Introdução. introdução. tópicos. referência. INF1005 Programação I Prof. Hélio Lopes 8/14/13

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Introdução. introdução. tópicos. referência. INF1005 Programação I Prof. Hélio Lopes 8/14/13"

Transcrição

1 Introdução INF005 Programação I Prof. Hélio Lopes sala 408 RDC introdução tópicos modelo de computador o que é um programa um programa na memória decifrando um código referência Capítulo da apostila

2 modelo de um computador hardware - componentes físicos software - programas computador hipotético memória posições com endereços 0 a n registrador (register) armazena resultado de operação instruções endereço 0 register conteúdo (valor) instrução read pos write pos storeconst num pos add pos pos sub pos pos mul pos pos div pos pos store pos descrição lê um número do teclado e grava-o no endereço pos escreve na tela o número que está em pos grava número num em pos calcula pos + pos e grava resultado em register calcula pos - pos e grava resultado em register calcula pos pos e grava resultado em register calcula pos / pos e grava resultado em register grava o número que está em register em pos

3 da soma de.5 mais um número lido do teclado read 0 storeconst.5 add 0 store write variáveis valor, valor, valor início leia valor valor =.5 valor = valor + valor escreva valor fim EX. 0 da soma de.5 mais um número lido do teclado. read 0. storeconst.5. add 0 4. store 5. write read 0 storeconst.5 add 0 store > end. val. end. val. end. val. end reg. reg. reg. reg. val. write >

4 da soma de.5 mais um número lido do teclado. read 0. storeconst.5. add 0 4. store 5. write read 0 storeconst.5 add 0 store > end. val. end. val. end. val. end. val.???????????????????????????????????? reg.??? reg.??? reg.??? reg.??? write > da soma de.5 mais um número lido do teclado. read 0. storeconst.5. add 0 4. store 5. write Suponha que o usuário digite o valor. read 0 storeconst.5 add 0 store > end. val. end. val. end. val. end. val.???????????????????????????????????? reg.??? reg.??? reg.??? reg.??? write > 4

5 da soma de.5 mais um número lido do teclado. read 0. storeconst.5. add 0 4. store 5. write read 0 storeconst.5 add 0 store > end. val. end. val. end. val. end. val.???????????????????????????????????? reg.??? reg.??? reg.??? reg.??? write > da soma de.5 mais um número lido do teclado. read 0. storeconst.5. add 0 4. store 5. write read 0 storeconst.5 add 0 store > end. val. end. val. end. val. end. val.???????????????????????????????????? reg.??? reg.??? reg.??? reg.??? write > 5

6 da soma de.5 mais um número lido do teclado. read 0. storeconst.5. add 0 4. store 5. write read 0 storeconst.5 add 0 store > end. val. end. val. end. val. end. val.???????????????????????????????????? reg.??? reg.??? reg.??? reg.??? write > da soma de.5 mais um número lido do teclado. read 0. storeconst.5. add 0 4. store 5. write read 0 storeconst.5 add 0 store > end. val. end. val. end. val. end. val.??????????????????????????? reg.??? reg.??? reg.??? reg.??? write > 6

7 da soma de.5 mais um número lido do teclado. read 0. storeconst.5. add 0 4. store 5. write read 0 storeconst.5 add 0 store > end. val. end. val. end. val. end. val.??????????????????????????? reg.??? reg.??? reg.??? reg.??? write > da soma de.5 mais um número lido do teclado. read 0. storeconst.5. add 0 4. store 5. write read 0 storeconst.5 add 0 store > end. val. end. val. end. val. end. val.??????????????????????????? reg.??? reg.??? reg. 5.5 reg. 5.5 write > 7

8 da soma de.5 mais um número lido do teclado. read 0. storeconst.5. add 0 4. store 5. write read 0 storeconst.5 add 0 store > end. val. end. val. end. val. end. val.??????????????????????????? reg.??? reg.??? reg. 5.5 reg. 5.5 write > da soma de.5 mais um número lido do teclado. read 0. storeconst.5. add 0 4. store 5. write read 0 storeconst.5 add 0 store > end. val. end. val. end. val. end. val.????????????????????? 5.5??? reg.??? reg.??? reg. 5.5 reg. 5.5 write > 8

9 da soma de.5 mais um número lido do teclado. read 0. storeconst.5. add 0 4. store 5. write read 0 storeconst.5 add 0 store > end. val. end. val. end. val. end. val.????????????????????? 5.5??? reg.??? reg.??? reg. 5.5 reg. 5.5 write > da soma de.5 mais um número lido do teclado. read 0. storeconst.5. add 0 4. store 5. write read 0 storeconst.5 add 0 store > end. val. end. val. end. val. end. val.????????????????????? 5.5??? reg.??? reg.??? reg. 5.5 reg. 5.5 write > 5.5 9

10 dúvidas? EX. 0 da soma de.5 mais um número lido do teclado Programa visto anteriormente: read 0 storeconst.5 add 0 store write Este programa também funciona? read 0 storeconst.5 add 0 store 0 write 0 Este programa também funciona? read 0 storeconst.5 add 0 store 0 write sim não sim não 0

11 Como fica um programa na memória? Suponha que, no nosso computador hipotético: cada posição de memória tem 8 subseções cada subseção pode armazenar um algarismo de 0 a 9 Como representar um número inteiro? 0 é representado por considerando apenas inteiros positivos, o maior número seria: Como fica um programa na memória? Como representar um número negativo? reservando uma subseção para o sinal (por exemplo, a primeira) S se 0 indica positivo e indica negativo, temos: - representado por -457 representado por

12 Como fica um programa na memória? Como representar um número fracionário? reservando subseções para (ponto fixo): sinal parte inteira S I I I I parte fracionária segundo essa convenção: é representado por F F F Qual é o maior inteiro que poderíamos representar utilizando essa convenção? E o menor inteiro positivo? Como fica um programa na memória? Como representar um número fracionário? assumindo a seguinte notação científica: = x0 reservando subseções para (ponto flutuante): mantissa (com sinal) Ms M M M M expoente (com sinal) segundo essa convenção: Es E E é representado por Qual é o maior número? E o menor positivo?

13 Como fica um programa na memória? E se o número não couber? x : overflow.975: perda de precisão Como fica um programa na memória? Como representar instruções? associando um código a cada instrução read: 0; write: ; storeconst: ; add: ; sub: 4; mul: 5; div: 6; store: 7 dependendo da instrução, os valores seguintes indicam parâmetros read pos; write pos; storeconst val pos; add pos pos; ; store pos read 0 storeconst.5 add 0 store write # código de 'read' : 0 # # código de 'storeconst' : #.5 (valor real) # # código de 'add' : # # # código de 'store' : # # código de 'write' : #

14 dúvidas? decifrando o código EX. 0 Considerando a representação numérica e o código utilizado, o que faz o programa a seguir? read: 0; write: ; storeconst: ; add: ; sub: 4; mul: 5; div: 6; store: código equivalente descrição em português memória a cada passo end P P P P4 P5 P6 P7 0 reg 4

15 decifrando o código EX. 04 Considerando a representação numérica e o código utilizado, o que faz o programa a seguir? read: 0; write: ; storeconst: ; add: ; sub: 4; mul: 5; div: 6; store: código equivalente descrição em português memória a cada passo end P P P P4 P5 P6 P7 0 reg dúvidas? Prof. Hélio Lopes sala 408 RDC 5

Introdução. introdução. tópicos. referência. INF1005 Programação I Prof. Hélio Lopes 8/7/12

Introdução. introdução. tópicos. referência. INF1005 Programação I Prof. Hélio Lopes 8/7/12 Introdução INF005 Programação I Prof. Hélio Lopes lopes@inf.puc-rio.br sala 408 RDC introdução tópicos modelo de computador o que é um programa um programa na memória decifrando um código referência Capítulo

Leia mais

Introdução. INF1005 Programação I 33K Prof. Gustavo Moreira gmoreira@inf.puc-rio.br

Introdução. INF1005 Programação I 33K Prof. Gustavo Moreira gmoreira@inf.puc-rio.br Introdução INF1005 Programação I 33K Prof. Gustavo Moreira gmoreira@inf.puc-rio.br introdução Tópicos conceitos básicos o que é um programa um programa na memória decifrando um código referência Capítulo

Leia mais

INF1004 e INF1005: Programação 1. Introdução à Programação

INF1004 e INF1005: Programação 1. Introdução à Programação INF1004 e INF1005: Programação 1 Introdução à Programação Tópicos Principais Modelo de um Computador Um computador hipotético Ciclo de Desenvolvimento Modelo de um Computador Modelo de um Computador A

Leia mais

A FÓRMULA DE CONVERSÃO ENTRE AS UNIDADES É: F = 1.8 C + 32.0

A FÓRMULA DE CONVERSÃO ENTRE AS UNIDADES É: F = 1.8 C + 32.0 UTILIZANDO NOSSA MÁQUINA HIPOTÉTICA VAMOS CONSTRUIR UM PROGRAMA PARA CONVERTER VALORES DE UMA UNIDADE PARA OUTRA. O NOSSO PROGRAMA RECEBE UM VALOR NUMÉRICO QUE CORRESPONDE A UMA TEMPERATURA EM GRAUS CELSIUS

Leia mais

INF A: Introdução à programação

INF A: Introdução à programação INF1025.33A: Introdução à programação Aula 0: Aula inaugural Guilherme F. Lima Dep. Informática, PUC-Rio 2017.2 Sumário 1. Apresentação da disciplina 2. Algoritmos e computadores 3. HIP: Um computador

Leia mais

ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES A UNIDADE LÓGICA ARITMÉTICA E AS INSTRUÇÕES EM LINGUAGEM DE MÁQUINA

ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES A UNIDADE LÓGICA ARITMÉTICA E AS INSTRUÇÕES EM LINGUAGEM DE MÁQUINA ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES A UNIDADE LÓGICA ARITMÉTICA E AS INSTRUÇÕES EM LINGUAGEM DE MÁQUINA Prof. Msc. Tiago Alves de Oliveira Objetivos Conhecer o processador Compreender os registradores

Leia mais

ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES A UNIDADE LÓGICA ARITMÉTICA E AS INSTRUÇÕES EM LINGUAGEM DE MÁQUINA

ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES A UNIDADE LÓGICA ARITMÉTICA E AS INSTRUÇÕES EM LINGUAGEM DE MÁQUINA ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES A UNIDADE LÓGICA ARITMÉTICA E AS INSTRUÇÕES EM LINGUAGEM DE MÁQUINA Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-2 Objetivos Conhecer o processador Compreender os registradores

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Organização de Computadores ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Curso: Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação Ano: 2011 Instrução Precisam ser entendidas pelo processador Precisam ser decodificadas e

Leia mais

ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES A UNIDADE LÓGICA ARITMÉTICA E AS INSTRUÇÕES EM LINGUAGEM DE MÁQUINA

ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES A UNIDADE LÓGICA ARITMÉTICA E AS INSTRUÇÕES EM LINGUAGEM DE MÁQUINA ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES A UNIDADE LÓGICA ARITMÉTICA E AS INSTRUÇÕES EM LINGUAGEM DE MÁQUINA Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Objetivos Conhecer o processador Compreender os registradores

Leia mais

Arquiteturas de Computadores

Arquiteturas de Computadores Arquiteturas de Computadores Implementação de IPS multiciclo Fontes dos slides: Patterson & Hennessy book website (copyright organ Kaufmann) e Dr. Sumanta Guha Problemas de projeto monociclo Assumindo

Leia mais

Componentes do Computador

Componentes do Computador Escola de Ciências e Tecnologia UFRN Componentes do Computador Prof. Aquiles Burlamaqui ECT1103 INFORMÁTICA FUNDAMENTAL Manter o telefone celular sempre desligado/silencioso quando estiver em sala de aula;

Leia mais

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PARA ENGENHARIA INTRODUÇÃO À ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PARA ENGENHARIA INTRODUÇÃO À ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PARA ENGENHARIA INTRODUÇÃO À ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Prof. Dr. Daniel Caetano 2011-2 Visão Geral 1 2 3 4 O Computador A Memória Principal A Linguagem do Computador Os Dados e

Leia mais

INFORMÁTICA PARA ENGENHARIA INTRODUÇÃO À ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES. Prof. Dr. Daniel Caetano

INFORMÁTICA PARA ENGENHARIA INTRODUÇÃO À ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES. Prof. Dr. Daniel Caetano INFORMÁTICA PARA ENGENHARIA INTRODUÇÃO À ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Prof. Dr. Daniel Caetano 2018-2 Objetivos Apresentar o funcionamento do computador Apresentar a função da memória e dispositivos de

Leia mais

CMP Algoritmos Algoritmos Parte I. Professor Vicente Paulo de Camargo

CMP Algoritmos Algoritmos Parte I. Professor Vicente Paulo de Camargo CMP1044 - Algoritmos Professor Vicente Paulo de Camargo Variáveis Uma variável é um local na memória principal (RAM) Ou seja, é um endereço na memória do computador o qual armazena um conteúdo Cada variável

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. Representação e aritmética binária

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. Representação e aritmética binária Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação Representação e aritmética binária Prof. Renato Pimentel 1 Tipos de informação Representação por meio de sequências binárias: 8 bits (byte) Também

Leia mais

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO INTRODUÇÃO À ORGANIZAÇÃO PARA ENGENHARIA DE COMPUTADORES. Prof. Dr. Daniel Caetano

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO INTRODUÇÃO À ORGANIZAÇÃO PARA ENGENHARIA DE COMPUTADORES. Prof. Dr. Daniel Caetano LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PARA ENGENHARIA INTRODUÇÃO À ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Prof. Dr. Daniel Caetano 2018-1 Objetivos Apresentar o funcionamento do computador Apresentar a função da memória e dispositivos

Leia mais

Métodos Numéricos Erros Ponto Flutuante. Professor Volmir Eugênio Wilhelm Professora Mariana Kleina

Métodos Numéricos Erros Ponto Flutuante. Professor Volmir Eugênio Wilhelm Professora Mariana Kleina Métodos Numéricos Erros Ponto Flutuante Professor Volmir Eugênio Wilhelm Professora Mariana Kleina Representação Numérica O conjunto dos números representáveis em qualquer máquina é finito, e portanto

Leia mais

Organização de Computadores I

Organização de Computadores I Organização de Computadores I Aula 6 Material: Diego Passos http://www.ic.uff.br/~debora/orgcomp/pdf/parte6.html Organização de Computadores I Aula 6 1/17 Tópicos Representação de números não-inteiros.

Leia mais

CÁLCULO NUMÉRICO. Profa. Dra. Yara de Souza Tadano

CÁLCULO NUMÉRICO. Profa. Dra. Yara de Souza Tadano CÁLCULO NUMÉRICO Profa. Dra. Yara de Souza Tadano yaratadano@utfpr.edu.br Aula 4 03/2014 Sistemas Numéricos Algarismos Significativos Os algarismos significativos de um número são aqueles que podem ser

Leia mais

Arquitetura de Computadores Conceitos Fundamentais. Graduação em Engenharia Elétrica - UFPR Prof. Carlos Marcelo Pedroso 2016

Arquitetura de Computadores Conceitos Fundamentais. Graduação em Engenharia Elétrica - UFPR Prof. Carlos Marcelo Pedroso 2016 Arquitetura de Computadores Conceitos Fundamentais Graduação em Engenharia Elétrica - UFPR Prof. Carlos Marcelo Pedroso 2016 Um Computador Muito Simples CPU UC ULA A B PC IR FLAGS SP CS DS SS... 0A 09

Leia mais

TP062-Métodos Numéricos para Engenharia de Produção Erros-Ponto Flutuante

TP062-Métodos Numéricos para Engenharia de Produção Erros-Ponto Flutuante TP062-Métodos Numéricos para Engenharia de Produção Erros-Ponto Flutuante Prof. Volmir Wilhelm Curitiba, 2015 Representação Numérica No sistema decimal X (10) = d 3 d 2 d 1 d 0 (número inteiro de 4 dígitos)

Leia mais

Arquitetura de Computadores Aula 10 - Processadores

Arquitetura de Computadores Aula 10 - Processadores Arquitetura de Computadores Aula 10 - Processadores Prof. Dr. Eng. Fred Sauer http://www.fredsauer.com.br fsauer@gmail.com 1/21 TÓPICOS ORGANIZAÇÃO COMPONENTES BÁSICOS INSTRUÇÃO DE MÁQUINA CICLO DE INSTRUÇÃO

Leia mais

Programação de Computadores:

Programação de Computadores: Instituto de C Programação de Computadores: Introdução a Linguagens de Programação Luis Martí Instituto de Computação Universidade Federal Fluminense lmarti@ic.uff.br - http://lmarti.com Seis Camadas Problema

Leia mais

3/14/2012. Programação de Computadores O Computador. Memória Principal representação binária

3/14/2012. Programação de Computadores O Computador. Memória Principal representação binária Programação de Computadores O Computador Memória Principal representação binária Prof. Helton Fábio de Matos hfmatos@dcc.ufmg.br Agenda Memória principal. Memória secundária. O que são bytes e bits. Tecnologias

Leia mais

Conjunto de Instruções

Conjunto de Instruções Conjunto de Instruções IFBA Instituto Federal de Educ. Ciencia e Tec Bahia Curso de Analise e Desenvolvimento de Sistemas Arquitetura de Computadores 20 e 21/30 Prof. Msc. Antonio Carlos Souza Referências

Leia mais

Aproximações e Erros

Aproximações e Erros Aproximações e Erros Lucia Catabriga e Andréa Maria Pedrosa Valli Laboratório de Computação de Alto Desempenho (LCAD) Departamento de Informática Universidade Federal do Espírito Santo - UFES, Vitória,

Leia mais

Aula 14 Funcionamento de Processadores (Visão específica)

Aula 14 Funcionamento de Processadores (Visão específica) Aula 14 Funcionamento de Processadores (Visão específica) Com base nas aulas de Prof. José Delgado (autorizado) Anderson L. S. Moreira anderson.moreira@recife.ifpe.edu.br http://dase.ifpe.edu.br/~alsm

Leia mais

Fábio Rodrigues / Israel Lucania

Fábio Rodrigues / Israel Lucania Fábio Rodrigues / Israel Lucania Variável é um local na memória principal, isto é, um endereço que armazena um conteúdo. Em linguagem de alto nível nos é permitido dar nomes a esse endereço, facilitando

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I

Organização e Arquitetura de Computadores I Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Organização e Arquitetura de Computadores I Conceitos BásicosB (Parte II) Prof

Leia mais

Computação L. Apresentação da Disciplina e Conceitos Básicos de Computadores

Computação L. Apresentação da Disciplina e Conceitos Básicos de Computadores Computação L Apresentação da Disciplina e Conceitos Básicos de Computadores Tópicos da Aula Conceitos básicos de computação Componentes de um computador Como os diferentes componentes interagem Representação

Leia mais

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO Prof. Breno Leonardo G. de M. Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO 1 Tipos de dados Inteiro São os números pertencentes ao conjunto dos Inteiros, isto é, que

Leia mais

Cálculo Numérico. Conjunto de métodos utilizados para a obtenção de resultados de problemas matemáticos através de aproximações.

Cálculo Numérico. Conjunto de métodos utilizados para a obtenção de resultados de problemas matemáticos através de aproximações. CÁLCULO NUMÉRICO Cálculo Numérico Conjunto de métodos utilizados para a obtenção de resultados de problemas matemáticos através de aproximações Problema Físico Modelo Matemático Solução Cálculo Numérico

Leia mais

INF 1005 Programação I - Prof. Hélio Lopes 24/04/2012

INF 1005 Programação I - Prof. Hélio Lopes 24/04/2012 Vetores (Arrays) IF1005 Programação I Prof. Hélio Lopes lopes@inf.puc-rio.br sala 408 RDC 1 vetores tópicos definição declaração e inicialização vetores locais a funções passagem de vetores como parâmetros

Leia mais

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO Modificadores de Tipos Os tipos de dados básicos em C podem estar acompanhados por modificadores na declaração de variáveis. Tais modificadores

Leia mais

Infraestrutura de Hardware. Implementação Monociclo de um Processador Simples

Infraestrutura de Hardware. Implementação Monociclo de um Processador Simples Infraestrutura de Hardware Implementação Monociclo de um Processador Simples Componentes de um Computador Unid. Controle Controle Memória Registradores PC MAR IR AC Programa + Dados Instrução Endereço

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES

ARQUITETURA DE COMPUTADORES Representação de Dados Professor: Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiro@faciplac.edu.br 1 Ao longo dos anos, muitos padrões e convenções foram estabelecidas para determinar certos aspectos da

Leia mais

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PARA ENGENHARIA INTRODUÇÃO À ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PARA ENGENHARIA INTRODUÇÃO À ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PARA ENGENHARIA INTRODUÇÃO À ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Prof. Dr. Daniel Caetano 2013-1 Objetivos Apresentar o funcionamento do computador Apresentar a função da memória e dos dispositivos

Leia mais

Métodos Numéricos - Notas de Aula

Métodos Numéricos - Notas de Aula Métodos Numéricos - Notas de Aula Prof a Olga Regina Bellon Junho 2007 1. Representação de números reais 1.1. Introdução Cálculo Numérico X Método Numérico CI202 - Métodos Numéricos 1 1. Representação

Leia mais

SSC0611 Arquitetura de Computadores

SSC0611 Arquitetura de Computadores SSC0611 Arquitetura de Computadores 8ª Aula Profa. Sarita Mazzini Bruschi sarita@icmc.usp.br Estágios para execução da instrução: A instrução LOAD é a mais longa Todas as instruções seguem ao menos os

Leia mais

Prof. Leonardo Augusto Casillo

Prof. Leonardo Augusto Casillo UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Aula 2 Estrutura de um processador Prof. Leonardo Augusto Casillo Arquitetura de Von Neumann: Conceito de programa armazenado; Dados

Leia mais

Infraestrutura de Hardware. Implementação Multiciclo de um Processador Simples

Infraestrutura de Hardware. Implementação Multiciclo de um Processador Simples Infraestrutura de Hardware Implementação Multiciclo de um Processador Simples Perguntas que Devem ser Respondidas ao Final do Curso Como um programa escrito em uma linguagem de alto nível é entendido e

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I

Organização e Arquitetura de Computadores I Organização e Arquitetura de Computadores I Conjunto de Instruções Slide 1 Sumário Características de Instruções de Máquina Tipos de Operandos Tipos de Operações Linguagem de Montagem Slide 2 Características

Leia mais

Linguagem C: Introdução

Linguagem C: Introdução Linguagem C: Introdução Linguagem C É uma Linguagem de programação genérica que é utilizada para a criação de programas diversos como: Processadores de texto Planilhas eletrônicas Sistemas operacionais

Leia mais

Cap. 2 Expressões na linguagem C

Cap. 2 Expressões na linguagem C Programação de Computadores II Cap. 2 Expressões na linguagem C Livro: Waldemar Celes, Renato Cerqueira, José Lucas Rangel. Introdução a Estruturas de Dados, Editora Campus (24) Slides adaptados dos originais

Leia mais

1. Converta para a base binária, usando o método das divisões sucessivas, os seguintes números inteiros: a) 13 b) 35.

1. Converta para a base binária, usando o método das divisões sucessivas, os seguintes números inteiros: a) 13 b) 35. Computação Científica Folha Prática Computação Numérica 1. Converta para a base binária, usando o método das divisões sucessivas, os seguintes números inteiros: a) 13 b) 35 c) 192 d) 255 e) 347 f) 513

Leia mais

Sistemas Operacionais e Introdução à Programação. Módulo 1 Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais e Introdução à Programação. Módulo 1 Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais e Introdução à Programação Módulo 1 Sistemas Operacionais 1 Competências: SOP 1. Compreender as abstrações de um sistema operacional e operar um sistema operacional Unix/Linux como

Leia mais

ELETRÔNICA DIGITAL I

ELETRÔNICA DIGITAL I ELETRÔNICA DIGITAL I Parte 2 Aritmética Digital Professor Dr. Michael Klug 1 Sistema Decimal: Sistema Binário: Adição Binária carry 1 472 246 718 A B S C 0 0 0 0 0 1 1 0 1 0 1 0 1 1 0 1 S=AB C=carry 2

Leia mais

Estrutura de Dados Conceitos Iniciais

Estrutura de Dados Conceitos Iniciais Engenharia de CONTROLE e AUTOMAÇÃO Estrutura de Dados Conceitos Iniciais Aula 01 DPEE 1038 Estrutura de Dados para Automação Curso de Engenharia de Controle e Automação Universidade Federal de Santa Maria

Leia mais

Tópicos de hoje: Cap. 2 Expressões na linguagem C. Bits, Bytes e Palavras. Variáveis e Constantes. Números inteiros num Byte

Tópicos de hoje: Cap. 2 Expressões na linguagem C. Bits, Bytes e Palavras. Variáveis e Constantes. Números inteiros num Byte Tópicos de hoje: Programação de Computadores II Cap. Expressões na linguagem C Bits, s e Palavras Variáveis e constantes Operadores e expressões Livro: Waldemar Celes, Renato Cerqueira, José Lucas Rangel.

Leia mais

Cálculo Numérico. Erros em processamento Numéricos

Cálculo Numérico. Erros em processamento Numéricos Cálculo Numérico Erros em processamento Numéricos Agenda Introdução a Erros Mudança de Base Erros de representação Erro de arredondamento Erro de absoluto Erro relativo Erro de truncamento Propagação do

Leia mais

REPRESENTAÇÃO DE DADOS. Prof. Maicon A. Sartin

REPRESENTAÇÃO DE DADOS. Prof. Maicon A. Sartin REPRESENTAÇÃO DE DADOS Prof. Maicon A. Sartin mapsartin@gmail.com Representação de Dados Sumário Introdução a Representação de Dados Complemento a 1 Aritmética em C1 Complemento a 2 Aritmética em C2 Aritmética

Leia mais

Introdução à Programação

Introdução à Programação Programação de Computadores Introdução à Programação Prof. Helton Fábio de Matos hfmatos@dcc.ufmg.br Agenda Algoritmo & Programa Variáveis Declaração de tipos Comando de entrada ou de leitura Comando de

Leia mais

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões.

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. 1 Estruturas da linguagem C 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. Identificadores Os identificadores seguem a duas regras: 1. Devem ser começados por letras

Leia mais

2. E presse cada um dos seguintes números inteiros decimais na representação sinal e magnitude e complemento a 2, utilizando 8 bits Resposta:

2. E presse cada um dos seguintes números inteiros decimais na representação sinal e magnitude e complemento a 2, utilizando 8 bits Resposta: UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE COMPUTAÇÃO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Fundamentos de Arquiteturas de Computadores Turma :A1 Lista 1 Profa.: Simone Martins 1. Efetue as seguintes

Leia mais

ARQUITECTURA DE COMPUTADORES

ARQUITECTURA DE COMPUTADORES ARQUITECTURA DE COMPUTADORES CAPÍTULO III AULA I, II e III Abril 2014 Índice Aritmética para computadores Intro Adição e subtração Multiplicação Divisão Virgula Flutuante Virgula Flutuante - aritmética

Leia mais

3. Linguagem de Programação C

3. Linguagem de Programação C Introdução à Computação I IBM1006 3. Linguagem de Programação C Prof. Renato Tinós Departamento de Computação e Matemática (FFCLRP/USP) 1 Principais Tópicos 3.2. Estrutura de Programas e Representação

Leia mais

Representação da Informação no Computador

Representação da Informação no Computador Escola de Ciências e Tecnologia UFRN Representação da Informação no Computador Prof. Aquiles Burlamaqui Nélio Cacho Luiz Eduardo Eduardo Aranha ECT3 INFORMÁTICA FUNDAMENTAL Manter o telefone celular sempre

Leia mais

SSC0112 Organização de Computadores Digitais I

SSC0112 Organização de Computadores Digitais I SSC0112 Organização de Computadores Digitais I 3ª Aula Visão Geral e Conceitos Básicos Profa. Sarita Mazzini Bruschi sarita@icmc.usp.br Copyright William Stallings & Adrian J Pullin Tradução, revisão e

Leia mais

Linguagem de Maquina II. Visão Geral

Linguagem de Maquina II. Visão Geral Linguagem de Maquina II Visão Geral Revisão A linguagem de máquina é composta de seqüências binárias (1's e 0's) São interpretadas como instruções pelo hardware A linguagem de montagem e a linguagem de

Leia mais

Programação de Computadores IV. Introdução a Linguagens de Programação Simone Martins SLIDES CEDIDOS POR BRUNO MARQUES 1

Programação de Computadores IV. Introdução a Linguagens de Programação Simone Martins SLIDES CEDIDOS POR BRUNO MARQUES 1 Programação de Computadores IV Introdução a Linguagens de Programação Simone Martins simone@ic.uff.br SLIDES CEDIDOS POR BRUNO MARQUES 1 Arquitetura de programação 2 O Que é um Dado? Dado é o elemento

Leia mais

ECT1203 Linguagem de Programação

ECT1203 Linguagem de Programação Universidade Federal do Rio Grande do Norte Escola de Ciências e Tecnologia ECT1203 Linguagem de Programação Prof. Aquiles Burlamaqui Profa. Caroline Rocha Prof. Luiz Eduardo Leite Prof. Luciano Ferreira

Leia mais

Introdução. à Ciência da. Representação de Números em Ponto Flutuante. Aula 21. Números Fracionários

Introdução. à Ciência da. Representação de Números em Ponto Flutuante. Aula 21. Números Fracionários Universidade Federal de Pelotas Instituto de Física e Matemática Departamento de Informática Bacharelado em Ciência da Computação Introdução à Ciência da Computação Aula 21 Representação de Números em

Leia mais

Disciplina: Introdução à Engenharia da Computação

Disciplina: Introdução à Engenharia da Computação Colegiado de Engenharia de Computação Disciplina: Introdução à Engenharia da Computação Aula 07 (semestre 2011.2) Prof. Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto, M.Sc. rosalvo.oliveira@univasf.edu.br 2 Representação

Leia mais

Organização de Computadores

Organização de Computadores Organização do Processador - Parte A Capítulo 5 Patterson & Hennessy Prof. Fábio M. Costa Instituto de Informática Universidade Federal de Goiás Conteúdo Caminho de dados Caminho de controle Implementação

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores

Arquitetura e Organização de Computadores UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Arquitetura e Organização de Computadores Aritmética Computacional Prof. Helcio Wagner

Leia mais

Material Didático Unificado.

Material Didático Unificado. Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP Departamento de Computação - DECOM Comissão da Disciplina Programação de Computadores I CDPCI Programação de Computadores I BCC701 www.decom.ufop.br/bcc701 Material

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Conjunto de Instruções

Arquitetura de Computadores. Conjunto de Instruções Arquitetura de Computadores Conjunto de Instruções Arquitetura do Conjunto das Instruções ISA (Instruction Set Architecture) Traduz para uma linguagem intermediária (ISA) os vários programas em diversas

Leia mais

Introdução à Computação

Introdução à Computação Universidade Federal do Maranhão Curso de Química Departamento de Informática Introdução à Computação Linguagem Fortran Profa. Msc. Maria Auxiliadora Freire maria@deinf.ufma.br 1 Lógica de Programação

Leia mais

PCS-2529 Introdução aos Processadores. Prof. Dr. Paulo Sérgio Cugnasca

PCS-2529 Introdução aos Processadores. Prof. Dr. Paulo Sérgio Cugnasca PCS-2529 Introdução aos Processadores Prof. Dr. Paulo Sérgio Cugnasca 1 2 Existem 4 esquemas diferentes de E/S possíveis, cada um se aplicando em uma determinada situação. E/S Programada. E/S Acionada

Leia mais

Notas de Aula Guilherme Sipahi Arquitetura de Computadores

Notas de Aula Guilherme Sipahi Arquitetura de Computadores Notas de Aula Guilherme Sipahi Arquitetura de Computadores Aritmética de Ponto Flutuante. 1. Da aritmética de Inteiros a aritmética de Pontos Flutuantes : Números inteiros deixam de representar uma parte

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES

ARQUITETURA DE COMPUTADORES Representação de Dados Professor: Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiros@gmail.com 1 REPRESENTAÇÃO DE DADOS: SÍMBOLO: Marca visual ou gráfica que representa um objeto que desejamos identificar

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I

Organização e Arquitetura de Computadores I Organização e Arquitetura de Computadores I Linguagem de Montagem Slide 1 CISC RISC MIPS Organização e Arquitetura de Computadores I Sumário Representação de instruções Slide 2 CISC O CISC (Complex Instruction

Leia mais

UNIDADE CENTRAL DE PROCESSAMENTO FELIPE G. TORRES

UNIDADE CENTRAL DE PROCESSAMENTO FELIPE G. TORRES Tecnologia da informação e comunicação UNIDADE CENTRAL DE PROCESSAMENTO FELIPE G. TORRES CICLO DE INSTRUÇÕES OU DE EXECUÇÃO Arquitetura de computadores 2 CICLO DE EXECUÇÃO No inicio de cada ciclo de instrução,

Leia mais

Folha Prática - Representação de Números e Erros. 1. Representar os seguintes números decimais em binário com ponto fixo:

Folha Prática - Representação de Números e Erros. 1. Representar os seguintes números decimais em binário com ponto fixo: Computação Científica Folha Prática - Representação de Números e Erros 1. Representar os seguintes números decimais em binário com ponto fixo: a) 24 b) 197 c) 1001 d) 7,65 e) 8,963 f) 266,66 2. Obter os

Leia mais

Existem três categorias principais de linguagem de programação: linguagem de máquina, linguagens assembly e linguagens de alto nível.

Existem três categorias principais de linguagem de programação: linguagem de máquina, linguagens assembly e linguagens de alto nível. Aula 3 SOFTWARE (programas) Um programa (software) consiste em uma sequência de instruções escritas numa linguagem precisa chamada linguagem de programação. Estas instruções são traduzidas em um compilador,

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores INTRODUÇÃO

Organização e Arquitetura de Computadores INTRODUÇÃO Organização e Arquitetura de Computadores INTRODUÇÃO A Arquitetura de Computadores trata do comportamento funcional de um sistema computacional, do ponto de vista do programador (ex. tamanho de um tipo

Leia mais

1. Converta para a base binária, usando o método das divisões sucessivas, os seguintes números inteiros: a) 13 b) 35. e) 347 f) 513.

1. Converta para a base binária, usando o método das divisões sucessivas, os seguintes números inteiros: a) 13 b) 35. e) 347 f) 513. 1. Converta para a base binária, usando o método das divisões sucessivas, os seguintes números inteiros: a) 13 b) 35 c) 192 d) 255 e) 347 f) 513 g) 923 2. Converta para a base binária, usando os métodos

Leia mais

Introdução à Linguagem C Variáveis e Expressões

Introdução à Linguagem C Variáveis e Expressões INF1005: Programação 1 Introdução à Linguagem C Variáveis e Expressões 08/03/10 (c) Paula Rodrigues 1 Tópicos Principais Programando em C Funções Variáveis Define Operadores e Expressões Entrada e Saída

Leia mais

Unidade II. Organização de Computadores. Prof. Renato Lellis

Unidade II. Organização de Computadores. Prof. Renato Lellis Unidade II Organização de Computadores Prof. Renato Lellis Ciclo de Execução da Instrução 1. Trazer a próxima instrução da memória até o registrador 2. Alterar o contador de programa para indicar a próxima

Leia mais

SISTEMA DE NUMERAÇÃO. Introdução a Informática. Vinícius Pádua

SISTEMA DE NUMERAÇÃO. Introdução a Informática. Vinícius Pádua SISTEMA DE NUMERAÇÃO Introdução a Informática Sistema de Numeração Métodos científicos para representar os números Tipos Notação não posicional ou Posicional Difere se o algarismo tem valor fixo ou não

Leia mais

Números binários e erros

Números binários e erros Números binários e erros Alan Costa de Souza 14 de Agosto de 2017 Alan Costa de Souza Números binários e erros 14 de Agosto de 2017 1 / 1 Introdução Calcular a área de uma circunferência de 100 m de raio.

Leia mais

Disciplina de Algoritmos e Programação

Disciplina de Algoritmos e Programação Disciplina de Algoritmos e Programação Aula Passada Prática com declaração e inicialização de variáveis Capacidade de representação (estouro de representação) Tamanho ocupado pela variável na memória (comando

Leia mais

PARTE I I: ARITMÉTICA COMPUTACIONAL ARQUITETURA DE COMPUTADORES ANTONIO RAMOS DE CARVALHO JÚNIOR

PARTE I I: ARITMÉTICA COMPUTACIONAL ARQUITETURA DE COMPUTADORES ANTONIO RAMOS DE CARVALHO JÚNIOR PARTE I I: ARITMÉTICA COMPUTACIONAL ARQUITETURA DE COMPUTADORES ANTONIO RAMOS DE CARVALHO JÚNIOR Introdução Como representar números em memória? Como representar números negativos e de ponto flutuante?

Leia mais

Métodos Computacionais. Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados

Métodos Computacionais. Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados Métodos Computacionais Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados Tópicos da Aula Hoje aprenderemos a escrever um programa em C que pode realizar cálculos Conceito de expressão Tipos de

Leia mais

controle de fluxo repetições iterativas

controle de fluxo repetições iterativas Controle de Fluxo Repetições iterativas INF1005 Programação I Prof. Hélio Lopes lopes@inf.puc-rio.br sala 408 RDC 1 controle de fluxo repetições iterativas tópicos while for do while break continue referência

Leia mais

Introdução à Programação. Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados

Introdução à Programação. Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados Introdução à Programação Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados Programa em C #include int main main ( ) { Palavras Reservadas } float celsius ; float farenheit ; celsius

Leia mais

Introdução. Os mesmos princípios se aplicam a processadores. No MIPS as instruções são divididas normalmente em cinco etapas:

Introdução. Os mesmos princípios se aplicam a processadores. No MIPS as instruções são divididas normalmente em cinco etapas: CAPÍTULO 5 PIPELINE Introdução Ciclo único versus pipeline Projetando o conjunto de instruções Pipeline Hazards Caminho de dados usando o pipeline Diagramas de Pipeline Controle do Pipeline Hazard de dados

Leia mais

Considere uma máquina que utiliza uma palavra de 10 bits. Suponha o seguinte padrão de bits:

Considere uma máquina que utiliza uma palavra de 10 bits. Suponha o seguinte padrão de bits: PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 1 a QUESTÃO: (1, ponto) Representação binária Considere uma máquina que utiliza uma palavra de 1 bits. Suponha o seguinte padrão de bits: 1111. a) Indique o valor em

Leia mais

1. A pastilha do processador Intel possui uma memória cache única para dados e instruções. Esse processador tem capacidade de 8 Kbytes e é

1. A pastilha do processador Intel possui uma memória cache única para dados e instruções. Esse processador tem capacidade de 8 Kbytes e é 1. A pastilha do processador Intel 80486 possui uma memória cache única para dados e instruções. Esse processador tem capacidade de 8 Kbytes e é organizado com mapeamento associativo por conjuntos de quatro

Leia mais

CAPÍTULO 4 CAMINHO DE DADOS E CONTROLE

CAPÍTULO 4 CAMINHO DE DADOS E CONTROLE CAPÍTULO 4 CAMINHO DE DADOS E CONTROLE Introdução Uma implementação MIPS básica Sinopse da implementação Sinais de controle Multiplexadores (muxes) Implementação monociclo Metodologia de clocking Construindo

Leia mais

Variáveis, Expressões Aritméticas e Entrada e Saída de Dados

Variáveis, Expressões Aritméticas e Entrada e Saída de Dados Escola de Ciências e Tecnologia UFRN Variáveis, Expressões Aritméticas e Entrada e Saída de Dados ECT1103 INFORMÁTICA FUNDAMENTAL Manter o telefone celular sempre desligado/silencioso quando estiver em

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO BACHARELADO EM INFORMÁTICA SISTEMAS OPERACIONAIS I 2 0 SEM/05 Teste 1 Unidade I DURAÇÃO: 50 MINUTOS

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO BACHARELADO EM INFORMÁTICA SISTEMAS OPERACIONAIS I 2 0 SEM/05 Teste 1 Unidade I DURAÇÃO: 50 MINUTOS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO BACHARELADO EM INFORMÁTICA SISTEMAS OPERACIONAIS I 2 0 SEM/05 Teste 1 Unidade I DURAÇÃO: 50 MINUTOS Aluno: Escore: Assinale a resposta que considerar mais correta.

Leia mais

Aritmética dos Computadores

Aritmética dos Computadores William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores Capítulo 4 Aritmética dos Computadores Unidade Lógica e Aritmética Faz os cálculos lógicos e aritméticos. Tudo, num sistema computador, está

Leia mais

Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP Departamento de Computação - DECOM Programação de Computadores I - BCC701

Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP Departamento de Computação - DECOM Programação de Computadores I - BCC701 Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP Departamento de Computação - DECOM Programação de Computadores I - BCC701 www.decom.ufop.br/red AULA TEÓRICA 02 1 Prof. Marcelo Luiz Silva Red CONTEÚDOS DA AULA

Leia mais

UFRJ IM - DCC. Sistemas Operacionais I. Unidade IV Gerência de Recursos Entrada e Saída. 02/12/2014 Prof. Valeria M. Bastos

UFRJ IM - DCC. Sistemas Operacionais I. Unidade IV Gerência de Recursos Entrada e Saída. 02/12/2014 Prof. Valeria M. Bastos UFRJ IM - DCC Sistemas Operacionais I Unidade IV Gerência de Recursos Entrada e Saída 02/12/2014 Prof. Valeria M. Bastos 1 ORGANIZAÇÃO DA UNIDADE Gerência de Entrada e Saída Fundamentos Evolução Estrutura

Leia mais

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini /

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini   / Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com / andre.belini@ifsp.edu.br MATÉRIA: ICO Aula N : 10 Tema: Representação de Dados

Leia mais

Caracteres e Cadeias de Caracteres

Caracteres e Cadeias de Caracteres Caracteres e Cadeias de Caracteres INF1005 Programação I Prof. Hélio Lopes lopes@inf.puc-rio.br sala 408 RDC 1 caracteres e cadeias de caracteres tópicos caracteres cadeias de caracteres (strings) vetor

Leia mais

William Stallings Computer Organization and Architecture

William Stallings Computer Organization and Architecture William Stallings Computer Organization and Architecture Capítulo 3 Como o Processador Funciona Arquitetura von Neumann Como discutido anteriormente, os projetos dos computadores modernos são baseados

Leia mais

LISTA 02 CONJUNTO DE INSTRUÇÕES - GABARITO

LISTA 02 CONJUNTO DE INSTRUÇÕES - GABARITO LISTA 02 CONJUNTO DE INSTRUÇÕES - GABARITO 1) Identifique na instrução em linguagem de máquina armazenada na memória, os elementos da instrução 2) Na figura acima, qual a quantidade de código de operações

Leia mais