisições Capital de giro Pesquisa & desenvolvimento MERCADO E O AMBIENTE PARA IPOS NO BRASIL 18 2º

19 EMPRESAS LISTADAS NO BOVESPA MAIS Benefícios concretos na performance da Senior Solution Indicadores Pro-forma* Crescimento Receita Líquida (R$ MM) 46,2 71,0 77,2 67% EBITDA (R$ MM) 6,7 10,9 11,9 78% Lucro Líquido (R$ MM) 3,6 11,1 11,7 222% Dividendos (R$ MM) 0 3,1 3,1 - Caixa Líquido (R$ MM) 1,7 35,0 28,5 +16x Clientes % 5 maiores clientes (% da RL) 55% 39% 36% -19 p.p. Colaboradores % Acionistas Liquidez diária (R$) *Números pro-forma incluindo os resultados da Aquarius Tecnologia em set-14 (LTM). Fonte: Senior Solution MERCADO E O AMBIENTE PARA IPOS NO BRASIL 19

20 POTENCIAL MAPEADO Potencial: 15 mil empresas brasileiras faturam entre R$ 20 e 400 milhões A Superintendência de Prospecção de Empresas tem mapeadas cerca de 300 empresas com potencial de abertura de capital. Palestras Jornais Indicações Mapeamento de 150 empresas com perfil Bovespa Mais (nov/14): Palestras sobre mercado de capitais e abertura de capital Acompanhamento na imprensa sobre potenciais empresas Indicação de agentes de mercado (bancos, consultorias, auditorias etc.) Hotelaria e Restaurantes 4% Mídia 4% Outros 19% Varejo 16% TI 14% Serviços 6% Saúde 6% Máquinas e Equipamentos 9% Indústria 11% Construção e Engenharia 11% MERCADO E O AMBIENTE PARA IPOS NO BRASIL 20

21 Contato Edna Holanda Tel: +55 (11) MERCADO E O AMBIENTE PARA IPOS NO BRASIL 21

22 CASE SENIOR SOLUTION: CUSTOS DE LISTAGEM SEM OFERTA NO BOVESPA MAIS Senior Solution se listou sem oferta em maio/12 + = Custos de listagem sem oferta Valor R$ Mil Valor R$ Mil Advogados 120,0 Assessorias 29,5 Desenvolvimento de website de RI 11,5 Relações com imprensa 18,0 TOTAL GERAL 149,5 Fonte: Senior Solution MERCADO E O AMBIENTE PARA IPOS NO BRASIL 22

23 CASE SENIOR SOLUTION: CUSTO DA OFERTA Custos e Despesas¹ Valor (R$ mil) % sobre total da Oferta Comissão de Coordenação 333,1 0,60% Comissão de Garantia Firme 333,1 0,60% Comissão de Colocação 999,3 1,80% TOTAL COMISSÕES 1.665,5 3,00% Impostos, taxas, contribuições 179,8 0,32% Taxa de registro na CVM 165,7 0,30% Taxa de Registro na ANBIMA 10,8 0,02% Custos BM&FBOVESPA 19,4 0,04% Advogados e consultores 250,0 0,45% Auditores 40,0 0,07% Outras Despesas 214,1 0,39% TOTAL DESPESAS 879,9 1,58% TOTAL (COMISSÕES + DESPESAS) 2.545,4 4,58% ¹ Fonte: Prospecto definitivo. Não considera lote suplementar. MERCADO E O AMBIENTE PARA IPOS NO BRASIL 23 18

24 CUSTOS BM&FBOVESPA E CVM LISTAGEM E OFERTA PÚBLICA MERCADO DE BOLSA OU DE BALCÃO ORGANIZADO EMISSÃO DE AÇÕES N1, N2 e NM BOVESPA MAIS B M & F B O V E S P A Taxa de Análise - Listagem de Emissor Taxa de Análise - Ofertas Públicas de Distribuição de Ativos de Renda Variável Taxa de Distribuição de Ativos de Renda Variável Pacote Simplificado Pacote Padrão Pacote Customizado R$ 51 mil Isento R$ 50 mil Isento 0,035% (mín. R$ 45 mil) 0,035% (mín. R$ 158 mil) 0,035% (mín. R$ 500 mil) Isento 0,035% (mín. R$ 158 mil) 0,035% (mín. R$ 500 mil) C V M Companhias Abertas Taxa de Registro da Oferta Distribuição de Ações 0,30% (limitado ao a R$ ,00) NOTA: as isenções estão condicionadas às características da MERCADO E O AMBIENTE PARA IPOS NO BRASIL empresa e da oferta. Mais detalhes no Ofício Circular /2014-DP

25 CUSTOS BM&FBOVESPA E CVM RECORRENTES MERCADO DE BOLSA OU DE BALCÃO ORGANIZADO EMISSÃO DE AÇÕES N1, N2 e NM BOVESPA MAIS B M & F B O V E S P A Anuidade Valor Mínimo R$ 35 mil Valor Máximo R$ 850 mil Parte Fixa Parte Variável R$ 35 mil 0,00473% sobre a diferença entre o capital social e o valor de R$ 50 milhões Desconto 100% 75% 50% 25% Período 1º Ano 2º Ano 3º Ano 4º Ano Companhias Abertas C V M Faixas de Patrimônio Líquido em R$ Até ,00 De ,01 a ,00 Acima de ,00 Taxa de Fiscalização Trimestral 1.243, , ,80 MERCADO E O AMBIENTE PARA IPOS NO BRASIL 25

Os Segmentos de Listagem da BM&FBOVESPA para Pequenas e Médias Empresas 15/10/13

Os Segmentos de Listagem da BM&FBOVESPA para Pequenas e Médias Empresas 15/10/13 Os Segmentos de Listagem da BM&FBOVESPA para Pequenas e Médias Empresas 15/10/13 Apresentação no Congresso de Governança Corporativa do IBGC 14 e 15 de outubro de 2013 Projeto Ofertas Menores Resumo do

Leia mais

O Setor de Mineração no contexto do Mercado de Capitais

O Setor de Mineração no contexto do Mercado de Capitais O Setor de Mineração no contexto do Mercado de Capitais Set/2013 CLASSIFICAÇÃO DA INFORMAÇÃO (MARQUE COM UM X ): x CONFIDENCIAL RESTRITA CONFIDENCIAL USO INTERNO PÚBLICO Introdução O setor de mineração

Leia mais

A Importância do Mercado Secundário

A Importância do Mercado Secundário A Importância do Mercado Secundário Apresentação ao Conselho Superior de Estudos Avançados CONSEA da FIESP Agosto / 2015 Agosto/2015 Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno X Público 1 Sobre a BM&FBOVESPA

Leia mais

HSM EXPOMANAGEMENT 2014 Mercado de Capitais e Direito Internacional PAINEL 5

HSM EXPOMANAGEMENT 2014 Mercado de Capitais e Direito Internacional PAINEL 5 HSM EXPOMANAGEMENT 2014 Mercado de Capitais e Direito Internacional PAINEL 5 ACESSO DAS EMPRESAS AO MERCADO DE CAPITAIS 04 DE NOVEMBRO DE 2014 INSTITUTO IBMEC MERCADO DE CAPITAIS CEMEC Centro de Estudos

Leia mais

EM PAUTA O QUE É PRECISO FAZER PARA VIABILIZAR O ACESSO DE PEQUENAS & MÉDIAS EMPRESAS AO MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL?

EM PAUTA O QUE É PRECISO FAZER PARA VIABILIZAR O ACESSO DE PEQUENAS & MÉDIAS EMPRESAS AO MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL? O QUE É PRECISO FAZER PARA VIABILIZAR O ACESSO DE PEQUENAS & MÉDIAS EMPRESAS AO MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL? 8 REVISTA RI Setembro 2013 É o mercado de capitais brasileiro que precisa das pequenas e médias

Leia mais

CRIAR UM MERCADO RELEVANTE DE FINANCIAMENTO PARA PEQUENAS E MÉDIAS

CRIAR UM MERCADO RELEVANTE DE FINANCIAMENTO PARA PEQUENAS E MÉDIAS CRIAR UM MERCADO RELEVANTE DE FINANCIAMENTO PARA PEQUENAS E MÉDIAS PROPOSTA PARA DINAMIZAR O CRESCIMENTO DE EMPRESAS DE PEQUENO E MÉDIO PORTE POR MEIO DE EMPRESAS ACESSO AO MERCADO VIA AÇÕES DE AÇÕES POR

Leia mais

SÉRIE IPO s: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ABERTURA DE CAPITAL. Parte 4: Como tornar sua Empresa uma Companhia de Capital Aberto

SÉRIE IPO s: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ABERTURA DE CAPITAL. Parte 4: Como tornar sua Empresa uma Companhia de Capital Aberto SÉRIE IPO s: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ABERTURA DE CAPITAL Parte 4: Como tornar sua Empresa uma Companhia de Capital Aberto o O que é Abertura de Capital o Vantagens da abertura o Pré-requisitos

Leia mais

Mercado de capitais como alavanca para o desenvolvimento do setor mineral

Mercado de capitais como alavanca para o desenvolvimento do setor mineral Mercado de capitais como alavanca para o desenvolvimento do setor mineral Mercado mai/16 de capitais como alavanca para o desenvolvimento do setor mineral Confidencial Uso Interno Uso Uso Interno X Público

Leia mais

Bovespa Mais: propiciando o crescimento sustentável das empresas

Bovespa Mais: propiciando o crescimento sustentável das empresas Bovespa Mais: propiciando o crescimento sustentável das empresas O Bovespa Mais, um dos segmentos especiais de listagem administrados pela BM&FBOVESPA, foi idealizado para tornar o mercado acionário brasileiro

Leia mais

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas CICLO APIMEC 2010 Índice RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas 3 RS no Brasil DADOS DEMOGRÁFICOS RS BRASIL População

Leia mais

Utilização do Mercado de Capitais para o Financiamento de Pequenas e Médias Empresas por meio de Ações

Utilização do Mercado de Capitais para o Financiamento de Pequenas e Médias Empresas por meio de Ações Utilização do Mercado de Capitais para o Financiamento de Pequenas e Médias Empresas por meio de Ações Experiências Internacionais Diagnóstico do Grupo de Trabalho 05/11/2012 Agenda Visão Geral Emissores

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T15

Divulgação de Resultados 1T15 São Paulo - SP, 06 de Maio de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

Diretoria Executiva de Desenvolvimento e Fomento de Negócios. Novembro de 2010

Diretoria Executiva de Desenvolvimento e Fomento de Negócios. Novembro de 2010 Governança Corporativa e o desenvolvimento do mercado de capitais brasileiro Diretoria Executiva de Desenvolvimento e Fomento de Negócios Novembro de 2010 Representatividade da bolsa no mundo Maior bolsa

Leia mais

As entidades locais no apoio às empresas regionais na retomada dos investimentos e experiência do Instituto Mineiro de Mercado de Capitais

As entidades locais no apoio às empresas regionais na retomada dos investimentos e experiência do Instituto Mineiro de Mercado de Capitais A retomada dos investimentos e o Mercado de Capitais Agosto de 2015 As entidades locais no apoio às empresas regionais na retomada dos investimentos e experiência do Instituto Mineiro de Mercado de Capitais

Leia mais

Abertura de Capital Uma alternativa para financiamento das empresas

Abertura de Capital Uma alternativa para financiamento das empresas Abertura de Capital Uma alternativa para financiamento das empresas Abertura de Capital Uma alternativa para financiamento das empresas Introdução Captar recursos para financiar seu projeto de crescimento

Leia mais

PROPOSTA DO IBMEC PROJETO ACESSO DAS EMPRESAS AO MERCADO DE CAPITAIS SÃO PAULO 29/06/2012

PROPOSTA DO IBMEC PROJETO ACESSO DAS EMPRESAS AO MERCADO DE CAPITAIS SÃO PAULO 29/06/2012 PROPOSTA DO IBMEC PROJETO ACESSO DAS EMPRESAS AO MERCADO DE CAPITAIS CEMEC SÃO PAULO 29/06/2012 C.A.ROCCA INDICE 1. Bases da proposta do IBMEC 2. Mercado de capitais brasileiro: regulação, funcionalidade

Leia mais

FUNDOS DE INVESTIMENTOS IMOBILIÁRIOS

FUNDOS DE INVESTIMENTOS IMOBILIÁRIOS I Curso de Férias do Grupo de Estudos de Direito Empresarial - Direito UFMG S IMOBILIÁRIOS Luis Fellipe Maia Advogado Formado pela UFMG Sócio da Vivá Capital Membro do Conselho Diretor da Júnior Achievement/MG

Leia mais

BRASIL FUNDOS IMOBILIÁRIOS Quadro Regulatório e de Fiscalidade. Mai/ 2010 1

BRASIL FUNDOS IMOBILIÁRIOS Quadro Regulatório e de Fiscalidade. Mai/ 2010 1 BRASIL FUNDOS IMOBILIÁRIOS Quadro Regulatório e de Fiscalidade Mai/ 2010 1 FII s - Características Fundos de Investimento Imobiliário (FII s) Criados em 1993 A sua supervisão é assegurada pela CVM Constituídos

Leia mais

Governança Corporativa Pequena e Média Empresa IBGC e ACRJ

Governança Corporativa Pequena e Média Empresa IBGC e ACRJ Governança Corporativa Pequena e Média Empresa IBGC e ACRJ Patrícia Pellini Superintendência de Regulação e Orientação a Emissores 23/9/2014 Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno X Público 1 AGENDA

Leia mais

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 AVISO Nesta apresentação nós fazemos declarações prospectivas que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base crenças e suposições

Leia mais

RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 1T10 156.512.000,00

RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 1T10 156.512.000,00 RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 156.512.000,00 Resultados do RESULTADOS São Paulo, 14 de maio de 2010 A BRADESPAR [BM&FBOVESPA: BRAP3 (ON), BRAP4 (PN); LATIBEX: XBRPO (ON), XBRPP (PN)]

Leia mais

Senior Solution (SNSL3) Conhecendo a empresa

Senior Solution (SNSL3) Conhecendo a empresa Análise XP Fundamentos Senior Solution (SNSL3) Conhecendo a empresa A Empresa A Senior Solution está presente, há mais de 17 anos, no segmento de Tecnologia da Informação no mercado brasileiro, sendo uma

Leia mais

A popularização e expansão do mercado de capitais. Diretoria de Desenvolvimento e Fomento de Negócios Maio/2010

A popularização e expansão do mercado de capitais. Diretoria de Desenvolvimento e Fomento de Negócios Maio/2010 A popularização e expansão do mercado de capitais Diretoria de Desenvolvimento e Fomento de Negócios Maio/2010 POPULARIZAÇÃO Objetivos dos Programas de Popularização Divulgar os segmentos de atuação da

Leia mais

ENCONTRO ANUAL DO PAEX

ENCONTRO ANUAL DO PAEX ENCONTRO ANUAL DO PAEX Sustentabilidade Financeira para a Competitividade Prof. Haroldo Mota 2007 O CONFORTO DE CURTO PRAZO Empresa Acomodada Ano 1 Ano 2 Ano 3 Ano 4 EBITDA 940 890 820 800 ( ) Var. NCG

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T14

Divulgação de Resultados 1T14 Divulgação de Resultados 1T14 A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity ( Fundos

Leia mais

O apoio do BNDES à Inovação por meio do Capital de Risco

O apoio do BNDES à Inovação por meio do Capital de Risco O apoio do BNDES à Inovação por meio do Capital de Risco CNI-MEI São Paulo, 19 de outubro de 2015 Agenda Atuação da BNDESPAR em Capital de Risco Participações diretas Participações por meio de Fundos de

Leia mais

DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DE FUNDOS IMOBILIÁRIOS NO BRASIL

DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DE FUNDOS IMOBILIÁRIOS NO BRASIL DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DE FUNDOS IMOBILIÁRIOS NO BRASIL Valdery Albuquerque 2ª Conferência Internacional de Crédito Imobiliário De 17 a 19 de março de 2010 Índice 1. Conceitos e Características

Leia mais

Divulgação de Resultados 2014

Divulgação de Resultados 2014 São Paulo - SP, 10 de Fevereiro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity

Leia mais

A BOVESPA E O MERCADO DE AÇÕES

A BOVESPA E O MERCADO DE AÇÕES A BOVESPA E O MERCADO DE AÇÕES 1 Mercado Financeiro 2 Sistema Financeiro Conjunto de instituições dedicadas a manter um fluxo de recursos dos poupadores para o investimento das empresas e gastos das famílias

Leia mais

SeminárioADI-2012. Inclusão financeira inovação para as MPE s

SeminárioADI-2012. Inclusão financeira inovação para as MPE s SeminárioADI-2012 Inclusão financeira inovação para as MPE s Guilherme Lacerda Diretor de Infraestrutura Social, Meio Ambiente, Agropecuária e Inclusão Social Barcelona Outubro 2012 1. Diagnóstico Não

Leia mais

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1T15

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1T15 Relações com Investidores DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1T15 Apresentação: José Rubens de la Rosa CEO José Antonio Valiati CFO & Diretor de Relações com Investidores Thiago Deiro Gerente Financeiro & de

Leia mais

Mercado de Capitais. Renda Variável. Mercado Primário de Ações. Mercado Primário - ETAPAS. Mercado Primário - ETAPAS

Mercado de Capitais. Renda Variável. Mercado Primário de Ações. Mercado Primário - ETAPAS. Mercado Primário - ETAPAS Mercado Primário de Ações Mercado de Capitais Renda Variável Mestrando: Paulo Jordão. 03/04/2012 Venda direta aos investidores através de ofertas públicas (IPOs) ou subscrição particular; Motivos: Expansão

Leia mais

Resultado 1T12. Resultados 2T12 / 1S12

Resultado 1T12. Resultados 2T12 / 1S12 Resultado 1T12 Resultados / 1S12 15 de agosto de 2012 Eventos Extraordinários Correção da Baixa de Inventário de Anos Anteriores (R$ 20,3 milhões) Destruição de Obsoletos (R$ 34,4 milhões) (+) (-) (-)

Leia mais

Por que abrir o capital?

Por que abrir o capital? Por que abrir capital? Por que abrir o capital? Vantagens e desafios de abrir o capital Roberto Faldini Fortaleza - Agosto de 2015 - PERFIL ABRASCA Associação Brasileira de Companhias Abertas associação

Leia mais

10 Anos de Transmissão das Reuniões APIMEC pela Internet

10 Anos de Transmissão das Reuniões APIMEC pela Internet Esta apresentação pode conter informações sobre eventos futuros. Tais informações não seriam apenas fatos históricos, mas refletiriam os desejos e as expectativas da direção da companhia. As palavras "antecipa",

Leia mais

4º PAINEL: INVESTIMENTO PRIVADO, INVESTIMENTO PÚBLICO E MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL

4º PAINEL: INVESTIMENTO PRIVADO, INVESTIMENTO PÚBLICO E MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL SEMINARIO FIESP REINDUSTRIALIZAÇÃO DO BRASIL: CHAVE PARA UM PROJETO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO 4º PAINEL: INVESTIMENTO PRIVADO, INVESTIMENTO PÚBLICO E MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL 26 agosto 2013 Carlos

Leia mais

A Retomada dos Investimentos e o Mercado de Capitais Instituto IBMEC 18.08.2015

A Retomada dos Investimentos e o Mercado de Capitais Instituto IBMEC 18.08.2015 A Retomada dos Investimentos e o Mercado de Capitais Instituto IBMEC 18.08.2015 A RETOMADA DOS INVESTIMENTOS E O MERCADO DE CAPITAIS Sumário I. O MERCADO DE TÍTULOS DE DÍVIDA PRIVADA NO BRASIL II. A AGENDA

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VIDA FELIZ FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 07.660.310/0001-81 OUTUBRO/2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VIDA FELIZ FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 07.660.310/0001-81 OUTUBRO/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Vida Feliz Fundo de Investimento em Ações. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

Agenda. A Companhia. Nossa Operação. 3 Nossa Performance Financeira

Agenda. A Companhia. Nossa Operação. 3 Nossa Performance Financeira APIMEC RIO Resultados do 1T12 Diretoria Econômico-Financeira e de Relações com Investidores Aviso Esta apresentação pode conter considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas

Leia mais

As principais alterações trazidas pela Instrução CVM 571 encontram-se resumidas abaixo.

As principais alterações trazidas pela Instrução CVM 571 encontram-se resumidas abaixo. MERCADO DE CAPITAIS 01/12/2015 CVM ALTERA INSTRUÇÃO QUE DISPÕE SOBRE A CONSTITUIÇÃO, A ADMINISTRAÇÃO, O FUNCIONAMENTO, A OFERTA PÚBLICA DE DISTRIBUIÇÃO E A DIVULGAÇÃO DOS FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO

Leia mais

Pesquisa APIMEC: Perfil do Analista e Profissional de Investimento

Pesquisa APIMEC: Perfil do Analista e Profissional de Investimento Pesquisa APIMEC: Perfil do Analista e Profissional de Investimento A APIMEC (Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais) divulga pesquisa realizada em seis filiais

Leia mais

XP Corporate Macaé - FII (XPCM11)

XP Corporate Macaé - FII (XPCM11) XP Corporate Macaé - FII (XPCM11) PERFIL DO FUNDO Os recursos do Fundo oriundos da 1ª Emissão de Cotas foram investidos na aquisição do Imóvel The Corporate em Macaé-RJ, de forma a proporcionar a seus

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 55.075.238/0001-78 SETEMBRO/2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 55.075.238/0001-78 SETEMBRO/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Spinelli Fundo de Investimento em Ações. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

FINANCIADORA DE ESTUDOS E PROJETOS - FINEP INCUBADORA DE FUNDOS INOVAR 9ª CHAMADA DE FUNDOS

FINANCIADORA DE ESTUDOS E PROJETOS - FINEP INCUBADORA DE FUNDOS INOVAR 9ª CHAMADA DE FUNDOS FINANCIADORA DE ESTUDOS E PROJETOS - FINEP INCUBADORA DE FUNDOS INOVAR 9ª CHAMADA DE FUNDOS 1. OBJETO A Financiadora de Estudos e Projetos, na qualidade de Secretaria Executiva da Incubadora de s INOVAR,

Leia mais

Tendências do Mercado de Capitais BM&FBOVESPA

Tendências do Mercado de Capitais BM&FBOVESPA Tendências do Mercado de Capitais BM&FBOVESPA Ago/215 Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno Público X AGENDA Opções de captação de recursos Histórico do mercado Tendências BM&FBOVESPA Confidencial

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T15

Divulgação de Resultados 3T15 São Paulo - SP, 4 de Novembro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

Programa de Estímulo ao Mercado de Capitais

Programa de Estímulo ao Mercado de Capitais Programa de Estímulo ao Mercado de Capitais Guido Mantega Ministro da Fazenda São Paulo, 16 de junho de 2014 1 Apresentação de medidas para: 1 VIABILIZAR a capitalização das empresas de porte médio 2 ATRAIR

Leia mais

Ativos de Base Imobiliária O Mercado de Capitais como fonte de recursos e alternativa de investimento. Maio 2015

Ativos de Base Imobiliária O Mercado de Capitais como fonte de recursos e alternativa de investimento. Maio 2015 Ativos de Base Imobiliária O Mercado de Capitais como fonte de recursos e alternativa de investimento. 1 Maio 2015 Seção 1 Panorama do Mercado Imobiliário Seção 2 Produtos Financeiros i de Base Imobiliária

Leia mais

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 3T14

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 3T14 Relações com Investidores DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 3T14 Apresentação: José Rubens de la Rosa CEO José Antonio Valiati CFO & Diretor de Relações com Investidores Thiago A. Deiro Gerente Financeiro &

Leia mais

Apresentação de Resultados 2T11

Apresentação de Resultados 2T11 Apresentação de Resultados 2T11 Aviso Legal Aviso Legal Encontra-se em curso a distribuição pública inicial primária e secundária de certificados de depósitos de ações ( Units ) de emissão da Abril Educação

Leia mais

FINANCIADORA DE ESTUDOS E PROJETOS - FINEP INCUBADORA DE FUNDOS INOVAR 10ª CHAMADA DE FUNDOS

FINANCIADORA DE ESTUDOS E PROJETOS - FINEP INCUBADORA DE FUNDOS INOVAR 10ª CHAMADA DE FUNDOS FINANCIADORA DE ESTUDOS E PROJETOS - FINEP INCUBADORA DE FUNDOS INOVAR 10ª CHAMADA DE FUNDOS 1. OBJETO A Financiadora de Estudos e Projetos, na qualidade de Secretaria Executiva da Incubadora de Fundos

Leia mais

Apresentação. Apresentação. Adesão ao Nível 1 de Governança Corporativa. Requisitos para Adesão ao Nível 1

Apresentação. Apresentação. Adesão ao Nível 1 de Governança Corporativa. Requisitos para Adesão ao Nível 1 Apresentação Apresentação Implantados em dezembro de 2000 pela Bolsa de Valores de São Paulo BOVESPA, o Novo Mercado e os Níveis Diferenciados de Governança Corporativa Nível 1 e Nível 2 são segmentos

Leia mais

Disclaimer. Advertências

Disclaimer. Advertências Disclaimer Advertências O investimento em ativos financeiros envolve riscos sobre os quais o investidor deve buscar informar-se lendo a documentação obrigatória referente a cada ativo. Fundos de investimento

Leia mais

Módulo V Fundos de Investimentos. De 13 a 15 Questões na prova (26% a 40%)

Módulo V Fundos de Investimentos. De 13 a 15 Questões na prova (26% a 40%) Módulo V Fundos de Investimentos De 13 a 15 Questões na prova (26% a 40%) 5 - Fundos de Investimentos Definições legais Tipos de Fundo Administração Documentos dos fundos Dinâmica de Aplicação e resgate

Leia mais

A visão do mercado de capitais

A visão do mercado de capitais IFRS Um Caminho Para Transparência Painel 1: Por que o IFRS é importante para o Brasil? A visão do mercado de capitais (30/04/2008) Agenda BOVESPA: visão geral Perfil das companhias listadas em bolsa Segmentos

Leia mais

Fundos de Investimento Imobiliário - FII

Fundos de Investimento Imobiliário - FII CONCEITO: Instrumento na forma de condomínio fechado, portanto não admitem resgate (saída a qualquer momento), para aplicação em empreendimentos imobiliários: Ativos imobiliários: propriedade direta de

Leia mais

OI S.A. (Atual denominação de Brasil Telecom S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures

OI S.A. (Atual denominação de Brasil Telecom S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures OI S.A. (Atual denominação de Brasil Telecom S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2013 Oi S.A. (atual denominação de BRASIL TELECOM S.A.) 8ª Emissão

Leia mais

Relações com Investidores. Thiago Almeida Ribeiro da Rocha

Relações com Investidores. Thiago Almeida Ribeiro da Rocha Relações com Investidores Thiago Almeida Ribeiro da Rocha I IBRI - Instituto Brasileiro de Relações com Investidores "...é uma associação sem fins econômicos,... criada em junho de 1997 com o objetivo

Leia mais

Novo Mercado: Gestão de Propriedades e Abertura de Capital

Novo Mercado: Gestão de Propriedades e Abertura de Capital Novo Mercado: Gestão de Propriedades e Abertura de Capital 2 Crescimento do Agronegócio Brasileiro Fluxo de caixa/custos Evolução da Gestão Vendas Futuras 90/00 Evolução de Comercialização Produtividade

Leia mais

BR INSURANCE CORRETORA DE SEGUROS S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1 TRIMESTRE DE 2016.

BR INSURANCE CORRETORA DE SEGUROS S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1 TRIMESTRE DE 2016. RELEASE DE RESULTADOS Relações com Investidores Marcelo Moojen Epperlein Diretor-Presidente e de Relações com Investidores (55 11) 3175-2900 ri@brinsurance.com.br Ana Carolina Pires Bastos Relações com

Leia mais

Setor real da economia

Setor real da economia * (*) nome de batismo a título de sugestão ao Governo Setor real da economia Educação, empreendedorismo, competitividade e acesso a capital de crescimento para PMEs Material para APIMEC: 3/4/2013 Investimento

Leia mais

Mercado de Títulos Ligados ao Setor Imobiliário para Fundos de Pensão

Mercado de Títulos Ligados ao Setor Imobiliário para Fundos de Pensão Mercado de Títulos Ligados ao Setor Imobiliário para Fundos de Pensão Marielle Brugnari dos Santos Gerência de Produtos Imobiliários Junho/20111 Desenvolvimento do Mercado Imobiliário Cédula de Crédito

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Disclaimer Nossas estimativas e declarações futuras têm por embasamento, em grande parte, expectativas atuais e projeções sobre eventos futuros e tendências financeiras que afetam

Leia mais

AS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA CORPORATIVA ADOTADAS EM IPOS REGISTRADOS NO BRASIL

AS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA CORPORATIVA ADOTADAS EM IPOS REGISTRADOS NO BRASIL ANEXO I AS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA CORPORATIVA ADOTADAS EM IPOS REGISTRADOS NO BRASIL (Proposta de linha de pesquisa em iniciação científica a ser desenvolvida em cooperação entre DIREITO GV e Souza, Cescon,

Leia mais

I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF

I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF 1 I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF 2 Crédito ainda em Expansão, mas Desacelerando 30,7% Crescimento do Crédito 15,1% 20,6% 18,8% 16,4% 14,7% 11,7% 2008

Leia mais

Resultados 4T12. Fevereiro, 2013

Resultados 4T12. Fevereiro, 2013 Resultados 4T12 Fevereiro, 2013 Principais destaques de 2012 Operacional Geração de energia 27% superior à garantia física e 3% acima da registrada em 2011 - Exposição ao mercado spot de 4,4% de setembro

Leia mais

Fundos de Investimento Imobiliário Workshop para jornalistas. Nov 2011

Fundos de Investimento Imobiliário Workshop para jornalistas. Nov 2011 Fundos de Investimento Imobiliário Workshop para jornalistas Nov 2011 Agenda 4 Definição 4 Tipos de Fundos 4 Vantagens 4 Base Legal 4 Tamanho da Indústria 4 Ambientes de Negociação 4 Liquidez / Precificação

Leia mais

Relatório Gerencial Abril 2016. Receita Imobiliária 763.982,82 PEUGEOT 96.554,65 PETROBRAS 667.428,17 RENDA FIXA 7.938,83. Receitas Totais 771.

Relatório Gerencial Abril 2016. Receita Imobiliária 763.982,82 PEUGEOT 96.554,65 PETROBRAS 667.428,17 RENDA FIXA 7.938,83. Receitas Totais 771. TRX Edifícios Corporativos XTED11 - FII Relatório Gerencial Abril 2016 DADOS DO FUNDO DATA DE INÍCIO Novembro/2012 PRAZO Indeterminado VALOR DE MERCADO R$ 38.142.000,00 VALOR PATRIMONIAL R$ 94.237.354,75

Leia mais

2ª Conferência de Investimentos Alternativos: FIDC, FII E FIP

2ª Conferência de Investimentos Alternativos: FIDC, FII E FIP 2ª Conferência de Investimentos Alternativos: FIDC, FII E FIP São Paulo, 21 de Agosto de 2013 Hotel Caesar Park Patrocínio Os Setores Mais Promissores Para Os Fundos Imobiliários/ Rodrigo Machado Apresentação

Leia mais

O Brasil Plural é um Grupo Financeiro fundado em 2009 que possui escritórios no Rio de Janeiro, São Paulo e Nova York. Nossos sócios possuem um amplo

O Brasil Plural é um Grupo Financeiro fundado em 2009 que possui escritórios no Rio de Janeiro, São Paulo e Nova York. Nossos sócios possuem um amplo O Brasil Plural é um Grupo Financeiro fundado em 2009 que possui escritórios no Rio de Janeiro, São Paulo e Nova York. Nossos sócios possuem um amplo histórico de sucesso no mercado de capitais brasileiro

Leia mais

INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA NO BRASIL

INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA NO BRASIL JANEO 2013 INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA NO BRASIL MEDIDA PROVISÓRIA 601/2012: BENEFÍCIOS FISCAIS DE FIDCS DE PROJETOS DE INVESTIMENTO (INCLUSIVE INFRAESTRUTURA) A. Introdução 1. A fim de aprimorar os

Leia mais

Apresentação de Resultados 2T11 10 de Agosto de 2011

Apresentação de Resultados 2T11 10 de Agosto de 2011 Apresentação de Resultados 2T11 10 de Agosto de 2011 Relações com Investidores Agenda 1. Destaques 2. Evolução das Receitas e Custos Hardware Software Serviços 3. Despesas e Margens 4. Investimentos e

Leia mais

Debêntures: Iniciativas para Aumento de Liquidez e Fomento ao Mercado Secundário

Debêntures: Iniciativas para Aumento de Liquidez e Fomento ao Mercado Secundário Debêntures: Iniciativas para Aumento de Liquidez e Fomento ao Mercado Secundário São Paulo 7 de agosto de 2014 O que são debêntures? Conceito: Títulos representativos de dívida, em geral de médio e longo

Leia mais

BTG Pactual XIII CEO Conference

BTG Pactual XIII CEO Conference BTG Pactual XIII CEO Conference Fevereiro 2012 Agenda Visão Geral Magazine Luiza Principais Eventos em 2011 Expectativas para 2012 2 Visão Geral Magazine Luiza Liderança de Mercado Uma das maiores redes

Leia mais

Resultados 1º Trimestre 2015 13.05. Rio de Janeiro, 13 de maio de 2015

Resultados 1º Trimestre 2015 13.05. Rio de Janeiro, 13 de maio de 2015 Resultados 1º Trimestre 2015 13.05 Rio de Janeiro, 13 de maio de 2015 RECEITA LÍQUIDA ATINGE R$ 68,5 MILHÕES NO 1T15, CRESCIMENTO DE 7,1% EM RELAÇÃO AO 1T14. EBITDA CONSOLIDADO ATINGE R$ 7,8 MILHÕES, QUEDA

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS - 2015. 31Mar, 2016

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS - 2015. 31Mar, 2016 APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS - 2015 31Mar, 2016 HIGHLIGHTS Resultados Balanço e Frota Principais Indicadores Receita de locação de R$ 34,3 MM em 2015, aumento de 9% em relação ao ano anterior. EBITDA recorrente

Leia mais

Curso Introdução ao Mercado de Ações

Curso Introdução ao Mercado de Ações Curso Introdução ao Mercado de Ações Módulo 1 www.tradernauta.com.br I - Sistema Financeiro Nacional CMN Conselho Monetário Nacional Min. Fazenda, Min. Planej., Pres. BaCen Banco Central Mercado Cambial,

Leia mais

Apresentação dos Resultados do 2T13

Apresentação dos Resultados do 2T13 Apresentação dos Resultados do 2T13 09 de agosto de 2013 Considerações Iniciais Esta apresentação pode conter certas declarações que expressam expectativas, crenças e previsões da administração sobre eventos

Leia mais

XP Corporate Macaé - FII (XPCM11)

XP Corporate Macaé - FII (XPCM11) XP Corporate Macaé - FII (XPCM11) PERFIL DO FUNDO Os recursos do Fundo oriundos da 1ª Emissão de Cotas foram investidos na aquisição do Imóvel The Corporate em Macaé-RJ, de forma a proporcionar a seus

Leia mais

CENTRO DE ESTUDOS DE MERCADO DE CAPITAIS CEMEC RELATÓRIO CEMEC MENSAL DE DESEMPENHO DA POUPANÇA FINANCEIRA. Junho

CENTRO DE ESTUDOS DE MERCADO DE CAPITAIS CEMEC RELATÓRIO CEMEC MENSAL DE DESEMPENHO DA POUPANÇA FINANCEIRA. Junho CENTRO DE ESTUDOS DE MERCADO DE CAPITAIS CEMEC CENTRO DE ESTUDOS DE MERCADO DE CAPITAIS RELATÓRIO CEMEC MENSAL DE DESEMPENHO DA POUPANÇA FINANCEIRA Junho 2011 ÍNDICE 1. Objetivo do Relatório... 3 2. Modelo

Leia mais

2ª Conferência de Investimentos Alternativos: FIDC, FII E FIP

2ª Conferência de Investimentos Alternativos: FIDC, FII E FIP 2ª Conferência de Investimentos Alternativos: FIDC, FII E FIP São Paulo, 21 de Agosto de 2013 Hotel Caesar Park Patrocínio Investimentos Alternativos 10 de Junho de 2.010 2ª. Conferência de Investimentos

Leia mais

Apresentação dos Resultados de 2T07. 15 de agosto de 2007

Apresentação dos Resultados de 2T07. 15 de agosto de 2007 Apresentação dos Resultados de 2T07 15 de agosto de 2007 1 Equipe da Cyrela Brazil Realty Diretor Presidente Elie Horn Diretor Financeiro e de Relações com Investidores Luis Largman Diretor de Controle

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas)

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Daniel de Andrade Gomes TELEFÔNICA

Leia mais

P e d r o W o n g t s c h o w s k i G r u p o U l t r a

P e d r o W o n g t s c h o w s k i G r u p o U l t r a 5º Diálogos da MEI Aprimoramento do Marco Legal de Inovação P e d r o W o n g t s c h o w s k i G r u p o U l t r a 1 110 105 100 95 90 85 Fonte: IBGE jan/13 fev/13 mar/13 Cenário Econômico abr/13 mai/13

Leia mais

ENTIDADES AUTO-REGULADORAS DO MERCADO ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO

ENTIDADES AUTO-REGULADORAS DO MERCADO ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO BM&FBOVESPA A BM&FBOVESPA é muito mais do que um espaço de negociação: lista empresas e fundos; realiza negociação de ações, títulos, contratos derivativos; divulga cotações; produz índices de mercado;

Leia mais

EM PAUTA MERCADO DE CAPITAIS ENTRA NA PAUTA DOS CANDIDATOS À

EM PAUTA MERCADO DE CAPITAIS ENTRA NA PAUTA DOS CANDIDATOS À MERCADO DE CAPITAIS ENTRA NA PAUTA DOS CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA 20 REVISTA RI Julho/Agosto 2014 DILMA ROUSSEFF, PT AÉCIO NEVES, PSDB EDUARDO CAMPOS, PSB Sem ampliar os investimentos na capacidade produtiva

Leia mais

A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11.

A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11. A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11. O Lucro Líquido do 1T09 (sem ajustes) apresentou queda de 1,4%

Leia mais

FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES E FUNDOS MULTIMERCADO

FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES E FUNDOS MULTIMERCADO I Curso de Férias do Grupo de Estudos de Direito Empresarial - Direito UFMG EM AÇÕES E FUNDOS MULTIMERCADO Fernanda Valle Versiani Mestranda em Direito Empresarial pela Universidade Federal de Minas Gerais,

Leia mais

Rumo à abertura de capital Percepções das empresas emergentes sobre os entraves e benefícios

Rumo à abertura de capital Percepções das empresas emergentes sobre os entraves e benefícios Rumo à abertura de capital Percepções das empresas emergentes sobre os entraves e benefícios Pesquisa 2013 Índice Pontos de partida As empresas emergentes e o mercado de capitais no Brasil... 4 Metodologia

Leia mais

Bovespa Mais: pavimentando o caminho das futuras blue chips do mercado acionário

Bovespa Mais: pavimentando o caminho das futuras blue chips do mercado acionário Bovespa Mais: pavimentando o caminho das futuras blue chips do mercado acionário O Bovespa Mais é um dos segmentos especiais de listagem administrados pela Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros (BM&FBOVESPA)

Leia mais

VALORA GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA

VALORA GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA MANUAL DE GERENCIAMENTO DE LIQUIDEZ VALORA GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA Elaborado pelo Oficial de Compliance: Misak Pessoa Neto Data: 25/01/2016 Versão: 1.3 1 Sumário 1. Objetivo... 3 2. Princípios Gerais...

Leia mais

Material Explicativo sobre Fundo de Investimento Imobiliário (FII)

Material Explicativo sobre Fundo de Investimento Imobiliário (FII) Material Explicativo sobre Fundo de Investimento Imobiliário (FII) 1. Definições Gerais Os Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs) são veículos de investimento que agrupam investidores com o objetivo

Leia mais

Tendência e Desafios: Mercado de ETFs no Brasil. Itaú Asset Management - Maio de 2011

Tendência e Desafios: Mercado de ETFs no Brasil. Itaú Asset Management - Maio de 2011 Tendência e Desafios: Mercado de ETFs no Brasil Itaú Asset Management - Maio de 2011 Demanda por ETFs nos EUA 4 Ingresso em ETFs acelerou na última década. Investidores Institucionais: conveniência nas

Leia mais

Horizontes do Mercado de Capitais no Brasil. Edemir Pinto

Horizontes do Mercado de Capitais no Brasil. Edemir Pinto Horizontes do Mercado de Capitais no Brasil Edemir Pinto 1 Representatividade da bolsa no mundo Maior bolsa de ações e derivativos da América Latina 3ª maior bolsa listada do mundo (24/out/11): US$ 11,7

Leia mais

TV por Assinatura. Telefonia Fixa. Banda Larga. Respeito

TV por Assinatura. Telefonia Fixa. Banda Larga. Respeito Banda Larga TV por Assinatura Telefonia Fixa Respeito APIMEC RIO Rio de Janeiro, 22 de Novembro de 2013 A GVT é uma empresa autorizada pela Anatel a prestar serviços em todo o país A GVT tem licença STFC

Leia mais

BNDESPAR INGRESSA NO CAPITAL SOCIAL DA RENOVA ENERGIA

BNDESPAR INGRESSA NO CAPITAL SOCIAL DA RENOVA ENERGIA BNDESPAR INGRESSA NO CAPITAL SOCIAL DA RENOVA ENERGIA Por meio de um investimento estratégico de até R$314,7 milhões, a BNDESPAR ingressa no capital social da Renova Energia. Parceria de Longo Prazo A

Leia mais

Diretrizes de Governança Corporativa

Diretrizes de Governança Corporativa Diretrizes de Governança Corporativa DIRETRIZES DE GOVERNANÇA CORPORATIVA DA BM&FBOVESPA Objetivo do documento: Apresentar, em linguagem simples e de forma concisa, o modelo de governança corporativa da

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO COM FOCO EM TÍTULOS DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ESTRUTURADO REIT RIVIERA FII

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO COM FOCO EM TÍTULOS DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ESTRUTURADO REIT RIVIERA FII FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO COM FOCO EM TÍTULOS DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ESTRUTURADO REIT RIVIERA FII Crédito lastreado em imóveis, alta rentabilidade e fluxo de caixa constante, com a solidez do concreto.

Leia mais

DESTAQUES DO PERÍODO (2T11)

DESTAQUES DO PERÍODO (2T11) QUALICORP REGISTRA CRESCIMENTO DO TRIMESTRE NO NÚMERO DE BENEFICIÁRIOS DE 18,5%, RECEITA LÍQUIDA DE 43,9%, EBITDA AJUSTADO DE 36,6% EM RELAÇÃO AO 2T10 1 São Paulo, 12 de agosto de 2011. A QUALICORP S.A.

Leia mais

Fundos Garantidores de Risco de Crédito para Micro, Pequenas e Médias Empresas e em Operações de Crédito Educativo

Fundos Garantidores de Risco de Crédito para Micro, Pequenas e Médias Empresas e em Operações de Crédito Educativo Fundos res de Risco de Crédito para Micro, Pequenas e Médias Empresas e em Operações de Crédito Educativo A Lei nº 12.087, de 11 de novembro de 2009, autorizou a União a adquirir cotas, até o limite de

Leia mais