UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA UNIDADE DESCENTRALIZADADE EDUCAÇÃO SUPERIORDA UFSM EM SILVEIRA MARTINS UDESSM COMISSÃO ELEITORAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA UNIDADE DESCENTRALIZADADE EDUCAÇÃO SUPERIORDA UFSM EM SILVEIRA MARTINS UDESSM COMISSÃO ELEITORAL"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA UNIDADE DESCENTRALIZADADE EDUCAÇÃO SUPERIORDA UFSM EM SILVEIRA MARTINS UDESSM COMISSÃO ELEITORAL REGIMENTO INTERNO DE CONSULTA À COMUNIDADE A comissão Eleitoral, no uso de suas atribuições, que lhe foram outorgadas pelo Conselho da Unidade Descentralizada de Educação Superior da Universidade Federal de Santa Maria em Silveira Martins UDESSM, vem regulamentar o processo de consulta à comunidade da UDESSM para escolha do DIRETOR e do VICE-DIRETOR, com mandato para o período de 07 de julho de 2014 a 06 de julho de DA COMISSÃO Art 1º - O processo de consulta à comunidade da UDESSM será coordenado pela Comissão Eleitoral, conforme o presente regulamento, por decisão do Conselho da UDESSM. Art 2º - A Comissão Eleitoral compor-se-á de três (03) membros assim distribuídos: um (01) docente, um (01) técnico-administrativo em educação e um (01) discente, indicados por suas categorias e, regularmente, ativos em seus respectivos vínculos com a Universidade Federal de Santa Maria UFSM. Art 3º - A Direção da UDESSM providenciará para a Comissão Eleitoral os recursos requeridos para pleno exercício de suas funções. Art. 4º - Compete à Comissão Eleitoral I. Coordenar e organizar o processo de consulta II. Processar e julgar originariamente a) O registro e a cassação de registro dos candidatos a Diretor e a Vicediretor; b) As impugnações e recursos interpostos. III. Publicar a relação dos candidatos inscritos IV. Emitir instruções sobre o processo de votação, em especial: a) Do voto do deficiente físico; b) Dos votantes que pertencerem a mais de uma categoria; c) Do voto em separado. V. Providenciar o material necessário à consulta; VI. Estabelecer e coordenar um ponto central de distribuição do material necessário à consulta; VII. Indicar e fiscalizar os componentes das mesas receptoras; VIII. Indicar e determinar os locais e horários de funcionamento das mesas receptoras; Página 1 de 8

2 IX. Indicar e fiscalizar o trabalho da junta apuradora e determinar seu local de funcionamento; X. Credenciar os fiscais, indicados pelos candidatos concorrentes, para que atuem junto às mesas receptoras e à junta apuradora; XI. Delegar poderes e subcomissões para tarefas específicas; XII. Publicar e divulgar resultado da consulta; 1º - As decisões da Comissão Eleitoral tornar-se-ão públicas pelo site da UFSMe por fixação de cartaz no Hall do prédio da UDESSM. XIII. Dirimir quaisquer questões, que não estejam previstas ou expressas,inicialmente, nesse edital, com relação ao processo de consulta. Art. 5º - São votantes: DOS VOTANTES I. Os docentes do quadro da UDESSM, ocupantes de cargo efetivo; II. Os professores substitutos contratados antes da publicação do presente edital e com contrato em vigor até o dia da consulta; III. Os técnicos-administrativos em educação da UDESSM, nos termos do Regime Jurídico Único; IV. Os estudantes regularmente matriculados no 1º semestre de 2014, nos cursos de graduação da UDESSM; V. Os votantes que pertence a mais de uma categoria terão direito a apenas um voto; 1º - Categoria docente e técnico-administrativo em educação Considerase docente; Categoria docente e discente Considera-se docente; Categoria técnico-administrativo em educação e discente Considera-se técnicoadministrativo em educação. VI. É vedado o voto por procuração ou por correspondência. Art. 6º - Haverá proporcionalidade entre as três categorias, sendo que dois terço (2/3) para docentes e técnico-administrativos e um terço (1/3) para discentes, mencionadas no artigo anterior, segundo a fórmula: Votos computados = 2/3 Voto docente e TAE+ 1/3 Voto discente Pop. Doc + pop.tae Pop.Disc. VOTOS EQUIVALENTES % = 100 {[2/3. (voto docente + voto TAE) / (Pop. Doc. + pop. TAE)] + [(1/3. voto disc./pop. Disc.)]} DO REGISTRO DOS CANDIDATOS Art. 7º - Poderão concorrer a DIRETOR e VICE-DIRETOR da UDESSM os docentes integrantes da carreira de Magistério Superior, ocupantes dos cargos de professor que sejam portadores do título de doutor, (lei /07 Art. 17). Página 2 de 8

3 Art. 8º - O pedido de registro de chapa dos candidatos a DIRETOR e VICE-DIRETOR da UDESSM será feita na Secretaria da Direção, prédio da UDESSM, nos dias 07 e 08 de maio, das 8h00min (oito horas) às 12h00min (doze horas) e das 14h00min (quatorze horas) às 17h00min (dezessete horas). Parágrafo único - Nenhum registro será admitido fora do período determinado no caput deste artigo. Art. 9º - O requerimento de registro da chapa deverá conter: I. Declaração firmada pelo próprio punho dos candidatos a DIRETOR e a VICE-DIRETOR, dos seus interesses em concorrer na consulta. II. Programa da chapa. Art. 10º - Protocolados os pedidos de registro das chapas, a Comissão Eleitoral fará publicar imediatamente edital para ciência dos interessados. DO CALENDÁRIO Art. 11 A consulta à comunidade da UDESSM seguirá o seguinte calendário. 07 e 08 de maio de 2014 Prazo para inscrição das chapas; 09 de maio de 2014 Edital de divulgação do registro das chapas; 12 de maio de 2014 Prazo para pedido de impugnação de chapa, no caso de chapa única não serão aceitos os pedidos de impugnação, caberá tal avaliação exclusivamente a Comissão Eleitoral; 13 de maio de 2014 Julgamento do pedido de impugnação de chapa, das 8h00min (oito horas) às 12h00min (doze horas); 13 de maio de 2014 Sorteio da ordem das chapas na cédula eleitoral e indicação, pelas chapas, dos fiscais de mesa, das 14h00min (quatorze horas) às 17h00min (dezessete horas); 14 de maio de 2014 Início do período de campanha; 15 de maio de 2014 Divulgação, pela Comissão Eleitoral, das relações dos votantes docentes, técnico-administrativos e discentes. 16 de maio de 2014 Divulgação dos membros e suplentes das mesas receptoras e mesa escrutinadora pela Comissão Eleitoral; 19 de maio de 2014 Em caso de recursos, julgamento e possível impugnação dos membros das mesas receptoras e mesa escrutinadora pela Comissão Eleitoral até as 12h00min (doze horas); 22 de maio de 2014 Encerramento da campanha; Página 3 de 8

4 23 de maio de 2014 Início da consulta á comunidade da UDESSM a partir das 9h00min (Nove horas) com encerramento previsto, impreterivelmente, as 17h00min (dezessete horas); 23 de maio de 2014 Divulgação dos resultados no local de escrutínio; 26 de maio de 2014 As 8h00min (oito horas) abertura do prazo para encaminhamento de recurso a Comissão Eleitoral, as 12h00min (doze horas) encerramento do prazo para encaminhamento de recurso à Comissão Eleitoral. 27 de maio de 2014 Entrega do resultado oficial e documentação da consulta para àsecretaria da UDESSMpara encaminhamento ao Conselho da UDESSM. A data do debate será definida pela Comissão Eleitoral. DO SISTEMA CONSULTIVO Art. 12 O voto será proporcional, direto, facultativo e secreto. DO MATERIAL DE VOTAÇÃO Art. 13 A Comissão Eleitoral providenciará para cada mesa receptora o seguinte material: I. Relação dos votantes daquela mesa receptora; II. As urnas e cabines necessárias para a votação; III. Cédulas oficiais rubricadas por membro da Comissão Eleitoral; IV. Canetas e papéis necessários aos trabalhos; V. Um modelo de ata; VI. Material necessário para lacrar a urna. Art. 14 As cédulas destinadas às categorias docente e técnico-administrativo terão a mesma cor e distintas das cores das cédulas da categoria discente. DO PROCESSO DE VOTAÇÃO E DAS MESAS RECEPTORAS Art. 15 O voto é facultativo, proporcional e secreto, sendo obrigatória a identificação do (a) votante no momento da votação, mediante a apresentação de documento oficial com fotografia. Parágrafo Único É vedado o voto por procuração. Art. 16 Em cada local de votação haverá uma mesa receptora, composta por três membros indicados pela Comissão Eleitoral, a quem competirá organizar e dirigir os trabalhos de votação, bem como dirimir, em primeira instância, as controvérsias observadas durante o processo de votação. Parágrafo Único No caso da referida mesa receptora, por qualquer motivo, não vier a ser instalada, caberá à Comissão Eleitoral viabilizar a sua implantação. Página 4 de 8

5 Art. 17 As rubricas dos (as) mesários (as) nas cédulas de votação deverão ser feitas no ato de identificação dos (as) votantes. Art. 18 São ainda, obrigações dos componentes das mesas receptoras de votos: I Receber o material de votação; II Procurar solução junto a Comissão Eleitoral, quanto às dificuldades surgidas durante a votação; III Lavrar e assinar a ata de votação; IV Entregar a urna, devidamente lacrada, à Comissão Eleitoral no local e horário a ser indicado. Art. 19 Em cada mesa receptora de votos será permitida a permanência de somente um fiscal de cada candidato. Art. 20 A Comissão eleitoral criará tantas mesas receptoras quanto forem necessárias. Art. 21 Cada mesa receptora será composta de 1 (um) presidente, 1 (um) secretário e 1 (um) mesário. 1º - Dos membros de cada mesa receptora, um pertencerá à categoria dos docentes, um da categoria dos técnico-administrativos e um à categoria discente; Art. 22 Os candidatos, seus cônjuges e parentes até segundo grau, por consanguinidade ou afinidade, não poderão ser membro de qualquer órgão do processo de consulta. DO INÍCIO DA VOTAÇÃO Art. 23 No dia da consulta, trinta minutos antes do início da votação, os membros das mesas receptoras verificarão o material entregue pela Comissão Eleitoral. Art. 24 Às 09h00min (nove horas), o presidente da Comissão Eleitoral declarará iniciado o recebimento dos votos. ENCERRAMENTO DA VOTAÇÃO Art. 25 O recebimento dos votos encerrará as 17h00min (dezessete horas). No horário determinado para o término da votação, a mesa receptora anunciará o encerramento dos trabalhos. Art. 26 Terminada a consulta, e declarado seu encerramento pelo presidente da mesa receptora, esse tomará as seguintes medidas: I Lacrará a urna segundo instruções da Comissão Eleitoral; II Inutilizará, nas listas, os espaços não utilizados pelos votos ausentes; Página 5 de 8

6 III Mandará lavrar, pelo secretário, a ata de consulta, segundo modelo distribuído pela Comissão Eleitoral; IV Assinará a ata com os demais membros da mesa receptora, fiscais presentes, se assim desejarem; V Entregará a urna e os demais documentos à Comissão Eleitoral à vista dos fiscais, se estes quiserem. Art. 27 No momento da ata constatarão, pelo menos, as seguintes informações: I Nome dos membros da mesa receptora; II Breve histórico contendo o número de votantes, o número de ausentes, o número de votantes efetivos e as ocorrências registradas pelos fiscais e aquelas consideradas relevantes, a juízo do presidente da mesa receptora. DA APURAÇÃO Art. 28 A junta apuradora, indicada pela Comissão Eleitoral, iniciará o processo de apuração, segundo instruções da Comissão Eleitoral, imediatamente após a entrega da última urna, sendo que concluirá seus trabalhos, aplicando a fórmula prevista no artigo 6º e seus parágrafos, devendo, na aplicação do cálculo dos coeficientes, levar em conta o resultado até a quarta casa decimal. Parágrafo único No caso de empate entre os candidatos será considerado vencedor o candidato mais antigo no quadro da Universidade Federal de Santa Maria e, persistindo o empate, o mais idoso. Art. 29 Além dos candidatos a Diretor e Vice-diretor, poderá atuar uma fiscal por candidato, por eles nomeados, previamente credenciados, para atuarem junto a cada mesa apuradora, sendo vedada, salvo os membros da Comissão Eleitoral, a permanência de quaisquer outras pessoas junto às mesas apuradoras. Art. 30 Serão considerados votos nulos: I Os votos não rubricados pela mesa receptora e pela comissão eleitoral; II Os votos com indicação de mais de um candidato; e III Os votos que contiverem qualquer sinal que possa eventualmente indicar o votante. Parágrafo único Será anulada integralmente a urna, quando houver discrepância entre o número de cédulas e o número de assinaturas na lista de votantes, superior a 5%. Art. 31 Terminada a apuração, a junta apuradora enviará os resultados à Comissão Eleitoral, que os publicará. Página 6 de 8

7 DOS RECURSOS Art. 32 Os recursos relativos ao processo de consulta poderão ser interpostos junto à Comissão Eleitoral, conforme prazo previsto no artigo 11º. DO ENCERRAMENTO DO PROCESSO DE CONSULTA Art. 33 A comissão eleitoral dará por encerradas as suas atividades com a publicação do relatório final da consulta, e encaminhamento para a secretaria da direção que deverá enviar ao conselho da unidade. DA PROPAGANDA ELEITORAL Art. 34 Os candidatos e seus apoiadores não poderão: I Veicular matérias pagas em qualquer veículo de comunicação, após a publicação do edital; II Utilizar spray de tinta e fixação de propagandas com cola fora dos locais previamente indicados pelo código de postura da UFSM; III Receber contribuição financeira e material, para fins de campanha, de qualquer partido político e de outras entidades externar a UFSM, bem como de órgãos internos da UFSM; IV Utilizar pessoas, nos trabalhos de campanha, que não integrem a comunidade universitária para panfletagem e passeatas dentro da UFSM. Art. 35 Os debates serão acertados previamente entre a Comissão Eleitoral e os candidatos inscritos. Art. 36 Poderão participar dos debates, os candidatos a Diretor e/ou seus respectivos Vice-diretores. DAS PENALIDADES Art. 37 O descumprimento das regras impostas por esse regimento acarretará a aplicação das seguintes penalidades: I Advertência; II Suspensão; III Exclusão do processo de consulta. Art. 38 Na aplicação das penalidades, serão consideradas a natureza e a gravidade da infração cometida. Parágrafo único O ato de imposição da penalidade mencionará sempre o fundamento e a causa da sanção. Página 7 de 8

8 DAS DISPOSIÇÕES FINAIS Art. 39 Os casos de omissão serão resolvidos pela Comissão Eleitoral. Silveira Martins, 05 de maio de Ricardo Hoher Presidente Jeanne Mainardi Secretário Marco Antonio Alassia Membro Página 8 de 8

Comissão de Consulta à Comunidade para escolha do Reitor e Vice-Reitor da Universidade Federal de Santa Maria

Comissão de Consulta à Comunidade para escolha do Reitor e Vice-Reitor da Universidade Federal de Santa Maria REGIMENTO INTERNO DE CONSULTA À COMUNIDADE A Comissão de Consulta, no uso de suas atribuições, que lhe foram outorgadas pelas entidades, Seção Sindical dos Docentes da UFSM SEDUFSM, Associação dos Servidores

Leia mais

RESOLUÇÃO N 002, DE 20 DE MAIO DE 1997, DA CONGREGAÇÃO.

RESOLUÇÃO N 002, DE 20 DE MAIO DE 1997, DA CONGREGAÇÃO. RESOLUÇÃO N 002, DE 20 DE MAIO DE 1997, DA CONGREGAÇÃO. Aprova o Regulamento de consulta à comunidade universitária para efeito de escolha do Diretor e Vice- Diretor da FMTM A CONGREGAÇÃO DA FACULDADE

Leia mais

REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA E DO CONSELHO FISCAL DA ASUNIRIO PARA BIÊNIO 2014 A 2016.

REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA E DO CONSELHO FISCAL DA ASUNIRIO PARA BIÊNIO 2014 A 2016. Associação dos Trabalhadores em Educação da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro ASUNIRIO Rua Voluntários da Pátria, 107 - Botafogo - RJ CEP 22270-000 CNPJ - 29.260.486/0001-89 Telefax 2541-0924

Leia mais

EDITAL EVZ Nº 08/2014 Edital de Eleição de Diretor e Vice-Diretor da Escola de Veterinária e Zootecnia da UFG

EDITAL EVZ Nº 08/2014 Edital de Eleição de Diretor e Vice-Diretor da Escola de Veterinária e Zootecnia da UFG SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE VETERINÁRIA E ZOOTECNIA EDITAL EVZ Nº 08/2014 Edital de Eleição de Diretor e Vice-Diretor da Escola de Veterinária

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS EDITAL N o 01/2014, DO CONSELHO DA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS Regulamenta a eleição

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO REGIMENTO ELEITORAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO REGIMENTO ELEITORAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO REGIMENTO ELEITORAL Regimento da eleição para os representantes dos servidores técnico administrativos em educação para a Comissão Geral de Jornada de Trabalho e para

Leia mais

EDITAL DE CONSULTA INFORMAL PARA ESCOLHA DE DIRETOR E VICE- DIRETOR DO CENTRO DE CIENCIAS EXATAS E TECNOLÓGICA CETEC/UFRB 2016 2020

EDITAL DE CONSULTA INFORMAL PARA ESCOLHA DE DIRETOR E VICE- DIRETOR DO CENTRO DE CIENCIAS EXATAS E TECNOLÓGICA CETEC/UFRB 2016 2020 EDITAL DE CONSULTA INFORMAL PARA ESCOLHA DE DIRETOR E VICE- DIRETOR DO CENTRO DE CIENCIAS EXATAS E TECNOLÓGICA CETEC/UFRB 2016 2020 A Comissão Especial responsável pela consulta para escolha de Diretor

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS EDITAL N o 002/2013, DO CONSELHO DA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS Regulamenta a eleição

Leia mais

CAPÍTULO 1 DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO 1 DOS OBJETIVOS UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA COMISSÃO ELEITORAL EDITAL Nº 01 DA COMISSÃO ELEITORAL, DE 26 DE MARÇO DE 2012. DIVULGA AS NORMAS E CALENDÁRIO ELEITORAL REFERENTE À CONSULTA PRÉVIA PARA OS CARGOS

Leia mais

NORMAS ELEITORAIS PARA OS MEMBROS DA CIPA

NORMAS ELEITORAIS PARA OS MEMBROS DA CIPA NORMAS ELEITORAIS PARA OS MEMBROS DA CIPA A Comissão Eleitoral estabelece normas para eleição dos membros da CIPA da Fundação de Ensino e Pesquisa de Itajubá FEPI. Art. 1º - Até 45 (quarenta e cinco) dias

Leia mais

REGRAS A SEREM SEGUIDAS DURANTE O PROCESSO ELEITORAL

REGRAS A SEREM SEGUIDAS DURANTE O PROCESSO ELEITORAL COMISSÃO ELEITORAL DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL CEUERGS ELEIÇÃO DOS CARGOS DE REITOR E VICE-REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL QUADRIÊNIO 2010/2014 REGRAS A SEREM SEGUIDAS

Leia mais

SUCESSÃO DO CONSELHO FISCAL E COORDENAÇÃO COLEGIADA DO SINTET-UFU Biênio 2016-2018 REGIMENTO ELEITORAL PROCEDIMENTOS PRELIMINARES

SUCESSÃO DO CONSELHO FISCAL E COORDENAÇÃO COLEGIADA DO SINTET-UFU Biênio 2016-2018 REGIMENTO ELEITORAL PROCEDIMENTOS PRELIMINARES SUCESSÃO DO CONSELHO FISCAL E COORDENAÇÃO COLEGIADA DO SINTET-UFU Biênio 2016-2018 REGIMENTO ELEITORAL PROCEDIMENTOS PRELIMINARES Art.1º. De acordo com os Art. 39, 40 e 50 do Estatuto Social do Sindicato

Leia mais

Processo Eleitoral para Coordenação do Diretório Acadêmico do Curso de Gastronomia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel)

Processo Eleitoral para Coordenação do Diretório Acadêmico do Curso de Gastronomia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE GASTRONOMIA DIRETÓRIO ACADÊMICO DA GASTRONOMIA Processo Eleitoral para Coordenação do Diretório Acadêmico do Curso de Gastronomia da

Leia mais

EDITAL Nº 023/2014, de 03/06/2014

EDITAL Nº 023/2014, de 03/06/2014 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS CAMPUS JUIZ DE FORA RECONHECIDO PELA LEI Nº 11.892, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2008 SUCESSOR DO COLÉGIO TÉCNICO UNIVERSITÁRIO DA

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 28/2008 Regulamenta a Pesquisa Eleitoral junto à Comunidade Universitária visando subsidiar a elaboração da lista

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO EDITAL PARA ELEIÇÃO DE COORDENADOR DE CURSO Nº 05/2015 DE 03 DE SETEMBRO DE 2015

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO EDITAL PARA ELEIÇÃO DE COORDENADOR DE CURSO Nº 05/2015 DE 03 DE SETEMBRO DE 2015 EDITAL PARA ELEIÇÃO DE COORDENADOR DE CURSO Nº 05/2015 DE 03 DE SETEMBRO DE 2015 A COMISSÃO ELEITORAL, designada pela Portaria nº 302/DG de 27 de agosto de 2015, torna público as normas que regerão o processo

Leia mais

Do Colegiado de Curso. Da Constituição do Colegiado

Do Colegiado de Curso. Da Constituição do Colegiado REGULAMENTO INTERNO DO COLEGIADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS - UNITINS Do Colegiado de Curso Art. 1º. O Colegiado de Curso é a instância básica dos cursos de graduação, responsável

Leia mais

REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL 2011 AO CONSELHO SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL 2011 AO CONSELHO SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL 2011 AO CONSELHO SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I DO OBJETIVO Art. 1º Este regulamento tem por objetivo normatizar o

Leia mais

REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL PARA O CONSELHO DELIBERATIVO AUTÁRQUICO DA AUTARQUIA EDUCACIONAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO - AEVSF

REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL PARA O CONSELHO DELIBERATIVO AUTÁRQUICO DA AUTARQUIA EDUCACIONAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO - AEVSF REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL PARA O CONSELHO DELIBERATIVO AUTÁRQUICO DA AUTARQUIA EDUCACIONAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO - AEVSF CAPÍTULO I - OBJETO Artigo 1º. Este Regulamento disciplina o Processo

Leia mais

EDITAL Nº 01/2015 REGIMENTO DA CONSULTA PÚBLICA PARA A ESCOLHA DA DIREÇÃO DO SETOR LITORAL DA UFPR MANDATO 2016-2020.

EDITAL Nº 01/2015 REGIMENTO DA CONSULTA PÚBLICA PARA A ESCOLHA DA DIREÇÃO DO SETOR LITORAL DA UFPR MANDATO 2016-2020. EDITAL Nº 01/2015 REGIMENTO DA CONSULTA PÚBLICA PARA A ESCOLHA DA DIREÇÃO DO SETOR LITORAL DA UFPR MANDATO 2016-2020. DA COMISSÃO ORGANIZADORA E ESCRUTINADORA E DA CONSULTA PÚBLICA Art. 1º- Conforme Portaria

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EDITAL 01/2015

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EDITAL 01/2015 EDITAL 01/2015 A Comissão Eleitoral, no uso das suas atribuições que lhe são conferidas pela Portaria UNIRIO nº 918 de 27 de outubro de 2015, de acordo com a Resolução UNIRIO nº 3745 de 28 de setembro

Leia mais

EDITAL COMISSÃO ELEITORAL CENTRAL Nº 01, DE 24 DE MAIO DE 2016.

EDITAL COMISSÃO ELEITORAL CENTRAL Nº 01, DE 24 DE MAIO DE 2016. EDITAL COMISSÃO ELEITORAL CENTRAL Nº 01, DE 24 DE MAIO DE 2016. PROCESSO DE ESCOLHA DOS REPRESENTANTES DOCENTES, TÉCNICOS ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO, DISCENTES, E EGRESSOS, PARA COMPOSIÇÃO DO CONSELHO

Leia mais

Campus de Paranavaí EDITAL N.º 001/2015-CE-DC

Campus de Paranavaí EDITAL N.º 001/2015-CE-DC EDITAL N.º 001/2015-CE-DC A Comissão Eleitoral - CE no uso de sua atribuição prevista na Resolução n.º 003/2014-COU/Unespar, art. 2.º, 1.º, combinado com o art. 32 e nomeada por seu Diretor Geral de Campus,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Fundação Universidade Federal do ABC Comissão Eleitoral para a eleição de membros da Comissão de Graduação Av. dos Estados, 5001 Bairro Bangu Santo André - SP CEP 09210-580 Fone:

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE OBSTETRIZES E ENFERMEIROS OBSTETRAS - A B E N F O - Nacional

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE OBSTETRIZES E ENFERMEIROS OBSTETRAS - A B E N F O - Nacional ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE OBSTETRIZES E ENFERMEIROS OBSTETRAS - A B E N F O - Nacional Regimento Especial da Eleição para Diretoria da Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiros Obstetras ABENFO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE CASTANHAL FACULDADE DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE CASTANHAL FACULDADE DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CHAMADA PARA ESCOLHA DA REPRESENTA DISCENTE DA FACULDADE DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (FACSI) A coordenação da Faculdade de Sistemas de Informação Campus Castanhal da Universidade Federal do Pará no uso de

Leia mais

REGIMENTO INTERNO ELEITORAL (Aprovado na AGE de 10.08.2011)

REGIMENTO INTERNO ELEITORAL (Aprovado na AGE de 10.08.2011) REGIMENTO INTERNO ELEITORAL (Aprovado na AGE de 10.08.2011) I - Das disposições gerais II - Do processo eleitoral A) Da eleição para a Diretoria e o Conselho Fiscal B) Da eleição para o Conselho de Ética

Leia mais

TÍTULO I DA GESTÃO DEMOCRÁTICA DO ENSINO PÚBLICO

TÍTULO I DA GESTÃO DEMOCRÁTICA DO ENSINO PÚBLICO QUARTA VERSÃO 07/07/06. Dispõe sobre a gestão democrática e normatiza o processo de escolha de Diretor e Assessor(es) de Direção que integram a equipe gestora das unidades escolares da Rede Pública Estadual

Leia mais

Processo Eleitoral para Eleições Diretas de Diretores nas Escolas da Rede Municipal de Ensino de Linhares

Processo Eleitoral para Eleições Diretas de Diretores nas Escolas da Rede Municipal de Ensino de Linhares EDITAL Nº. 02/2010 Processo Eleitoral para Eleições Diretas de Diretores nas Escolas da Rede Municipal de Ensino de Linhares A PREFEITURA MUNICIPAL DE LINHARES, por meio da SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO PARA AS ELEIÇÕES DIRETAS AOS CONSELHOS EXECUTIVO E FISCAL DA ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS BRASILEIROS - AMB -, EM 26 DE NOVEMBRO DE 2010

REGULAMENTO PARA AS ELEIÇÕES DIRETAS AOS CONSELHOS EXECUTIVO E FISCAL DA ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS BRASILEIROS - AMB -, EM 26 DE NOVEMBRO DE 2010 REGULAMENTO PARA AS ELEIÇÕES DIRETAS AOS CONSELHOS EXECUTIVO E FISCAL DA ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS BRASILEIROS - AMB -, EM 26 DE NOVEMBRO DE 2010 0BSEÇÃO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - As eleições

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS 1 REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Além das disposições constantes do Estatuto Social e do Edital de Convocação, as chapas e candidatos individuais interessados em concorrer

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA CFTA N.º13, DE 23 DE MARÇO DE 1981 (Alterada pela Resolução Normativa CFA nº 34, de 17 de dezembro de 1981)

RESOLUÇÃO NORMATIVA CFTA N.º13, DE 23 DE MARÇO DE 1981 (Alterada pela Resolução Normativa CFA nº 34, de 17 de dezembro de 1981) Publicada no D.O.U. de 10/04/1981 Seção I - Página 6737 Retificada no D.O.U. nº 107, de 09/06/1981 Seção I Página 10806 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFTA N.º13, DE 23 DE MARÇO DE 1981 (Alterada pela Resolução Normativa

Leia mais

PORTARIA DO CENTRO DE CIÊNCIAS NATURAIS E HUMANAS Nº 09, DE 20 DE MARÇO DE 2015. Art. 2º Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação.

PORTARIA DO CENTRO DE CIÊNCIAS NATURAIS E HUMANAS Nº 09, DE 20 DE MARÇO DE 2015. Art. 2º Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Fundação Universidade Federal do ABC Centro de Ciências Naturais e Humanas Av. dos Estados, 5001 Bairro Bangu Santo André - SP CEP 09210-580 Fone: (11) 4996.7960 secretariaccnh@ufabc.edu.br

Leia mais

Associação dos Participantes da CBS Nossa união é nossa força. Regimento Interno. apcbs@oi.com.br www.apcbs.com.br

Associação dos Participantes da CBS Nossa união é nossa força. Regimento Interno. apcbs@oi.com.br www.apcbs.com.br Associação dos Participantes da CBS Nossa união é nossa força. Regimento Interno apcbs@oi.com.br www.apcbs.com.br ÍNDICE SEÇÃO I - DOS SÓCIOS 1 SEÇÃO II - DA ASSEMBLÉIA GERAL 1 SEÇÃO III - DO CONSELHO

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação Regulamento da Eleição do Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da UTF CAPÍTULO I DA FINALIDADE Art.1 - O presente regulamento destina-se a normatizar as eleições dos componentes do Comitê de Ética em Pesquisa

Leia mais

EDITAL DE ELEIÇÃO DE DIRETORES DA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE MIRANORTE TOCANTINS

EDITAL DE ELEIÇÃO DE DIRETORES DA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE MIRANORTE TOCANTINS EDITAL DE ELEIÇÃO DE DIRETORES DA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE MIRANORTE TOCANTINS Processo Eleitoral para Eleições de Diretores nas Escolas da Rede Municipal de Ensino de Miranorte Tocantins. A PREFEITURA

Leia mais

Edital nº 068/2013 IF Catarinense Câmpus Araquari

Edital nº 068/2013 IF Catarinense Câmpus Araquari Edital nº 068/2013 IF Catarinense Câmpus Araquari EDITAL DO PROCESSO ELEITORAL PARA ESCOLHA DOS MEMBROS DO CONSELHO DO CAMPUS (CONCAMPUS) DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CAMPUS ARAQUARI. O Presidente

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS DOCENTES UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE ADUFAC Seção Sindical do ANDES - SN

ASSOCIAÇÃO DOS DOCENTES UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE ADUFAC Seção Sindical do ANDES - SN EDITAL Nº 001/2015 ELEIÇÃO DA DIRETORIA DA ASSOCIAÇÃO DOS DOCENTES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE - ADUFAC-SEÇÃO SINDICAL DO ANDES SN, PARA O PERÍODO DE JANEIRO/2016 A JANEIRO/2018. CAPÍTULO I DA ELEIÇÃO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 05/2004 Regulamenta a Pesquisa Eleitoral junto à Comunidade Universitária, visando

Leia mais

REGIMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE MANUTENÇÃO

REGIMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE MANUTENÇÃO REGIMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE MANUTENÇÃO Capítulo I da Finalidade Art. 1o. - Este Regimento Interno complementa e disciplina disposições do Estatuto da Associação Brasileira de Manutenção

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DAS ELEIÇÕES PARA DIRETORIA EXECUTIVA GESTÃO 2015-2018 TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGIMENTO INTERNO DAS ELEIÇÕES PARA DIRETORIA EXECUTIVA GESTÃO 2015-2018 TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGIMENTO INTERNO DAS ELEIÇÕES PARA DIRETORIA EXECUTIVA GESTÃO 2015-2018 TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - A Associação Nacional dos Técnicos de Fiscalização Federal Agropecuária - ANTEFFA

Leia mais

EDITAL DE CONSULTA PARA ESCOLHA DE DIRETOR E VICE-DIRETOR DO CENTRO DE CIENCIAS EXATAS E TECNOLÓGICA CETEC/UFRB 2016 2020

EDITAL DE CONSULTA PARA ESCOLHA DE DIRETOR E VICE-DIRETOR DO CENTRO DE CIENCIAS EXATAS E TECNOLÓGICA CETEC/UFRB 2016 2020 EDITAL DE CONSULTA PARA ESCOLHA DE DIRETOR E VICE-DIRETOR DO CENTRO DE CIENCIAS EXATAS E TECNOLÓGICA CETEC/UFRB 2016 2020 A Comissão Especial responsável pela consulta para escolha de Diretor e Vice-Diretor

Leia mais

Capítulo I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

Capítulo I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES RESOLUÇÃO SEE N.º 1812, de 22 de março de 2011 PUBLICAÇÃO: MG 23/3/2011 Estabelece critérios e condições para a indicação de candidatos ao cargo de Diretor e à função de Vice-diretor de Escola Estadual

Leia mais

EDITAL Nº 003/2013 ELEIÇÃO PARA CARGO DE DIRETOR ESCOLAR DAS UNIDADES EDUCATIVAS DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO PARA O BIÊNIO 2014/2015.

EDITAL Nº 003/2013 ELEIÇÃO PARA CARGO DE DIRETOR ESCOLAR DAS UNIDADES EDUCATIVAS DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO PARA O BIÊNIO 2014/2015. 1 EDITAL Nº 003/2013 ELEIÇÃO PARA CARGO DE DIRETOR ESCOLAR DAS UNIDADES EDUCATIVAS DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO PARA O BIÊNIO 2014/2015. A Secretaria, através da Comissão Eleitoral Central, designada pela

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE BORBA. Artigo 1º (Promoção das Eleições)

REGULAMENTO ELEITORAL DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE BORBA. Artigo 1º (Promoção das Eleições) REGULAMENTO ELEITORAL DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE BORBA Artigo 1º (Promoção das Eleições) 1 A promoção das eleições é da responsabilidade da Mesa da Assembleia Geral da Santa Casa da Misericórdia

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI

ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI Reconhecida pela SEC/SC - Portarias 0390/86 e 0424/92 ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE PAIS E PROFESSORES DA ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI-ETEVI-FURB-BLUMENAU-SC CAPÍTULO I

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL 2015 COMITÊ GESTOR DO PSAP DA DUKE ENERGY PARTICIPANTES ASSISTIDOS

REGULAMENTO ELEITORAL 2015 COMITÊ GESTOR DO PSAP DA DUKE ENERGY PARTICIPANTES ASSISTIDOS 1. FINALIDADE 1.1. O presente Regulamento tem por finalidade estabelecer normas e procedimentos para a eleição do Representante Suplente dos participantes Assistidos, do Plano de Suplementação e Aposentadorias,

Leia mais

ELEIÇÕES PARA A DIRETORIA E PARA O CONSELHO FISCAL DA AFBNB REGULAMENTO ELEITORAL

ELEIÇÕES PARA A DIRETORIA E PARA O CONSELHO FISCAL DA AFBNB REGULAMENTO ELEITORAL ELEIÇÕES PARA A DIRETORIA E PARA O CONSELHO FISCAL DA AFBNB REGULAMENTO ELEITORAL ARTIGO 1º - As eleições para a Diretoria e para o Conselho Fiscal da AFBNB, para mandato no triênio 2011 a 2013, realizar-se-á

Leia mais

RESOLUÇÃO SEE N.º, de de de 2015 (MINUTA 19/08/2015)

RESOLUÇÃO SEE N.º, de de de 2015 (MINUTA 19/08/2015) RESOLUÇÃO SEE N.º, de de de 2015 (MINUTA 19/08/2015) Estabelece normas para escolha de servidor ao cargo de diretor e à função de vice-diretor de escola estadual de Minas Gerais e trata de outros dispositivos

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO DE JANEIRO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO DE JANEIRO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO DE JANEIRO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO ACADÊMICO DE ENSINO TÉCNICO

Leia mais

EDITAL Nº001, DE 13 DE JANEIRO DE 2015.

EDITAL Nº001, DE 13 DE JANEIRO DE 2015. EDITAL Nº001, DE 13 DE JANEIRO DE 2015. A Presidente do no uso de suas atribuições legais e regulamentadas pela Lei Nº 2.750 de 31 de Dezembro publica as normas para o processo eleitoral das entidades

Leia mais

REGULAMENTO DE CONSULTA ELEITORAL IFAL BIÊNIO 2012-2014

REGULAMENTO DE CONSULTA ELEITORAL IFAL BIÊNIO 2012-2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS COMISSÃO ELEITORAL REGULAMENTO DE CONSULTA ELEITORAL IFAL BIÊNIO 2012-2014 Estabelece normas e cronograma

Leia mais

As disposições do artigo 46 do Estatuto da FUNECE e do artigo 43 do Regimento Geral da UECE;

As disposições do artigo 46 do Estatuto da FUNECE e do artigo 43 do Regimento Geral da UECE; Governo do Estado do Ceará Secretaria da Ciência Tecnologia e Educação Superior Universidade Estadual do Ceará UECE Secretaria dos Órgãos de Deliberação Coletiva - SODC RESOLUÇÃO Nº 902/2012 - CONSU, de

Leia mais

O Prefeito da Cidade do Recife, no uso das atribuições conferidas pelo Art. 54, item IV, da Lei Orgânica do Município.

O Prefeito da Cidade do Recife, no uso das atribuições conferidas pelo Art. 54, item IV, da Lei Orgânica do Município. DECRETO Nº 17.596/97 Ementa: Regulamenta o funcionamento das Comissões de Urbanização e Legalização das Zonas Especiais de Interesse Social, nos termos prescritos pela Lei Municipal nº 16.113/95. O Prefeito

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia COMISSÃO ELEITORAL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia COMISSÃO ELEITORAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia COMISSÃO ELEITORAL NORMAS DO PROCESSO ELEITORAL PARA ESCOLHA DO DIRETOR GERAL DO

Leia mais

REGULAMENTO NORMATIVO DA ELEIÇÃO DO DIRETOR DE SAUDE DO TRABALHADORDO SINDSEMP. Sindicato dos Servidores Municipais de Petrolina

REGULAMENTO NORMATIVO DA ELEIÇÃO DO DIRETOR DE SAUDE DO TRABALHADORDO SINDSEMP. Sindicato dos Servidores Municipais de Petrolina REGULAMENTO NORMATIVO DA ELEIÇÃO DO DIRETOR DE SAUDE DO TRABALHADORDO SINDSEMP Sindicato dos Servidores Municipais de Petrolina Eleição triênio 2012/2015 A comissão eleitoral reunida no dia 14.08.2013

Leia mais

EDITAL 01/2014 PARA ELEIÇÃO DE COORDENADOR E VICE-COORDENADOR PARA O CURSO DE LETRAS LÍNGUA INGLESA E RESPECTIVAS LITERATURAS PARA O BIÊNIO 2015-2016

EDITAL 01/2014 PARA ELEIÇÃO DE COORDENADOR E VICE-COORDENADOR PARA O CURSO DE LETRAS LÍNGUA INGLESA E RESPECTIVAS LITERATURAS PARA O BIÊNIO 2015-2016 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE UFAC PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE EDUCAÇÃO, LETRAS E ARTES CURSO DE LETRAS/INGLÊS EDITAL 01/2014 PARA ELEIÇÃO DE COORDENADOR E VICE-COORDENADOR PARA O CURSO DE LETRAS

Leia mais

paralisação dos universitários no Movimento Estudantil

paralisação dos universitários no Movimento Estudantil Edital de Abertura de Eleições para o Diretório Acadêmico e Centros Acadêmicos FEIT/ISEPI/UEMG - Campus Ituiutaba- MG. (RETIFICADO) O Presidente da Comissão Eleitoral, juntamente com os demais componentes

Leia mais

INTRUÇÕES PARA ELEIÇÃO DA AFB 2015

INTRUÇÕES PARA ELEIÇÃO DA AFB 2015 AFB Associação de Fisioterapeutas do Brasil CÓDIGO ELEITORAL DA ASSOCIAÇÃO DE FISIOTERAPEUTAS DO BRASIL - AFB A Comissão Eleitoral, no uso das atribuições conferidas pelo Estatuto da AFB, resolve: 1- Aprovar

Leia mais

Edital para eleições do Centro Acadêmico de Psicologia do INESP/FUNEDI/UEMG

Edital para eleições do Centro Acadêmico de Psicologia do INESP/FUNEDI/UEMG EDITAL N 01/2012 Edital para eleições do Centro Acadêmico de Psicologia do INESP/FUNEDI/UEMG Os representantes da Comissão Eleitoral do Curso de Psicologia do Instituto de Ensino Superior e Pesquisa INESP

Leia mais

INSTITUTO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS CENTRO ACADÊMICO GUIMARÃES ROSA E ALUNOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DO IRI

INSTITUTO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS CENTRO ACADÊMICO GUIMARÃES ROSA E ALUNOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DO IRI INSTITUTO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS CENTRO ACADÊMICO GUIMARÃES ROSA E ALUNOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DO IRI PORTARIA IRI-1, de 29-8-2011 Dispõe sobre a eleição da representação discente junto aos diversos órgãos

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 01, DE 02 DE OUTUBRO DE 2014

EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 01, DE 02 DE OUTUBRO DE 2014 EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 01, DE 02 DE OUTUBRO DE 2014 O CONSELHO NACIONAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE CONANDA, faz publicar o Edital de Convocação para a eleição das entidades da sociedade

Leia mais

Conselho Municipal do Direito da Criança e do Adolescente

Conselho Municipal do Direito da Criança e do Adolescente Conselho Municipal do Direito da Criança e do Adolescente EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 001/2014 SELEÇÃO DE ENTIDADE DA SOCIEDADE CIVIL PARA INTEGRAR O CONSELHO MUNICIPAL DO DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA Artigo 1º A Comissão de Ética, pretende de maneira independente, imparcial, sigilosa e soberana, assegurar a apuração das representações, apresentadas pelos associados

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 708, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 R E S O L U Ç Ã O:

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 708, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 R E S O L U Ç Ã O: SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 708, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 Institui o Regimento Eleitoral que estabelece normas para a eleição on line (SIGEleição)

Leia mais

Associação Brasileira de Profissionais em Controle de Infecção e Epidemiologia Hospitalar - ABIH

Associação Brasileira de Profissionais em Controle de Infecção e Epidemiologia Hospitalar - ABIH Código Eleitoral da Associação Brasileira de Profissionais em Controle de Infecção e Epidemiologia Hospitalar - ABIH Art. 01 - O presente Código tem por objetivo assegurar a organização e o funcionamento

Leia mais

ATO DELIBERATIVO 27/2015. O Conselho Deliberativo da Fundação CELESC de Seguridade Social - CELOS, no uso de suas atribuições e,

ATO DELIBERATIVO 27/2015. O Conselho Deliberativo da Fundação CELESC de Seguridade Social - CELOS, no uso de suas atribuições e, ATO DELIBERATIVO 27/2015 O Conselho Deliberativo da Fundação CELESC de Seguridade Social - CELOS, no uso de suas atribuições e, CONSIDERANDO a necessidade de atualizar as disposições do Ato Deliberativo

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALAGOAS REITORIA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALAGOAS REITORIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALAGOAS REITORIA EDITAL Nº 001/PRDI/REITORIA/IFAL, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2009.

Leia mais

UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO- BRASILEIRA INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE

UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO- BRASILEIRA INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO- BRASILEIRA INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE EDITAL N o 01/2014 - CONSULTA A COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA PARA ESCOLHA DO COORDENADOR DO CURSO DE ENFERMAGEM

Leia mais

EDITAL PARA ELEIÇÃO INTERNA DOS MEMBROS DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA DA FEPPS- (CEP/FEPPS)

EDITAL PARA ELEIÇÃO INTERNA DOS MEMBROS DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA DA FEPPS- (CEP/FEPPS) Edital 01/2015 A Diretora Presidente desta Fundação, no uso de suas atribuições, faz saber que será realizada no dia 15/12/2015, das 9 às 15h eleições para escolha dos membros do Comitê de Ética em Pesquisa

Leia mais

Grêmio Estudantil Aprendizes e Artífices/Cidade de Goiás/Edital nº003/2014

Grêmio Estudantil Aprendizes e Artífices/Cidade de Goiás/Edital nº003/2014 Grêmio Estudantil Aprendizes e Artífices/Cidade de Goiás/Edital nº003/2014 A Comissão Eleitoral, no uso de suas atribuições legais torna pública a convocação dos discentes, regularmente matriculados, cursando

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 09, DE 04 DE AGOSTO DE 2015 - CMDCA.

RESOLUÇÃO Nº 09, DE 04 DE AGOSTO DE 2015 - CMDCA. RESOLUÇÃO Nº 09, DE 04 DE AGOSTO DE 2015 - CMDCA. Dispões sobre a Propaganda Eleitoral bem como outros informes sobre o Processo de Escolha dos Membros do Conselho Tutelar de Esplanada-BA para a gestão

Leia mais

Reitoria. Universidade do Minho, 28 de março de 2014

Reitoria. Universidade do Minho, 28 de março de 2014 Reitoria despacho RT-14/2014 Ao abrigo do disposto no n.º 2 do artigo 37.º e no n.º 2 do artigo 51.º dos Estatutos da Universidade do Minho, aprovados pelo Despacho Normativo n.º 61/2008, de 5 de dezembro

Leia mais

Constituição da CIPA: 5.2. Devem constituir CIPA, por estabelecimento...

Constituição da CIPA: 5.2. Devem constituir CIPA, por estabelecimento... 1 Modelos de Documentos para a constituição da CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - Data: 02/01/2006. Realização: Gerência de Políticas de Prevenção e Saúde Ocupacional Objetivos da CIPA:

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 488/2002, de 15-05-02. Rui Nicolodi, Prefeito Municipal de Mormaço, Estado do Rio Grande do Sul.

LEI MUNICIPAL Nº 488/2002, de 15-05-02. Rui Nicolodi, Prefeito Municipal de Mormaço, Estado do Rio Grande do Sul. LEI MUNICIPAL Nº 488/2002, de 15-05-02. DISPÕE SOBRE A ELEIÇÃO DE DIRETORES DAS ESCOLAS PÚBLICAS DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE MORMAÇO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. Rui Nicolodi, Prefeito Municipal de Mormaço,

Leia mais

EDITAL Nº 69/2013/IFRO

EDITAL Nº 69/2013/IFRO EDITAL Nº 69/2013/IFRO O REITOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA, no uso de suas atribuições legais conferidas pela Lei nº 11.892, de 29/12/2008 e considerando a Lei nº

Leia mais

REGIMENTO INTERNO Nº. 01 REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL ABRAFAC - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FACILITIES

REGIMENTO INTERNO Nº. 01 REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL ABRAFAC - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FACILITIES REGIMENTO INTERNO Nº. 01 REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL ABRAFAC - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FACILITIES Este Regimento Interno tem por objetivo regulamentar o processo eleitoral da ABRAFAC - Associação

Leia mais

MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 104/97

MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 104/97 MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 104/97 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE, no uso de suas atribuições, R E S O L V E : Art. 1º - Fica

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DELIBERATIVO

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DELIBERATIVO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DELIBERATIVO Art. 1º - O presente Regimento tem por finalidade estabelecer normas para o funcionamento do Conselho Deliberativo da Associação Atlética Banco do Brasil São

Leia mais

CAPÍTULO II: DA COMISSÃO ELEITORAL

CAPÍTULO II: DA COMISSÃO ELEITORAL EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÕES PARA A DIRETORIA DO CENTRO ACADÊMICO DO CURSO DE FÍSICA CAFÍS Edital 01/2012 A Comissão Eleitoral eleita em Assembleia Geral do Curso de Licenciatura em Física realizada

Leia mais

IPREVI HO Instituto de Previdência dos Servidores Públicos de Herval d Oeste

IPREVI HO Instituto de Previdência dos Servidores Públicos de Herval d Oeste EDITAL DE CONVOCAÇÃO IPREVI-HO Nº 001/2014 ASSEMBLÉIA GERAL ELEIÇÕES DOS CONSELHOS DE ADMINISTRAÇÃO E FISCAL ABRE INSCRIÇÕES E FIXA NORMAS PARA O PROCESSO ELEITORAL DOS CONSELHOS DO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA

Leia mais

1 - DO CALENDÁRIO ELEITORAL 1.1 - Registro de chapas e candidatos: até o dia 19 de fevereiro de 2014;

1 - DO CALENDÁRIO ELEITORAL 1.1 - Registro de chapas e candidatos: até o dia 19 de fevereiro de 2014; REGIMENTO ELEITORAL ELEIÇÕES DA ASSOCIAÇÃO DOS TÉCNICOS DE NÍVEL SUPERIOR DA UFMG E OUTRAS IFES MINEIRAS, SEÇÃO SINDICAL DO SINDICATO NACIONAL DOS TÉCNICOS DE NÍVEL SUPERIOR DAS INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS FENILCETONÚRICOS E HOMOCISTINÚRICOS DO PARANÁ E ASSOCIAÇÃO DOS PAIS E PROFISSIONAIS DA ESCOLA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL ECUMÊNICA

ASSOCIAÇÃO DOS FENILCETONÚRICOS E HOMOCISTINÚRICOS DO PARANÁ E ASSOCIAÇÃO DOS PAIS E PROFISSIONAIS DA ESCOLA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL ECUMÊNICA ASSOCIAÇÃO DOS FENILCETONÚRICOS E HOMOCISTINÚRICOS DO PARANÁ E ASSOCIAÇÃO DOS PAIS E PROFISSIONAIS DA ESCOLA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL ECUMÊNICA REGIMENTO INTERNO DAS ELEIÇÕES PARA INDICAÇÃO DE MEMBROS PARA

Leia mais

PORTARIA Nº O SECRETÁRIO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO,

PORTARIA Nº O SECRETÁRIO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, PORTARIA Nº O SECRETÁRIO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso das suas atribuições, em especial as dispostas no artigo 90, incisos I e III da Constituição do Estado do Rio Grande do Sul e considerando: - a Lei

Leia mais

PORTARIA PRESI/SECBE 222 DE 3 DE JULHO DE 2014

PORTARIA PRESI/SECBE 222 DE 3 DE JULHO DE 2014 PODER JUDICIÁRIO PORTARIA PRESI/SECBE 222 DE 3 DE JULHO DE 2014 Dispõe sobre o processo eletivo para escolha dos representantes dos servidores ativos e inativos no Conselho Deliberativo do Pro-Social.

Leia mais

FACULDADE VALE DO SALGADO ICÓ CEARÁ

FACULDADE VALE DO SALGADO ICÓ CEARÁ EDITAL Nº01/PROUNI, DE 20 DE SETEMBRO DE 2014 EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA ELEIÇÕES DAS COMISSÕES LOCAIS DE ACOMPANHAMENTO E CONTROLE SOCIAL DO PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS - PROUNI DA FACULDADE VALE DO

Leia mais

Portaria Interministerial N 416, de 23 de Abril de 2004

Portaria Interministerial N 416, de 23 de Abril de 2004 Portaria Interministerial N 416, de 23 de Abril de 2004 Portaria Interministerial N 416, de 23 de abril de 2004 Presidência da República Casa Civil OS MINISTROS DE ESTADO CHEFE DA CASA CIVIL DA PRESIDÊNCIA

Leia mais

REGULAMENTO DA COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS (CEUA) DO CENTRO NACIONAL DE PESQUISA EM ENERGIA E MATERIAIS - CNPEM

REGULAMENTO DA COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS (CEUA) DO CENTRO NACIONAL DE PESQUISA EM ENERGIA E MATERIAIS - CNPEM REGULAMENTO DA COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS (CEUA) DO CENTRO NACIONAL DE PESQUISA EM ENERGIA E MATERIAIS - CNPEM CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADE Art. 1º A CEUA Comissão de Ética no Uso de Animais

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul EDITAL Nº 031/2015 PROCESSO CLASSIFICATÓRIO DE AFASTAMENTO DE SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DA UNIDADE ORGANIZACIONAL CAMPUS BENTO GONÇALVES DO IFRS O Diretor-Geral da Unidade Organizacional

Leia mais

EDITAL 01/2015 ELEIÇÃO DE COORDENADOR E VICE-COORDENADOR PARA O CURSO DE LETRAS LÍNGUA INGLESA E RESPECTIVAS LITERATURAS BIÊNIO 2015-2016

EDITAL 01/2015 ELEIÇÃO DE COORDENADOR E VICE-COORDENADOR PARA O CURSO DE LETRAS LÍNGUA INGLESA E RESPECTIVAS LITERATURAS BIÊNIO 2015-2016 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE UFAC PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE EDUCAÇÃO E LETRAS CEL EDITAL 01/2015 ELEIÇÃO DE COORDENADOR E VICE-COORDENADOR PARA O CURSO DE LETRAS LÍNGUA INGLESA E RESPECTIVAS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE UFAC EDITAL DE ELEIÇÃO PARA OS CARGOS DE DIRETOR E VICE-DIRETOR DO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA NATUREZA - CCBN

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE UFAC EDITAL DE ELEIÇÃO PARA OS CARGOS DE DIRETOR E VICE-DIRETOR DO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA NATUREZA - CCBN EDITAL DE ELEIÇÃO PARA OS CARGOS DE DIRETOR E VICE-DIRETOR DO EDITAL Em cumprimento ao Art. 2º, da Resolução n.º 03, de 07 de outubro de 2011, homologada pela Resolução nº 02, de 2 de dezembro de 2011,

Leia mais

PORANGATU PREV. Regime Próprio de Previdência Social PORANGATU/GO. Edital nº 001/2014

PORANGATU PREV. Regime Próprio de Previdência Social PORANGATU/GO. Edital nº 001/2014 Edital nº 001/2014 ESTABELECE DATAS, PRAZOS, NORMAS E PROCEDIMENTOS SOBRE O PROCESSO DE ELEIÇÃO DIRETA PARA ESCOLHA DE SERVIDOR PARA COMPOR O CONSELHO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DO MUNICÍPIO DE PORANGATU-GO.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO ESCOLA DE FILOSOFIA, LETRAS E CIÊNCIAS HUMANAS CAMPUS GUARULHOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO ESCOLA DE FILOSOFIA, LETRAS E CIÊNCIAS HUMANAS CAMPUS GUARULHOS DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÕES PARA O DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA 2015 A Comissão eleitoral do Departamento de História expede a presente instrução para disciplinar as eleições

Leia mais

DISPOSITIVOS ESTATUTÁRIOS

DISPOSITIVOS ESTATUTÁRIOS ELEIÇÃO PARA A DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELHO FISCAL NACIONAL TRIÊNIO 2016-2019 DISPOSITIVOS ESTATUTÁRIOS CAPÍTULO III DOS DIREITOS E DEVERES DOS ASSOCIADOS/FILIADOS SEÇÃO I DOS DIREITOS Art. 10º - São

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE COLÉGIO ELEITORAL ESPECIAL COMISSÃO ELEITORAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE COLÉGIO ELEITORAL ESPECIAL COMISSÃO ELEITORAL INSTRUÇÕES PARA AS MESAS RECEPTORAS E APURADORAS DA ELEIÇÃO AOS CARGOS DE REITOR E VICE-REITOR DA UFAC QUADRIÊNIO 2012/2016 APRESENTAÇÃO Senhores membros das Mesas Receptoras e Apuradoras de votos, Ressaltando

Leia mais

FACULDADE DA SERRA GAÚCHA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO

FACULDADE DA SERRA GAÚCHA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO FACULDADE DA SERRA GAÚCHA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO PROCESSO ELEITORAL PARA NOVA DIRETÓRIA EXECUTIVA DO DIRETÓRIO ACADÊMICO GESTÃO 2015/2016 Edital 02/2015 A Comissão Eleitoral do curso de Arquitetura

Leia mais

REGRAS Processo Eleitoral ANPEI

REGRAS Processo Eleitoral ANPEI REGRAS Processo Eleitoral ANPEI 1. DA CONSTITUIÇÃO DA COMISSÃO ELEITORAL: Conforme definido no Art. 40, as eleições serão realizadas em conformidade com o disposto neste Estatuto Social e de acordo com

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE Edital nº 01/2014

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE Edital nº 01/2014 EDITAL Nº 01/2014 PARA ELEIÇÃO DE COORDENADOR E VICE- CORDENADOR DO CURSO LICENCIATURA PLENA EM PEDAGOGIA PARA O BIÊNIO 2015/2016. Abre inscrições, fixa data, horário e critérios para a Eleição do Coordenador

Leia mais

O Plenário do Conselho Federal de Biblioteconomia no uso das atribuições legais e regimentais; CAPÍTULO I DA ELEIÇÃO E DO VOTO

O Plenário do Conselho Federal de Biblioteconomia no uso das atribuições legais e regimentais; CAPÍTULO I DA ELEIÇÃO E DO VOTO RESOLUÇÃO CFB N. 144, DE 05 DE MAIO DE 2014 Dispõe sobre as eleições dos Conselhos Regionais de Biblioteconomia e dá outras providências. O Plenário do Conselho Federal de Biblioteconomia no uso das atribuições

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES DE SOJA E MILHO DO ESTADO DE MATO GROSSO

ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES DE SOJA E MILHO DO ESTADO DE MATO GROSSO REGIMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES DE SOJA E MILHO DO ESTADO DE MATO GROSSO CAPÍTULO VI Do Procedimento Eleitoral Da Eleição da Diretoria Art. 21 O processo eleitoral inicia-se no mês de julho

Leia mais