Seminário do Mestrado Profissional Gestão de Trabalho e da Educação na Saúde

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Seminário do Mestrado Profissional Gestão de Trabalho e da Educação na Saúde"

Transcrição

1 Seminário do Mestrado Profissional Gestão de Trabalho e na Saúde Rio de Janeiro, 15 de setembro de 2009 Prof. LIVIO AMARAL DIRETOR DE AVALIAÇÃO CAPES

2 Titulação doutores x artigos publicados (ISI) ARTIGOS PUBLICADOS (ISI) TITULAÇÃO DOUTORES NO BRASIL Fonte: ISI - Institute for Scientific Information. National Science Indicators,USA. Base Standard - ESI (2007) e Coleta Capes

3 O Brasil ainda não tem massa crítica número de pesquisadores no mundo (4,8 milhões) Europa USA Japão China Brasil 65 Coutini & Sechet (2005)

4 CAPES = Fomentar à qualificação de recursos humanos de alto nível no Brasil e no exterior Viabilizar o acesso e difusão da literatura científica Promover a cooperação internacional na CT&I Avaliar da pós-graduação brasileira (programas de pós-graduação stricto sensu) Induzir e fomentar a formação de professores da Educação Básica

5 Nova Capes CTC-ES CONSELHO SUPERIOR Diretoria de Avaliação Diretoria De Gestão Presidência da CAPES Diretoria de Programas e Bolsas no País Diretoria de Relações Internacionais Diretoria de EAD Diretoria de Ed. Básica Presencial CTC-EB

6 Número de Títulos, 2001 a Julho milhões US$

7 Número de Acessos 2001 a Textos Completos Referenciais

8 Evolução do número de bolsistas no exterior 1800 Número de bolsas DSW Graduação SW P.D. PHD Fonte: Capes/MEC

9 CTC-ES CONSELHO SUPERIOR Diretoria de Avaliação Diretoria De Gestão Presidência da CAPES Diretoria de Programas e Bolsas no País Capes Diretoria de Relações Internacionais Diretoria de EAD Diretoria de Ed. Básica Presencial CTC-EB

10 3 n > n n < 40 3 n <

11 Mestrados/Doutorados Acadêmicos e Mestrados Profissionais Número de Cursos Fonte: Capes/MEC Mestrado Doutorado Número de Cursos > CURSOS Mestrado Profissional

12 Avaliação de Cursos Novos APCN Fonte: Capes/MEC

13 AVALIAÇÃO

14 CAPES - Avaliação June FUNDAÇÃO 1 Coleta: COORDENAÇÃO dados DE APERFEIÇOAMENTO DAV 5 2 Ficha de Avaliação: atribuição: Programas / Pró-reitorias atribuição: área / validação no CTC 3 Documentos de Áreas: (em análise) 4 Qualis: 1) Periódicos atribuição: área / validação no CTC 2) Livros 3) Patentes 4) Eventos atribuição: área / validação no CTC 5- Avaliação Continuada: acompanhamento atribuição: área dados 2007 dados 2008

15 CAPES/DAV FICHA DE AVALIAÇÃO (PROGRAMAS ACADÊMICOS) 1. PROPOSTA DO PROGRAMA Quesitos / Itens 2. CORPO DOCENTE 3. CORPO DISCENTE,TESES E DISSERTAÇÕES 4. PRODUÇÃO INTELECTUAL 5. INSERÇÃO SOCIAL

16 Quesitos / Itens FICHA 2008 (Peso do quesito na nota final e peso do item dentro do quesito) 1 PROPOSTA DO PROGRAMA Coerência, consistência e atualização das áreas de concentração Planejamento do programa com vistas Infra-estrutura...

17 CAPES/DAV FICHA DE AVALIAÇÃO (pesos na nota) Quesitos / Itens 1. PROPOSTA DO PROGRAMA 0 2. CORPO DOCENTE 20 ou 15 % 30% 3. CORPO DISCENTE,TESES E DISSERTAÇÕES 30 ou 35% 4. PRODUÇÃO INTELECTUAL 40 ou 35% 70% 5. INSERÇÃO SOCIAL 10 ou 15% A proposta é condição para se chegar a determinadas notas funciona como requesito forte ou trava.

18 Quesitos/ Itens FICHA 2008 (Peso do quesito na nota final e peso do item dentro do quesito) 1 PROPOSTA DO PROGRAMA Coerência, consistência, abrangência e atualização das áreas de concentração, linhas de pesquisa, projetos em andamento e proposta curricular Planejamento do programa com vistas a seu desenvolvimento futuro, contemplando os desafios internacionais da área na produção do conhecimento, seus propósitos na melhor formação de seus alunos, suas metas quanto à inserção social mais rica dos seus egressos, conforme os parâmetros da área % 1.3. Infra-estrutura para ensino, pesquisa e, se for o caso, extensão % 65%

19 Quesitos/ Itens FICHA 2008 (Peso do quesito na nota final e peso do item dentro do quesito) 1 PROPOSTA DO PROGRAMA Coerência, consistência, abrangência e atualização das áreas de concentração, linhas de pesquisa, projetos em andamento e proposta curricular Planejamento do programa com vistas a seu desenvolvimento futuro, contemplando os desafios internacionais da área na produção do conhecimento, seus propósitos na melhor formação de seus alunos, suas metas quanto à inserção social mais rica dos seus % 40% 30% egressos, conforme os parâmetros da área Infra-estrutura para ensino, pesquisa e, se for o caso, extensão % 10% 1.4. O programa deve ter caraterística tal... 20% 100%

20 CAPES/DAV CLASSIFICAÇÃO DE PERIÓDICOS ASPECTOS OPERACIONAIS (tratamento de dados)

21 Exemplo: 1 único ISSN 29 registros em 24 áreas de avaliação : Dados Triênio

22 CAPES/DAV CLASSIFICAÇÃO DE PERIÓDICOS ASPECTOS CONCEITUAIS

23 Estratificação adotada até níveis de circulação 3 níveis de qualidade Internacional Nacional Local A B C Níveis (3x 3) 9 estratos

24 Distribuição porcentual do total de artigos completos publicados no triênio pelos estratos Qualis (rank), segundo as áreas de avaliação Área de avaliação Gde área Total Estrato Qualis (q) 9 8,5 8 7,5 7 6,5 6 5,5 5 4,5 4 3, Mat.&Estat Física&Astr EXT 4 Química Geociências Biol I Ecologia BIO 8 Biol II Biol III Engs I Engs II Engs III ENG baixa discriminação! 5 14 Engs IV Computação Med I Med II Med III Odontologia SAU 19 Farmácia Enfermagem Educ Física S.Coletiva Zoot.&RPesq Med.Veterin AGR 25 C.Alimentos C.Agrár. I Freq. % máx. Estratos [1/]

25 Premissa: tem que servir para discriminar! 7 níveis : A1 A2 B1 B2 B3 B4 B5 A1 < A2 A1 + A2 ~ 25% A1 + A2 + B1 50%

26 CAPES/DAV QUALIS - PERIÓDICOS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO. PROFS, PESQUISADORES & ALUNOS

27 ROTEIRO PARA CLASSIFICAÇÃO DE LIVROS Orientações e critérios para a avaliação trienal de 2010 EXPERIÊNCIAS E CULTURAS DAS ÁREAS! 4 níveis: L1, L2, L3, L4 e NC sem vínculos

28 ROTEIRO PARA CLASSIFICAÇÃO DE LIVROS FICHA DE IDENTIFICAÇÃO/AVALIAÇÃO DA OBRA Programa de Pós graduação: Título da Obra: Autores (livro) ou Organizadores (coletânea) ISBN: Editora: Local da edição (cidade/pais): Número de Páginas: Ano da primeira edição: Número e ano da edição enviada: Tiragem: Formato (impresso ou eletrônico): Referência completa do Livro / Coletânea (adotar ABNT): Numero de capítulos da coletânea: Autores (docentes e discentes) título e páginas de cada capítulo: ) Vinculação do livro à linha de pesquisa, área de concentração Resumo do livro/coletânea: (ementa) Relevância temática: Caráter inovação da contribuição: Potencial do Impacto

29 DOCUMENTO DE PESSOAL DE DE NÍVEL ÁREA SUPERIOR IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: área... COORDENADOR DE ÁREA: nome... COORDENADOR-ADJUNTO DE ÁREA: nome... APRESENTAÇÃO DA ÁREA E CONSIDERAÇÕES GERAIS ESTADO DA ARTE CONSIDERAÇÕES GERAIS DA ÁREA SOBRE A FICHA DE AVALIAÇÃO - TRIÊNIO FICHA DE AVALIAÇÃO CONSIDERAÇÕES GERAIS DA ÁREA SOBRE QUALIS PERIÓDICOS, ROTEIRO PARA CLASSIFICAÇÃO LIVROS (QUANDO COUBER). DEFINIÇÕES DA ÁREA SOBRE A ESTRATIFICAÇÃO E USO DOS QUALIS NA AVALIAÇÃO CONSIDERAÇÕES E DEFINIÇÕES DA ÁREA SOBRE ATRIBUIÇÃO DE NOTAS 6 e 7

30 Mestrado Profissional PORTARIA NORMATIVA N o 7, 22 DE JUNHO DE 2009 Dispõe sobre o mestrado profissional no âmbito da Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES. O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso de suas atribuições, e considerando... RESOLVE: Art. 2 o O título de mestre obtido nos cursos de mestrado profissional outorga mesmos direitos... da titulação nos cursos de mestrado acadêmico.

31 Mestrado Profissional Art. 5 o Os cursos de mestrado profissional... propostos por universidades, Instituições instituições de deensino e centros de pesquisa, públicos e privados, Art. 7 o A proposta de Mestrado Profissional II ser compatível com um tempo de titulação mínimo de um ano e máximo de dois anos; V apresentar, de forma equilibrada, corpo docente integrado por doutores, profissionais e técnicos com experiência em pesquisa aplicada...

32 Mestrado Profissional Art. 5 o Os cursos de mestrado profissional... propostos por universidades, instituições de ensino e centros de pesquisa, públicos e privados, Art. 7 o A proposta de Mestrado Profissional II ser compatível com um tempo de titulação mínimo de um ano e máximo de dois anos; V apresentar, de forma equilibrada, corpo docente integrado por doutores, profissionais e técnicos com experiência em pesquisa aplicada...

33 Mestrado Profissional Art. 7 o A proposta de Mestrado Profissional 3 o O trabalho de conclusão final do curso poderá ser apresentado em diferentes formatos, tais como: dissertação, revisão sistemática e aprofundada da literatura, artigo, patente, registros de propriedade intelectual, relatórios de estágios em empresas, projetos técnicos, publicações tecnológicas, desenvolvimento de aplicativos,

34 Mestrado Profissional Art. 7 o A proposta de Mestrado Profissional 3 o O trabalho de conclusão final do curso poderá ser apresentado em diferentes formatos, tais como: processos e técnicas, produção de programas de mídia, editoria, composições e concertos, relatórios finais de pesquisa, softwares, estudos de caso, relatório técnico com regras de sigilo, manual de operação técnica, protocolo experimental ou de aplicação em serviços, proposta de intervenção em procedimentos clínicos ou de serviço pertinente, performance profissional, etc

35 Mestrado Profissional Art. 11 o Salvo em áreas excepcionalmente priorizadas, o mestrado profissional não pressupõe, a qualquer título, a concessão de bolsas de estudos pela CAPES, devendo o financiamento dos cursos nas instituições públicas ser assegurado mediante convênios ou acordos... entre as instituições e as organizações públicas ou privadas demandantes... EDITAIS ESPECÍFICOS!

36 Mestrado Profissional Art. 9 o A análise de propostas de cursos, bem como o acompanhamento periódico e a avaliação trienal dos cursos de mestrado profissional, serão feitas pela CAPES utilizando fichas de avaliação próprias e diferenciadas.

37

38

39

40

41 60 Mestrado Profissional / Área

42 Mestrado Profissional / Grande Área da Saúde ODONTOLOGIA EBMSP ODONTOLOGIA 18 ODONTOLOGIA FEB CIÊNCIAS ODONTOLÓGICAS ODONTOLOGIA ILAPEO ODONTOLOGIA ODONTOLOGIA IPEN LASERS EM ODONTOLOGIA ODONTOLOGIA PUC/MG ODONTOLOGIA ODONTOLOGIA SLMANDIC ODONTOLOGIA ODONTOLOGIA UFES CLINICA ODONTOLÓGICA ODONTOLOGIA UFSC IMPLANTODONTIA ODONTOLOGIA UNESA ODONTOLOGIA ODONTOLOGIA UNIARARAS ODONTOLOGIA ODONTOLOGIA UNICAMP/Pi ODONTOLOGIA EM SAÚDE COLETIVA ODONTOLOGIA UNICENP ODONTOLOGIA CLÍNICA ODONTOLOGIA UNICID ORTODONTIA ODONTOLOGIA UNIGRANRIO ODONTOLOGIA ODONTOLOGIA UNINGÁ ODONTOLOGIA ODONTOLOGIA UNISA ODONTOLOGIA ODONTOLOGIA USC ODONTOLOGIA ODONTOLOGIA UVA ODONTOLOGIA

43 Mestrado Profissional / Grande Área da Saúde SAÚDE COLETIVA FCMSCSP SAÚDE COLETIVA 13 SAÚDE COLETIVA FESP/UPE VIGILÂNCIA SOBRE SAÚDE SAÚDE COLETIVA FIOCRUZ SAÚDE PÚBLICA SAÚDE COLETIVA FIOCRUZ SAÚDE MATERNO INFANTIL SAÚDE COLETIVA FIOCRUZ SAÚDE PÚBLICA E MEIO AMBIENTE SAÚDE COLETIVA NESC/CPqAM SAÚDE PÚBLICA SAÚDE COLETIVA UEL GESTÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE SAÚDE COLETIVA UERJ SAÚDE COLETIVA SAÚDE COLETIVA UFBA SAÚDE COLETIVA SAÚDE COLETIVA UFPEL SAÚDE PÚBLICA BASEADA EM EVIDÊNCIA SAÚDE COLETIVA UFRGS EPIDEMIOLOGIA SAÚDE COLETIVA UNESA SAÚDE DA FAMÍLA SAÚDE COLETIVA USP VIGILÂNCIA EM SAÚDE PÚBLICA

44 Mestrado Profissional / Grande Área da Saúde INTERDISCIPLINAR IV: Saúde e Biológicas INTERDISCIPLINAR IV: Saúde e Biológicas INTERDISCIPLINAR IV: Saúde e Biológicas INTERDISCIPLINAR IV: Saúde e Biológicas INTERDISCIPLINAR IV: Saúde e Biológicas INTERDISCIPLINAR IV: Saúde e Biológicas INTERDISCIPLINAR IV: Saúde e Biológicas INTERDISCIPLINAR IV: Saúde e Biológicas FIOCRUZ IPA UECE UFT UNIBAN UNICAMP UNIMONTES UNIVALI VIGILÂNCIA SANITÁRIA REABILITAÇÃO E INCLUSÃO SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE CIÊNCIAS DA SAÚDE REABILITAÇÃO VESTIBULAR E INCLUSÃO SOCIAL SAÚDE, INTERDISCIPLINARIDADE E REABILITAÇÃO CUIDADO PRIMÁRIO EM SAÚDE SAÚDE FARMÁCIA FIOCRUZ GESTÃO PESQ E DESENVOLV NA INDÚST FARMAC 4 FARMÁCIA UCGO GESTÃO PESQ E DESENVOLV NA INDÚST FARMAC FARMÁCIA UFRGS CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS FARMÁCIA UNIBAN FARMÁCIA MEDICINA I APS CIÊNCIAS DA REABILITAÇÃO 3 MEDICINA I UNIFESP ECONOMIA DA SAÚDE MEDICINA I UNIFESP MEDICINA INTERNA E TERAPÊUTICA 8

45 Mestrado Profissional / Grande Área da Saúde ENFERMAGEM UFF ENFERMAGEM 2 ENFERMAGEM UNESP/BOT ENFERMAGEM MEDICINA II UNISA ANÁLISES CLÍNICAS EDUCAÇÃO FÍSICA UVA FONOAUDIOLOGIA 1 1

46

DE PESSOAL DE NÍVEL N. Brasília, Março de 2010 Ministério da Educação

DE PESSOAL DE NÍVEL N. Brasília, Março de 2010 Ministério da Educação Brasília, Março de 2010 I Conferência da ANAMBA e Encontro Regional Americano do EMBA COUNCIL São Paulo, 08 a 10 de março de 2010 A AVALIAÇÃO DO SISTEMA NACIONAL DE PÓS GRADUAÇÃO TÓPICOS O SNPG e a necessidade

Leia mais

DE PESSOAL DE NÍVEL N. Prof. LIVIO AMARAL

DE PESSOAL DE NÍVEL N. Prof. LIVIO AMARAL Prof. LIVIO AMARAL DIRETOR DE AVALIAÇÃO CAPES Nova Capes CTC-ES CONSELHO Diretoria de Avaliação Diretoria De Gestão Presidência da CAPES Diretoria de Programas e Bolsas no País Diretoria de Relações Internacionais

Leia mais

Art. 3ºO mestrado profissional é definido como modalidade de formação pósgraduada stricto sensu que possibilita:

Art. 3ºO mestrado profissional é definido como modalidade de formação pósgraduada stricto sensu que possibilita: PORTARIA NORMATIVA Nº 7, DE 22 DE JUNHO DE 2009 Dispõe sobre o mestrado profissional no âmbito da Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES. O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO,

Leia mais

Modelos de Gestão da Qualidade da Pós-graduação e do Doutorado: Experiências Nacionais: BRASIL

Modelos de Gestão da Qualidade da Pós-graduação e do Doutorado: Experiências Nacionais: BRASIL Modelos de Gestão da Qualidade da Pós-graduação e do Doutorado: Experiências Nacionais: BRASIL Livio Amaral Diretor de Avaliação 17set13 A AVALIAÇÃO DO SISTEMA NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO (SNPG) (SNPG) -FUNDAMENTOS

Leia mais

ÁREA: ODONTOLOGIA TRIÊNIO 2007-2010. Coordenadora: Isabela Almeida Pordeus (UFMG) Coordenador-Adjunto: Lourenço o Correr Sobrinho (Unicamp)

ÁREA: ODONTOLOGIA TRIÊNIO 2007-2010. Coordenadora: Isabela Almeida Pordeus (UFMG) Coordenador-Adjunto: Lourenço o Correr Sobrinho (Unicamp) Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Avaliação ÁREA: ODONTOLOGIA TRIÊNIO 007-00 00 Coordenadora: Isabela Almeida Pordeus (UFMG) Coordenador-Adjunto:

Leia mais

CRITÉTIOS DE AVALIAÇÃO DA CAPES

CRITÉTIOS DE AVALIAÇÃO DA CAPES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO PROFISSIONAL TECNOLOGIA,

Leia mais

Livio Amaral Diretor de Avaliação

Livio Amaral Diretor de Avaliação Livio Amaral Diretor de Avaliação 04nov13 Mestrado Profissional -Portaria nº n 80, de 16 de dezembro de 1998- Dispõe sobre o os mestrados profissionais. Apresenta como um de seus principais objetivos promover

Leia mais

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Diretoria de Avaliação - DAV DOCUMENTO DE ÁREA 2009

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Diretoria de Avaliação - DAV DOCUMENTO DE ÁREA 2009 Identificação Área de Avaliação: FILOSOFIA/TEOLOGIA Coordenador de Área: MARCELO PERINE Coordenador-Adjunto de Área: LUIZ BERNARDO LEITE ARAUJO Modalidade: Acadêmica I. Considerações gerais sobre o estágio

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 4 - QUÍMICA IES: 31033016 - UENF - UNIVERSIDADE ESTADUAL DO NORTE FLUMINENSE DARCY RIBEIRO Programa: 31033016013P0 - CIÊNCIAS NATURAIS Modalidade:

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA APCN - 2016

ORIENTAÇÕES PARA APCN - 2016 Identificação Área de Avaliação: Química Coordenador de Área: Adriano Lisboa Monteiro Coordenador-Adjunto de Área: Maysa Furlan Coordenador-Adjunto de Mestrado Profissional: Paulo Anselmo Ziani Suarez

Leia mais

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Diretoria de Avaliação - DAV DOCUMENTO DE ÁREA 2009

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Diretoria de Avaliação - DAV DOCUMENTO DE ÁREA 2009 Identificação Área de Avaliação: PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL / DEMOGRAFIA Coordenadora de Área: RAINER RANDOLPH Coordenador-Adjunto de Área: ROSANA APARECIDA BAENINGER Modalidade: Acadêmica I. Considerações

Leia mais

DE PESSOAL DE NÍVEL N. Brasília, maio de 2010 Ministério da Educação

DE PESSOAL DE NÍVEL N. Brasília, maio de 2010 Ministério da Educação Brasília, maio de 2010 Fórum dos Pró-Reitores de Pesquisa e Pós- Graduação Diretório Regional Nordeste Campina grande, 06 a 07 de maio de 2010 AVALIAÇÃO DO SISTEMA NACIONAL DE PÓS GRADUAÇÃO TÓPICOS A avaliação

Leia mais

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Diretoria de Avaliação - DAV DOCUMENTO DE ÁREA 2009

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Diretoria de Avaliação - DAV DOCUMENTO DE ÁREA 2009 Identificação Área de Avaliação: ANTROPOLOGIA / ARQUEOLOGIA Coordenador de Área: CARLOS ALBERTO STEIL Coordenador-Adjunto de Área: CARLOS FAUSTO Modalidade: Acadêmica I. Considerações gerais sobre o estágio

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de Avaliação: 2007 a 2009 Etapa: Avaliação Trienal 2010 Área de Avaliação: 48 - BIOTECNOLOGIA IES: 33008019 - UMC - UNIVERSIDADE DE MOGI DAS CRUZES Programa: 33008019005P0 - BIOTECNOLOGIA Modalidade:

Leia mais

Treinamento da Plataforma Sucupira. Bergmann Morais e Demétrio Filho (DPP Diretoria)

Treinamento da Plataforma Sucupira. Bergmann Morais e Demétrio Filho (DPP Diretoria) Treinamento da Plataforma Sucupira Bergmann Morais e Demétrio Filho (DPP Diretoria) Sumário Apresentação sobre a CAPES, sua missão e os objetivos da avaliação Overview da plataforma Sucupira CAPES A Campanha

Leia mais

MESTRADOS PROFISSIONAIS

MESTRADOS PROFISSIONAIS 04 de Junho de 2014 Workshop de Apresentação de Propostas de APCN Pró-Reitoria de Pós-Graduação - CAPG MESTRADOS PROFISSIONAIS Dra. Maria Inês de Moura Campos Pardini Faculdade de Medicina MESTRADOS PROFISSIONAIS

Leia mais

Inserção social... o que é, como foi avaliada nesse triênio e, o que deverá ser feito para o próximo?

Inserção social... o que é, como foi avaliada nesse triênio e, o que deverá ser feito para o próximo? IX Fórum Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação Stricto Sensu em Fisioterapia Londrina / PR Inserção social... o que é, como foi avaliada nesse triênio e, o que deverá ser feito para o próximo? Rinaldo R

Leia mais

Avaliação dos Mestrados Profissionais

Avaliação dos Mestrados Profissionais COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR Avaliação dos Mestrados Profissionais 4º Encontro de Coordenadores de Mestrado Profissional Belém, 15 de setembro de 2011 Mestrado Profissional:

Leia mais

FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR Coordenadoria Executiva das Atividades Colegiadas e de Consultorias

FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR Coordenadoria Executiva das Atividades Colegiadas e de Consultorias FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR Coordenadoria Executiva das Atividades Colegiadas e de Consultorias QUESITOS, INDICADORES E CRITÉRIOS PARA A AVALIAÇÃO TRIENAL DA GRANDE

Leia mais

GEOCIÊNCIAS ÁREA: TRIÊNIO DE AVALIAÇÃO 2007-2009. Coordenador: Roberto Dall Agnol Coordenador-Adjunto: Ministério da Educação

GEOCIÊNCIAS ÁREA: TRIÊNIO DE AVALIAÇÃO 2007-2009. Coordenador: Roberto Dall Agnol Coordenador-Adjunto: Ministério da Educação Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Avaliação ÁREA: GEOCIÊNCIAS TRIÊNIO DE AVALIAÇÃO 2007-2009 2009 COORDENAÇÃO 2008-2010 2010 Coordenador: Roberto

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 20 - ENFERMAGEM IES: 25004018 - FESP/UPE - FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO Programa: 25004018015P7 - ENFERMAGEM Modalidade: Acadêmico Curso Nível

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de Ficha de do Programa Período de : 2010 a 2012 Etapa: Trienal 2013 Área de : 10 - ENGENHARIAS I IES: 42002010 - UFSM - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA Programa: 42002010020P0 - ENGENHARIA CIVIL

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 18 - ODONTOLOGIA IES: 33114013 - UNIARARAS - CENTRO UNIVERSITÁRIO HERMINIO OMETTO Programa: 33114013001P8 - ODONTOLOGIA Modalidade: Profissional Curso

Leia mais

DOCUMENTO DE ÁREA 2009

DOCUMENTO DE ÁREA 2009 Identificação Área de Avaliação: SERVIÇO SOCIAL/ECONOMIA DOMÉSTICA Coordenadora de Área: MARIANGELA BELFIORE WANDERLEY Coordenadora-Adjunta de Área: MARILDA VILLELA IAMAMOTO Modalidade: Acadêmica I. Considerações

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 8 - CIÊNCIAS BIOLÓGICAS II IES: 33003017 - UNICAMP - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Programa: 33003017040P8 - BIOLOGIA FUNCIONAL

Leia mais

CURSO: MESTRADO ACADÊMICO

CURSO: MESTRADO ACADÊMICO IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: ARTES/MÚSICA PERÍODO DE AVALIAÇÃO: 2016 ANO DE PUBLICAÇÃO DESTE DOCUMENTO: 2016 COORDENADOR DE ÁREA: ANTÔNIA PEREIRA BEZERRA COORDENADOR ADJUNTO: VERA BEATRIZ SIQUEIRA

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de Ficha de do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 2 - CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO IES: 24001015 - UFPB/J.P. - UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA/JOÃO PESSOA Programa: 24001015047P4

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2004 a 2006 Etapa: Trienal 2007 Área de : 15 - MEDICINA I IES: 50001019 - UFMT - UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO Programa: 50001019009P9 - CIÊNCIAS DA SAÚDE Modalidade: Acadêmico Curso

Leia mais

Luiz Roberto Liza Curi Conselheiro Conselho Nacional de Educação - CNE incolarum@hotmail.com

Luiz Roberto Liza Curi Conselheiro Conselho Nacional de Educação - CNE incolarum@hotmail.com Luiz Roberto Liza Curi Conselheiro Conselho Nacional de Educação - CNE incolarum@hotmail.com 1 Luiz Roberto Liza Curi Sociólogo Doutor em Economia Conselheiro do Conselho Nacional de Educação Diretor LEYA

Leia mais

HISTÓRIA ÁREA: TRIÊNIO 2007-2010. Coordenador: Raquel Glezer. Coordenador-Adjunto: Luiz Carlos Soares. Ministério da Educação

HISTÓRIA ÁREA: TRIÊNIO 2007-2010. Coordenador: Raquel Glezer. Coordenador-Adjunto: Luiz Carlos Soares. Ministério da Educação Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Avaliação ÁREA: HISTÓRIA Coordenador: Raquel Glezer TRIÊNIO 2007-2010 2010 Coordenador-Adjunto: Luiz Carlos

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 2007 2009 TRIENAL 2010

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 2007 2009 TRIENAL 2010 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 2007 2009 TRIENAL 2010 IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: QUÍMICA COORDENADOR DE ÁREA: Jairton Dupont COORDENADOR ADJUNTO DE ÁREA: Luiz Carlos Dias I. APRESENTAÇÃO DA AVALIAÇÃO REALIZADA

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO SANDUÍCHE E PÓS-DOUTORAL NO ENSINO DA PÓS-GRADUAÇÃO

A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO SANDUÍCHE E PÓS-DOUTORAL NO ENSINO DA PÓS-GRADUAÇÃO A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO SANDUÍCHE E PÓS-DOUTORAL NO ENSINO DA PÓS-GRADUAÇÃO Isabela Almeida Pordeus Novembro 2009 A Pós-Graduação em Odontologia Evolução dos Programas: Odontologia Evolução do Programas

Leia mais

ANEXO I RESOLUÇÃO Nº 13, DE 23 DE MAIO DE 2014. REQUERIMENTO. RSC I RSC II RSC III Data de ingresso no Ifes: Nº de documentos de comprovação:

ANEXO I RESOLUÇÃO Nº 13, DE 23 DE MAIO DE 2014. REQUERIMENTO. RSC I RSC II RSC III Data de ingresso no Ifes: Nº de documentos de comprovação: ANEXO I RESOLUÇÃO Nº 13, DE 23 DE MAIO DE 2014. REQUERIMENTO Nome do Servidor: SIAPE: Lotação: Email: Telefone: Graduação: Titulação: Nível de RSC pretendido (marque com x o perfil pretendido) RSC I RSC

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de Ficha de do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 26 - DIREITO IES: 33057010 - UNIB - UNIVERSIDADE IBIRAPUERA Programa: 33057010003P3 - DIREITO Modalidade: Acadêmico

Leia mais

Qualis e repercursão na avaliação de Programas de Pós-Graduação em Odontologia

Qualis e repercursão na avaliação de Programas de Pós-Graduação em Odontologia Qualis e repercursão na avaliação de Programas de Pós-Graduação em Odontologia Isabela Almeida Pordeus Novembro 2009 A Produção Científica Brasileira (Zorzetto et al., 2006) (Zorzetto et al., 2006) Produção

Leia mais

25 ANOS DE ESPECIALIZAÇÃO EM ESTOMATERAPIA NO BRASIL: CAMINHANDO PARA O MESTRADO PROFISSIONAL

25 ANOS DE ESPECIALIZAÇÃO EM ESTOMATERAPIA NO BRASIL: CAMINHANDO PARA O MESTRADO PROFISSIONAL 25 ANOS DE ESPECIALIZAÇÃO EM ESTOMATERAPIA NO BRASIL: CAMINHANDO PARA O MESTRADO PROFISSIONAL Vera Lúcia Conceição de Gouveia Santos PhD, TiSOBEST Emérito Professora Associada 3 Escola de Enfermagem/USP

Leia mais

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Diretoria de Avaliação - DAV DOCUMENTO DE ÁREA 2009

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Diretoria de Avaliação - DAV DOCUMENTO DE ÁREA 2009 Identificação Área de Avaliação: EDUCAÇÃO Coordenadora de Área: CLARILZA PRADO DE SOUSA Coordenadora-Adjunta de Área: ELIZABETH FERNANDES DE MACEDO Modalidade: Acadêmica I. Considerações gerais sobre o

Leia mais

COMUNICADO n o 003/2012 ÁREA DE GEOGRAFIA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012

COMUNICADO n o 003/2012 ÁREA DE GEOGRAFIA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 COMUNICADO n o 003/2012 ÁREA DE GEOGRAFIA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 03 de Abril de 2012 IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: GEOGRAFIA PERÍODO DE AVALIAÇÃO: 2012 ANO DE PUBLICAÇÃO DESTE DOCUMENTO:

Leia mais

RELATÓRIO DE VISITA. Informações gerais

RELATÓRIO DE VISITA. Informações gerais RELATÓRIO DE VISITA Informações gerais Área de Avaliação: 45 Interdisciplinar Data da Visita: 5 e 6 de Maio de 2015 Consultor(a) 1: Consultor(a) 2: Adelaide Faljoni-Alario Antônio Carlos dos Santos IES:

Leia mais

COMUNICADO n o 003/2012 ÁREA DE QUÍMICA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012

COMUNICADO n o 003/2012 ÁREA DE QUÍMICA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012 COMUNICADO n o 003/2012 ÁREA DE QUÍMICA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012 IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: QUÍMICA PERÍODO DE AVALIAÇÃO: 2012 ANO DE PUBLICAÇÃO DESTE DOCUMENTO:

Leia mais

DOCUMENTO DE ÁREA 2013

DOCUMENTO DE ÁREA 2013 Identificação Área de Avaliação: MEDICINA III Coordenadora de Área: Lydia Masako Ferreira (UNIFESP) Coordenador-Adjunto de Área: Cleber Dario Pinto Kruel (UFRGS) Coordenador-Adjunto de Mestrado Profissional:

Leia mais

1 / 17. Orientações do CTC Reunião de 07/06/2006 sobre a Nova Ficha de Avaliação

1 / 17. Orientações do CTC Reunião de 07/06/2006 sobre a Nova Ficha de Avaliação Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Capes Critérios de Avaliação Trienal Triênio Avaliado 2004 2007 Área de Avaliação: ADMINISTRAÇÃO/TURIMSO PROGRAMAS/CURSOS ACADÊMICOS

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 034, de 13 DE OUTUBRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº. 034, de 13 DE OUTUBRO DE 2014 Parecer N o 070/04 Aprovado em //04 RESOLUÇÃO Nº. 04, de DE OUTUBRO DE 04 ANEXO I - CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE PONTUAÇÃO CAMPO I ATIVIDADES DE ENSINO. Docência em curso de graduação sem remuneração adicional

Leia mais

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO EDITAL DE EXTENSÃO PARA ATIVIDADES ARTÍSTICAS E CULTURAIS Nº 01/2014

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO EDITAL DE EXTENSÃO PARA ATIVIDADES ARTÍSTICAS E CULTURAIS Nº 01/2014 FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO EDITAL DE EXTENSÃO PARA ATIVIDADES ARTÍSTICAS E CULTURAIS Nº 01/2014 Regras Gerais do Edital de Extensão para Atividades Artísticas e Culturais Nº 01/2014:

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA NO BRASIL: REALIDADE E PERSPECTIVAS GO TANI UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA NO BRASIL: REALIDADE E PERSPECTIVAS GO TANI UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO PÓSGRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA NO BRASIL: REALIDADE E PERSPECTIVAS GO TANI UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO PÓSGRADUAÇÃO RH PARA DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR RH PARA DESENVOLVIMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA INDISSOCIABILIDADE

Leia mais

CHAMADA INSTITUCIONALIZAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA VINCULADOS AOS PROGRAMAS DE MESTRADO / IMED

CHAMADA INSTITUCIONALIZAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA VINCULADOS AOS PROGRAMAS DE MESTRADO / IMED Passo Fundo, 09 de janeiro de 2014. Circular nº 001/2014 Direção Acadêmica Estabelece o regulamento para a Institucionalização de Projetos de Pesquisa vinculados aos Programas de Mestrado da IMED para

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 17 - MEDICINA III IES: 33009015 - UNIFESP - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO Programa: 33009015010P0 - MEDICINA (CIRURGIA CARDIOVASCULAR) Modalidade:

Leia mais

Evolução da Pós-Graduação e Pesquisa nas IES particulares. Dimensão, dificuldades, sugestões

Evolução da Pós-Graduação e Pesquisa nas IES particulares. Dimensão, dificuldades, sugestões Evolução da Pós-Graduação e Pesquisa nas IES particulares. Dimensão, dificuldades, sugestões Prof. Dr. Emerson Antonio Maccari Maccari@uninove.br emersonmaccari@gmail.com Crescimento da Pós-Graduação no

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 21 - EDUCAÇÃO FÍSICA IES: 33001014 - UFSCAR - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS Programa: 33001014016P7 - FISIOTERAPIA Modalidade: Acadêmico Curso

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SERTÃO PERNAMBUCANO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SERTÃO PERNAMBUCANO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SERTÃO PERNAMBUCANO ANEXO V PLANILHA DE PONTUAÇÃO RECONHECIMENTO DE SABERES

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 13 - ENGENHARIAS III IES: 33021015 - UNITAU - UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ Programa: 33021015006P5 - ENGENHARIA MECÂNICA Modalidade: Profissional

Leia mais

REITORIA EDITAL Nº 21/2015 FOMENTO À PESQUISA VINCULADA AOS PROGRAMAS STRICTO SENSU

REITORIA EDITAL Nº 21/2015 FOMENTO À PESQUISA VINCULADA AOS PROGRAMAS STRICTO SENSU REITORIA EDITAL Nº 21/2015 FOMENTO À PESQUISA VINCULADA AOS PROGRAMAS STRICTO SENSU O Reitor da Universidade Vila Velha UVV torna público a todos os interessados que estão abertas, de 10 de junho de 2014

Leia mais

Regimento do Mestrado Profissional em Química (PROFQUI)

Regimento do Mestrado Profissional em Química (PROFQUI) Regimento do Mestrado Profissional em Química (PROFQUI) Capítulo I Conceituação e Objetivos Artigo 1º - O PROFQUI é um curso semipresencial ofertado nacionalmente, conduzindo ao título de Mestre em Química;

Leia mais

Padrões de Qualidade para Cursos de Graduação em Psicologia

Padrões de Qualidade para Cursos de Graduação em Psicologia DEPARTAMENTO DE POLÍTICAS DO ENSINO SUPERIOR COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS ENSINO Comissão de Especialistas em Ensino de Psicologia - CEEPSI Padrões de Qualidade para Cursos de Graduação em

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais. Diretoria de Pesquisa e Pós-Graduação COMUNICADO DPPG 001/16

Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais. Diretoria de Pesquisa e Pós-Graduação COMUNICADO DPPG 001/16 Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais Diretoria de Pesquisa e Pós-Graduação COMUNICADO DPPG 001/16 Os Programas Institucionais de Auxílio Individual para Apresentação de Trabalhos em Eventos

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA PPGeog EDITAL N 001/2016 BOLSA DE MESTRADO

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA PPGeog EDITAL N 001/2016 BOLSA DE MESTRADO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA PPGeog EDITAL N 001/2016 BOLSA DE MESTRADO O programa de Pós-graduação em Geografia PPGeog da Universidade Federal de São João del-rei, no uso de suas atribuições,

Leia mais

Plataforma Sucupira. Ficha de Recomendação. Cursos. Nome Nível Situação

Plataforma Sucupira. Ficha de Recomendação. Cursos. Nome Nível Situação Instituição de Ensino: Programa: EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO (UNIVASF) Educação Física Número/Ano: 1217/2014 Modalidade: Área de Avaliação: Período de Avaliação: ACADÊMICO

Leia mais

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES, PROGRAMAS E TABELA DE PONTUAÇÃO PARA JULGAMENTO DE TÍTULOS

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES, PROGRAMAS E TABELA DE PONTUAÇÃO PARA JULGAMENTO DE TÍTULOS DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL CONCURSO PÚBLICO PARA ENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 05, de 11 de fevereiro de 2014, publicado no Diário Oficial da União nº 30, de 12 de fevereiro de 2014. INFORMAÇÕES

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Departamento de Arquitetura e Urbanismo

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Departamento de Arquitetura e Urbanismo UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Departamento de Arquitetura e Urbanismo CONCURSO PÚBLICO DE TÍTULOS E PROVAS PARA PROVIMENTO DE UM CARGO DE PROFESSOR ADJUNTO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERENAMBUCO,

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de Avaliação: 2007 a 2009 Etapa: Avaliação Trienal 2010 Área de Avaliação: 20 - ENFERMAGEM IES: 33004064 - UNESP/BOT - UNIVERSIDADE EST.PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO/BOTUCATU Programa: 33004064081P0

Leia mais

Perspectivas na Pesquisa e na Formação de Recursos Humanos na Área Interdisciplinar

Perspectivas na Pesquisa e na Formação de Recursos Humanos na Área Interdisciplinar Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Avaliação 45.inte@capes.gov.br Perspectivas na Pesquisa e na Formação de Recursos Humanos na Área Interdisciplinar

Leia mais

PROGRAMA DE FOMENTO À PESQUISA / IMED EDITAL DE PESQUISA/IC IMED - 2014

PROGRAMA DE FOMENTO À PESQUISA / IMED EDITAL DE PESQUISA/IC IMED - 2014 EDITAL 001/2014 PROGRAMA DE FOMENTO À PESQUISA / IMED EDITAL DE PESQUISA/IC IMED - 2014 PROCESSO SELETIVO DE PROJETOS DE PESQUISA E PROJETOS DE EXTENSÃO A Faculdade Meridional / IMED, integrante do sistema

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 42 - CIÊNCIAS AGRÁRIAS I IES: 50001019 - UFMT - UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO Programa: 50001019016P5 - CIÊNCIAS FLORESTAIS E AMBIENTAIS Modalidade:

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 2007 2009 TRIENAL 2010

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 2007 2009 TRIENAL 2010 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 2007 2009 TRIENAL 2010 IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: ENGENHARIAS II COORDENADOR DE ÁREA: CARLOS HOFFMANN SAMPAIO COORDENADOR ADJUNTO DE ÁREA: SELENE MARIA DE ARRUDA GUELLI ULSON

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA BOLSA DE PÓS-DOUTORADO

PROCESSO SELETIVO PARA BOLSA DE PÓS-DOUTORADO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Faculdade de Educação Física Coordenação de Pós-Graduação Rua Érico Veríssimo 701 - Barão Geraldo - Campinas/SP - 13083-851 Tel (19)3521-6609 PROCESSO SELETIVO PARA BOLSA

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 101, de 15 de dezembro

Leia mais

CRITÉRIOS PARA CREDENCIAMENTO DE LÍDERES E CERTIFICAÇÃO DE GRUPOS DE PESQUISA DO IFAM. CAPÍTULO I DAS FINALIDADES

CRITÉRIOS PARA CREDENCIAMENTO DE LÍDERES E CERTIFICAÇÃO DE GRUPOS DE PESQUISA DO IFAM. CAPÍTULO I DAS FINALIDADES CRITÉRIOS PARA CREDENCIAMENTO DE LÍDERES E CERTIFICAÇÃO DE GRUPOS DE PESQUISA DO IFAM. Este Regulamento dispõe sobre os Critérios para Credenciamento de Líderes e Certificação de Grupos de Pesquisa do

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM REABILITAÇÃO E INCLUSÃO Stricto Sensu (Mestrado Profissional)

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM REABILITAÇÃO E INCLUSÃO Stricto Sensu (Mestrado Profissional) REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM REABILITAÇÃO E INCLUSÃO Stricto Sensu (Mestrado Profissional) Dispõe sobre as normas de organização e funcionamento do Programa de Pós-Graduação em Reabilitação

Leia mais

Instrumento de Avaliação para Renovação de Reconhecimento de Cursos de Graduação

Instrumento de Avaliação para Renovação de Reconhecimento de Cursos de Graduação MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior - Conaes Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - Inep SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

Leia mais

EDITAL PIBITI 2015/2016 (Aprovado em reunião do Comitê de Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia (PITT) da UFAL em 17/03/2015)

EDITAL PIBITI 2015/2016 (Aprovado em reunião do Comitê de Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia (PITT) da UFAL em 17/03/2015) UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E EMPREENDEDORISMO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EDITAL PIBITI 2015/2016 (Aprovado em reunião

Leia mais

1/11 DIRETORIA DE PROGRAMAS E BOLSAS NO PAÍS COORDENAÇÃO GERAL DE PROGRAMAS ESTRATÉGICOS COORDENAÇÃO DE PROGRAMAS DE INDUÇÃO E INOVAÇÃO/CII

1/11 DIRETORIA DE PROGRAMAS E BOLSAS NO PAÍS COORDENAÇÃO GERAL DE PROGRAMAS ESTRATÉGICOS COORDENAÇÃO DE PROGRAMAS DE INDUÇÃO E INOVAÇÃO/CII 1/11 DIRETORIA DE PROGRAMAS E BOLSAS NO PAÍS COORDENAÇÃO GERAL DE PROGRAMAS ESTRATÉGICOS COORDENAÇÃO DE PROGRAMAS DE INDUÇÃO E INOVAÇÃO/CII PROGRAMA DE APOIO AO ENSINO E À PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA

Leia mais

Capes Critérios de Implantação Mestrado e Doutorado Acadêmico. Avaliação de Proposta de Cursos Novos APCN Área de Avaliação: EDUCAÇÃO Dezembro / 2005

Capes Critérios de Implantação Mestrado e Doutorado Acadêmico. Avaliação de Proposta de Cursos Novos APCN Área de Avaliação: EDUCAÇÃO Dezembro / 2005 CAPES PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE CURSOS NOVOS DOUTORADO ÁREA DE EDUCAÇÃO Os projetos de cursos novos de doutorado serão julgados pela Comissão de Avaliação da área de Educação com base nos dados obtidos

Leia mais

ANEXO I. 02 Aulas Efetivas em Curso de Pós-Graduação, observada a legislação vigente. 1. Tutoria de pós-doutorado concluída (por aluno).

ANEXO I. 02 Aulas Efetivas em Curso de Pós-Graduação, observada a legislação vigente. 1. Tutoria de pós-doutorado concluída (por aluno). 1 ANEXO I QUADRO DE ATIVIDADES REFERENCIAIS E CRITÉRIOS DE PONTUAÇÃO PARA A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PARA FINS DE PROGRESSÃO E PROMOÇÃO NA CARREIRA DO MAGISTÉRIO SUPERIOR NO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS GRUPO

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 21 - EDUCAÇÃO FÍSICA IES: 33003017 - UNICAMP - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Programa: 33003017046P6 - EDUCAÇÃO FÍSICA Modalidade: Acadêmico Curso

Leia mais

Programa de Educação Tutorial - PET 2010. Edital CLA-PET 07/2012 Seleção de Tutor

Programa de Educação Tutorial - PET 2010. Edital CLA-PET 07/2012 Seleção de Tutor Programa de Educação Tutorial - PET 2010 Edital CLA-PET 07/2012 Seleção de Tutor A Universidade Federal do Pampa, através do Comitê Local de Acompanhamento do Programa de Educação Tutorial (CLA-PET), torna

Leia mais

N 2666, de 19.12.05 - Dispõe sobre normas para criação e funcionamento de cursos, programas, disciplinas e atividades ofertadas na modalidade de

N 2666, de 19.12.05 - Dispõe sobre normas para criação e funcionamento de cursos, programas, disciplinas e atividades ofertadas na modalidade de N 2666, de 19.12.05 - Dispõe sobre normas para criação e funcionamento de cursos, programas, disciplinas e atividades ofertadas na modalidade de educação à distância. CAPÍTULO I DA BASE LEGAL PARA FUNCIONAMENTO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 02/2012

RESOLUÇÃO Nº 02/2012 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO ACADÊMICO DE PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 02/2012 Aprova o Regulamento de Extensão Universitária da Universidade

Leia mais

ROTEIRO PARA CLASSIFICAÇÃO DE LIVROS Avaliação dos Programas de Pós graduação

ROTEIRO PARA CLASSIFICAÇÃO DE LIVROS Avaliação dos Programas de Pós graduação ROTEIRO PARA CLASSIFICAÇÃO DE LIVROS Avaliação dos Programas de Pós graduação Aprovada na 111ª Reunião do CTC de 24 de agosto de 2009 Considerações preliminares O propósito deste roteiro é estabelecer

Leia mais

DEPARTAMENTO DE GENÉTICA

DEPARTAMENTO DE GENÉTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE GENÉTICA Planejamento Estratégico 2012-2016 Março de 2012 2 Planejamento Estratégico DEPARTAMENTO DE GENÉTICA 1. Missão O Departamento

Leia mais

ANEXO I Programa de Bolsas de Iniciação Científica da UNILA

ANEXO I Programa de Bolsas de Iniciação Científica da UNILA ANEXO I Programa de Bolsas de Iniciação Científica da UNILA Formulário para declaração de produtividade intelectual do pesquisador Artigos e trabalhos completos publicados Peso Quantidade Subtotal Artigo

Leia mais

Indicadores de Avaliação de Programas de Pós-Graduação: um estudo comparativo na área da Matemática.

Indicadores de Avaliação de Programas de Pós-Graduação: um estudo comparativo na área da Matemática. Indicadores de Avaliação de Programas de Pós-Graduação: um estudo comparativo na área da Matemática. Ma. Renata Cristina Gutierres Castanha Dra. Maria Cláudia Cabrini Grácio 1 INTRODUÇÃO O desenvolvimento

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 19/6/2009, Seção 1, Pág. 28. Portaria n 589, publicada no D.O.U. de 19/6/2009, Seção 1, Pág. 23. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

Ministério da Educação CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 1, DE 11 DE MARÇO DE 2016 Estabelece Diretrizes e

Ministério da Educação CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 1, DE 11 DE MARÇO DE 2016 Estabelece Diretrizes e Ministério da Educação CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 1, DE 11 DE MARÇO DE 2016 Estabelece Diretrizes e Normas Nacionais para a Oferta de Programas e Cursos de Educação

Leia mais

Seminário de Acompanhamento de Programas de Pós-Graduação em Odontologia 3 x 3

Seminário de Acompanhamento de Programas de Pós-Graduação em Odontologia 3 x 3 Seminário de Acompanhamento de Programas de Pós-Graduação em Odontologia 3 x 3 Isabela Almeida Pordeus (UFMG) Arnaldo de França Caldas Jr (UFPE) Outubro 2011 OBJETIVOS Refletir sobre trajetórias, discutir

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 18 - ODONTOLOGIA IES: 33003033 - UNICAMP/Pi - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS/PIRACICABA Programa: 33003033005P9 - RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA Modalidade:

Leia mais

Propostas de Cursos Novos 149 a Reunião CTC/ES 9 a 13 de setembro de 2013

Propostas de Cursos Novos 149 a Reunião CTC/ES 9 a 13 de setembro de 2013 Ministério da Educação - MEC Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Capes Diretoria de Avaliação - DAV Coordenação Geral de Avaliação e Acompanhamento - CGAA Propostas de

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de Ficha de do Programa Período de : 2010 a 2012 Etapa: Trienal 2013 Área de : 22 - SAÚDE COLETIVA IES: 33002010 - USP - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Programa: 33002010066P0 - MEDICINA (MEDICINA PREVENTIVA)

Leia mais

Gestão acadêmica de programas de pós-graduação com o SIGAA

Gestão acadêmica de programas de pós-graduação com o SIGAA EMENTAS A) Eventos de Capacitação do Ambiente Administrativo Aquisição de materiais e serviços Identificar métodos de aquisição de materiais e serviços, utilizando as ferramentas disponíveis no SIPAC.

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU agosto / 2010 1 REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Sumário TÍTULO I - DA NATUREZA E DAS FINALIDADES... 3 CAPÍTULO I - DA CONSTITUIÇÃO

Leia mais

EDITAL Nº 002/2014- PARFOR/PREG, DE 24 DE MARÇO DE 2014.

EDITAL Nº 002/2014- PARFOR/PREG, DE 24 DE MARÇO DE 2014. EDITAL Nº 002/2014- PARFOR/PREG, DE 24 DE MARÇO DE 2014. RELATIVO AO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DE PROFESSOR FORMADOR, PROFESSOR ORIENTADOR E SUPERVISOR DE ESTÁGIO PARA O PARFOR/UESPI 2014.1. A Pró-Reitoria

Leia mais

COMUNICADO n o 006/2012 ÁREA DE FILOSOFIA/TEOLOGIA: Subcomissão TEOLOGIA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012

COMUNICADO n o 006/2012 ÁREA DE FILOSOFIA/TEOLOGIA: Subcomissão TEOLOGIA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012 COMUNICADO n o 006/2012 ÁREA DE FILOSOFIA/TEOLOGIA: Subcomissão TEOLOGIA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012 IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: ÁREA DE FILOSOFIA/TEOLOGIA: Subcomissão

Leia mais

Modelo - Formulário de Adesão ao PROFBIO

Modelo - Formulário de Adesão ao PROFBIO Modelo - Formulário de Adesão ao PROFBIO Importante: É fundamental que os docentes participantes tenham seu LATTES atualizado e completo, para que seja feita a importação de dados para o APCN pela Plataforma

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 25 - CIÊNCIA DE ALIMENTOS IES: 42003016 - UFPEL - UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS Programa: 42003016009P9 - CIÊNCIA E TECNOLOGIA Modalidade: Acadêmico

Leia mais

COMUNICADO n o 001/2012 ÁREA DE ANTROPOLOGIA/ARQUEOLOGIA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 18 de Junho de 2012

COMUNICADO n o 001/2012 ÁREA DE ANTROPOLOGIA/ARQUEOLOGIA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 18 de Junho de 2012 COMUNICADO n o 001/2012 ÁREA DE ANTROPOLOGIA/ARQUEOLOGIA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 18 de Junho de 2012 IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: ANTROPOLOGIA E ARQUEOLOGIA PERÍODO DE AVALIAÇÃO:

Leia mais

DIRETRIZES E PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSOS NOVOS DE MESTRADO PROFISSIONAL

DIRETRIZES E PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSOS NOVOS DE MESTRADO PROFISSIONAL DIRETRIZES E PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSOS NOVOS DE MESTRADO PROFISSIONAL I) Apresentação Este documento descreve as diretrizes e parâmetros de avaliação de mestrado profissional em Administração,

Leia mais

Regulamento do Mestrado Profissional em Administração Pública em Rede Nacional

Regulamento do Mestrado Profissional em Administração Pública em Rede Nacional Regulamento do Mestrado Profissional em Administração Pública em Rede Nacional Capítulo I Objetivos Artigo 1º - O Mestrado Profissional em Administração Pública em Rede Nacional (PROFIAP) tem como objetivo

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PATOLOGIA

REGULAMENTO ESPECÍFICO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PATOLOGIA ANEXO À RESOLUÇÃO 02/2010 REGULAMENTO ESPECÍFICO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PATOLOGIA 1 TÍTULO I DO OBJETIVO DO PROGRAMA Art. 1º - O Programa de Pós-Graduação em Patologia tem por objetivo qualificar

Leia mais

ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS I

ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS I Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Avaliação ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS I TRIÊNIO 2007-200 200 Coordenador: MARCIUS FREIRE - UNICAMP Coordenador-Adjunto:

Leia mais

MESTRADO PROFISSIONAL EM CIÊNCIAS APLICADAS À SAÚDE

MESTRADO PROFISSIONAL EM CIÊNCIAS APLICADAS À SAÚDE MESTRADO PROFISSIONAL EM CIÊNCIAS APLICADAS À SAÚDE INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE O CURSO 1. Recomendação pela Capes com nota 4. 2. Objetivo geral: formar profissionais qualificados para o mercado de trabalho,

Leia mais