O Papel da CAIXA no Apoio aos Arranjos Produtivos Locais. ZAQUEU SOARES RIBEIRO Superintendente Nacional Micro e Pequena Empresa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Papel da CAIXA no Apoio aos Arranjos Produtivos Locais. ZAQUEU SOARES RIBEIRO Superintendente Nacional Micro e Pequena Empresa"

Transcrição

1 O Papel da CAIXA no Apoio aos Arranjos Produtivos Locais ZAQUEU SOARES RIBEIRO Superintendente Nacional Micro e Pequena Empresa Brasília, 28 de novembro de 2007

2 CENÁRIO Crédit o no Brasil represent a apenas 33,1% do PIB (R$854,1 bi), enquant o em out ros países chega a ult rapassar 100% Chile 70% China - 120% EUA 146% Baixo percent ual é j ust ificado pelo perfil do crédit o, que em sua grande maioria é de curto e médio prazo Redução gradat iva da SELIC t em est imulado o invest iment o, a produção e o consumo Compet it ividade cada dia mais acirrada, t em possibilit ado a redução gradativa dos spreads bancários Processo de conscient ização e regulament ação do Crédit o

3 CONSOLIDAÇÃO DO CRÉDITO Regulament ação do cadast ro posit ivo Polít icas de incent ivo à compet it ividade ent re as Inst it uições Financeiras Ações de inclusão bancária das micro e pequenas empresas Criando empatia com o cliente, entendendo suas reais necessidades e servindo mais como consultor financeiro Combinando as necessidades sociais com a sobrevivência financeira dos bancos Prazos mais elásticos e spreads cada vez menores alt ernat ivas de crédit o int eligent e, responsável do pont o de vista sócio-ambiental, menos burocrático e mais ágil

4 RESULTADO ESPERADO Aument o da relação crédit o/ PIB e a conseqüent e expansão na demanda, promove-se o aqueciment o da at ividade econômica e a capacidade de ofert a da economia

5

6 ANÁLISE SIMPLIFICADA DE PROJETOS As propostas de financiamento de proj etos de valor até R$ 100 mil, nas operações de BNDES Automático e PROGER, são integralmente avaliadas nas Agências da Caixa.

7 GESTÃO DE RECURSOS PÚBLICOS Os recursos oriundos de fontes menos onerosas, como os do PIS, são geridos de forma a garantir que as empresas de menor porte possam desfrutar de condições diferenciadas em relação a empresas maiores.

8 DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS AJUSTADOS A atuação junto a setores produtivos de importante impacto sócio-econômico, como o do turismo, por exemplo, tem resultado em produtos desenhados a partir de necessidades e perfis específicos.

9

10 ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Apoio financeiro e consultoria empresarial para as empresas inseridas em APL s conveniados com a CAIXA

11 MODELO DE ATUAÇÃO DA CAIXA Apoio financeiro Ofert ar soluções em produt os e serviços do portfolio CAIXA Consultoria empresarial às empresas inseridas em APLs apoiados Ident ificar necessidades da empresa, observando os obj et ivos definidos pelo APL, e apresent ar as soluções em produt os e serviços Convênio com Núcleos Est aduais ou Governanças dos APL Apoiar o crescimento das empresas inseridas em APL Concessão de dif erenciais em produt os e serviços Part icipação at iva j unt o aos Núcleos Est aduais - NE Apoiar na ident ificação de soluções para o APL O Superint endent e Regional ou Gerent e Regional represent a a CAIXA

12

13 CARTEIRA DE CRÉDITO EMPRESARIAL 17% 3% 0% 0% Micro S Fins Pequena Média Grande 80% Porte Micro Pequena Média Grande Faturamento Até R$ 244 mil De R$ 244 mil até R$ 2,4 milhões De R$ 2,4 até R$ 60 milhões Acima de R$ 60 milhões

14 CRÉDITO EMPRESARIAL A MPE

15 CRÉDITO EMPRESARIAL A MPE

16 CRÉDITO EMPRESARIAL A MPE

17 CRÉDITO EMPRESARIAL A MPE (* Dados parciais)

18 CRÉDITO EMPRESARIAL A MPE

19 ALGUNS NÚMEROS RELATIVOS A APL A Caixa apóia 59 Arranj os Produt ivos Locais 22 setores de atividade econômica 442 municípios Atende empresas Aplicou R$ 257,13 milhões, em 2007, sendo Capital de Giro* R$ 66,80 mi Investimento R$ 90,89 mi Antecipação de Receitas R$ 99,43 mi * Exceto Crédito Rotativo Enquant o inst it uição int egrant e e part icipant e do GTP APL, a Caixa at ua em est reit a sint onia com suas diret rizes e est á implement ando ação para ampliar o seu apoio aos Arranj os Produt ivos Locais.

20

21 PRODUTOS E SERVIÇOS A CAIXA possui um portfolio complet o, que at ende t odas as necessidades das micro e pequenas empresas por produt os e serviços bancários Financiamento Capital de Giro Antecipação de Receitas Crédito à Exportação Serviços Bancários Conectividade Social Dif erenciais para empresas vinculadas a NE e APL Conveniados Mix de produt os, result ando em t axas bast ant e compet it ivas Diferencias em t axa de j uros (Ex.: Descont o de Tít ulos)

22

23 CONSULTORIA EMPRESARIAL A CAIXA est á capacit ando os seus Gerent es que at uam j unt o a Pessoa Jurídica em Consult oria Empresarial, com int uit o de apoiar o crescimento das empresas Gerentes preparados para: Aj udar as empresas a ident ificar as suas necessidades por produtos e serviços bancários Ofertar a melhor solução do portfolio da CAIXA At é o final de 2008, serão mais de profissionais capacit ados para ofert ar a melhor solução do portfolio CAIXA, de acordo com a necessidade da empresa

24 A CAIXA possui mais de agências em t odo Brasil, onde podem ser obt idas t odas as informações sobre seus produt os e serviços, ou ainda por meio do seu sítio na internet Superintendência Nacional de Micro e Pequena Empresas (061)

25 Financiament o BNDES Automático Cart ão BNDES CAIXA Credfrota Finame Investgiro CAIXA PJ Soluções para a realização de proj et os de invest iment os, com vistas a expansão da capacidade produt iva e modernização de empresas, incluída a aquisição de máquinas e equipament os.

26 Capital de Giro Cart ão CAIXA Empresarial Cheque Empresa CAIXA Conta Garantida CAIXA Crédit o Especial Empresa CAIXA GiroCAIXA GiroCAIXA Fácil Giro-Renda PJ Soluções para financiament o do ciclo operacional das empresas, t ais como: repor est oques, adquirir mat éria-prima e outras necessidades.

27 Ant ecipação de Receit as Desconto de Títulos GiroCAIXA Instantâneo Múltiplo Soluções para ant ecipação de recebiment os dos cheques prédat ados, duplicat as de vendas mercant il e de prest ação de serviços e dos cart ões de crédit o MasterCard e Visa. As empresas vendem a prazo e recebem o dinheiro à vist a.

28 Crédit o à Export ação GiroCAIXA Giro-Renda Exportação PJ Capit al de Giro para promoção da export ação, part icipação em feiras, exposições ou event os e para produção de bens para fins de exportação.

29 Serviços Bancários Conta Corrente Cobrança Folha de Pagamento Conectividade Social Internet Banking Soluções para agilizar as t ransações bancárias das empresas, com o mínimo de deslocament o e o máximo de result ado e produtividade.

30 Conect ividade Social O que é É um canal seguro de relacionament o elet rônico, aut ent icado com uso de cert ificação digit al, desenvolvido para int egrar e simplificar a comunicação ent re a CAIXA e as empresas obrigadas a recolher ou prest ar informações ao FGTS. A quem se destina Empresas de todos os portes.

31 APL Apoiados pela Caixa UF APL ATIVIDADE ECONÔMICA UF AL Maceió Tecnologia da Informação MG Sul de Minas Confecções BA Feira de Santana Confecções MG Teófilo Otoni Gemas e Jóias BA GTP Juazeiro Fruticultura MG Ubá Confecções BA Salvador Confecções MG Ubá Madeira e Móveis DF Brasília Confecções MT Cuiabá Madeira e Móveis ES Colatina Confecções PA GTP Paragominas Madeira e Móveis ES GTP Cachoeiro do Itapemirim Rochas Ornamentais PE Agreste Pernambucano Confecções ES Vila Velha Confecções PE GTP Araripina Gesso ES Vitória Construção Civil PE GTP Petrolina Fruticultura GO Goiânia Confecções PR Apucarana Confecções GO GTP Jaraguá Confecções PR Cascavel Confecções MG Bicas Confecções PR Cianorte Confecções MG Bom Despacho Leite PR Londrina Confecções MG Carmo do Cajuru Madeira e Móveis PR Maringá Confecções MG Cláudio Fundição RJ GTP Nova Friburgo Confecções MG Divinópolis Construção Civil RS GTP Caxias do Sul Autopeças MG Divinópolis Cachaça RS Pelotas Doce MG Divinópolis Confecções RS Região das Hortênsias Confecções MG Formiga Confecções RS Serra Gaúcha Confecções MG Igaratinga Cerâmica Vermelha SC Blumenau Confecções MG Itabira Metal Mecânico SC Brusque Confecções MG Muriaé Confecções SC Indaial Confecções MG Nova Serrana Calçados SC Itajaí Confecções MG Oliveira Bijuteria SC Rio do Sul Confecções MG Papagaio Ardósia SC Timbó Confecções MG Pará de Minas Suinocultura SC Vale do Itapocu Confecções MG Região Metropolitana BH Biotecnologia SC Chapecó Tecnologia da Informação MG Santa Rita do Sapucaí Eletroeletrônico SP GTP Franca Calçados MG Santo Antônio do Monte Fogos de Artifício SP Guarulhos Confecções MG São João Nepomuceno Confecções APL ATIVIDADE ECONÔMICA

32 Perfil das Empresas As empresas apoiadas pela CAIXA apresent am o seguinte perfil: são MPE, com fat urament o médio anual de R$ 300 mil possuem at é 10 empregados est ão const it uídas há menos de 03 anos e há mais de quat ro anos exercem at ividades comercias e exercem atividades industriais

PROGRAMA CAIXA APL. SERGIO NETTO AMANDIO GERENCIA NACIONAL DE APLICAÇÃO MPE Out/2009

PROGRAMA CAIXA APL. SERGIO NETTO AMANDIO GERENCIA NACIONAL DE APLICAÇÃO MPE Out/2009 PROGRAMA CAIXA APL SERGIO NETTO AMANDIO GERENCIA NACIONAL DE APLICAÇÃO MPE Out/2009 ATENDIMENTOS 436 milhões em Agências 921 milhões em terminais de Auto-Atendimento QUANTIDADE DE CLIENTES - EM MILHÕES

Leia mais

CAIXA e o NORDESTE. NELSON ANTÔNIO DE SOUZA SUPERINTENDENTE NACIONAL DA ÁREA B - NORDESTE Novembro de 2009

CAIXA e o NORDESTE. NELSON ANTÔNIO DE SOUZA SUPERINTENDENTE NACIONAL DA ÁREA B - NORDESTE Novembro de 2009 CAIXA e o NORDESTE NELSON ANTÔNIO DE SOUZA SUPERINTENDENTE NACIONAL DA ÁREA B - NORDESTE Novembro de 2009 ATENDIMENTOS CAIXA Total de Transações 921 milhões em terminais de Auto- Atendimento 131 milhões

Leia mais

Arranjo Produtivo Local

Arranjo Produtivo Local Arranjo Produtivo Local GN CAPTAÇÃO MICRO E PEQUENA EMPRESA SN Micro e Pequena Empresa Atuação em APL da CAIXA tem o objetivo de promover: Principais setores apoiados Aeroespacial Biotecnologia Couro e

Leia mais

Experiências de APLs e outros Arranjos de Empresas no Estado do Rio de Janeiro: resultados alcançados e cenários futuros

Experiências de APLs e outros Arranjos de Empresas no Estado do Rio de Janeiro: resultados alcançados e cenários futuros Experiências de APLs e outros Arranjos de Empresas no Estado do Rio de Janeiro: resultados alcançados e cenários futuros > Lia Hasenclever (IE/UFRJ) 10º Encontro da ReINC 08 e 09 de novembro de 2007 Grupo

Leia mais

e renda Superintendência Nacional Estratégia Competitividade das MPE Associação e a cooperação Micro e Pequeno Empreendedorismo

e renda Superintendência Nacional Estratégia Competitividade das MPE Associação e a cooperação Micro e Pequeno Empreendedorismo e renda Superintendência Nacional Estratégia Competitividade das MPE Micro e Pequeno Empreendedorismo e renda Superintendência Nacional Estratégia Competitividade das MPE Micro e Pequeno Empreendedorismo

Leia mais

Bradesco BANCO BRADESCO

Bradesco BANCO BRADESCO BANCO BRADESCO 1 Rede de Distribuição 4.691 Agências + PABs 57,9 Milhões de Clientes 6.177 Agências Agências Bradesco Expresso Banco Postal Base: Setembro / 2010 2 Segmentação dos Clientes Atendimento

Leia mais

XIII Seminário Internacional de Países Latinos Europa-América. Políticas de Facilitação de Créditos para o Desenvolvimento das PME

XIII Seminário Internacional de Países Latinos Europa-América. Políticas de Facilitação de Créditos para o Desenvolvimento das PME XIII Seminário Internacional de Países Latinos Europa-América Políticas de Facilitação de Créditos para o Desenvolvimento das PME Fortaleza, 30 de outubro de 2006 1 Sumário 1 - Mercado MPE 2 - Acesso ao

Leia mais

B NCO O B R B ADES E C S O

B NCO O B R B ADES E C S O BANCO BRADESCO 1 Rede de Distribuição 4.691 Agências + PABs 57,9 Milhões de Clientes 6.177 Agências Agências Bradesco Expresso Banco Postal Base: Novembro / 2010 2 Segmentação dos Clientes Atendimento

Leia mais

Participação do do Banco nos nos Arranjos Produtivos Locais APL s

Participação do do Banco nos nos Arranjos Produtivos Locais APL s Bradesco Participação do do Banco nos nos Arranjos Produtivos Locais APL s Missão Ampliar a concessão de crédito e assistência financeira; Disponibilizar Produtos e Serviços Financeiros adequados; Facilitar

Leia mais

SOLUÇÕES COMPLETAS EM PRODUTOS E SERVIÇOS PARA AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

SOLUÇÕES COMPLETAS EM PRODUTOS E SERVIÇOS PARA AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SOLUÇÕES COMPLETAS EM PRODUTOS E SERVIÇOS PARA AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SN de Estratégia para Micro e Pequeno Empreendedorismo GN Sustentabilidade e Responsabilidade Socioambiental Outubro - 2014 153

Leia mais

PROCOMPI Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias. 6ª Conferência Brasileira de APLs Brasília - DF

PROCOMPI Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias. 6ª Conferência Brasileira de APLs Brasília - DF PROCOMPI Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias 6ª Conferência Brasileira de APLs Brasília - DF Dezembro de 2013 OBJETIVO Promover a competitividade das micro e pequenas empresas

Leia mais

Cooperação e Governança em Arranjos Produtivos Locais

Cooperação e Governança em Arranjos Produtivos Locais Cooperação e Governança em Arranjos Produtivos Locais 1ª Conferência Brasileira sobre Arranjos Produtivos Locais Carlos Roberto Rocha Cavalcante Superintendente 2004 Histórico de Atuação do IEL 1969 -

Leia mais

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL CONCURSO PÚBLICO PARA FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA PARA O CARGO DE TÉCNICO BANCÁRIO NOVO CARREIRA ADMINISTRATIVA

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL CONCURSO PÚBLICO PARA FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA PARA O CARGO DE TÉCNICO BANCÁRIO NOVO CARREIRA ADMINISTRATIVA Técnico Bancário Novo AC Cruzeiro do Sul 1618 CR* Técnico Bancário Novo AC Rio Branco 6648 CR * Técnico Bancário Novo AC Sena Madureira 1065 CR* Técnico Bancário Novo AL Maceió 22524 CR * Técnico Bancário

Leia mais

UF MUNICÍPIO TIPO TELEFONE 1 TELEFONE 2 E-MAIL INSTITUCIONAL 1

UF MUNICÍPIO TIPO TELEFONE 1 TELEFONE 2 E-MAIL INSTITUCIONAL 1 AC Rio Branco Cerest Estadual (68) 3223-4266 cerest.saude@ac.gov.br AL Maceió Cerest Estadual (82) 3315-2759 (82) 3315-3920 cerest@saude.al.gov.br AL Maceió Cerest Regional (82) 3315-5260 cerest@sms.maceio.al.gov.br

Leia mais

Memória de Reunião Grupo de Trabalho Permanente para Arranjos Produtivos Locais GTP APL 6ª REUNIÃO PLENÁRIA DO GTP APL

Memória de Reunião Grupo de Trabalho Permanente para Arranjos Produtivos Locais GTP APL 6ª REUNIÃO PLENÁRIA DO GTP APL Memória de Reunião Grupo de Trabalho Permanente para Arranjos Produtivos Locais GTP APL 6ª REUNIÃO PLENÁRIA DO GTP APL Data: 26/04/2006, quarta-feira Horário: 10h às 12h Local: sala 614, MDIC, Brasília/DF

Leia mais

Proposta para a Licitação da Folha de Pagamentos de Benefícios do INSS

Proposta para a Licitação da Folha de Pagamentos de Benefícios do INSS Proposta para a Licitação da Folha de Pagamentos de Benefícios do INSS Brasília, 11 de junho de 2014. SISTEMÁTICA ATUAL Desde 01/01/2010, o INSS direciona os benefícios para o vencedor do Lote, desde que

Leia mais

Resultados da atuação do Bradesco em APL s

Resultados da atuação do Bradesco em APL s Resultados da atuação do Bradesco em APL s Atuação do Bradesco em APL s Por Região NORDESTE 97 APL`S NORTE 48 APL`S CENTRO-OESTE 41 APL`S SUDESTE 102 APL`S SUL 40 APL`S Posição Setembro/2013 Atuação com

Leia mais

Atuação das Instituições GTP- APL. Sebrae. Brasília, 04 de dezembro de 2013

Atuação das Instituições GTP- APL. Sebrae. Brasília, 04 de dezembro de 2013 Atuação das Instituições GTP- APL Sebrae Brasília, 04 de dezembro de 2013 Unidade Central 27 Unidades Estaduais 613 Pontos de Atendimento 6.554 Empregados 9.864 Consultores credenciados 2.000 Parcerias

Leia mais

A agenda de inovação das micro e pequenas empresas e o desenvolvimento da cadeia de fornecedores

A agenda de inovação das micro e pequenas empresas e o desenvolvimento da cadeia de fornecedores A agenda de inovação das micro e pequenas empresas e o desenvolvimento da cadeia de fornecedores Reunião da Mobilização Empresarial pela Inovação São Paulo 05.11.2010 Micro e Pequenas Empresas no Brasil

Leia mais

Mais de 73 milhões de reais para ampliar hemodiálise no SUS

Mais de 73 milhões de reais para ampliar hemodiálise no SUS Mais de 73 milhões de reais para ampliar hemodiálise no SUS Recursos destinados pelo Ministério da Saúde também vão melhorar a qualidade da assistência aos usuários da rede pública na área de nefrologia.

Leia mais

Desejamos uma boa leitura!

Desejamos uma boa leitura! A Cartilha do Programa CAIXA APL tem como objetivo principal dar informações básicas sobre Educação Financeira para que você, empresário, possa compreender melhor alguns conceitos que facilitam o seu dia

Leia mais

Lote Produzidos Cidade UF Qte faturada

Lote Produzidos Cidade UF Qte faturada Lote Produzidos Cidade UF Qte faturada 1400008703 BELEM PA 339 1400008703 BELO HORIZONTE MG 2.034 1400008703 BRASILIA DF 1.356 1400008703 CONGONHAS MG 54 1400008703 CUIABA MT 678 1400008703 GOIANIA GO

Leia mais

Anteprojeto de Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas

Anteprojeto de Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas Avanços e Pontos para Reflexão Renato da Fonseca Secretário-Executivo do Conselho da Micro e Pequena Empresa da Confederação Nacional da Indústria Pontos para reflexão Por que devemos criar um regime especial

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE GARANTIA DE CRÉDITO DA SERRA GAÚCHA. GarantiSerra - Novembro de 2010 Oficina Superando Dificuldades no Acesso ao Crédito

ASSOCIAÇÃO DE GARANTIA DE CRÉDITO DA SERRA GAÚCHA. GarantiSerra - Novembro de 2010 Oficina Superando Dificuldades no Acesso ao Crédito ASSOCIAÇÃO DE GARANTIA DE CRÉDITO DA SERRA GAÚCHA GarantiSerra - Novembro de 2010 Oficina Superando Dificuldades no Acesso ao Crédito INSTITUCIONAL HISTÓRICO - Idéia junho/2001; - Estudos Jurídicos novembro/2002;

Leia mais

PORTARIA GM Nº 1.278, DE 25 DE JUNHO DE 2008

PORTARIA GM Nº 1.278, DE 25 DE JUNHO DE 2008 PORTARIA GM Nº 1.278, DE 25 DE JUNHO DE 2008 Redefine os limites financeiros destinados ao custeio da Nefrologia (TRS), dos Estados, Distrito Federal e Municípios. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso

Leia mais

O BANCO QUE ACREDITA NAS PESSOAS SR CAMPINAS 2009

O BANCO QUE ACREDITA NAS PESSOAS SR CAMPINAS 2009 O BANCO QUE ACREDITA NAS PESSOAS SR CAMPINAS 2009 Brasil Agências: 2.064 PAB: 464 Total Rede Própria: 2.528 Rede Lotérica: 8.838 Corresp. Bancários: 9.489 Total Rede Parceira: 18.327 Total Geral: 20.855

Leia mais

Soluçõ. ções BB. para a Economia dos Municípios

Soluçõ. ções BB. para a Economia dos Municípios Soluçõ ções BB para a Economia dos Municípios Presença Nacional Presença Nacional Presença Exclusiva 4.388 Municípios * 874 Municípios * *Municípios com agências BB - dados de janeiro/2009 - Fonte: Bacen

Leia mais

A fórmula da Alterdata. Ladmir Carvalho

A fórmula da Alterdata. Ladmir Carvalho A fórmula da Alterdata Ladmir Carvalho Transformações expressivas ao longo do tempo 1989 A Alterdata é fundada em Petrópolis/RJ com sistemas de DP e Contabilidade 1990 Nasce a Escrita Fiscal 1991 Filial

Leia mais

ÓRGÃO: JUSTIÇA FEDERAL

ÓRGÃO: JUSTIÇA FEDERAL ÓRGÃO: JUSTIÇA FEDERAL Programa: 0569 - PRESTAÇÃO JURISDICIONAL NA JUSTIÇA FEDERAL Objetivo: Garantir pleno exercício do direito por meio da prestação dos serviços jurisdicionais, observando o disposto

Leia mais

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer.

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Dimensões do PBM Oportunidades Desafios Sistema de Gestão Desdobramento do Plano Brasil Maior na Política de Arranjos Produtivos

Leia mais

Painel IV: Panorama do Crédito no Banco do Brasil. Ary Joel de Abreu Lanzarin Diretor de Micro e Pequenas Empresas

Painel IV: Panorama do Crédito no Banco do Brasil. Ary Joel de Abreu Lanzarin Diretor de Micro e Pequenas Empresas Painel IV: Panorama do Crédito no Banco do Brasil Ary Joel de Abreu Lanzarin Diretor de Micro e Pequenas Empresas As diretrizes estratégicas dão foco ao negócio Perspectivas Simplificar e agilizar a utilização

Leia mais

DESEN- VOLVI- MENTO. CONHECIMENTO: Formação e Capacitação de RH Inovação Tecnológica. POLÍTICAS PÚBLICAS: Educação C&T PITCE

DESEN- VOLVI- MENTO. CONHECIMENTO: Formação e Capacitação de RH Inovação Tecnológica. POLÍTICAS PÚBLICAS: Educação C&T PITCE CONHECIMENTO: Formação e Capacitação de RH Inovação Tecnológica POLÍTICAS PÚBLICAS: Educação C&T PITCE DESEN- VOLVI- MENTO SETOR PRODUTIVO: Agropecuária Indústria Serviços MCT MEC SNPG [ FINEP, CNPq &

Leia mais

Regiões Metropolitanas do Brasil

Regiões Metropolitanas do Brasil Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia IPPUR/UFRJ CNPQ FAPERJ Regiões Metropolitanas do Brasil Equipe responsável Sol Garson Luiz Cesar de Queiroz Ribeiro Juciano Martins Rodrigues Regiões Metropolitanas

Leia mais

Página 1 de 8 IPI - Jurisdição - Regiões fiscais 18 de Maio de 2012 Em face da publicação da Portaria MF nº 203/2012 - DOU 1 de 17.05.2012, este procedimento foi atualizado (novas disposições - tópico

Leia mais

As MPE s como eixo central de cadeias produtivas

As MPE s como eixo central de cadeias produtivas As MPE s como eixo central de cadeias produtivas Guilherme Lacerda Diretor de Infraestrutura Social, Meio Ambiente, Agropecuária e Inclusão Social Madrid Outubro 2012 MPEs Importância, Desafios e Contribuições

Leia mais

Linhas de Crédito. Capital de Giro

Linhas de Crédito. Capital de Giro Linhas de Crédito Capital de Giro Apresentação FIESP Jul/2015 Operações mais utilizadas NOME CONTA GARANTIDA CAIXA CH.EMPRESA CAIXA CREDITO ESPECIAL EMPRESA - PRE/PRICE - GARANTIA FGO GIROCAIXA RECURSOS

Leia mais

Seleção Territorial Enfrentamento a Violência contra Juventude Negra Classificação 2010

Seleção Territorial Enfrentamento a Violência contra Juventude Negra Classificação 2010 Posição Nome do Município Estado Região RM, RIDE ou Aglomeração Urbana 1 Salvador BA Nordeste RM Salvador 2 Maceió AL Nordeste RM Maceió 3 Rio de Janeiro RJ Sudeste RM Rio de Janeiro 4 Manaus AM Norte

Leia mais

QUEM SOMOS A REDEVIDA. canal aberto todas as capitais brasileiras 500 maiores cidades do país.

QUEM SOMOS A REDEVIDA. canal aberto todas as capitais brasileiras 500 maiores cidades do país. A REDEVIDA QUEM SOMOS Cobertura em canal aberto todas as capitais brasileiras 500 maiores cidades do país. Atende à e às Alcance de mais de VHF e UHF. 1.500 municípios. Possui a maior distribuição de TV

Leia mais

DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Analista de Correios / Administrador AC / Rio Branco 123 1 123,00 Analista de Correios / Técnico em Comunicação Social Atuação: Jornalismo AC / Rio Branco 27 1 27,00 Médico do Trabalho Formação: Medicina

Leia mais

PROJETO DA REDE NACIONAL DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO INTERESTADUAL DE PASSAGEIROS VOLUME I - MODELO FUNCIONAL

PROJETO DA REDE NACIONAL DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO INTERESTADUAL DE PASSAGEIROS VOLUME I - MODELO FUNCIONAL PROJETO DA REDE NACIONAL DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO INTERESTADUAL DE PASSAGEIROS VOLUME I - MODELO FUNCIONAL ANEXO ÚNICO - RESULTADO DOS ESTUDOS DE DAS LIGAÇÕES NOVAS E ORIUNDAS DE MEDIDAS JUDICIAIS 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Resultados do GTP APL

Resultados do GTP APL 2ª Conferência Brasileira sobre Arranjos Produtivos Locais Resultados do GTP APL Cândida Maria Cervieri Secretária Técnica do GTP APL Diretora do Departamento de Micro, Pequena e Média Empresa/SDP/MDIC

Leia mais

NELSON WILIANS ADVOGADOS ASSOCIADOS

NELSON WILIANS ADVOGADOS ASSOCIADOS www.nwadv.com.br NELSON WILIANS ADVOGADOS ASSOCIADOS CNPJ UF Cidade CNPJ SP São Paulo 03.584.647/0001-04 PR Londrina 03.584.647/0002-87 RJ Rio de Janeiro 03.584.647/0003-68 DF Brasília 03.584.647/0004-49

Leia mais

Ranking Município P2i - Lead Alto Padrão Médio Padrão Baixo Padrão

Ranking Município P2i - Lead Alto Padrão Médio Padrão Baixo Padrão 1 São Bernardo do Campo -SP 0,8200 Ótimo Ótimo Ótimo 2 Campo Grande -MS 0,7670 Ótimo Ótimo Ótimo 3 Santo André -SP 0,7670 Ótimo Ótimo Ótimo 4 Osasco -SP 0,7460 Ótimo Ótimo Ótimo 5 Natal -RN 0,7390 Ótimo

Leia mais

Instituto Nacional do Seguro Social INSS Concurso Público para Analista do Seguro Social

Instituto Nacional do Seguro Social INSS Concurso Público para Analista do Seguro Social As inscrições para o concurso público do Instituto Nacional do Seguro Social INSS estarão abertas no período de 12 de agosto a 13 de setembro. São 300 vagas para o cargo de Analista do Seguro Social, sendo

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias

50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias 50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias Pesquisa realizada pela Rizzo Franchise e divulgada pela revista Exame listou as 50 cidades com as melhores oportunidades para abertura de

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE AS Micro e pequenas empresas RANKING DOS ESTADOS 2012

CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE AS Micro e pequenas empresas RANKING DOS ESTADOS 2012 CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE AS Micro e pequenas empresas RANKING DOS ESTADOS 2012 Tributos incluídos no Simples Nacional Brasília 19 de setembro de 2013 ROTEIRO 1 2 3 4 O PROJETO RESULTADOS DIFERENÇA NAS ALÍQUOTAS

Leia mais

ES 031/09 15/05/09 14/05/14 ASSOCIAÇÃO PARA PROMOÇÃO E INSERÇÃO DO JOVEM NO MERCADO DE TRABALHO SOL ESTÁGIOS CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM

ES 031/09 15/05/09 14/05/14 ASSOCIAÇÃO PARA PROMOÇÃO E INSERÇÃO DO JOVEM NO MERCADO DE TRABALHO SOL ESTÁGIOS CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM CIDADE UF NÚMERO VIGÊNCIA CONCEDENTE CONVÊNIO A3 ESTÁGIO SALVADOR BA 034/09 02/06/09 01/06/14 ABRE AGENCIA BRASILEIRA DE ESTÁGIO RECIFE PE 1063/2010 01/07/10 01/07/15 ABRH RS ESTÁGIOS PORTO ALEGRE RS 022/09

Leia mais

Diretoria de Geociências Coordenação de Geografia. Regiões de Influência das Cidades

Diretoria de Geociências Coordenação de Geografia. Regiões de Influência das Cidades Diretoria de Geociências Coordenação de Geografia Regiões de Influência das Cidades 2007 Objetivos Gerais Hierarquizar os centros urbanos Delimitar as regiões de influência associadas aos centros urbanos

Leia mais

O BANCO QUE ACREDITA NAS PESSOAS ONDE QUER QUE ELAS ESTEJAM

O BANCO QUE ACREDITA NAS PESSOAS ONDE QUER QUE ELAS ESTEJAM O BANCO QUE ACREDITA NAS PESSOAS ONDE QUER QUE ELAS ESTEJAM 1861 1889 1934 1970 1976 1980 1997 2005 Fundada em 1861, a CAIXA ECONÔMICA FEDERAL é o principal agente de programas do governo federal e políticas

Leia mais

Atuação do Banco do Brasil em Aglomerações Produtivas

Atuação do Banco do Brasil em Aglomerações Produtivas Atuação do Banco do Brasil em Aglomerações Produtivas Arranjos Produtivos Locais APL Sumário Grandes Números do BB Apoio ao Desenvolvimento Sustentável Resultados e Casos de Sucesso 3o. Trimestre 2007

Leia mais

CASAS ABRIGO. OG 3225-0604 AL Maceió Casa Abrigo Maceió (82) Casa Abrigo. OG 3336-8361 AM Manaus Casa Abrigo

CASAS ABRIGO. OG 3225-0604 AL Maceió Casa Abrigo Maceió (82) Casa Abrigo. OG 3336-8361 AM Manaus Casa Abrigo CASAS ABRIGO UF MUNICÍPIO NOME TELEFONE E-MAIL INAUGURAÇÃO OU OBSERVAÇÕES AC Rio Branco Casa Abrigo Mãe (68) Casa Abrigo da Mata 3225-0604 AL Maceió Casa Abrigo Maceió (82) Casa Abrigo Viva a Vida 3336-8361

Leia mais

1 milhão de casas. Crédito, emprego, benefícios e esperança para os brasileiros.

1 milhão de casas. Crédito, emprego, benefícios e esperança para os brasileiros. 1 milhão de casas Crédito, emprego, benefícios e esperança para os brasileiros. Implementação do Plano Nacional de Habitação, construindo 1 milhão de moradias Aumento do acesso das famílias de baixa renda

Leia mais

Linhas de financiamento BB para o Turismo. Superintendência Estadual do Banco do Brasil MT Agosto/2009

Linhas de financiamento BB para o Turismo. Superintendência Estadual do Banco do Brasil MT Agosto/2009 Linhas de financiamento BB para o Turismo Superintendência Estadual do Banco do Brasil MT Agosto/2009 Atualizada em 03/08/2009 Crédito / Financiamentos de Investimentos / Proger Turismo Investimento Características

Leia mais

MPE Micro e Pequenas Empresas - É POSSÍVEL INOVAR?

MPE Micro e Pequenas Empresas - É POSSÍVEL INOVAR? MPE Micro e Pequenas Empresas - É POSSÍVEL INOVAR? São Paulo 16 de abril de 2013 Missão do SEBRAE Promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável dos pequenos negócios e fomentar o empreendedorismo

Leia mais

5º Congresso Fluminense de Municípios & I Encontro Regional Edição Sudeste

5º Congresso Fluminense de Municípios & I Encontro Regional Edição Sudeste MACUCO SÃO SEBASTIÃO DO ALTO FRIBURGO CACHOEIRAS DE MACACU SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS BARRA MANSA RIO CLARO BARRA DO PIRAÍ VALENÇA 5º Congresso Fluminense de

Leia mais

Estratégia de fortalecimento dos Pequenos Negócios Maria Aparecida Bogado

Estratégia de fortalecimento dos Pequenos Negócios Maria Aparecida Bogado Estratégia de fortalecimento dos Pequenos Negócios Maria Aparecida Bogado Consultor Sebrae Nacional PARCERIAS MPOG - Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão/SLTI CONSAD Conselho Nacional de Secretários

Leia mais

Apresentação de Ações Institucionais do GTP-APL. Oduval Lobato Neto Banco da Amazônia Gerencia de Gestão de Programas Governamentais

Apresentação de Ações Institucionais do GTP-APL. Oduval Lobato Neto Banco da Amazônia Gerencia de Gestão de Programas Governamentais Apresentação de Ações Institucionais do GTP-APL Oduval Lobato Neto Banco da Amazônia Gerencia de Gestão de Programas Governamentais Dezembro/2013 Pauta 1. Banco da Amazônia enfoque institucional 2. Ações

Leia mais

Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial

Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial Ronaldo Mota Secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação Comissão Especial Pré-Sal / Fundo Social Câmara dos Deputados 6 de

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil. Portaria RFB nº 2.327, de 23 de setembro de 2009. (*)

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil. Portaria RFB nº 2.327, de 23 de setembro de 2009. (*) MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil Portaria RFB nº 2.327, de 23 de setembro de 2009. (*) Institui o Concurso de Remoção de 2009, destinado a ocupantes do cargo de Auditor-Fiscal

Leia mais

Programa Regionalização

Programa Regionalização Programa Regionalização Relatório de Acompanhamento de Execução da Agenda de Ação Atualização: Maio/2008 Setembro/2010 Gestor: Henrique Villa da Costa Ferreira Secretário de Políticas de Desenvolvimento

Leia mais

Interior de SP. Mailing Jornais

Interior de SP. Mailing Jornais São Paulo AGORA SÃO PAULO BRASIL ECONÔMICO D.C.I. DESTAK (SP) DIÁRIO DO COMMERCIO (SP) DIÁRIO DE SÃO PAULO DIÁRIO DO GRANDE ABC EMPREGO JÁ (SP) EMPREGOS & CONCURSOS (SP) EMPRESAS & NEGÓCIOS (SP) FOLHA

Leia mais

FINANCIAMENTO DOS MUNICÍPIOS DO BRASIL Um balanço o entre aspectos sociais e econômicos

FINANCIAMENTO DOS MUNICÍPIOS DO BRASIL Um balanço o entre aspectos sociais e econômicos Seminário Internacional sobre Tributação Imobiliária FINANCIAMENTO DOS MUNICÍPIOS DO BRASIL Um balanço o entre aspectos sociais e econômicos Maria Cristina Mac Dowell maria-macdowell.azevedo@fazenda.gov.br

Leia mais

REQUISITOS AM AP BA DF ES GO MG MT PA PE PI RJ RN RS SC SP TOTAL. Análise de Projetos Curso superior completo. 2 2

REQUISITOS AM AP BA DF ES GO MG MT PA PE PI RJ RN RS SC SP TOTAL. Análise de Projetos Curso superior completo. 2 2 ÁREA DE CONHECIMENTO REQUISITOS AM AP BA DF ES GO MG MT PA PE PI RJ RN RS SC SP TOTAL Análise de Projetos Curso superior completo. 2 2 Desenvolvimento de Aplicações - Webmobile Desenvolvimento de Sistemas

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA PETRÓLEO E GÁS. Lilian Santos Gerente Regional MPE

SUPERINTENDÊNCIA PETRÓLEO E GÁS. Lilian Santos Gerente Regional MPE SUPERINTENDÊNCIA PETRÓLEO E GÁS CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Lilian Santos Gerente Regional MPE AGENDA Resultados CAIXA Cenários e Oportunidades Nova Estrutura CAIXA para o Segmento P&G Relacionamento Setor

Leia mais

Programa de Requalificação de UBS. Março/2015

Programa de Requalificação de UBS. Março/2015 Programa de Requalificação de UBS Março/2015 PROGRAMA DE REQUALIFICAÇÃO DE UBS Instituído no ano de 2011 OBJETIVOS: Criar incentivo financeiro para as UBS Contribuir para estruturação e o fortalecimento

Leia mais

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE SANTA CATARINA e BRASIL Desempenho econômico em 2013 INDICADOR SANTA CATARINA BR % % acumulado 2013/2012 % acumulado 2012/2011 acumulado 2013/2012 Produção Ind. (jan-ago)

Leia mais

O QUE SÃO COOPERATIVAS DE CRÉDITO PERFIL INSTITUCIONAL DESEMPENHO ECONÔMICO SOLUÇÕES FINANCEIRAS SUSTENTABILIDADE

O QUE SÃO COOPERATIVAS DE CRÉDITO PERFIL INSTITUCIONAL DESEMPENHO ECONÔMICO SOLUÇÕES FINANCEIRAS SUSTENTABILIDADE O QUE SÃO COOPERATIVAS DE CRÉDITO PERFIL INSTITUCIONAL DESEMPENHO ECONÔMICO SOLUÇÕES FINANCEIRAS SUSTENTABILIDADE AGENTES DA PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL DAS COMUNIDADES ONDE ATUAM Principais

Leia mais

O COOPERATIVISMO E O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

O COOPERATIVISMO E O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO O COOPERATIVISMO E O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO BRASIL Grandeza 5ª Maior População do planeta Maior reserva de água doce do mundo 7ª Economia do mundo Maior área agricultável do planeta Fonte: Banco mundial

Leia mais

Projeto Extensão Industrial Exportadora. Título da apresentação

Projeto Extensão Industrial Exportadora. Título da apresentação Título da apresentação DEFINIÇÃO: É um sistema de resolução de problemas técnico-gerenciais e tecnológicos que visa incrementar a competitividade e promover a cultura exportadora empresarial e estrutural

Leia mais

Recebíveis. Antecipação de Crédito Lojista ACL. BB Giro Cartões. BB Giro Recebíveis. Desconto de Cheques. Desconto de Títulos

Recebíveis. Antecipação de Crédito Lojista ACL. BB Giro Cartões. BB Giro Recebíveis. Desconto de Cheques. Desconto de Títulos Atualizada em 29/04/2015 Capital de Giro BB Capital de Giro Mix Pasep Recebíveis Antecipação de Crédito Lojista ACL Financiamento de Investimentos BB Crédito Empresa BB Giro Empresa Flex BB Giro Cartões

Leia mais

PROTOCOLO E CERIMONIAL TRADICIONALISTA

PROTOCOLO E CERIMONIAL TRADICIONALISTA PROTOCOLO E CERIMONIAL TRADICIONALISTA OBSERVADOS OS DECRETOS: Federal nº 70.274/72 e Estadual nº 30.012/80 353 1 NORMAS GERAIS DO CERIMONIAL 1.1 list as a que comparecer, quando organizadas pelo MTG.

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DAS CONVOCAÇÕES CARGO/ FORMÇÃO ÚLTIMA CLASSIFICAÇÃO CONVOCADA EDITAL 01/2011 PROFISSIONAL JÚNIOR ADMINISTRAÇÃO NACIONAL 51ª

ACOMPANHAMENTO DAS CONVOCAÇÕES CARGO/ FORMÇÃO ÚLTIMA CLASSIFICAÇÃO CONVOCADA EDITAL 01/2011 PROFISSIONAL JÚNIOR ADMINISTRAÇÃO NACIONAL 51ª ACOMPANHAMENTO DAS CONVOCAÇÕES PROFISSIONAL JÚNIOR ADMINISTRAÇÃO NACIONAL 51ª PROFISSIONAL JÚNIOR ADMINISTRAÇÃO NACIONAL 3ª PCD * PROFISSIONAL JÚNIOR ANALISTA DE SISTEMAS - ÊNFASE EM INFRAESTRUTURA RJ

Leia mais

Microcrédito Produtivo Orientado Grandes números no mundo

Microcrédito Produtivo Orientado Grandes números no mundo Microcrédito Produtivo Orientado Grandes números no mundo Leste Europeu e Ásia Central Carteira Bruta (US$) 3,6 bilhões Ticket Médio (US$) 1.570,4 Quant. de Tomadores 2,3 milhões Leste Asiático e Pacífico

Leia mais

REGULAMENTO TIM LIBERTY WEB

REGULAMENTO TIM LIBERTY WEB REGULAMENTO TIM LIBERTY WEB O plano TIM Liberty Web é composto por seis pacotes para utilização em computadores, notebooks ou tablets com as seguintes características. Pacote de dados Volume de Valor do

Leia mais

SITUAÇÃO ATÉ 10/04/2015 CONTRATAÇÕES AUTORIZADAS (2) VAGAS OFERTADAS (1)

SITUAÇÃO ATÉ 10/04/2015 CONTRATAÇÕES AUTORIZADAS (2) VAGAS OFERTADAS (1) SERVIÇO FEDERAL DE PROCESSAMENTO DE DADOS (SERPRO) CONCURSO PÚBLICO PARA PREENCHIMENTO DE E FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA PARA OS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO EDITAL Nº 1 SERPRO, DE 26 DE FEVEREIRO

Leia mais

MOBILIDADE MÉDIAS CIDADES

MOBILIDADE MÉDIAS CIDADES MOBILIDADE MÉDIAS CIDADES Objetivo Fomentar ações estruturantes para o sistema de transporte coletivo urbano por meio de qualificação e ampliação da infraestrutura de mobilidade urbana Quem pode pleitear?

Leia mais

Guia do Usuário Prosoft Analir versão 7.0. Introdução... 2. Liberação das licenças... 3

Guia do Usuário Prosoft Analir versão 7.0. Introdução... 2. Liberação das licenças... 3 Área Universidade Prosoft Autor Clécio Esteves Cavalcante Revisor Ricardo Sales Criação 26/02/2014 Publicação Edição 02-14/10/2014 Distribuição Franqueadora, Franquias e Clientes. Guia do Usuário Prosoft

Leia mais

Sinduscon-Rio 18/06/2013

Sinduscon-Rio 18/06/2013 Sinduscon-Rio 18/06/2013 Balanço de Ações Concluídas (Tangíveis) JAN/FEV Apoio ao Desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro Empresa AgeRio: Quem somos A AgeRio Agência Estadual de Fomento é uma instituição

Leia mais

Produtos/Unidades de Medidas das Ações - 15.000 4.350 34.492 1.020 23.472 10.000 - 233.865.819 130.644.995 42.000.957 163.089 3.099.937 38.737.

Produtos/Unidades de Medidas das Ações - 15.000 4.350 34.492 1.020 23.472 10.000 - 233.865.819 130.644.995 42.000.957 163.089 3.099.937 38.737. RELATÓRIO SIMPLIFICADO DE GESTÃO ORÇAMENTÁRIA - 2º QUADRIMESTRE DE 2011 [Art. 17, 1º, inciso IV da Lei 12.309, de 9 de agosto de 2010 - LDO/2011] Orçamento Fiscal e da Seguridade Social - Ministério Público

Leia mais

Panorama do Mercado Imobiliário. Celso Petrucci Economista-Chefe do Secovi-SP

Panorama do Mercado Imobiliário. Celso Petrucci Economista-Chefe do Secovi-SP Panorama do Mercado Imobiliário Celso Petrucci Economista-Chefe do Secovi-SP Município de São Paulo Lançamentos Residenciais Mun. de São Paulo Mil Unidades Média = 31,7 22,6 24,9 25,7 39,0 34,5 31,6 38,2

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Nível superior Cargo 1: Contador DF Brasília/Sede da Administração Central 35 1820 52,00 Nível médio Cargo 2: Agente Administrativo AC Rio Branco/Sede da SRTE 2 1496 748,00 Nível médio Cargo 2: Agente

Leia mais

NOVA AGENDA PARA PROGRAMAS DE DESENVOLVIMENTO EM APLs

NOVA AGENDA PARA PROGRAMAS DE DESENVOLVIMENTO EM APLs NOVA AGENDA PARA PROGRAMAS DE DESENVOLVIMENTO EM APLs 3ª Conferência Brasileira de Arranjos Produtivos Locais (APLs) Mansueto Almeida -IPEA 1. Principais desafios Vários APLs estão localizados em cidades

Leia mais

Assistência Técnica ThyssenKrupp Elevadores

Assistência Técnica ThyssenKrupp Elevadores Serviços de Assistência Técnica ThyssenKrupp Elevadores 1 Fábrica em Guaíba - RS 2 ThyssenKrupp Elevadores A Empresa A ThyssenKrupp Elevadores atua em todo o território nacional, representada por suas

Leia mais

22ª Assembleia Geral Ordinária Porto Alegre RS, 26/10/2011

22ª Assembleia Geral Ordinária Porto Alegre RS, 26/10/2011 22ª Assembleia Geral Ordinária Porto Alegre RS, 26/10/2011 Pauta Movimentação de Associados: filiação e desligamento; Escolha da sede para o Seminário Nacional de 2013; Eleição de Diretoria Biênio 2012-2013;

Leia mais

ÍNDICE QUEM SOMOS & O QUE PROPOMOS; CAPTAÇÃO DE FINANCIAMENTO : 1.FINEP; 2.BNDES; 3.AGE-RIO; 4.DESENVOLVE SP; 5.BNB;

ÍNDICE QUEM SOMOS & O QUE PROPOMOS; CAPTAÇÃO DE FINANCIAMENTO : 1.FINEP; 2.BNDES; 3.AGE-RIO; 4.DESENVOLVE SP; 5.BNB; ÍNDICE QUEM SOMOS & O QUE PROPOMOS; CAPTAÇÃO DE FINANCIAMENTO : 1.FINEP; 2.BNDES; 3.AGE-RIO; 4.DESENVOLVE SP; 5.BNB; 2 QUEM SOMOS & O QUE PROPOMOS Soluções conservadoras e com total segurança para nossos

Leia mais

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

Mét odo do Valor At ual (VA) ou Valor Pr esent e Líquido (VPL)

Mét odo do Valor At ual (VA) ou Valor Pr esent e Líquido (VPL) Mét odo do Valor At ual () ou Valor r esent e Líquido (VL) O mét odo do Valor At ual () per mit e que conheçamos as nossas necessidades de caixa, ou ganhos de cer t o pr oj et o, em t er mos de dinheir

Leia mais

Veja cidades que mais contrataram e que mais demitiram no 1º semestre

Veja cidades que mais contrataram e que mais demitiram no 1º semestre 1 de 5 20/7/2011 14:20 20/07/2011 06h21 - Atualizado em 20/07/2011 06h21 Veja cidades que mais contrataram e que mais demitiram no 1º semestre São Paulo lidera ranking, com 136 mil vagas criadas de janeiro

Leia mais

Presidente do Conselho Deliberativo Nacional Roberto Simões. Diretor-Presidente Luiz Eduardo Pereira Barretto Filho

Presidente do Conselho Deliberativo Nacional Roberto Simões. Diretor-Presidente Luiz Eduardo Pereira Barretto Filho brasília-df 2012 2012. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação

Leia mais

OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II NIVELAMENTO DAS INFORMAÇÕES DIRIMIR DÚVIDAS COLHER SUGESTÕES

OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II NIVELAMENTO DAS INFORMAÇÕES DIRIMIR DÚVIDAS COLHER SUGESTÕES OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II NIVELAMENTO DAS INFORMAÇÕES DIRIMIR DÚVIDAS COLHER SUGESTÕES MINHA CASA, MINHA VIDA Ampliação das oportunidades de acesso das famílias

Leia mais

PAINEL V : DESENVOLVIMENTO REGIONAL NA AMÉRICA LATINA ESTRUTURA PRODUTIVA E DESENVOLVIMENTO REGIONAL: EXPERIÊNCIAS LATINO-AMERICANAS

PAINEL V : DESENVOLVIMENTO REGIONAL NA AMÉRICA LATINA ESTRUTURA PRODUTIVA E DESENVOLVIMENTO REGIONAL: EXPERIÊNCIAS LATINO-AMERICANAS PAINEL V : DESENVOLVIMENTO REGIONAL NA AMÉRICA LATINA ESTRUTURA PRODUTIVA E DESENVOLVIMENTO REGIONAL: EXPERIÊNCIAS LATINO-AMERICANAS Ricardo Romeiro Coordenador Geral de Arranjos Produtivos Locais Secretária

Leia mais

CONVOCAÇÕES REALIZADAS ATÉ 01/01/2012

CONVOCAÇÕES REALIZADAS ATÉ 01/01/2012 SERVIÇO FEDERAL DE PROCESSAMENTO DE DADOS (SERPRO) CONCURSO PÚBLICO PARA PREENCHIMENTO DE E FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA PARA OS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO EDITAL Nº 1 SERPRO, DE 08 DE OUTUBRO

Leia mais

Produtos e Serviços. Convênio. Banco do Brasil e AmBev

Produtos e Serviços. Convênio. Banco do Brasil e AmBev Produtos e Serviços Convênio Banco do Brasil e AmBev Setembro/20 Senhores Franqueados, O convênio firmado com o Banco do Brasil visa propiciar às Franquias Brahma AmBev, acesso à linhas de crédito (capital

Leia mais

Programas de Apoio à Exportação

Programas de Apoio à Exportação INTERCÂMBIO COMERCIAL BRASIL / MERCOSUL Programas de Apoio à Exportação ENCOMEX JARAGUÁ DO SUL Flávio Martins Pimentel Coordenação-Geral de Programas de Apoio à Exportação MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO,

Leia mais

OAB/RN RELATÓRIO DE APROVADOS NA PROVA OBJETIVA POR INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR

OAB/RN RELATÓRIO DE APROVADOS NA PROVA OBJETIVA POR INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR OAB/RN RELATÓRIO DE APROVADOS NA PROVA OBJETIVA POR INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR Tabela 01 - Aprovados Prova Objetiva - Exame de Ordem 2009.3, Natal/RN, 2009. UF MUNICÍPIO DA IES IES INSCRITOS PRESENTES

Leia mais

Instituição Financeira do Governo do Estado de São Paulo, regulada pelo Banco Central, com inicio de atividades em Março/2009.

Instituição Financeira do Governo do Estado de São Paulo, regulada pelo Banco Central, com inicio de atividades em Março/2009. Presidência 1 Instituição Financeira do Governo do Estado de São Paulo, regulada pelo Banco Central, com inicio de atividades em Março/2009. Instrumento institucional de apoio à execução de políticas de

Leia mais

Resultados da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Inverno 2014

Resultados da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Inverno 2014 Resultados da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Inverno 2014 EQUIPE TÉCNICA DO IPETURIS Coordenação: Mariana Nery Pesquisadores: César Melo Tamiris Martins Viviane Silva Suporte: Gerson

Leia mais

Produtos e Serviços Revendedores e Transportadores LIQUIGÁS. Convênio. Banco do Brasil e Liquigás

Produtos e Serviços Revendedores e Transportadores LIQUIGÁS. Convênio. Banco do Brasil e Liquigás Produtos e Serviços Revendedores e Transportadores LIQUIGÁS Convênio Banco do Brasil e Liquigás 2 Senhores Revendedores e Transportadores, O convênio firmado com o Banco do Brasil propiciar aos Revendedores

Leia mais