ABESI N F O R M A. A festa do XII PNQS em Porto Alegre Studio Aronis. Diretoria aprova incentivo para novos sócios

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ABESI N F O R M A. A festa do XII PNQS em Porto Alegre Studio Aronis. Diretoria aprova incentivo para novos sócios"

Transcrição

1 19 de novembro de 2008 A festa do XII PQS em Porto Alegre Studio Aronis Em solenidade na terça-feira (18) à noite no centro de eventos do hotel Plaza São Rafael, em Porto Alegre, a ABES entregou às empresas de saneamento e concessionárias de água e esgoto os prêmios do XII Programa acional de Qualidade em Saneamento PQS, em sua edição Troféus, medalhas e certificados conferem aos agraciados o reconhecimento a essas empresas que se destacaram em projetos de qualidade na área de saneamento ambiental. a manhã do mesmo dia, os concorrentes ao prêmio de Inovação em Gestão de Saneamento participaram de um seminário de benchmark, já tradicional na preparação do grande evento. À tarde, foi feita a entrega da Medalha Quirón, de reconhecimen- Cassilda com os agraciados e no discurso de abertura to do trabalho de pessoas na elaboração de projetos de saneamento, e a apresentação de empresas premiadas nos três níveis (Platina, Ouro e Prata). Mais PQS nas páginas 2 e 3. Diretoria aprova incentivo para novos sócios Quem quiser se associar à ABES ainda este ano, terá direito a receber todas as publicações da instituição em 2008, pagando apenas a mensalidade de dezembro, no valor de R$ 16,00. A decisão foi da Diretoria acional, reunida em Porto Alegre no dia 17 (segunda-feira), para estimular a filiação de novos sócios. a mesma segunda-feira, foi realizada na capital gaúcha a reunião do Conselho Diretor. o dia seguinte, a consultora de treinamento da ABES, Vasti de Moura Ribeiro, promoveu reunião com as seções estaduais Sul-Sudeste para discutir o Plano de Capacitação. Reunião semelhante foi feita semana passada em Recife e será feita também nas demais regiões.

2 XII PQS Ellen: o maior benefício é para a população A tônica comum destacada nos discursos da cerimônia de premiação - que teve a presença do secretário acional de Saneamento, Leodegard Tiscoski, do presidente da Associação das Empresas de Saneamento Básico Estaduais (Aesbe), Stênio Jacob, do presidente da Associação Interamericana de Engenharia Sanitária e Ambiental (AIidis), Carlos Rosito, autoridades estaduais e municipais e centenas de funcionários entusiasmados com a conquista dos prêmios - foi sobre o resultado: um bom serviço de saneamento. Isto significa, na prática, melhor qualidade de vida para a população. A maior beneficiada com a qualidade no atendimento é a população. A diferença entre ser ou não eficiente na área de saneamento pode significar atender a mais brasileiros com água de qualidade e serviços adequados de saneamento, disse a engenheira química Ellen Pritsch, tesoureira geral adjunta da ABES e secretária executiva do Comitê acional da Qualidade. O hábito da excelência Uma das premissas básicas do PQS, criado há 12 anos pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES), é que a excelência não é um feito, é um hábito como destacou Ellen. Ellen Pritsch na cerimônia de premiação e os participantes do seminário de benchmark, realizado na véspera Fotos Studio Aronis O PQS se materializa em uma análise criteriosa, mensurável e transparente dos sistemas de água, esgoto e resíduos sólidos que aceitam o desafio de se candidatar. O primeiro passo é uma autoavaliação do sistema, depois vem um plano de melhorias e, na etapa final, são recebidos os examinadores externos, auditores treinados pela ABES, que passam dois dias em cada unidade, checando, com fatos e evidências, a pontuação em cada critério. Em um serviço complexo, como é o abastecimento de água ou a coleta e tratamento de esgotos, uma radiografia completa é a ferramenta principal para tirar o melhor rendimento de uma infra-estrutura que precisa estar sempre em Cecy Oliveira bom funcionamento. Otimizar pode ser simplesmente saber os horários de maior consumo para que naquele momento os reservatórios estejam cheios explica Alberto Carlos Paganella, gerente da Unidade de Saneamento da Corsan em Vacaria (RS), uma das agraciadas da noite de terça-feira. E acrescenta que não é preciso o sistema trabalhar com toda a força, 24h por dia, para que a população seja plenamente abastecida. Isto significa menos gasto em energia, insumos e horas de trabalho, o que deixa sobras que podem ser aplicadas em correções de vazamentos, agilização de ligações e outros serviços. O que caracteriza as mais de 100 unidades participantes do programa ao longo destes 12 anos, premiadas ou não, são indicadores que podem ser considerados de primeiro mundo : controle e redução drástica de perdas, baixa inadimplência e reclamação, e alta avaliação por parte da comunidade, consubstanciada em pesquisas de opinião que são obrigatórias.

3 XII PQS A lista das agraciadas em Porto Alegre Estas são as unidades premiadas na edição Um grupo representante das unidades que receberam o prêmio vai integrar uma missão que visitará, de 5 a 13 de dezembro, as cidades de Roma e Florença, na Itália, para conhecer os sistemas de gestão de água, esgotos e resíduos sólidos das duas cidades. ível III Troféu Platina: Companhia de Saneamento de São Paulo (Sabesp) - Unidade de egócio Sul ível II Troféu Ouro: Daep- Departamento Autônomo de Água e Esgoto de Penápolis (SP); Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) - Departamento Operacional ordeste e Departamento Operacional Sudeste. ível II Troféu Prata Citágua - Águas de Cachoeiro do Itapemirim (ES) concessão privada; Copasa - Departamento Operacional da Região Metropolitana e Departamento Operacional Sul Corsan (RS) - Unidade de Saneamento de Vacaria. ível I Troféu Bronze Companhia de Saneamento do Ceará (Cagece) - Unidades de egócio Metropolitana Leste, Metropolitana orte, Metropolitana Oeste e Metropolitana Sul; Companhia de Saneamento do Espírito Santo (Cesan) - Pólo de Piúma; Companhia Águas de Joinville (serviço municipal); Corsan - Unidade de Saneamento de Erechim; Sabesp - Escritórios Regionais de Barueri; Embu, Pirajussara e Ribeirão Pires; Unidades de egócio orte e de Tratamento de Esgotos Metropolitana; Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) - Gerência Geral da Região Metropolitana de Londrina; Simae - Serviço Intermunicipal de Água e Esgoto de Joaçaba (SC); Distinção ível III: Certificado Avanços para a Excelência Águas do Amazonas S/A serviço privado da cidade de Manaus; Copasa Departamento Operacional Centro-Oeste; Sabesp Unidades de egócio Centro e de Produção de Água da Metropolitana; Cesan Pólo de Montanha; Corsan Unidade de Saneamento de ão-me-toque; Restinga Seca; São Lourenço do Sul e Taquara; Sabesp Setor de Efluentes ão Domésticos Centro MCED4

4 ISTITUCIOAL ABES da Bahia fecha parcerias para 2009 Ação conjunta com ABAS e ABRH O diretor da ABES para a Região ordeste, Álvaro José Menezes da Costa, participou em atal, de 11 a 14 de novembro, do 15º Congresso Brasileiro de Águas Subterrâneas, evento patrocinado em conjunto pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do Rio Grande do orte e ABAS - Associação Brasileira de Águas Subterrâneas. O evento, que celebra os 30 anos de criação da ABAS, foi realizado simultaneamente com o 16º Encontro acional de Perfuradores de Poços e a Feira acional de Água. Recursos Hídricos Segundo Álvaro, que participou do painel O Papel das Associações Técnico- Científicas em Recursos Hídricos - ecessidade de Integração, ficou acertado que a ABES irá trabalhar em conjunto com a ABAS e a ABRH Associação Brasileira dos Recursos Hídricos com uma agenda política integrada para fortalecer a gestão de recursos hídricos no Brasil. Além disso, as três entidades irão promover um evento em conjunto na comemoração da próxima Semana da Água. A seção da ABES na Bahia vem desenvolvendo uma série de ações dentro do escopo do Planejamento Estratégico da Diretoria acional, discutido no Rio de Janeiro em setembro. Em conseqüência, estabeleceram-se diversas parcerias locais destinadas a produzir desdob r a m e n t o s no próximo ano. Com alguns desses parceiros, como foi o caso da Embasa, a ABES/BA p a r t i c i p o u da reunião de planejamento estratégico da e m p r e s a para o período 2009/2011. Além da Embasa, também estão em entendimentos com a seção baiana da ABES a Federação das Indústrias, a Secretaria do Meio Ambiente, a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e a Companhia de Engenharia Ambiental da Bahia, além de outras entidades privadas e setores acadêmicos. Dessas conversações nasceu um Curso de Licenciamento Ambiental, realizado entre 11 e 13 de novembro, com presença de mais de 90 técnicos, entre eles cerca de 60 representantes da Embasa, todos interessados na nova legislação ambiental em vigor no Estado da Bahia. Das conversações com a Embasa também resultou um convênio de cooperação técnica envolvendo a universidade corporativa da empresa baiana de saneamento, prevendo a realização de ABES foi à reunião de planejamento da Embasa diversos cursos e eventos, muitos deles destinados a capacitação de operadores e técnicos lotados nas diversas da empresa baiana. Com o setor acadêmico, já resultaram três eventos, realizados na cidade de Feira de Santana, em parceria com a Faculdade de Tecnologia e Ciências, envolvendo alunos e professores dos cursos de Engenharia Civil e Engenharia Ambiental daquela faculdade. Dois professores da Universidade de Virgínia, Estados Unidos, em visita à Bahia, fizeram palestra num desses eventos.

5 empresas Fortaleza tira 800t de lixo da rede de esgoto Manutenção preventiva em Fortaleza reduz obstruções na rede de esgoto consultoria Bolívia procura consultores brasileiros A Fundação Puma (Fundação de Proteção e Uso Sustentável do Meio Ambiente), entidade ambientalista nascida na Bolívia em 1991, está convidando consultores para que se candidatem à execução do programa Desenvolvimento Organizacional Básico em diferentes regiões daquele país, O trabalho consiste em dar assistência técnica, na fase de investimento, a beneficiários de projetos financiados pela Fundação Puma. O prazo de candidaturas se encerra no dia 24 de novembro deste ano. Mais informações no site Areia, roupas, itens de higiene, plásticos e pedaços de madeira são retirados todos os dias das tubulações e estações de esgoto da Cagece em Fortaleza. São 800 toneladas de material sólido retirado todo mês e encaminhado ao aterro sanitário de Caucaia. Material que, se não for retirado, vai obstruir a rede e produzir transbordamentos. São cerca de obstruções por mês, das quais aproximadamente 50% são provocadas por areia sedimentada, 35% por lixo doméstico (roupas, absorventes, papéis, etc.) e 15% por outros fatores, como excesso de gordura ou resíduos industriais. Para prevenir estas ocorrências, a Cagece faz manutenções preventivas e ações de educação sanitária, sensibilizando os moradores para o uso adequado da rede. Somente em Fortaleza, cuja população já supera 2 milhões de habitantes, operam 40 estações elevatórias e 45 estações de tratamento de esgoto. conselho das cidades ABES discute em Brasília o Pacto pelo Saneamento A ABES, representada pelo engenheiro Dante Ragazzi Pauli, participou em Brasília, na semana passada, de seminário com presença dos integrantes do Conselho das Cidades, incluindo poder público, movimentos populares, concessionárias, empresários, academia, entre outros, para discutir o Pacto pelo Saneamento Básico e pela Cidadania. O documento reflete os princípios básicos do Plano acional de Saneamento Básico, e será apresentado durante o Seminário Brasil no Ano Internacional do Saneamento que será realizado nos próximos dias 4 e 5 de dezembro, no Auditório do Mercure Hotel Brasília.

6 eventos Brasília acolhe congresso de engenheiros Será realizado em Brasília, de 2 a 6 de dezembro, o Congresso Mundial de Engenheiros, promovido a cada 4 anos em um país desde o ano 2000, quando se reuniu o primeiro, na Alemanha. Em Brasília, o tema será Engenharia: Inovação com Responsabilidade Social. Mais informações: Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília Romildo Guerrante meio ambiente Os vencedores do Chico Mendes O município de Lucas do Rio Verde, em Mato Grosso, foi o primeiro colocado na 5ª edição do Prêmio Chico Mendes, do Ministério do Meio Ambiente, na categoria Município. Houve mais cinco Atividade do Vaga Lume em Rondônia agraciados em primeiro lugar, cada um em uma categoria: Ana Maria Carvalho Ribeiro Lange, consultora indigenista da Eletronorte, em Liderança Individual; a Associação de Seringueiros Kaxinawa do Rio Jordão, de Rio Branco, Acre, na categoria Associação Comunitária; o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia - Imazon, de Belém, capital do Pará, em Organização ão-governamental; a Associação Halitinã, Tangará da Serra (MT), em egócios Sustentáveis; e o Programa Rede dos Vaga Lumes, da Associação Vaga Lume, São Paulo, capital, na categoria Educação Ambiental. Os primeiros colocados receberão prêmio de R$ 28 mil - exceto a categoria Município - e diploma honorífico. A entrega dos prêmios está prevista para dezembro, no Rio de Janeiro. O Prêmio Chico Mendes foi criado em 2002 para valorizar e incentivar trabalhos voltados para a proteção do meio ambiente no bioma Amazônia. recursos hídricos Copasa devolve água Caxambu ao mercado Considerada uma das melhores águas do mundo, a tradicional água mineral Caxambu volta ao mercado. A Copasa, por meio de sua subsidiária Copasa Águas Minerais de Minas S/A, iniciou a sua comercialização em Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília. A água mineral Caxambu é uma água gourmet por excelência, com uma capacidade natural de ampliar a sensibilidade do paladar, auxiliando na percepção dos sabores de pratos e vinhos. Produzida na tradicional estância da cidade de Caxambu, na região Sul de Minas, essa água mineral é patrimônio histórico-cultural do estado. Explorada desde 1762, é referência no mercado de águas premium.

7 opinião Metano: mocinho ou bandido? De alguns anos para cá, com o advento das discussões sobre mudanças climáticas, surgiram várias campanhas para reduzir a emissão do gás carbônico na atmosfera. essas discussões apareceu o gás metano (CH4) como um dos complicadores da desordem climatológica. Os técnicos o consideram 25 vezes mais danoso ao meio ambiente do que qualquer outro gás. É o principal componente do gás natural e um dos gases causadores do efeito estufa. Segundo estimativa da EPA United States Environmental Protection Agency, é o terceiro da lista dos gases responsáveis pelo aquecimento global e responsável por 23% do efeito estufa só perde para o gás carbônico, o CO2, que responde por 70%. Embora o volume de metano presente na atmosfera seja menor que o de carbono, seu potencial de aquecimento é 60 vezes maior que os outros gases, devido à alta capacidade de absorção de calor. O metano é produzido pela decomposição de matéria orgânica nos aterros sanitários e nos lixões, em plantações de arroz, na criação de bovinos, na mineração e nas operações com gás e petróleo. O lixo depositado em ater- Luiz Fernando Lucho do Valle* ros é um grande produtor de metano, através de um processo de decomposição anaeróbia (sem oxigênio) da matéria orgânica. É uma rica fonte de energia. Se capturado, pode ser canalizado e usado como fonte energética alternativa - para acionar motores de combustão interna que acionam geradores de energia elétrica, por exemplo. As atividades humanas são responsáveis por 60% da emissão mundial de carbono. O restante vem de fontes naturais. A principal forma de reduzir as emissões de metano gerado pelos aterros envolve a coleta e queima ou utilização do gás, mas isso não anula a urgência de diminuir a emissão do metano, que vêm aumentando consideravelmente nos últimos anos. A perda do metano na atmosfera contribui para o efeito estufa, pois seu contato com o oxigênio do ar produz uma queima incompleta, que gera o também nocivo monóxido de carbono. Entre dezembro de 2001 e abril de 2004, foi realizada ampla pesquisa sobre o potencial para produção de energia e redução da poluição com o uso do biogás gerado por aterros sanitários e lixões no país. O trabalho foi encomendado pelo Ministério do Meio Ambiente e conduzido pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, da Universidade de São Paulo (USP). O estudo mostrou que o Brasil poderia gerar, até 2015, 440 MW de energia, por exemplo, usando um gás que hoje é lançado na atmosfera. ão é uma insensatez entrarmos no limiar de um novo apagão energético, enquanto, paradoxalmente, permitimos que uma energia tão necessária escape de nossas mãos, e ainda mais, que ao escapar resulte em dano ao meio ambiente? (*) Engenheiro civil, presidente da Ecoesfera Empreendimentos

8 8 RESÍDUOS SÓLIDOS Catadores: coleta tem de ser política pública Terminou no sábado (16), no Rio de Janeiro, o 1º Congresso Estadual do Movimento acional dos Catadores de Materiais Recicláveis, que tem o objetivo de promover a mobilização dos catadores fluminenses e iniciar as discussões sobre o fechamento e a erradicação dos lixões. O líder do movimento no estado, Sebastião Carlos dos Santos, disse que a idéia é disseminar a coleta seletiva não apenas como um projeto de inclusão social, mas como uma política pública de geração de trabalho e renda e de preservação ambiental. As pessoas falam muito de meio ambiente, mas se esquecem que meio ambiente e coleta seletiva caminham juntos. E, principalmente, que existe um protagonista nessa história, que é o catador de materiais recicláveis. É preciso, frisou Sebastião dos Santos, que a coleta seletiva seja encarada pelas autoridades municipais como uma política pública, a exemplo do que acontece com relação à saúde e à educação. Até porque coleta seletiva sem Líder dos catadores diz que eles são protagonistas na história da coleta catador não é coleta. É lixo. A gente quer também mostrar que essa categoria está trabalhando há vários anos de forma precária, sofrendo vários estigmas como ladrão, marginal, mendigo, catador de lixo. (Fonte: Agência Brasil). institucional Página nova da ABES Está no ar desde 6 de novembro a nova página da ABES na internet. Mais limpa, mais clara, mais fácil de navegar, a nova página é uma criação do designer Thiago Oliveira Lobão. Ao redesenhar o site da ABES, busquei organizar as informações de modo que, ao acessar a página, o visitante tivesse, logo no primeiro olhar, a visão do caminho a percorrer Fome Zero para chegar à informação desejada, explica o designer. Para Thiago, a rapidez no acesso da informação é fundamental para descongestionar todo o sistema de operação da página. Quanto mais tempo se perde na navegação, mais desperdício, mais cansaço, menos produtividade, conclui. EXPEDIETE ABES Informa é um informativo eletrônico da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental - ABES, atualizado semanalmente e enviado via Internet para todos os sócios da entidade. Diretor Responsável: Cassilda Teixeira de Carvalho Presidente acional da ABES Coordenadora GERAL: Maria Isabel Pulcherio Guimarães Editor de conteúdo: Romildo Guerrante (MTB RJ) Projeto Gráfico: Flap Design/ ena Braga Editoração eletrônica: ABES/ Thiago Oliveira Lobão Clique aqui para ver as edições anteriores

Chapa Universalizando atitudes, consolidando resultados é eleita

Chapa Universalizando atitudes, consolidando resultados é eleita BIÊNIO 2014/2016 Chapa Universalizando atitudes, consolidando resultados é eleita Associados de todo o Brasil elegeram, nos dias 5 e 6 de junho, a chapa Universalizando atitudes, consolidando resultados

Leia mais

ABES/RS em defesa da água

ABES/RS em defesa da água 1º de OVEMBRO de 2006 ABES/RS em defesa da água EVETOS Fitabes 2007: espaço à disposição Mais de 20 empresas já reservaram espaço na Expominas para a Fitabes 2007, a feira... Pág. 4 AIDIS em Punta del

Leia mais

ESTRATÉGIAS E DESAFIOS PARA A IMPLANTAÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

ESTRATÉGIAS E DESAFIOS PARA A IMPLANTAÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS ESTRATÉGIAS E DESAFIOS PARA A IMPLANTAÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Geraldo Antônio Reichert Coordenador da Câmara Temática de Resíduos Sólidos ABES Associação Brasileira de Engenharia Sanitária

Leia mais

Compromisso com a Engenharia e o Brasil

Compromisso com a Engenharia e o Brasil Compromisso com a Engenharia e o Brasil Quem Somos SENGE - BA é uma entidade autônoma, sem fins lucrativos, constituída para a coordenação, defesa e representação dos engenheiros e engenheiras da Bahia

Leia mais

BDMG. Semana Mineira de Redução de Resíduos. Instrumentos Financeiros para Redução de Resíduos

BDMG. Semana Mineira de Redução de Resíduos. Instrumentos Financeiros para Redução de Resíduos BDMG Semana Mineira de Redução de Resíduos Instrumentos Financeiros para Redução de Resíduos Novembro de 2010 BDMG Desenvolvimento, inclusão social e sustentabilidade Perfil do BDMG Fundação: Lei Estadual

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: CONHECENDO A COLETA SELETIVA. Categoria do projeto: II Projetos em implantação (projetos que estão em fase inicial)

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: CONHECENDO A COLETA SELETIVA. Categoria do projeto: II Projetos em implantação (projetos que estão em fase inicial) EDUCAÇÃO AMBIENTAL: CONHECENDO A COLETA SELETIVA Mostra Local de: Araruna Categoria do projeto: II Projetos em implantação (projetos que estão em fase inicial) Nome da Instituição/Empresa: JK Consultoria

Leia mais

Diadesol, uma festa de conscientização

Diadesol, uma festa de conscientização 1º de outubro de 2008 Diadesol, uma festa de conscientização A seção gaúcha da ABES encerrou na sexta-feira passada (26) uma série de atividades para comemorar o Dia Interamericano de Limpeza e Cidadania,

Leia mais

Desenvolvimento da agenda sustentabilidade & negócios

Desenvolvimento da agenda sustentabilidade & negócios Desenvolvimento da agenda sustentabilidade & negócios Em 2013, a Duratex lançou sua Plataforma 2016, marco zero do planejamento estratégico de sustentabilidade da Companhia. A estratégia baseia-se em três

Leia mais

Projeto para Aplicação de MDL na Redução de Emissões em Aterros de Resíduos Sólidos

Projeto para Aplicação de MDL na Redução de Emissões em Aterros de Resíduos Sólidos MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Secretaria de Qualidade Ambiental nos Assentamento Humanos MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Projeto para Aplicação de MDL na Redução de Emissões

Leia mais

Parcerias. São parceiros estratégicos no desenvolvimento das UREs:

Parcerias. São parceiros estratégicos no desenvolvimento das UREs: Institucional A Unidade de Recuperação Energética (URE) Barueri é um empreendimento da Foxx Haztec, empresa líder em serviços ambientais no Brasil com atuação nas áreas de resíduos sólidos, consultoria

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL Reciclagem e Valorizaçã ção o de Resíduos Sólidos S - Meio Ambiente UNIVERSIDADE DE SÃO S O PAULO "PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL" Associação sem fins lucrativos, o CEMPRE se dedica à promoção

Leia mais

Prêmio Socioambiental CHICO MENDES. PROCERT Programa de Certificação do Compromisso da Responsabilidade Socioambiental. Edição 2013 SELO VERDE

Prêmio Socioambiental CHICO MENDES. PROCERT Programa de Certificação do Compromisso da Responsabilidade Socioambiental. Edição 2013 SELO VERDE Prêmio Socioambiental CHICO MENDES PROCERT Programa de Certificação do Compromisso da Responsabilidade Socioambiental. Edição 2013 SELO VERDE REGULAMENTO 1 DO PROMOTOR E OBJETIVOS 1.1 - A realização da

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2008

PROJETO DE LEI Nº, DE 2008 PROJETO DE LEI Nº, DE 2008 (Do Sr. Lelo Coimbra) Institui o Programa Nacional de Geração de Energia Elétrica a partir do Lixo (Progel) e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Fica

Leia mais

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS O mundo inteiro discute, nos dias de hoje, a adoção de medidas globais e locais com o objetivo de diminuir ou, quem sabe, reverter o avanço dos efeitos do aquecimento global. Ações

Leia mais

Apresentação do Modelo SISAR: envolvimento da população, gestão compartilhada, pagamentos dos serviços e resultados obtidos

Apresentação do Modelo SISAR: envolvimento da população, gestão compartilhada, pagamentos dos serviços e resultados obtidos SEMINÁRIO REGIONAL DE SANEAMENTO RURAL Apresentação do Modelo SISAR: envolvimento da população, gestão compartilhada, pagamentos dos serviços e resultados obtidos Campinas(SP), 23 de Junho 2015 Mobilização

Leia mais

Reed Exhibitions Alcantara Machado & Reed Expositions France

Reed Exhibitions Alcantara Machado & Reed Expositions France Reed Exhibitions Alcantara Machado & Reed Expositions France Estrutura do grupo Reed Elsevier REED EXHIBITIONS Alcance Global 500 eventos por ano 43 países 43 setores da economia 7 milhões de visitantes

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE NAS ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE NAS ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE NAS ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Valério da Silva Ramos (*) Administrador de Empresas, pós-graduado em Gestão Econômica e Financeira

Leia mais

Secretaria Municipal de meio Ambiente

Secretaria Municipal de meio Ambiente PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL O presente Programa é um instrumento que visa à minimização de resíduos sólidos, tendo como escopo para tanto a educação ambiental voltada

Leia mais

Relatório de Sustentabilidade 2014

Relatório de Sustentabilidade 2014 1 Relatório de Sustentabilidade 2014 2 Linha do Tempo TAM VIAGENS 3 Política de Sustentabilidade A TAM Viagens uma Operadora de Turismo preocupada com a sustentabilidade, visa fortalecer o mercado e prover

Leia mais

A experiência de Belo Horizonte:

A experiência de Belo Horizonte: A experiência de Belo Horizonte: a construção de uma capital sustentável Vasco de Oliveira Araujo Secretário Municipal de Meio Ambiente Prefeitura de Belo Horizonte Junho 2012 Belo Horizonte e RMBH (34

Leia mais

ABESI N F O R M A. X Sibesa levou 800 técnicos a Maceió

ABESI N F O R M A. X Sibesa levou 800 técnicos a Maceió 164 05 de março de 2010 X Sibesa levou 800 técnicos a Maceió Kadu Ferreira/Casanova Produções Cassilda na abertura: o saneamento hoje está em todas as agendas A ABES encerrou na quartafeira (3/03), em

Leia mais

Reciclagem e Valorização de Resíduos Sólidos - Meio Ambiente e Sustentabilidade

Reciclagem e Valorização de Resíduos Sólidos - Meio Ambiente e Sustentabilidade SEMINÁRIO Reciclagem e Valorização de Resíduos Sólidos - Meio Ambiente e Sustentabilidade Universidade de São Paulo Escola Politécnica Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais 27 de maio de

Leia mais

PLANO DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS DA CIDADE DE SÃO PAULO

PLANO DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS DA CIDADE DE SÃO PAULO PLANO DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS DA CIDADE DE SÃO PAULO Balanço dos cinco anos da Política Municipal de Mudança do Clima de São Paulo Rede Nossa São Paulo 20/05/2014 Plano de Metas da PMSP

Leia mais

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Preservação e Conservação A preservação é o esforço para proteger um ecossistema e evitar que ele seja modificado. Depende também da presença e ação do homem sobre

Leia mais

A contribuição do Projeto InterAção para a Gestão dos Resíduos Sólidos em Viçosa-MG.

A contribuição do Projeto InterAção para a Gestão dos Resíduos Sólidos em Viçosa-MG. A contribuição do Projeto InterAção para a Gestão dos Resíduos Sólidos em Viçosa-MG. (Projeto InterAção) Introdução Com a tendência de um crescimento mundial da população, gerando um desenvolvimento industrial

Leia mais

PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE

PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE CONSELHEIRO LAFAIETE MG 2012 PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE JUSTIFICATIVA O Centro de Ensino Superior de Conselheiro Lafaiete tem como princípio desempenhar seu

Leia mais

ANA detecta: água do Paraíba melhorou

ANA detecta: água do Paraíba melhorou 12 DE JULHO DE 2012 ANA detecta: água do Paraíba melhorou O mais recente relatório da Agência Nacional de Águas (ANA) destacou melhorias na qualidade de alguns dos principais rios de São Paulo, entre eles

Leia mais

PRÊMIO NACIONAL DA GESTÃO PÚBLICA - PQGF 2010 TROFÉU PRATA. SEMINÁRIO DAS BOAS PRÁTICAS DE GESTÃO -24/11/2010 Brasília DF

PRÊMIO NACIONAL DA GESTÃO PÚBLICA - PQGF 2010 TROFÉU PRATA. SEMINÁRIO DAS BOAS PRÁTICAS DE GESTÃO -24/11/2010 Brasília DF PRÊMIO NACIONAL DA GESTÃO PÚBLICA - PQGF 2010 TROFÉU PRATA SEMINÁRIO DAS BOAS PRÁTICAS DE GESTÃO -24/11/2010 Brasília DF PENÁPOLIS - SP 58.681 habitantes - IBGE- 2007 500 km da capital Criado há 32 anos

Leia mais

Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste

Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste O que é FCO? O Fundo de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) é um fundo de crédito criado pela Constituição Federal de 1988 com o objetivo de promover

Leia mais

SEMINARIO PRÓ-CATADOR DO ESTADO DO ACRE Propostas aprovadas

SEMINARIO PRÓ-CATADOR DO ESTADO DO ACRE Propostas aprovadas 1 SEMINARIO PRÓ-CATADOR DO ESTADO DO ACRE ENCERRAMENTO DOS LIXÕES E A INCLUSÃO SOCIAL E PRODUTIVA DAS CATADORAS E DOS CATADORES DE MATERIAIS RECICLÁVEIS 30 de outubro de 2014 Palácio da Justiça - Rio Branco/AC

Leia mais

2ª Conferência Latinoamericana de Saneamento LATINOSAN 2010. Fernando Pinto Dias Perrone Gerente do Departamento de Projetos de Eficiência Energética

2ª Conferência Latinoamericana de Saneamento LATINOSAN 2010. Fernando Pinto Dias Perrone Gerente do Departamento de Projetos de Eficiência Energética 2ª Conferência Latinoamericana de Saneamento LATINOSAN 2010 Fernando Pinto Dias Perrone Gerente do Departamento de Projetos de Eficiência Energética Março de 2010 O PROCEL SANEAR Objetivos Promover o uso

Leia mais

MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE

MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE Sustentabilidade significa permanecer vivo. Somos mais de 7 bilhões de habitantes e chegaremos a 9 bilhões em 2050, segundo a ONU. O ambiente tem limites e é preciso fazer

Leia mais

LANXESS AG. Rainier van Roessel Membro da Diretoria. Sustentabilidade em Borrachas: Hoje e Amanhã. Painel 1 Discurso de Abertura

LANXESS AG. Rainier van Roessel Membro da Diretoria. Sustentabilidade em Borrachas: Hoje e Amanhã. Painel 1 Discurso de Abertura LANXESS AG Rainier van Roessel Membro da Diretoria Sustentabilidade em Borrachas: Hoje e Amanhã Painel 1 Discurso de Abertura LANXESS Rubber Day São Paulo (Favor verificar em relação à apresentação) 23

Leia mais

Recuperação energética de gás de aterro & Créditos de carbono. Fórum Permanente "Meio Ambiente e Sociedade"

Recuperação energética de gás de aterro & Créditos de carbono. Fórum Permanente Meio Ambiente e Sociedade Recuperação energética de gás de aterro & Créditos de carbono Fórum Permanente "Meio Ambiente e Sociedade" São Paulo, Brasil 15 de Outubro de 2013 Sumário MDL & Créditos de Carbono Panorama do Mercado

Leia mais

O quadro abaixo mostra que a disposição dos resíduos em aterros é aquela que traz menos benefícios ambientais

O quadro abaixo mostra que a disposição dos resíduos em aterros é aquela que traz menos benefícios ambientais VANTAGES PROJETO PEGASUS E RECICLAGEM ENERGÉTICA O problema do lixo é extremamente grave em nosso país. Estimativas baseadas nos dados do IBGE mostram que no País são geradas diariamente cerca de 140 mil

Leia mais

Em 20 anos, Brasil poderá gerar 280 MW de energia do lixo

Em 20 anos, Brasil poderá gerar 280 MW de energia do lixo Em 20 anos, Brasil poderá gerar 280 MW de energia do lixo Fabíola Ortiz - 28/02/13 Potencial de produção de energia vinda dos aterros pode dobrar em 20 anos, se a lei de resíduos sólidos for cumprida.

Leia mais

ABESI N F O R M A. PNQS: festa da premiação em Fortaleza

ABESI N F O R M A. PNQS: festa da premiação em Fortaleza 25 de novembro de 2009 PQS: festa da premiação em Fortaleza A presidente da ABES, Cassilda Teixeira de Carvalho, entregou na noite de sexta-feira (19), na Fábrica de egócios, em Fortaleza, os prêmios,

Leia mais

BRIEFING BRASIL. Parceiro:

BRIEFING BRASIL. Parceiro: BRIEFING BRASIL Parceiro: 1 ÍNDICE 1 Índice... 1 2 Introdução... 2 3 Apresentação... 3 3.1 Tema 1 Consumo consciente... 3 3.2 Tema 2 - Qualidade e Satisfação no Atendimento ao Cliente... 4 4 Desenvolvimento

Leia mais

GESTÃO INTEGRAL DE RESÍDUOS MUNICIPAIS INDUSTRIALIZAÇÃO SUSTENTÁVEL DE RESÍDUOS

GESTÃO INTEGRAL DE RESÍDUOS MUNICIPAIS INDUSTRIALIZAÇÃO SUSTENTÁVEL DE RESÍDUOS GESTÃO INTEGRAL DE RESÍDUOS MUNICIPAIS INDUSTRIALIZAÇÃO SUSTENTÁVEL DE RESÍDUOS O Instituto Brasil Ambiente apresenta uma proposta de Gestão Integral de Resíduos Municipais desenvolvida pelo Prof. Dr.

Leia mais

PRÊMIO ESTANDE SUSTENTÁVEL ABF EXPO 2014

PRÊMIO ESTANDE SUSTENTÁVEL ABF EXPO 2014 PRÊMIO ESTANDE SUSTENTÁVEL ABF EXPO 2014 1. APRESENTAÇÃO Com o intuito de disseminar práticas de responsabilidade socioambiental entre as empresas do sistema de franchising, a Associação Brasileira de

Leia mais

Ass. de Comunicação www.ptexto.com.br. Veículo: Site Correio Braziliense Data: 14/06/2012. Assunto: Rio+20

Ass. de Comunicação www.ptexto.com.br. Veículo: Site Correio Braziliense Data: 14/06/2012. Assunto: Rio+20 Veículo: Site Correio Braziliense Data: 14/06/2012 Seção: Ser Sustentável Pág.: http://bit.ly/okj5q9 Assunto: Rio+20 Veículo: Site Correio Braziliense Data: 14/06/2012 Seção: Ser Sustentável Pág.: http://bit.ly/okj5q9

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Síntese O Compromisso ALIANSCE para a Sustentabilidade demonstra o nosso pacto com a ética nos negócios, o desenvolvimento das comunidades do entorno de nossos empreendimentos,

Leia mais

Estudo de Caso da Iniciativa Metano Global: o Estado do Kentucky

Estudo de Caso da Iniciativa Metano Global: o Estado do Kentucky Estudo de Caso da Iniciativa Metano Global: o Estado do Kentucky JOHN A. ROGNESS III PH.D. DIRETOR, DIVISÃO DE ANÁLISE FINANCEIRA COMISSÃO DE SERVIÇO PÚBLICO DO ESTADO DO KENTUCKY 1 A Comissão de Serviço

Leia mais

Responsabilidade Social e Ambiental na Petrobras

Responsabilidade Social e Ambiental na Petrobras Responsabilidade Social e Ambiental na Petrobras Carlos Alberto Ribeiro de Figueiredo Janice Dias PETROBRAS - Comunicação Nacional RESPONSABILIDADE SOCIAL SOCIAL CORPORATIVA Necessidade Assistencialismo

Leia mais

Sustentabilidade Ambiental na Cidade de Belo Horizonte

Sustentabilidade Ambiental na Cidade de Belo Horizonte Sustentabilidade Ambiental na Cidade de Belo Horizonte Vasco de Oliveira Araujo Secretário Municipal Adjunto de Meio Ambiente Prefeitura de Belo Horizonte Abril 2013 A Construção de uma Cidade Sustentável

Leia mais

Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre

Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre N o Brasil há 2.361 municípios, em 23 estados, onde vivem mais de 38,3 milhões de pessoas abaixo da linha de pobreza. Para eles, o Governo Federal criou

Leia mais

Centro Mineiro de Referência em Resíduos Coleta Seletiva com inclusão sócio-produtiva dos Catadores de Materiais Recicláveis

Centro Mineiro de Referência em Resíduos Coleta Seletiva com inclusão sócio-produtiva dos Catadores de Materiais Recicláveis Centro Mineiro de Referência em Resíduos Coleta Seletiva com inclusão sócio-produtiva dos Catadores de Materiais Recicláveis O Centro Mineiro de Referência em Resíduos Criado em Junho de 2007, é uma iniciativa

Leia mais

Prof. Paulo Medeiros

Prof. Paulo Medeiros Prof. Paulo Medeiros Em 2010 entrou em vigor no Brasil a lei dos Resíduos Sólidos. Seu objetivo principal é diminuir a destinação incorreta de resíduos ao meio ambiente. Ela define que todas as indústrias,

Leia mais

Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade

Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade Existe a compreensão evidente por parte das lideranças empresariais, agentes de mercado e outros formadores de opinião do setor privado

Leia mais

Anexo III da Resolução n o 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima

Anexo III da Resolução n o 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima Anexo III da Resolução n o 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável I Introdução O Projeto Granja São Roque de redução

Leia mais

Carta de São Paulo 1º FEIRATUR Feira Nacional de Turismo Rural

Carta de São Paulo 1º FEIRATUR Feira Nacional de Turismo Rural Carta de São Paulo 1º FEIRATUR Feira Nacional de Turismo Rural No período compreendido entre os dias 16 e 19 do mês de setembro de 2004, realizou-se a Primeira Feira Nacional do Turismo Rural - 1º FEIRATUR,

Leia mais

A cooperação Canadá - Brasil: INTERNACIONALIZAÇÃO PARA A INOVAÇÃO

A cooperação Canadá - Brasil: INTERNACIONALIZAÇÃO PARA A INOVAÇÃO OUI- IOHE MISSÃO OUI DE UNIVERSIDADES CANADENSES NO BRASIL 28 de novembro a 2 de dezembro de 2011 Programa preliminar A cooperação Canadá - Brasil: INTERNACIONALIZAÇÃO PARA A INOVAÇÃO À luz dos excelentes

Leia mais

SÍNTESE BARRA DO GARÇAS RP IV

SÍNTESE BARRA DO GARÇAS RP IV SÍNTESE BARRA DO GARÇAS RP IV Realizar projetos para destinação de resíduos sólidos * Meio Ambiente Desenvolver programas de educação ambiental Apresentar pequenos e médios projetos de recuperação (seqüestro

Leia mais

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS 1 DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E OBJETIVO DO MOVIMENTO 2 Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

Simpósio Estadual Saneamento Básico e Resíduos Sólidos: Avanços Necessários MPRS 20.08.2015

Simpósio Estadual Saneamento Básico e Resíduos Sólidos: Avanços Necessários MPRS 20.08.2015 Simpósio Estadual Saneamento Básico e Resíduos Sólidos: Avanços Necessários MPRS 20.08.2015 O saneamento básico no Brasil não condiz com o país que é a 7ª. economia do mundo da população não possui coleta

Leia mais

Jacqueline Rogéria Bringhenti Patricia Dornelas Bassani Manuela Mantovanelli da Mota

Jacqueline Rogéria Bringhenti Patricia Dornelas Bassani Manuela Mantovanelli da Mota COLETA SELETIVA DE MATERIAIS RECICLÁVEIS EM CONDOMÍNIOS RESIDENCIAIS DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA (ES). Jacqueline Rogéria Bringhenti Patricia Dornelas Bassani Manuela Mantovanelli da Mota INTRODUÇÃO Vitória

Leia mais

PLANEJAMENTO DE SENSIBILIZAÇÃO DOS POTENCIAIS CATADORES DO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA DE JETIBA

PLANEJAMENTO DE SENSIBILIZAÇÃO DOS POTENCIAIS CATADORES DO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA DE JETIBA PLANEJAMENTO DE SENSIBILIZAÇÃO DOS POTENCIAIS CATADORES DO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA DE JETIBA JULHO 2014. Secretarias Parceiras: Secretaria Municipal de Técnica e Planejamento Secretaria Municipal de Trabalho,

Leia mais

PROPOSTA REFERENTE AO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE ANÁLISE SANITÁRIA

PROPOSTA REFERENTE AO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE ANÁLISE SANITÁRIA PROPOSTA REFERENTE AO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE ANÁLISE SANITÁRIA 1- DO CURSO O Curso de Especialização em Gestão em Análise Sanitária destina-se a profissionais com curso superior em áreas correlatas

Leia mais

SANEAMENTO É SAÚDE João José da Silva

SANEAMENTO É SAÚDE João José da Silva Democratização da Política de Serviços de Saneamento Básico por Meio de Inovações Sociotécnicas. Lições para enfrentar os desafios. Seminário do Projeto DESAFIO SANEAMENTO É SAÚDE João José da Silva Recife,

Leia mais

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática A Abiquim e suas ações de mitigação das mudanças climáticas As empresas químicas associadas à Abiquim, que representam cerca

Leia mais

Em busca da sustentabilidade na gestão do saneamento: instrumentos de planejamento

Em busca da sustentabilidade na gestão do saneamento: instrumentos de planejamento Em busca da sustentabilidade na gestão do saneamento: instrumentos de planejamento Marcelo de Paula Neves Lelis Gerente de Projetos Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Ministério das Cidades Planejamento

Leia mais

As políticas públicas de mudanças climáticas e suas implicações

As políticas públicas de mudanças climáticas e suas implicações WORKSHOP ASPECTOS RELEVANTES DA PRÁTICA EMPRESARIAL EM GESTÃO AMBIENTAL CAMPINAS, 17 DE ABRIL 2010 As políticas públicas de mudanças climáticas e suas implicações Profa. Josilene T.V.Ferrer Estado de São

Leia mais

Pesquisa e Desenvolvimento que geram avanços

Pesquisa e Desenvolvimento que geram avanços P&D O compromisso das empresas com o desenvolvimento sustentável por meio da energia limpa e renovável será demonstrado nesta seção do relatório. Nela são disponibilizados dados sobre a Pesquisa, Desenvolvimento

Leia mais

Não fique para trás! Submeta seu projeto. Fonte de recursos para projetos julho 2012

Não fique para trás! Submeta seu projeto. Fonte de recursos para projetos julho 2012 Não fique para trás! Submeta seu projeto. Fonte de recursos para projetos julho 2012 1. Patrocínios 1.1 Patrocínio a Eventos e Publicações Data limite: 60 dias de antecedência da data de início do evento

Leia mais

Nota técnica Março/2014

Nota técnica Março/2014 Nota técnica Março/2014 Sistemas de Saneamento no Brasil - Desafios do Século XXI João Sergio Cordeiro O Brasil, no final do ano de 2013, possuía população de mais de 200 milhões de habitantes distribuídos

Leia mais

Plataforma Ambiental para o Brasil

Plataforma Ambiental para o Brasil Plataforma Ambiental para o Brasil A Plataforma Ambiental para o Brasil é uma iniciativa da Fundação SOS Mata Atlântica e traz os princípios básicos e alguns dos temas que deverão ser enfrentados na próxima

Leia mais

Logística Reversa. Guia rápido

Logística Reversa. Guia rápido Logística Reversa Guia rápido 1 Apresentação Em 2010 foi sancionada pelo Governo Federal, a Política Nacional de Resíduos Sólidos, na qual, dentre outros temas, constam exigências às empresas quanto à

Leia mais

Carbon Disclosure Project Supply Chain CDP na cadeia de suprimentos

Carbon Disclosure Project Supply Chain CDP na cadeia de suprimentos w Gestão Ambiental na Sabesp Workshop Carbon Disclosure Project Supply Chain CDP na cadeia de suprimentos Sup. Wanderley da Silva Paganini São Paulo, 05 de maio de 2011. Lei Federal 11.445/07 Lei do Saneamento

Leia mais

Visa, como objetivo final, a promoção do desenvolvimento sustentável da região.

Visa, como objetivo final, a promoção do desenvolvimento sustentável da região. Agenda 21 Comperj Iniciativa voluntária de relacionamento da Petrobras para contribuir para que o investimento na região retorne para a população, fomentando a formação de capital social e participação

Leia mais

DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS. (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012)

DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS. (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012) DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012) Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02 Pagina 1/6 ÍNDICE 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA / APLICAÇÃO...3 3. REFERÊNCIAS...3 4. DEFINIÇÕES...3 5. DIRETRIZES E RESPONSABILIDADES...4 5.1 POLITICAS...4 5.2 COMPROMISSOS...4 5.3 RESPONSABILIDADES...5

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA EM ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE BAURU - SP

IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA EM ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE BAURU - SP IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA EM ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE BAURU - SP Carlos Alberto Ferreira Rino (1) Mestre em Engenharia Química (UNICAMP, 1996). Engenheiro de Segurança do Trabalho (UNESP, 1994).

Leia mais

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia Sessão Plenária 5: Programas Nacionais de Estímulo e Apoio às Incubadoras de Empresas e Parques Tecnológicos Ana Lúcia Vitale Torkomian Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério

Leia mais

ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL

ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL MENDONÇA, Ana Maria Gonçalves Duarte. Universidade Federal de Campina Grande. E-mail: Ana.duartemendonca@gmail.com RESUMO

Leia mais

Gestão da Sustentabilidade: Políticas Publicas e Mudanças Climáticas no Estado de São Paulo

Gestão da Sustentabilidade: Políticas Publicas e Mudanças Climáticas no Estado de São Paulo Gestão da Sustentabilidade: Políticas Publicas e Mudanças Climáticas no Estado de São Paulo Fernando Rei Presidente da CETESB Sustentabilidade Conceito sistêmico relacionado com a continuidade dos aspectos

Leia mais

O Prêmio ECO foi instituído pela Amcham em 1982. Foi pioneiro no reconhecimento de empresas que adotam práticas socialmente responsáveis e gerou uma

O Prêmio ECO foi instituído pela Amcham em 1982. Foi pioneiro no reconhecimento de empresas que adotam práticas socialmente responsáveis e gerou uma O Prêmio ECO foi instituído pela Amcham em 1982. Foi pioneiro no reconhecimento de empresas que adotam práticas socialmente responsáveis e gerou uma rica reflexão sobre o desenvolvimento empresarial sustentável

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO PROGRAMAÇÃO DO EVENTO Dia 08/08 // 09h00 12h00 PLENÁRIA Nova economia: includente, verde e responsável Nesta plenária faremos uma ampla abordagem dos temas que serão discutidos ao longo de toda a conferência.

Leia mais

OBJETIVO prioridade da agenda política.

OBJETIVO prioridade da agenda política. SANEAR É VIVER OBJETIVO Propor ao governo e à sociedade ações que melhorem o desempenho do saneamento do país e elevem o tema ao status de prioridade da agenda política. A exemplo da ação que resultou

Leia mais

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública. Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública. Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008 Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008 Roteiro 1. Contexto 2. Por que é preciso desenvolvimento de capacidades no setor

Leia mais

Núcleo de Gestão Ambiental Avançada - NUGA

Núcleo de Gestão Ambiental Avançada - NUGA Núcleo de Gestão Ambiental Avançada - NUGA Coordenador(es): Istvan Karoly Kasznar MISSÃO O Núcleo de Gestão Ambiental Avançada (NUGA) foi concebido para desenvolver estudos e práticas inovadoras de gestão

Leia mais

O que é o mercado de carbono e como ele opera no Brasil?

O que é o mercado de carbono e como ele opera no Brasil? O que é o mercado de carbono e como ele opera no Brasil? Fernando B. Meneguin 1 O crédito de carbono é um certificado eletrônico que é emitido quando há diminuição de emissão de gases que provocam o efeito

Leia mais

Clipping, Segunda-feira, 04 de Janeiro de 2010 Jornal do Commercio PE (28/12/09) - online Porto Gente (04/01/10) online

Clipping, Segunda-feira, 04 de Janeiro de 2010 Jornal do Commercio PE (28/12/09) - online Porto Gente (04/01/10) online Clipping, Segunda-feira, 04 de Janeiro de 2010 Jornal do Commercio PE (28/12/09) - online Porto Gente (04/01/10) online Pernambuco Na indústria, mais demanda por trabalho Texto publicado em 28 de Dezembro

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2003

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2003 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2003 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2º semestre 2014

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2º semestre 2014 Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2º semestre 2014 Sobre a FNQ História Criada em 1991, por um grupo de representantes dos setores público e privado, a Fundação Nacional da Qualidade (FNQ)

Leia mais

Aula 19 Conteúdo O homem e o meio ambiente. Principais problemas ambientais do mundo.

Aula 19 Conteúdo O homem e o meio ambiente. Principais problemas ambientais do mundo. CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade IV Natureza sociedade: questões ambientais. Aula 19 Conteúdo O homem e o meio ambiente. Principais problemas ambientais do mundo. 2 CONTEÚDO

Leia mais

PROGRAMA ITUIUTABA RECICLA

PROGRAMA ITUIUTABA RECICLA PROGRAMA ITUIUTABA RECICLA AUTOR E APRESENTADOR: Cristina Garvil Diretora da Superintendência de Água e Esgotos de Ituiutaba SAE Arquiteta, Mestranda em Engenharia de Produção com Ênfase em Gestão da Inovação

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL "PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL" Associação sem fins lucrativos, fundado em 1992, o CEMPRE se dedica à promoção da reciclagem dentro do conceito de gerenciamento integrado do lixo.

Leia mais

Alex Maciel Gonzaga, Sean Conney Vieira da SILVA, & Flávia Pereira da SILVA

Alex Maciel Gonzaga, Sean Conney Vieira da SILVA, & Flávia Pereira da SILVA 1 QUALIDADE DA COLETA E A NECESSIDADE DE UMA CONSCIÊNCIA DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL NA CIDADE DE GOIANA Alex Maciel Gonzaga, Sean Conney Vieira da SILVA, & Flávia Pereira da SILVA RESUMO O consumismo da

Leia mais

O MNCR Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis RJ

O MNCR Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis RJ A Catergoria Embora a atividade seja exercida desde de 1950, o catador sempre foi visto como sujeito excluído socialmente, apesar de nós catadores sempre prestarmos um serviço de extrema importância para

Leia mais

O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade).

O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade). O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade). Coordenação Sindicato dos Centros de Formação de Condutores

Leia mais

O BNDES E SUA PARTICIPAÇÃO NO SETOR DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO BRASIL ESTRUTURAS DE FINANCIAMENTO

O BNDES E SUA PARTICIPAÇÃO NO SETOR DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO BRASIL ESTRUTURAS DE FINANCIAMENTO O BNDES E SUA PARTICIPAÇÃO NO SETOR DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO BRASIL ESTRUTURAS DE FINANCIAMENTO CÂMARA DOS DEPUTADOS Daniela Arantes Alves Lima Eduardo Carvalho Departamento de Economia Solidária Brasília,

Leia mais

Usina Hidrelétrica de Belo Monte

Usina Hidrelétrica de Belo Monte Usina Hidrelétrica de Belo Monte PA Ao dar continuidade ao maior programa de infraestrutura do Brasil desde a redemocratização, o Governo Federal assumiu o compromisso de implantar um novo modelo de desenvolvimento

Leia mais

REGULAMENTO. As empresas podem inscrever um ou mais Cases, nas seguintes categorias:

REGULAMENTO. As empresas podem inscrever um ou mais Cases, nas seguintes categorias: REGULAMENTO 1. O PRÊMIO O PRÊMIO SMART, regido por este regulamento, tem como objetivo distinguir e reconhecer as melhores práticas de relacionamento com o cliente em Utilities e Telecom: Energia Elétrica,

Leia mais

Marcio Halla marcio.halla@fgv.br

Marcio Halla marcio.halla@fgv.br Marcio Halla marcio.halla@fgv.br POLÍTICAS PARA O COMBATE ÀS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NA AMAZÔNIA Programa de Sustentabilidade Global Centro de Estudos em Sustentabilidade Fundação Getúlio Vargas Programa de

Leia mais

OBJETIVO BENEFICIÁRIOS AGRICULTORES FAMILIARES CONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DO ESTADO DO CEARÁ

OBJETIVO BENEFICIÁRIOS AGRICULTORES FAMILIARES CONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DO ESTADO DO CEARÁ OBJETIVO CONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DO ESTADO DO CEARÁ BENEFICIÁRIOS AGRICULTORES FAMILIARES Entidades Representativas (Associações, Cooperativas e outras) Desenvolvam atividades

Leia mais

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR...o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff Julho/2014 0 APRESENTAÇÃO Se fôssemos traduzir o Plano de Governo 2015-2018

Leia mais

Luiz Ildebrando PIERRY 28/4/2009

Luiz Ildebrando PIERRY 28/4/2009 Luiz Ildebrando PIERRY 28/4/2009 Estrutura da AQRS/PGQP 2009/2010 CONSELHO SUPERIOR CONSELHO FISCAL CTSA CTSA CONSELHO DIRETOR SECRETARIA EXECUTIVA Comitês Setoriais Comitês Regionais Org. com Termo de

Leia mais

GASTRONOMIA SUSTENTÁVEL - PARATY. Oficina de Planejamento 2010-2012

GASTRONOMIA SUSTENTÁVEL - PARATY. Oficina de Planejamento 2010-2012 GASTRONOMIA SUSTENTÁVEL - PARATY Oficina de Planejamento 2010-2012 Paraty, agosto de 2010 Objetivo da oficina Elaborar o Direcionamento Estratégico da Gastronomia Sustentável de Paraty para os próximos

Leia mais

Compromisso com o Mundo Sustentável

Compromisso com o Mundo Sustentável Compromisso com o Mundo Sustentável Está em nossa Visão Ser um empresa global e sustentável até 2012. Para nossa empresa ser sustentável, é fundamental a busca de resultados financeiros e o comprometimento

Leia mais