GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS PELOS MORADORES DO BAIRRO VITÓRIA EM IVINHEMA MS 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS PELOS MORADORES DO BAIRRO VITÓRIA EM IVINHEMA MS 1"

Transcrição

1 PÁGINA 23 GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS PELOS MORADORES DO BAIRRO VITÓRIA EM IVINHEMA MS 1 Vera Alves de Sá 2 Dalva Luíza da Silva 3 RESUMO Na sociedade atual, há sérios impactos ambientais, necessitando urgentemente serem repensados, especialmente o processo de urbanização que leva ao consumismo desenfreado, onde os resíduos sólidos disputam espaço com as pessoas, condicionando os gestores públicos a adotarem soluções mais eficazes para a gestão desses resíduos. Este trabalho objetivou analisar o gerenciamento dos resíduos sólidos dos moradores do Bairro Vitória em Ivinhema-MS. O estudo foi desenvolvido no período de julho a novembro de 8 por meio de entrevista semi-estruturada aos moradores. Após a coleta, os dados foram tabulados, com base na porcentagem de vezes que uma resposta foi mencionada e analisados. Em Ivinhema-MS, o gerenciamento dos resíduos sólidos não é executado de modo completo, pois não há preocupação com o tratamento, simplesmente, efetua-se a coleta e a disposição final dos resíduos. Percebeu-se que os moradores entrevistados no bairro Vitória em Ivinhema-MS, tem noção da importância do correto gerenciamento dos resíduos sólidos, porém faltam informações e incentivos que o setor público poderia estar subsidiando para a melhoria da qualidade de vida desta população. Dessa forma, surge necessidade da realização de um trabalho de sensibilização da sociedade civil sobre a redução do consumo, a reutilização e a reciclagem dos resíduos sólidos. Unitermos: Gerenciamento interno, Gerenciamento externo, Qualidade de vida. ABSTRACT MANAGEMENT OF SOLID RESIDUES FOR THE RESIDENTS OF THE NEIGHBORHOOD VITÓRIA IN IVINHEMA MS In the current society, there re serious environmental impacts, needing urgently to be rethought, especially the urbanization process that leads to the wild consumerism, where the solid residues disputes space with the people, conditioning the public managers to adopt more efficient solutions for the management of these residues. This work objectified to analyze the management of the solid residues of the inhabitants of the neighborhood Vitória in Ivinhema-MS. The study was developed in the period of July to November of 8 by means of interview half-structuralized to the inhabitants. After the collection, the data were tabulated, on the basis of the percentage of times that an answer was mentioned and analyzed. In Ivinhema-MS, the management of the solid residues is not executed in complete way, because there isn t concern with the treatment, simply, is effected collects it and the disposal final of the residues. It is verified that the inhabitants interviewed in the neighborhood Vitória in Ivinhema-MS, have notion of the importance of the correct management of the solid residues, however they lack to information and incentives that the public sector could be subsidizing for the improvement of the life quality of this population. In this way, it appears the necessity of realize a work of sensitization of the civil society about the reduction of the consumption, the reutilizes and the recycling of the solid residues. 1 Parte do trabalho monográfico da primeira autora apresentado ao programa de pós-graduação lato sensu em Gestão Ambiental das Faculdades Integradas de Naviraí (FINAV). 2 Bióloga (UEMS), especialista em Gestão Ambiental (FINAV). 3 Mestre em Planejamento e Gestão Ambiental pela UFMS/campus de Aquidauana/MS.

2 PÁGINA 24 Uniterms: Internal management, External management, Life quality. INTRODUÇÃO A qualidade de vida urbana e ambiental está diretamente relacionada ao crescimento populacional, que vem evoluindo de forma significativa. Logo, se o planejamento urbano não for periodicamente atualizado, este crescimento sobrecarrega ainda mais as cidades, agravando os problemas já existentes (Silva, 2). Com isso a gestão dos resíduos sólidos é um dos maiores problemas urbanos na atualidade, considerando que o crescimento populacional, o desenvolvimento de novas tecnologias e a prática do consumismo exacerbado, influencia para o acúmulo dos resíduos que estão presentes na cultura humana (Súniga e Cargmin, 7). Encarar de frente os problemas ambientais é essencial, pois é dele que depende a qualidade de vida da população. É preciso que as pessoas se sensibilizem da necessidade de preservar o meio ambiente, pois isto sim trará inúmeras melhorias para a qualidade de vida (Adams, 6). Segundo Adams (6), se a sociedade não tiver uma postura de consciência ambiental, reparando os danos causados ao meio ambiente e evitando novos desastres ecológicos, a continuidade e a qualidade de vida estarão comprometidas. Este sim, seria o maior erro que a humanidade poderia cometer contra ela própria. Logo, estudar o sistema de gerenciamento dos resíduos sólidos de uma cidade possibilita indicar as falhas no sistema para possíveis correções, e direcionar estratégias para o gerenciamento dos resíduos (Leme, 7). Assim, surge a necessidade de um adequado planejamento ambiental, nas cidades, visando recuperar não somente o meio físico, mas também a razão social desta. Visto que o planejamento ambiental recupera a razão social da cidade, quando consegue se caracterizar por uma abordagem que relacione e integre todos os elementos do ambiente, reconhecendo que poucos processos possam se desenvolver isoladamente (Franco, ). Verifica-se que as sociedades que pretendem melhorar a sua qualidade de vida e ambiental, devem voltar à atenção para a necessidade de reduzir a sua produção de resíduos, destinando de forma ecologicamente correta as sobras restantes (Silva, ). Dessa forma, objetivou-se analisar o gerenciamento dos resíduos sólidos dos moradores do Bairro Vitória em Ivinhema-MS. Os objetivos específicos foram: Avaliar o gerenciamento interno dos resíduos sólidos domiciliares; Caracterizar o gerenciamento externo dos resíduos sólidos domiciliares; Investigar quantas vezes o lixo é coletado por semana pelo setor de limpeza pública; Propor sugestões para a melhoria da qualidade de vida desta população. MATERIAL E MÉTODOS Caracterização do local O município de Ivinhema apresenta uma população de.567 habitantes (IBGE 7). Localiza-se a 22 8' 17" S e 53 48' 55" W (GPS Global, 7), na mesorregião do sudoeste de Mato Grosso do Sul, a uma distância de 321 km da capital Campo Grande (Ivinhema, 7). O solo apresenta formação do tipo latossólico vermelho-escuro, com relevo plano e suavemente ondulado. O clima que é do tipo subtropical úmido, de acordo com Köppen é classificado em Aw (quente, com chuvas de verão) e Cw (tropical de altitude, com chuvas de verão). A área era coberta de exuberante vegetação, alta e maciça, matas frondosas contendo peroba, cedro, ipê, cabreúva, angelim, jaborandi, faveiro e outras madeiras de lei. Com a ocupação do município, a vegetação densa preexistente foi substituída pelas edificações humanas, plantações, e pastagens. No dia de setembro de 1961, foi posto fogo na área recém derrubada, que foi destinada à construção da cidade. Com o desenvolvimento da colonização, o governo estadual sancionou a Lei

3 PÁGINA 25 nº 1.949, de 11 de novembro de 1963, criando o município de Ivinhema (Ivinhema, 7), sendo fundada pelo paulista Reynaldo Massi e projetada pelo urbanista Francisco Prestes Maia, para uma população segundo os dados do histórico de 6. habitantes. A cidade foi dividida em quatro zonas distintas: área centro comercial, residencial, operária e industrial, distribuída em oito bairros: Piravevê, Guiray, Vitória, Água Azul, Triguenã, Itapoã, Centro e Industrial. O bairro Vitória, que é objeto desta pesquisa, apresenta uma área de ,291 m², há presença de escola, creches, supermercados e posto de saúde. A maioria de sua população é de baixa renda, sendo que muitos trabalham na bóia fria. Não há presença de espaços de lazer para o entretenimento de seus habitantes e existem problemas de erosões, que acabam si tornando verdadeiros depósitos de resíduos. Procedimentos metodológicos O trabalho foi desenvolvido por meio de entrevista semi-estruturada aos moradores do bairro Vitória em Ivinhema MS, baseada nos trabalhos de Leme (7) e Oliveira (6), no período de julho a novembro de 8. Neste período entrevistaram-se 5 moradores de cada ponto do bairro (norte, sul, leste, oeste e centro) totalizando uma amostra com 5 indivíduos entrevistados. O roteiro de entrevista estava direcionado para a obtenção das seguintes informações: Onde são acondicionados os resíduos sólidos das residências; local onde são dispostos os resíduos sólidos para a coleta; se os moradores pensam que resíduos sólidos produzidos diariamente em suas residências podem ser reaproveitados; como pode-se reaproveitar os resíduos sólidos produzidos diariamente (na visão do morador); se os moradores tinham idéia da quantidade de resíduos sólidos que é gerada diariamente (em gramas); quantas vezes os resíduos são coletados por semana; se os moradores sabiam para onde vão os resíduos sólidos e o que é feito com eles; e se acreditam ou não, que a reciclagem é importante. Após a coleta, os dados foram tabulados, com base na porcentagem de vezes que uma resposta foi mencionada e analisados. RESULTADOS E DISCUSSÃO Os entrevistados apresentavam entre e 68 anos de idade, sendo 7% do sexo feminino e % masculino, compostos por pessoas de diferentes graus de escolarização (Quadro 1). Quadro 1. Grau de escolarização dos moradores do Bairro Vitória, Ivinhema MS, entrevistados em 8. Escolaridade s 4ª série 3ª série 16 2ª série 6 7ª série 4 5ª série 6 Ensino Médio 24 Ensino Superior 12 Não alfabetizada 12 Total Com relação ao acondicionamento dos resíduos, 84% dos entrevistados responderam acondicionar os resíduos em sacolas plásticas de supermercado (Figura 1), pois são oferecidas à população no ato da compra de mercadorias nos supermercados, não representando custos adicionais aos moradores. Visto que os resíduos sólidos domiciliares são dispostos pelos moradores em frente às residências principalmente em lixeiras (58%) (Figura 2), que é uma das melhores

4 PÁGINA 26 formas de disposição, pois causam menos transtornos a população e evita ser espalhados por animais. Sendo que em Ivinhema-MS não há um programa de coleta seletiva, portanto os resíduos sólidos são colocados para a coleta normal Sacolas de supermercados Tipo de acondicionamento Baldes Figura 1. Recipientes utilizados pelos moradores do bairro Vitória em Ivinhema-MS, para acondicionar os resíduos sólidos gerados nos domicílios em lixeira em cima do muro palanque tambor Local para disposição dos residuos sólidos Figura 2. Locais de disposição dos resíduos sólidos domiciliares para a coleta no bairro Vitória em Ivinhema-MS, 8.

5 PÁGINA 27 Todos os entrevistados acreditam que os resíduos sólidos podem ser reaproveitados, principalmente por meio de reciclagem (56%) (Figura 3), porém faltam programas de incentivo para que a população possa estar praticando este ato. 6 5 s 4 reciclando fazendo compostagem reutilizando Como reaproveitar os residuos sólidos Figura 3. Como o moradores do bairro Vitória em Ivinhema-MS podem estar reaproveitando os resíduos que são produzidos diariamente em seus domicílios. Quando interrogados sobre a quantidade de resíduo sólido que é produzido em média na residência os valores mais citadas foram: 25 g (28%), 15 g (24%), 5 g (22%) (Figura 4) g 15 g 5 g g g 4 g g 35 g 45 g Quantidade de resíduo sólido gerado por dia

6 PÁGINA 28 Figura 4. Quantidade de resíduos sólidos geradas diariamente nos domicílios dos moradores do bairro Vitória em Ivinhema-MS, 8. No que se refere à freqüência da coleta domiciliar, os entrevistados disseram que os resíduos são coletados pelo setor de limpeza pública 2 vezes por semana, sendo que 52% responderam que os resíduos são levados para o lixão do município e ficam a céu aberto (Figura 5) lixão/ queima lixão/ fica a céu aberto não sabe Para onde são transportados os resíduos e o que é feito com eles Figura 5. Local que os moradores do bairro Vitória em Ivinhema-MS dizem que vão os resíduos sólidos e o que é feito com eles. Todos os entrevistados acreditam que a reciclagem é importante porque diminui a poluição (4%), é fonte de renda (26%), preserva o meio ambiente (24%), melhora a qualidade de vida (%) (Figura 6), com isso observa-se que o problema dos resíduos sólidos é uma questão que envolve aspectos ambientais, econômicos e da saúde, merecendo atenção de todos os setores da sociedade. O objetivo principal do Plano Diretor do município de Ivinhema-MS é ser um instrumento para a definição de estratégias de intervenção imediata, estabelecendo princípios claros de ação para o conjunto dos agentes envolvidos na construção do Município (Ivinhema, 6). Com relação da definição e dos princípios fundamentais do Plano Diretor, o art. 7º coloca que a sustentabilidade é o desenvolvimento gestado pela sociedade, socialmente justo, ambientalmente equilibrado e economicamente viável, garantindo qualidade de vida para as gerações atuais e futuras (Ivinhema, 6). No que tange à saúde e o saneamento ambiental no art. 13º alguns dos objetivos são a destinação adequada dos resíduos sólidos que são produzidos no município e o incentivo a formação de associações e cooperativas de catadores e processadores de lixo. Já no art. 14º umas das estratégias para cumprir as diretrizes sobre a saúde e o saneamento urbano do município são: criar programas de sensibilização para a limpeza da cidade; buscar parcerias para a reciclagem para

7 PÁGINA 29 a limpeza da cidade e coleta seletiva do lixo; implantar a coleta seletiva; concessão do direito de exploração do lixo garantindo a limpeza da cidade e a geração de empregos no município (Ivinhema, 6) diminui a poluição melhora qualidade de vida preserva o meio ambiente fonte de renda Porque é importante reciclar Figura 6. Porque os moradores do bairro Vitória em Ivinhema-MS acreditam que a reciclagem é importante. Porém, dois anos já se passaram da criação do Plano Diretor e quase nada ou nada ainda mudou. Com isso, se nota a necessidade da população se unir fazer a sua parte e exigir de seus gestores melhorias para o seu bairro, pois só assim se terá um ambiente melhor para si viver. Com relação aos moradores do bairro Vitória em Ivinhema-MS, as sugestões que se propõe são: Evitar comprar produtos sem necessidade; Reaproveitar plásticos, para poupar petróleo; Usar o verso dos papéis já escritos, pois significa menos árvores derrubadas; Comprar produtos reciclados ou biodegradáveis sempre que possível; Não utilizar sacos plásticos se vai comprar uma pequena quantidade de produtos; Quando for às compras optar pela utilização de sacolas de pano, pois podem ser utilizadas várias vezes; Evitar os produtos com embalagens de plástico ou com excesso de embalagens, pois são mais caros e produzem mais resíduos; Guardar os alimentos em recipientes que possa voltar a utilizar e não em folha de alumínio ou filme plástico. Utilizar a parte orgânica do lixo doméstico para fazer adubo para o jardim ou horta, evitando os compostos químicos. CONCLUSÕES

8 PÁGINA Em Ivinhema-MS, o gerenciamento dos resíduos sólidos não é executado de modo completo, pois não há preocupação com o tratamento, simplesmente, efetua-se a coleta e a disposição final dos resíduos. Observa-se que os moradores entrevistados no bairro Vitória em Ivinhema-MS, tem noção da importância do correto gerenciamento dos resíduos sólidos, porém faltam informações e incentivos que o setor público poderia estar subsidiando para a melhoria da qualidade de vida desta população. Dessa forma, para que as sugestões que foram propostas possam ser concretizadas é de extrema importância, a realização de um trabalho de sensibilização da sociedade civil sobre a redução do consumo, a reutilização e a reciclagem dos resíduos sólidos, baseado nos princípios e diretrizes da Educação Ambiental. Surgindo a necessidade da adoção de um modelo de gestão municipal que veja a educação ambiental como uma atividade indispensável na consolidação e êxito das ações municipais no gerenciamento dos resíduos sólidos. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Adams, B. G. (6). Reciclando conceitos. Revista eletrônica Educação Ambiental em Ação. n. 19. Disponível em: <http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=463&class=5>. Acessado em: out. 8. Franco, M.A.R. (). Planejamento ambiental para a cidade sustentável. São Paulo, Annablume. GPS Global. (7). Cidades Nacionais. Disponível em: <http://www.gpsglobal.com.br /Asp/BDCidNac.asp?PAG=419&Cidade=&UF=>. Acesso em: mar. 7. IBGE (7). Cidades. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br>. Acesso em: out. 8. Ivinhema. (7). Histórico de Ivinhema. Disponível em: <http://www.ivinhema.ms.gov.br/7>. Acesso em: 8 mar. 7. Ivinhema. (6). Plano Diretor do município de Ivinhema-MS. 29 p. Leme, S. M. (7). Sistema de gerenciamento dos resíduos sólidos domiciliares na cidade de Aquidauana-ms. In: II Colóquio Internacional de Desenvolvimento Local, Campo Grande. Oliveira, N. A. S. (6). A percepção dos resíduos sólidos (lixo) de origem domiciliar, no bairro Cajuru-Curitiba-PR: um olhar reflexivo a partir da educação ambiental. Dissertação de Mestrado - Programa de Pós Graduação em Geografia. Universidade Federal do Paraná. Silva, J. A. (). Análise da qualidade da coleta e disposição final dos resíduos sólidos domiciliares da cidade de Ivaiporã estado do Paraná. Dissertação de Mestrado - Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal de Santa Catarina. Silva, M. L. G. (2). Análise da qualidade ambiental urbana da Bacia Hidrográfica da Lagoa da Conceição. Florianópolis, 111 f. Dissertação de Mestrado - Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal de Santa Catarina. Súniga, L.; Cargmin, S. (7). Análise quantitativa da gestão de resíduos sólidos na Universidade de Mato Grosso. In: 18 Encontro de Biólogos do CRBio-1. Resumos... Cuiabá. p

Alex Maciel Gonzaga, Sean Conney Vieira da SILVA, & Flávia Pereira da SILVA

Alex Maciel Gonzaga, Sean Conney Vieira da SILVA, & Flávia Pereira da SILVA 1 QUALIDADE DA COLETA E A NECESSIDADE DE UMA CONSCIÊNCIA DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL NA CIDADE DE GOIANA Alex Maciel Gonzaga, Sean Conney Vieira da SILVA, & Flávia Pereira da SILVA RESUMO O consumismo da

Leia mais

COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS RECICLÁVEIS

COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS RECICLÁVEIS COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS RECICLÁVEIS ALVES, Jéssica B. 1 NETO, João B. 1 SOBRAL, Jozias M. 1 SILVA, Kelvin L. S. da 1 PETITTO, Sônia 2 PERRI, Ricardo Alves 3 RESUMO A coleta seletiva é uma forma de

Leia mais

2.0 Objetivos 2.1 Geral. 2.2 Específicos

2.0 Objetivos 2.1 Geral. 2.2 Específicos 1. INTRODUÇÃO O lixo é um problema crônico que vem afetando comunidades no mundo inteiro. No Brasil, a geração de lixo per capita varia de acordo com o porte populacional do município. Segundo dados da

Leia mais

Município: São Pedro do Ivaí e-mail: nilsonmarquedeoliveira@seed.pr.gov.br Fone: (43) 3451 1241

Município: São Pedro do Ivaí e-mail: nilsonmarquedeoliveira@seed.pr.gov.br Fone: (43) 3451 1241 NRE: Ivaiporã Nome do Professor: Nilson Marques de Oliveira Município: São Pedro do Ivaí e-mail: nilsonmarquedeoliveira@seed.pr.gov.br Fone: (43) 3451 1241 Escola: Escola Estadual Vicente Machado Ensino

Leia mais

AMOSTRAGEM DA DESTINAÇÃO DO LIXO DOMÉSTICO EM BAIRROS NA CIDADE DE UBÁ MG RESUMO

AMOSTRAGEM DA DESTINAÇÃO DO LIXO DOMÉSTICO EM BAIRROS NA CIDADE DE UBÁ MG RESUMO 1 AMOSTRAGEM DA DESTINAÇÃO DO LIXO DOMÉSTICO EM BAIRROS NA CIDADE DE UBÁ MG Letícia Alves Pacheco 1 Kênia Ribas de Assis 2 Mariana da Costa J. Miranda 3 Eliane Aparecida de Souza 4 RESUMO A questão do

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO DE LIMPEZA URBANA

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO DE LIMPEZA URBANA 2º Forum Internacional de Resíduos Sólidos julho2009 EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO DE LIMPEZA URBANA Autores: Letícia de Oliveira Silveira, Licenciado em Ciências Biológicas pela Universidade Luterana

Leia mais

RESIDUOS ORGÂNICOS E INORGÂNICOS. De modo geral, podemos dizer que os resíduos domiciliares se dividem em orgânicos e inorgânicos.

RESIDUOS ORGÂNICOS E INORGÂNICOS. De modo geral, podemos dizer que os resíduos domiciliares se dividem em orgânicos e inorgânicos. RESIDUOS ORGÂNICOS E INORGÂNICOS De modo geral, podemos dizer que os resíduos domiciliares se dividem em orgânicos e inorgânicos. Resíduos orgânicos: São biodegradáveis (se decompõem naturalmente). São

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA COLETA SELETIVA NA FAP

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA COLETA SELETIVA NA FAP PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA COLETA SELETIVA NA FAP SILVA V. L. da 1 ; SOUZA T. R. 1 ; RIBEIRO J. S. G. 1 ; CARDOSO C. F. 1 ; SILVA, C. V. da 2. 1 Discentes do Curso de Ciências Biológicas FAP 2

Leia mais

SITUAÇÃO DO SANEAMENTO BÁSICO DO BAIRRO KIDÉ, JUAZEIRO/BA: UM ESTUDO DE CASO NO ÂMBITO DO PET CONEXÕES DE SABERES SANEAMENTO AMBIENTAL

SITUAÇÃO DO SANEAMENTO BÁSICO DO BAIRRO KIDÉ, JUAZEIRO/BA: UM ESTUDO DE CASO NO ÂMBITO DO PET CONEXÕES DE SABERES SANEAMENTO AMBIENTAL SITUAÇÃO DO SANEAMENTO BÁSICO DO BAIRRO KIDÉ, JUAZEIRO/BA: UM ESTUDO DE CASO NO ÂMBITO DO PET CONEXÕES DE SABERES SANEAMENTO AMBIENTAL Juliana Maria Medrado de Melo (1) Graduanda em Engenharia Agrícola

Leia mais

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto.

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. REDUZIR REUTILIZAR RECUPERAR RECICLAR A redução deve ser adaptada por

Leia mais

ambiente e para a saúde da comunidade, esta percepção não se tem traduzido em ações efetivas que possibilitem mudanças qualitativas na situação

ambiente e para a saúde da comunidade, esta percepção não se tem traduzido em ações efetivas que possibilitem mudanças qualitativas na situação GERENCIAMENTO DO LIXO NA CIDADE DE ESPERANÇA PB: UMA QUESTÃO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Joanilma dos Santos SILVA 1, Gabriele de OLIVEIRA 1, Aline Pereira RODRIGUES¹, Hellen Regina Guimarães da SILVA 1, Mário

Leia mais

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL COMO FERRAMENTA PARA INTRODUÇÃO DE NOVAS PRÁTICAS NA COLETA DE RESÍDUOS SÓLIDOS RESIDENCIAIS

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL COMO FERRAMENTA PARA INTRODUÇÃO DE NOVAS PRÁTICAS NA COLETA DE RESÍDUOS SÓLIDOS RESIDENCIAIS DIAGNÓSTICO AMBIENTAL COMO FERRAMENTA PARA INTRODUÇÃO DE NOVAS PRÁTICAS NA COLETA DE RESÍDUOS SÓLIDOS RESIDENCIAIS Lígia Maria Ribeiro Lima Universidade Estadual da Paraíba ligiauepb@gmail.com Isabel Thais

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE VIRGÍNIA MG

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE VIRGÍNIA MG PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE VIRGÍNIA MG Diagnóstico da Infraestrutura do Sistema de Coleta e Tratamento de Resíduos Sólidos no Setor de Mobilização 2, bairros Vargem Alegre, Serra Verde, Rio

Leia mais

13-09-2010 MATERIAIS RECICLÁVEIS, PROCESSO DE RECICLAGEM

13-09-2010 MATERIAIS RECICLÁVEIS, PROCESSO DE RECICLAGEM MATERIAIS RECICLÁVEIS, PROCESSO DE RECICLAGEM 1 2 Introdução História da limpeza; Educação Ambiental; Campanhas de Sensibilização, Publicidade; Reciclagem antigamente; Materiais reutilizáveis; Processos

Leia mais

1. INTRODUÇÃO 2. MATERIAIS E MÉTODOS

1. INTRODUÇÃO 2. MATERIAIS E MÉTODOS GESTÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NO MEIO RURAL: ESTUDO DE CASO DA FAZENDA PIANA, SIDROLÂNDIA/MATO GROSSO DO SUL afrata@gmail.com POSTER-Agropecuária, Meio-Ambiente, e Desenvolvimento Sustentável ANGELA MARIA

Leia mais

TÍTULO: A ALFACE E O LIXO CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ARQUITETURA E URBANISMO

TÍTULO: A ALFACE E O LIXO CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ARQUITETURA E URBANISMO TÍTULO: A ALFACE E O LIXO CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: INSTITUIÇÃO: FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS AUTOR(ES): CÁSSIA QUÉREN HAPUQUE AZEVEDO DE ALMEIDA, CARLOS CESAR

Leia mais

REVISÃO 2º BIMESTRE LIXO E SEU DESTINO

REVISÃO 2º BIMESTRE LIXO E SEU DESTINO REVISÃO 2º BIMESTRE LIXO E SEU DESTINO 1) Analise as alternativas sobre aspectos relacionados ao lixo e marque (V) para as verdadeiras e (F) para as falsas. ( ) O lixo é caracterizado como tudo aquilo

Leia mais

EVOLUÇÃO DA GERAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO MUNICÍPIO DE BENTO GONÇALVES, R.S.- NO PERÍODO DE 1993 A 2001.

EVOLUÇÃO DA GERAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO MUNICÍPIO DE BENTO GONÇALVES, R.S.- NO PERÍODO DE 1993 A 2001. EVOLUÇÃO DA GERAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO MUNICÍPIO DE BENTO GONÇALVES, R.S.- NO PERÍODO DE 1993 A 2001. Vania Elisabete Schneider (1)(*) : Departamento de Ciências Exatas e da Natureza (DCEN/CARVI).

Leia mais

Reciclagem de Materiais COLETA SELETIVA

Reciclagem de Materiais COLETA SELETIVA Reciclagem de Materiais COLETA SELETIVA COLETA SELETIVA Conheça algumas medidas importantes para não poluir o meio ambiente na hora de jogar fora o seu lixo Já é inquestionável hoje a importância da reciclagem

Leia mais

NOSSO BAIRRO SEM POLUIÇÃO: REPENSAR HÁBITOS E ATITUDES, SENSIBILIZAR PARA UMA MELHOR QUALIDADE DE VIDA.

NOSSO BAIRRO SEM POLUIÇÃO: REPENSAR HÁBITOS E ATITUDES, SENSIBILIZAR PARA UMA MELHOR QUALIDADE DE VIDA. NOSSO BAIRRO SEM POLUIÇÃO: REPENSAR HÁBITOS E ATITUDES, SENSIBILIZAR PARA UMA MELHOR QUALIDADE DE VIDA. BERTON, Vânia Lúcia 1 Resumo: Este estudo foi desenvolvido através de um projeto de Educação Ambiental

Leia mais

COLETA SELETIVA DE LIXO RESIDENCIAL. José Cardoso Sobrinho 1. Joana Dalva Cardoso 2. RS, Brasil. jcardosos@smail.ufsm.br, +55-55 3224 1242 ramal 204.

COLETA SELETIVA DE LIXO RESIDENCIAL. José Cardoso Sobrinho 1. Joana Dalva Cardoso 2. RS, Brasil. jcardosos@smail.ufsm.br, +55-55 3224 1242 ramal 204. COLETA SELETIVA DE LIXO RESIDENCIAL José Cardoso Sobrinho 1 Joana Dalva Cardoso 2 1 Universidade Federal de Santa Maria - Campus Silveira Martins. Silveira Martins - RS, Brasil. jcardosos@smail.ufsm.br,

Leia mais

ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL

ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL MENDONÇA, Ana Maria Gonçalves Duarte. Universidade Federal de Campina Grande. E-mail: Ana.duartemendonca@gmail.com RESUMO

Leia mais

Secretaria Municipal de meio Ambiente

Secretaria Municipal de meio Ambiente PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL O presente Programa é um instrumento que visa à minimização de resíduos sólidos, tendo como escopo para tanto a educação ambiental voltada

Leia mais

Página 1 de 8-01/04/2014-5:59

Página 1 de 8-01/04/2014-5:59 PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - LÍNGUA PORTUGUESA - 4 ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Texto 1 LIXO NO LIXO Dá para

Leia mais

FACCAMP - FACULDADE DE CAMPO LIMPO PAULISTA CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA Campo Limpo Paulista - Maio 2013

FACCAMP - FACULDADE DE CAMPO LIMPO PAULISTA CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA Campo Limpo Paulista - Maio 2013 FACCAMP - FACULDADE DE CAMPO LIMPO PAULISTA CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA Campo Limpo Paulista - Maio 2013 DISCIPLINA - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Integrantes: Adriano de Oliveira RA: 14759 Karina

Leia mais

DESTINO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS E LEGISLAÇÃO SOBRE O TEMA

DESTINO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS E LEGISLAÇÃO SOBRE O TEMA DESTINO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS E LEGISLAÇÃO SOBRE O TEMA ILÍDIA DA A. G. MARTINS JURAS Consultora Legislativa da Área XI Meio Ambiente e Direito Ambiental, Organização Territorial, Desenvolvimento Urbano

Leia mais

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESIDUOS SOLIDOS URBANOS

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESIDUOS SOLIDOS URBANOS PREFEITURA MUNICIPAL DE TUCURUÍ PARÁ SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE TUCURUÍ SEMMA / TUCURUÍ PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESIDUOS SOLIDOS URBANOS APRESENTAÇAO O presente documento consolida o diagnóstico

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DE PERCEPÇÃO E DOS ASPECTOS ESTRUTURAIS QUANTO AOS RESIDUOS SÓLIDOS NO BAIRRO ANGARI, JUAZEIRO-BA.

IDENTIFICAÇÃO DE PERCEPÇÃO E DOS ASPECTOS ESTRUTURAIS QUANTO AOS RESIDUOS SÓLIDOS NO BAIRRO ANGARI, JUAZEIRO-BA. IDENTIFICAÇÃO DE PERCEPÇÃO E DOS ASPECTOS ESTRUTURAIS QUANTO AOS RESIDUOS SÓLIDOS NO BAIRRO ANGARI, JUAZEIRO-BA. Roberta Daniela da Silva Santos (1) Anne Kallyne dos Anjos Silva (2) Simone do Nascimento

Leia mais

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para Política Nacional de Resíduos Sólidos Agora é lei Novos desafios para poder público, empresas, catadores e população Marco histórico da gestão ambiental no Brasil, a lei que estabelece a Política Nacional

Leia mais

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras Eduarda Ramires Silveira Evelyn Victória Cardoso Lopes Mel Suzane Santos Marques Voluntários Joyce Thaís Mendes Alves Sílvia Rocha Pena Rodrigues Luíza Almeida Dias de Carvalho

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL "PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL" Quem somos: Associação sem fins lucrativos, fundado em 1992, o CEMPRE se dedica à promoção da reciclagem dentro do conceito de gerenciamento integrado

Leia mais

A importância da coleta seletiva e do aterro sanitário para o município de Quarto Centenário

A importância da coleta seletiva e do aterro sanitário para o município de Quarto Centenário A importância da coleta seletiva e do aterro sanitário para o município de Quarto Centenário Regina da Silva Ferreira 1 regina-s-ferreira@hotmail.com Resumo: O presente trabalho teve como objetivo demonstrar

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL Reciclagem e Valorizaçã ção o de Resíduos Sólidos S - Meio Ambiente UNIVERSIDADE DE SÃO S O PAULO "PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL" Associação sem fins lucrativos, o CEMPRE se dedica à promoção

Leia mais

III-012 - ESTUDO PRELIMINAR SOBRE OS RESÍDUOS SÓLIDOS DOMICILIARES DA CIDADE DE ITAJUBÁ (MG): CARACTERIZAÇÃO FÍSICA NO PERÍODO DO INVERNO

III-012 - ESTUDO PRELIMINAR SOBRE OS RESÍDUOS SÓLIDOS DOMICILIARES DA CIDADE DE ITAJUBÁ (MG): CARACTERIZAÇÃO FÍSICA NO PERÍODO DO INVERNO III-012 - ESTUDO PRELIMINAR SOBRE OS RESÍDUOS SÓLIDOS DOMICILIARES DA CIDADE DE ITAJUBÁ (MG): CARACTERIZAÇÃO FÍSICA NO PERÍODO DO INVERNO Andriani Tavares Tenório e Silva (1) Engenheira Ambiental pela

Leia mais

EDUCAR PARA PRESERVAR: Estudo do perfil sustentável dos acadêmicos do CEAVI/UDESC

EDUCAR PARA PRESERVAR: Estudo do perfil sustentável dos acadêmicos do CEAVI/UDESC EDUCAR PARA PRESERVAR: Estudo do perfil sustentável dos acadêmicos do CEAVI/UDESC ILda Valentim ilda.valentim@udesc.br UDESC Dinorá Baldo de Faverei dinora.faveri@udesc.br UDESC Marilei Kroetz marilei.kroetz@udesc.br

Leia mais

2º SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SAÚDE E AMBIENTE 19 22 DE OUTUBRO 2014 MINASCENTRO BELO HORIZONTE - MG

2º SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SAÚDE E AMBIENTE 19 22 DE OUTUBRO 2014 MINASCENTRO BELO HORIZONTE - MG 2º SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SAÚDE E AMBIENTE 19 22 DE OUTUBRO 2014 MINASCENTRO BELO HORIZONTE - MG Eixo norteador: O trabalho tem como característica o manuseio correto dos resíduos sólidos, um olhar das

Leia mais

PERCEPÇÃO AMBIENTAL E PARTICIPAÇÃO PÚBLICA NA GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS DA CIDADE DE SÃO SEBASTIÃO (SP)

PERCEPÇÃO AMBIENTAL E PARTICIPAÇÃO PÚBLICA NA GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS DA CIDADE DE SÃO SEBASTIÃO (SP) PERCEPÇÃO AMBIENTAL E PARTICIPAÇÃO PÚBLICA NA GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS DA CIDADE DE SÃO SEBASTIÃO (SP) Costa, J.R. 1, Liu, A.S 1, Aquino-Silva, M.R. 1,2 Resumo - Através da percepção ambiental são

Leia mais

Site Terra, 05 de Junho de 2013

Site Terra, 05 de Junho de 2013 Site Terra, 05 de Junho de 2013 Mesmo com data para acabar, lixões subsistem no Brasil. Mais da metade dos municípios brasileiros não impõe a destinação adequada ao lixo. Assim, cerca de 75 mil toneladas

Leia mais

QUANTIFICAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DOS RESÍDUOS DA ASSOCIAÇÃO DOS CATADORES DO MUNICÍPIO DE FRANCISCO BELTRÃO

QUANTIFICAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DOS RESÍDUOS DA ASSOCIAÇÃO DOS CATADORES DO MUNICÍPIO DE FRANCISCO BELTRÃO QUANTIFICAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DOS RESÍDUOS DA ASSOCIAÇÃO DOS CATADORES DO MUNICÍPIO DE FRANCISCO BELTRÃO M. D. MASSAROLLO 1, J. TEGA Jr 2, F. A. B. TOGNON 3, R. TOGNON 4 1 Universidade Estadual do Oeste

Leia mais

V-Nóbrega-Brasil-1 CONHECIMENTO E A PARTICIPAÇÃO DA POPULAÇÃO DA CIDADE DE JOÃO PESSOA BRASIL - NO SEU PROGRAMA DE COLETA SELETIVA

V-Nóbrega-Brasil-1 CONHECIMENTO E A PARTICIPAÇÃO DA POPULAÇÃO DA CIDADE DE JOÃO PESSOA BRASIL - NO SEU PROGRAMA DE COLETA SELETIVA V-Nóbrega-Brasil-1 CONHECIMENTO E A PARTICIPAÇÃO DA POPULAÇÃO DA CIDADE DE JOÃO PESSOA BRASIL - NO SEU PROGRAMA DE COLETA SELETIVA Claudia Coutinho Nóbrega¹ Engenheira civil pela UFPB (1989), Mestre em

Leia mais

PROBLEMÁTICA DO LIXO: PEQUENAS ATITUDES, UM BOM COMEÇO

PROBLEMÁTICA DO LIXO: PEQUENAS ATITUDES, UM BOM COMEÇO PROBLEMÁTICA DO LIXO: PEQUENAS ATITUDES, UM BOM COMEÇO Janelene Freire Diniz, Adeilton Padre de Paz, Hellen Regina Guimarães da Silva, Verônica Evangelista de Lima RESUMO Departamento de Química, Universidade

Leia mais

O RESÍDUO SÓLIDO URBANO NA CIDADE DE BRAGANÇA-PA: UMA ANÁLISE DOS PROBLEMAS SOCIO-AMBIENTAIS E OS RESULTADOS DESSE PROCESSO.

O RESÍDUO SÓLIDO URBANO NA CIDADE DE BRAGANÇA-PA: UMA ANÁLISE DOS PROBLEMAS SOCIO-AMBIENTAIS E OS RESULTADOS DESSE PROCESSO. O RESÍDUO SÓLIDO URBANO NA CIDADE DE BRAGANÇA-PA: UMA ANÁLISE DOS PROBLEMAS SOCIO-AMBIENTAIS E OS RESULTADOS DESSE PROCESSO. Marcos Ronielly da Silva Santos Estudante de Graduação em Tecnologia em Gestão

Leia mais

Eixo Temático ET-03-016 - Gestão de Resíduos Sólidos

Eixo Temático ET-03-016 - Gestão de Resíduos Sólidos 147 Eixo Temático ET-03-016 - Gestão de Resíduos Sólidos VIABILIDADE DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA NO IFPB CAMPUS PRINCESA ISABEL: CARACTERIZAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS Queliane Alves da Silva 1 ; Ana Lígia

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RESIDUOS SOLIDOS: PROPOSTAS PARA A SENSIBILIZAÇÃO ESTUDANTIL EM TEODORO SAMPAIO, SP

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RESIDUOS SOLIDOS: PROPOSTAS PARA A SENSIBILIZAÇÃO ESTUDANTIL EM TEODORO SAMPAIO, SP Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 471 EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RESIDUOS SOLIDOS: PROPOSTAS PARA A SENSIBILIZAÇÃO ESTUDANTIL EM TEODORO SAMPAIO, SP Leonice

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA PARA OS RESÍDUOS SÓLIDOS DOMICILIARES DO DF: CONFORME A POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PNRS.

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA PARA OS RESÍDUOS SÓLIDOS DOMICILIARES DO DF: CONFORME A POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PNRS. UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Curso de Engenharia Ambiental SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO PARA OS RESÍDUOS SÓLIDOS DOMICILIARES DO DF: CONFORME

Leia mais

PRODUTOS RECICLADOS COMO FONTE DE GERAÇÃO DE RENDA E INCLUSÃO SOCIAL RECICLA CONQUISTA

PRODUTOS RECICLADOS COMO FONTE DE GERAÇÃO DE RENDA E INCLUSÃO SOCIAL RECICLA CONQUISTA Doutorado em Planificação Territorial e Gestão Ambiental da Universidade de Barcelona em Convênio com a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia PRODUTOS RECICLADOS COMO FONTE DE GERAÇÃO DE RENDA E INCLUSÃO

Leia mais

Problemática dos residuos sólidos urbanos dispostos em terrenos baldios

Problemática dos residuos sólidos urbanos dispostos em terrenos baldios Problemática dos residuos sólidos urbanos dispostos em terrenos baldios Adriana Paula Braz de Souza a, Luciana de Luna Costa b, Patrício Marques de Souza a,b a Faculdade Maurício de Nassau, Rua Prof. Antonio

Leia mais

CONCEITOS DOS FUNCIONÁRIOS DA UNIOESTE (REITORIA) SOBRE RESÍDUOS SÓLIDOS NO DESENVOLVIMENTO DE UM TRABALHO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

CONCEITOS DOS FUNCIONÁRIOS DA UNIOESTE (REITORIA) SOBRE RESÍDUOS SÓLIDOS NO DESENVOLVIMENTO DE UM TRABALHO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL CONCEITOS DOS FUNCIONÁRIOS DA UNIOESTE (REITORIA) SOBRE RESÍDUOS SÓLIDOS NO DESENVOLVIMENTO DE UM TRABALHO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL 1 SILVA, Fabíola Barbosa B; 1 CARNIATTO, Irene; 1 PILOTTO, Anyele Liann;

Leia mais

ESTUDO DE CASO DA QUANTIDADE E DESTINAÇÃO FINAL DOS RESÍDUOS SÓLIDOS ORGÂNICOS DOMICILIARES DO BAIRRO URUPÁ NA CIDADE DE JI- PARANÁ/RO

ESTUDO DE CASO DA QUANTIDADE E DESTINAÇÃO FINAL DOS RESÍDUOS SÓLIDOS ORGÂNICOS DOMICILIARES DO BAIRRO URUPÁ NA CIDADE DE JI- PARANÁ/RO ESTUDO DE CASO DA QUANTIDADE E DESTINAÇÃO FINAL DOS RESÍDUOS SÓLIDOS ORGÂNICOS DOMICILIARES DO BAIRRO URUPÁ NA CIDADE DE JI- PARANÁ/RO Rafael Ranconi Bezerra ¹ Graduando em Engenharia Ambiental pela Universidade

Leia mais

XXVII Congresso Interamericano de Engenharia Sanitária e Ambiental

XXVII Congresso Interamericano de Engenharia Sanitária e Ambiental III-032 - PROPOSTA ALTERNATIVA PARA A COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NA CIDADE DE CAMPO GRANDE/MS, VALORIZANDO A PARTICIPAÇÃO DOS CATADORES. Ana Luzia de Almeida Batista Martins Abrão (1)

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA NO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS CAMPUS MACHADO.

IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA NO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS CAMPUS MACHADO. IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA NO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS CAMPUS MACHADO. Tainá Teixeira Furtado*; Pamela Hélia de Oliveira; Ariane Borges de

Leia mais

III - PERCEPÇÃO DA LIMPEZA PÚBLICA PELA POPULAÇÃO DO MUNICÍPIO DO NATAL

III - PERCEPÇÃO DA LIMPEZA PÚBLICA PELA POPULAÇÃO DO MUNICÍPIO DO NATAL III - PERCEPÇÃO DA LIMPEZA PÚBLICA PELA POPULAÇÃO DO MUNICÍPIO DO NATAL INSTITUIÇÕES: COMPANHIA DE SERVIÇOS URBANOS DE NATAL URBANA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE

Leia mais

V Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental Belo Horizonte/MG 24 a 27/11/2014

V Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental Belo Horizonte/MG 24 a 27/11/2014 ATIVIDADES DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GERENCIAMENTO DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS DOMÉSTICOS EM ÁREA URBANA: ESTUDO DE CASO EM MUNICÍPIO DE PEQUENO PORTE Aline Ferrão Custodio Passini (*), Guilherme Barros,

Leia mais

Preservação do meio ambiente

Preservação do meio ambiente Preservação do meio ambiente Introdução: Este texto, visando a preservação do ambiente em que vivemos, traz atitudes fáceis e práticas que você mesmo pode tomar para tornar o mundo um lugar mais agradável

Leia mais

O PROCESSO DE LIMPEZA URBANA E COLETA SELETIVA: a experiência vivenciada no município de Capão da Canoa RS

O PROCESSO DE LIMPEZA URBANA E COLETA SELETIVA: a experiência vivenciada no município de Capão da Canoa RS O PROCESSO DE LIMPEZA URBANA E COLETA SELETIVA: a experiência vivenciada no município de Capão da Canoa RS Autores: Letícia de Oliveira Silveira, Licenciado em Ciências Biológicas pela Universidade Luterana

Leia mais

AVALIAÇÃO SOBRE A COLETA SELETIVA EM ESCOLAS MUNICIPAIS DE APUCARANA PR

AVALIAÇÃO SOBRE A COLETA SELETIVA EM ESCOLAS MUNICIPAIS DE APUCARANA PR AVALIAÇÃO SOBRE A COLETA SELETIVA EM ESCOLAS MUNICIPAIS DE APUCARANA PR MONARO, G.V 1 ; SILVA, C.V da 2. 1-Graduando em Ciências Biológicas na FAP- Faculdade de Apucarana 2-Mestre e docente da FAP- Faculdade

Leia mais

ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO MUNICÍPIO DE MOSSORÓ-RN

ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO MUNICÍPIO DE MOSSORÓ-RN ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO MUNICÍPIO DE MOSSORÓ-RN Allyson Leandro Bezerra Silva (*), Paulo Alexandre da Rocha Morais. * UFERSA, Universidade Federal Rural do Semi-Árido Campus

Leia mais

Palavras-chaves: perfil sócio-econômico, resíduos sólidos, catadores, reciclagem.

Palavras-chaves: perfil sócio-econômico, resíduos sólidos, catadores, reciclagem. PERFIL SOCIOECONÔMICO DOS CATADORES DA UNIDADE DE BENEFICIAMENTO DE RESÍDUOS VÍTREOS EM PROCESSO DE INCUBAÇÃO JUNTO A INCUBADORA DA UNIVERSIDADE DE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE IUEES/UFCG Norma Maria Silva

Leia mais

O lixo é tudo aquilo que reputamos como desnecessário e descartamos em algum lugar. Há lixos de todos os tipos e sendo produzidos e descartados de

O lixo é tudo aquilo que reputamos como desnecessário e descartamos em algum lugar. Há lixos de todos os tipos e sendo produzidos e descartados de LIXO O lixo é tudo aquilo que reputamos como desnecessário e descartamos em algum lugar. Há lixos de todos os tipos e sendo produzidos e descartados de várias maneiras. Uma das formas mais comuns de classificar

Leia mais

PLANO DE GESTÃO AMBIENTAL DE UMA PEQUENA EMPRESA DE CORRETORA DE IMÓVEIS ENVIRONMENTAL MANAGEMENT PLAN FOR A SMALL BUSINESS OF REAL ESTATE BROKERAGE

PLANO DE GESTÃO AMBIENTAL DE UMA PEQUENA EMPRESA DE CORRETORA DE IMÓVEIS ENVIRONMENTAL MANAGEMENT PLAN FOR A SMALL BUSINESS OF REAL ESTATE BROKERAGE Eixo Temático: Inovação e Sustentabilidade PLANO DE GESTÃO AMBIENTAL DE UMA PEQUENA EMPRESA DE CORRETORA DE IMÓVEIS ENVIRONMENTAL MANAGEMENT PLAN FOR A SMALL BUSINESS OF REAL ESTATE BROKERAGE RESUMO Evanise

Leia mais

UENF Universidade Estadual Do Norte Fluminense. Autora: Aline Viana de Souza

UENF Universidade Estadual Do Norte Fluminense. Autora: Aline Viana de Souza UENF Universidade Estadual Do Norte Fluminense Autora: Aline Viana de Souza O presente trabalho, através da pesquisa realizada com os catadores, tanto de rua como do aterro controlado do município de Campos

Leia mais

Jacqueline Rogéria Bringhenti Patricia Dornelas Bassani Manuela Mantovanelli da Mota

Jacqueline Rogéria Bringhenti Patricia Dornelas Bassani Manuela Mantovanelli da Mota COLETA SELETIVA DE MATERIAIS RECICLÁVEIS EM CONDOMÍNIOS RESIDENCIAIS DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA (ES). Jacqueline Rogéria Bringhenti Patricia Dornelas Bassani Manuela Mantovanelli da Mota INTRODUÇÃO Vitória

Leia mais

TÍTULO: A COLETA DO LIXO RECICLÁVEL E O SEU IMPACTO SOCIOAMBIENTAL NA CIDADE DE CATANDUVA

TÍTULO: A COLETA DO LIXO RECICLÁVEL E O SEU IMPACTO SOCIOAMBIENTAL NA CIDADE DE CATANDUVA TÍTULO: A COLETA DO LIXO RECICLÁVEL E O SEU IMPACTO SOCIOAMBIENTAL NA CIDADE DE CATANDUVA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADES INTEGRADAS

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA EM ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE BAURU - SP

IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA EM ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE BAURU - SP IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA EM ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE BAURU - SP Carlos Alberto Ferreira Rino (1) Mestre em Engenharia Química (UNICAMP, 1996). Engenheiro de Segurança do Trabalho (UNESP, 1994).

Leia mais

PLANO INTEGRADO DE RESÍDUOS SÓLIDOS: UM DESAFIO COM MAIS OPORTUNIDADES

PLANO INTEGRADO DE RESÍDUOS SÓLIDOS: UM DESAFIO COM MAIS OPORTUNIDADES PLANO INTEGRADO DE RESÍDUOS SÓLIDOS: UM DESAFIO COM MAIS OPORTUNIDADES Gustavo Luiz Araújo Souto BATISTA 1, Gustavo Fontes de SOUSA 1, Aristóteles Santos LIRA 1, Felipe Fernandes Duarte de Oliveira LIMA

Leia mais

TRIBUTAÇÃO ECOLÓGICA Autor: Dr. Reinaldo Martins Ferreira OAB-RJ 61.460 e OAB-MG 923-A

TRIBUTAÇÃO ECOLÓGICA Autor: Dr. Reinaldo Martins Ferreira OAB-RJ 61.460 e OAB-MG 923-A TRIBUTAÇÃO ECOLÓGICA Autor: Dr. Reinaldo Martins Ferreira OAB-RJ 61.460 e OAB-MG 923-A Para se compreender a tributação ecológica é necessário que se tenha uma noção ampla da necessidade e importância

Leia mais

RESÍDUOS SÓLIDOS EM GARANHUNS, PERNAMBUCO: UMA QUESTÃO DE SAÚDE PÚBLICA

RESÍDUOS SÓLIDOS EM GARANHUNS, PERNAMBUCO: UMA QUESTÃO DE SAÚDE PÚBLICA RESÍDUOS SÓLIDOS EM GARANHUNS, PERNAMBUCO: UMA QUESTÃO DE SAÚDE PÚBLICA Arcoverde, G.C.L; (1) Araújo, M.S.L.C. (1) janecardozo2008@hotmail.com (1) Faculdade de Ciências, Educação e Tecnologia de Garanhuns,

Leia mais

I B OP E Opinião. O que o brasileiro pensa e faz em relação à conservação e uso da água

I B OP E Opinião. O que o brasileiro pensa e faz em relação à conservação e uso da água PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA Águas no Brasil: A visão dos brasileiros O que o brasileiro pensa e faz em relação à conservação e uso da água Dezembro, 2006 METODOLOGIA OBJETIVO Levantar informações para

Leia mais

III-066 ANÁLISE QUALI-QUANTITATIVA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS DA CIDADE DE MARINGÁ/PR

III-066 ANÁLISE QUALI-QUANTITATIVA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS DA CIDADE DE MARINGÁ/PR III-066 ANÁLISE QUALI-QUANTITATIVA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS DA CIDADE DE MARINGÁ/PR Carlos de Barros Jr (1) Engenheiro Químico, Professor do Departamento de Engenharia Química da Universidade Estadual

Leia mais

ADESÃO DA POPULAÇÃO.

ADESÃO DA POPULAÇÃO. A Comlurb desenvolve desde 1993 um programa de coleta seletiva, inicialmente baseado na implantação de cooperativas de bairro, muitas das quais em operação até hoje. Num passo seguinte foi implantada a

Leia mais

Rio de Janeiro (RJ), 31 de Agosto de 2012. Heverthon Jeronimo da Rocha Gerente Técnico de Meio Ambienta - URBANA

Rio de Janeiro (RJ), 31 de Agosto de 2012. Heverthon Jeronimo da Rocha Gerente Técnico de Meio Ambienta - URBANA Rio de Janeiro (RJ), 31 de Agosto de 2012. Heverthon Jeronimo da Rocha Gerente Técnico de Meio Ambienta - URBANA Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos do Município de Natal Área 170,298

Leia mais

Eixo Temático ET-03-035 - Gestão de Resíduos Sólidos IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUO SÓLIDO NO MUNICIPIO DE BONITO DE SANTA FÉ-PB

Eixo Temático ET-03-035 - Gestão de Resíduos Sólidos IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUO SÓLIDO NO MUNICIPIO DE BONITO DE SANTA FÉ-PB 203 Eixo Temático ET-03-035 - Gestão de Resíduos Sólidos IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUO SÓLIDO NO MUNICIPIO DE BONITO DE SANTA FÉ-PB Tarcísio Valério da Costa Universidade Federal da Paraíba/Pró

Leia mais

CONSERVAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA ATRAVÉS DA RECICLAGEM DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS DOMICILIARES NO MUNICÍPIO DE MOSSORÓ-RN

CONSERVAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA ATRAVÉS DA RECICLAGEM DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS DOMICILIARES NO MUNICÍPIO DE MOSSORÓ-RN CONSERVAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA ATRAVÉS DA RECICLAGEM DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS DOMICILIARES NO MUNICÍPIO DE MOSSORÓ-RN Romênia Gurgel Vieira romeniavieira@hotmail.com Mestranda do Programa de Pós-Graduação

Leia mais

A INTERVENÇÃO DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO BAIRRO COHAB SÃO GONÇALO - CUIABÁ/MT: ANALISANDO IMPACTOS SOFRIDOS NA COMUNIDADE

A INTERVENÇÃO DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO BAIRRO COHAB SÃO GONÇALO - CUIABÁ/MT: ANALISANDO IMPACTOS SOFRIDOS NA COMUNIDADE A INTERVENÇÃO DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO BAIRRO COHAB SÃO GONÇALO - CUIABÁ/MT: ANALISANDO IMPACTOS SOFRIDOS NA COMUNIDADE Thaiane Cristina dos Santos - Universidade de Cuiabá Renner Benevides - Universidade

Leia mais

UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO UPE FACULDADE DE CIÊNCIAS, EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA DE GARANHUNS FACETEG

UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO UPE FACULDADE DE CIÊNCIAS, EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA DE GARANHUNS FACETEG UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO UPE FACULDADE DE CIÊNCIAS, EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA DE GARANHUNS FACETEG RECICLAGEM E CIDADANIA: UMA VISÃO SOCIO AMBIENTAL DOS CATADORES DE RESIDUOS SOLIDOS NO MUNICIPIO DE GARANHUNS

Leia mais

O terceiro passo foi a construção e análise de gráfico Produção de lixo doméstico por residência:

O terceiro passo foi a construção e análise de gráfico Produção de lixo doméstico por residência: Consumo, lixo e Cidadania Alunos do 8º ano aprofundam estudo do tema nas aulas de Geografia O projeto interdisciplinar Consumo, lixo e cidadania, que vem sendo desenvolvido com as turmas de 8º ano, está

Leia mais

O QUE E LIXO? NADA, TUDO E ENERGIA.

O QUE E LIXO? NADA, TUDO E ENERGIA. O QUE E LIXO? NADA, TUDO E ENERGIA. Vanderli Luciano da Silva Universidade Federal de Goiás Técnico em Agropecuária, graduando em Tecnologia e Gestão Ambiental Auxiliar de pesquisa na UFG, atuou como professor

Leia mais

RESÍDUOS COMO ALTERNATIVA DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO SÓCIO-AMBIENTAL

RESÍDUOS COMO ALTERNATIVA DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO SÓCIO-AMBIENTAL RESÍDUOS COMO ALTERNATIVA DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO SÓCIO-AMBIENTAL SOUZA,I.C. ;BUFAIÇAL,D.S.S;SANTOS,M.D.;ARANTES,S.S.;XAVIER,L.;FERREIRA,G.K.S; OLIVEIRA,B.A.;PAGOTTO,W.W.B.S.;SILVA,R.P.;SANTOS.L.G.;SANTOS.F.F.S.;FRANCO,R.

Leia mais

APOIO E REAÇÕES AOS EQUIPAMENTOS DE ENTREGA VOLUNTÁRIA EM TOLEDO - PR

APOIO E REAÇÕES AOS EQUIPAMENTOS DE ENTREGA VOLUNTÁRIA EM TOLEDO - PR APOIO E REAÇÕES AOS EQUIPAMENTOS DE ENTREGA VOLUNTÁRIA EM TOLEDO - PR Tainara IankaMaas Acadêmica de Iniciação Científica do curso de Geografia da Unioeste, campus de Mal. C. Rondon-PR, Integrante do Laboratório

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS EM UM AMBIENTE UNIVERSITÁRIO: ESTUDO DE CASO DO CESUMAR, MARINGÁ - PR

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS EM UM AMBIENTE UNIVERSITÁRIO: ESTUDO DE CASO DO CESUMAR, MARINGÁ - PR EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS EM UM AMBIENTE UNIVERSITÁRIO: ESTUDO DE CASO DO CESUMAR, MARINGÁ - PR angélica da silva de oliveira 1 ;Adriana dos Santos Maulais 1 ; Rosilene Luciana Delariva

Leia mais

III-006 PROPOSTA DE GESTÃO INTEGRADA E COMPARTILHADA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS, PARA DOIS MUNICÍPIOS DE SERGIPE

III-006 PROPOSTA DE GESTÃO INTEGRADA E COMPARTILHADA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS, PARA DOIS MUNICÍPIOS DE SERGIPE III-006 PROPOSTA DE GESTÃO INTEGRADA E COMPARTILHADA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS, PARA DOIS MUNICÍPIOS DE SERGIPE José Daltro Filho (1) Engenheiro Civil (UFBA,1975); Doutor em Engenharia (Hidráulica/Saneamento-EESC-USP,

Leia mais

EIXO TEMÁTICO: Cidades sustentáveis

EIXO TEMÁTICO: Cidades sustentáveis CARACTERIZAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO BRASIL: AVANÇOS E DIFICULDADES CHARACTERIZATION OF SOLID RESIDUE WASTE SORTING IN BRAZIL: ADVANCES AND DIFFICULTIES EIXO TEMÁTICO: Cidades sustentáveis

Leia mais

XXVII Congresso Interamericano de Engenharia Sanitária e Ambiental. Os principais fatores que influenciam a produção do lixo estão listados.

XXVII Congresso Interamericano de Engenharia Sanitária e Ambiental. Os principais fatores que influenciam a produção do lixo estão listados. III-063 - ANÁLISE DAS CARACTERÍSTICAS DO LIXO DOMICILIAR URBANO DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO Mauro Wanderley Lima (1) Engenheiro pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ - 1981). Especialização

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL ATRAVÉS DA VERMICOMPOSTAGEM EM UMA ESCOLA DA REDE ESTADUAL DE ENSINO EM CUITÉ PB

EDUCAÇÃO AMBIENTAL ATRAVÉS DA VERMICOMPOSTAGEM EM UMA ESCOLA DA REDE ESTADUAL DE ENSINO EM CUITÉ PB EDUCAÇÃO AMBIENTAL ATRAVÉS DA VERMICOMPOSTAGEM EM UMA ESCOLA DA REDE ESTADUAL DE ENSINO EM CUITÉ PB Hugo Cassio L. de Souza 2 ; Kleyton Samuel L. de Souza 3 ; Alisson da Costa Silva 1 ; José Leonaldo F.

Leia mais

RELATÓRIO TECNICO DE IMPACTO AMBIENTAL GERADO PELO LIXÃO DA CIDADE DE ALEGRE

RELATÓRIO TECNICO DE IMPACTO AMBIENTAL GERADO PELO LIXÃO DA CIDADE DE ALEGRE EEEFM PROFESSOR PEDRO SIMÃO ALEGRE-ES RELATÓRIO TECNICO DE IMPACTO AMBIENTAL GERADO PELO LIXÃO DA CIDADE DE ALEGRE CURSO: TECNICO EM MEIO AMBIENTE 3 MODULO ALUNOS João Batista de Souza Graciliano Lordeiro

Leia mais

Avaliação do Desenvolvimento do Projeto PET-Geologia Recicla

Avaliação do Desenvolvimento do Projeto PET-Geologia Recicla Avaliação do Desenvolvimento do Projeto PET-Geologia Recicla Maurício Brito de Sousa¹, Diogo Isamu de Almeida Okuno¹, Estefânia Fernandes Lopes¹, Flavio Rafael Cogo Ramos¹, Mariana de Assunção Rodrigues¹,

Leia mais

LEGISLAÇÃO SOBRE RECICLAGEM DO LIXO

LEGISLAÇÃO SOBRE RECICLAGEM DO LIXO LEGISLAÇÃO SOBRE RECICLAGEM DO LIXO ILIDIA DA A. G. MARTINS JURAS Consultora Legislativa da Área XI Meio Ambiente e Direito Ambiental, Organização Territorial, Desenvolvimento Urbano e Regional DEZEMBRO/2000

Leia mais

Karyna D Onofre Neves Universidade Federal de São Carlos UFSCar, Bacharelado em Gestão e Análise Ambiental Wagner Sousa, Marcilene Dantas Ferreira

Karyna D Onofre Neves Universidade Federal de São Carlos UFSCar, Bacharelado em Gestão e Análise Ambiental Wagner Sousa, Marcilene Dantas Ferreira Goiânia/GO 19 a 22/11/2012 PERCEPÇÃO AMBIENTAL NA MICRO BACIA DO CÓRREGO DA ÁGUA QUENTE, SÃO CARLOS SP: ÁREAS DEGRADADAS COMO FATORES DE INFLUÊNCIA NA QUALIDADE DE VIDA DA POPULAÇÃO Karyna D Onofre Neves

Leia mais

PROGRAMA ITUIUTABA RECICLA

PROGRAMA ITUIUTABA RECICLA PROGRAMA ITUIUTABA RECICLA AUTOR E APRESENTADOR: Cristina Garvil Diretora da Superintendência de Água e Esgotos de Ituiutaba SAE Arquiteta, Mestranda em Engenharia de Produção com Ênfase em Gestão da Inovação

Leia mais

1º Fórum Internacional de Resíduos Sólidos. ÁREA TEMÁTICA Educação Ambiental AMBIENTAÇÃO EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM PRÉDIOS DO GOVERNO DE MG 1

1º Fórum Internacional de Resíduos Sólidos. ÁREA TEMÁTICA Educação Ambiental AMBIENTAÇÃO EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM PRÉDIOS DO GOVERNO DE MG 1 1º Fórum Internacional de Resíduos Sólidos ÁREA TEMÁTICA Educação Ambiental AMBIENTAÇÃO EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM PRÉDIOS DO GOVERNO DE MG 1 1 Mirian Cristina Dias Baggio Bióloga especializada em Educação

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: O CASO DE UMA ESCOLA DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: O CASO DE UMA ESCOLA DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: O CASO DE UMA ESCOLA DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA Angelica Raquel Negrele de Faria (UNICENTRO), Izamara de Oliveira Ferreira (UNICENTRO), Prof. Silvio Roberto Stefano (Orientador),

Leia mais

DISPÕE SOBRE A POLÍTICA DE COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRA ALTA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

DISPÕE SOBRE A POLÍTICA DE COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRA ALTA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI Nº 1.223/2013 DE 16 DE ABRIL DE 2013. DISPÕE SOBRE A POLÍTICA DE COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRA ALTA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A CÂMARA MUNICIPAL DE CACHOEIRA ALTA, Estado de Goiás, por

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL "PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL" Associação sem fins lucrativos, fundado em 1992, o CEMPRE se dedica à promoção da reciclagem dentro do conceito de gerenciamento integrado do lixo.

Leia mais

IMPACTOS AMBIENTAIS DE RESÍDUOS SÓLIDOS E SUAS IMPLICAÇÕES PARA RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS

IMPACTOS AMBIENTAIS DE RESÍDUOS SÓLIDOS E SUAS IMPLICAÇÕES PARA RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL JUCELEINE KLANOVICZ IMPACTOS AMBIENTAIS DE RESÍDUOS SÓLIDOS E SUAS IMPLICAÇÕES PARA RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS SÃO DOMINGOS DO

Leia mais

Uma Ação Extensionista em Construção Frente ao Problema do Lixo Produzido num Campus Universitário 1

Uma Ação Extensionista em Construção Frente ao Problema do Lixo Produzido num Campus Universitário 1 Uma Ação Extensionista em Construção Frente ao Problema do Lixo Produzido num Campus Universitário 1 Vinícius Augusto Morais, 9º módulo de Engenharia Florestal/UFLA, vemorais@bol.com.br; Kelly Lopes Silva,

Leia mais

APROSA Associação das Promotoras Legais Populares do Cabo de Santo Agostinho RECICLARTES RECICLANDO VIDAS!

APROSA Associação das Promotoras Legais Populares do Cabo de Santo Agostinho RECICLARTES RECICLANDO VIDAS! APROSA Associação das Promotoras Legais Populares do Cabo de Santo Agostinho RECICLARTES RECICLANDO VIDAS! Cabo de Santo Agostinho, 2010 Descrição do Projeto Segundo a comissão Mundial sobre o Meio Ambiente

Leia mais

JOSÉ LUCIANO RODRIGUES ALVES NETO

JOSÉ LUCIANO RODRIGUES ALVES NETO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS CENTRO DE CIÊNCIAS DO AMBIENTE MESTRADO EM POLITICAS E GESTÃO AMBIENTAL LOGISTICA REVERSA AMBIENTAL: UMA PROPOSTA DE ATUAÇÃO RESPONSAVEL QUANTO A GERAÇÃO DO LIXO DESCARTAVEL

Leia mais

Gestão dos resíduos sólidos, reciclagem e sustentabilidade ambiental

Gestão dos resíduos sólidos, reciclagem e sustentabilidade ambiental Gestão dos resíduos sólidos, reciclagem e sustentabilidade ambiental Grupo: Fabiana Augusta César Irene Benevides Vinícius Tôrres Pires Samira Chantre Gestão de Resíduos Sólidos Gestão/gerir:Administrar,dirigir,

Leia mais

Escola de Ensino Fundamental João Paulo II Serra, ES Diretora : Ana Maria Quinelato Professora responsável: Luciane Rosário Sampaio Frizzera

Escola de Ensino Fundamental João Paulo II Serra, ES Diretora : Ana Maria Quinelato Professora responsável: Luciane Rosário Sampaio Frizzera Escola de Ensino Fundamental João Paulo II Serra, ES Diretora : Ana Maria Quinelato Professora responsável: Luciane Rosário Sampaio Frizzera A Comunidade de Jardim Carapina O bairro Jardim Carapina localiza-se

Leia mais