Abril de 2015 nº 2 AGENDA DE REIVINDICAÇÕES E COMPROMISSOS. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS e detalhes sobre o seminário

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Abril de 2015 nº 2 AGENDA DE REIVINDICAÇÕES E COMPROMISSOS. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS e detalhes sobre o seminário"

Transcrição

1 Abril de 2015 nº 2 OBJETIVOS ESTRATÉGICOS e detalhes sobre o seminário ENTREVISTAS com lideranças e histórias inspiradoras OFICINAS PARA O EMPODERAMENTO Audiência pública no Congresso Nacional AGENDA DE REIVINDICAÇÕES E COMPROMISSOS ESTRATÉGIAS PARA O Empoderamento de Meninas AÇÕES PARA 2015 União Europeia

2 Ficha Técnica Realização Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) Gary Stahl Representante do UNICEF no Brasil Esperanza Vives Representante adjunta do UNICEF no Brasil Mário Volpi Coordenador do Programa Cidadania dos Adolescentes Gabriela Goulart Mora Oficial do Programa Cidadania dos Adolescentes Noemí Perez Consultora do Programa Cidadania dos Adolescentes Daniel Graziani Assistente do Programa Cidadania dos Adolescentes Michelle Barron Coordenadora do Programa de Cooperação Sul-Sul Niklas Stephan Oficial do Programa de Cooperação Sul-Sul Adriana Maia Assistente do Programa de Cooperação Sul-Sul Escritório do Representante do UNICEF no Brasil SEPN 510, Bloco A, 2º andar Brasília/DF Produção Editorial Edição: Gabriela Mora e Noemí Pérez Vásquez Textos e reportagem: Ana Vilela e Viviane Marques Fotos: Rayssa Coe Projeto gráfico e diagramação: Virgínia Soares Agradecimentos: União Europeia; Agencia Brasileira de Cooperação (ABC); Secretaria de Direitos Humanos (SDH/PR); Plan Internacional; Instituto Internacional de Desenvolvimento da Cidadania (IIDAC); Superintendência de Políticas para Mulheres de Salvador e Fundo Municipal para o Desenvolvimento Humano e Inclusão Educacional de Mulheres Afrodescendentes (FIEMA) da Secretaria Municipal da Educação (SMED) da Prefeitura de Salvador; deputado federal Eduardo Barbosa (PSDB/MG); subsecretário geral de Meio Ambiente, Energia, Ciência e Tecnologia do Ministério das Relações Exteriores, embaixador José Antônio Marcondes de Carvalho e secretário Mario Gustavo Mottin, da Coordenação Geral de Desenvolvimento Sustentável do Ministério das Relações Exteriores, Grupo de Trabalho Interministerial para a Agenda Pós-2015; Girls Rock Camp Brasil. É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte. Abril de

3 Sumário 6 Contextualização 9 Objetivos estratégicos 10 O seminário 15 Histórias inspiradoras 17 Oficinas e audiência pública 19 Reivindicações e compromissos 20 Dez conselhos para superar desafios 21 Agenda de reivindicações 24 Pelo direito! Meninas unidas! 29 Estratégias para o empoderamento de meninas 34 Ações para Perfil das meninas participantes 38 Redes de Adolescentes e Jovens 40 E como foi o seminário? 3

4 4

5 Grito de igualdade Ei ei, você aí, você pode me ouvir? Empoderamento de meninas sim! Vamos nos fazer ouvir! Meninas podem sim senhor! Meninas podem sim senhora! Ei ei, você aí, Você pode me ouvir! Empoderamento de meninas sim! Mundo melhor pra você e pra mim! S im, meninas podem cantar o seu grito de igualdade, se unir em nome de uma causa comum, se reunir para discutir propostas de empoderamento. Foi assim em Brasília, de 17 a 19 de novembro, durante o II Seminário Internacional de Empoderamento de Meninas, realizado no contexto das celebrações dos 25 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança. Ao todo, 70 meninas, de 13 a 19 anos, do Brasil, Equador, Guatemala, Jamaica e México juntaram suas vozes durante o encontro organizado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), no Allia Gran Hotel Brasília Suítes, na capital da República. 5

6 E qual o objetivo do evento? Fomentar oportunidades de empoderamento das participantes; propiciar um lugar para o exercício das jovens lideranças, um palco de discussão de propostas para a igualdade de gênero, participação, expressão da diversidade regional, aprendizado e exposição de ideias; dar lugar à voz das meninas e encorajá-las a trocar experiências, anseios, medos, expectativas, sonhos e desafios. Desse ambiente de trocas, participaram adolescentes cujas histórias muitas vezes esbarram nas fronteiras do preconceito de gênero, racial, social e de orientação sexual, nas barreiras da pobreza ou mesmo geográficas. Também participaram mulheres líderes com histórias inspiradoras, gestores de políticas públicas e/ou projetos sociais no Brasil e nos países convidados, parlamentares e personalidades da política, do mundo artístico e do esporte. Contextualização A s ações voltadas ao empoderamento de meninas são uma questão de justiça social e de reconhecimento de seus direitos. Sustentam-se em tratados internacionais de direitos humanos de caráter juridicamente vinculante para os países signatários e em compromissos políticos como a Convenção sobre os Direitos das Crianças (CRC), Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Mulheres (CEDAW) e Plataformas de Ação de Cairo e Beijing +5 e +10, Convenção de Belém do Pará, Convenção Ibero-americana dos Direitos dos Jovens (CIDJ), entre outras, as quais estabelecem pautas específicas para cumprir os compromissos firmados pelos Estados Partes. Por conseguinte, é obrigação dos Estados reconhecer e garantir que as meninas, como todos os seres humanos, possam gozar e exercer os seus direitos. A discriminação e as práticas culturais que prejudicam o desenvolvimento das meninas variam segundo o seu contexto. No caso do Brasil, a pesquisa Por Ser Menina: Crescendo entre Direitos e Violências, realizada pela Plan International em 2013, demonstrou que uma a cada cinco meninas conhece outra que já sofreu violência e que 70,7% das meninas nunca ouviram falar ou ouviram falar, mas não leram o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Assim, é fundamental que diferentes setores dos governos, das instituições, das organizações da sociedade civil e dos movimentos sociais se articulem para que as meninas exercitem o seu direito à participação e contribuam desde cedo para o fortalecimento da democracia. E para que essa oportunidade gere resultados, é fundamental investir em meninas líderes conhecedoras de seus direitos e formadas com valores importantes para o desenvolvimento de uma sociedade democrática, igualitária e que respeite a diversidade. Nesse contexto, o prazo para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) até 2015 tem levado à necessidade de acelerar os esforços para empoderar meninas e promover a equidade de gênero. O tema também está presente no debate para a construção da Agenda de Desenvolvimento Pós-2015 e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Como parte dessa mobilização internacional, o UNICEF começa a implementar o Programa de Promoção de Equidade de Gênero Meninas de Hoje, Mulheres de Amanhã, e um dos componentes desse programa é o II Seminário Internacional de Empoderamento de Meninas. O evento foi realizado em parceria com a Secretaria de Direitos Humanos (SDH/PR), Plan Internacional, Instituto Internacional de Desenvolvimento da Cidadania (IIDAC), Superintendência de Políticas para Mulheres de Salvador e Fundo Municipal para o 6

7 "Me lembro que quando eu ia surfar não tinha meninas, só homens, e eu estava lá junto. Depois fui participar de um campeonato que tinha somente homens inscritos e só eu de mulher. Durante o campeonato muitos perguntavam o que eu estava fazendo ali. (Nicole Pacelli, 23 anos, a primeira mulher a vencer o Stand Up World Tour na categoria Wave, em La Torche, França) 7

8 Desenvolvimento Humano e Inclusão Educacional de Mulheres Afrodescendentes (FIEMA) da Secretaria Municipal da Educação (SMED) da Prefeitura de Salvador. Estiveram presentes representantes dos ministérios da Saúde, Educação, Desenvolvimento Social, Itamaraty, Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM) e Secretaria de Políticas de Promoção de Igualdade Racial (SEPPIR), além de representantes das embaixadas da Suécia, Jamaica, Equador, ONU Mulheres e UNAIDS. 8

9 Objetivos estratégicos seminário teve os seguintes objetivos: O criar uma agenda de empoderamento de meninas elaborada pelas participantes, contemplando as suas reivindicações para promover a equidade de gênero em suas casas, comunidades, países e no âmbito internacional; definir estratégias para fortalecer o papel de liderança das meninas em espaços formais e informais de participação de adolescentes e jovens; promover o diálogo entre as participantes e os gestores públicos sobre programas e políticas capazes de fomentar o empoderamento de meninas; promover a troca de experiências entre gestores públicos do Brasil e dos países convidados e definir estratégias de parceria sobre equidade de gênero. A primeira ação mais concreta do UNICEF e seus parceiros para promover o empoderamento de meninas aconteceu em abril de 2013, durante o I Seminário Internacional Brasil-EUA sobre o Empoderamento de Meninas, quando 80 meninas de 13 a 17 anos do Brasil, Chile, Estados Unidos, México e Uruguai reuniram-se no Rio de Janeiro para discutir estratégias para garantir os direitos de meninas por meio da participação cidadã. Na ocasião, as participantes redigiram a Carta Manifesto do Rio, em que firmaram o compromisso de promover ações de empoderamento de meninas em seus municípios, por meio da educação e da mobilização entre pares. Também notificaram os governantes de seus países sobre as principais preocupações e reivindicações. O segundo passo desse movimento foi o encontro de novembro de 2014, em Brasília. Na ocasião, foram levantadas as reivindicações das participantes, as quais compõem a agenda e são subsídio para a elaboração dos Planos de Ação para Os gestores públicos também assumiram compromissos para apoiar o empoderamento das meninas nas mais diversas áreas. Entre esses, destacamse: identificar e trocar informações sobre boas práticas, agendar o tema da igualdade de gênero de forma intersetorial nas políticas públicas e engajar as meninas em espaços de diálogo, programas e ações institucionais. Outro resultado do encontro foi a definição de estratégias para garantir a sustentabilidade das ações que contribuem para o empoderamento de meninas e para a igualdade de gênero. 9

10 O seminário engajamento das jovens lideranças foi O fortalecido ainda antes do seminário. As participantes receberam material de formação ao longo de um mês antes do evento, entre eles: uma versão em português da Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra a Mulher (CEDAW), impresso e distribuído pelo UNICEF, além da Declaração de Beijing e de outros materiais sobre questões de gênero. A formação gerou uma grande integração e profícuas trocas, energia que prosseguiu desde a organização até o evento de boas-vindas, perpassando as atividades de integração e a apresentação das participantes e dos objetivos do encontro, que tiveram foco no material de subsídio sobre a Declaração de Beijing e CEDAW. No primeiro dia, pela manhã, as meninas e os gestores realizaram as oficinas preparatórias para o talk show, que aconteceu na parte da tarde, quando as participantes entrevistaram autoridades, celebridades e formadores de opinião sobre estratégias de empoderamento de meninas, em uma integração singular. As perguntas direcionadas aos participantes foram variadas, mas todas com um foco: o fim da desigualdade de gênero e o empoderamento de meninas e de mulheres. As participantes prepararam questões para entrevistar os seguintes convidados no talk show: Gary Stahl, representante do UNICEF no Brasil; Vera Soares, secretária de Articulação Institucional e Ações Temáticas, Secretaria de Políticas para Mulheres (SPM); ministro Milton Rondó, coordenador geral de Ações Internacionais de Combate à Fome (CGFome), do Ministério das Relações Exteriores; Pilar Chuc Mellado, coordenadora da Unidade de Gênero e Povos Indígenas do Ministério do Desenvolvimento Social da Guatemala; Thereza de Lamare Franco Netto, coordenadora da Área de Saúde do Adolescente do Ministério da Saúde; Nicola Cousins, oficial técnico da Unidade de Ambiente Propício e Direitos Humanos, Ministério da Saúde da Jamaica; Maria Silvia Aguirre Lares, coordenadora da Unidade de Igualdade de Gênero, Ministério da Educação, Cultura e Esporte do México; e Rose Rozendo, gestora do Fundo Municipal para o Desenvolvimento Econômico e Inclusão Educacional de Mulheres Afrodescendentes 10

11 "Nasci prematura, com deficiência visual. Frequentei com muitas dificuldades a escola. Mesmo assim, consegui entrar na faculdade. Comecei a nadar com três anos e me tornei atleta profissional, participei de eventos, competições e paraolimpíadas. Ganhei alguns campeonatos mundiais e medalhas. (Fabiana Sugimori, 34 anos, nadadora) 11

12 (FIEMA) da Secretaria Municipal da Educação (SMED) da Prefeitura de Salvador. Entre os temas abordados no talk show, destacam-se os problemas que incitam todas as desigualdades de gênero no Brasil, a exemplo da vulnerabilidade das meninas e da própria forma como a sociedade brasileira as vê, além de especificidades como os grupos minoritários, aqueles que vivem na pobreza e os que detêm baixo empoderamento. Esses fatores se somam às várias formas de violência intra e extrafamiliar e ao fato de as mulheres ocuparem poucos espaços de poder. A seguir, estão alguns exemplos de perguntas e respostas do talk show: Qual o papel da Secretaria de Políticas para Mulheres (SPM) para o empoderamento de meninas? Vera Soares, secretária de Articulação Institucional e Ações Temáticas da SPM responde: articular e integrar as políticas do governo para que se atente para a desigualdade de gênero; elevar os direitos das meninas, crianças e adolescentes para uma situação de equidade; consolidar os canais de diálogo com a sociedade para que as formas de violência possam ser sanadas, criando um canal de vigilância da sociedade; e fortalecer a rede de meninas. Na questão indígena, as perguntas foram direcionadas a Pilar Chuc Mellado, coordenadora da Unidade de Gênero e Povos Indígenas do Ministério do Desenvolvimento Social da Guatemala. Para ela, a discriminação entre os povos, e sobretudo a discriminação de gênero, é muito grande e um dos pontos mais difíceis para as mulheres indígenas nesse caso é o acesso à educação. A Nicola Cousins, oficial técnica da Unidade de Criação de Oportunidades e Direitos Humanos, do Ministério da Saúde da Jamaica, foram feitas perguntas referentes ao trabalho desenvolvido com as jovens com HIV. No país, as políticas não conseguem suprir as situações de exploração sexual. Superar essa dificuldade é a grande meta. Acesso a métodos contraceptivos, sem represálias, parcerias com o terceiro setor e a sociedade civil e a criação de lares para acolher crianças e jovens estão entre as constantes ações. No México, o trabalho de empoderamento de meninas passa pela escola. Segundo Maria Silvia Aguirre Lares, coordenadora da Unidade de Igualdade de Gênero, Ministério da Educação, Cultura e Esporte do México, a política educacional com perspectiva de gênero no país teve início em meados dos anos 1990, quando foi instaurada a luta pela igualdade de gênero, com grande produção de trabalhos sobre o tema e incorporação de planos e programas voltados para essa perspectiva. Atualmente, o nível de escolaridade entre mulheres e homens tem uma igualdade significativa no país. Ainda assim, existe um espaço de insegurança e discriminação nas escolas contra as mulheres e maior vulnerabilidade ainda em caso de gravidez. No centro da luta está a revisão das relações de poder e a transformação cultural a caminho da igualdade de gênero. Rose Rozendo, gestora do Fundo Municipal para o Desenvolvimento Econômico e Inclusão Educacional de Mulheres Afrodescendentes (FIEMA) da Secretaria Municipal da Educação (SMED) da Prefeitura de Salvador, apresentou a perspectiva local. Rozendo esclareceu que 53% da população analfabeta de Salvador é afrodescendente, por isso, o fundo foi criado com três eixos: autonomia econômica para as mulheres, enfrentamento à violência contra a mulher e formação de professores da rede municipal. Para ela, o grande desafio é ser mulher e ser mulher negra, daí a grande importância de empoderar as meninas em todas as esferas. 12

13 13

14 O que sempre me inspirou a seguir, independentemente do que acontecia fora de mim, foi que eu tinha a certeza de quem eu sou: eu sou a vida! Descubram quem vocês são! (Joy Crawford, diretora de programas e capacitação da ONG Eve for Life, da Jamaica) 14

15 Histórias inspiradoras Terminado o talk show, foram ouvidos os depoimentos de meninas e de mulheres líderes nas áreas de política, esporte, artes e movimentos sociais. Entre as mulheres que deram voz às suas histórias, encantando e emocionando, inspirando e ensinando, estão a ex-deputada federal Rita Camata, que chegou ao Congresso Nacional mesmo diante de todas as barreiras do machismo encontradas em seu caminho; Alisson Roofe, embaixadora da Jamaica, que alcançou uma posição de destaque na diplomacia de seu país; Joy Crawford, diretora de programas e capacitação da ONG Eve for Life, da Jamaica, que luta para que as meninas de seu país tenham um futuro digno; a nadadora paraolímpica Fabiana Sugimori, que fez de sua deficiência visual a escada para a superação; e a surfista Nicole Pacelli, que enfrentou os preconceitos contra a mulher no mundo do surf e se tornou uma campeã. A cantora Negra Li falou de sua disciplina e perseverança, da luta para vencer na carreira artística enquanto uma mulher negra, nascida em uma favela, em meio à violência; a jornalista da Folha de S. Paulo Eliane Trindade, autora do livro Meninas da Esquina, trouxe à tona o tema da exploração sexual; Maryule Damas, adolescente do semiárido (ES), falou de sua luta contra o preconceito por ser deficiente visual; e a jovem Simone Nascimento, universitária ativista do movimento negro (SP), contou de sua garra e determinação, que a levaram à universidade. Histórias de força, de coragem, em que todas ultrapassaram obstáculos atualmente enfrentados por muitas das meninas que ali estavam, mostrando-lhes que, com força, disciplina e persistência, é possível vencer mesmo as piores adversidades. A cantora Negra Li falou de sua disciplina e perseverança, da luta para vencer na carreira artística enquanto uma mulher negra, nascida em uma favela, em meio à violência 15

16 Um dos desafios que enfrentei foi o ingresso na universidade, que se configura como um espaço privilegiado de brancos e ricos. Ingressei como bolsista do Prouni na PUC/SP. Ao chegar à universidade, me deparei com mais desafios, porque se manter em uma faculdade particular é muito difícil. (Simone Nascimento, universitária e ativista do movimento negro de SP) 16

17 Oficinas e audiência pública As oficinas foram realizadas na manhã do dia 18, com o objetivo de adquirir conteúdo sobre o empoderamento de meninas e advogar pelo tema. As oficinas abordaram os temas: comunicação e gênero, identidade racial, sensibilização de gênero, gênero e políticas públicas, estereótipos e violência, HIV e direitos humanos. Enquanto as meninas se dividiam em grupos, os gestores, em outra sala, apresentavam políticas para promover os direitos das meninas a partir do empoderamento. Na parte da tarde, as participantes se deslocaram até a Câmara dos Deputados para uma audiência pública na Comissão de Relações Exteriores, com o objetivo de avaliar os resultados brasileiros referentes aos ODM estabelecidos pelas Nações Unidas para o período de 2000 a 2015 e o delineamento de ações para o período pós As porta-vozes do seminário na audiência pública foram a jovem Rita dos Santos Silva, indígena potiguara, do município Baía da Traição (PB), e a adolescente guatemalteca Gilda Menchú Tzun, da etnia Maya K ich e, ambas integrantes de redes indígenas. Elas apresentaram as reivindicações e demandas das meninas e falaram sobre a importância da participação política feminina e a necessidade de compartilhar boas práticas entre os estados para promover o empoderamento de meninas. A sessão foi moderada pelo deputado federal Eduardo Barbosa (PSDB/MG). Também estiveram presentes o embaixador, subsecretário geral de Meio Ambiente, Energia, Ciência e Tecnologia do Ministério das Relações Exteriores, José Antônio Marcondes de Carvalho; o secretário Mario Gustavo Mottin, da Coordenação Geral de Desenvolvimento Sustentável do Ministério das Relações Exteriores, Grupo de Trabalho Interministerial para a Agenda Pós-2015; a coordenadora do Programa de Cooperação Sul-Sul do UNICEF no Brasil, Michelle Barron; e a coordenadora da Fundação João Pinheiro de Minas Gerais (MG), Maria Luiza de Aguiar Marques. Ao final, houve uma sessão de perguntas e respostas, durante a qual, entre vários participantes, a adolescente Juliana da Silva Lima, da rede JUVA, emocionou a todos com a maturidade de sua intervenção. Depois do Congresso Nacional, passeio, jantar e festa. 17

18 18

19 Reivindicações e compromissos N o dia 19, as meninas listaram reivindicações e estratégias, a partir das quais foi construída a agenda. E os gestores debateram sobre compromissos e estratégias, sobre as possibilidades de parcerias e a respeito dos planos de continuidade para fazer a diferença na vida de meninas em todo o mundo. Ao final, ambos os grupos compartilharam os resultados de seus trabalhos, o que foi seguido de uma sessão de perguntas e respostas. 19

20 Dez conselhos para superar desafios Alisson Roofe, embaixadora da Jamaica, apresentou, em seu depoimento, dez passos que considera importantes para que as meninas de hoje superem as dificuldades, tornando-se mulheres empoderadas: 1. Desenvolvam bons valores: ética, justiça, integridade e, principalmente, como jovens, façam com que a sociedade as veja como pessoas íntegras. 2. Tenham relações familiares boas e um sistema de apoio que estimule e influencie o seu crescimento. 3. Invistam no seu futuro agora. Educação é um investimento. Educação é fundamental. 4. Procurem objetivos realistas. Sonhem e vejam as possibilidades e estratégias para alcançar os seus objetivos. 5. A espiritualidade é muito importante para deixar a pessoa centrada e faz acreditar na superação dos momentos difíceis. 6. Encontrem felicidade em coisas simples. 7. Encontrem a harmonia com a natureza. 8. Aprendam com os seus erros e busquem a capacidade de se levantar, apesar dos erros. O sucesso pode passar muito rápido se não tiver bases sólidas em conquistas e resiliência para superar dificuldades, principalmente para as mulheres. 9. Procurem ser melhores no que quer que seja, mas sem se cobrar muito. Seja excelente naquilo que você ama. 10. Procurem uma pessoa mais velha para ser o (a) seu (sua) mentor (a). E aprendam com essa pessoa porque ela tem muito a lhe ensinar. Se assim fizer, vocês terão um futuro melhor e brilhante, e vocês podem. 20

21 Agenda de reivindicações seminário é uma porta de entrada, um O elo de uma corrente muito maior de realizações, de uma busca por conquistas. Por isso, o mais importante é agir, mas para uma ação são necessárias estratégias, pontos sobre os quais trabalhar, uma agenda de prioridades. Assim, para as meninas, é necessário fortalecer a presença delas nos espaços políticos e levar a pauta de direitos por elas levantada para conselhos, secretarias e outros fóruns de direitos. Nesse contexto, também é fundamental, por exemplo, haver encontros de formação política para meninas, porque, afinal, lideranças formadas podem muito mais. Para elas, é essencial que existam espaços de participação de meninas adolescentes e até de crianças, onde possam refletir desde cedo sobre o papel das mulheres, inclusive nas várias políticas públicas nas áreas de educação, saúde, cultura, esporte etc., permitindo-lhes falar, expor suas ideias, atuar. Também refletiram sobre a importância da transmissão dos conhecimentos gerados em fóruns e espaços públicos; o estabelecimento de prazos para os resultados obtidos; o compartilhamento de perfis e de experiências para mobilizar mais meninas e meninos pelo empoderamento; a criação de uma ouvidoria para denunciar ou perguntar; o envio de mensagens de texto de celular para gerar perguntas e respostas feitas anonimamente; a divulgação nas rádios e TVs, mas sempre dando voz às meninas. Para as participantes, seria muito interessante se houvesse um edital para o empoderamento de meninas como forma de financiar as suas ações. Sin duda, Latinoamérica necesita de más mujeres en la política, es nuestro derecho. Sueño que cuando sea adulta y regrese a Brasil pueda hablar de nuevo en este foro y estemos mejores representadas. (Trecho do discurso de Gilda Paulina Menchú Tzun, 14 anos, guatemalteca, no Congreso Nacional) As meninas querem também que aqueles departamentos ligados às questões da mulher já existentes hoje sejam efetivados de vez e usados para garantir direitos. E também que as secretarias e delegacias da mulher nos municípios sejam fortalecidas e passem a tratar 21

22 dos temas que dizem respeito a meninas. Elas pedem ainda um direito básico, porém não respeitado: igualdade no âmbito do trabalho. Sobre o tema identidade racial e gênero, concluiu-se que é necessária uma construção social, cultural e política de valorização e reconhecimento da diversidade racial e que é primordial mostrar o valor da cultura afrobrasileira como forma de combater o preconceito e de reforçar a importância da identidade étnico-racial. E que é preciso ressaltar para as meninas o quanto é bom se aceitar e dar valor à sua raça, além de desconstruir algumas afirmações colocadas pela sociedade, que julga as mulheres pela roupa, comportamento, estilo. Na área da educação, foi ressaltada a necessidade de serem fortalecidas políticas públicas para a inclusão dos grupos étnicos nas universidades e a valorização da diversidade cultural e da cultura afro e indígena. As meninas discutiram também que as histórias da zona rural, da população negra, indígena e de mulheres líderes sejam disseminadas nas escolas de todo o Brasil, mostrando a riqueza cultural e étnica da nação e a força da mulher nos diversos momentos e movimentos da história do País e em contextos regionais. Para a saúde, é de suma importância a realização de ações nas comunidades, escolas e postos de saúde para que informações sobre HIV/Aids e sobre os direitos da mulher sejam difundidas. O fim do preconceito contra pessoas com HIV/Aids é outra batalha a ser enfrentada. Também foi levantada a necessidade de levar formação sobre o tema às aldeias indígenas, possibilitando a prevenção em locais mais remotos. Também foi ressaltada a necessidade de apoiar processos de inclusão de meninas com deficiência nos diversos espaços, do educacional ao esportivo e político até espaços de lazer. Outro tema levantado pelas participantes foi a exposição da mulher na mídia, portanto, da imagem criada pelos meios de comunicação de massa. Por isso, está na agenda a criação e a regulamentação de um órgão que avalie o conteúdo midiático em relação à mulher, de forma que as imagens expostas na mídia realmente representem e valorizem a diversidade da mulher brasileira. O assédio, seja ele qual for, esteve incluído nos debates e faz parte da agenda. Os principais pontos são o combate a todo tipo de assédio nas ruas, trabalho, casa, escola e a valorização de meninas e meninos no âmbito familiar de forma igualitária. Para isso, sugere-se encorajar as meninas para que ocupem espaços políticos, apoiar o exercício do direito sexual e reprodutivo das meninas e ampliar o acesso à informação, o que contribui para o combate a todo tipo de violência contra a mulher e à exploração sexual. Ao final, as meninas recomendaram mais eventos como o seminário para levar conhecimento para outras meninas e meninos. E, ainda, que sejam realizadas oficinas nas comunidades e nas escolas para disseminar os conhecimentos gerados durante o seminário. Sugere-se ainda que mães e pais também sejam informados, por meio das escolas, sobre o empoderamento de meninas. 22

23 Fui discriminada por ter deficiência visual. Hoje, eu avalio que consegui muita coisa. Eu faço o segundo ano do ensino médio, curso informática e pretendo seguir a carreira como técnica de informática. A mensagem que eu vou passar para vocês é que eu vou para onde o vento for... (Maryule Damas, 16 anos, Núcleo de cidadania dos adolescentes no semiárido brasileiro) 23

24 Pelo direito! 24 De brincar de carrinho. À opinião! A uma saúde melhor. De ter direitos. De ser o que eu quiser ser! À igualdade no esporte e à igualdade de gênero. De ser menina! À comunicação! De conviver na sociedade sem sofrer qualquer tipo de desigualdade de gênero. De usar cueca. De ser diferente! De sexualidade, esporte, liberdade de vestimenta sem preconceito. À livre expressão! À participação. De ser tratada com respeito. De expressar a sua voz. De usar a roupa que quiser. À igualdade racial e à cultura afro-brasileira. À livre identidade. De viver sem medo. De opinar. Ao nosso corpo. De dizer não!

25 Meninas unidas! Pelo respeito ao ser humano. Pelo combate à gordofobia. Por uma sociedade mais inclusiva, que respeite a mulher adolescente e ativista. Pela valorização das meninas e pela equidade de género no esporte. Pela igualdade no trabalho. Pelo combate à xenofobia. Pela valorização da diversidade de cultura afro-brasileira e indígena. Pela igualdade de meninos e meninas no ambiente familiar. Por uma juventude melhor. Pelas minorias, negras, lésbicas, mulheres de comunidade. 25

26 Discurso de Rita dos Santos Silva, 19 anos, indígena potiguara, da Rede de Juventude Indígena (REJUIND) da Paraíba, no Congresso Nacional, um exemplo de liderança, não somente pela causa indígena, mas também de todas as meninas e mulheres do Brasil e do mundo. Com sua força e integridade, Rita ergueu aplausos em meio ao silêncio provocado por suas palavras. Boa tarde, senhores parlamentares, Como menina que sou, luto pela causa indígena, pela minha raiz e minha cultura. De ontem até quarta-feira, estou participando do Seminário Internacional de Empoderamento de Meninas, no qual me deparei com 70 vozes ativas que defendem causas diferentes, mas com a mesma essência. Isso mostra que a minha situação não é diferente da delas e nem de outras milhares de meninas das mais diversas regiões brasileiras e de outros países que reivindicam suas bandeiras. Temas como: o abuso e a exploração sexual, o trabalho infantil, principalmente no âmbito doméstico e rural, o abandono da escola, a gravidez, a discriminação pela orientação sexual, pela questão racial, por serem HIV positivas ou por terem alguma deficiência foram alguns assuntos levantados pelas participantes. Isso só para mostrar alguns exemplos de como a desigualdade de gênero afeta as meninas e as mulheres neste país, na América Latina e no Caribe. Diante da realidade das meninas, eu e todas elas estamos reunidas para elaborar uma agenda de reivindicações. Gostaríamos de contar com o apoio, a sensibilidade e a participação de vocês para escutar nossas vozes. Queremos o fim da violência contra meninas e mulheres. Educação para todos e todas, independentemente da orientação sexual, classe social, cultura, raça e etnia. Queremos apoio nos casos de gravidez para que as meninas não abandonem a escola. Queremos que o direito ao esporte seja levado a sério e de forma igualitária. Esse movimento pelos direitos das meninas não pode se restringir apenas ao sexo feminino. Homens e meninos precisam se engajar, pois toda a sociedade se beneficia com mais igualdade. Tiraram minhas folhas, cortaram meus galhos, cortaram até meu tronco, mas minhas raízes jamais arrancarão. Hoje somos sementes, amanhã seremos raízes. Hoje somos meninas, amanhã seremos mulheres. 26

Roteiro de Diretrizes para Pré-Conferências Regionais de Políticas para as Mulheres. 1. Autonomia econômica, Trabalho e Desenvolvimento;

Roteiro de Diretrizes para Pré-Conferências Regionais de Políticas para as Mulheres. 1. Autonomia econômica, Trabalho e Desenvolvimento; Roteiro de Diretrizes para Pré-Conferências Regionais de Políticas para as Mulheres 1. Autonomia econômica, Trabalho e Desenvolvimento; Objetivo geral Promover a igualdade no mundo do trabalho e a autonomia

Leia mais

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA!

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! NOSSA VISÃO Um mundo mais justo, onde todas as crianças e todos os adolescentes brincam, praticam esportes e se divertem de forma segura e inclusiva. NOSSO

Leia mais

UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor: RH/2014/013

UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor: RH/2014/013 UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor: RH/2014/013 O UNICEF, Fundo das Nações Unidas para a Infância, a Organização mundial pioneira na defesa dos direitos das crianças e adolescentes, convida profissionais

Leia mais

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Diretriz 01 - Promoção da cultura do respeito e da garantia dos direitos humanos de

Leia mais

Reunião Plenária Final da

Reunião Plenária Final da Reunião Plenária Final da Conferência Regional das Américas sobre Avanços e Desafios no Plano de Ação contra o Racismo, a Discriminação Racial, a Xenofobia e as Intolerância Correlatas Resumo da Presidenta

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia em comemoração ao Dia Internacional da Mulher

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia em comemoração ao Dia Internacional da Mulher , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia em comemoração ao Dia Internacional da Mulher Palácio do Planalto, 12 de março de 2003 Minha cara ministra Emília Fernandes, Minha cara companheira Benedita da

Leia mais

#ElesPorElas. Movimento ElesPorElas (HeForShe) de Solidariedade da ONU Mulheres pela Igualdade de Gênero Impactando Universidades

#ElesPorElas. Movimento ElesPorElas (HeForShe) de Solidariedade da ONU Mulheres pela Igualdade de Gênero Impactando Universidades #ElesPorElas Movimento ElesPorElas (HeForShe) de Solidariedade da ONU Mulheres pela Igualdade de Gênero Impactando Universidades ElesPorElas Criado pela ONU Mulheres, a Entidade das Nações Unidas para

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 Institui o Programa Mais Educação, que visa fomentar a educação integral de crianças, adolescentes e jovens, por meio do apoio a atividades

Leia mais

14/Mar/2013 :: Edição 31 ::

14/Mar/2013 :: Edição 31 :: 14/Mar/2013 :: Edição 31 :: Cadernos do Poder Executivo Poder Geraldo Julio de Mello Filho Executivo DECRETO Nº 26.993 DE 13 DE MARÇO DE 2013 EMENTA: Descreve as competências e atribuições dos cargos comissionados

Leia mais

Patrocínios: Governos Nacionais e Locais, empresas, organismos de cooperação internacional, universidades, doações.

Patrocínios: Governos Nacionais e Locais, empresas, organismos de cooperação internacional, universidades, doações. Criando ferramentas para a garantia ao direito à convivência familiar e comunitária. Documento Preparatório do Seminário Relaf 2013 Fortalecendo os Avanços. Criando ferramentas para a Garantia do Direito

Leia mais

Resumo executivo do Livro "Crianças Invisíveis - O enfoque da imprensa sobre o Trabalho Infantil Doméstico e outras formas de exploração"

Resumo executivo do Livro Crianças Invisíveis - O enfoque da imprensa sobre o Trabalho Infantil Doméstico e outras formas de exploração ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT PROGRAMA INTERNACIONAL PARA A ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL IPEC Resumo executivo do Livro "Crianças Invisíveis - O enfoque da imprensa sobre o Trabalho Infantil

Leia mais

EDITAL ONU MULHERES 2011

EDITAL ONU MULHERES 2011 EDITAL ONU MULHERES 2011 O Escritório Sub-Regional da ONU Mulheres para Brasil e países do Cone Sul (Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai) convida organizações da sociedade civil a apresentarem projetos

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO N.º 014/2010

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO N.º 014/2010 SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO N.º 014/2010 Prezados Senhoras e Senhores, Brasília, 21 de setembro de 2010 O Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher UNIFEM solicita a apresentação de proposta

Leia mais

PREVENÇÃO DE VIOLÊNCIAS E PROMOÇÃO DA CULTURA DE PAZ

PREVENÇÃO DE VIOLÊNCIAS E PROMOÇÃO DA CULTURA DE PAZ MINISTÉRIO DA SAÚDE IMPACTO DA VIOLÊNCIA NA SAÚDE DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES PREVENÇÃO DE VIOLÊNCIAS E PROMOÇÃO DA CULTURA DE PAZ VOCÊ É A PEÇA PRINCIPAL PARA ENFRENTAR ESTE PROBLEMA Brasília - DF 2008

Leia mais

PRESIDÊNCIA GRUPO DE MULHERES PARLAMENTARES DAS AMÉRICAS DO FIPA

PRESIDÊNCIA GRUPO DE MULHERES PARLAMENTARES DAS AMÉRICAS DO FIPA RELATÓRIO 2009-2011 PRESIDÊNCIA GRUPO DE MULHERES PARLAMENTARES DAS AMÉRICAS DO FIPA Linda Machuca Moscoso Membro da Assembléia Nacional do Equador RESUMO EXECUTIVO DO RELATÓRIO 2009-2011 Este resumo executivo

Leia mais

Declaração de Pequim adotada pela Quarta Conferência Mundial sobre as Mulheres: Ação para Igualdade, Desenvolvimento e Paz (1995)

Declaração de Pequim adotada pela Quarta Conferência Mundial sobre as Mulheres: Ação para Igualdade, Desenvolvimento e Paz (1995) Declaração de Pequim adotada pela Quarta Conferência Mundial sobre as Mulheres: Ação para Igualdade, Desenvolvimento e Paz (1995) 1. Nós, os Governos, participante da Quarta Conferência Mundial sobre as

Leia mais

PROGRAMA. Brasil, Gênero e Raça. Orientações Gerais

PROGRAMA. Brasil, Gênero e Raça. Orientações Gerais PROGRAMA Brasil, Gênero e Raça Orientações Gerais Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Trabalho e Emprego Luiz Marinho Secretário-Executivo Marco Antonio de Oliveira Secretário

Leia mais

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...3 CONSIDERAÇÕES DA SECRETARIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES SPM...5

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...3 CONSIDERAÇÕES DA SECRETARIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES SPM...5 PLANO MUNICIPAL DE POLÍTICAS PARA MULHERES ICATÚ 2013-2015 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...3 CONSIDERAÇÕES DA SECRETARIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES SPM...5 1. PRINCÍPIOS DA POLÍTICA NACIONAL PARA AS

Leia mais

Resolução adotada pela Assembleia Geral em 19 de dezembro de 2011. 66/121. Políticas e programas voltados à juventude

Resolução adotada pela Assembleia Geral em 19 de dezembro de 2011. 66/121. Políticas e programas voltados à juventude Organização das Nações Unidas A/RES/66/121 Assembleia Geral Distribuição: geral 2 de fevereiro de 2012 65 a sessão Item 27 (b) da pauta Resolução adotada pela Assembleia Geral em 19 de dezembro de 2011

Leia mais

Abrasa - Ponto de Cultura, Internacional Brasileiros na Áustria.

Abrasa - Ponto de Cultura, Internacional Brasileiros na Áustria. 1 Abrasa - Ponto de Cultura, Internacional Brasileiros na Áustria. Quem somos: A Abrasa Associação Brasileiro-Afro-Brasileira para o Desenvolvimento da Dança, Cultura Educação e Arte, é uma Instituição

Leia mais

NOTÍCIAS OFICINA DE AVALIAÇÃO

NOTÍCIAS OFICINA DE AVALIAÇÃO EDITORIAL O Conselho Nacional dos Direitos do Idoso CNDI, órgão colegiado de caráter deliberativo, cuja finalidade é elaborar as diretrizes para a formulação e implementação da Política Nacional do Idoso,

Leia mais

Declaração de Juventudes: Construindo um mundo de Igualdade e Direitos

Declaração de Juventudes: Construindo um mundo de Igualdade e Direitos Declaração de Juventudes: Construindo um mundo de Igualdade e Direitos As pessoas jovens, organizações e redes juvenis convocadas pela Aliança Latino- americana rumo a Cairo+20 para o Fórum de Juventudes

Leia mais

Secretaria Nacional de Justiça promove a prevenção ao Tráfico de Pessoas em parceria com ONGs

Secretaria Nacional de Justiça promove a prevenção ao Tráfico de Pessoas em parceria com ONGs Secretaria Nacional de Justiça promove a prevenção ao Tráfico de Pessoas em parceria com ONGs Nos últimos anos conhecemos histórias de vida de algumas mulheres acompanhadas na nossa entidade, que estiveram

Leia mais

A ESCOLA COMO ESPAÇO DE SOCIALIZAÇÃO DA CULTURA EM DIREITOS HUMANOS

A ESCOLA COMO ESPAÇO DE SOCIALIZAÇÃO DA CULTURA EM DIREITOS HUMANOS A ESCOLA COMO ESPAÇO DE SOCIALIZAÇÃO DA CULTURA EM DIREITOS HUMANOS Adelaide Alves Dias * * Psicóloga. Mestre em Psicologia Social e Doutora em Educação. Professora do Centro de Educação e pesquisadora

Leia mais

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012 Programa 2016 - Política para as Mulheres: Promoção da Autonomia e Enfrentamento à Violência 20O0 - Políticas Culturais de Incentivo à Igualdade de Gênero Número de Ações 13 Esfera: 10 - Orçamento Fiscal

Leia mais

DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS. (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012)

DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS. (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012) DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012) Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

PROPOSTAS PARA O ESTADO BRASILEIRO - NÍVEIS FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL

PROPOSTAS PARA O ESTADO BRASILEIRO - NÍVEIS FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL PROPOSTAS PARA O ESTADO BRASILEIRO - NÍVEIS FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL MEDIDAS CONCRETAS PARA O ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER NO ÂMBITO DOMÉSTICO/FAMILIAR A presente Matriz insere-se no

Leia mais

8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS

8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS 8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS DOCUMENTO FINAL EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Ações de mobilização: 1. Ampla mobilização, por

Leia mais

Saúde, Adolescência e Juventude:promovendo a equidade e construindo habilidades para a vida Seminário Internacional, - Brasília, 15 a 18 de outubro

Saúde, Adolescência e Juventude:promovendo a equidade e construindo habilidades para a vida Seminário Internacional, - Brasília, 15 a 18 de outubro Saúde, Adolescência e Juventude:promovendo a equidade e construindo habilidades para a vida Seminário Internacional, - Brasília, 15 a 18 de outubro 2013 Dimensão demográfica População em 2010: 190.755.799

Leia mais

DELIBERAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA N 01/2014

DELIBERAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA N 01/2014 CONSELHO ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE MINAS GERAIS DELIBERAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA N 01/2014 A Diretoria Executiva do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente

Leia mais

DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS AS E ADOLESCENTES NO BRASIL.

DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS AS E ADOLESCENTES NO BRASIL. PRINCÍPIOS PIOS DA POLÍTICA NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS AS E ADOLESCENTES NO BRASIL. Contextualização A elaboração da Política Nacional e do Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças

Leia mais

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL ANEXO IV Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO 1-Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes Buscar apoio das esferas de governo (Federal e Estadual)

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 285, DE 2006

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 285, DE 2006 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 285, DE 2006 Autoriza o Poder Executivo a criar o Programa Cantando as Diferenças, destinado a promover a inclusão social de grupos discriminados e dá outras providências. O

Leia mais

UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor RH/2014/022

UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor RH/2014/022 UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor RH/2014/022 O UNICEF, Fundo das Nações Unidas para a Infância, a Organização mundial pioneira na defesa dos direitos das crianças e adolescentes, convida profissionais

Leia mais

Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a).

Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a). 1 Ofício nº 01/2015 - CDS - OAB/BLUMENAU Aos(as) Excelentíssimos(as) Vereadores(as) de Blumenau. Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a). Conforme se denota do sítio eletrônico,

Leia mais

A vez e a voz das crianças

A vez e a voz das crianças 119 outubro de 2010-ESPECIAL CRIANÇA PARA LER NO AR A vez e a voz das crianças Às vésperas de 12 de outubro, Dia das Crianças, eu convido você, ouvinte, a refletir sobre os direitos das meninas e meninos

Leia mais

NEVM PARTICIPA DE PRE- ENCONTRO DE MULHERE DA UFPA.

NEVM PARTICIPA DE PRE- ENCONTRO DE MULHERE DA UFPA. NEVM PARTICIPA DE PRE- ENCONTRO DE MULHERE DA UFPA. A promotora de Justiça LUCINERY HELENA RESENDE FERREIRA DO NASCIMENTO, coordenadora do Núcleo de Enfrentamento a Violência Contra a Mulher participou

Leia mais

O Programa de Fortalecimento Institucional para a Igualdade de Gênero e Raça, Erradicação da Pobreza e Geração de Emprego - GRPE

O Programa de Fortalecimento Institucional para a Igualdade de Gênero e Raça, Erradicação da Pobreza e Geração de Emprego - GRPE O Programa de Fortalecimento Institucional para a Igualdade de Gênero e Raça, Erradicação da Pobreza e Geração de Emprego - GRPE Marcia Vasconcelos - OIT Reunión de Especialistas Género, Probreza, Raza,

Leia mais

Plano Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas

Plano Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas Plano Nacional de Enfrentamento ao Plano Nacional de Enfrentamento ao Secretaria Nacional de Justiça Ministério da Justiça Ministério da Justiça MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Presidente da República Luiz Inácio

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DAS CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS, DISTRITAL E ESTADUAIS DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE GUIA NÚMERO 1

ORIENTAÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DAS CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS, DISTRITAL E ESTADUAIS DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE GUIA NÚMERO 1 ORIENTAÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DAS CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS, DISTRITAL E ESTADUAIS DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE GUIA NÚMERO 1 SUMÁRIO Apresentação 03 Tema 06 Objetivos 06 Cronograma de realização

Leia mais

REF: As pautas das crianças e adolescentes nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

REF: As pautas das crianças e adolescentes nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Brasília, Dezembro de 2015 Exma. Sra. Dilma Rousseff Presidente da República Federativa do Brasil Palácio do Planalto Gabinete da Presidência Praça dos Três Poderes, Brasília - DF, 70150-900. REF: As pautas

Leia mais

como Política Pública de Estado

como Política Pública de Estado como Política Pública de Estado Brasil 27 estados 5.565 municipios 190 milhoes ha 60 milhoes de 0 a 18 anos. Constituicao Federal de 1988 Art. 227. É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar

Leia mais

Apoio. Patrocínio Institucional

Apoio. Patrocínio Institucional Patrocínio Institucional Apoio O Grupo AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através da cultura e da arte, desperta potencialidades artísticas que elevam a autoestima de jovens

Leia mais

PROPOSTA DE PLANO DE AÇÃO PARA A PROMOÇÃO DA IGUALDADE E EQUIDADE DE GÉNERO/CPLP (2014-2016)

PROPOSTA DE PLANO DE AÇÃO PARA A PROMOÇÃO DA IGUALDADE E EQUIDADE DE GÉNERO/CPLP (2014-2016) PROPOSTA DE PLANO DE AÇÃO PARA A PROMOÇÃO DA IGUALDADE E EQUIDADE DE GÉNERO/CPLP (2014-2016) Este Plano de Ação é um sinal claro para os intervenientes dos Estados membro da importância que a CPLP atribui

Leia mais

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos!

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! Documento final aprovado por adolescentes dos Estados do Amazonas, da Bahia, do Ceará, do Mato Grosso,

Leia mais

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS 2014 1 Índice 1. Contexto... 3 2. O Programa Cidades Sustentáveis (PCS)... 3 3. Iniciativas para 2014... 5 4. Recursos Financeiros... 9 5. Contrapartidas... 9 2 1. Contexto

Leia mais

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA Clodoaldo Meneguello Cardoso Nesta "I Conferência dos lideres de Grêmio das Escolas Públicas Estaduais da Região Bauru" vamos conversar muito sobre política.

Leia mais

25 de novembro - Dia Internacional de Combate à Violência Contra as Mulheres. Carta de Brasília

25 de novembro - Dia Internacional de Combate à Violência Contra as Mulheres. Carta de Brasília Anexo VI 25 de novembro - Dia Internacional de Combate à Violência Contra as Mulheres Carta de Brasília Na véspera do Dia Internacional de Combate à Violência Contra as Mulheres nós, trabalhadoras dos

Leia mais

Anexo PROPOSTA DOCUMENTO BASE. Versão Consulta Pública SISTEMA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL - SINAPIR

Anexo PROPOSTA DOCUMENTO BASE. Versão Consulta Pública SISTEMA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL - SINAPIR 1 Anexo PROPOSTA DOCUMENTO BASE Versão Consulta Pública SISTEMA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL - SINAPIR A Definição e organização do sistema: 1 O Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial

Leia mais

Princípios Gerais. Política Nacional de Saúde Integral da População Negra 15/10/2012

Princípios Gerais. Política Nacional de Saúde Integral da População Negra 15/10/2012 Princípios Gerais Política Nacional de Saúde Integral da População Negra PORTARIA Nº 992, DE 13 DE MAIO DE 2009 Profª Carla Pintas A Constituição de 1988 assumiu o caráter de Constituição Cidadã, em virtude

Leia mais

Objetivos Consolidar uma política garantidora de direitos Reduzir ainda mais a desigualdade social

Objetivos Consolidar uma política garantidora de direitos Reduzir ainda mais a desigualdade social AGENDA SOCIAL AGENDA SOCIAL Estamos lutando por um Brasil sem pobreza, sem privilégios, sem discriminações. Um país de oportunidades para todos. A melhor forma para um país crescer é fazer que cada vez

Leia mais

Pequim+20. Empoderar Mulheres. Empoderar a Humanidade. Imagine! Tótens Pequim + 20. Tótem 01 Painel 01. Cliente ONU Mulheres A RICCHIERO FILHO

Pequim+20. Empoderar Mulheres. Empoderar a Humanidade. Imagine! Tótens Pequim + 20. Tótem 01 Painel 01. Cliente ONU Mulheres A RICCHIERO FILHO Pequim+20 Empoderar Mulheres. Empoderar a Humanidade. Imagine! Tótem 01 Painel 01 Pequim+20 A exposição Pequim+20 foi inspirada nos 12 temas prioritários da Plataforma de Ação de Pequim, documento resultante

Leia mais

Plan International e IIDAC com recursos do Fundo União Europeia

Plan International e IIDAC com recursos do Fundo União Europeia INSTITUTO INTERNACIONAL PARA O DESENVOLVIMENTO DA CIDADANIA TERMO DE REFERÊNCIA No. 012/2015 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA/JURÍDICA CONSULTOR POR PRODUTO 1. PROJETO Pontes para o Futuro 2. RECURSOS

Leia mais

FÓRUM MUNDIAL DE DIREITOS HUMANOS. Data: 10 a 13 de Dezembro de 2013 Local: Brasília

FÓRUM MUNDIAL DE DIREITOS HUMANOS. Data: 10 a 13 de Dezembro de 2013 Local: Brasília FÓRUM MUNDIAL DE DIREITOS HUMANOS Data: 10 a 13 de Dezembro de 2013 Local: Brasília Nome do Evento: Fórum Mundial de Direitos Humanos Tema central: Diálogo e Respeito às Diferenças Objetivo: Promover um

Leia mais

EDUCAÇÃO PARA TODOS DECLARAÇÃO DE COCHABAMBA

EDUCAÇÃO PARA TODOS DECLARAÇÃO DE COCHABAMBA BR/2001/PI/H/4 EDUCAÇÃO PARA TODOS DECLARAÇÃO DE COCHABAMBA Os Ministros da Educação da América Latina e do Caribe, reunidos a pedido da UNESCO, na VII Sessão do Comitê Intergovernamental Regional do Projeto

Leia mais

Estratégia UNESCO para a Educação 2014-2021

Estratégia UNESCO para a Educação 2014-2021 Estratégia UNESCO para a Educação 2014-2021 Maria Rebeca Otero Gomes Coordenadora do Setor de Educação da Unesco no Brasil Curitiba, 02 de outubro de 2015 Princípios orientadores (i) A educação é um direito

Leia mais

Ananindeua, Rurópolis, Belterra, Santarém, Novo Progresso, Trairão, Itaituba, Alenquer, Portel, Breves, Souré, Salvaterra.

Ananindeua, Rurópolis, Belterra, Santarém, Novo Progresso, Trairão, Itaituba, Alenquer, Portel, Breves, Souré, Salvaterra. I-IDENTIFICAÇÃO 1. INSTITUIÇÃO Universidade Federal do Pará 2. UNIDADE ACADÊMICA/ CAMPI/ NÚCLEO DEPARTAMENTO/ COLEGIADO Instituto de Ciências da Educação / Programa de Pós-Graduação em Educação / Núcleo

Leia mais

Agenda dos Adolescentes Brasileiros 1

Agenda dos Adolescentes Brasileiros 1 DECLARAÇÃO NACIONAL DO PARLAMENTO JUVENIL DO MERCOSUL Brasília, Brasil 14-16 setembro de 2010 Grupos 1 e 2 Tema: Inclusão Educativa Agenda dos Adolescentes Brasileiros 1 Exclusão de estudantes com deficiência

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA FEDERAL DOS DIREITOS DO CIDADÃO 55. Planejamento Estratégico

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA FEDERAL DOS DIREITOS DO CIDADÃO 55. Planejamento Estratégico PROCURADORIA FEDERAL DOS DIREITOS DO CIDADÃO 55 Planejamento Estratégico Criança e Adolescente 2010 PROCURADORIA FEDERAL DOS DIREITOS DO CIDADÃO 56 INTRODUÇÃO Tema: Criança e Adolescente A questão da infância

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE ENFRENTAMENTO A VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE

PLANO MUNICIPAL DE ENFRENTAMENTO A VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE PLANO MUNICIPAL DE ENFRENTAMENTO A VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE APRESENTAÇÃO: A violência sexual contra a criança e o adolescente tem sido um problema de difícil enfrentamento por

Leia mais

Declaração de Salvador

Declaração de Salvador Declaração de Salvador Os Chefes de Estado da República Federativa do Brasil, da República de Cabo Verde, da República da Guiné, da República Oriental do Uruguai, o Vice-Presidente da República da Colômbia,

Leia mais

Cooperação Sul-Sul em População: Boas práticas da parceria entre o Governo do Brasil e o UNFPA 2 0 0 2-2 0 0 6 2 0 07-2 0 1 1

Cooperação Sul-Sul em População: Boas práticas da parceria entre o Governo do Brasil e o UNFPA 2 0 0 2-2 0 0 6 2 0 07-2 0 1 1 Cooperação Sul-Sul em População: Boas práticas da parceria entre o Governo do Brasil e o UNFPA Fundo de População das Nações Unidas 2 0 0 2-2 0 0 6 2 0 07-2 0 1 1 Ministério das Relações Exteriores Agência

Leia mais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Estatuto da Criança e do Adolescente: 18 anos, 18 Compromissos A criança e o adolescente no centro da gestão municipal O Estatuto

Leia mais

Inscrições abertas para edital com foco em crianças e adolescentes

Inscrições abertas para edital com foco em crianças e adolescentes Financiamento e apoio técnico Inscrições abertas para edital com foco em crianças e adolescentes A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR) e o Conselho Nacional dos Direitos

Leia mais

XXVI REUNIÃO DE ALTAS AUTORIDADES EM DIREITOS HUMANOS (RAADH)

XXVI REUNIÃO DE ALTAS AUTORIDADES EM DIREITOS HUMANOS (RAADH) MERCOSUL/RAADH/ATA N 01/15 XXVI REUNIÃO DE ALTAS AUTORIDADES EM DIREITOS HUMANOS (RAADH) Realizou-se na cidade de Brasília, República Federativa do Brasil, no dia 6 de julho de 2015, sob a Presidência

Leia mais

Declaração dos Mecanismos das Mulheres da América Latina e do Caribe frente ao 58º Período de Sessões da Comissão do Status da Mulher (CSW)

Declaração dos Mecanismos das Mulheres da América Latina e do Caribe frente ao 58º Período de Sessões da Comissão do Status da Mulher (CSW) Declaração dos Mecanismos das Mulheres da América Latina e do Caribe frente ao 58º Período de Sessões da Comissão do Status da Mulher (CSW) Cidade do México, México 7 de fevereiro de 2014 Nós, ministras

Leia mais

Protagonismo Juvenil 120ª Reunião da CNAIDS. Diego Callisto RNAJVHA / Youth Coalition for Post-2015

Protagonismo Juvenil 120ª Reunião da CNAIDS. Diego Callisto RNAJVHA / Youth Coalition for Post-2015 Protagonismo Juvenil 120ª Reunião da CNAIDS Diego Callisto RNAJVHA / Youth Coalition for Post-2015 E como está a juventude HOJE aos olhos da sociedade? - 22% perderam a virgindade antes dos 15 anos - 18%

Leia mais

TRADUÇÃO NÃO OFICIAL

TRADUÇÃO NÃO OFICIAL UNASUL/CMRE/RESOLUÇÃO/Nº 28/2012 MEDIANTE A QUAL É RESOLVIDO APRESENTAR PARA A APROVAÇÃO DO CONSELHO DE CHEFAS E CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO DA UNIÃO DAS NAÇÕES SUL-AMERICANAS A AGENDA DE AÇÕES PRIORITÁRIAS

Leia mais

FORMAÇÃO DA CIDADANIA OBJETIVOS E METAS

FORMAÇÃO DA CIDADANIA OBJETIVOS E METAS FORMAÇÃO DA CIDADANIA OBJETIVOS E METAS 1. Garantir a participação juvenil na elaboração e acompanhamento das políticas públicas na área de cidadania, em nível municipal, estadual e nacional, promovendo

Leia mais

EDITAL UNIFEM. Podem ser apresentados projetos de organizações da sociedade civil que cumpram os seguintes requisitos mínimos:

EDITAL UNIFEM. Podem ser apresentados projetos de organizações da sociedade civil que cumpram os seguintes requisitos mínimos: EDITAL UNIFEM 2010 O Escritório Sub-Regional do Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher para Brasil e países do Cone Sul (Argentina, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai) convida organizações

Leia mais

Programa: Programa Interagencial para a Promoção da Igualdade de Gênero e Raça

Programa: Programa Interagencial para a Promoção da Igualdade de Gênero e Raça TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA PARA ACOMPANHAR O SEMINÁRIO - REFERÊNCIAS CURRICULARES PARA A LEI 10.639/03, REGISTRAR E SISTEMATIZAR AS CONTRIBUIÇÕES E PROPOSIÇÕES LEVANTADAS DURANTE

Leia mais

II Seminário Estadual de Educação em Direitos Humanos Construindo o Plano Estadual de Educação em Direitos Humanos - Eixo Educação Não-Formal

II Seminário Estadual de Educação em Direitos Humanos Construindo o Plano Estadual de Educação em Direitos Humanos - Eixo Educação Não-Formal II Seminário Estadual de Educação em Direitos Humanos Construindo o Plano Estadual de Educação em Direitos Humanos - Eixo Educação Não-Formal Data: 10 e 11 de dezembro de 2010 Local: UFPR Praça Santos

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO DE AÇÃO SOCIAL DO MERCOSUL

PLANO ESTRATÉGICO DE AÇÃO SOCIAL DO MERCOSUL MERCOSUL/CMC/ DEC. N 67/10 PLANO ESTRATÉGICO DE AÇÃO SOCIAL DO MERCOSUL TENDO EM VISTA: o Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e a Decisão N 39/08 do Conselho do Mercado Comum. CONSIDERANDO:

Leia mais

O PAPEL DOS PONTOS FOCAIS Silvia Alcântara Picchioni 1 Ponto Focal Nacional Fevereiro de 2004

O PAPEL DOS PONTOS FOCAIS Silvia Alcântara Picchioni 1 Ponto Focal Nacional Fevereiro de 2004 Apresentação O PAPEL DOS PONTOS FOCAIS Silvia Alcântara Picchioni 1 Ponto Focal Nacional Fevereiro de 2004 A ASPAN Associação Pernambucana de Defesa da Natureza, entidade ambientalista fundada em 1979,

Leia mais

Fórum Paranaense de ONG AIDS.

Fórum Paranaense de ONG AIDS. RELATÓRIA TRABALHO DE SUBTEMAS XVII ERONG PR SUL 2013 REGIÃO SUL CURITIBA. ERONG PR SUL 2013 Cidade: CURITIBA UF: PARANÁ Pessoa/s de contato:amauri Instituição/es: Fórum Paranaense de ONG AIDS, Ferreira

Leia mais

EDUCAÇÃO POLÍTICA E EDUCAÇÃO DEMOCRÁTICA (IV Parte)

EDUCAÇÃO POLÍTICA E EDUCAÇÃO DEMOCRÁTICA (IV Parte) EDUCAÇÃO POLÍTICA E EDUCAÇÃO DEMOCRÁTICA (IV Parte) Saiba quais são as Recomendações das Conferências Internacionais na emancipação política das mulheres, as quais já foram assinadas pelo governo brasileiro

Leia mais

EIXO VI VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO: FORMAÇÃO, REMUNERAÇÃO, CARREIRA E CONDIÇÕES DE TRABALHO

EIXO VI VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO: FORMAÇÃO, REMUNERAÇÃO, CARREIRA E CONDIÇÕES DE TRABALHO VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO: FORMAÇÃO, REMUNERAÇÃO, CARREIRA E CONDIÇÕES DE TRABALHO PROPOSIÇÕES ESTRATÉGIAS E RESPONSABILIDADE* UNIÃO DF ESTADOS MUNICÍPIOS 1. Profissionais da educação:

Leia mais

DOCUMENTO DE POSICIONAMENTO DA IBIS SOBRE A JUVENTUDE

DOCUMENTO DE POSICIONAMENTO DA IBIS SOBRE A JUVENTUDE DOCUMENTO DE POSICIONAMENTO DA IBIS SOBRE A JUVENTUDE A IBIS visa contribuir para o empoderamento dos jovens como cidadãos activos da sociedade, com igual usufruto de direitos, responsabilidades e participação

Leia mais

Breve Cronologia das Ações

Breve Cronologia das Ações A ECPAT nasce como campanha de mobilização contra o turismo sexual nos países asiáticos e, a partir de 1995, torna-se referência mundial no combate à exploração sexual comercial, à pornografia e ao tráfico

Leia mais

Sr. Ministro, a quem agradeço, em nome do Fórum Nacional de Prevenção

Sr. Ministro, a quem agradeço, em nome do Fórum Nacional de Prevenção DESAFIO DA ERRADICAÇÃO DAS PIORES FORMAS DE TRABALHO INFANTIL NO BRASIL Isa Maria de Oliveira * Sr. Ministro, a quem agradeço, em nome do Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil,

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA FACULDADE DE PSICOLOGIA/UFAM Nº 03/2013 SELEÇÃO DE PROFISSIONAIS PARA ATUAÇÃO POR CURTO PRAZO

CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA FACULDADE DE PSICOLOGIA/UFAM Nº 03/2013 SELEÇÃO DE PROFISSIONAIS PARA ATUAÇÃO POR CURTO PRAZO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS FACULDADE DE PSICOLOGIA Núcleo de Formação Continuada de Conselheiros dos Direitos e Conselheiros Tutelares do Estado do Amazonas Escola de Conselhos do Amazonas CHAMADA

Leia mais

Proposta de ações para elaboração do. Plano Estadual da Pessoa com Deficiência;

Proposta de ações para elaboração do. Plano Estadual da Pessoa com Deficiência; 1 Proposta de ações para elaboração do Plano Estadual da Pessoa com Deficiência Objetivo Geral: Contribuir para a implementação das diretrizes e metas na garantia de direitos às pessoas com deficiência

Leia mais

Encaminhamentos Resultantes dos Encontros Regionais OPMs. Abril e Maio de 2014

Encaminhamentos Resultantes dos Encontros Regionais OPMs. Abril e Maio de 2014 Encaminhamentos Resultantes dos Encontros Regionais OPMs Abril e Maio de 2014 1. Criação do Ministério de Políticas para as Mulheres 1.1. Fortalecer o processo de implementação das políticas para as mulheres;

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DOS ESTADOS AMERICANOS Conselho Interamericano de Desenvolvimento Integral (CIDI)

ORGANIZAÇÃO DOS ESTADOS AMERICANOS Conselho Interamericano de Desenvolvimento Integral (CIDI) - 1 - ORGANIZAÇÃO DOS ESTADOS AMERICANOS Conselho Interamericano de Desenvolvimento Integral (CIDI) ANEXO I PRIMEIRA REUNIÃO INTERAMERICANA DE MINISTROS OEA/Ser./XLIII.1 E ALTAS AUTORIDADES DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Termos de Referência Projeto BRA5U201

Termos de Referência Projeto BRA5U201 Plano Integrado de enfrentamento à epidemia Projeto: BRA5U201 Fortalecimento das capacidades nacionais para a promoção e atenção à saúde sexual e reprodutiva e redução da morbi-mortalidade materna Produto

Leia mais

Tratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global

Tratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global Tratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global Este Tratado, assim como a educação, é um processo dinâmico em permanente construção. Deve portanto propiciar a reflexão,

Leia mais

Seria possível uma infância sem racismo?

Seria possível uma infância sem racismo? Seria possível uma infância sem racismo? Seria possível termos todas as crianças de até 1 ano de idade sobrevivendo? Seria possível um Brasil com todas as crianças sem faltar nenhuma delas tendo seu nome

Leia mais

Participação Social como Método de Governo. Secretaria-Geral da Presidência da República

Participação Social como Método de Governo. Secretaria-Geral da Presidência da República Participação Social como Método de Governo Secretaria-Geral da Presidência da República ... é importante lembrar que o destino de um país não se resume à ação de seu governo. Ele é o resultado do trabalho

Leia mais

DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO (ODM) PARA OS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (ODS)

DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO (ODM) PARA OS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (ODS) DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO (ODM) PARA OS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (ODS) INTRODUÇÃO A Organização das Nações Unidas (ONU) está conduzindo um amplo debate entre governos

Leia mais

DECRETO Nº 8.243, DE 23 DE MAIO DE 2014

DECRETO Nº 8.243, DE 23 DE MAIO DE 2014 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 8.243, DE 23 DE MAIO DE 2014 Institui a Política Nacional de Participação Social - PNPS e o Sistema Nacional de Participação

Leia mais

DIA NACIONAL DE MOBILIZAÇÃO

DIA NACIONAL DE MOBILIZAÇÃO 27 de outubro de 2009 DIA NACIONAL DE MOBILIZAÇÃO PRÓ-SAÚDE DA POPULAÇÃO NEGRA www.redesaudedapopulacaonegra.blogspot.com RACISMO FAZ MAL À SAÚDE! A data de 27 de outubro é o Dia Nacional de Mobilização

Leia mais

Documento referencial: uma contribuição para o debate

Documento referencial: uma contribuição para o debate Documento referencial: uma contribuição para o debate desenvolvimento integração sustentável participação fronteiriça cidadã 1. Propósito do documento O presente documento busca estabelecer as bases para

Leia mais

Carta Política. Campanha Cidades Seguras para as Mulheres

Carta Política. Campanha Cidades Seguras para as Mulheres Carta Política Campanha Cidades Seguras para as Mulheres Brasil - 2014 Nós, mulheres de diversas localidades e comunidades de Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro e São Paulo, que há muito

Leia mais

23/06/2008 Nº 183. Educação e saúde juntos na prevenção às DST/Aids

23/06/2008 Nº 183. Educação e saúde juntos na prevenção às DST/Aids 23/06/2008 Nº 183 Clima escolar influencia desempenho de estudantes da América Latina Pesquisa realizada pelo Laboratório Latino-Americano de Avaliação da Qualidade da Educação (LLECE), com apoio do Escritório

Leia mais

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS 1 DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E OBJETIVO DO MOVIMENTO 2 Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS

CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS APRESENTAÇÃO Em Dezembro de 2004 por iniciativa da Federação das Indústrias do Estado do Paraná o CPCE Conselho Paranaense de Cidadania Empresarial nasceu como uma organização

Leia mais

Pronunciamento da Deputada Telma de Souza no dia 09 de Agosto de 2005 Breves Comunicações. Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Parlamentares

Pronunciamento da Deputada Telma de Souza no dia 09 de Agosto de 2005 Breves Comunicações. Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Parlamentares Pronunciamento da Deputada Telma de Souza no dia 09 de Agosto de 2005 Breves Comunicações Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Parlamentares Para dar ciência à Câmara Federal, solicitando sua transcrição

Leia mais

1. DADOS DO PROJETO. EQSW 103/104, Lote 01, Bloco C, 1º Andar 70670-350 Brasília - DF T: +55 (61) 3038-9280 F: +55 (61) 3038-9289 www.unwomen.

1. DADOS DO PROJETO. EQSW 103/104, Lote 01, Bloco C, 1º Andar 70670-350 Brasília - DF T: +55 (61) 3038-9280 F: +55 (61) 3038-9289 www.unwomen. TERMO DE REFERÊNCIA para contratação de webdesigner ou webdeveloper para construção e publicação de conteúdos iniciais de website institucional para a FENATRAD Federação Nacional das Trabalhadoras Domésticas

Leia mais

PLANO INTEGRADO DE ENFRENTAMENTOÀ FEMINIZAÇÃO DA AIDS NO CEARÁ - 2009

PLANO INTEGRADO DE ENFRENTAMENTOÀ FEMINIZAÇÃO DA AIDS NO CEARÁ - 2009 COORDENADORIA DE PROMOÇÃO E PROTEÇÃO À SAÚDE - COPROM NÚCLEO DE PREVENÇÃO E CONTROLE DE DOENÇAS NUPREV PLANO INTEGRADO DE ENFRENTAMENTOÀ FEMINIZAÇÃO DA AIDS NO CEARÁ - 2009 Responsáveis pela elaboração:

Leia mais