Prof. Dr. Gilson Cesar Nobre Franco

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Prof. Dr. Gilson Cesar Nobre Franco"

Transcrição

1 TERAPÊUTICA MEDICAMENTOSA EM IMPLANTODONTIA Prof. Dr. Gilson Cesar Nobre Franco

2 Terapêutica Medicamentosa Pré-operatório Trans-operatório Pós-operatório Ansiolíticos Antiinflamatórios tó i Antimicrobianos Anestésicos Analgésicos Antiinflamatórios tó i

3 Medicação Pré-Operatória Diazepan 5 mg 1 comprimido - 1 hora antes 5 mg do atendimento Betametasona 4 mg 2 comprimidos - 1 hora 2 mg antes do atendimento Amoxicilina 2 g 1 hora antes do atendimento 500 mg

4 Medicação Pós-Operatória Dipirona 500 mg 1 comprimido a cada 500 mg 4 horas* ou Paracetamol 500 mg 1 comprimido a cada 500 mg 6horas* * Apenas no caso de dor se manifestar ao cessarem os sintomas da anestesia Por um período máximo de 24-36h.

5 Situações na Clínica Odontológica Dor e Inflamação Medo e Ansiedade Infecção

6 Controle/Prevenção da Dor em Odontologia

7 Inflamação Resposta protetora cujo objetivo final é libertar o organismo da causa inicial da lesão celular. Cotram, 1994

8 Coquetel de mediadores Dray, 1995 Vasodilatação Aum. permeabilidade Quimiotaxia i i Dor NOCICEPTOR Cálcio

9 Antiinflamatórios/Analgésicos Como agem? Como usar??? Por quanto tempo? Quais as alternativas?

10 Mediadores da Inflamação Fosfolipase A 2 Fosfolipídios da Membrana Ác. Aracdônico Lipoxigenase Cicloxigenase (COX) Leucotrienos Prostaglandinas Prostaciclinas Tromboxanos Quimiotaxia Broncoespasmo Dor, Vasodilatação, Febre Agregação Plaquetária Dor, Vasodilatação

11 Sensibilização dos Nociceptores Prostaglandinas** Leucotrienos B 4 Interleucina - 1 NOCICEPTOR Cálcio

12 Alternativas para o controle da dor/inflamação Anitiinflamatórios não esteroidáis (AINES) Anitiinflamatórios esteroidáis Analgésicos puros Diclofenaco Cetoprofeno Ibuprofeno Nimesulida Meloxicam Etoricoxibe Betametasona Dexametasona Dipirona Paracetamol Ação antiinflamatória Ação analgésica

13 Como agem - AINES Fosfolipídios da Membrana Fosfolipase A 2 Ác. Aracdônico Lipoxigenase Cicloxigenase (COX) Leucotrienos Prostaglandinas Prostaciclinas Tromboxanos Quimiotaxia Broncoespasmo Dor, Vasodilatação, Febre Agregação Plaquetária Dor, Vasodilatação

14 Isoformas da Cicloxigenase Início da década de 90 AINEs tradicionais x Inibidores seletivos de COX-2 Ác. Aracdônico COX-1 Constitutiva ou Fisiológica Tromboxano COX-2 Indutiva ou Patológica Prostaglandinas Agregação plaquetária Prostaglandinas Proteção gástrica Função renal Dor Inflamação

15 Como agem - Corticosteróides Fosfolipídios da Membrana Fosfolipase A 2 Ác. Aracdônico Lipoxigenase Cicloxigenase (COX) Leucotrienos Prostaglandinas Prostaciclinas Tromboxanos Quimiotaxia Broncoespasmo Dor, Vasodilatação, Febre Agregação Plaquetária Dor, Vasodilatação

16 Como age - Dipirona Prostaglandinas** Leucotrienos B 4 Interleucina - 1 NOCICEPTOR Cálcio

17 Como age - Dipirona Prostaglandinas** Leucotrienos B 4 Interleucina - 1 NOCICEPTOR Cálcio Age deprimindo diretamente o nociceptor

18 Quais as opções - AINES Diclofenaco (50mg) Ibuprofeno (400mg) Nimesulida (100mg) Meloxicam (15mg) Cataflan / Voltarem Motrin Nisulid / Scaflan Movatec 8h 12h 12h 24h Etoricoxibe (90mg) Arcoxia 24h Escolha: - Eficácia??? - Experiência i Clínica - Experiência do Paciente

19 Quais as opções - AINES P. Ativo Nome comercial Ác. Mefenâmico Piroxican Diclofenaco Ibuprofeno Naproxeno Cetoprofeno Celecoxib Ponstan Feldene Cataflan Motrin Naprosyn Flanax Profenid Celebra Rofecoxib Vioxx Dipirona Neosaldina Ação analgésica Ação antiinflamatória Ação antipirética Paracetamol Tylenol ++ +

20 Quais as opções - AINES Experiência Clínica Experiência prévia do paciente

21 Seletividade dos AINES COX 1/COX 2 Etor ricoxib Valde ecoxib Rang, 5 ed

22 ODONTOLOGIA Betametasona (4mg) Dexametasona (4mg) Celestone Decadron Dose Única Dose Única Aã Ação Prolongada (72h)

23 Corticosteróides x AINES 1- Inibição da Fosfolipase A2 (Inibição da via da Lipoxigenase) 2- Com a inibição da produção de leucotrienos Menor possibilidade de reação alérgica 3- Excelente atividade antiinflamatória; 4- Esquema posológico em dose única x

24 Quais as opções - Analgésicos Dipirona x Paracetamol Dipirona 500mg 4/4 ou 6/6h Paracetamol 500mg 4/4 ou 6/6h

25 Paracetamol Mecanismo de ação - Desconhecido -Não possui ação antiinflamatória Efeitos farmacológicos - Apresenta poucos efeitos adversos (não inibe agregação plaquetária, não causa irritação gástrica, etc); - Superdosagem aguda Hepatotoxidade.

26 Interação com álcool Paracetamol

27 Por quanto tempo? Dor 24h 6-8h 24h Inflamação 48/72h 36h 48h Seymour et al.,, 1985

28 Pré-Operatório Corticosteróide (dose única) Pós-Operatório Dipirona (24h) AINEs AINEs (48/72h) + Dipirona (24h) Intervenção Clínica Analgésico puro 12h 12h 12h 12h 12h Corticóide AINEs

29 ODONTOLOGIA Criança Controle da dor de intensidade leve a moderada - Dipirona - 10mg/kg 6/6h - Paracetamol - 10 a 15mg/kg 6/6h Intervenções mais invasivas - Celestone (0,5mg/mL Dose 0,025 a 0,05mg/Kg - Nimesulida* (50mg/mL Dose 2,5mg/kg) (12/12h)

30 ODONTOLOGIA Idoso - Praticamente não há diferenças (Destacando-se apenas que o idoso normalmente necessita de doses menores) Controle da dor de intensidade leve a moderada - Dipirona - Paracetamol Intervenções mais invasivas - Preferência pelo uso de Corticosteróide (Betametasona ou Dexametasona)

31 ODONTOLOGIA Gestante - Paracetamol - 500mg (6/6h) - Quando da real necessidade do uso de antiinflamatório Betametasona ou Dexametasona 2 a 4 mg) AINEs Devem ser evitados (principalmente i no último mês de gestação): - Prolongamento do trabalho de parto; - Fechamento prematuro do ducto arterial do feto.

32 ODONTOLOGIA Diabéticos Controle da dor de intensidade leve a moderada - Dipironai - Paracetamol Intervenções mais invasivas - Uso de Corticosteróide (Betametasona ou Dexametasona) AINES x Hipoglicemiantes i orais

33 Inibidores seletivos de COX-2

34 Mecanismo de ação Ác. Aracdônico COX-1 Constitutiva ou Fisiológica Tromboxano COX-2 Indutiva ou Patológica Prostaglandinas Agregação plaquetária Prostaglandinas Proteção gástrica Função renal Dor Inflamação

35 Mecanismo de ação Ác. Aracdônico COX-1 Constitutiva ou Fisiológica Tromboxano COX-2 Indutiva ou Patológica Prostaglandinas Agregação plaquetária Prostaglandinas Proteção gástrica Função renal Dor Inflamação

36 Inibidores COX-2 Segurança Clínica???

37

38

39 Sistema Cardiovascular COX-1 COX-2 Produção de tromboxano Constrição vascular e agregação g plaquetária Produção de Prostaciclina Neutraliza a ação dos tromboxanos Inibidores seletivos de COX-2 Desequilíbrio que provoca a coagulação sanguínea e a constrição vascular Science, :

40 Ubatuba

41 Controle da ansiedade Vantagens de seu uso BENZODIAZEPÍNICOS - Fármacos de uso seguro na Odontologia. - Reduzem o fluxo salivar e o reflexo do vômito. - Provocam o relaxamento da musculatura esquelética. - Pacientes hipertensos ou diabéticos, ajudam a manter a PA e glicemia em níveis mais aceitáveis. - Amnésia anterógrada.

42 Controle da ansiedade Benzodiazepínicos mais comumente empregados na Odontologia, por via oral e dosagens empregadas em adultos (mg), idosos (mg) e crianças (mg/kg) Nome genérico Adultos Idosos Crianças Diazepam ,2-0,5 Lorazepam Não recomendado Alprazolam 0,25-0,75 0,25 Não recomendado Midazolam 75 7, , ,3-0,5 Triazolam 0,125-0,25, 0,06-0,125, Não recomendado

43 Controle da ansiedade Posologia - Prescrever ou administrar (no consultório) única dose para ser antes do início do atendimento - Pacientes extremamente ansiosos prescrever a mesma dose na noite anterior - Lorazepam 2 horas antes - Diazepam ou Alprazolam 1 hora antes - Midazolam 30 a 45 minutos

TERAPÊUTICA MEDICAMENTOSA em ODONTOPEDIATRIA SANDRA ECHEVERRIA

TERAPÊUTICA MEDICAMENTOSA em ODONTOPEDIATRIA SANDRA ECHEVERRIA TERAPÊUTICA MEDICAMENTOSA em ODONTOPEDIATRIA SANDRA ECHEVERRIA Frequência cardíaca em função da idade Idade (anos) Andrade, 2002 Batimentos/minuto 1 110-130 2 90-115 3 80-105 7-14 80-105 14-21 78-85 Acima

Leia mais

Antiinflamatórios Não Esteroidais (AINEs)

Antiinflamatórios Não Esteroidais (AINEs) Universidade Federal Fluminense Departamento de Fisiologia e Farmacologia Disciplina de farmacologia Analgésicos, Antipiréticos ticos e Antiinflamatórios Não Esteroidais (AINEs) Profa. Elisabeth Maróstica

Leia mais

Esta bula é continuamente atualizada. Favor proceder a sua leitura antes de utilizar o medicamento. AAS ácido acetilsalicílico

Esta bula é continuamente atualizada. Favor proceder a sua leitura antes de utilizar o medicamento. AAS ácido acetilsalicílico Modelo de Bula Esta bula é continuamente atualizada. Favor proceder a sua leitura antes de utilizar o medicamento. AAS ácido acetilsalicílico FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES AAS Infantil comprimidos

Leia mais

EDUARDO CARRETERO PAPALÉO

EDUARDO CARRETERO PAPALÉO 1 EDUARDO CARRETERO PAPALÉO O USO SISTÊMICO DE ANTI-INFLAMATÓRIOS EM ODONTOLOGIA Trabalho de Conclusão apresentado ao Curso de Especialização em Endodontia da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal

Leia mais

Ciências Morfofuncionais III Fármacos analgésicos

Ciências Morfofuncionais III Fármacos analgésicos Ciências Morfofuncionais III Fármacos analgésicos Professores: Felipe, Jean-Pierre e Olivia FÁRMACOS ANALGÉSICOS Analgésico é um termo coletivo para designar qualquer membro do diversificado grupo de drogas

Leia mais

Inflamação & Antiinflamatórios Não-Esteroidais

Inflamação & Antiinflamatórios Não-Esteroidais Inflamação & Antiinflamatórios Não-Esteroidais Prof. Hélder Mauad Inflamação 1 Inflamação Reação do tecido vivo vascularizado a uma agressão local Objetivo: limitar ou eliminar a disseminação do dano e

Leia mais

PROTOCOLOS NORMATIVOS PARA O ATENDIMENTO DOS PACIENTES EM CIRURGIA BUCO-MAXILAR

PROTOCOLOS NORMATIVOS PARA O ATENDIMENTO DOS PACIENTES EM CIRURGIA BUCO-MAXILAR PROTOCOLOS NORMATIVOS PARA O ATENDIMENTO DOS PACIENTES EM CIRURGIA BUCO-MAXILAR Professoresda Disciplina: Profa.Dra.CláudiaJordãoSilva Prof.Dr.Darceny ZanettaBarbosa Profa.Dra.IrisMalagoniMarquez Prof.JonasDantasBatista

Leia mais

INCIDÊNCIA DA AUTOMEDICAÇÃO E USO INDISCRIMINADO DE MEDICAMENTOS ENTRE JOVENS UNIVERSITÁRIOS

INCIDÊNCIA DA AUTOMEDICAÇÃO E USO INDISCRIMINADO DE MEDICAMENTOS ENTRE JOVENS UNIVERSITÁRIOS INCIDÊNCIA DA AUTOMEDICAÇÃO E USO INDISCRIMINADO DE MEDICAMENTOS ENTRE JOVENS UNIVERSITÁRIOS Lígia Maria Abraão José Martim Marques Simas Tatiana Longo Borges Miguel Lins SP 2009 1 INCIDÊNCIA DA AUTOMEDICAÇÃO

Leia mais

A dor que aparece após o exercício intenso, entre 24 e 48 horas após, é a consequência do acúmulo de ácido láctico. MITO OU FATO?!

A dor que aparece após o exercício intenso, entre 24 e 48 horas após, é a consequência do acúmulo de ácido láctico. MITO OU FATO?! A dor que aparece após o exercício intenso, entre 24 e 48 horas após, é a consequência do acúmulo de ácido láctico. MITO OU FATO?! MITO! DELAYED ONSET MUSCLE SORENESS DOR MUSCULAR DE INÍCIO TARDIO DOR

Leia mais

Corticóides na Reumatologia

Corticóides na Reumatologia Corticóides na Reumatologia Corticóides (CE) são hormônios esteróides produzidos no córtex (área mais externa) das glândulas suprarrenais que são dois pequenos órgãos localizados acima dos rins. São produzidos

Leia mais

DOENTE DE RISCO EM CIRURGIA ORAL

DOENTE DE RISCO EM CIRURGIA ORAL DOENTE DE RISCO EM CIRURGIA ORAL I AVALIAÇÃO PRÉVIA DO DOENTE Uma boa metodologia para avaliação de um doente candidato a cirurgia oral é tentar enquadrá-lo na classificação da American Society of Anesthesiologists

Leia mais

Fascículo de Educação Continuada em Odontologia

Fascículo de Educação Continuada em Odontologia Fascículo de Educação Continuada em Odontologia Controle da dor em procedimentos cirúrgicos Monitoração do paciente COLÉGIO BRASILEIRO DE CIRURGIA E TRAUMATOLOGIA BUCO-MAXILO-FACIAL CAPÍTULO VIII 1 Apoio

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE GESTÃO DA DOR EM UROLOGIA

ORIENTAÇÕES SOBRE GESTÃO DA DOR EM UROLOGIA ORIENTAÇÕES SORE GESTÃO DA DOR EM UROLOGIA (Texto actualizado em Março de 2009) P. ader (Presidente), D. Echtle, V. Fonteyne, G. De Meerleer, E.G. Papaioannou, J.H. Vranken Princípios gerais de gestão

Leia mais

RISCOS DO USO INDISCRIMINADO DE ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS (AINES) 1. Janaína Barden Schallemberger 2, Marilei Uecker Pletsch 3.

RISCOS DO USO INDISCRIMINADO DE ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS (AINES) 1. Janaína Barden Schallemberger 2, Marilei Uecker Pletsch 3. RISCOS DO USO INDISCRIMINADO DE ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS (AINES) 1 Janaína Barden Schallemberger 2, Marilei Uecker Pletsch 3. 1 Pesquisa produzida na disciplina de Estágio VI: farmácias e drogarias

Leia mais

BULA DE NALDECON DIA Comprimidos

BULA DE NALDECON DIA Comprimidos BULA DE NALDECON DIA Comprimidos NALDECON DIA paracetamol 800mg cloridrato de fenilefrina 20mg Sem anti-histamínico Não causa sonolência COMBATE OS SINTOMAS DA GRIPE Dores em geral Febre Congestão nasal

Leia mais

LITERATURA DIPIRONA SÓDICA DIPIRONA SÓDICA

LITERATURA DIPIRONA SÓDICA DIPIRONA SÓDICA DIPIRONA SÓDICA Fórmula Molecular: C13H16N3NaO4S.H2O Peso Molecular: 351,36 g/mol Número de CAS: 5907-38-0. Sinônimos: Metilmelubrin, Metano Pirona, Metamizol, Analgin, Sulpirin, Alginodia, Algocalmin,

Leia mais

RESFENOL paracetamol maleato de clorfeniramina cloridrato de fenilefrina

RESFENOL paracetamol maleato de clorfeniramina cloridrato de fenilefrina RESFENOL paracetamol maleato de clorfeniramina cloridrato de fenilefrina FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO Cápsulas: cartuchos com 20 e 120 cápsulas em blísteres e frasco de vidro com 20 cápsulas Gotas

Leia mais

FARMACOLOGIA APLICADA À ODONTOLOGIA EM ATENÇÃO PRIMÁRIA

FARMACOLOGIA APLICADA À ODONTOLOGIA EM ATENÇÃO PRIMÁRIA FARMACOLOGIA APLICADA À ODONTOLOGIA EM ATENÇÃO PRIMÁRIA Maria Beatriz Cardoso Ferreira Departamento de Farmacologia Instituto de Ciências Básicas da Saúde - UFRGS Paciente de 68 anos procura atendimento

Leia mais

Rivastigmina (Port.344/98 -C1)

Rivastigmina (Port.344/98 -C1) Rivastigmina (Port.344/98 -C1) Alzheimer DCB: 09456 CAS: 129101-54-8 Fórmula molecular: C 14 H 22 N 2 O 2.C 4 H 6 O 6 Nome químico: (S)-N-Ethyl-3-[(1-dimethylamino)ethyl]-N-methylphenylcarbamate hydrogen

Leia mais

O CONTROLE DA DOR EM ODONTOLOGIA ATRAVÉS DA TERAPÊUTICA MEDICAMENTOSA

O CONTROLE DA DOR EM ODONTOLOGIA ATRAVÉS DA TERAPÊUTICA MEDICAMENTOSA O CONTROLE DA DOR EM ODONTOLOGIA ATRAVÉS DA TERAPÊUTICA MEDICAMENTOSA Rodney Garcia Rocha * Nicolau Tortamano* Carlos Alberto Adde* José Leonardo Simone* Flávio Eduardo Guillin Perez* Em Odontologia, a

Leia mais

MANUAL DE ANESTESIOLOGIA E TERAPÊUTICA MEDICAMENTOSA DA FACULDADE SÃO LEOPOLDO MANDIC

MANUAL DE ANESTESIOLOGIA E TERAPÊUTICA MEDICAMENTOSA DA FACULDADE SÃO LEOPOLDO MANDIC 0 MANUAL DE ANESTESIOLOGIA E TERAPÊUTICA MEDICAMENTOSA DA FACULDADE SÃO LEOPOLDO MANDIC CAMPINAS 2014 1 Faculdade São Leopoldo Mandic Autoria: Profa. Dra. Juliana Cama Ramacciato Prof. Dr. Rogério Heládio

Leia mais

ALENIA Fumarato de Formoterol/Budesonida 6/100mcg e 6/200mcg Cápsulas FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES - ALENIA

ALENIA Fumarato de Formoterol/Budesonida 6/100mcg e 6/200mcg Cápsulas FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES - ALENIA ALENIA Fumarato de Formoterol/Budesonida 6/100mcg e 6/200mcg Cápsulas FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES - ALENIA Embalagem contendo 60 cápsulas de ALENIA (fumarato de formoterol/budesonida) 6/100 mcg

Leia mais

Consultoria Jurídica/Advocacia Ministério da Saúde Geral da União

Consultoria Jurídica/Advocacia Ministério da Saúde Geral da União Consultoria Jurídica/Advocacia Ministério da Saúde Geral da União Nota Brasília, Técnica maio N de 154/ 2012. 2012 Cetofenid, Nomes Princípio Comerciais1: Ativo: Artrosil, cetoprofeno. Bi-Profenid, Artrinid

Leia mais

I Encontro Multidisciplinar em Dor do HCI

I Encontro Multidisciplinar em Dor do HCI I Encontro Multidisciplinar em Dor do HCI Princípios do Tratamento da Dor Oncológica Odiléa Rangel Gonçalves Serviço de Anestesiologia Área de Controle da Dor Princípios do Tratamento da Dor Oncológica

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 48. Na reação de hipersensibilidade imediata do tipo I, qual dos seguintes mediadores é neoformado nos tecidos?

PROVA ESPECÍFICA Cargo 48. Na reação de hipersensibilidade imediata do tipo I, qual dos seguintes mediadores é neoformado nos tecidos? 11 PROVA ESPECÍFICA Cargo 48 QUESTÃO 26 Na reação de hipersensibilidade imediata do tipo I, qual dos seguintes mediadores é neoformado nos tecidos? a) Heparina. b) Histamina. c) Fator ativador de plaquetas

Leia mais

ALTERAÇÕES A INCLUIR NAS SECÇÕES RELEVANTES DO RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DOS MEDICAMENTOS QUE CONTENHAM NIMESULIDA (FORMULAÇÕES SISTÉMICAS)

ALTERAÇÕES A INCLUIR NAS SECÇÕES RELEVANTES DO RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DOS MEDICAMENTOS QUE CONTENHAM NIMESULIDA (FORMULAÇÕES SISTÉMICAS) ANEXO III 58 ALTERAÇÕES A INCLUIR NAS SECÇÕES RELEVANTES DO RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DOS MEDICAMENTOS QUE CONTENHAM NIMESULIDA (FORMULAÇÕES SISTÉMICAS) Adições aparecem em itálico e sublinhado; rasuras

Leia mais

CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14

CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 Componente Curricular: FARMACOLOGIA BÁSICA Código: ODO-015 CH Total: 60 horas Pré-requisito:

Leia mais

ALIVIUM GOTAS 100 MG/ML. ALIVIUM ibuprofeno Gotas

ALIVIUM GOTAS 100 MG/ML. ALIVIUM ibuprofeno Gotas BULA PARA O PACIENTE ALIVIUM ibuprofeno Gotas FORMAS FARMACÊUTICAS/APRESENTAÇÕES: ALIVIUM gotas é indicado para uso oral. ALIVIUM gotas 100 mg/ml apresenta-se em frascos com 20 ml. USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Leia mais

ALIVIUM ibuprofeno Gotas

ALIVIUM ibuprofeno Gotas Dizeres de Bula FORMA FARMACÊUTICA/APRESENTAÇÃO: ALIVIUM ibuprofeno Gotas ALIVIUM Gotas apresentado-se em frascos de 30 ml. USO ADULTO E PEDIÁTRICO (acima de 6 meses de idade) Composição: Cada ml de ALIVIUM

Leia mais

ANADOR PRT paracetamol 750 mg. Forma farmacêutica e apresentação Comprimidos 750 mg: embalagem com 20 e 256 comprimidos.

ANADOR PRT paracetamol 750 mg. Forma farmacêutica e apresentação Comprimidos 750 mg: embalagem com 20 e 256 comprimidos. ANADOR PRT paracetamol 750 mg Antitérmico e analgésico Forma farmacêutica e apresentação Comprimidos 750 mg: embalagem com 20 e 256 comprimidos. Outra forma farmacêutica e apresentação Solução oral: frasco

Leia mais

trometamol cetorolaco Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 Cristália Produtos Químicos Farmacêuticos Ltda. Solução Oftálmica Estéril 0,5 %

trometamol cetorolaco Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 Cristália Produtos Químicos Farmacêuticos Ltda. Solução Oftálmica Estéril 0,5 % trometamol cetorolaco Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 Cristália Produtos Químicos Farmacêuticos Ltda. Solução Oftálmica Estéril 0,5 % MODELO DE BULA PARA O PACIENTE IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Leia mais

BULA DE NALDECON PACK - Comprimidos

BULA DE NALDECON PACK - Comprimidos BULA DE NALDECON PACK - Comprimidos NALDECON PACK paracetamol, cloridrato de fenilefrina, maleato de carbinoxamina NALDECON PACK é composto por NALDECON Dia (paracetamol e cloridrato de fenilefrina- Sem

Leia mais

USO DO MIDAZOLAM ORAL PARA SEDAÇÃO EM IMPLANTODONTIA

USO DO MIDAZOLAM ORAL PARA SEDAÇÃO EM IMPLANTODONTIA USO DO MIDAZOLAM ORAL PARA SEDAÇÃO EM IMPLANTODONTIA Sedação Consciente Em Odontologia, é crescente o número de profissionais que utilizam métodos farmacológicos de sedação consciente, com a intenção de

Leia mais

Tylex 7,5 mg / 30 mg comprimidos paracetamol, fosfato de codeína

Tylex 7,5 mg / 30 mg comprimidos paracetamol, fosfato de codeína 1 IDENTIFICAÇÃO MEDICAMENTO DO Tylex 7,5 mg / 30 mg comprimidos paracetamol, fosfato de codeína APRESENTAÇÕES Comprimidos de 7,5 mg de fosfato de codeína e 500 mg de paracetamol em embalagens com 12 comprimidos

Leia mais

Prof. André Silva Carissimi Faculdade de Veterinária - UFRGS. Anestesia: É o ato anestésico reversível que produz:

Prof. André Silva Carissimi Faculdade de Veterinária - UFRGS. Anestesia: É o ato anestésico reversível que produz: Prof. André Silva Carissimi Faculdade de Veterinária - UFRGS Conceitos Básicos Anestesia: É o ato anestésico reversível que produz: - perda da consciência (narcose), - supressão da percepção dolorosa (analgesia)

Leia mais

Programa de Educação Continuada em Fisiopatologia e Terapêutica da dor 2015 Equipe de Controle da Dor da Divisão de Anestesia do Instituto Central do

Programa de Educação Continuada em Fisiopatologia e Terapêutica da dor 2015 Equipe de Controle da Dor da Divisão de Anestesia do Instituto Central do Programa de Educação Continuada em Fisiopatologia e Terapêutica da dor 2015 Equipe de Controle da Dor da Divisão de Anestesia do Instituto Central do Hospital das Clínicas FMUSP 26/09/2015 64% pacientes

Leia mais

Ponstan ácido mefenâmico

Ponstan ácido mefenâmico Ponstan ácido mefenâmico I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Ponstan Nome genérico: ácido mefenâmico APRESENTAÇÕES: Ponstan 500 mg em embalagens contendo 24 comprimidos. USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Leia mais

PROGRAMA DE ANTICOAGULA- ÇÃO ORAL COMO FUNCIONA

PROGRAMA DE ANTICOAGULA- ÇÃO ORAL COMO FUNCIONA ANTICOAGULAÇÃO ORAL PROGRAMA DE ANTICOAGULA- ÇÃO ORAL O controle do uso do anticoagulante oral nas clínicas especializadas garante um tratamento mais adequado e seguro. COMO FUNCIONA A Hematológica possui

Leia mais

Uso Racional de Medicamentos. Abuso de Medicamentos e Drogas (Uso racional de Medicamentos) ou Racionalização Terapêutica

Uso Racional de Medicamentos. Abuso de Medicamentos e Drogas (Uso racional de Medicamentos) ou Racionalização Terapêutica Abuso de Medicamentos e Drogas (Uso racional de Medicamentos) Prof. Dr. Flávio Reis (freis@fmed.uc.pt) Uso Racional de Medicamentos ou Racionalização Terapêutica Instituto de Farmacologia e Terapêutica

Leia mais

Diretrizes Assistenciais DIRETRIZ DE TRATAMENTO FARMACOLOGICO DA DOR

Diretrizes Assistenciais DIRETRIZ DE TRATAMENTO FARMACOLOGICO DA DOR Diretrizes Assistenciais DIRETRIZ DE TRATAMENTO FARMACOLOGICO DA DOR Versão eletrônica atualizada em março/2012 Definição Diretriz que orienta a prescrição de fármacos que visam aliviar a Dor Aguda e Crônica

Leia mais

Avaliação clínica do firocoxib e do carprofen no tratamento de cães com osteoartrite

Avaliação clínica do firocoxib e do carprofen no tratamento de cães com osteoartrite Avaliação clínica do firocoxib e do carprofen no tratamento de cães com osteoartrite Leonardo Brandão, MV, MSc, PhD Gerente de Produto Animais de Companhia Realizou-se um estudo de campo para comparar

Leia mais

cloridrato de donepezila Comprimido revestido - 5 mg Comprimido revestido - 10 mg

cloridrato de donepezila Comprimido revestido - 5 mg Comprimido revestido - 10 mg cloridrato de donepezila Comprimido revestido - 5 mg Comprimido revestido - 10 mg BULA PARA PACIENTE Bula de acordo com a Resolução-RDC nº 47/2009 cloridrato de donepezila Medicamento genérico Lei nº 9.787,

Leia mais

USO IRRACIONAL DE ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTERÓIDES POR IDOSOS: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA

USO IRRACIONAL DE ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTERÓIDES POR IDOSOS: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA USO IRRACIONAL DE ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTERÓIDES POR IDOSOS: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA Karoll Moangella Andrade de Assis¹; Adriana Emanuelly da Silva Barros¹; Allana Brunna Sucupira Duarte¹; Isabelly

Leia mais

BULA DE NALDECON DOR COMPRIMIDOS

BULA DE NALDECON DOR COMPRIMIDOS BULA DE NALDECON DOR COMPRIMIDOS BRISTOL-MYERS SQUIBB NALDECON DOR paracetamol Dores em geral Febre Uma dose = 2 comprimidos FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO NALDECON DOR é apresentado em displays com

Leia mais

08/12/2009. Princípios de Prescrição. Medicamentosa em Odontologia AINES... Anestesicos locais

08/12/2009. Princípios de Prescrição. Medicamentosa em Odontologia AINES... Anestesicos locais PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DIRETORIA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL

Leia mais

ENOXALOW enoxaparina sódica. Forma farmacêutica e apresentações Solução injetável. Via de administração: IV/SC

ENOXALOW enoxaparina sódica. Forma farmacêutica e apresentações Solução injetável. Via de administração: IV/SC ENOXALOW enoxaparina sódica Forma farmacêutica e apresentações Solução injetável. Via de administração: IV/SC 20 mg/0,2 ml cartucho com 1 ou 10 seringas. 40 mg/0,4 ml cartucho com 1 ou 10 seringas. 60

Leia mais

A APLICAÇÃO DO USO DE ANSIOLÍTICO EM PACIENTES ODONTOLÓGICOS Anxiolytic therapy for odontologic patients

A APLICAÇÃO DO USO DE ANSIOLÍTICO EM PACIENTES ODONTOLÓGICOS Anxiolytic therapy for odontologic patients A APLICAÇÃO DO USO DE ANSIOLÍTICO EM PACIENTES ODONTOLÓGICOS Anxiolytic therapy for odontologic patients AILA R. CRUVINEL Trabalho realizado no Curso de Odontologia da Universidade José do Rosário Vellano

Leia mais

CONFIDENCIAL. Tylenol paracetamol Suspensão oral Analgésico e Antitérmico

CONFIDENCIAL. Tylenol paracetamol Suspensão oral Analgésico e Antitérmico Ago08140b 1 Tylenol paracetamol Suspensão oral Analgésico e Antitérmico IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES TYLENOL Bebê Suspensão Oral Concentrada 100 mg/ml (sabor frutas)

Leia mais

Sonrisal e Sonrisal Limão

Sonrisal e Sonrisal Limão Sonrisal e Sonrisal Limão GlaxoSmithKline Comprimidos Efervescentes Sonrisal : bicarbonato de sódio (1854 mg), carbonato de sódio (400 mg), ácido acetilsalicílico (325 mg), ácido cítrico (1413 mg) Sonrisal

Leia mais

AVALIAÇÃO DA DISPENSAÇÃO DE FÁRMACOS PARCIALMENTE SELETIVOS PARA COX-2

AVALIAÇÃO DA DISPENSAÇÃO DE FÁRMACOS PARCIALMENTE SELETIVOS PARA COX-2 AVALIAÇÃO DA DISPENSAÇÃO DE FÁRMACOS PARCIALMENTE SELETIVOS PARA COX-2 Cícero Cardoso VALLE FILHO 1 & Denise Aparecida da SILVA 1 * 1 Universidade Iguaçu - UNIG - Campus V - Itaperuna, RJ. * Autor para

Leia mais

Cataflam Emulgel diclofenaco dietilamônio

Cataflam Emulgel diclofenaco dietilamônio Cataflam Emulgel diclofenaco dietilamônio Gel tópico. Tubo de alumínio laminado com 5, 6, 10, 20, 30, 40, 50, 60 ou 100g. USO ADULTO Composição: Cada 100 g de CATAFLAM Emulgel contém 1,16 g de diclofenaco

Leia mais

ENGOV maleato de mepiramina 15,0 mg - hidróxido de alumínio 150,0 mg - ácido acetilsalicílico 150,0 mg cafeína 50,0 mg

ENGOV maleato de mepiramina 15,0 mg - hidróxido de alumínio 150,0 mg - ácido acetilsalicílico 150,0 mg cafeína 50,0 mg 1/5 IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO ENGOV maleato de mepiramina 15,0 mg - hidróxido de alumínio 150,0 mg - ácido acetilsalicílico 150,0 mg cafeína 50,0 mg APRESENTAÇÃO Comprimido Display contendo 25 envelopes

Leia mais

diclofenaco sódico Merck S/A Cápsulas 100 mg

diclofenaco sódico Merck S/A Cápsulas 100 mg diclofenaco sódico Merck S/A Cápsulas 100 mg diclofenaco sódico Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 APRESENTAÇÕES Embalagens contendo 10 cápsulas. USO ORAL - USO ADULTO COMPOSIÇÃO Cada cápsula contém:

Leia mais

EPÉZ. cloridrato de donepezila. Comprimido revestido - 5 mg Comprimido revestido - 10 mg

EPÉZ. cloridrato de donepezila. Comprimido revestido - 5 mg Comprimido revestido - 10 mg EPÉZ cloridrato de donepezila Comprimido revestido - 5 mg Comprimido revestido - 10 mg BULA PARA PACIENTE Bula de acordo com a Resolução-RDC nº 47/2009 EPÉZ cloridrato de donepezila I- IDENTIFICAÇÃO DO

Leia mais

Esta bula é continuamente atualizada. Favor proceder a sua leitura antes de utilizar o medicamento. Novalfem ibuprofeno

Esta bula é continuamente atualizada. Favor proceder a sua leitura antes de utilizar o medicamento. Novalfem ibuprofeno MODELO DE BULA Esta bula é continuamente atualizada. Favor proceder a sua leitura antes de utilizar o medicamento. Novalfem ibuprofeno FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES Suspensão oral 100 mg/ml: frasco

Leia mais

Paracetamol pó. Identificação. Aplicações

Paracetamol pó. Identificação. Aplicações Material Técnico Paracetamol pó Identificação Fórmula Molecular: C 8 H 9 NO 2 Peso molecular: 151,2 DCB / DCI: 06827-Paracetamol CAS: 103-90-2 INCI: Não aplicável. Denominação botânica: Não aplicável.

Leia mais

AULA DO PRODUTO. Curso inicial & Integração Novos Representantes

AULA DO PRODUTO. Curso inicial & Integração Novos Representantes AULA DO PRODUTO Curso inicial & Integração Novos Representantes 1 HELICOBACTER PYLORI A bactéria Helicobacter pylori foi descoberta em 1982 pelos australianos Barry J. Marshall e J. Robin Warren. Até então,

Leia mais

Procedimentos para Anestesia de Animais de Laboratório CREAL/2013

Procedimentos para Anestesia de Animais de Laboratório CREAL/2013 Procedimentos para Anestesia de Animais de Laboratório CREAL/2013 Conforme a Diretriz Brasileira para o Cuidado e a Utilização de Animais para Fins Científicos e Didáticos (2), pesquisadores e professores

Leia mais

Aspectos Moleculares da Inflamação:

Aspectos Moleculares da Inflamação: Patologia Molecular Lucas Brandão Aspectos Moleculares da Inflamação: os mediadores químicos inflamatórios Inflamação São uma série de eventos programados que permitem com que Leucócitos e outras proteínas

Leia mais

ARFLEX RETARD Nimesulida 200mg

ARFLEX RETARD Nimesulida 200mg DIFFUCAP-CHEMOBRAS ARFLEX RETARD CÁPSULAS ARFLEX RETARD Nimesulida 200mg APRESENTAÇÕES Cápsulas com microgrânulos de ação prolongada 200 mg em embalagens contendo 6 ou 12 cápsulas. USO ORAL USO ADULTO

Leia mais

Naproxeno. Identificação. Denominação botânica: Não aplicável. Aplicações

Naproxeno. Identificação. Denominação botânica: Não aplicável. Aplicações Material Técnico Naproxeno Identificação Fórmula Molecular: C 14 H 14 O 3 Peso molecular: 230,3 DCB / DCI: 06233 -Naproxeno CAS: 22204-53-1 INCI: Não aplicável. Denominação botânica: Não aplicável. Sinonímia:

Leia mais

MODELO DE FORMATO DE BULA

MODELO DE FORMATO DE BULA APRESENTAÇÃO OMCILON-A ORABASE é apresentado em bisnaga contendo 10 g. USO ORAL TÓPICO USO ADULTO COMPOSIÇÃO Cada grama de OMCILON-A ORABASE contém 1mg de triancinolona acetonida. Ingredientes inativos:

Leia mais

LÁBREA (CLORIDRATO DE DONEPEZILA) CRISTÁLIA PRODUTOS QUÍMICOS FARMACÊUTICOS LTDA. COMPRIMIDOS REVESTIDOS 5 MG E 10 MG BULA DO PACIENTE

LÁBREA (CLORIDRATO DE DONEPEZILA) CRISTÁLIA PRODUTOS QUÍMICOS FARMACÊUTICOS LTDA. COMPRIMIDOS REVESTIDOS 5 MG E 10 MG BULA DO PACIENTE LÁBREA (CLORIDRATO DE DONEPEZILA) CRISTÁLIA PRODUTOS QUÍMICOS FARMACÊUTICOS LTDA. COMPRIMIDOS REVESTIDOS 5 MG E 10 MG BULA DO PACIENTE Página 1 de 6 I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO LÁBREA cloridrato de

Leia mais

cetoprofeno Medicamento Genérico, Lei nº 9.787, de 1999

cetoprofeno Medicamento Genérico, Lei nº 9.787, de 1999 cetoprofeno Medicamento Genérico, Lei nº 9.787, de 1999 APRESENTAÇÃO Solução oral (gotas) 20 mg/ml: frasco com 20 ml. USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 1 ANO USO ORAL COMPOSIÇÃO Cada ml de cetoprofeno solução

Leia mais

CONTROLE DA DOR PÓS-OPERATÓRIA EM 1CIRURGIA BUCAL: REVISÃO DE LITERATURA

CONTROLE DA DOR PÓS-OPERATÓRIA EM 1CIRURGIA BUCAL: REVISÃO DE LITERATURA CONTROLE DA DOR PÓS-OPERATÓRIA EM CIRURGIA BUCAL: REVISÃO DE LITERATURA CONTROL OF POSTOPERATIVE PAIN IN ORAL SURGERY: LITERATURE REVIEW Cristiane Mara Ruiz de Sousa FATTAH 1 Alessandra Marcondes ARANEGA

Leia mais

BAMBAIR* cloridrato de bambuterol. BAMBAIR Solução oral 1 mg/ml Frasco contendo 60 ml ou 120 ml + seringa dosadora.

BAMBAIR* cloridrato de bambuterol. BAMBAIR Solução oral 1 mg/ml Frasco contendo 60 ml ou 120 ml + seringa dosadora. Dizeres de Bula BAMBAIR* cloridrato de bambuterol FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES BAMBAIR Solução oral 1 mg/ml Frasco contendo 60 ml ou 120 ml + seringa dosadora. USO ADULTO E PEDIÁTRICO (crianças

Leia mais

Conservar em temperatura ambiente (15 a 30 C). Proteger da luz e umidade. - Torsilax

Conservar em temperatura ambiente (15 a 30 C). Proteger da luz e umidade. - Torsilax Torsilax cafeína carisoprodol diclofenaco sódico paracetamol FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES - Torsilax Comprimido: Embalagens contendo 30 e 100 comprimidos.uso ADULTO USO ORAL COMPOSIÇÃO - Torsilax

Leia mais

Drenol hidroclorotiazida. Drenol 50 mg em embalagem contendo 30 comprimidos. Cada comprimido de Drenol contém 50 mg de hidroclorotiazida.

Drenol hidroclorotiazida. Drenol 50 mg em embalagem contendo 30 comprimidos. Cada comprimido de Drenol contém 50 mg de hidroclorotiazida. Drenol hidroclorotiazida PARTE I IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO Nome: Drenol Nome genérico: hidroclorotiazida Forma farmacêutica e apresentações: Drenol 50 mg em embalagem contendo 30 comprimidos. USO ADULTO

Leia mais

Manejo customizado da Dor Aguda e das exacerbações da Dor Crônica

Manejo customizado da Dor Aguda e das exacerbações da Dor Crônica Manejo customizado da Dor Aguda e das exacerbações da Dor Crônica DRA KAREN SANTOS FERREIRA Neurologista do Ambulatório de Cefaléias e Dor Neuropática do Hospital das Clínicas da FMRP USP Especialista

Leia mais

BAMBEC cloridrato de bambuterol

BAMBEC cloridrato de bambuterol BAMBEC cloridrato de bambuterol I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO BAMBEC cloridrato de bambuterol APRESENTAÇÕES Solução oral de 1 mg/ml em frasco contendo 100 ml + 1 copo medida. VIA ORAL USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Leia mais

APRESENTAÇÃO Comprimidos: embalagem contendo 30 comprimidos de 25 mg. Xarope: embalagem contendo 1 frasco de 120 ml de 2 mg/ml.

APRESENTAÇÃO Comprimidos: embalagem contendo 30 comprimidos de 25 mg. Xarope: embalagem contendo 1 frasco de 120 ml de 2 mg/ml. Hixizine cloridrato de hidroxizina Uso adulto e pediátrico Uso oral APRESENTAÇÃO Comprimidos: embalagem contendo 30 comprimidos de 25 mg. Xarope: embalagem contendo 1 frasco de 120 ml de 2 mg/ml. COMPOSIÇÃO

Leia mais

FLANCOX. etodolaco APSEN

FLANCOX. etodolaco APSEN FLANCOX etodolaco APSEN FORMA FARMACÊUTICA Comprimidos revestidos APRESENTAÇÕES Comprimidos de 300 mg. Caixas com 14 e 30 comprimidos revestidos Comprimidos de 400 mg. Caixas com 6, 10, e 20 comprimidos

Leia mais

Planejamento Cirúrgico

Planejamento Cirúrgico Planejamento Cirúrgico Embora existam aspectos inerentes ao procedimento cirúrgico, a inter-relação entre esta etapa e a confecção da prótese consiste em um fator preponderante para o sucesso da reabilitação.

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 366/2014 Dor Difusa - Duloxetina

RESPOSTA RÁPIDA 366/2014 Dor Difusa - Duloxetina RESPOSTA RÁPIDA 366/2014 Dor Difusa - Duloxetina SOLICITANTE Dra. Renata Abranches Perdigão Juíza de Direito do JESP da Fazenda Pública de Campo Belo NÚMERO DO PROCESSO Autos nº. 0112.14.005276-5 DATA

Leia mais

Targus LAT flurbiprofeno

Targus LAT flurbiprofeno MODELO DE BULA Targus LAT flurbiprofeno Forma farmacêutica e apresentação Targus LAT (flurbiprofeno) Adesivo transdérmico: embalagem contendo 2 envelopes com 5 adesivos transdérmicos cada e 1 bandagem

Leia mais

PROTOCOLOS ISGH ABORDAGEM E TRATAMENTO DE PACIENTES COM DOR E L A B O R A Ç Ã O REVISÃO COLABORAÇÃO VALIDAÇÃO FORMATAÇÃO DATA

PROTOCOLOS ISGH ABORDAGEM E TRATAMENTO DE PACIENTES COM DOR E L A B O R A Ç Ã O REVISÃO COLABORAÇÃO VALIDAÇÃO FORMATAÇÃO DATA E L A B O R A Ç Ã O Carlos Nobre Rabelo Júnior Coordenador Médico da Pediatria do HGWA e Consultor da Comissão de Padronização do ISGH Raimundo Simeão Consultor Técnico do Serviço de Anestesiologia do

Leia mais

ONCILEG - A triancinolona acetonida

ONCILEG - A triancinolona acetonida ONCILEG - A triancinolona acetonida Legrand Pharma Indústria Farmacêutica Ltda. Pasta 1,0mg/ g IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO ONCILEG - A triancinolona acetonida APRESENTAÇÕES: ONCILEG - A é apresentado

Leia mais

Mecanismos de dor no paciente ortopédico: o que devemos saber para melhorar o tratamento no dia-a-dia?

Mecanismos de dor no paciente ortopédico: o que devemos saber para melhorar o tratamento no dia-a-dia? Mecanismos de dor no paciente ortopédico: o que devemos saber para melhorar o tratamento no dia-a-dia? A ortopedia é uma especialidade que tem no trauma uma lesão freqüentemente relatada pelos pacientes,

Leia mais

MODELO DE BULA. ONTRAX cloridrato de ondansetrona

MODELO DE BULA. ONTRAX cloridrato de ondansetrona MODELO DE BULA ONTRAX cloridrato de ondansetrona Forma farmacêutica e apresentações: Caixas com 1 ampola de 2 ml de solução injetável com 4 mg/ 2mL Caixas com 20 ampolas de 2 ml de solução injetável com

Leia mais

8/17/10 1ª PERGUNTA: 2ª PERGUNTA:

8/17/10 1ª PERGUNTA: 2ª PERGUNTA: 1ª PERGUNTA: Riscos associados ao uso de fármacos e/ou exposição a substâncias tóxicas: implicações de doenças hepá=cas e renais e enfoque em crianças, gestantes, lactantes e idosos Qual o objeevo do uso

Leia mais

TITENIL. Geolab Indústria Farmacêutica S/A Comprimido Revestido 20mg

TITENIL. Geolab Indústria Farmacêutica S/A Comprimido Revestido 20mg TITENIL Geolab Indústria Farmacêutica S/A Comprimido Revestido 20mg MODELO DE BULA PARA O PACIENTE Esta bula é continuamente atualizada. Favor proceder a sua leitura antes de utilizar o medicamento. Titenil

Leia mais

EXAME DE INGRESSO AO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FARMACOLOGIA. Nome:... Data:... Assinatura:...

EXAME DE INGRESSO AO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FARMACOLOGIA. Nome:... Data:... Assinatura:... EXAME DE INGRESSO AO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FARMACOLOGIA Nome:... Data:... Assinatura:... DISSERTAÇÃO: RECEPTORES E VIAS DE TRANSDUÇÃO DO SINAL COMO ESTRATÉGIA AO DESENVOLVIMENTO DE NOVOS FÁRMACOS

Leia mais

Data: 18/05/2014. NT 92/2014 Solicitante: Dra. Silmara Silva Barcelos, Juiza de Direito, Para de Minas. Medicamento X Material Procedimento Cobertura

Data: 18/05/2014. NT 92/2014 Solicitante: Dra. Silmara Silva Barcelos, Juiza de Direito, Para de Minas. Medicamento X Material Procedimento Cobertura NT 92/2014 Solicitante: Dra. Silmara Silva Barcelos, Juiza de Direito, Para de Minas Data: 18/05/2014 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Numeração Única: 0471.14.000112-7 TEMA: Suprahyal no

Leia mais

PLESONAX. (bisacodil)

PLESONAX. (bisacodil) PLESONAX (bisacodil) Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A. Comprimido Revestido 5mg I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: PLESONAX bisacodil APRESENTAÇÃO Comprimidos revestidos Embalagem contendo

Leia mais

Prescrição Médica. Medicina. Prática Médica. Prática Médica. Do latim ars medicina : arte da cura.

Prescrição Médica. Medicina. Prática Médica. Prática Médica. Do latim ars medicina : arte da cura. Medicina Do latim ars medicina : arte da cura. Prescrição Médica Surge de reações instintivas para aliviar a dor ou evitar a morte. Prof. Dr. Marcos Moreira Prof. Adjunto de Farmacologia, ICB/UFJF Prof.

Leia mais

USO ORAL USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 12 ANOS

USO ORAL USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 12 ANOS NEOSALDINA Takeda Pharma Ltda. Drágeas Embalagens com 20, 30, 100, 200 e 240 unidades. Lata com 40 unidades dipirona 300mg, mucato de isometepteno 30mg,cafeína 30mg. BULA PARA PACIENTE RDC 47/2009 APRESENTAÇÃO

Leia mais

ONCICREM A. Geolab Indústria Farmacêutica S/A Pomada Orabase 1mg/g

ONCICREM A. Geolab Indústria Farmacêutica S/A Pomada Orabase 1mg/g ONCICREM A Geolab Indústria Farmacêutica S/A Pomada Orabase 1mg/g MODELO DE BULA PARA O PACIENTE Esta bula é continuamente atualizada. Favor proceder a sua leitura antes de utilizar o medicamento. Oncicrem

Leia mais

Inicox dp. meloxicam. APRESENTAÇÃO Comprimido meloxicam 15 mg - Embalagem com 5 comprimidos. VIA ORAL USO ADULTO

Inicox dp. meloxicam. APRESENTAÇÃO Comprimido meloxicam 15 mg - Embalagem com 5 comprimidos. VIA ORAL USO ADULTO Inicox dp meloxicam APRESENTAÇÃO Comprimido meloxicam 15 mg - Embalagem com 5 comprimidos. VIA ORAL USO ADULTO COMPOSIÇÃO Cada comprimido contém: meloxicam...15 mg; excipientes q.s.p.... 1 comprimido.

Leia mais

FLANCOX. etodolaco USO ORAL USO ADULTO

FLANCOX. etodolaco USO ORAL USO ADULTO FLANCOX etodolaco APRESENTAÇÕES Comprimidos revestidos de 300 mg. Caixas com 14 e 30 comprimidos Comprimidos revestidos de 400 mg. Caixas com 6, 10, e 20 comprimidos USO ORAL USO ADULTO COMPOSIÇÃO Cada

Leia mais

Análise das Prescrições Médicas de Anti-Inflamatórios na Cidade da Praia

Análise das Prescrições Médicas de Anti-Inflamatórios na Cidade da Praia António Pedro Duarte Rodrigues de Carvalho Análise das Prescrições Médicas de Anti-Inflamatórios na Cidade da Praia Universidade Jean Piaget de Cabo Verde Campus Universitário da Cidade da Praia Caixa

Leia mais

Nausedron (cloridrato de ondansetrona)

Nausedron (cloridrato de ondansetrona) Nausedron (cloridrato de ondansetrona) Cristália Produtos Químicos Farmacêuticos Ltda. Comprimidos Revestidos 8 mg Modelo de Bula para Paciente I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nausedron cloridrato de

Leia mais

O uso de benzodiazepínicos em idosos

O uso de benzodiazepínicos em idosos O uso de benzodiazepínicos em idosos Rafael C Freire Doutor em psiquiatria Laboratório do Pânico e Respiração IPUB UFRJ INCT Translacional em Medicina Declaração de conflito de interesse Emprego Financiamento

Leia mais

BULA DE NALDECON NOITE Comprimidos

BULA DE NALDECON NOITE Comprimidos BULA DE NALDECON NOITE Comprimidos NALDECON NOITE paracetamol - cloridrato de fenilefrina - maleato de carbinoxamina COMBATE OS SINTOMAS DA GRIPE Dores em Geral Febre Congestão Nasal Coriza FORMA FARMACÊUTICA

Leia mais

Dor e Disfunção Orofacial: Diagnóstico e Abordagem na APS

Dor e Disfunção Orofacial: Diagnóstico e Abordagem na APS Dor e Disfunção Orofacial: Diagnóstico e Abordagem na APS Caso Complexo Priscila Especialização em Saúde da Família UnA-SUS UFCSPA Fernando Neves Hugo Fabiana Tibolla Tentardini Sumário A partir do caso

Leia mais

olmesartana medoxomila Comprimido revestido - 20 mg Comprimido revestido - 40 mg

olmesartana medoxomila Comprimido revestido - 20 mg Comprimido revestido - 40 mg olmesartana medoxomila Comprimido revestido - 20 mg Comprimido revestido - 40 mg BULA PARA PACIENTE Bula de acordo com a Resolução-RDC nº 47/2009 olmesartana medoxomila Medicamento genérico Lei nº 9.787,

Leia mais

Cloridrato de Ondansetrona

Cloridrato de Ondansetrona BULA DO PACIENTE Cloridrato de Ondansetrona HALEX ISTAR SOLUÇÃO INJETÁVEL 2mg/mL 2mL 2mg/mL 4mL cloridrato de ondansetrona Medicamento genérico - Lei nº 9.787 de 1.999 APRESENTAÇÕES Solução injetável -

Leia mais

cetoprofeno Solução Injetável 50 mg/ml Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE

cetoprofeno Solução Injetável 50 mg/ml Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE cetoprofeno Medicamento Genérico, Lei nº 9.787, de 1999 Solução Injetável 50 mg/ml Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE 1 IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO cetoprofeno Medicamento

Leia mais

Flextoss. Xarope Adulto 3mg/mL, Xarope Pediátrico 1,5mg/mL e Solução oral/gotas 30mg/mL

Flextoss. Xarope Adulto 3mg/mL, Xarope Pediátrico 1,5mg/mL e Solução oral/gotas 30mg/mL Flextoss Xarope Adulto 3mg/mL, Xarope Pediátrico 1,5mg/mL e Solução oral/gotas 30mg/mL MODELO DE BULA COM INFORMAÇÕES TÉCNICAS AOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE Flextoss dropropizina APRESENTAÇÕES Xarope Adulto

Leia mais