Pró-Reitoria de Graduação Curso de Turismo Trabalho de Conclusão de Curso QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NO SETOR HOTELEIRO DE BRASÍLIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Pró-Reitoria de Graduação Curso de Turismo Trabalho de Conclusão de Curso QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NO SETOR HOTELEIRO DE BRASÍLIA"

Transcrição

1 1 Pró-Reitoria de Graduação Curso de Turismo Trabalho de Conclusão de Curso QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NO SETOR HOTELEIRO DE BRASÍLIA Autor: Aline Maria de Sousa Saraiva Orientadora: Prof a. Esp. Maialú Ferreira Neves Brasília 2011

2 ALINE MARIA DE SOUSA SARAIVA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NO SETOR HOTELEIRO EM BRASÍLIA Monografia apresentada ao curso de graduação em Turismo da Universidade Católica de Brasília como requisito parcial para obtenção do título de Bacharel em Turismo. Orientadora: Prof a. Esp. Ferreira Neves. Maialú Brasília 2011

3 Cutter SARAIVA, Aline Maria de Sousa. Qualificação Profissional no Setor Hoteleiro em Brasília/ Aline Maria de Sousa Saraiva. Novembro/ f. Monografia Turismo Universidade Católica de Brasília, Novembro de Orientação: Maialú Ferreira Neves 1. Qualificação Profissional; 2. Hotelaria; 3. Turismo. I. Neves, Maialú, orient. II. Qualificação Profissional no Setor Hoteleiro em Brasília.

4 Monografia de autoria de Aline Maria de Sousa Saraiva, intitulada QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NO SETOR HOTELEIRO EM BRASÍLIA. Apresentada como requisito parcial para obtenção do grau de Bacharel em Turismo da Universidade Católica de Brasília, em 16 de novembro de 2011, defendida e aprovada pela banca examinadora abaixo assinada: Prof a. Esp. Maialú Ferreira Neves Orientadora Curso de Turismo UCB Virtual Prof a. Esp. Luli Neri Riccetto Brasília 2011

5 RESUMO Referência: SARAIVA, Aline Maria de Sousa. Qualificação Profissional no Setor Hoteleiro em Brasília. Monografia do curso de Turismo Universidade Católica de Brasília, Brasília, Num país onde acontece um crescimento acelerado, o turismo tornou-se grande fonte de renda econômica para o Brasil. Com a alta demanda turística, torna-se necessária um aumento significativo do numero de hotéis para atender esse público que busca excelência em produtos e serviços. Com isso é importante que a qualificação profissional para esse mercado seja vista por seus gestores com grande importância. Este trabalho vem com o intuito de levantar questões quanto à qualificação dos profissionais hoteleiros em Brasília, no Distrito Federal tendo como objetivos diagnosticar as deficiências na qualificação profissional nos hotéis de redes hoteleiras de Brasília e propor as soluções para a melhoria na capacitação dos profissionais voltados a esse serviço. Como metodologia, foi utilizada a pesquisa exploratória por meio de pesquisa bibliográfica com o objetivo de delinear os elementos fundamentais voltados para a Hotelaria. Na fase de levantamento de dados e análise de resultados, buscou-se verificar a forma como as grandes redes hoteleiras com hotéis em Brasília trabalham a melhoria da capacitação profissional de seus funcionários. A coleta de dados baseou-se em um questionário com questões do tipo aberta e fechada aplicado por meio de entrevista aos setores de Recursos Humanos de tais redes. Como resultado percebe-se que este setor precisa de uma melhor visão para com a qualidade dos serviços oferecidos. Os setores de Recursos Humanos encontram dificuldades para encontrar colaboradores qualificados e os profissionais da área sentem a desvalorização do setor, devido a baixos salários, falta de crescimento profissional, carga horária exaustiva e rotatividade, fatores estes que ocasionam a desmotivação, que por sua vez refletem diretamente no serviço prestado. Palavras-chave: Qualificação Profissional. Hotelaria. Turismo.

6 ABSTRACT Reference: SARAIVA, Aline Maria de Sousa. Vocational Qualification in Hotel Sectorin Brasilia. Monograph Tourism course - Catholic University of Brasilia, Brasilia,2011. In a country where one accelerated growth, tourism became a major source of economic income for Brazil. With the high tourist demand, it becomes necessary a significant increase in the number of the hotels to suit this audience that seeks excellence in products and services. Therefore it is important that the qualification for this market in seen by their managers with great importance. This work is aiming to raise concern about the qualifications for hotels in Brasília, Distrito Federal, having as objectives to diagnose deficiencies in hotel service provided in the main hotels of Brasilia and propose solutions to improve the training of professionals focused on this service. The methodology was used in exploratory research through literature search in order to outline the key elements aimed as Hospitality. In the phase of data collection and analysis of results, we sought to determine how the major hotel chains with hotels in Brasilia working to improve the professional training of lists employees. Data collection was based on a questionnaire with open and closed type applied by interview to Human Resources sectors such networks. As a result it is clear that this industry needs a better vision for the quality of services offered. The Human Resources sectors find it difficult to find skilled workers and professionals feel the devaluation of the sector due to low wages lack of professional development, workload and turnover exhaustive, factors that cause low morale, which in turn reflect directly into service. Key words: Vocational Training. Hospitality. Tourism.

7 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E QUALIDADE NA HOTELARIA UM BREVE HISTÓRICO DA HOTELARIA E ADMINISTRAÇÃO HOTELEIRA A Hotelaria no Brasil Considerações sobre a administração hoteleira na atualidade QUALIDADE NA HOTELARIA- O QUE É QUALIDADE? A importância da qualidade no atendimento ao cliente de hospedagem Programas de certificação da qualidade com foco nos meios de hospedagem QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E SUA RELAÇÃO COM A QUALIDADE DO ATENDIMENTO AO CLIENTE Programas de qualificação profissional para os meios de Hospedagem METODOLOGIA DIAGNÓSTICO DA QUALIFICAÇÃO HOTELEIRA NOS HOTÉIS DE REDE EM BRASÍLIA HOTELARIA EM BRASÍLIA RESULTADOS: QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NAS REDES HOTELEIRAS DO DF Qualificação profissional dos colaboradores e treinamentos oferecidos pela empresa Participação nos programas de qualificação profissional do governo Visão do colaborador sobre a qualificação profissional oferecida Satisfação do colaborador e motivação para a excelência no atendimento ao cliente ANÁLISE DOS RESULTADOS E SUGESTÕES CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS APÊNDICES... 46

8 8 1. INTRODUÇÃO Essa pesquisa tem como tema principal a qualificação dos profissionais voltados para a Hotelaria em Brasília. Aproxima-se um período em que o Brasil será palco de grandes eventos, sendo um destes a Copa do Mundo, onde Brasília será uma das sedes. Portanto torna-se imprescindível que os profissionais do Setor Hoteleiro estejam capacitados para ofertar um bom atendimento aos hóspedes que aqui virão. Daí surge à importância dessa pesquisa. Nesse trabalho serão abordadas as principais deficiências encontradas nesse serviço. Foi feito um diagnóstico para a verificação dos motivos pelos quais há tantas falhas nesse seguimento e foram sugeridas formas de evitar tais falhas para um setor de suma importância no ambiente turístico de Brasília. O objetivo geral dessa pesquisa é diagnosticar as deficiências na qualificação profissional nos hotéis de redes hoteleiras de Brasília e propor soluções para a melhoria na capacitação dos profissionais voltados a essa área. Os objetivos específicos foram: realizar um levantamento sobre as políticas públicas existentes para a qualificação profissional na hotelaria bem como as ações realizadas pelas instituições ligadas ao setor hoteleiro e iniciativa privada. Levantar os principais problemas de atendimento nos hotéis de Brasília. Tais problemas foram analisados visando identificar suas possíveis causas e baseado nesse levantamento serão propostas melhorias para os serviços hoteleiros em Brasília Metodologicamente, foi utilizada a pesquisa exploratória por meio de pesquisa bibliográfica com o objetivo de delinear os elementos fundamentais voltados para a Hotelaria. Na fase de levantamento de dados e análise de resultados, buscou-se verificar a forma como as grandes redes hoteleiras com hotéis em Brasília trabalham a melhoria da capacitação profissional de seus funcionários. A coleta de dados baseou-se em um questionário com questões do tipo aberta e fechada aplicado por meio de entrevista aos setores de Recursos Humanos de tais redes.

9 O trabalho foi dividido em dois tópicos principais, sendo o primeiro sobre a Qualificação Profissional e Qualidade na Hotelaria em que serão abordados os seguintes temas: Administração Hoteleira, Qualificação Profissional em Hotelaria e Qualidade na Hotelaria - O que é qualidade. O segundo tópico tratou sobre o diagnóstico da qualificação Hoteleira nos Hotéis de Rede em Brasília, que abordou os temas: Turismo e Hotelaria em Brasília, Resultados: qualificação profissional nas redes hoteleiras e Análises dos Resultados. Os dados levantados durante a pesquisa através de uma observação pessoal foram de grande importância, pois através da mesma foram identificados que o setor hoteleiro está carente de bons profissionais para atender uma demanda em constante crescimento.

10 2. QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E QUALIDADE NA HOTELARIA A hotelaria é considerada a profissão do futuro. Em um setor que atualmente está em grande expansão, a hotelaria se tornou uma área muito almejada pelos profissionais do ramo do Turismo no Brasil. Nos próximos anos o nosso país será sede de grandes eventos de repercussão mundial: a Copa das Confederações em 2013, a Copa do Mundo, em 2014 e as Olimpíadas no Rio de Janeiro em Diante disso, haverá uma grande demanda para empregos vindos dessa área, podemos então nos perguntar: Como surgiu a Hotelaria no mundo? 2.1 UM BREVE HISTÓRICO DA HOTELARIA E ADMINISTRAÇÃO HOTELEIRA O início da Hotelaria não é conhecido ao certo, porém, vários autores acreditam que o marco inicial se deu nos primeiros Jogos Olímpicos, já que os mesmos foram responsáveis pelo início do Turismo Mundial. Esse evento, de importância inquestionável fazia com que milhares de pessoas se deslocassem para acompanhar as competições que chegavam a durar dias. Diversas construções foram feitas para os eventos, entre eles uma hospedaria com 10 mil metros quadrados que abrigava os visitantes. Esse teria sido o primeiro hotel do mundo. (www.etur.com.br, 2005) Com o tempo as Olimpíadas perdem a sua importância. Surgem então as estradas romanas, que tinham como finalidade principal a comunicação. Os mensageiros levavam correspondências de uma cidade para outra e surge então a necessidade de hospedagem eles, inicialmente essa era feita em casas particulares. As estradas, ou redes de caminhos se expandiram para atender essa demanda de comunicação e inclusive para a troca de mercadorias entre outros serviços. A necessidade de hospedagem foi aumentando e os romanos além de casas particulares, também se alojavam em templos pagãos ou acampamentos. Essa foi a primeira forma de

11 hospedagem com fins lucrativos ou benefícios, fazendo parte do sistema econômico das cidades, gerando comércio entre os viajantes e também a troca de mercadorias entre as cidades. (www.etur.com.br, 2005) Os primeiros estabelecimentos de hospedagens com o único propósito exclusivamente comercial surgiram no final da Idade Média na Europa. (La Torre, 1982, p 12). Estes estabelecimentos nada mais eram do que pousadas com fins lucrativos, alimentação, bebidas e albergues a viajantes. Já no século XII, com uma maior segurança para as viagens, as hospedarias passaram a se estabelecer ao longo das estradas. Leis e normas para a regulamentação da atividade hoteleira começaram a serem implantadas. (www.etur.com.br, 2005) Na segunda metade do século XIX, começaram a surgir empreendedores que são consagrados até hoje na Hotelaria. São eles: Cesar Ritz, Ellsworth Milton Statler, Conrad Nicholson Hilton, City Hotel, Statler Hotel, Tremont House, Astor House e Palace Hotel. (www.etur.com.br, 2005) A Hotelaria no Brasil A Hotelaria no Brasil teve início no século XVIII, sendo que São Paulo e Rio de Janeiro marcam o início dessa atividade. Nesse período surgem as casas de hospedagens. Com a chegada da corte portuguesa no país, a abertura dos portos também favoreceu o início da hotelaria, muitos estrangeiros passaram a freqüentar a cidade, surgindo então a necessidade de meios de hospedagens mais preparados e com maior capacidade. (www.etur.com.br, 2005) Porém, foi no século XX que ocorreu a grande revolução para esse setor. No Rio de Janeiro, o grande marco hoteleiro foi a inauguração do Copacabana Palace, cuja construção contribuiu para a consagração da cidade como pólo de turismo e lazer. Em 1922, surge o Hotel Gloria, considerado o maior do país com cerca de 700 unidades habitacionais. (www.etur.com.br, 2005) A EMBRATUR surge em 1966 para atuar na implantação de hotéis através de incentivos fiscais. Sob a fiscalização da EMBRATUR, as grandes redes hoteleiras internacionais chegam ao Brasil, porém em sua maioria na

12 categoria Cinco Estrelas, tornando-se assim inacessíveis para a grande maioria da população. Nos anos 90 essas grandes redes começam a construção de hotéis na categoria Econômicos com padrões internacionais devido ao ato índice de procura pelos consumidores. Deu-se então nessa mesma época o início da globalização, o que ocasionou a abertura do turismo de negócios o que favoreceu positivamente o crescimento do setor hoteleiro no Brasil. (www.etur.com.br, 2005) Considerações sobre a administração hoteleira na atualidade Atualmente, com o grande avanço da tecnologia mundial e a internacionalização econômica que vem crescendo em larga escala, fez-se necessário uma mudança na forma como os negócios hoteleiros eram conduzidos. A especialização da mão-de-obra tornou-se cada vez mais necessária. Com toda a mudança sofrida pela hotelaria exigiu-se que a administração hoteleira se profissionalizasse. Um bom planejamento hoteleiro deve levar em consideração a opinião do hóspede, já que o mesmo é a parte mais importante e interessada no processo. Deve-se criar uma estrutura material e humana que tenha a capacidade de executar determinada tarefa com o máximo de eficiência. Existe uma forma de organização na hotelaria moderna, que possibilita um bom andamento no processo hoteleiro. Nesse modelo, há uma integração completa entre as atividades e os níveis hierárquicos da estrutura organizacional. O seu organograma deixa de ser totalmente hierárquico e passa a se funcional, para que assim se possam definir melhor as responsabilidades. Sua estrutura é enxuta e flexível, para que assim haja maior agilidade na solução de problemas. Esse modelo é divergente do modelo antes utilizado, o chamado modelo tradicional, em que o padrão é o de uma administração centralizada, e se observa a obediência hierárquica, sem a possibilidade de discussões. Neste modelo antigo os setores envolvidos trabalham de forma estanque de acordo com suas especializações. Os hóspedes atuais mostram-se como críticos severos quando suas expectativas não são atendidas pelos hotéis. Porém, esses hóspedes

13 geralmente não reclamam. Grande parte apenas deixa de freqüentar os hotéis. Com isso, o empreendimento hoteleiro fica impossibilitado de corrigir sua falha e perderá um cliente. Uma das formas de avaliação dos serviços do hotel é a frequência dos hóspedes. Se ele gostou dos serviços oferecidos, certamente voltará ao hotel. Porém para que isso aconteça suas expectativas devem ser superadas de forma plena. 2.2 QUALIDADE NA HOTELARIA- O QUE É QUALIDADE? Qualidade consiste na eliminação de possíveis deficiências. É atender ao cliente em sua plena satisfação diante dos serviços e dos produtos oferecidos. É manter uma oferta de acordo com o que foi previamente acordado. (Viera, 2004, página 19) Sua gestão em empresas compreende um processo estrutural que envolve um conjunto de ações direcionadas conforme a composição organizacional de cada empresa. Isso significa que cada empresa deve organizar seu próprio processo de qualidade de acordo com suas próprias necessidades e conceitos. Muitos autores definiram qualidade de diversas formas. Segundo Ishikawa (1986, p. 14): - [...] qualidade é a rápida percepção e a satisfação das necessidades do mercado, adequação ao uso dos produtos e homogeneidade dos resultados do processo -[...] Segundo Elenara Viera de Viera (2004, p. 19): - [...] qualidade significa competência e qualidade de projetos evidenciando a ausência de deficiências, ou seja, adaptação ao uso atendendo plenamente à satisfação do cliente com o desempenho dos produtos ou serviços oferecidos -[...]

14 - [...] Qualidade pode ser a tarefa de qualquer um em uma empresa, mas ninguém pode tomar parte eficientemente em um programa para a qualidade sem regras e ações, que não sejam baseadas na aplicação de técnicas estatísticas -[...] Durante a evolução da qualidade, esta passou por etapas diversas até o seu formato atual. Seus processos básicos evidenciaram o controle da qualidade, que foram divididos em três grandes períodos que são (Viera, 2004, página 20): - Inspeção de produtos; - Controle por amostragem, ou controle estatístico, porém não contemplava toda a produção, os defeitos dos produtos apareciam e o nome da empresa era comprometido; - Qualidade segura, que era baseada pelo que era estabelecido pelo cliente, como objetivo de produção ou prestação dos serviços pelas empresas. Na modernidade, a qualidade deixou de ser prioridade de um setor específico nas empresas e nos hotéis. Exígi-se uma visão sistêmica e ampla a fim de integrar ações das pessoas envolvidas, dos equipamentos e principalmente dos serviços oferecidos aos hóspedes. Também se tornou capaz de levar informações para que haja o envolvimento de todos os setores envolvidos inclusive na administração no sistema de qualidade. Abaixo, são citadas algumas características fundamentais para que não haja falhas no processo da qualidade, garantindo assim a satisfação plena do cliente. Essas características são pressupostos essenciais criados por alguns gurus da qualidade descritos abaixo. Segundo Wiliam Deming (1971), a qualidade se baseava em alguns pontos: - O melhoramento constante do produto e serviço, para que o mesmo se torne competitivo e possa permanecer no mercado; - adotar uma nova filosofia, aceitando a transformação e assumir a liderança de mudar; - melhorar sempre o sistema de produção e os serviços, para melhorar a produtividade reduzindo custos; - instituir o treinamento e o retreinamento;

15 - direcionar liderança; - eliminar o medo para que todos trabalhem de forma eficaz. Deming foi de grande importância para a qualidade, pois liderou o ressurgimento do Japão após a Segunda Guerra Mundial. Joseph Juran, considerado o pai da qualidade, definiu a mesma através de uma trilogia que consistia no Planejamento da Qualidade, em que eram determinados os clientes, suas necessidades, o desenvolvimento dos produtos ou serviços que atendam tais necessidades, os processos capazes de atender as características e a transferência do projeto ao pessoal operacional. O segundo pilar dessa trilogia pode ser definido como Controle de Qualidade em que há a avaliação de desempenho de acordo com as especificações, comparação dos valores medidos aos especificados e atuação em relação às diferenças. Já o terceiro pilar seria a Melhoria da Qualidade no qual haveria a prova da necessidade de melhoria, a identificação de um projeto para isso, a organização desse projeto, determinação das causas, soluções efetivas e manutenção do ganho. Essas variações sobre a qualidade nos dão certa noção de como a qualidade na hotelaria pode ser desempenhada, porém a mesma dependerá de como cada situação será vivenciada, das condições físicas e psicológicas e principalmente em cada situação em que os setores responsáveis estão envolvidos. Dentro das empresas a qualidade é vista como a falta de defeitos e problemas em determinado serviço oferecido. Porém, como Marco Antônio Serafim (www.etur.com.br, 2005) pode esclarecer: [...] Mas dentro de uma empresa, a qualidade pessoal é a mais preocupante, a empresa é considerada o local em que as pessoas além de trabalharem, vivem durante a maior parte de suas vidas. Dessa forma, as pessoas dão algo de si mesmas e esperam algo em troca. A maneira pela qual este ambiente é moldado e estruturado influencia poderosamente a qualidade de vida das pessoas. Mais do que isso: influencia o próprio comportamento e os objetivos pessoais de cada ser humano. E isto, conseqüentemente, afeta o próprio funcionamento da empresa [...] Ou seja, a base de todo atendimento hoteleiro é a qualidade pessoal, já que não pode ser efetivado por uma máquina, o fator determinante é o

16 desempenho humano. A qualidade pessoal é fundamental bem como manter a auto-estima dos profissionais envolvidos, pois determina o seu bem estar e eficiência, para que assim, essas características sejam transmitidas para os clientes. Os procedimentos de bom relacionamento entre os gestores e seus subordinados, reconhecendo o seu empenho a favor da empresa, apresenta nos últimos tempos índices altos de produtividade, principalmente nos hotéis que possuem programas de qualificação de pessoal A importância da qualidade no atendimento ao cliente de hospedagem Atualmente, devido à grande oferta de hotéis e serviços hoteleiros, os hóspedes e os clientes em potencial se tornaram verdadeiros críticos para que suas expectativas em relação a estes sejam atendidas. Devido a isso sempre buscam qualidade em serviços e produtos hoteleiros. O cliente hoteleiro tem desejos e necessidades como qualquer cliente. É ele a pessoa de maior destaque em um hotel. Porém, esses clientes são diferentes uns dos outros por terem desejos e gostos diferenciados. Deve-se levar em consideração o conhecimento que se tem sobre cada hóspede e assim antecipar suas necessidades, garantindo assim a qualidade no serviço prestado. É evidente que se faz necessário a presença de um funcionário bem treinado e capacitado para atender as necessidades dos hóspedes. O que determina sua qualidade são suas atitudes diante dos problemas apresentados pelos hóspedes, sua orientação em treinamentos contínuos e constantes, pelo apoio de sua gerência e a comunicação eficiente com os demais colaboradores do hotel. Neste sentido é importante que o profissional da rede hoteleira estude maneiras de como manter um cliente. Uma maneira de investir na qualidade do atendimento é por meio da qualificação profissional. Como afirma Luciana Mourão (2009):

17 [...] A qualificação profissional nas organizações permite obter resultados para os indivíduos, para suas equipes de trabalho e também para as instituições. Essa qualificação pode ocorrer de diversas formas, desde a contratação de estagiários e pessoas em primeiro emprego até ações de capacitação, como treinamentos em serviço ou investimentos em cursos realizados dentro ou fora da organização. [...] A qualidade na hotelaria perpassa diversas ações que devem visar desde a qualificação profissional até a ética, a definição de um padrão de atendimento que atenda as expectativas dos hóspedes, a motivação e liderança dos profissionais do atendimento, dentre outros. As empresas hoteleiras que têm como objetivo principal estar entre as primeiras a oferecerem um atendimento de qualidade deve ter como características (Viera, 2004, página 65): - Administrar os fatos reais do hotel: detectar e solucionar os fatos reais do hotel como reclamações e sugestões, tanto dos clientes como dos funcionários, feedback interno sobre os programas que visem à solução de eventuais falhas; - Aprimorar, de forma contínua, todos os setores: administrar através de resultados, ao invés de utilizar, técnicas e procedimentos. O que conta é a plena satisfação do cliente, já que a qualidade total não é um programa e sim um processo. - Comprometer todo o hotel com a qualidade: todo o hotel deve estar inserido no programa de qualidade, já que todos os setores estão interligados. - Desenvolver estratégias voltadas aos desejos e valores do cliente: Os hotéis garantem sucesso ao antecipar os desejos dos clientes potenciais. Portanto, a arma principal para os administradores desse setor é o domínio da informação. Os hotéis que realmente investem em qualidade são os que possuem as seguintes características: aplicam o controle de qualidade em todos os setores e procedimentos, consideram o hospede como primeiro e único, investem em qualificação e bem estar do pessoal, mantêm o aprendizado contínuo, tanto na direção, quanto dos subordinados, motivam a equipe para o trabalho, nunca negligenciam a concorrência e perseguem o fazer certo desde o primeiro momento de contato com o hóspede. (Viera, 2004, p. 67)

18 O cliente é sempre a pessoa mais importante para uma empresa. Na hotelaria, o cliente é chamado de hóspede. O hóspede utiliza a infra-estrutura hoteleira, além dos diversos oferecidos pelo mesmo como restaurante, lavanderia, eventos. Suas necessidades devem ser identificadas como prioridade para tal empreendimento e para que essas necessidades sejam identificadas, deve-se levantar diversas questões e depois que estas sejam apuradas, esses anseios devem se tornar especificações técnicas. O hotel deve transformar o hóspede em um marco inicial para a definição da qualidade pretendida Programas de certificação da qualidade com foco nos meios de hospedagem Hoje existem alguns programas de qualidade e qualidade ambiental com foco nos meios de hospedagem. Aqui será citado apenas o Sistema ISO que é um dos mais utilizados na hotelaria, apesar de não ser específico para meios de hospedagem. Existem hoje, certificações voltadas também para a certificação ambiental e de sustentabilidade de hotéis. As mais conhecidas e usadas no Brasil são a ISO 14001, que é uma certificação voltada para qualidade ambiental e a NBR 15401, que é uma certificação específica de meios de hospedagem e que visa garantir a sustentabilidade dos meios de hospedagem e tem requisitos ambientais, socioculturais e econômicos. Como o foco do trabalho é a qualidade dos serviços por meio da qualificação profissional essas certificações com foco na sustentabilidade e na qualidade ambiental não serão aprofundadas. ISO ISO é a sigla para International Organization for Standardization (Organização Internacional de Normalização). A ISO é responsável pela normalização em nível mundial. Sua atividade principal é a elaboração de padrões para especificações e métodos de trabalho para diversas áreas. No

19 Brasil, a ISO é representada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). A ISO foi popularizada pela série As normas que tratam de sistemas para a gestão e garantia da qualidade nas empresas, com o objetivo de assegurar a qualidade de produtos e serviços, tanto no Brasil quanto internacionalmente. A norma ISO é obtida por meio da ABNT, sob o título NBR ISO 9001, que nada mais é do que um conjunto de normas direcionadas a várias atividades. Essa é uma norma que tem por objetivo principal a prevenção de falhas, através de ações da mais variadas, dentre as quais podem se destacar: - a empresa precisa estar comprometida de uma forma geral com a qualidade, mas essa qualidade deve ser definida de acordo com a satisfação do cliente. - a empresa deve proporcionar a existência de instruções de trabalho formalizando todas as atividades que afetam a qualidade, por meio de um plano de treinamento, com o levantamento de necessidades, controle de execução e de verificação posteriores a sua eficiência - atendimento aos requisitos da norma escolhida, em função da complexidade do produto ou serviço. Certificação Após um empreendimento optar pela implantação da ISO, é necessário a contratação de uma companhia certificadora especializada, que fará uma auditoria para verificar se a empresa atende aos requisitos da norma escolhida. A certificação ISO 9001 é importante, pois representa uma abertura de um mercado globalizado, pois é através desta que o cliente terá a segurança de um sistema que garante plenamente a sua satisfação. Essa certificação não é obrigatória. As empresas podem adotá-la voluntariamente. Um órgão independente, imparcial e idôneo é quem poderá realizar essa certificação. No Brasil, quem realiza esse procedimento é o Instituto Nacional de Metrologia e Qualidade Industrial, o Inmetro.

20 SBClass Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem O Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem é a nova classificação oficial dos meios de hospedagem criada pelo Ministério do Turismo e foi feita de forma participativa tendo ficado, inclusive, disponível para consulta pública. É uma ferramenta de comunicação entre os empreendimentos hoteleiros e os turistas, com o objetivo de orientá-los de uma forma clara e objetiva. Este também é um sistema de adesão voluntária, porém o meio de hospedagem deve estar com seu cadastro regular junto ao Ministério do Turismo. Essa nova classificação vai de 1 a 5 estrelas. Os requisitos são divididos entre mandatório, ou seja, aqueles de devem ser obrigatórios no meio de hospedagem, e os eletivos, que são de livre escolha. O empreendimento turístico que desejar a classificação na categoria escolhida deve atender 100% os requisitos mandatórios e 30% os requisitos eletivos. Esses requisitos são divididos em três categorias: Infraestrutura, Serviços e Sustentabilidade. O sistema irá contemplar oito matrizes: Hotel Urbano, Resort, Hotel Fazenda, Cama e Café, Hotel Histórico, Pousada, Flat e Hotel de Floresta. A fim de estimular a adesão dos empreendimentos hoteleiros ao Sbclass e também para tirar possíveis dúvidas, o Ministério do Turismo criou o site onde os turistas e também os empresários poderão encontrar a portaria do programa, todos os requisitos exigidos para a classificação e oferece acesso ao Cadastur, que é o sistema de cadastro dos prestadores de serviços hoteleiros com o Ministério do Turismo. Uma classificação oficial funciona como uma forma de atrair um fluxo turístico, tanto nacional quanto internacional e estimular os meios de hospedagem a investir de forma constante nas melhorias na qualidade dos serviços prestados.

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng.

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng. 01. O QUE SIGNIFICA A SIGLA ISO? É a federação mundial dos organismos de normalização, fundada em 1947 e contanto atualmente com 156 países membros. A ABNT é representante oficial da ISO no Brasil e participou

Leia mais

Processos Gerenciais

Processos Gerenciais UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Processos Gerenciais Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais. 1.

Leia mais

SITUAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS IFES

SITUAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS IFES SITUAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS IFES Introdução A questão dos recursos humanos na área de Tecnologia da Informação é assunto de preocupação permanente no Colégio de

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

O turismo e os recursos humanos

O turismo e os recursos humanos Introdução O turismo e os recursos humanos Belíssimas praias, dunas, cachoeiras, cavernas, montanhas, florestas, falésias, rios, lagos, manguezais etc.: sem dúvida, o principal destaque do Brasil no setor

Leia mais

A PRESTAÇAO DE SERVIÇOS EM RESTAURANTES E A QUALIFICAÇAO PROFISSIONAL

A PRESTAÇAO DE SERVIÇOS EM RESTAURANTES E A QUALIFICAÇAO PROFISSIONAL A PRESTAÇAO DE SERVIÇOS EM RESTAURANTES E A QUALIFICAÇAO PROFISSIONAL Junior Heberle 1 Esp Luziane Albuquerque 2 RESUMO Este artigo busca enfocar a questão da qualidade no atendimento nos restaurantes

Leia mais

A RELAÇÃO ENTRE A MOTIVAÇÃO E A ROTATIVIDADE DE FUNCIONÁRIOS EM UMA EMPRESA

A RELAÇÃO ENTRE A MOTIVAÇÃO E A ROTATIVIDADE DE FUNCIONÁRIOS EM UMA EMPRESA A RELAÇÃO ENTRE A MOTIVAÇÃO E A ROTATIVIDADE DE FUNCIONÁRIOS EM UMA EMPRESA Elaine Schweitzer Graduanda do Curso de Hotelaria Faculdades Integradas ASSESC RESUMO Em tempos de globalização, a troca de informações

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Recursos Humanos Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos 1.

Leia mais

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL: um relato de experiência de dois estagiários de psicologia

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL: um relato de experiência de dois estagiários de psicologia PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL: um relato de experiência de dois estagiários de psicologia MESQUITA NETO, Rui 1 DIAS, Vanessa Aparecida 2 NUNES, Ruth Vieira 3 RESUMO A organização depende das pessoas para atingir

Leia mais

Manual do Usuário. Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem Usuário Meio de Hospedagem

Manual do Usuário. Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem Usuário Meio de Hospedagem Manual do Usuário Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem Usuário Meio de Hospedagem Julho de 2011 1 Sumário 1. Introdução... 3 2. Siglas... 3 3. Descrição do Sistema... 3 4. Como utilizar

Leia mais

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Cursos para Melhoria do desempenho & Gestão de RH TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Administração do Tempo Ampliar a compreensão da importância

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE ATENDIMENTO EM HOTEIS RESUMO

PADRONIZAÇÃO DE ATENDIMENTO EM HOTEIS RESUMO PADRONIZAÇÃO DE ATENDIMENTO EM HOTEIS RODRIGUES, Luiz Antonio Junior Docente do curso de Turismo da Faculdade de Ciências Humanas FAHU/ACEG e-mail: Junior_fdi@terra.com.br RESUMO Este artigo visa demonstrar

Leia mais

Autores: ANNARA MARIANE PERBOIRE DA SILVA, MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA

Autores: ANNARA MARIANE PERBOIRE DA SILVA, MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA RELAÇÕES ENTRE A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E O SETOR DE HOSPITALIDADE: um estudo de caso aplicável ao curso Técnico de Hospedagem Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente de Pernambuco Autores: ANNARA

Leia mais

Revista Eletrônica Aboré Publicação da Escola Superior de Artes e Turismo - Edição 03/2007 ISSN 1980-6930

Revista Eletrônica Aboré Publicação da Escola Superior de Artes e Turismo - Edição 03/2007 ISSN 1980-6930 AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS NOS HOTÉIS DE CATEGORIA QUATRO ESTRELAS NA CIDADE DE MANAUS SEGUNDO A PERCEPÇÃO DOS COLABORADORES Érica de Souza Rabelo 1 Helen Rita Menezes Coutinho

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Marketing Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Marketing. 1. Introdução Os Projetos

Leia mais

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler 2 Introdução A política corporativa de RH da Schindler define as estratégias relacionadas às ações para com seus colaboradores; baseia-se na Missão e nos

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

Novas matrizes para Classificação Hoteleira. Selo de Qualidade em Turismo. Estudo de Viabilidade para implantação de Hotel Conceito

Novas matrizes para Classificação Hoteleira. Selo de Qualidade em Turismo. Estudo de Viabilidade para implantação de Hotel Conceito Novas matrizes para Classificação Hoteleira Selo de Qualidade em Turismo Estudo de Viabilidade para implantação de Hotel Conceito Brasília, 13 de janeiro de 2010 Novas matrizes para Classificação Hoteleira

Leia mais

COMPETÊNCIA, CONSCIENTIZAÇÃO E TREINAMENTO

COMPETÊNCIA, CONSCIENTIZAÇÃO E TREINAMENTO COMPETÊNCIA, CONSCIENTIZAÇÃO E TREINAMENTO OBJETIVO DA SEÇÃO Esta seção apresenta a Competência, Conscientização e do Sistema da Qualidade da TELEDATA que atende ao item 6.2.2 Norma ISO 9001:2008. DIRETRIZES

Leia mais

Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software

Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software [...] O que é a Qualidade? A qualidade é uma característica intrínseca e multifacetada de um produto (BASILI, et al, 1991; TAUSWORTHE, 1995).

Leia mais

endereço eletrônico) OPCIONAL: http://www.coacavo.com.br/gestao_pdf/avaliacao_desempenho_360grau s.pdf

endereço eletrônico) OPCIONAL: http://www.coacavo.com.br/gestao_pdf/avaliacao_desempenho_360grau s.pdf AV1 Estudo Dirigido da Disciplina CURSO: Gestão de Recursos Humanos DISCIPLINA: Ferramentas de Gestão de Recursos Humanos ALUNO(A):Aline de Souza MATRÍCULA:51811 Ribeiro da Rocha NÚCLEO REGIONAL: DATA:

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Questões sobre o tópico Desenvolvimento e treinamento de pessoal: levantamento de necessidades, programação, execução e avaliação. Olá Pessoal, hoje veremos outro

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE POS GRADUAÇÃO LATO SENSU 2014/2015

PROJETO PEDAGÓGICO DE POS GRADUAÇÃO LATO SENSU 2014/2015 PROJETO PEDAGÓGICO DE POS GRADUAÇÃO LATO SENSU 2014/2015 1- JUSTIFICATIVA O setor de eventos vem passando por uma grande reformulação. Dos eventos corporativos, hoje mais bem estruturados e com foco específico,

Leia mais

FACULDADE ESTÁCIO DE SANTO ANDRÉ SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

FACULDADE ESTÁCIO DE SANTO ANDRÉ SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: CST em Gestão em Recursos Humanos MISSÃO DO CURSO A missão do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos da ESTÁCIO EUROPAN consiste em formar

Leia mais

6 Considerações Finais

6 Considerações Finais 6 Considerações Finais Este capítulo apresenta as conclusões deste estudo, as recomendações gerenciais e as recomendações para futuras pesquisas, buscadas a partir da análise dos casos das empresas A e

Leia mais

Treinamento Gestão da Qualidade - Cartilha

Treinamento Gestão da Qualidade - Cartilha Treinamento Gestão da Qualidade - Cartilha Apresentação A AGM está se estruturando nos princípios da Qualidade Total e nos requisitos da Norma NBR ISO 9001:2000, implantando em nossas operações o SGQ Sistema

Leia mais

CRITÉRIOS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMO DE CERTIFICAÇÃO DE PESSOAS

CRITÉRIOS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMO DE CERTIFICAÇÃO DE PESSOAS CRITÉRIOS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMO DE CERTIFICAÇÃO DE PESSOAS NORMA Nº: NIT-DICOR-004 APROVADA EM JUN/2011 Nº 01/06 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Histórico 5 Documentos

Leia mais

RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO

RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO Apesar de as empresas brasileiras estarem despertando para o valor das ações de educação corporativa em prol dos seus negócios, muitos gestores ainda

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE 1 ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Elaborado por: GT Especial do ABNT/CB-25 Grupo de Aperfeiçoamento do

Leia mais

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL Curso: Tecnologia Social e Educação: para além dos muros da escola Resumo da experiência de Avaliação do Programa "Apoio

Leia mais

Módulo 5 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 7, 7.1, 7.2, 7.3, 7.3.1, 7.3.2, 7.3.3, 7.3.4, 7.4, 7.4.1, 7.4.2, 7.4.3, 7.4.4, 7.

Módulo 5 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 7, 7.1, 7.2, 7.3, 7.3.1, 7.3.2, 7.3.3, 7.3.4, 7.4, 7.4.1, 7.4.2, 7.4.3, 7.4.4, 7. Módulo 5 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 7, 7.1, 7.2, 7.3, 7.3.1, 7.3.2, 7.3.3, 7.3.4, 7.4, 7.4.1, 7.4.2, 7.4.3, 7.4.4, 7.5, 7.5.1, 7.5.2, 7.6, 7.6.1, 7.6.2 Exercícios 7 Competência

Leia mais

O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade).

O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade). O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade). Coordenação Sindicato dos Centros de Formação de Condutores

Leia mais

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS NOS HOTÉIS DE CATEGORIA QUATRO ESTRELAS NA CIDADE DE MANAUS

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS NOS HOTÉIS DE CATEGORIA QUATRO ESTRELAS NA CIDADE DE MANAUS AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS NOS HOTÉIS DE CATEGORIA QUATRO ESTRELAS NA CIDADE DE MANAUS Érica de Souza Rabelo 1 Helen Rita M. Coutinho 2 RESUMO Este artigo científico tem

Leia mais

Gestor-líder: processo dinâmico de criação, habilidade, competência para perceber das limitações do sistema e propor solução rápida;

Gestor-líder: processo dinâmico de criação, habilidade, competência para perceber das limitações do sistema e propor solução rápida; AV1 Estudo Dirigido da Disciplina CURSO: Administração Escolar DISCIPLINA: Gestão de Políticas Participativas ALUNO(A):Mª da Conceição V. da MATRÍCULA: Silva NÚCLEO REGIONAL:Recife DATA:17/09/2013 QUESTÃO

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

CRITÉRIOS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMO DE CERTIFICAÇÃO DE PESSOAS

CRITÉRIOS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMO DE CERTIFICAÇÃO DE PESSOAS CRITÉRIOS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMO DE CERTIFICAÇÃO DE PESSOAS NORMA Nº: NIT-DICOR-004 APROVADA EM MAI/2013 Nº 01/06 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Histórico da Revisão

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

GRADUAÇÃO HOTELARIA BACHARELADO. NOTA MÁXIMA NO MEC Ministério da Educação

GRADUAÇÃO HOTELARIA BACHARELADO. NOTA MÁXIMA NO MEC Ministério da Educação NOTA MÁXIMA NO MEC Ministério da Educação TITULAÇÃO: Bacharel em Hotelaria CARGA HORÁRIA: 3.104 horas DURAÇÃO: 2 anos DIFERENCIAL 2 ANOS A Castelli ESH propõe-se a ofertar o Curso de Graduação em Hotelaria,

Leia mais

AVALIACÃO DO SISTEMA DE RECURSOS HUMANOS DE UMA UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO (UAN) DO MUNICÍPIO DE CAÇAPAVA DO SUL RS 1

AVALIACÃO DO SISTEMA DE RECURSOS HUMANOS DE UMA UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO (UAN) DO MUNICÍPIO DE CAÇAPAVA DO SUL RS 1 AVALIACÃO DO SISTEMA DE RECURSOS HUMANOS DE UMA UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO (UAN) DO MUNICÍPIO DE CAÇAPAVA DO SUL RS 1 DELEVATI, M. 3 ; ROSA, I. 2 ; ORSOLIN, G. 2 ; PAVÃO, T.² 1 Trabalho desenvolvido

Leia mais

Conceitos. Conceitos. Histórico. Histórico. Disciplina: Gestão de Qualidade ISSO FATEC - IPATINGA

Conceitos. Conceitos. Histórico. Histórico. Disciplina: Gestão de Qualidade ISSO FATEC - IPATINGA Disciplina: FATEC - IPATINGA Gestão de ISSO TQC - Controle da Total Vicente Falconi Campos ISO 9001 ISO 14001 OHSAS 18001 Prof.: Marcelo Gomes Franco Conceitos TQC - Total Quality Control Controle da Total

Leia mais

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO * César Raeder Este artigo é uma revisão de literatura que aborda questões relativas ao papel do administrador frente à tecnologia da informação (TI) e sua

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS

O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS Nadia Al-Bdywoui (nadia_alb@hotmail.com) Cássia Ribeiro Sola (cassiaribs@yahoo.com.br) Resumo: Com a constante

Leia mais

A GESTÃO DE PESSOAS NA ÁREA DE FOMENTO MERCANTIL: UM ESTUDO DE CASO NA IGUANA FACTORING FOMENTO MERCANTIL LTDA

A GESTÃO DE PESSOAS NA ÁREA DE FOMENTO MERCANTIL: UM ESTUDO DE CASO NA IGUANA FACTORING FOMENTO MERCANTIL LTDA ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 A GESTÃO DE PESSOAS NA ÁREA DE FOMENTO MERCANTIL: UM ESTUDO DE CASO NA IGUANA FACTORING FOMENTO MERCANTIL

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas

MBA em Gestão de Pessoas REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Profª. Dra. Ana Ligia Nunes Finamor A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios foi fundada

Leia mais

25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1

25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 RECURSOS HUMANOS EM UMA ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR COM PERSPECTIVA DE DESENVOLVIVENTO DO CLIMA ORGANIZACONAL: O CASO DO HOSPITAL WILSON ROSADO EM MOSSORÓ RN

Leia mais

Deming (William Edwards Deming)

Deming (William Edwards Deming) Abordagens dos principais autores relativas ao Gerenciamento da Qualidade. Objetivo: Estabelecer base teórica para o estudo da Gestão da Qualidade Procura-se descrever, a seguir, as principais contribuições

Leia mais

High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil

High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil P e s q u i s a d a F u n d a ç ã o G e t u l i o V a r g a s I n s t i t u t o d e D e s e n v o l v i m e n t o E d u c a c i o n a l Conteúdo 1. Propósito

Leia mais

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ÍNDICE em ordem alfabética: Artigo 1 - ENDOMARKETING: UMA FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA DESENVOLVER O COMPROMETIMENTO... pág. 2 Artigo 2 - MOTIVANDO-SE... pág. 4 Artigo 3 - RECURSOS

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIADA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIADA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIADA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2013/01 a 2013/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Diagnóstico geral

Leia mais

SEGMENTAÇÃO DO PUBLICO PARA UMA ECOPOUSADA EM IBIRAMA SC

SEGMENTAÇÃO DO PUBLICO PARA UMA ECOPOUSADA EM IBIRAMA SC SEGMENTAÇÃO DO PUBLICO PARA UMA ECOPOUSADA EM IBIRAMA SC 1 INTRODUÇÃO Alice Mecabô 1 ; Bruna Medeiro 2 ; Marco Aurelio Dias 3 O turismo é uma atividade que hoje é considerada um dos meios econômicos que

Leia mais

FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO

FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO COMO AS MUDANÇAS NAS ORGANIZAÇÕES ESTÃO IMPACTANDO A ÁREA DE RECURSOS HUMANOS Paola Moreno Giglioti Administração

Leia mais

FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA

FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA 04) O que é uma Norma Aquilo que se estabelece como base ou medida para a realização

Leia mais

A QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NA ÁREA DE COLHEITA FLORESTAL MECANIZADA

A QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NA ÁREA DE COLHEITA FLORESTAL MECANIZADA A QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NA ÁREA DE COLHEITA FLORESTAL MECANIZADA Edna Ap Esquinelato da Silva 1 Eliete Santana 1 Elton Dias da Paz 1 Priscila Alves da Silva 1 RESUMO Colheita Floresta é o processo

Leia mais

OS 14 PONTOS DA FILOSOFIA DE DEMING

OS 14 PONTOS DA FILOSOFIA DE DEMING OS 14 PONTOS DA FILOSOFIA DE DEMING 1. Estabelecer a constância de propósitos para a melhoria dos bens e serviços A alta administração deve demonstrar constantemente seu comprometimento com os objetivos

Leia mais

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional.

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Empresa MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Nossa filosofia e oferecer ferramentas de gestão focadas na

Leia mais

POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - NOR 350

POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - NOR 350 MANUAL DE GESTÃO DE PESSOAS COD. 300 ASSUNTO: POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA APROVAÇÃO: Resolução DIREX nº 462, de 10/09/2012. VIGÊNCIA: 10/09/2012 POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - NOR 350 1/6 ÍNDICE

Leia mais

Auditoria Interna Como assessoria das entidades

Auditoria Interna Como assessoria das entidades Auditoria Interna Como assessoria das entidades Francieli Hobus 1 Resumo A auditoria interna vem se tornando a cada dia, uma ferramenta indispensável para as entidades. Isso está ocorrendo devido à preocupação

Leia mais

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES AVALIAÇÃO DE COLABORADORES RESUMO A preocupação com o desempenho dos colaboradores é um dos fatores que faz parte do dia-a-dia da nossa empresas. A avaliação de desempenho está se tornando parte atuante

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação Pesquisa realizada com os participantes do de Apresentação O perfil do profissional de Projetos Pesquisa realizada durante o 12 Seminário Nacional de, ocorrido em 2009, traça um importante perfil do profissional

Leia mais

Importância da normalização para as Micro e Pequenas Empresas 1. Normas só são importantes para as grandes empresas...

Importância da normalização para as Micro e Pequenas Empresas 1. Normas só são importantes para as grandes empresas... APRESENTAÇÃO O incremento da competitividade é um fator decisivo para a maior inserção das Micro e Pequenas Empresas (MPE), em mercados externos cada vez mais globalizados. Internamente, as MPE estão inseridas

Leia mais

Enquete. O líder e a liderança

Enquete. O líder e a liderança Enquete O líder e a liderança Muitas vezes, o sucesso ou fracasso das empresas e dos setores são creditados ao desempenho da liderança. Em alguns casos chega-se a demitir o líder, mesmo aquele muito querido,

Leia mais

MÓDULO 14 Sistema de Gestão da Qualidade (ISO 9000)

MÓDULO 14 Sistema de Gestão da Qualidade (ISO 9000) MÓDULO 14 Sistema de Gestão da Qualidade (ISO 9000) Ao longo do tempo as organizações sempre buscaram, ainda que empiricamente, caminhos para sua sobrevivência, manutenção e crescimento no mercado competitivo.

Leia mais

Utilização dos processos de RH em algumas empresas da cidade de Bambuí: um estudo multi-caso

Utilização dos processos de RH em algumas empresas da cidade de Bambuí: um estudo multi-caso III Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG campus Bambuí II Jornada Científica 9 a 23 de Outubro de 200 Utilização dos processos de RH em algumas empresas da cidade de Bambuí: um estudo multi-caso Sablina

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA)

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA) ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA) A administração participativa é uma filosofia ou política de administração de pessoas, que valoriza sua capacidade de tomar decisões e resolver problemas,

Leia mais

ESTUDOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA CIVIL

ESTUDOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA CIVIL ESTUDOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA CIVIL ANA LAURA CANASSA BASSETO (UTFPR) alcanassa@hotmail.com Caroline Marqueti Sathler (UTFPR)

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE 1 ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE (D.O 01 revisão 05, de 22 de março de 2011) 2 SUMÁRIO PARTE I INTRODUÇÃO

Leia mais

IMPORTANTES ÁREAS PARA SUCESSO DE UMA EMPRESA

IMPORTANTES ÁREAS PARA SUCESSO DE UMA EMPRESA IMPORTANTES ÁREAS PARA SUCESSO DE UMA EMPRESA SILVA, Paulo Henrique Rodrigues da Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerencias E-mail: ph.rs@hotmail.com SILVA, Thiago Ferreira da Docente da Faculdade

Leia mais

EDUCAÇÃO EXECUTIVA PARA O MERCADO FINANCEIRO MAIO / 2005 108-TC-B4

EDUCAÇÃO EXECUTIVA PARA O MERCADO FINANCEIRO MAIO / 2005 108-TC-B4 1 EDUCAÇÃO EXECUTIVA PARA O MERCADO FINANCEIRO MAIO / 2005 108-TC-B4 NADINE WASSMER TREINA E-LEARNING treina@treina.com.br ROSANA GOMES CONTEÚDOS E HABILIDADES EDUCAÇÃO CORPORATIVA DESCRIÇÃO DE PROJETO

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011 Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade Julho/2011 GESPÚBLICA Perfil do Facilitador Servidor de carreira que tenha credibilidade Bom relacionamento interpessoal Acesso a alta administração

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO. Sumário I) OBJETIVO 02. 1) Público alvo 02. 2) Metodologia 02. 3) Monografia / Trabalho final 02

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO. Sumário I) OBJETIVO 02. 1) Público alvo 02. 2) Metodologia 02. 3) Monografia / Trabalho final 02 Sumário Pág. I) OBJETIVO 02 II) ESTRUTURA DO CURSO 1) Público alvo 02 2) Metodologia 02 3) Monografia / Trabalho final 02 4) Avaliação da aprendizagem 03 5) Dias e horários de aula 03 6) Distribuição de

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05 RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05 Aprova a NBC T 11.8 Supervisão e Controle de Qualidade. O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, Considerando que as Normas

Leia mais

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão Esse artigo tem como objetivo apresentar estratégias para assegurar uma equipe eficiente em cargos de liderança, mantendo um ciclo virtuoso

Leia mais

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 3 } 1. INTRODUÇÃO: PARQUE TECNOLÓGICO CAPITAL DIGITAL - PTCD Principal polo de desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação do Distrito Federal, o PTCD

Leia mais

METODOLOGIA HSM Centrada nos participantes com professores com experiência executiva, materiais especialmente desenvolvidos e infraestrutura tecnológica privilegiada. O conteúdo exclusivo dos especialistas

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Projetos tem por fornecer conhecimento teórico instrumental que

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV MANUAL DA QUALIDADE Manual da Qualidade - MQ Página 1 de 15 ÍNDICE MANUAL DA QUALIDADE 1 INTRODUÇÃO...3 1.1 EMPRESA...3 1.2 HISTÓRICO...3 1.3 MISSÃO...4 1.4 VISÃO...4 1.5 FILOSOFIA...4 1.6 VALORES...5

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

CURSO FERRAMENTAS DE GESTÃO IN COMPANY

CURSO FERRAMENTAS DE GESTÃO IN COMPANY CURSO FERRAMENTAS DE GESTÃO IN COMPANY Instrumental e modular, o Ferramentas de Gestão é uma oportunidade de aperfeiçoamento para quem busca conteúdo de qualidade ao gerenciar ações sociais de empresas

Leia mais

6 Metodologia. 6.1 Situando a pesquisa

6 Metodologia. 6.1 Situando a pesquisa 6 Metodologia Apresento neste capítulo a metodologia utilizada nesta pesquisa, o contexto em que ocorreu a coleta de dados, os participantes, os instrumentos usados e os procedimentos metodológicos para

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: compartilhamento de conhecimento; gestão do conhecimento; responsabilidade social.

PALAVRAS-CHAVE: compartilhamento de conhecimento; gestão do conhecimento; responsabilidade social. PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DOS SERVIDORES DA UNICENTRO, PROVARS: COMPARTILHANDO CONHECIMENTOS PARA A EFETIVAÇÃO DE UMA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL. RESUMO: O presente trabalho pretendeu verificar

Leia mais

Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores

Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores Com uma abordagem inovadora e lúdica, o professor Paulo Gerhardt tem conquistado plateias em todo o Brasil. Seu profundo

Leia mais

O Valor da TI. Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação. Conhecimento em Tecnologia da Informação

O Valor da TI. Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação. Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação O Valor da TI Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação 2010 Bridge Consulting

Leia mais

COMPETÊNCIAS PARA A EMPREGABILIDADE NAS ORGANIZAÇÕES

COMPETÊNCIAS PARA A EMPREGABILIDADE NAS ORGANIZAÇÕES t COMPETÊNCIAS PARA A EMPREGABILIDADE NAS ORGANIZAÇÕES Joaquim Domingos Maciel Faculdade Sumaré joaquim.mackim@gmail.com RESUMO: Este artigo pretende alertar estudantes e profissionais para a compreensão

Leia mais

Melhor Prática vencedora: Serviços e Equipamentos Turísticos (Capital) Capacitação para profissionais do setor: Manual para Atendimento ao turista

Melhor Prática vencedora: Serviços e Equipamentos Turísticos (Capital) Capacitação para profissionais do setor: Manual para Atendimento ao turista 1 Melhor Prática vencedora: Serviços e Equipamentos Turísticos (Capital) Capacitação para profissionais do setor: Manual para Atendimento ao turista DESTINO: Vitória/ES INSTITUIÇÃO PROMOTORA: Secretaria

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL UTILIZANDO O MÉTODO SURVEY, COM OS COLABORADORES DE UMA EMPRESA DO RAMO DA CONTRUÇÃO CIVIL

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL UTILIZANDO O MÉTODO SURVEY, COM OS COLABORADORES DE UMA EMPRESA DO RAMO DA CONTRUÇÃO CIVIL PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL UTILIZANDO O MÉTODO SURVEY, COM OS COLABORADORES DE UMA EMPRESA DO RAMO DA CONTRUÇÃO CIVIL Julia Ferreira de Moraes (EEL-USP) moraes.julia@hotmail.com Everton Azevedo Schirmer

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA AS EMPRESAS

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA AS EMPRESAS A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA AS EMPRESAS Gilmar da Silva, Tatiane Serrano dos Santos * Professora: Adriana Toledo * RESUMO: Este artigo avalia o Sistema de Informação Gerencial

Leia mais

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade Eficácia e Liderança de Performance O Administrador na Gestão de Pessoas Grupo de Estudos em Administração de Pessoas - GEAPE 27 de novembro

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2014/01 a 2014/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Análise dos resultados

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA QUALIDADE DE VIDA PARA O TRABALHADOR NA GRÁFICA E EDITORA BRASIL

A IMPORTÂNCIA DA QUALIDADE DE VIDA PARA O TRABALHADOR NA GRÁFICA E EDITORA BRASIL FACULDADES INTEGRADAS DO PLANALTO CENTRAL Aprovadas pela Portaria SESu/MEC Nº. 368/08 (DOU 20/05/2008) CURSO DE ADMINISTRAÇÃO A IMPORTÂNCIA DA QUALIDADE DE VIDA PARA O TRABALHADOR NA GRÁFICA E EDITORA

Leia mais

O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES

O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES CHAVES, Natália Azenha Discente do Curso de Psicologia da Faculdade de Ciências da Saúde FASU/ACEG GARÇA/SP BRASIL e-mail: natalya_azenha@hotmail.com

Leia mais

UNIBRASIL Faculdades Integradas do Brasil MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE TURISMO

UNIBRASIL Faculdades Integradas do Brasil MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE TURISMO UNIBRASIL Faculdades Integradas do Brasil MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE TURISMO CURITIBA 2011 CURSO DE TURISMO ESCOLA DE NEGÓCIOS MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Ao fazer o

Leia mais