APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL N

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL N"

Transcrição

1 FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL N SUPERIOR

2 O Modelo Brasileiro de Capacitação para C&T&I CICLO VIRTUOSO DA CIÊNCIA BRASILEIRA FOMENTO COOPERAÇÃO INTERNACIONAL PÓS-GRADUAÇÃO AVALIAÇÃO INICIAÇÃO CIENTÍFICA FORMAÇÃO DOS GRUPOS DE PESQUISA PORTAL DE PERIÓDICOS

3 Sistema Brasileiro de Apoio à Ciência, Tecnologia e Formação de Recursos Humanos Governo Federal Governos Estaduais MCT MEC São Paulo 15 outros Estados CNPQ 1951 CAPES 1951 FAPESP 1962 FAPES Bolsas para Pós-GraduaP Graduação FINEP 1967? Apoio a Projetos Individuais de Pesquisa Apoio a Projetos Institucionais de Pesquisa Bolsas para pesquisadores Senior e JúniorJ Os números n indicam o ano de criação das Agências. Fonte: J.A. Guimarães, M.C. Human: (1995) Human Resources in S&T in Brazil Scientometrics 34: MCT: Ministério da Ciência e Tecnologia, MEC; Ministério da Educação, CNPq: Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnol ológico, CAPES: Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível N Superior, FINEP: Financiadora de Estudos e Projetos, FAPESP: : Fundação de Apoio a Pesquisa do Estado de São Paulo e FAPES: Fundação de Apoio a Pesquisa demais Estados.

4 Diretoria de Gestão Diretoria de Avaliação Diretoria de Programas e Bolsas no País Diretoria de Relações Internacionais Presidência da CAPES CONSELHO SUPERIOR Diretoria de Ed. BásicaB Presencial Diretoria de EAD CTC-ES CTC-EB

5 Evolução Do Número N de Bolsas de Estudo no país s por nível, n 2001 a 2008 Ano Mestrado Doutorado Recém Doutor* e PNPD** Total *Programa iniciado em 2003 **O PNPD foi iniciado em 2007 Fonte: Capes/Mec

6 Evolução do Total de Bolsas de Estudo Concedidas no País - Todos os níveis, n 2001 a Número de bolsas Fonte: Capes/Mec

7 Evolução das Bolsas de Estudo no País - Mestrado, 2001 a Número de bolsas Fonte: Capes/Mec

8 Evolução das Bolsas de Estudo no País - Doutorado, 2001 a Número de bolsas Fonte: Capes/Mec

9 Evolução das Bolsas de Estudo no País - Recém m Doutor* e PNPD** Número de Bolsas *Programa iniciado em 2003 **O PNPD foi iniciado em 2007 Fonte: Capes/Mec

10 Execução Orçament amentária das Bolsas de Estudo no País 2004 a Orçamento (em milhões de reais - R$) Fonte: Capes/Mec

11 Evolução das Bolsas de Pós-GraduaP Graduação (Mestrado e Doutorado) no Brasil - CAPES e CNPq, 1995 a CAPES Bolsistas CNPq * *Número estimado de bolsas apenas para o CNPq no ano de 2008 Notas: 1)Dados referentes às bolsas de mestrado e doutorado de ambas 2)Dados do CNPq disponíveis em:http://www.cnpq.br/estatisticas/docs/pdf_bolsas/tab_2.2.2.pdf Fonte: Capes/Mec e CNPq

12 Sistema Nacional de Pós-GraduaP Graduação em Programas* responsáveis por Cursos*, sendo: de mestrado (59,4%), de doutorado (34,4%), de mestrado profissionalizante (6,2%); *Fonte: Programas Recomendados e Reconhecidos. Disponível em: recomendados.. Data Atualização: 04/05/2009. **Fonte: Coleta ***Fonte: Cadastro Discente. Atualização de 11 de maio de 2009.

13 Sistema Nacional de Pós-GraduaP Graduação em docentes** alunos (final de 2008**) MSc e M Prof Doutorado bolsas*** MSc Doutorado; *Fonte: Programas Recomendados e Reconhecidos. Disponível em: recomendados.. Data Atualização: 04/05/2009. **Fonte: Coleta ***Fonte: Cadastro Discente. Atualização de 11 de maio de 2009.

14 Evolução do Número de alunos titulados (1996 a 2008) Nº de alunos Titulados Fonte: Capes/Mec Mestrado Doutorado Mestrado Profissional Anos

15 Taxa de Crescimento: Titulados doutores x artigos publicados (Scopus) Artigos Publicados Titulados Doutores Número de artigos Ano Fonte: SCOPUS. Disponível em: Acesso em: 7 jul. de Número de alunos

16 Países mais Produtivos WoS Comparação (A) 2007 (B) Nº Países Rank Artigos Citação Impacto Rank Artigos Citação Impacto (A)/(C) 1EUA , ,32 11,78% 2 CHINA , ,71 25,41% 3 ALEMANHA , ,23 14,55% 4 JAPÃO , ,31 8,12% 5 INGLATERRA , ,27 10,50% 6 FRANÇA , ,99 18,97% 7 CANADÁ , ,96 13,54% 8ITÁLIA , ,91 15,53% 9 ESPANHA , ,68 22,42% 10 ÍNDIA , ,52 31,03% 11 AUSTRÁLIA , ,90 23,78% 12 CORÉIA DO SUL , ,86 30,44% 13 BRASIL , ,68 56,49% 14 HOLANDA , ,61 14,70% 15 RÚSSIA , ,17 8,76% 16 TAIWAN , ,68 21,51% 17 SUÍÇA , ,03 15,15% 18 TURQUIA , ,24 30,43% 19 POLÔNIA , ,05 0,00% 20 SUÉCIA , ,28 9,28% Mundo ISI , ,36 18,46% Fonte: ISI - Institute for Scientific Information. National Science Indicators, USA. Base Deluxe - SCI (2008).

17 Cooperação Internacional

18 Coordenação de Bolsas no Exterior - CGBE bolsas em 2008 e em 2009: Doutorado Pleno Doutorado Sanduiche Pós-doutorado

19 Número de Bolsas de Estudo no Exterior por Modalidade, 2001 a 2008 Ano DSW Especialização SW do SW Graduação Mestra- Mestrado P.D. PHD Total Fonte: Capes/Mec Legenda: DSW = Doutorado Sanduíche, Graduação SW = Graduação Sanduíche, Mestrado SW = Mestrado sanduíche, P.D.= Pós-Doutorado, PHD = Doutorado Pleno

20 Evolução do Número N de Bolsa de Estudo no Exterior*, 2001 a Número de Bolsas *Doutorado SW, Especialização, Graduação SW, Mestrado, Mestrado SW, P.D., PhD. Fonte: Capes/Mec

21 Evolução do Número N de Bolsa de Estudo no Exterior por Modalidade, 2001 a Núm ero de Bolsas DSW Graduação SW P.D. PHD Outros* *Mestrado, Mestrado SW e Especialização. Fonte: Capes/Mec

22 Coordenação de Cooperação Internacional - CGCI Bolsas Individuais no Exterior Colégios Doutorais Projetos Conjuntos de Pesquisa e Parcerias Universitárias rias Professores Visitantes do Estrangeiro Escolas de Altos Estudos Programa Geral de Cooperação

23 Projetos Conjuntos 2009 COUNTRY PROGRAM NUMBER OF PROJECTS Germany PROBRAL 71 BRAGECRIM 16 Argentine MINCyT 35 Cuba MES 51 Spain DGU 78 USA CAPES/UNI.TEXAS 20 France COFECUB 132 Portugal GRICES/FCT 78 Netherlands CAPES/NUFFIC 35 Uruguay Univ. de La Republica

24 PARCERIAS UNIVERSITÁRIAS RIAS FIPSE UNIBRAL CAPG/BA CAFP BRAFITEC BRAFAGRI TOTAL University Partnerships STIC-AmSud: 10 MATH-AmSud: AmSud: 4

25 AÇÕES RECENTES: BRAGECRIM BRAZILIAN - GERMAN COLLABORATIVE RESEARCH INITIATIVE ON MANUFACTURING TECHNOLOGY - BRAGECRIM - Motivação: Construir o Futuro Através s de Pesquisa Estratégica na Área de Tecnologia da Produção ão

26 BRAGECRIM (CAPES, CNPq, FINEP, DFG) 21 Universidade: 10 no Brasil, 11 na Alemanha 30 Institutos de Pesquisa, incluíndo Fraunhofer

27 Patentes concedidas pelo USPTO, Triênio e Nuúmero Patentes BRASIL Málasia Índia China Fonte: USPTO

28 Presença a Mundial em C&T Artigos e Patentes % dos Artigos ou Patentes % 8% 7% 6% 5% 4% 3% 2% 1% 0% UK Alemanha França Itália Coréia do Sul % dos artigos publicados % patentes reg. nos EUA Brasil Israel 2% % dos Artigos ou Patentes Fonte: United States Patent and Trademark Office/ ISI - Institute for Scientific Information.National Science Indicators, USA. Base Standard 1% 0% Brasil Polônia Bélgica s, USA. Base Standard - ESI (2007). Israel Dinamarca % dos artigos publicados % patentes reg. nos EUA Áustria Finlândia Noruega

29 O Brasil Ainda não tem Massa Crítica tica Número de Pesquisadores no Mundo (4,8 milhões) Pesq./ habitantes: Evolução da Formação de Doutores Pesquisadores, mil Japão/EUA 700 China 60 Brasil N o titulados/100 mil hab. 6,0 5,0 4,0 3,0 2,0 1,0 Em 1990: (Titulados/100 mil hab.) Alemanha 35 Reino Unido 20 USA 14,4 Coréia 5,8 Brasil 0,82 O país tem boa capacitação Aumentou 6X doutores Países desenvolvidos 30 a 45 mil doutores 0 Europa USA Japão China Brasil 0, Coutini & Sechet (2005) O Brasil precisa multiplicar o número de pesquisadores Marchelli, 2005

30 Situação das Engenharias

31 Egressos M.Sc. Todas as áreas x Engenharias e C. Computação 1998 a 2008 Número de alunos titulados Todas as áreas do conhecimento Engenharia e Ciências da Comp Anos Fonte: GEOCAPES.

32 Egressos D.Sc. Todas as áreas x Engenharias e C. Computação 1998 a 2008 Número de alunos titulados Todas as áreas Engenharias & Ciênc. Computação Anos Fonte: GEOCAPES.

33

34 Engenharia no Brasil e em alguns países Índia: 220 mil (seìs vezes mais) Rússia: 190 mil (cinco vezes mais) China: 650 mil (incluindo cursos 3 anos) Coréia do Sul: 80 mil (matrículas: 29% do total) Fonte: Capes/Mec

35 Dados da graduação em Engenharia Em 2007 : 450 mil inscritos 198 mil vagas 115 mil matriculados 83 mil vagas ociosas. Índice alarmante de evasão: 60% nas IES públicas 75% nas IES privadas e comunitárias Concluintes correspondem a 4,25% do total Fonte: Capes/Mec

36 Estudo do IPEA Apenas 1 de cada 3,5 formados exercem a profissão Cenários de crescimento economico: 1. 3% anuais: escassez poderá ser evitada se 1 em cada 3 exercerem a profissão 2. 5% e 7% anuais: haverá falta de engenheiros Fonte: Capes/Mec

37 PROJETOS PARA AS ENGENHARIAS

38 Projetos para as Engenharias Atuação da ABENGE Projeto REENGE/Prodenge (anos 90) Projeto PROMOVE/Finep (2006) Projeto inova Engenharia: parceria Abenge/CNI/CONFEA/IEL GT-Engenharias (Portaria 37 do Presidente da Capes) Audiencia no MEC para 1a fase do Plano Nacional Pró-Engenharias Fonte: Capes/Mec

39 PARCERIAS ESPECIAIS

40 Parcerias na Indução de Cursos e Programas de Pós-Graduação: Metrologia: INMETRO (MP) Defesa: Institutos Militares (M/D) Petróleo e gás: Petrobrás e Universidades Biotecnologia: Embrapa e Universidades (M, D e MP) Renorbio: 22 IES do Nordeste do país (D) Propriedade intelectual no INPI: IES/RJ (MP) INCA (D) Criação de outras áreas de avaliação: Biotecnologia, Materiais e Multidisciplinar

41 PROJETOS ESPECIAIS

42 Projetos Especiais: Instituições Científicas e Tecnológicas ICTs ( MEC/MDIC/MCT) Ensino e Pesquisa Tecnológica em Defesa Nacional: PRÓ- DEFESA) Ensino e Pesquisa Tecnológica em Engenharias: PRÓ- ENGENHARIAS Programa Nacional de Nanobiotecnologia - Rede NANOBIOTEC-BRASIL Programa de Formação de Recursos Humanos em Televisão Digital RH-TVD Programa Nacional de Cooperação Acadêmica - Procad Novas Fronteiras Pró-Equipamentos

43 Programas de apoio com base no PDE

44 Programas com base no PDE: Programa de Apoio a Projetos Institucionais com Participação de Recém-Doutores - PRODOC Programa de Excelência Acadêmica PROEX Programa Nacional de Pós-Doutorado PNPD Prioridades da Capes para Engenharias e Ciências Básicas

45 Conclusões Progressos do Brasil em Pós-graduação e Ciências Situação das Engenharias: Comparação desfavorável vel frente a outros países Diversos programas não tiveram continuidade Fundamental para infra-estrutura do país Tímido desenvolvimento tecnológico (baixo número de Patentes e Registro de Marcas ) Ações futuras: Importancia da articulação entre atores Sensibilidade do MEC e da CAPES Articulação ABENGE/CNI/IEL/CONFEA

46 OBRIGADO! capes.gov.br

47 Programa de Apoio a Projetos Institucionais com a Participação de Recém-Doutores - PRODOC Programa iniciado em 2002 OBJETIVOS Estimular o desenvolvimento,de projetos institucionais nos programas de pós-graduação que contribuam para: a complementação da formação de recém-doutores; a diversificação interna dos grupos de ensino e pesquisa; o fortalecimento de grupos de pesquisa nos programas de pós-graduação e a integração das atividades de ensino, pesquisa e extensão. Sua principal finalidade é a absorção temporária dos recém-doutores almejando a fixação de tais pesquisadores em IES, públicas e/ou privadas, e Centros de Desenvolvimento e/ou Pesquisa

48 Evolução do número n de bolsas concedidas ao PRODOC 2003 a Nº de bolsas Ano Fonte: Capes/MEC

49 PRODOC Projetos ativos de 2003 a 2008:

50 Programa de Excelência Acadêmica - PROEX Programa implantando em 2004 OBJETIVO Busca garantir liberdade e agilidade aos programas de excelência da pós-graduação brasileira (conceitos 6 e 7) na utilização dos recursos públicos, proporcionando maior flexibilidade operacional. Os programas integrantes do PROEX recebem tratamento diferenciado, possuindo maior autonomia funcional e podendo decidir como e em que aplicarão os recursos da CAPES.

51 Evolução do número n de bolsas concedidas ao PROEX, por nível n 2004 a Nº de bolsas Ano Mestrado Doutorado Fonte: Capes/MEC

52 PROEX Programas de Pós-Graduação beneficiados: 2004: : : 177

53 Programa Nacional de Pós- P Doutorado (PNPD) Programa iniciado no ano de 2007 OBJETIVOS Absorção de jovens doutores das ciências exatas e tecnológicas, o reforço dos grupos de pesquisa nacionais, a renovação de quadros nos programas de pós-graduação nas universidades e instituições de pesquisas, a sustentação à PDP e à Lei de Inovação, bem como ao apoio às empresas de base tecnológica Investir nos doutores recém-formados e plenamente aptos para aplicar os conhecimentos adquiridos em áreas direcionadas ao desenvolvimento industrial destacadas na PITCE (microeletrônica, software, fármacos, bens de capital, bio- e nanotecnologia) Em 2008 foram concedidas 441 bolsas para o programa.

54 PNPD Número de projetos aprovados: Edital 2007: 369

FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR

FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO Agosto de 2009 Ações da Capes Com Ênfase na Cooperação Internacional Reunião das Sociedades de Física da AL SANDOVAL CARNEIRO JUNIOR DIRETOR DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO SANDUÍCHE E PÓS-DOUTORAL NO ENSINO DA PÓS-GRADUAÇÃO

A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO SANDUÍCHE E PÓS-DOUTORAL NO ENSINO DA PÓS-GRADUAÇÃO A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO SANDUÍCHE E PÓS-DOUTORAL NO ENSINO DA PÓS-GRADUAÇÃO Isabela Almeida Pordeus Novembro 2009 A Pós-Graduação em Odontologia Evolução dos Programas: Odontologia Evolução do Programas

Leia mais

FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR

FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR Sistema Brasileiro de Apoio à Ciência, Tecnologia e Formação de Recursos Humanos Os números indicam o ano de criação das Agências. Fonte:

Leia mais

REUNIÃO SESU. Brasília, Setembro 2011 Jorge A. Guimarães Plano Nacional de Pós-Graduação PNPG 2011 2020 jguimaraes@capes.gov.br

REUNIÃO SESU. Brasília, Setembro 2011 Jorge A. Guimarães Plano Nacional de Pós-Graduação PNPG 2011 2020 jguimaraes@capes.gov.br REUNIÃO SESU Brasília, Setembro 2011 Jorge A. Guimarães Plano Nacional de Pós-Graduação PNPG 2011 2020 jguimaraes@capes.gov.br Eixos do PNPG 2011-2020 1. Expansão do SNPG (assimetrias); 2. Criação da agenda

Leia mais

Oferecer oportunidade de estudo e estágio a discentes brasileiros em universidades de excelência;

Oferecer oportunidade de estudo e estágio a discentes brasileiros em universidades de excelência; UM PROGRAMA ESPECIAL DE MOBILIDADE INTERNACIONAL EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA e INOVAÇÃO Objetivos do Programa Oferecer oportunidade de estudo e estágio a discentes brasileiros em universidades de excelência;

Leia mais

Seminário Internacional Portugal - Brasil

Seminário Internacional Portugal - Brasil UM PROGRAMA ESPECIAL DE MOBILIDADE INTERNACIONAL EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA e INOVAÇÃO Gustavo Santos ast.porto@itamaraty.gov.br Setor de Cooperação Científica Superior Consulado-Geral do Brasil no Porto Seminário

Leia mais

INFORMATIVO DO PESQUISADOR BOLETIM SEMANAL INFORMATIVO PRPPG/UFPI - 10/12/2009 CAPES

INFORMATIVO DO PESQUISADOR BOLETIM SEMANAL INFORMATIVO PRPPG/UFPI - 10/12/2009 CAPES INFORMATIVO DO PESQUISADOR BOLETIM SEMANAL INFORMATIVO PRPPG/UFPI - 10/12/2009 CAPES 1. Programa CAPES/MES-Cuba PRAZO DE INSCRIÇÃO: 30 de março de 2010 OBJETIVOS: O Programa CAPES/MES-Cuba visa apoiar

Leia mais

MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO

MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO Ambiente de Inovação em Saúde EVENTO BRITCHAM LUIZ ARNALDO SZUTAN Diretor do Curso de Medicina Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo SOCIEDADES CONHECIMENTO

Leia mais

UM PROGRAMA ESPECIAL DE MOBILIDADE INTERNACIONAL EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA e

UM PROGRAMA ESPECIAL DE MOBILIDADE INTERNACIONAL EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA e UM PROGRAMA ESPECIAL DE MOBILIDADE INTERNACIONAL EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA e INOVAÇÃO Objetivos do Programa Oferecer 101 mil bolsas de estudo no exterior para que nossos mais talentosos estudantes de graduação,

Leia mais

Academia Brasileirade Ciências

Academia Brasileirade Ciências Academia Brasileirade Ciências ReuniãoAnnual Magna 2011 A ABC a Caminhodo SeuCentenário Jorge A. Guimarães Sobre o Plano Nacional de Pós-Graduação2011 2020 jguimaraes@capes.gov.br Eixos do PNPG 2011-2020

Leia mais

Pós Graduação Brasileira: Impacto e Perspectivas

Pós Graduação Brasileira: Impacto e Perspectivas Pós Graduação Brasileira: Impacto e Perspectivas Milca Severino Pereira Pró-Reitora de Pós Graduação e Pesquisa PUC Goiás Isac Almeida de Medeiros Pró-Reitor de Pós-Graduação e Pesquisa Universidade Federal

Leia mais

Desenvolvimento de educação técnica e científica para a operação de centros de PD&I no Brasil. Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero

Desenvolvimento de educação técnica e científica para a operação de centros de PD&I no Brasil. Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero Desenvolvimento de educação técnica e científica para a operação de centros de PD&I no Brasil Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero Empresas Participantes do CRI Multinacionais Instituições

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS MARIA THEREZA E PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE

FACULDADES INTEGRADAS MARIA THEREZA E PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE FACULDADES INTEGRADAS MARIA THEREZA E PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE O PROGRAMA: Ciência sem Fronteiras é um programa que busca promover a consolidação, expansão e internacionalização

Leia mais

2 de fevereiro de 2015. Ano 4. Nº 33. Editais curto prazo

2 de fevereiro de 2015. Ano 4. Nº 33. Editais curto prazo 2 de fevereiro de 2015. Ano 4. Nº 33 NACIONAL Editais curto prazo Orgao CNPq Edital Prêmio Mercosul de Ciência e Tecnologia Termino 23/2/2015 Direcionado a Reconhecer e premiar os melhores trabalhos de

Leia mais

Livio Amaral Diretor de Avaliação

Livio Amaral Diretor de Avaliação Livio Amaral Diretor de Avaliação 15outubro12 Educação Superior no Brasil Sistema de pesquisa universitária ria recente Internacionalização Inovação Qualidade Inserção Social Acesso Competitividade Total

Leia mais

SEMINÁRIO ANDIFES. Ana Gabas Assessora do Ministro Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação MCTI

SEMINÁRIO ANDIFES. Ana Gabas Assessora do Ministro Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação MCTI SEMINÁRIO ANDIFES Ana Gabas Assessora do Ministro Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação MCTI Brasília, 13 de março de 2012 Percentual do PIB aplicado em C,T&I Comparação Internacional Fontes: Main

Leia mais

Instituto de Engenharia

Instituto de Engenharia Instituto de Engenharia Os Caminhos da Engenharia Brasileira A Engenharia como Principal Vetor para a Inovação e Competitividade Benedito G. Aguiar Neto Reitor da Universidade Presbiteriana Mackenzie Introdução

Leia mais

Ciência sem Fronteiras : O Programa Brasileiro de Mobilidade Científica no CNPq/MCT

Ciência sem Fronteiras : O Programa Brasileiro de Mobilidade Científica no CNPq/MCT Ciência sem Fronteiras : O Programa Brasileiro de Mobilidade Científica no CNPq/MCT Objetivos Avanço da ciência brasileira em tecnologia, inovação e competitividade, através da expansão da mobilidade internacional:

Leia mais

Treinar até 101.000 estudantes e pesquisadores brasileiros nas melhores universidades do mundo em áreas vinculadas à Tecnologia Ciência e Inovação.

Treinar até 101.000 estudantes e pesquisadores brasileiros nas melhores universidades do mundo em áreas vinculadas à Tecnologia Ciência e Inovação. UM PROGRAMA ESPECIAL DE MOBILIDADE INTERNACIONAL EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA e INOVAÇÃO Objetivos Treinar até 101.000 estudantes e pesquisadores brasileiros nas melhores universidades do mundo em áreas vinculadas

Leia mais

Perspectivas da educação no Brasil Movimento Empresarial pela Inovação - MEI

Perspectivas da educação no Brasil Movimento Empresarial pela Inovação - MEI Perspectivas da educação no Brasil Movimento Empresarial pela Inovação - MEI Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação Educação Básica Política de expansão das creches e pré-escolas (Brasil Carinhoso)

Leia mais

Objetivos do Programa

Objetivos do Programa UM PROGRAMA ESPECIAL DE MOBILIDADE INTERNACIONAL EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA e INOVAÇÃO Objetivos do Programa Oferecer 100 mil bolsas de estudo no exterior para que nossos mais talentosos estudantes de graduação,

Leia mais

Diretoria de Programas e Bolsas no País

Diretoria de Programas e Bolsas no País Ministério da Educação MEC Coordenação de Aperfeiçoamento de Nível Superior - CAPES Diretoria de Programas e Bolsas no País Profº. Luciano de Azevedo Soares Neto Coordenador-Geral de Programas Estratégicos

Leia mais

NUCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA - UESC

NUCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA - UESC Boletim 13 Editais / FAPESB Visite nosso blog: / Edital 029/2010 Popularização da Ciência Educação Científica - financiamento de projetos institucionais de educação científica que propiciem a difusão e

Leia mais

2 de março de 2015. Ano 4. Nº 34

2 de março de 2015. Ano 4. Nº 34 2 de março de 2015. Ano 4. Nº 34 Editais curto prazo NACIONAL Orgao CNPq Edital 12º Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica - 2014 Termino 30/3/2015 Direcionado a Premiar bolsistas de Iniciação

Leia mais

Resumo de Editais Abertos Capes

Resumo de Editais Abertos Capes Resumo de Editais Abertos Capes www.capes.gov.br/editais/abertos Programa Capes/MINCyT O objetivo do Programa Capes/MINCyT é estimular, por meio de projetos conjuntos de pesquisa, o intercâmbio de docentes

Leia mais

8. Excelência no Ensino Superior

8. Excelência no Ensino Superior 8. Excelência no Ensino Superior PROGRAMA: 08 Órgão Responsável: Contextualização: Excelência no Ensino Superior Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - SETI O Programa busca,

Leia mais

Inovação no Brasil nos próximos dez anos

Inovação no Brasil nos próximos dez anos Inovação no Brasil nos próximos dez anos XX Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas XVIII Workshop ANPROTEC Rodrigo Teixeira 22 de setembro de 2010 30/9/2010 1 1 Inovação e

Leia mais

Estratégias do CNPq para a Pesquisa e Inovação

Estratégias do CNPq para a Pesquisa e Inovação Estratégias do CNPq para a Pesquisa e Inovação Dr. Glaucius Oliva Presidente CNPq Publicações Matrículas no Ensino Superior Docentes com Doutorado Orçamento - MCTI Orçamento - CNPq Orçamento - Capes Orçamento

Leia mais

La Relación entre Investigación y Posgrado

La Relación entre Investigación y Posgrado La Relación entre Investigación y Posgrado Maria de Fátima Sonati Profesora Titular y Asesora de la Vice- Rectoría de Posgrado (periodo 06/2009-04/2013) Universidade Estatal de Campinas-UNICAMP - Brasil

Leia mais

EDITAL PROPI/PROEN/PROEX Nº 001/2014 - CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS - CSF/IFRS

EDITAL PROPI/PROEN/PROEX Nº 001/2014 - CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS - CSF/IFRS EDITAL PROPI/PROEN/PROEX Nº 001/2014 - CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS - CSF/IFRS GRADUAÇÃO SANDUÍCHE - Alemanha, Austrália, Áustria, Bélgica, Canadá, China, Coréia do Sul, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, França,

Leia mais

Cenários do Ensino Superior em Santa Catarina e no Brasil

Cenários do Ensino Superior em Santa Catarina e no Brasil Cenários do Ensino Superior em Santa Catarina e no Brasil Maurício Fernandes Pereira PRESIDENTE DO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE SANTA CATARINA PRESIDENTE DO FÓRUM NACIONAL DOS CONSELHOS ESTADUAIS DE

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ ASSESSORIA DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL COORDENAÇÃO INSTITUCIONAL PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS EDITAL Nº 01/2014

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ ASSESSORIA DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL COORDENAÇÃO INSTITUCIONAL PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS EDITAL Nº 01/2014 UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ ASSESSORIA DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL COORDENAÇÃO INSTITUCIONAL PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS EDITAL Nº 01/2014 SELEÇÃO DE ALUNOS PARA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE, ATRAVÉS DO PROGRAMA

Leia mais

REUNIÃO COM OS COORDENADORES INSTITUCIONAIS DO PROGRAMA. Brasília, 07 de outubro de 2014.

REUNIÃO COM OS COORDENADORES INSTITUCIONAIS DO PROGRAMA. Brasília, 07 de outubro de 2014. REUNIÃO COM OS COORDENADORES INSTITUCIONAIS DO PROGRAMA Brasília, 07 de outubro de 2014. O Programa Ciência sem Fronteiras busca a consolidação e expansão da ciência, tecnologia, inovação e competitividade

Leia mais

OS CAMINHOS DA ENGENHARIA BRASILEIRA

OS CAMINHOS DA ENGENHARIA BRASILEIRA OS CAMINHOS DA ENGENHARIA BRASILEIRA A Formação dos Engenheiros: Muito Próxima ou Muito Longe do Mercado Prof.Dr. Mario C. F. Garrote Escola de Engenharia Mauá Instituto Mauá de Tecnologia eem@maua.br

Leia mais

Ciência sem Fronteiras e a UFPE

Ciência sem Fronteiras e a UFPE Ciência sem Fronteiras e a UFPE Reunião com os Coordenadores de Graduação Diretoria de Cooperação Internacional Recife 17 de abril de 2012 Mobilidade estudantil internacional UFPE: alunos de graduação

Leia mais

Workshop sobre o Ciência sem Fronteiras

Workshop sobre o Ciência sem Fronteiras Workshop sobre o Ciência sem Fronteiras Dispêndios em P&D Setor de Informática e Eletroeletrônicos ABINEE São Paulo, 01 de julho de 2015 Internacionalização: Visão Estratégica Internacionalização de uma

Leia mais

Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional. Plano de Ação 2007-2010. Comissão de C&T&I&C&I Senado Federal 17 de abril de 2008

Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional. Plano de Ação 2007-2010. Comissão de C&T&I&C&I Senado Federal 17 de abril de 2008 Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional Plano de Ação 2007-2010 Comissão de C&T&I&C&I Senado Federal 17 de abril de 2008 Política de Estado Configuração da Política Gestão Compartilhada

Leia mais

XXVII Reunião Anual da FeSBE Raquel Coêlho Coordenação Geral do Programa de Pesquisa em Saúde

XXVII Reunião Anual da FeSBE Raquel Coêlho Coordenação Geral do Programa de Pesquisa em Saúde Fomento à ciência, tecnologia e inovação na saúde e ciências biomédicas. XXVII Reunião Anual da FeSBE Raquel Coêlho Coordenação Geral do Programa de Pesquisa em Saúde Visão de Futuro do CNPq Ser uma instituição

Leia mais

Metas Indicadores Ação para o Alcance das Metas Produto Esperado Fonte dos Dados

Metas Indicadores Ação para o Alcance das Metas Produto Esperado Fonte dos Dados PDI 20111 / 201 15 Pós-Graduação 1. Formar pessoas competentes e éticas, com alta qualificação científica, tecnológica e artística, comprometidas com o bem-estar social, adaptáveis às mudanças, capazes

Leia mais

Modelos de Gestão da Qualidade da Pós-graduação e do Doutorado: Experiências Nacionais: BRASIL

Modelos de Gestão da Qualidade da Pós-graduação e do Doutorado: Experiências Nacionais: BRASIL Modelos de Gestão da Qualidade da Pós-graduação e do Doutorado: Experiências Nacionais: BRASIL Livio Amaral Diretor de Avaliação 17set13 A AVALIAÇÃO DO SISTEMA NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO (SNPG) (SNPG) -FUNDAMENTOS

Leia mais

EDITAL 1/2014 DE SELEÇÃO INTERNA DE CANDIDATOS AO PROGRAMA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE NO ÂMBITO DO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CNPq/CAPES

EDITAL 1/2014 DE SELEÇÃO INTERNA DE CANDIDATOS AO PROGRAMA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE NO ÂMBITO DO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CNPq/CAPES EDITAL 1/2014 DE SELEÇÃO INTERNA DE CANDIDATOS AO PROGRAMA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE NO ÂMBITO DO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CNPq/CAPES A Universidade Católica de Brasília é participante do Programa Ciência

Leia mais

EDITAL AREX 2013. Programa Ciência sem Fronteiras - Graduação Sanduíche no Exterior para segundo semestre de 2014

EDITAL AREX 2013. Programa Ciência sem Fronteiras - Graduação Sanduíche no Exterior para segundo semestre de 2014 EDITAL AREX 2013 Programa Ciência sem Fronteiras - Graduação Sanduíche no Exterior para segundo semestre de 2014 A Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior CAPES e o Conselho

Leia mais

Graduação Sanduíche - Programa Ciência sem fronteiras

Graduação Sanduíche - Programa Ciência sem fronteiras Graduação Sanduíche - Programa Ciência sem fronteiras Chamadas em aberto Estão abertas até o dia 30 de abril chamadas para os seguintes países: Canadá, Bélgica, Austrália, Portugal, Coréia do Sul, Espanha

Leia mais

Ciência sem Fronteiras: construindo redes internacionais para inovação

Ciência sem Fronteiras: construindo redes internacionais para inovação Ciência sem Fronteiras: construindo redes internacionais para inovação Recursos Humanos Universidade Petrobras Brasil 12 a 14 de novembro Hotel Transamérica São Paulo. 2 Petrobras A PETROBRAS Atua como

Leia mais

EDITAL Nº 01/2014 1. DISPOSIÇÕES GERAIS

EDITAL Nº 01/2014 1. DISPOSIÇÕES GERAIS CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE BELO HORIZONTE Coordenação de Pesquisa e Extensão Coordenação Institucional-Programa Ciência sem Fronteiras EDITAL Nº 01/2014 SELEÇÃO DE ALUNOS PARA GRADUAÇÃO

Leia mais

PLC 116/10. Eduardo Levy

PLC 116/10. Eduardo Levy PLC 116/10 Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania Comissão de Assuntos Econômicos Comissão de Educação, Cultura

Leia mais

Panorama e planejamento de Pós-graduação visando notas 06 e 07 na UFV

Panorama e planejamento de Pós-graduação visando notas 06 e 07 na UFV Pós-Graduação da UFV em debate 2012 26-27 de Novembro de 2012 Panorama e planejamento de Pós-graduação visando notas 06 e 07 na UFV Profa. Simone EF Guimarães Pós Graduação em Genética e Melhoramento UFV

Leia mais

Guia de Instruções para Inscrições no Programa Ciência Sem Fronteiras

Guia de Instruções para Inscrições no Programa Ciência Sem Fronteiras Guia de Instruções para Inscrições no Programa Ciência Sem Fronteiras A Coordenadoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão do Centro Universitário de Sete Lagoas UNIFEMM, no uso de suas atribuições, divulga

Leia mais

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR. XI Fórum BRAFITEC. Luís Filipe de Miranda Grochocki Curitiba, 11 de junho de 2015 Brasil

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR. XI Fórum BRAFITEC. Luís Filipe de Miranda Grochocki Curitiba, 11 de junho de 2015 Brasil COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR XI Fórum BRAFITEC Luís Filipe de Miranda Grochocki Curitiba, 11 de junho de 2015 Brasil Principais tópicos CAPES; Internacionalização; Programas

Leia mais

Ciência sem Fronteiras: Desafios e Oportunidades

Ciência sem Fronteiras: Desafios e Oportunidades Ciência sem Fronteiras: Desafios e Oportunidades Glaucius Oliva Presidente CNPq Jorge Almeida Guimãrães Presidente da CAPES Brasil em 1950 Pouquíssimos cientistas e pesquisadores Falta de ambiente de pesquisa

Leia mais

Ensino Superior e novas tecnologias: caminhos e desafios

Ensino Superior e novas tecnologias: caminhos e desafios Ensino Superior e novas tecnologias: caminhos e desafios Henrique Paim Ministro de Estado da Educação Maceió, abril de 2014 Plano Nacional de Educação PNE balizador de todas as ações do MEC. Desafios:

Leia mais

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação;

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação; DECRETO Nº 7.642, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 * Programa Ciência sem Fronteiras. * Institui o Programa Ciência sem Fronteiras. A Presidenta da República, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84,

Leia mais

V Seminário Interno do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia da UFRGS (08 de Abril de 2015) A Pós-graduação em Zootecnia Uma visão do sistema

V Seminário Interno do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia da UFRGS (08 de Abril de 2015) A Pós-graduação em Zootecnia Uma visão do sistema V Seminário Interno do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia da UFRGS (08 de Abril de 2015) A Pós-graduação em Zootecnia Uma visão do sistema Papel da CAPES na Condução da Pós-Graduação Fundação vinculada

Leia mais

Políticas Públicas: Impactos na Formação em Engenharia. Silvia Costa Dutra Unisinos 2014

Políticas Públicas: Impactos na Formação em Engenharia. Silvia Costa Dutra Unisinos 2014 Políticas Públicas: Impactos na Formação em Engenharia Silvia Costa Dutra Unisinos 2014 Regatando o passado Avaliando o presente Pensando o futuro Formação em Engenharia: Alguns marcos Criação da ABENGE-

Leia mais

Oportunidades nas áreas de Engenharias, Ciências Exatas, Sociais e Humanas

Oportunidades nas áreas de Engenharias, Ciências Exatas, Sociais e Humanas Oportunidades nas áreas de Engenharias, Ciências Exatas, Sociais e Humanas Guilherme Sales Melo (UnB) Diretor de Engenharias, Ciências Exatas, Sociais e Humanas CNPq O Livro Azul, o novo PACTI e o Ciência

Leia mais

InformEditais. Editais curto prazo NACIONAL. Direcionado a Link http://sigamazonia.fapespa.pa.gov.br/area_publica/index.php?edital=401&id=1 obs

InformEditais. Editais curto prazo NACIONAL. Direcionado a Link http://sigamazonia.fapespa.pa.gov.br/area_publica/index.php?edital=401&id=1 obs 6 de julho de 2015. Ano 4. Nº 38 Editais curto prazo NACIONAL Orgao FAPESPA Edital Termino 18/8/2015 Direcionado a Link http://sigamazonia.fapespa.pa.gov.br/area_publica/index.php?edital=401&id=1 Orgao

Leia mais

UM PROGRAMA ESPECIAL DE MOBILIDADE INTERNACIONAL EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA e INOVAÇÃO. Aloizio Mercadante. Ministro de Estado da Ciência e Tecnologia

UM PROGRAMA ESPECIAL DE MOBILIDADE INTERNACIONAL EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA e INOVAÇÃO. Aloizio Mercadante. Ministro de Estado da Ciência e Tecnologia UM PROGRAMA ESPECIAL DE MOBILIDADE INTERNACIONAL EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA e INOVAÇÃO Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Ciência e Tecnologia Conselho Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social

Leia mais

Programa Ciência Sem Fronteiras (PCsF) para a indústria INDÚSTRIA BRASILEIRA

Programa Ciência Sem Fronteiras (PCsF) para a indústria INDÚSTRIA BRASILEIRA Programa Ciência Sem Fronteiras (PCsF) para a indústria INDÚSTRIA BRASILEIRA MEI-Mobilização Empresarial pela Inovação PRINCIPAIS DIRETRIZES Enfatizar a formação de recursos humanos qualificados Apoiar

Leia mais

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS Estabelece a política de pesquisa, desenvolvimento, inovação e extensão da Universidade Positivo (UP). O CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR (CAS), órgão da administração superior

Leia mais

Avaliação de Políticas Públicas (Resolução nº 44, de 2013)

Avaliação de Políticas Públicas (Resolução nº 44, de 2013) Avaliação de Políticas Públicas (Resolução nº 44, de 2013) Presidente: SENADOR CRISTOVAM BUARQUE Vice-Presidente: SENADOR HÉLIO JOSÉ Relator: SENADOR OMAR AZIZ Proposta de Plano de Trabalho Avaliação de

Leia mais

Inovação como Agenda Estratégica nas Políticas do MCT

Inovação como Agenda Estratégica nas Políticas do MCT Inovação como Agenda Estratégica nas Políticas do MCT Inovação: motor da competitividade e do desenvolvimento sustentado O investimento bem sucedido em inovação: Aumenta produtividade e cria novos produtos:

Leia mais

Fomento à Produção Nacional. Painel de Debate 16/4/2013

Fomento à Produção Nacional. Painel de Debate 16/4/2013 Fomento à Produção Nacional Painel de Debate 16/4/2013 A FINEP A FINEP - Agência Brasileira da Inovação - é uma empresa pública vinculada ao MCTI (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação) criada em

Leia mais

COMITÊ EXECUTIVO PARA A FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS EM CIÊNCIAS DO MAR - PPG-Mar PLANO NACIONAL DE TRABALHO 2012-2015

COMITÊ EXECUTIVO PARA A FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS EM CIÊNCIAS DO MAR - PPG-Mar PLANO NACIONAL DE TRABALHO 2012-2015 CIRM PSRM 180/ 120/8 9 COMITÊ EXECUTIVO PARA A FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS EM CIÊNCIAS DO MAR - 1.1. Apoiar, incentivar e promover a 1. Melhorar a qualificação do corpo qualificação do corpo docente da

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR Lei nº 11.487/2007: Problema: produção científica crescente SEM reflexo no setor produtivo e industrial Produção Científica

Leia mais

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS EIXO III - CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO

Leia mais

Programa Especial de Mobilidade Internacional Governo Federal (CAPES e CNPq) Bolsas para capacitação no exterior

Programa Especial de Mobilidade Internacional Governo Federal (CAPES e CNPq) Bolsas para capacitação no exterior Programa Especial de Mobilidade Internacional Governo Federal (CAPES e CNPq) Bolsas para capacitação no exterior Início do Programa: 75 mil bolsas (2011-2015) Graduação-Sanduíche 27.100 Doutorado Sanduíche

Leia mais

3Uy5HLWRULDSDUD$VVXQWRVGH 3HVTXLVDH3yV*UDGXDomRGD8)3( 5HODWyULRGH$WLYLGDGHV. 0DUoR

3Uy5HLWRULDSDUD$VVXQWRVGH 3HVTXLVDH3yV*UDGXDomRGD8)3( 5HODWyULRGH$WLYLGDGHV. 0DUoR 3Uy5HLWRULDSDUD$VVXQWRVGH 3HVTXLVDH3yV*UDGXDomRGD8)3( 5HODWyULRGH$WLYLGDGHV 0DUoR $'0,1,675$d 2 Aprovação junto a CPPG da Resolução nº 01/2001 que dispõe sobre as atribuições da Comissão de Pós-Graduação

Leia mais

MEC/CAPES. Portal de Periódicos

MEC/CAPES. Portal de Periódicos MEC/CAPES Portal de Periódicos A CAPES e a formação de recursos de alto nível no Brasil Criada em 1951, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) é uma agência vinculada ao

Leia mais

Panorama dos gastos com cuidados em saúde

Panorama dos gastos com cuidados em saúde Panorama dos gastos com cuidados em saúde 08 de abril de 2008 João Sanches Diretor de Relações Institucionais Cadeia de Valor - Inovação em Saúde Transparência Proteção à propriedade intelectual Mercados

Leia mais

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS (CAPES E CNPq) EDITAL nº 06 de 28 de Março de 2012

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS (CAPES E CNPq) EDITAL nº 06 de 28 de Março de 2012 PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS (CAPES E CNPq) EDITAL nº 06 de 28 de Março de 2012 A Pró-Reitoria de Pesquisa, Extensão e Pós-Graduação vêm através deste Edital, divulgar no âmbito da Instituição a todos

Leia mais

Denise de Menezes Neddermeyer Diretora de Relações Internacionais da CAPES

Denise de Menezes Neddermeyer Diretora de Relações Internacionais da CAPES COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR FÓRUM DA EDUCAÇÃO SUPERIOR Educação Superior para o Desenvolvimento Nacional Denise de Menezes Neddermeyer Diretora de Relações Internacionais

Leia mais

EQPS Belo Horizonte. Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010

EQPS Belo Horizonte. Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010 EQPS Belo Horizonte Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010 Antenor Corrêa Coordenador-Geral de Software e Serviços Ministério da Ciência e Tecnologia Secretaria

Leia mais

Programa UNIBRAL Edital CGCI n. 014 /2007

Programa UNIBRAL Edital CGCI n. 014 /2007 Programa UNIBRAL Edital CGCI n. 014 /2007 1 Do programa e objetivo 1.1 O Programa UNIBRAL, apoiado no acordo de cooperação assinado entre Brasil e Alemanha em 31 de outubro de 2000, tem como objetivo estimular

Leia mais

Formação de Recursos Humanos na área de fármacos e medicamentos

Formação de Recursos Humanos na área de fármacos e medicamentos Formação de Recursos Humanos na área de fármacos e medicamentos A formação em Farmácia Seminário do BNDES 7 de maio de 2003 Por que RH para Fármacos e Medicamentos? Fármacos e Medicamentos como campo estratégico

Leia mais

Juliana Kumbartzki Ferreira csf@contato.ufsc.br www.sinter.ufsc.br Telefone: 3721-8739

Juliana Kumbartzki Ferreira csf@contato.ufsc.br www.sinter.ufsc.br Telefone: 3721-8739 Juliana Kumbartzki Ferreira csf@contato.ufsc.br www.sinter.ufsc.br Telefone: 3721-8739 Ciência sem Fronteiras é um programa que busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência

Leia mais

Programa Ciência sem Fronteira

Programa Ciência sem Fronteira Programa Ciência sem Fronteira Graduação Sanduíche Pró-reitoria de Pesquisa Coesão interna para inserção externa Bolsas no país e exterior: número de bolsas-ano concedidas pelas agências federais, 2003-2009

Leia mais

TABELA DE VALORES DE BOLSAS NO EXTERIOR

TABELA DE VALORES DE BOLSAS NO EXTERIOR Revogada pela RN 020/06 Resolução Normativa RN-007/2006 Revoga a RN 001/05 TABELA DE VALORES DE BOLSAS NO EXTERIOR O Presidente do CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO - CNPq,

Leia mais

NUCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA - UESC

NUCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA - UESC Boletim 08 Editais / FAPESB Visite nosso blog: / Edital convida os pesquisadores a apresentarem projetos de pesquisa da área de saúde e em conformidade com os temas, no âmbito do Programa Pesquisa para

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

Brasil e Alemanha: Ciências e Pesquisa - fomentos, mobilidade, co-operação científica -

Brasil e Alemanha: Ciências e Pesquisa - fomentos, mobilidade, co-operação científica - Christian Müller, DAAD Rio de Janeiro Brasil e Alemanha: Ciências e Pesquisa - fomentos, mobilidade, co-operação científica - Rio de Janeiro, 29/11/2010 Papel e atuação do DAAD 229 Universidades membros

Leia mais

Políticas de Propriedade

Políticas de Propriedade Políticas de Propriedade Intelectual Rubens de Oliveira Martins SETEC/MCT Ministério da Ciência e Tecnologia Propriedade Intelectual Conceito: sistema de proteção que gera direito de propriedade ou exclusividade

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

O PNE, a Educação Básica e a Pós-Graduação brasileira. Jorge Almeida Guimarães

O PNE, a Educação Básica e a Pós-Graduação brasileira. Jorge Almeida Guimarães O PNE, a Educação Básica e a Pós-Graduação brasileira Jorge Almeida Guimarães Histórico 1951 Criação da Capes como Fundação do MEC; 1953 Programa Universitário; o o o o Concessão de Bolsas; Contratação

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC ASSESSORIA PARA ASSUNTOS INTERNACIONAIS E INTERINSTITUCIONAIS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC ASSESSORIA PARA ASSUNTOS INTERNACIONAIS E INTERINSTITUCIONAIS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC ASSESSORIA PARA ASSUNTOS INTERNACIONAIS E INTERINSTITUCIONAIS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO EDITAL DO PROGRAMA DE BOLSAS PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS-CsF GRADUAÇÃO

Leia mais

N de cursos ofertados; % de vagas ocupadas/ formas de ingresso.

N de cursos ofertados; % de vagas ocupadas/ formas de ingresso. Anexo II Dimensões Elementos Indicadores quantitativos Indicadores qualitativos % de cursos com projeto pedagógico/ adequados ao Projeto Condições de implementação dos Projetos Projeto Pedagógico dos Institucional

Leia mais

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA 1- FORTALECER O SETOR DE SOFTWARE E SERVIÇOS DE TI, NA CONCEPÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS AVANÇADAS; 2- CRIAR EMPREGOS QUALIFICADOS NO PAÍS; 3- CRIAR E FORTALECER EMPRESAS

Leia mais

Educação no Brasil. Aloizio Mercadante. São Paulo, 30 de novembro de 2012

Educação no Brasil. Aloizio Mercadante. São Paulo, 30 de novembro de 2012 Educação no Brasil Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação São Paulo, 30 de novembro de 2012 Educação Infantil Taxas de atendimento Creches 36,3 23,6 9,4 12,2 Brasil Carinhoso: 2,8 milhões de

Leia mais

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância A Escola A ENAP pode contribuir bastante para enfrentar a agenda de desafios brasileiros, em que se destacam a questão da inclusão e a da consolidação da democracia. Profissionalizando servidores públicos

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E

POLÍTICAS PÚBLICAS DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO CARTA SÃO PAULO 2006 1 CARTA SÃO PAULO 2006 Visão para inovação, competitividade e renda. Reunidos na cidade de São Paulo-SP, no dia 25 de agosto de

Leia mais

Desafios da Inovação no Brasil

Desafios da Inovação no Brasil Jornada pela Inovação Audiência Pública Comissão de Ciência e Tecnologia Senado Federal Desafios da Inovação no Brasil Glauco Arbix Finep Brasília, 25 de maio de 2011 FINEP Empresa pública federal, não

Leia mais

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia Sessão Plenária 5: Programas Nacionais de Estímulo e Apoio às Incubadoras de Empresas e Parques Tecnológicos Ana Lúcia Vitale Torkomian Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério

Leia mais

23ª Edição AGOSTO DE 2012

23ª Edição AGOSTO DE 2012 23ª Edição AGOSTO DE 2012 CAPES PRÊMIO CAPES DE TESE O Prêmio Capes de Tese e o Grande Prêmio Capes de Tese são prêmios concedidos anualmente pela Capes às melhores teses de doutorado defendidas e aprovadas

Leia mais

Foro Internacional sobre Modelos de Gestión de Investigación Científica para la Educación Superior

Foro Internacional sobre Modelos de Gestión de Investigación Científica para la Educación Superior Foro Internacional sobre Modelos de Gestión de Investigación Científica para la Educación Superior Primer Encuentro Internacional em América Latina de Las Redes AUIP, RECLA Y RUEPEP Manta, Ecuador, 24

Leia mais

Reunião da Congregação do CTC-PUC-Rio. 15 de dezembro de 2014

Reunião da Congregação do CTC-PUC-Rio. 15 de dezembro de 2014 Reunião da Congregação do CTC-PUC-Rio 15 de dezembro de 2014 Pós-Graduação e Pesquisa Alunos de Pós-Graduação Nível Doutorado Mestrado Semestre 2012.1 2012.2 2013.1 2013.2 2014.1 2014.2 2012.1 2012.2 2013.1

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS GRADUAÇÃO SANDUÍCHE CHAMADAS PÚBLICAS 108 A 116/2012

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS GRADUAÇÃO SANDUÍCHE CHAMADAS PÚBLICAS 108 A 116/2012 O QUE É REQUISITOS PARA O CANDIDATO ÁREAS E TEMAS DE ESTUDO PRIORITÁRIOS Processo de seleção de candidatos de instituições brasileiras a bolsas de graduação-sanduíche no exterior para estudo em instituições

Leia mais

EDITAL N. º 01 DE 27 DE AGOSTO DE 2014

EDITAL N. º 01 DE 27 DE AGOSTO DE 2014 EDITAL N. º 01 DE 27 DE AGOSTO DE 2014 PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS (CsF): EDITAL DE PROCESSO SELETIVO INTERNO DO CsF NO ISECENSA PARA CONCESSÃO DE BOLSAS CAPES/CNPq SANDUÍCHE DE GRADUAÇÃO NOS SEGUINTES

Leia mais

EDITAL N 008 /2012 ARII/REITORIA

EDITAL N 008 /2012 ARII/REITORIA EDITAL N 008 /2012 ARII/REITORIA PROCESSO PRÉ-SELETIVO DE ALUNOS DA UFAM PARA PARTICIPAR DE INTERCÂMBIO ACADÊMICO DO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS DEZEMBRO/2012 A UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS, através

Leia mais

EDITAL INTERNO DE SELEÇÃO DO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS - CAPES/CNPQ

EDITAL INTERNO DE SELEÇÃO DO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS - CAPES/CNPQ FAPAC - Faculdade Presidente Antônio Carlos. INSTITUTO TOCANTINENSE PRES. ANTÔNIO CARLOS PORTO LTDA. Rua Getulio Vargas, 547 Centro Porto Nacional TO CEP 77.500-000 Fone: (63) 3363 2474 - CNPJ 10.261.

Leia mais

Me. GIOVANA F. PUJOL giopujol@windowslive.com

Me. GIOVANA F. PUJOL giopujol@windowslive.com Me. GIOVANA F. PUJOL giopujol@windowslive.com BRASIL - TERRITÓRIO, POPULAÇÃO E ECONOMIA: COMBINAÇÃO VITORIOSA Indonésia Área População > 4 milhões km 2 > 100 milhões Nigéria Canadá Rússia EUA Brasil China

Leia mais

Ensino Superior em Portugal, Que Futuro? Maria da Graça Carvalho 1 de Fevereiro 2013, Lisboa Reitoria UL

Ensino Superior em Portugal, Que Futuro? Maria da Graça Carvalho 1 de Fevereiro 2013, Lisboa Reitoria UL Ensino Superior em Portugal, Que Futuro? Maria da Graça Carvalho 1 de Fevereiro 2013, Lisboa Reitoria UL Índice Investimento público e privado no Ensino Superior Propinas Investimento público e privado

Leia mais