CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL NBR15401 EM MEIOS DE HOSPEDAGEM: POUSADA SPA DON RAMÓN/CANELA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL NBR15401 EM MEIOS DE HOSPEDAGEM: POUSADA SPA DON RAMÓN/CANELA"

Transcrição

1 CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL NBR15401 EM MEIOS DE HOSPEDAGEM: POUSADA SPA DON RAMÓN/CANELA Denise de Souza Mestranda em Turismo pelo Programa de Pós Graduação em Turismo - Universidade de Caxias do Sul. Caxias do Sul, RS Leonardo Reichert Mestrando em Turismo pelo Programa de Pós Graduação em Turismo - Universidade de Caxias do Sul. Caxias do Sul, RS Leidh Jeane Sampietro Mestranda em Turismo pelo Programa de Pós Graduação em Turismo - Universidade de Caxias do Sul. Caxias do Sul, RS Resumo: A pesquisa demonstra a importância da certificação ambiental em meios de hospedagem, através do estudo de caso realizado na Pousada Spa Don Ramón ( Canela RS). O empreendimento de hospedagem é certificado e trabalha continuamente para cumprir com as determinações exigidas para que se obtenha o reconhecimento das práticas ambientais. Inserindo a comunidade, realizando treinamentos de funcionários, atuando através da educação ambiental e com isso, reduzindo os níveis de consumo de recursos naturais. A Pousada Spa Don Ramón apresenta-se como um diferencial aos tradicionais serviços hoteleiros, se colocando como uma mola propulsora ao desenvolvimento sustentável do turismo. Palavras-chave: Certificação Ambiental; Estudo de Caso; Pousada Spa Don Ramón; Turismo sustentável. NBR15401 ENVIRONMENTAL CERTIFICATION IN HOTELS: DON RAMON HOTEL SPA / CANELA Abstract: This research demonstrates the importance of environmental certification on hotels, showing the case study carried out in Hotel Spa Don Ramón (Canela - RS). The hotel is certified and continually works to comply with the determinations required in order to obtain the recognition of environmental practices. With the participation of the local community, conducts training of employees, operates through environmental education and because of that, reducing the levels of consumption of natural resources. The Hotel Spa Don Ramón is presented as a differential to the traditional hotel services, being a supporter of sustainable tourism development. Keywords: Environmenntal certification; Case study; Hotel Spa Don Ramón; Sustainable Tourism; 1. INTRODUÇÃO Sustentabilidade e impactos causados pelo homem à natureza, agredindo e prejudicando o meio ambiente, são assuntos retratados na atualidade por todas as áreas da pesquisa científica. A produção e consumo excessivos, sem à devida preocupação com os prejuízos que trariam a longo prazo, resultaram na situação atual, com consequências que tendem a ser cada vez mais prejudiciais não só ao homem, mas à todo ambiente, caso não houverem ações significativas para modificar o

2 cenário. Já não é mais suficiente o discurso ambientalista utilizado no passado, a necessidade de medidas é imediata e cabe a todos dentro de seus determinados setores da economia adota-las. Quando se busca atingir a definição de empreendimento sustentável, Carvalho, Naime e Blanco (2009), destacam a importância da responsabilidade ambiental: A responsabilidade ambiental é uma das principais características de uma organização de classe mundial e os benefícios em longo prazo para a hotelaria ao aderir à programas ecológicos são visíveis, pois todos estarão ajudando a proteger o meio ambiente local, que é essencial para o futuro das empresas, principalmente neste setor (CARVALHO; NAIME; BLANCO, 2009, p.18). Apoiando-se no artigo 225 da Constituição de 1988 que determina que todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações (BRASIL, 1988). Podemos afirmar que os empreendimentos turísticos, neste sentido, não devem esperar que a solução para os problemas ambientais venha do Poder Público, mas sim criar mecanismos internos de minimização de impactos e degradação ambiental. As organizações possuem papel importante no consumo e consequentemente, na contribuição com o que definem ser sustentabilidade. Para que sejam classificadas como empreendimentos sustentáveis, precisam seguir a legislação e normatização existentes, em busca de obter as certificações e o reconhecimento público. Moura (2008) aborda em seus estudos a importância da identificação dos aspectos e impactos ambientais, principalmente para a realização da avaliação de desempenho ambiental da organização. Com base nestas justificativas é que este trabalho expõem as informações referentes à organização POUSADA E SPA DON RAMON. A referida pousada localiza-se na cidade de Canela, Rio Grande do Sul. O local, segundo depoimento dos proprietários, Esther Atz e Vicente Atz, trabalha com um sistema de Gestão Sustentável, que envolve colaboradores, hóspedes, fornecedores e parceiros, através de um sistema comprometido com a qualidade e origem dos produtos e serviços oferecidos, bem como aspectos de esfera ambiental e sociocultural, gerados ou impactados pelas atividades da empresa em seu entorno. O local, que possui certificações explicitadas nas páginas seguintes, pode ser demonstrado como um bom exemplo de empreendimento turístico com uma gestão ambiental reconhecida e bem planejada. A pesquisa utilizou-se de estudo de caso para relato sobre um aspecto diferencial em um meio de hospedagem. Para Tull (1976) um estudo de caso refere-se a uma análise intensiva de uma situação particular, sendo a descrição de uma situação. Bressan ( ), afirma que o Método do Estudo de Caso obtém evidências a partir de seis fontes de dados: documentos, registros de arquivos, entrevistas, observação direta, observação participante e artefatos físicos e cada uma delas requer habilidades específicas e procedimentos metodológicos específicos Definições do Turismo Sustentável O conceito do Turismo Sustentável, conforme a Organização Mundial do Turismo (2003) está ligado a três aspectos importantes: qualidade, continuidade e equilíbrio. De uma maneira ou de outra, o turismo sustentável é definido como

3 modelo de desenvolvimento econômico projetado para melhorar a qualidade de vida da população local, das pessoas que vivem e trabalham no local turístico além de prover experiência de melhor qualidade para o visitante, mantendo a qualidade do meio ambiente da qual depende a população local e os visitantes. O desenvolvimento do turismo de forma sustentável pode suprir necessidades econômicas, sociais e estéticas, mantendo íntegra a cultura e os processos ecológicos. Deve trazer benefícios às gerações presentes sem diminuir as possibilidades de obtenção de benefícios para as gerações futuras, ficando assim, muito clara a relevância de práticas sustentáveis (OMT, 2003). Swarbrooke (2000) descreve os princípios fundamentais para o turismo sustentável. O autor afirma que não se referem apenas a proteção ao meio ambiente, também estão ligados a viabilidade econômica a longo prazo e a justiça social, resultando em iniciativas planejadas com o objetivo de práticas de turismo sustentável que trazem benefícios a algumas pessoas e prejuízos a outras, o que torna o assunto político. Ainda evidencia que o turismo sustentável não pode ser separado do debate mais amplo sobre desenvolvimento sustentável em geral, e que o progresso em direção a formas mais sustentáveis de turismo dependerá muito mais das atividades do setor turístico e das atitudes do turista, do que de ações de órgãos do setor público. A Organização Mundial do Turismo (2003) destaca que existem numerosos exemplos de desenvolvimentos urbanos não integrados à paisagem, com justaposição de edifícios de estilos diferentes, que não seguem as formas de construção habituais da área receptora e as tradições urbano-arquitetônicas da região. Também salienta que além dos impactos estéticos e paisagísticos, esse tipo de desenvolvimento arquitetônico provoca segregação dos moradores locais, especialmente nos países menos desenvolvidos onde a população receptora não dispõe de recursos suficientes para ceder às facilidades turísticas. A atividade turística traz impactos positivos e negativos e a responsabilidade dos mesmos, assim como planejamento, cabe à todos os envolvidos Turismo, empreendimentos e impactos ambientais Os empreendimentos devem ser aliados na construção do turismo sustentável, para que a prática turística venha a contribuir positivamente. A Lei nº 9.795, que dispõe sobre a educação ambiental e institui a Política Nacional de Educação Ambiental (1999), busca primeiramente definir o que realmente a educação ambiental representa: Entendem-se por educação ambiental os processos por meio dos quais o indivíduo e a coletividade constroem valores sociais, conhecimentos, habilidades, atitudes e competências voltadas para a conservação do meio ambiente, bem de uso comum do povo, essencial à sadia qualidade de vida e sua sustentabilidade (BRASIL, 1999). Ressalta-se então a importância da Educação Ambiental como instrumento criador de valores ambientalmente éticos e conscientes, capazes de auxiliar na conservação do meio ambiente e propiciar, desta forma, o desenvolvimento sustentável de qualquer atividade que ocorra neste meio. A Educação Ambiental é considerada uma ferramenta essencial de sensibilização e tratamento das questões

4 ambientais como forma de prevenir os problemas antes de seu aparecimento. Assim, educando as pessoas para que venham a cuidar melhor do meio em que vivem, estar-se-á evitando ou prevenindo problemas antes mesmo que possam causar prejuízos ambientais. A Educação Ambiental é essencial para que sejam conhecidos todos os direitos e responsabilidades dos seres humanos sobre a natureza (SPAREMBERGER e ROLIM, 2005), ou seja, é através da Educação Ambiental que se busca conhecer o meio ambiente para que, da melhor forma possível, possamos preservá-lo. A mesma Lei supracitada, em seu artigo terceiro, incumbe às empresas, instituições públicas ou privadas, a promover programas que se destinem a capacitação de trabalhadores sobre as repercussões do processo produtivo no meio ambiente. Ou seja, a relevância do assunto para os empreendimentos está cada vez mais aprimorando ferramentas para que se auxiliem as empresas a se tornarem mais do que somente ditas sustentáveis, mas que o façam na prática. Para que se compreenda a importância de um programa de gestão ambiental qualificado em um meio de hospedagem, a NBR 15401, através da normatização, identifica os aspectos do sistema de gestão do empreendimento que constituem fatores-chave da sustentabilidade: Organizações de todos os tipos no setor do turismo estão cada vez mais preocupadas em atingir e demonstrar um desempenho correto em relação à sustentabilidade, gerindo o impacto de suas atividades, produtos ou serviços, levando em consideração sua política e seus objetivos de sustentabilidade (ABNT, 2006, p.7). A prática do Turismo interfere no ambiente assim como qualquer outra atividade causando impactos. Alves, (2008) identifica que o turismo enquanto ocorre, apresenta interferências ambientais, por ser um fenômeno que necessita do ambiente para acontecer e por conta disto, é preciso haver preocupação por parte dos envolvidos com a atividade, para manter reflexões construtivas ligadas aos possíveis impactos e danos ao ambiente e que o comportamento ambientalmente favorável ainda é pouco difundido por parte destes envolvidos. Os dois pilares que precisam ser compreendidos para obtenção das certificações ambientais, são aspectos ambientais e impactos ambientais e a diferenciação dos mesmos: O aspecto ambiental se caracteriza pela associação de um agente da poluição, (ou recurso natural esgotável) com um dado evento, (ou causa do aspecto ambiental) e impacto ambiental pela associação de um aspecto ambiental, com um dado evento, causador da modificação do meio ambiente (impacto ambiental) (MOURA, 2008, p. 112) Gestão Ambiental e meios de hospedagem Apoiando-se nos estudos de Silva e Maracajá (2012), parte-se da ideia de que a Gestão e a Educação Ambiental possa e deva ser aplicada às mais variadas áreas, pois quanto mais pessoas tiverem informações sobre a temática ambiental mais estarão propensas, por meio da mudança de hábitos, a agir de maneira sustentável visando à sustentabilidade do meio ambiente.

5 Os meios de hospedagem, como atuantes e como empreendimentos consumidores de recursos, precisam adaptar seus serviços a esta realidade levando em consideração a grande visibilidade que os fatores sustentáveis possuem. De Conto e Zaro (2011), sugerem a promoção de iniciativas que busquem a sensibilização de hóspedes quanto ao assunto meio ambiente: Sendo os hóspedes bem informados, automaticamente promove-se o senso ético desses indivíduos, fazendo com que os mesmos entendam a dimensão das suas atitudes e se sintam corresponsáveis pela geração de impactos ambientais nos destinos turísticos (DE CONTO e ZARO, 2011, p.16). Os mesmos autores, De Conto e Zaro (2011), também se referem ao senso ético que precisa ser estimulado entre os meios de hospedagem para maior visibilidade com as ações ambientais e sobre a necessidade da implantação destas ações em busca da redução de consumo de recursos naturais e controle da geração de resíduos. A referência em ações ambientais para os meios de hospedagem, como é o caso da POUSADA E SPA DON RAMÓN é a Norma Brasileira 15401, sendo o empreendimento citado, certificado pela mesma. A NBR (ABNT, 2006), descreve como transformar o empreendimento hoteleiro em um meio de hospedagem sustentável. Dentre as descrições, pode-se perceber que o fator social está também incluso nas necessidades de um empreendimento certificado: Ter o empreendimento registrado no CADASTUR (Sistema de Cadastro de Pessoas Físicas e Jurídicas que Atuam no Setor do Turismo); Possuir um sistema de tratamento de esgoto; Assegurar que os salários pagos aos colaboradores da empresa atendem no mínimo aos pisos da categoria dos contratados, usando referencias sindicais regionais; Dar preferência à população local para contratação de colaboradores; Oferecer capacitação e treinamentos voltados para os colaboradores e comunidade local; Ceder espaço do empreendimento para eventos culturais; Conscientizar o cliente quanto aos costumes locais. Por exemplo, para que não haja desrespeito às tradições locais e sítios sagrados. A NBR (ABNT, 2006), apresenta como princípios gerais, o respeito à legislação vigente, a garantia dos direitos da população local, a conservação do ambiente natural e sua biodiversidade, a consideração do patrimônio cultural e valores locais, o estímulo ao desenvolvimento social e econômico dos destinos turísticos, a garantia da qualidade dos produtos, processos e atitudes, o estabelecimento de gestão responsável através da gestão sustentável, arquitetura, etc. Dentro de cada um destes segmentos, existem inúmeras outras características para demonstrar o monitoramento, análise, requisitos e ações a serem elaboradas perante as situações do empreendimento hoteleiro que busca a certificação (ABNT, 2006).

6 Os turistas, aqui referenciados como hóspedes identificam a importância do assunto para o meio de hospedagem como pôde corroborar Alves (2008) em sua pesquisa que abordou um meio de hospedagem da mesma cidade adotada como objeto de estudo neste trabalho, a cidade de Canela: O fato de hóspedes considerarem práticas ambientais o saneamento básico como fatores de escolha de um meio de hospedagem torna visível a existência de um segmento de mercado que pode conseguir contemplar algumas variáveis necessárias para o crescimento harmônico de um empreendimento. Para isso devem ser consideradas variáveis sociais, ambientais, econômicas, políticas e culturais (ALVES, 2008, p. 103). 3. CIDADE DE CANELA E POUSADA SPA DON RAMÓN O meio de hospedagem escolhido para pesquisa é a Pousada e Spa Don Ramon, localizada no município de Canela, cidade reconhecida pelo potencial turístico e próxima a outras cidades que também são destaque do turismo no Rio Grande do Sul e no Brasil, como é o caso do município de Gramado. O município de Canela situa-se na extremidade Sul da Serra Geral, possui aproximadamente habitantes, segundo estimativa do IBGE (2010) e a oferta hoteleira aproximada em leitos segundo a Prefeitura de Canela (2013), é um dos 162 municípios gaúchos habilitados pelo CONSEMA (Conselho Estadual do Meio Ambiente), que dispõe de condições para fornecer licenciamento ambiental aos empresários dispostos a investir no município. Dentre os pontos turísticos de destaque, estão os atrativos naturais, como Parque Willibaldo Rinaldo Dieterich, Parque do Caracol, Parque da Ferradura, Parque do Pinheiro Grosso, Estação Verde Adventure Park, Parque das Sequóias, Alpen Park, além dos mirantes, da Catedral de Pedra e das vinícolas que oferecem visitações (ACIC, 2009). A Pousada e Spa Don Ramon adota o conceito de Spa relaxante através da empresa Spa Holgar D alma, oferecendo serviços que objetivam o relaxamento e a harmonia entre o corpo e a mente. Dentre os serviços oferecidos pela pousada, destacados pelos proprietários estão: transfer de hóspedes ao aeroporto, acesso a internet wi-fi, aquecimento nas acomodações, serviços de bar e restaurante, ar condicionado, sala de jogos, serviços de massagens relaxantes através do Spa, serviço de lavanderia, entre outros (Pousada Spa Don Ramon, 2012). O programa de serviços do Spa Holgar D Alma, conta com serviços terapêuticos através de bambuterapia, terapia das pedras quentes, drenagem linfática facial, massagem ayurvédica, hidratação facial com ouro 24k, banho de ofurô com saquê, banho de esfoliação indiana com utilização de ervas. Oferecem também chá da tarde com Chai indiano, massagens através de argiloterapia, massagens com aplicação de óleos, banho de rosas que utiliza pétalas de flor e ervas afrodisíacas, serviço de música-terapia, banho gourmet que agrega sais de chocolate e sais de morango e banho energizante com arruda e sal grosso. Conforme informações fornecidas no website da pousada, os serviços são divididos em programas, rituais, Spa Day e experiências. Os produtos utilizados nestes serviços são produzidos com ervas e óleos vegetais sem adição de parafina, parabeno e conservantes a base de formol que são mais agressivos à natureza. As 12 unidades habitacionais da

7 pousada são classificadas como suítes e possuem nas acomodações: televisor LCD, frigobar, ar condicionado, secador de cabelos, amenities biodegradáveis com aromas de ervas, lençóis térmicos, banheira de hidromassagem e lareira. Os valores das diárias custam de R$ 400 à R$ 1150 (POUSADA SPA DON RAMON, 2013). Além de possuir a certificação NBR 15401, possui também as certificações ISO 9001, ISO e ISO (respectivas normatizações de gestão de qualidade, gestão ambiental, sistema de gestão de responsabilidade social), Programa de Gestão de Qualidade Profissional e Gestão Sustentável Bem Receber, Selo Sustentável da Revista Guia 4 Rodas e destaque em premiações nacionais como pousada sustentável. A proprietária Esther Atz, (POUSADA SPA DON RAMON, 2012) afirma que a pousada desenvolveu um sistema de gestão, que caracteriza como um sistema vivo que, verifica, regula e desenvolve todos os aspectos e impactos gerados pelo estabelecimento em todas suas esferas, bem como promove a melhoria continua dos serviços e produtos com base em avaliações de satisfação de hóspedes, colaboradores e fornecedores. As esferas citadas acima são: esfera gerencial (política de sustentabilidade, responsabilidades da direção, planejamento, implementação e operação, verificação, monitoramento e ações corretivas, análise crítica, transparência, comunicação e promoção do Turismo Sustentável); esfera ambiental (preparação e atendimento a emergências ambientais, áreas naturais, flora e fauna, arquitetura e impactos da construção no local, paisagismo, emissões, efluentes e resíduos sólidos, eficiência energética, conservação e gestão do uso da água); esfera sócio-cultural (comunidade local, trabalho e renda, condições de trabalho, aspectos culturais, saúde e educação); esfera econômica (viabilidade econômica do empreendimento, qualidade e satisfação do cliente, saúde e segurança dos clientes e colaboradores, centro de custos controlado e metas de redução do mesmo, gestão de receitas qualificada, plano de negócios e planejamento estratégico). No Relatório de Sustentabilidade da Pousada Spa Don Ramon (2012), também estão disponibilizadas as informações referentes à missão, visão, valores e objetivos da empresa: Missão - Prestar serviços com qualidade diferenciada em hospitalidade, Eventos e terapias, buscar soluções inteligentes, manter a fidelização e superar as expectativas do nosso cliente. Visão - Ser uma empresa de qualidade e inovação, com seu conceito e objetivo bem comunicado com a demanda no sentido de promover Relaxamento e energização, sempre buscando diferencias e novas tendências, caminhar na frente do mercado e dos concorrentes. Atendimento forte com transparência, fidelidade, responsabilidade e inovação, sempre com foco em proporcionar experiências únicas aos clientes, com uma equipe atenta em antecipar e resolver as necessidades e desejos de nossos clientes. Com espírito agressivo, ambiente estimulante na busca de Cuidar de Nossos Hospedes em todos os sentidos ser único no mercado regional. Valores - Fidelidade aos clientes, profissionais motivados e competentes, seriedade e compromisso com o publico e comunidade local, resultados com baixo custo e baseados em políticas sustentáveis, ambiente transparente, estimulante e com boas práticas, foco pela excelência. Em relação à sustentabilidade, o relatório descreve:

8 A Pousada Don Ramon, mantém compromisso com o desenvolvimento de turismo sustentável, e estimulo desta pratica ao entorno, entidades publicas e privadas e demais empresas a seguir estas praticas e procederem neste formato. Desta forma, funcionando como célula de desenvolvimento sustentável e incentivando o desenvolvimento de novas células do meio com relação a praticas sustentáveis. Para realização deste comprometimento de desenvolvimento turístico sustentável a empresa também assume compromisso com desenvolvimento, execução e manutenção de boas práticas sustentáveis em todas as suas esferas de atuação através de seus procedimentos mais variados com base na sua política sustentável. As metas empresariais sustentáveis também são foco de comprometimento de divulgação com o intuito de disseminar esta forma de atuação no trade turístico e ser mola propulsora de um desenvolvimento turístico sustentável. (POUSADA SPA DON RAMON, 2012, p. 6). Os proprietários Esther e Vicente Atz descrevem que os colaboradores do empreendimento passam por trabalhos de qualificação através de treinamentos experiências únicas de qualidade total. Este programa tem como objetivo qualificar o corpo de trabalho do estabelecimento e proporcionar 6 hora/treinamento/mês a cada colaborador, como trabalho de fidelização e atendimento personalizado e sustentável aos hóspedes, interatividade dos colaboradores com os mesmo, para promover a melhoria contínua de todos os processos e procedimentos operacionais que por consequência, diminuem o turnover no estabelecimento. Outras ações como registro e diagnóstico do treinamento, reuniões semanais para verificar procedimentos operacionais, análise de metas profissionais pessoais e medição de produtividade de cada setor, também são realizadas (POUSADA SPA DON RAMON, 2012). Para auxiliar na conscientização ambiental e sensibilizar as pessoas sobre a responsabilidade que todos têm para com a conservação do meio ambiente é extremamente importante o treinamento e a qualificação oferecida aos colaboradores da pousada-spa. Da mesma forma, a comunidade local servirá de exemplo para os visitantes advindos de outra localidade, sendo de extrema importância a sua inclusão no processo de sensibilização ambiental. Dentre as ações citadas no relatório de sustentabilidade com relação à comunidade do entorno estão: o estímulo e à informação aos hóspedes, para que adquiram produtos e serviços artesanais locais contribuindo com o desenvolvimento e manutenção da cultura local; a promoção de ações para manter em atividade os artesãos em seus postos de trabalho, proporcionando desenvolvimento cultural; a disponibilidade de espaços no estabelecimento (na pousada) para venda de produtos artesanais do entorno, bem como, trabalho com produtos locais nos serviços de alimentação disponibilizados, com o objetivo de fomentar negócios e motivar vendas de produtos e serviços regionais; a busca por mão de obra 100% local e a capacitação de potenciais trabalhadores da comunidade para utilização no estabelecimento e/ou colocação no mercado de trabalho, desenvolvendo e motivando, desta forma, a questão social; e por fim, o apoio a entidades da região e a promoção de eventos para a saúde da comunidade (POUSADA SPA DON RAMON, 2012). Do ponto de vista ambiental a Pousada Spa Don Ramon divulga a política de sustentabilidade junto aos hóspedes e incentiva a postura sustentável dos mesmos, inclusive estimulando ações sustentáveis que eles podem realizar já no período de sua hospedagem. Através do card sustentável que se encontra no apartamento, os mesmos reduzem, separam e ajudam a reciclar seus resíduos e diminuir o consumo de recursos naturais utilizados através de indicadores sustentáveis, que servem

9 de parâmetro para tanto. Todos os produtos tem origem de procedência e todos são biodegradáveis. O local oferece apoio, divulgação e desenvolvimento de ações para proteção da biodiversidade regional e dos atrativos turísticos, para/com a comunidade local, órgãos oficiais como Prefeitura Municipal, Polícia Rodoviária Estadual e outros órgãos municipais, bem como à hóspedes da Pousada, que participam e colaboram nos mutirões ambientais desenvolvidos pela mesma (POUSADA SPA DON RAMON, 2012). Em relação à satisfação dos clientes, a pousada desenvolveu um check-list obrigatório de execução de tarefas e medição de produtividade em prol de um melhor desenvolvimento nas relações com os clientes finais, tanto na estrutura operacional de desenvoltura das equipes, quanto na estrutura física para proporcionar conforto e qualidade. A definição desta estrutura foi obtida através da tabulação das avaliações de serviço preenchidas pelos hóspedes. Com estas ações a pousada obteve 95% de satisfação dos clientes no ano de 2011, podendo traçar a partir daí, metas de aumento do percentual de satisfação (POUSADA SPA DON RAMON, 2012). É importante ressaltar que as ações acima citadas também estão presentes nos princípios da pousada, que agem como base para traçar os planos e objetivos do empreendimento, dentre estes princípios estão: o respeito à legislação vigente em todos os níveis; monitoramento e adoção de ações de melhorias contínuas da gestão da sustentabilidade; preservação do ambiente natural do seu entorno, bem como da comunidade local e regional, através do monitoramento e redução dos impactos causados pela Pousada Don Ramon no entorno onde se insere; promoção, divulgação e apoio a cultura e ações da comunidade, respeitando os direitos humanos, a dignidade dos colaboradores; garantia contínua qualidade dos serviços, produtos e a qualificação dos colaboradores; adoção de princípios éticos e de responsabilidade social na gestão do hotel; busca da satisfação dos clientes, colaboradores, fornecedores, comunidade e acionistas; e, desenvolver conceito de sustentabilidade e espírito de cooperação dos mesmos com o entorno; participação em campanhas, entidades ambientas e sócio-culturais e associatividades locais; garantia da comunicação dessa política para todos os interessados, buscando a sua compreensão e entendimento (POUSADA SPA DON RAMON, 2013). Percebe-se que os princípios da Pousada vêm a corroborar com as exigências das normatizações que segue e das certificações que possui, assim como as demais ações e medidas de preservação ambiental como: captação e utilização de água da chuva, redução da geração de resíduos e efluentes; adoção de embalagens retornáveis e ou para grande volume; separação do lixo para coleta seletiva e armazenamento em local adequado para tanto; conscientização de todos os grupos de clientes (internos e externos) que a empresa estabelece contato; utilização de cisternas para reuso de água; uso de compostagem; separação e destinação de lixo tóxico com a colaboração de nossos hóspedes; utilização de 100% produtos biodegradáveis; manutenção preventiva e regulagem de equipamentos, acompanhamento de análise da água, pressurização de ar junto à água para diminuição de consumo, utilização de lâmpadas econômicas, aquisição de equipamentos com selo de eficiência PROCEL, instalação de timer para controlar funcionamento de equipamentos, utilização de sensores de presença, ativação da calefação somente com temperatura interna abaixo de 12º. Além disso, a pousada prioriza a divulgação eletrônica, faz o reaproveitamento de papéis para rascunho, adota embalagens retornáveis e maiores, realiza pesagem de lixo gerado e

10 organiza palestras sobre educação ambiental. A pousada mantém a meta de redução de 3% ao ano dos indicadores sustentáveis de consumo por hóspede. (RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE POUSADA SPA DON RAMON, 2012). 4. CONSIDERAÇÕES FINAIS Ressaltamos a posição de destaque da Pousada e Spa Don Ramón, enquanto empreendimento de hospedagem preocupado com o meio ambiente, frente a outros serviços hoteleiros tradicionais. Além de um aconchego relaxante oferecido pela pousada-spa, decorada com objetos de antiquários, lembranças de viagens, moveis de material de demolição reciclados, Don Ramón ainda proporciona uma interessante sensibilização e educação ambiental, visando a sustentabilidade do meio ambiente a longo prazo. A Pousada e Spa Don Ramón desenvolveu um sistema de gestão caracterizado como um sistema vivo que, verifica, regula e minimiza os impactos gerados pelo estabelecimento em todas as suas esferas (gerencial, ambiental, sociocultural, e econômica), bem como promove a melhoria contínua dos serviços e produtos com base em avaliações de satisfação dos hóspedes, colaboradores e fornecedores. Vale ainda ressaltar que a Pousada-Spa desenvolve diversas ações de valorização e oportunidade à comunidade local do entorno. Por fim, podemos destacar a visão pioneira dos proprietários visto que o empreendimento ainda é um dos poucos do setor hoteleiro na região realmente preocupados com o meio ambiente, algo bastante valorizado atualmente. Vale ainda lembrar o posicionamento da Pousada e Spa Don Ramón, se colocando como uma mola propulsora do desenvolvimento sustentável do turismo.

11 REFERÊNCIAS ALVES, Thiago. Responsabilidade de hóspedes em relação a variável ambiental: estudo de caso de dois meios de hospedagem f. Dissertação (Mestrado em Turismo) - Universidade de Caxias do Sul, Programa de Pós-Graduação em Turismo, Caxias do Sul, Disponível em: <http://www.ucs.br/site/pos-graduacao/formacao-strictosensu/turismo/dissertacoes/turismo tede/?id=199>. Acesso em: 04 set ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15401: Meios de Hospedagem Sistema de Gestão da Sustentabilidade - Requisitos. Rio de Janeiro: ABNT, BRESSAN, F. O método do estudo de caso. Revista Administração Online, São Paulo, v.1, n.1, s/p, Disponível em: < Acesso em: 15 fev BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 05 de outubro de Disponível em: <http://www.senado.gov.br/legislacao/const/con1988/con1988_ />. Acesso em: 12 mar Lei nº 9.795, de 27 de abril de Lei de Educação Ambiental. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, CANELA TURISMO. Roteiros e atrativos. Disponível em: <http://www.canelaturismo.com.br/roteiros-e-atrativos/>. Acesso em: 02 ago CARVALHO, S.; NAIME, R.; BLANCO, L.. Situação da gestão de resíduos no setor de hotelaria. Revista Nordestina de Ecoturismo, Aracaju, v.2, n.2, p.06-34, Disponível em: <http://arvore.org.br/seer/index.php/nature/article/view/69>. Acesso em: 04 set DE CONTO, S.; ZARO, M.. O hóspede como fator decisivo na adoção de políticas e práticas ambientais em meios de hospedagem Caxias do Sul/Rio Grande do Sul. Rosa dos Ventos Revista do Programa de Pós Graduação em Turismo da Universidade de Caxias do Sul, Caxias do Sul, v.3, n.3 p , Disponível em: <http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/rosadosventos/article/view/1188>. Acesso em: 10 ago INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA ESTATISTICA. Rio Grande do Sul Canela. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/cidadesat/xtras/perfil.php?codmun=430440&search=rio-grande-do-sul canela>. Acesso em: 04 set (2010). MOURA, L.. Qualidade e gestão ambiental. São Paulo: Juarez de Oliveira, ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO TURISMO. Introdução ao Turismo. São Paulo: Roca, POUSADA SPA DON RAMON. Relatório de Sustentabilidade Pousada e Spa Don Ramon, Disponível em: <http://www.slideshare.net/ecohospedagem/dom-ramon-relatorio-sustentabilidade>. Acesso em: 30 jun POUSADA SPA DON RAMON. Sustentabilidade, Pousada e Spa Don Ramon, Disponível em:<http://www.donramon.com.br/spa_%20sustentavel_hotel_sustentavel_pousada_%20sustentavel.html>. Acesso em: 08 jul PREFEITURA MUNICIPAL DE CANELA. Cidade. Disponível em: <http://www.canela.rs.gov.br/index.php/cidade>. Acesso em: 02 ago

12 SILVA, G.; MARACAJÁ, K.. A educação ambiental e a educação turística no ensino fundamental na Escola Estadual Quintino Bocaiúva e Escola Municipal Professora Palmira Barbosa em Santa Cruz (RN). Caderno Virtual de Turismo. Rio de Janeiro, v. 12, n.3, p , SPAREMBERGER, R.; ROLIM, R.. Educação ambiental: a educação formal e a não-formal para a cidadania com sustentabilidade. Revista Trabalho e Ambiente. Caxias do Sul, v.3, n.5, p.11-40, SWARBROOKE, John. Turismo Sustentável. São Paulo: Aleph, TULL, D. S. & HAWKINS, D. I. - Marketing Research, Meaning, Measurement and Method. Macmillan Publishing Co., Inc., London, 1976.

Relatório Sustentabilidade 2014

Relatório Sustentabilidade 2014 03/03/2015 11/10 /12 Página 1 de 1. Objetivo: Estabelecer e informar resultados anuais obtidos com o SGS Don Ramon e suas respectivas ações realizadas. 2. Diretrizes: 2.1 Fica determinado que anualmente

Leia mais

Certificação de Meios de Hospedagens

Certificação de Meios de Hospedagens Certificação de Meios de Hospedagens NBR 15401:2006 - Meios de Hospedagem Sistema de Gestão da Sustentabilidade Sistema A Norma NBR 15401:2006 Meios de Hospedagem Sistema de Gestão da Sustentabilidade

Leia mais

Ministério Público do Trabalho

Ministério Público do Trabalho Ministério Público do Trabalho Procuradoria Regional do Trabalho da Nona Região www.prt9.mpt.gov.br A realidade Fundamentos Jurídicos Declaração Universal dos Direitos do Homem, que diz que o reconhecimento

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

LEI Nº 445 DE 07 DE JUNHO DE 2004. O GOVERNADOR DO ESTADO DE RORAIMA: Faço saber que a Assembléia Legislativa aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 445 DE 07 DE JUNHO DE 2004. O GOVERNADOR DO ESTADO DE RORAIMA: Faço saber que a Assembléia Legislativa aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 445 DE 07 DE JUNHO DE 2004 Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Estadual de Educação Ambiental, cria o Programa Estadual de Educação Ambiental e complementa a Lei Federal nº 9.795/99,

Leia mais

Ministério Público do Trabalho Procuradoria Regional do Trabalho da Nona Região. www.prt9.mpt.gov.br

Ministério Público do Trabalho Procuradoria Regional do Trabalho da Nona Região. www.prt9.mpt.gov.br Ministério Público do Trabalho Procuradoria Regional do Trabalho da Nona Região www.prt9.mpt.gov.br A realidade Fundamentos Jurídicos Declaração Universal dos Direitos do Homem, que diz que o reconhecimento

Leia mais

LEI Nº. 2.510, DE 23 DE MAIO DE 2011.

LEI Nº. 2.510, DE 23 DE MAIO DE 2011. 1 LEI Nº. 2.510, DE 23 DE MAIO DE 2011. Institui a Política Municipal de Educação Ambiental, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE ANANINDEUA estatui e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I

Leia mais

GESTÃO DA SUSTENTABILIDADE EM MEIOS DE HOSPEDAGEM CERTIFICADOS PELA NBR 15401: CANELA/RS

GESTÃO DA SUSTENTABILIDADE EM MEIOS DE HOSPEDAGEM CERTIFICADOS PELA NBR 15401: CANELA/RS GESTÃO DA SUSTENTABILIDADE EM MEIOS DE HOSPEDAGEM CERTIFICADOS PELA NBR 15401: CANELA/RS Suzana Maria De Conto smcmande@ucs.br Universidade de Caxias do Sul, Programa de Pós-Graduação em Turismo e Hospitalidade,

Leia mais

O papel do Ministério Público na Implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos

O papel do Ministério Público na Implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos PROGRAMAÇÃO ETAPA BELÉM 18 DE SETEMBRO DE 2014 O papel do Ministério Público na Implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos Raimundo Moraes Ministério Público do Pará CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES

Leia mais

Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Instituto de Geografia. Departamento de Turismo. Material de Apoio

Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Instituto de Geografia. Departamento de Turismo. Material de Apoio Universidade do Estado do Rio de Janeiro Instituto de Geografia Departamento de Turismo Material de Apoio Curso de extensão em Comercialização e Gestão do Turismo Solidário RESUMO DO MATERIAL Este material

Leia mais

Hospedagem Sustentável: Gestão Ambiental em meios de hospedagem para o município de São Roque. Darlyne de Aquino Silva

Hospedagem Sustentável: Gestão Ambiental em meios de hospedagem para o município de São Roque. Darlyne de Aquino Silva Hospedagem Sustentável: Gestão Ambiental em meios de hospedagem para o município de São Roque Darlyne de Aquino Silva Instituto Federal de Educação Ciência e tecnologia de São Paulo. São Roque, SP 2011

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Síntese O Compromisso ALIANSCE para a Sustentabilidade demonstra o nosso pacto com a ética nos negócios, o desenvolvimento das comunidades do entorno de nossos empreendimentos,

Leia mais

Página 1 de 8. Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Página 1 de 8. Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Página 1 de 8 LEI Nº 3325, de 17 de dezembro de 1999 Dispõe sobre a educação ambiental, institui a política estadual de educação ambiental, cria o Programa estadual de Educação Ambiental e complementa

Leia mais

GREEN BUILDING COUNCIL BRASIL Building a Sustainable Future

GREEN BUILDING COUNCIL BRASIL Building a Sustainable Future GREEN BUILDING COUNCIL BRASIL Building a Sustainable Future "Desenvolver a indústria da construção sustentável no país, utilizando as forças Visão de mercado do GBC para conduzir Brasil a adoção (Sonho

Leia mais

PROJETO DE LEI N º 1219/2003. Decreta:

PROJETO DE LEI N º 1219/2003. Decreta: A CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO PROJETO DE LEI N º 1219/2003 Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Municipal de Educação Ambiental, e dá outras providências. Autor: Vereador Rodrigo

Leia mais

Diretrizes Pedagógicas e Programa Municipal de Educação Ambiental

Diretrizes Pedagógicas e Programa Municipal de Educação Ambiental Diretrizes Pedagógicas e Programa Municipal de Educação Ambiental GOVERNO DO ESTADO DE SÃO APULO SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DIRETRIZES PEDAGÓGICAS O que se espera

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 1. Comercial e Marketing 1.1 Neurovendas Objetivo: Entender

Leia mais

ANEXO XXII POLÍTICA MUNICIPAL DE TURISMO DE FOZ DO IGUAÇU LEI Nº 4.291, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014.

ANEXO XXII POLÍTICA MUNICIPAL DE TURISMO DE FOZ DO IGUAÇU LEI Nº 4.291, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014. ANEXO XXII POLÍTICA MUNICIPAL DE TURISMO DE FOZ DO IGUAÇU LEI Nº 4.291, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014. DISPÕE SOBRE A POLÍTICA MUNICIPAL DE TURISMO, PREVISTA NO CAPÍTULO X, DO TÍTULO V, DA LEI ORGÂNICA DO MUNICÍPIO,

Leia mais

UM ESTUDO EXPLORATÓRIO SOBRE A 15401:2006 MEIOS DE HOSPEDAGEM SISTEMA DA GESTÃO DA SUSTENTABILIDADE E OS STAKEHOLDERS

UM ESTUDO EXPLORATÓRIO SOBRE A 15401:2006 MEIOS DE HOSPEDAGEM SISTEMA DA GESTÃO DA SUSTENTABILIDADE E OS STAKEHOLDERS UM ESTUDO EXPLORATÓRIO SOBRE A 15401:2006 MEIOS DE HOSPEDAGEM SISTEMA DA GESTÃO DA SUSTENTABILIDADE E OS STAKEHOLDERS Cláudio Alexandre de Souza José Manoel Gonçalves Gândara Katleen Nairene Rolan Biavatti

Leia mais

VIII-003 PREPARO DE RECURSOS HUMANOS PARA A IMPLANTAÇÃO DA ISO 14001 EM ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS

VIII-003 PREPARO DE RECURSOS HUMANOS PARA A IMPLANTAÇÃO DA ISO 14001 EM ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS VIII-003 PREPARO DE RECURSOS HUMANOS PARA A IMPLANTAÇÃO DA ISO 14001 EM ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS Andréia Guaracho Ramos (1) Bacharel em Química e Pós Graduada em Química Industrial pela Fundação

Leia mais

N REQUISITOS OBSERVAÇÕES

N REQUISITOS OBSERVAÇÕES N REQUISITOS OBSERVAÇÕES 01 02 03 04 05 06 07 A - MANUTENÇÃO E SUPORTE A empresa fornece produto de software com Verificar se a empresa fornece manual do produto (instalação), documentação de suporte ao

Leia mais

RESENHAS. Marketing Turístico e de Hospitalidade: Fonte de Empregabilidade e Desenvolvimento para o Brasil

RESENHAS. Marketing Turístico e de Hospitalidade: Fonte de Empregabilidade e Desenvolvimento para o Brasil RESENHAS Marketing Turístico e de Hospitalidade: Fonte de Empregabilidade e Desenvolvimento para o Brasil Erika Helena Bautto Completa, abrangente e extremamente didática, Marketing Turístico e de Hospitalidade:

Leia mais

Conhecendo a Fundação Vale

Conhecendo a Fundação Vale Conhecendo a Fundação Vale 1 Conhecendo a Fundação Vale 2 1 Apresentação Missão Contribuir para o desenvolvimento integrado econômico, ambiental e social dos territórios onde a Vale atua, articulando e

Leia mais

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO TAREFAS ESTRUTURA PESSOAS AMBIENTE TECNOLOGIA ÊNFASE NAS TAREFAS Novos mercados e novos conhecimentos ÊNFASE

Leia mais

CONSELHO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL CDES GT MATRIZ ENERGÉTICA PARA O DESENVOLVIMENTO COM EQUIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

CONSELHO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL CDES GT MATRIZ ENERGÉTICA PARA O DESENVOLVIMENTO COM EQUIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL CONSELHO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL CDES GT MATRIZ ENERGÉTICA PARA O DESENVOLVIMENTO COM EQUIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL COLÓQUIO EMPREGOS VERDES E CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS 20.08.2009

Leia mais

Nota técnica Março/2014

Nota técnica Março/2014 Nota técnica Março/2014 Sistemas de Saneamento no Brasil - Desafios do Século XXI João Sergio Cordeiro O Brasil, no final do ano de 2013, possuía população de mais de 200 milhões de habitantes distribuídos

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL Lei n o 9.795, de 27 de Abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso

Leia mais

Identificação das práticas sustentáveis dos associados da BLTA

Identificação das práticas sustentáveis dos associados da BLTA Identificação das práticas sustentáveis dos associados da BLTA Relatório Técnico Rua da Assembleia, 10 / 1817 - Rio de Janeiro - RJ (1) 5091577 / Rua Deputado Lacerda Franco, 00 / 16 São Paulo - SP (11)

Leia mais

ABNT NBR 16001:2004 Os Desafios e Oportunidades da Inovação

ABNT NBR 16001:2004 Os Desafios e Oportunidades da Inovação ABNT NBR 16001:2004 Os Desafios e Oportunidades da Inovação A Dinâmica da Terra é uma empresa onde o maior patrimônio é representado pelo seu capital intelectual. Campo de atuação: Elaboração de estudos,

Leia mais

ESTUDO DE COMPETITIVIDADE NITERÓI

ESTUDO DE COMPETITIVIDADE NITERÓI ESTUDO DE COMPETITIVIDADE NITERÓI APRESENTAÇÃO Com o intuito de auxiliar destinos turísticos a analisar, conjugar e equilibrar os diversos fatores que, para além da atratividade, contribuem para a evolução

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DA GESTAO AMBIENTAL

IMPLANTAÇÃO DA GESTAO AMBIENTAL IMPLANTAÇÃO DA GESTAO AMBIENTAL MELO, Fabrício Pires CARDOSO, Mauricio QUEIROS, Silmara Mirian PEDRO, Lincoln MULLER, Edi RESUMO Este trabalho busca mostrar quais os benefícios, custos e métodos para se

Leia mais

ANEXO III Resolução 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima. Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável

ANEXO III Resolução 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima. Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável ANEXO III Resolução 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável Projeto: Geração de eletricidade a partir de fontes

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 9.795, DE 27 DE ABRIL DE 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras

Leia mais

Sumário. 1. Visão Geral do EcoLega 3. 2. Alinhamento Estratégico 3. 3. Orientações essenciais 4. 4. Oficinas e Formação 5

Sumário. 1. Visão Geral do EcoLega 3. 2. Alinhamento Estratégico 3. 3. Orientações essenciais 4. 4. Oficinas e Formação 5 2 Para acessar cada item do Sumário, clique nele. Para retornar ao sumário, clique na logo do ecolega em qualquer página. Sumário 1. Visão Geral do EcoLega 3 2. Alinhamento Estratégico 3 3. Orientações

Leia mais

O EVENTO A Maior Feira para Hotelaria e Gastronomia do interior do RJ

O EVENTO A Maior Feira para Hotelaria e Gastronomia do interior do RJ O EVENTO A Maior Feira para Hotelaria e Gastronomia do interior do RJ De 12 a 14 de Agosto de 2014 das 16h às 22h Local: Geribá Tennis Park em Búzios/RJ Tema: O novo perfil do turista: Tendências e Oportunidades

Leia mais

Diretrizes de Sustentabilidade Carelink

Diretrizes de Sustentabilidade Carelink 1 Para a, o que é sustentabilidade? É a forma mais eficaz para alcançarmos resultados consistentes, buscando soluções integradas que envolvam aspectos sociais, tecnológicos, econômicos e ambientais, de

Leia mais

ASBEA GRUPO DE TRABALHO DE SUSTENTABILIDADE. RECOMENDAÇÕES BÁSICAS PARA PROJETOS DE ARQUITETURA. INTRODUÇÃO

ASBEA GRUPO DE TRABALHO DE SUSTENTABILIDADE. RECOMENDAÇÕES BÁSICAS PARA PROJETOS DE ARQUITETURA. INTRODUÇÃO ASBEA GRUPO DE TRABALHO DE SUSTENTABILIDADE. RECOMENDAÇÕES BÁSICAS PARA PROJETOS DE ARQUITETURA. INTRODUÇÃO O Grupo de Trabalho de Sustentabilidade da AsBEA, às vésperas de completar seu primeiro ano de

Leia mais

A Produção de Empreendimentos Sustentáveis

A Produção de Empreendimentos Sustentáveis A Produção de Empreendimentos Sustentáveis Arq. Daniela Corcuera arq@casaconsciente.com.br www.casaconsciente.com.br A construção sustentável começa a ser praticada no Brasil, ainda com alguns experimentos

Leia mais

INFORMAÇÕES RELACIONADAS ÀS SITUAÇÕES DE MANEJO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO ÂMBITO DE SEIS MEIOS DE HOSPEDAGEM

INFORMAÇÕES RELACIONADAS ÀS SITUAÇÕES DE MANEJO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO ÂMBITO DE SEIS MEIOS DE HOSPEDAGEM INFORMAÇÕES RELACIONADAS ÀS SITUAÇÕES DE MANEJO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO ÂMBITO DE SEIS MEIOS DE HOSPEDAGEM Patrícia P. P. Cesa 1 Suzana Maria De Conto 2 Resumo Quais são as informações que os responsáveis

Leia mais

Rede de Sustentabilidade Ambiental

Rede de Sustentabilidade Ambiental Rede de Sustentabilidade Ambiental A. O que está acontecendo no planeta? B. Quais os efeitos? C. Quem pode mudar? D. O que é preciso fazer? O que está acontecendo no 1.Característica da população mundial

Leia mais

AMBIENTE EFICIENTE Consultoria

AMBIENTE EFICIENTE Consultoria AMBIENTE EFICIENTE Consultoria ESCOPO DOS SERVIÇOS CERTIFICAÇÃO LEED A certificação LEED pode ser aplicada no Brasil em oito tipologias: Novas Construções (New Construction) Edifícios Existentes Operação

Leia mais

Como se Tornar um Município Amigo do Idoso. Critérios para a Obtenção do Selo de Município Amigo do Idoso

Como se Tornar um Município Amigo do Idoso. Critérios para a Obtenção do Selo de Município Amigo do Idoso Como se Tornar um Município Amigo do Idoso Critérios para a Obtenção do Selo de Município Amigo do Idoso 2 3 GERALDO ALCKMIN Governador do Estado de São Paulo ROGERIO HAMAM Secretário de Estado de Desenvolvimento

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE Revista Ceciliana Jun 5(1): 1-6, 2013 ISSN 2175-7224 - 2013/2014 - Universidade Santa Cecília Disponível online em http://www.unisanta.br/revistaceciliana EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA

Leia mais

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO FERRAMENTA DE GESTÃO NO AMBIENTE DE TRABALHO

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO FERRAMENTA DE GESTÃO NO AMBIENTE DE TRABALHO A EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO FERRAMENTA DE GESTÃO NO AMBIENTE DE TRABALHO Tainara Bruna Montagna 1 RESUMO A Educação Ambiental é definida como um importante instrumento de gestão ambiental, principalmente

Leia mais

LEI Nº 12.780, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2007

LEI Nº 12.780, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2007 LEI Nº 12.780, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2007 (Projeto de lei nº 749/2007, da Deputada Rita Passos - PV) Institui a Política Estadual de Educação Ambiental O GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Faço saber que

Leia mais

Sustentabilidade em Edificações Públicas Entraves e Perspectivas

Sustentabilidade em Edificações Públicas Entraves e Perspectivas Câmara dos Deputados Grupo de Pesquisa e Extensão - Programa de Pós-Graduação - CEFOR Fabiano Sobreira SEAPS-NUARQ-CPROJ-DETEC Valéria Maia SEAPS-NUARQ-CPROJ-DETEC Elcio Gomes NUARQ-CPROJ-DETEC Jacimara

Leia mais

TÍTULO: AÇÕES SUSTENTÁVEIS DA REDE HOTELEIRA DO ENTORNO DO MINEIRÃO PARA A COPA DE 2014

TÍTULO: AÇÕES SUSTENTÁVEIS DA REDE HOTELEIRA DO ENTORNO DO MINEIRÃO PARA A COPA DE 2014 Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: AÇÕES SUSTENTÁVEIS DA REDE HOTELEIRA DO ENTORNO DO MINEIRÃO PARA A COPA DE 2014 CATEGORIA: EM

Leia mais

GESTÃO E MANEJO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO BRASIL

GESTÃO E MANEJO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO BRASIL GESTÃO E MANEJO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO BRASIL O Ministério Público e a implementação da Resolução CONAMA 307/2002 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Ministério

Leia mais

O Mercado como instrumento de conservação da Mata Atlântica. Consumo Responsável, Compromisso com a Vida!

O Mercado como instrumento de conservação da Mata Atlântica. Consumo Responsável, Compromisso com a Vida! Mercado Mata Atlântica Reserva da Biosfera da Mata Atlântica O Mercado como instrumento de conservação da Mata Atlântica Consumo Responsável, Compromisso com a Vida! Apresentação O Programa "Mercado Mata

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa RESOLUÇÃO DE MESA N.º 806/2007. (publicada no DOE nº 236, de 13 de dezembro de 2007) Dispõe sobre o Programa de Gerenciamento

Leia mais

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 Critérios Descrições Pesos 1. Perfil da Organização Breve apresentação da empresa, seus principais produtos e atividades, sua estrutura operacional

Leia mais

DOCUMENTO DE REFERÊNCIA. Zig Koch

DOCUMENTO DE REFERÊNCIA. Zig Koch DOCUMENTO DE REFERÊNCIA Zig Koch O Programa E-CONS, Empreendedores da Conservação, é uma iniciativa idealizada pela SPVS - Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental e implementada em

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

A EMPRESA COMO MODELO DE SUSTENTABILIDADE. Barbara Augusta PAULETO¹ RGM 071257 Fabiane Aparecida RODRIGUES¹ RGM 072625

A EMPRESA COMO MODELO DE SUSTENTABILIDADE. Barbara Augusta PAULETO¹ RGM 071257 Fabiane Aparecida RODRIGUES¹ RGM 072625 A EMPRESA COMO MODELO DE SUSTENTABILIDADE Barbara Augusta PAULETO¹ RGM 071257 Fabiane Aparecida RODRIGUES¹ RGM 072625 Renato Francisco Saldanha SILVA² Ailton EUGENIO 3 Resumo Muitas empresas mostram ser

Leia mais

Projeto Espaço de Praticas Sustentáveis

Projeto Espaço de Praticas Sustentáveis Projeto Espaço de Praticas Sustentáveis A Brindes Caiçara junto com os seus idealizadores criarão o Espaço de Praticas Sustentáveis. Objetivo deste espaço é nos unirmos com empresas que tenha visão socioambientais

Leia mais

III CBIO - Congresso de Biólogos dos Estados do RJ/ES

III CBIO - Congresso de Biólogos dos Estados do RJ/ES Eng. ZULMAR TEIXEIRA Rio, 19/10/2010 PRINCÍPIOS DA GESTÃO MODERNA III CBIO - Congresso de Biólogos dos Estados do RJ/ES SUCESSO DO EMPREENDIMENTO ABORDAGEM DE PROCESSO SÉCULO XXI O SÉCULO DO DESAFIO O

Leia mais

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE JULIANA APARECIDA DE SOUZA REIS MAIARA NATALIA MARINHO DUARTE SUSELI SANTOS DIAS RESUMO Neste artigo temos por objetivo apresentar que as micros e pequenas

Leia mais

O SETOR PÚBLICO E AS AÇÕES DE ORGANIZAÇÃO DO TURISMO NO MUNICÍPIO DA ILHA DE ITAMARACÁ-PE

O SETOR PÚBLICO E AS AÇÕES DE ORGANIZAÇÃO DO TURISMO NO MUNICÍPIO DA ILHA DE ITAMARACÁ-PE 1 O SETOR PÚBLICO E AS AÇÕES DE ORGANIZAÇÃO DO TURISMO NO MUNICÍPIO DA ILHA DE ITAMARACÁ-PE GUILHERME ALVES DE SANTANA, MICHELLY ELAINE DE OLIVEIRA CONCEIÇÃO & EVERTON MEDEIROS BEZERRA Introdução Devido

Leia mais

GESTÃO E MANEJO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO BRASIL

GESTÃO E MANEJO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO BRASIL GESTÃO E MANEJO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO BRASIL O Ministério Público e a implementação da Resolução CONAMA 307/2002 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Ministério

Leia mais

LEI N. 9.795, DE 27 DE ABRIL DE 1999

LEI N. 9.795, DE 27 DE ABRIL DE 1999 LEI N. 9.795, DE 27 DE ABRIL DE 1999 Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências O Presidente da República Faço saber que o Congresso

Leia mais

cüxyx àâüt `âç v ÑtÄ wx Tvtâû c\

cüxyx àâüt `âç v ÑtÄ wx Tvtâû c\ ATO DE SANÇÃO N.º 003/2010. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE ACAUÃ, ESTADO DO PIAUÍ, no uso de suas atribuições legais, sanciona por meio do presente, o Projeto de Lei do Executivo de N.º 002/2010, Ementa: Dispõe

Leia mais

LEI Nº 4.791 DE 2 DE ABRIL DE

LEI Nº 4.791 DE 2 DE ABRIL DE Lei nº 4791/2008 Data da Lei 02/04/2008 O Presidente da Câmara Municipal do Rio de Janeiro nos termos do art. 79, 7º, da Lei Orgânica do Município do Rio de Janeiro, de 5 de abril de 1990, não exercida

Leia mais

DISPÕE SOBRE A POLÍTICA DE COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRA ALTA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

DISPÕE SOBRE A POLÍTICA DE COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRA ALTA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI Nº 1.223/2013 DE 16 DE ABRIL DE 2013. DISPÕE SOBRE A POLÍTICA DE COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRA ALTA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A CÂMARA MUNICIPAL DE CACHOEIRA ALTA, Estado de Goiás, por

Leia mais

O IMPORTANTE PAPEL DA GESTÃO DA QUALIDADE EM LABORATÓRIOS DE ANÁLISE CONTROLE DE EFLUENTES

O IMPORTANTE PAPEL DA GESTÃO DA QUALIDADE EM LABORATÓRIOS DE ANÁLISE CONTROLE DE EFLUENTES O IMPORTANTE PAPEL DA GESTÃO DA QUALIDADE EM LABORATÓRIOS DE ANÁLISE CONTROLE DE EFLUENTES Natália de Freitas Colesanti Perlette (1) Engenheira Ambiental formada na Universidade Estadual Paulista Júlio

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

Autores: ANNARA MARIANE PERBOIRE DA SILVA, MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA

Autores: ANNARA MARIANE PERBOIRE DA SILVA, MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA RELAÇÕES ENTRE A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E O SETOR DE HOSPITALIDADE: um estudo de caso aplicável ao curso Técnico de Hospedagem Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente de Pernambuco Autores: ANNARA

Leia mais

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02 Pagina 1/6 ÍNDICE 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA / APLICAÇÃO...3 3. REFERÊNCIAS...3 4. DEFINIÇÕES...3 5. DIRETRIZES E RESPONSABILIDADES...4 5.1 POLITICAS...4 5.2 COMPROMISSOS...4 5.3 RESPONSABILIDADES...5

Leia mais

Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas

Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas 1. Apresentação do Problema Epitácio José Paes Brunet É cada vez mais expressiva, hoje, nas cidades brasileiras, uma nova cultura que passa

Leia mais

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Uma evolução nos sistemas de controle gerencial e de planejamento estratégico Francisco Galiza Roteiro Básico 1 SUMÁRIO:

Leia mais

ANALISE DO COMPORTAMENTO SOCIOAMBIENTAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE PALMAS

ANALISE DO COMPORTAMENTO SOCIOAMBIENTAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE PALMAS ANALISE DO COMPORTAMENTO SOCIOAMBIENTAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE PALMAS XAVIER, Patrícia Alves Santana LIMA, Suzany Saraiva GOMES, Alan Rios RESUMO O presente estudo teve como objetivo analisar

Leia mais

ISO 26000: Diretrizes sobre Responsabilidade Social

ISO 26000: Diretrizes sobre Responsabilidade Social ISO 26000: Diretrizes sobre Responsabilidade Social Características essenciais de Responsabilidade Social Incorporação por parte da organização de considerações sociais e ambientais nas suas decisões tornando-se

Leia mais

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial.

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. visão, missão e valores corporativos visão Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. MISSÃO O Grupo Gerdau é uma Organização empresarial focada em siderurgia, com a missão de satisfazer

Leia mais

LEI Nº 13.558, de 17 de novembro de 2005. Dispõe sobre a Política Estadual de Educação Ambiental - PEEA - e adota outras providências.

LEI Nº 13.558, de 17 de novembro de 2005. Dispõe sobre a Política Estadual de Educação Ambiental - PEEA - e adota outras providências. LEI Nº 13.558, de 17 de novembro de 2005 Procedência: Governamental Natureza: PL. 332/05 DO. 17.762 de 17/11/05 Fonte: ALESC/Div. Documentação Dispõe sobre a Política Estadual de Educação Ambiental - PEEA

Leia mais

INTEGRAÇÃO DAS DIFERENTES POLÍTICAS PÚBLICAS RELACIONADAS À PROTEÇÃO DA ÁGUA E SAÚDE: UM OLHAR A PARTIR DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL E O PAPEL DOS MUNICÍPIOS

INTEGRAÇÃO DAS DIFERENTES POLÍTICAS PÚBLICAS RELACIONADAS À PROTEÇÃO DA ÁGUA E SAÚDE: UM OLHAR A PARTIR DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL E O PAPEL DOS MUNICÍPIOS INTEGRAÇÃO DAS DIFERENTES POLÍTICAS PÚBLICAS RELACIONADAS À PROTEÇÃO DA ÁGUA E SAÚDE: UM OLHAR A PARTIR DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL E O PAPEL DOS MUNICÍPIOS Cleci Teresinha Noara Assistente Social Fundação Agência

Leia mais

CAU/SP. Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo

CAU/SP. Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo CAU/SP Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo Estudo para implantação do SGA, PE e A3P Sistema de Gestão Ambiental do CAU/SP Programa de Ecoeficiência do CAU/SP Agenda Ambiental na Administração

Leia mais

PROJETO DE LEI ESTADUAL PARANÁ

PROJETO DE LEI ESTADUAL PARANÁ PROJETO DE LEI ESTADUAL PARANÁ Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Estadual de Educação Ambiental e dá outras providências. CAPÍTULO I DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL Art. 1 - A Política Estadual

Leia mais

Ingrid Maria Furlan Öberg

Ingrid Maria Furlan Öberg Desenvolvimento Sustentável Gestão Ambiental Ingrid Maria Furlan Öberg Relação Homem x Ambiente no modelo de desenvolvimento da sociedade moderna NATUREZA Fonte de recursos ilimitados Depósito de resíduos

Leia mais

Francisco Cardoso SCBC08

Francisco Cardoso SCBC08 Formando profissionais para a sustentabilidade Prof. Francisco CARDOSO Escola Politécnica da USP Francisco Cardoso SCBC08 1 Estrutura da apresentação Objetivo Metodologia Resultados investigação Conclusão:

Leia mais

HOTEL FAZENDA: AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO AMBIENTAL

HOTEL FAZENDA: AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO AMBIENTAL HOTEL FAZENDA: AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO AMBIENTAL Protasio Ferreira e Castro (UFF ) pfcastro@oi.com.br Monique Barbosa Paiva (UFF ) paiva.nit@gmail.com Os sistemas de mensuração do desempenho ambiental

Leia mais

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS Gestão de Administração e Finanças Gerência de Desenvolvimento Humano e Responsabilidade Social Junho/2014 Desenvolvimento Sustentável Social Econômico

Leia mais

José Mario Dionizio. André Luis Sermarini

José Mario Dionizio. André Luis Sermarini GESTÃO AMBIENTAL EM SUBESTAÇÕES AVALIAÇÃO DE RESULTADOS DA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL COM VISTAS A PRESERVAR A IMAGEM DA CIA E GARANTIR A SUSTENTABILIDADE DE SEUS NEGÓCIOS José Mario Dionizio

Leia mais

BRASIL - 170 MILHÕES DE HABITANTES. - Taxa média de crescimento nos últimos 10 anos: 1,5 %

BRASIL - 170 MILHÕES DE HABITANTES. - Taxa média de crescimento nos últimos 10 anos: 1,5 % REALIZAÇÃO GLOBAL BRASIL - 170 MILHÕES DE HABITANTES - Taxa média de crescimento nos últimos 10 anos: 1,5 % - Previsão de crescimento da população: 2,5 milhões habitantes/ano ESTADO DE SÃO PAULO -35,1

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHA ES SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE

PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHA ES SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE 0 PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHA ES SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE PRORAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PEA PLANO DE AÇÃO Montanha ES 2014 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 02 2. JUSTIFICATIVA... 03 3. OBJETIVO GERAL...

Leia mais

APRESENTAÇÃO QUEM SOMOS... MISSÃO... VISÃO... POLÍTICA DA QUALIDADE... VALORES...

APRESENTAÇÃO QUEM SOMOS... MISSÃO... VISÃO... POLÍTICA DA QUALIDADE... VALORES... APRESENTAÇÃO QUEM SOMOS... A L3 Engenharia Ambiental é uma empresa de consultoria, serviços, desenvolvimento e execução de projetos ambientais, que possui como foco o desenvolvimento sustentável e desenvolve

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

PROGRAMA AGENDA TJPA SOCIOAMBIENTAL

PROGRAMA AGENDA TJPA SOCIOAMBIENTAL PROGRAMA AGENDA TJPA SOCIOAMBIENTAL PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS Excelentíssima Senhora Desembargadora Presidente do Tribunal de Justiça do Estado: Submetemos à apreciação de Vossa Excelência

Leia mais

ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO

ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO MTUR/DEAOT/CGQT Campinas, 20 de março de 2010 ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO POLÍTICAS DE INCENTIVO AO TURISMO NORMATIZAÇÃO DE CAMPINGS COPA DO MUNDO E OLIMPÍADAS REGISTRO

Leia mais

Eco Houses / Casas ecológicas. Juliana Santos Rafaela Castilho Sandra Aparecida Reis Sislene Simões Curso:Tecnologia em Gestão Ambiental

Eco Houses / Casas ecológicas. Juliana Santos Rafaela Castilho Sandra Aparecida Reis Sislene Simões Curso:Tecnologia em Gestão Ambiental Eco Houses / Casas ecológicas Juliana Santos Rafaela Castilho Sandra Aparecida Reis Sislene Simões Curso:Tecnologia em Gestão Ambiental IDHEA - INSTITUTO PARA O DESENVOLVIMENTO DA HABITAÇÃO ECOLÓGICA Conceito:

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL Formação de valores ético-ambientais para o exercício da cidadania

EDUCAÇÃO AMBIENTAL Formação de valores ético-ambientais para o exercício da cidadania EDUCAÇÃO AMBIENTAL Formação de valores ético-ambientais para o exercício da cidadania 1 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...3 2 OBJETIVOS DO PROJETO:...5 3 METAS PARA A SUSTENTABILIDADE...6 4 JUSTIFICATIVAS...6 4.1-

Leia mais

Ficha de Inscrição do 17º Prêmio Expressão de Ecologia

Ficha de Inscrição do 17º Prêmio Expressão de Ecologia Ficha de Inscrição do 17º Prêmio Expressão de Ecologia OBS: Apresentação obrigatória na primeira página do case Informações cadastrais a) Identificação: empresa b) Nome: Borachas Vipal S/A c) Setor/Atividades:

Leia mais

SOBRE A FÉRIAS VIVAS MISSÃO. Lutar pela conscientização e proteger vidas no turismo nacional. VISÃO

SOBRE A FÉRIAS VIVAS MISSÃO. Lutar pela conscientização e proteger vidas no turismo nacional. VISÃO SOBRE A FÉRIAS VIVAS A Associação Férias Vivas é a primeira ONG de âmbito nacional voltada para a segurança no turismo e no lazer. A organização foi criada em 2002 a partir da iniciativa de um grupo de

Leia mais

Políticas Públicas Resíduos e Reciclagem. Sérgio Henrique Forini

Políticas Públicas Resíduos e Reciclagem. Sérgio Henrique Forini Políticas Públicas Resíduos e Reciclagem. Sérgio Henrique Forini O lixo é conhecido como os restos das atividades humanas considerados inúteis, indesejáveis e descartáveis. No entanto, separado nos seus

Leia mais

Uma empresa que em mais de 20 anos de atuação, soube conquistar a credibilidade do mercado e a fidelidade de seus clientes.

Uma empresa que em mais de 20 anos de atuação, soube conquistar a credibilidade do mercado e a fidelidade de seus clientes. 1. Apresentação da Empresa A GIORDANI TURISMO é uma empresa especializada em consultoria de viagens que oferece assessoria completa a seus clientes realizando o gerenciamento de sua viagem para destinos

Leia mais