! " # $ $ % & $ $ ' (#! ) * + ),! -+!, #. + ) + / -+ /, 0

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "! " # $ $ % & $ $ ' (#! ) * + ),! -+!, #. + ) + / -+ /, 0"

Transcrição

1 Durante dezenas de anos, os proprietários de imóveis na Barra da Tijuca (Jardim Oceânico e Tijucamar), tiveram seus imóveis devidamente registrados no 9º Ofício de Imóveis como alodiais ou seja livres e desembaraçados de qualquer gravame. Em 2001 a Gerência Regional do Patrimônio da União Federal, através do Ofício e posteriormente através do Ofício em 2002, determinou que o 9º. Ofício de Imóveis gravasse nas matrículas dos imóveis que os mesmos eram foreiros à União, o que foi efetivado por aquele Cartório em março de Esta averbação, conforme se observa na área impactada, atingiu aproximadamente imóveis na Barra da Tijuca. Os proprietários daqueles imóveis sofreram um dano irreparável pois, da noite para o dia, suas propriedades foram transformadas, de livres e desembaraçadas, em foreiras, o que implica na obrigação do pagamento anual de um foro e no pagamento de um laudêmio em caso de venda, sem contar com a certa desvalorização do imóvel. Este fato ocorreu, sem que os proprietários tivessem sido notificados; vale dizer foi um ato manu militari, praticado unilateralmente e sem direito de defesa ou impugnação. Poderia a União ter praticado este ato, sem a audiência dos proprietários? A Lei 9.760/46, que disciplina os imóveis da União, concede-lhe o direito de demarcar as terras de marinha a qualquer tempo. Entretanto, exige, a mesma lei, que os interessados, sejam intimados, pessoalmente ou por edital, para que ofereçam defesa e impugnação, podendo apresentar recursos etc. Na espécie, assim não procedeu a União, sob argumento de que estes imóveis encontram-se dentro da linha da Preamar Médio de 1.831, constituindo-se em terrenos de Marinha, não havendo necessidade de nova demarcação, já que as linhas foram oficialmente demarcadas em 1968, através do processo 1.241/64.

2 Ocorrida a tragédia (transformação do imóvel de alodial para foreiro), os proprietários de imóveis localizados dentro da área impactada, ficaram impedidos de aliená-los, eis que os Cartórios de Notas são impedidos, por lei, de lavrar escrituras de imóveis foreiros, sem a comprovação do pagamento do laudêmio e prova de quitação dos foros anuais. Na realidade, estes proprietários só têm duas opções: a primeira, é recorrer ao Poder Judiciário Federal, em uma batalha que pode perdurar anos, durante os quais estarão impedidos de alienar seus imóveis; a segunda opção e alternativa, é conformarse com a transformação de seu imóvel, de alodial para foreiro, requerendo ao SPU a regularização. Nesta hipótese, o SPU irá cobrar os foros e laudêmios dos últimos 5 (cinco) anos, bem como multa pela transferência, acrescidos de juros e correção monetária. Após o pagamento, o proprietário terá um RIP em seu nome, passando a pagar foro anualmente e laudêmio quando alienar seu imóvel. A 4ª. Turma do Tribunal Regional Federal, ao julgar o Agravo de Instrumento , Relator Juiz Benedito Gonçalves, decidiu que esta cobrança é ilegal, sob o argumento brilhante de que o proprietário só responde pelos encargos do aforamento devido desde a data da averbação no competente RGI (2003), sob pena de prejudicar terceiro de boa-fé, que adquiriu o imóvel, desconhecendo tratar-se de imóvel foreiro, por falha ocasionada pelo próprio SPU. Agora está ocorrendo nova tragédia. Ao optar pela regularização de seu imóvel, o SPU está confiscando a propriedade do imóvel situado dentro da área impactada. É que, não obstante ter determinado que o Registro de Imóveis averbasse que o imóvel é foreiro, o SPU cadastra o proprietário como simples ocupante, cobrando taxas de ocupação (e não foro), laudêmio e multa de transferência dos últimos 5 anos, embora esta cobrança seja ilegal como decidido pelo Tribunal Regional Federal. O fato do SPU cadastrar o proprietário como ocupante (e não foreiro), significa que ele perdeu sua propriedade para a União Federal, sendo apenas um simples ocupante, pagando anualmente uma taxa anual de ocupação e não foro. Ocorreu assim um confisco,

3 eis que o foreiro possui o domínio útil do imóvel, enquanto o ocupante nada possui. A questão é um paradoxo, já que o proprietário do imóvel o tem registrado no 9º. Ofício de Imóveis como foreiro à União Federal (como exigido pela própria União), enquanto no SPU é cadastrado como simples ocupante e não foreiro. A tese da União Federal para este procedimento (cadastrar como ocupante e não foreiro) que reputamos verdadeiro confisco, é que, por força do artº. 198 do Decreto/Lei ela tem como nula qualquer pretensão de domínio pleno de terrenos de marinha e seus acrescidos, salvo quando originadas de títulos por ela outorgados. Vale dizer, como os proprietários dos imóveis situados dentro da área impactada, não adquiriram o domínio útil da União, não são foreiros e sim meros ocupantes, pouco importando o fato de terem títulos registrados no RGI há dezenas de anos. Importante é alertar aos proprietários destes imóveis, que, ao solicitarem a regularização dos seus imóveis junto ao SPU, será exigido e cobrado multas, laudêmios e taxas de ocupação dos últimos 5 anos (os demais estariam prescritos) o que é ilegal. Com efeito, a decisão do Tribunal Regional Federal é clara ao estabelecer que esta cobrança só é devida a partir da averbação no competente RGI (ocorreu em 28/03/2003), sob pena de prejudicar terceiro de boa-fé que adquiriu o imóvel, desconhecendo tratar-se de imóvel de propriedade plena da União Federal (ou mesmo foreiro), por falha ocasionada pelo próprio SPU. A própria ADEMI, em parecer emitido pelo Dr. Maury Rouede Bernardes adota o procedimento de sugerir aos proprietários que regularizem sua ocupação, mediante o pagamento do devido à União tão somente a partir da data da dominialidade da União, nas correspondentes matrículas imobiliárias. Entendem alguns juristas que, seria o caso de ingressar contra a União Federal para anular aquelas averbações, por irregularidades na elaboração da linha demarcatória e falhas nas publicações dos editais, ocorrido em 1956 através do processo administrativo /56 e ainda no processo 1.241/64, o que reputamos temerário, face ao instituto da prescrição. Vale dizer, mesmo que tenham

4 ocorrido irregularidades, o ato da União está protegido definitivamente pelo manto da prescrição. A posição do SPU/RJ de cadastrar os proprietários como ocupantes e não foreiros (contrariando as averbações feitas nas matrículas), suscita questões jurídicas relevantes. Com efeito, sustenta a União que ela tem a propriedade plena de todos os terrenos situados dentro da linha demarcatória, lastreada no artº. 1º do Decreto-Lei 9.760/46, o qual inclui entre os bens imóveis da União os terrenos de marinha e acrescidos, não reconhecendo nenhum título de propriedade que não tenha sido outorgada por ela (União). A respeito, o então Procurador da Fazenda Nacional Dr. José Nicodemos de Oliveira, no processo administrativo /85/86 sobre os terrenos cuja origem foi a Tijucamar e a Barra da Tijuca S/A., emitiu parecer no qual afirma que, o ato de demarcação da linha de pelo SPU, é ato meramente declaratório, eis que o direito de propriedade da União é ex-lege. Afirma ainda aquele parecer que jamais se admitiu no Brasil que particulares tivessem a propriedade plena de terrenos de Marinha. O SPU sustenta que os registros dos imóveis como alodiais, enquanto não cancelados produzem todos seus efeitos legais, comportando, contudo, retificação administrativa se caracterizado em procedimento regular, que ditos imóveis são de propriedade da União e não de particulares. Neste sentido é o Parecer PGFN/CPA/1.715/97, que deu origem a Lei de 15 de maio de 1988, que em seu artigo 1º. concedeu ao SPU o direito de identificar, demarcar, cadastrar, registrar,fiscalizar e regularizar as ocupações de bens imóveis do domínio da União Federal. Se admitido que a União Federal está correta, sendo todos apenas ocupantes, surgem questões jurídicas que, como afirmamos acima, são relevantes e graves. A primeira questão jurídica relevante diz respeito ao IPTU. Óbvio que, se a União Federal tem a propriedade plena destes terrenos, os mesmos estão isentos de pagamento de IPTU. Assim, um proprietário(agora mero ocupante) de um terreno situado dentro da

5 linha demarcatória, poderá pleitear, até mesmo mediante ação declaratória contra o Município do Rio de Janeiro, a isenção do pagamento daquele tributo, como também terá direito de postular a devolução dos IPTUs pagos nos últimos 5 (cinco) anos. No tocante aos terrenos que já possuam edificações (casas, lojas, salas etc), poderão pleitear redução do IPTU, pois nesta hipótese o tributo incidirá somente sobre as benfeitorias. A segunda questão é concernente as matrículas existentes no 9º. Ofício de Imóveis. Se a União Federal possui a propriedade plena dos imóveis relacionados naquelas matrículas, nada justifica a existência destas matrículas em nome de particulares. Devem pois estas matrículas serem todas canceladas, não mais se tornando necessário qualquer registro de compra e venda, já que toda transação daqui em diante, será de simples venda de direitos de ocupação de terreno de propriedade da União, o que não exige escritura pública, pagamento de ITBI e registro do RGI, bastando apenas ingressar com este instrumento particular junto ao SPU (acompanhado do laudêmio pago e no prazo de 60 (sessenta) dias) para transferência do RIP para o nome do comprador. A questão se tornou tão grave, que exige, urgentemente, a edição de uma lei para disciplinar a matéria, já que o caos jurídico foi instalado. Este artigo é de autoria do Dr. Francisco Bastone, Juiz de Direito aposentado, membro da AMAERJ e da AMB, advogado militante junto ao SPU e Consultor Jurídico da Barra Chase Adm.Imóveis.

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 342, DE 2015

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 342, DE 2015 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 342, DE 2015 Altera o Decreto-Lei nº 1.876, de 15 de julho de 1981, e o Decreto-Lei nº 2.398, de 21 de dezembro de 1987, para isentar da cobrança de laudêmio, foro e taxa de

Leia mais

NOTAS SOBRE O PROJETO DE LEI Nº 5.627/2013

NOTAS SOBRE O PROJETO DE LEI Nº 5.627/2013 DANILO OLIVEIRA RODRIGUES DE LIMA Advogado especialista em Direito Portuário e Terrenos de Marinha. danilooliveira@advogadosamc.com / Fone: 3213-0549 NOTAS SOBRE O PROJETO DE LEI Nº 5.627/2013 Alterações

Leia mais

Para extinção das dívidas e/ou saldos devedores do contrato com fundamento no art. 7º da MP nº 496/2010:

Para extinção das dívidas e/ou saldos devedores do contrato com fundamento no art. 7º da MP nº 496/2010: DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA: Extinção de dívidas do contrato Compra do imóvel com base no art. 12 da Lei nº 11.483/2007 Substituição do beneficiário do contrato de compra e venda ou cessão de direitos Emissão

Leia mais

O terreno de marinha, conforme se verá, é de propriedade da União por força da Constituição Federal de 1988 e de Leis infraconstitucionais.

O terreno de marinha, conforme se verá, é de propriedade da União por força da Constituição Federal de 1988 e de Leis infraconstitucionais. União pode dispor do domínio útil de terreno da marinha Por Rodrigo Passos Pinheiro Fonte: Consultor Jurídico 18/06/12 A questão apresentada envolve conhecimento específico da legislação sobre terrenos

Leia mais

SUMÁRIO PREFÁCIO ABREVIATURAS ABREVIATURAS INTRODUÇÃO

SUMÁRIO PREFÁCIO ABREVIATURAS ABREVIATURAS INTRODUÇÃO SUMÁRIO ABREVIATURAS CAT Certidão Autorizativa de Transferência CC - Código Civil CF - Constituição Federal CGC Corregedoria Geral de Justiça CPC Código de Processo Civil CSM Conselho Superior de Magistratura

Leia mais

5) COMPROMISSO PARTICULAR DE VENDA E COMPRA E OUTRAS COMPROMISSÁRIO VENDEDOR:..., brasileiro, solteiro, produtor rural, inscrito no CPF sob o

5) COMPROMISSO PARTICULAR DE VENDA E COMPRA E OUTRAS COMPROMISSÁRIO VENDEDOR:..., brasileiro, solteiro, produtor rural, inscrito no CPF sob o 5) COMPROMISSO PARTICULAR DE VENDA E COMPRA E OUTRAS AVENÇAS PARTES CONTRATANTES COMPROMISSÁRIO VENDEDOR:..., brasileiro, solteiro, produtor rural, inscrito no CPF sob o n.... e no RG sob o n...., residente

Leia mais

FAQ Perguntas Frequentes

FAQ Perguntas Frequentes FAQ Perguntas Frequentes Índice 01. Incorporação Imobiliária...3 02. Contrato...4 03. Pagamento e Boletos...5 04. Financiamento...6 05. Distrato e Transferência...8 06. Documentações...9 07. Instalação

Leia mais

ANEXO INSTRUÇÃO NORMATIVA SPU - 001

ANEXO INSTRUÇÃO NORMATIVA SPU - 001 ANEXO INSTRUÇÃO NORMATIVA SPU - 001 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL A presente Instrução Normativa obedece ao disposto no 3º, art. 3º do Decreto Lei nº 2.398, de 21 de dezembro de 1987, Lei nº 5.194, de 24 de dezembro

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA AQUISIÇÃO DE IMÓVEL RESIDENCIAL

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA AQUISIÇÃO DE IMÓVEL RESIDENCIAL RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA AQUISIÇÃO DE IMÓVEL RESIDENCIAL Nota: Os documentos abaixo relacionados deverão ser apresentados na forma original ou por cópia autenticada em cartório. DOCUMENTOS DO COMPRADOR

Leia mais

DO CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS. Curso de Técnico em Transações Imobiliárias Curso Total

DO CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS. Curso de Técnico em Transações Imobiliárias Curso Total DO CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS Curso de Técnico em Transações Imobiliárias Curso Total DO CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS DO CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS. FINALIDADE. DOS TÍTULOS REGISTRÁVEIS: ESCRITURA

Leia mais

SISTEMA DE SUPORTE A DECISÃO DA SPU METADADOS

SISTEMA DE SUPORTE A DECISÃO DA SPU METADADOS SISTEMA DE SUPORTE A DECISÃO DA SPU METADADOS OBJETIVOS DO SISTEMA DE SUPORTE À DECISÃO DA SPU O Sistema de Suporte à Decisão da SPU visa dotar a Secretaria de Patrimônio da União de informações de caráter

Leia mais

PORTARIA GSF N 38/2013 Teresina (PI), 10 de junho de 2013.

PORTARIA GSF N 38/2013 Teresina (PI), 10 de junho de 2013. PORTARIA GSF N 38/2013 Teresina (PI), 10 de junho de 2013. Publicado no DOM n 1.528, de 14.06.2013 Dispõe sobre procedimentos para solicitações referentes ao Imposto Predial e Territorial Urbano - IPTU,

Leia mais

MINUTA DE CONTRATO CONTRATO DE COMPRA E VENDA

MINUTA DE CONTRATO CONTRATO DE COMPRA E VENDA MINUTA DE CONTRATO CONTRATO DE COMPRA E VENDA TERMO DE COMPROMISSO DE COMPRA E VENDA DE BEM IMÓVEL QUE ENTRE SI FAZEM A FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE ALTO VALE DO RIO DO PEIXE - FUNIARP E. Na forma abaixo: FUNDAÇÃO

Leia mais

PARECER CONJUR / MCIDADES Nº 1796/2007. Processo nº 80000.014403/2007-50

PARECER CONJUR / MCIDADES Nº 1796/2007. Processo nº 80000.014403/2007-50 PARECER CONJUR / MCIDADES Nº 1796/2007 CONSULTA EFETUADA PELA CAIXA. ANÁLISE DE ESCRI- TURA DE ÁREA DE INTERVENÇÃO, REFERENTE A CON- TRATO DE REPASSE CELEBRADO COM O MUNICÍPIO DE (...). IMÓVEL ORIUNDO

Leia mais

CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO E ARREMATE EM LEILÃO ONLINE - ATIVO IMÓVEL Leilão nº. 2051_ BANCO LUSO BRASILEIRO S.A _27_03_2015

CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO E ARREMATE EM LEILÃO ONLINE - ATIVO IMÓVEL Leilão nº. 2051_ BANCO LUSO BRASILEIRO S.A _27_03_2015 CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO E ARREMATE EM LEILÃO ONLINE - ATIVO IMÓVEL Leilão nº. 2051_ BANCO LUSO BRASILEIRO S.A _27_03_2015 1. Regras aplicáveis ao leilão on line : A realização do leilão n. 2051, bem

Leia mais

PRÁTICA CIVIL E PROCESSUAL LEGALE

PRÁTICA CIVIL E PROCESSUAL LEGALE BEM IMOVEL Art. 79. São bens imóveis o solo e tudo quanto se lhe incorporar natural ou artificialmente. Art. 80. Consideram-se imóveis para os efeitos legais: I -os direitos reais sobre imóveis e as ações

Leia mais

O Prefeito Municipal de Resende, no exercício das atribuições, que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município, em seu artigo 74, inciso XV,

O Prefeito Municipal de Resende, no exercício das atribuições, que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município, em seu artigo 74, inciso XV, DECRETO Nº 5218 DE 09 DE NOVEMBRO DE 2011. EMENTA: Regulamenta os procedimentos de declaração, avaliação, emissão de guias de recolhimento, processo de arbitramento e a instauração do contencioso fiscal

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE PROMESSA DE VENDA E COMPRA DE IMÓVEL URBANO, que entre si celebram:

INSTRUMENTO PARTICULAR DE PROMESSA DE VENDA E COMPRA DE IMÓVEL URBANO, que entre si celebram: INSTRUMENTO PARTICULAR DE PROMESSA DE VENDA E COMPRA DE IMÓVEL URBANO, que entre si celebram: I - de um lado, na qualidade de Promitente VENDEDORA, a FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL DO BANCO ECONÔMICO S/A-ECOS,

Leia mais

LEILÃO DE IMÓVEIS. O Leilão será regido pelas normas e disposições consignadas neste Edital e pelas regras de Direito Privado aplicáveis.

LEILÃO DE IMÓVEIS. O Leilão será regido pelas normas e disposições consignadas neste Edital e pelas regras de Direito Privado aplicáveis. LEILÃO DE IMÓVEIS CIBRASEC COMPANHIA BRASILEIRA DE SECURITIZAÇÃO, com sede em São Paulo, inscrita no CNPJ sob nº 02.105.040/0001-23, doravante simplesmente denominadas em conjunto VENDEDORA, tornam público,

Leia mais

Código de Processo Civil, encontramos regras nesse sentido nos artigos 1003 e seguintes, 1022 e seguintes, artigo 1026.

Código de Processo Civil, encontramos regras nesse sentido nos artigos 1003 e seguintes, 1022 e seguintes, artigo 1026. Escritura pública de inventário e partilha Documentos Necessários A relação de documentos necessários para uma escritura pública de inventário e partilha, especialmente quando contemplam bens imóveis,

Leia mais

28/09/00 ON-GEARP-001 * ASSUNTO:

28/09/00 ON-GEARP-001 * ASSUNTO: 28/09/00 ON-GEARP-001 * ASSUNTO: TRANSFERÊNCIAS DE AFORAMENTO, DE DIREITOS SOBRE BENFEITORIAS E DE DIREITOS RELATIVOS À OCUPAÇÃO DE IMÓVEIS DA UNIÃO E BENFEITORIAS EXISTENTES. MP FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: SPU

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA PRIMEIRO CONSELHO DE CONTRIBUINTES SEGUNDA CÂMARA

MINISTÉRIO DA FAZENDA PRIMEIRO CONSELHO DE CONTRIBUINTES SEGUNDA CÂMARA MINISTÉRIO DA FAZENDA PRIMEIRO CONSELHO DE CONTRIBUINTES SEGUNDA CÂMARA Processo nº : 11080.002645/00-42 Recurso nº : 144.361 Matéria : IRPF - EX.: 1998 Recorrente : TÂNIA REGINA ESTEVES MARQUES Recorrida

Leia mais

COMPRA E VENDA DE MOVEIS E IMÓVEIS Modelo 02

COMPRA E VENDA DE MOVEIS E IMÓVEIS Modelo 02 ANUÊNCIA PARA DOAÇÃO OU VENDA DE IMÓVEL ENTRE ASCENDENTE E DESCENDENTES Modelo 01 a quem confere poderes para o fim especial de, como interveniente na escritura de (doação, venda ) que seu(sua)(s) ( pai,

Leia mais

USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL

USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL DOCUMENTOS: Requerimento com a qualificação completa dos interessados, firmado por advogado devidamente constituído. Não há necessidade de reconhecimento de firma (item 2.1 da Circular

Leia mais

A Preservação do Patrimônio Cultural na Esfera Municipal

A Preservação do Patrimônio Cultural na Esfera Municipal A Preservação do Patrimônio Cultural na Esfera Municipal 1. Introdução O patrimônio cultural de cada comunidade pode ser considerado a sua cédula de identidade. Por isso, cada vez mais os municípios necessitam

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAPÁ

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAPÁ PROVIMENTO Nº 0060/97 O Desembargador GILBERTO DE PAULA PINHEIRO, Vice- Presidente/Corregedor-Geral da Justiça do Estado do Amapá, no uso de suas atribuições legais, Considerando que a Lei Federal nº 6.766,

Leia mais

CHECKLIST DETALHADO PARA AQUISIÇÃO DE IMÓVEL PESSOA JURÍDICA 1. DOCUMENTOS DE ANÁLISE DE CRÉDITO

CHECKLIST DETALHADO PARA AQUISIÇÃO DE IMÓVEL PESSOA JURÍDICA 1. DOCUMENTOS DE ANÁLISE DE CRÉDITO Após a aprovação do crédito e a avaliação do imóvel, retorne à sua Agência com a relação completa dos documentos descritos nos itens abaixo, para a efetivação de seu financiamento. 1. DOCUMENTOS DE ANÁLISE

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO SÃO PAULO AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 614.481-0/4 - Agravante: Finasa Leasing Arrendamento Mercantil S.A. Agravados: Panorama Turismo Ltda. Aparecida Sircelj Parte: Banco Safra S.A. EXECUÇÃO. ARREMATAÇÃO. PENHORA.

Leia mais

4.9 PROJETO DE LEI DO DIREITO DE PREEMPÇÃO

4.9 PROJETO DE LEI DO DIREITO DE PREEMPÇÃO 302 4.9 PROJETO DE LEI DO DIREITO DE PREEMPÇÃO Regulamento o exercício do direito de preempção pelo Poder Público Municipal de acordo com a Lei de Revisão do Plano Diretor, e dá outras providências. A

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS CONSELHO MUNICIPAL DE TRIBUTOS RELATÓRIO

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS CONSELHO MUNICIPAL DE TRIBUTOS RELATÓRIO DECISÃO PARADIGMÁTICA NÚMERO 1.000.013 Folha 1 / 10 RELATÓRIO Trata-se de Recurso Ordinário tempestivamente interposto em face do despacho de 1ª instância administrativa, que indeferiu a impugnação do

Leia mais

Investimento Imobiliário em Angola Guia Prático

Investimento Imobiliário em Angola Guia Prático www.finaccount.com Investimento Imobiliário em Angola Guia Prático Prestação de Serviços de Consultoria Empresarial e Formação Aquisição de bens imóveis O processo de aquisição de bens imóveis em Angola

Leia mais

Informativo sobre Feirão de imóveis

Informativo sobre Feirão de imóveis Informativo sobre Feirão de imóveis 2013 Realização: PROCON Campinas - DICAS DE AQUISIÇÃO DE IMÓVEIS: 1- Pesquise o preço do imóvel Se for o caso, procure outros imóveis à venda no mesmo prédio, condomínio

Leia mais

ESCRITURA DE COMPRA E VENDA

ESCRITURA DE COMPRA E VENDA RGI N: ESCRITURA DE COMPRA E VENDA VENDEDOR: COMPRADORA: IMÓVEL: VALOR DA VENDA E COMPRA: R$ VALOR VENAL DE REFERÊNCIA: R$ INSCRIÇÃO CADASTRAL: S A I B A M quantos esta pública escritura virem aos ----

Leia mais

PARCELAMENTO TRIBUTÁRIO

PARCELAMENTO TRIBUTÁRIO PARCELAMENTO TRIBUTÁRIO Depósitos Judiciais (REsp. 1.251.513/PR) e a conversão do depósito pela Fazenda Pública José Umberto Braccini Bastos umberto.bastos@bvc.com.br CTN ART. 151 o depósito é uma das

Leia mais

Regulamento de Propina

Regulamento de Propina Regulamento de Propina 2015 2015 ÍNDICE SECÇÃO I Curso de Licenciatura em Enfermagem... 4 Artigo 1º Valor da Propina... 4 Artigo 2º Modalidades de pagamento... 4 SECÇÃO II Cursos de Pós-Licenciatura e

Leia mais

Imposto de Renda sobre o Ganho de Capital

Imposto de Renda sobre o Ganho de Capital Imposto de Renda sobre o Ganho de Capital Formas de Redução e Isenção da Obrigação Tributária gerada pelo ganho de capital com a venda de imóveis. Lucas Calafiori Catharino de Assis Conceito de Tributo

Leia mais

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Desembargadores ALVARO PASSOS (Presidente) e JOSÉ JOAQUIM DOS SANTOS.

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Desembargadores ALVARO PASSOS (Presidente) e JOSÉ JOAQUIM DOS SANTOS. fls. 530 Registro: 2014.0000586182 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 4002913-20.2013.8.26.0554, da Comarca de Santo André, em que são apelantes LUÍS ALBERTO DE ARAUJO LIMA

Leia mais

Ponto 1. Ponto 2. Ponto 3

Ponto 1. Ponto 2. Ponto 3 DIREITO TRIBUTÁRIO PEÇA PROFISSIONAL Ponto 1 Em Agosto de 2008, o município de São Paulo promoveu, contra o Partido do Triunfo Nacional (PTN), regularmente registrado no Tribunal Superior Eleitoral, execução

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1, DE 23 DE JULHO DE 2007

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1, DE 23 DE JULHO DE 2007 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1, DE 23 DE JULHO DE 2007 Dispõe sobre o lançamento e a cobrança de créditos originados em Receitas Patrimoniais. A SECRETÁRIA DO PATRIMÔNIO DA UNIÃO, no uso de suas atribuições

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CODÓ ESTADO DO MARANHÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CODÓ ESTADO DO MARANHÃO LEI Nº 1552, DE 18 DE AGOSTO DE 2011. Disciplina a dação em pagamento de obras, serviços e bem móvel como forma de extinção da obrigação tributária no Município de Codó, prevista no inciso XI do artigo

Leia mais

MANUAL DO COMPRADOR DE IMÓVEIS INFORMAÇÕES BÁSICAS AO COMPRADOR DE IMÓVEL

MANUAL DO COMPRADOR DE IMÓVEIS INFORMAÇÕES BÁSICAS AO COMPRADOR DE IMÓVEL MANUAL DO COMPRADOR DE IMÓVEIS INFORMAÇÕES BÁSICAS AO COMPRADOR DE IMÓVEL Este manual foi produzido com o objetivo de oferecer informações básicas sobre negócio imobiliário ao interessado na compra de

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DO PATRIMÔNIO DA UNIÃO DOMÍNIO PÚBLICO SOBRE A ORLA MARÍTIMA

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DO PATRIMÔNIO DA UNIÃO DOMÍNIO PÚBLICO SOBRE A ORLA MARÍTIMA MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DOMÍNIO PÚBLICO SOBRE A ORLA MARÍTIMA TERRENOS DE MARINHA TERRENOS ALODIAIS TERRENOS DE MARINHA ACRESCIDOS DE MARINHA PRAIA LLTM LPM TERRENOS DE MARINHA DL

Leia mais

NOVO CPC INTRODUZ A USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL NO PAÍS

NOVO CPC INTRODUZ A USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL NO PAÍS NOVO CPC INTRODUZ A USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL NO PAÍS João Pedro Lamana Paiva 1 O novo Código de Processo Civil (Lei nº 13.105, de 16.3.2015), sancionado em 16.3.2015, introduz na ordem jurídica brasileira,

Leia mais

A responsabilidade pelo pagamento das cotas condominiais em caso de aquisição do imóvel mediante arrematação judicial

A responsabilidade pelo pagamento das cotas condominiais em caso de aquisição do imóvel mediante arrematação judicial A responsabilidade pelo pagamento das cotas condominiais em caso de aquisição do imóvel mediante arrematação judicial Por Maria Angélica Jobim de Oliveira À luz do artigo 1.336, inciso I, do Código Civil,

Leia mais

CONDIÇÕES DE PAGAMENTO E VENDA DOS IMÓVEIS

CONDIÇÕES DE PAGAMENTO E VENDA DOS IMÓVEIS CONDIÇÕES DE PAGAMENTO E VENDA DOS IMÓVEIS CONDIÇÕES DE PAGAMENTO O pagamento deverá ser a vista para os imóveis arrematados por qualquer valor, com pagamento no ato da arrematação. Sobre o valor do arremate,

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ TRADIÇÃO, EXPERIÊNCIA E OUSADIA DE QUEM É PIONEIRO Data: 23/03/2010 Estudo dirigido Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO II Professora: ILZA MARIA

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA UTILIZAÇÃO DO FGTS (Check list) Modalidade: AQUISIÇÃO À VISTA (DAMP 1)

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA UTILIZAÇÃO DO FGTS (Check list) Modalidade: AQUISIÇÃO À VISTA (DAMP 1) (I) DO COMPRADOR ( ) Ficha Cadastral do Proponente (Original, preenchida, datada e assinada) ( ) Documento de Identidade de todos os compradores e seus respectivos cônjuges, se for o caso ( ) CPF de todos

Leia mais

Parcelamento do Solo Urbano Loteamentos e Desmembramentos (Lei 6766/79 e art. 713 e ss do novo CN/CGJ/SC)

Parcelamento do Solo Urbano Loteamentos e Desmembramentos (Lei 6766/79 e art. 713 e ss do novo CN/CGJ/SC) Parcelamento do Solo Urbano Loteamentos e Desmembramentos (Lei 6766/79 e art. 713 e ss do novo CN/CGJ/SC) GUIA nº Matrícula nº Vinculada ok ( ); Vinculada a guia ; Central Indisp. ok( ). Considera-se loteamento

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos MEDIDA PROVISÓRIA Nº 496, DE 19 DE JULHO DE 2010. Dispõe sobre o limite de endividamento de Municípios em operações de crédito destinadas

Leia mais

EDITAL DE ALIENAÇÃO DE BENS IMÓVEIS LEILÃO PÚBLICO N 01/2013

EDITAL DE ALIENAÇÃO DE BENS IMÓVEIS LEILÃO PÚBLICO N 01/2013 EDITAL DE ALIENAÇÃO DE BENS IMÓVEIS LEILÃO PÚBLICO N 01/2013 1. INTRODUÇÃO 1.1 A ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, SEÇÃO MINAS GERAIS, por seu Presidente, DR. LUÍS CLÁUDIO DA SILVA CHAVES, para conhecimento

Leia mais

REGULAMENTO PROMOÇÃO ITBI PREMIADO MRV MAIO 2014

REGULAMENTO PROMOÇÃO ITBI PREMIADO MRV MAIO 2014 REGULAMENTO PROMOÇÃO ITBI PREMIADO MRV MAIO 2014 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. ( MRV ), pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 08.343.492/0001-20, com sede na Av. Raja Gabaglia,

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO

DIREITO ADMINISTRATIVO DIREITO ADMINISTRATIVO 3ᴼ Ano Turmas A e B Prof. Ms: Vânia Cristina Teixeira CORREÇÃO PROVA 3ᴼ BIM Examine as proposições abaixo, concernentes à desapropriação, e assinale a alternativa correta: I. Sujeito

Leia mais

LEILÃO EXTRAJUDICIAL BANCO PINE S/A.

LEILÃO EXTRAJUDICIAL BANCO PINE S/A. LEILÃO EXTRAJUDICIAL BANCO PINE S/A. O Leiloeiro Oficial José Valero Santos Júnior, matriculado na Junta Comercial do Estado de São Paulo sob o n.º 809, devidamente autorizado pelo proprietário BANCO PINE

Leia mais

Palavras que você precisa conhecer

Palavras que você precisa conhecer Guia do Comprador NOVOLAR, um nome cada vez mais forte no mercado de construção civil. A NOVOLAR vem consolidando uma reputação de alta qualidade, graças aos seus diferenciais nas execuções das obras e

Leia mais

2- Qual é o fato gerador? O fato gerador do IPTU é a propriedade predial e territorial, assim como o seu domínio útil e a posse.

2- Qual é o fato gerador? O fato gerador do IPTU é a propriedade predial e territorial, assim como o seu domínio útil e a posse. 1- O que é? O IPTU é um tributo que incide sobre a propriedade imobiliária, incluindo todos os tipos de imóveis residências, prédios comerciais e industriais, terrenos e chácaras de recreio. 2- Qual é

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA FORMALIZAR PROCESSOS

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA FORMALIZAR PROCESSOS DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA FORMALIZAR PROCESSOS 01) ALTERAÇÃO DE DADOS NO CADASTRO IMOBILIÁRIO FISCAL ; - Registro do imóvel (emissão com menos de 1 ano); - CPF e identidade do titular ou dos sócios

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA COHAB-ARAUCÁRIA Nº 03, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2014.

INSTRUÇÃO NORMATIVA COHAB-ARAUCÁRIA Nº 03, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2014. INSTRUÇÃO NORMATIVA COHAB-ARAUCÁRIA Nº 03, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2014. Súmula: Estabelece normas e procedimentos para a realização de inscrição dos mutuários, relaciona os documentos necessários a instruir

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE COMPRA E VENDA DE BEM IMÓVEL

INSTRUMENTO PARTICULAR DE COMPRA E VENDA DE BEM IMÓVEL INSTRUMENTO PARTICULAR DE COMPRA E VENDA DE BEM IMÓVEL Por meio deste instrumento de contrato particular pelo qual: De um lado NOME PROPRIETÁRIO(OS), brasileiro, comerciário, solteiro, RG SSP/SP, CPF,

Leia mais

Instrução Normativa 004 de 16 de maio de 2005 da Bahia

Instrução Normativa 004 de 16 de maio de 2005 da Bahia Instrução Normativa 004 de 16 de maio de 2005 da Bahia Publicado no D.O.E. de 17 de maio de 2005. Orienta os órgãos da Administração Pública do Poder Executivo Estadual, quanto à incorporação de imóveis

Leia mais

Regulamenta os incentivos e benefícios fiscais instituídos pela Lei nº 5.780, de 22 de julho de 2014.

Regulamenta os incentivos e benefícios fiscais instituídos pela Lei nº 5.780, de 22 de julho de 2014. DECRETO Nº 39680 DE 23 DE DEZEMBRO DE 2014 Regulamenta os incentivos e benefícios fiscais instituídos pela Lei nº 5.780, de 22 de julho de 2014. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso das atribuições

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA DECRETO Nº 13.346, DE 24 DE JUNHO DE 2013. Regulamenta a Lei Complementar nº 4.403, de 5 de junho de 2013, que Estabelece obrigação de uso do sistema ITBI

Leia mais

UARDO SA PIUIS =gsndevrl Relator

UARDO SA PIUIS =gsndevrl Relator TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SAO PAULO 28 a Câmara SEÇÃO DE DIREITO PRIVADO AGRAVO DE INSTRUMENTO N 1138257-0/0 J Comarca de SANTOS Processo 30647/97 8.V.CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO

Leia mais

Rio de Janeiro, 26 de julho de 2011.

Rio de Janeiro, 26 de julho de 2011. Rio de Janeiro, 26 de julho de 2011. Ementa: Direito Administrativo e tributário. Desapropriação de imóvel urbano Responsabilidade pelo pagamento da dívida de IPTU e Compensação com o valor a ser recebido

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA AJUIZAR AÇÃO DE RECUPERAÇÃO DE PERDAS NO FGTS

PROCEDIMENTOS PARA AJUIZAR AÇÃO DE RECUPERAÇÃO DE PERDAS NO FGTS PROCEDIMENTOS PARA AJUIZAR AÇÃO DE RECUPERAÇÃO DE PERDAS NO FGTS O Sindicato dos Administradores, dando continuidade aos procedimentos para ajuizar ação judicial contra a Caixa Econômica Federal, na Justiça

Leia mais

Janice Rosa de Almeida Saint Barth 8153-9523 janicerosalmeida@gmail.com Pedro Porfirio Saint Barth 7835-0680 peninsula@pedroporfirio.

Janice Rosa de Almeida Saint Barth 8153-9523 janicerosalmeida@gmail.com Pedro Porfirio Saint Barth 7835-0680 peninsula@pedroporfirio. Caros, Segue o que registrei da reunião. Fiquem à vontade para comentários. Reunião 2ª feira - 11/6/12 20h00 Participantes: Nome Condominio Telefones Email Adalberto Martins FIT 9722-1808 adalmartins@hotmail.com

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 60 - Data 20 de fevereiro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE A RENDA DE PESSOA FÍSICA - IRPF ALIENAÇÃO DE IMÓVEIS

Leia mais

CONSTUIR E GANHAR É SÓ COMEÇAR

CONSTUIR E GANHAR É SÓ COMEÇAR CONSTUIR E GANHAR É SÓ COMEÇAR O CLIENTE que começar a construir sua casa no empreendimento Jardins Veneza até OUTUBRO de 2014, será premiado com até 01 (um) ano de taxa de condomínio pagas pela FGR, conforme

Leia mais

DA PROMESSA DE COMPRA E VENDA DE BEM IMÓVEL NA PERSPECTIVA DO REGISTRO DE IMÓVEIS: CLÁUSULAS SUSPENSIVA E RESOLUTIVA, EXTINÇÃO E PUBLICIADE REGISTRAL

DA PROMESSA DE COMPRA E VENDA DE BEM IMÓVEL NA PERSPECTIVA DO REGISTRO DE IMÓVEIS: CLÁUSULAS SUSPENSIVA E RESOLUTIVA, EXTINÇÃO E PUBLICIADE REGISTRAL DA PROMESSA DE COMPRA E VENDA DE BEM IMÓVEL NA PERSPECTIVA DO REGISTRO DE IMÓVEIS: CLÁUSULAS SUSPENSIVA E RESOLUTIVA, EXTINÇÃO E PUBLICIADE REGISTRAL Professor Luiz Egon Richter 1. DA DISTINÇÃO ENTRE A

Leia mais

Prof. Vilmar A. Silva DIREITO AGRÁRIO. Terras Devolutas

Prof. Vilmar A. Silva DIREITO AGRÁRIO. Terras Devolutas 1 Prof. Vilmar A. Silva DIREITO AGRÁRIO Terras Devolutas Terras devolutas são terras pertencentes ao Poder Público, mas que não tem uma destinação pública definida, pois não estão sendo utilizadas pelo

Leia mais

Empresa Júnior constitui ou não Instituição de Educação?

Empresa Júnior constitui ou não Instituição de Educação? 1 Sumário I. Introdução... 3 II. Empresa Júnior constitui ou não Instituição de Educação?... 3 III. As Imunidades Tributárias das Empresas Juniores... 4 IV. Incidência de Tributos sobre Empresas Juniores:...

Leia mais

Manual para preenchimento da Guia de ITBI Lei Municipal 3.398, de 22 de fevereiro de 1.989 e alterações, Decreto 069 de 03 de março de 1989

Manual para preenchimento da Guia de ITBI Lei Municipal 3.398, de 22 de fevereiro de 1.989 e alterações, Decreto 069 de 03 de março de 1989 Manual para preenchimento da Guia de ITBI Lei Municipal 3.398, de 22 de fevereiro de 1.989 e alterações, Decreto 069 de 03 de março de 1989 C:\SiteMogi_2009\Manual para preenchimento da Guia2.doc 1 Instruções

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE COMPROMISSO DE VENDA E COMPRA DE IMÓVEIS QUADRO RESUMO

INSTRUMENTO PARTICULAR DE COMPROMISSO DE VENDA E COMPRA DE IMÓVEIS QUADRO RESUMO INSTRUMENTO PARTICULAR DE COMPROMISSO DE VENDA E COMPRA DE IMÓVEIS Leilão de nº leilão Data do leilão data Lote nº lote 1. PARTES QUADRO RESUMO VENDEDOR NOME DO VENDEDOR, com sede em Cidade-UF, na Endereço,

Leia mais

Caderno de apoio Master MASTER /// JURIS

Caderno de apoio Master MASTER /// JURIS Turma e Ano: Flex B ( 2014 ) Matéria/Aula : Direito Empresarial - Títulos de crédito em espécie e falência / aula 07 Professor: Wagner Moreira. Conteúdo: Ações Cambiais / Monitoria / Cédulas e Notas de

Leia mais

PROJECTO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE VENDA DE LOTES DE TERRENO PARA AS NOVAS ZONAS E LOTEAMENTOS INDUSTRIAIS. Nota justificativa

PROJECTO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE VENDA DE LOTES DE TERRENO PARA AS NOVAS ZONAS E LOTEAMENTOS INDUSTRIAIS. Nota justificativa PROJECTO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE VENDA DE LOTES DE TERRENO PARA AS NOVAS ZONAS E LOTEAMENTOS INDUSTRIAIS Nota justificativa A criação de novas Zonas e loteamentos Industriais tem como principal finalidade

Leia mais

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR DIRETORIA DE ESTUDOS E PESQUISAS

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR DIRETORIA DE ESTUDOS E PESQUISAS Resultados dos estudos sobre a redução de taxas de juros praticadas por bancos públicos e privados. Orientações aos consumidores. Face aos diversos anúncios de redução de juros veiculados na mídia a partir

Leia mais

LEILÃO DE IMÓVEIS. Apartamento - Terrenos - Lojas Presencial e Online. Data do Leilão 29/07/15 (4ª-feira) Local do Leilão. www.leiloes.com.

LEILÃO DE IMÓVEIS. Apartamento - Terrenos - Lojas Presencial e Online. Data do Leilão 29/07/15 (4ª-feira) Local do Leilão. www.leiloes.com. LEILÃO DE IMÓVEIS Apartamento - Terrenos - Lojas Presencial e Online RS - Porto Alegre RS - Tramandaí SC - São José DF - Brasília Data do Leilão 29/07/5 (4ª-feira) HORÁRIO 4h Local do Leilão Hotel Deville

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo fls. 168 Registro: 2015.0000424279 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 1034086-83.2014.8.26.0100, da Comarca de, em que é apelante LUIS EDUARDO DA SILVA NAVES, é apelado TEC

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.084.748 - MT (2008/0194990-5) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO SIDNEI BENETI : AGRO AMAZÔNIA PRODUTOS AGROPECUÁRIOS LTDA : DÉCIO JOSÉ TESSARO E OUTRO(S) :

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 11.481, DE 31 DE MAIO DE 2007. Mensagem de Veto Conversão da Mpv nº 335, de 2006 Dá nova redação a dispositivos das Leis n os 9.636, de 15 de maio de 1998, 8.666, de 21 de junho de 1993, 11.124,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 56, DE 5 DEZEMBRO DE 2007

INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 56, DE 5 DEZEMBRO DE 2007 INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 56, DE 5 DEZEMBRO DE 2007 Dispõe sobre instauração e organização de processo de tomada de contas especial e dá outras providências. O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso do

Leia mais

ITBI IMPOSTO SOBRE TRANSMISSÃO DE BENS IMÓVEIS E DIREITOS A ELE RELATIVOS

ITBI IMPOSTO SOBRE TRANSMISSÃO DE BENS IMÓVEIS E DIREITOS A ELE RELATIVOS ITBI IMPOSTO SOBRE TRANSMISSÃO DE BENS IMÓVEIS E DIREITOS A ELE RELATIVOS Lei Municipal 3.398, de 22 de fevereiro de 1989 Regulamentada pelo Decreto nº 069, de 03 de março de 1989 Instruções para o preenchimento

Leia mais

TRIBUNAL ARBITRAL DO DESPORTO REGULAMENTO DO SERVIÇO DE CONSULTA

TRIBUNAL ARBITRAL DO DESPORTO REGULAMENTO DO SERVIÇO DE CONSULTA TRIBUNAL ARBITRAL DO DESPORTO REGULAMENTO DO SERVIÇO DE CONSULTA REGULAMENTO DO SERVIÇO DE CONSULTA INDICE ARTIGO 1.º - Norma habilitante ARTIGO 2.º - Serviços de consulta ARTIGO 3.º - Requerimento ARTIGO

Leia mais

Ocupamos esta Tribuna neste dia para tratar de uma questão. que aflige milhares de brasileiros que têm seus imóveis

Ocupamos esta Tribuna neste dia para tratar de uma questão. que aflige milhares de brasileiros que têm seus imóveis TERRENO DE MARINHA Senhor Presidente, Senhoras Deputadas, Senhores Deputados. Ocupamos esta Tribuna neste dia para tratar de uma questão que aflige milhares de brasileiros que têm seus imóveis inscritos

Leia mais

Simulado Super Receita 2013 Direito Tributário Simulado Rafael Saldanha

Simulado Super Receita 2013 Direito Tributário Simulado Rafael Saldanha Simulado Super Receita 2013 Direito Tributário Simulado Rafael Saldanha 2013 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 01 - (ESAF/2012) Analise as proposições a seguir e

Leia mais

Guia Rápido do Cliente

Guia Rápido do Cliente Guia Rápido do Cliente Seja bem-vindo! Está chegando a hora de viver a vida em Alphaville. Para nós, é um grande prazer recebê-lo e poder compartilhar esse momento de realização com você. Nesse Guia Rápido,

Leia mais

Incorporação Imobiliária

Incorporação Imobiliária Incorporação Imobiliária Lei nº 4.591, de 16 de dezembro de 1964 Incorporação Imobiliária Incorporação imobiliária é a atividade exercida pela pessoa física ou jurídica, empresário ou não que se compromete

Leia mais

Procuradoria Geral da Fazenda Nacional. Dívida Ativa. Cartilha aos Órgãos de Origem 8/3/2013

Procuradoria Geral da Fazenda Nacional. Dívida Ativa. Cartilha aos Órgãos de Origem 8/3/2013 2013 Procuradoria Geral da Fazenda Nacional Dívida Ativa Cartilha aos Órgãos de Origem Esta cartilha tem por fim informar e explicar o que é a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional PGFN, quais créditos

Leia mais

Câmara Técnica de Logística do Agronegócio CTLog MAPA. Brasília, 29/Ago/2013

Câmara Técnica de Logística do Agronegócio CTLog MAPA. Brasília, 29/Ago/2013 Câmara Técnica de Logística do Agronegócio CTLog MAPA Brasília, 29/Ago/2013 1. Caracterização da Cobrança 2. Aspectos Técnicos Legais 3. Do impacto nos custos de Exportação 4. Ações da ABTP Exposição de

Leia mais

OS DIREITOS DOS ADQUIRENTES DE IMÓVEIS NA PLANTA

OS DIREITOS DOS ADQUIRENTES DE IMÓVEIS NA PLANTA OS DIREITOS DOS ADQUIRENTES DE IMÓVEIS NA PLANTA Elaborado por Daniel Menegassi Reichel Advogado Fundador do Escritório de Advocacia Menegassi Reichel Advocacia Elaborado em 13/08/2013. Trabalho protegido

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 249 - Data 12 de setembro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: NORMAS DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA A promessa de compra e venda de

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 0 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 31 - Data 30 de janeiro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF Assunto: IMPOSTO SOBRE A RENDA DE PESSOA FÍSICA - IRPF Ementa: ALIENAÇÃO DE

Leia mais

LEI Nº 5.196. Disciplina a cobrança do IPTU, estimula a criação de loteamentos, e dá outras providências.

LEI Nº 5.196. Disciplina a cobrança do IPTU, estimula a criação de loteamentos, e dá outras providências. LEI Nº 5.196 Disciplina a cobrança do IPTU, estimula a criação de loteamentos, e dá outras providências. O POVO DE PELOTAS, ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, POR SEU PREFEITO, FAZ SABER QUE SUA CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SPU Nº 05, DE 24 AGOSTO DE 2010

INSTRUÇÃO NORMATIVA SPU Nº 05, DE 24 AGOSTO DE 2010 INSTRUÇÃO NORMATIVA SPU Nº 05, DE 24 AGOSTO DE 2010 Dispõe sobre os procedimentos de análise dos requerimentos de isenção do pagamento de foros, taxas de ocupação e laudêmios referentes a imóveis de domínio

Leia mais

USUCAPIÃO INSTRUÇÕES PARA PETIÇÃO INICIAL

USUCAPIÃO INSTRUÇÕES PARA PETIÇÃO INICIAL USUCAPIÃO INSTRUÇÕES PARA PETIÇÃO INICIAL PODER JUDICIÁRIO ĬSUMÁRIO I L. A espécie de Usucapião pág 3 II. O(s) autor(es) e seus documentos pág 4 III. O imóvel usucapiendo pág 6 IV. Antecipação de perícia

Leia mais

TERCEIRO SETOR, CULTURA E RESPONSABILIDADE SOCIAL

TERCEIRO SETOR, CULTURA E RESPONSABILIDADE SOCIAL TERCEIRO SETOR, CULTURA E RESPONSABILIDADE SOCIAL 22/12/2015 ATENÇÃO 1 Declaração de Imunidade Tributária Municipal deve ser enviada até 31.12.2015 Nos termos da Instrução Normativa nº 07/2015 da Secretaria

Leia mais

DECRETO Nº 18.432, DE 23 DE OUTUBRO DE 2013. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE, no uso de suas atribuições legais, D E C R E T A:

DECRETO Nº 18.432, DE 23 DE OUTUBRO DE 2013. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE, no uso de suas atribuições legais, D E C R E T A: DECRETO Nº 18.432, DE 23 DE OUTUBRO DE 2013. Regulamenta o procedimento administrativo da Transferência de Potencial Construtivo (TPC), previsto nos arts. 51 e seguintes da Lei Complementar nº 434, de

Leia mais

INFORMATIVO JURÍDICO

INFORMATIVO JURÍDICO 1 ROSENTHAL E SARFATIS METTA ADVOGADOS INFORMATIVO JURÍDICO NÚMERO 5, ANO 1I MAIO DE 2010 1 LUCRO IMOBILIÁRIO E O IMPOSTO DE RENDA A incidência do Imposto de Renda sobre o ganho de capital na venda de

Leia mais

AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO

AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO 1 1) O DIREITO MATERIAL DE PAGAMENTO POR CONSIGNAÇÃO a) Significado da palavra consignação b) A consignação como forma de extinção da obrigação c) A mora accipiendi 2 c)

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria do Patrimônio da União Gerência Regional de Patrimônio da União no Rio Grande do Sul

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria do Patrimônio da União Gerência Regional de Patrimônio da União no Rio Grande do Sul MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria do Patrimônio da União Gerência Regional de Patrimônio da União no Rio Grande do Sul RELATÓRIO DE GESTÃO DA UNIDADE JURISDICIONADA 1. IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE AQUIRAZ Secretaria de Finanças e Execução Orçamentária

PREFEITURA MUNICIPAL DE AQUIRAZ Secretaria de Finanças e Execução Orçamentária INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 003/ 2013 Dispõe sobre a criação e funcionamento da comissão de avaliação de imóveis para fins de calculo do Imposto sobre transmissão inter-vivos de bens imóveis, e dá outras providências.

Leia mais