ANÁLISE DE RISCOS GEOTÉCNICOS NA IDENTIFICAÇÃO DE ÁREAS NECESSÁRIAS À PRESERVAÇÃO AMBIENTAL E PROPÍCIAS À EXPANSÃO URBANA EM BOM SUCESSO-MG

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANÁLISE DE RISCOS GEOTÉCNICOS NA IDENTIFICAÇÃO DE ÁREAS NECESSÁRIAS À PRESERVAÇÃO AMBIENTAL E PROPÍCIAS À EXPANSÃO URBANA EM BOM SUCESSO-MG"

Transcrição

1 ANÁLISE DE RISCOS GEOTÉCNICOS NA IDENTIFICAÇÃO DE ÁREAS NECESSÁRIAS À PRESERVAÇÃO AMBIENTAL E PROPÍCIAS À EXPANSÃO URBANA EM BOM SUCESSO-MG A Geotechnical Hazards Analysis to Distinguish Areas that Need Environmental Protection from Areas Suitable for Urban Growth in Bom Sucesso, MG, Brazil Maisa Silveira Resende 1,1 Ana Clara Mourão Moura 1,2 Maria Giovanna Parizzi 2,1 Grazielle Anjos Carvalho 2,2 Universidade Federal de Minas Gerais UFMG ¹Escola de Arquitetura Rua Paraíba, Belo Horizonte-MG, Brasil 2 ²Instituto de Geociências IGC Av. Antônio Carlos, Belo Horizonte-MG, Brasil RESUMO Este artigo apresenta uma metodologia de análise de riscos geotécnicos como subsídio à tomada de decisões no planejamento urbano do município de Bom Sucesso, Minas Gerais, Brasil. O objetivo dessa análise é auxiliar os planejadores urbanos visto que as dinâmicas de ocupação do município vêm ocorrendo de forma conflitante com os valores ambientais. Nesse intuito, a análise de riscos geotécnicos foi desenvolvida, por meio de modelos de análise espacial, com vistas a identificar as áreas que necessitam de preservação ambiental assim como as que são propícias à expansão urbana. Esta metodologia tem como ponto de partida a organização da base cartográfica em plataforma de Sistemas de Informação Geográfica (SIG), a partir da qual quatro cartas temáticas foram elaboradas. Em seguida, como condição para a aplicação do modelo de análise multicritérios, os mapas que possuíam extensão vetorial foram convertidos em formato matricial. A aplicação dessa metodologia de análise espacial apoiada pelo geoprocessamento possibilita a identificação de áreas homogêneas segundo padrões de risco. Conclui-se, portanto, que esta proposta metodológica é aplicável a outros municípios, pois os resultados obtidos são um importante parâmetro para a definição de políticas urbanas de expansão e de controle de áreas não adequadas à ocupação. Palavras chaves: Sistemas de Informação Geográfica (SIG), Análise Multicritérios, Planejamento Urbano. ABSTRACT This paper presents a methodology of geotechnical hazards analysis to aid in spatial decision making for urban planning at the municipality of Bom Sucesso, Minas Gerais, Brazil. The objective of this analysis is to assist the urban decision makers since the dynamics of dwelling at this municipality have occurred in a conflicting way with the environmental values. The geotechnical hazards analysis was therefore developed by means of spatial analysis models to distinguish areas that need environmental protection from areas suitable for urban growth. The starting point for this methodology was the structuring of a cartographic database in a Geographic Information Systems (GIS) platform from which four thematic maps were elaborated. Then, these maps were converted from features to raster in order to apply the multicriteria analysis model. The application of this spatial analysis model supported by GIS platform makes it possible to classify homogeneous areas according to hazards patterns. It is concluded that this methodology is an assay applicable to other municipalities as the obtained results are an important factor for the development of urban growth and environmental protection policies. Keywords: Geographic Information Systems (GIS), Multicriteria Analysis, Urban Planning.

2 1. INTRODUÇÃO A ocupação inicial do município de Bom Sucesso - MG foi motivada pela presença de valores ambientais relacionados à confluência de cursos d água e à delimitação por cadeia de montanhas. A paisagem que recebeu a ocupação antrópica é composição notável, contudo é o principal motivo de conflito no crescimento urbano. Nesse contexto e antevendo as possíveis consequências da evolução dessa dinâmica de ocupação territorial, foi desenvolvido um estudo de caso, piloto no município, cuja metodologia é baseada na aplicação de análises espaciais apoiada pelas tecnologias do geoprocessamento. A análise de riscos geotécnicos é parte integrante desse estudo de caso, cujo objetivo é a caracterização da paisagem do município com vistas a identificar as áreas de necessidade de preservação ambiental assim como as áreas de interesse para a expansão urbana. Primeiramente, para embasar a análise de riscos, buscou-se a compreensão conceitual do termo risco. Cerri e Amaral (1998) definem o conceito de risco como sendo a possibilidade de ocorrência de um acidente. Além disso, segundo White et al. (2001), os riscos naturais estão intrinsecamente ligados ao uso dos recursos naturais e às transformações dos sítios pela sociedade. No que diz respeito à correlação entre as atividades de ocupação e a susceptibilidade dos terrenos quanto aos riscos, Carvalho (2001) completa que a cidade indiferente à geologia é por ela desenhada nos efeitos colaterais negativos. Visto isso, a elaboração das análises de riscos geotécnicos para Bom Sucesso parte da caracterização do relevo do município, por meio da organização de uma base cartográfica composta por dados que representam as Unidades Geológicas, os Solos, as Faixas Altimétricas e as Faixas de Declividades. As referidas cartas temáticas foram elaboradas por meio da utilização de Sistemas de Informação Geográfica (SIG), os quais, de acordo com Moura (2005), têm-se tornado o principal instrumento de planejamento urbano por possibilitar um retrato mais fiel de sua complexidade e permitir a integração de análises por disciplinas diversas. Como o intuito do estudo de caso para o município é a identificação das áreas potenciais para a transformação urbana e das áreas necessárias à preservação ambiental, compõem a análise de riscos geotécnicos duas sínteses de riscos, uma prioriza o interesse urbano e a outra, o ambiental. Para complementar os resultados dessa análise, os tipos de solo presentes no município foram classificados em relação à profundidade das fundações e à susceptibilidade à erosão e ao escorregamento. 2. METODOLOGIA A fim de construir as sínteses sobre os riscos geotécnicos de modo a identificar as áreas necessárias à preservação ambiental bem como as áreas com potencial para a ocupação urbana, foi elaborada em plataforma SIG uma base cartográfica que teve como fonte, para a elaboração da carta temática das Unidades Geológicas de Bom Sucesso, o mapeamento geológico do Estado de Minas Gerais, produzido pela Companhia de Pesquisa e Recursos Minerais (CPRM, 2007); a carta dos Solos de Bom Sucesso é oriunda do Mapa de Solos do Estado de Minas Gerais, o qual é resultado da parceria entre as Universidades Federais de Viçosa (UFV) e de Lavras (UFLA), Fundação Estadual do Meio Ambiente (FEAM) e Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais (CETEC, 2010). Além dessas duas cartas foram elaboradas, através de modelos de análise espacial 3D a partir da camada Digital Elevation Model (DEM) de imagens ASTER (NASA, 2010), as cartas referentes às Faixas Altimétricas e às Faixas de Declividades. Para a execução da proposta metodológica, foi utilizado o software ArcGIS (ESRI, 2012). A análise de riscos geotécnicos foi elaborada a partir de modelos de análise multicritérios. As variáveis, mapeadas inicialmente sob a forma de cartas temáticas, foram selecionadas e, como condição para a aplicação desses modelos, as variáveis que possuíam extensão vetorial foram convertidas em formato matricial tal procedimento otimiza o futuro cruzamento dos dados. Em seguida, foram definidas as dimensões da área de trabalho, abrangendo o entorno da mancha urbana; e a resolução das análises foi adotado valor de pixel 25 metros para a unidade territorial de integração dos dados, porquanto a resposta por unidade de área de 25 por 25 metros é suficiente para o estudo. Após os referidos passos, as variáveis foram combinadas por análise multicritérios. O procedimento de álgebra de mapas escolhido foi a média ponderada. Cada variável foi ponderada pelo método de avaliação "knowledge driven evaluation". Moura (2005) explica ser esse método uma consulta a especialistas conhecedores dos fenômenos e das variáveis da situação avaliada. De acordo com o grau de pertinência referente ao interesse analisado, atribuiu-se pesos, que totalizam 100%, a cada variável combinada e, internamente, foram atribuídas notas aos seus componentes de legenda, em uma escala que varia entre 0 e 10. Para compor as sínteses dos riscos geotécnicos, foram elaboradas as árvores de decisão das figuras 1 e 2. Elas demonstram como as variáveis foram combinadas, os pesos e as notas atribuídas aos seus componentes de legenda, de acordo com o interesse em análise.

3 PVd 1 7 PVAd 9 8 LVd 2 4 Solos 40% LVAd 1 4 LVAd 15 7 LVAd 23 7 LVAd % % 0 Faixas de Declividades 30% % % 7 > 47 % 7 RISCOS GEOTÉCNICOS INTERESSE AMBIENTAL m m m 0 Faixas Altimétricas 20% m m m m m m 10 Grupo 1 2 Unidades Geológicas 10% Grupo 3 6 Grupo 4 5 Grupo 7 3 Grupo 8 8 Fig. 1 - Árvore de decisão elaborada para compor a síntese de riscos geotécnicos de acordo com o interesse ambiental.

4 0 5 % % 10 Faixas de Declividades 40% % % 3 > 47 % 0 Grupo 1 8 Grupo 3 4 Unidades Geológicas 30% Grupo 4 5 Grupo 7 7 Grupo 8 2 PVd 1 6 RISCOS GEOTÉCNICOS INTERESSE URBANO PVAd 9 6 LVd 2 8 Solos 20% LVAd 1 8 LVAd 15 6 LVAd 23 6 LVAd m m m 10 Faixas Altimétricas 10% m m m m m m 0 Fig. 2 - Árvore de decisão elaborada para compor a síntese de riscos geotécnicos de acordo com o interesse urbano.

5 2.1 Síntese De Riscos Geotécnicos Interesse Ambiental Essa síntese foi desenvolvida tendo em vista a necessidade de proteção de algumas áreas devido aos riscos oferecidos à ocupação urbana. As notas foram atribuídas aos componentes de legenda das variáveis destacando com valores elevados os elementos que oferecem maior risco, portanto, com maior necessidade de preservação. As notas com valores menos elevados foram atribuídas aos elementos que significam riscos menores ou ínfimos. Os componentes de legenda da variável Unidades Geológicas foram agrupados e avaliados por meio de estudo comparativo com o Mapa de unidades geotécnicas da Região Metropolitana de Belo Horizonte (Moura et al., 2010). Por sua vez, os tipos de solo encontrados no município foram avaliados baseando-se no manual produzido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE, 2007). Os pesos atribuídos a cada variável retratam a importância relativa que cada uma delas apresenta na análise. No que concerne a uma análise ambiental, as consideradas de maior importância relativa, ou seja, as que necessitam de prioridade para a proteção ambiental são as variáveis que representam os Solos, com peso 40%, e as Faixas de Declividades, com peso 30%; seguidas das Faixas Altimétricas, que receberam peso 20%, e das Unidades Geológicas, peso 10%. 2.2 Síntese de Riscos Geotécnicos Interesse Urbano Essa síntese tem como objetivo o controle de áreas não adequadas à ocupação urbana. Considerando os riscos oferecidos, tal síntese foi desenvolvida com base no potencial de uso relacionado à ocupação de cada área. Assim, as notas foram atribuídas aos componentes de legenda das respectivas variáveis em ordem de potencial. Os componentes com maior potencial de uso receberam notas de valores elevados. Os menores valores foram atribuídos aos que possuem menor potencial de uso, por conseguinte, menos adequados à ocupação urbana. Os componentes de legenda das variáveis Unidades Geológicas e Solos também foram avaliados de acordo com os estudos desenvolvidos por Moura et al. (2010) e IBGE (2007), respectivamente. As Faixas Altimétricas e as Faixas de Declividades foram avaliadas de acordo com os riscos de inundação e quanto ao grau de dificuldade para a implantação de sistema de drenagem de água pluvial e de sistema de esgotamento sanitário. As faixas cujas notas possuem valores menores são as que representam maiores riscos e maior grau de dificuldade. Em relação às declividades, as faixas pertencentes às referidas na Lei 6.766/79 superiores a 30% de inclinação também receberam as menores notas por serem consideradas inadequadas à ocupação. As ponderações foram atribuídas às variáveis de acordo com o grau de relevância apresentado por cada uma, referentemente ao parcelamento do solo. Analisada a importância que cada variável apresenta às atividades de expansão urbana, elas foram, assim, avaliadas. A variável que representa as Faixas de Declividades recebeu peso 40%; seguida das Unidades Geológicas, com peso 30%; os Solos receberam 20%; e as Faixas Altimétricas, 10%. 2.3 Avaliação dos Solos A fim de informar as tipologias de fundações mais adequadas a cada tipo de solo presente em Bom Sucesso bem como identificar a susceptibilidade dos solos quanto aos processos erosivos e de escorregamento, cada solo foi avaliado de acordo com a profundidade das fundações e com a estabilidade em relação aos processos de erosão e de escorregamento. Em uma escala que varia entre 3 e 9, as maiores notas foram atribuídas aos solos onde há a possibilidade de fundação menos profunda a direta, devido à proximidade do maciço rochoso onde os solos são menos espessos; as menores notas foram atribuídas aos solos onde as fundações devem ser mais profundas onde os solos são mais espessos. Em relação aos processos erosivos e de escorregamento, as maiores notas foram atribuídas aos tipos de solo que possuem maior estabilidade quanto ao processo em análise, logo, as menores notas foram atribuídas aos solos mais susceptíveis a esses processos. 3. RESULTADOS OBTIDOS A construção das sínteses de acordo com os interesses ambiental e urbano resultou na classificação em risco remoto, baixo, moderado, alto e muito alto, como pode ser conferido na figura 3. As áreas de risco considerado alto ou muito alto são as áreas que apresentam maior necessidade de preservação ambiental; em contrapartida, as áreas de risco considerado baixo ou remoto são as áreas que possuem maior potencial para a expansão urbana. Associado ao resultado das sínteses, pode ser apresentado, na figura 4, o resultado da avaliação dos solos quanto à profundidade das fundações e à susceptibilidade aos processos erosivos e de escorregamento. De acordo com os valores atribuídos, a profundidade das fundações foi classificada em rasa, média e profunda; a susceptibilidade dos solos à erosão e ao escorregamento foi classificada em baixa, média a baixa, média e média a alta.

6 Fig. 3 - Mapas resultantes das sínteses dos riscos geotécnicos de acordo com os interesses ambiental e urbano. Fig. 4 - Mapas resultantes da classificação dos solos quanto à profundidade das fundações e quanto à susceptibilidade aos processos erosivos e de escorregamento. (Ampliados para ressaltar a área urbana e seu entorno)

7 4. CONCLUSÃO Os resultados apresentados a partir da elaboração das sínteses de riscos geotécnicos possibilitam a identificação de áreas homogêneas segundo padrões de risco; e, os apresentados a partir da elaboração das cartas temáticas, oriundas da classificação dos solos em relação à profundidade das fundações e à susceptibilidade dos solos quanto aos processos erosivos e de escorregamento, auxiliam na escolha de técnicas construtivas assim como viabilizam a identificação da estabilidade dos solos. De acordo com Moura (2005), esses resultados são um importante parâmetro para a definição de políticas urbanas de expansão da ocupação ou de controle de áreas não adequadas à ocupação urbana. Haja vista a dinâmica de ocupação no município de Bom Sucesso, que vem ocorrendo de forma conflitante com os aspectos ambientais e, por conseguinte, modificando a paisagem e expondo-a a processos geradores de risco, é fundamental, como auxílio ao processo de tomada de decisões no planejamento urbano, a caracterização dos elementos formadores da paisagem assim como dos possíveis riscos gerados pelas suas transformações, de forma a evitar os efeitos danosos ao meio ambiente e à sociedade. Associada à importância das análises multicritérios que originaram as sínteses de riscos geotécnicos, encontrase a produção das cartas temáticas, as quais revelam de forma eficaz as dimensões geográficas dos fenômenos analisados. Cabe ressaltar que a caracterização dos elementos formadores da paisagem não seria eficiente sem o uso do mapeamento geográfico, sobretudo o realizado em plataformas SIG, que possibilitam a constante atualização de dados e informações espaciais capazes de acompanhar os processos dinâmicos das atividades de ocupação e uso do solo. Visto isso, é possível concluir que análises como as que foram desenvolvidas para o município de Bom Sucesso são de suma importância além de serem aplicáveis a outros municípios, pois podem ser diretamente incorporadas aos instrumentos necessários à construção de políticas urbanas de uso e ocupação do solo. A fim de viabilizar essa incorporação, é preciso que os planejadores urbanos façam uso das análises espaciais a partir das ferramentas oferecidas pelas geotecnologias e, constantemente, atualizem os dados e informações para garantir efetividade aos resultados. Somente dessa forma, as análises espaciais poderão ser amplamente empregadas e os resultados, aplicados ao planejamento urbano. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BRASIL. Lei n 6.766, de 19 de dezembro de Dispõe sobre o parcelamento do solo urbano e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF. Capítulo I, Art 3, Parágrafo único. CARVALHO, E. T., Geologia urbana para todos: uma visão de Belo Horizonte. 2ª edição, Belo Horizonte, Brasil, 176 páginas. CERRI, L.E.S.; AMARAL, C.P., Riscos Geológicos. In: Oliveira, A.M.S.; Brito, S.N.A. (Org). Geologia de Engenharia. São Paulo, Brasil, p IBGE,2007. Manual Técnico de Pedologia. Manuais técnicos em geociências. n 4. 2ª edição, Rio de Janeiro, Brasil. MOURA, A. C. M., Geoprocessamento na gestão e planejamento urbano. 2ª edição, Belo Horizonte, Brasil, 294 páginas. MOURA, A. C. M.; MAGALHÃES, D. M.; MEMÓRIA, E.; PARIZZI, M. G., Mapa de unidades geotécnicas da Região Metropolitana de Belo Horizonte. PDDI-RMBH. Belo Horizonte, Brasil. WHITE, G. F.; KATES, R. K.; BURTON, I., Knowing Better and Losing even more: the use of knowledge in hazards management. Environmental Hazards, Vol. 3, pp

ANÁLISE DE VULNERABILIDADE À EROSÃO NA MICROBACIA DO RIO BRUMADO (BA) COM EMPREGO DE GEOTECNOLOGIAS

ANÁLISE DE VULNERABILIDADE À EROSÃO NA MICROBACIA DO RIO BRUMADO (BA) COM EMPREGO DE GEOTECNOLOGIAS ANÁLISE DE VULNERABILIDADE À EROSÃO NA MICROBACIA DO RIO BRUMADO (BA) COM EMPREGO DE GEOTECNOLOGIAS Passos, N.O. (UFBA) ; Melo, D.H.C.T.B. (UFBA) RESUMO Apresenta-se os principais resultados obtidos na

Leia mais

Natália da Costa Souza. Ana Paula Camargo Larocca

Natália da Costa Souza. Ana Paula Camargo Larocca USO DE GEOTECNOLOGIAS APLICADO AO ESTUDO DA SUSCETIBILIDADE E ANÁLISE DE RISCO DE PROCESSOS EROSIVOS EM FAIXAS DE DOMÍNIO DE LINHAS FÉRREAS - SUBSÍDIO AOS PROCESSOS DE LICENCIAMENTO OPERACIONAL E AMBIENTAL

Leia mais

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / DIURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / DIURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / DIURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: CARTOGRAFIA E TOPOGRAFIA CÓDIGO: CRT003 CLASSIFICAÇÃO: Obrigatória PRÉ-REQUISITO: não tem CARGA HORÁRIA: TÉORICA : 30 horas

Leia mais

DEFINIÇÃO DE ÁREAS POTENCIAIS AO RISCO DE DESLIGAMENTO DE LINHAS DE TRANSMISSÃO DEVIDO A INCÊNDIOS - PLANEJAMENTO E CRITÉRIOS DE MANUTENÇÃO

DEFINIÇÃO DE ÁREAS POTENCIAIS AO RISCO DE DESLIGAMENTO DE LINHAS DE TRANSMISSÃO DEVIDO A INCÊNDIOS - PLANEJAMENTO E CRITÉRIOS DE MANUTENÇÃO DEFINIÇÃO DE ÁREAS POTENCIAIS AO RISCO DE DESLIGAMENTO DE LINHAS DE TRANSMISSÃO DEVIDO A INCÊNDIOS - PLANEJAMENTO E CRITÉRIOS DE MANUTENÇÃO Giovani Eduardo Braga(1) Leonardo Santana O. Dias(2) Carlos Alberto

Leia mais

Análise dos Indicadores de Sustentabilidade na Cidade de Serafina Corrêa - RS

Análise dos Indicadores de Sustentabilidade na Cidade de Serafina Corrêa - RS Análise dos Indicadores de Sustentabilidade na Cidade de Serafina Corrêa - RS Daniela Maroni (1) Denize Fabiani (2) Malu Durante (3) Tatiana Chiodi (4) (1) Aluna da Escola de Arquitetura e Urbanismo, IMED,

Leia mais

MOURA, ANA CLARA MOURÃO. (1); SANTA CECÍLIA, BRUNO LUIZ COUTINHO. (2); PONTES, MATEUS MOREIRA (3)

MOURA, ANA CLARA MOURÃO. (1); SANTA CECÍLIA, BRUNO LUIZ COUTINHO. (2); PONTES, MATEUS MOREIRA (3) O geoprocessameto como ferramenta para tomada de decisões em disciplinas de projetos de Arquitetura e Urbanismo: uma experiência metodológica interdisciplinar MOURA, ANA CLARA MOURÃO. (1); SANTA CECÍLIA,

Leia mais

Relatório Técnico-Executivo Referente aos Serviços Prestados pela UNESP/FEG através Empresa JR. ENG

Relatório Técnico-Executivo Referente aos Serviços Prestados pela UNESP/FEG através Empresa JR. ENG Relatório Técnico-Executivo Referente aos Serviços Prestados pela UNESP/FEG através Empresa JR. ENG Este relatório tem como objetivo apresentar as atividades executadas pelo grupo de pesquisa da Faculdade

Leia mais

ANALISE TEMPORAL DA EVOLUÇÃO URBANA DO MUNICÍPIO DE NITERÓI RJ, USANDO O PROGRAMA SPRING.

ANALISE TEMPORAL DA EVOLUÇÃO URBANA DO MUNICÍPIO DE NITERÓI RJ, USANDO O PROGRAMA SPRING. ANALISE TEMPORAL DA EVOLUÇÃO URBANA DO MUNICÍPIO DE NITERÓI RJ, USANDO O PROGRAMA SPRING. RODRIGUES, Caroline Gomes 1, COSTA, Bruno Lopes ², CORREIA, Mariana Ribeiro³ 1 Universidade do Estado do Rio de

Leia mais

ambientes de topografia mais irregular são mais vulneráveis a qualquer tipo de interferência. Nestes, de acordo com Bastos e Freitas (2002), a

ambientes de topografia mais irregular são mais vulneráveis a qualquer tipo de interferência. Nestes, de acordo com Bastos e Freitas (2002), a 1. INTRODUÇÃO Muitas e intensas transformações ambientais são resultantes das relações entre o homem e o meio em que ele vive, as quais se desenvolvem num processo histórico. Como reflexos dos desequilíbrios

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE TÉCNICAS DE GEOPROCESSAMENTO COMO FERRAMENTA PARA DELIMITAÇÃO DE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE NO MUNICÌPIO DE BRASÓPOLIS MG.

UTILIZAÇÃO DE TÉCNICAS DE GEOPROCESSAMENTO COMO FERRAMENTA PARA DELIMITAÇÃO DE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE NO MUNICÌPIO DE BRASÓPOLIS MG. UTILIZAÇÃO DE TÉCNICAS DE GEOPROCESSAMENTO COMO FERRAMENTA PARA DELIMITAÇÃO DE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE NO MUNICÌPIO DE BRASÓPOLIS MG. PEDRO HENRIQUE BAÊTA ANGELINI 1, ROSÂNGELA ALVES TRISTÃO BORÉM

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DE VALES INTRAMONTANOS DA SERRA DA BOCAINA, DIVISA ENTRE OS ESTADOS DO RIO DE JANEIRO E SÃO PAULO

CLASSIFICAÇÃO DE VALES INTRAMONTANOS DA SERRA DA BOCAINA, DIVISA ENTRE OS ESTADOS DO RIO DE JANEIRO E SÃO PAULO CLASSIFICAÇÃO DE VALES INTRAMONTANOS DA SERRA DA BOCAINA, Ferraz, D. 1 ; Cronemberg, F. 2 ; Vicens, R. 3 ; 1 UFF Email:debora.ferraz93@gmail.com; 2 UFF Email:felipecron@gmail.com; 3 UFF Email:rsvicens@gmail.com;

Leia mais

GEOPROCESSAMENTO COMO INSTRUMENTO DE ANÁLISE NOS IMPACTOS AMBIENTAIS: MINERADORA CAMPO GRANDE TERENOS/MS.

GEOPROCESSAMENTO COMO INSTRUMENTO DE ANÁLISE NOS IMPACTOS AMBIENTAIS: MINERADORA CAMPO GRANDE TERENOS/MS. GEOPROCESSAMENTO COMO INSTRUMENTO DE ANÁLISE NOS IMPACTOS AMBIENTAIS: MINERADORA CAMPO GRANDE TERENOS/MS. CÁSSIO SILVEIRA BARUFFI(1) Acadêmico de Engenharia Sanitária e Ambiental, Universidade Católica

Leia mais

CAPACITAÇÃO PARA IMPLANTAÇÃO DE CADASTRO TÉCNICO MULTIFINALITÁRIO EM MUNICÍPIOS DA PARAÍBA

CAPACITAÇÃO PARA IMPLANTAÇÃO DE CADASTRO TÉCNICO MULTIFINALITÁRIO EM MUNICÍPIOS DA PARAÍBA CAPACITAÇÃO PARA IMPLANTAÇÃO DE CADASTRO TÉCNICO MULTIFINALITÁRIO EM MUNICÍPIOS DA PARAÍBA XAVIER, Ana Paula Campos 1 COSTA, Antônio Carlos Brito Vital 2 DANTAS, José Carlos 3 OLIVEIRA, Nádja Melo 4 SILVA,

Leia mais

Rafael Galvan Barbosa Ferraz 1 Carla Maria Maciel Salgado 1 Reginaldo Brito da Costa 1

Rafael Galvan Barbosa Ferraz 1 Carla Maria Maciel Salgado 1 Reginaldo Brito da Costa 1 Análise de Uso do Solo e Topografia do Município de Dois Irmãos de Buriti para elaboração de uma proposta de criação de Área de Proteção Ambiental (APA) Rafael Galvan Barbosa Ferraz 1 Carla Maria Maciel

Leia mais

DELIMITAÇÃO DAS ÁREAS DE PROTEÇÃO PERMANENTE DA BACIA HIDROGRÁFICA DO JI-PARANÁ

DELIMITAÇÃO DAS ÁREAS DE PROTEÇÃO PERMANENTE DA BACIA HIDROGRÁFICA DO JI-PARANÁ DELIMITAÇÃO DAS ÁREAS DE PROTEÇÃO PERMANENTE DA BACIA HIDROGRÁFICA DO JI-PARANÁ JULIA S. MELLO 1 ; DANIEL de C. VICTORIA 2 Nº 10505 RESUMO Sistemas de Informação Geográfica (SIG) são importantes ferramentas

Leia mais

1. Título do Empreendimento Apoio aos Municípios da UGRHI-11 para Planos Preventivos de Defesa Civil Fase II

1. Título do Empreendimento Apoio aos Municípios da UGRHI-11 para Planos Preventivos de Defesa Civil Fase II 1. Título do Empreendimento Apoio aos Municípios da UGRHI-11 para Planos Preventivos de Defesa Civil Fase II 2. Localização geográfica Toda a área da UGRHI-11 - Bacia Hidrográfica do Ribeira de Iguape

Leia mais

ESTUDO DE EROSÃO DOS SOLOS NA ÁREA DO MÉDIO ALTO CURSO DO RIO GRANDE, REGIÃO SERRANA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

ESTUDO DE EROSÃO DOS SOLOS NA ÁREA DO MÉDIO ALTO CURSO DO RIO GRANDE, REGIÃO SERRANA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ESTUDO DE EROSÃO DOS SOLOS NA ÁREA DO MÉDIO ALTO CURSO DO Calderano Filho, B. 1 ; Carvalho Júnior, W. 2 ; Calderano, S.B. 3 ; Guerra, A.J.T. 4 ; Polivanov, H. 5 ; 1 EMBRAPA_CNPS Email:bccalder@gmail.com;

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA Jugurta Lisboa Filho Departamento de Informática Universidade Federal de Viçosa (MG) jugurta@dpi.ufv.br Universidade Federal de Viçosa Departamento de Informática Tópicos

Leia mais

a) Título do Empreendimento Levantamento e monitoramento de áreas de risco na UGRHI-11 e apoio à Defesa Civil

a) Título do Empreendimento Levantamento e monitoramento de áreas de risco na UGRHI-11 e apoio à Defesa Civil a) Título do Empreendimento Levantamento e monitoramento de áreas de risco na UGRHI-11 e apoio à Defesa Civil b) Localização geográfica Toda a área da UGRHI-11 - Bacia Hidrográfica do Ribeira de Iguape

Leia mais

OBTENÇÃO DE IMAGEM DO GOOGLE EARTH PARA CLASSIFICAÇÃO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO

OBTENÇÃO DE IMAGEM DO GOOGLE EARTH PARA CLASSIFICAÇÃO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO OBTENÇÃO DE IMAGEM DO GOOGLE EARTH PARA CLASSIFICAÇÃO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO ROGER TORLAY 1 ; OSVALDO T. OSHIRO 2 N 10502 RESUMO O sensoriamento remoto e o geoprocessamento trouxeram importantes avanços

Leia mais

USO E COBERTURA DAS TERRAS NA ÁREA DE ENTORNO DO RESERVATÓRIO DA USINA HIDRELÉTRICA DE TOMBOS (MG)

USO E COBERTURA DAS TERRAS NA ÁREA DE ENTORNO DO RESERVATÓRIO DA USINA HIDRELÉTRICA DE TOMBOS (MG) USO E COBERTURA DAS TERRAS NA ÁREA DE ENTORNO DO Calderano Filho, B. 1 ; Carvalho Junior, W. 2 ; Prado, R.B. 3 ; Calderano, S.B. 4 ; 1 EMBRAPA - CNPS Email:braz.calderano@embrapa.br; 2 EMBRAPA- CNPS Email:waldir.carvalho@embrapa.br;

Leia mais

ESTUDO SOBRE O POTENCIAL DE UTILIZAÇÃO DA ENERGIA EÓLICA PARA SISTEMAS DE IRRIGAÇÃO LOCALIZADOS NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO JAGUARIBE

ESTUDO SOBRE O POTENCIAL DE UTILIZAÇÃO DA ENERGIA EÓLICA PARA SISTEMAS DE IRRIGAÇÃO LOCALIZADOS NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO JAGUARIBE ESTUDO SOBRE O POTENCIAL DE UTILIZAÇÃO DA ENERGIA EÓLICA PARA SISTEMAS DE IRRIGAÇÃO LOCALIZADOS NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO JAGUARIBE A. C. Praciano 1 ; R. A. de O. Leão 2 ; D. Albiero 3 ; L. de A. Monteiro

Leia mais

Ordilei Aparecido Gaspar de Melo¹ Manoel Luiz dos Santos²

Ordilei Aparecido Gaspar de Melo¹ Manoel Luiz dos Santos² Ordilei Aparecido Gaspar de Melo¹ Manoel Luiz dos Santos² ¹UNIMEO/CTESOP UEM Professor da Faculdade UNIMEO/CTESOP-Assis Chateaubriand/PR Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Geografia PGE-UEM ordmelo@hotmail.com

Leia mais

Relações mais harmoniosas de convívio com a natureza; O mundo como um modelo real que necessita de abstrações para sua descrição; Reconhecimento de

Relações mais harmoniosas de convívio com a natureza; O mundo como um modelo real que necessita de abstrações para sua descrição; Reconhecimento de Relações mais harmoniosas de convívio com a natureza; O mundo como um modelo real que necessita de abstrações para sua descrição; Reconhecimento de padrões espaciais; Controle e ordenação do espaço. Técnicas

Leia mais

Proposta para implantação e utilização de gerenciador corporativo de imagens georreferenciadas na CEMIG

Proposta para implantação e utilização de gerenciador corporativo de imagens georreferenciadas na CEMIG 06 a 10 de Outubro de 2008 Olinda - PE Proposta para implantação e utilização de gerenciador corporativo de imagens georreferenciadas na CEMIG Carlos Alberto Moura Ricardo Crispim Costa Fernando Iran Fonseca

Leia mais

Utilização de SIG aliado ao sistema de gestão ambiental em cursos d água urbanos.

Utilização de SIG aliado ao sistema de gestão ambiental em cursos d água urbanos. Utilização de SIG aliado ao sistema de gestão ambiental em cursos d água urbanos. AUTORES: Reginal Exavier¹, Elizabeth Rodrigues Brito Ibrahim² ¹Graduado no curso de Engenharia Ambiental e Sanitária pelo

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL Conteúdo Programático 1) Gestão Ambiental e Desenvolvimento Sustentável: Conceitos Básicos (12 h) - Principais questões ambientais no Brasil e no mundo. - Conceitos

Leia mais

Palavras chave Sistema de Informações Geográficas, Banco de Dados, Geoprocessamento

Palavras chave Sistema de Informações Geográficas, Banco de Dados, Geoprocessamento IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS PARA O MUNICÍPIO DE TERESÓPOLIS, EM LABORATÓRIO DO UNIFESO José Roberto de C. Andrade Professor do Centro de Ciências e Tecnologia, UNIFESO Sergio Santrovitsch

Leia mais

O GEOPROCESSAMENTO E O PLANEJAMENTO TERRITORIAL DE POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS: A DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DAS ESCOLAS ESTADUAIS EM CAMPINA GRANDE-PB

O GEOPROCESSAMENTO E O PLANEJAMENTO TERRITORIAL DE POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS: A DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DAS ESCOLAS ESTADUAIS EM CAMPINA GRANDE-PB O GEOPROCESSAMENTO E O PLANEJAMENTO TERRITORIAL DE POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS: A DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DAS ESCOLAS ESTADUAIS EM CAMPINA GRANDE-PB Erbeth Yuri dos Santos Nascimento¹, Antônio Pereira

Leia mais

O USO DE CARTAS TOPOGRÁFICAS E IMAGENS DO GOOGLE EARTH EM ESTUDOS DE IDENTIFICAÇÃO DE TURFAS NOS MUNICIPIOS DE GUARAPUAVA E PINHÃO-PR

O USO DE CARTAS TOPOGRÁFICAS E IMAGENS DO GOOGLE EARTH EM ESTUDOS DE IDENTIFICAÇÃO DE TURFAS NOS MUNICIPIOS DE GUARAPUAVA E PINHÃO-PR O USO DE CARTAS TOPOGRÁFICAS E IMAGENS DO GOOGLE EARTH EM ESTUDOS DE IDENTIFICAÇÃO DE TURFAS NOS MUNICIPIOS DE GUARAPUAVA E PINHÃO-PR Machado, F. (UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO OESTE - UNICENTRO) ; Pelegrina,

Leia mais

Pagamentos por Serviços Ambientais no Corredor das Onças - Remuneração pela conservação de Puma concolor

Pagamentos por Serviços Ambientais no Corredor das Onças - Remuneração pela conservação de Puma concolor Pagamentos por Serviços Ambientais no Corredor das Onças - Remuneração pela conservação de Puma concolor e conservação de água mediante adequação ambiental em propriedades rurais na Região Metropolitana

Leia mais

A DIVERSIDADE DA GEOGRAFIA BRASILEIRA: ESCALAS E DIMENSÕES DA ANÁLISE E DA AÇÃO DE 9 A 12 DE OUTUBRO

A DIVERSIDADE DA GEOGRAFIA BRASILEIRA: ESCALAS E DIMENSÕES DA ANÁLISE E DA AÇÃO DE 9 A 12 DE OUTUBRO UTILIZAÇÃO DE GEOPROCESSAMENTO PARA ANÁLISE DA ACESSIBILIDADE A EQUIPAMENTOS PÚBLICOS DE ENSINO FUNDAMENTAL EM ÁREAS DE EXPANSÃO URBANA: BACIA HIDROGRÁFICA DO ARROIO DO SALSO PORTO ALEGRE/RS PEDRO GODINHO

Leia mais

Modelagem da paisagem urbana com apoio do aplicativo City Engine:

Modelagem da paisagem urbana com apoio do aplicativo City Engine: Modelagem da paisagem urbana com apoio do aplicativo City Engine: potencialização da comunicação espacial em simulação da morfologia de ocupação e parâmetros urbanísticos Profa Ana Clara Mourão Moura Laboratório

Leia mais

Compartimentação geomorfológica da folha SF-23-V-A

Compartimentação geomorfológica da folha SF-23-V-A Compartimentação geomorfológica da folha SF-23-V-A Marina Silva Araújo Universidade Federal de Uberlândia marinas.araujo@hotmail.com Vinícius Borges Moreira Universidade Federal de Uberlândia vinicius_sammet@hotmail.com

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA A PRODUÇÃO DE MATERIAL CARTOGRÁFICO PARA AVALIAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL - AIA

ORIENTAÇÃO PARA A PRODUÇÃO DE MATERIAL CARTOGRÁFICO PARA AVALIAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL - AIA ORIENTAÇÃO PARA A PRODUÇÃO DE MATERIAL CARTOGRÁFICO PARA AVALIAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL - AIA É indispensável que um estudo de impacto ambiental contenha, ao menos, os seguintes documentos cartográficos:

Leia mais

AVALIAÇÃO AMBIENTAL DE ALTERNATIVAS DE TRAÇADO DE DUTOS TERRESTRES

AVALIAÇÃO AMBIENTAL DE ALTERNATIVAS DE TRAÇADO DE DUTOS TERRESTRES AVALIAÇÃO AMBIENTAL DE ALTERNATIVAS DE TRAÇADO DE DUTOS TERRESTRES Guilherme Mendonça da Cunha (PETROBRAS), Giovani Schifino Dellamea, Renato Fernandes, Wilson José de Oliveira. RESUMO Este Trabalho apresenta

Leia mais

O geoprocessamento aplicado à gestão dos transportes públicos. Thyago de Almeida Silveira 1 Marcello Benigno de B. Barros Filho 2

O geoprocessamento aplicado à gestão dos transportes públicos. Thyago de Almeida Silveira 1 Marcello Benigno de B. Barros Filho 2 O geoprocessamento aplicado à gestão dos transportes públicos Thyago de Almeida Silveira 1 Marcello Benigno de B. Barros Filho 2 1 Centro Federal de Educação Tecnológica da Paraíba CEFET, PB Rua Juiz Arnaldo

Leia mais

Introdução ao SIG. Objetivos Específicos 18/11/2010. Competência: Apresentar: Utilidade de um SIG

Introdução ao SIG. Objetivos Específicos 18/11/2010. Competência: Apresentar: Utilidade de um SIG MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - MMA INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE - ICMBio DIRETORIA DE PLANEJAMENTO, ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA - DIPLAN COORDENAÇÃO GERAL DE GESTÃO DE PESSOAS -

Leia mais

2. METODOLOGIA DE TRABALHO

2. METODOLOGIA DE TRABALHO TRAÇADO DE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE (APP) UTILIZANDO FERRAMENTAS DE GEOPROCESSAMENTO COMO TÉCNICA AUXILIAR NA RECUPERAÇÃO AMBIENTAL DE ÁREAS DEGRADADAS Autores: Adriana Gomes de Souza Pesquisadora

Leia mais

TÍTULO: Aplicações de geoprocessamento na organização e gestão dos serviços de drenagem urbana.

TÍTULO: Aplicações de geoprocessamento na organização e gestão dos serviços de drenagem urbana. TÍTULO: Aplicações de geoprocessamento na organização e gestão dos serviços de drenagem urbana. NOME DOS AUTORES: Danilo Heitor Caires Tinoco Bisneto Melo. Formação: Bacharel em Geografia, pela Universidade

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DOS SOLOS DA BACIA DO CÓRREGO DO CEMITÉRIO, MUNICÍPIO DE ALFENAS MG.

CARACTERIZAÇÃO DOS SOLOS DA BACIA DO CÓRREGO DO CEMITÉRIO, MUNICÍPIO DE ALFENAS MG. CARACTERIZAÇÃO DOS SOLOS DA BACIA DO CÓRREGO DO CEMITÉRIO, MUNICÍPIO DE ALFENAS MG. DIOGO OLIVETTI¹ e RONALDO LUIZ MINCATO² di_olivetti@hotmai.com, rlmincato@uol.com.br ¹ Graduando do curso de Geografia

Leia mais

USO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS PARA ESTUDO DE ALTERNATIVAS LOCACIONAIS DE EMPREENDIMENTOS

USO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS PARA ESTUDO DE ALTERNATIVAS LOCACIONAIS DE EMPREENDIMENTOS USO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS PARA ESTUDO DE ALTERNATIVAS LOCACIONAIS DE EMPREENDIMENTOS REGIANE MARIA PAES RIBEIRO 1 RONALDO MEDEIROS DOS SANTOS 1 1 UFV - Universidade Federal de Viçosa 36571-000

Leia mais

MAPEAMENTO GEOMORFOLÓGICO DA ÁREA URBANA DE ILHÉUS, BAHIA

MAPEAMENTO GEOMORFOLÓGICO DA ÁREA URBANA DE ILHÉUS, BAHIA MAPEAMENTO GEOMORFOLÓGICO DA ÁREA URBANA DE ILHÉUS, BAHIA Hogana Sibilla Soares Póvoas Bolsista do PET Solos Universidade Estadual de Santa Cruz hogana_sibila@hotmail.com Ednice de Oliveira Fontes Universidade

Leia mais

O USO DAS TECNOLOGIAS DE GEOPROCESSAMENTO APLICADAS À GESTÃO DOS TRANSPORTES PÚBLICOS SIG APPLIED IN THE MANAGEMENT OF THE URBAN TRANSPORTS

O USO DAS TECNOLOGIAS DE GEOPROCESSAMENTO APLICADAS À GESTÃO DOS TRANSPORTES PÚBLICOS SIG APPLIED IN THE MANAGEMENT OF THE URBAN TRANSPORTS O USO DAS TECNOLOGIAS DE GEOPROCESSAMENTO APLICADAS À GESTÃO DOS TRANSPORTES PÚBLICOS SILVEIRA, T. A. 1 ; BARROS FILHO, M. B. B. 2. RESUMO: Uma das grandes dificuldades relacionadas à gestão dos transportes

Leia mais

BANCO DE DADOS E MAPAS ATUALIZADOS SOBRE POPULAÇÕES DE PRIMATAS BRASILEIROS CRITICAMENTE EM PERIGO DE EXTINÇÃO

BANCO DE DADOS E MAPAS ATUALIZADOS SOBRE POPULAÇÕES DE PRIMATAS BRASILEIROS CRITICAMENTE EM PERIGO DE EXTINÇÃO BANCO DE DADOS E MAPAS ATUALIZADOS SOBRE POPULAÇÕES DE PRIMATAS BRASILEIROS CRITICAMENTE EM PERIGO DE EXTINÇÃO LIMA, A. B. de 1 ; ALFONSO-SILVA, S. P. 2 ; ASSIS, A. B. de 3 & JERUSALINSKY, L. 4 RESUMO:

Leia mais

SIG APLICADO AO MEIO AMBIENTE

SIG APLICADO AO MEIO AMBIENTE SIG APLICADO AO MEIO AMBIENTE Prof. Luciene Delazari Grupo de Pesquisa em Cartografia e SIG da UFPR SIG Aplicado ao Meio Ambiente - 2011 GA020- SIG APLICADO AO MEIO AMBIENTE Prof. Luciene S. Delazari -

Leia mais

DINÂMICA DA PAISAGEM NA FOZ DO RIO SÃO FRANCISCO A PARTIR DE IMAGENS LANDSAT E CBERS. ALMEIDA, J. A. P. de 1 ; GOMES, L. J. 2

DINÂMICA DA PAISAGEM NA FOZ DO RIO SÃO FRANCISCO A PARTIR DE IMAGENS LANDSAT E CBERS. ALMEIDA, J. A. P. de 1 ; GOMES, L. J. 2 DINÂMICA DA PAISAGEM NA FOZ DO RIO SÃO FRANCISCO A PARTIR DE IMAGENS LANDSAT E CBERS ALMEIDA, J. A. P. de 1 ; GOMES, L. J. 2 RESUMO: Nos últimos anos, uma série de impactos ambientais tem sido relatados

Leia mais

ESTRUTURAÇÃO DE UM BANCO DE DADOS DE IMAGENS ORBITAIS PARA WEBMAPPING

ESTRUTURAÇÃO DE UM BANCO DE DADOS DE IMAGENS ORBITAIS PARA WEBMAPPING ESTRUTURAÇÃO DE UM BANCO DE DADOS DE IMAGENS ORBITAIS PARA WEBMAPPING RAFAELA S. NIEMANN 1 ; SOPHIA D. RÔVERE 2 ; WILSON A. HOLLER 3 N 10508 RESUMO A organização de imagens de satélite direcionada à implementação

Leia mais

Mapeamento da fragilidade ambiental do município de Fazenda Rio Grande (PR) com o apoio de Sistemas de Informações Geográficas

Mapeamento da fragilidade ambiental do município de Fazenda Rio Grande (PR) com o apoio de Sistemas de Informações Geográficas Mapeamento da fragilidade ambiental do município de Fazenda Rio Grande (PR) com o apoio de Sistemas de Informações Geográficas Fábio Carraro do Santos 1 Venina Prates 2 Valdomiro Lourenço Nachornik 3 1

Leia mais

Avaliação da ocupação e uso do solo na Região Metropolitana de Goiânia GO.

Avaliação da ocupação e uso do solo na Região Metropolitana de Goiânia GO. Avaliação da ocupação e uso do solo na Região Metropolitana de Goiânia GO. Marcos Vinícius Alexandre da SILVA Instituto de Estudos Sócio-Ambientais - IESA/UFG Mestrando em Geografia marcosalexandregeo@gmail.com

Leia mais

USO DE PINOS DE EROSÃO PARA MONITORAMENTO EM ÁREA DE ALTO RISCO GEOLÓGICO EM JUIZ DE FORA, MG.

USO DE PINOS DE EROSÃO PARA MONITORAMENTO EM ÁREA DE ALTO RISCO GEOLÓGICO EM JUIZ DE FORA, MG. USO DE PINOS DE EROSÃO PARA MONITORAMENTO EM ÁREA DE ALTO Andrade, L.B. 1 ; Rocha, G.C. 2 ; 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA Email:leo.biageufjf@gmail.com; 2 UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA

Leia mais

SISTEMATIZAÇÃO DA SAZONALIDADE DAS VAZÕES CARACTERÍSTICAS PARA FLEXIBILIZAÇÃO DA OUTORGA DE DIREITO DE USO DOS RECURSOS HÍDRICOS

SISTEMATIZAÇÃO DA SAZONALIDADE DAS VAZÕES CARACTERÍSTICAS PARA FLEXIBILIZAÇÃO DA OUTORGA DE DIREITO DE USO DOS RECURSOS HÍDRICOS SISTEMATIZAÇÃO DA SAZONALIDADE DAS VAZÕES CARACTERÍSTICAS PARA FLEXIBILIZAÇÃO DA OUTORGA DE DIREITO DE USO DOS RECURSOS HÍDRICOS Rafael dos Santos Cordeiro 1 ; Felipe de Azevedo Marques 2 1 Aluno do Curso

Leia mais

Geomorfologia e Planejamento. Rosangela do Amaral Geógrafa, Pesquisadora Científica Instituto Geológico - SMA

Geomorfologia e Planejamento. Rosangela do Amaral Geógrafa, Pesquisadora Científica Instituto Geológico - SMA Geomorfologia e Planejamento Rosangela do Amaral Geógrafa, Pesquisadora Científica Instituto Geológico - SMA O que é a GEOMORFOLOGIA? Dolatimgeo=terra,morfo=forma,logos=estudo CiênciadaNaturezaqueestudaeexplicaasformasdaTerra.

Leia mais

Estudo da fragilidade ambiental no Parque Nacional da Serra da Bocaina, Estado do Rio de Janeiro

Estudo da fragilidade ambiental no Parque Nacional da Serra da Bocaina, Estado do Rio de Janeiro Estudo da fragilidade ambiental no Parque Nacional da Serra da Bocaina, Estado do Rio de Janeiro Moraes, L.M.A.V. (UFRJ) ; Alexandre, S.T. (UFRJ) ; Brizzi, R.R. (UERJ) ; Souza, H.S. (UFRJ) ; Lopes, C.F.

Leia mais

Departamento de Engenharia Civil Caixa Postal 476 - CEP:88010/970 - Florianópolis, SC {lia, lapolli, franzoni}@ecv.ufsc.br

Departamento de Engenharia Civil Caixa Postal 476 - CEP:88010/970 - Florianópolis, SC {lia, lapolli, franzoni}@ecv.ufsc.br O Ensino de Sensoriamento Remoto, Sistema de Informações Geográficas e Fotogramentria nos Cursos de Graduação e Pós-Graduação em Engenharia Civil na UFSC LIA CAETANO BASTOS 1 ÉDIS MAFRA LAPOLLI 1 ANA MARIA

Leia mais

XVI CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 22 a 26 de outubro de 2007

XVI CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 22 a 26 de outubro de 2007 CARACTERIZAÇÃO MORFOMÉTRICA DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO GRANDE UTILIZANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS MARCELO R. VIOLA 1 ; CARLOS R. DE MELLO 2 ; GILBERTO COELHO 3 ; MATHEUS F. DURÃES 4 ; LÉO

Leia mais

VI-029 - FUNDAMENTOS DE GEOPROCESSAMENTO E SUAS APLICAÇÕES ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL

VI-029 - FUNDAMENTOS DE GEOPROCESSAMENTO E SUAS APLICAÇÕES ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 14 a 19 de Setembro 2003 - Joinville - Santa Catarina VI-029 - FUNDAMENTOS DE GEOPROCESSAMENTO E SUAS APLICAÇÕES ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL

Leia mais

Definiu-se como área de estudo a sub-bacia do Ribeirão Fortaleza na área urbana de Blumenau e um trecho urbano do rio Itajaí-açú (Figura 01).

Definiu-se como área de estudo a sub-bacia do Ribeirão Fortaleza na área urbana de Blumenau e um trecho urbano do rio Itajaí-açú (Figura 01). Relatório Trimestral 1 RELATÓRIO TRIMESTRAL BOLSISTA/PESQUISADOR: LUCAS DA SILVA RUDOLPHO 1. APRESENTAÇÃO As atividades apresentadas a seguir foram desenvolvidas como etapas do projeto: DEFINIÇÃO DE CRITÉRIOS

Leia mais

Serviço Geológico do Brasil CPRM

Serviço Geológico do Brasil CPRM Serviço Geológico do Brasil CPRM LEVANTAMENTO DE ÁREAS DE RISCO ALTO E MUITO ALTO A DESLIZAMENTOS E INUNDAÇÕES NO ESTADO DO PARANÁ Pedro Augusto dos Santos Pfaltzgraff Maria Emilia R. Brenny Obje8vos:

Leia mais

Mesquita, M. 1 ; Silva Neto, J.C.A. 2 ; Aleixo, N.C.R. 3 ; Email:natachaaleixo@yahoo.com.br;

Mesquita, M. 1 ; Silva Neto, J.C.A. 2 ; Aleixo, N.C.R. 3 ; Email:natachaaleixo@yahoo.com.br; SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA APLICADAS À ANÁLISE DA Mesquita, M. 1 ; Silva Neto, J.C.A. 2 ; Aleixo, N.C.R. 3 ; 1 UEA Email:nsacj@hotmail.com; 2 UEA Email:joaokandido@yahoo.com.br; 3 UEA Email:natachaaleixo@yahoo.com.br;

Leia mais

BASE DE DADOS GEORREFERENCIADOS DAS CAVIDADES NATURAIS SUBTERRÂNEAS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE

BASE DE DADOS GEORREFERENCIADOS DAS CAVIDADES NATURAIS SUBTERRÂNEAS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE BASE DE DADOS GEORREFERENCIADOS DAS CAVIDADES NATURAIS SUBTERRÂNEAS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE Jocy CRUZ *; Solon R. de ALMEIDA NETTO **; Carlos Rostand F. MEDEIROS ***; Uílson CAMPOS * * - cecav.rn@ibama.gov.br

Leia mais

Estabilização de uma área utilizando a contribuição da sucção: O caso de Barro Branco.

Estabilização de uma área utilizando a contribuição da sucção: O caso de Barro Branco. Estabilização de uma área utilizando a contribuição da sucção: O caso de Barro Branco. Campos, L. E. P. UFBA, Salvador, Bahia, Brasil, ledmundo@ufba.br Fonseca, E. C. UFBA, Salvador, Bahia, Brasil, evan@ufba.br

Leia mais

Geração de modelo digital de elevação e obtenção automática da hidrografia da bacia do rio Grande

Geração de modelo digital de elevação e obtenção automática da hidrografia da bacia do rio Grande Geração de modelo digital de elevação e obtenção automática da hidrografia da bacia do rio Grande Michael Pereira da Silva Graduando Eng. Sanitária e Ambiental, ICADS-UFBA. Michel Castro Moreira Professor

Leia mais

Associação de dados cartográficos e alfanuméricos no TerraView

Associação de dados cartográficos e alfanuméricos no TerraView MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Departamento de Modernização e Programas da Educação Superior DEPEM MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Executiva Diretoria de Desenvolvimento

Leia mais

GEOPROCESSAMENTO PDDI. Relatório Final

GEOPROCESSAMENTO PDDI. Relatório Final GEOPROCESSAMENTO PDDI Relatório Final Sistema de Informação Geográfica do Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado da Região Metropolitana de Belo Horizonte RMBH Maio de 2011 Sistema de Informação Geográfica

Leia mais

ANÁLISE DA APLICAÇÃO DA FILOSOFIA LEAN CONSTRUCTION EM EMPRESAS DO SETOR DE CONSTRUÇÃO CIVIL DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE ABSTRACT

ANÁLISE DA APLICAÇÃO DA FILOSOFIA LEAN CONSTRUCTION EM EMPRESAS DO SETOR DE CONSTRUÇÃO CIVIL DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE ABSTRACT ANÁLISE DA APLICAÇÃO DA FILOSOFIA LEAN CONSTRUCTION EM EMPRESAS DO SETOR DE CONSTRUÇÃO CIVIL DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE ANALYSIS OF APPLICATION OF PHILOSOPHY IN LEAN CONSTRUCTION COMPANIES

Leia mais

Figura 1 Classificação Supervisionada. Fonte: o próprio autor

Figura 1 Classificação Supervisionada. Fonte: o próprio autor ANÁLISE DAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO JUQUERY ATRÁVES DE TÉCNICAS DE GEOPROCESSAMENTO E IMAGENS DE SENSORIAMENTO REMOTO 1. INTRODUÇÃO Ultimamente tem-se visto uma grande

Leia mais

Análise comparativa de mapas de declividade na bacia do Ribeirão da Prata em Lençóis Paulista - SP

Análise comparativa de mapas de declividade na bacia do Ribeirão da Prata em Lençóis Paulista - SP Análise comparativa de mapas de declividade na bacia do Ribeirão da Prata em Lençóis Paulista - SP Victor Costa Leda 1 Vanessa Durante Polonio 1 Anderson Antonio da Conceição Sartori 1 Donizeti Aparecido

Leia mais

Utilização de SIGs na Análise de Irregularidades na Distribuição do Eleitorado no Estado do Rio Grande do Norte nas Eleições Municipais de 2008

Utilização de SIGs na Análise de Irregularidades na Distribuição do Eleitorado no Estado do Rio Grande do Norte nas Eleições Municipais de 2008 Utilização de SIGs na Análise de Irregularidades na Distribuição do Eleitorado no Estado do Rio Grande do Norte nas Eleições Municipais de 2008 Francisco Márcio de Oliveira 2, Igor Saraiva Brasil 1 1 Programa

Leia mais

ANÁLISE DO ESTÁGIO DA GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS EM BACIAS DE ESPECIAL INTERESSE

ANÁLISE DO ESTÁGIO DA GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS EM BACIAS DE ESPECIAL INTERESSE ANÁLISE DO ESTÁGIO DA GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS EM BACIAS DE ESPECIAL INTERESSE Andrade, L. A. Z. 1 de & Teixeira, A. L. de F. 2 * & Brasil, M. A. 3 Dubois, G. S. J. 4 & Ayrimoraes Soares, S. R. 5 Resumo

Leia mais

GEOPROCESSAMENTO. Herondino Filho

GEOPROCESSAMENTO. Herondino Filho GEOPROCESSAMENTO Herondino Filho Sumário 1. Introdução 1.1 Orientações Avaliação Referência 1.2 Dados Espaciais 1.2.1 Exemplo de Dados Espaciais 1.2.2 Aplicações sobre os Dados Espaciais 1.3 Categoria

Leia mais

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO. Profª Iana Alexandra Alves Rufino [iana_alex@uol.com.br]

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO. Profª Iana Alexandra Alves Rufino [iana_alex@uol.com.br] INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO Profª Iana Alexandra Alves Rufino [iana_alex@uol.com.br] Introdução ao Geoprocessamento Conceitos básicos Componentes de um SIG Exemplos de aplicações Conceitos Geoprocessamento

Leia mais

O USO DO GEOPROCESSAMENTO NA IDENTIFICAÇÃO DE PONTOS CRÍTICOS EM SISTEMA CONDOMINIAL DE ESGOTO - MUNICÍPIO DO NATAL/RN

O USO DO GEOPROCESSAMENTO NA IDENTIFICAÇÃO DE PONTOS CRÍTICOS EM SISTEMA CONDOMINIAL DE ESGOTO - MUNICÍPIO DO NATAL/RN p. 001-005 O USO DO GEOPROCESSAMENTO NA IDENTIFICAÇÃO DE PONTOS CRÍTICOS EM SISTEMA CONDOMINIAL DE ESGOTO - MUNICÍPIO DO NATAL/RN ELIEZER MAZZETTI ROSA *Agência Reguladora de Serviços de Saneamento Básico

Leia mais

Projeto Geoimagem Introduzindo Diferencial Estratégico e Técnico aos Sistemas Corporativos de Informações Georreferenciadas da CEMIG

Projeto Geoimagem Introduzindo Diferencial Estratégico e Técnico aos Sistemas Corporativos de Informações Georreferenciadas da CEMIG 21 a 25 de Agosto de 2006 Belo Horizonte - MG Projeto Geoimagem Introduzindo Diferencial Estratégico e Técnico aos Sistemas Corporativos de Informações Georreferenciadas da CEMIG Carlos Alberto Moura CEMIG

Leia mais

METODOLOGIA PARA O GEORREFERENCIAMENTO DE ILHAS COSTEIRAS COMO SUBSÍDIO AO MONITORAMENTO AMBIENTAL

METODOLOGIA PARA O GEORREFERENCIAMENTO DE ILHAS COSTEIRAS COMO SUBSÍDIO AO MONITORAMENTO AMBIENTAL METODOLOGIA PARA O GEORREFERENCIAMENTO DE ILHAS COSTEIRAS COMO SUBSÍDIO AO MONITORAMENTO AMBIENTAL Carolina Rodrigues Bio Poletto¹ & Getulio Teixeira Batista² UNITAU - Universidade de Taubaté Estrada Municipal

Leia mais

do substrato gnáissico.

do substrato gnáissico. 55 6.2 - Descrição de eventos locais Informações obtidas em campo possibilitaram a descrição de eventos locais que permitem caracterizar situações práticas relacionadas aos processos erosivos. A presença

Leia mais

Saúde do Idoso 1ª Pesquisa sobre a Saúde e Condições de Vida do Idoso na Cidade do Rio de Janeiro. Ano 2006 1

Saúde do Idoso 1ª Pesquisa sobre a Saúde e Condições de Vida do Idoso na Cidade do Rio de Janeiro. Ano 2006 1 Saúde do Idoso 1ª Pesquisa sobre a Saúde e Condições de Vida do Idoso na Cidade do Rio de Janeiro. Ano 2006 1 Alcides Carneiro 2 Lucia Santos 3 Palavras Chaves: Metodologia científica; análise estatística;

Leia mais

Diagnóstico Ambiental do Município de Alta Floresta - MT

Diagnóstico Ambiental do Município de Alta Floresta - MT Diagnóstico Ambiental do Município de Alta Floresta - MT Paula Bernasconi Ricardo Abad Laurent Micol Maio de 2008 Introdução O município de Alta Floresta está localizado na região norte do estado de Mato

Leia mais

CARTAS DE DERIVAÇÕES AMBIENTAIS E TRANSGRESSÕES LEGAIS: DESTAQUE AS ÁREAS DE PLANICIE E TERRAÇOS FLUVIAIS NO ANTIGO E NO NOVO CÓDIGO FLORESTAL

CARTAS DE DERIVAÇÕES AMBIENTAIS E TRANSGRESSÕES LEGAIS: DESTAQUE AS ÁREAS DE PLANICIE E TERRAÇOS FLUVIAIS NO ANTIGO E NO NOVO CÓDIGO FLORESTAL CARTAS DE DERIVAÇÕES AMBIENTAIS E TRANSGRESSÕES LEGAIS: DESTAQUE AS ÁREAS DE PLANICIE E TERRAÇOS FLUVIAIS NO ANTIGO E Silveira, A. 1 ; Cunha, C.M.L. 2 ; 1 CEETEPS Email:silveira_81@yahoo.com.br; 2 UNESP

Leia mais

Município de Colíder MT

Município de Colíder MT Diagnóstico da Cobertura e Uso do Solo e das Áreas de Preservação Permanente Município de Colíder MT Paula Bernasconi Ricardo Abad Laurent Micol Julho de 2008 Introdução O município de Colíder está localizado

Leia mais

ANÁLISE ESPACIAL DOS POÇOS ARTESIANOS E O RENDIMENTO HIDRODINÂMICO DA CAPTAÇÃO NO MUNICÍPIO DE BELÉM PA

ANÁLISE ESPACIAL DOS POÇOS ARTESIANOS E O RENDIMENTO HIDRODINÂMICO DA CAPTAÇÃO NO MUNICÍPIO DE BELÉM PA ANÁLISE ESPACIAL DOS POÇOS ARTESIANOS E O RENDIMENTO HIDRODINÂMICO DA CAPTAÇÃO NO MUNICÍPIO DE BELÉM PA Carlos Eduardo Aguiar de Souza Costa 1 ; Artur Sales de Abreu Vieira 2 ; Antonio Jorge Silva Araujo

Leia mais

I Encontro Brasileiro de usuários QGIS

I Encontro Brasileiro de usuários QGIS I Encontro Brasileiro de usuários QGIS Uso do QGIS no Processamento Digital de Imagens de Sensoriamento Remoto Jorge Santos jorgepsantos@outlook.com www.processamentodigital.com.br Dicas, tutoriais e tudo

Leia mais

Conceitos Básicos. Geoprocessamento: Uma Ferramenta Para o Desenvolvimento Regional Sustentável. Conceitos Básicos.

Conceitos Básicos. Geoprocessamento: Uma Ferramenta Para o Desenvolvimento Regional Sustentável. Conceitos Básicos. Geoprocessamento: Uma Ferramenta Para o Desenvolvimento Regional Sustentável Sistema de Informação Dados Armazenados Questão Informação Laboratório de Geoprocessamento (LAGEO) Programa de Mestrado em Ciências

Leia mais

ESTUDO DA EXPANSÃO DO DESMATAMENTO DO BIOMA CERRADO A PARTIR DE CENAS AMOSTRAIS DOS SATÉLITES LANDSAT

ESTUDO DA EXPANSÃO DO DESMATAMENTO DO BIOMA CERRADO A PARTIR DE CENAS AMOSTRAIS DOS SATÉLITES LANDSAT ESTUDO DA EXPANSÃO DO DESMATAMENTO DO BIOMA CERRADO A PARTIR DE CENAS AMOSTRAIS DOS SATÉLITES LANDSAT Elaine Barbosa da SILVA¹ Laerte Guimarães FERREIRA JÚNIOR¹ Antonio Fernandes dos ANJOS¹ Genival Fernandes

Leia mais

AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO TOPOGRÁFICA DOS VINHEDOS NO VALE DOS VINHEDOS, RIO GRANDE DO SUL, BRASIL

AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO TOPOGRÁFICA DOS VINHEDOS NO VALE DOS VINHEDOS, RIO GRANDE DO SUL, BRASIL AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO TOPOGRÁFICA DOS VINHEDOS NO VALE DOS VINHEDOS, RIO GRANDE DO SUL, BRASIL ELISEU WEBER, ELIANA CASCO SARMENTO, HEINRICH HASENACK Universidade Federal do Rio Grande do Sul, eweber@portoweb.com.br

Leia mais

Atualização de um Simulador de Cenários Sísmicos em ambiente WebSIG

Atualização de um Simulador de Cenários Sísmicos em ambiente WebSIG Atualização de um Simulador de Cenários Sísmicos em ambiente WebSIG Nuno AFONSO 1, Alexandra CARVALHO 1 1 Laboratório Nacional de Engenharia Civil (nuno.fnvs.afonso@gmail.com; xana.carvalho@lnec.pt) Palavras-chave:

Leia mais

Alexson de Mello Cunha John Kennedy Ferreira Cardoso Leandro Roberto Feitoza

Alexson de Mello Cunha John Kennedy Ferreira Cardoso Leandro Roberto Feitoza UNIDADE CENTRAL DE GESTÃO DO GEOBASES Alexson de Mello Cunha John Kennedy Ferreira Cardoso Leandro Roberto Feitoza INFORMAÇÕES AOS USUÁRIOS DO GEOBASES SOBRE A CAMADA SOLOS Nota Técnica de caráter provisório,

Leia mais

AVALIAÇÃO DE RISCO DE ALAGAMENTO NO SETOR HABITACIONAL VICENTE PIRES.

AVALIAÇÃO DE RISCO DE ALAGAMENTO NO SETOR HABITACIONAL VICENTE PIRES. AVALIAÇÃO DE RISCO DE ALAGAMENTO NO SETOR HABITACIONAL VICENTE PIRES. Taynara Messias Pereira da Cunha Universidade Católica de Brasília, graduanda em Engenharia Ambiental. Com experiência em resíduos

Leia mais

Digital Cartographic Generalization for Database of Cadastral Maps

Digital Cartographic Generalization for Database of Cadastral Maps Mariane Alves Dal Santo marianedalsanto@udesc.br Francisco Henrique de Oliveira chicoliver@yahoo.com.br Carlos Loch cloch@ecv.ufsc.br Laboratório de Geoprocessamento GeoLab Universidade do Estado de Santa

Leia mais

TECNOLOGIAS GEOESPACIAIS INOVADORAS. Tecnologia. Geoprocessamento. Sistemas de Informações Geográficas. Sensoriamento Remoto. Geociências.

TECNOLOGIAS GEOESPACIAIS INOVADORAS. Tecnologia. Geoprocessamento. Sistemas de Informações Geográficas. Sensoriamento Remoto. Geociências. TECNOLOGIAS GEOESPACIAIS INOVADORAS Tecnologia Geoprocessamento Sistemas de Informações Geográficas Sensoriamento Remoto Geociências Geofísica www.hexgis.com PIONEIRISMO E INOVAÇÃO Idealizada a partir

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - UFBA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - UFBA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - UFBA Instituto de Ciências Ambientais e Desenvolvimento Sustentável Prof. Pablo Santos 4 a Aula SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA - SIG Introdução Definições Necessárias

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (SIG) Oficina - Overlay e Obtenção do Mapa de Suscetibilidade à Erosão

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (SIG) Oficina - Overlay e Obtenção do Mapa de Suscetibilidade à Erosão SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (SIG) Responsável: MARIA ISABEL C DE FREITAS Oficina - Overlay e Obtenção do Mapa de Suscetibilidade à Erosão O objetivo desta oficina é oferecer aporte à geração de mapa

Leia mais

O SENSORIAMENTO REMOTO E SUAS TÉCNICAS DE ANÁLISE: UMA COMPARAÇÃO ENTRE NOVAS E VELHAS TECNOLOGIAS, UM ESTUDO DE CASO SOBRE A TECNOLOGIA LIDAR.

O SENSORIAMENTO REMOTO E SUAS TÉCNICAS DE ANÁLISE: UMA COMPARAÇÃO ENTRE NOVAS E VELHAS TECNOLOGIAS, UM ESTUDO DE CASO SOBRE A TECNOLOGIA LIDAR. O SENSORIAMENTO REMOTO E SUAS TÉCNICAS DE ANÁLISE: UMA COMPARAÇÃO ENTRE NOVAS E VELHAS TECNOLOGIAS, UM ESTUDO DE CASO SOBRE A TECNOLOGIA LIDAR. (O mapeamento de território através das arvores). Diogo Caio

Leia mais

ANAIS do XXX Congresso Brasileiro de Espeleologia Montes Claros MG, 09-12 de julho de 2009 - Sociedade Brasileira de Espeleologia

ANAIS do XXX Congresso Brasileiro de Espeleologia Montes Claros MG, 09-12 de julho de 2009 - Sociedade Brasileira de Espeleologia BANCO DE DADOS ESPELEOLÓGICO DA SPELAYON CONSULTORIA ME COMO BASE DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (SIG) Frederico Augusto RIBEIRO - frederico@spelayonconsultoria.com.br André COUTINHO-BARBOSA - andre@spelayonconsultoria.com.br

Leia mais

Análise estrutural aplicada à estabilidade de taludes. Antonio Liccardo

Análise estrutural aplicada à estabilidade de taludes. Antonio Liccardo Análise estrutural aplicada à estabilidade de taludes Antonio Liccardo Taludes Superfícies inclinadas que delimitam um maciço terroso ou rochoso. Naturais ou Artificiais Taludes naturais ou encostas Taludes

Leia mais

RESERVATÓRIOS DE DETENÇÃO HIDRICA: SOLUÇÃO PARA PROBLEMAS DE DRENAGEM URBANA NO MUNICÍPIO DE CAMPINA GRANDE - PB

RESERVATÓRIOS DE DETENÇÃO HIDRICA: SOLUÇÃO PARA PROBLEMAS DE DRENAGEM URBANA NO MUNICÍPIO DE CAMPINA GRANDE - PB RESERVATÓRIOS DE DETENÇÃO HIDRICA: SOLUÇÃO PARA PROBLEMAS DE DRENAGEM URBANA NO MUNICÍPIO DE CAMPINA GRANDE - PB Yuri Tomaz Neves 1 ; Laércio Leal dos Santos 2 ; Jonathan Nóbrega Gomes 3 ; Bruno Menezes

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DAS GEOTECNOLOGIAS PARA A PROPOSIÇÃO DO ZONEAMENTO TURÍSTICO DO GEOPARK QUADRILÁTERO FERRÍFERO

CONTRIBUIÇÕES DAS GEOTECNOLOGIAS PARA A PROPOSIÇÃO DO ZONEAMENTO TURÍSTICO DO GEOPARK QUADRILÁTERO FERRÍFERO CONTRIBUIÇÕES DAS GEOTECNOLOGIAS PARA A PROPOSIÇÃO DO ZONEAMENTO TURÍSTICO DO GEOPARK QUADRILÁTERO FERRÍFERO Patrícia Pascoal Goulart 1, goulart.ppatricia@gmail.com Camila Ragonezi Gomes Lopes 1, kakalopes_br@yahoo.com.br

Leia mais

CARTOGRAFIA E IMAGEM ASTER APLICADOS NO MAPEAMENTO GEOMORFOLÓGICO DO MUNICÍPIO DE CATU, BA.

CARTOGRAFIA E IMAGEM ASTER APLICADOS NO MAPEAMENTO GEOMORFOLÓGICO DO MUNICÍPIO DE CATU, BA. CARTOGRAFIA E IMAGEM ASTER APLICADOS NO MAPEAMENTO Avelino, E. 1 ; 1 IFBAIANO, CAMPUS CATU Email:ed.avelino@hotmail.com; RESUMO: Esta pesquisa tem o objetivo de mapear as unidades geomorfológicas do município

Leia mais

IV Simpósio Brasileiro de Ciências Geodésicas e Tecnologias da Geoinformação Recife - PE, 06-09 de Maio de 2012 p. 001-005

IV Simpósio Brasileiro de Ciências Geodésicas e Tecnologias da Geoinformação Recife - PE, 06-09 de Maio de 2012 p. 001-005 p. 001-005 USO DO GEOPROCESSAMENTO COMO SUBSÍDIO À ANÁLISE AMBIENTAL: IMAGEM SRMT NA GERAÇÃO DOS MAPAS HIPSÓMÉTRICO E DE DECLIVIDADE DAS BACIAS DIFUSAS DA BARRAGEM BOA ESPERANÇA NO ESTADO DO PIAUÍ FELIPE

Leia mais

Reforço de Aterro Sobre Solo Mole em Empreendimento Residencial Reinforced Embankment on Soft Soil in a Residential Building

Reforço de Aterro Sobre Solo Mole em Empreendimento Residencial Reinforced Embankment on Soft Soil in a Residential Building Reforço de Aterro Sobre Solo Mole em Empreendimento Residencial Reinforced Embankment on Soft Soil in a Residential Building Nome dos autores: Jaime da Silva Duran Giancarlo Domingues Instituição: Maccaferri

Leia mais