MESTRES DAS ARTES SUPLEMENTO DIDÁTICO. Elaborado por

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MESTRES DAS ARTES SUPLEMENTO DIDÁTICO. Elaborado por"

Transcrição

1 MESTRES DAS ARTES VINCENT VAN GOGH De Mike Venezia (Formado em Belas-Artes pelo Instituto de Artes de Chicago, EUA. Desde 1978 escreve e ilustra livros sobre arte, música e história para crianças e jovens. SUPLEMENTO DIDÁTICO Elaborado por Rosa Iavelberg Pós-graduada em Arte-educação pela Escola de Comunicações e Artes da USP. Trabalhou na elaboração dos PCNs de Arte e atualmente leciona no Departamento de Metodologia de Ensino da Faculdade de Educação da USP. Luciana Arslan Mestre em Artes Visuais, leciona no ensino fundamental e médio da Escola de Aplicação da USP e em cursos de capacitação de professores. Professor Neste suplemento você encontrará duas sugestões de projetos pedagógicos para desenvolver com alunos do ensino fundamental: a primeira é destinada a turmas de 1 a a 4 a série do ensino fundamental; a segunda, a turmas a partir da 5 a série. Cada um desses projetos tem como base o conteúdo do livro estudado. Para apoiar o trabalho do professor são aprofundadas questões sobre o movimento a que pertence o artista, além da contextualização de uma de suas obras. Fica a critério do professor aproveitar as atividades para outros projetos, adaptando-as ao perfil de sua turma. A Editora

2 POR QUE TRABALHAR COM VAN GOGH? Vincent van Gogh foi um artista de personalidade incomum, cuja biografia está refletida em imagens, episódios e ambientes figurados de maneira surpreendente e expressiva. As pinceladas são visíveis em muitas das imagens de Van Gogh, e a exacerbação dos aspectos expressivos salta à vista na leitura de suas obras. Desde criança Van Gogh se sentia diferente dos garotos da sua idade. Como artista pintou coisas tão novas que eram compreendidas por poucas pessoas. Teve dificuldade para sobreviver do trabalho de sua arte; o reconhecimento como artista só veio após sua morte. Esse fato abre caminho para a discussão a respeito do valor estético e do valor econômico da arte e sobre o papel da crítica de arte na sociedade. Estudar Van Gogh é estudar os elementos relevantes da pintura, como forma e movimento, luz e cor, pois entre os artistas ele talvez seja um dos que mais alcançaram a graça de revelar estados de espírito em imagens exuberantes. Van Gogh também tornou-se obstinado pela sua arte, produziu muito e com enorme disciplina. Seus problemas psicológicos, as crises de depressão são parte de sua biografia, e o fato de Van Gogh produzir melhor quando não estava mentalmente perturbado pode levar a uma reflexão sobre a relação entre arte e saúde mental, temática recorrente tanto na psicanálise como na saúde. Nesse sentido, o tema transversal Saúde proposto nos documentos dos Parâmetros Curriculares Nacionais pode ser aprofundado. Observação: As biografias de Van Gogh e Gauguin podem ser estudadas em conjunto, porque suas vidas se cruzaram em episódios retratados nas imagens. 2

3 SUGESTÃO DE PROJETO PEDAGÓGICO PARA TURMAS DE 1 a A 4 a SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL: CÉUS Objetivo Refletir sobre a diversidade de representações expressivas a partir de um mesmo tema, o céu, tendo como ponto de partida a prática artística e a leitura das obras de Van Gogh. Conteúdos gerais (com referência nos PCNs de Arte) Seleção e tomada de decisões com relação a materiais, técnicas, instrumentos na construção das formas visuais. Identificação e reconhecimento de algumas técnicas e procedimentos artísticos presentes nas obras visuais. Contato freqüente, leitura e discussão de textos simples, imagens e informações orais sobre artistas, suas biografias e suas produções. Conteúdos do projeto Observação da natureza e suas várias representações no bidimensional. Vida e obra de Van Gogh. Desenho de paisagens celestes, acompanhadas ou não de outros elementos, utilizando diversos recursos, como observação de fotos, de pinturas, da natureza, desenho de memória e de imaginação. Temas transversais: Saúde, Trabalho e Consumo (ocupação e remuneração). Trabalho interdisciplinar: Ciências e Geografia (Astronomia). ATIVIDADE PARA ANTES DA LEITURA Sensibilizando os alunos Peça a cada aluno que desenhe na lousa um elemento do céu: nuvens, estrelas, lua e sol poderão fazer parte desse exercício. Comente cada uma das representações. Qual expressa melhor o tema proposto? Qual se distancia mais? Qual é mais interessante ou agradável de ser vista? Alguém conseguiu dar a idéia de brilho ou de luz nos desenhos? Existe somente uma maneira de desenhar uma nuvem, as estrelas, o sol? Mostre aos alunos duas obras em que Van Gogh tenha representado o céu de maneiras diferentes (não use o quadro Noite estrelada, pois ele será estudado mais tarde). As pinturas sugeridas para esta atividade são: Os ciprestes (página 23) e Oliveiras (páginas 24 e 25). Distribua pedaços pequenos de papel e giz de cera aos alunos. Peça a eles que desenhem variações de céu. Por exemplo: um céu com vento e um céu nublado, uma lua pouco brilhante e outra muito brilhante, um sol quente e outro frio, um céu em dia chuvoso. Você pode sugerir muitas variações. Coloque todos os desenhos no chão para uma avaliação coletiva sobre a maneira como foram desenhados, sobre o modo como os alunos expressaram suas intenções. Comente os recursos utilizados por eles para transmitir as sensações de brilho, calor, etc. ATIVIDADES PARA DURANTE A LEITURA Orientações para ler o livro em sala de aula Para os alunos da 1 a série, o livro pode ser lido em voz alta, em uma roda. Para as demais séries, proponha a leitura individual. Conte a eles que Vincent, além da pintura, conseguia expressar-se muito bem por meio de textos: ele adorava escrever cartas, principalmente para o irmão. 3

4 No caso dos alunos alfabetizados, sugira que, após a leitura, releiam a página 12 e escrevam uma carta imaginária para Van Gogh, comentando suas obras e emitindo uma opinião sobre elas, dizendo, por exemplo, qual pintura apreciaram mais e gostariam de ter na parede de casa. Leia algumas cartas em voz alta e peça aos alunos que tentem imaginar como seria a reação de Van Gogh ao recebê-las. Roteiro de apreciação da obra reproduzida no livro: Noite estrelada (página 22) Professor, conduza o exercício de leitura da obra de arte na forma de perguntas, para instigar a observação da imagem e abrir a imaginação dos alunos. Alguns exemplos: Existem habitações nesse quadro? Como é a vegetação? Há pessoas representadas? Existe luz acesa em algum lugar? Será que há luz elétrica? Dá para ver algum poste, antena ou fios elétricos? Qual hora do dia parece ter sido retratada? Como foi pintado o céu? Qual o movimento da pincelada? Quantas cores você identifica no céu? O que podemos ver no céu? Estrelas? Lua? Como foram representadas? Podemos ter uma idéia da temperatura? Contextualização (veja quadro na página 7 deste suplemento) ATIVIDADES PARA DEPOIS DA LEITURA Produção Os alunos deverão observar vários céus. Assim como Vincent, eles podem observar imagens científicas e inventar novas formas de representação para nuvens, estrelas, lua, sol... Dê como ponto de partida a pintura de dois céus diferentes: um diurno e um noturno. Para inspirar mais seus alunos, coloque na lousa um trecho de uma carta de Van Gogh destinada à sua irmã Wilhelmina, escrita em 1888: É evidente que para pintar um céu estrelado não é de forma alguma suficiente colocar pontos brancos sobre um fundo azul [...]. Quero agora absolutamente pintar um céu estrelado. Freqüentemente me parece que a noite é ainda mais ricamente colorida que o dia, colorida de violetas, de azuis e os mais intensos verdes. Quando você prestar atenção verá que certas estrelas são cor limão, outras têm brilho cor-de-rosa, verde, azul, miosótis. Lembre os alunos de que a cor e a pincelada eram recursos utilizados por Vincent para que seus céus ficassem tão vivos. Deixe-os livres para representar no céu o que desejarem: cavalos alados, naves etc. Avaliação Você pode propor uma exposição diferente, em que as pinturas fiquem expostas no teto da sala. Avalie as pinturas coletivamente, pedindo a opinião dos alunos sobre os trabalhos. Variações Trabalhe o livro de Van Gogh com metade da sala e o livro do Gauguin (da mesma coleção) com a outra metade. Estabeleça uma troca de correspondência imaginária entre Vincent van Gogh e Paul Gauguin. Peça que nas cartas um artista comente a pintura do outro. Será uma ótima oportunidade de introduzir e exercitar o vocabulário utilizado na crítica de arte. 4

5 SUGESTÃO DE PROJETO PEDAGÓGICO PARA TURMAS A PARTIR DA 5 a SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL: CONSTRUÇÃO DE PAISAGENS COM DIFERENTES PLANOS Objetivo A partir da observação das paisagens pintadas por Vincent van Gogh, orientar a construção de uma paisagem articulando alguns recursos expressivos, como o tratamento de diferentes planos, a utilização da cor como elemento da composição e o uso significativo das pinceladas. Conteúdos gerais (com referência nos PCNs de Arte) Observação, análise, utilização dos elementos da linguagem visual e suas articulações nas imagens produzidas. Contato sensível e análise de formas visuais presentes nos próprios trabalhos, nos dos colegas, na natureza e nas diversas culturas, percebendo elementos comuns e específicos de sistemas formais (natureza e cultura). Representação e comunicação das formas visuais, concretizando as próprias intenções e aprimorando o domínio dessas ações. Conteúdos do projeto Pinceladas como recurso expressivo. Diferentes planos em uma paisagem. Pintura de paisagem. Temas transversais: Saúde, Trabalho e Consumo (ocupação e remuneração). Trabalho interdisciplinar: Ciências e Geografia (Astronomia). ATIVIDADE PARA ANTES DA LEITURA Sensibilizando os alunos Distribua fotocópias de pinturas de Vincent van Gogh para que os alunos as di- vidam em planos (você pode pedir que eles recortem e separem os diversos planos). Vamos tomar como exemplo a obra Casa de fazenda em Provença (página 11 do livro): 1 o plano: parte inferior até o muro e o portão; 2 o plano: casa amarela, montes de feno e árvores; 3 o plano: montanha, casas e árvores menores. Indique para os alunos como fica a proporção das figuras, que diminuem à medida que se distanciam do observador e ajudam na diferenciação dos planos e na sensação de profundidade. Instigue-os a pensar. Qual foi o ponto de vista do pintor? Onde está a linha do horizonte? ATIVIDADES PARA DURANTE A LEITURA Orientações para ler o livro em sala de aula Peça aos alunos que comentem e listem características comuns às pinturas reproduzidas no livro, como, por exemplo: linhas e formas espiraladas, onduladas; pinceladas fortes, energéticas e bem marcadas; contornos escuros; cores misturadas na tela; grande variedade de tons; tinta grossa etc. Após a leitura, comente com os alunos a diferença entre as primeiras e as últimas pinturas de Van Gogh (realizadas em Arles e Saint-Rémy-de-Provence). Peça que escolham em grupo a obra reproduzida no livro de que eles mais gosta- 5

6 ram e que sentimento experimentaram ao observá-la. Roteiro de apreciação da obra reproduzida no livro: Noite estrelada (página 22) Algumas sugestões de perguntas para você conduzir a leitura da obra: O que se vê nessa pintura? O que aparece no 1 o, no 2 o e no 3 o plano da obra? Existem habitações? Descreva-as. Que lugar é esse? Como é a vegetação? E o céu? Temos a sensação da temperatura desse lugar? (frio, calor, tempo úmido ou seco) Que hora do dia (ou da noite) está representada? A paisagem transmite tristeza, calma, marasmo, agitação? Quantas cores e tons conseguimos observar? Como são as pinceladas? Elas emprestam alguma sensação à pintura? Que movimento conseguimos perceber? O que mais chama a atenção nessa obra? Que sensação ela transmite? O artista parece ter pintado esse lugar de memória, pela observação ou usando a imaginação? Qual o ponto de vista do observador? Que sentimento esse quadro transmite a você? Contextualização (veja quadro na página 7 deste suplemento) ATIVIDADES PARA DEPOIS DA LEITURA Produção Solicite aos alunos que construam uma paisagem. Determine uma seqüência de trabalho que poderá ajudá-los na vivência do que foi discutido anteriormente. Peça que pensem sobre o que colocarão em sua pintura: prédios, casas, céu, mar... Em seguida, eles deverão desenhar apenas os elementos que vão aparecer no 1 o plano. Depois devem acrescentar os elementos que aparecerão no 2 o plano. Por último eles irão desenhar os elementos que aparecem no 3 o plano. Peça-lhes que pintem suas paisagens emprestando às pinceladas algum movimento que ressalte a característica do lugar representado ou a sensação que pretendem transmitir por meio da pintura. Recorde aos alunos que as cores ajudam a destacar as sensações que eles querem ressaltar. Avaliação A partir da exposição em sala de aula, incentive os alunos a falar sobre os trabalhos. Interfira para apontar aqueles que apresentam soluções diferentes ou semelhantes. Pergunte aos alunos como foi pintar uma paisagem a partir do roteiro sugerido. É importante nesse momento você esclarecer que os pintores acabam inventando seus próprios métodos de trabalho: incentive os alunos a pintar novas paisagens, dessa vez tentando um processo mais individual. Variações Peça que os alunos desenhem paisagens usando recursos diferentes como memória, observação e imaginação. Você pode leválos para desenhar e pintar paisagens ao ar livre. 6

7 CONTEXTUALIZAÇÃO: PÓS-IMPRESSIONISMO EM NOITE ESTRELADA O termo pós-impressionismo foi usado pelo artista e crítico de arte inglês Roger Fry em referência a um grupo de artistas, de características bastante diferentes, que sucederam o movimento impressionista, entre eles Van Gogh, Cézanne, Seurat e Toulouse-Lautrec. Os pós-impressionistas possuíam em comum apenas a preocupação mais acentuada com o tratamento das formas, em oposição ao interesse único dos impressionistas com os fenômenos visuais e da luz. Noite estrelada pertence ao período final da obra de Vincent van Gogh. Ele o pintou no hospício, em Saint-Rémy-de- Provence, logo após uma sucessão de crises psicológicas que culminaram no trágico episódio em que cortou sua orelha. Se para alguns críticos de arte o quadro Noite estrelada representa um estado de alucinação ou de profundo misticismo do autor, para outros a pintura revela uma perfeita sintonia com a natureza. A visão das estrelas como grandes bolas de fogo e das nebulosas em espiral gerou discussões astronômicas contemporâneas a Van Gogh. Sabe-se que o artista sempre demonstrou interesse pela astronomia na pintura Noite estrelada, muitos identificam a estrela Vênus e a constelação de Áries. A imagem meio lua, meio sol também resulta em muitas interpretações: se Van Gogh passou várias noites pintando o quadro, não poderia ter pintado a lua em suas diferentes fases, sobrepondoas? A igreja estaria propositadamente pequena diante do agitado cipreste e da energia celestial? Muitas interpretações são possíveis diante dessa obra que permite inúmeros caminhos interpretativos. Van Gogh também pode ser considerado um precursor do expressionismo, pois em suas pinturas a subjetividade possui um papel significativo diante da natureza. PARA SABER MAIS Paisagem Quadro em que o tema principal é uma representação de formas naturais, de lugares campestres, seja parque ou floresta, freqüentemente abarcando uma considerável área e distâncias, podendo incluir figuras para dar uma sensação de escala, mas é inteiramente subordinada à vista como um todo.[...] Muitas teorias e técnicas têm buscado captar os aspectos naturais das sempre mutáveis condições do ar, da luz e do tempo. (Dicionário de termos artísticos) Plano do quadro Diz-se da superfície vertical da tela, em relação à qual foram arranjados os vários elementos de uma pintura. Embora corresponda a uma coisa concreta, básica para a aplicação da perspectiva, trata-se de algo de maior valor conceitual do que real, uma vez que, na pintura ilusionista, as imagens alcançam conotações virtuais, parecendo ora afastar-se do plano do quadro, ora flutuar na frente dele. (Dicionário de termos artísticos) 7

8 ONDE ENCONTRAR, NO BRASIL, ALGUMAS OBRAS ORIGINAIS DE VAN GOGH? No Museu de Arte de São Paulo: Natureza morta com flores,1886, óleo sobre tela, 54 x 45 cm. Banco de pedra, 1889, óleo sobre tela, 40 x 48 cm. Passeio no crepúsculo,1889, óleo sobre tela, 49 x 45 cm. Arlesiana,1890, óleo sobre tela, 64 x 54 cm. O escolar,1890, óleo sobre tela, 63 x 54 cm. BIBLIOGRAFIA Van Gogh ARTAUD, A. Van Gogh: o suicidado da sociedade. Lisboa: Hiena,1993. COLI, J. Vincent van Gogh: a noite estrelada. São Paulo: Brasiliense,1985. VAN GOGH, V. Cartas a Theo. Porto Alegre: L&PM,1986. Arte-educação ARGAN, G. C. Arte Moderna. São Paulo: Companhia das Letras, BARBOSA, A. M. Arte-educação: conflitos / acertos. São Paulo: Ateliê Editorial, A imagem do ensino da arte: anos oitenta e novos tempos. São Paulo / Porto Alegre: Perspectiva / Fundação Iochpe, Arte-educação no Brasil: das origens ao modernismo. São Paulo: Perspectiva,1997. GOMBRICH, E. H. Arte e ilusão. São Paulo: Edusp,1992. IAVELBERG, Rosa. Para gostar de aprender arte: sala de aula e formação de professores. Porto Alegre: Artmed, JANSON, H. W. Iniciação à História da Arte. São Paulo: Martins Fontes, MARTINS, M. C. et alii. Didática de ensino de arte: a língua do mundo Poetizar, fruir e conhecer arte. São Paulo: FTD, PARSONS, M. J. Compreender a arte. 1. ed. Lisboa: Presença, ROSSI, M. H. W. A compreensão das imagens da arte. Arte & Educação em revista. Porto Alegre: UFRGS / Iochpe. I: 27-35, out DICIONÁRIOS DICIONÁRIO OXFORD DE ARTE. São Paulo: Martins Fontes,1996. READ, Herbert (org.). Dicionário da arte e dos artistas. Lisboa: Edições 70, MARCONDES, Luís Fernando (org.). Dicionário de termos artísticos. Rio de Janeiro: Pinakotheke,1988.

MESTRES DAS ARTES SUPLEMENTO DIDÁTICO. Elaborado por

MESTRES DAS ARTES SUPLEMENTO DIDÁTICO. Elaborado por MESTRES DAS ARTES PABLO PICASSO De Mike Venezia (Formado em Belas-Artes pelo Instituto de Artes de Chicago, EUA. Desde 1978 escreve e ilustra livros sobre arte, música e história para crianças e jovens.)

Leia mais

ALFREDO VOLPI SUPLEMENTO DIDÁTICO. Elaborado por

ALFREDO VOLPI SUPLEMENTO DIDÁTICO. Elaborado por ALFREDO VOLPI De Nereide Schilaro Santa Rosa (Formada em Pedagogia, com aperfeiçoamento na Faculdade de Educação da USP, é autora premiada de livros infanto-juvenis.) SUPLEMENTO DIDÁTICO Elaborado por

Leia mais

SUPLEMENTO DIDÁTICO. Elaborado por

SUPLEMENTO DIDÁTICO. Elaborado por JEAN BAPTISTE DEBRET De Douglas Tufano (Autor de vários livros didáticos e paradidáticos, ministra cursos de História da Arte e monitora grupos em visitas a museus no Brasil e no exterior.) SUPLEMENTO

Leia mais

EMILIANO DI CAVALCANTI

EMILIANO DI CAVALCANTI EMILIANO DI CAVALCANTI Patriarca da Pintura Moderna do Brasil De Dalila Luciana (Biógrafa e curadora do patrimônio intelectual de Di Cavalcanti) e Ligia Rego (Arte-educadora, especialista em arte-educação

Leia mais

ANITA MALFATTI De Ângela Braga-Torres (Especialista em Arte-educação pela Escola de Comunicações e Artes da USP.)

ANITA MALFATTI De Ângela Braga-Torres (Especialista em Arte-educação pela Escola de Comunicações e Artes da USP.) ANITA MALFATTI De Ângela Braga-Torres (Especialista em Arte-educação pela Escola de Comunicações e Artes da USP.) SUPLEMENTO DIDÁTICO Elaborado por Rosa Iavelberg Pós-graduada em Arte-educação pela Escola

Leia mais

SUPLEMENTO DIDÁTICO. Elaborado por

SUPLEMENTO DIDÁTICO. Elaborado por BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS Nereide Schilaro Santa Rosa (Formada em Pedagogia, com aperfeiçoamento na Faculdade de Educação da USP, é autora premiada de livros infanto-juvenis.) SUPLEMENTO DIDÁTICO Elaborado

Leia mais

Plano de aula para três encontros de 50 minutos cada. Tema: Vida e obra de Vincent Van Gogh. Público alvo: 4º série do Ensino fundamental

Plano de aula para três encontros de 50 minutos cada. Tema: Vida e obra de Vincent Van Gogh. Público alvo: 4º série do Ensino fundamental UDESC UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA DAV- DEPARTAMENTO DE ARTES VISUAIS Curso: Licenciatura em Artes Visuais Disciplina: Cultura Visual Professora: Jociele Lampert Acadêmica: Cristine Silva Santos

Leia mais

Os Impressionistas. Episódio: Vincent Van Gogh. Palavras-chave Pintura, biografia, Van Gogh, impressionismo, França

Os Impressionistas. Episódio: Vincent Van Gogh. Palavras-chave Pintura, biografia, Van Gogh, impressionismo, França Os Impressionistas Episódio: Vincent Van Gogh Resumo Este vídeo, da série Os impressionistas, aborda a vida e obra do artista holandês Vincent Van Gogh. Autodidata, Van Gogh é um dos mais aclamados e mitificados

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO 1

PROJETO PEDAGÓGICO 1 PROJETO PEDAGÓGICO 1 Projeto Pedagógico Por Beatriz Tavares de Souza* Silêncio criativo Em Catador de Palavras, o jovem leitor tem a oportunidade de escolher as palavras mais adequadas que o ajudarão a

Leia mais

Professor Heitor de Assis Jr. heitor_assis@yahoo.com.br CURSOS DE HISTÓRIA DA ARTE. Comedores de Batata. 1885. Vincent van Gogh (1853-90)

Professor Heitor de Assis Jr. heitor_assis@yahoo.com.br CURSOS DE HISTÓRIA DA ARTE. Comedores de Batata. 1885. Vincent van Gogh (1853-90) Professor Heitor de Assis Jr. CURSOS DE HISTÓRIA DA ARTE heitor_assis@yahoo.com.br Vincent van Gogh (1853-90) Até 27 anos, quando se decidiu pela pintura, ocupou-se principalmente com a pregação evangélica.

Leia mais

CHICO PAPELETA E A RECICLAGEM DE PAPEL

CHICO PAPELETA E A RECICLAGEM DE PAPEL CHICO PAPELETA E A RECICLAGEM DE PAPEL Nereide Schilaro Santa Rosa ILUSTRAÇÕES: Avelino Guedes SUGESTÕES PEDAGÓGICAS E DE ATIVIDADES Maria Lúcia de Arruda Aranha Eliana Pougy 2 Nereide Schilaro Santa Rosa

Leia mais

ampliação dos significados. conhecedor fruidor decodificador da obra de arte

ampliação dos significados. conhecedor fruidor decodificador da obra de arte Comunicação O ENSINO DAS ARTES VISUAIS NO CONTEXTO INTERDISCIPLINAR DA ESCOLA ALMEIDA, Maria Angélica Durães Mendes de VASONE, Tania Abrahão SARMENTO, Colégio Hugo Palavras-chave: Artes visuais Interdisciplinaridade

Leia mais

OBJETIVOS: ARTES VISUAIS EDUCAÇÃO INFANTIL PRÉ II DATA: PERÍODO:

OBJETIVOS: ARTES VISUAIS EDUCAÇÃO INFANTIL PRÉ II DATA: PERÍODO: ARTES VISUAIS EDUCAÇÃO INFANTIL PRÉ II DATA: PERÍODO: CONTEÚDO: Gênero: Retrato /Fotografia Técnica: Pintura óleo sobre tela Elementos formais: cor e luz Os recursos formais de representação: figuração

Leia mais

Fauvismo. 9ºAno 2015 1º Bimestre Artes - Juventino. Fauve = Fera

Fauvismo. 9ºAno 2015 1º Bimestre Artes - Juventino. Fauve = Fera Fauvismo 9ºAno 2015 1º Bimestre Artes - Juventino Fauve = Fera Fauves (feras) foi a palavra utilizada pelo crítico de arte Louis Vauxcelles para caracterizar um grupo de jovens pintores que expuseram em

Leia mais

Conteúdo: Aula 1: Cores primárias e cores secundária Aula 2: Luz e sombra FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I CONTEÚDO E HABILIDADES

Conteúdo: Aula 1: Cores primárias e cores secundária Aula 2: Luz e sombra FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I CONTEÚDO E HABILIDADES CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I Conteúdo: Aula 1: Cores primárias e cores secundária Aula 2: Luz e sombra 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO

Leia mais

Impressão: nascer do sol

Impressão: nascer do sol IMPRESSIONISMO França 1860 a 1886. Os impressionistas representavam sensações visuais imediatas através da cor e da luz. Seu objetivo principal era apresentar uma impressão ou as percepções iniciais registradas

Leia mais

Ampliando o olhar sobre a Arte

Ampliando o olhar sobre a Arte Ampliando o olhar sobre a Arte A Arte reflete a história da humanidade. Desde as primeiras expressões artísticas (Arte rupestre) até os dias de hoje, podemos compreender o desenvolvimento do homem em cada

Leia mais

ARTES VISUAIS EDUCAÇÃO INFANTIL MATERNAL II DATA: PERÍODO:

ARTES VISUAIS EDUCAÇÃO INFANTIL MATERNAL II DATA: PERÍODO: ARTES VISUAIS EDUCAÇÃO INFANTIL MATERNAL II DATA: PERÍODO: Prática Social: VIVÊNCIA do conteúdo: CONTEÚDO: Obra: Gustavo Rosa. Cooper em família. 2003. Óleo sobre tela, 160 x 250 cm. Coleção Particular

Leia mais

numa seqüência de perguntas que, ao serem respondidas, ajudariam a montar um texto sobre a

numa seqüência de perguntas que, ao serem respondidas, ajudariam a montar um texto sobre a 189 FIGURA 8 FERNANDES, Millôr. O Grito. 2005, Revista Veja, 20 de abril de 2005. Partindo da identificação da obra Norwood sob a neve (FIGURA 4), do artista Camille Pissarro, a professora elaborou 4 questões

Leia mais

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRICULO

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRICULO FATEA Faculdades Integradas Teresa D Ávila Curso: Pedagogia Carga Horária: 36h Ano: 2011 Professor: José Paulo de Assis Rocha Plano de Ensino Disciplina: Arte e Educação Período: 1º ano Turno: noturno

Leia mais

11, 12, 13, 14. SÉRIE 4: dentro das paisagens. para olhar. pensar, imaginar... e fazer. John Constable Baia Weymouth 1816 Óleo sobre tela.

11, 12, 13, 14. SÉRIE 4: dentro das paisagens. para olhar. pensar, imaginar... e fazer. John Constable Baia Weymouth 1816 Óleo sobre tela. 10 The Bridgeman Art Library SÉRIE 4: dentro das paisagens John Constable Baia Weymouth 1816 Óleo sobre tela. 11, 12, 13, 14 Ministério da Cultura e Endesa Brasil apresentam: Arteteca:lendo imagens (PRONAC

Leia mais

CENÁRIOS DA PAISAGEM URBANA TRANSFORMAÇÕES DA PAISAGEM DA CIDADE DE SÃO PAULO

CENÁRIOS DA PAISAGEM URBANA TRANSFORMAÇÕES DA PAISAGEM DA CIDADE DE SÃO PAULO ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO NÚCLEO DE AÇÃO EDUCATIVA O(S) USO(S) DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO EM SALA DE AULA BRUNA EVELIN LOPES SANTOS CENÁRIOS DA PAISAGEM URBANA TRANSFORMAÇÕES DA PAISAGEM DA

Leia mais

Cores e Formas. Aplicando os conceitos da reciclagem, fazer uso das formas geométricas como materiais para a composição e decomposição de figuras.

Cores e Formas. Aplicando os conceitos da reciclagem, fazer uso das formas geométricas como materiais para a composição e decomposição de figuras. Cores e Formas 1) Objetivo Geral Aplicando os conceitos da reciclagem, fazer uso das formas geométricas como materiais para a composição e decomposição de figuras. 2) Objetivo Específico Reconhecimento,

Leia mais

nós na sala de aula - módulo: geografia 4º e 5º anos - unidade 9

nós na sala de aula - módulo: geografia 4º e 5º anos - unidade 9 As paisagens urbanas e as paisagens rurais são visualmente distintas. As atividades propostas têm como objetivo diferenciar e evidenciar as relações espaciais entre as paisagens urbanas e rurais, colocando

Leia mais

1) PROBLEMATIZAÇÃO. Atividade 4

1) PROBLEMATIZAÇÃO. Atividade 4 Atividade 4 1 1) PROBLEMATIZAÇÃO Desde a Antiguidade as cores sempre causaram um certo fascínio a vários povos. Percebe-se que o uso das cores demarcava a posição social das pessoas. Para alguns povos

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN ENSINO FUNDAMENTAL. DIRETRIZES CURRICULARES 1º ao 5º ANO ARTE

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN ENSINO FUNDAMENTAL. DIRETRIZES CURRICULARES 1º ao 5º ANO ARTE CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN ENSINO FUNDAMENTAL 2015 DIRETRIZES CURRICULARES 1º ao 5º ANO ARTE OBJETIVOS GERAIS Conhecimento da Arte enquanto auto expressão e conhecimento, apreensão e comunicação

Leia mais

AUTORRETRATO... EU COMO SOU? SOU ÚNICO!

AUTORRETRATO... EU COMO SOU? SOU ÚNICO! AUTORRETRATO... EU COMO SOU? SOU ÚNICO! Maria da Penha Rodrigues de Assis EMEF SERRA DOURADA No ano de 2010 escolhi como posto de trabalho a EMEF Serra Dourada para lecionar como arte-educadora de séries

Leia mais

1ª a 5ª série. (Pró-Letramento, fascículo 1 Capacidades Linguísticas: Alfabetização e Letramento, pág.18).

1ª a 5ª série. (Pró-Letramento, fascículo 1 Capacidades Linguísticas: Alfabetização e Letramento, pág.18). SUGESTÕES PARA O APROVEITAMENTO DO JORNAL ESCOLAR EM SALA DE AULA 1ª a 5ª série A cultura escrita diz respeito às ações, valores, procedimentos e instrumentos que constituem o mundo letrado. Esse processo

Leia mais

Habilidades Específicas em Artes Visuais. Prova de História da Arte

Habilidades Específicas em Artes Visuais. Prova de História da Arte Habilidades Específicas em Artes Visuais Prova de História da Arte I. Analise as duas obras cujas reproduções foram fornecidas, comentando suas similaridades e diferenças no que se refere aos aspectos

Leia mais

O olho que pensa, a mão que faz, o corpo que inventa

O olho que pensa, a mão que faz, o corpo que inventa Rey n ald o Fon sec a Pas t or al, 1992, s erigr af i a Fot o: Fau st o Fleur y O olho que pensa, a mão que faz, o corpo que inventa Com as proposições didáticas sugeridas, espera-se que os alunos possam

Leia mais

Relação Cromática de Secundárias sobre a Dinâmica de Matiz

Relação Cromática de Secundárias sobre a Dinâmica de Matiz Relação Cromática de Secundárias sobre a Dinâmica de Matiz Trabalho de Conclusão de Curso, apresentado à Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, como requisito parcial para obtenção

Leia mais

EU SOU UM BONECO! UMA EXPERIÊNCIA EM AUTORRETRATO

EU SOU UM BONECO! UMA EXPERIÊNCIA EM AUTORRETRATO EU SOU UM BONECO! UMA EXPERIÊNCIA EM AUTORRETRATO Adriana D Agostino Relato de experiência Resumo A experiência apresentada foi realizada em 2013 no Colégio Salesiano Santa Teresinha a partir do material

Leia mais

Projeto Quem sou eu? Tema: Identidade e Autonomia Público alvo: Educação Infantil Disciplina: Natureza e Sociedade Duração: Seis semanas

Projeto Quem sou eu? Tema: Identidade e Autonomia Público alvo: Educação Infantil Disciplina: Natureza e Sociedade Duração: Seis semanas Projeto Quem sou eu? Image URI: http://mrg.bz/q6vqo3 Tema: Identidade e Autonomia Público alvo: Educação Infantil Disciplina: Natureza e Sociedade Duração: Seis semanas Justificativa: Tendo em vista a

Leia mais

PARÂMETRO DE ARTE PARA O ENSINO FUNDAMENTAL - REDE MUNICIPAL ENSINO DE TRÊS CORAÇÕES. Diretrizes para o ensino de Arte 2011

PARÂMETRO DE ARTE PARA O ENSINO FUNDAMENTAL - REDE MUNICIPAL ENSINO DE TRÊS CORAÇÕES. Diretrizes para o ensino de Arte 2011 PARÂMETRO DE ARTE PARA O ENSINO FUNDAMENTAL - REDE MUNICIPAL ENSINO DE TRÊS CORAÇÕES 1 Diretrizes para o ensino de Arte 2011 1 Arte e legislação educacional: A inclusão da Arte no currículo escolar foi

Leia mais

Dicas para você trabalhar o livro Menino brinca de boneca? com seus alunos

Dicas para você trabalhar o livro Menino brinca de boneca? com seus alunos Dicas para você trabalhar o livro Menino brinca de boneca? com seus alunos Caro professor, Este link do site foi elaborado especialmente para você, com o objetivo de lhe dar dicas importantes para o seu

Leia mais

Estações do Ano. Procedimentos com ArteVerão

Estações do Ano. Procedimentos com ArteVerão Estações do Ano Procedimentos com ArteVerão Faixas de Verão (3º Dia) Leia o livro da turma No Verão. Discuta brevemente as coisas que acontecem no verão. Depois distribua folhas de papel branco para que

Leia mais

Arte como conhecimento, patrimônio e identidade cultural

Arte como conhecimento, patrimônio e identidade cultural Arte como conhecimento, patrimônio e identidade cultural Rita de Cássia Demarchi Ao abraçar o campo de ensino e aprendizagem de arte é tomado como ponto de partida o princípio de que a arte é uma rica

Leia mais

Formação de PROFESSOR

Formação de PROFESSOR Formação de PROFESSOR 1 Especial Formação de Professor Por Beatriz Tavares de Souza* Apresentação Livro de ensinamentos, reflexão, que procura ajudar o público infantil a compreender a morte. A obra foi

Leia mais

Impressionismo. a) Apenas o item IV está correto. b) Apenas os itens II, III e V são corretos. c) Apenas os itens II, III e V estão incorretos.

Impressionismo. a) Apenas o item IV está correto. b) Apenas os itens II, III e V são corretos. c) Apenas os itens II, III e V estão incorretos. Impressionismo Questão 01 - Como os artistas realistas, que com a ciência haviam aprendido a utilizar determinados conhecimentos, os impressionistas se viram na necessidade de interpretar com maior vivacidade

Leia mais

O olho que pensa, a mão que faz, o corpo que inventa

O olho que pensa, a mão que faz, o corpo que inventa T om i e O ht ak e Sem t í t ulo, 1992, s er ig r afi a F ot o: Fau st o F leur y O olho que pensa, a mão que faz, o corpo que inventa Com as proposições didáticas sugeridas, espera-se que os alunos possam

Leia mais

A ARTE DE PRODUZIR ARTE Professora: Márcia Roseli Ceretta Flôres professora de artes marciacerettaflores@yahoo.com.br ESCOLA MUNICIPAL FUNDAMENTAL

A ARTE DE PRODUZIR ARTE Professora: Márcia Roseli Ceretta Flôres professora de artes marciacerettaflores@yahoo.com.br ESCOLA MUNICIPAL FUNDAMENTAL A ARTE DE PRODUZIR ARTE Professora: Márcia Roseli Ceretta Flôres professora de artes marciacerettaflores@yahoo.com.br ESCOLA MUNICIPAL FUNDAMENTAL JOÃO GOULART INTRODUÇÃO A arte apresenta uma forma de

Leia mais

Atlas Observe o mundo a sua volta. Como você classificaria os objetos que vê? Por seu uso, cor, forma, tamanho, natureza? A intenção aqui é que toda

Atlas Observe o mundo a sua volta. Como você classificaria os objetos que vê? Por seu uso, cor, forma, tamanho, natureza? A intenção aqui é que toda Atlas Observe o mundo a sua volta. Como você classificaria os objetos que vê? Por seu uso, cor, forma, tamanho, natureza? A intenção aqui é que toda a turma crie categorias de classificação. Grupos então

Leia mais

SÉRIE 1: retrato/ Autorretrato. para olhar. pensar, imaginar... e fazer. Vincent van Gogh. Autorretrato. 1889 Óleo sobre tela.

SÉRIE 1: retrato/ Autorretrato. para olhar. pensar, imaginar... e fazer. Vincent van Gogh. Autorretrato. 1889 Óleo sobre tela. 1 The Bridgeman Art Library SÉRIE 1: retrato/ Vincent van Gogh 1889 Óleo sobre tela. 4 Ministério da Cultura e Endesa Brasil apresentam: Arteteca:lendo imagens (PRONAC 09-7945). para olhar pensar, imaginar...

Leia mais

RELEITURA E PROCESSO CRIATIVO: INTERVENÇÕES ARTÍSTICAS

RELEITURA E PROCESSO CRIATIVO: INTERVENÇÕES ARTÍSTICAS Anais da Semana de Pedagogia da UEM ISSN Online: 2316-9435 XX Semana de Pedagogia da UEM VIII Encontro de Pesquisa em Educação / I Jornada Parfor RELEITURA E PROCESSO CRIATIVO: INTERVENÇÕES ARTÍSTICAS

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Secretaria de Estado da Educação Superintendência Regional de Ensino de Carangola Diretoria Educacional

SERVIÇO PÚBLICO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Secretaria de Estado da Educação Superintendência Regional de Ensino de Carangola Diretoria Educacional SERVIÇO PÚBLICO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Secretaria de Estado da Educação Superintendência Regional de Ensino de Carangola Diretoria Educacional Sequencia Didática destinada aos Anos Finais do Ensino

Leia mais

Apostila de Atividades

Apostila de Atividades Apostila de Atividades IMAX A viagem pelo espaço continua aqui Transforme a sua sala de aula em uma divertida aventura pelo espaço. Assim que sua classe viver a experiência sem limites pelo universo com

Leia mais

Jambo! Uma Manhã com os Bichos da África

Jambo! Uma Manhã com os Bichos da África elaboração: PROF. DR. JOSÉ NICOLAU GREGORIN FILHO Jambo! Uma Manhã com os Bichos da África escrito por & ilustrado por Rogério de A. Barbosa Eduardo Engel Os Projetos de Leitura: concepção Buscando o oferecimento

Leia mais

Comunicação A ARTE DE MÃOS DADAS COM A EDUCAÇÃO. Palavras-chave: Museus/Imagens, Interdisciplinaridade, Internet

Comunicação A ARTE DE MÃOS DADAS COM A EDUCAÇÃO. Palavras-chave: Museus/Imagens, Interdisciplinaridade, Internet Comunicação A ARTE DE MÃOS DADAS COM A EDUCAÇÃO BOLDRINI, Nanci Martinelli 1 Palavras-chave: Museus/Imagens, Interdisciplinaridade, Internet INTRODUÇÃO A Arte vem se mostrando forte aliada aos educadores

Leia mais

"Brincadeiras de criança... arte de Portinari"

Brincadeiras de criança... arte de Portinari Núcleo de Educação Integrada OFICINA DE ARTE "Brincadeiras de criança... arte de Portinari" Professora: Fernanda Priscila Cia Santa Bárbara d Oeste / 2006 O Artista Candido Portinari foi um artista que

Leia mais

10 Educação Musical: planejamento e atividades Conteúdo

10 Educação Musical: planejamento e atividades Conteúdo Planejamento de atividades lúdicas em Educação Musical Planejamento de atividades em Educação Musical Criando estratégias de ensino e aprendizagem musical Questões para pensar estratégias de ensino e aprendizagem

Leia mais

ARTES VISUAIS. 01 - A obra apresentada, a seguir, é de Claude Monet: Ninféias (1916) 1919). A respeito dessa obra, é correto afirmar que

ARTES VISUAIS. 01 - A obra apresentada, a seguir, é de Claude Monet: Ninféias (1916) 1919). A respeito dessa obra, é correto afirmar que ARTES VISUAIS 01 - A obra apresentada, a seguir, é de Claude Monet: Ninféias (1916) 1919). A respeito dessa obra, é correto afirmar que (001) é impressionista, por existir uma tendência à geometrização

Leia mais

PINTANDO O SETE NA SALA DE AULA. Míriam Borges da Fonseca Rodrigues (veraformosa@yahoo.com.br) Centro Universitário de Patos de Minas - UNIPAM

PINTANDO O SETE NA SALA DE AULA. Míriam Borges da Fonseca Rodrigues (veraformosa@yahoo.com.br) Centro Universitário de Patos de Minas - UNIPAM PINTANDO O SETE NA SALA DE AULA Míriam Borges da Fonseca Rodrigues (veraformosa@yahoo.com.br) Centro Universitário de Patos de Minas - UNIPAM A escola Nossa Senhora da Piedade tem uma área de 3.200 metros,

Leia mais

LENDO IMAGENS A PARTIR DE PROPOSTAS DE AÇÃO EDUCATIVA EM EVENTOS DE ARTE CONTEMPORÂNEA EM GOIÁS.

LENDO IMAGENS A PARTIR DE PROPOSTAS DE AÇÃO EDUCATIVA EM EVENTOS DE ARTE CONTEMPORÂNEA EM GOIÁS. LENDO IMAGENS A PARTIR DE PROPOSTAS DE AÇÃO EDUCATIVA EM EVENTOS DE ARTE CONTEMPORÂNEA EM GOIÁS. ARAÚJO, Haroldo de 1; Prof.Dr. Costa, Luis Edegar de Oliveira 2;. Palavras chaves: Arte contemporânea; curadoria;

Leia mais

CONCEPÇÕES DE ALUNOS DE PEDAGOGIA SOBRE O ENSINO DE ARTE AGUIAR, Maira Pêgo de UFES GE-01: Educação e Arte

CONCEPÇÕES DE ALUNOS DE PEDAGOGIA SOBRE O ENSINO DE ARTE AGUIAR, Maira Pêgo de UFES GE-01: Educação e Arte 1 CONCEPÇÕES DE ALUNOS DE PEDAGOGIA SOBRE O ENSINO DE ARTE AGUIAR, Maira Pêgo de UFES GE-01: Educação e Arte Este texto refere-se às reflexões iniciais sobre a temática de pesquisa no Doutorado do Programa

Leia mais

JUSTIFICATIVA OBJETIVOS GERAIS DO CURSO

JUSTIFICATIVA OBJETIVOS GERAIS DO CURSO FATEA Faculdades Integradas Teresa D Ávila Plano de Ensino Curso: Pedagogia Disciplina: Fundamentos Teoricos Metodologicos para o Ensino de Arte Carga Horária: 36h Período: 2º ano Ano: 2011 Turno: noturno

Leia mais

PROJETO ATIVIDADES ARTÍSTICAS/CRIATIVAS

PROJETO ATIVIDADES ARTÍSTICAS/CRIATIVAS PROJETO ATIVIDADES ARTÍSTICAS/CRIATIVAS CONSULTORIA PEDAGÓGICA: Prof. Dr. Lutiere Dalla Valle Professor da Universidade Federal de Santa Maria atua na formação de professores de artes visuais e artistas

Leia mais

Pós - Impressionismo. (1880 a 1905 = França Paris) 8ºs Anos 2015 4º Bimestre Artes Prof. Juventino

Pós - Impressionismo. (1880 a 1905 = França Paris) 8ºs Anos 2015 4º Bimestre Artes Prof. Juventino Pós - Impressionismo (1880 a 1905 = França Paris) 8ºs Anos 2015 4º Bimestre Artes Prof. Juventino Não foi um Movimento Não houve um grupo de artistas que se reuniam para debates acadêmicos. Eram artistas

Leia mais

Patagônia: Torres del Paine e Monte Fitz Roy

Patagônia: Torres del Paine e Monte Fitz Roy Patagônia: Torres del Paine e Monte Fitz Roy Série: Viajando aos Extremos SINOPSE DO PROGRAMA Situada parte no Chile e parte na Argentina, a Patagônia é uma das regiões mais belas do planeta, um terra

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC. José Fernando Baldo Caneiro. Trabalho Final História da Arte Auto Van Gogh

CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC. José Fernando Baldo Caneiro. Trabalho Final História da Arte Auto Van Gogh CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC José Fernando Baldo Caneiro Trabalho Final História da Arte Auto Van Gogh São Paulo 2005 1 INTRODUÇÃO Van Gogh foi um artista como poucos. Influências de vários movimentos e

Leia mais

A RELAÇÃO ENTRE A TEORIA E A PRÁTICA NO ENSINO DE ARTE NA ESCOLA

A RELAÇÃO ENTRE A TEORIA E A PRÁTICA NO ENSINO DE ARTE NA ESCOLA A RELAÇÃO ENTRE A TEORIA E A PRÁTICA NO ENSINO DE ARTE NA ESCOLA Rivaldo Bevenuto de Oliveira Neto Departamento de Artes UFRN RESUMO O ensino de Arte é a educação que oportuniza ao aluno o acesso à Arte

Leia mais

Histórias em Sequência

Histórias em Sequência Histórias em Sequência Objetivo Geral Através das histórias em sequência fazer com que os alunos trabalhem com a oralidade, escrita, causalidade e vivências pessoais. Objetivos Específicos Trabalho envolvendo

Leia mais

O olho que pensa, a mão que faz, o corpo que inventa

O olho que pensa, a mão que faz, o corpo que inventa G eoff Rees Be neat h t he re ef, 199 2, s er igr af i a Fot o: Fau st o Fleur y O olho que pensa, a mão que faz, o corpo que inventa Com as proposições didáticas sugeridas, espera-se que os alunos possam

Leia mais

Instituto de Educação Infantil e Juvenil Verão, 2015. Londrina, Nome: Ano: Tempo Início: Término: Total: Edição 2 MMXV Intermediária 2 Grupo A

Instituto de Educação Infantil e Juvenil Verão, 2015. Londrina, Nome: Ano: Tempo Início: Término: Total: Edição 2 MMXV Intermediária 2 Grupo A Instituto de Educação Infantil e Juvenil Verão, 2015. Londrina, Nome: de Ano: Tempo Início: Término: Total: Edição 2 MMXV Intermediária 2 Grupo A A TEMPESTADE É um quadro que mostra um profundo senso de

Leia mais

Mulher de chapéu, Matisse. 1905, Óleo sobre tela

Mulher de chapéu, Matisse. 1905, Óleo sobre tela Mulher de chapéu, Matisse 1905, Óleo sobre tela O termo Fauvismo deriva de fauve (fera selvagem), exclamação feita pelo crítico de arte Louis Vauxcelles perante a exposição de pintura do Salão de Outono

Leia mais

ALUNO: Nº SÉRIE/ANO: TURMA: TURNO: 8º D V. DISCIPLINA: TIPO DE ATIVIDADE: PROFESSOR (A): HISTÓRIA DA ARTE TEXTO COMPLEMENTAR - 1 2º trimestre TATIANE

ALUNO: Nº SÉRIE/ANO: TURMA: TURNO: 8º D V. DISCIPLINA: TIPO DE ATIVIDADE: PROFESSOR (A): HISTÓRIA DA ARTE TEXTO COMPLEMENTAR - 1 2º trimestre TATIANE Fonte: http://www.musee-orsay.fr/fr/collections/catalogue-des-oeuvres/resultatcollection.html?no_cache=1&zoom=1&tx_damzoom_pi1%5bzoom%5d=0&tx_da mzoom_pi1%5bxmlid%5d=001089&tx_damzoom_pi1%5bback%5d=fr%2fcollec

Leia mais

GRUPO FRESTAS: FORMAÇÃO E RESSIGNIFICAÇÃO DO EDUCADOR: SABERES, TROCA, ARTE E SENTIDOS

GRUPO FRESTAS: FORMAÇÃO E RESSIGNIFICAÇÃO DO EDUCADOR: SABERES, TROCA, ARTE E SENTIDOS Eixo: Políticas para a Infância e Formação de Professores Contempla as produções acadêmico-científicas que tratam de ações políticas e legislações referentes à Educação Infantil e a infância. Aborda pesquisas

Leia mais

Licenciatura em Espanhol

Licenciatura em Espanhol Licenciatura em Espanhol Rebeka Caroça Seixas A arte empregada no ensino da Língua Espanhola: Parte 02 A arte empregada no ensino da Língua Espanhola: Parte 02 Apresentação e Objetivos Caro(a) aluno(a),

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA OBJETIVOS

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA OBJETIVOS Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CURSO: INFORMÁTICA FORMA/GRAU:( X)integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

CURIOSIDADE DE CRIANÇA: CONSTRUINDO CONHECIMENTOS NUMA TURMA DE PRÉ-ESCOLA 1

CURIOSIDADE DE CRIANÇA: CONSTRUINDO CONHECIMENTOS NUMA TURMA DE PRÉ-ESCOLA 1 CURIOSIDADE DE CRIANÇA: CONSTRUINDO CONHECIMENTOS NUMA TURMA DE PRÉ-ESCOLA 1 SILVEIRA, Lidiane 2 ; LIMA, Graziela Escandiel de 3 1 Relato de experiência 2 Pedagoga, Especialista em Alfabetização, professora

Leia mais

NÚCLEO DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL NTE VARGINHA PROJETO IDENTIDADE

NÚCLEO DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL NTE VARGINHA PROJETO IDENTIDADE Projeto Identidade Quem sou eu??? NÚCLEO DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL NTE VARGINHA PROJETO IDENTIDADE ELABORAÇÃO: Míria Azevedo de Lima Bartelega --------------------------------Agosto / 2010 I A Questão

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL NUMA TURMA DE PRÉ-ESCOLA ÁGUA E CRIANÇAS: MUITAS DESCOBERTAS E APRENDIZAGENS

RELATO DE EXPERIÊNCIA EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL NUMA TURMA DE PRÉ-ESCOLA ÁGUA E CRIANÇAS: MUITAS DESCOBERTAS E APRENDIZAGENS RELATO DE EXPERIÊNCIA EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL NUMA TURMA DE PRÉ-ESCOLA ÁGUA E CRIANÇAS: MUITAS DESCOBERTAS E APRENDIZAGENS FONSECA, Karla Madrid 1 ;UEIIA/UFSM SILVEIRA, Lidiane Gripa 2 ;UEIIA/UFSM MOMBELLI,

Leia mais

Recado aos Pais e Professores

Recado aos Pais e Professores Recado aos Pais e Professores A criança aprende fazendo. Um trabalho manual confeccionado logo após a história bíblica fixa os ensinos que a criança acabou de ouvir, e também é um lembrete visual do constante

Leia mais

ALICE NO JARDIM DAS DESCOBERTAS MATEMÁTICAS

ALICE NO JARDIM DAS DESCOBERTAS MATEMÁTICAS ALICE NO JARDIM DAS DESCOBERTAS MATEMÁTICAS Angela Cristina Hammann Scussel¹ (1)Professora efetiva da Rede Municipal de Educação de Rio do Sul, no Centro Educacional Daniel Maschio, Rua Angelo Cechet,

Leia mais

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL 1. TÍTULO DO PROGRAMA Connie, a Vaquinha 2. EPISÓDIO(S) TRABALHADO(S): A Ponte 3. SINOPSE DO(S) EPISÓDIO(S) ESPECÍFICO(S) O episódio A Ponte faz parte da série Connie,

Leia mais

Os Amigos do Pedrinho

Os Amigos do Pedrinho elaboração: PROF. DR. JOSÉ NICOLAU GREGORIN FILHO Os Amigos do Pedrinho escrito por & ilustrado por Ruth Rocha Eduardo Rocha Os Projetos de Leitura: concepção Buscando o oferecimento de subsídios práticos

Leia mais

Projeto - Mães empreendedoras: Minha mãe, nossas mães

Projeto - Mães empreendedoras: Minha mãe, nossas mães Projeto - Mães empreendedoras: Minha mãe, nossas mães A proposta a seguir refere-se a um Projeto Didático (PD) elaborado para trabalhar com as crianças do 1º e 2º períodos da Educação Infantil (4 e 5 anos

Leia mais

Centro Educacional Linus Pauling

Centro Educacional Linus Pauling Centro Educacional Linus Pauling Projeto 2º SEmestre 2012 APRESENTAÇÃO Faz-se necessário entender que o equilíbrio da natureza é essencial para a vida na terra, e que atualmente a preocupação com a degradação

Leia mais

Plano de Aula - Diversidade Interdisciplinar

Plano de Aula - Diversidade Interdisciplinar Plano de Aula - Diversidade Interdisciplinar TEMA: Diversidade-Abordaremos de modo interdisciplinar as seguintes disciplinas: História, Geografia, Língua Portuguesa, Ciências Naturais, Matemática e Artes.

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL DE MATERNAL I

PLANEJAMENTO ANUAL DE MATERNAL I COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE MATERNAL I SÉRIE: EDUCAÇÃO INFANTIL MATERNAL

Leia mais

Estes filtros devem estar na lista de prioridade de suas compras pois eles protegem sua lente contra poeira, umidade e arranhões.

Estes filtros devem estar na lista de prioridade de suas compras pois eles protegem sua lente contra poeira, umidade e arranhões. Venda Locação! """ Os filtro podem ser divididos em famílias e sub famílias: Proteção Correção Filmes Coloridos Filmes P & B Efeito: Difusores Contraste Efeitos ópticos Polarizador Cor Cor/Graduados PROTEÇÃO:

Leia mais

Formação de PROFESSOR EU ME DECLARO CRIANÇA

Formação de PROFESSOR EU ME DECLARO CRIANÇA Formação de PROFESSOR EU ME DECLARO CRIANÇA 1 Especial Formação de Professor Por Beatriz Tavares de Souza* Apresentação O livro apresenta os princípios da Declaração Universal dos Direitos da Criança.

Leia mais

A Educação Musical em atividades interdisciplinares: um relato de experiência em uma oficina 1

A Educação Musical em atividades interdisciplinares: um relato de experiência em uma oficina 1 A Educação Musical em atividades interdisciplinares: um relato de experiência em uma oficina 1 Fernanda de Assis Oliveira 2 Universidade Federal do Rio Grande do Sul UFRGS Resumo: Este relato descreve

Leia mais

PROJETO ANIMAIS. 1. Tema: O mundo dos animais. Área de abrangência: 2. Duração: 01/06 a 30/06. 3. Apresentação do projeto:

PROJETO ANIMAIS. 1. Tema: O mundo dos animais. Área de abrangência: 2. Duração: 01/06 a 30/06. 3. Apresentação do projeto: PROJETO ANIMAIS 1. Tema: O mundo dos animais Área de abrangência: (x) Movimento (x) Musicalização (x) Artes Visuais (x) Linguagem Oral e Escrita (x) Natureza e Sociedade (x) Matemática 2. Duração: 01/06

Leia mais

Coordenadoras: Enalva de Santana Santos e Márcia Soares Ramos Alves

Coordenadoras: Enalva de Santana Santos e Márcia Soares Ramos Alves TEMA : BRINCANDO E APRENDENDO NA ESCOLA Coordenadoras: Enalva de Santana Santos e Márcia Soares Ramos Alves Autora: Prof a Cássia de Fátima da S. Souza PÚBLICO ALVO Alunos de 04 anos TEMA: BRINCANDO E

Leia mais

O TRABALHO, PERCEPÇÕES A PARTIR DA PRÉ-HISTORIA E DA ANTIGUIDADE

O TRABALHO, PERCEPÇÕES A PARTIR DA PRÉ-HISTORIA E DA ANTIGUIDADE O TRABALHO, PERCEPÇÕES A PARTIR DA PRÉ-HISTORIA E DA ANTIGUIDADE ALESSANDRA GOMES PORTO MAGALHÃES EMEFEJA ADMARDO SERAFIM DE OLIVEIRA O Ensino da Arte tem passado por muitas modificações ao longo dos anos.

Leia mais

Área de Formação Pessoal e Social

Área de Formação Pessoal e Social Área de Formação Pessoal e Social Identidade/ Auto-estima Independência/ Autonomia Convivência democrática/ Cidadania Brincar com o outro (s); Ouvir os outros; Saber identificar-se a si e o outro; Esperar

Leia mais

Conheça também! As demais disciplinas desta coleção nas páginas 4, 8, 32, 36, 72 e 90.

Conheça também! As demais disciplinas desta coleção nas páginas 4, 8, 32, 36, 72 e 90. porta aberta Nova edição Geografia 2º ao 5º ano O estudo das categorias lugar, paisagem e espaço tem prioridade nesta obra. 25383COL05 Conheça também! As demais disciplinas desta coleção nas páginas 4,

Leia mais

O mundo perdido, de Arthur Conan Doyle Companhia Editora Nacional

O mundo perdido, de Arthur Conan Doyle Companhia Editora Nacional Sugestão de plano de aula Disciplina: História O mundo perdido, de Arthur Conan Doyle Companhia Editora Nacional Plano de aula: Riqueza da Vegetação Brasileira Objetivos Reconhecer os principais tipos

Leia mais

Em 1822, Manet foi feito Cavaleiro da Legião de Honra pelo governo francês. Naquela época, o impressionismo estava obtendo uma grande aceitação, mas

Em 1822, Manet foi feito Cavaleiro da Legião de Honra pelo governo francês. Naquela época, o impressionismo estava obtendo uma grande aceitação, mas PÓS-IMPRESSIONISMO Em 1822, Manet foi feito Cavaleiro da Legião de Honra pelo governo francês. Naquela época, o impressionismo estava obtendo uma grande aceitação, mas deixara de ser um movimento pioneiro.

Leia mais

ARTES: A TRANSIÇÃO DO SÉCULO XVIII PARA O SÉCULO XIX

ARTES: A TRANSIÇÃO DO SÉCULO XVIII PARA O SÉCULO XIX ARTES: A TRANSIÇÃO DO SÉCULO XVIII PARA O SÉCULO XIX Neoclassicismo ou Academicismo: * Últimas décadas do século XVIII e primeiras do XIX; * Retoma os princípios da arte da Antiguidade grecoromana; * A

Leia mais

PRATICANDO OS RCNEI PROJETO OS SERES VIVOS PLANTAS E A EDUCAÇÃO INFANTIL RESUMO

PRATICANDO OS RCNEI PROJETO OS SERES VIVOS PLANTAS E A EDUCAÇÃO INFANTIL RESUMO PRATICANDO OS RCNEI PROJETO OS SERES VIVOS PLANTAS E A EDUCAÇÃO INFANTIL Morgana Bica Szadkoski 1 e Laís Ferraz Teixeira Ávila 1 Ricardo Antonini 2 RESUMO O trabalho aqui apresentado é o resultado de estudos

Leia mais

O Ensino da Astronomia

O Ensino da Astronomia O Ensino da Astronomia Os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) indicam o estudo da Astronomia no 3o e 4o ciclos do Ensino Fundamental, na área de Ciências Naturais, no eixo temático "Terra e Universo"

Leia mais

UM PASSO PARA O INFINITO: A INCLUSÃO DA ASTRONOMIA NO SABER CIENTIFICO

UM PASSO PARA O INFINITO: A INCLUSÃO DA ASTRONOMIA NO SABER CIENTIFICO UM PASSO PARA O INFINITO: A INCLUSÃO DA ASTRONOMIA NO SABER CIENTIFICO Autores : Karoline de BORBA, Grasiela VOSS, Lucelia DESTEFANNI, Paulo RAMPELOTTI Identificação autores: Bolsista EXTENSIONISTA EDITAL

Leia mais

Toda Beleza na TV. Ana Mae Barbosa, Professora titular ECA-USP e Anhembi Morumbi dirigiu o MAC-USP e foi presidente da INSEA-UNESCO e da ANPAP

Toda Beleza na TV. Ana Mae Barbosa, Professora titular ECA-USP e Anhembi Morumbi dirigiu o MAC-USP e foi presidente da INSEA-UNESCO e da ANPAP Toda Beleza na TV. Ana Mae Barbosa, Professora titular ECA-USP e Anhembi Morumbi dirigiu o MAC-USP e foi presidente da INSEA-UNESCO e da ANPAP Os doze programas especiais para a Série Toda Beleza do canal

Leia mais

2. Laboratório: uso do avental, organização e relatório 3. Tarefas. 1. Avaliação da Semana de Geociências e Meio Ambiente 2.

2. Laboratório: uso do avental, organização e relatório 3. Tarefas. 1. Avaliação da Semana de Geociências e Meio Ambiente 2. PIC VERSÃO PARA O PROFESSOR Produção Integrada ao Conteúdo 6. o ano Ensino Fundamental Componentes da PIC 2. o bimestre Arte Ciências A nota da PIC é a média entre a nota de tarefa (avaliação do conjunto

Leia mais

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 1 O QUE VEMOS NO CÉU? Levantamento inicial. Delimitando o céu para o estudo da Astronomia

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 1 O QUE VEMOS NO CÉU? Levantamento inicial. Delimitando o céu para o estudo da Astronomia SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 1 O QUE VEMOS NO CÉU? Levantamento inicial Páginas 3-4 1. Esperam-se respostas como: Lua, estrelas, nuvens, Sol, pássaros, aviões, satélites etc. 2. Resposta pessoal. Caso os alunos

Leia mais

O Ensino de Matemática na Educação Infantil

O Ensino de Matemática na Educação Infantil Débora de Oliveira O Ensino de Matemática na Educação Infantil No Brasil, desde 1996, a Educação Infantil é considerada a primeira etapa da educação básica e tem como guia de reflexão de cunho educacional

Leia mais

Cruzeiro do Sul e o Sul

Cruzeiro do Sul e o Sul Atividade de Aprendizagem 17 Cruzeiro do Sul e o Sul Eixo(s) temático(s) Terra e universo Tema Estrelas / constelações / galáxias Conteúdos Constelações / pontos cardeais Usos / objetivos Problematização

Leia mais