DOMÍNIOS CIENTÍFICOS NA UFRJ: ANÁLISE E VISUALIZAÇÃO DAS INTERAÇÕES E COMPETENCIAS ( )

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DOMÍNIOS CIENTÍFICOS NA UFRJ: ANÁLISE E VISUALIZAÇÃO DAS INTERAÇÕES E COMPETENCIAS (2000-2008)"

Transcrição

1 PÔSTER DOMÍNIOS CIENTÍFICOS NA UFRJ: ANÁLISE E VISUALIZAÇÃO DAS INTERAÇÕES E COMPETENCIAS ( ) Roberto Mario Lovón Canchumani, Jacqueline Leta, Antonio MacDowell de Figueiredo Resumo: O presente estudo tem como objetivo investigar os domínios institucionais da UFRJ, a fim de identificar as redes de competência cientifica da instituição e a trajetória da sua comunidade cientifica. Para tanto, o domínio institucional da UFRJ é analisado sob duas dimensões: (1) a dimensão quantitativa e qualitativa da produção intelectual e (2) a dimensão estrutural e de redes. Para a primeira dimensão são utilizadas algumas técnicas quantitativas, como análises bibliométricas, e técnicas qualitativas como análise documental e entrevista. Já para a segunda dimensão, se faz uso de análises de redes a partir de programas estatísticos, focalizando os dados de co-autoria. Resultados preliminares mostram que é possível agrupar determinados domínios, inicialmente a produção intelectual da UFRJ classificada em 5 grandes áreas do conhecimento e a interação entre 2 dessas grandes áreas. Acredita-se que estudos deste tipo podem contribuir para a identificação do perfil cientifico da instituição. Palavras-chave: Domínio Científico. Bibliometria. Redes. UFRJ. 1. INTRODUÇÃO No Brasil, a maior parte da produção cientifica é desenvolvida no âmbito das universidades, sobretudo nos seus programas de pós-graduação (LETA et al. 2006). Estas instituições caracterizamse por apresentar um perfil temático multidisciplinar e por serem administrativa e funcionalmente fragmentadas. Em cada faculdade, departamento, instituto e laboratório são realizadas atividades acadêmicas e de pesquisa em mais de uma área, disciplina ou especialidade temática. Partindo-se do pressuposto de que a produção cientifica de uma universidade estaria representada pelo conjunto das produções científicas geradas em seu âmbito (BRAUN, 1999), o perfil e os padrões científicos da mesma estariam determinados pelo perfil e os padrões científicos de cada um desses domínios institucionais específicos, dentro dos quais se desenvolvem as atividades de pesquisa. É neste contexto que GT7 2404

2 o estudo da produção científica torna-se relevante, já que ele pode permitir a cada universidade conhecer as potencialidades científicas de suas unidades constituintes e contar com informação objetiva e confiável de apoio à tomada de decisão, planejamento e avaliação de suas atividades. Estudos desta natureza demandam uma base de informações abrangente e sempre atualizada, preferencialmente de acesso público, que seja capaz de identificar, ao longo do tempo, a configuração e as disponibilidades de conhecimentos e competências que a instituição possui. Uma ferramenta como esta é disponibilizada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) desde Denominada EspaçoSIGMA.UFRJ 3, a base informacional da UFRJ representa toda a sua estrutura organizacional e registra a forma de organização das atividades de ensino e pesquisa assim como os resultados por estas alcançados (FIGUEIREDO, 2006). 2. OBJETIVOS A partir de técnicas bibliométricas e/ou cientométricas, este estudo pretende investigar os domínios 4 institucionais na UFRJ, buscando identificar: (1) as redes de competências científicas da instituição como reflexo das interações entre atores de seu corpo social e (2) as trajetórias da comunidade científica, sendo útil para representar a evolução e projeção de domínios do conhecimento da instituição. 3. ASPECTOS TEÓRICOS Possibilitar a visualização de um grande domínio científico tem sido objetivo perseguido durante muito tempo por diversos pesquisadores, destaque para dois estudos pioneiros: Price (1965) e Small (1973). Este último deu significativo avanço à construção de mapas, ou gráficos de domínios, ao propor de forma independente a co-citação de documentos como variável de estudo na análise de citações da produção científica. Small e Griffith (1974) elaboraram mapas da ciência para as ciências naturais, usando como fonte de informação o Science Citation Index (SCI) e a co-citação, como variável de relação ou vinculo. Os mapas se tornaram fundamentais no desenvolvimento da representação de domínios científicos além de possibilitar a identificação de grupos de documentos que tinham interesses intelectuais comuns, comprovando assim que a ciência é uma rede de especialidades interconectadas. Na década de 1990, as tecnologias da informação e comunicação facilitaram o acesso às bases de dados, tornando possível a descarga, o tratamento e o processamento de dados, 3 A página inicial pode ser acessada através do link: 4 Em termos gerais, domínio é a designação dada a uma comunidade de discurso vinculada a um âmbito qualquer em que se desenvolve uma atividade. Um domínio pode compreender um conjunto de atores que compartilham algo em comum assim como o emaranhado de relações que entre estes se estabelece. No âmbito da atividade científica, uma disciplina ou uma especialidade científica corresponde a um domínio temático. GT7 2405

3 permitindo, assim, a geração de novos, mais complexos e potentes indicadores bibliométricos. Moed et al (1995), revisando os métodos de avaliação da atividade científica, constatam que no início da década de 1990 vinham-se desenvolvendo e utilizando separadamente os procedimentos de avaliação bibliométrica, qual seja, a análise bibliométrica da produção científica e os mapas da ciência. O desenvolvimento de metodologias para a comparação da produção cientifica no sistema global da ciência, tanto a nível nacional como internacional, tem sido objeto de numerosos estudos (VAN RAAN, 2004; VAN LEEUWEN, 2004; GLANZEL e SCHUBERT, 2004; dentre outros). Paralelamente, os estudos de análise de domínio vêm se consolidando. Eles incluem desde análises com enfoque holístico da atividade científica até os estudos de redes sociais, que se debruçam sobre a estrutura de relações que compõem o fluxo de comunicação entre os diferentes agentes envolvidos. 4. METODOLOGIA Informações institucionais extraídas do EspaçoSIGMA.UFRJ, no período de , são a base deste estudo. O domínio institucional da UFRJ está sendo analisado sob duas dimensões: (1) a dimensão quantitativa e qualitativa da produção intelectual e (2) a dimensão estrutural e de redes. Para a primeira dimensão são utilizadas algumas técnicas quantitativas, como análises bibliométricas, e técnicas qualitativas como análise documental e entrevista. Já a segunda dimensão faz uso de análises de redes a partir de programas estatísticos, que se debruçam sobre os dados de co-autoria, que, uma vez coletados, fornecem uma matriz de co-ocorrência, permitindo a obtenção de informações sobre o grau de proximidade entre os nós indivíduos dos domínios estudados. No esquema 1 estão as principais etapas metodológicas. EXTRAÇÃO DE DADOS DEFINIÇÃO DA UNIDADE DE ANÁLISE SELEÇÃO DE MEDIDAS REDUÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DA INFORMAÇÃO REPRESENTAÇÃO GRÁFICA BUSCAS SIGMA.UFRJ SIGMA.UFRJ. Foco INSTÂNCIAS Centros CCS CT Programas de Pós-Graduação VALORES/ FREQÜÊNCIAS Atributos (Conhecimentos e competências) Citação Co-citação Co-autoria Agrupamentos GT REDUÇÃO DO ES- PAÇO Análise de Cluster Análise Fatorial Multi-Dimensional Scaling (MDS) Pthafinder Networks (PFNETS) Redes Sociais INTERAÇÃO Visualização de domínios Software Pajek Esquema 1: Etapas para a análise e produção de mapas de domínio institucional (Adaptado de Borner et al. 2003)

4 Etapa 1 - Extração de dados: A partir do Espaço.SIGMA.UFRJ. A escolha desta base deve-se ao amplo modelo de representação da organização e das atividades institucionais da UFRJ, configurado da seguinte forma: pessoas (o Corpo Social) organizam-se para realizar funções finalísticas (Projetos e Cursos), dos quais decorrem resultados (Concluintes, Trabalhos de Conclusão e Produção Intelectual) vinculados ou não a instâncias institucionais (Departamentos, Cursos, Programas e Unidades Acadêmicas). O SIGMA.UFRJ.Foco oferece diversas possibilidades de consulta a essa base (FIGUEIREDO, 2006). Etapa 2 - Definição da unidade de análise: Foram definidos os programas de pós-graduação das instâncias que registram maior quantidade de produção cientifica na UFRJ: o Centro de Ciências da Saúde (CCS) e o Centro de Tecnologia (CT). Etapa 3 - Seleção das medidas: Quantificar a relação entre cada um dos membros da unidade de análise selecionada com o restante dos componentes. Os resultados são matrizes de dados multidimensionais que mostram a existência de tais relações e seus respectivos graus. Dentre as unidades de medida utilizadas para evidenciar as relações existentes, destacam-se: citação, co-citação e co- -autoria. Inicialmente, o estudo focaliza estas últimas. Etapa 4 - Redução e distribuição da informação: As técnicas utilizadas classificam-se em três grandes grupos: os de natureza estatística multivariável, os de origem conexionista, e os baseados em análises de redes sociais. Nossa pesquisa concentra-se nestas últimas. Etapa 5 - Representação gráfica: A geração dos mapas para visualização dos domínios estudados é feita mediante o uso de redes sociais, utilizando-se o software Pajek. Assim, com base nestas etapas, foi realizado um ensaio a fim de verificar a viabilidade das informações coletadas na base SIGMA.UFRJ, além de estabelecer um protocolo para o processamento e análise dos dados. Para o presente estudo, são mostradas duas redes que se formaram a partir das co-autorias, em publicações de 2007, estabelecidas entre os docentes da UFRJ. 5. RESULTADOS Os resultados deste ensaio mostram que é possível agrupar e visualizar determinados domínios a partir de medidas de co-autoria, expressa na produção intelectual dos docentes da UFRJ, registrada na base e publicada em Na figura 1, nota-se a existência de 5 redes que correspondem às cinco grandes áreas do conhecimento (conforme a classificação de áreas do conhecimento do CNPq), que apresentaram maior numero de publicações em periódicos da UFRJ em 2007: Ciências Exatas e da Terra (azul-marinho, 292 artigos), Ciências Biológicas (azul-celeste, 489 artigos), Engenharias (verde, 365 artigos), Ciências da Saúde (vermelho, 560 artigos), Ciências Humanas (amarelo, 314 artigos). GT7 2407

5 Figura 1: Rede de co-autoria da produção intelectual de cada uma das 5 grandes áreas do conhecimento da UFRJ. Cada cor refere-se às grandes áreas do conhecimento. (2007). Figura 2: Rede de co-autoria da produção intelectual compartilhada entre duas grandes áreas do conhecimento da UFRJ. Cada cor refere-se às grandes áreas do conhecimento. (2007). A determinação da grande área tomou como base a área, sub-área ou especialização à qual pertence a publicação, tal como declarada por seus autores, no momento de inclusão na base. Portanto, nesta primeira observação, nota-se que, dentro de cada grande área, ou seja, dentro de um conjunto de unidades (ou docentes) que guardam semelhança em seus temas de interesses em pesquisa é possível observar que há formação de domínios com diferentes níveis de interação e complexidade. Será, então, que é possível, a partir da produção intelectual, identificar redes entre diferentes áreas? Para responder esta pergunta, um segundo ensaio foi conduzido, desta vez para verificar se ocorre e qual a extensão das redes de co-autoria entre Ciências da Saúde e Ciências Biológicas (Figura 2), as áreas que apresentaram o maior número de publicação em periódicos no ano de A análise da interação entre duas dessas grandes áreas do conhecimento foi conduzida a partir das declarações dos autores que podem indicar, para cada nova produção incluída na base, mais de uma área, sub-área e especialização pertencentes a distintas grandes áreas. Cada ponto desta rede, ou nó, representa um qualquer destes níveis. Portanto, é possível visualizar neste ensaio que são pontuais os casos de interação entre autores que atuam em diferentes áreas, mesmo sendo estas de grande proximidade. 6. DISCUSSÃO Estudos sobre domínios institucionais podem fornecer insumos para melhorar a qualidade da gestão, acompanhamento e avaliação das atividades realizadas por qualquer instituição. Neste caso, estamos investigando os domínios de uma das maiores e mais prestigiadas universidades do Brasil. Os resultados destes primeiros ensaios mostram que é possível investigar formações de domínios na UFRJ a partir de sua base informacional, o SIGMA.UFRJ. Os resultados também apontam para uma baixa interação entre os docentes da UFRJ, o que é, sem duvida, preocupante, pois aponta para GT7 2408

6 possíveis descompassos nas competências científicas da UFRJ. Mas uma visualização mais ampla e detalhada deste aspecto e de outros não apresentados neste trabalho, no entanto, só será possível com uma análise temporal mais extensa e uma análise detalhada das redes de co-autoria a partir de outros resultados acadêmicos, tais como teses ou participação em bancas. O conjunto de informações geradas por este tipo de estudo permitirá a visualização de possíveis mudanças na constituição e na relação de (e entre os) domínios da UFRJ. Desta forma, poderá contribuir para a identificação do perfil cientifico da universidade, apontando as suas capacidades, os seus campos de excelência e linhas de pesquisa, tornando possível verificar o nível alcançado por estas e direcionar políticas institucionais. Abstract: This paper aims to investigate the institutional domains of UFRJ, in order to identify the networks of the scientific competence of the institution and the trajectory of its scientific community. Thus, the institutional domain of UFRJ is analyzed in two dimensions: (1) the quantitative and qualitative dimension of intellectual production and (2) the size and structural networks. Preliminary results show that it is possible to group certain areas, initially the production of intellectual UFRJ classified into five major areas of knowledge and interaction between these two large areas. It is believed that such studies may help to identify the scientific profile of the institution. Keywords: Scientific Domain. Bibliometrics. Networks. UFRJ. REFERÊNCIAS BORNER, K.; CHEN, C.; BOYACK, K. Visualizing Knowledge Domains. Annual Review of Information Science and Technology (ARIST), v.37, p , BRAUN,T. Bibliometric indicators for the evaluation of universities - intelligence from the quantitation of the scientific literature. Scientometrics, vol. 45, No. 3, , CHEN, C.; PAUL, R.; O KEEFE, B. Fitting the Jigsaw of Citation: information visualization in domain analysis. Journal of the American Society for Information Science and Technology (JASIST), 53(4): , FIGUEIREDO, A.M.D et. al. Espaço SIGMA. Uma Visão Integrada da Atividade Acadêmica: Descrição Geral. Rio de Janeiro: Scire-COPPE/UFRJ, 35p, GARFIEL, E. Citation Indexing: Its Theory and Application in Science, Technology and Humanities. New York: Wiley, GLANZEL, W; SCHMOCH, U. Handbooks of quantitative science and technology research. The use of publication and patent statistics in studies of S&T systems. Dordrecht: Kluwer Academics Publishers; pp , GT7 2409

7 HJORLAND, B.; ALBRECHTSEN, H. Toward a new horizon in information science: domain analysis. Journal of the American Society for Information Science, 46(6), , LETA, J. et al. Science in Brazil. Part 2. Scientometrics, Vol. 67, No , MCCAIN, K. W.; VERNER, J. M.; HISLOP, G. W.; EVANCO, W.; COLE, V. Combining bibliometric and knowledge elicitation techniques to map a knowledge domain MOED, H.F.; De BRUIN, R.; Van LEEUWEN, T. New Bibliometrics Tools for the assessment of national research performance: database description, overview of indicators and first applications. Scientometrics, 33, pp , MOYA-ANEGÓN F et. al. Visualizacion y analisis de la estrucutura cientifica española: ISI Web of Science El Profesional de la Información. v.15, n.4, PRICE, D. S. Networks of Scientific Papers. Science, 149, pp , SMALL, H. Co-citation in the scientific literature: a new measure of the relationship between two documents. Journal of the American Society for Information Science (JASIS). 24, pp , SMALL, H; GRIFFITH, B. The structure of scientific literature, I: identifying and graphing specialties. Science Studies, 4, pp , SPINAK, E. Indicadores Cienciometricos. Acimed 9(Suppl.): 42-9, VAN LEEUWEN, T.N. Descriptive versus evaluative bibliometrics. In: MOED, H.F; GLANZEL, W; SCHMOCH, U. (Eds.). Handbooks of quantitative science and technology research. The use of publication and patent statistics in studies of S&T systems. Dordrecht: Kluwer Academics Publishers; pp , VAN RAAN, A.F. Measuring Science. In: MOED, H; GLANZEL, W; SCHMOCH, U. (eds). Handbook of quantitative science and technology research. The use of publication and patent statistics in studies of S&T systems. Dordrecht (the Netherlands): Kluwer Academic Publishers, 19-50, VESSURI, H. El proceso de institucionalización. J. Salomón, & C. Sachs (Comp.). Una búsqueda incierta. Ciencia, tecnología y desarrollo (pp ). México: Fondo de Cultura Económica/ UNU, WHITE, H.; McCAIN, K. Visualization of Literatures. Annual Review of Information Systems and Technology (ARIST) 32, , GT7 2410

COLABORAÇÃO E PRODUTIVIDADE CIENTÍFICA NA UFRJ: identificação de autores por tipo de vínculo (2010)

COLABORAÇÃO E PRODUTIVIDADE CIENTÍFICA NA UFRJ: identificação de autores por tipo de vínculo (2010) COLABORAÇÃO E PRODUTIVIDADE CIENTÍFICA NA UFRJ: identificação de autores por tipo de vínculo (2010) 1 INTRODUÇÃO Roberto Mario Lovón Canchumani (IBCT) roblovonc@yahoo.com Jacqueline Leta (UFRJ) jleta@bioqmed.ufrj.br

Leia mais

PRODUÇÃO CIENTÍFICA DOS PROGRAMAS DE PÓS- GRADUAÇÃO DE EXCELÊNCIA NO BRASIL: colaboração internacional e impacto na área de Zootecnia

PRODUÇÃO CIENTÍFICA DOS PROGRAMAS DE PÓS- GRADUAÇÃO DE EXCELÊNCIA NO BRASIL: colaboração internacional e impacto na área de Zootecnia PRODUÇÃO CIENTÍFICA DOS PROGRAMAS DE PÓS- GRADUAÇÃO DE EXCELÊNCIA NO BRASIL: colaboração internacional e impacto na área de Zootecnia Fabio Sampaio Rosas (UNESP) fabiosrosas@hotmail.com Maria Cláudia Cabrini

Leia mais

MAPEANDO AS CORRELAÇÕES ENTRE PRODUTIVIDADE E INVESTIMENTOS DE BOLSAS EM PROGRAMAS DE PÓSGRADUAÇÃO: o caso da Universidade Federal de Goiás

MAPEANDO AS CORRELAÇÕES ENTRE PRODUTIVIDADE E INVESTIMENTOS DE BOLSAS EM PROGRAMAS DE PÓSGRADUAÇÃO: o caso da Universidade Federal de Goiás MAPEANDO AS CORRELAÇÕES ENTRE PRODUTIVIDADE E INVESTIMENTOS DE BOLSAS EM PROGRAMAS DE PÓSGRADUAÇÃO: o caso da Universidade Federal de Goiás Dalton Lopes Martins (UFG) dmartins@gmail.com Arlon Silva (UFG)

Leia mais

REDE COLABORATIVA DOS PESQUISADORES DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA NO BRASIL

REDE COLABORATIVA DOS PESQUISADORES DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA NO BRASIL PÔSTER REDE COLABORATIVA DOS PESQUISADORES DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA NO BRASIL Jane Coelho Danuello, Jesús Pascual Mena-Chalco, Ely Francina Tannuri Oliveira Resumo: Esta pesquisa

Leia mais

Análise da Colaboração Científica sobre Empresas de Base Tecnológica. Analysis of Scientific Collaboration on Technology-Based Firms

Análise da Colaboração Científica sobre Empresas de Base Tecnológica. Analysis of Scientific Collaboration on Technology-Based Firms Análise da Colaboração Científica sobre Empresas de Base Tecnológica Analysis of Scientific Collaboration on Technology-Based Firms Meire Ramalho de Oliveira, mestranda, UFSCar, mro_ufscar@yahoo.com.br

Leia mais

Análise de cocitação de autores: um estudo teórico-metodológico dos indicadores de proximidade, aplicados ao GT7 da ANCIB

Análise de cocitação de autores: um estudo teórico-metodológico dos indicadores de proximidade, aplicados ao GT7 da ANCIB Análise de cocitação de autores: um estudo teórico-metodológico dos indicadores de proximidade, aplicados ao GT7 da ANCIB Maria Cláudia Cabrini Grácio * Ely Francina Tannuri de Oliveira ** Resumo Este

Leia mais

Eloisa Viggiani Elsevier América Latina e.viggiani@elsevier.com AVALIAÇÃO DA PESQUISA INTERDISCIPLINAR

Eloisa Viggiani Elsevier América Latina e.viggiani@elsevier.com AVALIAÇÃO DA PESQUISA INTERDISCIPLINAR Eloisa Viggiani Elsevier América Latina e.viggiani@elsevier.com AVALIAÇÃO DA PESQUISA INTERDISCIPLINAR A PARTIR DA ANÁLISE DE REFERÊNCIAS A PESQUISA CONTEMPORÂNEA ATRAVESSA OS TRADICIONAIS LIMITES... Grupos

Leia mais

REDES DE COLABORAÇÃO NA PRODUÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA EM BIOLOGIA EVOLUTIVA: 2000-2012

REDES DE COLABORAÇÃO NA PRODUÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA EM BIOLOGIA EVOLUTIVA: 2000-2012 REDES DE COLABORAÇÃO NA PRODUÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA EM BIOLOGIA EVOLUTIVA: 2000-2012 Dirce Maria Santin (UFRGS) dirsantin@yahoo.com.br Samile Andrea de Souza Vanz (UFRGS) samilevanz@terra.com.br Ida

Leia mais

Acesso a Bases de Dados (Web of Science)

Acesso a Bases de Dados (Web of Science) Acesso a Bases de Dados (Web of Science) Helder Rodrigues da Silva Biólogo Mestre em Bioenergia-UEL Doutorando em Agronomia-UEL ISI Web of Knowledge Histórico Histórico 1958- fundação do Institute for

Leia mais

ANÁLISE DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DE DEZ ANOS DOS CADERNOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DISTÚRBIOS DO DESENVOLVIMENTO.

ANÁLISE DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DE DEZ ANOS DOS CADERNOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DISTÚRBIOS DO DESENVOLVIMENTO. ANÁLISE DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DE DEZ ANOS DOS CADERNOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DISTÚRBIOS DO DESENVOLVIMENTO. ANALYSES OF TEN YEARS OF SCIENTIFIC PRODUCTION OF THE JOURNAL CADERNOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DISTÚRBIOS

Leia mais

VISIBILIDADE DOS PESQUISADORES NO GT7 DA ANCIB: UM ESTUDO DE COCITAÇÕES RESEARCHERS VISIBILITY IN THE GT7 FROM ANCIB: A CO- CITATION STUDY

VISIBILIDADE DOS PESQUISADORES NO GT7 DA ANCIB: UM ESTUDO DE COCITAÇÕES RESEARCHERS VISIBILITY IN THE GT7 FROM ANCIB: A CO- CITATION STUDY VISIBILIDADE DOS PESQUISADORES NO GT7 DA ANCIB: UM ESTUDO DE COCITAÇÕES RESEARCHERS VISIBILITY IN THE GT7 FROM ANCIB: A CO- CITATION STUDY Ely Francina Tannuri OLIVEIRA Universidade Estadual Paulista Júlio

Leia mais

A PESQUISA EM CÉLULAS-TRONCO NO BRASIL: análise da produção científica de 2005 a 2012 na Web of Science

A PESQUISA EM CÉLULAS-TRONCO NO BRASIL: análise da produção científica de 2005 a 2012 na Web of Science A PESQUISA EM CÉLULAS-TRONCO NO BRASIL: análise da produção científica de 2005 a 2012 na Web of Science Dirce Maria Santin (UFRGS) dirsantin@yahoo.com.br Zizil Arledi Glienke Nunez (UFRGS) zizil.arledi@gmail.com

Leia mais

O papel dos docentes em programas de pós graduação: uma abordagem baseada em redes.

O papel dos docentes em programas de pós graduação: uma abordagem baseada em redes. O papel dos docentes em programas de pós graduação: uma abordagem baseada em redes. Maria Teresinha Tamanini Andrade 1, Marcos Grilo Rosa 2,4, Inácio de Sousa Fadigas 2, Hernane Borges de Barros Pereira

Leia mais

CITAÇÕES E ÍNDICE H: teste comparativo em pequena escala entre ISI-WOS e SCOPUS

CITAÇÕES E ÍNDICE H: teste comparativo em pequena escala entre ISI-WOS e SCOPUS PÔSTER IMPACTO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NA GESTÃO DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA Uso estratégico das tecnologias em informação documentária CITAÇÕES E ÍNDICE H: teste comparativo em pequena escala entre

Leia mais

Palavras-chave: serviços qualificados, interação universidade-empresa, ecossistema inovação

Palavras-chave: serviços qualificados, interação universidade-empresa, ecossistema inovação Ampliação quantitativa e qualitativa da interação entre o ambiente da universidade e a população do Inovaparq a partir do compartilhamento de projetos e programas de extensão Vanessa de Oliveira Collere

Leia mais

Difusão da Produção Científica dos Cursos de Pós-Graduação em Saúde Coletiva

Difusão da Produção Científica dos Cursos de Pós-Graduação em Saúde Coletiva Difusão da Produção Científica dos Cursos de Pós-Graduação em Saúde Coletiva Francisco Viacava 1 Célia Leitão Ramos 2 Resumo: Este artigo apresenta uma discussão sobre a produção científica dos cursos

Leia mais

SISTEMAS DE APRENDIZADO PARA A IDENTIFICAÇÃO DO NÚMERO DE CAROÇOS DO FRUTO PEQUI LEARNING SYSTEMS FOR IDENTIFICATION OF PEQUI FRUIT SEEDS NUMBER

SISTEMAS DE APRENDIZADO PARA A IDENTIFICAÇÃO DO NÚMERO DE CAROÇOS DO FRUTO PEQUI LEARNING SYSTEMS FOR IDENTIFICATION OF PEQUI FRUIT SEEDS NUMBER SISTEMAS DE APRENDIZADO PARA A IDENTIFICAÇÃO DO NÚMERO DE CAROÇOS DO FRUTO PEQUI Fernando Luiz de Oliveira 1 Thereza Patrícia. P. Padilha 1 Conceição A. Previero 2 Leandro Maciel Almeida 1 RESUMO O processo

Leia mais

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS Estabelece a política de pesquisa, desenvolvimento, inovação e extensão da Universidade Positivo (UP). O CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR (CAS), órgão da administração superior

Leia mais

Tutorial da base Web of Science

Tutorial da base Web of Science Tutorial da base Web of Science BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS DA SAÚDE/SD Lilia Maria Bitar Neves (lilia@ufpr.br) Douglas Alex Jankoski (douglas.alex@ufpr.br) 1 WEB OF SCIENCE A Web of Science é a designação

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo II Ciclo de Vida e Organização do Projeto

Gerenciamento de Projetos Modulo II Ciclo de Vida e Organização do Projeto Gerenciamento de Projetos Modulo II Ciclo de Vida e Organização do Projeto Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com PMBoK Organização do Projeto Os projetos e o gerenciamento

Leia mais

MEMÓRIA URBANA DE PALMAS-TO: LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÕES E MATERIAL SOBRE O PLANO DE PALMAS E SEUS ANTECEDENTES

MEMÓRIA URBANA DE PALMAS-TO: LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÕES E MATERIAL SOBRE O PLANO DE PALMAS E SEUS ANTECEDENTES MEMÓRIA URBANA DE PALMAS-TO: LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÕES E MATERIAL SOBRE O PLANO DE PALMAS E SEUS ANTECEDENTES Nome dos autores: Gislaine Biddio Rangel¹; Ana Beatriz Araujo Velasques². 1 Aluna do Curso

Leia mais

Etapas para a elaboração de um Pré- Projeto de Pesquisa

Etapas para a elaboração de um Pré- Projeto de Pesquisa Etapas para a elaboração de um Pré- Projeto de Pesquisa Estrutura de um projeto de pesquisa: 1. TEMA E TÍTULO DO PROJETO 2. DELIMITAÇÃO DO PROBLEMA 3. INTRODUÇÃO 4. RELEVÂNCIA E JUSTIFICATIVA 5. OBJETIVOS

Leia mais

ROTEIRO PARA CLASSIFICAÇÃO DE LIVROS Avaliação dos Programas de Pós graduação

ROTEIRO PARA CLASSIFICAÇÃO DE LIVROS Avaliação dos Programas de Pós graduação ROTEIRO PARA CLASSIFICAÇÃO DE LIVROS Avaliação dos Programas de Pós graduação Aprovada na 111ª Reunião do CTC de 24 de agosto de 2009 Considerações preliminares O propósito deste roteiro é estabelecer

Leia mais

Base de Patentes: abrangente, valiosa e única

Base de Patentes: abrangente, valiosa e única Patentes... Define o contrato entre o governo e um inventor pelo qual o inventor recebe proteção legal para a sua invenção Requer descrição completa de todos os detalhes da invenção (descrição, desenhos,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO 2º.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO 2º. UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO 2º. SEMESTRE 2015 DISCIPLINA: Pesquisa Quantitativa com Análise de Dados PROFESSOR:

Leia mais

Como vai a Governança de TI no Brasil? Resultados de pesquisa com 652 profissionais

Como vai a Governança de TI no Brasil? Resultados de pesquisa com 652 profissionais Fórum de Governança Tecnologia e Inovação LabGTI/UFLA Como vai a Governança de TI no Brasil? Resultados de pesquisa com 652 profissionais Pamela A. Santos pam.santos91@gmail.com Paulo H. S. Bermejo bermejo@dcc.ufla.br

Leia mais

Atualização 2014. Universidade Federal do Paraná Sistema de Bibliotecas Biblioteca de Ciências da Saúde

Atualização 2014. Universidade Federal do Paraná Sistema de Bibliotecas Biblioteca de Ciências da Saúde MANUAL DO CURRÍCULO LATTES Atualização 2014 Universidade Federal do Paraná Sistema de Bibliotecas Biblioteca de Ciências da Saúde 1 Equipe: Este tutorial faz parte da programação de treinamentos da Biblioteca

Leia mais

Fatores de Impacto para alguns Periódicos Base JCR-2003 /ISI 1

Fatores de Impacto para alguns Periódicos Base JCR-2003 /ISI 1 Fatores de Impacto para alguns Periódicos Base JCR-2003 /ISI 1 O Journal Citation Reports (JCR) publica anualmente o índice conhecido por fator de impacto de um periódico para medir a freqüência com que

Leia mais

Aula 02: Conceitos Fundamentais

Aula 02: Conceitos Fundamentais Aula 02: Conceitos Fundamentais Profa. Ms. Rosângela da Silva Nunes 1 de 26 Roteiro 1. Por que mineração de dados 2. O que é Mineração de dados 3. Processo 4. Que tipo de dados podem ser minerados 5. Que

Leia mais

Um Modelo de Sistema de Gestão da Segurança da Informação Baseado nas Normas ABNT NBR ISO/IEC 27001:2006, 27002:2005 e 27005:2008

Um Modelo de Sistema de Gestão da Segurança da Informação Baseado nas Normas ABNT NBR ISO/IEC 27001:2006, 27002:2005 e 27005:2008 REVISTA TELECOMUNICAÇÕES, VOL. 15, Nº01, JUNHO DE 2013 1 Um Modelo de Sistema de Gestão da Segurança da Baseado nas Normas ABNT NBR ISO/IEC 27001:2006, 27002:2005 e 27005:2008 Valdeci Otacilio dos Santos

Leia mais

Perfil de Produção Bibliográfica dos Programas Brasileiros de Pós-Graduação em Ciência da Computação

Perfil de Produção Bibliográfica dos Programas Brasileiros de Pós-Graduação em Ciência da Computação Perfil de Produção Bibliográfica dos Programas Brasileiros de Pós-Graduação em Ciência da Computação Jesús P. Mena-Chalco 1, Luciano A. Digiampietri 2, Leonardo B. Oliveira 3 1 Centro de Matemática, Computação

Leia mais

Indicadores de qualidade

Indicadores de qualidade Indicadores de qualidade da atividade científica Indicadores bibliométricos vêm sendo progressivamente adotados para a avaliação da qualidade da produção científica e para o estabelecimento de políticas

Leia mais

STUDY ABOUT INFLUENCE ON ACADEMIC PERFORMANCE OF STUDENTS USERS OF SOCIAL NETWORKS

STUDY ABOUT INFLUENCE ON ACADEMIC PERFORMANCE OF STUDENTS USERS OF SOCIAL NETWORKS STUDY ABOUT INFLUENCE ON ACADEMIC PERFORMANCE OF STUDENTS USERS OF SOCIAL NETWORKS Elton Rabelo (Instituto de Ensino Superior e Pesquisa INESP, MG, Brasil) - eltonneolandia@yahoo.com.br Thiago Magela Rodrigues

Leia mais

Aplicação de um Metamodelo de Contexto a uma Tarefa de Investigação Policial

Aplicação de um Metamodelo de Contexto a uma Tarefa de Investigação Policial Aplicação de um Metamodelo de Contexto a uma Tarefa de Investigação Policial Lucas A. de Oliveira, Rui A. R. B. Figueira, Expedito C. Lopes Mestrado em Sistemas e Computação Universidade de Salvador (UNIFACS)

Leia mais

A Arquivologia como campo de pesquisa: desafios e perspectivas. José Maria Jardim Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO

A Arquivologia como campo de pesquisa: desafios e perspectivas. José Maria Jardim Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO A Arquivologia como campo de pesquisa: desafios e perspectivas José Maria Jardim Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO A indissociabilidade entre ensino/produção/difusão do conhecimento

Leia mais

Departamento de Engenharia Civil Caixa Postal 476 - CEP:88010/970 - Florianópolis, SC {lia, lapolli, franzoni}@ecv.ufsc.br

Departamento de Engenharia Civil Caixa Postal 476 - CEP:88010/970 - Florianópolis, SC {lia, lapolli, franzoni}@ecv.ufsc.br O Ensino de Sensoriamento Remoto, Sistema de Informações Geográficas e Fotogramentria nos Cursos de Graduação e Pós-Graduação em Engenharia Civil na UFSC LIA CAETANO BASTOS 1 ÉDIS MAFRA LAPOLLI 1 ANA MARIA

Leia mais

Estratégias de Pesquisa

Estratégias de Pesquisa Estratégias de Pesquisa Ricardo de Almeida Falbo Metodologia de Pesquisa Departamento de Informática Universidade Federal do Espírito Santo Agenda Survey Design e Criação Estudo de Caso Pesquisa Ação Experimento

Leia mais

Revista Brasileira de Farmacognosia Sociedade Brasileira de Farmacognosia www.sbfgnosia.org.br

Revista Brasileira de Farmacognosia Sociedade Brasileira de Farmacognosia www.sbfgnosia.org.br 1 Prezados Colegas, usuários da Revista Brasileira de Farmacognosia, Gostaria de tomar um minuto da atenção de vocês. Por favor leiam até o final do conteúdo desta mensagem de alta prioridade, trata-se

Leia mais

Instituto de Computação, Universidade Federal do Amazonas (UFAM) Manaus-AM, Brasil

Instituto de Computação, Universidade Federal do Amazonas (UFAM) Manaus-AM, Brasil Elicitação de Requisitos a partir de Modelos de Processos de Negócio e Modelos Organizacionais: Uma pesquisa para definição de técnicas baseadas em heurísticas Marcos A. B. de Oliveira 1, Sérgio R. C.

Leia mais

Desempenho no trabalho: Revisão da literatura [I] Job performance: An overview of literature

Desempenho no trabalho: Revisão da literatura [I] Job performance: An overview of literature PSICOLOGIA ARGUMENTO doi: 10.7213/psicol.argum.5895 ARTIGOS [T] Desempenho no trabalho: Revisão da literatura [I] Job performance: An overview of literature [R] [A] Pedro Fernando Bendassolli Resumo Received

Leia mais

ANÁLISE DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - CAMPUS DE RIBEIRÃO PRETO: 2002-2007

ANÁLISE DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - CAMPUS DE RIBEIRÃO PRETO: 2002-2007 TRABALHO ORAL A BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA E O CONTEXTO INSTITUCIONAL Acesso livre e repositórios institucionais: maior visibilidade da produção científica institucional ANÁLISE DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DA

Leia mais

GESTÃO DE OPERAÇÕES NO BRASIL: UMA ANÁLISE DA ÁREA ENTRE 1999 E 2009.

GESTÃO DE OPERAÇÕES NO BRASIL: UMA ANÁLISE DA ÁREA ENTRE 1999 E 2009. GESTÃO DE OPERAÇÕES NO BRASIL: UMA ANÁLISE DA ÁREA ENTRE 1999 E 2009. Elaine Madalena Cetnarski (PUCPR ) elainemadalena@hotmail.com Caroline Bauer Ohpis (PUCPR ) carol.ohpis@hotmail.com Juliana Araujo

Leia mais

PUBLICAÇÃO CIENTÍFICA RESULTANTE DAS DISSERTAÇÕES E TESES EM EDUCAÇÃO FÍSICA NO BRASIL

PUBLICAÇÃO CIENTÍFICA RESULTANTE DAS DISSERTAÇÕES E TESES EM EDUCAÇÃO FÍSICA NO BRASIL PUBLICAÇÃO CIENTÍFICA RESULTANTE DAS DISSERTAÇÕES E TESES EM EDUCAÇÃO FÍSICA NO BRASIL Alexandre Soares dos Santos 1. Jose Dorival Gleria 2. Michele Silva Sacardo 3. RESUMO Saber se as dissertações e teses,

Leia mais

O USO DA TECNOLOGIA DE SIMULAÇÃO NA PRÁTICA DOCENTE NA ÁREA DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

O USO DA TECNOLOGIA DE SIMULAÇÃO NA PRÁTICA DOCENTE NA ÁREA DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO 1 GT2 O USO DA TECNOLOGIA DE SIMULAÇÃO NA PRÁTICA DOCENTE NA ÁREA DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Renato Fares Khalil Marco Aurélio Bossetto José Fontebasso Neto.br Orientadora: Profa. Dra. Irene Jeanete Lemos

Leia mais

VIGILÂNCIA SOCIAL E A GESTÃO DA INFORMAÇÃO: A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO, MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO

VIGILÂNCIA SOCIAL E A GESTÃO DA INFORMAÇÃO: A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO, MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO VIGILÂNCIA SOCIAL E A GESTÃO DA INFORMAÇÃO: A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO, MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO CONCEITUANDO... Vigilância Social : Produção e sistematização de informações territorializadas sobre

Leia mais

A estruturação de Grupos de Pesquisa

A estruturação de Grupos de Pesquisa A estruturação de Grupos de Pesquisa Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós- Graduação O que é um Grupo de Pesquisa? Um conjunto de indivíduos organizados hierarquicamente em torno de uma ou, eventualmente, duas

Leia mais

LISTA DE AUTORIDADES DE INSTITUIÇÕES BRASILEIRAS DE ENSINO E PESQUISA PARA APOIO À ELABORAÇÃO DE INDICADORES DE COLABORAÇÃO CIENTÍFICA

LISTA DE AUTORIDADES DE INSTITUIÇÕES BRASILEIRAS DE ENSINO E PESQUISA PARA APOIO À ELABORAÇÃO DE INDICADORES DE COLABORAÇÃO CIENTÍFICA XIV Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação - Região Sul - Florianópolis - 28 de abril a 01 de maio de 2012 LISTA DE AUTORIDADES

Leia mais

ACESSO AO PORTAL DE PERIÓDICOS DA CAPES APRESENTAÇÃO

ACESSO AO PORTAL DE PERIÓDICOS DA CAPES APRESENTAÇÃO Tutorial de Pesquisa do Portal de Periódicos da CAPES Manaus 2014 ACESSO AO PORTAL DE PERIÓDICOS DA CAPES APRESENTAÇÃO A Biblioteca Aderson Dutra da Universidade Nilton Lins disponibiliza um moderno conjunto

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES QUALIS

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES QUALIS PERGUNTAS MAIS FREQUENTES QUALIS Questão: Há diferença nos conceitos de Qualis das Áreas e Qualis Resposta: Apesar de senso comum considerar esses dois termos como sinônimos, tecnicamente eles remetem

Leia mais

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Edson Crisostomo dos Santos Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES edsoncrisostomo@yahoo.es

Leia mais

PERFIL DOS DOCENTES DE PÓS-GRADUAÇÕES COM ENFOQUES EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA

PERFIL DOS DOCENTES DE PÓS-GRADUAÇÕES COM ENFOQUES EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PERFIL DOS DOCENTES DE PÓS-GRADUAÇÕES COM ENFOQUES EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA Humarah Danielle de Lima Vasconcelos e-mail: humarah@hotmail.com Alda Leaby dos Santos Xavier

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO SANDUÍCHE E PÓS-DOUTORAL NO ENSINO DA PÓS-GRADUAÇÃO

A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO SANDUÍCHE E PÓS-DOUTORAL NO ENSINO DA PÓS-GRADUAÇÃO A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO SANDUÍCHE E PÓS-DOUTORAL NO ENSINO DA PÓS-GRADUAÇÃO Isabela Almeida Pordeus Novembro 2009 A Pós-Graduação em Odontologia Evolução dos Programas: Odontologia Evolução do Programas

Leia mais

T U T O R I A I S WEB OF SCIENCE TUTORIAL. Biblioteca da Escola de Engenharia da UFRGS. WEB OF SCIENCE - Tutorial

T U T O R I A I S WEB OF SCIENCE TUTORIAL. Biblioteca da Escola de Engenharia da UFRGS. WEB OF SCIENCE - Tutorial T U T O R I A I S WEB OF SCIENCE TUTORIAL Biblioteca da Escola de Engenharia da UFRGS WEB OF SCIENCE - Tutorial O que é? O Web of Science é uma base de dados que disponibiliza acesso a mais de 9.200 títulos

Leia mais

Palavras-chave: BIOTECHNOLOGY, HUMAN RESOURCES, RIO DE JANEIRO.

Palavras-chave: BIOTECHNOLOGY, HUMAN RESOURCES, RIO DE JANEIRO. Título: GESTÃO INTEGRADA DA POLÍTICA DE RECURSOS HUMANOS EM BIOTECNOLOGIA: O CASO DO RIO DE JANEIRO, BRASIL. Autora: Tatiane Alves Baptista Co-autora: Marcia Cristina Paes Resumo: This Project consists

Leia mais

Gerenciamento de custos do projeto

Gerenciamento de custos do projeto PMBOK Visão Geral O PMBOK (Project Management Body of Knowledge) é um guia do Conjunto de Conhecimentos em de Projetos, o qual inclui práticas comprovadas que são amplamente aplicadas na gestão de s, além

Leia mais

Isabel Salavisa. O Sistema Nacional de Investigação e Inovação: Desafios, forças e fraquezas rumo a 2020

Isabel Salavisa. O Sistema Nacional de Investigação e Inovação: Desafios, forças e fraquezas rumo a 2020 O Sistema Nacional de Investigação e Inovação: Desafios, forças e fraquezas rumo a 2020 Isabel Salavisa ISCTE-IUL e DINÂMIA-CET/IUL Redes e atores-chave num sistema de inovação fragmentado Lisboa, FCT,

Leia mais

Analytics: a sua potencial utilização na Avaliação Formativa Cláudia Gomes LE@D, Universidade Aberta

Analytics: a sua potencial utilização na Avaliação Formativa Cláudia Gomes LE@D, Universidade Aberta Analytics: a sua potencial utilização na Avaliação Formativa Cláudia Gomes LE@D, Universidade Aberta Avaliação Formativa Exerce uma função reguladora e informativa do processo de aprendizagem a professores

Leia mais

BIBLIOMETRIA UMA ABORDAGEM PRÁTICA

BIBLIOMETRIA UMA ABORDAGEM PRÁTICA BIBLIOMETRIA UMA ABORDAGEM PRÁTICA Apresentação: M.Sc. Sandra Miranda Neves (doutoranda UNESP) Apoio: M.Sc. Aneirson Francisco da Silva (Doutorando UNESP) Julio Estanislau Caovila de Melo (IC UNESP) SUMÁRIO.

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo II Clico de Vida e Organização

Gerenciamento de Projetos Modulo II Clico de Vida e Organização Gerenciamento de Projetos Modulo II Clico de Vida e Organização Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos

Leia mais

Planejamento de sistemas de informação.

Planejamento de sistemas de informação. Planejamento de sistemas de informação. O planejamento de sistemas de informação e da tecnologia da informação é o processo de identificação das aplicações baseadas em computadores para apoiar a organização

Leia mais

Orientações para a elaboração dos projetos de pesquisa (Iniciação científica)

Orientações para a elaboração dos projetos de pesquisa (Iniciação científica) GRUPO PAIDÉIA FE/UNICAMP Linha: Episteduc Coordenador: Prof. Dr. Silvio Sánchez Gamboa Orientações para a elaboração dos projetos de pesquisa (Iniciação científica) Os projetos de pesquisa se caracterizam

Leia mais

MEMÓRIA URBANA DE PALMAS-TO: LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÕES E MATERIAL SOBRE O PLANO DE PALMAS E SEUS ANTECEDENTES

MEMÓRIA URBANA DE PALMAS-TO: LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÕES E MATERIAL SOBRE O PLANO DE PALMAS E SEUS ANTECEDENTES MEMÓRIA URBANA DE PALMAS-TO: LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÕES E MATERIAL SOBRE O PLANO DE PALMAS E SEUS ANTECEDENTES Tânia de Sousa Lemos 1 ; Ana Beatriz Araujo Velasques 2 1 Aluna do Curso de Arquitetura e

Leia mais

Especialização em Arquitetura e Engenharia de Software

Especialização em Arquitetura e Engenharia de Software Especialização em Arquitetura e Engenharia de Software O curso vai propiciar que você seja um especialista para atua atuar na área de Arquitetura de Software em diferentes organizações, estando apto a:

Leia mais

A PERCEPÇÃO DOS DISCENTES SOBRE O DESEMPENHO DOS DOCENTES DOS CURSOS DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO DA UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU

A PERCEPÇÃO DOS DISCENTES SOBRE O DESEMPENHO DOS DOCENTES DOS CURSOS DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO DA UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU A PERCEPÇÃO DOS DISCENTES SOBRE O DESEMPENHO DOS DOCENTES DOS CURSOS DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO DA UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU PERCEPTION OF STUDENTS PERFORMANCE OF TEACHERS OF SCIENCE

Leia mais

II Congresso Internacional TIC e Educação

II Congresso Internacional TIC e Educação ITIC: UM PROJETO PARA CONTRIBUIR PARA O APERFEIÇOAMENTO E EMBASAMENTO DO CORPO DE PROFESSORES DO PROGRAMA APRENDIZAGEM DO SENAC NO DOMÍNIO DA UTILIZAÇÃO DAS TIC Claudia Machado, Maria João Gomes Universidade

Leia mais

Revista Inteligência Competitiva Daniela Ramos Teixeira

Revista Inteligência Competitiva Daniela Ramos Teixeira 15 INTELIGÊNCIA DE MERCADO: TRANSFORMANDO AS OLIMPÍADAS EM NEGÓCIOS 1 RESUMO Um dos grandes desafios das organizações hoje é a aplicabilidade assertiva das técnicas de análise e métodos utilizados em Inteligência

Leia mais

Análise da produção científica dos docentes do Departamento de Ciência da Informação da UFPE indexada no portal de periódicos da capes.

Análise da produção científica dos docentes do Departamento de Ciência da Informação da UFPE indexada no portal de periódicos da capes. Análise da produção científica dos docentes do Departamento de Ciência da Informação da UFPE indexada no portal de periódicos da capes. Natanael Vitor Sobral (UFPE) natan_sobral@yahoo.com.br Ielma Costa

Leia mais

O SISTEMA DE QUALIDADE NA INDUSTRIA DE CONFECÇÃO

O SISTEMA DE QUALIDADE NA INDUSTRIA DE CONFECÇÃO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 O SISTEMA DE QUALIDADE NA INDUSTRIA DE CONFECÇÃO Sandra Biégas 1, Patrícia Machado Mellero Cardoso 2 RESUMO: Com base em uma realidade onde indústrias

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO

GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO Indicadores e Diagnóstico para a Inovação Primeiro passo para implantar um sistema de gestão nas empresas é fazer um diagnóstico da organização; Diagnóstico mapa n-dimensional

Leia mais

ESTUDOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA CIVIL

ESTUDOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA CIVIL ESTUDOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA CIVIL ANA LAURA CANASSA BASSETO (UTFPR) alcanassa@hotmail.com Caroline Marqueti Sathler (UTFPR)

Leia mais

AUTOR(ES): ADRIANA LAURA VICTORETTI, HENRIQUE MARINHO MASCARENHAS, LAÍS REGINA RODRIGUES CARVALHO

AUTOR(ES): ADRIANA LAURA VICTORETTI, HENRIQUE MARINHO MASCARENHAS, LAÍS REGINA RODRIGUES CARVALHO TÍTULO: INICIAÇÃO CIENTÍFICA: ESTAMOS ATUANDO CORRETAMENTE? CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE DE SOROCABA AUTOR(ES): ADRIANA LAURA

Leia mais

Critérios para certificação de Sites SciELO: critérios, política e procedimentos para a classificação e certificação dos sites da Rede SciELO

Critérios para certificação de Sites SciELO: critérios, política e procedimentos para a classificação e certificação dos sites da Rede SciELO Critérios para certificação de Sites SciELO: critérios, política e procedimentos para a classificação e certificação dos sites da Rede SciELO Versão Março 2008 1 Introdução Este documento tem por objetivo

Leia mais

Modelos de Gestão da Qualidade da Pós-graduação e do Doutorado: Experiências Nacionais: BRASIL

Modelos de Gestão da Qualidade da Pós-graduação e do Doutorado: Experiências Nacionais: BRASIL Modelos de Gestão da Qualidade da Pós-graduação e do Doutorado: Experiências Nacionais: BRASIL Livio Amaral Diretor de Avaliação 17set13 A AVALIAÇÃO DO SISTEMA NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO (SNPG) (SNPG) -FUNDAMENTOS

Leia mais

SCOPUS ACRESCENTE VALOR A SUA PESQUISA. @ElsevierLAS www.scopus.com www.americalatina.elsevier.com/brasil

SCOPUS ACRESCENTE VALOR A SUA PESQUISA. @ElsevierLAS www.scopus.com www.americalatina.elsevier.com/brasil SCOPUS ACRESCENTE VALOR A SUA PESQUISA @ElsevierLAS www.scopus.com www.americalatina.elsevier.com/brasil Conteúdo do Scopus Todas as fontes relevantes + 21.000 títulos + 5.000 editoras + 770 títulos latinoamericanos*

Leia mais

MAPEAMENTO DA PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO EM EDUCAÇÃO E. EDUCAÇÃO FÍSICA NO BRASIL: uma análise da produção em. periódicos Qualis CAPES (2009-2014)

MAPEAMENTO DA PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO EM EDUCAÇÃO E. EDUCAÇÃO FÍSICA NO BRASIL: uma análise da produção em. periódicos Qualis CAPES (2009-2014) MAPEAMENTO DA PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO EM EDUCAÇÃO E EDUCAÇÃO FÍSICA NO BRASIL: uma análise da produção em periódicos Qualis CAPES (2009-2014) Eje 4. Ciencia, tecnologías y ambiente Autores Zuley Jhojana

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INTRODUÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) Articulação com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Projeto Político Pedagógico Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

Análise da Produtividade da Rede Social de Computação do Brasil

Análise da Produtividade da Rede Social de Computação do Brasil Análise da Produtividade da Rede Social de Computação do Brasil Jonice O. Sampaio¹, Fabrício F. Faria¹, Ruben A. Perorazio¹, Evelyn C. de Aquino², ¹Programa de Pós-Graduação em Informática (PPGI) Universidade

Leia mais

O desafio de aumentar o impacto da ciência brasileira

O desafio de aumentar o impacto da ciência brasileira O desafio de aumentar o impacto da ciência brasileira Carlos Henrique de Brito Cruz Diretor Científico FAPESP 23/05/2013 desafio-impacto-confap-20130522.pptx; C.H. Brito Cruz e Fapesp 1 Desafios para a

Leia mais

ESCOLA DE DEFESA. Linha de Gestão de Defesa. Ariela Leske arieladiniz2@hotmail.com 08 Jul 2015

ESCOLA DE DEFESA. Linha de Gestão de Defesa. Ariela Leske arieladiniz2@hotmail.com 08 Jul 2015 ESCOLA DE DEFESA Linha de Gestão de Defesa Ariela Leske arieladiniz2@hotmail.com 08 Jul 2015 Apresentação pessoal Ariela Diniz Cordeiro Leske Doutora em Economia Profa da linha Pesquisa de Gestão de Defesa

Leia mais

Leonardo Pereira Rodrigues dos Santos

Leonardo Pereira Rodrigues dos Santos Leonardo Pereira Rodrigues dos Santos Desenvolvimento de serviços na área de educação: uma aplicação de análise conjunta nos cursos de mestrado em administração de empresas DISSERTAÇÃO DE MESTRADO DEPARTAMENTO

Leia mais

Capítulo 4 Análise da produção científica a partir de publicações em periódicos especializados

Capítulo 4 Análise da produção científica a partir de publicações em periódicos especializados Capítulo 4 Análise da produção científica a partir de publicações em periódicos especializados 1. Introdução 4-7 2. Produção científica mundial 4-11 3. Produção científica brasileira 4-15 3.1 Contribuição

Leia mais

9º Congresso de Pós-Graduação UMA REVISÃO NA LITERATURA SOBRE ERP NO BRASIL VERSUS PUBLICAÇÕES INTERNACIONAIS

9º Congresso de Pós-Graduação UMA REVISÃO NA LITERATURA SOBRE ERP NO BRASIL VERSUS PUBLICAÇÕES INTERNACIONAIS 9º Congresso de Pós-Graduação UMA REVISÃO NA LITERATURA SOBRE ERP NO BRASIL VERSUS PUBLICAÇÕES INTERNACIONAIS Autor(es) GIOVANNI BECCARI GEMENTE Orientador(es) FERNANDO CELSO DE CAMPOS 1. Introdução No

Leia mais

MAPAS CONCEITUAIS NAS PESQUISAS DO NÚCLEO DE ETNOGRAFIA EM EDUCAÇÃO

MAPAS CONCEITUAIS NAS PESQUISAS DO NÚCLEO DE ETNOGRAFIA EM EDUCAÇÃO MAPAS CONCEITUAIS NAS PESQUISAS DO NÚCLEO DE ETNOGRAFIA EM EDUCAÇÃO Autor: Riselda Maria de França Oliveira Universidade Estadual do Rio de Janeiro - riseldaf@hotmail.com Co-autor: Marcelo Alex de Oliveira

Leia mais

TUTORIAL DE ACESSO AO FATOR IMPACTO ATRAVÉS DO WEB OF SCIENCE JOURNAL CITATION REPORTS (JCR) SIBI/PUCPR Biblioteca Virtual

TUTORIAL DE ACESSO AO FATOR IMPACTO ATRAVÉS DO WEB OF SCIENCE JOURNAL CITATION REPORTS (JCR) SIBI/PUCPR Biblioteca Virtual TUTORIAL DE ACESSO AO FATOR IMPACTO ATRAVÉS DO WEB OF SCIENCE JOURNAL CITATION REPORTS (JCR) SIBI/PUCPR Biblioteca Virtual Objetivo Este tutorial tem a finalidade de orientar sobre o uso das ferramentas

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO. webqda - SOFTWARE DE APOIO À ANÁLISE QUALITATIVA. Entidade de formação credenciada e homologada

CURSO DE FORMAÇÃO. webqda - SOFTWARE DE APOIO À ANÁLISE QUALITATIVA. Entidade de formação credenciada e homologada CURSO DE FORMAÇÃO webqda - SOFTWARE DE APOIO À ANÁLISE QUALITATIVA Entidade de formação credenciada e homologada 1. Fundamentação A investigação nas ciências humanas e sociais tem passado nas últimas décadas

Leia mais

Documentos indexados no ISI Web of Knowledge, 2000-2007

Documentos indexados no ISI Web of Knowledge, 2000-2007 Documentos indexados no ISI Web of Knowledge, 2000-2007 - Universidades do CRUP - Institutos Politécnicos públicos - Hospitais H. Nouws, J.T. Albergaria, E.S. Vieira, C. Delerue-Matos, J.A.N.F. Gomes Relatório

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTOAVALIAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 2014/01 a 2014/02 APRESENTAÇÃO O Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior

Leia mais

DATA WAREHOUSE. Rafael Ervin Hass Raphael Laércio Zago

DATA WAREHOUSE. Rafael Ervin Hass Raphael Laércio Zago DATA WAREHOUSE Rafael Ervin Hass Raphael Laércio Zago Roteiro Introdução Aplicações Arquitetura Características Desenvolvimento Estudo de Caso Conclusão Introdução O conceito de "data warehousing" data

Leia mais

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS 769 SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS Mateus Neves de Matos 1 ; João Carlos Nunes Bittencourt 2 ; DelmarBroglio Carvalho 3 1. Bolsista PIBIC FAPESB-UEFS, Graduando em Engenharia de

Leia mais

Local government web sites in Finland: A geographic and webometricanalysis

Local government web sites in Finland: A geographic and webometricanalysis UFRJ IBICT Pós graduação em ciência da informação Disciplina: Processamento e Transferência da Informação por Meio Eletrônico Professores: Fábio Gouveia e Jacqueline Leta alunos: Roberto Lopes e Fabíola

Leia mais

Ontologia de Domínio da Biodisponibilidade de Ferro: Uma Experiência no Projeto Nutri-Fuzzy-Orixás

Ontologia de Domínio da Biodisponibilidade de Ferro: Uma Experiência no Projeto Nutri-Fuzzy-Orixás Ontologia de Domínio da Biodisponibilidade de Ferro: Uma Experiência no Projeto Nutri-Fuzzy-Orixás Alessandra Brito F. Oliveira 1; Vera Maria Benjamim Werneck 1 ; Regina Serrão Lanzillotti 1 ; Haydée Serrão

Leia mais

ANÁLISE BIBLIOMÉTRICA DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DA UNESP

ANÁLISE BIBLIOMÉTRICA DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DA UNESP 1 ANÁLISE BIBLIOMÉTRICA DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DA UNESP ANA PAULA SANTULO CUSTÓDIO DE MEDEIROS UNESP - Instituto de Biociências Av. 24-A, 1515 Bela Vista 13506-900 - Rio Claro SP / Brasil asantulo@rc.unesp.br

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES CURRICULARES CURSO DE NEGÓCIOS INTERNACIONAIS - BACHARELADO 1 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES CURRICULARES CURSO DE NEGÓCIOS INTERNACIONAIS - BACHARELADO 1 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES CURRICULARES CURSO DE NEGÓCIOS INTERNACIONAIS - BACHARELADO 1 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 o Art. 2 o Art. 3 o Art. 4 o As Atividades Curriculares são parte integrante do

Leia mais

VISÃO SISTÊMICA EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS PARA WEB

VISÃO SISTÊMICA EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS PARA WEB VISÃO SISTÊMICA EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS PARA WEB Rogério Fernandes da Costa Professor especialista Faculdade Sumaré rogerio.fernandes@sumare.edu.br Resumo: O presente estudo tem como objetivo abordar

Leia mais

TEORIA INSTITUCIONAL: ESTUDO BIBLIOMÉTRICO EM ANAIS DE CONGRESSOS E PERIÓDICOS CIENTÍFICOS

TEORIA INSTITUCIONAL: ESTUDO BIBLIOMÉTRICO EM ANAIS DE CONGRESSOS E PERIÓDICOS CIENTÍFICOS TEORIA INSTITUCIONAL: ESTUDO BIBLIOMÉTRICO EM ANAIS DE CONGRESSOS E PERIÓDICOS CIENTÍFICOS INSTITUTIONAL THEORY: A BIBLIOMETRIC STUDY IN ANNALS OF CONGRESS AND SCIENTIFIC JOURNALS JOÃO ESTEVÃO BARBOSA

Leia mais

PROGRAMA DE PESQUISA - REDE DOCTUM DE ENSINO

PROGRAMA DE PESQUISA - REDE DOCTUM DE ENSINO PROGRAMA DE PESQUISA - REDE DOCTUM DE ENSINO O Programa de Pesquisa da Rede Doctum de Ensino parte de três princípios básicos e extremamente importantes para o processo de Pesquisa: 1. O princípio de INDISSOCIABILIDADE

Leia mais

EXPERIÊNCIA DE USO DE ARQUITETURA CORPORATIVA NO PROJETO DE RES

EXPERIÊNCIA DE USO DE ARQUITETURA CORPORATIVA NO PROJETO DE RES EXPERIÊNCIA DE USO DE ARQUITETURA CORPORATIVA NO PROJETO DE RES Rigoleta Dutra Mediano Dias 1, Lívia Aparecida de Oliveira Souza 2 1, 2 CASNAV, MARINHA DO BRASIL, MINISTÉRIO DA DEFESA, BRASIL Resumo: Este

Leia mais

Guia Básico de Utilização da Biblioteca Virtual da FAPESP. Thais Fernandes de Morais Fabiana Andrade Pereira

Guia Básico de Utilização da Biblioteca Virtual da FAPESP. Thais Fernandes de Morais Fabiana Andrade Pereira Guia Básico de Utilização da Biblioteca Virtual da FAPESP Thais Fernandes de Morais Fabiana Andrade Pereira Centro de Documentação e Informação da FAPESP São Paulo 2015 Sumário Introdução... 2 Objetivos...

Leia mais

I Oficina de Pesquisa Científica na Pós- Graduação (OPC-PG) Prof. Dr. Sidnei Alves de Araújo saraujo@uninove.br

I Oficina de Pesquisa Científica na Pós- Graduação (OPC-PG) Prof. Dr. Sidnei Alves de Araújo saraujo@uninove.br I Oficina de Pesquisa Científica na Pós- Graduação (OPC-PG) Prof. Dr. Sidnei Alves de Araújo saraujo@uninove.br Programa de Pós-Graduação em Informática e Gestão do Conhecimento Setembro/2015 MÓDULO I

Leia mais

Vinicius Ribeiro Pereira. Métodos Alternativos no Critério Brasil para Construção de Indicadores Sócio-Econômico: Teoria da Resposta ao Item

Vinicius Ribeiro Pereira. Métodos Alternativos no Critério Brasil para Construção de Indicadores Sócio-Econômico: Teoria da Resposta ao Item Vinicius Ribeiro Pereira Métodos Alternativos no Critério Brasil para Construção de Indicadores Sócio-Econômico: Teoria da Resposta ao Item Dissertação de Mestrado Departamento de Engenharia Elétrica Programa

Leia mais