INQUÉRITO À POPULAÇÃO DE BRAGANÇA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INQUÉRITO À POPULAÇÃO DE BRAGANÇA"

Transcrição

1 FACULDADE DE LETRAS UNIVERSIDADE DE LISBOA Mestrado em Geografia, Esp. em Urbanização e Ordenamento do Território O planeamento urbano e o ordenamento territorial estratégico: O papel das politicas de requalificação urbana e ambiental em Bragança, Chaves e Viana do Castelo num contexto de competitividade. Nota: As suas respostas são totalmente anónimas. Data / / 2007 INQUÉRITO À POPULAÇÃO DE BRAGANÇA A IDENTIFICAÇÃO 1- Sexo: Masculino Feminino 2- Idade: 3 Escolaridade: - Ensino Básico (9 anos) - Ensino Básico (incompleto) Quantos anos? - Ensino Secundário (12 anos) - Ensino Secundário (incompleto) - Ensino Superior - Não Sabe/Não Responde. 4 - Profissão: 5 Residência: - Concelho Freguesia Não Sabe/Não Responde B CONHECIMENTOS ACERCA DA TEMÁTICA REQUALIFICAÇÃO URBANA E AMBIENTAL 1- Refira 3 dos principais problemas que afectam a sua cidade. - Trânsito - Estacionamento - Lixo - Saneamento básico - Iluminação - Planeamento insuficiente - Edifícios degradados - Espaços verdes insuficientes - Desordenamento territorial - Mobiliário urbano, sinalética e arte urbana degradada - Jardins insuficientes - Parques infantis insuficientes - Áreas de lazer e recreio insuficientes - Espaços culturais e desportivos insuficientes - Zonas de circulação pedonal insuficientes - Ciclovias insuficientes - Outro Qual? 179

2 2 Refira 3 aspectos positivos na sua cidade. - Trânsito - Estacionamento - Recolha de Lixo - Saneamento básico - Iluminação - Planeamento - Edifícios - Espaços verdes - Ordenamento territorial - Mobiliário urbano, sinalética e arte urbana - Jardins - Parques infantis - Áreas de lazer e recreio - Espaços culturais e desportivos - Zonas de circulação pedonal - Ciclovias - Outro Qual? 3 - Quando ouve falar em politicas de requalificação urbana e ambiental, ao que associa? (Atribua uma hierarquia de 1 a 10, sendo 1 o mais importante e 10 o menos importante). - Mais ordenamento do espaço urbano - Mais circulação pedonal e ciclovias - Maior conservação/recuperação de fachadas - Maior uso do espaço público (ruas, praças e jardins) - Mais espaços de recreio e lazer - Mais espaços verdes - Mais espaços de competição desportiva, espectáculos culturais e afins - Mais bem-estar social - Superfícies de circulação motorizada e de estacionamento - Mobiliário urbano, sinalética e arte urbana C - REQUALIFICAÇÃO URBANA E AMBIENTAL A NÍVEL LOCAL 1- Considera importante que a autarquia (Câmara Municipal), implemente políticas de requalificação urbana e ambiental? Sim Não 2 - Na sua cidade, já observou obras de requalificação urbana e ambiental? Sim Não 2.1 Se respondeu Sim, refira 2 dessas obras Considera que obras de requalificação urbana são: (escolher apenas uma opção) - Muito necessárias - Medianamente necessárias - Pouco necessárias - Não são necessárias 4 - Considera que o espaço urbano do seu Concelho está: (escolher apenas uma opção) - Pouco requalificado - Medianamente requalificado - Muito requalificado - Degradado 180

3 5- Considera que o espaço urbano do seu Concelho está: (escolher apenas uma opção) - Pouco ordenado em termos territoriais - Medianamente ordenado em termos territoriais - Muito ordenado em termos territoriais - Está desordenado em termos territoriais 6 - Considera que a qualidade de vida na sua cidade é: (escolher apenas uma opção) - Muito Boa - Boa - Suficiente - Insuficiente 7 - Costuma usufruir dos espaços públicos da sua cidade? Sim Não 7.1 Se respondeu Sim, quais: (pode assinalar vários espaços) - Jardim/encosta da capela do Senhor da Piedade - Castelo - Jardim/encosta do Castelo - Praça Camões (antigo Mercado municipal) - Corredor pedonal nas margens do Rio Fervença - Centro histórico - Praça da Sé-Catedral - Jardim António José de Almeida - Jardim da Praça Cavaleiro Ferreira Outro. Qual? Como avalia a qualidade do espaço público urbano da sua cidade. (escolher apenas uma opção) - Muito Boa - Boa - Suficiente - Insuficiente D POLIS PROGRAMA DE REQUALIFICAÇÃO URBANA E VALORIZAÇÃO AMBIENTAL 1 - Já ouviu falar no Programa Polis? Sim Não Sabe o que é? Sim Não Diga o que pensa que é? 2 - Centralidade Urbana As áreas abrangidas pelo Programa Bragança POLIS: (escolher apenas uma opção) - passarão a ser novos centros de atracção de Bragança - passarão a ser apenas áreas requalificadas - não chegarão a impor-se como áreas atractivas 3 - Relação Centro-periferia As áreas abrangidas pelo Programa Bragança POLIS contribuirão para uma maior aproximação entre o centro da cidade e a periferia? 4 - Urbanidade (relação com centro histórico rio) 4.1- O projecto Bragança Polis contribuirá para uma maior aproximação entre a população da cidade e a zona histórica? O projecto Bragança Polis contribuirá para uma maior aproximação entre a população da cidade e o rio? 181

4 5 - Requalificação Urbana (áreas envolventes) - contribuirá fortemente para acentuar a requalificação das zonas envolventes - contribuirá medianamente para acentuar a requalificação das zonas envolventes - não introduz alterações significativas em termos de requalificação das zonas envolventes - tenderá a criar obstáculos à requalificação das zonas envolventes 6 - Mobilidade (em termos gerais) - irá facilitar fortemente a mobilidade - irá facilitar medianamente a mobilidade - não introduz alterações significativas em termos de mobilidade - irá dificultar a mobilidade 7 - Mobilidade (pedonal ou através de meio não motorizado) - irá facilitar fortemente a mobilidade - irá facilitar medianamente a mobilidade - não introduz alterações significativas em termos de mobilidade - irá dificultar a mobilidade 8 - Valorização Fundiária - contribuirá para uma forte valorização fundiária - contribuirá para uma mediana valorização fundiária - não introduz alterações significativas em termos de valorização fundiária - contribuirá para uma desvalorização fundiária 9 - Desenvolvimento Económico - contribuirá fortemente para o desenvolvimento económico da cidade - contribuirá medianamente para o desenvolvimento económico da cidade - não introduz alterações significativas em termos de desenvolvimento económico da cidade - tenderá a criar obstáculos ao desenvolvimento económico da cidade 10 - Turismo - contribuirá fortemente para um reforço do sector turístico da cidade - contribuirá medianamente para um reforço do sector turístico da cidade - não introduz alterações significativas em termos de reforço do sector turístico da cidade - contribuirá para uma regressão do sector turístico da cidade 182

5 11 - Desenvolvimento Cultural - contribuirá fortemente para o desenvolvimento cultural da cidade - contribuirá medianamente para o desenvolvimento cultural da cidade - não introduz alterações significativas em termos de desenvolvimento cultural da cidade - tenderá a criar obstáculos ao desenvolvimento cultural da cidade 12 - Ambiente - contribuirá fortemente para a preservação do ambiente na cidade - contribuirá medianamente para a preservação do ambiente na cidade - não introduz alterações significativas em termos de preservação do ambiente na cidade - contribuirá para a degradação do ambiente na cidade 13 - Lazer e Desporto - contribuirá fortemente para um reforço dos espaços de lazer e desporto da cidade - contribuirá medianamente para um reforço dos espaços de lazer e desporto da cidade - não introduz alterações significativas em termos de reforço dos espaços de lazer e desporto da cidade - contribuirá para uma regressão dos espaços de lazer e desporto da cidade 14 - Competitividade Considera importante a reabilitação urbana e ambiental como factor de competitividade entre cidades? Sim Não Se respondeu Sim, em que aspectos? - imagem da cidade para o exterior - imagem da cidade para os próprios habitantes - em termos comerciais - em termos turísticos - Outro motivo. Qual? 15 - Afirmação Regional - contribuirá fortemente para a afirmação de Bragança no contexto regional - contribuirá medianamente para a afirmação de Bragança no contexto regional - não introduz alterações significativas na afirmação de Bragança no contexto regional - contribuirá para uma diminuição do papel de Bragança no contexto regional Comentário Geral: Obrigado por aceitar responder a este inquérito. A sua colaboração é um elemento fundamental para esta pesquisa de mestrado! 183

6 FACULDADE DE LETRAS UNIVERSIDADE DE LISBOA Mestrado em Geografia, Esp. em Urbanização e Ordenamento do Território O planeamento urbano e o ordenamento territorial estratégico: O papel das politicas de requalificação urbana e ambiental em Bragança, Chaves e Viana do Castelo num contexto de competitividade. Nota: As suas respostas são totalmente anónimas. Data / / 2007 INQUÉRITO À POPULAÇÃO DE CHAVES A IDENTIFICAÇÃO 1- Sexo: Masculino Feminino 2- Idade: 3 Escolaridade: - Ensino Básico (9 anos) - Ensino Básico (incompleto) Quantos anos? - Ensino Secundário (12 anos) - Ensino Secundário (incompleto) - Ensino Superior - Não Sabe/Não Responde. 4 - Profissão: 5 Residência: - Concelho Freguesia Não Sabe/Não Responde B CONHECIMENTOS ACERCA DA TEMÁTICA REQUALIFICAÇÃO URBANA E AMBIENTAL 2- Refira 3 dos principais problemas que afectam a sua cidade. - Trânsito - Estacionamento - Lixo - Saneamento básico - Iluminação - Planeamento insuficiente - Edifícios degradados - Espaços verdes insuficientes - Desordenamento territorial - Mobiliário urbano, sinalética e arte urbana degradada - Jardins insuficientes - Parques infantis insuficientes - Áreas de lazer e recreio insuficientes - Espaços culturais e desportivos insuficientes - Zonas de circulação pedonal insuficientes - Ciclovias insuficientes - Outro Qual? 184

7 2 Refira 3 aspectos positivos na sua cidade. - Trânsito - Estacionamento - Recolha de Lixo - Saneamento básico - Iluminação - Planeamento - Edifícios - Espaços verdes - Ordenamento territorial - Mobiliário urbano, sinalética e arte urbana - Jardins - Parques infantis - Áreas de lazer e recreio - Espaços culturais e desportivos - Zonas de circulação pedonal - Ciclovias - Outro Qual? 3 - Quando ouve falar em politicas de requalificação urbana e ambiental, ao que associa? (Atribua uma hierarquia de 1 a 10, sendo 1 o mais importante e 10 o menos importante). - Mais ordenamento do espaço urbano - Mais circulação pedonal e ciclovias - Maior conservação/recuperação de fachadas - Maior uso do espaço público (ruas, praças e jardins) - Mais espaços de recreio e lazer - Mais espaços verdes - Mais espaços de competição desportiva, espectáculos culturais e afins - Mais bem-estar social - Superfícies de circulação motorizada e de estacionamento - Mobiliário urbano, sinalética e arte urbana C - REQUALIFICAÇÃO URBANA E AMBIENTAL A NÍVEL LOCAL 1- Considera importante que a autarquia (Câmara Municipal), implemente políticas de requalificação urbana e ambiental? Sim Não 2 - Na sua cidade, já observou obras de requalificação urbana e ambiental? Sim Não 2.1 Se respondeu Sim, refira 2 dessas obras Considera que obras de requalificação urbana são: (escolher apenas uma opção) - Muito necessárias - Medianamente necessárias - Pouco necessárias - Não são necessárias 4 - Considera que o espaço urbano do seu Concelho está: (escolher apenas uma opção) - Pouco requalificado - Medianamente requalificado - Muito requalificado - Degradado 185

8 5- Considera que o espaço urbano do seu Concelho está: (escolher apenas uma opção) - Pouco ordenado em termos territoriais - Medianamente ordenado em termos territoriais - Muito ordenado em termos territoriais - Está desordenado em termos territoriais 6 - Considera que a qualidade de vida na sua cidade é: (escolher apenas uma opção) - Muito Boa - Boa - Suficiente - Insuficiente 7 - Costuma usufruir dos espaços públicos da sua cidade? Sim Não 7.1 Se respondeu Sim, quais: (pode assinalar vários espaços) - Jardim do Tabolado/espaço verde das Caldas - Praça/Largo das Freiras - Jardim de S. Roque (Madalena) - Envolvente do Forte S. Francisco - Margem Esq. do Rio Tâmega (Pista de Pesca Desportiva) - Lapa - Envolvente do Forte de S. Neutel - Envolvente da Torre de Menagem (Castelo) - Jardim Público - Jardim do Bacalhau -Outro Qual? Como avalia a qualidade do espaço público urbano da sua cidade. (escolher apenas uma opção) - Muito Boa - Boa - Suficiente - Insuficiente D POLIS PROGRAMA DE REQUALIFICAÇÃO URBANA E VALORIZAÇÃO AMBIENTAL 1 - Já ouviu falar no Programa Polis? Sim Não Sabe o que é? Sim Não Diga o que pensa que é? 2 - Centralidade Urbana As áreas abrangidas pelo Programa Chaves POLIS: (escolher apenas uma opção) - passarão a ser novos centros de atracção de Chaves - passarão a ser apenas áreas requalificadas - não chegarão a impor-se como áreas atractivas 3 - Relação Centro-periferia As áreas abrangidas pelo Programa Chaves POLIS contribuirão para uma maior aproximação entre o centro da cidade e a periferia? 4 - Urbanidade (relação com centro histórico rio) 4.1- O projecto Chaves Polis contribuirá para uma maior aproximação entre a população da cidade e a zona histórica? O projecto Chaves Polis contribuirá para uma maior aproximação entre a população da cidade e o rio? 186

9 5 - Requalificação Urbana (áreas envolventes) - contribuirá fortemente para acentuar a requalificação das zonas envolventes - contribuirá medianamente para acentuar a requalificação das zonas envolventes - não introduz alterações significativas em termos de requalificação das zonas envolventes - tenderá a criar obstáculos à requalificação das zonas envolventes 6 - Mobilidade (em termos gerais) - irá facilitar fortemente a mobilidade - irá facilitar medianamente a mobilidade - não introduz alterações significativas em termos de mobilidade - irá dificultar a mobilidade 7 - Mobilidade (pedonal ou através de meio não motorizado) - irá facilitar fortemente a mobilidade - irá facilitar medianamente a mobilidade - não introduz alterações significativas em termos de mobilidade - irá dificultar a mobilidade 8 - Valorização Fundiária - contribuirá para uma forte valorização fundiária - contribuirá para uma mediana valorização fundiária - não introduz alterações significativas em termos de valorização fundiária - contribuirá para uma desvalorização fundiária 9 - Desenvolvimento Económico - contribuirá fortemente para o desenvolvimento económico da cidade - contribuirá medianamente para o desenvolvimento económico da cidade - não introduz alterações significativas em termos de desenvolvimento económico da cidade - tenderá a criar obstáculos ao desenvolvimento económico da cidade 10 - Turismo - contribuirá fortemente para um reforço do sector turístico da cidade - contribuirá medianamente para um reforço do sector turístico da cidade - não introduz alterações significativas em termos de reforço do sector turístico da cidade - contribuirá para uma regressão do sector turístico da cidade 187

10 11 - Desenvolvimento Cultural - contribuirá fortemente para o desenvolvimento cultural da cidade - contribuirá medianamente para o desenvolvimento cultural da cidade - não introduz alterações significativas em termos de desenvolvimento cultural da cidade - tenderá a criar obstáculos ao desenvolvimento cultural da cidade 12 - Ambiente - contribuirá fortemente para a preservação do ambiente na cidade - contribuirá medianamente para a preservação do ambiente na cidade - não introduz alterações significativas em termos de preservação do ambiente na cidade - contribuirá para a degradação do ambiente na cidade 13 - Lazer e Desporto - contribuirá fortemente para um reforço dos espaços de lazer e desporto da cidade - contribuirá medianamente para um reforço dos espaços de lazer e desporto da cidade - não introduz alterações significativas em termos de reforço dos espaços de lazer e desporto da cidade - contribuirá para uma regressão dos espaços de lazer e desporto da cidade 14 - Competitividade Considera importante a reabilitação urbana e ambiental como factor de competitividade entre cidades? Sim Não Se respondeu Sim, em que aspectos? - imagem da cidade para o exterior - imagem da cidade para os próprios habitantes - em termos comerciais - em termos turísticos - Outro motivo. Qual? 15 - Afirmação Regional - contribuirá fortemente para a afirmação de Chaves no contexto regional - contribuirá medianamente para a afirmação de Chaves no contexto regional - não introduz alterações significativas na afirmação de Chaves no contexto regional - contribuirá para uma diminuição do papel de Chaves no contexto regional Comentário Geral: Obrigado por aceitar responder a este inquérito. A sua colaboração é um elemento fundamental para esta pesquisa de mestrado! 188

11 FACULDADE DE LETRAS UNIVERSIDADE DE LISBOA Mestrado em Geografia, Esp. em Urbanização e Ordenamento do Território O planeamento urbano e o ordenamento territorial estratégico: O papel das politicas de requalificação urbana e ambiental em Bragança, Chaves e Viana do Castelo num contexto de competitividade. Nota: As suas respostas são totalmente anónimas. Data / / 2007 INQUÉRITO À POPULAÇÃO DE VIANA DO CASTELO A IDENTIFICAÇÃO 1- Sexo: Masculino Feminino 2- Idade: 3 Escolaridade: - Ensino Básico (9 anos) - Ensino Básico (incompleto) Quantos anos? - Ensino Secundário (12 anos) - Ensino Secundário (incompleto) - Ensino Superior - Não Sabe/Não Responde. 4 - Profissão: 5 Residência: - Concelho Freguesia Não Sabe/Não Responde B CONHECIMENTOS ACERCA DA TEMÁTICA REQUALIFICAÇÃO URBANA E AMBIENTAL 3- Refira 3 dos principais problemas que afectam a sua cidade. - Trânsito - Estacionamento - Lixo - Saneamento básico - Iluminação - Planeamento insuficiente - Edifícios degradados - Espaços verdes insuficientes - Desordenamento territorial - Mobiliário urbano, sinalética e arte urbana degradada - Jardins insuficientes - Parques infantis insuficientes - Áreas de lazer e recreio insuficientes - Espaços culturais e desportivos insuficientes - Zonas de circulação pedonal insuficientes - Ciclovias insuficientes - Outro Qual? 189

12 2 Refira 3 aspectos positivos na sua cidade. - Trânsito - Estacionamento - Recolha de Lixo - Saneamento básico - Iluminação - Planeamento - Edifícios - Espaços verdes - Ordenamento territorial - Mobiliário urbano, sinalética e arte urbana - Jardins - Parques infantis - Áreas de lazer e recreio - Espaços culturais e desportivos - Zonas de circulação pedonal - Ciclovias - Outro Qual? 3 - Quando ouve falar em politicas de requalificação urbana e ambiental, ao que associa? (Atribua uma hierarquia de 1 a 10, sendo 1 o mais importante e 10 o menos importante). - Mais ordenamento do espaço urbano - Mais circulação pedonal e ciclovias - Maior conservação/recuperação de fachadas - Maior uso do espaço público (ruas, praças e jardins) - Mais espaços de recreio e lazer - Mais espaços verdes - Mais espaços de competição desportiva, espectáculos culturais e afins - Mais bem-estar social - Superfícies de circulação motorizada e de estacionamento - Mobiliário urbano, sinalética e arte urbana C - REQUALIFICAÇÃO URBANA E AMBIENTAL A NÍVEL LOCAL 1- Considera importante que a autarquia (Câmara Municipal), implemente políticas de requalificação urbana e ambiental? Sim Não 2 - Na sua cidade, já observou obras de requalificação urbana e ambiental? Sim Não 2.1 Se respondeu Sim, refira 2 dessas obras Considera que obras de requalificação urbana são: (escolher apenas uma opção) - Muito necessárias - Medianamente necessárias - Pouco necessárias - Não são necessárias 4 - Considera que o espaço urbano do seu Concelho está: (escolher apenas uma opção) - Pouco requalificado - Medianamente requalificado - Muito requalificado - Degradado 190

13 5- Considera que o espaço urbano do seu Concelho está: (escolher apenas uma opção) - Pouco ordenado em termos territoriais - Medianamente ordenado em termos territoriais - Muito ordenado em termos territoriais - Está desordenado em termos territoriais 6 - Considera que a qualidade de vida na sua cidade é: (escolher apenas uma opção) - Muito Boa - Boa - Suficiente - Insuficiente 7 - Costuma usufruir dos espaços públicos da sua cidade? Sim Não 7.1 Se respondeu Sim, quais: (pode assinalar vários espaços) - Jardim Público - Avenida Central - Praça da Liberdade - Campo da Agonia - Praça da República - Envolvente da Capela das Almas -Outro Qual? Como avalia a qualidade do espaço público urbano da sua cidade. (escolher apenas uma opção) - Muito Boa - Boa - Suficiente - Insuficiente D POLIS PROGRAMA DE REQUALIFICAÇÃO URBANA E VALORIZAÇÃO AMBIENTAL 1 - Já ouviu falar no Programa Polis? Sim Não Sabe o que é? Sim Não Diga o que pensa que é? 2 - Centralidade Urbana As áreas abrangidas pelo Programa Viana POLIS: (escolher apenas uma opção) - passarão a ser novos centros de atracção de Viana do Castelo - passarão a ser apenas áreas requalificadas - não chegarão a impor-se como áreas atractivas 3 - Relação Centro-periferia As áreas abrangidas pelo Programa Viana POLIS contribuirão para uma maior aproximação entre o centro da cidade e a periferia? 4 - Urbanidade (relação com centro histórico rio) 4.1- O projecto Viana Polis contribuirá para uma maior aproximação entre a população da cidade e a zona histórica? O projecto Viana Polis contribuirá para uma maior aproximação entre a população da cidade e o rio? 191

14 5 - Requalificação Urbana (áreas envolventes) - contribuirá fortemente para acentuar a requalificação das zonas envolventes - contribuirá medianamente para acentuar a requalificação das zonas envolventes - não introduz alterações significativas em termos de requalificação das zonas envolventes - tenderá a criar obstáculos à requalificação das zonas envolventes 6 - Mobilidade (em termos gerais) - irá facilitar fortemente a mobilidade - irá facilitar medianamente a mobilidade - não introduz alterações significativas em termos de mobilidade - irá dificultar a mobilidade 7 - Mobilidade (pedonal ou através de meio não motorizado) - irá facilitar fortemente a mobilidade - irá facilitar medianamente a mobilidade - não introduz alterações significativas em termos de mobilidade - irá dificultar a mobilidade 8 - Valorização Fundiária - contribuirá para uma forte valorização fundiária - contribuirá para uma mediana valorização fundiária - não introduz alterações significativas em termos de valorização fundiária - contribuirá para uma desvalorização fundiária 9 - Desenvolvimento Económico - contribuirá fortemente para o desenvolvimento económico da cidade - contribuirá medianamente para o desenvolvimento económico da cidade - não introduz alterações significativas em termos de desenvolvimento económico da cidade - tenderá a criar obstáculos ao desenvolvimento económico da cidade 10 - Turismo - contribuirá fortemente para um reforço do sector turístico da cidade - contribuirá medianamente para um reforço do sector turístico da cidade - não introduz alterações significativas em termos de reforço do sector turístico da cidade - contribuirá para uma regressão do sector turístico da cidade 11 - Desenvolvimento Cultural 192

15 - contribuirá fortemente para o desenvolvimento cultural da cidade - contribuirá medianamente para o desenvolvimento cultural da cidade - não introduz alterações significativas em termos de desenvolvimento cultural da cidade - tenderá a criar obstáculos ao desenvolvimento cultural da cidade 12 - Ambiente - contribuirá fortemente para a preservação do ambiente na cidade - contribuirá medianamente para a preservação do ambiente na cidade - não introduz alterações significativas em termos de preservação do ambiente na cidade - contribuirá para a degradação do ambiente na cidade 13 - Lazer e Desporto - contribuirá fortemente para um reforço dos espaços de lazer e desporto da cidade - contribuirá medianamente para um reforço dos espaços de lazer e desporto da cidade - não introduz alterações significativas em termos de reforço dos espaços de lazer e desporto da cidade - contribuirá para uma regressão dos espaços de lazer e desporto da cidade 14 - Competitividade Considera importante a reabilitação urbana e ambiental como factor de competitividade entre cidades? Sim Não Se respondeu Sim, em que aspectos? - imagem da cidade para o exterior - imagem da cidade para os próprios habitantes - em termos comerciais - em termos turísticos - Outro motivo. Qual? 15 - Afirmação Regional - contribuirá fortemente para a afirmação de Viana do Castelo no contexto regional - contribuirá medianamente para a afirmação de Viana do Castelo no contexto regional - não introduz alterações significativas na afirmação de Viana do Castelo no contexto regional - contribuirá para uma diminuição do papel de Viana do Castelo no contexto regional Comentário Geral: Obrigado por aceitar responder a este inquérito. A sua colaboração é um elemento fundamental para esta pesquisa de mestrado! 193

Eng.º José Pinto Leite

Eng.º José Pinto Leite Dia 27 de Maio Investimento e sustentabilidade Eng.º José Pinto Leite Programa Polis Congresso LIDER A 09 Sustentabilidade e o POLIS José Manuel Pinto Leite IST 27/05/2009 1 Sustentabilidade e o POLIS

Leia mais

MONTIJO, CIDADE SAUDÁVEL E SUSTENTÁVEL DA CICLOVIA A UMA REDE PEDONAL E CICLÁVEL

MONTIJO, CIDADE SAUDÁVEL E SUSTENTÁVEL DA CICLOVIA A UMA REDE PEDONAL E CICLÁVEL MONTIJO, CIDADE SAUDÁVEL E SUSTENTÁVEL DA CICLOVIA A UMA REDE PEDONAL E CICLÁVEL Identificação do ponto de partida: O Município de Montijo: - Integra a Rede Portuguesa das Cidades Saudáveis, com quatro

Leia mais

A Participação Voluntária No Planeamento, Execução E Controlo Social Do Orçamento. Participativo

A Participação Voluntária No Planeamento, Execução E Controlo Social Do Orçamento. Participativo Cecília Branco Programa Urbal Red 9 Projecto Orçamento Participativo Reunião de Diadema Fevereiro 2007 A Participação Voluntária No Planeamento, Execução E Controlo Social Do Orçamento Participativo Município

Leia mais

OPERAÇÃO 3 - CONSTRUIR UMA CENTRALIDADE - PRAÇA DAS MINAS

OPERAÇÃO 3 - CONSTRUIR UMA CENTRALIDADE - PRAÇA DAS MINAS EIXO 2 AMBIENTE E ESPAÇO PÚBLICO OPERAÇÃO 3 - CONSTRUIR UMA CENTRALIDADE - PRAÇA DAS MINAS Intervenção de ordenamento e requalificação do centro da vida social do bairro, criando condições para o seu desenvolvimento

Leia mais

OPÇÕES DO PLANO 2015:2018 datas 2015 2016 2017 2018. conclusão. Respons. início 1 EDUCAÇÃO 207.000,00 186.840,00 191.282,00 196.

OPÇÕES DO PLANO 2015:2018 datas 2015 2016 2017 2018. conclusão. Respons. início 1 EDUCAÇÃO 207.000,00 186.840,00 191.282,00 196. 1 EDUCAÇÃO 207.000,00 186.840,00 191.282,00 196.916,00 1 ENSINO PRÉ-ESCOLAR E DO 1º CICLO 116.500,00 93.625,00 100.574,00 103.487,00 1 Apoios e subsídios CM 13 18 5 05-06-02-03-99 1.000,00 1.030,00 2.122,00

Leia mais

Mário Daniel Almeida. Júri

Mário Daniel Almeida. Júri A Qualidade de Vida como indicador síntese do sucesso de uma intervenção de Requalificação Urbana: O caso de estudo do Programa Polis no Cacém Mário Daniel Almeida Dissertação para obtenção do Grau de

Leia mais

E N T I D A D E DOTAÇÕES INICIAIS P L A N O P L U R I A N U A L D E I N V E S T I M E N T O S DO ANO 2015 CÂMARA MUNICIPAL DE MONTIJO

E N T I D A D E DOTAÇÕES INICIAIS P L A N O P L U R I A N U A L D E I N V E S T I M E N T O S DO ANO 2015 CÂMARA MUNICIPAL DE MONTIJO PÁGINA : 1 1. FUNÇÕES GERAIS 30.951,63 10.509,00 960.567,00 960.567,00 42.565,00 1.044.592,63 1.1. SERVIÇOS GERAIS DE 30.951,63 10.509,00 960.567,00 960.567,00 42.565,00 1.044.592,63 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

Leia mais

Projeto Viva a Alameda

Projeto Viva a Alameda Projeto Viva a Alameda Janeiro 2012 I. Enquadramento a. Política de Cidades o instrumento PRU b. Sessões Temáticas II. A PRU de Oliveira do Bairro a. Visão b. Prioridades Estratégicas c. Área de Intervenção

Leia mais

11º8 - Geografia A Professor Luís Gomes

11º8 - Geografia A Professor Luís Gomes 11º8 - Geografia A Professor Luís Gomes Projecto desenvolvido por: Beatriz Delgado, nº4 Leonor Evangelista, nº17 Rita Soromenho Sequeira, nº25 Sofia Velosa da Silva, nº28 Tatiana Malheiros, nº29 4 de Maio

Leia mais

INTERVENÇÕES DE REGENERAÇÃO URBANA EM PORTUGAL

INTERVENÇÕES DE REGENERAÇÃO URBANA EM PORTUGAL INTERVENÇÕES DE REGENERAÇÃO URBANA EM PORTUGAL JESSICA KICK-OFF MEETING FÁTIMA FERREIRA mrferreira@ihru.pt POLÍTICA DE CIDADES NO ÂMBITO DO QREN - PORTUGAL PO Regional Programas integrados de regeneração

Leia mais

A rua como elemento central da mobilidade urbana ciclável

A rua como elemento central da mobilidade urbana ciclável A rua como elemento central da mobilidade urbana ciclável 15 de Fevereiro de 2011 José M. Viegas Susana Castelo Mudança de paradigma Necessidade de : 1. Revisão do modelo de Predict & Provide, já que este

Leia mais

PLANO DIRECTOR MUNICIPAL DE ODIVELAS

PLANO DIRECTOR MUNICIPAL DE ODIVELAS PLANO DIRECTOR MUNICIPAL DE ODIVELAS I SISTEMAS EM RUPTURA?... Urbano: fragmentado, densidades extremadas Natural: pressão, desarmonia, descontinuidade Residencial: dormitório unifamiliar ou massivo Económico:

Leia mais

Ação Piloto para a Regeneração Urbana. Avenida da Liberdade, Braga. Concurso de Ideias Profissionais de Arquitectura

Ação Piloto para a Regeneração Urbana. Avenida da Liberdade, Braga. Concurso de Ideias Profissionais de Arquitectura Ação Piloto para a Regeneração Urbana Avenida da Liberdade, Braga Concurso de Ideias Profissionais de Arquitectura Cientes da importância de promover uma intervenção capaz de revitalizar o centro histórico

Leia mais

Requalificação da Frente Ribeirinha do Concelho de Vila Franca de Xira Polis & Polis XXI

Requalificação da Frente Ribeirinha do Concelho de Vila Franca de Xira Polis & Polis XXI Requalificação da Frente Ribeirinha do Concelho de Vila Franca de Xira Polis & Polis XXI Luís Matas de Sousa Director do Projecto de Requalificação Urbana da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira Área

Leia mais

RESUMO DAS OBRAS VISITADAS:

RESUMO DAS OBRAS VISITADAS: RESUMO DAS OBRAS VISITADAS: Bairro da Laje, freguesia de Porto Salvo: - Parque Urbano Fase IV Os Arranjos Exteriores do Parque Urbano Fase IV do bairro da Laje, inserem-se num vasto plano de reconversão

Leia mais

Polis Litoral Norte CONCURSO PARA A ELABORAÇÃO DO PROJECTO DE REQUALIFICAÇÃO DA FRENTE RIBEIRINHA DE VIANA DO CASTELO - NÚCLEO DO CABEDELO

Polis Litoral Norte CONCURSO PARA A ELABORAÇÃO DO PROJECTO DE REQUALIFICAÇÃO DA FRENTE RIBEIRINHA DE VIANA DO CASTELO - NÚCLEO DO CABEDELO Polis Litoral Norte CONCURSO PARA A ELABORAÇÃO DO PROJECTO DE REQUALIFICAÇÃO DA FRENTE RIBEIRINHA DE VIANA DO CASTELO - NÚCLEO DO CABEDELO SÍNTESE METODOLÓGICA Polis Litoral Norte CONCURSO PARA A ELABORAÇÃO

Leia mais

PROJECTO MOBILIDADE SUSTENTÁVEL ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DE CASTELO BRANCO

PROJECTO MOBILIDADE SUSTENTÁVEL ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DE CASTELO BRANCO PROJECTO MOBILIDADE SUSTENTÁVEL ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DE CASTELO BRANCO População concelho: 11 659 População Sede concelho: 2 134 (18%) Área: 1412,73 km2 Freguesias: 17 Intervenção nas seguintes

Leia mais

SEMINÁRIO INTERNACIONAL ESPAÇO PÚBLICO ACESSIBILIDADE E CIDADANIA PROJETO DE INTERVENÇÃO PARA A AV. DR. LOURENÇO PEIXINHO FREDERICO MOURA E SÁ

SEMINÁRIO INTERNACIONAL ESPAÇO PÚBLICO ACESSIBILIDADE E CIDADANIA PROJETO DE INTERVENÇÃO PARA A AV. DR. LOURENÇO PEIXINHO FREDERICO MOURA E SÁ SEMINÁRIO INTERNACIONAL ESPAÇO PÚBLICO ACESSIBILIDADE E CIDADANIA PROJETO DE INTERVENÇÃO PARA A AV. DR. LOURENÇO PEIXINHO FREDERICO MOURA E SÁ 4 DE OUTUBRO DE 2011. AVEIRO EQUIPA: Câmara Municipal de Aveiro

Leia mais

Projecto REDE CICLÁVEL DO BARREIRO Síntese Descritiva

Projecto REDE CICLÁVEL DO BARREIRO Síntese Descritiva 1. INTRODUÇÃO Pretende-se com o presente trabalho, desenvolver uma rede de percursos cicláveis para todo o território do Município do Barreiro, de modo a promover a integração da bicicleta no sistema de

Leia mais

1. Conectividade. Conceito: É sair de casa e poder ir ao bairro do lado sem ter de dar grandes voltas.

1. Conectividade. Conceito: É sair de casa e poder ir ao bairro do lado sem ter de dar grandes voltas. 1. Conectividade Em que medida o ambiente urbano/pedonal dispõe de uma rede integrada que permite conectar origens e destinos, que passa, por exemplo, pela existência e continuidade de uma infra-estrutura

Leia mais

QUESTIONÁRIO. Fórum do Desporto Municipal I DADOS PESSOAIS

QUESTIONÁRIO. Fórum do Desporto Municipal I DADOS PESSOAIS QUESTIONÁRIO Fórum do Desporto Municipal O Fórum do Desporto Municipal corresponde a um processo participativo, dinâmico que pretende assegurar a responsabilização e mobilização de todos os cidadãos e

Leia mais

DIÁRIO ECONÓMICO LISBOA OCIDENTAL OBRAS CONCLUÍDAS, EM CURSO E A REALIZAR BONS EXEMPLOS DE REABILITAÇÃO URBANA

DIÁRIO ECONÓMICO LISBOA OCIDENTAL OBRAS CONCLUÍDAS, EM CURSO E A REALIZAR BONS EXEMPLOS DE REABILITAÇÃO URBANA DIÁRIO ECONÓMICO LISBOA OCIDENTAL OBRAS CONCLUÍDAS, EM CURSO E A REALIZAR BONS EXEMPLOS DE REABILITAÇÃO URBANA Lisboa, 21 de Novembro de 2011 1. LOCALIZAÇÃO DA ÁREA DE REABILITAÇÃO URBANA DA LISBOA OCIDENTAL,

Leia mais

E N T I D A D E EXECUÇÃO DO PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS ANO CONTABILÍSTICO 2008 MUNICIPIO DE REDONDO. Pagina : 1

E N T I D A D E EXECUÇÃO DO PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS ANO CONTABILÍSTICO 2008 MUNICIPIO DE REDONDO. Pagina : 1 Pagina : 1 1. Funções gerais 610.500,00 610.500,00 334.850,49 334.850,49 54.85 54.85 1.1. Serviços gerais de administração pública 525.500,00 525.500,00 334.640,59 334.640,59 63.68 63.68 1.1.1. Administracao

Leia mais

Mobilidade Sustentável - Melhores Práticas em Lisboa

Mobilidade Sustentável - Melhores Práticas em Lisboa Mobilidade Sustentável - Melhores Práticas em Lisboa OUT. 2011 Fonte: terrasdeportugal.wikidot.com Fórum Transnacional - Projecto START Mobilidade - Câmara Municipal de Lisboa Mobilidade Sustentável Melhores

Leia mais

Execução Anual do Plano Plurianual de Investimentos

Execução Anual do Plano Plurianual de Investimentos (signação da autarquia local) Município Valença do Plano Plurianual Investimentos (unida: ) 01 FUNÇÕES GERAIS 01 001 SERVIÇOS GERAIS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 01 001 2010/1 AQUISIÇÃO, CONSTRUÇÃO, CONSERVAÇÃO

Leia mais

Plano de Pormenor da Frente Ribeirinha de Alhandra

Plano de Pormenor da Frente Ribeirinha de Alhandra Plano de Pormenor da Frente Ribeirinha de Alhandra O Plano de Pormenor da Frente Ribeirinha de Alhandra estabelece a concepção do espaço urbano, para a área de intervenção do Plano, dispondo, designadamente,

Leia mais

Plano Municipal de Promoção das Acessibilidades (PMPA)

Plano Municipal de Promoção das Acessibilidades (PMPA) Plano Municipal de Promoção das Acessibilidades (PMPA) Definições O Plano Municipal de Promoção das Acessibilidades irá conter um programa das intenções necessárias para assegurar a acessibilidade física

Leia mais

PROGRAMA INTEGRADO DE REGENERAÇÃO DA CIDADE DE ÁGUEDA REGENERAÇÃO URBANA DA CIDADE DE ÁGUEDA OS PROJECTOS QUE VÃO MARCAR A TRANSFORMAÇÃO DA CIDADE

PROGRAMA INTEGRADO DE REGENERAÇÃO DA CIDADE DE ÁGUEDA REGENERAÇÃO URBANA DA CIDADE DE ÁGUEDA OS PROJECTOS QUE VÃO MARCAR A TRANSFORMAÇÃO DA CIDADE PROGRAMA INTEGRADO DE REGENERAÇÃO DA CIDADE DE ÁGUEDA REGENERAÇÃO URBANA DA CIDADE DE ÁGUEDA OS PROJECTOS QUE VÃO MARCAR A TRANSFORMAÇÃO DA CIDADE ÁGUEDA: A INDÚSTRIA E A CIDADE AO SERVIÇO DA INOVAÇÃO

Leia mais

What We re Doing For Cycling no município do Seixal

What We re Doing For Cycling no município do Seixal What We re Doing For Cycling no município do Seixal SEIXAL Seixal: 94 km2 158 269 habitantes 94 600 empregados e estudantes 47 800 ficam no concelho (50%) Seixal: 94 km2 158 269 habitantes 94 600 empregados

Leia mais

Análise SWOT. Área: Território. Rede Social. - Novo Acesso Rodoviário - Qualidade do Ambiente - Recursos Naturais

Análise SWOT. Área: Território. Rede Social. - Novo Acesso Rodoviário - Qualidade do Ambiente - Recursos Naturais Área: Território - Novo Acesso Rodoviário - Qualidade do Ambiente - Recursos Naturais - Dinamização da Exploração dos Recursos Naturais para Actividades Culturais e Turísticas - Localização Geográfica

Leia mais

PLANO DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL DE MIRANDELA ESBOÇO DA ANÁLISE E DIAGNÓSTICO

PLANO DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL DE MIRANDELA ESBOÇO DA ANÁLISE E DIAGNÓSTICO PLANO DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL DE MIRANDELA ESBOÇO DA ANÁLISE E DIAGNÓSTICO 1. MOTIVAÇÕES E PREOCUPAÇÕES Condicionantes à Mobilidade Problemática Específica Articulação entre as decisões urbanísticas

Leia mais

GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2009

GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2009 GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2009 1. Análise do Plano Plurianual de Investimentos (PPI) O plano plurianual de investimentos para 2009 tem subjacente um planeamento financeiro que perspectiva a execução dos

Leia mais

Sustentabilidade nas Deslocações Casa-Escola

Sustentabilidade nas Deslocações Casa-Escola Divisão de Mobilidade e Transportes Públicos Sustentabilidade nas Deslocações Casa-Escola SEMINÁRIO. 11 e 12 Julho 2011. CASTELO BRANCO Margarida Inês de Oliveira margarida_deoliveira@cm-loures.pt TRANSPORTE

Leia mais

Execução Anual das Grandes Opções do Plano

Execução Anual das Grandes Opções do Plano das Grandes Opções do Plano 01 EDUCAÇÃO 01 01 EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR E ENSINO BÁSICO 01 01 /1 Infraestruturas de Ano Anos seguintes Anos Anteriores Ano 01 01 /1 1 Centro Escolar de Caria 0102 07010305 E

Leia mais

6. ESTRATÉGIAS DE ACÇÃO Relatório Agenda 21 - CASCAIS 2007 119 A implementação de uma estratégia no âmbito da Agenda Local 21 é apenas alcançável com a colaboração de todos os actores que actuam no Concelho,

Leia mais

MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DA PESQUEIRA DO ANO 2009

MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DA PESQUEIRA DO ANO 2009 PÁGINA : 1 1. FUNÇÕES GERAIS 200.000,00 200.000,00 200.000,00 1.1. 180.000,00 180.000,00 180.000,00 1.1.1. ADMINISTRAÇÃO GERAL 180.000,00 180.000,00 180.000,00 1.1.1. 01 2005 ADMINISTRAÇÃO GERAL 55.000,00

Leia mais

PLANOESTRATÉGICO DO DESENVOLVIMENTOECONÓMICOLOCAL DE S. JOÃO DA MADEIRA. Plano da sessão

PLANOESTRATÉGICO DO DESENVOLVIMENTOECONÓMICOLOCAL DE S. JOÃO DA MADEIRA. Plano da sessão plano estratégico del desenvolvimento económico local PLANOESTRATÉGICO DO DESENVOLVIMENTOECONÓMICOLOCAL ECONÓMICO LOCAL DE S. JOÃO DA MADEIRA Equipa técnica: Assessor: João Pedro Guimarães Colaboradores:

Leia mais

P L A N O D I R E T O R M U N I C I P A L DO S E I X A L R E V I S Ã O DISCUSSÃO PÚBLICA PROMOÇÃO DA EQUIDADE E DA COESÃO SOCIAL

P L A N O D I R E T O R M U N I C I P A L DO S E I X A L R E V I S Ã O DISCUSSÃO PÚBLICA PROMOÇÃO DA EQUIDADE E DA COESÃO SOCIAL PROMOÇÃO DA EQUIDADE E DA COESÃO SOCIAL VISÃO ESTRATÉGICA PARA O MUNICÍPIO EIXOS ESTRUTURANTES E OBJETIVOS ESTRATÉGICOS REESTRUTURAÇÃO DO ESPAÇO URBANO E CONSOLIDAÇÃO DO SISTEMA DE MOBILIDADE E TRANSPORTES

Leia mais

A REVITALIZAÇÃO DO CENTRO URBANO- REABILITAÇÃO E GESTÃO DA BAIXA COMERCIAL Luís D. Balula, Luís Sanchez Carvalho. Arquitectos Urbanistas

A REVITALIZAÇÃO DO CENTRO URBANO- REABILITAÇÃO E GESTÃO DA BAIXA COMERCIAL Luís D. Balula, Luís Sanchez Carvalho. Arquitectos Urbanistas A REVITALIZAÇÃO DO CENTRO URBANO- REABILITAÇÃO E GESTÃO DA BAIXA COMERCIAL Luís D. Balula, Luís Sanchez Carvalho. Arquitectos Urbanistas Desenvolvimento Temático: São bem conhecidos os problemas com que

Leia mais

III Encontro Agenda 21 Local (A21L) 20 de novembro 2015

III Encontro Agenda 21 Local (A21L) 20 de novembro 2015 III Encontro Agenda 21 Local (A21L) 20 de novembro 2015 Agenda 21: Faseamento 1 Agenda 21: Princípios orientadores A visão Um território com mais emprego, mais competitivo, mais qualificado, mais equitativo

Leia mais

RECLAMAÇÃO1: Queremos o fim da revisão do PDM e sua aplicação imediata!

RECLAMAÇÃO1: Queremos o fim da revisão do PDM e sua aplicação imediata! Alertas, reivindicações e sugestões sobre questões ambientais, culturais, de mobilidade, patrimoniais e urbanísticas para 2008-2009 RECLAMAÇÃO1: Queremos o fim da revisão do PDM e sua aplicação imediata!

Leia mais

Regeneração Urbana Um novo Impulso

Regeneração Urbana Um novo Impulso Regeneração Urbana Um novo Impulso O ENQUADRAMENTO Portugal tem 1,5 milhões de fogos que precisam de ser reabilitados dos quais 126 mil edifícios têm necessidade de intervenções urgentes e podem colocar

Leia mais

ORÇAMENTO PARTICIPATIVO POR CASCAIS, PARTICIPO. /opcascais www.cm-cascais.pt. escolha o seu projeto e vote por SMS grátis.

ORÇAMENTO PARTICIPATIVO POR CASCAIS, PARTICIPO. /opcascais www.cm-cascais.pt. escolha o seu projeto e vote por SMS grátis. ORÇAMENTO PARTICIPATIVO POR CASCAIS, PARTICIPO. De 2 dez. a 5 de jan. 2014 escolha o seu projeto e vote por SMS grátis. Marcos Chuva Atleta Olímpico Salto em comprimento SAIBA MAIS: /opcascais www.cm-cascais.pt

Leia mais

Conhecer para estruturar e promover o sector do Turismo.

Conhecer para estruturar e promover o sector do Turismo. As Dinâmicas Regionais e os seus atores Conhecer para estruturar e promover o sector do Turismo. I.P.L. 26.10.2011 Praia do Osso da Baleia Trilhos de Interpretação da Natureza - Projecto Ecomatur I - Trilho

Leia mais

E O CITY MARKETING O NOSSO CONTRIBUTO PARA FAZER CIDADE

E O CITY MARKETING O NOSSO CONTRIBUTO PARA FAZER CIDADE E O CITY MARKETING O NOSSO CONTRIBUTO PARA FAZER CIDADE O Contributo da Reabilitação da Baixa Portuense e do Centro Histórico para a Cidade do Porto Como Cidade Competitiva Como Cidade Pátria Como Cidade

Leia mais

MAPA DE PESSOAL. Gabinete de Apoio ao Presidente. Gabinete de Fiscalização Sanitária

MAPA DE PESSOAL. Gabinete de Apoio ao Presidente. Gabinete de Fiscalização Sanitária Preenchidos A preencher Preenchidos Gabinete de Apoio ao Presidente Coordenar e executar todas as atividades inerentes à assessoria, secretariados, protocolos da Presidência e assegurar a interligação

Leia mais

Setembro Dia Europeu Sem Carros 22 Semana Europeia da Mobilidade 16 17 18 19 20 21 22

Setembro Dia Europeu Sem Carros 22 Semana Europeia da Mobilidade 16 17 18 19 20 21 22 Câmara Municipal: Cidade VILA NOVA DE GAIA Vila Nova de Gaia Setembro Dia Europeu Sem Carros 22 Semana Europeia da Mobilidade 16 17 18 19 20 21 22 Área da cidade 600 ha População total 30 hab. Dimensão

Leia mais

E N T I D A D E P L A N O P L U R I A N U A L D E I N V E S T I M E N T O S DOTAÇÕES INICIAIS MUNICÍPIO DE ÍLHAVO DO ANO 2015

E N T I D A D E P L A N O P L U R I A N U A L D E I N V E S T I M E N T O S DOTAÇÕES INICIAIS MUNICÍPIO DE ÍLHAVO DO ANO 2015 PÁGINA : 1 1. FUNÇÕES GERAIS 995.500,00 995.500,00 50.000,00 50.000,00 50.000,00 1.145.500,00 1.1. SERVIÇOS GERAIS DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 995.500,00 995.500,00 50.000,00 50.000,00 50.000,00 1.145.500,00

Leia mais

AGENDA VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO

AGENDA VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO Novas Oportunidades para o Financiamento de Investimento Público e Empresarial no âmbito do QREN --- Sines 11 de Março de 2008 A Agenda Operacional para a Valorização do Território é uma estratégia de

Leia mais

Atribuições e competências dos vários níveis de administração pública Competências e financiamento das Autarquias locais

Atribuições e competências dos vários níveis de administração pública Competências e financiamento das Autarquias locais Sumário Atribuições e competências dos vários níveis de Competências e financiamento das Autarquias locais Níveis de administração Administração Central/Nível Nacional Administração Local/Nível Municipal

Leia mais

PRIMEIROS PASSOS DA AAE EM PORTUGAL APLICAÇÃO À ESTRATÉGIA DE INVESTIMENTO DO PARQUE ALQUEVA

PRIMEIROS PASSOS DA AAE EM PORTUGAL APLICAÇÃO À ESTRATÉGIA DE INVESTIMENTO DO PARQUE ALQUEVA PRIMEIROS PASSOS DA AAE EM PORTUGAL APLICAÇÃO À ESTRATÉGIA DE INVESTIMENTO DO PARQUE ALQUEVA Maria do Rosário Partidário, Sofia Antunes, Júlio de Jesus e Marta Garcia LOCALIZAÇÃO Localizado no Concelho

Leia mais

MUNICIPIO DE ILHAVO DO ANO 2010

MUNICIPIO DE ILHAVO DO ANO 2010 PÁGINA : 1 1. Funções gerais 1.851.000,00 1.851.000,00 860.000,00 280.000,00 2.991.000,00 1.1. Serviços gerais de administração pública 1.601.000,00 1.601.000,00 610.000,00 2.241.000,00 1.1.1. 1.1.1.1.

Leia mais

GAPTEC. Estudos de Orientação Para o Planeamento do Concelho de Odivelas. Relatório Final Volume II. Maio 2003

GAPTEC. Estudos de Orientação Para o Planeamento do Concelho de Odivelas. Relatório Final Volume II. Maio 2003 GAPTEC Departamento de Planeamento Estratégico Divisão do Plano Director Municipal Estudos de Orientação Para o Planeamento do Concelho de Odivelas Maio 2003 Relatório Final Volume II EQUIPA Coordenadores

Leia mais

Visão e Estrategia Guiné-Bissau 2025 - Dominio das Infra-estruturas. Macau, 5 de Junho de 2015

Visão e Estrategia Guiné-Bissau 2025 - Dominio das Infra-estruturas. Macau, 5 de Junho de 2015 REPÚBLICA DA GUINÉ-BISSAU Encontro Ministerial «Desafios para Cooperação entre China e os Paises de Lingua Portuguesa no dominio das Infra-estruturas: Alternativas de Financiamento» Visão e Estrategia

Leia mais

PLANO DE ESTRUTURA URBANA DO MUNICÍPIO DE MAPUTO

PLANO DE ESTRUTURA URBANA DO MUNICÍPIO DE MAPUTO PLANO DE ESTRUTURA URBANA DO MUNICÍPIO DE MAPUTO Seminário sobre Pobreza Urbana Maputo, 16 de Abril de 2009 RAZOES E FILOSOFIA DO PEUMM O PEUM é o primeiro plano de ordenamento urbano elaborado pelo próprio

Leia mais

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro www.regiaodeaveiro.pt PIMT de Aveiro, Aveiro TIS.PT Transportes Inovação e Sistemas, S.A. 1 16 Breve enquadramento A Comunidade Intermunicipal

Leia mais

A MOBILIDADE EM CIDADES MÉDIAS ABORDAGEM NA PERSPECTIVA DA POLÍTICA DE CIDADES POLIS XXI

A MOBILIDADE EM CIDADES MÉDIAS ABORDAGEM NA PERSPECTIVA DA POLÍTICA DE CIDADES POLIS XXI Mobilidade em Cidades Médias e Áreas Rurais Castelo Branco, 23-24 Abril 2009 A MOBILIDADE EM CIDADES MÉDIAS ABORDAGEM NA PERSPECTIVA DA POLÍTICA DE CIDADES POLIS XXI A POLÍTICA DE CIDADES POLIS XXI Compromisso

Leia mais

DOCUMENTO DA DIREÇÃO. www.apmbzqr.blogspot.com. PROPOSTA DE LINHAS ORIENTADORAS Projeto de desenvolvimento social

DOCUMENTO DA DIREÇÃO. www.apmbzqr.blogspot.com. PROPOSTA DE LINHAS ORIENTADORAS Projeto de desenvolvimento social 2012 DOCUMENTO DA DIREÇÃO www.apmbzqr.blogspot.com PROPOSTA DE LINHAS ORIENTADORAS Projeto de desenvolvimento social Índice Nota prévia... 3 Introdução... 3 Enquadramento... 4 Retrato social e necessidades

Leia mais

Polis Litoral Operações Integradas de Requalificação e Valorização da Orla Costeira

Polis Litoral Operações Integradas de Requalificação e Valorização da Orla Costeira Polis Litoral Operações Integradas de Requalificação e Valorização da Orla Costeira OBJECTIVOS DO POLIS LITORAL: (RCM n.º 90/2008, de 3 de Junho) a) Proteger e requalificar a zona costeira, tendo em vista

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde

Direcção-Geral da Saúde Assunto: Avaliação Ambiental Estratégica Recomendações para a integração e apreciação da Componente Saúde Humana nos Planos Municipais de Ordenamento do Território Nº: 36/DA DATA:09.10.09 Para: Contacto

Leia mais

Município de Nisa. Balancete das Grandes Opções do Plano por Objectivos e Programas para o ano de 2011. No periodo de 01-01-2011 a 30-09-2011

Município de Nisa. Balancete das Grandes Opções do Plano por Objectivos e Programas para o ano de 2011. No periodo de 01-01-2011 a 30-09-2011 1 Funções Gerais 641.160,00 623.375,67 17.784,33 609.638,87 491.604,67 363.182,89 128.421,78 1 1,1 Administração Geral 577.940,00 571.093,15 6.846,85 557.356,35 449.322,15 324.728,79 124.593,36 1 1,1 2001/1

Leia mais

APRESENTAÇÃO DOS DOCUMENTOS PREVISIONAIS 2010. Generalidades / Enquadramento

APRESENTAÇÃO DOS DOCUMENTOS PREVISIONAIS 2010. Generalidades / Enquadramento APRESENTAÇÃO DOS DOCUMENTOS PREVISIONAIS 2010 Os Documentos Previsionais para o Ano Financeiro 2010 foram elaborados de acordo com as regras definidas no POCAL Plano Oficial de Contabilidade das Autarquias

Leia mais

AVALIAÇÃO DA TAXA DE SUCESSO EM REABILITAÇÃO URBANA

AVALIAÇÃO DA TAXA DE SUCESSO EM REABILITAÇÃO URBANA Congresso Construção 2007-3.º Congresso Nacional 17 a 19 de Dezembro, Coimbra, Portugal Universidade de Coimbra AVALIAÇÃO DA TAXA DE SUCESSO EM REABILITAÇÃO URBANA Rui Calejo Rodrigues 1, Flora Silva 2

Leia mais

Projecto de Candidatura da Universidade de Coimbra a Património Mundial

Projecto de Candidatura da Universidade de Coimbra a Património Mundial Projecto de Candidatura da Universidade de Coimbra a Património Mundial 1 Coimbra - 1941 Coimbra - 2001 2 Pólo II - Estado actual Pólo III - Estado actual 3 Pólo I - Estado actual 4 Pólo I - Estado actual

Leia mais

45.761,92 61.02 45.761,92 45.761,92 75.000,00 45.761,92 7.500,00 730.800,00 864.800,00 134.000,00 730.800,00 75.000,00 75.000,00

45.761,92 61.02 45.761,92 45.761,92 75.000,00 45.761,92 7.500,00 730.800,00 864.800,00 134.000,00 730.800,00 75.000,00 75.000,00 Pagina : 1 1. Funções gerais 2.391.613,00 2.641.653,00 5.033.266,00 711.967,19 711.967,19 29.77 14.15 1.1. Serviços gerais de administração pública 2.301.613,00 2.441.653,00 4.743.266,00 637.867,59 637.867,59

Leia mais

Da rua ao centro comercial

Da rua ao centro comercial Herculano Cachinho cachinho@fl.ul.pt O espaço o públicop Da rua ao centro comercial Mobilidade e Espaço Público, Odivelas, 11 de Maio 2006 Quatro questões Espaço público: conceito moribundo ou em expansão?

Leia mais

ESTRATÉGIA PARA A SUSTENTABILIDADE DA CIDADE DO PORTO

ESTRATÉGIA PARA A SUSTENTABILIDADE DA CIDADE DO PORTO ESTRATÉGIA PARA A SUSTENTABILIDADE DA CIDADE DO PORTO A Estratégia para a Sustentabilidade da Cidade do Porto é um documento da responsabilidade técnica da AdEPorto - Agência de Energia do Porto elaborado

Leia mais

Evento. Âmbito. Regulamento

Evento. Âmbito. Regulamento Evento Decorrerá nas ruas de Leiria e terá lugar no dia 17 de Setembro de 2006 com a distância de 3.000 metros. Dado o cariz social e de lazer deste evento, realizarse-á, em simultâneo com a corrida, um

Leia mais

PLANO DE PORMENOR DO DALLAS FUNDAMENTAÇÃO DA DELIBERAÇÃO DE DISPENSA DE AVALIAÇÃO AMBIENTAL

PLANO DE PORMENOR DO DALLAS FUNDAMENTAÇÃO DA DELIBERAÇÃO DE DISPENSA DE AVALIAÇÃO AMBIENTAL FUNDAMENTAÇÃO DA DELIBERAÇÃO DE DISPENSA DE AVALIAÇÃO AMBIENTAL Deliberação da Reunião Câmara Municipal de 29/11/2011 DIRECÇÃO MUNICIPAL DE URBANISMO DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE PLANEAMENTO URBANO DIVISÃO

Leia mais

R e l a t ó r i o d a c o n s u l ta p ú b l i c a. C o m o a p o i o d e :

R e l a t ó r i o d a c o n s u l ta p ú b l i c a. C o m o a p o i o d e : R e l a t ó r i o d a c o n s u l ta p ú b l i c a C o m o a p o i o d e : D e z e m b r o d e 2011 Página 2 de 50 Ficha Técnica E n t i d a d e s p r o m o t o r a s P r o j e t o c o - f i n a n c i

Leia mais

E N T I D A D E P L A N O P L U R I A N U A L D E I N V E S T I M E N T O S DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO DO PORTO SANTO DO ANO 2015

E N T I D A D E P L A N O P L U R I A N U A L D E I N V E S T I M E N T O S DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO DO PORTO SANTO DO ANO 2015 PÁGINA : 1 1. FUNÇÕES GERAIS 33.356,00 25.856,00 7.500,00 1.002.856,00 677.500,00 380.000,00 2.093.712,00 1.1. SERVIÇOS GERAIS DE 33.356,00 25.856,00 7.500,00 1.002.856,00 677.500,00 380.000,00 2.093.712,00

Leia mais

JUNTA DE FREGUESIA DE Nª. SRª GUADALUPE. Concelho de Évora OPÇÕES DO PLANO PARA 2006. Largo Abel Augusto nº 4 7000-222 Nª. Sr.

JUNTA DE FREGUESIA DE Nª. SRª GUADALUPE. Concelho de Évora OPÇÕES DO PLANO PARA 2006. Largo Abel Augusto nº 4 7000-222 Nª. Sr. JUNTA DE FREGUESIA DE Nª. SRª GUADALUPE Concelho de Évora OPÇÕES DO PLANO PARA 2006 Largo Abel Augusto nº 4 7000-222 Nª. Sr.ª Guadalupe Tel. e Fax: 266 781 165 Tel.: 266 747 916 email: jfguadalupe@mail.evora.net

Leia mais

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES 1783 MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Decreto n.º 7/2008 de 27 de Março A rede ferroviária de alta velocidade constitui um empreendimento público de excepcional interesse nacional

Leia mais

PRODER Sub-Programa 3 Dinamização das Zonas Rurais ESTRATÉGIA LOCAL DE DESENVOLVIMENTO PARA O INTERIOR DO ALGARVE CENTRAL

PRODER Sub-Programa 3 Dinamização das Zonas Rurais ESTRATÉGIA LOCAL DE DESENVOLVIMENTO PARA O INTERIOR DO ALGARVE CENTRAL PRODER Sub-Programa 3 Dinamização das Zonas Rurais ESTRATÉGIA LOCAL DE DESENVOLVIMENTO PARA O INTERIOR DO ALGARVE CENTRAL Medida 3.1 - Diversificação da economia e criação de emprego Objectivos : - Promover

Leia mais

P L A N O P L U R I A N U A L D E I N V E S T I M E N T O S DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO DE PONTA DO SOL DO ANO 2009

P L A N O P L U R I A N U A L D E I N V E S T I M E N T O S DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO DE PONTA DO SOL DO ANO 2009 PÁGINA : 1 1. Funções gerais 84.620,00 84.620,00 84.620,00 1.1. Serviços gerais de administração pública 29.620,00 29.620,00 29.620,00 1.1.1. Administracao geral 29.620,00 29.620,00 29.620,00 1.1.1. SO/0707

Leia mais

MUNICIPIO DE CALHETA DO ANO 2016

MUNICIPIO DE CALHETA DO ANO 2016 PÁGINA : 1 1. Funções gerais 415.272,00 415.272,00 331.772,00 78.772,00 78.772,00 157.540,71 1.062.128,71 1.1. Serviços gerais de 400.272,00 400.272,00 325.772,00 78.772,00 78.772,00 157.540,71 1.041.128,71

Leia mais

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 06 DE AGOSTO DE 2008 ORDEM DO DIA

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 06 DE AGOSTO DE 2008 ORDEM DO DIA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 06 DE AGOSTO DE 2008 ORDEM DO DIA A Câmara deliberou, por unanimidade, justificar a falta dos Vereadores Senhores Dr. José Polido, Alberto

Leia mais

E s t r u t u r a V e r d e

E s t r u t u r a V e r d e Estrutura Verde A. Introdução O conceito de Estrutura Verde insere-se numa estratégia de desenvolvimento sustentado, objecto fundamental das políticas do ordenamento do território. A Estrutura Verde é

Leia mais

GeoLoulé: Plataforma SIG da C. M. Loulé. Agenda. Objectivo. Enquadramento. Historial. Equipa. Arquitectura. MuniSIG Web. Casos Práticos.

GeoLoulé: Plataforma SIG da C. M. Loulé. Agenda. Objectivo. Enquadramento. Historial. Equipa. Arquitectura. MuniSIG Web. Casos Práticos. Agenda Objectivo Enquadramento Historial Equipa Arquitectura MuniSIG Web Casos Práticos ArcGIS Mobile Futuro Objectivo Criar uma infra-estrutura de suporte a todas as aplicações de informação geográfica

Leia mais

Lema: "Voltar a ver felicidade no Parque Mayer"

Lema: Voltar a ver felicidade no Parque Mayer IDEIAS PARA O PLANO DE PORMENOR DO PARQUE MAYER Lema: "Voltar a ver felicidade no Parque Mayer" Linha de acção: intervenção MINIMALISTA. Questões Prévias/Condicionantes: * Orçamental; * Interacção Parque

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 757/X ESTABELECE MEDIDAS DE INCENTIVO À PARTILHA DE VIATURAS

PROJECTO DE LEI N.º 757/X ESTABELECE MEDIDAS DE INCENTIVO À PARTILHA DE VIATURAS Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º 757/X ESTABELECE MEDIDAS DE INCENTIVO À PARTILHA DE VIATURAS Exposição de motivos Existiam 216 milhões de passageiros de carros na UE a 25 em 2004, tendo o número

Leia mais

requalificação em consequência de concurso de arquitectura promovido pela Câmara Municipal de Lisboa.

requalificação em consequência de concurso de arquitectura promovido pela Câmara Municipal de Lisboa. AIRES MATEUS E ASSOCIADOS RUA SILVA CARVALHO, 193, 1250-250 LISBOA TEL 21 381 56 50 35/79 requalificação em consequência de concurso de arquitectura promovido pela Câmara Municipal de Lisboa. O edifício

Leia mais

II Convenção Sou de Peniche

II Convenção Sou de Peniche II Convenção Sou de Peniche Apresentação Junho 2008 1 ÍNDICE APRESENTAÇÃO 1. Caso de Peniche 2. Avaliação e Diagnóstico 3. Factores Críticos 4.Recomendações de Politicas e Acções II Convenção Sou de Peniche

Leia mais

IV Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas

IV Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas IV Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas Preparar a Retoma, Repensar a Logística 10 de Novembro NOVOHOTEL SETUBAL Comunicação: Factores de Atractividade da oferta logística do Alentejo Orador: Dr.

Leia mais

REGULAMENTO DE CIRCULAÇÃO E ESTACIONAMENTO PARA A ZONA DE TRANSITO CONDICIONADO DO CENTRO DA CIDADE DE SÃO JOÃO DA MADEIRA. Nota justificativa

REGULAMENTO DE CIRCULAÇÃO E ESTACIONAMENTO PARA A ZONA DE TRANSITO CONDICIONADO DO CENTRO DA CIDADE DE SÃO JOÃO DA MADEIRA. Nota justificativa REGULAMENTO DE CIRCULAÇÃO E ESTACIONAMENTO PARA A ZONA DE TRANSITO CONDICIONADO DO CENTRO DA CIDADE DE SÃO JOÃO DA MADEIRA Nota justificativa As recentes obras realizadas no Centro Cívico da Cidade de

Leia mais

Marketing Territorial: uma aposta regional?

Marketing Territorial: uma aposta regional? Marketing Territorial: uma aposta regional? Conferência Alentejo Atractivo: nas rotas do Investimento Global Évora, 10 de Março de 2012 Contexto Contexto de competição entre territórios - regiões, cidades,

Leia mais

Mobilidade e Acessibilidade Mobilidade e em pri ro ugar as PESSOAS Fevereiro 2009

Mobilidade e Acessibilidade Mobilidade e em pri ro ugar as PESSOAS Fevereiro 2009 Mobilidade e Acessibilidade em primeiro i lugar as PESSOAS Fevereiro 2009 Mobilidade e Acessibilidade Mobilidade para todos! Hierarquia dos utilizadores dos espaços públicos 1. Pessoas com mobilidade reduzida

Leia mais

ENVOLVIMENTO E RESPONSABILIZAÇÃO DOS PARCEIROS NO PROCESSO DE ELABORAÇÃO E GESTÃO DO PLANO DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL DE PONTA DELGADA

ENVOLVIMENTO E RESPONSABILIZAÇÃO DOS PARCEIROS NO PROCESSO DE ELABORAÇÃO E GESTÃO DO PLANO DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL DE PONTA DELGADA ENVOLVIMENTO E RESPONSABILIZAÇÃO DOS PARCEIROS NO PROCESSO DE ELABORAÇÃO E GESTÃO DO PLANO DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL DE PONTA DELGADA Gil, Artur* & Calado, Helena** CIGPT Centro de Informação Geográfica

Leia mais

A TRANSPORTAR... 40.275,19 98.800,00 81.800,00 18.000,00 18.000,00 18.000,00 193.075,19

A TRANSPORTAR... 40.275,19 98.800,00 81.800,00 18.000,00 18.000,00 18.000,00 193.075,19 PÁGINA : 1 DESPESAS D (PREVISÃO) 1. FUNÇOES GERAIS 132.059,77 470.000,00 470.000,00 157.250,00 107.500,00 62.700,00 929.509,77 1.1. SERVIÇOS GERAIS DE 93.277,77 410.000,00 410.000,00 147.250,00 97.500,00

Leia mais

Reconquista da Frente Ribeirinha de Lisboa Manuel Salgado Câmara Municipal de Lisboa dmprgu.dpru.dpeu@cm- lisboa.pt

Reconquista da Frente Ribeirinha de Lisboa Manuel Salgado Câmara Municipal de Lisboa dmprgu.dpru.dpeu@cm- lisboa.pt Reconquista da Frente Ribeirinha de Lisboa Manuel Salgado Câmara Municipal de Lisboa dmprgu.dpru.dpeu@cm- lisboa.pt A requalificação da frente ribeirinha de Lisboa foram recentemente impulsionadas por

Leia mais

Nós Propomos - Cidadania e inovação em educação geográfica. Centro Comercial São Bernardo

Nós Propomos - Cidadania e inovação em educação geográfica. Centro Comercial São Bernardo Nós Propomos - Cidadania e inovação em educação geográfica Centro Comercial São Bernardo Introdução O trabalho que vamos apresentar foi-nos proposto pela professora Isabel Beja no âmbito da disciplina

Leia mais

Integrado do Vale do Minho. Av. Miguel Dantas, n.º 69. 4930-678 Valença. Tel.: +351 251 825 811/2. Fax: +351 251 825 620. adriminho@mail.telepac.

Integrado do Vale do Minho. Av. Miguel Dantas, n.º 69. 4930-678 Valença. Tel.: +351 251 825 811/2. Fax: +351 251 825 620. adriminho@mail.telepac. Eixo 3 do PRODER Dinamização das zonas Rurais Englobam no eixo 3 do PRODER Abordagem Leader as seguintes Medidas e Acções Medida 3.1 Diversificação da Economia e Criação de Emprego 3.1.1 Diversificação

Leia mais

JUNTA DE FREGUESIA DE CANAVIAIS Concelho de Évora GRANDES OPÇÕES DO PLANO

JUNTA DE FREGUESIA DE CANAVIAIS Concelho de Évora GRANDES OPÇÕES DO PLANO GRANDES OPÇÕES DO PLANO Na continuidade das opções que temos vindo a desenvolver ao longo do nosso mandato, que reflectem nas suas linhas gerais de orientação, uma constante preocupação em proporcionar

Leia mais

SUMÁRIO O TERRITÓRIO, A BICICLETA E A GÉNESE DO PROJECTO MURTOSA CICLÁVEL REDE DE CICLOVIAS E INFRAESTRUTURAS DE APOIO AS PESSOAS E A BICICLETA

SUMÁRIO O TERRITÓRIO, A BICICLETA E A GÉNESE DO PROJECTO MURTOSA CICLÁVEL REDE DE CICLOVIAS E INFRAESTRUTURAS DE APOIO AS PESSOAS E A BICICLETA A BICICLETA NA MOBILIDADE URBANA E NA FRUIÇÃO DA NATUREZA MURTOSA, 23 DE SETEMBRO DE 2011 SUMÁRIO O TERRITÓRIO, A BICICLETA E A GÉNESE DO PROJECTO MURTOSA CICLÁVEL REDE DE CICLOVIAS E INFRAESTRUTURAS DE

Leia mais

Seminário de apresentação da Rede Gestus

Seminário de apresentação da Rede Gestus Seminário de apresentação da Rede Gestus Rede Gestus O LOGOTIPO Rede Gestus Internacionalização Zona 4 Gestus Compras Cartão ECOTUR Portal Gestus Cartão Gestus Contact Center CRM Zona 4 O LOGOTIPO Características:

Leia mais

Proposta: "Valorizar o património do fluxo pedonal em Lisboa "

Proposta: Valorizar o património do fluxo pedonal em Lisboa Proposta: "Valorizar o património do fluxo pedonal em Lisboa " Preâmbulo Desde os anos sessenta do século XX, as vereações do trânsito da Câmara Municipal de Lisboa (CML) sentiram necessidade de dar especial

Leia mais

De acordo com os objectivos previamente definidos para esta investigação, apresentamos de seguida as respectivas conclusões:

De acordo com os objectivos previamente definidos para esta investigação, apresentamos de seguida as respectivas conclusões: 7.1 Conclusões De acordo com os objectivos previamente definidos para esta investigação, apresentamos de seguida as respectivas conclusões: 1 - Descrever os instrumentos/modelos de gestão e marketing estratégicos

Leia mais

Futuro Sustentável [Fase de alargamento]

Futuro Sustentável [Fase de alargamento] Futuro Sustentável [Fase de alargamento] Relatório síntese da sondagem à população Versão para consulta pública Abril de 2008 Promotor Equipa técnica Índice Índice... 2 1. Equipa técnica... 3 2. Introdução...

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Sustentabilidade e Eficiência Energética

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Sustentabilidade e Eficiência Energética Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Sustentabilidade e Eficiência Energética Regulamento Específico do Domínio da Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (Portaria nº 57 B/2015 de

Leia mais

PLANO DE SOLUÇÕES INTEGRADAS DE ACESSIBILIDADE PARA TODOS. Município da Miranda do Corvo

PLANO DE SOLUÇÕES INTEGRADAS DE ACESSIBILIDADE PARA TODOS. Município da Miranda do Corvo PLANO DE SOLUÇÕES INTEGRADAS DE ACESSIBILIDADE PARA TODOS Município da Miranda do Corvo A POPULAÇÃO É DIVERSA Vivemos numa sociedade estereotipada, desenhada para a maioria, que não tem em conta os direitos

Leia mais