DIREITO PROCESSUAL PENAL COMPETÊNCIAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DIREITO PROCESSUAL PENAL COMPETÊNCIAS"

Transcrição

1 DIREITO PROCESSUAL PENAL COMPETÊNCIAS Atualizado em 03/11/2015

2 4. Competência Material Ratione Materiae: Divide-se em competência da Justiça Estadual, Federal, Eleitoral e Militar (não falamos da Justiça do Trabalho porque ela não te competência criminal). Lembrar que a Justiça Federal também é uma justiça comum. A justiça comum pode ser estadual ou federal. As demais justiças mencionadas são justiças especializadas Competência da Justiça Comum Estadual: É a competência residual Competência da Justiça Eleitoral: A Justiça Eleitoral é competente para processar e julgar os crimes eleitorais e aqueles que lhes são conexos. Crimes eleitorais são aqueles em que a pessoa pretende atingir direta ou indiretamente o processo eleitoral Competência da Justiça Militar: a) Competência da Justiça Militar Estadual: é o juiz de direito que exerce essa função. Tem competência para processar e julgar os militares estaduais por crimes militares. Não possui competência para processar e julgar civis (em nenhuma hipótese). b) Competência da Justiça Militar da União: julga os militares das forças armadas por crimes militares e julga os civil que tenham praticado crimes contra as instituições militares da União (contra as forças armadas) Competência da Justiça Federal: Vem definida no art. 109, CF (competência da Justiça Federal tanto em matéria cível quanto criminal). Art. 109, IV, CF: os crimes políticos e as infrações penais praticadas em detrimento de bens, serviços ou interesse da União ou de suas entidades autárquicas ou empresas públicas, excluídas as contravenções e ressalvada a competência da Justiça Militar e da Justiça Eleitoral. Há quem diga não existir crime político no Brasil, pois não haveria definição do que seria um crime político, já que a Lei de Segurança Nacional não teria sido recepcionada pela nova ordem constitucional (corrente minoritária). Corrente majoritária e jurisprudência, porém, afirmam que existe sim crime político, estando ele previsto em nossa Lei de Segurança Nacional (Lei 7.170/83) que foi sim recepcionada, embora, não totalmente (já

3 que ela diz que a competência para julgamento de crimes políticos seria da Justiça Militar = parte não recepcionada, pois a CF estabeleceu, para esses crimes, a competência da Justiça Federal). Particularidade: da sentença do juiz federal de primeiro grau julgando um crime político, caberá Recurso Ordinário Constitucional ROC (e não apelação) diretamente para o STF (e não para o TRF ou para o STJ) = previsão constitucional no art. 102, II, CF. Quando fala em infrações penais, leia-se crimes, pois ele diz excluídas as contravenções. Assim, a Justiça Federal não julgará as contravenções penais, pouco importando se forem em detrimento de bens, serviços e interesses da União. Ainda que seja conexa com um crime federal, a contravenção não será julgada pela Justiça Federal (nem mesmo pelos Juizados Especiais Federais). Crimes conexos (crime estadual e crime federal) = prevalece a competência da Justiça Federal (súmula nº 122, STJ). Crime de competência da Justiça Federal conexo com contravenção = separa. Exceção em que a Justiça Federal julgará contravenção (posicionamento doutrinário): quando o contraventor for detentor de foro por prerrogativa de função no TRF. Lembrar ainda que as fundações públicas de direito público têm natureza autárquica, estando também incluídas no inciso em análise. Como as sociedades de economia mista não foram citadas, não caberá à Justiça Federal julgar crimes praticados em detrimento de bens, serviços e interesses de sociedade de economia mista. Exemplo: roubo a uma agência do Banco do Brasil é crime estadual. Súmula nº 42, STJ. Quem irá dirimir o conflito de competência entre Justiça Estadual e a Federal é o STJ, por isso temos muitas súmulas do STJ acerca da competência da Justiça Federal. Vejamos: Súmula nº 122, STJ: Compete à Justiça Federal o processo e julgamento unificado dos crimes conexos de competência federal e estadual, não se aplicando a regra do art. 78, II, "a", do Código de Processo Penal. A regra mencionada no final da súmula é aquela que nos diz que, havendo conexão, prevalece a competência para processar e julgar o crime mais grave = essa regra não se aplica quando estamos diante de conexão entre crime federal e crime estadual, pouco importando a gravidade e a quantidade de crimes. Súmula nº 147, STJ: Compete à Justiça Federal processar e julgar os crimes praticados contra funcionário público federal, quando relacionados com o exercício da função. Relacionado ao exercício da função não significa

4 necessariamente que o funcionário esteja no exercício da função. Os crimes praticados por funcionário público federal, quando relacionados com o exercício da função, também serão de competência da Justiça Federal, pois afetam serviços e interesses da União. Se o crime cometido contra o funcionário público federal for um crime doloso contra a vida, será da competência do Júri na Justiça Federal (presidido por um juiz federal). Súmula nº 165, STJ: Compete à Justiça Federal processar e julgar crime de falso testemunho cometido no processo trabalhista. Isso ocorre porque a Justiça do Trabalho é uma Justiça da União (há, assim, serviço e interesse da União envolvidos no crime de falso testemunho cometido no processo trabalhista). Lembrar ainda que a Justiça do Trabalho não tem competência para julgar crimes. Essa regra vale para qualquer crime cometido no bojo do processo trabalhista (e não apenas para o crime de falso testemunho). Súmula nº 208, STJ: Compete à Justiça Federal processar e julgar prefeito municipal por desvio de verba sujeita a prestação de contas perante órgão federal. Lembrar que o prefeito tem foro por prerrogativa de função, devendo ser julgado pelo TJ, em caso de crimes estaduais, ou no TRF, no caso de crimes federais. Se ele não for mais prefeito, não contará com foro por prerrogativa de função, devendo ser julgado pela justiça de primeiro grau. Súmula nº 209, STJ: Compete à Justiça Estadual processar e julgar prefeito por desvio de verba transferida e incorporada ao patrimônio municipal. Aqui, mesmo a verba já tendo sido transferida pela União, como ela já foi incorporada ao patrimônio municipal, a competência será da Justiça Estadual (de primeiro grau, se ele não for mais prefeito; ou do TJ, se ele ainda for prefeito). Art. 109, V, CF: os crimes previstos em tratado ou convenção internacional, quando, iniciada a execução no País, o resultado tenha ou devesse ter ocorrido no estrangeiro, ou reciprocamente; Para que seja crime federal, segundo esse inciso, é preciso que haja dois requisitos: a) Previsão em tratado ou convenção internacional de que o Brasil faz parte: o Brasil, por exemplo, obrigou-se a combater/reprimir o tráfico de drogas, de armas, de pessoas para exploração sexual, as discriminações de qualquer natureza, a exploração sexual de crianças e adolescentes. b) Internacionalidade na conduta criminosa: início no Brasil e resultado que ocorreu ou deveria ter ocorrido no estrangeiro ou vice-versa. Assim, o tráfico transnacional de drogas é crime federal, mas o tráfico interno não (o tráfico interno, ainda que interestadual, não é crime federal, pois não preenche esse segundo requisito).

5 No processo penal, não há hipótese em que juiz estadual exerça competência da Justiça Federal por delegação (como existe no processo civil em questões previdenciárias) isso existia até 2006, em casos de tráfico internacional de drogas, em razão de previsão na antiga Lei de Drogas. Art. 109, V-A, CF: as causas relativas a direitos humanos a que se refere o 5º deste artigo; Com a EC nº 45/2004, criou-se um Incidente de Deslocamento de Competência, que a doutrina chama de Federalização dos Crimes contra os Direitos Humanos. Os crimes contra direitos humanos, que, regra geral, é de competência da justiça estadual, pode ter sua competência deslocada para a justiça federal. Esse deslocamento é possível porque, nos casos de grave violação dos direitos humanos, o Brasil poderá vir a ser condenado, cabendo à União arcar com essa condenação (percebe-se, pois, o interesse da União envolvido no caso). Para que isso ocorra, é necessário que o Procurador-geral de República ingresse com esse incidente perante o STJ, requerendo que o STJ retire o crime da competência da Justiça Estadual e mande para a Justiça Federal. Esse incidente é possível mesmo que ainda esteja na fase de inquérito. O deslocamento de competência só será cabível quando o processo ou inquérito não contar com trâmite regular no âmbito da estadual. Há quem considere (pensamento minoritário) que essa norma (que é fruto do poder constituinte derivado) é inconstitucional, por afrontar o princípio do juiz natural (já que haveria um deslocamento de competência após o fato). A doutrina majoritária, porém, não entende assim, pois a regra de deslocamento é prevista antes do fato, aplicando-se esse aos casos ocorridos após a EC nº 45/2004. Art. 109, VI, CF: os crimes contra a organização do trabalho e, nos casos determinados por lei, contra o sistema financeiro e a ordem econômico-financeira; Primeira parte: crimes contra a organização do trabalho. Os crimes contra a organização do trabalho estão previstos entre os arts. 197 e 207, CP. A jurisprudência, ao interpretar esse dispositivo, cria um limite: se o crime contra a organização do trabalho afetar interesse meramente individual, a competência não será da Justiça Federal, mas sim da Justiça Estadual. Apesar disso, o crime de redução à condição análoga a de escravo (art. 149, CP é um crime contra a liberdade individual) é crime federal, mesmo sem previsão constitucional expressa nesse sentido, pois indiretamente toda a organização do trabalho é atingida.

6 Segunda parte: e, nos casos determinados por lei, os crimes contra o sistema financeiro e a ordem econômico-financeira. Aqui há uma delegação constitucional ao legislador ordinário. É a constituição permitindo que o legislador infraconstitucional estabeleça competência federal nos casos de crimes contra o sistema financeiro e contra a ordem econômico-financeira. Lei 7.492/86 afirma a competência da Justiça Federal nos crimes contra o sistema financeiro nacional. Lei 8.137/90 (fala em crime contra a ordem econômica) e Lei 8.176/91 (também fala em crime contra a ordem econômica) não afirmam a competência da Justiça federal. Dessa forma, os crimes contra o sistema financeiro são da competência da Justiça Federal, mas os crimes contra a ordem econômica podem ou não ser da competência da Justiça Federal (serão se caírem na regra do inciso IV, art. 109, CF). VII - os habeas corpus, em matéria criminal de sua competência ou quando o constrangimento provier de autoridade cujos atos não estejam diretamente sujeitos a outra jurisdição; IX - os crimes cometidos a bordo de navios ou aeronaves, ressalvada a competência da Justiça Militar; Será federal o crime praticado a borde de navio (embarcação de grande porte) e não de qualquer embarcação. Qualquer crime cometido a bordo de um navio será crime federal (mesmo o tráfico de drogas interestadual ou o porte de drogas para consumo próprio), salvo se o navio for militar. Já o crime cometido em aeronave de qualquer porte será crime federal, salvo se a aeronave for militar. O crime cometido a bordo de aeronave será federal ainda que a aeronave esteja em solo. X - os crimes de ingresso ou permanência irregular de estrangeiro, a execução de carta rogatória, após o "exequatur", e de sentença estrangeira, após a homologação, as causas referentes à nacionalidade, inclusive a respectiva opção, e à naturalização; Não há um crime tipificado como ingresso ou permanência irregular de estrangeiro. O crime que mais se aproxima disso é o crime de reingresso de estrangeiro expulso, que não deixa de ser uma hipótese de ingresso irregular. XI - a disputa sobre direitos indígenas.

7 Crimes cometidos no bojo de disputas sobre direitos indígenas são crimes federais. Súmula nº 140, STJ: "compete à Justiça Comum Estadual processar e julgar crime em que o indígena figure como autor ou vítima". Assim, não é o fato de o crime ter um indígena como autor ou vítima que o tornará um crime federal. Aos autores não referenciados, todos os direitos reservados.

ESTRUTURA DO MATERIAL foi ELABORADA por: André Vieira. CURSO CETECNET. Processar e julgar, originariamente: Origem:

ESTRUTURA DO MATERIAL foi ELABORADA por: André Vieira. CURSO CETECNET. Processar e julgar, originariamente: Origem: STF MINISTROS 11 CIDADÃO +35 / - 65 N.S.J / R.I Pres. Repúb. Senado Federal Maioria absoluta NÃO POS- SUE ORI- GEM Processar e julgar, originariamente: a) a ADi de lei ou ato normativo federal ou estadual

Leia mais

O art. 96, III da CF prevê o foro por prerrogativa de função dos membros do MP, incluindo os Promotores e Procuradores de Justiça.

O art. 96, III da CF prevê o foro por prerrogativa de função dos membros do MP, incluindo os Promotores e Procuradores de Justiça. Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Processo Penal / Aula 11 Professor: Elisa Pittaro Conteúdo: Foro por Prerrogativa de Função; Conexão e Continência. 3.5 Foro por Prerrogativa de Função: b) Juízes

Leia mais

1ª FASE - EXTENSIVO NOTURNO Disciplina: Direito Processual Civil Prof.: Fábio Menna Data: 08/09/2008

1ª FASE - EXTENSIVO NOTURNO Disciplina: Direito Processual Civil Prof.: Fábio Menna Data: 08/09/2008 TEMAS TRATADOS EM SALA 1. Jurisdição e Competência Ação Estado para que exerça atividade jurisdicional. Art. 1º, CPC. Pode ser contenciosa (há conflito de interesses, e o Estado atua na solução deste conflito)

Leia mais

COMPETÊNCIA EM RAZÃO DA NATUREZA DA INFRAÇÃO

COMPETÊNCIA EM RAZÃO DA NATUREZA DA INFRAÇÃO JURISDIÇÃO E COMPETÊNCIA III COMPETÊNCIA EM RAZÃO DA NATUREZA DA INFRAÇÃO FIXADA A COMARCA COMPETENTE (RATIONE LOCI), QUAL SERÁ A JUSTIÇA COMPETENTE EM RAZÃO DA NATUREZA DA INFRAÇÃO OU FATOS INCRIMINADORES

Leia mais

1. PRINCÍPIOS DOS JUIZADOS ESPECIAIS CRIMINAIS art. 62 da Lei 9.009/95 2. OBJETIVOS DO JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL

1. PRINCÍPIOS DOS JUIZADOS ESPECIAIS CRIMINAIS art. 62 da Lei 9.009/95 2. OBJETIVOS DO JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL 1 PROCESSO PENAL PROCESSO PENAL PONTO 1: Princípios dos Juizados Especiais Criminais PONTO 2: Objetivos PONTO 3: Competência PONTO 4: Fase Policial PONTO 5: Fase Judicial PONTO 6: Recursos PONTO 7: Atos

Leia mais

Crimes praticados por militares estaduais contra civis Procedimentos a serem adotados, CPP ou CPPM?

Crimes praticados por militares estaduais contra civis Procedimentos a serem adotados, CPP ou CPPM? Crimes praticados por militares estaduais contra civis Procedimentos a serem adotados, CPP ou CPPM? A Justiça Militar Estadual por força de expressa vedação contida no art. 125, 4º, da CF/88, não tem competência

Leia mais

JURISDIÇÃO E COMPETÊNCIA. Características. Inércia; Substituividade; Público; Inevitabilidade, indeclinabilidade.

JURISDIÇÃO E COMPETÊNCIA. Características. Inércia; Substituividade; Público; Inevitabilidade, indeclinabilidade. JURISDIÇÃO E COMPETÊNCIA Jurisdição. Conceito. É uma das funções do Estado mediante a qual este se substitui aos titulares dos interesses em conflito para aplicar o direito objetivo ao caso concreto. É

Leia mais

Súmulas em matéria penal e processual penal.

Súmulas em matéria penal e processual penal. Vinculantes (penal e processual penal): Súmula Vinculante 5 A falta de defesa técnica por advogado no processo administrativo disciplinar não ofende a Constituição. Súmula Vinculante 9 O disposto no artigo

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL 2ª Câmara de Coordenação e Revisão

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL 2ª Câmara de Coordenação e Revisão MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL 2ª Câmara de Coordenação e Revisão VOTO Nº 5076/2012 PROCEDIMENTO MPF nº 1.00.000.002444/2012-76 ORIGEM: PRM TUBARÃO / SC PROCURADOR OFICIANTE: MICHAEL VON MÜHLEN DE BARROS GONÇALVES

Leia mais

3. Supremo Tribunal Federal: é composto por 11 juízes que recém o nome de Ministros e possui jurisdição em todo território nacional.

3. Supremo Tribunal Federal: é composto por 11 juízes que recém o nome de Ministros e possui jurisdição em todo território nacional. I. PODER JUDICIÁRIO: 1. Organização do Poder Judiciário: STF STJ TSE STM TST JUTIÇA FEERAL TRF (5) JUSTIÇA ESTADUAL TJ (27) TRE JUIZ ELEITORAL TRIBUNAIS MILITARES (ainda não foram criados) TRT (25) JUIZ

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL

DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITO CONSTITUCIONAL EFICÁCIA JURÍDICA Atualizado em 12/01/2016 NACIONALIDADE: ARTS. 12 E 13 CF88 A nacionalidade é o vínculo jurídico-civil que liga o indivíduo a um determinado território e é considerada

Leia mais

COMPETÊNCIA CAPÍTULO VIII 1. NOÇÕES GERAIS

COMPETÊNCIA CAPÍTULO VIII 1. NOÇÕES GERAIS COMPETÊNCIA CAPÍTULO VIII COMPETÊNCIA SUMÁRIO 1. Noções gerais; 2. Competência territorial (ratione loci); 2.1. O lugar da infração penal como regra geral (art. 70 CPP); 2.2. O domicílio ou residência

Leia mais

PARECERES JURÍDICOS. Para ilustrar algumas questões já analisadas, citamos abaixo apenas as ementas de Pareceres encomendados:

PARECERES JURÍDICOS. Para ilustrar algumas questões já analisadas, citamos abaixo apenas as ementas de Pareceres encomendados: PARECERES JURÍDICOS Partindo das diversas obras escritas pelo Prof.Dr. AURY LOPES JR., passamos a oferecer um produto diferenciado para os colegas Advogados de todo o Brasil: a elaboração de Pareceres

Leia mais

SUMÁRIO. CAPÍTULO II - Polícia Judiciária Militar... 17 1 Polícia Judiciária Militar... 17

SUMÁRIO. CAPÍTULO II - Polícia Judiciária Militar... 17 1 Polícia Judiciária Militar... 17 Direito Processual Penal Militar - 4ª Edição SUMÁRIO CAPÍTULO I Princípios... 13 1 Princípios aplicados no processo penal militar... 13 2 Lei do processo penal militar e sua aplicação... 15 3 Aplicação

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL PODER LEGISLATIVO

DIREITO CONSTITUCIONAL PODER LEGISLATIVO DIREITO CONSTITUCIONAL PODER LEGISLATIVO Atualizado em 03/11/2015 PODER LEGISLATIVO No plano federal temos o Congresso Nacional composto por duas casas (Câmara dos Deputados e Senado Federal). No âmbito

Leia mais

Acesso ao Tribunal Constitucional: Possibilidade de ações movidas por estrangeiros

Acesso ao Tribunal Constitucional: Possibilidade de ações movidas por estrangeiros Acesso ao Tribunal Constitucional: Possibilidade de ações movidas por estrangeiros Os direitos fundamentais previstos na Constituição brasileira de 1988 são igualmente garantidos aos brasileiros e aos

Leia mais

II FONACRIM ENUNCIADOS

II FONACRIM ENUNCIADOS II FONACRIM ENUNCIADOS 1. Nos crimes tributários, o parâmetro objetivo para aplicação da insignificância penal excluídas as condutas fraudulentas é o valor do credito tributário (principal e acessório)

Leia mais

ARTHUR TRIGUEIROS e WANDER GARCIA. Edição 2013. Coordenadores CONCURSOS POLICIAIS. 2 a Edição 2013 2.000 QUESTÕES COMENTADAS

ARTHUR TRIGUEIROS e WANDER GARCIA. Edição 2013. Coordenadores CONCURSOS POLICIAIS. 2 a Edição 2013 2.000 QUESTÕES COMENTADAS Edição 2013 ARTHUR TRIGUEIROS e WANDER GARCIA Coordenadores CONCURSOS POLICIAIS 2 a Edição 2013 2.000 QUESTÕES COMENTADAS SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Direito Constitucional 13 1. PODER CONSTITUINTE... 13 2. TEORIA

Leia mais

IMPOSSIBILIDADE DE RECOLHIMENTO DE PRESO CIVIL EM PRISÃO MILITAR

IMPOSSIBILIDADE DE RECOLHIMENTO DE PRESO CIVIL EM PRISÃO MILITAR ELBERT DA CRUZ HEUSELER Mestre em Direito da Administração Pública Doutorando em Ciências Jurídicas e Sociais Pós Graduado em Estratégia e Relações Internacionais Especialista em Globalização e Brasil

Leia mais

MPE Direito Penal Aplicação da Lei Penal no Tempo e no Espaço Emerson Castelo Branco

MPE Direito Penal Aplicação da Lei Penal no Tempo e no Espaço Emerson Castelo Branco MPE Direito Penal Aplicação da Lei Penal no Tempo e no Espaço Emerson Castelo Branco 2013 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 1. APLICAÇÃO DA LEI PENAL NO TEMPO E NO

Leia mais

Apostila Exclusiva Direitos Autorais Reservados www.thaisnunes.com.br 1

Apostila Exclusiva Direitos Autorais Reservados www.thaisnunes.com.br 1 Direito - Técnico do TRF 4ª Região É possível estudar buscando materiais e aulas para cada uma das matérias do programa do concurso de Técnico do TRF 4ª Região. Basta disciplina e organização. Sugestão

Leia mais

IMPOSSIBILIDADE JURÍDICA DO TRIBUNAL DO JURI NA JUSTIÇA MILITAR ESTADUAL

IMPOSSIBILIDADE JURÍDICA DO TRIBUNAL DO JURI NA JUSTIÇA MILITAR ESTADUAL IMPOSSIBILIDADE JURÍDICA DO TRIBUNAL DO JURI NA JUSTIÇA MILITAR ESTADUAL Jonas Guedes 1 Resumo: O tema abordado no presente artigo versará sobre a impossibilidade jurídica do Tribunal do Júri na Justiça

Leia mais

CRIMES CONTRA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA:

CRIMES CONTRA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: COMENTÁRIOS DA PROVA Questões da prova de Oficial de Justiça PJ-H/2014 Questão 48 (art. 325) Questão 47 (art. 312 parágrafo segundo) QUESTÃO 48 - GABARITO: D QUESTÃO 47 - GABARITO: C CRIMES CONTRA A ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Disciplina: Direito Internacional Público

Disciplina: Direito Internacional Público Disciplina: Direito Internacional Público Tema: Nacionalidade, condição jurídica dos estrangeiros, formas de saída compulsória (extradição, expulsão e deportação, asilo e refúgio Prof. Rodrigo de Victor

Leia mais

DECRETO-LEI Nº 3.689, DE 3 DE OUTUBRO DE 1941

DECRETO-LEI Nº 3.689, DE 3 DE OUTUBRO DE 1941 DECRETO-LEI Nº 3.689, DE 3 DE OUTUBRO DE 1941 Código de Processo Penal. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, usando da atribuição que lhe confere o art. 180 da Constituição, decreta a seguinte Lei: LIVRO II DOS

Leia mais

LEI Nº 10.259, DE 12 DE JULHO DE 2001.

LEI Nº 10.259, DE 12 DE JULHO DE 2001. LEI Nº 10.259, DE 12 DE JULHO DE 2001. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, Dispõe sobre a instituição dos Juizados Especiais Cíveis e Criminais no âmbito da Justiça Federal. Faço saber que o Congresso Nacional

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL PEÇA PROFISSIONAL Petição inicial: Queixa-crime. Endereçamento: Vara Criminal da Comarca de São Paulo SP. Vara criminal comum, visto que as penas máximas abstratas, somadas, ultrapassam dois anos. Como

Leia mais

P R O N U N C I A M E N T O M I N I S T E R I A L

P R O N U N C I A M E N T O M I N I S T E R I A L P R O N U N C I A M E N T O M I N I S T E R I A L Trata-se de mandado de segurança impetrado por em face do INSTITUTO NACIONAL DE SEGURO SOCIAL, objetivando assegurar que a autoridade coautora continue

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVI EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVI EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Gilberto, quando primário, apesar de portador de maus antecedentes, praticou um crime de roubo simples, pois, quando tinha 20 anos de idade, subtraiu de Renata, mediante

Leia mais

CONSELHO SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

CONSELHO SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL RESOLUÇÃO N O 20 (Alterada pelas Resoluções CSMPF Nº 23, de 23/4/1996; Nº 26, de 4/6/1996; Nº 31, de 27/6/1997; Nº 40, de 31/3/1998 e Nº 119, de 4/10/2011

Leia mais

OAB 140º - 1ª Fase Extensivo Final de Semana Disciplina: Direito Internacional Professor Diego Machado Data: 06/09/2009. 1.

OAB 140º - 1ª Fase Extensivo Final de Semana Disciplina: Direito Internacional Professor Diego Machado Data: 06/09/2009. 1. TEMAS ABORDADOS EM AULA Aula 1: Nacionalidade, Estrangeiro 1. Nacionalidade É um direito fundamental, é um Direito Humano que tem a previsão na previsão na Declaração de Direitos Humanos de 48, portanto,

Leia mais

SUMÁRIO. Língua Portuguesa

SUMÁRIO. Língua Portuguesa Língua Portuguesa Compreensão e interpretação de textos de gêneros variados... 3 Reconhecimento de tipos e gêneros textuais... 12 Domínio da ortografia oficial... 23 Domínio dos mecanismos de coesão textual

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO N.º 13, DE 02 DE OUTUBRO DE 2006. (Alterada pela Res. 111/2014) Regulamenta o art. 8º da Lei Complementar 75/93 e o art. 26 da Lei n.º 8.625/93, disciplinando, no âmbito do Ministério Público,

Leia mais

PARECER DA ASSESSORIA ESPECIAL INSTITUCIONAL EXCELENTÍSSIMO SENHOR PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA ADJUNTO INSTITUCIONAL,

PARECER DA ASSESSORIA ESPECIAL INSTITUCIONAL EXCELENTÍSSIMO SENHOR PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA ADJUNTO INSTITUCIONAL, Espécie: CONFLITO POSITIVO DE ATRIBUIÇÕES Comarca: BELO HORIZONTE Protocolo: PGJ nº 2.260.027 Suscitante: Promotoria de Justiça Especializada na Tutela das Fundações. Suscitada: Promotoria de Justiça Especializada

Leia mais

Crime Circunstância Órgão competente Fundamento

Crime Circunstância Órgão competente Fundamento Crime Circunstância Órgão competente Fundamento Doloso contra a vida (Júri) Abuso de autoridade Crimes "Internacionais" Descaminho Militares Autor militar federal e vítima militar Justiça Militar art.

Leia mais

CONSTITUIÇÃO ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL

CONSTITUIÇÃO ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL CONSTITUIÇÃO ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL A CE-MS segue um padrão semelhante à Constituição Federal, reproduzindo em muitos artigos o que foi estabelecido na CF de 1988. Trataremos apenas de algumas

Leia mais

Direito Processual Penal

Direito Processual Penal JURISDIÇÃO E COMPETÊNCIA Jurisdição e competência: Jurisdição é o poder e a competência é a delimitação desse poder. 1 Competência em razão da matéria: 1) Competência da Justiça Especial: o Justiça Militar

Leia mais

Juizados Especiais. Aula 3 (05.03.13) Vinicius Pedrosa Santos (magistrado e professor) e-mail: vinipedrosa@uol.com.br.

Juizados Especiais. Aula 3 (05.03.13) Vinicius Pedrosa Santos (magistrado e professor) e-mail: vinipedrosa@uol.com.br. Juizados Especiais Aula 3 (05.03.13) Vinicius Pedrosa Santos (magistrado e professor) e-mail: vinipedrosa@uol.com.br Ementa da aula Competência em razão do objeto Competência territorial Competência de

Leia mais

ANTONIO FERNANDO BARROS E SILVA DE SOUZA Presidente do Conselho Nacional do Ministério Público

ANTONIO FERNANDO BARROS E SILVA DE SOUZA Presidente do Conselho Nacional do Ministério Público CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO Nº 33, de 15º DE DEZEMBRO DE 2008. Altera a Resolução n 25, de 03 de dezembro de 2007 O CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO, no exercício das atribuições

Leia mais

DA COMPETÊNCIA JURISDICIONAL NO PROCESSO PENAL. Por: Dr. Davi Pinheiro, Advogado, OAB/PR 45483

DA COMPETÊNCIA JURISDICIONAL NO PROCESSO PENAL. Por: Dr. Davi Pinheiro, Advogado, OAB/PR 45483 DA COMPETÊNCIA JURISDICIONAL NO PROCESSO PENAL Por: Dr. Davi Pinheiro, Advogado, OAB/PR 45483 Curitiba 2004 INTRODUÇÃO Competência costuma ser definida como a delimitação do exercício do poder jurisdicional.

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DE RORAIMA COLÉGIO DE PROCURADORES DE JUSTIÇA

MINISTÉRIO PÚBLICO DE RORAIMA COLÉGIO DE PROCURADORES DE JUSTIÇA EXTRATO DA ATA DA SÉTIMA SESSÃO ORDINÁRIA DO EGRÉGIO COLÉGIO DE PROCURADORES DE JUSTIÇA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE RORAIMA 2014. Data: 24/11/2014 Horário: 9h Local: Sala de reuniões dos Órgãos

Leia mais

Sumário. Resumo Direito Constitucional

Sumário. Resumo Direito Constitucional Sumário 1. DIREITO CONSTITUCIONAL 1.1 Dos direitos e garantias fundamentais 1.1.1 Dos direitos e deveres individuais e coletivos 1.1.1.1 Extradição 1.1.2 Dos direitos sociais 1.1.3 Da nacionalidade 1.1.4

Leia mais

Direito Constitucional. Professor Marcelo Miranda professormiranda@live.com facebook.com/professormarcelomiranda

Direito Constitucional. Professor Marcelo Miranda professormiranda@live.com facebook.com/professormarcelomiranda Direito Constitucional Professor Marcelo Miranda professormiranda@live.com facebook.com/professormarcelomiranda Nacionalidade é vínculo que liga um indivíduo a determinado Estado soberano. Natureza jurídica

Leia mais

Excelentíssima Senhora Presidente da Comissão Permanente de Direito Penal do Instituto dos Advogados Brasileiros, Dra.

Excelentíssima Senhora Presidente da Comissão Permanente de Direito Penal do Instituto dos Advogados Brasileiros, Dra. Excelentíssima Senhora Presidente da Comissão Permanente de Direito Penal do Instituto dos Advogados Brasileiros, Dra. Victória Sulocki, Indicação nº 056/2012, sobre o "Projeto de Lei nº 3901/2012, de

Leia mais

SELEÇÃO DE ESTÁGIO - DIREITO

SELEÇÃO DE ESTÁGIO - DIREITO SELEÇÃO DE ESTÁGIO - DIREITO - Verifique se este caderno contém 20 questões objetivas e 2 temas de redação. Caso contrário, reclame ao fiscal da sala outro caderno. - A resposta deve ser marcada com caneta

Leia mais

Remuneração dos Agentes Políticos.

Remuneração dos Agentes Políticos. Remuneração dos Agentes Políticos. Subsídio Os Agentes Políticos recebem por subsídio (art. 39, 4º da CF/88), a saber: 4º O membro de Poder, o detentor de mandato eletivo, os Ministros de Estado e os Secretários

Leia mais

AULA 10 CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE NO BRASIL

AULA 10 CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE NO BRASIL Faculdade do Vale do Ipojuca - FAVIP Bacharelado em Direito Autorizado pela Portaria nº 4.018 de 23.12.2003 publicada no D.O.U. no dia 24.12.2003 Curso reconhecido pela Portaria Normativa do MEC nº 40,

Leia mais

Professor Wisley Aula 09

Professor Wisley Aula 09 - Professor Wisley www.aprovaconcursos.com.br Página 1 de 5 FORRO POR PRERROGATIVA DE FUNÇÃO 1. OBSERVAÇÕES I Não se fala mais em manutenção

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVI EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVI EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL ENUNCIADO Gilberto, quando primário, apesar de portador de maus antecedentes, praticou um crime de roubo simples, pois, quando tinha 20 anos de idade, subtraiu de

Leia mais

CONTINUAÇÃO - RECURSOS NO PROCESSO PENAL, Recurso no Sentido Estrito

CONTINUAÇÃO - RECURSOS NO PROCESSO PENAL, Recurso no Sentido Estrito CONTINUAÇÃO - RECURSOS NO PROCESSO PENAL, Recurso no Sentido Estrito Efeito suspensivo O RESE, como regra, não tem efeito suspensivo. Terá, apenas, quando a lei prever. O art. 584 do CPP 1 prevê 05 hipóteses

Leia mais

NOVOS INSTRUMENTOS PERMITEM CONCRETIZAR DIREITOS HUMANOS NO STF E STJ

NOVOS INSTRUMENTOS PERMITEM CONCRETIZAR DIREITOS HUMANOS NO STF E STJ NOVOS INSTRUMENTOS PERMITEM CONCRETIZAR DIREITOS HUMANOS NO STF E STJ (Conjur, 10/12/2014) Alexandre de Moraes Na luta pela concretização da plena eficácia universal dos direitos humanos o Brasil, mais

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 10.259, DE 12 DE JULHO DE 2001. Vigência Regulamento Dispõe sobre a instituição dos Juizados Especiais Cíveis e Criminais no

Leia mais

Prof. Cristiano Lopes

Prof. Cristiano Lopes Prof. Cristiano Lopes CONCEITO: É o procedimento de verificar se uma lei ou ato normativo (norma infraconstitucional) está formalmente e materialmente de acordo com a Constituição. Controlar significa

Leia mais

JURISDIÇÃO E COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO

JURISDIÇÃO E COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO JURISDIÇÃO E COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO PROCESSO DO TRABALHO Élisson Miessa e Henrique Correia - No processo do trabalho, O VALOR DA CAUSA NÃO É CRITÉRIO PARA DELIMITAÇÃO DA COMPETÊNCIA, MAS SERVE

Leia mais

ROTEIRO DE AULA TEORIA GERAL DAS PRISÕES CAUTELARES.

ROTEIRO DE AULA TEORIA GERAL DAS PRISÕES CAUTELARES. CURSO DIREITO DISCIPLINA PROCESSO PENAL II SEMESTRE 7º Turma 2015.1 ROTEIRO DE AULA TEORIA GERAL DAS PRISÕES CAUTELARES. 1. DO CONCEITO DE PRISAO A definição da expressão prisão para fins processuais.

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE PERNAMBUCO Conselho da Magistratura PROVIMENTO N 01/2007 (DOE 18/05/07)

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE PERNAMBUCO Conselho da Magistratura PROVIMENTO N 01/2007 (DOE 18/05/07) PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE PERNAMBUCO Conselho da Magistratura PROVIMENTO N 01/2007 (DOE 18/05/07) EMENTA: Orienta os juízes sobre a competência do Juizado de Violência Doméstica

Leia mais

O empregado caminhando na empresa, cai e se machuca vai pedir uma indenização na justiça do trabalho. (empregado x empregador);

O empregado caminhando na empresa, cai e se machuca vai pedir uma indenização na justiça do trabalho. (empregado x empregador); Turma e Ano: Flex B (2014) Matéria / Aula: Processo do Trabalho / Aula 04 Professor: Leandro Antunes Conteúdo: Procedimento Sumário, Procedimento Sumaríssimo. A competência para julgar acidente de trabalho:

Leia mais

R E L A T Ó R I O. A Senhora Ministra Ellen Gracie: 1. Eis o teor da decisão embargada:

R E L A T Ó R I O. A Senhora Ministra Ellen Gracie: 1. Eis o teor da decisão embargada: EMB.DECL.NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO 571.572-8 BAHIA RELATORA EMBARGANTE(S) ADVOGADO(A/S) EMBARGADO(A/S) ADVOGADO(A/S) : MIN. ELLEN GRACIE : TELEMAR NORTE LESTE S/A : BÁRBARA GONDIM DA ROCHA E OUTRO(A/S)

Leia mais

Capítulo 1 Crimes Hediondos Lei 8.072/1990

Capítulo 1 Crimes Hediondos Lei 8.072/1990 Sumário Prefácio... 11 Apresentação dos autores... 13 Capítulo 1 Crimes Hediondos Lei 8.072/1990 1. Para entender a lei... 26 2. Aspectos gerais... 28 2.1 Fundamento constitucional... 28 2.2 A Lei dos

Leia mais

O parágrafo único do artigo 9º, do CPM e sua tão discutida inconstitucionalidade.

O parágrafo único do artigo 9º, do CPM e sua tão discutida inconstitucionalidade. O parágrafo único do artigo 9º, do CPM e sua tão discutida inconstitucionalidade. Rodrigo Santana de Souza e Silva 1 Resumo O presente trabalho tem por fim analisar a inconstitucionalidade ou não do parágrafo

Leia mais

DICAS DE DIREITO PENAL. Parte Geral. - art. 5º, XXXIX, XL, XLII, XLIII, XLIV, XLV, XLVI, XLVII, CF

DICAS DE DIREITO PENAL. Parte Geral. - art. 5º, XXXIX, XL, XLII, XLIII, XLIV, XLV, XLVI, XLVII, CF DICAS DE DIREITO PENAL Parte Geral - art. 5º, XXXIX, XL, XLII, XLIII, XLIV, XLV, XLVI, XLVII, CF - diferenciar meios de INTERPRETAÇÃO da lei penal e MEIOS DE INTEGRAÇÃO da lei penal - princípio da legalidade

Leia mais

REGIME PRISIONAL FECHADO NO DELITO DE TRÁFICO DE ENTORPECENTES. Autor: Fábio Soares Valera. Promotor de Justiça. Comarca de Araxá.

REGIME PRISIONAL FECHADO NO DELITO DE TRÁFICO DE ENTORPECENTES. Autor: Fábio Soares Valera. Promotor de Justiça. Comarca de Araxá. REGIME PRISIONAL FECHADO NO DELITO DE TRÁFICO DE ENTORPECENTES. Autor: Fábio Soares Valera. Promotor de Justiça. Comarca de Araxá. Em sede do julgamento do habeas corpus n. 97.256/RS, o Supremo Tribunal

Leia mais

GRUPO: ANEXO MINISTERIO PUBLICO DO TRABALHO DESCRIÇÃO

GRUPO: ANEXO MINISTERIO PUBLICO DO TRABALHO DESCRIÇÃO Informações para o Conselho Nacional do Ministério Público Abril/2010 GRUPO: ANEXO MINISTERIO PUBLICO DO TRABALHO DESCRIÇÃO I INQUÉRITOS CIVIS/ PROCEDIMENTOS PREPARATÓRIOS 0 1. INSTAURADOS: 0 2. ARQUIVADOS:

Leia mais

DIREITO PENAL APLICAÇÃO DA LEI PENAL

DIREITO PENAL APLICAÇÃO DA LEI PENAL DIREITO PENAL APLICAÇÃO DA LEI PENAL Súmula 711: A Lei penal mais grave aplica-se ao crime continuado ou ao crime permanente, se a sua vigência é anterior à cessação da continuidade ou da permanência.

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal AÇÃO CÍVEL ORIGINÁRIA 2.479 RIO DE JANEIRO RELATOR AUTOR(A/S)(ES) PROC.(A/S)(ES) RÉU(É)(S) PROC.(A/S)(ES) : MIN. ROBERTO BARROSO :MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL :PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA :MINISTÉRIO PÚBLICO

Leia mais

Direito Penal Dr. Caio Paiva Aprovado no Concurso para Defensor Público Federal

Direito Penal Dr. Caio Paiva Aprovado no Concurso para Defensor Público Federal Direito Penal Dr. Caio Paiva Aprovado no Concurso para Defensor Público Federal Escola Brasileira de Ensino Jurídico na Internet (EBEJI). Todos os direitos reservados. 1 Direito Penal Parte Especial do

Leia mais

Guarda Municipal de Fortaleza Direito Constitucional Segurança Pública Emilly Albuquerque

Guarda Municipal de Fortaleza Direito Constitucional Segurança Pública Emilly Albuquerque Guarda Municipal de Fortaleza Direito Constitucional Segurança Pública Emilly Albuquerque 2013 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. SEGURANÇA PÚBLICA Art. 144 CF Art.

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL Seção de São Paulo SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA STJ. Atualizado em 08/09/2015

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL Seção de São Paulo SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA STJ. Atualizado em 08/09/2015 SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA STJ Atualizado em 08/09/2015 RESOLUÇÃO STJ/GP N. 3 DE 5 DE FEVEREIRO DE 2015. Dispõe sobre o pagamento de custas judiciais e porte de remessa e retorno de autos no âmbito do

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO CURSO

PROGRAMAÇÃO DO CURSO DIREITO PENAL - PDF Duração: 09 semanas 01 aula por semana. Início: 04 de agosto Término: 06 de outubro Professor: JULIO MARQUETI PROGRAMAÇÃO DO CURSO DIA 04/08 - Aula 01 Aplicação da Lei Penal no tempo.

Leia mais

Monster. Concursos ABUSO DE AUTORIDADE

Monster. Concursos ABUSO DE AUTORIDADE Monster Concursos ABUSO DE AUTORIDADE AULÃO PM-MG 06/03/2015 ABUSO DE AUTORIDADE LEI Nº 4.898, DE 9 DE DEZEMBRO DE 1965. #AULÃO #AQUIÉMONSTER Olá Monster Guerreiro, seja bem-vindo ao nosso Aulão, como

Leia mais

QUESTÕES E PROCESSOS PARTE II

QUESTÕES E PROCESSOS PARTE II QUESTÕES E PROCESSOS INCIDENTES PARTE II INCOMPATIBILIDADES E IMPEDIMENTOS: ART. 112 CPP- DUAS HIPÓTESES: ABSTENÇÃO: ARGUIÇÃO PELA PARTE: PROCESSO ESTABELECIDO PARA EXCEÇÃO DE SUSPEIÇÃO. ART. 252 E 253

Leia mais

SUMÁRIO. Questões comentadas dos exames da OAB - 2ª edição

SUMÁRIO. Questões comentadas dos exames da OAB - 2ª edição SUMÁRIO Questões comentadas dos exames da OAB - 2ª edição Apresentação - Marco Antonio Araujo Junior Sobre os autores 1.1 Introdução princípios e poderes 1.2 Ato administrativo 1.3 Organização da Administração

Leia mais

GABARITO SIMULADO WEB 1

GABARITO SIMULADO WEB 1 GABARITO SIMULADO WEB 1 PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Deu-se início, no ano de 2014, à construção de um grande empreendimento imobiliário no Município de São Luiz, no Maranhão, pela Construtora

Leia mais

DISCIPLINA: DIREITO PENAL

DISCIPLINA: DIREITO PENAL ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO DISCIPLINA: DIREITO PENAL QUESTÃO Nº 109 Protocolo: 11913003657-0 Não existe qualquer erro material na questão. Nada a ser alterado. O recorrente

Leia mais

projeto de DIRETOR VLADIMIR PASSOS DE FREITAS VICE-DIRETOR ANTONIO CÉSAR BOCHENEK PRESIDENTE ERIVALDO RIBEIRO DOS SANTOS

projeto de DIRETOR VLADIMIR PASSOS DE FREITAS VICE-DIRETOR ANTONIO CÉSAR BOCHENEK PRESIDENTE ERIVALDO RIBEIRO DOS SANTOS JUSTIÇAFEDERAL AO DE ALCANCE TODOS projeto de social responsabilidade ESCOLA DA MAGISTRATURA FEDERAL DO PARANÁ Lider em Aprovação na Magistratuta Federal DIRETOR VLADIMIR PASSOS DE FREITAS VICE-DIRETOR

Leia mais

CAPÍTULO I DO SISTEMA NACIONAL DE ARMAS

CAPÍTULO I DO SISTEMA NACIONAL DE ARMAS Dispõe sobre registro, posse e comercialização de armas de fogo e munição, sobre o Sistema Nacional de Armas Sinarm, define crimes e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: CAPÍTULO I DO

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO

DIREITO ADMINISTRATIVO DIREITO ADMINISTRATIVO Aula 01 Servidores PúblicosP Profº.. Francisco De Poli de Oliveira 1. INTRODUÇÃO Trata o nosso estudo sobre os servidores públicos, quando abordaremos os elementos introdutórios

Leia mais

Justiça Militar estadual e Justiça de Transição. Necessidade de preservar a unidade e obediência das tropas que garantiam a dominação sobre a colônia.

Justiça Militar estadual e Justiça de Transição. Necessidade de preservar a unidade e obediência das tropas que garantiam a dominação sobre a colônia. Justiça Militar estadual e Justiça de Transição Justiça Militar no Império Conselho Supremo Militar e de Justiça Decreto de 1º de abril de 1808. Necessidade de preservar a unidade e obediência das tropas

Leia mais

JUSTIÇA MILITAR. ORGANIZAÇÃO E COMPETÊNCIA

JUSTIÇA MILITAR. ORGANIZAÇÃO E COMPETÊNCIA JUSTIÇA MILITAR. ORGANIZAÇÃO E COMPETÊNCIA CONFORMAÇÃO CONSTITUCIONAL Constituição Federal (OBS: o Decreto 4.346/02 exige o cumprimento do contraditório na apuração das infrações disciplinares) Art. 92.

Leia mais

PROCESSO PENAL - DPU. PONTO 1: Inquérito policial. PONTO 2: Ação Penal

PROCESSO PENAL - DPU. PONTO 1: Inquérito policial. PONTO 2: Ação Penal PROCESSO PENAL aula I Professor: David Data: 20.01.1020 PONTO 1: Inquérito policial PONTO 2: Ação Penal Artigos 4º a 23º do CPP 1. CONCEITO/NATUREZA. Trata-se de espécie de procedimento administrativo,

Leia mais

1. CRIMES CONTRA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

1. CRIMES CONTRA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 1 DIREITO PENAL PONTO 1: Crimes Contra a Administração Pública 1. CRIMES CONTRA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Crimes contra a Administração Pública impedem a progressão de regime sem a reparação do dano. A reparação

Leia mais

PROCESSO PENAL RESUMO DE PROCESSO PENAL 3 Rosivaldo Russo 1) AÇÃO PENAL: 2. INÍCIO DA AÇÃO PENAL

PROCESSO PENAL RESUMO DE PROCESSO PENAL 3 Rosivaldo Russo 1) AÇÃO PENAL: 2. INÍCIO DA AÇÃO PENAL PROCESSO PENAL RESUMO DE PROCESSO PENAL 3 Rosivaldo Russo 1) AÇÃO PENAL: 2. INÍCIO DA AÇÃO PENAL AÇÃO PENAL PÚBLICA tem início através de uma peça que se chama denúncia. Essa é a petição inicial dos crimes

Leia mais

Roteiro de Teses Defensivas OAB 2ª Fase Penal Vega Cursos Jurídicos

Roteiro de Teses Defensivas OAB 2ª Fase Penal Vega Cursos Jurídicos Roteiro de Teses Defensivas OAB 2ª Fase Penal Vega Cursos Jurídicos Prof. Sandro Caldeira Prezado(a) aluno(a), Na nossa primeira aula abordamos um roteiro de teses defensivas que iremos treinar durante

Leia mais

INSTITUIÇÕES DE DIREITO PUBLICO E PRIVADO MÓDULO 18 COMPETÊNCIA

INSTITUIÇÕES DE DIREITO PUBLICO E PRIVADO MÓDULO 18 COMPETÊNCIA INSTITUIÇÕES DE DIREITO PUBLICO E PRIVADO MÓDULO 18 COMPETÊNCIA Índice 1. Competência...3 1.1. Critérios Objetivos... 3 1.1.1. Critérios Subjetivos... 4 1.1.2. Competência Territorial... 4 2. Dos Processos...4

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL DANIELA MURARO DEFESA DO ESTADO E DAS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS

DIREITO CONSTITUCIONAL DANIELA MURARO DEFESA DO ESTADO E DAS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS DEFESA DO ESTADO E DAS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS 11.1 DEFINIÇÃO A Constituição de 1988, nos arts. 136 a 141, prescreve as regras relativas ao Estado de Defesa e ao Estado Sítio. São normas que visam à

Leia mais

C0NTEÚDO PROGRAMÁTICO CURSO TROPA DE ELITE POLÍCIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL

C0NTEÚDO PROGRAMÁTICO CURSO TROPA DE ELITE POLÍCIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL C0NTEÚDO PROGRAMÁTICO CURSO TROPA DE ELITE POLÍCIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL 1. CONHECIMENTOS GERAIS 1.1. LÍNGUA PORTUGUESA: 1. Compreensão e intelecção de textos. 2. Tipologia textual. 3. Ortografia

Leia mais

24º CONCURSO PÚBLICO PARA INGRESSO NA CARREIRA DO MPDFT CARGO: PROMOTOR DE JUSTIÇA ADJUNTO PROGRAMA DAS DISCIPLINAS D I R E I T O P E N A L

24º CONCURSO PÚBLICO PARA INGRESSO NA CARREIRA DO MPDFT CARGO: PROMOTOR DE JUSTIÇA ADJUNTO PROGRAMA DAS DISCIPLINAS D I R E I T O P E N A L MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO MINISTÉRIO PÚBLICO DO DISTRITO FEDERAL E TERRITÓRIOS PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA SECRETARIA DO CONSELHO SUPERIOR E COLÉGIO DE PROCURADORES E PROMOTORES 24º CONCURSO PÚBLICO

Leia mais

LIVRO VIII DA ÁREA ELEITORAL

LIVRO VIII DA ÁREA ELEITORAL LIVRO VIII DA ÁREA ELEITORAL Art. 512. O Ministério Público Eleitoral atua perante todas as instâncias e fases do processo eleitoral, na condição de parte ou de custos legis, com a mesma legitimidade assegurada

Leia mais

META 4. LEITURA OBRIGATÓRIA Legislação: CRFB/88, arts. 6 o 17; Doutrina: Direitos sociais; Nacionalidade; Direitos Políticos e Partidos Políticos.

META 4. LEITURA OBRIGATÓRIA Legislação: CRFB/88, arts. 6 o 17; Doutrina: Direitos sociais; Nacionalidade; Direitos Políticos e Partidos Políticos. META 4 LEITURA OBRIGATÓRIA Legislação: CRFB/88, arts. 6 o 17; Doutrina: Direitos sociais; Nacionalidade; Direitos Políticos e Partidos Políticos. EXERCÍCIO 1. (FGV - 2008 - Senado Federal - Policial Legislativo

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL VII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL VII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL O Estado KWY editou norma determinando a gratuidade dos estacionamentos privados vinculados a estabelecimentos comerciais, como supermercados, hipermercados, shopping

Leia mais

Remédio constitucional ou remédio jurídico, são meios postos à disposição dos indivíduos e cidadão para provocar a intervenção das autoridades

Remédio constitucional ou remédio jurídico, são meios postos à disposição dos indivíduos e cidadão para provocar a intervenção das autoridades Remédio constitucional ou remédio jurídico, são meios postos à disposição dos indivíduos e cidadão para provocar a intervenção das autoridades competentes, visando sanar ilegalidades ou abuso de poder

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO DISTRITO FEDERAL DOAÇÃO DE LIVROS

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO DISTRITO FEDERAL DOAÇÃO DE LIVROS MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO DISTRITO FEDERAL DOAÇÃO DE LIVROS Conforme dispõe a Instrução Normativa MPF/SG/SA nº 001/1993, os bens classificados como IRRECUPERÁVEIS poderão

Leia mais

LEI N.º 8.072, DE 25 DE JULHO DE 1990

LEI N.º 8.072, DE 25 DE JULHO DE 1990 LEI N.º 8.072, DE 25 DE JULHO DE 1990 O PRESIDENTE DA REPÚBLICA: LEI DOS CRIMES HEDIONDOS Dispõe sobre os crimes hediondos, nos termos do art. 5º, inciso XLIII, da Constituição Federal, e determina outras

Leia mais

A DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARANÁ RESOLVE TORNAR PÚBLICO:

A DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARANÁ RESOLVE TORNAR PÚBLICO: EDITAL N.º 010/2015 Processo seletivo para ingresso ao quadro de estagiários da Defensoria Pública do Estado do Paraná em Piraquara - PR A DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARANÁ RESOLVE TORNAR PÚBLICO:

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL IV

DIREITO PROCESSUAL PENAL IV AULA DIA 25/05/2015 Docente: TIAGO CLEMENTE SOUZA E-mail: tiago_csouza@hotmail.com DIREITO PROCESSUAL PENAL IV Procedimento Sumaríssimo (Lei 9.099/95) - Estabelece a possibilidade de conciliação civil,

Leia mais

No dia 29 de março de 2007, entrou em vigor a lei nº 11.464/07 que alterou a redação do artigo 2º, da lei nº 8.072, de 28 de julho de 1990.

No dia 29 de março de 2007, entrou em vigor a lei nº 11.464/07 que alterou a redação do artigo 2º, da lei nº 8.072, de 28 de julho de 1990. A NOVA DISCIPLINA DA PROGRESSÃO DE REGIME TRAZIDA PELA LEI Nº 11.464/07. MAURICIO MAGNUS FERREIRA JUIZ DE DIREITO DO TJ/RJ No dia 29 de março de 2007, entrou em vigor a lei nº 11.464/07 que alterou a redação

Leia mais

Professor Márcio Widal Direito Penal PRESCRIÇÃO

Professor Márcio Widal Direito Penal PRESCRIÇÃO PRESCRIÇÃO Professor Márcio Widal 1. Introdução. A perseguição do crime pelo Estado não pode ser ilimitada no tempo, por força, inclusive, da garantia da presunção de inocência. Além disso, o Estado deve

Leia mais

Lei nº, Janeiro e dá outras providências. A Assembléia Legislativa decreta. Título I DISPOSIÇÕES GERAIS

Lei nº, Janeiro e dá outras providências. A Assembléia Legislativa decreta. Título I DISPOSIÇÕES GERAIS Lei nº, Dispõe sobre a organização judiciária do Estado do Rio de Janeiro e dá outras providências. A Assembléia Legislativa decreta Título I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Esta Lei dispõe sobre a organização

Leia mais