INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX"

Transcrição

1 INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX RELATÓRIO GERAL AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2014 Março de 2015

2 INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX PROGRAMA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COORDENAÇÃO GERAL Reitora Profª. Márcia Nogueira Amorim COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO 2014 Presidência Rodrigo Itaboray Frade Membros Andressa Amaral de Azevedo Elizabeth Rodrigues Brito Ibrahim Célia Magalhães France Kelly de Paula Getúlio Marcos Braga Sabrine Rafaelle Antunes Vieira Maria da Glória Abido Capistrano Roberto Nogueira Gurgel

3 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO Dados da Instituição Da Mantenedora Das Mantidas Organização Acadêmica e Administrativa do Centro Universitário Diretrizes Institucionais Comissão Própria de Avaliação - CPA METODOLOGIA Processos de autoavaliação no período de Planejamento e execução A autoavaliação com a participação de lideranças e corpo técnicoadministrativo Autoavaliação com a participação de docentes, discentes e coordenações Interpretação dos resultados DESENVOLVIMENTO Eixo 1: Planejamento e Avaliação Institucional Dimensão 8: Planejamento e autoavaliação Conhecimento e utilização do PDI para a elaboração do Projeto Pedagógico e do planejamento das atividades, em geral, nos cursos e núcleos Eixo 2: Desenvolvimento Institucional Dimensão 1: Missão e o Plano de Desenvolvimento Institucional Dimensão 3: Responsabilidade Social da Instituição Eixo 3: Políticas Acadêmicas Dimensão 2: Políticas para o Ensino, Pesquisa e Extensão Dimensão 4: Comunicação com a sociedade Dimensão 9 Políticas de Atendimento aos discentes Eixo 4: Políticas de Gestão Dimensão 5: Políticas de Pessoal Dimensão 6: Organização e Gestão da Instituição Setor de Registro Acadêmico Processo de trabalho do NDE Dimensão 10: Sustentabilidade Financeira Eixo 5: Infraestrutura... 98

4 3.5.1 Dimensão 7: Infraestrutura Física Eixo 6: Práticas Pedagógicas Didática Organização nas atividades de ensino nas disciplinas Processos de avaliação da aprendizagem Relacionamento nas turmas entre alunos(as) e professores(as) RESULTADOS DA AUTOAVALIAÇÃO NO PERÍODO DE 2014 FUNCIONÁRIOS PERFIL DOS PARTICIPANTES RESULTADOS GERAIS DA AVALIAÇÃO RESULTADOS GERAIS AGRUPADOS POR EIXOS Eixo 1 Planejamento e Avaliação Institucional Eixo 2 Desenvolvimento Institucional Eixo 3 Políticas Acadêmicas Eixo 4 Políticas de Gestão Eixo 5 Infraestrutura DISCUSSÕES RECOMENDAÇÕES CONCLUSÃO APÊNDICES APÊNDICE A - QUESTIONÁRIO UTILIZADO NA AVALIAÇÃO COM OS FUNCIONÁRIOS

5 5 1 INTRODUÇÃO 1.1 Dados da Instituição Da Mantenedora INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX Endereço: Rua da Bahia, 2020 Lourdes Belo Horizonte Minas Gerais CEP: Tel: (31) CondiçãoJurídica O Instituto Metodista Izabela Hendrix, fundado em 1904, com sede e foro na cidade de Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais, é uma associação civil, fundadora e mantenedora do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix, pessoa jurídica de direito privado, de objetivos filantrópicos e com fins não econômicos, inscrito no CNPJ , reconhecida como de Utilidade Pública Federal pelo Decreto n , em 14 de setembro de 1970, Estadual pela Lei nº 4.580, em 03 de julho de 1967 e Municipal pela Lei n 1.822, de 03 de junho de O INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX é dirigido por um Conselho Diretor, tem seu estatuto registrado no Cartório de Registro Civil das Pessoas Jurídicas da cidade de Belo Horizonte Das Mantidas Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix Credenciamento: Portaria do MEC nº 88 de 18 de janeiro de Campus Praça da Liberdade Endereço: Rua da Bahia, 2020 Lourdes Belo Horizonte Minas Gerais CEP: Tel: (31)

6 6 Campus Vila da Serra Endereço: Rua das Flores, 10 Vila da Serra Nova Lima Minas Gerais CEP: Tel: (31) Campus Vetor Norte Endereço: Av. Dr. Álvaro Camargos, 205, São João Batista Belo Horizonte Minas Gerais CEP: Tel: (31) Colégio Metodista Izabela Hendrix Endereço: Rua da Bahia, 2020 Lourdes Belo Horizonte Minas Gerais CEP: Tel: (31) Organização Acadêmica e Administrativa do Centro Universitário REITORIA ACADÊMICA Márcia Nogueira Amorim QUADRO 1 Estrutura da Pró-reitoria Acadêmica Setor Reitoria Acadêmica Assessoria Pro-Reitoria Acadêmica Núcleo Gestão Social e Humanidades Núcleo de Arte e Tecnologia Núcleo de Biociências Coordenação de Pesquisa e Iniciação Científica Coordenação de Extensão Representante Márcia Nogueira Amorim Flavio Queiroz de Oliveira Evandro de Souza Queiroz Flavio Queiroz de Oliveira Evandro de Souza Queiroz Evandro de Souza Queiroz Renato Fontes

7 7 Na graduação e na pós-graduação lato-sensu as áreas de atuação acadêmica da instituição são identificadas, a princípio, nas seguintes grandes áreas 1 : Arte e Tecnologia Biociências Formação Docente Gestão Social e Humanidades QUADRO 2 - NÚCLEO DE ARTE E TECNOLOGIA (NAT) Coordenação: Flávio Queiroz de Oliveira CURSO COORDENADOR(A) ARQUITETURA E URBANISMO COMUNICAÇÃO SOCIAL JORNALISMO COMUNICAÇÃO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA DESIGN DE INTERIORES ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA ENGENHARIA CIVIL ENGENHARIA DE PRODUÇÃO MÚSICA JosanaMatedi Prates Dias (integral) Regina Maria Xavier Costa (noturno) Sander Justino Neves Sander Justino Neves JosanaMatedi Prates Dias Elizabeth Rodrigues B. Ibrahim Leandro Faria Carvalho Andressa Amaral de Azevedo Neylson João Batista Crepalde QUADRO 3 - NÚCLEO DE BIOCIÊNCIAS (NBC) Coordenação: Evandro de Souza Queiroz CURSO COORDENADOR(A) BIOMEDICINA CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - Bacharelado CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Licenciatura EDUCAÇÃO FÍSICA Bacharelado EDUCAÇÃO FÍSICA Licenciatura ENFERMAGEM FISIOTERAPIA FONOAUDIOLOGIA Rafaela de Oliveira Silva Danielle Peres da Rocha Oliveira Marciano Danielle Peres da Rocha Oliveira Marciano André Maia Schetino André Maia Schetino Marina Celly Martins Ribeiro de Souza Gustavo Ferreira Tasca Lorena Luiza Costa Rosa 1 Áreas de conhecimento definidas pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq):

8 8 QUADRO 4 - NÚCLEO DE GESTÃO SOCIAL E HUMANIDADES (NGSH) Coordenação: Evandro de Souza Queiroz ADMINISTRAÇÃO CURSO CIÊNCIAS CONTÁBEIS DIREITO PEDAGOGIA TEOLOGIA Silas Fernandes Rocha Oscar Lopes da Silva Luciana Calado Pena Michele Aparecida Sá COORDENADOR(A) Antônio Carlos Ferrarezi Gerência Administrativa e Financeira Gerente Administrativo e Financeiro - Marcos Reis Coordenações dos Campi Praça da Liberdade e Fazendinha Marco Fortes Vetor Norte Neide Fonseca Vila da Serra Rosely Nunes Recursos Humanos, Gestão de Pessoas, Contratações e Registros, Setor de Brindes- Rosângela Rocha Teixeira Secretaria Geral IsalyRubim DTI Leonardo Saponara Biblioteca Fabíola Gonçalves Assessorias Jurídica Marcelo Castro Comunicação Sander Justino Neves Relações Internacionais (ARI) Ana Clara Santos Pesquisa Institucional (PI) Paula Capanema Silva

9 9 1.3 Diretrizes Institucionais A Missão e o Plano de Desenvolvimento Institucional De acordo com as instruções do SINAES, apresentamos as finalidades, objetivos e compromissos do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix tal como explicitados em seus documentos, além da demonstração da concretização das práticas pedagógicas e administrativas e das relações delas com os objetivos institucionais. Finalidades, objetivos, metas e compromissos da IES, explicitados em documentos oficiais. São finalidades, objetivos, metas e compromissos da instituição: I - estimular a criação cultural e o desenvolvimento do espírito científico e do pensamento reflexivo; II - formar diplomados nas diferentes áreas de conhecimento, aptos para a inserção em setores profissionais e para a participação no desenvolvimento da sociedade brasileira, e colaborar na sua formação contínua; III incentivar o trabalho de pesquisa e investigação científica, visando o desenvolvimento da ciência e da tecnologia e da criação e difusão da cultura, e, desse modo, desenvolver o entendimento do homem e do meio em que vive; IV - promover a divulgação de conhecimentos culturais, científicos e técnicos que constituem patrimônio da humanidade e comunicar o saber através do ensino, de publicações ou de outras formas de comunicação; V - suscitar o desejo permanente de aperfeiçoamento cultural e profissional e possibilitar a correspondente concretização, integrando os conhecimentos que vão sendo adquiridos numa estrutura intelectual sistematizadora do conhecimento de cada geração; VI - estimular o conhecimento dos problemas do mundo presente, em particular os nacionais e regionais, prestar serviços especializados à comunidade e estabelecer com esta uma relação de reciprocidade; VII - promover a extensão, aberta à participação da população, visando à difusão das conquistas e benefícios resultantes da criação cultural e da pesquisa

10 10 científica e tecnológica geradas na instituição. (Estatuto IMIH em vigor desde 17 de dezembro de 2010) Missão O Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix organiza suas ações educativas pautadas nos princípios cristãos e no compromisso com a busca de melhores condições de vida para a comunidade. A partir dos elementos históricos da vocação educativa institucional, o Centro Universitário Metodista e das Diretrizes para a Educação na Igreja Metodista o Izabela Hendrix define sua missão como: Educar e qualificar pessoas, a partir de valores cristãos, para serem cidadãos(ãs) críticos(as), criativos(as), responsáveis e capazes de atuar na transformação da sociedade. (PDI , p. 8) Princípios Como instituição confessional Metodista, a prática pedagógica adotada tem como indissociáveis missão e educação, como um cuidado especial: não fazer proselitismo religioso. Entende-se que as demandas sociais exigem respostas concretas e que a educação, como parte da missão metodista, é o processo que visa oferecer à pessoa e comunidade uma compreensão da vida e da sociedade comprometidas com uma prática libertadora, recriando-as e questionando os sistemas de dominação. O ensino, a pesquisa e a extensão fazem parte do compromisso social assumido pela Instituição, em participar na (re) construção da pessoa, da ciência, da tecnologia, da informação e da comunicação, fortalecendo as relações sociais e as diversas formas de convivência humana, comprometendo-se com o enfrentamento das desigualdades e de toda forma de injustiças que porventura estejam presentes nas estruturas sociais. (PPI em PDI , p. 29) Objetivos O Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix, como instituição educacional da Igreja Metodista, tem por objetivos: ministrar o ensino em todos os seus graus, níveis e modalidades, proporcionando ao seu alunado preparo intelectual, profissional, físico, espiritual, social e cívico, sob influência cristã;

11 11 estimular a criação cultural e o desenvolvimento do espírito científico e do pensamento reflexivo; formar nas diferentes áreas do conhecimento humano cidadãos(ãs) aptos(as) para sua inserção em setores profissionais, e para sua participação no desenvolvimento da sociedade brasileira; proporcionar formação inicial e continuada, presencial e a distância, de profissionais aptos(as) para atuação no mercado de trabalho, com domínio das tecnologias que irão influenciar o século XXI; viabilizar a extensão do ensino e da pesquisa à comunidade, mediante a realização de projetos, cursos, programas e prestação de serviços nas áreas de sua atuação, disseminando conhecimentos que possibilitem o pleno desenvolvimento do potencial humano; promover a divulgação de conhecimentos culturais, científicos e técnicos que constituem patrimônio da humanidade e comunicar o saber através do ensino, de publicações ou de outras formas de comunicação; estimular o conhecimento e a discussão da problemática atual do mundo, em particular as questões nacionais e regionais, capacitando os(as) discentes para interferências na sociedade; prestar serviços especializados à comunidade e estabelecer relações de reciprocidade; desenvolver as ciências, as letras, as artes, o esporte e a cultura, visando a preservação e a melhoria da qualidade de vida da população local, regional e nacional; fortalecer a identidade confessional metodista na área da educação; garantir a efetividade da Comissão Própria de Avaliação (CPA) para que os processos por ela desencadeados sejam vistos na comunidade como de superação de problemas concretos e de fixação de padrões de qualidade; estabelecer as Linhas Curriculares Institucionais, que nortearão as ações do Centro Universitário no ensino, na pesquisa e na extensão. (PDI , p. 11)

12 12 Metas Institucionais São assumidas como metas institucionais capazes de garantir a materialização da missão e objetivos institucionais, conforme definidas no Plano de Desenvolvimento Institucional 2012 a 2016: consolidar os processos acadêmicos e administrativos iniciados em 2006, buscando a manutenção da sustentabilidade financeira institucional; integrar e compartilhar processos administrativos e acadêmicos com as demais Instituições Metodistas de Ensino Superior consolidando a Rede Metodista de Educação; consolidar e ampliar os programas de pesquisa e extensão; aumentar a participação de estudantes em atividades de monitoria, experiências culturais e estágios, além do extensionismo e da iniciação científica (pesquisa) de modo a compor um corpo discente de tempo integral; implantar até 2016 no sistema de gestão institucional ações que atendam aos princípios da certificação internacional ISO 14001; criar programas de fomento à internacionalização, através de convênios com instituições no exterior; manter a capacitação de todos(as) os(as) profissionais que demonstrem interesse em trabalhar em ambientes virtuais; manter e ampliar o sistema wireless para o campus central do Centro Universitário e em Venda Nova; aperfeiçoar os programas de capacitação para colaboradores (as) e docentes; qualificar o parque tecnológico para atender as necessidades acadêmicas, de acordo com a modernização do mercado; ampliar as áreas de convivência dentro dos campi para fomentar o clima de universidade e de convívio plural entre os (as) estudantes; manter o espaço da biblioteca do campus Praça da Liberdade, garantindo um ambiente com acesso interno e externo, e ampliá-lo em Venda Nova. ampliar a atualizar o acervo de periódicos de acordo com as necessidades

13 13 apresentadas pelos antigos e novos cursos; qualificar os espaços e áreas verdes dos campi, deixando todos os ambientes livres para o trânsito dos (as) estudantes; manter, via Ouvidoria, uma relação direta com as comunidades interna e externa; ampliar o número de cursos e oportunidades para estudantes se desenvolverem no campus Venda Nova; 1.4 Comissão Própria de Avaliação - CPA Portaria de implantação: Portaria número 07/044 R Posse da Comissão em exercício: 23/05/2013 QUADRO 5 Relação Nominal dos Componentes da CPA Nome Rodrigo Itaboray Frade (Presidente) Andressa Amaral de Azevedo Elizabeth Rodrigues Brito Ibrahim Célia Magalhães France Kelly de Paula Maria da Glória Abino Capistrano Roberto Nogueira Gurgel Getúlio Marcos Braga Sabrine Rafaelle Antunes Vieira Docente Docente Docente Segmento Técnico-Administrativo Técnico-Administrativo Representante Sociedade Civil Organizada Representante Sociedade Civil Organizada Discente Discente Organização Atual da CPA A CPA adota, para a condução do processo de autoavaliação no Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix a seguinte forma organizativa: O regimento da CPA em vigor, aprovado no CONSUN em 30 de maio de 2007, destaca como responsabilidade da Comissão orientar o processo de Autoavaliação Institucional, conforme atribuições expressas na Lei (Art. 11, parágrafos I e II). Este mesmo regimento determina que a CPAdeve ser composta por representantes dos docentes, dos

14 14 discentes, das áreas técnico-administrativas e da sociedade civil organizada, sendo dois representantes de cada segmento. Os representantes são definidos em eleição direta, dentro de seu próprio segmento. A sociedade civil é convocada a participar a partir de edital público. A última eleição foi realizada em maio de 2013, enquanto que a próxima está prevista para acontecer em maio de Todos os membros da CPA atuam junto aos seus segmentos representados divulgando informações sobre as ações da CPA e os processos de realização de avaliações e divulgação dos resultados. A autoavaliação no Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix privilegia a globalidade da missão institucional incluindo, no seu processo, instrumentos e indicadores, categorias relativas ao conjunto da instituição e envolvendo, necessariamente, a articulação de aspectos qualitativos e quantitativos para a compreensão de seu contexto maior. A autoavaliação do Centro Universitário ocorre anualmente, no segundo semestre. No primeiro semestre é dada prioridade ao trabalho de organização documental, análise dos dados do ENADE e visitas in-loco, reuniões com lideranças e elaboração do planejamento. O trabalho de divulgação dos resultados é realizado de forma contínua, e tem início cerca de 30 dias após o término da avaliação. A organização e articulação dos resultados expressos neste Relatório Geral refletem os resultados dos levantamentos da opinião dos agentes internos, além da articulação com os resultados de avaliações externas, considerando as dez dimensões do SINAES. A análise e a interpretação destes dados nos possibilitam perceber e apontar forças e fragilidades de cada Dimensão, que orientam a identificação de propostas mais adequadas ao atendimento de nossas necessidades em busca da melhoria na qualidade do ensino. O Relatório Geral foi elaborado com o envolvimento das áreas acadêmicas e administrativas responsáveis pela análise das informações coletadas através dos instrumentos de avaliação, pela atualização dos dados e na complementação das informações das dez dimensões. O período considerado como referência corresponde a 2014.

15 15 A análise para indicação das melhorias alcançadas tomou como base as ações acadêmico administrativas desenvolvidas no ano de As propostas de melhorias para os próximos anos tomaram como base os resultados da autoavaliação realizadaem 2014.

16 16 2 METODOLOGIA 2.1 Processos de autoavaliação no período de Planejamento e execução Em fevereiro e março de 2014, os trabalhos da CPA voltaram-se para a finalização da análise de dados e elaboração do Relatório Geral que foi submetido ao MEC / INEP no dia 31 de março. A partir de abril, deu-se continuidade aos seguintes trabalhos: - Divulgação dos resultados das avaliações internas; - Análise dos resultados das avaliações externas (ENADE e visitas in loco); - Divulgação dos resultados das avaliações externas junto à Pró-reitoria acadêmica e coordenações - Planejamento da autoavaliação de A Comissão considerou ainda suas condições de trabalho para o ano e elaborou o Plano de Trabalho que foi aprovado e realizado como mostra o QUADRO a seguir: QUADRO 6 - Programa de trabalho da Comissão Própria de Avaliação CPA 2014 Atividades Como desenvolver Quando Quem participa Reuniões da CPA Relatórios MEC Setores Divulgação dos resultados da Avaliação 2013 (e 2014) Preparação das Autoavaliações 2014 Autoavaliação com técnicoadministrativos Planejamento / acompanhamento Elaboração de relatórios geral e por setores Site s Encontro com alunos e professores do curso Murais Encontros com lideranças, funcionários e outros Folder Reuniões com PROACAD Reunião com coordenação Reunião com lideranças Preparação dos questionários Grupos Focais Questionários Fevereiro Abril Setembro Novembro Fevereiro / março De forma contínua ao longo do ano Março e Abril Agosto e Setembro Setembro Todos os membros da CPA CPA Coordenações CPA Coordenações Docentes Discentes CPA Coordenações Lideranças CPA Funcionários

17 17 Avaliação com docentes e discentes Avaliação de programas e projetos Leitura dos resultados e análise colegiada com preparação das propostas de melhorias Preparação dos relatórios Divulgação dos resultados Relatório para MEC Aplicação de questionários online Grupos focais Análise dos resultados com as coordenações, líderes de setores e comissões setoriais Organização dos resultados Site Setembro Setembro e outubro Outubro e novembro Outubro e novembro Outubro/2014 a junho 2015 Docentes Discentes Coordenações CPA Lideranças Professores TI e parciais CPA Coordenações Lideranças CPA CPA Revisão Março de 2015 CPA O programa de autoavaliação contou com os seguintes procedimentos: A autoavaliação com a participação de lideranças e corpo técnicoadministrativo A autoavaliação com a participação do corpo técnico-administrativo ocorreu no período de 08/09/14 a 26/09/14. O Sistema Práxis, no qual foi realizada a Avaliação Institucional Geral, não está habilitado a realizar a avaliação do corpo técnicoadministrativo. Desta forma, a CPA decidiu por realizar uma pesquisa quantitativa e qualitativa com os funcionários através de questionários individuais com questões fechadas e abertas. 151 (cento e cinquenta e um) funcionários responderam o questionário elaborado em 2014, que teve como ponto de partida o Instrumento de Avaliação Institucional Externa elaborado pela Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (CONAES) vinculada ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Esse instrumento é utilizado por avaliadores do INEP para subsidiar o ato de credenciamento e recredenciamento institucional e transformação de organização acadêmica de instituições de ensino superior. Na elaboração do questionário também foram consideradas sugestões das lideranças dos setores institucionais, além dos indicadores avaliados, em 2013, como fragilidades e com recomendações de melhorias.

18 18 O questionário final apresentou 18 indicadores agrupados em 5 eixos, sendo estes: Planejamento e Avaliação Institucional Desenvolvimento Institucional Políticas Acadêmicas Políticas de Gestão Infraestrutura Os participantes da avaliação deveriam avaliar os indicadores de acordo com a seguinte escala: Ótimo Bom Ruim Péssimo Não sei avaliar Para cada indicador, havia também um campo onde os funcionários poderiam propor estratégias de melhorias para o mesmo. Ao final da ficha de avaliação, o funcionário deveria apontar aspectos que lhe dão satisfação de trabalhar na instituição, assim como as dificuldades frequentes enfrentadas em sua jornada diária de trabalho. O instrumento de avaliação utilizado não apresentava nenhuma questão que permite a identificação do participante. Entretanto, foram utilizadas 5 questões para descrever o perfil dos funcionários. O questionário utilizado encontra-se nos APÊNDICES deste relatório Autoavaliação com a participação de docentes, discentes e coordenações Foi realizada no período de 08/09/14 a 26/09/14, através de questionário com questões abertas e fechadas, com matriz on-line, disponível no Portal do Aluno e Portal Docente, utilizando o Sistema Práxis. O questionário foi estruturado segundo as 10 dimensões de avaliação do SINAES organizadas em cinco eixos, além de um eixo específico de Práticas Pedagógicas (conforme QUADRO a seguir), avaliadas por três categorias de

19 19 perfis: aluno, docente e coordenador de curso. Foram avaliados segundo o foco do Docente, Curso, Campus, Livre e Auto. QUADRO 7 Organização das dimensões em eixos Eixos Dimensões do SINAES 1 Planejamento e Avaliação Institucional 8 Planejamento e Autoavaliação 2 Desenvolvimento Institucional 3 - Políticas Acadêmicas 4 Políticas de Gestão 1 Missão e o Plano de Desenvolvimento Institucional) 3 Responsabilidade Social da Instituição 2 Políticas para o Ensino, Pesquisa e Extensão 4 Comunicação com a Sociedade 9 Políticas de Atendimento aos Discentes 5 Políticas de Pessoal 6 Organização e Gestão da Instituição 10 Sustentabilidades Financeira 5 Infraestrutura 7 Infraestrutura Física 6 Práticas Pedagógicas - Os resultados foram liberados para leitura e análise no início do mês de outubro de Docentes, discentes e coordenadores tiveram acesso aos resultados e relatórios de seu interesse acionando os portais do Docente e do Aluno. No período de outubro a novembro de 2014, os núcleos e cursos da instituição reuniram-se com seus colegiados para análise dos resultados da avaliação. Foram discutidos os aspectos considerados como fortaleza dos cursos e da instituição e também das fragilidades apontadas, para as quais fizeram propostas de ações que promovam as melhorias necessárias a curto, médio e longo prazo. De outubro de 2014 a fevereiro de 2015 a CPA reuniu-se com as coordenações acadêmicas e lideranças técnico-administrativas para devolução e discussão dos resultados, assim como a revisão do questionário utilizado, dos relatórios gerais e de cursos da autoavaliação 2014, contribuindo com considerações para a elaboração do quadro de recomendações e melhorias. A adesão do corpo discente foi de 24,0% (1080 participantes em um total de 4503 alunos), enquanto que para os docentes esse número chegou a 78,9% (195 participantes em um total de 247docentes). Embora alguns coordenadores tenham obtido dificuldades técnicas para acessar o questionário online, a adesão foi de 80,0% (15 participantes em um total de 18 coordenadores).

20 20 TABELA 1 Adesão por núcleo dos docentes e discentes na autoavaliaçãode 2014 Alunos(as) Participantes Professores(as) Participantes Núcleo Valor absoluto Valor relativo Valor absoluto Valor relativo NBC ,7% 61 84,7% NAT ,6% ,2% NGSH VN 85 22,7% 35 85,4% NGSH - PL ,3% 59 84,3% IZABELA ,0% ,9% Fonte: Dados da autoavaliação. Divulgação e disseminação dos resultados: a) Geração de relatórios o Sistema Práxis gerou os relatórios em dois dias, e os mesmos ficaram disponíveis para consulta a partir de 01/10/14, permanecendo até o final do 1 semestre letivo de b) Divulgação: Banner no site do Izabela Hendrix com link para docentes e discentes entrarem nos resultados; carta para coordenadores/as de núcleos, coordenadores e coordenadoras dos cursos e para professores e professoras; tutorial de acesso aos resultados enviado por e disponibilizado em mural. c) Reuniões com coordenações dos cursos e núcleos: a CPA solicitou agendamento com cada coordenador(a) para leitura dos resultados e análise dos aspectos positivos e pontos a melhorar das práticas docentes e discentes. Cada coordenação estabeleceu com a CPA os encaminhamentos de retorno aos professores e professoras. 2.2 Interpretação dos resultados Os pesquisados deveriam optar por uma das cinco opções de resposta para cada questão. As opções eram: Ótimo (4), Bom (3), Ruim (2), Péssimo (1) e Não sei avaliar (NA). Como métrica de análise, a Comissão Própria de Avaliação, estabeleceu que o somatório das opções ótimo e bom deveria ser, no mínimo, 66,7% para ser considerado satisfatório.

21 21 Desta forma, a análise dos dados nos próximos itens avaliou se esse percentual (66,7%) foi obtido ou não, e com base nessa avaliação foram elaborados propostas das ações de melhorias para os cursos e instituição a serem implementadas no ano de DESENVOLVIMENTO RESULTADOS GERAIS DA AUTOAVALIAÇÃO NO PERÍODO DE 2014 COORDENAÇÕES, DOCENTES E DISCENTES As tabelas a seguir apresentam os resultados gerais da avaliação realizada com a participação de discentes, docentes e coordenações do CEUNIH. TABELA 2 Resultados gerais da autoavaliação institucional realizada por discentes, docentes e coordenações do CEUNIH Percentual de respostas Eixos Ótimo e Bom Discentes Docentes Coordenações 1 Planejamento e Avaliação Institucional 70,3% 86,5% - 2 Desenvolvimento Institucional 78,0% 87,7% - 3 Políticas Acadêmicas 68,5% 69,5% 53,9% 4 Políticas de Gestão 78,5% 79,1% 55,6% 5 Infraestrutura 59,3% 71,7% 44,1% 6 Práticas Pedagógicas 85,7% 99,4% - Fonte: Dados da autoavaliação. TABELA 3 Resultados gerais das questões da autoavaliação institucional realizada por discentes, docentes e coordenações do CEUNIH Percentual de respostas Eixo Ótimo e Bom Disc. Doc. Coord. 1 Plan. Av. Institucional De se nv.i Planejamento e implantação do processo de autoavaliação de cursos e institucional do Izabela Hendrix Conhecimento e utilização do PDI para a elaboração do Projeto Pedagógico e do planejamento das atividades, em geral, nos cursos e núcleos Discussões nos cursos dos resultados das avaliações Internas e Externas Implementação das melhorias das ações acadêmicoadministrativas indicadas pelas avaliações internas e externas Implementação das melhorias de Infraestrutura indicadas pelas avaliações internas e externas Divulgação, nos seus cursos, dos resultados do processo de autoavaliação e das avaliações externas entre as metas e objetivos do PDI com a missão institucional nsarticulação 91,0% 98,9% ,3% ,9% - 64,7% 80,7% - 57,5% 69,5% - 68,0% ,4% -

22 22 3 Políticas Acad. 4 Políticas de Gestão 5 Infraestrutura Ações institucionais voltadas para a inclusão social e para o desenvolvimento econômico e social 78,0% 85,0% - Atendimento dos funcionários da Sala dos Professores e Coordenação 77,7% 98,6% - Implementação dos objetivos propostos no PDI e no PPC em relação ao ensino na graduação - 86,2% - Programa de Apoio Psicopedagógico 78,7% 95,8% - Programa Institucional de Nivelamento Acadêmico 86,2% - - Coerência entre os conteúdos curriculares, os objetivos e o perfil dos egressos dos cursos. 83,4% 95,9% 100,0% Organização e desempenho das ações dos projetos de extensão no seu curso/núcleo 73,7% 74,4% - Implementação dos objetivos propostos no PDI e no PPC em relação à Extensão - 46,2% - Canais de comunicação interna 63,3% 76,5% 66,7% Programa de Monitoria 70,1% 73,9% - Implementação dos objetivos propostos no PDI e no PPC em relação ao à Iniciação Científica e Pesquisa - 30,0% - Incentivo da instituição para as publicações científicas, didáticopedagógicas, artísticas e culturais 60,5% 41,0% 13,4% Atividades previstas e implantadas pela ARI 80,1% - - Organização do Estágio Curricular do seu curso 61,5% - - Atendimento dos funcionários da Tesouraria 53,0% - - Atendimento dos funcionários do Setor de Bolsas 42,1% - - Atendimento dos funcionários da Central de Atendimento ao Estudante 53,8% - - Desenvolvimento das ações acadêmico-administrativa previstas no PDI em relação às políticas de pós graduaçãolato-sensu - 45,9% 23,1% Política de acompanhamento dos egressos ,7% Atendimento dos funcionários da Biblioteca 95,0% - - Acervo da biblioteca 74,1% - - Atendimento do Suporte ao SIGA ( , telefone e presencial) 42,9% - - Atuação da Coordenação nos cursos 78,5% 97,4% - Gestão acadêmica realizada pela PROACAD - 90,3% 66,7% Atuação da reitoria - 85,8% 66,7% Processo de trabalho do Colegiado dos cursos - 94,6% - Política de formação e capacitação docente prevista e implantada - 78,0% - Setor de Recursos Humanos - 68,7% - Gestão do corpo docente em relação ao plano de carreira previsto no PDI - 44,7% - Planejamento e execução dos investimentos em ensino, extensão, pesquisa/iniciação científica e gestão em conformidade com o PDI - 52,9% 33,4% Setor de Registro Acadêmico - 83,6% - Processo de trabalho do NDE - 95,0% - Limpeza 80,6% 79,7% - Serviço da empresa de Xerox/Encadernação 73,5% 83,7% - Serviço de Segurança 63,3% 84,5% - Cantinas 72,2% 88,0% - Espaços de convivência e de alimentação disponíveis 77,5% 86,5% - Instalações sanitárias do Izabela Hendrix 67,4% 68,2% - Salas de aula 49,0% 64,5% - Condições da instituição para acesso das pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida 60,9% 66,3% - Sala de professores - 60,8% - Laboratórios (e/ou Salas Especializadas) 45,2% 67,4% - Espaços de trabalho dos docentes em tempo integral ,2% Quantidade e qualidade dos recursos de tecnologias de informação e comunicação utilizados nos processos de ensino-aprendizagem 50,1% 39,1% -

23 23 6 Prát. Ped. Espaços de atendimento aos alunos(as) ,3% Infraestrutura destinada à CPA ,9% Laboratórios de Informática (infraestrutura e recursos) 23,7% - - Internet sem fio (wireless) 10,7% - - Iluminação da Biblioteca 78,4% - - Limpeza da Biblioteca 88,8% - - Ventilação da Biblioteca 47,8% - - Processos de avaliação de aprendizagem 84,7% 99,6% - Didática dos docentes 82,0% 99,3% - Organização dos docentes 85,8% 99,5% - Relacionamento dos docentes com discentes 90,2% 99,1% - Fonte: Dados da autoavaliação. TABELA 4 Resultados gerais das questões da autoavaliação institucional realizada pelos funcionários do CEUNIH Ótimo e Bom 1. Processo de Avaliação Institucional 89% 2. Divulgação dos resultados do processo de autoavaliação 83% 3. Implementação de melhorias decorrentes dos processos de autoavaliação institucional 61% 4. Seu conhecimento sobre o Plano de Desenvolvimento Institucional 55% 5. Sua opinião sobre a implantação do Plano de Desenvolvimento Institucional articulado com a missão 52% institucional 6. Atuação da pastoral junto aos(as) funcionários(as) 64% 7. Comunicação da instituição com o público externo 60% 8. Comunicação da instituição nos canais oficiais (informações no site, murais, avisos, etc.) 78% 9. Comunicação entre os setores da instituição 48% 10. Gestão de Recursos Humanos 44% 11. Gestão administrativa do setor que trabalho 61% 12. Gestão administrativa da instituição 52% 13. Políticas de formação e capacitação do corpo técnicoadministrativo (capacitação continuada) 36% 14. Instalações de trabalho (limpeza, dimensão, iluminação, ventilação, acústica, etc.) 53% 15. Equipamentos para o desenvolvimento de sua função 63% 16. Espaços de convivência disponíveis no Izabela Hendrix para os funcionários 17. Espaços de alimentação disponíveis no Izabela Hendrix para os funcionários 18. Equipamentos de segurança para o desenvolvimento de sua função Fonte: dados da pesquisa. 73% 79% 69%

24 24 Principais fortalezas na opinião dos discentes i. Atendimento dos funcionários da Biblioteca; ii. iii. iv. Planejamento e implantação do processo de autoavaliação de cursos e institucional do Izabela Hendrix; Relacionamento dos docentes com discentes; Limpeza da Biblioteca; v. Programa Institucional de Nivelamento Acadêmico (PINA); vi. vii. viii. ix. Organização dos docentes; Processos de avaliação de aprendizagem; Coerência entre os conteúdos curriculares, os objetivos e o perfil dos egressos dos cursos; Didática dos docentes; x. Limpeza; xi. xii. Atividades previstas e implantadas pela ARI; Atuação da Coordenação nos cursos. Principais fortalezas na opinião dos docentes i. Processos de avaliação de aprendizagem; ii. iii. iv. Organização dos docentes; Didática dos docentes Relacionamento dos docentes com discentes; v. Planejamento e implantação do processo de autoavaliação de cursos e institucional do Izabela Hendrix; vi. vii. Atendimento dos funcionários da Sala dos Professores e Coordenação; Atuação da Coordenação nos cursos;

25 25 viii. ix. Coerência entre os conteúdos curriculares, os objetivos e o perfil dos egressos dos cursos; Programa de Apoio Psicopedagógico; x. Processo de trabalho do NDE. Principais fortalezas na opinião dos funcionários i. Processo de Avaliação Institucional; ii. iii. iv. Divulgação dos resultados do processo de autoavaliação; Espaços de alimentação disponíveis no Izabela Hendrix para os funcionários; Comunicação da instituição nos canais oficiais (informações no site, murais, avisos, etc.); v. Espaços de convivência disponíveis no Izabela Hendrix para os funcionários. Principais fragilidadesna opinião dos discentes i. Internet sem fio (wireless); ii. iii. iv. Laboratórios de Informática (infraestrutura e recursos); Atendimento dos funcionários do Setor de Bolsas; Atendimento do Suporte ao SIGA ( , telefone e presencial); v. Laboratórios (e/ou Salas Especializadas); vi. vii. viii. ix. Salas de aula; Quantidade e qualidade dos recursos de tecnologias de informação e comunicação utilizados nos processos de ensino-aprendizagem; Atendimento dos funcionários da Tesouraria; Atendimento dos funcionários da Central de Atendimento ao Estudante; x. Implementação das melhorias de Infraestrutura indicadas pelas avaliações internas e externas;

26 26 xi. xii. xiii. Incentivo da instituição para as publicações científicas, didático-pedagógicas, artísticas e culturais; Condições da instituição para acesso das pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida; Organização do Estágio Curricular do curso. Principais fragilidades na opinião dos docentes i. Implementação dos objetivos propostos no PDI e no PPC em relação ao à Iniciação Científica e Pesquisa; ii. iii. iv. Quantidade e qualidade dos recursos de tecnologias de informação e comunicação utilizados nos processos de ensino-aprendizagem; Incentivo da instituição para as publicações científicas, didático-pedagógicas, artísticas e culturais; Gestão do corpo docente em relação ao plano de carreira previsto no PDI; v. Desenvolvimento das ações acadêmico-administrativa previstas no PDI em relação às políticas de pós graduaçãolato-sensu; vi. Implementação dos objetivos propostos no PDI e no PPC em relação à Extensão; vii. Planejamento e execução dos investimentos em ensino, extensão, pesquisa/iniciação científica e gestão em conformidade com o PDI; viii. ix. Sala de professores; Salas de aula; x. Condições da instituição para acesso das pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida. Principais fragilidades na opinião dos funcionários i. Políticas de formação e capacitação do corpo técnico-administrativo (capacitação continuada); ii. Gestão de Recursos Humanos;

27 27 iii. iv. Comunicação entre os setores da instituição; Implantação do Plano de Desenvolvimento Institucional articulado com a missão institucional v. Gestão administrativa da instituição; vi. Instalações de trabalho (limpeza, dimensão, iluminação, ventilação, acústica, etc.).

28 Eixo 1: Planejamento e Avaliação Institucional Dimensão 8: Planejamento e autoavaliação A partir de cincoquestões dirigidas ao corpo docente e discente, a CPA buscou avaliar as diferentes etapas do processo de autoavaliação institucional, divulgação dos resultados e implantação das melhorias propostas Planejamento e implantação do processo de autoavaliação de cursos e institucional do Izabela Hendrix Quando questionados sobre o planejamento e implantação do processo de autoavaliação de cursos e institucional do Izabela Hendrix, os discentes apresentaram um somatório das opções 4 (ótimo) e 3 (bom) de 91,0%, enquanto que essa porcentagem de avaliações positivas dos docentes do Centro Universitáriofoi de 98,9%. TABELA 5 Planejamento e implantação do processo de autoavaliação de cursos e institucional do Izabela Hendrix A Comissão Própria de Avaliação (CPA) tem como objetivo planejar e implantar o processo de autoavaliação institucional. Este processo deve abordar todos os aspectos relevantes e importantes dentro da Instituição, com intuito de buscar o desenvolvimento integral e a melhoria constante na qualidade do processo educacional do Izabela Hendrix. Como você avalia o planejamento e implantação do processo de autoavaliação de cursos e institucional do Izabela Hendrix? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor 91,0% 98,9% Discussões nos cursos dos resultados das avaliações Internas e Externas Os docentes também avaliaram as discussões nos cursos dos resultados das avaliações Internas e Externas, apresentando um somatório de respostas ótimo e bom igual a 89,9%. TABELA 6 Discussões nos cursos dos resultados das avaliações Internas e Externas Como você avalia as discussões no seu curso dos resultados das avaliações Internas e Externas? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor - 89,9% -

29 Divulgação, nos cursos, dos resultados do processo de autoavaliação e das avaliações externas semelhante também foi levada aos alunos, que avaliaram a divulgação, nos seus cursos, dos resultados do processo de autoavaliação e das avaliações externas. A porcentagem de respostas positivas dos discentes ficou pouco acima do valor definido como satisfatório: 68,0%. TABELA 7 Divulgação nos cursos dos resultados das avaliações Internas e Externas Como você avalia a divulgação no seu curso dos resultados do processo de autoavaliação e das avaliações externas do seu curso? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor 68,0% Implementação das melhorias das ações acadêmico-administrativas indicadas pelas avaliações internas e externas Discentes e docentes avaliaram a implementação das melhorias das ações acadêmicoadministrativas indicadas pelas avaliações internas e externas. O somatório de respostas positivas (ótimo + bom) dos docentes foi de 80,7%, enquanto a dos discentes foi de 64,7%. TABELA 8 Implementação das melhorias das ações acadêmico-administrativas indicadas pelas avaliações Internas e Externas Como você avalia a implementação das melhorias das AÇÕES ACADÊMICO-ADMINISTRATIVAS indicadas pelas avaliações Internas e Externas? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor 64,7% 80,7% Implementação das melhorias de infraestrutura indicadas pelas avaliações internas e externas Discentes e docentes avaliaram a implementação das melhorias de infraestrutura indicadas pelas avaliações internas e externas. Os docentes apresentaram 69,5% de respostas positivas, enquanto que esse percentual entre os discentes foi de 57,5%. TABELA 9 Implementação das melhorias de infraestrutura indicadas pelas avaliações Internas e Externas Como você avalia a implementação das melhorias de INFRAESTRUTURA indicadas pelas avaliações Internas e Externas? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor 57,5% 69,5% -

30 30 A partir das reuniões com coordenações de cursos e análise das questões abertas, verificou-se que os discentes solicitam uma melhor divulgação dos resultados dos processos de avaliação, assim como uma implementação mais ágil das melhorias propostas, principalmente em relação à infraestrutura. Os docentes também afirmam que não reconhecem a implantação de algumas melhorias de infraestrutura apontadas pela autoavaliação institucional. Em alguns cursos, os docentes solicitam uma melhor divulgação e discussão dos resultados das avaliações. No ano de 2014, a CPA procurou realizar amplo trabalho de divulgação de suas ações e proposta de avaliação institucional para o CEUNIH. Foram realizadas reuniões entre CPA, coordenações e ProAcad para discussão do planejamento da autoavaliação institucional, assim como dos resultados das últimas avaliações externas realizadas em visitas de comissões do INEP ao Centro Universitário. Durante a 6ª Semana de Capacitação Docente, no mês de julho, a CPA realizou uma apresentação junto às coordenações e docentes sobre ENADE e CPC. Ao final, foi feita uma discussão sobre quais as responsabilidades da instituição e dos alunos nesse processo de avaliação externa. No mês de agosto, foi feita uma apresentação mais aprofundada desse tema para coordenações, Reitoria e ProAcad. A CPA disponibilizou relatórios com análise do Conceito ENADE e CPC de todos os cursos do Centro Universitário que realizaram ENADE desde o ano de 2007 até Durante o ano de 2014, a CPA utilizou marketing, reuniões com coordenações e informações em murais do Centro Universitário para divulgar resultados das avaliações, melhorias implementadas, e sensibilizar a comunidade acadêmica para participar dos processos de autoavaliação. O registro desse trabalho está arquivado em atas e pastas de trabalho na sala da CPA. Os resultados da avaliação institucional de 2014 ficarão disponíveis no sistema Praxisaté 31 de julho de Discentes e docentes receberam, por , um tutorial sobre como acessar e interpretar os resultados da avaliação. O mural da CPA, situado em local estratégico e boa visibilidade no campus Praça da Liberdade, apresenta um passo a passo com informações gráficas, explicando como acessar os resultados.

31 31 Os relatórios de cursos e institucional ficam disponíveis no site da CPA (www.izabelahendrix.edu.br/cpa) por tempo indeterminado. A CPA tem se reunido com as coordenações e colegiados de curso e núcleo para apresentar e discutir os resultados da avaliação institucional. A partir desses encontros, são elaborados planos de melhorias, que são acompanhados e, anualmente, os avanços são registrados no ato da elaboração do relatório geral de autoavaliação institucional. O registro desses encontros é feito em ata, arquivada junto à CPA Conhecimento e utilização do PDI para a elaboração do Projeto Pedagógico e do planejamento das atividades, em geral, nos cursos e núcleos O conhecimento e utilização do PDI para a elaboração do Projeto Pedagógico e do planejamento das atividades, em geral, nos cursos de núcleos foram avaliados de forma positiva por 93,3% dos docentes. TABELA 10 Conhecimento e utilização do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) para a elaboração do Projeto Pedagógico e do planejamento das atividades, em geral, no seu curso e núcleo Como você avalia o conhecimento e utilização do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) para a elaboração do Projeto Pedagógico e do planejamento das atividades, em geral, no seu curso e núcleo? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor - 93,3% - Em 2013, durante a 4ª Semana de Capacitação Docente, PDI foi objeto de estudo e discussão entre docentes, coordenações e lideranças do CEUNIH. Desde então, os colegiados de cursos já se comprometeram a continuar a discutir esse documento em suas reuniões. A avaliação em 2013 já apontou uma alta porcentagem de respostas positivas referentes a essa questão. Em 2014, um banner com os objetivos e metas institucionais do PDI foi posicionado em local estratégico na sala dos professores. A análise desses resultados indica que esse conjunto de ações pode ter influenciado na alta porcentagem de respostas ótimo e bom.

32 Eixo 2: Desenvolvimento Institucional Dimensão 1: Missão e o Plano de Desenvolvimento Institucional Ações institucionais voltadas para a inclusão social e para o desenvolvimento econômico e social A comunidade acadêmica avaliou satisfatoriamente as ações institucionais voltadas para a inclusão social e para o desenvolvimento econômico e social com porcentagem de 78% de respostas positivas dos discentes e 85% dos docentes. TABELA 11 Ações institucionais voltadas para a inclusão social e para o desenvolvimento econômico e social Como você avalia as ações institucionais voltadas para a inclusão social e para o desenvolvimento econômico e social (trabalhos com a comunidade, melhoria da infraestrutura urbana, melhoria das condições/qualidade de vida da população e projetos de inovação social)? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor 78,0% 85,0% Articulação entre as metas e objetivos do PDI com a missão institucional A articulação entre as metas e objetivos do PDI com a missão institucional também obteve uma porcentagem de respostas positivas dos docentes: 90,4%. TABELA 12 Articulação entre as metas e objetivos do PDI com a missão institucional O Izabela Hendrix tem como missão educar e qualificar pessoas, a partir de valores cristãos, para serem cidadãos(ãs) críticos(as), criativos(as), responsáveis e capazes de atuar na transformação da sociedade. Como você avalia a articulação entre as metas e objetivos do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) com a missão institucional? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor - 90,4% - Na análise das questões abertas, observa-se que a maioria dos discentes e docentes tem boas avaliações sobre os indicadores que compõem este eixo. Alguns docentes e discentes solicitam maior investimento e divulgação das ações institucionais voltadas para a inclusão social e para o desenvolvimento econômico e social. Os discentes sugerem que haja mais projetos de ação social com a participação de alunos Dimensão 3: Responsabilidade Social da Instituição Prestar serviços à comunidade é uma das metas do Izabela Hendrix. O CEUNIH entende que uma das principais formas de se trabalhar a responsabilidade social é

33 33 permitir que a classe menos favorecida da sociedade tenha acesso a uma educação de qualidade, seja esta uma educação formal ou não-formal. Durante o ano de 2014 foram desenvolvidos vários projetos e ações de estímulo ao desenvolvimento da cidadania, todas ligadas a cursos e núcleos do Centro Universitário. Conforme indicado no PDI , os docentes avaliaram a extensão e autoavaliaram seus projetos conforme parâmetros definidos. A seguir estão apresentados os resultados desta avaliação e relatos das iniciativas realizadas. No QUADRO 8, que resume as avaliações dos docentes em relação a seus próprios projetos, nota-se que 100% dos professores consideraram satisfatórias a relevância social, econômica e a política dos problemas abordados e o alcance dos objetivos e resultados dos projetos. De forma semelhante, 90% consideraram satisfatórias as interações dos projetos com órgãos públicos e privados e segmentos organizados. Como justificativas os professores relataram a importância dos temas abordados em alguns projetos; a característica de alguns projetos serem serviço interno; o alcance do público alvo e dos objetivos dos projetos.

34 34 QUADRO 8 -Impactos sociais do projeto de extensão sob sua coordenação Item Ótimo Bom Ruim Péssimo Não se aplica / Não sei avaliar Justifique Relevância social, relevância econômica e política dos problemas abordados Interação com órgãos públicos e privados e segmentos organizados Todos os temas abordados são de extrema relevância para práticas de promoção e prevenção de doenças o que torna importante as ações junto a comunidade; - A educação em saúde humana é um desafio grande para os professores de ciências e biologia e outros profissionais. Vários temas como doenças sexualmente transmissíveis, drogas, devem ser abordados segundo os temas transversais dos Parâmetros Curriculares Nacional. Sendo estes temas de extrema importância para a formação do indivíduo e sua inserção na comunidade; - Apesar de se caracterizar como extensão, não exerce atividades diretas extra muros, estando voltado estritamente para o público interno; - Serviço interno; - O projeto contemplou este indicador de forma satisfatória porque atingiu um público diverso de crianças (diversas classes sociais, diferentes tipos de necessidades e de diversas localidades) e proporcionou as mesmas momentos de aprendizagem e ludicidade; - O projeto está em consonância com um debate global que ocorre desde Na verdade este ano de 2014 é celebrado pela ONU como o ano da Segurança Alimentar e Nutricional, um dos focos do projeto; - Mesmo com carência de dados representativos da realidade social da região, algumas estratégias já consolidadas e previstas para serem executadas na área de estudo e outras que estão em fase de planejamento, certamente, representarão relevância social e econômica para a população da região do entorno da Fazendinha, buscando contribuir com os diálogos de saberes populares e acadêmicos e minimizar as desigualdades locais. - Houve parcerias com empresas como PROBEMGE, MADEPAL, NEWACCTION e CASSI; - Serviço interno; - A interação ainda é fraca, o projeto já é conhecido em algumas esferas. Contudo gostaríamos de ser referência em BH e região; - Até o momento houve uma interação com as Obras Sociais da Igreja de Santo Antonio de Roças Grandes, onde acontecem cursos e formações para a comunidade local. Objetivos e Os resultados alcançados foram atendidos. Os alunos demonstraram empenho nas ações realizadas,

35 35 resultados alcançados Fonte: dados da pesquisa. recebemos um retorno positivo da população; - Recebemos um retorno positivo. Durante a visita técnica foi possível evidenciar ointeresse dos alunos da escola técnicas; - O objetivo do projeto foi alcançado, pois conseguimos proporcionar as crianças que frequentam o colégio e as clínicas, em seu tempo livre, momentosdiversificados de aprendizagem e ludicidade; - Diversas razões causaram atraso nas atividades práticas do projeto, prejudicando o cumprimento de algumas metas; - Todos os objetivos de curto prazo do projeto foram alcançados; - O projeto encontra-se numa etapa de levantamento de informações referentes ao público alvo no entorno da Fazendinha. Essas informações são imprescindíveis para a realização das intervenções e, portanto, para a obtenção de resultados provenientes das atividades de extensão. Até agora as informações obtidas foram importantes até mesmo para que pudéssemos adequar os nossos objetivos às reais realidades da comunidade local.

36 36 i. Disciplinas de Humanidades Uma das iniciativas são as disciplinas de Humanidades, que integram o currículo de todos os cursos ministrados do Centro Universitário Izabela Hendrix. Elas ocorrem na modalidade semipresencial e correspondem às disciplinas de Conhecimento e Saber, Ser Humano em Relações, Sociedade em Movimentos e Meio Ambiente e Consciência Planetária. Como resposta a uma melhoria solicitada no plano de melhorias de 2011, em 2012 as disciplinas de humanidades deixaram de ter um único coordenador e cada núcleo da instituição passou a ser responsável por uma dessas disciplinas. Desde então, os núcleos têm buscado associar os conteúdos dessas disciplinas às áreas de conhecimento dos cursos, tornando o conhecimento mais significativo e interdisciplinar para os alunos. Além disso, materiais da disciplina em texto, áudio e vídeo, assim como notícias e eventos realizados relacionados às temáticas da área, são disponibilizados no site das Humanidades: https://sites.google.com/site/humanidadesizabelahendrix/home. ii. Programa de Capacitação de Jovens de Países em Reconstrução O Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix mantém um programa de apoio a estudantes em nível de graduação, oriundos de países em reconstrução. Para cada duas vagas preenchidas por homem tem que haver pelo menos uma mulher, numa visão de igualdade de gênero. Chegando ao Brasil, o grupo tem um curso de imersão na língua portuguesa. Por meio deste programa eles e elas recebem o custeio dos seus estudos em cursos como Administração, Arquitetura, Biomedicina, Engenharias, Fisioterapia e Nutrição. Uma vez terminados os estudos no Brasil, os egressos têm o compromisso de voltar ao seu país, onde poderão ser lideranças importantes que irão multiplicar o que aqui aprenderam, a fim de contribuir na reorganização e reconstrução, no combate à fome, desnutrição, doenças, más condições de moradia, etc., além de aplicar os conhecimentos de gestão na abertura e gerenciamento de novos projetos de interesse social. Em 2014, havia um aluno haitiano com bolsa integral pelo Programa de Capacitação de Jovens líderes de Países em Reconstrução matriculado no curso de Engenharia Ambiental do Centro Universitário.

37 37 O item (Atividades de cooperação, intercâmbio e programas de internacionalização) apresenta mais informações sobre esse programa. iii. Programa de Estudantes - Convênio de Graduação (PEC-G) O Programa de Estudantes-Convênio de Graduação oferece oportunidades de formação superior a cidadãos de países em desenvolvimento com os quais o Brasil mantém acordos educacionais e culturais. Desenvolvido pelos ministérios das Relações Exteriores e da Educação, em parceria com universidades públicas - federais e estaduais - e particulares, o PEC-G seleciona estrangeiros, entre 18 e 25 anos, com ensino médio completo, para realizar estudos de graduação no país. O aluno estrangeiro selecionado cursa gratuitamente a graduação. Em contrapartida, deve atender a alguns critérios; entre eles, provar que é capaz de custear suas despesas no Brasil, ter certificado de conclusão do ensino médio ou curso equivalente e proficiência em língua portuguesa, no caso dos alunos de nações fora da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP). São selecionadas preferencialmente pessoas inseridas em programas de desenvolvimento socioeconômico, acordados entre o Brasil e seus países de origem. Os acordos determinam a adoção pelo aluno do compromisso de regressar ao seu país e contribuir com a área na qual se graduou. Em 2014, havia sete alunos bolsistas do PEC-G estudando no Izabela Hendrix, conforme descrito de forma mais detalhada no item (Atividades de cooperação, intercâmbio e programas de internacionalização). iv. Casa de Cuidados A Casa de Cuidados é o projeto fomentador da qualidade de vida para funcionários, professores e alunos, entendendo que ela é questão chave para se permanecer saudável. Tem como objetivo prestar cuidados em situações agudas à comunidade izabelina, bem como desenvolver ações de prevenção e promoção da saúde. Atualmente conta com seis extensionistas.

38 38 v. Casa de Cuidados Atuação Fonoaudiológica O projeto tem como objetivo estudar a demanda de atuação fonoaudiológica dentre os acadêmicos dos diferentes cursos de graduação oferecidos pelo Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix e atender a demanda de casos relacionados à Fonoaudiologia entre os alunos do Centro Universitário, fazendo os devidos encaminhamentos e orientações. vi. Agência de Cuidados Saúde nas Escolas A educação em saúde humana é um desafio grande para os professores de ciências e biologia e outros profissionais da escola de ensino fundamental,médio e escolas. Vários temas como doenças sexualmente transmissíveis, drogas, obesidade entre outros devem ser abordados segundo os temas transversais dos Parâmetros Curriculares Nacional. Sendo estes temas de extrema importância para a formação do indivíduo. Entretanto, nem sempre as escolas possuem professores capacitados em todas as áreas do ensino de Ciências e muitas vezes sem material apropriado para melhorar o processo de ensinoaprendizagem. Diante disso, esse projeto visa possibilitar através de palestras, oficinas e visitas orientadas aos laboratórios do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrixum auxílio na formação de alunos do ensino fundamental e médio. O projeto saúde nas escolas tem atendido escolas de Belo Horizonte e região metropolitana de BH oferecendo palestras, oficinas e visitas técnicas orientadas. As ações realizadas no período foram: 15 de setembro de Palestra e visita orientada aos laboratórios do CEUNIH oferecidas aos alunos do terceiro ano do ensino médio do Colégio Izabela Hendrix. Foi oferecida uma visita técnica orientada aos alunos do terceiro ano do ensino médio do colégio Izabela Hendrix. Durante a visita foram demonstrados alguns testes laboratoriais realizados, tipos de amostras e coletas realizadas no laboratório de Análises Clínicas e no laboratório de morfologia II. A visita foi antecedida de uma palestra ministrada pela professora Rafaela explicando as áreas de atuação dos profissionais da saúde e a importância dos exames laboratoriais como auxílio em 75% das decisões de consultas médicas. Público alvo 35 alunos. O projeto nesse dia contou com apoio de uma aluna e do Biomédico Alexandre Enes e professora Rafaela.

39 39 20 de setembro de Palestra de Primeiros Socorros. Foi oferecida uma oficina para as alunas do curso da Pedagogia do CEUNIH, nessa oficina foram repassados os conceitos teóricos, as manobras teóricas e práticas de primeiros socorros com foco em crianças na faixa etária de 0 a 5 anos. Nesse evento duas alunas do Projeto Saúde nas Escolas apresentaram a oficina acompanhada da professora Rafaela e professora Michele Sá. Público alvo de 40 alunos. 20 de setembro de Capacitação e Palestra Parceria com Colégio Metodista Izabela Hendrix. Quatro alunos do projeto Saúde nas escolas, acompanhados da professora Rafaela auxiliaram dois grupos de alunos do colégio na montagem e elaboração de duas palestras. Os alunos foram orientados e capacitados em materiais didáticos para montagem da palestra. A Palestra ocorreu no dia no projeto mobiliza que tem como objetivo aproximar os alunos do colégio de situações diversas do cotidiano. O Público alvo foram inicialmente os alunos do primeiro ano do ensino médio do colégio Izabela Hendrix com auxílio no tema higiene bucal e drogas. O segundo público atendido foram 60 jovens na faixa etária de 7 a 15 anos do projeto da Fundação Metodista de Ação Social e Cultura do São Gabriel. 23 de outubro de Palestra Educação Sexual oferecida aos alunos do Colégio Izabela Hendrix. Foi apresentada uma palestra teórica e prática aos alunos do sétimo ano do colégio Izabela Hendrix. A palestra foi apresentada por uma aluna do projeto, que recebeu auxílio e supervisão da professora Rafaela e auxílio presencial do Biomédico Alexandre. Público alvo 35 alunos. 25 de outubro de Visita Técnica Orientada Escola Técnica De Enfermagem Enfermig. Foi realizada uma visita técnica, previamente agendada, com os alunos do primeiro período do curso técnico de enfermagem da ENFERMIG aos laboratórios do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix (CEUNIH), apresentando os materiais, procedimentos e rotinas realizados nos respectivos laboratórios. Às 9h de sábado, iniciou-se a visita, com uma palestra introdutória sobre os cursos do núcleo de biociências do CEUNIH e seus diferenciais, com destaque para o curso de Biomedicina, abordando também sobre o mercado de trabalho na área da saúde, mostrando dados, reportagens e artigos sobre o assunto. A Palestra nesse dia foi ministrada pelo biomédico Alexandre Enes com auxílio da aluna Márcia. Na sequência, os

40 40 estagiários Alexandre Gurgel e Luciana Mendonça ministraram uma palestra sobre Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST s) com foco em diagnóstico microbiológico. Após as palestras os alunos foram divididos em duas turmas iguais direcionados para o laboratório de análises clínicas e Microbiologia e posteriormente com troca das turmas para o laboratório Morfologia II. No laboratório de Análises Clínicas, os alunos acompanharam as principais práticas e procedimentos realizados no laboratório, com ênfase em teste rápido de tipagem sanguínea, em seguida foram apresentadas as técnicas microbiológicas no laboratório de microbiologia I. No laboratório morfologia II os alunos acompanharam a professora Adriana Tristão, os alunos tiveram a oportunidade de conhecer um pouco sobre a histologia, visualizar no microscópio de luz as fases da divisão celular. Além disso, verificar algumas especializações do tecido epitelial como células ciliadas presentes no epitélio da traquéia e também a queratina presente no epitélio da pele. Como essa visita aconteceu no mês de outubro aproveitamos para fazer menção sobre a Campanha Outubro Rosa que visa à prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama. Distribuímos laços e balões cor de rosa para os alunos. No final da palestra os alunos receberam folders de materiais educativos, folders da campanha do vestibular do CEUNIH e brindes (balas e lápis). Público alvo 30 alunos. 28 de outubro de Visita Técnica Orientada Escola Técnica De Enfermagem Enfermig. Foi realizada uma visita técnica, previamente agendada, com os alunos do primeiro período do curso técnico de enfermagem da ENFEMIG aos laboratórios do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix (CEUNIH). Foram apresentados aos alunos os materiais, procedimentos e rotinas realizados nos respectivos laboratórios. Às dezenove horas e trinta minutos de terça-feira, iniciou-se a visita, com uma palestra introdutória sobre os cursos do núcleo de biociências do CEUNIH e seus diferenciais, com destaque para o curso Biomedicina. Foram discutidos temas sobre o mercado de trabalho na área da saúde, mostrando dados, reportagens e artigos sobre o assunto. A Palestra foi ministrada pela professora Rafaela de Oliveira Silva e o biomédico Alexandre Enes. Na sequência, os alunos foram encaminhados para o laboratório de microbiologia, no local foram introduzidos as principais técnicas de trabalho, como produção e escolha do ágar e coloração de gram. Acompanhados pela professora Rafaela de Oliveira Silva, os alunos tiveram a oportunidade de

41 41 conhecer um pouco do trabalho realizado no laboratório de análises clínicas, com foco em coleta sanguínea, punção venosa. Ainda no laboratório, foram demonstradas as prática de tipagem sanguínea e os demais setores do laboratório de análises clínicas. Público alvo: 35 alunos. FIGURA 1 Palestra e visita técnica aos laboratórios do CEUNIH oferecidas aos alunos do terceiro ano do ensino médio do Colégio Izabela Hendrix Fonte: Projeto Saúde nas Escolas (2014). FIGURA 2 Visita Técnica Orientada Escola Técnica De Enfermagem Enfermig Fonte: Projeto Saúde nas Escolas (2014). vii. Projeto Saúde Coletiva O projeto tem como objetivo informar a população de Belo Horizonte e grande BH das principais doenças humanas enfatizando transmissão, formas de diagnóstico, tratamento e prevenção.apesar do fácil acesso à informação é importante a presença de um profissional da saúde para tirar uma possível dúvida e orientar o paciente para um acompanhamento médico quando for necessário.o projeto possibilita ao aluno do curso de biomedicina o aprendizado em ações e preparo de material didático em educação em saúde.para tal, são oferecidas palestras, atendimento à população aferindo pressão arterial, dosando glicemia, folders informativos, marketing (comunidade interna).

42 42 Além disso, a formação acadêmica do aluno de biomedicina não se passa apenas na formação do conhecimento biológico é preciso colocar em prática aquilo que é aprendido. Esse projeto visa uma inserção dos estudantes para lidarem com a comunidade levando informações de educação em saúde e atendendo junto com estudantes de outros cursos a população. Foram realizadas diversas ações no período: 14 de agosto de Edital e seleção de novos alunos: Foram realizadas reuniões, planejamentos das ações e captação de novos alunos para atuarem no projeto de extensão. Após a seleção foi realizada uma reunião geral com os alunos. 23 de agosto de Comunidade da serra: Foi realizada uma visita da equipe do projeto Comunidade na Universidade, nesse dia foram oferecidas atividades recreativas para as crianças e adolescentes. Nessa ação a equipe do projeto contou com o apoio do Biomédico Alexandre Enes. Tempo total de ação 4 horas de ação. O publico alvo atendido foi uma media de 12 crianças e adolescentes 16 de setembro de Semana de Extensão Universitária - Ação de aferição de pressão arterial e avaliação da circunferência abdominal e quadril. Essa ação foi realizada na portaria principal do Campus Liberdade do CEUNIH. Foi realizada aferição de pressão arterial, avaliação da circunferência abdominal e quadril do público interno do CEUNIH e público externo. O público atendido pode retirar dúvidas em relação ao risco cardíaco, formas de promoção e prevenção da saúde e aimportância da avaliação da circunferência abdominal e relação cintura/quadril conforme recomendações da Organização Mundial de Saúde. Tempo total de ação 2 horas de ação. No total foram atendidos. 100 pessoas atendidas. 16 de setembro de Palestra Câncer do Colo uterino - diagnóstico e prevenção. Essa ação do projeto foi realizada na semana de extensão do CEUNIH. A Palestra foi oferecida para o público interno e externo do CEUNIH. As alunas do projeto e estagiários do curso Biomedicina acompanhadas da professora Rafaela ministraram a palestra e distribuíram folders. 15 pessoas 27 de setembro de Ação Igreja Batista Lagoinha Congresso Universitário de Fomos convidados pela equipe da comunicação do

43 43 CEUNIH para atuarmos com aferição de pressão arterial e atendimento as dúvidas dos jovens em relação às práticas de prevenção e cuidados com a saúde. Os alunos do projeto atuaram no atendimento daqueles que desejavam aferir a pressão arterial. Os alunos participaram de entrevistas a rede super. Além das ações do projeto saúde coletiva, realizamos distribuição de balas e folder do CEUNIH. Segundo dados enviados pela comunicação o evento foi oferecido para um público alvo de sete mil jovens. Tempo total de ação 4 horas de ação. Público alvo foram jovens e adolescentes presentes que solicitaram informações. Público alvo de aferição de pressão arterial. Dessa atividade participaram os alunos do projeto de extensão, o biomédico Alexandre e Enes e a docente Rafaela. Com público de 78 pessoas, sendo 48 mulheres e 30 homens, com idade entre 07 e 71 anos. 29 de setembro de Ação Empresa Newacction A ação do projeto foi realizada na semana de prevenção de acidentes de trabalho dos funcionários do BH shopping. Foi realizado aferição de pressão arterial dos funcionários interessados, e foram oferecidas informações relacionadas a práticas de promoção e prevenção em saúde. Distribuímos folders educativos, Junto a esse folder entregamos também o folder do vestibular, balas cedidas pelo CEUNIH Total de tempo da ação: 4h. Tivemos como público alvo os usuários da clínica, seus acompanhantes e funcionários da empresa. Um total de 21 participantes. 30 de setembro de Ação Empresa Newacction- A ação do projeto foi realizada na semana de prevenção de acidentes de trabalho dos funcionários do DaimondMall. Foi realizado aferição de pressão arterial dos funcionários interessados, e foram oferecidas informações relacionadas a práticas de promoção e prevenção em saúde. Tempo total de ação 4 horas de ação. Distribuímos folders educativos, Junto a esse folder entregamos também o folder do vestibular, balas cedidas pelo CEUNIH Total de tempo da ação: 4h. Tivemos como público alvo, um total de 30 pessoas atendidas. 25 de outubro de Ação palestra prevenção do câncer de mama e câncer do colo do útero (HPV): Essa ação foi realizada na comunidade da Serra. No local o publico alvo foram crianças e adolescentes. Após a palestra foram distribuídos folders educativos do ministério da saúde e o laço rosa simbolizando a prática de prevenção. Tempo total de ação 3 horas de ação. 15 pessoas

44 44 29 de outubro de Ação Marketing: Outubro Rosa. Foi enviado um marketing com link do vídeo outubro Rosa para a comunidade Izabela Hendrix através do Izabela para todos. Foi solicitado aos alunos do curso a divulgação do vídeo nas redes sociais. Público alvo: Instituto Metodista Izabela Hendrix, formada por 400 pessoas. 31 de outubro de Ação palestra prevenção do câncer de mama empresa Madepal: Foi realizada uma palestra abordando os métodos de detecção, diagnóstico e tratamentos do câncer de mama. A ação foi realizada durante um dia da Semana de Interna de Prevenção Interna de Acidentes (SIPAT) da empresa Madepal. Além da palestra foi oferecido informações referentes aos métodos de diagnóstico do CA de MAMA e aferição de pressão arterial e Distribuímos folders educativos do Ministério da Saúde sobre prevenção do câncer de mama. Junto a esse folder entregamos também o folder do vestibular, balas cedidas pelo CEUNIH Total de tempo da ação: 4h. Tivemos como público alvo os usuários da clínica, seus acompanhantes e funcionários da empresa. Público formado por 48 pessoas, sendo 2 homens e 46 mulheres, com idades entre 25 e 60 anos. 27e 29 de outubro de Evento A Saúde é festa : Esse evento foi realizado nas Clínicas Integradas do Izabela Hendrix (Campus de Nova Lima). Nessa ação os alunos fizeram aferição de pressão arterial e testes rápidos de dosagem de glicemia capilar e tipagem sanguínea. Tivemos como público alvo os usuários da clínica, seus acompanhantes e funcionários do Izabela. O trabalho realizado pelas alunas, sob supervisão do Alexandre Enes, atendeu no total, um público de 88 pessoas. No dia 27/10 esse foi de 39 pessoas sendo, 20 mulheres e 19 homens, com idade entre 10 a 86 anos. Já no dia 29/10 o público foi de 49 pessoas e dessas, 33 mulheres e 17 homens com idade entre 24 a 93 anos. Foram entregues panfletos da própria faculdade e distribuído balas e lápis promocionais em parceria com a comunicação do CEUNIH. Total de pessoas atendidas: 01 de novembro de Brincando na Praça.Essa ação foi realizada no Izabela Hendrix (campus Venda Nova). Contou com a participação da professora Adriana Tristão e dos alunos Alexandre Gurgel, Ana Flávia, Gilvânia, Nívea Mara e Patrícia Hellen. Realizou-se aferição de pressão arterial e orientação a comunidade sobre prevenção do câncer de mama. Distribuímos

45 45 folders educativos do Ministério da Saúde sobre prevenção do câncer de mama no Izabela Hendrix, nas ruas e nos sinais de trânsito próximos a Instituição. Junto a esse folder entregamos também o folder do vestibular, balas cedidas pelo CEUNIH e balões rosa e azul para as crianças presentes. Total de tempo da ação: 4h. Público médio de 50 a 100 pessoas. 04 de novembro de Ação participação na semana interna de prevenção de acidentes de trabalho da empresa Prodemge. Essa ação contou com a atuação dos alunos do projeto de extensão e o apoio do Biomédico Alexandre Enes. Foram ministradas palestras pelos alunos do projeto abordando os temas: Ferramentas da qualidade Qualidade 5 S, Segurança no trabalho, Doenças ligadas ao ambiente Ocupacional. A equipe do projeto também realizou aferição de pressão arterial dos funcionários interessados. No final do evento foram entregues folhetos do ministério da saúde com formas de prevenção do câncer de mama, e folders do vestibular CEUNIH juntamente com brindes (balas e lápis) fornecidos pela equipe da comunicação do CEUNIH. Público alvo: 40 pessoas na faixa etária de 25 e 69 anos. FIGURA 3 Semana de Extensão Universitária - Ação de aferição de pressão arterial e avaliação da circunferência abdominal e quadril Fonte: Projeto Saúde Coletiva (2014).

46 46 viii. Programa de Apoio Psicopedagógico É um projeto de suporte psicológico, emocional e psicopedagógico (individual e grupal) à comunidade acadêmica do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix (alunos, professores e funcionários). Assessoria às diferentes instâncias do CEUNIH na promoção do bem-estar psicológico e a saúde mental dos membros da comunidade acadêmica. No ano de 2014, foram realizados um total de 282 atendimentos individuais, e 1 palestra realizada no Colégio São Miguel em Belo Horizonte. As principais demandas trazidas pelos atendidos são: Relacionamento familiar. Ansiedade. Estresse. Depressão. Transtorno psiquiátrico. Distúrbios de aprendizagem. Relacionamento afetivo. Outros: Dificuldades de concentração no estudo; Problemas de relacionamento no trabalho. ix. Projeto Empregabilidade e Carreira O Projeto tem como objetivo criar possibilidades de atuação dos discentes do curso, de modo a associar a teoria à prática, envolvendo os alunos em atividades em extensão e pesquisa e ao mesmo tempo, desenvolvendo nesses discentes a reflexão da importância da contribuição deles na sociedade por meio de ações pontuais. Nesse sentido, proporcionando aos alunos das escolas públicas e privadas, condições de se prepararem para o mercado de trabalho. O projeto de extensão terá cunho social e buscará maior proximidade da instituição com a comunidade, associada à necessidade de atividade prática de pesquisa com os discentes conforme previsto no PPP. x. Projeto Nas trilhas da Saúde O projeto Nas Trilhas da Saúde busca produzir e socializar conhecimentos na área da biologia, ecologia e saúde que contribuam com a formação, educação e melhoria da

47 47 qualidade ambiental e de vida da comunidade do entorno da Fazendinha, Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix, Sabará/MG. Para isso, promoveu ações como:encontro com os funcionários do Izabela Hendrix que moram no entorno da Fazendinha para levantarmos quais são as demandas da região e em que o nosso projeto pode contribuir para a melhoria dessas necessidades; visita a Fazendinha e área do entorno de Roças Grandes com os alunos do projeto, para que eles conhecessem a região e também iniciarmos contato com a comunidade local para futuras parcerias; apresentação de técnicas para criação de determinados produtos (forno sola, filtro e purificador de água e sabão) que podem contribuir com a minimização dos descartes de resíduos sólidos no ambiente natural, a melhora a qualidade da saúde, a redução de custos cotidianos e a geração de rendas alternativas. FIGURA 4 Reunião com os funcionários do Izabela Hendrix que moram no entorno da Fazendinha Fonte: Projeto Nas trilhas da Saúde (2014). xi. Estudo de Impacto de Vizinhança do Campus Praça da Liberdade O Estudo de Impacto de Vizinhança - EIV do Campus Praça da Liberdade do Instituto Metodista Izabela Hendrix foi elaborado a partir de uma exigência legal ligada à legislação urbanística vigente no município. Tal estudo consiste em um conjunto de levantamentos e análises sobre os impactos, positivos e negativos, que a operação do campus gera em seu entorno. O objetivo principal dessa ação, além de contribuir para que a Instituição se mantenha sempre em conformidade com os preceitos normativos vigentes na instância urbanística, é entender cada vez melhor o funcionamento do campus e sua relação com a cidade. Durante o segundo semestre de 2014, foi realizado o acompanhamento e apoio à consultoria contratada na realização de levantamentos de dados secundários e consolidação de tais dados.além da aplicação de questionários ligados à pesquisa de mobilidade urbana, parte integrante do EIV, e a elaboração de ofícios para

48 48 encaminhamento de documentos ligados ao processo de licenciamento junto ao Conselho Municipal de Política Urbana. xii. Sala de Cuidados A Sala de Cuidados trata-se de serviços prestados por alunos do curso de enfermagem e demais cursos as saúde, sob supervisão de professor, assistência pré-hospitalar á comunidade Izabelina bem como ações de promoção da saúde. Tal projeto visa, concomitantemente, ser espaço de reflexão e produção de conhecimento do curso de enfermagem, ao propiciar o exercício das práticas aprendidas durante o curso. O atendimento é realizado nos três turnos, sendo 2 alunos por turno, sendo estes acadêmicos do curso de enfermagem e Biomedicina. A Sala de Cuidados não só viabiliza um atendimento de enfermagem e segurança do trabalho, mas também a capacitação e a possibilidade de aplicação prática dos conhecimentos teóricos além de dar segurança de que, em casos de necessidades repentinas, tenha-se um local e apoio necessário. FIGURA 5 Semana do combate a Hipertensão Arterial Fonte: Projeto Sala de Cuidados (2014). xiii. Minicursos de Teologia O Projeto Minicursos de Teologia Educação Teológica a serviço da comunidade tem como principal objetivo Compartilhar o conhecimento, acumulado na Academia com a

49 49 sociedade como forma de colaboração por uma sociedade mais justa, inclusiva e menos desigual. As ações desenvolvidas no 2º semestre de 2014 foram: 30 de agosto - de 14h às 18h - Como ler a Bíblia - Preparando Estudos Bíblicos Indutivos - Prof. Ebenezer da Silva Melo Júnior; 06 de setembro - de 14h às 18h - Acolhimento interpessoal: ferramenta para uma relação de ajuda - Sandra Andrade de Castro; 20 de setembro - de 14h às 18h - História de Israel - O registro da memória oral do Povo de Deus - Prof. Ebenezer da Silva Melo Júnior; 27 de setembro -de 14h às 18h - A Humanização do Ser Humano - Estabelecendo a relação entre Teologia e Pedagogia - Prof. Ebenezer da Silva Melo Júnior; 01 de novembro - 14h às 18h - Pregação da Palavra: Isso ainda é necessário? Como elaborar um sermão expositivo. - Antônio Carlos Ferrarezi; 22 de novembro - de 14h às 18h - Leitura Feminista da Escritura - Opção ou Necessidade? - Ana Ester Freire Pádua. xiv. Pastoral Escolar e Universitária A Pastoral Escolar e Universitária (PEU) é integrada pelos pastores metodistas Rev. Lino Estevão Magalhães Leite (coordenador) e Rev. Cilas Ferraz de Oliveira. Ela busca o cumprimento da Missão de Deus, e entende que o objetivo da Missão é testemunhar e construir o Reino de Deus, para que a sua vontade seja feita na terra assim como é feita nos céus, esperando um novo céu e uma nova terra onde habita a Justiça, conforme sonhava o apóstolo Pedro (II Pedro 3:13). O amor é sempre a força motivadora da presença e da ação de Deus no mundo. Nesse propósito a Pastoral estabelece parcerias, visando unir a Igreja e sua ética de Vida em todo espaço acadêmico, que explicitando também seus valores éticos. Esse serviço permeia todos os âmbitos institucionais, seja administrativo, funcional ou pedagógico (art.20 Regulamento PEU). Nesse mister a Pastoral participa de colegiados, articulando a confessionalidade na ação educativa realizada nas instituições de educação metodista.

50 50 A principal contribuição da PEU é estimular a formação de uma consciência crítica, fundamentada no Evangelho, sobre o alcance e os limites da atividade profissional. Ela procura também criar um espaço para a revisão de vida, a reflexão sobre o engajamento cristão na escola, na universidade e na sociedade orientada pelos documentos norteadores da ação da Igreja Metodista - o Credo Social e as Diretrizes para a Educação Metodista, a oração comunitária e o contato pessoal e comunitário gratuito com Deus e com a família humana. A Pastoral Universitária oferece apoio espiritual, todos os dias da semana, e em todos os turnos, acolhendo, ouvindo, aconselhando e acompanhando estudantes, professores, funcionários e familiares nos seus momentos de alegrias, de pressões emocionais, financeiras e de relacionamentos.desenvolve celebrações, relações humanas, manifestações da espiritualidade, campanhas de solidariedade, diálogo com a sociedade civil, estimulando o convívio plural nas questões da vida e dos interesses sociais. No relatório das ações de 2014, verifica-se que a Pastoral participou ativamente da vida universitária com as seguintes ações: Palavra da Pastoral por ocasião da Recepção dos estudantes ingressantes no Centro Universitário e no Colégio, apresentando a pastoral e convidando a conhecer e participar de atividades promovidas pela Pastoral e franqueando a sala da pastoral para recebê-los/as; Palavra da Pastoral na abertura de reuniões da Direção do Colégio e CONSUN (Centro Universitário) e participação nessas reuniões; Palavra da Pastoral nos Seminários de Integração Docente do Centro Universitário e no Colégio; Palavra da Pastoral na abertura das solenidades de Colação de Grau; Palavra da Pastoral nas formaturas do Colégio; Coordenação do Projeto Humanidades e Relações Sociais no Colégio, com objetivo de sensibilizar os/as estudantes sobre as necessidades da sociedade e conhecer formas de superação através do voluntariado e de ação cidadã. O Projeto realizou arrecadação solidária de roupas, fraldas, materiais de

51 51 higienização e alimentos durante as olimpíadas estudantis, provas de recuperação e outros. Os/as estudantes do Colégio elegeram seus representantes de turmas e foi ministrado curso de formação de lideranças para esses representantes na Fazendinha do Izabela Hendrix em Sabará. Foram efetuadas visitas com esses/as líderes à Creche Izabel Veiga Pinto, à Fundação Metodista de Ação Social e Cultural para conhecerem a realidade do trabalho dessas instituições e organizar um planejamento de visitas e ações nesses espaços além de entregar o material arrecadado. Essas lideranças organizaram visitas e atividades com todas as turmas nesses locais, com teatros, brincadeiras e diversas outras intervenções. Supervisão da disciplina Ensino Religioso no Colégio; Envio de cartões virtuais cumprimentando os/as aniversariantes e outros momentos marcantes na vida das pessoas da comunidade; Distribuição de Bíblias aos formandos/as nos cultos de formaturas; Acompanhamento aos/as estudantes estrangeiros/as, arrecadando recursos financeiros e alimentos mensalmente para o sustento dos estudantes do Haiti e apoio ao retorno deles ao seu país depois de formados; Criação de um fundo de apoio aos estudantes do Haiti com diversas atividades para arrecadação de verbas alcançando um valor de R$ 1.340,00 (um mil trezentos e quarenta reais) para cada um/a dos/as estudantes; Participação em Comissões Disciplinares instituídas pela Reitoria; Assistência pastoral junto à comunidade escolar e universitária, atendendo estudantes, professores/as, funcionários/as e pessoas da comunidade com oração e aconselhamento pastoral; Atendimento e entrevistas a estudantes dos diversos cursos de graduação do Izabela e de outras instituições educacionais de Belo Horizonte; Roda de conversa com os pais dos estudantes do Colégio sobre temas relacionados à vivência familiar.

52 52 Palestras em Seminário com Docentes sobre a Confessionalidade da Escola; Aulas sobre Novo Testamento no POV (Programa de Orientação Vocacional) a convite da Direção do Instituto Teológico João Ramos Jr. e no curso distrital de formação de Evangelistas da Igreja Metodista sobre Doutrina Metodista e Culto Cristão e Liturgia; Campanha de arrecadação de alimentos no Centro Universitário com apoio dos cursos de Engenharia (2.600 kg) e Teologia (170 kg) e outros cursos, que foram distribuídos pela pastoral a diversas instituições e pessoas. Celebrações: Páscoa com estudantes do Colégio do Fundamental e Médio; Culto em Ação de Graças pelos 110 anos do Colégio Izabela Hendrix no mês de outubro; Celebração em Ação de Graças pelas Formaturas: (não são obrigatórias e são organizadas com a participação dos/as estudantes). Atendimentos em casos de falecimentos de familiares de funcionários/as e professores/as e estudantes; Projeto: Minutos com Deus : momentos de oração celebrados com estudantes do Centro Universitário, semanalmente, em todos os campi; Projeto: Desperta Débora que reúne as mães de estudantes do Colégio para oração e intercessão pelos filhos e filhas, professores/as, funcionários/as e familiares às quartas feiras, à partir de 07 horas da manhã; Participação da Celebração dos 103 anos de criação do IPSM (Instituto de Previdência dos Servidores Militares do estado de Minas Gerais) e do Dia do Pensionista ; Momento Devocional acompanhado de um delicioso lanche e presentes oferecidos pelas mães aos docentes do Colégio no Dia do/a Professor/a;

53 53 Realização de celebrações trimestrais com os/as aniversariantes na comunidade em parceria com o Departamento de Recursos Humanos; Apoio aos estudantes do Colégio para um momento de oração e comunhão; Coordenação e realização quinzenal de Momento Cívico Religioso com os estudantes do Infantil ao Ensino Fundamental I e encontro mensal com os estudantes do Ensino Fundamental II; Momentos de oração com funcionários/as; Celebração com os estudantes do colégio no Dia Nacional em Ação de Graças; Participação na sociedade: Participação em organismos da sociedade tais como: CONIC-MG (Conselho Nacional de Igrejas Cristãs de Minas Gerais); Participação no FMDH Fórum Mineiro de Direitos Humanos; Participação no Núcleo de Estudos sobre violência Prof. Kássio, seminários, artigos, debates e estudos sobre violência e a construção de uma sociedade não violenta; Participação no Comitê de prevenção à violência nas manifestações populares durante a copa do mundo representando o FMDH; Presidência do Conselho Diretor da Fundação Metodista de Ação Social e Cultural; Elaboração e assinatura de convênio entre a Fundação Metodista e o Izabela Hendrix; Participação na Assembleia do Koinonia Presença Ecumênica e Serviço; Participação no 1º. Seminário sobre Marco Regulatório das OSC em Belo Horizonte;

54 54 Visita à Fundação Metodista em S. Gabriel com a coordenação dos cursos do Izabela Hendrix para realização de parcerias nas áreas de educação, extensão e pesquisa; Participação na Associação de Granberyenses em Belo Horizonte; Participação com docentes e discentes do Izabela Hendrix no Projeto de capacitação e revitalização do Projeto Sombra e Água Fresca na Fundação Metodista em Nova Almeida, Serra ES; Presença na solenidade da Câmara Municipal de BH que deu o título de Cidadão Honorário ao Bispo Roberto Alves da Igreja Metodista; Atendimento a convites para pregações em diversas igrejas Metodistas da Grande Belo Horizonte e por ocasião do aniversário dos 125 Anos do Instituto Granbery da Igreja Metodista, em Juiz de Fora, MG; Participação no III Seminário Internacional Cidade e Alteridade Convivência multicultural e justiça urbana na Faculdade de Direito da UFMG; Organização da Mesa de Debates sobre a participação das igrejas na ditadura militar; Publicação do subtítulo Igreja Metodista e os Desafios da Educação, no capitulo intitulado A arquidiocese de Belo Horizonte e o pluralismo religioso no livro A Arquidiocese de Belo Horizonte e a Evangelização, vol. 2, Caio Cesar Boschi e Luiz Antonio Pinheiro, Coordenadores, Ed. PUC Minas, Belo Horizonte, 2014, p Edição das Atas e Documentos dos Concílios Regionais da Igreja Metodista IV Região de 2005 a Também registra-se a manutenção e atualização da Página da Pastoral Universitária (www.izabelahendrix.edu.br/novo/pastoral) como meio de aproximar a Pastoral e divulgar o seu trabalho com a comunidade Escolar e Universitária.

55 55 A Pastoral acompanha diretamente o programa de apoio aos alunos estrangeiros, dando acolhimento e atuação concreta nas diferentes demandas do programa. xv. Projeto Faça a Diferença Agência Oriente O Faça a Diferença foi criado para preparar alunos e egressos para fazerem a diferença no mercado de trabalho. Além deste público, no 2º semestre de 2014 o Faça a Diferença foi aberto também ao público externo em geral. As principais atividades do projeto são minicursos com os temas: Coaching: Autoconhecimento, mudanças e resultados; Como elaborar Currículo; Entrevista: Prepare-se e tenha Sucesso. FIGURA 6 Minicurso de do projeto Faça a Diferença Fonte: Projeto Faça a Diferença (2014). xvi. Agência de Tecnologia Aplicada a Educação A AGE tem como objetivo incentivar e qualificar o uso de novas tecnologias aplicadas à educação. Suas ações consistem na: Atualização Cronograma de aulas Site de humanidades; Suporte à Módulo de Complementação de Capacitação Docente; Suporte à AGESPPE na produção de Certificados; Atualização do Conteúdo SITE Pastoral; Atualização do Conteúdo SITE Engenharias; Atualização do Conteúdo SITE Humanidades; Suporte à criação de Formulários e Site para Apoio Psicopedagógico; Suporte à criação de Formulários e Site para Curso de Administração;

56 56 Suporte a atualização de Formulários e Site para Semana de Responsabilidade Social e Extensão Universitária; Suporte a atualização de Formulários e Site para o Programa de Nivelamento Institucional PINA; Suporte a criação de formulários e inserção no SITE Colégio Izabela Hendrix; Suporte à AGESPPE para criação de BANNER - Dia dos Professores; Suporte à AGESPPE Atendimento aos Alunos do ENADE; Suporte e Participação no Grupo de Trabalho - Gestão do Conhecimento para criação de Plataforma online para armazenamento de documentos; Visita à UFMG Palestra sobre Museus Universitários; Orientação a Professor do Direito sobre disciplinas semipresenciais; Suporte a Professora da Engenharia e Direito para gravação de vídeo-aulas; Finalização dos Relatórios dos Egressos (em andamento); Suporte à 7ª Semana de Capacitação Docente (em andamento). xvii. Agência de Estudos e Práticas Pedagógicas (AGESPPE) A proposta de atuação da Agesppe- Agência de Estudos e Práticas Pedagógicas para o ano de 2014 situa-se no contexto das discussões contemporâneas sobre os processos de formação e atividade dos profissionaise na compreensão da importância da articulação entre produção de conhecimentos científicos e conhecimentos construídos nos contextos da prática, explicitada no Plano de Desenvolvimento Institucional do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix (PDI). O objetivo é produzir e proporcionar espaços e tempos para a discussão e aprofundamento teórico-prático que favoreçam a formação acadêmica dos(as) docentes e estudantes do Centro Universitário e, especialmente, a formação profissional dos alunos(as) dos diferentes Núcleos da instituição. Durante o 2º semestre de 2014, foram realizados: Acolhida dos Calouros 2º Semestre de 2014; Acolhida dos Professores Ingressantes do 2º Semestre de 2014; Capacitação a professores e alunos para PROVA ENADE; 6ª Semana de Capacitação Docente;

57 57 Acolhida dos Professores Ingressantes do 2º Semestre de 2014; PINA Programa Institucional de Nivelamento Acadêmico do 2º Semestre de 2014; Brincando na Praça Campus Vetor Norte; 7ª Semana de Capacitação Docente. xviii. Mobiliário Infantil Interativo (Mobi) O projeto Mobi consiste no desenvolvimento de protótipos de mobiliários infantis que possuam caráter interativo que possam servir de equipamentos de estímulo ao aprendizado, para serem usados em brinquedotecas em instituições que desenvolvem projetos sociais infantis e escolas públicas necessitadas deste equipamento e que tenham um trabalho voltado para este uso. Ações desenvolvidas em 2014: Fevereiro a Junho 2014 Inicio com uma preparação teórica, pequenos ensaios temáticos, lançamento do tema principal brinquedoteca, reconhecimento do público alvo, desenvolvimento dos protótipos em maquetes e concepção do manual de montagem; Julho a Novembro de 2014 Produção dos Movéis na escala 1/1: modelagem nas placas de MDF, cortes das peças na marcenaria da instituição, ajustes de montagem, pré-montagem e pintura final dos móveis no Laboratório de Maquete; A Exposição Final para divulgação à comunidade local, entrega aos usuários e elaboração dos resultados práticos e do processo, deverão ser feitos nas duas primeiras semanas de fevereiro de 2015, em função da longa demora no corte das peças o que atrasou o calendário para os meses de outubro e novembro de FIGURA 7 Desenvolvimento, modelagem e montagem da Mesa Giratória Fonte: Projeto Mobi (2014).

58 58 xix. Desenvolvimento Humano e Sustentabilidade O DHS é um projeto de extensão que atua junto à Comunidade da Ocupação Dandara em conjunto com a Congregação Redentorista (Obra Social São José). Seu objetivo é realizar atividades estratégicas que visem a promoção da sustentabilidade e do desenvolvimento humano em assentamentos populares urbanos e peri-urbanos em condições de precariedade ou vulnerabilidade, promovendo a reconstrução de conceitos, valores e práticas, não só mais sustentáveis, mas também mais emancipadores. As ações desenvolvidas no 2º semestre de 2014 foram: Agosto Seleção extensionistas, organização do grupo, realização de gincana interna (teste de atividades lúdicas com os extensionistas); Setembro Estudos e apresentações sobre a comunidade do Dandara e Isidoro em Belo Horizonte. Participação da Semana de Responsabilidade Social; Outubro Retomada da parceria com a Congregação Redentorista. Preparação das atividades lúdicas. Realização da Gincana Lúdica na comunidade Dandara; Novembro Preparação e realização de atividades lúdicas na comunidade Dandara. xx. Espaços e Águas Urbanas A criação do projeto consistiu na reflexão acerca da produção do espaço urbano e suas relações com as águas urbanas, dada a partir de temas pertinentes desenvolvidos por discentes no Trabalho Final de Graduação. O projeto teve como objetivo ampliar os conhecimentos através de atividades de extensão e pesquisa, culminando na produção de artigos, aprovados para publicação no V Congresso Nacional de Gestão Ambiental - V CONGEA. xxi. Teorias e Práticas Urbanas O projeto consistiu no desenvolvimento de uma pesquisa voltada a um conjunto de reflexões acerca do Ribeirão Arrudas e sua inserção na RMBH. Tal pesquisa se desdobrou em um artigo a ser publicado na forma de capítulo de livro, denominado Teorias e práticas urbanas - Condições para a sociedade urbana, organizado pelo Instituto de Geociências da UFMG. xxii. Aula no Parque

59 59 A ação Aula no Parque foi uma das atrações da Semana da Arquitetura da Instituição. Apresentado na forma de Workshop, que teve como objetivo a reflexão conceitual sobre a produção do espaço urbano, dada através de um formato diferente da sala de aula, no qual os participantes foram convidados a apreender tais conceitos através de uma visão em 360º do município de Belo Horizonte e parte da sua região metropolitana. Entendese que uma prática pautada em outros olhares sobre o espaço socialmente produzido pode contribuir para um melhor entendimento do mesmo, bem como dos conceitos que suportam a sua análise. Diante disso, acredita-se também que a abordagem poderá contribuir para novas proposições sobre o contexto atual. FIGURA 8 Discussão e apresentação dos conceitos Fonte: Projeto Aula no Parque (2014). xxiii. Verde Comunitário É um Projeto de extensão universitária que visa Incentivar a utilização de espaços diversos dentro do ambiente urbano e peri-urbano para o cultivo agroecológico e comunitário de alimentos, plantas ornamentais e plantas medicinais. FIGURA 9 Oficina de Germinação

60 60 Fonte: Projeto Verde Comunitário (2014). xxiv. Projeto Manuelzão Em parceria com o Projeto Manuelzão, este projeto do CEUNIHpossui três subprojetos com seus respectivos objetivos: QUADRO 9 Subprojetos doprojeto Manuelzão do CEUNIH SUBPROJETOS OBJETIVOS 1 - Diagnóstico da qualidade Realizar um Diagnóstico da Qualidade ambiental das sub-bacias dos Ambiental das Sub-Bacias dos Córregos Capão córregos do Capão e Mergulhão no e Mergulhão, com intuito de apresentar município de Belo Horizonte ferramentas de análise por parte dos órgãos públicos, privados e pela comunidade em geral, para a formulação de políticas públicas e tomadas de decisões que favoreçam o desenvolvimento saudável das comunidades 2 - Simulação e otimização termo fluidodinâmica do circuito secundário de sistemas de aquecimento solar distrital em comunidades participantes do Projeto Manuelzão 3 - Calibração de modelos de transformação chuva x vazão referentes às bacias hidrográficas dos córregos Capão e Mergulhão em suas fozes(hidrologia e Sistemas Construtivos) Fonte: Projeto Manuelzão (2014). locais. O escopo geral do projeto trata do desenvolvimento de modelos de sustentabilidade do Aquecimento Distrital para habitações de interesse social atendida pelo projeto Manuelzão, sem similar no Brasil. O projeto prevê o aperfeiçoamento de um programa de simulação e otimização do circuito secundário de um DHS. O estudo é uma oportunidade de atendimento às necessidades do setor elétrico e incentivará o aquecimento distrital, inédito no país, com o objetivo de definir modelos de sustentabilidade para futuros programas de governo no atendimento à demanda de energia em habitações de interesse social. Avaliar quantitativamente a dinâmica das águas superficiais em sub-bacias inseridas na Bacia Hidrográfica do rio das Velhas, visando à utilização dos recursos hídricos de forma racional. xxv. Bolsas de estudo O Setor de Bolsas do Instituto Metodista Izabela Hendrix nasceu da crescente necessidade de atender os estudantes de classes sócio econômicas menos favorecidas,

61 61 que, através de programas de bolsas e incentivo governamental, tiveram oportunidade de ingressar nas faculdades e universidades privadas. Através da Central de Atendimento ao Estudante (CAE), os alunos/bolsistas recebem atendimento presencial, além de contarem com apoio eletrônico através do Portal do Aluno. O Setor trabalha exclusivamente para atender todas as demandas e solicitações de bolsas, descontos e financiamentos ofertados. O programa de bolsas próprio do CEUNIH é um esforço para dar condições de estudo superior para agentes e lideranças de movimentos sociais e funcionários, além de convênios com instituições e governo. As parcerias governamentais através dos programas Universidade para Todos PROUNI e Financiamento Estudantil FIES tem favorecido milhares de alunos, dando condições de estudo a estudantes de baixa renda. A Resolução da Reitoria nº 03, de 27 de abril de 2012, como forma a incentivar o ingresso e permanência de todos os alunos na instituição, determinou a Política de Descontos, beneficiando alunos de vários segmentos com descontos que vão de dez a cinquenta por cento do valor da mensalidade. Um aditivo à Política de Descontos foi publicado na Resolução da Reitoria nº 03, de 01 de outubro de Além disso, a Resolução da Reitoria nº 04, de 27 de novembro de 2013 estabelece a política de incentivo Amigo traz Amigo também para os alunos do Centro Universitário, garante descontos progressivos de 10%, 20% ou 30% na renovação de matrícula ao aluno que indicar um, dois, três ou mais amigos, respectivamente, que se matriculem no CEUNIH. A tabela a seguir apresenta o número de bolsas vinculadas a alunos do Izabela Hendrix no segundo semestre de TABELA 13 Bolsas de estudo vinculadas a alunos do CEUNIH Tipo de bolsa Número de bolsas FIES 1519 PROUNI 575 Descontos institucionais 485 Bolsas Sindicais 159 Empresas parceiras 12 Bolsas institucionais 10 Financiamento institucional 2

62 62 TOTAL 2762 Fonte: Dados do Setor de Bolsas. Nota: alguns alunos acumulam mais de um tipo de bolsa xxvi. Núcleo de Práticas Jurídicas do Izabela Hendrix (NPJURIH) As práticas desenvolvidas no âmbito do NPJURIH visam atender às exigências de formação para o graduando no curso de Direito promovendo a formação de profissionais críticos e reflexivos, aptos a lidarem com o conhecimento apreendido frente às situações do dia-a-dia para ajuizamento das demandas apresentadas pelos assistidos. A integração entre as disciplinas teóricas, práticas e humanísticas proporcionada pela Prática Real contribui para a formação coesa do profissional,tornando-o capaz de utilizar-se do Direito para promover a pacificação dos conflitos. A tabela a seguir indica os atendimentos realizados pelo NPJURIH,no campus Praça da Liberdade, no ano de 2014: TABELA 14 Atendimentos realizados pelo NPJURIH no ano de 2014 Campus Praça da Liberdade Atendimento Total no ano de 2014 Demandas ajuizadas 256 Fonte: NPJURIH (2014) Consultas jurídicas 109 Baseando-se na Tabela de Honorários determinada pela Ordem dos Advogados do Brasil OAB, foi prestado serviço de assistência jurídica gratuita a pessoas economicamente carentes, no valor de R$ ,00 (Trezentos mil cento e dez reais). Os dados referentes aos atendimentos realizados no campus Vetor Norte estão apresentados na tabela a seguir: TABELA 15 Atendimentos realizados pelo NPJURIH no ano de 2013 Campus Vetor Norte Atendimento Total no ano de 2013 Demandas ajuizadas: 79 Consultas jurídicas: 43

63 63 Fonte: NPJURIH (2014) Baseando-se na Tabela de Honorários determinada pela Ordem dos Advogados do Brasil OAB, foi prestado serviço de assistência jurídica gratuita a pessoas economicamente carentes, no valor de R$ ,00 (Sessenta e seis mil quatrocentos reais). xxvii. Brinquedoteca O Projeto Brinquedoteca: lugar de encontro e criação visa criar espaços e tempos de encontro com o movimento corporal, o jogo, as brincadeiras no Colégio Izabel Hendrix e nas Clínicas integradas. O Projeto tem em sua rotina a busca pela valorização da educação em Tempo Livre e a construção de práticas profissionais que sejam capazes de promovê-las. Tem seu enfoque na promoção de processos alternativos de educação baseados na educação para a liberdade, a participação, a democracia cultural, a criatividade coletiva e o desenvolvimento autônomo. Pretendendo estimular a vida associativa como espaço de articulação e mobilização social que reforce a democracia e contribua para melhorar a vida dos cidadãos. As propostas desenvolvidas no Projeto derivam de três modalidades básicas: lúdica, social e educativa. Neste sentido, são modalidades de atuação específicas, porém, mutuamente relacionados, em função das metas ou da intencionalidade de sua perspectiva de animação. Dentro deste contexto, o presente projeto tem por objetivo proporcionar espaços diversificados de aprendizagem que favoreçam a educação em e para o tempo livre nos campi Liberdade e nas clínicas integradas do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix. FIGURA 10 - Ação da brinquedoteca no Colégio Izabela Hendrix

64 64 Fonte: Projeto Brinquedoteca (2014). xxviii. Humanizabela O projeto Humanizabela representa uma proposta inovadora dentro dos princípios do SUS e da Política de Humanização, ambos sustentados pelo princípio das construções coletivas propõem que a equipe de capacitação seja composta por professores da instituição de ensino e profissionais da Instituição de Saúde, tendocomo objetivosprestar acolhimento aos usuários do SUS, nas perspectivas da humanização, prioritariamente em unidades de saúde de urgência e emergência bem como em outras unidades de saúde conveniadas de Contagem MG; construir campo interdisciplinar de conhecimento em contato com a clientela e com as Instituições de Saúde, lidando com as dificuldades e desafios inerentes ao trabalho; aumentar a satisfação dos usuários dos serviços hospitalares; potencializar a resolutividade dos atendimentos hospitalares; promover a integração entre formação acadêmica e realidade dos serviços de saúde; orientar os usuários em relação ao processo de trabalho do serviço hospitalar; participar e conduzir práticas educativas que favoreçam e atenuem os desgastes gerados pelo tipo de atendimento e à falta de informação; colaborar com o cumprimento da missão da instituição de saúde dentro da Política Nacional de Humanização no atendimento aos usuários do SUS: atendimento digno, solidário e acolhedor; contribuir com o trabalho de equipe multiprofissional; colaborar com as pesquisas em temas de interesse das instituições visando à melhoria do atendimento ao usuário. FIGURA 11 Acolhimento e entrega de fichas no Centro de Consultas Especializadas Iria Diniz

65 65 Fonte: Projeto Humanizabela (2014). FIGURA 12 Natal solidário e Humanização na Pediatria e Maternidade de Contagem- Projeto Adote um Leito. Fonte: Projeto Humanizabela (2014). xxix. Clínicas Integradas As clínicas Integradas de Saúde foram criadas em 2008 com o intuito de propiciar ações de ensino e desenvolvimento de habilidades práticas à discentes dos cursos de graduação do Núcleo de Biociências do Centro Universitário Izabela Hendrix.Então, vinculado ao Hospital evangélico, disponha de uma infraestrutura para atender a um público de 1500 pacientes por mês. Em 2010, além dos procedimentos realizados nas áreas de fisioterapia, biomedicina, enfermagem, nutrição e fonaudiologia, com público da região metropolitana de Belo

66 66 Horizonte, as clínicas iniciaram atendimentos aos pacientes do Programa da Saúde Auditiva, através de um convênio firmado com o SUS. Em 2011, as clínicas foram instaladas no prédio do campus Vila da Serra em Nova Lima. Utilizando o 3º andar deste prédio, as 21 salas utilizadas para os procedimentos clínicos foram adaptadas e equipadas de maneira a atenderem as exigências específicas de cada área de atuação dos profissionais da clínica. Em 2013, foram adquiridos através de convênios com fornecedores de aparelhos de amplificação sonora, novos equipamentos para diagnóstico de perda auditiva e cursos de capacitação e participações em congressos para os integrantes da equipe de fonoaudiólogas e professores do curso de fonoaudiologia atuantes em audiologia. Durante o ano de 2014, foram realizados procedimentos clínicos em sessões de fisioterapia, sessões em fonoterapia, exames em saúde auditiva, exames em análises clínicas e tratamento de lesões. Totalizamos, em média, o atendimento mensal de 993 pacientes de maneira integral e humanizada alçando um dos objetivos da clínica que é zelar pela boa qualidade do atendimento clínico pautado nas referências da ciência e da ética. Vale ressaltar que cumpriu-se em 2014, assim como nos anos anteriores, a formação dos profissionais de saúde, assegurando as condições de acesso às competências e habilidades necessárias ao exercício de suas profissões. TABELA 16 Atendimento nas Clínicas Integradas 2014 Atendimento Sessões realizadas Sessão Valores Total Biomedicina 40 R$ 1,80 R$ 72,00 Enfermagem 154 R$ 6,30 R$ 970,20 Fisioterapia 1760 R$ 5,23 R$ 9.204,80 Fonoaudiologia 3415 R$ 5,05 R$ ,75 Saúde auditiva R$ 35,71 R$ ,58 Valor dos Média por mês 993 R$ ,33 atendimentos Valor dos TOTAL R$ ,33 Descontos Fonte:Dados das Clínicas Integradas. Nota: os valores utilizados para a base de cálculo dos exames bioquímicos, consultas de fisioterapia, fonoaudiologia, enfermagem e saúde auditiva foram obtidos a partir da tabela do SUS.

67 67 xxx. Biblioteca do Centro Universitário A Biblioteca possibilita o acesso da comunidade aos bens culturais gratuitamente. Dentro da Biblioteca há computadores ligados à internet para assistir aos usuários cadastrados que não têm acesso à rede em casa e não têm tempo de acessá-la durante a semana, rede wireless e espaços físicos apropriados para uso de notebooks e afins. No ano de 2014 a Biblioteca recebeu uma média de 35 visitantes da comunidade por dia, que utilizam os espaços de consultas ao acervo e os espaços de estudo. Também destaca-se a participação da instituição no programa empréstimo entre bibliotecas, permitindo de forma solidária o empréstimo de exemplares que as bibliotecas necessitam. O Izabela registra uma média de 18 empréstimos mensais nesta modalidade. xxxi. Semana de Extensão Universitária e Responsabilidade Social Entre os dias 15 e 20 de setembro de 2014, o Izabela Hendrix promoveu a terceira edição da Semana de Extensão Universitária e Responsabilidade Social, com ações nos campi Praça da Liberdade e Vetor Norte. Docentes, discentes e a comunidade poderiam se inscrever gratuitamente e participar de oficinas, palestras, debates, feira solidária, orientação empresarial, serviços de orientação à saúde e qualidade de vida, dentre outras atividades oferecidas pelos projetos de extensão do CEUNIH. xxxii. Núcleo de Estudos em Direitos Humanos, Educação e Violência Prof. Kássio A preocupação com os novos desafios provenientes do mundo da educação, principalmente no que se refere à reflexão sobre os Direitos Humanos e às questões que envolvem a violência nos espaços escolares, lugar de transformação por excelência, levou o Centro Universitário Izabela Hendrix a propor a criação do Núcleo de Estudosem Direitos Humanos, Educação e Violência Prof. Kássio para poder compreender de forma mais profunda essa nova configuração social e a ela dar respostas. Especialmente significativa, enquanto brutal encarnação desse problema, foi o absurdo assassinato do Prof. Kássio por um aluno insatisfeito no corredor do Centro Universitário. A constituição deste núcleo de estudos é fruto do profundo impacto que o evento causou na comunidade educativa, principalmente no corpo docente.

68 68 O Núcleo de Estudos em Direitos Humanos, Educação e Violência Prof. Kássio é um espaço interdisciplinar de estudos e pesquisas sobre direitos humanos, educação e violência de modo que o Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix possa contribuir de modo efetivo com educadores que atuam na formação de jovens e adolescentes tanto no ensino regular, em todos os níveis, quanto em espaços educativos não formais. O núcleo é formado por professores e alunos do Centro Universitário Izabela Hendrix. As reuniões do grupo são abertas à comunidade acadêmica.foram 4 reuniões no ano de A coordenação é formada por seis professores do Centro Universitário. Seus membros participam das reuniões mensais do Fórum Mineiro de Direitos Humanos e do Fórum de Medidas Socioeducativas de Belo Horizonte. No dia 27 de novembro de 2014 organizou no teatro do Centro Universitário Izabela Hendrix com ocasião do DIA DE REFLEXÃO CONTRA A VIOLÊNCIA NAS ESCOLAS uma mesa redonda sobre o tema Igrejas e ditadura militar que contou com a participação de 150 pessoas entre alunos de diferentes cursos da instituição, professores e público externo. 3.3 Eixo 3: Políticas Acadêmicas Dimensão 2: Políticas para o Ensino, Pesquisa e Extensão Organização do estágio curricular Perguntados sobre a organização do estágio curricular obrigatório, os discentes avaliaram com 61,5% de respostas positivas. Uma análise de cada curso apontou que os cursos que não possuem estágio curricular obrigatório foram os piores avaliados nesse indicador. Assim, o resultado geral do CEUNIH, que representa uma média ponderada de todos os cursos da instituição, foi prejudicado. A CPA recomendou aos colegiados de curso e núcleo que analisem esse item individualmente. TABELA 17 Organização do Estágio Curricular do seu curso Como você avalia a ORGANIZAÇÃO do Estágio Curricular do seu curso? (O Estágio Curricular é uma disciplina presente na grade curricular de vários cursos do Izabela Hendrix. Caso você ainda não tenha realizado esta disciplina no seu curso, ou o seu curso não a possui em sua grade "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor 61,5% - -

69 69 curricular, avalie esta questão como "NA - Não se aplica") Implementação dos objetivos propostos no PDI e no PPC em relação ao ensino na graduação Os docentes avaliaram satisfatoriamente a implementação dos objetivos propostos no PDI e no PPC em relação ao ensino na graduação, com 86,2% de respostas positivas. TABELA 18 Implementaçãodos OBJETIVOS propostos no PDI e no PPC em relação ao ENSINO na Graduação Como você avalia a implementação, no seu curso, dos OBJETIVOS propostos no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) e no Projeto Pedagógico de Curso (PPC) em relação ao ENSINO na Graduação? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor - 86,2% Implementação dos objetivos propostos no PDI e no PPC em relação ao à Iniciação Científica e Pesquisa Ao avaliar a implementação dos objetivos propostos no PDI e PPC em relação à Iniciação Científica e Pesquisa, 30,0% dos docentes apresentarem respostas positivas. O valor alto do desvio padrão indica uma grande dispersão nas respostas, resultado de uma não uniformidade de opiniões sobre este assunto. TABELA 19 Implementaçãodos OBJETIVOS propostos no PDI e no PPC em relação à INICIAÇÃO CIENTÍFICA e PESQUISA Como você avalia a implementação, no seu curso, dos OBJETIVOS propostos no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) e no Projeto Pedagógico de Curso (PPC) em relação à INICIAÇÃO CIENTÍFICA e PESQUISA? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor - 30,0% - Essa questão deve ser analisada com cuidado uma vez que existem hoje, na instituição, quatro revistas: (ISSN ), Tecer (ISSN ), Direito Izabela Hendrix (ISSN X), NBC - Periódico Científico do Núcleo de Biociências (ISSN ), todas classificadas pelo Sistema WebQualis.Todas as revistas estão disponíveis no Portal de Periódicos do IMIH (www.izabelahendrix.edu.br/periodicos), e publicam artigos que resultam de pesquisas por parte de docentes e discentes da casa e externos.

70 70 Nas reuniões com as coordenações de cursos constatou-serelatos de atividades de pesquisa e de iniciação científica, por iniciativa de docentes e discentes através de atividades acadêmicas. É possível verificar a presença da iniciação científica nas Jornadas Acadêmicas, nos Seminários Integrados e nos Seminários de Núcleos de Graduação. Destaca-se ainda o forte envolvimento em ações de iniciação científica a partir dos Trabalhos de Conclusão de Curso, sendo muitos deles resultaram em artigos científicos publicados em periódicos científicos da instituição e outros externos, bem como da participação em eventos através de comunicações orais e apresentação de pôsteres. Nos anos de 2013 e 2014, avançaram as discussões sobre a regulamentação da Iniciação Científica no Centro Universitário. Foram realizadas reuniões para discutir a normativa da IC, que foi aprovada em reunião do Conselho Universitário. No dia 29 de outubro de 2014, a Pró-Reitoria acadêmica divulgou edital de chamada de projetos de pesquisa. Essa chamada teve por objetivo selecionar propostas para apoio financeiro a projetos que estejam consonantes com as diretrizes do Programa de Desenvolvimento Institucional PDI e que visem contribuir significativamente para o desenvolvimento científico e tecnológico e inovação da sociedade, em qualquer área do conhecimento. Em 16 de dezembro de 2014, foi divulgado o resultado desse edital, apontando os 5 projetos aprovados Incentivo da instituição para as publicações científicas, didáticopedagógicas, artísticas e culturais Questionados sobre o incentivo da instituição para as publicações científicas, didáticopedagógicas, artísticas e culturais, os discentes atribuíram 60,5% de respostas positivas, os coordenadores atribuíram 13,4% e os docentes atribuíram 41,0%. Verifica-se que em nenhum perfil foi atingido o valor mínimo considerado satisfatório. TABELA 20 Incentivo da instituição para as publicações científicas, didático-pedagógicas, artísticas e culturais Como você avalia o incentivo da instituição para as publicações científicas, didático-pedagógicas, artísticas e culturais? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor 60,5% 41,0% 13,4% Nas avaliações com os grupos focais dos cursos, os docentes relatam que a instituição permite uma flexibilização nos horários para cumprir a carga horária das disciplinas no

71 71 caso da participação em seminários e eventos externos. Entretanto, solicitam um maior apoio financeiro para a participação nesses eventos. Conforme edital divulgado, a partir de 2015 os projetos de pesquisa e extensão aprovados para financiamento pelo CEUNIH deverão receber verba para esta finalidade (participação em eventos) Implementação dos objetivos propostos no PDI e no PPC em relação à Extensão Os docentes avaliaram a implementação dos objetivos propostos no PDI e no PPC em relação ao à Extensão. Para 46,2% dos mesmos, essa implementação é realizada de forma ótima ou muito boa. TABELA 21 Implementação dos OBJETIVOS propostos no PDI e no PPC em relação à EXTENSÃO Como você avalia a implementação, no seu curso, dos OBJETIVOS propostos no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) e no Projeto Pedagógico de Curso (PPC) em relação à EXTENSÃO? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor - 46,2% - Os professores responsáveis pelos projetos participaram de uma pesquisa à parte, respondendo duas questões sobre seus projetos. Observa-se (QUADRO 10)que a totalidade (100%) dos professores responsáveis pelos projetos avaliaram como Ótimo ou Bom o compromisso institucional para a estruturação e a efetivação das atividades de extensão. A quase totalidade (88%) avaliou como positivos os processos, métodos e instrumentos de formalização das atividades de extensão. Nas justificativas, citaram melhorias ocorridas junto à extensão nos últimos semestres, como a organização do setor de extensão e o atendimento das demandas solicitadas pelos projetos. QUADRO 10 - Extensão Universitária do Izabela Hendrix avaliada pelos docentes responsáveis pelos projetos. Item Ótimo Bom Ruim Péssimo Não se aplica / Não sei avaliar Compromisso institucional para a estruturação e a efetivação das atividades de extensão

72 72 Processos, métodos e instrumentos de formalização das atividades de extensão Fonte: dados da pesquisa Organização e desempenho das ações dos projetos de extensão nos cursos e núcleos Questionados a respeito da organização e desempenho das ações dos projetos de extensão nos cursos e núcleos, 73,7% dos discentes e 74,4% dos docentes apresentaram respostas positivas. TABELA 22 Organização e desempenho das ações dos projetos de extensão nos cursos e núcleos As ações de EXTENSÃO constituem um processo educativo, cultural e científico que visam compartilhar e atualizar o conhecimento, acumulado nas Instituições de Ensino Superior, com toda comunidade como forma de colaboração para uma sociedade justa e inclusiva. Como você avalia a organização e desempenho das ações dos projetos de extensão no seu curso/núcleo? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor 73,7% 74,4% - O fato dos percentuais de aprovação da extensão estarem próximos ao valor mínimo definido como satisfatório indica que um número significativo dos alunos da instituição não têm conhecimento das ações dos projetos em desenvolvimento. Nas análises dos resultados por cursos, este indicador recebe avaliações que precisam ser consideradas tais como: as necessidades de melhorar a captação de fomento e parcerias para extensão, motivar alunos a participarem dos projetos existentes. Também consideram que os projetos que estão sendo realizados precisam ser mais incentivados, apoiados e divulgados. Nos comentários das questões abertas, os docentes indicam a necessidade de mais projetos de extensão. Já os discentes, além de mais projetos, solicitam mais ações de extensão com impacto na comunidade, e uma maior divulgação das ações já existentes. Em fevereiro de 2013, foi implantada a Coordenação de Extensão para a identificação e organização da extensão praticada na casa. Com a nova coordenação da extensão, foram discutidas as políticas para extensão e, no dia 23 de maio do mesmo ano, implantado o Regimento da Extensão Universitária.

73 73 Atualmente a Coordenação de Extensão é formada por 1 coordenador e 1 auxiliar administrativo, responsáveis pelo implementação, acompanhamento e monitoramento daquilo que está prescrito nas normativas. Além disso, existem 5 agências institucionais, responsáveis por oferecer vários atividades internas, dentre elas a extensão: Agência de Arte e Tecnologia, Agência de Gestão Social e Humanidades, Agência de Biociências, Agencia de Estudos e Práticas Pedagógicas, Agencia de Tecnologia Voltada à Educação. A seguir um quadro síntese dos projetos de QUADRO 11 Projetos de Extensão e seus envolvidos Prof. Extensionist Projeto de Extensionist responsáv as Extensão as bolsistas el voluntários Rafaela Saúde Coletiva Saúde nas escolas Saúde ocupacional MOBI Verde comunitário Desenvolviment o humano e sustentabilidade Trilhas da saúde Empregabilidad e e Carreira Faça a diferença Universidade na Comunidade Atendimento Psicopedagógic o Silva Rafaela Silva Rafaela Silva Gabriela Barreto Marina Alvim Karen Lissa Maria Ester Macedo e Ricardo Latini Leila Vaz da Silva Rozeli de Fátima Dutra Lucia Leiga Manuel Muñoz e Leonor Cursos envolvidos 5 0 Biomedicina 6 0 Biomedicina 4 0 Biomedicina, Ed. Física, Fisioterapia Arquitetura Ciências Biológicas/ Eng. Amb. e Sanitária Ciências Biológicas/ Eng. Amb. e Sanitária Ciências Biológicas 01 0 Administração Administração 60 1 Arquitetura, Ciências Biológicas, Pedagogia, Direito, Administração, Educação Física, Fonouaudiologi a, Fisioterapia, 0 0 Não se aplica Público atendido 2397 (público interno e externo) 365 (público interno e externo) Colégio Izabela Hendrix 34 (oficinas) (feira) 25 - ComunidadeDanda ra 50 (Entorno da fazendinha) 205 alunos 18 comunidade Nova Almeida e Liberdade 478 comunidade interna e externa

74 74 Observatório de DH tráfico de pessoas Casa de cuidados atuação fonoaudiológica Espaços e águas urbanas; Teorias e práticas urbanas; Aula no parque; Estudo de impacto de vizinhança (EIV). Brinquedoteca: lugar de encontro e criação Humanizabela Sala de cuidados Campos Enio Luiz Biaggi Luciana Mendonça Alves Leandro de Souza e Aguiar Michele Aparecida de Sá Rodrigo Gontijo Cunha Marina Celly Martins Ribeiro de Souza 10 0 Direito Indefinido 0 6 Fonoaudiologia Arquitetura 30 0 Pedagogia Fisioterapia, Biomedicina, Fonoaudiologia, Ciências Biológicas, Educação Física e Enfermagem. Enfermagem e Biomedicina Usuários do SUS de Contagem (MG) 650 discentes 4 docentes 62 comunidade TOTAL No ano de 2014, a coordenação de extensão tomou algumas medidas para regulamentar as práticas de extensão de acordo com as normativas internas e orientações externas (MEC): As reuniões periódicas dos professores responsáveis pelos projetos de extensão, iniciada em 2013, tiveram continuidade bimestralmente. O objetivo dos encontros foi de discutir a concepção de extensão que se pretende trabalhar, socializar o andamento dos projetos, tratar dos caminhos institucionais da extensão universitária, discutir e propor ações em conjunto e definir instrumentos de avaliação. Os projetos e ações tiveram que se adequar a um modelo novo de projetos com cronogramas pré-estabelecidos articulados aos PPCs e modelos de relatórios semestrais.

75 75 Os alunos voluntários foram caracterizados como extensionistas voluntários, selecionados por edital definido, com modelo de contrato específico com vigência delimitada e seguro garantido quando necessário. Ao todo, 182 discentes participaram das atividades de extensão com contratos de voluntário assinados e com horas de extensão certificadas. No mês de setembro, entre os dias 15 e 20, aconteceu nos campi Praça da Liberdade e Vetor Norte, a Semana de Extensão Universitária e Responsabilidade Social. O evento contou com serviços gratuitos à população, como oficinas, palestras, debates, feira solidária, orientação empresarial, serviços de acompanhamento à saúde e qualidade de vida, dentre outros. Foram 33 atividades durante 5 dias de programação com aproximadamente 400 alunos inscritos participando de oficinas e palestras, além de um número incontável de alunos em outras ações de exposição e intervenção. Na organização do evento, cerca de 60 alunos e 40 docentes estiveram envolvidos em todo processo. Um dos destaques do evento foi a presença da Ministra da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República na atividade Parking Day do curso de Arquitetura e Urbanismo e do II Seminário Mídia, Comunicação e Direitos Humanos, promovido pelo Movimento Nacional de Direitos Humanos, em parceria com o curso de Direito. Filiação do CEUNIH ao Fórum Nacional de Extensão e Ação Comunitária das Universidades e Instituições de Ensino Superior Comunitárias ForExt. O ForExt, através de sua Coordenação Nacional, tem feito uma série de gestões junto aos órgãos federais, de modo especial os ministérios e secretarias especiais relacionados à educação superior e políticas sociais, no sentido de desenvolver diálogos, visando ao estabelecimento de parcerias produtivas para o avanço da extensão universitária no país. O CEUNIH participa ativamente da câmara sudeste, com apoio e investimento para participação da Reitoria. Estas ações possibilitam com a proposição de trabalhos conjuntos que possam resultar na formulação e produção de políticas, planos de trabalho, sistemas de avaliação no âmbito da extensão universitária. Uma conquista recente é a definição de verba específica para os projetos de extensão. No dia 29 de outubro de 2014, a Pró-Reitoria acadêmica e a Coordenação de Extensão docentro Universitário divulgaram edital de chamada

76 76 de projetos de extensão. Essa chamada teve por objetivo selecionar propostas para apoio financeiro a projetos que estejam consonantes com as diretrizes do Programa de Desenvolvimento Institucional PDI e que visem contribuir significativamente para o desenvolvimento científico e tecnológico e inovação da sociedade, em qualquer área do conhecimento.em 16 de dezembro de 2014, foi divulgado o resultado desse edital, apontando os 9 projetos aprovados Coerência entre os conteúdos curriculares, os objetivos e o perfil dos egressos dos cursos. A questão sobre a coerência entre os conteúdos curriculares, os objetivos e o perfil dos egressos dos cursosconseguiu as porcentagens de 83,4% de respostas positivas dos discentes, 95,9% dos docentes e 100% das coordenações de curso do Centro Universitário. TABELA 23 Coerência entre os conteúdos curriculares, os objetivos e o perfil dos egressos dos cursos Como você avalia a COERÊNCIA entre os conteúdos curriculares, os objetivos e o perfil do egresso do seu curso? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor 83,4% 95,9% 100% Desenvolvimento das ações acadêmico-administrativa previstas no PDI em relação às políticas de pós graduaçãolato-sensu O desenvolvimento das ações acadêmico-administrativa previstas no PDI em relação às políticas de pós graduaçãolato-sensu foi avaliado pelas coordenações de curso e docentes. As coordenações apresentaram 23,1% de respostas ótimo e bom, enquanto entre os docentes, esse percentual foi de 45,9%. TABELA 24 Desenvolvimento das ações acadêmico-administrativa previstas no PDI em relação às políticas de pós graduação lato-sensu Como você avalia o desenvolvimento na instituição das ações acadêmicoadministrativas previstas no PDI em relação às políticas de pósgraduação lato-sensu? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor - 45,9% 23,1% Os Programas de Educação Continuada do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix pretendem ampliar e atualizar conhecimentos e técnicas de trabalho de

77 77 profissionais graduados ou não, de acordo com as exigências específicas de cada modalidade, e aprimorar o exercício profissional ou didático-científico. Nos últimos anos foram ofertados cursos de pós-graduação, mas não foram abertas novas turmas devido à baixa procura. A Instituição pretende continuar repensando e aprimorando suas políticas de pós-graduação, oferecendo cursos nas seguintes modalidades: I. MBA: carga horária mínima de 430 (quatrocentas e trinta) horas e máxima de 520 (quinhentas e vinte) horas, nestas não está computado o tempo de estudo individual ou em grupo, sem assistência docente, e o reservado, obrigatoriamente, para elaboração do trabalho de conclusão de curso; prazo máximo de duração: 3 (três) anos. II. Especialização: carga horária mínima de 360 (trezentas e sessenta) horas e máxima de 440 (quatrocentas e quarenta) horas, nestas não está computado o tempo de estudo individual ou em grupo, sem assistência docente, e o reservado, obrigatoriamente, para elaboração do trabalho de conclusão de curso; prazo máximo de duração: 2 (dois) anos. III. Aperfeiçoamento: carga horária inferior a 360 (trezentas e sessenta) e mínimo de 200 (duzentas) horas; prazo máximo de duração: 1 (hum) ano. IV. Atualização: carga horária inferior a 180 (cento e oitenta) e mínimo de 40 (quarenta) horas; prazo máximo de duração: até 6 (seis) meses Dimensão 4: Comunicação com a sociedade Esta dimensão foi investigada de forma mais detalhada na avaliação realizada com os funcionários da instituição Canais de comunicação interna Avaliados de forma satisfatória pelos docentes e coordenadores, os canais de comunicação internareceberam 76,5% (docentes) e 66,7% (coordenadores)de respostas positivas. No entanto, a avaliação dos discentes não alcançou a porcentagem definida com satisfatória ficando com 63,3% das respostas positivas. TABELA 25 Canais de comunicação interna Como você avalia oscanais de comunicação interna do Izabela Hendrix nos aspectos: acesso da comunidade interna às informações da extensão e dos "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor 63,3% 76,5% 66,7%

78 78 cursos? Os canais de comunicação interna e externa são de responsabilidade da Assessoria de Comunicação, um setor estratégico dentro do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix. O setor funciona no Campus Praça da Liberdade, a principal unidade do Izabela Hendrix. Conta com funcionários formados e/ou pós-graduados na área, com experiência em comunicação para IES. O espaço é amplo, climatizado e conta com os equipamentos adequados ao desempenho das funções de cada componente da equipe.a partir da leitura do relatório do setor e uma reunião com os atuais funcionários do mesmo, avaliou-se as ações desenvolvidas em Na área do jornalismo, o setor trabalhou de forma a estreitar o relacionamento da Instituição com estudantes e a comunidade. Procurou também estabelecer um melhor canal de relacionamento com a imprensa mineira, a fim de conseguir o máximo de espaço e cobertura em eventos e projetos realizados pelo Izabela Hendrix. Entre as atividades desenvolvidas, estão: envio de releases e atividades do Izabela Hendrix à imprensa; atendimento a diversos veículos de imprensa, colocando à disposição todo o corpo docente do Izabela, além de outros especialistas da casa; acompanhamento das entrevistas e gravações de programas realizados no Izabela; apuração e produção de matérias para informativos (Jornais institucionais e newsletter) do Colégio e Centro Universitário; produção de notícias para o site e envio de comunicados internos ("Izabela Todos"); divulgação de notícias e outras informações via redes sociais(twitter e Facebook); auxílio na organização, divulgação e execução de vestibulares; cobertura e registro com fotos dos eventos do Centro Universitário e Colégio. Na esfera da publicidade, a Assessoria de Comunicação realizou atividades como: elaboração e aprovação de campanhas de processos seletivos de pós-graduação e da CPA; gestão da verba de comunicação da instituição; elaboração de campanhas internas para palestras, congressos, seminários e demais ações realizadas pela academia. O escopo do trabalho também envolve a negociação de pacotes com grandes veículos de comunicação de Minas Gerais e na aprovação de peças publicitárias e planos de mídia das campanhas elaboradas por agências contratadas. A Assessoria de Comunicação termina o ano de 2014 e inicia 2015passando por uma reformulação. Hoje, dois jornalistas e um publicitário compõem a equipe. Já está em planejamento uma recomposição imediata do staff. Todas as melhorias do setor,sobretudo no tocante à recomposição da equipe, passaram por um planejamento

79 79 cuja execução já está em curso. Ao longo de 2014, por meio de reuniões constantes com a Direção da IES e demais setores envolvidos, a equipe atualexecutou trabalhos com rigor e disciplina, de modo que o pleno cumprimento dos compromissos da Assessoria de Comunicação seja alcançado Dimensão 9 Políticas de Atendimento aos discentes Atividades de cooperação, intercâmbio e programas de internacionalização Os discentes avaliaram de forma satisfatória, com 80,1% de respostas positivas, as atividades que estão sendo previstas e implantadas voltadas para a cooperação, intercâmbio e programas de internacionalização. TABELA 26 Atividades previstas e implantadas pela ARI A Assessoria de Relações Internacionais (ARI) do Izabela Hendrix tem o objetivo de promover e divulgar ações de intercâmbio, cooperação educacional, convênios, acordos e parcerias com instituições de ensino internacionais, coordenar oportunidades de estudo no exterior e a vinda de estudantes estrangeiros. "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor 80,1% - - Como você avalia as atividades que estão sendo previstas e implantadas pela ARI? O setor de Relações Internacionais do IMIH promove programas, detectando tendências, oportunidades e nichos de mercado, além de desenvolver relacionamentos de interesse da Instituição com iniciativas que a mantenham em processo constante de renovação. Cooperação educacional, por meio de convênios, acordos e parcerias com instituições de ensino, agências de fomento e contatos com órgãos de governo, estimulando a troca de experiências e atualização do conhecimento, tanto docente como discente. Divulga oportunidades de estudo no exterior; promove eventos que agregam valores à comunidade, difundindo uma cultura internacionalista; conduz também a recepção de visitantes estrangeiros. Em janeiro de 2014, um aluno de engenharia civil cursou inglês no Canadá, e em julho 2 alunos de Engenharia de Produção, 1 aluno de Engenharia Civil e 1 professora de Ciências Contábeis participaram do mesmo curso. Também em 2014, vários alunos estrangeiros estudaram no CEUNIH, dos quais: 1 haitiano com bolsa integral pelo Programa de Capacitação de Jovens líderes de Países em Reconstrução, Engenharia Ambiental.

80 80 7 alunos bolsistas do PEC-G: 1 de Angola em Administração 3 de Cabo Verde, em Arquitetura, Biomedicina e Direito 1 de El Salvador, em Arquitetura 2 de Guiné-Bissau, em Engenharia Ambiental e Administração 2 alunos de Guiné-Bissau pagantes, em Direito e Administração 1 aluna da Argentina pagante, em Teologia-Integralização de estudos 1 aluno de Angola pagante, em Teologia-Integralização de estudos

81 81 FIGURA 13 Agradecimento -Programa de Capacitação de Jovens Lideranças de Países em Reconstrução Fonte: ARI, 2014.

82 82 11 alunos estrangeiros cursaram disciplinas isoladas no CEUNIH em 2014, dos quais: 2 colombianos, em Engenharia Civil 5 franceses, em Engenharia Civil (3) e de Produção (2) 3 japoneses, em Administração 1 suíço, em Administração Propostas implantadas no Centro Universitário: Semestre Acadêmico no Exterior- parceria com o CentenaryCollegeofLousiana. São oferecidas até 3 (três) vagas para estudantes do CEUNIH do Izabela Hendrix, para estudar um semestre no CentenaryCollege, no estado de Louisiana, Estados Unidos, com bolsa total de estudos. Curso de imersão em inglês por 4 semanas durante as férias (julho e janeiro) em Toronto, Canadá. A partir de janeiro de 2015 o mesmo programa será ofertado no Newcastle College, na Inglaterra. Curso de imersão em espanhol por 4 semanas durante as férias (julho e janeiro) em Santiago, Chile. Promoção da Instituição para receber estudantes estrangeiros pagantes para fazer isoladas. A instituição é centro aplicador do exame TOEFL IBT. A instituição fez parceria com a London House para cursos preparatórios dos certificados da Universidade de Cambridge. A instituição confecciona históricos e declarações em inglês, a pedido dos estudantes. A ARI assumiu a função de Coordenadora institucional do Programa Ciência Sem Fronteiras: informação aos alunos, edital de seleção interna, homologação das candidaturas, acompanhamento do andamento do processo de concessão de bolsas de graduação, avaliação e acompanhamento dos bolsistas no exterior, entre outros. Parceria com a ABIPE para promoção e divulgação de estágio no exterior e recebimento de estrangeiros para cursar disciplinas isoladas. Propostas implantadas no Colégio Izabela Hendrix: Intercâmbio virtual para turmas do Ensino Fundamental II. Os grupos de ambos países desenvolvem projetos comuns (em inglês) sobre suas culturas durante alguns meses.

83 83 Depois há uma videoconferência em que os grupos explicam o que pesquisaram em inglês. Este ano foi realizado com colégios de Londres e da Índia. Promoção do intercâmbio para país de língua espanhola para alunos do 8º e 9º anos. ColégioAméricaem Lima, Peru. Divulgação e promoção do Curso de imersão em inglês para alunos do Ensino Médio na ESC (EnglishSchoolof Canada). Os alunos passam o mês de julho (4 semanas) em Toronto, Canadá, participando de aulas de inglês e fazendo passeios e atividades de imersão na cultura. Participação de alunos estrangeiros nas aulas do Ensino Médio, por meio de parcerias com a Central do Estudante e Rotary distrito Preparação dos alunos em horário extraclasse para certificados da Universidade de Cambridge. Promoção da Semana da Internacionalização, de 2 a 6 de junho. Divulgação de oportunidades internas de intercâmbio e palestras: Daqui pra fora, Central do Estudante, Rotary e Cultura Inglesa. Parceria com a AzusaUniversity, California, Estados Unidos. Divulgação do programa CUE- CaliforniaUniversity Experience. 26 alunos do Izabela Hendrix estão estudando no exterior pelo Programa Ciências Sem Fronteiras: Aprovados por curso: Arquitetura: 19 Biomedicina: 1 Engenharia Ambiental: 1 Engenharia civil: 3 Engenharia de produção: 1 Fisioterapia: 1 Aprovados por país de destino: Alemanha: 2 Austrália: 3 Canadá: 2 Espanha: 5

84 84 Estados Unidos: 3 Holanda: 1 Hungria: 1 Itália: 4 Irlanda: 1 Reino Unido: Programa de Monitoria O programa de Monitoriafoi considerado satisfatório para os docentes e discentes da instituição que avaliaram em 73,9% (docentes) e 70,1% (discentes). TABELA 27 Programa de Monitoria "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor Como você avalia o programa de Monitoria oferecido pelo Izabela Hendrix? 70,1% 73,9% - Na percepção dos professores, quando do lançamento do edital de monitorias, são poucos os alunos interessados em participar do processo. Uma das principais razões seria que o aluno estuda à noite e trabalha no período diurno, dispondo de pouco tempo para se dedicar à monitoria. Outro motivo apontado é o baixo valor do incentivo.esses dados e informações apontam para a necessidade de revisão das estratégias de monitoria utilizada pela instituição Programa Institucional de Nivelamento Acadêmico O Programa Institucional de Nivelamento Acadêmico (PINA) é o programa de apoio aos discentes oferecido pela Agencia de Práticas Pedagógicas (AGESPPE) do Núcleo de Formação Docente (NFD) que propicia ao aluno da Instituição o acesso ao conhecimento básico em disciplinas de uso fundamental aos seus estudos universitários. O objetivo é possibilitar o nivelamento acadêmico dos discentes dos Cursos Superiores do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix a partir da identificação das necessidades específicas de cada aluno, reveladas nas observações dos docentes, face aos resultados das avaliações de aprendizagem e/ou por iniciativa própria do aluno em dificuldade acadêmica. O nivelamento é ministrado por um professor e as turmas são preferencialmente compostas de forma a permitir que o aluno, de acordo com sua disponibilidade de tempo e horário, possa

85 85 frequentar mais de uma disciplina. O propósito principal do nivelamento é oportunizar aos participantes uma revisão de conteúdos, proporcionando, por meio de explicações e de atividades, a apropriação de conhecimentos esquecidos ou não aprendidos. Em fevereiro de 2014, as oficinas oferecidas foram: Matemática o Carga horária total: 16 horas (4 módulos de 4 h/a) Língua Portuguesa o Carga horária total: 12 horas (3 módulos de 4 h/a) Química Básica o Carga horária total: 12 horas (3 módulos de 4 h/a) Iniciação à Escrita Científica o Duração: 8 horas (2 módulos de 4 h/a) Percepção Musical o Duração: 12 horas (3 módulos de 4 h/a) Tecnologias da Informação o Duração: 12 horas (3 módulos de 4 h/a) Em fevereiro de 2014, as oficinas oferecidas foram: Matemática o Carga horária total: 16 horas (4 módulos de 4 h/a) Língua Portuguesa o Carga horária total: 12 horas (3 módulos de 4 h/a) Química Básica o Carga horária total: 12 horas (3 módulos de 4 h/a) Iniciação à Escrita Científica o Duração: 8 horas (2 módulos de 4 h/a) Percepção Musical o Duração: 12 horas (3 módulos de 4 h/a) De acordo com a Agesppe, em 2015 as mesmas oficinas serão novamente oferecidas aos alunos.

86 86 Os discentes avaliaram satisfatoriamente o PINA, que obteve a porcentagem 86,2% de respostas positivas. TABELA 28 Programa Institucional de Nivelamento Acadêmico O Programa Institucional de Nivelamento Acadêmico (PINA) é um programa de apoio aos discentes que conta com oficinas de nivelamento divulgadas pelo portal institucional, mensagens no SIGA e murais do Izabela Hendrix. "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor 86,2% - - Como você avalia o PINA oferecido pelo Izabela Hendrix aos alunos? Programa de Apoio Psicopedagógico Avaliado de forma satisfatória, o programa de Apoio Psicopedagógico obteve 78,7% do somatório das respostas ótimo e bom dos discentes e 95,8% dos docentes.nas considerações dos alunos é possível identificar que alguns desconhecem o programa, já outros se mostram satisfeitos com o apoio oferecido pelo CEUNIH. TABELA 29 Programa de Apoio Psicopedagógico O Apoio Psicopedagógico é um serviço de atendimento aos alunos, professores e funcionários do Izabela Hendrix realizado por especialistas na área de Educação e Psicologia, no Campus Praça da Liberdade e Vetor Norte. Como você avalia o programa de Apoio Psicopedagógico oferecido pelo Izabela Hendrix? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor 78,7% 95,8% - Mais informações sobre este programa são apresentadas na seção3.2.2 (Responsabilidade Social da Instituição) Atendimento do Suporte ao SIGA Avaliado pelos discentes, o atendimento do Suporte ao SIGA não alcançou a porcentagem considerada como satisfatória, recebendo 42,9% das respostas positivas. TABELA 30 Atendimento do Suporte ao SIGA Como você avalia o Atendimento do Suporte ao SIGA ( , telefone e presencial)? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor 42,9% - - Nas considerações das questões abertas, não há considerações específicas por parte dos alunos justificando esse percentual de avaliação.

87 Política de acompanhamento dos egressos As coordenações avaliaram a atual política de acompanhamento de egressos do CEUNIH. Na A porcentagem de 66,7% dada pela coordenação na questão sobre o plano de ação para o atendimento à política de acompanhamento dos egressos atingiuo nível mínimo considerado satisfatório do somatório das respostas ótimo e bom. TABELA 31 Política de acompanhamento dos egressos Como você avalia o plano de ação para o atendimento à política de acompanhamento dos egressos? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor ,7% Nas reuniões de grupos focais e análise das questões abertas, os coordenadores solicitaram uma melhor divulgação e utilização do programa de acompanhamento de egressos, com informações objetivas sobre o perfil dos mesmos. Durante o ano de 2014, a CPA se reuniu com os responsáveis pelo serviço de acompanhamento de egressos, buscando aperfeiçoar os instrumentos de coleta de dados atualmente utilizados pela instituição. Para o Izabela Hendrix, o acompanhamento dos egressos representa uma busca pelo conhecimento institucional, tendo como foco da atenção os(as) ex-alunos(as), a partir de suas realidades pessoais, acadêmicas e profissionais, na apreensão de dados relevantes sobre o ensino superior, contribuindo diretamente com a qualidade e atualização dos cursos de graduação, de extensão e de pós-graduação. Está em implantação o novo projeto de acompanhamento de egressos, que foi iniciada ao final de Na construção deste projeto, buscou-se como referencial a Política de Egressos explicitada no PDI O Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix busca uma relação contínua com exalunos(as) desde antes da formatura. No último período dos cursos são realizadas pesquisas com todas as turmas para atualizar as formas de contato, bem como dar a oportunidade ao(à) estudante de avaliar o curso de uma maneira geral. A pesquisa visa, ainda, indicar aos(as) estudantes que há um ambiente virtual (site de egressos) onde eles podem se reencontrar, saber novidades sobre a instituição e o mercado, enviar informações sobre o ingresso no mercado e participar em eventos específicos para ex-alunos(as). Esta relação com egressos é

88 88 desenvolvida pela AGE Agência de Tecnologia Aplicada à Educação, que utiliza os dados para projetar a relação com egressos seja na área do ensino, da pesquisa ou da extensão. Outra forma de interação com os ex-alunos(as) é o uso das redes sociais. Atualmente o perfil de ex-alunos(as) do Facebook (https://www.facebook.com/exalunos.izabelahendrix) conta com centenas de pessoas que acessam as novidades e relembram um pouco da história da instituição. Além disso, nas redes sociais e via site os(as) ex-alunos(as) são convidados(as) a doar fotos, contar histórias e lembrar de momentos marcantes da academia. Assim o Acompanhamento de Egressos pretende avaliar a inserção dos profissionais no mercado de trabalho, seu grau de satisfação com sua formação bem como suas expectativas em relação à formação continuada. Serão realizadas ao longo dos semestres letivos atividades de ensino, pesquisa e extensão direcionadas a profissionais formados pelo Izabela Hendrix que objetivem a formação continuada dos egressos. erão promovidas atividades festivas, artísticas, culturais e esportivas que visem à integração dos egressos com a atual comunidade acadêmica do Izabela Hendrix. O Programa de Acompanhamento de Egressos espera fornecer ao Setor de Educação Continuada os dados necessários para construção de propostas de Cursos, Palestras e Seminários que contemplem as necessidades de formação continuada dos Egressos Atendimento dos funcionários da Sala dos Professores e Coordenação Avaliado pelos discentes da instituição, o atendimento dos funcionários da sala dos professores e coordenação foi satisfatório, obtendo a porcentagemde respostas positivas de 77,7%. TABELA 32 Atendimento dos funcionários da Sala dos Professores e Coordenação Como você avalia o Atendimento dos funcionários da Sala dos Professores e Coordenação? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor 77,7% 98,6% - Mesmo bem avaliada, estão previstas para 2015 mudanças estruturais e organizacionais que permitirão um melhor atendimento e suporte a alunos, professores e coordenadores por parte dos funcionários da Sala dos Professores e Coordenação.

89 Atendimento dos funcionários da Tesouraria A porcentagem alcançada pelo item não foi considerada satisfatória: 53,1% dos discentes marcaram a opção ótimo ou bom. TABELA 33 Atendimento dos funcionários da Tesouraria "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor Como você avalia o Atendimento dos funcionários da Tesouraria? 53,1% - - Na averiguação das questões abertas, os discentes solicitam um melhor atendimento por parte dos atendentes deste setor Atendimento dos funcionários do Setor de Bolsas O Setor de Bolsas do Instituto Metodista Izabela Hendrix conta com equipe exclusiva para atendimento aos processos de bolsas, descontos e financiamentos ofertados. O programa de bolsas próprio do CEUNIH é um esforço para dar condições de estudo superior para agentes e lideranças de movimentos sociais e funcionários, além de convênios com instituições e governo. Mais informações sobre o Setor de Bolsas estão no item Responsabilidade Social da Instituição. Os discentes avaliaram de forma insatisfatóriao atendimento deste setor, com 42,6% de afirmativas positivas. TABELA 34 Atendimento dos funcionários do Setor de Bolsas "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor Como você avalia o Atendimento dos funcionários do Setor de Bolsas? 42,6% - - Nas respostas das questões abertas, há solicitações de melhorias no atendimento deste setor. Visando um melhor atendimento ao aluno, ao final do ano de 2014 o setor passou por uma reestruturação física, tendo seu atendimento externo centralizado na CAE, enquanto os funcionários do setor de bolsas passam a trabalhar de forma interna trabalhando nas demandas dos alunos Atendimento dos funcionários da Biblioteca Alcançando a porcentagem de 95,0% de respostas positivas entre os discentes, o atendimento dos funcionários da biblioteca foi muito bem avaliado.

90 90 TABELA 35 Atendimento dos funcionários da Biblioteca "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor Como você avalia o Atendimento dos funcionários da Biblioteca? 95,0% - - Nas reuniões com coordenações e análise das questões abertas, os discentes destacam o bom atendimento dos funcionários do setor em ambos campi Atendimento dos funcionários da Central de Atendimento ao Estudante A Central de Atendimento ao Estudante (CAE) do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix é o setor responsável pelo atendimento ao aluno, com papel fundamental de orientar e propor soluções para as diversas demandas acadêmicas e financeiras. Cada campus possui sua central de atendimento, com um total de 12 colaboradores e 1 gestor, sendo 10 colaboradores no campus Praça da Liberdade e 2 colaboradores no campus Vetor Norte. A equipe é composta em sua maioria por pessoas de faixa etária média de 25 anos, cursando o ensino superior na própria Instituição. Os principais serviços prestados pela CAE necessitam do suporte e trabalho em conjunto com outros setores: acadêmico, financeiro, núcleo de estágio e setor de bolsas, conforme quadro abaixo, que descreve algumas das principais demandas de cada setor. RECEBIMENTO DE DOCUMENTOS DIVERSOS SOLICITAÇÕES DE SERVIÇOS INFORMAÇÕES ACADÊMICO 1) Obtenção de novo título 2) Transferência externa 3) Documentos para regularizar matrículas de calouros. 1) Obtenção de novo Título e Transferência externa 2) Verificação de matrícula, Declarações de matrícula 3) Verificação de situação acadêmica 4) Histórico, Diploma, Planos de ensino, etc. Orientações sobre prazos e procedimentos. FINANCEIRO 1) Mensalidades, taxas e serviços diversos; 2) Negociações 3) Confirmação de pagamento, etc. 1) Cálculos de disciplinas, Descontos financeiros 2) Cancelamento de faturas, Devolução de valores pagos 3) Declarações para IR e nada consta 4) Parcelamento de dívida, etc. Orientações sobre prazos e procedimentos. NÚCLEO DE ESTÁGIO 1) Termo de Compromisso de Estágio 2) Convênios 3) Plano de atividades do estágio 4) Prorrogação do Termo de Compromisso de Estágio 1) Assinatura de convênio 2) Solicitação de contrato 3) Entrega de documento, etc. Orientações sobre prazos e procedimentos. SETOR DE BOLSAS 1) Fies 2) Prouni 3) Bolsa Sindicatos. 4) Política de descontos da Instituição. 1) Entrega e retirada de documentos. Orientações sobre prazos e procedimentos.

91 91 Além deste atendimento presencial, há o canal da web, através do qual vários serviços podem ser solicitados. Existem períodos com maior demanda de atendimentos, que ultrapassam a capacidade de pessoal e espaço físico. Matrícula (Calouros, veteranos, obtenção de novo título, transferência externa e interna) Entrega de Atividades Complementares. Negociação de débito para renovação de matrícula Entrega de documentos (FIES e PROUNI). Neste período sazonal, contamos com a colaboração de todos os setores da Instituição, administração do campus, comunicação, TI, multimídia. Quando necessário o atendimento se estende a outro local físico (multimídia ou sala de aula) e há aumento de colaboradores de outros setores para conseguir atender com agilidade nossos clientes. O atendimento dos funcionários da CAE foi avaliado pelos discentes, obtendo percentual de respostas ótimo e bom igual a 53,8%. TABELA 36 Atendimento dos funcionários da CAE Como você avalia o Atendimento dos funcionários da Central de Atendimento ao Estudante? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor 53,8% - - Analisando as questões abertas, nota-se que os discentes solicitam melhoras no atendimento da CAE como maior agilidade, informações coerentes, conforto para aguardar o atendimento e mais funcionários capacitados, em especial nos períodos sazonais. Em 2014, houve momentos de capacitação dos funcionários, o que parece ter refletido em um menor número de reclamações na ouvidoria. Há planos para que as capacitações continuem em 2015.

92 Eixo 4: Políticas de Gestão Dimensão 5: Políticas de Pessoal Gestão do corpo docente em relação ao plano de carreira protocolado e previsto no PDI A gestão do corpo docente em relação ao plano de carreira protocolado e previsto no PDI não obteve níveis considerados satisfatórios no somatório das respostas ótimo e bom, sendo avaliada em 44,7% pelos docentes. TABELA 37 Plano de Carreira Como você avalia a gestão do corpo docente em relação ao plano de carreira previsto no PDI? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor - 44,7% - O plano de carreira foi protocolado no Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) em setembro de Nesse mesmo mês, o documento foi encaminhado de volta ao IMIH com uma solicitação, feita pelo TEM, de ajustes necessários ao plano de carreira dos professores do IMIH. Desde então, esse documento se encontra em estudo jurídico e de viabilidade financeira Dimensão 6: Organização e Gestão da Instituição Atuação da Coordenação nos cursos Perguntados sobre a atuação da Coordenação nos cursos, discentes avaliaram com 78,5% das respostas positivas e os docentes avaliaram com 97,4%. TABELA 38 Atuação da Coordenação "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor Como você avalia a atuação da Coordenação do seu curso? 78,5% 97,4% - Mesmo com um número de respostas positivas acima do valor definido como satisfatório, nas respostas das questões abertas, alguns discentes solicitam maior carga horária de atendimento das coordenações aos mesmos, e que as coordenações considerem, em suas definições e planejamento do curso, as opiniões dos alunos.

93 Processo de trabalho do Colegiado Os docentes julgaram, com 94,6% das respostas satisfatórias, o processo de trabalho do Colegiado. TABELA 39 Atuação do Colegiado "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor Como você avalia o processo de trabalho do Colegiado do seu curso? - 94,6% - Nas reuniões realizadas com as coordenações, todos os cursos afirmam ter seus colegiados organizados, com reuniões regulares com registro das decisões. A grande maioria considera entre bom e ótimo o trabalho realizado. Nas questões abertas da avaliação online, docentes de alguns cursos solicitam uma maior divulgação das decisões dos colegiados Política de formação e capacitação docente prevista e implantada O CEUNIH promove semestralmente o Seminário de Capacitação Docente, que ocorre no período de início e/ou término dos semestres letivos. Nesses seminários, organizados pela Agesppe e planejados de forma colegiada entre lideranças acadêmicas, são discutidos temas relevantes para todos os segmentos da instituição. A participação de todos os docentes do Centro Universitário é obrigatória. A 3ª Semana de Capacitação Docente ocorreu entre os dias 4 e 8 de fevereiro de 2013, e teve como tema A Profissão Docente e a Práxis Educativa. Sob o mesmo tema, ocorreu, entre os dias 5 e 12 de julho do mesmo ano, a 4ª Semana de Capacitação. Ainda nesse ano, 5ª Semana de Capacitação Docente, ocorrida entre os dias 16 e 19 de dezembro de 2013, abordou o tema Educação em Redes Sociais. No ano de 2014 a 6ª Semana de Capacitação Docente, ocorrida entre os dias 14 a 18 de julho, e a 7ª Semana de Capacitação Docente, entre os dias 9 a 12 de dezembro, abordaram o tema "Identidade e Formação Docente".A 8ª Semana de Capacitação Docente ocorreu entre os dias 3 a 7 de fevereiro de 2015, com o tema Tendências, convívio e sintonia fina para Na avaliação no Sistema Praxis, os docentes avaliaram com 78,0% das respostas positivas a política de formação e capacitação docente prevista e implantada no CEUNIH. TABELA 40 Política de formação e capacitação docente Como você avalia a política de formação e capacitação docente prevista e implantada hoje no Izabela Hendrix? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor - 78,0% -

94 94 Durante a 7ª Semana de Capacitação Docente, a Agesppe comunicou que foi aprovada pela Reitoria a implementação do Curso de Especialização em Docência do Ensino Superior e Gestão Educacional. Esse curso será destinado a todos os docentes e coordenadores de curso do CEUNIH. O mesmo terá início imediato, e intercalará módulos semipresenciais com aulas presenciais e aproveitamento das horas das Semanas de Capacitação Docente que já acontecem regularmente na instituição Atuação da reitoria O somatório das respostas ótimo e bom foi considerado aceitável, em relação à atuação da reitoria, alcançando 66,7% de respostas positivas das coordenações e 85,8% das respostas dos docentes. TABELA 41 Atuação da Reitoria Avalie a atuação da REITORIA quanto aos aspectos: políticas de gestão, trabalho em equipe e clareza nas decisões. "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor - 85,8% 66,7% A atual reitora do Centro Universitário é também ex-aluna da instituição. Trabalha na instituição há vários anos, e já atuou na docência, coordenação de curso e coordenação de núcleo do Centro Universitário. Nos comentários das questões abertas, docentes solicitam uma maior proximidade e interação da reitora com os professores Processo de planejamento e execução dos investimentos em ensino, extensão, pesquisa/iniciação científica e gestão em conformidade com o PDI As porcentagens da somatória das respostas ótimo e bom não alcançaram níveis considerados satisfatórios: os docentes avaliaram em 52,9% e os coordenadores em 33,4% o processo de planejamento e execução dos investimentos em ensino, extensão, pesquisa/iniciação científica e gestão em conformidade com o PDI. TABELA 42 Planejamento e execução dos investimentos "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor Como você avalia o processo de planejamento e execução dos investimentos em - 52,9% 33,4%

95 95 ensino, extensão, pesquisa/iniciação científica e gestão em conformidade com o PDI? Processos de gestão acadêmica realizados pela PROACAD Os coordenadores e docentes avaliaram satisfatoriamente os processos de gestão acadêmica realizados pela PROACAD. As coordenações de curso avaliaram este indicador com 66,7% de respostas positivas, enquanto que essa avaliação dos docentes foi de 90,3%. TABELA 43 PROACAD Como você avalia os processos de gestão acadêmica realizados pela PROACAD? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor - 90,3% 66,7% Setor de Recursos Humanos Questionados sobre o setor de RH, os docentes avaliaram de forma aceitável, considerando 68,7% das respostas ótimo e bom. TABELA 44 Setor de RH Como você avalia o serviço do Setor de RECURSOS HUMANOS do Izabela Hendrix? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor - 68,7% - Docentes solicitam nas questões abertas agilidade para esclarecer dúvidas, mais respeito por parte do gestor, ter acesso facilitado e funcionários capacitados Setor de Registro Acadêmico O Setor de Registro Acadêmico do CEUNIH alcançou uma porcentagem satisfatória dos professores, com 83,6% do somatório das respostas ótimo + bom. TABELA 45 Setor de Registro Acadêmico Como você avalia o serviço do Setor de REGISTRO ACADÊMICO do Izabela Hendrix? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor - 83,6% - Nas observações feitas pelos docentes, é relatada a perda de alguns registros, tanto do professor quanto do aluno, dentro do setor.

96 Processo de trabalho do NDE O NDE alcançou uma porcentagem satisfatória dos professores, com 95% do somatório das respostas ótimo + bom. TABELA 46 Processo de trabalho do NDE Como você avalia o processo de trabalho do Núcleo Docente Estruturante (NDE) de seu curso? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor - 95,0% - Nas considerações das questões abertas, não há considerações específicas por parte dos docentes Dimensão 10: Sustentabilidade Financeira A sustentabilidade institucional do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix é representada pela contribuição colaborativa de seus pares buscando conduzir a ações institucionais com o objetivo de caminhar com a comunidade e a sua importância no aspecto da sustentabilidade econômica e financeira com vistas continuidade Institucional e suas ações no futuro e para manter a contribuição à construção de uma sociedade mais justa através da oferta de seus cursos superiores. Os recursos obtidos na instituição, via mensalidades escolares, são destinados à manutenção das atividades educacionais e administrativas, despesas de custeio envolvendo o pagamento do seu corpo docente, coordenação, funcionários técnicos administrativos e Administrativos, bem como a manutenção e ampliação da estrutura física da instituição. A elaboração da proposta orçamentária está sob a coordenação da Diretoria de Finanças e Controladoria DIFIN área pertencente à Mantenedora, e após os dados estarem consolidados e compatibilizados com as propostas institucionais de ação e com a previsão de receita, a projeção orçamentária é submetida à apreciação e aprovação da plenária do CONSAD- Conselho Superior de Administração da Rede Metodista de Educação. Segundo o PDI 2012/2016 a gestão econômica financeira da instituição se dá através de elaboração do orçamento econômico anual. A construção do orçamento do ano seguinte ocorre entre os meses de outubro e novembro do ano anterior. Todos os colegiados constituídos participam da elaboração do orçamento de seu curso por meio de seus coordenadores de Núcleos e coordenadores de curso. A cada um deles é apresentado o

97 97 orçamento do ano em vigor e o seu desempenho (aplicações e restrições). Cada colegiado é desafiado a compor um orçamento que atenda as necessidades e projeções de crescimento dos cursos e garantam os indicadores de qualidade, retenção de alunos veteranos, assim como a captação de novos alunos. O ano de 2014 caracterizou um período de austeridade financeira no sentido de cumprir o planejamento de quitação de passivos para dar condições de atender ao Plano de Desenvolvimento Institucional para o período de 2012/2016. No entanto, registra-se investimentos na melhoria da infraestrutura, conforme já citado nas melhorias apresentadas, e ainda na ampliação do acervo bibliográfico, equipamentos novos para laboratórios de informática, laboratórios das áreas de engenharias e arquitetura, estrutura de rede e servidores para TI entre outros. Dentro de um planejamento de saneamento de dividas tributárias ainda estão em andamento as seguintes medidas: Pagamentos de débito com o INSS contando para isso com os recursos do SISFIES e outros parcelamentos. Parcelamento junto a Caixa Econômica Federal para pagamento das contribuições devidas ao FGTS. Adesão ao REFIS para parcelamento de dívidas tributárias. Essa adesão concederá as CNDs necessárias para busca de financiamentos que promovam a extensão e pesquisa. Manutenção da adesão ao PROUNI e SISFIES No período de 2010 a 2014, a instituição manteve em dia os pagamentos de salários, 13º e férias dos funcionários. Os relatórios financeiros e balanços referentes ao exercício de 2014 mostram que o processo de orçamento e as demonstrações contábeis estão sendo regularmente mantidas e demonstram o pressuposto da continuidade normal de suas atividades, as quais são devidamente auditadas por empresa de auditoria externa e serão submetidas à aprovação na reunião do e CONSAD e à Assembleia Geral a ser realizada em abril de 2015.

98 Eixo 5: Infraestrutura Dimensão 7: Infraestrutura Física Laboratórios de informática Os laboratórios de informática foram avaliados pelos discentes e receberam uma porcentagem abaixo da considerada satisfatória: 23,7%. TABELA 47 Laboratórios de Informática "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor Como você avalia os Laboratórios de Informática (infraestrutura e resursos)? 23,7% - - A rede de internet sem fio (wireless) também foi avaliada pelos discentes e recebeu uma porcentagem muito abaixo da considerada satisfatória: 10,7%. TABELA 48 Internet sem fio "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor Como você avalia a Internet sem fio (wireless)? 10,7% - - Os discentes afirmam a necessidade da aquisição de novos equipamentos de informática para os laboratórios, assim como a implementação de melhorias na rede wi-fi, principalmente em relação à velocidade da conexão. A atual estrutura dos laboratórios de informática nos campi Praça da Liberdade e Venda Nova é a seguinte: Campus Praça da Liberdade 6 laboratórios de informática no 2º andar do prédio 2 o 2 laboratórios com 30 microcomputadores o 1 laboratório com 25 microcomputadores o 2 laboratórios com 20 microcomputadores o 1 laboratório com 10 microcomputadores 2 laboratórios de informática no 3º andar do prédio 2 (Parceria Trena) o 1 laboratório com 30 microcomputadores (com licenciamentos de software atualizado para atender aos cursos de arquitetura e engenharias) o 1 laboratório com 20 microcomputadores

99 99 1 laboratório informática no prédio do NPJURIH o 1 laboratório com 15 microcomputadores (atende ao curso de Direito) Campus Venda Nova 3 laboratório de informática o 1 laboratório com 10 computadores para serviços de impressão o 1 laboratório com 10 computadores para o NPJURIH o 1 laboratório com 20 computadores paraatender os docentes e discentes em aula Segundo os responsáveis pelo setor de DTI, o número de reclamações sobre a internet wirelesscaiu cerca de 80% em função dos avanços realizados nos últimos anos. Em 2014, novos equipamentos e protocolos de acesso à internet foram adotados, resultando em um ganho em velocidade e um melhor filtro de acesso a sites indevidos. Novos no-breaks (equipamentos de segurança elétrica) foram adquiridos, dando maior estabilidade aos usuários da rede e internet da instituição. Também foram adquiridas 125 licenças educacionais da suíte Autocad. Para 2015, estão planejados avanços significativos em relação à velocidade da internetpara o Campus Praça da Liberdade. Para os campi Praça da Liberdade e Nova Lima, pretende-se aumentar o número de pontos de acesso. Conforme planejamento de abertura de cursos no campus Nova Lima, também está prevista abertura de um novo laboratório de informática no local Serviço da empresa de Xerox/Encadernação O serviço da empresa de Xerox/Encadernaçãoobteve porcentagens satisfatórias no somatório de respostas ótimo e bom dos discentes (73,5%) e docentes (83,7%) do Centro Universitário. TABELA 49 Serviço da empresa de Xerox/Encadernação Como você avalia o serviço da empresa de Xerox/Encadernação que no Izabela Hendrix? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor 73,5% 83,7% - Nas respostas das questões abertas, os alunos demonstram insatisfação pelo fato que, segundo eles, há poucos funcionários atendendo nos horários de pico, o que resulta em grandes filas.

100 100 No segundo semestre de 2014 a empresa de reprografia que presta serviços para o CEUNIH foi substituída. A nova empresa disponibilizou à Instituição equipamentos de impressão mais novos e modernos nos três campi, tanto para o público acadêmico quanto administrativo. Também foram disponibilizados quiosques de auto-atendimento. Acredita-se que essas ações devem contribuir para a qualidade dos serviços de reprografia prestados aos alunos e docentes Cantinas As cantinas alcançaram uma porcentagem satisfatória com os docentes avaliandoem 88,0% e os discentes em 72,2%. TABELA 50 Cantinas "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor Como você avalia as cantinas que atuam no Izabela Hendrix? 72,2% 88,0% - Nas respostas das questões abertas, alunos e docentes do Campus Venda Nova solicitam melhorias na localização da cantina, nos preços e na qualidade dos lanches.já os alunos e docentes do campus Praça da Liberdade afirmamque os preços praticados pelas cantinas são muito altos, solicitam melhores lanches, mais saudáveis;trocar o horáriode intervalo do colégio para que as cantinas sejam capazes de atenderem os alunos universitários e mais funcionários educados. Mas afirmam também que a troca de uma das cantinas melhorou os aspectos criticados Limpeza Os discentes e docentes avaliaram a limpeza da instituição, apresentando, respectivamente,80,6% e 79,7% de respostas positivas. TABELA 51 Serviço de Limpeza "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor Como você avalia o serviço de limpeza do Izabela Hendrix? 80,6% 79,7% - Na análise das respostas das questões abertas, os alunos e docentes sugerem incentivar aos demais a conservação da limpeza, relatam também a existência de pombos que prejudica a manutenção da limpeza das salas.

101 Instalações sanitárias do Izabela Hendrix Também foram consideradas satisfatórias as porcentagens dos discentes (67,4%) e docentes (68,2%) que apresentaram respostas positivas sobre as instalações sanitárias do Izabela Hendrix. TABELA 52 Instalações sanitárias "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor Como você avalia as instalações sanitárias do Izabela Hendrix? 67,4% 68,2% - Nas considerações das questões abertas, docentes relatam a manutenção precária dos banheiros e solicitam banheiros exclusivos para professores. Alunos solicitam uma melhor manutenção nos banheiros como limpeza e renovação dos materiais de higiene. Assim como também, uma ação educativa para que os usuários conservem as instalações limpas Espaços de trabalho dos docentes em tempo integral Enquanto aos espaços de trabalho dos docentes em tempo integral, as porcentagens não alcançaram o valor definido como satisfatório: os coordenadores apresentaram 22,2% de respostas positivas. Esse valor demonstra a necessidade de melhorias neste item. TABELA 53 Espaços de trabalho dos docentes em TI "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor Como você avalia os espaços de trabalho dos docentes em Tempo Integral? ,2% Condições da instituição para acesso das pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida A questão que questiona as condições da instituição para acesso das pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida recebeu 66,3% das repostas positivas dos docentes e 60,9%dos discentes. Essas porcentagens não foram consideradas satisfatórias, demonstrando que este item necessita de melhorias. TABELA 54 Condições de acesso para pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida Como você avalia as condições para acesso das pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor 60,9% 66,3% -

102 102 A análise das respostas das questões abertas revela que tanto os docentes comoos discentes solicitam a instalação de rampas de acesso para cadeirantes na portaria principal do Campus Praça da Liberdade e manutenção dos elevadores Sala de professores A sala de professores, avaliada pelos próprios docentes, recebeu uma porcentagem de 60,8% das respostas positivas. TABELA 55 Sala dos Professores "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor Como você avalia a sala de professores(as) do Izabela Hendrix? - 60,8% - Nas questões abertas os docentes solicitam a ampliação da sala, a aquisição de uma geladeira/frigobar, novos escaninhos, mais computadores e cadeiras confortáveis, alterar a localização das tomadas nas bancadas, conscientizar os demais para a preservação da limpeza, instalar banheiro privativo e ar condicionado, além de um espaço com café Biblioteca Com porcentagens satisfatórias, o acervo, a iluminação e a limpeza da biblioteca receberam, respectivamente, 74,1%, 78,4% e 88,8% do somatório das respostas ótimo e bom dos discentes. TABELA 56 Acervo da Biblioteca "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor Como você avalia o ACERVO da Biblioteca do Izabela Hendrix? 74,1% - - TABELA 57 Iluminação da Biblioteca "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor Como você avalia a ILUMINAÇÃO da Biblioteca do Izabela Hendrix? 78,4% - - TABELA 58 Limpeza da Biblioteca "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor Como você avalia a LIMPEZA da Biblioteca do Izabela Hendrix? 88,8% - -

103 103 Sobre o acervo, alguns alunos, dos campi Praça da Liberdade e Venda Nova,solicitam a compra de mais obras que sejam adequadas, atualizadas e catalogadas. Entretanto, a ventilação da biblioteca não foi bem avaliada pelos discentes, alcançou 47,8% das respostas positivas. E nas respostas abertas os alunos solicitam melhoras na ventilação. TABELA 59 Ventilação da Biblioteca "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor Como você avalia a VENTILAÇÃO da Biblioteca do Izabela Hendrix? 47,8% - - Ainda nas respostas abertas, os alunos solicitam uma vedação acústica na Biblioteca; mais escaninhos com chaves; reajuste no processo de pagamento de multa;banheiro e bebedouro própriospara a Biblioteca do campus Venda Nova;ampliação do espaço para estudo e que seja mais confortável. No Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix, as Bibliotecas refletem os objetivos e os princípios da própria Instituição, especialmente como um dos indicadores do padrão de excelência que deseja alcançar em todas as atividades que desenvolve. A Biblioteca possibilita o acesso da comunidade aos bens culturais gratuitamente. Dentro da Biblioteca há computadores ligados à internet para assistir aos usuários cadastrados que não têm acesso à rede em casa e não têm tempo de acessá-la durante a semana, rede wirellese espaços físicos apropriados para uso de notebooks e afins. A Biblioteca do campus Praça da Liberdade do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix, denominada Biblioteca Zula Terry, ocupa uma área de 1.220m², distribuídos entre o acervo, áreas de leitura, setor de processamento técnico, setor de empréstimos, guardavolumes, cabines de estudos individuais, escada, elevadores, banheiros, área de exposições, entre outros espaços. O espaço de estudos individuais possui 29 cabines com uma cadeira em cada uma. Conta ainda com três salas de estudo em grupo, com seis mesas e 32 cadeiras, totalizando uma área de 34,6 m². Possui também ainda onze computadores, dos quais cinco para o balcão de atendimento, quatro para consulta do acervo e dois para processamento técnico. A Biblioteca do campus Venda Nova ocupa uma área total de 111,7 m² e além das áreas de atendimento, administração, consultas e empréstimos possui ainda espaço de estudos individuais. O salão de estudos em grupo possui mesas com 04 cadeiras cada e o espaço de

104 104 estudos individuais conta com 06 cabines, computadores ligados à internet, à disposição dos usuários. A rede de bibliotecas possui ainda 02 impressoras, sendo uma Lexmark X646r laser, uma impressora Bematech e 06 aparelhos de biometria Hamster DX, quatro na unidade Praça da Liberdade e dois na unidade Venda Nova. Toda a biblioteca possui circuito interno de filmagem e o acervo é todo processado com sistema antifurto, possuindo uma Antena de Antifurto na saída do acervo para segurança do mesmo. As Bibliotecas do Centro Universitário conta atualmente com volumes de livros, dos quais títulos. Em relação ao ano de 2013, esses números correspondem a um aumento de livros (4,9%) e títulos (2,6%). Ainda possuem periódicos, além de fitas cassete, DVD s e CD s com assuntos pertinentes aos cursos. Localizada em um ponto estratégico da cidade, próximo à Praça da Liberdade, a Biblioteca atende estudante de todos os campi e a população em geral que queira adquirir cultura nos livros ou nos computadores ligados à internet. O acesso ao sistema da biblioteca para renovação, reserva e outros serviços acontece através do login dos(as) alunos(as) por meio de seu código de matrícula e senha pessoal. Os campi Praça da Liberdade e Venda Nova estão interligados por uma rede de dados e telefonia para compartilhamento de informações administrativas bem como de acesso à internet. O acervo, composto de livros, periódicos, folhetos, apostilas, mapas, filmes didáticos, fitas de vídeo, slides, monografias, teses, cdrom s e vários materiais de referência é compatível com as necessidades dos usuários, dando o suporte necessário ao cumprimento dos objetivos dos cursos oferecidos pelo Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix. O acervo bibliográfico é atualizado constantemente por indicação dos(as) coordenadores(as) ou por solicitação de dirigentes e alunos(as) em razão de novas edições ou para atualização dos temas estudados, além da aquisição sistemática de publicações destinadas a subsidiarem os projetos de pesquisa e extensão desenvolvidos pelo Centro nas diversas áreas do conhecimento humano. O acervo é arrumado e organizado de modo ordenado, utilizando os padrões e formatos nacionais e internacionais de descrição bibliográfica. As publicações são arrumadas segundo

105 105 o número de chamada existente no dorso do livro, em ordem decimal crescente. O número de chamada é composto pelo número de classificação (Código de Classificação Decimal Universal), que representa o assunto do livro, mais as três primeiras letras do sobrenome do autor, as três primeiras letras do titulo do livro e a edição do livro. Além do acervo físico, nossos usuários podem acessar, através da nossa página na web a Biblioteca Digital (repositório com todos os periódicos online por área, bibliotecas de dissertações e teses, bases de dados por área, jornais, ebooks, dicionários, enciclopédias e outros), solicitar o serviço de Comutação Bibliográfica (COMUT), BIREME e o Empréstimo entre Bibliotecas (EEB) das instituições de que somos parceiras. O usuário tem livre acesso as estantes, que são posicionadas de forma a permitir a mobilidade, a locomoção e o conforto. Os aparelhos e equipamentos eletrônicos, assim como os softwares, as bases de dados, e outros programas têm manutenção e atualização constante, tendo em vista que o acesso à tecnologia de ponta é um diferencial na busca da informação. O acervo encontra-se informatizado, utilizando o software desenvolvido pela Contempory, o Biblioteca Nativa BNWEB, via browser, que permite uma interligação em tempo real de todas as rotinas da biblioteca. As principais rotinas do sistema são: controle de aquisição, controle do acervo, balcão de empréstimo, controle de vocabulário, módulo MEC, módulo autoempréstimo, módulo Portal do usuário (consulta, reserva, renovação e alertas por ) e a Rede Compartilhar Brasil (pré-catalogação online). O BNWEB permite ainda o controle de identificação dos usuários pelo sistema de Biometria. Através deste recurso o sistema de empréstimo se torna mais ágil e eficiente nas rotinas do balcão, além de trazer conforto aos usuários que não precisam apresentar a carteirinha da biblioteca ou o documento com foto, já que sua impressão digital será sua identificação na biblioteca. Outra característica importante do BNWEB é seu portal de consulta, em que os usuários visualizam as capas dos livros pesquisados e conseguem ler comentários dos professores sobre o livro em questão. Ainda no módulo portal, o usuário pode acessar seu histórico de empréstimo e fazer sua renovação ou reserva on-line. Pode-se referenciar os acervos da arquiteta Suzy de Melo constituído de obras sobre a arte dos grandes mestres nacionais e estrangeiros; a coleção de Mercês Bittencourt que apresenta, também, entre outras, obras raras que tratam de arte no Brasil e no exterior e por último, o acervo de Ulysses de Oliveira Panisset, que é formado por obras de valor inestimável de várias áreas, tais como: Sociologia, Filosofia, Religião e Pedagogia. E ao final do ano de 2014

106 106 deu-se início ao Projeto Arte na Biblioteca que contou com a exposição de esculturas de arte sacra esculpidas em madeira pelo escultor Evandro Costa morador da cidade de Sabará/MG. Pronta para atender estudantes de todos os campi, em virtude da sua localização privilegiada, a Biblioteca do campus Praça da Liberdade fica aberta das 6 horas às 23 horas de segunda as sexta-feira e no sábado de 7 horas às 17 horas. Já em Venda Nova a Biblioteca fica aberta das 7 horas às 22 horas de segunda a sexta, e no sábado das 8h às 12h, período em que os (as) estudantes do Centro Universitário estão no campus. Com intuito de acompanhar o desenvolvimento da sociedade, as Bibliotecas do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix estão em constante processo de modernização e ampliação dos seus serviços de atendimentoao(à) estudante. As Bibliotecas contam com um sistema onde nossos usuários já desfrutam da comodidade de reservar/renovar pela Internet, consultam seu histórico de empréstimo, visualizam as capas e comentários dos livros, recebem alertas por e dispõem de outras ferramentas de busca no portal. Atualmente as Bibliotecas contam com um(a) Bibliotecário(a), responsável pela coordenação dos serviços técnicos e administrativos especializados e com 12 auxiliares de Biblioteca para a execução dos trabalhos técnicos e administrativos de atendimento aos usuários, seja no campus Praça da Liberdade ou no campus Venda Nova. A Biblioteca também tem uma relação direta com as Pró-reitorias e coordenações de cursos de determinada forma que as discussões sobre a atualização e ampliação do acervo fazem parte do cotidiano institucional. Ainda no ano de 2013, a Biblioteca recebeu uma média de 35 visitantes da comunidade por dia, que utilizam os espaços de consultas ao acervo e os espaços de estudo. Seguem alguns dados quantitativos referentes às bibliotecas do IMIH no ano de Biblioteca Praça da Liberdade Número de Assentos: 174 Número de empréstimos domiciliares: Número de empréstimos entre bibliotecas: 206 Frequência: Quantidade de consulta presencial: Quantidade de consulta online: Usa ferramenta de busca integrada? (X) sim( ) não

107 107 Realiza comutações bibliográficas? (X) sim( ) não Oferece serviços pela internet? (X) sim( ) não Usuários treinados em programas de capacitação: 1319 (quantidade) Possui rede sem fio? (X) sim( ) não Participa de redes sociais? (X) sim( ) não Itens do acervo eletrônico: Itens do acervo impresso: Possui catálogo online de serviço público? (X) sim( ) não Oferece condições de acessibilidade? (X) sim( ) não Biblioteca Venda Nova Número de Assentos: 35 Número de empréstimos domiciliares: Número de empréstimos entre bibliotecas: 09 Frequência: 7003 Quantidade de consulta presencial: 7455 Quantidade de consulta online: 8821 Usa ferramenta de busca integrada? (X) sim( ) não Realiza comutações bibliográficas? (X) sim( ) não Oferece serviços pela internet? (X) sim( ) não Usuários treinados em programas de capacitação: 52 (quantidade) Possui rede sem fio? (X) sim( ) não Participa de redes sociais? (X) sim( ) não Itens do acervo eletrônico: Itens do acervo impresso: Possui catálogo online de serviço público? (X) sim( ) não Oferece condições de acessibilidade? (X) sim( ) não Serviço de Segurança A Segurança Patrimonial do Instituto Metodista Izabela Hendrix tem como função zelar pelo patrimônio e gerar o conforto para todos os presentes na instituição. Age pela segurança das pessoas de forma ao cumprimento das leis e regulamentos com devida abordagem a orientar e informar todos os presentes. Atua em caráter preventivo para inibir, dificultar e impedir

108 108 qualquer ação delituosa, abordar pessoas suspeitas no Campus,opera equipamentos de vigilância eletrônica, promove a inspeção das dependências com rondas e supervisão de Circuito Fechado de Câmeras, agindo de forma a prevenir situações que coloque em risco as pessoas e instalações, a equipe esta apta a combater pequenos incêndio e focos, prestar ajuda a sala de cuidados no atendimento de primeiro socorros a alunos, funcionários e visitantes. O setor conta atualmente com um total de 42 colaboradores da segurança, sendo: 27 no Campus Liberdade 06 no Campus Vetor Norte 05 nas Clinicas Integradas 04 na Unidade Fazendinha Todos os campi contam com equipamentos CFTV, sendo quena Fazendinha possuímos 4 Câmeras no sistema GeoVision, Nova Lima 16 Câmeras Sistema DVR, Venda Nova 16 Câmeras no Sistema GeoVision e Na Praça da Liberdade 72 Câmeras no Sistema DVR. Das melhorias para 2015, o setor tem como projeto a atualização dos sistemas GeoVision para DVR, pois assim terá melhorias significativas nos monitoramento dos demais campi; a ampliação do monitoramento interno da Praça da Liberdade com câmeras nos principais halls de atendimento com qualidade para melhor identificação; a realização de manutenção no cabeamento e estrutura do atual sistema da Praça da Liberdade; a organização e manutenção no cabeamento de Venda Nova e a ampliação do Monitoramento da Unidade Fazendinha; a disponibilização de cursos e orientação a equipe de Segurança de modo a melhorar o serviço prestado. O serviço de Segurança obteve resultados diferentes quando comparamos as avaliações do corpo docente e discente. O mesmo recebeu dos discentes 63,3% das respostas positivas e dos docentes 84,5%. TABELA 60 Serviço de Segurança "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor Como você avalia o Serviço de Segurança do Izabela Hendrix? 63,3% 84,5% - Nas questões abertas, os comentários citados indicam uma sensação de insegurança e preocupação dos alunos com a entrada na instituição sem controle de catraca, o que justifica o baixo índice de satisfação neste item.

109 Salas de aula As salas de aulaforam avaliadas pelos discentes e docentes da instituição e não alcançaramporcentagens satisfatórias do somatório das respostas ótimo e bom : 49,0% (discentes) e 64,5% (docentes). TABELA 61 Salas de Aula "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor Como você avalia as salas de aula do Izabela Hendrix? 49,0% 64,5% - Na análise das respostas das questões abertas, os discentes destacam a acústica ruim; a falta deequipamentos modernos (como data show) instaladosnas salas; ventilação ruim; salas mal planejadas; falta de manutenção nas cortinas; quadros pequenos; a presença de piolhos de pombos em algumas salas; cadeiras desconfortáveis em algumas salas; a necessidade de mais tomadas; melhorar a iluminação e a limpeza; algumas salas do prédio 1 do campus Praça da Liberdade estão com o forro danificado; falta acessibilidade para pessoas com deficiência para algumas salas.as solicitações de melhorias citam principalmente o 4º andar do prédio 1 do campus Praça da Liberdade. Os docentes solicitam a instalação de equipamentos multimídia em mais salas de aula, assim como a melhoria na acústica, nas tomadas, nas cortinas e nosquadros Espaços de convivência e de alimentação disponíveis Questionados em relação aos espaços de convivência e de alimentação disponíveis, discentes e docentes avaliaram de forma satisfatória, em 77,5% e 86,5%. TABELA 62 Espaços de convivência e de alimentação disponíveis Como você avalia os espaços de convivência e de alimentação disponíveis no Izabela Hendrix? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor 77,5% 86,5% - Na análise das questões abertas, os alunos solicitam a criação de um espaço de convivência para os mesmos nos intervalos e melhorias no espaço do DA; cadeiras mais confortáveis para a área de alimentação; cobertura na área de alimentação do campus Venda Nova.Os docentes

110 110 sugerem a conscientização dos usuários na área de alimentação pelo uso respeitoso e comunitário do espaço e reconhecem a revitalização do mesmo Espaços de atendimento aos alunos(as) Avaliados pelos coordenadores, os espaços de atendimento aos alunos(as) alcançaram uma porcentagem de 33,3% do somatório das respostas ótimo e bom. TABELA 63 Espaços de atendimento aos alunos(as) Como você avalia os espaços de atendimento aos alunos(as)no Izabela Hendrix (atendimentos da coordenação e orientação de TCC)? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor ,3% Nas respostas abertas os coordenadores solicitam uma sala mais reservada e confortável para atender os alunos no campus Praça da Liberdade e criar um no campus Venda Nova. O resultado abaixo do valor definido como satisfatório nesta questão indica que há a necessidade de melhorias em relação à sala de atendimento Infraestrutura destinada à CPA Também avaliada pelos coordenadores e considerada satisfatória, ainfraestrutura destinada à CPAalcançou a porcentagem de 76,9% das respostas positivas. TABELA 64 Infraestrutura destinada à CPA "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor Como você avalia a infraestrutura destinada à CPA? ,9% Houve apenas um comentário sobre este item, no qual considera a instalação da CPA pequena e quente. No início de 2013, a CPA compartilhava uma sala com a Pesquisadora Institucional. Ao final do mesmo ano, após a realização da autoavaliação institucional, a CPA foi transferida para uma sala maior, com melhor iluminação e ventilação, armário, mais mesas, mais tomadas e um aparelho de ar condicionado fixo.

111 Quantidade e qualidade dos recursos de tecnologias de informação e comunicação utilizados nos processos de ensino-aprendizagem Docentes e discentes não consideraram satisfatórias a quantidade e qualidade dos recursos de tecnologias de informação e comunicação utilizados nos processos de ensino-aprendizagem. Esse item recebeu dos discentes 50,1% de respostas positivas e 39,1% dos docentes. TABELA 65 Quantidade e qualidade dos recursos tecnológicos de informação e comunicação utilizados nos processos de ensino-aprendizagem Como você avalia a quantidade e qualidade dos recursos tecnológicosdo Izabela Hendrix utilizados nas aulas e demais processos de ensino-aprendizagem? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor 50,1% 39,1% - Na averiguação das questões abertas, os discentes solicitam melhorias na ventilação e nos computadores dos laboratórios de informática, assim como os docentes solicitam mais equipamentos de multimídia instalados nas salas com um aumento em sua vida útil Laboratórios (e/ou Salas Especializadas) A porcentagens dadas,aos Laboratórios e/ou Salas Especializadas, pelos discentes e docentes não foram consideradas satisfatórias, alcançando 45,2% (discentes) e 67,4% (docentes). TABELA 66 Laboratórios (e/ou Salas Especializadas) Entende-se por Laboratórios (e/ou Salas Especializadas) de um curso os espaços destinados à prática dos conhecimentos e habilidades relativos a esse curso. Como você avalia Laboratórios (e/ou Salas Especializadas)do seu curso? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor 45,2% 67,4% - Na análise das questões abertas, discentes informam que faltam salas específicas e de qualidade para alguns cursos, e os docentes solicitam melhorias em algumas das existentes. 3.6 Eixo 6: Práticas Pedagógicas O eixo Práticas Pedagógicas foi composto de quatro questões, que buscavam avaliar o Relacionamento, Organização, Processos Avaliativos e Didática dos docentes.o valor médio geral dessas questões pode ser observado no gráfico a seguir: TABELA 67 Média Geral das Práticas Pedagógicas Professores 99,4% Alunos 85,7%

112 112 Observa-se 85,7% dos discentes consideram este indicador como um dos pontos fortes da instituição, visão esta compartilhada por 99,4% dos docentes. Para melhor compreender esses valores médios, é preciso analisar as quatro questões de forma individual Didática Discentes e docentes avaliaram a didáticaque é adotada nas disciplinas. Os discentesinferiram em 82,0% das respostas positivas e os docentes em 99,3%. TABELA 68 Didática dos professores Entende-se por DIDÁTICA de um(a) professor(a) o conjunto de métodos e técnicas de ensino por ele(a) utilizado para promover aprendizagens junto aos alunos. Avalie, em cada uma das disciplinas que você cursa, a DIDÁTICA dos seus(uas) professores(as). "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor 82,0% - - TABELA 69 Didática dos professores Entende-se por DIDÁTICA de um(a) professor(a) o conjunto de métodos e técnicas de ensino por ele(a) utilizado para promover aprendizagens junto aos alunos. "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor - 99,3% - Como você avalia a DIDÁTICA que você adota nas disciplinas que ministra? Organização nas atividades de ensino nas disciplinas Docentes julgaram sua organização nas atividades de ensino nas disciplinas ministradas por eles de forma a ser satisfatória a porcentagem 99,5% do somatório das respostas ótimo e bom. TABELA 70 Organização dos professores Como você avalia a sua ORGANIZAÇÃO nas atividades de ensino nas disciplinas que você ministra? "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor - 99,5% - parecida foi feita aos discentes que avaliaram a organização dos seus professores em um nível satisfatório de 85,8%. TABELA 71 Organização dos professores "Ótimo" + "Bom"

113 113 Avalie, em cada uma das disciplinas que você cursa, a ORGANIZAÇÃO dos seus(uas) professores(as). Aluno Docente Coor 85,8% Processos de avaliação da aprendizagem Docentes avaliaram também os processos de avaliação da aprendizagemdesenvolvidos por eles em suas disciplinas, alcançando 99,6% do somatório das respostas positivas. Os discentes também avaliaram de forma satisfatória esse item com 84,7%. TABELA 72 Processos de avaliação da aprendizagem Entende-se por PROCESSOS DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEMde um(a) professor(a) as estratégias por ele(a) utilizadas (exercícios, apresentação de trabalhos, etc.) para verificar em que medida os conteúdos, habilidades e competências por ele(a) ensinados foram aprendidos pelos alunos. Avalie, em cada uma das disciplinas que você cursa, os PROCESSOS DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM realizados pelos seus(uas) professores(as). "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor 84,7% - - TABELA 73 Processos de avaliação da aprendizagem Entende-se por PROCESSOS DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEMde um(a) professor(a) as estratégias por ele(a) utilizadas (exercícios, apresentação de trabalhos, etc.) para verificar em que medida os conteúdos, habilidades e competências por ele(a) ensinados foram aprendidos pelos alunos. "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor - 99,6% - Como você avalia os PROCESSOS DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM que você desenvolve nas disciplinas que ministra? Relacionamento nas turmas entre alunos(as) e professores(as) Questionados sobre o relacionamento nas turmas entre alunos(as) e professores(as), as porcentagens foram cogitadas como satisfatórias: pelos docentes com 99,1% das respostas afirmativas e pelos discentes com 90,2%. TABELA 74 Relacionamento nas turmas entre alunos(as) e professores(as) Avalie, em cada uma das disciplinas que você cursa, o RELACIONAMENTO do(a) professor(a) com os alunos. "Ótimo" + "Bom" Aluno Docente Coor 90,2% - - TABELA 75 Relacionamento nas turmas entre alunos(as) e professores(as) "Ótimo" + "Bom"

114 114 Como você avalia o seu RELACIONAMENTO com os(as) alunos(as) nas turmas que você atua? Aluno Docente Coor - 99,1% - Analisadas as questões abertas, verifica-se que os docentes procuram cumprir com as metas, buscar novas práticas pedagógicas e compartilhar conhecimento; informam a falta de alguns materiais necessários para ministrar as aulas; solicitam a implementação de pré-requisitos nas disciplinas e relatam que a plataforma do SIGA limita do ponto de vista pedagógico. Os discentes relatam que os professores são capacitados, mas alguns solicitam mais aulas práticas e disponibilização no SIGA dos materiais usados em sala.

115 115 4 RESULTADOS DA AUTOAVALIAÇÃO NO PERÍODO DE 2014 FUNCIONÁRIOS 4.1 PERFIL DOS PARTICIPANTES As questões introdutórias do instrumento de avaliação do corpo técnico-administrativo permitiram descrever o perfil dos participantes da pesquisa. Os dados revelam que a maioria dos participantes da avaliação institucional é do sexo feminino: 83 participantes, número correspondente a 55% da amostra utilizada. O número de funcionários do sexo masculino é igual a 68 pessoas, 45% da amostra. TABELA 76 Perfil dos participantes da autoavaliação Sexo Sexo Funcionários Masculino 68 Feminino 83 Fonte: dados da pesquisa. Verifica-se, na tabela a seguir, que grande parte dos participantes da avaliação tem até 30 anos de idade: 65 funcionários representam 43% da amostra, seguidos por 39 funcionários com idades entre 31 e 40 anos, representando 26% da amostra; 28 funcionários com idades entre 41 e 50 anos, representando 19% e 16 funcionários com idade acima de 50 anos representando 11% da amostra. TABELA 77 Perfil dos participantes da autoavaliação Faixa Etária Faixa Etária Funcionários Até 30 anos 65 De 31 a 40 anos 39 De 41 a 50 anos 28 Acima de 50 anos 16 Fonte: dados da pesquisa. Em relação ao tempo em que os participantes trabalham no CEUNIH, constata-se que a maioria dos participantes, 83 funcionários, está ha menos de três anos na instituição, correspondendo a 55% da amostra; 42 funcionários estão vinculados ao Izabela Hendrix entre 4 e 10 anos; 13 funcionários estão entre 11 e 15 anos, e 10 funcionários trabalham ha mais de 15 anos na instituição.

116 RESULTADOS GERAIS DA AVALIAÇÃO As tabelas de resultados dessa modalidade de avaliação mostram o percentual de respostas positivas, correspondente à soma das opções Ótimo e Bom. O percentual que falta para que o somatório atinja 100% corresponde à soma das respostas das opções Ruim, Péssimo, Não sei avaliar / Não se aplica e respostas em branco. Para a análise, foram considerados satisfatórios os indicadores cujas porcentagens da somatória Ótimo e Bom ficaram acima de 2/3 (66,7%) do total de participantes. TABELA 78 Resultados Quantitativos Gerais Ótimo e Bom 1. Processo de Avaliação Institucional 89% 2. Divulgação dos resultados do processo de autoavaliação 83% 3. Implementação de melhorias decorrentes dos processos de autoavaliação institucional 61% 4. Seu conhecimento sobre o Plano de Desenvolvimento Institucional 55% 5. Sua opinião sobre a implantação do Plano de Desenvolvimento Institucional articulado com a missão institucional 52% 6. Atuação da pastoral junto aos(as) funcionários(as) 64% 7. Comunicação da instituição com o público externo 60% 8. Comunicação da instituição nos canais oficiais (informações no site, murais, avisos, etc.) 78% 9. Comunicação entre os setores da instituição 48% 10. Gestão de Recursos Humanos 44% 11. Gestão administrativa do setor que trabalho 61% 12. Gestão administrativa da instituição 52% 13. Políticas de formação e capacitação do corpo técnicoadministrativo (capacitação continuada) 36% 14. Instalações de trabalho (limpeza, dimensão, iluminação, ventilação, acústica, etc.) 53% 15. Equipamentos para o desenvolvimento de sua função 63% 16. Espaços de convivência disponíveis no Izabela Hendrix para os funcionários 73% 17. Espaços de alimentação disponíveis no Izabela Hendrix para os funcionários 79% 18. Equipamentos de segurança para o desenvolvimento de sua função 69% Fonte: dados da pesquisa.

117 117 Na questão aberta sobre os aspectos que trazem satisfação aos funcionários para trabalhar na instituição, a maioria, 71 respostas, apontou como sendo satisfatório a amizade e os colegas de trabalho; 23 respostas apontam a oferta de bolsa de estudos que a instituição faz, como sendo satisfatória e 11 respostas apontam o ambiente da Instituição como um aspecto que traz satisfação ao trabalho. TABELA 79 - Aspectos do Izabela Hendrix que trazem satisfação ao trabalhar na instituição Item Respostas Amizade/Colegas de trabalho 71 Bolsa de estudos 23 Ambiente da Instituição 11 Fonte: dados da pesquisa. Nota: foram apresentados apenas os fatores que foram citados por mais do que 5% dos participantes. Na questão aberta sobre os aspectos que necessitam de melhorias, 85 respostas, sendo a maioria, pedem mais benefícios como plano de saúde, vale refeição e cesta básica; 50 respostas indicam que o indicam que o salário é baixo; 20 respostas indicam que o lanche oferecido para os funcionários é ruim; 13 respostas indicam que o Plano de Carreira é ruim; 13 respostas indicam a infraestrutura como inadequada; eles apontam falta de incentivo/valorização do funcionário e a estrutura física ruim em 9 respostas cada um, como sendo pontos que necessitam de melhorias. TABELA 80 - Aspectos do Izabela Hendrix que necessitam de melhorias Item Número de respostas Vale alimentação / Plano de saúde / Cesta básica 85 Salário ruim 50 Lanche ruim 20 Plano de carreira 13 Incentivar/valorizar o funcionário 9 Estrutura física (espaço, ventilação, limpeza) 9 Fonte: dados da pesquisa. Nota: foram apresentados apenas os fatores que foram citados por mais do que 5% dos participantes.

118 RESULTADOS GERAIS AGRUPADOS POR EIXOS Eixo 1 Planejamento e Avaliação Institucional Na opinião do corpo técnico-adminsitrativo, o processo de avaliação institucional vem sendo realizado de forma satisfatória (Processo de Avaliação Institucional: 89%; Divulgação dos resultados do processo de autoavaliação: 83%). Entretanto, a implementação de melhorias decorrentes dos processos de autoavaliação institucional apresentou um percentual inferior de avaliações positivas: 61% do corpo técnico-administrativo avaliou esse indicador como ótimo ou bom. TABELA 81 Resultados Gerais Eixo 1: Planejamento e Avaliação Institucional Item Ótimo e Bom Processo de Avaliação Institucional 89% Divulgação dos resultados do processo de autoavaliação 83% Implementação de melhorias decorrentes dos processos de autoavaliação institucional 61% Média do eixo 1 78% Fonte: dados da pesquisa. Nas questões abertas, parte dos participantes afirmou que há pouca divulgação dos resultados da autoavaliação institucional e das melhorias decorrentes desse processo. Também foi apresentado que, no ponto de vista dos mesmos, poucas melhorias são efetivamente implementadas ou levam um tempo muito grande para sua implementação; assim como pedem para serem mais valorizados, os funcionários relatam que falta recurso para implementar as melhorias em um único período Eixo 2 Desenvolvimento Institucional Este eixo, composto por três indicadores, apresentou resultados abaixo do percentual considerado como satisfatório. Dos participantes, 55% avaliaram que possuem ótimo ou bom conhecimento do PDI. O corpo técnico-administrativo avaliou de forma semelhante a implantação do Plano de Desenvolvimento Institucional articulado com a missão institucional. Para 52% dos participantes, essa implantação é realizada de forma ótima ou boa. Alguns funcionários

119 119 afirmam, nas respostas abertas, que possuem pouco conhecimento sobre o assunto, mas que podem melhorar, e relatam que o que é proposto não é realizado. A atuação da pastoral junto aos funcionários foi avaliada por 64% dos participantes desta autoavaliação. Parte do corpo técnico-administrativo sugere que os pastores tenham um contato mais próximo com os funcionários da instituição e que sejam mais preparados para essa atuação. TABELA 82 Resultados Gerais Eixo 2: Desenvolvimento Institucional Item Ótimo e Bom Seu conhecimento sobre o Plano de Desenvolvimento Institucional 55% Sua opinião sobre a implantação do Plano de Desenvolvimento Institucional articulado com a missão institucional 52% Atuação da pastoral junto aos(as) funcionários(as) 64% Média da dimensão 2 57% Fonte: dados da pesquisa Eixo 3 Políticas Acadêmicas Os indicadores do eixo Políticas Acadêmicas apresentaram resultados heterogêneos.enquanto 60% dos funcionários avaliam a comunicação da instituição com o público externo como ótima ou boa, 78% possuem a mesma opinião (positiva) sobre comunicação da instituição nos canais oficiais. A comunicação entre os setores da instituição foi o indicador deste eixo com a menor porcentagem de respostas positivas: 48% dos participantes avaliaram o serviço como ótimo ou bom. TABELA 83 Resultados Gerais Eixo 3: Políticas Acadêmicas Item Ótimo e Bom Comunicação da instituição com o público externo 60% Comunicação da instituição nos canais oficiais (informações no site, murais, avisos, etc.) 78% Comunicação entre os setores da instituição 48% Média do eixo 3 62% Fonte: dados da pesquisa. Os funcionários afirmam que há pouca divulgação dos cursos da instituição e de seus campi ao público em geral. Em relação à comunicação interna, mesmo com um resultado satisfatório, os participantes relatam que há pouca divulgação, que os recursos de mídia existentes são pouco explorados e que falta criatividade para divulgar. Afirmam também que

120 120 falta sintonia entre as informações passadas e falta cooperação entre os setores para a passagem das mesmas, além de solicitarem reuniões periódicas das lideranças com os funcionários Eixo 4 Políticas de Gestão O eixo Políticas de Gestão apresentou resultados abaixo do percentual considerado como satisfatório em seus quatro itens: a Gestão de RH obteve 44% de respostas positivas; A Gestão administrativa dos setores obteve 61%; a Gestão administrativa da instituição obteve 52%, e as Políticas de formação e capacitação do corpo técnico-administrativo obteve 36% das respostas positivas. Analisando as respostas abertas do questionário referentes à Gestão do RH, verificou-se que as fragilidades são a quantidade elevada de erros que ocorre no serviço prestado, o atendimento ruim dos funcionários e da gestão do setor, a demora na resolução dos problemas, falta de organização e aviso prévio sobre atitudes tomadas pela gestão do setor. Nas questões abertas da Gestão administrativa os participantes apontam como fragilidades do setor em que trabalha a falta de tratamento adequado com os funcionários, pouca solução dos problemas, a falta de organização e necessidade de maior presença da liderança. Em relação à Gestão administrativa da instituição, os participantes pedem mais investimento na instituição, incentivo ao funcionário, melhorar o marketing e o espaço físico. Ainda neste mesmo eixo, os participantes dizem que há poucos treinamentos sendo oferecidos, de forma isolada e descontínua, e que falta incentivar o funcionário e reciclagem dos funcionários antigos. TABELA 84 Resultados Gerais Eixo 4: Políticas de Gestão Item Ótimo e Bom Gestão de Recursos Humanos 44% Gestão administrativa do setor que trabalho (caso você seja o 61% responsável pelo seu setor, marque não se aplica ) Gestão administrativa da instituição (captação de alunos, gestão 52% financeira, gestão do espaço físico, investimentos, etc.) Políticas de formação e capacitação do corpo técnico-administrativo 36% (capacitação continuada) Média do eixo 4 48% Fonte: dados da pesquisa.

121 Eixo 5 Infraestrutura O eixo 5 apresenta um total de 5 indicadores, todos envolvendo a avaliação da infraestrutura do Izabela Hendrix. Dos participantes que avaliaram as condições das instalações de trabalho, 53% consideraram como sendo ótimas ou boas. Um percentual de 63% avaliou positivamente os equipamentos utilizados para o desenvolvimento de sua função, afirmando que os equipamentos são obsoletos, faltam alguns materiais para desenvolver o trabalho e manutenção na infraestrutura. Os equipamentos de segurança foram bem avaliados pelos participantes da pesquisa: 69% dos funcionários julgaram os equipamentos utilizados como ótimos ou bons. Os espaços de convivência e de alimentação disponíveis apresentaram avaliação de 73% e 79%, respectivamente. Como justificativa, os funcionários afirmaram que os atuais espaços são pequenos e desconfortáveis necessitando de melhores eletrodomésticos. TABELA 85 Resultados Gerais Eixo 5: Infraestrutura Item Ótimo e Bom Instalações de trabalho (limpeza, dimensão, iluminação, ventilação, acústica, etc.) 53% Equipamentos para o desenvolvimento de sua função 63% Espaços de convivência disponíveis no Izabela Hendrix para os funcionários 73% Espaços de alimentação disponíveis no Izabela Hendrix para os funcionários 79% Equipamentos de segurança para o desenvolvimento de sua função 69% Média do eixo 5 67% Fonte: dados da pesquisa.

122 122 5 DISCUSSÕES O trabalho da CPA no ano de 2014 cuidou em contribuir para estimular e desenvolver a cultura avaliativa na instituição. Nos anos anteriores, a CPA acompanhou em tempo real, durante o período de avaliação institucional, a adesão dos alunos e docentes à avaliação. A partir desse acompanhamento, campanhas de divulgação eram realizadas a públicos e cursos específicos. Entretanto, em 2014, um problema técnico no Sistema Praxis impossibilitou esse acompanhamento e consequente ação de divulgação direcionada. Esse fato pode explicar uma pequena queda na adesão de discentes à avaliação institucional. Mesmo assim, a adesão obtida se mostra adequada e significativa para as análises necessárias. O envolvimento das lideranças, apoio e participação efetiva na elaboração, leitura e análise dos resultados por parte das coordenações de cursos e núcleos contribuiu para o bom andamento dos processos de avaliação. A continuidade da utilização do Sistema Práxis nos últimos anos permite que os usuários se familiarizem com o sistema, reduzindo o número de queixas referentes a dificuldades em sua utilização. Mesmo assim, ainda há registro de dificuldades na acessibilidade por parte de alguns professores e alunos. Parte significativa desses problemas se deve ao bloqueio automático de pop-ups pelos navegadores utilizados, problema este de solução simples, mas que só pode ser solucionado pelo usuário. Uma menor parte das dificuldades de acesso está ligada à transposição dos dados das atribuições de aulas para os docentes e das matrículas por parte dos alunos. O apoio para solução dessas dificuldades tem sido dado de forma bastante satisfatório pela equipe de TI do Izabela. As Semanas de Capacitação Docente, promovidas semestralmente pelo CEUNIH, tem discutido tópicos apontados nas autoavaliações institucionais como fragilidades e carências de conhecimento, como o estudo sobre o ENADE, CPC e IGC na 6ª Semana de Capacitação. Na 8ª Semana de Capacitação Docente, a CPA também apresentou e discutiu, junto aos docentes, coordenações e lideranças, os resultados da Avaliação Institucional do ano de Os trabalhos de análise dos resultados da autoavaliação, realizados pelos colegiados dos cursos, pelos colegiados dos núcleos e pelos setores técnico-administrativos mostram que o Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix tem como forças os seguintes pontos: Eixo 1 Planejamento e Avaliação Institucional

123 123 Planejamento e implantação do processo de autoavaliação de cursos e institucional do Izabela Hendrix; Eixo 2 Desenvolvimento Institucional Articulação entre as metas e objetivos do PDI com a missão institucional; Eixo 3 - Políticas Acadêmicas Coerência entre os conteúdos curriculares, os objetivos e o perfil dos egressos dos cursos; Atendimento dos funcionários da Sala dos Professores e Coordenação; Atendimento dos funcionários da Biblioteca; Eixo 4 Políticas de Gestão Atuação da Coordenação nos cursos; Processo de trabalho do NDE; Processo de trabalho do Colegiado dos cursos; Eixo 5 Infraestrutura Limpeza da Biblioteca; Eixo 6 Práticas Pedagógicas Relacionamento dos docentes com discentes; Organização dos docentes em sua prática pedagógica; Processos de avaliação de aprendizagem promovidos pelos docentes; As fragilidades apontadas são: Eixo 1 Planejamento e Avaliação Institucional Implementação das melhorias de Infraestrutura indicadas pelas avaliações internas e externas; Eixo 2 Desenvolvimento Institucional Não foram apontadas fragilidades;

124 124 Eixo 3 - Políticas Acadêmicas Incentivo da instituição para as publicações científicas, didático-pedagógicas, artísticas e culturais; Implementação dos objetivos propostos no PDI e no PPC em relação ao à Iniciação Científica e Pesquisa; Desenvolvimento das ações acadêmico-administrativa previstas no PDI em relação às políticas de pós graduaçãolato-sensu; Atendimento dos funcionários do Setor de Bolsas; Atendimento do Suporte ao SIGA ( , telefone e presencial); Atendimento dos funcionários da Tesouraria; Gestão de Recursos Humanos; Políticas de formação e capacitação do corpo técnico-administrativo (capacitação continuada); Atendimento dos funcionários da Central de Atendimento ao Estudante; Comunicação entre os setores da instituição; Organização do Estágio Curricular dos cursos; Eixo 4 Políticas de Gestão Gestão do corpo docente em relação ao plano de carreira previsto no PDI; Planejamento e execução dos investimentos em ensino, extensão, pesquisa/iniciação científica e gestão em conformidade com o PDI; Eixo 5 Infraestrutura Internet sem fio (wireless); Espaços de trabalho dos docentes em tempo integral; Laboratórios de Informática (infraestrutura e recursos); Espaços de atendimento aos alunos(as); Quantidade e qualidade dos recursos de tecnologias de informação e comunicação utilizados nos processos de ensino-aprendizagem;

125 125 Ventilação da Biblioteca; Salas de aula; Sala de professores; Condições da instituição para acesso das pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida; Eixo 6 Práticas Pedagógicas Não foram apontadas fragilidades.

126 126 6 RECOMENDAÇÕES A CPA contou com os colegiados dos cursos e dos núcleos para elaborar as recomendações que visam promover as melhorias consideradas necessárias e que deverão ser inseridas como ações nos planejamentos da instituição.são as seguintes: QUADRO 12 Quadro de melhorias para o Centro Universitário Item da avaliação Ações recomendadas Implementação das melhorias de Infraestrutura indicadas pelas avaliações internas e externas Eixo 1 Planejamento e Avaliação Institucional A CPA deverá realizar estudo referente às melhorias indicadas nessas avaliações e as encaminhará aos setores responsáveis. Eixo 3 - Políticas Acadêmicas Incentivo da instituição para as publicações científicas, didáticopedagógicas, artísticas e culturais Implementação dos objetivos propostos no PDI e no PPC em relação ao à Iniciação Científica e Pesquisa Desenvolvimento das ações acadêmicoadministrativa previstas no PDI em relação às políticas de pós graduaçãolato-sensu Atendimento dos funcionários do Setor de Bolsas Atendimento do Suporte ao SIGA ( , telefone e presencial) Atendimento dos funcionários da Tesouraria Gestão de Recursos Humanos; Políticas de formação e Atualização da versão do sistema SEER (OJS), permitindo que as revistas da Instituição tenham melhores recursos de gerenciamento de dados e divulgação das informações. Dar continuidade à implementação das políticas de Iniciação Científica e Pesquisa. Dar continuidade à implementação das políticas de Iniciação Científica e Pesquisa. Ampliar o número de projetos contemplados com financiamento no CEUNIH. Divulgar, entre os membros da comunidade acadêmica, os avanços em relação a este item. Implementar o curso de pós-graduação voltado aos docentes do CEUNIH, aberto ao público em geral. Implementar novos cursos de pós-graduação lato-sensu. Divulgar os cursos em EaD oferecidos no Izabela Hendrix como polo. Elaborar planejamento para melhor atendimento aos alunos que procuram o Setor de Bolsas para informações e entrega de documentos. Elaborar planejamento para melhor divulgação dos atuais canais de suporte. Estudar novas formas de atendimento aos alunos e professores. Capacitar os atendentes do setor para prestar um melhor atendimento. Realizar estudo para melhor compreender os itens que necessitam de melhorias no setor de Recursos Humanos. Com os resultados, elaborar projeto para implementar as melhorias necessárias. Realizar estudo para levantamento das demandas de capacitação dos

127 127 capacitação do corpo técnico-administrativo (capacitação continuada); Atendimento dos funcionários da Central de Atendimento ao Estudante Comunicação entre os setores da instituição; Organização do Estágio Curricular dos cursos Gestão do corpo docente em relação ao plano de carreira previsto no PDI Planejamento e execução dos investimentos em ensino, extensão, pesquisa/iniciação científica e gestão em conformidade com o PDI Internet sem fio (wireless) Espaços de trabalho dos docentes em tempo integral Laboratórios de Informática (infraestrutura e recursos) Espaços de atendimento aos alunos(as) Quantidade e qualidade dos recursos de tecnologias de informação e comunicação utilizados nos processos de ensinoaprendizagem Ventilação da Biblioteca Salas de aula diferentes setores técnico-administrativos. Realizar estudo para melhor compreender os itens que necessitam de melhorias na CAE. Com os resultados, elaborar projeto para implementar as melhorias necessárias. Dar continuidade à implantação do Programa de Gestão do Conhecimento. Discutir e implementar medidas para melhorar a comunicação interna. Reelaborar o questionário da Avaliação Institucional de forma que apenas os alunos que realizam Estágio Curricular, ou que conheçam a proposta, respondam esta questão. Eixo 4 Políticas de Gestão Implementar o plano de carreira docente. Dar continuidade aos avanços e investimentos nesses setores. Divulgar, entre os membros da comunidade acadêmica, os avanços em relação a este item. Eixo 5 Infraestrutura Realizar estudo para melhorar velocidade e qualidade das conexões wireless. Divulgar os atuais espaços de trabalho dos docentes de TI. Melhorar continuamente os espaços de trabalho dos docentes. Solicitar ao DTI que encaminhe relatório sobre atual estado dos computadores e softwares ao setor responsável para as devidas providências de melhorias. Solicitar ao setor responsável que realize as melhorias necessárias nos atuais espaços de atendimento aos alunos. Implementar recursos multimídia em salas de aula. Realizar manutenção permanente nos equipamentos atualmente disponibilizados aos docentes. Dar continuidade às discussões, junto aos docentes e coordenações, sobre a utilização das TDIC como recurso nos processos de ensinoaprendizagem. Realizar um estudo para avaliar as possíveis alterações estruturais ou de equipamentos de ventilação na biblioteca. Solicitar à CIPA que realize um estudo das salas de aula, apontando as melhorias necessárias.

128 128 Sala de professores Condições da instituição para acesso das pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida Solicitar à CIPA que realize um estudo das salas dos professores, apontando as melhorias necessárias. Divulgar à comunidade acadêmica as limitações físicas do Campus PL pelo fato de parte das edificações serem tombadas pelo patrimônio histórico municipal. Realizar um estudo para avaliar a necessidade de alterações estruturais para permitir melhores condições de acesso das pessoas com deficiências e/ou mobilidade reduzida. 7 CONCLUSÃO A CPA compreende que, em 2014, o processo de autoavaliação institucional permitiu a participação de toda a comunidade acadêmica de forma satisfatória. Foi possível identificar, dentro das dimensões do SINAES, as fragilidades e fortalezas do CEUNIH em sua complexidade. O trabalho da CPA foi acompanhado e incentivadopela Reitoria, pela PROACAD e Gerência Administrativa, que sempre afirmam, por meio de ações e orientações, o caráter ético e transparente da avaliação, demonstrando a importância que a ela é atribuída por esta Instituição. Durante o ano de 2015, os representantes da CPA pretendem diversificar as estratégias de divulgação não apenas do Programa de Avaliação Institucional e seus resultados, mas também dos processos de trabalho realizado continuamente pela CPA. Essas ações fazem parte da proposta do Izabela Hendrix de se fortalecer, a cada ano, a cultura de avaliação institucional em todos os níveis acadêmicos e administrativos.

129 129 APÊNDICES APÊNDICE A - QUESTIONÁRIO UTILIZADO NA AVALIAÇÃO COM OS FUNCIONÁRIOS

130 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO PROGRAMA DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2014 CORPO TÉCNICO ADMINISTRATIVO Setor Campus PL ( ) Campus VN ( ) Campus VS ( ) Atendimento ao aluno ( ) Administrativo ( ) Segurança ( ) Serviços Gerais ( ) Lideranças de setores Perfil Sexo Escolaridade Tempo de trabalho no Izabela Hendrix ( ) Masculino ( ) Ensino Fundamental incompleto ( ) Até 3 anos ( ) Feminino ( ) Ensino Fundamental completo ( ) De 4 a 10 anos ( ) Ensino Médio ( ) De 11 a 15 anos Faixa etária ( ) Graduação ( ) Acima de 15 anos ( ) Até 30 anos ( ) Pós-graduação ( ) De 31 a 40 anos ( ) De 41 a 50 anos ( ) Acima de 50 anos Avalie cada um dos itens a seguir conforme escala indicada. 1. Planejamento e Avaliação Institucional Ótimo Bom Ruim Péssimo Processo de autoavaliação institucional Divulgação dos resultados do processo de autoavaliação institucional Implementação de melhorias decorrentes dos processos de autoavaliação institucional Não sei avaliar / Não se aplica Se Ruim ou Péssimo, justifique.

131 Desenvolvimento Institucional Ótimo Bom Ruim Péssimo Meu conhecimento sobre o Plano de Desenvolvimento Institucional Sua opinião sobre a implementação do Plano de Desenvolvimento Institucional articulado com a missão institucional Atuação da pastoral junto aos(as) funcionários(as) Não sei avaliar / Não se aplica Se Ruim ou Péssimo, justifique. 3. Políticas Acadêmicas Ótimo Bom Ruim Péssimo Comunicação da instituição com o público externo Comunicação da instituição nos canais oficiais (informações no site, murais, avisos, etc. ) Comunicação entre os setores da instituição Não sei avaliar / Não se aplica Se Ruim ou Péssimo, justifique. 4. Políticas de Gestão Ótimo Bom Ruim Péssimo Gestão de Recursos Humanos Gestão administrativa do setor que trabalho (caso você seja responsável pelo seu setor, marque não se aplica ) Gestão administrativa da instituição (captação de alunos, gestão financeira, gestão do espaço físico, investimentos, etc.) Políticas de formação e capacitação do corpo técnicoadministrativo (capacitação continuada) Não sei avaliar / Não se aplica Se Ruim ou Péssimo, justifique.

132 Infraestrutura Ótimo Bom Ruim Péssimo Instalações de trabalho (limpeza, dimensão, iluminação, ventilação, acústica, etc.) Equipamentos para o desenvolvimento de sua função Espaços de convivência disponíveis no Izabela Hendrix para os funcionários Espaços de alimentação disponíveis no Izabela Hendrix para os funcionários Equipamentos de segurança para o desenvolvimento de sua função Não sei avaliar / Não se aplica Se Ruim ou Péssimo, justifique. 6. Aponte três aspectos do Izabela que te dão satisfação de trabalhar na instituição Aponte três aspectos que você considera necessitar de melhorias por parte da instituição

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX RELATÓRIO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - LICENCIATURA CAMPUS PL PERÍODO 2014 1 INSTITUTO METODISTA

Leia mais

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX RELATÓRIO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CURSO DE DIREITO - CAMPUS VN PERÍODO 2014 1 INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX CENTRO

Leia mais

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX RELATÓRIO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO INTEGRAL CAMPUS PL PERÍODO 2014 1 INSTITUTO METODISTA

Leia mais

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX RELATÓRIO GERAL AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2º semestre de 2013 Março de 2014 INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX CENTRO

Leia mais

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX RELATÓRIO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAMPUS PL PERÍODO 2014 1 INSTITUTO

Leia mais

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX RELATÓRIO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CURSO DE PEDAGOGIA CAMPUS PL PERÍODO 2014 1 INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX CENTRO

Leia mais

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX RELATÓRIO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CURSO DE BIOMEDICINA CAMPUS PL PERÍODO 2014 1 INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX CENTRO

Leia mais

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX RELATÓRIO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CURSO DE SERVIÇO SOCIAL CAMPUS PL PERÍODO 2013 1 INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Brasileira de Educação Familiar e Social UF: BA ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade Social da Bahia

Leia mais

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX RELATÓRIO GERAL AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2015 Março de INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA

Leia mais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação

Leia mais

DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL EXTERNA

DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL EXTERNA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - Sinaes Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior - Conaes Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio

Leia mais

FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013

FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013 FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013 Sete Lagoas Março de 2014 Sumário 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO... 4 1.1. Composição da Comissão

Leia mais

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL - CHILE APRESENTAÇÃO O Setor de Educação Superior da Província

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Grupo Nobre de Ensino Ltda. UF: BA ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade Nobre de Feira de Santana, a ser instalada

Leia mais

Relatório Parcial de Autoavaliação Institucional. Ciclo Avaliativo 2013 2015

Relatório Parcial de Autoavaliação Institucional. Ciclo Avaliativo 2013 2015 Relatório Parcial de Autoavaliação Institucional Ciclo Avaliativo 2013 2015 Cascavel 2014 CPA Comissão Própria de Avaliação Presidente Prof. Gelson Luiz Uecker Representante Corpo Docente Profa. Anália

Leia mais

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Faculdade Educacional da Lapa 1 FAEL RESULTADOS - AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 O referido informativo apresenta uma súmula dos resultados da autoavaliação institucional, realizada no ano de 2012, seguindo

Leia mais

N de cursos ofertados; % de vagas ocupadas/ formas de ingresso.

N de cursos ofertados; % de vagas ocupadas/ formas de ingresso. Anexo II Dimensões Elementos Indicadores quantitativos Indicadores qualitativos % de cursos com projeto pedagógico/ adequados ao Projeto Condições de implementação dos Projetos Projeto Pedagógico dos Institucional

Leia mais

A Função da Comissão Própria de Avaliação (CPA) em uma Instituição de Ensino Superior. Prof. Marcílio A. F. Feitosa

A Função da Comissão Própria de Avaliação (CPA) em uma Instituição de Ensino Superior. Prof. Marcílio A. F. Feitosa A Função da Comissão Própria de Avaliação (CPA) em uma Instituição de Ensino Superior Prof. Marcílio A. F. Feitosa Avaliação das Instituições de Educação Superior A Avaliação Institucional é um dos componentes

Leia mais

Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Abril de 2012 Página 1 de 11 Sumário Introdução 3 Justificativa 5 Objetivos 6 Metodologia 7 Dimensões de

Leia mais

PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006.

PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006. PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006. Aprova, em extrato, o Instrumento de Avaliação Externa de Instituições de Educação Superior do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES O MINISTRO

Leia mais

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO Com a finalidade de otimizar o processo de elaboração e avaliação dos Projetos Pedagógicos do Cursos (PPC), sugere-se que os itens a seguir sejam

Leia mais

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA Mantenedora: Fundação Presidente Antônio Carlos Mantida: Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação Bacharelados, Licenciaturas e Cursos Superiores de Tecnologia (presencial e a distância)

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação Bacharelados, Licenciaturas e Cursos Superiores de Tecnologia (presencial e a distância) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Direito (presencial e a distância)

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Direito (presencial e a distância) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

Reitor Prof. Dr. Reinaldo Centoducatte. Vice-Reitora Profª. Drª. Ethel Leonor Noia Maciel

Reitor Prof. Dr. Reinaldo Centoducatte. Vice-Reitora Profª. Drª. Ethel Leonor Noia Maciel Reitor Prof. Dr. Reinaldo Centoducatte Vice-Reitora Profª. Drª. Ethel Leonor Noia Maciel PROGRAMA DE AUTOAVALIAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Pró-Reitoria de Graduação

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior - DAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 O trabalho da CPA/PUCSP de avaliação institucional está regulamentado pela Lei federal nº 10.861/04 (que institui o SINAES), artigo 11 e pelo

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Escola Superior de Propaganda e Marketing UF: SP ASSUNTO: Recredenciamento da Escola Superior de Propaganda

Leia mais

INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL EXTERNA

INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL EXTERNA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior CONAES Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior

Leia mais

RELATÓRIO AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

RELATÓRIO AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL RELATÓRIO AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Referência: Ano letivo de 2012 MANTENEDORA: Sociedade Educacional UNIFAS MANTIDA: Faculdade de Sinop FASIP CÓDIGO DA MANTIDA: 1934 SINOP-MT/2013 RELATÓRIO AUTOAVALIAÇÃO

Leia mais

FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE CONSELHEIRO LAFAIETE

FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE CONSELHEIRO LAFAIETE 1 FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE CONSELHEIRO LAFAIETE RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO (Síntese dos resultados) COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA Mantenedora: Fundação Presidente

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Escola de Enfermagem Nova Esperança Ltda. UF: PB ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade de Enfermagem Nova Esperança,

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Cruzada Maranata de Evangelização UF: BA ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade Batista Brasileira, com sede no

Leia mais

Elaboração: Comissão Própria de Avaliação CPA. Parâmetros: Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES

Elaboração: Comissão Própria de Avaliação CPA. Parâmetros: Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES Faculdade de Sorocaba AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Elaboração: Comissão Própria de Avaliação CPA Parâmetros: Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES Sorocaba Dezembro 2014 1 Faculdade

Leia mais

FACULDADE INTERNACIONAL DO DELTA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CORPO DOCENTE - 2014.1

FACULDADE INTERNACIONAL DO DELTA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CORPO DOCENTE - 2014.1 FACULDADE INTERNACIONAL DO DELTA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CORPO DOCENTE - 2014.1 A Comissão Própria de Avaliação (CPA) é o órgão responsável por coordenar,

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior Daes Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL EXTERNA I n s t r u m e n to

INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL EXTERNA I n s t r u m e n to MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Diretoria de Avaliação da Educação Superior SISTEMA NACIONAL

Leia mais

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas.

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas. Extensão ETENSÃO A implementação da politica de Extensão, no Instituto Federal do Amazonas reafirma a missão deste Instituto e seu comprometimento com o desenvolvimento local e regional promovendo a integração

Leia mais

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO COORDENADORIA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL SÍNTESE DE RELATORIO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E DE AVALIAÇÃO EXTERNA PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA

Leia mais

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES EDUCAÇÃO SUPERIOR BRASILEIRA ALGUNS INDICADORES¹ 2.314 IES 245 públicas (10,6%) e 2.069

Leia mais

SOCIEDADE EDUCACIONAL SÃO PAULO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO SÃO PAULO FAPI. CPA Comissão Própria de Avaliação AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL RELATÓRIO

SOCIEDADE EDUCACIONAL SÃO PAULO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO SÃO PAULO FAPI. CPA Comissão Própria de Avaliação AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL RELATÓRIO SOCIEDADE EDUCACIONAL SÃO PAULO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO SÃO PAULO FAPI CPA Comissão Própria de Avaliação AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL RELATÓRIO Março/2011 São Paulo 2010 1 SOCIEDADE EDUCACIONAL SÃO PAULO

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação de Ensino Superior de Ibaiti UF: PR ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade de Educação, Administração

Leia mais

ANEXO III. Cronograma detalhado do PROAVI

ANEXO III. Cronograma detalhado do PROAVI ANEXO III Cronograma detalhado do PROAVI 65 PROGRAMA DE AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA PUC-CAMPINAS CRONOGRAMA COMPLEMENTAR DETALHANDO AS ATIVIDADES E AS AÇÕES DE DIVULGAÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO

Leia mais

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014 A CPA (Comissão Própria De Avaliação) apresentou ao MEC, em março de 2015, o relatório da avaliação realizada no ano de 2014. A avaliação institucional, realizada anualmente, aborda as dimensões definidas

Leia mais

ÚNICA EDUCACIONAL LTDA FACULDADE ÚNICA DE IPATINGA PROJETO DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

ÚNICA EDUCACIONAL LTDA FACULDADE ÚNICA DE IPATINGA PROJETO DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL ÚNICA EDUCACIONAL LTDA FACULDADE ÚNICA DE IPATINGA PROJETO DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Março de 2015 SISTEMA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL A avaliação é entendida pela Faculdade Única de Ipatinga como um processo

Leia mais

Plano de Ação da Comissão Própria de Avaliação (CPA) do Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos (ITPAC/Porto) para o triênio 2014-2016

Plano de Ação da Comissão Própria de Avaliação (CPA) do Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos (ITPAC/Porto) para o triênio 2014-2016 Plano de Ação da Comissão Própria de Avaliação (CPA) do Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos (ITPAC/Porto) para o triênio 2014-2016 Porto Nacional, 27 de Agosto de 2014 1 Conteúdo 1.1 Mantenedora...

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 14 da Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004, resolve:

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 14 da Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004, resolve: >PORTARIA Nº 2.051, DE 9 DE JULHO DE 2004 Regulamenta os procedimentos de avaliação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), instituído na Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004.

Leia mais

RESOLUÇÃO UNIV N o 40 DE 28 DE AGOSTO DE 2009. Aprova o Regulamento do Processo de Auto- Avaliação da Universidade Estadual de Ponta Grossa.

RESOLUÇÃO UNIV N o 40 DE 28 DE AGOSTO DE 2009. Aprova o Regulamento do Processo de Auto- Avaliação da Universidade Estadual de Ponta Grossa. RESOLUÇÃO UNIV N o 40 DE 28 DE AGOSTO DE 2009. Aprova o Regulamento do Processo de Auto- Avaliação da Universidade Estadual de Ponta Grossa. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

PLANO DE AÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO

PLANO DE AÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO PLANO DE AÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO 2014 APRESENTAÇÃO O Plano de Ação ora apresentado planeja o processo da Autoavaliação Institucional, que vem se consolidando na Faculdade Norte Capixaba de São

Leia mais

UNIVERSIDADE PARANAENSE - UNIPAR

UNIVERSIDADE PARANAENSE - UNIPAR UNIVERSIDADE PARANAENSE - UNIPAR RELATÓRIO GLOBAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Ciclo Avaliativo 2010 2012 UNIDADE UM UNIVERSITÁRIA DE FRANCISCO BELTRÃO Comissão Permanente de Avaliação Institucional

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep

Leia mais

MEC. INEP. INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO. REVISÃO - III

MEC. INEP. INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO. REVISÃO - III SIC 38/10* Belo Horizonte, 3 de dezembro de 2010. MEC. INEP. INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO. REVISÃO - III O MEC publicou a Portaria nº 1326, de 18/11/2010 (ver íntegra do texto abaixo). É preciso ser mágico

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 26/5/2011, Seção 1, Pág. 20. Portaria n 678, publicada no D.O.U. de 26/5/2011, Seção 1, Pág. 19. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE FISIOTERAPIA

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE FISIOTERAPIA UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE FISIOTERAPIA 1 Dimensão 2 - Acadêmico avaliando professor POTENC. PTO. A MELHOR. FRAGIL. 1

Leia mais

AUTOAVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNISC. Ana Karin Nunes* Rosângela Gabriel** Christian Ricardo Rohr* Maria Elisa Baumhardt**

AUTOAVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNISC. Ana Karin Nunes* Rosângela Gabriel** Christian Ricardo Rohr* Maria Elisa Baumhardt** AUTOAVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNISC Ana Karin Nunes* Rosângela Gabriel** Christian Ricardo Rohr* Maria Elisa Baumhardt** * Assessoria de Avaliação Institucional da Universidade de Santa

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INTRODUÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) Articulação com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Projeto Político Pedagógico Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: UNIME - União Metropolitana para o Desenvolvimento da UF: BA Educação e Cultura ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE ENFERMAGEM UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE ENFERMAGEM 1 Dimensão 2 - Acadêmico avaliando professor 1 - O professor comparece com regularidade

Leia mais

FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2009-2010

FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2009-2010 FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2009-2010 1 Fragilidade resultado inferior a 50% Ponto a ser melhorado 50% e 59,9% Potencialidade igual ou

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIRON - CPA

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIRON - CPA REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIRON - CPA Av. Mamoré, nº 1520, Bairro Três Marias CEP: 78919-541 Tel: (69) 3733-5000 Porto Velho - RO 1 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

Leia mais

Plano de Ação da CPA

Plano de Ação da CPA Centro Universitário do Estado do Pará - CESUPA Plano de Ação da CPA Ano 2014 CPA/CESUPA 2014 C o m i s s ã o P r ó p r i a d e A v a l i a ç ã o C P A / C E S U P A APRESENTAÇÃO O plano de ações da CPA

Leia mais

Relatório de Autoavaliação

Relatório de Autoavaliação Relatório de Autoavaliação O CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO ESTÁCIO UNIRADIAL é uma Instituição Privada de Ensino Superior com fins lucrativos, situada no Município de São Paulo, Estado

Leia mais

VESTIBULAR IZABELA HENDRIX LORENA NEVES MATIAS ARQUITETURA E URBANISMO DIALOGUE ARGUMENTE CRITIQUE TOLERE APRENDA CRESÇA FAÇA

VESTIBULAR IZABELA HENDRIX LORENA NEVES MATIAS ARQUITETURA E URBANISMO DIALOGUE ARGUMENTE CRITIQUE TOLERE APRENDA CRESÇA FAÇA VESTIBULAR IZABELA HENDRIX LORENA NEVES MATIAS ARQUITETURA E URBANISMO DIALOGUE ARGUMENTE CRITIQUE TOLERE APRENDA CRESÇA FAÇA BEM-VINDO AO IZABELA HENDRIX ESTAR NA VANGUARDA É ESTAR À FRENTE. É APONTAR

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior- Conaes Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE PSICOLOGIA

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE PSICOLOGIA UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE PSICOLOGIA 1 Dimensão 2 - Acadêmico avaliando professor POTENC. PTO. A MELHOR. FRAGIL. 1 -

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE SECRETARIADO EXECUTIVO BILÍNGUE

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE SECRETARIADO EXECUTIVO BILÍNGUE UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE SECRETARIADO EXECUTIVO BILÍNGUE 1 Dimensão 2 - Acadêmico avaliando professor 1 - O professor

Leia mais

Informativo Comissão Própria de Avaliação URI Erechim

Informativo Comissão Própria de Avaliação URI Erechim Informativo Comissão Própria de Avaliação URI Erechim 7ª edição março 2015 Avaliação Institucional: um ato de consolidação para as universidades! Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Instituto Doctum de Educação e Tecnologia Ltda. UF: MG ASSUNTO: Credenciamento da Faculdade de Ciências Gerenciais

Leia mais

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP O Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES (Lei 10.681/2004) tem o propósito de promover a melhoria da educação superior no Brasil....assegurar

Leia mais

PROJETO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - UniEVANGÉLICA 2013, 2014 E 2015

PROJETO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - UniEVANGÉLICA 2013, 2014 E 2015 PROJETO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - UniEVANGÉLICA 2013, 2014 E 2015 1 VII SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL PROJETO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2013, 2014 E 2015 14 de maio de 2013 INTRODUÇÃO O projeto

Leia mais

FACULDADE DE ENGENHARIA DE MINAS GERAIS FEAMIG PLANO DE MELHORIAS ACADÊMICAS

FACULDADE DE ENGENHARIA DE MINAS GERAIS FEAMIG PLANO DE MELHORIAS ACADÊMICAS FACULDADE DE ENGENHARIA DE MINAS GERAIS FEAMIG PLANO DE MELHORIAS ACADÊMICAS Fevereiro 2011 PLANO DE MELHORIAS ACADÊMICAS DA FEAMIG Introdução Desde o final do ano de 2007 e o início de 2008, a FEAMIG

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Medicina

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Medicina MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre PLANO PLURIANUAL DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (2014-2017)

Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre PLANO PLURIANUAL DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (2014-2017) Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre PLANO PLURIANUAL DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (2014-2017) Setembro de 2014 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. JUSTIFICATIVA... 5 3. OBJETIVOS DA AVALIAÇÃO...

Leia mais

D I R E I T O SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES AUTORIZAÇÃO

D I R E I T O SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES AUTORIZAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Superior Sesu Departamento de Supervisão da Educação Superior - Desup Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria

Leia mais

RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional

RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional Maria Madalena Dullius, madalena@univates.br Daniela Cristina Schossler,

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Faculdades Nordeste S/A UF: CE ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade Nordeste, com sede no Município de Fortaleza,

Leia mais

PLANO DE AÇÃO 2012 Resolução COP Nº. 114/2011 de 08/12/2011

PLANO DE AÇÃO 2012 Resolução COP Nº. 114/2011 de 08/12/2011 PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL De acordo com o Decreto 5.773/2006 PERÍODO - 2012-2015 Resolução COP Nº 113/2011, de 08/12/2011 PLANO DE AÇÃO 2012 Resolução COP Nº. 114/2011 de 08/12/2011 Lucas

Leia mais

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do Dimensão 2 As políticas para o ensino, a pesquisa, a pós-graduação, a extensão e as respectivas normas de operacionalização, incluídos os procedimentos para estímulo à produção acadêmica, as bolsas de

Leia mais

Cursos de Administração: qualidade necessária. XIV Fórum Internacional de Administração

Cursos de Administração: qualidade necessária. XIV Fórum Internacional de Administração Cursos de Administração: qualidade necessária XIV Fórum Internacional de Administração Rio de Janeiro, 18 de maio de 2015 ENSINAR, APRENDER, AVALIAR... TRAJETÓRIA DA AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO SUPERIOR CAPES avaliação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância - Dresead Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira

Leia mais

PROJETO DE RECOMPOSIÇÃO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AUTO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (CPA) FARO

PROJETO DE RECOMPOSIÇÃO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AUTO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (CPA) FARO PROJETO DE RECOMPOSIÇÃO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AUTO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (CPA) FARO PORTO VELHO 2009 PROJETO DA RECOMPOSIÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AUTO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CPA INTRODUÇÃO A avaliação

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS IPITANGA FACIIP UNIDADE BAIANA DE ENSINO PESQUISA E EXTENSÃO - UNIBAHIA PERÍODO 2015/2017. Lauro de Freitas - Bahia

FACULDADES INTEGRADAS IPITANGA FACIIP UNIDADE BAIANA DE ENSINO PESQUISA E EXTENSÃO - UNIBAHIA PERÍODO 2015/2017. Lauro de Freitas - Bahia FACULDADES INTEGRADAS IPITANGA FACIIP UNIDADE BAIANA DE ENSINO PESQUISA E ETENSÃO - UNIBAHIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE AUTOAVALIAÇÃO PERÍODO 2015/2017 Lauro de Freitas

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Cristã de Moços de Sorocaba UF: SP ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade de Educação Física da Associação

Leia mais

RELATÓRIO PARCIAL DE AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

RELATÓRIO PARCIAL DE AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL RELATÓRIO PARCIAL DE AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Osasco Março / 2012 1 A cada avaliação temos a oportunidade de reforçar os valoreschave e transmitir o legado cultural do UNIFIEO para a sociedade. A.

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO E APERFEIÇOAMENTO PEDAGÓGICO AO DOCENTE

PROGRAMA DE APOIO E APERFEIÇOAMENTO PEDAGÓGICO AO DOCENTE PROGRAMA DE APOIO E APERFEIÇOAMENTO PEDAGÓGICO AO DOCENTE DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE - MT 2011 Apresentação Articulado com o novo Plano de Desenvolvimento Institucional (2011-2015)

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO FACULDADE UNIÃO

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO FACULDADE UNIÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO FACULDADE UNIÃO A avaliação institucional tem sido objeto de discussões na Faculdade Educacional de Ponta Grossa - Faculdade União e sempre foi reconhecida como um instrumento

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

FACULDADE LEGALE RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO

FACULDADE LEGALE RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO FACULDADE LEGALE RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2013 DE ACORDO COM O MODELO DO: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - COMISSÃO NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR CONAES/INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS

Leia mais

Leis Federais. LEI N o 10.861, DE 14 DE ABRIL DE 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES e dá outras providências

Leis Federais. LEI N o 10.861, DE 14 DE ABRIL DE 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES e dá outras providências LEI N o 10.861, DE 14 DE ABRIL DE 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES e dá outras providências O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta

Leia mais