EnRhythm Marcapasso com opção de estimulação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EnRhythm Marcapasso com opção de estimulação"

Transcrição

1 Ano IV n o 10 Abr/Mai/Jun 2006 Informativo da Medtronic do Brasil EnRhythm Marcapasso com opção de estimulação Dicas Alimentação saudável no restaurante self service Bomba de insulina Jovens pacientes comentam terapia InterStim no Congresso da CAU Workshop desvenda neuromodulação sacral

2 editorial Saúde e qualidade de vida saiba mais Cardiodesfibrilador InSync Sentry Dra. Magaly Arrais fala sobre fibrilação atrial Estudo multicêntrico avalia o Endeavor Vitatron Cardiac Dashboard Eventos médicos matéria de capa EnRhythm: novo marcapasso com estimulação Medtronic em destaque Neuromodulação Sacral no Congresso da CAU tecnologia médica Terapia com bomba da insulina inovação Logicalmed implanta a corrente de sobrevivência saúde Alimentação saudável no restaurante self service Destaque é uma publicação trimestral da Medtronic Comercial Ltda. Rua Joaquim Floriano, o andar CEP São Paulo, SP Tel.: (11) Site: Desenvolvimento do projeto: Lemos Publicidade Edição e impressão: Lemos Editorial e Gráficos Ltda. Rua Cel. Xavier de Toledo, o andar Centro CEP São Paulo, SP Tel.: (11) Editora: Zenilda Gil Jornalista responsável: Mari Menda MTb 4606 Tiragem: exemplares

3 editorial Saúde e qualidade de vida Em sua décima edição, a Revista Destaque apresenta o EnRhythm, um marcapasso que tem como diferencial uma nova opção de estimulação e que também faz o monitoramento das arritmias. Inédito no Brasil, o EnRhythm é um dos primeiros lançamentos do ano da Medtronic no país. A revista também ganha, a partir desta edição, uma seção dedicada à saúde fora dos consultórios médicos. Nossa primeira reportagem tem como cenário os restaurantes self-service, uma opção eclética de alimentação que faz sucesso de Norte a Sul do Brasil. Conversamos com a nutricionista Alessandra Souza, que indica as melhores opções para quem costuma freqüentar esses restaurantes e quer se alimentar de forma saudável, sem cair nas armadilhas que resultam em excesso de calorias. Em relação às novíssimas tecnologias, trazemos as informações sobre o estudo clínico Endeavor-5, que está sendo realizado em 200 centros médicos de todo o mundo. O E-Five Registry avalia o desempenho clínico do stent coronário com fármaco lançado no Brasil, em dezembro passado, ao estudar sua utilização em um amplo universo de pacientes. Em Recife, durante o Congresso da Confederación Americana de Urologia, um workshop coordenado pela urologista Miriam Dambros vai divulgar a neuromodulação sacral para médicos brasileiros e latino-americanos. Uma aula prática vai esclarecer dúvidas e trazer informações essenciais sobre esta tecnologia utilizada principalmente em pacientes com bexiga hiperativa. Ainda em relação à tecnologia, a cardiologista Magaly Arrais dos Santos, discorre sobre os tratamentos cirúrgicos da fibrilação atrial e o uso da radiofreqüência unipolar irrigada em substituição ao corte e sutura da parede atrial. Por meio de mini-incisões, e videoassistida, a nova técnica, ainda em estudo, poderá evitar cirurgias muito mais complexas, demoradas e com maiores riscos para pacientes com fibrilação atrial. Também merece destaque nesta edição o trabalho de um grupo de cardiologistas, que têm a missão de reduzir os alarmantes índices de morte súbita do país. Eles criaram uma empresa de consultoria para implantar a chamada corrente da sobrevivência em locais de grande circulação de público: além de treinar funcionários para usar o desfibrilador, eles montam equipes de prontoatendimento e a estrutura necessária para socorrer com segurança vítimas de problemas cardiorrespiratórios. É uma iniciativa inédita do país que merece elogios. Afinal, como eles, todos buscamos o bem maior: a saúde plena. David Neale Diretor-geral da Medtronic

4 saiba mais O diferencial do InSync Sentry Lançado recentemente no Brasil pela Medtronic, o cardiodesfibrilador biventricular InSync Sentry abre novas perspectivas de monitorização clínica em pacientes com insuficiência cardíaca congestiva, na opinião do especialista em eletrofisiologia, Dr. Eduardo Costa. Nesta entrevista, ele fala dos avanços agregados ao equipamento e das vantagens da nova tecnologia para os pacientes com ICC. Qual sua opinião a respeito do InSync Sentry? O InSync Sentry representa uma nova geração de dispositivos utilizados para o tratamento coadjuvante de pacientes com insuficiência cardíaca congestiva (ICC), que associa os benefícios da terapia de ressincronização ventricular (TRC) ao suporte de um cardiodesfibrilador (CDI). Apresenta alta energia de desfibrilação (35 J), liberada após tempo reduzido (máximo de 9 segundos), com volume de 40 cc (78 gramas). O diferencial deste produto é que, além dos benefícios clássicos da TRC-CDI nesse grupo de pacientes, o InSync Sentry incorpora duas funções adicionais. A primeira, denominada Optivol, permite estimar o acúmulo de líquido nos pulmões por meio da mensuração da impedância intratorácica (IIT) e, assim, ser um aliado potencial no controle da ICC. A segunda, denominada PainFree, permite a tentativa de reversão de taquicardias ventriculares rápidas (entre 320 e 240 ms), mediante a aplicação de ATPs (estimulação antitaquicárdica), permitindo a reversão da taquiarritmia sem a liberação do choque de desfibrilação e sem prejuízo ao paciente. Estudos preliminares indicam efetividade dessa forma de terapia em até 77% dos casos, poupando esses pacientes do desconforto do choque de desfibrilação. Como o Optivol pode beneficiar o paciente? O principal sintoma da ICC é a dispnéia, que traz alta morbidade aos pacientes, com redução dos sintomas de bem-estar e da qualidade de vida. Os primeiros sintomas da descompensação cardíaca ocorrem em média 3 dias antes da necessidade de internação hospitalar. Sabe-se, no entanto, que o acúmulo de líquidos nos pulmões ocorre de forma progressiva bem antes da ocorrência dos sintomas, em média 15 dias antes da internação. O sistema Optivol é capaz de detectar essa ocorrência e quando o acúmulo de líquidos alcançar determinado patamar (denominado limiar, determinado pelo clínico), emite um sinal sonoro, permitindo que o paciente tome conhecimento de seu estado congestivo progressivo, tomando atitudes como antecipar seu atendimento médico, reduzir a ingestão de líquidos, aumentar a dosagem de diuréticos etc. Essa informação pode, portanto, reduzir os sintomas da descompensação, diminuindo a necessidade de internações. O seu real impacto na melhora da qualidade de vida, na redução de necessidade de internação e nos índices de complicação da ICC deverá ser avaliado por estudos clínicos prospectivos controlados. De que forma o InSync Sentry e o Optivol reduzem os custos de hospitalização? Estima-se que existam no Brasil cerca de 6,5 milhões de pacientes com ICC, dos quais um terço interna-se anualmente por descompensação clínica. Os custos econômicos e sociais decorrentes são extremamente elevados. Nos pacientes com as indicações clássicas para receber estimulação biventricular (ICC avançada, refratária e com dissincronismo inter ou intra-ventricular), a TRC beneficia o desempenho cardíaco, melhorando a classe funcional e a qualidade de vida, reduzindo, portanto, a necessidade de internações em pacientes selecionados. Como descrito anteriormente, a intervenção precoce sobre os pacientes com ICC pode ter um papel de redução adicional nos custos de hospitalização. O atual estágio de desenvolvimento tecnológico abre novas perspectivas de monitorização clínica, inimagináveis até pouco tempo. A possibilidade de utilizar as informações que os dispositivos InSync Sentry oferecem por meio do sistema Optivol deve abrir uma nova fase no manuseio dos pacientes com ICC severa. Eduardo R. B. Costa Especialista em Eletrofisiologia pelo Daec-SBC. Especialista em Estimulação Cardíaca Artificial pelo Deca-SBCCV. Responsável pelo Setor de Eletrofisiologia e Marcapasso dos Hospitais Policlin e Pio XII São José dos Campos. 4 Destaque

5 Novidades na fibrilação atrial A fibrilação atrial (FA) é a mais comum arritmia sustentada e tem como conseqüências a manutenção do ritmo irregular, a perda do sincronismo da contração atrioventricular e a estase do fluxo sangüíneo nos átrios, levando ao desconforto e ansiedade, a alterações hemodinâmicas e à formação de trombos que podem causar acidentes vasculares. O tratamento cirúrgico da FA obteve um grande avanço com o surgimento da operação de Cox, também conhecida como operação do labirinto, que realizava vários incisões e suturas na parede dos átrios, regularizando o ritmo cardíaco e a contração atrial. Em uma entrevista à revista Destaque, Dra. Magaly Arrais dos Santos, do Hospital do Coração e da Escola Paulista de Medicina Unifesp, fala da evolução técnica no tratamento cirúrgico da FA, das novidades nesta área e da necessidade de o Sistema Único de Saúde financiar o uso das novas tecnologias. Magaly Arrais dos Santos Doutora em Cirurgia Cardiovascular pela Escola Paulista de Medicina Unifesp Cirurgiã Cardiovascular do Hospital do Coração ASS. Cirurgias No Brasil, a maioria dos pacientes operados é portador de doença coronária e submetida à revascularização do miocárdio. Se formos analisar em termos porcentuais, em torno de 60% são portadores de doença das artérias coronárias, 30% são pacientes valvopatas e 20% são de casos de cardiopatia congênita e outros. Os números não são precisos porque não temos um banco de dados nacional. No Hospital do Coração, em torno de 15% dos pacientes adultos submetidos à cirurgia fazem o tratamento associado da fibrilação atrial. Labirinto No final da década de 1980, Dr. Cox desenvolveu a técnica de corte e sutura da parede dos átrios para redirecionar o estímulo elétrico dentro do coração, como um labirinto. Para aumentar a aplicabilidade e reduzir a complexidade do procedimento, várias modificações foram introduzidas. Redução e modificação da localização das incisões atriais, no procedimento chamado de mini-cox. Procedimento somente no átrio esquerdo, baseado em estudos que demonstraram que os focos de deflagração da FA teriam origem no átrio esquerdo. E a utilização de fontes de energias (radiofreqüência, microondas, ultra-som e laser) para provocar lesões ablativas lineares em substituição a secção e sutura da parede atrial. Radiofreqüência Na França, em 1994, Haïsseguerre relatou o tratamento da FA paroxística com ablação com cateter de radiofreqüência. A experiência favorável da ablação por cateter estimulou a utilização das fontes de energia no tratamento cirúrgico da FA. Em trabalho pioneiro, Chen descreveu a utilização endocárdica da radiofreqüência e da crioablação para criar lesões na parede atrial, como método alternativo à operação de Cox. A radiofreqüência é uma corrente elétrica alternada que pode ser unipolar ou bipolar, seca ou irrigada. A aplicação pode ser realizada por via endocárdica e/ou epicárdica. Tecnologia Atualmente existe um grande interesse na aplicação das fontes de energia por via epicárdica, por meio de miniincisões, e com o auxílio de videotoracoscopia e de robótica. Reduz o trauma de uma esternotomia e utilização de circulação extracorpórea, possibilitando o uso do procedimento para pacientes portadores de FA isolada resistente a terapêutica medicamentosa e intervencionista. Em 2003, apresentamos tese na EPM-Unifesp, sob a orientação do Prof. Ênio Buffolo, demonstrando a efetividade da aplicação epicárdica da radiofreqüência unipolar irrigada. Procurando dar continuidade à linha de pesquisa, iniciaremos o estudo experimental com aplicação da fonte de energia por meio de miniincisões e videoassistida. A nossa experiência com aplicação clínica do Cardioblate, da Medtronic, no Hospital do Coração demonstrou que no seguimento de 6 meses a 3 anos de evolução, 95 % dos pacientes que realizaram o procedimento reverteram a fibrilação atrial após o uso da radiofreqüência unipolar irrigada. Popularização No Brasil, o Sistema Único de Saúde não financia o uso desta tecnologia, o que, apesar do grande interesse na utilização de fontes de energia, mantém muitos cirurgiões cardiovasculares utilizando o procedimento de corte e sutura da parede atrial, ou até mesmo não tratando a FA, por ser um procedimento que aumenta o tempo de cirurgia, de circulação extracorpórea, o risco de sangramento e de reação inflamatória. Para tentar reverter esta situação, Dra. Magaly vai coordenar um estudo multicêntrico envolvendo cirurgiões cardiovasculares de Norte a Sul do país; o trabalho vai focar pacientes portadores de valvopatia associada com FA, que serão tratados com radiofreqüência unipolar irrigada. O objetivo é levar as conclusões ao Ministério da Saúde para mostrar a importância do uso das novas tecnologias. Destaque 5

6 saiba mais Estudo internacional avalia Endeavor A Medtronic está promovendo o E-Five Registry, um amplo estudo internacional para avaliar o desempenho clínico no mundo real do Endeavor, o Sistema de Stent Coronário de Eluição de Zotarolimus. No total, oito mil pacientes farão parte do estudo, desenvolvido em aproximadamente 200 centros da Europa, Ásia, Austrália, Nova Zelândia, África do Sul e América do Sul. Nesta entrevista, Dr. Fausto Feres, cardiologista do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia de São Paulo, um dos centros participantes da pesquisa, fala do significado do E-Five Registry e sua importância para a instituição. Participando também do E-Five Registry o Instituto Nacional de Cardiologia de Laranjeiras RJ, tendo como investigador principal Dr. Paulo Sergio Oliveira. O que representa para o Instituto participar do E-Five Registry? Dr. Fausto Feres O motivo inicial de satisfação e orgulho para nós foi ter um projeto de pesquisa desenvolvido em colaboração com a Medtronic, pela primeira vez no Brasil. Outro motivo é que o Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia foi um dos centros escolhidos para participar do registro com o que existe de mais moderno em tecnologia para o tratamento percutâneo da doença coronária, que são os stents farmacológicos. A importância do Estudo E-Five Registry decorre do fato de ser um registro multicêntrico internacional, para testar se o stent realmente funciona no mundo real. Qual o principal diferencial do stent Endeavor em relação aos outros stents farmacológicos? FF Hoje em dia, os stents são muito similares. A grande diferença do Endeavor é em relação ao tripé formado por plataforma, polímero e fármaco. A maioria dos stents tem plataforma de aço inoxidável, enquanto o Endeavor é com stent Driver, de cromo cobalto. Isto permite hastes metálicas mais finas e ao mesmo tempo bem mais visíveis aos raios-x. O segundo item é o polímero, que atua como uma cola e permite ao fármaco ser aderido no stent, e daí liberado na parede do vaso. No caso do Endeavor, o polímero fosforilcolina possibilita a liberação do fármaco Zotarolimus em quatro semanas. Esse polímero é biocompatível, ou seja, depois que o fármaco é liberado, ele 6 Destaque não passa a ser um problema, não causa reação estranha, como inflamação, necrose ou alteração na parede da artéria. O fármaco do Endeavor é da família Olimus e tem propriedades farmacológicas muito semelhantes ao Sirolimus (Rapamicina), que já foi amplamente testado. Ao atuar numa fase precoce do ciclo celular, o Zotarolimus acaba por inibir a proliferação de células musculares lisas. Quais as vantagens de um estudo abrangente, aberto aos all comers? FF O estudo começou no dia 14 de janeiro e terminou no dia 6 de março, no Instituto Dante Pazzanese. Todo paciente que tinha doença coronária e aceitasse participar foi tratado, os chamados all comers. Com isso, tivemos os mais diferentes tipos de lesões e obstruções, o que permitiu a implantação de 176 stents em 100 pacientes. Como todos os pacientes candidatos ao tratamento foram efetivamente tratados, apresentando características as mais diversas, incluímos no estudo pacientes com vasos finos, com lesões longas, mais complexas, localizadas em bifurcações, que precisavam de um, dois ou três stents, e em pacientes com infarto agudo do miocárdio. Tivemos uma paciente que chegou com infarto, aceitou participar do protocolo e foi tratada; era uma paciente submetida à cirurgia cardíaca de ponte de safena três semanas antes e se apresentou com infarto agudo do miocárdio. Acabou sendo tratada com o stent Endeavor. Isto mostra que o universo de pacientes tratados foi extremamente amplo. Houve implantes em vasos menores que 3 milímetros? FF Sim, em cerca de 25% dos vaso tratados. Nossa experiência no Dante Pazzanese em relação à aplicação do stent em vasos menores que 3 milímetros está ao redor de 10%, pois o stent convencional, aqui utilizado na maioria das vezes, apresenta maiores índices de recorrência. Como tivemos a possibilidade de utilizar o stent Endeavor, que sabidamente reduz a reestenose coronária, houve aumento nas indicações de intervenções em pacientes com vasos menores. Quando saem os resultados? FF Em seis meses todos os pacientes serão reestudados e poderemos ver se o stent está bem aposto na parede, se não houve efeito tóxico do fármaco, se surgiram novas lesões nos bordos do stent, e uma série de dados será analisada. A avaliação clínica aos 12 meses após o implante permitirá a análise da real incidência de eventos cardíacos adversos no período. Reunindo-se os dados, veremos se houve necessidade de nova internação para revascularização, se o paciente teve infarto ou se morreu. Com isto, observa-se a performance do stent Endeavor no mundo real.

7 Cardiac Dashboard Seu tempo é limitado. É por isso que a atualização de produto Cardiac Dashboard, da Vitatron, garantirá o seguimento simples e rápido para seus pacientes com marcapassos Serie-T. 1 2 O layout da tela focado nos três passos importantes em um seguimento: 1. Therapy Advisor 2. Dados do paciente 3. Dados do marcapasso D. Janela dinâmica Rápido Clientes entrevistados concluíram: As avaliações estão absolutamente mais rápidas com o Cardiac Dashboard. A primeira tela permite acesso a toda informação necessária para 80% das avaliações. Visão global de todos os principais diagnósticos. Navegação excelente. Simples Tempo de avaliação reduzido depois das três primeiras avaliações. Navegação e estrutura baseados na prática clínica. Análise imediata dos diagnósticos com sugestões de programação. Gráficos com histórico para uma visão rápida da evolução. D 3 eventos médicos ABRIL 7 a 8 Educação Médica Continuada SBEM-SC Local: São Francisco do Sul Informações: 20 a 22 CICE 2006 Local: São Paulo Hotel Meliá Informações: 22 a 27 Congresso Anual da AANS American Association of Neurological Surgeons Local: São Francisco, Califórnia Informações: 26 a 30 15th Annual Meeting and Clinical Congress/AACE Local: Chicago (USA) Informações: 27 a 30 XIII Simpósio Internacional de Neuroendocrinologia (SINE) Local: Porto Alegre Informações: SBEM-RS Tel.: (51) , Fax: (51) a 29 XIII Congresso de Cardiologia de Brasília Lake Side Hotel Brasília, DF Informações: 28 a 30 XVIII Congresso Brasileiro de Ecocardiografia Local: Hotel Meliá São Paulo/SP 29/4 a 3/ Annual Meeting AATS American Association for Thoracic Surgery Local: Filadélfia (EUA) Informações: MAIO 4 a 6 XVIII Congresso de Cardiologia do Estado da Bahia Centro de Convenções da Bahia Salvador, BA Informações: 4 a 7 VII Congresso Paulista de Diabetes e Metabolismo Local: Guarujá, SP Informações: 6 a 7 XII Congresso Goiano de Cardiologia Goiânia, GO Informações: 20 a 25 American Urological Association Local: Atlanta Informações: 25 a 27 XXVII Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de SP Centro de Convenções Campos do Jordão Informações: 27 Imersão em Endocrinologia Pediátrica Local: Santa Catarina Informações: JUNHO 8 a 10 XXVII Congresso Norte Nordeste de Cardiologia Centro de Convenções Maceió, AL 9 a 13 66th Annual Scientific Session/American Diabetes Association Local: Washington DC, EUA Informações: 14 a 17 Cardiostim Local: Nice, França Informações:www.cardiostim.fr/ 15 a 19 XII Encontro Brasileiro de Tireóide (EBT) Local: Curitiba Informações: SBEM-PR: Tel.: (41) (ramal 217) Fax: (41) a 27 88th Annual Meeting of Endocrine Society Local: Boston, EUA Informações: 29 Fórum Cardiometabólico (Ham-Upe) Local Summerville Beach Resort Porto de Galinhas, PE Informações: Destaque 7

8 matéria de capa Sistema de estimulação EnRhythm A Medtronic está trazendo para o Brasil o EnRhythm, o primeiro marcapasso do mercado com uma nova opção de estimulação. O EnRhythm inclui entre suas novas capacidades o modo de estimulação MVP para reduzir significativamente a estimulação de VD não necessária; o monitoramento de arritmias registrando novos tipos de episódios e opção de verificação rápida dos episódios significativos. Memória com capacidade de armazenamento de EGM, em canal duplo, de 16,5 minutos. Três mecanismos de monitorização e prevenção a mudanças da regularidade da freqüência atrial buscando retornar a um ritmo sinusal. É o único dispositivo que disponibiliza exclusivas terapias para terminação de episódios de taquicardias atriais. A longevidade média está estimada em 10,5 anos, podendo chegar a 12 anos com a ativação do modo MVP. Estudos clínicos demonstraram que em pacientes com doença do nó sinusal, redução da estimulação ventricular direita, desnecessária, pode reduzir, significativamente, a necessidade de hospitalização por insuficiência cardíaca e episódios de 8 Destaque

9 fibrilação atrial. Os riscos de insuficiência cardíaca e fibrilação atrial podem ser reduzidos mediante estratégias de estimulação ventricular mínima que preservam, o máximo possível, a seqüência normal da ativação ventricular, afirma o médico Michael O. Sweeney, do Brigham and Women s Hospital. O modo MVP oferece a oportunidade de que o paciente tenha uma condução intrínseca enquanto proporciona estimulação de suporte, se necessária. Informações diagnósticas auxiliam o médico a verificar a eficácia das terapias administradas ao paciente. As terapias antitaquicárdica (ATP) de terminação e os mecanismos de prevenção de episódios de taquicardia atrial proporcionam ao paciente maior possibilidade de restaurar e manter o ritmo sinusal. Vantagens do modo MVP e terapias de ATP A função MVP é um modo de estimulação que se baseia na freqüência atrial e reduz de forma significativa a estimulação ventricular direita não necessária, atuando no modo de estimulação AAI(R) enquanto proporciona a segurança de um modo bicameral de suporte, se for necessário. Em dois estudos clínicos, ficou demonstrado que o modo MVP reduziu a estimulação ventricular direta, entre 3,8% e 4,1%, em pacientes com condução intrínseca. Em 78% dos pacientes, a estimulação ventricular foi inferior a 1%. Cardiac Compass é um histórico de mais de um ano com vários dados para acompanhamento da atividade cardíaca do paciente. O Cardiac Compass pode ajudá-lo a responder às seguintes perguntas: Há uma terapia adequada para controle da freqüência e do ritmo cardíaco? Existe maior risco de acidente cerebrovascular em virtude de TA/FA de longa duração? É possível reduzir ao mínimo a estimulação de VD para pacientes com condução AV intacta? O paciente apresenta sinais de agravamento da IC? A piora dos sintomas de IC está relacionada com arritmias atriais? Está aumentando, diminuindo ou estabilizada a freqüência cardíaca média diurna/noturna; o nível de atividade e a variabilidade da freqüência cardíaca? A estimulação atrial antitaquicárdica (ATP) administra terapias indolores para restaurar o ritmo sinusal e 54% dos episódios classificados como taquicárdicos pelo dispositivo podem ser finalizados por aplicação de uma ATP. Sprint Fidelis Os CDIs Medtronic podem receber os eletrodos da família Fidelis, que são extremamente finos. Desenvolvidos com uma tecnologia revolucionária para eletrodos de desfibriladores, minimizam as dificuldades em pacientes com veias pouco calibrosas e eliminam a necessidade de introdutores grandes. Com espessura constante e sem ressaltos ou protuberâncias, os eletrodos deslizam com grande facilidade dentro das veias, já que possuem espessura de apenas 6,6 Fr de diâmetro. Isto permite o implante com introdutores de apenas 7 Fr. Destaque 9

10 Medtronic em destaque Workshop divulga Neuromodulação Sacral Mais de três mil urologistas são esperados em junho de 2006 no Recife, para participar do Congresso da CAU. Durante o congresso, Dra. Miriam Dambros vai coordenar um workshop sobre Neuromodulação Sacral que terá quatro horas de duração. Nesta entrevista, a médica, que possui doutorado em Cirurgia na Unicamp e Urologia na Universidade de Maastricht, na Holanda, fala da necessidade de os médicos latino-americanos se familiarizarem com a tecnologia da Neuromodulação Sacral e revela o que será ensinado no curso. Como será o workshop sobre Neuromodulação Sacral? O Congresso da CAU Confederación Americana de Urologia será um encontro onde se estima a presença de três mil urologistas latino-americanos. O congresso envolverá cinco dias de intensa programação científica, com vários simpósios de uma hora de duração e quatro cursos hands-on. O curso de Neuromodulação Sacral será no formato hands-on, e os participantes terão a oportunidade de, durante quatro horas, conhecer as principais indicações do Neuromodulador, funcionamento e, fundamentalmente, terão a oportunidade de exercitar a introdução do eletrodo em cadáveres e manipular o Neuromodulador, o que acontecerá no Departamento de Anatomia da Universidade Federal de Pernambuco. 10 Destaque Quais assuntos serão abordados? Renomados urologistas brasileiros, que já apresentam experiência pessoal com o Neuromodulador, e Prof. Dr. Philip van Kerrebroeck, neurourologista da Universidade de Maastricht, Holanda, que coordena o curso de treinamento para médicos europeus nos moldes do que estaremos oferecendo durante o congresso da CAU, trarão informações essenciais para o conhecimento adequado desta tecnologia, como indicações, funcionamento do Neuromodulador, seleção de pacientes, como realizar o procedimento e programação deste, complicações como evitá-las e tratá-las. Novamente gostaria de frisar que os participantes terão um treinamento hands-on em que poderão adaptarse à região sacral, pontos ósseos im-

11 portantes para identificar os forâmens sacrais e introdução do eletrodo. Qual a importância deste Workshop? Este curso trará a oportunidade de urologistas e ginecologistas latinoamericanos se familiarizarem-se com a Neuromodulação Sacral, que é um tratamento que já se encontra disponível há vários anos na Europa e Estados Unidos, com resultados muito bons, desde que corretamente compreendido qual o grupo de pacientes que deve receber essa terapia. Considero o ponto alto do curso a oportunidade de manusear o material e a aplicação deste em cadáveres, o que deixará o médico mais confortável ante a realização do procedimento. Qual sua expectativa em relação aos resultados da Neuromodulação Sacral? E quanto ao interesse junto dos médicos? Os resultados da Neuromodulação Sacral dependem, fundamentalmente, da correta indicação deste e da patologia que está sendo tratada, em geral pacientes com bexiga hiperativa, mas também com retenção urinária de causa funcional, entre outros. Generalizando, a Neuromodulação apresenta bons resultados que variam entre 40% a 80% dependendo, obviamente, da indicação. Em geral, o grupo de pacientes que é encaminhado para a Neuromodulação já foi tratado com terapias medicamentosas e abordagens fisioterapêuticas, tratando-se de um grupo refratário às terapias tradicionais e amplamente difundidas. Desta forma, representam um número expressivo de pacientes com as patologias descritas anteriormente que poderão se beneficiar da Neuromodulação Sacral. Detalhe mostrando a introdução do eletrodo do InterStim no 3º forâmen (S3) do sacro. Deverá haver grande interesse entre os médicos pelo conhecimento do procedimento, suas indicações e realização, nos próximos anos, já que até então, não se comentava sobre ele no nosso meio. Como é a receptividade de médicos para um implante de Interstim? A terapia já é conhecida no Brasil? Tenho visto que a receptividade ao método é grande entre os médicos brasileiros, não somente urologistas, mas também proctologistas e ginecologistas, embora a terapia seja ainda pouco conhecida no Brasil. Entretanto, neste momento, acredito que haja dois pontos críticos no que se refere à difusão deste procedimento em âmbito nacional, que seriam os custos para o paciente e a divulgação do método e da técnica de realização por meio de simpósios e cursos hands-on como este que estamos organizando. É fácil entender que não se pode indicar para o paciente aquilo que não se conhece. Qual a sua experiência pessoal com o uso do Interstim? Como realizei o doutorado em um dos locais onde mais se realiza o implante do Neuromodulador na Europa, tive oportunidade de participar de vários procedimentos, conhecer a indicação, complicações e as situações em que o método falha. Participei também da evolução, naquele serviço, do implante definitivo de forma invasiva para a forma percutânea de implante, minimamente invasiva, a qual é empregada na maioria dos serviços que utilizam esta terapia. InterStim é um Neuromodulador Sacral para o tratamento dos sintomas da bexiga hiperativa e retenção urinária, bem como incontinência fecal. Entre os sintomas típicos podem ser mencionados a incontinência urinária de urgência e a urge-freqüência. O Neuromodulador é um gerador de pulsos implantável, como um marcapassos. Dra. Miriam Dambros Doutora em Cirurgia na área de Urologia, pela Universidade Estadual de Campinas, e doutora em Medicina pela Universidade de Maastricht, Holanda Profa. Doutora da Faculdade de Medicina da Universidade de São Francisco, BP, SP Responsável pelo Serviço de Urologia Geriátrica Disciplina de Urologia, Escola Paulista de Medicina Unifesp. Destaque 11

12 tecnologia médica Diabetes Sistema de Infusão Contínua de Insulina A insulinoterapia por infusão contínua de insulina (bomba de insulina) está ganhando cada vez mais adeptos no Brasil, especialmente entre os jovens. Esse crescimento é facilmente detectável: em 2004, em um acampamento de jovens diabéticos, apenas 2 pacientes utilizavam a terapia de infusão contínua de insulina; em 2005 já eram 4 e, em 2006, o número saltou para 11. O uso da bomba de infusão no Brasil é recente, mas vem crescendo, já que hoje há mais acesso a esta terapia, afirma a endocrinologista Denise Franco, médica endocrinologista do Nucel Núcleo de Terapia Celular e Molecular IQ USP e membro do Conselho Consultivo da Associação de Diabetes Juvenil e educadora em diabetes. Atualmente, 10% dos pacientes da endocrinologista já utilizam o equipamento. Dra. Denise explica que a terapia de infusão contínua é essencial quando se busca um controle mais preciso dos níveis de insulina, ou então metas glicêmicas melhores: Buscamos para todos os pacientes um nível de hemoglobina glicada abaixo de 7, com menor risco de hipoglicemia. A única terapia em que se consegue um ajuste mais fino é com a bomba de infusão. A médica lembra que também se consegue o ajuste por meio de outras terapias, mas a bomba garante o menor índice de hipoglicemia. Integrante do conselho da Associação de Diabetes Juvenil, Dra. Denise informa que os adolescentes são os pacientes que aprendem mais rapidamente a utilizar os botões do sistema de infusão. Em adultos, ela informa que o uso é fácil, e quando utilizada em crianças, a segurança é garantida por uma série de recursos, como travas e bloqueios. O sistema permite apenas que a mãe tome conta do controle da insulina, e mesmo que a criança brinque com a bomba, não consegue alterar nada. Dra. Denise cita três importantes indicações para a terapia de infusão contínua de insulina em pessoas com diabetes do tipo 1: para os casos de hipoglicemia sem sintomas, episódios de fenômeno do alvorecer e naquelas pessoas em que o controle glicêmico está insatisfatório, como, por exemplo, nas com a chamada diabetes hiperlábil. Imagine uma hipoglicemia sem sintomas, que pode levar a uma crise convulsiva ou coma. Para este paciente, sem dúvida, a bomba pode ser uma indicação, já que é a alternativa antes de um transplante. Já no fenômeno do alvorecer são pacientes em que se tentou usar todos os ajustes, via dose de insulina, mas mesmo assim acordam com glicemia alta pela manhã. Com a bomba de insulina é possível manter níveis adequados de insulina durante a madrugada e por volta das 4 ou 5 horas aumentar o basal, sem correr o risco de os níveis de insulina serem baixos no horário em que o paciente precisa, no final da madrugada. Quanto à adaptação ao equipamento, ela conta que as reações são variadas. Em geral, o paciente que está com controle ruim fica feliz com a bomba. Outros têm medo de iniciar a aplicação de insulina. E para outro grupo é ótima a possibilidade de só trocar o cateter a cada 3 dias. Para gestantes, a bomba de infusão também é a melhor terapia, porque consegue um bom controle glicêmico exigido durante a gestação. Duas jovens contam suas experiências A estudante carioca Rosinéia Benfica da Silva, de 17 anos, paciente de Dra. Claudia Castilho, do Hospital do Fundão, diz que conquistou uma vida nova com a bomba de infusão de insulina: Antes da bomba eu usava insulina injetável NPH e análogo de ação rápida. Os resultados não eram bons. Eu fazia exame no dedo de 2 em 2 horas, algumas vezes estava com hiperglicemia. Vivia internada no hospital, era pele e osso. Fiquei dois anos e meio afastada da escola, começava a estudar, mas era internada várias vezes, interrompia os estudos e acabava saindo da escola. Soube da existência da bomba de infusão no Hospital do Fundão, em 12 Destaque

13 A estudante Rosinéia afirma: nasci de novo. uma palestra no Departamento de Diabetes. Todo mundo ficou interessado. Meu quadro começou a se agravar, e minha médica achou interessante que eu testasse a bomba. Ganhei minha bomba da Prefeitura do Rio em outubro de Minha adaptação foi rápida. A enfermeira vinha em casa de três em três dias para ensinar a usar e a trocar o cateter. Aprendi rápido, e ela continuou vindo só para monitorar, depois parou de vir. Minha vida mudou completamente porque tive uma melhora muito rápida. Em novembro, tinha melhorado cem por cento, muitas pessoas nem me reconheciam na rua. Eu era magra, apática, e usando a bomba, recuperei meu peso, fiquei saudável, todos comentam que minha melhora foi muito grande. Antes eu estava tendo infiltração no fígado, a médica estava preocupada, meu caso estava ficando grave, e depois de usar a bomba, o fígado desinchou, os exames começaram a dar normais. Quando vou para a escola, escondo a bomba num bolso, escondo o fiozinho, mas lá todos sabem que eu uso. Diria que nasci de novo com ela. Paciente de Dra. Denise Franco, a estudante de medicina Marília Bergstron Meneghin começou a usar a bomba de insulina quando descobriu que estava grávida. Portadora de diabetes tipo 1 desde os 10 anos de idade, ela sabia que a gravidez era de alto risco. Ela conta: Já tinha ouvido falar da bomba de insulina, mas achava que não iria dar certo. Quando Dra. Denise fez uma palestra na Liga de Diabetes de Mogi das Cruzes, ela falou muito da importância do controle. Depois da palestra fui conversar a respeito de transplante de ilhota, e ela estava comentando com outra moça que durante a gravidez a melhor terapia é obtida com a bomba. Um mês depois eu descobri que estava grávida. Procurei Dra. Denise, que até então não era minha médica, gostei muito dela e resolvi me tratar com ela a partir daí. Como foi uma gravidez de surpresa, a hemoglobina estava alta, eu não conseguia controlar bem. Então começamos a fazer um controle muito rígido. A partir do quarto mês de gravidez eu já estava usando a bomba. O primeiro mês foi o que teve maior ajuste nos níveis da glicose, mas depois minha adaptação foi bem rápida. Hoje não me preocupo se tenho que andar o dia todo com a bomba, nem paro muito para pensar que não posso tirá-la, você só pensa no benefício que a bomba vai lhe trazer. Eu soube que tinha diabetes aos 10 anos. No começo, de 10 a 13 anos, minha diabetes não trazia muito problema, mas na adolescência ela ficou bem ruim, eu passei por vários médicos, fui parar na UTI com cetoacidose. Pouco antes de usar a bomba, estava tentando mudar para outro tipo novo de insulina, ela melhorou um pouco, mas quando mudei para a bomba, melhorei ainda mais. Minha gravidez era de alto risco, mas o bebê, Gabriel, nasceu bem. Só no final da gravidez tive pressão alta, coisa normal para diabético. Eu tenho nefropatia, mas usando a bomba ela não piorou durante a gravidez. Com a bomba deu tudo certo. Marília e o filho: gravidez apressou a busca pela terapia. Destaque 13

14 inovação Logicalmed Corrente de sobrevivência contra a morte súbita Formada exclusivamente por cardiologistas especializados em emergência cardiovascular, consultoria começa a atuar no Brasil em empresas, condomínios, hospitais e locais de grande circulação de público para introduzir no país a corrente de sobrevivência. O objetivo é reduzir os alarmantes índices de morte súbita em nosso país. O Brasil registra, a cada ano, entre 150 mil e 200 mil casos de morte súbita. São 820 mortes por dia e uma morte por minuto. Noventa e cinco por cento dessas pessoas que sofrem um mal súbito morrem antes de chegar ao pronto-socorro, o que mostra que os brasileiros ainda não sabem lidar com casos como parada cardiorrespiratória fora do hospital. Quando uma pessoa cai na rua ou perde a consciência em casa, a primeira coisa que todos pensam é em colocá-la em um carro e levá-la para o hospital, e esta é a atitude mais errada. Quem faz isso comete um erro básico, porque ao tentar salvar esta pessoa desta maneira, perde-se de 20 a 30 minutos, tempo demais, explica Dr. Manoel Canesin, cardiologista que coordena o Centro de Treinamento de Emergências Cardiovasculares da Universidade de Londrina. Para implantar no Brasil o conceito de corrente de sobrevivência, ele e outros cardiologistas criaram a Logicalmed no último semestre de A empresa nasceu com o objetivo de fornecer consultoria especializada a empresas, condomínios 14 Destaque e grupos, a fim de dar todo apoio técnicocientífico de logística ao acesso público à desfibrilação e à corrente de sobrevivência, incluindo treinamento de pessoas, logística no atendimento e outros aspectos de fundamental importância para lidar com casos de emergência cardiovascular e parada cardíaca, inclusive o preparo e treinamento do socorro médico, reduzindo desta forma os alarmantes índices de mortalidade nos casos de parada cardiorrespiratória e emergência cardiovascular. Dr. Manoel Canesin explica que para se conseguir este objetivo é necessário realizar o trabalho de uma corrente de sobrevivência. Corrente de sobrevivência De acordo com Dr. Canesin, a corrente de sobrevivência é formada por quatro elos. O primeiro é reconhecer que a pessoa está tendo uma parada cardiorrespiratória e chamar por ajuda de alguém treinado em suporte básico de vida; contar com um desfibrilador automático externo de imediato e posteriormente com o suporte avançado, que é o médico. No segundo elo é preciso que esta pessoa esteja treinada a fazer compressão e ventilação para iniciar a reanimação cardiopulmonar. O terceiro elo inclui o uso do desfibrilador: o aparelho avalia a necessidade de dar o choque; em 85% das vezes o problema é de taquicardia ventricular ou fibrilação ventricular e o leigo deve estar devidamente capacitado a utilizar o equipamento assim como na compressão e ventilação que são o segundo elo. O quarto elo é o suporte avançado: a ambulância chega com médico treinado, este profissional irá dar o suporte médico adequado para que esta vítima seja transportada posteriormente. Esta pessoa não pode ser removida antes da realização desses quatro elos, afirma. A Logicalmed é a primeira empresa a atuar diretamente na redução dos índices de morte súbita no Brasil e é formada por médicos dedicados à emergência cardiovascular, que utilizam os protocolos da American Heart Association. O grupo conta com médicos consultores altamente especializados

15 na área de emergência cardiovascular, entre eles Dr. Sérgio Timmerman, do Laboratório de Habilidades e Emergência Cardiovascular do Incor, de São Paulo, Dr. Hélio Penna Guimarães, que coordena o Centro de Treinamento de Emergências Cardiovasculares do Hospital Dante Pazzanese, de São Paulo, e Dr. Manoel Canesin, do Centro de Treinamento em Emergências Cardiovasculares da Universidade de Londrina. A empresa já realizou consultorias em condomínios de São Paulo e Londrina e na Hípica de Campinas. A implantação da corrente de sobrevivência segue quatro fases: A, de avaliação, T, de treinamento, E, de equipamento, e S, de simulação. Na fase A são avaliados os recursos humanos, a área física e as condições de acesso na empresa ou condomínio, selecionadas as pessoas a serem capacitadas e avaliado o suporte avançado de vida do local. Na fase seguinte (T) é feita a capacitação por meio do suporte básico de vida BLS (Basic Life Support), da American Heart Association. Treinamos os funcionários leigos a reconhecer sinais de enfarte do miocárdio, derrame cerebral, engasgamento, e eles aprendem a fazer compressão e ventilação, reconhecer uma parada cardiorrespiratória e utilizar o desfibrilador automático externo, explica Dr. Canesin. Na terceira fase são avaliados quais e quantos equipamentos são necessários e onde eles serão colocados. O principal equipamento é o desfibrilador. Na última fase são feitas simulações para que se possa testar a eficácia do atendimento. A desfibrilação automática externa é fundamental, mas a população tem que ter consciência de que não adianta colocar desfibriladores em locais de grande circulação só para cumprir a lei, sem fazer o treinamento e a adequação do local, nem ter o suporte avançado em tempo e com qualidades técnicas adequadas, ou então manter apenas um desfibrilador para um prédio inteiro. Isto não salva vidas. O que salva vidas é a corrente de sobrevivência. O desfibrilador é peça fundamental, mas sozinho não salva vidas, afirma Dr. Canesin. Anjos do Coração Outro produto desenvolvido por esses médicos é o kit Anjos do Coração, uma iniciativa inédita no mercado brasileiro. Como o paciente que teve um enfarto do miocárdio de gravidade importante ou passou por uma cirurgia cardíaca tem muitas chances de ter um novo evento, ele poderá ter disponível e levar para casa por 30 ou 60 dias o kit Anjos do Coração. O kit é composto por um CD e um manequim descartável de treinamento produzido pela American Heart Association, um desfibrilador automático externo e um telessensor, equipamento de telemetria do ritmo cardíaco que fornece ao médico, em tempo real, o ritmo do coração. O médico pode ver pela Internet ou pelo celular o ritmo do coração e dizer se o paciente está tendo algum evento, como bloqueio avançado ou arritmia, explica o médico. Com essa cardioproteção é possível detectar problemas precocemente e, com isso, mudar a medicação ou tomar alguma medida. Antes de fornecer o kit, os familiares que acompanham o paciente recebem treinamento e um curso de suporte básico de vida de 4 horas. Esse produto que será lançado em estudo piloto em parceria da Universidade de Londrina/ Hospital do Coração de Londrina visa dar maior proteção àqueles pacientes graves que tiveram alta hospitalar. O kit Anjos do Coração deve ser lançado em abril, durante o Congresso Sul Brasileiro de Cardiologia. Vamos avaliar a receptividade e a maneira como podemos lançar este modelo de proteção, finaliza Dr. Canesin. Destaque 15

16 saúde É hora de almoçar ar Na hora do almoço, milhões de brasileiros cumprem o mesmo ritual: no restaurante self service é momento de optar entre uma grande variedade de saladas, pratos quentes e sobremesas. Com tantas opções, há sempre o risco de exceder às necessidades nutricionais. Para explicar a melhor forma de fugir das armadilhas, a nutricionista Alessandra Souza traça um roteiro para ajudá-lo a compor pratos balanceados e que respeitam suas preferências culinárias. A primeira coisa a fazer quando chegar ao restaurante é passar diante Dicas No dia da lasanha acompanhe essa preparação apenas com verduras, legumes crus e cozidos e uma salada de ervilhas, grão de bico ou feijão branco. No dia da feijoada: acompanhe essa preparação com arroz branco ou farofa e muita couve, e selecione as carnes magras; os torresmos são dispensáveis. de todas as opções oferecidas naquele dia. Ao identificar a disponibilidade de alimentos, você define como irá montar o prato. Uma dica para evitar o consumo excessivo de alimentos é montar apenas um prato com alimentos que representem os seguintes grupos alimentares: hortaliças; cereais, pães, massas, tubérculos e raízes; carnes, aves, ovos e peixes; e leguminosas. A seguir, o roteiro básico. Comece se servindo das saladas, ou seja, as hortaliças: selecione um ou dois tipos de folhas como rúcula, agrião, alface e um ou dois tipos de legumes crus, como cenoura, pepino, tomate. Inclua também pelo menos um legume refogado ou cozido, como brócolis, berinjela, abobrinha. Muita gente acha que a salada precisa ter uma variedade grande de legumes e verduras e esquece que o que não foi ingerido no almoço pode fazer parte do cardápio do jantar. Lembre que se a salada contiver queijos, kani ou pães em grande quantidade, você precisará reduzir as porções dos grupos alimentares equivalentes. Por exemplo, se a salada está repleta de mussarela de búfala, você pode reduzir pela metade o tamanho de seu filé. Para temperar, prefira vinagre ou limão, pouco sal e pouco azeite. Molhos industrializados são ricos em gorduras. Alessandra Souza Nutricionista, mestre em nutrição humana pela universidade de São Paulo e consultora técnica da divisão de diabetes da Medtronic Após a salada é hora de contemplar o grupo dos cereais, pães, massas, tubérculos e raízes. Faça a opção por arroz branco ou integral, farofa, batatas cozidas ou massas sem recheio. Nas massas, prefira o molho de tomate. Você pode dispensar seu filé caso prefira as massas recheadas de queijo, carnes e aves. O próximo passo é selecionar um filé de frango, peixe ou carne importante: só um deles. Passe direto pelos alimentos empanados e as carnes fritas. Entre os peixes, prefira os assados no forno ou cozidos. Agora não se esqueça de incluir em seu prato uma leguminosa como feijão, ervilha, lentilha ou grão de bico, que também valem se estiverem em forma de salada. Para beber, prefira os sucos de frutas diluídos, como acerola, abacaxi, limão, e procure não ultrapassar 250 ml. Para adoçar, um sachê de açúcar ou adoçante. Se você não vive sem refrigerantes, opte pelas versões light/diet, e no máximo uma lata por refeição. No momento da sobremesa, prefira as frutas frescas, doce de frutas ou picolé de frutas. Deixe para os dias especiais as sobremesas que contenham chocolate, as tortas e os pudins. 16 Destaque

CLÍNICA UPTIME TRATAMENTO DA DOR E PROBLEMAS EMOCIONAIS OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO. (segunda parte) A ESCOLHA

CLÍNICA UPTIME TRATAMENTO DA DOR E PROBLEMAS EMOCIONAIS OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO. (segunda parte) A ESCOLHA OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO (segunda parte) A ESCOLHA Responda à seguinte pergunta: Você gosta de carro? Se você gosta, vamos em frente. Escolha o carro de seus sonhos: Mercedes,

Leia mais

Arritmias Cardíacas e Morte Súbita

Arritmias Cardíacas e Morte Súbita Arritmias Cardíacas e Morte Súbita SOBRAC Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas www.sobrac.org (Marco Paulo Tomaz Barbosa) Qual o órgão mais importante do corpo humano? Claro que EU sou o mais Importante!!!

Leia mais

Curso de Emergências Cardiorespiratórias

Curso de Emergências Cardiorespiratórias SBC Salvando Vidas Curso de Emergências Cardiorespiratórias A SBC é uma instituição que está habilitada pela American Heart Association (AHA) - importante entidade americana na área de doenças cardiológicas

Leia mais

Perder peso Comendo. Pare de comer depressa

Perder peso Comendo. Pare de comer depressa Vou passar a você, algumas receitas que usei para poder emagrecer mais rápido e com saúde. Não direi apenas só sobre como preparar algumas receitas, mas também direi como perder peso sem sofrimento e de

Leia mais

Colesterol O que é Isso? Trabalhamos pela vida

Colesterol O que é Isso? Trabalhamos pela vida Colesterol O que é Isso? X O que é o Colesterol? Colesterol é uma gordura encontrada apenas nos animais Importante para a vida: Estrutura do corpo humano (células) Crescimento Reprodução Produção de vit

Leia mais

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL?

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? O Ministério da Saúde está lançando a versão de bolso do Guia Alimentar para a População Brasileira, em formato de Dez Passos para uma Alimentação Saudável, com o objetivo

Leia mais

CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO

CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO SENADO FEDERAL CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO SENADOR CLÉSIO ANDRADE 2 Cuidados com a alimentação apresentação Uma boa saúde é, em grande parte, resultado de uma boa alimentação. Há muita verdade no dito

Leia mais

Questionário: Risco de ter diabetes

Questionário: Risco de ter diabetes Questionário: Risco de ter diabetes ATENÇÃO! Este questionário não deve ser aplicado a gestantes e pessoas menores de 18 anos. Preencha o formulário abaixo. Idade: anos Sexo: ( ) Masculino ( ) Feminino

Leia mais

Veículo: Jornal da Comunidade Data: 24 a 30/07/2010 Seção: Comunidade Vip Pág.: 4 Assunto: Diabetes

Veículo: Jornal da Comunidade Data: 24 a 30/07/2010 Seção: Comunidade Vip Pág.: 4 Assunto: Diabetes Veículo: Jornal da Comunidade Data: 24 a 30/07/2010 Seção: Comunidade Vip Pág.: 4 Assunto: Diabetes Uma vida normal com diabetes Obesidade, histórico familiar e sedentarismo são alguns dos principais fatores

Leia mais

Avaliação de Tecnologias em Saúde

Avaliação de Tecnologias em Saúde Câmara Técnica de Medicina Baseada em Evidências Avaliação de Tecnologias em Saúde Assunto: Comparativo entre as marcas de cardioversores desfibriladores(cdi) Canoas, setembro de 2009 Avaliação da Câmara

Leia mais

ANEXO 1. Aprovação no Comitê de Ética em Pesquisa (CEP-UNIFESP)

ANEXO 1. Aprovação no Comitê de Ética em Pesquisa (CEP-UNIFESP) 94 95 96 97 ANEXO 1 Aprovação no Comitê de Ética em Pesquisa (CEP-UNIFESP) 98 99 Anexo 2 Termo de consentimento livre e esclarecido Consentimento informado para realização de Estudo Eletrofisiológico e

Leia mais

Projeto Planeta Azul Ponto de Apoio Especial sobre Alimentação

Projeto Planeta Azul Ponto de Apoio Especial sobre Alimentação Projeto Planeta Azul Ponto de Apoio Especial sobre Alimentação (...) A verdade, em matéria de saúde, está na adaptação e no respeito à Natureza (...). Mokiti Okada Para uma alimentação saudável, podemos

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE FREQÜÊNCIA ALIMENTAR ADULTO

QUESTIONÁRIO DE FREQÜÊNCIA ALIMENTAR ADULTO Setor: N o. do quest QUESTIONÁRIO DE FREQÜÊNCIA ALIMENTAR ADULTO PARA TODAS AS PESSOAS COM 20 ANOS OU MAIS Data da entrevista / / Hora de início: Nome do entrevistador: Nº de identificação: Nome: Sexo

Leia mais

Programa Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) Campanha de Prevenção e Controle de Hipertensão e Diabetes

Programa Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) Campanha de Prevenção e Controle de Hipertensão e Diabetes Programa Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) Campanha de Prevenção e Controle de Hipertensão e Diabetes Objetivos: - Desenvolver uma visão biopsicossocial integrada ao ambiente de trabalho, considerando

Leia mais

Arritmias Cardíacas Classificação e Tratamento Emergencial. Classificação das Arritmias (Segundo a Freqüência Cardíaca Associada)

Arritmias Cardíacas Classificação e Tratamento Emergencial. Classificação das Arritmias (Segundo a Freqüência Cardíaca Associada) Arritmias Cardíacas Classificação e Tratamento Emergencial Prof. Dr. Luiz F. Junqueira Jr. Universidade de Brasília Departamento de Clínica Médica - Laboratório Cardiovascular Hospital Universitário de

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE

FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE União Metropolitana de Educação e Cultura Faculdade: Curso: NUTRIÇÃO FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE Disciplina: INTRODUÇÃO A NUTRIÇÃO Carga horária: Teórica 40 Prática 40 Semestre: 1 Turno:

Leia mais

Proteger nosso. Futuro

Proteger nosso. Futuro Proteger nosso Futuro A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) é uma entidade sem fins lucrativos criada em 1943, tendo como objetivo unir a classe médica especializada em cardiologia para o planejamento

Leia mais

APRESENTAÇÃO NITS SES

APRESENTAÇÃO NITS SES SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE APRESENTAÇÃO NITS SES COORDENADORIA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INSUMOS ESTRATÉGICOS DE SAÚDE (CCTIES) 23 DE ABRIL 2014 Instituto Dante Pazzanese Organograma atual do NIT-IDPC

Leia mais

Em pleno novo milênio nossa sociedade aparece com uma

Em pleno novo milênio nossa sociedade aparece com uma 8 Epidemiologia da Atividade Física & Doenças Crônicas: Diabetes Dênis Marcelo Modeneze Graduado em Educação Física Mestre em Educação Física na Área de Atividade Física, Adaptação e Saúde-UNICAMP Em pleno

Leia mais

Estimulação Cardíaca Artificial Marcapasso. Sammylle Gomes de Castro

Estimulação Cardíaca Artificial Marcapasso. Sammylle Gomes de Castro Estimulação Cardíaca Artificial Marcapasso Sammylle Gomes de Castro Catharina Serafin e Hugo von Ziemssen 1950 primeiros marcapassos móveis com fonte de energia elétrica Auxilio dos experimentos com hipotermia

Leia mais

Cardápio Escolar ALMOÇO 1º SEMANA DE SETEMBRO PERÍODO 01/09/10 A 03/09/10. Arroz, Feijão, Brócolis alho e óleo. Arroz, Feijão, Purê de Batata

Cardápio Escolar ALMOÇO 1º SEMANA DE SETEMBRO PERÍODO 01/09/10 A 03/09/10. Arroz, Feijão, Brócolis alho e óleo. Arroz, Feijão, Purê de Batata 1º SEMANA DE SETEMBRO PERÍODO 01/09/10 A 03/09/10 Acompanhamento Salada Sobremesa 01/09/10 Frango Assado com Creme de Cebola Brócolis alho e óleo Tomate Abacaxi 02/09/10 Bife a Role Purê de Batata cozida

Leia mais

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES.

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES. PARA SABERMOS COMO A ALIMENTAÇÃO DEVE SER EQUILIBRADA, PRECISAMOS CONHECER A PIRÂMIDE ALIMENTAR, QUE É A REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS ALIMENTOS E SUAS QUANTIDADES QUE DEVEM ESTAR PRESENTES EM NOSSA DIETA

Leia mais

www.500receitasparaemagrecer.com.br SUPER 9 DIETAS 500 Receitas para Emagrecer Dicas Dietas sobre Metabolismo

www.500receitasparaemagrecer.com.br SUPER 9 DIETAS 500 Receitas para Emagrecer Dicas Dietas sobre Metabolismo SUPER 9 DIETAS Esta dieta é baseada principalmente na ingestão de alimentos que aumentam a densidade nutricional e diminuir a densidade calórica. É uma das dietas mais equilibradas, uma vez que não se

Leia mais

Dieta. Lanche da manhã. Almoço. Café da manha:

Dieta. Lanche da manhã. Almoço. Café da manha: Café da manha: Dieta opção 1 1 xíc. (chá) de café com leite desnatado 1 pão francês sem miolo na chapa com 1 col. (sopa) rasa de margarina ou 1 fatia de queijo fresco ½ xíc. (chá) de cereal 1 xíc. (chá)

Leia mais

Saiba quais são os diferentes tipos de diabetes

Saiba quais são os diferentes tipos de diabetes Saiba quais são os diferentes tipos de diabetes Diabetes é uma doença ocasionada pela total falta de produção de insulina pelo pâncreas ou pela quantidade insuficiente da substância no corpo. A insulina

Leia mais

Prefeitura Municipal de Patos de Minas Secretaria Municipal de Administração

Prefeitura Municipal de Patos de Minas Secretaria Municipal de Administração ESCLARECIMENTO A Comissão de Pregão, da Prefeitura Municipal de Patos de Minas/MG, através de sua Pregoeira designada, atendendo ao interesse público e Ofício 103/2010 SMDS/GEGAD, faz esclarecimento quanto

Leia mais

O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de

O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de vida. A infância e adolescência são idades ideais para

Leia mais

Elaboração de Cardápios

Elaboração de Cardápios Elaboração de Cardápios Junho 2013 1 Programa Mesa Brasil Sesc O Mesa Brasil Sesc é um programa de segurança alimentar e nutricional sustentável, que redistribui alimentos excedentes próprios para o consumo.

Leia mais

O QUE É COLESTEROL? TIPOS

O QUE É COLESTEROL? TIPOS O QUE É COLESTEROL? O colesterol pode ser considerado um tipo de lipídio (gordura) produzido em nosso organismo. Ele está presente em alimentos de origem animal (carne, leite integral, ovos etc.). Em nosso

Leia mais

Convivendo bem com a doença renal. Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem!

Convivendo bem com a doença renal. Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem! Convivendo bem com a doença renal Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem! Nutrição e dieta para diabéticos: Introdução Mesmo sendo um paciente diabético em diálise, a sua dieta ainda

Leia mais

Nome/Código arquivo: 2013_11_11 Mem_Reun_Saúde _ Associação dos Moradores e Produtores da Vila Izabel AMPRAVI - Anapu.

Nome/Código arquivo: 2013_11_11 Mem_Reun_Saúde _ Associação dos Moradores e Produtores da Vila Izabel AMPRAVI - Anapu. Assunto: Orientar e esclarecer as dúvidas da população sobre as Ações Preventivas na Área de Saúde Pública em virtude da construção da UHE Belo Monte. Redator: Ranney Matos dos Santos Data: 11-11-2013

Leia mais

Agora que tenho diabetes... O que posso fazer para permanecer no controle?

Agora que tenho diabetes... O que posso fazer para permanecer no controle? Agora que tenho diabetes... O que posso fazer para permanecer no controle? Tenho diabetes: o que isso significa, afinal? Agora que você recebeu o diagnóstico de diabetes, você começará a pensar em muitas

Leia mais

Tome uma injeção de informação. Diabetes

Tome uma injeção de informação. Diabetes Tome uma injeção de informação. Diabetes DIABETES O diabetes é uma doença crônica, em que o pâncreas não produz insulina em quantidade suficiente, ou o organismo não a utiliza da forma adequada. Tipos

Leia mais

TEXTO DE APOIO I PERCURSO COMER, DIVIDIR E BRINCAR

TEXTO DE APOIO I PERCURSO COMER, DIVIDIR E BRINCAR TEXTO DE APOIO I PERCURSO COMER, DIVIDIR E BRINCAR Alimentação Boa Pra Você Todo ser vivo precisa se alimentar para obter energia e nutrientes para se desenvolver. No caso do ser humano, os alimentos trazem

Leia mais

SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO...

SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO... 2 SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO...12 OUTROS HÁBITOS SAUDÁVEIS...14 ATIVIDADE FÍSICA...14 CUIDADOS

Leia mais

Vida bem estar. Menu Semanal e Lista de Compras. Para uma alimentação saudável!

Vida bem estar. Menu Semanal e Lista de Compras. Para uma alimentação saudável! Vida bem estar Menu Semanal e Lista de Compras Para uma alimentação saudável! Vida bem estar Lista de Compras Lista de Compras Frutas Abacate Banana Maçã Tomate Frutas secas Damasco Banana Abacaxi Ameixa

Leia mais

Como viver bem com diabetes

Como viver bem com diabetes Como viver bem com diabetes Sumário 3 5 7 8 10 12 14 15 16 17 19 O que é diabetes? Como saber se tenho diabetes? Por que controlar bem o diabetes? Alimentação Por que fazer exercícios físicos? Tratamento

Leia mais

MAPEAMENTO ELETROANATOMICO NA ABLAÇÃO. Cristiane Miranda Hospital São Lucas - RJ

MAPEAMENTO ELETROANATOMICO NA ABLAÇÃO. Cristiane Miranda Hospital São Lucas - RJ MAPEAMENTO ELETROANATOMICO NA ABLAÇÃO Cristiane Miranda Hospital São Lucas - RJ Técnica da ablação Ao final do período, 66% dos pacientes tratados com ablação permaneceram livres dos sintomas, contra 16%

Leia mais

Guia Alimentar para a População Brasileira

Guia Alimentar para a População Brasileira Guia Alimentar para a População Brasileira Coordenação-Geral de Alimentação e Nutrição Departamento de Atenção Básica Secretaria de Atenção à Saúde Ministério da Saúde Revisão do Guia Alimentar para a

Leia mais

Idade, ela pesa 07/07/ 2015. Minhavida.com.br

Idade, ela pesa 07/07/ 2015. Minhavida.com.br Todo mundo quer viver muitos anos, não é mesmo? Mas você já se questionou se está somando mais pontos contra do que a favor na busca pela longevidade? Por isso mesmo, um estudo da Universidade da Califórnia,

Leia mais

sobre pressão alta Dr. Decio Mion

sobre pressão alta Dr. Decio Mion sobre pressão alta Dr. Decio Mion 1 2 Saiba tudo sobre pressão alta Dr. Decio Mion Chefe da Unidade de Hipertensão do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP)

Leia mais

CORAÇÃO. Na Saúde combata...os inimigos silenciosos! Trabalho Elaborado por: Ana Cristina Pinheiro Mário Quintaneiro

CORAÇÃO. Na Saúde combata...os inimigos silenciosos! Trabalho Elaborado por: Ana Cristina Pinheiro Mário Quintaneiro Trabalho Elaborado por: Na Saúde combata...os inimigos silenciosos! Ana Cristina Pinheiro Mário Quintaneiro CORAÇÃO Olá! Eu sou o seu coração, trabalho dia e noite sem parar, sem descanso semanal ou férias.

Leia mais

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família. Brasília, 08 de Agosto de 2008

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família. Brasília, 08 de Agosto de 2008 Oficina de Promoção da Alimentação Saudável para Agentes Comunitários de Saúde III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família Brasília,

Leia mais

7 alimentos que sabotam a dieta sem você perceber. Até mesmo as comidas consideradas "magras" pedem consumo moderado

7 alimentos que sabotam a dieta sem você perceber. Até mesmo as comidas consideradas magras pedem consumo moderado 7 alimentos que sabotam a dieta sem você perceber Até mesmo as comidas consideradas "magras" pedem consumo moderado Por Roberta Vilela - publicado em 26/11/2010 Mudança dos hábitos alimentares A mudança

Leia mais

Dicas para uma alimentação saudável

Dicas para uma alimentação saudável Dicas para uma alimentação saudável NECESSIDADE FISIOLÓGICA ATO DE COMER SOCIABILIZAÇÃO Comida Japonesa PRAZER CULTURAL Alimentação aliada à saúde Hábitos alimentares pouco saudáveis desde a infância,

Leia mais

ALIMENTAÇÃO NO VERÃO

ALIMENTAÇÃO NO VERÃO ALIMENTAÇÃO NO VERÃO 1 - Quais os alimentos devem ser privilegiados no verão e quais devem ser evitados? Os alimentos que devem ser privilegiados no verão são as frutas, verduras e legumes, pois são ótimas

Leia mais

Uma Boa alimentação e sua relação com a dor, humor e. outros sintomas

Uma Boa alimentação e sua relação com a dor, humor e. outros sintomas Uma Boa alimentação e sua relação com a dor, humor e outros sintomas Nutricionista Camila Costa Unidade de Reabilitação Cardiovascular e Fisiologia do Exercício InCor/FMUSP Será que o que você come influencia

Leia mais

INCOR REALIZA MUTIRÃO NESTE FINAL DE SEMANA PARA CORREÇÃO DE ARRITMIA

INCOR REALIZA MUTIRÃO NESTE FINAL DE SEMANA PARA CORREÇÃO DE ARRITMIA SUGESTÃO DE PAUTA INCOR Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da FMUSP São Paulo, 31 de agosto de 2012. INCOR REALIZA MUTIRÃO NESTE FINAL DE SEMANA PARA CORREÇÃO DE ARRITMIA Estima se que até 20%

Leia mais

PÔSTERES DIA 13/11/2015-08:00 ÀS 12:00 TÍTULO

PÔSTERES DIA 13/11/2015-08:00 ÀS 12:00 TÍTULO 1 PÔSTERES DIA 13/11/2015-08:00 ÀS 12:00 A CIRCULAÇÃO EXTRACORPOREA NA CIRURGIA CARDÍACA BRASILEIRA: HISTÓRICO, AVANÇOS E DESAFIOS. 2 A DISSECÇÃO AÓRTICA E O TRATAMENTO ENDOVASCULAR 3 A IMPORTÂNCIA DA

Leia mais

Primeiro dia. Café da manhã. Pro lanche entre o café e o almoço. Para o almoço. Pro lanche entre o almoço e o jantar. Pro jantar. Segundo dia.

Primeiro dia. Café da manhã. Pro lanche entre o café e o almoço. Para o almoço. Pro lanche entre o almoço e o jantar. Pro jantar. Segundo dia. Dieta alimentar saudável com esta dieta você conseguira emagrecer ate 5 quilos em um mês sem prejudicar a saúde. Primeiro dia. 200 ml de leite desnatado, 1 colher de chá com azeite de oliva extra virgem,

Leia mais

A Dieta Atkins promete não somente redução de peso, mas também uma melhoria no seu sistema cardíaco e funções da memória, dentre outros benefícios.

A Dieta Atkins promete não somente redução de peso, mas também uma melhoria no seu sistema cardíaco e funções da memória, dentre outros benefícios. DIETA DE BA IXO ÍNDICE DE GL IC E M IA (LOW CARB DIET ) A dieta de baixo índice de glicemia ou baixa em hidratos de carbono é indicada para tal por ser mais equilibrada e até é indicada para diabéticos

Leia mais

Procedimentos Operacionais padrão das unidades integradas de Saúde Unimed Rio

Procedimentos Operacionais padrão das unidades integradas de Saúde Unimed Rio Jornada Unimed Rio A Prática Cardiológica no Cenário da Alta Complexidade Insuficiência Cardíaca e a Utilização de Marcapassos, Ressincronizadores e Desfibriladores Implantáveis Procedimentos Operacionais

Leia mais

VOCÊ CUIDA DO SEU DIABETES, A GENTE CUIDA DE VOCÊ.

VOCÊ CUIDA DO SEU DIABETES, A GENTE CUIDA DE VOCÊ. Referências bibliográficas: 1. Sociedade Brasileira de Diabetes. Algoritmo para o tratamento do diabetes tipo 2 atualização 2011. Posicionamento Oficial SBD no. 3. São Paulo: SBD; 2011. 2. Sociedade Brasileira

Leia mais

No Verão não dispense a hidratação! Sabia que a falta de concentração pode dever-se a falta de água no organismo?

No Verão não dispense a hidratação! Sabia que a falta de concentração pode dever-se a falta de água no organismo? No Verão não dispense a hidratação! Sabia que a falta de concentração pode dever-se a falta de água no organismo? Seja Inverno ou Verão, abrace esta refeição! Sabia que o Pequeno-almoço ajuda a controlar

Leia mais

REDE D Or de Hospitais Instituto D Or de Pesquisa e Ensino

REDE D Or de Hospitais Instituto D Or de Pesquisa e Ensino REDE D Or de Hospitais Instituto D Or de Pesquisa e Ensino Serviço de Arritmia, Eletrofisiologia e Estimulação Cardíaca Artificial CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM ARRITMIA CLÍNICA E MÉTODOS DIAGNÓSTICOS NÃO

Leia mais

Conheça mais sobre. Diabetes

Conheça mais sobre. Diabetes Conheça mais sobre Diabetes O diabetes é caracterizado pelo alto nível de glicose no sangue (açúcar no sangue). A insulina, hormônio produzido pelo pâncreas, é responsável por fazer a glicose entrar para

Leia mais

O QUE É COLESTEROL? Sinônimos: colesterol hdl, colesterol ldl

O QUE É COLESTEROL? Sinônimos: colesterol hdl, colesterol ldl O QUE É COLESTEROL? Sinônimos: colesterol hdl, colesterol ldl O colesterol pode ser considerado um tipo de lipídio (gordura) produzido em nosso organismo. Ele está presente em alimentos de origem animal

Leia mais

Orientações para o preparo da papinha.

Orientações para o preparo da papinha. Orientações para o preparo da papinha. Olha o aviãozinho... As primeiras refeições são muito importantes para o bebê. Quando começa a comer outros alimentos além do leite materno, ele descobre novos sabores,

Leia mais

Diretrizes de reanimação cardiopulmonar

Diretrizes de reanimação cardiopulmonar Enf: Karin Scheffel Diretrizes de reanimação cardiopulmonar Atendimento inicial suporte básico (BLS) ou suporte primário Atendimento avançado ACLS (Circulation. 2010;122[suppl 3]:S787 S817.) http://circ.ahajournals.org/content/122/18_suppl_3/s787.full

Leia mais

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO A PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA (PCR)

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO A PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA (PCR) PROTOCOLO DE ATENDIMENTO A PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA (PCR) 1 - OBJETIVO Este protocolo tem por objetivo padronizar o atendimento à parada cardiorrespiratória (PCR), para um atendimento rápido e organizado,

Leia mais

A Atividade Elétrica do Coração http://www.geocities.ws/equipecv/fisiologia/ativeletrica.html

A Atividade Elétrica do Coração http://www.geocities.ws/equipecv/fisiologia/ativeletrica.html A Atividade Elétrica do Coração http://www.geocities.ws/equipecv/fisiologia/ativeletrica.html 1. A contração das células musculares cardíacas é acionada por um potencial de ação elétrico Conforme o músculo

Leia mais

EXERCÍCIO E DIABETES

EXERCÍCIO E DIABETES EXERCÍCIO E DIABETES Todos os dias ouvimos falar dos benefícios que os exercícios físicos proporcionam, de um modo geral, à nossa saúde. Pois bem, aproveitando a oportunidade, hoje falaremos sobre a Diabetes,

Leia mais

Entrevista Marcapasso na era digital: Maior segurança para pacientes e médicos. Novidades Samu equipa ambulâncias com desfibriladores

Entrevista Marcapasso na era digital: Maior segurança para pacientes e médicos. Novidades Samu equipa ambulâncias com desfibriladores Ano II n o 4 Set/Out/Nov 2004 Informativo da Medtronic do Brasil Entrevista Marcapasso na era digital: Maior segurança para pacientes e médicos Caso clínico Ricardo Aun aborda tratamento de aneurismas

Leia mais

Governador Geraldo Alckmin entrega o maior laboratório destinado a pesquisas sobre o câncer da América Latina

Governador Geraldo Alckmin entrega o maior laboratório destinado a pesquisas sobre o câncer da América Latina MATEC ENGENHARIA ENTREGA O MAIOR LABORATORIO PARA PESQUISA DE CÂNCER DA AMÉRICA LATINA Qui, 14/04/11-11h00 SP ganha maior laboratório para pesquisa de câncer da América Latina Instituto do Câncer também

Leia mais

PROGRAMA IV BRASIL PREVENT & II LATIN AMERICAN PREVENT DATA: 05 A 07 DEZEMBRO 2013 BAHIA OTHON PALACE HOTEL SALVADOR BAHIA

PROGRAMA IV BRASIL PREVENT & II LATIN AMERICAN PREVENT DATA: 05 A 07 DEZEMBRO 2013 BAHIA OTHON PALACE HOTEL SALVADOR BAHIA PROGRAMA IV BRASIL PREVENT & II LATIN AMERICAN PREVENT DATA: 05 A 07 DEZEMBRO 2013 BAHIA OTHON PALACE HOTEL SALVADOR BAHIA Sábado 07 de Dezembro de 2013 09:00 10:30 Sessão 4 Novas Estratégias Para Prevenção

Leia mais

Quando o sangue forma massas de coágulos dentro dos vasos, essas massas recebem o nome de trombos. Frequentemente os trombos são friáveis, ou seja,

Quando o sangue forma massas de coágulos dentro dos vasos, essas massas recebem o nome de trombos. Frequentemente os trombos são friáveis, ou seja, 1 Prezado paciente Se você está em tratamento com anticoagulante oral, saiba que essa substância é muito eficaz para prevenir a ocorrência de tromboses e embolias, que são complicações sérias resultantes

Leia mais

CIRCULAÇÃO EXTRACORPÓREA

CIRCULAÇÃO EXTRACORPÓREA Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia CIRCULAÇÃO EXTRACORPÓREA e Assistência Circulatória Mecânica Organização: Diretor da Divisão de Cirurgia: Luiz Carlos Bento Souza Coordenação Médica: Magaly Arrais

Leia mais

O TAMANHO DO PROBLEMA

O TAMANHO DO PROBLEMA FÍSICA MÉDICA O TAMANHO DO PROBLEMA Quantos hipertensos existem no Brasil? Estimativa de Prevalência de Hipertensão Arterial (1998) 13 milhões se considerar cifras de PA > 160 e/ou 95 mmhg 30 milhões

Leia mais

SUGESTÃO DE PAUTA. INCOR Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da FMUSP

SUGESTÃO DE PAUTA. INCOR Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da FMUSP SUGESTÃO DE PAUTA INCOR Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da FMUSP 6 de dezembro de 2013. ISSO QUE É RAZÃO PARA COMERMORAR: EM 2013, O INCOR SALVOU O DOBRO DE VIDAS COM TRANSPLANTES CARDÍACOS,

Leia mais

Sumário. Data: 17/12/2012

Sumário. Data: 17/12/2012 Nota Técnica: 53 /2012 Solicitante: Des. Vanessa Verdolim Hudson Andrade 1ª Câmara Cível TJMG Numeração: 1.0439.12.014415-9/001 Data: 17/12/2012 Medicamento Material X Procedimento Cobertura TEMA: Uso

Leia mais

CARDÁPIO ESCOLAR 2015

CARDÁPIO ESCOLAR 2015 JULHO DE 30/07/2015 A 31/07/2015 2º Feira 3º Feira 4º Feira 5º Feira 30/07/2015 31/07/2015 Lanche da manhã Maçã Banana Arroz, Feijão Preto, Espaguete, carne coxinha da asa moída, molho de Almoço assada,

Leia mais

10 Alimentos importantes para sua saúde.

10 Alimentos importantes para sua saúde. 10 Alimentos importantes para sua saúde. 10 Alimentos importantes para sua saúde. Os alimentos funcionais geram inúmeros benefícios para o organismo. Como muitas patologias se desenvolvem por deficiência

Leia mais

Coração Saudável! melhor dele?

Coração Saudável! melhor dele? As doenças cardiovasculares (DCV s) - incluem as doenças coronarianas e o acidente vascular cerebral (AVC) também conhecido como derrame afetam pessoas de todas as idades, até mesmo mulheres e crianças.

Leia mais

Indicações e Resultados do Tratamento Percutâneo de Obstruções à Via de Saída do VD

Indicações e Resultados do Tratamento Percutâneo de Obstruções à Via de Saída do VD Indicações e Resultados do Tratamento Percutâneo de Obstruções à Via de Saída do VD Carlo B Pilla e Cardiologia Intervencionista SBHCI 2012 Obstruções à VSVD Estenose subvalvar pulmonar* Estenose valvar

Leia mais

ENDEAVOR No Brasil, o stent liberador de fármaco

ENDEAVOR No Brasil, o stent liberador de fármaco Ano IV n o 9 Jan/Fev/Mar 2006 Informativo da Medtronic do Brasil ENDEAVOR No Brasil, o stent liberador de fármaco Inovações Tecnológicas OPTIVOL Um novo conceito em diagnósticos de insuficiência cardíaca

Leia mais

HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS (SERVIÇO DE CARDIOLOGIA E CIRURGIA CARDIOVASCULAR)

HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS (SERVIÇO DE CARDIOLOGIA E CIRURGIA CARDIOVASCULAR) HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS (SERVIÇO DE CARDIOLOGIA E CIRURGIA CARDIOVASCULAR) REVISÃO DE DOENÇA DE ARTÉRIA CORONÁRIA Seu coração é uma bomba muscular poderosa. Ele é

Leia mais

D I R E T O R I A D E S A Ú D E

D I R E T O R I A D E S A Ú D E Saúde In Forma Junho/2013 Dia 26 de Junho Dia Nacional do Diabetes Diabetes é uma doença metabólica caracterizada por um aumento anormal da glicose ou açúcar no sangue. A glicose é a principal fonte de

Leia mais

CARDÁPIO ESCOLAR. Arroz/Feijão Bife à rolê Chuchu gratinado Salada: Rúcula SUCO

CARDÁPIO ESCOLAR. Arroz/Feijão Bife à rolê Chuchu gratinado Salada: Rúcula SUCO 1º SEMANA DE JUNHO 2014 02/06/2014 03/06/2014 04/06/2014 05/06/2014 06/06/2014 Bife de panela Abobrinha refogada Salada: Repolho Iscas de frango grelhada Brócolis Bife à rolê Chuchu gratinado Salada: Rúcula

Leia mais

DIABETES MELLITUS. Ricardo Rodrigues Cardoso Educação Física e Ciências do DesportoPUC-RS

DIABETES MELLITUS. Ricardo Rodrigues Cardoso Educação Física e Ciências do DesportoPUC-RS DIABETES MELLITUS Ricardo Rodrigues Cardoso Educação Física e Ciências do DesportoPUC-RS Segundo a Organização Mundial da Saúde, existem atualmente cerca de 171 milhões de indivíduos diabéticos no mundo.

Leia mais

Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira DIABETES

Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira DIABETES Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira DIABETES Introdução Geralmente, as pessoas descobrem estar diabéticas quando observam que, apesar

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA DA UFMG DEPARTAMENTO DE CIRURGIA

FACULDADE DE MEDICINA DA UFMG DEPARTAMENTO DE CIRURGIA 1 FACULDADE DE MEDICINA DA UFMG DEPARTAMENTO DE CIRURGIA Av. Prof. Alfredo Balena 190-2 0 andar Caixa postal 340 - CEP 30130-100 031-3409-9759 e 3409-9760 cirurgia@medicina.ufmg.br CIR TÓPICOS CLÍNICA

Leia mais

GUIA ALIMENTAR COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

GUIA ALIMENTAR COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL GUIA ALIMENTAR COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL A promoção da alimentação saudável é uma diretriz da Política Nacional de Alimentação e Nutrição e uma das prioridades para a segurança alimentar e nutricional

Leia mais

Parabéns!! Você está grávida!

Parabéns!! Você está grávida! Parabéns!! Você está grávida! Você está grávida e mudanças acontecerão no seu corpo e nas suas emoções. É um caminho, um tempo e uma experiência ímpar, que você não perceberá, mas fará de você uma nova

Leia mais

O programa Meu Prato Saudável é um modelo nutricional que serve como referência para uma alimentação saudável nas principais refeições do dia.

O programa Meu Prato Saudável é um modelo nutricional que serve como referência para uma alimentação saudável nas principais refeições do dia. REVISTA ELETRÔNICA O programa Meu Prato Saudável é um modelo nutricional que serve como referência para uma alimentação saudável nas principais refeições do dia. Adote Meu Prato Saudável em 2013 A pirâmide

Leia mais

TES TE T S E ER GOMÉTRIC GOMÉTRIC (Te ( ste de esforço ç )

TES TE T S E ER GOMÉTRIC GOMÉTRIC (Te ( ste de esforço ç ) TESTE ERGOMÉTRICO (Teste de esforço) Definição - um dos exames mais importantes de diagnóstico, avaliação clínica e prognóstico dos pacientes com doença arterial coronariana (DAC). - método rápido, barato,

Leia mais

A importância da Atividade Física

A importância da Atividade Física A importância da Atividade Física Introdução Mas o que é atividade física? De acordo com Marcello Montti, atividade física é definida como um conjunto de ações que um indivíduo ou grupo de pessoas pratica

Leia mais

3 - Introdução. gestão hospitalar? 8 - Indicadores clínicos. 11 - Indicadores operacionais. 14 - Indicadores financeiros.

3 - Introdução. gestão hospitalar? 8 - Indicadores clínicos. 11 - Indicadores operacionais. 14 - Indicadores financeiros. 3 - Introdução 4 - Quais são as métricas para alcançar uma boa ÍNDICE As Métricas Fundamentais da Gestão Hospitalar gestão hospitalar? 8 - Indicadores clínicos 11 - Indicadores operacionais 14 - Indicadores

Leia mais

(EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) Alface. Inhame cozido Frango acebolado

(EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) Alface. Inhame cozido Frango acebolado CARDÁPIO EDUCAÇÃO INFANTIL (maiores de 2 anos) JUNHO/2015 Observações: A utilizada será sem lactose. Oferecer água durante todo dia. Não oferecer bebida durante o almoço ou jantar somente depois de no

Leia mais

PROJETO PROMOÇÃO DA SAÚDE E EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR

PROJETO PROMOÇÃO DA SAÚDE E EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR PROJETO PROMOÇÃO DA SAÚDE E EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR A Diabetes afeta cerca de 366 milhões de pessoas em todo o mundo e cerca de 1 milhão de Portugueses. A cada 7 segundos morre no Planeta Terra

Leia mais

O que são varizes? IX Semana Estadual de Saúde Vascular

O que são varizes? IX Semana Estadual de Saúde Vascular O que são varizes? Varizes são veias que se tornaram dilatadas e tortuosas ao longo das pernas. Algumas varizes são calibrosas e evidentes na pele. Outras, de menor calibre, chamadas de microvarizes ou

Leia mais

especial iate LIAMARA MENDES

especial iate LIAMARA MENDES 54 Maio / Junho de 2013 especial use os alimentos a seu favor iate por LIAMARA MENDES Uma dieta equilibrada aliada a exercícios físicos pode ser considerada a fórmula ideal para a conquista do corpo perfeito.

Leia mais

A formação de bons hábitos alimentares na infância devem convergir para um único fim: o bem-estar emocional, social e físico da criança

A formação de bons hábitos alimentares na infância devem convergir para um único fim: o bem-estar emocional, social e físico da criança A formação de bons hábitos alimentares na infância devem convergir para um único fim: o bem-estar emocional, social e físico da criança Recomendações para a prática dietética do pré-escolar: Intervalo

Leia mais

- E D U C A Ç Ã O E M S A Ú D E -

- E D U C A Ç Ã O E M S A Ú D E - - E D U C A Ç Ã O E M S A Ú D E - A IMPORT NCIA DA MONITORIZAÇ O GLIC MICA DOMICILIAR NO CONTROLE DO DIABETES MELLITUS. INSTITUTO FLUMIGNANO DE MEDICINA Registro no Conselho Regional de Medicina do Estado

Leia mais

Assunto: Restrição da oferta de doces e preparações doces na alimentação escolar.

Assunto: Restrição da oferta de doces e preparações doces na alimentação escolar. Nota Técnica nº 01/2014 COSAN/CGPAE/DIRAE/FNDE Assunto: Restrição da oferta de doces e preparações doces na alimentação escolar. A Coordenação de Segurança Alimentar e Nutricional COSAN do Programa Nacional

Leia mais

Pesquisa. Consumo de Frutas e Hortaliças

Pesquisa. Consumo de Frutas e Hortaliças Pesquisa Consumo de Frutas e Hortaliças Pesquisa Quantitativa Consumo de Frutas e Hortaliças Elaborado por CONNECTION RESEARCH Maio 2011 2 Objetivos da pesquisa. Estudar os hábitos alimentares da população

Leia mais

Diabetes e doença cardiovascular

Diabetes e doença cardiovascular Diabetes e doença cardiovascular A diabetes implica um risco aumentado de doença cardiovascular? Sim! As pessoas com diabetes têm um risco aumentado de doenças cardiovasculares, tais como a doença coronária

Leia mais

Abordagem da reestenosee. Renato Sanchez Antonio

Abordagem da reestenosee. Renato Sanchez Antonio Abordagem da reestenosee oclusões crônicas coronárias Renato Sanchez Antonio Estudos iniciais de seguimento clínico de pacientes com angina estável demonstraram que o percentual de mortalidade aumentou

Leia mais

WORKSHOP Disfunções e Pseudo-disfunções em Pacing Cardíaco ALGORITMOS DE MINIMIZAÇÃO DA ESTIMULAÇÃO NO VENTRÍCULO DIREITO

WORKSHOP Disfunções e Pseudo-disfunções em Pacing Cardíaco ALGORITMOS DE MINIMIZAÇÃO DA ESTIMULAÇÃO NO VENTRÍCULO DIREITO ALGORITMOS DE MINIMIZAÇÃO DA ESTIMULAÇÃO NO VENTRÍCULO DIREITO Óbidos, 1 de novembro de 2013 DAVID Trial DDD 70 vs VVI 40 CDI (n = 506) MOST Trial VVIR vs DDDR (LR 60 min -1 ) DNS (n=2010) Sub-análise

Leia mais

COLESTEROL E TRIGLICÉRIDES

COLESTEROL E TRIGLICÉRIDES COLESTEROL E TRIGLICÉRIDES Muitas pessoas já ouviram falar deles. Algumas podem até imagine que colesterol e triglicérides sejam sinônimos de doença. Para desfazer a imagem de vilões que essas duas substâncias

Leia mais

CARTILHA DO PACIENTE PORTADOR DA DOENÇA DE CHAGAS

CARTILHA DO PACIENTE PORTADOR DA DOENÇA DE CHAGAS CARTILHA DO PACIENTE PORTADOR DA DOENÇA DE CHAGAS UM COMPROMISSO COM A VIDA CARTILHA DO PACIENTE PORTADOR DA DOENÇA DE CHAGAS AMBULATÓRIO DE DOENÇA DE CHAGAS UNIDADE DE INSUFICIÊNCIA CARDÍACA UNIDADE DE

Leia mais