A. Sniffer de redes Wireshark

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A. Sniffer de redes Wireshark"

Transcrição

1 EN3611 Segurança de Redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática Wireshark e nmap Sniffer de rede e Scanner de portas Entregar um relatório contendo introdução, desenvolvimento e conclusão. A seção desenvolvimento pode conter várias subseções e deve ter as principais observações, análises e resultados obtidos durante a prática de laboratório nos experimentos do Wireshark (A 1 a 5) e Nmap (B 1 a 3). A. Sniffer de redes Wireshark Capturando pacotes Abra o Wireshark e ative a captura de pacotes (Menu Capture Interfaces). 1. Na opção interface, escolha a interface Ethernet. 2. Identifique a interface Ethernet; em opções (Options) seleciona a opção enable network name resolution. 3. Inicie a captura (pressionando em Start). 4. Acesse a rede por alguns segundos (exemplo: acesse o site Não é necessário muito tempo (basta acessar uma única página). 5. Pare a captura de pacotes clicando no botão Stop da janela de captura. 6. A interface do Wireshark é dividida em três partes. A primeira contém uma relação dos pacotes capturados, um por linha. Selecione um dos pacotes A segunda contém informações sobre o pacote que está selecionado, onde cada linha contém um protocolo, na ordem em que eles são empilhados. Dentro de cada protocolo, são mostrados os campos do seu cabeçalho. A terceira parte contém os dados, ou seja, a carga útil (payload) do pacote, que será utilizada pela aplicação. A carga útil é apresentada no formato hexadecimal e o seu correspondente para ASCII. Filtros de visualização Estabeleça alguns filtros de visualização (display filter). Atenção: alguns filtros podem não mostrar nenhum pacote, em função da atividade da rede naquele momento. 1. Na parte inferior esquerda da janela do Wireshark, você pode ver um botão Filter com um espaço em branco ao lado dele. 2. Digite o filtro no espaço em branco (exemplo: ip.addr== and http) 3. Para ativar o filtro pressione ENTER. 4. Para desativar o filtro (antes de digitar outro), pressione no botão Clear. Os filtros devem ser digitados em letras minúsculas.

2 1. Capturando dados de uma sessão FTP Vamos capturar uma sessão FTP (o FTP é uma aplicação que usa o protocolo de comunicação TCP para transferência de arquivos). 1. Desabilite o filtro de visualização (se houver), clicando no botão Clear (parte inferior da janela do Wireshark). 2. Ative a captura de pacotes (Menu Capture Start). Escolha a interface Ethernet. 3. Pressione OK. Observe que agora existe uma janela de captura ativada. 4. Abra uma janela de comandos MS-DOS. 5. Conecte-se via FTP com algum site. Exemplo: ftp download.intel.com Atenção: Se o servidor FTP indicado no exemplo acima estiver fora do ar (não responde), tente um dos seguintes: ftp3.usa.openbsd.org, ftplinux.cc.gatech.edu. 6. Quando for solicitado o login, digite anonymous 7. Na senha, digite: (o seu endereço de , ou qualquer outro) 8. Observe que a senha não aparece na tela. 9. Agora você pode digitar comandos do FTP. Por exemplo, para ver os arquivos na máquina remota, digite do comando ls 10. Para sair digite quit 11. Pare a captura de pacotes (na janela de captura). 12. No Wireshark, filtre a visualização de pacotes usando o seguinte critério: apenas pacotes FTP do host IP, onde IP é o número IP do seu host. Ou seja, supondo que seu IP é , deve digitar o seguinte filtro: ftp and ip.addr== Visualizando a senha da sessão FTP Quando digitamos a senha (ex.: para a sessão FTP do exercício anterior, ela foi enviada em um pacote TCP para o servidor FTP. Como estávamos capturando pacotes durante a sessão, ela vai poder ser observada. 1. Abra o arquivo de pacotes salvo no exercício anterior. 2. Caso já haja algum filtro ativado, clique antes no botão Clear. 3. Faça um filtro para mostrar apenas os pacotes FTP do seu host (exemplo: ftp and ip.addr== ). 4. Clique duas vezes no primeiro pacote mostrado, para que ele fique marcado. 5. No menu, escolha a opção Tools Follow TCP Stream. 6. Aparece uma janela mostrando todos os dados (em modo ASCII) que foram trafegados entre seu computador (cliente) e o servidor durante a sessão FTP. Dados mostrados em azul foram enviados pelo seu host e em vermelho foram recebidos. Não se preocupe em entender o formato dos dados, pois eles são entendidos pela aplicação FTP. 7. Procure dentro do texto mostrado as linhas contendo as palavras USER anonymous e PASS Suponha que você estivesse acessando o site FTP da sua empresa e tivesse sido autenticado (feito o login) com seu nome e senha reais. Você acredita que seria difícil alguém capturar sua senha usando um sniffer do tipo Wireshark na sua rede local?

3 3. Capturando pacotes HTTP 1. Ative a captura de pacotes 2. No campo filter, digite: ip.addr==seu_ip, onde SEU_IP é o número IP do seu computador. Exemplo: host Pressione OK. Observe que agora existe uma janela de captura ativada. 4. Acesse o seguinte URL: 5. Pare a captura de pacotes clicando no botão Stop da janela de captura. 8. Faça um filtro de visualização para mostrar apenas os pacotes TCP. 9. Clique duas vezes no primeiro pacote TCP mostrado, para que ele fique marcado. 10. No menu, escolha a opção Tools Follow TCP Stream. 11. Aparece uma janela mostrando todos os dados (em modo ASCII) que foram trafegados entre seu computador (cliente) e o servidor durante a sessão HTTP. Ó que é possível visualizar? 4. Capturando pacotes HTTPS (HTTP com criptografia - TLS) Este exercício requer que haja um servidor HTTP capaz de suportar o serviço HTTPS (utiliza TLS Transport Layer Security) 1. Faça a mesma coisa do exercício anterior, trocando a URL acessada para: https://webmail.ufabc.edu.br (observe que agora é https ) 2. Você consegue ver os dados que trafegaram? Explique. 3. Identifique o processo de handshake do TLS. Quais são os pacotes trocados entre cliente e servidor? Observe os detalhes do todos os pacotes trocados no handshake. Descreva todo o processo e o que é possível observar (negociação de algoritmos de criptografia, certificados, etc). 5. Capturando senhas de Observação: a realização dessa atividade pode não ser possível no momento da realização dessa prática, porque os provedores estão cada vez mais usando criptografia para a transferência do nome do usuário e senha. No passado, provedores não usavam criptografia. Faça este exercício com diferentes provedores (www.ig.com.br, etc. ). 1. Inicie uma captura e depois acesse o provedor mail.com (www.mail.com). Entre com um usuário qualquer (ex., maria ) e uma senha qualquer (ex., muitofacil ). Espere uns segundos e então interrompa a captura. 2. O mail.com transmite o nome do usuário e da senha sem criptografia, em um string, ex: =maria&password=muitofacil 3. Vá no menu, Edit/Find packet. Na janela, selecione o botão string, digite password (sem as aspas) e então clique no botão Find. Localize o pacote onde está a senha e observe a área de dados do Wireshark, para localizar a senha. 4. Reconstitua o fluxo TCP (botão da direita do mouse e Follow TCP Stream) para ter uma visão mais clara.

4 B. Scanner de portas - Nmap Preparação: Este exercício usará a versão do nmap para o sistema operacional Linux (embora exista também nmap para Windows). Para realizar o exercício será necessário a utilização de 2 máquinas, digamos A e B. Em uma máquina será usado o nmap e na outra o Wireshark (para Linux ou Windows). Verifique o número IP das máquinas A e B. Visão geral do nmap O nmap localiza e identifica todas as portas TCP e UDP disponíveis em um host. Também conhecido com um port scanner, ele tenta determinar qual o serviço que está escutando cada porta e é capaz de identificar o tipo de sistema operacional rodando. O nmap é visto como uma ferramenta de segurança, usada para descobrir brechas em sistemas, ajudando na tarefa de monitoração da rede e identificação de serviços rodando em servidores. Entretanto, o nmap é também uma das ferramentas preferidas de atacantes para fazer reconhecimento na sua rede. Existem várias maneiras de obter ajuda com a utilização do nmap, listadas a seguir: Listagem de opções: digitando o comando nmap (sem parâmetros) aparece uma listagem das opções disponíveis Manual do Unix/Linux: digitando o comando man nmap aparece o manual do nmap em formato do Unix Página do nmap: na página do nmap (nmap.org) existem muitas informações úteis, inclusive uma página com documentação (http://nmap.org/docs.html) que possui inclusive um guia de referência em português (http://nmap.org/man/ptbr). 1. Explorando o nmap Execute os seguintes de comandos nmap e verifique o resultado: Comando Descrição nmap st Mostra as portas TCP abertas no host (sua própria máquina). Scan TCP é o default. nmap st nmap sv nmap sa nmap su nmap p Mostra as portas TCP abertas nos hosts indicados Mostra portas abertas e tenta determinar a informação sobre o serviço/versão Mostra o sistema operacional e informações sobre os serviços que estão rodando nas portas abertas Mostra as portas UDP abertas nos hosts indicados Vasculha portas 80 (HTTP) nos hosts de

5 a nmap p 21-23, Vasculha portas 21,22,23 e 80 no host nmap p 161 su nmap O Vasculha portas 161 (SNMP) nos hosts de a Opção su indica para fazer scan com UDP (SNMP usa UDP) Procura identificar o sistema operacional do host indicado (a opção é a letra O maiúscula e não o número 0 ) Observação: os endereços IP estão representados na faixa x. Modifique esses endereços para representar a realidade da sua rede ou de outros hosts. Faça um scan na rede para procurar hosts com servidor web ativado (porta 80), SSH (porta 22), TELNET (porta 23) e FTP (porta 21). 2. Capturando pacotes A. Na máquina A execute o Wireshark e capture apenas o tráfego direcionado a ela. Na máquina B execute o nmap para tentar identificar quais portas estão escutando na máquina A. Execute o comando abaixo e aguarde o fim da operação. nmap -st IP_HOST_A Explicação da opção usada (do manual do nmap): -st TCP connect() scan: This is the most basic form of TCP scanning. The connect() system call provided by your operating system is used to open a connection to every interesting port on the machine. If the port is listening, connect() will succeed, otherwise the port isn't reachable. Pare a captura do Wireshark e analise o tráfego capturado pela máquina A, salve o resultado como tentativamapeamentoa. Olhando os pacotes capturados, tente B. Na máquina A ative a captura do tráfego direcionado apenas para ela. Na operação. nmap -ss IP_HOST_A Explicação da opção usada (do manual do nmap): TCP SYN scan: This technique is often referred to as "half-open" scanning, because you don't open a full TCP connection. You send a SYN packet, as if you are going to open a real connection

6 and you wait for a response. A SYN ACK indicates the port is listening. A RST is indicative of a non-listener. If a SYN ACK is received, a RST is immediately sent to tear down the connection (actually our OS kernel does this for us). The primary advantage to this scanning technique is that fewer sites will log it. resultado como tentativamapeamentob. Olhando os pacotes capturados, tente C. Na máquina A ative a captura do tráfego direcionado apenas para ela. Na operação: nmap -sf IP_HOST_A Explicação da opção usada (do manual do nmap): -sn; -sf; -sx (TCP NULL, FIN, and Xmas scans): These three scan types (even more are possible with the -- scanflags option described in the next section) exploit a subtle loophole in the TCP RFC to differentiate between open and closed ports. Page 65 of RFC 793 says that if the [destination] port state is CLOSED an incoming segment not containing a RST causes a RST to be sent in response. Then the next page discusses packets sent to open ports without the SYN, RST, or ACK bits set, stating that: you are unlikely to get here, but if you do, drop the segment, and return. resultado como tentativamapeamentoc. Olhando os pacotes capturados, tente D. Na operação: nmap -sx IP_HOST_A Explicação da opção usada (do manual do nmap): -sx faz uma Xmas Tree ( árvore de natal ) ou seja, liga todos os flags (FIN, URG, and PSH) resultado como tentativamapeamentod. Olhando os pacotes capturados, tente E. Na máquina A ative a captura do tráfego direcionado apenas para ela. Na operação. nmap -sn IP_HOST_A Explicação da opção usada (do manual do nmap): -sn faz um Null Scan ou seja, desliga todos os flags. Isso serve para distinguir tipos de sistemas operacionais,

7 pois cada um se comporta de maneira diferente quando recebem pacotes inesperados. Por exemplo, máquinas Windows95/NT ignoram (não respondem) null scan, enquanto que outros devolvem um pacote com RST ligado. resultado como tentativamapeamentoe. Olhando os pacotes capturados, tente F. Na máquina A ative a captura do tráfego direcionado apenas para ela. Na operação: nmap -su IP_HOST_A Explicação da opção usada (do manual do nmap): UDP scans: This method is used to determine which UDP (User Datagram Protocol, RFC 768) ports are open on a host. The technique is to send 0 byte udp packets to each port on the target machine. If we receive an ICMP port unreachable message, then the port is closed. Otherwise we assume it is open. resultado como tentativamapeamentof. Olhando os pacotes capturados, tente 3. Exploração avançada Através das opções de ajuda do nmap, faça alguns testes com exemplos diferentes.

EN3611 Segurança de Redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática Wireshark Sniffer de rede

EN3611 Segurança de Redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática Wireshark Sniffer de rede EN3611 Segurança de Redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática Wireshark Sniffer de rede Entregar um relatório contendo introdução, desenvolvimento e conclusão. A seção desenvolvimento pode conter

Leia mais

Nmap Diferenças entre estados de porta (Parte 1)

Nmap Diferenças entre estados de porta (Parte 1) Autor: ryuuu Contato: ryuuu @hotmail.com Nmap Diferenças entre estados de porta (Parte 1) Embora o Nmap tenha crescido em funcionalidade ao longo dos anos, ele começou como um eficiente scanner de portas,

Leia mais

Usando o Nmap. A instalação do Nmap é bem simples. Após obter o código fonte execute os comandos abaixo: tar xjvpf nmap-3.48.tar.bz2 cd nmap-3.

Usando o Nmap. A instalação do Nmap é bem simples. Após obter o código fonte execute os comandos abaixo: tar xjvpf nmap-3.48.tar.bz2 cd nmap-3. Usando o Nmap Este artigo irá explicar como instalar e utilizar algumas funções do Nmap. Todos os comandos foram testados com a versão 3.48 do Nmap. É bem provável que alguns comandos não funcionem em

Leia mais

Wireshark Lab: Iniciando

Wireshark Lab: Iniciando Wireshark Lab: Iniciando Versão 1.1 2005 KUROSE, J.F & ROSS, K. W. Todos os direitos reservados 2008 BATISTA, O. M. N. Tradução e adaptação para Wireshark. Conte-me e esqueço. Mostre-me e eu lembro. Envolva-me

Leia mais

Procedimentos para Configuração de Redirecionamento de Portas

Procedimentos para Configuração de Redirecionamento de Portas 1 Procedimentos para Configuração de Redirecionamento de Portas O DIR 635 tem duas opções para liberação de portas: Virtual server: A opção Virtual Server permite que você defina uma única porta pública

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CAMPUS SÃO JOSÉ REDES DE COMPUTADORES Laboratório 2 Wireshark

Leia mais

Vamos iniciar a nossa exploração do HTTP baixando um arquivo em HTML simples - bastante pequeno, que não contém objetos incluídos.

Vamos iniciar a nossa exploração do HTTP baixando um arquivo em HTML simples - bastante pequeno, que não contém objetos incluídos. Wireshark Lab: HTTP Versão 1.1 2005 KUROSE, J.F & ROSS, K. W. Todos os direitos reservados 2008 BATISTA, O. M. N. Tradução e adaptação para Wireshark. Tendo molhado os nossos pés com o Wireshark no laboratório

Leia mais

Procedimento para configuração de Redirecionamento de Portas

Procedimento para configuração de Redirecionamento de Portas 1 Procedimento para configuração de Redirecionamento de Portas 1- Para realizar a configuração de redirecionamento de portas o computador deve estar conectado via cabo Ethernet em uma das portas LAN do

Leia mais

Wireshark Lab: IP. Versão 1.1 2005 KUROSE, J.F & ROSS, K. W. Todos os direitos reservados 2011 BATISTA, O. M. N. Tradução e adaptação para Wireshark.

Wireshark Lab: IP. Versão 1.1 2005 KUROSE, J.F & ROSS, K. W. Todos os direitos reservados 2011 BATISTA, O. M. N. Tradução e adaptação para Wireshark. Wireshark Lab: IP Versão 1.1 2005 KUROSE, J.F & ROSS, K. W. Todos os direitos reservados 2011 BATISTA, O. M. N. Tradução e adaptação para Wireshark. Neste laboratório, investigaremos o Internet Protocol

Leia mais

Wireshark Lab: TCP. Versão 1.1 2005 KUROSE, J.F & ROSS, K. W. Todos os direitos reservados 2011 BATISTA, O. M. N. Tradução e adaptação para Wireshark.

Wireshark Lab: TCP. Versão 1.1 2005 KUROSE, J.F & ROSS, K. W. Todos os direitos reservados 2011 BATISTA, O. M. N. Tradução e adaptação para Wireshark. Wireshark Lab: TCP Versão 1.1 2005 KUROSE, J.F & ROSS, K. W. Todos os direitos reservados 2011 BATISTA, O. M. N. Tradução e adaptação para Wireshark. Neste laboratório, investigaremos o comportamento do

Leia mais

Data: 22 de junho de 2004. E-mail: ana@lzt.com.br

Data: 22 de junho de 2004. E-mail: ana@lzt.com.br Data: 22 de junho de 2004. E-mail: ana@lzt.com.br Manual do Suporte LZT LZT Soluções em Informática Sumário VPN...3 O que é VPN...3 Configurando a VPN...3 Conectando a VPN... 14 Possíveis erros...16 Desconectando

Leia mais

Laboratório - Acesso a dispositivos de rede com SSH

Laboratório - Acesso a dispositivos de rede com SSH Topologia Tabela de endereçamento Dispositivo Interface Endereço IP Máscara de subrede Gateway padrão Objetivos R1 G0/1 192.168.1.1 255.255.255.0 ND S1 VLAN 1 192.168.1.11 255.255.255.0 192.168.1.1 PC-A

Leia mais

Certifique-se de que você possui todas as informações necessárias e equipamento em mãos antes de iniciar a instalação.

Certifique-se de que você possui todas as informações necessárias e equipamento em mãos antes de iniciar a instalação. Este produto pode ser configurado utilizando qualquer navegador web atual, como por ex. Internet Explorer 6 ou Netscape Navigator 7 ou superior. DSL-2730B Roteador ADSL Wireless Antes de começar Certifique-se

Leia mais

1. Capturando pacotes a partir da execução do traceroute

1. Capturando pacotes a partir da execução do traceroute Neste laboratório, iremos investigar o protocolo IP, focando o datagrama IP. Vamos fazê-lo através da analise de um trace de datagramas IP enviados e recebidos por uma execução do programa traceroute (o

Leia mais

1 Capturando uma rajada de uma transferência TCP de seu computador a um servidor remoto

1 Capturando uma rajada de uma transferência TCP de seu computador a um servidor remoto Laboratório de TCP Tradução dos Laboratórios Wireshark disponíveis no material de apoio do Livro Kurose, K. Ross. Redes de Computadores e a Internet: uma abordagem top down. 5 edição. Addison-Wesley, Junho

Leia mais

Camada de Transporte, protocolos TCP e UDP

Camada de Transporte, protocolos TCP e UDP Camada de Transporte, protocolos TCP e UDP Conhecer o conceito da camada de transporte e seus principais protocolos: TCP e UDP. O principal objetivo da camada de transporte é oferecer um serviço confiável,

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Redes de Computadores II

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Redes de Computadores II Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Redes de Computadores II Na aula de hoje iremos conhecermos e relembrarmos duas ferramentas do Windows, chamadas de ipconfig e nslookup. Além disso, iremos discutirmos

Leia mais

Teleprocessamento e Redes

Teleprocessamento e Redes Teleprocessamento e Redes Aula 23: (laboratório) 13 de julho de 2010 1 2 3 ICMP HTTP DNS TCP 4 nslookup Sumário Permite fazer requisições a um servidor DNS O nslookup envia uma requisição para o servidor,

Leia mais

LUXVISION HÍBRIDO VER AS IMAGENS ATRAVÉS DO INTERNET EXPLORER. Abra o INTERNET EXPLORER, vá em FERRAMENTAS, OPÇÕES DA INTERNET.

LUXVISION HÍBRIDO VER AS IMAGENS ATRAVÉS DO INTERNET EXPLORER. Abra o INTERNET EXPLORER, vá em FERRAMENTAS, OPÇÕES DA INTERNET. LUXVISION HÍBRIDO VER AS IMAGENS ATRAVÉS DO INTERNET EXPLORER. Abra o INTERNET EXPLORER, vá em FERRAMENTAS, OPÇÕES DA INTERNET. Clique na guia SEGURANÇA, NÍVEL PERSONALIZADO. Ir até os ActiveX ( desenho

Leia mais

Procedimentos para Configuração de Redirecionamento de Portas

Procedimentos para Configuração de Redirecionamento de Portas Procedimentos para Configuração de Redirecionamento de Portas A opção avançada de Port Forwarding permite que você defina uma única porta pública ou Range de portas em seu roteador para redirecionar a

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto

Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 Protocolo de rede... 3 Protocolo TCP/IP... 3 Máscara de sub-rede... 3 Hostname... 3

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA SERVIÇOS REALIZADOS NO PLANTÃO

PROCEDIMENTOS PARA SERVIÇOS REALIZADOS NO PLANTÃO PROCEDIMENTOS PARA SERVIÇOS REALIZADOS NO PLANTÃO A primeira coisa a ser verificada é a navegação dos servidores e isso será possível com o Programa PuTTY. Selecione o servidor que está na caixa Load,

Leia mais

Entregar um relatório respondendo as questões propostas e principais observações feitas durante a prática (para os itens 1, 3, 4, 5, 6 e 7).

Entregar um relatório respondendo as questões propostas e principais observações feitas durante a prática (para os itens 1, 3, 4, 5, 6 e 7). EN3611 Segurança de Redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática 2 Certificados digitais e Linux-TCP/IP Entregar um relatório respondendo as questões propostas e principais observações feitas durante

Leia mais

GEOVISION VER AS IMAGENS ATRAVÉS DO INTERNET EXPLORER.

GEOVISION VER AS IMAGENS ATRAVÉS DO INTERNET EXPLORER. GEOVISION VER AS IMAGENS ATRAVÉS DO INTERNET EXPLORER. Abra o INTERNET EXPLORER, vá em FERRAMENTAS, OPÇÕES DA INTERNET. Clique na guia SEGURANÇA, NÍVEL PERSONALIZADO. Ir até os ActiveX ( desenho de uma

Leia mais

Ferramentas de varredura de segurança para GNU/Linux

Ferramentas de varredura de segurança para GNU/Linux Ferramentas de varredura de segurança para GNU/Linux José Ricardo Simões Rodrigues Dezembro de 2003. Resumo Este breve texto procura falar acerca da experiência do autor no uso de ferrametas de varredura

Leia mais

Procedimentos para configuração de Filters

Procedimentos para configuração de Filters 1 Procedimentos para configuração de Filters 1- Para realizar o procedimento de configuração de Filters, acesse agora a página de configuração do Roteador. Abra o Internet Explorer e digite na barra de

Leia mais

LEIA-ME PRIMEIRO Instalação do Fiery WorkCentre Série 7300

LEIA-ME PRIMEIRO Instalação do Fiery WorkCentre Série 7300 LEIA-ME PRIMEIRO Instalação do Fiery WorkCentre Série 7300 Este documento descreve como instalar e configurar o Controlador de rede Fiery para WorkCentre Série 7300. Complete as etapas que correspondem

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1

MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1 MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1 SÃO CAETANO DO SUL 06/06/2014 SUMÁRIO Descrição do Produto... 3 Características... 3 Configuração USB... 4 Configuração... 5 Página

Leia mais

Iniciando a configuração do BOT

Iniciando a configuração do BOT Iniciando a configuração do BOT Traduzido por: Antonio Edivaldo de O. Gaspar, edivaldo.gaspar(at)gmail(dot)com Texto original: http://www.blockouttraffic.de/gettingstarted.php Revisado em: 25/07/06 09:00

Leia mais

SPARK - Comunicador Instantâneo MANUAL DO USUÁRIO

SPARK - Comunicador Instantâneo MANUAL DO USUÁRIO SPARK - Comunicador Instantâneo MANUAL DO USUÁRIO BOA VISTA/RR NOVEMBRO DE 2011 Este manual tem por finalidade esclarecer o funcionamento do SPARK ao servidor interessado em usar este comunicador instantâneo.

Leia mais

03 AULA PRÁTICA Domain Name System: DNS (WIRESHARK) (Baseada nas Práticas do livro de James Kurose 4Edição)

03 AULA PRÁTICA Domain Name System: DNS (WIRESHARK) (Baseada nas Práticas do livro de James Kurose 4Edição) Universidade Federal do Ceará (UFC) - Campus Quixadá Disciplina: Redes de Computadores Período 2011.1 Profa. Atslands Rego da Rocha (atslands@ufc.br) Data: 04/2011 03 AULA PRÁTICA Domain Name System: DNS

Leia mais

Procedimentos para configuração em modo WDS

Procedimentos para configuração em modo WDS Procedimentos para configuração em modo WDS 1- WDS (Wireless Distribution System) permite o acesso de um DAP-1353 com o outro DAP-1353 de um modo padronizado. Dessa forma pode simplificar a infraestrutura

Leia mais

Manual de configuração de clientes de email para o novo serviço de email da Ufersa baseado na plataforma Google/Gmail

Manual de configuração de clientes de email para o novo serviço de email da Ufersa baseado na plataforma Google/Gmail Universidade Federal Rural do Semi-árido Superintendência de Tecnologia da Informação e comunicação Manual de configuração de clientes de email para o novo serviço de email da Ufersa baseado na plataforma

Leia mais

Guia de configuração para liberar Portas no DSLink 260E para acesso via PPPoE Rev. 3.3

Guia de configuração para liberar Portas no DSLink 260E para acesso via PPPoE Rev. 3.3 Guia de configuração para liberar Portas no DSLink 260E para acesso via PPPoE Rev. 3.3 http://www.dslink.com.br/ Índice Como conectar o modem DSLink 260E ao meu computador?... 3 Configurando o modem como

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES CURSO TÉCNICO DE INFORMÁTICA Módulo A REDES DE COMPUTADORES Protocolos de Rede FALANDO A MESMA LÍNGUA Um protocolo pode ser comparado a um idioma, onde uma máquina precisa entender o idioma de outra máquina

Leia mais

Laboratório - Exploração do FTP

Laboratório - Exploração do FTP Objetivos Parte 1: Usar o FTP em um prompt de comando Parte 2: Baixar um arquivo FTP usando WS_FTP LE Parte 3: Usar o FTP em um navegador Histórico/cenário O File Transfer Protocol (FTP) faz parte do conjunto

Leia mais

Para a prova de conceito utilizamos o kit de ferramentas do Backtrack 5 r3 (SET + ETTERCAP). Demostraremos a seguir o processo utilizado.

Para a prova de conceito utilizamos o kit de ferramentas do Backtrack 5 r3 (SET + ETTERCAP). Demostraremos a seguir o processo utilizado. PROVA DE CONCEITO Para a prova de conceito utilizamos o kit de ferramentas do Backtrack 5 r3 (SET + ETTERCAP). Demostraremos a seguir o processo utilizado. 1) No Backtrack, executaremos a ferramenta SET.

Leia mais

LABORATÓRIO WIRESHARK HTTP. Tradução: Marjorie R. S. Rosa

LABORATÓRIO WIRESHARK HTTP. Tradução: Marjorie R. S. Rosa LABORATÓRIO WIRESHARK HTTP Tradução: Marjorie R. S. Rosa 2014 WIRESHARK - HTTP 1 WIRESHARK - HTTP Esse manual de laboratório é baseado em Wireshark Lab: HTTP, versão 2.0 (setembro de 2009), de J.F. Kurose,

Leia mais

SCPIWeb. SCPIWebDespRec Aplicação Web para Consulta de Despesas e Receitas ( Lei Complementar nº 131 de 27 Maio de 2009 )

SCPIWeb. SCPIWebDespRec Aplicação Web para Consulta de Despesas e Receitas ( Lei Complementar nº 131 de 27 Maio de 2009 ) 2010 SCPIWebDespRec Aplicação Web para Consulta de Despesas e Receitas ( Lei Complementar nº 131 de 27 Maio de 2009 ) SCPIWebCotacao Aplicação Web para Cotação de Preços via Internet Resumo de Instruções

Leia mais

Como atualizar o arquivo de licença do HSC ISS Free

Como atualizar o arquivo de licença do HSC ISS Free Como atualizar o arquivo de licença do HSC ISS Free Introdução Após instalar a versão gratuita do HSC Internet Secure Suite (HSC ISS Free), o cliente adquiriu uma licença de uso Standard ou Enterprise

Leia mais

Fundamentos dos protocolos internet

Fundamentos dos protocolos internet Fundamentos dos protocolos internet - 2 Sumário Capítulo 1 Fundamentos dos protocolos internet...3 1.1. Objetivos... 3 1.2. Mãos a obra...4 Capítulo 2 Gerenciando... 14 2.1. Objetivos... 14 2.2. Troubleshooting...

Leia mais

Introdução ao Analisador de Protocolos Wireshark

Introdução ao Analisador de Protocolos Wireshark Introdução ao Analisador de Protocolos Wireshark 1. Instalação A instalação da GUI (Graphics User Interface) do wireshark no Ubuntu é realizada através do seguinte comando: sudo apt-get install wireshark

Leia mais

Tutorial para Configurar o Kitty Emulador de Terminal Linux

Tutorial para Configurar o Kitty Emulador de Terminal Linux Tutorial para Configurar o Kitty Emulador de Terminal Linux dez/2011 Créditos: Sérgio Luiz Solusoft Solução em Informática Ltda Rua Desemb. Alarico Barroso, no. 87 - Ouro Preto - Pampulha - CEP: 31.310-380

Leia mais

Unidade Curricular Redes I Prof. Eduardo Maroñas Monks Roteiro de Laboratório Ethernet/Auto-negociação/Largura de Banda

Unidade Curricular Redes I Prof. Eduardo Maroñas Monks Roteiro de Laboratório Ethernet/Auto-negociação/Largura de Banda Unidade Curricular Redes I Prof. Eduardo Maroñas Monks Roteiro de Laboratório Ethernet/Auto-negociação/Largura de Banda Objetivos: Analisar o mecanismo de auto-negociação de conexão Ethernet. Analisar

Leia mais

Como instalar o sistema operacional pfsense no Citrix Xen Server

Como instalar o sistema operacional pfsense no Citrix Xen Server Como instalar o sistema operacional pfsense no Citrix Xen Server Autor: Eder S. G. - edersg@vm.uff.br Versão: 1.2 Data: 21/11/2012 Última atualização: 07/03/2013 Observação: Máquina real: Sistema operacional

Leia mais

TUTORIAL: MANTENDO O BANCO DE DADOS DE SEU SITE DENTRO DO DOMÍNIO DA USP USANDO O SSH!

TUTORIAL: MANTENDO O BANCO DE DADOS DE SEU SITE DENTRO DO DOMÍNIO DA USP USANDO O SSH! UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (USP) ESCOLA DE ARTES, CIÊNCIAS E HUMANIDADES (EACH) TUTORIAL: MANTENDO O BANCO DE DADOS DE SEU SITE DENTRO DO DOMÍNIO DA USP USANDO O SSH! Autoria e revisão por: PET Sistemas

Leia mais

Se você possui uma tomada de telefone no padrão TeleBrás siga este diagrama:

Se você possui uma tomada de telefone no padrão TeleBrás siga este diagrama: 1- Antes de iniciar qualquer procedimento de configuração verifique se os cabos estão conectados conforme o diagrama de instalação abaixo: Se você possui uma tomada de telefone no padrão Americano siga

Leia mais

PHONE. manual do usuário Version 1.1 FPP 011001

PHONE. manual do usuário Version 1.1 FPP 011001 Version 1.1 FPP 011001 CONTEÚDO DO KIT FLIP ESPECIFICAÇÃO FUNÇÕES DO TERMINAL COMO INSTALAR O TERMINAL ANEXO I ANEXO II ANEXO III ÍNDICE 5 5 6 9 12 17 18 3 CONTEÚDO DO KIT FLIP Terminal FLIP Phone ESPECIFICAÇÃO

Leia mais

Guia de conexão na rede wireless

Guia de conexão na rede wireless 1 Guia de conexão na rede wireless Este documento tem por objetivo orientar novos usuários, não ambientados aos procedimentos necessários, a realizar uma conexão na rede wireless UFBA. A seguir, será descrito

Leia mais

Bem vindo ao tutorial de acesso ao serviço VPN-IAG

Bem vindo ao tutorial de acesso ao serviço VPN-IAG 1 Tutorial VPN IAG Bem vindo ao tutorial de acesso ao serviço VPN-IAG O que é VPN? VPN (Virtual Private Network ou Rede Privada Virtual) Vantagens Com este serviço é possível acessar sites restritos à

Leia mais

O projeto Metasploit é um framework que foi criado em 2003 por HD Moore e é uma plataforma que permite a verificação do estado da segurança dos

O projeto Metasploit é um framework que foi criado em 2003 por HD Moore e é uma plataforma que permite a verificação do estado da segurança dos O projeto Metasploit é um framework que foi criado em 2003 por HD Moore e é uma plataforma que permite a verificação do estado da segurança dos computadores existentes numa determinada rede, permitindo

Leia mais

Configurando DDNS no Stand Alone

Configurando DDNS no Stand Alone Configurando DDNS no Stand Alone Abra o seu navegador de internet e acesse o endereço http://www.advr.com.tw(ou, http://59.124.143.151 ). Clique em Register para efetuar o cadastro de um novo grupo.(foto

Leia mais

6.8.3.10 Lab - Configurar o Roteador Sem Fio no Windows XP

6.8.3.10 Lab - Configurar o Roteador Sem Fio no Windows XP IT Essentials 5.0 6.8.3.10 Lab - Configurar o Roteador Sem Fio no Windows XP Introdução Imprima e preencha este laboratório. Neste laboratório, você vai configurar e testar as configurações sem fio no

Leia mais

É o UniNorte facilitando a vida de nossos docentes e discentes.

É o UniNorte facilitando a vida de nossos docentes e discentes. ACESSO REMOTO Através do Acesso Remoto o aluno ou professor poderá utilizar em qualquer computador que tenha acesso a internet todos os programas, recursos de rede e arquivos acadêmicos utilizados nos

Leia mais

Configuração de Digitalizar para E-mail

Configuração de Digitalizar para E-mail Guia de Configuração de Funções de Digitalização de Rede Rápida XE3024PT0-2 Este guia inclui instruções para: Configuração de Digitalizar para E-mail na página 1 Configuração de Digitalizar para caixa

Leia mais

Procedimento para Configuração de Internet em modo Bridge

Procedimento para Configuração de Internet em modo Bridge Procedimento para Configuração de Internet em modo Bridge 1- Para realizar o procedimento de configuração em modo Bridge o computador deve estar conectado via cabo Ethernet em uma das portas LAN do DSL-2640B

Leia mais

1. Um servidor rodando Windows 7 (um computador onde o SIPAR ficará instalado e com os dados neste computador);

1. Um servidor rodando Windows 7 (um computador onde o SIPAR ficará instalado e com os dados neste computador); Manual informativo para configuração do SIPAR por acesso via Área de Trabalho Remota (ATR) do Windows 7 Página: 1 / 5 COMO CONFIGURAR O SIPAR PARA ACESSO VIA INTERNET Você vai precisar de: 1. Um servidor

Leia mais

Escrito por Daniel Donda Ter, 17 de Fevereiro de 2009 18:32 - Última atualização Sáb, 03 de Julho de 2010 23:34

Escrito por Daniel Donda Ter, 17 de Fevereiro de 2009 18:32 - Última atualização Sáb, 03 de Julho de 2010 23:34 Conteúdo Introdução Configurando o Windows Server 2008 Server Core Instalando o Remote Server Administration Tools (RSAT) Configurando o Network Load Balancing (NLB) Adicionando Servidores ao Cluster Gerenciando

Leia mais

L A B O RATÓRIO DE REDES

L A B O RATÓRIO DE REDES L A B O RATÓRIO DE REDES TRÁFEGO, ENQUADRAMEN TO, DEFAU LT G A TEWA Y E ARP. VALE 2,0 P ONT OS. INTRODUÇÃO AO LABORATÓRIO Nosso laboratório é composto de três hosts Linux, representados pelo símbolo de

Leia mais

FTP Protocolo de Transferência de Arquivos

FTP Protocolo de Transferência de Arquivos FTP Protocolo de Transferência de Arquivos IFSC UNIDADE DE SÃO JOSÉ CURSO TÉCNICO SUBSEQUENTE DE TELECOMUNICAÇÕES! Prof. Tomás Grimm FTP - Protocolo O protocolo FTP é o serviço padrão da Internet para

Leia mais

Esta nota apresenta como definir o SSL VPN no roteador Vigor.

Esta nota apresenta como definir o SSL VPN no roteador Vigor. Como configurar o SSL para VPN Esta nota apresenta como definir o SSL VPN no roteador Vigor. Dividiremos o tutorial em cinco partes: Parte A: Como criar uma conta de SSL. Parte B: Como configurar a segurança

Leia mais

Lab 4 Análise de Pacotes utilizando o TCPDUMP

Lab 4 Análise de Pacotes utilizando o TCPDUMP Objetivo: Lab 4 Análise de Pacotes utilizando o TCPDUMP i) Utilizar aplicativo de análise de pacotes TCPDUMP. TCPDUMP: O tcpdump é um programa cuja utilidade principal é visualizar e analisar o tráfego

Leia mais

Procedimentos para configuração em modo Router Dynamic IP

Procedimentos para configuração em modo Router Dynamic IP O equipamento DWL-G730AP tem 3 modos possíveis de configuração: Router, Access Point ou Client. Em baixo do equipamento há um chaveador para que seja efetuada a mudança de modo de configuração. Neste caso,

Leia mais

Servidor IIS. Sorayachristiane.blogspot.com

Servidor IIS. Sorayachristiane.blogspot.com Servidor IIS Servidor IIS IIS Serviço de informação de Internet; É um servidor que permite hospedar um ou vários sites web no mesmo computador e cria uma distribuição de arquivos utilizando o protocolo

Leia mais

Procedimentos para configuração em modo Router PPPOE

Procedimentos para configuração em modo Router PPPOE O equipamento DWL-G730AP tem 3 modos possíveis de configuração: Router, Access Point ou Client. Em baixo do equipamento há um chaveador para que seja efetuada a mudança de modo de configuração. Neste caso,

Leia mais

Manual de Instalação da VPN

Manual de Instalação da VPN Manual de Instalação da VPN Windows Vista e Windows 7 Sumário: Manual de instalação da VPN 1. OBJETIVO... 3 2. EFETUANDO O DOWNLOAD DO INSTALADOR DA VPN... 3 3. INSTALANDO A VPN... 6 4. CONFIGURANDO A

Leia mais

Laboratório Configuração do SNMP

Laboratório Configuração do SNMP Topologia Tabela de Endereçamento Objetivos Dispositivo Interface Endereço IP Máscara de Sub-Rede Gateway padrão R1 G0/1 192.168.1.1 255.255.255.0 N/A S0/0/0 192.168.2.1 255.255.255.252 N/A R2 S0/0/0 192.168.2.2

Leia mais

genérico proteção de rede filtragem dos pacotes Sem estado (stateless) no próprio pacote. Com estado (stateful) outros pacotes

genérico proteção de rede filtragem dos pacotes Sem estado (stateless) no próprio pacote. Com estado (stateful) outros pacotes FIREWALLS Firewalls Definição: Termo genérico utilizado para designar um tipo de proteção de rede que restringe o acesso a certos serviços de um computador ou rede de computadores pela filtragem dos pacotes

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração MySQL

Manual de Instalação e Configuração MySQL Manual de Instalação e Configuração MySQL Data alteração: 19/07/11 Pré Requisitos: 1. Baixar os seguintes arquivos no através do link http://ip.sysfar.com.br/install/ mysql-essential-5.1.46-win32.msi mysql-gui-tools-5.0-r17-win32.msi

Leia mais

Packet Tracer - Configurando ACLs Estendidas - Cenário 1

Packet Tracer - Configurando ACLs Estendidas - Cenário 1 Topologia Tabela de Endereçamento R1 Dispositivo Interface Endereço IP Máscara de Sub-Rede Gateway Padrão G0/0 172.22.34.65 255.255.255.224 N/A G0/1 172.22.34.97 255.255.255.240 N/A G0/2 172.22.34.1 255.255.255.192

Leia mais

III WTR do POP-BA III Workshop de Tecnologias de Redes Ponto de Presença da RNP na Bahia Instrutor: Italo Valcy Monitor: Marcio Bouças

III WTR do POP-BA III Workshop de Tecnologias de Redes Ponto de Presença da RNP na Bahia Instrutor: Italo Valcy Monitor: Marcio Bouças III WTR do POP-BA III Workshop de Tecnologias de Redes Ponto de Presença da RNP na Bahia Instrutor: Italo Valcy Monitor: Marcio Bouças Cenário: A máquina curso-monitoramento possui os softwares de gerencia

Leia mais

Guia de configuração de destinos de digitalização e mensagens de alerta da X500 Series

Guia de configuração de destinos de digitalização e mensagens de alerta da X500 Series Guia de configuração de destinos de digitalização e mensagens de alerta da X500 Series www.lexmark.com Julho de 2007 Lexmark e Lexmark com desenho de losango são marcas registradas da Lexmark International,

Leia mais

Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página

Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação 1 Introdução à Camada de Transporte Camada de Transporte: transporta e regula o fluxo de informações da origem até o destino, de forma confiável.

Leia mais

WR-3454G 54M WIRELESS ROUTER WR-3454G MANUAL DE INSTALAÇÃO

WR-3454G 54M WIRELESS ROUTER WR-3454G MANUAL DE INSTALAÇÃO WR-3454G MANUAL DE INSTALAÇÃO 1 - Conteúdo do Kit Os seguintes conteúdos encontram-se na caixa: Um roteador WR-3454G Uma Antena Uma fonte de Alimentação de 9V 0,8A Observação: Se algum dos itens acima

Leia mais

W-R2000nl Guia de instalação

W-R2000nl Guia de instalação W-R2000nl Guia de instalação Sumário Introdução...3 Instalação...5 Configurando seu computador...6 Acessando a tela de configurações...7 Configuração de Roteamento...8 Trocando senha de sua rede sem fio...13

Leia mais

Administração de Redes Redes e Sub-redes

Administração de Redes Redes e Sub-redes 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS SÃO JOSÉ SANTA CATARINA Administração de Redes Redes e Sub-redes Prof.

Leia mais

Versão 1.3 Abril de 2009. Suplemento do IPv6: Definir Configurações IP e Filtro IP

Versão 1.3 Abril de 2009. Suplemento do IPv6: Definir Configurações IP e Filtro IP Versão 1.3 Abril de 2009 Suplemento do IPv6: Definir Configurações IP e Filtro IP 2009 Xerox Corporation. Todos os direitos reservados. Xerox e o desenho da esfera de conectividade são marcas da Xerox

Leia mais

Configuração de um servidor FTP. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática

Configuração de um servidor FTP. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Configuração de um servidor FTP Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática FTP: o protocolo de transferência de arquivos transferir arquivo de/para hospedeiro remoto modelo cliente/servidor cliente:

Leia mais

Manual de Configuração D-LINK Modelo: DVG-1402S Firmware: 1.00.011

Manual de Configuração D-LINK Modelo: DVG-1402S Firmware: 1.00.011 Manual de Configuração D-LINK Modelo: DVG-1402S Firmware: 1.00.011 Para usuários de conexão banda larga do tipo PPPoE (autenticação por usuário e senha) Capítulo 1 Conectando-se à Internet Alguns provedores

Leia mais

Guia de Instalação e Inicialização. Para WebReporter 2012

Guia de Instalação e Inicialização. Para WebReporter 2012 Para WebReporter 2012 Última revisão: 09/13/2012 Índice Instalando componentes de pré-requisito... 1 Visão geral... 1 Etapa 1: Ative os Serviços de Informações da Internet... 1 Etapa 2: Execute o Setup.exe

Leia mais

Licenciatura em Eng.ª Informática Redes de Computadores - 2º Ano - 2º Semestre. Trabalho Nº 1 - Ethereal

Licenciatura em Eng.ª Informática Redes de Computadores - 2º Ano - 2º Semestre. Trabalho Nº 1 - Ethereal 1. Objectivos do Trabalho Trabalho Nº 1 - Ethereal Tomar conhecimento com um analisador de pacotes o Ethereal Realizar capturas de pacotes e analisá-los o TCP / UDP o IP o Ethernet o HTTP / DNS 2. Ambiente

Leia mais

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO PROTOCOLOS DA INTERNET FAMÍLIA TCP/IP INTRODUÇÃO É muito comum confundir o TCP/IP como um único protocolo, uma vez que, TCP e IP são dois protocolos distintos, ao mesmo tempo que, também os mais importantes

Leia mais

Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter

Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter Índice Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter............... 1 Sobre a Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter................ 1 Requisitos de

Leia mais

W-R1000nL Guia de instalação

W-R1000nL Guia de instalação W-R1000nL Guia de instalação 1 Sumário Configurando seu Computador...3 Configuração de Roteamento...4 Configurando repetição de sinal...8 2 Configurando seu Computador Esta configuração pode variar dependendo

Leia mais

Acesso Remoto Geovision

Acesso Remoto Geovision Inviolável Segurança Acesso Remoto Geovision Manual de apoio para configuração do acesso remoto no sistema Geovision no Windows e Internet Explorer. Luan Santos da Silva luan@w7br.com versão: 1.0 By: Luan

Leia mais

LABORATÓRIO WIRESHARK: DNS

LABORATÓRIO WIRESHARK: DNS LABORATÓRIO WIRESHARK: DNS Conforme descrito na seção 2.5 do livro, o Domain Name System (DNS) traduz nomes de hosts para endereços IP, cumprindo um papel fundamental na infra-estrutura da Internet. Neste

Leia mais

Security Shop MRS. Media Relay System. Manual do Usuário

Security Shop MRS. Media Relay System. Manual do Usuário Página 1 de 20 Security Shop MRS Media Relay System Manual do Usuário Página 2 de 20 Conteúdos: Conteúdos:... 2 Figuras:... 3 1. Introdução... 4 1.1 Âmbito do Documento... 4 1.2 Terminologia... 4 2. GERAL...

Leia mais

Controlando o tráfego de saída no firewall Netdeep

Controlando o tráfego de saída no firewall Netdeep Controlando o tráfego de saída no firewall Netdeep 1. Introdução Firewall é um quesito de segurança com cada vez mais importância no mundo da computação. À medida que o uso de informações e sistemas é

Leia mais

Um pouco sobre Pacotes e sobre os protocolos de Transporte

Um pouco sobre Pacotes e sobre os protocolos de Transporte Um pouco sobre Pacotes e sobre os protocolos de Transporte O TCP/IP, na verdade, é formado por um grande conjunto de diferentes protocolos e serviços de rede. O nome TCP/IP deriva dos dois protocolos mais

Leia mais

Programação TCP/IP. Protocolos TCP e UDP

Programação TCP/IP. Protocolos TCP e UDP Programação TCP/IP Protocolos TCP e UDP Tecnologia em Redes de Computadores Unicesp Campus I Prof. Roberto Leal Visão Geral da Camada de Transporte 2 1 Protocolo TCP Transmission Control Protocol Protocolo

Leia mais

Nesse artigo abordaremos os principais aspectos de instalação e uso do NTOP no Fedora Core 4.

Nesse artigo abordaremos os principais aspectos de instalação e uso do NTOP no Fedora Core 4. Diego M. Rodrigues (diego@drsolutions.com.br) O NTOP é um programa muito simples de ser instalado e não requer quase nenhuma configuração. Ele é capaz de gerar excelentes gráficos de monitoramento das

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Se ainda tiver dúvidas entre em contato com a equipe de atendimento: Por telefone: 0800 642 3090 Por e-mail atendimento@oisolucoespraempresas.com.br Introdução... 3 1. O que é o programa Oi Backup Empresarial?...

Leia mais

Procedimento para Configuração de Internet em modo Router

Procedimento para Configuração de Internet em modo Router Procedimento para Configuração de Internet em modo Router 1- Para realizar o procedimento de configuração em modo Router o computador deve estar conectado via cabo Ethernet em uma das portas LAN do DSL-2640B

Leia mais

Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas

Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas Introdução: Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas Prezados leitores, esta é a primeira parte, desta segunda etapa dos tutoriais de TCP/IP. As partes de 01 a 20, constituem o módulo

Leia mais

WiNGS Wireless Gateway WiNGS Telecom. Manual. Índice

WiNGS Wireless Gateway WiNGS Telecom. Manual. Índice Wireless Network Global Solutions WiNGS Wireless Gateway Manual Índice Pagina Características Técnicas 3 Descrição do Aparelho 4 Quick Start 5 Utilizando a interface de administração WEB 7 Login 7 Usuários

Leia mais

ATA. manual do usuário. Version 1.0 ATA 010001

ATA. manual do usuário. Version 1.0 ATA 010001 Version 1.0 ATA 010001 CONTEÚDO DO KIT FLIP ATA - Adaptador de Analógico (Terminal FLIP) Fonte de energia elétrica AC/DC Cabo de Cabo de Rede Manual do Usuário ESPECIFICAÇÃO LED RING LNK/ACT STATUS PWR

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração do SQL Express

Manual de Instalação e Configuração do SQL Express Manual de Instalação e Configuração do SQL Express Data alteração: 19/07/11 Pré Requisitos: Acesse o seguinte endereço e faça o download gratuito do SQL SRVER EXPRESS, conforme a sua plataforma x32 ou

Leia mais