Superior Tribunal de Justiça

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Superior Tribunal de Justiça"

Transcrição

1 RECURSO ESPECIAL Nº GO (2006/ ) RELATOR : MINISTRO JOSÉ DELGADO RECORRENTE : ESTADO DE GOIÁS PROCURADOR : ALEXANDRE SCARPONI CRUZ E OUTRO(S) RECORRIDO : UNIDOS ELETRODOMÉSTICOS LTDA ADVOGADO : SEM REPRESENTAÇÃO NOS AUTOS EMENTA PROCESSUAL CIVIL. RECURSO ESPECIAL. BEM ARREMATADO EM HASTA PÚBLICA. PLURALIDADE DE PENHORAS. INEXISTÊNCIA DE MANIFESTAÇÃO PROCESSUAL DA FAZENDA PÚBLICA. LEGALIDADE DA REALIZAÇÃO DO REGISTRO DE TRANSFERÊNCIA DE DOMÍNIO EM FAVOR DO ARREMATANTE. DISPOSITIVOS LEGAIS NÃO PREQUESTIONADOS (ARTIGOS 686, 690, 2º e 709, II, TODOS DO CPC, 29, 30 e 31 DA LEI 6.830/80). DIVERGÊNCIA PRETORIANA NÃO DEMONSTRADA. ARGUMENTOS DE RECURSO ESPECIAL QUE NÃO SE VINCULAM OU ELIDEM OS FUNDAMENTOS DO ACÓRDÃO. RECURSO ESPECIAL CONHECIDO EM PARTE E DESPROVIDO. 1. Trata-se de recurso especial interposto pela Fazenda Pública do Estado de Goiás contra acórdão que, em sede de agravo de instrumento tirado de execução fiscal, confirmando decisão do juízo singular, reconheceu legal e compulsória a realização de registro de transferência (pelo Cartório de Registro de Imóveis - CRI) de propriedade de imóvel que, objeto de penhora pela Fazenda Pública e, também, pelo credor particular, foi por este último arrematado em hasta pública. 2. Verifica-se dos autos que, à exceção do artigo 711 do Código de Processo Civil, a matéria constante nos diversos dispositivos legais tidos como violados (artigos 686, 690, 2º e 709, II, todos do CPC, 29, 30 e 31 da Lei 6.830/80) não foi objeto de prequestionamento. 3. No que toca à apontada divergência pretoriana, melhor sorte não se reserva ao inconformismo, isto porque as hipóteses enfrentadas pelos acórdãos paradigmas não guardam similitude fática com os acontecimentos registrados e decididos nos autos. O primeiro (Resp /MG, DJ 15/04/2002, Rel. Min. Aldir Passarinho Junior) trata de dação em pagamento e cancelamento de penhora, e o segundo (Apelação Cível , TJDF, DJ 18/02/2002), em linhas gerais, afirma que ""... a baixa dos gravames que pesam sobre um imóvel não é requisito à transcrição da alienação de direitos sobre o bem...", entendimento que, a propósito, está em desacordo com os argumentos esposados pela própria recorrente. 4. No mérito, há que se registrar que a Corte recorrida se vinculou a pressupostos legais específicos, no sentido de não haver impedimento a que o bem objeto de penhoras múltiplas fosse levado à praça e, também, no fato de a Fazenda não haver apresentado no momento hábil a impugnação processual cabível, fundamentação não atacada de forma direta e, também, não elidida pelos argumentos de recurso. 5. Recurso especial conhecido em parte e, nessa, não-provido. ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos os autos em que são partes as acima indicadas, acordam os Documento: Inteiro Teor do Acórdão - Site certificado - DJ: 20/09/2007 Página 1 de 11

2 Ministros da Primeira Turma do Superior Tribunal de Justiça, por unanimidade, conhecer parcialmente do recurso especial e, nessa parte, negar-lhe provimento, nos termos do voto do Sr. Ministro Relator. Os Srs. Ministros Francisco Falcão, Luiz Fux, Teori Albino Zavascki (Presidente) e Denise Arruda votaram com o Sr. Ministro Relator. Brasília (DF), 04 de setembro de 2007 (Data do Julgamento) MINISTRO JOSÉ DELGADO Relator Documento: Inteiro Teor do Acórdão - Site certificado - DJ: 20/09/2007 Página 2 de 11

3 RECURSO ESPECIAL Nº GO (2006/ ) RELATÓRIO O SR. MINISTRO JOSÉ DELGADO (Relator): Trata-se de recurso especial (fls. 40/48) fundado nas alíneas "a" e "c" do permissivo constitucional, interposto pela Fazenda Pública do Estado de Goiás contra acórdão assim resumido (fl. 35): AGRAVO DE INSTRUMENTO. CARTA DE ARREMATAÇÃO. REGISTRO. OBRIGATORIEDADE. CRÉDITO PREFERENCIAL. MOMENTO OPORTUNO. I - O Oficial do Cartório de Registro de Imóveis não se pode negar a registrar Carta de Arrematação de bens arrematados em outro processo de execução fiscal, mesmo havendo sobre eles constrição a favor da Fazenda Pública Estadual. II - O momento oportuno para se discutir sobre o crédito preferencial é o constante no art. 711 do Código de Processo Civil. III - Recurso conhecido e improvido. Decisão unânime. O presente litígio tem origem em agravo de instrumento incidental à ação de execução fiscal movida pela Fazenda Pública do Estado de Goiás, havendo a Corte recorrido assim resumido a controvérsia (decisão de fl. 15): ESTADO DE GOIÁS, pessoa jurídica de direito público interno, interpõe agravo de instrumento em Ação de Execução Fiscal, objetivando conferir efeito suspensivo e pedido de antecipação de tutela à decisão de fl 12, proferida pelo Dr. Rodrigo de Silveira, Juiz de Direito da Vara Cível, das Fazendas Públicas e de Registros Públicos da comarca de Formosa. Narra o agravante que a decisão agravada cancelou a penhora (e registro) em Execução Fiscal, deixando de observar a ordem de preferência do crédito tributário, por considerar que o direito de preferência deve ser discutido nos autos onde se opera a hasta pública. Diz que o registro da penhora visa assegurar o juízo e evitar que terceiros de boa-fé sejam prejudicados. Diz que nos casos do credor particular arrematar o bem penhorado com seu próprio crédito, devem ser aplicados por analogia os artigos 709, incisos I e II e 711 do Código de Processo Civil, a fim de ser observada a ordem de preferência do crédito público. Alega que tal decisão viola os artigos 30 e 31 da LEF, pois após a baixa do registro no Cartório de Registro Imobiliário (CRI), o bem não mais responde pelo pagamento da dívida ativa e o Oficial do mencionado Registro é obrigado a dar baixa na penhora, sem qualquer prova de quitação ou concordância da Fazenda Pública. Conclui requerendo o provimento do presente recurso para que ao final Documento: Inteiro Teor do Acórdão - Site certificado - DJ: 20/09/2007 Página 3 de 11

4 seja determinada no Juízo monocrático a manutenção da penhora e registro no CRI local. Consoante o teor da ementa retrocitada, o Tribunal recorrido negou provimento ao pedido, em síntese, sob o argumento de que (fls. 29/36): a) nos dispositivos legais referidos pelo recorrente não consta a proibição de se fazer o registro de arrematação no Cartório de Registro Imobiliário; b) não se discute nos autos a preferência de crédito que se reserva à Fazenda Pública, mas tão-somente a impossibilidade de se negar o registro e a transferência de domínio de imóvel objeto de arrematação; c) a Fazenda Pública se quedou inerte durante o procedimento que resultou na efetivação da hasta pública, não tendo havido, no momento adequado, a apresentação dos recursos cabíveis, conforme dispõe o artigo 29 da Lei 6.83/80 d) mesmo sendo empregado o argumento de o julgador deixou de considerar que o bem foi arrematado com crédito do próprio exeqüente, deveria a Fazenda Pública ter exercido o seu direito de preferência. Contra esse acórdão, a Fazenda Pública do Estado de Goiás interpôs recurso especial, ao fundamento de que: a) não se pretende anular a Carta de Arrematação, mas sim transferir a penhora sobre bem de maior liquidez, o dinheiro decorrente da praça; b) o cancelamento da penhora importa em negativa à atuação do Poder Judiciário, o que resulta em violação dos artigos 686, 690, 2º, 709, II e 711, todos do CPC, 29, 30 e 31 da Lei 6.830/80, dos quais, indica-se o teor: Do Código de Processo Civil Art A arrematação será precedida de edital, que conterá: (Redação dada pela Lei nº 5.925, de 1º ) Documento: Inteiro Teor do Acórdão - Site certificado - DJ: 20/09/2007 Página 4 de 11

5 Da Lei 6.830/80 I - a descrição do bem penhorado com os seus característicos e, tratando-se de imóvel, a situação, as divisas e a transcrição aquisitiva ou a inscrição; (Redação dada pela Lei nº 5.925, de 1º ) (..) Art A arrematação far-se-á com dinheiro à vista, ou a prazo de 3 (três) dias, mediante caução idônea. (...) Art Concorrendo vários credores, o dinheiro ser-lhes-á distribuído e entregue consoante a ordem das respectivas prelações; não havendo título legal à preferência, receberá em primeiro lugar o credor que promoveu a execução, cabendo aos demais concorrentes direito sobre a importância restante, observada a anterioridade de cada penhora. Art A cobrança judicial da Dívida Ativa da Fazenda Pública não é sujeita a concurso de credores ou habilitação em falência, concordata, liquidação, inventário ou arrolamento. Parágrafo Único - O concurso de preferência somente se verifica entre pessoas jurídicas de direito público, na seguinte ordem: I - União e suas autarquias; II - Estados, Distrito Federal e Territórios e suas autarquias, conjuntamente e pro rata; III - Municípios e suas autarquias, conjuntamente e pro rata. Art Sem prejuízo dos privilégios especiais sobre determinados bens, que sejam previstos em lei, responde pelo pagamento da Divida Ativa da Fazenda Pública a totalidade dos bens e das rendas, de qualquer origem ou natureza, do sujeito passivo, seu espólio ou sua massa, inclusive os gravados por ônus real ou cláusula de inalienabilidade ou impenhorabilidade, seja qual for a data da constituição do ônus ou da cláusula, excetuados unicamente os bens e rendas que a lei declara absolutamente impenhoráveis. Art Nos processos de falência, concordata, liquidação, inventário, arrolamento ou concurso de credores, nenhuma alienação será judicialmente autorizada sem a prova de quitação da Dívida Ativa ou a concordância da Fazenda Pública. Alega-se, também, dissenso pretoriano com julgado assim formado: CIVIL E PROCESSUAL. EXECUÇÕES PROMOVIDAS POR CREDORES DISTINTOS. AQUISIÇÃO DE UM DOS CRÉDITOS PELA IRMÃ DO DEVEDOR. DAÇÃO EM PAGAMENTO E CANCELAMENTO DA PENHORA. TRANSAÇÃO. HOMOLOGAÇÃO. COISA JULGADA. ALCANCE LIMITADO ÀS PARTES ACORDANTES. DESINFLUÊNCIA SOBRE OUTRA EXECUÇÃO COM PENHORA DOS MESMOS BENS POR CREDOR DIVERSO. FRAUDE À EXECUÇÃO CONFIGURADA. HIGIDEZ DA CONSTRIÇÃO JÁ EXISTENTE SOBRE O IMÓVEL. Documento: Inteiro Teor do Acórdão - Site certificado - DJ: 20/09/2007 Página 5 de 11

6 I. A transação realizada nos autos de uma execução não tem o condão, nos termos dos arts e do Código Civil, de influir sobre outro credor, cuja cobrança judicial tramita em Vara distinta. II. A sub-rogação do crédito feita por parentes do devedor, e sua substituição pelo credor primitivo, com o posterior recebimento de um dos bens constritados em dação em pagamento e a respectiva baixa das penhoras, têm efeito limitado ao processo em que tais atos ocorreram, sendo ineficazes para configurar aquisição por terceiro de boa-fé, de modo a afastar a outra penhora também existente sobre aquele patrimônio, decorrente de execução promovida por credor diverso, por diferente título. III. Situação peculiar, que caracteriza fraude à execução. IV. Recurso especial não conhecido. (Resp /MG, DJ 15/04/2002, Rel. Min. Aldir Passarinho Junior) Aponta-se, ainda, divergência com a Apelação Cível , TJDF, DJ 18/02/2002, na qual se dispôs que "... a baixa dos gravames que pesam sobre um imóvel não é requisito à transcrição da alienação de direitos sobre o bem...".' Sem contra-razões o recurso, inadmitido pela decisão de fls. 78/79, subiu a esta Corte por força de provimento a pedido formulado em agravo de instrumento (fl. 89). É o relatório. Documento: Inteiro Teor do Acórdão - Site certificado - DJ: 20/09/2007 Página 6 de 11

7 RECURSO ESPECIAL Nº GO (2006/ ) EMENTA PROCESSUAL CIVIL. RECURSO ESPECIAL. BEM ARREMATADO EM HASTA PÚBLICA. PLURALIDADE DE PENHORAS. INEXISTÊNCIA DE MANIFESTAÇÃO PROCESSUAL DA FAZENDA PÚBLICA. LEGALIDADE DA REALIZAÇÃO DO REGISTRO DE TRANSFERÊNCIA DE DOMÍNIO EM FAVOR DO ARREMATANTE. DISPOSITIVOS LEGAIS NÃO PREQUESTIONADOS (ARTIGOS 686, 690, 2º e 709, II, TODOS DO CPC, 29, 30 e 31 DA LEI 6.830/80). DIVERGÊNCIA PRETORIANA NÃO DEMONSTRADA. ARGUMENTOS DE RECURSO ESPECIAL QUE NÃO SE VINCULAM OU ELIDEM OS FUNDAMENTOS DO ACÓRDÃO. RECURSO ESPECIAL CONHECIDO EM PARTE E DESPROVIDO. 1. Trata-se de recurso especial interposto pela Fazenda Pública do Estado de Goiás contra acórdão que, em sede de agravo de instrumento tirado de execução fiscal, confirmando decisão do juízo singular, reconheceu legal e compulsória a realização de registro de transferência (pelo Cartório de Registro de Imóveis - CRI) de propriedade de imóvel que, objeto de penhora pela Fazenda Pública e, também, pelo credor particular, foi por este último arrematado em hasta pública. 2. Verifica-se dos autos que, à exceção do artigo 711 do Código de Processo Civil, a matéria constante nos diversos dispositivos legais tidos como violados (artigos 686, 690, 2º e 709, II, todos do CPC, 29, 30 e 31 da Lei 6.830/80) não foi objeto de prequestionamento. 3. No que toca à apontada divergência pretoriana, melhor sorte não se reserva ao inconformismo, isto porque as hipóteses enfrentadas pelos acórdãos paradigmas não guardam similitude fática com os acontecimentos registrados e decididos nos autos. O primeiro (Resp /MG, DJ 15/04/2002, Rel. Min. Aldir Passarinho Junior) trata de dação em pagamento e cancelamento de penhora, e o segundo (Apelação Cível , TJDF, DJ 18/02/2002), em linhas gerais, afirma que ""... a baixa dos gravames que pesam sobre um imóvel não é requisito à transcrição da alienação de direitos sobre o bem...", entendimento que, a propósito, está em desacordo com os argumentos esposados pela própria recorrente. 4. No mérito, há que se registrar que a Corte recorrida se vinculou a pressupostos legais específicos, no sentido de não haver impedimento a que o bem objeto de penhoras múltiplas fosse levado à praça e, também, no fato de a Fazenda não haver apresentado no momento hábil a impugnação processual cabível, fundamentação não atacada de forma direta e, também, não elidida pelos argumentos de recurso. 5. Recurso especial conhecido em parte e, nessa, não-provido. VOTO O SR. MINISTRO JOSÉ DELGADO (Relator): Trata-se de recurso especial interposto pela Fazenda Pública do Estado de Goiás contra acórdão que, em sede de agravo de instrumento tirado de execução fiscal, confirmando decisão do juízo singular, reconheceu legal e compulsória a realização de registro de transferência (pelo Cartório de Registro de Imóveis - CRI) de propriedade de imóvel que, objeto de penhora pela Fazenda Pública e, também, pelo credor particular, foi por este último arrematado em hasta pública. Documento: Inteiro Teor do Acórdão - Site certificado - DJ: 20/09/2007 Página 7 de 11

8 Verifica-se dos autos, no entanto que, à exceção do artigo 711 do Código de Processo Civil, a matéria constante nos diversos dispositivos legais tidos como violados (artigos 686, 690, 2º e 709, II, todos do CPC, 29, 30 e 31 da Lei 6.830/80) não foi objeto de prequestionamento, evidência que resulta, no particular, na impossibilidade de conhecimento do apelo. Com efeito, embora tais regras tenham por objeto a regulação de procedimento executivo, é certo que o aresto, ante a situação fática apresentada, a eles não se reportou. No que toca à apontada divergência pretoriana, melhor sorte não se reserva ao inconformismo, isto porque as hipóteses enfrentadas pelos acórdãos paradigmas não guardam similitude fática com os acontecimentos registrados e decididos nos autos. O primeiro (Resp /MG, DJ 15/04/2002, Rel. Min. Aldir Passarinho Junior) trata de dação em pagamento e cancelamento de penhora, e o segundo (Apelação Cível , TJDF, DJ 18/02/2002), em linhas gerais, afirma que ""... a baixa dos gravames que pesam sobre um imóvel não é requisito à transcrição da alienação de direitos sobre o bem...", entendimento que, a propósito, está em desacordo com os argumentos esposados pela própria recorrente. No mérito, há que se registrar que a Corte recorrida se vinculou a pressupostos legais específicos, no sentido de não haver impedimento a que o bem objeto de penhoras múltiplas fosse levado à praça e, também, no fato de a Fazenda não haver apresentado no momento hábil a impugnação processual cabível, como se constata (fls. 31/34): De todos os dispositivos legais citados pelo agravante, depreende-se que em nenhum deles consta a proibição de se fazer o registro da carta de arrematação no Cartório de Registros Imobiliários. Não se discute nos autos a preferência de que goza a Fazenda Pública Estadual, ao contrário, o digno julgador, na decisão objurgada, asseverou que o Oficial do CRI não poderia negar registro à carta de arrematação pelo fato de existir registro de penhora anterior (ao registro da carta) a favor do agravante em razão de que um dos efeitos da arrematação, obviamente, é a transferência do domínio do bem ao arrematante. Na obra CURSO AVANÇADO DE PROCESSO CIVIL, 2. cd, São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 1999, v. 2, Processo de Execução, tendo como coordenador Luiz Rodrigues Wambier, p , extrai-se o seguinte entendimento: Embora o Código silencie a respeito, será necessária a certificação da hasta Documento: Inteiro Teor do Acórdão - Site certificado - DJ: 20/09/2007 Página 8 de 11

9 e da arrematação, no momento em que ocorre, inclusive para que possam ser contados os prazos que se iniciam na data e hora da praça ou leilão. É o caso da lavratura do auto de arrematação, que terá de ocorrer 24 horas depois da praça ou leilão (art. 693). Durante esse intervalo, pode ainda haver a remição dos bens ou da execução, que deixarão sem efeito a alienação judicial. O auto de arrematação será assinado pelo juiz, pelo escrivão, pelo arrematante e pelo condutor da hasta pública. Lavrado e assinado o auto, a arrematação considerar-se-á perfeita, acabada e irretratável (art. 694, caput), só podendo ser desfeita (art. 694, parágrafo único): (I) por vício de nulidade (inc. I). Servem de exemplo várias hipóteses já mencionadas: falta de correta publicação dos editais; falta de intimação do executado; arrematação feita por pessoa que estava proibida de licitar; (II) se não for pago o preço ou se não for prestada a caução (inc. II). Isso ocorrerá quando o exeqüente não preferir a execução do arrematante remisso ou seu fiador (art. 695, 1º e 2 ), ou quando ele mesmo, exeqüente, for o arrematante remisso (art. 690, 2, parte final); (III) quando o arrematante provar, nos três dias seguintes, a existência de ônus real não mencionado no edital (inc. III); (IV) em outros casos previstos no Código (inc. IV), que faz expressa referência aos arts. 698 e 699). A decisão do julgador, ora agravada, diz: Por isso, reconheço que a penhora realizada neste processo referente à bens arrematados em outro processo não mais subsistem, determinando a expedição de oficio para orientação do Oficial do CRI a fim de que não cometa mais este desconchavo. Verifica-se dos autos que a Fazenda Pública se quedou inerte durante a tramitação dos autos em que se operou a hasta pública (art. 711 do CPC), momento oportuno para interposição dos recursos cabíveis para exercer o direito de preferência, de acordo com o disposto no art. 29 da Lei n 6.830/80, sendo, portanto, inoperante a discussão perante o Oficial do Cartório de Registros de Imóveis. Dessa forma, deve-se considerar a inexistência de previsão legal de subsistência de penhora nesta hipótese, em face de arrematação dos bens em outro processo. Mesmo o argumento utilizado pelo recorrente de que o julgador deixou de observar que o bem foi arrematado com crédito do próprio exeqüente no processo de execução, em detrimento da Fazenda Pública, esta deveria ter exercitado seu direito de preferência, porém não o fez. Ademais, a agravante dispõe de meios processuais adequados para, no caso de constatação de alguma nulidade, anular os atos processuais dela decorrentes. Ante o exposto, tomo conhecimento do recurso e nego-lhe provimento para manter a decisão objurgada em seus termos. Note-se, de outro ângulo, que essa fundamentação não mereceu contestação direta no recurso especial, havendo a recorrente articulado razões que não guardam sintonia com os elementos que foram efetivamente apreciados e decididos pelo decisório atacado. Documento: Inteiro Teor do Acórdão - Site certificado - DJ: 20/09/2007 Página 9 de 11

10 Nesse panorama, conheço do recurso especial em parte e, nessa, nego-lhe provimento, mantendo-se o acórdão recorrido pelos seus próprios e jurídicos fundamentos. É o voto. Documento: Inteiro Teor do Acórdão - Site certificado - DJ: 20/09/2007 Página 10 de 11

11 CERTIDÃO DE JULGAMENTO PRIMEIRA TURMA Número Registro: 2006/ REsp / GO Números Origem: PAUTA: 04/09/2007 JULGADO: 04/09/2007 Relator Exmo. Sr. Ministro JOSÉ DELGADO Presidente da Sessão Exmo. Sr. Ministro TEORI ALBINO ZAVASCKI Subprocurador-Geral da República Exmo. Sr. Dr. JOÃO FRANCISCO SOBRINHO Secretária Bela. MARIA DO SOCORRO MELO AUTUAÇÃO RECORRENTE : ESTADO DE GOIÁS PROCURADOR : ALEXANDRE SCARPONI CRUZ E OUTRO(S) RECORRIDO : UNIDOS ELETRODOMÉSTICOS LTDA ADVOGADO : SEM REPRESENTAÇÃO NOS AUTOS ASSUNTO: Execução Fiscal CERTIDÃO Certifico que a egrégia PRIMEIRA TURMA, ao apreciar o processo em epígrafe na sessão realizada nesta data, proferiu a seguinte decisão: A Turma, por unanimidade, conheceu parcialmente do recurso especial e, nessa parte, negou-lhe provimento, nos termos do voto do Sr. Ministro Relator. Os Srs. Ministros Francisco Falcão, Luiz Fux, Teori Albino Zavascki (Presidente) e Denise Arruda votaram com o Sr. Ministro Relator. Brasília, 04 de setembro de 2007 MARIA DO SOCORRO MELO Secretária Documento: Inteiro Teor do Acórdão - Site certificado - DJ: 20/09/2007 Página 11 de 11

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 575.590 - RS (2003/0130567-7) RELATOR : MINISTRO TEORI ALBINO ZAVASCKI RECORRENTE : ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADOR : LUCIANA MABILIA MARTINS E OUTROS RECORRIDO : BANCO DO BRASIL

Leia mais

RECURSO ESPECIAL Nº 502.765 - RS (2003/0023756-0)

RECURSO ESPECIAL Nº 502.765 - RS (2003/0023756-0) RECURSO ESPECIAL Nº 502.765 - RS (2003/0023756-0) RELATOR : MINISTRO JOSÉ DELGADO RECORRENTE : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS PROCURADOR : PATRÍCIA VARGAS LOPES E OUTROS RECORRIDO : OSTRA OBRAS

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 897.205 - DF (2006/0235733-6) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS RECORRENTE : VOLKSWAGEN LEASING S/A - ARRENDAMENTO MERCANTIL ADVOGADO : VINICIUS OLLIVER DOMINGUES MARCONDES E OUTROS

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 712.998 - RJ (2004/0180932-3) RELATOR : MINISTRO HERMAN BENJAMIN RECORRENTE : MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO PROCURADOR : MARIANA RODRIGUES KELLY E SOUSA E OUTRO(S) RECORRIDO : ADELINO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 972.075 - SC (2007/0178356-6) RELATOR : MINISTRO TEORI ALBINO ZAVASCKI ADVOGADO : DANTE AGUIAR AREND E OUTRO(S) EMENTA PROCESSUAL CIVIL E TRIBUTÁRIO. RECURSO ESPECIAL. VIOLAÇÃO AO ART.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 476.713 - DF (2002/0152167-8) RELATOR : MINISTRO SÁLVIO DE FIGUEIREDO TEIXEIRA RECORRENTE : LA CARNE COMÉRCIO E REPRESENTAÇÃO DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS LTDA ADVOGADO : DARCY MARIA GONÇALVES

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR : MINISTRO TEORI ALBINO ZAVASCKI PROCURADORES : CLAUDIO XAVIER SEEFELDER FILHO DEYSI CRISTINA DA 'ROLT E OUTRO(S) EMENTA TRIBUTÁRIO. EXECUÇÃO FISCAL. DECLARAÇÃO DO DÉBITO PELO CONTRIBUINTE (DCTF).

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 437.853 - DF (2002/0068509-3) RELATOR : MINISTRO TEORI ALBINO ZAVASCKI RECORRENTE : FAZENDA NACIONAL PROCURADOR : DANIEL AZEREDO ALVARENGA E OUTROS RECORRIDO : ADVOCACIA BETTIOL S/C

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR : MINISTRO CASTRO MEIRA ADVOGADO : LUIZ ANTÔNIO MUNIZ MACHADO E OUTRO(S) EMENTA DIREITO SINDICAL. CONTRIBUIÇÃO SINDICAL RURAL. ART. 8º, IV, DA CF/88. COMPETÊNCIA DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. PUBLICAÇÃO

Leia mais

DECISÕES» ISS. 3. Recurso especial conhecido e provido, para o fim de reconhecer legal a tributação do ISS.

DECISÕES» ISS. 3. Recurso especial conhecido e provido, para o fim de reconhecer legal a tributação do ISS. DECISÕES» ISS INTEIRO TEOR. EMENTA. TRIBUTÁRIO. RECURSO ESPECIAL. ATIVIDADE DE INCORPORAÇÃO DE IMÓVEIS. EXISTÊNCIA DE DOIS CONTRATOS: O DE COMPRA E VENDA E O DE EMPREITADA. CARACTERIZAÇÃO DE FATO GERADOR

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.080.614 - SP (2008/0176494-3) RELATORA : MINISTRA NANCY ANDRIGHI EMENTA Direito de família e das sucessões. Ação de reconhecimento de sociedade de fato, proposta por ex-companheiro

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.423.457 - PR (2013/0400739-4) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS AGRAVANTE : ZR IMPORTAÇÕES LTDA ADVOGADOS : CRISTIANO LISBOA YAZBEK E OUTRO(S) FERNANDO SOLÁ SOARES TAILANE

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.079.644 - SP (2008/0172654-7) RELATORA : MINISTRA ELIANA CALMON RECORRENTE : VELLOZA GIROTTO E LINDENBJOM ADVOGADOS ASSOCIADOS S/C ADVOGADO : LUIZ EDUARDO DE CASTILHO GIROTTO E OUTRO(S)

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 468.333 - MS (2002/0108270-6) RELATOR : MINISTRO LUIS FELIPE SALOMÃO RECORRENTE : BANCO DO BRASIL S/A ADVOGADO : GILBERTO EIFLER MORAES E OUTRO(S) RECORRIDO : LEODARCY DA SILVA ANGELIERI

Leia mais

Dados Básicos. Ementa. Íntegra

Dados Básicos. Ementa. Íntegra Dados Básicos Fonte: 1.105.951 Tipo: Acórdão STJ Data de Julgamento: 04/10/2011 Data de Aprovação Data não disponível Data de Publicação:14/10/2011 Estado: Rio de Janeiro Cidade: Relator: Sidnei Beneti

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça EMENTA FALÊNCIA. HABILITAÇÃO DE CRÉDITO. CONTRIBUIÇÃO PARAFISCAL DEVIDA AO SENAI. POSSIBILIDADE. 1. De acordo com a jurisprudência desta Corte, a possibilidade de cobrança do crédito por meio de execução

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR : MINISTRO JOÃO OTÁVIO DE NORONHA RECORRENTE : E L DOS S E OUTRO ADVOGADO : JULIANO FONSECA DE MORAIS EMENTA RECURSO ESPECIAL. PROCESSUAL CIVIL. AÇÃO DE DIVÓRCIO DIRETO CONSENSUAL. CASAMENTO REALIZADO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça : UNIMED DE ARAÇATUBA - COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO EMENTA PLANO DE SAÚDE. INADIMPLÊNCIA DO SEGURADO SUPERIOR A 60 (SESSENTA) DIAS. NOTIFICAÇÃO PRÉVIA. RESCISÃO UNILATERAL. POSSIBILIDADE. 1. A rescisão

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR : MINISTRO MAURO CAMPBELL MARQUES RECORRENTE : FAZENDA NACIONAL : PROCURADORIA-GERAL DA FAZENDA NACIONAL RECORRIDO : SIAM ALIMENTOS LTDA E OUTRO : MARCELO DE LIMA CASTRO DINIZ E OUTRO(S) EMENTA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 550.302 - DF (2003/0167033-6) RELATOR : MINISTRO ALDIR PASSARINHO JUNIOR AGRAVANTE : JOÃO DA SILVA CARNEIRO ADVOGADO : ADILSON RAMOS E OUTRO AGRAVADO : GISELE EVELEEN HRDINA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.054.847 - RJ (2008/0099222-6) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO REPR. POR RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO LUIZ FUX : TEREZINHA FUNKLER : LÍDIA MARIA SCHIMMELS E OUTRO(S) : BANCO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.061.500 - RS (2008/0119719-3) RELATOR : MINISTRO SIDNEI BENETI RECORRENTE : BANCO CITIBANK S/A ADVOGADO : EDUARDO GRAEFF E OUTRO(S) RECORRIDO : ADELINA FARINA RUGA ADVOGADO : MARCOS

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 752.808 - RJ (2005/0084580-9) RELATOR : MINISTRO TEORI ALBINO ZAVASCKI ADVOGADO : MIGUEL GRIMALDI CABRAL DE ANDRADE E OUTRO(S) PROCURADOR : LUIZ CÉSAR VIANNA MARQUES E OUTRO(S) EMENTA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 996.613 - ES (2007/0244394-3) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS RECORRENTE : ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PROCURADOR : RAFAEL INDUZZI DREWS E OUTRO(S) RECORRIDO : COLATINA DIESEL LTDA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.171.486 - SP (2009/0239644-0) RELATOR AGRAVANTE AGRAVADO : MINISTRO MARCO BUZZI EMENTA AGRAVO REGIMENTAL - AÇÃO DE COBRANÇA - ASSOCIAÇÃO DE MORADORES - PAGAMENTO DE TAXA DE

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.280.171 - SP (2011/0144286-3) RELATOR RECORRENTE RECORRIDO : MINISTRO MASSAMI UYEDA : A C DE A : ANNA CRISTINA BORTOLOTTO SOARES E OUTRO(S) : B L C DE A E OUTRO : CLEBER SPERI EMENTA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 781.703 - RS (2005/0152790-8) RELATOR RECORRENTE RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO ARNALDO ESTEVES LIMA : UNIÃO : MARCOS ROBERTO SILVA DE ALMEIDA E OUTROS : WALDEMAR MARQUES E OUTRO EMENTA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR : MINISTRO CASTRO MEIRA AGRAVANTE : ONDREPSB LIMPEZA E SERVIÇOS ESPECIAIS LTDA ADVOGADO : IVAR LUIZ NUNES PIAZZETA E OUTRO(S) AGRAVADO : FAZENDA NACIONAL PROCURADORES : ANGELA T GOBBI ESTRELLA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 695.205 - PB (2004/0145940-1) RELATOR RECORRENTE ADVOGADOS RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO CARLOS ALBERTO MENEZES DIREITO : BANCO DO BRASIL S/A : MAGDA MONTENEGRO PAULO LOPES DA SILVA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça SENTENÇA ESTRANGEIRA CONTESTADA Nº 1.032 - GB (2005/0066622-7) RELATOR REQUERENTE ADVOGADO : MINISTRO ARNALDO ESTEVES LIMA : GRACE NANCY JOY PIRIE : MICHAEL MARY NOLAN E OUTRO(S) EMENTA HOMOLOGAÇÃO DE

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.374.048 - RS (2013/0073161-8) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO HUMBERTO MARTINS : FAZENDA NACIONAL : PROCURADORIA-GERAL DA FAZENDA NACIONAL : EMERSON DA SILVA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 715.898 - PR (2005/0001576-6) RELATORA : MINISTRA ELIANA CALMON EMENTA PROCESSUAL CIVIL E TRIBUTÁRIO IPTU DEPÓSITO PARA SUSPENSÃO DA EXIGIBILIDADE DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO ART. 151, II,

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 893.036 - SP (2006/0221290-0) RELATOR : MINISTRO TEORI ALBINO ZAVASCKI EMENTA ADMINISTRATIVO. SERVIÇOS DE TELEFONIA. DEMANDA ENTRE CONCESSIONÁRIA E USUÁRIO. INEXISTÊNCIA DE LITISCONSÓRCIO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 184.727 - DF (2012/0112646-2) RELATOR : MINISTRO HERMAN BENJAMIN : MINISTÉRIO PÚBLICO DO DISTRITO FEDERAL E TERRITÓRIOS EMENTA PROCESSUAL CIVIL. COMPETÊNCIA. PERIÓDICO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 849.632 - SP (2006/0101955-4) RELATOR : MINISTRO LUIZ FUX RECORRENTE : FAZENDA DO ESTADO DE SÃO PAULO PROCURADOR : LIEGE PEIXOTO E OUTRO(S) RECORRIDO : FORD LEASING S/A - ARRENDAMENTO

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO SÃO PAULO AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 614.481-0/4 - Agravante: Finasa Leasing Arrendamento Mercantil S.A. Agravados: Panorama Turismo Ltda. Aparecida Sircelj Parte: Banco Safra S.A. EXECUÇÃO. ARREMATAÇÃO. PENHORA.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATORA RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRA NANCY ANDRIGHI : S B : JASON SOARES DE ALBERGARIA FILHO E OUTRO : T C DA C : EBER CARVALHO DE MELO E OUTRO EMENTA Direito civil e processual civil.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça EDcl no AgRg no AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 1.087.718 - RS (2008/0180703-0) RELATOR : MINISTRO FRANCISCO FALCÃO EMBARGANTE : WERNER CANTALÍCIO JOÃO BECKER E OUTRO(S) EMBARGADO : MARIA DAS GRACAS MACHADO DE

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 989.735 - PR (2007/0223796-0) RELATORA : MINISTRA DENISE ARRUDA RECORRENTE : FAZENDA NACIONAL PROCURADORES : BERENICE FERREIRA LAMB E OUTRO(S) CLAUDIO XAVIER SEEFELDER FILHO RECORRIDO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 26.044 - MS (2008/0000154-1) RELATORA RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO PROCURADOR : MINISTRA MARIA THEREZA DE ASSIS MOURA : MÁRCIA ARAÚJO LIMA : IGOR NAVARRO RODRIGUES CLAURE

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR : MINISTRO MAURO CAMPBELL MARQUES RECORRENTE : MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO RECORRIDO : MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO : WALDNER F DA SILVA INTERES. : MANOEL ALVES FERRASOL : MARCO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 777.906 - BA (2005/0144695-7) RELATOR RECORRENTE RECORRIDO : MINISTRO JOSÉ DELGADO : ADALTRO FERRERA DE SOUZA : YOLANDA SANTOS DE SANTANA E OUTROS : CAIXA ECONÔMICA FEDERAL - CEF :

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 593.196 - RS (2003/0164484-3) RELATOR : MINISTRO HÉLIO QUAGLIA BARBOSA EMENTA RECURSO ESPECIAL. SEGURO. ATRASO NO PAGAMENTO DOS VALORES DEVIDOS PELA SEGURADORA. LUCROS CESSANTES. OCORRÊNCIA.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 704.881 - RS (2004/0126471-0) RELATOR : MINISTRO HERMAN BENJAMIN AGRAVANTE : TRANSPORTADORA DE CARGAS MERCOSUL LTDA ADVOGADO : CLÁUDIO LEITE PIMENTEL E OUTRO(S) AGRAVADO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 728.029 - DF (2005/0030981-2) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO REPR. POR : MINISTRO LUIZ FUX : ITATIAIA SEGUROS S/A : FRANCISCO CARLOS ROSAS GIARDINA E OUTRO : INSTITUTO NACIONAL

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO EM HABEAS CORPUS Nº 25.738 - MG (2009/0052319-3) RELATOR : MINISTRO VASCO DELLA GIUSTINA (DESEMBARGADOR CONVOCADO DO TJ/RS) AGRAVANTE ADVOGADOS JOÃO PEDRO DA COSTA BARROS AGRAVADO EMENTA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 361.758 - SP (2001/0116921-9) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS RECORRENTE : FAZENDA DO ESTADO DE SÃO PAULO PROCURADOR : CLÁUDIA BOCARDI ALLEGRETTI E OUTRO(S) RECORRIDO : ANELCORP

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 839.877 - RJ (2006/0083341-7) RELATOR : MINISTRO CASTRO MEIRA RECORRENTE : MARCUS DA SILVA DIAS E OUTRO ADVOGADO : GUILHERME DE JESUS E OUTROS RECORRIDO : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM HABEAS CORPUS Nº 21.628 - SP (2007/0158779-3) RELATORA : MINISTRA LAURITA VAZ RECORRENTE : AGOSTINHO FERRAMENTA DA SILVA JÚNIOR ADVOGADO : JULIANA FERRAMENTA DA SILVA RECORRIDO : TRIBUNAL DE

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 928.265 - RS (2007/0037294-0) RELATOR : MINISTRO JOSÉ DELGADO RECORRENTE : FAZENDA NACIONAL PROCURADOR : RODRIGO PEREIRA DA SILVA FRANK E OUTRO(S) RECORRENTE : PAULO ROBERTO MOLON ADVOGADO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.276.128 - SP (2011/0140165-2) RELATORA : MINISTRA NANCY ANDRIGHI RECORRENTE : IVAN FÁBIO DE OLIVEIRA ZURITA E OUTROS : MARCUS VINÍCIUS DE ABREU SAMPAIO E OUTRO(S) RECORRIDO : SCHAHIN

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.140.655 - PR (2009/0094447-0) RELATORA : MINISTRA ELIANA CALMON EMENTA TRIBUTÁRIO - RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA - SUCESSÃO POR AQUISIÇÃO DE ESTABELECIMENTO EMPRESARIAL OU FUNDO DE

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 489.459 - RS (2014/0059626-9) RELATORA AGRAVANTE ADVOGADOS AGRAVADO ADVOGADO : MINISTRA ASSUSETE MAGALHÃES : AZANELLA REPRESENTAÇÃO LTDA : ARLINDO TONETTO QUERUZ E

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 960.280 - RS (2007/0134692-2) RELATOR : MINISTRO PAULO DE TARSO SANSEVERINO RECORRENTE : POLIEDRO CONSTRUÇÕES LTDA E OUTROS ADVOGADO : AYRTON LIMA FREITAS E OUTRO(S) RECORRIDO : GERALDO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR : MINISTRO ARNALDO ESTEVES LIMA EMENTA PREVIDENCIÁRIO. APOSENTADORIA. CONTAGEM DE TEMPO DE SERVIÇO EXERCIDO EM CONDIÇÕES ESPECIAIS. COMPROVAÇÃO POR MEIO DE FORMULÁRIO PRÓPRIO. POSSIBILIDADE ATÉ

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 924.175 - RS (2007/0026973-0) RELATOR : MINISTRO JOSÉ DELGADO RECORRENTE : TONIOLO BUSNELLO S/A TÚNEIS TERRAPLANAGENS E PAVIMENTOS ADVOGADO : MARCOS EDUARDO NONDILO E OUTRO(S) RECORRIDO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.228.778 - MT (2010/0217471-4) RELATOR RECORRENTE RECORRIDO RECORRIDO : MINISTRO SIDNEI BENETI : WANDER CARLOS DE SOUZA : SÉRGIO DONIZETE NUNES : GILBERTO LUIZ DE REZENDE : DANIELA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.125.337 - SP (2009/0130514-9) RELATOR AGRAVANTE ADVOGADA AGRAVADO PROCURADOR INTERES. : MINISTRO BENEDITO GONÇALVES : CONSTRUTORA OAS LTDA : CRISTIANE ROMANO FARHAT FERRAZ

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.084.748 - MT (2008/0194990-5) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO SIDNEI BENETI : AGRO AMAZÔNIA PRODUTOS AGROPECUÁRIOS LTDA : DÉCIO JOSÉ TESSARO E OUTRO(S) :

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR : MINISTRO JOÃO OTÁVIO DE NORONHA EMENTA PREVIDENCIÁRIO. CONTRIBUIÇÃO. SAT. ATIVIDADE PREPONDERANTE. SERVIÇO PÚBLICO. ATIVIDADE BUROCRÁTICA. MUNICÍPIO. PREFEITURA. LITIGÂNCIA DE MÁ-FÉ. ART. 17,

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATORA : MINISTRA NANCY ANDRIGHI EMENTA CIVIL. RECURSO ESPECIAL. AGRAVO NO RECURSO ESPECIAL. AÇÃO DE COBRANÇA DE SEGURO OBRIGATÓRIO DPVAT. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. OMISSÃO, CONTRADIÇÃO OU OBSCURIDADE.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 36.293 - RS (2011/0252417-2) RELATOR : MINISTRO MAURO CAMPBELL MARQUES RECORRENTE : MUNICÍPIO DE CAXIAS DO SUL PROCURADOR : LARISSA RAYMUNDI E OUTRO(S) RECORRIDO : ESTADO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.340.604 - RJ (2012/0141690-8) RELATOR RECORRENTE PROCURADOR RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO MAURO CAMPBELL MARQUES : ESTADO DO RIO DE JANEIRO : ALEX CORDEIRO BERTOLUCCI E OUTRO(S) :

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.451.602 - PR (2014/0100898-3) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS AGRAVANTE : MTD COMÉRCIO LTDA ADVOGADOS : CHRISTIANO MARCELO BALDASONI CRISTIANO CEZAR SANFELICE

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Ementa e Acórdão Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 11 10/02/2015 PRIMEIRA TURMA AG.REG. NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 805.859 RIO DE JANEIRO RELATOR AGTE.(S) PROC.(A/S)(ES) AGDO.(A/S) ADV.(A/S)

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 908.752 - MG (2006/0268171-8) RELATOR : MINISTRO RAUL ARAÚJO RECORRENTE : LOURIVAL REZENDE ALVES ADVOGADOS : RICARDO CONHA E SILVA E OUTRO(S) THAÍS SOARES ALVES E OUTRO(S) LUCIANA SALOMÃO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 858.031 - MG (2006/0120381-6) RELATOR : MINISTRO LUIZ FUX RECORRENTE : ESTADO DE MINAS GERAIS PROCURADOR : AMÉLIA JOSEFINA ALVES NOGUEIRA DA FONSECA E OUTRO(S) RECORRIDO : JACY CLÁUDIO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 22.371 - DF (2006/0160035-0) RELATOR : MINISTRO FRANCISCO FALCÃO RECORRENTE : CENTRO DE GESTÃO E ESTUDOS ESTRATÉGICOS CGEE ADVOGADO : LUIZ ANTONIO MUNIZ MACHADO E OUTROS

Leia mais

Dados Básicos. Ementa. Íntegra

Dados Básicos. Ementa. Íntegra Dados Básicos Fonte: 1.196.992 Tipo: Acórdão STJ Data de Julgamento: 06/08/2013 Data de Aprovação Data não disponível Data de Publicação:22/08/2013 Estado: Mato Grosso do Sul Cidade: Relator: Nancy Andrighi

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 897.536 - MG (2006/0167711-9) RELATOR : MINISTRO TEORI ALBINO ZAVASCKI EMENTA TRIBUTÁRIO. IRPJ. ARRENDAMENTO MERCANTIL (LEASING ). VALOR RESIDUAL IRRISÓRIO. DESCARACTERIZAÇÃO DO CONTRATO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 719.474 - SP (2015/0125771-3) RELATOR AGRAVANTE PROCURADOR AGRAVADO : MINISTRO BENEDITO GONÇALVES : MUNICIPIO DE GUARULHOS : ANA PAULA HYROMI YOSHITOMI : CECÍLIA CRISTINA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 694.562 - RJ (2004/0144304-9) RELATOR RECORRENTE PROCURADOR RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO JOSÉ DELGADO : FAZENDA NACIONAL : CESAR MACIEL RODRIGUES E OUTROS : HERMES E COSTA ADMINSTRADORA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR : MINISTRO JORGE SCARTEZZINI EMENTA PROCESSO CIVIL - AGRAVO DE INSTRUMENTO - NEGATIVA DE PROVIMENTO - AGRAVO REGIMENTAL - SEGURO - ALEGAÇÃO DE DOENÇA PRÉ-EXISTENTE - MÁ-FÉ - REEXAME DE PROVA SÚMULA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 966.736 - RS (2007/0152846-0) RELATOR : MINISTRO NAPOLEÃO NUNES MAIA FILHO RECORRENTE : PAULO GILBERTO ALTMANN ADVOGADO : ANDRE ROBERTO MALLMANN RECORRIDO : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 660.284 - SP (2004/0071142-4) RELATORA RECORRENTE RECORRIDO : MINISTRA NANCY ANDRIGHI : PANAMERICANO ARRENDAMENTO MERCANTIL S/A : MANUEL MAGNO ALVES E OUTROS : ALEXANDRE ALMADA DANTAS

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 19.257 - DF (2004/0169336-4) RELATOR : MINISTRO ARNALDO ESTEVES LIMA RECORRENTE : JOSÉ FRANCISCO DE ARAÚJO ADVOGADO : ANTÔNIO VALE LEITE E OUTRO T. ORIGEM : TRIBUNAL

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.195.976 - RN (2010/0096018-1) RELATOR : MINISTRO JOÃO OTÁVIO DE NORONHA RECORRENTE : TELEMAR NORTE LESTE S/A ADVOGADO : IGOR XAVIER SILVEIRA E OUTRO(S) RECORRIDO : RABELLO E BARRETO

Leia mais

TERCEIRA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO Nº 10985/2009 - CLASSE CNJ - 198 - COMARCA DE POXORÉO

TERCEIRA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO Nº 10985/2009 - CLASSE CNJ - 198 - COMARCA DE POXORÉO APELANTE: APELADO: FERTIPAR BANDEIRANTES LTDA. OFICIAL DO SERVIÇO DE REGISTRO DE IMÓVEIS, TÍTULOS E DOCUMENTOS DA COMARCA DE POXORÉO Número do Protocolo: 10985/2009 Data de Julgamento: 29-6-2009 EMENTA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 713.012 - DF (2004/0181026-3) RELATORA : MINISTRA ELIANA CALMON RECORRENTE : SILVESTRE JOSÉ DA ROCHA E OUTROS ADVOGADO : ANTÔNIO DE SOUSA SANTOS E OUTRO RECORRIDO : DISTRITO FEDERAL

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça EDcl no AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.157.106 - MT (2009/0162827-3) RELATOR EMBARGANTE EMBARGADO : MINISTRO BENEDITO GONÇALVES : ROGÉRIO LUIZ GALLO E OUTRO(S) : DANIELA ALLAM GIACOMET GUSTAVO DO AMARAL

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.293.147 - GO (2011/0163068-4) RELATOR : MINISTRO JOÃO OTÁVIO DE NORONHA RECORRENTE : BANCO DO BRASIL S/A ADVOGADO : CRISTIANO KINCHESCKI E OUTRO(S) RECORRIDO : WHEELLER SILVA DE MOURA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 864.760 - GO (2006/0145586-0) RELATORA : MINISTRA JANE SILVA (DESEMBARGADORA CONVOCADA DO TJ/MG) RECORRENTE : UNIÃO RECORRIDO : SALVADOR LAUREANO DE ASSUNÇÃO ADVOGADO : LÁZARO SOBRINHO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 89.695 - RS (2011/0212549-1) RELATOR : MINISTRO MAURO CAMPBELL MARQUES EMENTA PROCESSUAL CIVIL. TRIBUTÁRIO. ISS. BASE DE CÁLCULO. SERVIÇO DE TRANSPORTE COLETIVO MUNICIPAL.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATORA : MINISTRA ELIANA CALMON EMENTA TRIBUTÁRIO IMPOSTO DE RENDA SOBRE VERBAS INDENIZATÓRIAS TRÂNSITO EM JULGADO FAVORÁVEL AO CONTRIBUINTE LEVANTAMENTO DE DEPÓSITO POSSIBILIDADE. 1. Reconhecida, por

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 494.366 - PE (2002/0172296-0) RELATOR : MINISTRO JOÃO OTÁVIO DE NORONHA RECORRENTE : COOPERATIVA DE SERVIÇOS MÉDICOS GRUPO MATERNO INFANTIL DE PERNAMBUCO ADVOGADO : CARLOS ALBERTO AQUINO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 1.249.348 - SP (2009/0224656-2) RELATOR : MINISTRO BENEDITO GONÇALVES AGRAVANTE : FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE S : RITA DE CÁSSIA ALVES COCCO SANDRA

Leia mais

CONTINUIDADE. SEPARAÇÃO JUDICIAL. CESSÃO DE DIREITOS. ALIENAÇÃO JUDICIAL DE BEM. CONDOMÍNIO. PARTILHA. CESSÃO DE DIREITOS.

CONTINUIDADE. SEPARAÇÃO JUDICIAL. CESSÃO DE DIREITOS. ALIENAÇÃO JUDICIAL DE BEM. CONDOMÍNIO. PARTILHA. CESSÃO DE DIREITOS. ACÓRDÃO STJ DATA: 30/8/2004 FONTE: 254.875 LOCALIDADE: SÃO PAULO Relator: Ministro Jorge Scartezzini Legislação: CONTINUIDADE. SEPARAÇÃO JUDICIAL. CESSÃO DE DIREITOS. ALIENAÇÃO JUDICIAL DE BEM. CONDOMÍNIO.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR : MINISTRO CASTRO MEIRA AGRAVANTE : INSTITUTO NACIONAL DE COLONIZAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA - INCRA INTERES. : MARIA DE HOLANDA E SILVA E OUTROS EMENTA ADMINISTRATIVO. AGRAVO REGIMENTAL. DESAPROPRIAÇÃO.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg nos EDcl no AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 694.688 - SP (2005/0121691-5) RELATOR : MINISTRO FELIX FISCHER AGRAVANTE : ANELINO ANTONIO RODRIGUES ADVOGADO : HERTZ JACINTO COSTA AGRAVADO : INSTITUTO NACIONAL

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 568.807 - RJ (2003/0136697-1) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO : MINISTRO CASTRO MEIRA : RÁPIDO MACAENSE LTDA : JOSÉ CALIXTO UCHÔA RIBEIRO E OUTROS : MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça EDcl no RECURSO ESPECIAL Nº 234.219 - SP (1999/0092625-0) RELATOR : MINISTRO RUY ROSADO DE AGUIAR EMENTA EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. Inexistência de seus pressupostos. Embargos rejeitados. ACÓRDÃO Vistos,

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 1.218.980 - RS (2009/0152036-0) RELATOR : MINISTRO CASTRO MEIRA EMENTA PROCESSUAL CIVIL E ADMINISTRATIVO. AÇÃO CIVIL PÚBLICA. AGRAVO REGIMENTAL. VIOLAÇÃO DO ART. 535, INCISO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 612.490 - MA (2003/0210159-0) RELATOR : MINISTRO CASTRO MEIRA RECORRENTE : NACIONAL GÁS BUTANO DISTRIBUIDORA LTDA ADVOGADO : OSÉAS DE SOUZA MARTINS FILHO E OUTRO(S) RECORRIDO : FAZENDA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 777.566 - RS (2005/0143321-1) RELATOR : MINISTRO VASCO DELLA GIUSTINA (DESEMBARGADOR CONVOCADO DO TJ/RS) RECORRENTE : BUNGE FERTILIZANTES S/A ADVOGADO : JORGE LUIZ ZANON RECORRIDO :

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.003.052 - RS (2007/0259954-1) RELATOR : MINISTRO CASTRO MEIRA RECORRENTE : FAZENDA NACIONAL PROCURADOR : RODRIGO PEREIRA DA SILVA FRANK E OUTRO(S) RECORRIDO : ELEVADORES OTIS LTDA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.094.735 - PR (2008/0223408-4) RELATOR : MINISTRO FRANCISCO FALCÃO RECORRENTE : FAZENDA NACIONAL PROCURADOR : PROCURADORIA-GERAL DA FAZENDA NACIONAL RECORRIDO : ADELSON BARBOSA DOS

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.347.693 - RS (2012/0182674-6) RELATOR RECORRENTE PROCURADOR RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO BENEDITO GONÇALVES : MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE : ANDRÉ GEORGE FREIRE DA SILVA E OUTRO(S)

Leia mais

41,14'1 ti. tha. ojlnt. Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça ACÓRDÃO

41,14'1 ti. tha. ojlnt. Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça ACÓRDÃO . - - 41,14'1 ti tha ojlnt Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N 200.2007.792.417-9/001 João Pessoa RELATOR: Miguel de Britto Lyra Filho, Juiz de Direito Convocado

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 447.888 - RO (2002/0084713-3) RELATORA : MINISTRA NANCY ANDRIGHI RECORRENTE : ADMINISTRADORA E CORRETORA DE SEGUROS - RONSEG ADVOGADO : ODAILTON KNORST RIBEIRO RECORRENTE : SUL AMÉRICA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.371.922 - SP (2013/0060257-8) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS AGRAVANTE : FAZENDA DO ESTADO DE SÃO PAULO PROCURADOR : DENISE FERREIRA DE OLIVEIRA CHEID E OUTRO(S) AGRAVADO

Leia mais