Nutrição de Aves e Suínos: Desafios para as Próximas Décadas

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Nutrição de Aves e Suínos: Desafios para as Próximas Décadas"

Transcrição

1 Nutrição de Aves e Suínos: Desafios para as Próximas Décadas Exigência de Aminoácidos no Crescimento e Terminação de Suínos Hotel Fazenda Fonte Colina Verde 03 de Dezembro de 2015 Lucio Araújo, Cristiane Araújo, Brunna Leite, Luiz Vitagliano Universidade de São Paulo Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Pirassununga SP

2

3 SUMÁRIO Histórico Funcionalidade Exigências Conclusões

4 CBNA: 30 anos Até Década de 50 Até Década de 80 Década de 90 Século XXI Fator desconhecido Milho Farelo de soja Proteína ideal: Chung e Baker, 1992 Novos AAs Período qualitativo Período quantitativo Aminoácidos Industriais Avaliação Relações O quê utilizar? Por que e quanto utilizar? Redução Protéica Aminoácidos Funcionais Descoberta: Vitaminas Minerais Aminoácidos Exigências Vitaminas Aminoácidos Minerais Mitchell, 1964

5 Ingredientes e Composição Nutricional Ingredientes Crescimento Terminação Milho 79,25 83,90 Farelo de soja 17,90 13,25 Fosfato bicálcico 1,35 1,25 Calcário 0,75 0,85 Sal 0,50 0,50 Suplemento Vit/Min 0,25 0,25 Composição Nutricional Proteína Bruta, % 15,00 13,30 EM, kcal/kg Ca, % 0,67 0,67 Fósforo, % 0,60 0,56 Lisina, % 0,75 0,62 Fix et al., 2010

6 Ingredientes e Composição Nutricional Crescimento 1 Crescimento 2 Terminação 1 Terminação 2 Milho 64,24 66,86 72,25 79,30 Farelo de Soja 26,15 23,85 18,75 12,20 Gordura 6,95 6,97 6,97 6,67 Fosfato 1,00 0,67 0,49 0,42 Calcário 0,62 0,69 0,70 0,66 Sal 0,27 0,31 0,34 0,34 Lisina 0,34 0,30 0,24 0,19 Metionina 0,13 0,10 0,03 0,00 Treonina 0,09 0,07 0,06 0,03 Sup. Vit/Min 0,19 0,17 0,17 0,17 PB, % 17,9 16,9 14,7 12,0 EM, kcal/kg Cálcio, % 0,52 0,48 0,43 0,39 Fósforo, % 0,55 0,47 0,41 0,37 Lisina total, % 1,22 1,13 0,94 0,73 Fix et al., 2010

7 Efeito da Nutrição e da Genética em Suínos Genética Nutrição Desempenho GMD, g/d CMD, g/d EA, g/d 0,32 0,38 0,36 0,42 Carcaça ET, cm 70 kg PV 1,79 1,81 1,45 1,51 LD, cm 2 70 kg PV 26,20 28,18 27,29 30,76 ET, cm 95 kg PV 2,34 2,30 1,93 2,03 LD, cm 2 95 kg PV 34,29 36,39 36,69 40,27 Fix et al., 2010

8 Evolução Genética sobre o Rendimento e Características da Qualidade da Carne Suína

9 Composição Centesimal Crescimento I Crescimento II Terminação I Terminação II Milho 61,40 63,40 68,40 71,90 Gordura 3,00 2,50 2,00 1,50 Farelo de Soja 26,50 25,00 22,00 19,00 Farinha CO 4,50 4,50 3,00 3,00 Metionina 0,15 0,09 0,06 0,02 Triptofano 0,10 0, Lisina 0,32 0,24 0,23 0,20 Treonina 0,12 0,85 0,08 0,07 Aditivos 3,91 3,42 4,23 4,31 Total 100,00 100,00 100,00 100,00

10 Redução Protéica e Proteína Ideal Nível Protéico, % 20 a 55 kg 16,6 1 15,0 2 13, a 100 kg 14,2 1 12,8 2 11,0 3 GMD, g CMD, G EA, g/g 0,37 0,36 0,35 1 Sem suplementação de aas 2 Suplementação de Lis, Ter, Trp 3 Suplementação de Lis, Tre, Trp, Val, Iso Tuitoiek et al., 1997

11 Glicose Aminoácidos Não essencial Semi - essencial Essencial 3-P- Glicerato NH 4 + Serina Treonina Piruvato NH 4 + Glicina Cisteína Metionina Alanina Isoleucina Citrulina Acetil - CoA + OAA NH 4 + Ciclo de Krebs α- KGA Arginina Ciclo da Uréia Ornitina Uréia CO 2 NH 4 + Asparagina NH 4 + Aspartato Glutamato NH 4 + Glutamina Prolina Tirosina Arginina Leucina Valina Triptofano Fenilalanina Histidina Lisina

12 Composição Corporal Carcaça Vísceras Sangue Pêlos Composição 8,5 kg 66,2 28,0 4,0 1,8 107 kg 78,8 14,1 5,4 1,7 AA, % Lis 7,6 6,6 9,0 4,0 Met 1,9 1,6 0,8 0,5 Cys 1,1 1,3 1,5 13,0 Tre 4,0 3,6 3,7 5,7 Trp 1,1 1,3 1,5 0,3 Val 4,7 4,9 9,0 5,9 Ile 3,9 3,5 1,3 3,7 Leu 7,1 7,1 13,0 8,0 Fen 3,8 4,0 6,8 2,7 Tir 3,0 3,1 2,9 3,4 His 3,7 2,8 5,6 2,0 Arg 6,5 5,6 3,8 6,5

13 FUNÇÕES DOS AMINOÁCIDOS Lactação Reprodução Metamorfose Pigmentação Regulação Metabólica Síntese Protéica Comportamento Resposta ao estresse Remoção da amônia Estado Endócrino Aminoácidos Degradação de Proteína Síntese RNA e DNA Células Sinalizadoras Equilíbrio Ácido-Base Substratos Energéticos Imunidade e Saúde Regulação Osmótica Apetite Composição do Corpo Corrente Sanguínea Crescimento e Desenvolvimento Defesa Antioxidante Fix et al., 2010

14 Resposta ao crescimento, % Custo Metabólico da Ativação do Sistema Imune Infecções Digestivas Condições Ambientais LPS Micotoxicoses Parasitoses Doenças Respiratórias Fração devida a mudanças na eficiência alimentar Fração devida a mudanças no consumo de ração Pastorelli et al., 2012

15 Relação de Aminoácidos InraPorc NRC, 2012 Rostagno, C Rostagno, T Lisina Metionina AAS Treonina Triptofano Valina Isoleucina Leucina Fenilalanina Fenil. + Tirosina Histidina Arginina

16 Genética:Lisina Digestível Referência Sexo Período, dias Nível, % Kill et al., 2003 Fêmeas ,00 0,90 Souza, 2009 Machos/Fêmeas ,15 1,05 Fortes et al., 2011 Machos dias 0,80 Portela et al., 2014 Machos/Fêmeas ,90 Rostagno et al., 2011 Machos ,86

17 Exigência de Lisina: kg Consumo de 2,0 kg/dia Wecke e Liebert, 2009

18 Exigência de Lisina: kg Consumo de 2,7 kg/dia Wecke e Liebert, 2009

19 Efeito da Ractopamina e Lisina Referência Ractopamina, mg/kg Lisina Digestível, % Webster et al., ,0 Almeida et al., ,68 Bruno, ,65 Corassa et al., ,04 Rostagno et al., ,84

20 Relação Lis:EM (g/mcal) - Machos 3,5 3 2,5 2 1,5 1 0,5 3,14 2,66 2,2 3 2,5 2 1,5 1 0,5 2,69 2,35 2,09 1,79 0 Main et al., Bergstram et al., dias dias 3,5 3 2,5 3 2,43 2,2 2 1,5 1 0,5 0 Li et al., dias

21 Relação Lis:EM (g/mcal) - Fêmeas 3,5 3,23 3,5 3,16 3 2,8 3 2,5 2,28 2,2 2,5 2,58 2, ,5 1, ,5 0,5 0 Main et al., Shelton et al.,

22 Efeito dos AAS no Controle do Estresse oxidativo Metionina Cistationina Cisteína SO 4-2 Taurina Metionina Sulfoxido Redutase + Glutationa Antioxidante - - ROS Proteína Intacta Reparo Proteína danificada Estresse oxidativo Degradação + Outros Métayer et al., (2008)

23 AAS:Lis Digestível Crescimento % Terminação % InraPorc 60 InraPorc 60 NRC, NRC, Rostagno et al., Rostagno et al., Gaines et al., Loughmiller et al., Lawrence et al., Frantz et al.,

24 Efeito da Treonina sobre Apoptose Duodenal 0,31 0,62 0,75 0,93 Wang et al., 2010

25 Mucina no Intestino Delgado a a b b b b ab b b a a ab Wang et al., 2010

26 Tre:Lisina Digestível 0,67 0,66 0,65 0,64 0,63 0,62 0,61 0,6 0,59 0,65 Treonina Digestível, % 0,66 0,61 0,58 NRC, 2008 Rostagno, 2011 Wecke e Liebert, 2010 Treonina Digestível, %

27 Porcentagem de retorno Trp:Lis sobre o Retorno Econômico Trp: Lis digestível Goodband et al., 2014

28 Ile:Lis Digestível

29 Val:Lis Digestível

30 Glutamina e Glutamato Glutamina sintetase NH 3 ATP ADP NH 3 Glutaminase Glutamato Glutamina

31 Metabolismo da Glutamina Músculo Esquelético Glutamina Dieta Intestino Tecido Adiposo Pulmão Glutamina Plasmática Sistema Imune Rins Fígado Leite Feto Watford (2015)

32 Tecido Linfóide Associado ao Sistema Imune Mucina Antígeno Placa de Peyer Camada Epitelial IgA Cél. M Cél. Caliciforme Cél. B Célt Ducto Torácico Circulação Periférica Efetor da Mucosa Macrófago CélDendritica Cél. Plasmática Linfonodo Mesentérico Ruth and Field, 2013

33 Importância da Glutamina na Proteção da Mucosa Intestinal Glutamina Glicose 6-P Glutamato Glucosamina 6-P Acetilgalactosamina Glicoproteínas Glucosaminoglicanos Mucina Epitélio intestinal Neu (2001)

34 Transportadores intestinais de suínos e citoquinas alimentados com dietas contendo DON Controle Toxina Toxina + Glutamina Transportadores CT 1 1,21 a 0,58 c 0,78 b EAAC1 1,00 a 0,41 c 0,79 b Citoquinas IL 2 8,24 a 12,90 b 8,68 a TNF 0,20 a 0,27 b 0,22 a Wu et al., (2013)

35 Nutrição de Aves e Suínos: Desafios para as Próximas Décadas Até a Década de 50 Até a Década de 80 Década de 90 Século XXI Próximas Décadas Fator desconhecido Milho Farelo de soja Proteína ideal: Baker e Han, 1992 Novos AAs Período qualitativo Período quantitativo Aminoácidos Industriais Avaliação Relações? O quê utilizar? Porquê e quanto utilizar? Redução Protéica Aminoácidos Funcionais Vitaminas Aminoácidos Vitaminas Aminoácidos Minerais Mitchell, 1964

36 C o n c l u s õ e s Nas últimas décadas aprendemos bastante sobre exigência aminoacídica para suínos. Entretanto, devido ao melhoramento genético, necessitamos continuamente reavaliar o nível de lisina da dieta para alcançarmos melhores respostas; Embora o período pós-desmane seja uma fase importante para o desenvolvimento do leitão, mais pesquisas devem ser desenvolvidas visando estabelecer as exigências de aminoácidos para as fases de crescimento e terminação; A produção de aminoácidos cristalinos em escala industrial permitirá reduzirmos ainda mais os níveis protéicos da dieta e atendermos de maneira mais adequada as necessidades dos animais; Nosso desafio para os próximos anos será entendermos melhor as interrelações entre os diferentes aminoácidos e fornecê-los de maneira a garantir o melhor desempenho dos animais.

37 A descoberta consiste em ver o que todos viram e em pensar no que ninguém pensou - Albert Szent- Gyorgvi

38 Obrigado por sua atenção!

Proteínas na alimentação de monogástricos

Proteínas na alimentação de monogástricos Proteína - Composição: C, H, O e N - Proteína Bruta: 16% FC: 6,25% - Composta de aminocácidos com grupamento amínico, carboxílico e outros. Professor Luciano Hauschild 1 Classificação nutricional dos aminoácidos

Leia mais

METABOLISMO DAS PROTEÍNAS. Bioquímica Básica Ciências Biológicas 3º período Cátia Capeletto

METABOLISMO DAS PROTEÍNAS. Bioquímica Básica Ciências Biológicas 3º período Cátia Capeletto METABOLISMO DAS PROTEÍNAS Bioquímica Básica Ciências Biológicas 3º período Cátia Capeletto Aminoácido Os aminoácidos livres são obtidos da degradação da proteína da dieta, da renovação constante das proteínas

Leia mais

NUTRIÇÃO DE CÃES E GATOS

NUTRIÇÃO DE CÃES E GATOS NUTRIÇÃO DE CÃES E GATOS IMPORTÂNCIA Conhecer fundamentos básicos de nutrição avaliar dietas e alimentos Interações entre nutrientes e o animal Exigências Cães e gatos Quantidade diária de nutrientes Manejo

Leia mais

Metabolismo de Aminoácidos. Degradação de Proteínas a Aminoácidos. Degradação de Proteínas e Aminoácidos. - glicemia = de glucagon e TNF

Metabolismo de Aminoácidos. Degradação de Proteínas a Aminoácidos. Degradação de Proteínas e Aminoácidos. - glicemia = de glucagon e TNF Metabolismo de Aminoácidos Degradação de Proteínas e Aminoácidos - Degradação de aminoácidos em excesso na alimentação - Absorção pelo fígado, retirada grupo amino - Degradação espontânea de proteínas

Leia mais

Gliconeogênese. Gliconeogênese. Órgãos e gliconeogênese. Fontes de Glicose. Gliconeogênese. Gliconeogênese Metabolismo dos aminoácidos Ciclo da Uréia

Gliconeogênese. Gliconeogênese. Órgãos e gliconeogênese. Fontes de Glicose. Gliconeogênese. Gliconeogênese Metabolismo dos aminoácidos Ciclo da Uréia Gliconeogênese Metabolismo dos aminoácidos Ciclo da Uréia Gliconeogênese Alexandre Havt Gliconeogênese Fontes de Energia para as Células Definição Via anabólica que ocorre no fígado e, excepcionalmente

Leia mais

Aminoácidos e proteínas Metabolismo

Aminoácidos e proteínas Metabolismo Aminoácidos e proteínas Metabolismo Rota metabólica dos AA Origem dos AA circulantes; Dieta: classificação dos AA Transaminação Destino dos AA; Degradação 1 Stollet al (2006) Partição aminoácidos Biossíntese

Leia mais

Professor Antônio Ruas

Professor Antônio Ruas Universidade Estadual do Rio Grande do Sul Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental Componente curricular: BIOLOGIA GERAL Aula 4 Professor Antônio Ruas 1. Temas: Macromoléculas celulares Produção

Leia mais

SÍNTESE DOS AMINOÁCIDOS. Prof. Henning Ulrich

SÍNTESE DOS AMINOÁCIDOS. Prof. Henning Ulrich SÍNTESE DOS AMINOÁCIDOS Prof. Henning Ulrich CATABOLISMO DOS AMINOÁCIDOS EM MAMÍFEROS TRANSAMINAÇÕES CATALISADAS POR ENZIMAS Em muitas reações das aminotransferases, o -cetoglutarato é o receptor do grupo

Leia mais

CUIDADO NA FORMULAÇÃO DE DIETAS VEGETAIS OU COM SUBPRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL.

CUIDADO NA FORMULAÇÃO DE DIETAS VEGETAIS OU COM SUBPRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL. Data: Junho/2005 CUIDADO NA FORMULAÇÃO DE DIETAS VEGETAIS OU COM SUBPRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL. 1. Introdução Milho e farelo de soja são os principais ingredientes utilizados na formulação de rações para

Leia mais

Você tem ninho de ovos de ouro?

Você tem ninho de ovos de ouro? Você tem ninho de ovos de ouro? Promotor L, o reforço que suas aves precisam... E seu bolso também! Benefícios com o uso do Promotor L : Diminui efeitos do estresse (calor, debicagem, etc.); Aumenta a

Leia mais

14/02/2017. Genética. Professora Catarina

14/02/2017. Genética. Professora Catarina 14/02/2017 Genética Professora Catarina 1 A espécie humana Ácidos nucleicos Tipos DNA ácido desoxirribonucleico RNA ácido ribonucleico São formados pela união de nucleotídeos. 2 Composição dos nucleotídeos

Leia mais

DIGESTÃO E ABSORÇÃO DAS PROTEÍNAS

DIGESTÃO E ABSORÇÃO DAS PROTEÍNAS DIGESTÃO E ABSORÇÃO DAS PROTEÍNAS 1 Fenilalanina Valina Aa essenciais Treonina Triptofano Isoleucina Metionina Histidina Lisina Arginina Leucina PROTEÍNAS Alanina Asparagina Aspartato Cisteína Glutamato

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA - 49

RELATÓRIO DE PESQUISA - 49 RELATÓRIO DE PESQUISA - 49 2005 Disponível em nosso site: www.lisina.com.br Redução de Proteína Dietética Aplicando o Conceito de Proteína Ideal em Frangos de Corte Introdução A disponibilidade de aminoácidos

Leia mais

PROTEÍNA. Lisina (ARC 1981) Aminoácidos Essenciais. Aminoácidos Essenciais - suínos. Fenilalanina Arginina

PROTEÍNA. Lisina (ARC 1981) Aminoácidos Essenciais. Aminoácidos Essenciais - suínos. Fenilalanina Arginina omposição de um Protetor Hepático comercial PROTEÍNA Fórmula: Aspartato de L-ornitina...2,0 g loridrato de L-arginina...7,5 g L-citrulina...0,5 g Acetil metionina...1,0 g loridrato de colina...1,0 g Levulose...10,0

Leia mais

UFABC Bacharelado em Ciência & Tecnologia

UFABC Bacharelado em Ciência & Tecnologia UFABC Bacharelado em Ciência & Tecnologia Transformações Bioquímicas (BC0308) Prof Luciano Puzer http://professor.ufabc.edu.br/~luciano.puzer/ Propriedades, funções e transformações de aminoácidos e proteínas

Leia mais

23/03/2015. Moléculas orgânicas - Carboidratos

23/03/2015. Moléculas orgânicas - Carboidratos Moléculas orgânicas - Carboidratos São formados por C, H, O. São Conhecidos como: Hidratos de Carbono Glucídios Glicídios Açúcares Sacarídeos Funções: Energética (glicose); Glicogênio : reserva energética

Leia mais

2. Metabolismo de Prótidos

2. Metabolismo de Prótidos 2. Metabolismo de Prótidos 2.1. Aminoácidos O transporte de aminoácidos é activo e faz-se juntamente com o sódio (Na + ), utilizando proteínas transportadoras. Os aminoácidos, são geralmente transportados

Leia mais

Aminoácidos peptídeos e proteínas

Aminoácidos peptídeos e proteínas Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Biologia Aminoácidos peptídeos e proteínas Prof. Macks Wendhell Gonçalves, Msc mackswendhell@gmail.com Algumas funções de proteínas A luz produzida

Leia mais

Aminoácidos. Prof. Dr. Walter F. de Azevedo Jr. Laboratório de Sistemas BioMoleculares. Departamento de Física. UNESP São José do Rio Preto. SP.

Aminoácidos. Prof. Dr. Walter F. de Azevedo Jr. Laboratório de Sistemas BioMoleculares. Departamento de Física. UNESP São José do Rio Preto. SP. Aminoácidos Prof. Dr. Walter F. de Azevedo Jr. Laboratório de Sistemas BioMoleculares. Departamento de Física. UNESP São José do Rio Preto. SP. Resumo Introdução Quiralidade Ligação peptídica Cadeia peptídica

Leia mais

AVALIAÇÃO DE CONCENTRADO PROTEICO DE SOJA SELECTA EM PEIXES

AVALIAÇÃO DE CONCENTRADO PROTEICO DE SOJA SELECTA EM PEIXES AVALIAÇÃO DE CONCENTRADO PROTEICO DE SOJA SELECTA EM PEIXES Banco de dados de digestibilidade dos nutrientes de ingredientes tradicionais e novos para nutrição de Truta e Striped Bass F.T. Barrows 1, T.G.

Leia mais

Professor Antônio Ruas

Professor Antônio Ruas Universidade Estadual do Rio Grande do Sul Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental Componente curricular: BIOLOGIA GERAL Aula 4 Professor Antônio Ruas 1. Temas: Macromoléculas celulares Produção

Leia mais

Impacto da nutrição na qualidade da carne e do leite. Marcone Costa Zootecnista - DSc Ass. Téc. Nutrição Animal

Impacto da nutrição na qualidade da carne e do leite. Marcone Costa Zootecnista - DSc Ass. Téc. Nutrição Animal Impacto da nutrição na qualidade da carne e do leite Marcone Costa Zootecnista - DSc Ass. Téc. Nutrição Animal 1 Introdução: Brasil exportador - carne e leite ; Saltos de produtividade; Ganhos em escala;

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA - 36

RELATÓRIO DE PESQUISA - 36 RELATÓRIO DE PESQUISA - 36 2003 EFEITO DA RELAÇÃO VALINA:LISINA DURANTE A LACTAÇÃO SOBRE O DESEMPENHO DE MATRIZ E LEITÕES Introdução Pesquisas na Kansas State University realizadas por Richert et al (1996)

Leia mais

Metabolismo de PROTEÍNAS

Metabolismo de PROTEÍNAS FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA Departamento de Educação Física Metabolismo de PROTEÍNAS Disciplina Nutrição aplicada à Educação Física e ao Esporte Prof. Dr. Ismael Forte Freitas Júnior FORMAÇÃO DAS

Leia mais

PROGRAMA NUTRICIONAL PARA SUÍNOS. "Seu resultado é o nosso compromisso." EXCELÊNCIA EM NUTRIÇÃO ANIMAL. www.guabi.com.

PROGRAMA NUTRICIONAL PARA SUÍNOS. Seu resultado é o nosso compromisso. EXCELÊNCIA EM NUTRIÇÃO ANIMAL. www.guabi.com. PROGRAMA NUTRICIONAL "Seu resultado é o nosso compromisso." PARA SUÍNOS EXCELÊNCIA EM NUTRIÇÃO ANIMAL www.guabi.com.br 0800 16 90 90 s para as fases de Maternidade e Creche A linha Nutriserviços para nutrição

Leia mais

A oxidação dos aminoácidos e a produção de uréia

A oxidação dos aminoácidos e a produção de uréia A oxidação dos aminoácidos e a produção de uréia A U L A 17 objetivos Ao final desta aula, você deverá ser capaz de: Identificar as situações metabólicas nas quais ocorre o catabolismo dos aminoácidos.

Leia mais

Proteínas. Enzima que Colagénio Insulina degrada a insulina (hormona)

Proteínas. Enzima que Colagénio Insulina degrada a insulina (hormona) Proteínas O seu nome deriva da palavra Grega proteios, que significa de principal importância. As proteínas desempenham um papel fundamental nos sistemas biológicos, estando associadas a todas as formas

Leia mais

Metabolismo de Proteínas. Tiago Fernandes 2014

Metabolismo de Proteínas. Tiago Fernandes 2014 Metabolismo de Proteínas Tiago Fernandes 2014 Proteínas (do grego de primordial importância ) - aa acoplados formam proteínas. - 10 a 12 kg de proteína em um adulto saudável - maior proporção no músculo

Leia mais

RAÇÕES PARA PEIXES: FATORES NUTRICIONAIS IMPORTANTES E IMPACTOS NOS RESULTADOS. Silvia Pastore - M.Sc. V Aquishow Agosto/2014

RAÇÕES PARA PEIXES: FATORES NUTRICIONAIS IMPORTANTES E IMPACTOS NOS RESULTADOS. Silvia Pastore - M.Sc. V Aquishow Agosto/2014 RAÇÕES PARA PEIXES: FATORES NUTRICIONAIS IMPORTANTES E IMPACTOS NOS RESULTADOS Silvia Pastore - M.Sc. V Aquishow Agosto/2014 Perguntas frequentes 1. As rações são todas iguais? 2. Como diferenciar as rações

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA - 32

RELATÓRIO DE PESQUISA - 32 RELATÓRIO DE PESQUISA - 32 USO DE TREONINA NA DIETA PARA DIMINUIR A PROTEÍNA BRUTA E SEU EFEITO SOBRE O DESEMPENHO E RENDIMENTO DE CARCAÇA DE FRANGOS DE CORTE ESTUDO 2 Introdução Objetivo No relatório

Leia mais

Em termos comparativos a chlorella possui proporcionalmente mais proteínas do que a soja, a carne bovina e o trigo.

Em termos comparativos a chlorella possui proporcionalmente mais proteínas do que a soja, a carne bovina e o trigo. O que é? A chlorella é uma alga unicelular de água doce existente na Terra há milhões de anos. A sua estrutura genética manteve-se intacta ao longo do tempo resultando numa grande concentração e variedade

Leia mais

CICLO DE KREBS. Em condições aeróbias: mitocôndria. citosol. Glicólise. ciclo de Krebs. 2 piruvato. 2 Acetil CoA. Fosforilação oxidativa

CICLO DE KREBS. Em condições aeróbias: mitocôndria. citosol. Glicólise. ciclo de Krebs. 2 piruvato. 2 Acetil CoA. Fosforilação oxidativa CICLO DE KREBS Em condições aeróbias: citosol mitocôndria Glicólise Acetil CoA ciclo de Krebs Fosforilação oxidativa CICLO DE KREBS OU CICLO DOS ÁCIDOS TRICARBOXÍLICOS Ligação entre a glicólise e o ciclo

Leia mais

FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO I BIOENERGÉTICA: CICLO DE KREBS

FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO I BIOENERGÉTICA: CICLO DE KREBS FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO I BIOENERGÉTICA: CICLO DE KREBS Ciclo de Krebs Considerações Gerais Esta denominação decorre da homenagem ao bioquímico Hans Krebs, a qual lhe valeu o Prémio Nobel de Fisiologia

Leia mais

CURSO: ENFERMAGEM DISCIPLINA: BIOQUÍMICA HUMANA PROF. WILLAME BEZERRA. Aminoácidos. Prof. Willame Bezerra

CURSO: ENFERMAGEM DISCIPLINA: BIOQUÍMICA HUMANA PROF. WILLAME BEZERRA. Aminoácidos. Prof. Willame Bezerra CURSO: ENFERMAGEM DISCIPLINA: BIOQUÍMICA HUMANA PROF. WILLAME BEZERRA Aminoácidos Prof. Willame Bezerra As proteínas são as biomoléculas mais abundantes nos seres vivos e exercem funções fundamentais em

Leia mais

e avaliar alimentos 1. Introdução... 262 2. Composição dos alimentos... 262

e avaliar alimentos 1. Introdução... 262 2. Composição dos alimentos... 262 Capítulo7Métodos para formular rações e avaliar alimentos 1. Introdução... 262 2. Composição dos alimentos... 262 3. Métodos de balanceamento de rações... 263 3.1. Breve histórico sobre a formulação de

Leia mais

Você não é o que come. Você é o que absorve!

Você não é o que come. Você é o que absorve! Você não é o que come. Você é o que absorve! Sabe-se que o consumo de suplementos alimentares com finalidades específicas, como incremento de massa muscular,vem crescendo constantemente no Brasil e no

Leia mais

Professor Luciano Hauschild

Professor Luciano Hauschild Professor Luciano Hauschild 1 Função, digestão e disponibilidade e metabolismo da proteína 2 Proteínas: Digestão a absorção Digestão Inicia no proventrículo Pepsinogênio HCl Pepsina leucina-valina tirosina-leucina

Leia mais

Requerimentos Nutricionais de Cães e Gatos

Requerimentos Nutricionais de Cães e Gatos Requerimentos Nutricionais de Cães e Gatos animais de companhia duas espécies diferentes de animais Maria Clorinda Soares Fioravanti (clorinda@vet.ufg.br) apresentam requerimentos nutricionais específicos

Leia mais

Aminoácidos (aas) Prof.ª: Suziane Antes Jacobs

Aminoácidos (aas) Prof.ª: Suziane Antes Jacobs Aminoácidos (aas) Prof.ª: Suziane Antes Jacobs Introdução Pequenas moléculas propriedades únicas Unidades estruturais (UB) das proteínas N- essencial para a manutenção da vida; 20 aminoácidos-padrão -

Leia mais

USO DE CONCENTRADOS PARA VACAS LEITEIRAS

USO DE CONCENTRADOS PARA VACAS LEITEIRAS USO DE CONCENTRADOS PARA VACAS LEITEIRAS Ivan Pedro de O. Gomes, Med.Vet., D.Sc. Professor do Departamento de Zootecnia CAV/UDESC. e-mail: a2ipog@cav.udesc.br A alimentação constitui-se no principal componente

Leia mais

Proteína: digestibilidade e sua importância na produção. Fabrizio Oristanio (Biruleibe)

Proteína: digestibilidade e sua importância na produção. Fabrizio Oristanio (Biruleibe) Proteína: digestibilidade e sua importância na produção Fabrizio Oristanio (Biruleibe) Introdução Evolução das estimativas protéicas a partir da década de 80 Método fatorial Manutenção Produção Sistemas

Leia mais

Aminoácidos FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS - FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS

Aminoácidos FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS - FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS - FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Aminoácidos Disciplina: Bioquímica I Prof. Me. Cássio Resende de Morais Introdução Proteínas são as macromoléculas

Leia mais

Especificações Nutricionais para Frangos de Corte. Junho 2007

Especificações Nutricionais para Frangos de Corte. Junho 2007 Especificações Nutricionais para Frangos de Corte Junho 2007 Introdução Nas tabelas seguintes são apresentadas as especificações nutricionais para frangos de corte, considerando situações diversas de produção

Leia mais

Alimentação da vaca leiteira

Alimentação da vaca leiteira Alimentação da vaca leiteira A exploração leiteira consiste em atividade de converter recursos alimentares em leite, cujo valor agregado é superior a matéria-prima original. Recursos alimentares: Volumosos

Leia mais

conteúdo de proteína e aminoácidos dos alimentos

conteúdo de proteína e aminoácidos dos alimentos Capítulo3Metodologias para avaliar o conteúdo de proteína e aminoácidos dos alimentos 1. Introdução... 92 2. Digestibilidade da proteína e utilização dos aminoácidos pelos monogástricos... 93 2.1. Digestibilidade

Leia mais

Página 2 de 10 Valor estimado: R$ ,5000 para: SOLUTION AGRONEGOCIOS LTDA - ME - ME, pelo melhor lance de R$ ,0000. Itens do grupo: 12 - R

Página 2 de 10 Valor estimado: R$ ,5000 para: SOLUTION AGRONEGOCIOS LTDA - ME - ME, pelo melhor lance de R$ ,0000. Itens do grupo: 12 - R Página 1 de 10 Pregão Eletrônico MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Media e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciencia e Tecnologia Catarinense Campus Camboriú Termo de Adjudicação do

Leia mais

Programas de Alimentação Frangos de Corte

Programas de Alimentação Frangos de Corte PRINCÍPIOS EM NUTRIÇÃO DE AVES Programas de Alimentação Frangos de Corte Prof. Dr. Luciano Hauschild Msc. Jaqueline de Paula Gobi Disciplina: Nutrição de Monogástricos Jaboticabal - junho 2016 INTRODUÇÃO

Leia mais

HNT 130 Nutrição Normal

HNT 130 Nutrição Normal PROTEÍNAS definição, classificação, avaliação da qualidade protéica, funções e metabolismo. HNT 130 Nutrição Normal NUTRIÇÃO NORMAL Combinação dos processos pelos quais os organismos vivos recebem e utilizam

Leia mais

Metabolismo de aminoácidos de proteínas. Profa Dra Mônica Santos de Freitas

Metabolismo de aminoácidos de proteínas. Profa Dra Mônica Santos de Freitas Metabolismo de aminoácidos de proteínas Profa Dra Mônica Santos de Freitas 16.05.2011 1 Introdução As proteínas são a segunda maior fonte de estocagem de energia no corpo; O maior estoque de proteínas

Leia mais

Uso do grão de arroz na alimentação de suínos e aves

Uso do grão de arroz na alimentação de suínos e aves Uso do grão de arroz na alimentação de suínos e aves O Brasil é o décimo maior produtor mundial de arroz e fora do continente Asiático o Brasil é o maior produtor de arroz. O volume de produção na safra

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL FREDERICO GUILHERME SCHMIDT Escola Técnica Industrial. Disciplina de Biologia Primeiro Ano Curso Técnico de Eletromecânica

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL FREDERICO GUILHERME SCHMIDT Escola Técnica Industrial. Disciplina de Biologia Primeiro Ano Curso Técnico de Eletromecânica ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL FREDERICO GUILHERME SCHMIDT Escola Técnica Industrial Disciplina de Biologia Primeiro Ano Curso Técnico de Eletromecânica Prof. Diogo Schott diogo.schott@yahoo.com Substâncias orgânicas

Leia mais

Composição química celular

Composição química celular Natália Paludetto Composição química celular Proteínas Enzimas Ácidos nucléicos Proteínas Substâncias sólidas; Componente orgânico mais abundante da célula. Podem fornecer energia quando oxidadas, mas

Leia mais

Zinco quelato. Identificação. Peso molecular: Não aplicável. CAS: Não aplicável

Zinco quelato. Identificação. Peso molecular: Não aplicável. CAS: Não aplicável Material Técnico Zinco quelato Identificação Fórmula Molecular: Não aplicável DCB / DCI: Não aplicável INCI: Não aplicável Peso molecular: Não aplicável CAS: Não aplicável Denominação botânica: Não aplicável

Leia mais

BÁSICA EM IMAGENS. Aminoácidos, peptídeos e proteínas

BÁSICA EM IMAGENS. Aminoácidos, peptídeos e proteínas Universidade Federal de Pelotas Instituto de Química e Geociências Departamento de Bioquímica 04 BÁSICA EM IMAGENS - um guia para a sala de aula Aminoácidos, peptídeos e proteínas Generalidades AAs x Proteínas

Leia mais

O nitrogênio molecular ( N 2 ) abundante na atmosfera

O nitrogênio molecular ( N 2 ) abundante na atmosfera O nitrogênio molecular ( N 2 ) abundante na atmosfera Para ser utilizado pelos animais, ele precisa ser fixado reduzido de N 2 para NH 3 (amônia) (microorganismos, plantas, descargas elétricas) Fixação

Leia mais

M E T B O L I S M O CATABOLISMO ANABOLISMO

M E T B O L I S M O CATABOLISMO ANABOLISMO METABOLISMO É o conjunto das reações químicas que ocorrem num organismo vivo com o fim de promover a satisfação de necessidades estruturais e energéticas. ...metabolismo Do ponto de vista físico-químico,

Leia mais

Enfermidades Nutricionais. M.V. Patrick Westphal Mestrando em Ciências Veterinárias UFPR

Enfermidades Nutricionais. M.V. Patrick Westphal Mestrando em Ciências Veterinárias UFPR Enfermidades Nutricionais M.V. Patrick Westphal Mestrando em Ciências Veterinárias UFPR 2011 INTRODUÇÃO Doenças não infecciosas que afetam as aves; Erros na Formulação; Necessidade de conhecimento para

Leia mais

Influência da Genética desempenho

Influência da Genética desempenho UNIVERSIDADE GAMA FILHO PÓS-GRADUAÇÃO Nível: LATO SENSU Curso: FISIOLOGIA E TREINAMENTO APL. ATIVIDADES DE ACADEMIAS E CLUBES Influência da Genética desempenho Prof. Drd. LUIZ CARLOS CARNEVALI luizcarnevalijr@usp.br

Leia mais

MACRONUTRIENTES III PROTEÍNAS

MACRONUTRIENTES III PROTEÍNAS MACRONUTRIENTES III PROTEÍNAS 1 PROTEÍNAS As proteínas são compostos orgânicos de estrutura complexa e massa molecular elevada, elas são sintetizadas pelos organismos vivos através da condensação de um

Leia mais

COLÉGIO PEDRO II CAMPUS TIJUCA II. DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS COORD.: PROFa. CRISTIANA LIMONGI

COLÉGIO PEDRO II CAMPUS TIJUCA II. DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS COORD.: PROFa. CRISTIANA LIMONGI COLÉGIO PEDRO II CAMPUS TIJUCA II DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS COORD.: PROFa. CRISTIANA LIMONGI 1º & 2º TURNOS 3ª SÉRIE / ENSINO MÉDIO REGULAR & INTEGRADO ANO LETIVO 2015 PROFESSORES: FRED & PEDRO

Leia mais

IMPORTÂNCIA DA NUTRIÇÃO NA CRIAÇÃO DE CODORNAS E QUALIDADES NUTRICIONAIS DO OVO E CARNE DE CODORNA. Vera Maria Barbosa de Moraes & Joji Ariki

IMPORTÂNCIA DA NUTRIÇÃO NA CRIAÇÃO DE CODORNAS E QUALIDADES NUTRICIONAIS DO OVO E CARNE DE CODORNA. Vera Maria Barbosa de Moraes & Joji Ariki IMPORTÂNCIA DA NUTRIÇÃO NA CRIAÇÃO DE CODORNAS E QUALIDADES NUTRICIONAIS DO OVO E CARNE DE CODORNA Vera Maria Barbosa de Moraes & Joji Ariki Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciencias Agrarias

Leia mais

Introdução. Conceitos aplicados a alimentação animal. Produção animal. Marinaldo Divino Ribeiro. Nutrição. Alimento. Alimento. Nutriente.

Introdução. Conceitos aplicados a alimentação animal. Produção animal. Marinaldo Divino Ribeiro. Nutrição. Alimento. Alimento. Nutriente. Conceitos aplicados a alimentação animal Introdução Produção animal Marinaldo Divino Ribeiro EMV Depto de Produção ão Animal - UFBA Genética Sanidade Nutrição Alimento Susbstância que, consumida por um

Leia mais

AMINOÁCIDOS. Dra. Flávia Cristina Goulart. Bioquímica

AMINOÁCIDOS. Dra. Flávia Cristina Goulart. Bioquímica AMINOÁCIDOS Dra. Flávia Cristina Goulart Bioquímica Os aminoácidos (aa). O que são? AMINOÁCIDOS São as unidades fundamentais das PROTEÍNAS. São ácidos orgânicos formados por átomos de carbono, hidrogênio,

Leia mais

Bioinformática. Conceitos Fundamentais de Biologia Molecular. Paulo Henrique Ribeiro Gabriel phrg@ufu.br

Bioinformática. Conceitos Fundamentais de Biologia Molecular. Paulo Henrique Ribeiro Gabriel phrg@ufu.br Bioinformática Conceitos Fundamentais de Biologia Molecular Paulo Henrique Ribeiro Gabriel phrg@ufu.br Faculdade de Computação Universidade Federal de Uberlândia 24 de agosto de 2015 Paulo H. R. Gabriel

Leia mais

Metabolismo dos aminoácidos: - Síntese e degradação dos aminoácidos. Objectivos: Analisar o metabolismo dos aminoácidos:

Metabolismo dos aminoácidos: - Síntese e degradação dos aminoácidos. Objectivos: Analisar o metabolismo dos aminoácidos: BIOQUÍMICA Ensino teórico - 1º ano Mestrado Integrado em Medicina 2010/2011 22 ª aula teórica Metabolismo dos aminoácidos: - Síntese e degradação dos aminoácidos 13-dez-10 Objectivos: Analisar o metabolismo

Leia mais

- Apresentam uma fórmula básica: um átomo central de carbono onde se ligam:

- Apresentam uma fórmula básica: um átomo central de carbono onde se ligam: 1 4 Aminoácidos e proteínas a) Aminoácidos - São encontrados polimerizados formando proteínas ou livres - São degradados, originando moléculas intermediárias da síntese de glicose e lipídeos - Alguns são

Leia mais

SUPLEMENTAÇÃO NO DESPORTO

SUPLEMENTAÇÃO NO DESPORTO SUPLEMENTAÇÃO NO DESPORTO Por definição, suplementos nutricionais são alimentos que servem para complementar com calorias e ou nutrientes a dieta diária de uma pessoa saudável, nos casos em que sua ingestão,

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Química

Programa de Pós-Graduação em Química 1/12 Programa de Pós-Graduação em Química PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Duração da Prova: 4 horas São José do Rio Preto, 24 de Janeiro de 2013. Departamento 1 2/12 Questão 1. Os haloalcanos, também

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS ENGENHARIA DE PESCA DISCIPLINA: BIOQUÍMICA AMINOÁCIDOS II SÍNTESE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS ENGENHARIA DE PESCA DISCIPLINA: BIOQUÍMICA AMINOÁCIDOS II SÍNTESE UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS ENGENHARIA DE PESCA DISCIPLINA: BIOQUÍMICA AMINOÁCIDOS II SÍNTESE Dra. Talita Espósito BIOSSINTESE DE AA amônia + H 3 N COO - C H Esqueleto carbônico NH 4 + R COO - aminoácidos

Leia mais

PREGÃO ELETRÔNICO - SRP 002 / 2010 À COMISSÂO DE PREGÃO

PREGÃO ELETRÔNICO - SRP 002 / 2010 À COMISSÂO DE PREGÃO PREGÃO ELETRÔNICO - SRP 002 / 2010 Objeto: Alimento e Suplemento para Animais Processo: 23000.000155/2010-21 Seção Pública: 22/03/2010, segunda-feira às 09:00 hs À COMISSÂO DE PREGÃO PREZADOS SENHORES:

Leia mais

Área: Tecnologia de Alimentos VARIABILIDADE DA COMPOSIÇÃO DE FARINHA DE CARNE E OSSOS SUÍNA DE DIFERENTES PROCEDÊNCIAS

Área: Tecnologia de Alimentos VARIABILIDADE DA COMPOSIÇÃO DE FARINHA DE CARNE E OSSOS SUÍNA DE DIFERENTES PROCEDÊNCIAS p. 1/6 Área: Tecnologia de Alimentos VARIABILIDADE DA COMPOSIÇÃO DE FARINHA DE CARNE E OSSOS SUÍNA DE DIFERENTES PROCEDÊNCIAS Vivian Feddern a *, Angélica Riqueli Laux b, Gustavo Júlio Mello Monteiro Lima

Leia mais

Soluções de Conjunto de Problemas 1

Soluções de Conjunto de Problemas 1 Soluções de 7.012 Conjunto de Problemas 1 Questão 1 a) Quais são os quatro tipos principais de moléculas biológicas discutidos na aula? Cite uma função importante de cada tipo de molécula biológica na

Leia mais

ESSENCIALIDADE DOS AMINOÁCIDOS

ESSENCIALIDADE DOS AMINOÁCIDOS METABOLISMO DEGRADATIVO DAS PROTEÍNAS E AMINOÁCIDOS 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS (essencialidade de aminoácidos e qualidade da proteína alimentar) Os aminoácidos devem constar na dieta dos animais devido à

Leia mais

Aminoácidos e Peptideos

Aminoácidos e Peptideos Aminoácidos e Peptideos O que são aminoácidos? Precursores de vários tipos de biomoléculas Compostos formados por : um grupo amina primário [ ] um grupo ácido carboxílico [ ] ambos ligados a um carbono

Leia mais

Disciplina de Proteômica. Caroline Rizzi Doutoranda em Biotecnologia -UFPel

Disciplina de Proteômica. Caroline Rizzi Doutoranda em Biotecnologia -UFPel Disciplina de Proteômica Caroline Rizzi Doutoranda em Biotecnologia -UFPel Bibliografia REVISÃO QUÍMICA Principais grupos funcionais em proteômica O que é uma ligação de hidrogênio? átomo eletronegativo

Leia mais

B-PROTEIN. Proteína Isolada da Carne Hidrolisada

B-PROTEIN. Proteína Isolada da Carne Hidrolisada Informações Técnicas B-PROTEIN Proteína Isolada da Carne Hidrolisada INTRODUÇÃO A proteína da carne é reconhecidamente uma das melhores fontes de proteínas existente no mundo. Apresenta um papel fundamental

Leia mais

Nutrição Animal. Aula 4 Carboidratos e Proteínas. Professor: MSc. Matheus Orlandin Frasseto

Nutrição Animal. Aula 4 Carboidratos e Proteínas. Professor: MSc. Matheus Orlandin Frasseto Nutrição Animal Aula 4 Carboidratos e Proteínas Professor: MSc. Matheus Orlandin Frasseto Primeira classificação Alimento Água Material Seco Material Seco Matéria Orgânica Matéria mineral Carboidratos

Leia mais

VEGESOY ISOLATED. Proteína Isolada da Soja. Informações Técnicas

VEGESOY ISOLATED. Proteína Isolada da Soja. Informações Técnicas Informações Técnicas VEGESOY ISOLATED Proteína Isolada da Soja INTRODUÇÃO A soja é uma planta leguminosa que está na cadeia alimentar há 5 mil anos e tem sido parte essencial da dieta asiática há muitos

Leia mais

Aminoácidos e peptídeos. Prof.: Matheus de Souza Gomes Disciplina: Bioquímica I

Aminoácidos e peptídeos. Prof.: Matheus de Souza Gomes Disciplina: Bioquímica I Aminoácidos e peptídeos Prof.: Matheus de Souza Gomes Disciplina: Bioquímica I Patos de Minas 2017 Conteúdo Aminoácidos e peptídeos Constituição das proteínas Aminoácidos Estrutura Classificação Ácido

Leia mais

Metabolismo de aminoácidos de proteínas

Metabolismo de aminoácidos de proteínas Metabolismo de aminoácidos de proteínas Profa Dra Mônica Santos de Freitas 12.09.2012 1 Introdução As proteínas são a segunda maior fonte de estocagem de energia no corpo; O maior estoque de proteínas

Leia mais

Proteínas São macromoléculas complexas, compostas de aminoácidos, e necessárias para os processos químicos que ocorrem nos organismos vivos

Proteínas São macromoléculas complexas, compostas de aminoácidos, e necessárias para os processos químicos que ocorrem nos organismos vivos Proteínas São macromoléculas complexas, compostas de aminoácidos, e necessárias para os processos químicos que ocorrem nos organismos vivos São os constituintes básicos da vida: tanto que seu nome deriva

Leia mais

Emprego de matérias primas para pet food que não competem com a alimentação humana. Márcio Antonio Brunetto FMVZ/USP

Emprego de matérias primas para pet food que não competem com a alimentação humana. Márcio Antonio Brunetto FMVZ/USP Emprego de matérias primas para pet food que não competem com a alimentação humana Márcio Antonio Brunetto FMVZ/USP Sub-ordem Caniformia Classe Mamíferos Ordem Carnivora Sub-ordem Feliformia Canedae Procyonidae

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA NUTRIÇÃO NA PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE

A INFLUÊNCIA DA NUTRIÇÃO NA PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE A INFLUÊNCIA DA NUTRIÇÃO NA PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE Antônio Mário Penz Junior Departamento de Zootecnia Universidade Federal do Rio Grande do Sul Porto Alegre, RS 1 Introdução No Brasil, algumas Fundações

Leia mais

Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo. sgrillo.ita@ftc.br

Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo. sgrillo.ita@ftc.br Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo sgrillo.ita@ftc.br O metabolismo de carboidratos em humanos pode ser dividido nas seguintes categorias: 1. Glicólise 2. Ciclo de Krebs 3. Glicogênese 4. Glicogenólise

Leia mais

UNIVERSIDADE GAMA FILHO PÓS-GRADUAÇÃO Nível: LATO SENSU Curso: FISIOLOGIA E TREINAMENTO APL. ATIVIDADES DE ACADEMIAS E CLUBES

UNIVERSIDADE GAMA FILHO PÓS-GRADUAÇÃO Nível: LATO SENSU Curso: FISIOLOGIA E TREINAMENTO APL. ATIVIDADES DE ACADEMIAS E CLUBES UNIVERSIDADE GAMA FILHO PÓS-GRADUAÇÃO Nível: LATO SENSU Curso: FISIOLOGIA E TREINAMENTO APL. ATIVIDADES DE ACADEMIAS E CLUBES Influência da Genética desempenho Prof. Drd. LUIZ CARLOS CARNEVALI luizcarnevalijr@usp.br

Leia mais

AMINOÁCIDOS NA NUTRIÇÃO DE FRANGOS DE CORTE

AMINOÁCIDOS NA NUTRIÇÃO DE FRANGOS DE CORTE AMINOÁCIDOS NA NUTRIÇÃO DE FRANGOS DE CORTE 1. Introdução A eficiência de utilização dos ingredientes protéicos depende da quantidade, da composição e da digestibilidade de seus aminoácidos, os quais são

Leia mais

Aminoácidos e Peptídeos. Profa. Alana Cecília

Aminoácidos e Peptídeos. Profa. Alana Cecília Aminoácidos e Peptídeos Profa. Alana Cecília O que são aminoácidos? A estrutura geral dos aminoácidos inclui um grupo amina e um grupo carboxila, ambos ligados ao carbono α (aquele próximo ao grupo carboxila);

Leia mais

ALBUMINA. Proteína do ovo como suplemento

ALBUMINA. Proteína do ovo como suplemento ALBUMINA Proteína do ovo como suplemento INTRODUÇÃO Composto 100% natural, obtido da pasteurização e da secagem instantânea da clara de ovo, sem qualquer tipo de conservantes. A proteína é o elemento fundamental

Leia mais

Nutrição de Animais de Zoológico. Carlos Eduardo do Prado Saad

Nutrição de Animais de Zoológico. Carlos Eduardo do Prado Saad Nutrição de Animais de Zoológico Carlos Eduardo do Prado Saad Ciência da Nutrição surgiu com Lavoisier no século XVIII (1743-1794), quando considerava-se que todos os alimentos mantinham um princípio nutritivo

Leia mais

Manejo alimentar de ovinos

Manejo alimentar de ovinos Universidade Estadual de Ponta Grossa Manejo alimentar de ovinos Dr. Evandro Maia Ferreira Depto. de Zootecnia/UEPG Castro/PR Exigência Nutricional Nutrientes "Energia" Fibrosos Não fibrosos Proteínas

Leia mais

Alimentação do Frango Colonial

Alimentação do Frango Colonial Alimentação do Frango Colonial Alimentação Para os sistemas mais rudimentares e em pequena escala recomenda-se adquirir a ração de fornecedor idôneo, de preferência certificado para Boas Práticas de Fabricação-BPF.

Leia mais

Caixa com 15 sachês de 30g cada ou pote com 900g e 2000g. Sabores: baunilha, chocolate, kiwi e frutas vermelhas.

Caixa com 15 sachês de 30g cada ou pote com 900g e 2000g. Sabores: baunilha, chocolate, kiwi e frutas vermelhas. Descrição: É um alimento protéico para atletas produzido a partir das proteínas isoladas do soro do leite não desnaturado (WPI). O seu processo de fabricação proporciona alta digestibilidade e rápida absorção

Leia mais

Proteínas. As proteínas são o centro da acção em todos os processos biológicos. Voet & Voet Biochemistry

Proteínas. As proteínas são o centro da acção em todos os processos biológicos. Voet & Voet Biochemistry Proteínas As proteínas são o centro da acção em todos os processos biológicos. Voet & Voet Biochemistry As proteínas são os compostos orgânicos mais abundantes dos organismos vivos (~50% do peso sêco)

Leia mais

Catabolismo dos aminoácidos 1

Catabolismo dos aminoácidos 1 Catabolismo dos aminoácidos; Rui Fontes Catabolismo dos aminoácidos 1 1- No decurso do seu catabolismo os aminoácidos perdem os seus átomos de azoto que, na sua maioria, são incorporados na ureia e excretados

Leia mais

Composição de Alimentos e Exigências Nutricionais. 2 a Edição. Horacio Santiago Rostagno

Composição de Alimentos e Exigências Nutricionais. 2 a Edição. Horacio Santiago Rostagno Composição de Alimentos e Exigências Nutricionais 2 a Edição Editor: Horacio Santiago Rostagno Autores: Horacio Santiago Rostagno Luiz Fernando Teixeira Albino Juarez Lopes Donzele Paulo Cezar Gomes Rita

Leia mais

AS PROTEÍNAS NA ALIMENTAÇÃO ANIMAL

AS PROTEÍNAS NA ALIMENTAÇÃO ANIMAL AS PROTEÍNAS NA ALIMENTAÇÃO ANIMAL 5.1- INTRODUÇÃO: As proteínas são nutrientes orgânicos nitrogenados presentes em todas as células vivas; portanto, são essenciais à vida de todo animal. Todos os animais

Leia mais

SUINOCULTURA DINÂMICA Ano IV N o 17 Abril/1996 Periódico técnico-informativo elaborado pela EMBRAPA CNPSA

SUINOCULTURA DINÂMICA Ano IV N o 17 Abril/1996 Periódico técnico-informativo elaborado pela EMBRAPA CNPSA SUINOCULTURA DINÂMICA Ano IV N o 17 Abril/1996 Periódico técnico-informativo elaborado pela EMBRAPA CNPSA Soro de leite integral na alimentação dos suínos Teresinha Marisa Bertol 1 Jonas Irineu dos Santos

Leia mais

METABOLISMO. - ATP é a moeda energética da célula

METABOLISMO. - ATP é a moeda energética da célula INTEGRAÇÃO DO METABOLISMO ESTRATÉGIAS DO METABOLISMO - ATP é a moeda energética da célula - ATP é gerado pela oxidação de moléculas de alimento: * as macromoléculas da dieta são quebradas até suas unidades

Leia mais

Células A (25%) Glucagon Células B (60%) Insulina Células D (10%) Somatostatina Células F ou PP (5%) Polipeptídeo Pancreático 1-2 milhões de ilhotas

Células A (25%) Glucagon Células B (60%) Insulina Células D (10%) Somatostatina Células F ou PP (5%) Polipeptídeo Pancreático 1-2 milhões de ilhotas Instituto Biomédico Departamento de Fisiologia e Farmacologia Disciplina: Fisiologia II Curso: Medicina Veterinária Pâncreas Endócrino Prof. Guilherme Soares Ilhotas Células A (25%) Glucagon Células B

Leia mais