Cas dos Hospitais. Higienização das mãos. Infecção Hospitalar. Viva Goiânia!: conheça o projeto lançado pela Casa dos Hospitais

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cas dos Hospitais. Higienização das mãos. Infecção Hospitalar. Viva Goiânia!: conheça o projeto lançado pela Casa dos Hospitais"

Transcrição

1 Viva Goiânia!: conheça o projeto lançado pela Casa dos REVISTA DA Cas dos Hospitais Ano II - Nº 3 Higienização das mãos X Infecção Hospitalar Medida aparentemente simples, a lavagem correta das mãos é considerada uma das principais armas para o controle da infecção hospitalar Ipasgo: Instituto propõe desconto nas faturas vencidas e Aheg reage

2

3 {editorial} O alerta dos hospitais Quem trabalha na área da saúde ou depende esporadicamente ou com maior frequência dos serviços de saúde - casos nos quais se enquadra praticamente toda a população -, certamente, já perdeu as contas das vezes em que ouviu que a crise no setor nunca esteve tão ruim. Volta e meia, diante da defasagem dos valores pagos pelos serviços prestados ou da demora para a marcação de uma consulta, médicos ou pacientes repetem essa frase. Mas, o que temos visto, tanto no setor público quanto na saúde suplementar, é que a situação que no passado parecia nunca ter estado tão ruim, na verdade, tem conseguido se tornar pior a cada dia. Assim, a frase a saúde no Brasil nunca esteve tão ruim, tem permanecido sempre atual. Engana-se quem possa pensar que a crise é exclusiva do setor público. Os estabelecimentos de serviços de saúde privados também são atingidos pelo problema que se alastra em um efeito dominó. O Sistema Único de Saúde (SUS) remunera mal, as operadoras de planos de saúde também não corrigem suas tabelas, e os prestadores privados credenciados acabam tendo seu equilíbrio financeiro comprometido. Em Goiás, para citar um único exemplo, o Ipasgo, o maior comprador de serviços de saúde goiano, depois de meses de atraso na quitação das faturas, o que forçou os prestadores a suspenderem o atendimento por 12 dias no final de março, nos surpreende com um pedido absurdo de desconto para o pagamento de uma dívida que já deveria ter sido efetuado há meses. Quando o assunto é o reajuste dos valores pagos, o Ipasgo nos acena com um pedido de tempo. O resultado do descontentamento dos prestadores com essa situação, o Instituto já está sentido em seu quadro de credenciados. Médicos e hospitais começam a deixar o Ipasgo. Outros podem seguir o mesmo caminho. O alerta já foi dado. Dr. Fernando Antônio Honorato Expediente Revista da Casa dos Hospitais - Maio/Junho 2011 Publicação da Casa dos Hospitais Aheg (Associação dos Hospitais do Estado de Goiás) - (62) Fehoesg (Federação dos Hospitais, Laboratórios, Clínicas de Imagem e Estabelecimentos de Serviços de Saúde no Estado de Goiás) - (62) IFL (Instituto Francisco Ludovico) - (62) Sindhoesg (Sindicato dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde no Estado de Goiás) - (62) Alameda Botafogo nº 101, Centro - CEP Goiânia - Goiás - Presidentes Aheg - Dr. Fernando Antônio Honorato da Silva e Souza (em exercício) Dr. Adelvânio Francisco Morato (licenciado) Fehoesg - Dr. Carlos Alberto Ximenes Instituto Francisco Ludovico (IFL) - Dr. Aristóteles de Castro Barros Sindhoesg - Dr. José Silvério Peixoto REVISTA DA Cas dos Hospitais SAÚDE EM FOCO Conselho Editorial Presidente em exercício da Aheg Dr. Fernando Antônio Honorato de Souza e Silva Assessora de Comunicação da Casa dos Hospitais Jornalista Rosane Rodrigues da Cunha TDA Comunicação Ltda. Av. 85, 1.940, Galeria Nacional, Setor Marista - Goiânia-Goiás Fone/Fax: (62) / Diretora - Patrícia Gomes Correção Ortográfica - Douglas Rodarte Diretor de Criação - Juliano Fagundes Jornalista - Rosane Rodrigues da Cunha 764 JP-GO Impressão - Gráfica América Tiragem exemplares Distribuição Gratuita CASA DOS HOSPITAIS 3

4 {ipasgo} Aheg diz não ao deságio Ipasgo propôs antecipar a quitação das faturas de novembro e dezembro de 2010 dos prestadores de serviços que oferecessem os descontos mais vantajosos ao Instituto Os prestadores de serviços de saúde credenciados pelo Instituto de Assistência dos Servidores do Estado de Goiás (Ipasgo) foram surpreendidos em junho com uma proposta considerada absurda pela Aheg: a antecipação do pagamento das faturas de novembro e dezembro de 2010 aos que oferecessem os melhores descontos ao órgão. A Aheg agiu rápido e o presidente Fernando Antônio Honorato da Silva e Souza orientou os associados a recusarem o deságio. Fernando Honorato considerou a proposta absurda. Se o Ipasgo dispõe de recursos em caixa para antecipar o pagamento de parcelas previstas no acordo firmado com as entidades representativas dos prestadores de serviços, essa antecipação deve beneficiar todos os prestadores e sem deságio, afirmou. Acordo O Termo de Acordo de Quitação ao qual o presidente se refere foi firmado no dia 7 de abril de 2011 entre o Ipasgo e as entidades representativas dos prestadores de serviços e referendado pelo Ministério Público Estadual (MP). O acordo, que também foi assinado pelo governador do Estado, Marconi Perillo, pôs fim à paralisação do atendimento aos usuários do Instituto, deflagrada pelos prestadores de serviços de saúde no dia 24 de março. O atendimento foi retomado no dia 4 de abril, após a assembleia geral da categoria, realizada na Casa dos Hospitais, ter aprovado o cronograma que previa a atualização do pagamento dos serviços prestados em 2011 e o parcelamento das faturas vencidas, referentes à prestação de serviços em novembro e dezembro do ano passado. De acordo com o cronograma, prestadores: pessoa física ou jurídica com faturamento até R$ 20 mil, receberão novembro e dezembro (fatura integral) em agosto de Prestadores com faturamento superior a esse valor, terão o pagamento parcelado: novembro (10% em maio; 20% em setembro; 30% em outubro e 40% em novembro de 2011); e dezembro (20% em fevereiro; 30% em maio; 30% em junho e 30% em julho de 2012). Retrocesso Para a Aheg, o Comitê de Integração das Entidades Representativas dos Médicos e dos Estabelecimentos Assistenciais de Saúde (Cier-Saúde) e Associação dos Hospitais de Alta Complexidade do Estado de Goiás (Ahpaceg), esse acordo firmado não foi o ideal, mas representou um passo adiante nas negociações. Um dos motivos foi que, pela primeira vez, o acordo entre o Estado e os prestadores de serviços credenciados pelo Ipasgo levou a assinatura do governador e também foi definida uma multa diária de R$ 5 mil em caso de descumprimento das cláusulas. Aceitar o deságio proposto pelo Ipasgo, na opinião do presidente da Aheg, seria um retrocesso. Já temos uma tabela de honorários defasada e estamos recebendo com um grande atraso, portanto, qualquer desconto no valor das faturas seria muito prejudicial aos prestadores de serviços, disse Fernando Honorato. Rua 28 Qd. G-14 Lt. 17 nº St. Marista - CEP Fones: (62) CASA DOS HOSPITAIS

5 {ipasgo} Acordo assinado: entidades, MP, Ipasgo e Governo Estadual Saiba mais A quitação das faturas vencidas com desconto foi proposta pelo Ipasgo através da Instrução Normativa nº /PR, encaminhada aos prestadores de serviços de saúde. O documento previa que o prestador de serviços credenciado no Ipasgo, pessoa física ou jurídica, interessado em conceder deságio para recebimento à vista, de créditos referentes às competências novembro e dezembro de 2010, deveria instruir pedido neste sentido junto ao Instituto. A análise das propostas de deságio, de acordo com o Ipasgo, seguiria a ordem cronológica de recebimento e seriam liquidadas as que por ordem de recebimento, oferecessem maiores vantagens financeiras ao Instituto. C M Y CM MY CY CMY K CASA DOS HOSPITAIS 5

6 {sus} Morato integra GT sobre remuneração Criado em junho de 2011 pelo Ministério da Saúde, o Grupo de Trabalho (GT), que conta com a participação do presidente licenciado da Aheg, Adelvânio Francisco Morato, tem 120 dias para apresentar um estudo sobre a remuneração dos médicos no âmbito do SUS O presidente licenciado da Aheg e vice-presidente da Federação Brasileira de Hospitais (FBH), Adelvânio Francisco Morato, é membro titular do Grupo de Trabalho (GT) criado pelo Ministério da Saúde para avaliar a atual política de remuneração dos médicos que atuam no Sistema Único de Saúde (SUS). Criado em 2 de junho, o grupo reuniu-se pela primeira vez no dia 7 de julho, em Brasília (DF). Nesta primeira reunião, o foco das discussões foi o trabalho dos médicos ligados às clínicas e hospitais da rede privada conveniada ao SUS. A proposta é priorizar a discussão do pagamento pelo Código 7, no qual o médico autônomo recebe diretamente do SUS. A revisão do Código 7 é um dos principais pleitos das entidades médicas e hospitalares. A pauta incluiu também o trabalho médico na rede própria. De acordo com o Ministério da Saúde, esse assunto é objeto de discussão na Mesa Nacional de Negociação do SUS, que teve sua atividade reforçada pelo órgão. Outro item abordado pelo GT foi o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). Foi informado que o sistema passará por mudanças, permitindo ao médico a validação dos dados inseridos pelos gestores. Mas, até que essas mudanças entrem em vigor, continua valendo a Portaria 134, de 4 de abril de 2011, editada para resolver problemas de inconsistência das informações registradas e de falta de critérios de operacionalização. Além de representante da FBH, o Grupo de Trabalho conta com a participação de representantes da Secretaria de Atenção à Saúde (Departamento de Regulação Avaliação e Controle de Sistemas, Departamento de Atenção Especializada e Departamento de Atenção Básica); Conselho Federal de Medicina (CFM); Associação Médica Brasileira (AMB); Federação Nacional de Médicos (Fenam); Confederação Nacional de Saúde (CNS) e Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas (CMB). Morato destaca que essa é a primeira vez que o Ministério da Saúde debate esses temas de forma ampla com a participação de representantes da classe médica e dos hospitais. A expectativa dele é que haja avanços que assegurem a melhoria da remuneração e da forma de pagamento e a valorização do trabalho médico. Morato: expectativa de avanços nas discussões Criado pela Portaria número 248, o grupo de trabalho tem um prazo de 120 dias, prorrogáveis por igual período, para elaborar um estudo sobre a Remuneração dos Profissionais Médicos no âmbito do SUS. As reuniões acontecerão periodicamente. 6 CASA DOS HOSPITAIS

7 {palestras} Tributação e remuneração em pauta Tributação na área da saúde, remuneração dos prestadores e qualificação dos serviços, foram alguns temas abordados no ciclo de palestras realizado na Casa dos Hospitais C umprindo seu compromisso de trabalhar em prol do desenvolvimento dos estabelecimentos de serviços de saúde goianos, a Fehoesg, Sindhoesg, Aheg e Instituto Francisco Ludovico (IFL) promoveram no dia 20 de junho um ciclo de palestra sobre temas atuais de interesse dos prestadores de serviços de saúde. Realizado no auditório da Casa dos Hospitais, o evento reuniu diretores, administradores, advogados e contadores de estabelecimentos de saúde da capital e do interior. Acreditamos que a disseminação de informações e do conhecimento é uma forma de promoção desse desenvolvimento do setor hospitalar, disse o presidente da Fehoesg, Carlos Alberto Ximenes. Na abertura dos trabalhos, o assessor Jurídico da Confederação Nacional de Saúde (CNS), Alexandre Zanetti, falou sobre a Atuação do Conselho Jurídico da CNS nas Questões Referentes ao Aspecto Legal do Setor da Saúde. Mudanças Em seguida, o coordenador do Departamento de Saúde Suplementar da Confederação Nacional de Saúde, João de Lucena Gonçalves, abordou o tema Mudanças Previstas pelo Novo Modelo de Remuneração na Saúde Suplementar. Ele alertou que os estabelecimentos de serviços de saúde devem ficar atentos às mudanças, como o Programa de Incentivo à Qualificação de Prestadores e o Programa de Monitoramento da Qualidade dos Prestadores de Serviços na Saúde Suplementar (Qualiss) da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), esse último alvo de uma consulta pública (número 44), que recebeu sugestões até 23 de julho. Os Projetos de Lei de Impacto no Setor de Saúde em Tramitação no Congresso Nacional foram apresentados pela assessora Jurídica da Federação dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo (Fehoesp) e Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo (Sindhosp), Eriete Ramos Dias Teixeira. Ela destacou, por exemplo, o impacto financeiro que alguns projetos que definem pisos salariais para categorias, como enfermeiros, médicos e farmacêuticos, terão no caixa dos hospitais. Encerrando o ciclo de palestras, os assessores Jurídicos da Federação Baiana de Saúde, Hospitais, Estabelecimentos e Serviços (Febase), José Eduardo Dornelas, e da Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado do Rio de Janeiro Carlos Alberto Ximenes: promoção do desenvolvimento do setor hospitalar (Feherj), Bernardo Safady Kaiuca, abordaram a Carga Tributária e Questões Controvertidas da Tributação do Setor Saúde. Kaiuca ressaltou a importância de os estabelecimentos fazerem o planejamento tributário, identificando, por exemplo, se devem adotar o sistema de lucro presumido ou de lucro real. Dornelas destacou medidas que podem contribuir para a redução da carga tributária que incide sobre as empresas. MAIS INFORMAÇÕES Para obter mais informações sobre as palestras e ter acesso ao conteúdo apresentado pelos palestrantes, entre em contato com a Assessoria Jurídica da Casa dos Hospitais: (62) CASA DOS HOSPITAIS 7

8 {controle de infecção} A higienização das mãos é fundamental Parece um gesto comum, sem grande importância, mas a lavagem correta é frequente das mãos pelos profissionais de saúde é fundamental para evitar um grave problema que põe em risco a vida de pacientes e trabalhadores: a infecção hospitalar Estimativas dos órgãos de saúde revelam que a infecção hospitalar atinge 14% das internações registradas no Brasil. A médica infectologista Sheila de Almeida, coordenadora da Consultoria de Controle de Infecção da Aheg, explica que a infecção hospitalar pode ser definida como aquela adquirida 48 horas após a admissão do paciente e que se manifesta durante a internação ou 48 horas após a alta hospitalar. Em casos cirúrgicos, considera-se infecção hospitalar aquela registrada até 30 dias após realização do procedimento cirúrgico e em caso de implantes de 8 CASA DOS HOSPITAIS

9 {controle de infecção} próteses, até um ano. Preocupada com o problema, a Organização Mundial de Saúde (OMS), por meio do programa Aliança Mundial para a Segurança do Paciente, estabeleceu diretrizes e estratégias para reduzir os casos de infecções hospitalares e otimizar a segurança dos pacientes. Entre as diretrizes está uma medida simples: o incentivo à prática de lavagem correta das mãos (Uma Assistência Limpa é uma Assistência Mais Segura). De acordo com Sheila de Almeida, a higiene das mãos é a mais simples e importante ação para a prevenção e controle das infecções hospitalares. A médica explica que as mãos constituem a principal fonte de contato com os pacientes sendo também a principal via de transmissão de microorganismos durante a assistência à saúde. Ela ressalta que todos os profissionais que trabalham em serviço de saúde que mantêm contato direto ou indireto com os pacientes ou atuam na manipulação de medicamentos, alimentos e materiais estéreis ou contaminados, devem redobrar os cuidados com a higienização das mãos. Segundo Sheila de Almeida, as mãos devem ser higienizadas antes e após a manipulação do paciente, equipamentos e superfícies. Nessa lavagem, é necessário o uso de água e sabão. A higienização das mãos sem sujidade aparente pode ser realizada através da fricção com álcool gel a 70% glicerinado, que deverá estar disponível em vários pontos estratégicos da instituição. Onze passos para a higienização das mãos Molhe as mãos com água Cubra as mãos com a espuma do sabão Esfregue bem as palmas Esfregue o dorso com a palma das mãos Lave as palmas com os dedos entrelaçados Esfregue a base dos dedos nas palmas das mãos Limpe o polegar esquerdo com a palma da mão direita e vice-versa Esfregue novamente as palmas das mãos com a ponta dos dedos Enxágue todo o sabão Enxugue as mãos com uma toalha descartável Use essa mesma toalha para desligar a torneira Pronto, suas mãos estão completamente limpas! CASA DOS HOSPITAIS 9

10 {teatro} IFL inova em palestras Usando o teatro como um instrumento de orientação e educação profissional e visando a melhoria do atendimento nos estabelecimentos de serviços de saúde goianos, o Instituto Francisco Ludovico lançou, em julho, o Projeto IFL em Cena A pós o sucesso dos cursos e palestras ministrados no primeiro semestre de 2011 na capital e no interior, que enfocaram temas como Gestão em Arquivos Hospitalares, Recepção Hospitalar com Pré-faturamento, Faturamento no SUS e Faturamento de Clínicas e Laboratórios, o Instituto Francisco Ludovico (IFL) decidiu iniciar o segundo semestre inovando e ampliando sua forma de levar informações ao público da área da saúde. Assim, nasceu o Projeto IFL em Cena, realizado ao longo de todo o mês de julho. Voltado para colaboradores que trabalham nas áreas de recepção e atendimento dos estabelecimentos de serviços de saúde, o projeto une informação, conhecimento e arte. Cada apresentação é dividida em duas partes, que incluem a palestra O Bom Atendimento na Recepção, ministrada por Glayson Campos Silva, e a encenação da peça teatral Oh! Bendita Consulta, na qual as atrizes Ludmyla Marques e Jéssika Hannder simulam situações comuns nas unidades de saúde, ressaltando de forma bem humorada as falhas e acertos no atendimento aos pacientes. Desde o seu lançamento, o projeto despertou grande interesse entre os associados e a agenda de apresentações IFL em Cena: atrizes ressaltam erros e acertos no atendimento esgotou-se em pouco tempo. A abertura do IFL em Cena, que visa a melhoria do atendimento nos estabelecimentos de serviços de saúde goianos, aconteceu no dia 6 de julho no Hospital São Silvestre, em Aparecida de Goiânia. Outras apresentações foram realizadas em unidades como o UroCenter, Hospital Araújo Jorge, Hospital Garavelo, Imo Diagnósticos, Hospital Goiânia Leste, Hospital do Coração e Hospital Samaritano. O interesse dos associados e a receptividade do público foram tão grandes que o IFL já programa uma nova edição do projeto, que destaca a importância da eficiência no atendimento na recepção, a ética profissional, empatia com o cliente, o bom atendimento presencial e por telefone e a humanização do atendimento. Programação Para o segundo semestre de 2011, o IFL já programou a promoção dos cursos de Recepção Hospitalar, Faturamento Hospitalar Básico, Faturamento de UTI, Faturamento em Oftalmologia,Custo Hospitalar, Segurança no Ambiente Hospitalar, Aspectos Legais e Administrativos do Prontuário Médico (palestra), e o lançamento em agosto do curso de pós-graduação em Direito Médico para Profissionais da Saúde. Para saber mais sobre esses cursos, acesse o site da Casa dos Hospitais (www.casadoshospitais.com.br) ou entre em contato com o Instituto pelo telefone (62) e 10 CASA DOS HOSPITAIS

11 {anvisa} Consulta Pública Anvisa faz consulta pública para elaborar resolução sobre o funcionamento dos estabelecimentos de serviços de saúde A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) abriu uma consulta pública para o recebimento de críticas e sugestões relativas à proposta de resolução que dispõe sobre os requisitos para funcionamento dos serviços de saúde. Os interessados têm até 10 de agosto para participarem da Consulta Pública número 37, que está disponível no site da Anvisa (www.anvisa.gov.br). O presidente do Sindhoesg, José Silvério Peixoto Guimarães, conclama os representantes dos estabelecimentos de serviços de saúde goianos a participarem, opinando sobre a resolução que definirá normas a respeito das boas práticas de funcionamento dos estabelecimentos de serviços de saúde, prontuário de pacientes, gestão de pessoal, segurança dos trabalhadores e outros aspectos relacionados à rotina das unidades de saúde. José Silvério: estabelecimentos de saúde goianos devem participar COMO PARTICIPAR As sugestões deverão ser encaminhadas por escrito, em formulário próprio, para um dos endereços ao lado: Anvisa/Gerência-Geral de Tecnologia em Serviços de Saúde - GGTES, SIA Trecho 5, Área Especial 57, Brasília- DF, CEP Fax: (61) CASA DOS HOSPITAIS 11

12 {marketing} Lançado o Projeto Viva Goiânia! A Casa dos Hospitais lançou, em parceria com a TDA Comunicação e Assessoria, o projeto Viva Goiânia!, unindo arte, cultura, preservação ambiental e informação sobre os principais serviços de saúde oferecidos na capital goiana S ede da Aheg, da Fehoesg, do Sindhoesg e do IFL, entidades que integram a Casa dos Hospitais, Goiânia é uma cidade bela e com uma gente alegre, hospitaleira e trabalhadora. E para homenagear a capital e sua gente, a Casa dos Hospitais, em parceria com a TDA Comunicação e Assessoria, lançou o projeto Viva Goiânia! O objetivo é, através da arte, ressaltar as belezas da cidade e incentivar a preservação das áreas verdes da capital. O projeto inclui a pintura de 12 telas e a produção de 5 mil caixas, cada uma, com 12 cartões postais e um mapa da cidade, com destaque para os principais estabelecimentos de saúde de Goiânia, o que facilitará a localização e o acesso da população a esses serviços. Os quadros em óleo sobre tela foram pintados pelo artista plástico Alexandre Liah, será retratado um pouco da alegria dos goianienses em harmonia com a natureza e a beleza de parques da cidade. As telas estão expostas na Unicred e na Lince Veículos, onde em agosto haverá um coquetel e sorteio da obras entre as empresas patrocinadoras do projeto. As telas serão reproduzidas nos cartões postais. Cada cartão terá a imagem de uma pintura e, no verso, a logomarca de um patrocinador. Dispostos em caixas com 12 unidades cada, os postais serão repassados a esses patrocinadores, que poderão presentear seus clientes. Além de contribuir para a divulgação das belezas da Capital e do mapa dos principais serviços de saúde da cidade, o patrocínio do projeto ainda vinculará a imagem da empresa patrocinadora à cultura, à arte e à promoção da saúde e da qualidade de vida. Portanto, a Casa dos Hospitais e a TDA Comunicação e Assessoria contam com a adesão do empresariado goiano. Conheça e participe do Viva Goiânia! 12 CASA DOS HOSPITAIS

13 CASA DOS HOSPITAIS 13

14 INFORME PUBLICITÁRIO Instituto de Olhos de Goiânia: 35 anos de referência Dr. Augusto Paranhos, Dr. Ruberpaulo Mendonça Ribeiro, Dr. Durval Moraes de Carvalho, prof. Hilton Rocha, Dr. Evaristo Nardelli, Dr. Luiz Velloso, Dr. Henrique Celso Rezende Rocha e Vicente Muniz de Carvalho Em 1976, nascia o Instituto de Olhos de Goiânia, fruto de uma iniciativa ousada e inovadora de um grupo de oftalmologistas goianienses. Em 1995, inovaria mais uma vez ao criar a primeira residência médica em oftalmologia de Goiás reconhecida pelo Ministério da Educação. Hoje, ao completar 35 anos, o Instituto de Olhos de Goiânia orgulha-se de sua trajetória de pioneirismo e inovação e da qualidade no atendimento, que o transformaram em uma referência em oftalmologia no Centro-Oeste do País. Por trás desse sucesso, estão o trabalho dos médicos que no passado acreditaram no sonho de criação do Instituto de Olhos de Goiânia e a atuação do corpo clínico altamente capacitado que, hoje, continua construindo essa história. Parabéns ao Instituto de Olhos de Goiânia, que compartilha as comemorações de seus 35 anos juntamente a celebração do centenário do professor Hilton Rocha, uma referência na oftalmologia brasileira. Dr. Ruberpaulo Mendonça Ribeiro, Dr. Evaristo Nardelli, Dr. José Luís T. Ferreira Pires, Dra. Paula Márcia F. Souza F. Pires, Dra. Ângela de Sant Anna Moraes, Dr. João Diniz Ribeiro, Dr. Ronaldo Nardelli, Dr. Rodrigo Nardelli, Dr. João J. Nassaralla Jr., ( Dra. Belquiz R. A. Nassaralla ), Dr. Paulo Ovídius Stival Veneziano, Dr. Renato T. Ferreira Pires. Esquizofrenia: novo medicamento O uso do medicamento Xeplion (Palmitato de Paliperidona) para o tratamento agudo e de manutenção da esquizofrenia em adultos foi aprovado, em julho, pela Anvisa. Trata-se de um antipsicótico de segunda geração, injetável, de liberação prolongada e uso mensal. O diretor médico da farmacêutica Janssen-Cilag, José Carlos Appolinário, afirma que o novo medicamento será um importante aliado no tratamento da doença, que atinge cerca de 1% da população adulta no Brasil. A esquizofrenia prejudica a capacidade de uma pessoa pensar com clareza, relacionar-se com outras e distinguir a realidade da imaginação. Tintas higiênicas A Universo Tintas apresentou na Hospitalar Feira Internacional de Produtos, Equipamentos, Serviços e Tecnologia para Hospitais, Laboratórios, Farmácias, Clínicas e Consultórios, realizada em São Paulo (SP), um produto inovador: a linha de Tintas Higiênicas Universo. De acordo com o fabricante, o produto é ideal para o uso em clínicas e hospitais, pois inibe a proliferação de microrganismos no ambiente. Isso acontece porque na sua fórmula existe um componente que forma um campo eletromagnético para desnaturar as proteínas e a membrana celular dos microrganismos, impedindo a sua divisão celular. Resultado: em pouco tempo os microrganismos morrem. O produto, segundo o fabricante, combate a bactéria Pseudomonas aeruginosa, além do Staphylococcus aureus e da Escherichia coli. As Tintas Higiênicas Universo estão disponíveis nas versões látex acrílico, esmalte à base de água e epóxi à base de água, em embalagens de 3,6 litros e latas de 18 litros e em 8 cores. 14 CASA DOS HOSPITAIS

15 CASA DOS HOSPITAIS 15

16 Abraccinti Faz sentido operar com uma instituição financeira que é sua A Unicred é uma cooperativa de crédito que oferece tudo o que você precisa em serviços financeiros e com uma grande vantagem: ela é SUA. Nela você encontra os produtos e serviços de um banco, com as vantagens de uma cooperativa. Conta corrente Cheque especial Crédito Aplicações Investimentos Débito automático Assessoria financeira Cartão de crédito Cartão de débito Seguros Serviços Produtos Corporativos Internet Banking Profissionais da saúde e empresas da área já podem se associar à Unicred. Entre em contato conosco e agende sua visita. UNICRED CENTRO BRASILEIRA (62)

Exigência de cheque-caução é crime

Exigência de cheque-caução é crime CRIME Ano 8 Nº 158 Maio/2012 Exigência de cheque-caução é crime Desde 29 de maio, a exigência de cheque-caução, a assinatura de nota promissória ou qualquer garantia para o atendimento médico-hospitalar

Leia mais

Leia ainda nesta edição...

Leia ainda nesta edição... Instituto Órgão Informativo semanal do Sistema de Representação Associativo e Sindical dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde em Goiás Ipasgo recadastra prestador de serviços Os 4.629 prestadores

Leia mais

Leia ainda nesta edição...

Leia ainda nesta edição... Ano 5 Nº 82 Vitória Compradores de serviços reajustam valores pagos a médicos e hospitais Após uma longa negociação com as entidades representativas dos prestadores de serviços de saúde, a Bradesco Seguros

Leia mais

2. Quais os objetivos do Programa Nacional de Segurança do Paciente?

2. Quais os objetivos do Programa Nacional de Segurança do Paciente? O tema Segurança do Paciente vem sendo desenvolvido sistematicamente pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) desde sua criação, cooperando com a missão da Vigilância Sanitária de proteger

Leia mais

LEI 13003 Manual Perguntas e Respostas

LEI 13003 Manual Perguntas e Respostas LEI 13003 Manual Perguntas e Respostas APRESENTAÇÃO A Federação Baiana de Hospitais e a Associação de Hospitais e Serviços de Saúde do Estado da Bahia, cumprindo com a função de orientar e assessorar hospitais,

Leia mais

IFL oferece novos serviços a associados

IFL oferece novos serviços a associados SEGURANÇA E SAÚDE Ano 7 Nº 144 11/11 a 31/12/10 Palestra alerta para a necessidade de envolvimento de todos no cumprimento da NR-32 Em uma palestra promovida pela Aheg e realizada no auditório da Casa

Leia mais

Ainda nesta edição...

Ainda nesta edição... Ano 7 Nº 136 1º/02 A 10/03/10 REDE FBH Parceria é apresentada a hospitais goianos Lançada há quatro meses, a parceria entre a Federação Brasileira de Hospitais (FBH) e a Gama Saúde foi apresentada, no

Leia mais

MONITORAMENTO DA HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS: UM DESAFIO NA SEGURANÇA DO PACIENTE. Simone Moreira Esp. Prevenção e Controle de Infecção Mestre em Avaliação

MONITORAMENTO DA HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS: UM DESAFIO NA SEGURANÇA DO PACIENTE. Simone Moreira Esp. Prevenção e Controle de Infecção Mestre em Avaliação MONITORAMENTO DA HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS: UM DESAFIO NA SEGURANÇA DO PACIENTE Simone Moreira Esp. Prevenção e Controle de Infecção Mestre em Avaliação Segurança do Paciente Anos 50 e 60: estudos sobre eventos

Leia mais

Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002.

Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002. Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002. O Secretário de Assistência à Saúde, no uso de suas atribuições legais, Considerando a Portaria GM/MS nº 866, de 09 de maio de 2002, que cria os mecanismos para organização

Leia mais

1º Seminário de Melhores Práticas

1º Seminário de Melhores Práticas 1º Seminário de Melhores Práticas SESI /DR/ACRE Painel 3 Educação e Saúde SESISAÚDE Programa de Saúde do Trabalhador Aparecida Ribeiro Tagliari Costa Sumário O Programa SESISAUDE foi implantado no ano

Leia mais

Superintendência Regional do Trabalho fiscaliza a contratação de menor aprendiz

Superintendência Regional do Trabalho fiscaliza a contratação de menor aprendiz Ano 7 Nº 139 21/05 a 25/06/10 PARALISAÇÃO Prestadores suspendem o atendimento pelo Ipasgo durante cinco dias Com cerca de 90% de adesão da categoria, os prestadores de serviços de saúde credenciados pelo

Leia mais

PROPOSTA DE PARCERIA PARA PUBLICIDADE

PROPOSTA DE PARCERIA PARA PUBLICIDADE CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO ESTADO DA BAHIA Rua do Salete, n.º 320 - Barris - Cep. 40.070.200 Tel.: (071) 2109-4000 Fax: (071) 2109-4009 www.crcba.org.br comunicacao@crc-ba.org.br Salvador -

Leia mais

Tudo sobre TELEMEDICINA O GUIA COMPLETO

Tudo sobre TELEMEDICINA O GUIA COMPLETO Tudo sobre TELEMEDICINA O GUIA COMPLETO O QUE É TELEMEDICINA? Os recursos relacionados à Telemedicina são cada vez mais utilizados por hospitais e clínicas médicas. Afinal, quem não quer ter acesso a diversos

Leia mais

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html Página 1 de 5 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.559, DE 1º DE AGOSTO DE 2008 Institui a Política Nacional

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA Quando da apresentação de protocolos, manual de normas e rotinas, procedimento operacional padrão (POP) e/ou outros documentos,

Leia mais

Política do Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE

Política do Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE Política do Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE O Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE visa fortalecer a missão de desenvolver a nossa terra e nossa gente e contribuir para

Leia mais

POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE

POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE Av. Barbacena, 472 8º andar Barro Preto CEP: 30190-130 Belo Horizonte/MG Tel.: 3253.4917 E-mail: renata.gontijo@cemigsaude.org.br Portal Corporativo: www.cemigsaude.org.br

Leia mais

Instituto Francisco Ludovico lança Pós-Graduação em Direito Médico

Instituto Francisco Ludovico lança Pós-Graduação em Direito Médico NOVO CURSO Ano 7 Nº 150 11/07 a 11/08/2011 Instituto Francisco Ludovico lança Pós-Graduação em Direito Médico Com mensalidades subsidiadas pela Casa dos Hospitais, o que garante um preço bem inferior ao

Leia mais

CPI da OPME 6.Abr. 2015. Dr. Eudes de Freitas Aquino Presidente da Unimed do Brasil

CPI da OPME 6.Abr. 2015. Dr. Eudes de Freitas Aquino Presidente da Unimed do Brasil CPI da OPME 6.Abr. 2015 Dr. Eudes de Freitas Aquino Presidente da Unimed do Brasil SISTEMA UNIMED 351 Cooperativas contribuindo com a interiorização dos médicos da medicina de qualidade no Brasil. SISTEMA

Leia mais

PROTOCOLOS DE SEGURANÇA. Cícero Andrade DO PACIENTE

PROTOCOLOS DE SEGURANÇA. Cícero Andrade DO PACIENTE PROTOCOLOS DE SEGURANÇA Cícero Andrade DO PACIENTE Finalidade Instituir e promover a higiene das mãos nos serviços de saúde do país com o intuito de prevenir e controlar as infecções relacionadas à assistência

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE O CADASTRAMENTO DAS COORDENAÇÕES MUNICIPAIS DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR - CMCIH 2010/2012

RELATÓRIO SOBRE O CADASTRAMENTO DAS COORDENAÇÕES MUNICIPAIS DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR - CMCIH 2010/2012 RELATÓRIO SOBRE O CADASTRAMENTO DAS COORDENAÇÕES MUNICIPAIS DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR - CMCIH 200/202 Brasília, Maio de 202 Diretores: Dirceu Brás Aparecido Barbano Diretor-Presidente Jaime Cesar

Leia mais

Política de Patrocínios e Doações da Volvo do Brasil

Política de Patrocínios e Doações da Volvo do Brasil Política de Patrocínios e Doações da Volvo do Brasil Data de publicação: 10/07/2007 Última atualização: 10/07/2007 APRESENTAÇÃO Os patrocínios exercem um importante papel na estratégia de comunicação e

Leia mais

PORTARIA Nº 876/GM, DE 16 DE MAIO DE 2013. p. DOU, Seção1, de 17.5.2013, págs. 135/136

PORTARIA Nº 876/GM, DE 16 DE MAIO DE 2013. p. DOU, Seção1, de 17.5.2013, págs. 135/136 PORTARIA Nº 876/GM, DE 16 DE MAIO DE 2013 p. DOU, Seção1, de 17.5.2013, págs. 135/136 Dispõe sobre a aplicação da Lei nº 12.732, de 22 de novembro de 2012, que versa a respeito do primeiro tratamento do

Leia mais

SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL -Principais serviços que a Assistência Social possui para atendimento de idosos: - Proteção Social Básica (atendimento preventivo) - Centro de Convivência do Idoso - atualmente

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

Ações do Ministério da Saúde no âmbito da Farmácia Hospitalar

Ações do Ministério da Saúde no âmbito da Farmácia Hospitalar Ações do Ministério da Saúde no âmbito da Farmácia Hospitalar Panorama das ações do Ministério da Saúde no âmbito da Farmácia Hospitalar Portaria N 4.283 de 30 de dezembro de 2010 - Diretrizes para ações

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 8. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 8. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 3 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 7 Cronograma de Aulas Pág. 8 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM DOR Unidade Dias e Horários

Leia mais

A ABEMD trabalha para incentivar, valorizar, desenvolver e difundir o Marketing Direto no Brasil.

A ABEMD trabalha para incentivar, valorizar, desenvolver e difundir o Marketing Direto no Brasil. A ABEMD, Associação Brasileira de Marketing Direto, é uma entidade civil, sem fins lucrativos, fundada em 1976 e constituída por pessoas jurídicas e físicas interessadas na aplicação de estratégias e técnicas

Leia mais

Ainda nesta edição... REAJUSTE. Tabela de honorários do Ipasgo é reajustada

Ainda nesta edição... REAJUSTE. Tabela de honorários do Ipasgo é reajustada Ano 5 Nº 121 26/07 a 26/08/08 MICOBACTÉRIA AHEG debate prevenção de surto Em uma reunião convocada pelo presidente da AHEG, Robson Azevedo (foto), representantes dos hospitais goianos debateram a prevenção

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde Promoção da Saúde do Trabalhador da Saúde: conscientização acerca do uso de luvas e higienização das mãos pelos

Leia mais

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Toda empresa privada deseja gerar lucro e para que chegue com sucesso ao final do mês ela precisa vender, sejam seus serviços

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DA TABELA TUSS Terminologia Unificada em Saúde Suplementar. Visão dos Prestadores

IMPLANTAÇÃO DA TABELA TUSS Terminologia Unificada em Saúde Suplementar. Visão dos Prestadores IMPLANTAÇÃO DA TABELA TUSS Terminologia Unificada em Saúde Suplementar Visão dos Prestadores HISTÓRICO 2003 TISS 2004 OFICINAS ANS TISS Porto Alegre: Importância do tema = 95,2% importante / muito importante

Leia mais

Índice. Farmácia de Manipulação Conhecendo uma farmácia de manipulação, suas vantagens e procedimentos... 2

Índice. Farmácia de Manipulação Conhecendo uma farmácia de manipulação, suas vantagens e procedimentos... 2 1 Índice Farmácia de Manipulação Conhecendo uma farmácia de manipulação, suas vantagens e procedimentos... 2 A Empresa Informações sobre a empresa, farmacêuticas responsáveis, instalações, diferenciais

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM RADIOFARMÁCIA Unidade Dias e Horários

Leia mais

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade.

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade. No programa de governo do senador Roberto Requião, candidato ao governo do estado pela coligação Paraná Com Governo (PMDB/PV/PPL), consta um capítulo destinado apenas à universalização do acesso à Saúde.

Leia mais

Eventos Fehosp. Promovendo e fortalecendo as relações para o aprimoramento das ações na saúde.

Eventos Fehosp. Promovendo e fortalecendo as relações para o aprimoramento das ações na saúde. Eventos Fehosp. Promovendo e fortalecendo as relações para o aprimoramento das ações na saúde. Quem Somos A Fehosp Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo, é uma instituição

Leia mais

A Importância de Parcerias Estratégicas para a Transformação Social. Ilda Ribeiro Peliz Setembro 2008

A Importância de Parcerias Estratégicas para a Transformação Social. Ilda Ribeiro Peliz Setembro 2008 A Importância de Parcerias Estratégicas para a Transformação Social Ilda Ribeiro Peliz Setembro 2008 Responsabilidade Social O conceito da RSA não está mais entre as quatro paredes dos escritórios. A sociedade

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL Das Atribuições dos Profissionais dos Recursos Humanos Atribuições comuns a todos os profissionais que integram a equipe: Conhecer a realidade das famílias pelas

Leia mais

Projeto Futuros Craques São Paulo

Projeto Futuros Craques São Paulo Projeto Futuros Craques São Paulo O Projeto Futuros Craques é considerado o carro chefe da B16 em São Paulo, a sua programação destina-se à oferecer esportes de maneira saudável para crianças da rede pública

Leia mais

2. O que informatizar?

2. O que informatizar? A INFORMÁTICA NO CONSULTÓRIO MÉDICO No fascículo anterior, comentamos como a gestão de custos, mesmo sendo feita de maneira simplista, auxilia o consultório a controlar e avaliar seus resultados, permitindo

Leia mais

Política de Patrocínio

Política de Patrocínio SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...02 1. OBJETIVO INSTITUCIONAL...03 2. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS...04 3. LINHAS DE ATUAÇÃO...05 3.1 Projetos prioritários...05 3.2 Projetos que não podem ser patrocinados...05 4. ABRANGÊNCIA...06

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

MEU FATOR DE SUCESSO A essência do seu trabalho PLANO DE CARREIRA E VANTAGENS

MEU FATOR DE SUCESSO A essência do seu trabalho PLANO DE CARREIRA E VANTAGENS MEU FATOR DE SUCESSO A essência do seu trabalho PLANO DE CARREIRA E VANTAGENS Seja Bem Vinda! Em 1995 quando ao lado da minha família idealizei a Fator 5, tinha a meu favor a minha força de vontade, minha

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO

TERMO DE COMPROMISSO TERMO DE COMPROMISSO A FACULDADE ÁVILA DE CIÊNCIAS HUMANAS E EXATAS LTDA FACULDADE ÁVILA FIRMA O PRESENTE TERMO DE COMPROMISSO COM O ESTADO DE GOIÁS E A SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA SECTEC. A Faculdade

Leia mais

As perspectivas do mercado para os hospitais

As perspectivas do mercado para os hospitais As perspectivas do mercado para os hospitais Yussif Ali Mere Jr Presidente da Federação e do Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo (FEHOESP e SINDHOSP) 1. CONTEXTO 2.

Leia mais

Início da implementação do programa Brasil Sem Miséria pelas prefeituras.

Início da implementação do programa Brasil Sem Miséria pelas prefeituras. Ao longo do mês Início da implementação do programa Brasil Sem Miséria pelas prefeituras. Merece destaque também a ação da Polícia Federal e Força Nacional nos Estados e Municípios onde ocorreram mortes

Leia mais

Saúde Mental passo a passo: como organizar a rede de saúde mental no seu município?

Saúde Mental passo a passo: como organizar a rede de saúde mental no seu município? Saúde Mental passo a passo: como organizar a rede de saúde mental no seu município? 1) Como deve ser a rede de saúde mental no seu município? A rede de saúde mental pode ser constituída por vários dispositivos

Leia mais

Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. HOSPITAL...

Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. HOSPITAL... Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. Baseado na NR 32 Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde Portaria N 1.748 de 30 de Agosto de 2011. HOSPITAL... Validade

Leia mais

Matérias selecionadas do DOU de 05 de novembro de2007

Matérias selecionadas do DOU de 05 de novembro de2007 Conteúdo: SEÇÃO 1...2 PORTARIA No- 2.831, DE 1o- DE NOVEMBRO DE 2007...2 PORTARIA No- 2.834, DE 1o- DE NOVEMBRO DE 2007...4 PORTARIA No- 2.835, DE 1o- DE NOVEMBRO DE 2007...5 PORTARIA Nº 600, DE 1o- DE

Leia mais

PROPOSTA COMERCIAL REVISTA UTILITÀ DELIVERY DE MARCAS CINTA

PROPOSTA COMERCIAL REVISTA UTILITÀ DELIVERY DE MARCAS CINTA av. das américas 16.579, sala 201 recreio, 22790-701, rio de janeiro-rj tel: 21 2437 4222 21 2437 2669 www.utilitaonline.com.br PROPOSTA COMERCIAL REVISTA UTILITÀ DELIVERY DE MARCAS CINTA QUEM SOMOS Tudo

Leia mais

PROGRAMA FORTALECER Edital de Projetos REGULAMENTO

PROGRAMA FORTALECER Edital de Projetos REGULAMENTO PROGRAMA FORTALECER Edital de Projetos REGULAMENTO Sumário 1. O EDITAL... 2 1.1. Natureza e objetivos... 2 1.2. Princípios orientadores... 2 1.3. Foco temático do edital... 2 2. QUEM PODE PARTICIPAR...

Leia mais

RESOLUÇÃO CRM-PR N.º 191/2013.

RESOLUÇÃO CRM-PR N.º 191/2013. RESOLUÇÃO CRM-PR N.º 191/2013. Dispõe sobre a obrigatoriedade dos Contratos firmados entre as Operadoras de Planos de Saúde e os Médicos seguirem as Normativas da ANS Agência Nacional de Saúde Suplementar.

Leia mais

Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 VOCÊ SABE COMO FUNCIONA UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO?... 3 3 COOPERATIVISMO... 3 4 COOPERATIVA DE CRÉDITO...

Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 VOCÊ SABE COMO FUNCIONA UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO?... 3 3 COOPERATIVISMO... 3 4 COOPERATIVA DE CRÉDITO... Manual do Cooperado Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 VOCÊ SABE COMO FUNCIONA UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO?... 3 3 COOPERATIVISMO... 3 4 COOPERATIVA DE CRÉDITO... 3 5 COOPERHIDRO... 3 6 RECONHECIMENTO PARA FUNCIONAMENTO...

Leia mais

PORTARIA Nº 375, DE 10 DE MARÇO DE 2014

PORTARIA Nº 375, DE 10 DE MARÇO DE 2014 PORTARIA Nº 375, DE 10 DE MARÇO DE 2014 Regulamenta a aplicação das emendas parlamentares que adicionarem recursos à Rede SUS no exercício de 2014 para aplicação em obras de ampliação e construção de entidades

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 8 Cronograma de Aulas Pág. 10 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE SEGURANÇA DO

Leia mais

CONTROLE DA INFECÇÃO HOSPITALAR É DEFICIENTE EM MAIS DE 90% DOS HOSPITAIS DE SÃO PAULO

CONTROLE DA INFECÇÃO HOSPITALAR É DEFICIENTE EM MAIS DE 90% DOS HOSPITAIS DE SÃO PAULO CONTROLE DA INFECÇÃO HOSPITALAR É DEFICIENTE EM MAIS DE 90% DOS HOSPITAIS DE SÃO PAULO 13/04/2009 Levantamento inédito sobre a situação do controle da infecção hospitalar realizado pelo Conselho Regional

Leia mais

Instituto Sócrates Guanaes

Instituto Sócrates Guanaes Instituto Sócrates Guanaes Instituição de direito privado sem fins lucrativos; Fundado em 13 de julho de 2000; Qualificado como Organização Social; Reconhecido como instituição de utilidade pública municipal

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE GOIÁS

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE GOIÁS CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE GOIÁS RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA REGISTRO DE OPERADORA DE PLANO DE ASSISTÊNCIA A SAÚDE CREMEGO 1) Cópia do Contrato Social e Alterações Contratuais, devidamente

Leia mais

O desafio é A Segurança do Paciente

O desafio é A Segurança do Paciente O desafio é A Segurança do Paciente CAISM - Fevereiro de 2011: Implantação do Segundo Desafio Global Cirurgias Seguras Salvam Vidas Profª Drª Roseli Calil Enfº Adilton Dorival Leite Conhecendo um pouco

Leia mais

Escola de Gestão Pública de Palmas em novas instalações

Escola de Gestão Pública de Palmas em novas instalações Nº 08/2012 Av. Teotônio Segurado, Quadra 401 Sul, ACSU-SO 40, conjunto 1, Lote 17, 1º andar (prédio do antigo Sine) Escola de Gestão Pública de Palmas em novas instalações Diante da crescente procura por

Leia mais

Serviço de Controle de Infecção Hospitalar Recomendações para higienização das mãos em serviços de saúde.

Serviço de Controle de Infecção Hospitalar Recomendações para higienização das mãos em serviços de saúde. Serviço de Controle de Infecção Hospitalar Recomendações para higienização das mãos em serviços de saúde. São quatro as formas de higienização das mãos nos serviços de saúde: 1.Higienização simples das

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM AUDITORIA EM SERVIÇOS DE SAÚDE Unidade

Leia mais

Esse é o nome do jogo.

Esse é o nome do jogo. Esse é o nome do jogo. 23º CONGRESSO DE PRESIDENTES, PROVEDORES, DIRETORES E ADMINISTRADORES HOSPITALARES DE SANTAS CASAS E HOSPITAIS BENEFICENTES DO ESTADO DE SÃO PAULO 23ª MOSTRA DE MATERIAIS, EQUIPAMENTOS

Leia mais

Audiência Pública no Senado Federal

Audiência Pública no Senado Federal Audiência Pública no Senado Federal Comissão de Educação, Cultura e Esporte Brasília DF, 7 de maio de 2008 1 Audiência Pública Instruir o PLS n o 026 de 2007, que Altera a Lei n o 7.498, de 25 de junho

Leia mais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais Byte Software POLÍTICA COMERCIAL Parceiros Comerciais 2013 1. Apresentação Este guia descreve o Programa de Parceria Byte Software através de uma estrutura básica, incluindo como participar e, ainda, uma

Leia mais

CEMIG SAÚDE Prestadores de serviços

CEMIG SAÚDE Prestadores de serviços CEMIG SAÚDE Prestadores de serviços Maio de 2014 2 A pesquisa Amostra 639 entrevistas A PESQUISA Intervalo de confiança 95% Margem de erro 7% por segmento Data da coleta 13 a 22 de Maio de 2014 3 DESCRIÇÃO

Leia mais

Boas práticas para envio de SMS

Boas práticas para envio de SMS Boas práticas para envio de SMS Saiba como construir suas mensagens para envios de SMS corporativos, atendendo as boas práticas para ter sucesso em suas ações Mensagens para envio de SMS Como Utilizar?

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro Ministério da Saúde Gabinete do Ministro Documento norteador para a habilitação de laboratórios Tipo I e Tipo II pela Qualificação Nacional em Citopatologia QualiCito. Qual a Portaria que institui a Qualificação

Leia mais

Cadastro Nacional das Entidades de Assistência Social CNEAS

Cadastro Nacional das Entidades de Assistência Social CNEAS Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome MDS Secretaria Nacional de Assistencia Social SNAS Departamento da Rede Socioassistencial Privada do SUAS DRSP Cadastro Nacional das Entidades de Assistência

Leia mais

SOLICITE UM CÁLCULO PERSONALIZADO

SOLICITE UM CÁLCULO PERSONALIZADO Uma entidade voltada para a promoção e divulgação do Direito Previdenciário SOLICITE UM CÁLCULO PERSONALIZADO O IEPREV é composto por uma equipe de qualificados profissionais que, além de disponibilizarem

Leia mais

Guia. do beneficiário. Aqui você encontra informações sobre seu plano.

Guia. do beneficiário. Aqui você encontra informações sobre seu plano. Guia do beneficiário Aqui você encontra informações sobre seu plano. BEM VINDO À UNIMED SETE LAGOAS! A partir de agora você e sua família podem contar com uma operadora do maior sistema cooperativista de

Leia mais

Regulamento dos Cursos do Programa ESMP-VIRTUAL

Regulamento dos Cursos do Programa ESMP-VIRTUAL Regulamento dos Cursos do Programa ESMP-VIRTUAL A DIRETORA DA ESCOLA SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS no exercício de suas atribuições legais, com fundamento no art. 65, inciso II da Lei

Leia mais

1. APRESENTAÇÃO 2. DA ATUAÇÃO

1. APRESENTAÇÃO 2. DA ATUAÇÃO 1. APRESENTAÇÃO Cooperativa é uma sociedade de pessoas, com forma e caráter jurídico próprio, de natureza civil, constituídas para prestar serviços aos cooperados. Sua missão é promover a qualidade de

Leia mais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais/CVB s

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais/CVB s Byte Software POLÍTICA COMERCIAL Parceiros Comerciais/CVB s 2013 1. Apresentação Este guia descreve o Programa de Parceria Byte Software através de uma estrutura básica, incluindo como participar e, ainda,

Leia mais

VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA

VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA ABRAMGE-RS Dr. Francisco Santa Helena Presidente da ABRAMGE-RS Sistema ABRAMGE 3.36 milhões de internações; 281.1 milhões de exames e procedimentos ambulatoriais; 16.8

Leia mais

visitas às instituições sociais. Os colaboradores voluntários também foram consultados, por meio da aplicação de um questionário.

visitas às instituições sociais. Os colaboradores voluntários também foram consultados, por meio da aplicação de um questionário. 1. Apresentação O Voluntariado Empresarial é um dos canais de relacionamento de uma empresa com a comunidade que, por meio da atitude solidária e proativa de empresários e colaboradores, gera benefícios

Leia mais

As novidades da Saúde Suplementar e seus Impactos. Erimar Carlos Brehme de Abreu

As novidades da Saúde Suplementar e seus Impactos. Erimar Carlos Brehme de Abreu As novidades da Saúde Suplementar e seus Impactos Assistência Farmacêutica, Qualificação de Prestadores, Ouvidoria, CNS e Pagamento por Pacotes Erimar Carlos Brehme de Abreu Águas de Lindóia 13/09/2012

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) Este documento tem o propósito de promover o alinhamento da atual gestão

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA CLÍNICA Unidade Dias e Horários

Leia mais

O QUE SÃO AS ORGANIZAÇÕES SOCIAIS DE SAÚDE? O que é uma Organização Social?

O QUE SÃO AS ORGANIZAÇÕES SOCIAIS DE SAÚDE? O que é uma Organização Social? O que é uma Organização Social? É uma entidade sem fins lucrativos ou seja, é uma sociedade civil sem fins lucrativos ou uma fundação - que atende às exigências da Lei Estadual nº 2.675/2011, sendo regulamentada

Leia mais

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM)

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) A extensão é o processo educativo, cultural e científico que articula, amplia, desenvolve e reforça o ensino e a pesquisa,

Leia mais

Em defesa da Saúde pública para todos

Em defesa da Saúde pública para todos Boletim Econômico Edição nº 57 março de 2015 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Em defesa da Saúde pública para todos 1 A saúde pública faz parte do sistema de Seguridade Social

Leia mais

O papel dos conselhos na afirmação do Pacto pela Saúde

O papel dos conselhos na afirmação do Pacto pela Saúde Informativo interativo eletrônico do CNS aos conselhos de Saúde Brasília, junho de 2006 Editorial O papel dos conselhos na afirmação do Pacto pela Saúde A aprovação unânime do Pacto pela Saúde na reunião

Leia mais

EDITAL Nº 01/2014. Seleção Pública de Profissional de Educação Física para Academia de Ginástica do Centro Administrativo Fernando Ferrari

EDITAL Nº 01/2014. Seleção Pública de Profissional de Educação Física para Academia de Ginástica do Centro Administrativo Fernando Ferrari ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA SAÚDE EDITAL Nº 01/2014 Seleção Pública de Profissional de Educação Física para Academia de Ginástica do Centro Administrativo Fernando Ferrari 1.DA NATUREZA DAS

Leia mais

Internação em UTIs Ministro propõe mudanças, mas recua diante de críticas. Projeto prevê mudanças em horário de visitas em hospitais

Internação em UTIs Ministro propõe mudanças, mas recua diante de críticas. Projeto prevê mudanças em horário de visitas em hospitais Internação em UTIs Ministro propõe mudanças, mas recua diante de críticas Em viagem à África, o ministro da Saúde, Humberto Costa, propôs mudanças para racionalizar a utilização de leitos de Unidades de

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

LMA, Solução em Sistemas

LMA, Solução em Sistemas LMA, Solução em Sistemas Ao longo dos anos os sistemas para gestão empresarial se tornaram fundamentais, e por meio dessa ferramenta as empresas aperfeiçoam os processos e os integram para uma gestão mais

Leia mais

Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES).

Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO DOU de 05/10/2015 (nº 190, Seção 1, pág. 669) Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO

TERMO DE COMPROMISSO TERMO DE COMPROMISSO O INSTITUTO DE PÓS-GRADUAÇÃO LTDA. IPOG FIRMA O PRESENTE TERMO DE COMPROMISSO COM O ESTADO DE GOIÁS E A SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA SECTEC. O Instituto de Pós-Graduação Ltda.

Leia mais

Edital nº 001/2010/GSIPR/SENAD / MS PLANO INTEGRADO DE ENFRENTAMENTO AO CRACK E OUTRAS DROGAS

Edital nº 001/2010/GSIPR/SENAD / MS PLANO INTEGRADO DE ENFRENTAMENTO AO CRACK E OUTRAS DROGAS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA GABINETE DE SEGURANÇA INSTITUCIONAL SECRETARIA NACIONAL DE POLITICAS SOBRE DROGAS MINISTÉRIO DA SAÚDE Comitê Gestor do Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e outras drogas

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde. dos Trabalhadores da Saúde

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde. dos Trabalhadores da Saúde CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde O HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UFMG E A EBSERH: APROIMAÇÃO ENTRE A GESTÃO E OS TRABALHADORES EM UM CONTETO DE MUDANÇAS

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN ROTINAS ADMINISTRATIVAS PROPLAN SETOR: Pró-Reitoria CARGO: Docente / TNS FUNÇÃO: Pró-Reitor

Leia mais

Acompanhamento Familiar Programa Bolsa Família

Acompanhamento Familiar Programa Bolsa Família Acompanhamento Familiar Programa Bolsa Família 3 Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Acompanhamento Familiar Programa Bolsa Família Brasília, 2009 2009 Ministério do Desenvolvimento

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO O IESPE INSTITUTO DE ESPECIALIZAÇÃO E PÓS

TERMO DE COMPROMISSO O IESPE INSTITUTO DE ESPECIALIZAÇÃO E PÓS TERMO DE COMPROMISSO O IESPE INSTITUTO DE ESPECIALIZAÇÃO E PÓS GRADUAÇÃO FIRMA O PRESENTE TERMO DE COMPROMISSO COM O ESTADO DE GOIÁS E A SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA SECTEC. O IESPE INSTITUTO DE

Leia mais

Convênios adotam Classificação Hospitalar da AHEG. Glosas podem ser excluídas do cálculo do PIS/PASEP e Cofins

Convênios adotam Classificação Hospitalar da AHEG. Glosas podem ser excluídas do cálculo do PIS/PASEP e Cofins Convênios adotam Classificação Hospitalar da AHEG Várias operadoras de planos de saúde negociam a adoção da Classificação Hospitalar feita pela AHEG para a contratação e remuneração dos serviços prestados

Leia mais

informe 30 anos de história no RN COOPERATIVA ODONTOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE Outubro 2012 www.uniodontorn.com.

informe 30 anos de história no RN COOPERATIVA ODONTOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE Outubro 2012 www.uniodontorn.com. Outubro 2012 NATAL www.unirn.com.br (84) 4009-4664 Rua Açu, 665 - Tirol Natal/RN - CEP 59020-110 30 anos de história no RN www.unirn.com.br COOPERATIVA LÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE ANS - n.º 34531-8 Palavra

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05 RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05 Aprova a NBC T 11.8 Supervisão e Controle de Qualidade. O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, Considerando que as Normas

Leia mais

PROCEDIMENTO GERENCIAL PADRÃO Ref.: FIN-PGP-001_00 Emissão: 22/05/2013 P. 1/14 CARTÃO CORPORATIVO

PROCEDIMENTO GERENCIAL PADRÃO Ref.: FIN-PGP-001_00 Emissão: 22/05/2013 P. 1/14 CARTÃO CORPORATIVO Ref.: FIN-PGP-001_00 Emissão: 22/05/2013 P. 1/14 CARTÃO CORPORATIVO Ref.: FIN-PGP-001_00 Emissão: 22/05/2013 P. 2/14 SUMÁRIO 1. RESUMO DO PROCESSO... 3 2. FLUXOGRAMA... 4 3. OBJETIVO... 5 4. APLICAÇÃO...

Leia mais

EDITAL Nº 03/2007 CHAMAMENTO PARA CREDENCIAMENTO DE LABORATÓRIOS DE ANÁLISES CLÍNICAS.

EDITAL Nº 03/2007 CHAMAMENTO PARA CREDENCIAMENTO DE LABORATÓRIOS DE ANÁLISES CLÍNICAS. EDITAL Nº 03/2007 CHAMAMENTO PARA CREDENCIAMENTO DE LABORATÓRIOS DE ANÁLISES CLÍNICAS. O MUNICÍPIO DE PALMAS, no Estado do Tocantins, através da Secretaria Municipal de Saúde, pela COMISSÃO ESPECIAL DE

Leia mais