CSP: III EIMO Marcelo M. Baltazar 30 novembro de 2012

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CSP: III EIMO 2012. Marcelo M. Baltazar 30 novembro de 2012"

Transcrição

1 CSP: III EIMO 2012 Marcelo M. Baltazar 30 novembro de 2012

2 Quem somos? Acionistas: Vale, Dongkuk e Posco, com 50%, 30% e 20%, respectivamente Somos a primeira usina siderúrgica integrada da Região Nordeste Transformamos minério de ferro em placas de aço (produtos siderúrgicos semi-acabados) e como subproduto produzimos energia elétrica Investimento de US$ 4,2 Bilhões para uma produção anual de 3 milhões de toneladas Contribuímos para o aumento das exportações brasileiras Promovemos o desenvolvimento econômico e social através de: Atração de investimentos Geração de empregos Expansão da cadeia produtiva

3 Quem somos? Projeto estruturante e de grande porte Impulsiona o crescimento econômico do Ceará Permite alcançar um novo patamar de desenvolvimento para o Estado Permite o aumento da competitividade do Estado nos cenários nacional e internacional. C idadania S ustentabilidade P ioneirismo

4 Nossos Acionistas (Brasil) Maior mineradora de ferro do mundo Garantirá o fornecimento de minério de ferro de alta qualidade Origem do minério: mina de Carajás, no Pará e Sudeste do Brasil Meios de transporte do minério até nossa Usina: Ferrovia entre as minas e portos; Navio entre os portos de origem e o Porto do Pecém; Correia Transportadora do Porto de Pecém até a Siderúrgica.

5 Nossos Acionistas (Coréia do Sul) Um dos maiores grupos siderúrgicos sul-coreanos O principal comprador de placas de aço no mundo Assegurará a compra de grande parte da produção da usina Um dos maiores fornecedores dos estaleiros da Coréia

6 Nossos Acionistas (Coréia do Sul) Terceiro maior grupo siderúrgico do mundo Maior grupo siderúrgico da Coréia Referência mundial de desempenho nos indicadores siderúrgicos Assegurará a compra de parte da produção da usina

7 Responsabilidade Social e Ambiental É um compromisso da CSP contribuir para: Uma sociedade mais justa Um meio ambiente saudável e equilibrado Tomaremos iniciativas para promover: Ganhos sociais e ambientais para nossos funcionários, parceiros e vizinhos Investimentos nas melhores tecnologias de produção e controle ambiental Informação e compartilhamento com a sociedade Participaremos de ações conjuntas com os Governos Estadual e Municipal para impulsionar: O crescimento econômico A melhoria das condições de vida da população A valorização da cultura local A prioridade para a mão-de-obra local

8 Porque no Ceará? Proximidade do Porto do Pecém Excelentes condições de carga e descarga de matérias-primas e produtos Posição geográfica favorável à exportação Solo apropriado Moderna infra-estrutura proporcionada pelo Estado do Ceará Suprimento adequado de água Acesso fácil por rodovias e ferrovias Bom clima Riquezas culturais Povo alegre e trabalhador

9 Localização 65 km ao norte de Fortaleza Porto do Pecém São Gonçalo do Amarante CIPP Complexo Industrial e Portuário do Pecém Caucaia Fortaleza

10 Localização no CIPP O CIPP ocupa parte dos Municípios de Caucaia e São Gonçalo do Amarante A CSP será localizada no Município de São Gonçalo do Amarante Efeitos benéficos na macro-região: Benefícios Sociais Benefícios Econômicos

11

12

13 Postos de Trabalho Gerados na Construção da CSP Qualitativo e Quantitativo

14 Demanda de MO Direta para a Implantação Fase I Mão de Obra Total da Implantação MÃO DE OBRA DA IMPLANTAÇÃO Mão de Obra da Implantação TERRAPLENAGEM CIVIL TUBULAÇÕES ESTRUTURAS METÁLICAS INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE GERENCIAMENTO DRENAGEM REFRATÁRIOS MECÂNICA ELÉTRICA TELECOMUNICAÇÕES COMISSIONAMENTO

15 Demanda de MO Direta para a Implantação Fase I Terraplenagem Operadores Ajudante Técnicos Mecânicos Drenagem 793 Carpinteiro Montador de escoramento Ajudante Pedreiro Pintor Equipe de Comissionamento

16 Demanda de MO Direta para a Implantação Fase I 2500 Civil Carpinteiro Montador de escoramento Ajudante 4397 Pedreiro Pintor Equipe de Comissionamento Refratários Pedreiro de Refratários Ajudante Equipe de Comissionamento

17 Demanda de MO Direta para a Implantação Fase I Tubulações Montador Soldador TIG Técnico de Isolamento Ajudante 1525 Soldador Geral Soldador Oxi-acetileno Pintor Equipe de Comissionamento Mecânica Montador Mecânico Ajustador Mecânico Equipe de Comissionamento 6545 Armador Ajudante

18 Demanda de MO Direta para a Implantação Fase I Estruturas Metálicas Montador de Estruturas Metálicas Pintor Equipe de Comissionamento 1723 Soldador Ajudante Elétrica Técnico Elétrico AT-MT Técnico Elétrico FC Técnico Elétrico BT Montador Elétrico Ajudante 1432 Equipe de Comissionamento

19 Demanda de MO Direta para a Implantação Fase I Instrumentação e Controle Técnico de Tubbing Técnico de Instrumentação Equipe de Comissionamento 845 Técnico de Calibração Ajudante Telecomunicações Técnico de Telecomunicações Ajudante Equipe de Comissionamento

20 Demanda de MO Direta para a Implantação Fase I Gerenciamento Supervisão Assistente Administrativo Desenhista CAD Auxiliar Administrativo Analista de Documentação Junior Distribuidor de Documentos Motorista Tradutores Secretária Bilíngue Secretária Trilíngue Técnico Staff Segurança Comissionamento Civil Mecânica Tubulações e Isolamentos Instrumentação e Controle Refratários Estruturas Metálicas Elétrica Telecomunicações 1527

21 Estratégia e Proposta CSP Para Desenvolvimento do Plano de Capacitação de Mão-de-Obra

22 Oportunidades Gerar Emprego e Melhorar a Qualidade de Vida Construir uma Cadeia de Fornecedores Locais Sustentabilidade do Projeto CSP Minimizar o Risco de Migração Criar Cultura industrial e Diminuir a Dependência de Outras Regiões

23 Propostas Programa de Trabalho para atender os vetores de Capacitação de Mão de Obra e Oportunidades de Negócios, em atendimento à Cadeia de Abastecimento e Construção da CSP

24 Quando Capacitar? 2012 em diante Cadeia de Abastecimento Fase de Construção 2012 em diante Fase de Operação

25 Principais Atividades Por Fase

26 Caracterização da Região e Indicadores

27 Caracterização da Região Região de Sobral População: Área: km² IDH-M: Sobral: : 0,699 PIB (R$ mil): ,00 País/Estado Ceará Brasil Coréia População Area (km²) IDH-M 0,723 0,699 0,897 PIB (R$ mil) , , ,00 Região do CIPP População: Área: km² IDH-M: SGA: 0,639 Caucaia: 0,721 PIB (R$ mil): ,00 Região Metrópole Fortaleza População: Área: km² IDH-M: 0,767 PIB (R$ mil): Região de Tabuleiro População: Área: km² IDH-M: 0,705 PIB (R$ mil):

28 Oferta de cursos Educação

29 Avaliação Perfil x Demanda: Dimensionamento: Treinamentos Total A. Pico de Mão de Obra B. Disponível na região A demanda de mão de obra não é atendida em quantidade e qualidade pela região. Recomenda-se a execução de programa de capacitação e qualificação, especialmente próximo à CSP. C. D. E. Pessoal Técnico a treinar (C = 52% de A - B) Administrativo Interno (D = 10% de D) Administrativo Externo (E = 10% de D) F. Apoio (F = 5% de D) 375 G. Gestores (G = 2,5% de D) TOTAL

30 Dimensionamento

31 População Por Distrito Distritos Sede Pecém Taíba Cágado São Gonçalo do Amarante População Total: Urbana: 65,0% Idade 15 a 49 anos Umarituba Croatá Serrote Siupé 3.658

32 População Por Distrito Distritos Sede Bom Princípio Catuana Guararu 918 Caucaia População Total: Urbana: 89,2% Idade 15 a 49 anos Jurema Mirambé Sitios Novos Tucunduba

33 População Por Distrito Distritos Centro Maracanaú População Total: Urbana: 99,5 % Alto Alegre 585 Distrito Industrial Novo Maracanaú Boa Esperança Pajuçara Cágado Jaçanaú Idade 15 a 49 anos Jari Mucunã

34 Distribuição por município Quantidade de pessoas a serem treinadas: Municípios Total Populacional População a ser Treinada População Treinada (%) São Gonçalo do Amarante ,7 Caucaia ,8 Maracanaú ,5 Total ,6

35 Modelo Operacional - Proposta

36 Operação do Treinamento

37 Sustentabilidade: Construção - Operação PICO: Construção Total Operação Cadeia de Fornecedores Operação Ano 1 Ano 2 Ano 3

38 Fator chave

39 Governança / Empresas

40 Governança A simples presença da CSP na região criará oportunidades de negócios e empregos, mas não assegura a realização desse potencial. É necessária a efetiva participação de todos atores envolvidos!!

41 Obrigado pela atenção! Marcelo M. Baltazar Gerente de Sustentabilidade

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Fortaleza

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Fortaleza Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Fortaleza Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Fortaleza EVOLUÇÃO NO MODELO DE GESTÃO ATRAVÉS DA VISÃO POR PROCESSOS NA COMPANHIA SIDERÚRGICA

Leia mais

AGENDA. A Vale. O Maior Projeto de Logística da America Latina. - Exportação de Minério. - Logística da Vale de Carga Geral

AGENDA. A Vale. O Maior Projeto de Logística da America Latina. - Exportação de Minério. - Logística da Vale de Carga Geral Vale no Maranhão AGENDA A Vale O Maior Projeto de Logística da America Latina - Exportação de Minério - Logística da Vale de Carga Geral A Vale no Mundo A Vale tem operações mineradoras, laboratórios de

Leia mais

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial.

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. visão, missão e valores corporativos visão Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. MISSÃO O Grupo Gerdau é uma Organização empresarial focada em siderurgia, com a missão de satisfazer

Leia mais

A importância estratégica da Logística na Siderurgia Brasileira

A importância estratégica da Logística na Siderurgia Brasileira A importância estratégica da Logística na Siderurgia Brasileira CARLOS JR. GERENTE DE PLANEJAMENTO INTEGRADO Jun/2013 Jorge Carlos Dória Jr. Votorantim Siderurgia Votorantim Siderurgia O Grupo Votorantim

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

Projetos de Inovação e Melhores Práticas de Competitividade e Eficiência. Gleuza Jesué

Projetos de Inovação e Melhores Práticas de Competitividade e Eficiência. Gleuza Jesué Projetos de Inovação e Melhores Práticas de Competitividade e Eficiência Gleuza Jesué Nossa agenda 1 2 3 4 Pilares estratégicos e ações estruturantes Metodologia da gestão da licença para operar Case:

Leia mais

OPORTUNIDADES NO ESPÍRITO SANTO

OPORTUNIDADES NO ESPÍRITO SANTO OPORTUNIDADES NO ESPÍRITO SANTO Seminário A competitividade do comércio exterior capixaba: infraestrutura logística e controle aduaneiro Cristina Vellozo Santos Subsecretária de Estado de Desenvolvimento

Leia mais

MINAS GERAIS, SEU MELHOR INVESTIMENTO. Seminário LIDE Abril de 2012

MINAS GERAIS, SEU MELHOR INVESTIMENTO. Seminário LIDE Abril de 2012 MINAS GERAIS, SEU MELHOR INVESTIMENTO Seminário LIDE Abril de 2012 A NOSSA MINAS GERAIS MINAS EM NÚMEROS América do Sul 588.000 KM² DE TERRITÓRIO. Brasil MAIOR DO QUE PAÍSES COMO A FRANÇA, SUÉCIA E ESPANHA.

Leia mais

5º WCTI Workshop de Ciência, Tecnologia e Inovação na UERJ

5º WCTI Workshop de Ciência, Tecnologia e Inovação na UERJ 5º WCTI Workshop de Ciência, Tecnologia e Inovação na UERJ O papel do Sistema FIRJAN/IEL no desenvolvimento da cultura empreendedora nas universidades e empresas 29 de outubro de 2013 Daniela Balog - Empreendedorismo

Leia mais

CONDOMINIO INDUSTRIAL MARITIMO

CONDOMINIO INDUSTRIAL MARITIMO PORTO CENTRAL CONDOMINIO INDUSTRIAL MARITIMO VITORIA, 01/8/2012 Jose Maria Novaes 3-8-2012 Copyright - PORTO CENTRAL - 2012 1 Porto Central Visão Ser um complexo portuário indústrial de águas profundas

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

A Vale no Maranhão. A Vale no Maranhão

A Vale no Maranhão. A Vale no Maranhão A Vale no Maranhão A Vale no Maranhão Estamos presentes em mais de 38 países Geramos mais de 174 mil empregos no mundo Além de minérios, atuamos na área de fertilizantes e nos segmentos de logística, energia

Leia mais

REDEPETRO RN. Grandes Compradores, pequenos fornecedores. M.Sc. Gutemberg Dias

REDEPETRO RN. Grandes Compradores, pequenos fornecedores. M.Sc. Gutemberg Dias REDEPETRO RN Grandes Compradores, pequenos fornecedores M.Sc. Gutemberg Dias MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS NO BRASIL 5 milhões de empresas formais (99% das empresas formais) e 10 milhões de informais;

Leia mais

O Programa Bolsa Família

O Programa Bolsa Família Painel sobre Programas de Garantia de Renda O Programa Bolsa Família Patrus Ananias de Sousa Ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome República Federativa do Brasil Comissão de Emprego e Política

Leia mais

O Banco Europeu de Investimento de relance

O Banco Europeu de Investimento de relance O Banco Europeu de Investimento de relance Como banco da UE, o BEI proporciona financiamento e conhecimentos especializados a projetos de investimento sólidos e sustentáveis, na União Europeia e no resto

Leia mais

Oportunidade de Investimento no Pará. Principais linhas de financiamento do Banco da Amazônia

Oportunidade de Investimento no Pará. Principais linhas de financiamento do Banco da Amazônia Seminário: Oportunidade de Investimento no Pará Palestra: Principais linhas de financiamento do Banco da Amazônia Palestrante: Valmir Pedro Rossi - Presidente São Paulo, 02 de dezembro de 2013 Pauta da

Leia mais

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras 1. DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável, das áreas onde atuamos e

Leia mais

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade Eficácia e Liderança de Performance O Administrador na Gestão de Pessoas Grupo de Estudos em Administração de Pessoas - GEAPE 27 de novembro

Leia mais

Parcerias para o Desenvolvimento Sustentável

Parcerias para o Desenvolvimento Sustentável Parcerias para o Desenvolvimento Sustentável Juliana Rehfeld Gerente Desenvolvimento Sustentável Anglo American Brasil BH, 24 de setembro de 2009 0 Visão Macro da Anglo American Sustentabilidade - Negócio,

Leia mais

DO DESENVOLVIMENTO. Brasília março 2011

DO DESENVOLVIMENTO. Brasília março 2011 OS PEQUENOS NEGÓCIOS NANA LIDERANÇA OS PEQUENOS NEGÓCIOS LIDERANÇA DO DESENVOLVIMENTO DO DESENVOLVIMENTO Brasília março 2011 Servi«o Brasileiro de Apoio s Micro e Pequenas Empresas Miss o Institucional

Leia mais

Missão, Visão e Valores da Techint Engenharia e Construção. Código: FR-MA-MNG-001-01 R02

Missão, Visão e Valores da Techint Engenharia e Construção. Código: FR-MA-MNG-001-01 R02 da Techint Engenharia e Construção Código: FR-MA-MNG-001-01 R02 15 de Julho de 2008 Missão Nossa missão é agregar valor aos nossos acionistas e clientes através da prestação de serviços de Engenharia,

Leia mais

Apresentação do Modelo SISAR: envolvimento da população, gestão compartilhada, pagamentos dos serviços e resultados obtidos

Apresentação do Modelo SISAR: envolvimento da população, gestão compartilhada, pagamentos dos serviços e resultados obtidos SEMINÁRIO REGIONAL DE SANEAMENTO RURAL Apresentação do Modelo SISAR: envolvimento da população, gestão compartilhada, pagamentos dos serviços e resultados obtidos Campinas(SP), 23 de Junho 2015 Mobilização

Leia mais

2ª Conferência de Responsabilidade Socioambiental da Amazônia

2ª Conferência de Responsabilidade Socioambiental da Amazônia 2ª Conferência de Responsabilidade Socioambiental da Amazônia NOVEMBRO 2007 RESPONSABILIDADE SOCIAL NA DEFINIÇÃO DO INSTITUTO ETHOS É uma forma de conduzir os negócios da empresa de forma parceira e co-responsável

Leia mais

MMX - Controladas e Coligadas

MMX - Controladas e Coligadas POLITICA CORPORATIVA PC. 1.16.01 Política de Meio Ambiente Emissão: 02/10/06 1 Objetivo: Estabelecer diretrizes visando proteger os recursos naturais e o meio ambiente em todas das unidades operacionais.

Leia mais

SUSTENTABILIDADE EM CONDOMINIOS

SUSTENTABILIDADE EM CONDOMINIOS EM CONDOMINIOS Miguel Tadeu Campos Morata Engenheiro Químico Pós Graduado em Gestão Ambiental Considerações Iniciais Meta - A sobrevivência e perpetuação do seres humanos no Planeta. Para garantir a sobrevivência

Leia mais

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública. Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública. Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008 Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008 Roteiro 1. Contexto 2. Por que é preciso desenvolvimento de capacidades no setor

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico Análise externa Roberto César 1 A análise externa tem por finalidade estudar a relação existente entre a empresa e seu ambiente em termos de oportunidades e ameaças, bem como a

Leia mais

Gestão Pública em BH Programa BH Metas e Resultados e BH 2030

Gestão Pública em BH Programa BH Metas e Resultados e BH 2030 Gestão Pública em BH Programa BH Metas e Resultados e BH 2030 5º Congresso de Gerenciamento de Projetos 10 de novembro de 2010 Belo Horizonte Planejamento Estratégico Longo Prazo período 2010-2030 - planejamento

Leia mais

Vice-Presidência de Tecnologia. Governança de TI Uma Jornada

Vice-Presidência de Tecnologia. Governança de TI Uma Jornada Vice-Presidência de Tecnologia Governança de TI Uma Jornada Contexto Conhecer-se é condição fundamental para evoluir Evolução da TI Governança de TI Contexto Evolução da TI Aumento de importância e complexidade

Leia mais

Código de Fornecimento Responsável

Código de Fornecimento Responsável Código de Fornecimento Responsável Breve descrição A ArcelorMittal requer de seus fornecedores o cumprimento de padrões mínimos relacionados a saúde e segurança, direitos humanos, ética e meio ambiente.

Leia mais

O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE DO POLO INDUSTRIAL DE CUBATÃO. Marco Paulo Penna Cabral Effectio, associada a Fundação Dom Cabral na Baixada Santista

O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE DO POLO INDUSTRIAL DE CUBATÃO. Marco Paulo Penna Cabral Effectio, associada a Fundação Dom Cabral na Baixada Santista O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE DO POLO INDUSTRIAL DE CUBATÃO Marco Paulo Penna Cabral Effectio, associada a Fundação Dom Cabral na Baixada Santista NA BAIXADA SANTISTA E ALTO TIETÊ Conheça a Fundação Dom

Leia mais

PROGRAMA DE SUSTENTABILIDADE NAS UNIDADES DE SAÚDE

PROGRAMA DE SUSTENTABILIDADE NAS UNIDADES DE SAÚDE PROGRAMA DE SUSTENTABILIDADE NAS UNIDADES DE SAÚDE 118 IABAS Relatório de Gestão Rio de Janeiro 2010/2011/2012 Programa de Sustentabilidade nas Unidades de Saúde O Programa de Sustentabilidade promove

Leia mais

Principais Serviços. Projeto. Supervisão e Gerenciamento

Principais Serviços. Projeto. Supervisão e Gerenciamento A Empresa Engespro é uma empresa de engenharia consultiva criada há 30 anos, pelo Engenheiro Civil Jeronymo Pacheco Pereira que com grande força empreendedora vislumbrou oportunidades de mercado fundando

Leia mais

Programa de Desenvolvimento de Fornecedores Locais

Programa de Desenvolvimento de Fornecedores Locais MINÉRIO DE FERRO BRASIL Programa de Desenvolvimento de Fornecedores Locais 1º Fórum de Troca de Experiências Metodologias e Processos no Desenvolvimento de Fornecedores Locais Belo Horizonte, 14 de novembro

Leia mais

NOVA LEGISLAÇÃO DE INCENTIVOS FISCAIS NO ÂMBITO DO FUNDO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL DO CEARÁ FDI

NOVA LEGISLAÇÃO DE INCENTIVOS FISCAIS NO ÂMBITO DO FUNDO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL DO CEARÁ FDI NOVA LEGISLAÇÃO DE INCENTIVOS FISCAIS NO ÂMBITO DO FUNDO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL DO CEARÁ FDI A Política Industrial tem como objetivo incentivar a implantação, ampliação, diversificação, recuperação

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS

IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS GERENCIAMENTO DE PROJETOS CICLO DE VIDA DE PROJETOS (viabilidade até a entrega / iniciação ao encerramento) RELEVÂNCIA SOBRE AS AREAS DE CONHECIMENTO FATORES IMPACTANTES EM PROJETOS

Leia mais

1º Workshop Tecnológico PLATEC Sondas de Perfuração Marítima Vitoria/ES

1º Workshop Tecnológico PLATEC Sondas de Perfuração Marítima Vitoria/ES 1º Workshop Tecnológico PLATEC Sondas de Perfuração Marítima Vitoria/ES FEV - 2013 Mercado de atuação do EEP descobertas do pré-sal: o Brasil se transformou no grande mercado para diversos equipamentos

Leia mais

NOVEMBRO 2011 IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA PORTO HOJE PLANO ESTRATÉGICO

NOVEMBRO 2011 IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA PORTO HOJE PLANO ESTRATÉGICO NOVEMBRO 2011 IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA PORTO HOJE PLANO ESTRATÉGICO 1 LOCALIZAÇÃO PRIVILEGIADA MUNDIAL Rotterdam (5) (1) (4) Porto do Itaqui (3) (2) Itaqui China (Shangai) (1) Via Canal Panamá ~ 12.000

Leia mais

Congresso SAE BRASIL 2013

Congresso SAE BRASIL 2013 Congresso SAE BRASIL 2013 Painel Máquinas Agrícolas e de Construção Ferramentas de treinamento para clientes da construção civil 07 à 09 de outubro de 2013 Fabio Tonani Mazzieiro Gerente de Inteligência

Leia mais

MARKETING INTERNACIONAL

MARKETING INTERNACIONAL MARKETING INTERNACIONAL Produtos Ecologicamente Corretos Introdução: Mercado Global O Mercado Global está cada dia mais atraente ás empresas como um todo. A dinâmica do comércio e as novas práticas decorrentes

Leia mais

Aço. o desafio da sustentabilidade

Aço. o desafio da sustentabilidade Aço o desafio da sustentabilidade Conteúdo extraído do Relatório de Sustentabilidade 2014 da ArcelorMittal, disponível em corporate.arcelormittal.com/sustainability/2014-report Editado pela Comunicação

Leia mais

A MELHORIA CONTÍNUA PARA O DESENVOLVIMENTO DA INDÚSTRIA

A MELHORIA CONTÍNUA PARA O DESENVOLVIMENTO DA INDÚSTRIA A MELHORIA CONTÍNUA PARA O DESENVOLVIMENTO DA INDÚSTRIA Compromisso da Diretoria A GTECC tem como foco atender às expectativas do cliente de forma planejada, oferecendo soluções de Engenharia, Construção

Leia mais

São Paulo: múltiplas oportunidades que impulsionam seus negócios

São Paulo: múltiplas oportunidades que impulsionam seus negócios São Paulo: múltiplas oportunidades que impulsionam seus negócios A importância da economia paulista transcende as fronteiras brasileiras. O Estado é uma das regiões mais desenvolvidas de toda a América

Leia mais

Gestão da sustentabilidade aplicada à estratégia institucional Gestão da sustentabilidade aplicada ao negócio

Gestão da sustentabilidade aplicada à estratégia institucional Gestão da sustentabilidade aplicada ao negócio A sustentabilidade faz parte da estratégia de negócios do grupo segurador bb e mapfre, que adota um modelo de gestão focado no desenvolvimento de uma cultura socioambiental que protege e, ao mesmo tempo,

Leia mais

4/11/2010 MODERNIZAÇÃO E EXPANSÃO DO TERMINAL ATÉ 2016 1

4/11/2010 MODERNIZAÇÃO E EXPANSÃO DO TERMINAL ATÉ 2016 1 MODERNIZAÇÃO E EXPANSÃO DO TERMINAL ATÉ 2016 1 AQUISIÇÃO DE 01 SCANNER MAIOR EFICIÊNCIA E SEGURANÇA NO PROCESSO DE INSPEÇÃO DOS CONTEINERS. VALOR ESTIMADO: R$ 7,0 MILHÕES BLOCO DE UTILIDADES E SERVIÇOS

Leia mais

PORTO MEARIM AESA UM PORTO NÃO É GRANDE APENAS POR SEU CAIS, SUA INFRAESTRUTURA OU CAPACIDADE LOGÍSTICA

PORTO MEARIM AESA UM PORTO NÃO É GRANDE APENAS POR SEU CAIS, SUA INFRAESTRUTURA OU CAPACIDADE LOGÍSTICA v UM PORTO NÃO É GRANDE APENAS POR SEU CAIS, SUA INFRAESTRUTURA OU CAPACIDADE LOGÍSTICA UM PORTO É UM GRANDE PORTO QUANDO ELE OFERECE OPORTUNIDADES No litoral Maranhense, na margem leste da Baía de São

Leia mais

estão de Pessoas e Inovação

estão de Pessoas e Inovação estão de Pessoas e Inovação Luiz Ildebrando Pierry Secretário Executivo Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade Prosperidade e Qualidade de vida são nossos principais objetivos Qualidade de Vida (dicas)

Leia mais

Produza a sua própria energia

Produza a sua própria energia Produza a sua própria energia CONTEÚDO ENERGIAFRICA QUEM SOMOS A NOSSA MISSÃO SERVIÇOS AS NOSSAS SOLUÇÕES SOLARES PROJECTO MODULO VIDA PORTEFÓLIO MAIS ENERGIA RENOVÁVEL, MAIS VIDA PARA O PLANETA www.energiafrica.com

Leia mais

PROJETO IND P&G 6.1 PROMINP. Workshop Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores SP 25/outubro/2011

PROJETO IND P&G 6.1 PROMINP. Workshop Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores SP 25/outubro/2011 PROJETO IND P&G 6.1 PROMINP Workshop Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores SP 25/outubro/2011 AGENDA 1 O SETOR DE PETRÓLEO E GÁS 2 O CONVÊNIO PETROBRAS-SEBRAE 3 GESTÃO E RESULTADOS DOS PROJETOS CENÁRIO

Leia mais

Programa de Incentivos aos Leilões de Energia e à Geração Distribuída do Governo de Pernambuco João Bosco de Almeida

Programa de Incentivos aos Leilões de Energia e à Geração Distribuída do Governo de Pernambuco João Bosco de Almeida Programa de Incentivos aos Leilões de Energia e à Geração Distribuída do Governo de Pernambuco João Bosco de Almeida Secretário de Infraestrutura Energia Renovável em Pernambuco Desenvolvimento Técnico,

Leia mais

PROGRAMA DE GESTÃO AMBIENTAL SEBRAE - SP

PROGRAMA DE GESTÃO AMBIENTAL SEBRAE - SP PROGRAMA DE GESTÃO AMBIENTAL SEBRAE - SP DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL desenvolvimento que satisfaz as necessidades do presente sem comprometer a capacidade das futuras gerações satisfazerem suas próprias

Leia mais

Relações do Trabalho no Brasil Cenários e Dificuldades

Relações do Trabalho no Brasil Cenários e Dificuldades Relações do Trabalho no Brasil Cenários e Dificuldades Alexandre Furlan 14º CONGRESSO BRASILEIRO DE MINERAÇÃO Belo Horizonte, 28.09.11 O CENÁRIO TRABALHISTA NO BRASIL O Cenário Trabalhista no Brasil Discussão

Leia mais

Encontro para fomento da Micro e Pequena Empresa no entorno do EEP SICM Salvador - 04/06/2013

Encontro para fomento da Micro e Pequena Empresa no entorno do EEP SICM Salvador - 04/06/2013 Encontro para fomento da Micro e Pequena Empresa no entorno do EEP SICM Salvador - 04/06/2013 Gerente de Relações Institucionais Marcio Mendonça Cruz Revitalização Revitalização da da indústria indústria

Leia mais

Inteligência Tecnológica

Inteligência Tecnológica Cenários Tecnológicos Vale Inteligência Tecnológica Gestão de Tecnologia e Propriedade Intelectual Diretoria de Tecnologia e Inovação 2014 Agenda Quem somos? Gestão de Tecnologia e Propriedade Intelectual

Leia mais

Fábrica de. Imperatriz

Fábrica de. Imperatriz Fábrica de Industrial Por que Maranhão? Logística Florestal Fábrica de Por que Maranhão? COMPETITIVIDADE FLORESTAL Nova Fronteira para produção de celulose PA MA PI TO BA FLORESTAL 25 anos de pesquisa

Leia mais

Mineroduto - Porto do AçuA. Prefeitura de São João da Barra Prefeita Carla Machado

Mineroduto - Porto do AçuA. Prefeitura de São João da Barra Prefeita Carla Machado Mineroduto - Porto do AçuA Prefeitura de São João da Barra Prefeita Carla Machado o município Em junho deste ano São João da Barra completou 333 anos de fundação. É uma longa história iniciada por pescadores

Leia mais

Ciclo de. Presidente Maria das Graças as Silva Foster. Coletiva de Imprensa. Rio de Janeiro, 05 de Março de 2012

Ciclo de. Presidente Maria das Graças as Silva Foster. Coletiva de Imprensa. Rio de Janeiro, 05 de Março de 2012 Lançamento amento do 6º 6 Ciclo de Qualificação do Prominp Coletiva de Imprensa Presidente Maria das Graças as Silva Foster Rio de Janeiro, 05 de Março de 2012 Política de Conteúdo Local da Petrobras Aprovada

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental

Sistema de Gestão Ambiental Sistema de Gestão Ambiental Universidade Federal do Espírito Santo UFES Centro Tecnológico Curso de Especialização em Gestão Ambiental Professora Flavia Nogueira Zanoni MSc em Controle de Poluição Ambiental

Leia mais

Projeto Futuro em Nossas Mãos. 6º Congresso GIFE sobre Investimento Social Privado Instituto Votorantim

Projeto Futuro em Nossas Mãos. 6º Congresso GIFE sobre Investimento Social Privado Instituto Votorantim Projeto Futuro em Nossas Mãos 6º Congresso GIFE sobre Investimento Social Privado Instituto Votorantim Instituto Votorantim Disseminar conceitos de Sustentabilidade e estimular a sua prática nas estratégias

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL ABNT NBR ISO 14001

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL ABNT NBR ISO 14001 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL ABNT NBR ISO 14001 Prof. Eduardo Lucena Cavalcante de Amorim INTRODUÇÃO A norma ISO 14001 faz parte de um conjunto mais amplo de normas intitulado ISO série 14000. Este grupo

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E

POLÍTICAS PÚBLICAS DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO CARTA SÃO PAULO 2006 1 CARTA SÃO PAULO 2006 Visão para inovação, competitividade e renda. Reunidos na cidade de São Paulo-SP, no dia 25 de agosto de

Leia mais

PORTO CENTRAL SEJA BEM VINDO!

PORTO CENTRAL SEJA BEM VINDO! PORTO CENTRAL SEJA BEM VINDO! 17-4-2012 Copyright - PORTO CENTRAL - 2012 1 Agenda: O projeto, missão, visão e estratégia Porto Central: Localização e hinterlândia Acessos Projeto conceitual Cargas e atividades

Leia mais

O Mercado de Energias Renováveis e o Aumento da Geração de Energia Eólica no Brasil. Mario Lima Maio 2015

O Mercado de Energias Renováveis e o Aumento da Geração de Energia Eólica no Brasil. Mario Lima Maio 2015 O Mercado de Energias Renováveis e o Aumento da Geração de Energia Eólica no Brasil Mario Lima Maio 2015 1 A Matriz Energética no Brasil A base da matriz energética brasileira foi formada por recursos

Leia mais

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Setembro de 2010 Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente

Leia mais

Promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável de. fomentar o empreendedorismo no Estado do Espírito Santo.

Promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável de. fomentar o empreendedorismo no Estado do Espírito Santo. MISSÃO SEBRAE/ES Promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável de micro e pequenas empresas e fomentar o empreendedorismo no Estado do Espírito Santo. UNIDADE DE PROJETOS INDUSTRIAIS Promover

Leia mais

A estratégia do PGQP frente aos novos desafios. 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna

A estratégia do PGQP frente aos novos desafios. 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna A estratégia do PGQP frente aos novos desafios 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna PROCESSO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO MACROFLUXO ENTRADAS PARA O PROCESSO - Análise de cenários e conteúdos

Leia mais

A Floresta Amazônica, as mudanças climáticas e a agricultura no Brasil

A Floresta Amazônica, as mudanças climáticas e a agricultura no Brasil A Floresta Amazônica, as mudanças climáticas e a agricultura no Brasil Quem somos? A TNC é a maior organização de conservação ambiental do mundo. Seus mais de um milhão de membros ajudam a proteger 130

Leia mais

FORUM INTERNACACIONAL MEDAMERICA 2011

FORUM INTERNACACIONAL MEDAMERICA 2011 FORUM INTERNACACIONAL MEDAMERICA 2011 MESA 2: Desarrollo regional em los países emergentes DATA: 04/10/2011 FORUM INTERNACIONAL MEDAMÉRICA TEMÁTICA: A Influência da Gestão de Marketing dos Grupos Varejistas

Leia mais

O QUE É. Uma política de governo para redução da pobreza e da fome utilizando a energia como vetor de desenvolvimento. Eletrobrás

O QUE É. Uma política de governo para redução da pobreza e da fome utilizando a energia como vetor de desenvolvimento. Eletrobrás O QUE É Uma política de governo para redução da pobreza e da fome utilizando a energia como vetor de desenvolvimento 1 QUEM SÃO Total de Pessoas: 12.023.703 84% Rural 16% Urbano Total: 10.091.409 Total:

Leia mais

Gestão de Projetos. Aula 6. Organização da Aula 6. Variáveis Tamanho. Contextualização. Fator Administrativo. Instrumentalização. Variáveis do projeto

Gestão de Projetos. Aula 6. Organização da Aula 6. Variáveis Tamanho. Contextualização. Fator Administrativo. Instrumentalização. Variáveis do projeto Gestão de Projetos Aula 6 Organização da Aula 6 Variáveis do projeto Fatores importantes ao projeto Avaliação do projeto Profa. Dra. Viviane M. P. Garbelini Dimensionamento e horizonte de planejamento

Leia mais

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL APRESENTAÇÃO A White Martins representa na América do Sul a Praxair, uma das maiores companhias de gases industriais e medicinais do mundo, com operações em

Leia mais

Política Ambiental das Empresas Eletrobras

Política Ambiental das Empresas Eletrobras Política Ambiental das Empresas Eletrobras Versão 2.0 16/05/2013 Sumário 1 Objetivo... 3 2 Princípios... 3 3 Diretrizes... 3 3.1 Diretrizes Gerais... 3 3.1.1 Articulação Interna... 3 3.1.2 Articulação

Leia mais

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 3 } 1. INTRODUÇÃO: PARQUE TECNOLÓGICO CAPITAL DIGITAL - PTCD Principal polo de desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação do Distrito Federal, o PTCD

Leia mais

Programa de Capacitação em RPP- Relação Público Privadas

Programa de Capacitação em RPP- Relação Público Privadas Programa de Capacitação em RPP- Relação Público Privadas O que é o BID Organismo multilateral de desenvolvimento que tem como propósito financiar projetos viáveis de desenvolvimento econômico, social e

Leia mais

O Desempenho do Investimento Público do Ceará, 2007 2012, uma análise comparativa entre os Estados.

O Desempenho do Investimento Público do Ceará, 2007 2012, uma análise comparativa entre os Estados. Enfoque Econômico é uma publicação do IPECE que tem por objetivo fornecer informações de forma imediata sobre políticas econômicas, estudos e pesquisas de interesse da população cearense. Por esse instrumento

Leia mais

Sustentabilidade no Grupo Boticário. Atuação com a Rede de Franquias

Sustentabilidade no Grupo Boticário. Atuação com a Rede de Franquias Sustentabilidade no Grupo Boticário Atuação com a Rede de Franquias Mais de 6.000 colaboradores. Sede (Fábrica e Escritórios) em São José dos Pinhais (PR) Escritórios em Curitiba (PR) e São Paulo (SP).

Leia mais

A ESTRUTURA DE SUSTENTABILIDADE International Finance Corporation (IFC) Gladis Ribeiro

A ESTRUTURA DE SUSTENTABILIDADE International Finance Corporation (IFC) Gladis Ribeiro A ESTRUTURA DE SUSTENTABILIDADE International Finance Corporation (IFC) Gladis Ribeiro INTERNATIONAL FINANCE CORPORATION (IFC), QUEM SOMOS? A IFC, membro do Grupo Banco Mundial, é uma instituição de desenvolvimento

Leia mais

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Outubro 2009

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Outubro 2009 Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Outubro 2009 BH COPA 2014 Agenda Resumo Institucional Os Projetos que Apoiamos Formas de Atuação Condições de Financiamento Fechamento Agenda Resumo

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA POLÍTICA DA QUALIDADE POLÍTICA AMBIENTAL POLÍTICA DE SEGURANÇA, SAÚDE E BEM-ESTAR NO TRABALHO

POLÍTICA DE SEGURANÇA POLÍTICA DA QUALIDADE POLÍTICA AMBIENTAL POLÍTICA DE SEGURANÇA, SAÚDE E BEM-ESTAR NO TRABALHO POLÍTICA DE SEGURANÇA POLÍTICA DA QUALIDADE POLÍTICA AMBIENTAL POLÍTICA DE SEGURANÇA, SAÚDE E BEM-ESTAR NO TRABALHO Política de SEGURANÇA Política de SEGURANÇA A visão do Grupo Volvo é tornar-se líder

Leia mais

METALMECÂNICO DO ESPÍRITO SANTO. Francisco Ramaldes Gerente de Arranjos Produtivos

METALMECÂNICO DO ESPÍRITO SANTO. Francisco Ramaldes Gerente de Arranjos Produtivos METALMECÂNICO DO ESPÍRITO SANTO Francisco Ramaldes Gerente de Arranjos Produtivos 1 CAPACIDADE DE PRODUÇÃO MENSAL ATIVIDADES INDICADORES GRANDE VITÓRIA REGIÃO NORTE REGIÃO SUL TOTAL Empresas Nº 47 31 46

Leia mais

Corinthia Hotel Lisbon - Hotel Energeticamente Eficiente

Corinthia Hotel Lisbon - Hotel Energeticamente Eficiente Corinthia Hotel Lisbon - Hotel Energeticamente Eficiente 1 Corinthia Hotel Lisbon - Hotel Energeticamente Eficiente O Corinthia Hotel Lisbon está implementado num edifício com mais de 30 anos em que a

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC

Planejamento Estratégico de TIC Planejamento Estratégico de TIC Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe 2010 a 2014 Versão 1.1 Sumário 2 Mapa Estratégico O mapa estratégico tem como premissa de mostrar a representação visual o Plano

Leia mais

cooperação internacional

cooperação internacional MG e o mundo Várias regiões no mundo possuem características similares à Minas Gerais _ territórios configurados pela mineração, a siderurgia, a indústria automotiva e seus dispositivos logísticos. Regiões

Leia mais

2ª Conferência Internacional do Projeto DESAFIO. Valeria Melo

2ª Conferência Internacional do Projeto DESAFIO. Valeria Melo 2ª Conferência Internacional do Projeto DESAFIO Valeria Melo Rio de Janeiro(RJ), 28 de Julho de 2015 Fatores e processos facilitadores e obstáculos que contribuem para explicar os sucessos, fracassos e

Leia mais

COMO TORNAR-SE UM FRANQUEADOR

COMO TORNAR-SE UM FRANQUEADOR COMO TORNAR-SE UM FRANQUEADOR O que é Franquia? Objetivo Esclarecer dúvidas, opiniões e conceitos existentes no mercado sobre o sistema de franquias. Público-Alvo Empresários de pequeno, médio e grande

Leia mais

Brasil - Guiana. Projeto de Integração

Brasil - Guiana. Projeto de Integração Brasil - Guiana Projeto de Integração Eduardo Pires Ferreira Novembro 2002 Objetivo Inserir o norte do Brasil e a Guiana no cenário internacional, através da integração regional e, como conseqüência: -

Leia mais

Parcerias Tecnológicas e Inovação nas PMEs

Parcerias Tecnológicas e Inovação nas PMEs Parcerias Tecnológicas e Inovação nas PMEs Eng. Fabián Yaksic Presidente do IPD Eletron Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico do Complexo Eletroeletrônico e Tecnologia da Informação Associação

Leia mais

PAC Programa de Aceleração do Crescimento. Retomada do planejamento no país. Marcel Olivi

PAC Programa de Aceleração do Crescimento. Retomada do planejamento no país. Marcel Olivi PAC Programa de Aceleração do Crescimento Retomada do planejamento no país Marcel Olivi PAC PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO Lançado em 22/01/2007 o programa é constituído por Medidas de estímulo

Leia mais

Carga Horária :144h (07/04 a 05/09/2014) 1. JUSTIFICATIVA: 2. OBJETIVO(S):

Carga Horária :144h (07/04 a 05/09/2014) 1. JUSTIFICATIVA: 2. OBJETIVO(S): Carga Horária :144h (07/04 a 05/09/2014) 1. JUSTIFICATIVA: Nos últimos anos, o cenário econômico mundial vem mudando significativamente em decorrência dos avanços tecnológicos, da globalização, das mega

Leia mais

Produção e consumo sustentáveis

Produção e consumo sustentáveis Produção e consumo sustentáveis Fernanda Capdeville Departamento de Produção e Consumo Sustentáveis DPCS Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental - SAIC 14 Plenária do Fórum Governamental

Leia mais

Programa Acreditar Case Odebrecht. Antonio Cardilli

Programa Acreditar Case Odebrecht. Antonio Cardilli Programa Acreditar Case Odebrecht Antonio Cardilli Agenda Organização Odebrecht Programa Acreditar Programa Acreditar Jr A Organização Pessoas Integrantes de mais de 60 nacionalidades 180.278 Integrantes

Leia mais

Encontro de Mineração Brasil - Chile Uma visão de futuro Belo Horizonte - MG

Encontro de Mineração Brasil - Chile Uma visão de futuro Belo Horizonte - MG ABCE Associação Brasileira de Consultores de Engenharia Encontro de Mineração Brasil - Chile Uma visão de futuro Belo Horizonte - MG Eng. Lindolpho Corrêa de Souza O setor de Consultoria de Engenharia.

Leia mais

Telebras Institucional

Telebras Institucional Telebras Institucional Ibirubá-RS, Setembro 2011 A Telebrás Quem somos A TELEBRAS é uma S/A de economia mista, vinculada ao Ministério das Comunicações, autorizada a usar e manter a infraestrutura e as

Leia mais

CARÊNCIA DE PROFISSIONAIS

CARÊNCIA DE PROFISSIONAIS CARÊNCIA DE PROFISSIONAIS 2013 Caracterização da amostra Título do Slide Pesquisa realizada com 167 empresas. A soma do faturamento dessas empresas respondentes é de mais de 23% do PIB A soma do número

Leia mais

ESTUDO DA CRIAÇÃO DE UMA PLATAFORMA MULTIMODAL Prof. Ph.D. Cláudio Farias Rossoni Área delimitada onde em um mesmo local se encontram disponibilizados: DUTOVIAS HIDROVIAS RODOVIAS AEROVIAS FERROVIAS Área

Leia mais

Em 20 anos, Brasil poderá gerar 280 MW de energia do lixo

Em 20 anos, Brasil poderá gerar 280 MW de energia do lixo Em 20 anos, Brasil poderá gerar 280 MW de energia do lixo Fabíola Ortiz - 28/02/13 Potencial de produção de energia vinda dos aterros pode dobrar em 20 anos, se a lei de resíduos sólidos for cumprida.

Leia mais

BNDES Financiamento à Indústria de Base Florestal Plantada. Outubro de 2014

BNDES Financiamento à Indústria de Base Florestal Plantada. Outubro de 2014 BNDES Financiamento à Indústria de Base Florestal Plantada Outubro de 2014 Agenda 1. Aspectos Institucionais 2. Formas de Atuação 3. Indústria de Base Florestal Plantada 1. Aspectos Institucionais Linha

Leia mais

Plásticos: soluções modernas para o saneamento. Rogerio Kohntopp Tecnologia, Qualidade, Sustentabilidade e Inovação

Plásticos: soluções modernas para o saneamento. Rogerio Kohntopp Tecnologia, Qualidade, Sustentabilidade e Inovação Plásticos: soluções modernas para o saneamento Rogerio Kohntopp Tecnologia, Qualidade, Sustentabilidade e Inovação Visão, Missão e Valores Visão Missão Valores Temos certeza que o lugar onde as pessoas

Leia mais

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação Pesquisa realizada com os participantes do de Apresentação O perfil do profissional de Projetos Pesquisa realizada durante o 12 Seminário Nacional de, ocorrido em 2009, traça um importante perfil do profissional

Leia mais