Técnico Auxiliar de Saúde

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Técnico Auxiliar de Saúde"

Transcrição

1 Técnico Auxiliar de Saúde Trabalho elaborado por: Luís Damas

2 Índice Introdução... 3 Técnico Auxiliar de Saúde... 4 O que faz o Técnico Auxiliar de Saúde?... 4 As atividades principais a desempenhar por este técnico são:... 4 Saídas Profissionais:... 5 Importância do técnico auxiliar de saúde... 5 Plano Curricular... 6 SIGILO PROFISSIONAL Ajudar Não prejudicar o doente... 7 Conclusão... 8 Bibliografia:... 9

3 Introdução Neste trabalho pretendo dar a conhecer o que é um técnico auxiliar de saúde, as atividades que um técnico auxiliar de saúde realiza, as saídas profissionais e o plano curricular deste curso profissional que estou a estudar, a carga horária, a importância do técnico auxiliar de saúde e o reconhecimento pelo seu trabalho, o sigilo profissional por parte do técnico auxiliar de saúde e o salário recebido em média pelos técnicos. Com isto pretendo mostrar as vantagens e desvantagens deste curso e explicar dar a definição de um técnico auxiliar de saúde. O Técnico Auxiliar de Saúde é o profissional qualificado apto a prestar apoio em serviços de saúde, sob a direção e supervisão de um Técnico Superior de Saúde, intervindo na assistência ao utente, visando a promoção do seu bem estar.

4 Técnico Auxiliar de Saúde O que faz o Técnico Auxiliar de Saúde? O Técnico Auxiliar de Saúde é o profissional qualificado apto a prestar apoio em serviços de saúde, sob a direção e supervisão de um Técnico Superior de Saúde, intervindo na assistência ao utente, visando a promoção do seu bem estar. As atividades principais a desempenhar por este técnico são: Colaborar, sob supervisão técnica, na prestação de cuidados de higiene e conforto aos doentes; Proceder ao acompanhamento e transporte de doentes em camas, macas, cadeiras de rodas ou a pé, dentro e fora do estabelecimento; Auxiliar nas tarefas de alimentação no sector respectivo, nomeadamente preparar refeições ligeiras e distribuir dietas, do regime geral e terapêuticas; Preparar o material para a esterilização; Ajudar nas tarefas de recolha de material para análise; Preparar e lavar o material dos serviços técnicos; Transportar distribuir as balas de oxigénio e os materiais esterilizados pelos serviços de ação médica; Velar pela manutenção do material utilizado nos cuidados prestados aos doentes; Proceder à receção, arrumação e distribuição de roupas lavadas e à recolha de roupas sujas e suas entregas; Assegurar o serviço externo e interno de transporte de medicamentos e produtos de consumo corrente, necessários ao funcionamento dos serviços; Colaborar com os respectivos serviços na realização dos trâmites administrativos relacionados com as suas atividades; Proceder à limpeza das macas nos respectivos locais de trabalho; Assegurar a manutenção das condições de higiene nos respectivos locais de trabalho;

5 Proceder ao transporte, distribuição e entrega de documentos, materiais e equipamentos, dentro ou fora dos serviços; Proceder à carga, descarga e arrumação de materiais e equipamentos; Realizar pequenos serviços de manutenção e reparação do material, bens e haveres. Aos profissionais das carreiras dos serviços gerais, na sua área de atuação, compete ainda, sem embargo do cumprimento das funções enunciadas, o exercício de todas as tarefas genericamente correspondentes às necessidades de apoio geral dos serviços e sectores a que estejam adstritos, sempre que tais tarefas não sejam da competência de outrem ou assumam carácter urgente. Saídas Profissionais: Hospitais Públicos e Privados; Centros de Saúde; Consultórios Médicos; Clínicas; Outros Estabelecimentos de Saúde; Centros de Terceira Idade; Lares; IPS/Centros de Acolhimento e Residência de Crianças; Domicílio; Institutos de Estética. Importância do técnico auxiliar de saúde Os auxiliares de ação médica desde algum tempo que deixaram de ser vistos como o elo mais fraco da equipa de saúde. Pelas suas intervenções e práticas bem definidas, assumem um papel preponderante e indispensável ao bem-estar do utente. Através de uma colaboração estreita com a equipa de enfermagem têm um plano de trabalho estruturado, englobado na equipe e no perfil das suas competências. Pelo facto de passarem grande tempo dos seus turnos em intervenções aos utentes, embora na maioria delas com a supervisão da enfermagem, é fundamental manterem uma atitude compreensiva, alegre e encorajadora, pois algumas práticas envolvem a privacidade e a intimidade do utente. Sendo óbvio o reflexo que estas apresentam ao longo do internamento.

6 Carga Horária Plano Curricular Componentes de Formação Total Sociocultural Português 320 Lingua Estrangeira (Inglês/Francês) 220 Área de Integração 220 Tecnologias de Informação e Comunicação 100 Educação Física 140 Subtotal 1000 Científica Matemática 200 Física-Química 150 Biologia 150 Subtotal 500 Técnica, Tecnológica e Prática Saúde 355 Gestão e Organização dos Serviços e Cuidados de Saúde 200 Comunicação e Relações Interpessoais 175 Higiene, Segurança e Cuidados Gerais 450 Formação em Contexto de Trabalho 420 Subtotal 1600 Total Horas/Curso 3100 a) Carga horária global, não compartimentada pelos três anos do ciclo de formação, a gerir pela escola no âmbito da sua autonomia pedagógica, acautelando o equilíbrio da carga anual de forma a otimizar a gestão modular e a formação em contexto de trabalho. b) O aluno escolhe uma língua estrangeira. Se tiver estudado apenas uma língua estrangeira no ensino básico, iniciará, obrigatoriamente, uma segunda língua no ensino secundário.

7 SIGILO PROFISSIONAL O doente é um ser humano, cidadão livre, com direitos inalienáveis e como tal necessitam de ser respeitados. O sigilo profissional faz parte dos valores éticos que devem ser seguidos pelos profissionais de saúde, logo, pelos Auxiliares de Acão Médica. Ao lidar com o doente, o Auxiliar de Acão Médica deve ter sempre presentes duas coisas: 1-Ajudar 2-Não prejudicar o doente A lealdade para com o doente é para levar a sério. O A.A.M. deve garantir o sigilo profissional, não revelando a ninguém, fora da equipa de saúde, dados relacionados com o doente ou a sua doença. As informações que vai recebendo, através das conversas que vai tendo com o doente, com os familiares ou com as visitas ou ainda com os enfermeiros do serviço, devem ser encaminhadas para quem estão autorizados a dá-las às outras pessoas.

8 Conclusão Concluo com este trabalho que apesar de gostar de frequentar este curso, não me vejo num futuro próximo a exercer a profissão de técnico auxiliar de saúde. Não por falta de paciência com idosos, crianças ou por algo em específico. Apenas gostaria de trabalhar em algo relacionado com desporto ou com fisioterapia. Mas aconselho a quem tem o 12º ano incompleto ou quem deseja integrar-se numa área de saúde este curso. Penso que dá boas oportunidades às pessoas de conseguir boas notas até para quem pensa candidatar-se à faculdade. Concluo principalmente que este curso tem bastantes saídas, desde lares, a hospitais públicos e privados, a instituições, a clínicas dentárias, de fisioterapia, etc.

9 Bibliografia: d5f5e30253f3_large.jpg tificacao/729281_refca

ESTABELECIMENTO DE ENSINO INTEGRANTE DA REDE PÚBLICA

ESTABELECIMENTO DE ENSINO INTEGRANTE DA REDE PÚBLICA Colégio Diocesano de Nossa Senhora da Apresentação R. Padre Baptista, 100, Calvão 3840-053 VAGOS Tel. 234781113 Fax 234782226 Email: secretaria@colegiocalvao.org Coordenadas GPS: N 40.478374 W 8.705614

Leia mais

CURSOS PROFISSIONAIS EM FUNCIONAMENTO 2014 2015 CURSOS PROFISSIONAIS. Curso de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos

CURSOS PROFISSIONAIS EM FUNCIONAMENTO 2014 2015 CURSOS PROFISSIONAIS. Curso de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos EM FUNCIONAMENTO 2014 2015 Curso de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos Curso de Técnico de Gestão Curso de Técnico Auxiliar de Saúde Curso de Animador Sociocultural Curso de Técnico

Leia mais

Curso de Técnico Auxiliar de Saúde (Auxiliar de Ação Médica)

Curso de Técnico Auxiliar de Saúde (Auxiliar de Ação Médica) Curso de Técnico Auxiliar de Saúde (Auxiliar de Ação Médica) Área de Formação: 729. Serviços de Saúde O Técnico Auxiliar de Saúde, vulgarmente designado por Auxiliar de Ação Médica, é o profissional capacitado

Leia mais

AS TUAS ESCOLHAS O TEU FUTURO!

AS TUAS ESCOLHAS O TEU FUTURO! AS TUAS ESCOLHAS O TEU FUTURO! Serviço de Psicologia e Orientação ESTOU A TERMINAR O 9º ANO E AGORA? Cursos Científico- Humanísticos Cursos Profissionais CURSOS CIENTÍFICO- HUMANÍSTICOS Condições de Acesso:

Leia mais

Agrupamento de Escolas. Dr. Jorge Augusto Correia Tavira

Agrupamento de Escolas. Dr. Jorge Augusto Correia Tavira Agrupamento de Escolas Dr. Jorge Augusto Correia Tavira Oferta Educativa Ano Letivo 2015/2016 Cursos Vocacionais Básico Cursos Científico Humanísticos Cursos Profissionais Cursos Vocacionais Secundário

Leia mais

FICHA DE PRÉ-INSCRIÇÃO MOD.092/1

FICHA DE PRÉ-INSCRIÇÃO MOD.092/1 DATA DE PRÉ-INSCRIÇÃO:. / /20 DATA PREVISTA DE ENTRADA:. / /20 DATA EFECTIVA DE ENTRADA:. / /20 1. IDENTIFICAÇÃO PESSOAL Nome Morada Código-postal N.º Telefone Idade BI/CC N.º Beneficiário SS Email Data

Leia mais

Fisioterapia Descrição

Fisioterapia Descrição Licenciatura Fisioterapia Descrição Centra-se na análise e avaliação do movimento e da postura, baseadas na estrutura e função do corpo, utilizando modalidades educativas e terapêuticas específicas, com

Leia mais

GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM

GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM CARACTERIZAÇÃO DO CURSO DENOMINAÇÃO: CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DIPLOMA CONFERIDO: BACHAREL NÚMERO DE VAGAS: 100 VAGAS ANUAIS NÚMERO DE ALUNOS POR TURMA: 50 ALUNOS TURNOS

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL AGENTE EM GERIATRIA (M/F) PERFIL PROFISSIONAL Agente em Geriatria Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6

PERFIL PROFISSIONAL AGENTE EM GERIATRIA (M/F) PERFIL PROFISSIONAL Agente em Geriatria Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6 PERFIL PROFISSIONAL AGENTE EM GERIATRIA (M/F) PERFIL PROFISSIONAL Agente em Geriatria Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6 ÁREA DE ACTIVIDADE - SERVIÇOS DOMÉSTICOS OBJECTIVO GLOBAL - Prestar

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM SAÚDE BUCAL (TSB)

CURSO TÉCNICO EM SAÚDE BUCAL (TSB) CURSO TÉCNICO EM SAÚDE BUCAL (TSB) INFORMAÇÕES SOBRE O CURSO CARGA HORÁRIA: 1.200 HORAS COM ESTÁGIO DURAÇÃO : 2 ANOS PERIODICIDADE: SEMANAL (2ª, 3ª E 4ª) HORÁRIO DAS AULAS: 19H AS 21H INFORMAÇÕES SOBRE

Leia mais

FUNÇÕES DA AJUDANTE DE LAR E CENTRO DE DIA

FUNÇÕES DA AJUDANTE DE LAR E CENTRO DE DIA FUNÇÕES DA AJUDANTE DE LAR E CENTRO DE DIA COZINHA Colabora na tarefa da alimentação, nomeadamente na preparação de refeições ligeiras e distribuição de dietas do regime geral e terapêutico: Confecção

Leia mais

Carta dos Direitos e Deveres dos Doentes

Carta dos Direitos e Deveres dos Doentes Carta dos Direitos e Deveres dos Doentes INTRODUÇÃO O direito à protecção da saúde está consagrado na Constituição da República Portuguesa, e assenta num conjunto de valores fundamentais como a dignidade

Leia mais

Curso de Técnico Auxiliar de Geriatria

Curso de Técnico Auxiliar de Geriatria Curso de Técnico Auxiliar de Geriatria Área de Formação: 762. Trabalho Social e Orientação O Técnico Auxiliar de Geriatria é o profissional com múltiplas competências para poder desempenhar as suas funções

Leia mais

Outonos da Vida Associação para os Cuidados Paliativos e Dor Crónica do Médio Tejo APRESENTAÇÃO

Outonos da Vida Associação para os Cuidados Paliativos e Dor Crónica do Médio Tejo APRESENTAÇÃO Outonos da Vida Associação para os Cuidados Paliativos e Dor Crónica do Médio Tejo APRESENTAÇÃO OUTONOS DA VIDA Instituição sem fins lucrativos, candidata a IPSS da área da Saúde com interacção com a Segurança

Leia mais

SERVIÇO: ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL PARA PESSOAS ADULTAS

SERVIÇO: ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL PARA PESSOAS ADULTAS SERVIÇO: ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL PARA PESSOAS ADULTAS DESCRIÇÃO: Modalidade: Centro Dia para pessoa Idosa Serviço voltado para o atendimento, regime parcial, de pessoas idosas de 60 anos ou mais, de

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A AUXILIAR DE SAÚDE. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a Auxiliar de Saúde Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/9

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A AUXILIAR DE SAÚDE. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a Auxiliar de Saúde Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/9 PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A AUXILIAR DE SAÚDE PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a Auxiliar de Saúde Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/9 ÁREA DE ACTIVIDADE - SAÚDE OBJECTIVO GLOBAL SAÍDA(S) PROFISSIONAL(IS)

Leia mais

Orientação Escolar e Profissional. 9.º ano! Escola Secundária Inês de Castro 2011/2012

Orientação Escolar e Profissional. 9.º ano! Escola Secundária Inês de Castro 2011/2012 Orientação Escolar e Profissional 9.º ano! E AGORA? Escola Secundária Inês de Castro 2011/2012 Antes de fazer uma escolha é fundamental saber o que se quer e para isso há que recordar e avaliar tudo o

Leia mais

CENTRO DE OSTEOPATIA MAÇÃS PLACE

CENTRO DE OSTEOPATIA MAÇÃS PLACE CENTRO DE OSTEOPATIA MAÇÃS PLACE Quem somos A nossa equipa apresenta um atendimento personalizado ao nível da Osteopatia através de uma abordagem multidisciplinar de qualidade, avaliação, diagnóstico e

Leia mais

A arte e ciência de cuidar e tratar das pessoas, promovendo a saúde, maximizando o potencial de cada indivíduo.

A arte e ciência de cuidar e tratar das pessoas, promovendo a saúde, maximizando o potencial de cada indivíduo. Licenciatura Enfermagem Descrição A arte e ciência de cuidar e tratar das pessoas, promovendo a saúde, maximizando o potencial de cada indivíduo. Enquanto profissão da área da saúde, a Enfermagem visa

Leia mais

Agrupamento de escolas de Coruche. CURSO PROFISSIONAL Ano letivo 2014/2015 Técnico de Turismo Ambiental e Rural

Agrupamento de escolas de Coruche. CURSO PROFISSIONAL Ano letivo 2014/2015 Técnico de Turismo Ambiental e Rural Agrupamento de escolas de Coruche CURSO PROFISSIONAL Ano letivo 2014/2015 Técnico de Turismo Ambiental e Rural Componente de formação: Sócio-cultural: Total de horas (a) (ciclo de formação) Português Língua

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO CAT

REGULAMENTO INTERNO DO CAT REGULAMENTO MISERICÓRDIA DA FREGUESIA DE SANGALHOS INTERNO DO CAT CAPITULO I Norma I Natureza do Estabelecimento Tipo de Estabelecimento: Centro de Acolhimento Temporário de Crianças e Jovens em Risco

Leia mais

Relatório de Avaliação do Grau de Satisfação dos Clientes do Serviço de Apoio Domiciliário da ABLA

Relatório de Avaliação do Grau de Satisfação dos Clientes do Serviço de Apoio Domiciliário da ABLA Relatório de Avaliação do Grau de Satisfação dos Clientes do Serviço de Apoio Domiciliário da ABLA Junho 3 Página de Introdução Entre os dias e 3 de Maio de 3, foi aplicado o Questionário de Avaliação

Leia mais

GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Manual de GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/9 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Apoios Sociais Pessoas com Deficiência

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO 2015. Respostas sociais: O GAS-SVP define, para 2015, como objectivos gerais:

PROGRAMA DE AÇÃO 2015. Respostas sociais: O GAS-SVP define, para 2015, como objectivos gerais: PROGRAMA AÇÃO 2015 O GAS-SVP define, para 2015, como objectivos gerais: - Preservar a identidade da Instituição, de modo especial no que respeita a sua preferencial ação junto das pessoas, famílias e grupos

Leia mais

NOVA PROFISSÃO NA ÁREA DE SAÚDE O MELHOR CURSO DE AUXILIAR EM SAÚDE BUCAL DE BRASÍLIA INÍCIO: IMEDIATO

NOVA PROFISSÃO NA ÁREA DE SAÚDE O MELHOR CURSO DE AUXILIAR EM SAÚDE BUCAL DE BRASÍLIA INÍCIO: IMEDIATO NOVA PROFISSÃO NA ÁREA DE SAÚDE O MELHOR CURSO DE AUXILIAR EM SAÚDE BUCAL DE BRASÍLIA INÍCIO: IMEDIATO 1. JUSTIFICATICAS Com a Globalização da Economia e a competitividade a cada dia mais presente no mercado

Leia mais

Curso Técnico de Apoio à Gestão Desportiva

Curso Técnico de Apoio à Gestão Desportiva Componente Técnica, Tecnológica e Prática Componente Científica Componente Sociocultural Morada: Rua D. Jaime Garcia Goulart, 1. 9950 361 Madalena do Pico. Telefones: 292 623661/3. Fax: 292 623666. Contribuinte:

Leia mais

Entidades Promotoras de Voluntariado Lourinhã

Entidades Promotoras de Voluntariado Lourinhã Entidades Promotoras de Voluntariado Câmara Municipal da Casa do Povo da Casa Pia de Lisboa Centro Social e Paroquial da ADAPECIL Associação Juvenil Tá a Mexer GEAL Junta de Freguesia de Ribamar LOURAMBI

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO. Regulamento Interno

REGULAMENTO INTERNO. Regulamento Interno REGULAMENTO INTERNO 1 Capítulo I Natureza, Âmbito de Aplicação e Objetivos Natureza, Denominação e Morada 1. A Conquista Contínua, Lda Serviços de Apoio Domiciliário, adiante designada por + Cuidados é

Leia mais

Serviços de Apoio Domiciliário

Serviços de Apoio Domiciliário Direcção-Geral da Acção Social Núcleo de Documentação Técnica e Divulgação Catarina de Jesus Bonfim Sofia Mercês Veiga Serviços de Apoio Domiciliário (Condições de implantação, localização, instalação

Leia mais

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 2013 INTRODUÇÃO: O presente trabalho apresenta a relação de Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu a serem reorganizados no

Leia mais

CENTRO SOCIAL E CULTURAL DE CUSTÓIAS REGULAMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE APOIO DOMICILIÁRIO

CENTRO SOCIAL E CULTURAL DE CUSTÓIAS REGULAMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE APOIO DOMICILIÁRIO CENTRO SOCIAL E CULTURAL DE CUSTÓIAS REGULAMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE APOIO DOMICILIÁRIO CAPÍTULO I Artigo 1º 1.A resposta Social de Apoio Domiciliário, doravante designado por S.A.D., está situado nas

Leia mais

Estágio Curricular Supervisionado

Estágio Curricular Supervisionado Estágio Curricular Supervisionado CURSO DE ENFERMAGEM O curso de bacharelado em Enfermagem do IPTAN apresenta duas disciplinas em seu plano curricular pleno relativas ao estágio: Estágio Supervisionado

Leia mais

SISTEMA DE PROTECÇÃO PORTUGUÊS

SISTEMA DE PROTECÇÃO PORTUGUÊS SISTEMA DE PROTECÇÃO PORTUGUÊS 01 - Modelo de protecção das crianças e jovens em risco 02 - O que são as CPCJ? 03 - Qual o papel/funções do Ministério Público? 04 - Modelo de intervenção 05 - Conceito

Leia mais

Paróquia do Sagrado Coração de Jesus, Rua Camilo Castelo Branco, N.º4, a cerca de 100 metros do Marquês de Pombal, Lisboa

Paróquia do Sagrado Coração de Jesus, Rua Camilo Castelo Branco, N.º4, a cerca de 100 metros do Marquês de Pombal, Lisboa Programa de Formação Código - Designação Cuidadores A atitude perante o idoso Local Paróquia do Sagrado Coração de Jesus, Rua Camilo Castelo Branco, N.º4, a cerca de 100 metros do Marquês de Pombal, Lisboa

Leia mais

SERVIÇOS DOMÉSTICOS E ASSISTENCIAIS. Fazemos mais fácil a sua vida. www.serhogarsystem.com

SERVIÇOS DOMÉSTICOS E ASSISTENCIAIS. Fazemos mais fácil a sua vida. www.serhogarsystem.com SERVIÇOS DOMÉSTICOS E ASSISTENCIAIS CARTA DE APRESENTAÇÃO Quem somos? O conceito da SerHogarsystem, surgiu em Saragoça em 2003 como resultado de anos de investigação levadas a cabo por entidades credenciadas

Leia mais

Como obter resultados com a otimização dos consultórios com os TSB e ASB

Como obter resultados com a otimização dos consultórios com os TSB e ASB Como obter resultados com a otimização dos consultórios com os TSB e ASB 6º SINPLO Simpósio Internacional de Planos Odontológicos Fabiana Car Pernomiam 2011 Ergonomia racionalizar o trabalho, possibilitar

Leia mais

CURSO DE TÉCNICO AUXILIAR DE SAÚDE

CURSO DE TÉCNICO AUXILIAR DE SAÚDE CURSO DE TÉCNICO AUXILIAR DE SAÚDE Em Portugal estão a abrir um conjunto muito vasto de equipamentos de saúde, nomeadamente unidades de cuidados continuados. Para este tipo de estabelecimento são necessários

Leia mais

5º Congresso Internacional dos Hospitais Serviço Nacional de Saúde. (Re)Conhecer as Mudanças

5º Congresso Internacional dos Hospitais Serviço Nacional de Saúde. (Re)Conhecer as Mudanças 5º Congresso Internacional dos Hospitais Serviço Nacional de Saúde. (Re)Conhecer as Mudanças Refletir sobre as resposta de saúde e a inclusão da família Relembrar os objetivos das famílias Questionar as

Leia mais

Contrato de Prestação de Serviços SAD Serviço de Apoio Domiciliário

Contrato de Prestação de Serviços SAD Serviço de Apoio Domiciliário Contrato de Prestação de Serviços SAD Serviço de Apoio Domiciliário Entre: Primeiro Outorgante: Centro de Promoção Social (CPS), Instituição Particular de Solidariedade Social, com sede em Carvalhais São

Leia mais

GUIA PRÁTICO RESPOSTAS SOCIAIS POPULAÇÃO ADULTA PESSOAS IDOSAS

GUIA PRÁTICO RESPOSTAS SOCIAIS POPULAÇÃO ADULTA PESSOAS IDOSAS GUIA PRÁTICO RESPOSTAS SOCIAIS POPULAÇÃO ADULTA PESSOAS IDOSAS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/10 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Respostas Sociais População

Leia mais

Profª Márcia Rendeiro

Profª Márcia Rendeiro Profª Márcia Rendeiro CONHECIMENTO CIENTÍFICO TECNOLOGIAS PRÁTICA ODONTOLÓGICA AMBIENTES INSTRUMENTOS MATERIAIS RECURSOS HUMANOS O PROCESSO DE TRABALHO ODONTOLÓGICO VEM SOFRENDO TRANSFORMAÇÕES AO LONGO

Leia mais

REGULAMENTO FORMAÇÃO EM CONTEXTO TRABALHO

REGULAMENTO FORMAÇÃO EM CONTEXTO TRABALHO REGULAMENTO FORMAÇÃO EM CONTEXTO TRABALHO FORMAÇÃO EM CONTEXTO DE TRABALHO REGULAMENTO Artigo 1º Âmbito 1. A Formação em Contexto de Trabalho (FCT) faz parte integrante do Plano Curricular de qualquer

Leia mais

Introdução. Procura, oferta e intervenção. Cuidados continuados - uma visão económica

Introdução. Procura, oferta e intervenção. Cuidados continuados - uma visão económica Cuidados continuados - uma visão económica Pedro Pita Barros Faculdade de Economia Universidade Nova de Lisboa Introdução Área geralmente menos considerada que cuidados primários e cuidados diferenciados

Leia mais

Lista de Produtos SALUS E AJUTEC / VITAE 2015 AJUDAS MÉDICAS 19968 AJUDAS TÉCNICAS PARA A COMUNICAÇÃO AJUDAS TÉCNICAS PARA A HIGIENE PESSOAL E ROUPAS

Lista de Produtos SALUS E AJUTEC / VITAE 2015 AJUDAS MÉDICAS 19968 AJUDAS TÉCNICAS PARA A COMUNICAÇÃO AJUDAS TÉCNICAS PARA A HIGIENE PESSOAL E ROUPAS AJUDAS MÉDICAS 19967 AJUDAS MÉDICAS AJUDAS TÉCNICAS PARA A COMUNICAÇÃO 19968 AJUDAS TÉCNICAS PARA A COMUNICAÇÃO 10439 APARELHOS DE SURDEZ 12798 ENSINO DE LINGUAGEM GESTUAL 13974 HARDWARE 14248 INTERCOMUNICADORES

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA CENTRO DE REFERÊNCIAS TÉCNICAS EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS CONVERSANDO SOBRE A PSICOLOGIA E O SUAS

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA CENTRO DE REFERÊNCIAS TÉCNICAS EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS CONVERSANDO SOBRE A PSICOLOGIA E O SUAS 1. Categorias profissionais que já compõem o SUAS RS: - Psicólogo - Assistente Social - Advogado - Educador Social - Nutricionista - Pedagogo - Enfermeiro - Estagiários - Supervisores e Coordenação - Técnico

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL EMPREGADO/A DE ANDARES. PERFIL PROFISSIONAL Empregado/a de Andares Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6

PERFIL PROFISSIONAL EMPREGADO/A DE ANDARES. PERFIL PROFISSIONAL Empregado/a de Andares Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6 PERFIL PROFISSIONAL EMPREGADO/A DE ANDARES PERFIL PROFISSIONAL Empregado/a de Andares Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6 ÁREA DE ACTIVIDADE OBJECTIVO GLOBAL SAÍDA(S) PROFISSIONAL(IS) - HOTELARIA,

Leia mais

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS LAR DE IDOSOS REGULAMENTO

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS LAR DE IDOSOS REGULAMENTO CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS LAR DE IDOSOS REGULAMENTO Artigo 1º CAPÍTULO I Disposições Gerais Âmbito O Centro Social Paroquial de Oeiras é uma Instituição Particular de Solidariedade Social com cariz

Leia mais

PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 16/3/2009, Seção 1, Pág. 21. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 16/3/2009, Seção 1, Pág. 21. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 16/3/2009, Seção 1, Pág. 21. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Ministério da Educação/Secretaria de Educação

Leia mais

Ficha de Protocolo. Beneficios e Vantagens: 10% de desconto em todos os serviços incluídos na tabela em anexo

Ficha de Protocolo. Beneficios e Vantagens: 10% de desconto em todos os serviços incluídos na tabela em anexo Ficha de Protocolo Resumo do Protocolo Entidade: Corpo e Alma Serviço de Apoio Domiciliário, Lda Local: Porto (Área Metropolitana Cidades do Porto, Vila Nova de Gaia, Matosinhos, Gondomar, Valongo, Espinho,

Leia mais

Projeto de Pesquisa Pergunte a um Profissional

Projeto de Pesquisa Pergunte a um Profissional Projeto de Pesquisa Pergunte a um Profissional ATENÇÃO ESTE MATERIAL É UMA TRADUÇÃO DO ORIGINAL EM INGLÊS DISPONIBILIZADO PELA FIRST ESTADOS UNIDOS. SOMENTE AS REGRAS CONTIDAS NESSE ARQUIVO E NO PORTAL

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL Das Atribuições dos Profissionais dos Recursos Humanos Atribuições comuns a todos os profissionais que integram a equipe: Conhecer a realidade das famílias pelas

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA Regulamento do Curso Vocacional Artes e Multimédia Ensino Básico 3º ciclo Artigo 1.º Âmbito e Enquadramento O presente regulamento estabelece as diretrizes essenciais

Leia mais

DECRETO N.º 418/XII. Cria o Inventário Nacional dos Profissionais de Saúde

DECRETO N.º 418/XII. Cria o Inventário Nacional dos Profissionais de Saúde DECRETO N.º 418/XII Cria o Inventário Nacional dos Profissionais de Saúde A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo 1.º Objeto 1 - A

Leia mais

CONSTRANGIMENTOS DOS SERVIÇOS E EQUIPAMENTOS NA ADMISSÃO DE PESSOAS IDOSAS DO FORO MENTAL

CONSTRANGIMENTOS DOS SERVIÇOS E EQUIPAMENTOS NA ADMISSÃO DE PESSOAS IDOSAS DO FORO MENTAL CONSTRANGIMENTOS DOS SERVIÇOS E EQUIPAMENTOS NA ADMISSÃO DE PESSOAS IDOSAS DO FORO MENTAL Associação Amigos da Grande Idade Inovação e Desenvolvimento Posição Institucional 1 LARES DE IDOSOS Desde inicio

Leia mais

Vou entrar no Ensino Secundário. E agora? Que via escolher?

Vou entrar no Ensino Secundário. E agora? Que via escolher? Vou entrar no Ensino Secundário. E agora? Que via escolher? A publicação da Lei n.º 85/2009, de 27 de Agosto, estabelece o regime de escolaridade obrigatória para as crianças e jovens em idade escolar,

Leia mais

CHAVE DO FUTURO. está nas tuas. mãos. Oferta. Oferta. Centro Novas Oportunidades. Ensino Nocturno. Cursos Profissionais. Cursos

CHAVE DO FUTURO. está nas tuas. mãos. Oferta. Oferta. Centro Novas Oportunidades. Ensino Nocturno. Cursos Profissionais. Cursos A CHAVE DO FUTURO está nas tuas mãos Centro Novas Oportunidades Ensino Nocturno Cursos Profissionais Cursos Científico-Humanísticos Oferta Oferta Cursos Educação e Formação ÍNDICE Cursos Científico-Humanísticos

Leia mais

DIREITOS DA PESSOA COM AUTISMO

DIREITOS DA PESSOA COM AUTISMO DIREITOS DA PESSOA COM AUTISMO CARTA DOS DIREITOS PARA AS PESSOAS COM AUTISMO 1. O DIREITO de as pessoas com autismo viverem uma vida independente e completa até ao limite das suas potencialidades. 2.

Leia mais

Centro de Dia. Direcção-Geral da Acção Social. Núcleo de Documentação Técnica e Divulgação. Catarina Bonfim Maria Eugénia Saraiva

Centro de Dia. Direcção-Geral da Acção Social. Núcleo de Documentação Técnica e Divulgação. Catarina Bonfim Maria Eugénia Saraiva Direcção-Geral da Acção Social Núcleo de Documentação Técnica e Divulgação Catarina Bonfim Maria Eugénia Saraiva Centro de Dia (Condições de localização, instalação e funcionamento) Lisboa, Dezembro de

Leia mais

DECLARAÇÕES EUROPEIAS DA FARMÁCIA HOSPITALAR

DECLARAÇÕES EUROPEIAS DA FARMÁCIA HOSPITALAR DECLARAÇÕES EUROPEIAS DA FARMÁCIA HOSPITALAR As páginas que se seguem constituem as Declarações Europeias da Farmácia Hospitalar. As declarações expressam os objetivos comuns definidos para cada sistema

Leia mais

Cada utente é um ser Humano único, pelo que respeitamos a sua pessoa, os seus ideais, as suas crenças, a sua história e o seu projecto de vida.

Cada utente é um ser Humano único, pelo que respeitamos a sua pessoa, os seus ideais, as suas crenças, a sua história e o seu projecto de vida. 1. APRESENTAÇÃO DA INSTITUIÇÃO A Casa do Povo de Alvalade foi criada em 1943, por grupo informal de pessoas, na tentativa de dar resposta às necessidades das pessoas que a esta se iam associando. Com o

Leia mais

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no 2º semestre letivo de 2001 para os alunos matriculados no 4º semestre.

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no 2º semestre letivo de 2001 para os alunos matriculados no 4º semestre. RESOLUÇÃO CONSEPE 38/2001 ALTERA O CURRÍCULO DO CURSO DE ENFERMAGEM, REGIME SERIADO SEMESTRAL, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO CENTRO DE DIA CAPÍTULO I

REGULAMENTO INTERNO DO CENTRO DE DIA CAPÍTULO I REGULAMENTO INTERNO DO CENTRO DE DIA CAPÍTULO I NATUREZA E FINS ARTIGO 1º Definição 1. O Centro de Dia, situado na Quinta das Acácias, é uma das respostas sociais da Santa Casa da Misericórdia de Ferreira

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2012. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2012. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2012 Ensino Técnico ETEC Monsenhor Antonio Magliano Código: 088 Município: Garça Eixo Tecnológico: Saúde Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico em Enfermagem

Leia mais

QUESTIONÁRIO DOS PROFISSIONAIS QUE ATUAM NAS INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS ILPIS

QUESTIONÁRIO DOS PROFISSIONAIS QUE ATUAM NAS INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS ILPIS QUESTIONÁRIO DOS PROFISSIONAIS QUE ATUAM NAS INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS ILPIS NDF IN PROFISSIONAIS Entrevistador (a): Supervisor(a): Data da entrevista: Nome da Instituição (fantasia):

Leia mais

Enquadramento técnico normativo

Enquadramento técnico normativo Este Guião pretende, por um lado dar visibilidade ao serviço de SAD promovido pelas IPSS, e por outro servir de inspiração para todas as instituições. Não é um documento fechado, antes uma base de trabalho

Leia mais

INFORMAÇÃO Nº 010/2012 ASSUNTO: MAPA COMPARATIVO DA LEGISLAÇÃO ESTRUTURA RESIDENCIAL PARA PESSOAS IDOSAS

INFORMAÇÃO Nº 010/2012 ASSUNTO: MAPA COMPARATIVO DA LEGISLAÇÃO ESTRUTURA RESIDENCIAL PARA PESSOAS IDOSAS INFORMAÇÃO Nº 010/2012 ASSUNTO: MAPA COMPARATIVO DA LEGISLAÇÃO ESTRUTURA RESIDENCIAL PARA PESSOAS IDOSAS Exmas. Associadas, Na sequência da comunicação efetuada por esta União, no passado dia 21 de março,

Leia mais

OFERTA FORMATIVA 2015-2016

OFERTA FORMATIVA 2015-2016 OFERTA FORMATIVA 2015-2016 Oferta formativa - 2015/2016 Educação Pré-escolar A partir dos 3 anos de idade 1º Ciclo 1º, 2º, 3º e 4º anos 2º Ciclo 5º e 6º anos 3º Ciclo 7, 8º e 9º anos Ensino Secundário

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Anais. III Seminário Internacional Sociedade Inclusiva. Ações Inclusivas de Sucesso

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Anais. III Seminário Internacional Sociedade Inclusiva. Ações Inclusivas de Sucesso Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Anais III Seminário Internacional Sociedade Inclusiva Ações Inclusivas de Sucesso Belo Horizonte 24 a 28 de maio de 2004 Realização: Pró-reitoria de Extensão

Leia mais

República de Angola DNME/MINSA/ ANGOLA

República de Angola DNME/MINSA/ ANGOLA DNME/MINSA/ ANGOLA 1 CONCEITO E ENQUADRAMENTO DA FARMÁCIA HOSPITALAR O Hospital é o local onde as intervenções mais diferenciadas, invasivas e salvadoras de vida devem ter lugar, constituindo-se, por isso

Leia mais

Código de Ética da Psicopedagogia

Código de Ética da Psicopedagogia Código de Ética da Psicopedagogia O Código de Ética tem o propósito de estabelecer parâmetros e orientar os profissionais da Psicopedagogia brasileira quanto aos princípios, normas e valores ponderados

Leia mais

Código Deontológico. (Inserido no Estatuto da OE republicado como anexo pela Lei n.º 111/2009 de 16 de Setembro)

Código Deontológico. (Inserido no Estatuto da OE republicado como anexo pela Lei n.º 111/2009 de 16 de Setembro) Código Deontológico (Inserido no Estatuto da OE republicado como anexo pela Lei n.º 111/2009 de 16 de Setembro) SECÇÃO II Do código deontológico do enfermeiro Artigo 78.º Princípios gerais 1 - As intervenções

Leia mais

Partido Popular. CDS-PP Grupo Parlamentar. Projecto de Lei nº 195/X. Inclusão dos Médicos Dentistas na carreira dos Técnicos Superiores de Saúde

Partido Popular. CDS-PP Grupo Parlamentar. Projecto de Lei nº 195/X. Inclusão dos Médicos Dentistas na carreira dos Técnicos Superiores de Saúde Partido Popular CDS-PP Grupo Parlamentar Projecto de Lei nº 195/X Inclusão dos Médicos Dentistas na carreira dos Técnicos Superiores de Saúde A situação da saúde oral em Portugal é preocupante, encontrando-se

Leia mais

VOLUNTARIADO CÁRITAS EXCLUSÃO SOCIAL

VOLUNTARIADO CÁRITAS EXCLUSÃO SOCIAL EXS 01/2013 Acompanhamento do utente EXS 02/2013 Acompanhamento do utente EXS 03/2013 Acompanhamento/visita ao utente EXS 04/2013 Auxiliar de atividades externas EXS 05/2013 Animador EXS 06/2013 Animador/Dinamizador

Leia mais

Prof. Carolina Borges e prof. Márcia Redendeiro

Prof. Carolina Borges e prof. Márcia Redendeiro Prof. Carolina Borges e prof. Márcia Redendeiro PRÁTICA ODONTOLÓGICA= FATORES EXTERNOS + FATORES INTERNOS CONHECIMENTO CIENTÍFICO TECNOLOGIAS PRÁTICA ODONTOLÓGICA RECURSOS HUMANOS AMBIENTES RECURSOS HUMANOS

Leia mais

CARTA DOS DIREITOS E DEVERES. Tradução através de imagens elaborada pelo Grupo de Auto-Representação do CRM Assumar. Outubro de 2014, Assumar

CARTA DOS DIREITOS E DEVERES. Tradução através de imagens elaborada pelo Grupo de Auto-Representação do CRM Assumar. Outubro de 2014, Assumar CARTA DOS DIREITOS E DEVERES Tradução através de imagens elaborada pelo Grupo de Auto-Representação do CRM Assumar Outubro de 2014, Assumar Índice 1. Introdução Pág. 3 2. O que é um Direito? Pág. 4 2.1

Leia mais

FUNDAMENTOS LEGAIS, PRINCÍPIOS E ORIENTAÇÕES GERAIS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

FUNDAMENTOS LEGAIS, PRINCÍPIOS E ORIENTAÇÕES GERAIS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL FUNDAMENTOS LEGAIS, PRINCÍPIOS E ORIENTAÇÕES GERAIS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL I - Fundamentos legais A Constituição de 1988, inciso IV do artigo 208, afirma: O dever do Estado com a educação será efetivado

Leia mais

Mais informações em www.cm-odemira.pt, através do email banco.voluntariado@cm-odemira.pt ou nos serviços de ação social do Município de Odemira

Mais informações em www.cm-odemira.pt, através do email banco.voluntariado@cm-odemira.pt ou nos serviços de ação social do Município de Odemira Projectos de Voluntariado no Concelho de Odemira Inscreva-se Mais informações em www.cm-odemira.pt, através do email banco.voluntariado@cm-odemira.pt ou nos serviços de ação social do Município de Odemira

Leia mais

Manual de Competências do Estágio dos Acadêmicos de Enfermagem-Projeto de Extensão

Manual de Competências do Estágio dos Acadêmicos de Enfermagem-Projeto de Extensão Hospital Universitário Walter Cantídio Diretoria de Ensino e Pesquisa Serviço de Desenvolvimento de Recursos Humanos Manual de Competências do Estágio dos Acadêmicos de Enfermagem-Projeto de Extensão HOSPITAL

Leia mais

Direcção-Geral da Solidariedade e Segurança Social

Direcção-Geral da Solidariedade e Segurança Social Direcção-Geral da Solidariedade e Segurança Social Janeiro/2004 INTRODUÇÃO A experiência da acção social no âmbito da intervenção e acompanhamento das famílias em situação de grande vulnerabilidade social,

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 1559/02, DE 16 DE JULHO DE 2002.

LEI MUNICIPAL Nº 1559/02, DE 16 DE JULHO DE 2002. LEI MUNICIPAL Nº 1559/02, DE 16 DE JULHO DE 2002. Cria e extingue cargos na estrutura do Quadro Permanente de Cargos, lei Municipal 1338/98, e dá outras providências. WOLMIR ÂNGELO DALL`AGNOL, Prefeito

Leia mais

O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas.

O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas. O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas. Quando o campo se expande, mais profissionais chegam ao mercado, mais áreas de atuação se formam e a categoria conquista mais visibilidade.

Leia mais

Disciplina MSP 0670-Atenção Primária em Saúde I. Atenção Básica e a Saúde da Família 1

Disciplina MSP 0670-Atenção Primária em Saúde I. Atenção Básica e a Saúde da Família 1 Disciplina MSP 0670-Atenção Primária em Saúde I Atenção Básica e a Saúde da Família 1 O acúmulo técnico e político dos níveis federal, estadual e municipal dos dirigentes do SUS (gestores do SUS) na implantação

Leia mais

Agrupamento de escolas de Coruche. CURSO PROFISSIONAL Ano lectivo 2013/2014

Agrupamento de escolas de Coruche. CURSO PROFISSIONAL Ano lectivo 2013/2014 Agrupamento de escolas de Coruche CURSO PROFISSIONAL Ano lectivo 2013/2014 Técnico de Apoio à Gestão Desportiva Componente de formação: Sócio-cultural: Português Língua estrangeira I, II ou III (b) Área

Leia mais

Segundo seu Regulamento, aprovado em 17/08/83, a Clínica Psicológica do Departamento da UFPE tem como objetivos:

Segundo seu Regulamento, aprovado em 17/08/83, a Clínica Psicológica do Departamento da UFPE tem como objetivos: Clínica Psicológica da UFPE Plano Institucional de Estágio Supervisionado Apresentação A Clínica Psicológica é uma entidade pública, ligada ao Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Pernambuco,

Leia mais

PARECER CREMEC N.º 06/2014 14/03/2014

PARECER CREMEC N.º 06/2014 14/03/2014 PARECER CREMEC N.º 06/2014 14/03/2014 PROCESSO-CONSULTA PROTOCOLO CREMEC Nº 6566/08 ASSUNTO: RESPONSABILIDADE MÉDICA PARECERISTA: CÂMARA TÉCNICA DE AUDITORIA DO CREMEC EMENTA O ato médico é responsabilidade

Leia mais

FUNCHAL CAE Rev_3: 88101/88102 SERVIÇOS DE APOIO DOMICILIÁRIO. Instituto da Segurança Social I.P. e Câmara Municipal competente.

FUNCHAL CAE Rev_3: 88101/88102 SERVIÇOS DE APOIO DOMICILIÁRIO. Instituto da Segurança Social I.P. e Câmara Municipal competente. O conteúdo informativo disponibilizado pela presente ficha não substitui a consulta dos diplomas legais referenciados e da entidade licenciadora. FUNCHAL CAE Rev_3: 88101/88102 SERVIÇOS DE APOIO DOMICILIÁRIO

Leia mais

PADI. Programa de Atenção domiciliar ao Idoso

PADI. Programa de Atenção domiciliar ao Idoso PADI Programa de Atenção Objetivos do programa Apesar dos benefícios óbvios da internação quando necessária, o paciente idoso afastado da rotina de casa e da família apresenta maior dificuldade de recuperação,

Leia mais

Instituições. Módulo II Organizações de Apoio à Comunidade. Disciplina Ação Social VAS - 2014/15

Instituições. Módulo II Organizações de Apoio à Comunidade. Disciplina Ação Social VAS - 2014/15 Instituições Módulo II Organizações de Apoio à Comunidade Disciplina Ação Social VAS - 2014/15 Instituições O que é uma instituição? Estabelecimento de utilidade pública, organização ou fundação Organização

Leia mais

Somos uma instituição, dinâmica, Dedicada e licenciada pela segurança social

Somos uma instituição, dinâmica, Dedicada e licenciada pela segurança social Somos uma instituição, dinâmica, Dedicada e licenciada pela segurança social Contactos Rua Mateus Fernandes nº29, bl2, lote1, 6200-142 Covilhã Telefone: 275 341 712 Telemóvel: 925 152 831 E-mail: criafectos@gmail.com

Leia mais

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE PONTE DA BARCA

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE PONTE DA BARCA ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE PONTE DA BARCA Uma escola de todos Para todos Transformar Vidas, Alimentar Sonhos, Projetar Carreiras! SPO Serviço de Psicologia e Orientação 9.º ANO e agora? Cursos Científico

Leia mais

Apenas para referência CEPA. Sector ou. 1. Serviços Comerciais. Subsector. A. Serviços Profissionais. h. Serviços Médicos e Dentários (CPC9312)

Apenas para referência CEPA. Sector ou. 1. Serviços Comerciais. Subsector. A. Serviços Profissionais. h. Serviços Médicos e Dentários (CPC9312) CEPA 1. A maioria do pessoal médico empregue por hospitais e clínicas que sejam empresas de capitais mistos de Macau e do Continente («joint ventures») pode ser constituída por residentes permanentes de

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA CENTRO DE REFERÊNCIAS TÉCNICAS EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS CONVERSANDO SOBRE A PSICOLOGIA E O SUAS

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA CENTRO DE REFERÊNCIAS TÉCNICAS EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS CONVERSANDO SOBRE A PSICOLOGIA E O SUAS A sistematização que segue refere-se aos pontos trabalhados pelo grupo, no sentido de ativar a reflexão de questões que seriam tratadas no Encontro Estadual dos Trabalhadores do SUAS, realizado dia 16

Leia mais

INFORMAÇÕES CURSOS NOTURNOS 1

INFORMAÇÕES CURSOS NOTURNOS 1 INFORMAÇÕES CURSOS NOTURNOS 1 VIA DE CONCLUSÃO DO 12º ANO, PARA ALUNOS DE CURSOS EXTINTOS (Ao abrigo do Decreto- Lei nº 357/2007, de 29 de Outubro) 1. Destinatários: Candidatos com idade igual ou superior

Leia mais

A Direcção, Dora Dias Susana Silva

A Direcção, Dora Dias Susana Silva A Mais Família é uma empresa recente, sediada no centro de Matosinhos. Somos uma empresa de APOIO DOMICILIÁRIO, tutelada pelo Instituto da Segurança Social, com o alvará nº 23/2011, prestando assistência

Leia mais

do Idoso Portaria 104/2011

do Idoso Portaria 104/2011 DEVER DE NOTIFICAR- do Idoso Portaria 104/2011 Lei 6.259/75l Lei 10.778/03, ECA, Estatuto n Médicos n Enfermeiros n Odontólogos n Biólogos n Biomédicos n Farmacêuticos n Responsáveis por organizações e

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC: DR. JOSÉ LUÍZ VIANA COUTINHO CÓDIGO: 073 EIXO TECNOLÓGICO: HABILITAÇÃO PROFISSIONAL: QUALIFICAÇÃO: MÓDULO: COMPONENTE CURRICULAR: C.H. SEMANAL: PROFESSOR:

Leia mais

Código de. Conduta e Melhores Práticas

Código de. Conduta e Melhores Práticas Código de Conduta e Melhores Práticas PRESSUPOSTOS Ser complementar ao Código de Ética do Administrador e harmônico a este Aproveitar a experiência de entidades de contextos onde Coaching é uma atividade

Leia mais

GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS CRIANÇAS E JOVENS EM SITUAÇÃO DE PERIGO

GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS CRIANÇAS E JOVENS EM SITUAÇÃO DE PERIGO Manual de GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS CRIANÇAS E JOVENS EM SITUAÇÃO DE PERIGO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/12 FICHA TÉCNICA

Leia mais

Agrupamento de Escolas Dr.ª Laura Ayres

Agrupamento de Escolas Dr.ª Laura Ayres Agrupamento de Escolas Dr.ª Laura Ayres - Anexo III Regulamento da Educação e Formação de Adultos Artigo 1.º Definição 1. Os Cursos de Educação e Formação de Adultos (EFA) criados ao abrigo das portarias

Leia mais

MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL

MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL 1252 Diário da República, 1.ª série N.º 42 2 de março de 2015 ANEXO Montantes dos apoios a atribuir à «Manutenção e recuperação de galerias ripícolas» (a que se refere o n.º 1 do artigo 13.º) Escalões

Leia mais