PROJETO BÁSICO AMBIENTAL UHE TELES PIRES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO BÁSICO AMBIENTAL UHE TELES PIRES"

Transcrição

1 PROJETO BÁSICO AMBIENTAL UHE TELES PIRES P.37 - Programa de Apoio à Reinserção e Fomento das Atividades Econômicas Locais Relatório Semestral de Atividades Realizada EQUIPE TÉCNICA RESPONSÁVEL PELO DESENVOLVIMENTO DAS ATIVIDADES DO PROGRAMA INTEGRANTES FORMAÇÃO FUNÇÃO CTF IBAMA REGISTRO DE CLASSE ASSINATURA Marta Regina Torezam Jornalista Gestora Estadual MTP Edgar Soares de Melo Contador Líder Agência SEBRAE Alta Floresta MT /O - 0 Rafael Gaboardi Becker Contador Gestor Local MT /P Eneida Maria de Oliveira Administradora Diretora Executiva CRA - MT 0153 Janeiro

2 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO / JUSTIFICATIVA OBJETIVOS GERAL ESPECÍFICOS EIXOS NORTEADORES DO PROGRAMA PROJETO NEGÓCIO A NEGÓCIO VISITA TÉCNICA DE PISCICULTORES A BAIXADA CUIABANA FOTOS CURSO COMO INICIAR UMA PISCICULTURA COMERCIAL FOTOS PARANAÍTA FOTOS ALTA FLORESTA PROGRAMA NEGÓCIO CERTO RURAL FOTOS SALA DE ATENDIMENTO FOTOS MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL PORTAS ABERTAS CURSO ATENDIMENTO A CLIENTES COM CONSULTORIA FOTOS SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA FOTOS CURSO REDES ASSOCIATIVAS FOTOS CURSO E CONSULTORIA GESTÃO DE VISUAL DE LOJA FOTOS SEMINÁRIO EMPRETEC FOTOS

3 16. CONSULTORIA MODELO DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO (MEG) º ENCONTRO DE PISCICULTORES DE MATO GROSSO FOTOS ENCONTRO DE NEGÓCIOS FOTOS PARANAÍTA FOTOS ALTA FLORESTA ENCONTRO DE JORNALISTAS FOTOS CURSO E CONSULTORIA DE COMERCIALIZAÇÃO FOTOS ALTA FLORESTA FOTOS PARANAITA PROJETO BALDE CHEIO FOTOS REUNIÃO PARANAITA FOTOS REUNIÃO ALTA FLORESTA JACAREACANGA CRONOGRAMA PRIMEIRO TRIMESTRE ALTA FLORESTA PARANAITA JACAREACANGA ALTERAÇÃO DE AÇÕES DO PBA CONTRATUAL GRÁFICO DE AÇÕES REALIZADAS DEPOIMENTOS PROFISSIONAIS CONTRATADOS CONCLUSÃO

4 LISTA DE ANEXOS ANEXO I LISTA DE PRESENÇA VISITA TÉCNICA DE PISCICULTORES A BAIXADA CUIABANA.. 38 ANEXO II LISTA DE PRESENÇA CURSO COMO INICIAR UMA PISCICULTURA COMERCIAL PARANAITA ANEXO III LISTA DE PRESENÇA CURSO COMO INICIAR UMA PISCICULTURA COMERCIAL ALTA FLORESTA ANEXO IV LISTA DE PRESENÇA PROGRAMA NEGÓCIO CERTO RURAL ANEXO V LISTA DE PRESENÇA CURSO ATENDIMENTO AO CLIENTE ANEXO VI LISTA DE PRESENÇA CURSO REDES ASSOCIATIVAS ANEXO VII LISTA DE PRESENÇA CURSO GESTÃO DE VISUAL DE LOJA ANEXO VIII LISTA DE PRESENÇA SEMINÁRIO EMPRETEC ANEXO IX LISTA DE PRESENÇA 3º ENCONTRO DE PISCICULTORES ANEXO X LISTA DE PRESENÇA ENCONTRO DE NEGOCIO- PARANAITA ANEXO XI LISTA DE PRESENÇA ENCONTRO DE NEGOCIO- ALTA FLORESTA ANEXO XII LISTA DE PRESENÇA ENCONTRO DE JORNALISTA ANEXO XIII LISTA DE PRESENÇA CURSO TÉCNICAS EM COMERCIALIZAÇÃO- PARANAITA ANEXO XIV LISTA DE PRESENÇA CURSO TÉCNICAS EM COMERCIALIZAÇÃO ALTA FLORESTA 67 ANEXO XV - MATÉRIAS PUBLICADAS EM IMPRENSA LOCAL

5 1. INTRODUÇÃO / JUSTIFICATIVA O Programa de Apoio à Reinserção e Fomento das Atividades Econômicas Locais faz parte do Projeto Básico Ambiental (PBA) da UHE Teles Pires, dentro do bloco de Programas Compensatórios. Este programa foi proposto no Estudo de Impacto Ambiental - EIA da Usina Hidrelétrica de Teles Pires (EPE/LEME-CONCREMAT, 2010) como prevenção e mitigação dos seguintes impactos: Dinamização da Economia Afetação de Atividades Produtivas e Perda de Postos de Trabalho A implantação da UHE Teles Pires afetará atividades atualmente desenvolvidas na Área de Impacto Direto (AID), sendo que algumas serão afetadas de forma total e definitiva, como no caso das ilhas que serão inundadas, e outras de forma parcial e temporária, exigindo uma readequação da forma como vêm sendo praticadas, como nos casos da pesca artesanal e esportiva, do garimpo fluvial de ouro e das pousadas flutuantes, atividades que poderão continuar a realizar-se com restrições impostas pela construção do barramento. Além disso, o empreendimento abrirá campo para o surgimento e a expansão de inúmeras outras atividades, em função de novas demandas de bens e serviços e pelo conjunto das condições emergentes. Nesse contexto, além da mitigação dos impactos negativos e da otimização dos positivos, será necessário contribuir para a habilitação de empreendedores e micro e pequenas empresas locais para o aproveitamento das oportunidades de negócios, bem como treinar e capacitar os trabalhadores das atividades parcialmente afetadas, para que elas tenham solução de continuidade nas novas condições. As ações a serem implementadas neste Programa são direcionadas para introduzir e disseminar a cultura empreendedora como base do desenvolvimento local. Deste modo, estarão concentradas em atividades que visam, de um lado, difundir os conceitos e a organização institucional, e, de outro, implementar a base técnico-operacional. Por outro lado, ações que contribuem para a reinserção das atividades econômicas locais também são propostas, tais como a capacitação de pescadores profissionais e trabalhadores do garimpo fluvial. A preocupação em proporcionar aos municípios de Paranaíta, Jacareacanga e Alta Floresta um plano de desenvolvimento sustentável no qual fosse possível engajar a comunidade para o planejamento de suas ações, de construir um processo de confiança entre a empresa, a comunidade e as demais organizações envolvidas no processo de desenvolvimento da região, levou a Companhia Hidrelétrica Teles Pires a buscar condições favoráveis para essa estruturação, junto ao SEBRAE/MT. 5

6 O SEBRAE/MT, entidade associativa, de direito privado, sem fins lucrativos, instituída sob a forma de Serviço Social Autônomo, com sua experiência e conhecimento nas áreas de empreendedorismo, gestão de negócios e desenvolvimento territorial, apresenta uma metodologia de trabalho visando as melhores práticas da sustentabilidade, inovação e mercado. 2. OBJETIVOS 2.1. GERAL Promover o desenvolvimento econômico e social sustentável da região de influência direta da UHE Teles Pires-MT, buscando mitigar os impactos negativos e otimizar os positivos decorrentes da implantação do projeto ESPECÍFICOS Proporcionar à população em geral, bem como aos empreendedores, produtores rurais, pescadores profissionais, micro e pequenas empresas, empreendedores individuais e trabalhadores da atividade de garimpo fluvial de ouro as melhores condições de adequação econômica e social às novas condições criadas com a formação do reservatório da UHE Teles Pires Fomentar o empreendedorismo e capacitar os empreendedores locais para as novas oportunidades de negócios que surgirão em decorrência da dinamização econômica dos municípios de Paranaíta, Jacareacanga e Alta Floresta, tendo como público-alvo preferencial as micro e pequenas empresas, empreendedores individuais e produtores rurais Fomentar a cultura da cooperação Contribuir para o desenvolvimento dos fornecedores locais com o objetivo de capacitar, promover e assessorar empresas fornecedoras tanto do empreendimento como de outras instituições e, consequentemente, contribuir para o desenvolvimento local e regional 3. EIXOS NORTEADORES DO PROGRAMA O Programa se desenvolverá a partir dos seguintes grandes eixos norteadores: Capacitação Tecnologia e inovação Acesso a mercados 6

7 Informação Estímulo ao empreendedorismo Articulação para implemento de políticas públicas Acesso ao crédito Estímulo à cultura da cooperação 4. PROJETO NEGÓCIO A NEGÓCIO O SEBRAE, com o objetivo de alavancar os negócios dos Empreendedores Individuais (EI) e das Microempresas (ME), desenvolveu projetos destinados exclusivamente a estes públicos. Negócio a Negócio proporciona aos clientes contatos presenciais diretos com o SEBRAE, facilitando a conexão entre os interessados. Com essa iniciativa é possível estabelecer um vínculo de atendimento continuado, possibilitando o apoio para o crescimento da empresa e o desenvolvimento empresarial do proprietário. O projeto prevê atuação ativa de consultores do SEBRAE nas empresas. Por meio de três visitas, fazem um levantamento geral de informações da realidade empresarial, apresentam um diagnóstico do negócio e traçam um plano de ação para cada empreendimento. A partir daí, os consultores encaminham o empresário à consultoria ou à capacitação necessária, adequados para cada realidade. O projeto teve início no Município de Paranaíta e Alta Floresta, no dia e no dia foi encerrado com 450 atendimentos, dando um total de 150 empresas atendidas/beneficiadas por essa ação. 5. VISITA TÉCNICA DE PISCICULTORES A BAIXADA CUIABANA Buscando desenvolver o negócio da piscicultura da região, sob o aspecto da cooperação, foi realizada, no período de a , uma visita técnica para conhecer a forma de organização e o sistema produtivo de propriedades. Foram visitados frigorífico, fábrica de ração, Mercado do Peixe e empreendimentos rurais da baixada Cuiabana, focados na produção e processamento de peixes, suas normas, exigências legais, pontos positivos e gargalos inerentes à produção. Participaram dessa visita, 29 Piscicultores da região de Alta Floresta e Paranaíta. 7

8 5.1. FOTOS 6. CURSO COMO INICIAR UMA PISCICULTURA COMERCIAL O curso Como Iniciar uma Piscicultura Comercial, foi realizado no município de Paranaíta, nos dias 28 e , e em Alta Floresta, dias 30 e O objetivo foi o de fornecer aos potencias piscicultores diretrizes para o correto início da atividade, abordando os aspectos legais, técnicos e comerciais. Em Paranaíta, o curso contou com a presença de 22 participantes e, em Alta Floresta, o público totalizou 28 pessoas. Foi abordado o seguinte conteúdo: 8

9 Parte Teórica Plano de negócios da piscicultura aspectos básicos Aspectos legais da piscicultura regularização da atividade no MT Sistemas de criação de peixes viveiros/tanques-rede/sistemas intensivos Sistemas produtivos graus de intensividade Princípios de construção de viveiros e represas Espécies de peixes Análise econômica da piscicultura Qualidade de água na piscicultura Controles na piscicultura Princípios de alimentação e nutrição de peixes Manejo em piscicultura Mercado e comercialização de peixes Parte Prática Aspectos básicos de manejo (alimentação, despesca, etc.) Medição de qualidade de água 6.1. FOTOS PARANAÍTA 9

10 6.2. FOTOS ALTA FLORESTA 7. PROGRAMA NEGÓCIO CERTO RURAL Nos últimos anos, os produtores rurais brasileiros tornaram-se verdadeiros campeões em produtividade, conquistando lugar de destaque no cenário mundial de produção de alimentos. No entanto, essa competência demonstrada na produção precisa ser transferida à gestão das propriedades rurais, por meio dos registros contábeis, na análise das despesas e receitas da atividade, no controle do desperdício e outros aspectos. Só a gestão eficiente da propriedade garantirá bons negócios e renda para o produtor e sua família. 10

11 O Programa Negócio Certo Rural busca desenvolver novas competências e envolver a família na gestão da propriedade, capacitando-os na busca de soluções para as dificuldades do dia-a-dia, ensinando-os a avaliar oportunidades e, o mais importante, buscar soluções que aumentem o lucro e gerem crescimento econômico e bem-estar para suas famílias. O programa foi realizado no período de a no Assentamento São Pedro, comunidade localizada a 40 quilômetros da cidade de Paranaíta, e contou com a participação de 14 propriedades rurais, com 22 representantes. Os temas abordados no Programa foram: 7.1. FOTOS Realizar um diagnóstico detalhado da sua propriedade Identificar as potencialidades e deficiências da sua propriedade Identificar e discutir sobre as principais atividades produtivas da sua região Identificar novas ideias de negócio a partir de sua realidade e das potencialidades da região Realizar a busca de informações para avaliar as ideias Descrever detalhadamente o negócio escolhido Levantar o capital necessário para viabilizar o negócio Identificar os pontos fortes e fracos, as oportunidades e as ameaças do negócio escolhido Verificar se a nova idéia de negócio ou atividade principal de sua propriedade pode ser lucrativa e trazer melhor qualidade de vida para você e sua família Planejar a melhoria das atividades atuais ou a sua nova ideia de negócio Construir o plano de negócio da atividade escolhida 11

12 8. SALA DE ATENDIMENTO Com o objetivo de ampliar o apoio à comunidade empreendedora de Paranaita, o SEBRAE estruturou, na sede da Companhia Hidrelétrica Teles Pires, a Sala de Atendimento aos Empresários e Empreendedores, com atividades iniciadas em setembro de 2012, oferecendo um conjunto de serviços, adequados à demanda local, especialmente informações empresariais para iniciar o próprio negócio e inscrições para as capacitações realizadas. A Sala de Atendimento vem recebendo uma média de cinco empreendedores por dia, número considerado alto, porém justificado pelo momento de aquecimento econômico que o município vive FOTOS 9. MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Microempreendedor Individual (MEI) é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário. Para ser um microempreendedor individual, é necessário faturar no máximo até R$ ,00 por ano e não ter participação em outra empresa como 12

13 sócio ou titular. O MEI também pode ter um empregado contratado que receba o salário mínimo ou o piso da categoria. A Lei Complementar nº 128, de 19/12/2008, criou condições especiais para que o trabalhador conhecido como informal possa se tornar um MEI legalizado. Entre as vantagens oferecidas por essa lei está o registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), o que facilita a abertura de conta bancária, o pedido de empréstimos e a emissão de notas fiscais. Além disso, o MEI será enquadrado no Simples Nacional e ficará isento dos tributos federais (Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL). Assim, pagará apenas o valor fixo mensal de R$ 34,90 (comércio ou indústria), R$ 38,90 (prestação de serviços) ou R$ 39,90 (comércio e serviços), que será destinado à Previdência Social e ao ICMS ou ao ISS. Essas quantias serão atualizadas anualmente, de acordo com o salário mínimo. Com essas contribuições, o Microempreendedor Individual tem acesso a benefícios como auxílio maternidade, auxílio doença, aposentadoria, entre outros. O número de Empreendedores Individuais vem aumentando significativamente, sendo hoje, 50% dos clientes atendidos pelo SEBRAE, que orienta, auxilia na formalização e capacitaos para a vida empresarial. No município de Paranaíta já existem mais de 306 empreendedores Individuais e em Alta Floresta, esse número chega a PORTAS ABERTAS O SEBRAE iniciou o Programa SEBRAE Próprio, que orienta, desperta, informa e capacita o candidato a empresário para a abertura de uma empresa, abordando os principais assuntos deste processo. Foi realizado em Paranaíta, no dia ; e, em Alta Floresta, no dia O Programa teve sua finalização no dia , em Paranaíta, sendo que dos 21 participantes que iniciaram o programa, somente 02 concluíram a etapa final da Consultoria de Viabilidade da Empresa. Em Alta Floresta, o término foi no dia , e dos 13 participantes que iniciaram, 04 chegaram à fase final da consultoria. Portas abertas - É o primeiro contato com o Próprio. Nesse ponto, o futuro empresário conhece o programa e é informado sobre como o SEBRAE pode auxiliá-lo na descoberta do melhor caminho a seguir com o negócio. Despertando o empresário - O futuro da empresa depende dos cuidados de seu dono. O perfil e o talento do futuro empresário são fundamentais para o sucesso do negócio. Esse módulo ajuda na reflexão sobre as características comportamentais e despertar o potencial empreendedor. 13

14 Coletando informações - O empresário constrói um roteiro de coleta de informações para dar subsídio consistente à elaboração do plano de negócios. É um passo importante, que ajuda a solidificar o projeto. Conhecendo o negócio - O empreendedor deve organizar as informações coletadas, tendo em vista o cenário do futuro negócio, o que lhe proporciona visão mais clara e consistente para a discussão na consultoria de viabilidade. Consultoria de viabilidade - O futuro empresário é atendido por um consultor e orientado com relação a decisões fundamentais para o sucesso de seu empreendimento. Com as informações levantadas, o consultor realiza simulações e ajudar a analisar a viabilidade do negócio. Registro da empresa - O SEBRAE auxilia com a parte burocrática, agilizando o processo e permitindo que a empresa seja registrada e abra as portas rapidamente. 11. CURSO ATENDIMENTO A CLIENTES COM CONSULTORIA O curso Atendimento ao Cliente propicia aos participantes o desenvolvimento de competências para o trabalho do bom relacionamento com o cliente. O curso foi realizado no município de Paranaíta, no período de 08 a , e contou com a participação de 15 empresas, com 31 pessoas. Todas as empresas receberam consultoria complementar ao curso FOTOS 14

15 12. SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA Nos dias 18 e foi realizada, em Alta Floresta, um evento integrante da agenda da Semana Nacional de Ciências e Tecnológica, destinado a sensibilizar empreendedores e à comunidade em geral, para a importância desse tema na vida dos negócios. Foram realizadas: 03 PALESTRAS MAGNAS: 1 - Sustentabilidade nos Negócios, apresentando as possibilidades de empreender, de forma sustentável, com a consultora Fernanda Simioni. 2 - Caso de Sucesso da empresa Mandara - Frutas de Bolso, com o empresário SÉRGIO Luis Messias da Silva, uma opção de lanche rápido e saudável para a correria do dia a dia. 3 - Caso de Sucesso da empresa Chamma da Amazônia (A Perfumaria da Amazônia) com a empresária, Maria Fátima Chamma Farias, que produz cosméticos à base de essência da Amazônia. 12 CLÍNICAS TECNOLÓGICAS: Eixo Urbano Alimentos Seguro Redes sociais Visual Merchandising Marcas e Patentes Startup, Modelagem na confecção Design de cabelo e maquiagem Eixo Rural Piscicultura Hortaliças Galinha Caipira 10 MOSTRA DE TECNOLOGIAS SOCIAIS Iscas para piolho de cobra em hortas 15

16 Substrato para hortaliças Micro-organismos para compostagem Irrigação com pet Chá para atrair insetos Câmara úmida para clonagem de café Repelente à base de ervas Bebedouros para pequenos e grandes animais Misturador de ração MARATONA SUSTENTÁVEL Dinâmica, para envolver os participantes, de forma participativa e lúdica, no processo de conscientização e estímulo às práticas sustentáveis FOTOS 16

17 13. CURSO REDES ASSOCIATIVAS Na Visita Técnica de Piscicultores à Baixada Cuiabana (item 4) os piscicultores se conscientizaram da necessidade de união do grupo para a estruturação do setor, especialmente no aspecto mercadológico, onde a competitividade depende de estratégias rígidas de gestão e cooperação. A produção de peixe na região está em escala crescente, no entanto, o setor está desorganizado. Muitos piscicultores têm produção altíssima, porém não desenvolveram relacionamento seguro com o mercado comprador, nem tampouco agregam valor à produção, via industrialização. Para iniciar uma abordagem sobre esta realizada, de forma instrutiva, foi realizado, no período de a 08.09, o Curso Redes Associativas e consultoria de implantação de cooperativa. O Curso contou com a participação de 21 piscicultores, que trabalharam o seguinte conteúdo: Cooperação Participação Associativismo Cooperativismo Visão geral sobre as características das pessoas jurídicas de direito privado Planejamento estratégico Definição do negocio do empreendimento coletivo Definição de princípios e valores do grupo Importância de um objetivo comum para as ações do grupo Missão compartilhada Visão do futuro Direções estratégicas para o empreendimento coletivo Obstáculos internos e externos que obstruem o sucesso do empreendimento coletivo Plano de ação para o empreendimento coletivo Como resultado efetivo deste trabalho, por decisão do grupo, no dia , foi constituída a Cooperativa dos Piscicultores da Região do Portal da Amazônia, com a participação inicial de 27 cooperados. A cooperativa já está formada e os cooperados estão se 17

18 mobilizando na busca de recursos para implantação/construção de um frigorífico, principal gargalo hoje para a distribuição do pescado FOTOS 14. CURSO E CONSULTORIA GESTÃO DE VISUAL DE LOJA Foi realizado no período de a , em Paranaíta, o Curso Gestão de Visual de Loja, com o objetivo de auxiliar os participantes a desenvolverem técnicas eficientes de exposição de produtos e a torná-los mais cômodos, agradáveis e atraentes aos olhos dos clientes. O curso contou com a participação de 26 pessoas. Foram realizadas consultorias em 15 empresas, que puderam ter acesso aos seguintes temas: Ampliando o conceito de vitrines Técnicas de exposição de produto O processo de montagem de vitrine O planejamento do visual da loja 18

19 14.1. FOTOS 15. SEMINÁRIO EMPRETEC O seminário foi realizado em Paranaíta, no período de 05 a O Empretec é uma metodologia desenvolvida pela Organização das Nações Unidas (ONU), ministrada no Brasil com exclusividade pelo SEBRAE. Reúne quase vinte mil empresários por ano, com resultados excelentes. Pesquisas comprovam que os negócios tocados por quem fez o seminário têm mais chances de sobrevivência, pois o empreendedor ganha poder de competitividade e permanência no mercado. O participante estuda as características do comportamento empreendedor e tem oportunidade de vivenciar fortes mudanças comportamentais, revendo conceitos e atitudes. A capacitação une aspectos da conduta empresarial e exercícios práticos que aperfeiçoam as habilidades do empreendedor na criação e condução de negócios. Oferece assistência técnica na elaboração ou ajuste de plano de negócios, envolvendo aspectos de mercado, tecnologia, informação, administração e finanças. Para participar do seminário é necessário verificar o perfil empreendedor do candidato, que é submetido à entrevista focada e individualizada, para depois realizar a inscrição. Nesse processo, foram realizadas 76 entrevistas, das quais, 34 candidatos estiveram aptos a fazer o seminário, 31 fizeram a inscrição, 29 iniciaram e 22 concluíram a capacitação. Os participantes 19

20 selecionados foram empresários e futuros empresários, que tiveram contato com os seguintes temas: Característica Empreendedora; Busca de Oportunidade Persistência Comprometimento Qualidade e eficiência Riscos calculados Estabelecimentos de metas Busca de informações Planejamento e monitorando sistemático Persuasão e rede de conatos Independência e autoconfiança FOTOS 20

21 16. CONSULTORIA MODELO DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO (MEG) Modelo de Excelência da Gestão Uma visão sistêmica da gestão organizacional O Modelo de Excelência da Gestão (MEG) é baseado em 11 fundamentos e oito critérios. Como fundamentos podemos definir os pilares, a base teórica de uma boa gestão. Esses fundamentos são colocados em prática por meio dos oito critérios. São eles: Fundamentos: pensamento sistêmico; aprendizado organizacional; cultura de inovação; liderança e constância de propósitos; orientação por processos e informações; visão de futuro; geração de valor; valorização de pessoas; conhecimento sobre o cliente e o mercado; desenvolvimento de parcerias e responsabilidade social. Critérios: liderança, estratégias e planos, clientes, informações e conhecimento, processos e resultados. A figura representativa do MEG simboliza a organização, considerada como um sistema orgânico e adaptável ao ambiente externo. O MEG é representado pelo diagrama acima, que utiliza o conceito de aprendizado segundo o ciclo de PDCA (Plan, Do, Check, Action). 21

22 Durante o mês de outubro, foi aplicado o MEG, no município de Paranaíta para 10 empresas: Drogaria Paranaíta Farmácia Nova Vida Restaurante Charolês Drogaria Vitallis Drogaria Universal Hotel Rios MT Construção Maré Alta Caça e Pesca Biofarma Aliança Variedades 17. 3º ENCONTRO DE PISCICULTORES DE MATO GROSSO Uma outra ação dirigida aos piscicultores da região, foi a caravana para participação do 3º Encontro de Piscicultores de Mato Grosso, realizado em Cuiabá, no dia O Encontro tratou das perspectivas da piscicultura no Estado de Mato Grosso, das boas práticas na produção de peixes, falou da importância da assistência técnica especializada para o setor, apresentou o resultado da pesquisa com peixes nativos em Mato Grosso e também apresentou casos de sucesso. Participaram do evento, 270 piscicultores do Estado, sendo que 26 foram de Alta Floresta e Paranaíta FOTOS 22

23 18. ENCONTRO DE NEGÓCIOS O I Encontro de Negócios foi realizado em Paranaíta e Alta Floresta, nos dias 03 e , respectivamente. O evento buscou proporcionar a aproximação entre a produção o mercado comprador, por meio de contatos presenciais, valorizando as empresas/instituições e a relação com a produção local. O evento serviu como uma capacitação importante para entendimentos básico, especialmente aos produtores rurais, sobre as regras de compra (padrão, volume e frequência). Também foi a oportunidade para as micro e pequenas empresas falaram diretamente com médios e grandes compradores, sendo empresas e instituições públicas. Em Paranaíta, o evento reuniu 21 empresas compradoras, demandantes, e 38 empresas/produtores rurais como ofertantes. Em Alta Floresta, o público presente foi de 20 empresas demandantes e 25 empresas/produtores ofertantes FOTOS PARANAÍTA 23

24 18.2. FOTOS ALTA FLORESTA 24

25 19. ENCONTRO DE JORNALISTAS O Encontro de Jornalista é um evento tradicional, realizado anualmente pelo SEBRAE, nas regionais do Estado. O objetivo é o de estreitar o relacionamento com os profissionais de mídias, grandes parceiros no fomento do empreendedorismo, e ofertar capacitações específicas para os participantes. A Companhia Hidrelétrica Teles Pires foi parceira na realização do evento, dia 11 de dezembro, em Alta Floresta, que teve como palestrante o jornalista Ailton Segura, sobre o tema: Jornalismo como processo de desenvolvimento regional. O encontro contou com a participação de 30 pessoas, entre profissionais de comunicação de Alta Floresta e Paranaíta FOTOS 20. CURSO E CONSULTORIA DE COMERCIALIZAÇÃO Como ação sequencial, focando capacitação em mercado, para o público participante dos Encontros de Negócios, foi realizado o curso Comercialização, no período de 21 a , em Alta Floresta e no período de a , em Paranaíta. A comercialização compreende toda a extensão da cadeia produtiva, constitui uma etapa fundamental do processo de sustentabilidade dos negócios. 25

26 Curso apresentou os seguintes conceitos: Organização do processo produtivo Construção dos custos de produção Produto básico, real, ampliado Análise do Produto 4 Ps Logística Embalagem Marca Mercado Canais de Comercialização Planejamento da Comercialização Estratégias de Comercialização Licitação, Carta convite - Novas modalidades de Negócios Formalidades necessárias para atender empresas Públicas e Grandes Empresas O que é uma empresa Construção do Plano de negócios O Curso contou com a participação de 19 empresas nos dois municípios, com 27 participantes em Alta Floresta e 36 em Paranaíta. Todas as empresas receberam consultorias FOTOS ALTA FLORESTA 26

27 20.2. FOTOS PARANAITA 21. PROJETO BALDE CHEIO O projeto Balde Cheio é uma metodologia desenvolvida pela Embrapa Sudeste e sua implantação no município necessita do apoio da Prefeitura, portanto, o início desta atividade foi adiado, para janeiro de 2013, em função do período eleitoral. No dia , foi realizada uma reunião, entre a direção do SEBRAE e Companhia Hidrelétrica Teles Pires, com o Prefeito e Secretários de Paranaíta. No dia , a mesma reunião foi realizada com o Prefeito e Secretários de Alta Floresta, para definição de parcerias, papeis de cada um para implementação do projeto. Nos dois municípios, Paranaíta e Alta Floresta, serão atendidas inicialmente 80 propriedades. Os trabalhos terão início no mês de março de

28 21.1. FOTOS REUNIÃO PARANAITA FOTOS REUNIÃO ALTA FLORESTA 28

29 22. JACAREACANGA O Sebrae/MT realizou uma visita na cidade de Jacareacanga, no período de 26 a 28 de junho, de 2012, juntamente com a equipe da Companhia Hidrelétrica Teles Pires, como forma de conhecer a realidade local, ambiência para o fomento ao empreendedorismo e identificação de instituições empresariais existentes. É de conhecimento público que a realidade de Jacareacanga traz uma composição cultural e geográfica bastante diversa, com predominância de grupos indígenas no município e dificuldades de acesso, especialmente em períodos de chuva. Tais fatores impactam no status quo no município, empregando um ritmo imprevisível na vida da cidade. Esse componente impede que se estabeleça um cronograma rígido de trabalho, que, ora pode ser afetado por conflitos reais, como os que ocorreram no início de julho, ou por ameaças de conflitos, prática adota em comunidades com estas características, como forma de pressão e barganhas para atender as suas demandas. Durante a visita do Sebrae/MT foram feitas reuniões, inclusive com o prefeito, lideranças políticas, além de apresentações dos objetivos macros dos programas P.37 e P.38. O passo seguinte, dado pelo Sebrae, foi o de iniciar tratativas operacionais, com o Sebrae Pará, considerando a limitação legal de cada Sebrae, que só pode atuar no seu próprio estado de jurisdição. Este processo exigiu tempo de entendimentos da proposta, análise sobre os meios legais de transferência de recursos, aprovações pelo corpo diretivo e técnico dos Sebrae, que culminaram com a efetivação de um convênio e plano de trabalho, com vigência a partir de janeiro de

30 23. CRONOGRAMA PRIMEIRO SEMESTRE ALTA FLORESTA DESCRIÇÃO FEV MAR ABR MAI JUN JUL CEB Consultoria Empresarial Básica 18 A 22 X X X Oficina de estímulo às Compras Governamentais 07 Árvore de Negócios (P.37 e P.38) X X X X X Participação em Feira X Formalização de Empresas - Orientação X X X X X X Plano de Negócios X X Seminário de Desenvolvimento Local 20 Consultoria de viabilidade para implantação do Fórum de Desenvolvimento Regional (essa ação depende do resultado do Seminário de Desenvolvimento Local) Seminário de Soluções Financeiras X X X X X Programa Balde Cheio X X X X X PARANAÍTA DESCRIÇÃO FEV MAR ABR MAI JUN JUL Oficina de Compras Governamentais 11 Curso Controles Financeiros. 25/02 a 01/03 Árvore de Negócios (P.37 e P.38) X X X X X Curso Técnicas de Negociação 11 a 15 Participação em Feira X Formalização de Empresas - Orientação X X X X X X 30

31 Seminário de Desenvolvimento Local 19 Consultoria de viabilidade para implantação do Fórum de Desenvolvimento Regional (essa ação depende do resultado do Seminário de Desenvolvimento Local) Seminário de Soluções Financeiras X X X X X Programa Balde Cheio X X X X X JACAREACANGA DESCRIÇÃO P.37 / P.38 FEV MAR ABR MAIO JUN JUL Seminário de Lançamento X Diagnóstico Socioeconômico X X X X X Cursos e Palestras X X X X X ALTERAÇÃO DE AÇÕES DO PBA CONTRATUAL AÇÕES EXCLUIDAS Fundo Regional de Financiamento Sociedade de Garantia de Crédito Estímulo a Compras Governamentais Seminário Fomenta Consultoria AÇÕES INCLUIDAS EM ALTA FLORESTA Seminário de Desenvolvimento Local Seminário de Soluções Financeiras 31

32 Programa Balde Cheio AÇÕES INCLUIDAS EM PARANAÍTA Seminário de Desenvolvimento Local Seminário de Soluções Financeiras Programa Balde Cheio 24. GRÁFICO DE AÇÕES REALIZADAS 32

33 25. DEPOIMENTOS Com a vinda da Companhia Hidrelétrica Teles Pires a sociedade esta se beneficiando com as melhorias de infraestrutura, campanhas sociais, capacitações e outras ações que estão sendo realizadas. Quanto ao SEBRAE, contratado pela CHTP, esta trazendo muitas contribuições aos 33

34 empresários e empreendedores locais. Tenho visto uma melhora no atendimento, na administração, no layout de alguns comércios que participaram das capacitações. Participei do Seminário Empretec, nota dez. Uma ferramenta fantástica, que além de grandes conhecimentos, proporcionou uma grande integração dos empresários, que não existia. O Empretec me ajudou a estabelecer metas e a planejar, tanto na vida pessoal como na empresarial, que antes não fazia. Hoje, tenho uma nova visão de mercado e também uma autoestima renovada. Carlos Eduardo Mateos da Rocha, Secretário de Esportes e proprietário do supermercado São Luiz, em Paranaíta. "Na primeira oportunidade, participei do curso Inicialização de uma Piscicultura Comercial, promovido pelo SEBRAE, com apoio da Companhia Hidrelétrica Teles Pires. Mesmo já trabalhando na área, procuro sempre aumentar os conhecimentos, sanar dúvidas relativas a uma melhor organização e planejamento na construção dos projetos dos tanques escavados, alimentação, controle de doenças e comercialização dos peixes. Fizemos uma viagem a Cuiabá, com a mesma parceira. Nesta visita técnica a outras propriedades que estavam trabalhando a Piscicultura na Baixada Cuiabana, tivemos a oportunidade de conhecer locais de práticas de pisciculturas bem antigas, sem as devidas licenças dos órgãos fiscalizadores, e aprender com os erros dos colegas daquela região, para que possamos aprimorar cada vez mais nosso empreendimento. Efetuamos visita em uma fábrica de ração para peixes, onde aprendemos a importância de alimentar nossos peixes com rações de qualidade e sabor. Visitamos também uma piscicultura de grande porte, seguindo toda a legislação dos órgãos competentes, que com certeza servirá de modelo para conseguirmos almejar grandes metas. Fomos visitar um frigorífico de pescados e ver a importância de transformar o peixe, para que facilite a venda aos consumidores. Diante tal situação, identificamos a necessidade de unir a classe dos piscicultores, de trabalharmos juntos para conseguirmos alguns benefícios, surgindo a ideia de montar uma cooperativa. Fomos orientados a participar de um Curso de Cooperativismo, para que todos os interessados pudessem entender o que era e como funcionava uma cooperativa. Esse curso gerou subsidio para iniciar nossa caminhada para fundação da cooperativa dos Aquicultores do Portal da Amazônia. 34

35 Gostaria de agradecer ao SEBRAE e à Companhia Hidrelétrica Teles Pires pela iniciativa e realização desses eventos, que vem fortalecer a classe produtiva da piscicultura na região norte do Mato Grosso". Claudecí dos Santos, Piscicultor. Depois da implantação da Usina, tive a oportunidade de abrir meu próprio negócio, um hotel, com 21 apartamentos e que, devido ao grande movimento gerado pela obra, encontrava-se sempre lotado. Já estou finalizando a ampliação de mais 09 quartos. Hoje, meu hotel tem 30 apartamentos e tenho necessidade de uma nova ampliação, pois não estou dando conta da demanda. A economia de Paranaíta mudou drasticamente devido esse movimento. Não tenho dúvida, a maioria do comércio que estava fechado ou destruído, agora está voltando, com nova infraestrutura, fora o número de novas empresas que foram abertas. O SEBRAE esta trazendo cursos para a cidade. É visível a melhora da parte administrativa, atendimento e layout das empresas. Diante de tudo isso, Paranaíta só teve ganhos e deve aproveitar as oportunidades, nesses dois anos que restam para finalização do empreendimento, para buscar se fortalecer e seguir como um município desenvolvido. Eder Pereira, proprietário do Hotel Rios. 26. PROFISSIONAIS CONTRATADOS Gelsi Siviero Suporte Operacional ao Projeto Carlos Augusto Guimarães Baião Suporte Técnico ao Projeto José Nesello Elaboração Diagnóstico 35

36 Cleide Aparecida da Silva Realização do Programa Próprio Marcondes Santos Curso Atendimento ao Cliente Heverton Silveira Vargas Realização do Curso Redes Associativas Camila Rossi Suporte Operacional ao Projeto Alsemir Castro dos Santos Empretec Luiz Antonio Fescina Junior Empretec Rafael de Castro Farias Empretec Glaucinei Realto Negócio Certo Rural Francisco Chagas Curso Como Iniciar uma Piscicultura Comercial Maria Ângela Curso Gestão de Visual de Loja Gelsi Siviero Curso de Comercialização Anderson Charles Aplicação MEG Ailton Segura Encontro de Jornalista 27. CONCLUSÃO As ações aqui elencadas, de forma resumida, em forma de relatório, não podem expressar e ou dimensionar os ganhos totais percebidos por quem atua no dia a dia do programa. O trabalho do SEBRAE traz, na sua essência, a possibilidade de ver acontecer transformações na vida das pessoas e das comunidades, mesmo que essas mudanças representem apenas um novo jeito de enxergar a realidade e as possibilidades. E são essas transformações que vão formando um novo amálgama social, vão dando vida às oportunidades e ao desenvolvimento. No período de trabalho aqui descrito, foram eleitas ações que mais se adequavam à demanda urgente dos municípios de Paranaíta e Alta Floresta, detectadas com a vivência presencial de técnicos nos municípios, focando com exclusividade as demandas existentes. Algumas vezes, as ações programadas na proposta inicial sofreram adequações, para atender de forma otimizada, com recursos humanos e financeiros, ao chamado emergencial da comunidade de empreendedores, evitando assim o desperdício de recursos financeiros e humanos. Foram várias capacitações em temas relevantes para a melhoria da performance empresarial, com destaque ao Empretec, seminário de alto padrão de conteúdo e metodologia, disponibilizado aos empreendedores de Paranaíta, com custos do programa, sem qualquer ônus aos participantes. Não teriam eles certamente esta oportunidade se a Companhia Hidrelétrica Teles Pires não estivesse atenta e disposta a oferecer o que há de melhor na sua relação com a comunidade, por meio de seus programas compensatórios. 36

37 Este período de trabalho pode ser avaliado então como produtivo, com bons resultados de aprendizado e de negócios, muito embora o conhecimento seja uma métrica intangível. A agenda de trabalho já estruturada para este novo semestre traz uma vasta gama de ações, as quais pretendemos cumprir, propiciando ampliar ainda mais esta relação de ganhos com a comunidade, seja para o Sebrae, seja para Companhia Hidrelétrica Teles Pires, pois ambos apostam no progresso e no desenvolvimento municipais. Todos buscamos e estamos comprometidos com a competitividade dos negócios, uma melhor qualidade de vida aos cidadãos e isso é a síntese deste desenvolvimento. 37

38 ANEXO I LISTA DE PRESENÇA VISITA TÉCNICA DE PISCICULTORES A BAIXADA CUIABANA 38

39 39

40 ANEXO II LISTA DE PRESENÇA CURSO COMO INICIAR UMA PISCICULTURA COMERCIAL PARANAITA 40

41 41

42 ANEXO III LISTA DE PRESENÇA CURSO COMO INICIAR UMA PISCICULTURA COMERCIAL ALTA FLORESTA 42

43 43

44 ANEXO IV LISTA DE PRESENÇA PROGRAMA NEGÓCIO CERTO RURAL 44

45 45

46 ANEXO V LISTA DE PRESENÇA CURSO ATENDIMENTO AO CLIENTE 46

47 47

48 ANEXO VI LISTA DE PRESENÇA CURSO REDES ASSOCIATIVAS 48

49 49

50 ANEXO VII LISTA DE PRESENÇA CURSO GESTÃO DE VISUAL DE LOJA 50

51 51

52 ANEXO VIII LISTA DE PRESENÇA SEMINÁRIO EMPRETEC 52

53 53

54 54

55 55

56 ANEXO IX LISTA DE PRESENÇA 3º ENCONTRO DE PISCICULTORES 56

57 57

58 ANEXO X LISTA DE PRESENÇA ENCONTRO DE NEGOCIO- PARANAITA 58

59 59

60 ANEXO XI LISTA DE PRESENÇA ENCONTRO DE NEGOCIO- ALTA FLORESTA 60

61 61

62 62

63 ANEXO XII LISTA DE PRESENÇA ENCONTRO DE JORNALISTA 63

64 64

65 ANEXO XIII LISTA DE PRESENÇA CURSO TÉCNICAS EM COMERCIALIZAÇÃO- PARANAITA 65

66 66

67 ANEXO XIV LISTA DE PRESENÇA CURSO TÉCNICAS EM COMERCIALIZAÇÃO- ALTA FLORESTA 67

68 68

69 ANEXO XV - MATÉRIAS PUBLICADAS EM IMPRENSA LOCAL 69

70 70

71 71

72 72

73 73

74 74

75 P.37 - Programa de Apoio à Reinserção e Fomento das Atividades Econômicas Locais 75

76 76

77 77

78 78

PROJETO BÁSICO AMBIENTAL UHE TELES PIRES

PROJETO BÁSICO AMBIENTAL UHE TELES PIRES PROJETO BÁSICO AMBIENTAL UHE TELES PIRES P.38 - Programa de Apoio a Revitalização e incremento da Atividade de Turismo Relatório Semestral de Atividades Realizadas EQUIPE TÉCNICA RESPONSÁVEL PELO DESENVOLVIMENTO

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

PROJETO BÁSICO AMBIENTAL UHE SÃO MANOEL

PROJETO BÁSICO AMBIENTAL UHE SÃO MANOEL PROJETO BÁSICO AMBIENTAL UHE SÃO MANOEL Programa de Apoio à Reinserção e Fomento das Atividades Econômicas Locais CONTROLE DE REVISÃO CÓDIGO REVISÃO DATA P00.SM-032/14 00 30/01/2014 P00.SM-032/14 01 30/04/2014

Leia mais

Sede Sebrae Nacional

Sede Sebrae Nacional Sede Sebrae Nacional Somos o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresa, uma entidade privada sem fins lucrativos, e a nossa missão é promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável

Leia mais

DESCUBRA O PODER DO CONHECIMENTO PARA VOCÊ E SUA EMPRESA. PROGRAMAÇÃO 2015

DESCUBRA O PODER DO CONHECIMENTO PARA VOCÊ E SUA EMPRESA. PROGRAMAÇÃO 2015 DESCUBRA O PODER DO CONHECIMENTO PARA VOCÊ E SUA EMPRESA. PROGRAMAÇÃO 2015 OFICINA: COMO USAR UM BLOG PARA A SUA EMPRESA DATA: 30/JAN INVESTIMENTO: R$ 30,00 CARGA HORÁRIA: 3 HORAS OFICINA: COMO ABRIR UMA

Leia mais

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com. AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.br COM O SEBRAE, O SEU NEGÓCIO VAI! O Sebrae Goiás preparou diversas

Leia mais

A Feira do Empreendedor 2014 em São Paulo faz parte de um circuito de feiras que será realizado em vários estados da federação.

A Feira do Empreendedor 2014 em São Paulo faz parte de um circuito de feiras que será realizado em vários estados da federação. 1 A Feira do Empreendedor é um evento de sucesso promovido pelo SEBRAE-SP, com o objetivo de oferecer informação, conhecimento e oportunidade para empresários e futuros empreendedores. A Feira do Empreendedor

Leia mais

Projeto Básico Ambiental (PBA) UHE Teles Pires

Projeto Básico Ambiental (PBA) UHE Teles Pires UHE Teles Pires P.37 - Programa de Apoio à Reinserção e Fomento das Atividades Econômicas Locais Equipe Responsável pela Elaboração do Programa Responsável Registro Cadastro Técnico Profissional Federal

Leia mais

Apresentação. - Palestrante Quem é? - Sebrae O que é? - Atendimento à Indústria? - Carteira de Alimentos? Sorvetes?

Apresentação. - Palestrante Quem é? - Sebrae O que é? - Atendimento à Indústria? - Carteira de Alimentos? Sorvetes? Apresentação - Palestrante Quem é? - Sebrae O que é? - Atendimento à Indústria? - Carteira de Alimentos? Sorvetes? 2 Importância dos Pequenos Negócios 52% dos empregos formais 40% da massa salarial 62%

Leia mais

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br Pequenos Negócios no Brasil Pequenos Negócios no Brasil Clique no título para acessar o conteúdo, ou navegue pela apresentação completa Categorias de pequenos negócios no Brasil Micro e pequenas empresas

Leia mais

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO CATEGORIAS TÉCNICO TECNÓLOGO TEMAS LIVRE INCLUSÃO SOCIAL COOPERATIVISMO 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO 1.1 Nome da Instituição 1.2 Nome do Reitor(a)/Diretor(a)-Geral/Diretor(a) 1.3

Leia mais

CARTILHA DA LEI GERAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO MUNICÍPIO DE CURITIBA

CARTILHA DA LEI GERAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO MUNICÍPIO DE CURITIBA CARTILHA DA LEI GERAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO MUNICÍPIO DE CURITIBA Curitiba tem se mostrado uma cidade dinâmica e de grandes oportunidades para os trabalhadores e empreendedores.

Leia mais

19 a 21 de junho de 2012. Mostra de Oportunidades de Negócios. Clube Filadélfia Rua Israel Pinheiro, 1315 Bairro São Pedro Governador Valadares

19 a 21 de junho de 2012. Mostra de Oportunidades de Negócios. Clube Filadélfia Rua Israel Pinheiro, 1315 Bairro São Pedro Governador Valadares 19 a 21 de junho de 2012 Clube Filadélfia Rua Israel Pinheiro, 1315 Bairro São Pedro Governador Valadares Mostra de Oportunidades de Negócios Visite os estandes e conheça a exposição de produtos e serviços

Leia mais

Orientações sobre Micro Empreendedor Individual

Orientações sobre Micro Empreendedor Individual Orientações sobre Micro Empreendedor Individual Micro Empreendedor individual Definição Microempreendedor Individual (MEI) é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário.

Leia mais

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DO SETOR METAL MECÂNICO DO GRANDE ABC

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DO SETOR METAL MECÂNICO DO GRANDE ABC ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DO SETOR METAL MECÂNICO DO GRANDE ABC TERMO DE REFERÊNCIA Nº 002/2009 SERVIÇOS DE CONSULTORIA DE COORDENAÇÃO DO PROJETO Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Relações Institucionais)

Leia mais

EDITAL PARA EXPOSIÇÃO DE OPORTUNIDADES NA FEIRA DO EMPREENDEDOR DO RIO DE JANEIRO Edição 2015 I DA CONVOCAÇÃO

EDITAL PARA EXPOSIÇÃO DE OPORTUNIDADES NA FEIRA DO EMPREENDEDOR DO RIO DE JANEIRO Edição 2015 I DA CONVOCAÇÃO I DA CONVOCAÇÃO SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO Sebrae/RJ, entidade associativa de direito privado, sem fins econômicos, torna público que promoverá seleção de expositores para

Leia mais

A Feira do Empreendedor 2014em São Paulo faz parte de um circuito de feiras que será realizado em vários estados da federação.

A Feira do Empreendedor 2014em São Paulo faz parte de um circuito de feiras que será realizado em vários estados da federação. 1 A Feira do Empreendedor é um evento de sucesso promovido pelo SEBRAE-SP, com o objetivo de oferecer informação, conhecimento e oportunidade para empresários e futuros empreendedores. A Feira do Empreendedor

Leia mais

PROJETO BÁSICO AMBIENTAL UHE TELES PIRES

PROJETO BÁSICO AMBIENTAL UHE TELES PIRES PROJETO BÁSICO AMBIENTAL UHE TELES PIRES P.38 - Programa de Apoio a Revitalização e incremento da Atividade de Turismo Relatório Semestral de Atividades Realizadas EQUIPE TÉCNICA RESPONSÁVEL PELO DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Guia Definitivo de Ferramentas para Micro Empreendedores Individuais

Guia Definitivo de Ferramentas para Micro Empreendedores Individuais Guia Definitivo de Ferramentas para Micro Empreendedores Individuais Introdução O Brasil já tem 4,7 milhões de microempreendedores individuais, segundo dados de janeiro de 2015 da Receita Federal. O incentivo

Leia mais

Quem tem conhecimento vai pra frente

Quem tem conhecimento vai pra frente blogdosempreendedores.com.br facadiferente.sebrae.com.br contabilidadeschmitt.com.br Fotos: Produtos do Projeto Gemas e Joias do Sebrae-PA Livro Artesanato- Um negócio genuinamente brasileiro (Sebrae,

Leia mais

Edital para Exposição de Oportunidades de Negócios na 5ª Edição da SEMANA SEBRAE DE TECNOLOGIA E INOVAÇÃO 2015 I DA CONVOCAÇÃO II DO EVENTO

Edital para Exposição de Oportunidades de Negócios na 5ª Edição da SEMANA SEBRAE DE TECNOLOGIA E INOVAÇÃO 2015 I DA CONVOCAÇÃO II DO EVENTO I DA CONVOCAÇÃO O SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SEBRAE/RJ, entidade associativa de direito privado, sem fins lucrativos, comunica e convida empresas do setor

Leia mais

REGULAMENTO. I Prêmio do Empreendedorismo Universitário

REGULAMENTO. I Prêmio do Empreendedorismo Universitário REGULAMENTO I Prêmio do Empreendedorismo Universitário 1. INTRODUÇÃO 1.1. O presente regulamento visa orientar os interessados em participar da 1.ª edição do Prêmio do Empreendedorismo Universitário, iniciativa

Leia mais

Apresentação Programas...5 Cursos... 19

Apresentação Programas...5 Cursos... 19 - SEBRAE CAPA 2011 SUMÁRIO Apresentação Programas...5 Cursos... 19 Cursos pela Internet...43 Cursos no Formato Kits Educativos...49 Consultorias... 54 Oficinas... 56 Palestras... 60 Jogos Empresariais...

Leia mais

CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS

CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS APRESENTAÇÃO Em Dezembro de 2004 por iniciativa da Federação das Indústrias do Estado do Paraná o CPCE Conselho Paranaense de Cidadania Empresarial nasceu como uma organização

Leia mais

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO Odilio Sepulcri odilio@emater.pr.gov.br www.odiliosepulcri.com.br www.emater.pr.gov.br Telefone: (41) 3250-2252 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO 1. Perfil para empreender

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DA ECONOMIA DE EUNÁPOLIS

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DA ECONOMIA DE EUNÁPOLIS PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DA ECONOMIA DE EUNÁPOLIS Eunápolis, Julho/2013 1. CONTEXTUALIZAÇÃO Eunápolis possui a terceira maior população do Extremo Sul da Bahia estimada em 102 mil habitantes, sendo

Leia mais

Conhecer o cenário de atuação de micro e pequenas empresas é fundamental para subsidiar estratégias de atuação do Sebrae junto a esses negócios.

Conhecer o cenário de atuação de micro e pequenas empresas é fundamental para subsidiar estratégias de atuação do Sebrae junto a esses negócios. Conhecer o cenário de atuação de micro e pequenas empresas é fundamental para subsidiar estratégias de atuação do Sebrae junto a esses negócios. Só assim é possível identificar oportunidades de melhorias

Leia mais

Palestra Magna 30 de julho. 31 de julho a 2 de agosto Arena Olímpica Av. Monsenhor Mancini, 775 São Sebastião do Paraíso

Palestra Magna 30 de julho. 31 de julho a 2 de agosto Arena Olímpica Av. Monsenhor Mancini, 775 São Sebastião do Paraíso Palestra Magna 30 de julho Ouro Verde Tênis Clube Av. Wenceslau Braz, 1939 - Mocoquinha 31 de julho a 2 de agosto Arena Olímpica Av. Monsenhor Mancini, 775 São Sebastião do Paraíso Mostra de Oportunidades

Leia mais

MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil

MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil Categorias de pequenos negócios no Brasil MPE Indicadores MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) Receita bruta anual de até R$ 60 mil MICROEMPRESA Receita bruta

Leia mais

O atual contexto do ambiente econômico das MPEs

O atual contexto do ambiente econômico das MPEs O atual contexto do ambiente econômico das MPEs Brasil e Minas Gerais Belo Horizonte, outubro de 2013 1 Presidente Roberto Luciano Fortes Fagundes Superintendência Geral Gilson Elesbão de Siqueira Departamento

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA nº 07/2014

CHAMADA PÚBLICA nº 07/2014 1 CHAMADA PÚBLICA nº 07/2014 Projeto de Qualificação de Credenciados de Serviços de Consultoria e Instrutoria do SEBRAE/RS Porto Alegre 2014 2 PREÂMBULO O SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

Leia mais

COMO ABRIR SEU NEGÓCIO

COMO ABRIR SEU NEGÓCIO COMO ABRIR SEU NEGÓCIO 08 a 11 de outubro de 2014 08 a 11 de outubro de 2014 Reflexão Qual o principal motivo para buscar a formalização de seu negócio? É importante lembrarmos que: Para desenvolver suas

Leia mais

Prefeito Empreendedor. Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios

Prefeito Empreendedor. Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios Prefeito Empreendedor Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios Março/2012 Expediente Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC Fernando

Leia mais

PROPOSTA DE COVÊNIO JUNTO À ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE EMPRESAS DE TECNOLOGIA - ACATE -

PROPOSTA DE COVÊNIO JUNTO À ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE EMPRESAS DE TECNOLOGIA - ACATE - PROPOSTA DE COVÊNIO JUNTO À ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE EMPRESAS DE TECNOLOGIA - ACATE - Florianópolis, 27 de Agosto de 2014 Descrição do negócio: Empresa: Desterro Soluções Empresariais EIRELI EPP, CNPJ

Leia mais

Empresas Familiares aprimoramento da governança corporativa para o sucesso do negócio

Empresas Familiares aprimoramento da governança corporativa para o sucesso do negócio Empresas Familiares aprimoramento da governança corporativa para o sucesso do negócio Nome Desarrollo de Sistemas de Gobierno y Gestión en Empresas de Propiedad Familiar en el Perú Objetivo Contribuir

Leia mais

Portfólio de Soluções. Unidade de Capacitação Empresarial Sebrae - 2014

Portfólio de Soluções. Unidade de Capacitação Empresarial Sebrae - 2014 Portfólio de Soluções Unidade de Capacitação Empresarial Sebrae - 2014 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 4 PROGRAMA SEBRAE MAIS... 5 PROGRAMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA... 10 PROJETO NA MEDIDA..14 PROJETO

Leia mais

CONHEÇA A NOSSA EMPRESA >>

CONHEÇA A NOSSA EMPRESA >> CONHEÇA A NOSSA EMPRESA >> Para se candidatar a Vaga de Promotor(a) iremos dividir por etapas a apresentação e o treinamento: Primeira Etapa: 1. Apresentação da Empresa e seus Canais de Vendas 2. Apresentação

Leia mais

TÍTULO: MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - A IMPORTÂNCIA DA FORMALIZAÇÃO

TÍTULO: MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - A IMPORTÂNCIA DA FORMALIZAÇÃO TÍTULO: MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - A IMPORTÂNCIA DA FORMALIZAÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: CIÊNCIAS CONTÁBEIS INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE RIO CLARO AUTOR(ES):

Leia mais

Incubadora de Empresas de Inovação Tecnológica UNIJUÍ

Incubadora de Empresas de Inovação Tecnológica UNIJUÍ PRÁTICA-CHAVE 2.2 AVALIAÇÃO ANEXO I Edital de Incubação EDITAL Nº 03/2014 DA CRIATEC - INCUBADORA DE EMPRESAS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA UNIJUI CAMPUS IJUÍ, PANAMBI E SANTA ROSA PARA SELEÇÃO DE PROJETOS

Leia mais

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ 2009 Índice Introdução...3 O que é Base Tecnológica?...3 O que é o Programa de Incubação?...3 Para quem é o Programa de Incubação?...4 Para que serve o

Leia mais

Resumo Aula-tema 01: As relações com as grandes empresas e com o Estado e as relações com a contabilidade e com os empregados.

Resumo Aula-tema 01: As relações com as grandes empresas e com o Estado e as relações com a contabilidade e com os empregados. Resumo Aula-tema 01: As relações com as grandes empresas e com o Estado e as relações com a contabilidade e com os empregados. Todos nós já vivenciamos casos de empreendedores, na família ou no grupo de

Leia mais

CARTILHA DO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL

CARTILHA DO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL CARTILHA DO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL MARCOS ARAÚJO Presidente do SINDSIME ÍNDICE 1 3 5 7 9 INTRODUÇÃO LEI 2 VANTAGENS COMO ME ESCREVO OBTENÇÃO DE ALVARÁ 4 OBTENÇÃO DE ALVARÁ DOCUMENTAÇÃO FISCAL 6 AMBULANTES

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO N 12.653

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO N 12.653 Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO N 12.653 Estabelece a forma de organização e regulamenta o funcionamento das unidades administrativas da Secretaria de Trabalho e Geração

Leia mais

Empresas no Desenvolvimento do Mercado Nacional PROF. LÍVIO GIOSA

Empresas no Desenvolvimento do Mercado Nacional PROF. LÍVIO GIOSA O papel das Micro e Pequenas Empresas no Desenvolvimento do Mercado Nacional PROF. LÍVIO GIOSA PROF. LÍVIO GIOSA Especialista em modelos de Gestão Empresarial Presidente do CENAM: Centro Nacional de Modernização

Leia mais

Presidente do Conselho Deliberativo Nacional Roberto Simões. Diretor-Presidente do Sebrae Luiz Barretto

Presidente do Conselho Deliberativo Nacional Roberto Simões. Diretor-Presidente do Sebrae Luiz Barretto 2012 Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae TODOS OS DIREITOS RESERVADOS A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação dos direitos autorais (Lei n.º

Leia mais

A MODA É DEIXAR A SUA LOJA MAIS ATRATIVA! Programação maio junho 2015

A MODA É DEIXAR A SUA LOJA MAIS ATRATIVA! Programação maio junho 2015 A MODA É DEIXAR A SUA LOJA MAIS ATRATIVA! Programação maio junho 2015 Marketing Oficina Na Medida: como criar uma página empresarial no facebook 19/05 (terça), das 09h30 às 12h30 Valor: R$ 70,00 Oficina

Leia mais

EDUFOR SERVIÇOS EDUCACIONAIS LTDA FACULDADE EDUCACIONAL FORTALEZA EDUFOR CURSO DE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO

EDUFOR SERVIÇOS EDUCACIONAIS LTDA FACULDADE EDUCACIONAL FORTALEZA EDUFOR CURSO DE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO EDUFOR SERVIÇOS EDUCACIONAIS LTDA FACULDADE EDUCACIONAL FORTALEZA EDUFOR CURSO DE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PROJETO DO CENTRO DE EMPREENDEDORISMO E INOVAÇÃO CEI 2013 1. APRESENTAÇÃO Ciente da necessidade

Leia mais

Esse programa visa a organização contínua e a efetividade do Processo Único de Federação, que contará com a inserção de um edital.

Esse programa visa a organização contínua e a efetividade do Processo Único de Federação, que contará com a inserção de um edital. Esse programa visa a organização contínua e a efetividade do Processo Único de Federação, que contará com a inserção de um edital. Esse terá suas etapas e prazos muito bem definidos, garantindo um processo

Leia mais

SUMÁRIO 4.5.1 PROJETO DE RECOMPOSIÇÃO DAS ATIVIDADES COMERCIAIS, DE SERVIÇOS E INDUSTRIAIS URBANAS

SUMÁRIO 4.5.1 PROJETO DE RECOMPOSIÇÃO DAS ATIVIDADES COMERCIAIS, DE SERVIÇOS E INDUSTRIAIS URBANAS SUMÁRIO 4.5.1 PROJETO DE RECOMPOSIÇÃO DAS ATIVIDADES COMERCIAIS, DE SERVIÇOS E INDUSTRIAIS URBANAS 4. PLANO DE ATENDIMENTO À POPULAÇÃO ATINGIDA... 4.5.1-1 4.5. PROGRAMA DE RECOMPOSIÇÃO DAS ATIVIDADES PRODUTIVAS

Leia mais

SEMIÁRIDOSHOW Edição 2011

SEMIÁRIDOSHOW Edição 2011 SEMIÁRIDOSHOW Edição 2011 Tecnologias Agrícolas: Água e Produção de Alimentos na Agricultura Familiar. De 22 a 25 de agosto de 2011 Local: Embrapa Transferência de Tecnologia BR 122 Km 50 (BR 428 Km 148)

Leia mais

GASTRONOMIA SUSTENTÁVEL - PARATY. Oficina de Planejamento 2010-2012

GASTRONOMIA SUSTENTÁVEL - PARATY. Oficina de Planejamento 2010-2012 GASTRONOMIA SUSTENTÁVEL - PARATY Oficina de Planejamento 2010-2012 Paraty, agosto de 2010 Objetivo da oficina Elaborar o Direcionamento Estratégico da Gastronomia Sustentável de Paraty para os próximos

Leia mais

1. Qual o significado da sigla MEI? 2. Qual é a definição de MEI? 3. Quem pode se enquadrar como MEI?

1. Qual o significado da sigla MEI? 2. Qual é a definição de MEI? 3. Quem pode se enquadrar como MEI? FAQ -MEI 1. Qual o significado da sigla MEI? R: MEI é a sigla utilizada para Micro Empreendedor Individual 2. Qual é a definição de MEI? R: O MEI é o empresário individual a que se refere o art. 966 do

Leia mais

PLANO DE AÇÃO . TREINAMENTOS . PROGRAMAS . PALESTRAS PARANAÍBA MS

PLANO DE AÇÃO . TREINAMENTOS . PROGRAMAS . PALESTRAS PARANAÍBA MS PLANO DE AÇÃO. TREINAMENTOS. PROGRAMAS. PALESTRAS PARANAÍBA MS 2015 TREINAMENTO - Ciclo de Palestras - Auxiliar o empresário, ou potencial empreendedor, desde a tomada de decisão de abrir um novo negócio

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

Como comprar mais e melhor das Micro e Pequenas Empresas. Projeto de Compras Governamentais

Como comprar mais e melhor das Micro e Pequenas Empresas. Projeto de Compras Governamentais Como comprar mais e melhor das Micro e Pequenas Empresas Projeto de Compras Governamentais 2º Seminário Internacional sobre Compras e Contratações Sustentáveis Agosto/2014 Maria Aparecida Rosa Vital Brasil

Leia mais

Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br

Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br NO CAMPO: UMA FAMÍLIA DE SOLUÇÕES EDUCACIONAIS PARA PRODUTORES RURAIS. TODA MINHA FAMÍLIA VIVE DA PRODUÇÃO RURAL. E MAIS DE CINCO MILHÕES

Leia mais

Pesquisa de diagnóstico brasil central de agronegócios - MS

Pesquisa de diagnóstico brasil central de agronegócios - MS oportunidades de negócio para a Agricultura Familiar Pesquisa de diagnóstico brasil central de agronegócios - MS CAMPO GRANDE - AGOSTO/2014 SEBRAE/MS Conselho Deliberativo Associação das Microempresas

Leia mais

Propostas de Políticas OS PEQUENOS NEGÓCIOS COMO FORÇA INDUTORA PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL

Propostas de Políticas OS PEQUENOS NEGÓCIOS COMO FORÇA INDUTORA PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL Propostas de Políticas OS PEQUENOS NEGÓCIOS COMO FORÇA INDUTORA PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL CANDIDATOS A PREFEITOS E PREFEITAS MUNICIPAIS Pleito Eleitoral 2012 PROPOSTAS DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A PROMOÇÃO

Leia mais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Introdução O Brasil já tem 4,7 milhões de microempreendedores individuais, segundo dados de janeiro de 2015 da Receita

Leia mais

Palestra Ana Afonso Formalização da atividade

Palestra Ana Afonso Formalização da atividade Bem-Vindos! APRESENTAÇÃO Ana Afonso organizadora profissional em São Paulo atua desde 2006 realizando serviços de organização de espaços, gestão de residências, treinamento de funcionários domésticos,

Leia mais

Programa Pará: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. - Assistente Técnico Local -

Programa Pará: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. - Assistente Técnico Local - Programa Pará: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher - Assistente Técnico Local - No âmbito do Programa Pará - Trabalho e Empreendedorismo da Mulher, conveniado com a Secretaria Especial de Políticas para

Leia mais

DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL

DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL SE É DESENVOLVIMENTO É PRIORIDADE DO SEBRAE LEI GERAL DA MICRO E PEQUENA EMPRESA REGULAMENTAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO LEI GERAL DA MICRO E PEQUENA EMPRESA LG REGULAMENTADA LG REGULAMENTADA

Leia mais

MARIANA IMPLEMENTA LEI GERAL DA MICRO E PEQUENA EMPRESA

MARIANA IMPLEMENTA LEI GERAL DA MICRO E PEQUENA EMPRESA INFORMATIVO DEZEMBRO DE 2013 Acesse também: www.mariana.gov.br MARIANA IMPLEMENTA LEI GERAL DA MICRO E PEQUENA EMPRESA Promover a criação de um ambiente favorável para valorizar a micro e pequena empresa,

Leia mais

Número de. Empregados. Pessoa Física Nenhum R$ 50,00 R$ 600,00. Microempresa Até 5 R$ 70,00 R$ 840,00. Acima de 5 R$ 400,00 R$ 4800,00

Número de. Empregados. Pessoa Física Nenhum R$ 50,00 R$ 600,00. Microempresa Até 5 R$ 70,00 R$ 840,00. Acima de 5 R$ 400,00 R$ 4800,00 FICHA DE ADESÃO Por esta Ficha de adesão, solicito meu ingresso como associado da ABRIMPE ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE INCENTIVO E MELHORIA EM PROJETOS EMPRESARIAIS, EMPREENDEDORISMO E EDUCACIONAL, comprometendo-me

Leia mais

EVENTO COM OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS DIRECIONADAS PARA EMPREENDEDORES

EVENTO COM OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS DIRECIONADAS PARA EMPREENDEDORES EVENTO COM OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS DIRECIONADAS PARA EMPREENDEDORES A Feira do Empreendedor é promovida pelo Sebrae desde 1992 em todos os estados do país. É considerado o maior evento presencial de

Leia mais

EI, VOCÊ AÍ! Tributos, taxas e contribuições de responsabilidade do MEI - Microempreendedor Individual

EI, VOCÊ AÍ! Tributos, taxas e contribuições de responsabilidade do MEI - Microempreendedor Individual EI, VOCÊ AÍ! Regularize a situação da sua empresa com as dicas do Sebrae-SP e aproveite todos os benefícios da formalização. Tributos, taxas e contribuições de responsabilidade do MEI - Microempreendedor

Leia mais

Plano de negócio. Conceitos, Importância e estrutura Aula 6

Plano de negócio. Conceitos, Importância e estrutura Aula 6 Plano de negócio Conceitos, Importância e estrutura Aula 6 Estrutura do plano de negócio Capa Sumário 1. Sumário executivo 2. Analise estratégica 3. Descrição da empresa 4. Produtos e serviços 5. Plano

Leia mais

PROGRAMA BOM NEGÓCIO PARANÁ- APOIO AO EMPREENDEDORISMO AVALIAÇÃO DO NÚCLEO MARINGÁ

PROGRAMA BOM NEGÓCIO PARANÁ- APOIO AO EMPREENDEDORISMO AVALIAÇÃO DO NÚCLEO MARINGÁ PROGRAMA BOM NEGÓCIO PARANÁ- APOIO AO EMPREENDEDORISMO AVALIAÇÃO DO NÚCLEO MARINGÁ AREA TEMÁTICA: TRABALHO LAIS SILVA SANTOS 1 CARLOS VINICIUS RODRIGUES 2 MARCELO FARID PEREIRA 3 NEUZA CORTE DE OLIVEIRA

Leia mais

MANUAL DE SOLUÇÕES SEBRAE DA IMPLEMENTAÇÃO DA LEI GERAL

MANUAL DE SOLUÇÕES SEBRAE DA IMPLEMENTAÇÃO DA LEI GERAL MANUAL DE SOLUÇÕES SEBRAE DA IMPLEMENTAÇÃO DA LEI GERAL 1 MANUAL DE SOLUÇÕES SEBRAE DA IMPLEMENTAÇÃO DA LEI GERAL 2013. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - SEBRAE Presidente do Conselho

Leia mais

REGULAMENTO ESCRITÓRIO DE PRÁTICAS DE GESTÃO CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE E DURAÇÃO

REGULAMENTO ESCRITÓRIO DE PRÁTICAS DE GESTÃO CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE E DURAÇÃO REGULAMENTO ESCRITÓRIO DE PRÁTICAS DE GESTÃO CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE E DURAÇÃO Artigo 1º A unidade acadêmico-gerencial modelo designado Escritório de Práticas de Gestão e com nome fantasia

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: MONSENHOR ANTONIO MAGLIANO Código: 088 Município: GARÇA SP Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional: TÉCNICA EM NÍVEL MÉDIO

Leia mais

AGRICULTURA FAMILIAR UM BOM NEGÓCIO PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL PREFEITO

AGRICULTURA FAMILIAR UM BOM NEGÓCIO PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL PREFEITO AGRICULTURA FAMILIAR UM BOM NEGÓCIO PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL PREFEITO Copyright 2014. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. A reprodução não

Leia mais

Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia.

Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia. Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia. Introdução Sávio Marcos Garbin Considerando-se que no contexto atual a turbulência é a normalidade,

Leia mais

PARA GESTORES PÚBLICOS

PARA GESTORES PÚBLICOS UM BOM NEGÓCIO PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL PARA GESTORES PÚBLICOS 1 2014 - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado de Minas Gerais - Sebrae. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. É

Leia mais

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012 Programa 2047 - Micro e Pequenas Empresas Número de Ações 10 Tipo: Operações Especiais 0473 - Honra de Aval decorrente de Garantia do Risco das Operações de Financiamento a Micro, Pequenas e Médias Empresas

Leia mais

ATENDIMENTO AO CLIENTE - 15H (R$ 90,00)

ATENDIMENTO AO CLIENTE - 15H (R$ 90,00) 3 ABRIL ATENDIMENTO AO CLIENTE - 15H (R$ 90,00) DATA: 06 a 10/04/2015 HORÁRIO: 19h às 22h CONTEÚDO PROGRAMÁTICO: Bem tratado ou bem atendido? Momentos da verdade das empresas O perfil do profissional de

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP:

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: A oportunidade de se tornar um facilitador de aprendizagem e/ou consultor para o sucesso das micro e pequenas empresas APRESENTAÇÃO Esta cartilha

Leia mais

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA Área de Atuação 1. Formação Profissional Cooperativista São ações voltadas à formação, qualificação e capacitação dos associados,

Leia mais

Acredite no seu trabalho que o Brasil acredita em você. Ministério do Desenvolvimento, Confiança no Brasil.

Acredite no seu trabalho que o Brasil acredita em você. Ministério do Desenvolvimento, Confiança no Brasil. Acredite no seu trabalho que o Brasil acredita em você. Ministério do Desenvolvimento, Confiança no Brasil. Indústria É assim que e Comércio a gente segue Exterior em frente. Introdução Atualmente, muitos

Leia mais

Programa de Aprendizagem em Consultoria Acadêmica - CONSAC. Processo de Seleção de Empresas. EDITAL nº 1/2013

Programa de Aprendizagem em Consultoria Acadêmica - CONSAC. Processo de Seleção de Empresas. EDITAL nº 1/2013 Programa de Aprendizagem em Consultoria Acadêmica - CONSAC Processo de Seleção de Empresas EDITAL nº 1/2013 Brasília, 01 de Junho de 2013 Apresentação É com satisfação que a Projetos Consultoria Integrada,

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Agência Nacional de Vigilância Sanitária Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA n 49/13 Esta resolução tem por objetivo aplicar no âmbito da vigilância sanitária as diretrizes e os objetivos do Decreto nº 7.492,

Leia mais

Dados sobre a Feira do Empreendedor 2015

Dados sobre a Feira do Empreendedor 2015 Dados sobre a Feira do Empreendedor 2015 1 Feira do Empreendedor 2015 O sucesso é grande. Há pessoas que demostram o interesse em adquirir até 10 máquinas de uma só vez. Alexandre Ronconi, diretor da Hot

Leia mais

Subvenção aos Núcleos Estaduais ODM do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade

Subvenção aos Núcleos Estaduais ODM do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade Subvenção aos Núcleos Estaduais ODM do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade EDITAL 2015 PROJETO BRA/11/023 Desenvolvimento de capacidades, de justiça econômica sustentável e promoção de boas

Leia mais

EI, você aí! Conheça os tributos, taxas e contribuições de responsabilidade do Empreendedor Individual

EI, você aí! Conheça os tributos, taxas e contribuições de responsabilidade do Empreendedor Individual EI, você aí! Conheça os tributos, taxas e contribuições de responsabilidade do Empreendedor Individual SEBRAE-SP Conselho Deliberativo Presidente: Alencar Burti (ACSP) ACSP Associação Comercial de São

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

Entendendo custos, despesas e preço de venda

Entendendo custos, despesas e preço de venda Demonstrativo de Resultados O empresário e gestor da pequena empresa, mais do que nunca, precisa dedicar-se ao uso de técnicas e instrumentos adequados de gestão financeira, para mapear a situação do empreendimento

Leia mais

Gerência Socioambiental

Gerência Socioambiental Gerência Socioambiental P.05 - Programa de Contratação e Desmobilização de Mão de Obra O Programa de Contratação e Desmobilização de Mão-de-Obra propõe ações específicas organizadas em dois Subprogramas:

Leia mais

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ECOTURISMO Objetivo: O Curso tem por objetivo capacitar profissionais, tendo em vista a carência de pessoas qualificadas na área do ecoturismo, para atender,

Leia mais

GESTÃO NO SERVIÇO PÚBLICO

GESTÃO NO SERVIÇO PÚBLICO GESTÃO NO SERVIÇO PÚBLICO Susan Dignart Gestora Governamental - MT Cuiabá MT, dezembro de 2008 GESTÃO o que é? Muitas interpretações... Gestão = Administração: organizar os meios para atingir fins; Políticas

Leia mais

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL Trabalho apresentado no III ENECULT Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, realizado entre os dias 23 a 25 de maio de 2007, na Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil. METODOLOGIA

Leia mais

EI, VOCÊ AÍ! Passo a passo para as declarações de renda do MEI - Microempreendedor Individual 2014

EI, VOCÊ AÍ! Passo a passo para as declarações de renda do MEI - Microempreendedor Individual 2014 EI, VOCÊ AÍ! Regularize a situação da sua empresa com as dicas do Sebrae-SP e aproveite todos os benefícios da formalização. Passo a passo para as declarações de renda do MEI - Microempreendedor Individual

Leia mais

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL EMPREENDEDOR INDIVIDUAL Oportunidade de regularização para os empreendedores individuais, desde a vendedora de cosméticos, da carrocinha de cachorro-quente ao pipoqueiro. 2 Empresas em geral Microempresas

Leia mais

Econ. Paulo Nascimento CORECON 31.880. Secretaria de Desenvolvimento Econômico

Econ. Paulo Nascimento CORECON 31.880. Secretaria de Desenvolvimento Econômico Econ. Paulo Nascimento CORECON 31.880 Econ. Paulo Nascimento CORECON 31.880 O que é o Empreendedor Individual? O Empreendedor Individual (EI) é uma oportunidade para quem trabalha, por conta própria, conquistar

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Belo Horizonte 2011 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS

Leia mais

PROPOSTA PARA O AVANÇO DO MODELO DE GESTÃO DA SABESP

PROPOSTA PARA O AVANÇO DO MODELO DE GESTÃO DA SABESP ASSOCIAÇÃO DOS PROFISSIONAIS UNIVERSITÁRIOS DA SABESP PROPOSTA PARA O AVANÇO DO MODELO DE GESTÃO DA SABESP OUTUBRO, 2002 ASSOCIAÇÃO DOS PROFISSIONAIS UNIVERSITÁRIOS DA SABESP - APU INTRODUÇÃO A Associação

Leia mais

Programa de Formalização do Micro Empreendedor Individual Sustentabilidade Social. Florianópolis - SC

Programa de Formalização do Micro Empreendedor Individual Sustentabilidade Social. Florianópolis - SC Programa de Formalização do Micro Empreendedor Individual Sustentabilidade Social Florianópolis - SC 27 de outubro de 2014 A INFORMALIDADE NO BRASIL A INFORMALIDADE Pesquisa ECINF IBGE Pertencem ao setor

Leia mais

Relatório Gestão do Projeto 2013

Relatório Gestão do Projeto 2013 Relatório Gestão do Projeto 2013 Fundação Aperam Acesita e Junior Achievement Minas Gerais: UMA PARCERIA DE SUCESSO SUMÁRIO Resultados 2013... 6 Resultados dos Programas... 7 Programa Vamos Falar de Ética...

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS CONSELHO DE ALTOS ESTUDOS E AVALIAÇÃO TECNOLÓGICA GRUPO DE ESTUDOS SOBRE A CAPACITAÇÃO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE

CÂMARA DOS DEPUTADOS CONSELHO DE ALTOS ESTUDOS E AVALIAÇÃO TECNOLÓGICA GRUPO DE ESTUDOS SOBRE A CAPACITAÇÃO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE CÂMARA DOS DEPUTADOS CONSELHO DE ALTOS ESTUDOS E AVALIAÇÃO TECNOLÓGICA GRUPO DE ESTUDOS SOBRE A CAPACITAÇÃO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE Brasília, 18 de maio de 2010. MPE? Conceituação Brasil REPRESENTATIVIDADE

Leia mais

EDITAL. Subvenção aos Núcleos Estaduais ODM do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade

EDITAL. Subvenção aos Núcleos Estaduais ODM do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade EDITAL Subvenção aos Núcleos Estaduais ODM do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade 1. Justificativa Geral A Declaração do Milênio deixa clara a importância da participação social ao considerar

Leia mais