TOMADA DE PREÇOS DIRAD/CPLIC-007/2010 Memorial de Especificações (MES) Rev. 02 (13/05/2010) ANEXO I ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARTE 03

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TOMADA DE PREÇOS DIRAD/CPLIC-007/2010 Memorial de Especificações (MES) Rev. 02 (13/05/2010) ANEXO I ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARTE 03"

Transcrição

1 TOMADA DE PREÇOS DIRAD/CPLIC-007/2010 Memorial de Especificações (MES) Rev. 02 (13/05/2010) Pág. 1 Memorial de Projeto ANEXO I ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARTE 03 Cliente: Unidade: Assunto: Banco de Brasília Agência Águas Claras Novas Instalações Instalações de Prevenção e Combate a Incêndios Código do Projeto: 0542/10

2 TOMADA DE PREÇOS DIRAD/CPLIC-007/2010 Memorial de Especificações (MES) Rev. 02 (13/05/2010) Pág. 2 Índice A. Introdução Conceitos...3 B. Memorial Descritivo da Obra Instalações de Incêndio...7 C. Memorial de Especificações de Materiais e Equipamentos Instalações Especiais - Prevenção e Combate a Incêndio...8

3 Pág. 3 A. Introdução 1. Conceitos 1.1. Contratante A. Entende-se por CONTRATANTE o BRB Banco de Brasília Contratada A. Entende-se por CONTRATADA a empresa executora dos serviços relativos a obra do objeto Fiscalização A. Entende-se por Fiscalização o agente do CONTRATANTE responsável pela verificação do cumprimento dos projetos, normas e especificações gerais dos serviços a serem executados Critério de Similaridade A. Nas especificações técnicas de materiais/produtos deste Memorial, o que foi colocado em termos de marca/fabricante, como referência, o foi devido a atender plenamente aos requisitos específicos do sistema projetado e ao padrão de qualidade requerido. B. Para os materiais/produtos a serem fornecidos para compor as instalações projetadas poderá ser possível admitir-se o, desde que aprovado, por escrito no diário de obra, pelo autor do projeto e a FISCALIZAÇÃO do CONTRATANTE. C. Poderá o CONTRATANTE solicitar da CONTRATADA laudos técnicos de ensaios/testes de laboratório credenciado pelo INMETRO, que comprovem a integral equivalência de materiais/produtos a serem fornecidos, em relação aos especificados neste Memorial, sem que com isso seja alterado o prazo estabelecido em contrato e sem ônus Normas Gerais e Exigências A. A planilha orçamentária que acompanha esta especificação é básica, para efeito de estimativa. As LICITANTES deverão fazer criterioso estudo dos itens indicados na planilha, devendo conferir qualquer quantitativo indicado nos desenhos e demais documentos. A planilha orçamentária apresentada pela contratada é de sua inteira responsabilidade. B. As LICITANTES deverão realizar, caso solicitado pelo CONTRATANTE, levantamento no local, não se admitindo da CONTRATADA, posteriormente, desconhecimento das atuais condições e das medidas necessárias à execução da obra. Após a visita, as LICITANTES deverão comunicar discrepâncias que possam trazer embaraços ao perfeito funcionamento dos trabalhos. C. Os projetos apresentados pela CONTRATANTE deverão, caso necessário, sofrer correções e complementações para se adaptarem às normas existentes no local, sempre com o acompanhamento da FISCALIZAÇÃO para as aprovações. D. A CONTRATADA será responsável por todas as despesas e providências necessárias a aprovação da obra, tais como, licenças, alvarás e habite-se.

4 Pág. 4 E. Cabe às LICITANTES fazer, com a devida atenção, minucioso estudo, verificação e comparação de todos os projetos fornecidos, detalhes, especificações e demais componentes integrantes da documentação técnica fornecida pelo CONTRATANTE para a execução da obra. F. Após este estudo, a LICITANTE deverá comunicar, por escrito, quaisquer discrepâncias, dúvidas e/ou irregularidades, transgressões às normas técnicas, regulamentos ou posturas de leis em vigor, de forma a serem sanados os erros ou omissões que possam trazer embaraços ao perfeito desenvolvimento dos trabalhos. Dessa forma, o CONTRATANTE não aceitará a posteriori que a CONTRATADA venha a considerar como serviços extraordinários aqueles resultantes da interpretação dos projetos e normas em vigor. Após a assinatura do CONTRATO ficará pressuposta a concordância tácita de todos aqueles documentos constantes do projeto, não cabendo qualquer alegação posterior sobre divergências entre os mesmos. G. Todas as medidas indicadas em projeto deverão ser conferidas no local. Havendo divergências entre as medidas, a FISCALIZAÇÃO deverá ser imediatamente comunicada. H. Nenhum pagamento adicional será efetuado em remuneração aos serviços que sobrevierem durante a execução das obras e que sejam necessários para a perfeita execução dos projetos apresentados pela CONTRATANTE. Os custos respectivos por todos os serviços necessários à perfeita execução dos projetos deverão estar incluídos nos preços constantes da proposta da CONTRATADA. I. A CONTRATADA deverá manter, na obra, conjunto completo e atualizado dos desenhos de todas as partes da obra, bem como das instalações do canteiro. Esses desenhos estarão prontos para serem examinados a qualquer momento pela CONTRATANTE e por toda e qualquer pessoa autorizada pelo mesmo. J. A CONTRATADA deverá providenciar a atualização de todos os desenhos que sofram alterações em relação ao projeto original e, ao final da obra, entregar a CONTRATANTE conjunto completo de plantas de as built em formato DWG em meio eletrônico (CD) para AUTOCAD R14. K. A execução das obras contratadas será planejada e controlada através do cronograma físico-financeiro, elaborado pela CONTRATADA e submetido a CONTRATANTE, dentro do prazo previsto no Edital. Prazo de conclusão dos serviços: 60 dias. A CONTRATADA deverá tomar todas as precauções e zelar permanentemente para que suas operações não provoquem danos físicos ou materiais a terceiros, nem interfiram negativamente com o tráfego nas vias públicas que utilizar ou que estejam localizadas nas proximidades da obra. A CONTRATADA se responsabilizará por todos os danos causados às instalações existentes, aos móveis, a terceiros e aos bens públicos. L. A CONTRATADA deverá recompor todos os elementos que forem danificados durante a execução da obra (pavimentações, forros, instalações, etc.), usando materiais e acabamentos idênticos aos existentes no local. Os detritos resultantes das operações de transporte ao longo de qualquer via pública deverão ser removidos imediatamente pela CONTRATADA, sob suas expensas. M. A CONTRATADA se obriga a retirar do canteiro de obras quaisquer materiais porventura impugnados pela FISCALIZAÇÃO. N. Todas as taxas, despesas, impostos, demais obrigações fiscais e providências necessárias à obtenção de licenças, aprovações, franquias e alvarás necessárias aos serviços serão encargo da CONTRATADA, inclusive o pagamento de emolumentos referentes à obra e à segurança pública, bem assim atender ao pagamento de seguro de pessoal, despesas decorrentes das leis trabalhistas e impostos, de consumo de água, luz, força, que digam respeito às obras e serviços contratados. O. A CONTRATADA deverá providenciar, com a urgência possível: As Anotações de Responsabilidade Técnica junto ao CREA, nos termos da Lei 6496/77; O alvará de Construção, na forma das disposições em vigor; Toda a documentação necessária junto ao INSS, Delegacia Regional do Trabalho, concessionárias de serviços públicos e demais órgãos pertinentes; P. Os materiais a serem empregados, bem como as obras e os serviços a serem executados, deverão obedecer rigorosamente: às normas e especificações constantes deste caderno e desenhos;

5 Pág. 5 às normas da ABNT; aos regulamentos das Empresas Concessionárias; às prescrições e recomendações dos fabricantes; às normas internacionais consagradas, na falta das normas da ABNT; às normas do MARE publicadas no Diário Oficial da União de , denominadas Práticas de Projeto, construção e Manutenção de Edifícios Públicos Federais. Q. A CONTRATADA deverá abrir DIÁRIO DE OBRA para acompanhamento dos serviços assinado pelo engenheiro responsável e todo e qualquer acontecimento deverá ser anotado no mesmo em 3 (três) vias. Deverão constar, dentre outros: as condições meteorológicas prejudiciais ao andamento dos trabalhos; as consultas à FISCALIZAÇÃO; as datas de conclusão das etapas, caracterizadas de acordo com o cronograma aprovado; os acidentes ocorridos na execução da obra ou serviço; as respostas às interpelações da FISCALIZAÇÃO; a eventual escassez de material que resulte em dificuldade para execução da obra e/ou serviço; medições das etapas de obras e respectivos valores a serem faturados; outros fatos que, a juízo da CONTRATADA, devam ser objeto de registro. R. A CONTRATADA deverá manter no escritório da obra, em ordem, cópias de todos os projetos, especificações, alvará de construção e o presente Caderno de Especificações. S. Correrá por conta exclusiva da CONTRATADA a responsabilidade por quaisquer acidentes no trabalho de execução das obras, bem como as indenizações que possam vir a ser devidas a terceiros por fatos relacionados com a obra, ainda que ocorridos fora do canteiro. T. A CONTRATADA não poderá subempreitar o total das obras a ela adjudicado, salvo quanto à itens que, por sua especialização, requeiram o emprego de firmas ou profissionais especialmente habilitados e, neste caso, mediante prévia autorização da FISCALIZAÇÃO. A responsabilidade sobre esses serviços não será transmitida aos subcontrados perante a CONTRATANTE. A CONTRATADA deverá sempre responder direta e exclusivamente pela fiel observância das obrigações contratuais. U. A obra só se dará por concluída após o término de todas as etapas especificadas, retirada dos entulhos, completa limpeza de todas as áreas trabalhadas, teste de todos os equipamentos e pontos e entrega do HABITE-SE. V. Antes do recebimento final da obra, as galerias, as coberturas, os arruamentos, as calçadas e demais áreas ocupadas pela CONTRATADA, relacionadas com a obra, deverão ser limpas de todo o lixo, excesso de material, estruturas temporárias e equipamentos. As tubulações, valetas e a drenagem deverão ser limpas de quaisquer depósitos resultantes dos serviços da CONTRATADA e conservadas até que a inspeção final tenha sido feita. W. Até que seja notificada pela CONTRATANTE sobre a aceitação final dos serviços, a CONTRATADA será responsável pela conservação dos mesmos, e deverá tomar precauções para evitar prejuízos ou danos a quaisquer de suas partes, provocados pela ação de elementos estranhos ou qualquer outra causa, quer surjam da execução dos serviços, quer de sua não execução. X. Ao dar por encerrado o seu trabalho, a CONTRATADA oficiará à FISCALIZAÇÃO solicitação de vistoria para entrega da obra. Após a realização desta vistoria, a FISCALIZAÇÃO lavrará TERMO DE RECEBIMENTO PROVISÓRIO onde assinalará as falhas que porventura ainda tenham ficado pendentes de solução. Estas falhas deverão estar sanadas quando da lavratura do TERMO DE RECEBIMENTO DEFINITIVO, nos termos do Código Civil Brasileiro. A CONTRATADA corrigirá os vícios redibitórios à medida que se tornarem aparentes. Y. A FISCALIZAÇÃO terá prazo de 5 (cinco) dias úteis, após a solicitação de vistoria para entrega da obra, para elaborar o TERMO DE RECEBIMENTO PROVISÓRIO.

6 Pág. 6 Z. A lavratura do TERMO DE RECEBIMENTO DEFINITIVO não exime a CONTRATADA, em qualquer época, das garantias concebidas e das responsabilidades assumidas em Contrato e por força das disposições legais em vigor (Lei Código Civil ), que definem um prazo de 05 anos como garantia da obra. AA. Os serviços que poderão causar transtornos ao trabalho nas demais áreas do edifício só poderão ser executados fora do horário comercial. A contratada deverá manter funcionários (engenheiro e mestre de obras) residentes, com o cargo comprovado na carteira profissional e que faça parte do quadro de funcionários, durante todo o período da obra. BB. Cópia da carteira de trabalho, comprovando a função, deverá ser entregue à Fiscalização num prazo máximo de 5 (cinco) dias após a assinatura do contrato. CC. A Fiscalização poderá solicitar o afastamento ou substituição do funcionário, caso julgue necessário. DD. Caso a ausência do funcionário durante visita da Fiscalização não seja julgada procedente, haverá glosa do valor correspondente ao dia na fatura. EE. Caso haja afastamento justificável do funcionário (férias, licença médica, etc.) a Contratada deverá providenciar substituto. FF. O engenheiro responsável deverá estar presente sempre que a Fiscalização solicitar.

7 Pág. 7 B. Memorial Descritivo da Obra 1. Instalações de Incêndio A. A edificação possui sistema de combate a incêndio por hidrantes de parede localizados no exterior da edificação, não há a necessidade de remanejamento ou complemento do sistema B. no local existem detectores de fumaça do sistema central, o qual deverá ser adequado ao layout a ser implementado. Será necessário o remanejamento de detectores e a instalação de mais elementos de detecção para atender áreas não cobertas pelo sistema existente. Os novos detectores deverão interligados ao sistema central, cabendo à Contratada instalar, sem ônus para a Contratante, a infra-estrutura necessária. C. Haverá a instalação de sinalização de emergência e extintores de incêndio.

8 Pág. 8 C. Memorial de Especificações de Materiais e Equipamentos 1. Instalações Especiais - Prevenção e Combate a Incêndio A. Sistema previstos: de proteção por extintores manuais, detecção de incêndio e sinalização de emergência; B. Os sistemas adotados de combate a incêndio cobrem toda a agência. O shopping é dotado de sistema de combate à incêndio por hidrantes de parede localizados no corredor do mall. C. O combate pode será manual através dos hidrantes, já comentado, e utilização de extintores manuais de incêndio. A Agênciapossui extintores, estrategicamente posicionados, atendendo a classe de fogo específica de cada ambiente de forma a garantir o combate do foco ou princípio de incêndio por qualquer pessoa próximo ao evento, minimizando, assim, o tempo de ação e reduzindo o risco da propagação Tipo: Sistema de Combate por Extintores Manuais Características Técnicas / Especificação: I. Definições A. Agente Extintor: Substância utilizada para extinção do incêndio B. Carga: Quantidade de agente extintor contida no extintor de incêndio, medida em litros ou kilograma. C. Capacidade Extintora: Medida do poder de extinção de fogo de um extintor, obtida em ensaio prático normalizado. D. Identificação dos extintores: Devem cumprir com o previsto na NBR 7532 II. Descrição do Sistema A. Deverão ser instalados extintores portáteis em toda a área de risco para combate manual a incêndio incipiente, distribuídos em todos os ambientes (natureza do fogo classes A, B e C ). III. Premissas B. Os extintores serão distribuídos de forma que cada unidade extintora (considerando a definição de unidade extintora prevista nos regulamentos pertinentes) cubra uma área de risco não superior a 250 m² e ainda que o operador não percorra, do extintor até o ponto mais afastado, uma distância superior à 15 m. C. O extintor deve ser instalado de maneira que haja menor possibilidade de o fogo bloquear seu acesso. D. O extintor deve ser instalado de maneira que seja visível, para que todos os usuários fiquem familiarizados com sua localização. E. O extintor deve ser instalado de maneira que não fique obstruído por pilhas de material de qualquer natureza. F. A localização dos extintores deve obedecer ainda aos seguintes princípios: todos os extintores deverão ser instalados através de suportes apropriados, no chão com pedestal em aço inox ou pendurados de tal forma que sua parte superior não ultrapasse uma altura de 1,60 m em relação ao piso acabado e a parte inferior fique acima de 0,20 m deste.

9 Pág. 9 I. Dados Construtivos A. Os Extintores deverão ser fabricados em chapa de aço inoxidável n.º 16 de acordo com a ABNT laminada a frio, soldada eletronicamente nos sentidos longitudinal e transversalmente, pelo processo "mig". A válvula será em latão forjado, sendo o gatilho e cabo bicromatizados. A mangueira será de tela de nylon, com duas camadas de PVC flexível, extremeadas com tecidos de fios poliester. B. Os Extintores de Gás Carbônico com capacidade para 6Kg com cilindros fabricado em aço inoxidável, com válvula tipo latão estampado, de descarga intermitente, dotada de dispositivo de segurança calibrado de 180 a 200kgf/cm² e difusor plástico inquebrável pintado na cor vermelho padrão corpo de bombeiro e fornecido com carga inicial e suporte de fixação. Deverá ter sua fabricação baseada na Norma EB-160, com selo de aprovação conforme Norma EB-150 da ABNT Sinalização de Segurança II. Descritivo A. A sinalização de segurança contra incêndio e pânico tem como objetivo reduzir o risco de incêndio alertando contra riscos potenciais e requerendo ações que contribuam para a segurança contra incêndios e proibindo ações capazes de afetar o nível de segurança, além de garantir que sejam adotadas ações adequadas a situação de risco, que orientem as ações de combate e facilitem a localização dos equipamentos e das rotas de saída para escape seguro da edificação em caso de incêndio. B. Esta especificação fixa as condições exigíveis que devem satisfazer o sistema de sinalização de emergência em edificações e áreas de risco. III. Classificação A. A sinalização de segurança contra incêndio e pânico é classificada como básica e complementar B. Sinalização básica: Sinalização de proibição Sinalização de alerta Sinalização de comando Sinalização de orientação e salvamento Sinalização de equipamentos de combate e alarme de incêndio C. Sinalização complementar: Indicação continuada das rotas de fuga Indicação de obstáculos Indicação de pisos, espelhos, etc Indicação de silhueta de equipamentos Mensagens de orientação D. Implementação: Deve seguir rigorosamente a NBR item 5.2 IV. Características técnicas A. Deve seguir rigorosamente a NBR item V. Formas Geométricas e Dimensões para Sinalização de Emergência

10 Pág. 10 A. Os textos, desenhos e tabelas deste item foram retirados da IT 20/01 (Instrução técnica) emitida pelo Corpo de Bombeiros Militar de São Paulo. Sinal Forma Geométrica Cota em (mm) Distância máxima de visibilidade (em m) Proibição D Alerta L L Orientação, Salvamento e Equipa/os H L L 1,5 H Tabela 1 Formas geométricas e dimensões das placas de sinalização B. Dimensões básicas da sinalização A > L2/2000, Onde: A = área da placa em m2. C.L = Distância do observador à placa, em m (metros). Esta relação é válida para L < 50 m, sendo que deve ser observada a distância mínima de 4 m, conforme Tabela 1. C. Formas da sinalização: Circular - utilizada para implantar símbolos de proibição (ver forma geométrica da Tabela 1); Triangular - utilizada para implantar símbolos de alerta (ver forma geométrica da Tabela 1); Quadrada e retangular - utilizadas para implantar símbolos de orientação, socorro, emergência, identificação de equipamentos utilizados no combate a incêndio e mensagens escritas (ver forma geométrica da Tabela 1). Altura mínima (mm) Distância de leitura com maior impacto (m) Altura mínima (mm) Distância de leitura com maior impacto (m)

11 Pág Tabela 2 Altura mínima das letras em placas de sinalização em função da distância de leitura D. No caso de emprego de letras, elas devem ser grafadas obedecendo à relação: h > L / 125 Onde: h= altura da letra, em m / L= distância do observador à placa, em metros. E. A Tabela 2 apresenta valores de altura de letra para distâncias pré-definidas. Todas as palavras e sentenças devem apresentar letras em caixa alta, fonte Univers 65 ou Helvetica Bold. Referência Denominação das Cores: Padrão Vermelho Amarelo Verde Preto Branco Munsell Book of Colors 5R 4/14 5Y 8/12 2.5G 3/4 N 1.0/ N 9.5/ **Pantone 485C 108C 350C 419C - *CMYK C0 M100 Y91 K0 C0 M9 Y94 K0 C79 M0 Y87 K76 C0 M0 Y0 K100 - *RGB R255 G0 B23 R255 G255 B0 R0 G61 B0 R0 G0 B0 - Tabela 3 Cores de segurança e contraste F. O padrão de cores básico é o Munsell Book of Colors. G. O sistema de Cores Pantone, foi baseado na conversão do padrão Munsell. H. Os valores das tabelas CMYK e RGB para impressão foram convertidos do sistema Pantone. I. Cores de sinalização - as cores de segurança e cores de contraste são apresentadas na tabela 3. J. Cores de segurança - a cor de segurança deve cobrir, no mínimo, 50% da área do símbolo, exceto no símbolo de proibição, onde este valor deve ser, no mínimo, de 35%. K. Aplicação das cores de segurança: Vermelha - utilizada para símbolos de proibição, emergência e identificação de equipamentos de combate a incêndio; Verde - utilizada para símbolos de orientação e salvamento; Preta - utilizadas para símbolos de alerta e sinais de perigo. L. Cores de contraste - as cores de contraste são a branca ou amarela, conforme especificado na tabela 3, para sinalização de proibição e alerta, respectivamente. M. As cores de contraste devem ser fotoluminescentes, para a sinalização de orientação e de equipamentos.

12 Pág. 12 VI. Simbologia para a Sinalização de Emergência A. A sinalização de proibição deve obedecer a: forma: circular; cor de contraste: branca; barra diametral e faixa circular (cor de segurança): vermelha; cor do símbolo: preta; margem (opcional): branca; proporcionalidades paramétricas. Cód. Símbolo Significado Forma e cor Aplicação P1 Proibido fumar Símbolo: circular Fundo: branco Pictograma: cigarro em preto Faixa circular e barra diametral: vermelho Todo local onde fumar pode aumentar o risco de incêndio P2 P3 Proibido produzir chama Proibido utilizar água para apagar o fogo Símbolo: circular Fundo: branco Pictograma: fósforo com chama, em preto Faixa circular e barra diametral: vermelho Símbolo: circular Fundo: branco Pictograma: balde de água sobre o fogo, em preto Faixa circular e barra diametral: vermelho Todo o local onde a utilização de chama pode aumentar o risco de incêndio Toda situação onde o uso de água for impróprio para extinguir o fogo. P4 Proibido utilizar elevador em caso de incêndio Símbolo: circular Fundo: branco Pictograma: símbolo do elevador e chama, em preto Faixa circular e barra diametral: vermelho Nos locais de acesso aos elevadores comuns e monta-cargas. P5 Proibido obstruir este local Símbolo: circular Fundo: branco Pictograma: preto Faixa circular e barra diametral: vermelho Em locais sujeitos a depósito de mercadorias onde a obstrução pode apresentar perigo de acesso às saídas de emergência, rotas de fuga, equipamentos de combate a incêndio, etc.). B. A sinalização de alerta deve obedecer a: forma: triangular;

13 Pág. 13 cor do fundo (cor de contraste): amarela; moldura: preta; cor do símbolo (cor de segurança): preta ; margem (opcional): branca; proporcionalidades paramétricas. Cód. Símbolo Significado Forma e cor Aplicação A1 A2 A3 A4 A5 A6 Alerta geral Cuidado, risco de incêndio Cuidado, risco de explosão Cuidado, risco de corrosão Cuidado, risco de choque elétrico Cuidado, risco de radiação Símbolo: triangular Fundo: amarelo Pictograma: ponto de exclamação, em preto Faixa triangular: Preto Símbolo: triangular Fundo: amarelo Pictograma: chama em preto Faixa triangular: Preto Símbolo: triangular Fundo: amarelo Pictograma: explosão em preto Faixa triangular: Preto Símbolo: triangular Fundo: amarelo Pictograma: Mão corroída em preto Faixa triangular: Preto Símbolo: triangular Fundo: amarelo Pictograma: raio, em preto Faixa triangular: Preto Símbolo: triangular Fundo: amarelo Pictograma: radioativo, em preto Faixa triangular: Preto Toda vez que não houver símbolo específico de alerta, deve sempre estar acompanhado de mensagem escrita específica. Próximo a locais onde houver presença de materiais altamente inflamáveis. Próximo a locais onde houver presença de materiais ou gases que oferecem risco de explosão. Próximo a locais onde houver presença de materiais corrosivos. Próximo a instalações elétricas que oferecem risco de choque. Próximo a locais onde houver presença de materiais radioativos.

14 Pág. 14 Cód. Símbolo Significado Forma e cor Aplicação A7 Cuidado, risco de exposição a produtos tóxicos Símbolo: triangular Fundo: amarelo Pictograma: produto tóxico em preto Faixa triangular: Preto Próximo a locais onde houver presença de produtos tóxicos. C. A sinalização de orientação deve obedecer a: forma: quadrada ou retangular; cor do fundo (cor de segurança): verde; cor do símbolo (cor de contraste): fotoluminescente; margem (opcional): fotoluminescente; proporcionalidades paramétricas. Cód. Símbolo Significado Forma e cor Aplicação Símbolo: Quadrado S1 Saída de Pictograma: pessoa correndo emergência para esquerda ou direita em verde e fundo fotoluminescente S2 Escada de emergência Símbolo: Quadrado Pictograma: escada com seta indicativa de subida ou descida em verde e fundo fotoluminescente Cód. Símbolo Significado Forma e cor Aplicação Símbolo: retangular Pictograma: pessoa correndo S3 para a esquerda ou direita Saída de e em verde e fundo emergência S4 fotoluminescente com seta indicativa (união de duas sinalizações quadradas x(homem) e y(seta). S5 S6 Saída de emergência Saída de emergência Símbolo: retangular Pictograma: pessoa correndo para esquerda ou direita em verde e fundo fotoluminescente e seta indicativa para baixo (união de duas sinalizações quadradas x(homem) e y(seta) Símbolo: retangular Indicação das saídas de emergência, preferencialmente utilizada em complementação por seta indicativa da direção da saída. Indicação das escadas de emergência, preferencialmente utilizada em complementação com símbolo S1. Indicação da direção (esquerda ou direita) de uma rota de saída Indicação de uma saída de emergência através de uma porta corta-fogo em escadas; deve ser afixada acima da porta corta-fogo de acesso. Afixada acima de uma porta, indicando a direção

15 Pág. 15 S7 Saída de emergência Pictograma: pessoa correndo para esquerda ou direita em verde e fundo fotoluminescente e seta indicativa para cima (união de duas sinalizações quadradas x(homem) e y(seta) Símbolo: retangular Pictograma: pessoa correndo para esquerda ou direita em verde e fundo fotoluminescente e seta indicativa para obter acesso a uma saída de emergência, quando esta não for aparente ou diretamente visível. A. Indicação da direção de acesso a uma saída que não esteja aparente B. Indicação da direção de uma saída por rampas C. A seta indicativa deve ser posicionada em acordo com a direção a ser sinalizada. S8 Escada de segurança Símbolo: retangular Pictograma: pessoa correndo para esquerda ou direita em verde e fundo fotoluminescente e escada com seta indicativa Indicação do sentido de fuga no interior das escadas S9 S10 S11 Saída de emergência Número do pavimento Acesso a um dispositivo para abertura de uma porta de saída Símbolo: retangular Pictograma: Mensagem escrita SAÍDA fotoluminescente, com altura de letra sempre > 50mm Símbolo: quadrado ou retangular Pictograma: alfanumérico, indicando número do pavimento, pode se formar pela associação de duas placas (p.ex.: 1 o + SS = 1 o SS), Quando necessário. Símbolo: Quadrado Pictograma: mão com uma ferramenta quebrando um painel de vidro, fotoluminescente. Indicação das saídas de emergência, preferencialmente utilizada em complementação por símbolo (figura x ou Y). Indicação de cada pavimento, no interior da escada. Orienta uma providência para obter acesso a uma chave ou um modo de abertura da saída de emergência

16 Pág. 16 D. A sinalização de equipamentos de combate a incêndio deve obedecer: forma: quadrada ou retangular; cor do fundo (cor de segurança): verde; cor do símbolo (cor de contraste): fotoluminescente; margem (opcional): fotoluminescente; proporcionalidades paramétricas. Cód. Símbolo Significado Forma e cor Aplicação E1 E2 E3 Coleção de equipamentos de combate a incêndio Comando manual de alarme ou bomba de incêndio Alarme sonoro Símbolo: Quadrado Fundo: vermelho Pictograma: semicírculo fotoluminescente Símbolo: Quadrado Fundo: vermelho Pictograma: dois círculos sobrepostos, com fundo fotoluminescente Símbolo: Quadrado Fundo: vermelho Pictograma: Sirene com contorno fotoluminescente e fundo vermelho. Indica a localização de um conjunto de equipamentos de combate a incêndio (hidrante, alarme de incêndio e extintores), para evitar a proliferação de sinalizações correlatas. Ponto de acionamento de alarme de incêndio, bomba de incêndio, ou outro equipamento. Deve sempre ser acompanhado de uma mensagem escrita, designando o equipamento acionado por aquele ponto. Indicação de um local de acionamento do alarme geral. E4 Telefone de emergência Símbolo: Quadrado Fundo: vermelho Pictograma: receptor do aparelho telefônico. Indicação da posição do telefone para comunicação de situações de emergência a uma central. E5 Extintor de incêndio Símbolo: Quadrado Fundo: vermelho Pictograma: perfil de um extintor de incêndio, fotoluminescente Indicação de localização dos extintores de incêndio E11 Setas indicativas de localização dos equipamentos Símbolo: quadrado Fundo: vermelho Pictograma: seta indicativa fotoluminescente Indicação da localização dos equipamentos de combate a incêndio. Deve sempre ser acompanhado do símbolo do(s) equipamento(s) que estiver(em) oculto(s). E. A indicação continuada de rotas de fuga deve ser realizada por meio de setas indicativas, de acordo com os critérios especificados no texto desta norma, instaladas no sentido das saídas, com as seguintes especificações abaixo:

17 Pág. 17 Cód. Símbolo Significado Forma e cor Aplicação Símbolo: retangular C1 Direção da rota de Pictograma: seta indicativa saída prolongada, fotoluminescente. C2 Direção da rota de saída Símbolo: quadrado Pictograma: seta, fotoluminescente. Nas paredes, próximo ao piso, e/ou nos pisos de rotas de saída. Complementa uma sinalização básica de orientação e salvamento

Memorial de Projeto. Banco de Brasília - BRB Ag. Hospital Regional de Paranoá Novas Instalações. Prevenção e Combate à Incêndio

Memorial de Projeto. Banco de Brasília - BRB Ag. Hospital Regional de Paranoá Novas Instalações. Prevenção e Combate à Incêndio Pág. 1 Memorial de Projeto Prevenção e Combate à Incêndio Cliente: Unidade: Assunto: Banco de Brasília - BRB Ag. Hospital Regional de Paranoá Novas Instalações Código do Projeto: 1089/11 Pág. 2 Índice

Leia mais

Código Símbolo Significado Forma e cor Aplicação. Cuidado, risco de incêndio. Cuidado, risco de explosão. Cuidado, risco de corrosão

Código Símbolo Significado Forma e cor Aplicação. Cuidado, risco de incêndio. Cuidado, risco de explosão. Cuidado, risco de corrosão I - Símbolos da sinalização básica ANEXO B SIMBOLOGIA PARA A SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA Os símbolos adotados por esta norma para sinalização de emergência são apresentados a seguir, acompanhados de exemplos

Leia mais

Projeto de revisão NBR 13434 Parte 2 Sinalização de segurança contra incêndio e pânico Parte 2: Símbolos e suas formas, dimensões e cores.

Projeto de revisão NBR 13434 Parte 2 Sinalização de segurança contra incêndio e pânico Parte 2: Símbolos e suas formas, dimensões e cores. ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas OUT:2001 Projeto de revisão NBR 13434 Parte 2 Sinalização de segurança contra incêndio e pânico Parte 2: Símbolos e suas formas, dimensões e cores. Sede: Rio

Leia mais

NPT 020 SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA

NPT 020 SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA Outubro 2011 Vigência: 08 Janeiro 2012 NPT 020 Sinalização de Emergência CORPO DE BOMBEIROS BM/7 Versão: 01 Norma de Procedimento Técnico 37 páginas SUMÁRIO 1 2 3 4 5 6 Objetivo Aplicação Referências Normativas

Leia mais

sinalização de prevenção e combate a incêndio www.wnbh.com.br

sinalização de prevenção e combate a incêndio www.wnbh.com.br sinalização de prevenção e combate a incêndio www.wnbh.com.br índice Sinalização de alerta e proibição...04 Sinalização de orientação e salvamento...05 Sinalização de equipamentos e combate a incêndio...06

Leia mais

Sinalização de Emergência

Sinalização de Emergência SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 20/2004 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências normativas e bibliográficas

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PPCI: PREVENÇÃO DE INCÊNDIO PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO PPCI: PREVENÇÃO DE INCÊNDIO PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO PPCI: PREVENÇÃO DE INCÊNDIO PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL CIDADE NOVA 1. DADOS GERAIS Objeto: Escola

Leia mais

ANEXO I DIVISÓRIAS E LAMINADO ANO DE 2007 FORNECIMENTO E INSTALAÇÃO DE DIVISÓRIAS E LAMINADO

ANEXO I DIVISÓRIAS E LAMINADO ANO DE 2007 FORNECIMENTO E INSTALAÇÃO DE DIVISÓRIAS E LAMINADO ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS FORNECIMENTO E INSTALAÇÃO DE DIVISÓRIAS E LAMINADO Ano/2007 1 CAPÍTULO 0 DISPOSIÇÕES GERAIS 1. Este Caderno de Especificações estabelece normas gerais e específicas,

Leia mais

Tecnologias de Prevenção e Combate a Incêndios João Gama Godoy

Tecnologias de Prevenção e Combate a Incêndios João Gama Godoy Tecnologias de Prevenção e Combate a Incêndios João Gama Godoy Técnico de Segurança do Trabalho Senac - 2010 É proibida a reprodução do conteúdo desta apresentação em qualquer meio de comunicação, eletrônico

Leia mais

SUBSTITUIÇÃO DE QUADRA ESPORTIVA CAMPUS RIO DO SUL

SUBSTITUIÇÃO DE QUADRA ESPORTIVA CAMPUS RIO DO SUL SUBSTITUIÇÃO DE QUADRA ESPORTIVA CAMPUS RIO DO SUL MEMORIAL DESCRITIVO 1 INTRUDOUÇÃO 1.1. OBJETO O presente memorial descritivo faz parte do processo para a manutenção da quadra esportiva do ginásio do

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS CONTRATAÇÃO DE SINALIZAÇÃO INTERNA E EXTERNA PARA AS DEPENDÊNCIAS DO BANCO DE BRASÍLIA S/A AGOSTO/2006

ANEXO I ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS CONTRATAÇÃO DE SINALIZAÇÃO INTERNA E EXTERNA PARA AS DEPENDÊNCIAS DO BANCO DE BRASÍLIA S/A AGOSTO/2006 ANEXO I ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS CONTRATAÇÃO DE SINALIZAÇÃO INTERNA E EXTERNA PARA AS DEPENDÊNCIAS DO BANCO DE BRASÍLIA S/A AGOSTO/2006 1 00 - DISPOSIÇÕES GERAIS 1. Este Caderno de Especificações estabelece

Leia mais

Ministério da Fazenda SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS

Ministério da Fazenda SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS PROJETO BÁSICO GESER Nº 04/07 FISCALIZAÇÃO DA OBRA DE IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO 1. OBJETO Contratação de empresa especializada para prestação de serviços de fiscalização

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE VENÂNCIO AIRES

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE VENÂNCIO AIRES PLANO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNCIO - PPCI PAVILHÃO EMEF 1º DE MAIO LINHA SANTOS FILHO MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO Plano de Prevenção e Combate a Incêndio - PPCI - Pavilhão EMEF 1º de Maio

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇAO ESCRITÓRIO DE PROJETOS E OBRAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇAO ESCRITÓRIO DE PROJETOS E OBRAS PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇAO ESCRITÓRIO DE PROJETOS E OBRAS Anexo XIII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA INSTALAÇÕES DE PREVENÇÃO DE INCÊNDIO Obra: Edifício

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE VENÂNCIO AIRES

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE VENÂNCIO AIRES PLANO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNCIO - PPCI AMPLIAÇÃO EMEI GENTE MIÚDA BAIRRO MACEDO MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO Plano de Prevenção e Combate a Incêndio - PPCI Ampliação EMEI Gente Miúda

Leia mais

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INSPEÇÃO, MANUTENÇÃO, RECARGA E TESTE HIDROSTÁTICO EM EXTITORES DE INCÊNDIO DO SESC/AR/DF CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES 1. INTRODUÇÃO Este documento

Leia mais

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES 1. GENERALIDADES Este documento tem por objetivo fornecer aos interessados no Chamamento em pauta as Especificações Básicas a serem seguidas para o atendimento deste Objeto. Estas

Leia mais

Prefeitura Municipal de Dumont

Prefeitura Municipal de Dumont REFORMA DA PREFEITURA MUNICIPAL DE DUMONT SP CASA SANTOS DUMONT Memorial Descritivo do Projeto Adelino da Silva Carneiro Prefeito Municipal Rosiane Marin Fernandez Dias Vice-Prefeita Municipal Carla Maria

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA 04 PROJETOS DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCENDIOS (PCI)

INSTRUÇÃO TÉCNICA 04 PROJETOS DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCENDIOS (PCI) INSTRUÇÃO TÉCNICA 04 PROJETOS DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCENDIOS (PCI) 1 OBJETIVO 1.1 Estas Instruções Normativas de Projeto apresentam os procedimentos, critérios e padrões a serem adotados para elaboração

Leia mais

Local: Pavilhão de Eventos Maria Celina Vidotto Imhof (Pavilhão da Fenarreco), Rodovia Antonio Heil, 29 - Centro, Brusque/SC

Local: Pavilhão de Eventos Maria Celina Vidotto Imhof (Pavilhão da Fenarreco), Rodovia Antonio Heil, 29 - Centro, Brusque/SC REGULAMENTO GERAL DA FEIRA 1 - INTRODUÇÃO As normas que regem a organização, montagem, funcionamento e desmontagem da FECATEX 2017 - Home & Fashion - Primavera Verão 2018- Feira Têxtil de Santa Catarina,

Leia mais

NPT 020 SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA

NPT 020 SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA Outubro 2014 Vigência: 08 outubro 2014 NPT 020 Sinalização de Emergência CORPO DE BOMBEIROS BM/7 Versão: 03 Norma de Procedimento Técnico 38 páginas SUMÁRIO 1 2 3 4 5 6 Objetivo Aplicação Referências Normativas

Leia mais

Memorial de Projeto. Banco de Brasília - BRB. Novas Instalações. Prevenção e Combate à Incêndio. Código do Projeto: 1720/11 Nº da OES: 053/2011

Memorial de Projeto. Banco de Brasília - BRB. Novas Instalações. Prevenção e Combate à Incêndio. Código do Projeto: 1720/11 Nº da OES: 053/2011 Pág. 1 Memorial de Projeto Prevenção e Combate à Incêndio Cliente: Unidade: Assunto: Banco de Brasília - BRB PAB BURITI Novas Instalações Código do Projeto: 1720/11 Nº da OES: 053/2011 Pág. 2 Índice A.

Leia mais

ANEXO 1 - TERMO DE REFERÊNCIA Substituição das telhas de alumínio da marquise frontal do prédio sede da Justiça Federal ES

ANEXO 1 - TERMO DE REFERÊNCIA Substituição das telhas de alumínio da marquise frontal do prédio sede da Justiça Federal ES 1 ANEXO 1 - TERMO DE REFERÊNCIA Substituição das telhas de alumínio da marquise frontal do prédio sede da Justiça Federal ES 1 OBJETO: 1.1 Contratação de empresa para substituição de telhas de alumínio

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO 1.1. REGISTRO DE PREÇOS para eventual contratação de empresa especializada no fornecimento de Extintores de Incêndio portáteis e fornecimento de material de sinalização,

Leia mais

ANEXO 1 TERMO DE REFERÊNCIA Fornecimento e instalação de válvulas redutoras de pressão

ANEXO 1 TERMO DE REFERÊNCIA Fornecimento e instalação de válvulas redutoras de pressão 1 OBJETO: ANEXO 1 TERMO DE REFERÊNCIA Fornecimento e instalação de válvulas redutoras de pressão 1.1 Contratação de empresa de engenharia para fornecimento e instalação de válvulas redutoras de pressão

Leia mais

IT - 15 SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA

IT - 15 SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA IT - 15 SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA SUMÁRIO ANEXOS 1 Objetivo A - Formas geométricas e dimensões para a sinalização de emergência 2 Aplicação B - Simbologia para sinalização de emergência 3 Referências Normativas

Leia mais

REQUISITOS E CONSIDERAÇÕES GERAIS REF. NBR 13434 DA ABNT

REQUISITOS E CONSIDERAÇÕES GERAIS REF. NBR 13434 DA ABNT ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA JUNTO A DGST REQUISITOS E CONSIDERAÇÕES GERAIS REF. NBR 13434 DA ABNT ANÁLISE E VISTORIA DOS SISTEMAS DE SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA Objetivo

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE VISTORIAS

ORIENTAÇÕES SOBRE VISTORIAS Regulamentação: ORIENTAÇÕES SOBRE VISTORIAS Em Cascavel a vistoria do Corpo de Bombeiros foi regulamentada, pelo convênio entre a Prefeitura Municipal de Cascavel e o Corpo de Bombeiros, através da Lei

Leia mais

Art. 1 Aprovar e colocar em vigor a NORMA TÉCNICA N 03/2015-CBMDF, na forma do anexo a presente Portaria.

Art. 1 Aprovar e colocar em vigor a NORMA TÉCNICA N 03/2015-CBMDF, na forma do anexo a presente Portaria. Sistema Integrado de Normas Jurídicas do Distrito Federal SINJ-DF PORTARIA N 09, DE 20 DE MARÇO DE 2015. Aprova a Norma Técnica N 03/2015- CBMDF - Sistema de Proteção por Extintores de Incêndio. O COMANDANTE-GERAL

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 20/2015

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 20/2015 Instrução Técnica nº 20/2011 - Sinalização de emergência 457 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 20/2015

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DAS MEDIDAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO. SÃO FELIX DO ARAGUAIA MT

MEMORIAL DESCRITIVO DAS MEDIDAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO. SÃO FELIX DO ARAGUAIA MT N Ministério Público do Estado de Mato Grosso B R 1 MEMORIAL DESCRITIVO DAS MEDIDAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO. 1. APRESENTAÇÃO SÃO FELIX DO ARAGUAIA MT O presente memorial tem por finalidade

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES DE SPDA

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES DE SPDA MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES DE SPDA PREFEITURA MUNICIPAL DE CANOAS/SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL TANCREDO DE ALMEIDA NEVES SETEMBRO DE 2012 STE004-R-PE-SPD-01-01

Leia mais

NORMA TÉCNICA N o 15 SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA

NORMA TÉCNICA N o 15 SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA ANEXO XV AO DECRETO N o 3.950, de 25 de janeiro de 2010. NORMA TÉCNICA N o 15 SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA 1. OBJETIVO Esta Norma Técnica fixa as condições exigíveis que devem satisfazer o sistema de sinalização

Leia mais

IT - 15 SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA

IT - 15 SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA IT - 15 SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA SUMÁRIO ANEXO 1 Objetivo A - Formas geométricas e dimensões para a sinalização de emergência 2 Aplicação B - Simbologia para sinalização de emergência 3 Referências Normativas

Leia mais

Manual do Montadora. Edmundo Doubrawa Joinville SC. www.expogestao.com.br

Manual do Montadora. Edmundo Doubrawa Joinville SC. www.expogestao.com.br Manual do Montadora Edmundo Doubrawa Joinville SC www.expogestao.com.br 5 NORMAS DE MONTAGEM CHECK LIST MONTAGEM 1- Entregar Termo de Responsabilidade ORIGINAL assinado pelo expositor e pelo responsável

Leia mais

II Desenho na escala de 1:100 (uma para cem); III Cotas necessárias à perfeita compreensão do projeto; 1º - O projeto simplificado deverá apresentar:

II Desenho na escala de 1:100 (uma para cem); III Cotas necessárias à perfeita compreensão do projeto; 1º - O projeto simplificado deverá apresentar: Institui Projeto Simplificado e dispõe sobre a forma de apresentação de projetos de construção de edificações residenciais unifamiliares, e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE GUARATINGUETÁ

Leia mais

PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO. Material elaborado pelo Professor Edison T Rego

PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO. Material elaborado pelo Professor Edison T Rego PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO Material elaborado pelo Professor Edison T Rego SISTEMA DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES Extintores Sistema de proteção mais simples e mais usado Tem como objetivo: Armazenar os agentes

Leia mais

Portaria n.º 1276/2002 de 19 de Setembro

Portaria n.º 1276/2002 de 19 de Setembro Portaria n.º 1276/2002 de 19 de Setembro O artigo 4.º do Decreto-Lei n.º 410/98, de 23 de Dezembro, que aprovou o Regulamento de Segurança contra Incêndio em Edifícios de Tipo Administrativo, determina

Leia mais

Módulo 2 - Sistemas básicos de proteção passiva contra incêndio

Módulo 2 - Sistemas básicos de proteção passiva contra incêndio Módulo 2 - Sistemas básicos de proteção passiva contra incêndio Apresentação do módulo Os sistemas de proteção contra incêndio e pânico são classificados em duas categorias distintas: proteção passiva

Leia mais

NORMA TÉCNICA N. O 004/2008

NORMA TÉCNICA N. O 004/2008 ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA E DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COORDENADORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS NORMA TÉCNICA N. O 004/2008 SISTEMA DE PROTEÇÃO POR APARELHOS EXTINTORES

Leia mais

AQUISIÇÃO DE PLACAS DE SINALIZAÇÃO E EXTINTORES DE INCÊNDIO (PB-SBRH-002-2014)

AQUISIÇÃO DE PLACAS DE SINALIZAÇÃO E EXTINTORES DE INCÊNDIO (PB-SBRH-002-2014) ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA AQUISIÇÃO DE PLACAS DE SINALIZAÇÃO E EXTINTORES DE INCÊNDIO (PB-SBRH-002-2014) Maio 2014 Caderno de Especificações Técnicas Segurança do Trabalho de Sobradinho 1/19 ESPECIFICAÇÃO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Anexo I-A: Projeto Arquitetônico

MEMORIAL DESCRITIVO. Anexo I-A: Projeto Arquitetônico Fornecimento e Instalação de Brises na Fachada Oeste do Edifício Sede do MPDFT Sumário MEMORIAL DESCRITIVO Anexo I-A: Projeto Arquitetônico 1.Descrição dos Serviços...2 2.Serviços Preliminares...2 2.1.Tapumes

Leia mais

NORMA TÉCNICA Nº 006/2013 CBMPB

NORMA TÉCNICA Nº 006/2013 CBMPB 1 NORMA TÉCNICA Nº 006/2013 CBMPB Sinalização de Segurança e Emergência Contra Incêndio e Pânico Publicada no Diário Oficial nº xx.xxx de xx de fevereiro de 2013. SUMÁRIO 1-Objetivo 2-Aplicação 3-Referências

Leia mais

ANEXO AO COMUNICADO Nº 45 GT PETROBRAS-ABEMI-ABCE. ANEXO... - REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAÇÃO PROVISÓRIA DE CANTEIRO DE OBRAS Rev.

ANEXO AO COMUNICADO Nº 45 GT PETROBRAS-ABEMI-ABCE. ANEXO... - REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAÇÃO PROVISÓRIA DE CANTEIRO DE OBRAS Rev. ANEXO AO COMUNICADO Nº 45 GT PETR-ABEMI-ABCE ANEXO... - REQUISITOS BÁSICOS PARA Rev. 0 SUMÁRIO 1 OBJETIVO 2 2 PREMISSAS GERAIS 2 3 CÓDIGOS, NORMAS E MANUAIS APLICÁVEIS 3 4 REQUISITOS PARA ARQUITETURA,

Leia mais

PROJETO BÁSICO. 4. DOS LOCAIS Os extintores de incêndio estão instalados nos dois prédios do Campus Campos do Jordão do IFSP, sendo:

PROJETO BÁSICO. 4. DOS LOCAIS Os extintores de incêndio estão instalados nos dois prédios do Campus Campos do Jordão do IFSP, sendo: PROJETO BÁSICO 1. OBJETO Contratação de empresa especializada em recarga de extintores de incêndio com fornecimento de material, teste hidrostático, reposição de peças e sinalização de segurança, destinadas

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS E CADERNO DE ENCARGOS

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS E CADERNO DE ENCARGOS EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS E CADERNO DE ENCARGOS Recuperação da Fachada do CTCE, localizado na Av. Durval de Góes Monteiro, 7037, Tabuleiro dos Martins, Maceió/

Leia mais

ANEXO 1 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA

ANEXO 1 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA ANEXO CÓDIGO NT-4 S S/S2 PRÉDIO DA NOVA SEDE DA SEÇÃO JUDICIÁRIA - VITÓRIA MATERIAL PVC mm de espessura pendente no forro com S e S2 em cada face da placa, fundo verde, DIMENSÕES MÍNIMAS (mm) TEXTO LOCAL

Leia mais

LAUDO TÉCNICO ESPECÍFICO

LAUDO TÉCNICO ESPECÍFICO LAUDO TÉCNICO ESPECÍFICO Conforme NR-10 ACME S.A Ind. Com. 1 de 9 IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO Identificação do Responsável pela Execução do Serviço. Nome: Empresa: Registro: Local de Execução do Serviço.

Leia mais

ANEXO III DIRETRIZES BÁSICAS DO PROJETO

ANEXO III DIRETRIZES BÁSICAS DO PROJETO ANEXO III DIRETRIZES BÁSICAS DO PROJETO VOLUME IV - PROJETO DE ENGENHARIA E MATERIAL RODANTE PROJETOS ARQUITETÔNICOS E DEMAIS PROJETOS TÉCNICOS PREDIAIS PROJETO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIOS 1 3.2.6.10.

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina CONTRATO N. 009/2011 Contrato para a elaboração de Projeto Executivo de Coberturas e fechamento de terraços em Estrutura Metálica e Vidro para os Cartórios

Leia mais

Instrução Técnica nº 25/2011 - Segurança contra incêndio para líquidos combustíveis e inflamáveis - Parte 3 Armazenamento... 625

Instrução Técnica nº 25/2011 - Segurança contra incêndio para líquidos combustíveis e inflamáveis - Parte 3 Armazenamento... 625 Instrução Técnica nº 25/2011 - Segurança contra incêndio para líquidos combustíveis e inflamáveis - Parte 3 Armazenamento... 625 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 15

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 15 ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 15 CONTROLE DE FUMAÇA PARTE 2 CONCEITOS, DEFINIÇÕES E COMPONENTES DO SISTEMA

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CONCORRÊNCIA Nº 04/2015 PROCESSO Nº 23306.001225/2014-58 ANEXO I PROJETO BÁSICO OBJETO

Leia mais

Termo de Garantia. Extinção da Garantia

Termo de Garantia. Extinção da Garantia OBS IMPORTANTE: Você esta adquirindo um produto de segurança. Verifique com o Engenheiro responsável da obra, se ele atende as necessidades para o local onde será Instalado, pois todo o equipamento de

Leia mais

FÓRUM DE POÇÕES MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DAS INSTALAÇÕES DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO E SPDA

FÓRUM DE POÇÕES MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DAS INSTALAÇÕES DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO E SPDA TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA FÓRUM DE POÇÕES MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DAS INSTALAÇÕES DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO E SPDA EMPRESA RESPONSÁVEL: Senemig Engenharia LTDA RESPONSÁVEIS

Leia mais

Projeto para. Pavimentação de Calçamento. de Pedra Irregular. da Rua Cândida Correa Becker. dos Trechos Esquina Modesto Vargas. até Manoel Schumacker

Projeto para. Pavimentação de Calçamento. de Pedra Irregular. da Rua Cândida Correa Becker. dos Trechos Esquina Modesto Vargas. até Manoel Schumacker Projeto para Pavimentação de Calçamento de Pedra Irregular da Rua Cândida Correa Becker dos Trechos Esquina Modesto Vargas até Manoel Schumacker MONTE CARLO SC Janeiro de 2014 Proprietário: PREFEITURA

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES GERAIS

CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES GERAIS CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES GERAIS Instalação do sistema de geração de ozônio na piscina coberta do Centro de Atividades do SESC Ceilândia. Brasília-DF COMAP/DIAD Página 1 BASES TÉCNICAS PARA

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 001/2014

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 001/2014 Anexo I TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 001/2014 1 DO OBJETO 1.1 Prestação de serviços de instalação de piso elevado acessível, com fornecimento de componentes, acessórios e materiais, visando

Leia mais

LAUDO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO E PÂNICO

LAUDO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO E PÂNICO LAUDO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO E PÂNICO IDENTIFICAÇÃO DO ESTÁDIO Nome do estádio: Apelido do estádio: Endereço completo do estádio: Cidade: Estado: Site: Proprietário: E-mail: Gestor do estádio:

Leia mais

SECRETARIA ESPECIAL DE PORTOS COMPANHIA DAS DOCAS DO ESTADO DA BAHIA AUTORIDADE PORTUÁRIA

SECRETARIA ESPECIAL DE PORTOS COMPANHIA DAS DOCAS DO ESTADO DA BAHIA AUTORIDADE PORTUÁRIA CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REFERENTES A SERVIÇOS DE REFORMA PARA ELIMINA- ÇÃO DE PONTOS DE ABRIGO DE POMBOS, NO PRÉDIO SEDE DA CODEBA, LOCALIZADO NO PORTO ORGANIZADO DE SALVADOR-BA.

Leia mais

Memorial de Projeto. Agência Sobradinho II Novas Instalações. Prevenção e Combate à Incêndio. Código do Projeto: Nº da OES: 150/2012

Memorial de Projeto. Agência Sobradinho II Novas Instalações. Prevenção e Combate à Incêndio. Código do Projeto: Nº da OES: 150/2012 Pág. 1 Memorial de Projeto Prevenção e Combate à Incêndio Cliente: Unidade: Assunto: BRB Agência Sobradinho II Novas Instalações Código do Projeto: 5163-12 Nº da OES: 150/2012 Pág. 2 Índice A. Memorial

Leia mais

MANUAL DO EXPOSITOR. De 5 a 8 de junho, das 14h às 22h Local: Armazém Cultural Av. Calógeras, 3110 (Próximo à Feira Central)

MANUAL DO EXPOSITOR. De 5 a 8 de junho, das 14h às 22h Local: Armazém Cultural Av. Calógeras, 3110 (Próximo à Feira Central) MANUAL DO EXPOSITOR De 5 a 8 de junho, das 14h às 22h Local: Armazém Cultural Av. Calógeras, 3110 (Próximo à Feira Central) SEMADUR Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano Sumário

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO DA 2ª REGIÃO/SP ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PREGÃO ELETRÔNICO Nº.

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO DA 2ª REGIÃO/SP ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PREGÃO ELETRÔNICO Nº. ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PREGÃO ELETRÔNICO Nº. 27/2011 TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO 1.1. Contratação de empresa especializada na prestação de serviços de engenharia elétrica para elaboração de projeto

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS ANEXO A TERMO DE REFERÊNCIA GEMAP Nº 02/2008

MINISTÉRIO DA FAZENDA SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS ANEXO A TERMO DE REFERÊNCIA GEMAP Nº 02/2008 MINISTÉRIO DA FAZENDA SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS ANEXO A TERMO DE REFERÊNCIA GEMAP Nº 02/2008 1 DO OBJETO Visa à contratação de empresa especializada nos serviços de fornecimento, entrega e instalação

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE REFORMA E ADAPTAÇÃO EM EDIFÍCIO PARA SEDE DA PTM DE BARUERI

TERMO DE REFERÊNCIA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE REFORMA E ADAPTAÇÃO EM EDIFÍCIO PARA SEDE DA PTM DE BARUERI ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PREGÃO ELETRÔNICO Nº. 24/2011 TERMO DE REFERÊNCIA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE REFORMA E ADAPTAÇÃO EM EDIFÍCIO PARA SEDE DA PTM DE BARUERI 1. OBJETO 1.1. Contratação de empresa

Leia mais

PROJETO BÁSICO OBRA DE REFORMA E AMPLIAÇÃO DA AC CERES - DR/GO ENDEREÇO: AVENIDA PRESIDENTE VARGAS, LOTE 34, QUADRA Q, SETOR CENTRAL, CERES - GOIÁS

PROJETO BÁSICO OBRA DE REFORMA E AMPLIAÇÃO DA AC CERES - DR/GO ENDEREÇO: AVENIDA PRESIDENTE VARGAS, LOTE 34, QUADRA Q, SETOR CENTRAL, CERES - GOIÁS PROJETO BÁSICO PROJETO BÁSICO PARA: OBRA DE REFORMA E AMPLIAÇÃO DA AC CERES - DR/GO OBJETO DA LICITAÇÃO: O objeto da presente licitação é a OBRA DE REFORMA E AMPLIAÇÃO DA AC CERES - DR/GO, na forma de

Leia mais

ANEXO 1 TERMO DE REFERÊNCIA Reforma do paisagismo da nova Sede da JFES

ANEXO 1 TERMO DE REFERÊNCIA Reforma do paisagismo da nova Sede da JFES ANEXO 1 TERMO DE REFERÊNCIA Reforma do paisagismo da nova Sede da JFES 1 OBJETO: 1.1 Contratação de empresa especializada para reforma do paisagismo da Sede da Justiça Federal no Espírito Santo. 1.2 O

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS E PROCEDIMENTOS DEPRO - UTFPR

ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS E PROCEDIMENTOS DEPRO - UTFPR ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS E OCEDIMENTOS DEO - UTF LONDRINA- 2010 CADERNO DE ENCARGOS DEO UTF 0 ÍNDICE 1 ÁTICA GERAL DE CONSTRUÇÃO...1 1.1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS...1 1.2 TERMINOLOGIA...1 1.3 SISTEMAS

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA EXPOSITORES E MONTADORA SERVIÇOS DE INFRA-ESTRUTURA E PROVIDÊNCIAS LEGAIS HOTEL GLÓRIA CAXAMBU

PROCEDIMENTOS PARA EXPOSITORES E MONTADORA SERVIÇOS DE INFRA-ESTRUTURA E PROVIDÊNCIAS LEGAIS HOTEL GLÓRIA CAXAMBU PROCEDIMENTOS PARA EXPOSITORES E MONTADORA SERVIÇOS DE INFRA-ESTRUTURA E PROVIDÊNCIAS LEGAIS HOTEL GLÓRIA CAXAMBU Cabe ao expositor regularizar seu estande perante as repartições federais, estaduais e

Leia mais

ANEXO I EDITAL CONVITE nº 007/2005-ANATEL-ER01 PROCESSO nº 53504.018.436/2005 PROJETO BÁSICO

ANEXO I EDITAL CONVITE nº 007/2005-ANATEL-ER01 PROCESSO nº 53504.018.436/2005 PROJETO BÁSICO ANEXO I EDITAL CONVITE nº 007/2005-ANATEL-ER01 PROCESSO nº 53504.018.436/2005 PROJETO BÁSICO CONDIÇÕES DE CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA DOS ELEVADORES ESCRITÓRIO REGIONAL DA

Leia mais

ANEXO VIII TOMADA DE PREÇOS Nº 001 /2012 MINUTA DO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Nº /2012

ANEXO VIII TOMADA DE PREÇOS Nº 001 /2012 MINUTA DO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Nº /2012 ANEXO VIII TOMADA DE PREÇOS Nº 001 /2012 MINUTA DO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Nº /2012 Contrato de prestação de serviços de engenharia que entre si celebram a JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DE GOIÁS

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR ESTADO DE GOÁS SECRETARA DA SEGURANÇA PÚBLCA CORPO DE BOMBEROS MLTAR DRETORA DE DEFESA CVL Gerência de Segurança Contra ncêndio e Pânico NORMA TÉCNCA n. 40, de 05/03/07 Sistema de Proteção Contra Descargas

Leia mais

RISCI RELATORIO DE INSPEÇÃO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO CAISM

RISCI RELATORIO DE INSPEÇÃO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO CAISM RISCI RELATORIO DE INSPEÇÃO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO CAISM Ano 2015 CIPA/UNICAMP Sumário: 1 Objetivo e Aplicação. 2 Embasamento Técnico Legal. 3 Síntese da solicitação. 4 Adequações. 5 Penalidades.

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PORTARIA N. 2, DE 08 DE MAIO DE 1984 O SECRETÁRIO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, no uso das atribuições que lhe confere

Leia mais

ANEXO I AO EDITAL DE PREGÃO AMPLO Nº 3/2009-ER01AF/ER01 TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ANEXO I AO EDITAL DE PREGÃO AMPLO Nº 3/2009-ER01AF/ER01 TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ANEXO I AO EDITAL DE PREGÃO AMPLO Nº 3/2009-ER01AF/ER01 TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA NAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, HIDRÁULICAS, SANITÁRIA, COMBATE A INCÊNDIO

Leia mais

ANEXO I-B PREGÃO ELETRÔNICO Nº 3/2012 ENCARTE DE SERVIÇOS DE RECURSOS HUMANOS

ANEXO I-B PREGÃO ELETRÔNICO Nº 3/2012 ENCARTE DE SERVIÇOS DE RECURSOS HUMANOS ANEXO I-B PREGÃO ELETRÔNICO Nº 3/2012 ENCARTE DE SERVIÇOS DE RECURSOS HUMANOS 1. DOS SERVIÇOS DE RECURSOS HUMANOS 1.1 Compreende-se por serviços de Recursos Humanos, para fins deste Termo de Referência,

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA COORDENAÇÃO DE COMPRAS COSCOM (GESUS) 1 de 9 OBJETIVO: Este Termo de Referência tem por objetivo definir o escopo do processo licitatório de constituição de Registro de Preço para eventual contratação

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Contratação de empresa especializada para serviços de desmontagem, remoção e montagem

TERMO DE REFERÊNCIA. Contratação de empresa especializada para serviços de desmontagem, remoção e montagem Contratação de empresa especializada para serviços de desmontagem, remoção e montagem de 01 (um) Arquivo Deslizante, com acionamento mecânico, destinados ao armazenamento de documentos e acervos do SEBRAE

Leia mais

NR 23 - PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS COMBATE AO FOGO CLASSES DE FOGO. SENAI - Carlos Eduardo do Vale Melo NR-23 PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO

NR 23 - PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS COMBATE AO FOGO CLASSES DE FOGO. SENAI - Carlos Eduardo do Vale Melo NR-23 PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO NR- PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO NR - PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS A proteção contra incêndios é uma das Normas Regulamentadoras que disciplina sobre as regras complementares de segurança e saúde no trabalho

Leia mais

CADASTRO E CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS E RESPONSÁVEIS TÉCNICOS

CADASTRO E CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS E RESPONSÁVEIS TÉCNICOS ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE SERVIÇOS TÉCNICOS NORMA TÉCNICA DO CORPO DE BOMBEIROS Nº 039/2006 CADASTRO E CREDENCIAMENTO

Leia mais

Anexo 7 Apólices de Seguros

Anexo 7 Apólices de Seguros Anexo 7 Apólices de Seguros A CONCESSIONÁRIA deverá contratar e manter vigentes durante todo o prazo da CONCESSÃO as seguintes apólices de seguros: 1. Riscos Nomeados, para cobertura dos bens patrimoniais

Leia mais

NORMA TÉCNICA Nº. 19/2012 SISTEMAS DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO

NORMA TÉCNICA Nº. 19/2012 SISTEMAS DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO NORMA TÉCNICA Nº. 19/2012 SISTEMAS DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO NORMA TÉCNICA N. 19/2012 SISTEMAS DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO CBMGO CBMGO - CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS SUMÁRIO

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Pato Branco Departamento de Projetos e Obras MEMORIAL DESCRITIVO

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Pato Branco Departamento de Projetos e Obras MEMORIAL DESCRITIVO Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Pato Branco Departamento de Projetos e Obras PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ MEMORIAL DESCRITIVO FORNECIMENTO E EXECUÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE EVENTOS Centro de Exposições do CIETEP / FIEP

REGULAMENTO GERAL DE EVENTOS Centro de Exposições do CIETEP / FIEP REGULAMENTO GERAL DE EVENTOS Centro de Exposições do CIETEP / FIEP PARTE I DOS ASPECTOS GERAIS CLÁUSULA PRIMEIRA. Intransferibilidade. É vedado ao CESSIONÁRIO transferir a terceiros, total ou parcialmente,

Leia mais

Rua Mauá, 51 Luz - São Paulo/SP PABX: (11) 2627-8000

Rua Mauá, 51 Luz - São Paulo/SP PABX: (11) 2627-8000 MEMORIAL DESCRITIVO QUADRA 50 SETOR 8 RUA HELVÉTIA, ALAMEDA DINO BUENO, PRAÇA JÚLIO PRESTES E ALAMEDA CLEVELAND DEMOLIÇÃO DAS EDIFICAÇÕES EXISTENTES CAMPOS ELÍSEOS SÃO PAULO/SP Contratação de empresa especializada

Leia mais

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Fazenda Departamento Geral de Administração e Finanças TERMO DE REFERÊNCIA

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Fazenda Departamento Geral de Administração e Finanças TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA Código de Classificação: 13.02.01.15 1 DO OBJETO: A presente licitação tem por objeto a contratação de empresa para prestação dos serviços de cobertura securitária (seguro) para assegurar

Leia mais

MANUAL PARA MONTADORAS

MANUAL PARA MONTADORAS MANUAL PARA MONTADORAS 1. PERÍODO DE REALIZAÇÃO DO EVENTO: De 11 a 15 de Abril de 2016, das 08:00 às 18:00h. 2. PERÍODO DE MONTAGENS E DESMONTAGENS DOS STANDS Período de montagem de stands será de 21/03/2016

Leia mais

RESPONSABILIDADE DA CONSTRUTORA E GARANTIA

RESPONSABILIDADE DA CONSTRUTORA E GARANTIA RESPONSABILIDADE DA CONSTRUTORA E GARANTIA A San Juan Empreendimentos Imobiliários Ltda responderá pelo prazo de 05 (cinco) anos a contar término da obra, pela solidez e segurança da edificação. Portanto,

Leia mais

ANEXO II CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ARQUIVOS DESLIZANTES

ANEXO II CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ARQUIVOS DESLIZANTES ANEXO II CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ARQUIVOS DESLIZANTES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE ARQUIVOS DESLIZANTES DESTINADOS À EDIFICAÇÃO DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ANATEL RIO GRANDE DO SUL,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A EXECUÇÃO DE UM MURO EM CONCRETO ARMADO, NO CANTEIRO CENTRAL DA RUA ÁLVARO ALVIN.

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A EXECUÇÃO DE UM MURO EM CONCRETO ARMADO, NO CANTEIRO CENTRAL DA RUA ÁLVARO ALVIN. TERMO DE REFERÊNCIA PARA A EXECUÇÃO DE UM MURO EM CONCRETO ARMADO, NO CANTEIRO CENTRAL DA RUA ÁLVARO ALVIN. ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1- GENERALIDADES 1.1- Trata a presente Licitação na execução

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS M E M O R I A L D E S C R I T I V O E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S C R I T É R I O D E M E D I Ç Ã O

CADERNO DE ENCARGOS M E M O R I A L D E S C R I T I V O E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S C R I T É R I O D E M E D I Ç Ã O CADERNO DE ENCARGOS M E M O R I A L D E S C R I T I V O E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S C R I T É R I O D E M E D I Ç Ã O SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO PROPRIETÁRIO: CONSELHO REGIONAL

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA IN Nº 008 Licenciamento Ambiental de Condomínios Residenciais Horizontais e Verticais e Atividade de Hotelaria

INSTRUÇÃO NORMATIVA IN Nº 008 Licenciamento Ambiental de Condomínios Residenciais Horizontais e Verticais e Atividade de Hotelaria INSTRUÇÃO NORMATIVA IN Nº 008 Licenciamento Ambiental de Condomínios Residenciais Horizontais e Verticais e Atividade de Hotelaria Disciplina o processo de licenciamento ambiental de condomínios residenciais

Leia mais

NORMA TÉCNICA 09/2014

NORMA TÉCNICA 09/2014 É ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA 09/2014 Compartimentação horizontal e vertical SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências normativas e bibliográficas

Leia mais

SEGURANÇA E PREVENÇÃO CONTRA INCENDIOS

SEGURANÇA E PREVENÇÃO CONTRA INCENDIOS SEGURANÇA E PREVENÇÃO CONTRA INCENDIOS SEGURANÇA DO TRABALHO E BOMBEIROS UNIFESP GUARULHOS 2013/2014 Prezad@s companheiros de atividades, UNIFESP GUARULHOS A notícia que correu o mundo neste inicio de

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÕES GERAIS SISTEMA DE AR CONDICIONADO

ANEXO I ESPECIFICAÇÕES GERAIS SISTEMA DE AR CONDICIONADO ANEXO I ESPECIFICAÇÕES GERAIS SISTEMA DE AR CONDICIONADO 1. OBJETIVO O presente memorial tem pôr objetivo conceituar, definir e apresentar as bases do sistema de ar condicionado que irá atender ao imóvel

Leia mais

- FUNDAÇÃO DE APOIO AO HEMOSC/CEPON

- FUNDAÇÃO DE APOIO AO HEMOSC/CEPON CP 290/2015 TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO Contratação de empresa especializada para execução, nas unidades HEMOSC Coordenador, CEPON Complexo, FAHECE-Sede, Almoxarifado FAHECE e Hospital de Apoio do

Leia mais

Sinalização de Emergência

Sinalização de Emergência SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências normativas e bibliográficas 4 Definições INSTRUÇÃO

Leia mais

IT - 11 PLANO DE INTERVENÇAO DE INCÊNDIO

IT - 11 PLANO DE INTERVENÇAO DE INCÊNDIO IT - 11 PLANO DE INTERVENÇAO DE INCÊNDIO SUMÁRIO ANEXOS 1 Objetivo A Planilha de levantamento de dados 2 Aplicação B Fluxograma do Plano de Intervenção de Incêndio 3 Referências Normativas e Bibliográficas

Leia mais

Termo de Situação Física das Áreas

Termo de Situação Física das Áreas Termo de Situação Física das Áreas O presente termo apresenta características físicas e tem a finalidade de informar ao Licitante as adequações necessárias nas áreas objeto da concessão, destinadas à exploração

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE SERVIÇOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL PREVENTIVA E CORRETIVA PARA MANUTENÇÃO DAS UNIDADES ESCOLARES E PREDIAIS DA SEED

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE SERVIÇOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL PREVENTIVA E CORRETIVA PARA MANUTENÇÃO DAS UNIDADES ESCOLARES E PREDIAIS DA SEED ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE SERVIÇOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL PREVENTIVA E CORRETIVA PARA MANUTENÇÃO DAS UNIDADES ESCOLARES E PREDIAIS DA SEED Página 1 de 11 ASSUNTO: EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL PREVENTIVA

Leia mais