PROGRAMA DE GOVERNO soluções para fazer osasco avançar

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROGRAMA DE GOVERNO soluções para fazer osasco avançar"

Transcrição

1 OSASCO 2013 / PROGRAMA DE GOVERNO soluções para fazer osasco avançar

2

3 OSASCO 2013 / 2016 PROGRAMA DE GOVERNO soluções para fazer osasco avançar Coligação Osasco Unida com a Força do Povo PT PSL PT do B PTN PRTB PTC PSC PPL PP PR PDT PRP PMDB PSDC PV DEM PHS PC DO B PSB PRB

4 PRIORIDADES Saúde Construir o Hospital do Câncer, em parceria com o Ministério da Saúde, e realizar convênios com clínicas e hospitais particulares para reduzir as filas nas unidades de saúde e agilizar o atendimento. Educação Implantar o projeto Osasco do Futuro, com a implantação de escolas em tempo integral, e realizar investimentos maciços em creches. Mobilidade com tarifa única Criar o bilhete integrado ôniibus-trem-metrô, priorizando o transporte público em Osasco e, com isso, contribuir para a melhoria da mobilidade urbana. Infraestrutura Abrir uma nova entrada para a cidade, na Rodovia Castelo Branco, construindo um viaduto com ligação direta à Avenida Maria Campos. Ampliar os principais eixos viários do município, reduzindo os congestionamentos. Qualidade de vida Criar o Jardim Botânico de Osasco, na Fazenda Paiva Ramos, e sete novos Parques Ecológicos: Flamenguinho/Piratininga; Cipava/Bela Vista; Portal D Oeste (área do antigo Clube de Campo); Braço Morto/Rochdale; Comandante Sampaio/Quartel de Quitaúna; Alto do Farol; Narciso Sturlini/Bussocaba, oferecendo opções de lazer a todos os osasquenses para estimular uma vida saudável.

5 Índice Osasco na segunda década do Século XXI: priorizar a juventude, o trânsito e consolidar o desenvolvimento Transparência, Planejamento e Participação Popular Inclusão, Assistência Social e Solidariedade Políticas para a Juventude Saúde Política Urbana e Habitacional Educação Mobilidade Urbana Meio Ambiente e Saneamento Segurança e Controle Urbano Cultura Esporte e Lazer Desenvolvimento, Inovação e Empreendedorismo Políticas Especiais de Gênero, Raça, Idosos e Outras Diversidades Planejamento, Gestão e Participação Expediente Coordenadores: Roque Aparecido da Silva Antonio Roberto Espinosa Dulce Helena Cazzuni Ari Marcelo Macedo Couto Sistematização: Gelso de Lima Doca de Oliveira Projeto Gráfico e Editoração: Diagramação e Ilustração: Marcelo Barreto Revisão: Doca de Oliveira Arte Finalista: Renata Chan

6 6 PROGRAMA DE GOVERNO JORGE LAPAS PREFEITO 13 OSASCO NA SEGUNDA DÉCADA DO SÉCULO XXI Priorizar a juventude, o trânsito e consolidar o desenvolvimento 2012 é o momento para um balanço dos 50 anos de Osasco, para comparar as últimas administrações e decidir as linhas de ação a serem seguidas pelo próximo governo municipal. As diretrizes e propostas do Programa de Governo, construído em conjunto com a sociedade, são a seguir apresentadas pelo candidato a prefeito Jorge Lapas. Há oito anos Osasco decidiu mudar de rumo, priorizar a inclusão social e implantar uma nova maneira, democrática, de administrar a cidade. Os frutos da mudança começam a ser colhidos e, agora, essas conquistas precisam ser mantidas, consolidadas e aprofundadas, com a candidatura de Jorge Lapas a Prefeito. A coligação Osasco Unida com a Força do Povo propõe acelerar ainda mais os ritmos de desenvolvimento econômico e social, enfrentar antigos problemas ainda sem solução e dar respostas aos novos desafios, tornando a cidade ainda mais humana, inclusiva e acolhedora. Em 2004, quando a coligação Uma cidade para cidadãos assumiu o governo, teve que reverter o ônus de uma herança pesada: a Prefeitura estava endividada, gastava mais do que arrecadava, o município vinha de um processo de duas décadas de desindustrialização somente entre 1985 e 2003 perdera 20 mil postos de trabalho na indústria (conforme o Relatório Anual de Informações Sociais do MTE), o funcionalismo estava desmotivado e a máquina administrativa era arcaica, ainda não beneficiada pelos modernos recursos tecnológicos, refletindo o autoritarismo reinante. Com o governo do Prefeito Emidio, Osasco encontrou o caminho do desenvolvimento, escapando da dependência em relação ao município da Capital e inaugurando seu destino como uma das cidades mais dinâmicas do mundo. Após as medidas corretivas, o município voltou a crescer e seu produto interno bruto (PIB) chegou a 31,6 bilhões de reais, maior que o da maioria dos países filiados à Organização das Nações Unidas (ONU). O PIB municipal quase duplicou, pois era de 18,3 bilhões de reais em 2005, saltando da 23ª colocação no Brasil para a 12ª, e da 6ª para a 4ª maior economia do Estado de São Paulo, superando a maioria das capitais de Estado, como Florianópolis, Goiânia e Vitória, apesar de dispor de um território de apenas 66 km 2, no qual vive uma população de mil habitantes (em 2010, segundo o IBGE). O município, finalmente, reverteu os efeitos perversos do processo de desindustrialização, transformando-se num dos principais centros logísticos e financeiros da América Latina, definindo também uma vocação de cidade de prestação de serviços, sobretudo educacionais, concentrando cerca de 30 mil estudantes universitários (conforme o Censo da Educação Superior, INEP, 2009), e se firmando como um grande centro comercial, com o segundo maior corredor de comércio varejista da Grande São Paulo, com o Calçadão da Antonio Agu sendo superado apenas pela Rua 25 de Março, e uma das maiores concentrações mundiais de shopping centers e supermercados.

7 PROGRAMA DE GOVERNO JORGE LAPAS PREFEITO 13 7 Esse progresso notável foi conseguido também, em grande parte, em virtude do crescimento do comércio dos bairros, da multiplicação de micros e pequenas empresas, da criação de empreendimentos econômicos solidários e da geração de oportunidades de emprego e renda. Entre 2005 e 2011 foram gerados 59 mil novos empregos na cidade (conforme o CAGED, do MTE). Além disso, entre 2004 e 2010, houve uma diminuição da taxa de desemprego aberto, de 12,3% para 9%; aumento da participação dos trabalhadores formais no total de ocupados, de 57,9% para 64%; e redução da informalidade de 37,4% para 29,3% (pesquisa do Emprego e Desemprego do Seade/Dieese). Como todas as ações foram concebidas com a participação de todos os setores da administração, também foi possível construir grandes artérias, como a Avenida Hilário Pereira de Souza que, com o término da duplicação da rua da Estação, ligará o terminal da Vila Yara e o Parque Continental ao KM 18; a nova estação de trem, agora com frentes para a Zona Norte e a Zona Sul, em condições de receber uma linha do metrô; e a reforma da Praça Antonio Menck, que será concluída ainda este ano; da mesma forma que a modernização do Calçadão da Antonio Agu, viabilizando a revitalização da região do Bonfim e a remodelação de todos os centros comerciais de bairro. Esses índices são o resultado e, ao mesmo tempo, as causas da realização de outras metas pelo governo do prefeito Emidio, como, por exemplo, a redução do analfabetismo a menos de 3% da população adulta (acima de 15 anos de idade), que será alcançada ainda neste ano, a diminuição do número de alunos por sala de aula, a implantação da Universidade Federal, que já oferece ensino público e gratuito de qualidade, o esforço para a redução da mortalidade infantil (de crianças até 1 ano de vida) para um dígito, ou seja, abaixo de 10 por mil nascidas vivas, a melhoria da saúde materna, a entrega de novas habitações populares à população de baixa renda ou a concessão de 26 mil bolsas-família, bem como a instalação de uma escola ou unidade básica de saúde em todos os bairros, próxima da residência de qualquer morador. Isso só aconteceu devido a um novo princípio norteador da administração: a intersetorialidade, cuja aplicação reduz os custos e amplia a efetividade das realizações. O sucesso da experiência inaugurada em 2005 decorre principalmente do fato de que, pela primeira vez na história da cidade, os compromissos assumidos durante a campanha de 2004 e reafirmados na de 2008 foram honrados e aqueles que ainda não foram concretizados tiveram as bases legais e técnicas iniciadas. A transformação por que está passando a cidade de Osasco na administração do Partido dos Trabalhadores e dos partidos coligados é o resultado da implementação de um Programa de Governo orientado por cinco grandes rumos: Desenvolvimento Econômico, Inclusão Social e Cidadania, Democratização da Gestão Pública, Desenvolvimento Urbano e Qualidade de Vida e Modernização Administrativa.

8 8 PROGRAMA DE GOVERNO JORGE LAPAS PREFEITO 13 Osasco mais sustentável e moderna para todas as pessoas Transparência, planejamento e participação popular O que distingue o atual governo municipal dos anteriores é o planejamento de curto, médio e longo prazos com a participação da sociedade civil. Logo em seu início, a administração Emidio implantou o Orçamento Participativo (OP), passando a ouvir sistematicamente os diversos segmentos da população a respeito de suas demandas e alocação de recursos. Ao longo dos oito anos, duas práticas foram adotadas: o incentivo à formação de conselhos municipais, em todos os níveis e esferas de governo, e a prestação de contas, de que são exemplos o site do município, as reuniões com segmentos da sociedade e a publicação de informes e balanços. Em agosto de 2007 foi implantada a mais ousada iniciativa de planejamento participativo, o Projeto Osasco 50 Anos, com o objetivo não apenas de estabelecer metas para o ano de 2012, quando a cidade completaria o seu quinquagésimo aniversário, mas de planejar o seu futuro, ou seja, criando diretrizes para seu crescimento também no médio e longo prazos, em conjunto com a sociedade civil. Com esse projeto a cidade também foi pioneira, reunindo para o mesmo esforço todos os cidadãos que se interessaram em participar, lideranças de todas as áreas, e técnicos da Prefeitura, em nove eixos temáticos: Reforma e Modernização do Estado, Inclusão Social, Desenvolvimento Econômico, Desenvolvimento Urbano e Qualidade Ambiental, Educação, Saúde, Cultura, Esportes e Segurança Pública e Políticas de Prevenção à Criminalidade Urbana. Pode-se concluir, portanto, que a principal virtude da administração petista é a capacidade de mobilizar a criatividade e as esperanças da comunidade, na busca da realização de seus sonhos. Novos desafios É necessário dizer, entretanto, que, se Osasco deu passos significativos no desenvolvimento e ampliação do sentimento de pertencimento da população, que passou a gostar mais da cidade onde vive, ainda há muito a se fazer e novas prioridades a enfrentar. Resolvidas as metas de oito anos atrás, é preciso encaminhar agora a solução das demais questões e equacionar as demandas trazidas exatamente pelo rápido desenvolvimento econômico e social da cidade. Fazendo um balanço das metas do Projeto Osasco 50 Anos, o Prefeito Emidio comemorou que 80% delas foram cumpridas, um feito ímpar, mas que revela que uma parte dos objetivos ficaram para a próxima administração. Além disso, nesses oito

9 PROGRAMA DE GOVERNO JORGE LAPAS PREFEITO 13 9 anos, até em virtude da elevada taxa de crescimento, a cidade passou a vivenciar novos problemas, como os engarrafamentos de trânsito, a insuficiência do sistema de transportes públicos e da rede viária e novas demandas habitacionais, culturais, esportivas e de lazer. O problema da poluição, que já era grave, apesar das medidas adotadas, como o plantio de árvores e a abertura de novos parques lineares, também se agravou em consequência do maior volume de automóveis e de pessoas. A propósito, convém citar que a cidade tem hoje 1,7 automóveis por residência (190 mil moradias e 330 mil veículos emplacados na cidade). Se, na presente administração, foram aprovadas leis como a que procura controlar a poluição visual e a sonora, agora é necessário ampliar seu alcance. À futura administração cabem, portanto, os desafios relativos à segunda década do século XXI, de tornar Osasco uma cidade global, com uma administração-modelo para os demais municípios brasileiros, consolidando as formas democráticas de gestão e o desenvolvimento econômico, com sustentabilidade ambiental, mobilidade, acessibilidade e conforto para o conjunto de sua população. A consolidação das conquistas já realizadas e o enfrentamento dos novos desafios, entre 2013 e 2016, têm como princípio básico a intersetorialidade na realização dos seus projetos, assegurando qualidade, agilidade e a redução dos custos. Terá como pilares de sustentação os princípios da ética, transparência, eficiência, economicidade e moralidade. A proposta de governo do candidato Jorge Lapas compromete-se com três orientações básicas: Sustentabilidade (desenvolvimento, inclusão social, preservação do equilíbrio ambiental e promoção da cidadania plena); Modernidade e Democratização (com a descentralização e eficientização da máquina administrativa); e Mobilidade e acessibilidade (com direito a todos de se locomoverem por quaisquer meios, com rapidez, baixo custo e segurança). O tripé estruturante do programa de governo e da ação concreta do candidato a Prefeito Jorge Lapas terá como referências a Declaração Universal dos Direitos Humanos, os Objetivos do Milênio e as Metas do Milênio, da ONU, o Projeto Osasco 50 Anos, o Orçamento Participativo, as sugestões e decisões dos Conselhos Municipais e as contribuições dos setores organizados da sociedade civil, que foram recolhidas nos debates para a produção deste Programa de Governo.

10 10 PROGRAMA DE GOVERNO JORGE LAPAS PREFEITO 13 A Declaração Universal dos Direitos Humanos, decidida pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas, em 10 de dezembro de 1948, e firmada pelo Brasil, reza, por exemplo, em seu artigo XXV, 1. e 2., que: Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle. E que a maternidade e a infância têm direito a cuidados e assistência especiais. Todas as crianças, nascidas dentro ou fora do matrimônio, gozarão da mesma proteção social. Também somente a título de exemplo, o Artigo XXVI da Declaração dos Direitos do Homem estabelece que 1. Toda pessoa tem direito à instrução. A instrução será gratuita, pelo menos nos graus elementares e fundamentais. A instrução elementar será obrigatória. A instrução técnico-profissional será acessível a todos, bem como a instrução superior, esta baseada no mérito. 2. A instrução será orientada no sentido do pleno desenvolvimento da personalidade humana e do fortalecimento do respeito pelos direitos humanos e pelas liberdades fundamentais. A instrução promoverá a compreensão, a tolerância e a amizade entre todas as nações e grupos raciais ou religiosos, e coadjuvará as atividades das Nações Unidas em prol da manutenção da paz. Os oito Objetivos do Milênio (ODM) e as dezoito Metas do Milênio (MDM), da ONU, definem os objetivos a serem alcançados pela humanidade, em todos os países, para a realização da plena igualdade, independentemente de raça, cor, sexo, faixa etária, naturalidade, nacionalidade, profissão ou qualquer outra variável, e as metas a serem atingidas entre 1990, ano em que foram estabelecidas, e 2015, num prazo de 25 anos. São objetivos do milênio, portanto, Erradicar a extrema pobreza e a fome. E são metas desse objetivo: 1: Reduzir pela metade, entre 1990 e 2015, a proporção da população com renda inferior a 1 dólar PPC (Paridade de Poder de Compra) por dia ; e 2: Reduzir pela metade, entre 1990 e 2015, a proporção da população que sofre de fome. Os demais objetivos do milênio são: universalizar a educação primária; promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres; reduzir a mortalidade na infância; melhorar a saúde materna; combater o HIV/AIDS, a malária e outras doenças; garantir a sustentabilidade ambiental; estabelecer uma parceria mundial para o desenvolvimento. as outras dezesseis metas estabelecem em que proporção os objetivos do milênio deveriam ser realizados no prazo de 25 anos. No Brasil as Metas do Milênio, felizmente, foram ampliadas e todas as propostas já foram realizadas e superadas, contribuindo de forma decisiva para o sucesso das propostas da ONU. Também

11 PROGRAMA DE GOVERNO JORGE LAPAS PREFEITO nesse particular Osasco se esforçou para ser uma referência nacional, criando o Projeto Osasco 50 Anos, com o propósito de definir metas próprias, inspiradas na proposta das Nações Unidas. O projeto foi dividido em nove eixos temáticos, já listados, e cada um deles definiu diretrizes e metas. As diretrizes correspondem aos objetivos da ONU, ou seja, situações a serem alcançadas para assegurar a igualdade efetiva entre todos os cidadãos, rumos a serem seguidos ao longo de muitos anos. E as metas sintetizam as ações de enfrentamento concreto, com situações quantificadas a serem atingidas ano a ano. Sustentabilidade O princípio da sustentabilidade visa evitar tanto as ações que comprometam a qualidade de vida na cidade, o meio ambiente e a saúde da população ou das próximas gerações, quanto as medidas imediatistas, que estejam em contradição com a legalidade ou a correta correlação entre custos e benefícios ou que comprometam a harmonia entre os grupos sociais. As sustentabilidades ambiental, legal e financeira são princípios que devem nortear todas as ações municipais modernas, num mundo em que os recursos naturais estão se exaurindo e em que a própria sobrevivência da espécie exige a priorização do direito à vida das próximas gerações. Todos os projetos da Prefeitura, portanto, deverão ser examinados do ponto de vista da sua viabilidade financeira, para que uma iniciativa particular não comprometa o conjunto, e ambiental, para que a cidade prossiga sua marcha acelerada de crescimento, mas preservando a água, o ar, os recursos naturais e a biodiversidade, os direitos dos municípios vizinhos e dos demais entes federados. Uma cidade desenvolvida é uma cidade sem pobreza, por isso o enfrentamento à exclusão social continuará sendo uma prioridade. Inserir o trabalhador no mercado de trabalho formal, fomentar a oferta de um trabalho decente aos jovens e qualificar e formar profissionais para as novas áreas deste mercado são passos fundamentais para uma política social e inclusiva. Elevar a autoestima com o resgate da cidadania dos milhares de osasquenses que sequer conhecem seus direitos aos programas existentes, visando a emancipação e conquistas de novos direitos é uma das metas fundamentais no esforço de erradicação da miséria na cidade. Todas as diretrizes e metas da Prefeitura, portanto, deverão ser avaliadas no que diz respeito a sua sustentabilidade, pois este será um dos critérios estruturantes da intersetorialidade.

12 12 PROGRAMA DE GOVERNO JORGE LAPAS PREFEITO 13 Modernidade e democracia Modernizar e democratizar a gestão pública significa aprofundar uma preocupação iniciada com o governo do Prefeito Emidio e que avançará nos próximos quatro anos, com a consolidação de uma metodologia de governo que articula a participação e o respeito ao cidadão. Modernizar a máquina pública pressupõe a articulação das ações de forma intersetorial, com o aprimoramento dos serviços prestados, desburocratizando o atendimento, e a participação da população, mediante o acompanhamento público. Para isso se dever-se-á generalizar a informatização das secretarias e departamentos, centralizando o controle das informações e descentralizando o acesso à rede, para permitir que os cidadãos informem-se ou resolvam suas virtuais pendências com a Administração nas proximidades de sua residência ou nos centros comerciais remodelados de seu próprio bairro. Os programas de participação cidadã como o OP, Conselhos Municipais, Foruns e experiências do porte do Osasco 50 Anos devem ser consolidados enquanto ferramentas de acompanhamento, fiscalização e deliberação das ações públicas. O fortalecimento dos mecanismos que asseguram uma participação cidadã efetiva será uma preocupação permanente da administração. Todas as políticas e ações da Prefeitura, portanto, levarão em conta a economicidade, a praticidade e o acesso da cidadania, tanto coletivamente, por meio de suas entidades representativas, quanto individualmente, no exercício da sua cidadania. Mobilidade e acessibilidade Pensar uma cidade de todos é pensar uma cidade em que a qualidade de vida é primordial, em que todos os habitantes tenham direito a usufruir do presente e participar da definição do futuro. Segurança e emprego, educação e saúde, o direito a um teto e de viver com conforto, com acesso aos bens culturais e ao lazer, além do direito de ir e vir, de pensar e expressar suas opiniões são aspectos inalienáveis ao exercício da cidadania, independentemente de gênero, raça, cor, credo, condição socioeconômica ou física. Todos os cidadãos devem ter seu acesso assegurado a quaisquer espaços públicos, repartições, escolas, postos de trabalho ou meios de transportes, pois a estrutura urbana deve resolver, ou no mínimo atenuar, as diferenças naturais ou as provocadas pela idade, doença ou acidente. As dinâmicas do desenvolvimento econômico contemporâneo se fizeram acompanhar não apenas pelo agravamento dos desequilíbrios ecológicos e dos efeitos perversos das desigual-

13 PROGRAMA DE GOVERNO JORGE LAPAS PREFEITO dades sociais, mas também pela concentração populacional nas metrópoles e suas cidades periféricas, ampliando as distâncias e as dificuldades de locomoção entre os locais de moradia e das atividades cotidianas. Os novos ritmos de vida, ou seja, a necessidade de percorrer longas distâncias em pouco tempo, tornaram-se fontes de novas desigualdades, a serem também combatidas. A velocidade e a agilidade de locomoção tornaram-se fatores de inclusão ou exclusão social, de sucesso ou insucesso na vida estudantil ou laboral. Diretrizes e Metas O conjunto de diretrizes e metas do programa de governo, estruturado sobre o tripé da sustentabilidade, modernidade democratizante e da mobilidade-acessibilidade, é sintetizado em 13 eixos, com indicações dos rumos a serem seguidos pelo governo: As questões relativas ao sistema viário e aos transportes públicos incidem, portanto, sobre o direito de ir e vir e assumem uma importância crescente para a definição do conforto e da igualdade contemporâneas. Impõem-se, assim, a redução das distâncias, a implantação de uma velocidade compatível com o tempo moderno e a economia de tempo, como direitos de todos os habitantes de Osasco. Os projetos para a gestão municipal do candidato Jorge Lapas privilegiarão também a remodelação e modernização dos centros de bairro, os quais deverão receber terminais on line integrados aos sistemas municipais para que o cidadão não apenas possa informar-se, mas possa também resolver perto de sua residência eventuais pendências com a Prefeitura, e serão submetidos à avaliação de conselhos especializados relativos à mobilidade e à acessibilidade.

14 14

15 INCLUSÃO, ASSISTÊNCIA SOCIAL E SOLIDARIEDADE 15

16 16 PROGRAMA DE GOVERNO JORGE LAPAS PREFEITO 13 O desafio, que já é uma das prioridades da atual Administração, mas que será enfrentado com decisão ainda maior pelo candidato Jorge Lapas, é o de inclusão dos cidadãos desprovidos de condições socioeconômicas, por meio de um trabalho formal ou de oportunidades de geração de renda. O problema não é local, mas global, em virtude das novas técnicas e dos desregramentos financeiros, mas a sua solução pode e deve ser buscada também no plano municipal. Nem todos os problemas sociais são suficientemente equacionados com as políticas de inclusão social cidadã, mesmo porque a exclusão de uma parte da população pode ser decorrente de problemas de saúde ou é um fenômeno tão grave que chega a repercutir sobre suas condições físicas, como é o caso das crianças, idosos e doentes em situação de abandono. Também são merecedores de atenção diferenciada as vítimas de problemas urbanos graves, como os provocados pelo uso de drogas, ou os egressos do sistema prisional. Adotando políticas de assistência social focadas nos segmentos vítimas de diferenças de natureza física ou social, a próxima administração municipal também se habilitará a receber recursos de programas federais e estaduais específicos. Garantia de Renda formação socioprofissional e à elevação da escolaridade, através do Programa Bolsa Trabalho. Ampliar as oportunidades de reinserção no mercado de trabalho aos trabalhadores desempregados com 40 anos ou mais de idade, através do Programa Começar de Novo. Reestruturar o Banco de Alimentos com a distribuição de cestas para famílias necessitadas. Expandir e aprimorar os serviços públicos ofertados à população de baixa renda facilitando o acesso a documentação e tarifas sociais. Criar o programa de Segurança Alimentar e Nutricional no município instituindo legalmente o Sistema Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, associado a difusão de hábitos saudáveis e geração de renda. Ampliar a cobertura do conjunto de programas de transferência de renda para famílias em situação de vulnerabilidade socioeconômica e trabalhadores desempregados, assegurando auxílio financeiro, aumento da escolaridade e formação socioprofissional. Identificar e cadastrar a população em condições de miséria e ainda sem acesso aos programas em funcionamento. Ampliar o Programa Bolsa Família garantindo renda para as famílias com renda igual ou inferior a R$ 140,00 mensais por pessoa. Ampliar o Programa Operação Trabalho, oferecendo qualificação e auxílio financeiro para trabalhadores desempregados. Ampliar a oferta de bolsas financeiras aos jovens pertencentes a famílias de baixa renda, associadas à Assegurar renda às famílias com rendimento inferior a 1/4 do salário mínimo que tenham pessoas de 65 anos ou mais, pessoas com deficiência ou doença crônica, através do Benefício de Prestação Continuada (BPC), do Governo Federal. Inclusão Produtiva Ampliar as políticas públicas de qualificação com o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (PRONATEC) e o Plano Nacional de Qualificação (PLANTEC), do Plano Brasil Sem Miséria.

17 PROGRAMA DE GOVERNO JORGE LAPAS PREFEITO Assegurar o acesso amplo ao Sistema Público de Trabalho, Emprego e Renda. Intensificar os processos de captação ativa de vagas junto às empresas da região com intermediação pública de mão de obra. Dinamizar o Projeto Aprendiz. Ampliar os programas de intermediação de pessoas com deficiência no mundo do trabalho. Instituir programas de encaminhamento para estágio e primeiro emprego. Ampliar, consolidar e revitalizar a cooperativa dos catadores de materiais recicláveis e reutilizáveis e criar novas levando a coleta a todo o território do município. Ampliar o Microcrédito Produtivo por meio da consolidação e ampliação do Fundo de Desenvolvimento e Inclusão Produtiva (FUNDIP) e do Projeto Crescer (Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal). Ampliar as ações da política de inclusão digital do município, por meio de novos cursos e Centros de Inclusão Digital (CID). Investir na ampliação e adequação da rede de Centros de Referência Especializados de Assistência Social (CREAS), garantindo as normatizações federais para o seu funcionamento. Criar uma nova política de abrigamento, conforme as normatizações federais. Investir na política de proteção para a população em situação de rua, construindo a rede própria de serviços de Abrigo República e Casa de Passagem para a população em situação de rua, garantindo as normatizações federais para o seu funcionamento. Implementar programas estratégicos para o fortalecimento da pessoa com deficiência, idoso, crianças, adolescentes e jovens, garantindo a intersetorialidade e interdisciplinaridade, utilizando a rede das políticas sociais governamental e não governamental, nas regiões de maior vulnerabilidade social. Implantar os benefícios eventuais para situações de calamidades públicas, emergenciais e circunstanciais, tendo como estratégia a vinculação na rede de proteção CRAS e CREAS e Programas de Transferência e Geração de Renda para a emancipação e autonomia dos indivíduos. Assistência Social Consolidar o Sistema Único de Assistência Social (SUAS), garantindo o Comando Único da Assistência Social no município. Investir com prioridade na ampliação e adequações da rede de Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) nos territórios de vulnerabilidade social, garantindo as normatizações federais para o seu funcionamento. Fortalecer a gestão compartilhada das ações da Política de Assistência Social com as Instituições de Assistência Social de forma complementar e dentro da legislação do Sistema Único de Assistência Social (SUAS). Fortalecer ações de prevenção ao uso de drogas na rede de CRAS e CREAS.

18 18

19 POLÍTICAS PARA A JUVENTUDE 19

20 20 PROGRAMA DE GOVERNO JORGE LAPAS PREFEITO 13 As recentes dinâmicas do desenvolvimento, Atualizar e reeditar o Mapa da Juventude de Osasco também em todo o mundo, mas de forma desigual segundo os países e regiões, tornaram a juventude socialmente mais vulnerável dos pontos de vista da primeira oportunidade de emprego, da formação profissional, da educação, da saúde e até da crescente violência urbana. Em Osasco, durante a gestão , a juventude constituirá um dos principais focos de atenção e os problemas que a afetam serão tratados em conjunto. Inclusão Digital e Produtiva Aprimorar e consolidar o Programa Municipal de Banda Larga. Criar cursos preparatórios gratuitos para o acesso à Universidade, através da Rede Municipal de Ensino. Integração e Participação Ampliar o número de cursos profissionalizantes em parceira com o SESI, SESC, SENAC e SENAI da cidade, com bolsa e ajuda de custo para os alunos carentes. Criar o Plano Municipal de Juventude para garantir e efetivar os verdadeiros anseios da juventude da cidade, transformando-as em políticas Comunicação Incentivar a criação do projeto Jornais Juvenis Associados: visando a divulgação das ações culturais, sociais e esportivas dos e pelos próprios jovens. Fomentar a criação de rádios comunitárias pelos jovens nos bairros e escolas. públicas representativas. Criar o Centro de Referência da Juventude (CRJ) de Osasco. Criar um setor Juventude na Ouvidoria Online. Criar um Portal direcionado para a Juventude com linguagem própria, que trate dos diversos temas relacionados á juventude e a gestão pública municipal.

PREFEITURA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO, CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

PREFEITURA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO, CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO PROGRAMA DE METAS Gestão 2013/2016 APRESENTAÇÃO... 2 I - VISÃO DO MUNICÍPIO... 3 II COMPROMISSO... 3 III PRINCÍPIOS DE GESTÃO... 3 IV DIRETRIZES ESTRATÉGIAS... 4 PROGRAMA DE METAS DESENVOLVIMENTO URBANO...

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE GOVERNO

DIRETRIZES GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE GOVERNO DIRETRIZES GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE GOVERNO POR UM CEARÁ MELHOR PRA TODOS A COLIGAÇÃO POR UM CEARA MELHOR PRA TODOS, com o objetivo de atender à Legislação Eleitoral e de expressar os compromissos

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA O PLANO DIRETOR: REGIONAL PORTÃO 25/03/2014 CURITIBA MARÇO/2014 Propostas do dia 25

Leia mais

Programa Mínimo de Governo de João Pavinato

Programa Mínimo de Governo de João Pavinato Programa Mínimo de Governo de João Pavinato João Pavinato e Cidinha Pascueto, candidatos a prefeito e vice-prefeita, respectivamente, da coligação A Vitória do Povo, formada pela união dos partidos PSDB,

Leia mais

ANEXO IX - DEMONSTRATIVO VII METAS E PRIORIDADES - COMPATIBILIZAÇÃO DA LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS COM O PLANO PLURIANUAL

ANEXO IX - DEMONSTRATIVO VII METAS E PRIORIDADES - COMPATIBILIZAÇÃO DA LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS COM O PLANO PLURIANUAL METAS E PRIORIDADES - COMPATIBILIZ DA LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS COM O PLANO PLURIANUAL TÍTULO PRODUTO TIPO DE META 2013 2001 Administração Legislativa Serviços Realizados ORÇAMENTÁRIA 95% 0001 GESTÃO

Leia mais

Conhecendo a Fundação Vale

Conhecendo a Fundação Vale Conhecendo a Fundação Vale 1 Conhecendo a Fundação Vale 2 1 Apresentação Missão Contribuir para o desenvolvimento integrado econômico, ambiental e social dos territórios onde a Vale atua, articulando e

Leia mais

EIXO DE TRABALHO 01 DIREITO A CIDADANIA, PARTICIPAÇÃO SOCIAL E POLÍTICA E A REPRESENTAÇÃO JUVENIL

EIXO DE TRABALHO 01 DIREITO A CIDADANIA, PARTICIPAÇÃO SOCIAL E POLÍTICA E A REPRESENTAÇÃO JUVENIL EIXO DE TRABALHO 01 DIREITO A CIDADANIA, PARTICIPAÇÃO SOCIAL E POLÍTICA E A REPRESENTAÇÃO JUVENIL Proposta I Fomentar a criação de grêmios estudantis, fóruns de juventude, diretórios centrais de estudantes,

Leia mais

PODER EXECUTIVO - PROGRAMAS ESTRUTURADORES PLANO PLURIANUAL - 2010/2013 - Lei 6.716, de 22 de dezembro de 2010.

PODER EXECUTIVO - PROGRAMAS ESTRUTURADORES PLANO PLURIANUAL - 2010/2013 - Lei 6.716, de 22 de dezembro de 2010. 2001 Administração Legislativa Serviços Realizados Percentual 95% 0001 GESTÃO LEGISLATIVA E CIDADANIA 2002 Processamento Legislativo Ações Realizadas Percentual 95% 2003 Modernização Administrativa Gestão

Leia mais

Resultados Consulta Pública Você no Parlamento

Resultados Consulta Pública Você no Parlamento Resultados Consulta Pública Você no Parlamento Perfil dos Respondentes Total: 33.430 SEXO 2,78% 42,34% Feminino Masculino Não respondeu 54,88% IDADE 5,25% 3,88% 1,94% 1,61% 24,14% 30 a 39 anos 13,03% 40

Leia mais

PROPOSTA DE GOVERNO DA COLIGAÇÃO BLUMENAU: QUEM AMA CUIDA.

PROPOSTA DE GOVERNO DA COLIGAÇÃO BLUMENAU: QUEM AMA CUIDA. PROPOSTA DE GOVERNO DA COLIGAÇÃO BLUMENAU: QUEM AMA CUIDA. PARTIDOS COLIGADOS: 1. Partido dos Trabalhadores PT; 2. Partido Progressista PP; 3. Partido Democrático Trabalhista PDT; 4. Partido Comunista

Leia mais

GABINETE DO PREFEITO

GABINETE DO PREFEITO GABINETE DO PREFEITO O Plano de Metas é um instrumento de gestão que orienta a Prefeitura na direção de uma cidade sustentável e oferece aos cidadãos e à imprensa um mecanismo para avaliar os compromissos

Leia mais

SÃO BERNARDO DO CAMPO

SÃO BERNARDO DO CAMPO 1 PPA Participativo 2014-2017 Prestação de Contas O PPA Participativo 2014-2017 em números 21 plenárias 13.471 participantes 200 grupos de trabalho 400 diretrizes 55 programas e ações R$ 18,6 bilhões 3

Leia mais

COLIGAÇÃO INOVAR É PRECISO PROPOSTA DE GOVERNO 2013/2016

COLIGAÇÃO INOVAR É PRECISO PROPOSTA DE GOVERNO 2013/2016 COLIGAÇÃO INOVAR É PRECISO PROPOSTA DE GOVERNO 2013/2016 ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL Implantar o Plano Diretor. Implantar o Orçamento participativo. Valorização pessoal do funcionário público municipal. Implantação

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 Institui o Programa Mais Educação, que visa fomentar a educação integral de crianças, adolescentes e jovens, por meio do apoio a atividades

Leia mais

1.2 - Implantação do programa de habitação rural (construção de casas de qualidade nas propriedades rurais).

1.2 - Implantação do programa de habitação rural (construção de casas de qualidade nas propriedades rurais). PLANO DE GOVERNO - ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARTICIPATIVA PARA 2013/2016 COLIGAÇÃO O PRESENTE NOS PERMITE SEGUIR EM FRENTE - CANDIDATO A PREFEITO PEDRINHO DA MATA 11 Ações a serem realizadas por Secretarias:

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA O PLANO DIRETOR: REGIONAL PINHEIRINHO 02/04/2014 CURITIBA MARÇO/2014 Realizações no

Leia mais

Gestão Participativa em BH. Belo Horizonte, 01 de dezembro 2010

Gestão Participativa em BH. Belo Horizonte, 01 de dezembro 2010 Gestão Participativa em BH Belo Horizonte, 01 de dezembro 2010 1 Gestão Participativa em BH Belo Horizonte tem um longo histórico de gestão democrático-popular; Existe forte determinação política para:

Leia mais

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Diretriz 01 - Promoção da cultura do respeito e da garantia dos direitos humanos de

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL PPA 2010/2013 CLASSIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES POR FUNÇÃO E SUBFUNÇÃO SUBFUNÇÃO PROGRAMA AÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL PPA 2010/2013 CLASSIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES POR FUNÇÃO E SUBFUNÇÃO SUBFUNÇÃO PROGRAMA AÇÃO FUNÇÃO: 01 - LEGISLATIVA 31 Ação Legislativa 0001- Execução da Ação Legislativa 2001 - Manutenção das Atividades Legislativas da Câmara Municipal FUNÇÃO: 02 - JUDICIÁRIA 122 Administração Geral 0006- Defesa

Leia mais

[ ] Propostas para a revisão do Plano Diretor. Mobiliza Curitiba

[ ] Propostas para a revisão do Plano Diretor. Mobiliza Curitiba Propostas para a revisão do Plano Diretor Mobiliza Curitiba Curitiba, novembro de 2014 As propostas aqui contidas foram resultado de extensos debates ao longo do último ano, por uma articulação de atores

Leia mais

Políticas Setoriais Secretarias Municipais: Saúde, Assistência Social, Educação, Direitos Humanos(quando houver). Participações Desejáveis

Políticas Setoriais Secretarias Municipais: Saúde, Assistência Social, Educação, Direitos Humanos(quando houver). Participações Desejáveis PARÂMETROS PARA A CONSTITUIÇÃO DAS COMISSÕES INTERSETORIAIS DE ACOMPANHAMENTO DO PLANO NACIONAL DE PROMOÇÃO, PROTEÇÃO E DEFESA DO DIREITO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES À CONVIVÊNCIA FAMILIAR E COMUNITÁRIA

Leia mais

MOBILIDADE URBANA EM SÃO PAULO APLICAÇÃO DE SOLUÇÕES IMEDIATAS E EFICAZES

MOBILIDADE URBANA EM SÃO PAULO APLICAÇÃO DE SOLUÇÕES IMEDIATAS E EFICAZES MOBILIDADE URBANA EM SÃO PAULO APLICAÇÃO DE SOLUÇÕES IMEDIATAS E EFICAZES JULHO 2015 SÃO PAULO UMA CIDADE A CAMINHO DO CAOS URBANO Fonte: Pesquisa de mobilidade 2012 SÃO PAULO UMA CIDADE A CAMINHO DO CAOS

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE FUNDAÇÃO ASSISTÊNCIA SOCIAL E CIDADANIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE FUNDAÇÃO ASSISTÊNCIA SOCIAL E CIDADANIA PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE FUNDAÇÃO ASSISTÊNCIA SOCIAL E CIDADANIA 1 DADOS DE IDENTIFICAÇÃO PROJETO TÉCNICO: ACESSUAS TRABALHO / PRONATEC EQUIPE RESPONSÁVEL: Proteção Social Básica PERÍODO: Setembro

Leia mais

INSTRUMENTO DA OPERAÇÃO URBANA ÁGUA BRANCA

INSTRUMENTO DA OPERAÇÃO URBANA ÁGUA BRANCA INSTRUMENTO DA OPERAÇÃO URBANA ÁGUA BRANCA LOCALIZAÇÃO E CONTEXTO Jundiaí Campinas Rio de Janeiro Sorocaba Guarulhos OUC AB Congonhas CPTM E METRÔ: REDE EXISTENTE E PLANEJADA OUC AB SISTEMA VIÁRIO ESTRUTURAL

Leia mais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Estatuto da Criança e do Adolescente: 18 anos, 18 Compromissos A criança e o adolescente no centro da gestão municipal O Estatuto

Leia mais

DOCUMENTO FINAL 8ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DE TOCANTINS

DOCUMENTO FINAL 8ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DE TOCANTINS DOCUMENTO FINAL 8ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DE TOCANTINS EIXO 1 DIREITO À SAÚDE, GARANTIA DE ACESSO E ATENÇÃO DE QUALIDADE DIRETRIZ: Ampliação da cobertura e qualidade dos serviços de saúde, com o aprimoramento

Leia mais

CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS

CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS APRESENTAÇÃO Em Dezembro de 2004 por iniciativa da Federação das Indústrias do Estado do Paraná o CPCE Conselho Paranaense de Cidadania Empresarial nasceu como uma organização

Leia mais

Diretrizes para o Plano de Mobilidade Urbana 2015 da Cidade de São Paulo referentes à mobilidade a pé

Diretrizes para o Plano de Mobilidade Urbana 2015 da Cidade de São Paulo referentes à mobilidade a pé Diretrizes para o Plano de Mobilidade Urbana 2015 da Cidade de São Paulo referentes à mobilidade a pé Introdução A proposta de Diretrizes para o Plano de Mobilidade Urbana 2015 da Cidade de São Paulo referentes

Leia mais

Proposta de Programa de Governo da Frente de Unidade Popular - Psol-Pcb-Pstu

Proposta de Programa de Governo da Frente de Unidade Popular - Psol-Pcb-Pstu Proposta de Programa de Governo da Frente de Unidade Popular - Psol-Pcb-Pstu Economia Objetivos - elevar o patamar de mobilização popular, não apenas para denunciar as mazelas da política econômica nacional,

Leia mais

O Suas Sistema Único da Assistência Social em perspectiva Valéria Cabral Carvalho, CRESS nº 0897 Luiza Maria Lorenzini Gerber, CRESS nº 0968

O Suas Sistema Único da Assistência Social em perspectiva Valéria Cabral Carvalho, CRESS nº 0897 Luiza Maria Lorenzini Gerber, CRESS nº 0968 O Suas Sistema Único da Assistência Social em perspectiva Valéria Cabral Carvalho, CRESS nº 0897 Luiza Maria Lorenzini Gerber, CRESS nº 0968 Com a Constituição Federal de 1988, a Assistência Social passa

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA O PLANO DIRETOR: REGIONAL BOQUEIRÃO 18/03/2014 CURITIBA MARÇO/2014 Realizações no dia

Leia mais

Política Municipal para a População em Situação de Rua em Belo Horizonte

Política Municipal para a População em Situação de Rua em Belo Horizonte Política Municipal para a População em Situação de Rua em Belo Horizonte Elizabeth Leitão Secretária Municipal Adjunta de Assistência Social Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Março de 2012 Conceito

Leia mais

Documento que marca as reformas na atenção à saúde mental nas Américas.

Documento que marca as reformas na atenção à saúde mental nas Américas. CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA Centro de Referência Técnica em Psicologia e Políticas Públicas LEVANTAMENTO DOS MARCOS TEÓRICOS E LEGAIS DO CAPS CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL 1. Marco Teórico NORMATIVAS

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 70/2011. A CÂMARA MUNICIPAL DE IPATINGA aprova:

PROJETO DE LEI Nº 70/2011. A CÂMARA MUNICIPAL DE IPATINGA aprova: PROJETO DE LEI Nº 70/2011. Institui a Política Municipal de Mobilidade Urbana. A CÂMARA MUNICIPAL DE IPATINGA aprova: Mobilidade Urbana. Art. 1º Fica instituída, no Município de Ipatinga, a Política Municipal

Leia mais

O Quadro de Desigualdades Habitacionais e o Saneamento no Rio de Janeiro

O Quadro de Desigualdades Habitacionais e o Saneamento no Rio de Janeiro OBSERVATÓRIO DAS METRÓPOLES, AÇÃO URBANA E FUNDAÇÃO BENTO RUBIÃO PROGRAMA DE FORMAÇÃO: POLÍTICAS PÚBLICAS E O DIREITO À CIDADE O Quadro de Desigualdades Habitacionais e o Saneamento no Rio de Janeiro Ana

Leia mais

Propostas dos GTs da Conferência Municipal de São Paulo. Princípios e diretrizes de Segurança Pública

Propostas dos GTs da Conferência Municipal de São Paulo. Princípios e diretrizes de Segurança Pública Propostas dos GTs da Conferência Municipal de São Paulo Princípios e diretrizes de Segurança Pública Eixo 1 1. Fortalecimento do pacto federativo; 2. Municipalização da Segurança Pública; 3. Estabelecer

Leia mais

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS Projeto de Lei nº 8.035, de 2010 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional O PNE é formado por: 10 diretrizes; 20 metas com estratégias

Leia mais

IX CONFERÊNCIA ESTADUAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CURITIBA-PR

IX CONFERÊNCIA ESTADUAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CURITIBA-PR IX CONFERÊNCIA ESTADUAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CURITIBA-PR Rosiane Costa de Souza Assistente Social Msc Serviço Social/UFPA Diretora de Assistência Social Secretaria de Estado de Assistência Social do Pará

Leia mais

PLANO DE GOVERNO TULIO BANDEIRA PTC 36

PLANO DE GOVERNO TULIO BANDEIRA PTC 36 PLANO DE GOVERNO TULIO BANDEIRA PTC 36 GESTÃO PÚBLICA Garantir ampla participação popular na formulação e acompanhamento das políticas públicas; Criação do SOS Oprimidos, onde atenda desde pessoas carentes

Leia mais

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ EIXO 1 DIREITO À SAÚDE, GARANTIA DE ACESSO E ATENÇÃO DE QUALIDADE Prioritária 1: Manter o incentivo aos Programas do Núcleo Apoio da Saúde da Família

Leia mais

PLANO DE AÇÃO E DE APLICAÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE REDE CARDUME GUARUJÁ SÃO PAULO

PLANO DE AÇÃO E DE APLICAÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE REDE CARDUME GUARUJÁ SÃO PAULO PLANO DE AÇÃO E DE APLICAÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE REDE CARDUME GUARUJÁ SÃO PAULO ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 LINHAS DE AÇÃO... 4 AÇÕES ESPECÍFICAS... 5 CAMPANHAS... 6

Leia mais

Conselho Municipal dos Direitos do Idoso

Conselho Municipal dos Direitos do Idoso Conselho Municipal dos Direitos do Idoso Av. Duque de Caxias, 635 Jd. Mazzei II Londrina-PR Fone: (43) 3372-4046 / Fax: (43) 3372-4547 cmdi@londrina.pr.gov.br / cmdi_londrina@yahoo.com.br 7ª CONFERÊNCIA

Leia mais

Plano de Ação de Políticas Públicas Municipais para a cidade de Curitiba. Curitiba Cidade Modelo. Partido Republicano Brasileiro PRB Curitiba PR

Plano de Ação de Políticas Públicas Municipais para a cidade de Curitiba. Curitiba Cidade Modelo. Partido Republicano Brasileiro PRB Curitiba PR Plano de Ação de Políticas Públicas Municipais para a cidade de Curitiba Curitiba Cidade Modelo Partido Republicano Brasileiro PRB Curitiba PR Presidente Nacional do PRB Marcos Pereira Vice-Presidente

Leia mais

PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA

PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA 1. Criar o Fórum Metropolitano de Segurança Pública Reunir periodicamente os prefeitos dos 39 municípios da Região Metropolitana de São Paulo para discutir, propor,

Leia mais

Carta Política. Campanha Cidades Seguras para as Mulheres

Carta Política. Campanha Cidades Seguras para as Mulheres Carta Política Campanha Cidades Seguras para as Mulheres Brasil - 2014 Nós, mulheres de diversas localidades e comunidades de Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro e São Paulo, que há muito

Leia mais

Plano de Metas para uma Porto Alegre mais Sustentável.

Plano de Metas para uma Porto Alegre mais Sustentável. Plano de Metas para uma Porto Alegre mais Sustentável. EXPEDIENTE Realização: Prefeitura Municipal de Porto Alegre (PMPA) José Fortunati - Prefeito Secretaria Municipal de Governança Local (SMGL) Cezar

Leia mais

PLANO DIRETOR DE TRANSPORTE E MOBILIDADE DE BAURU - PLANMOB

PLANO DIRETOR DE TRANSPORTE E MOBILIDADE DE BAURU - PLANMOB PLANO DIRETOR DE TRANSPORTE E MOBILIDADE DE BAURU - PLANMOB O QUE É O Plano Diretor de Transporte e da Mobilidade é um instrumento da política de desenvolvimento urbano, integrado ao Plano Diretor do município,

Leia mais

CIEDS, Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável Missão:

CIEDS, Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável Missão: O CIEDS, Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável, é uma Instituição Social Sem Fins Lucrativos, de Utilidade Pública Federal, fundada em 1998, com sede na cidade do Rio de

Leia mais

Região Metropolitana de São Paulo. Município de Diadema

Região Metropolitana de São Paulo. Município de Diadema Região Metropolitana de São Paulo Área total: 7.944 Km² População: 20,3 milhões de habitantes Densidade hab/km² Município de Diadema Área total: 30,7 Km2 População: 386.089 (IBGE/2010) Densidade demográfica:

Leia mais

FOME ZERO. O papel do Brasil na luta global contra a fome e a pobreza

FOME ZERO. O papel do Brasil na luta global contra a fome e a pobreza FOME ZERO O papel do Brasil na luta global contra a fome e a pobreza Seminário Internacional sobre Seguro de Emergência e Seguro Agrícola Porto Alegre, RS -- Brasil 29 de junho a 2 de julho de 2005 Alguns

Leia mais

DIRETRIZES DE PLANO E AÇÃO DE GOVERNO MUNICIPAL. COLIGAÇÃO: CAMPO REDONDO NO RUMO CERTO. PR/PSB/PV/DEM/PRB/PT/PPS. GESTÃO 2013 A 2016.

DIRETRIZES DE PLANO E AÇÃO DE GOVERNO MUNICIPAL. COLIGAÇÃO: CAMPO REDONDO NO RUMO CERTO. PR/PSB/PV/DEM/PRB/PT/PPS. GESTÃO 2013 A 2016. DIRETRIZES DE PLANO E AÇÃO DE GOVERNO MUNICIPAL. COLIGAÇÃO: CAMPO REDONDO NO RUMO CERTO. PR/PSB/PV/DEM/PRB/PT/PPS. GESTÃO 2013 A 2016. DO PRÉ CANDIDATO CARLOS ROBERTO LUCENA BARBOSA. 1. Educação de Qualidade.

Leia mais

Proposta de Programa do PCB para o Município de Manaus

Proposta de Programa do PCB para o Município de Manaus Proposta de Programa do PCB para o Município de Manaus. Os sucessivos governos de direita ou de corte social-liberal investem nos programas maquiadores da administração pública, por meio de projetos milionários

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ ELEITORAL DA COMARCA DE ORLÂNDIA-SP

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ ELEITORAL DA COMARCA DE ORLÂNDIA-SP EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ ELEITORAL DA COMARCA DE ORLÂNDIA-SP A Coligaçao dos Partidos PSB, PDT, PPL, PMN e PTN através de seu representante legal da Coligação José Mauro de Assis Dias, vem através desta

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 514, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 514, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014 RESOLUÇÃO Nº 514, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014 Dispõe sobre a Política Nacional de Trânsito, seus fins e aplicação, e dá outras providências. O CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO CONTRAN, usando da competência

Leia mais

I Oficina com os Estados: Fortalecer a Gestão para Concretizar a Proteção Social

I Oficina com os Estados: Fortalecer a Gestão para Concretizar a Proteção Social I Oficina com os Estados: Fortalecer a Gestão para Concretizar a Proteção Social OFICINAS DO XIV ENCONTRO NACIONAL DO CONGEMAS ENFRENTAMENTO AO TRABALHO INFANTIL NO PLANO BRASIL SEM MISÉRIA Nivia Maria

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO jun/15 GRUPO I META 1

AUDIÊNCIA PÚBLICA PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO jun/15 GRUPO I META 1 AUDIÊNCIA PÚBLICA PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO jun/15 GRUPO I META 1 Universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 4 (quatro) a 5 (cinco) anos de idade e ampliar a oferta

Leia mais

Por uma cidade mais justa e sustentável

Por uma cidade mais justa e sustentável Por uma cidade mais justa e sustentável 2011 Como imaginamos e como queremos Nossa Belo Horizonte daqui a 1, 4, 10, 20 anos? Eixos de Atuação 1. Programa de Indicadores e Metas Selecionar, sistematizar,

Leia mais

EIXO I - Política de saúde na seguridade social, segundo os princípios da integralidade, universalidade e equidade

EIXO I - Política de saúde na seguridade social, segundo os princípios da integralidade, universalidade e equidade 10ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE: OO"TODOS USAM O SUS! SUS NA SEGURIDADE SOCIAL - POLÍTICA PÚBLICA, PATRIMÔNIO DO POVO BRASILEIRO" EIXO I - Política de saúde na seguridade social, segundo os princípios

Leia mais

São Paulo 2022. Diretrizes, propostas, indicadores e metas para tornar São Paulo uma cidade mais justa, democrática, inteligente e sustentável em 2022

São Paulo 2022. Diretrizes, propostas, indicadores e metas para tornar São Paulo uma cidade mais justa, democrática, inteligente e sustentável em 2022 São Paulo 2022 Diretrizes, propostas, indicadores e metas para tornar São Paulo uma cidade mais justa, democrática, inteligente e sustentável em 2022 São Paulo diversa, contraditória, desafiadora Contexto

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL PPA 2010/2013 CLASSIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES POR FUNÇÃO E SUBFUNÇÃO SUBFUNÇÃO PROGRAMA AÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL PPA 2010/2013 CLASSIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES POR FUNÇÃO E SUBFUNÇÃO SUBFUNÇÃO PROGRAMA AÇÃO FUNÇÃO: 01 - LEGISLATIVA 031 Ação Legislativa 0001 - Execução da Ação Legislativa Manutenção das Atividades Legislativas FUNÇÃO: 02 - JUDICIÁRIA 122 Administração Geral 0006 - Defesa Jurídica do Município

Leia mais

ANEXO I PROGRAMA ESTADUAL DE PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA E ESPECIAL, DA REDE SOCIAL SÃO PAULO

ANEXO I PROGRAMA ESTADUAL DE PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA E ESPECIAL, DA REDE SOCIAL SÃO PAULO ANEXO I PROGRAMA ESTADUAL DE PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA E ESPECIAL, DA REDE SOCIAL SÃO PAULO I- DA PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA. II- DA PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL. III- DO CO-FINANCIAMENTO E DOS REQUISITOS, PARA O

Leia mais

Núcleo Regional de Rio Branco do Sul

Núcleo Regional de Rio Branco do Sul Núcleo Regional de Rio Branco do Sul Municípios participantes Adrianópolis Bocaiúva do Sul Cerro Azul Doutor Ulysses Rio Branco do Sul Tunas do Paraná Itaperuçu Campo Magro Colombo Almirante Tamandaré

Leia mais

Revisão Participativa. dos Instrumentos de Planejamento e Gestão da Cidade de São Paulo

Revisão Participativa. dos Instrumentos de Planejamento e Gestão da Cidade de São Paulo Revisão Participativa dos Instrumentos de Planejamento e Gestão da Cidade de São Paulo Volume II Revisão Participativa do Plano Diretor Estratégico (PDE) 1. A importância do PDE (Plano Diretor Estratégico)

Leia mais

A SAÚDE NO GOVERNO LULA PROGRAMA DE GOVERNO

A SAÚDE NO GOVERNO LULA PROGRAMA DE GOVERNO A SAÚDE NO GOVERNO LULA PROGRAMA DE GOVERNO ÍNDICE Diagnóstico Princípios Básicos: 1- Redefinição da atuação pública na saúde 2-Saúde como direito de todos 3-Estabilidade e continuidade das políticas de

Leia mais

A SECRETARIA NACIONAL DE TRANSPORTE E DA MOBILIDADE URBANA (SEMOB)

A SECRETARIA NACIONAL DE TRANSPORTE E DA MOBILIDADE URBANA (SEMOB) A SECRETARIA NACIONAL DE TRANSPORTE E DA MOBILIDADE URBANA (SEMOB) ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO 1. SEMOB 2. POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA 3. PPA DA UNIÃO 2012-2015 4. PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO

Leia mais

Planejamento Urbano Governança Fundiária

Planejamento Urbano Governança Fundiária Planejamento Urbano Governança Fundiária Instrumentos de Gestão, Conflitos Possibilidades de Inclusão Socioespacial Alexandre Pedrozo agosto. 2014 mobiliza Curitiba...... de antes de ontem...... de ontem......

Leia mais

A REGIÃO METROPOLITA NA NA REVISÃO DO PLANO DIRETOR DE CURITIBA

A REGIÃO METROPOLITA NA NA REVISÃO DO PLANO DIRETOR DE CURITIBA A REGIÃO METROPOLITA NA NA REVISÃO DO PLANO DIRETOR DE CURITIBA SITUAÇÃO ATUAL INTEGRAÇÃO METROPOLITANA NA LEI ORGÂNICA DE CURITIBA TÍTULO IV - DA ORDEM ECONÔMICA E SOCIAL CAPÍTULO I - DA ORDEM ECONÔMICA

Leia mais

ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2008 CAMPANHA * COMPROMISSO PELA CRIANÇA E PELO ADOLESCENTE

ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2008 CAMPANHA * COMPROMISSO PELA CRIANÇA E PELO ADOLESCENTE ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2008 CAMPANHA * COMPROMISSO PELA CRIANÇA E PELO ADOLESCENTE Carta Aberta aos candidatos e candidatas às Prefeituras e Câmaras Municipais: Estatuto da Criança e do Adolescente: 18 anos,

Leia mais

SISTEMA DE PARTICIPAÇÃO POPULAR E CIDADÃ

SISTEMA DE PARTICIPAÇÃO POPULAR E CIDADÃ SISTEMA DE PARTICIPAÇÃO POPULAR E CIDADÃ 1 1. Participação regular dos cidadãos no processo de definição das políticas públicas e definição das diretrizes para o desenvolvimento. 2. Deslocamento das prioridades

Leia mais

Participação Social como Método de Governo. Secretaria-Geral da Presidência da República

Participação Social como Método de Governo. Secretaria-Geral da Presidência da República Participação Social como Método de Governo Secretaria-Geral da Presidência da República ... é importante lembrar que o destino de um país não se resume à ação de seu governo. Ele é o resultado do trabalho

Leia mais

Incluir no pagamento por performance o preenchimento da variável raça/cor.

Incluir no pagamento por performance o preenchimento da variável raça/cor. PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE E DEFESA CIVIL SUBSECRETARIA DE PROMOÇÃO, ATENÇÃO PRIMÁRIA E VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE PROMOÇÃO DA SAÚDE COORDENAÇÃO DE

Leia mais

UNIDOS PELA MUDANÇA 1-EDUCAÇÃO:

UNIDOS PELA MUDANÇA 1-EDUCAÇÃO: As Eleições Municipais que acontecerão no próximo mês de outubro de 2012, marcará profundamente a vida de Frei Paulo. Nelas, os eleitores terão a oportunidade de finalmente escolher e eleger um Governo

Leia mais

Programa de Governo. Chiara Prefeita. Bauru 2013-2016. Vice Gilson. Coligação BAURU MERECE MUITO MAIS DEM-PSDB

Programa de Governo. Chiara Prefeita. Bauru 2013-2016. Vice Gilson. Coligação BAURU MERECE MUITO MAIS DEM-PSDB Programa de Governo Bauru 2013-2016 Chiara Prefeita Vice Gilson Coligação BAURU MERECE MUITO MAIS DEM-PSDB APRESENTAÇÃO As eleições de 2012 vão definir o dia a dia de cada um dos eleitores bauruenses pelos

Leia mais

São Paulo 2022. Metodologia de para monitoramento do comportamento da Cidade de São Paulo por Indicadores e Metas

São Paulo 2022. Metodologia de para monitoramento do comportamento da Cidade de São Paulo por Indicadores e Metas São Paulo 2022 Metodologia de para monitoramento do comportamento da Cidade de São Paulo por Indicadores e Metas Cidade Democrática, participativa e descentralizada Transformando São Paulo pela mudança

Leia mais

ELEIÇÃO 2010 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CARTA 27 BRASIL

ELEIÇÃO 2010 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CARTA 27 BRASIL ELEIÇÃO 2010 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CARTA 27 BRASIL DIRETRIZES GERAIS DE GOVÊRNO COMPROMISSO DA SOCIAL DEMOCRACIA CRISTÃ NO EXERCÍCIO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. APLICAR OS VALORES DA DEMOCRACIA CRISTÃ

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA

POLÍTICAS PÚBLICAS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA POLÍTICAS PÚBLICAS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA 1. Concepções e diretrizes políticas para áreas; Quando falamos de economia solidária não estamos apenas falando de geração de trabalho e renda através de empreendimentos

Leia mais

A SEGURANÇA É HOJE A PRINCIPAL PREOCUPAÇÃO DO BRASILEIRO. Diversos problemas levaram à situação atual

A SEGURANÇA É HOJE A PRINCIPAL PREOCUPAÇÃO DO BRASILEIRO. Diversos problemas levaram à situação atual A SEGURANÇA É HOJE A PRINCIPAL PREOCUPAÇÃO DO BRASILEIRO Diversos problemas levaram à situação atual O problema sempre foi tratado com uma série de OUs Natureza ou policial ou social Responsabilidade ou

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO PAULO

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO PAULO ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO PAULO outubro 2013 Plano de Mobilidade Urbana de São Paulo Em atendimento à Lei Federal 12.587 Institui a Política Nacional de Mobilidade Urbana

Leia mais

METAS E ESTRATÉGIAS DO Plano Municipal de Educação de Afuá 2015-2025

METAS E ESTRATÉGIAS DO Plano Municipal de Educação de Afuá 2015-2025 METAS E ESTRATÉGIAS DO Plano Municipal de Educação de Afuá 2015-2025 3- METAS E ESTRATÉGIAS. META 1: Universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 4 (quatro) a 5 (cinco)

Leia mais

Educação Infantil ESTRATÉGIAS:

Educação Infantil ESTRATÉGIAS: Educação Infantil META 1: Ampliar a oferta de educação infantil de forma a atender, em 100% da população de 4 e 5 anos até 2016 e, até o final da década, alcançar a meta de 50% das crianças de 0 a 3 anos,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BETÂNIA Estado de Pernambuco LEI Nº 636 /2012 DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS 2013 Anexo de Prioridades e Metas ( Sintético )

PREFEITURA MUNICIPAL DE BETÂNIA Estado de Pernambuco LEI Nº 636 /2012 DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS 2013 Anexo de Prioridades e Metas ( Sintético ) Anexo de Prioridades e s ( Sintético ) s Processo Legislativo Administração Legislativa Planejamento Governamental Gestão Política Administrativa Suporte Administrativo Garantir o exercício da função legislativa

Leia mais

Ministério Público do Trabalho

Ministério Público do Trabalho Ministério Público do Trabalho Procuradoria Regional do Trabalho da Nona Região www.prt9.mpt.gov.br A realidade Fundamentos Jurídicos Declaração Universal dos Direitos do Homem, que diz que o reconhecimento

Leia mais

O ENEM de 2014 teve 15 mil candidatos idosos inscritos, o que mostra a vontade dessa população em investir em formação superior.

O ENEM de 2014 teve 15 mil candidatos idosos inscritos, o que mostra a vontade dessa população em investir em formação superior. IDOSOS O Solidariedade, ciente da importância e do aumento população idosa no País, defende o reforço das políticas que priorizam este segmento social. Neste sentido, destaca-se a luta pela consolidação

Leia mais

COLIGAÇÃO COMPROMISSO SÓ COM O POVO PRB-PTN-PHS-PSL-PT DO B

COLIGAÇÃO COMPROMISSO SÓ COM O POVO PRB-PTN-PHS-PSL-PT DO B COLIGAÇÃO COMPROMISSO SÓ COM O POVO PRB-PTN-PHS-PSL-PT DO B DIRETRIZES GERAIS Gestão: A prefeitura é uma prestadora de serviços e como tal tem obrigação de ser ágil na execução de projetos e o atendimento

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Anais. III Seminário Internacional Sociedade Inclusiva. Ações Inclusivas de Sucesso

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Anais. III Seminário Internacional Sociedade Inclusiva. Ações Inclusivas de Sucesso Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Anais III Seminário Internacional Sociedade Inclusiva Ações Inclusivas de Sucesso Belo Horizonte 24 a 28 de maio de 2004 Realização: Pró-reitoria de Extensão

Leia mais

Plano de Mobilidade Sustentável. Por uma cidade amiga da bicicleta Abril 2011

Plano de Mobilidade Sustentável. Por uma cidade amiga da bicicleta Abril 2011 Plano de Mobilidade Sustentável. Por uma cidade amiga da bicicleta Abril 2011 Cronograma Índice Apresentação da TC Urbes Objetivos do Plano de Mobilidade Sustentável Cidade e Mobilidade Diagnóstico Planejamento

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) Este documento tem o propósito de promover o alinhamento da atual gestão

Leia mais

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS Art. 1. A Política de Assistência Estudantil da Pós-Graduação da UFGD é um arcabouço de princípios e diretrizes

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PRESIDENTE KUBITSCHEK Estado de Minas Gerais MENSAGEM Nº

PREFEITURA MUNICIPAL DE PRESIDENTE KUBITSCHEK Estado de Minas Gerais MENSAGEM Nº MENSAGEM Nº Senhores membros da Câmara Municipal, Submeto à elevada deliberação de V. Exªs. o texto do projeto de lei que institui o Plano Plurianual para o período de 2002 a 2005. Este projeto foi elaborado

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE CANOAS SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE CANOAS SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 01/2011 - SMDS O Município de Canoas, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, torna público o presente e convida os interessados e as interessadas a apresentar

Leia mais

RELATÓRIO DA PESQUISA: RELEVÂNCIA DAS AÇÕES EM FAVOR DA BICICLETA São Paulo, 18 de junho de 2012

RELATÓRIO DA PESQUISA: RELEVÂNCIA DAS AÇÕES EM FAVOR DA BICICLETA São Paulo, 18 de junho de 2012 RELATÓRIO DA PESQUISA: RELEVÂNCIA DAS AÇÕES EM FAVOR DA BICICLETA São Paulo, 18 de junho de 2012 ÍNDICE: I. APRESENTAÇÃO E OBJETIVOS DO PROJETO II. METODOLOGIA DAS RESPOSTAS III. UNIVERSO DA PESQUISA IV.

Leia mais

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE EDUCACAO INFANTIL INCLUSIVA EM CURITIBA VEJA COMO SUA EMPRESA PODE TRANSFORMAR ESTA IDEIA EM REALIDADE { Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, SUAS e legislações pertinentes. Profa. Ma. Izabel Scheidt Pires

POLÍTICA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, SUAS e legislações pertinentes. Profa. Ma. Izabel Scheidt Pires POLÍTICA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, SUAS e legislações pertinentes Profa. Ma. Izabel Scheidt Pires REFERÊNCIAS LEGAIS CF 88 LOAS PNAS/04 - SUAS LOAS A partir da Constituição Federal de 1988, regulamentada

Leia mais

JOVEM COM DEFICIÊNCIA

JOVEM COM DEFICIÊNCIA JOVEM COM DEFICIÊNCIA 1. Promover cursos de educação profissional de nível básico (técnico e tecnológico nos termos da Lei 9.394/96) e superior em espaços públicos e privados, respeitando a inclusão de

Leia mais

Você no Parlamento. Consulta Pública. Cooperação Técnica entre a CâmaraMunicipal de São Paulo e a Rede Nossa São Paulo

Você no Parlamento. Consulta Pública. Cooperação Técnica entre a CâmaraMunicipal de São Paulo e a Rede Nossa São Paulo Consulta Pública Você no Parlamento Cooperação Técnica entre a CâmaraMunicipal de São Paulo e a Rede Nossa São Paulo Termo de 18/04/2011 e Aditamento de 06/06/2011 Consulta pública com a população de São

Leia mais

Princípios Gerais. Política Nacional de Saúde Integral da População Negra 15/10/2012

Princípios Gerais. Política Nacional de Saúde Integral da População Negra 15/10/2012 Princípios Gerais Política Nacional de Saúde Integral da População Negra PORTARIA Nº 992, DE 13 DE MAIO DE 2009 Profª Carla Pintas A Constituição de 1988 assumiu o caráter de Constituição Cidadã, em virtude

Leia mais

Flávio Ahmed CAU-RJ 15.05.2014

Flávio Ahmed CAU-RJ 15.05.2014 Flávio Ahmed CAU-RJ 15.05.2014 O espaço urbano como bem ambiental. Aspectos ambientais do Estatuto da cidade garantia da qualidade de vida. Meio ambiente natural; Meio ambiente cultural; Meio ambiente

Leia mais

TRABALHO COMO DIREITO

TRABALHO COMO DIREITO Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 419 CEP: 05403-000 São Paulo SP Brasil TRABALHO COMO DIREITO () 04/12/2013 1 O direito ao trabalho no campo da Saúde Mental: desafio para a Reforma Psiquiátrica brasileira

Leia mais