Gerenciamento de estoque de materiais de manutenção em uma indústria de reciclagem de chumbo em Cascavel-PR.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Gerenciamento de estoque de materiais de manutenção em uma indústria de reciclagem de chumbo em Cascavel-PR."

Transcrição

1 Gerenciamento de estoque de materiais de manutenção em uma indústria de reciclagem de chumbo em Cascavel-PR. Barbara Monfroi (Unioeste) Késsia Cruz (Unioeste) Mônica Oldra (Unioeste) Marcelo Roger Meneghatti (Unioeste) Resumo O objetivo deste estudo é analisar como é realizado o atual gerenciamento de estoque de materiais de manutenção em uma indústria de reciclagem de chumbo, identificando os principais pontos a serem melhorados e sugerir soluções. A metodologia utilizada foi uma entrevista com o gerente da empresa. Após a análise, verificou-se que a empresa apresenta falhas na sua gestão de estoque, logo, foram sugeridas novas políticas e novos processos a fim de otimizar o planejamento e o controle desses materiais. Palavras-chave: Gestão de estoque. Materiais de manutenção. Informatização. Eficiência. Área Temática: Áreas Afins das Ciências Sociais Aplicadas 1 Introdução Grande parte das empresas apresentam dificuldades na gestão de seus estoques, por falta de políticas adequadas de gestão de recursos materiais, inclusive no que se refere ao estoque de materiais de manutenção, que é tão importante quanto os outros tipos de estoque, Este trabalho foi realizado no estoque de materiais de manutenção de uma indústria de reciclagem de chumbo em Cascavel-PR, levando em consideração a importância do tema e relevância para os bons resultados da empresa, surge a seguinte pergunta de pesquisa: Como está sendo realizado o atual gerenciamento de estoque de materiais de manutenção, em relação à sua eficiência? 1

2 Diante do exposto, O objetivo deste estudo é analisar como é realizado o atual gerenciamento de estoque de materiais de manutenção em uma indústria de reciclagem de chumbo, identificando os principais pontos a serem melhorados e sugerir soluções, tendo em vista a importância de um eficiente gerenciamento desses materiais para otimização dos processos e redução dos custos. Para a obtenção dos dados da empresa utilizou-se de entrevista não estruturada com o gerente da empresa. Foram questionados aspectos referentes aos processos e métodos utilizados pela empresa nas compras, movimentação de estoque (entrada e saída do almoxarifado), controle dos níveis de estoque, segurança, organização e avaliação do estoque. Observou-se que a organização não dispõe de políticas adequadas para a gestão deste tipo de estoque, não havendo, nem mesmo, um controle de entradas e saídas. Foram apresentadas sugestões de melhoria para os processos de gestão do estoque dos materiais de manutenção desta organização, incluindo a informatização, segurança, estabelecimento de níveis de estoque, avaliação de estoque, entre outras medidas. 2 Fundamentação Teórica De acordo com Martins e Alt (2001, p.155) a gestão de estoques constitui uma série de ações que permitem ao administrador verificar se os estoques estão sendo bem utilizados, bem localizados em relação aos setores que deles se utilizam, bem manuseados e bem controlados. Os principais tipos de estoques existentes nas empresas são: matérias-primas, materiais auxiliares, de manutenção, intermediários e acabados. O estoque de manutenção é onde estão às peças que servem de apoio à manutenção dos equipamentos e edifícios, tais como rolamentos, parafusos, peças, ferramentas, etc. Normalmente neste estoque estão também os materiais de escritório, utilizados na empresa (papel, caneta etc.) (POZO, 2010). Segundo Dias (1997, p.28), A mesma importância dada à matéria-prima deverá ser dada a peças de manutenção. O custo de interrupção da produção é constituído das despesas correspondentes à mão-de-obra parada, ao equipamento ocioso, ao prazo de entrega adiado e à própria perda ocasional da encomenda, quando não do cliente. Atualmente é de suma importância a utilização da informática, assim como dos sistemas de informação para o bom desenvolvimento da organização. De acordo com Viana 2

3 (2000), a introdução de sistemas informatizados, independente do setor da empresa, tem a finalidade de modernizar procedimentos por meio da implementação da priorização da qualidade, envolvendo a estrutura organizacional para garantir a melhoria dos serviços. As empresas frequentemente se preocupam em identificar com facilidade a grande quantidade e diversidade de seus materiais, por isso utilizam uma codificação para eles. A codificação consiste em ordenar os materiais segundo um plano metódico e sistemático, dando a cada um deles um determinado conjunto de caracteres. Existem infinitas maneiras de estabelecer um código para os materiais, desde a numeração arbitrária dos itens à medida que dão entrada no almoxarifado até aqueles que catalogam os materiais segundo uma sequência lógica (VIANA, 2000). Uma política de localização de materiais é importante para a organização e agilidade nos processos de movimentação de estoque. O objetivo de um sistema de localização de materiais deverá ser estabelecer os meios necessários a perfeita identificação da localização dos materiais estocados sob a responsabilidade do Almoxarifado. Deverá ser utilizada uma simbologia (codificação) normalmente alfanumérica representativa de cada local de estocagem, abrangendo até o menor espaço de uma unidade de Estocagem (DIAS, 1995, p. 174). A determinação de um nível de estoque mais econômico possível para a empresa é também uma medida importante. Os custos de estoque são influenciados por diversos fatores, tais como volume, disponibilidade, movimentação, mão de obra, e o próprio recurso financeiro envolvido, e, dependendo da situação, cada variável tem pesos que podem ter diversas magnitudes (POZO, 2010). Outro item relevante para uma boa gestão de estoques é a avaliação dos estoques, segundo Dias (1995), independente da forma de registro de estoque, manual ou informatizada, o objetivo é o controle da qualidade de materiais, volume físico e financeiro. A avaliação de estoque anual deverá ser feita com base nos preços, proporcionando uma avaliação exata do material e informações financeiras atualizadas. Para atender as necessidades de cada empresa, é necessária uma divisão que norteie as várias formas de classificação dos materiais. Como existem vários tipos, a classificação deve ser analisada no todo, em conjunto [...] (VIANA, 2000, p. 52). A empresa deverá então escolher uma foram que se adequa às suas necessidades internas, 3

4 3 Método do relato As informações foram obtidas através de entrevista não estruturada realizada no dia 24 de Agosto de 2015, com o gerente da empresa, que relatou como é a atual situação do estoque de materiais de manutenção. As perguntas abrangiram aspectos referentes aos processos e métodos utilizados pela empresa nas compras, movimentação de estoque (entrada e saída do almoxarifado), controle dos níveis de estoque, segurança, organização e avaliação do estoque. Após a entrevista foi realizada uma análise qualitativa das informações obtidas e apontadas sugestões para melhoria nos processo de gerenciamento dos estoques. 4 Apresentação e análise das contribuições Relataremos aqui a gestão de estoque de manutenção de uma empresa, incluindo seus processos e políticas atuais e apresentaremos as contribuições sugeridas para sua melhoria. 4.1 Contexto da situação-problema A empresa estudada neste trabalho é uma recuperadora de materiais metálicos, com foco na reciclagem de chumbo. A empresa foi constituída em 1980, inicialmente trabalhando com montagem e comercialização de baterias automotivas (acumuladores elétricos automotivos). A partir de 1997 a empresa dedicou-se exclusivamente na reciclagem de sucata de baterias, transformando esta matéria-prima em chumbo recuperado em barras, já que a demanda deste material tornou-se crescente ao longo do tempo de atividade da empresa. A empresa possui um almoxarifado no qual armazena materiais utilizados na manutenção das máquinas utilizadas na produção do chumbo reciclados (fornos, compressores, moinhos, empilhadeiras, mini carregadeiras, geradores) e materiais para manutenção predial, além de materiais de escritório, materiais de limpeza e materiais utilizados na ETE (estação de tratamento de esgoto). Atualmente não há uma gestão do estoque de manutenção. As compras de materiais são realizadas quando o estoque de determinado material chega próximo ao fim ou mesmo quando já acabou, podendo gerar a interrupção da atividade de uma máquina e consequentemente da produção. 4

5 A compra é registrada em um sistema de informação, porém não registram a saída dos materiais do almoxarifado, nem mesmo de forma manual. Há apenas uma pessoa responsável pela retirada dos materiais do almoxarifado, porém, mesmo assim, os gestores da empresa acreditam que há roubo ou desvio dos materiais. Dessa forma, não há informação correta sobre os níveis de estoque. A avaliação dos estoques de manutenção também não é realizada, pois não há dados corretos disponíveis para mensurar tal resultado. Não há a identificação dos locais dos materiais estocados, ou seja, seu posicionamento dentro do almoxarifado, sendo colocados em qualquer espaço disponível, sem critérios definidos; assim como não há codificação para os produtos. 4.2 Apresentação das contribuições sugeridas A partir do exposto, foram apresentadas algumas sugestões de melhoria visando uma gestão de estoque mais eficaz, já que foram identificados diversos pontos a serem aprimorados. 1. Implantação de um sistema de informação no almoxarifado. A utilização de um sistema de informação no almoxarifado, integrado aos demais departamentos da empresa, é fundamental para o controle de entradas e saídas dos materiais do almoxarifado, obtenção informações sobre o custo e a demanda dos materiais, determinação de níveis de estoque (estoque de segurança, ponto de pedido), prevenção de perdas e/ou roubos. 2. Criação da codificação e localização dos estoques Estabelecer um código para cada material, para controlar suas entradas e saídas no sistema e no almoxarifado. Para organizar a localização dos materiais no almoxarifado, foi sugerido a utilização do seguinte critério: Utilizando as informações de RUA, FILEIRA e PRATELEIRA, criar os locais de estoque existentes, por exemplo, R1 F2 P5, indicando que o produto deverá estar localizado na rua número 1, na fileira de número 2 e na prateleira de número 5, facilitando, assim, sua 5

6 localização, evitando o desperdício de tempo na procura pelo material necessário no momento. 3. Controle de movimentação dos materiais através de biometria Cada vez que um colaborador retira algum material do almoxarifado, deverá registrar este movimento no sistema utilizando sua biometria. Dessa forma, todas as movimentações dos materiais serão registradas no sistema, incluindo a identificação de quem retirou o material. Com isso, será possível analisar a demanda de cada material e evitar perdas e/ou roubos. 4. Instalação de câmeras Possibilita o monitoramento de todas as atividades que envolvem a movimentação de estoque dentro do almoxarifado, aumentando a segurança. 5. Estabelecimento de níveis de estoque As determinações do estoque mínimo, tempo de reposição e ponto de pedido são importantes medidas a serem tomadas para a administração dos estoques, garantindo o funcionamento interrupto e eficiente do processo produtivo. Foi sugerida a utilização da fórmula simples, segundo Dias (1995, p. 66): E.Mn = estoque mínimo C = consumo médio mensal E.Mn = C x K, onde: K = fator de segurança arbitrário com o qual se deseja garantia contra um risco de ruptura. Este fator é proporcional ao grau de atendimento desejado para o item, por exemplo, quando se quer que determinada peça tenha um grau de atendimento de 90%, ou seja, tem-se uma garantia de que somente em 10% das vezes o estoque desta peça será zero. O ponto de pedido é quantidade de peças que temos em estoque e garante o processo produtivo para que não sofra problemas de continuidade enquanto aguardamos a chegada do lote de compra, durante o tempo de reposição. Isso quer dizer que quando um determinado item de estoque atinge seu ponto de pedido deveremos fazer o ressuprimento de seu estoque, colocando-se um pedido de compra. Para calcular o ponto de pedido utiliza-se a formula abaixo (POZO, 2010, p. 52): 6

7 PP = (C x TR) + ES Onde: PP = Ponto de Pedido C = Consumo normal da peça TR = Tempo de Reposição ES = Estoque de Segurança O tempo de reposição é composto de três elementos: tempo para elaborar e confirmar o pedido ao fornecedor; tempo que o fornecedor leva para processar e entregar o pedido; tempo para processar a liberação do pedido na empresa (POZO, 2010). 6. Avaliação de estoque Foi sugerida a avaliação do estoque através do método do custo médio, o qual tem por base, segundo Dias (1995) o preço de todas as retiradas, ao preço médio do suprimento total do item em estoque. Age como estabilizador, equilibrando as alterações dos preços, porém, em longo prazo, reflete os custos reais dos materiais. 7. Classificação dos materiais através de Curva ABC Com a utilização do sistema de informação, o estabelecimento dos níveis de estoque e da demanda dos materiais, é possível a geração da Curva ABC, permitindo identificar os itens que necessitam maior atenção e tratamento adequado. A Curva ABC é um importante instrumento administrativo, pois ela permite identificar aqueles itens que justificam atenção e tratamento adequados. Uma vez obtida a sequência dos itens e sua classificação ABC, disso resultara a aplicação preferencial das técnicas de gestão administrativas, conforme a importância dos itens (DIAS, 1995). Segundo Viana (2000), depois de ordenados pela importância relativa, as classes da curva ABC podem ser definidas assim: a classe A é o grupo de itens mais importantes que devem ser tratados com atenção especial; a classe B é o grupo de itens intermediário entre as classes A e C; e na classe C estão os itens menos importantes. 5 Considerações finais 7

8 A empresa estudada apresenta diversas falhas e até mesmo ausência de processos e políticas de gestão de estoque, não dispondo de resultados satisfatórios. A implantação e execução das sugestões apresentadas resultariam em uma melhoria para a eficiência de toda a organização, pois dessa forma os materiais seriam adequadamente administrados, as quantidades seriam planejadas e controladas para que não houvesse faltas que prejudicassem a produção, nem excesso que elevasse o nível de estoque desnecessariamente. Com tais medidas, a empresa otimizaria o investimento em estoque, aumentando a eficiência dos meios de planejamento e controle, minimizando as necessidades de capital para o estoque. Assim conclui-se que todas as organizações devem se atentar também a uma correta administração do seu estoque de materiais de manutenção, já que os benefícios são diversos. As limitações do estudo foram referentes a impossibilidade de acesso aos dados reais, assim como documentos, principalmente pelo fato da empresa não possuir registros adequados sobre seu estoque. Outro ponto importante a considerar, seriam as difuculdades para a implantação das sugestões, como por exemplo, a aceitação e adaptação dos colaboradores aos novos processos. Estudos mais aprofundados seriam necessários para a análise da viabilidade da implantação e dos resultados obtidos a partir de tais mudanças realizadas. 6 Referências DIAS, M. A. P. Administração de materiais: edição compacta. 4. ed. São Paulo: Atlas, MARTINS, P. G.; ALT, P. R. C. Administração de materiais e recursos patrimoniais. 1. ed. São Paulo: Saraiva, POZO, H. Administração de recursos materiais e patrimoniais. 6. ed. São Paulo: Atlas, VIANA, J. J. Administração de materiais: um enfoque prático. 1. ed. São Paulo: Atlas,

GESTÃO DE ESTOQUES SISTEMA DE GESTÃO DE ESTOQUE

GESTÃO DE ESTOQUES SISTEMA DE GESTÃO DE ESTOQUE GESTÃO DE ESTOQUES SISTEMA DE GESTÃO DE ESTOQUE Gestão Pública - 1º Ano Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais Prof. Rafael Roesler Aula 5 Sumário Classificação ABC Previsão de estoque Custos

Leia mais

Assegurar o suprimento adequado de matéria-prima, material auxiliar, peças e insumos ao processo de fabricação;

Assegurar o suprimento adequado de matéria-prima, material auxiliar, peças e insumos ao processo de fabricação; 2. ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS Área da Administração responsável pela coordenação dos esforços gerenciais relativos às seguintes decisões: Administração e controle de estoques; Gestão de compras; Seleção

Leia mais

Capítulo 1 Conceitos e Gestão de Estoques

Capítulo 1 Conceitos e Gestão de Estoques Capítulo 1 Conceitos e Gestão de Estoques Celso Ferreira Alves Júnior eng.alvesjr@gmail.com 1. GESTÃO DE ESTOQUE 1.1 Conceito de Gestão de estoques Refere-se a decisões sobre quando e quanto ressuprir

Leia mais

UNIVERSIDADE GAMA FILHO ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GESTÃO DE MATERIAL E PATRIMÔNIO NO SETOR PÚBLICO ELINE COÊLHO DA ROCHA

UNIVERSIDADE GAMA FILHO ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GESTÃO DE MATERIAL E PATRIMÔNIO NO SETOR PÚBLICO ELINE COÊLHO DA ROCHA UNIVERSIDADE GAMA FILHO ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GESTÃO DE MATERIAL E PATRIMÔNIO NO SETOR PÚBLICO ELINE COÊLHO DA ROCHA ORGANIZAÇÃO DO ALMOXARIFADO NO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO

Leia mais

Administração de estoques. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia

Administração de estoques. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia Administração de estoques Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia Administração de estoques Cabe a este setor o controle das disponibilidades e das necessidades totais do processo produtivo, envolvendo não

Leia mais

QUANTO CUSTA MANTER UM ESTOQUE

QUANTO CUSTA MANTER UM ESTOQUE QUANTO CUSTA MANTER UM ESTOQUE! Qual o valor de um estoque?! Quanto de material vale a pena manter em estoque?! Como computar o valor da obsolescência no valor do estoque?! Qual o custo de um pedido?!

Leia mais

Ementa e Cronograma Programático...

Ementa e Cronograma Programático... Ementa e Cronograma Programático... AULA 01 Estratégia de Operações e Planejamento Agregado AULA 02 Planejamento e Controle de Operações AULA 03 Gestão da Demanda e da Capacidade Operacional AULA 04 Gestão

Leia mais

Gestão de Estoques em Materiais de uso Hospitalar: Análise de Modelo utilizado num Hospital Universitário Público (Estudo de Caso)

Gestão de Estoques em Materiais de uso Hospitalar: Análise de Modelo utilizado num Hospital Universitário Público (Estudo de Caso) Gestão de Estoques em Materiais de uso Hospitalar: Análise de Modelo utilizado num Hospital Universitário Público (Estudo de Caso) Edimar Alves Barbosa (UFCG) eab@cct.ufcg.edu.br Luciano Gomes de Azevedo

Leia mais

Estruturando o Fluxo Puxado Modelos Clássicos de Reposição de Estoques

Estruturando o Fluxo Puxado Modelos Clássicos de Reposição de Estoques 1 GESTÃO DE S EM SISTEMAS DE ESTÁGIO ÚNICO Modelos Clássicos e Cálculo dos Parâmetros de Controle SISTEMAS DE ESTÁGIO ÚNICO CASOS REAIS TÍPICOS Venda de produtos no varejo Venda de produtos em máquinas

Leia mais

GESTÃO DE OPERAÇÕES E LOGÍSTICA - ESTOQUES

GESTÃO DE OPERAÇÕES E LOGÍSTICA - ESTOQUES GESTÃO DE OPERAÇÕES E LOGÍSTICA - ESTOQUES T É C N I C O E M A D M I N I S T R A Ç Ã O P R O F. D I E G O B O L S I M A R T I N S 2015 ESTOQUES São acumulações de matérias-primas, suprimentos, componentes,

Leia mais

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO P á g i n a 3 INTRODUÇÃO A Administração de Materiais compreende as decisões e o controle sobre o planejamento, programação, compra, armazenamento e distribuição dos materiais indispensáveis à produção

Leia mais

Logística e Administração de Estoque. Definição - Logística. Definição. Profª. Patricia Brecht

Logística e Administração de Estoque. Definição - Logística. Definição. Profª. Patricia Brecht Administração Logística e Administração de. Profª. Patricia Brecht Definição - Logística O termo LOGÍSTICA conforme o dicionário Aurélio vem do francês Logistique e significa parte da arte da guerra que

Leia mais

GESTÃO DE ESTOQUE INTRODUÇÃO

GESTÃO DE ESTOQUE INTRODUÇÃO 1 GESTÃO DE ESTOQUE Marcela Maria Eloy Paixão Oliveira Acadêmica do Curso de Ciências Contábeis email: marcela_eloy_3@hotmail.com Rafaella Machado Rosa da Silva Acadêmica do Curso de Ciências Contábeis

Leia mais

O custeio ABC e sua utilização para estudar o preço de venda de produtos em uma empresa alimentícia e outra de bem durável na cidade de Uberlândia

O custeio ABC e sua utilização para estudar o preço de venda de produtos em uma empresa alimentícia e outra de bem durável na cidade de Uberlândia O custeio ABC e sua utilização para estudar o preço de venda de produtos em uma empresa alimentícia e outra de bem durável na cidade de Uberlândia Elaine Gomes Assis (UNIMINAS) elainega@uniminas.br Luciane

Leia mais

A CURVA ABC COMO FERRAMENTA PARA ANÁLISE DE ESTOQUES RESUMO

A CURVA ABC COMO FERRAMENTA PARA ANÁLISE DE ESTOQUES RESUMO A CURVA ABC COMO FERRAMENTA PARA ANÁLISE DE ESTOQUES Leider Simões, Unisalesiano de Lins e-mail: leidersimoes16@hotmail.com Profª M. Sc. Máris de Cássia Ribeiro, Unisalesiano Lins e-mail: maris@unisalesiano.edu.br

Leia mais

Lean e a Gestão Integrada da Cadeia de Suprimentos

Lean e a Gestão Integrada da Cadeia de Suprimentos JOGO DA CERVEJA Experimento e 2: Abordagem gerencial hierárquica e centralizada Planejamento Integrado de todos os Estágios de Produção e Distribuição Motivação para um novo Experimento Atender à demanda

Leia mais

Objetivos da Adm. de Estoque 1. Realizar o efeito lubrificante na relação produção/vendas

Objetivos da Adm. de Estoque 1. Realizar o efeito lubrificante na relação produção/vendas 1 Objetivos da Adm. de Estoque 1. Realizar o efeito lubrificante na relação produção/vendas Aumentos repentinos no consumo são absorvidos pelos estoques, até que o ritmo de produção seja ajustado para

Leia mais

Logística empresarial

Logística empresarial 1 Logística empresarial 2 Logística é um conceito relativamente novo, apesar de que todas as empresas sempre desenvolveram atividades de suprimento, transporte, estocagem e distribuição de produtos. melhor

Leia mais

Armazenagem e controle. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia

Armazenagem e controle. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia Armazenagem e controle Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia Armazenagem Armazenagem e manuseio de mercadorias são componentes essenciais do conjunto de atividades logísticas.seus custos podem absorver

Leia mais

GESTÃO DE ESTOQUES. Gestão Pública - 1º Ano Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais Aula 4 Prof. Rafael Roesler

GESTÃO DE ESTOQUES. Gestão Pública - 1º Ano Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais Aula 4 Prof. Rafael Roesler GESTÃO DE ESTOQUES Gestão Pública - 1º Ano Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais Aula 4 Prof. Rafael Roesler Sumário Gestão de estoque Conceito de estoque Funções do estoque Estoque de segurança

Leia mais

I M P L E M E N TA Ç Ã O D O C Ó D I G O B I D I M E N S I O N A L D A T A M A T R I X

I M P L E M E N TA Ç Ã O D O C Ó D I G O B I D I M E N S I O N A L D A T A M A T R I X I M P L E M E N TA Ç Ã O D O C Ó D I G O B I D I M E N S I O N A L D A T A M A T R I X T E C N O L O G I A D A I N F O R M A Ç Ã O C Ó D I G O B I D I M E N S I O N A L D A T A M A T R I X PROCESSOS E

Leia mais

Proposta de novos Indicadores para Gestão em Setores de Manutenção

Proposta de novos Indicadores para Gestão em Setores de Manutenção SEGeT Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia 1 Proposta de novos Indicadores para Gestão em Setores de Manutenção RESUMO Atualmente, as organizações vêm buscando incessantemente novas ferramentas

Leia mais

JUST-IN-TIME & KANBAN

JUST-IN-TIME & KANBAN JUST-IN-TIME & KANBAN Prof. Darli Rodrigues Vieira darli@darli.com.br 1 OBJETIVO DA AULA OBJETIVO: EVIDENCIAR O QUE É JUST IN TIME E QUAL É SUA UTILIDADE EM PROJETOS DE OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS EM OPERAÇÕES

Leia mais

Capítulo 2 Controle de Estoques, Classificações e Composição.

Capítulo 2 Controle de Estoques, Classificações e Composição. Capítulo 2 Controle de Estoques, Classificações e Composição. Celso Ferreira Alves Júnior eng.alvesjr@gmail.com 1. GESTÃO DE ESTOQUE A gestão de estoque é, basicamente, o ato de gerir recursos ociosos

Leia mais

Profa. Marinalva Barboza. Unidade IV RECURSOS MATERIAIS E

Profa. Marinalva Barboza. Unidade IV RECURSOS MATERIAIS E Profa. Marinalva Barboza Unidade IV RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS Custos dos estoques Para manter estoque, é necessário: quantificar; identificar. Quanto custa manter estoque? Quais os custos envolvidos

Leia mais

PLANEJAMENTO E CONTROLE

PLANEJAMENTO E CONTROLE Unidade I PLANEJAMENTO E CONTROLE DE ESTOQUES Profa. Marinalva Barboza Planejamento e controle de estoques Objetivos da disciplina: Entender o papel estratégico do planejamento e controle de estoques.

Leia mais

ESTRUTURANDO O FLUXO PUXADO

ESTRUTURANDO O FLUXO PUXADO Pós Graduação em Engenharia de Produção Ênfase na Produção Enxuta de Bens e Serviços (LEAN MANUFACTURING) ESTRUTURANDO O FLUXO PUXADO Exercícios de Consolidação Gabarito 1 º Exercício Defina os diferentes

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS: UM PLANEJAMENTO INDISPENSÁVEL

ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS: UM PLANEJAMENTO INDISPENSÁVEL ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS: UM PLANEJAMENTO INDISPENSÁVEL DUMAS, Ana Carolina¹ Guirado CALDAMONE,Camila¹ Guerino FRANCO, Nathália¹ Ribeiro; Acadêmicos do curso de Administração da Faculdade de Ciências

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIR CAMPUS PROF. FRANCISCO GONÇALVES QUILES DEPARTAMENTO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CARLOS HENRIQUE KLIPEL

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIR CAMPUS PROF. FRANCISCO GONÇALVES QUILES DEPARTAMENTO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CARLOS HENRIQUE KLIPEL FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIR CAMPUS PROF. FRANCISCO GONÇALVES QUILES DEPARTAMENTO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CARLOS HENRIQUE KLIPEL A GESTÃO DE ESTOQUE NO SETOR DE ALMOXARIFADO DO FRIGORIFICO

Leia mais

Controle de estoques. Capítulo 6. André Jun Nishizawa

Controle de estoques. Capítulo 6. André Jun Nishizawa Controle de estoques Capítulo 6 Sumário Conceito de estoque Tipos Sistemas de controle de estoques Fichas de estoque Classificação de estoque Dimensionamento de estoque Logística e Cadeia de suprimentos

Leia mais

Planejamento da produção

Planejamento da produção Planejamento da produção Capítulo 3, parte B Sumário Capacidade de produção Elaboração do plano de produção Just-in-time Capacidade de produção O que é capacidade de produção? Capacidade de produção O

Leia mais

A GESTÃO DA PRODUÇÃO EM UM ALMOXARIFADO DE UM CANTEIRO DE OBRAS.

A GESTÃO DA PRODUÇÃO EM UM ALMOXARIFADO DE UM CANTEIRO DE OBRAS. A GESTÃO DA PRODUÇÃO EM UM ALMOXARIFADO DE UM CANTEIRO DE OBRAS. Marcelo ARAUJO (1); Luís Felipe SANTOS (2); Diego SOUSA (3); Wemerton Luis EVANGELISTA (4). 1Graduando do Curso Superior Tecnológico em

Leia mais

GESTÃO DE COMPRAS: uma maneira de otimizar recursos aumentando a rentabilidade. Thiago Sarsur de Paula, Érika Márcia de Souza, Rosane Catarina Castro

GESTÃO DE COMPRAS: uma maneira de otimizar recursos aumentando a rentabilidade. Thiago Sarsur de Paula, Érika Márcia de Souza, Rosane Catarina Castro GESTÃO DE COMPRAS: uma maneira de otimizar recursos aumentando a rentabilidade Thiago Sarsur de Paula, Érika Márcia de Souza, Rosane Catarina Castro RESUMO Atualmente, um dos fatores mais importantes para

Leia mais

APLICAÇÃO DE CONCEITOS DA GESTÃO DE ESTOQUES PARA MELHORIA EM SISTEMA ERP APPLYING INVENTORY CONTROL CONCEPTS TO IMPROVE THE ERP SYSTEM

APLICAÇÃO DE CONCEITOS DA GESTÃO DE ESTOQUES PARA MELHORIA EM SISTEMA ERP APPLYING INVENTORY CONTROL CONCEPTS TO IMPROVE THE ERP SYSTEM APLICAÇÃO DE CONCEITOS DA GESTÃO DE ESTOQUES PARA MELHORIA EM SISTEMA ERP APPLYING INVENTORY CONTROL CONCEPTS TO IMPROVE THE ERP SYSTEM José Henrique Garrido de Lima 1 Ronaldo Ribeiro de Campos 2 Nas últimas

Leia mais

Introdução à Adm Rec Materiais

Introdução à Adm Rec Materiais Introdução à Adm Rec Materiais Objetivo principal de uma empresa: maximizar o retorno do capital investido. Estoques: parte do capital investido que funciona como um lubrificante, de modo a permitir um

Leia mais

CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE Carla Milanesi de Oliveira - carla_mila_lala@hotmail.com RESUMO

CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE Carla Milanesi de Oliveira - carla_mila_lala@hotmail.com RESUMO CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE Carla Milanesi de Oliveira - carla_mila_lala@hotmail.com RESUMO Nos dias atuais, uma das áreas que mais se desenvolvem dentro das organizações sem dúvida é a Gestão dos Estoques,

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade III DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Canais de distribuição Canal vertical: Antigamente, os canais de distribuição eram estruturas mercadológicas verticais, em que a responsabilidade

Leia mais

Prof. Clovis Alvarenga Netto

Prof. Clovis Alvarenga Netto Escola Politécnica da USP Departamento de Engenharia de Produção Materiais e processos de produção IV Abril/2009 Prof. Clovis Alvarenga Netto Aula 08 Suprimentos e administração de materiais Gestão de

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014 Versão: 01 Data de aprovação: 7 de outubro de 2014. Ato de aprovação: Resolução n.º 112 /2014 Unidade

Leia mais

O PAPEL DO ESTOQUE NAS EMPRESAS

O PAPEL DO ESTOQUE NAS EMPRESAS Gestão Estratégica de Estoques/Materiais Prof. Msc. Marco Aurélio C. da Silva Data: 22/08/2011 O PAPEL DO ESTOQUE NAS EMPRESAS 2 1 GESTÃO DE ESTOQUE Demanda Adequação do Estoque Investimento Série de ações

Leia mais

Experiência: MEDIDAS SANEADORAS NA GESTÃO DO ESTOQUE. ITAIPU Binacional Superintendência de Materiais

Experiência: MEDIDAS SANEADORAS NA GESTÃO DO ESTOQUE. ITAIPU Binacional Superintendência de Materiais Experiência: MEDIDAS SANEADORAS NA GESTÃO DO ESTOQUE ITAIPU Binacional Superintendência de Materiais Responsável: Moacyr Ribeiro da Silva Jr. Gerente do Departamento de Gestão de Estoques Endereço: Av.

Leia mais

Exercicios Produção e Logistica

Exercicios Produção e Logistica 1 PROVA: 1998 PARTE I: QUESTÕES OBJETIVAS 7 Uma empresa fabrica e vende um produto por R$ 100,00 a unidade. O Departamento de Marketing da empresa trabalha com a Equação da Demanda apresentada abaixo,

Leia mais

Recursos Materiais 1

Recursos Materiais 1 Recursos Materiais 1 FCC - 2008 No processo de gestão de materiais, a classificação ABC é uma ordenação dos itens consumidos em função de um valor financeiro. São considerados classe A os itens de estoque

Leia mais

Estudo de caso no estoque de uma loja de materiais para construção

Estudo de caso no estoque de uma loja de materiais para construção Estudo de caso no estoque de uma loja de materiais para construção Camila Cristina Prati Passarini (Unioeste) camila10prati@hotmail.com Rayssa Proença Loiola (Unioeste) rayssaproenca@gmail.com Riquianderson

Leia mais

TPM Total Productive Maintenance. ENG 90017 Manutenção e Confiabilidade Flávio Fogliatto

TPM Total Productive Maintenance. ENG 90017 Manutenção e Confiabilidade Flávio Fogliatto TPM Total Productive Maintenance ENG 90017 Manutenção e Confiabilidade Flávio Fogliatto Histórico e panorâmica da sistemática Surgida no Japão, é considerada evolução natural da manutenção corretiva (reativa)

Leia mais

29/10/2014. Métodos de Custeio TEORIA DA DECISÃO MODELOS DE DECISÃO TEORIA DA MENSURAÇÃO MODELOS DE MENSURAÇÃO. Formas de Custeio

29/10/2014. Métodos de Custeio TEORIA DA DECISÃO MODELOS DE DECISÃO TEORIA DA MENSURAÇÃO MODELOS DE MENSURAÇÃO. Formas de Custeio Gestão de Custos TEORIA DA DECISÃO MODELOS DE DECISÃO Métodos de Custeio TEORIA DA MENSURAÇÃO MODELOS DE MENSURAÇÃO Formas de Custeio TEORIA DA INFORMAÇÃO MODELOS DE INFORMAÇÃO Sistemas de acumulação A

Leia mais

PROJETO GESTÃO DE ESTOQUES. Frente Almoxarifado

PROJETO GESTÃO DE ESTOQUES. Frente Almoxarifado PROJETO GESTÃO DE ESTOQUES Frente Almoxarifado Belo Horizonte, setembro de 2011 Agenda Projeto Gestão de Estoques Cartilhas Agendamento de Recebimentos e de Expedições Recebimento Armazenagem Carregamento

Leia mais

Simplificando a TECNOLOGIA

Simplificando a TECNOLOGIA 3 Simplificando a TECNOLOGIA SEGURANÇA DESENVOLVIMENTO BANCO DE DADOS S O L U Ç Õ ES E M T E C N O L O G I A MISSÃO VISÃO Contribuir com o sucesso dos Clientes através da Ser a melhor provedora de Soluções

Leia mais

RELATÓRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA CONTROLE DE ESTOQUES MULTICAMADA EM UMA CADEIA DE SUPRIMENTOS COM USO DA INFORMAÇÃO: TEORIA E CASO ILUSTRATIVO

RELATÓRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA CONTROLE DE ESTOQUES MULTICAMADA EM UMA CADEIA DE SUPRIMENTOS COM USO DA INFORMAÇÃO: TEORIA E CASO ILUSTRATIVO RELATÓRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA CONTROLE DE ESTOQUES MULTICAMADA EM UMA CADEIA DE SUPRIMENTOS COM USO DA INFORMAÇÃO: TEORIA E CASO ILUSTRATIVO Aluna: Joana Freire de Carvalho Orientador: Fernanda Maria

Leia mais

Planejamento da produção. FATEC Prof. Paulo Medeiros

Planejamento da produção. FATEC Prof. Paulo Medeiros Planejamento da produção FATEC Prof. Paulo Medeiros Planejamento da produção O sistema de produção requer a obtenção e utilização dos recursos produtivos que incluem: mão-de-obra, materiais, edifícios,

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE ESTOQUE EM UMA EMPRESA BENEFICIADORA DE VIDROS EM TERESINA PI

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE ESTOQUE EM UMA EMPRESA BENEFICIADORA DE VIDROS EM TERESINA PI DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE ESTOQUE EM UMA EMPRESA BENEFICIADORA DE VIDROS EM TERESINA PI GEDAÍAS RODRIGUES VIANA 1 FRANCISCO DE TARSO RIBEIRO CASELLI 2 FRANCISCO DE ASSIS DA SILVA MOTA 3

Leia mais

Controle de Estoques

Controle de Estoques Controle de Estoques Valores em torno de um Negócio Forma Produção Marketing Posse Negócio Tempo Lugar Logística Atividades Primárias da Logística Transportes Estoques Processamento dos pedidos. Sumário

Leia mais

7. Viabilidade Financeira de um Negócio

7. Viabilidade Financeira de um Negócio 7. Viabilidade Financeira de um Negócio Conteúdo 1. Viabilidade de um Negócios 2. Viabilidade Financeira de um Negócio: Pesquisa Inicial 3. Plano de Viabilidade Financeira de um Negócio Bibliografia Obrigatória

Leia mais

GERENCIAMENTO DE MATERIAIS HOSPITALARES. Farm. Tatiana Rocha Santana 1 Coordenadora de Suprimentos do CC

GERENCIAMENTO DE MATERIAIS HOSPITALARES. Farm. Tatiana Rocha Santana 1 Coordenadora de Suprimentos do CC GERENCIAMENTO DE MATERIAIS HOSPITALARES Farm. Tatiana Rocha Santana 1 Coordenadora de Suprimentos do CC DEFINIÇÕES GERENCIAR Ato ou efeito de manter a integridade física e funcional para algo proposta

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Qualificação: Assistente de Logística

Plano de Trabalho Docente 2014. Qualificação: Assistente de Logística Plano de Trabalho Docente 2014 ETEC Paulino Botelho (Extensão Esterina Placco) Ensino Técnico Código: 091.01 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico

Leia mais

Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE. Profa. Lérida Malagueta

Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE. Profa. Lérida Malagueta Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE PRODUÇÃO E OPERAÇÕES Profa. Lérida Malagueta Planejamento e controle da produção O PCP é o setor responsável por: Definir quanto e quando comprar Como fabricar ou montar cada

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0 Autor: Marco Polo Viana. Bloco Suprimentos

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0 Autor: Marco Polo Viana. Bloco Suprimentos Bloco Suprimentos Controle de Produção PCP Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Controle de Produção PCP, que se encontra no Bloco Suprimentos. Todas informações aqui disponibilizadas

Leia mais

PROGRAMAÇÃO E CONTROLE DE MATERIAIS DE DEMANDA DEPENDENTE - MELHORIAS DESENVOLVIDAS PARA UMA EMPRESA DO RAMO PLÁSTICO.

PROGRAMAÇÃO E CONTROLE DE MATERIAIS DE DEMANDA DEPENDENTE - MELHORIAS DESENVOLVIDAS PARA UMA EMPRESA DO RAMO PLÁSTICO. ! "#$ " %'&)(*&)+,.- /10.2*&4365879&4/1:.+58;.2*=?5.@A2*3B;.- C)D 5.,.5FE)5.G.+ &4- (IHJ&?,.+ /?=)5.KA:.+5MLN&OHJ5F&4E)2*EOHJ&)(IHJ/)G.- D - ;./);.& PROGRAMAÇÃO E CONTROLE DE MATERIAIS DE DEMANDA DEPENDENTE

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2015

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 015 Etec Paulino Botelho Código: 091-6 Município: São Carlos - SP EE: Arlindo Bittencourt Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios

Leia mais

Gestão de Materiais no Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Alegre ES.

Gestão de Materiais no Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Alegre ES. 13 Gestão de Materiais no Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Alegre ES. Priscila Felisberto de Assis UVV/FACULDADE DE GUAÇUÍ priscilaassis@hotmail.com Simone Souza UVV/FACULDADE DE GUAÇUÍ simone.souza@uvv.br

Leia mais

S I S T E M A S D E P R O D U Ç Ã O

S I S T E M A S D E P R O D U Ç Ã O COM DIFERENCIAÇÃO COM DIFERENCIAÇÃO COM DIFERENCIAÇÃO COM DIFEREN SOB ENCOMENDA S I S T E M A S D E P R O D U Ç Ã O CONTÍNUA IN TER MI TEN TE IN TER Página 2 de 17 SISTEMAS FATORES AS PRINCIPAIS DIVISÕES

Leia mais

QUESTIONÁRIO LOGISTICS CHALLENGE 2015 PRIMEIRA FASE

QUESTIONÁRIO LOGISTICS CHALLENGE 2015 PRIMEIRA FASE QUESTIONÁRIO LOGISTICS CHALLENGE 2015 PRIMEIRA FASE *Envie o nome de seu grupo, dos integrantes e um telefone de contato junto com as respostas do questionário abaixo para o e-mail COMMUNICATIONS.SLA@SCANIA.COM*

Leia mais

Unidade II GESTÃO DE. Prof. Léo Noronha

Unidade II GESTÃO DE. Prof. Léo Noronha Unidade II GESTÃO DE SUPRIMENTOS E LOGÍSTICA Prof. Léo Noronha Após a Segunda Guerra Mundial: Estados Unidos da América passaram por um longo período de crescimento. Responsáveis pela reconstrução de muitos

Leia mais

CONTROLE DE ESTOQUES Todo erro gerencial acaba gerando estoque.

CONTROLE DE ESTOQUES Todo erro gerencial acaba gerando estoque. CONTROLE DE ESTOQUES Todo erro gerencial acaba gerando estoque. RAZÕES PARA MANTER ESTOQUES A armazenagem de mercadorias prevendo seu uso futuro exige investimento por parte da organização. O ideal seria

Leia mais

GESTÃO DE ESTOQUE. Fabiana Carvalho de Oliveira Graduanda em Administração Faculdades Integradas de Três Lagoas FITL/AEMS

GESTÃO DE ESTOQUE. Fabiana Carvalho de Oliveira Graduanda em Administração Faculdades Integradas de Três Lagoas FITL/AEMS GESTÃO DE ESTOQUE Fabiana Carvalho de Oliveira Graduanda em Administração Faculdades Integradas de Três Lagoas FITL/AEMS Higino José Pereira Neto Graduando em Administração Faculdades Integradas de Três

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Estudo de Viabilidade PGE: Plastic Gestor Empresarial Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas Recife, janeiro de 2013 Sumário 1. Motivação... 1 2. Introdução: O Problema Indentificado... 2

Leia mais

Diagnóstico da Gestão de Estoques no Mini Mercado Bombom de Piracicaba - SP

Diagnóstico da Gestão de Estoques no Mini Mercado Bombom de Piracicaba - SP Diagnóstico da Gestão de Estoques no Mini Mercado Bombom de Piracicaba - SP Autores Adriana Gimenes Patreze Jose Roberto Soares Ribeiro 1. Introdução Esta pesquisa diagnosticou a gestão de estoques no

Leia mais

Artigo publicado na Revista CEPPG Nº 24 1/2011 ISSN 1517-8471 Páginas 37 à 44 RESUMO

Artigo publicado na Revista CEPPG Nº 24 1/2011 ISSN 1517-8471 Páginas 37 à 44 RESUMO CONTROLE DE QUALIDADE NA AVALIAÇÃO DE UM ESTOQUE Andre Luis de Souza Neto 1 RESUMO O presente trabalho justifica-se pela discussão do grande papel da avaliação e controle da qualidade de um estoque em

Leia mais

Otimização dos tempos e movimentos em uma fábrica de móveis

Otimização dos tempos e movimentos em uma fábrica de móveis Otimização dos tempos e movimentos em uma fábrica de móveis Rayane C. M. REZENDE 1 ; Marislaine C. COSTA 1 ; Poliane C. dos S. LOPES 1 ; Fernando S. JORGE 1, Yahayra do V. B. SILVA 1, Rodrigo H. da SILVA

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Disciplina: Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Auditoria e Análise de Segurança da Informação - 4º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA

Leia mais

Sistemas de Gestão de Estoques

Sistemas de Gestão de Estoques CONCEITOS BÁSICOSB Prof. João Carlos Gabriel - Aula 3 1 CONCEITOS BÁSICOSB PP = Ponto de pedido ou ponto de ressuprimento ou ponto de reposição é o instante (a quantidade) no qual se faz um pedido de compra

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO DE ESTOQUES EX-PROJECT RESUMO INTRODUÇÃO

SISTEMAS DE GESTÃO DE ESTOQUES EX-PROJECT RESUMO INTRODUÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DE ESTOQUES EX-PROJECT Antonio Evangelino de Carvalho Soares Cintia Silvia Victor dos Santos Claudinei Candido Vieira Érica Natália Martins Silva Kátia Ribeiro dos Santos Marco Túlio

Leia mais

Planejamento da produção: Previsão de demanda para elaboração do plano de produção em indústria de sorvetes.

Planejamento da produção: Previsão de demanda para elaboração do plano de produção em indústria de sorvetes. Planejamento da produção: Previsão de demanda para elaboração do plano de produção em indústria de sorvetes. Tiago Esteves Terra de Sá (UFOP) tiagoeterra@hotmail.com Resumo: Este trabalho busca apresentar

Leia mais

Sistemas de Informações. Daniel Gondim

Sistemas de Informações. Daniel Gondim Sistemas de Informações Daniel Gondim Roteiro da Aula SPT Sistema de Processamento de Transações Visão geral; métodos e objetivos Atividades no processamento de transações Controle de Administração Aplicações

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS APLICADAS ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS B

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS APLICADAS ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS B 2 INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS APLICADAS ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS B GERÊNCIAMENTO E CONTROLE DE ESTOQUE Guilherme Demo Limeira SP 2005 3 GUILHERME DEMO GERÊNCIAMENTO E CONTROLE DE ESTOQUE Projeto científico

Leia mais

Departamento de Engenharia. ENG 1090 Introdução à Engenharia de Produção

Departamento de Engenharia. ENG 1090 Introdução à Engenharia de Produção Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Engenharia Curso de Graduação em Engenharia de Produção ENG 1090 Introdução à Engenharia de Produção Prof. Gustavo Suriani de Campos Meireles Faz

Leia mais

15/09/2015. Gestão e Governança de TI. Modelo de Governança em TI. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor

15/09/2015. Gestão e Governança de TI. Modelo de Governança em TI. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor Gestão e Governança de TI Modelo de Governança em TI Prof. Marcel Santos Silva PMI (2013), a gestão de portfólio é: uma coleção de projetos e/ou programas e outros trabalhos que são agrupados para facilitar

Leia mais

GESTÃO DE MATERIAIS: ALMOXARIFADO HOSPITALAR

GESTÃO DE MATERIAIS: ALMOXARIFADO HOSPITALAR José Neto Aristides da Silva Graduando em Logística pelo Centro Universitário Augusto Motta (UNISUAM), Rio de Janeiro, RJ, Brasil jneto12@gmail.com José Claudio de Souza Lima Mestre em Engenharia de Produção

Leia mais

Gestão de Estoques. Motivos para surgimento de estoques ! " # ) % & $ % & ' (

Gestão de Estoques. Motivos para surgimento de estoques !  # ) % & $ % & ' ( Gestão de Estoques Motivos para surgimento de estoques % &! $ % & " # " ) % & * $ % & ' ( 1 Decisões sobre volumes. TV() = Total annual variable costs and * + $, - " 2 Custos totais de um sistema simplificado

Leia mais

A Análise dos Custos Logísticos: Fatores complementares na composição dos custos de uma empresa

A Análise dos Custos Logísticos: Fatores complementares na composição dos custos de uma empresa Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Engenharia de Custos e Orçamentos Turma 01 10 de outubro de 2012 A Análise dos Custos Logísticos: Fatores complementares na composição dos custos de uma

Leia mais

O que se espera de um sistema de administração da produção?

O que se espera de um sistema de administração da produção? O que se espera de um sistema de administração da produção? O que se espera de um sistema de administração da produção? Segundo Corrêa (2001), independente da lógica que utilize, os sistemas da administração

Leia mais

FTAD Formação Técnica em Administração Módulo de Gestão de Materiais ACI Atividade Curricular Interdisciplinar Prof. Marcus Fontes

FTAD Formação Técnica em Administração Módulo de Gestão de Materiais ACI Atividade Curricular Interdisciplinar Prof. Marcus Fontes FTAD Formação Técnica em Administração Módulo de Gestão de Materiais ACI Atividade Curricular Interdisciplinar Prof. Marcus Fontes AULA PASSADA: GESTÃO DE COMPRAS: PROCESSOS DE FORNECIMENTO UMA REVISÃO

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP Prof a. Nazaré Ferrão

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP Prof a. Nazaré Ferrão Centro Ensino Superior do Amapá Curso de Administração Disciplina: ADM. DE REC. MATERIAIS E PATRIMONIAIS Professor: NAZARÉ DA SILVA DIAS FERRÃO Aluno: Turma: 5 ADN FRANCISCHINI, Paulino G.; GURGEL, F.

Leia mais

Exercícios. Exercício 1

Exercícios. Exercício 1 Exercícios Exercício 1 Considere um sistema de processamento com os seguintes tempos entre chegadas de tarefas: Tempo entre Chegadas (horas) Probabilidade 0 0.23 1 0.37 2 0.28 3 0.12 Os tempos de processamento

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos (SP) Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional Técnica de Nível Médio de Auxiliar

Leia mais

GESTÃO DE ESTOQUE RESUMO

GESTÃO DE ESTOQUE RESUMO GESTÃO DE ESTOQUE - 1 - Jéssica Taiani do Amaral - jessicataiani@hotmail.com Laurinda Oliveira Dourado - RESUMO A gestão de estoques é um assunto vital e, freqüentemente, absorve parte substancial do orçamento

Leia mais

Administrando Estoques e Processos Adequadamente

Administrando Estoques e Processos Adequadamente Administrando Estoques e Processos Adequadamente Estoque é Dinheiro Planeje e Controle seus Estoques Rev - 1105 Engº JULIO TADEU ALENCAR e-mail: jtalencar@sebraesp.com.br 1 Serviço de Apoio às Micro e

Leia mais

O que é e-ppcp? Funcionalidades adicionadas:

O que é e-ppcp? Funcionalidades adicionadas: e-ppcp / e-kanban 1 O que é e-ppcp? O e-ppcp é um aplicativo desenvolvido em ABAP/4 pela IntegrationSys para adicionar ao ERP SAP funcionalidades para suportar efetivamente o planejamento e operação de

Leia mais

FTAD Formação Técnica em Administração Módulo de Gestão de Materiais ACI Atividade Curricular Interdisciplinar Prof. Gildo Neves Baptista jr

FTAD Formação Técnica em Administração Módulo de Gestão de Materiais ACI Atividade Curricular Interdisciplinar Prof. Gildo Neves Baptista jr FTAD Formação Técnica em Administração Módulo de Gestão de Materiais ACI Atividade Curricular Interdisciplinar Prof. Gildo Neves Baptista jr AULA PASSADA: GESTÃO DE COMPRAS: PROCESSOS DE FORNECIMENTO UMA

Leia mais

ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS POR MEIO DO PROGRAMA 5 S EM UMA TRANSPORTADORA NA CIDADE DE MARINGÁ

ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS POR MEIO DO PROGRAMA 5 S EM UMA TRANSPORTADORA NA CIDADE DE MARINGÁ 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS POR MEIO DO PROGRAMA 5 S EM UMA TRANSPORTADORA NA CIDADE DE MARINGÁ Daiane Maria De Genaro Chiroli 1

Leia mais

Logística e gestão de Redes de Surprimentos ADM 068. Professor Marcos Gilberto Dos-Santos Faculdade Anísio Teixeira

Logística e gestão de Redes de Surprimentos ADM 068. Professor Marcos Gilberto Dos-Santos Faculdade Anísio Teixeira Logística e gestão de Redes de Surprimentos ADM 068 Professor Marcos Gilberto Dos-Santos Faculdade Anísio Teixeira Programa da Disciplina I Unidade II Unidade Logística Visão geral e funções Suprimentos

Leia mais

Palavras-Chave: Controle de Estoque, Análise ABC e Gestão de Estoque.

Palavras-Chave: Controle de Estoque, Análise ABC e Gestão de Estoque. IMPLANTAÇÃO DE FERRAMENTAS PARA CONTROLE DE ESTOQUE Estudo de caso em uma Fábrica de Ração Wemerson de Freitas Borges 1 Prof. Ms. Jordânia Louse Silva Alves 2 RESUMO No Brasil, a gestão de estoques é um

Leia mais

Unidade I GESTÃO DE SUPRIMENTOS E LOGÍSTICA. Prof. Léo Noronha

Unidade I GESTÃO DE SUPRIMENTOS E LOGÍSTICA. Prof. Léo Noronha Unidade I GESTÃO DE SUPRIMENTOS E LOGÍSTICA Prof. Léo Noronha A administração de materiais A administração de materiais procura conciliar as necessidades de suprimentos com a otimização dos recursos financeiros

Leia mais

Tem por objetivo garantir a existência contínua de um estoque organizado, de modo a não faltar nenhum dos itens necessários à produção.

Tem por objetivo garantir a existência contínua de um estoque organizado, de modo a não faltar nenhum dos itens necessários à produção. Resumo aula 3 Introdução à gestão de materiais A gestão de materiais é um conjunto de ações destinadas a suprir a unidade com materiais necessários ao desenvolvimento das suas atribuições. Abrange: previsão

Leia mais

Sistema de Administração da Produção

Sistema de Administração da Produção Sistema de Administração da Produção (Extraído do livro Planejamento, Programação e Controle da Produção Enrique Correa e Irineu Gianesi e Mauro Caon Ed Atlas, 2001) 1. Definição São sistemas de Informação

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS Linha de pesquisa: Sistema de informação gerencial Pâmela Adrielle da Silva Reis Graduanda do Curso de Ciências

Leia mais

ERP: Pacote Pronto versus Solução in house

ERP: Pacote Pronto versus Solução in house ERP: Pacote Pronto versus Solução in house Introdução Com a disseminação da utilidade e dos ganhos em se informatizar e integrar os diversos departamentos de uma empresa com o uso de um ERP, algumas empresas

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SUPRIMENTOS GESTÃO

ADMINISTRAÇÃO DE SUPRIMENTOS GESTÃO GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS DEFINIÇÃO DE CADEIAS DE SUPRIMENTOS (SUPLLY CHAIN) São os processos que envolvem fornecedores-clientes e ligam empresas desde a fonte inicial de matéria-prima até o ponto

Leia mais

Comentários às questões de Administração de Recursos Materiais do INSS

Comentários às questões de Administração de Recursos Materiais do INSS Comentários às questões de Administração de Recursos Materiais do INSS Olá a todos. Seguem os comentários às questões da matéria de ARM que caíram na prova do INSS, aplicada pela banca FUNRIO. Como de

Leia mais

Análise da Gestão de Estoques: aplicando a ferramenta da curva ABC no Estoque de um Supermercado

Análise da Gestão de Estoques: aplicando a ferramenta da curva ABC no Estoque de um Supermercado Análise da Gestão de Estoques: aplicando a ferramenta da curva ABC no Estoque de um Supermercado Pedro Lucas Cuareli Alécio 1 (EPA, UNESPAR/FECILCAM) pedro_eng_prod@yahoo.com.br Eduardo Feliciano Caetano

Leia mais