Relatório de Autoavaliação Institucional. Faculdade Estácio de Sá de Vitória IES (nº 1486) Vitória - ES Março de 2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório de Autoavaliação Institucional. Faculdade Estácio de Sá de Vitória IES (nº 1486) Vitória - ES Março de 2015"

Transcrição

1 Relatório de Autoavaliação Institucional 2014 Faculdade Estácio de Sá de Vitória IES (nº 1486) Vitória - ES Março de 2015

2 Faculdade Estácio de Sá de Vitória - FESV Corpo Dirigente: Diretor: Maurício Freitas Guimarães Gestor Acadêmico: Luiz Claudio Pereira Gestor Comercial: Eduardo Silva Nunes Gerência Administrativo/Financeira: Lorenzo Petrocchi Charpinel Pesquisador Institucional: Luiz Claudio Pereira Caracterização da IES: Instituição Privada: Sociedade Civil, com fins lucrativos. Estado: Espírito Santo Município-sede: Vitória Endereço: Rua Dr. Herwan Modenese Wanderley, 1.001, Jardim Camburi. Vitória - ES; CEP: ; Fone: (27) Base Legal da IES: Credenciada pela Portaria MEC n 439 de 30/03/2000, publicada no DOU de 31/03/2000. Mantenedora: Sociedade de Ensino Superior Estácio de Sá - SESE CNPJ: / Endereço: Rua do Bispo, 83 Bispo. CEP: Rio de Janeiro RJ. Fone: (21)

3 Comissão Própria de Avaliação: Coordenação Isabel Elmínia Lupki Representantes do Corpo Docente Isabel Elmínia Lupki Moyses Bolzan Lessa Representantes do Corpo Técnico-administrativo Daiana Souza Santos Izabel Cristina Antunes de Paula Representantes do Corpo Discente Vera Cristina Mendes de Moraes Emanuela Menegaz Modenese Representantes da Sociedade Civil Manoel Mendonça do Nascimento Gomes Luiz Cesar M. Quintella Ato de Designação da CPA: Ato de Designação da CPA: Portaria nº 01/2014 de 03 de fevereiro de Período de Mandato da CPA: 02 (dois) anos, podendo ser renovado nos termos do Regulamento Interno da CPA. 3

4 RESUMO Este relatório de Autoavaliação refere-se ao ano de 2014, utilizando como referência o PDI(2012/2016) e os resultados das avaliações internas e externas elaborados pela CPA da Faculdade Estácio de Sá de Vitória - FESV, baseados na análise das dez dimensões propostas pelo SINAES. A Faculdade Estácio de Sá de Vitória oferta hoje os cursos de: Direito, Administração, Comunicação Social, Turismo, Fisioterapia e Educação Física Bacharelado. Em 2014 passou a ofertar os cursos na área de Licenciatura: Pedagogia e Educação Física Licenciatura, as Graduações Tecnológicas em Fotografia, graduação Bacharelada em Engenharia de Petróleo. A IES passou por recredenciamento em 2013 com nota 3. Os resultados dos CPCs dos cursos avaliados em 2013 resultaram na manutenção do IGC 3 como resultado da avaliação externa - ENADE dos cursos do ciclo verde Saúde: Graduação Bacharelada em Educação Física e Fisioterapia que obtiveram CPC 3 e 4 respectivamente. O trabalho fundamental da Faculdade Estácio de Sá de Vitória é a fixação de diretrizes para uma política de crescimento social. Para tanto, a Faculdade Estácio de Sá de Vitória vem desenvolvendo, ao longo de sua história, uma série de iniciativas de cunho social, visando partilhar com a sociedade os conhecimentos obtidos com as atividades de Ensino, Pesquisa e Extensão realizadas no âmbito acadêmico. Através do Programa de Responsabilidade Social, a Faculdade Estácio de Sá de Vitória promove diversas atividades com o objetivo de aproximar a academia da comunidade, seja por meio do trabalho voluntário, seja por meio de projetos específicos, em parceria ou não com outras instituições. O Programa de Responsabilidade Social da Faculdade Estácio de Sá de Vitória é integrado por um grupo multidisciplinar de profissionais e tem como missão desenvolver estudos, pesquisas, projetos e programas de atendimento à comunidade, bem como promover o desenvolvimento científico e tecnológico. As atividades desenvolvidas, muitas vezes, são propostas pelos próprios alunos sob a supervisão docente, o que viabiliza o desenvolvimento da cidadania e também da capacidade de saber fazer, gerando a inclusão social de forma objetiva. SUMÁRIO 4

5 1. INTRODUÇÃO DESENVOLVIMENTO EIXO Dimensão EIXO Dimensão Dimensão EIXO Dimensão Dimensão Dimensão EIXO Dimensão Dimensão Dimensão EIXO Dimensão IMPACTO DA AUTOAVALIAÇÃO NA GESTÃO PROPOSTA DE AVALIAÇÃO CONTINUADA PARA CONSIDERAÇÕES FINAIS ANEXOS INTRODUÇÃO 5

6 A Faculdade Estácio de Sá de Vitória, Instituição Privada de Ensino Superior, com fins lucrativos, com limite territorial de atuação no município de Vitória, Estado do Espírito Santo, na Rua Herwan Modenese Wanderley, nº 1001, Jardim Camburi, Vitória, CEP: , Fone , e endereço eletrônico: apresenta sua mantenedora, qual seja, a Sociedade de Ensino Superior Estácio de Sá Ltda. SESES, inscrita no CNPJ/MF sob o nº / , sociedade empresarial com sede na Rua do Bispo, nº 83, Rio Comprido, CEP: , município do Rio de Janeiro, estado do Rio de Janeiro. A Sociedade de Ensino Superior Estácio de Sá LTDA tem com sede na cidade do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, com seus atos constitutivos registrados na Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro - JUCERJA, sob o nº Nos termos do artigo 2º do Estatuto, a SESES visa a aperfeiçoar e difundir a educação e a cultura, e tem por objetivos: organizar e manter estabelecimentos de ensino isolados, independentes, federação de escolas ou universidades; promover iniciativas filantrópicas e gratuitas de assistência à comunidade, nas áreas de saúde, dos serviços jurídicos, médicos e sociais, de recreação e esportes. A Faculdade Estácio de Sá de Vitória oferta hoje os cursos de: Direito, Administração, Publicidade e Propaganda, Engenharia de Petróleo, Turismo, Fisioterapia e Educação Física Bacharelado. Em 2014 passou a ofertar os cursos na área de Licenciatura: Pedagogia e Educação Física Licenciatura, as Graduações Tecnológicas em Fotografia A Graduação Bacharelada em Engenharia de Petróleo e em 2015 passará a ofertar o curso de Graduação Tecnológica em Gestão de Recursos Humanos e a Graduação Bacharelada em Ciências Contábeis. A IES passou por recredenciamento em 2013 com nota 3. Os resultados dos CPCs dos cursos avaliados em 2013 resultaram na manutenção do IGC 3 como resultado da avaliação externa - ENADE dos cursos do ciclo verde Saúde: Graduação Bacharelada em Educação Física e Fisioterapia que obtiveram CPC 3 e 4 respectivamente. Como resultado do ENADE de ciclos anteriores e atos regulatórios de autorização de novos cursos, os cursos ofertados apresentam os seguintes conceitos: 6

7 Vitória. Vitória. CPC ATO REGULATÓRIO OBSERVAÇÃO TURNO PORTARIA MEC 737, DIURNO/NOTURNO ADMINISTRAÇÃO 3 DE 30/12/2013 PORTARIA MEC 46 DE DIURNO/NOTURNO DIREITO 3 14/02/2013 PORTARIA MEC 704, DIURNO/NOTURNO JORNALISMO 4 DE 18/12/2013 PUBLICIDADE E PORTARIA MEC 704, DIURNO/NOTURNO PROPAGANDA 3 DE 18/12/2013 PORTARIA MEC 704, DIURNO/NOTURNO TURISMO 3 DE 18/12/2013 PORTARIA MEC 821, DIURNO/NOTURNO FISIOTERAPIA 4 DE 30/12/2014 EDUCAÇÃO FÍSICA PORTARIA MEC 821, DIURNO/NOTURNO BACHARELADO 3 DE 30/12/2014 PORTARIA MEC 171, DIURNO/NOTURNO CST FOTOGRAFIA 3 DE 13/03/2014 PORTARIA MEC 360 DIURNO/NOTURNO ENGENHARIA DE PETRÓLEO 4 DE 10/06/2014 EDUCAÇÃO FÍSICA PORTARIA MEC 567 DE DIURNO/NOTURNO LICENCIATURA 4 07/11/2013 PORTARIA MEC 567 DE DIURNO/NOTURNO PEAGOGIA 4 18/12/2013 AUTORIZADO DIURNO/NOTURNO PORTARIA MEC 601 DE SEM VISITA IN CIÊNCIAS CONTÁBEIS S/C 29/10/2014 LOCO CST GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS S/C PORTARIA MEC 601 DE 29/10/2014 AUTORIZADO SEM VISITA IN LOCO DIURNO/NOTURNO O documento aqui apresentado resulta do processo de reflexão e avaliação praticado em diversas instâncias da IES. A CPA participou ativamente da sua construção tomando como referencial o relatório do ano Da mesma forma é válido destacar que a elaboração deste Relatório de Autoavaliação é fruto do trabalho coletivo da CPA; esta comissão realizou um trabalho integrando as informações advindas dos diversos setores, dos gestores dos campi, dos coordenadores de curso e ouvidoria. A Faculdade Estácio de Sá de Vitória conta com 80 docentes sendo, 9 doutores, 38 mestres; 33 Especialistas. 7

8 A Faculdade Estácio de Sá de Vitória, por sua atuação na área educacional é protagonista do projeto de desenvolvimento sustentável do Estado do Espírito Santo mantendo um campus situado na Capital, tendo, portanto, forte penetração em toda a Região Metropolitana de Vitória, área de maior expressão econômica do Estado. Oferece, ainda, a comunidade, uma formação educacional de excelência pautada nos princípios éticos, profissionais e sociais, o que, certamente, se refletirá no crescimento social da região, com vistas ao bem estar da humanidade. O trabalho fundamental da Faculdade Estácio de Sá de Vitória é a fixação de diretrizes para uma política de crescimento social. Para tanto, a Faculdade Estácio de Sá de Vitória vem desenvolvendo, ao longo de sua história, uma série de iniciativas de cunho social, visando partilhar com a sociedade os conhecimentos obtidos com as atividades de Ensino, Pesquisa e Extensão realizadas no âmbito acadêmico. Através do Programa de Responsabilidade Social, a Faculdade Estácio de Sá de Vitória promove diversas atividades com o objetivo de aproximar a academia da comunidade, seja por meio do trabalho voluntário, seja por meio de projetos específicos, em parceria ou não com outras instituições. O Programa de Responsabilidade Social da Faculdade Estácio de Sá de Vitória é integrado por um grupo multidisciplinar de profissionais e tem como missão desenvolver estudos, pesquisas, projetos e programas de atendimento à comunidade, bem como promover o desenvolvimento científico e tecnológico. As atividades desenvolvidas, muitas vezes, são propostas pelos próprios alunos sob a supervisão docente, o que viabiliza o desenvolvimento da cidadania e também da capacidade de saber fazer, gerando a inclusão social de forma objetiva. O Estado do Espírito Santo compreende uma área total de km² e conta com uma população estimada de habitantes, dos quais 79,5% encontram-se nas áreas urbanas. A projeção populacional demonstra a tendência crescente. O Estado apresentou, entre 2000 e 2013, uma taxa de crescimento demográfico equivalente a 1,28% e uma taxa de mortalidade infantil de 14,2%, índices estes que, invariavelmente, refletem o aumento 8

9 das expectativas de vida ao nascer na região capixaba, projetando-a para além da média nacional. O PIB nominal acumulado no ano de 2014 foi da ordem de bilhões de reais. Vitória é a capital do Espírito Santo que, com os Estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo, compõe a Região Sudeste do Brasil. O município é constituído por uma ilha principal, várias ilhas menores no seu entorno além das ilhas da Trindade e Martin Vaz distantes km, e uma parte continental situada ao norte, totalizando uma área de 98,194 km². Vitória integra, juntamente com os municípios de Cariacica, Fundão, Guarapari, Serra, Viana e Vila Velha a Região Metropolitana da Grande Vitória (RMGV), que possui cerca de habitantes (IBGE - Estimativa populacional de 2014). Vitória PIB per capita em 2012 de R$ ,28 o município concentra 49,84% do PIB da RMGV e 29,03% do PIB do Espírito Santo. A capital é responsável por 26,17% do total de empregos formais no Espírito Santo e 42,52%, na RMGV. O setor de serviços representa 45,34% dos empregos gerados na cidade e a Administração Pública responde por 28,56%. Vitória apresenta o 4º melhor IDH do país 0,845 (IBGE 2010). A indústria extrativa de minério e petróleo são importantes marcos na geração de empregos e de tecnologia na RMGV. Na Agenda 21 da Cidade de Vitória, encontramos com relação ao Ensino Superior a indicação de aumento por vagas nos últimos anos e, com tendência a crescer ainda mais, pela forte pressão dos alunos que vêm concluindo o Ensino Médio. A Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) foi responsável, em 2000, por 54% das matrículas, em 41 cursos de Graduação e 74 de Pós-Graduação, desenvolvendo, ainda, atividades de Extensão e Pesquisa. Constata-se um grande crescimento da iniciativa privada da Educação Superior do Município, oferecida em faculdades isoladas, escolas e institutos. Vale acrescentar que a história e a recente investigação científica indicam que o desenvolvimento da produção resulta da conjunção da ciência e tecnologia e depende da qualificação/especialização da mão de obra para formação do capital humano suficiente em número e qualidade. Quanto à profissionalização no Estado do Espírito Santo, os dados são preocupantes considerando-se o nível de tecnologia e especialização exigido pelo perfil das vagas disponibilizadas pelos maiores geradores de postos de trabalho. O Instituto de Pesquisa do estado, na nota técnica 31, relata que o Espírito Santo possui o sexto maior PIB per capita e ocupa a nona posição em escolaridade média da 9

10 população adulta. Para apresentar um bom alinhamento a população do estado deveria possuir uma escolaridade média mínima de 7,9 anos de estudo, hoje apontada em 7,1. A parcela da população adulta que completou o ensino superior é de 10%, nesse critério o Estado está na média nacional, no entanto, se mantem abaixo dos outros Estados da região sudeste e, principalmente, abaixo da demanda criada com a expansão econômica do Estado. Outro dado importante refere-se ao perfil docente, do ensino fundamental e médio, do Estado, apenas 87,6% dos professores do ensino fundamental possuem ensino superior contra 93% na região sudeste. Considerando todos os estados da região sudeste esse percentual é de 95%. Por outro lado, a taxa de desocupação no Espírito Santo, aumentou em 2,2 pontos percentuais, ainda assim, foi menor do que a média do Brasil no mesmo período. Outros dados do PEA mostram que o aumento desse índice foi ocasionado, principalmente, pelo aumento da desocupação de jovens de 10 a 17 anos, 7,7% e de pessoas sem instrução e com menos de 1 ano de estudo no período da pesquisa, passando de 3,9% para 7,7%. Todos os dados sobre educação no Estado apontam para a necessidade de maiores investimentos em qualificação e educação de uma força de trabalho cuja perspectiva é de crescimento. As perspectivas de crescimento econômico do estado do Espírito Santo trazem mais oportunidades e diversificação das ocupações, mas também exigem mais qualificação e capacitação para ocupá-las de acordo com as tendências mundiais e para que a expansão econômica originada da indústria extrativa possa trazer qualidade de vida e de desenvolvimento para a população local. A Faculdade Estácio de Sá de Vitória no caminho do cumprimento de sua missão tem a clara visão sobre a necessidade premente da educação superior como subsidio para que o desenvolvimento econômico no Espírito Santo signifique desenvolvimento humano com sustentabilidade e qualidade de vida para todos. A criação de novos cursos de graduação, de graduação tecnológica e pós-graduação latu senso na instituição, tem como orientação o histórico e o contexto contemporâneo regional. O cenário econômico e social acima exposto demonstra a crescente demanda por profissionalização e a concentração de oportunidades de trabalho, sobretudo no setor de indústria e serviços. Alia-se a essa 10

11 realidade o fato de, praticamente um terço da população da grande Vitória, ser composta por jovens além da consideração da região agregar um considerável número de pessoas das regiões circunvizinhas do Estado em busca de formação superior e especialização. A Faculdade Estácio de Sá de Vitória traz em seu histórico grande experiência na atividade de manutenção e administração do ensino, e desenvolve projetos pedagógicos e institucionais voltados para os interesses e necessidades da comunidade local e regional alinhados com a proposta de formação para cidadania ética e profissionalização de qualidade. Nesse sentido, considera as necessidades do mercado de trabalho de recursos humanos especializados, com agregação de valores técnicos e éticos e de gestão, reconhece as extensas alterações na relação do conhecimento com sua aplicabilidade bem como, a velocidade determinada pela tecnologia e seu impacto no meio como o conhecimento é desenvolvido, adquirido e transmitido. Desta forma, entende como principal desafio para a educação a qualidade de suas ações no aspecto humano e tecnológico como preparação do capital humano para suporte da expansão econômica de forma a garantir que tal crescimento signifique qualidade de vida com sustentabilidade e respeito ao meio ambiente, desafios contemporâneos na organização social. Nesse caminho compreende a educação como a construção conjunta de novos modelos de relações sociais e da relação produtiva com o ambiente. Para atender aos novos desafios, acredita na visão sistêmica, na gestão e construção do conhecimento compartilhado com seus resultados materializados na comunidade por meio da pesquisa, da extensão de eficiência social, de apoio e incentivo as manifestações culturais nas suas mais diversas origens e formas e, especificamente na região onde está inserida, na formação superior em tecnologia e gestão, áreas de conhecimento de maior demanda regional e, absolutamente necessárias, para manutenção da rota e ritmo de crescimento determinados pela indústria extrativa, pela exportação e os arranjos produtivos derivados dessas atividades. Essas considerações têm como base o plano de desenvolvimento do Estado do Espírito Santo para e suas ações já efetivadas no Estado e região. O plano de desenvolvimento da IES considera e agrega, ainda, nas suas metas e ações propostas, as demandas nacionais de qualidade de ensino e do desenvolvimento nacional. Suas propostas bem definidas no seu plano de expansão quando apresenta os cursos de Graduação, Graduação Tecnológica, Pós-Graduação e expansão para outras regiões do Estado, além 11

12 dos investimentos na capacitação e qualificação de seu corpo docente, do destaque dos projetos de extensão de eficiência social e a previsão de investimentos em pesquisa e promoção de cultura. Desta forma, a visão da Faculdade Estácio de Sá de Vitória, com base nos seus estatutos e numa leitura à época das tendências em relação ao ensino superior no Brasil, sempre se pautou no desenvolvimento e implantação de um projeto visionário e compatível com essas tendências, atende as demandas legais emanadas do Ministério da Educação e Cultura - MEC e normas específicas do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP e Conselho Nacional de Educação CNE, em especial ao Decreto Federal nº 5.773, de 9 de maio de 2006, e a Portaria Normativa nº 40, de 12 de dezembro de Além de se amparar na Constituição Federal do Brasil de 1988 e pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação (Lei 9.394/1996). Nessa premissa, prevê atuar no ensino pressupondo-o como fruto da socialização do conhecimento produzido pela humanidade na atividade de investigação, e assim adota-o como um processo dinâmico no qual a construção do conhecimento por meio da investigação e aplicação prática estruturarão os princípios pedagógicos nos quais os recursos acadêmicos instigarão as relações interpessoais, as relações com o ambiente, a ciência e a tecnologia de modo articulado e direcionado às soluções de problemas originados das cadeias sociais e produtivas concretizando o ensino e a ação investigativa em extensão de eficiência social. Em sua proposta a pesquisa na Faculdade Estácio de Sá de Vitória é o meio pelo qual as práticas pedagógicas adotam a indagação científica como instrumento de construção conjunta do saber. Tal concepção pretende viabilizar a formação crítica, reflexiva e instrumentalizada para formação continuada e interferência responsável e assertiva na sociedade. Dessa forma, a integração do ensino, pesquisa e extensão permeia e produz a educação para o desenvolvimento individual, social e econômico e constrói o canal de interlocução com a sociedade. No mesmo rumo, os programas de extensão são orientados por politicas de extensão bem definidas em seus Regulamento e Normas da Extensão compreendidas como parte integrante da educação, da cultura, da ciência e da tecnologia aplicada no atendimento das demandas da comunidade de forma eficiente, na geração de soluções sociais, empresariais e tecnológicas, no despertar de vocações e na transmissão dos conhecimentos desenvolvidos na comunidade. 12

13 Permeando toda a proposta efetivadora de sua missão a cultura é parte integrante dos processos de formação da cidadania e sempre presente, continuará a ser privilegiada em suas representações, nas manifestações intelectuais e artísticas, transversalmente às práticas pedagógicas de ensino como meio de expressão individual e coletiva da arte, da história e do livre pensar. A cultura na formação proposta pela IES toma os aspectos regionais com seus traços marcantes da cultura afro-brasileira representada pelas comunidades quilombolas do interior do Estado e sua preciosa memória cultural, bem como as tradições regionais datadas da descoberta do Brasil e as manifestações contemporâneas da cultura local representada principalmente pela música. Para além das questões regionais, a IES, deve seguir com a proposta de troca de informações e competências entre educação e cultura como o reconhecimento dos saberes tradicionais, como compartilhamento de projetos e recursos, como aprimoramento do ensino e da importância da troca de experiência cultural na formação do indivíduo e estabelecendo nas suas práticas pedagógicas a cultura como promoção e o acesso a repertórios do Brasil e do mundo, numa perspectiva não instrumental. Dessa forma, afirma sua missão de desenvolver e disseminar conhecimentos que melhorem a qualidade de vida das pessoas e colaborem com o desenvolvimento socioeconômico da comunidade e do país, através da excelência na qualidade de ensino, da produção acadêmica, da pesquisa e da extensão. No cumprimento de sua missão estabelece os objetivos institucionais no Plano de Desenvolvimento Institucional que representam as intenções de realização de ações, que a Faculdade Estácio de Sá de Vitória espera atingir. A partir destes, emergiram a definição das metas e seus respectivos indicadores de qualidade como suporte para alcançar objetivos propostos: Ampliar a oferta de cursos de Graduação nas diversas modalidades; Desenvolver condições necessárias à melhoria do desempenho discente, desde o seu ingresso através dos projetos de nivelamento, gabaritando, grupo de estudo entre outros que possam surgir visando à formação de profissionais competentes, habilitados ao pleno desempenho de suas funções, com sentido de responsabilidade e participação. Incentivar e viabilizar o desenvolvimento de programas de pesquisa na comunidade acadêmica, por meio de instrumentos de incentivo a formação dos Stricto Sensu e capacitação 13

14 específica para pesquisa para docentes; atualização dos laboratórios; aumento do número das linhas de pesquisa; bolsas de iniciação científica; incentivo para participação de discentes e docentes em eventos científicos; fortalecimento do Encontro Científico Multidisciplinar da Faculdade Estácio de Sá de Vitória e, finalmente, a organização e distribuição de oportunidades de fomento externo para pesquisa e eventos científicos com a criação do focal de pesquisa e coordenadores de pesquisa por curso. Ampliar a abrangência dos programas de projetos sociais; Desenvolver política de qualificação e aprimoramento docente que atenda as necessidades de um ambiente propício ao processo ensino-aprendizagem através de oficinas presenciais que possibilitem atender a demanda do corpo docente da IES; Oferecer a comunidade uma formação continuada e um aprimoramento que possibilite o desenvolvimento profissional e de cidadania; por meio dos cursos de extensão, ações de educação em saúde e gestão, recreação e lazer, apoio jurídico, ações de apoio a formação de ensino médio de escolas públicas. Promover avaliação docente e desenvolver trabalhos a partir dos resultados apresentados, por meio das reuniões específicas para avaliação dos resultados da autoavaliação institucional e construção conjunta dos planos de ação que reorientarão as ações para o próximo semestre, compondo um ciclo de análise para autocorreção sem perder de vista os objetivos que foram construídos participativamente. Quanto ao ensino de Graduação e Pós-Graduação, a IES elabora seu planejamento acadêmico considerando-o como atividade permanente, sistemática e participativa, buscando integrar ensino, pesquisa e extensão no processo de formação. Os cursos de Pós-graduação da IES visam a formação de pessoal qualificado para o exercício das atividades profissionais e de docência no ensino superior, em atendimento às exigências impostas pelo mercado de trabalho. No ensino de Pós graduação, assume o compromisso de capacitar os recursos humanos para atender a demanda social que exige aprendizado contínuo, particularmente nas áreas profissionais, bem como o aperfeiçoamento permanente do seu corpo docente para melhoria do desempenho acadêmico-institucional. O núcleo de Pós graduação é responsável por implementar as ações estratégicas com o objetivo de: 14

15 Estimular a criação de programas de intercâmbio na Pós-graduação para utilizar, de maneira mais eficiente, os recursos nacionais e internacionais; Capacitar seu corpo docente através de programas de Pós-graduação próprios ou externos; Garantir estreita relação entre os programas de Pós-graduação, graduação e pesquisa; Oferecer cursos de pós que complementem a formação profissional do aluno de graduação; Promover seminários, encontros, simpósios, congressos, e outras atividades similares, proporcionando o enriquecimento curricular do aluno com temas da atualidade; Organizar, promover e assegurar o desenvolvimento dos cursos, de acordo coma as normas legais e regimentais em vigor. A IES considera a pesquisa indispensável para a concretização de seu projeto acadêmico, que pressupõe a articulação sistemática do ensino, pesquisa e extensão na formação dos futuros profissionais. Para tanto, mantém com recursos próprios o Programa de Iniciação Científica, concedendo bolsas anuais para projetos de pesquisas na graduação. Viabiliza um suporte teóricometodológico aos pesquisadores, professores orientadores, treinamento e capacitação, promoção de evento científico anual, uma infraestrutura de apoio organizacional e acadêmico da instituição visando atender as demandas solicitadas para consecução dos trabalhos desenvolvidos. Nesta perspectiva através de sua política de pesquisa objetiva: Criação de uma demanda dirigida por estudos investigatórios, expressa em linhas temáticas de pesquisa, que se realiza em consonância, não só com as áreas estratégicas de ação como também com os cursos de graduação e com as necessidades diagnosticadas no Estado; Os projetos de investigação devem envolver obrigatoriamente professores e alunos, recebendo os primeiros, carga horária específica para esse fim, e podendo os discentes, se candidatar a bolsas de iniciação científica do programa de bolsa; Buscar parcerias com outras instituições que objetivem o desenvolvimento do Estado, para que, juntos, possam atuar na investigação de problemas e soluções; Viabilizar o acompanhamento e a avaliação dos bolsistas de iniciação científica; 15

16 Definir e assegurar o local para exposição e avaliação dos trabalhos dos bolsistas de iniciação científica; Promover a apresentação de experiências de pesquisa e divulgação e atualização de trabalhos de iniciação científica publicando resumos dos projetos apresentados; Sensibilizar a comunidade acadêmica com vistas a estimular uma maior articulação entre pesquisa, ensino e a extensão. A extensão é parte das propostas de ensino da IES e articulada á pesquisa e ensino, tem o compromisso gerar conhecimentos e despertar vocações em seus alunos. No sentido de realizar esta proposta, investe na relação indissociável entre a teoria e a prática, possibilitando, assim, construir canais de comunicação entre a instituição e a sociedade. Desta forma, o programa de extensão busca concretizar sua missão e promover uma série de atividades extracurriculares à comunidade em geral e tem como objetivo promover a interação transformadora entre a instituição e a sociedade, integrando os saberes e buscando o desenvolvimento social. As atividades de extensão acadêmica pressupõem ação conjunta à comunidade, tornando disponível a esta última, o conhecimento acessado pelos múltiplos potenciais desenvolvidos na IES. Esta ação produz um novo conhecimento, a ser trabalhado e articulado com o ensino. A captação das demandas e necessidades da sociedade, por outro lado, permite orientar a produção e o desenvolvimento de novos conhecimentos. Este processo estabelece uma relação dinâmica entre a IES e o seu contexto social, permitindo: A missão do programa de extensão é ampliar as formas de comunicação, transmissão e aplicação de seu acervo humano, intelectual e material para elevar o bem estar da sociedade. A implementação de projetos científicos, culturais, artísticos, esportivos, de educação continuada, de lazer, assistencial e comunitário, tem como propósito promover uma intensa integração com a comunidade. Para realização desta proposta a IES considera e assume as seguintes ações preferenciais: Atuar na formação do aluno, na qualificação do professor e no intercâmbio com a sociedade, possibilitando a formação profissional cidadão; 16

17 Desenvolver atividades educativas, culturais, artísticas e tecnológicas junto à comunidade interna e externa; Proporcionar à sociedade acesso ao conhecimento de domínio da instituição, seja por sua própria produção, seja pela sistematização ou pelo estudo do conhecimento universal disponível; Estabelecer parcerias com empresas e instituições, para a implementação de programas de interesse mútuo; Desenvolver mecanismos de integração entre o saber acadêmico e o saber popular, visando uma produção de conhecimento resultante do confronto com a realidade, com permanente interação entre a teoria e a prática; Articular o ensino e a pesquisa com as necessidades da comunidade; Promover a integração no planejamento e harmonização na execução das atividades de extensão; Otimizar as relações de intercâmbios entre a IES e a sociedade, quanto aos objetivos institucionais; Possibilitar ao aluno, através da atuação voluntária, formação humanizada e aprendizado com base na realidade; desenvolvimento de uma atitude tanto questionadora quanto próativa diante dos desafios impostos pela realidade social; Identificação das demandas regionais; Disseminar o conhecimento profissional por meio das atividades de extensão; Promover ações educacionais destinadas às populações minoritárias, visando à integração dessas a sociedade; Utilizar as próprias capacidades, em colaboração com outras instituições de ensino e pesquisa e organizações da sociedade civil para alavancar as oportunidades educacionais, econômicas, sociais e culturais do meio; Estimular os programas multidisciplinares de ações junto a comunidade; Aumentar a probabilidade de que as pessoas e as instituições utilizem, da melhor forma, o conhecimento existente na realização de suas atividades; Produzir conhecimento sobre os processos de apropriação e utilização do conhecimento existente por parte das pessoas e das instituições; Contribuir e avaliar as atividades institucionais implementadas para o desenvolvimento regional. 17

18 A fim de acompanhar as ações desenvolvidas visando o cumprimento da sua missão, a FESV realiza de forma contínua a autoavaliação institucional. O processo da autoavaliação institucional em 2014 envolveu a realização de um conjunto de ações, com a participação dos diferentes sujeitos/segmentos que integram a comunidade acadêmica. Nas ações desenvolvidas, a CPA, que atuou como catalisadora mobilizadora e, sobretudo como construtora deste documento final, foi constituída por ato do dirigente máximo da IES, possui regulamento próprio e atuação autônoma em relação aos Conselhos. Sua composição assegura a participação de representantes dos segmentos da comunidade acadêmica corpo docente, corpo discente e corpo técnico-administrativo - e da sociedade civil organizada. Em 2006 foram produzidos os primeiros relatórios parciais e finais de autoavaliação. A continuidade desse processo reafirma o caráter formativo da avaliação e a importância do acompanhamento das potencialidades e fragilidades, bem como as propostas de melhorias visando à qualidade da Educação Superior. Em 2014 identificamos como principais exemplos de potencialidades: o incentivo à Pesquisa capacitação e qualificação docente e do corpo técnico-administrativo do aumento da participação de discentes e docentes em congressos; criação de novos laboratórios, implementação do Programa de Excelência em Gestão (PEG) e a implantação do Núcleo de Acessibilidade e Inclusão. A CPA adotou as seguintes etapas em seu processo de trabalho: a construção do presente relatório teve seu início em março de 2014 quando foi solicitada a todos os setores uma análise do relatório geral de 2013 para atualização dos relatórios de autoavaliação dos diferentes setores e cursos, referentes ao ano Em seguida, nos meses de Maio houve a divulgação e a realização da avaliação institucional interna dos docentes e discentes, por meio do instrumento do questionário eletrônico, disponível no Sistema de Informações Acadêmicas (SIA) no período de 10 de maio a 29 de maio de 2014, por meio da qual obteve-se o registro de participação de 100% do corpo docente 63%, do corpo discente. No segundo semestre a aplicação do questionário aconteceu no período entre 14/10 a 16/11, fase em que ocorreram novas reformulações no instrumento de avaliação online, pode-se registrar a participação de aproximadamente 94,54% dos docentes e 67% dos discentes. A sensibilização e conscientização se deram por meio de cartazes, e divulgação, nas salas de aula, dos resultados da campanha passada, anteriormente afixados no mural da CPA, além da participação dos representantes de turma. Já a comunicação com os docentes se deu por intermédio dos coordenadores 18

19 de curso e dos professores representantes dos docentes na CPA, sendo a sala dos professores coberta com acesso Wi-fi à internet, a fim de facilitar o acesso dos mesmos ao sistema. Nestes períodos a avaliação institucional foi ofertada á comunidade acadêmica por meio de banner de chamada no Sistema de Informações Acadêmicas dos docentes e discentes que puderam ser preenchidas de qualquer computador na IES ou fora dela. Os dados coletados e tabulados nessa pesquisa foram fundamentais para a confecção desse relatório final. Os resultados foram apresentados em forma de gráficos expostos no mural da instituição para conhecimento de todos. A metodologia de análise dos dados para a elaboração deste relatório incorporou ao aspecto quantitativo, elementos qualitativos dos grupos de discussão em reuniões mensais com os gestores, sendo fundamental para a gestão institucional da Faculdade Estácio de Sá de Vitória esse processo reflexivo-formativo. Em 2012 o ambiente de acesso aos questionários eletrônicos Discentes e Docentes foi atualizado através de uma nova ferramenta para a Avaliação Interna - o Questionpró; o qual mostrará os questionários e coletará as respostas - base de dados. A ferramenta nova tem um layout melhor, permitindo que o aluno responda as questões com mais rapidez e os alunos visualizarão todos os professores numa mesma tela. Sendo assim, o processo de Autoavaliação Institucional constitui-se como peça fundamental no acompanhamento e leitura das ações realizadas em 2014 tendo como referencial as dez dimensões estabelecidas pelo Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), instituído na Lei nº 10861, de 14 de abril de De forma integrada e evidenciando a construção coletiva. O trabalho da CPA foi desenvolvido por meio de reuniões que propiciaram o aperfeiçoamento da prática reflexiva e transformadora da realidade. O modelo de gestão participativa retificado pelo apoio da direção e dos demais setores consolidou o conteúdo deste relatório final. O trabalho de sensibilização para a realização da avaliação 2014 contou com a participação de todos os componentes da CPA como multiplicadores da importância do processo aos seus pares nos diferentes segmentos da comunidade acadêmica. Os resultados da autoavaliação, bem como o plano 19

20 de ação para a melhoria, são divulgados por meio do site, nos murais da faculdade e por meio das reuniões de liderança. Além da função de coordenar e articular o processo interno de avalição compete à CPA conduzir e acompanhar os processos de avaliação externa. No ano de 2014 não aconteceram avaliações externas por meio do ENADE, uma vez que a IES ainda não possui turmas em períodos de avaliação na área de Licenciaturas e Engenharias. No entanto, a CPA acompanhou a visita de avaliação in loco para autorização dos cursos de Engenharia de Petróleo e analisou com coordenação e NDE do curso o relatório da visita que gerou a autorização do curso com conceito 4. A Faculdade Estácio de Sá de Vitória entende o processo de autoavaliação como importante instrumento de observação, análise e interpretação da realidade institucional, para a projeção de ações futuras. Em 2014 foram realizadas avaliações possibilitando melhoria, contribuindo, assim, para o seu planejamento e gestão abrangendo todos os setores responsáveis e envolvidos nas dimensões propostas no SINAES (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior), cujos resultados serão discutidos a seguir. 20

21 2. DESENVOLVIMENTO 2.1. EIXO 1- Planejamento e Avaliação Institucional No Eixo 1 trata da Dimensão 8 do SINAES, e tem como foco a descrição e a identificação dos principais elementos do processo avaliativo da Faculdade Estácio de Vitória em relação ao seu PDI, aos relatórios da CPA e aos demais documentos institucionais avaliativos Dimensão 8: Planejamento e avaliação, especialmente em relação aos processos, resultados e eficácia da autoavaliação institucional. No processo inicial de implantação da CPA, para atendimento das dimensões sugeridas pelo SINAES, a instituição aplicou a metodologia do empowerment (que possibilitou o resgate e a análise das atividades realizadas pelos diferentes setores e cursos da IES). A partir desse trabalho elaborou-se o primeiro Relatório Final de Autoavaliação A composição atual da CPA é a seguinte: 02 representantes do corpo docente - Isabel Elmínia Lupki e Moyses Bolzan Lessa, 02 representantes discentes Vera Cristina Mendes de Moraes (ADM) e Emanuela Menegaz Modenese (Fisioterapia), 02 técnico-administrativos - Daiana Souza Santos, Izabel Cristina Antunes de Pádua, 02 representantes da sociedade civil organizada Luiz Cesar M. Quintella, Manoel Mendonça Nascimento Gomes, Coordenação: Isabel Elmínia Lupki. A partir de fevereiro de 2015, Lize Moreira Rodrigues Barros passa a ser a nova coordenadora da CPA, substituindo Isabel Elmínia Lupki. A autoavaliação institucional da Faculdade Estácio de Sá de Vitória ocorre anualmente, em cada semestre, mediante três estágios: o primeiro, baseado numa pesquisa descritiva e quantitativa junto aos alunos e professores, por meio de questionário online, visa medir, por meio do Índice 21

22 de Satisfação do Aluno (ISA), a forma com a qual as ações desenvolvidas internamente estão sendo avaliadas por esses agentes. Os resultados referentes à avaliação da IES pelos discentes são disponibilizados individualmente no sistema acadêmico SIA, em forma de gráficos nos murais específicos e no site institucional, link CPA, além da divulgação em reuniões de líderes, reunião de docentes e técnicos administrativos. Os docentes têm acesso às avaliações realizadas pelos alunos por meio de resultados estatísticos disponibilizados no SIA sendo realizadas reuniões em grupo e individuais objetivando os estudos de novas ações para melhoria da qualidade de funcionamento dos cursos. A avaliação institucional impulsiona a reflexão e o planejamento de ações futuras visando o aprimoramento dos serviços prestados por todos os setores da Faculdade Estácio de Sá de Vitória. A avaliação se dá sobre os aspectos estruturais e gerenciais, buscando conhecer a satisfação do aluno e do professor quanto à direção da IES, ao coordenador do curso e as características institucionais gerais de forma que Aluno e professor avaliam Campus observando as dez dimensões e ainda avaliam o desempenho da coordenação; aluno avalia os docentes. A CPA tem como objetivos: planejar, organizar e sensibilizar a comunidade acadêmica quanto à importância da participação de todos no processo e fornecer assessoramento aos setores da IES. Os resultados da autoavaliação subsidiam a tomada de decisão, com vistas à implementação de novas políticas de melhoria na IES ou redimensionam as já existentes, uma vez que a Faculdade Estácio de Sá de Vitória busca o aprimoramento constante das políticas educacionais e da gestão institucional. Resultados da Avaliação Institucional Externa: 22

23 No período de 29/09/2013 a 03/10/2013 a IES recebeu a comissão do MEC, protocolo nº para o RECREDENCIAMENTO, sendo Recredenciada com NOTA 4, o que expressa padrões de qualidade além do referencial mínimo de qualidade, resultado de um trabalho compartilhado com todos os envolvidos e comprometidos com um ensino de qualidade. A Comissão de avaliadores ao realizar as ações preliminares de avaliação, as considerações sobre cada uma das dez dimensões avaliadas e sobre os requisitos legais, todas integrantes do relatório, bem como os relatórios de Auto avaliação e PDI e os referenciais de qualidade dispostos na legislação vigente, às diretrizes da Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior-CONAES e o instrumento de avaliação, atribuiu os seguintes conceitos: Todos os cursos da Faculdade Estácio de Sá de Vitória foram autorizados e reconhecidos pelo MEC, conforme quadro abaixo: DIMENSÃO CONCEITOS CONCEITO FINAL 04 23

24 Todos os cursos da Faculdade Estácio de Sá de Vitória foram autorizados e reconhecidos pelo MEC, conforme quadro abaixo: CURSO SITUAÇÃO ATO LEGAL CONCEITO Fisioterapia Autorização Portaria n 242, DOU de 21/01/04 5 Com.Social Hab. Publicidade e Propaganda, Jornalismo Educação Física (Bacharelado) Reconhecimento Portaria nº 534, DOU 15/04/09 CMB Autorização Portaria n 3.006, DOU de 27/10/03 4 Reconhecimento Portaria n 306, DOU de 9/3/09 5 Autorização Portaria n 2.451, DOU de 11/09/03 5 Reconhecimento Port. Nº 1.172, DOU de 05/08/09 CMB Direito Autorização Portaria n.1684,dou de 10/06/02 B Parecer n. 165/02 Reconhecimento Port. No- 525, DOU 15/04/09 CMB Turismo Autorização Portaria n. 439, DOU de 31/03/00 Parecer n.º. 265/00 A 24

25 Reconhecimento Portaria n 3.141, DOU de 6/10/04 CMB Adm. com Hab. em Comércio Exterior Autorização Portaria n. 610, DOU de 5/05/00 A Parecer n.º. 315/00 Reconhecimento Portaria n 3.142, DOU de 6/10/04 CMB Adm. com Hab. em Administração Geral Autorização Portaria n. 610, DOU de 5/05/00 A Parecer n.º. 315/00 Reconhecimento Portaria n 3.142, DOU de 6/10/04 CMB Adm. com Hab. em Marketing Autorização Portaria n. 610, DOU de 5/05/00 A Parecer n.º. 315/00 Reconhecimento Portaria n 3.142, DOU de 6/10/04 CMB A seguir informamos os períodos de visita aos cursos e resultados da Avaliação pela Comissão do MEC para Renovação de Reconhecimento de Curso do Ministério de Educação e Cultura: DATA DA VISITA MEC CURSO CONCEITO Turismo 05 a 08/06/ Com.Social Hab. Publicidade e Propaganda 05 a 08/10/ Administração 25 a 28/09/

26 Direito 02 a 05/05/ Educação Física 17 a 20/04/ Cumprindo o proposto no PDI, em 2013 a IES recebeu comissões de Avaliadores do MEC para autorização de diversos cursos conforme seguem: CURSO DATA DA VISITA MEC CONCEITO AUTORIZAÇÃO (Curso Superior de Tecnologia em Fotografia) 05/05 a 08/05/ AUTORIZAÇÃO (Engenharia Ambiental e Sanitária) 12/05 a 15/05/

27 AUTORIZAÇÃO (Ed. Física - Licenciatura) 02/06 a 05/06/ AUTORIZAÇÃO (Pedagogia) 14/07 a 17/07/ Coerência do planejamento e da avaliação, especialmente em relação aos processos, resultados e eficácia da autoavaliação institucional com o estabelecido em documentos oficiais. A Faculdade Estácio de Sá de Vitória, através da CPA, acompanha os programas e projetos desenvolvidos pelos cursos. Paralelamente, cada Setor/Núcleo da Faculdade desenvolve seu planejamento e envia o relatório para a CPA, para futuro acompanhamento. Tais relatórios servem de ponto de partida para a autoavaliação. Como forma de encorajar uma reflexão com base nos resultados de suas avaliações pessoais, a IES disponibiliza no SIA do docente o resultado de suas avaliações, tanto por turma como por disciplina. Tal feedback possibilita ao docente a estruturação de um plano de ação que vise a melhoria das suas práticas pedagógicas para o semestre subsequente, a partir de uma autorreflexão. Assim, o coordenador do curso gerencia os resultados das avaliações de todos os docentes de seu curso. Tais informações avaliativas servem também de base para alocação de novas disciplinas aos docentes, assim como servem de índice para a premiação dos melhores avaliados do curso, de acordo com a política de Remuneração Estratégica que premia os docentes melhore avaliados, uma vez ao ano. Considerando o processo de avaliação do Ensino Superior (ENADE), num período de dois em dois anos, a CPA coleta informações junto aos acadêmicos com o objetivo de definir o perfil sociocultural dessa população, o que vem sendo importante para todos os cursos, em especial para 27

28 o curso de Educação Física diante das ações voltadas para o Plano de Melhoria. No segundo estágio, durante o ano letivo, busca-se, através de reuniões com os demais setores, coletar dados qualitativos quanto às ações desenvolvidas, a fim de confrontá-los tanto com o que está previsto no PDI, quanto com os resultados descritivos anteriormente citados e os previstos em seus planejamentos; no terceiro estágio, a CPA acompanha os resultados das avaliações externas, tais como o ENADE, as avaliações dos Cursos e da IES (recredenciamento). Inclusive, com relação a esses resultados, em 2013 e a CPA acompanhou a execução dos Planos de Melhoria do Curso de Educação Física com vistas a superar as fragilidades do Conceito do ENADE - (CPC) 2 (dois), índice insatisfatório e também o processo envolvendo os cursos de Administração, Comunicação Social, Direito e Turismo pelo qual os alunos realizaram prova em 2012 e os resultados foram nota 3 para os cursos, exceto o curso de Administração que obteve nota 2. Os alunos do curso de Educação Física e Fisioterapia realizaram o ENADE em O curso de Direito desenvolveu ações para 2014 visando o ENADE de 2015 como: Visita do coordenador às turmas que farão o ENADE 2015, com explanação sobre os resultados do exame de 2012; Conscientização dos alunos que farão o ENADE 2015 sobre a importância do seu papel; Introdução de questões de exames anteriores nas provas Av. 1 dos alunos que farão o exame em 2015; Reunião específica com professores das turmas que farão ENADE em 2015; Acompanhamento de perto sobre desempenho dos estudantes dessas turmas nas disciplinas do Curso; Todos os núcleos do Curso de Direito trabalhando em prol dessas turmas. 28

29 Objetivos do Projeto Ações realizadas Resultados alcançados Fragilidades Potencialidades 29

30 Aumentar a adesão dos alunos Realizadas as avaliações institucionais Ocorreram alguns erros que Comprometimento dos líderes referente às avaliações que semestrais, online, com a finalidade dos causaram transtornos ao de turmas. envolvam os diversos estudantes avaliarem a instituição em sua processo por impaciência de Maior envolvimento do corpo segmentos da FESV, visando o totalidade acadêmico-administrativa. alguns alunos. docente na sensibilização e controle e o desenvolvimento Mudança na ferramenta e no layout da Apesar da evolução quanto ao conscientização dos alunos em institucional, em consonância avaliação interna / questionário online, índice de satisfação referente relação à importância da com o PDI e PPC. visando objetividade e agilidade no ao atendimento proporcionado Autoavaliação Institucional. processo. pela secretaria aos alunos Adesão de 69% dos alunos quanto à continua abaixo de 60% bem Avaliação Institucional, demonstrando uma como o item referente ao evolução quanto à cultura avaliativa. acesso à internet no campus. 30

31 Dar continuidade ao processo avaliativo atento às dimensões propostas pelo SINAES. Atualização dos objetivos e metas definidas nas reuniões setoriais. Saneamento dos problemas e encaminhamento de planejamento de ações para melhoria, realizado por cada coordenação de curso para protocolização no MEC. Os resultados da autoavaliação, bem como o plano de ação para a melhoria, são divulgados por meio do site, nos murais da faculdade e por meio das reuniões de liderança, semestralmente. Em 2014 os resultados da autoavaliação institucional demonstraram evolução quanto ao índice de satisfação em diversos itens, dos 10 avaliados. Os setores responderam positivamente às discussões de seus objetivos, tendo havido uma sensível melhora nas relações interpessoais e no desenvolvimento das tarefas diárias. 31

32 Autoavaliação Institucional A Autoavaliação Institucional é gerenciada pela CPA, a partir dos parâmetros do CONAES, para a sistematização do SINAES, havendo uma pesquisa interna respondida pelos alunos, professores e coordenadores, através do SIA. A CPA elabora o Relatório Final de Autoavaliação e se reúne mensalmente para: planejar e avaliar ações; atender a solicitações externas e internas. Para a divulgação do Processo, a IES insere pop-ups no site institucional, os coordenadores de cursos e coordenação da CPA alertam e conscientizam os alunos sobre a importância da avaliação, afixam cartazes nos murais e contam com a colaboração dos professores e líderes de turmas. VITORIA PRESENCIAL META = 70% Cursos Total de Respondera Não Alunos m Responderam % de alunos respondentes ADMINISTRAÇÃO % COMUNICAÇÃO SOCIAL % DIREITO % EDUCAÇÃO FÍSICA % FISIOTERAPIA % JORNALISMO (COMUNICAÇÃO SOCIAL) % PEDAGOGIA % PUBLICIDADE E PROPAGANDA (COMUNICAÇÃO SOCIAL) % TURISMO % EDUCAÇÃO FÍSICA - BACHARELADO % EDUCAÇÃO FÍSICA - LICENCIATURA % 32

33 Total Geral % No ano de 2014 foram realizadas duas avaliações internas com a adesão espontânea dos alunos, evoluindo em relação a 2012 de 61,16% para 75%,0% em 2014, resultado acima da meta estabelecida. Quanto aos professores as adesões foram de 100% também em Estes dados servem de indicadores para os planejamentos setoriais. Os resultados da autoavaliação são divulgados em mural próprio para CPA, por meio de gráficos e comentários sobre o resultado de cada item avaliado, bem como as ações que serão implementadas, assim como divulgados também no portal da Faculdade Estácio de Sá de Vitória. Os pontos fortes e fracos foram elencados nas dimensões já analisadas. O processo de Avaliação Institucional instituída pelo Sistema Nacional de Avaliação do Ensino Superior - SINAES, conforme a Lei nº , de 14 de abril de 2004, utilizado a partir do ano de 2006 vigorando até nos dias atuais é um grande balizador das atividades desenvolvidas pela IES. Em a avaliação interna passou a ser realizada por meio do Sistema de Informações Acadêmicas (S.I.A.) e é disponibilizada online para todos os alunos e docentes da instituição. Integram, também, os dados da Avaliação Institucional Interna a Pesquisa Socioeconômicocultural aplicada para todos os alunos bienalmente e a Pesquisa de Clima Organizacional aplicada anualmente para todos os colaboradores (docentes e técnico-administrativos), com questionários eletrônicos respondidos pelos discentes e docentes, o qual a CPA identifica as principais fragilidades e potencialidades por meio de questionários eletrônicos respondidos pelos discentes e docentes, numa escala de 1 a 5 (sendo: 5 Muito Bom, 4 Bom, 3 Regular, 2 Deficiente e 1 Muito Deficiente). Considerando uma média dos resultados, levando em consideração o ano, apresentamos os seguintes resultados quanto ao Índice de Satisfação dos Alunos nos períodos de 2012 a 2013, o que podemos observar uma redução nos índices de satisfação em 2013/1, que pode ser justificado por atraso quanto às obras e aulas aos sábados e uma progressão de melhoria nos índices em 2013/2, conforme resultado abaixo: 33

34 ISA - CAMPUS VITÓRIA 2013 A 2014 SEMESTRE MÉDIA DO CAMPUS MÉDIA DO PROFESSOR ISA 2013/1 3,14 3,87 3, /2 3,2 4,1 3, /1 3,2 4,1 3, /2 4,1 3,3 3,7 A Avaliação Interna tem periodicidade semestral e avalia três dimensões: Instituição, Curso e Corpo Docente. As dimensões Instituição e Curso são avaliadas tanto pelo corpo discente quanto pelo corpo docente. Por sua vez, o corpo docente é avaliado tanto pelos discentes quanto pelos coordenadores de curso. Assim temos: Aluno avalia Instituição; Aluno avalia Curso; Aluno avalia professor; Professor avalia Instituição; Professor avalia Curso/Coordenação; Coordenação avalia Professor. Paralelamente, temos a coleta de dados junto aos setores/núcleos para que as metas do PDI possam ser acompanhadas. Ao final, os relatórios são disponibilizados no SIA, possibilitando a visualização pelos coordenadores e professores, sendo possível também acompanhar o histórico de notas dos cursos, da IES e professores desde 2008, bem como o ranking dos cursos e dos professores melhores avaliados. Por meio desses relatórios são elaborados gráficos comparativos a fim de acompanhar as fragilidades e potencialidades. Essa reflexão coletiva resulta nos Relatórios Gerenciais parciais que resulta no Relatório de Autoavaliação Institucional Final, anual, protocolado no E-MEC atendendo às orientações legais. 34

35 Planejamento e ações acadêmico-administrativas a partir dos resultados das avaliações. Objetivos do Projeto Ações realizadas Resultados alcançados Implementar ações acadêmico-administrativas baseadas nos resultados da autoavaliação e das avaliações externas. Implementar elementos previstos nos Projetos Pedagógicos dos Cursos com vistas à melhoria constante. Reflexões acadêmicas com todos os coordenadores, professores em reunião, específicas para entendimento da avaliação e prospectar mudanças baseadas na reflexão.. Participação da CPA nas reuniões de coordenações de curso; docentes e líderes de turma. Fragilidades O trabalho de conscientização dos discentes sobre a importância da autoavaliação como instrumento para melhoria da qualidade do seu curso/instituição deve ser contínuo. Potencialidades Ações administrativas financeiras compartilhadas com sugestões da CPA. Apresentação dos resultados das demandas indicadas na avaliação Institucional para alunos, professores e colaboradores. Acompanhamento, por parte do discente, acerca dos objetivos, procedimentos de ensino e de avaliação bem como da integração das disciplinas de seu curso. Coordenações de cursos acompanham o desempenho dos docentes por meio dos resultados da Avaliação Institucional. 35

36 A CPA acompanhou a Avaliação Externa referente aos resultados insatisfatórios dos cursos no ENADE, organizando documentações de acordo com os planos de melhorias propostas para atender às comissões de Avaliadores do MEC por ocasião de visitas para Reconhecimento do curso de Educação Física que recebeu Comissão de Avaliadores em 2013 e obteve nota 4. Em 2014, a IES recebeu os conceitos do exame do ENADE descritos no quadro abaixo que representam a resposta ao trabalho realizado. A avaliação interna é feita através de questionário disponível no SIA, onde se captam os resultados para análise e reflexão. Tais resultados são comparados com os parâmetros previamente estabelecidos no planejamento e nos projetos pedagógicos da IES, visando orientar as ações de melhoria e readequação do planejamento. Para isso, os dados coletados são analisados através de gráficos comparativos com o semestre anterior e, posteriormente, as fragilidades e potencialidades são apontadas. Os desvios porventura verificados e também as inovações propostas alimentam o planejamento da Instituição, sendo transformados em metas, com prazos e responsáveis definidos, para que sejam adequadamente acompanhadas, visando o seu cumprimento. Finalmente, a Avaliação Institucional da IES reflete seu compromisso com a sociedade. Trata-se de um projeto inerente à metodologia de administração da IES visando garantir o cumprimento da sua Missão. 36

37 Assim, tanto a discussão dos resultados alcançados pelo Curso a partir das metas e objetivos definidos coletivamente, quanto aos resultados obtidos nas avaliações interna e externa contribuem para a implementação de ações de melhoria voltadas ao ensino e aprendizagem, ao aprimoramento dos projetos pedagógicos, à pesquisa, à extensão, ao redirecionamento das ações de capacitação docente, à atualização e manutenção da infraestrutura e dos recursos materiais. Após a análise dos resultados, as AÇÕES para 2014 sugeridas e divulgadas pela comissão da CPA, foram realizadas pela instituição, conforme segue: Dar continuidade ao processo de ampliação de equipamentos e recursos pedagógicos. Melhorar o acesso a internet no campus. Avaliar o desempenho da equipe de limpeza do campus. Elaborar plano de ação para as melhorias necessárias ao atendimento na Secretaria Melhorar o atendimento telefônico EIXO 2- Desenvolvimento Institucional DIMENSÃO 1 - A Missão e o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) O PDI da Instituição define os principais objetivos estabelecidos para o ciclo 2012 a Verifica-se que alguns desses objetivos já foram alcançados pela IES ou se encontram com seus planos de ação em desenvolvimento. 37

38 A partir da análise do Plano de Desenvolvimento Institucional, do Projeto Pedagógico Institucional e do Projeto Pedagógico dos Cursos, realizou-se uma comparação entre suas diretrizes e as ações concretas desenvolvidas na IES no período de 2012, ressaltando as evoluções relativas verificadas mediante os resultados dos relatórios anteriores. Foi realizado também a formalização e inserção no EMEC do PDI (2012 / 2016) em março de 2013, por ocasião da visita de recredenciamento da IES. Nesse documento registrou-se a missão de: no qual a missão institucional da Faculdade Estácio de Sá de Vitória desenvolver e disseminar conhecimentos que melhorem a qualidade de vida das pessoas e colaborem com o desenvolvimento socioeconômico da comunidade e do país, através da excelência na qualidade de ensino, da produção acadêmica, da pesquisa e da extensão. No intuito de cumprir as diretrizes do Plano de Desenvolvimento Institucional, a Faculdade Estácio de Sá de Vitória estabeleceu um cronograma para a realização de metas alinhadas com o plano de expansão geopolítico e econômico, tomando por base os rumos apontados pela instalação das indústrias petrolíferas e o crescimento imobiliário que indicaram a vocação da região para o crescimento tecnológico e de serviços especializados. Nessa realidade, ainda em movimento, o plano de desenvolvimento da IES que pretende, em curto prazo, fortalecer a área de conhecimento das ciências sociais com a implantação de novos cursos de Graduação, Graduação Tecnológica e Lato Sensu e implantação de cursos de Licenciatura e Engenharias. Para além da formação de profissionais e especialistas de nível superior, o plano de desenvolvimento em saúde prevê o incentivo e apoio ao desenvolvimento de pesquisa em tecnologia aliando a área de ciências sociais à área das engenharias e saúde em parcerias técnicocientíficas para produção de pesquisa e ensino em tecnologia, um tema que deve ser transversal no desenvolvimento dessas duas áreas de conhecimento. 38

39 Considerando o crescimento industrial previsto para a região e a necessidade de desenvolvimento tecnológico para atender as demandas de energia e organização ambiental para o crescimento sustentável, a formação de profissionais na área de engenharia e tecnologia compõem uma das maiores contribuições da IES para o desenvolvimento da região. Dessa maneira, além dos cursos da área de ciências sociais aplicadas e saúde a Faculdade Estácio de Sá de Vitória pretende investir nos cursos de Graduação em Engenharias até 2016, assim como o curso de Licenciaturas e Graduações Tecnológicas, além de fortalecer a área de Ciências Sociais Aplicadas com a implantação do curso de Graduação em Ciências Contábeis e Graduações Tecnológicas nessa área. Parte de suas intenções concretizadas em 2014 com a autorização dos cursos de Ciências Contábeis, Engenharia de Petróleo, Pedagogia e CST Gestão de Recursos Humanos as futuras protocolizações de cursos de Graduação e Graduações Tecnológicas devem formam as ações para desenvolvimento de ensino e pesquisa com vistas ao atendimento de mercado em tecnologia e informação originado da rede produtiva em torno da indústria extrativa do petróleo e da exportação, principais focos de desenvolvimento da economia do Estado, além da declarada necessidade de formação de profissionais de educação. Na elaboração das estratégias de expansão o desenvolvimento do PDI considerou o fenômeno da migração da população de grandes centros, que trouxeram mão de obra especializada para o início do crescimento tecnológico e industrial e incrementou a mudança no comportamento consumidor e a necessidade crescente de serviços especializados, até então não existentes no Estado, hoje esse cenário tornou-se foco de um dos maiores desafios ao desenvolvimento do Estado e a formação de profissionais para atender essa demanda está prevista á curto e médio prazo no PDI e representado pelos cursos tecnológicos visando capacitação de mão de obra especializada em serviços e gestão, completando, assim, a previsão do ciclo de implantação de novos cursos para os próximos 4 anos. 39

40 Suportando o plano de desenvolvimento, preparo do corpo docente é uma constante, efetivado com o Programa de Incentivo a Qualificação Docente; a Capacitação Presencial que visam o aprimoramento didático/pedagógico, assim como os Fóruns Docentes elaborados especificamente para discussão das atividades docente, boas práticas e premiação dos trabalhos de pesquisa dos docentes. O incentivo a especialização de docentes já definido por bolsas de 50% para docentes cursarem qualquer curso Lato Sensu da IES. Por outro lado, o incentivo para formação em Stricto Sensu estão formalizados por concessão de bolsas de para Mestrado e Doutorado, além do financiamento de passagens e hospedagem de professores aprovados nos cursos Stricto Sensu da UNESA. A expansão em pesquisa prevista para os próximos 4 anos encontra-se bem delineada nas atuais linhas de pesquisa e projetos de extensão com previsão de inserção dos temas, transversalmente integrados, pelos temas: Tecnologia e Sustentabilidade. Dois temas que devem expandir para os projetos de extensão e responsabilidade social. Assim como os docentes, os funcionários são constantemente capacitados para acompanhar as modificações nos processos internos direcionadas para o preparo para o crescimento previsto, mas principalmente pelos relatórios de melhorias gerados pela CPA. Bem estruturado no desenvolvimento da região, o plano de desenvolvimento institucional e o planejamento da capacitação de docentes e funcionários elencam vários temas e contém, implicitamente, o preparo para o desenvolvimento de pesquisa e extensão de eficiência social, orientada amplamente pelo planejamento político e socioeconômico do Estado e especificamente pela rede social da comunidade na qual a IES tem participação ativa. 40

41 Tal posicionamento orienta as ações de extensão que compõem o rol de atividades voltadas para apoio educacional, atendimentos e orientação em saúde, apoio jurídico e atividades de lazer e cultura cooperando com a comunidade local, regional e nacional, como organismo de consulta, assessoria e prestação de serviços para as instituições de direito público ou privado, em matérias vinculadas aos seus fins e às suas atividades. No rol de atividades a IES oferece, ainda, à comunidade, alternativas de formação permanente e contínua, com cursos nas áreas científica, tecnológica, cultural e artística, bem como na elaboração de projetos de alcance social. Finalmente a IES se prepara para os desafios assumidos para os próximos anos incorporando práticas inovadoras em gestão, promovendo a profissionalização contínua de seus líderes, formalizados, principalmente, por capacitação da liderança administrativa e a especialização em gestão para os coordenadores de curso. Deve-se considerar ainda, o patamar de planejamento no qual a IES fundamenta novas práticas, considerando as práticas já incorporadas no novo projeto de ensino, implantadas em 2010 que se aperfeiçoaram no ciclo de autoavaliação e determinam efetivamente um modelo único de gestão participativa em constante movimento retroalimentada pelos planos de ações elaborados coletivamente, resultados da autoavaliação institucional. Conforme previsto em seu PDI, a IES já possui políticas de adequação e de Capacitação do Corpo Docente. Programas específicos como o PIQ Programa de Qualificação Docente e o Núcleo Docente (ver item Dimensão 5) são instrumentos utilizados pela IES pra a capacitação e desenvolvimento do corpo docente. Entretanto, são necessários esforços e, consequentes, ajustes no PDI com relação a temas como pesquisa e política de pessoal e plano de carreira do corpo técnico-administrativo, seu desenvolvimento e aperfeiçoamento bem como as condições de trabalho. Para o ciclo de 2014 houve ampliação e modernização do conjunto de laboratórios para atendimento dos novos cursos: Laboratórios de Fisica e Eletricidade e Laboratório de Química Geral e atualização dos equipamentos do Laboratório de Práticas Administrativas e Brinquedoteca já existentes. Da mesma forma, houve aumento do número de salas de aulas. 41

42 Na continuidade dos programas de capacitação profissional do quadro administrativo foram inseridos os curso de Ambientação, Boa Performance em Apresentações ao Público, Aprenda a Administrar o seu Tempo, Aumente seu Potencial Criativo, Como Negociar e Obter Sucesso, Hospitalidade, Sutentabilidade, Desenvolvimento Pessoal e Interpessoal e Etiqueta Profissional como criar uma imagem de sucesso no Portfólio de cursos para pessoal administrativo. Houve aumento do número de professores do corpo docente e continuidade dos programas de capacitação de docente a criação do projetos de Inclusão Digital para Docentes além da formação docente com bolsas de strictu sensu e suporte ao desenvolvimento docente com incentivo para pesquisa e difusão do conhecimento. A implantação do novo plano de cargos e salários docente foi muito bem recebido pelos professores e a satisfação com as ações e 2014 foram expressas na avaliação institucional em comparação com a avaliação da instituição apresentada no ano anterior. A valorização da produção científica docente levou ao aumento da produção científica dos docentes e número aprovações de apoio financeiro para participação em eventos científicos externos. Foi realizada a I Mostra Científica da Faculdade Estácio de Sá de Vitória com participação de todos os cursos e a inscrição de 49 artigos científicos e selecionados 32 para publicação. Foi implantada a gestão a vista com a obrigatoriedade de divulgação dos resultados Acadêmicos e Administrativos Financeiros mensais em painéis específicos para o programa dispostos e todos os setores da Instituição. As ações de fortalecimento a comunicação com o público externo gerou um aumento de 8% das empresas conveniadas com a Instituição para fins de oferta de vagas de empregos e parceria técnico-científica no Estado do Espírito Santo. 42

43 As ações de responsabilidade social e de sustentabilidade aumentaram a abrangência e estão descritas em capítulo especifico desse documento. Foi implantado o Núcleo de Acessibilidade e Inclusão com espaço e equipamentos próprios, além de recursos humanos especializados para suporte aos discentes com necessidades diferenciadas, tanto no aspecto físico quanto no aspecto pedagógico. As ações acima resumidamente descritas vão ao encontro das propostas institucionais e suas bases politico-filosóficas de valorização da missão pública da instituição, gestão participativa e fortalecimento da identidade local, respeito à diversidade e às diferenças e garantia dos valores democráticos. Mantiveram-se também as bases teórico-metodológicas do Projeto Pedagógico desta IES, que fundaram suas políticas de ensino com currículos orientados pelas diretrizes curriculares nacionais e construídos sob os princípios de flexibilização, interdisciplinaridade e contextualização no exercício da sistematização para produção e construção do conhecimento de forma coletiva, inclusiva e competente; sua política de extensão exercida com o propósito de desenvolvimento de projetos acadêmicos que beneficiem mutuamente estudantes, professores e comunidades onde atuamos e finalmente sua política de pesquisa, sobre a qual se articulam ensino e extensão dirigindo a produção do conhecimento como prática de ensino e criação de soluções imediatamente aplicável aos problemas cotidianos de nosso meio. Enfim, pode-se observar que as propostas constantes do PDI da Faculdade Estácio de Sá de Vitória em 2014 estão sendo implementadas conforme segue: 43

44 1.1. Implementação do PDI considerando as metas e as ações institucionais previstas e a estrutura e os procedimentos administrativos. Objetivos do Projeto Ações realizadas Resultados alcançados Observações sobre Ampliar a oferta de cursos de graduação nas diversas modalidades Protocolizados e autorizados sem visita de avaliação os cursos de Ciências Contábeis, CST Gestão de Recursos Humanos e Engenharia de Petróleo Prevista a protocolização dos cursos de Graduação em Engenharia Elétrica, Arquitetura, CST em Logística e Odontologia Fragilidades.Portaria de autorização dos curso de Ciências Contábeis e CST Gestão de Recursos Humanos divulgada no final de dezembro reduziu o prazo de divulgação da oferta e pode comprometer a formação da primeira turma dos cursos. Tempo para ampliação da estrutura física Potencialidades Previsto em seu PDI a ampliação de oferta dos cursos da área de Ciências Sociais Aplicadas e Engenharias espera-se a efetivação da previsão do mercado local com a procura pelos novos cursos. O aproveitamento da estrutura física dos cursos já existentes diminuem o valor de investimento implantação Ação realizada em contínuo processo de divulgação em todos os materiais e busca da melhoria contínua da qualidade dos novos cursos utilizando como instrumento de avaliação e monitoramento a autoavaliação institucional e posteriormente as avaliações externas (ENADE e visita INEP de reconhecimento dos cursos). 44

45 Desenvolver condições necessárias à melhoria do desempenho discente, a partir do seu ingresso na Instituição visando a formação de profissionais competentes, habilitados ao pleno desempenho de suas funções, com sentido de responsabilidade e participação. Implantação do Núcleo de Acessibilidade e Inclusão fortalecimento dos serviços de Apoio Pedagógico Ampliação do book de laboratórios: de Construção e equipamentos dos laboratórios de Fisica, eletricidade e química. Atualização do laboratório de Fisiologia do Exercício Aumento da oferta de bolsas de monitoria, extensão e de Iniciação Científica. Capacitação Docente para prática didática/pedagógica. Realização da I Mostra de Pesquisa da FESV e Aumento da Abrangência da Semana de Pedagogia. Oferta de bolsas para formação strictu senso de professores. Revisão dos PPCs Atualização do acervo da Biblioteca Recursos Humanos especializados para atendimento e adequações na infraestrutura Procura discente pela iniciação científica ainda pode ser melhor. Ainda não houve aderência de 100% dos docentes nos cursos de formação básica Implementação de um perfil de evento que atenda a todos os cursos e baixa aderência dos cursos de Pós Graduação. Número de bolsas aquém da procura. Procura e melhoria do feedback de acompanhamento dos discentes para coordenadores e professores. Melhora no fluxo de trabalho Me Ampliação das possibilidades de pesquisa e desenvolvimento de tecnologia e inovação Melhoria da qualidade dos projetos de pesquisa e aumento da produtividade docente Aumento do índice de avaliação docente na autoavaliação institucional Aumento da abrangência local para 2015 e evidenciar a importância da produção e difusão de pesquisa Melhoria do perfil docente e atendimento da Dimensão 2 do instrumento de avaliação do INEP 45

46 Incentivar e viabilizar o desenvolvimento de programas de pesquisa na comunidade acadêmica, por meio de instrumentos de incentivo a formação dos Stricto Sensu e capacitação específica para pesquisa para docentes; atualização dos laboratórios; aumento do número das linhas de pesquisa; bolsas de iniciação científica; incentivo para participação de discentes e docentes em eventos científicos; fortalecimento do Encontro Científico Multidisciplinar da Faculdade Estácio de Sá de Vitória/ES e, finalmente, a organização e distribuição de oportunidades de fomento externo para pesquisa e eventos científicos com a criação do focal de pesquisa e coordenadores de pesquisa por curso. Incentivo para publicação dos produtos de orientação dos trabalhos de conclusão de curso e projetos de pesquisa com a organização de eventos internos: I Mostra Científica da FESV e organização das revistas científicas: Destartes (http://revistas.es.estacio.br/index.php/destarte) Gestão Contemporânea (http://revistas.es.estacio.br/index.php/gestaoco ntemporanea) e Jures (http://revistas.es.estacio.br/index.php/juresvitor ia) todas com publicação semestral mantêm a periodicidade de suas tiragens. Subsídio para participação em eventos científicos externos para apresentação de trabalhos com apoio para transporte, hospedagem, inscrição e despesas com alimentação. Em 2014 foi ofertada mais uma bolsa para stricto sensu para o prof. Fagner Luiz P Salles Construção e montagem com equipamentos totais dos laboratórios de Fisica, eletricidade e química. Atualização do laboratório de Fisiologia do Exercício Pequeno número de submissões internas ás revistas. Falha no site da Revista RBRAF atrasou a edição do último número do semestre. Todas as revistas com qualis capes nível B com potencial para chegar ao qualis A. Foram atendidas todas as solicitações de subsídio de 9 das 11 solicitações realizadas São hoje 5 docentes cursando mestrado ou doutorado com bolsas da IES. Ampliação das possibilidades de pesquisa e desenvolvimento de tecnologia e inovação 46

47 Houve aumento de 8 para 15 bolsas de Iniciação Científica em 2014 Os equipamentos dos laboratórios de Engenharia possibilitaram a o projeto de pesquisa ainda em implantação de utilização da impressora 3D para projetos de pesquisa no desenvolvimento de órteses. Em função do tamanho do evento e demanda de investimento de recursos humanos e financeiros o Encontro Científico passou a ser bienal e foi criada a I Mostra Científica da FESV em formato mais sintéticos que deve ser intercalada com o Encontro Científico. A despeito da divulgação mensal do Informe editais não houve submissão de projetos á fomentadores externos. Foi criado em 2013 o focal em pesquisa e teve como resultado a melhoria organizacional do Programa de Iniciação Científica. A melhoria do incentivo para divulgação de pesquisa que aumentou me mais de 60% o número de publicação docente e finalmente a criação da Câmara de Pesquisa A coordenação de pesquisa por curo foi substituída pela criação da Câmara de Pesquisa Institucional com representatividade de todos os cursos Continuidade dos Cursos de Capacitação EAD e da obrigatoriedade da capacitação no módulo básico. Aumento do número de turmas e inclusão do curso de Ensino Superior e Tics: Desafio e Possibilidade. 47

48 Desenvolver política de qualificação e aprimoramento docente que atenda as necessidades de um ambiente propício ao processo ensinoaprendizagem através de oficinas presenciais que possibilitem atender a demanda do corpo docente da IES Continuidade dos Cursos de Formação docente EAD e as oficinas presenciais Redução do número de oficinas presenciais Oferecer a comunidade uma formação continuada e um aprimoramento que possibilite o desenvolvimento profissional e de cidadania; por meio dos cursos de extensão, ações de educação e gestão, recreação e lazer, apoio jurídico, ações de apoio a formação de ensino médio de escolas públicas. Em 2014 foram desenvolvidos os curso para comunidade: uma peça de Teatro Golpes Financeiros contra os Idosos realizada pelo curso de Direito em parceria com o centro de convivência da terceira idade do bairro Jardim Camburi. Projeto de extensão universitária Eco Base Ilha das Caieiras: Desenvolvimento de ações e projetos e consultorias para a comunidade capacitando-a para o desenvolvimento turístico local. 48

49 Promover avaliação Foram realizadas as avaliações institucionais docente e desenvolver nos dois semestres letivos do ano de Os trabalhos a partir dos resultados da avaliação docente foram resultados apresentados, apresentados e discutidos individualmente pelo por meio das reuniões coordenador. Os resultados das demais específicas para avaliações foram apresentados nas reuniões avaliação dos resultados docentes e nas reuniões com líderes de curso, da autoavaliação assim como nos diversos setores. Foram institucional e traçados planos de ação para correção das construção conjunta dos fragilidades e apoio as potencialidades das ações planos de ação que propostas em Os resultados foram reorientarão as ações publicados nos murais. para o próximo semestre, compondo um ciclo de análise para autocorreção sem perder de vista os objetivos que foram construídos participativamente Aumento da adesão dos alunos e docentes e Melhoria no sistema de apresentação da avaliação para discentes e docentes 49

50 Os resultados dos investimentos em pesquisa e aumento da produtividade docente apontaram melhora nos indicadores de acompanhamento, continuando como a maior fragilidade a submissão de projetos de pesquisa á agentes de fomento. A entrega dos relatórios parciais e finais dos projetos de Iniciação Científica avaliados pela Câmara de Pesquisa indicam melhorias na qualidade, relevância dos temas, bem como a integração desses com os projetos de extensão desenvolvidos na instituição. Houve apenas 1 projeto não concluído em função de afastamento por doença do discente. Foram concluídos com êxito 14 projetos todos publicados sendo 6 em eventos externos. A difusão de pesquisa em 2014 registrou amento do volume de artigos submetidos ao Seminário de Pesquisa da UNESA e a organização da I Mostra de Pesquisa da FESV. Foram publicados em eventos e periódicos 42 produtos de pesquisa da Faculdade Estácio de Sá de Vitória. Os esforços investidos nas potencialidades apontadas demonstraram efetividade na produtividade docente. Em 2013 a FESV entrou para o rol das unidades da Estácio com acompanhamento do índice de produtividade docente dos últimos 3 anos IPPGR3, os resultados indicaram índice de 0,506 embora com um uma redução de 5% em relação ao IPPGR3 de 2013 a FESV continua com o maior índice de produtividade em pesquisa das Faculdades Estácio do Brasil, cuja média nacional é de 0,288. As diversas atividades, multidisciplinares ou especificas dos cursos, seja em pesquisa ensino ou extensão permitiu fomentar, no meio acadêmico, o conhecimento por meio de discussões, investigações e divulgação do saber, despertando no indivíduo o desejo de transformar os valores da sociedade, incentivando o desenvolvimento de competências e habilidades que sejam capazes de reproduzir mudanças significativas de acordo com os ideais escolhidos. 50

51 As políticas de qualificação docente possuem como principal pilar o PIQ Formação continuada que inseriu em 2014 novos temas e instituiu a formação básica obrigatória para os docentes em 4 cursos: Avaliação do Ensino e Aprendizagem, Modelo de Ensino, Elaboração de Questões e Plano de Ensino com meta de 100% dos docentes capacitados no módulo básico no próximo ano Articulação entre o PDI* e os processos de avaliação institucional (autoavaliação e avaliações externas) No processo de acompanhamento das práticas acadêmicas e administrativas da IES, destaca-se o papel relevante da CPA no levantamento de dados sobre a instituição e sua contribuição na elaboração, aprovação e acompanhamento dos planos de ações com vistas à superação das dificuldades bem como identificação das potencialidades verificadas nos relatórios de autoavaliação institucionais. O presente relatório de autoavaliação atesta que há uma mobilização coletiva da IES para a realização da avaliação institucional, demonstrando o comprometimento de todos os seus gestores com este processo. Atesta também o funcionamento orgânico da CPA, cujas atas são assinadas e arquivadas conforme sua regulamentação. Em relação às avaliações externas, a Faculdade Estácio de Sá de Vitória recebeu em 2014 a comissão de avaliadores do INEP para autorização do curso de Engenharia de Petróleo, autorizado com conceito 4 (quatro) e autorizou sem visita in loco os cursos de Graduação em Ciências Contábeis e CST Gestão de Recursos Humanos.Os resultados da avaliação do ENADE 2013, ciclo verde saúde indicaram CPC 3 para o curso de Educação Física Bacharelado e CPC 4 para o curso de Fisioterapia. No início de 2015 a CPA acompanha os trabalhos para a protocolização dos cursos de Graduação em Engenharia Elétrica, Arquitetura, CST em Logística e Odontologia. Cabe acrescentar que a FESV não participou do 51

52 ENADE 2014 que avalia os cursos de Engenharias e Licenciaturas uma vez que os cursos dessas áreas de conhecimento da IES não têm discentes nos períodos avaliados pelo ENADE. 52

53 Objetivos do Projeto Ações realizadas Resultados alcançados Observações sobre Fragilidades Potencialidades implantação Verificar se o PDI O PDI rege o desenvolvimento das ações A reestruturação do PDI Dar continuidade à criação está de acordo e institucionais, mas é por meio das acontece a partir das de novos mecanismos de sendo reestruturado avaliações externas e autoavaliação que o novas informações estímulo à participação da a partir das mesmo é constantemente revisado. detalhadas no processo de avaliação interna entre avaliações avaliação interna e docentes e discentes. institucionais externa. (internas e O novo PDI da IES (2012- externas). - Participação total dos 2016), com a atualização de docentes e ampliação da políticas de ensino, pesquisa adesão dos discentes no e extensão, sistema de processo de avaliação avaliação e o novo interna. organograma da IES está disponível na biblioteca da FESV. 53

54 Divulgar a CPA e os resultados das avaliações internas à comunidade acadêmica e público externo. Sistematizar a divulgação do PDI. Atualização do site com espaço para CPA. Melhoria nos espaços de comunicação interna: murais e banners. Participação de representantes da CPA nas Reuniões dos Colegiados dos cursos, Reuniões de lideranças de turma e Reuniões Setoriais. PDI está disponível na biblioteca e sua atualização divulgada no site institucional/ CPA. Baixo custo. Participação da comissão no acompanhamento da divulgação e envolvimento das lideranças de turmas. Baixo custo da ação 54

55 A partir dos resultados das avaliações internas e externas identificou-se a necessidade da continuidade do incentivo para práticas de pesquisa, revisão dos projetos pedagógicos de alguns cursos e consolidação do plano de Cargos e Salários do corpo administrativo, ações que já aparecem como prioridades da IES e têm merecido atenção de seus Gestores. O mesmo se pode afirmar com relação à necessidade de melhorias relacionadas com equipamentos para laboratórios e salas de aula, e atualização do acervo bibliográfico propostas em 2013, foram realizadas e são pontos de atenção e investimentos permanentes Dimensão 3: A responsabilidade social da instituição, considerada especialmente no que se refere à sua contribuição em relação à inclusão social, ao desenvolvimento econômico e social, à defesa do meio ambiente, da memória cultural, da produção artística e do patrimônio cultural. A Faculdade Estácio de Sá de Vitória desenvolve as suas atividades institucionais pautada no compromisso com a dimensão social e ética por meio de políticas de responsabilidade social que abrangem todo o processo de produção e sistematização do conhecimento. Tais políticas têm como finalidades fundamentais a promoção da inclusão social, do desenvolvimento sustentável e da defesa do meio ambiente, da memória cultural, da produção artística e do patrimônio cultural. Dessa forma, os projetos e ações de responsabilidade social da IES, em sua maioria, nascem da integração dos cursos e setores institucionais e da sua relação com a sociedade buscando desenvolver diversas atividades estreitando seu relacionamento com a comunidade, seja por meio do trabalho voluntário ou de projetos específicos em parceria ou não com outras instituições. A oferta de bolsas de estudos; a política de material didático gratuito para os discentes que é de fundamental importância para a plena inclusão de todos; apoio às associações sociais do bairro; conscientização ambiental; mobilização de trabalhos voluntários e campanhas para o auxílio de instituições filantrópicas; atendimento à comunidade por meio dos projetos de extensão e atividades específicas de cada curso; concessão das instalações físicas; integração dos cursos de graduação, parcerias são ações permanentes de responsabilidade social da IES. 55

56 A Faculdade Estácio de Sá de Vitória em atendimento aos estudantes com deficiência e/ou mobilidade reduzida, atendendo ao Decreto nº 5.296/2004, oferece acessibilidade e prioridade no atendimento às pessoas com deficiência. Dessa forma, todos os espaços físicos são interligados por meio de rampas e corredores apropriados, banheiros adaptados, acessibilidade às salas de aula, laboratórios, biblioteca, auditório e áreas de lazer além de reservas de vaga no estacionamento, garantindo o acesso e a mobilidade das pessoas em cadeiras de rodas. Aos estudantes com deficiência visual garante-se: a acessibilidade aos materiais didáticos, acompanhamento e recursos específicos na realização de provas e outras atividades avaliativas, conforme necessidades individuais, além do acesso à leitura e comunicação por meio do sistema DOSVOX, instalado nos computadores dos laboratórios de informática, biblioteca e setores onde exista a demanda. A mesma atenção é dispensada às pessoas com deficiência auditiva, e, nesse caso, a contratação do tradutor e intérprete de Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) acontece em conformidade com a demanda. Os professores e funcionários da IES são orientados para o atendimento a esse público específico, por meio do atendimento psicopedagógico, participação em oficinas de vivências, palestras e, também, através de consulta à cartilha Caminhos da Inclusão, elaborada, exclusivamente, para esse fim. Estudantes que apresentam outras necessidades educativas especiais também recebem o atendimento psicopedagógico e orientações que em alguns casos estendem-se às famílias dos mesmos visando melhorias no processo de construção do conhecimento e das relações interpessoais. O acompanhamento estende-se aos alunos contemplados pelo PROUNI (programa federal) e/ou Programa NOSSA BOLSA de (âmbito estadual). Em 2014, a Faculdade Estácio de Sá de Vitória, ampliou de forma transdisciplinar os espaços de discussão sobre a temática da inclusão social em sua grade curricular e nos eventos acadêmicos, formação continuada de docentes e funcionários visando à capacitação para o pleno exercício da cidadania por meio da Educação em Direitos Humanos. Como continuidade o 3º Fórum Docente da Faculdade Estácio de Sá de Vitória, realizado no auditório da Faculdade Estácio de Vitória promoveu a discussão acerca do tema: Construção da identidade Docente: pesquisa e conhecimento, com a oferta de oficinas dente elas a de Práticas Pedagógicas 56

57 Inclusivas. Ações que demonstram um avanço significativo na sensibilização de toda a comunidade acadêmica a respeito da inclusão educacional e um desejo de melhorar, por meio de estudos e debates compreendendo que a inclusão de fato só se concretizará por meio de uma construção coletiva. No ano de 2014 houve a implantação do Núcleo de Acessibilidade e Inclusão NAI, com proposta para pensar uma formação cada vez mais colaborativa, construída em processo e que atenda às necessidades dos envolvidos, ou seja, aqueles que estão na função ou são os responsáveis por tal ação em seus respectivos espaços de tempo e atuação. Outra ação permanente de responsabilidade social da Faculdade Estácio de Sá de Vitória é o apoio às associações sociais do bairro em ações pontuais, tais como assessorias jurídicas, orientações para uma vida saudável e atendimentos realizados por cursos da área da saúde, disponibilização de espaço físico para reuniões e palestras, entre outros. Neste sentido, a responsabilidade social é trabalhada nas áreas como a conscientização ambiental, a mobilização de trabalhos voluntários e campanhas para o auxílio de instituições filantrópicas, prestação de assistência jurídica e consultoria à comunidade. A contribuição da IES se concretiza com a concessão das instalações físicas; integração dos cursos de graduação que fornece a logística necessária para o desenvolvimento de cada atividade programada e equipe de suporte proporcionando a conscientização dos discentes sobre a importância da responsabilidade social, do trabalho voluntário, ou seja, da cidadania. A contribuição da IES com as ações desenvolvidas pela comunidade do entorno também se concretiza por meio da concessão das instalações físicas; integração dos cursos de graduação que fornece a logística necessária para o desenvolvimento de cada atividade programada equipe de suporte, proporcionando a conscientização dos discentes sobre a importância da responsabilidade social, do trabalho voluntário, ou seja, cidadania. Desta forma é possível colaborar para a redução dos problemas sociais. Os projetos desenvolvidos pelos cursos nessa área contribuem para a interdisciplinaridade. 57

58 Coerência das ações de responsabilidade social com as políticas constantes dos documentos oficiais: Objetivos do Projeto Ações realizadas Resultados alcançados Fragilidades Potencialidades Desenvolver a inclusão de pessoas Implantação do Núcleo de Acessibilidade e Inclusão. Disseminação e Envolvimento e com necessidades especiais nos cursos e atividades oferecidas pela Realização de oficinas no 3º Fórum Docente Debates sobre o tema: consolidação da cultura organizacional pautada comprometimento dos setores administrativo e acadêmico com FESV, bem como em seu quadro de funcionários e colaboradores. Incluir as atividades mencionadas no relatório do na inclusão social. NAI. a questão da inclusão. Envolvimento das coordenações dos cursos nas ações voltadas para essa temática. PROGRAMAS SOCIAIS PREVISTOS PELO PDI: Programa de Bolsa de Estudo - Oferta de bolsas de estudos na para funcionários e filhos de funcionários, respeitando a Convenção e Acordo coletivo. - Mestrado 100% gratuito quanto à mensalidade e passagens bem como ajuda de custo para Doutorado na UNESA. Em 2014 foram ofertadas 01 bolsa para Mestrado e 01 para Doutorado. - Bolsa de estudos para funcionários. Pulverizou o desconto, possibilitando o atendimento de um maior número de alunos. 58

59 - Programas de Estágio - Conforme determina o PDI a IES utiliza estagiários selecionados dentre seus alunos, de acordo com seu rendimento acadêmico e sua carência financeira. A IES está regularmente adequada às solicitações da Lei que rege a política de estágio no Estado do Espírito Santo. - Possibilita o acesso e a permanência do aluno no curso superior, bem como colabora para seu desenvolvimento profissional. A responsabilidade social da Faculdade Estácio de Vitória é exercitada no dia a dia, por meio do respeito e das oportunidades de estudo oferecidas aos seus colaboradores. A política de material didático gratuito é fundamental para a plena inclusão de alunos bolsistas, que muitas vezes sentiam dificuldade de adquirir o material solicitado pelo professor. O setor de suporte à inclusão educacional da Faculdade Estácio de Vitória, conta com Atendimento Psicopedagógico que atua como apoio aos docentes e discentes no estudo de novas metodologias e estratégias educativas diferenciadas. Inclui-se o atendimento aos alunos que apresentam limitações intelectuais relacionadas à área das habilidades acadêmicas. Após o diagnóstico psicopedagógico, estabelecem-se as ações e recursos adequados, e/ou, quando necessário, realizam-se encaminhamentos a outros profissionais externos para maiores orientações quanto às peculiaridades a serem adotadas em cada caso. Essa atuação compreende entrevista ao aluno e, se for preciso com as respectivas famílias. Relações da IES* com a sociedade; setor público, setor privado e mercado de trabalho: 59

60 A Faculdade Estácio de Vitória prima pela formação de gestores, o que fará com que a diversidade profissional e a concorrência neste tipo de formação não sature o mercado, seja como for, sempre será possível diversificar o ensino nas áreas de formação em administração, explorando designadamente as áreas de gestão empresarial, gestão hospitalar, marketing político, marketing social, comércio internacional, e-commerce e gestão em turismo, a fim de atender o mercado de trabalho, muito mais exigente que vem em busca de recursos humanos especializados. Assim, a Estácio disponibiliza o Espaço E3 (Espaço Estágio e Emprego), que tem como principal objetivo facilitar a entrada dos alunos no mercado de trabalho, para isso, desenvolve as seguintes ações: Integração empresa-escola: Serviços que as empresas podem oferecer 1. Divulgação de oportunidades de estágios e empregos e programas de trainee 2. Recrutamento e seleção de alunos 3. Promoção de eventos de empregabilidade e empreendedorismo: Palestras, feiras, cursos, workshops, dinâmicas de grupo, entre outros. Orientação de carreira aos alunos: Serviços oferecidos pela Faculdade 4. Divulgação de vagas - estágio e emprego 5. Elaboração e avaliação de currículo 6. Orientação para entrevistas e processos seletivos 7. Autoavaliação de aspectos valorizados pelas organizações Promoção e divulgação de eventos: 8. Eventos focados em empregabilidade 9. Feira de estágios e empregos 10. Palestras com Executivos da Estácio e de grandes empresas 11. Talk-show com casos de sucesso de alunos da Estácio 60

61 12. Encontros/ palestras com egressos Inserção do discente e egresso no Mercado de Trabalho via E3(Espaço, Estágio e Emprego) que capta vagas de acordo com a oferta das empresas, encaminha informações aos alunos e egressos dentro do perfil desejado e, cadastrados no SIA, disponibiliza agendamento com professor orientador de carreira profissional a fim de orientar na elaboração de currículo, postura em entrevista, atitudes em dinâmica de grupo e opções para carreira profissional. A Faculdade Estácio de Vitória busca satisfazer a sociedade por meio da ampliação de seu atendimento, realizado em convênios com empresas do setor público e privado a fim de conceder descontos nas mensalidades de seus funcionários matriculados nos cursos oferecidos pela Faculdade Estácio de Sá de Vitória. Objetivos do Projeto Ações realizadas Resultados alcançados Fragilidades Potencialidades 61

62 Contribuir para o desenvolvimento sócio- Convênios com Número ainda Envolvimento dos cursos. econômico do entorno da FESV oferecendo Órgãos Públicos. pequeno de O envolvimento dos discentes permite que tenham cursos e oportunidades que contemplem suas Convênios com convênios para uma visão prática do mercado de trabalho para qual necessidades de aprendizado e de atualização de empresas privadas estágios. está estruturando seu conhecimento. conhecimento. para que os alunos Oportunidade para profissionais de empresas possam estagiar. conveniadas cursarem uma graduação com descontos Conceder descontos nas mensalidades dos na mensalidade. colaboradores de empresas conveniadas Para atender aos relatórios da CPA foram criados alguns controles e rotina para participação na divulgação das atividades realizadas pelo Espaço e IES para atender aos alunos e preocupação em inserilos mercado de trabalho. A Faculdade Estácio de Sá de Vitória estabelece como dimensões de sua política de responsabilidade social a formação de profissionais conscientes de seu compromisso social, o desenvolvimento de pesquisas, a difusão de conhecimentos e sua inserção na realidade regional e comunitária. Ações são realizadas também pelas coordenações de curso e suas evidências acompanhadas pela CPA. Relações da IES com a sociedade: inclusão social 62

63 A IES incentiva as parcerias com as organizações públicas e privadas para execução dos programas de inclusão social e extensão universitária voltados à comunidade em geral, desenvolvidos pelos cursos de graduação e pós-graduação. Vários projetos e programas são desenvolvidos movimentando a comunidade acadêmica. Objetivos do Projeto Ações realizadas Resultados alcançados Fragilidades Potencialidades Planejamento e Implementação Envolvimento dos alunos para desenvolver o Busca de soluções para a correta dos seguintes projetos: Em 2014 foi voluntariado. intervenção nas questões relacionadas necessário adequar o As parcerias possibilitam aos atores da sociedade ao interesse social; Dia da Responsabilidade Social calendário e número melhor conhecimento da IES e sua proposta de (ações voltadas para a de ações devido à atuação na comunidade. Incentivo às parcerias com as comunidade interna e externa) Copa. Atendimento jurídico à comunidade através do organizações públicas e privadas para estágio supervisionado. execução dos programas de inclusão Atividade do programa de As parcerias aproximam os atores da sociedade a social e extensão universitária voltados extensão rede social de Jardim conhecerem melhor a IES e sua proposta de à comunidade em geral, desenvolvidos Camburi. atuação na comunidade. pelos cursos de graduação e pósgraduação; Com o envolvimento de dois membros na CPA Atendimento jurídico, atividades sendo da comunidade, há uma maior integração físicas e culturais, informações com a sociedade e ganha a instituição bem como a sobre prevenção de doenças e comunidade porque os alunos tem oportunidade aferição de pressão arterial, de vivenciarem na prática o que aprendem na oficinas e palestras, entre outras. teoria e a comunidade que desfruta de atividades gratuitas. 63

64 Programa Estácio na Escola. Estácio Saúde. A IES implantou em 2014 o Núcleo de Inclusão Social, o que evidencia a missão da Instituição quando afirma seu compromisso com o desenvolvimento da região e do país. Tais ações são pautadas no comportamento ético e participativo dos processos de transformação social, oportunizando que os benefícios da ciência e as potencialidades existentes na Faculdade possam contribuir para o enfrentamento das questões sociais e suas múltiplas configurações. Relações da IES com a sociedade: defesa do meio ambiente, da memória cultural, da produção artística e do patrimônio cultural. Objetivos do Projeto Ações realizadas Resultados alcançados Fragilidades Potencialidades Promover ações de cidadania e preservação ambiental, artística e a memória da cultura. Incentivo à pesquisa com temas relacionados com meio ambiente e cultura. Projeto Centro de lutas para crianças, jovens e adultos em parceria com a Prefeitura de Vitória, abrangendo a modalidade jiu jitsu gratuito a todos. Ainda existe uma participação pequena, apesar de significativa evolução, entre docentes e discentes. Conscientização para preservação do meio ambiente. 64

65 As políticas institucionais são princípios orientadores das decisões e do desencadeamento das ações, para alcançar os objetivos pretendidos na educação de graduação e na extensão no atendimento aos acadêmicos, na valorização dos docentes e do pessoal técnico-administrativo, e nas condições de trabalho. Concebe-se que a gestão democrática, participativa e transparente é norteadora das políticas e tem como princípio a busca pela integração das práticas e dos conceitos de ética, responsabilidade social, inclusão social, meio ambiente, memória cultural, produção artística, patrimônio cultural e o desenvolvimento econômico e social. 2.3 EIXO Dimensão 2 - A política para o ensino (graduação e pós-graduação), a pesquisa, a extensão e as respectivas normas de operacionalização, incluídos os procedimentos para estímulo à produção acadêmica, para as bolsas de pesquisa, de monitoria e demais modalidades. A proposta pedagógica da Faculdade Estácio de Sá de Vitória está alinhada às práticas pedagógicas inovadoras e a uma prática avaliativa que considera o aluno como sujeito da construção do conhecimento. A organização curricular e didático pedagógica dos cursos de graduação e pós graduação da FESV está de acordo com os fins da instituição, pois são atuais e estão em sintonia com as diretrizes curriculares e demandas do mercado. O curso de LIBRAS está inserido em todos os cursos e o Núcleo de Acessibilidade e Inclusão está em capacitação para atendimento dos requisitos legal e normativos 5 exigido pelo novo instrumento INEP de avaliação externa de janeiro de 2015 (Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista, conforme o disposto na Lei N , de 27 de dezembro de 2012.) 65

66 A Faculdade Estácio de Sá de Vitória vem contemplando em seu projeto as atividades de monitoria, iniciação científica, grupos de estudos, estágios, voluntariado, estudo em biblioteca, pesquisa na internet, aulas semipresenciais, aulas práticas, visitas técnicas, palestras, seminários e eventos para difusão de pesquisa. Procurando permanentemente a melhoria de sua prática pedagógica, estrutura-se para que o acompanhamento dos egressos venha a se constituir numa ação contínua de verificação da qualidade dos cursos ministrados. A proposta pedagógica institucional está alinhada conforme as diretrizes curriculares nacionais, às práticas pedagógicas inovadoras e a uma prática avaliativa que considera o aluno como sujeito da construção do conhecimento. A FESV garante a todos os discentes o acesso gratuito ao material didático e além do acervo bibliográfico da faculdade os discentes também têm acesso à Biblioteca Virtual 2.0, que contempla as diferentes áreas de estudo disponibilizando um total de títulos, com obras de referência em um ambiente de novas tecnologias. O SIA (Sistema de Informação Acadêmico) utilizado pelos alunos é também um ambiente de suporte ao processo de aprendizagem por meio da WEBAULA, dos projetos tais como: Gabaritando, que propõe atividades de revisão da matéria no período próximo às avaliações que complementa os conteúdos de diversas disciplinas como um complemento às aulas, a distribuição de TABLET (para os cursos de Direito e Engenharias) com acesso ao material didático. Tais ferramentas e recursos contribuem significativamente na disseminação das inovações didático-pedagógicas e o uso de tecnologias no ensino da Faculdade Estácio de Sá de Vitória. Além disso, a Instituição implantou o Programa Estácio Acredita, um curso preparatório voltado para os alunos formandos, contemplando assuntos que auxiliarão o seu ingresso ao mercado de trabalho, além do Espaço Estágios e Empregos que ampliou o número de vagas de estágios e empregos em 15% no ano de 2014 e promoveu duas feiras de empregos nas instalações da IES. Ao que se refere às práticas adotadas pela IES para estimular a pesquisa e a publicação por parte dos docentes e discentes da Instituição. Exemplos: concessão de bolsas PIC (Projeto de Iniciação Científica), bolsa para mestrado, doutorado e especialização, incentivo e recursos para participação em congressos nacionais e internacionais, criação de uma revista científica on line, entre outras. Essas práticas, apesar de demonstrarem a coerência entre as práticas acadêmicas da IES e suas políticas direcionadas à pesquisa previstas em seu PDI e PPI, não têm sido suficientes para estimular a pesquisa na 66

67 IES, no nível desejado. As avaliações externas de cursos realizadas pelo MEC, nos ciclos anteriores a 2013, também apontam como uma de suas fragilidades, o baixo índice de publicações e pesquisas desenvolvidas por seus docentes principalmente em parcerias com o corpo discente da IES. A revisão do PDI para o ciclo 2014 a 2017 deve contemplar novas iniciativas para estimular esse tema na IES. Além das inovações significativas já em andamento, especialmente quanto à flexibilidade dos componentes curriculares, oportunidades diferenciadas de integralização dos cursos, projetos integradores e metodologias ativas de ensino aprendizagem, conforme previsto em seus planos de melhorias, foram implantadas as práticas de atividades estruturadas em todos os cursos. A Faculdade Estácio de Sá de Vitória, por meio do Núcleo de Apoio ao Docente e o diálogo constante com os NDE s (Núcleo Docente Estruturante de cada curso) incentiva a participação dos professores em atividades de formação continuada tais como: oferta de 10 cursos presenciais e 25 de cursos na modalidade EAD (pertencente à UNESA); realização do II Fórum Docente (local) cuja temática foi A Inclusão na Educação Contemporânea e o incentivo à participação no Fórum Docente Nacional (UNESA) com o tema Educação conectada na Sociedade do Conhecimento Coerência das políticas de ensino, pesquisa e extensão com os documentos oficiais. 67

68 Objetivos do Projeto Ações realizadas Resultados alcançados Observações Fragilidades Potencialidades 68

69 Criação de uma demanda dirigida por estudos investigatórios, expressa em linhas temáticas de pesquisa, que se realiza em consonância, não só com as áreas estratégicas de ação como também com os cursos eleitos para a sua Pós-graduação e com as necessidades diagnosticadas no Estado; Os projetos de investigação devem envolver obrigatoriamente professores e alunos recebendo os primeiros, carga horária específica para esse fim e podendo, os discentes, se candidatar a bolsas de iniciação científica do Programa de Bolsa; Buscar parcerias com outras instituições que objetivem o desenvolvimento do Estado, para que, juntos, possam atuar na investigação de problemas e soluções; Em 2014 foi criada a Câmara de Pesquisa e Inseridas as linhas de Pesquisa nos Projetos Pedagógicos dos cursos e criadas novas linhas de extensão nos cursos da área da saúde Todos os Projetos em desenvolvimento estão vinculados ao Programa de Iniciação Científica que tem como um dos objetivos agregar discentes e docentes em torno da investigação científica. O programa contempla bolsa para o discente e horas de orientação para docente Atualmente existem dois contratos de parceiras com laboratórios da Universidade Federal UFES para desenvolvimento de pesquisas nas áreas de Fisiologia e Biotecnologia Incentivo à produção técnico-científica dos docentes por meio de: concessão de bolsas PIC (Projeto de Iniciação Científica), bolsa para mestrado, doutorado e especialização, incentivo e recursos para participação em congressos nacionais e internacionais, criação de uma revista científica on line. Qualificação permanentemente o corpodocente. Ainda há pouca integração da pesquisa da graduação e pós graduação. Necessidade do aumento do número de bolsas de PIC ofertadas A delimitação das linhas de pesquisa por curso devem incentivar os professores das áreas a investirem esforços mais direcionados e favorecerem a integração de projetos de pesquisa O Projeto com potencial de agregar professores de outros cursos para se tornar um programa e agregar outros projetos Os resultados dos projetos de pesquisa do PIC tem sido publicados em eventos e periódicos de alto impacto Em 2014 nenhum novo contrato de parceria para pesquisa foi Espera-se com com a firmado Em 2014 os editais da Fundação de Amparo á Pesquisa do Espirito Santo foram lançados na FESV. O Fórum docente 2014 teve como tema a Pesquisa. continuidade de incentivo para busca de parcerias com instituições e órgãos de fomento devem aumentar o número de parceiros para desenvolvimento de pesquisa Desenvolver atividade de ensino, ancorada em vivências reais, em atividades de extensão e no fazer científico obtido na prática investigativa. Viabilizar o acompanhamento e a avaliação dos bolsistas de iniciação científica; Atualmente os bolsistas são acompanhados pelos orientadores e pela elaboração dos relatórios parciais e finais Ainda existe abandono de projetos embora em Espera-se que a Câmara de Pesquisa possa criar metodologias de acompanhamento dos bolsistas de PIC mas eficazes e com aumento da periodização. 69

70 GRADUAÇÃO: ADMINISTRAÇÃO Realiza-se semestralmente uma avaliação interna com todos os discentes, docentes e coordenadores, consolidando seus resultados no Sistema de Informações Acadêmicas (SIA). Frente a tais resultados a CPA consolida as informações e as apresenta em forma de quadros, gráficos e tabelas que permitem um estudo comparativo de linha histórica referente ao desempenho dos docentes, disciplinas, dos cursos, coordenação e dos recursos de infraestrutura, inclusive acervo bibliográfico. A partir dos resultados da avaliação foram traçados objetivos específicos, como metas a serem realizadas pelo Curso. Os objetivos propostos para o ano de 2014 em sua maioria foram cumpridos. A participação efetiva do corpo docente e discente nas discussões foi essencial para o cumprimento destes. Os docentes e discentes participaram desde o apontamento das potencialidades e fragilidades até a execução de cada etapa das estratégias adotadas. Segue abaixo análise realizada: 70

71 OBJETIVOS AÇÕES REALIZADAS 1 - Propiciar condições para qualificação docente Houve ampliação da oferta de cursos oferecidos pelo Programa de Qualificação Docente PIQ e a adesão dos professores foi maior que nos anos anteriores. 2 - Incentivar a pesquisa, a extensão e as atividades interdisciplinares do Curso de Administração, de modo a propiciar espaço de aprendizagem aos discentes e egressos. As parcerias do LPA com outros cursos da IES fizeram com que os alunos fossem envolvidos na participação das atividades sociais da Instituição. Esta também era considerada uma fragilidade, principalmente pelo fato De os alunos não serem estimulados ao envolvimento em ações extraclasse. Houve a participação nos projetos: Ecobase e Estácio na Escola. 3 - Otimizar a utilização da estrutura física e organizacional do curso de Administração, a fim de atender as novas demandas do mercado e possibilitar Este objetivo foi atingido mediante a utilização do espaço do LPA para orientação de TCC e Estágios assim como com a Realização de uma Consultoria pela Empresa Junior. vivência profissional aos discentes 4 - Implementar conjunto de ações propostas pelo NDE direcionadas a melhoria da performance dos alunos no ENADE 2015, de modo a possibilitar resultados positivos na avaliação do Curso A partir da análise das questões da prova do ENADE 2012, os professores, direcionaram além do conteúdo também a forma de elaboração das questões de suas avaliações tornando-as semelhantes às questões do ENADE. Esta ação terá prosseguimento em Ampliar as possibilidades e o tempo de permanência Este objetivo não foi desenvolvido em do egresso do Curso de Administração na IES a partir da oferta de cursos correlatos, bem como novas oportunidades de atuação para o corpo docente. 71

72 Propostas de Ações do Curso de Administração para 2015: 1. OBJETIVO NOVOS OBJETIVOS Elaboração do Plano de Ação do ENADE 2º. OBJETIVO Manutenção do envolvimento de alunos e professores em atividades sociais e de sustentabilidade. 3. OBJETIVO Ambientação com representantes de turma AÇÕES PREVISTAS Reunião com NDE para elaboração do Plano de Ação; Definição dos Conteúdos que serão lecionados na disciplina de Tópicos Especiais em Administração Coordenação e NDE; Divulgação e sensibilização dos alunos em relação ao Exame; Definição das aulas extras: conteúdos que apresentam maior índice de erros; Palestras motivacionais com foco na realização da prova do ENADE. Palestra sobre Coleta Seletiva; Ação em escolas com conscientização para a preservação do meio ambiente. Implantação da coleta seletiva de pilhas e baterias. Desenvolvimento pelo NDE das ações para o projeto de Ambientação a ser desenvolvido pelos representantes de turma com os alunos que ingressam via transferência de outras IES. Reunião com representantes de turma para apresentação do projeto e sensibilização quanto à participação Contabilizar a participação como horas de atividades complementares para os representantes de turma. 72

73 A integração de todos os envolvidos no processo de construção de estratégias com um objetivo comum permite um crescimento bem fundamentado em estruturas sólidas, ao mesmo tempo em que promove o comprometimento de todos os atores do processo, gerando como consequência a busca constante pela qualidade do ensino. GRADUAÇÃO: DIREITO O Curso de Direito da Faculdade Estácio de Sá de Vitória conta com três núcleos voltados para a realização das atividades pedagógicas específicas, a saber: o núcleo das práticas jurídicas e estágios; o núcleo das atividades complementares e de extensão e o núcleo das pesquisas e trabalhos de curso. Essa organização por núcleos visa segmentar as diversas atividades pedagógicas, descentralizando as mesmas da coordenação geral do curso, além de dar especialidade a cada grupo de ações pedagógicas. Cada um desses núcleos conta com um professor do Curso, que exerce também a função de coordenação de núcleo, os quais integram, juntamente com o Coordenador do Curso, o N.D.E. Núcleo Docente Estruturante. Esse formato de organograma tem sido de grande êxito nas ações pedagógicas do Curso. No entanto, além das ações específicas, existem ações que são da alçada da Coordenação Geral, como, por exemplo, as quem envolvem qualificação docente, como segue: 73

74 OBJETIVOS DO PROJETO AÇÕES REALIZADAS RESULTADOS ALCANÇADOS FRAGILIDADES POTENCIALID ADES OBS. 74

75 Propiciar condições para a qualificação docente. - Continuidade de Investimentos na qualificação dos professores do Curso de Direito pelo PIC, qualificação online oferecida pela IES; - Investimento pela IES na qualificação de professores na qualificação profissional através de cursos presenciais e on line; - Estímulo à publicação interna e externa por meio de divulgação de editais e de chamadas de trabalhos para eventos científicos ou acadêmicos e para periódicos; - Captação de artigos para a publicação na Revista JurES do Curso de Direito; - Divulgação de editais para publicação dos docentes em revistas externas. - Efetivação das linhas de pesquisa /grupos de estudo respeitando o eixo norteador do curso; - Encontro com representante da FAPES para apresentação e esclarecimento sobre encaminhamentos relacionados as forma de fomento de pesquisa; - Realização do Fórum Docente Regional cujo objetivo é propiciar interação e aprimoramento profissional aos docentes. - Necessário aumento da produção e publicação científica dos docentes do curso. - Poucos professores com carga horária de trabalho integral e parcial. - Maior adesão dos professores aos cursos de qualificação e atualização. - Substancial aumento nas publicações dos docentes; - Condicionante para contratação docente um item relativo à pesquisa e publicação científica. PLANO DE AÇÃO E AVALIAÇÃO CONTINUADA PARA 2015: O Curso de Direito, por meio do seu NDE, mantém um canal de comunicação com os alunos, através de uma página no facebook por meio da qual pretende estreitar a comunicação entre os discentes, docentes e gestão do curso. Essa ação teve início em 2013 e esteve em aprimoramento em 2014, devendo prosseguir para Manter elevado nível nas condições de oferta do curso, por meio de acompanhamento contínuo das atividades propostas no PPC, com sua constante atualização pelo NDE e Colegiado do Curso fazem parte da política de ações de melhorias para

76 Utilizar os resultados das avaliações institucionais interna e externa para atendimento às demandas e aprimoramento dos processos faz parte do projeto de avaliação continuada para Também integram o plano de ação do Curso de Direito para 2015 os seguintes itens: - Incentivo dos professores à publicação na REVISTA JURES (interna) e outras revistas científicas externas; 1º Objetivo: Prosseguir na melhoria da qualificação docente 2º Objetivo: Incentivo à pesquisa, a extensão e as atividades interdisciplinares no Curso de Direito. - Estabelecimento de metas para a participação dos professores nos cursos do PIQ Programa de Qualificação Docente e nos cursos presenciais ao longo do ano de 2015; - Política de contratação de novos docentes com titulação de DOUTOR e perfil de pesquisador, com exigência de publicações atualizadas já constante do LATTES e incentivo à participação dos professores nos programas de qualificação por meio das bolsas ofertadas pela IES. - Realização de oficinas de capacitação dos professores no modelo de ensino da Estácio, especialmente para uso da ferramenta WEB AULA e da metodologia da resolução do caso concreto; - Manutenção do currículo lattes dos professores devidamente atualizado. - Ampliar a programação de atividades de extensão, dando maior visibilidade aos projetos para angariar a adesão de professores e alunos; - Ampliação de monitorias no Curso de Direito; - Ofertar em horário alternativo oficinas de práticas jurídicas e oficinas de resolução de questões de concursos (Civil e Processo Civil Penal e Processo Penal - Trabalho e Processual do Trabalho, etc); - Manutenção das oficinas de leitura e produção de textos para aprimorar a capacidade de interpretação e escrita dos alunos; - Contratação de docentes titulados e com perfil de pesquisador para compor o corpo docente do Curso, com estímulo ao desenvolvimento de projetos de Iniciação Científica (PIC); 76

77 - Oferta de atividades complementares interdisciplinares, voltadas para aprimoramento dos alunos e egressos nos exames da OAB e no ENADE. 3º Objetivo: Incremento nas ações do LABORATÓRIO DE PRÁTICAS JURÍDICAS. - Implementação do projeto meu primeiro cartão de advocacia que consiste na distribuição de cartões de apresentação personalizados para os alunos do NPJ, com vistas a transformá-los nos maiores captadores de clientes para o Núcleo. - Aumento na divulgação das atividades do LPJ e consequente aumento na carteira de clientes; - Criação de atividades internas simuladas e/ou reais nos horários de plantão do LPJ, para quando não houver cliente a ser atendido; - Manter a aplicação dos provões simulados da OAB aos sábados; - Realização de cursos de capacitação dos alunos estagiários para aprimorar a atuação prática, especialmente nas sessões de mediação e conciliação do LPJ. 77

78 - Visita do coordenador às turmas que farão o ENADE 2015, com explanação sobre os resultados do exame de 2012; 4º Objetivo: Melhorar o desempenho do Curso de Direito no ENADE. 5º Objetivo: Redução do passivo de alunos egressos pendentes de aprovação no EXAME DA OAB a fim de minimizar o impacto destes nos resultados do curso. - Conscientização dos alunos que farão o ENADE 2015 sobre a importância do seu papel; - Introdução de questões de ENADES anteriores nas provas Av. 1 dos alunos que farão o exame em 2015; - Reunião específica com professores das turmas que farão ENADE em Acompanhamento de perto sobre desempenho dos estudantes dessas turmas nas disciplinas do Curso; - Realização de aulas de reforço para alunos que farão o ENADE em 2015, a partir de 2014/1; - Todos os núcleos do Curso de Direito trabalhando em prol desse objetivo de melhorar o desempenho do Curso de Direito no ENADE. - Incentivo à participação dos egressos nos Cursos de Pós Graduação presenciais com descontos especiais nas mensalidades; - Convite de egressos para participarem das oficinas de práticas jurídica e oficinas de resolução de questões de concursos; - Promoção do Curso PROAB entre os egressos que ainda não foram aprovados no Exame de Ordem, inclusive com descontos especiais; - Análise dos resultados dos últimos exames da OAB para medidas pontuais em relação às disciplinas em que os alunos foram melhores ou piores no desempenho. A contribuição da Avaliação Institucional, principalmente na análise dos resultados, auxilia na implementação e no desenvolvimento de várias ações eficazes e de forma integradora para o Projeto Pedagógico do Curso, principalmente na qualidade do ensino oferecido, possibilitando ainda uma reavaliação constante do curso e a busca por sua contínua melhoria e evolução. Nesse contexto a CPA tem um papel fundamental, agregando informações e dados que são trabalhados em prol da elaboração de políticas e projetos institucionais que direcionam a gestão para a solução de problemas e melhoramentos nos objetivos e metas da atividade educacional. 78

79 O Curso de Direito está bem inserido neste contexto, com as atenções voltadas para cada vez mais ser um curso de excelência, atendo aos números das avaliações e dinâmico na apresentação de propostas e soluções que têm conduzido o Curso para um patamar elevado na conceituação dos clientes mediatos (a sociedade) e imediatos (os alunos). GRADUAÇÃO: PEDAGOGIA 79

80 Apesar do curso ainda estar em seu primeiro ano de funcionamento tem considerado os resultados da avaliação institucional como elementos fundamentais no processo de gestão e execução do curso, com vistas à melhoria da qualidade da oferta deste. Desta forma, o curso experimentou até agora somente dois momentos de avaliação cujos resultados já foram incorporados para o planejamento do semestre letivo de 2015/1. AÇÕES REALIZADAS DE FEVEREIRO A DEZEMBRO DE 2014 OBJETIVOS DO PROJETO AÇÕES REALIZADAS RESULTADOS ALCANÇADOS OBS. Fragilidades Potencialidades 80

81 Objetivo: Propiciar condições para a formação docente. - Organização do quadro docente priorizando a formação Stricto sensu em 83,3% do quadro o que impacta na avaliação pelo MEC; - Continuidade de Investimento na formação professores/as do Curso durante o ano de 2015; - Investimento pela IES na qualificação de professores/as na qualificação profissional através de cursos presenciais, inclusive ligados à área de Inclusão Social e Metodologia Científica para aumento da produção científica. - Estímulo à publicação interna através e externa Necessário aumento da produção e publicação científica dos docentes do curso. - Regime de trabalho 83,3% dos docentes são horistas. Ampliar carga horaria a medida que o curso for crescendo. - Ampliar o número de professores específicos a publicação. Maior envolvimento do curso com PIC e Extensão. Melhorou da qualificação docente, perante a instituição e os alunos. Realização do II Fórum docente. Excelente colocação curso na Instituição com uma nota de 4,5 pontos. - Professores/as que publicam e participam de eventos científicos 81

82 2º Objetivo: Dinamizar a oferta de atividades interdisciplinares e complementares Desenvolvimento das Atividades Acadêmicas Complementares/interdiciplinares do ano de Recepção dos calouros foi feita uma recepção para acolhimento dos novos alunos. -Incentivo à utilização do material didático e da Biblioteca Virtual; - Articulação das duas turmas do curso. - Esclarecimento de dúvidas sobre o funcionamento do curso, orientações acadêmicas - 100% de participação de docentes e discentes Reunião da coordenação de curso com os novos alunos - Foram realizados dois encontros, um em 2014/1 e outro em 2014/2. - Ampliar a oferta de atividades complementares. Participação na Jornada da Pedagogia Social 2014 os alunos foram organizados de forma a participar da Jornada que foi realizada na Unidade de Vila Velha. 1. Formação Inicial para os calouros para os procedimentos acadêmicos no SAI formação sobre os procedimentos no SAI (agendamentos, requerimentos, matrícula, web aula). Foram realizados dois encontros, um em 2014/1 e outro em 2014/2. Seminário de TCC: apresentação dos Projetos e Trabalhos de Conclusão de Curso do Curso de Pedagogia. 82

83 3º Objetivo: Implementar conjunto de ações direcionadas a produção de Pesquisa no Curso 4º Objetivo: Implementar conjunto de ações direcionadas elaboração de projetos de Extensão no Curso 5 Objetivo: - Incentivo aos docentes para a elaboração de projetos de PIC. - Incentivo aos discentes para participarem dos projetos de pesquisa. - Incentivo aos docentes para a elaboração de projetos de Extensão. - Incentivo aos discentes para participarem dos projetos de extensão. - Reunião do NDE para discussão sobre a alocação dos docentes a partir das necessidades do PPC e dos docentes. Estruturar corpo docente considerando as - Reunião com docentes para identificar especificidades potencias e fragilidades do corpo docente. do currículo, do PPC do curso e dos docentes 6 Objetivo: - Participar dos encontros mensais de alunos Acolher e reter os/as discentes matriculados/as em comemoração aos aniversariantes do mês. - Encontro de encerramento do semestre - Aula inaugural. - Envolvimento dos docentes e discentes, - Falta de tempo dos alunos devido ao trabalho. - Envolvimento dos docentes e discentes, - Falta de tempo dos alunos devido ao trabalho. - Poucos professores - Formação especificidade docentes. - Abertura dos professores para envolvimento em Disposição dos alunos em se envolverem nas atividades do curso. - Abertura dos professores para envolvimento em Disposição dos alunos em se envolverem nas atividades do curso. - Disponibilidade e envolvimento dos docentes - Formação docente - Disponibilidade e envolvimento dos docentes e discentes - Confraternização entre os alunos 83

84

85 PLANO DE AÇÃO E AVALIAÇÃO CONTINUADA PARA 2015: 1º Objetivo: Implementar conjunto de ações direcionadas a produção de Pesquisa no Curso 2º Objetivo: Implementar conjunto de ações direcionadas elaboração de projetos de Extensão no Curso 3 Objetivo: Estruturar corpo docente considerando as especificidades do currículo, do PPC do curso e dos docentes 4º Objetivo: Fortalecer o NDE e o Colegiado do Curso 5º Objetivo Fortalecer as atividades interdisciplinares e complementares - Incentivo aos docentes para a elaboração de projetos de PIC. - Incentivo aos discentes para participarem dos projetos de pesquisa. - Incentivo aos docentes para a elaboração de projetos de Extensão. - Incentivo aos discentes para participarem dos projetos de extensão. - Reunião do NDE para discussão sobre a alocação dos docentes a partir das necessidades do PPC e dos docentes. - Reunião com docentes para identificar potencias e fragilidades do corpo docente. - Manter regularidade das reuniões - Socializar encaminhamentos - Debater as questões relacionadas ao curso com o colegiado e o NDE - Planejar, executar e avaliar possibilidades de atividades interdisciplinares - Mobilizar alunos e professores para participação e elaboração de atividades complementares e interdisciplinares. 85

86 Considerando que em 2015 o curso está em seu segundo ano de funcionamento, é possível afirmar que, à medida que se expande os resultados da avaliação institucional também serão mais indicadores de fragilidades e potencialidades. Apesar disso, os resultados que já foram apresentados são constantemente considerados no processo de replanejamento do curso. GRADUAÇÃO: COMUNICAÇÃO SOCIAL, COM HABILITAÇÕES EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA E EM JORNALISMO Desde o segundo semestre letivo de 2011 também foi implantado, pela nova Coordenação dos Cursos, o processo de Gestão Participativa. Onde o professor-gestor teve a oportunidade de atuar de modo mais decisivo e atuante em questões de ensinoaprendizagem para além da sala de aula e do domínio das suas disciplinas específicas. Os professores-gestores atuaram junto à Coordenação dos Cursos na administração e implantação dos seus respectivos PPCs, de modo democrático e com liberdade de sugerir, opinar, coordenar e implantar ações como: Atividades Acadêmicas Complementares, Atividades de Pesquisa e Extensão, Atividades da Agência Experimental de Publicidade e Propaganda, Atividades da Agência Experimental de Jornalismo, Atividades do Projeto Integrador, Prêmio de Criatividade, Projeto de Extensão Cinematográfica e Trabalhos de Conclusão de Curso TCC. 86

87 Ações Realizadas Projeto de Extensão Cinematográfica Objetivos do Projeto Promover a interdisciplinaridade de conhecimentos que poderiam parecer desassociados e estanques, colocar em prática os pressupostos teórico-metodológicos adquiridos, promover e incentivar o trabalho em equipe e proporcionar a aproximação e a interação dos alunos de períodos diferentes. Fragilidades Falta de equipamentos técnicos como câmeras, gravadores de áudio, HD externo, luzes, rebatedores de luz, para a captação das imagens. Resultados alcançados Potencialidades Motivação e interação dos alunos de diversos períodos, que trabalharam juntos em diversas funções, desde o roteiro, produção e gravação, até a edição final. Além do envolvimento e participação da comunidade, devido a característica de extensão deste projeto. Grupo de Pesquisa em História da Mídia Incentivar e estimular a pesquisa e produção científica dos docentes e discentes dos cursos de Comunicação Social da Estácio Vitória. A falta de familiaridade da maioria dos docentes e discentes dos Cursos de Comunicação Social da Estácio Vitória com o universo da pesquisa científica. Reuniões todas às segundas e quintas-feiras das 21 às 22h com a participação voluntária e assídua de vários alunos dos Cursos de Jornalismo e de Publicidade e Propaganda da Estácio Vitória sob a orientação do Prof. Roberto Teixeira. 87

88 Semana de Comunicação com o tema: Diversidade Educar para Transformar. Estácio Cultural Itinerante Realizar um amplo debate sobre importantes temas da nossa vida cotidiana, tais como: religião, sexo e etnias, a fim de melhor esclarecer e informar a todos (alunos, professores e sociedade) sobre os modos como podemos melhorar a nossa sociabilidade por meio do respeito e a compreensão das nossas diversidades. Levar arte, cultura e lazer para as encolas de ensino médio do entorno da Estácio Vitória. Contar com a participação efetiva de todos os cursos oferecidos pela Estácio Vitória e de pesquisadores de outras IES, passando credibilidade e responsabilidade para todos os envolvidos. A falta de apoio financeiro da IES para levar o nome da Estácio de forma positiva e atraente para os seus possíveis futuros alunos e mercado em potencial. Excelente oportunidade de intercâmbio e troca de informações entre pesquisadores de diversas áreas. Excelente apoio e dedicação do corpo docente e discente da Estácio, que não medem esforços para tornar esse evento o mais atraente possível para os alunos dasescolas de ensino médio do entorno. 88

89 Aula Inaugural / Lançamento da Trilogia Estéticas da Violência no Cinema. Apresentar para os alunos e futuros alunos um pouco das ações, extraclasse, desenvolvidas em conjunto pelos cursos de Jornalismo e de Publicidade e Propaganda da Estácio vitória. Falta de recursos para a divulgação do evento fora dos limites da IES, tornando essa iniciativa uma ação em potencial na captação de novos alunos e renovação de matrículas. A qualidade dos filmes realizados com a participação de alunos, professores, comunidade e profissionais do mercado. Agregando teoria e prática de modo interdisciplinar e integrador para os alunos da Estácio Vitória. Sessão Comentada de Cinema Clipe para a Banda L-20 Aproximar o contato dos nossos alunos com o mercado de trabalho e os seus profissionais de destaque. Promover atividades de extensão acadêmica que possam oferecer uma experiência profissional para os nossos alunos antes mesmo deles entrarem para o mercado de trabalho. Falta de recursos para a divulgação do evento fora dos limites da IES, tornando essa iniciativa uma ação em potencial na captação de novos alunos e renovação de matrículas. Falta de equipamentos técnicos como câmeras, gravadores de áudio, HD externo, luzes, rebatedores de luz, para a captação das imagens. Maior incentivo e motivação para realizar e terminar um curso de Jornalismo e/ou de Publicidade e Propaganda na Estácio Vitória. Motivação e interação dos alunos de diversos períodos, que trabalharam juntos em diversas funções, desde o roteiro, produção e gravação, até a edição final. Além do envolvimento e participação da comunidade, devido a característica de extensão deste projeto. 89

90 TV e Rádio Estácio Desenvolver e oferecer para os nossos alunos acesso e treinamento qualificado em todos os veículos de comunicação possíveis e existentes no mercado de trabalho. Falta de apoio da IES para a veiculação dos materiais que foram gravados e editados pelos nossos alunos e professores para a TV e Rádio Estácio. Maior incentivo e motivação para realizar e terminar um curso de Jornalismo e/ou de Publicidade e Propaganda na Estácio Vitória. 90

91 Proposta de avaliação continuada para 2015: Objetivos Modernizar e acompanhar as tendências das novas tecnologias da comunicação e da informação no mundo globalizado. Valorizar o futuro profissional de comunicação, bem como elevar a qualidade da prática pedagógica destes cursos. Aumentar a integração dos discentes dos Cursos de Comunicação Social da Estácio Vitória com o mercado de trabalho. Ações Previstas Unificar todos os veículos de comunicação dos cursos de Jornalismo e de Publicidade e Propaganda da Estácio Vitória, por meio do Jornal Interferência Digital e Mural, da TV Interferência e da Rádio Interferência. Além do portal na Interferência na Internet. Realizar 4ª Edição do Prêmio de Criatividade para Estudantes em 2015/1. Dar continuidade ao projeto Sessão Comentada de Cinema. É inegável a contribuição que a avaliação institucional oferece para a implementação e desenvolvimento do Projeto Pedagógico do curso. A análise dos resultados permite o planejamento de ações eficazes e de forma mais integrada, refletindo na qualidade do ensino oferecido. A regularidade na avaliação dos professores, por meio de diferentes instrumentos, tem garantido um corpo docente mais homogêneo e mais comprometido com nossa proposta.

92 GRADUAÇÃO: TURISMO O Curso de Turismo da Estácio de Vitória foi criado em agosto do ano de 2000, a partir da verificação e constatação da crescente demanda no mercado por profissionais do setor e da grande necessidade que o país tem de valorizar o seu potencial turístico, considerando ainda, que a região da Grande Vitória é privilegiada para o mercado turístico. Ações realizadas de janeiro a dezembro de 2014: Objetivos do Projeto Ações realizadas Resultados alcançados Fragilidades Potencialidades 1º Objetivo: Rever os planos e programas de ensino e material didático das disciplinas que não - Foram revisados os Planos de Ensino das disciplinas de Transportes Turísticos e Patrimônio Histórico Cultural Brasileiro; - Com o encerramento do cargo de coordenador nacional do curso de turismo, o processo de atualização - A revisão dos planos de ensino possibilita a atualização do conteúdo e a adequação com as espelham as demandas de dos planos de ensino está paralisado; novas demandas do mercado. mercado local. - Refeita a Atividade Estruturada da Disciplina de Destinos Turísticos Internacionais; - A coordenação nacional implantou o currículo 115 com alterações nas disciplinas e seus planos de Ensino. 92

93 2º Objetivo: Incentivar a inscrição do Programa de Extensão para obtenção de apoio em nível nacional da Estácio. - Projeto de Extensão Ecobase Ilha da Caieira recebe prêmio de melhores práticas pedagógicas no Fórum Docente Anual promovido pela Estácio; - Ações do Programa de Extensão em 2014/1: Identificação do perfil do turista que visita a comunidade da Ilha das Caieiras na baixa, média e alta temporadas; Adequar o Plano de Marketing desenvolvido no semestre de 2013/2 para o público alocêntrico; Adequar a Campanha de Marketing desenvolvido no semestre de 2013/2 com a inserção de fotografias oficiais fornecidas pelo ICE e os respectivos créditos; Possibilitar ações diversas objetivando a melhora da qualidade de vida das crianças e adolescentes na comunidade Ilha das Caieiras. - Ações do Programa de Extensão em 2014/2: Identificar o perfil do turista que visita a comunidade da Ilha das Caieiras na média temporada; Finalizar as campanhas de marketing para o ICE. - Carências financeiras da Comunidade de Ilha das Caieiras para continuidade de algumas ações de extensão do Programa apoiado pela Estácio. - Oferecimento de bolsa para aluno no Programa de Extensão Ecobase Ilha das Caieiras; - Existência de novas demandas na Comunidade de Caieiras a serem desencadeadas por meio do Programa de Extensão; 93

94 3º Objetivo: Dinamização das atividades do NUPET: Núcleo de Pesquisas e Estudos Turísticos com ações de projetos efetivos na área do Turismo. - Incentivo da coordenação de curso aos professores para inscreverem projetos de pesquisa via PIC; - Fechamento de Convênio com a Prefeitura de Vitória para realização de pesquisa e produção de relatórios via NUPET sobre o perfil do público turístico que frequenta os eventos turísticos da grande Vitória. - Apesar do incentivo da coordenação e direção, não houve inscrições de projetos do curso de turismo no PIC de Carência de alunos com perfil de pesquisa para bolsistas do PIC; - Ampla possibilidade de desenvolvimento de pesquisa e produção de artigos científicos; - Existência de laboratórios, extensão e pesquisa que desenvolvem ações de responsabilidade social voltadas à comunidade. 4º Objetivo: Ampliar as possibilidades e o tempo de permanência do egresso do Curso de Turismo na IES a partir da oferta de cursos correlatos, bem como novas oportunidades de atuação para o corpo docente; - Criação do Lab. de Hospedagem, pioneiro em pesquisa de hospitalidade em empresas de serviço no Estado. - Abertura de cursos do PRONATEC na unidade de Vila Velha com os seguintes cursos técnicos no eixo de Turismo: Hospedagem, Guia de Turismo, Eventos e Lazer e Entretenimento, além do curso de Logística; - Apesar do curso PRONATEC ser gratuito, identificou-se uma grande evasão de alunos, principalmente do curso de Lazer e Entretenimento. - A Estácio Vitória e Vila Velha oferecem 18 cursos de pósgraduação presencial. 94

95 5º Objetivo: Ampliar a inserção dos alunos do Curso de Turismo ao mercado de trabalho e aproximar a academia ao mercado de trabalho. - Realização de pesquisa sobre empregabilidade aos alunos do curso nos semestre de 2014/1 e 2014/2; - Realização de café da manhã empresarial com a presença de representantes do trade turístico capixaba e a direção e o corpo docente da Faculdade Estácio de Vitória. Estavam presentes representantes da ABIH, ABAV, ABEOC, SINDBARES e SINDIOTÉIS; - Realização de parcerias com o mercado de trabalho na área de Turismo através de -marketing e visitas da coordenação, para levantamento das necessidades do mercado; - Divulgação e incentivo do alunado sobre oportunidades de estágio e empregabilidade; - Percepção do corpo docente e da direção da faculdade sobre a falta de valorização do profissional de turismo pelos empresários do setor; - Mercado demanda profissionais mais qualificados e com perfil de gestão e liderança; 95

96

97 PLANO DE AÇÃO E AVALIAÇÃO CONTINUADA PARA 2015: 1º Objetivo: Incentivar a pesquisa e as atividades interdisciplinares do Curso de Turismo, de modo a propiciar espaço de aprendizagem aos alunos e egressos. - Dinamização das atividades do NUPET: Núcleo de Pesquisas e Estudos Turísticos a partir do incentivo de professores e convênios com órgãos públicos e entidades de classe; - Incentivar o de curso aos professores para inscreverem projetos de pesquisa via PIC; - Implantar o Laboratório de Hospitalidade como centro de pesquisa na área; 2º Objetivo: Incentivar os docentes no uso das Tecnologias da Informação e Comunicação no cotidiano acadêmico, integrando as ferramentas e recursos tecnológicos disponíveis no processo de aprendizagem. - Mobilizar os professores para participarem das oficinas de capacitação em Tecnologias Digitais; - Incentivar os professores para inscrição do concurso de Boas Práticas para uma Educação Inovadora ; - Realização de projetos interdisciplinares com uso de novas tecnologias; 3º Objetivo: Incentivar maior participação dos alunos nas Atividades Complementares do Curso. - Sensibilização de alunos por professores e coordenação; - Divulgação antecipada das atividades com listagens de participantes (Aula Inaugural); - Maior divulgação do Programa de Atividades Acadêmicas Complementares AAC, tornando-se um instrumento de destaque no curso de turismo; 4º Objetivo: Implementar conjunto de ações propostas pelo NDE direcionadas a melhoria da performance dos alunos do ENADE 2015, de modo a possibilitar resultados positivos na avaliação do Curso. - Oferta de Oficinas de nivelamento em Interpretação de Texto e outros que surjam de acordo com as necessidades identificadas; - Implementação de questão em prova referente aos ENADEs anteriores; - Implementação das atividades propostas pelo NDE de cada disciplina: 97

98 A integração de todos os envolvidos no processo de construção de estratégias com um objetivo comum permite um crescimento bem fundamentado em estruturas sólidas, ao mesmo tempo que promove o comprometimento de todos os atores do processo, gerando como conseqüência a busca constante pela qualidade na educação. GRADUAÇÃO: FISIOTERAPIA O planejamento das ações, elaboração e execução são orientadas pela missão do curso, direcionadas ao ensino, pesquisa e extensão. A criação, organização e operacionalização contam com todo o corpo docente e discente e tem como base as avaliações institucionais. O ciclo organizacional destas ações estão pautadas no vínculo entre os atores, Colegiado do Curso, NDE, o estudo e atualização do PPC pelo NDE, articulação dos objetivos e ações do PDI com PPC, alinhados com as discussões nas reuniões de liderança além da participação ativa dos docentes para propiciar este cenário. Dessa maneira, todas as atividades previstas formam um conjunto de ações cujo potencial é manifestado pela resposta do corpo discente e docente na avaliação institucional que servirá de nova base para as atividades do próximo semestre. Tais práticas geram um ciclo retro-alimentador que garante ao egresso, que as ações sejam atualizadas de acordo com as novas percepções acerca dos objetivos do curso, na sua colocação no mercado profissional e consequente disseminação dos valores previstos na nossa missão, para a sociedade. Ações realizadas em 2014: 1. Criação do Cronograma de Reuniões do NDE para discussão e interpretação dos conteúdos previstos nas alterações curriculares previstos para a atualização do currículo vigente 213, como planejamento para ingresso do currículo 115 para o início de 2015, como consequência da adequação do currículo 412 de 2013 para 2014, em especial a inclusão da disciplina Planejamento de Carreira e Sucesso Profissional, antecipação da disciplina. E em especial, o Núcleo Docente propôs ao Colegiado Local e em conjunto com as demais unidades nacionais, respeitadas as características regionais, as mudanças relacionadas, a disciplina Histologia e Embriologia passa a ser cursada no segundo 98

99 período, Biologia Celular tem um aumento de carga horária em duas horas, a disciplina Recursos Terapêuticos Manuais tem sua carga horária dividida em duas disciplinas para dois períodos, segundo e terceiro períodos, para maior aproveitamento da maturidade acadêmica e interdisciplinar. 2. Atuação do NDE efetiva para atualização do PPC, discussão dos Conteúdos das disciplinas para avaliação regional e nacional, descritas acima em 2014, para início do cumprimento em Contratação de novos professores com experiência clínica e teórica em sala de aula equilibrando a percepção acerca do perfil docente voltado para a Prática, equilibrando a dualidade no Ensino prática e teoria acerca da experiência docente. 4. Perpetuação da página no grupo do Facebook para utilização da Mídia Social como ferramenta de gestão do conhecimento, estimulando a participação do aluno na mediação dos conteúdos, supervisionados pelos Professores, comportamento social em mídias. 5. Criação do Ciclo de Reuniões do NDE para discussão e interpretação dos conteúdos previstos nas alterações curriculares previstos no Currículo 213 (vigente em ) para 115 (início em ), em especial a inclusão da disciplina. 6. Planejamento e criação do vínculo do aluno com Projetos de Extensão e Pesquisa com a manutenção dos grupos de atendimento em Acupuntura, Neurociências, Pediatria e incentivo a publicação pelos grupos de pesquisa. 7. Reiteração das linhas de Pesquisa para o CONSEPE, em Biotecnolgia, Neurociências, Eletrotermofototerapia, Acupuntura, Treino Vibratório e Epidemiologia. 8. Mudança nos deadlines dos editais de Programa de Iniciação Científica, como planejamento para 2015, dando abertura em julho de 2015, para proporcionar a oportunidade de concorrer às Bolsas CNPQ. 9. Confirmação do vínculo entre o Curso de Educação Física e Fisioterapia para atuação na Atenção Primária a Saúde através da Campanha de Prevenção à Hipertensão no Evento Estácio Esporte e Saúde, aumentando o aproveitamento de recursos ampliando o índice de atendimentos da Campanha. 99

100 PLANO DE AÇÃO PARA 2015: Objetivos Ações Previstas Equipar os laboratórios de Fisioterapia Cardiorrespiratória / UTI, com os equipamentos comprados em Atualizar e Equipar os laboratórios de Eletrotermofototerapia e Dematofuncional, com os equipamentos comprados em Organizar as atividades para o VII Encontro Multidisciplinar voltado aos principais objetivos do Curso para 2015, conscientizar o aluno das necessidades de inovações e formação continuada. Criar e operacionalizar todas as atividades de pesquisa e extensão para os laboratórios previstos, além das práticas previstas para CH prática de ensino. Criar e operacionalizar todas as atividades de pesquisa e extensão para os laboratórios previstos, além das práticas previstas para CH prática de ensino. Organizar oficinas e palestras voltadas a transdisciplinaridade que confiram ao aluno a oportunidade de inovar e de tomar ciência da necessidade da formação continuada. No ano de 2014, a avaliação institucional aproximou o aluno da Gestão, tornando o modelo de Gestão participativa cada vez mais fiel aos seus propósitos, e continua a produzir a longo prazo ações definidas coletivamente a partir de decisões democráticas, aprovadas pelo Colegiado do Curso. O modelo garante ao aluno a construção da autonomia conscienciosa, pensamento crítico e a relação destes com as decisões, permite à Gerência do Curso e Acadêmica a visão dos processos e de seus resultados para que a partir disso, novas ações sejam organizadas. 100

101 GRADUAÇÃO: EDUCAÇÃO FÍSICA O curso de graduação em Educação Física da Faculdade Estácio de Vitória registra em seu Projeto Pedagógico uma construção coletiva que se forma pontual na orientação para sua implementação e desenvolvimento. Para tanto, sem se afastar de seus objetivos gerais e específicos, estão abertos às inovações inerentes à área de Educação Física para o aprimoramento permanente da formação discente em concomitância com a formação continuada de seu quadro docente. Revisão de objetivos do Relatório Parcial de Autoavaliação Institucional (Ações de fevereiro a dezembro de 2014): 101

102 OBJETIVOS DO PROJETO AÇÕES REALIZADAS RESULTADOS ALCANÇADOS OBS Fragilidades Potencialidades 102

103 Participação dos professores 1º Objetivo: Propiciar condições para a qualificação docente. - O quadro docente se manteve respeitando assim os critérios de avaliação realizado pelo MEC; - Continuidade de Investimento na qualificação professores do Curso de Educação Física durante o ano de 2014; - Investimento pela IES na qualificação de professores na qualificação profissional através de cursos presenciais, inclusive ligados à área de Inclusão Social e Metodologia Científica para aumento da produção científica. - Estímulo à publicação interna através da RBRAF. - Efetivação das linhas de pesquisa /grupos de estudo respeitando o eixo norteador do curso; - Encontro com representante da FAPES para apresentação e esclarecimento sobre encaminhamentos relacionados as forma de fomento de pesquisa; Necessário aumento produção publicação científica docentes curso. da e dos do - Ampliar o número de professores específicos a publicação. Ampliar produção projetos pleitear fomentos. a de para Melhora da qualificação docente, perante a instituição e os alunos (Identificado na Avaliação Institucional) Aumento do numero de publicação científica do grupo Realização do III Fórum docente : A Construção da Identidade Docente: Pesquisa e Conhecimento Boa colocação curso na Instituição na Avaliação Institucional A quase totalidade dos professores trabalha em regime de trabalho integral e parcial; - Aumento das publicações dos docentes, fato que destaca esta unidade em primeiro lugar entre as unidades do Brasil no ano de 2014; 103

104 2º Objetivo: Dinamizar a oferta de atividades interdisciplinares e complementares do Curso de Educação Física, bem como a inserção no mercado de trabalho por meio do Estágio Supervisionado, possibilitando a prática e a vivência profissional. Desenvolvimento das Atividades Acadêmicas Complementares do ano de 2014 pelo NEAC por meio de parcerias: CREFES, Academia Conveniadas, SEMESP, ONGNs, IFES, Federações Esportes e os Projetos de Extensão; Visita técnica, Aula de campo, Eventos: Estácio Esporte Saúde: cidadania e sustentabilidade, elaborado e executado pelos acadêmicos do curso de Educação Física com supervisão docente ofertando as seguintes modalidades: Módulo de Avaliação Física com mais de 230 avaliações, apresentação de dança, luta, body building, halterofilismo, diversos atividades esportivas como futebol de praia, futevôlei e vôlei de praia; orientação nutricional e ao exercício, recreação e lazer, demonstração das publicações científicas. O evento teve a participação de mais de 5000 pessoas da sociedade capixaba; 3º Fórum Diversidade Étnicas "O ensino Superior dialogando com a Educação das Relações Étnico Raciais e Indígenas". Dia da Mulher: realizado no Shopping Norte Sul com várias ações (módulo de Avaliação Física, apresentação de luta, orientação ao exercício); Dia E Estácio: com a participação da Prática Esportiva Inclusiva/APAE para a comunidade interna e colaboradores; Palestras Motivacionais sobre Qualidade de Vida por meio da prática da atividade física funcional - esclarecer a prática de atividade física. Incentivo à utilização do material didático e da Biblioteca Virtual; Perfil de dupla jornada de trabalho dos discentes; O planejamento e o trabalho de equipe referente ao desenvolvimento das Atividades Acadêmicas Complementares é um instrumento de destaque no curso de Bacharelado em Educação Física, no qual tem efetivado a participação discente no planejamento e execução de várias atividades como: aulas de campo, eventos diversos e vivência profissional; A disponibilidade e o comprometimento dos professores nos planejamento semestral das atividades de forma interdisciplinar e multidisciplinar têm sido realizados de forma periódica; A coesão do corpo docente nas reuniões tem objetivado a construção e manutenção das atividades acadêmicas. Seminário de TCC: apresentação dos Projetos e Trabalhos de Conclusão de Curso; Estácio Esporte Saúde: cidadania e sustentabilidade na comunidade Ilha das 104

105 Estácio Esporte Saúde: cidadania e sustentabilidade na comunidade da Ilha das Caieiras ação de responsabilidade social; Estácio Esporte Cidadão Ações denvolvida na comunidade de Jardim da Penha com a participação de todos os períodos ativos ( professores e alunos) tendo a participação de 150 crianças de uma Escola Municipal de Vitória/ES. As ações desenvolvidas são práticas esportivas e avaliação física com o objetivo de orientar a prática da atividade física de forma regular. Projetos de Extensão: A melhor Idade, Ginástica laboral, Saúde e Qualidade de Vida, o Pró-Saúde, Projeto de Lutas e Esporte Cidadão - judô e jiu-jitsu. Grupos de Estudo: Oficinas de ler e Interpretar artigos científicos, Terceira Idade, Ginástica Laboral, Medidas e Avaliação, Fisiologia do Exercício, Esportes Adaptados, Treinamento Funcional, Motivação, Estresse no Esporte; Inclusão social; - Inserção pro meio do E3 grande nº de estagiários no mercado de trabalho, possibilitando sua inserção nos diferentes segmentos de atuação como profissional de Educação Física, por meio dos convênios da Estácio com empresas, organismos públicos e associações de classe: Studio M2; Vitória Sports (estágios e empregabilidade egresso), Bodytech/Vila Velha (estágio e empregabilidade), Triton/Jardim Camburi; Wellnnes/Jardim Camburí; SEMESP (projetos de extensão e estágio), Limoeiro, direcionamento ao E3 da Instituição o que auxiliou a divulgação de estágios e empregos dentro do curso; - Pesquisas respeitando as linhas de pesquisa fomentaram a dinamização de atividades multidisciplinares. 105

106 3º Objetivo: Incentivar as atividades de extensão e responsabilidade social no Curso de Educação Física, de modo a propiciar espaço de aprendizagem aos discentes e egressos. - O NUPEF e o NEAC respaldaram e organizaram as atividades de extensão (Dia E Estácio, Estácio Esporte Saúde: cidadania e sustentabilidade, 3º Fórum Diversidade Étnicas; Um dia legal da APAE; Dia da Mulher, Estácio esporte Cidadão, Dia do profissional de ed. Física; II Encontro das Relações Ético Raciais; Comemoração do Dia do Profissional de Educação Física, Dia da Responsabilidade Social/FEST Estácio na comunidade, III Fórum docente; Atividades de recreação, palestras, visitas técnicas e oficinas diversas); - Campeonato de Fisioculturismo realizado em parceria com o curso de educação Física da Estácio de Vitória. - Curso em parceria com o CREFES, IFES, Academia Vitória Sports, Triton, Confederação de Fisiculturismo e Club Life; - Reorganização da Infra-estrutura do Laboratório de Fisiologia Humana e Medidas e Avaliação, Bioquímica em parceria com a CEFD/UFES LAFIBE e Reforma do laboratório de musculação e Ginástica e dança ( funciona a Academia modelo); a reorganização do Laboratório de Práticas Pedagógicas e Controle Motor. -Atividades Externas como -Adequação dos espaços que oferecem serviços a comunidade local. - Aumento dos Grupos de Estudo, Iniciação Científica, Projetos de Extensão; Aumento de publicações dos acadêmicos/professores por meio do PIC, TCC e grupos de estudos; - Aumento no nº de vagas no projeto de extensão Melhor Idade, mediante grande procura e interesse da comunidade; - Projeção do o curso em suas atividades de responsabilidade social para a comunidade; - Participação dos discentes e docentes do curso de Educação Física nas atividades de extensão; - Implementação de Grupo de Estudo na temática ao Gênero; - Participação de egressos nos Cursos de Extensão ofertados pelo NUPEF; - Criação da pós-graduação (Treinamento e biodinâmica aplicada à saúde e qualidade de vida). Dia da Mulher: com a participação da comunidade externa e dos docentes e discentes ocorrendo várias ações (módulo de Avaliação Física, apresentação de luta, orientação ao exercício) Dia E Estácio: com a participação das 106

107 Cursos de Atividades Acadêmias Complementares (AAC): abertos em parcerias com várias instituições ligadas a área apresentando tendências aplicadas ao treinamento de força; III Fórum docente; Realização do evento Troféu Cidade de Vitoria de Musculação e Fitness, que será realizado no dia 13 de março de Estácio Esporte Saúde: cidadania e sustentabilidade na comunidade da Ilha das Caieiras/ECOBASE; Realização do Estácio Esporte Cidadão, realizado no mês de setembro de 2014 com atividades esportivas desenvolvidas pelos alunos e professores em parceria com a Rede Municipal de Educação de Vitória/ES e IFES; Curso AAC de Treinamento Funcional III em parceria com a Vitória Sports; Seminário de TCC realizado um cada semestre com a apresentação dos Projetos e Trabalhos de Conclusão de Curso; III Encontro Étnico racial realizado no 31 de outubro de 2014 com convidados de instituições diferentes para reflexões; Oficinas em parcerias com CRFE1/ES na FESV para os acadêmicos do curso no dia do Profissional de Educação Física para esclarecer e divulgar a responsabilidade do profissional de educação física na sociedade Brasileira. 107

108 4º Objetivo: Ampliar a infraestrutura do Curso a fim de propiciar o exercício prático de atividades para os discentes e comunidade. - Aumento na aquisição de matérias do Book; - Atualização da bibliografia presente no Campus (biblioteca presencial e virtual) por meio da aquisição de novos exemplares; - Aumento da quantidade de alunos nos Cursos de Extensão, inclusive egressos. - Manutenção da Pós-Graduação Especialização em Treinamento e Biodinâmica Aplicada à Saúde e Qualidade de Vida. - Aprimoramento e aquisição de materiais e instrumentos para o Laboratório de Fisiologia do Exercício e Medidas e Avaliação; - Retorno das possibilidades de atuação prática do aluno no segmento; - Implementação dos grupos de pesquisa vinculados às Linhas de Pesquisas objetivando a produção acadêmica; - Projeção do curso de Educação Física por meio da estruturação dos Laboratórios; - Dinamização de atividades acadêmicas por meios dos Núcleos. - Reorganização das salas de musculação e ginástica com a criação do espaço modelo Stúdio/parceria que contempla incorpora os laboratórios de Musculação de Ginástica e Dança; - Aquisição de materiais didáticos pedagógicos. 108

109 5º Objetivo: Implementar conjunto de ações direcionadas a manutenção do Plano de Melhoria que foi elaborado para o ENADE 2013, de modo a possibilitar resultados positivos na avaliação do Curso. - Oferta de cursos e oficinas de nivelamento voltadas à linguística e conhecimentos gerais (Curso de Interpretação de textos e Metodologia da Pesquisa); - Atualização da Bibliografia do Curso junto à Biblioteca (Currículo 213 e o 115); - Melhora do acervo da Biblioteca virtual de revistas eletrônicas; - Reforço aos discentes que apresentam dificuldades na escrita e interpretação; - Estímulo da leitura através da Biblioteca Virtual; Incremento de ações referentes a conscientização dos alunos e professores com referência ao ENADE, com questões de interpretação, raciocínio lógico; - Criação do `Plano Ver e Agir - Auxílio tutorial aos discentes. - Identificação de alunos com dificuldades em escrita e interpretação de texto; - Identificação de baixa frequência na leitura pelos discentes do curso; - Melhora na interpretação de questões para os discente, principalmente como proposta de melhor avaliação das questões do ENADE. - Os discentes percebem a importância e adesão ao ENADE, enquanto instrumento de avaliação acadêmica; - Melhora na frequência gradativa por período de maior nível de leitura e escrita aos alunos do Curso, preparando-os no aspecto crítico e reflexivo; - Melhora na qualificação docente formação continuada; - Incentivo a participação dos docentes na elaboração de questões no banco nacionalizado de questões com classificação de grau de dificuldade; - Análise reflexiva e crítica das questões realizadas em ENADEs passados. PLANO DE AÇÃO E AVALIAÇÃO CONTINUADA PARA

110 1º Objetivo: Propiciar condições para qualificação docente - Incrementar a produção e publicação científica dos docentes a partir de indicação de temas e revistas na área, além de qualificar a produção aas publicações na REBRAF perante meio acadêmico; - Sempre incentivar a participação dos professores nos cursos do PIQ Programa de Qualificação Docente e nos cursos presenciais ao longo do ano; - Ofertar cursos presenciais para qualificação docente voltado à Metodologia Científica e produção de Artigos nos seus diversos âmbitos do ensino superior; - Ampliar ações associadas ao NAI Núcleo de Acessibilidade e Inclusão por meio do LEFAI Laboratório de Educação Física e Atividades inclusivas; - Estimular a equipe e trabalhar na qualidade e diversidade de ofertas das atividades acadêmicas complementares nas perspectivas socioambiental e pluricultural objetivando atender as Diretrizes Curriculares. -Incentivar a participação dos professores nas oficinas do projeto Inclusão Digital Docente - Realizar o Evento multidisciplinar; 2º Objetivo: Incentivar a pesquisa, a extensão e as atividades interdisciplinares do Curso de Educação Física, de modo a propiciar espaço de aprendizagem aos discentes e egressas. - Continuidade das monitorias - Ampliar a programação de Cursos de Extensão na área de Educação Física para a comunidade, tendo como monitores alunos e egressos do curso; - Continuidade da oferta de cursos voltados para disciplinas extracurriculares ampliando as parcerias; - Congresso-Simpósio no Dia do Profissional de Educação Física atendendo a comunidade interna e externa; 110

111 3º Objetivo: Otimizar a utilização da estrutura física e organizacional do curso de Educação Física, a fim de atender as novas demandas do mercado e possibilitar vivência profissional aos discentes. 4º Objetivo: Implementar conjunto de ações direcionadas ao ENADE 2016, de modo a possibilitar resultados positivos na avaliação do Curso. - Tornar perene o Projeto de Saúde e Qualidade de Vida nos dois Projetos Macros Ilha das Caieiras e Rede Social; - Incentivo aos discentes ao modelo Artigo nas apresentações de TCC- destaque publicar na REBRAF; - Incentivo ao desenvolvimento de projetos de pesquisa que possam ser contemplados por financiamentos; - Incentivar a participação dos discentes nas oficinas pedagógicas apresentadas em cronograma semestral; - Ampliação nas ofertas de atividades complementares nas unidades, tendo como referência a qualidade e diversidade das propostas. - Estimular tanto ao docente quanto ao discente no Projeto de Iniciação Científica (PIC). - Incentivar a frequência aos laboratórios: iniciação científica e aulas práticas em concomitância com as Linhas de Pesquisa; - Dar continuidade ao controle acadêmico sobre as práticas profissionais vivenciadas pelos discentes; - Interdisciplinarizar as atividades acadêmicas do curso ( foco docentes e alunos/reunião de colegiado e líderes). - Continuação da oferta das Oficinas de nivelamento em Interpretação de Texto e outros que surjam de acordo com as necessidades identificadas; - Continuidade e ampliação dos grupos de estudo dirigida abrangendo todas as áreas do conhecimento; 111

112 - Aplicação de Simulados uma vez em cada semestre; - Manter a implementação de questão em prova referente ao padrão ENADE (destaque utilizar questões anteriores e ou no mesmo padrão); - Palestras motivacionais com profissional qualificados; - Acompanhar o desempenho dos discentes; - Após diagnósticos desenvolver estratégias de acordo com o desempenho dos discentes. 5º Objetivo: Ampliar as possibilidades e o tempo de permanência do egresso do Curso de Educação Física na IES a partir da oferta de cursos correlatos, bem como novas oportunidades de atuação para o corpo docente. - Abertura de novas turmas do curso de pós-graduação em Treinamento e Biodinâmica Aplicada à Saúde e Qualidade de Vida ; - Participação do Egresso nos Núcleos de Pesquisa e incentivo às pesquisas (Grupos de Estudo e Extensão) - Premiação para Egresso - Programa Alumni Estácio - Homenagem nas formaturas, e no Estácio Destaque Sucesso Profissional. O curso de Bacharelado em Educação Física da Faculdade Estácio de Sá de Vitória FESV, por meio de sua equipe de professores, prioriza proporcionar aos discentes a melhoria constante de seu aprendizado, bem como tornar o ensino de referência, principalmente por se tratar de um curso consolidado na Grande Vitória, sendo reconhecido pela sociedade com primor, respeito e com grandes realizações no que tange ao egresso (facilitação da entrada no mercado de trabalho, aprovação em cursos Stricto sensu). A qualidade na formação é o principal eixo norteador na integração de todos os envolvidos nesse processo, na qual estratégias vão sendo construídas de acordo com objetivos comuns, fundamentada em estruturas sólidas, promovendo o comprometimento de todos os envolvidos. 112

113 PÓS GRADUAÇÃO Políticas institucionais para cursos de pós-graduação (lato sensu* e stricto sensu*), na modalidade presencial, e suas formas de operacionalização. Os cursos de Pós-graduação têm por finalidade a especialização profissional, destinando-se aos graduados em cursos de ensino superior. Os cursos são regidos pela Resolução CNE/CES nº. 1, de 8 de junho de 2007, do Conselho Nacional de Educação. A FESV oferece cursos de pós-graduação lato sensu que visam à formação de pessoal qualificado para o exercício das atividades profissionais e de docência no ensino superior, em atendimento às exigências impostas pelo mercado de trabalho. No ensino de Pós-Graduação, assumem o compromisso de capacitar os recursos humanos para atender à demanda social que exige aprendizado contínuo, particularmente nas áreas profissionais, bem como o aperfeiçoamento permanente do seu corpo docente para melhoria do desempenho acadêmico-institucional. O Núcleo de Pós-Graduação é responsável por implementar as ações estratégicas com o objetivo de Estimular a criação de programas de pósgraduação interuniversitários para utilizar, de maneira mais eficiente, os recursos nacionais e internacionais; Capacitar seu corpo docente através de programas de pós-graduação próprios ou externos; Garantir estreita relação entre os programas de pós-graduação, graduação e pesquisa; Oferecer cursos de pós-graduação que complementem a formação profissional do aluno de graduação; Promover seminários, encontros, simpósios, congressos, workshops e outras atividades similares, proporcionando o enriquecimento curricular do aluno com temas da atualidade; Proporcionar assistência e orientação ao discente no que tange a elaboração de monografia ou trabalho de conclusão de curso; Organizar, promover e assegurar o desenvolvimento dos Cursos, de acordo com as normas legais e regimentais em vigor; Articular as políticas de graduação objetivando que aluno concluinte possa almejar seu ingresso numa pós-graduação na IES; Descontos para egressos; Estabelecimento de um rigor acadêmico mínimo, 113

114 estabelecido no regimento da instituição que reflete o real desempenho dos alunos nas atividades de ensino-aprendizagem; avaliação docente com parâmetro para o estabelecimento de ações de capacitação e outras intervenções que se fizerem necessária. A autoavaliação conduzida pela CPA tem contribuído para o acompanhamento do ensino de Pós-graduação, que tem apresentado cada vez mais número de inscrições; divulgação nas aulas inaugurais sobre o apoio que a instituição oferece aos alunos, possibilitando uma capacitação para atender a demanda do mercado de trabalho, sendo ainda possível contar com o programa de Orientação de carreira profissional pelo E3 (Espaço Estágio e Emprego) e oferta de vagas enviadas via aos alunos que cadastram seu currículo no SIA. Em 2014 além da grande divulgação dos cursos e novas estratégias para concorrer com as demais instituições locais e de outros estados que oferecem atrativos para os interessados, houve mudança na metodologia de ensino dos cursos através de grandes parcerias como Revista Veja e Harvard Business Publishing. Acarretando maior interesse de nossos alunos e aumento no numero de alunos. Dentre os 13 cursos ofertados em 2014, os de COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL (MBA), CONTROLADORIA ESTRATÉGICA E FINANÇAS (MBA), DIREITO CIVIL E PROCESSO CIVIL, DIREITO E PROCESSO DO TRABALHO E DIREITO PREVIDENCIÁRIO, DIREITO PÚBLICO: CONSTITUCIONAL, ADMINISTRATIVO E TRIBUTÁRIO, GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING E VENDAS e LOGÍSTICA EMPRESARIAL estavam com turmas em andamento. Os de DIREITO TRIBUTÁRIO, GESTÃO PÚBLICA e PLANEJAMENTO E GESTÃO DE EVENTOS não obtiveram matriculas suficientes para inicio de novas turmas. Os de ESTÉTICA CLÍNICA COM ÊNFASE EM TERAPIAS APLICADAS, GESTÃO EMPRESARIAL (MBA), GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS (MBA) iniciaram novas turmas com grande demanda de alunos, totalizando 342 alunos ingressantes nos cursos de pós-graduação, dentre os cursos já existentes e os novos cursos. 114

115 As ofertas de descontos para os egressos continuam atraindo a procura pelos cursos ofertados, bem como os programas de incentivo oferecidos por iniciativas públicas e privadas. Além do incentivo oferecido pela Instituição aos seus funcionários administrativos e docentes, como forma estimulo a capacitação e desenvolvimento de habilidades e conhecimentos. Objetivos do Projeto Ações realizadas Resultados alcançados Fragilidades Potencialidades Criar novos cursos de pósgraduação Foram ofertados e iniciados O número de Variedade de ofertas de bolsas e programas de que atendam à novos cursos de pós- concorrentes locais. incentivos. demanda do mercado. graduação lato sensu Concorrência de cursos à Cursos visam atender às necessidades do mercado do Garantir a qualidade dos Ofertas de cursos de maior distância com valores Estado do Espírito Santo. cursos para a especialização de demanda. menores. Docentes possuem 50% de desconto no curso de pósgraduação bons profissionais. Capacitação dos funcionários Pouca mídia local escolhido, propiciando assim a possibilidade e de atendimento para melhor especifica. atender os alunos. de colaborar com sua qualificação. Ampliação na oferta de cursos. Alocação da coordenação de Pós-graduação próxima à Sala de Matricula. Aumento significativo no número de inscrições e matriculas. Professores da própria instituição coordenando cursos, oportunizando complemento em sua renda. Mudança na metodologia de ensino, voltada para a prática e atualidade, capacitando o aluno de forma efetiva, com conteúdos alinhados com mercado de trabalho. CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO OFERECIDOS EM

116 CURSO CÓDIGO CH DIA HORÁRIO PERIODICIDADE COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL (MBA) SÁBADO 8 ÀS 18 QUINZENAL CONTROLADORIA ESTRATÉGICA E FINANÇAS (MBA) SÁBADO 8 ÀS 18 QUINZENAL DIREITO CIVIL E PROCESSO CIVIL SÁBADO 8 ÀS 18 QUINZENAL DIREITO E PROCESSO DO TRABALHO E DIREITO PREVIDENCIÁRIO SÁBADO 8 ÀS 18 QUINZENAL DIREITO PÚBLICO: CONSTITUCIONAL, ADMINISTRATIVO E TRIBUTÁRIO SÁBADO 8 ÀS 18 QUINZENAL DIREITO TRIBUTÁRIO SÁBADO 8 ÀS 18 QUINZENAL ESTÉTICA CLÍNICA COM ÊNFASE EM TERAPIAS APLICADAS SÁBADO 8 ÀS 18 QUINZENAL GESTÃO EMPRESARIAL (MBA) SÁBADO 9 AS 16:30 QUINZENAL GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING E VENDAS SÁBADO 8 ÀS 18 QUINZENAL GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS (MBA) SÁBADO 9 AS 16:30 QUINZENAL GESTÃO PÚBLICA SÁBADO 8 ÀS 18 QUINZENAL LOGÍSTICA EMPRESARIAL SÁBADO 8 ÀS 18 QUINZENAL PLANEJAMENTO E GESTÃO DE EVENTOS SÁBADO 8 ÀS 18 QUINZENAL DIMENSÃO 4: A Comunicação com a Sociedade A IES possui diversos canais de relacionamento com a sociedade, seu corpo de funcionários e corpo acadêmico, conforme previsto em seu PDI. (home page, setores de atendimento específicos, call center, torpedos.). No site da IES, existe, por exemplo, um link para a página da CPA, onde são apresentadas informações sobre o PDI, PPI e Relatório de Autoavaliação interna e resultados das avaliações externas. O PDI encontra-se disponível, na íntegra, na Biblioteca da IES. 116

117 Com a intenção facilitar e agilizar o contato e comunicação acadêmica a IES também disponibiliza o contato com a CPA através do e-mali: A IES também possui convênios com diversas empresas do setor público e privado. O objetivo do convênio com empresas é conceder descontos especiais nas mensalidades dos cursos de Graduação Tradicional, Graduação Profissional, Cursos de Pós-Graduação Latu Sensu promovendo assim uma maior participação e oportunidade de acesso à Educação Superior. No que se refere à comunicação com o público interno, a Faculdade Estácio de Sá de Vitória mantém o seu público interno informado sobre todos os assuntos relevantes aos cursos existentes na instituição e ao movimento desta para a comunidade em que se insere, atuando na confecção de banners, mailmarketing, cartazes, folheterias entre tantas outras formas de comunicação. Outras formas de comunicação interna são a TV e Rádio Estácio, que atualmente encontra-se em implantação. Os canais de comunicação com o público externo são: internet, rádio, televisão, folheteria, visitas às empresas, outdoor, bikedoor, banners, faixas, placas, infláveis e anúncios na mídia impressa. Na internet, o canal de comunicação oficial com o público externo é o site institucional onde são postadas informações sobre a Faculdade Estácio de Sá de Vitória e os diversos cursos desde os de Graduação e Pós-graduação, formas de ingresso, vantagens aos candidatos e informações legais como os relatórios da comissão própria, de avaliação do MEC e relatório aos investidores. Na Rádio Jovem Pan (100.1) são divulgados anúncios com spots de 15 a 30 segundos (os mesmo anunciados na internet). Aqui no Estado temos como principal trabalho na rádio as entrevistas dos Coordenadores dos cursos que focalizam para os jovens e interessados em estudar na instituição o que de mais relevante vem acontecendo com o mercado de trabalho, o diferencial de cada curso e outras tantas dicas. 117

118 Toda a mídia televisiva é feita exclusivamente pela Rede Globo de Televisão. No estado do Espírito Santo existe uma permuta que concede bolsas de estudos a funcionários da filial da Rede Record em Vitória, em troca de créditos em veiculação na programação. Anunciamos na Rede Record os mesmos produtos mencionados acima. A IES comunica-se também por meio da divulgação das suas atividades e interlocução com diferentes segmentos da sociedade visando a inserção de novas práticas, e a agregar informações que contribuam para o fortalecimento de sua imagem pública. Isso se dá através de suas ações de responsabilidade social, na parceria e convênio com as empresas locais. A partir desses contatos obtém - se informações acerca da impressão causada ao público externo, que auxiliam no planejamento de ações que reforcem a sua missão. O processo de avaliação contínua aponta novos caminhos e possibilidades de melhoria, em consonância com o PDI, que se concretizam por meio de treinamentos para o atendimento ao público externo e interno, bem como a utilização eficiente da sua marca de forma que comuniquem a verdadeira identidade da IES. É importante destacar as viabilidades do acesso à Intranet Estácio a partir de qualquer computador através do endereço: https://intranet.estacio.br. Isso permite que todos os colaboradores, docentes ou administrativos, obtenham informações e notícias publicadas, como também colaborem com o envio de notícias e artigos para publicação que sejam de interesse de toda a comunidade Estácio. Outro canal é o CONECTA, a rede social para disseminação do saber de boas praticas de todas as unidades do Brasil, visando o compartilhamento do conhecimento. A Ouvidoria On-line tem como objetivo principal atender às demandas dos alunos realizando os encaminhamentos necessários a partir da articulação com os diversos setores institucionais. 118

119 Dessa forma, a IES amplia o atendimento ao discente, que acontece, também, por meio do agendamento on-line para as demandas específicas da secretaria acadêmica, sala de matricula, E3, coordenações dos cursos ou direção institucional Coerência das ações de comunicação com a sociedade com as políticas constantes dos documentos oficiais. Objetivos do Projeto IES deve manter sua comunidade interna e externa informada de suas ações e deixar claro as formas de comunicação e horários de funcionários e professores da IES. Ações Realizadas Quadro de horário de atendimento em todos os setores informando sobre cada setor e seu respectivo gestor. Atendimento agendado no S.I.A Panfletagem e ações de rua, na mídia e entrevistas em Rádio e TV local; Publicidade de eventos no jornal do bairro. Divulgação de editais para seleção de docentes por meio do site institucional. Recrutamento interno para todas as unidades do país através da intranet Elaborado calendário de eventos institucionais semestrais. Fragilidades Resistência dos discentes ao utilizar os meios de comunicação e o SIA. Resultados alcançados Potencialidades Manter a comunidade interna e externa atualizada a respeito das atividades a serem realizadas por cada curso ou por iniciativa da Instituição, através de calendário semestral institucional. Dinamismo e confiabilidade na atualização de informações. A acessibilidade dos serviços da faculdade ao público externo. 119

120 Parcerias com empresas para direcionamento de alunos ao Mercado de Trabalho Visitas a instituições e empresas locais a fim de estabelecer parcerias atendendo as demandas da localidade. Convênios firmados com instituições públicas e privadas ampliando o número de oportunidades ofertadas aos alunos e egressos.. Empresários ofertam aos alunos e egressos da IES vagas de estágios, empregos e trainee disponibilizadas pelo E3 através do SIA e do portal de vagas. Orientação dos alunos sobre como se portar em uma entrevista seletivo. Manter atualizada a página da Estácio Vitória na Internet. Disponibilizar as informações acadêmicas na forma impressa e virtual, em atendimento à Portaria Normativa N 40. Espaço Estácio, Estágio e Emprego responsável pelos encaminhamentos de alunos no Mercado de Trabalho. Atualização constante do site institucional. Manutenção do hotsite da CPA. Disponibilização do resumo PDI e PPI na página da CPA, no site institucional. Disponibilização, na íntegra, do PDI e PPI na Biblioteca da IES. Atendimento parcial à Portaria 40. Centralização do servidor na mantenedora, dando maior segurança, dinamismo e confiabilidade na atualização das informações e bancos de dados. No site estão disponíveis informações sobre ações da CPA; ENADE; PROUNI; FIES; calendário acadêmico; comunicação com Egressos; Informações sobre os cursos da IES. Maior conhecimento do PDI e PPI por alunos e Professores. Acesso da comunidade ao PDI e PPI. 120

121 Assegurar a boa imagem externa e interna da IES. Panfletagem e ações de rua; Mídia e entrevistas em Rádio e TV local; Abordagem em terminais de Ônibus para divulgação dos cursos; Divulgação de novos canais de comunicação (redes sociais); Monitoramento dos murais da faculdade. Orientações para docentes e discentes ingressantes para o uso cotidiano do S I A Criação de uma ferramenta on-line Blog do presidente que possibilita a comunicação direta entre o colaborador e presidente da empresa. Programa Café com o Diretor, com a participação de líderes de turmas convidados, Diretor, Gerente Administrativo Financeiro, Regulatório e CPA para discussão de assuntos de interesse dos discentes. Resistência dos Fortalecimento da imagem institucional. discentes ao utilizar os meios de comunicação e o SIA. O SIA permite total integração da secretaria, financeiro, acadêmico, biblioteca. Socialização constante das atividades realizadas nos diferentes setores promovendo maior articulação entre os mesmos. A comunicação interna é realizada por , intranet (S I A), celular institucional, quadro de avisos, murais principais, CONECTA. Para acompanhamento e divulgação de resultados das autoavaliações e avaliações externas a CPA sugere e participa de reuniões mensais com liderança de todos os períodos de todos os cursos o que proporciona maior credibilidade ao processo e maior adesão nos semestres que sucedem às avaliações. 121

122 Ampliar o canal de comunicação direto para que sejam ouvidas as reclamações, sugestões e críticas. Facilidade de contato com os líderes de turma em reunião de líderes mensais. Criação de Back Office exclusivo para atendimento de requerimentos. Comunicação direta com o diretor. Maior agilidade no atendimento aos requerimentos encaminhados pelos discentes. Melhora na qualidade de atendimento aos usuários. Em virtude dos resultados das avaliações institucionais- CPA, foram criados meios para melhorar o atendimento da secretaria quanto ao atendimento dos alunos quanto à solicitação de requerimentos, monitorados pelo Regulatório com período mínimo de resposta ao aluno. 122

123 4.2. Comunicação interna e externa. Objetivos do Projeto Aprimorar os meios de comunicação com a comunidade interna e externa. Ações Realizadas Elaboração do calendário de eventos institucionais semestrais. Criação de eventos para fomentar discussão e debates de questões da atualidade e informações. Reuniões mensais com liderança de todos os períodos de todos os cursos. Treinamento para docentes, discentes e funcionários para otimização de acesso ao sistema de informação acadêmico S I A. A comunicação interna é realizada por , intranet (S I A), celular institucional, quadro de aviso, murais principais. Fragilidades Ainda há resistência dos discentes ao utilizar os meios de comunicação e o S I A, mas a cultura de utilização do mesmo está sendo implantada tanto no corpo docente quanto do corpo discente. Resultados alcançados Potencialidades Manter a comunidade interna e externa atualizada a respeito das atividades a serem realizadas por cada curso ou por iniciativa da Instituição, através de calendário semestral. Dados da avaliação interna sobretudo a cerca do atendimento ao aluno (comunicação interna), contribuíram no desenvolvimento das novas ferramentas para melhoria da comunicação interna. 123

124 Monitoramento dos murais da faculdade. Criação de rodízio para atendimento telefônico. Mapeamento de todos ramais ativos e utilizados nos setores, para melhoria do serviço de atendimento telefônico. Disponibilização na íntegra do PDI, na biblioteca da IES. Divulgação do Blog do presidente que possibilita a comunicação direta entre o colaborador e presidente da empresa. Total integração da secretaria, financeiro, acadêmico, biblioteca. Redução do tempo para a divulgação de informações. Confiabilidade nas informações divulgadas. Socialização constante das atividades realizadas nos diferentes setores promovendo maior articulação entre os mesmos. Divulgação do Conecta rede social para disseminação do saber de boas práticas de todas as unidades do Brasil, visando o compartilhamento do conhecimento. 124

125 9.4. Acompanhamento de egressos e criação de oportunidades de formação continuada O Programa de Acompanhamento de Egressos tem por função primordial a complementação da avaliação institucional, por meio da verificação do desempenho profissional dos ex-alunos. A instituição recebe do egresso as informações sobre o curso que concluiu e quais as variáveis que interferiram ou estão interferindo no desempenho da profissão escolhida. O programa de acompanhamento dos egressos disponibiliza na sua homepage um questionário para que os ex-alunos mensurem a contribuição da instituição na sua formação profissional, para que possam continuar vinculados à Instituição, incentivando-os na atualização, no aprimoramento profissional, com vistas à educação continuada, conforme definido no PDI. Inserção do discente e egresso no Mercado de Trabalho via E3(Espaço, Estágio e Emprego) que capta vagas de acordo com a oferta das empresas, encaminha informações aos alunos e egressos dentro do perfil desejado e, cadastrados no SIA, disponibiliza agendamento com professor orientador de carreira profissional a fim de orientar na elaboração de currículo, postura em entrevista, atitudes em dinâmica de grupo e opções para carreira profissional. Em 2014 foram atendimentos entre estágios, empregos e orientações para Carreira Profissional. Também foram divulgadas vagas de estágios e vagas de empregos. Pensando ainda no relacionamento com o egresso a Estácio criou o Programa ALUMNI ESTÁCIO que tem como objetivo lembrar e homenagear a história de vida mais inspiradora que envolva a trajetória pessoal e profissional de sucesso de um Egresso da Estácio. Dessa forma implanta a cultura de relacionamento com seus Egressos fomentando ações que possibilitem manter viva a amizade com os colegas de turma, dar a oportunidade de networking e desenvolvimento de carreira, gerar o interesse em usufruir de serviços da IES para o seu desenvolvimento contínuo e fortalecer os laços afetivos com os egressos, criando o sentimento de orgulho e pertencimento à instituição que estudou. O E3 é responsável por 125

126 realizar parcerias com instituições públicas e privadas, por manter os dados atualizados de empresas de recrutamento e seleção, e fomentar o cadastro dos egressos, a fim de oportunizar o acesso de seus alunos ao mercado de trabalho. Outra responsabilidade do E3 é a relação de convênios de cooperação técnico-acadêmica que busca oficializar parcerias entre a Instituição de Ensino e o mercado de trabalho visando o desenvolvimento e execução de programas e projetos de cooperação técnica e o intercâmbio em assuntos educacionais e mercadológicos e o estabelecimento de mecanismos para sua realização. Objetivos do Projeto Ações realizadas Resultados alcançados Observações.Desenvolver a conscientização dos formandos sobre a importância da formação continuada através da valorização dos cursos de pós-graduação e extensão promovidos pela instituição..divulgação dos cursos de pós-graduação e extensão, através do site da Faculdade com oferecimento de bolsa aos ex-alunos. Fragilidades Potencialidades - - Oferta de bolsas de pós-graduação para egressos. - Incentivo à participação dos alunos nos períodos finais no processo de autoavaliação. - Informação e convite aos egressos para a participação nos eventos institucionais. 126

127 .Ampliar espaços de atuação dos egressos na vida da instituição. Promover a capacitação para os funcionários do E3. Aperfeiçoar os meios de comunicação no setor. Eventos de empregabilidade.participação do egresso nas aulas inaugurais para o lançamento do Projeto Programa Alumni Estácio..Absorção de alunos egressos no quadro de funcionários da Instituição. Divulgação do programa Portfólio de Treinamentos (cursos on-line e presenciais). Exploração dos murais dos setores expondo os comunicados de interesse do E3. Feira de Estágios e Empregos. Empresas no E3. Institucionalização do Prêmio Estácio Destaque com a integração entre alunos ingressantes, veteranos e egressos, bem como a comunidade externa. Maior comprometimento do funcionário no caso de contratação de egressos. Oferta de cursos de Relacionamento Interpessoal, Atendimento ao público e Relações Humanas. Participação de agentes de integração e empresas de Consultoria em RH. Empresas realizam seleção no E3. 127

128 Ações para 2015: Objetivos (*) Ampliar a participação das empresas parceiras no dia-a-dia do setor e da instituição. Intensificar o E3 itinerante. Ações Previstas - Conciliar o calendário de eventos do setor para propiciar a maior participação dos parceiros na instituição. - Promover mensalmente a montagem do E3 Itinerante na unidade com atendimentos específicos sobre montagem de currículos, como se portar em entrevistas, etc. Inserir o E3 e o tema empregabilidade no cenário acadêmico. - Organizar e promover o FORUM DA EMPREGABILIDADE onde serão debatidos os rumos do mercado de trabalho no estado por profissionais do mercado, órgãos governamentais e alunos. 128

129 2.3.3 Dimensão 9 - Políticas de atendimento aos discentes Em sua política de atendimento aos discentes a Faculdade Estácio de Sá de Vitória, a preocupa-se com a formação teórica e prática dos seus alunos, dando importância às Atividades Complementares; Projetos Integrados entre as disciplinas; Atividades Estruturadas e à disciplina de Estágio Supervisionado. Há ainda, disponível no SIA, no site da IES um programa gratuito, denominado Gabaritando cujo objetivo é o nivelamento dos alunos em algumas disciplinas de todos os cursos e para reforçar a aprendizagem, também no site, é possível complementar os conteúdos com a Aula +. Essas atividades didáticas são desenvolvidas paralelamente à matriz curricular com a orientação dos educadores, sob a forma de pequenos cursos, oficinas, grupos de estudo on-line, através da sala de aula virtual. As modalidades de nivelamento objetivam criar condições para que os educandos desenvolvam as habilidades e competências necessárias ao cumprimento das atividades propostas pelo curso. Com elas, pretende-se minimizar as lacunas de conhecimento apresentada pelos egressos do ensino médio. Vale ressaltar, que a adesão ao Programa de nivelamento é voluntária. O educando poderá escolher, entre as atividades oferecidas, as que mais se adaptam aos seus horários e às suas possibilidades. Para complementar a teoria com a prática, a Faculdade Estácio de Sá de Vitória busca oportunidades no mercado para inserir seus alunos como estagiários, de acordo com regulamento e critérios adequados a esta prática. Nos termos da Resolução CNE/CES nº 09/2004, o Estágio Supervisionado é componente curricular obrigatório, indispensável à consolidação dos desempenhos profissionais desejados, inerentes ao perfil do formando. Como exemplo, o Laboratório de Prática Jurídica foi estruturado e é operacionalizado de acordo com regulamentação própria. Os educandos devem se vincular ao LPJ a partir do 7 período e cumprir quatro períodos de estágio, realizando, no mínimo setenta e cinco horas de atividades práticas por período. O LPJ mantém Escritório de Assistência Jurídica Gratuita e Núcleo de Mediação de Conflitos, destinados ao atendimento da população hipossuficiente. O trabalho é realizado pelos estagiários, sob a supervisão de advogados orientadores. Além dos serviços de assistência judiciária implantados no LPJ, o Curso de Direito supervisiona o estágio dos educandos da IES realizado nos órgãos do 129

130 Poder Judiciário, do Ministério Público e da Defensoria Pública ou ainda em departamentos jurídicos oficiais, avaliando as atividades de estágio externo por meio da exigência de elaboração de relatórios pelos estagiários que deverão ser encaminhados à Coordenação de Estágio, a cada semestre. É por intermédio da Prática Jurídica real, primordialmente, que o ensino do Direito sai da sala de aula, para permitir uma interação maior dos educandos com a população, com as empresas e com os diversos órgãos públicos envolvidos no acesso à justiça. Na verdade, objetivando criar os alicerces necessários ao exercício profissional, a prática jurídica volta-se à realização de atividades que desenvolvem as habilidades de leitura, compreensão, interpretação e análise crítica do Direito. Por isso, além do atendimento aos assistidos, a elaboração de peças processuais e o acompanhamento dos processos, sob supervisão de advogados-orientadores, são vivenciadas simulações de mediação, arbitragem e conciliação e, posteriormente, a vivência real destas atividades. A integração entre a teoria e a prática também se faz por meio da realização de audiências, de análise de autos findos, de visitas a agências governamentais e comunitárias, de pesquisas legislativas, doutrinárias e jurisprudenciais. O cumprimento das atividades do estágio é submetido à avaliação pelos advogados orientadores e pelo Coordenador de Práticas Jurídicas da unidade, de forma continuada, através do acompanhamento das atividades semanais, dos relatórios elaborados ao final das visitas e da correção das peças processuais elaboradas. O educando cuja avaliação não for satisfatória não terá a carga horária daquela atividade contabilizada em seu histórico escolar Coerência das políticas de atendimento aos discentes com o estabelecido em documentos oficiais. 130

131 Objetivos do Projeto Ações realizadas Resultados alcançados Observações Fragilidades Potencialidades 131

132 . Promover a capacitação para.identificação das dificuldades - Equipe de funcionários os funcionários da Secretaria. dos funcionários por meio de -Ainda faz-se necessária com maior qualificação reunião no setor. a implementação de técnica. uma metodologia que - Maior - Divulgação do programa reforce a participação comprometimento do Portifólio de Treinamentos espontânea do corpo funcionário no caso de (cursos on-line e presenciais). técnico administrativo contratação de egressos. em capacitações e - Foram inseridos os - Continuidade dos programas de treinamentos. curso de Ambientação, capacitação profissional do Boa Performance em quadro administrativo.. Apresentações ao Público, Aprenda a Administrar o seu Tempo, Aumente seu Potencial Criativo, Como Negociar e Obter Sucesso, Hospitalidade, Sustentabilidade, Desenvolvimento Pessoal e Interpessoal e Etiqueta Profissional como criar uma imagem de sucesso no Portfólio de cursos para pessoal 132 administrativo

133 .Aprimorar a integração entre a Secretaria e as Coordenações dos Cursos..Aperfeiçoamento da troca de informação entre a Secretaria e as Coordenações quanto aos procedimentos e prazos das atividades do setor, fornecendo por escrito os procedimentos e prazos dos serviços..promoção reunião entre Secretaria e as Coordenações de Curso para discutir os assuntos inerentes aos setores..disponibilidade para agendar as reuniões..preparado um cronograma de reuniões. - Disponibilidade dos dois órgãos para ajuda mútua. - Possibilidade de utilização de vários canais de comunicação para solução de problemas. 133

134 .Aperfeiçoar os meios de.explorar os murais da.necessidade de criar.realização de comunicação no setor. secretaria, central, coordenação uma campanha para reuniões no setor a fim expondo os comunicados de desenvolver a cultura de solucionar o interesse do setor. de leitura dos murais. problema. Criação de um organograma para Cada funcionário tem melhoria do atendimento aos Precisa melhorar ainda clareza do seu papel; a alunos. mais o atendimento uma melhoria do telefônico. atendimento telefônico uma das fragilidades apontadas pela CPA, a partir da análise dos resultados da últimas avaliações institucionais. Programas de apoio ao desenvolvimento acadêmico dos discentes referentes à realização de eventos Objetivos do Projeto Ações realizadas Resultados alcançados Observações 134

135 Fragilidades Potencialidades Apoio ao discente em A IES oportuniza os discentes em Existe uma formalização. sua participação de participações em eventos, conforme dos processos para acesso eventos. determina o PDI. aos eventos. A IES também - Visitas Técnicas. viabiliza acesso aos eventos - Criação de bolsas estudantis. realizados na própria -Atividades Complementares. Instituição. - Ações Sociais Condições institucionais de atendimento ao discente. Objetivos do Projeto Ações realizadas Resultados alcançados Observações Fragilidades Potencialidades.Aperfeiçoar os.identificação das dificuldades mecanismos de apoio pessoais e pedagógicas dos acadêmico visando ao discentes. acompanhamento.reunião com o corpo docente para pedagógico dos a apresentação dos problemas discentes e dos identificados. docentes em.participação em reuniões de estudos - Nível de comprometimento dos alunos em relação às monitorias ofertadas..atendimento agendado.. Atuação do atendimento psicopedagógico.. Envolvimento das coordenações dos cursos e docentes nos programas de formação continuada (PIQ, 135

136 atendimento às dificuldades referentes ao processo de ensino aprendizagem. e capacitação didático-pedagógica aos docentes, junto às coordenações de curso. - Utilização do Programa Gabaritando (questões online para verificação da aprendizagem nos assuntos específicos dos cursos) Organização de grupos de estudos. - Monitorias nos diferentes cursos. Fóruns, Telepresenciais. Ações implementadas: Recepção dos calouros: favorecendo o contato inicial com a instituição escolhida e para a divulgação dos recursos disponíveis para auxiliá-los nas suas atividades acadêmicas. Reuniões periódicas com os líderes: participação, junto aos coordenadores acadêmicos, das reuniões com os líderes de turma. Nessas ocasiões, a coordenação pedagógica incentiva os líderes a avaliarem os serviços prestados pela IES, a estrutura física e a relação professor-aluno, destacando os aspectos positivos e os que requerem melhoria, considerando que a fala de cada líder deve representar a opinião de sua turma. Dessa forma, os alunos são estimulados a desenvolver uma observação crítica de seu papel enquanto representantes de turma, além da importância de atuarem com bom senso e ética. Reuniões da CPA com representantes das turmas com o Gestor da unidade para discussão das potencialidades, fragilidades e sugestões. 136

137 Objetivos do Projeto Ações realizadas Resultados alcançados Observações.Criar novas formas de apoio pedagógico aos alunos em atendimento a realidade sócio cultural e às novas políticas públicas..criar controle dos inscritos no ENADE..Acompanhamento do desempenho dos alunos oriundos do FIES..Implantação do NAI Núcleo de Acessibilidade e Inclusão que oferta o atendimento psicopedagógico. Fragilidades. Desenvolver a cultura de o próprio aluno buscar a apoio, e envolver-se nos programas e espaços de apoio e acompanhamento psicopedagógico. Potencialidades.Criação de arquivos e cadastros exclusivos para o ENADE. - Qualidade no funcionamento do Comitê de ENADE coordenado pelo setor regulatório que tem como objetivo orientar os coordenadores de curso nas ações administrativas e operacionais, além de informar e fornecer suporte aos alunos. - Acompanhamento de egressos e criação de oportunidades de formação continuada O Programa de Acompanhamento de Egressos tem por função primordial a complementação da avaliação institucional, por meio da verificação do desempenho profissional dos ex-alunos. A instituição recebe do egresso as informações sobre o curso que concluiu e quais as variáveis que interferiram ou estão interferindo no desempenho da profissão escolhida. O programa de acompanhamento dos egressos disponibiliza na sua homepage um questionário para que os ex-alunos mensurem a contribuição da instituição na sua formação profissional, para que possam continuar vinculados à Instituição, incentivando-os na atualização, no aprimoramento profissional, com vistas à educação continuada, conforme definido no PDI. 137

138 Inserção do discente e egresso no Mercado de Trabalho via E3(Espaço, Estágio e Emprego) que capta vagas de acordo com a oferta das empresas, encaminha informações aos alunos e egressos dentro do perfil desejado e, cadastrados no SIA, disponibiliza agendamento com professor orientador de carreira profissional a fim de orientar na elaboração de currículo, postura em entrevista, atitudes em dinâmica de grupo e opções para carreira profissional. Pensando ainda no relacionamento com o egresso, a FESV divulga o Programa ALUMNI ESTÁCIO - um concurso cultural que vai premiar a história de vida mais inspiradora que envolva a trajetória pessoal e profissional de sucesso de um Egresso da Estácio. Dessa forma implanta a cultura de relacionamento com seus Egressos fomentando ações que possibilitem manter viva a amizade com os colegas de turma, dar a oportunidade de networking e desenvolvimento de carreira, gerar o interesse em usufruir de serviços da IES para o seu desenvolvimento contínuo e fortalecer os laços afetivos com os egressos, criando o sentimento de orgulho e pertencimento à instituição que estudou. O E3 é responsável por realizar parcerias com instituições públicas e privadas, por manter os dados atualizados de empresas de recrutamento e seleção, e fomentar o cadastro dos egressos, a fim de oportunizar o acesso de seus alunos ao mercado de trabalho. Outra responsabilidade do E3 é a relação de convênios de cooperação técnico-acadêmica que busca oficializar parcerias entre a Instituição de Ensino e o mercado de trabalho visando o desenvolvimento e execução de programas e projetos de cooperação técnica e o intercâmbio em assuntos educacionais e mercadológicos e o estabelecimento de mecanismos para sua realização. Objetivos do Projeto Ações realizadas Resultados alcançados Observações Fragilidades Potencialidades 138

139 .Desenvolver a conscientização dos formandos sobre a importância da formação continuada através da valorização dos cursos de pósgraduação e extensão promovidos pela instituição.. Dar continuidade à ampliação espaços de atuação dos egressos na vida da instituição. Promover a capacitação para os funcionários do E3. Aperfeiçoar os meios de comunicação no setor. Eventos de empregabilidade.divulgação dos cursos de pós-graduação e extensão, através do site da Faculdade com oferecimento de bolsa aos ex-alunos..participação do egresso nas aulas inaugurais para o lançamento do Projeto Programa Alumni Estácio..Absorção de alunos egressos no quadro de funcionários da Instituição. Divulgação do programa Portfólio de Treinamentos (cursos on-line e presenciais). Exploração dos murais dos setores expondo os comunicados de interesse do E3. Feira de Estágios e Empregos. Empresas no E Oferta de bolsas de pósgraduação para egressos. - Incentivo à participação dos alunos nos períodos finais no processo de autoavaliação. - Informação e convite aos egressos para a participação nos eventos institucionais. Institucionalização do Prêmio Estácio Destaque com a integração entre alunos ingressantes, veteranos e egressos, bem como a comunidade externa. Maior comprometimento do funcionário no caso de contratação de egressos. Oferta de cursos de Relacionamento Interpessoal, Atendimento ao público e Relações Humanas. Participação de agentes de integração e empresas de Consultoria em RH. Empresas realizam seleção no E3. 139

140 Objetivos (*) Ampliar o relacionamento com as empresas parceiras e firmar novas parcerias. Ampliar a participação das empresas parceiras no dia-adia do setor e da instituição. Ações Previstas - Visitar empresas conveniadas com maior frequência. - Buscar novos parceiros que amplifiquem o relacionamento com o mercado de trabalho. - Conciliar o calendário de eventos do setor para propiciar a maior participação dos parceiros na instituição EIXO Dimensão 5: As políticas de pessoal, de carreiras do corpo docente e corpo técnico administrativo, seu aperfeiçoamento, seu desenvolvimento profissional e suas condições de trabalho. Em 2014, o Plano de Cargos e Carreira Docente foi amplamente divulgado. Já o Plano de Cargos e Carreira para os técnicos-administrativos, em fase de implantação, foi revisto e estudos para a sua concussão tiveram em andamento. Em relação às condições do ambiente de trabalho, os funcionários da Faculdade Estácio de Vitória, recebem monitoramento da CIPA que cumpre seu papel conforme determina a legislação. 140

141 Ações como: palestras, humanização dos setores, realocação de colaboradores para outras funções, momentos de integração, são implementadas continuamente, promovendo uma significativa melhoria no clima organizacional. Quanto à avaliação dos candidatos ao corpo docente a Faculdade Estácio de Sá de Vitória, adota uma sistemática prévia de avaliação através de uma banca examinadora da qual fazem parte, um professor com experiência docente e/ou profissional da área da disciplina, o coordenador do curso e um pedagogo, além de requerer preferencialmente a titulação de mestre ou doutor. O edital e as vagas são divulgados no portal da IES. Os candidatos são avaliados com base nos seguintes critérios: comunicação e linguagem corporal, capacidade de análise e síntese, conteúdo técnico, uso da palavra e utilização de equipamentos de apoio pedagógico. De modo geral, pode-se considerar que as condições do ambiente físico de trabalho melhoraram ainda mais, tanto para docentes quanto para técnicos-administrativos. No que tange à qualificação, vê-se que por meio do SIA muitos treinamentos vêm sendo ofertados aos colaboradores técnicos-administrativos (Portifólio de Treinamentos) e aos professores por meio do PIQ (Programa de Incentivo à Qualificação Docente), proporcionando uma permanente qualificação na busca da excelência. O PIQ Mérito se desdobra em duas ações importantes: o reconhecimento e incentivo à produção científica e a concessão de bolsas para cursos de pós-graduação stricto sensu. Além disso, a instituição incentiva a formação em exercício por meio de palestras tele transmitidas e fóruns docentes, cursos à distância e oficinas presenciais O setor de recursos humanos da Faculdade Estácio de Vitória procura desenvolver políticas e de qualificação do pessoal técnico e administrativo a partir de diagnóstico junto às lideranças sobre as necessidades de formação, treinamento acompanhamento e avaliação. Além disso, desenvolve um Programa de Benefícios através de convênio com: instituições de saúde (médica e odontológica), instituições financeiras 141

142 para empréstimo de urgência; além da oferta de bolsas de estudos na própria instituição para funcionários e filhos de funcionários, respeitando a convenção e acordo coletivo. O índice de satisfação do corpo docente e técnico-administrativo é mensurado por meio da Avaliação Institucional online (docentes) e pesquisa de Clima Organizacional. Os resultados são apresentados pela CPA ou Direção Geral e discutidos com os funcionários. O plano de ações para melhoria é elaborado e executado a partir dessas interações, conforme o modelo de gestão participativa e a relevância do trabalho em equipe características explícita na identidade da IES Coerência das políticas de pessoal, de carreiras do corpo docente e corpo técnico-administrativo, seu aperfeiçoamento, seu desenvolvimento profissional e suas condições de trabalho com as políticas firmadas em documentos oficiais. 142

143 Objetivos do Projeto Ações realizadas Resultados alcançados - Verificar se as políticas de pessoal, de carreira do corpo docente e corpo técnico administrativo, seu aperfeiçoamento, seu desenvolvimento profissional e suas condições de trabalho com as políticas firmadas em documentos oficiais. Incentivo à qualificação por meio dos Programas: PIQ (Programa de Incentivo à Qualificação Docente); PIQ Fórum (valorização das melhores práticas docentes), e PIQ Mérito (estímulo à produção de relevância Científica e social). Fragilidades Potencialidades..Corpo docente com maior disponibilidade para as atividades docentes, de pesquisa e de extensão. - Divulgação de Edital e regulamentação do processo seletivo para contratação de docente, fazendo assim uma seleção mais transparente. - Revisão e homologação do PCD (Plano de Carreira Docente). -Documentação comprobatória de titulações organizada. - Remuneração variável; -Oferta de capacitação online e formação continuada presencial. -Regime de trabalho de acordo com a CLT. -Capacitação e Formação continuada permanente para os docentes e funcionários, com base nos resultados das avalições internas. - Oferta de Bolsa para primeira graduação para os Técnicos- Administrativos. - Oferta de Bolsa de Pós-graduação para professores e funcionários. -Política de incentivo ao mestrado e doutorado. 143

144 Formação do corpo docente. Objetivos do Projeto Ações realizadas Resultados alcançados Observações.Definir critérios para seleção e admissão de docentes. - Criação de documento para seleção de professores e progressão na carreira docente.com os critérios que são permeados pelos seguintes procedimentos: análise de currículo, banca avaliativa e entrevista. Divulgação de Edital e regulamentação do processo seletivo para contratação de docente, fazendo assim uma seleção mais transparente. Fragilidades. Dificuldade para contratar docentes com disponibilidade de tempo integral, em determinadas carreiras. Potencialidades. Corpo docente com maior comprometimento e disponibilidade para as atividades docentes, de pesquisa e de extensão. - Avaliação prévia dos candidatos à docência; clareza nos critérios e transparência no processo de seleção. - Retorno do resultado das avaliações internas como subsídios para ações das coordenações dos cursos e organização das capacitações para docentes. O corpo docente da Faculdade de Vitória está sujeito à prestação de serviços semanais, em conformidade às orientações do INEP, dentro dos seguintes regimes: Professor Horista (contratados exclusivamente para ministrar horas-aulas; Regime de Tempo Parcial (TP), Regime de tempo integral com 10 ou mais horas semanais de trabalho; (TI) docentes contratados com 40 horas semanais. As horas de trabalho não utilizadas como 144

145 carga didática do docente são distribuídas em preparo de aulas, assistência aos alunos, preparação e correção de provas e exames, pesquisas, funções administrativas, reuniões em órgãos colegiados, trabalhos práticos ou atividades de assessoria e Extensão. TITULAÇÃO QTE. % DOUTOR 09 11,25% MESTRE 38 47,50% ESPECIALISTA 33 41,25% GRADUADO TOTAL ,00% REGIME DE TRABALHO TOTAL QTE. % Tempo integral 11 13,75 Tempo parcial 30 37,50 Horista 39 48,75 TOTAL % 145

146 Condições institucionais para os docentes. Objetivos do Projeto Ações realizadas Resultados alcançados Observações.Atualizar o Plano de Carreira Docente..Plano foi atualizado com as categoria de professor Tempo Integral = 40 horas e Tempo Parcial = 30h, 20 e 10h. - Realização de reuniões para comunicação e esclarecimentos de dúvidas sobre o Plano de Carreira Docente. - Plano de Carreira Docente institucionalizado. Fragilidades Potencialidades.Atendimento às expectativas da comunidade interna..consolidação do plano de carreira docente. Condições institucionais para o corpo técnico-administrativo. 146

147 Objetivos do Projeto Ações realizadas Resultados alcançados Observações - Incrementar as formas de divulgação de vagas para movimentação interna - Dar continuidade a capacitação aos técnicos administrativos. - Realizar estudo para implantação do Plano de Cargos e Salários dos Técnicos-Administrativos - Envio de para divulgação dos processos de movimentação interna, divulgação no site e nos quadros de avisos. - Divulgação do programa Portifólio de Treinamentos (cursos on-line e presenciais), nas reuniões dos setores e por meio de cartazes. - Realização de curso de capacitação presencial. - Acompanhar o levantamento dos dados necessários para a implantação do Plano de Cargos e Salários. - Articular com os setores responsáveis pela elaboração do Plano de Cargos e Salários dos Técnicos-Administrativos. Fragilidades Potencialidades - Equipe de funcionários com maior qualificação técnica. - Maior comprometimento do funcionário no caso de contratação de egressos. - Fortalecimento de competências técnicas e comportamentais. - Oferta dos cursos Processos e Ferramentas no SIA, Qualidade no Atendimento, Compromisso com o Trabalho e seus Impactos. - Concessão de horário para que os técnicos-administrativos possam participar de capacitação e treinamentos presencial e à distância (Portifólio de Treinamento Online). Em 2014 pôde-se perceber um comprometimento ainda maior de todos os setores em relação às regras institucionais, tal mudança refletiu devido à ampliação dos acessos às ferramentas de trabalho, otimização do tempo e do bem-estar dos Técnicos-Administrativos, tudo isso em resposta às reflexões realizadas nas reuniões com a CPA e colaboradores. 147

148 Dimensão 6: Organização e gestão da instituição, especialmente o funcionamento e representatividade dos colegiados, sua independência e autonomia na relação com a mantenedora, e a participação dos segmentos da comunidade universitária nos processos decisórios. O planejamento de gestão da IES é participativo, sendo definido com a participação das coordenações de curso, questionamentos em reuniões dos Colegiados e resultados das Avaliações Institucionais. Desta forma, as ações necessárias para melhorias são encaminhadas à Gerência Acadêmica para incluir no planejamento de gestão, plano de ações e metas para o cumprimento das solicitações. Todas as ações do colegiado são independentes e autônomas em relação à mantenedora e suas decisões estão coerentes com o PDI. Suas ações são baseadas nas análises feitas sobre a situação. A realização e a divulgação da avaliação institucional que envolve a participação dos discentes e docentes da IES contribuem fortemente para o envolvimento da comunidade acadêmica no melhoramento contínuo da faculdade e seus processos. Os Conselhos Superiores, Colegiados de Curso, Coordenadorias, Núcleo Docente Estruturante, CPA, Ouvidoria e órgãos complementares, são importantes instâncias de decisão uma vez que contam na sua composição com representantes de toda a comunidade acadêmica (docentes, técnicoadministrativos e discentes) e comunidade externa. Nesse sistema de gestão a análise dos resultados da avaliação institucional (interna e externa) constitui um dos pilares na construção do planejamento estratégico. A pesquisa de clima organizacional também é uma ferramenta utilizada pelos gestores como um instrumento de gestão. Essa pesquisa é respondida pelos funcionários de todas as áreas, e em 2013 a meta foi ultrapassada em 0,5%. 148

149 Os coordenadores de curso também participam da pesquisa e avaliam os docentes, buscando subsídios na avaliação institucional para definição de ações a realizar e os docentes conhecedores dos fatores que são avaliados se comprometem mais com o ensino aprendizagem. A infraestrutura é prioridade também para adequação às necessidades para a melhoria do ensino, o planejamento realizado em 2012 para novas reformas foram realizados em 2013, como reforma na biblioteca, o qual o acervo foi fechado. A CPA acompanha a efetiva participação dos discentes em reuniões de líderes e reuniões de Colegiado demonstrando os resultados referentes a Coerência da organização e da gestão da instituição com as políticas firmadas em documentos oficiais. Objetivos do Projeto Ações realizadas Resultados alcançados Fragilidades Potencialidades Cumprir o Regimento Interno de acordo com as demandas da Faculdade. As práticas da gestão institucional foram avaliadas e estão em consonância com as exigências do PDI. -Reuniões periódicas com os Conselhos Superiores a fim de avaliar e redirecionar o andamento da IES, baseado no que rege o Regimento Interno e o PDI. Divulgado em todos os meios de comunicação interna, inclusive com envio de s para os gestores. Permite a discussão em todos os segmentos da comunidade acadêmica. Gestão participativa. Ações e decisões dos colegiados estão coerentes com o PDI. Contribuição da Avaliação Institucional no melhoramento contínuo da faculdade e seus processos por meio de orientações CPA.. Transparência e agilidade na divulgação das mudanças implementadas. Gestão institucional (considerar as especificidades da gestão de cursos a distância, quando for o caso). Objetivos do Projeto Ações realizadas Resultados alcançados Fragilidades Potencialidades Entender as práticas de gestão Avaliação das práticas da gestão A IES segue as exigências do PDI, bem como o que 149

150 institucional, verificando se está coerente com a qualidade e ação exigida pelo PDI. institucional, verificando se suas ações estão em consonância com as exigências do PDI. Ampliação do acesso ao conhecimento por meio de implementação de políticas e práticas de educação a distância conforme previsto no PDI. determina as decisões dos conselhos superiores, colegiados de curso. A IES (Pólo de EAD) ampliou a oferta de ensino a partir da abertura de novos cursos de graduação à distância: Graduação (Bacharelado e Licenciatura) Graduação Tecnológica. Conforme proposto no PDI. A partir dos resultados das avaliações- CPA, foi possível reestruturar os processos de acompanhamento das ações referentes ao polo EAD com a contratação de Coordenador. Funcionamento, representação e autonomia dos Conselhos Superiores. Todos os conselhos atuam com autonomia e consciência do seu papel regulatório, elaborando manuais, revisando regulamentos e deliberando assuntos contingenciais da IES. Vê-se que há dificuldade em mobilizar os discentes, que em sua grande maioria trabalha e estuda, não disponibilizando de tempo para participar destes colegiados. Ainda, vê-se a necessidade que estes colegiados prestem contas de sua atuação junto à comunidade acadêmica. Objetivos do Projeto Ações realizadas Resultados alcançados Fragilidades Potencialidades 150

151 - Avaliar o roteiro traçado pela IES, bem como o redirecionamento do planejamento. - Reuniões periódicas com os Conselhos Superiores a fim de avaliar e redirecionar o andamento da IES, baseado no que rege o Regimento Interno e o PDI. O funcionamento e a representatividade dos Conselhos superiores cumprem seus dispositivos regimentais e estatutários. Funcionamento, representação e autonomia dos colegiados de curso. Objetivos do Projeto Ações realizadas Avaliar as programações dos Cursos, bem como o redirecionamento do planejamento. Reuniões periódicas com o colegiado dos cursos a fim de avaliar e redirecionar o andamento dos Cursos de Graduação, de acordo com o PDI e PPC. Divulgação do Regimento Interno para os docentes e discentes. Participação dos docentes no NDE para acompanhar e sugerir melhorias quanto às atividades e conteúdo de cada disciplina do seu curso Fragilidades Baixa frequência dos discentes. Resultados alcançados Potencialidades O funcionamento e a representatividade dos Colegiados de Curso cumprem seus dispositivos regimentais e estatutários. Regimento interno reformulado e divulgado pelo site aos alunos. Sugestões dos NDEs acatadas em 2013 pelos coordenadores. 151

152 2.10. DIMENSÃO 10: Sustentabilidade financeira, tendo em vista o significado social da continuidade dos compromissos na oferta da educação superior. A Faculdade Estácio de Sá de Vitória busca atender às suas necessidades de sustentabilidade financeira, em conformidade com sua missão e de acordo as ações planejadas em conjunto com os resultados da Avaliação Institucional, Pesquisa de Clima Organizacional e outras demandas necessárias às melhorias da qualidade no atendimento aos discentes e cursos relacionadas nos PPCs. A Faculdade Estácio de Sá de Vitória, na elaboração de seu planejamento orçamentário, leva em consideração alguns aspectos, tais quais: Projeção das receitas: mensalidades de graduação, pós-graduação e extensão, taxas; Projeção das receitas: receitas alternativas; Projeção dos custos com pessoal administrativo; Projeção dos custos com docente; Projeção dos custos com serviços de terceiros; Projeção dos custos diretos e indiretos; Projeção de evasão de alunos; Previsão de inadimplência. Com o levantamento dos cursos ofertados, com base no número de alunos, carga horária de docentes, reajuste da inflação, é elaborado a projeção orçamentária da instituição. Uma vez levantado toda a receita e despesas, bem como diagnosticado os resultados, todo o investimento passa a ser planejado. Depois de o planejamento orçamentário passar pela aprovação de uma Comissão Institucional, levamos à execução do projeto. Toda esta execução é auditada anualmente e cabe ao Conselho o parecer final. Demonstrativo de Receitas e Despesas dos cursos atuais para o período de 2012 a 2016: 152

153 153

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL - CHILE APRESENTAÇÃO O Setor de Educação Superior da Província

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação de Ensino Superior de Ibaiti UF: PR ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade de Educação, Administração

Leia mais

Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Abril de 2012 Página 1 de 11 Sumário Introdução 3 Justificativa 5 Objetivos 6 Metodologia 7 Dimensões de

Leia mais

SEMINÁRIO DE GRADUAÇÃO ENADE 2015

SEMINÁRIO DE GRADUAÇÃO ENADE 2015 SEMINÁRIO DE GRADUAÇÃO ENADE 2015 ROTEIRO SINAES Princípios e concepções Os Ciclos Avaliativos do Enade e os Indicadores de Qualidade Enade 2015 PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DO SINAES Responsabilidade : responsabilidade

Leia mais

FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013

FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013 FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013 Sete Lagoas Março de 2014 Sumário 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO... 4 1.1. Composição da Comissão

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Escola Superior de Propaganda e Marketing UF: SP ASSUNTO: Recredenciamento da Escola Superior de Propaganda

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Faculdades Nordeste S/A UF: CE ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade Nordeste, com sede no Município de Fortaleza,

Leia mais

Cursos de Administração: qualidade necessária. XIV Fórum Internacional de Administração

Cursos de Administração: qualidade necessária. XIV Fórum Internacional de Administração Cursos de Administração: qualidade necessária XIV Fórum Internacional de Administração Rio de Janeiro, 18 de maio de 2015 ENSINAR, APRENDER, AVALIAR... TRAJETÓRIA DA AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO SUPERIOR CAPES avaliação

Leia mais

DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL EXTERNA

DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL EXTERNA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - Sinaes Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior - Conaes Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio

Leia mais

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES EDUCAÇÃO SUPERIOR BRASILEIRA ALGUNS INDICADORES¹ 2.314 IES 245 públicas (10,6%) e 2.069

Leia mais

Plano de Ação da CPA

Plano de Ação da CPA Centro Universitário do Estado do Pará - CESUPA Plano de Ação da CPA Ano 2014 CPA/CESUPA 2014 C o m i s s ã o P r ó p r i a d e A v a l i a ç ã o C P A / C E S U P A APRESENTAÇÃO O plano de ações da CPA

Leia mais

FACULDADE DE ENGENHARIA DE MINAS GERAIS FEAMIG PLANO DE MELHORIAS ACADÊMICAS

FACULDADE DE ENGENHARIA DE MINAS GERAIS FEAMIG PLANO DE MELHORIAS ACADÊMICAS FACULDADE DE ENGENHARIA DE MINAS GERAIS FEAMIG PLANO DE MELHORIAS ACADÊMICAS Fevereiro 2011 PLANO DE MELHORIAS ACADÊMICAS DA FEAMIG Introdução Desde o final do ano de 2007 e o início de 2008, a FEAMIG

Leia mais

DADOS ESTATÍSTICOS DOS CURSOS DE BACHARELADO E DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIAS EM DETERMINADAS ÁREAS DA ADMINISTRAÇÃO

DADOS ESTATÍSTICOS DOS CURSOS DE BACHARELADO E DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIAS EM DETERMINADAS ÁREAS DA ADMINISTRAÇÃO Resultados do ENADE 2012 e do Censo da Educação Superior 2013 dos Cursos de Bacharelado em Administração e dos Cursos Superiores de Tecnologia em determinadas áreas da Administração Bahia Janeiro de 2015

Leia mais

Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre PLANO PLURIANUAL DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (2014-2017)

Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre PLANO PLURIANUAL DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (2014-2017) Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre PLANO PLURIANUAL DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (2014-2017) Setembro de 2014 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. JUSTIFICATIVA... 5 3. OBJETIVOS DA AVALIAÇÃO...

Leia mais

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Faculdade Educacional da Lapa 1 FAEL RESULTADOS - AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 O referido informativo apresenta uma súmula dos resultados da autoavaliação institucional, realizada no ano de 2012, seguindo

Leia mais

PLANO DE AÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO

PLANO DE AÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO PLANO DE AÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO 2014 APRESENTAÇÃO O Plano de Ação ora apresentado planeja o processo da Autoavaliação Institucional, que vem se consolidando na Faculdade Norte Capixaba de São

Leia mais

PROJETO DA CPA 1 DADOS DA INSTITUIÇÃO. Nome: Faculdade São Salvador Código: 2581 Caracterização: Instituição privada com fins lucrativos

PROJETO DA CPA 1 DADOS DA INSTITUIÇÃO. Nome: Faculdade São Salvador Código: 2581 Caracterização: Instituição privada com fins lucrativos PROJETO DA CPA Em atendimento ao que dispõe a Lei 10.861, de 14 de abril de 2004 que institui a obrigatoriedade da Avaliação Institucional e por entender a importância do SINAES para o desenvolvimento

Leia mais

Relatório Parcial de Autoavaliação Institucional. Ciclo Avaliativo 2013 2015

Relatório Parcial de Autoavaliação Institucional. Ciclo Avaliativo 2013 2015 Relatório Parcial de Autoavaliação Institucional Ciclo Avaliativo 2013 2015 Cascavel 2014 CPA Comissão Própria de Avaliação Presidente Prof. Gelson Luiz Uecker Representante Corpo Docente Profa. Anália

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Brasileira de Educação Familiar e Social UF: BA ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade Social da Bahia

Leia mais

PROJETO DE RECOMPOSIÇÃO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AUTO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (CPA) FARO

PROJETO DE RECOMPOSIÇÃO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AUTO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (CPA) FARO PROJETO DE RECOMPOSIÇÃO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AUTO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (CPA) FARO PORTO VELHO 2009 PROJETO DA RECOMPOSIÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AUTO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CPA INTRODUÇÃO A avaliação

Leia mais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Cruzada Maranata de Evangelização UF: BA ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade Batista Brasileira, com sede no

Leia mais

Relatório de Autoavaliação

Relatório de Autoavaliação Relatório de Autoavaliação O CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO ESTÁCIO UNIRADIAL é uma Instituição Privada de Ensino Superior com fins lucrativos, situada no Município de São Paulo, Estado

Leia mais

INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL EXTERNA

INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL EXTERNA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior CONAES Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior

Leia mais

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas.

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas. Extensão ETENSÃO A implementação da politica de Extensão, no Instituto Federal do Amazonas reafirma a missão deste Instituto e seu comprometimento com o desenvolvimento local e regional promovendo a integração

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INTRODUÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) Articulação com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Projeto Político Pedagógico Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação Bacharelados, Licenciaturas e Cursos Superiores de Tecnologia (presencial e a distância)

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação Bacharelados, Licenciaturas e Cursos Superiores de Tecnologia (presencial e a distância) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Direito (presencial e a distância)

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Direito (presencial e a distância) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

Informativo Comissão Própria de Avaliação URI Erechim

Informativo Comissão Própria de Avaliação URI Erechim Informativo Comissão Própria de Avaliação URI Erechim 7ª edição março 2015 Avaliação Institucional: um ato de consolidação para as universidades! Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 14 da Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004, resolve:

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 14 da Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004, resolve: >PORTARIA Nº 2.051, DE 9 DE JULHO DE 2004 Regulamenta os procedimentos de avaliação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), instituído na Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004.

Leia mais

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP O Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES (Lei 10.681/2004) tem o propósito de promover a melhoria da educação superior no Brasil....assegurar

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 18/5/2012, Seção 1, Pág. 24. Portaria n 625, publicada no D.O.U. de 18/5/2012, Seção 1, Pág. 2. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

Tema: Práticas Inovadoras de formação: caminhos e propostas dos cursos de graduação em Engenharia da Produção

Tema: Práticas Inovadoras de formação: caminhos e propostas dos cursos de graduação em Engenharia da Produção Tema: Práticas Inovadoras de formação: caminhos e propostas dos cursos de graduação em Engenharia da Produção XX Encontro Nacional de Coordenadores de Curso de Engenharia da Produção (ABEPRO) Rio de Janeiro,

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Grupo Nobre de Ensino Ltda. UF: BA ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade Nobre de Feira de Santana, a ser instalada

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior Daes Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: UNIME - União Metropolitana para o Desenvolvimento da UF: BA Educação e Cultura ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS IPITANGA FACIIP UNIDADE BAIANA DE ENSINO PESQUISA E EXTENSÃO - UNIBAHIA PERÍODO 2015/2017. Lauro de Freitas - Bahia

FACULDADES INTEGRADAS IPITANGA FACIIP UNIDADE BAIANA DE ENSINO PESQUISA E EXTENSÃO - UNIBAHIA PERÍODO 2015/2017. Lauro de Freitas - Bahia FACULDADES INTEGRADAS IPITANGA FACIIP UNIDADE BAIANA DE ENSINO PESQUISA E ETENSÃO - UNIBAHIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE AUTOAVALIAÇÃO PERÍODO 2015/2017 Lauro de Freitas

Leia mais

INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL EXTERNA I n s t r u m e n to

INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL EXTERNA I n s t r u m e n to MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Diretoria de Avaliação da Educação Superior SISTEMA NACIONAL

Leia mais

FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE CONSELHEIRO LAFAIETE

FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE CONSELHEIRO LAFAIETE 1 FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE CONSELHEIRO LAFAIETE RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO (Síntese dos resultados) COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA Mantenedora: Fundação Presidente

Leia mais

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA Mantenedora: Fundação Presidente Antônio Carlos Mantida: Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari

Leia mais

Definir a estrutura e o conteúdo pertinente ao Relato Institucional (RI); Apresentar as especificidades do Relato Institucional;

Definir a estrutura e o conteúdo pertinente ao Relato Institucional (RI); Apresentar as especificidades do Relato Institucional; MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA INEP COMISSÃO NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR CONAES DIRETORIA DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO Com a finalidade de otimizar o processo de elaboração e avaliação dos Projetos Pedagógicos do Cursos (PPC), sugere-se que os itens a seguir sejam

Leia mais

Leis Federais. LEI N o 10.861, DE 14 DE ABRIL DE 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES e dá outras providências

Leis Federais. LEI N o 10.861, DE 14 DE ABRIL DE 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES e dá outras providências LEI N o 10.861, DE 14 DE ABRIL DE 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES e dá outras providências O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta

Leia mais

PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006.

PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006. PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006. Aprova, em extrato, o Instrumento de Avaliação Externa de Instituições de Educação Superior do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES O MINISTRO

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: CENECT Centro Integrado de Educação, Ciência e UF: PR Tecnologia S/C Ltda. ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Cristã de Moços de Sorocaba UF: SP ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade de Educação Física da Associação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 28/7/2009, Seção 1, Pág. 53. Portaria n 760, publicada no D.O.U. de 28/7/2009, Seção 1, Pág. 53. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Medicina

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Medicina MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

HISTÓRICO DAS AVALIAÇÕES INSTITUCIONAIS E DOS PROCESSOS DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ATENAS

HISTÓRICO DAS AVALIAÇÕES INSTITUCIONAIS E DOS PROCESSOS DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ATENAS HISTÓRICO DAS AVALIAÇÕES INSTITUCIONAIS E DOS PROCESSOS DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ATENAS O processo de avaliação institucional foi desenvolvido pela comunidade acadêmica da Faculdade Atenas, com o intuito

Leia mais

ÚNICA EDUCACIONAL LTDA FACULDADE ÚNICA DE IPATINGA PROJETO DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

ÚNICA EDUCACIONAL LTDA FACULDADE ÚNICA DE IPATINGA PROJETO DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL ÚNICA EDUCACIONAL LTDA FACULDADE ÚNICA DE IPATINGA PROJETO DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Março de 2015 SISTEMA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL A avaliação é entendida pela Faculdade Única de Ipatinga como um processo

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REGULAMENTO DO PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL Fortaleza, 2012 INDICE CAPÍTULO I... 3 DO OBJETIVO GERAL... 3 CAPÍTULO II... 3 DOS OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 3 CAPÍTULO III... 4 DA ORGANIZAÇÃO DO PROGRAMA

Leia mais

1.1. Definir a estrutura e o conteúdo pertinente aorelato Institucional (RI); 1.2. Apresentar as especificidades do Relato Institucional;

1.1. Definir a estrutura e o conteúdo pertinente aorelato Institucional (RI); 1.2. Apresentar as especificidades do Relato Institucional; MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA INEP COMISSÃO NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR CONAES DIRETORIA DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 18/9/2009, Seção 1, Pág. 47. Portaria n 890, publicada no D.O.U. de 18/9/2009, Seção 1, Pág. 47. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

Planejamento CPA Metropolitana 2013

Planejamento CPA Metropolitana 2013 Planejamento CPA Metropolitana 2013 1 Planejamento CPA Metropolitana Ano 2013 Denominada Comissão Própria de Avaliação, a CPA foi criada pela Legislação de Ensino Superior do MEC pela Lei 10.861 de 10

Leia mais

Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES Principais aspectos

Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES Principais aspectos INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES Principais aspectos XIX SEMINÁRIO

Leia mais

FACULDADES OPET Comissão Própria de Avaliação CPA Relatório de Autoavaliação 2014

FACULDADES OPET Comissão Própria de Avaliação CPA Relatório de Autoavaliação 2014 CONSELHO DE GESTÃO DA MANTENEDORA José Antonio Karam Diretor Presidente Adriana Karam Koleski Superintendente Educacional Daniele Veríssimo Karam Diretora de Operações Maria Cristina Swiatovski Superintendente

Leia mais

Regulação, supervisão e avaliação do Ensino Superior: Perguntas Frequentes. 1

Regulação, supervisão e avaliação do Ensino Superior: Perguntas Frequentes. 1 Regulação, supervisão e avaliação do Ensino Superior: Perguntas Frequentes. 1 1. Quais são os tipos de instituições de ensino superior? De acordo com sua organização acadêmica, as instituições de ensino

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior Daes Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

Luiz Roberto Liza Curi. Sociólogo / Doutor em Economia. Conselheiro Conselho Nacional de Educação - CNE incolarum@hotmail.com

Luiz Roberto Liza Curi. Sociólogo / Doutor em Economia. Conselheiro Conselho Nacional de Educação - CNE incolarum@hotmail.com Luiz Roberto Liza Curi Sociólogo / Doutor em Economia Conselheiro Conselho Nacional de Educação - CNE incolarum@hotmail.com 1 Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional 9394/96 Art. 8 A União, os Estados

Leia mais

PLANO DE AÇÃO 2012 Resolução COP Nº. 114/2011 de 08/12/2011

PLANO DE AÇÃO 2012 Resolução COP Nº. 114/2011 de 08/12/2011 PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL De acordo com o Decreto 5.773/2006 PERÍODO - 2012-2015 Resolução COP Nº 113/2011, de 08/12/2011 PLANO DE AÇÃO 2012 Resolução COP Nº. 114/2011 de 08/12/2011 Lucas

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior - DAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

Reitor Prof. Dr. Reinaldo Centoducatte. Vice-Reitora Profª. Drª. Ethel Leonor Noia Maciel

Reitor Prof. Dr. Reinaldo Centoducatte. Vice-Reitora Profª. Drª. Ethel Leonor Noia Maciel Reitor Prof. Dr. Reinaldo Centoducatte Vice-Reitora Profª. Drª. Ethel Leonor Noia Maciel PROGRAMA DE AUTOAVALIAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Pró-Reitoria de Graduação

Leia mais

Elaboração: Comissão Própria de Avaliação CPA. Parâmetros: Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES

Elaboração: Comissão Própria de Avaliação CPA. Parâmetros: Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES Faculdade de Sorocaba AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Elaboração: Comissão Própria de Avaliação CPA Parâmetros: Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES Sorocaba Dezembro 2014 1 Faculdade

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Instituto Doctum de Educação e Tecnologia Ltda. UF: MG ASSUNTO: Credenciamento da Faculdade de Ciências Gerenciais

Leia mais

AUTOAVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNISC. Ana Karin Nunes* Rosângela Gabriel** Christian Ricardo Rohr* Maria Elisa Baumhardt**

AUTOAVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNISC. Ana Karin Nunes* Rosângela Gabriel** Christian Ricardo Rohr* Maria Elisa Baumhardt** AUTOAVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNISC Ana Karin Nunes* Rosângela Gabriel** Christian Ricardo Rohr* Maria Elisa Baumhardt** * Assessoria de Avaliação Institucional da Universidade de Santa

Leia mais

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO COORDENADORIA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL SÍNTESE DE RELATORIO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E DE AVALIAÇÃO EXTERNA PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO E APERFEIÇOAMENTO PEDAGÓGICO AO DOCENTE

PROGRAMA DE APOIO E APERFEIÇOAMENTO PEDAGÓGICO AO DOCENTE PROGRAMA DE APOIO E APERFEIÇOAMENTO PEDAGÓGICO AO DOCENTE DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE - MT 2011 Apresentação Articulado com o novo Plano de Desenvolvimento Institucional (2011-2015)

Leia mais

PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL FACULDADE CASA DO ESTUDANTE. Aprovado no CONSU Conselho Superior em 02/02/2012

PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL FACULDADE CASA DO ESTUDANTE. Aprovado no CONSU Conselho Superior em 02/02/2012 PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL DA FACULDADE CASA DO ESTUDANTE PPI 2012 a 2015 Aprovado no CONSU Conselho Superior em 02/02/2012 Diretor Geral FACULDADE CASA DO ESTUDANTE PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL

Leia mais

RESULTADOS DAS AVALIAÇÕES EXTERNAS

RESULTADOS DAS AVALIAÇÕES EXTERNAS RESULTADOS DAS AVALIAÇÕES EXTERNAS Um importante momento do Sistema Nacional de Avaliação do Ensino superior SINAES, são os processos de avaliação externa, como as visitas realizadas in loco para o credenciamento

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES. IGC Faixa Contínuo 2007 3 256 2008 3 252 2009 3 200

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES. IGC Faixa Contínuo 2007 3 256 2008 3 252 2009 3 200 PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 11/5/2011, Seção 1, Pág. 20. Portaria n 529, publicada no D.O.U. de 11/5/2012, Seção 1, Pág. 19. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO As ações de pesquisa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas constituem um processo educativo

Leia mais

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX RELATÓRIO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - LICENCIATURA CAMPUS PL PERÍODO 2014 1 INSTITUTO METODISTA

Leia mais

SOCIEDADE EDUCACIONAL SÃO PAULO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO SÃO PAULO FAPI. CPA Comissão Própria de Avaliação AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL RELATÓRIO

SOCIEDADE EDUCACIONAL SÃO PAULO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO SÃO PAULO FAPI. CPA Comissão Própria de Avaliação AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL RELATÓRIO SOCIEDADE EDUCACIONAL SÃO PAULO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO SÃO PAULO FAPI CPA Comissão Própria de Avaliação AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL RELATÓRIO Março/2011 São Paulo 2010 1 SOCIEDADE EDUCACIONAL SÃO PAULO

Leia mais

RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO DA

RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO DA RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DE ALTA FLORESTA FACTFLOR 2010/2011 1 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACTFLOR DIRETOR DA FACTFLOR Prof. Dr. JOSÉ ANTÔNIO TOBIAS VICE-DIRETORA

Leia mais

RELATÓRIO DOS CURSOS DE BACHARELADO E CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA EM ADMINISTRAÇÃO. Bahia

RELATÓRIO DOS CURSOS DE BACHARELADO E CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA EM ADMINISTRAÇÃO. Bahia RELATÓRIO DOS CURSOS DE BACHARELADO E CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA EM ADMINISTRAÇÃO Bahia Fevereiro de 2013 0 DADOS ESTATÍSTICOS DOS CURSOS DE BACHARELADO E DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIAS EM DETERMINADAS

Leia mais

Plano de Ação da Comissão Própria de Avaliação (CPA) do Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos (ITPAC/Porto) para o triênio 2014-2016

Plano de Ação da Comissão Própria de Avaliação (CPA) do Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos (ITPAC/Porto) para o triênio 2014-2016 Plano de Ação da Comissão Própria de Avaliação (CPA) do Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos (ITPAC/Porto) para o triênio 2014-2016 Porto Nacional, 27 de Agosto de 2014 1 Conteúdo 1.1 Mantenedora...

Leia mais

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 O trabalho da CPA/PUCSP de avaliação institucional está regulamentado pela Lei federal nº 10.861/04 (que institui o SINAES), artigo 11 e pelo

Leia mais

Coordenação-Geral de Avaliação dos Cursos de Graduação e Instituições de Ensino Superior

Coordenação-Geral de Avaliação dos Cursos de Graduação e Instituições de Ensino Superior CAPA 1 República Federativa do Brasil Ministério da Educação Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Diretoria de Avaliação

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior Daes Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 26/5/2011, Seção 1, Pág. 20. Portaria n 67, publicada no D.O.U. de 26/5/2011, Seção 1, Pág. 18. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX RELATÓRIO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO INTEGRAL CAMPUS PL PERÍODO 2014 1 INSTITUTO METODISTA

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 26/5/2011, Seção 1, Pág. 20. Portaria n 678, publicada no D.O.U. de 26/5/2011, Seção 1, Pág. 19. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS - PAE

PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS - PAE CENTRO DE ENSINO ATENAS MARANHENSE FACULDADE ATENAS MARANHESE DIREÇÃO ACADÊMICA CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS - PAE SÃO LUIS MA 2009 DIRETORIA ACADÊMICA Diretor

Leia mais

FACULDADE LEGALE RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO

FACULDADE LEGALE RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO FACULDADE LEGALE RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2013 DE ACORDO COM O MODELO DO: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - COMISSÃO NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR CONAES/INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS

Leia mais

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX RELATÓRIO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CURSO DE DIREITO - CAMPUS VN PERÍODO 2014 1 INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX CENTRO

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância 1

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância 1 Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior SCS Quadra 07 Bloco "A" Sala 526 - Ed. Torre do Pátio Brasil Shopping 70.307-901 - Brasília/DF Tel.: (61) 3322-3252 Fax: (61) 3224-4933 E-Mail:

Leia mais

AVALIAÇÃO TRIMESTRAL DE METAS PDI- 2011/2015

AVALIAÇÃO TRIMESTRAL DE METAS PDI- 2011/2015 AVALIAÇÃO TRIMESTRAL DE METAS PDI- 2011/2015 METAS AÇÕES PRAZOS Expansão do número de vagas do curso de Engenharia de Produção. SITUAÇÃO MARÇO DE 2015 AVALIAÇÃO PROCEDIDA EM 12.03.2015 CPA E DIRETORIA

Leia mais

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS Projeto de Lei nº 8.035, de 2010 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional O PNE é formado por: 10 diretrizes; 20 metas com estratégias

Leia mais

PROGRAMA DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DO FIAM-FAAM CENTRO UNIVERSITÁRIO

PROGRAMA DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DO FIAM-FAAM CENTRO UNIVERSITÁRIO PROGRAMA DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DO FIAM-FAAM CENTRO UNIVERSITÁRIO Relatório Final de Autoavaliação Institucional 2014 Comissão Permanente de Avaliação CPA. A publicação desta síntese do Relatório

Leia mais

valiação egulação upervisão Qualidade da Educação Superior

valiação egulação upervisão Qualidade da Educação Superior valiação egulação upervisão Qualidade da Educação Superior Apresentação Promover a efetivação da diretriz da qualidade no ensino superior é um dos principais desafios do Ministério da Educação no período

Leia mais

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS SALVADOR 2012 1 CONTEXTUALIZAÇÃO Em 1999, a UNIJORGE iniciou suas atividades na cidade de Salvador, com a denominação de Faculdades Diplomata. O contexto

Leia mais

PDI 2012-2016 Implementação da Instituição e Organização Acadêmica

PDI 2012-2016 Implementação da Instituição e Organização Acadêmica PDI 2012-2016 Implementação da Instituição e Organização Acadêmica Pró-Reitoria de Ensino do IFG Gilda Guimarães Dulcinéia de Castro Santana Goiânia_ 2012/1 1- PARÂMETROS LEGAIS LEI Nº 11.892, DE 29 DE

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 18/9/2009, Seção 1, Pág. 47. Portaria n 886, publicada no D.O.U. de 18/9/2009, Seção 1, Pág. 46. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão. Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional)

COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão. Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional) COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional) Universidade Federal de Roraima UFRR Brasil Especialista em Alfabetização (Prática Reflexiva

Leia mais