Modelo de interações no processo de desenvolvimento

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Modelo de interações no processo de desenvolvimento"

Transcrição

1 Modelo de interações no processo de desenvolvimento

2 Modelo de interações no processo de desenvolvimento Em um processo incremental e iterativo, os modelos evoluem em conjunto. Embora estes modelos representem visões distintas do sistema, eles são interdependentes. Modelo de classes modelo de interações. Modelo de interações refinamento do modelo de casos de uso. Modelo de interações operações para o modelo de classes. Modelo de interações novos atributos para o modelo de classes.

3 Modelo de interações no processo de desenvolvimento

4 Estudo de Caso - Vídeo Locadora

5 Descrição textual do Domínio de Problema A Vídeo Locadora "Vida é Arte" deseja automatizar suas tarefas, hoje controladas manualmente: A Vídeo Locadora "Vida é Arte" mantém um cadastro de fornecedores de filmes, com os quais realiza cotação e faz encomendas de filmes; A Vídeo Locadora "Vida é Arte" mantém um cadastro de clientes com os quais gerencia os seguintes controles: Um cliente pode reservar fitas; Um cliente pode retirar empréstimos de fitas; Um cliente pode solicitar um pedido de compra de filme a Vídeo Locadora "Vida é Arte" Um cliente pode estar em dia com o pagamento dos seus empréstimos, estar em débito com a Vídeo Locadora "Vida é Arte" ou estar com devoluções em atraso. Os filmes da locadora mantém uma ficha que contém dados sobre filme, divididos por categoria.

6 Funcionalidades do Sistema Vídeo Locadora: Manter Cliente Manter Fornecedores de Filmes Manter Filmes Realizar Cotação de Filmes. Realizar Compras de Filmes. Reservar Fitas. Retirar Empréstimo de Fitas. Gerenciar Devoluções. Solicitar Compra de Filme. Controlar Débitos do Cliente

7 Diagrama de Casos de Uso

8 Descrição Textual (sucinta) dos Casos de Uso N Ator que Dispara a Funcionalidade Funcionalidade Descrição 4 Funcionario Realizar Cotação de Filmes O Funcionário informa vários fornecedores e seus respectivos preços a partir da lista de filmes a ser adquiridos. Após concluído a cotação o funcionário faz a análise para saber qual o fornecedor que tem o melhor preço e registra o resultado. 5 Funcionario Realizar Compras de Filmes O funcionário pega a lista de filmes a ser adquiridos e os dados do fornecedor que venceu a concorrência, faz o pedido de compra via fax e registra o pedido

9 7 N Descrição Textual (sucinta) dos Atores Funcionario, Cliente Casos de Uso Funcionalidade Retirar Empréstimo de Fitas Descrição A retirada de um empréstimo pode ser realizada em função de uma reserva anterior ou não. O cliente chega ao balcão com as fitas que deseja retirar. O funcionário faz a retirada e emite um documento ao cliente informando a data da devolução e o valor a ser pago. 8 Funcionario, Cliente Gerenciar Devoluções O funcionário recebe do cliente as fitas e o valor do empréstimo, registra a devolução e e emite um recibo para o cliente. O funcionário faz a verificação dos estados das fitas e registra se houver algum dano. O Funcionario verifica se o cliente não está em atraso.

10 Diagrama de Classes de Domínio Classes de Categoria Entidade

11 Diagrama de Classes de Domínio VCP Caso de Uso Manter Cliente - Fluxo Alternativo Cadastrar Cliente

12 Diagrama de Sequência Caso de Uso Manter Cliente - Fluxo Alternativo Cadastrar Cliente

13 Funcionalidade Retirar Empréstimo Maior grau de complexidade! Pode ser útil fazer um DS mais abstrato antes DS fase de análise Não inclui classes de controle nem fronteira

14 Diagrama de Sequência Fase Análise Caso de Uso Registrar Empréstimo parte 1

15 Diagrama de Sequência Fase Análise Caso de Uso Registrar Empréstimo parte 2

16 Diagrama de Sequência Fase Análise Caso de Uso Registrar Empréstimo parte 3

17 Diagrama de Classes Categorias BCE Funcionalidade: Retirar Empréstimo (não associado a reserva)

18 Diagrama de Sequência Fase Projeto Caso de Uso Registrar Empréstimo parte 1

19 Diagrama de Sequência Fase Projeto Caso de Uso Registrar Empréstimo parte 2

20 Diagrama de Sequência Fase Projeto Caso de Uso Registrar Empréstimo parte 3

21 Diagrama de Sequência Fase Projeto Caso de Uso Registrar Empréstimo Considerando várias fitas

Lista de exercícios - MER

Lista de exercícios - MER Lista de exercícios - MER Teoria: 1. Quais as fases do desenvolvimento do ciclo de vida de um banco de dados? Explique cada uma delas. 2. Quais os componentes de um DER? Defina-os. 3. Como podemos classificar

Leia mais

O Processo Unificado: Captura de requisitos

O Processo Unificado: Captura de requisitos O Processo Unificado: Captura de requisitos Itana Gimenes Graduação em Informática 2008 Captura de Requisitos Modelagem do negócio: Visão de negócios Modelo de objetos de negócio de negócio Especificação

Leia mais

Modelagem de Casos de Uso (Parte 2)

Modelagem de Casos de Uso (Parte 2) Modelagem de Casos de Uso (Parte 2) Roteiro (1) Método para Modelagem de Casos De Uso Estudo de Caso: Sistema de Controle para Videolocadora Levantamento Inicial dos Casos de Uso Identificação dos Casos

Leia mais

Especificação de Requisitos

Especificação de Requisitos Projeto Locadora de Vídeo Passatempo Especificação de Requisitos 1. Introdução Este documento contém a especificação de requisitos e a modelagem de análise para o projeto de informatização da vídeo-locadora

Leia mais

Modelagem de Casos de Uso (Parte 2)

Modelagem de Casos de Uso (Parte 2) Modelagem de Casos de Uso (Parte 2) Roteiro (1) Método para Modelagem de Casos De Uso Estudo de Caso: Sistema de Controle para Videolocadora Levantamento Inicial dos Casos de Uso Identificação dos Casos

Leia mais

Diagrama de Caso de Uso. Biblioteca

Diagrama de Caso de Uso. Biblioteca Diagrama de Caso de Uso Biblioteca Caso de Uso -Reservar Livro Objetivo: Este caso de uso possibilita a um usuário da biblioteca fazer a reserva de um livro. Esta reserva é efetuada diretamente pelo Usuário

Leia mais

09/09/2013. Roteiro. Aula 2 Revisão 2:Diagrama de Sequência. Diagrama de Sequência. Diagrama de Sequência. Biblioteca. Atributos

09/09/2013. Roteiro. Aula 2 Revisão 2:Diagrama de Sequência. Diagrama de Sequência. Diagrama de Sequência. Biblioteca. Atributos Aula 2 Revisão 2:Diagrama de Sequência UML Roteiro Diagrama Sequência Mostra: a evolução de uma dada situação em determinado momento do software uma dada colaboração entre duas ou mais classes a interação

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DE CASOS DE USO

ESPECIFICAÇÕES DE CASOS DE USO ESPECIFICAÇÕES DE CASOS DE USO CASO DE USO: INCLUIR CLIENTE Sumário: este caso de uso se inicia quando o usuário precisa incluir um cliente no sistema. Atores: Atendente Pré-condições: Documentação do

Leia mais

Modelagem Conceitual Exercício resolvido 02 Modelagem Conceitual

Modelagem Conceitual Exercício resolvido 02 Modelagem Conceitual Modelagem Conceitual Exercício resolvido 02 Modelagem Conceitual Vitor Valerio de Souza Campos (adaptado do material de um curso de modelagem de dados da Oracle) Uma pequena locadora de vídeos possui ao

Leia mais

Casos de Uso. Prof. Clayton Vieira Fraga Filho site: www.claytonfraga.pro.br e-mail: claytonfraga@gmail.com ENG10015 Engenharia de Software

Casos de Uso. Prof. Clayton Vieira Fraga Filho site: www.claytonfraga.pro.br e-mail: claytonfraga@gmail.com ENG10015 Engenharia de Software Prof. Clayton Vieira Fraga Filho site: www.claytonfraga.pro.br e-mail: claytonfraga@gmail.com ENG10015 Engenharia de Software Um caso de uso descreve o que seu sistema faz para atingir determinado objetivo

Leia mais

Princípios de modelagem de Domínio e Projeto(design) de Software Parte 1

Princípios de modelagem de Domínio e Projeto(design) de Software Parte 1 Princípios de modelagem de Domínio e Projeto(design) de Software Parte 1 Prof. Gustavo Willam Pereira ENG10082 Programação II Créditos: Prof. Clayton Vieira Fraga Filho Apesar de todas as vantagens que

Leia mais

Ricardo Roberto de Lima UNIPÊ 2008.1 APS-I. Históricos e Modelagem Orientada a Objetos

Ricardo Roberto de Lima UNIPÊ 2008.1 APS-I. Históricos e Modelagem Orientada a Objetos Históricos e Modelagem Orientada a Objetos Histórico Diversas metodologias e métodos surgiram para apoiar OO. Evolução a partir de linguagens C++ e SmallTalk. Anos 80 Anos 80-90: diversidade de autores.

Leia mais

Lista de Exercícios Engenharia de Software 29/08/2012. Grupo de 4 Pessoas, atividade para ser entregue em aula

Lista de Exercícios Engenharia de Software 29/08/2012. Grupo de 4 Pessoas, atividade para ser entregue em aula Lista de Exercícios Engenharia de Software 29/08/2012 Grupo de 4 Pessoas, atividade para ser entregue em aula 1) Para cada caso a) classifique os requisitos b) inclua mais dois requisitos não funcionais

Leia mais

QUESTÃO 01 - DIAGRAMA DE SEQUENCIA (CONCEITOS)

QUESTÃO 01 - DIAGRAMA DE SEQUENCIA (CONCEITOS) Campus Cachoeiro de Itapemirim Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas Curso Técnico em Informática Professor: Rafael Vargas Mesquita Bimestre 02 - Avaliação 03 - Assunto: Diagrama de Sequência Aluno:

Leia mais

Figura 1 Diagrama de Casos de Uso do Sistema de Venda

Figura 1 Diagrama de Casos de Uso do Sistema de Venda Campus Cachoeiro de Itapemirim Curso Técnico em Informática Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas Professor: Rafael Vargas Mesquita EXERCÍCIO 01 SOBRE DIAGRAMA DE SEQUENCIA Exercício 1: construa um

Leia mais

Modelos de Sistemas Leitura: Sommerville; Pressman

Modelos de Sistemas Leitura: Sommerville; Pressman Modelos de Sistemas Leitura: Sommerville; Pressman Auxiliadora Freire Fonte: Engenharia de Software 8º Edição / Ian Sommerville 2007 Slide 1 Objetivos Explicar por que é importante modelar o contexto de

Leia mais

Modelagem de Sistemas Prof. Marcos Roberto e Silva

Modelagem de Sistemas Prof. Marcos Roberto e Silva Modelagem de Sistemas Prof. Marcos Roberto e Silva Diagrama de Casos de Uso Demonstra o comportamento externo do sistema, através de uma linguagem simples. Apresentando o sistema sobre a perspectiva do

Leia mais

Conteúdo. 1. Introdução. 2. Levantamento de Requisitos. 3. Análise Orientada a Objetos. 4. Projeto Orientado a Objetos 5. UML. 6.

Conteúdo. 1. Introdução. 2. Levantamento de Requisitos. 3. Análise Orientada a Objetos. 4. Projeto Orientado a Objetos 5. UML. 6. Conteúdo 1. Introdução 2. Levantamento de Requisitos 3. Análise Orientada a Objetos 4. Projeto Orientado a Objetos 5. UML 6. Métodos Ágeis Análise Orientada a Objetos Exercícios Exercício 1 Defina o diagrama

Leia mais

Aqui seus Resultados Aparecem

Aqui seus Resultados Aparecem Aqui seus Resultados Aparecem 2 Evolution - Cobrança, Contas a Pagar e Fluxo de Caixa Gerenciar títulos vencidos e a vencer, controlar adiantamentos, cobrança eletrônica Cobrança em atraso, comissões,

Leia mais

Engenharia de Software III

Engenharia de Software III Engenharia de Software III Casos de uso http://dl.dropbox.com/u/3025380/es3/aula6.pdf (flavio.ceci@unisul.br) 09/09/2010 O que são casos de uso? Um caso de uso procura documentar as ações necessárias,

Leia mais

DOCUMENTO DE REQUISITOS

DOCUMENTO DE REQUISITOS DOCUMENTO DE REQUISITOS ID documento: Data: / / Versão : Responsável pelo documento: ID Projeto: HISTÓRICO DE REVISÕES Data de criação/ atualização Descrição da(s) Mudança(s) Ocorrida(s) Autor Versão do

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Prof. M.Sc. Ronaldo C. de Oliveira ronaldooliveira@facom.ufu.br FACOM - 2011 Exemplo de Diagrama de Caso de Uso Sistema de Locadora de Filmes Sistema de Vídeo Locadora Você foi contratado para desenvolver

Leia mais

ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO

ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO BANCO DE DADOS I CONTEÚDO 2 Prof. Msc. Ricardo Antonello ABORDAGEM ER A primeira etapa do projeto de um banco de dados é a construção de um modelo conceitual ou modelagem conceitual.

Leia mais

Diagramas de Sequência e Contrato das Operações

Diagramas de Sequência e Contrato das Operações UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS, LETRAS E CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DE COMPUTAÇÃO E ESTATÍSTICA Projeto e Desenvolvimento de Sistemas de informação Comportamento

Leia mais

Exercícios Propostos de Modelagem parte II

Exercícios Propostos de Modelagem parte II Exercícios Propostos de Modelagem parte II Vitor Valerio de Souza Campos Uma pizzaria de tele-entrega apresenta um cardápio composto por diversos tipos de pizza, cujos dados são: número do item, nome da

Leia mais

Exercícios Propostos de Modelagem parte II

Exercícios Propostos de Modelagem parte II Exercícios Propostos de Modelagem parte II Vitor Valerio de Souza Campos Uma pizzaria de tele-entrega apresenta um cardápio composto por diversos tipos de pizza, cujos dados são: número do item, nome da

Leia mais

Casos de Uso - definições

Casos de Uso - definições Casos de Uso - definições Um caso de uso é uma descrição narrativa de uma seqüência de eventos que ocorre quando um ator (agente externo) usa um sistema para realizar uma tarefa [Jacobson 92] Um caso de

Leia mais

DIAGRAMA DE CASO DE USO

DIAGRAMA DE CASO DE USO Simulador de uma casa bancária: que faz empréstimo para aposentados, pensionistas e funcionários públicos. Onde deve-se calcular a margem de consignação, o valor das parcelas de cada empréstimo e o valor

Leia mais

NeXT ERP Sistema de gestão empresarial A solução integrada e eficiente para sua empresa

NeXT ERP Sistema de gestão empresarial A solução integrada e eficiente para sua empresa Gerencie facilmente seu negócio com o NeXT ERP O que é o NeXT Software? - Um avançado software integrado capaz de automatizar e integrar os processos de negócio de sua empresa - Possibilita que as informações

Leia mais

A Linguagem de Modelagem Unificada (UML)

A Linguagem de Modelagem Unificada (UML) Aécio Costa A Linguagem de Modelagem Unificada (UML) Percebeu-se a necessidade de um padrão para a modelagem de sistemas, que fosse aceito e utilizado amplamente. Surge a UML (Unified Modeling Language)

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais

Sistemas de Informações Gerenciais Sistemas de Informações Gerenciais Aula 5 Informação Gerencial Professora: Cintia Caetano Introdução O processo de tomada de decisão Antes: Administrar era uma arte pessoal A informação não era considerada

Leia mais

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Banco de Dados Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br 1 Especialização e Generalização Especialização: Processo de definição de um conjunto de sub-classes (sub-tipos) de um tipo de entidade.

Leia mais

Modelo Entidade - Relacionamento (ER ou MER) Parte 3

Modelo Entidade - Relacionamento (ER ou MER) Parte 3 Modelo Entidade - Relacionamento (ER ou MER) Parte 3 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CAMPUS DE FLORIANÓPOLIS CURSO TÉCNICO T DE METEOROLOGIA DASS - Departamento Acadêmico

Leia mais

Felipe Denis M. de Oliveira. Fonte: Alice e Carlos Rodrigo (Internet)

Felipe Denis M. de Oliveira. Fonte: Alice e Carlos Rodrigo (Internet) UML Felipe Denis M. de Oliveira Fonte: Alice e Carlos Rodrigo (Internet) 1 Programação O que é UML? Por quê UML? Benefícios Diagramas Use Case Class State Interaction Sequence Collaboration Activity Physical

Leia mais

DESENVOLVENDO O SISTEMA

DESENVOLVENDO O SISTEMA DESENVOLVENDO O SISTEMA Declaração da Necessidade O primeiro passo do processo de análise de sistema envolve a identificação da necessidade [Pressman-95]. Normalmente o analista reúne-se com o usuário

Leia mais

Modelagem de Casos de Uso (Parte 1)

Modelagem de Casos de Uso (Parte 1) Modelagem de Casos de Uso (Parte 1) Roteiro Introdução Descrição: Sistema de Ponto de Vendas Casos de Usos Atores Fluxo de Eventos Cenários Formato de Documentação de Casos de Uso Diagramas de Casos de

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA PROF. DR. JOÃO FRANCISCO GONSALEZ

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA PROF. DR. JOÃO FRANCISCO GONSALEZ REGULAMENTO DA BIBLIOTECA PROF. DR. JOÃO FRANCISCO GONSALEZ Art. 1º - A Biblioteca Prof. Dr. João Francisco Gonsalez da Faculdade Catuaí é um órgão com administração própria, subordinada diretamente à

Leia mais

UML 2.0 - Modelo Casos de Uso Estudo de Caso

UML 2.0 - Modelo Casos de Uso Estudo de Caso UML 2.0 - Modelo Casos de Uso Estudo de Caso Márcia Ito ito@mind-tech.com.br Julho/2004 Enunciado O Clube "Sócio Feliz" é um clube familiar onde qualquer pessoa pode ser sócia desde que seja indicado por

Leia mais

UML & Padrões Aula 3. UML e Padrões - Profª Kelly Christine C. Silva

UML & Padrões Aula 3. UML e Padrões - Profª Kelly Christine C. Silva UML & Padrões Aula 3 UML e Padrões - Profª Kelly Christine C. Silva 1 UML & Padrões Aula 3 Diagrama de Casos de Uso Profª Kelly Christine C. Silva O que vamos tratar: Modelos de Caso de Uso Diagrama de

Leia mais

Curso de Licenciatura em Informática

Curso de Licenciatura em Informática Curso de Licenciatura em Informática Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas Professor: Rafael Vargas Mesquita EXERCÍCIOS SOBRE MODELAGEM DE CASOS DE USO Exercício 1: construa um Diagrama de Casos de

Leia mais

Engenharia de Software Folha 1 - UML - Casos de Uso/Utilização DI-UBI

Engenharia de Software Folha 1 - UML - Casos de Uso/Utilização DI-UBI 1. Considere o diagrama de casos de uso/utilização para um controlo remoto de TV, o qual garante que inclui todas as funções do controlo remoto como casos de uso/utilização do seu modelo. 2. Descreva textualmente

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica

Pontifícia Universidade Católica Pontifícia Universidade Católica Curso de Professor Rodrigues Neto Trabalho de Modelagem 2003.3 Turma A (Centro) Gerenciamento das Atividades da Pet Shop Boys Grupo: Evaldo Porto evaldoporto@ig.com.br

Leia mais

Os casos de uso dão conta da maioria dos requisitos de um sistema computacional.

Os casos de uso dão conta da maioria dos requisitos de um sistema computacional. Unidade 3: Modelagem de requisitos e de soluções (Parte a) 1 Casos de uso 1.1 Conceitos básicos e parâmetros de descrição Os casos de uso dão conta da maioria dos requisitos de um sistema computacional.

Leia mais

DIAGRAMA DE CASO DE USO

DIAGRAMA DE CASO DE USO DIAGRAMA DE CASO DE USO Descrição do Caso de Uso R1. O sistema permite o atendente cadastrar cliente. R2. O sistema permite o atendente atualizar dados do cliente. R3. O sistema permite o atendente listar

Leia mais

Documento de Análise e Projeto VideoSystem

Documento de Análise e Projeto VideoSystem Documento de Análise e Projeto VideoSystem Versão Data Versão Descrição Autor 20/10/2009 1.0 21/10/2009 1.0 05/11/2009 1.1 Definição inicial do documento de análise e projeto Revisão do documento

Leia mais

1. Biblioteca. 2. Infra-Estrutura. 2.1 Espaço físico

1. Biblioteca. 2. Infra-Estrutura. 2.1 Espaço físico Biblioteca UPIS 1 SUMÁRIO 1. Biblioteca... 3 2. Infra-Estrutura... 3 2.1 Espaço físico... 3 Campus I... 3 Instalações para estudos individuais... 3 Instalações para estudos em grupo... 3 3. Acervo Bibliográfico...

Leia mais

Normas de Funcionamento da Biblioteca. Horário de atendimento: segunda a sexta: 07:30h às 22:30h / sábado: de 8:00h às 12:00h das 14:00h às 18:00h

Normas de Funcionamento da Biblioteca. Horário de atendimento: segunda a sexta: 07:30h às 22:30h / sábado: de 8:00h às 12:00h das 14:00h às 18:00h Normas de Funcionamento da Biblioteca Horário de atendimento: segunda a sexta: 07:30h às 22:30h / sábado: de 8:00h às 12:00h das 14:00h às 18:00h Inscrição de Usuários: Para inscrever-se na Biblioteca

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO CURSO DE MESTRADO EM INFORMÁTICA FRAMEWORK DE AGENDAMENTO DE RECURSOS UTILIZANDO FILAS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO CURSO DE MESTRADO EM INFORMÁTICA FRAMEWORK DE AGENDAMENTO DE RECURSOS UTILIZANDO FILAS PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO CURSO DE MESTRADO EM INFORMÁTICA FRAMEWORK DE AGENDAMENTO DE RECURSOS UTILIZANDO FILAS Cidiane Aracaty Lobato Rio de Janeiro, 2003 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE

Leia mais

NORMAS DA BIBLIOTECA

NORMAS DA BIBLIOTECA NORMAS DE PROCEDIMENTO: NORMAS DA BIBLIOTECA Aluno(a); professor(a); funcionário(a); estagiário(a); funcionário(a) terceirizado. 1. Do atendimento: 1.1 Horário período letivo 1.1.1 De 2ª a 6ª-feira: das

Leia mais

Introdução Diagramas de Casos de Uso Diagramas de Classes Estoque Fácil

Introdução Diagramas de Casos de Uso Diagramas de Classes Estoque Fácil UFCG Introdução Diagramas de Casos de Uso Diagramas de Classes Estoque Fácil Arthur Silva Freire Caio César Meira Paes Carlos Artur Nascimento Vieira Matheus de Araújo Maciel Tiago Brasileiro Araújo Engenharia

Leia mais

Rodovia Washigton Luis km 173,3, s/n, Chácara Lusa Centro CEP: 13501600 - Rio Claro SP Inscr. Estadual: Isento CNPJ nº 05.143.

Rodovia Washigton Luis km 173,3, s/n, Chácara Lusa Centro CEP: 13501600 - Rio Claro SP Inscr. Estadual: Isento CNPJ nº 05.143. SUMÁRIO CAPÍTULO I: CONSTITUIÇÃO, FINALIDADES E COMPETÊNCIAS... 2 CAPÍTULO II: DO CADASTRO DE USUÁRIOS... 3 CAPÍTULO III: DA CONSULTA AO ACERVO... 4 CAPÍTULO IV: DOS EMPRÉSTIMOS... 5 CAPÍTULO V: DO ATRASO

Leia mais

AQUISIÇÃO / INVENTÁRIO. Integração dos módulos de aquisição (sugestões/indicações de compra) com o módulo de tratamento da informação

AQUISIÇÃO / INVENTÁRIO. Integração dos módulos de aquisição (sugestões/indicações de compra) com o módulo de tratamento da informação AQUISIÇÃO / INVENTÁRIO / NÃO 1 Integração dos módulos de aquisição (sugestões/indicações de compra) com o módulo de tratamento da informação Registro de sugestões de compra de materiais bibliográficos

Leia mais

Atendimento do empréstimo: De segunda a sexta, das 08:05 às 21:40 horas Sábado, das 08:05 às 16:45 horas

Atendimento do empréstimo: De segunda a sexta, das 08:05 às 21:40 horas Sábado, das 08:05 às 16:45 horas BIBLIOTECA NADIR GOUVÊA KFOURI - PUCSP Edifício Reitor Bandeira de Mello, térreo Rua Monte Alegre, 984 Perdizes São Paulo SP CEP 05014-901 Atende pelos telefones: 3670-8265 3670-8267 (Videoteca) FAX: 3670-8017

Leia mais

Estudo de Caso 1: Sistema de Controle de Cinema

Estudo de Caso 1: Sistema de Controle de Cinema Estudo de Caso 1: Sistema de Controle de Cinema Desenvolva o diagrama de casos de uso sabendo que: I. Um cinema pode ter muitas salas, sendo necessário, portanto, registrar informações a respeito de cada

Leia mais

Regulamento do Sistema Integrado de Bibliotecas SIBi

Regulamento do Sistema Integrado de Bibliotecas SIBi Regulamento do Sistema Integrado de Bibliotecas SIBi Conhecer e pensar não é chegar a uma verdade absolutamente certa, mas dialogar com a incerteza DISPOSIÇÕES GERAIS Edgar Morin O Sistema Integrado de

Leia mais

REGULAMENTO I. FINALIDADE

REGULAMENTO I. FINALIDADE REGULAMENTO I. FINALIDADE Art. 1º As Bibliotecas do Centro Universitário Assunção UNIFAI, dispõe de 2 unidades distribuídas no Ipiranga e na Vila Mariana. Para melhor atender a todos que delas usufruem,

Leia mais

Klavier Tecnologia da Informação. Klavier Sistemas Integrados. Contas a Pagar

Klavier Tecnologia da Informação. Klavier Sistemas Integrados. Contas a Pagar Klavier Sistemas Integrados Contas a Pagar Versão 3.00.003 2009 1 - Contas a Pagar O módulo Contas a Pagar contém toda a previsão de pagamentos futuros bem como o movimento pago e / ou em aberto da empresa.

Leia mais

Aqui seus Resultados Aparecem

Aqui seus Resultados Aparecem Aqui seus Resultados Aparecem 2 Evolution Materiais: Controle de Estoque, Compras Gerencia necessidades de compra para reposição de estoque ou para atender à necessidade de um Centro de Custo. Envolve

Leia mais

Engenharia de Software I

Engenharia de Software I Engenharia de Software I Curso de Desenvolvimento de Software Prof. Alessandro J de Souza ajdsouza@cefetrn.br 1 Rational Unified Process RUP Fase Elaboração 2 VISÃO GERAL Fase Elaboração. Visão Geral 3

Leia mais

Modelo de Casos de Uso (Casos de Uso Expandidos + Diagrama de Casos de Uso) Modelo Conceitual Diagramas de Sequência de Eventos do Sistema

Modelo de Casos de Uso (Casos de Uso Expandidos + Diagrama de Casos de Uso) Modelo Conceitual Diagramas de Sequência de Eventos do Sistema Sistema para uma biblioteca A biblioteca a ser automatizada trabalha com os seguintes tipos de obra: livros e periódicos. Para cada periódico são mantidos: nome, volume, mês, ano; para cada livro são mantidos

Leia mais

Uma visão mais clara da UML Sumário

Uma visão mais clara da UML Sumário Uma visão mais clara da UML Sumário 1 Método...2 2 Análise de requisitos...2 2.1 Diagramas de Casos de Uso...3 2.1.1 Ator...3 2.1.2 Casos de Uso (Use Case)...4 2.1.3 Cenário...4 2.1.4 Relacionamentos...6

Leia mais

Adm. Vinicius Braga admviniciusbraga@gmail.com. Prof. Msc. Wilane Carlos da Silva Massarani wilane@cercomp.ufg.br

Adm. Vinicius Braga admviniciusbraga@gmail.com. Prof. Msc. Wilane Carlos da Silva Massarani wilane@cercomp.ufg.br Adm. Vinicius Braga admviniciusbraga@gmail.com Prof. Msc. Wilane Carlos da Silva Massarani wilane@cercomp.ufg.br Objetivos Contextualização Conceitos Boas práticas de modelagem Elementos do BPMN Tipos

Leia mais

UNIDADE 4. Introdução à Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas

UNIDADE 4. Introdução à Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas UNIDADE 4. Introdução à Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas 4.1 Motivação Sistemas de Informação são usados em diversos níveis dentro de uma organização, apoiando a tomada de decisão; Precisam estar

Leia mais

REGULAMENTO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UCB

REGULAMENTO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UCB REGULAMENTO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UCB 1. INTRODUÇÃO O Sistema de Bibliotecas da UCB possui um acervo com mais de 200.000 volumes possibilitando o acesso dos usuários aos livros, sistemas de consulta,

Leia mais

Circulação de Materiais

Circulação de Materiais Circulação de Materiais Manual APC Manual PER-MAN-001 Circulação de Materiais Sumário 1. EMPRÉSTIMO/DEVOLUÇÃO/DÉBITOS/RENOVAÇÃO... 1-1 1.1 1.2 EMPRÉSTIMO... 1-3 DEVOLUÇÃO... 1-7 1.3 DÉBITOS... 1-10 1.4

Leia mais

Pergamum - Sistema Integrado de Bibliotecas Consulta ao Acervo e Meu Pergamum. Rio do Sul, maio de 2014

Pergamum - Sistema Integrado de Bibliotecas Consulta ao Acervo e Meu Pergamum. Rio do Sul, maio de 2014 Pergamum - Sistema Integrado de Bibliotecas Consulta ao Acervo e Meu Pergamum Rio do Sul, maio de 2014 Consulta ao Acervo www.ifc-riodosul.edu.br Clique no item Consulta ao Acervo. Pesquisa Geral Na pesquisa

Leia mais

Processo De Engenharia de Software II

Processo De Engenharia de Software II UNIOESTE Universidade Estadual do Oeste do Paraná CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Colegiado de Ciência da Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Processo De Engenharia de Software

Leia mais

BIBLIOTECA MÈRE BLANCHOT REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DA BIBLIOTECA. Capítulo I - DISPOSIÇÕES GERAIS

BIBLIOTECA MÈRE BLANCHOT REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DA BIBLIOTECA. Capítulo I - DISPOSIÇÕES GERAIS BIBLIOTECA MÈRE BLANCHOT REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DA BIBLIOTECA Capítulo I - DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - Dos Clientes A Biblioteca Mère Blanchot presta serviços à comunidade acadêmica da Faculdade

Leia mais

Regulamento Interno da Biblioteca do Instituto Superior do Ministério Público RJ

Regulamento Interno da Biblioteca do Instituto Superior do Ministério Público RJ Regulamento Interno da Biblioteca do Instituto Superior do Ministério Público RJ CAPÍTULO I DO OBJETIVO Art. 1º Este regulamento tem como objetivo definir normas para prestação e utilização dos serviços

Leia mais

MANUAL INTERNO DA BIBLIOTECA

MANUAL INTERNO DA BIBLIOTECA As Bibliotecas da Universidade Braz Cubas são destinadas ao Corpo Docente, Discente e aos funcionários administrativos. As Bibliotecas utilizam o sistema Informatizado Pergamum, onde o aluno tem a comodidade

Leia mais

MODELAGEM DE SISTEMAS

MODELAGEM DE SISTEMAS MODELAGEM DE SISTEMAS Diagramas de Casos de Uso Profa. Rosemary Melo Diagrama de Casos de Uso Modelagem de Sistemas Apresenta uma visão externa geral das funções ou serviços que o sistema deverá oferecer

Leia mais

RESOLUÇÃO 001/2013-CD. Aprovar o Regulamento da Biblioteca da Faculdade Intermunicipal do Noroeste do Paraná, conforme anexo.

RESOLUÇÃO 001/2013-CD. Aprovar o Regulamento da Biblioteca da Faculdade Intermunicipal do Noroeste do Paraná, conforme anexo. RESOLUÇÃO 001/2013-CD O Diretor da Faculdade Intermunicipal do Noroeste do Paraná FACINOR Professor Agenor de Oliveira Duarte, tendo em vista a decisão do Conselho Departamental desta Instituição de Ensino

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DAS BIBLIOTECAS SENAC/RS

REGULAMENTO GERAL DAS BIBLIOTECAS SENAC/RS REGULAMENTO GERAL DAS BIBLIOTECAS SENAC/RS DA ADMINISTRAÇÃO Art. 1º - A administração da Biblioteca será exercida pelo Bibliotecário seguindo a orientação pedagógica adotada pelo SENAC/RS DAS CONDIÇÕES

Leia mais

IF-718 Análise e Projeto de Sistemas

IF-718 Análise e Projeto de Sistemas Centro de Informática - Universidade Federal de Pernambuco Especificação de Requisitos do Software Sistema de Gerenciamento de Restaurantes IF-718 Análise e Projeto de Sistemas Equipe: Jacinto Filipe -

Leia mais

Unioeste Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Unioeste Universidade Estadual do Oeste do Paraná Unioeste Universidade Estadual do Oeste do Paraná CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Colegiado de Informática Curso de Bacharelado em Informática Especificação de Requisitos e Modelagem Orientada

Leia mais

Modelagem de Casos de Uso! Um modelo funcional

Modelagem de Casos de Uso! Um modelo funcional Modelagem de Casos de Uso Diagrama de Casos de Uso Especificação de Cenários! Um modelo funcional! Mostra como os valores são processados, sem preocupações com:! ordenamento (seqüência) das ações;! as

Leia mais

Aqui seus Resultados Aparecem

Aqui seus Resultados Aparecem Aqui seus Resultados Aparecem 2 Benefícios do Módulo Comercial Permite a visualização em tempo real e o acompanhamento do fechamento de novos negócios, através do controle de cotações e pedidos de venda.

Leia mais

BIBLIOTECA FACULDADE LA SALLE CAXIAS DO SUL: NORMAS DE UTILIZAÇÃO

BIBLIOTECA FACULDADE LA SALLE CAXIAS DO SUL: NORMAS DE UTILIZAÇÃO BIBLIOTECA FACULDADE LA SALLE CAXIAS DO SUL: NORMAS DE UTILIZAÇÃO CAXIAS DO SUL, 2015 SUMÁRIO 1 NORMAS DE UTILIZAÇÃO DA BIBLIOTECA... 3 1.1 Horários... 3 1.2 Contatos... 3 1.3 Catálogo online... 3 1.4

Leia mais

Análise de Requisitos

Análise de Requisitos Faculdade de Ciências Sociais de Aplicadas de Petrolina FACAPE Disciplina: Projeto de Sistemas Análise de Requisitos Profª. Cynara Carvalho cynaracarvalho@yahoo.com.br Análise de Requisitos O tratamento

Leia mais

IES-200. Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Prof. Me. Álvaro d Arce alvaro@darce.com.br

IES-200. Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Prof. Me. Álvaro d Arce alvaro@darce.com.br IES-200 Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Prof. Me. Álvaro d Arce alvaro@darce.com.br Diagrama de Fluxo de Dados 2 Conceitos e regras de um DFD. Diagrama de Fluxo de Dados Análise Essencial:

Leia mais

APRESENTAÇÃO. ADM Agrícola

APRESENTAÇÃO. ADM Agrícola APRESENTAÇÃO ADM Agrícola Tela Inicial do ADM Agrícola Principais Recursos CONTROLE OPERACIONAL PLANEJAMENTO / CONTROLES FINANCEIRO Registro de todas as atividades agrícolas Custo de toda a fazenda Custo

Leia mais

UML. Diagrama de Seqüência

UML. Diagrama de Seqüência UML Diagrama de Seqüência Introdução Diagramas de Seqüência apresentam a interação entre um grupo de objetos (ou classes) de um sistema, através de mensagens ou controles, em um determinado Cenário. Servem

Leia mais

REGULAMENTO DIRETORIA TÉCNICA DE BILIOTECA E DOCUMENTAÇÃO (DTBD)

REGULAMENTO DIRETORIA TÉCNICA DE BILIOTECA E DOCUMENTAÇÃO (DTBD) Atualização 19/05/2014 REGULAMENTO DIRETORIA TÉCNICA DE BILIOTECA E DOCUMENTAÇÃO (DTBD) I - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Artigo 1º - Esta norma institui o regulamento para o uso dos recursos físicos e materiais

Leia mais

1. Desenvolva o Diagrama Entidade-Relacionamento para as seguintes situações:

1. Desenvolva o Diagrama Entidade-Relacionamento para as seguintes situações: 1. Desenvolva o Diagrama Entidade-Relacionamento para as seguintes situações: Um aluno realiza vários trabalhos. Um trabalho é realizado por um ou mais alunos. Um diretor dirige no máximo um departamento.

Leia mais

CESMAR- CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE MARILIA CNPJ: 07.064.432/0001-05 FACULDADE DE SÃO CARLOS

CESMAR- CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE MARILIA CNPJ: 07.064.432/0001-05 FACULDADE DE SÃO CARLOS CESMAR- CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE MARILIA CNPJ: 07.064.432/0001-05 FACULDADE DE SÃO CARLOS REGULAMENTO BIBLIOTECA SÃO CARLOS/SP - 2013 FACULDADE DE SÃO CARLOS Mantida pela CESMAR Centro de Ensino Superior

Leia mais

QUESTÃO 2: A respeito do diagrama de caso de uso apresentado, assinale a alternativa correta.

QUESTÃO 2: A respeito do diagrama de caso de uso apresentado, assinale a alternativa correta. CURSO DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008/1 4º PERÍODO 7º MÓDULO AVALIAÇÃO A4 DATA 22/10/2009 ENGENHARIA DE SOFTWARE 2009/2 GABARITO COMENTADO QUESTÃO 1: Podemos definir UML

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Página 1 de 9 1. OBJETIVO Estabelecer as diretrizes básicas pertinentes ao tratamento e manutenção de acervos arquivísticos ou bibliográficos, sejam administrativos, técnicos ou especializados nas instalações

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA PARA VÍDEO LOCADORA

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA PARA VÍDEO LOCADORA UNIÃO EDUCACIONAL MINAS GERAIS S/C LTDA FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS DE MINAS Autorizada pela Portaria no 577/2000 MEC, de 03/05/2000 BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA

Leia mais

Resolução da lista de exercícios de casos de uso

Resolução da lista de exercícios de casos de uso Resolução da lista de exercícios de casos de uso 1. Explique quando são criados e utilizados os diagramas de casos de uso no processo de desenvolvimento incremental e iterativo. Na fase de concepção se

Leia mais

Detalhamento da Fase de Planejamento e Programação de Projeto. Gerenciamento de Tempo

Detalhamento da Fase de Planejamento e Programação de Projeto. Gerenciamento de Tempo Detalhamento da Fase de Planejamento e Programação de Projeto Gerenciamento de Tempo Principal objetivo garantir que o projeto seja concluído dentro do prazo determinado; O cronograma do projeto é sempre

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Organização: Evanildo Vieira dos Santos Bibliotecário CRB7-4861

MANUAL DO USUÁRIO. Organização: Evanildo Vieira dos Santos Bibliotecário CRB7-4861 MANUAL DO USUÁRIO Organização: Evanildo Vieira dos Santos Bibliotecário CRB7-4861 Rio de Janeiro INPI/CEDIN 2014 BIBLIOTECA DO INPI Vinculada ao Centro de Disseminação da Informação Tecnológica (CEDIN),

Leia mais

Capítulo 11. Conceitos de Orientação a Objetos. Rui Rossi dos Santos Programação de Computadores em Java Editora NovaTerra

Capítulo 11. Conceitos de Orientação a Objetos. Rui Rossi dos Santos Programação de Computadores em Java Editora NovaTerra Capítulo 11 Conceitos de Orientação a Objetos Objetivos do Capítulo Introduzir os conceitos fundamentais da Programação Orientada a Objetos. Apresentar o significado dos objetos e das classes no contexto

Leia mais

3.1. Os alunos estarão automaticamente cadastrados como usuários após a efetivação da matrícula e a confecção da carteira de estudante.

3.1. Os alunos estarão automaticamente cadastrados como usuários após a efetivação da matrícula e a confecção da carteira de estudante. 1. A Biblioteca A Biblioteca é um órgão suplementar do UNIPINHAL, que tem como objetivo dar suporte informacional aos professores, alunos e funcionários, podendo ser utilizada pelo público em geral. 2.

Leia mais

Franklin Ramalho Universidade Federal de Campina Grande - UFCG

Franklin Ramalho Universidade Federal de Campina Grande - UFCG Agenda - Motivação e Introdução Diagrama de - - Atores - Fluxo de eventos - Relacionamentos Franklin Ramalho Universidade Federal de Campina Grande - UFCG - Diagramas de - Exemplos - Meta-modelo MOF -

Leia mais

Histórico da Revisão. Data Versão Descrição Autor

Histórico da Revisão. Data Versão Descrição Autor Sistema de Gerenciamento de Loja - SIGEL Documento de Visão Versão 1.0.0 Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 13/01/2011 0.1 Versão preliminar do levantamento de requisitos funcionais e não

Leia mais

CONCEPCIONISTAS MISSIONÁRIAS DO ENSINO SETOR: ADMINISTRATIVO MANUAL DE PROCESSOS

CONCEPCIONISTAS MISSIONÁRIAS DO ENSINO SETOR: ADMINISTRATIVO MANUAL DE PROCESSOS CONCEPCIONISTAS MISSIONÁRIAS DO ENSINO SETOR: ADMINISTRATIVO MANUAL DE PROCESSOS SETOR: Nº DOC.: FOLHA:02/16 MATRIZ DE PROCESSOS E ATIVIDADES Missão: Organizar e controlar o sistema contábil/financeiro

Leia mais

A fim de gerenciar as vendas em uma loja, os seguintes requisitos devem ser atendidos pela modelagem de dados:

A fim de gerenciar as vendas em uma loja, os seguintes requisitos devem ser atendidos pela modelagem de dados: A fim de gerenciar as vendas em uma loja, os seguintes requisitos devem ser atendidos pela modelagem de dados: Vendas são efetuadas por um Vendedor em um determinado momento (indicado por uma data e um

Leia mais