RESEARCH SETORIAL SENEGAL CABO VERDE COSTA DO MARFIM GHANA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RESEARCH SETORIAL SENEGAL CABO VERDE COSTA DO MARFIM GHANA"

Transcrição

1 RESEARCH SETORIAL SENEGAL CABO VERDE COSTA DO MARFIM GHANA

2 Integração Internacional (I) Fontes: CIA, AICEP, NB Research - Research Setorial. 02

3 Integração Internacional (II) Globalização confere acrescida centralidade a Cabo Verde - palco da economia regional CEDEAO, CEMAC e CEEAC países membros africana - com condições impares de projeção como porta de entrada para a África Senegal Ocidental. Cabo Verde Gâmbia Mali B. F. Níger Nigéria Chad PIB 2014: USD 1025 mil milhões 520 milhões de consumidores Benin S.T.P. R. D. Congo Angola Ruanda Burundi PIB taxa de crescimento real 2014: 4.8% Cabo Verde Reservas internacionais: USD 120 mil milhões Fontes: CEDEAO, CEMAC, CEEAC, NB Research - Research Setorial. CEDEAO CEMAC CEEAC 03

4 Estrutura Setorial do PIB 1.8% Eletricidade, gás, água 6.1% Indústria transformadora 8.0% Agricultura, silvicultura, pesca e caça 0.5% Indústria extrativa 20.5% Turismo e comércio 2.8% Eletricidade, gás e água 3.7% Transportes e comunicações 4.6% Indústria extrativa 29.2% Agricultura, pescas e floresta 7.5% Construção 11.5% Construção 15.3% Administração pública, educação e saúde 19.2% Setor financeiro, imobiliário e serviços às empresas 11.0% Serviços financeiros, imobiliários e outros 12.9% Serviços públicos 15% Comércio e turismo 17.1% Transportes e comunicações 13.0% Indústria transformadora Fontes: OCDE, BCV, NB Research - Research Setorial. Fontes: BCEAO, UNDP, OCDE, AfDB, NB Research - Research Setorial. 1.6% Eletricidade, água e saneamento 3.7% Outros serviços privados 7.7% Indústria transformadora 22.6% Agricultura, pescas e floresta 8.6% Serviços financeiros e imobiliário 2.8% Eletricidade e água 4.5% Construção e obras públicas 7.2% Serviços públicos 7.9% Outros serviços 3.1% Indústria extrativa 20.0% Comércio e turismo 8.9% Indústria extrativa 18.0% Transportes e Comunicações 11.9% Transportes, armazenagem e comunicações 15.8% Agricultura, pescas e floresta 9.3% Construção 9.7% Comércio e turismo 10.0% Serviços públicos 12.6% Finanças, imobiliárias e serviços prestados às empresas 13.7% Indústria transformadora Fontes: AfDB, BCEAO, OCDE, NB Research - Research Setorial. Fontes: BCEAO, UNDP, OCDE, AfDB, NB Research - Research Setorial. 04

5 Competitividade e ambiente de negócios Doing Business Ranking 2015 Ease of Doing Business Cumprimento de contratos 122º 39º 147º 72º 70º 96º 161º 142º Global Competitiveness Index Ranking Infraestruturas Instituições 114º 104º 66º 115º 93º 86º 111º 108º 69º 112º 111º 79º Fontes: World Bank, World Economic Forum. 05

6 Comércio internacional PRINCIPAIS FORNECEDORES Portugal 40.7% Holanda 20.3% Espanha 8% China 19.7% Índia 7.4% Bélgica 6.8% China 40.7% Bélgica 20.3% Índia 8% França 15.3% Holanda 14.4% Bélgica 9.7% Posição de Portugal 1º 24º 44º 17º PRINCIPAIS IMPORTAÇÕES Petróleo Arroz Cimentos Arroz Peixe congelado Trigo Automóveis Arroz Cimentos Petróleo Arroz Trigo Fontes: World Trade Organization, UNComtrade, AICEP. 06

7 CABO VERDE Indicadores Macroeconómicos Indicadores Macroeconómicos E 2015 E 2016 E PIB Preços correntes EUR mil milhões PIB taxa de crescimento real Percentagem Taxa de desemprego Percentagem da pop. ativa Taxa de Inflação Percentagem Taxa de Câmbio EUR/CVE Balança Corrente Percentagem do PIB Saldo Orçamental Percentagem do PIB E Estimativa. Fontes: FMI, Bloomberg. 07

8 CABO VERDE Comércio Internacional - Relações bilaterais com Portugal (I) Balança de mercadorias e serviços de Portugal com Cabo Verde, 2008, 2012 e 2013 (EUR milhões) Taxa de Crescimento Médio Anual (TCMA) TCMA das exportações = -4.7% TCMA das importações = 3.6% Saldo Superavitário EUR 187 milhões Em 2013, sociedades exportavam mercadorias para Cabo Verde 27º (share: 0.4%) 95º (share: 0.02%) 343 Exportações Serviços (25%) -1.5% Merc. (75%) Importações Serviços (86%) Merc. (14%) Em 2012, sociedades exportavam mercadorias para Cabo Verde Exportações de mercadorias e serviços Importações de mercadorias e serviços Ranking e share enquanto cliente e fornecedor de Portugal (mercadorias) Fontes: INE, Banco de Portugal. 08

9 CABO VERDE Comércio Internacional - Relações bilaterais (mercadorias) com Portugal (II) Top 10 das importações portuguesas de Cabo Verde, 2013 Top 10 das exportações portuguesas para Cabo Verde, Produtos (N.C. 4) (EUR Milhões) Partes de calçado, incluídas as partes superiores, mesmo fixadas a solas que não sejam as solas exteriores; palmilhas amovíveis, reforços interiores e Share TCMA T-shirts e camisolas interiores, de malha Produtos (N.C. 4) Cimentos hidráulicos, incluídos cimentos não pulverizados, denominados clinkers, mesmo corados Óleo de soja e suas frações, mesmo refinados, mas não químicamente modificados 2013 (EUR Milhões) Share TCMA Crustáceos, mesmo sem casca, vivos, frescos, refrigerados, congelados, secos, salgados ou em salmoura Fatos, conjuntos, casacos, calças, jardineiras, calças curtas e calções (shorts), de uso masculino (exceto de malha) Cuecas, ceroulas, camisas de noite, pijamas, roupões de banho, robes e semelhantes, de malha, de uso masculino (exceto camisolas interiores) Cábreas; guindastes, incluídos os de cabos; pontes rolantes e outros guindastes (exceto automóveisgrua e os vagões-grua para a rede ferroviária); pórticos Quadros, painéis, consolas, cabinas, armários e outros suportes, com dois ou mais aparelhos das posições 8535 ou 8536, para comando elétrico ou n.d n.d Medicamentos Barras de ferro ou aço não ligado, simplesmente forjadas, laminadas, estiradas ou extrudadas, a quente, incluídas as que tenham sido submetidas a torção Leite e nata, não concentrados nem adicionados de açúcar ou de outros edulcorantes Cervejas de malte Construções e suas partes (pontes e elementos de pontes, comportas, torres, pórticos, pilares colunas, armações, extruturas para telhados, portas e janelas) Tratores (veículos a motor) (exceto os carrostratores da posição 8709) n.d Tubos e seus acessórios, p.ex. juntas, cotovelos, flanges, uniões, de plástico Peixes congelados (exceto os filetes de peixes e outra carne de peixes da posição 0304) Aparelhos elétricos para telefonia ou telegrafia, por fios, incluídos os aparelhos telefónicos por fio, combinados com auscultadores sem fio Álcool etílico não desnaturado, com um teor alcoólico em volume < 80% vol; aguardentes, licores e outras bebidas espirituosas Fios e cabos, incluídos os cabos coaxiais, e outros condutores, isolados para usos elétricos; cabos de fibras óticas Fontes: INE, Banco de Portugal. 09

10 CABO VERDE Oportunidades de exportação de mercadorias Top 10 das Oportunidades de exportação para Cabo Verde Obras - de borracha Partes motores de pistão Azeite de oliveira Produtos hortícolas preparados ou conservados Garrafões, garrafas e frascos Filetes de peixe Cobertores e mantas Arroz Açúcares - de cana ou de beterraba Carnes refrigeradas ou congeladas, de aves Fontes: UN Comtrade, DESA/UNSD, OCDE, NB Research - Research Setorial. 010

11 COSTA DO MARFIM Indicadores Macroeconómicos Indicadores Macroeconómicos E 2015 E 2016 E PIB Preços correntes EUR mil milhões PIB taxa de crescimento real Percentagem Taxa de Inflação Percentagem Taxa de Câmbio EUR/XOF Balança Corrente Percentagem do PIB E Estimativa. Fontes: FMI, Bloomberg. Saldo Orçamental Percentagem do PIB

12 COSTA DO MARFIM Comércio Internacional Relações bilaterais com Portugal Comércio (I) Internacional - Relações bilaterais com Portugal (I) Balança de mercadorias de Portugal com a Costa do Marfim, 2008, 2012 e 2013 (EUR milhões) Taxa de Crescimento Médio Anual (TCMA) TCMA das exportações = 48% TCMA das importações = 0.3% Saldo superavitário EUR 21.6 milhões 59º (share: 0.1%) º (share: 0.03%) Em 2013, 115 sociedades exportavam mercadorias para a Costa do Marfim % 5.7 Exportações de mercadorias Importações de mercadorias Em 2012, 94 sociedades exportavam mercadorias para a Costa do Marfim Ranking e share enquanto cliente e fornecedor de Portugal (mercadorias) Fonte: INE. 012

13 COSTA DO MARFIM Comércio Internacional Relações bilaterais (mercadorias) Comércio Internacional com Portugal - Relações (II) bilaterais (mercadorias) com Portugal (II) Top 10 das importações portuguesas da Costa do Marfim, 2013 Top 10 das exportações portuguesas para a Costa do Marfim, 2013 Produtos (N.C. 4) Bagaços e outros resíduos sólidos, mesmo triturados ou em "pellets", da extração de gorduras ou óleos vegetais Sêmeas, farelos e outros resíduos, mesmo em "pellets", de peneiração, moagem ou de outros tratamentos de cereais ou de leguminosas" Borracha natural, balata, guta-percha, guaiúle, chicle e gomas naturais análogas, em formas primárias ou em chapas, folhas ou tiras Folhas para folheados, incluídas as obtidas por corte de madeira estratificada, folhas para contraplacados ou compensados ou para outras Caixas de fundição; placas de fundo para moldes; modelos para moldes; moldes para metais, carbonetos metálicos, vidro, matérias minerais, borracha ou plástico Fonte: INE (EUR Milhões) Share TCMA n.d Pastas de cacau, mesmo desengordurada Café, mesmo torrado ou descafeinado; cascas e películas, de café; sucedâneos do café contendo café em qualquer proporção Algodão não cardado nem penteado Madeira serrada ou endireitada longitudinalmente, cortada ou desenrolada, mesmo aplainada, polida ou unida pelas extremidades, de espessura > 6 mm Manteiga, gordura e óleo, de cacau Produtos (N.C. 4) Óleos de petróleo ou de minerais betuminosos (exceto óleos brutos) Cimentos hidráulicos, incluídos cimentos não pulverizados, denominados clinkers, mesmo corados Papel e cartão, não revestidos, dos tipos utilizados para escrita, impressão ou outros fins gráficos, e papel e cartão para fabricar cartões ou tiras perfurados Garrafões, garrafas, frascos, boiões, vasos, embalagens tubulares, ampolas e outros recipientes de vidro próprios para transporte ou embalagem de Perfis de ferro ou aço não ligado, não especificados nem compreendidos noutras posições Reboques e semirreboques, para quaisquer veículos e outros veículos não autopropulsores (exceto para vias férreas) Partes reconhecíveis como exclusiva ou principalmente destinadas aos aparelhos emissores (transmissores) e recetores para radiotelefonia, Produtos laminados planos, de ferro ou aço não ligado, de largura = > 600 mm, laminados a frio, não folheados ou chapeados, nem revestidos Obras de ferro ou aço, não especificadas nem compreendidas noutras posições (exceto moldadas) Construções e suas partes (pontes e elementos de pontes, comportas, torres, pórticos, pilares colunas, armações, extruturas para telhados, portas e janelas) 2013 (EUR Milhões) Share TCMA n.d n.d n.d n.d n.d n.d n.d n.d. 013

14 COSTA DO MARFIM Oportunidades de exportação de mercadorias (I) Oportunidades de exportação de mercadorias Top 10 das Oportunidades de exportação para a Costa do Marfim Veículos automóveis para usos especiais Obras de plástico Cobertores e mantas, artigos têxteis Adubos e fertilizantes Máquinas e aparelhos para peneirar e lavar minérios Extratos de malte; preparações alimentícias de farinhas Tabaco Máquinas e aparelhos para preparação de alimentos ou bebidas Açúcares de cana ou de beterraba Inseticidas Fontes: UN Comtrade, DESA/UNSD, NB Research Research Setorial. 014

15 GHANA Indicadores Macroeconómicos Indicadores Macroeconómicos E 2015 E 2016 E PIB Preços correntes EUR mil milhões PIB taxa de crescimento real Percentagem Taxa de Inflação Percentagem Taxa de Câmbio EUR/GHS Balança Corrente Percentagem do PIB Saldo Orçamental Percentagem do PIB E Estimativa. Fontes: FMI, Bloomberg. 015

16 GHANA Comércio Internacional - Relações bilaterais com Portugal (I) Balança de mercadorias de Portugal com o Ghana, 2008, 2012 e 2013 (EUR milhões) Taxa de Crescimento Médio Anual (TCMA) TCMA das exportações = 20.3% TCMA das importações = 111.4% Saldo Deficitário EUR 238 milhões Em 2013, 149 sociedades exportavam mercadorias para o Ghana 74º (share: 0.05%) 27º (share: 0.5%) % Em 2012, 121 sociedades exportavam mercadorias para o Ghana Exportações de mercadorias Importações de mercadorias Ranking e share enquanto cliente e fornecedor de Portugal (mercadorias) Fonte: INE. 016

17 GHANA Comércio Internacional - Relações bilaterais (mercadorias) com Portugal (II) Top 10 das importações portuguesas do Ghana, 2013 Top 10 das exportações portuguesas para o Ghana, 2013 Produtos (N.C. 4) 2013 (EUR Milhões) Share TCMA Produtos (N.C. 4) 2013 (EUR Milhões) Share TCMA Óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos n.d Veículos automóveis para transporte de mercadorias, incluídos chassis com motor e cabine Algodão não cardado nem penteado n.d Cimentos hidráulicos, incluídos cimentos não pulverizados, denominados clinkers, mesmo corados n.d Peixes congelados (exceto os filetes de peixes e outra carne de peixes da posição 0304) Moluscos, com ou sem concha, vivos, frescos, refrigerados, congelados, secos, salgados ou em salmoura Filetes de peixes e outra carne de peixes (mesmo picada), frescos, refrigerados ou congelados Preparações e conservas, de peixes; caviar e seus sucedâneos preparados a partir de ovas de peixe Gorduras e óleos animais e suas frações, mesmo refinados, mas não químicamente modificados Gorduras, óleos e respetivas frações, de peixes ou de mamíferos marinhos, mesmo refinados, mas não químicamente modificados Crustáceos, mesmo sem casca, vivos, frescos, refrigerados, congelados, secos, salgados ou em salmoura Folhas para folheados, incluídas as obtidas por corte de madeira estratificada, folhas para contraplacados ou compensados ou para outras Fonte: INE n.d Óleos de girassol, de cártamo ou de algodão e respetivas frações, mesmo refinados, mas não químicamente modificados Papel e cartão, não revestidos, dos tipos utilizados para escrita, impressão ou outros fins gráficos, e papel e cartão para fabricar cartões ou tiras perfurados Refrigeradores, congeladores (freezers) e outro material, máquinas e aparelhos para a produção de frio, com equipamento elétrico ou outro; bombas de calor Bulldozers, angledozers, niveladoras, raspotransportadoras "scrapers", pás mecânicas, escavadoras, carregadoras e pás carregadoras Fios e cabos, incluídos os cabos coaxiais, e outros condutores, isolados para usos elétricos; cabos de fibras óticas Coque de petróleo, betume de petróleo e outros resíduos dos óleos de petróleo ou de minerais betuminosos n.d n.d n.d Papel e cartão "kraft", não revestidos Aparelhos de iluminação, incluídos os projetores, e suas partes, não especificados nem compreendidos em outras posições; anúncios, tabuletas ou cartazes e

18 GHANA Oportunidades de exportação de mercadorias Top 10 das Oportunidades de exportação para o Ghana Perfis de - ferro ou aço não ligado Preparações - e conservas de peixes Águas Obras moldadas de ferro Tijolos e outros para construção Quadros, painéis, consolas, cabinas, armários Máquinas e aparelhos de escritório Miudezas comestíveis de animais Preparações dos tipos utilizados na alimentação de animais Sacos de matéria têxtil Fontes: UN Comtrade, DESA/UNSD, OCDE, NB Research - Research Setorial. 018

19 SENEGAL Indicadores Macroeconómicos Indicadores Macroeconómicos E 2015 E 2016 E PIB Preços correntes EUR mil milhões PIB taxa de crescimento real Percentagem Taxa de Inflação Percentagem Taxa de Câmbio EUR/XOF Balança Corrente Percentagem do PIB Saldo Orçamental Percentagem do PIB E Estimativa. Fontes: FMI, Bloomberg. 019

20 SENEGAL Comércio Internacional Relações bilaterais com Comércio Portugal Internacional (I) - Relações bilaterais com Portugal (I) Balança de mercadorias de Portugal com o Senegal, 2008, 2012 e 2013 (EUR milhões) Taxa de Crescimento Médio Anual (TCMA) TCMA das exportações = 5% TCMA das importações = 10.8% Saldo Superavitário EUR 33.8 milhões 54º (share: 0.1%) 77º (share: 0.03%) Em 2013, 212 sociedades exportavam mercadorias para Senegal % Em 2012, 164 sociedades exportavam mercadorias para Senegal Exportações de mercadorias Importações de mercadorias Ranking e share enquanto cliente e fornecedor de Portugal (mercadorias) Fonte: INE. 020

21 SENEGAL Comércio Internacional Relações bilaterais (mercadorias) Comércio Internacional com Portugal - Relações (II) bilaterais (mercadorias) com Portugal (II) Top 10 das importações portuguesas do Senegal, 2013 Top 10 das exportações portuguesas para o Senegal, 2013 Produtos (N.C. 4) 2013 (EUR Milhões) Share TCMA Produtos (N.C. 4) 2013 (EUR Milhões) Share TCMA Peixes congelados (exceto os filetes de peixes e outra carne de peixes da posição 0304) Óleos de petróleo ou de minerais betuminosos (exceto óleos brutos) Peixes frescos ou refrigerados (exceto filetes de peixe e outra carne de peixes da posição 0304) Barras de ferro ou aço não ligado, simplesmente forjadas, laminadas, estiradas ou extrudadas, a quente, incluídas as que tenham sido submetidas a torção Algodão não cardado nem penteado n.d Gás de petróleo e outros hidrocarbonetos gasosos Crustáceos, mesmo sem casca, vivos, frescos, refrigerados, congelados, secos, salgados ou em salmoura Tabaco não manufaturado; desperdícios de tabaco Fosfatos de cálcios naturais, fosfatos aluminocálcicos naturais e cré fosfatada n.d Veículos automóveis para transporte de mercadorias, incluídos chassis com motor e cabine Peles em bruto de ovinos, frescas, ou salgadas, secas, tratadas pela cal, "picladas" ou conservadas de outro modo, mesmo depiladas ou divididas (exceto os Moluscos, com ou sem concha, vivos, frescos, refrigerados, congelados, secos, salgados ou em salmoura Couros e peles em bruto de bovinos, incluídos os búfalos, ou de equídeos, frescos, ou salgados, secos, tratados pela cal, "piclados" ou conservados de outro Filetes de peixes e outra carne de peixes (mesmo picada), frescos, refrigerados ou congelados Couros e peles em bruto, frescos ou salgados, secos, tratados pela cal, "piclados" ou conservados de outro modo, mesmo depilados ou divididos (exceto Reboques e semirreboques, para quaisquer veículos e outros veículos não autopropulsores (exceto para vias férreas) Perfis de ferro ou aço não ligado, não especificados nem compreendidos noutras posições Leveduras, vivas ou mortas; outros microrganismos monocelulares mortos (exceto acondicionados como medicamentos); pós para levedar, Papel e cartão, não revestidos, dos tipos utilizados para escrita, impressão ou outros fins gráficos, e papel e cartão para fabricar cartões ou tiras perfurados Máquinas e aparelhos para selecionar, peneirar, separar, lavar, esmagar, moer, misturar ou amassar terras, pedras, minérios ou outras substâncias minerais Fonte: INE. 021

22 SENEGAL Oportunidades de exportação de mercadorias (I) Oportunidades de exportação de mercadorias Top 10 das Oportunidades de exportação para o Senegal Batatas, frescas ou refrigeradas Adubos minerais ou químicos azotados Produtos laminados planos, de ferro ou aço Cobertores e mantas, artigos têxteis p/ mesa Tecidos de algodão Pneumáticos novos, de borracha Chá Cebolas, alho e outros produtos aliáceos Adubos minerais ou químicos Extratos de malte; preparações alimentícias Fontes: UN Comtrade, DESA/UNSD, OCDE, NB Research - Research Setorial. 022

23 RESEARCH SETORIAL Apoio à Internacionalização do Novo Banco Contactos

24 Apoio à Internacionalização do Novo Banco (I) Expansão internacional do Novo Banco orientada para mercados com afinidades económicas e culturais com Portugal e com elevado potencial de crescimento. Espanha Sucursal NB e BESI Reino Unido Sucursal NB e BESI e Subsidiária BESI Irlanda Subsidiária NB PLC e BESI França Subsidiária BES Vénétie Suíça Escritório Representação NB Luxemburgo Sucursal NB Itália Banco delle Tre Venezie Polónia Subsidiária NB e Sucursal BESI Nova Iorque Sucursal NB e BESI Ilhas Caimão Sucursal NB Nassau Sucursal NB México Escritório Representação NB e Subsidiária BESI Venezuela Sucursal NB Brasil Subsidiária BESI Xangai Escritório Representação NB Hong Kong Subsidiária BESI Macau Subsidiária NB Ásia Mumbai Subsidiária BESI Cabo Verde Subsidiária Banco Internacional de Cabo Verde Marrocos Participação Banque Marocaine du Commerce Extérieur Argélia Participação Ijar Leasing Angola Participação Banco Económico África do Sul Escritório Representação NB Moçambique Moza Banco ISKO Arábia Saudita Unidade Internacional Premium/ ES Research - Research Sectorial/ Departamento de Desenvolvimento Internacional 024

25 Apoio à Internacionalização do Novo Banco (II) No Novo Banco apoiamos a sua internacionalização através da Unidade Internacional Premium. Esta unidade é composta por uma equipa experiente de gestores especialistas, organizados por Desks Geográficos. 5 desks geográficos África América Latina Europa de Leste, Ásia & Médio Oriente Mercados Maduros & China Norte de África & Turquia Conhecimento da forma de fazer negócios nos principais mercados; Relações com os players locais; Conhecimento dos planos nacionais de desenvolvimento dos países; Participação em feiras e missões empresariais nas geografias acompanhadas. ISKO Arábia Saudita Unidade Internacional Premium/ ES Research - Research Sectorial/ Departamento de Desenvolvimento Internacional 025

26 Apoio à Internacionalização do Novo Banco (III) Estamos presentes com soluções em todas as fases do processo: 1. Conhecimento Fine Trade: identificação de mercados potenciais. 3. Comércio Internacional Uma equipa com reconhecida experiência a apoiar nas suas operações de comércio internacional. 31% das operações de Trade Finance realizadas em 2013 passaram pelo Novo Banco*. Best Trade Finance Bank, em Portugal, pelo 8º ano consecutivo. 2. Business Development Identificação de contrapartes locais através da rede de Bancos do Grupo, Bancos parceiros, Rede Diplomática ou Câmaras de Comércio Internacional; Referenciação de Clientes; Realização de Missões Empresariais. 4. Investimento Estruturação, implementação e acompanhamento de operações com os bancos locais. Angariação de funding para investimento junto de Bancos de Desenvolvimento e Multilaterais. ISKO Arábia Saudita Unidade Internacional Premium/ ES Research - Research Sectorial/ Departamento de Desenvolvimento Internacional * Quota de mercado do Trade Finance de 30,6% a dezembro

27 Apoio à Internacionalização do Novo Banco (IV) Fine Trade Identificação assertiva, por produto, de mercados potenciais ISKO Arábia Saudita Unidade Internacional Premium/ ES Research - Research Sectorial/ Departamento de Desenvolvimento Internacional 027

28 Adesão a newsletters e publicações RESEARCH SETORIAL Saiba mais em: ISKO Arábia Saudita Unidade Internacional Premium/ ES Research - Research Sectorial/ Departamento de Desenvolvimento Internacional 028

29 Unidade Internacional Premium RESEARCH SETORIAL Diretor Coordenador Ricardo Bastos Salgado Francisco Mendes Palma Chief Sectoral Strategist Susana Barros Marta Mariz Diretora de Negócio Internacional e Instituições Financeiras Research Setorial Luís Ribeiro Rosa Conceição Leitão Desk África João Pereira Miguel Patrícia Agostinho Bruno Pereira Negócio Internacional Instituições Financeiras José Manuel Botelho Miguel Bidarra Celina Luís Paula Dias Disclaimer O estudo foi realizado pelo Novo Banco Research - Research Setorial com um objetivo meramente informativo e tem por base informações obtidas a partir do site da UNComtrade (United Nations Commodity Trade Statistics Database, Department of Economic and Social Affairs/Statistics Division) em O conteúdo dos estudos efetuados pelo Novo Banco Research - Research Setorial é sempre baseado em informação disponível ao público e obtida a partir de diversas fontes, incluindo meios de informação especializados, fontes oficiais e outras consideradas credíveis. Contudo, o Novo Banco Research - Research Setorial não garante a sua exatidão ou integralidade. As Informações/opiniões expressas nesta apresentação referem-se apenas ao momento presente e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio, não vinculando o Novo Banco Research - Research Setorial, e não assumindo este qualquer compromisso de atualização da informação ora prestada. As informações e opiniões apresentadas não constituem nenhuma recomendação de investimento. O Novo Banco Research - Research Setorial não aceita nenhum tipo de responsabilidade sobre quaisquer perdas ou danos provenientes da utilização desta apresentação. As opiniões emitidas não vinculam o Novo Banco, não podendo o Novo Banco, por isso, ser responsabilizado, em qualquer circunstância e por qualquer forma, por erros, omissões ou inexatidões da informação constante neste documento ou que resultem do uso dado a essa informação. A reprodução de parte ou totalidade desta publicação é permitida, desde que a fonte seja expressamente mencionada. 029

RESEARCH SETORIAL CAZAQUISTÃO INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES NOVEMBRO 2014

RESEARCH SETORIAL CAZAQUISTÃO INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES NOVEMBRO 2014 RESEARCH SETORIAL CAZAQUISTÃO NOVEMBRO 2014 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES RESEARCH SETORIAL Contexto Económico do País Estrutura Setorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades

Leia mais

RESEARCH SETORIAL REINO UNIDO NOVEMBRO 2014 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES

RESEARCH SETORIAL REINO UNIDO NOVEMBRO 2014 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES RESEARCH SETORIAL REINO UNIDO NOVEMBRO 2014 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES RESEARCH SETORIAL Contexto Económico do País Estrutura Setorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades

Leia mais

RESEARCH SETORIAL AZERBAIJÃO NOVEMBRO 2014 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES

RESEARCH SETORIAL AZERBAIJÃO NOVEMBRO 2014 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES RESEARCH SETORIAL AZERBAIJÃO NOVEMBRO 2014 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES RESEARCH SETORIAL Contexto Económico do País Estrutura Setorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades

Leia mais

RESEARCH SETORIAL ALEMANHA INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES NOVEMBRO 2014

RESEARCH SETORIAL ALEMANHA INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES NOVEMBRO 2014 RESEARCH SETORIAL ALEMANHA NOVEMBRO 2014 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES RESEARCH SETORIAL Contexto Económico do País Estrutura Setorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades

Leia mais

República da Guiné - Síntese País

República da Guiné - Síntese País Informação Geral sobre a Rep. da Guiné Área (km 2 ): 245 857 Primeiro-Ministro: Mohamed Said Fofana População (milhões hab.): 11,8 (estimativa 2013) Risco de crédito: 7 (1 = risco menor; 7 = risco maior)

Leia mais

Cabo Verde - Síntese País

Cabo Verde - Síntese País Informação Geral sobre Cabo Verde Área (km 2 ): 4 033 Primeiro-Ministro: José Maria Neves População: 504 000 (estimativa 2014) Risco de crédito: 6 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Praia Unidade

Leia mais

Nova Zelândia - Síntese País

Nova Zelândia - Síntese País Informação Geral sobre a Nova Zelândia Área (km 2 ): 270 534 Primeiro-Ministro: John Key População (milhões hab.): 4,6 () Risco de crédito: (*) Capital: Wellington Risco do país: AA (AAA = risco menor;

Leia mais

Rússia Oportunidades de exportação

Rússia Oportunidades de exportação Rússia Oportunidades de exportação Research Sectorial Fórum Missão Exportar 11 de Dezembro de 2008 Top 10 exportações de mercadorias portuguesas, 2008 E (% total) Obras de ferro fundido, ferro ou aço 2.9%

Leia mais

RESEARCH SETORIAL EUA NOVEMBRO 2014 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES

RESEARCH SETORIAL EUA NOVEMBRO 2014 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES RESEARCH SETORIAL EUA NOVEMBRO 2014 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES RESEARCH SETORIAL Contexto Económico do País Estrutura Setorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades

Leia mais

PORTUGAL GREECE Trade Balance

PORTUGAL GREECE Trade Balance PORTUGAL GREECE Trade Balance March 2013 TRADE BALANCE PORTUGAL GREECE IMPORTS (CIF) Annual Variation % EXPORTS (FOB) Annual Variation % 10³ Euros BALANCE 2003 81.998 121.881 39.883 2004 76.487-6,72 126.685

Leia mais

Namíbia - Síntese País

Namíbia - Síntese País Informação Geral sobre a Namíbia Área (km 2 ): 824 269 Primeiro-Ministro: Saara Kuugongelwa-Amadhila População (milhões hab.): 2,2 (estimativa ) Risco de crédito: 3 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital:

Leia mais

Espanha - Síntese País e Relacionamento Bilateral

Espanha - Síntese País e Relacionamento Bilateral Informação Geral sobre Espanha Área (km 2 ): 504 880 Primeiro-Ministro: Mariano Rajoy População (milhões hab.): 47,1 (estimativa ) Risco de crédito: (*) Capital: Madrid Risco do país: BBB (AAA = risco

Leia mais

África do Sul - Síntese País

África do Sul - Síntese País Informação Geral sobre a África do Sul Área (km 2 ): 1 219 090 Vice-Presidente: Cyril Ramaphosa População (milhões hab.): 53 (2013) Risco de crédito: 4 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Pretória

Leia mais

Brasil - Síntese País

Brasil - Síntese País Informação Geral sobre o Brasil Área (km 2 ): 8 547 400 Vice-Presidente: Michel Temer População (milhões hab.): 202,8 (estimativa 2014) Risco de crédito: 3 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Brasília

Leia mais

Projetar Portugal. O Português e os Negócios. Um activo intangível da economia portuguesa. Janeiro 2013. Organização:

Projetar Portugal. O Português e os Negócios. Um activo intangível da economia portuguesa. Janeiro 2013. Organização: Projetar Portugal O Português e os Negócios Um activo intangível da economia portuguesa Francisco Mendes Palma Janeiro 2013 Organização: O Português e os Negócios Um activo intangível da economia portuguesa

Leia mais

DADOS GERAIS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES SÓCIO-ECONÔMICOS E COMERCIAIS EGITO

DADOS GERAIS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES SÓCIO-ECONÔMICOS E COMERCIAIS EGITO DADOS GERAIS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES Indice: - Dados Gerais Básicos e Indicadores Sócio-Econômicos - Balanço de Pagamentos - Comércio Exterior - Composição do Comércio Exterior - Direção do Comércio

Leia mais

Comércio Externo de Bens (10 9 USD) 8,0 15,0 2009a 2010a 2011a 2012a 2013a 2014b 6,0 10,0

Comércio Externo de Bens (10 9 USD) 8,0 15,0 2009a 2010a 2011a 2012a 2013a 2014b 6,0 10,0 Informação Geral sobre a Palestina População (milhões hab.): 4,5 (estimativa 2014) Unidade monetária: Shequel de Israel (ILS) e Língua oficial: Árabe Dinar Jordano (JOD) Chefe de Estado: Mahmoud Abbas

Leia mais

120,0. Principais Produtos Exportados - 2014 Principais Produtos Importados - 2014

120,0. Principais Produtos Exportados - 2014 Principais Produtos Importados - 2014 Informação Geral sobre o Chile Área (km 2 ): 756 096 Risco de crédito (*): População (milhões hab.): 17,7 (estimativa ) Risco do país: A2 (A = risco menor; D = risco maior) Capital: Santiago do Chile Unidade

Leia mais

Angola Breve Caracterização. Julho 2007

Angola Breve Caracterização. Julho 2007 Breve Caracterização Julho 2007 I. Actividade e Preços. Após o final da guerra civil em 2002, e num contexto de relativa estabilidade política, tornou-se numa das economias de mais elevado crescimento

Leia mais

França - Síntese País

França - Síntese País Informação Geral sobre França Área (km 2 ): 543 965 Primeiro-Ministro: Manuel Valls População (milhões hab.): 66,3 (estimativa janeiro ) - Insee Risco de crédito: (*) Capital: Paris Risco do país: A (AAA=risco

Leia mais

GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. Nº 12 Dezembro 2008

GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. Nº 12 Dezembro 2008 Boletim Mensal de Economia Portuguesa Nº 12 Dezembro 2008 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e da Inovação GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais

Leia mais

Unidade Internacional Premium. Para simplificar a sua internacionalização.

Unidade Internacional Premium. Para simplificar a sua internacionalização. Unidade Internacional Premium Para simplificar a sua internacionalização. setembro de 2014 Setembro 2014 2 No NOVOBANCOestão unidas várias forças para apoiar a internacionalização da sua empresa. Unidade

Leia mais

RESEARCH SETORIAL JAPÃO NOVEMBRO 2014 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES

RESEARCH SETORIAL JAPÃO NOVEMBRO 2014 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES RESEARCH SETORIAL JAPÃO NOVEMBRO 2014 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES RESEARCH SETORIAL Contexto Económico do País Estrutura Setorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades

Leia mais

Desafios da Internacionalização O papel da AICEP. APAT 10 de Outubro, 2015

Desafios da Internacionalização O papel da AICEP. APAT 10 de Outubro, 2015 Desafios da Internacionalização O papel da AICEP APAT 10 de Outubro, 2015 Internacionalização - Desafios Diversificar Mercados Alargar a Base Exportadora 38º PORTUGAL TEM MELHORADO A SUA COMPETITIVIDADE

Leia mais

COSTA DO INTERNATIONAL SUPPORT OPPORTUNITIES. Maio 2015

COSTA DO INTERNATIONAL SUPPORT OPPORTUNITIES. Maio 2015 Maio 2015 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES Contexto Económico do País Estrutura Setorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades Apoio à Internacionalização do Novo Banco

Leia mais

Portugal Leaping forward

Portugal Leaping forward Portugal Leaping forward Dr. Pedro Reis Presidente da AICEP Lisboa, 16 de Março 2012 Enquadramento internacional Fonte: EIU (Fev 2012) Nota: PIB a preços de mercado Variação (%) Enquadramento internacional

Leia mais

Risco do país: D (A1 = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: Aqilah Salah Issa Tx. câmbio (fim do período): 1 EUR = 1,51778 LYD (abr.

Risco do país: D (A1 = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: Aqilah Salah Issa Tx. câmbio (fim do período): 1 EUR = 1,51778 LYD (abr. Informação Geral sobre a Líbia Área (km 2 ): 1 759 540 Primeiro-Ministro: Abdullah al-thini População (milhões hab.): 6,3 (estimativas ) Risco de crédito: 7 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital:

Leia mais

PORTUGAL Comércio Exterior

PORTUGAL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC PORTUGAL Comércio Exterior Abril de 2015 Principais Indicadores

Leia mais

Principais exportações para o Brasil de produtos agrícolas, florestais e das pescas (média 2004-2008)

Principais exportações para o Brasil de produtos agrícolas, florestais e das pescas (média 2004-2008) Principais exportações para o Brasil de produtos agrícolas, florestais e das pescas (média 2004-2008) 70 000 62 207 60 000 valores em milhares de euros 50 000 40 000 30 000 20 000 21 786 17 825 8 620 10

Leia mais

BRASIL Comércio Exterior

BRASIL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC BRASIL Comércio Exterior Novembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005 Total... 147 358 6 443 364 1 255 903 923 1 233 256 750 157 359 927 105 804 733 1 192 717 909 681 401 937 511 315 972 C Indústrias extrativas... 3 019 126 018 38 315 470 32 463 760 4 145 236 2 657 977 35

Leia mais

REINO UNIDO Comércio Exterior

REINO UNIDO Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC REINO UNIDO Comércio Exterior Setembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

BANGLADESH Comércio Exterior

BANGLADESH Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC BANGLADESH Comércio Exterior Fevereiro de 2015 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Haiti - Síntese País e Relacionamento Bilateral

Haiti - Síntese País e Relacionamento Bilateral Informação Geral sobre o Haiti Área (km 2 ): 27 750 Primeiro-Ministro: Laurent Lamothe População (milhões hab.): 10,3 () Risco de crédito : 7 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Port-au-Prince

Leia mais

SURINAME Comércio Exterior

SURINAME Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC SURINAME Comércio Exterior Novembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Austrália - Síntese País

Austrália - Síntese País Informação Geral sobre a Austrália Área (km 2 ): 7 682 400 Primeiro-Ministro: Tony Abbott População (milhões hab.): 23,6 (estimativa 2014) Risco de crédito: (*) Capital: Camberra Risco do país: BBB (AAA

Leia mais

EXPORTAÇÃO DE PEQUENA ESCALA: ABORDAGEM AOS MERCADOS INTERNACIONAIS

EXPORTAÇÃO DE PEQUENA ESCALA: ABORDAGEM AOS MERCADOS INTERNACIONAIS EXPORTAÇÃO DE PEQUENA ESCALA: ABORDAGEM AOS MERCADOS INTERNACIONAIS 1.º Encontro Jovem Produtor de Queijo Serra da Estrela Gouveia, 14 de Dezembro de 2011 Enquadramento A aicep Portugal Global Canais de

Leia mais

COREIA DO NORTE Comércio Exterior

COREIA DO NORTE Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC COREIA DO NORTE Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados

Leia mais

Alemanha - Síntese País

Alemanha - Síntese País Informação Geral sobre a Alemanha Área (km 2 ): 356 970 km 2 Chanceler Federal: Angela Merkel População (milhões hab.): 81 (estimativa 2014) Risco de crédito (*): Capital: Berlim Risco do país: A (AAA

Leia mais

ARGENTINA Comércio Exterior

ARGENTINA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ARGENTINA Comércio Exterior Agosto de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015 Missão Empresarial EUA Flórida 21 a 26 de Março 2015 Apoiamos empresas a ter sucesso nos mercados internacionais Sobre nós Na Market Access prestamos serviços de apoio à exportação e internacionalização.

Leia mais

Valor das Importações e das Exportações, nos Açores, por ano

Valor das Importações e das Exportações, nos Açores, por ano Q.10.01 - Resultados Globais, por ano Unidade: 1 000 Euros 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 Importações (CIF) 34 490 773 37 505 656 43 257 180 44 093 881 42 466 265 41 753 699 45

Leia mais

Maio 2015 INTERNATIONAL SUPPORT OPPORTUNITIES

Maio 2015 INTERNATIONAL SUPPORT OPPORTUNITIES Maio 2015 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES Contexto Económico do País Estrutura Setorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades Apoio à Internacionalização do Novo Banco

Leia mais

Bélgica - Síntese País

Bélgica - Síntese País Informação Geral sobre a Bélgica Área (km 2 ): 30 528 Primeiro-Ministro: Charles Michel População (milhões hab.): 11,1 (estimativa 2014) Risco de crédito: (*) Capital: Bruxelas Risco do país: A2 (AAA =

Leia mais

HAITI Comércio Exterior

HAITI Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC HAITI Comércio Exterior Outubro de 2015 Tabela 1 Principais Indicadores

Leia mais

Principais exportações para São Tomé e Príncipe de produtos agrícolas, florestais e das pescas (média 2004-2008)

Principais exportações para São Tomé e Príncipe de produtos agrícolas, florestais e das pescas (média 2004-2008) Principais exportações para São Tomé e Príncipe de produtos agrícolas, florestais e das pescas (média 2004-2008) 3 500 3 336 3 000 valores em milhares de euros 2 500 2 000 1 500 1 000 1 367 1 279 727 500

Leia mais

9.5.2008 PT Jornal Oficial da União Europeia C 115/329 ANEXOS

9.5.2008 PT Jornal Oficial da União Europeia C 115/329 ANEXOS 9.5.2008 PT Jornal Oficial da União Europeia C 115/329 ANEXOS 9.5.2008 PT Jornal Oficial da União Europeia C 115/331 ANEXO I LISTA PREVISTA NO ARTIGO 38. o DO TRATADO SOBRE O FUNCIONAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA

Leia mais

Exportações Importações Posição e Quota da Suíça no Comércio Mundial de Bens - 2014 22ª 1,3% 26ª 1,1% Fonte: WTO - World Trade Organization

Exportações Importações Posição e Quota da Suíça no Comércio Mundial de Bens - 2014 22ª 1,3% 26ª 1,1% Fonte: WTO - World Trade Organization Informação Geral sobre a Suíça Área (km 2 ): 41 285 Vice-Presidente Federal: Johann Schneider-Amman População (milhões hab.): 8,11 (estimativa 2014) Risco de crédito: (*) Capital: Berna Risco do país:

Leia mais

RADAR COMERCIAL Análise do Mercado da Croácia

RADAR COMERCIAL Análise do Mercado da Croácia Secretaria de Comércio Exterior SECEX - MDIC Departamento de Planejamento e Desenvolvimento do Comércio Exterior DEPLA Coordenação Geral de Produção Estatística CGPE RADAR COMERCIAL A Croácia foi a sexagésima

Leia mais

ILHAS SALOMÃO Comércio Exterior

ILHAS SALOMÃO Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ILHAS SALOMÃO Comércio Exterior Abril de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

PAÍSES BAIXOS Comércio Exterior

PAÍSES BAIXOS Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC PAÍSES BAIXOS Comércio Exterior Outubro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

CABO INTERNATIONAL SUPPORT OPPORTUNITIES. Maio 2015

CABO INTERNATIONAL SUPPORT OPPORTUNITIES. Maio 2015 Maio 2015 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES Contexto Económico do País Estrutura Setorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades Apoio à Internacionalização do Novo Banco

Leia mais

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais.

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Maio/2014 OBJETIVO Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Permitir ainda, uma análise comparativa da evolução

Leia mais

CAZAQUISTÃO Comércio Exterior

CAZAQUISTÃO Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC CAZAQUISTÃO Comércio Exterior Agosto de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Mercados informação global

Mercados informação global Mercados informação global Relações Económicas Portugal Cuba Novembro 2010 Relações Económicas Portugal Cuba (Novembro 2010) Índice 1. Relações Económicas Portugal Cuba 3 1.1 Comércio 3 1.1.1 Importância

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A AUSTRÁLIA

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A AUSTRÁLIA BALANÇA COMERCIAL 2005 2006 2007 2008 Exportações 82.213 65.434 62.538 53.583 44.990-13,8 39.853 62.848 57,7 Importações 23.679 28.230 38.501 16.980 14.662-3,5 14.187 11.454-19,3 Saldo 58.534 37.204 24.037

Leia mais

Chefe de Estado: Otto Pérez Molina Tx. Câmbio: 1 EUR = 8,654 GTQ (final janeiro 2015)

Chefe de Estado: Otto Pérez Molina Tx. Câmbio: 1 EUR = 8,654 GTQ (final janeiro 2015) Informação Geral sobre a Guatemala Área (km 2 ): 108 889 Vice-Presidente: Roxana Baldetti População (milhões hab.): 14,6 (estimativa 2014) Risco de crédito: 4 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital:

Leia mais

UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil

UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil

Leia mais

Mercados informação global

Mercados informação global Mercados informação global Relações Económicas Portugal - Paraguai Novembro 2010 Índice 1. Relações Económicas Portugal Paraguai 3 1.1 Comércio 3 1.1.1 Importância do Paraguai nos fluxos comerciais para

Leia mais

Diretoria de Pesquisas COIND. Índice de Preços ao Produtor

Diretoria de Pesquisas COIND. Índice de Preços ao Produtor Diretoria de Pesquisas COIND Índice de Preços ao Produtor Índice de Preços ao Produtor Indústrias de Transformação Resultados Agosto 2012 Principais Indicadores Indústrias de Transformação JUN JUL AGO

Leia mais

GHANA INTERNATIONAL SUPPORT OPPORTUNITIES

GHANA INTERNATIONAL SUPPORT OPPORTUNITIES Maio 2015 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES Contexto Económico do País Estrutura Setorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades Apoio à Internacionalização do Novo Banco

Leia mais

REINO UNIDO Maio 2015 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES

REINO UNIDO Maio 2015 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES Maio 2015 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES Contexto Económico do País Estrutura Setorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades Apoio à Internacionalização do Novo Banco

Leia mais

Intercâmbio Intercâmbio Comercial do Comercial Agronegócio

Intercâmbio Intercâmbio Comercial do Comercial Agronegócio Intercâmbio Intercâmbio Comercial do Comercial Agronegócio do Agronegócio Edição 2010 África do Sul Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Bangladesh Canadá China Cingapura Colômbia Coréia do Sul Egito

Leia mais

Pesquisa Industrial- Empresa. Pesquisa Industrial- Produto. Data 21/06/2013

Pesquisa Industrial- Empresa. Pesquisa Industrial- Produto. Data 21/06/2013 Pesquisa Industrial- Empresa 2011 Pesquisa Industrial- Produto Data 21/06/2013 Apresentação Aspectos metodológicos Análise de resultados Resultados gerais em 2011 Estrutura das receitas, dos custos e despesas,

Leia mais

RÚSSIA Comércio Exterior

RÚSSIA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC RÚSSIA Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Eduardo Pereira Nunes Elisio Contini Apresentação à Diretoria da ABAG 13 de setembro de 2000 - São Paulo O PROBLEMA Controvérsias sobre contribuição

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014. Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014. Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JANEIRO Exportações Apesar do bom crescimento de Produtos Alimentícios e Máquinas e Equipamentos,

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A ALEMANHA

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A ALEMANHA Expedições 4.646.753 4.957.528 4.954.299 4.099.667 4.771.584 1,4 16,4 Chegadas 8.054.468 8.367.508 8.594.931 6.813.091 7.886.527 0,4 15,8 Saldo -3.407.716-3.409.980-3.640.632-2.713.423-3.114.943 -- --

Leia mais

VERDE INTERNATIONAL SUPPORT OPPORTUNITIES OUTUBRO 2 0 1 1

VERDE INTERNATIONAL SUPPORT OPPORTUNITIES OUTUBRO 2 0 1 1 CABO VERDE OUTUBRO 2 0 1 1 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES Contexto Económico do País Estrutura Sectorial Comércio Internacional, Bilateral l com Portugal e Oportunidades d Apoios à Internacionalização

Leia mais

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas 7 de Novembro de 2014 Internacionalização - Desafios Diversificar Mercados Alargar a Base Exportadora Enquadramento Evolução Recente Comércio

Leia mais

Diretoria de Pesquisas COIND. Índice de Preços ao Produtor

Diretoria de Pesquisas COIND. Índice de Preços ao Produtor Diretoria de Pesquisas COIND Índice de Preços ao Produtor Índice de Preços ao Produtor Indústrias de Transformação Resultados Outubro 2012 Principais Indicadores Indústrias de Transformação AGO SET OUT

Leia mais

Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR

Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR EXPORTAÇÕES DAS COOPERATIVAS NO AGRONEGÓCIO EM 1. RESULTADO

Leia mais

Gráfico 01 - Evolução do comércio exterior da Dinamarca - 2008-2010. 2008 2009 2010 Anos

Gráfico 01 - Evolução do comércio exterior da Dinamarca - 2008-2010. 2008 2009 2010 Anos Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC Secretaria de Comércio Exterior SECEX Departamento de Planejamento e Desenvolvimento do Comércio Exterior DEPLA Coordenação Geral de

Leia mais

Mercados. informação global. Relações Económicas Portugal - Angola

Mercados. informação global. Relações Económicas Portugal - Angola Mercados informação global Relações Económicas Portugal - Angola Abril 2009 Índice Relações Económicas Portugal Angola 3 1 Comércio 3 1.1 Importância de Angola nos fluxos comerciais de Portugal 3 1.2 Balança

Leia mais

BULGÁRIA DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS

BULGÁRIA DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS BULGÁRIA

Leia mais

Governo do Estado de Minas Gerais Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico Exportaminas

Governo do Estado de Minas Gerais Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico Exportaminas NOTA TÉCNICA MERCOSUL* - Agronegócio, Eletrônica e TIC e Biotecnologia 2010-2014 * Mercado Comum do Sul, composto pela República Federativa do Brasil, República da Argentina, República do Paraguai, República

Leia mais

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011. Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011. Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011 Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011 Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011 População a Milhares Hab. INE 10.563 10.586 10.604 10.623 10.638 10.636 10.643 2º Trimestre

Leia mais

Angola Oportunidades de exportação

Angola Oportunidades de exportação Angola Oportunidades de exportação Research Sectorial Fórum Missão Exportar 11 de Dezembro de 2008 Top 10 exportações de mercadorias portuguesas, 2008 E (% total) Obras de ferro fundido, ferro ou aço 2.9%

Leia mais

COLÔMBIA N O V E M B R O 2 0 1 3 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES

COLÔMBIA N O V E M B R O 2 0 1 3 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES N O V E M B R O 2 0 1 3 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES Contexto Económico do País Estrutura Setorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades Apoios à Internacionalização:

Leia mais

Índice de Preços ao Produtor (IPP) de setembro fica em 1,23%

Índice de Preços ao Produtor (IPP) de setembro fica em 1,23% Índice de Preços ao Produtor Fonte IBGE Base: Setembro de 2011 Por Ricardo Bergamini Índice de Preços ao Produtor (IPP) de setembro fica em 1,23% Em setembro de 2011, o Índice de Preços ao Produtor (IPP)

Leia mais

Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não

Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não especificados anteriormente 0116-4/99 Cultivo de outras

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A ARGÉLIA

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A ARGÉLIA 2006 2007 2008 Var % a 06/10 Exportações 72.858 79.841 181.189 197.445 216.674 38,8 9,7 Importações 896.599 577.541 706.684 274.938 269.391-19,1-2,0 Saldo -823.741-497.700-525.495-77.493-52.717 -- -- Coef.

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 07 julho 2011 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_

Leia mais

Bahamas Comércio Exterior

Bahamas Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC Bahamas Comércio Exterior Novembro de 215 Tabela 1 Principais Indicadores

Leia mais

RADAR COMERCIAL Análise do Mercado de Luxemburgo. 1 Panorama do País

RADAR COMERCIAL Análise do Mercado de Luxemburgo. 1 Panorama do País Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC Secretaria de Comércio Exterior SECEX Departamento de Planejamento e Desenvolvimento do Comércio Exterior DEPLA Coordenação Geral de

Leia mais

ANGOLA J U N H O 2 0 1 2

ANGOLA J U N H O 2 0 1 2 J U N H O 2 0 1 2 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES Contexto Económico do País Estrutura Sectorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades Apoio à Internacionalização do

Leia mais

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR INDÚSTRIAS. www.prochile.gob.cl

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR INDÚSTRIAS. www.prochile.gob.cl CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR INDÚSTRIAS www.prochile.gob.cl O Chile surpreende pela sua variada geografia. Suas montanhas, vales, desertos, florestas e milhares de quilômetros de costa, o beneficiam

Leia mais

LIGA ÁRABE Comércio Exterior

LIGA ÁRABE Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC LIGA ÁRABE Comércio Exterior Outubro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Cabo Verde. Inteligência de Mercados Internacionais. Extensão: 4.033 km2. População: 0,52 milhões de hab. Idioma: Português

Cabo Verde. Inteligência de Mercados Internacionais. Extensão: 4.033 km2. População: 0,52 milhões de hab. Idioma: Português in Inteligência de Mercados Internacionais Extensão: 4.033 km2 População: 0,52 milhões de hab. Idioma: Português Centros comerciais: Praia (Capital), Mindelo Moeda: Escudo Caboverdiano (CVE) é um arquipélago

Leia mais

Exportação e importação

Exportação e importação 17 Exportação e importação Este capítulo, com 12 tabelas, possui informações sobre uma série histórica da Balança Comercial de Mato Grosso no período de 1995 a 2004. Para o ano de 2004 são apresentadas

Leia mais

RADAR COMERCIAL Análise do Mercado de Portugal. 1 Panorama do País

RADAR COMERCIAL Análise do Mercado de Portugal. 1 Panorama do País Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC Secretaria de Comércio Exterior SECEX Departamento de Planejamento e Desenvolvimento do Comércio Exterior DEPLA Coordenação Geral de

Leia mais

Perfil Econômico Municipal

Perfil Econômico Municipal indústria Extração de carvão mineral Extração de petróleo e gás natural Extração de minerais metálicos Extração de minerais não-metálicos Fabricação de alimentos e bebidas Fabricação de produtos do fumo

Leia mais

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas Porto, 28 de Janeiro de 2014 Índice 1. Enquadramento 2. A aicep Portugal Global 3. Produtos e serviços AICEP Enquadramento Enquadramento

Leia mais

ESPANHA DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS

ESPANHA DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS ESPANHA

Leia mais

Náutica. Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima. Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012

Náutica. Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima. Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012 Náutica Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012 Aicep Portugal Global é uma agência pública de natureza empresarial, cuja missão é: Atrair investimento estrangeiro para

Leia mais

A SUA EMPRESA PRETENDE EXPORTAR? - CONHEÇA O ESSENCIAL E GARANTA O SUCESSO DA ABORDAGEM AO MERCADO EXTERNO

A SUA EMPRESA PRETENDE EXPORTAR? - CONHEÇA O ESSENCIAL E GARANTA O SUCESSO DA ABORDAGEM AO MERCADO EXTERNO A SUA EMPRESA PRETENDE EXPORTAR? - CONHEÇA O ESSENCIAL E GARANTA O SUCESSO DA ABORDAGEM AO MERCADO EXTERNO PARTE 03 - MERCADOS PRIORITÁRIOS Introdução Nas últimas semanas dedicamos a nossa atenção ao

Leia mais

QATAR INTERNATIONAL KIT OF OPPORTUNITIES. Maio 2015

QATAR INTERNATIONAL KIT OF OPPORTUNITIES. Maio 2015 Maio 2015 INTERNATIONAL SUPPORT O KIT OF OPPORTUNITIES Contexto Económico do País Estrutura Setorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades Apoio à Internacionalização do Novo Banco

Leia mais

Objetivo: Produtos que tiveram maior crescimento no mercado francês entre 2013/2014

Objetivo: Produtos que tiveram maior crescimento no mercado francês entre 2013/2014 Objetivo: Produtos que tiveram maior crescimento no mercado francês entre 2013/2014 PRODUTOS Jan-Jun 2013 Jan-Jun 2014 Crescimento 2013/2014 Outras frutas de casca rija e outras sementes, preparadas ou

Leia mais

Em termos nominais, as exportações aumentaram 2,1% e as importações diminuíram 3,5%

Em termos nominais, as exportações aumentaram 2,1% e as importações diminuíram 3,5% Estatísticas do Comércio Internacional Fevereiro 2015 09 de abril de 2015 Em termos nominais, as exportações aumentaram 2,1% e as importações diminuíram 3,5% As exportações de bens aumentaram 2,1% e as

Leia mais

ANGOLA N O V E M B R O 2 0 1 2 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES

ANGOLA N O V E M B R O 2 0 1 2 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES N O V E M B R O 2 0 1 2 INTERNATIONAL SUPPORT KIT OF OPPORTUNITIES Contexto Económico do País Estrutura Sectorial Comércio Internacional, Bilateral com Portugal e Oportunidades Apoio à Internacionalização

Leia mais