A vida por um fio. Lea LubiancaThormann Marlete Diesel Nara Amália Caron Rita de Cássia Sobreira Lopes

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A vida por um fio. Lea LubiancaThormann Marlete Diesel Nara Amália Caron Rita de Cássia Sobreira Lopes"

Transcrição

1 A vida por um fio Lea LubiancaThormann Marlete Diesel Nara Amália Caron Rita de Cássia Sobreira Lopes "Apenas partes de nós alguma vez tocarão partes dos outrosa verdade de alguém é apenas isso na realidade- a verdade de alguém. Podemos apenas compartilhar a parte que é aceitável dentro do conhecimento do outro portanto a gente está quase sempre sozinha. Como deve ser na natureza evidentemente- no máximo talvez isso pudesse fazer nossa compreensão buscar a solidão de outro." (Marilyn Monroe) Sem Théo não haveria Vincent, foi o que nos revelou Veríssimo em sua crônica La Tristesse nos levando a seguir os passos de Vincent Van Gogh e presenciar os muitos nascimentos do pintor, seu talento e suas descobertas. Dentro da originalidade do pensamento de Winnicott (1962/1988), caso se possa dizer que o ser humano tem um começo, este deve ser pensado como uma soma de começos. Para Vincent, cada cidade explorada, o forte contato com a natureza, os anos de escola, o trabalho, o estudo da arte, e até mesmo os momentos de desilusão integram uma soma de experiências que o levaram a encontrar-se, reconquistar a esperança e nascer como pintor. Seu talento havia surgido bem cedo: E, sem percebê-lo, sem darse conta, sua vocação nascera e começara a se desenvolver. Ele se detém para desenhar a beira do Tâmisa não apenas uma vez, mas centenas... e fica triste, ao voltar para casa e perceber que os desenhos não se assemelham a nada. (1997, p.9) Devemos a Théo, seu irmão quatro anos mais novo e a sua mulher, Jo Van Gogh-Bonger, a possibilidade de conhecermos Van Gogh sua vida e obra porque salvaram parte da extensa correspondência e parte da obra deste genial mestre da pintura. Na biografia de Van Gogh, escrita por sua cunhada, bem como na correspondência de Théo e Vincent, é comovente ver a dedicação de Théo ao irmão. Jo

2 Van Gogh-Bonger diz:...em meus pensamentos, eu continuo o tempo todo com Théo e Vincent... como era infinitamente delicada, terna e amável a qualidade desse relacionamento. O amor que eles tinham um pelo outro, a maneira como eles compreendiam um ao outro... como era comovente a dependência de Vincent em certas ocasiões Théo nunca lhe permitia sentir assim, porém, às vezes, ele mesmo entendia a situação de sua dependência e, nessas ocasiões, suas cartas eram tão tristes (p. 15). A trajetória de Van Gogh impressiona como um caso exemplar da luta humana pela vida e da difícil caminhada na busca do si mesmo. Desde o início, a necessidade humana básica é ser e continuar a ser, vir a tornar-se uma pessoa real, num mundo real. Portanto, ao longo da vida até a morte, a continuidade de ser permanecerá como a questão fundamental da saúde psíquica. Van Gogh, caminhante solitário, nos mostra, com muita intensidade e crueza, por meio de suas Cartas a Théo, a batalha do criador na arte que é também a batalha de todos nós, criadores na vida. A condição de fragilidade, solidão e dependência do ser humano fica também exposta em suas cartas. Van Gogh teve uma trajetória cheia de descontinuidades e rupturas até o seu nascimento como pintor, já no final da vida. Foi um andarilho solitário caminhava muito à pé, muitas vezes em péssimas condições - que percorreu um longo caminho passando por diversos lugares como Londres, Paris, Amsterdam, Etten, Bruxelas, Borinage, Haia, Drenthe, Nuenen, Antuérpia, até reencontrar-se em Arles, uma cidade no sul da França. Chama a atenção como, apesar de toda tragédia que foi a sua vida, ele nunca desistiu: Parece-me que sou um caminhante que está indo a algum lugar, que tem um destino Continuar, continuar, isso que é necessário.(p.40) Em Arles, pinta o Semeador, imagem que o acompanha desde que se fez artista, fazendo brotar através do seu trabalho a beleza das cores e uma estética avançada em relação a seu tempo. Arles, a terra escolhida por Van Gogh, era uma cidade decadente, que outrora tinha sido grande, mas que como ele, lutava por ter um papel a desempenhar no mundo. A vida estava sempre por um fio, parecia distante, inatingível. Sua trajetória ilustra, de modo comovente, sua luta para alcançar e manter a vida e o preço que se paga por não andar em linha reta, por inércia, mas por caminhos tortuosos que podem conduzir a grandes descobertas. Seguia em busca de sua verdadeira vocação. Trabalhou por seis anos em uma galeria de arte, a Casa Goupil, onde também trabalhou seu irmão

3 Théo, por toda a sua vida. Frequentava museus e lia muito, em várias línguas, um hábito que ele manteria pela vida afora. Foi a Borinage, uma região de mineiros, em busca de uma suposta vocação religiosa. Seguindo os passos de seu pai, pastor, desejava se tornar um pregador, alguém que tivesse algo a dizer e que fosse útil no mundo. Borinage é um renascimento. Diante da desumanização completa que presenciou naquela região, morre sua vocação religiosa e ressurge Vincent, ele mesmo, com seus desejos, seus prazeres, sua indignação. Começa a desenhar em qualquer lugar, em qualquer papel, com o que tem na mão. A trajetória de Van Gogh ilustra, de forma exemplar, como o amadurecimento não é linear e nos mostra a relação do ser humano com as suas origens. É um esforço constante chegar ao ponto inicial e aí se manter, nos diz Winnicott (1963). A questão da criatividade primária pertence à mais tenra infância:...mas para sermos precisos, trata-se de um problema que jamais deixa de ter sentido enquanto o indivíduo estiver vivo. (Winnicott, 1990, p.131). Para ser criativa, uma pessoa tem que existir, e ter um sentimento de existência, não na forma de uma percepção consciente,mas como uma posição básica a partir da qual operar.(winnicott, 1989, p.23) Nos bosques e trigais de Arles, Van Gogh reencontra a paisagem de sua infância em Brabant, por onde fazia longas caminhadas, algumas vezes acompanhado de seu irmão Théo. Sempre foi um grande observador da natureza. As caminhadas em contato com a natureza e, posteriormente, os desenhos e a pintura serão seus refúgios, que passará a utilizar ao longo da vida Na sua infância, Van Gogh foi considerado um garoto de temperamento difícil, pouco sociável e entregue a si mesmo. Chama atenção como sua família parece ter sempre respeitado e acolhido a sua necessidade de isolamento, apesar de sua vida retirada e solitária ter sido sempre, ao mesmo tempo, motivo de grande preocupação: Uma coisa que nos entristece muito é perceber que ele literalmente não conhece as alegrias da vida, sempre caminha com a cabeça baixa, mesmo que nós tenhamos feito tudo que estava a nosso alcance para que ele obtivesse uma situação honrada! Até parece que ele, deliberadamente, escolhe sempre o caminho mais difícil, escreve o pai. Na vida adulta, é acolhido em suas desilusões, podendo retornar ao lar e por lá permanecer até que conseguisse retomar a sua caminhada. Os pais chegaram até a construir um ateliê para ele na casa onde moravam. Tanto os pais como seu irmão Théo sempre foram muito cuidadosos e não intrusivos. Aqui, cabe destacar a concepção de

4 Winnicott (1993) de que a regressão à dependência é o caminho para a cura.: Voltar para ser. Ele enfatiza que o ambiente que pode acolher a necessidade de regredir promove a gradual transformação de retraimento em regressão. Um fato marcante de sua história de vida foi também o reconhecimento que recebeu por parte da família de seu talento especial para a pintura. Eu gostaria que ele pudesse encontrar algum trabalho mais relacionado com a arte ou a natureza, escreveu sua mãe, que entendia o que estava se passando dentro dele. Na biografia de Jo Van Gogh-Bonger, ela diz que Théo sugeriu que ele se tornasse pintor antes de ele sequer pensar na ideia. Em sintonia com suas necessidades e talento, sua mãe, que o iniciou na arte do desenho e da pintura, também acreditava que ele poderia fazer alguma coisa útil relacionada à arte. Escreveu a Théo: Vincent fez lindos desenhos: ele desenhou a janela do quarto e a porta da frente, depois todas as partes da casa e também um grande esboço das casas em Londres para as quais dá sua janela; este é um talento que me enche de alegria, porque pode ser de grande utilidade para ele. Van Gogh nos faz pensar na força da herança a natureza humana, de um lado, e do ambiente, de outro. Ele sofreu muito com a sua doença, que não chegou a ter um diagnóstico preciso- para alguns seria uma esquizofrenia, para outros, transtorno bipolar. Apesar da doença, mas também por causa dela e provavelmente em decorrência da aceitação e acolhimento do ambiente, Vincent alcança o máximo que pode. Eram as emoções que o impeliam, por isso havia alturas em que as pinceladas lhe fluíam como as palavras quando estava a fervilhar de idéias. Quando isso acontecia, era preciso aproveitar, porque o humor iria virar. Iria haver dias difíceis, vazios de inspiração (73). Winnicott (1970) diz que mesmo um bebê deformado pode se transformar num bebê sadio, com um self que não é deformado e um senso de self que se baseia na experiência de viver como uma pessoa aceita (p. 210). Encontramos no seu sofrimento um tipo de angústia ilustrada por Winnicott como típica daquelas pessoas que não puderam alcançar a integração numa unidade: o sentimento de inutilidade. Assim Vincent escreveu a Theo: A quem poderia eu ser útil de alguma maneira? (38). Espere, talvez um dia você verá que eu também sou um trabalhador, e embora eu não saiba de antemão o que me será possível, espero ainda fazer uns rabiscos onde poderia fazer algo de humano. (54)

5 Em sua trajetória, vemos que Van Gogh conseguiu preservar a sua criatividade e contato com o mundo subjetivo, apesar de sua dificuldade de contato com a realidade compartilhada. Queixava-se de não estar vivendo a vida verdadeira, como queixam-se os pacientes psicóticos que ficam fora de contato com os fatos da vida. Lutava para alcançar a vida. Mesmo esta vida artística, que sabemos não ser a verdadeira, pareceme tão vívida e seria uma ingratidão não contentar-me com ela (200). Em plena vida artística, por momento, sempre nos assola a nostalgia da verdadeira vida ideal e irrealizável (207) Em Arles, Van Gogh estava nascendo e nos traz um depoimento vivo de como é nascer, sentir-se vivo e real, criativo. Há momentos em que sinto meu sangue voltando a querer circular em minhas veias. À medida que o sangue me volta, a ideia de triunfar também me volta. Winnicott debruçou-se sobre as questões do viver, existir. Peguntava-se sobre o que versa a vida, o que faz a vida valer a pena, lembrando que o psicótico paira permanentemente entre o viver e o não viver. Foi em Arles que o impulso criativo de Van Gogh atingiu o seu ápice e ele se tornou, como definido por ele próprio, uma locomotiva de pintar. Trabalho mesmo em pleno meio-dia, em pleno sol, sem sombra alguma, nos campos de trigo, e me alegro como uma cigarra (210). Atualmente estou com a lucidez ou a cegueira de um apaixonado pelo trabalho... Pois esse ambiente de cores é totalmente novo para mim e me exalta extraordinariamente (268). Em certos momentos, quando a natureza fica tão bela quanto nesses dias, tenho uma lucidez terrível, e então não me reconheço mais e o quadro me vem como em sonho (274). É só assim que eu sinto a vida, quando trabalho arduamente (224). Estou num furor de trabalho, já que as árvores estão em flor e que eu gostaria de fazer um pomar da Provence de uma alegria monstruosa (198). Também me falta uma noite estrelada com ciprestes ou talvez sobre um campo de trigo maduro; aqui há noites muito bonitas. Estou numa contínua febre de trabalho (194). Por outro lado, dentro de sua trajetória marcada por descontinuidades, foi também em Arles que Van Gogh experimentou o que talvez tenha sido a maior desilusão de sua vida, com conseqüências quase fatais. Realizou o seu sonho de construir uma casa-ateliê, a Casa Amarela, e associar-se a um artista. Neste período de maior integração, Van Gogh emerge da solidão e estabelece a ilusão de contato. Em seu

6 momento mais criativo, faz um movimento em direção ao mundo, deseja compartilhar a sua arte com outro artista e é acolhido em seu gesto por seu irmão, que ajuda a organizar a ida de Gauguin para a Casa Amarela. Colaboração, segundo elucidou em carta a Bernard, não queria necessariamente dizer vários pintores a trabalhar no mesmo quadro. Queria dizer uma conjugação de idéias e técnicas, pela qual a comunidade de artistas iria criar quadros diferentes uns dos outros mas que se convergem e complementam uns aos outros. Nesta conformidade; os dois quadros de Vincent Folhas a Cair, pintados nos Alyscamps, misturavam idéias de três artistas ele próprio, Gauguin e o ausente Bernard. Estes quadros eram uma colaboração (p. 83). Conviveu com Gauguin por poucos meses, sendo que a relação dos dois foi marcada por desencontros, dos quais Van Gogh nunca se recuperou acabou-se o sonho da Casa Amarela. De certo modo, Gauguin entendeu-o mal. Vincent não era um inspirado artista louco; era um grande pintor que tentava desesperadamente manter-se mentalmente são. Via o mundo com uma intensidade rara, que dava às suas obras um grande poder. E era enquanto olhava e pintava que conhecia o maior prazer de que a sua natureza atormentada era capaz (p. 302). Após o episódio de automutilação, em que cortou uma parte de sua própria orelha, Théo escreveu em uma carta à esposa: Se ele tivesse encontrado alguém com quem pudesse abrir o coração, talvez nunca tivesse chegado a esse ponto. Em outra carta à esposa, demonstrando seu profundo amor e compreensão a Vincent, escreve: Ainda há esperança, mas durante sua vida ele já realizou muito mais que a maioria, ao mesmo tempo que sofreu e lutou muito mais que grande parte das pessoas seria capaz. Se ele tiver de morrer, então que seja, mas fico de coração partido, cada vez que penso nessa possibilidade. Vincent morreu pouco tempo depois, tendo passado os últimos dias de sua vida em uma hospedaria em Auvers, cuidadosamente escolhida por seu irmão Théo. No curto espaço que passou em Auvers, pôde contar com o apoio e a amizade de um médico especial, Dr Gachet. Vincent seguiu pintando até a sua morte. Em uma carta a sua mãe, Théo escreve, após sua morte: Não se pode descrever até que ponto se está triste nem encontrar o menor conforto. É uma tristeza que vai perdurar e que, certamente, não conseguirei esquecer enquanto viver. A única coisa que posso dizer é que ele recebeu agora o descanso por que tanto ansiava... A vida foi sempre um fardo pesado demais para ele; mas agora, como acontece com tanta freqüência, todo mundo está louvando o

7 seu talento... Oh, mãe, ele era tão meu, meu próprio irmão!. Seis meses depois da morte de Vincent, morre também seu irmão Théo. Referências Gayford, M. (2007). A Casa Amarela Van Gogh, Gauguin e Nove Turbulentas Semanas em Arles. Lisboa: Editorial Bizâncio Van Gogh, V. (1997). Cartas a Théo. Porto Alegre: L&PM Pocket. Van Gogh-Bonger, J. (2004). Biografia de Vincent Van Gogh. Porto Alegre: L&PM Pocket. Winnicott, D.W. (1970). Sobre as bases para o self no corpo. In D.W. Winnicott. Explorações psicanalíticas. Porto Alegre: Artes Médicas. Winnicott, D.W. (1988). O ambiente e os processos de maturação. Porto Alegre: Artes Médicas. Winnicott, D.W. (1989). Tudo começa em casa. São Paulo: Martins Fontes. Winnicott, D.W. (1990). Natureza humana. Rio de Janeiro: Imago Editora. Winnicott, D.W. (1993). Da pediatria à psicanálise. Rio de Janeiro: Francisco Alves Editora.

8 A vida por um fio Lea LubiancaThormann Marlete Diesel Nara Amália Caron Rita de Cássia Sobreira Lopes RESUMO Devemos a Théo e sua dedicação ao irmão Vincent Van Gogh, a grande obra artística por ele criada. Pensamos em Winnicott, e no quanto o ser humano necessita do ambiente para tornar-se real, criar e acreditar. Théo representou na vida de Vincent este porto seguro. Encontramos em Winnicott, nas Cartas à Théo e em duas biografias sobre Van Gogh (um delas escrita por Jo Van Gogh-Bonger, sua cunhada e esposa de Théo) as referências necessárias para acompanhar a trajetória de Van Gogh que nos impressiona como um caso exemplar da luta humana pela vida e da difícil caminhada na busca do si mesmo.

Os Impressionistas. Episódio: Vincent Van Gogh. Palavras-chave Pintura, biografia, Van Gogh, impressionismo, França

Os Impressionistas. Episódio: Vincent Van Gogh. Palavras-chave Pintura, biografia, Van Gogh, impressionismo, França Os Impressionistas Episódio: Vincent Van Gogh Resumo Este vídeo, da série Os impressionistas, aborda a vida e obra do artista holandês Vincent Van Gogh. Autodidata, Van Gogh é um dos mais aclamados e mitificados

Leia mais

Sumário. Prefácio... 7 Nota do autor... 9. Parte 1: A natureza da depressão 1. A experiência da depressão... 13 2. Causas da depressão...

Sumário. Prefácio... 7 Nota do autor... 9. Parte 1: A natureza da depressão 1. A experiência da depressão... 13 2. Causas da depressão... Sumário Prefácio... 7 Nota do autor... 9 Parte 1: A natureza da depressão 1. A experiência da depressão... 13 2. Causas da depressão... 27 Parte 2: Passado doloroso 3. Entenda o passado... 45 4. Lide com

Leia mais

Nos passos de santa teresinha do menino jesus

Nos passos de santa teresinha do menino jesus Nos passos de santa teresinha do menino jesus Coleção Nos passos dos SANTOS Nos passos de Santo Antônio, Luiz Alexandre Solano Rossi Nos passos de Santa Rita de Cássia, Luiz Alexandre Solano Rossi Nos

Leia mais

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar 1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar nosso amor 4. Porque a gente discute nossos problemas

Leia mais

ESCOLA E SONHO E VAN GOGH E VIDA... OU, POR QUE AINDA VALE A PENA SONHAR COM A EDUCAÇÃO?

ESCOLA E SONHO E VAN GOGH E VIDA... OU, POR QUE AINDA VALE A PENA SONHAR COM A EDUCAÇÃO? ESCOLA E SONHO E VAN GOGH E VIDA... OU, POR QUE AINDA VALE A PENA SONHAR COM A EDUCAÇÃO? Carlos Eduardo Ferraço Marco Antonio Oliva Gomes DIALOGANDO COM UM SONHO DE KUROSAWA Escolhemos o sonho Corvos de

Leia mais

O Centro de Convivência do NEPAD: Um Espaço Transicional. Sônia Izecksohn

O Centro de Convivência do NEPAD: Um Espaço Transicional. Sônia Izecksohn O Centro de Convivência do NEPAD: Um Espaço Transicional Sônia Izecksohn Resumo: O Centro de Convivência do NEPAD/UERJ visa a inclusão social do usuário de drogas. Por tratar-se de um espaço compartilhado,

Leia mais

Plano de aula para três encontros de 50 minutos cada. Tema: Vida e obra de Vincent Van Gogh. Público alvo: 4º série do Ensino fundamental

Plano de aula para três encontros de 50 minutos cada. Tema: Vida e obra de Vincent Van Gogh. Público alvo: 4º série do Ensino fundamental UDESC UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA DAV- DEPARTAMENTO DE ARTES VISUAIS Curso: Licenciatura em Artes Visuais Disciplina: Cultura Visual Professora: Jociele Lampert Acadêmica: Cristine Silva Santos

Leia mais

Depressão na Gravidez

Depressão na Gravidez De Depressão na Gravidez Um relato de uma mulher com Depressão na Gravidez O E-mail enviado por Gabriela, uma mulher que teve depressão durante a Gravidez e as respostas de apoio e ajudar à essa mulher.

Leia mais

Professor Heitor de Assis Jr. heitor_assis@yahoo.com.br CURSOS DE HISTÓRIA DA ARTE. Comedores de Batata. 1885. Vincent van Gogh (1853-90)

Professor Heitor de Assis Jr. heitor_assis@yahoo.com.br CURSOS DE HISTÓRIA DA ARTE. Comedores de Batata. 1885. Vincent van Gogh (1853-90) Professor Heitor de Assis Jr. CURSOS DE HISTÓRIA DA ARTE heitor_assis@yahoo.com.br Vincent van Gogh (1853-90) Até 27 anos, quando se decidiu pela pintura, ocupou-se principalmente com a pregação evangélica.

Leia mais

U m h o m e m q u e v i v e u c o m o e x e m p l o r e a l d e t u d o a q u i l o q u e t r a n s m i t i u e m s u a s m e n s a g e n s...

U m h o m e m q u e v i v e u c o m o e x e m p l o r e a l d e t u d o a q u i l o q u e t r a n s m i t i u e m s u a s m e n s a g e n s... U m h o m e m q u e v i v e u c o m o e x e m p l o r e a l d e t u d o a q u i l o q u e t r a n s m i t i u e m s u a s m e n s a g e n s... Aqui não estão as mensagens mediúnicas, mas algumas palavras

Leia mais

VANGUARDA DISCIPLINA: ARTES PROFESSORA: ANA PRISCILA

VANGUARDA DISCIPLINA: ARTES PROFESSORA: ANA PRISCILA VANGUARDA DISCIPLINA: ARTES PROFESSORA: ANA PRISCILA Em seu sentido literal, vanguarda (vem do francês Avant Garde, guarda avante ) faz referência ao batalhão militar que precede as tropas em ataque durante

Leia mais

Fator emocional. Fertilidade Natural: Fator emocional CAPÍTULO 8

Fator emocional. Fertilidade Natural: Fator emocional CAPÍTULO 8 CAPÍTULO 8 Fator emocional O projeto comum de ter filhos, construir a própria família, constitui um momento existencial muito importante, tanto para o homem como para a mulher. A maternidade e a paternidade

Leia mais

Para evoluir é necessário reencontrar a autenticidade do próprio espírito

Para evoluir é necessário reencontrar a autenticidade do próprio espírito Para evoluir é necessário reencontrar a autenticidade do próprio espírito Autor: Regis Mesquita Blog Nascer Várias Vezes - http://www.nascervariasvezes.com/ "Não ser autêntico é uma forma de evitar aquilo

Leia mais

A atuação da força micaélica na biografia individual

A atuação da força micaélica na biografia individual A atuação da força micaélica na biografia individual Edna Andrade Na Biografia individual Micael pode ser considerado uma força arquetípica que impulsiona o nosso amadurecimento anímico: é a coragem de

Leia mais

VENCENDO A SOLIDÃO. Vencendo a Solidão 1 Rs 19

VENCENDO A SOLIDÃO. Vencendo a Solidão 1 Rs 19 VENCENDO A SOLIDÃO Vivemos num planeta com 7 bilhões de pessoas e ainda assim podemos sentir profunda e esmagadora solidão. Viver no meio de uma multidão indiferente é a forma mais cruel de conviver com

Leia mais

Coaching para pessoas disponíveis, ambos

Coaching para pessoas disponíveis, ambos Nota da Autora 1001 maneiras de ser Feliz, é o meu terceiro livro. Escrevi Coaching para mães disponíveis e Coaching para pessoas disponíveis, ambos gratuitos e disponíveis no site do Emotional Coaching.

Leia mais

VOCÊ DÁ O SEU MELHOR TODOS OS DIAS. CONTINUE FAZENDO ISSO.

VOCÊ DÁ O SEU MELHOR TODOS OS DIAS. CONTINUE FAZENDO ISSO. VOCÊ DÁ O SEU MELHOR TODOS OS DIAS. CONTINUE FAZENDO ISSO. Qualquer hora é hora de falar sobre doação de órgãos. Pode ser à mesa do jantar, no caminho para o trabalho ou até mesmo ao receber este folheto.

Leia mais

DEPRESSÃO. O que você precisa saber. Fênix Associação Pró-Saúde Mental

DEPRESSÃO. O que você precisa saber. Fênix Associação Pró-Saúde Mental DEPRESSÃO O que você precisa saber Fênix Associação Pró-Saúde Mental Eu admito que preciso de ajuda, pois sozinho não consigo... (Grupo Fênix: Os 6 Passos para a Recuperação) a 1 Edição São Paulo 2010

Leia mais

PINTANDO O SETE NA SALA DE AULA. Míriam Borges da Fonseca Rodrigues (veraformosa@yahoo.com.br) Centro Universitário de Patos de Minas - UNIPAM

PINTANDO O SETE NA SALA DE AULA. Míriam Borges da Fonseca Rodrigues (veraformosa@yahoo.com.br) Centro Universitário de Patos de Minas - UNIPAM PINTANDO O SETE NA SALA DE AULA Míriam Borges da Fonseca Rodrigues (veraformosa@yahoo.com.br) Centro Universitário de Patos de Minas - UNIPAM A escola Nossa Senhora da Piedade tem uma área de 3.200 metros,

Leia mais

Sobre a intimidade na clínica contemporânea

Sobre a intimidade na clínica contemporânea Sobre a intimidade na clínica contemporânea Flávia R. B. M. Bertão * Francisco Hashimoto** Faculdade de Ciências e Letras de Assis, UNESP. Doutorado Psicologia frbmbertao@ibest.com.br Resumo: Buscou-se

Leia mais

noite e dia marconne sousa

noite e dia marconne sousa noite e dia marconne sousa Mais uma noite na terra a terra é um lugar tão solitário cheio de pessoas, nada mais onde se esconderam os sentimentos? um dedo que aponta um dedo que desaponta um dedo que entra

Leia mais

Lembro de uma cena em especial, no Hospital Psiquiátrico Cyro Martins, que muito

Lembro de uma cena em especial, no Hospital Psiquiátrico Cyro Martins, que muito UM TÊNUE LIMIAR... 1 Graciella Leus Tomé Lembro de uma cena em especial, no Hospital Psiquiátrico Cyro Martins, que muito me chocou. Foi a internação de uma jovem senhora, mãe, casada, profissão estável,

Leia mais

O Pequeno Mundo de Maria Lúcia

O Pequeno Mundo de Maria Lúcia Eric Ponty O Pequeno Mundo de Maria Lúcia Pinturas de Fernando Campos [2005] Virtual Book s Numa noite de outubro a pequena Maria Lúcia viu o azul do céu escuro da tarde um homem andando de bicicleta.

Leia mais

18 - A surpresa... 175 19 A fuga... 185 20 O atraso... 193 21 Vida sem máscaras... 197 22 - A viagem... 209 23 - A revelação...

18 - A surpresa... 175 19 A fuga... 185 20 O atraso... 193 21 Vida sem máscaras... 197 22 - A viagem... 209 23 - A revelação... Sumário Agradecimentos... 7 Introdução... 9 1 - Um menino fora do seu tempo... 13 2 - O bom atraso e o vestido rosa... 23 3 - O pequeno grande amigo... 35 4 - A vingança... 47 5 - O fim da dor... 55 6

Leia mais

TRAÇANDO POSSÍVEIS SENTIDOS PARA OS AUTORRETRATOS DE VAN GOGH: o meio e as leituras de mundo impulsionando a criação artística

TRAÇANDO POSSÍVEIS SENTIDOS PARA OS AUTORRETRATOS DE VAN GOGH: o meio e as leituras de mundo impulsionando a criação artística 1427 TRAÇANDO POSSÍVEIS SENTIDOS PARA OS AUTORRETRATOS DE VAN GOGH: o meio e as leituras de mundo impulsionando a criação artística Rosana Raposo Momentel, Joana Sanches-Justo Universidade do Oeste Paulista

Leia mais

Por que repetimos os mesmos erros

Por que repetimos os mesmos erros J.-D. Nasio Por que repetimos os mesmos erros Tradução: André Telles Neste livro, eu gostaria de mostrar como a minha experiência de psicanalista me levou a concluir que o inconsciente é a repetição. Normalmente,

Leia mais

Caminho, verdade e vida: Definições de Jesus; Marcas em seus discípulos (Jo.14:1-11)

Caminho, verdade e vida: Definições de Jesus; Marcas em seus discípulos (Jo.14:1-11) Caminho, verdade e vida: Definições de Jesus; Marcas em seus discípulos (Jo.14:1-11) Mensagem 1 A metáfora do Caminho Introdução: A impressão que tenho é que Jesus escreveu isto para os nossos dias. Embora

Leia mais

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

Semeadores de Esperança

Semeadores de Esperança Yvonne T Semeadores de Esperança Crônicas de um Convite à Vida Volume 11 Crônicas de um Convite à Vida Livre d IVI Convidados a Viver PREFÁCIO Estou comovida por escrever este prefácio : tudo o que se

Leia mais

Semblante, Letra e Passagem ao Ato na Psicose 1

Semblante, Letra e Passagem ao Ato na Psicose 1 Semblante, Letra e Passagem ao Ato na Psicose 1 Autor: Sandra Dias 2 Modalidade: Plenária Van Gogh que é sinônimo de estilo e revolucionou o campo das artes, não teve sua ex-sistência instaurada desde

Leia mais

Diálogo de Lama Lhundrup com os pacientes a um Hospital em Brasília (2005)

Diálogo de Lama Lhundrup com os pacientes a um Hospital em Brasília (2005) Diálogo de Lama Lhundrup com os pacientes a um Hospital em Brasília (2005) Lhundrup: Sou um monge budista. Estou muito contente em encontrar vocês. Vocês já encontraram um monge budista antes? Uma paciente:

Leia mais

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma.

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. PERTO DE TI Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. Jesus! Perto de ti, sou mais e mais. Obedeço a tua voz. Pois eu sei que tu és Senhor, o

Leia mais

RELEITURA E PROCESSO CRIATIVO: INTERVENÇÕES ARTÍSTICAS

RELEITURA E PROCESSO CRIATIVO: INTERVENÇÕES ARTÍSTICAS Anais da Semana de Pedagogia da UEM ISSN Online: 2316-9435 XX Semana de Pedagogia da UEM VIII Encontro de Pesquisa em Educação / I Jornada Parfor RELEITURA E PROCESSO CRIATIVO: INTERVENÇÕES ARTÍSTICAS

Leia mais

José da Fonte Santa. Magia Alentejana. Poesia e desenhos. Pesquisa e recolha de Isabel Fonte Santa. Edições Colibri

José da Fonte Santa. Magia Alentejana. Poesia e desenhos. Pesquisa e recolha de Isabel Fonte Santa. Edições Colibri José da Fonte Santa Magia Alentejana Poesia e desenhos Pesquisa e recolha de Isabel Fonte Santa Edições Colibri índice Nota Prévia 3 Prefácio 5 O Amor e a Natureza Desenho I 10 A rapariga mais triste do

Leia mais

A seguir enumeramos algumas caracteristicas do TBH:

A seguir enumeramos algumas caracteristicas do TBH: OQUEÉOTRANSTORNOBIPOLARDO HUMOR(TBH)? O transtorno bipolar do humor (também conhecido como psicose ou doença maníaco-depressiva) é uma doença psiquiátrica caracterizada por oscilações ou mudanças de humor

Leia mais

Alliance for Childhood Movimento Internacional

Alliance for Childhood Movimento Internacional Alliance for Childhood Movimento Internacional Palestrante: Christopher Clouder Presidente do Fellowship das escolas Waldorf para o reino Unido e Irlanda e o CEO do Conselho Europeu para a Educação Waldorf

Leia mais

Escola Municipal Professora Zezé Ribas. Premio Afago de Literatura. A política brasileira

Escola Municipal Professora Zezé Ribas. Premio Afago de Literatura. A política brasileira Aluno: Camila Aparecida Pinto Serie: 7º ano A política brasileira Na política brasileira, existe uma grande chaga aberta e crescente já se tornou grande praga. Doença maldita, domina e contamina a toda

Leia mais

Depressão e Qualidade de Vida. Dra. Luciene Alves Moreira Marques Doutorado em Psicobiologia pela UNIFESP

Depressão e Qualidade de Vida. Dra. Luciene Alves Moreira Marques Doutorado em Psicobiologia pela UNIFESP Depressão e Qualidade de Vida Dra. Luciene Alves Moreira Marques Doutorado em Psicobiologia pela UNIFESP 1 Percepções de 68 pacientes entrevistadas. 1. Sentimentos em relação à doença Sinto solidão, abandono,

Leia mais

By Dr. Silvia Hartmann

By Dr. Silvia Hartmann The Emo trance Primer Portuguese By Dr. Silvia Hartmann Dra. Silvia Hartmann escreve: À medida em que nós estamos realizando novas e excitantes pesquisas; estudando aplicações especializadas e partindo

Leia mais

VISITE O BLOG www.homemalpha.com.br

VISITE O BLOG www.homemalpha.com.br VISITE O BLOG www.homemalpha.com.br APRESENTAÇÃO A timidez é um problema que pode acompanhar um homem a vida inteira, tirando dele o prazer da comunicação e de expressar seus sentimentos, vivendo muitas

Leia mais

Palestra tudo O QUE VOCE. precisa entender. Abundância & Poder Pessoal. sobre EXERCICIOS: DESCUBRA SEUS BLOQUEIOS

Palestra tudo O QUE VOCE. precisa entender. Abundância & Poder Pessoal. sobre EXERCICIOS: DESCUBRA SEUS BLOQUEIOS Palestra tudo O QUE VOCE sobre precisa entender Abundância & Poder Pessoal EXERCICIOS: DESCUBRA SEUS BLOQUEIOS Como aprendemos hoje na palestra: a Lei da Atração, na verdade é a Lei da Vibracao. A frequência

Leia mais

Consternação. Beija-me mais uma vez. Tudo e nada Eu quero Um dilema Em que vivo!

Consternação. Beija-me mais uma vez. Tudo e nada Eu quero Um dilema Em que vivo! Amor perfeito À noite, o mar desponta Nos teus olhos doces No teu corpo, O doce brilho do luar Mexe a brisa Em teus cabelos negros E nessas mãos Tão cheias de carinho Encontro esse amor perfeito Que tens

Leia mais

Expressionismo. Surgiu na Alemanha entre 1.905 e 1.914.

Expressionismo. Surgiu na Alemanha entre 1.905 e 1.914. Expressionismo Expressionismo Surgiu na Alemanha entre 1.905 e 1.914. A expressão, empregada pela primeira vez em 1.911 na revista Der Sturm [A Tempestade], marca oposição ao Impressionismo francês. Para

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

Como saber que meu filho é dependente químico e o que fazer. A importância de todos os familiares no processo de recuperação.

Como saber que meu filho é dependente químico e o que fazer. A importância de todos os familiares no processo de recuperação. Como saber que meu filho é dependente químico e o que fazer A importância de todos os familiares no processo de recuperação. Introdução Criar um filho é uma tarefa extremamente complexa. Além de amor,

Leia mais

A que responde a Arte de Van Gogh?

A que responde a Arte de Van Gogh? Gisella Sette Lopes (relatora) 1 Maria Eliane Neves Baptista Rosa Maria de Lima Reis Rosane da Fonte gmsl@terra.com.br Resumo: Recortando a biografia de Van Gogh, o texto identifica momentos de irrupção

Leia mais

PINTAR, PARIR, PARAR JEANINE TOLEDO

PINTAR, PARIR, PARAR JEANINE TOLEDO "SE EU PUDESSE EXPLICAR MINHAS TELAS, ISSO SERIA CERTAMENTE UMA COISA INTELECTUAL. SE NÃO SE FOR ALÉM, É ALGO FRIO E MORTO; COISA DE TEÓRICO." (Miró) JEANINE TOLEDO É difícil determinar o processo de criação

Leia mais

Maria Cecília Schiller Sampaio Fonseca. Ao pensar sobre o tema dentro desse Encontro surgiram em minha mente vários

Maria Cecília Schiller Sampaio Fonseca. Ao pensar sobre o tema dentro desse Encontro surgiram em minha mente vários PARENTALIDADE : TORNAR-SE PAIS Maria Cecília Schiller Sampaio Fonseca (SBPSP - SBPRJ) Ao pensar sobre o tema dentro desse Encontro surgiram em minha mente vários pontos de partida e várias reflexões. É

Leia mais

Maria Beatriz, 12ºA, nº23

Maria Beatriz, 12ºA, nº23 Estes dois irmãos sofrem, obviamente, com os acontecimentos do passado, uma nãoinfância : duas crianças que tiveram de crescer sozinhos, cuidar um do outro e, juntos do irmão mais novo, lidar com uma mãe

Leia mais

Amar Dói. Livro De Poesia

Amar Dói. Livro De Poesia Amar Dói Livro De Poesia 1 Dedicatória Para a minha ex-professora de português, Lúcia. 2 Uma Carta Para Lúcia Querida professora, o tempo passou, mas meus sonhos não morreram. Você foi uma pessoa muito

Leia mais

Álbum: O caminho é o Céu

Álbum: O caminho é o Céu Álbum: O caminho é o Céu ETERNA ADORAÇÃO Não há outro Deus que seja digno como tu. Não há, nem haverá outro Deus como tu. Pra te adorar, te exaltar foi que eu nasci, Senhor! Pra te adorar, te exaltar foi

Leia mais

INTRODUÇÃO. A fragilidade do cristal não é fraqueza, mas pureza. Frase do filme Na natureza selvagem

INTRODUÇÃO. A fragilidade do cristal não é fraqueza, mas pureza. Frase do filme Na natureza selvagem INTRODUÇÃO A fragilidade do cristal não é fraqueza, mas pureza. Frase do filme Na natureza selvagem Quero tocar as estrelas Mas já sei Que não poderei Senti-las Pois a viagem É sem volta. Nash Ngaïve,

Leia mais

CONSTRUINDO CASTELOS SOBRE ORVALHO, BRINCAM CRIANÇAS E POETAS

CONSTRUINDO CASTELOS SOBRE ORVALHO, BRINCAM CRIANÇAS E POETAS CONSTRUINDO CASTELOS SOBRE ORVALHO, BRINCAM CRIANÇAS E POETAS Irmgard Birmoser de Matos Ferreira 1 Apresento aqui algumas reflexões sobre aspectos presentes na experiência do brincar que me parecem merecer

Leia mais

Aluno (a): Ana Paula Batista Pereira Série: 3º Ano do Ensino Médio Professora: Deysiane Maria Assis Zille. Água

Aluno (a): Ana Paula Batista Pereira Série: 3º Ano do Ensino Médio Professora: Deysiane Maria Assis Zille. Água Aluno (a): Ana Paula Batista Pereira Série: 3º Ano do Ensino Médio Professora: Deysiane Maria Assis Zille Água Tu és um milagre que Deus criou, e o povo todo glorificou. Obra divina do criador Recurso

Leia mais

CARTA ARGUMENTATIVA PROPOSTA DE LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS. Ronaldo Martins (http://www.ronaldomartins.pro.br)

CARTA ARGUMENTATIVA PROPOSTA DE LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS. Ronaldo Martins (http://www.ronaldomartins.pro.br) CARTA ARGUMENTATIVA Há algum tempo, o professor Rubem Alves fez publicar, na Folha de S. Paulo e em outros jornais, duas cartas, uma endereçada ao empresário Roberto Marinho (texto complementar 1), e outra

Leia mais

Simbolicamente, associo o girassol àquele que busca e se volta diariamente em direção a luz.

Simbolicamente, associo o girassol àquele que busca e se volta diariamente em direção a luz. A JANELA DA RECUPERAÇÃO Autora: Marília Teixeira Martins UNIVERSO ADICTO Muitos de vocês já me ouviram dizer ou escrever, que a minha vida tem Deus, música e um girassol na janela. Quero falar um pouco

Leia mais

Como você pode se livrar da Depressão, Surpreenda-se! SUMÁRIO

Como você pode se livrar da Depressão, Surpreenda-se! SUMÁRIO 1 SUMÁRIO A História... 2 Vários pensamentos... 2 Ódio... 2 Pena de MIM... 3 Sem controle sobre a minha mente... 4 Tristeza Profunda... 4 Falta de compreensão... 5 A cura... 6 Basta este dia... 8 Um novo

Leia mais

Acólitos. São João da Madeira. Cancioneiro

Acólitos. São João da Madeira. Cancioneiro Acólitos São João da Madeira Cancioneiro Índice Guiado pela mão...5 Vede Senhor...5 Se crês em Deus...5 Maria a boa mãe...5 Quanto esperei por este momento...6 Pois eu queria saber porquê?!...6 Dá-nos

Leia mais

O que é Distúrbio Bipolar Bipolar Disorder Source - NIMH

O que é Distúrbio Bipolar Bipolar Disorder Source - NIMH O que é Distúrbio Bipolar Bipolar Disorder Source - NIMH Distúrbio Bipolar, também conhecido como mania e depressão, é uma desordem do cérebro que causa mudanças não previstas no estado mental da pessoa,

Leia mais

Pós - Impressionismo. (1880 a 1905 = França Paris) 8ºs Anos 2015 4º Bimestre Artes Prof. Juventino

Pós - Impressionismo. (1880 a 1905 = França Paris) 8ºs Anos 2015 4º Bimestre Artes Prof. Juventino Pós - Impressionismo (1880 a 1905 = França Paris) 8ºs Anos 2015 4º Bimestre Artes Prof. Juventino Não foi um Movimento Não houve um grupo de artistas que se reuniam para debates acadêmicos. Eram artistas

Leia mais

Concurso Literário. O amor

Concurso Literário. O amor Concurso Literário O Amor foi o tema do Concurso Literário da Escola Nova do segundo semestre. Durante o período do Concurso, o tema foi discutido em sala e trabalhado principalmente nas aulas de Língua

Leia mais

Rotary International Distrito 4570 Programa de Intercâmbio Internacional de Jovens

Rotary International Distrito 4570 Programa de Intercâmbio Internacional de Jovens Rotary International Distrito 4570 Programa de Intercâmbio Internacional de Jovens Depoimentos de Intercambistas Brasileiros 2 Carolina Castro foi aos Estados Unidos em 2011 Programa Longa Duração O ano

Leia mais

Entrelaçamentos entre Arte e Interpretação na Clínica Extensa Leila Souza Alves de Araújo

Entrelaçamentos entre Arte e Interpretação na Clínica Extensa Leila Souza Alves de Araújo Entrelaçamentos entre Arte e Interpretação na Clínica Extensa Leila Souza Alves de Araújo Entrelaçamentos entre Arte e Interpretação é o que se busca promover a partir da realização do Projeto Transformador:

Leia mais

coleção Conversas #2 Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça.

coleção Conversas #2 Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça. coleção Conversas #2 Positivo, o que e u faç o Deu Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. A coleção CONVERSAS da Editora AfroReggae nasceu com o desejo de facilitar

Leia mais

IDENTIDADE E AUTORRETRATO

IDENTIDADE E AUTORRETRATO IDENTIDADE E AUTORRETRATO Greice Silveira Monica Neves Rodrigues Justificativa O desenho é de grande importância na construção da identidade da criança, colocando-a presente no mundo, criando relações

Leia mais

Convite. Poesia é brincar com palavras como se brinca com bola, papagaio, pião. Só que bola, papagaio, pião de tanto brincar se gastam.

Convite. Poesia é brincar com palavras como se brinca com bola, papagaio, pião. Só que bola, papagaio, pião de tanto brincar se gastam. Convite Poesia é brincar com palavras como se brinca com bola, papagaio, pião. Só que bola, papagaio, pião de tanto brincar se gastam. As palavras não: quanto mais se brinca com elas mais novas ficam.

Leia mais

Furor suave. O Ar. À beira mar Está um homem a pescar Peixe está a apanhar E sem nunca parar. (Pedro Ernesto, 10 anos)

Furor suave. O Ar. À beira mar Está um homem a pescar Peixe está a apanhar E sem nunca parar. (Pedro Ernesto, 10 anos) 6 Furor suave Vou fazer um poema com ar; mas não é com este ar. Qual ar? Este, aqui, este ar. Este qual? O que se respira? Sim, esse, não é com o que se respira, é com o ar de ar. Qual ar? Queres dizer

Leia mais

DONNEFAR SKEDAR CADAVÉRICO

DONNEFAR SKEDAR CADAVÉRICO CADAVÉRICO DONNEFAR SKEDAR CADAVÉRICO 3 Edição ELEMENTAL EDITORAÇÃO Copyright 2013 DONNEFAR SKEDAR, CADAVÉRICO 3 EDIÇÃO JANEIRO 2015 CAPA: DONNEFAR SKEDAR FOTO DA CAPA: PETR KRATOCHVIL DIAGRAMAÇÃO E EDIÇÃO:

Leia mais

O PASTOR AMOROSO. Alberto Caeiro. Fernando Pessoa

O PASTOR AMOROSO. Alberto Caeiro. Fernando Pessoa O PASTOR AMOROSO Alberto Caeiro Fernando Pessoa Este texto foi digitado por Eduardo Lopes de Oliveira e Silva, no Rio de Janeiro, em maio de 2006. Manteve-se a ortografia vigente em Portugal. 2 SUMÁRIO

Leia mais

Garrido Quevedo. Diálogo com um artista adventista chileno. Entrevistado por Enrique Becerra

Garrido Quevedo. Diálogo com um artista adventista chileno. Entrevistado por Enrique Becerra Perfil Ramón Rolando Garrido Quevedo Diálogo com um artista adventista chileno Entrevistado por Enrique Becerra nasceu na cidade de Concepción, na região centro-sul do Chile. A mãe o descreveu como um

Leia mais

TESTEMUNHOS HOSPITALEIROS

TESTEMUNHOS HOSPITALEIROS TESTEMUNHOS HOSPITALEIROS Feliz por gastar a vida servindo Emília da Conceição Nogueira Irmã Hospitaleira do Sagrado Coração de Jesus 1. Dados biográficos e vocação 2. Jesus continua a fascinar-me 3. Cem

Leia mais

1. QUAL É O MANDAMENTO?

1. QUAL É O MANDAMENTO? FAZER DISCÍPULOS Texto: Mateus 28:18-20 (18) E, aproximando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra. (19) Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os

Leia mais

Relaxamento: Valor: Técnica: Fundo:

Relaxamento: Valor: Técnica: Fundo: Honestidade Honestidade Esta é a qualidade de honesto. Ser digno de confiança, justo, decente, consciencioso, sério. Ser honesto significa ser honrado, ter um comportamento moralmente irrepreensível. Quando

Leia mais

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak Entrevista com Ezequiel Quem é você? Meu nome é Ezequiel, sou natural do Rio de Janeiro, tenho 38 anos, fui

Leia mais

PILARES DA VIDA LIVRO DE POESIAS. Pensar, Refletir, Amar e ter Amigos é a Maneira do Ser Humano Viver.

PILARES DA VIDA LIVRO DE POESIAS. Pensar, Refletir, Amar e ter Amigos é a Maneira do Ser Humano Viver. PILARES DA VIDA LIVRO DE POESIAS Pensar, Refletir, Amar e ter Amigos é a Maneira do Ser Humano Viver. ELDER DE SOUZA PINTO CAPITULO I: REFLEXÕES E PENSAMENTOS A ARTE DE SER Ser é a arte de se inventar

Leia mais

TRANSTORNO BIPOLAR as duas faces do humor

TRANSTORNO BIPOLAR as duas faces do humor TRANSTORNO BIPOLAR as duas faces do humor Há dias em que a euforia bate no céu. Em outros a depressão leva ao fundo do poço. A novidade sobre essa gangorra de emoções é que os cientistas confirmam a suspeita

Leia mais

Isso marca o início de uma nova e importante era para os pacientes, cuidadores e seus familiares.

Isso marca o início de uma nova e importante era para os pacientes, cuidadores e seus familiares. 1 Manual do Paciente Você não está sozinho Qualquer pessoa pode vir a desenvolver algum tipo de câncer ao longo da vida. No ano passado de 2008, mais de 1,3 milhões de novos cânceres foram diagnosticados

Leia mais

Estudo de Caso. Cliente: Cristina Soares. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Cristina Soares. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Cristina Soares Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Quando decidi realizar meu processo de coaching, eu estava passando por um momento de busca na minha vida.

Leia mais

MESTRES DAS ARTES SUPLEMENTO DIDÁTICO. Elaborado por

MESTRES DAS ARTES SUPLEMENTO DIDÁTICO. Elaborado por MESTRES DAS ARTES VINCENT VAN GOGH De Mike Venezia (Formado em Belas-Artes pelo Instituto de Artes de Chicago, EUA. Desde 1978 escreve e ilustra livros sobre arte, música e história para crianças e jovens.

Leia mais

JOSÉ ARAÚJO CISNE BRANCO

JOSÉ ARAÚJO CISNE BRANCO CISNE BRANCO 1 2 JOSÉ ARAÚJO CISNE BRANCO 3 Copyright 2011 José Araújo Título: Cisne Branco Editoração e Edição José Araújo Revisão e diagramação José Araújo Capa José Araújo Classificação: 1- Literatura

Leia mais

UM JEITO DE AMAR A VIDA

UM JEITO DE AMAR A VIDA UM JEITO DE AMAR A VIDA Maria do Carmo Chaves CONSCIÊNCIA DO MUNDO FICHA TÉCNICA EDIÇÃO: Vírgula (Chancela Sítio do Livro) TÍTULO: Um jeito de amar a vida AUTORA: Maria do Carmo Chaves (escreve de acordo

Leia mais

Alívio. Aquieta tuas tristezas, medos, angústias de desecrenças, no vasto ombro que ofereço. Hospeda no meu peito suas dores.

Alívio. Aquieta tuas tristezas, medos, angústias de desecrenças, no vasto ombro que ofereço. Hospeda no meu peito suas dores. Alívio Aquieta tuas tristezas, medos, angústias de desecrenças, no vasto ombro que ofereço. Hospeda no meu peito suas dores mais íntimas que te alivio com cafuné. As carícias de seu couro cabeludo nas

Leia mais

A RELAÇÃO HOMEM-TRABALHO DE PORTADORES DE HIV, DOENTES OU NÃO DE AIDS

A RELAÇÃO HOMEM-TRABALHO DE PORTADORES DE HIV, DOENTES OU NÃO DE AIDS A RELAÇÃO HOMEM-TRABALHO DE PORTADORES DE HIV, DOENTES OU NÃO DE AIDS Mariana Tironi de Camargo Mariana Gonçales Gerzeli Francisco Hashimoto Resumo: A presente pesquisa tem por objetivo compreender como

Leia mais

UNIP - SP, Outubro de 2005

UNIP - SP, Outubro de 2005 7º. Congresso Internacional de Psicoterapia Corporal UNIP - SP, Outubro de 2005 Em busca do corpo Margarida Calligaris Mamede São Paulo - 2005 1 Em busca do corpo * Margarida Calligaris Mamede ** I )Introdução

Leia mais

O livro por escrever. Poderiam ser o início de um livro Fosse eu capaz de as libertar!

O livro por escrever. Poderiam ser o início de um livro Fosse eu capaz de as libertar! O livro por escrever Poderiam ser o início de um livro, estas palavras De um livro sem princípio nem fim Aquele espaço em que para me encontrar Teria de me ausentar por uma eternidade Afastar-me dos sons

Leia mais

Latusa digital ano 4 N 28 maio de 2007

Latusa digital ano 4 N 28 maio de 2007 Latusa digital ano 4 N 28 maio de 2007 O objeto de arte * Romildo do Rêgo Barros ** Vocês certamente conhecem a história de Apeles, o célebre pintor da antiguidade que, escondido atrás de uma cortina,

Leia mais

Concurso Literário do Ensino Fundamental II

Concurso Literário do Ensino Fundamental II Concurso Literário do Ensino Fundamental II Apresentação Inúmeros poetas escreveram e escrevem sobre o amor. Trata-se de um tema inesgotável que foi eternizado em poemas felizes, tristes, esperançosos

Leia mais

Vós sois deuses, pois brilhe a vossa a luz! Jesus

Vós sois deuses, pois brilhe a vossa a luz! Jesus CURSO DE DESENVOLVIMENTO HUMANO E ESPIRITUAL DESCUBRA A ASSINATURA DE SUAS FORÇAS ESPIRITUAIS Test Viacharacter AVE CRISTO BIRIGUI-SP Jul 2015 Vós sois deuses, pois brilhe a vossa a luz! Jesus I SABER

Leia mais

Ainda que eu falasse a língua dos homens e falasse a língua dos anjos, se não tivesse amor, Seria como o metal que soa ou como o sino que tine e

Ainda que eu falasse a língua dos homens e falasse a língua dos anjos, se não tivesse amor, Seria como o metal que soa ou como o sino que tine e Márcia Cristina Braga Má Companhia Agradecimentos Á Deus por me presentear com o dom maravilhoso de escrever À minha mãe que sempre me incentivou com suas palavras de carinho A todas as pessoas que me

Leia mais

Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar

Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar CATEGORIAS OBJECTIVOS ESPECÍFICOS S. C. Sim, porque vou para a beira de um amigo, o Y. P5/E1/UR1 Vou jogar à bola, vou aprender coisas. E,

Leia mais

Arte da Capa: Arte Digital: Luiz Alberto Costa

Arte da Capa: Arte Digital: Luiz Alberto Costa Arte da Capa: Arte Digital: Luiz Alberto Costa Esclarecimento Este trabalho nasceu após os estudos que fiz com Dr Moacyr Castellani sobre Psicologia Integral. Na bibliografia recomendada, dentre outros

Leia mais

DOUTRINAS BÁSICAS DA VIDA CRISTÃ

DOUTRINAS BÁSICAS DA VIDA CRISTÃ EBD DOUTRINAS BÁSICAS DA VIDA CRISTÃ DOUTRINAS BÁSICAS DA VIDA CRISTÃ OLÁ!!! Sou seu Professor e amigo Você está começando,hoje, uma ETAPA muito importante para o seu CRESCIMENTO ESPIRITUAL e para sua

Leia mais

Atribuam ao Senhor glória e força (...) A voz do Senhor é poderosa; a voz do Senhor é majestosa. Salmos 29.1 e 4

Atribuam ao Senhor glória e força (...) A voz do Senhor é poderosa; a voz do Senhor é majestosa. Salmos 29.1 e 4 Precisa-se de Pais Espirituais Objetivo do Senhor: - Glorificar o nome de Deus, revelar Seu poder e beleza e atribuir a Ele toda glória. - Provocar o desejo de marcar significativamente a sua descendência/

Leia mais

Modelos de Mensagens para Homenagens Mais Utilizadas

Modelos de Mensagens para Homenagens Mais Utilizadas 1012. Stylo Formaturas Produtora Agenciamento e Produção de Formaturas A jornada pareceu árdua e difícil... O desânimo tentou se apossar por vezes... Entretanto, o lembrar de suas faces preocupadas E tanto

Leia mais

Encontrando uma tábua de salvação, 13 O exercício do luto, 17 A folha de bordo cor de prata: uma pequena história, 19

Encontrando uma tábua de salvação, 13 O exercício do luto, 17 A folha de bordo cor de prata: uma pequena história, 19 Sumário Introdução, 11 Encontrando uma tábua de salvação, 13 O exercício do luto, 17 A folha de bordo cor de prata: uma pequena história, 19 Vencendo os obstáculos, 27 Pau e pedra, 31 Fortalecendo os laços,

Leia mais

Um nome para Van Gogh Caciana Linhares 1

Um nome para Van Gogh Caciana Linhares 1 Um nome para Van Gogh Caciana Linhares 1 Até o momento, no entanto, a solidão não me incomodou muito, de tão interessante eu achei o sol mais forte e seu efeito sobre a natureza. Vincent Van Gogh Vincent

Leia mais

POESIAS. Orientação: Professora Keila Cachioni Duarte Machado

POESIAS. Orientação: Professora Keila Cachioni Duarte Machado POESIAS Orientação: Professora Keila Cachioni Duarte Machado A flor amiga O ser mais belo e culto Emoções e corações Sentimentos envolvidos Melhor amiga e amada O seu sorriso brilha como o sol Os seus

Leia mais

Apresentação do Serviço de Psicologia. Roberta de Siqueira Meloso (coordenadora Psicologia CRI-Norte) Mário Amore Cecchini (Psicólogo CRI-Norte)

Apresentação do Serviço de Psicologia. Roberta de Siqueira Meloso (coordenadora Psicologia CRI-Norte) Mário Amore Cecchini (Psicólogo CRI-Norte) Sejam bem vindos no Apresentação do Serviço de Psicologia Roberta de Siqueira Meloso (coordenadora Psicologia CRI-Norte) Mário Amore Cecchini (Psicólogo CRI-Norte) CRI Norte C.R.I. - Centro de Referencia

Leia mais

sinalização (eventos) back2black 2011 (desenvolvido com equipe Rico Lins + Studio)

sinalização (eventos) back2black 2011 (desenvolvido com equipe Rico Lins + Studio) sinalização (eventos) back2black 2011 (desenvolvido com equipe Rico Lins + Studio) sinalização (eventos) back2black 2011 (desenvolvido com equipe Rico Lins + Studio) sinalização (eventos) back2black 2013

Leia mais

Entrevista com Dr. Alcides de Souza

Entrevista com Dr. Alcides de Souza Entrevista com Dr. Alcides de Souza sexta-feira, fevereiro 04, 2011 http://nucleotavola.com.br/revista/entrevista-com-dr-alcides-de-souza/ por Lucas Arantes e Luis Fernando S. Souza-Pinto A entrevista

Leia mais