1 SQL Injection A consulta normal SQL seria:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1 SQL Injection A consulta normal SQL seria:"

Transcrição

1 HTTP Testando aplicação Web. Pegaremos dois tipos de ataques dentre os top 10 do OWASP 1 SQL Injection A consulta normal SQL seria: SELECT * FROM Users WHERE Username='$username' AND Password='$password' Para que consiga fazer o acesso através do SQL é necessário fazer a mudança do user e password pelos códigos informado abaixo, através disso o acesso será permitido. $username = 1' or '1' = '1 $password = 1' or '1' = '1 A consulta deve ser da seguinte maneira: SELECT * FROM Users WHERE Username='1' OR '1' = '1' AND Password='1' OR '1' = '1' Permitindo o acesso! Mitigando Para resolver esse problema é necessário fazer uma consulta SQL procedural, sem o uso de concatenação de string.

2 2- XSS Hoje em dia a maioria dos browsers interpretam automaticamente javascript se o mesmo estiver em uma página da web, sendo assim, se o atacante conseguir inserir javascript na sua página o mesmo será executado. Caso o comando seja inserido, um alerta será gerado com a mensagem hacked <script>alert("hacked")</script> Para resolver: Para resolver o problema basta usar uma própria função do php, ela irá transformar os caracteres de tags em caracteres especiais em uma entidade html. DNS Para uma maior segurança podemos implementar o DNSSEC, por que inúmeros serviços depende do funcionamento correto do DNS, e ele acaba sendo alvo de inúmeras tentativas de ataque na WEB onde tentam explorar todas as suas vulnerabilidades. A maioria dos ataques conhecidos focados no DNS a não ser o caso do DoS é justamente a quebra de integridade do serviço, deixando o mesmo desnorteado captando e redirecionando requisições a sites pishing. E essa é a ideia do DNSSEC que auxilia nesse quesito, ele estende o protocolo DNS com mecanismo de segurança permitindo que se possa verificar as informações recebidas, ao invés de simplesmente confiar em sua vericidade e validade. O que ele garante: > Origem (Autencidade) > Integridade

3 Básicamente ele faz uso de cripotografia de chave publica e insere um novo conjunto de Rrs (Resources Records): Assinar outros RRs 1. Divulgar a chave publica que valida as assinaturas digitais de um determinado domínio (DNSKEY) 2. Garantir a não existência de outros registros (NSEC) 3. Garantir a continuidade do canal de segurança na delegação de zonas(ds) 4.Garantir a continuidade do canal de segurança na delegação de zonas(ds) Para habilitar o DNSSEC é necessário seguir esses passos: Instalando o Bind (no repositório do debian 6 a versão nativa é a 9.7.3: > aptitude install bind9 Vamos criar nosso diretório de zonas e de chaves: > mkdir -p /etc/bind/{zones,keys} Mudando as permissões para ambos os diretórios também: > chown bind:bind /etc/bind/{zones,keys} > chmod g+w /etc/bind/{zones,keys} Edite o arquivo /etc/bind/named.conf.options e adicione a linha abaixo: > dnssec-enable yes; Crie a zona do seu DNS como preferir dentro de /etc/bind/zones: > vim /etc/bind/zones/db.projetointegrador.com

4 Vamos criar as pastas aonde vamos armazenar as chaves, para deixar mais organizado: > mkdir -p /etc/bind/keys/{ksk,zsk} Criar uma pasta para armazenarmos os scripts: > mkdir /etc/bind/scripts; Gerando KSK > vim /etc/bind/scripts/gera-ksk.sh > #!/bin/bash > ZONA=$1 > cd /etc/bind/keys/ksk > dnssec-keygen -r /dev/urandom -a RSASHA1 -b n ZONE -f KSK $> {ZONA} Gerando ZSK > vim /etc/bind/scripts/gera-zsk.sh > #!/bin/sh > ZONA=$1 > cd /etc/bind/keys/zsk > dnssec-keygen -r /dev/urandom -a RSASHA1 -b n ZONE $ {ZONA}

5 Gerando Assinatura da Zona > vim /etc/bind/scripts/assina-zona.sh Depois dos Scripts Prontos e a zona criada, Vamos dar permissão, criar nossas chaves e assinar essa zona toda > chmod 755 /etc/bind/scripts/*.sh > /etc/bind/scripts/gera-zsk.sh projetointegrador.com > /etc/bind/scripts/gera-ksk.sh projetointegrador.com Depois de criado as chaves, adicione a publica na zona do seu domínio: > cat /etc/bind/keys/zsk/projetointegrador.com.*.key /etc/bind/keys/ksk/projetointegrador.com.*.key >> /etc/bind/zones/db.projetointegrador.com E assine a zona: > /etc/bind/scripts/assina-zona.sh projetointegrador.com Vamos criar nosso reverso, supondo que o ip do reverso : > vim /etc/bind/zones/db.projetointegrador.com.rev1 Vamos agora editar nosso named.conf e inserir as zonas: > zone projetointegrador.com { type master; file /etc/bind/zones/db.projetointegrador.com.signed ; }; zone integradorprojeto.in-addr.arpa. IN { type master; file /etc/bind/zones/db.dominio.rev1 ; allow-update { none; }; }; Inicie o bind: /etc/init.d/bind start

6 FTP SFTP: O SFTP é um protocolo que parte do pacote OpenSSH, uma de suas vantagens é o metodo de autenticação basenado no protocolo SSH Key-pair, ou seja, não depende de usuário e senha, sua transmição de dados é feita na forma de tunelamento, o SSH encripta do inicio ao fim da conexão o que significa que mesmo que alguém intercepte seus pacotes TCP estará impossibilitado de decifrar os dados transmitidos.o que significa que mesmo que alguém intercepte seus pacotes TCP estará impossibilitado de decifrar os dados transmitidos. Como configurar o SFTP 1 Criar sua SSH Keys, mas isso pode ser diferente entre sistemas Windows e Unix. 2 Configurar seu servidor com SFTP ou solicitar junto ao seu provedor de hospedagem de sites se oferece este recurso, mas dificilmente você encontrará esse recurso em hospedagem de site compartilhada. O ideal é que tenha um VPS gerenciável onde possa ter total acesso à configuração, sendo assim será possível configurar SFTP facilmente. 3 Utilizar um SFTP Correio Eletrônico Para uma maior proteção na transmissão de mensagens podemos utilizar um sistema de criptografia que se chama PGP, ele realiza a troca de mensagens de forma segura criptografando arquivos e documentos. Para cada usuário é gerado uma chave ou assinatura única e exclusiva. Para realizarmos a troca de mensagem de forma correta é criada duas chaves, uma publica e uma privada. Assim conseguimos assinar todas as mensagens envidas com uma chave publica. Essa chave irá certificar o receptor da autenticidade. Para a transmissão o pgp exige uma senha que é criada na sua instalação o programa cria uma conta pessoal toda vez que um é enviado. E o receptor pode realizar a conferencia dos dados utilizando a sua chave publica.

7 Sendo assim se o enviado for capturado a pessoa não conseguirá realizar a leitura do arquivo por não possuir a chave. Para realizar essa assinatura é necessário que a mensagem esteja e um texto puro, ou seja, ele não aceita mensagens do tipo HTML Banco de Dados As ameaças aos bancos de dados podem ocasionar os seguintes problemas: Perda de dados Degradação de objteos de segurança o Integridade o Disponibilidade o Confidencialidade Por isso a integridade do banco de dados se refere ao requisito onde a informação seja protegida contra qualquer tipo de modificação imprórpria. Então para uma proteção podemos realizas as seguintes técnicas: 1- Criptografia de dados Essa é uma medida utilizada para proteger os dados sigilosos que por algum motivo são transmitidos por algum meio de comunicação. Podemos ainda utilizar a mesma para oferecer uma proteção adicional para que partes confidenciais do banco não sejam acessadas por um usuário que não possua autorização. Por meio da cripotgrafia o usuário que não tiver autorização terá dificuldade para manipular os dados. 2- Autoridade As autoridades fornecem um controle de nivel de acesso onde agrupa por metodos de privilegios. Conseguimos separar o acesso de um usuário administador de um usuário comum. Essas autoridades estão associadas a membros de grupos armazenados em um arquivo de configuração administativa do banco Este arquivo define as concessões de acesso e o que poderá ser executado de acordo com cada grupo. 3- Controle de Acesso Utilizando Triggers

8 Com a utilização dos Triggers podemos criar uma forma de mecanismo de segurança mais complexo que pode ser disparado cada vez que um evento é chamado. O comando Insert na tabela é exemplo de um evento que pode ser usado para disparar uma Triggers, além disso, as mesmas podem ser disparadas antes ou depois de comando especificado com o objetivo de prover maior rigor no controle de segurança. Se o comando executado pelo usuário não for validado pela Triggers, um erro é sinalizado do corpo da própria Triggers para impedir que a tabela seja modificada indevidamente.

Relatório de processo de Hardening dos servidores contra os ataques de MITM

Relatório de processo de Hardening dos servidores contra os ataques de MITM Faculdade de Tecnologias Senac Goiás Projeto Integrador SI-2014/02 Laboratório de Redes de Computadores Professor: Fernando Pirkel Paulo Henrique Rodrio Brunet Cassio Alves Relatório de processo de Hardening

Leia mais

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Julho / 2.012 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 29/07/2012 1.0 Versão inicial Ricardo Kiyoshi Página 2 de 11 Conteúdo 1. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

DNSSEC: adicionando segurança no sistema de nomes

DNSSEC: adicionando segurança no sistema de nomes DNSSEC: adicionando segurança no sistema de nomes Ponto de Presença da RNP na Bahia Italo Valcy Agenda Revisão sobre DNS e seus problemas Conceitos básicos do DNSSEC DNSSEC/Bahia/Brazil

Leia mais

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP HTTP (Hypertext Transfer Protocol ) Protocolo usado na Internet para transferir as páginas da WWW (WEB). HTTPS (HyperText Transfer

Leia mais

Planejando uma política de segurança da informação

Planejando uma política de segurança da informação Planejando uma política de segurança da informação Para que se possa planejar uma política de segurança da informação em uma empresa é necessário levantar os Riscos, as Ameaças e as Vulnerabilidades de

Leia mais

Conceitos sobre Segurança em Banco de Dados

Conceitos sobre Segurança em Banco de Dados Conceitos sobre Segurança em Banco de Dados Os bancos de dados são utilizados para armazenar diversos tipos de informações, desde dados sobre uma conta de e- mail até dados importantes da Receita Federal.

Leia mais

FTP Protocolo de Transferência de Arquivos

FTP Protocolo de Transferência de Arquivos FTP Protocolo de Transferência de Arquivos IFSC UNIDADE DE SÃO JOSÉ CURSO TÉCNICO SUBSEQUENTE DE TELECOMUNICAÇÕES! Prof. Tomás Grimm FTP - Protocolo O protocolo FTP é o serviço padrão da Internet para

Leia mais

Configuração de um servidor FTP. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática

Configuração de um servidor FTP. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Configuração de um servidor FTP Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática FTP: o protocolo de transferência de arquivos transferir arquivo de/para hospedeiro remoto modelo cliente/servidor cliente:

Leia mais

O atacante pode roubar a sessão de um usuário legítimo do sistema, que esteja previamente autenticado e realizar operações que o mesmo poderia.

O atacante pode roubar a sessão de um usuário legítimo do sistema, que esteja previamente autenticado e realizar operações que o mesmo poderia. Explorando e tratando a falha de Cross-site-scripting (XSS) 1 D E D E Z E M B R O D E 2 0 1 5 Muito pouco falada e com alto nível crítico dentro das vulnerabilidades relatadas, o Cross-site-scripting (XSS)

Leia mais

PROJETO INTEGRADOR LUIZ DAVI DOS SANTOS SOUZA

PROJETO INTEGRADOR LUIZ DAVI DOS SANTOS SOUZA PROJETO INTEGRADOR LUIZ DAVI DOS SANTOS SOUZA Os serviços IP's citados abaixo são suscetíveis de possíveis ataques, desde ataques passivos (como espionagem) até ataques ativos (como a impossibilidade de

Leia mais

Nomes: Questão 1 Vulnerabilidade: SQL Injection (Injeção de SQL):

Nomes: Questão 1 Vulnerabilidade: SQL Injection (Injeção de SQL): Nomes: Questão 1 Vulnerabilidade: SQL Injection (Injeção de SQL): Nos últimos anos uma das vulnerabilidades mais exploradas por usuários mal-intencionados é a injeção de SQL, onde o atacante realiza uma

Leia mais

MATC99 Segurança e Auditoria de Sistemas de Informação

MATC99 Segurança e Auditoria de Sistemas de Informação MATC99 Segurança e Auditoria de Sistemas de Informação Malware, scam e fraudes Italo Valcy Fraudes Fraudes na Internet Engenharia social Phishing / Scam Código malicioso Engenharia

Leia mais

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões. Prof. MSc. Hugo Souza

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões. Prof. MSc. Hugo Souza Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões Prof. MSc. Hugo Souza Se você precisar manter informações sobre seus usuários enquanto eles navegam pelo seu site, ou até quando eles saem

Leia mais

Segurança de Aplicação - DNSSEC. Jaime Dias FEUP > DEEC > MRSC > Segurança em Sistemas e Redes v3.1

Segurança de Aplicação - DNSSEC. Jaime Dias FEUP > DEEC > MRSC > Segurança em Sistemas e Redes v3.1 Segurança de Aplicação - DNSSEC Jaime Dias FEUP > DEEC > MRSC > Segurança em Sistemas e Redes v3.1 DNS Enquadramento Pedido de resolução Pedido de resolução: www.xpto.pt A www.xpto.pt A? 1 2 root-server

Leia mais

INFORMÁTICA FUNDAMENTOS DE INTERNET. Prof. Marcondes Ribeiro Lima

INFORMÁTICA FUNDAMENTOS DE INTERNET. Prof. Marcondes Ribeiro Lima INFORMÁTICA FUNDAMENTOS DE INTERNET Prof. Marcondes Ribeiro Lima Fundamentos de Internet O que é internet? Nome dado a rede mundial de computadores, na verdade a reunião de milhares de redes conectadas

Leia mais

Fonte: http://www.online-security-solution.com/ - Illustration by Gaich Muramatsu

Fonte: http://www.online-security-solution.com/ - Illustration by Gaich Muramatsu Fonte: http://www.online-security-solution.com/ - Illustration by Gaich Muramatsu Prof. Hederson Velasco Ramos Uma boa maneira de analisar ameaças no nível dos aplicativo é organiza las por categoria de

Leia mais

Configurando o IIS no Server 2003

Configurando o IIS no Server 2003 2003 Ser ver Enterprise Objetivo Ao término, você será capaz de: 1. Instalar e configurar um site usando o IIS 6.0 Configurando o IIS no Server 2003 Instalando e configurando o IIS 6.0 O IIS 6 é o aplicativo

Leia mais

Segurança na Web. André Tavares da Silva. andre.silva@udesc.br

Segurança na Web. André Tavares da Silva. andre.silva@udesc.br Segurança na Web André Tavares da Silva andre.silva@udesc.br Propósito da Segurança A segurança não é usada simplesmente para proteger contra ataques diretos mas é essencial para estabelecer credibilidade/confiança

Leia mais

3. ( ) Para evitar a contaminação de um arquivo por vírus, é suficiente salvá-lo com a opção de compactação.

3. ( ) Para evitar a contaminação de um arquivo por vírus, é suficiente salvá-lo com a opção de compactação. 1. Com relação a segurança da informação, assinale a opção correta. a) O princípio da privacidade diz respeito à garantia de que um agente não consiga negar falsamente um ato ou documento de sua autoria.

Leia mais

TECNOLOGIA WEB. Segurança na Internet Aula 4. Profa. Rosemary Melo

TECNOLOGIA WEB. Segurança na Internet Aula 4. Profa. Rosemary Melo TECNOLOGIA WEB Segurança na Internet Aula 4 Profa. Rosemary Melo Segurança na Internet A evolução da internet veio acompanhada de problemas de relacionados a segurança. Exemplo de alguns casos de falta

Leia mais

Tahuti 2.1 A ferramenta de gerenciamento de TI. Manual de Instalação. Belo Horizonte, 06 de novembro de 2015.

Tahuti 2.1 A ferramenta de gerenciamento de TI. Manual de Instalação. Belo Horizonte, 06 de novembro de 2015. Tahuti 2.1 A ferramenta de gerenciamento de TI Manual de Instalação Belo Horizonte, 06 de novembro de 2015. Índice 1. Pré-requisitos 01 2. Instalando e Configurando o Sistema 02 3. Particularidades no

Leia mais

www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício AULA 08 Protocolos de Segurança

www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício AULA 08 Protocolos de Segurança www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício AULA 08 Protocolos de Segurança Protocolos de Segurança A criptografia resolve os problemas envolvendo a autenticação, integridade

Leia mais

6 PLANEJAMENTO DE SI 6.1 Planejamento de Segurança da Informação O planejamento em S.I é algo crucial para que haja o bom funcionamento de uma

6 PLANEJAMENTO DE SI 6.1 Planejamento de Segurança da Informação O planejamento em S.I é algo crucial para que haja o bom funcionamento de uma 6 PLANEJAMENTO DE SI 6.1 Planejamento de Segurança da Informação O planejamento em S.I é algo crucial para que haja o bom funcionamento de uma empresa. Diferente do senso comum o planejamento não se limita

Leia mais

Top Ten OWASP. Fausto Levandoski 1. Curso Tecnólogo em Segurança da Informação Av. Unisinos, 950 93.022-000 São Leopoldo RS Brasil. farole@gmail.

Top Ten OWASP. Fausto Levandoski 1. Curso Tecnólogo em Segurança da Informação Av. Unisinos, 950 93.022-000 São Leopoldo RS Brasil. farole@gmail. Top Ten OWASP Fausto Levandoski 1 1 Universidade do Vale do Rios dos Sinos (UNISINOS) Curso Tecnólogo em Segurança da Informação Av. Unisinos, 950 93.022-000 São Leopoldo RS Brasil farole@gmail.com Abstract.

Leia mais

Protocolos Telnet e SSH. Professor Leonardo Larback

Protocolos Telnet e SSH. Professor Leonardo Larback Protocolos Telnet e SSH Professor Leonardo Larback Protocolo Telnet O modelo de referência TCP/IP inclui um protocolo simples de terminal remoto: Telnet. O telnet é tanto um programa quanto um protocolo,

Leia mais

GNU/Linux Debian Servidor DNS

GNU/Linux Debian Servidor DNS GNU/Linux Debian Servidor DNS Neste tutorial, será apresentado a configuração do serviço de rede DNS (Domain Name System) utilizando o sistema operacional GNU/Linux, distribuição Debian 7.5. Antes de começamos

Leia mais

Desenvolvimento e disponibilização de Conteúdos para a Internet

Desenvolvimento e disponibilização de Conteúdos para a Internet Desenvolvimento e disponibilização de Conteúdos para a Internet Por Matheus Orion OWASP A Open Web Application Security Project (OWASP) é uma entidade sem fins lucrativos e de reconhecimento internacional,

Leia mais

Configuração Definitiva do Samba

Configuração Definitiva do Samba Configuração Definitiva do Samba 1 2 Sumário 1. Vantagens... 5 2. Desvantagem... 5 3. Conclusão Final... 5 4. Vamos botar a mão na massa!... 6 5. Instalação... 6 6. Configuração Parte 1 (Criando os diretórios)...

Leia mais

Falaremos um pouco das tecnologias e métodos utilizados pelas empresas e usuários domésticos para deixar a sua rede segura.

Falaremos um pouco das tecnologias e métodos utilizados pelas empresas e usuários domésticos para deixar a sua rede segura. Módulo 14 Segurança em redes Firewall, Criptografia e autenticação Falaremos um pouco das tecnologias e métodos utilizados pelas empresas e usuários domésticos para deixar a sua rede segura. 14.1 Sistemas

Leia mais

Internet Protocol Security (IPSec)

Internet Protocol Security (IPSec) Internet Protocol Security (IPSec) Segurança de Computadores IPSec - Introdução Preocupados com a insegurança na Internet o IETF (Internet Engineering Task Force) desenvolveu um conjunto de protocolos,

Leia mais

Certificado Digital A1

Certificado Digital A1 Certificado Digital A1 Geração Todos os direitos reservados. Imprensa Oficial do Estado S.A. - 2012 Página 1 de 41 Pré-requisitos para a geração Dispositivos de Certificação Digital Para que o processo

Leia mais

DNSSEC Provisionamento e Reassinatura Automática com Bind

DNSSEC Provisionamento e Reassinatura Automática com Bind DNSSEC Provisionamento e Reassinatura Automática com Bind GTER 30 Wilson Rogério Lopes Nov / 2010 Motivação Zonas com DNSSEC precisam ser reassinadas periodicamente RRSIG's tem um

Leia mais

3 SERVIÇOS IP. 3.1 Serviços IP e alguns aspectos de segurança

3 SERVIÇOS IP. 3.1 Serviços IP e alguns aspectos de segurança 3 SERVIÇOS IP 3.1 Serviços IP e alguns aspectos de segurança Os serviços IP's são suscetíveis a uma variedade de possíveis ataques, desde ataques passivos (como espionagem) até ataques ativos (como a impossibilidade

Leia mais

Guia do Usuário Administrativo Bomgar 10.2 Enterprise

Guia do Usuário Administrativo Bomgar 10.2 Enterprise Guia do Usuário Administrativo Bomgar 10.2 Enterprise Índice Introdução 2 Interface administrativa 2 Status 2 Minha conta 3 Opções 3 Equipes de suporte 4 Jumpoint 5 Jump Clients 6 Bomgar Button 6 Mensagens

Leia mais

CERTIFICADO DIGITAL ARMAZENADO NO COMPUTADOR (A1) Manual do Usuário

CERTIFICADO DIGITAL ARMAZENADO NO COMPUTADOR (A1) Manual do Usuário Certificação Digital CERTIFICADO DIGITAL ARMAZENADO NO COMPUTADOR (A1) Manual do Usuário Guia CD-17 Público Índice 1. Pré-requisitos para a geração do certificado digital A1... 3 2. Glossário... 4 3. Configurando

Leia mais

Lista de Exercício: PARTE 1

Lista de Exercício: PARTE 1 Lista de Exercício: PARTE 1 1. Questão (Cód.:10750) (sem.:2a) de 0,50 O protocolo da camada de aplicação, responsável pelo recebimento de mensagens eletrônicas é: ( ) IP ( ) TCP ( ) POP Cadastrada por:

Leia mais

Passo a passo para instalação de um Servidor SSH

Passo a passo para instalação de um Servidor SSH Instalação de um servidor SSH no Windows Introdução Manual desenvolvido pela GEICI05 com objetivo de orientar as Construtoras a configurarem um servidor SSH para recepcionarem os arquivos DCD-online. O

Leia mais

Conceitos de relação de confiança www.jpinheiro.net jeferson@jpinheiro.net

Conceitos de relação de confiança www.jpinheiro.net jeferson@jpinheiro.net Conceitos de relação de confiança www.jpinheiro.net jeferson@jpinheiro.net Procedimento para criar uma árvore O procedimento usado para criar uma árvore com o Assistente para instalação do Active Directory

Leia mais

Normas para o Administrador do serviço de e-mail

Normas para o Administrador do serviço de e-mail Normas para o Administrador do serviço de e-mail Os serviços de e-mails oferecidos pela USP - Universidade de São Paulo - impõem responsabilidades e obrigações a seus Administradores, com o objetivo de

Leia mais

Certificado Digital A1

Certificado Digital A1 Abril/ Certificado Digital A1 Geração Página 1 de 32 Abril/ Pré requisitos para a geração Dispositivos de Certificação Digital Para que o processo de instalação tenha sucesso, é necessário obedecer aos

Leia mais

ALUNOS: EDER, HANANNY, ALEXANDRE

ALUNOS: EDER, HANANNY, ALEXANDRE ALUNOS: EDER, HANANNY, ALEXANDRE Servidor Web Descrição O Projeto Apache HTTP Server é um esforço para desenvolver e manter um servidor HTTP de código aberto para os sistemas operacionais modernos, incluindo

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação Segurança e Vulnerabilidades em Aplicações Web jobona@terra.com.br Definição: Segurança Segundo o dicionário da Wikipédia, o termo segurança significa: 1. Condição ou estado de

Leia mais

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04 Guia de Prática Windows 7 Ubuntu 12.04 Virtual Box e suas interfaces de rede Temos 04 interfaces de rede Cada interface pode operar nos modos: NÃO CONECTADO, que representa o cabo de rede desconectado.

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto

Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 Protocolo de rede... 3 Protocolo TCP/IP... 3 Máscara de sub-rede... 3 Hostname... 3

Leia mais

Configurando opções do servidor de páginas e do servidor ftp.

Configurando opções do servidor de páginas e do servidor ftp. Configurando opções do servidor de páginas e do servidor ftp. Após ter criado um diretório virtual, quer seja de http ou de ftp, você pode configurar uma série de opções para este diretório. As configurações

Leia mais

Professor(es): Fernando Pirkel. Descrição da(s) atividade(s):

Professor(es): Fernando Pirkel. Descrição da(s) atividade(s): Professor(es): Fernando Pirkel Descrição da(s) atividade(s): Definir as tecnologias de redes necessárias e adequadas para conexão e compartilhamento dos dados que fazem parte da automatização dos procedimentos

Leia mais

HYPERTEXT TRANSFER PROTOCOL

HYPERTEXT TRANSFER PROTOCOL REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com HYPERTEXT TRANSFER PROTOCOL 1 HTTP Uma página WWW é composta de objetos e endereçado por uma

Leia mais

Procedimento de Acesso VPN

Procedimento de Acesso VPN Procedimento de Acesso Departamento de Tecnologia e Infra-estrutura 2013 Este procedimento tem por objetivo definir as configurações básicas para acessar a rede corporativa do Esporte Clube Pinheiros via.

Leia mais

http://divulgafacil.terra.com.br/novahospedagem_4/configuracoes.html

http://divulgafacil.terra.com.br/novahospedagem_4/configuracoes.html Page 1 of 9 Veja abaixo como proceder para alterar as configurações de hospedagem do seu site: Na nova plataforma de hospedagem, a estrutura de diretórios FTP vai mudar um pouco. Ou seja, em caso de atualização

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E ANALISTA (EXCETO PARA O CARGO 4 e 8) GABARITO 1. (CESPE/2013/MPU/Conhecimentos Básicos para os cargos 34 e 35) Com a cloud computing,

Leia mais

TECNOLOGIA WEB. Principais Protocolos na Internet Aula 2. Profa. Rosemary Melo

TECNOLOGIA WEB. Principais Protocolos na Internet Aula 2. Profa. Rosemary Melo TECNOLOGIA WEB Principais Protocolos na Internet Aula 2 Profa. Rosemary Melo Tópicos abordados Compreender os conceitos básicos de protocolo. Definir as funcionalidades dos principais protocolos de Internet.

Leia mais

Proteção de dados e informação que possuem valor para uma pessoa ou empresa

Proteção de dados e informação que possuem valor para uma pessoa ou empresa Professor Gedalias Valentim Informática para Banca IADES Segurança da Informação Segurança da Informação Proteção de dados e informação que possuem valor para uma pessoa ou empresa 1 Segurança da Informação

Leia mais

Configuração de um servidor DNS. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática

Configuração de um servidor DNS. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Configuração de um servidor DNS Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Configuração DNS O servidor DNS usado é o BIND versão 9. Para configuração do servidor DNS, deve-se acessar os arquivos de

Leia mais

MSN-Proxy v0.7 no Debian 5 (Atualizado)

MSN-Proxy v0.7 no Debian 5 (Atualizado) Remontti MSN-Proxy v0.7 no Debian 5 (Atualizado) MSN-Proxy v0.7 no Debian 5 (Atualizado) Controle o uso do msn Messenger em sua rede. Desfrute de vários recursos, bem como log das conversas, aviso sobre

Leia mais

Manual de Acesso a Servidores SSH

Manual de Acesso a Servidores SSH UFF - Universidade Federal Fluminense Escola de Engenharia Curso de Engenharia de Telecomunicações Programa de Educação Tutorial Grupo PET-Tele Manual de Acesso a Servidores SSH Autor : Orientador: Vinicius

Leia mais

Você pode testar se está tudo OK, abrindo um navegador no Debian Linux e acessando qualquer site.

Você pode testar se está tudo OK, abrindo um navegador no Debian Linux e acessando qualquer site. Você pode testar se está tudo OK, abrindo um navegador no Debian Linux e acessando qualquer site. Foi necessário configurar esse segundo adaptador, porque talvez seja necessário fazer o download de alguma

Leia mais

Compartilhamento de recursos de forma a racionar e otimizar o uso de equipamentos e softwares. Servidores e Workstations. Segurança é um desafio, por

Compartilhamento de recursos de forma a racionar e otimizar o uso de equipamentos e softwares. Servidores e Workstations. Segurança é um desafio, por $XWDUTXLD(GXFDFLRQDOGR9DOHGR6mR)UDQFLVFR± $(96) )DFXOGDGHGH&LrQFLDV6RFLDLVH$SOLFDGDVGH3HWUROLQD± )$&$3( &XUVRGH&LrQFLDVGD&RPSXWDomR $8',725,$'$7(&12/2*,$'$,1)250$d 2 &\QDUD&DUYDOKR F\QDUDFDUYDOKR#\DKRRFRPEU

Leia mais

Manual de. instalação. Certificado Digital A3 ou S3

Manual de. instalação. Certificado Digital A3 ou S3 Manual de instalação Certificado Digital A3 ou S3 Sumário O que é? 3 Aplicação 3 Preparando sua máquina 4 1ª configuração: Sistemas Homologados 4 2ª configuração: Perfil de usuário 4 3ª configuração: Hierarquias

Leia mais

Manual de. instalação. Certificado Digital A1 ou S1

Manual de. instalação. Certificado Digital A1 ou S1 Manual de instalação Certificado Digital A1 ou S1 Sumário O que é? 3 Aplicação 3 Preparando sua máquina 4 1ª configuração: Sistemas Homologados 4 2ª configuração: Perfil de usuário 4 3ª configuração: Hierarquias

Leia mais

Vamos iniciar a nossa exploração do HTTP baixando um arquivo em HTML simples - bastante pequeno, que não contém objetos incluídos.

Vamos iniciar a nossa exploração do HTTP baixando um arquivo em HTML simples - bastante pequeno, que não contém objetos incluídos. Wireshark Lab: HTTP Versão 1.1 2005 KUROSE, J.F & ROSS, K. W. Todos os direitos reservados 2008 BATISTA, O. M. N. Tradução e adaptação para Wireshark. Tendo molhado os nossos pés com o Wireshark no laboratório

Leia mais

Servidor IIS. Sorayachristiane.blogspot.com

Servidor IIS. Sorayachristiane.blogspot.com Servidor IIS Servidor IIS IIS Serviço de informação de Internet; É um servidor que permite hospedar um ou vários sites web no mesmo computador e cria uma distribuição de arquivos utilizando o protocolo

Leia mais

5 O Joomla: Web Apache Banco de Dados MySQL http://www.joomla.org/ - 55 -

5 O Joomla: Web Apache Banco de Dados MySQL http://www.joomla.org/ - 55 - 5 O Joomla: O Joomla (pronuncia-se djumla ) é um Sistema de Gestão de Conteúdos (Content Management System - CMS) desenvolvido a partir do CMS Mambo. É desenvolvido em PHP e pode ser executado no servidor

Leia mais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Serviços de Servidor TCP/IP Fabricio Breve Internet Information Services (IIS) Conjunto de serviços baseados em TCP/IP executados em um mesmo

Leia mais

O sistema operacional recomendado deve ser o Windows 2003, Windows 2000 ou Windows XP (nessa ordem de recomendação).

O sistema operacional recomendado deve ser o Windows 2003, Windows 2000 ou Windows XP (nessa ordem de recomendação). Módulo Nota Fiscal Eletrônica Sispetro Roteiro de Instalação Módulo Autenticador NFE Pré-Requisitos O sistema operacional recomendado deve ser o Windows 2003, Windows 2000 ou Windows XP (nessa ordem de

Leia mais

Manual de. instalação. Certificado Digital A3 ou S3

Manual de. instalação. Certificado Digital A3 ou S3 Manual de instalação Certificado Digital A3 ou S3 Sumário O que é? 3 Aplicação 3 Preparando sua máquina 4 1ª configuração: Sistemas Homologados 4 2ª configuração: Perfil de usuário 4 3ª Execute o CD de

Leia mais

Segurança na WEB Ambiente WEB estático

Segurança na WEB Ambiente WEB estático Segurança de Redes Segurança na WEB Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com Servidor IIS Apache Cliente Browser IE FireFox Ambiente WEB estático 1 Ambiente Web Dinâmico Servidor Web Cliente Navegadores

Leia mais

Uma Avaliação de Desempenho do DNSSEC

Uma Avaliação de Desempenho do DNSSEC Uma Avaliação de Desempenho do DNSSEC Felipe Gallois Rafael Obelheiro Grupo de Trabalho de Engenharia e Operação de Redes - 31 a Reunião 13 de maio de 2011 Felipe Gallois, Rafael Obelheiro (GTER) DNSSEC

Leia mais

Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto Introdução a Criptografia e Criptografia Simétrica

Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto Introdução a Criptografia e Criptografia Simétrica Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto Introdução a Criptografia e Criptografia Simétrica Francisco José da Silva e Silva Laboratório de Sistemas Distribuídos (LSD) Departamento de Informática / UFMA

Leia mais

Procedimento de Acesso VPN

Procedimento de Acesso VPN Procedimento de Acesso Departamento de Tecnologia e Infraestrutura 2014 Este procedimento tem por objetivo definir as configurações básicas para acessar a rede corporativa do Esporte Clube Pinheiros via.

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 13 Servidor Samba. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática

Sistema Operacional Unidade 13 Servidor Samba. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática Sistema Operacional Unidade 13 Servidor Samba Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 INSTALANDO O SAMBA... 3 Verificando a versão... 3 Criando uma cópia do servidor samba original... 3 COMPARTILHAMENTOS

Leia mais

SEGURANÇA DE INFORMAÇÕES

SEGURANÇA DE INFORMAÇÕES SEGURANÇA DE INFORMAÇÕES Data: 17 de dezembro de 2009 Pág. 1 de 11 SUMÁRIO SUMÁRIO 2 1. INTRODUÇÃO 3 2. FINALIDADE 3 3. ÂMBITO DE APLICAÇÃO 3 4. PRINCÍPIOS GERAIS DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS DE INFORMAÇÃO

Leia mais

www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício AULA 06 Criptografia e Esteganografia

www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício AULA 06 Criptografia e Esteganografia Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício Criptografia A forma mais utilizada para prover a segurança em pontos vulneráveis de uma rede de computadores é a utilização da criptografia. A criptografia

Leia mais

INTRODUÇÃO: 1 - Conectando na sua conta

INTRODUÇÃO: 1 - Conectando na sua conta INTRODUÇÃO: Com certeza a reação da maioria dos que lerem esse mini manual e utilizarem o servidor vão pensar: "mas porque eu tenho que usar um console se em casa eu tenho uma interface gráfica bonito

Leia mais

Linux Network Servers

Linux Network Servers OpenVPN Objetivos Entender como funciona uma VPN Configurar uma VPN host to host O que é uma VPN? VPN Virtual Private Network, é uma rede de comunicação particular, geralmente utilizando canais de comunicação

Leia mais

Guia de Instalação e Configuração do Noosfero

Guia de Instalação e Configuração do Noosfero Guia de Instalação e Configuração do Noosfero Índice Instalação e Configuração do Noosfero...3 Instalação das dependências principais do Noosfero no Debian 7...3 Instalação do PostFix e SASL...3 Configuração

Leia mais

Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com

Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com Segurança em Sistemas de Computação Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com Segurança Segurança deve considerar o ambiente externo do sistema, e proteger de: Acesso não autorizado Alteração ou

Leia mais

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO PROTOCOLOS DA INTERNET FAMÍLIA TCP/IP INTRODUÇÃO É muito comum confundir o TCP/IP como um único protocolo, uma vez que, TCP e IP são dois protocolos distintos, ao mesmo tempo que, também os mais importantes

Leia mais

Criptografia de chaves públicas

Criptografia de chaves públicas Criptografia de chaves públicas Por Ricardo Paulino Criptografia é um método utilizado para cifrar um texto ou sentença escrita de modo a tornálo ininteligível. Desse modo grandes empresas e/ou pessoas

Leia mais

2) Demonstre a verificação da fraude no envio de um arquivo não sigiloso, porém autenticado, de A para B e alterado indevidamente por T.

2) Demonstre a verificação da fraude no envio de um arquivo não sigiloso, porém autenticado, de A para B e alterado indevidamente por T. Revisão para A1 Criptografia e Certificação Digital Legenda: A + - Chave Pública de A A - - Chave Privada de A s Chave Secreta MD5 Algoritmo de HASH MSG Mensagem de texto claro - Operação de comparação

Leia mais

Data Autor Descrição Revisão Configuração HX600 via Rede Ethernet 1.0

Data Autor Descrição Revisão Configuração HX600 via Rede Ethernet 1.0 Data Autor Descrição Revisão 06/05/2009 Barbarini Configuração HX600 via Rede Ethernet 1.0 Page 1 / 12 Procedimento de Instalação 1 O módulo deverá ser fixado próximo ao medidor. Para alimentá-lo é necessária

Leia mais

Data: 22 de junho de 2004. E-mail: ana@lzt.com.br

Data: 22 de junho de 2004. E-mail: ana@lzt.com.br Data: 22 de junho de 2004. E-mail: ana@lzt.com.br Manual do Suporte LZT LZT Soluções em Informática Sumário VPN...3 O que é VPN...3 Configurando a VPN...3 Conectando a VPN... 14 Possíveis erros...16 Desconectando

Leia mais

Aula 3 Servidor DNS BIND

Aula 3 Servidor DNS BIND 1 Aula 3 Servidor DNS BIND Um servidor DNS é responsável em responder pelos domínios e direcionar tudo que é relacionado a ele, nele por exemplo pode se apontar onde fica www.dominio.com.br, vai apontar

Leia mais

II ENSL. Backdoors em Sistemas GNU/Linux: Conhecendo Para Se Proteger.

II ENSL. Backdoors em Sistemas GNU/Linux: Conhecendo Para Se Proteger. II ENSL II Encontro Nordestino de Software Livre Backdoors em Sistemas GNU/Linux: Conhecendo Para Se Proteger. Jansen Sena Aracaju, SE Setembro, 2007 Sobre o palestrante Formação Mestrado pelo IC na Unicamp/SP

Leia mais

Segurança em aplicações web: pequenas ideias, grandes resultados Prof. Alex Camargo alexcamargoweb@gmail.com

Segurança em aplicações web: pequenas ideias, grandes resultados Prof. Alex Camargo alexcamargoweb@gmail.com UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO Segurança em aplicações web: pequenas ideias, grandes resultados alexcamargoweb@gmail.com Sobre o professor Formação acadêmica: Bacharel

Leia mais

Segurança e Criptografia de Dados

Segurança e Criptografia de Dados Segurança e Criptografia de Dados Curso de extensão em Administração de Sistemas GNU/Linux 2012.1 Ibirisol Fontes Ferreira GRACO: Gestores da Rede Acadêmica de Computação DCC: Departamento

Leia mais

Segurança da Informação Prof. Jeferson Cordini jmcordini@hotmail.com

Segurança da Informação Prof. Jeferson Cordini jmcordini@hotmail.com Segurança da Informação Prof. Jeferson Cordini jmcordini@hotmail.com Segurança da Informação Segurança da Informação está relacionada com proteção de um conjunto de dados, no sentido de preservar o valor

Leia mais

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Disciplina: Programação Orientada a Objetos II Professor: Cheli dos S. Mendes da Costa Modelo Cliente- Servidor Modelo de Aplicação Cliente-servidor Os

Leia mais

Brincando de Backup com rsync.

Brincando de Backup com rsync. Brincando de Backup com rsync. Autoria de Thiago J. Ruiz (Neo) 25/09/2006 Última Atualização 06/10/2006 A necessidade de se manter um backup de todas as informações/dados dos clientes se faz cada vez mais

Leia mais

Linux Network Servers

Linux Network Servers Apache Parte 2 Criptografia simétrica Os algoritmos de chave-simétrica (também chamados de Sistemas de Chaves Simétricas, criptografia de chave única, ou criptografia de chave secreta) são uma classe de

Leia mais

SERVIDOR WEB - APACHE SERVIDOR WEB - APACHE SERVIDOR WEB - APACHE 27/02/2012

SERVIDOR WEB - APACHE SERVIDOR WEB - APACHE SERVIDOR WEB - APACHE 27/02/2012 O servidor Apache é o mais bem sucedido servidor web livre. Foi criado em 1995 por Rob McCool, então funcionário do NCSA (National Center for Supercomputing Applications). Em maio de 2010, o Apache serviu

Leia mais

Serviço DNS no PoP-SC

Serviço DNS no PoP-SC Ponto de Presença da RNP em Santa Catarina Rede Metropolitana de Educação e Pesquisa da Região de Florianópolis 04 e 05 Outubro/2012 Serviço DNS no PoP-SC Rodrigo Pescador PoP-SC/RNP Organização: Apoio:

Leia mais

Proxy. Krishna Tateneni Tradução: Lisiane Sztoltz Tradução: Marcus Gama

Proxy. Krishna Tateneni Tradução: Lisiane Sztoltz Tradução: Marcus Gama Krishna Tateneni Tradução: Lisiane Sztoltz Tradução: Marcus Gama 2 Conteúdo 1 Proxies 4 1.1 Introdução.......................................... 4 1.2 Uso..............................................

Leia mais

OpenSSH WWW.LINUXCLASS.COM.BR

OpenSSH WWW.LINUXCLASS.COM.BR OpenSSH WWW.LINUXCLASS.COM.BR OpenSSH: Introdução: O projeto OpenSSH veio para substituir antigos métodos inseguros de comunicação e autenticação, podemos dizer que o OpenSSH é um substituto direto do

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. A FACILIDADE DE DERRUBAR UM SITE UTILIZANDO A NEGAÇÃO DE SERVIÇO (DoS Denial of Service)

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. A FACILIDADE DE DERRUBAR UM SITE UTILIZANDO A NEGAÇÃO DE SERVIÇO (DoS Denial of Service) POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO A FACILIDADE DE DERRUBAR UM SITE UTILIZANDO A NEGAÇÃO DE SERVIÇO (DoS Denial of Service) Segurança em Redes de Computadores FACULDADE LOURENÇO FILHO Setembro/2014 Prof.:

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL FATESG CURSO TÉCNICO EM REDES DE COMPUTADORES. Luís Antônio Neto Wallysson Santos Oliveira

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL FATESG CURSO TÉCNICO EM REDES DE COMPUTADORES. Luís Antônio Neto Wallysson Santos Oliveira FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL FATESG CURSO TÉCNICO EM REDES DE COMPUTADORES Luís Antônio Neto Wallysson Santos Oliveira ADMINISTRADOR DE REDES LINUX (DEBIAN) Goiânia 2011 Luís

Leia mais

Configure seu Linux pela Web! Instalação à partir de um.tar.gz. Autor: Carlos Eduardo Ribeiro de Melo Data: 05/10/2004

Configure seu Linux pela Web! Instalação à partir de um.tar.gz. Autor: Carlos Eduardo Ribeiro de Melo <eduardo at unisulma.edu.br> Data: 05/10/2004 1 de 6 27/3/2007 10:03 Configure seu Linux pela Web! Autor: Carlos Eduardo Ribeiro de Melo Data: 05/10/2004 Introdução O Webmin é um software de configuração de servidores

Leia mais

Procedimento de Acesso VPN

Procedimento de Acesso VPN Procedimento de Acesso Departamento de Tecnologia e Infraestrutura Este procedimento tem por objetivo definir as configurações básicas para acessar a rede corporativa do Esporte Clube Pinheiros via. Esporte

Leia mais

Um pouco sobre Pacotes e sobre os protocolos de Transporte

Um pouco sobre Pacotes e sobre os protocolos de Transporte Um pouco sobre Pacotes e sobre os protocolos de Transporte O TCP/IP, na verdade, é formado por um grande conjunto de diferentes protocolos e serviços de rede. O nome TCP/IP deriva dos dois protocolos mais

Leia mais