O que é o Sinesp? julho de 2012, que tornará obrigatória a produção e o envio de

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O que é o Sinesp? julho de 2012, que tornará obrigatória a produção e o envio de"

Transcrição

1

2 O que é o Sinesp? O Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, Prisional e sobre Drogas (Sinesp) é um portal de informações integradas, possibilitando consultas operacionais, investigativas e estratégicas, sobre drogas, segurança pública, justiça, sistema prisional, entre outras, implementado em parceria com os entes federados. O Sinesp tem como principal objetivo subsidiar a realização de diagnósticos sobre criminalidade, a formulação e avaliação de políticas públicas, assim como promoverá a integração nacional de informações. O Sinesp foi instituído pela lei de número , de 4 de julho de 2012, que tornará obrigatória a produção e o envio de dados.

3 Estatística SINESPJC Ocorrências Estatística Criminais PC Ocorrências Criminais PM Modelo Atual + Operacional INFOSEG Indivíduos Veículos Outros Alimentação manual por parte dos estados; Maior probabilidade de erros nos envios dos dados; Retrabalho para os estados que já possuem sistemas informatizados; Falta de ferramentas de análise das informações encaminhadas; Falta de periodicidade no envio das informações; Falta de padronização das informações. Falta de evoluções tecnológicas da ferramenta e de periodicidade no envio das informações; Ausência de ferramentas de controles gerenciais, de relatórios estatísticos e gerenciais; Falta de controle da qualidade da informação enviada; Falta de instrumento legislativo para regulamentar o envio das informações.

4 Modelo Proposto: Portal Sinesp Estratégico Operacional Inteligência Ocorrências Infopen Perfil organizacional Cintepol Sisbala RIC Bens Apreendidos Codis - DNA Indivíduos Armas Justiça Interpol Sinad CNH Veículos Receita Federal Sisme Sinivem Desarma Desaparecidos

5 Áreas de atuação para o sucesso do projeto: I. Definições de Nível Estratégico; II. Definições Metodológicas; III. Definições de Tecnologia da Informação.

6 I. Definições de Nível Estratégico Pactuar com parceiros o projeto do Portal Sinesp; Institucionalizar o Portal Sinesp (instrumentos normativos), com previsão da obrigatoriedade de envio de dados; Construir uma política de divulgação e Construir uma política de divulgação e compartilhamento sistemáticos das informações coletadas em parceria com os estados.

7 II. Definições Metodológicas Definir as metodologias de registro desenvolver um formulário padronizado de registro de dados; definir sistema classificatório; padronizar as unidades de medida; Investir na qualificação dos profissionais da ponta.

8 III. Definições de Tecnologia da Informação Estruturar o Ministério da Justiça/SENASP para dar suporte ao projeto; Integrar os sistemas existentes da Rede INFOSEG e do SINESPJC no Portal Sinesp; Apoiar a estruturação tecnológica nos Estados; Desenvolver sistemas de cadastro de procedimentos policiais e de bombeiros para os Estados; Desenvolver ferramentas de consulta, geoprocessamento e produção de relatórios, atendendo as necessidades da Senasp e dos estados;

9 Desenho da Solução Completa Atendimentos estaduais (190 e 193) BOs estaduais Polícia Civil BOs Polícia Federal e Rodoviária Outras Bases de Dados Painéis Gerenciais Gráficos Analíticos Relatórios Mapas Estatísticos Dados centralizados e consolidados Atualização em tempo real Sincronização das bases Planos de Ação

10 Exemplo de painéis gerenciais

11 Desenho da Solução - UFs ESTADO A Já possui sistemas informatizados ESTADO B Não possui sistemas informatizados

12 Portal Sinesp de Informações Sistemas Estaduais: - Boletins de Ocorrência; - Termos Circunstanciados de Ocorrência; - Autos de Prisões em Flagrante; - Inquéritos; - Boletins de Atendimentos; - Controles Administrativos(Pessoal e Equipamentos); - Mandados de Prisão; - Sistemas Prisionais; - Entre outros. Sinad GFunad Infoseg Infopen Gestão / Estatística Base Nacional de Informações Consolidadas SinespJC Business Intelligence InfoGGI Outras Bases de Dados: DataSus, Previdência, Polícia Federal, Polícia Rod. Federal, SICONV (Min. Planejamento), Denatran, Entre outros Infraestrutura de TI (CGTI/MJ) Servidores de Rede Storage Servidores de Banco de Dados Sistemas Operação Outros Serviços

13 Obrigado!!!! (61)

PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* REPUBLICAÇÃO** CÓD. PERICIA CO-N-SE

PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* REPUBLICAÇÃO** CÓD. PERICIA CO-N-SE PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* REPUBLICAÇÃO** CÓD. PERICIA CO-N-SE Os currículos e as fichas de cadastro deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico seguranca.cidada@mj.gov.br

Leia mais

REDE DE INTEGRAÇÃO NACIONAL DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PÚBLICA, JUSTIÇA E FISCALIZAÇÃO

REDE DE INTEGRAÇÃO NACIONAL DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PÚBLICA, JUSTIÇA E FISCALIZAÇÃO Rede InfoSeg REDE DE INTEGRAÇÃO NACIONAL DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PÚBLICA, JUSTIÇA E FISCALIZAÇÃO O que é a? É uma estrutura de links capilarizada nos 26 Estados da Federação e no Distrito Federal,

Leia mais

VII Curso de Extensão em Defesa Nacional / UFMS. A segurança das áreas de fronteira Brasileira. Campo Grande - MS, 05 a 07 de junho de 2013

VII Curso de Extensão em Defesa Nacional / UFMS. A segurança das áreas de fronteira Brasileira. Campo Grande - MS, 05 a 07 de junho de 2013 SECRETARIA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA VII Curso de Extensão em Defesa Nacional / UFMS A segurança das áreas de fronteira Brasileira Campo Grande - MS, 05 a 07 de junho de 2013 Fronteira, aqui começa

Leia mais

REDE DE INTEGRAÇÃO NACIONAL DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PÚBLICA, JUSTIÇA E FISCALIZAÇÃO

REDE DE INTEGRAÇÃO NACIONAL DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PÚBLICA, JUSTIÇA E FISCALIZAÇÃO Rede InfoSeg REDE DE INTEGRAÇÃO NACIONAL DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PÚBLICA, JUSTIÇA E FISCALIZAÇÃO Situação da Rede INFOSEG (novembro/2003) Defasagem de atualização dos dados; Pouca participação dos

Leia mais

REDE DE INTEGRAÇÃO NACIONAL DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PÚBLICA, JUSTIÇA E FISCALIZAÇÃO

REDE DE INTEGRAÇÃO NACIONAL DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PÚBLICA, JUSTIÇA E FISCALIZAÇÃO Rede InfoSeg REDE DE INTEGRAÇÃO NACIONAL DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PÚBLICA, JUSTIÇA E FISCALIZAÇÃO O que é a? É uma estrutura de links capilarizada nos 26 Estados da Federação e no Distrito Federal,

Leia mais

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD CONCORRÊNCIA PÚBLICA INTERNACIONAL Nº 02430/2008

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD CONCORRÊNCIA PÚBLICA INTERNACIONAL Nº 02430/2008 Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD CONCORRÊNCIA PÚBLICA INTERNACIONAL Contratação de empresa especializada em tecnologia da informação para o desenvolvimento de Sistema Nacional de

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO CONSULTA DE RELACIONAMENTOS

MANUAL DO USUÁRIO CONSULTA DE RELACIONAMENTOS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elaborado: Equipe SAG Revisado: Aprovado: Data: 08/09/2008 Data: 18/11/2008 Data: A autenticação do documento consta no arquivo primário da Qualidade Referencia:

Leia mais

O GOVERNADOR DO DISTRITO FEDERAL, no uso das atribuições que lhe conferem os incisos VII e X do Art. 100 da Lei Orgânica do Distrito Federal, DECRETA:

O GOVERNADOR DO DISTRITO FEDERAL, no uso das atribuições que lhe conferem os incisos VII e X do Art. 100 da Lei Orgânica do Distrito Federal, DECRETA: Sistema Integrado de Normas Jurídicas do Distrito Federal SINJ-DF DECRETO Nº 36.620, DE 21 DE JULHO DE 2015. Dispõe sobre a obrigatoriedade da divulgação periódica de dados e informações de segurança pública

Leia mais

Diógene Gomes Curado Filho PLANO DE TRABALHO 1 - DADOS CADASTRAIS - PROPONENTE

Diógene Gomes Curado Filho PLANO DE TRABALHO 1 - DADOS CADASTRAIS - PROPONENTE PLANO DE TRABALHO 1 - DADOS CADASTRAIS - PROPONENTE Órgão/Entidade Proponente Governo do Estado de Mato Grosso CNPJ 00.989.587/0001-03 ENDEREÇO Avenida Tranversal, bloco B, Centro Político Administrativo,

Leia mais

MINUTA MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS ANTEPROJETO DE LEI

MINUTA MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS ANTEPROJETO DE LEI MINUTA MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS ANTEPROJETO DE LEI Disciplina a organização e o funcionamento dos órgãos responsáveis pela segurança pública nos termos do 7 o do art. 144

Leia mais

Informação sobre trânsito como ferramenta de planejamento para a segurança viária: a experiência do anuário de indicadores do Detran-AL.

Informação sobre trânsito como ferramenta de planejamento para a segurança viária: a experiência do anuário de indicadores do Detran-AL. Informação sobre trânsito como ferramenta de planejamento para a segurança viária: a experiência do anuário de indicadores do Detran-AL. Renan Durval Aparecido da Silva¹ 1 Gerente de estudos de acidentes

Leia mais

Auditoria no Sistema Nacional de Integração de Informações em Justiça e Segurança Pública (Infoseg)

Auditoria no Sistema Nacional de Integração de Informações em Justiça e Segurança Pública (Infoseg) 1 Auditoria no Sistema Nacional de Integração de Informações em Justiça e Segurança Pública (Infoseg) Renato Braga, CISA Novembro de 2008 2 Objetivo Apresentar a auditoria realizada pelo TCU no sistema

Leia mais

Esfera: 10 Função: 06 - Segurança Pública Subfunção: 122 - Administração Geral UO: 30101 - Ministério da Justiça

Esfera: 10 Função: 06 - Segurança Pública Subfunção: 122 - Administração Geral UO: 30101 - Ministério da Justiça Programa 1127 Sistema Único de Segurança Pública - SUSP Numero de Ações 12 Ações Orçamentárias 2272 Gestão e Administração do Programa Produto: - Unidade de Medida: - Esfera: 10 Função: 06 - Segurança

Leia mais

Processo Eletrônico Nacional

Processo Eletrônico Nacional Processo Eletrônico Nacional Ouro Preto (MG), 4 de novembro de 2015 Contexto do Projeto PEN Secretário Gabinete DELOG DETRV DGE DEGSI DSR 2 Contexto do Projeto PEN Secretário Gabinete DELOG DETRV DGE DEGSI

Leia mais

Formulário de Visita Técnica à Delegacia de Polícia Estadual

Formulário de Visita Técnica à Delegacia de Polícia Estadual Formulário de Visita Técnica à Delegacia de Polícia Estadual Resolução CNMP Nº 20 de 28/05/2007 Dados da Entidade Visitada Nome: CPF ou CNPJ:: Endereço: Município: UF: Telefones c/ddd: Seção I Identificação

Leia mais

Experiência: Sistema Nacional de Gestão do Conhecimento em Segurança Pública

Experiência: Sistema Nacional de Gestão do Conhecimento em Segurança Pública Experiência: Sistema Nacional de Gestão do Conhecimento em Segurança Pública Secretaria Nacional de Segurança Pública Ministério da Justiça Responsável: Marcelo Ottoni Durante, Coordenador-geral de Pesquisa

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DAS ATIVIDADES DA CTI 1

RELATÓRIO FINAL DAS ATIVIDADES DA CTI 1 RELATÓRIO FINAL DAS ATIVIDADES DA CTI 1 1. INTRODUÇÃO A discussão em torno do tema criminalidade e violência é um assunto recorrente e atual em nossa sociedade. Aliado também ao crescente tráfico e uso

Leia mais

PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. SAUDE VAGAS: 08 (OITO)

PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. SAUDE VAGAS: 08 (OITO) PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. SAUDE VAGAS: 08 (OITO) Os currículos e as fichas de cadastro deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico seguranca.cidada@mj.gov.br

Leia mais

Metodologia de Reagregação de Códigos para Publicação em DOERJ

Metodologia de Reagregação de Códigos para Publicação em DOERJ Metodologia de Reagregação de Códigos para Publicação em DOERJ Em atendimento à determinação do Exmo. Sr. Secretário de Segurança, foi elaborado um modelo de adequação do sistema de agregação dos títulos

Leia mais

100 vezes Boletim. nº 100 - Brasília, 05 de Setembro de 2008

100 vezes Boletim. nº 100 - Brasília, 05 de Setembro de 2008 nº 100 - Brasília, 05 de Setembro de 2008 100 vezes Boletim Você acaba de receber o Boletim Digital de número 100. Esse veículo vem contando, há quase dois anos e meio, a história da consolidação da Infra

Leia mais

POLÍCIA FEDERAL. Apresentação Institucional DIVISÃO DE CONTROLE DE PRODUTOS QUÍMICOS

POLÍCIA FEDERAL. Apresentação Institucional DIVISÃO DE CONTROLE DE PRODUTOS QUÍMICOS POLÍCIA FEDERAL Apresentação Institucional DIVISÃO DE CONTROLE DE PRODUTOS QUÍMICOS AGENDA NOSSA ESTRUTURA O QUE FAZEMOS NOSSA MISSÃO NOSSA GESTÃO NOSSAS REALIZAÇÕES NOSSO FUTURO NOSSA ESTRUTURA ESTRUTURA

Leia mais

Propostas dos GTs da Conferência Municipal de São Paulo. Princípios e diretrizes de Segurança Pública

Propostas dos GTs da Conferência Municipal de São Paulo. Princípios e diretrizes de Segurança Pública Propostas dos GTs da Conferência Municipal de São Paulo Princípios e diretrizes de Segurança Pública Eixo 1 1. Fortalecimento do pacto federativo; 2. Municipalização da Segurança Pública; 3. Estabelecer

Leia mais

Relatório de Monitoramento. Programa Sistema Único de Segurança Pública

Relatório de Monitoramento. Programa Sistema Único de Segurança Pública Seprog Fls. Relatório de Monitoramento Programa Sistema Único de Segurança Pública TC nº 003.880/2009-2 Fiscalis nº 46/2009 Ministro Relator: Aroldo Cedraz Modalidade de fiscalização: Monitoramento (art.

Leia mais

ATO DO DIRETOR-GERAL Nº 1516, DE 2005

ATO DO DIRETOR-GERAL Nº 1516, DE 2005 ATO DO DIRETOR-GERAL Nº 1516, DE 2005 Estabelece as competências da Secretaria de Segurança Legislativa do Senado Federal e das Subsecretarias e Serviços a ela subordinados. O DIRETOR-GERAL DO SENADO FEDERAL,

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO. (Alterada pelas Resoluções nº 65/2011 e 98/2013) RESOLUÇÃO Nº 20, DE 28 DE MAIO DE 2007.

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO. (Alterada pelas Resoluções nº 65/2011 e 98/2013) RESOLUÇÃO Nº 20, DE 28 DE MAIO DE 2007. CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO (Alterada pelas Resoluções nº 65/2011 e 98/2013) RESOLUÇÃO Nº 20, DE 28 DE MAIO DE 2007. Regulamenta o art. 9º da Lei Complementar nº 75, de 20 de maio de 1993 e

Leia mais

148D - Desenvolvimento e implantação do novo Sistema de Controle de Atividades Financeiras - SISCOAF II

148D - Desenvolvimento e implantação do novo Sistema de Controle de Atividades Financeiras - SISCOAF II Programa 2070 - Segurança Pública com Cidadania Número de Ações 24 Tipo: Projeto 148D - Desenvolvimento e implantação do novo Sistema de Controle de Atividades Financeiras - SISCOAF II Esfera: 10 - Orçamento

Leia mais

SISTEMAS Á DISPOSIÇÃO DA PRIMEIRA INSTÂNCIA

SISTEMAS Á DISPOSIÇÃO DA PRIMEIRA INSTÂNCIA 0 SISTEMAS Á DISPOSIÇÃO DA PRIMEIRA INSTÂNCIA 1. APOLO Descrição: Sistema de acompanhamento processual. Usuários: Juízes, servidores, advogados e partes de processos distribuídos nas Comarcas. Objetivo:

Leia mais

Agenda. Modelo de Domínio baseado em Ontologia para acesso à Informações de Segurança Pública. George Fragoso

Agenda. Modelo de Domínio baseado em Ontologia para acesso à Informações de Segurança Pública. George Fragoso Modelo de Domínio baseado em Ontologia para acesso à Informações de Segurança Pública George Fragoso Agenda Motivação Sistemas de Defesa Social Conceitos e Arquitetura de Ontologias Proposta de Mestrado

Leia mais

Crack, é possível vencer

Crack, é possível vencer Crack, é possível vencer Prevenção Educação, Informação e Capacitação Aumento da oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários Autoridade Enfrentamento ao tráfico de drogas e às organizações criminosas

Leia mais

CONSELHO SUPERIOR DA DEFENSORIA PÚBLICA RESOLUÇÃO CSDPE Nº 016/2013

CONSELHO SUPERIOR DA DEFENSORIA PÚBLICA RESOLUÇÃO CSDPE Nº 016/2013 CONSELHO SUPERIOR DA DEFENSORIA PÚBLICA RESOLUÇÃO CSDPE Nº 016/2013 Dispõe sobre as atribuições da Coordenação de Atendimento ao Preso Provisório da Defensoria Pública da Capital e dá outras providências.

Leia mais

Sistema Nacional de Estatísticas de Segurança Pública e Justiça Criminal (SINESPJC) 1. Apresentação

Sistema Nacional de Estatísticas de Segurança Pública e Justiça Criminal (SINESPJC) 1. Apresentação A produção de estatísticas e indicadores de segurança pública no Brasil em perspectiva histórica e a criação do Sistema Nacional de Estatísticas de Segurança Pública e Justiça Criminal (SINESPJC) Marcelo

Leia mais

DECRETO Nº - 8.614, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2015

DECRETO Nº - 8.614, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2015 DECRETO Nº - 8.614, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2015 Regulamenta a Lei Complementar nº 121, de 9 de fevereiro de 2006, para instituir a Política Nacional de Repressão ao Furto e Roubo de Veículos e Cargas e para

Leia mais

Indicadores de Violência e Segurança Pública

Indicadores de Violência e Segurança Pública Indicadores de Violência e Segurança Pública 1 2 3 Indicadores de Violência e Segurança Pública Proposta: criação e implementação do Sistema Estadual de Informações de Violência e Segurança Pública Parcerias

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 3 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte I) Flávio I. Callegari O perfil do profissional de negócios Planejamento

Leia mais

Anexo I - Plano de Classificação de Documentos 33.01.01.01

Anexo I - Plano de Classificação de Documentos 33.01.01.01 Anexo I - Plano de Classificação de Documentos Secretaria de Estado de Segurança - SESEG Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro - PMERJ 33 - Competência: Exercer a polícia ostensiva e a preservação

Leia mais

OTIMIZAÇÃO DA GESTÃO PÚBLICA ATRAVÉS DE TÉCNICAS DE BUSINESS INTELLIGENCE

OTIMIZAÇÃO DA GESTÃO PÚBLICA ATRAVÉS DE TÉCNICAS DE BUSINESS INTELLIGENCE OTIMIZAÇÃO DA GESTÃO PÚBLICA ATRAVÉS DE TÉCNICAS DE BUSINESS INTELLIGENCE Guimarilza Barbosa de Souza João Gabriel Ribeiro Luiz Cláudio de Arruda Isoton II Congresso Consad de Gestão Pública Painel 5:

Leia mais

Segurança da informação

Segurança da informação Segurança da informação Roberta Ribeiro de Queiroz Martins, CISA Dezembro de 2007 Agenda Abordagens em auditoria de tecnologia da informação Auditoria de segurança da informação Critérios de auditoria

Leia mais

Brasil Mais Seguro reduz em até 54% a taxa de homicídios em Maceió

Brasil Mais Seguro reduz em até 54% a taxa de homicídios em Maceió Ano 2 Número 5 Editado pela Secretaria Nacional de Segurança Pública / Ministério da Justiça Novembro/ 2012 Brasil Mais Seguro reduz em até 54% a taxa de homicídios em Maceió Foto: Secom/AL Em cinco meses

Leia mais

Nem tudo que reluz é ouro: uma análise da qualidade dos dados do SINESPJC

Nem tudo que reluz é ouro: uma análise da qualidade dos dados do SINESPJC Nem tudo que reluz é ouro: uma análise da qualidade dos dados do SINESPJC Ludmila Mendonça Lopes Ribeiro 1 1 Professora do Departamento de Sociologia e Antropologia e pesquisadora do Centro de Estudos

Leia mais

Diretoria de Tecnologia de Informação

Diretoria de Tecnologia de Informação Diretoria de Tecnologia de Informação - Software do Projeto Cidades Saneadas: solução tecnológica desenvolvida pela equipe da Dirti como ferramenta que auxilie de forma dinâmica e uniforme a atuação de

Leia mais

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO. Sistema (Conceitos) Sistema (Conceitos) Sistemas de Informação Bancos de Dados

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO. Sistema (Conceitos) Sistema (Conceitos) Sistemas de Informação Bancos de Dados TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO Sistemas de Informação Bancos de Dados Paulo Roberto de Lima Carvalho, MSc. Home: www.paulocarvalho.adv.br E-mail: paulocarvalho@paulocarvalho.adv.br Sistema (Conceitos) (...)

Leia mais

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Uma visão abrangente dos negócios Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Negócios sem barreiras O fenômeno da globalização tornou o mercado mais interconectado e rico em oportunidades.

Leia mais

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal Programa 1127 Sistema Único de Segurança Pública - SUSP Ações Orçamentárias 12OM Ações Preventivas de Segurança Pública para a Copa do Mundo de 2014 Produto: Ação im plem entada Num ero de Ações 13 Desenvolver

Leia mais

Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack, Álcool e outras drogas. Governo Federal

Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack, Álcool e outras drogas. Governo Federal Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack, Álcool e outras drogas. Governo Federal O QUE É? Conjunto de medidas, que pretende reorganizar o atendimento aos dependentes químicos na Rede do Sistema Único

Leia mais

ÁREA JÚRI. Descrição da Classe Relacionada Código Classe Descrição do Assunto Principal Código Principal

ÁREA JÚRI. Descrição da Classe Relacionada Código Classe Descrição do Assunto Principal Código Principal Área Júri ÁREA JÚRI Descrição da Classe Relacionada Código Classe Descrição do Assunto Principal Código Principal Ação Penal de Competência do Júri 282 Ação Penal de Competência do Júri 282 Aborto provocado

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 18, DE 2003

RESOLUÇÃO Nº 18, DE 2003 RESOLUÇÃO Nº 18, DE 2003 Dispõe sobre o Departamento de Polícia Legislativa, a reestruturação dos cargos de Analista Legislativo - atribuição Inspetor de Segurança Legislativa e Técnico Legislativo - atribuição

Leia mais

LEI Nº 2.525, DE 18 DE JUNHO DE 2009.

LEI Nº 2.525, DE 18 DE JUNHO DE 2009. LEI Nº 2.525, DE 18 DE JUNHO DE 2009. CERTIDÃO Certifico e dou fé que esta Lei foi publicada no placard do Município no dia / / JANE APARECIDA FERREIRA =Responsável pelo placard= Dispõe sobre autorização

Leia mais

vigilância armada e desarmada vigilância orgânica portaria

vigilância armada e desarmada vigilância orgânica portaria GesOper Gestão Operacional para Guardas Municipais e Universidades 1. O que é o GesOper O GesOper é um software integrado, desenvolvido com o objetivo de obter resultados para a tomada de decisões através

Leia mais

SISTEMA INFORMATIZADO DE ACOMPANHAMENTO CRIMINAL- SIAC Marco Antônio Bicalho *

SISTEMA INFORMATIZADO DE ACOMPANHAMENTO CRIMINAL- SIAC Marco Antônio Bicalho * Relato Policial SISTEMA INFORMATIZADO DE ACOMPANHAMENTO CRIMINAL- SIAC Marco Antônio Bicalho * BRASIL 1. ANTECEDENTES O caso apresentado diz respeito à implantação do Sistema Informatizado de Acompanhamento

Leia mais

Processo Eletrônico Nacional

Processo Eletrônico Nacional Processo Eletrônico Nacional Apresentação ao Conjunto de Reitores das Universidades Federais - CXLV reunião ordinária do Conselho Pleno da Andifes - Brasília-DF, 09 de setembro de 2015 O Que é o Projeto

Leia mais

Controle Ambiental do Transporte de Produtos Perigosos. Belo Horizonte, Fevereiro de 2015

Controle Ambiental do Transporte de Produtos Perigosos. Belo Horizonte, Fevereiro de 2015 Controle Ambiental do Transporte de Produtos Perigosos Belo Horizonte, Fevereiro de 2015 OCORRÊNCIA 2006 M OCORRÊNCIA 2007 OCORRÊNCIA 2008 SUMÁRIO 1) Histórico 2) Instrução Normativa IBAMA n.º 05/2012

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL SOLUÇÕES JÁ DISPONÍVEIS

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL SOLUÇÕES JÁ DISPONÍVEIS APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL DESENVOLVENDO SOLUÇÕES INOVADORAS DE TI PARA O MONITORAMENTO, OPERAÇÃO E GESTÃO DE PROCESSOS, AGREGANDO PRODUTIVIDADE E QUALIDADE ÀS ATIVIDADES DOS NOSSOS CLIENTES. 01 Gerenciamento

Leia mais

I Compatibilização e integração de procedimentos; III Garantir a linearidade do processo, sob a perspectiva do usuário;

I Compatibilização e integração de procedimentos; III Garantir a linearidade do processo, sob a perspectiva do usuário; RESOLUÇÃO Nº 25, DE 18 OUTUBRO DE 2011. Dispõe sobre parâmetros e padrões para desenvolvimento do modelo de integração da Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios

Leia mais

INSTRUÇÃO DE TRABALHO PARA INFORMAÇÕES GERENCIAIS

INSTRUÇÃO DE TRABALHO PARA INFORMAÇÕES GERENCIAIS INSTRUÇÃO DE TRABALHO PARA INFORMAÇÕES GERENCIAIS Asia Shipping Transportes Internacionais Ltda. como cópia não controlada P á g i n a 1 7 ÍNDICE NR TÓPICO PÁG. 1 Introdução & Política 2 Objetivo 3 Responsabilidade

Leia mais

PROJETO BRA/04/029. Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* MAPEAMENTO DE

PROJETO BRA/04/029. Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* MAPEAMENTO DE PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* MAPEAMENTO DE Os currículos deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico seguranca.cidada@mj.gov.br até o dia 20 de dezembro de 2015.

Leia mais

Relatório Preliminar

Relatório Preliminar Relatório Preliminar RANKING DOS ESTADOS NO CONTROLE DE ARMAS: Análise Preliminar Quantitativa e Qualitativa dos Dados sobre Armas de Fogo Apreendidas no Brasil Projeto MAPEAMENTO DO COMÉRCIO E TRÁFICO

Leia mais

1. AÇÕES ESTRATÉGICAS E METAS

1. AÇÕES ESTRATÉGICAS E METAS 1. AÇÕES S E S 1.1. Quadro de Ações Estratégicas e Metas para 2013 AÇÃO Criar filial da EBSERH ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS Registrar nos órgãos federais, estaduais e municipais Delegar competências e definir

Leia mais

Sob fogo cruzado II: letalidade da ação policial

Sob fogo cruzado II: letalidade da ação policial Sob fogo cruzado II: letalidade da ação policial Samira Bueno 1 Daniel Cerqueira 2 Renato Sérgio de Lima 3 1 Secretaria-executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. 2 Diretor de Estudos e Políticas

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 442, DE 1º DE JULHO DE 2010

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 442, DE 1º DE JULHO DE 2010 RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 442, DE 1º DE JULHO DE 2010 Institui o Centro Integrado de Operações de Segurança Pública CIOSP no âmbito da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa

Leia mais

Segurança Pública no Brasil Gestão e Tecnologia na redução criminal O exemplo de São Paulo

Segurança Pública no Brasil Gestão e Tecnologia na redução criminal O exemplo de São Paulo Secretaria de Segurança Pública Segurança Pública Polícia Militar de S. Paulo Segurança Pública no Brasil Gestão e Tecnologia na redução criminal O exemplo de São Paulo Coronel PM Ricardo Gambaroni Comandante

Leia mais

Pesquisa Nacional Sobre as Centrais Disque Denúncia no Brasil. Ministério da Justiça Secretaria Nacional de Segurança Pública

Pesquisa Nacional Sobre as Centrais Disque Denúncia no Brasil. Ministério da Justiça Secretaria Nacional de Segurança Pública Pesquisa Nacional Sobre as Centrais Disque Denúncia no Brasil Ministério da Justiça Secretaria Nacional de Segurança Pública Considerando necessidade de: Portaria SENASP/MJ nº 10 de 25/04/2011 Intensificar

Leia mais

21ª PROMOTORIA DE JUSTIÇA DE INVESTIGAÇÃO PENAL DA 1ª CENTRAL DE INQUÉRITOS (cód. 300586)

21ª PROMOTORIA DE JUSTIÇA DE INVESTIGAÇÃO PENAL DA 1ª CENTRAL DE INQUÉRITOS (cód. 300586) CRAAI RIO DE JANEIRO RIO DE JANEIRO FORO REGIONAL BANGU 21ª PROMOTORIA DE JUSTIÇA DE INVESTIGAÇÃO PENAL DA 1ª CENTRAL DE INQUÉRITOS (cód. 300586) Investigação Penal 33522 Feitos extrajudiciais recebidos

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 4031 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA PROCESSO DE SELEÇÃO - EDITAL Nº

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 4031 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA PROCESSO DE SELEÇÃO - EDITAL Nº Impresso por: RAFAEL DE SOUZA RODRIGUES DOS SANTOS Data da impressão: 10/08/015-14:4:5 SIGOEI - Sistema de Informações Gerenciais da OEI TERMO DE REFERÊNCIA Nº 401 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA PROCESSO

Leia mais

SECRETARIA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA SENASP F O R T A L E Z A /CE - 1 9 E 2 0 D E N O V E M B R O D E 2014.

SECRETARIA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA SENASP F O R T A L E Z A /CE - 1 9 E 2 0 D E N O V E M B R O D E 2014. SECRETARIA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA SENASP F O R T A L E Z A /CE - 1 9 E 2 0 D E N O V E M B R O D E 2014. SENASP/MJ Encontro Nacional de Aviação de Segurança Pública 2014 SENASP/MJ Encontro Nacional

Leia mais

FORMULÁRIO RELATO DA INICIATIVA INOVADORA 1

FORMULÁRIO RELATO DA INICIATIVA INOVADORA 1 Nome da iniciativa inovadora: FORMULÁRIO RELATO DA INICIATIVA INOVADORA 1 Painel de BI (Inteligência nos negócios) para publicação dos dados associados ao controle estadual Responsável pela Iniciativa

Leia mais

RELATÓRIO ACUMULADO 41ª OP GOLF LITORAL NORTE LITORAL SUL

RELATÓRIO ACUMULADO 41ª OP GOLF LITORAL NORTE LITORAL SUL RELATÓRIO ACUMULADO 41ª OP GOLF DE 18DEZ10 A 20JAN11 LITORAL NORTE LITORAL SUL Resultado das ações do Policiamento Ostensivo, Resultado das ações do Policiamento Ostensivo, Rodoviário, Ambiental, Fazendário,

Leia mais

CPM - Controle de Prisões e Mandados

CPM - Controle de Prisões e Mandados Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba CPM - Controle de Prisões e Mandados BNMP Banco Nacional de Mandado de Prisão BNMP Banco Nacional de Mandado de Prisão Página 1 Versão 1.0 Controle de Versões do

Leia mais

PROJETO POR UM SISTEMA NACIONAL DE OUVIDORIAS PÚBLICAS: POSSIBILIDADES E OBSTÁCULOS

PROJETO POR UM SISTEMA NACIONAL DE OUVIDORIAS PÚBLICAS: POSSIBILIDADES E OBSTÁCULOS PROJETO POR UM SISTEMA NACIONAL DE OUVIDORIAS PÚBLICAS: POSSIBILIDADES E OBSTÁCULOS Natureza dos problemas ESTRUTURAL E CONJUNTURAL Estrutural 1. Ausência de efetividade em alguns modelos de ouvidorias.

Leia mais

A SEGURANÇA É HOJE A PRINCIPAL PREOCUPAÇÃO DO BRASILEIRO. Diversos problemas levaram à situação atual

A SEGURANÇA É HOJE A PRINCIPAL PREOCUPAÇÃO DO BRASILEIRO. Diversos problemas levaram à situação atual A SEGURANÇA É HOJE A PRINCIPAL PREOCUPAÇÃO DO BRASILEIRO Diversos problemas levaram à situação atual O problema sempre foi tratado com uma série de OUs Natureza ou policial ou social Responsabilidade ou

Leia mais

Seminário: O controle interno governamental no Brasil Velhos Desafios, Novas Perspectivas

Seminário: O controle interno governamental no Brasil Velhos Desafios, Novas Perspectivas Seminário: O controle interno governamental no Brasil Velhos Desafios, Novas Perspectivas Palestra: O controle Interno no Brasil - situação atual e perspectivas futuras. Valdir Agapito Teixeira Secretário

Leia mais

Matérias selecionadas do DOU de 05 de novembro de2007

Matérias selecionadas do DOU de 05 de novembro de2007 Conteúdo: SEÇÃO 1...2 PORTARIA No- 2.831, DE 1o- DE NOVEMBRO DE 2007...2 PORTARIA No- 2.834, DE 1o- DE NOVEMBRO DE 2007...4 PORTARIA No- 2.835, DE 1o- DE NOVEMBRO DE 2007...5 PORTARIA Nº 600, DE 1o- DE

Leia mais

Roteiro. 1. Contexto Tecnológico e Social 2. Alinhando a TIC à Estratégia de Governo 3. Áreas de Atuação 4. Tecnologias Potenciais

Roteiro. 1. Contexto Tecnológico e Social 2. Alinhando a TIC à Estratégia de Governo 3. Áreas de Atuação 4. Tecnologias Potenciais Cláudio Crossetti Dutra Abril de 2012 Roteiro 1. Contexto Tecnológico e Social 2. Alinhando a TIC à Estratégia de Governo 3. Áreas de Atuação 4. Tecnologias Potenciais Parte 1 Contexto Tecnológico e Social

Leia mais

PLANO DE CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL FUNDO: 1 RPMon GRUPO: 3ª SEÇÃO/ P3 OPERAÇÕES E TREINAMENTO Data: 13mar2012

PLANO DE CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL FUNDO: 1 RPMon GRUPO: 3ª SEÇÃO/ P3 OPERAÇÕES E TREINAMENTO Data: 13mar2012 PLANO DE CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL FUNDO: 1 RPMon GRUPO: 3ª SEÇÃO/ P3 OPERAÇÕES E TREINAMENTO Data: 13mar2012 Série: APOIO, ORGANIZAÇAO E PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS (Reuniões, formaturas, etc.) Subsérie: Apoio,

Leia mais

Insurance Service Meeting 2012. Renato Pita e Mario Viola Central de Serviços e Proteção ao Seguro da CNseg - Ceser

Insurance Service Meeting 2012. Renato Pita e Mario Viola Central de Serviços e Proteção ao Seguro da CNseg - Ceser Insurance Service Meeting 2012 Renato Pita e Mario Viola Central de Serviços e Proteção ao Seguro da CNseg - Ceser Central de Serviços e Proteção ao Seguro Central de Serviços e Proteção ao Seguro A Central

Leia mais

Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL

Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL Hospital de Clínicas de Porto Alegre Ministério da Educação Responsável: Sérgio Carlos Eduardo Pinto

Leia mais

Gestão Integrada para Avaliação de Resultados no âmbito da SSPJ-GO 1

Gestão Integrada para Avaliação de Resultados no âmbito da SSPJ-GO 1 Gestão Integrada para Avaliação de Resultados no âmbito da SSPJ-GO 1 Flávio Arana 2 Kleber Martins Ferreira 3 Diógenes Flávio Pires 4 Introdução A presente pesquisa possui como temática a gestão integrada

Leia mais

SEGURANÇA ALTERNATIVAS PARA TRATAR O TEMA DA (IN) SEGURANÇA

SEGURANÇA ALTERNATIVAS PARA TRATAR O TEMA DA (IN) SEGURANÇA Segurança SEGURANÇA ALTERNATIVAS PARA TRATAR O TEMA DA (IN) SEGURANÇA A sensação de segurança é uma questão que influencia significativamente a qualidade de vida de toda a sociedade devendo ser tratada

Leia mais

Gestão de TI. Aula 10 - Prof. Bruno Moreno 30/06/2011

Gestão de TI. Aula 10 - Prof. Bruno Moreno 30/06/2011 Gestão de TI Aula 10 - Prof. Bruno Moreno 30/06/2011 Aula passada... Gestão do Conhecimento 08:46 2 Aula de Hoje... BI Apresentação do artigo IT doesn t matter Debate 08:48 3 Caso da Toyota Toyota Motor

Leia mais

DF formaliza adesão ao Programa Crack

DF formaliza adesão ao Programa Crack Editado pela Secretaria Nacional de Segurança Pública / Ministério da Justiça Ano 2 Número 6 Dezembro/ 2012 DF formaliza adesão ao Programa Crack Foto: Isaac Amorim O Governo Federal vai investir, nos

Leia mais

Prof. Aírton José Ruschel Mestre em Antropologia Jurídica Doutorando em Engenharia do Conhecimento EGC UFSC

Prof. Aírton José Ruschel Mestre em Antropologia Jurídica Doutorando em Engenharia do Conhecimento EGC UFSC Prof. Aírton José Ruschel Mestre em Antropologia Jurídica Doutorando em Engenharia do Conhecimento EGC UFSC airtonruschel@gmail.com Brasília, 19 e 20 de Setembro de 2011. Teoria Geral do Processo Eletrônico:

Leia mais

Modelo de Gestão Integrada do Sistema de Defesa Social de Minas Gerais

Modelo de Gestão Integrada do Sistema de Defesa Social de Minas Gerais Modelo de Gestão Integrada do Sistema de Defesa Social de Minas Gerais Geórgia Ribeiro Rocha 1 Jésus Trindade Barreto Júnior 2 Ricard Franco Gontijo 3 Introdução Desde 2003, encontra-se em processo de

Leia mais

AULA 03 Desenvolvimento de Sistemas de Informação em Segurança Pública

AULA 03 Desenvolvimento de Sistemas de Informação em Segurança Pública AULA 03 Desenvolvimento de Sistemas de Informação em Segurança Pública Sumário APRESENTAÇÃO AULA 3...3 UNIDADE 1...4 PROPOSTA DA ONU...4 UNIDADE 2...6 INDICADORES SOCIAIS DE CRIMINALIDADE...6 UNIDADE 3...9

Leia mais

Relatório de Progresso Anual

Relatório de Progresso Anual 1. Identificação do Projeto Título do Projeto Segurança Cidadã Nome da Instituição Executora Responsável pela Unidade Central de Execução Email de Contato da Unidade Central de Execução Secretaria Nacional

Leia mais

NAL 4.462.633 NAL 4.000.000 NAL 25.127.347 NAL NAL NAL

NAL 4.462.633 NAL 4.000.000 NAL 25.127.347 NAL NAL NAL Órgão: 12000 - Justiça Federal Unidade: 12101 - Justiça Federal de Primeiro Grau PROGRAMA DE TRABALHO ( SUPLEMENTAÇÃO ) RECURSOS DE DAS AS FONTES - R$ 1,00 0569 Prestação Jurisdicional na Justiça Federal

Leia mais

Pesquisa sobre o uso das TIC no Setor Público

Pesquisa sobre o uso das TIC no Setor Público Pesquisa sobre o uso das TIC no Setor Público TIC Governo Eletrônico 2013 São Paulo, 23 de setembro de 2014 CGI.br Comitê Gestor da Internet no Brasil NIC.br Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto

Leia mais

Ministério da Justiça

Ministério da Justiça Ministério da Justiça RELATÓRIO DE ATIVIDADES Implantação do Sistema Único de Segurança Pública Secretaria Nacional de Segurança Pública 2003 2004 2005 MINISTRO DA JUSTIÇA Márcio Thomaz Bastos SECRETÁRIO

Leia mais

MÉTODOS ESTATÍSTICOS DE ANÁLISE CRIMINAL

MÉTODOS ESTATÍSTICOS DE ANÁLISE CRIMINAL CESeC Centro de Estudos de Segurança e Cidadania MÉTODOS ESTATÍSTICOS DE ANÁLISE CRIMINAL Doriam Borges UERJ / LAV Abril 2011 Unidade de Análise Unidade de Análise são as unidades individuais sobre as

Leia mais

ÁREA JÚRI. Descrição da Classe Relacionada Ação Penal de Competência do Júri 282

ÁREA JÚRI. Descrição da Classe Relacionada Ação Penal de Competência do Júri 282 Área Júri ÁREA JÚRI Descrição da Classe Relacionada Código Classe Júri 282 Descrição do Assunto Principal Código Principal Júri 282 Aborto provocado por terceiro 10918 Júri 282 Aborto qualificado 10919

Leia mais

Utilizando o BI para promover o aumento da eficiência da atuação do 1º Grau

Utilizando o BI para promover o aumento da eficiência da atuação do 1º Grau Utilizando o BI para promover o aumento da eficiência da atuação do 1º Grau do Rio Grande do Sul Ana Cristina Cusin Petrucci Motivação do Projeto Situação fática: Embora o MPRS tivesse uma base de dados

Leia mais

SISTEMAS PARA A POLICIA CIVIL DOCUMENTO VISÃO

SISTEMAS PARA A POLICIA CIVIL DOCUMENTO VISÃO SISTEMAS PARA A POLICIA CIVIL DOCUMENTO VISÃO Versão 1.0 HISTÓRICO DE REVISÕES Data Versão Descrição Autor 26/11/2013 1.0 Desenvolvimento do documento, descrevendo os objetivos - Versão 1.0 Pág. 2 de 19

Leia mais

Produtos Atividades Meta e Linha de Base 1.1 Processo de planejamento estratégico com foco em resultados implementado

Produtos Atividades Meta e Linha de Base 1.1 Processo de planejamento estratégico com foco em resultados implementado Subcomponente: 1. Aperfeiçoamento organizacional e da gestão estratégica Produtos Atividades Meta e Linha de Base 1.1 Processo de planejamento estratégico com foco em resultados implementado 3.058.000,00

Leia mais

Políticas de formação e valorização profissional em Segurança Pública

Políticas de formação e valorização profissional em Segurança Pública Ministério da Justiça Políticas de formação e valorização profissional em Segurança Pública SECRETARIA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA Diagnóstico da Formação em Segurança Pública (2001-2003) 2003) Cenário

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E ADMINISTRAÇÃO PENITENCIÁRIA A - Resumos Gerais

SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E ADMINISTRAÇÃO PENITENCIÁRIA A - Resumos Gerais SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E ADMINISTRAÇÃO PENITENCIÁRIA A - Resumos Gerais ESTADO DO PARANÁ - ORÇAMENTO DE 2016 189 CÓDIGO ESPECIFICAÇÃO CORRENTES CAPITAL TOTAL SEGURANÇA PÚBLICA 3.373.525.521

Leia mais

Prevenção e Combate à Fraude em Gerenciamento de Riscos: Avanços e Desafios. Therezinha Vollú Ricardo Tavares Gerentes da CNseg - CESER

Prevenção e Combate à Fraude em Gerenciamento de Riscos: Avanços e Desafios. Therezinha Vollú Ricardo Tavares Gerentes da CNseg - CESER Prevenção e Combate à Fraude em Gerenciamento de Riscos: Avanços e Desafios Therezinha Vollú Ricardo Tavares Gerentes da CNseg - CESER Representação Institucional do Mercado Segurador Soluções Desenvolvidas

Leia mais

PMERJ/CETIC. Novas Tecnologias na Polícia Militar

PMERJ/CETIC. Novas Tecnologias na Polícia Militar PMERJ/CETIC Novas Tecnologias na Polícia Militar Apresentação pessoal CEL PM DJALMA JOSÉ BELTRAMI TEIXEIRA PMERJ Coordenador do CETIC Coordenadoria Especializada em Tecnologia e Comunicações Atribuições

Leia mais

Apresentação da Empresa

Apresentação da Empresa Apresentação da Empresa Somos uma empresa especializada em desenvolver e implementar soluções de alto impacto na gestão e competitividade empresarial. Nossa missão é agregar valor aos negócios de nossos

Leia mais

Concessão Eletrônica do Benefício Previdenciário de Pensão por Morte.

Concessão Eletrônica do Benefício Previdenciário de Pensão por Morte. Concessão Eletrônica do Benefício Previdenciário de Pensão por Morte. Racionalização e otimização dos processos através da tramitação eletrônica dos documentos a experiência do Instituto de Previdência

Leia mais

Índice de mortes no Carnaval é o menor em dez anos

Índice de mortes no Carnaval é o menor em dez anos Índice de mortes no Carnaval é o menor em dez anos Brasília, 14 de fevereiro 2013 A Polícia Rodoviária Federal registrou queda nas estatísticas do Carnaval nos 70 mil quilômetros de rodovias federais brasileiras.

Leia mais

PROFESSORA Paula Nogueira Bartkiw. Especialista (MBA em Gestão Empresarial) Graduação em Marketing. Aula 5. Disciplina EMPREENDEDORISMO

PROFESSORA Paula Nogueira Bartkiw. Especialista (MBA em Gestão Empresarial) Graduação em Marketing. Aula 5. Disciplina EMPREENDEDORISMO PROFESSORA Paula Nogueira Bartkiw Especialista (MBA em Gestão Empresarial) Graduação em Marketing Aula 5 Disciplina Plano de Negócios. Definições; Por que escrever um plano de negócios?; Plano de Negócios

Leia mais